TALENTOS: A ARTE DE GERENCIAR

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "TALENTOS: A ARTE DE GERENCIAR"

Transcrição

1 1 UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PERNAMBUCO LIBERTAS CONSULTORIA E TREINAMENTO CENTRO DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE EQUIPES TALENTOS: A ARTE DE GERENCIAR Doradia Duran Correia Santos RECIFE 2007

2 TALENTO: A ARTE DE GERENCIAR 2

3 3 Monografia apresentada à Universidade Católica de Pernambuco/ Libertas Consultoria e Treinamento, como requisito ao título de Especialista em Gestão de Equipes, sob a supervisão do Professor José Ricardo Paes Barreto e orientação do Professor Jayme Panerai Alves.

4 4 O que mais me motiva é a vontade de superar meus limites em cada corrida, sou um apaixonado por velocidade e com certeza farei de tudo para quebrar meus recordes e meus limites. Ayrton Senna da Silva

5 5 Dedico esta monografia a minha filha Maria Cecília, que vem mostrando nas pequenas atitudes seu talento; e aos meus familiares e amigos pela compreensão da minha ausência, em muitos momentos, pela busca do meu sucesso.

6 6 Agradeço em primeiro lugar a Deus e em seguida aos meus Mestres que, de alguma forma, contribuíram para a descoberta do meu talento, Meus Pais, Meus Avós, Meu Esposo e Meus Gestores.

7 7 RESUMO As pessoas estão mais conscientes do que nunca do seu valor para a empresa que trabalham. Gerir talentos é diferente de gerenciar recursos humanos. As pessoas não são recursos colocados à disposição da empresa. As pessoas são os talentos que diferenciam positivamente a empresa em seu mercado e os talentos de uma organização são a sua vantagem competitiva. Quando tanto se apregoa e enfatiza a importância de Recursos Humanos qualificados para a empresa competitiva, é paradoxal verificar como não se aproveita devidamente o talento humano existente nas empresas. O capital humano é um ativo real e potencial ainda não gerido nem aproveitado total e adequadamente. As pessoas possuem inteligência, conhecimentos, competências, experiências e emoções. Se a empresa só se preocupa e ocupa com as qualificações profissionais cognitivas e sensório-motoras adequadas às tarefas, no sentido de bem realizá-las no momento, estará desperdiçando uma boa parte do seu capital humano, estará negligenciando a importância dos componentes emocionais. A gerencia deve identificar os seus principais talentos, atrair mais, desenvolver, gerenciar, motivar e reter talentos. Uma empresa deve empregar e reter as melhores pessoas, as mais brilhantes e as mais diversificadas, a fim de inovar. Palavras chaves: Talentos. Retenção de talentos. Gerência.

8 8 ABSTRACT People are more concious than ever of their value for this company they work. Managing talents differs from managing human resources. People are not resources at the company s disposal. People are the talents wich positively differentiate in its market and the talents of an organization are its competitive advantage...in flesh and bone. When so much is divulged and emphasized about the importance of qualified human resources for a competitive company, its paradoxical to verify how the existing human talent is not used duly, The human capital is a potencial and real active still not managed nor totaly and properly used. People have their own intelligence, knowledge, abilities, experiences and emotions. If the company worries and occupies only with the cognitive professional qualifications and sensory motor adjusied to the tasks, focusing on realizing them at the moment, it will be wasting a large part of there human capital, and will be neglecting the importance of the emotional components. The management must identify their main talents, develop, manage, motivate and keep talents. A company must use and keep their best people, the most brilliant and the most diversified for the purpose of innovate. Key-Word: Human Resources.Motivate.Talents.Qualified.Emotions.

9 9 SUMÁRIO INTRODUÇÃO 1. O QUE É TALENTO? 2. AGREGANDO TALENTOS 2.1 Atraindo o Talento 2.2 Identificando e Potencializando o Talento 3. RETENÇÃO DE TALENTOS 4. O PAPEL DO LÍDER NA GESTÃO DOS TALENTOS 5. RISCOS NA GESTÃO DE TALENTOS CONCLUSÃO REFERÊNCIAS

10 10 INTRODUÇÃO O maior desafio das organizações consiste em transformar as pessoas no segredo do sucesso, ou seja, é preciso desenvolvê-las e estimulá-las a fim de que sejam capazes de assegurar os resultados organizacionais. Flaviane Forti Chitero Uma empresa não se compõe apenas de bens materiais. Ela possui outros bens não materiais que integram seu patrimônio líquido: a marca, a imagem social, o conceito no mercado, a qualidade de seus produtos ou serviços. E as pessoas, o que representam neste acervo material e não material? Qual a sua verdadeira contribuição para acrescentar valor à empresa? Na época de 1967 já se afirmava que as pessoas eram a parte mais importante e nobre da organização, porém a administração tradicional ainda as considerava como custos que traziam problemas financeiros. Apesar de tantos recursos, instrumentos, programas sofisticados que até produzem indicadores numéricos importantes, todos se revelam incapazes de expressar a imensa variedade de valor das pessoas na organização. Em 1997 foi realizado um estudo onde apresentou-se a guerra pelo talento como um desafio empresarial estratégico e uma alavanca indispensável para a dinamização do desempenho corporativo. Segundo os autores, as empresas que quiserem vencer a guerra pelo talento devem focar cinco pontos essenciais: * Adotar uma mentalidade voltada para o talento; * Elaborar uma proposta de valor atraente para o funcionário;

11 11 * Reformular sua estratégia de recrutamento; * Tornar o desenvolvimento parte integrante da organização; * Diferenciar e promover a afirmação de seu pessoal. Para os autores Ed Michaels, Helen Handfield-Jones e Beth Axelrod, a guerra pelo talento deve continuar pelos próximos 20 anos, pelo menos. O objetivo da pesquisa foi compreender como certas empresas atraem, desenvolvem e retêm as pessoas em 200 principais cargos gerenciais. A partir disso, chegou-se a algumas conclusões, entre elas que não são os processos de RH que fazem a diferença, e sim a atitude dos líderes em toda a organização. Depois de passar por diversas fases de evolução, as organizações percebem, cada vez mais, que o que definirá sua vantagem competitiva é seu capital humano. Migrar para uma abordagem de gestão de talentos, uma empresa precisa de um processo confiável de avaliação de desempenho - o que não significa complexidade e sofisticação. Todos devem confiar no método como forma de identificação de talentos. Se um sistema de avaliação de desempenho não indica talentos, o esforço para mantê-lo em funcionamento é altamente questionável. A gestão de talentos deve ser um poderoso imã para os funcionários, demonstrando que a empresa se importa com eles e com as suas necessidades de satisfação no trabalho. Assim sendo, a presente monografia apresenta primeiramente um capítulo denominado o que é talento? Neste, situa-se que o talento corresponde ao potencial inerente que cada um de nós temos e que necessita de liberdade para demonstrá-lo, através de idéias, pensamentos e atitudes. Em seguida será mostrada a importância de se agregar as várias formas de talentos e aglutiná-las numa tentativa de aumentar a criatividade da empresa e a valorização profissional.

12 12 Outro fator de real significação é a forma de retenção desses talentos, numa tentativa de engrandecimento pessoal e profissional, pois por serem talentosas as pessoas, em geral, exigem condições especiais, o que a empresa normalmente não está preparada.

13 13 1. O QUE É TALENTO? Talento, vocação, dom, tendência, habilidade, faculdade, inclinação... Todos têm aptidões diferenciadas para o desenvolvimento das quais necessitam e desejam de estímulos e instruções adequados. Mª Letícia Toscano Segundo o Novo Dicionário Aurélio, a palavra talento teve vários significados, dos tempos antigos até a era moderna. Entre os hebreus, gregos e romanos foi usada, primeiramente, como unidade de peso, depois como unidade monetária. Nos tempos modernos, até a Sociedade Industrial, o significado para talento - atrelado a qualidades pessoais - evoluiu para aptidão natural, ou habilidade adquirida; inteligência excepcional (Ibid). Na Sociedade Pós-Industrial na Economia do Conhecimento talento passa a significar capacidade de aprender-aaprender e dominar novas habilidades, para que o profissional tenha condições de se inserir como agente ativo no processo de descontinuidade, nas constantes mudanças tecnológicas e nas pressões competitivas. O que, na prática, transforma o antigo recurso humano em capital intelectual; o poderoso ativo intangível que move as empresas de sucesso e distancia seu valor de mercado do seu valor contábil, que traduz apenas os ativos tangíveis. Nesse contexto completa-se o círculo virtuoso da palavra talento que, mais uma vez, adquire um significado associado a valor monetário. E quanto mais a economia se torna intensiva em capital intangível, movida a conhecimento e tecnologia, mais valioso se torna o profissional talentoso. O talento,

14 14 agora, se transforma em componente crítico para a performance corporativa, para o desenvolvimento de vantagens competitivas sustentáveis a longo prazo. Um talento é um criador, alguém que quebra regras, inicia mudanças e gera conhecimento. Os talentos são os espíritos de uma empresa. Eles abrem à porta do conhecimento a todos. Em uma era competitiva, o crescimento de qualquer empresa é proporcional ao crescimento do seu talento. Os talentos são uma espécie imbatível, que, de um modo geral, estão sempre pensando no próximo movimento, desejando superar-se. Nunca estão satisfeitos. As idéias tornam-se realidade quando um grupo de talentos concentrados e motivados trabalha juntos para fazer com que elas aconteçam. Atualmente as pessoas passaram a ser encaradas de forma diferente nas empresas mais modernas. O indivíduo passa a ter suas necessidades de estímulo e motivação mais focadas pela organização. Trata-se da percepção de que a competição se dá principalmente pelo talento dos recursos humanos empregados nos projetos e atividades. Estes são tempos de mudanças cruciais na organização do trabalho e as pessoas com maior capacidade de adaptação sem dúvida serão destaques no mundo corporativo. A atuação de cada um depende de motivação (uma mistura de vontade com estímulo externo) que a empresa pode oferecer, buscando facilitadores e gerenciando um clima favorável. Mas os bons resultados não dependem apenas de pessoas motivadas. É preciso que as elas estejam capacitadas para as tarefas e isso significa alavancar os fatores de gerência, competências técnicas, abordagens inovadoras e ter predisposição para a qualidade. O talento é um elemento de alto valor estratégico e como tal deve ser agregado, atualizado e protegido. Não há espaço para a convivência entre a administração de RH tradicional e a gestão de talentos - numa empresa centrada em talentos, só há espaço para eles.

