ESTÁGIO CURRICULAR I e II PROCESSO DE TESTES NO MICROVIX ERP

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ESTÁGIO CURRICULAR I e II PROCESSO DE TESTES NO MICROVIX ERP"

Transcrição

1 LUCIANA REGINA MORES ESTÁGIO CURRICULAR I e II PROCESSO DE TESTES NO MICROVIX ERP ŀ EMPRESA: MICROVIX SOFTWARE S/A SETOR: DESENVOLVIMENTO SUPERVISOR: PEDRO GABRIEL DE FIGUEIREDO ROSA ORIENTADOR: FABIANO BALDO CURSO DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGIAS - CCT UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC JOINVILLE SANTA CATARINA - BRASIL NOVEMBRO DE 2011

2 APROVADO EM.../.../... Professor Fabiano Baldo Titulação: Doutor Professor Orientador Professor Avanilde Kemczinski Titulação: Doutora Professor: Marco Aurélio Wehrmeister Titulação: Doutor Supervisor da CONCEDENTE

3 @ Carimbo da Empresa UNIDADE CONCEDENTE Razão Social: Microvix Software S/A CGC/MF: / Endereço: Avenida Hermann August Lepper Bairro: Saguaçú CEP: Cidade: Joinville UF: SC Fone: Supervisor: Pedro Gabriel de Figueiredo Rosa Cargo: Gerente de Desenvolvimento ESTAGIÁRIO Nome: Luciana Regina Mores Matrícula: Endereço: Rua Paulo Malschitzki, 120, Bloco 01 ap. 101 Bairro: Bom Retiro CEP: Cidade: Joinville UF:SC Fone: (49) Curso de: Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas (TADS) Título do Estágio: Processo de Testes no Microvix ERP Período: 15/08/2011 a 04/11/2011 Carga horária: 240 horas AVALIAÇÃO FINAL DO ESTÁGIO I E II PELO CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS Representada pelo Professor da Disciplina: Avanilde Kemczinski CONCEITO FINAL DO ESTÁGIO I E II Excelente (9,1 a 10) Muito Bom (8,1 a 9,0) Bom (7,1 a 8,0) Regular (5,0 a 7,0) Reprovado (0,0 a 4,9) NOTA ETG I (Média do Processo) NOTA ETG II (Média do Processo) Rubrica do Professor da Disciplina Joinville / /

4 Nome do Estagiário : Luciana Regina Mores QUADRO I AVALIAÇÃO NOS ASPECTOS PROFISSIONAIS QUALIDADE DO TRABALHO: Considerando o possível. ENGENHOSIDADE: Capacidade de sugerir, projetar, executar modificações ou inovações. CONHECIMENTO: Demonstrado no desenvolvimento das atividades programadas. CUMPRIMENTO DAS TAREFAS: Considerar o volume de atividades dentro do padrão razoável. ESPÍRITO INQUISITIVO: Disposição demonstrada para aprender. INICIATIVA: No desenvolvimento das atividades. SOMA QUADRO II AVALIAÇÃO DOS ASPECTOS HUMANOS ASSIDUIDADE: Cumprimento do horário e ausência de faltas. DISCIPLINA: Observância das normas internas da Empresa. SOCIABILIDADE: Facilidade de se integrar com os outros no ambiente de trabalho. COOPERAÇÃO: Disposição para cooperar com os demais para atender as atividades. SENSO DE RESPONSABILIDADE: Zelo pelo material, equipamentos e bens da empresa. SOMA PONTUAÇÃO PARA O QUADRO I E II Pontos Pontos Sofrível - 1 ponto, Regular - 2 pontos, Bom - 3 pontos, Muito Bom - 4 pontos, Excelente - 5 pontos LIMITES PARA CONCEITUAÇÃO AVALIAÇÃO FINAL Pontos De 57 a 101 SOFRÍVEL SOMA do Quadro I multiplicada por 7 De 102 a 147 REGULAR SOMA do Quadro II multiplicada por 3 De 148 a 194 BOM SOMA TOTAL De 195 a MUITO BOM De 241 a EXCELENTE Nome da Empresa: Representada pelo Supervisor: Pedro Gabriel de Figueiredo Rosa CONCEITO CONFORME SOMA TOTAL Rubrica do Supervisor da Empresa Local: Data : Carimbo da Empresa

5 UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA - UDESC CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS - CCT PLANO DE ESTÁGIO I e II CURRICULAR OBRIGATÓRIO ESTAGIÁRIO Nome: Luciana Regina Mores Matrícula: Endereço (Em Jlle): Rua Paulo Malschitzki, 120, bl. 01 apto 101 Bairro: Bom Retiro CEP: Cidade:Joinville UF:SC Fone: (49) Endereço (Local estágio): Microvix Software S/A Bairro: Saguaçú CEP: Cidade: Joinville UF:SC Fone: Regularmente matriculado no semestre: 4 Curso: TADS Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Formatura (prevista) Semestre/Ano: 2012/01 UNIDADE CONCEDENTE Razão Social: Microvix Software S/A CGC/MF: / Endereço: Avenida Hermann August Lepper, 25 Bairro: Saguaçú CEP: Cidade: Joinville UF: SC Fone: Atividade Principal: Sistema web para gestão de lojas Supervisor: Pedro Gabriel de Figueiredo Rosa Cargo: Gerente de Desenvolvimento DADOS DO ESTÁGIO Área de atuação: Qualidade de Software Departamento de atuação: Desenvolvimento Fone: Ramal: Horário do estágio: 13:00 as 17:00 horas Total de horas do Estágio: 240 horas Período: 15/08/2011 a 04/11/2011 Total de horas semanais: 20 horas Nome do Professor Orientador: Fabiano Baldo Departamento: DCC Disciplina(s) simultânea(s) com o estágio Quantas: 3 Quais: SISTEMAS OPERACIONAIS, PESQUISA OPERACIONAL, GERÊNCIA DE PROJETOS. OBJETIVO GERAL Realizar o processo de teste de software no sistema Microvix ERP especificamente nos módulos de Faturamento, Suprimentos, Serviços e Nota Fiscal Eletrônica com elaboração de casos de teste, combinações de teste, execução de testes de validação e verificação, análise dos impactos que a implementação poderá causar e encontrar defeitos antes do software ser colocado em produção.

6 ATIVIDADES OBJETIVO ESPECÍFICO HORAS Entendimento das solicitações e avaliação dos requisitos Teste de Verificação de Projeto Participação ativa em reuniões juntamente com os analistas de negócio, analistas de sistemas e gerente de projetos, para entender as necessidades dos clientes e contribuir na definição da melhor solução a ser implementada. Averiguação de Diagramas UML, como Casos de Uso e diagramas de atividades, que compõem a Análise de Sistemas juntamente com os documentos de arquitetura de informação e arquitetura de sistemas. 30 horas 40 horas Elaboração dos artefatos de Testes Elaboração de Casos de Teste e Combinações de Teste, observando todos os impactos e rotinas afetadas pela implementação da solução. 50 horas Execução do Teste de Software Documentação Execução dos Casos de Teste, das Combinações de Teste, Teste de Validação, Teste de Verificação, Teste Exploratório, Teste de Carga, Encontro de defeitos validando as regras de negócio dos módulos do sistema Microvix ERP. Complementação da Documentação de Testes, elaboração de Tutoriais e Manuais do Sistema. 70 horas 50 horas Rubrica do Professor Orientador Aprovação do Membro do Comitê de Estágio Rubrica do Coordenador de Estágio Rubrica do Supervisor da Empresa Data: Data: Data: Prof Nilson Campos Data: Carimbo da Empresa

7 CRONOGRAMA FÍSICO E REAL PERÍODO (240 horas) ATIVIDADES 1 Entendimento das solicitações e avaliação dos requisitos. 2 Teste de Verificação 3 Elaboração de Combinações e Casos de Teste 4 Teste de Sistema P R P R P R P R P R P 5 Documentação R 6 Testes Força Tarefa P Exceção* R *Atividade 6 não foi prevista, mas foi realizada. ŀ7

8 ŀaos meus pais Ronei e Elci e ao meu namorado Alison P. Bernardi, as pessoas mais importantes da minha vida

9 AGRADECIMENTOS Agradeço primeiramente a Deus pelas oportunidades diárias que Ele tem me concedido para realizar meus sonhos e alcançar meus objetivos e também a meus pais pelo apoio, cuidado e amor e por tudo que fizeram e ainda fazem por mim. Sou muito grata à Microvix Software S/A que me concedeu a oportunidade de estagiar, em especial à Alini Renaldi, coordenadora da equipe onde trabalhei, e ao Pedro Rosa, supervisor e gerente, que apoiaram, foram compreensivos, sempre valorizaram meu trabalho e me proporcionaram um enorme aprendizado em uma das PMEs que mais crescem no Brasil, e também ao professor Fabiano Baldo que aceitou ser meu orientador e acompanhou todo o desenvolvimento deste trabalho, auxiliando, corrigindo e ensinando.

10 ŀ Sumário SUMÁRIO INTRODUÇÃO OBJETIVOS Geral Específicos JUSTIFICATIVA ORGANIZAÇÃO DO ESTUDO A EMPRESA HISTÓRICO PRINCIPAIS PRODUTOS MICROVIX ERP MICROVIX NF-e MICROVIX SFA MICROVIX BI MICROVIX POS PRINCIPAIS CLIENTES CONSIDERAÇÕES DO CAPÍTULO DESENVOLVIMENTO IMPLEMENTAÇÃO DE NOVAS REGRAS FISCAIS TESTE DE VERIFICAÇÃO ELABORAÇÃO DE COMBINAÇÕES DE TESTE ELABORAÇÃO DE CASOS DE TESTE TESTE DE SISTEMA DOCUMENTAÇÃO TESTES REALIZADOS EM CUSTOMIZAÇÕES CURTAS FORA DO PROJETO PRINCIPAL Faturamento de Contratos com Clientes Relatório Mensal de Vendas Implementação do novo módulo Microvix Mobile OUTRAS ATIVIDADES CONSIDERAÇÕES DO CAPÍTULO CONSIDERAÇÕES FINAIS GLOSSÁRIO REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS... 42

11 LISTA DE FIGURAS Figura 1- Conceito V de Teste Figura 2- Ciclo de Vida do processo de Testes: 3P3E Figura 3- Documentação de Testes Figura 4- Análise de Sistemas Casos de Uso Figura 5 - Diagrama de Atividades - Análise de Sistemas Figura 6 - Ferramenta Microsoft Test Manager Figura 7- Consulta ao banco de dados SQL SERVER Figura 8- Execução de caso de teste no Microvix ERP Figura 9- Execução de caso de teste no Módulo MicrovixNF-e

12 RESUMO Este relatório apresenta as atividades desempenhadas durante o Estágio Curricular I e II, realizado na empresa Microvix Software S/A no segundo semestre do ano de O principal objetivo do estágio foi realizar o processo de teste de software no principal produto da empresa (Microvix ERP) e em suas relações com o módulo de Nota Fiscal Eletrônica (NF-e). Para isto foram utilizados os conceitos de qualidade de software, validando as customizações realizadas e suas documentações. A metodologia utilizada abrangeu a elaboração de artefatos de teste e aplicação de conceitos de tipos de teste como, por exemplo, teste de validação e teste de verificação, com registro de defeitos em um processo de testes e retestes que ocorreram até o produto estar funcionando corretamente em todos os seus aspectos. As atividades de teste realizadas resultaram na aprovação das alterações no sistema e na garantia de que todos os requisitos foram atendidos para a entrega ao cliente. Palavras-chave: Teste, Microvix ERP, NF-e, processo de testes, qualidade. 12

13 1. INTRODUÇÃO O principal produto da Microvix Software sofre constantes modificações para se adequar às diferentes necessidades e desejos dos clientes e também para estar sempre de acordo com a legislação fiscal, pois o sistema é utilizado na gestão de lojas de todo o Brasil e também do exterior. Para garantir que as alterações realizadas no sistema estejam funcionando corretamente e atendendo às especificações definidas, o trabalho de teste é visto como uma parte essencial dentro do processo de desenvolvimento das customizações. Os procedimentos associados aos testes de software se iniciam na definição dos requisitos, pois uma das principais obrigações do analista de testes é conseguir distinguir todos os locais do sistema que serão influenciados pela alteração. Além disso, o analista de teste deve avaliar se para atender à nova necessidade pode ser moldado um recurso já existente no software ou se é necessário desenvolver uma funcionalidade nova. Desta maneira, o profissional de testes colabora para que o produto final seja entregue de maneira adequada alcançando a satisfação do cliente, reduzindo custos e evitando que seja preciso realizar re-trabalhos pelo fato de defeitos serem encontrados quando estiverem em produção, ou seja, quando estiverem já sendo utilizados pelos usuários finais. Para desempenhar as atividades deste estágio, foram utilizados os conhecimentos adquiridos, basicamente, nas disciplinas de engenharia de software, banco de dados e gerência de projetos. ŀ OBJETIVOS Os projetos que envolvem alterações no ERP demandam muita documentação e análise para que o produto final seja conforme o esperado. Para realizar esta tarefa se faz necessária a presença de profissionais para acompanhar e validar a qualidade do trabalho desde o início até o final. Neste escopo enquadra-se o presente estágio.

