DIREITO CONSTITUCIONAL DANIELA MURARO DEFESA DO ESTADO E DAS INSTITUIÇÕES DEMOCRÁTICAS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DIREITO CONSTITUCIONAL DANIELA MURARO DEFESA DO ESTADO E DAS INSTITUIÇÕES DEMOCRÁTICAS"

Transcrição

1 DEFESA DO ESTADO E DAS INSTITUIÇÕES DEMOCRÁTICAS 11.1 DEFINIÇÃO A Constituição de 1988, nos arts. 136 a 141, prescreve as regras relativas ao Estado de Defesa e ao Estado Sítio. São normas que visam à estabilização e à defesa da Constituição contra processos violentos de mudança ou perturbação da ordem constitucional, mas também à defesa do Estado quando a situação crítica derive de guerra externa, momento em que a legalidade normal é substituída por uma legalidade extraordinária PRINCÍPIOS REGENTES DO SISTEMA CONSTITUCIONAL DE CRISES O Estado de Defesa e o Estado de Sítio, juntamente com as demais regras previstas no Título V da CF/88, formam o sistema constitucional de crises, que é regido por três princípios. Princípio fundante da necessidade: os estados de defesa e de sítio só podem ser decretados à luz de fatos que os justifiquem e nas situações previstas taxativamente na constituição. Princípio da temporariedade: os estados de defesa e de sítio são medidas temporárias, mesmo que, em alguns casos, se admita a prorrogação dos prazos previstos na Constituição; Princípio da proporcionalidade: as medidas a serem empreendidas nos estados de defesa e de sítio devem guardar relação de proporcionalidade com os fatos que justificaram sua adoção SITUAÇÕES CONSTITUCIONAIS DE DECRETAÇÃO Estado de Defesa (art. 136) Para preservar ou prontamente restabelecer, em locais restritos e determinados, a pública ou a paz social ameaçadas por grave e iminente instabilidade institucio atingidas por calamidades de grandes proporções na natureza. Estado de Sítio (art. 137) I comoção grave de repercussão nacional ou ocorrência de fatos que compr ineficiência de medida tomada durante o estado de defesa; II - declaração de estado de guerra ou resposta a agressão armada estrangeira QUADRO-RESUMO DOS ESTADOS DE DEFESA E DO ESTADO DE SÍTIO ESTADO DE DEFESA Previsão constitucional Art. 136 Competência para decretação (art. 84, ix) Procedimento (art. 136, caput e 4º. A 6º.) Presidente da República 1) Verificação dos pressupostos de admissibilidade; 2) Oitiva do Conselho da Republica e Conselho de Defesa Nacional; 3) Decreto presidencial; 4) Decretado o estado de defesa ou sua prorrogação, o Presidente da República dentro de vinte e quatro horas, submeterá o ato com a respectiva justificação ao Congresso Nacional, que decidirá por maioria

2 Duração e prorrogação (art. 136, 2º.) Fiscalização (art. 140) Medidas coercitivas que podem ser adotadas absoluta; 5) Se o Congresso Nacional estiver em recesso, será convocado, extraordinariamente, no prazo de cinco dias; 6) O Congresso Nacional apreciará o decreto dentro de dez dias contados de seu recebimento, devendo, devendo continuar funcionando enquanto vigorar o estado de defesa; 7) Rejeitado o decreto, cessa imediatamente o estado de defesa. Não superior a trinta dias, podendo ser prorrogado uma única vez, por igual período, se persistirem os motivos que justificaram a decretação. A Mesa do Congresso Nacional, ouvidos os líderes partidários, designar Comissão composta de cinco de seus membros para acompanhar e fiscalizar a execução das medidas referentes ao estado de defesa. Art. 136, 1.º e 3.º ESTADO DE SÍTIO Previsão Constitucional Art. 137 Competência para decretação (art.84 IX) Procedimento (art. 137 e art. 138) Duração e prorrogação (art.138, 1 ) Presidente da República 1) Verificação de pressupostos de admissibilidade; 2) Oitiva do conselho da República e Conselho de Defesa Nacional; 3) Consolidar autorização ao Congresso Nacional; 4) O decreto do estado de sítio indicará sua duração, as normas necessárias a sua execução e as garantias constitucionais que ficarão suspensas, e, depois de publicado, o Presidente da República designará o executor das medidas especificas e suas áreas abrangidas; 5) Solicitada a autorização para decretar o estado do sítio durante o recesso parlamentar, o Presidente do Senado Federal, de imediato, convocará extraordinariamente o Congresso Nacional para se reunir dentro de cinco dias, afim de apreciar ato; 6) O Congresso Nacional permanecerá em funcionamento até o término das medidas coercitivas. No caso do art. 137, I não poderá ser decretado por mais de trinta dias, nem prorrogado, de cada vez, por prazo superior; No caso do art. 137, II poderá ser decretado por todo o tempo que perdurar a guerra ou a

3 Fiscalização (art.140) Medidas coercitivas que podem ser adotadas agressão armada estrangeira. A Mesa do Congresso Nacional, ouvidos os líderes partidários, designará Comissão composta de cinco de seus membros para acompanhar e fiscalizara execução das medidas referentes ao estado do sítio. No caso do art. 137, I - art.139 No caso do art II -art FORÇAS ARMADAS As Forças Armadas, nos termos do art.142da CF/88, são constituídas pela Marinha, pelo Exército e pela Aeronáutica, as quais são instituições nacionais permanentes e regulares, organizadas com base na hierarquia e na disciplina, sob a autoridade suprema do Presidente da República, e destinam-se: a) á defesa da Pátria; b) á garantia dos poderes constitucionais e, c) por iniciativa de qualquer dos Poderes, da lei e da ordem DENOMINAÇÃO, DIREITOS E VEDAÇÕES Os integrantes das Forças Armadas são denominados simplesmente militares, conforme preceitua o art. 142, 3, da CF/88, estando sujeitos ás regras estabelecidos nos incisos I a X HABEAS CORPUS EM RELAÇÃO ÁS PUNIÇÕES DISCIPLINARES DOS MILITARES A Constituição Federal, expressamente, proibiu a concessão de Habeas Corpus em relação ás punições disciplinares dos militares (art. 142, 2. ). A vedação, contudo, deve ser estendida com temperamentos. O STF entendeu que o que proíbe a norma constitucional é a análise do mérito das punições disciplinares, o que não afasta da jurisdição a possibilidade de verificação de pressupostos de legalidade, tais como: a) se havia hierarquia: na qual flui o dever de obediência e de conformidade com instruções, regulamentos internos e recebimento de ordens; b) se a autoridade possuía poder disciplinar: supõe atribuição de direito de punir, cuja atribuição pode recair, em alguns casos, somente em determinados superiores hierárquicos; c) se o ato está ligado a função: se a punição disciplinar liga-se, ou não, á atividade funcional do militar; d) se a pena foi adequadamente aplicada: se a punição aplicada está adequadamente precisa para o ato praticado de acordo com os regulamentos militares SERVIÇO MILITAR OBRIGATÓRIO E SOLDO INFERIOR A AO SALÁRIO- MÍNIMO Diz a Súmula vinculante n. 6/2008 do STF: Não viola a Constituição o estabelecimento de remuneração inferior ao salário- mínimo para as praças prestadoras de serviço Militar inicial SEGURANÇA PÚBLICA A segurança pública, segundo o art.144 da CF/88, é dever do Estado e direito e responsabilidade de todos. É exercida para a preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio, através dos seguintes órgãos: I - policia federa; II - policia rodoviária federal; III - policia ferroviária federal;

