Angola assume presidência da SATA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Angola assume presidência da SATA"

Transcrição

1 Distribuição gratuita Angola assume presidência da SATA

2 ACTUALIDADE Revista Trimestral da Angola Telecom FALE & NAVEGUE COM A ANGOLA TELECOM INTERNET SEM LIMITES CHAMADAS GRÁTIS PARA TODA A REDE FIXA ANGOLA TELECOM akz MENSALIDADE A PARTIR DE 2 EQUIPAMENTOS A PARTIR DE akz

3 Distribuição gratuita ACTUALIDADE Angola assume presidencia da SATA T Revista trimestral da Angola Telecom, n.º 92, Ano 14, Abril / Maio / Junho 2014 Propriedade da Angola Telecom, Rua das Quipacas n.º 186-6ª andar, Telf: , Fax: Director Manuel César Destaques Acções do Executivo impulsionam empresas do ramo... 8 Avaliado estado de desenvolvimento das TIC Angola Telecom vence grande prémio Expo TIC Rentabilizar o que foi investido nas empresas partici padas Edição Direcção de Comunicação Institucional Conselho Editorial Manuel César João Tavares Fotografia Joaquim António Paginação João Manuel Pedro Design Direcção de Comunicação Institucional

4 Revista Trimestral da Angola Telecom ACTUALIDADE Angola assume presidência da SATA Angola, representada por João Adolfo Martins, na qualidade de Presidente do Conselho de Administração da Angola Telecom, assume a presidência da Associação de Telecomunicações da África Austral (SATA), sucedendo, assim, a República da Zâmbia, num período de 12 meses. No acto de abertura da 34ª conferência anual da Associação de Telecomunicações da África Austral, o titular do Ministério das Telecomunicações e Tecnologia de Informação, José Carvalho da Rocha, delegou em sua representação o inspectorgeral do Sector, Américo dos Santos, que na sua alocução disse que Angola vai criar políticas que visam desenvolver o sector em conexão com os países membros. Ainda de acordo com o inspector-geral, 4

5 ACTUALIDADE constituem igualmente acções a serem desenvolvidas durante o mandato de Angola, a implementação de medidas que permitam levar as tecnologias de informação nas comunidades mais recônditas de Angola e dos países que integram a associação. No caso de Angola, Américo dos Santos disse que o Executivo angolano tem realizado investimentos avultados no sector das telecomunicações, que permitiram a instalação da fibra óptica em todas as capitais de províncias do país e em alguns municípios e diversas localidades ao longo das principais vias, com uma extensão de cerca de 20 mil quilómetros, para satisfazer as necessidades das famílias angolanas e não só. Segundo o responsável, o Estado continua a trabalhar através de investimentos para criar condições para que as comunicações se tornem mais fáceis e acessíveis em termos de preços. No âmbito da formação de quadros do sector das telecomunicações, o Estado firmou protocolos com a Rússia, Brasil e Japão para a sua capacitação. 5

6 ACTUALIDADE Revista Trimestral da Angola Telecom Definir futuro e comandar o nosso destino Estimado representante do Presidente da SATA e da ZAMTEL, Estimados C.O. s dos operadores membros da SATA, Estimado Secretário Executivo da SATA, Estimado Secretário Executivo da CRASA, Distintos convidados, Minhas senhoras, Meus senhores, É um grande prazer e honra para mim, em nome dos trabalhadores da Angola Telecom recebê-los, e é um privilégio ter distintos C.O. s ou seus representantes, a esta sessão ordinária da abertura da plenária de C.O s, por esta ocasião da 34ª Assembleia Anual da SATA. Espero que tenham tido uma óptima estadia em Angola e tenham desfrutado da beleza da cidade de Luanda. É encorajador notar, estimados senhores, representantes e delegados que apesar dos vossos compromissos oficiais nas vossas instituições, responderam positivamente ao convite da SATA para participar desta conferência. Isso, por si só, demonstra a importância que as nossas organizações atribuem ao desenvolvimento e aperfeiçoamento das telecomunicações entre os nossos respectivos países. Gostaria de agradecer também as vossas respectivas organizações por terem feito o possível para que a vossa participação a esta conferência fosse uma realidade. A Angola Telecom teve a honra e o privilégio de sediar essa conferência anual da SATA e proporcionar um fórum de debate sobre desafios e problemas comuns que enfrentamos como operadores de telecomunicações e das TIC s da região da SADC e em todo o Mundo. Um dos desafios actuais para nós, como membros da SATA é definir o nosso futuro e estar no comando do nosso próprio destino. Precisamos garantir que a nossa região e os nossos respectivos países não fiquem para trás no processo da migração tecnológica. Precisamos definir formas e meios para formar pessoas, técnicos do sector das TIC s, para criar e garantir oportunidades para o desenvolvimento económico, o empreendedorismo, particularmente dentro do nosso sector. Uma organização como a SATA, tem papel vital a desempenhar para garantir o desenvolvimento das tecnologias de informação e comunicação na nossa região. O nosso esforço na SATA deve focar-se em incentivar e reforçar a cooperação entre os operadores. Isso se pode tornar realidade se nos abraçarmos uns aos outros, trocando conhecimentos e as habilidades que temos, internamente, investirmos no desenvolvimento de competências e recursos humanos, especialmente nas áreas técnicas. Através da SATA nós procuramos construir uma plataforma regional comum em termos de infra-estruturas, serviços, captação, troca de informação técnica, operacional e comercial. Este objectivo específico capta a essência das nossas reuniões e discussões. O que é certo é, devemos buscar todos os objectivos da SATA, bem como, eu acredito, que é através da colaboração consistente e sustentada de que seremos capazes de promover projectos e políticas que são harmonizadas em toda a região da SADC no domínio das TIC s. Este é, de facto, um outro objectivo da SATA. Com essas poucas palavras agradeço a vossa atenção e muito obrigado a todos. 6

7 ACTUALIDADE Novo Presidente da SATA presta juramento Estou extremamente emocionado por depositarem a confiança em mim e a responsabilidade para conduzir nos próximos 12 meses os desafios que a organização apresenta. É com grande honra, em nome de todo o colectivo de trabalhadores da Angola Telecom, que aceito a nomeação como novo Presidente da SATA, para o ano 2014/2015, de acordo com a constituição da nossa organização. Como Presidente da SATA, espero de todos vocês ajuda e suporte na orientação da associação e na implementação das várias iniciativas e projectos. Gostaria de garantir e confirmar o compromisso e engajamento da Angola Telecom à nossa organização SATA, na implementação das resoluções a serem aprovadas pelos senhores durante essa conferência, e que vai exigir empenho e trabalho árduo de todos nós. Portanto, uma tarefa difícil mas compensatória. Estou confiante que através da comunicação e compromisso de todos nós, membros da SATA e através do excelente trabalho que está sendo feito pelo seu Secretário Executivo, Dr. Jacob e todo o eu staff, seremos capazes de fazer a SATA crescer e enfrentar os desafios do Mundo das telecomunicações e das TIC s. Tal como já foi demonstrado através da liderança do nosso Secretário Executivo apoiado pela sua equipa, a associação é proactiva e receptiva aos desafios da era moderna e está atendendo as aspirações dos seus membros. Gostaria também de agradecer ao meu antecessor, o Sr. C.O da ZAMTEL, Dr. Mapunga Muanakade, pela liderança capaz que guiou a SATA durante o exercício findo, sua saberia e abertura a novas ideias e desafios que nos fez desfrutar durante as reuniões do Conselho. Contaremos sempre com os seus aconselhamentos. Muito obrigado a todos. 7

8 ACTUALIDADE Revista Trimestral da Angola Telecom Acções do Executivo impulsionam empresas do ramo Na abertura do V Conselho Consultivo alargado do Ministério das Telecomunicações e Tecnologias de Informação, José Carvalho da Rocha reconheceu o esforço do Presidente da República, José Eduardo dos Santos, na prossecução e implementação das acções estruturantes no seu pelouro. De acordo com o Ministro, essas acções, têm possibilitado a reestruturação das empresas e implementação de projectos da Angola Telecom, Angosat, mediatecas, lançamento e exploração dos cabos submarinos, governação electrónica E-gov, bem como no âmbito legislativo. José carvalho da Rocha referiu por outro lado que a aprovação da legislação sobre a partilha de infra-estruturas aptas a absorver serviços das comunicações electrónicas, do Inamet e o programa de migração digital, permitirá um ambiente propício para a prestação dos serviços das TIC às populações. Aquele responsável advogou uma ampla reflexão sobre o paradigma das licenças que hoje são emitidas, tendo em conta a crescente convergência de serviços e tecnologias que se assiste. Durante dois dias, os delegados ao Conselho, abordaram temas como: framework de interoperatividade de Angola, a importância da soberania cibernética para Angola, a massificação das TIC no combate à infoexclusão social, as mediatecas de proximidade e o seu impacto social, Angola digital, andando com as TIC como factores de inclusão social, assim como o sistema de informação meteorológica no apoio às actividades sócio económicas. 8

9 ACTUALIDADE Estreitar laços entre os operadores e prestadores de serviços No encerramento do evento, o secretário de estado para área de Ciências e Tecnologia Pedro Sebastião Teta destacou o contributo da inovação para o desenvolvimento da economia nacional. Pedro Sebastião Teta, avançou que o sector vai continuar apoiar, o fomento da parceria público/privado no domínio das comunicações electrónicas e apostar no reforço da inter-conectividade de tecnologias de informação através de cabos submarinos internacionais. O Ministério vai estabelecer uma estratégia de desenvolvimento das telecomunicações nas zonas rurais, velar para que o órgão regulador assuma o seu papel decisivo e activo na mediação dos conflitos, na resolução dos problemas de interferências dos seus operadores, assim como concentrar esforços, nos projectos estruturantes do sector; nomeadamente a migração digital, o projecto Angosat, a rede de mediateca de Angola, a reestruturação da Angola Telecom, o plano nacional de desenvolvimento da meteorologia, o plano nacional da sociedade de informação, o plano estratégico de governação electrónica, os projectos de interoperabilidade, bancos postais e cyber públicos, enfatizou. Ao terminar, Pedro Teta, disse que o Sector sai mais orientado e determinado a tornar evidente o estreitamento de laços de colaboração e solidariedade entre os operadores e prestadores de serviços, tanto públicos ou privados. 9

