Planejamento Tributário Empresarial

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Planejamento Tributário Empresarial"

Transcrição

1 Planejamento Tributário Empresarial Aula 07 Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho

2 Este material é parte integrante da disciplina, oferecida pela UNINOVE. O acesso às atividades, conteúdos multimídia e interativo, encontros virtuais, fóruns de discussão e a comunicação com o professor devem ser feitos diretamente no ambiente virtual de aprendizagem UNINOVE. Uso consciente do papel. Cause boa impressão, imprima menos.

3 Aula 07: Obrigação tributária e sujeitos da relação tributária. Objetivo: Conhecer as obrigações tributárias e os sujeitos da relação tributária. Obrigação tributária Para falarmos de obrigação tributária temos que trazer aqui a melhor definição dada por Gusmão (2008; p.69), o vínculo jurídico que autoriza o Estado a exigir do particular uma prestação positiva ou negativa, com base unicamente na lei. Ainda temos que nos reportamos à legislação, isto é, ao CTN, que em seu Art. 113 afirma que a obrigação tributária é principal ou acessória, assim podemos concluir que a obrigação tributária é um gênero cujas espécies são essas duas. Obrigação Tributária: - Obrigação Principal CTN. Art º 1. - Obrigação Acessória CTN. Art º 2. Obrigação Principal: é a própria obrigação de dar. A lei define que essa espécie de obrigação surge com a ocorrência do fato gerador, tem por objeto o pagamento de tributo ou penalidade pecuniária e extingue-se juntamente com o crédito decorrente. Atenção! Veja que a obrigação pecuniária está ligada ao pagamento do tributo ou à sua penalidade, como a liquidação da multa pelo atraso no seu pagamento.

4 Obrigação Acessória: aqui temos a obrigação de fazer ou não fazer, isto é, a lei tem por objeto as prestações, positivas e negativas, nela prevista no interesse da arrecadação ou da fiscalização dos tributos. Então definimos como a obrigação do contribuinte de fornecer elementos, declarações, escriturações com a finalidade de auxiliar o Estado na fiscalização e a verificar se a obrigação principal foi satisfeita integralmente. Temos como exemplo a emissão de uma nota fiscal, a escrituração de livros contábeis, declarações diversas, sempre quando e na forma em que a lei determinar.

5 Sujeitos da relação tributária Como já vimos, o direito tributário é o ramo do direito público, o único que tem a competência de tributar com limites e princípios. Desse modo, a competência para instituir, arrecadar e fiscalizar é do Estado, isto é, do Poder Público como os Estados, os Municípios, a União e o Distrito Federal. Assim, poderemos definir que os sujeitos da relação tributária são dois: Sujeito Ativo e Sujeito Passivo, sendo este último subdividido em sujeito passivo direto ou contribuinte e sujeito passivo indireto responsável, que fazem parte do aspecto pessoal do fato gerador. Sujeito Ativo da obrigação tributária é sempre o titular do direito de tributar, isto é, o titular da capacidade tributária. Então, aquele que detém a capacidade de arrecadar e fiscalizar a arrecadação ou a obrigação acessória é considerado sujeito ativo. Nesse sentido temos que os Municípios, os Estados, o Distrito Federal e a União são os sujeitos ativos 3. Sujeito Passivo 4 será sempre aquele que responde (responsável) pelo débito decorrente da obrigação tributária, seja pessoa física ou jurídica. Entretanto, há as modalidades decorrentes da própria lei do sujeito passivo direto ou contribuinte e sujeito passivo indireto ou responsável. Sujeito Passivo Direto ou Contribuinte: será sempre aquela pessoa física ou jurídica que tenha relação direta com a obrigação principal e com o fato gerador

6 ou aquele que tirou proveito econômico do fato jurídico. (CTN. Art. 121, Parágrafo Único, I) Sujeito Passivo Indireto ou Responsável: Aqui podemos entender que é sempre um terceiro na relação tributária que estará inserido na responsabilidade, de duas formas: por substituição ou por transferência, que responderá pela obrigação tributária decorrente da lei (CTN. Art. 121, II). Sujeito Passivo por substituição: na substituição a obrigação constitui-se desde logo em relação a um substituto ou responsável, ficando de fora aquele que seria o contribuinte e para melhor entender citamos o exemplo clássico trazido por Führer (2008; p.53) O ICMS de agricultor a ser pago pelo comprador da safra ou o ICMS de operações posteriores, a ser pago antecipadamente pelos fabricantes de cerveja e de cigarros. Sujeito Passivo por transferência: constitui-se inicialmente em relação ao contribuinte, comunicando-se depois, porém ao responsável, podendo se dá por solidariedade, sucessão e por subsidiariedade. (FÜHRER, 2008). Por exemplo: transferência pela sucessão na transferência da propriedade de um imóvel o pagamento do IPTU. Aquele que comprou o imóvel com dívida na prefeitura, com o atraso no pagamento do IPTU, tem a dívida transferida para si. Já por solidariedade, o devedor solidário responderá juntamente com o principal, em pé de igualdade (FÜLRER, 2008) ou ainda o poder público (sujeito ativo) poderá cobrar de um ou de outro. A subsidiariedade faz o devedor responder juntamente com o devedor principal, mas com o benefício de ordem, isto é, primeiro esgotam-se as formas de cobrança do devedor principal para depois chamá-lo a responder pela dívida (FÜLRER, 2008, p.53). Pronto! Agora estamos preparados para aprender sobre os sujeitos da relação tributária e suas obrigações, objeto da próxima aula.

7 Saiba mais CTN. Art º 1 : CTN Art. 113 A obrigação tributária é principal ou acessória. 1º - A obrigação principal surge com a ocorrência do fato gerador, tem por objeto o pagamento de tributo ou a penalidade pecuniária e extingue-se juntamente com o crédito dela decorrente. CTN. Art º 2 : CTN Art. 113 A obrigação tributária é principal ou acessória. 2º - A obrigação acessória decorre da legislação tributária e tem por objeto as prestações, positivas e negativas, nela prevista no interesse da arrecadação ou da fiscalização dos tributos. 3º - A obrigação acessória, pelo simples fato da sua inobservância converte-se em obrigação principal relativamente a penalidade pecuniária. Sujeitos ativos 3 : CTN Art. 119 Sujeito ativo da obrigação é a pessoal jurídica de direito público, titular da competência para exigir o seu cumprimento. Sujeito passivo 4 : CTN Art Sujeito passivo da obrigação principal é a pessoa obrigada ao pagamento de tributo ou penalidade pecuniária. Agora, para fixar o seu aprendizado, vamos aos exercícios do AVA. Caso fique alguma dúvida, leve a questão ao Fórum e divida-a com seus colegas e professor.