15 15 Os talentos são relativamente às poucas pessoas que contribuem ao máximo com a empresa, e precisam ser reconhecidas, estimuladas e potencializadas para que maximizem os resultados positivos que só elas podem alcançar. Essas pessoas são diferentes. São os astros e as estrelas, e têm que ser tratadas como tal. Contribuem mais e devem ser mais bem remuneradas do que os profissionais do conhecimento. Os verdadeiros talentos são pessoas que dão uma contribuição significativa. Os verdadeiros talentos não fazem tanto estardalhaço deixam que o seu desempenho fale em seu lugar. O sucesso para eles é o sucesso dos produtos ou processo que criam. Ficam profundamente incomodados quando não recebem reconhecimento e recompensa pelas suas idéias, principalmente quando outros que deram uma contribuição mínima são recompensados. Liberdade para agir, para fracassar e para ter sucesso, e são capazes de se superarem no que quer que façam. Os talentos são pessoas diferentes e necessitam da liberdade de perseguir as suas próprias metas. Eles aglutinam novas idéias, novas formas de pensamento e novas formas de realização. Podem ou não adaptar-se bem a cultura corporativa.

16 16 2. AGREGANDO TALENTOS As idéias que defendo não são minhas. Eu as tomei emprestadas de Sócrates, roubei-as de chesterfield. Furtei-as de Jesus. E se você não gostou das idéias deles, quais seriam as idéias que você usaria. Dale Carnegie 2.1 Atraindo o talento: Cada organização codifica as características humanas que são importantes para o alcance dos objetivos organizacionais e para sua cultura interna e escolhem as pessoas que tem o elevado grau. O processo seletivo nada mais é do que a busca de adequação entre aquilo que a organização pretende e aquilo que as pessoas oferecem. As pessoas também escolhem as organizações onde pretendem trabalhar. É uma escolha recíproca Qual é o melhor modo de recrutar um Talento de destaque? Ambientes de alta performance atraem o talento de destaque. Os grandes talentos fluem para as empresas que oferecem melhores condições de trabalho. Desta forma, sente-se a necessidade de manter seus colaboradores indicando os problemas e as aspirações. Muitos recrutamentos ocorrem boca a boca em todo setor. Os talentos buscam liberdade criativa, expressão, opções de desempenho, crescimento e um ambiente protetor, com proprietários, gerentes, técnicos, líderes de torcida e membros capazes, além de sistema de remuneração por desempenho. As práticas de recrutamento precisam mudar radicalmente para que se tratem os talentos como se fossem clientes. Durante o processo de recrutamento de

17 17 talentos, a empresa é um fornecedor, não um cliente. A empresa está tentando vender o que tem a oferecer a um talento, que pode ser um cliente relutante, diante de muitas escolhas atraentes. Geralmente as empresas fiam-se na avaliação do potencial dos talentos em vez de convencê-los que as suas ofertas são as melhores do planeta. Os talentos são atraídos a empresas que demonstrem uma necessidade sincera e intensa pelos seus serviços. Os talentos têm muitas escolhas e as usam com sabedoria. O verdadeiro talento recusa-se até a fazer um teste bobo, e as empresas ainda não entenderam isso. Contratar profissionais talentos é oneroso. Na verdade, o processo de contratação em si é oneroso e consome tempo. Há um espaço de tempo entre perder e contratar um talento. A perda de oportunidades é grande para uma empresa. Não ter um plano de contingência implicará a perda de muito tempo e dinheiro. A busca incansável pelo talento deve ser a principal estratégia gerencial. A maioria das empresas não conseguem recrutar pessoal de talento com a devida rapidez. Essa carência de talentos é o maior obstáculo para o crescimento, e superá-la pode significar uma enorme vantagem estratégica. As pessoas de talento querem fazer parte de uma empresa na qual podem confiar, uma empresa que as entusiasme, crie um ambiente flexível de trabalho para atrair mais talentos. Uma empresa deve criar um ambiente propício à maioria dos profissionais talentosos para, então, estabelecer a base de conhecimento necessária na empresa. Em vez de ter cargos de escopo estrito, as pessoas deveriam sentir-se livres para circular. 2.2 Identificando e Potencializando o Talento Sem investimento no talento, uma empresa torna-se estagnada. As empresas investem em tecnologia, máquina e pessoas, mas, no século XXI, o mais valioso investimento é aquele que se aplica em profissionais talentosos. A gerencia deve investir nas pessoas certas, cujas capacitações atendam às necessidades da

18 18 empresa. Os gerentes precisam de uma ferramenta confiável para medir o retorno sobre o talento e, assim, recompensar as pessoas certas. Mais empresas necessitam desenvolver o seu próprio talento em vez de apenas contratá-los. Contratar o talento de um concorrente gera uma mentalidade de guerra. Ainda encontramos gerentes que não sabem como identificar pessoas talentosas. A gerencia falha em usá-los de modo ineficaz. São talentos frustrados e, portanto, improdutivos. Identificar os próprios talentos antes de contratar novos é benéfico porque os talentos existentes já conhecem os pontos fortes e os pontos fracos da empresa: já estão familiarizados com a cultura; já sabem quais medidas corretivas são necessárias para melhorar; levam menos tempo na ação ou na implementação de qualquer estratégia; e a sua identificação elimina os custos com recrutamento. A gerencia deve estar preparada para mudanças de Talentos, possuindo um plano alternativo para os talentos essenciais. Ao preparar um plano de contingência, a gerencia deve primeiro identificar os seus talentos essenciais em cada área. Depois, deve identificar os colegas desses talentos no próximo nível. Incentive os talentos essenciais a compartilhar o seu conhecimento e estratégias com os colegas, facilitando a aprendizagem. Envolva os talentos no próximo nível em alguns projetos críticos, para que desenvolvam os seus pontos fortes. Os desafios positivos intensificam o desempenho dos talentos. Desafiar alguém com base no conhecimento representa um desafio positivo. O conhecimento cresce mais rapidamente dentro da empresa. Os ativos intelectuais valorizam-se mais rapidamente. Cria-se um ambiente de aprendizagem contínua, limita-se a burocracia e desenvolve-se a confiança, permitindo aos talentos compartilhar mais uns com os outros. As pessoas sem talento evitam o desafio porque temem que, se alguém desafiá-las e não tiverem a resposta, poderão perder o emprego ou desagradar ao chefe.

19 19 Os funcionários podem mudar comportamentos, mas só poderão fazer isso se tiverem liberdade para explorar e agir, incentivo para defender novas idéias, apoio na defesa de idéias quando a oposição aumenta chefes que dediquem tempo e energia para ouvir, compreender e até trabalhar e acrescentar novas idéias ás dos talentos, e a experiência de serem recompensados por um obrigado em vez de punidos por idéias prontas. Em outras palavras, eles precisam de um novo ambiente que estimule a criatividade. O desafio é encontrar os tigre escondidos nos gatinhos.. Atrair talentos, transformar os talentos ocultos em talentos visíveis e manter o ambiente de trabalho atraente aos talentos são tarefas contínuas.

20 20 3. RETENÇÃO DE TALENTOS A retenção de talento é o que gera a retenção de clientes e esta sustenta a lucratividade. Leigh Branham Não há dúvida de que a relação entre profissional e empresa se reconfigurou. Depois que a ordem da era das mudanças passou a conjugar os verbos enxugar, cortar, reestruturar, ajustar, a fidelidade foi para o espaço. Isso ficou bem claro no discurso que partia da empresa para o empregado. Só que agora as companhias sentem na pele que a quebra do vínculo acontece dos dois lados, sobretudo quando se fala em talentos. Hoje, tempo de casa não é mais argumento para esquentar cadeira numa organização. Qualquer sinal mais animador vindo da concorrência para o talento pode significar que o gestor terá de cumprir um périplo para achar um outro profissional à altura. O fato é que a dinâmica dos negócios e seus reflexos no mercado de trabalho criaram um grande desafio para as empresas: Como reter talentos? A maior dor de cabeça dos departamentos de recursos humanos nos últimos anos em todo o mundo têm sido identificar e reter talentos. Mesmo diante da intensa pressão econômica, eles continuaram a desenhar e a conduzir programas de recompensas para funcionários, que assegurassem a permanência dos melhores. Reter talentos não é fácil. Justamente por serem pessoas talentosas, elas exigem condições de trabalho especiais. Muitas delas não reclamam, não falam e não se justificam. Como sabem ser talentosas e confiam na sua empregabilidade, elas simplesmente saem do emprego alegando qualquer motivo banal como estou querendo dar um tempo para mim. Elas não dizem a verdade porque sabem que a