4 IV - policias civis V - policias militares e corpos de bombeiros militares QUADRO-RESUMO DAS FORÇAS DE SEGURANÇA PÚBLICA Órgão Destinação Constitucional Previsão Policia Federal I - Apurar infrações penais contra a ordem política e social ou de detrimento de bens, serviços ou interesses da União ou de suas entidades autárquicas e empresas públicas, assim como outra infrações cuja prática tenha repercussão interestadual ou internacional e exija e exija repressão uniforme, segundo se dispuser em lei; II - Prevenir e reprimir o trafico ilícito de entorpecentes e drogas afins, o contrabando e o descaminho, sem prejuízo da ação fazendária e de outros órgãos públicos nas respectivas áreas de competência; III - Exercer as funções de política marítima, aeroportuária e de fronteiras; IV - Exercer, com exclusividade, as funções de política judiciária da União. Art.144, 1. Órgão Destinação Constitucional Previsão constitucional Polícia Rodoviária Federal Polícia Ferroviária Federal Polícias Civis Políciais Militares e Corpos de Bombeiros Militares Destina-se, na forma da lei, ao patrulhamento ostensivo das rodovias federais. Destina-se, na forma da lei, ao patrulhamento ostensivo das ferrovias federais. Ressalvada a competência da União, funções de policia judiciária e apuração de infrações penais, exceto as militares. Às polícias militares cabem a polícia ostensiva e a preservação da ordem pública; aos corpos de bombeiros militares, além das atribuições definidas em lei, incumbe a execução de atividades de defesa civil. Art.144, 2 Art. 144, 3 Art. 144, 4 Art. 144, 5

5 11.7 GUARDA MUNICIPAL Autoriza a Constituição que, na forma da lei, os municípios constituem guardas municipais destinadas á proteção de seus bens, serviços e instalações (Art.144, 8 ). A Constituição, portanto, não autorizou a criação do órgão policial de segurança ou polícia judiciária por parte dos municípios, mas apenas uma guarda que visa [...] assegura a incolumidade do patrimônio municipal, que envolve bens de uso comum do povo, bens de uso especial e bens patrimoniais, mas não é de polícia ostensiva, que é função exclusiva da Polícia Municipal.

Universidade Federal de Alagoas Faculdade de Direito TEMA: O DIREITO À SEGURANÇA A COMO UM DIREITO FUNDAMENTAL

Universidade Federal de Alagoas Faculdade de Direito TEMA: O DIREITO À SEGURANÇA A COMO UM DIREITO FUNDAMENTAL TEMA: O DIREITO À SEGURANÇA A COMO UM DIREITO FUNDAMENTAL O QUE É DIREITO? O QUE É DIREITO FUNDAMENTAL? O QUE É SEGURANÇA? A? COMO GARANTIR O DIREITO À SEGURANÇA NUM ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO? MAPA

Leia mais

Guarda Municipal de Fortaleza Direito Constitucional Segurança Pública Emilly Albuquerque

Guarda Municipal de Fortaleza Direito Constitucional Segurança Pública Emilly Albuquerque Guarda Municipal de Fortaleza Direito Constitucional Segurança Pública Emilly Albuquerque 2013 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. SEGURANÇA PÚBLICA Art. 144 CF Art.

Leia mais

SEGURANÇA PÚBLICA ARTIGOS 42 E 144 DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL

SEGURANÇA PÚBLICA ARTIGOS 42 E 144 DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL SEGURANÇA PÚBLICA ARTIGOS 42 E 144 DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL Segurança Pública, no entendimento do professor Orlando Soares (in Comentários à Constituição da República Federativa do Brasil), traduz o estado

Leia mais

Consultor Legislativo da Área XVII Segurança e Defesa Nacional

Consultor Legislativo da Área XVII Segurança e Defesa Nacional OBRIGATORIED ORIEDADE DE CRIAÇÃO DE GUARD ARDAS AS MUNICIPAIS EM TODOS OS MUNICÍPIOS BRASILEIROS JOÃO RICARDO CARVALHO DE SOUZA Consultor Legislativo da Área XVII Segurança e Defesa Nacional OUTUBRO/2000

Leia mais

LEGISLAÇÃO DE INTERESSE DA DEFESA CIVIL / CBMERJ CONSTITUIÇÃO FEDERAL

LEGISLAÇÃO DE INTERESSE DA DEFESA CIVIL / CBMERJ CONSTITUIÇÃO FEDERAL LEGISLAÇÃO DE INTERESSE DA DEFESA CIVIL / CBMERJ CONSTITUIÇÃO FEDERAL Art.5º Todos são iguais perante a lei.. XI a casa é asilo inviolável do indivíduo, ninguém nela podendo penetrar sem consentimento

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI COMPLEMENTAR Nº 97, DE 9 DE JUNHO DE 1999 Dispõe sobre as normas gerais para a organização, o preparo e o emprego das Forças Armadas.

Leia mais

TÍTULO V. Da Defesa do Estado e Das Instituições Democráticas CAPÍTULO I DO ESTADO DE DEFESA E DO ESTADO DE SÍTIO. Seção I DO ESTADO DE DEFESA

TÍTULO V. Da Defesa do Estado e Das Instituições Democráticas CAPÍTULO I DO ESTADO DE DEFESA E DO ESTADO DE SÍTIO. Seção I DO ESTADO DE DEFESA TÍTULO V Da Defesa do Estado e Das Instituições Democráticas CAPÍTULO I DO ESTADO DE DEFESA E DO ESTADO DE SÍTIO Seção I DO ESTADO DE DEFESA Art. 136. O Presidente da República pode, ouvidos o Conselho

Leia mais

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988... TÍTULO V DA DEFESA DO ESTADO E DAS INSTITUIÇÕES DEMOCRÁTICAS... CAPÍTULO III DA SEGURANÇA PÚBLICA Art. 144. A segurança pública, dever do Estado,

Leia mais

ORIGEM: Comissão Especial destinada à elaboração da Lei Orgânica da Segurança Pública do Brasil - LOSP

ORIGEM: Comissão Especial destinada à elaboração da Lei Orgânica da Segurança Pública do Brasil - LOSP DIRETORIA LEGISLATIVA CONSULTORIA LEGISLATIVA ORIGEM: Comissão Especial destinada à elaboração da Lei Orgânica da Segurança Pública do Brasil - LOSP TIPO DE TRABALHO: CONSULTA ASSUNTO: Análise geral sobre

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 97, DE 9 DE JUNHO DE 1999. Dispõe sobre as normas gerais para a organização, o preparo e o emprego das Forças Armadas.