8 REFERÊNCIAS BRASIL. Código Tributário Nacional, Códigos 3 em 1, 8ª Ed. SP, Editora Saraiva, Constituição Federal, Códigos 3 em 1, 8ª. Ed. SP, Editora Saraiva, COSTA, Regina Helena. Curso de Direito Tributário: Constituição e Código Tributário Nacional. 2. Tiragem, São Paulo: Saraiva, FÜHRER, Maximilianus Cláudio Américo; FÜHRER, Maximiliano Roberto Ernesto. Resumo de Direito Constitucional. 7. ed. São Paulo: Malheiros Editores, FÜHRER, Maximilianus Cláudio Américo; FÜHRER, Maximiliano Roberto Ernesto. Resumo de Direito Tributário, 19. ed. São Paulo: Malheiros Editores, SILLOS, Lívio Augusto de. Planejamento Tributário Aspectos teóricos e práticos. São Paulo: Livraria e Editora Universitária de Direito LEUD, 2005.

Planejamento Tributário Empresarial

Planejamento Tributário Empresarial Planejamento Tributário Empresarial Aula 06 Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Este material é parte integrante da disciplina, oferecida pela UNINOVE. O acesso às atividades,

Leia mais

Planejamento Tributário Empresarial

Planejamento Tributário Empresarial Planejamento Tributário Empresarial Aula 09 Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Este material é parte integrante da disciplina, oferecida pela UNINOVE. O acesso às atividades,

Leia mais

Direito Empresarial. Aula 09. Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho

Direito Empresarial. Aula 09. Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Direito Empresarial Aula 09 Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Este material é parte integrante da disciplina oferecida pela UNINOVE. O acesso às atividades, conteúdos multimídia

Leia mais

Planejamento Tributário Empresarial

Planejamento Tributário Empresarial Planejamento Tributário Empresarial Aula 10 Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Este material é parte integrante da disciplina, oferecida pela UNINOVE. O acesso às atividades,

Leia mais

AULA DE 20/08/15 HI FG OT CT

AULA DE 20/08/15 HI FG OT CT AULA DE 20/08/15 3. RELAÇÃO JURÍDICO-TRIBUTÁRIO HI FG OT CT HI = hipótese de incidência FG = fato gerador OT = obrigação tributária CT = crédito tributário 3.1. Hipótese de Incidência Momento abstrato,

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE VÁRZEA PAULISTA ESTADO DE SÃO PAULO

PREFEITURA MUNICIPAL DE VÁRZEA PAULISTA ESTADO DE SÃO PAULO Institui o módulo eletrônico de arrecadação de ISSQN e a Nota Fiscal Eletrônica de Serviços e dá outras providências. EDUARDO TADEU PEREIRA, Prefeito Municipal de Várzea Paulista, Estado de São Paulo,

Leia mais

18/08/2010 TRIBUTOS EM ESPÉCIE IMPOSTOS IMPOSTOS. Impostos Estaduais. Impostos Estaduais IPVA ICMS ITCMD. Legislação Comercial e Tributária

18/08/2010 TRIBUTOS EM ESPÉCIE IMPOSTOS IMPOSTOS. Impostos Estaduais. Impostos Estaduais IPVA ICMS ITCMD. Legislação Comercial e Tributária Legislação Comercial e Tributária TRIBUTOS EM ESPÉCIE IPVA ICMS ITCMD IPVA: Imposto sobre a propriedade de veículo automotor. Fato Gerador: é a propriedade do veículo automotor. Base de cálculo: valor

Leia mais

Planejamento Tributário Empresarial

Planejamento Tributário Empresarial Planejamento Tributário Empresarial Aula 17 Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Este material é parte integrante da disciplina, oferecida pela UNINOVE. O acesso às atividades,

Leia mais

Planejamento Tributário Empresarial

Planejamento Tributário Empresarial Planejamento Tributário Empresarial Aula 02 Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Este material é parte integrante da disciplina, oferecida pela UNINOVE. O acesso às atividades,

Leia mais

Planejamento Tributário Empresarial

Planejamento Tributário Empresarial Planejamento Tributário Empresarial Aula 18 Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Este material é parte integrante da disciplina, oferecida pela UNINOVE. O acesso às atividades,

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE VÁRZEA PAULISTA ESTADO DE SÃO PAULO

PREFEITURA MUNICIPAL DE VÁRZEA PAULISTA ESTADO DE SÃO PAULO Institui o módulo eletrônico de arrecadação de ISSQN e a Nota Fiscal Eletrônica de Serviços e dá outras providências. EDUARDO TADEU PEREIRA, Prefeito Municipal de Várzea Paulista, Estado de São Paulo,

Leia mais

Crédito e lançamento tributário

Crédito e lançamento tributário Crédito e lançamento tributário Levar o entendimento ao aluno sobre o que é, como se processa o crédito e as formas do lançamento do crédito tributário. Vamos lá, pessoal, na aula passada vimos a integração

Leia mais

Planejamento Tributário Empresarial

Planejamento Tributário Empresarial Planejamento Tributário Empresarial Aula 13 Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Este material é parte integrante da disciplina, oferecida pela UNINOVE. O acesso às atividades,

Leia mais

Planejamento Tributário Empresarial

Planejamento Tributário Empresarial Planejamento Tributário Empresarial Aula 16 Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Este material é parte integrante da disciplina, oferecida pela UNINOVE. O acesso às atividades,

Leia mais

Planejamento Tributário Empresarial

Planejamento Tributário Empresarial Planejamento Tributário Empresarial Aula 11 Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Este material é parte integrante da disciplina, oferecida pela UNINOVE. O acesso às atividades,

Leia mais

Portal do Contribuinte. Manual Operacional FREIRE 05/2016

Portal do Contribuinte. Manual Operacional FREIRE 05/2016 2016 s Portal do Contribuinte Manual Operacional FREIRE 05/2016 ÍNDICE 1 - APRESENTAÇÃO... 3 2 - VISÃO GERAL SOBRE O SISTEMA... 4 3 - ACESSO AO PORTAL DO CONTRIBUINTE... 5 4 - ACESSANDO O MENU - PARA EMPRESA...