14 Geral Realizar o processo de teste de software no sistema Microvix ERP especificamente nos módulos de Faturamento, Suprimentos, Serviços e Nota Fiscal Eletrônica com elaboração de casos de teste, combinações de teste, execução de testes de validação e verificação, análise dos impactos que a implementação poderá causar e dos defeitos antes do software ser colocado em produção Específicos Participar ativamente de reuniões juntamente com os analistas de negócio, analistas de sistemas e gerente de projetos, para entender as necessidades dos clientes e contribuir na definição da melhor solução a ser implementada. Averiguar Diagramas UML, como Casos de Uso e diagramas de atividades, que compõem a Análise de Sistemas juntamente com os documentos de arquitetura de informação e arquitetura de sistemas. Elaborar de Casos de Teste e Combinações de Teste, observando todos os impactos e rotinas afetadas pela implementação da solução. Executar Casos de Teste, Combinações de Teste, Teste de Validação, Teste de Verificação, Teste Exploratório, Teste de Carga, Encontrar defeitos validando as regras de negócio dos módulos do sistema Microvix ERP. Complementar a Documentação de Testes, elaboração de Tutoriais e Manuais do Sistema. 14

15 1.2. JUSTIFICATIVA Segundo Myers (1979) apud Bastos et al. (2007), o custo de correção de defeitos tende a aumentar quanto mais tarde o defeito é detectado. Defeitos encontrados durante a produção tendem a custar muito mais que defeitos encontrados em modelos de dados e em outros documentos do projeto de software. As revisões de software são um filtro para o processo de engenharia de software, isto é, as revisões são aplicadas em vários pontos durante o desenvolvimento de software e servem para descobrir defeitos que possam ser eliminados. Essas revisões têm como objetivo purificar as atividades de engenharia de software, as quais são denominadas de análise, projeto e codificação (Pressman, 2009). Dentro do processo de testes podem ser definidos dois conceitos básicos: os testes unitários, que são desempenhados pelos próprios programadores no momento do desenvolvimento e os testes de sistemas que são realizados pelos analistas de testes. Novamente, de acordo com Myers (1979) apud Bastos et al. (2007): Os testes unitários podem remover entre 30% e 50% dos defeitos dos programas. Os testes de sistemas podem remover entre 30% e 50% dos defeitos remanescentes. Os sistemas podem ir para produção ainda com aproximadamente 49% dos defeitos. Por último, as revisões de códigos podem reduzir entre 20% e 30% desses defeitos. O sistema Microvix ERP é um ERP totalmente acessado via Internet e é constantemente customizado para atender as necessidades específicas e/ou gerais dos clientes. Por este motivo, necessita de uma garantia de qualidade, ou seja, o resultado final precisa chegar ao cliente funcionando corretamente contendo o mínimo de defeitos possível para alcançar a satisfação e o reconhecimento do mercado. Dentro deste contexto, para a produção são formadas equipes de desenvolvimento compostas por programadores, analistas de negócio, analistas de sistemas, arquitetos de sistema e de informação e analistas de testes. As equipes se reúnem e fazem uso do método brainstorming, no qual todos os participantes recebem os requisitos e discutem sobre a melhor maneira de atendêlos. As novas implementações não são disponibilizadas aos usuários antes de a equipe 15

16 responsável pelo teste aprovar o funcionamento, garantindo que o teste foi concluído com sucesso ORGANIZAÇÃO DO ESTUDO Este relatório está organizado da seguinte maneira: No primeiro capítulo será apresentado o histórico da empresa, seus principais produtos e clientes e qual a importância do presente estágio para a empresa. No capítulo 2 será apresentada a empresa concedente do estágio, Microvix Software S/A, seu histórico, principais clientes e produtos. No capítulo 3 serão descritas as atividades realizadas durante o período do estágio no segundo semestre de Por fim são apresentadas as conclusões do trabalho e as referências utilizadas. 16

17 2. A EMPRESA 2.1. HISTÓRICO A Microvix foi fundada em Janeiro de 1998 por Hugo Fabiano José Cordeiro e Flávio Benke. A empresa nasceu de uma idéia de construir um sistema software de gestão de baixo custo e simplicidade de utilização. Antes de iniciar a Microvix, Hugo Fabiano já tinha desenvolvido um aplicativo de controle comercial, de grande facilidade de utilização. Em 1998 ambos os sócios resolveram iniciar as atividades, comercializando tal aplicativo em Joinville e região. O aplicativo de nome Gestor, em plataforma MS-DOS, chegou a 6 clientes no primeiro ano de empresa. Em final de 1998 o sócio Flávio Benke retirou-se da sociedade e entrou a sócia Priscila Cristier Fernandes Cordeiro e então nesse ano a empresa passou por uma grande reestruturação, que definiu o foco atual da empresa, fixando-a no mercado de gestão empresa, dos chamados sistemas de ERP. O aplicativo Gestor era desenvolvido na linguagem Clipper, em plataforma MS-DOS, mas o mercado já exigia novas aplicações, desenvolvidas para o Windows. Foi nessa época que a visão de mercado e o empreendedorismo de seu fundador fez diferença. Contrariando o mercado local e a concorrência, a empresa iniciou o desenvolvimento do novo produto, em linguagem ASP (Active Server Pages) para a Internet. Naquela ocasião as dificuldades para uso da Internet e a insegurança no mundo virtual pesavam muito contra a decisão tomada. Em 2002 a Microvix conseguiu lançar a sua nova ferramenta, o Microvix ERP. Esse aplicativo revolucionou o mercado de pequenas empresas, sendo o primeiro ERP totalmente baseado na web, fornecido através de datacenters. Rapidamente a empresa cresceu, passando a ter, em 2005, mais de 30 colaboradores em sua equipe. Com esse novo produto, o mercado da empresa mudou e novos clientes de maior porte foram alcançados, o que fez o faturamento e a força de desenvolvimento da empresa se ampliar. Em maio de 2006 a Microvix transformou-se em uma Sociedade de Ações, passando a chamar-se Microvix Software S/A. A empresa implementou seu sistema da qualidade no mês de janeiro de 2006 tendo suas evidências sido geradas oficialmente a partir desta data. Possui certificação ISO 9001/2000 (MQ, 2011). 17

18 Atualmente, são mais de 450 clientes no Brasil, Portugal e Panamá, totalizando mais de lojas que utilizam seu ERP, com usuários on-line atende a todos os estados brasileiros (Microvix, 2009) PRINCIPAIS PRODUTOS MICROVIX ERP O Microvix ERP, é uma ferramenta de ERP totalmente baseada na Internet e fornecida na forma de aplicação web. Abaixo são citados os principais módulos do Microvix ERP (Microvix, 2009): CRM - Cadastro de pessoas físicas, jurídicas com validação de CPF, CNPJ. Financeiro (Receber/Pagar) - O sistema realiza as funções de contas a pagar através de consultas on-line, controlando, desta forma, também contas no banco. Gera relatórios cadastrais, operacionais e gerenciais. Faturamento - O sistema controla o saldo dos pedidos de venda, atuando de forma integrada com os outros módulos, efetuando as baixas no estoque, integrando ao Financeiro (Contas a Receber) e para a Contabilidade e também gera diversos relatórios onde é possível visualizar várias estatísticas de vendas. Estoque - O Microvix ERP realiza o controle de vários tipos de produtos, permitindo um acompanhamento detalhado de todas as movimentações que acontecem na empresa, gerando total rastreabilidade do produto. Todo processo é integrado aos outros módulos do sistema, gerando informações automaticamente para o Financeiro, Contábil e CRM MICROVIX NF-e O módulo Nota Fiscal Eletrônica permite gerar documentos fiscais eletrônicos, modelos 1 e 1A através do modelo 55 - Nota Fiscal Eletrônica (o modelo 55 existe para substituir os modelos 1 e 1A) com validade jurídica para o encaminhamento à Secretaria de Fazenda Estadual de Jurisdição. Este módulo segue as definições e critérios técnicos necessários para a integração 18

19 entre os Portais das Secretarias da Fazenda dos Estados e os sistemas de informações das empresas emissoras de NF-e do Projeto da Nota Fiscal Eletrônica (Manual Módulo NF-e, 2011) MICROVIX SFA O SFA Microvix é uma solução que permite maximizar a produtividade e o gerenciamento do processo de vendas da empresa. Através deste aplicativo, o sistema disponibiliza lista de preços e condições de pagamento, históricos de clientes, saldos em estoque, relação de produtos, agenda e outros dados importantes para fechamento dos negócios (Microvix, 2009) MICROVIX B2C O MicrovixB2C é uma ferramenta de venda via web totalmente integrada com o Microvix ERP contemplando assim todos os processos do comércio eletrônico. Todos os cadastros de produtos, imagens, preços e estoque são controlados em conjunto e em tempo real. Em outras palavras, é a loja virtual fornecida pela Microvix, que pode ter seu layout e seus dados adaptados para cada cliente (Microvix, 2009) MICROVIX BI O MicrovixBI é uma solução que tem por objetivo dar suporte à tomada de decisões. Com os indicadores disponíveis pelo MicrovixBI é possível utilizar recursos como a Análise de Paretto(80/20), que afirma que 20% das ocorrências causam 80% do problema (CEDET, 2010), ranking, associação de gráficos, entre outros recursos de datamining (Microvix, 2009) MICROVIX POS O POS é um PDV (ponto de venda) dos produtos que foram previamente cadastrados através do Microvix ERP podendo operar em modo off-line, ou seja, não necessita de rede ou Internet disponível, possui todas as operações associadas ao funcionamento de um caixa e é compatível 19

20 com os seguintes Emissores de Cupom Fiscal (ECFs): Bematech, Daruma, Epson, Elgin e Sweda (Manual Módulo POS, 2011) PRINCIPAIS CLIENTES Colcci Chilli Beans Fórum PortoBello Shop Jelly Contém 1g Akakia Fom Antídoto Cosméticos 2.4. CONSIDERAÇÕES DO CAPÍTULO Para que a empresa seja bem vista e conceituada, seus clientes precisam estar satisfeitos com os produtos e serviços adquiridos. A intenção do sistema da Microvix é facilitar a gestão de lojas de todo o país e também do exterior, fornecendo o maior número de funcionalidades possíveis e atendendo a todas as legislações do governo à cerca de comercialização. Defeitos no software podem causar o descontentamento dos clientes, podendo acarretar em problemas no decorrer das atividades das lojas, atraso no atendimento aos consumidores, entre outras situações e, consequentemente, pode causar o cancelamento de contrato, ou seja, perda de clientes para a Microvix. A qualidade do sistema é de fundamental importância para a conquista de clientes. Diante deste contexto, a atividade de testes na Microvix atua sobre os produtos Microvix ERP, Microvix B2C, Microvix SFA, Microvix NF-e e Microvix POS. Todas as alterações realizadas nestes produtos passam pelo teste, que é um trabalho que exige muita concentração, responsabilidade, conhecimento nos conceitos de teste utilizados e capacidade de análise e averiguação, para garantir que o produto esteja de acordo com os requisitos estipulados e ao ser entregue ao usuário final, alcance a sua satisfação e também para que o sistema da empresa seja visto e conhecido como um sistema de qualidade. 20