10 ACTUALIDADE Revista Trimestral da Angola Telecom Governo de Benguela solicita construção de mediateca no Lobito O Governador Provincial de Benguela, Isaac dos Anjos, convidado a intervir na abertura do V Conselho Consultivo Alargado do MTTI, considerou ser importante a construção de mais uma mediateca em Benguela, particularmente para o município do Lobito, por ser um grande ponto de concentração populacional na província. Isaac do Anjos defendeu a necessidade de aumentar os projectos de massificação das tecnologias de informação e comunicação para a província, de forma a beneficiar toda camada juvenil e estudantil. Ao terminar, Isaac dos Anjos, agradeceu ao Ministério das Telecomunicação e Tecnologia de Informação, por escolher a sua província na realização do Conselho Consultivo Alargado. 10

11 A INTERNET CONTIGO FORMAÇÃO INTERNET DE BANDA LARGA APOIO AO CLIENTE: / EXCLUSIVO LUANDA DOWNLOADS ILIMITADOS 512 Kbps 11

12 ACTUALIDADE Revista Trimestral da Angola Telecom Avaliado estado de desenvolvimento das TIC A terceira edição da Expo TIC- Salão Internacional de Tecnologias de Informação e Comunicação de Angola, avaliou o estado de desenvolvimento das tecnologias de informação no país. De acordo com o ministro das telecomunicações e tecnologias de informação, José Carvalho da Rocha, que falava no acto de abertura, a expo TIC permitiu criar um ambiente de interacção com os diferentes actores ligados ao sector das telecomunicações e tecnologias de informação em Angola. José Carvalho da Rocha, disse que o ministério vai continuar a trabalhar para criar um ambiente salutar com os órgãos reguladores, as operadoras, as empresas de prestação de serviços, bem como dos utilizadores das tecnologias de informação. Segundo aquele governante, consta das preocupações do ministério a criação de uma base sólida para a implantação dos factores de apoio ao desenvolvimento económico, financeiro e social de Angola. Nós temos a plena convicção de que quem veio nesta feira teve a oportunidade de ava- 12

13 ACTUALIDADE liar o que o nosso país hoje tem no âmbito das tecnologias de informação e comunicação, bem como a sua capacidade de resposta a diferentes problemas, considerou. Em visita ao Stand da Angola Telecom, aquele governante foi recebido pelo Presidente do Conselho de Administração João Adolfo Martins, em companhia dos administradores Manuel António, Naiole dos Santos e João António da Silva Domingos, na presença do Director do Marketing, Bartolomeu Pereira e de outros quadros da empresa presentes no evento. 13

14 ACTUALIDADE Revista Trimestral da Angola Telecom Angola Telecom vence grande prémio Expo TIC A Angola Telecom venceu a 3ª edição da Expo-TIC, ao ganhar o galardão máximo do certame. Na concorrência, a Angola Telecom suplantou empresas como o CNTI, Angola Cables e a chinesa Huawei, arrebatando o Prémio de melhor stand da Expo-TIC que decorreu de 19 a 21 de Junho, na Feira Internacional de Luanda (FIL), em Luanda. O presidente do conselho de Administração da Angola Telecom, Engº João Adolfo Martins, ao receber o prémio máximo do evento, disse que a vitória na Expo TIC de 2014, foi fruto da aposta da empresa no desenvolvimento das tecnologias em Angola. Com a dedicação de melhor prestação de serviços aos clientes da Angola Telecom, o mundo das TIC s em Angola está no bom caminho considerou o PCA da Angola Telecom. Estamos agora focados em disponibilizar serviços de Internet em banda larga para todo o país frisou João Adolfo Martins. O Prémio Soluções Empresariais foi dirigido a empresa Omnidata que concorreu com a IT Guest e a Lite. Na categoria Melhor Participação para Qualificação a Mwago Brain arrebatou a distinção e colocou de fora as empresas Tecnologias de Informação sem Fronteiras e a Cláudio Oliveira. A operadora Unitel sagrou-se vencedora na categoria Prémio Internet. O Prémio melhor participação e inovação, foi atribuído à Global TC Sate, em que concorreram, a ONG Tecnologias de Informação Sem fronteiras, a CLTI e a DSTV Multichoice Angola. Para a categoria Melhor Participação de Telecomunicações concorreram a Infrasat, a MS Telecom, Angola Telecom e a Anglobal, tendo sido vencedor a Infrasat. No total foram sete nomeações, incluindo o Grande Prémio Expo-TIC (vencido pela Angola Telecom), que tiveram como base de avaliação a qualidade de exposição, a atractividade dos stands, inovação e aplicação de novas tecnologias, riqueza de conteúdos gráficos, harmonia na utilização da marca dos expositores, bem como os materiais promocionais disponíveis e a qualidade dos produtos apresentados. Na senda dos reconhecimentos, foram igualmente atribuídas três menções honrosas a estudantes do Instituto de Telecomunicações de Angola (ITEL) pela apresentação de projectos de carácter tecnológico. Sendo assim, os estudantes Fernando Jamba e Logarde Júnior foram distinguidos pela criação de um Detector de Inundações e Congestionamento de Tráfego e uma Automatização Residencial com Sistema Operativo Android, respectivamente. Por seu turno, Mauro Firmino foi distinguido por criar um Sistema Prépago de Consumo de Água. O júri foi composto pelo assessor para as Relações Internacionais da Feira internacional de Luanda, Cláudio Augusto, pelo assessor económico da mesma instituição, Pedro Katé, pelo director nacional das Telecomunicações, Eduardo Sebastião, pelo director nacional das Tecnologias de Informação António Bastos Dias, pelo director Nacional dos Serviços Postais Carlos Baptista e pelo jornalista Adriano de Sousa. 14

15 ACTUALIDADE AICEP ministrou seminário sobre regulação O Ministro das Telecomunicações e Tecnologias de Informação, José Carvalho da Rocha, declarou que a actualização do Plano Nacional de Frequências e do Plano Nacional de Numeração, dentre outros diplomas, constituem prioridades do seu pelouro. Ao dirigir-se aos participantes do Seminário sobre Regulação que decorreu na Sede Social da Angola Telecom, sob os auspícios da Associação Internacional das Comunicações de Expressão Portuguesa AICEP), José Carvalho da Rocha salientou que em função da legislação do serviço das TIC aprovada em 2011, neste momento todos os esforços do seu pelouro estão direccionados para a aprovação pelo Executivo dos respectivos regulamentos, se possível, ainda no decorrer do ano de Aquele responsável felicitou a AICEP pela escolha da cidade de Luanda para ministrar o seu seminário sobre regulação, uma matéria de suma importância, num contexto marcado pela constante redefinição das responsabilidades dos governos, dos reguladores, da indústria com relação aos consumidores e a sociedade, tendo em conta a maximização dos conjuntos de benefícios que hoje, o mundo digital oferece a todos os cidadãos do mundo. No final desejou uma boa estadia em Angola aos participantes ao seminário vindos de outros países do universo lusófono, representando empresas operadoras de correios e telecomunicações, reguladores e outras empresas ligadas à indústria das TIC. Em vésperas do 25º aniversário da constituição da AICEP (constituída em Novembro de 1990 na cidade de Bissau), o seu Presidente de Direcção, João Caboz Santana, destacou a visão dessa associação das comunicações da Lusofonia cuja estratégia se assenta em 7 pilares complementares e interactivos, mormente: pilares base (operação e regulação) e transversais (correios, telecomunicações, conteúdos, responsabilidade social institucional). 15

16 ACTUALIDADE Revista Trimestral da Angola Telecom Angola Telecom na Urbanização Nova Vida A urbanização Nova Vida conta com uma loja da Angola Telecom, inaugurada pelo Ministro das Telecomunicações e Tecnologias de Informação, José Carvalho da Rocha, no âmbito das comemorações do 17 de Maio, Dia Internacional das Telecomunicações. É uma proximidade da Angola Telecom aos clientes desta zona e esperamos que as pessoas usem esta loja e os serviços ao dispor dos clientes. Sabemos todos que hoje temos que ir de encontro com aquilo que o cliente quer. O que gostaria usuários dos serviços de telefonia e 5 milhões de utilizadores de Internet. Na loja ora inaugurada, a Angola Telecom tem disponíveis para os seus clientes no Projecto Nova Vida serviços de Internet de banda larga, telefonia fixa com fio e sem fio. Participaram do acto, o Director Nacional das Telecomunicações, Eduardo Sebastião, o Inspector-geral das Telecomunicações, Américo dos Santos, os administradores da Angola Telecom: Manuel António e Pedro Miguel, membros do Conselho Fiscal, directores e quadros seniores da empresa. de ver enquanto cliente dos serviços das TIC? Eventualmente um aparelho telefónico para falar, um modem para navegar na Internet e ver vídeos. Esses são os serviços integrados que nós actualmente queremos, e adaptá-los às tecnologias, referiu José Carvalho da Rocha. O Ministro da Telecomunicações e Tecnologias de Informação adiantou ainda que o seu pelouro vai manter contacto com os operadores, para rever a politica de preços e a qualidade dos serviços disponível, em função das metas definidas para o ano 2017, em que se pretende ser alcançada a cifra de 14 milhões de 16

17 Workshop sobre sistema integrado de gestão e operações ACTUALIDADE Um workshop sobre Sistema Integrado de Gestão e Operações (SIGO) teve lugar no anfiteatro do edifício sede da Angola Telecom, em Luanda, sob supervisão do gestor do projecto, Abdul Kadumba dos Santos. Durante o certame, os presentes ao workshop, foram informados do funcionamento deste importante sistema que irá interligar as Direcções Executivas de Recursos Humanos, Direcção Executiva das Finanças, Direcção Executiva Comercial e a Direcção Executiva das Operações, uma vez serem as direcções chave na gestão da empresa. Segundo Abdul Kadumba dos Santos, o SIGO, terá a responsabilidade de trabalhar com os programas OSS, BSS e ERP, para interligar a gestão das direcções acima referenciadas. Com esse projecto, a Angola Telecom vai ter ferramentas da tecnologia de Informação capazes de suportar duma maneira rápida, todos produtos e serviços e gestão da empresa de forma integrada. Chamado a tecer algumas considerações, Manuel António, administrador para área das Operações, referiu ser, o MSN2, uma ferramenta para reerguer a empresa, pedindo desde já o envolvimento de forma transversal de todos para que esse projecto de grande dimensão tenha êxitos. 17