LEI COMPLEMENTAR Nº 97, DE 9 DE JUNHO DE 1999. Dispõe sobre as normas gerais para a organização, o preparo e o emprego das Forças Armadas. LEI COMPLEMENTAR Nº 97, DE 9 DE JUNHO DE 1999 Dispõe sobre as normas gerais para a organização, o preparo e o emprego das Forças Armadas. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta

Leia mais

POLÍCIA MILITAR DE SANTA CATARINA 5ª REGIÃO DE POLÍCIA MILITAR 14º BATALHÃO DE POLÍCIA MILITAR

POLÍCIA MILITAR DE SANTA CATARINA 5ª REGIÃO DE POLÍCIA MILITAR 14º BATALHÃO DE POLÍCIA MILITAR POLÍCIA MILITAR DE SANTA CATARINA 5ª REGIÃO DE POLÍCIA MILITAR 14º BATALHÃO DE POLÍCIA MILITAR Maslow e as necessidades humanas: A preocupação com a segurança. Qualificando a palavra segurança : Conceito

Leia mais

PONTO 1: Poderes Administrativos: - Poder Hierárquico continuação. - Poder de Polícia. - Poder Vinculado. - Poder Discricionário.

PONTO 1: Poderes Administrativos: - Poder Hierárquico continuação. - Poder de Polícia. - Poder Vinculado. - Poder Discricionário. 1 DIREITO ADMINISTRATIVO PONTO 1: Poderes Administrativos: - Poder Hierárquico continuação. - Poder de Polícia. - Poder Vinculado. - Poder Discricionário. 1)Poderes Administrativos: Poder hierárquico continuação:

Leia mais

Justiça Militar estadual e Justiça de Transição. Necessidade de preservar a unidade e obediência das tropas que garantiam a dominação sobre a colônia.

Justiça Militar estadual e Justiça de Transição. Necessidade de preservar a unidade e obediência das tropas que garantiam a dominação sobre a colônia. Justiça Militar estadual e Justiça de Transição Justiça Militar no Império Conselho Supremo Militar e de Justiça Decreto de 1º de abril de 1808. Necessidade de preservar a unidade e obediência das tropas

Leia mais

A MILITARIZAÇÃO DA SEGURANÇA PÚBLICA NO BRASIL POR MEIO DAS FORÇAS ARMADAS NA GARANTIA DA LEI E DA ORDEM (GLO)

A MILITARIZAÇÃO DA SEGURANÇA PÚBLICA NO BRASIL POR MEIO DAS FORÇAS ARMADAS NA GARANTIA DA LEI E DA ORDEM (GLO) A MILITARIZAÇÃO DA SEGURANÇA PÚBLICA NO BRASIL POR MEIO DAS FORÇAS ARMADAS NA GARANTIA DA LEI E DA ORDEM (GLO) RESUMO Sarah Caroline de Deus Pereira 1 Jorge Luís Gomes da Silva 2 O presente trabalho tem

Leia mais

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO N o, DE 2013 (Do Sr. Otoniel Lima e outros)

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO N o, DE 2013 (Do Sr. Otoniel Lima e outros) ** 1 PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO N o, DE 2013 (Do Sr. Otoniel Lima e outros) Modifica o Art. 144 da Constituição Federal, para definir diretrizes sobre a carreira de policial federal. As Mesas da

Leia mais

Subseção I Disposição Geral

Subseção I Disposição Geral Subseção I Disposição Geral Art. 59. O processo legislativo compreende a elaboração de: I - emendas à Constituição; II - leis complementares; III - leis ordinárias; IV - leis delegadas; V - medidas provisórias;

Leia mais

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 TÍTULO IV DA ORGANIZAÇÃO DOS PODERES CAPÍTULO I DO PODER LEGISLATIVO Seção II Das Atribuições do Congresso Nacional Art. 49. É da competência exclusiva

Leia mais

A ATUAÇÃO DAS FORÇAS ARMADAS NA GARANTIA DA LEI E DA ORDEM

A ATUAÇÃO DAS FORÇAS ARMADAS NA GARANTIA DA LEI E DA ORDEM UNIVERSIDADE DA AMAZÔNIA (UNAMA) VIII CURSO DE EXTENSÃO EM DEFESA NACIONAL A ATUAÇÃO DAS FORÇAS ARMADAS NA GARANTIA DA LEI E DA ORDEM SUMÁRIO 1 - INTRODUÇÃO 2 CONSIDERAÇÕES INICIAIS 3 AS OPERAÇÕES DE GLO

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br Competência da Justiça Militar Paulo Tadeu Rodrigues Rosa* A Justiça Militar é um dos órgãos do Poder Judiciário, com previsão constitucional e Lei de Organização Judiciária que

Leia mais

PLANO NACIONAL DE SEGURANÇA PÚBLICA PORTUÁRIA

PLANO NACIONAL DE SEGURANÇA PÚBLICA PORTUÁRIA MINISTÉRIO DA JUSTIÇA COMISSÃO NACIONAL DE SEGURANÇA PÚBLICA NOS PORTOS, TERMINAIS E VIAS NAVEGÁVEIS - CONPORTOS PLANO NACIONAL DE SEGURANÇA PÚBLICA PORTUÁRIA - 1ª Edição - BRASÍLIA Dezembro 2002 SUMÁRIO

Leia mais

ACUMULAÇÃO DE CARGOS PÚBLICOS POR MILITARES

ACUMULAÇÃO DE CARGOS PÚBLICOS POR MILITARES ACUMULAÇÃO DE CARGOS PÚBLICOS POR MILITARES 1. INTRODUÇÃO O presente estudo tem por finalidade analisar a possibilidade de um militar exercer, na ativa ou na reserva remunerada, outro cargo público e receber,

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO

CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO RESOLUÇÃO N.º 13, DE 02 DE OUTUBRO DE 2006. (Alterada pela Res. 111/2014) Regulamenta o art. 8º da Lei Complementar 75/93 e o art. 26 da Lei n.º 8.625/93, disciplinando, no âmbito do Ministério Público,

Leia mais

DESTAQUE DOS PONTOS MAIS RELEVANTES DA REFORMA DO JUDICIÁRIO PEC Nº 358, DE 2005

DESTAQUE DOS PONTOS MAIS RELEVANTES DA REFORMA DO JUDICIÁRIO PEC Nº 358, DE 2005 DESTAQUE DOS PONTOS MAIS RELEVANTES DA REFORMA DO JUDICIÁRIO PEC Nº 358, DE 2005 REGINA MARIA GROBA BANDEIRA Consultora Legislativa da Área I Direito Constitucional, Eleitoral, Municipal, Direito Administrativo,

Leia mais

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988...