Leia mais

Cessão de Direitos Creditórios. 21ª GTCON Maio/2016

Cessão de Direitos Creditórios. 21ª GTCON Maio/2016 Cessão de Direitos Creditórios 21ª GTCON Maio/2016 Cessão de Direitos Creditórios Operações de Cessão de Direitos Creditórios estruturam-se das mais diversas formas. Para os fins desta contabilização foram

Leia mais

Planejamento Tributário Empresarial

Planejamento Tributário Empresarial Planejamento Tributário Empresarial Aula 15 Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Este material é parte integrante da disciplina, oferecida pela UNINOVE. O acesso às atividades,

Leia mais

Relação jurídica tributária

Relação jurídica tributária Sistema Tributário Nacional: A Relação jurídica tributária: Hipóteses de incidência; Fato gerador; Obrigações tributárias: sujeito ativo, sujeito passivo, domicílio tributário, principal; acessória. Tipos

Leia mais

Planejamento Tributário Empresarial

Planejamento Tributário Empresarial Planejamento Tributário Empresarial Aula 04 Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Este material é parte integrante da disciplina, oferecida pela UNINOVE. O acesso às atividades,

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DO RIO GRANDE DO SUL Autarquia Federal Lei nº 5.905/73

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DO RIO GRANDE DO SUL Autarquia Federal Lei nº 5.905/73 DECISÃO COREN-RS Nº 133/2013 ESTABELECE NOVA REGULAMENTAÇÃO AO PAGAMENTO DE DÉBITOS DE ANUIDADES JUNTO AO CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DO RIO GRANDE DO SUL - COREN-RS E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O Conselho

Leia mais

Planejamento Tributário Empresarial

Planejamento Tributário Empresarial Planejamento Tributário Empresarial Aula 14 Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Este material é parte integrante da disciplina, oferecida pela UNINOVE. O acesso às atividades,

Leia mais

SUMÁRIO Capítulo 1 Seguridade Social e a Previdência Social

SUMÁRIO Capítulo 1 Seguridade Social e a Previdência Social S UMÁRIO Capítulo 1 Seguridade Social e a Previdência Social... 1 1.1. Seguridade Social... 1 1.1.1. A Saúde... 2 1.1.2. A Assistência Social... 5 1.1.3. A Previdência Social... 10 1.1.3.1. Natureza jurídica

Leia mais

GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL SECRETARIA DE ESTADO DE FAZENDA. 1 - Substituição Tributária:

GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL SECRETARIA DE ESTADO DE FAZENDA. 1 - Substituição Tributária: GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL SECRETARIA DE ESTADO DE FAZENDA 1 - Substituição Tributária: A substituição tributária, denominada por muitos como o instituto da substituição tributária, é uma técnica de tributação,

Leia mais

O Prefeito Municipal de Divinópolis, Demetrius Arantes Pereira, no uso de suas atribuições legais,

O Prefeito Municipal de Divinópolis, Demetrius Arantes Pereira, no uso de suas atribuições legais, DECRETO Nº 7646 INSTITUI O SISTEMA ELETRÔNICO DE GESTÃO E REGULAMENTA NOVAS DISPOSIÇÕES DO IMPOSTO SOBRE SERVIÇO DE QUALQUER NATUREZA ISSQN, CONTIDAS NA LEI COMPLEMENTAR Nº 007/91 E MODIFICAÇÕES POSTERIORES,

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Fundo Estadual de Combate a Pobreza - Energia Elétrica e Comunicação - RJ

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Fundo Estadual de Combate a Pobreza - Energia Elétrica e Comunicação - RJ Parecer Consultoria Tributária Segmentos Fundo Estadual de Combate a Pobreza - Energia Elétrica e Comunicação - RJ 04/02/2016 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas Apresentadas pelo Cliente...

Leia mais

EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 87/15 VENDAS INTERESTADUAIS A CONSUMIDORES FINAIS NÃO CONTRIBUINTES DO ICMS

EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 87/15 VENDAS INTERESTADUAIS A CONSUMIDORES FINAIS NÃO CONTRIBUINTES DO ICMS EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 87/15 VENDAS INTERESTADUAIS A CONSUMIDORES FINAIS NÃO CONTRIBUINTES DO ICMS A Emenda Constitucional 87/2015 alterou a sistemática de recolhimento do ICMS nas operações e prestações

Leia mais

RESUMO DE AULA CURSO DISCIPLINA DOCENTE RESPONSÁVEL SÉRIE SEMESTRE ANO ADMINISTRAÇÃO DIREITO TRIBUTÁRIO KATIA LOPES MARIANO 6 1 2014

RESUMO DE AULA CURSO DISCIPLINA DOCENTE RESPONSÁVEL SÉRIE SEMESTRE ANO ADMINISTRAÇÃO DIREITO TRIBUTÁRIO KATIA LOPES MARIANO 6 1 2014 RESUMO DE AULA CURSO DISCIPLINA DOCENTE RESPONSÁVEL SÉRIE SEMESTRE ANO ADMINISTRAÇÃO DIREITO TRIBUTÁRIO KATIA LOPES MARIANO 6 1 2014 9. CRÉDITO TRIBUTÁRIO 9.1. Conceito - O crédito tributário corresponde

Leia mais

DIREITO TRIBUTÁRIO Técnico TRF

DIREITO TRIBUTÁRIO Técnico TRF OBRIGAÇÃO TRIBUTÁRIA art. 113 ao 127 do Código Tributário Nacional 1. Da Obrigação Tributária Principal e Acessória Com a ocorrência do fato descrito na hipótese da norma jurídica, nasce a obrigação tributária.

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE CAPÍTULO II

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE CAPÍTULO II LEI N. 1.340, DE 19 DE JULHO DE 2000 seguinte Lei: O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE Estabelece tratamento diferenciado, simplificado e favorecido às microempresas, empresas de pequeno porte e dá outras providências.