18 FORMAÇÃO Entrevista Revista Trimestral da Angola Telecom O processo de reestruturação da Angola Telecom caminha com passos firmes, no sentido de garantir a conectividade e o acesso universal às TIC e apoio à expansão da economia nacional. Todavia, há etapas que podem ser mais dinâmicas, como a reestruturação das lojas e uma maior capacitação dos recursos humanos, advogam; a economista Nanikunzailamo Silvine Kiamvu e as juristas Elsa Maria Barber Dias dos Santos e Eduarda V. C. F. Vaz Borja, membros do Conselho Fiscal desta Empresa em entrevista ao T onde trazem alguns conselhos para o sucesso do processo de reestruturação. Rentabilizar o que foi investido nas empresas participadas 18

19 Dr.ª Nanikunzailamo Silvine Kiamvu é licenciada em economia (opção gestão), Técnica da Direcção Nacional de Impostos desde 1988, actualmente é Chefe da Repartição Fiscal dos Grandes Contribuintes e membro do Conselho Fiscal. Tem como lazer a leitura, TV, convívio familiar e viagens. T (T) Que avaliação se pode fazer do momento actual da Angola Telecom? Conselho Fiscal (CF) A empresa encontra-se em pleno período de reestruturação interna na perspectiva da conquista do mercado das telecomunicações e tecnologias de informação. Porém, é um período que exige muito esforço e comprometimento de todos para que mais rapidamente sejam atingidos os objectivos almejados com a reestruturação e que a Angola Telecom, volte a alcançar um lugar de destaque. T Qual a opinião do Conselho Fiscal sobre a corrente reestruturação desta Empresa? CF Ela caminha com passos firmes, no sentido de garantir a conectividade e acesso universal às TIC e apoio à expansão da economia nacional. Todavia, há etapas que podem ser mais dinâmicas, no que toca à reestruturação das lojas, maior capacitação dos recursos humanos afectos a área comercial e Dr.ª Elsa Maria Barber Dias dos Santos é Licenciada em Direito, consultora jurídica desde 1990, foi directora do Instituto Nacional de Defesa do Consumidor, Inspectora-geral do Comércio, técnica da Comissão de Mercado de Capitais e actualmente membro do Conselho Fiscal. Gosta de leitura, exercícios físicos, gosta de dançar salsa e kizomba, viajar e de participar em eventos sociais e comunitários. Dr.ª Eduarda V. C. F. Vaz Borja é licenciada em direito, consultora jurídica desde 1985, gestora de empresas desde 1992 e actualmente membro do Conselho Fiscal. Gosta de leitura, música, dança, viagens e de ir às compras, especialmente de sapatos. técnicos em geral. Há ainda a salientar a necessidade de paridade em termos das direcções provinciais, bem como adopção de uma boa política para apoio ao consumidor, no caso da assistência pós venda, avarias, melhoria na qualidade de serviços e celeridade nas ligações para os novos clientes, particularmente os corporativos. T Onde acham que esta Empresa deve buscar dinheiro para investir nos seus projectos? CF Na melhoria da qualidade dos serviços prestados e efectiva cobrança; na rentabilização dos capitais investidos nas empresas participadas, na aposta da qualificação contínua dos seus quadros, acções de marketing direccionadas para os potenciais clientes. T Por força das vossas funções, acreditamos serem de opinião que não é possível excluir-se da globalização. Como vêm Angola nesse contexto e suas perspectivas? CF Angola, já é membro de organizações regionais e internacionais e tem que continuar a honrar os seus compromissos com estas organizações, para garantir a actualidade e acompanhar o desenvolvimento das tecnologias de informação e prova disso foi a recente realização da 34ª Conferência Anual da SATA, em que conseguiu-se reunir todos os representantes de Países membros. T Comparando gerações passadas e actuais, agora, como mães e profissionais, como vêm o Mundo actual e o que se pode esperar do nosso futuro, no que diz respeito ao comportamento social? CF Hoje, como mães profissionais, estamos mais envolvidas nas responsabilidades económicas, das nossas famílias e mais inseridas no desenvolvimento activo da sociedade. Antigamente havia maior interacção nas famílias e socializavam mais, assim como uma maior estabilidade afectiva, mas hoje verifica-se um certo afastamento, em vir- 19

20 Revista Trimestral da Angola Telecom ENTREVISTA tude da expansão das cidades, migração de uns locais para outros e a própria desestruturação das famílias provocada por longos anos de guerra. T Sendo mulheres, torna-se difícil auto-excluírem-se das tarefas domésticas e como profissionais, acompanham e participam de um dossier como a reestruturação da Angola Telecom. Como conciliam essas inadiáveis tarefas? CF Conseguimos conciliar, sabiamente as nossas tarefas, tanto a nível doméstico como a nível profissional e estamos disponíveis para emprestar o nosso contributo no processo de reestruturação em que a Angola Telecom se encontra, para que ela seja uma empresa de referência a nível Nacional e não só. T Uma opinião sobre as recentemente eleitas 7 maravilhas de Angola, num País onde tudo é maravilhoso. CF A escolha obedeceu a parâmetros bem definidos e a escolha teve a participação da sociedade. Por isso há que respeitar a escolha do povo. As sete maravilhas abriram o país ao mundo e é sem dúvida uma forma de alavancar o turismo nacional, dando a conhecer a nossa rica cultura. T Que pontos turísticos de Angola já visitaram? CF A Floresta de Maiombe em Cabinda, Serra da Leba, Estátua do Cristo Rei e Fendas da Tundavala na Huíla, Miradouro da Lua, Mussulo e Parque da Kissama na província de Luanda, Pedras de Pungo Andongo e Quedas de Kalandula em Malanje e o Deserto do Namibe. T Que opinião têm da cada vez mais visível ascensão da mulher aos órgãos de decisão no nosso País e no Mundo em geral? CF É sem dúvida o resultado de todo um processo de conquistas que as mulheres a nível do País e no mundo vêm alcançando a todos os níveis. O resultado do Censo, recentemente realizado vai reforçar a nossa posição como maioria populacional, pois estamos muito aquém da participação equilibrada das mulheres nos órgãos de decisão a todos os níveis. Contudo, apesar das políticas formuladas pelo Executivo ainda é necessária a potencialização das mulheres para o seu efectivo empoderamento. T Uma mensagem às mães e aos filhos de Angola! CF Ser mãe não é uma profissão, nem é mesmo um dever, mas sim uma dádiva do Criador. Nunca deixem de viver e lutar pelos vossos sonhos ou criar novos. Quanto a filhos, são a herança do Senhor e devem obediência aos seus pais, para que tudo lhes corra bem e tenham longa vida sobre a terra. (Efésios 6: 1 a 3) 20

21 FORMAÇÃO 21

22 REGIÕES Revista Trimestral da Angola Telecom PCA radiografa infra-estruturas no Cunene e Huíla O Presidente do Conselho de Administração da Angola Telecom, João Adolfo Martins, esteve nas províncias do Cunene e Huíla, numa visita que visou a constatação do grau de conservação das infra-estruturas de telecomunicações e a dotação e enquadramento do pessoal, a luz do actual regulamento interno. A sua chegada às terras do Rei Mandume gerou grande expectativa por parte dos funcionários, sendo a sua primeira viagem como Presidente do Conselho de Administração. Na província do Cunene, João Adolfo Martins visitou o ponto de amarração da fibra óptica entre as repúblicas da Namíbia e de Angola, na Comuna de Santa-Clara, município de Namacunde. Visitou também as infraestruturas da Angola Telecom em Onjiva, Môngua, Xangongo, Humbe, Chulo, Mbeme, Caila, Cahama, Naulila, Maynene e em Calueque, incluindo a sua barragem, sendo recebido pelo Administradoradjunto de Calueque, Mário Vayongola Viricomesso, de quem recebeu a garantia de cedência de um terreno para futuras instalações da Angola Telecom. Já na província da Huíla, João Adolfo Martins inspeccionou as infra-estruturas da Angola Telecom na Chibemba, Gambos, 22

23 REGIÕES Quihita, Quipungo, Toco, o projecto habitacional Cedis, a Barragem e a loja na Matala, e também as lojas na Chibia, Humpata e na comuna da Huíla. No encontro com os trabalhadores no Cunene e na Huíla, João Adolfo Martins registou várias preocupações e sugestões dos presentes, esclarecendo algumas inquietações dos trabalhadores face ao regulamento interno, garantindo a resolução ao longo do processo em curso, uma vez ser um assunto muito delicado e que depende do empenho de todos, não se esquecendo de apelar a um maior empenho face à concorrência. 23

24 Revista Trimestral da Angola Telecom REGIÕES Angola Telecom expõe no Fórum das TIC s No âmbito das comemorações do Dia Internacional das Meninas nas TIC s, celebrado no dia 8 de Maio, a Angola Telecom na Huíla expôs, na cidade do Lubango, os seus produtos e serviços no local onde decorreu o fórum alusivo a esse evento. Segundo Daniel Caetano, responsável da área de marketing e comunicação da Angola Telecom na província da Huíla, para além da exposição, neste evento foram também sorteados dois computadores portáteis, com dois modems de Internet do serviço Navegue Só e dois modems Fale & Navegue da tecnologia WIMAX, incluindo uma mensalidade. Daniel Caetano referiu que também foram sorteados dois modems do serviço Fale & Navegue da tecnologia ADSL, para clientes com uma linha telefónica fixa da Angola Telecom em sua casa. De acordo com aquele responsável, os serviços da Angola Telecom expostos foram bastante procurados e tiveram uma boa aderência do público que acorreu ao fórum. De recordar que o sorteio só abrangeu a massa feminina por se tratar de um fórum dirigido apenas às mulheres. 24

25 Solidariedade na gestão e na liderança REGIÕES A Directora Provincial dos Transportes, Telecomunicações e Tecnologia de Informação na província do Uíge, considerou ser importante e urgente, a interacção entre as direcções provinciais e departamentos dos Ministérios dos Transporte e das Telecomunicações e Tecnologia de Informação. Domingas Inácio Rocha Tuyango disse ao T, no último Conselho Consultivo Alargado do MTTI, realizado nos dias 5 e 6 de Maio do corrente ano em Benguela, que vai intensificar o contacto directo com todos os directores afectos ao quadro orgânico destes ministérios. Domingas Tuyango, considerou que Angola Telecom é uma empresa com muita responsabilidade e idoneidade, prova disso é a constante preocupação do seu Conselho de Administração, em levar as telecomunicações em toda extensão da província, com destaque para os serviços de Internet lançados recentemente e recebidos com muita satisfação pelo público consumidor. Adiantou ainda ao T que é intenção sua trabalhar com todos os operadores de telecomunicações na província para melhorar a qualidade dos serviços prestados e mantê-los consistentes. De recordar, que a província do Uíge, tem uma população aproximada de dois (2) milhões de habitantes. 25