21 3. DESENVOLVIMENTO No segundo semestre letivo do ano 2011 têm sido realizadas atividades de teste relacionadas ao ERP e ao MicrovixNF-e. O ERP é totalmente desenvolvido utilizando a tecnologia ASP juntamente com HTML e JavaScript. Já o módulo da Nota Fiscal Eletrônica foi desenvolvido utilizando a tecnologia ASP.net e a linguagem C#. O conceito tradicional de teste era o de uma atividade secundária que se iniciava depois de concluída a codificação. Contudo, gradualmente, ao longo dos últimos quinze anos, foi consolidada a idéia de que os testes não são mais uma fase ou etapa do ciclo de desenvolvimento, mas como uma atividade contínua abrangendo todo o ciclo de desenvolvimento (Hetzel, 1987). O processo de teste utilizado na empresa é o chamado Conceito V de Teste (Bastos et al., 2007), que está representado na Figura 1, onde devem ser realizados testes ao longo de todo o processo de desenvolvimento. Os processos de desenvolvimento e testes têm início simultaneamente, isto é, a equipe que desenvolve o sistema inicia o processo de desenvolvimento do sistema ao mesmo tempo em que a equipe responsável pelos testes inicia o planejamento do processo de teste. A equipe responsável pela concretização de um projeto de customização é composta por um analista de negócios, um analista de sistemas, um arquiteto de sistemas, um arquiteto de informação (interface e usabilidade), um ou mais programadores e um analista de testes. Início da Implementação Início dos Testes Ciclo de vida de DS (FAZ) Verificação Validaço Ciclo de vida de Testes (CONFERE) Correções completadas Figura 1 Conceito V de Teste Fonte: Bastos,

22 Dentro deste conceito, ocorre o processo que obedece ao ciclo de vida do processo de testes chamado de 3P3E (Rios e Moreira, 2003), conforme se pode observar na figura 2. Na empresa Microvix, este ciclo de vida foi adequado ao processo de trabalho da equipe de testes. Planejamento Procedimentos Iniciais Especificação Execução Entrega Preparação Figura 2 - Ciclo de Vida do processo de Testes: 3P3E Fonte: Rios e Moreira, 2003 Abaixo são detalhadas as etapas deste ciclo de vida e sua adequação ao processo da empresa (Rios e Moreira, 2003): Procedimentos Iniciais Nesta primeira etapa é realizado um estudo dos requisitos do negócio que darão origem à implementação a ser desenvolvida, de modo a garantir que a mesma esteja completa e sem ambigüidades. Aqui pode ser elaborado um plano com as atividades a serem executadas, com as necessidades de recurso de pessoal e ambiente. Dentro das atividades de estágio, esta fase se enquadra na atividade de participação ativa em reuniões juntamente com os analistas de negócio, analistas de sistemas e gerente de projetos, que ocorre no início do projeto e serve para contribuir na definição da melhor solução a ser desenvolvida. Planejamento Nesta etapa é realizado um planejamento para a atividade de testes, de modo a minimizar os principais riscos do negócio e fornecer os caminhos para as próximas etapas. 22

23 Esta atividade deve ser executada em conjunto com as atividades de captação de requisitos e elaboração do plano de projeto de desenvolvimento. Ainda nesta fase são executados os testes de verificação sobre os requisitos do sistema para minimizar inconsistências, faltas e incorreções. Esta etapa está relacionada à atividade de teste de verificação, contida no plano de estágio. Preparação Nesta etapa deve ser preparado o ambiente de testes (equipamentos, pessoal, hardware, software, etc.). Esta é uma etapa que corre em paralelo com outras etapas. A preparação acompanha todo o ciclo de vida, do início até o fim. No presente estágio, o ambiente de testes envolve apenas o sistema que será testado, que se refere ao sistema web, a especificação da versão e modelo do navegador de Internet e equipamentos como impressoras fiscais, pinpads 1, impressoras de etiquetas, etc. O processo de gerenciamento de controle de versões deve ser disponibilizado no início do projeto, pois será necessário para as verificações previstas na elaboração do plano de teste, casos de teste e roteiros de teste. As versões dos documentos de teste são arquivadas no repositório Source Control, pertencente ao Microsoft Visual Studio. Deve ser verificada a necessidade de treinamento da equipe de testes, face ao projeto que se inicia. Especificação Nesta fase são elaborados e revisados os casos de teste e as combinações de teste. Este procedimento ocorre durante todo o projeto, na medida em que a equipe de desenvolvimento vai liberando alguns módulos ou partes do sistema. Esta fase representa a atividade de elaboração dos artefatos de teste, especificada no plano de estágio. 1 Aparelho utilizado em estabelecimentos comerciais para pagamentos com cartões de débito e crédito. 23

24 Execução Executar os testes planejados e registrar os resultados obtidos, isto é, ocorrendo resultados errados, diferentes dos esperados, os erros são registrados e reportados aos programadores para que os mesmos efetuem as correções necessárias. Este procedimento ocorre até que o sistema esteja funcionando da maneira pré-especificada e atendendo todos os requisitos e definições de usabilidade, confiabilidade. Nesta etapa é realizada a atividade Teste de Sistema, citada no plano de estágio. Entrega É a finalização do projeto e os documentos são arquivados. Nesta etapa é realizada a criação dos tutoriais e atualização de manuais do sistema. São registradas as conformidades e as não conformidades encontradas. Kruchten (1999) propõe que existem pelo menos três dimensões de qualidade que precisam ser consideradas antes de iniciar qualquer ciclo de testes: Confiança: O sistema é resistente a falhas durante a execução, isto é, não entra em loop, não interrompe a execução por falta de recursos, etc. Funcionalidade: o sistema se comporta conforme o esperado e definido em seus requisitos. Desempenho: O sistema tem um tempo de resposta adequado e aceitável mesmo quando submetido a um volume de processamento próximo de situações reais ou de pico. O trabalho de testes realizado neste estágio tem foco nestas três características. Dentro do processo de testes podem ser encontrados diversos tipos de testes, por exemplo: Testes Funcionais e Testes Estruturais. No trabalho desenvolvido na Microvix são utilizados os chamados testes funcionais, conhecidos também como testes de caixa preta, no qual a estrutura da programação não é avaliada (código-fonte), isto é, somente as entradas e saídas são definidas, porém sem saber como a implementação foi feita em seu nível técnico. O teste de caixa preta procura descobrir erros nas seguintes categorias (Pressman, 2009): 1. Funções incorretas ou ausentes; 2. Erros de interface; 3. Erros nas estruturas de dados ou no acesso a bancos de dados externos; 24

25 4. Erros de desempenho; 5. Erros de inicialização ou término. Se a atividade de teste for conduzida com sucesso, ela descobrirá erros no software e, como um benefício secundário, a atividade de teste demonstra que as funções de software aparentemente estão trabalhando de acordo com as especificações, que os requisitos de desempenho aparentemente foram cumpridos. Entretanto, a atividade de teste não pode mostrar a ausência de bugs 2, ela só pode mostrar se defeitos de software estão presentes (Pressman, 2009). Neste capítulo serão explicadas as necessidades de clientes que foram desenvolvidas no sistema, e após isso, os procedimentos realizados em cada fase processo de testes IMPLEMENTAÇÃO DE NOVAS REGRAS FISCAIS Neste estágio os principais testes foram efetuados em um projeto de adequação de regras fiscais em relação ao cálculo de impostos como ICMS, IPI, PIS e COFINS que visam à adaptação do sistema em relação às legislações fiscais na Nota Fiscal Eletrônica, pois o sistema abrange funcionalidades para gestão de lojas localizadas em todos os estados brasileiros e precisa estar sempre se moldando à legislação nacional vigente e às legislações específicas de cada estado. No ERP Microvix as lojas podem ser configuradas em cada portal de acordo com seu estado e regime de tributação no qual estão enquadradas (Lucro Simples, Lucro Real ou Lucro Presumido), pois esta configuração implica no cálculo dos impostos em todas as transações feitas no dia-a-dia da loja. Nas customizações foram desenvolvidos os recursos de desoneração dos impostos quando cabível. Para atender a Nota Técnica 2011/004 (NF-e, 2011), divulgada pelo ENCAT 3 no final de julho, que define as atualizações de Schema XML da NF-e e novas regras de validação para recepção de NF-e, tornou-se necessário implementar a configuração do motivo de desoneração de ICMS para que em situações previstas de venda ou compra, quando for necessário, esta funcionalidade seja utilizada. O atributo do Motivo da desoneração do ICMS foi criado pelo ENCAT na implantação da Nota Fiscal Eletrônica, Segunda Geração (NF-e 2.0 ou NF-e 2G) e atualizada na NT 2011/004. O 2 3 Bugs: Defeitos encontrados no software. ENCAT: Encontro Nacional de Coordenadores e Administradores Tributários Estaduais. 25

26 Atributo do motivo de desoneração é utilizado exclusivamente quando o ICMS da operação é isento, não tributado ou suspenso. Para atender também a legislação específica para Zona Franca de Manaus e ALC, mais especificamente a SUFRAMA, o recurso de desoneração também deve abranger os outros impostos como IPI, PIS e COFINS. Uma terceira necessidade trata da rotina de devolução de venda, onde a desoneração do IPI deve também ser tratada, levando em consideração fatores como o de uma empresa optante pelo regime de tributação Simples Nacional realizar uma devolução de venda para uma empresa optante do regime Lucro Presumido, por exemplo, no qual deve ser analisado como deverão ser tratados os impostos de maneira fiscalmente correta. Para atender aos requisitos, o ERP Microvix e o módulo da Nota Fiscal eletrônica precisaram ser adaptados e, para isto, foram criados novos parâmetros e recursos para configurações de CSTs (Códigos de Situação Tributária), e alterações nas rotinas de entrada de compras, emissão de nota fiscal de saída, cadastros de orçamentos de venda, emissão de notas fiscais de transferência entre filiais, emissão de cupons fiscais, lançamento de notas fiscais substitutivas de cupons fiscais, entre outros TESTE DE VERIFICAÇÃO Esta atividade do estágio consiste em fazer uma averiguação em todos os artefatos produzidos desde o início da execução do projeto. O analista de testes avalia se a arquitetura de informação (interface) e a arquitetura de sistemas estão de acordo com a análise de sistemas e se todos estes estão atendendo a todos os requisitos definidos. Ou seja, todos os documentos desenvolvidos devem estar abrangendo todos os requisitos e representar o fluxo do desenvolvimento do projeto da mesma maneira. Em outras palavras, o documento de interface não pode definir que um determinado campo criado em uma página terá uma função diferente daquele especificado na análise de sistemas ou na arquitetura de sistemas. Esta atividade não é realizada somente uma vez durante o desenvolvimento, mas se repete cada vez que algum dos documentos precisar ser modificado, garantindo assim a concordância entre todos os artefatos. A partir destes documentos, são desenvolvidos os artefatos de testes, detalhados nos próximos itens deste capítulo, que devem considerar as informações contidas nos documentos já disponibilizados. 26