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988... CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 TÍTULO VII DA ORDEM SOCIAL CAPÍTULO VIII DOS ÍNDIOS Art. 231. São reconhecidos aos índios sua organização social, costumes, línguas, crenças e tradições,

Leia mais

ERRATA SESIPE-DF NOÇÕES DE DIREITO CONSTITUCIONAL

ERRATA SESIPE-DF NOÇÕES DE DIREITO CONSTITUCIONAL ERRATA SESIPE-DF Na página, 139 onde se lê: 31. À luz da Constituição Federal de 1988 (CF), julgue o item que se segue, acerca de direitos e garantias fundamentais. Havendo iminente perigo público, a autoridade

Leia mais

DIREITO PROCESSUAL PENAL COMPETÊNCIAS

DIREITO PROCESSUAL PENAL COMPETÊNCIAS DIREITO PROCESSUAL PENAL COMPETÊNCIAS Atualizado em 03/11/2015 4. Competência Material Ratione Materiae: Divide-se em competência da Justiça Estadual, Federal, Eleitoral e Militar (não falamos da Justiça

Leia mais

DIREITO ADMINISTRATIVO CONTROLE

DIREITO ADMINISTRATIVO CONTROLE DIREITO ADMINISTRATIVO CONTROLE Atualizado em 12/11/2015 CLASSIFICAÇÕES E SISTEMAS DE CONTROLE CLASSIFICAÇÕES DO CONTROLE Quanto ao posicionamento do órgão controlador: Externo: exercido por um ente que

Leia mais

CONGRESSO NACIONAL MEDIDA PROVISÓRIA Nº 675 DE, 21 DE MAIO DE 2015.

CONGRESSO NACIONAL MEDIDA PROVISÓRIA Nº 675 DE, 21 DE MAIO DE 2015. CONGRESSO NACIONAL MEDIDA PROVISÓRIA Nº 675 DE, 21 DE MAIO DE 2015. (Mensagem nº 153, de 2015, na origem) Altera a Lei nº 7.689, de 15 de dezembro de 1988, para elevar a alíquota da Contribuição Social

Leia mais

CONTROLE DA ADMINISTRAÇÃO

CONTROLE DA ADMINISTRAÇÃO CONTROLE DA ADMINISTRAÇÃO CONCEITO DE CONTROLE CONTROLE, EM TEMA DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA, É A FACULDADE DE VIGILÂNCIA, ORIENTAÇÃO E CORREÇÃO QUE UM PODER, ÓRGÃO OU AUTORIDADE EXERCE SOBRE A CONDUTA FUNCIONAL

Leia mais

O PODER DE POLÍCIA DAS FORÇAS ARMADAS

O PODER DE POLÍCIA DAS FORÇAS ARMADAS 1 O PODER DE POLÍCIA DAS FORÇAS ARMADAS Rafael Nascimento Ferreira de Melo * RESUMO O tema em questão trata-se de matéria atinente ao Direito Constitucional Militar. Poder de polícia nada mais é do que

Leia mais

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA PROJETO DE LEI Nº 4.302-C, DE 1998

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA PROJETO DE LEI Nº 4.302-C, DE 1998 COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA PROJETO DE LEI Nº 4.302-C, DE 1998 SUBSTITUTIVO DO SENADO FEDERAL AO PROJETO DE LEI Nº 4.302-B, DE 1998, que altera dispositivos da Lei nº 6.019, de 3

Leia mais

Escola de Formação Política Miguel Arraes. Módulo III Políticas Públicas e Direitos Humanos. Aula 7 Gestão em Segurança Pública

Escola de Formação Política Miguel Arraes. Módulo III Políticas Públicas e Direitos Humanos. Aula 7 Gestão em Segurança Pública TEXTO DE REFERÊNCIA Módulo III Políticas Públicas e Direitos Humanos Aula 7 Gestão em Segurança Pública por Tereza Cristina Albieri Baraldi 1 1- Os órgãos constitucionais que compõem o sistema da Segurança

Leia mais

WWW.CONTEUDOJURIDICO.COM.BR

WWW.CONTEUDOJURIDICO.COM.BR PRISÃO REALIZADA PELA GUARDA MUNICIPAL Denis Schlang Rodrigues Alves - Delegado de Polícia do Estado de Santa Catarina. Pós- Graduado em Direito Penal pela Universidade Paulista. Professor de Direito Penal

Leia mais

Execução e controle das despesas com pessoal conforme as regras da Lei de Responsabilidade Fiscal - LRF

Execução e controle das despesas com pessoal conforme as regras da Lei de Responsabilidade Fiscal - LRF Execução e controle das despesas com pessoal conforme as regras da Lei de Responsabilidade Fiscal - LRF Amigos concursandos! Desejo a todos muita paz, tranqüilidade e que seus objetivos estejam caminhando

Leia mais

Turma TCMRJ Técnico de Controle Externo 123 Módulo 1 4

Turma TCMRJ Técnico de Controle Externo 123 Módulo 1 4 Turma TCMRJ Técnico de Controle Externo 123 Módulo 1 4 Banca: SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO/RJ Edital SMA Nº 84/2010 (data da publicação: 27/09/2010) Carga horária (aulas presenciais): 126 horas

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo ACÓRDÃO Registro: 2012.0000122121 Vistos, relatados e discutidos estes autos do Apelação nº 9074862-42.2007.8.26.0000, da Comarca de São José do Rio Preto, em que são apelantes PREFEITURA MUNICIPAL DE

Leia mais

PARECER. Senhor Presidente da Comissão de Direito Penal do IAB.

PARECER. Senhor Presidente da Comissão de Direito Penal do IAB. PARECER Referências: Indicações nos 055/2007, de autoria do Deputado Celso Russomano e 097/2006, do Deputado Milton Monti, referentes, respectivamente, aos Projetos de Lei n''s. 1.017, de 2007 e 7.284,

Leia mais

O IMPORTANTE PAPEL DA RECEITA FEDERAL NA LUTA CONTRA O CONTRABANDO E O DESCAMINHO.