21 21 verdade poderá ofender e não querem sequer ter essa preocupação a mais. Simplesmente partem para outro emprego, outro desafio. A discussão de retenção de talentos é fundamental nos dias de hoje, porque não há como sobreviver num mercado competitivo com pessoas sem talento em nossa empresa. Todos temos muitos concorrentes, com qualidade semelhante e preços similares. A nossa diferença só pode estar em gente talentosa que faça a diferença todos os dias, diferenciando nossa empresa, nossa marca. A forte demanda por talento nos últimos três anos resultou em grandes aumentos salariais. A pressão sobre os salários dos Talentos está elevando a remuneração de todos. É evidente que as empresas sentem a pressão dos Talentos e reagem como muitos donos de times esportivos pagando mais a todos. Qual é a melhor forma de reter um talento destaque? É fácil citar fatores, tais como: um programa vencedor, realização, estabilidade no emprego, relacionamento de confiança com a direção, coleguismo, prêmios, reconhecimento, crescimento, aprendizagem e dinheiro. É claro que a maioria das pessoas não é remunerada de acordo com o que contribui para uma empresa. As empresas têm outros custos além de salários, benefícios e despesas de viagem. Custos indiretos, de rentabilidade, de produção e muitos outros associados aos negócios são contabilizados. O uso da remuneração variável, como fonte de motivação e engajamento dos empregados às suas metas estratégicas, já é uma realidade em muitos países. No Brasil, inclusive. O grande desafio agora é constatar se esses programas estão chegando aos resultados almejados. Boa parte das companhias globais ainda não está plenamente convencida de que isso esteja acontecendo. A remuneração não pode ser considerada o principal fator na atração e retenção de Talentos. O dinheiro é um fator importante para alguns, mas não para outros. Os talentos têm visão, objetivos e valores. Colegas, chefes, ambiente de

22 22 trabalho e oportunidades de fazer grandes diferenças para vencer no jogo dos negócios atraem os talentos tanto quanto ou mais do que o dinheiro. O entusiasmo no trabalho é um fator natural na produtividade e na satisfação dos talentos. A remuneração para a carreira dos talentos deve ser muito flexível, com muito poucas restrições em relação a pagamento e bônus. Remuneração por contribuição pode ser uma maneira melhor do que Remunerar por desempenho. Deve-se estabelecer meios para evitar uma escalada geral de salários. Ao contrário, muito mais dinheiro deve ser alocado para remunerar os talentos de forma competitiva. Muito embora a maioria das empresas tenha o processo de recompensa e reconhecimento em vigor, poucas praticam de forma efetiva. Um processo oportuno de recompensa e reconhecimento inspira os talentos. Como uma empresa recompensa os talentos sem inflacionar os salários dos seus profissionais do conhecimento, a ponto de o seu retorno sobre o investimento não ser mais apropriado? A melhor resposta é ter duas escalas de pagamento para cada nível na empresa. Uma alternativa para ampliar as escalas salariais para todos os níveis de funcionários. Algumas empresas talvez queiram criar uma escada dupla para que os talentos possam subir sem assumir responsabilidades gerenciais. Devese considerar graduações e títulos de cargo, para os talentos de alto nível, na escada do colaborador individual. Nem todos os talentos almejam ser gerentes. As empresas tendem a pagar o mesmo valor de remuneração para os cargos de mesmo nível hierárquico, dessa maneira, o resultado é que acabam pagando o mesmo valor de remuneração para os não talentos e para os talentos. Necessitam ser remunerados de acordo com as suas contribuições. A remuneração é uma medida tangível de como a empresa valoriza a sua contribuição. O dinheiro em si é, em grande parte, um fator de manutenção e, não, de motivação para os talentos. Os talentos são inquietos e móveis. Para mantê-los satisfeitos, trate-os como clientes. Forneça serviços contínuos que continuem a tornar a sua empresa um

23 23 lugar evidentemente melhor do que qualquer outra. As empresas bem sucedidas não tomam como certa a fidelidade dos profissionais talentosos. Elas tentam, constantemente, recrutar e mantê-los, para ter reservatórios de pensamento e todos os níveis. O comprometimento mútuo entre empregador e empregados caracteriza uma empresa de sucesso. Tratar seus funcionários como se fossem todos gerentes, parceiros e acionistas. A empresa deve estimular uma atmosfera que faça os talentos quererem ficar. Podemos criar um relacionamento simbiótico entre os talentos e a empresa. Os talentos não podem ser retidos para sempre nem mesmo comprados em caráter temporário, a menos que estejam devidamente satisfeitos. O crescimento corporativo depende do crescimento de talentos individuais e esses evoluem mais rapidamente quando o crescimento da empresa é vigoroso. Quando se desenvolve um relacionamento simbiótico adequado entre os talentos e a empresa, os talentos dão o seu suporte físico, mental e até espiritual a essa empresa. A principal fonte de frustração é a falta de reconhecimento e recompensa social emocional e financeira. Se os talentos sentirem-se subvalorizados ou explorados, deixarão à empresa. As pessoas não gostam de ser tratadas apenas como peça de uma grande engrenagem, cuja lógica desconhecem, como no extraordinário "Tempos Modernos", de Chaplin. Não custa ressaltar, ainda, a importância de um ambiente agradável e que favoreça o bom relacionamento e não a competição desvairada. Empresas com ambiente muito competitivo conseguem atrair talentos, mas dificilmente são capazes de retê-los por muito tempo. As boas empresas para se trabalhar são alegres e festivas, ou seja, gostam de comemorar seus feitos e realizações com todos os colaboradores. Não temos a cultura do elogio. Parece que quando o objetivo é conquistado, a pessoa não fez mais do que a obrigação. Existem empresas que ainda acirram a competição interna como forma de aumentar o desempenho das pessoas. Isso só faz piorar o

24 24 clima, as pessoas ficam sempre com um pé atrás em relação às outras", comenta. Muitas vezes o gestor não sabe aonde quer chegar ou, quando sabe, não compartilha essa informação. É muito ruim o clima em empresas que deixam os princípios éticos de lado, nas quais superação dos resultados tem de se dar a qualquer custo. (VELOSO:2002) Uma das características do talento é seu gosto por desafios. Convém que a empresa mantenha cheio seu estoque desse combustível. Como diz Roberto Shinyashiki, "se as organizações não têm desafios para oferecer é sinal de que estão morrendo". Esse é um dos pontos cruciais que determinam o período de permanência de um talento numa empresa Uma pesquisa recente realizada pela empresa americana de recursos humanos The Supplee Group, envolvendo dois mil ex-funcionários de grandes empresas com escritórios nos EUA, Europa e Ásia, mostrou que a principal causa de pedidos espontâneos de demissão é o relacionamento com a gerência (26%). Os motivos que aparecem em seguida são: pouco reconhecimento (10%) e fraca avaliação de desempenho (7%). A remuneração sequer é mencionada na pesquisa, revelando-se um fator pouco decisivo em momentos de autodemissão, pelo menos nas sete companhias incluídas no levantamento. Os talentos necessitam de treinamento e educação que lhes sirvam onde estão no momento, um tipo diferente de treinamento adaptado ás suas necessidades. Os melhores talentos possuem capacitações polivalentes. No âmbito dos seus sistemas compreendem a função dos outros e trabalham bem com pessoas diferentes.

25 25 4. O PAPEL DO LÍDER NA GESTÃO DOS TALENTOS Chefes brilham, e se esforçam bastante para manter suas equipes motivadas. Líderes possuem um alto grau de humildade e suas equipes estão sempre motivadas, porque adoram deixar que os outros brilhem. J.B.Xavier Segundo o dicionário Aurélio, Líder é o Indivíduo que chefia, comanda e/ou orienta em qualquer tipo de ação empresa ou linha de idéias. É um chefe ou condutor que representa um grupo, uma corrente de opinião, etc. Já o Gestor é quem gere ou administra negócios, bens ou serviços. Se anos atrás a imagem do líder era restrita apenas a delegar ordens e ficar de olhos atentos para observar se os subordinados cumpriam suas determinações, hoje a realidade corporativa mostra que ocorreram grandes mudanças na arte de liderar. Assumir o papel de gestor passou a ser viso sob um prisma bem mais complexo, pois é necessário identificar as competências e entender as necessidades de cada profissional. Liderar é preocupar-se com o desenvolvimento dos colaboradores. Na empresa, o gerente/líder tem esta missão indelegável: descobrir o tesouro oculto de cada colaborador, o talento individual, a potencialidade real, sem se deixar iludir com as habilidades presentes e o desempenho superior como se fossem limites fixos da realização de cada um. Estimular e apoiar o desenvolvimento do empregado como pessoa humana e isso inclui sua espiritualidade é igualmente parte do papel do Gerente/Líder.