27 Para esta tarefa foram gastas 20 horas no projeto de regras fiscais ELABORAÇÃO DE COMBINAÇÕES DE TESTE Para que os testes efetuados no sistema tenham o máximo de cobertura possível, isto é, evitando ao máximo que impactos das customizações passem despercebidos, são desenvolvidas as combinações de teste que englobam todas as rotinas que serão afetadas. Nesta atividade foram elaboradas cerca de 350 combinações que abrangem as rotinas de configuração de parâmetros, emissão de nota fiscal de saída, entrada de compras no estoque, conferência dos cálculos dos impostos, geração de nota fiscal eletrônica e conferência de lançamentos contábeis. A elaboração das combinações tem por objetivo avaliar a usabilidade, a confiabilidade, a eficiência e a funcionalidade do sistema. Esta tarefa é realizada em planilhas do Excel ou em documentos de texto e, ao final do processo de testes, é registrada em um documento padrão chamado de Documentação de Testes (Figura 3). O ERP contém um módulo exclusivo para configuração de parâmetros globais, separados por rotinas, que definem o comportamento do sistema. Dentro desse módulo foram adicionados parâmetros que devem ser configurados corretamente para que a desoneração dos impostos seja aplicada de maneira correta em cada transação realizada. Os parâmetros são imprescindíveis para definir o comportamento do sistema, pois através deles o software entende o que deve fazer em cada transação executada. Como documentos necessários para a execução desta tarefa, se pode citar a Análise de Negócio e a Análise de Sistemas. As combinações de teste são elaboradas também com o intuito de orientar a criação dos casos de teste que serão criados abrangendo as principais alterações ocorridas. No momento da execução dos testes, todas as combinações devem ser executadas. Para realizar esta tarefa foram utilizadas 28 horas. 27

28 Figura 3 Documentação de Testes 3.4. ELABORAÇÃO DE CASOS DE TESTE O processo de testes da Microvix Software trabalha com a documentação de todas as etapas do trabalho realizado. Desta maneira, a elaboração de casos de teste permite que futuramente, quando a mesma rotina que foi alterada for novamente customizada, passos pré-determinados para a execução dos testes possam ser reutilizados e também para permitir que usuários (novos testadores) que não conhecem o sistema possam executar os testes sem necessariamente possuir um conhecimento aprofundado do funcionamento do sistema. Um bom caso de teste tem por objetivo detectar defeitos ainda não descobertos, e não demonstrar que o programa funciona corretamente. Ele deve obrigatoriamente incluir uma descrição das saídas esperadas, que será usada para comparação com as saídas reais que forem obtidas na execução do caso de teste. Devem existir casos de teste que contenham tanto dados de entrada válidos como também dados inválidos (Paula Filho, 2003). Esta etapa consiste em criar, de acordo com os casos de uso (Figura 4) e diagramas de atividades (Figura 5) da análise de sistemas, passos pré-determinados para a execução de um 28

29 determinado teste. Esta tarefa é realizada na ferramenta Microsoft Test Manager do Microsoft Visual Studio. Na Figura 4 está representado um caso de uso que abrange as rotinas que foram alteradas para atender a necessidade de desoneração de ICMS, acatando os requisitos pré-especificados. Figura 4 Análise de Sistemas Casos de Uso Na Figura 5 pode-se observar um diagrama de atividades referente à inserção de itens de uma nota fiscal de entrada de compras. 29

30 Figura 5 Diagrama de Atividades - Análise de Sistemas 30

31 À Nesta etapa foram criados passos para a configuração dos novos parâmetros, execução de vendas, compras e geração de nota fiscal eletrônica. Os casos de teste diferenciam-se das combinações de teste por serem mais específicos. Ou seja, enquanto nas combinações de teste são descritos todos os procedimentos que devem ser testados em uma visão global do sistema, nos casos de teste estes procedimentos são mais detalhados contendo dados necessários para a observação do comportamento do sistema em situações específicas, as quais são as mais importantes. Um exemplo seria a definição dos clientes que devem ser utilizados, dos produtos que serão vendidos ou comprados, qual é o sistema de tributação da loja (Simples, Lucro Real ou Lucro Presumido), entre outras especificações. Isto é, enquanto que em uma combinação de teste consta a orientação Realizar venda de produtos com CST isento para um cliente da Zona Franca de Manaus, no caso de teste este procedimento traz definido quais são os produtos a serem vendidos, como configurar estes produtos para que tenham um CST isento e qual é o código do fornecedor pertencente à ZFM. A figura 6 representa a ferramenta Microsoft Test Manager, utilizada para desenvolvimento dos casos de teste. Esta ferramenta oferece as funções necessárias para a elaboração de casos de teste e a execução dos mesmos sincronizando com o sistema, bem como recursos de criação de Shared Steps, que são grupos de passos que podem ser compartilhados entre vários casos de teste dentro de um mesmo projeto. No momento da execução dos casos de teste é possível gravar a execução e executar a gravação posteriormente de maneira que a própria ferramenta informe os dados necessários de acordo com valores de parâmetros que podem ser informados no desenvolvimento desta tarefa. Ainda na figura 6, pode-se observar a elaboração do caso de teste que trata da desoneração de ICMS na rotina de emissão de nota fiscal de saída, onde são determinados os procedimentos necessários para a execução do teste, inclusive a configuração correta dos parâmetros globais do sistema. A ferramenta ainda possui campos para informar quem criou o caso de teste (campo Assigned To) e qual é o projeto e a iteração dos quais a alteração faz parte (campos Area e Iteration), estas informações ficam registradas e permitem que os casos de teste sejam melhor organizados dentro dos projetos. Para esta atividade foram utilizadas 14 horas e foram criados 60 casos de teste. 31

32 Figura 6 - Ferramenta Microsoft Test Manager 3.5. TESTE DE SISTEMA Após a finalização das combinações, dos casos de teste e do desenvolvimento completo (programação) da customização, são iniciados os testes. Nesta etapa todos os casos de teste desenvolvidos são executados e após isso, também as combinações de teste. Quando o resultado esperado de um caso de teste ou de uma combinação de teste é exibido incorretamente, um erro é reportado ao programador para que o mesmo corrija o defeito. 32

33 Durante o teste são necessárias consultas ao banco de dados SQL Server, como se pode observar na Figura 7, para conferir se a gravação dos dados ocorre corretamente, nas tabelas e campos corretos. As tabelas e campos utilizados nas consultas são obtidos do documento de arquitetura de sistemas, onde toda a estrutura do desenvolvimento é descrita. Figura 7 Consulta ao banco de dados SQL SERVER A execução dos casos de teste na ferramenta MTM 4 no sistema Microvix ERP está representada na figura 8, apresentando o teste da conferência da desoneração de ICMS na rotina de Entrada de Compras Manual. Podem-se observar os passos do caso de teste ao lado esquerdo 4 MTM: Microsoft Test Manager. 33

34 da imagem e, ao lado de cada um, é representada a situação da execução do passo por um ícone, que pode estar em branco (aguardando execução), verde (executado com sucesso) ou vermelho (falha na execução), nesta última circunstância deve ser reportado um bug, ou seja, um defeito no sistema para que o programador efetue a correção. Na ilustração os 10 (dez) primeiros passos já foram executados com sucesso, os outros aguardam a execução. Os passos que possuem o símbolo são aqueles que possuem um resultado esperado definido, neste caso de teste foram definidos resultados esperados para os passos mais importantes, ou seja, os passos onde serão realmente verificadas as alterações desenvolvidas. Para os passos que tratam das informações básicas do cadastro de nota fiscal de entrada, não foram descritos os resultados esperados, pois a conferência destes dados não fazia parte do foco do teste. Figura 8 Execução de caso de teste no Microvix ERP 34

35 Uma representação de execução de casos de teste no módulo da Nota Fiscal Eletrônica pode ser vista na figura 9, onde pode ser observada a simulação de uma geração de Nota Fiscal Eletrônica. Os passos determinam o que se deve fazer para gerar a nota fiscal, enviar a NF-e para a Secretaria da Fazenda e após isso baixar a NF-e (arquivo XML) e o DANFE. Figura 9 Execução de caso de teste no Módulo MicrovixNF-e Para esta atividade foram utilizadas até o momento 35 horas, porém ainda não foi concluída. 3.6 DOCUMENTAÇÃO Após a finalização dos testes e estando todos os defeitos corrigidos, o sistema está pronto para entrar em produção. Para auxiliar o usuário final na utilização do sistema são desenvolvidos tutoriais para cada necessidade implementada e, quando a alteração será aplicada a todos os usuários do sistema, os manuais online são atualizados de maneira que são incluídas todas as explicações necessárias para o correto entendimento junto com exemplos e ilustrações. Nesta fase também é elaborado o documento Documentação de Testes, já mencionado no item 3.2, onde são registrados os resultados do trabalho desenvolvido durante o projeto. Neste documento constam as combinações de teste, os identificadores dos casos de teste, o nome do tutorial criado e dos manuais alterados, o texto para release, que se trata de um resumo apresentando o que foi 35

36 modificado e orientações para o Suporte Técnico Microvix para facilitar que os atendentes da empresa tenham acesso às constantes alterações e compreendam seu funcionamento para esclarecer as dúvidas dos clientes. Esta atividade demandou cerca de 12 horas. 3.7 TESTES REALIZADOS EM CUSTOMIZAÇÕES CURTAS FORA DO PROJETO PRINCIPAL No estágio também foram realizados testes em alterações menores, de menor complexidade, como no módulo de Serviços, mais especificamente no recurso de faturamento de contratos com clientes, desenvolvimento do novo módulo Microvix Mobile e criação de um novo relatório de vendas. Estas atividades demandaram menor tempo e estão detalhadas abaixo: Faturamento de Contratos com Clientes Nesta necessidade foram criadas 23 (vinte e três) combinações de teste e 5 (cinco) casos de teste abrangendo as rotinas configuração de parâmetros, de cadastro de contratos com clientes, com fornecedores e ambos e o faturamento individual e agrupado destes contratos. Nove defeitos foram encontrados, reportados, corrigidos e re-testados Relatório Mensal de Vendas Para um controle melhor e obtenção de informações a cerca das vendas realizadas mensalmente através dos módulos Frente de Loja e Microvix POS, foi criado um novo relatório, chamado de Relatório Mensal de Vendas, onde serão fornecidas informações de vendas, trocas e devoluções com valores de venda bruta, venda líquida, quantidade de vendas e de itens vendidos, venda projetada e realizada, entre outras informações. No teste desta implementação foram desenvolvidas 16 combinações de teste e 15 casos de teste. Foram detectados 11 defeitos que foram reportados ao programador e após a correção foram re-testados até a constatação de que todos os requisitos foram atendidos. 36

37 3.7.3 Implementação do novo módulo Microvix Mobile Visando a portabilidade do sistema e facilidade de acesso, o novo módulo Microvix Mobile foi implementado, contendo operações básicas do sistema como acesso a alguns relatórios, realização de pré-vendas e pesquisa de produtos. Este módulo foi desenvolvido para funcionar em aparelhos do tipo Smartphones, proporcionando o acesso as principais funcionalidades do sistema em qualquer lugar que contenha conexão com a Internet disponível. Para o teste desta implementação foram elaboradas 15 combinações de teste e 5 casos de teste. Foram detectados 11 defeitos, reportados ao programador e após a correção, foi realizado o re-teste. O processo de testes desempenhado nestas três atividades, fora do projeto principal, ocupou em seu total, 71 horas. O detalhamento em números destas atividades pode ser analisado na tabela 3.1, no item 3.8, onde são dadas as considerações finais deste capítulo. 3.8 OUTRAS ATIVIDADES Durante o período do estágio houveram horas dedicadas a testes de Ordens de Serviço de Exceção. A classificação Exceção dentro do processo de trabalho da Microvix refere-se as correções de erros que ocorrem no sistema quando o produto está em produção, isto é, ocorre no ambiente do cliente e por este motivo precisam de agilidade na correção. Foram utilizadas cerca de 40 horas para realizar esta atividade, chamada de Força Tarefa Exceção, na qual a equipe de testes é alocada para testar as correções realizadas antes de os códigos-fonte serem publicados no cliente. Este procedimento de testes é ágil e não envolve os procedimentos de análise, planejamento e elaboração de artefatos de teste. 37