Leia mais

O Prefeito Municipal de Cruz Alta/RS, em exercício, usando das atribuições que lhe são conferidas por lei,

O Prefeito Municipal de Cruz Alta/RS, em exercício, usando das atribuições que lhe são conferidas por lei, DECRETO Nº 015/07, DE 19 DE JANEIRO DE 2007. REGULAMENTA OS ARTIGOS 68 a 73 DA LEI N 96/1983, ALTERADO PELA LEI COMPLEMENTAR N 29/2003, DISPÕE SOBRE AS NOTAS FISCAIS DE SERVIÇOS PADRONIZADAS, A NOTA FISCAL

Leia mais

EXERCÍCIOS - ORÇAMENTO/PPA/LOA/LDO FABIO LUCIO EXERCÍCIOS

EXERCÍCIOS - ORÇAMENTO/PPA/LOA/LDO FABIO LUCIO EXERCÍCIOS EXERCÍCIOS EXERCÍCIOS - ORÇAMENTO/PPA/LOA/LDO FABIO LUCIO 1 2 3 4 5 Sugestões, questões de prova e auxilio em seus estudos:fabiomoreira2011@gmail.com SUCESSO PROFISSIONAL!!! 6 54. Analise o seguinte Balanço,

Leia mais

Sumário. Questões CAPÍTULOS I E II... 43 1. Questões comentadas... 43 2. Questões de concurso... 47

Sumário. Questões CAPÍTULOS I E II... 43 1. Questões comentadas... 43 2. Questões de concurso... 47 Sumário APRESENTAÇÃO DA COLEÇÃO... 11 Capítulo I DIREITO TRIBUTÁRIO, TRIBUTO E SUAS ESPÉCIES... 13 1. Breve introdução ao Direito Tributário... 13 2. Tributo... 14 3. Espécies tributárias... 16 3.1. Impostos...

Leia mais

Agenda Tributária: de 21 a 27 de janeiro de 2016

Agenda Tributária: de 21 a 27 de janeiro de 2016 Agenda Tributária: de 21 a 27 de janeiro de 2016 Dia: 22 DCTF - Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais - Mensal NOVEMBRO/2015 As pessoas jurídicas de direito privado em geral, inclusive

Leia mais

Siglas deste documento:

Siglas deste documento: O CAUC possui 13 itens a serem observados para a efetivação de uma transferência voluntária. Veja adiante a legislação relativa a cada um desses itens. Siglas deste documento: CADIN Cadastro Informativo

Leia mais

CONTRIBUIÇÃO À CONSULTA PÚBLICA Nº 1/2016 DA ANATEL

CONTRIBUIÇÃO À CONSULTA PÚBLICA Nº 1/2016 DA ANATEL CONTRIBUIÇÃO À CONSULTA PÚBLICA Nº 1/2016 DA ANATEL Consulta Pública sobre proposta de Regulamento de Restituição e de Compensação das Receitas Administradas pela Agência Nacional de Telecomunicações I

Leia mais

Faculdade da Alta Paulista

Faculdade da Alta Paulista Plano de Ensino Disciplina: DIREITO E LEGISLAÇÃO TRIBUTÁRIA Código: Série: 3ª Obrigatória (X ) Optativa ( ) CH Teórica: CH Prática: CH Total: 80h Período Letivo: 2015 Obs: Objetivos Garantir que o aluno

Leia mais

Implementação da progressividade fiscal e extrafiscal do IPTU

Implementação da progressividade fiscal e extrafiscal do IPTU Implementação da progressividade fiscal e extrafiscal do IPTU Competências Sistema Tributário Nacional na Constituição: Do artigo 145 ao 162 estão disposta as previsões constitucionais que regulamentam

Leia mais

Planejamento Governamental (PPA, LDO, LOA) Orçamento de 2014 ECA e Lei 12.696/12 (Conselhos Tutelares) Prestação de Contas Anual

Planejamento Governamental (PPA, LDO, LOA) Orçamento de 2014 ECA e Lei 12.696/12 (Conselhos Tutelares) Prestação de Contas Anual Planejamento Governamental (PPA, LDO, LOA) Orçamento de 2014 ECA e Lei 12.696/12 (Conselhos Tutelares) Prestação de Contas Anual Planejamento Governamental É a definição de objetivos e o estabelecimento

Leia mais

FIOS, TECIDOS, ARTIGOS DE ARMARINHO E CONFECÇÕES. PERGUNTAS E RESPOSTAS Atualizado em 05/01/2016 Incluídas perguntas 11 e 12

FIOS, TECIDOS, ARTIGOS DE ARMARINHO E CONFECÇÕES. PERGUNTAS E RESPOSTAS Atualizado em 05/01/2016 Incluídas perguntas 11 e 12 FIOS, TECIDOS, ARTIGOS DE ARMARINHO E CONFECÇÕES PERGUNTAS E RESPOSTAS Atualizado em 05/01/2016 Incluídas perguntas 11 e 12 2 PERGUNTAS E RESPOSTAS 1. Em que consiste a sistemática simplificada de tributação

Leia mais

DECRETA: Art. 2º A prova de regularidade perante a Fazenda Pública Municipal de Teresina será efetuada mediante a apresentação de:

DECRETA: Art. 2º A prova de regularidade perante a Fazenda Pública Municipal de Teresina será efetuada mediante a apresentação de: 1 DECRETO Nº 9.468, DE 8 DE JULHO DE 2009. Dispõe sobre a regulamentação da emissão de certidões no âmbito da Fazenda Pública Municipal. O PREFEITO MUNICIPAL DE TERESINA, Estado do Piauí, no uso das atribuições

Leia mais

Município de Carapicuiba Estado de São Paulo

Município de Carapicuiba Estado de São Paulo DECRETO Nº 4.323, DE 19 DE DEZEMBRO DE 2.013. Institui o calendário de recolhimento dos tributos do Município de Carapicuíba (CATRIM), fixa o índice de atualização monetária dos créditos tributários municipais

Leia mais

SEFAZ/PE. Pessoal, vou comentar as questões da prova.

SEFAZ/PE. Pessoal, vou comentar as questões da prova. SEFAZ/PE Pessoal, vou comentar as questões da prova. 61. Sobre os Princípios de Contabilidade sob a Perspectiva do Setor Público, considere: I. O Princípio da Entidade se afirma, para o ente público, pela

Leia mais

Sumário. Apresentação... IX Introdução... XIX

Sumário. Apresentação... IX Introdução... XIX Sumário Apresentação......................................................................................................... IX Introdução..........................................................................................................