26 ACTUALIDADE Revista Trimestral da Angola Telecom 26

27 Homenageados por tempo de serviço Trabalhadores de diferentes áreas da empresa viram o seu tempo de trabalho, reconhecido pela Administração da Angola Telecom, por completarem 10, 15 e 25 anos ao serviço na empresa. O prémio visou estimular os contemplados, no sentido de motivá-los e também garantir deste modo, a assiduidade, diminuir o índice de absentismo no local de trabalho e direccionarem as suas forças na actividade profissional que cada um exerce na empresa. Os beneficiários receberam um diploma, um troféu e um valor monetário como reconhecimento do contributo prestado no desenvolvimento da Angola Telecom. A Administradora para área de Recursos Humanos, Nayole Cohen dos Santos, indicada a usar da palavra pelo Presidente do Conselho de Administração, João Adolfo Martins, disse que perante um facto como este, não ter muitas palavras para descrever um acto tão importante na vida de cada beneficiário, agradecendo e encorajando os beneficiários a contagiarem os outros colegas no sentido de seguirem o mesmo caminho. Recordamos que este reconhecimento é o cumprimento do Regulamento Interno aprovado no ano de O T tomou conhecimento, pela palavra da Directora Executiva de Recursos Humanos que o prémio passou de seis para três em três meses ao longo de cada ano. 27

28 ACTUALIDADE Revista Trimestral da Angola Telecom Formação sobre segurança nas instalações Uma acção formativa sobre segurança nas instalações teve lugar no anfiteatro do edifício sede da Angola Telecom. A formação dirigida aos agentes de seguranças e outros quadros de diferentes áreas da empresa teve como objectivo, adequar aos formandos de várias técnicas de segurança, extinção de incêndios e o uso conveniente de extintores nas instalações. Ainda nesse curso, os participantes foram informados igualmente sobre os dois tipos de extintores mais comuns que geralmente são usados para qualquer incêndio: de Dióxido de Carbono, (CO2) e de PÓ Químico Seco. O Extintor de incêndio é um equipamento de segurança que possui a finalidade de extinguir ou controlar incêndios em casos de emergência. Em geral é um cilindro que pode ser carregado até o local do incêndio, contendo um agente extintor sob pressão. Durante três dias, os agentes puderam aprender matérias relacionadas com o funcionamento dos extintores, tipos de extintores, classes de extintores, extinção de um fogo, forma de posicionamento para extinguir um fogo, diferentes tipos de incêndio, início de um fogo, extintores e propriedades e como evitar um incêndio. O formador descreveu as classes dos materiais comburentes, a saber: Classe A como materiais de fácil combustão com a propriedade de queimarem em sua superfície e profundidade, e que deixam resíduos, como tecidos, madeira, papel e fibras; Classe B são os inflamáveis, produtos que queimam somente em sua superfície, não deixando resíduos, tais como óleo, graxas, vernizes, tintas e gasolina; Classe C é quando ocorrem em equipamentos elétricos energizados como motores, transformadores, quadros de distribuição e fios; Classe D são elementos pirofóricos como magnésio, zircônio e titânio. 28

29 Comboio dos kandengues rumou a Catete ACTUALIDADE O Comboio dos K a n d e n g u e s rumou até a cidade de Catete, sede do município de Icolo e Bengo, já na sua terceira edição. O Comboio Kandengue é uma iniciativa dos Caminhos de Ferro de Luanda e da Total Angola, cujo objectivo visa proporcionar um convívio salutar aos filhos dos trabalhadores dessas empresas e de outras instituições convidadas, sendo nesta edição também convidadas mais 20 crianças, filhos de trabalhadores da Angola Telecom, totalizando 300 crianças. Na Vila de Catete as crianças visitaram uma exposição fotográfica no Museu Doutor António Agostinho Neto, primeiro Presidente da República de Angola, e puderam também assistir a um filme que retratava a vida e obra do Herói Nacional. 29

30 Revista Trimestral da Angola Telecom CULTURA Esperança velha Eu sou Kandengue sofrido, amarfanhado, Pedinte e empoeirado pela areia de bungo Sou Kandengue aquele que não recebeu Nem recebe a alma viva da esperança na terra Sou Kandengue mas o meu futuro está engavetado pelos meus O medo tomou conta de mim Sou Kandengue com a velha esperança O meu viver rodeia-me com o medo e ódio Eu sou Kandengue o meu futuro está engavetado Mas não me canso de chorar Chorar para Conquistar um espaço no paraíso da terra Sou Kandengue sofrido esvaziado pelo passado Com o medo do futuro ameaçado Kandengue que recolhe as latas na lixeira da brincadeira Kandengue que não conhece o amor Sou Kandengue que ama a sua terra Mas não recebe da terra o suficiente para sobreviver Eu sou Kandengue sofrido com a esperança de viver!... Kilango 30

31

32

V Reunião de Ministros do Turismo da CPLP

V Reunião de Ministros do Turismo da CPLP V Reunião de Ministros do Turismo da CPLP Intervenção do Secretário Executivo da CPLP Senhor Presidente, Senhores Ministros, Senhor Secretário de Estado do Turismo, Senhores Embaixadores Senhores Representantes

Leia mais

Genebra -Maio 2012. Página 1/11

Genebra -Maio 2012. Página 1/11 O desempenho de Angola no Sector das Tecnologias de Informação e Comunicação no âmbito das recomendações da Cimeira Mundial da Sociedade de Informação. Genebra -Maio 2012 Página 1/11 Índice Sumário Executivo...3

Leia mais

República de Angola MINISTÉRIO DA JUSTIÇA. Uma experiência de Gestão da Qualidade pelo Normativo Internacional ISO 9001 num Organismo Público

República de Angola MINISTÉRIO DA JUSTIÇA. Uma experiência de Gestão da Qualidade pelo Normativo Internacional ISO 9001 num Organismo Público República de Angola MINISTÉRIO DA JUSTIÇA Uma experiência de Gestão da Qualidade pelo Normativo Internacional ISO 9001 num Organismo Público Depois de inflação de 3 dígitos em 2002 Consolidação Macroeconómica

Leia mais

Sessã o de Aberturã do VII Congresso dos Portos de Lí nguã Portuguesã

Sessã o de Aberturã do VII Congresso dos Portos de Lí nguã Portuguesã Sessã o de Aberturã do VII Congresso dos Portos de Lí nguã Portuguesã Excelência, Senhor Vice Governador da Província de Benguela, Dr. João Felizardo em representação do Engº Isaac Francisco Maria dos

Leia mais

E F P D E G PALOP Eduardo Cruz

E F P D E G PALOP Eduardo Cruz E F P D E G PALOP Eduardo Cruz Formedia edcruz@formedia.pt 312 Experiências de formação presencial e à distância de empresários e gestores nos PALOP Desde 2001, a Formedia Instituto Europeu de Formação

Leia mais

Boletim Informativo do CEPA Edição de Dezembro de 2004 Número 7 Publicação da Direcção de Serviços de Economia de Macau

Boletim Informativo do CEPA Edição de Dezembro de 2004 Número 7 Publicação da Direcção de Serviços de Economia de Macau Boletim Informativo do CEPA Edição de Dezembro de 2004 Número 7 Publicação da Direcção de Serviços de Economia de Macau Índice: 1. Assinatura do Suplemento ao CEPA com maior liberalização 2. Conferência

Leia mais

Fundo Mundial para o Ambiente

Fundo Mundial para o Ambiente Check upon delivery Só a versão proferida faz fé Fundo Mundial para o Ambiente Comunicação Apresentada por Monique Barbut, directora geral e presidente Fundo Mundial do Ambiente Em visita à Guiné-Bissau

Leia mais

Dignos Presidentes dos Conselhos de Administração e das Comissões Executivas dos bancos comerciais

Dignos Presidentes dos Conselhos de Administração e das Comissões Executivas dos bancos comerciais Exmo Senhor Presidente da Associação Angolana de Bancos Sr. Amílcar Silva Dignos Presidentes dos Conselhos de Administração e das Comissões Executivas dos bancos comerciais Estimados Bancários Minhas Senhoras

Leia mais

DECLARAÇÃO EMPRESARIAL DE LUANDA

DECLARAÇÃO EMPRESARIAL DE LUANDA DECLARAÇÃO EMPRESARIAL DE LUANDA Por iniciativa da Confederação Empresarial da CPLP e das associações empresariais dos PALOP, realizou-se em Luanda, República de Angola, a 17 de Julho de 2014, o Fórum

Leia mais

RELATÓRIO DO I TRIMESTRE DE 2015 DAS ACTIVIDADES NO AMBITO DO PROJECTO EMPODERAMENTO DA MULHER ANGOLANA

RELATÓRIO DO I TRIMESTRE DE 2015 DAS ACTIVIDADES NO AMBITO DO PROJECTO EMPODERAMENTO DA MULHER ANGOLANA REPÚBLICA DE ANGOLA MINISTÉRIO DA FAMÍLIA E PROMOÇÃO DA MULHER DIRECÇÃO NACIONAL PARA IGUALDADE E EQUIDADE DE GÉNERO RELATÓRIO DO I TRIMESTRE DE 2015 DAS ACTIVIDADES NO AMBITO DO PROJECTO EMPODERAMENTO

Leia mais

7º CONGRESSO NACIONAL DOS CORRETORES E AGENTES DE SEGUROS. Feira Internacional de Lisboa Parque das Nações. 15 de Outubro de 2010

7º CONGRESSO NACIONAL DOS CORRETORES E AGENTES DE SEGUROS. Feira Internacional de Lisboa Parque das Nações. 15 de Outubro de 2010 7º CONGRESSO NACIONAL DOS CORRETORES E AGENTES DE SEGUROS Feira Internacional de Lisboa Parque das Nações 15 de Outubro de 2010 Sessão Solene de Abertura Gostaria de começar por felicitar a APROSE pela

Leia mais

DISCURSO DE SUA EXCELÊNCIA MINISTRO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA, ENSINO SUPERIOR E TÉCNICO-PROFISSIONAL