26 26 As competências comportamentais são responsáveis por pelo menos 70% dos fatores de sucesso de um individuo em uma dada função. Encontrar candidatos com o perfil comportamental que tenha uma correlação ótima com o cargo é o desafio dos gestores. Isso faz com que determinados talentos se tornem cada vez mais difíceis de serem encontrados, não que estejam diminuindo, mas sim porque a demanda está aumentando. O assunto Gestão de Talento ganha novas fronteiras, pois o homem começa a viver o encurtamento dos ciclos de vida, seja ela organizacional ou de produção (Representado pela Curva S). Mister o desenvolvimento de uma consciência para os princípios éticos e morais, eu diria ser a causa primária de todo desenvolvimento de nossa mão-de-obra. Politicamente, o poder (power-empowerment) numa democracia é distribuído em mão-dupla (Liderança e liderados) e integram harmoniosamente. Desta forma, é necessário que a comunicação estabeleça um elo entre Institucional e Corporativo, entre Estratégico e Operacional. Afinal, a alta administração passa a ser responsável pelo engajamento e descentralização do poder. Trata-se de um processo sistêmico de transferência do poder, com responsabilidade. Todos os membros da organização são chamados para representar um "imput" da comunicação na organização. Os comportamentos gerenciais mudarão imediatamente, pelo menos para aqueles que se quer manter. O conceito de tratar um talento como se fosse um cliente muda completamente o paradigma sobre o papel de funcionários e gerentes. Vislumbre escrever uma peça de teatro em que se diz a um gerente que ele agora é o fornecedor de satisfação no emprego para clientes temperamentais chamados talentos. Criar um ambiente em que as pessoas se sintam livres e motivadas para cultivar e implementar idéias construtivas é o desafio dos líderes de talento. A imaginação e o conhecimento de pessoas talentosas criam à inovação.

27 27 Os talentos buscam liberdade e suporte, não gerenciamento. Não se pode gerenciar clientes. Só se pode oferecer-lhes os produtos e serviços que desejam e necessitam. Gerenciar talentos é uma lição a ser aprendida. Os gerentes devem saber como extrair o melhor das pessoas e como coloca-las estrategicamente na posição certa, onde não desanimem com o trabalho rotineiro. Devem propiciar o cenário em que os seus talentos produzam o máximo impacto. Quando estrategicamente gerenciados, os talentos produzirão o máximo retorno. Pensam que gerenciar talentos é função do gerente de RH. Muitos gerentes confundem os aduladores com talentos e podem promover as pessoas erradas. O gerente poderá ter dificuldade em tomar a decisão adequada. Geralmente, os demais funcionários conhecem os talentos melhor do que o próprio gerente. Tratar os talentos como fornecedores preferenciais, remunerando-os de forma condizente faz com que eles procurem oferecer contribuições, melhorando o comportamento dos gerentes a quem se deseja reter. A demanda por talentos gera novas demandas gerenciais. Em todos os níveis, a gerência deve manter, no mínimo, um talento em cada equipe. O talento sempre quer aprender. Se um time de talentos é formado, os seus membros compartilharão o seu conhecimento e aprenderão uns com os outros, o que criará uma verdadeira empresa que aprende. As equipes de talentos são melhores do que os talentos individuais porque a empresa fica menos dependente de um talento em particular. Se por alguma razão esse talento deixar a empresa, ela terá outros capazes de assumir as rédeas. O futebol é uma boa analogia á alocação de talentos. Num jogo de futebol é difícil ganhar uma partida colocando os dez jogadores (excluindo-se o goleiro) em uma posição como ataque, intermediária ou defesa. De acordo com a estratégia do time, tem-se que

28 28 manter alguns jogadores em cada setor para ganhar o jogo. Um time pode deixar quatro jogadores na posição de defesa, dois na intermediária e quatro no ataque. Ou quatro jogadores na defesa, três na intermediária e três no ataque. Um bom técnico coloca em campo um time equilibrado, que tenha uma boa defesa, um bom meio de campo e um bom ataque, para ganhar o jogo. Da mesma maneira, os gerentes deveriam manter talentos em cada divisão, conforme necessário. (CHOWDHURY:2003) Em suma, o papel do Gerente é dar suporte, suprir, disciplinar e potencializar o talento. O líder geralmente faz quatro perguntas: como vai? O que está aprendendo? Quais são as suas metas agora, à luz de como vai e do que está aprendendo? Como posso ajudá-lo. A responsabilidade do líder é criar condições de confiança, estabelecer acordos de desempenho, deixar as pessoas desenvolverem os seus papéis e então torná-las responsáveis tudo isso com o objetivo de serem competitivas e darem uma contribuição maior à sociedade.

29 29 5. RISCOS NA GESTÃO DE TALENTOS Se a gestão de talentos pode funcionar como uma panacéia corporativa para quem os contrata, por outro pode criar momentos em que lidar com eles é uma grande caixa de surpresas. Por estarem acima da média e terem uma performance diferenciada, a maneira como a empresa deve cuidar do reconhecimento e da remuneração desses profissionais também deve ser customizada. Mas todo cuidado é pouco para não criar crises de ciúme entre os demais pelo fato de o contracheque deles ser menor no fim do mês. De acordo com os especialistas, comunicar de forma transparente os motivos que fazem de uma pessoa ser um talento e, por isso, ter uma remuneração ou reconhecimento maior é o primeiro passo para não deixar florescer qualquer ponta de inveja. Mas, se, por um lado, o gestor deve se preocupar em transformar esse sentimento negativo em motivação para os demais, deve também estar atento para não reter o melhor profissional apenas pelo aspecto monetário. A gestão do talento deve ser compartilhada entre a empresa, o líder e o subordinado. Além das competências pessoais e do plano de carreira oferecido pela empresa, temos que nos atentar que há pessoas naturalmente muito talentosas, que possuem várias competências, mas que não se adaptam a cultura e ao ritmo da empresa. Um profissional pode ser extramente talentoso em uma empresa e não se dar bem em outra. O que falta para os profissionais ditos acima da média é maior autonomia, pois as empresas ainda estão engessadas com as organizações matriciais, ou seja, são muitos chefes e o poder de decisão dos subordinados é mínimo.

30 30 Além de manter o equilíbrio entre as habilidades individuais e os objetivos corporativos, as vezes o gestor de pessoas precisa arriscar e enxergar além do óbvio. Ego, eis um dos maiores problemas ao se falar de talentos nas empresas. Tem gente que tem talentos para administrar talento. E essa também é uma habilidade admirável: compreender as idiossincrasias naturais dos outros talentos, saber tirar o melhor das pessoas e diminuir os possíveis conflitos com seus pares. Decorrente do ego, outro problema se avizinha. Como manter uma equipe unida se um dos membros tem mais destaque na empresa? Esse pode ser um grande desafio, mas que também pode se transformar em uma convivência muito agradável se o líder souber equilibrar as pressões que vêm de todos os lados, as habilidades e necessidades de cada pessoa e encontrar um meio de delegar as tarefas sem subestimar nem sobrecarregar ninguém.

31 31 CONCLUSÃO Quando a empresa cresce, o talento é necessário para potencializar esse bom momento. Quando a empresa vai mal o talento é fundamental porque é quem pode virar o jogo. Celso Lenaga Um dos primeiros erros é imaginar que basta pagar salários acima da média do mercado ou segmento em que se atue, e oferecer benefícios generosos, que o problema está resolvido. É condição necessária, mas não suficiente. Isso implica, por exemplo, numa saída de profissionais bem remunerados e com carreiras bem sucedidas das grandes corporações multinacionais para as empresas ponto.com em 1999 e A maioria das empresas que sofreram perdas tem nomes conhecidos e estão entre as que oferecem melhores condições financeiras a seus funcionários. É isso que explica, também, a quase ausência desses nomes estrelados na lista das 10 melhores empresas para se trabalhar divulgada pela revista "Exame". Gerenciam os talentos com eficácia na medida em que os tratam como clientes; remuneram os talentos como fornecedores preferenciais; escolhem o talento certo para o cargo certo; permitem que talentos se concentrem na criação e na aplicação do conhecimento; criam um vínculo emocional ao tocar a mente e as emoções; abraçam uma cultura de confiança; desenvolvem a confiança conversando e ouvindo uns aos outros livremente; apresentam desafios positivos aos seus talentos para aumentar o seu nível de desempenho. Desafios positivos não significam crítica ou humilhação, mas acompanhamento e incentivo; propiciam um ambiente de aprendizagem contínua; enfocam a performance; recompensam os talentos sem demora; desenvolvem uma

32 32 cultura em que os talentos possam transformar os seus sonhos em realidade; e criam uma empresa sem fronteiras, onde a informação possa fluir sem obstáculos. Como vimos no decorrer de todo trabalho, muitas são as causas e muitos são os motivos que podem reter o afastar os talentos de uma empresa. Praticamente todos os autores e estudiosos que se dedicam ao tema da retenção de talentos ou simplesmente estudam os talentos, afirmam que é necessário um trabalho conjunto e coordenado para que real expressividade pessoal e profissional possam ser valorizada nas empresas.

33 33 REFERÊNCIAS ARAÚJO, Paulo Henrique de. Motivando o talento humano. Blumenal: Editora EKO, CHIAVENATO, Idalberto. Recursos Humanos. 7ª ed. Atlas S.A: São Paulo, Gestão de pessoas: o novo papel de recursos humanos nas organizações. Rio de Janeiro: Corpos, 1999 CHITERO, Flaviane Forti. Atração e retenção de talentos. CHOWDHURY, Subir. A Era do Talento. Obtendo Alto Retorno Sobre o Talento. Pearson Education do Brasil, São Paulo FARACO, Maria Giovannina. Avaliação do Desempenho. Rio de Janeiro, 1983 GASALLA, José Maria. Fabrica de talentos: técnicas para dirigir e desenvolver. São Paulo: Editora Gente, GIL, Carlos Antonio. Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Atlas, HARVARD BUSINESS REVIEW Edição Especial. Agosto HARVARD BUSINESS REVIEW Idéias de Impacto. Maio e Setembro de HARVARD BUSINESS REVIEW Edição Especial. Agosto MELHOR Gestão de Pessoas. Ano 13. Editora Segmento. São Paulo.