38 3.9 CONSIDERAÇÕES DO CAPÍTULO data: Na tabela abaixo são apresentados os resultados obtidos no período do estágio até a presente Projeto Projeto de Regras Fiscais (3 customizações) Customizações fora do projeto (3 customizações) Atividades Qtd Horas Qtde Horas Teste de Verificação Combinações de teste Casos de testes Execução dos testes Documentação Erros encontrados Erros corrigidos Total _ 109 _ 71 Tabela 1 Resultados obtidos até a presente data O projeto de adequação de regras fiscais ainda está em andamento, de maneira que a atividade de Teste de Sistema ainda não foi concluída. O prazo de conclusão deste projeto foi estendido e a conclusão desta atividade está prevista para o início do ano de 2012, visto que se trata de um projeto bastante extenso. As atividades de teste de customizações fora do projeto de regras fiscais foram concluídas com êxito. O total de horas representado na tabela representa 180 horas do período do estágio e somadas com o tempo gasto nas atividades de Força Tarefa (40 horas) e Entendimento das solicitações e avaliação dos requisitos (20 horas), foram utilizadas 240 horas neste estágio. 38

39 CONSIDERAÇÕES FINAIS O Estágio Curricular I e II foi realizado junto à MICROVIX SOFTWARE S/A, em Joinville SC, durante o segundo semestre do ano de O presente relatório de estágio trata da seqüência de um trabalho iniciado no mês de agosto de Neste período o conhecimento a cerca do processo de testes de software foi aprimorado a cada tarefa executada e a importância da qualidade de um sistema foi sempre enfatizada, fornecendo um incentivo à busca constante pela satisfação do usuário final. As disciplinas que proporcionaram uma base de conhecimento ao estagiário para o desempenho da função são: Engenharia de software, onde foram adquiridos conhecimentos que auxiliaram na execução da atividade de testes; Gerência de Projetos, a qual oferece os conceitos e definições do funcionamento de um projeto para o desenvolvimento de um sistema e Banco de Dados, no conhecimento de SGBDs e linguagem SQL, utilizadas na consulta nas bases de dados para verificação da consistência dos dados. A disciplina de Empreendedorismo também foi útil, na qual foram adquiridas noções sobre sistemas de gerenciamento empresarial, pelo fato de o Microvix ERP se tratar de um sistema utilizado na gestão de lojas. Conhecimentos obtidos na disciplina de Fundamentos de Sistemas de Informação, como noções de sistemas corporativos, de sistemas de informação gerenciais, sistemas de apoio à decisão, aplicações de sistemas de informação, qualidade, segurança e auditoria de informática e relacionamento organizacional de sistemas de informação também foram de grande importância para o sucesso na realização do estágio. Durante o estágio foram aplicadas apresentações de conceitos importantes sobre teste de software para qualificar os profissionais da área e o trabalho do dia-a-dia proporcionou uma afinidade maior com a área da informática no âmbito de produção onde todas as tarefas tem um planejamento bem definido, um convívio entre a equipe que proporciona agilidade no esclarecimento de dúvidas e tomada de decisões. Todas as atividades foram desempenhadas com sucesso e além destas, atividades extras como a participação nos dias de Força Tarefa Exceção forneceram uma experiência a mais para o profissional. 39

Manual do Usuário. Vixen PDV

Manual do Usuário. Vixen PDV 1 Manual do Usuário Vixen PDV 2 Índice 1. INTRODUÇÃO 3 2. ENTRANDO NO SISTEMA 4 2.1 TELA LOGIN 4 2.2 CARGA DE TABELAS LOCAIS 4 3. MENU INICIAL 5 4. BARRA DE STATUS 6 5. ABRINDO O CAIXA 6 6. VENDA 7 6.1

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR I e II SISTEMA DE MONITORAMENTO DE TI EM SOFTWARE LIVRE

ESTÁGIO CURRICULAR I e II SISTEMA DE MONITORAMENTO DE TI EM SOFTWARE LIVRE FERNANDO RODRIGO NASCIMENTO GUSE i ESTÁGIO CURRICULAR I e II SISTEMA DE MONITORAMENTO DE TI EM SOFTWARE LIVRE EMPRESA: Globalmind Serviços em Tecnologia da Informação LTDA. SETOR: Infra Estrutura SUPERVISOR:

Leia mais

Módulo 14. CgaInformatica. NFe. NFe para o Sistema Retwin

Módulo 14. CgaInformatica. NFe. NFe para o Sistema Retwin Módulo 14 CgaInformatica NFe NFe para o Sistema Retwin 2 Sumário O que é... 3 Benefícios... 3 Requisitos para Instalação e Implantação... 3 Obrigação Backup... 4 Configuração Geral do Sistema... 5 Cadastro

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR II SUPORTE E MONITORAMENTO

ESTÁGIO CURRICULAR II SUPORTE E MONITORAMENTO THALLES GRESCHECHEN ESTÁGIO CURRICULAR II SUPORTE E MONITORAMENTO EMPRESA: NEOGRID INFORMÁTICA S/A SETOR: SUPORTE E MONITORAMENTO SUPERVISOR: FÁBIO ROBERTO MENDES ORIENTADOR: PROF. GERSON VOLNEY LAGEMANN

Leia mais

Manual De Sped Fiscal E Sped Pis / Cofins

Manual De Sped Fiscal E Sped Pis / Cofins Manual De Sped Fiscal E Sped Pis / Cofins 29/05/2012 1 O Sped fiscal e Pis/Confins é uma arquivo gerado através do sistema da SD Informática, onde este arquivo contem todos os dados de entrada e saída

Leia mais

Índice APRESENTAÇÃO... 1 CONFIGURAÇÕES DO SAGE ONE... 2 CADASTROS... 8 PRINCIPAL... 15 NOTAS FISCAIS... 16 2.1. Primeiros Passos...

Índice APRESENTAÇÃO... 1 CONFIGURAÇÕES DO SAGE ONE... 2 CADASTROS... 8 PRINCIPAL... 15 NOTAS FISCAIS... 16 2.1. Primeiros Passos... Índice 1. 2. 2.1. 2.2. 2.3. 2.4. 2.5. 2.6. 3. 3.1. 3.2. 3.3. 3.4. 3.5. 3.6. 3.7. 3.8. 4. 5. 5.1. 5.2. 5.3. APRESENTAÇÃO... 1 CONFIGURAÇÕES DO SAGE ONE... 2 Primeiros Passos... 2 Minha Empresa... 3 Certificado

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR II DESENVOLVIMENTO DO MÓDULO MICROVIX NF-E

ESTÁGIO CURRICULAR II DESENVOLVIMENTO DO MÓDULO MICROVIX NF-E MARCOS VINICIUS KAPP ESTÁGIO CURRICULAR II DESENVOLVIMENTO DO MÓDULO MICROVIX NF-E EMPRESA: Microvix S/A SETOR: Desenvolvimento SUPERVISOR: Dalton Dhiergo Fernandes ORIENTADOR: Salvador Antonio dos Santos

Leia mais

versa A solução definitiva para o mercado livreiro. Aumente a eficiência de seu negócio Tenha uma solução adequada para cada segmento

versa A solução definitiva para o mercado livreiro. Aumente a eficiência de seu negócio Tenha uma solução adequada para cada segmento Aumente a eficiência de seu negócio O Versa é um poderoso software de gestão de negócios para editoras, distribuidoras e livrarias. Acessível e amigável, o sistema foi desenvolvido especificamente para

Leia mais

Cenário 1 - SIGNUS ERP Back-office

Cenário 1 - SIGNUS ERP Back-office Gestão e-commerce São 3 cenários possíveis: 1º SIGNUS ERP Back-office integrado a sua loja virtual 2º SIGNUS B2B e-commerce on-line 3º SIGNUS B2C e-commerce on-line Cenário 1 - SIGNUS ERP Back-office Integração

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR INTEGRAÇÃO DE BANCO DE DADOS MICROVIXERP

ESTÁGIO CURRICULAR INTEGRAÇÃO DE BANCO DE DADOS MICROVIXERP Bruno Luiz Corbani Garcia ESTÁGIO CURRICULAR INTEGRAÇÃO DE BANCO DE DADOS MICROVIXERP EMPRESA: Microvix SETOR: Banco de Dados SUPERVISOR: Dalton Dhiergo Fernandes ORIENTADOR: Alexandre Parra Silva Carneiro

Leia mais

Sistema de Livros Fiscais Imediata

Sistema de Livros Fiscais Imediata 1 Sistema de Livros Fiscais Imediata 2 Descritivo das Rotinas Operacionais do Sistema de Livros Fiscais para geração EFD PIS/Cofins SPED Contribuições Após a instalação do Sistema de Livros Fiscais, basta

Leia mais

Especificação do KAPP-PPCP

Especificação do KAPP-PPCP Especificação do KAPP-PPCP 1. ESTRUTURA DO SISTEMA... 4 1.1. Concepção... 4 2. FUNCIONALIDADE E MODO DE OPERAÇÃO... 5 3. TECNOLOGIA... 7 4. INTEGRAÇÃO E MIGRAÇÃO DE OUTROS SISTEMAS... 8 5. TELAS E RELATÓRIOS

Leia mais

Solução Planner para Nota Fiscal Eletrônica (P/NF-e 3.7)

Solução Planner para Nota Fiscal Eletrônica (P/NF-e 3.7) Solução Planner para Nota Fiscal Eletrônica (P/NF-e 3.7) Introdução Desde abril de 2008 a Nota Fiscal Eletrônica (NF-e) se tornou obrigatória para diversos setores da economia nacional. A cada 6 meses,

Leia mais

LINX POSTOS AUTOSYSTEM

LINX POSTOS AUTOSYSTEM LINX POSTOS AUTOSYSTEM Manual Notas Fiscais Sumário 1 CONCEITO... 3 2 REQUISITOS... 3 3 CONFIGURAÇÕES... 3 3.1 Permissões... 3 3.2 Configurar NF-e... 4 3.2.1 Aba Geral... 5 3.2.2 Opções... 6 3.3 Processador

Leia mais

GILMAR ARAUJO ESTÁGIO CURRICULAR I SUPORTE TI HOSPITALAR

GILMAR ARAUJO ESTÁGIO CURRICULAR I SUPORTE TI HOSPITALAR GILMAR ARAUJO ESTÁGIO CURRICULAR I SUPORTE TI HOSPITALAR EMPRESA: TRÍPLICE CONSULTORIA E SERVIÇOS LTDA. SETOR: INFORMÁTICA SUPERVISOR: RONALDO GUIZARDI ORIENTADOR: VILSON VIEIRA CURSO DE BACHARELADO EM

Leia mais

Av. Santos Dumont, 505 - Sala 203 Londrina-PR CEP 86039-090 Tel.: 43 3029 4544 e-mail: comercial@arandusistemas.com.br Site:

Av. Santos Dumont, 505 - Sala 203 Londrina-PR CEP 86039-090 Tel.: 43 3029 4544 e-mail: comercial@arandusistemas.com.br Site: ARANDU SISTEMAS O objetivo principal da Arandu é oferecer ferramentas que facilitem a GESTÃO EMPRESARIAL, que sejam inteligentes, viáveis e rápidos, procurando sempre a plena satisfação do Cliente. As

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR II CUSTOMIZAÇÃO DO MICROVIX ERP

ESTÁGIO CURRICULAR II CUSTOMIZAÇÃO DO MICROVIX ERP RODRIGO LUÍS DOS SANTOS ESTÁGIO CURRICULAR II CUSTOMIZAÇÃO DO MICROVIX ERP EMPRESA: Microvix S/A SETOR: Desenvolvimento SUPERVISOR: Dalton Dhiergo Fernandes ORIENTADOR: Rebeca Schroeder CURSO DE BACHARELADO

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA ATIVIDADE DE TESTE NO DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE

A IMPORTÂNCIA DA ATIVIDADE DE TESTE NO DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE A IMPORTÂNCIA DA ATIVIDADE DE TESTE NO DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE Karla Pires de Souza (FPM ) karlapsouza@hotmail.com Angelita Moutin Segoria Gasparotto (FPM ) angelita@usp.br A atividade de teste de

Leia mais

INFORMATIVO ESPECIAL SPED Comunicado SPED vs.4-02/03/2012

INFORMATIVO ESPECIAL SPED Comunicado SPED vs.4-02/03/2012 Comunicado SPED vs.4-02/03/2012 Prezado cliente, Para mantê-lo informado sobre as liberações e procedimentos referentes ao SPED PIS/COFINS, destacamos nesse comunicado os principais pontos que devem ser