DISCURSO DE SUA EXCELÊNCIA MINISTRO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA, ENSINO SUPERIOR E TÉCNICO-PROFISSIONAL República de Moçambique Ministério da Ciência e Tecnologia, Ensino Superior e Técnico-Profissional (MCTESTP) DISCURSO DE SUA EXCELÊNCIA MINISTRO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA, ENSINO SUPERIOR E TÉCNICO-PROFISSIONAL

Leia mais

REDE LUTA CONTRA POBREZA URBANA RLCPU PLANO ESTRATÉGICO,2015-2017

REDE LUTA CONTRA POBREZA URBANA RLCPU PLANO ESTRATÉGICO,2015-2017 REDE LUTA CONTRA POBREZA URBANA RLCPU PLANO ESTRATÉGICO,2015-2017 Adão Augusto, Consultor 12-02-2015 1. Contextualização. Os projectos sociais fazem parte de um sistema complexo de relações que envolvem

Leia mais

Fórum para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa (Macau)

Fórum para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa (Macau) Fórum para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa (Macau) Plano de Acção para a Cooperação Económica e Comercial (2007-2009) 2ª Conferência Ministerial, 2006

Leia mais

MINISTÉRIO DOS NEGóCIOS ESTRANGEIROS DIRECÇÃO GERAL DOS ASSUNTOS MULTILATERAIS Direcção de Serviços das Organizações Económicas Internacionais

MINISTÉRIO DOS NEGóCIOS ESTRANGEIROS DIRECÇÃO GERAL DOS ASSUNTOS MULTILATERAIS Direcção de Serviços das Organizações Económicas Internacionais MINISTÉRIO DOS NEGóCIOS ESTRANGEIROS DIRECÇÃO GERAL DOS ASSUNTOS MULTILATERAIS Direcção de Serviços das Organizações Económicas Internacionais Intervenção de SEXA o Secretário de Estado Adjunto do Ministro

Leia mais

Nos termos da alínea c) do n.º 1 do artigo 200.º da Constituição, o Governo decreta o seguinte: Artigo único

Nos termos da alínea c) do n.º 1 do artigo 200.º da Constituição, o Governo decreta o seguinte: Artigo único Decreto n.º 18/97 Acordo de Cooperação no Domínio do Turismo entre o Governo da República Portuguesa e o Governo dos Estados Unidos Mexicanos, assinado na Cidade do México em 6 de Novembro de 1996 Nos

Leia mais

Os Empresários, as Empresas e a Inclusão Social. João Oliveira Rendeiro Presidente da Associação EIS Empresários pela Inclusão Social

Os Empresários, as Empresas e a Inclusão Social. João Oliveira Rendeiro Presidente da Associação EIS Empresários pela Inclusão Social Os Empresários, as Empresas e a Inclusão Social João Oliveira Rendeiro Presidente da Associação EIS Empresários pela Inclusão Social Conferência "Compromisso Cívico para a Inclusão" Santarém, 14 de Abril

Leia mais

Secretaria de Estado do Sector Empresarial Público. Decreto-Lei nº 7/07 de 2 de Maio

Secretaria de Estado do Sector Empresarial Público. Decreto-Lei nº 7/07 de 2 de Maio Secretaria de Estado do Sector Empresarial Público Decreto-Lei nº 7/07 de 2 de Maio Tendo em conta a história económica do nosso País após a independência, a propriedade pública ainda ocupa um lugar muito

Leia mais

Os Desafios da Fileira da Construção. As Oportunidades nos Mercados Externos

Os Desafios da Fileira da Construção. As Oportunidades nos Mercados Externos Os Desafios da Fileira da Construção As Oportunidades nos Mercados Externos Agradeço o convite que me foi dirigido para participar neste Seminário e felicito a AIP pela iniciativa e pelo tema escolhido.

Leia mais

NEWSLETTER Nº 13 JANEIRO CONHECIMENTO INOVAÇÃO CRIATIVIDADE EFICIÊNCIA VALOR POTENCIAMOS O VALOR DAS ORGANIZAÇÕES EM DESTAQUE

NEWSLETTER Nº 13 JANEIRO CONHECIMENTO INOVAÇÃO CRIATIVIDADE EFICIÊNCIA VALOR POTENCIAMOS O VALOR DAS ORGANIZAÇÕES EM DESTAQUE NEWSLETTER Nº 13 JANEIRO CONHECIMENTO INOVAÇÃO CRIATIVIDADE EFICIÊNCIA VALOR POTENCIAMOS O VALOR DAS ORGANIZAÇÕES EM DESTAQUE A LINK THINK AVANÇA COM PROGRAMA DE FORMAÇÃO PROFISSONAL PARA 2012 A LINK THINK,

Leia mais

INTERVENÇÃO DO SENHOR SECRETÁRIO DE ESTADO DO TURISMO NO SEMINÁRIO DA APAVT: QUAL O VALOR DA SUA AGÊNCIA DE VIAGENS?

INTERVENÇÃO DO SENHOR SECRETÁRIO DE ESTADO DO TURISMO NO SEMINÁRIO DA APAVT: QUAL O VALOR DA SUA AGÊNCIA DE VIAGENS? INTERVENÇÃO DO SENHOR SECRETÁRIO DE ESTADO DO TURISMO NO SEMINÁRIO DA APAVT: QUAL O VALOR DA SUA AGÊNCIA DE VIAGENS? HOTEL TIVOLI LISBOA, 18 de Maio de 2005 1 Exmos Senhores ( ) Antes de mais nada gostaria

Leia mais

PROGEST, fundada no ano de 1989 em Luanda, Angola como uma Empresa de Projectos Técnicos, Consultoria e Gestão, por:

PROGEST, fundada no ano de 1989 em Luanda, Angola como uma Empresa de Projectos Técnicos, Consultoria e Gestão, por: PROGEST, fundada no ano de 1989 em Luanda, Angola como uma Empresa de Projectos Técnicos, Consultoria e Gestão, por: Manuel Alfredo Resende de Oliveira (Engenheiro Civil Instituto Superior Técnico) Valério

Leia mais

Cimeira do Fórum Índia África

Cimeira do Fórum Índia África REPÚBLICA DA GUINÉ-BISSAU Presidência da República Cimeira do Fórum Índia África Intervenção de Sua Excelência Senhor José Mário Vaz Presidente da República Nova Delhi, 29 de Outubro de 2015 Excelência,

Leia mais

Sua Excelência, Doutor Abrahão Gourgel, Ministro da Economia,

Sua Excelência, Doutor Abrahão Gourgel, Ministro da Economia, ANGOLA NO CONTEXTO DA INTEGRAÇAO ECONÓMICA REGIONAL 29 de Setembro, 2015 Intervenção do Doutor Paolo Balladelli, Representante Residente do PNUD em Angola Sua Excelência, Doutor Abrahão Gourgel, Ministro

Leia mais

O Novo Renascimento Relatório do «Comité de Sábios» Grupo de reflexão sobre a digitalização do património cultural europeu

O Novo Renascimento Relatório do «Comité de Sábios» Grupo de reflexão sobre a digitalização do património cultural europeu O Novo Renascimento Relatório do «Comité de Sábios» Grupo de reflexão sobre a digitalização do património cultural europeu RESUMO Ao longo dos séculos, as bibliotecas, os arquivos e os museus em toda a

Leia mais

INTERVENÇÃO DE SUA EXCELÊNCIA O MINISTRO DAS OBRAS PÚBLICAS, TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES. Eng. Mário Lino

INTERVENÇÃO DE SUA EXCELÊNCIA O MINISTRO DAS OBRAS PÚBLICAS, TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES. Eng. Mário Lino INTERVENÇÃO DE SUA EXCELÊNCIA O MINISTRO DAS OBRAS PÚBLICAS, TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES Eng. Mário Lino por ocasião da Cerimónia de Abertura do Diálogo Estratégico sobre as Tecnologias da Informação e

Leia mais

No pavilhão 2, com 108 stands, estavam representadas as regiões de turismo, câmaras municipais, associações e juntas de turismo, para além de hotéis,

No pavilhão 2, com 108 stands, estavam representadas as regiões de turismo, câmaras municipais, associações e juntas de turismo, para além de hotéis, VIII Legislatura II Sessão Plenária Horta, 26 de Janeiro de 2005 Grupo Parlamentar do Partido Socialista Deputada Ana Isabel Moniz Assunto: Bolsa de Turismo de Lisboa Senhor Presidente da Assembleia, Senhoras

Leia mais

PROPOSTA DE LEI N.º 101/IX CRIA O SISTEMA INTEGRADO DE AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. Exposição de motivos

PROPOSTA DE LEI N.º 101/IX CRIA O SISTEMA INTEGRADO DE AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. Exposição de motivos PROPOSTA DE LEI N.º 101/IX CRIA O SISTEMA INTEGRADO DE AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Exposição de motivos Tendo em consideração que a Administração Pública tem como objectivo fundamental

Leia mais

adaptados às características e expectativas dos nossos Clientes, de modo a oferecer soluções adequadas às suas necessidades.

adaptados às características e expectativas dos nossos Clientes, de modo a oferecer soluções adequadas às suas necessidades. A Protteja Seguros surge da vontade de contribuir para o crescimento do mercado segurador nacional, através da inovação, da melhoria da qualidade de serviço e de uma política de crescimento sustentável.