LIDERAR PESSOAS A BASE DA CONSTRUÇÃO DE UMA EQUIPE DE SUCESSO. Prof. Paulo Henrique Ribeiro paulo@topassessoria.com

LIDERAR PESSOAS A BASE DA CONSTRUÇÃO DE UMA EQUIPE DE SUCESSO. Prof. Paulo Henrique Ribeiro paulo@topassessoria.com LIDERAR PESSOAS A BASE DA CONSTRUÇÃO DE UMA EQUIPE DE SUCESSO Prof. Paulo Henrique Ribeiro paulo@topassessoria.com LI ESTAMOS PASSANDO PELA MAIOR TRANSFORMAÇÃO NA HISTÓRIA DA HUMANIDADE. VALORIZAR PESSOAS

Leia mais

4. Tendências em Gestão de Pessoas

4. Tendências em Gestão de Pessoas 4. Tendências em Gestão de Pessoas Em 2012, Gerenciar Talentos continuará sendo uma das prioridades da maioria das empresas. Mudanças nas estratégias, necessidades de novas competências, pressões nos custos

Leia mais

A RELAÇÃO ENTRE A MOTIVAÇÃO E A ROTATIVIDADE DE FUNCIONÁRIOS EM UMA EMPRESA

A RELAÇÃO ENTRE A MOTIVAÇÃO E A ROTATIVIDADE DE FUNCIONÁRIOS EM UMA EMPRESA A RELAÇÃO ENTRE A MOTIVAÇÃO E A ROTATIVIDADE DE FUNCIONÁRIOS EM UMA EMPRESA Elaine Schweitzer Graduanda do Curso de Hotelaria Faculdades Integradas ASSESC RESUMO Em tempos de globalização, a troca de informações

Leia mais

Aquecimento para o 3º Seminário Internacional de BPM

Aquecimento para o 3º Seminário Internacional de BPM Aquecimento para o 3º Seminário Internacional de BPM É COM GRANDE PRAZER QUE GOSTARÍAMOS DE OFICIALIZAR A PARTICIPAÇÃO DE PAUL HARMON NO 3º SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE BPM!! No ano passado discutimos Gestão

Leia mais

Liderança Estratégica

Liderança Estratégica Liderança Estratégica A título de preparação individual e antecipada para a palestra sobre o tema de Liderança Estratégica, sugere-se a leitura dos textos indicados a seguir. O PAPEL DE COACHING NA AUTO-RENOVAÇÃO

Leia mais

liderança conceito Sumário Liderança para potenciais e novos gestores

liderança conceito Sumário Liderança para potenciais e novos gestores Sumário Liderança para potenciais e novos gestores conceito Conceito de Liderança Competências do Líder Estilos de Liderança Habilidades Básicas Equipe de alta performance Habilidade com Pessoas Autoestima

Leia mais

Uma nova forma de gestão

Uma nova forma de gestão Uma nova forma de gestão por Michael Ballé ARTIGO Desvio da missão, silos e uma força de trabalho desengajada são alguns dos efeitos negativos da gestão tradicional. Michael Ballé oferece uma alternativa

Leia mais

O Administrador e a Magnitude de sua Contribuição para a Sociedade. O Administrador na Gestão de Pessoas

O Administrador e a Magnitude de sua Contribuição para a Sociedade. O Administrador na Gestão de Pessoas O Administrador e a Magnitude de sua Contribuição para a Sociedade Eficácia e Liderança de Performance O Administrador na Gestão de Pessoas Grupo de Estudos em Administração de Pessoas - GEAPE 27 de novembro

Leia mais

FACULDADE ANHANGUERA DE ITAPECERICA DA SERRA

FACULDADE ANHANGUERA DE ITAPECERICA DA SERRA FACULDADE ANHANGUERA DE ITAPECERICA DA SERRA Profº Paulo Barreto Paulo.santosi9@aedu.com www.paulobarretoi9consultoria.com.br 1 Analista da Divisão de Contratos da PRODESP Diretor de Esporte do Prodesp

Leia mais

Como atrair e reter talentos

Como atrair e reter talentos Como atrair e reter talentos na Panificação PORQUE A DISCUSSÃO DE TALENTOS É IMPORTANTE PARA ORGANIZAÇÕES COMPETITIVAS? Em toda a história do mundo empresarial, nunca houve tanta preocupação e cuidados

Leia mais

www.dalecarnegie.com.br Como Impulsionar o Engajamento de Colaboradores em PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Dale Carnegie Training White Paper

www.dalecarnegie.com.br Como Impulsionar o Engajamento de Colaboradores em PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Dale Carnegie Training White Paper Como Impulsionar o Engajamento de Colaboradores em PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Dale Carnegie Training White Paper www.dalecarnegie.com.br Copyright 2014 Dale Carnegie & Associates, Inc. All rights reserved.

Leia mais

Tendências em Gestão de Pessoas

Tendências em Gestão de Pessoas Tendências em Gestão de Pessoas Iniciamos um novo ano, 2011. Dois meses já se passaram, e voltamos aos artigos sobre RH estratégico, Tendências de Recursos Humanos, Novos Rumos para a área de Recursos

Leia mais

Aperf r e f iço ç a o m a ent n o t o Ge G re r nci c al a para Supermercados

Aperf r e f iço ç a o m a ent n o t o Ge G re r nci c al a para Supermercados Aperfeiçoamento Gerencial para Supermercados Liderança Liderança é a habilidade de influenciar pessoas, por meio da comunicação, canalizando seus esforços para a consecução de um determinado objetivo.

Leia mais

A importância do líder para os projetos e para as organizações.

A importância do líder para os projetos e para as organizações. Instituto de Educação Tecnológica Pós-Graduação Gestão de Projetos - Turma nº150 21 de Agosto e 2015 A importância do líder para os projetos e para as organizações. Dêmille Cristine da Silva Taciano Analista

Leia mais

LÍDERES DO SECULO XXI RESUMO

LÍDERES DO SECULO XXI RESUMO 1 LÍDERES DO SECULO XXI André Oliveira Angela Brasil (Docente Esp. das Faculdades Integradas de Três Lagoas-AEMS) Flávio Lopes Halex Mercante Kleber Alcantara Thiago Souza RESUMO A liderança é um processo

Leia mais

PLANO DE CARREIRA. Rosangela Ferreira Leal Fernandes *

PLANO DE CARREIRA. Rosangela Ferreira Leal Fernandes * PLANO DE CARREIRA Rosangela Ferreira Leal Fernandes * As mudanças no cenário político, econômico, social e ambiental das últimas décadas vêm exigindo uma mudança de postura das organizações e dos profissionais

Leia mais

Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS

Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS Adm.Walter Lerner 1.Gestão,Competência e Liderança 1.1.Competências de Gestão Competências Humanas e Empresariais são Essenciais Todas as pessoas estão, indistintamente,

Leia mais

membros do time, uma rede em que eles possam compartilhar desafios, conquistas e que possam interagir com as postagens dos colegas.

membros do time, uma rede em que eles possam compartilhar desafios, conquistas e que possam interagir com as postagens dos colegas. INTRODUÇÃO Você, provavelmente, já sabe que colaboradores felizes produzem mais. Mas o que sua empresa tem feito com esse conhecimento? Existem estratégias que de fato busquem o bem-estar dos funcionários

Leia mais

Líder: o fio condutor das mudanças

Líder: o fio condutor das mudanças Líder: o fio condutor das mudanças Por Patrícia Bispo para o RH.com.br Para quem imagina que liderar pessoas significa apenas delegar ordens e cobrar resultados a qualquer custo, isso pode significar o

Leia mais

O papel da remuneração no engajamento profissional

O papel da remuneração no engajamento profissional O papel da remuneração no engajamento profissional 15 de Maio de 2014 Agenda 1. Sobre o Hay Group 2. Contexto de mercado 3. Estudo global: O papel da remuneração no engajamento 4. Estudo Brasil: Melhores

Leia mais

O RH dos sonhos dos CEOs

O RH dos sonhos dos CEOs O RH dos sonhos dos CEOs Expectativas e estratégias da liderança para os Recursos Humanos Presidentes de empresas de todos os portes falaram sobre a importância dos Recursos Humanos para as suas empresas

Leia mais

5. Tendências na Gestão de Pessoas *

5. Tendências na Gestão de Pessoas * 5. Tendências na Gestão de Pessoas * Trabalho há mais de dez anos como coach e consultora de desenvolvimento humano e organizacional. Minha formação acadêmica é em Engenharia Eletrônica, e antes da grande

Leia mais

TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS: O SUCESSO DAS ORGANIZAÇÕES

TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS: O SUCESSO DAS ORGANIZAÇÕES TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS: O SUCESSO DAS ORGANIZAÇÕES Cassia Uhler FOLTRAN 1 RGM: 079313 Helen C. Alves LOURENÇO¹ RGM: 085342 Jêissi Sabta GAVIOLLI¹ RGM: 079312 Rogério Bueno ROSA¹ RGM:

Leia mais

INOVAÇÃO NA ADVOCACIA A ESTRATÉGIA DO OCEANO AZUL NOS ESCRITÓRIOS JURÍDICOS

INOVAÇÃO NA ADVOCACIA A ESTRATÉGIA DO OCEANO AZUL NOS ESCRITÓRIOS JURÍDICOS INOVAÇÃO NA ADVOCACIA A ESTRATÉGIA DO OCEANO AZUL NOS ESCRITÓRIOS JURÍDICOS Ari Lima Um empreendimento comercial tem duas e só duas funções básicas: marketing e inovação. O resto são custos. Peter Drucker

Leia mais

Prof Elly Astrid Vedam

Prof Elly Astrid Vedam Prof Elly Astrid Vedam Despertar e saber lidar com os mecanismos de liderança e se preparar para a gestão de pequenos e médios negócios; Identificar conflitos no ambiente de seu negócio, calculando e avaliando

Leia mais

Sistemas de Remuneração Tradicionais e a Remuneração Estratégica

Sistemas de Remuneração Tradicionais e a Remuneração Estratégica Sistemas de Remuneração Tradicionais e a Remuneração Estratégica por Camila Hatsumi Minamide* Vivemos em um ambiente com transformações constantes: a humanidade sofre diariamente mudanças nos aspectos

Leia mais

Pessoas e negócios em evolução.