Leia mais

Sistematic Tecnologia e Sistemas de Informação LTDA

Sistematic Tecnologia e Sistemas de Informação LTDA Manual do Usuário SisCommercePDV NFC-e Sistematic Tecnologia e Sistemas de Informação LTDA MANUAL DO USUÁRIO SisCommercePDV Emissor de Nota Fiscal do Consumidor Eletrônica (NFC-e) *Manual em desenvolvimento

Leia mais

TREINAMENTOS DEAK IN COMPANY

TREINAMENTOS DEAK IN COMPANY A DEAK Sistemas define como Treinamentos Básicos In Company a apresentação dos diversos módulos que compõem o ERP aos usuários. O Objetivo é apresentar cada módulo do ERP através de suas telas, campos

Leia mais

- No primeiro campo informe o numero da empresa que serão copiadas as informações.(ex: 9999)

- No primeiro campo informe o numero da empresa que serão copiadas as informações.(ex: 9999) 1 2 1. Duplicação das informações de uma empresa para outra Juntamente com a instalação do sistema Office encaminhamos anexada a empresa modelo, que contem cadastros que podem ser utilizados nas empresas

Leia mais

MANUAL DE OPERAÇÃO. ASP Consultoria e Desenvolvimento de Softwares Ltda. SISTEMA DE GESTÃO COMERCIAL. Manual de Operação do SIMPLES 1

MANUAL DE OPERAÇÃO. ASP Consultoria e Desenvolvimento de Softwares Ltda. SISTEMA DE GESTÃO COMERCIAL. Manual de Operação do SIMPLES 1 Manual de Operação do SIMPLES 1 MANUAL DE OPERAÇÃO SISTEMA DE GESTÃO COMERCIAL ASP Consultoria e Desenvolvimento de Softwares Ltda. Manual de Operação do SIMPLES 2 A Empresa A ASP Desenvolvimento de Softwares

Leia mais

Departamento de Treinamentos BIG SISTEMAS. Certificação em Entradas Configurações Gerais Entrada Manual Entrada NFe Conferência

Departamento de Treinamentos BIG SISTEMAS. Certificação em Entradas Configurações Gerais Entrada Manual Entrada NFe Conferência Departamento de Treinamentos BIG SISTEMAS Certificação em Entradas Configurações Gerais Entrada Manual Entrada NFe Conferência Sumário Índice de Figuras... 3 Histórico de Revisões... 4 Introdução... 5

Leia mais

1 Gerando um XML da Nota fiscal eletrônica

1 Gerando um XML da Nota fiscal eletrônica 1 Gerando um XML da Nota fiscal eletrônica O programa LimerSoft SisVendas gera o XML da nota fiscal eletrônica de produtos, porém o envio e validação deve ser realizado com o sistema oficial da receita

Leia mais

Manual do Módulo. MerchNotas

Manual do Módulo. MerchNotas Manual do Módulo MerchNotas Bento Gonçalves (RS), Agosto de 2010 Índice 1. Introdução... 4 2. Menu Entrada de Notas... 5 2.1. Entrada de Notas (F11)... 5 2.2. Entrada de Notas NFe (F12)... 8 2.3. Apuração

Leia mais

GUIA RÁPIDO DE TESOURARIA ONLINE PADRÃO_VGTUCOPE

GUIA RÁPIDO DE TESOURARIA ONLINE PADRÃO_VGTUCOPE GUIA RÁPIDO DE TESOURARIA ONLINE PADRÃO_VGTUCOPE RMS Software S.A. - Uma Empresa TOTVS Todos os direitos reservados. A RMS Software é a maior fornecedora nacional de software de gestão corporativa para

Leia mais

Secretaria de Estado da Fazenda Guia prático para emissão de Nota Fiscal Eletrônica (NF-e)

Secretaria de Estado da Fazenda Guia prático para emissão de Nota Fiscal Eletrônica (NF-e) Secretaria de Estado da Fazenda Guia prático para emissão de Nota Fiscal Eletrônica (NF-e) Para dar mais agilidade e segurança à administração tributária, os Estados brasileiros, o Distrito Federal e o

Leia mais

Índice 1.Auditoria Financeira...2 2.Parametrizações do Sistema...3 2.1.Cadastro da Empresa...3 2.1.1.Forma de controle das notas na Auditoria

Índice 1.Auditoria Financeira...2 2.Parametrizações do Sistema...3 2.1.Cadastro da Empresa...3 2.1.1.Forma de controle das notas na Auditoria Índice 1.Auditoria Financeira...2 2.Parametrizações do Sistema...3 2.1.Cadastro da Empresa...3 2.1.1.Forma de controle das notas na Auditoria Financeira...4 2.1.2.Formas de Registro do Pagamento e Recebimento

Leia mais

Geração do Sintegra VisualControl

Geração do Sintegra VisualControl HelpAndManual_unregistered_evaluation_copy Geração do VisualControl I Geração do - VisualControl Tabela de Conteúdo Parte I 1 1 Registro 10... 3 2 Registro 11... 4 3 Registro 50... 4 4 Registro 54... 7

Leia mais

COMERCIAL) 1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10. E-

COMERCIAL) 1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10. E- 2014 ÍNDICE 1. Cadastros básicos 2. Módulos básicos (Incluso em todas as versões) CMC BASE 3. Agenda 4. Arquivos 5. Empresas ou Cadastros de empresas 6. Pessoas ou cadastro de pessoas 7. Módulos que compõem

Leia mais

Exemplo de Plano para Desenvolvimento de Software

Exemplo de Plano para Desenvolvimento de Software Universidade Salgado de Oliveira Especialização em Tecnologia da Informação Qualidade em Engenharia de Software Exemplo de Plano para Desenvolvimento de Software Prof. Msc. Edigar Antônio Diniz Júnior

Leia mais

Sistema Gestão Comercial 2012

Sistema Gestão Comercial 2012 Sistema Gestão Comercial 2012 Charles Mendonça Analista de Sistemas Charles Informática Tecnologia & Sistemas Charles System Gestão Empresarial O Charles System é um software para empresas ou profissionais

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR I E II INTEGRAÇÃO DE DADOS ENTRE SISTEMA ERP INFOSALFER E SAGA WMS

ESTÁGIO CURRICULAR I E II INTEGRAÇÃO DE DADOS ENTRE SISTEMA ERP INFOSALFER E SAGA WMS MURILO CARLOS CARDOSO ESTÁGIO CURRICULAR I E II INTEGRAÇÃO DE DADOS ENTRE SISTEMA ERP INFOSALFER E SAGA WMS EMPRESA: LOJAS SALFER S.A SETOR: TI SUPERVISOR: FABIO ADRIANO DACORREGIO MEIER. ORIENTADOR: VALMOR

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR I e II CUSTOMIZAÇÃO MNT FROTA

ESTÁGIO CURRICULAR I e II CUSTOMIZAÇÃO MNT FROTA RAFAEL REINERT ESTÁGIO CURRICULAR I e II CUSTOMIZAÇÃO DO MNT FROTA EMPRESA: NG Informática SETOR: Desenvolvimento SUPERVISOR: Rafael Diogo Richter ORIENTADOR: Carlos Norberto Vetorazzi Júnior CURSO DE

Leia mais

Esclarecimentos. Relatório de Apuração de ICMS do sistema Avance Retguarda

Esclarecimentos. Relatório de Apuração de ICMS do sistema Avance Retguarda Esclarecimentos Relatório de Apuração de ICMS do sistema Avance Retguarda Afim de sanar as dúvidas mais frequentes e possíveis diferenças de valores ou informações no relatório de Apuração de ICMS do sistema

Leia mais

Fundamentos da NF-e Exercícios Práticos. Luiz Campos

Fundamentos da NF-e Exercícios Práticos. Luiz Campos Fundamentos da NF-e Exercícios Práticos Luiz Campos 1 Livro de Apuração do IPI - CFOP CFOP DESCRIÇÃO 1.000 ENTRADAS OU AQUISIÇÕES DE SERVIÇOS DO ESTADO 1.100 COMPRAS PARA INDUSTRIALIZAÇÃO, PRODUÇÃO RURAL,

Leia mais

Relatório de Mudanças

Relatório de Mudanças Relatório de Mudanças Versão 6.0g, Maio / 2015 PROBLEMA NF-e Foi feita uma modificação no sistema para que os valores unitários e os de quantidade saiam corretos e exatamente iguais tanto no lançamento

Leia mais

EFD PIS/COFINS. O que é a EFD PIS/COFINS?...2. A EFD PIS/COFINS no Cordilheira Escrita Fiscal...2. 1. Procedimentos Iniciais...2

EFD PIS/COFINS. O que é a EFD PIS/COFINS?...2. A EFD PIS/COFINS no Cordilheira Escrita Fiscal...2. 1. Procedimentos Iniciais...2 EFD PIS/COFINS SUMÁRIO O que é a EFD PIS/COFINS?...2 A EFD PIS/COFINS no Cordilheira Escrita Fiscal...2 1. Procedimentos Iniciais...2 a) Classificando as Empresas... 3 b) Conferindo os Cadastros que Influenciam

Leia mais

NOTA FISCAL ELETRÔNICA

NOTA FISCAL ELETRÔNICA NOTA FISCAL ELETRÔNICA Í n d i c e Julho, 2010 Introdução... 2 1. Acerto dos cadastros de Clientes e de Produtos... 4 1.1. Cadastros Básicos - Cadastro de Clientes... 4 1.2. Cadastros Básicos Cadastro

Leia mais

AUDITORIA FINANCEIRA. No Gerenciador de Sistemas, em Empresas\ Cadastro de Empresas, é necessário parametrizar os dados para a Auditoria Financeira.

AUDITORIA FINANCEIRA. No Gerenciador de Sistemas, em Empresas\ Cadastro de Empresas, é necessário parametrizar os dados para a Auditoria Financeira. AUDITORIA FINANCEIRA Processo de uso da Auditoria Financeira CADASTRO DE EMPRESA PARÂMETROS No Gerenciador de Sistemas, em Empresas\ Cadastro de Empresas, é necessário parametrizar os dados para a Auditoria

Leia mais

MÓDULO DE NOTA FISCAL ELETRONICA

MÓDULO DE NOTA FISCAL ELETRONICA MANUAL DO SISTEMA Versão 6.08 Introdução... 2 Requisitos para Utilização do Módulo NF-e... 2 Termo de Responsabilidade... 2 Certificados... 2 Criação de Séries... 2 Framework... 3 Teste de Comunicação...

Leia mais

TESOURARIA ONLINE PADRÃO_VGTUCOPE

TESOURARIA ONLINE PADRÃO_VGTUCOPE TESOURARIA ONLINE PADRÃO_VGTUCOPE RMS Software S.A. - Uma Empresa TOTVS Todos os direitos reservados. A RMS Software é a maior fornecedora nacional de software de gestão corporativa para o mercado de comércio

Leia mais

Novo Leiaute da Nota Fiscal Eletrônica Versão 3.10 e Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica NFC-e

Novo Leiaute da Nota Fiscal Eletrônica Versão 3.10 e Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica NFC-e Novo Leiaute da Nota Fiscal Eletrônica Versão 3.10 e Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica NFC-e Agente Fiscal de Rendas Newton Oller de Mello Delegacia Regional Tributária do Litoral Secretaria da Fazenda

Leia mais

Prefeitura de Rio Verde GO. SEFAZ - Secretaria da Fazenda. DMS e Emissão de Notas Fiscais Eletrônicas

Prefeitura de Rio Verde GO. SEFAZ - Secretaria da Fazenda. DMS e Emissão de Notas Fiscais Eletrônicas Prefeitura de Rio Verde GO SEFAZ - Secretaria da Fazenda DMS e Emissão de Notas Fiscais Eletrônicas DMS e Notas Fiscais Eletrônicas Rio Verde, GO, setembro 2009 1 Sumário INTRODUÇÃO... 03 LEGISLAÇÃO...