Leia mais

Perspetivas de colaboração Portugal China, Apoios à internacionalização e o papel da AICEP

Perspetivas de colaboração Portugal China, Apoios à internacionalização e o papel da AICEP Perspetivas de colaboração Portugal China, Apoios à internacionalização e o papel da AICEP AIMINHO Braga, 24 de Outubro, 2014 1 P a g e Distintas Entidades aqui presentes, Senhores Empresários, Minhas

Leia mais

Entrevista à Coordenadora Nacional do PAR Programa de Apoio à Reconstrução Por Pedro Cardoso (Jornalista), 2004

Entrevista à Coordenadora Nacional do PAR Programa de Apoio à Reconstrução Por Pedro Cardoso (Jornalista), 2004 Entrevista à Coordenadora Nacional do PAR Programa de Apoio à Reconstrução Por Pedro Cardoso (Jornalista), 2004 Podíamos estar muito mais longe do que estamos, revela a Coordenadora Nacional do PAR em

Leia mais

D SCUR CU S R O O DE D SUA U A EXCE

D SCUR CU S R O O DE D SUA U A EXCE DISCURSO DE SUA EXCELÊNCIA O PRIMEIRO-MINISTRO MINISTRO DA REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR-LESTE, DR. RUI MARIA DE ARAÚJO, POR OCASIÃO DA ATRIBUIÇÃO DA PRESIDÊNCIA DA CONFEDERAÇÃO EMPRESARIAL DA CPLP A

Leia mais

MINISTÉRIO DA HOTELARIA E TURISMO

MINISTÉRIO DA HOTELARIA E TURISMO República de Angola MINISTÉRIO DA HOTELARIA E TURISMO DISCURSO DE SUA EXCELÊNCIA, DR. PAULINO BAPTISTA, SECRETÁRIO DE ESTADO PARA A HOTELARIA DA REPÚBLICA DE ANGOLA, DURANTE A VIII REUNIÃO DE MINISTROS

Leia mais

Índice. Pág *09 Como participar. Pág *10 Calendário. Pág *11 Os resultados. Pág *12 Júri. Pág *13 Regulamento

Índice. Pág *09 Como participar. Pág *10 Calendário. Pág *11 Os resultados. Pág *12 Júri. Pág *13 Regulamento Índice Pág *09 Como participar Pág *10 Calendário Pág *11 Os resultados Pág *12 Júri Pág *13 Regulamento Pág *01 Introdução Pág *02 Um programa alargado de intervenção Pág *05 Viver de Consciência Leve

Leia mais

De acordo com os objectivos previamente definidos para esta investigação, apresentamos de seguida as respectivas conclusões:

De acordo com os objectivos previamente definidos para esta investigação, apresentamos de seguida as respectivas conclusões: 7.1 Conclusões De acordo com os objectivos previamente definidos para esta investigação, apresentamos de seguida as respectivas conclusões: 1 - Descrever os instrumentos/modelos de gestão e marketing estratégicos

Leia mais

Iª REUNIÃO DO CONSELHO TÉCNICO DO CENTRO NACIONAL DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO

Iª REUNIÃO DO CONSELHO TÉCNICO DO CENTRO NACIONAL DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO REPÚBLICA DE ANGOLA MINISTÉRIO DAS TELECOMUNICAÇÕES E TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO CENTRO NACIONAL DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO Iª REUNIÃO DO CONSELHO TÉCNICO DO CENTRO NACIONAL DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO

Leia mais

Lei de Bases da Economia Social

Lei de Bases da Economia Social Projecto de Lei nº 68/XII Lei de Bases da Economia Social A Economia Social tem raízes profundas e seculares na sociedade portuguesa. Entidades como as misericórdias, as cooperativas, as associações mutualistas,

Leia mais

Temas: Recomendações: Observações:

Temas: Recomendações: Observações: TI12653 CONFERÊNCIA DA UA DOS MINISTROS DA INDÚSTRIA (CAMI) Recomendações da 18 a Sessão Ordinária da Conferência dos Ministros da Indústria da UA (CAMI 18) a Nível de Altos Funcionários Durban, República

Leia mais

Formação em Gestão de Fundos de Investimento Imobiliário 2009. 28 e 29 de Outubro Hotel Trópico, Luanda

Formação em Gestão de Fundos de Investimento Imobiliário 2009. 28 e 29 de Outubro Hotel Trópico, Luanda Formação em Gestão de Fundos de Investimento Imobiliário 2009 28 e 29 de Outubro Hotel Trópico, Luanda Formação em Gestão de Fundos Imobiliários A formação em Gestão de Fundos de Investimento Imobiliário

Leia mais

A Fazer Crescer o Nosso Futuro 2 / 3

A Fazer Crescer o Nosso Futuro 2 / 3 1 / 1 A Fazer Crescer o Nosso Futuro 2 / 3 ... os recursos petrolíferos devem ser alocados à constituição de reservas financeiras do Estado que possam ser utilizadas, de forma igualitária e equitativa,

Leia mais

::ENQUADRAMENTO ::ENQUADRAMENTO::

::ENQUADRAMENTO ::ENQUADRAMENTO:: ::ENQUADRAMENTO:: :: ENQUADRAMENTO :: O actual ambiente de negócios caracteriza-se por rápidas mudanças que envolvem a esfera politica, económica, social e cultural das sociedades. A capacidade de se adaptar

Leia mais

Senhor Presidente do Instituto da Mobilidade e dos. Senhor Vereador da Câmara Municipal de Lisboa. Senhor Vereador da Câmara Municipal do Porto

Senhor Presidente do Instituto da Mobilidade e dos. Senhor Vereador da Câmara Municipal de Lisboa. Senhor Vereador da Câmara Municipal do Porto Senhor Presidente do Instituto da Mobilidade e dos Transportes Terrestres Senhor Vereador da Câmara Municipal de Lisboa Senhor Vereador da Câmara Municipal do Porto Senhores representantes das associações

Leia mais

Registamos, com afeto, a presença de Vossa Excelência, nesta cerimónia uma honra ímpar para este Instituto.

Registamos, com afeto, a presença de Vossa Excelência, nesta cerimónia uma honra ímpar para este Instituto. Senhor Ministro da Administração Interna. Excelência. Registamos, com afeto, a presença de Vossa Excelência, nesta cerimónia uma honra ímpar para este Instituto. Excelentíssimo Senhor Vice-Procurador Geral

Leia mais

Discurso do Governador do Banco de Cabo Verde, Doutor João Serra, na Conferência Internacional Novas Abordagens da Regulação e da Supervisão na

Discurso do Governador do Banco de Cabo Verde, Doutor João Serra, na Conferência Internacional Novas Abordagens da Regulação e da Supervisão na Discurso do Governador do Banco de Cabo Verde, Doutor João Serra, na Conferência Internacional Novas Abordagens da Regulação e da Supervisão na Mitigação de Riscos, no Salão de Banquetes da Assembleia

Leia mais

Província de Cabinda

Província de Cabinda Província de Cabinda Conselho de Ministros Decreto-Lei n.º 1/07 De 2 de Janeiro Considerando a necessidade da aprovação do Estatuto Especial para a Província de Cabinda estabelecido nos termos do Memorando

Leia mais

75% 15 a 18 de Maio 2015 Praça da Independência - Maputo Moçambique Pavilhão de Portugal

75% 15 a 18 de Maio 2015 Praça da Independência - Maputo Moçambique Pavilhão de Portugal aposta no Sistema Educativo Formação e Criação de Novas Infra-Estruturas UMA OPORTUNIDADE PARA O SEU SECTOR CO-FINANCIADO 75% 1ª PARTICIPAÇÃO PORTUGUESA DA FILEIRA DA EDUCAÇÃO AIP - Feiras, Congressos

Leia mais

DECLARAÇÃO DE LUANDA

DECLARAÇÃO DE LUANDA AFRICAN UNION UNION AFRICAINE UNIÃO AFRICANA P. O. Box 3243, Addis Ababa, ETHIOPIA Tel.: (251-11) 5525849 Fax: (251-11) 5525855 Website: www.africa-union.org SEGUNDA SESSÃO DA CONFERÊNCIA DOS MINISTROS

Leia mais

Seminário Redes do Conhecimento e Conhecimento em Rede

Seminário Redes do Conhecimento e Conhecimento em Rede MINISTÉRIO DO AMBIENTE, DO ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO E DO DESENVOLVIMENTO REGIONAL Gabinete do Secretário de Estado do Desenvolvimento Regional Intervenção do Secretário de Estado do Desenvolvimento Regional

Leia mais

O Voluntariado e a Protecção Civil. 1. O que é a Protecção Civil

O Voluntariado e a Protecção Civil. 1. O que é a Protecção Civil O Voluntariado e a Protecção Civil 1. O que é a Protecção Civil A 03 de Julho de 2006, a Assembleia da Republica publica a Lei de Bases da Protecção Civil, que no seu artigo 1º dá uma definição de Protecção

Leia mais

Regulamento do Colégio de Especialidade de Gestão, Direcção e Fiscalização

Regulamento do Colégio de Especialidade de Gestão, Direcção e Fiscalização Regulamento do Colégio de Especialidade de Gestão, Direcção e Fiscalização de Obras ÍNDICE CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1.º Objecto Artigo 2.º Princípios Artigo 3.º Finalidades Artigo 4.º Atribuições

Leia mais

Relatório de Actividades do Ano de 2013 do Conselho Consultivo da Reforma Jurídica. Conselho Consultivo da Reforma Jurídica

Relatório de Actividades do Ano de 2013 do Conselho Consultivo da Reforma Jurídica. Conselho Consultivo da Reforma Jurídica Relatório de Actividades do Ano de 2013 do Conselho Consultivo da Reforma Jurídica Conselho Consultivo da Reforma Jurídica Março de 2014 Índice 1. Resumo das actividades....1 2. Perspectivas para as actividades

Leia mais

Pequenas e médias empresas:

Pequenas e médias empresas: Pequenas e médias empresas: Promovendo ligações empresariais efectivas entre as grandes e as pequenas e médias empresas para o desenvolvimento de Moçambique Comunicação de Sua Excelência Armando Emílio

Leia mais

Rio de Janeiro, 5 de Dezembro de 2003

Rio de Janeiro, 5 de Dezembro de 2003 Intervenção de Sua Excelência a Ministra da Ciência e do Ensino Superior, na II Reunião Ministerial da Ciência e Tecnologia da CPLP Comunidade dos Países de Língua Portuguesa Rio de Janeiro, 5 de Dezembro

Leia mais

2º Fórum Lusófono de Mulheres em Postos de Tomada de Decisão Luanda, 17-18 de Julho 2002

2º Fórum Lusófono de Mulheres em Postos de Tomada de Decisão Luanda, 17-18 de Julho 2002 2º Fórum Lusófono de Mulheres em Postos de Tomada de Decisão Luanda, 17-18 de Julho 2002 Tema: A Situação Actual da Educação das Jovens e Mulheres Leontina Virgínia Sarmento dos Muchangos Direcção Nacional

Leia mais

Ministério do Comércio

Ministério do Comércio Ministério do Comércio DECRETO EXECUTIVO Nº / DE DE O Governo da República de Angola e a Assembleia Nacional aprovaram o quadro jurídico legal, que define um conjunto de iniciativas e acções de alcance

Leia mais

PESGRU - Plano Estratégico para a Gestão de Resíduos Urbanos em Angola

PESGRU - Plano Estratégico para a Gestão de Resíduos Urbanos em Angola PESGRU - Plano Estratégico para a Gestão de Resíduos Urbanos em Angola 1º CONGRESSO DOS ENGENHEIROS DE LÍNGUA PORTUGUESA 18 de Setembro de 2012 Agenda da apresentação do PESGRU I. Enquadramento do PESGRU