Pessoas e negócios em evolução. Silvestre Consultoria Pessoas e negócios em evolução. Silvestre Consultoria desde 2001 Nossos Serviços: Pesquisa de Clima Cargos e Salários Avaliação de Desempenho Recrutamento Especializado Mapeamento

Leia mais

Estratégia de Desenvolvimento de Pessoas em Ação

Estratégia de Desenvolvimento de Pessoas em Ação Estratégia de Desenvolvimento de Pessoas em Ação Caros colegas, orienta o modo como nossa organização trabalha para selecionar, desenvolver, motivar e valorizar o bem mais importante da Bausch + Lomb nossas

Leia mais

CONSULTORIA DE DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL

CONSULTORIA DE DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL CONSULTORIA DE DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL Somos especializados na identificação e facilitação de soluções na medida em que você e sua empresa necessitam para o desenvolvimento pessoal, profissional,

Leia mais

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva.

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva. COMPREENDENDO A GESTÃO DE PESSOAS Karina Fernandes de Miranda Helenir Celme Fernandes de Miranda RESUMO: Este artigo apresenta as principais diferenças e semelhanças entre gestão de pessoas e recursos

Leia mais

21 Mandamentos do Grandes Ideias

21 Mandamentos do Grandes Ideias 21 Mandamentos do Grandes Ideias 21 Mandamentos do Grandes Ideias Ideias simples mas que fazem toda a diferença na motivação dos nossos alunos!! 1. Conhecer os alunos e fazê-los sentirem-se amados pela

Leia mais

O PAPEL DO PSICÓLOGO NA GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS DAS ORGANIZAÇÕES

O PAPEL DO PSICÓLOGO NA GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS DAS ORGANIZAÇÕES O PAPEL DO PSICÓLOGO NA GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS DAS ORGANIZAÇÕES CHAVES, Natália Azenha Discente do Curso de Psicologia da Faculdade de Ciências da Saúde FASU/ACEG GARÇA/SP BRASIL e-mail: natalya_azenha@hotmail.com

Leia mais

TÓPICOS ESPECIAIS EM GESTÃO DE RH. Prof. Felipe Kovags Aula 02 (20-09-2011)

TÓPICOS ESPECIAIS EM GESTÃO DE RH. Prof. Felipe Kovags Aula 02 (20-09-2011) TÓPICOS ESPECIAIS EM GESTÃO DE RH Prof. Felipe Kovags Aula 02 (20-09-2011) 1 ERA DOS TALENTOS SEGUNDO PETER DRUCKER, O PAI DA ADMINISTRAÇÃO MODERNA, ESTAMOS NO INÍCIO DA ERA DOS TALENTOS. FORÇA FÍSICA,

Leia mais

High Potentials, Talentos e Sucessão no Brasil

High Potentials, Talentos e Sucessão no Brasil High Potentials, Talentos e Sucessão no Brasil P e s q u i s a d a F u n d a ç ã o G e t u l i o V a r g a s I n s t i t u t o d e D e s e n v o l v i m e n t o E d u c a c i o n a l Conteúdo 1. Propósito

Leia mais

Segredos e Estratégias para Equipes Campeãs

Segredos e Estratégias para Equipes Campeãs Segredos e Estratégias para Equipes Campeãs Ultrapassando barreiras e superando adversidades. Ser um gestor de pessoas não é tarefa fácil. Existem vários perfis de gestores espalhados pelas organizações,

Leia mais

PESQUISA DE ENGAJAMENTO/COMPROMETIMENTO, DE CLIMA ORGANIZACIONAL OU DE SATISFAÇÃO DOS COLABORADORES?

PESQUISA DE ENGAJAMENTO/COMPROMETIMENTO, DE CLIMA ORGANIZACIONAL OU DE SATISFAÇÃO DOS COLABORADORES? PESQUISA DE ENGAJAMENTO/COMPROMETIMENTO, DE CLIMA ORGANIZACIONAL OU DE SATISFAÇÃO DOS COLABORADORES? Engajamento/comprometimento do colaborador: estado em que esse se encontra de genuíno envolvimento,

Leia mais

RECONHECIDO INTERNACIONALMENTE

RECONHECIDO INTERNACIONALMENTE RECONHECIDO INTERNACIONALMENTE COACHING EDUCATION By José Roberto Marques Diretor Presidente - Instituto Brasileiro de Coaching Denominamos de Coaching Education a explicação, orientação e aproximação

Leia mais

Análise do Ambiente Interno

Análise do Ambiente Interno Análise do Ambiente Interno Professor: Claudemir Duca Vasconcelos Disciplina: Estratégia e Planejamento Corporativo Alunas: Gleice Costa e Cintia Belo 16 Abril 2015 Ambiente Interno de uma Organização

Leia mais

Os Sistema de Administração de Gestão de Pessoas

Os Sistema de Administração de Gestão de Pessoas Os Sistema de Administração de Gestão de Pessoas As pessoas devem ser tratadas como parceiros da organização. ( Como é isso?) Reconhecer o mais importante aporte para as organizações: A INTELIGÊNCIA. Pessoas:

Leia mais

O papel da gerência em um ambiente de manufatura lean. Gary Convis, Presidente, Toyota Motor Manufacturing de Kentucky

O papel da gerência em um ambiente de manufatura lean. Gary Convis, Presidente, Toyota Motor Manufacturing de Kentucky O papel da gerência em um ambiente de manufatura lean Gary Convis, Presidente, Toyota Motor Manufacturing de Kentucky Tradução: Diogo Kosaka Gostaria de compartilhar minha experiência pessoal como engenheiro

Leia mais

Por que ouvir a sua voz é tão importante?

Por que ouvir a sua voz é tão importante? RESULTADOS Por que ouvir a sua voz é tão importante? Visão Tokio Marine Ser escolhida pelos Corretores e Assessorias como a melhor Seguradora pela transparência, simplicidade e excelência em oferecer soluções,

Leia mais

M.Sc Angela Abdo Campos Ferreira

M.Sc Angela Abdo Campos Ferreira Nossa Missão Atrair o Talento certo para a Empresa M.Sc Angela Abdo Campos Ferreira GESTÃO DE PESSOAS Gestão Liderança + Administrativo Para se tornar um excelente gestor Para se tornar um excelente gestor

Leia mais

Você dispõe da base necessária para desenvolver a confiança dos funcionários? Terceirização de RH e o líder empresarial SUMÁRIO EXECUTIVO

Você dispõe da base necessária para desenvolver a confiança dos funcionários? Terceirização de RH e o líder empresarial SUMÁRIO EXECUTIVO Terceirização de RH e o líder empresarial SUMÁRIO EXECUTIVO Você dispõe da base necessária para desenvolver a confiança dos funcionários? EM ASSOCIAÇÃO COM Empresas com funcionários envolvidos superam

Leia mais

O desafio da liderança: Avaliação, Desenvolvimento e Sucessão

O desafio da liderança: Avaliação, Desenvolvimento e Sucessão O desafio da liderança: Avaliação, Desenvolvimento e Sucessão Esse artigo tem como objetivo apresentar estratégias para assegurar uma equipe eficiente em cargos de liderança, mantendo um ciclo virtuoso

Leia mais

Como é o RH nas Empresas?

Como é o RH nas Empresas? Como é o RH nas Empresas? Informações gerais da pesquisa Objetivo: entender a percepção dos profissionais de RH sobre clima organizacional Pesquisa realizada entre 24/06 e 12/07 Parceria entre Hay Group

Leia mais

ATIVISTA CONFIÁVEL. do novo RH. Como desenvolvê la? Pl Palestrante: Alba Maria Torres

ATIVISTA CONFIÁVEL. do novo RH. Como desenvolvê la? Pl Palestrante: Alba Maria Torres ATIVISTA CONFIÁVEL Uma competência essencial il do novo RH. Como desenvolvê la? Pl Palestrante: Alba Maria Torres www.entrelacos.com.br entrelacos@entrelacos.com.br 41 3079.4686 e 9973.9304 Observando

Leia mais

Connections with Leading Thinkers

Connections with Leading Thinkers Instituto de Alta Performance Connections with Leading Thinkers O especialista em inovação Lourenço Bustani analisa as dificuldades que travam a inovação na economia brasileira e discute possíveis soluções.