O IMPORTANTE PAPEL DA RECEITA FEDERAL NA LUTA CONTRA O CONTRABANDO E O DESCAMINHO. O IMPORTANTE PAPEL DA RECEITA FEDERAL NA LUTA CONTRA O CONTRABANDO E O DESCAMINHO. REINALDO ÁVILA ORTIGOSA E-mail: dulrei@terra.com.br. Tel.(013) 4009-1572 DS SANTOS/SP SUMÁRIO 1.INTRODUÇÃO 2.DESENVOLVIMENTO

Leia mais

R E S O L U Ç Ã O Nº 1, DE 2002-CN(*)

R E S O L U Ç Ã O Nº 1, DE 2002-CN(*) REPUBLICAÇÃO ATOS DO CONGRESSO NACIONAL R E S O L U Ç Ã O Nº 1, DE 2002-CN(*) Faço saber que o Congresso Nacional aprovou, e eu, Ramez Tebet, Presidente do Senado Federal, nos termos do parágrafo único

Leia mais

MPS Ministério da Previdência Social SPS Secretaria de Políticas de Previdência Social. A Regulamentação das Aposentadorias Especiais

MPS Ministério da Previdência Social SPS Secretaria de Políticas de Previdência Social. A Regulamentação das Aposentadorias Especiais MPS Ministério da Previdência Social SPS Secretaria de Políticas de Previdência Social A Regulamentação das Aposentadorias Especiais Brasília - DF, 14 de setembro de 2010 Quantidade de Servidores da União,

Leia mais

50 DICAS DE DIREITO CONSTITUCIONAL PARA O EXAME DE ORDEM - OAB

50 DICAS DE DIREITO CONSTITUCIONAL PARA O EXAME DE ORDEM - OAB 50 DICAS DE DIREITO CONSTITUCIONAL PARA O EXAME DE ORDEM - OAB Prof. Cristiano Lopes E-mail: prof.cristianolopes@gmail.com Fanpage: facebook.com/professorcristianolopes 50 DICAS DE DIREITO CONSTITUCIONAL

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA - TCU Nº 63, DE 1º DE SETEMBRO DE 2010

INSTRUÇÃO NORMATIVA - TCU Nº 63, DE 1º DE SETEMBRO DE 2010 INSTRUÇÃO NORMATIVA - TCU Nº 63, DE 1º DE SETEMBRO DE 2010 Estabelece normas de organização e de apresentação dos relatórios de gestão e das peças complementares que constituirão os processos de contas

Leia mais

Em elaboração RECURSO EXTRAORDINÁRIO 593.727 MINAS GERAIS V O T O-V I S T A

Em elaboração RECURSO EXTRAORDINÁRIO 593.727 MINAS GERAIS V O T O-V I S T A RECURSO EXTRAORDINÁRIO 593.727 MINAS GERAIS V O T O-V I S T A O SENHOR MINISTRO MARCO AURÉLIO O recurso volta-se a infirmar acórdão mediante o qual o Tribunal de Justiça Estado de Minas Gerais recebeu

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE OFICIAIS MILITARES ESTADUAIS DO RIO DE JANEIRO - AME/RJ

ASSOCIAÇÃO DE OFICIAIS MILITARES ESTADUAIS DO RIO DE JANEIRO - AME/RJ ot nojo ~ /20U Rio de Janeiro, 27 de setembro de ~OU. Do: Presidente da AMEIRJ. ;\0: ~xmo Sr. Procurador Geral de Justiça do Estado do Rio de Janeiro. Assunto: Desvio de função. Esta Associação, considerando

Leia mais

ORIENTAÇÃO NORMATIVA SRH Nº 2, DE 23 DE FEVEREIRO DE 2011. CAPÍTULO I DO DIREITO E DA CONCESSÃO

ORIENTAÇÃO NORMATIVA SRH Nº 2, DE 23 DE FEVEREIRO DE 2011. CAPÍTULO I DO DIREITO E DA CONCESSÃO ORIENTAÇÃO NORMATIVA SRH Nº 2, DE 23 DE FEVEREIRO DE 2011. Dispõe sobre as regras e procedimentos a serem adotados pelos órgãos setoriais e seccionais do Sistema de Pessoal Civil da Administração Federal

Leia mais

Olá, vamos iniciar o curso de Processo Legislativo. Nesta primeira aula, vamos estudar o significado de legislatura e de sessão legislativa.

Olá, vamos iniciar o curso de Processo Legislativo. Nesta primeira aula, vamos estudar o significado de legislatura e de sessão legislativa. MÓDULO I AULA 1 LEGISLATURA - SESSÃO LEGISLATIVA Olá, vamos iniciar o curso de Processo Legislativo. Nesta primeira aula, vamos estudar o significado de legislatura e de sessão legislativa. O que é uma

Leia mais

Unidade I DIREITO NAS ORGANIZAÇÕES. Prof. Luís Fernando Xavier Soares de Mello

Unidade I DIREITO NAS ORGANIZAÇÕES. Prof. Luís Fernando Xavier Soares de Mello Unidade I DIREITO NAS ORGANIZAÇÕES Prof. Luís Fernando Xavier Soares de Mello Direito nas organizações Promover uma visão jurídica global do Sistema Tributário Nacional, contribuindo para a formação do

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE JURANDA Estado do Paraná Praça Henrique Szafermann, 139 Centro - Cep 87355-000 Juranda-Pr

PREFEITURA MUNICIPAL DE JURANDA Estado do Paraná Praça Henrique Szafermann, 139 Centro - Cep 87355-000 Juranda-Pr PREFEITURA MUNICIPAL DE JURANDA Estado do Paraná Praça Henrique Szafermann, 139 Centro - Cep 87355-000 Juranda-Pr LEI Nº. 1054/2013 SÚMULA: DISPÕE SOBRE O PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO PARA CONTRATAÇÃO

Leia mais

META 4. LEITURA OBRIGATÓRIA Legislação: CRFB/88, arts. 6 o 17; Doutrina: Direitos sociais; Nacionalidade; Direitos Políticos e Partidos Políticos.

META 4. LEITURA OBRIGATÓRIA Legislação: CRFB/88, arts. 6 o 17; Doutrina: Direitos sociais; Nacionalidade; Direitos Políticos e Partidos Políticos. META 4 LEITURA OBRIGATÓRIA Legislação: CRFB/88, arts. 6 o 17; Doutrina: Direitos sociais; Nacionalidade; Direitos Políticos e Partidos Políticos. EXERCÍCIO 1. (FGV - 2008 - Senado Federal - Policial Legislativo

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE LEI COMPLEMENTAR N. 305, DE 8 DE OUTUBRO DE 2015 Cria o Corpo Voluntário de Militares do Estado da Reserva Remunerada e dispõe sobre a convocação dos inscritos para serviço ativo em caráter transitório.

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 105, DE 10 DE JANEIRO DE 2001.