Leia mais

MANUAL SIMPLIFICADO Versão 1.3 (08/02/2014)

MANUAL SIMPLIFICADO Versão 1.3 (08/02/2014) MANUAL SIMPLIFICADO Versão 1.3 (08/02/2014) www.tiranota.com.br para empresas optantes do SIMPLES NACIONAL By Luiz Resende www.acontabilidade.com.br LEGENDA Algumas siglas usadas neste manual NFE = Nota

Leia mais

CONHECENDO O BANCO DE DADOS DPCOMP COMO PROCEDER PARA FAZER BACKUP S

CONHECENDO O BANCO DE DADOS DPCOMP COMO PROCEDER PARA FAZER BACKUP S CONHECENDO O BANCO DE DADOS DPCOMP Atualmente, a DpComp, visando ampliar a capacidade corporativa de seus clientes, acompanha a evolução tecnológica e trabalha hoje com o banco de dados MySQL, um dos bancos

Leia mais

MANUAL PARA CREDENCIAMENTO DE ESTABELECIMENTOS PARA EMISSÃO DE NF-e

MANUAL PARA CREDENCIAMENTO DE ESTABELECIMENTOS PARA EMISSÃO DE NF-e MANUAL PARA CREDENCIAMENTO DE ESTABELECIMENTOS PARA EMISSÃO DE NF-e Este documento tem por objetivo orientar a etapa de Credenciamento para emissão de Nota Fiscal eletrônica (NF-e) por contribuintes paranaenses.

Leia mais

SINTEGRA GUIA PARA GERAÇÃO DO VIA MÓDULO LBCGAS. Versão 1.00 15 de Abril de 2010.

SINTEGRA GUIA PARA GERAÇÃO DO VIA MÓDULO LBCGAS. Versão 1.00 15 de Abril de 2010. GUIA PARA GERAÇÃO DO SINTEGRA VIA MÓDULO LBCGAS Versão 1.00 15 de Abril de 2010. 1 a ETAPA CADASTRANDO IMPRESSORAS FISCAIS (ECFs) Antes de iniciarmos o lançamento das reduções Z que farão a consolidação

Leia mais

Precision. A sua Solução de Gestão Empresarial. Características do Sistema: Principais Recursos:

Precision. A sua Solução de Gestão Empresarial. Características do Sistema: Principais Recursos: A sua Solução de Gestão Empresarial O Precision é a solução de Gestão Empresarial de baixo custo que a Maggiore Sistemas disponibiliza para pequenas e médias empresas. Desenvolvido e comercializado em

Leia mais

Secretaria de Estado da Fazenda Guia prático para emissão de Nota Fiscal Eletrônica (NF-e)

Secretaria de Estado da Fazenda Guia prático para emissão de Nota Fiscal Eletrônica (NF-e) Secretaria de Estado da Fazenda Guia prático para emissão de Nota Fiscal Eletrônica (NF-e) Para dar mais agilidade e segurança à administração tributária, os Estados brasileiros, o Distrito Federal e o

Leia mais

Atualização do Sistema T-Car-Win Versão 1.15.5

Atualização do Sistema T-Car-Win Versão 1.15.5 Atualização do Sistema T-Car-Win Versão 1.15.5 O sistema T-Car-Win está sendo atualizado para a versão 1.15.5. Esta versão tem o objetivo de agregar as seguintes funcionalidades ao sistema: Possibilidade

Leia mais

Guia Informativo. Adequação da automação Softpharma

Guia Informativo. Adequação da automação Softpharma Guia Informativo Adequação da automação Softpharma SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 4 2. REGULAMENTAÇÃO... 5 2.1. Obrigatoriedade do uso do ECF... 5 3. ADEQUAÇÕES NO PROCESSO DE VENDA... 5 3.1. Cupom Fiscal...

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÃO SISTEMA EMISSOR DE NOTA FISCAL ELETRÔNICA. NF-e

MANUAL DE INSTRUÇÃO SISTEMA EMISSOR DE NOTA FISCAL ELETRÔNICA. NF-e MANUAL DE INSTRUÇÃO SISTEMA EMISSOR DE NOTA FISCAL ELETRÔNICA NF-e SELECIONE A EMPRESA EMISSORA DA NFE CLIQUE EM INICIAR TELA DE AVISOS FAÇA A LEITURA DOS AVISOS E CLIQUE EM FECHAR EMISSÃO DA NOTA FISCAL

Leia mais

NOTA FISCAL PAULISTA PHOENIX

NOTA FISCAL PAULISTA PHOENIX NOTA FISCAL PAULISTA PHOENIX ÍNDICE INTRODUÇÃO... 3 INSTRUÇÕES INICIAIS... 3 CADASTROS... 4 CADASTRO DAS EMPRESAS... 4 CADASTRO DOS CLIENTES... 4 CADASTRO DE SOFTWARE HOUSE... 5 Histórico de Versão do

Leia mais

Softmatic Sistemas Integrados de Informática

Softmatic Sistemas Integrados de Informática Softmatic Sistemas Integrados de Informática Nota Fiscal Paulista Phoenix Rua Padre Estevão Pernet 215 Tatuapé Manual de Utilização ÍNDICE INTRODUÇÃO...3 INSTRUÇÕES INICIAIS...3 CADASTROS...4 CADASTRO

Leia mais

Secretaria de Estado da Fazenda Guia prático para emissão de Conhecimento de Transporte Eletrônico (CT-e)

Secretaria de Estado da Fazenda Guia prático para emissão de Conhecimento de Transporte Eletrônico (CT-e) Secretaria de Estado da Fazenda Guia prático para emissão de Conhecimento de Transporte Eletrônico (CT-e) Para dar mais agilidade e segurança à administração tributária, os Estados brasileiros, o Distrito

Leia mais

ARANDU SISTEMAS. Apresentamos a ARANDU SISTEMAS empresa sediada em Londrina no Paraná, com mais de 15 anos de experiência no varejo.

ARANDU SISTEMAS. Apresentamos a ARANDU SISTEMAS empresa sediada em Londrina no Paraná, com mais de 15 anos de experiência no varejo. ARANDU SISTEMAS Apresentamos a ARANDU SISTEMAS empresa sediada em Londrina no Paraná, com mais de 15 anos de experiência no varejo. A ARANDU SISTEMAS tem primado pela excelência e eficácia de seus produtos

Leia mais

Gestor Empresarial - Financeiro. Release Versão 1.076

Gestor Empresarial - Financeiro. Release Versão 1.076 Gestor Empresarial - Financeiro Release Versão 1.076 Maio/2013 Produto : AeroSoft Gestor Empresarial - Financeiro Versão : v1.076 Data Liberação : 21/04/2013 A seguir são apresentadas as novas funções

Leia mais

CARTILHA DE ORIENTAÇÕES

CARTILHA DE ORIENTAÇÕES NOTA FISCAL DE CONSUMIDOR ELETRÔNICA NFC-e MODELO 65 CARTILHA DE ORIENTAÇÕES Esteja pronto para a maior revolução no varejo dos últimos tempos: A Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica! 1 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO...

Leia mais

DOCUMENTO DE REQUISITOS

DOCUMENTO DE REQUISITOS DOCUMENTO DE REQUISITOS ID documento: Data: / / Versão : Responsável pelo documento: ID Projeto: HISTÓRICO DE REVISÕES Data de criação/ atualização Descrição da(s) Mudança(s) Ocorrida(s) Autor Versão do

Leia mais

Manual do sistema Lojamix PDV

Manual do sistema Lojamix PDV Manual do sistema Lojamix PDV Versão 1.10 Data da última atualização 07/11/2011 SUMÁRIO LISTA DE FIGURAS...3 LISTA DE Siglas...4 Primeiros passos...5 Acessando o ambiente de configuração...5 Acessando

Leia mais

Manual Operacional Versão 2.2

Manual Operacional Versão 2.2 1 Manual Operacional Versão 2.2 2 SUMÁRIO 1) Assistente de configuração 4 2) Módulo Geral 9 2.1) Administradora 9 2.2) Empresa 9 2.3) Grupo de Empresa 12 2.4) Responsável 13 2.5) CEP 13 2.6) Configurações

Leia mais

Guia Rápido do Usuário

Guia Rápido do Usuário Guia Rápido do Usuário 1 Apresentação Auxiliar o cliente Mesa01 de forma rápida e eficaz é o objetivo deste Manual Através dele, você conseguirá esclarecer dúvidas do dia-a-dia na utilização do sistema

Leia mais

SSPlus (8.0) REA Relatório Explicativo de Alterações. REA SSPlus 8.0

SSPlus (8.0) REA Relatório Explicativo de Alterações. REA SSPlus 8.0 1 REA Relatório Explicativo de Alterações SSPlus (8.0) Autor : Alana Trindade Criado em 08/09/2015 Impresso Arquivo REA Relatório Explicativo de Alterações Versão 8.0.114 a 2 CONTEÚDO COMPRAS...5 81872

Leia mais

Declaração do Escopo do Projeto. SysTrack

Declaração do Escopo do Projeto. SysTrack Declaração do Escopo do Projeto SysTrack Nome do Projeto: SysTrack Versão do Documento: 1.0 Elaborado por: André Ricardo, André Luiz, Daniel Augusto, Diogo Henrique, João Ricardo e Roberto Depollo. Revisado

Leia mais

Fluxograma - Configuração EFD Contribuições (Lucro Presumido)

Fluxograma - Configuração EFD Contribuições (Lucro Presumido) Fluxograma - Configuração EFD Contribuições (Lucro Presumido) Parametrizar a empresa como Lucro Presumido. 1 - Regime de Competência Qual o Regime de apuração adotado? 2 - Regime de Caixa Qual será a forma

Leia mais

AC FISCAL MANUAL SPED ICMS & IPI

AC FISCAL MANUAL SPED ICMS & IPI AC FISCAL MANUAL SPED ICMS & IPI Esse manual tem por objetivo mostrar os campos que necessariamente devem estar preenchidos no AC Fiscal e os principais erros por conta da falta nas informações. A seguir,

Leia mais

Política comercial Válida a partir de Novembro de 2015

Política comercial Válida a partir de Novembro de 2015 1 de 5 Política comercial Válida a partir de Novembro de 2015 1. Introdução A mobilidade corporativa deixou de ser uma tendência para fazer parte da ação estratégica das empresas. Hoje, o profissional

Leia mais

Software para Supermercado Revenda

Software para Supermercado Revenda Software para Supermercado Revenda Software para Automação Comercial, Completos e Simples para o seu negócio. SIA PDV (Frente de Caixa). SIA PDV vendido separadamente. TEF Dedicado vendido separadamente.