Leia mais

Roteiro VcPodMais#005

Roteiro VcPodMais#005 Roteiro VcPodMais#005 Conseguiram colocar a concentração total no momento presente, ou naquilo que estava fazendo no momento? Para quem não ouviu o programa anterior, sugiro que o faça. Hoje vamos continuar

Leia mais

FILOSOFIA BUDISTA APLICADA A EMPRESA:

FILOSOFIA BUDISTA APLICADA A EMPRESA: FILOSOFIA BUDISTA APLICADA A EMPRESA: CRESCENDO PESSOAL E PROFISSIONALMENTE. 08 a 11 de outubro de 2014 08 a 11 de outubro de 2014 Onde você estiver que haja LUZ. Ana Rique A responsabilidade por um ambiente

Leia mais

Código de Ética e Conduta

Código de Ética e Conduta Código de Ética e Conduta Introdução A Eucatex, através deste Código de Ética e Conduta, coloca à disposição de seus colaboradores, fornecedores e comunidade, um guia de orientação para tomada de decisões

Leia mais

Enquete. O líder e a liderança

Enquete. O líder e a liderança Enquete O líder e a liderança Muitas vezes, o sucesso ou fracasso das empresas e dos setores são creditados ao desempenho da liderança. Em alguns casos chega-se a demitir o líder, mesmo aquele muito querido,

Leia mais

O guia do profissional de Recursos Humanos. Como melhorar o desenvolvimento da equipe

O guia do profissional de Recursos Humanos. Como melhorar o desenvolvimento da equipe O guia do profissional de Recursos Humanos Como melhorar o desenvolvimento da equipe 1 Introdução 03 Conhecendo as dores do seu time 05 Investir nos colaboradores! 08 Estabelecendo metas 11 A meditação

Leia mais

O talento como diferencial de carreira... Uma fórmula de sucesso

O talento como diferencial de carreira... Uma fórmula de sucesso O talento como diferencial de carreira... Uma fórmula de sucesso Maiane Bertoldo Lewandowski Consultora de RH Hospital Mãe de Deus TRANSFORMAÇÕES NO MERCADO DE TRABALHO Mudança de modelo mental; Escassez

Leia mais

Curso Empreendedorismo Corporativo

Curso Empreendedorismo Corporativo Curso Empreendedorismo Corporativo Todos os fatores relevantes atuais mostram que a estamos em um ambiente cada vez mais competitivo, assim as pessoas e principalmente as organizações devem descobrir maneiras

Leia mais

Sejam Bem Vindos! Disciplina: Gestão de Pessoas 1 Prof. Patrício Vasconcelos. *Operários (1933) Tarsila do Amaral.

Sejam Bem Vindos! Disciplina: Gestão de Pessoas 1 Prof. Patrício Vasconcelos. *Operários (1933) Tarsila do Amaral. Sejam Bem Vindos! Disciplina: Gestão de Pessoas 1 Prof. Patrício Vasconcelos *Operários (1933) Tarsila do Amaral. A Função Administrativa RH É uma função administrativa compreendida por um conjunto de

Leia mais

3. Os erros têm sido cometidos exatamente onde há maior dificuldade...

3. Os erros têm sido cometidos exatamente onde há maior dificuldade... Entrevista com PEDRO MANDELLI Consultor na área de mudança organizacional, Pedro Mandelli é um dos maiores especialistas em desenho e condução de processos de mudança em organizações. É professor da Fundação

Leia mais

RH: GESTÃO INOVADORA ORGANIZACIONAL

RH: GESTÃO INOVADORA ORGANIZACIONAL programação do evento 4ª edição RH: GESTÃO INOVADORA ORGANIZACIONAL 10 de abril de 2014 Staybridge Suites São Paulo PATROCÍNIO GOLD PATROCÍNIO SILVER EXPO BRAND APOIO REALIZAÇÃO Os desafios do futuro na

Leia mais

SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO.

SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO. Workshop para empreendedores e empresários do Paranoá DF. SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO. Dias 06 e 13 de Dezembro Hotel Bela Vista Paranoá Das 08:00 às 18:00 horas Finanças: Aprenda a controlar

Leia mais

www.verriveritatis.com.br

www.verriveritatis.com.br INTELIGÊNCIA ESPIRITUAL EM PROJETOS Por quê? Esta é uma pergunta com um infinito número de respostas, dependendo do contexto. Quando um membro da Equipe pergunta por que um determinado desafio corporativo

Leia mais

dim i e m nsão ã o h uma m n a a c p a ac a i c d i ad a e c m o p m etênci c a

dim i e m nsão ã o h uma m n a a c p a ac a i c d i ad a e c m o p m etênci c a Importância da Imagem Pessoal na Profissão Profa Elaine C. S. Ovalle Todo ser humano tem necessidade de se destacar naquilo que realiza. O maior responsável pelo desenvolvimento pessoal é o próprio indivíduo.

Leia mais

Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 06

Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 06 Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 06 Questões sobre o tópico Avaliação de Desempenho: objetivos, métodos, vantagens e desvantagens. Olá Pessoal, Espero que estejam gostando dos artigos. Hoje veremos

Leia mais

Estudo de Caso. Cliente: Rafael Marques. Coach: Rodrigo Santiago. Duração do processo: 12 meses

Estudo de Caso. Cliente: Rafael Marques. Coach: Rodrigo Santiago. Duração do processo: 12 meses Estudo de Caso Cliente: Rafael Marques Duração do processo: 12 meses Coach: Rodrigo Santiago Minha idéia inicial de coaching era a de uma pessoa que me ajudaria a me organizar e me trazer idéias novas,

Leia mais

Quais são os objetivos dessa Política?

Quais são os objetivos dessa Política? A Conab possui uma Política de Gestão de Desempenho que define procedimentos e regulamenta a prática de avaliação de desempenho dos seus empregados, baseada num Sistema de Gestão de Competências. Esse

Leia mais

ATENDIMENTO 3D O diferencial para o sucesso em vendas

ATENDIMENTO 3D O diferencial para o sucesso em vendas Perfil... Atuando há 20 anos em vendas Jean Oliveira já viveu na pele cada experiência que essa profissão promove, é especialista com MBA em Estratégias de Negócios e graduado em Tecnologia de Processamento

Leia mais

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado Professora Débora Dado Prof.ª Débora Dado Planejamento das aulas 7 Encontros 19/05 Contextualizando o Séc. XXI: Equipes e Competências 26/05 Competências e Processo de Comunicação 02/06 Processo de Comunicação

Leia mais

Palestrante Paulo Gerhardt Inspira, Motiva e Sensibiliza para Resultados Superiores

Palestrante Paulo Gerhardt Inspira, Motiva e Sensibiliza para Resultados Superiores Palestrante Paulo Gerhardt Inspira, Motiva e Sensibiliza para Resultados Superiores Com uma abordagem inovadora e lúdica, o professor Paulo Gerhardt tem conquistado plateias em todo o Brasil. Seu profundo

Leia mais

Mensagem do presidente

Mensagem do presidente Mensagem do presidente A giroflex-forma está em um novo momento. Renovada, focada em resultados e nas pessoas, ágil e mais competitiva no mercado de assentos e de mobiliário corporativo. Representando

Leia mais

apenas 60 dias ela pode ser superada!

apenas 60 dias ela pode ser superada! Numa pesquisa realizada em Harvard Business School foi constatado que, para superar uma empresa que ocupa o primeiro lugar no seu segmento e que tem como base o Desenvolvimento das Pessoas,são necessários

Leia mais

Construindo o Conteúdo da Liderança. José Renato S. Santiago Jr.

Construindo o Conteúdo da Liderança. José Renato S. Santiago Jr. Construindo o Conteúdo da Liderança José Renato S. Santiago Jr. Gestão Estratégica de RH Módulo 1: Alinhando Gestão de Pessoas com a Estratégia da Empresa Módulo 2: Compreendendo e Dinamizando a Cultura

Leia mais

T&E Tendências & Estratégia

T&E Tendências & Estratégia FUTURE TRENDS T&E Tendências & Estratégia Newsletter número 1 Março 2003 TEMA deste número: Desenvolvimento e Gestão de Competências EDITORIAL A newsletter Tendências & Estratégia pretende ser um veículo

Leia mais

Avaliação Confidencial

Avaliação Confidencial Avaliação Confidencial AVALIAÇÃO 360 2 ÍNDICE Introdução 3 A Roda da Liderança 4 Indicadores das Maiores e Menores Notas 7 GAPs 8 Pilares da Estratégia 9 Pilares do Comprometimento 11 Pilares do Coaching

Leia mais

CINCO DICAS PARA PLANEJAR E CONTROLAR AS METAS DA SUA EQUIPE COMERCIAL

CINCO DICAS PARA PLANEJAR E CONTROLAR AS METAS DA SUA EQUIPE COMERCIAL CINCO DICAS PARA PLANEJAR E CONTROLAR AS METAS DA SUA EQUIPE COMERCIAL INTRODUÇÃO Não importa qual o tamanho da empresa: ela precisa saber aonde quer chegar. Para isso é preciso traçar um caminho e a melhor

Leia mais

As Organizações e a Teoria Organizacional

As Organizações e a Teoria Organizacional Página 1 de 6 As Organizações e a Teoria Organizacional Autora: Sara Fichman Raskin Este texto é totalmente baseado no primeiro capítulo do livro Organizational theory: text and cases, do autor Jones Gareth,

Leia mais

ERP SISTEMA DE GESTÃO EMPRESARIAL. Guia Prático de Compra O QUE SABER E COMO FAZER PARA ADQUIRIR CERTO. Edição de julho.2014

ERP SISTEMA DE GESTÃO EMPRESARIAL. Guia Prático de Compra O QUE SABER E COMO FAZER PARA ADQUIRIR CERTO. Edição de julho.2014 ERP SISTEMA DE GESTÃO EMPRESARIAL Guia Prático de Compra Edição de julho.2014 O QUE SABER E COMO FAZER PARA ADQUIRIR CERTO Í n d i c e 6 perguntas antes de adquirir um sistema 4 6 dúvidas de quem vai adquirir