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL Prefeitura Municipal de Pinheiro Machado PROJETO DE LEI Nº 48, DE 12 DE NOVEMBRO DE 2015

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL Prefeitura Municipal de Pinheiro Machado PROJETO DE LEI Nº 48, DE 12 DE NOVEMBRO DE 2015 PROJETO DE LEI Nº 48, DE 12 DE NOVEMBRO DE 2015 Revoga a Lei Nº 3.326, de 2002, e atualiza a Planta de Valores, para efeitos de IPTU, para ao exercício de 2016. Art. 1º Fica atualizada a Planta de Valores,

Leia mais

AS ATIVIDADES FINANCEIRAS DO ESTADO. Papel do ESTADO 3 Pressupostos Papel do Cidadão

AS ATIVIDADES FINANCEIRAS DO ESTADO. Papel do ESTADO 3 Pressupostos Papel do Cidadão AS ATIVIDADES FINANCEIRAS DO ESTADO Papel do ESTADO 3 Pressupostos Papel do Cidadão O ESTADO Com o nascimento do Estado os cidadãos cedem Povo, parte Território da sua Liberdade Governo em troca da Povo,

Leia mais

Legislação e tributação comercial

Legislação e tributação comercial 7.3 IMPOSTOS MUNICIPAIS A teor do que dispõe o artigo 156 da Constituição Federal: Compete aos Municípios instituir impostos sobre: I - propriedade predial e territorial urbana; II - transmissão "inter

Leia mais

AGENDA TRIBUTÁRIA ESTADUAL: MAIO DE 2016 - COM. CAT Nº 11, DE 25 DE ABRIL DE 2016

AGENDA TRIBUTÁRIA ESTADUAL: MAIO DE 2016 - COM. CAT Nº 11, DE 25 DE ABRIL DE 2016 AGENDA TRIBUTÁRIA ESTADUAL: MAIO DE 2016 COM. CAT Nº 11, DE 25 DE ABRIL DE 2016 Declara as datas fixadas para cumprimento das obrigações principais e acessórias, do mês de maio de 2016. O Coordenador da

Leia mais

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CÓD. 14

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CÓD. 14 1 Prezado(a) candidato(a): Assine e coloque seu número de inscrição no quadro abaixo. Preencha, com traços firmes, o espaço reservado a cada opção na folha de resposta. Nº de Inscrição Nome PROVA DE CONHECIMENTOS

Leia mais

PARECER Nº, DE 2015. RELATOR: Senador JOSÉ PIMENTEL

PARECER Nº, DE 2015. RELATOR: Senador JOSÉ PIMENTEL PARECER Nº, DE 2015 Da COMISSÃO DE ASSUNTOS ECONÔMICOS, sobre o Projeto de Lei do Senado nº 285, de 2011 Complementar, do Senador Ciro Nogueira, que altera o art. 191-A da Lei nº 5.172, de 25 de outubro

Leia mais

Agência Nacional de Vigilância Sanitária

Agência Nacional de Vigilância Sanitária EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS Assunto: Emissão de Certificado de Livre Prática 1. Segundo o Regulamento Sanitário Internacional (2005) em seu Título I, Artigo 1 Definições: «libre plática» significa la autorización,

Leia mais

Prefeitura Municipal de São Caetano do Sul

Prefeitura Municipal de São Caetano do Sul DECRETO N.º 9.096 DE 31 DE JANEIRO DE 2005 REGULAMENTA A LEI N.º 4.193, DE 19 DE DEZEMBRO DE 2003, QUE DISPÕE SOBRE O IMPOSTO SOBRE SERVIÇO DE QUALQUER NATUREZA ISSQN, E ESTABELECE OBRIGAÇÕES ACESSÓRIAS

Leia mais

tributarioparaconcursos.wordpress.com

tributarioparaconcursos.wordpress.com 1 - ADVOGADO COREN/GO 2010 (UFG) A obrigação de pagar tributo decorre de uma relação jurídica que dá origem ao crédito tributário. A respeito da obrigação tributária, conclui-se que (A) a obrigação tributária

Leia mais

Decreto n 3.391/2.013

Decreto n 3.391/2.013 Decreto n 3.391/2.013 Dispõe sobre a cobrança e parcelamento de créditos tributários e não-tributários pela Procuradoria Jurídica do Município de Ouro Preto. O Prefeito de Ouro Preto, no exercício de seu

Leia mais

CONSOLIDAÇÃO DO PROCESSO DE MUDANÇAS ESTRUTURAIS

CONSOLIDAÇÃO DO PROCESSO DE MUDANÇAS ESTRUTURAIS CONSOLIDAÇÃO DO PROCESSO DE MUDANÇAS ESTRUTURAIS APROVAÇÃO DA REFORMA DA PREVIDÊNCIA REGULAMENTAÇÃO DA REFORMA ADMINISTRATIVA REGULAMENTAÇÃO DA REFORMA DA PREVIDÊNCIA REFORMA TRIBUTÁRIA PRIVATIZAÇÕES REFORMA

Leia mais

PREPARATÓRIO RIO EXAME DA OAB DIREITO TRIBUTÁRIO

PREPARATÓRIO RIO EXAME DA OAB DIREITO TRIBUTÁRIO PREPARATÓRIO RIO EXAME DA OAB DIREITO TRIBUTÁRIO RIO 1ª parte SISTEMA TRIBUTÁRIO RIO NA CONSTITUIÇÃO Prof. JOSÉ HABLE www.josehable.adv.br johable@gmail.com O SISTEMA TRIBUTÁRIO RIO NA CONSTITUIÇÃO 1.

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DE MATO GROSSO, no uso das atribuições que lhe são conferidas pelo artigo 66, inciso III, da Constituição Estadual,

O GOVERNADOR DO ESTADO DE MATO GROSSO, no uso das atribuições que lhe são conferidas pelo artigo 66, inciso III, da Constituição Estadual, Página 1 de 5 Legislação Tributária ICMS Ato: Decreto Número/Complemento Assinatura Publicação Pág. D.O. Início da Vigência Início dos Efeitos 1174/2012 11/06/2012 11/06/2012 3 11/06/2012 11/06/2012 Ementa:

Leia mais

Perguntas e Respostas Nota Fiscal Avulsa eletrônica (NFAe)

Perguntas e Respostas Nota Fiscal Avulsa eletrônica (NFAe) Perguntas e Respostas Nota Fiscal Avulsa eletrônica (NFAe) 1. O que é a Nota Fiscal Avulsa eletrônica? Atualizado em 03/12/2010 A Nota Fiscal Avulsa eletrônica é um serviço, disponível na AR.internet (usuário:

Leia mais

Rotinas da Fiscalização Tributária e do Lançamento Fiscal Márcia Zilá Longen

Rotinas da Fiscalização Tributária e do Lançamento Fiscal Márcia Zilá Longen Rotinas da Fiscalização Tributária e do Lançamento Fiscal Márcia Zilá Longen 9º Congresso Catarinense de Secretários de Finanças, Contadores Públicos e Controladores Internos Municipais FECAM Florianópolis/SC

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Emissão de Documento Fiscal pelo contribuinte substituído no recebimento de mercadorias com ICMS-ST

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Emissão de Documento Fiscal pelo contribuinte substituído no recebimento de mercadorias com ICMS-ST Segmentos Emissão de Documento Fiscal pelo contribuinte substituído no recebimento de mercadorias com ICMS-ST 07/03/2014 Título do documento Sumário 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente...