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR I e II PESQUISA E DESENVOLVIMENTO DE FERRAMENTA QUE PERMITE VERIFICAR A RELAÇÃO ENTRE PERFIL DE EMPRESA E

ESTÁGIO CURRICULAR I e II PESQUISA E DESENVOLVIMENTO DE FERRAMENTA QUE PERMITE VERIFICAR A RELAÇÃO ENTRE PERFIL DE EMPRESA E Guilherme Alexandre Sant'Ana ESTÁGIO CURRICULAR I e II PESQUISA E DESENVOLVIMENTO DE FERRAMENTA QUE PERMITE VERIFICAR A RELAÇÃO ENTRE PERFIL DE EMPRESA E MODELO DE PROCESSO DE SOFTWARE EMPRESA: UNIVERSIDADE

Leia mais

MANUAL SPED(EFD) PIS-COFINS

MANUAL SPED(EFD) PIS-COFINS MANUAL SPED(EFD) PIS-COFINS O que é SPED? É um arquivo de texto que detalha todas as movimentações fiscais da empresa em um determinado período, listando todas as operações de compra (Notas de compra)

Leia mais

SPED PIS E COFINS SPED PIS E COFINS. Sistema Questor SPED PIS E COFINS - SPED PIS E COFINS - 0brigatoriedade. Objetivos do Curso

SPED PIS E COFINS SPED PIS E COFINS. Sistema Questor SPED PIS E COFINS - SPED PIS E COFINS - 0brigatoriedade. Objetivos do Curso Sistema Questor SPED PIS E COFINS SPED Sistema Público de Escrituração Digital EFD Escrituração Fiscal Digital Instrutor: - Jocenei Friedrich Apoio: - Sejam todos bem-vindos Objetivos do Curso Conhecer

Leia mais

LMA, Solução em Sistemas

LMA, Solução em Sistemas LMA, Solução em Sistemas Ao longo dos anos os sistemas para gestão empresarial se tornaram fundamentais, e por meio dessa ferramenta as empresas aperfeiçoam os processos e os integram para uma gestão mais

Leia mais

Roteiro de Cadastros - GESTOR

Roteiro de Cadastros - GESTOR Página1 INDICE 1. MODULO EMPRESA 1.1. CADASTRO DE USUARIO --------------------------------------------------------------------- 4 1.2. CADASTRO DA EMPRESA --------------------------------------------------------------------

Leia mais

Manual do Sistema "Venda - Gerenciamento de Vendas, Estoque, Clientes e Financeiro" Editorial Brazil Informatica

Manual do Sistema Venda - Gerenciamento de Vendas, Estoque, Clientes e Financeiro Editorial Brazil Informatica Manual do Sistema "Venda - Gerenciamento de Vendas, Estoque, Clientes e Financeiro" Editorial Brazil Informatica I Venda - Gerenciamento de Vendas, Estoque, Clientes e Financeiro Conteúdo Part I Introdução

Leia mais

SE Sistemas. Edmar de Oliveira Frazão

SE Sistemas. Edmar de Oliveira Frazão SE Sistemas Edmar de Oliveira Frazão Sumário Sobre SE Sistemas Nota Fiscal Eletrônica Nota Fiscal Eletrônica versão 2.0 SPED SESIAG SPED Contábil SEICON Sobre SE Sistemas Software Edmar desde 1992 Fundação

Leia mais

LIBERAÇÃO DE ATUALIZAÇÃO CORDILHEIRA

LIBERAÇÃO DE ATUALIZAÇÃO CORDILHEIRA LIBERAÇÃO DE ATUALIZAÇÃO CORDILHEIRA (Orientamos aos clientes que utilizam banco de dados SQL, para efetuarem a atualização preferencialmente após o encerramento das atividades do dia, acessando o sistema

Leia mais

Caso tenha dúvida no preenchimento das informações solicitadas pelo sistema, esclareça cada uma delas com a pessoa responsável.

Caso tenha dúvida no preenchimento das informações solicitadas pelo sistema, esclareça cada uma delas com a pessoa responsável. Manual Estoque Prezado Cliente, Este é o material de apoio aos usuários e implantadores do SOFTLAND COMERCIAL, o seu sistema integrado de gestão empresarial. O bom uso deste manual o habilitará a extrair

Leia mais

ÍNDICE. ISS Online. Guia do Usuário ÍNDICE

ÍNDICE. ISS Online. Guia do Usuário ÍNDICE Guia do Usuário ÍNDICE ÍNDICE Setembro /2009 www.4rsistemas.com.br 15 3262 8444 IDENTIFICAÇÃO E SENHA... 3 Sou localizado no município... 4 Não sou localizado no município... 4 ACESSO AO SISTEMA... 5 Tela

Leia mais

LINX POSTOS AUTOSYSTEM

LINX POSTOS AUTOSYSTEM LINX POSTOS AUTOSYSTEM Manual Caixa Visão Geral Sumário 1 CONCEITO... 3 2 REQUISITOS... 4 3 CONFIGURAÇÕES... 4 3.1 Permissões... 4 3.2 Incluir Ponto de Venda (PDV)... 5 3.3 Vincular Conta e Empresa...

Leia mais

Título: Controle de Estoque (componente de especificação)

Título: Controle de Estoque (componente de especificação) Título: Controle de Estoque (componente de especificação) Palavras-chave: estoque, inventário, controle Autoria e data: Marcelo Pessôa 02 de junho de 2014 Versão: 1.0 Tecnologia: Independe de tecnologia

Leia mais

Otimize seus negócios e ganhe produtividade

Otimize seus negócios e ganhe produtividade Otimize seus negócios e ganhe produtividade Diferenciais O software Fenícia ERP é uma solução completa, especialmente desenvolvida para atender a pequenas e médias empresas que cobre todos os processos

Leia mais

SISTEMA DE CONTROLE DE ESTOQUE MANUAL PARA REQUISITANTES

SISTEMA DE CONTROLE DE ESTOQUE MANUAL PARA REQUISITANTES UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS PRÓ-REITORIA DE DESENVOLVIMENTO UNIVERSITÁRIO DIRETORIA GERAL DE ADMINISTRAÇÃO SISTEMA DE CONTROLE DE ESTOQUE MANUAL PARA REQUISITANTES SISTEMA 1ª EDIÇÃO SETEMBRO/2013

Leia mais

OASyS Informática Manual da Nota Fiscal Eletrônica 2.0.7

OASyS Informática Manual da Nota Fiscal Eletrônica 2.0.7 OASyS Informática Manual da Nota Fiscal Eletrônica 2.0.7 Manual desenvolvido pela OASyS Informática, baseado na versão 2.0 da Nota Fiscal Eletrônica do SEFAZ. 1 Manual da Nota Fiscal Eletrônica 2.0 Título

Leia mais

NeXT ERP Sistema de gestão empresarial A solução integrada e eficiente para sua empresa

NeXT ERP Sistema de gestão empresarial A solução integrada e eficiente para sua empresa Gerencie facilmente seu negócio com o NeXT ERP O que é o NeXT Software? - Um avançado software integrado capaz de automatizar e integrar os processos de negócio de sua empresa - Possibilita que as informações

Leia mais

RMS Software S.A. - Uma empresa TOTVS. 11 2699-0008 www.rms.com.br

RMS Software S.A. - Uma empresa TOTVS. 11 2699-0008 www.rms.com.br GIA 73 SP RMS Software S.A. - Uma Empresa TOTVS Todos os direitos reservados. A RMS Software é a maior fornecedora nacional de software de gestão corporativa para o mercado de comércio e varejo. Este documento

Leia mais

A seguir falaremos sobre os campos que deverão ser preenchidos no Shop Control 8.

A seguir falaremos sobre os campos que deverão ser preenchidos no Shop Control 8. Nota Fiscal Eletrônica Este módulo permite a integração do Shop Control 8 com o site da Secretaria da Fazenda dos Estados e Receita Federal para emitir a Nota Fiscal Eletrônica (NFe) : Este módulo é exclusivo

Leia mais

PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE. Modelos de Processo de Desenvolvimento de Software

PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE. Modelos de Processo de Desenvolvimento de Software PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE Introdução Modelos de Processo de Desenvolvimento de Software Os modelos de processos de desenvolvimento de software surgiram pela necessidade de dar resposta às

Leia mais

ALEXANDRE SCHEMES ESTÁGIO CURRICULAR II RELATÓRIO DE ATIVIDADES REALIZADAS PROJETO LAYOUTS FLEXÍVEIS

ALEXANDRE SCHEMES ESTÁGIO CURRICULAR II RELATÓRIO DE ATIVIDADES REALIZADAS PROJETO LAYOUTS FLEXÍVEIS ALEXANDRE SCHEMES ESTÁGIO CURRICULAR II RELATÓRIO DE ATIVIDADES REALIZADAS PROJETO LAYOUTS FLEXÍVEIS EMPRESA: Gesplan S.A. SETOR: Desenvolvimento SUPERVISOR: Jane Frankowiak ORIENTADOR: Marco Antonio Torrez

Leia mais

Adicionais. Grupo Acert - 1

Adicionais. Grupo Acert - 1 MÓDULOS Adicionais Grupo Acert - 1 ÍNDICE 1 - ESTOQUE 1.1- Balanço de Estoque 03 2 - FATURAMENTO/FINANCEIRO 2.1- Pagamento Eletrônico (Fornecedores) 2.2- Plug-in Cheque Custódia 06 07 3 - FISCAL e CONTÁBIL

Leia mais

Manual Integrador Nota Fiscal de Serviços Eletrônica

Manual Integrador Nota Fiscal de Serviços Eletrônica Manual Integrador Nota Fiscal de Serviços Eletrônica ÍNDICE Índice 2 Objetivo 3 Formas de Funcionamento 3 Integrador desktop com NFS-e on-line 3 Web Service puro com NFS-e on-line 4 Arquivo de Retorno

Leia mais

Recomendado para quem esta iniciando a utilização do sistema Gestor New

Recomendado para quem esta iniciando a utilização do sistema Gestor New Recomendado para quem esta iniciando a utilização do sistema Gestor New INDICE 1 1. CADASTRO DE USUÁRIOS...1 2. MODULO EMPRESA...4 2.1. Cadastro da Empresa...4 2.2. Parâmetros da Empresa...4 3. MÓDULO

Leia mais

Módulo Faturamento. Sistema Gestor New. Instruções para cadastros e configurações do módulo Faturamento

Módulo Faturamento. Sistema Gestor New. Instruções para cadastros e configurações do módulo Faturamento Roteiro passo a passo Módulo Faturamento Sistema Gestor New Instruções para cadastros e configurações do módulo Faturamento Recomendado para quem esta iniciando a utilização do sistema Gestor New 1 INDICE

Leia mais

GILMAR ARAUJO ESTÁGIO CURRICULAR II ANÁLISE E SUPORTE EM TI HOSPITALAR

GILMAR ARAUJO ESTÁGIO CURRICULAR II ANÁLISE E SUPORTE EM TI HOSPITALAR GILMAR ARAUJO ESTÁGIO CURRICULAR II ANÁLISE E SUPORTE EM TI HOSPITALAR EMPRESA: TRÍPLICE CONSULTORIA E SERVIÇOS LTDA. SETOR: INFORMÁTICA SUPERVISOR: RONALDO GUIZARDI ORIENTADOR: VILSON VIEIRA CURSO DE

Leia mais

Em 2012, a Prosoft planejou o lançamento da Versão 5 dos seus produtos.

Em 2012, a Prosoft planejou o lançamento da Versão 5 dos seus produtos. VERSÃO 5 Outubro/2012 Release Notes Não deixe de atualizar o seu sistema Planejamos a entrega ao longo do exercício de 2012 com mais de 140 melhorias. Mais segurança, agilidade e facilidade de uso, atendendo

Leia mais

O FUTURO DA SUA EMPRESA PASSA POR AQUI OMNES TECNOLOGIA

O FUTURO DA SUA EMPRESA PASSA POR AQUI OMNES TECNOLOGIA O FUTURO DA SUA EMPRESA PASSA POR AQUI OMNES TECNOLOGIA Como tudo começou GIDEONI SILVA CONSULTOR BI & CRM Analista de Sistemas e Green Belt Six Sigma Experiência de 15 anos em projetos executados de Business

Leia mais

TUTORIAL/MANUAL CONFIGURAR E GERAR NOTAS FISCAIS. Document Version: 1.0 Release Date: 19/02/2013

TUTORIAL/MANUAL CONFIGURAR E GERAR NOTAS FISCAIS. Document Version: 1.0 Release Date: 19/02/2013 1 P a g e TUTORIAL/MANUAL CONFIGURAR E GERAR NOTAS FISCAIS Document Version: 1.0 Release Date: 19/02/2013 Author(s) Via Express Informática LTDA. Carlos Belgine Analista de Suporte 2 P a g e OBJETIVO O

Leia mais

LIBERAÇÃO DE ATUALIZAÇÃO CORDILHEIRA VERSÃO 2

LIBERAÇÃO DE ATUALIZAÇÃO CORDILHEIRA VERSÃO 2 LIBERAÇÃO DE ATUALIZAÇÃO CORDILHEIRA VERSÃO 2 (Orientamos aos clientes que utilizam banco de dados SQL, para efetuarem a atualização preferencialmente após o encerramento das atividades do dia, acessando

Leia mais

Manifestação do Destinatário da NF-e

Manifestação do Destinatário da NF-e Manifestação do Destinatário da NF-e DESENVOLVENDO SOLUÇÕES Autora: Laila Maria Doc. Vrs. 01 Revisão: Gustavo Aprovado em: Novembro de 2014. Nota de copyright Copyright 2014 Teorema Informática, Guarapuava.

Leia mais