LEI COMPLEMENTAR Nº 105, DE 10 DE JANEIRO DE 2001. LEI COMPLEMENTAR Nº 105, DE 10 DE JANEIRO DE 2001. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, Dispõe sobre o sigilo das operações de instituições financeiras e dá outras providências. Faço saber que o Congresso Nacional

Leia mais

GUARDA MUNICIPAL E SEGURANÇA PÚBLICA

GUARDA MUNICIPAL E SEGURANÇA PÚBLICA GUARDA MUNICIPAL E SEGURANÇA PÚBLICA Aristides Medeiros ADVOGADO Consoante estabelecido no art. 144, caput, da Constituição Federal, os órgãos incumbidos da segurança pública, isto é, da segurança geral,

Leia mais

Módulo 01- Sistema de Justiça Criminal no Brasil Disciplina: Instituições e Integração dos Órgãos encarregados da Segurança Pública no Brasil

Módulo 01- Sistema de Justiça Criminal no Brasil Disciplina: Instituições e Integração dos Órgãos encarregados da Segurança Pública no Brasil Módulo 01- Sistema de Justiça Criminal no Brasil Disciplina: Instituições e Integração dos Órgãos encarregados da Segurança Pública no Brasil Módulo 01- Sistema de Justiça Criminal no Brasil Disciplina:

Leia mais

*5097551B21* COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA

*5097551B21* COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA PROJETO DE LEI N o 5.999, DE 2005 (Apensos os PLs n OS 6.076, de 2005, 6.085, de 2005, 6.118, de 2005, 6.122, de 2005, 6.257, de 2005, e 6.306, de 2005) Dispõe sobre

Leia mais

CONSTITUIÇÃO FEDERAL TÍTULO III DA ORGANIZAÇÃO DO ESTADO CAPÍTULO II DA UNIÃO

CONSTITUIÇÃO FEDERAL TÍTULO III DA ORGANIZAÇÃO DO ESTADO CAPÍTULO II DA UNIÃO Art. 21- Compete à União: TÍTULO III DA ORGANIZAÇÃO DO ESTADO CAPÍTULO II DA UNIÃO I - Manter relações com Estados estrangeiros e participar de organizações internacionais; II - Declarar a guerra e celebrar

Leia mais

O CONGRESSO NACIONAL decreta: CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS

O CONGRESSO NACIONAL decreta: CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Fixa normas, nos termos dos incisos III, VI e VII do caput e do parágrafo único do art. 23 da Constituição Federal, para a cooperação entre a União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios, nas

Leia mais

RECOMENDAÇÃO Nº 05/2009

RECOMENDAÇÃO Nº 05/2009 Procedimento Administrativo Tutela Coletiva nº 1.34.030.000124/2009-41 RECOMENDAÇÃO Nº 05/2009 O MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL, pelo Procurador da República signatário, no uso de suas atribuições constitucionais

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DA 1ª. VARA DA JUSTIÇA FEDERAL SECÇÃO JUDICIÁRIA DO ESTADO DO PIAUÍ,

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DA 1ª. VARA DA JUSTIÇA FEDERAL SECÇÃO JUDICIÁRIA DO ESTADO DO PIAUÍ, EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DA 1ª. VARA DA JUSTIÇA FEDERAL SECÇÃO JUDICIÁRIA DO ESTADO DO PIAUÍ, Processo nº xxx Recorrente: xxx Recorrido: xxx Paciente: xxx RECURSO EM SENTIDO ESTRITO AUDREY MARTINS

Leia mais

Informativo diário de dicas para concursos públicos - Nr 05 de 71/07/2011 P R A Z O S

Informativo diário de dicas para concursos públicos - Nr 05 de 71/07/2011 P R A Z O S P R A Z O S Processo/Procedimento Prazo Fundamento Comunicação Disciplinar 05 dias úteis art 56, parág 2º CEDM Entrada em vigor da Lei 14.310 45 dias artigo 98 CEDM Mudança de conceito cada ano sem punição

Leia mais

Organização dos Poderes: legislativo, executivo e judiciário

Organização dos Poderes: legislativo, executivo e judiciário Organização dos Poderes: legislativo, executivo e judiciário DA ESTRUTURA BÁSICA DA FEDERAÇÃO ENTIDADES COMPONENTES DA FEDERAÇÃO BRASILEIRA 1) Componentes do Estado Federal: a organização políticoadministrativa

Leia mais

@PROVA MPU: TÉCNICO DIREITO CONSTITUCIONAL

@PROVA MPU: TÉCNICO DIREITO CONSTITUCIONAL @PROVA MPU: TÉCNICO DIREITO CONSTITUCIONAL 51. Todas as normas presentes na CF, independentemente de seu conteúdo, possuem supremacia em relação à lei ordinária, por serem formalmente constitucionais.

Leia mais

LEI N.º 8.072, DE 25 DE JULHO DE 1990

LEI N.º 8.072, DE 25 DE JULHO DE 1990 LEI N.º 8.072, DE 25 DE JULHO DE 1990 O PRESIDENTE DA REPÚBLICA: LEI DOS CRIMES HEDIONDOS Dispõe sobre os crimes hediondos, nos termos do art. 5º, inciso XLIII, da Constituição Federal, e determina outras

Leia mais

A CRÍTICA AO ATO DE SUPERIOR E A LIBERDADE DE EXPRESSÃO

A CRÍTICA AO ATO DE SUPERIOR E A LIBERDADE DE EXPRESSÃO UNIVERSIDADE CRUZEIRO DO SUL PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO MILITAR DIREITO PENAL MILITAR PARTE ESPECIAL MARCELO VITUZZO PERCIANI A CRÍTICA AO ATO DE SUPERIOR E A LIBERDADE DE EXPRESSÃO Marcelo Vituzzo Perciani

Leia mais

EMPREGO DAS FORÇAS ARMADAS NA SEGURANÇA PÚBLICA:

EMPREGO DAS FORÇAS ARMADAS NA SEGURANÇA PÚBLICA: ESCOLA SUPERIOR DE GUERRA AMARO VIEIRA FERREIRA EMPREGO DAS FORÇAS ARMADAS NA SEGURANÇA PÚBLICA: QUESTÕES JURÍDICAS E PECULIARIDADES DA ATUAÇÃO NO CONTEXTO DO SISFRON Rio de Janeiro 2012 AMARO VIEIRA FERREIRA

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br Direito de associação do servidor público militar Paulo Tadeu Rodrigues Rosa* Constituição Federal vigente rompeu com o Estado até então existente e que era regido pela Constituição

Leia mais

O QUE MUDA COM A CIVIL DA INTERNET

O QUE MUDA COM A CIVIL DA INTERNET Anexo Biblioteca Informa nº 2.301 O QUE MUDA COM A APROVAÇÃO DO MARCO CIVIL DA INTERNET Autores André Zonaro Giacchetta Ciro Torres Freitas Pamela Gabrielle Meneguetti Sócio e Associados da Área Contenciosa

Leia mais

PONTE INTERNACIONAL DA AMIZADE (Brasil-Paraguai) Segurança pública e Direito Penal Internacional

PONTE INTERNACIONAL DA AMIZADE (Brasil-Paraguai) Segurança pública e Direito Penal Internacional PONTE INTERNACIONAL DA AMIZADE (Brasil-Paraguai) Segurança pública e Direito Penal Internacional Prof. Dr. Cândido Furtado Maia Neto - candidomaia@uol.com.br Necessário se faz, dirimir dúvidas e aclarar

Leia mais

Princípios da Administração Pública. Direito Administrativo. Princípios da Administração Pública. Legalidade. Impessoalidade.