Leia mais

A EXPERIÊNCIA NO TRATAMENTO DOS VÍCIOS E DEFEITOS DOS PRODUTOS E SERVIÇOS NO ÂMBITO DO BALCÃO DO CONSUMIDOR DE IJUÍ 1

A EXPERIÊNCIA NO TRATAMENTO DOS VÍCIOS E DEFEITOS DOS PRODUTOS E SERVIÇOS NO ÂMBITO DO BALCÃO DO CONSUMIDOR DE IJUÍ 1 A EXPERIÊNCIA NO TRATAMENTO DOS VÍCIOS E DEFEITOS DOS PRODUTOS E SERVIÇOS NO ÂMBITO DO BALCÃO DO CONSUMIDOR DE IJUÍ 1 Carine Pes Wisneski 2, Fabiana Fachinetto Padoin 3, Tobias Damião Corrêa 4. 1 Projeto

Leia mais

INTERNALIZAÇÃO DO EFD-CONTRIBUIÇÕES NOS CLIENTES DE UM ESCRITÓRIO CONTÁBIL

INTERNALIZAÇÃO DO EFD-CONTRIBUIÇÕES NOS CLIENTES DE UM ESCRITÓRIO CONTÁBIL INTERNALIZAÇÃO DO EFD-CONTRIBUIÇÕES NOS CLIENTES DE UM ESCRITÓRIO CONTÁBIL Náthali Baldissera 1 Diana de Almeida e Silva Stedile 2 INTRODUÇÃO Esta pesquisa apresenta como tema central a internalização

Leia mais

2 PANORAMA ECONÔMICO E JURÍDICO: PERSPECTIVAS PARA A INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO 2016

2 PANORAMA ECONÔMICO E JURÍDICO: PERSPECTIVAS PARA A INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO 2016 2 PANORAMA ECONÔMICO E JURÍDICO: PERSPECTIVAS PARA A INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO 2016 VISÃO ATUAL DA TRIBUTAÇÃO NO BRASIL: - Aumento exponencial da Carga Tributária, especialmente sobre o consumo e não sobre

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA GERÊNCIA TRIBUTÁRIA SUBGERÊNCIA DE LEGISLAÇÃO E ORIENTAÇÃO TRIBUTÁRIA

GOVERNO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA GERÊNCIA TRIBUTÁRIA SUBGERÊNCIA DE LEGISLAÇÃO E ORIENTAÇÃO TRIBUTÁRIA PARECER N 268 / 2015 ASSUNTO: PARECER INFORMATIVO EMENTA: ICMS AUTO PEÇAS USADAS NOTA FISCAL DE ENTRADA OBRIGATORIEDADE SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA VENDA PARA CONSUMIDOR FINAL INAPLICABILIDADE REDUÇÃO DE BASE

Leia mais

GOVERNO DE RONDÔNIA SECRETARIA DE ESTADO DE FINANÇAS COORDENADORIA DA RECEITA ESTADUAL GETRI GERÊNCIA DE TRIBUTAÇÃO

GOVERNO DE RONDÔNIA SECRETARIA DE ESTADO DE FINANÇAS COORDENADORIA DA RECEITA ESTADUAL GETRI GERÊNCIA DE TRIBUTAÇÃO ASSUNTO : Consulta Operações com cartões de celulares. PARECER Nº 096/06/GETRI/CRE/SEFIN SÚMULA: OPERAÇÃO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÃO DISPONIBILIZADA ATRAVÉS DE CARTÕES PARA TELEFONIA MÓVEL

Leia mais

Workshop Simples Nacional Regime Jurídico e Gestão do ISSQN. Programa: O que a Fazenda anda fazendo 9 de Dezembro de 2014 Prédio da PBH

Workshop Simples Nacional Regime Jurídico e Gestão do ISSQN. Programa: O que a Fazenda anda fazendo 9 de Dezembro de 2014 Prédio da PBH Workshop Simples Nacional Regime Jurídico e Gestão do ISSQN Programa: O que a Fazenda anda fazendo 9 de Dezembro de 2014 Prédio da PBH Cobrança do ISSQN Flávio Couto Bernardes Procurador Municipal Professor

Leia mais

A Nação é uma sociedade política e o autor do nosso livro-texto, em sua doutrina, dispõe que a Nação se compõe de dois elementos essenciais:

A Nação é uma sociedade política e o autor do nosso livro-texto, em sua doutrina, dispõe que a Nação se compõe de dois elementos essenciais: Resumo Aula-tema 02: Teoria Geral do Estado. A Teoria do Estado foi construída pela nossa história, é uma disciplina nova, embora já existissem resquícios desde a Antiguidade, mas faz pouco tempo que ela

Leia mais

FISCALIZAÇÃO NAS EMPRESAS DO SIMPLES NACIONAL

FISCALIZAÇÃO NAS EMPRESAS DO SIMPLES NACIONAL FISCALIZAÇÃO NAS EMPRESAS DO SIMPLES NACIONAL SEMINÁRIO SIMPLES NACIONAL PALESTRANTE: Antonio Eliezer Pinheiro (SEFAZ-CE) LEGISLAÇÃ ÇÃO O ção APLICADA o legal A Lei Complementar 123/2006 em seu art. 33

Leia mais

Simples Nacional: sociedade simples pode ser considerada micro ou pequena empresa (art. 146, III, d, CF) diante da legislação civil?