Leia mais

QUADRO DE REFERÊNCIA PARA A AVALIAÇÃO DE ESCOLAS E AGRUPAMENTOS

QUADRO DE REFERÊNCIA PARA A AVALIAÇÃO DE ESCOLAS E AGRUPAMENTOS QUADRO DE REFERÊNCIA PARA A AVALIAÇÃO DE ESCOLAS E AGRUPAMENTOS I Os cinco domínios 1. Resultados 2. Prestação do serviço educativo 3. Organização e gestão escolar 4. Liderança 5. Capacidade de auto-regulação

Leia mais

A EXIGÊNCIA DE FORMAÇÃO CONTÍNUA COMO GARANTIA DE QUALIDADE E DE SUSTENTABILIDADE DA PROFISSÃO

A EXIGÊNCIA DE FORMAÇÃO CONTÍNUA COMO GARANTIA DE QUALIDADE E DE SUSTENTABILIDADE DA PROFISSÃO A EXIGÊNCIA DE FORMAÇÃO CONTÍNUA COMO GARANTIA DE QUALIDADE E DE SUSTENTABILIDADE DA PROFISSÃO (Nota: Esta Comunicação foi amputada, de forma Subtil, de cerca 700 caracteres por imposição da organização

Leia mais

REDES. Boletim Informativo da Angola Telecom Número 30 Ano 3 Janeiro de 2011. Director de Marketing visita areas ligadas ao atendimento

REDES. Boletim Informativo da Angola Telecom Número 30 Ano 3 Janeiro de 2011. Director de Marketing visita areas ligadas ao atendimento REDES 1 Janeiro de 2011 Boletim Informativo da Angola Telecom Número 30 Ano 3 Janeiro de 2011 DESTAQUES Realizado 13º Conselho de Direcção Director de Marketing visita areas ligadas ao atendimento Testada

Leia mais

INOVAÇÃO E SOCIEDADE DO CONHECIMENTO

INOVAÇÃO E SOCIEDADE DO CONHECIMENTO INOVAÇÃO E SOCIEDADE DO CONHECIMENTO O contexto da Globalização Actuação Transversal Aposta no reforço dos factores dinâmicos de competitividade Objectivos e Orientações Estratégicas para a Inovação Estruturação

Leia mais

MISSÃO EMPRESARIAL AO MÉXICO 19-27 Fev. 2016

MISSÃO EMPRESARIAL AO MÉXICO 19-27 Fev. 2016 PROJECTO CONJUNTO DE INTERNACIONALIZAÇÃO MÉXICO 2015-2016 MISSÃO EMPRESARIAL AO MÉXICO 19-27 Fev. 2016 INSCRIÇÕES ATÉ 15 DE JANEIRO 2016 Promotor: Co-financiamento: Monitorização: Foto: Miguel Moreira

Leia mais

3. PRINCIPAIS TEMÁTICAS E CARACTERÍSTICAS DE ORGANIZAÇÃO DOS OPEN DAYS 2008

3. PRINCIPAIS TEMÁTICAS E CARACTERÍSTICAS DE ORGANIZAÇÃO DOS OPEN DAYS 2008 1. INTRODUÇÃO Em apenas 5 anos os OPEN DAYS Semana Europeia das Regiões e Cidades tornaram-se um evento de grande importância para a demonstração da capacidade das regiões e das cidades na promoção do

Leia mais

Excelência, Senhor Secretário de Estado dos Transportes Terrestres,

Excelência, Senhor Secretário de Estado dos Transportes Terrestres, DISCURSO DA SESSÃO DE ABERTURA DO SEMINÁRIO SOBRE O SISTEMA FERROVIÁRIO NACIONAL: SITUAÇÃO PRESENTE E PERSPECTIVAS DE EVOLUÇÃO, PROFERIDO POR SUA EXCELÊNCIA O SR. DR. AUGUSTO DA SILVA TOMÁS, MINISTRO DOS

Leia mais

Apresentação Institucional. FERMAT Materiais de Construção, S.A. Luanda, Janeiro de 2010 - Republica de Angola

Apresentação Institucional. FERMAT Materiais de Construção, S.A. Luanda, Janeiro de 2010 - Republica de Angola Apresentação Institucional FERMAT Materiais de Construção, S.A. Luanda, Janeiro de 2010 - Republica de Angola 1 Índice 1. Grupo Importrading 2. Fermat Company Profile 3. Produtos comercializados 4. Nova

Leia mais

Discurso do Governador do Banco de Cabo Verde, Doutor João Serra, nos actos de lançamento das novas notas de 500 e 5000 escudos e do Livro História

Discurso do Governador do Banco de Cabo Verde, Doutor João Serra, nos actos de lançamento das novas notas de 500 e 5000 escudos e do Livro História Discurso do Governador do Banco de Cabo Verde, Doutor João Serra, nos actos de lançamento das novas notas de 500 e 5000 escudos e do Livro História da Moeda em Cabo Verde, Salão de Banquetes da Assembleia

Leia mais

PROJECTO DESENVOLVENDO NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS

PROJECTO DESENVOLVENDO NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS Projecto do PNUD financiado pela Cooperação Espanhola Ministério da Hotelaria e Turismo República de Angola Angola PROJECTO DESENVOLVENDO NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS SEMINÁRIO PNUD / CNUCED "GESTÃO DE PROJECTOS

Leia mais

PONTNews Solução Comercial de e-marketing

PONTNews Solução Comercial de e-marketing PONTNews Solução Comercial de e-marketing Dossier de Produto DP010.03 02/01/2009 A Pontual A Pontual é uma empresa de capitais 100% nacionais, cuja principal actividade é implementação de Sistemas de Informação

Leia mais

PT Wi-Fi: Internet em Movimento

PT Wi-Fi: Internet em Movimento PT Wi-Fi: Internet em Movimento Clipping de Media (05 a 09 de Dezembro de 2003) Meio: Diário Económico Data: 09 de Dezembro de 2003 Pág.: 6 Meio: Jornal de Negócios Data: 09 de Dezembro de 2003 Pág.: 8

Leia mais

A sustentabilidade da economia requer em grande medida, a criação duma. capacidade própria de produção e fornecimento de bens e equipamentos,

A sustentabilidade da economia requer em grande medida, a criação duma. capacidade própria de produção e fornecimento de bens e equipamentos, REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE -------- MINISTÉRIO DA ENERGIA GABINETE DO MINISTRO INTERVENÇÃO DE S.EXA SALVADOR NAMBURETE, MINISTRO DA ENERGIA, POR OCASIÃO DA INAUGURAÇÃO DA FÁBRICA DE CONTADORES DA ELECTRO-SUL

Leia mais

O Impacto da Modernizacao Tecnologica em Angola Oportunidades & Mercado

O Impacto da Modernizacao Tecnologica em Angola Oportunidades & Mercado Manuel Homem Director Geral do Centro Nacional das Tecnologias de Informação CNTI Coordenador Adjunto e-gov Indicadores de Angola para Contexto Evolução do PIB ($USD Billions) Indicadores de Angola para

Leia mais

ANÚNCIO DE VAGA: OFICIAL DE PROGRAMAS PESCAS NO.VA/NPCA/11/25

ANÚNCIO DE VAGA: OFICIAL DE PROGRAMAS PESCAS NO.VA/NPCA/11/25 ANÚNCIO DE VAGA: OFICIAL DE PROGRAMAS PESCAS NO.VA/NPCA/11/25 A União Africana (UA), estabelecida como órgão singular continental Pan-Africano, procura assegurar a vanguarda do processo da rápida integração

Leia mais

República de Moçambique Presidência da República DISCURSO PARA BANQUETE DE ESTADO

República de Moçambique Presidência da República DISCURSO PARA BANQUETE DE ESTADO República de Moçambique Presidência da República DISCURSO PARA BANQUETE DE ESTADO Discurso de Sua Excelência Filipe Jacinto Nyusi, Presidente da República de Moçambique, por ocasião do Banquete de Estado

Leia mais

ESTATUTO DA ASSEMBLEIA PARLAMENTAR DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA

ESTATUTO DA ASSEMBLEIA PARLAMENTAR DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA ESTATUTO DA ASSEMBLEIA PARLAMENTAR DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA Nós, representantes democraticamente eleitos dos Parlamentos de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné- Bissau, Moçambique, Portugal,

Leia mais

MINISTÉRIO DAS OBRAS PÚBLICAS, TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES Gabinete do Ministro INTERVENÇÃO DE SUA EXCELÊNCIA O MINISTRO DAS

MINISTÉRIO DAS OBRAS PÚBLICAS, TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES Gabinete do Ministro INTERVENÇÃO DE SUA EXCELÊNCIA O MINISTRO DAS INTERVENÇÃO DE SUA EXCELÊNCIA O MINISTRO DAS OBRAS PÚBLICAS, TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES Eng.º Mário Lino por ocasião da Sessão REDES DE NOVA GERAÇÃO 2009 Fundação das Comunicações, 7 Janeiro 2009 (Vale

Leia mais

REPÚBLICA DE ANGOLA. Cimeira Mundial Sobre a Sociedade da Informação

REPÚBLICA DE ANGOLA. Cimeira Mundial Sobre a Sociedade da Informação REPÚBLICA DE ANGOLA Cimeira Mundial Sobre a Sociedade da Informação Intervenção de Sua Excelência Licínio Tavares Ribeiro, Ministro dos Correios e Telecomunicações ANGOLA (Genebra, 12 de Dezembro de 2003)

Leia mais

Ministério do Comércio

Ministério do Comércio Ministério do Comércio Decreto executivo n.º 11/01 de 9 de Março A actualização e capacitação técnico profissional dos trabalhadores do Ministério do Comércio e de particulares buscam o aperfeiçoamento

Leia mais

Projetos Internacionais

Projetos Internacionais Projetos Internacionais Projetos Nacionais de Desenvolvimento Nacional de Água (I e II) - Banco Mundial (IDA) Cerca de 130 milhões USD (1998-2007) para a produção de água em zonas rurais e urbanas e para

Leia mais

Empreendedorismo: Experiências de Angola

Empreendedorismo: Experiências de Angola Empreendedorismo: Experiências de Angola Globalização Resulta Redução do emprego formal Esbarra Visão Empreendedora Exige Necessidade de mudança Mecanismos de Incentivo ao Empreendedorismo Programas do