Princípios da Administração Pública. Direito Administrativo. Princípios da Administração Pública. Legalidade. Impessoalidade. Direito Administrativo Princípios da Administração Pública Armando Mercadante Fev/2010 Princípios da Administração Pública Princípios expressos no caput do art. 37, CF Legalidade Impessoalidade Moralidade

Leia mais

Crimes praticados por militares estaduais contra civis Procedimentos a serem adotados, CPP ou CPPM?

Crimes praticados por militares estaduais contra civis Procedimentos a serem adotados, CPP ou CPPM? Crimes praticados por militares estaduais contra civis Procedimentos a serem adotados, CPP ou CPPM? A Justiça Militar Estadual por força de expressa vedação contida no art. 125, 4º, da CF/88, não tem competência

Leia mais

RELAÇÃO DO DIREITO CONSTITUCIONAL COM OUTRAS DISCIPLINAS OU CIÊNCIAS.

RELAÇÃO DO DIREITO CONSTITUCIONAL COM OUTRAS DISCIPLINAS OU CIÊNCIAS. RELAÇÃO DO DIREITO CONSTITUCIONAL COM OUTRAS DISCIPLINAS OU CIÊNCIAS. 1. RELAÇÃO COM O DIREITO ADMINISTRATIVO: Classificado no Direito Público Interno, de quem é um de seus ramos, o Direito Administrativo,

Leia mais

A ATUAÇÃO DAS FORÇAS ARMADAS NAS AÇÕES SUBSIDIÁRIAS

A ATUAÇÃO DAS FORÇAS ARMADAS NAS AÇÕES SUBSIDIÁRIAS MINISTÉRIO DA DEFESA A ATUAÇÃO DAS FORÇAS ARMADAS NAS AÇÕES SUBSIDIÁRIAS Almirante-de-Esquadra Ademir Sobrinho Chefe de Operações Conjuntas do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas MINISTÉRIO DA DEFESA

Leia mais

PARECER ACUMULAÇÃO DE CARGOS PÚBLICOS

PARECER ACUMULAÇÃO DE CARGOS PÚBLICOS RELATÓRIO PARECER ACUMULAÇÃO DE CARGOS PÚBLICOS Considerando a multiplicação de solicitações encaminhadas à Comissão de Fiscalização COFI do CRESS 17ª Região a respeito de acumulação de cargos públicos,

Leia mais

MPS Ministério da Previdência Social SPS Secretaria de Políticas de Previdência Social. Aposentadoria Especial Servidor PúblicoP Impacto decisões STF

MPS Ministério da Previdência Social SPS Secretaria de Políticas de Previdência Social. Aposentadoria Especial Servidor PúblicoP Impacto decisões STF MPS Ministério da Previdência Social SPS Secretaria de Políticas de Previdência Social Aposentadoria Especial Servidor PúblicoP Impacto decisões STF Aposentadoria Especial Art. 40 4º Constituição Federal

Leia mais

Presentation Title Presentation Subtitle

Presentation Title Presentation Subtitle Presentation Title Presentation Subtitle SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO 2 ASPECTOS LEGAIS 3 ASPECTOS ESTRATÉGICOS 4 SISFRON Art. 142. As Forças Armadas, constituídas pela Marinha, pelo Exército e pela Aeronáutica,

Leia mais

Direito Constitucional 3º semestre Professora Ilza Facundes. Organização do Estado Federação na Constituição de 1988

Direito Constitucional 3º semestre Professora Ilza Facundes. Organização do Estado Federação na Constituição de 1988 Direito Constitucional 3º semestre Professora Ilza Facundes Organização do Estado Federação na Constituição de 1988 a) CARACTERÍSTICAS I. Órgãos representativos: Câmara dos Deputados Representa o Povo

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE PERNAMBUCO PROMOTORIA DE LAGOA GRANDE Curadoria do Meio Ambiente RECOMENDAÇÃO Nº 002/2014

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE PERNAMBUCO PROMOTORIA DE LAGOA GRANDE Curadoria do Meio Ambiente RECOMENDAÇÃO Nº 002/2014 RECOMENDAÇÃO Nº 002/2014 O MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE PERNAMBUCO, por seu órgão de execução, no uso das suas atribuições legais, com fundamento no artigo 129, inciso II, da Constituição, c/c artigo

Leia mais

SELEÇÃO DE ESTÁGIO - DIREITO

SELEÇÃO DE ESTÁGIO - DIREITO SELEÇÃO DE ESTÁGIO - DIREITO - Verifique se este caderno contém 20 questões objetivas e 2 temas de redação. Caso contrário, reclame ao fiscal da sala outro caderno. - A resposta deve ser marcada com caneta

Leia mais

Regime jurídico das empresas estatais

Regime jurídico das empresas estatais Prof. Márcio Iorio Aranha Regime jurídico das empresas estatais 1) Submissão aos princípios gerais da Administração Pública (art. 37, caput legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência)

Leia mais

Funções: 1ª) Proteção aos bens jurídicos. Bens Jurídicos são os interesses, os valores protegidos pela norma penal; 2ª) Manutenção da paz social.

Funções: 1ª) Proteção aos bens jurídicos. Bens Jurídicos são os interesses, os valores protegidos pela norma penal; 2ª) Manutenção da paz social. DIREITO PENAL O Direito Penal é o conjunto de princípios e normas que disciplinam o crime, as contravenções, a pena e a medida de segurança. Funções: 1ª) Proteção aos bens jurídicos. Bens Jurídicos são

Leia mais

Paraná, 5 de julho de 2012 Nota de Repúdio às propostas de LDO DA MORDAÇA & LEI DE INCENTIVO À CORRUPÇÃO O ex-presidente da República e atual

Paraná, 5 de julho de 2012 Nota de Repúdio às propostas de LDO DA MORDAÇA & LEI DE INCENTIVO À CORRUPÇÃO O ex-presidente da República e atual Paraná, 5 de julho de 2012 Nota de Repúdio às propostas de LDO DA MORDAÇA & LEI DE INCENTIVO À CORRUPÇÃO O ex-presidente da República e atual presidente da Comissão de Serviços de Infraestrutura do Senado

Leia mais

MENSAGEM Nº, de 2008.