Simples Nacional: sociedade simples pode ser considerada micro ou pequena empresa (art. 146, III, d, CF) diante da legislação civil? Simples Nacional: sociedade simples pode ser considerada micro ou pequena empresa (art. 146, III, d, CF) diante da legislação civil? Ígor Danilevicz Doutor em Direito - UFRGS Professor de Direito Tributário

Leia mais

Parcelamento Especial ou Pagamento à Vista da Lei nº 12.996/2014 e MP 651/2014. Refis da Copa (Reabertura do Refis da Crise )

Parcelamento Especial ou Pagamento à Vista da Lei nº 12.996/2014 e MP 651/2014. Refis da Copa (Reabertura do Refis da Crise ) Parcelamento Especial ou Pagamento à Vista da Lei nº 12.996/2014 e MP 651/2014. Refis da Copa (Reabertura do Refis da Crise ) 1 Débitos abrangidos Débitos de qualquer natureza junto à PGFN ou à RFB, vencidos

Leia mais

LEI Nº 5.230 DE 25 DE NOVEMBRO DE 2010

LEI Nº 5.230 DE 25 DE NOVEMBRO DE 2010 LEI Nº 5.230 DE 25 DE NOVEMBRO DE 2010 Institui incentivos e benefícios fiscais relacionados com a realização da Copa do Mundo de 2014 e dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de 2016 e dá outras providências.

Leia mais

SIMPLES NACIONAL mediante documento único de arrecadação

SIMPLES NACIONAL mediante documento único de arrecadação Edinando Brustolin SIMPLES NACIONAL Lei Complementar nº 123/06: Art. 12. Fica instituído o Regime Especial Unificado de Arrecadação de Tributos e Contribuições devidos pelas Microempresas e Empresas de

Leia mais

PARCELAMENTO DE TRIBUTOS ESTADUAIS

PARCELAMENTO DE TRIBUTOS ESTADUAIS PARCELAMENTO DE TRIBUTOS ESTADUAIS ICMS IPVA ITCD TAXAS 1. INTRODUÇÃO - LEGISLAÇÃO Lei 6.763/75 Consolidação da Legislação Tributária do Estado de Minas Gerais. Regulamento do Processo e dos Procedimentos

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS 3ª Série Direito Civil III Direito A atividade prática supervisionada (ATPS) é um método de ensinoaprendizagem desenvolvido por meio de um conjunto de atividades programadas

Leia mais

TEMA Gestão Fiscal GABARITO DO ESTUDO DE CASO 4 ISSQN Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza

TEMA Gestão Fiscal GABARITO DO ESTUDO DE CASO 4 ISSQN Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza TEMA Gestão Fiscal GABARITO DO ESTUDO DE CASO 4 ISSQN Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza QUESTÃO ÚNICA Qual o nome, que você acha, que Paulo deveria colocar no quarto curso? Quais os temas, que

Leia mais

ESTADO DA PARAÍBA SECRETARIA DE ESTADO DA RECEITA

ESTADO DA PARAÍBA SECRETARIA DE ESTADO DA RECEITA ESTADO DA PARAÍBA SECRETARIA DE ESTADO DA RECEITA PORTARIA Nº 207/GSER PUBLICADO NO DOE EM 16.9.14 REPUBLICADA NO DOE 18.9.14 ALTERADA PELA PORTARIA Nº 00079/2016/GSER PUBLICADA NO DOe-SER DE 11.5.16 Autorizar

Leia mais

Como abrir uma empresa?

Como abrir uma empresa? Disciplina- Novos Negócios FONTES: 1- http://www.sebrae-rs.com.br/areaatuacao/empreendedorismo/setores/7-passos-para-abrir-minhaempresa/314.aspx 2- Entrevista com um contador 3- Boa Ideia! E Agora? 1.Situação

Leia mais

Vejam, pois, que se trata de questão recente e que pode, perfeitamente, ser explorada no concurso do ISS SP no domingo.

Vejam, pois, que se trata de questão recente e que pode, perfeitamente, ser explorada no concurso do ISS SP no domingo. Olá, pessoal. Como estão? A seguir, uma questão interessante apresentada pela CETRO neste final de semana, na prova de Especialista em Administração, Orçamento e Finanças da Prefeitura de São Paulo. Vejam,

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 306 1

LEI COMPLEMENTAR Nº 306 1 LEI COMPLEMENTAR Nº 306 1 O PREFEITO MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE. Institui hipótese de responsabilidade pelo pagamento do Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza - ISSQN e dá outras providências. Faço

Leia mais

DECRETO Nº 16.091, DE 07 DE JULHO DE 2015. ATUALIZADO PELO DEC. 16.412, DE 03/02/2016.

DECRETO Nº 16.091, DE 07 DE JULHO DE 2015. ATUALIZADO PELO DEC. 16.412, DE 03/02/2016. DECRETO Nº 16.091, DE 07 DE JULHO DE 2015. ATUALIZADO PELO DEC. 16.412, DE 03/02/2016. Regulamenta a Lei n 6.661, de 10 de junho de 2015, que dispõe sobre a criação do Programa de Estímulo à Cidadania

Leia mais

Planejamento Tributário Empresarial

Planejamento Tributário Empresarial Planejamento Tributário Empresarial Aula 19 Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Este material é parte integrante da disciplina, oferecida pela UNINOVE. O acesso às atividades,

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Nota Fiscal de Transferencia de ICMS entre Estabelecimentos - MG

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Nota Fiscal de Transferencia de ICMS entre Estabelecimentos - MG Nota 07/01/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas Apresentadas pelo Cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 4 3.1. Preenchimento campos da NF-e... 6 4. Conclusão... 8 5. Referências...

Leia mais

Direito Tributário. Aula 13. Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho

Direito Tributário. Aula 13. Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Direito Tributário Aula 13 Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Este material é parte integrante da disciplina oferecida pela UNINOVE. O acesso às atividades, conteúdos multimídia

Leia mais

MUNICÍPIO DE MARECHAL CÂNDIDO RONDON ESTADO DO PARANÁ

MUNICÍPIO DE MARECHAL CÂNDIDO RONDON ESTADO DO PARANÁ CONCURSO PÚBLICO EDITAL Nº 001/2016 PUBLICAÇÃO Nº 002/2016 Dispõe sobre a retificação da tabela do subitem 2.1, com relação às vagas dos cargos de Analista Técnico, Enfermeiro, Engenheiro Agrônomo, Engenheiro

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PALMAS SECRETARIA MUNICIPAL DE GOVERNO

PREFEITURA MUNICIPAL DE PALMAS SECRETARIA MUNICIPAL DE GOVERNO PUBLICADO EM PLACAR Em / / LEI COMPLEMENTAR Nº 194, DE 13 DE NOVEMBRO DE 2009 O PREFEITO DE PALMAS Altera dispositivos da Lei Complementar n 107, de 30 de setembro de 2005, que dispõe sobre o Código Tributário

Leia mais

A Copa e as Olimpíadas. O poder imunizante da isenção e o bem de todos (ou de alguns) Valter Nilton Felix