Leia mais

MINISTÉRIO DO AMBIENTE

MINISTÉRIO DO AMBIENTE REPÚBLICA DE ANGOLA MINISTÉRIO DO AMBIENTE O Ministério do Ambiente tem o prazer de convidar V. Exa. para o Seminário sobre Novos Hábitos Sustentáveis, inserido na Semana Nacional do Ambiente que terá

Leia mais

Gestão de Riscos. Relatório Visita aos Bombeiros Voluntários de Loulé

Gestão de Riscos. Relatório Visita aos Bombeiros Voluntários de Loulé Ano Lectivo de 2010 2011 Licenciatura em Gestão de Bio Recursos Gestão de Riscos Relatório Visita aos Bombeiros Voluntários de Loulé Docente: Prof. Doutor Manuel Rebelo Marques Índice Índice Discente:

Leia mais

Departamento Comercial e Marketing. Escola Secundaria de Paços de Ferreira 2009/2010. Técnicas de Secretariado

Departamento Comercial e Marketing. Escola Secundaria de Paços de Ferreira 2009/2010. Técnicas de Secretariado Escola Secundaria de Paços de Ferreira 2009/2010 Técnicas de Secretariado Departamento Comercial e Marketing Módulo 23- Departamento Comercial e Marketing Trabalho realizado por: Tânia Leão Departamento

Leia mais

Relatório de Actividades do ano 2011 do Conselho Consultivo da Reforma Jurídica

Relatório de Actividades do ano 2011 do Conselho Consultivo da Reforma Jurídica Relatório de Actividades do ano 2011 do Conselho Consultivo da Reforma Jurídica Fevereiro de 2012 Índice 1. Resumo das actividades... 1 2. Balanço e aperfeiçoamento... 6 3. Perspectivas para os trabalhos

Leia mais

NR 23 - PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIOS COMBATE AO FOGO CLASSES DE FOGO. SENAI - Carlos Eduardo do Vale Melo NR-23 PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO

NR 23 - PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIOS COMBATE AO FOGO CLASSES DE FOGO. SENAI - Carlos Eduardo do Vale Melo NR-23 PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO NR- PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO NR - PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIOS A proteção contra incêndios é uma das Normas Regulamentadoras que disciplina sobre as regras complementares de segurança e saúde no trabalho

Leia mais

O RISCO SEMPRE EXISTIU E ESTAMOS TODOS SUJEITOS A ELE

O RISCO SEMPRE EXISTIU E ESTAMOS TODOS SUJEITOS A ELE 64 CAPA ENTREVISTA AMÍLCAR SILVA, PRESIDENTE, E NÍRIA ORAMALU, COORDENADORA DO NÚCLEO DE ESTUDOS E ESTATÍSTICAS DA ABANC O RISCO SEMPRE EXISTIU E ESTAMOS TODOS SUJEITOS A ELE Na sede da Associação Angolana

Leia mais

ENTRE O MINISTÉRIO DA ECONOMIA, DO PLANO E INTEGRAÇÃO REGIONAL DA GUINÉ-BISSAU

ENTRE O MINISTÉRIO DA ECONOMIA, DO PLANO E INTEGRAÇÃO REGIONAL DA GUINÉ-BISSAU PROTOCOLO ENTRE O MINISTÉRIO DA ECONOMIA, DO PLANO E INTEGRAÇÃO REGIONAL DA GUINÉ-BISSAU A ASSOCIAÇÃO INDUSTRIAL PORTUGUESA - CÂMARA DE COMÉRCIO E INDÚSTRIA (AIP-CCI) E A A ELO - ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA

Leia mais

AGENDA 21 LOCAL CONDEIXA-A-NOVA

AGENDA 21 LOCAL CONDEIXA-A-NOVA AGENDA 21 LOCAL CONDEIXA-A-NOVA PLANO DE COMUNICAÇÃO E DIVULGAÇÃO Deliverable 4 Fase 2 Novembro 2008 1 P á g i n a Índice 1. Objectivos... 3 2. Públicos-alvo... 4 3. Estratégia de Comunicação... 5 3.1

Leia mais

Reforma institucional do Secretariado da SADC

Reforma institucional do Secretariado da SADC Reforma institucional do Secretariado da SADC Ganhamos este prémio e queremos mostrar que podemos ainda mais construirmos sobre este sucesso para alcançarmos maiores benefícios para a região da SADC e

Leia mais

REPÚBLICA DE ANGOLA MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA

REPÚBLICA DE ANGOLA MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA REPÚBLICA DE ANGOLA MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA INTERVENÇÃO DE SUA EXCIA, MINISTRA DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA, PROFª. DOUTORA, MARIA CÂNDIDA PEREIRA, DURANTE A SESSÃO DE ABERTURA DO WORKSHOP SOBRE

Leia mais

3. Caracterização e cadastro do Movimento Associativo do concelho

3. Caracterização e cadastro do Movimento Associativo do concelho De : DCED/DICUL Carlos Anjos Proc. Nº Para : ANA JOSÉ CARVALHO, CHEFE DA DICUL Assunto : PROPOSTA DE PLANO DE ACTIVIDADES DO GRUPO DE TRABALHO PARA O MOVIMENTO ASSOCIATIVO - 2011 Para os efeitos tidos

Leia mais

INTERVENÇÃO DE SUA EXCELÊNCIA MINISTRO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA, ENSINO SUPERIOR E TÉCNICO-PROFISSIONAL

INTERVENÇÃO DE SUA EXCELÊNCIA MINISTRO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA, ENSINO SUPERIOR E TÉCNICO-PROFISSIONAL República de Moçambique Ministério da Ciência e Tecnologia, Ensino Superior e Técnico-Profissional (MCTESTP) INTERVENÇÃO DE SUA EXCELÊNCIA MINISTRO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA, ENSINO SUPERIOR E TÉCNICO-PROFISSIONAL

Leia mais

Ministério dos Petróleos

Ministério dos Petróleos Ministério dos Petróleos Decreto Lei nº 10/96 De 18 de Outubro A actividade petrolífera vem assumindo nos últimos tempos importância fundamental no contexto da economia nacional, constituindo por isso,

Leia mais

O ENVOLVIMENTO DOS TRABALHADORES NA ASSOCIAÇÃO EUROPEIA

O ENVOLVIMENTO DOS TRABALHADORES NA ASSOCIAÇÃO EUROPEIA PARECER SOBRE O ENVOLVIMENTO DOS TRABALHADORES NA ASSOCIAÇÃO EUROPEIA (Proposta de Regulamento sobre o Estatuto da AE e Proposta de Directiva que completa o estatuto da AE no que se refere ao papel dos

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE. Rev.: 02. Data: 05-07-2013. Mod.41/00. pág. 1

MANUAL DA QUALIDADE. Rev.: 02. Data: 05-07-2013. Mod.41/00. pág. 1 MANUAL DA QUALIDADE Rev.: 02 Data: 05-07-2013 pág. 1 Designação Social: Dupliconta Sociedade de Contabilidade, Consultadoria e Gestão Lda. Morada: Caminho do Pilar, Conjunto Habitacional do Pilar, Lote

Leia mais

SISTEMA DE CERTIFICAÇÃO DE ENTIDADES FORMADORAS ASPECTOS PRINCIPAIS DA MUDANÇA

SISTEMA DE CERTIFICAÇÃO DE ENTIDADES FORMADORAS ASPECTOS PRINCIPAIS DA MUDANÇA SISTEMA DE CERTIFICAÇÃO DE ENTIDADES FORMADORAS ASPECTOS PRINCIPAIS DA MUDANÇA O Sistema de Certificação de Entidades Formadoras, consagrado na Resolução do Conselho de Ministros nº 173/2007, que aprova

Leia mais

Plano tecnológico? Ou nem tanto?

Plano tecnológico? Ou nem tanto? Plano tecnológico? Ou nem tanto? WEB: ÉDEN?APOCALIPSE? OU NEM TANTO? Plano Tecnológico Mas, Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Deputados, além deste Contrato, o Novo Contrato para a Confiança, o nosso

Leia mais

MUNICÍPIO DE ALCOCHETE CÂMARA MUNICIPAL. Regimento do Conselho Municipal de Educação de Alcochete

MUNICÍPIO DE ALCOCHETE CÂMARA MUNICIPAL. Regimento do Conselho Municipal de Educação de Alcochete MUNICÍPIO DE ALCOCHETE CÂMARA MUNICIPAL Regimento do Conselho Municipal de Educação de Alcochete A construção de um futuro impõe que se considere fundamental investir na capacitação e formação das pessoas,

Leia mais

Agenda Norte Região Digital: Diagnóstico, Estratégia e Plano de Acção

Agenda Norte Região Digital: Diagnóstico, Estratégia e Plano de Acção : Diagnóstico, Estratégia e Plano de Acção Mário Jorge Leitão INESC Porto / FEUP Sumário Enquadramento e-governo Local e Regional Cartão do Cidadão e Plataforma de Serviços Comuns da Administração Pública

Leia mais

A EMPRESA. A DRIVE Consultoria e Investimento, S.A. (DRIVE CI) dedica-se à prestação de serviços de gestão, em especial em

A EMPRESA. A DRIVE Consultoria e Investimento, S.A. (DRIVE CI) dedica-se à prestação de serviços de gestão, em especial em A EMPRESA A DRIVE Consultoria e Investimento, S.A. (DRIVE CI) dedica-se à prestação de serviços de gestão, em especial em áreas onde apresenta factores diferenciadores, como a representação em conselhos

Leia mais

República de Moçambique Ministério da Ciência e Tecnologia Projecto de Governo Electrónico e de Infra-estrutura de Comunicação (MEGCIP)

República de Moçambique Ministério da Ciência e Tecnologia Projecto de Governo Electrónico e de Infra-estrutura de Comunicação (MEGCIP) República de Moçambique Ministério da Ciência e Tecnologia Projecto de Governo Electrónico e de Infra-estrutura de Comunicação (MEGCIP) Síntese da II Reunião do Comité Directivo do Projecto MEGCIP Data:

Leia mais

UEM: Desafios e perspectivas na implementação do Sistema Nacional de Avaliação, Acreditação e Garantia de Qualidade do Ensino Superior

UEM: Desafios e perspectivas na implementação do Sistema Nacional de Avaliação, Acreditação e Garantia de Qualidade do Ensino Superior UEM: Desafios e perspectivas na implementação do Sistema Nacional de Avaliação, Acreditação e Garantia de Qualidade do Ensino Superior Autores: Maida Abdulssatar Khan, Eduardo Chiziane, Luisa Santos e

Leia mais