Leia mais

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey Executivos em todos os níveis consideram que a sustentabilidade tem um papel comercial importante. Porém, quando se trata

Leia mais

Criando uma equipe vencedora

Criando uma equipe vencedora Criando uma equipe vencedora Como montar uma equipe vencedora? Hoje em dia, empresas de todos os tamanhos têm um objetivo em comum: fazer mais com menos. Desde a crise financeira global, alcançar novos

Leia mais

Empresas descobrem a importância da educação no trabalho e abrem as portas para pedagogos

Empresas descobrem a importância da educação no trabalho e abrem as portas para pedagogos Empresas descobrem a importância da educação no trabalho e abrem as portas para pedagogos Já passou a época em que o pedagogo ocupava-se somente da educação infantil. A pedagogia hoje dispõe de uma vasta

Leia mais

Teste sua empregabilidade

Teste sua empregabilidade Teste sua empregabilidade 1) Você tem noção absoluta do seu diferencial de competência para facilitar sua contratação por uma empresa? a) Não, definitivamente me vejo como um título de cargo (contador,

Leia mais

RECRUTAMENTO E SELEÇÃO DE PESSOAL. QUAIS AS VANTAGENS DESTE PROCESSO PARA UMA ORGANIZAÇÃO?

RECRUTAMENTO E SELEÇÃO DE PESSOAL. QUAIS AS VANTAGENS DESTE PROCESSO PARA UMA ORGANIZAÇÃO? Resumo: O texto cita algumas evoluções no processo de recrutamento e seleção realizado pelas empresas. Avalia a importância dos recursos humanos, no contexto organizacional. Palavras-Chave: 1. Incentivo

Leia mais

Fazendo a mudança dar certo

Fazendo a mudança dar certo Fazendo a mudança dar certo A importância das pessoas 12 de março de 2015 Carlos Siqueira e Daniela Segre Apresentações Carlos Siqueira Hay Group Brasil Diretor Daniela Segre Hay Group Brasil Gerente 2

Leia mais

Gestão do Conhecimento A Chave para o Sucesso Empresarial. José Renato Sátiro Santiago Jr.

Gestão do Conhecimento A Chave para o Sucesso Empresarial. José Renato Sátiro Santiago Jr. A Chave para o Sucesso Empresarial José Renato Sátiro Santiago Jr. Capítulo 1 O Novo Cenário Corporativo O cenário organizacional, sem dúvida alguma, sofreu muitas alterações nos últimos anos. Estas mudanças

Leia mais

Implementação de estratégias

Implementação de estratégias Etapa 1 Etapa 2 Etapa 3 Etapa 4 Etapa 5 Disciplina Gestão Estratégica e Serviços 7º Período Administração 2013/2 Implementação de estratégias Agenda: Implementação de Estratégias Visão Corporativa sobre

Leia mais

Formas de Aumentar a Lucratividade da Sua Empresa com o Big Data

Formas de Aumentar a Lucratividade da Sua Empresa com o Big Data 9 Formas de Aumentar a Lucratividade da Sua Empresa com o Big Data Planejamento Performance Dashboard Plano de ação Relatórios Indicadores Sua empresa sabe interpretar os dados que coleta? Para aumentar

Leia mais

5Etapas Para Conseguir Clientes de Coaching,

5Etapas Para Conseguir Clientes de Coaching, 5Etapas Para Conseguir Clientes de Coaching, Consultoria, Terapias Holísticas e Para Encher Seus Cursos e Workshops. Parte 01 Como Se Posicionar e Escolher os Clientes dos Seus Sonhos 1 Cinco Etapas Para

Leia mais

Como m a n a d n am a m a s a m i m n i h n a h s a Competências?

Como m a n a d n am a m a s a m i m n i h n a h s a Competências? Como andam as minhas Competências? R&S Por que? O sucesso das organizações modernas está diretamente ligado à inteligência que elas detêm TALENTOS Detectar, atrair, reter e desenvolver talentos são funções

Leia mais

Marketing não Sobrevive sem Endomarketing

Marketing não Sobrevive sem Endomarketing Marketing não Sobrevive sem Endomarketing Um ótimo serviço pode se tornar ruim se os funcionários não confiam em si mesmos. Uma endoentrevista sobre endomarketing. Troquemos de lugar! O título é, sem dúvida,

Leia mais

Princípios de Liderança

Princípios de Liderança Princípios de Liderança LIDERANÇA E COACH www.liderancaecoach.com.br / liderancaecoach ÍNDICE Liderança Chefe x Líder O que um líder não deve fazer Dicas para ser um líder de sucesso Para liderar uma equipe

Leia mais

Mais que um Negócio, a Profissão dos seus Sonhos

Mais que um Negócio, a Profissão dos seus Sonhos Mais que um Negócio, a Profissão dos seus Sonhos Erros e Dicas para Vender seus Serviços MElina Kunifas 2010 WWW. M E L I N A K U N I F A S. C O M Caro leitor, este livreto tem o propósito de educar e

Leia mais

FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FEA USP ARTIGO

FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FEA USP ARTIGO FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FEA USP ARTIGO COMO AS MUDANÇAS NAS ORGANIZAÇÕES ESTÃO IMPACTANDO A ÁREA DE RECURSOS HUMANOS Paola Moreno Giglioti Administração

Leia mais

O QUE É PRECISO PARA SER UM GRANDE LÍDER

O QUE É PRECISO PARA SER UM GRANDE LÍDER LIDERANÇA O QUE É PRECISO PARA SER UM GRANDE LÍDER Roselinde Torres foco na pessoa 6 Por Roselinde Torres O que é preciso para ser um grande líder hoje? Muitos de nós temos a imagem de um líder como um

Leia mais

2012 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. Tribunais Gestão de Pessoas Questões Giovanna Carranza

2012 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. Tribunais Gestão de Pessoas Questões Giovanna Carranza 2012 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. Tribunais Gestão de Pessoas Questões Giovanna Carranza 01. Conceitualmente, recrutamento é: (A) Um conjunto de técnicas e procedimentos

Leia mais

Quem precisa de metas afinal? Por que ter metas?

Quem precisa de metas afinal? Por que ter metas? Metas e Objetivos Muito se confunde a respeito destes dois conceitos quando se faz um planejamento estratégico do negócio. A diferença entre Meta e Objetivo, no entanto, é bastante clara como será apresentada

Leia mais

Formar LÍDERES e equipes. Atrair e reter TALENTOS. www.grupovalure.com.br

Formar LÍDERES e equipes. Atrair e reter TALENTOS. www.grupovalure.com.br Formar LÍDERES e equipes. Atrair e reter TALENTOS. www.grupovalure.com.br www.grupovalure.com.br Estes são alguns dos grandes desafios da atualidade no mundo profissional e o nosso objetivo é contribuir

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO 11/2010

BOLETIM INFORMATIVO 11/2010 Sindicato das Secretárias e Secretários do Estado do Rio Grande do Sul SISERGS Unindo você a todos os Secretários do RS! SISERGS BOLETIM INFORMATIVO 11/2010 Dia 06 de novembro ocorreu o penúltimo treinamento

Leia mais

O que é ser um RH estratégico

O que é ser um RH estratégico O que é ser um RH estratégico O RH é estratégico quando percebido como essencial nas decisões estratégicas para a empresa. Enquanto a área de tecnologia das empresas concentra seus investimentos em sistemas

Leia mais

Este texto é de autoria da Diretora de Vendas Cláudia Leme, muito bom!!! Vale a pena conferir!!! O PRIMEIRO PEDIDO

Este texto é de autoria da Diretora de Vendas Cláudia Leme, muito bom!!! Vale a pena conferir!!! O PRIMEIRO PEDIDO Este texto é de autoria da Diretora de Vendas Cláudia Leme, muito bom!!! Vale a pena conferir!!! O PRIMEIRO PEDIDO A Sra Mary Kay já dizia: nada acontece enquanto você não vende alguma coisa. Se você está

Leia mais

Buscamos compreender como ocorrem os processos de desenvolvimento humano, organizacional e social

Buscamos compreender como ocorrem os processos de desenvolvimento humano, organizacional e social instituto fonte... Buscamos compreender como ocorrem os processos de desenvolvimento humano, organizacional e social e a arte de neles intervir. Buscamos potencializar a atuação de iniciativas sociais,

Leia mais

COMO ESCOLHER O NEGÓCIO DE MARKETING MULTINÍVEL QUE MAIS COMBINA COM SEU PERFIL

COMO ESCOLHER O NEGÓCIO DE MARKETING MULTINÍVEL QUE MAIS COMBINA COM SEU PERFIL 1 COMO ESCOLHER O NEGÓCIO DE MARKETING MULTINÍVEL QUE MAIS COMBINA COM SEU PERFIL Celso Silva 2 Sobre o autor Celso Silva é nascido no Rio de Janeiro, em 24 de fevereiro de 1950. Aos 17 anos ingressou

Leia mais

Quatro Níveis de Avaliação de Treinamento

Quatro Níveis de Avaliação de Treinamento Quatro Níveis de Avaliação de Treinamento Resenha por Eliana Dutra KIRKPATRICK, Donald L., Evaluating Training Programs - THE FOUR LEVELS. Berrett-Koehler Publishers, Inc. 1994. De acordo com Donald Kirkpatrick,

Leia mais