MENSAGEM Nº, de 2008. MENSAGEM Nº, de 2008. = Tenho a honra de submeter à elevada consideração de Vossas Excelências o projeto de Lei anexo, que objetiva criar o Conselho Municipal Antidrogas COMAD. Um dos mais graves problemas

Leia mais

ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE RORAIMA AMAZÔNIA: PATRIMÔNIO DOS BRASILEIROS SECRETARIA LEGISLATIVA

ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE RORAIMA AMAZÔNIA: PATRIMÔNIO DOS BRASILEIROS SECRETARIA LEGISLATIVA ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE RORAIMA AMAZÔNIA: PATRIMÔNIO DOS BRASILEIROS SECRETARIA LEGISLATIVA Publicada no Diário Oficial nº 1.880 de 10 de setembro de 1998 LEI COMPLEMENTAR Nº 027 DE 09 DE SETEMBRO

Leia mais

XXI Seminário Nacional de Segurança das IPES UFPA - 2012 Legislação e suas Contradições na Segurança das IPES

XXI Seminário Nacional de Segurança das IPES UFPA - 2012 Legislação e suas Contradições na Segurança das IPES XXI Seminário Nacional de Segurança das IPES UFPA - 2012 Legislação e suas Contradições na Segurança das IPES Armando Luís do Nascimento Universidade Federal de Pernambuco Pesquisador do Núcleo de Estudos

Leia mais

Ato Normativo nº. 473-CPJ, de 27 de julho de 2006. (pt. nº. 3.556/06)

Ato Normativo nº. 473-CPJ, de 27 de julho de 2006. (pt. nº. 3.556/06) Ato Normativo nº. 473-CPJ, de 27 de julho de 2006 (pt. nº. 3.556/06) Constitui, na comarca da Capital, o Grupo de Atuação Especial de Inclusão Social, e dá providências correlatas. O Colégio de Procuradores

Leia mais

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA PROJETO DE LEI Nº 7.645, DE 2014. Altera o art. 18 do Decreto-Lei nº 667, de 2 de julho de 1969, que extingue a pena de prisão disciplinar para as polícias

Leia mais

TABELA COM PRAZOS DE DESINCOMPATIBILIZAÇÃO ELEIÇÃO MUNICIPAL. Prefeito Vice-prefeito. 4 meses 6 meses

TABELA COM PRAZOS DE DESINCOMPATIBILIZAÇÃO ELEIÇÃO MUNICIPAL. Prefeito Vice-prefeito. 4 meses 6 meses Cargo Administrador de empresa de economia mista destinada à exploração de transporte urbano, que tem como acionista majoritário o município. TABELA COM PRAZOS DE DESINCOMPATIBILIZAÇÃO ELEIÇÃO MUNICIPAL

Leia mais

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Fixa normas para a cooperação entre a União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios, nas ações administrativas decorrentes do exercício da competência comum relativas

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 13.022, DE 8 AGOSTO DE 2014. Dispõe sobre o Estatuto Geral das Guardas Municipais. A PRESIDENTA DA REPÚBLICA Faço saber que

Leia mais

Dos crimes contra administração pública Direito penal

Dos crimes contra administração pública Direito penal Polícia Federal Concurso de 2009 (Cespe/UnB) Direito penal Julgue os seguintes itens, relativos a crimes contra a pessoa e contra o patrimônio. 1 Diferenciam-se os crimes de extorsão e estelionato, entre

Leia mais

Atribuições estaduais e municipais na fiscalização ambiental

Atribuições estaduais e municipais na fiscalização ambiental Atribuições estaduais e municipais na fiscalização ambiental Rodolfo Torres Advogado Assessor Jurídico do INEA Especialista em Direito Ambiental pela PUC/RJ Fiscalização: noções gerais Manifestação do

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 11.350, DE 5 DE OUTUBRO DE 2006. Regulamenta o 5 o do art. 198 da Constituição, dispõe sobre o aproveitamento de pessoal amparado

Leia mais

O DIREITO CONSTITUCIONAL NO BRASIL E NA CHINA: ANÁLISE COMPARATIVA

O DIREITO CONSTITUCIONAL NO BRASIL E NA CHINA: ANÁLISE COMPARATIVA SÃO PAULO RIO DE JANEIRO BRASÍLIA CURITIBA PORTO ALEGRE RECIFE BELO HORIZONTE LONDRES LISBOA XANGAI BEIJING MIAMI BUENOS AIRES O DIREITO CONSTITUCIONAL NO BRASIL E NA CHINA: ANÁLISE COMPARATIVA DURVAL

Leia mais

LEI DELEGADA N.º 79, DE 18 DE MAIO DE 2.007

LEI DELEGADA N.º 79, DE 18 DE MAIO DE 2.007 LEI DELEGADA N.º 79, DE 18 DE MAIO DE 2.007 DISPÕE sobre a SECRETARIA DE ESTADO DE SEGURANÇA PÚBLICA SSP, definindo suas finalidades, competências e estrutura organizacional, fixando o seu quadro de cargos

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 8, DE 6 DE JULHO DE 1993 I - DAS REGRAS GERAIS SOBRE A CONTAGEM DO TEMPO DE SERVIÇO

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 8, DE 6 DE JULHO DE 1993 I - DAS REGRAS GERAIS SOBRE A CONTAGEM DO TEMPO DE SERVIÇO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 8, DE 6 DE JULHO DE 1993 O MINISTRO DE ESTADO CHEFE DA SECRETARIA DA ADMINISTRAÇÃO FEDERAL DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA, no uso das atribuições que lhe conferem a Lei nº 8.490, de

Leia mais

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Regulamenta o inciso II do 4º do art. 40 da Constituição, que dispõe sobre a concessão de aposentadoria especial a servidores públicos que exerçam atividade de risco. O CONGRESSO

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA SEAP Nº 5, DE 28 DE ABRIL DE 1999

INSTRUÇÃO NORMATIVA SEAP Nº 5, DE 28 DE ABRIL DE 1999 INSTRUÇÃO NORMATIVA SEAP Nº 5, DE 28 DE ABRIL DE 1999 Estabelece orientação aos órgãos setoriais e seccionais do Sistema de Pessoal Civil da Administração Federal - SIPEC quanto aos procedimentos operacionais

Leia mais

DIREITO FINANCEIRO JULIANA BRAGA

DIREITO FINANCEIRO JULIANA BRAGA DIREITO FINANCEIRO JULIANA BRAGA CONCEITO DE DIREITO FINANCEIRO CONCEITO DE DIREITO FINANCEIRO Ciência das Finanças: estuda o fenômeno financeiro em geral, seus aspectos econômico,social; trata-se de uma

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE VENTANIA Estado do Paraná

PREFEITURA MUNICIPAL DE VENTANIA Estado do Paraná LEI Nº 548, DE 21 DE JUNHO DE 2011 DISPÕE SOBRE A CONTRATAÇÃO DE PESSOAL POR TEMPO DETERMINADO, PARA ATENDER A NECESSIDADE TEMPORÁRIA DE EXCEPCIONAL E RELEVANTE INTERESSE PÚBLICO, CONFORME ESPECIFICA.

Leia mais