A Copa e as Olimpíadas. O poder imunizante da isenção e o bem de todos (ou de alguns) Valter Nilton Felix A Copa e as Olimpíadas. O poder imunizante da isenção e o bem de todos (ou de alguns) Valter Nilton Felix A imunidade tributária tem sua origem e eficácia asseguradas pelo Texto Constitucional. Incidência

Leia mais

Taxa de comissão de permanência

Taxa de comissão de permanência Taxa de comissão de permanência Contribuição de Dr. Rodrigo Vieira 03 de setembro de 2008 Última Atualização 30 de outubro de 2008 Taxa de comissão de permanência Diante dos vários encargos financeiros,

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 08/2010. O SECRETÁRIO DA FAZENDA DO ESTADO DO CEARÁ, no uso de suas atribuições legais e,

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 08/2010. O SECRETÁRIO DA FAZENDA DO ESTADO DO CEARÁ, no uso de suas atribuições legais e, * Publicada no DOE em 16/03/2010 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 08/2010 Dispõe sobre os procedimentos de fiscalização das empresas optantes do Regime Especial Unificado de Arrecadação de Tributos e Contribuições

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Etec: PROFESSOR MASSUYUKI KAWANO Código: 136 Município: TUPÃ-SP Eixo Tecnológico: GESTÃO E NEGÓCIOS Habilitação Profissional: Técnica de Nível Médio em

Leia mais

Direito aplicado à logística

Direito aplicado à logística 6. TÍTULOS DE CRÉDITO 6.1 Caracterização Para Vivante, título de crédito é o documento necessário ao exercício de um direito literal e autônomo nele mencionado. O Código Civil de 2002 o definiu no artigo

Leia mais

Certificado de Regularidade do FGTS CRF

Certificado de Regularidade do FGTS CRF 12/29/2014 https://www.sifge.caixa.gov.br/empresa/crf/crf/fgecfsimprimirpapel.asp?varpessoamatriz=6219088&varpessoa=6219088&varuf=ce&va Certificado de Regularidade do FGTS CRF Inscrição: 02288268/0001

Leia mais

Certidão Negativa de Débitos Tributários e de Dívida Ativa Estadual Nº 013270731-99

Certidão Negativa de Débitos Tributários e de Dívida Ativa Estadual Nº 013270731-99 Powered by TCPDF (www.tcpdf.org) Estado do Paraná Secretaria de Estado da Fazenda Coordenação da Receita do Estado Certidão Negativa de Débitos Tributários e de Dívida Ativa Estadual Nº 013270731-99 Certidão

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES REFERENTES À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº 086/2012 COPEL - COMPANHIA PARANAENSE DE ENERGIA S.A.

CONTRIBUIÇÕES REFERENTES À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº 086/2012 COPEL - COMPANHIA PARANAENSE DE ENERGIA S.A. CONTRIBUIÇÕES REFERENTES À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº 086/2012 COPEL - COMPANHIA PARANAENSE DE ENERGIA S.A. Ementa: Obter subsídios para o aprimoramento do Contrato de Cotas de Garantia Física de Energia e de

Leia mais

O SISTEMA TRIBUTÁRIO BRASILEIRO

O SISTEMA TRIBUTÁRIO BRASILEIRO O SISTEMA TRIBUTÁRIO BRASILEIRO Instituído pela Constituição Federal de 1988. Prevê competências tributárias distintas para cada uma das pessoas políticas: UNIÃO, ESTADOS e MUNICÍPIOS. Cria grande complexidade,

Leia mais

DIREITO TRIBUTÁRIO. TRIBUTO Unidade 4

DIREITO TRIBUTÁRIO. TRIBUTO Unidade 4 DIREITO TRIBUTÁRIO TRIBUTO Unidade 4 TRIBUTO Conceito É uma prestação pecuniária compulsória, em moeda ou cujo valor nela se possa exprimir, que não constitua sanção de ato ilícito, instituída em lei e

Leia mais

ESTADO DO RIO DE JANEIRO PREFEITURA MUNICIPAL DE MACAÉ SECRETARIA MUNICIPAL ESPECIAL DE FINANÇAS Gabinete do Secretário

ESTADO DO RIO DE JANEIRO PREFEITURA MUNICIPAL DE MACAÉ SECRETARIA MUNICIPAL ESPECIAL DE FINANÇAS Gabinete do Secretário RESOLUÇÃO SEMFI Nº 007/2008 Complementa normas para tramitação de expedientes no âmbito da Secretaria Municipal Especial de Finanças, e dá outras providências. O Secretário Municipal Especial de Finanças

Leia mais

NOTA TÉCNICA Nº 0011/2012

NOTA TÉCNICA Nº 0011/2012 NOTA TÉCNICA Nº 0011/2012 Brasília, 26 de junho de 2012. ÁREA: TÍTULO: Contabilidade Pública Restos a Pagar Considerando que, de acordo com o art. 42 da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) é vedado ao

Leia mais

IBET - INSTITUTO BRASILEIRO DE ESTUDOS TRIBUTÁRIOS. Patrícia Araujo Nunes

IBET - INSTITUTO BRASILEIRO DE ESTUDOS TRIBUTÁRIOS. Patrícia Araujo Nunes IBET - INSTITUTO BRASILEIRO DE ESTUDOS TRIBUTÁRIOS Patrícia Araujo Nunes RESPONSABILIDADE TRIBUTÁRIA DO SÓCIO-ADMINISTRADOR, ARTIGO 135, III DO CTN E O ÔNUS DA PROVA Porto Alegre 2012 2 Patrícia Araujo

Leia mais

Fundamentos da Gastronomia

Fundamentos da Gastronomia Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Este material é parte integrante da disciplina Fundamentos da Gastronomia, oferecida pela UNINOVE. O acesso às atividades, conteúdos multimídia

Leia mais

Sumário. 1.3.2. Exceções ao princípio da legalidade tributária. 1.3.3.1. Exceções ao princípio da anterioridade anual

Sumário. 1.3.2. Exceções ao princípio da legalidade tributária. 1.3.3.1. Exceções ao princípio da anterioridade anual Sumário CAPÍTULO 1 DIREITO TRIBUTÁRIO 1.1. Introdução 1.2. Limitações Constitucionais ao Poder de Tributar 1.3. Princípios Constitucionais Tributários 1.3.1. Princípio da legalidade tributária 1.3.2. Exceções

Leia mais