SUMÁRIO. Sumário 7 APRESENTAÇÃO... 23

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SUMÁRIO. Sumário 7 APRESENTAÇÃO... 23"

Transcrição

1 Sumário 7 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO Capítulo 1 CONTABILIDADE GERAL Aspectos iniciais pertinentes ao Exame de Suficiência Patrimônio e Variações Patrimoniais Conceito e Objeto Bens Direitos Obrigações Ativo Passivo Patrimônio Líquido Aspecto Qualitativo Aspecto Quantitativo Representação Gráfica do Patrimônio Equação Básica da Contabilidade Atos e Fatos Contábeis (Permutativos, Modificativos e Mistos) Fato administrativo (contábil) Fatos Permutativos ou Compensativos Fatos Modificativos Fatos Mistos Formação, Subscrição e Integralização de Capital Registros de Mutações Patrimoniais e Apuração do Resultado (Receitas e Despesas) O Resultado (Rédito) Plano de contas e procedimentos de escrituração Conceito de Contas Classificação das contas (Patrimoniais, Resultado e Compensação) Natureza das Contas (Devedoras e Credoras) Contas do Ativo e Despesas Contas do Passivo, Patrimônio Líquido e Receitas Contas Retificadoras Resumo do Funcionamento das Contas Método das partidas dobradas, mecanismos de débito e crédito O registro no Livro Razão Contas de resultado Teoria das origens e aplicação de recursos Lançamento (Elementos essenciais, fórmulas) Lançamento Elementos essenciais Lançamento Fórmulas Regime de caixa x Regime competência Balancete de verificação... 46

2 8 Anivaldo Carvalho 2.9. Livros utilizados na escrituração Livros principais de escrituração: características Livro Diário Livro de Registro de Duplicatas Livro de Registro de Inventário Livro de Apuração do Lucro Real (LALUR) Livro Razão Operações diversas Operações com Mercadorias: Transações de Compras e Vendas Fatores que alteram as compras Fatores que alteram as vendas Apuração do Custo das Mercadorias, Produtos e Serviços Vendidos (Inventário Periódico e Inventário Permanente) Inventário Periódico O Inventário permanente Avaliação dos estoques Método PEPS OU FIFO Método UEPS OU LIFO Média ponderada móvel ou custo médio ponderado (MPM ou CMP) Receitas, despesas, apuração e destinação do resultado Operações Financeiras e Folha de Pagamento Desconto de duplicatas Receitas e Despesas Financeiras Contabilização da folha de pagamento Estoques, Ativo Imobilizado, Ativos Biológicos e Ativos Intangíveis, Métodos de Depreciação, de Amortização e de Exaustão Estoques Ativo imobilizado, Ativos biológicos e Ativos intangíveis Ativo Imobilizado Ativos Biológicos Ativos Intangíveis Métodos de Depreciação, de Amortização e de Exaustão Depreciação Aspectos relevantes sobre depreciação Amortização Exaustão Provisões Provisões do Ativo Provisão para Ajuste ao Valor de Mercado Provisão para Devedores Duvidosos ou para Créditos de Liquidação Duvidosa Provisão para Perdas Prováveis na Realização de Investimentos Provisões do Passivo Avaliação de Ativos e Passivos Conceitos gerais dos critérios de avaliação do Ativo Conceitos gerais dos critérios de avaliação do Passivo Outros conceitos Teste de Recuperabilidade (Impairment Test) Atualização monetária Método da equivalência patrimonial Provisões, Ativos e Passivos Contingentes

3 Sumário Introdução Definições Provisão e outros passivos Reconhecimento Provisões Passivo Contingente Ativo Contingente Mensuração Outros aspectos importantes Balanço Patrimonial Conceito Critério de disposição das contas do ativo e passivo Estrutura do Balanço Patrimonial Composição do Ativo Ativo Circulante Ativo Não Circulante Realizável a Longo Prazo Ativo Não Circulante Investimentos Ativo Não Circulante Imobilizado O Arrendamento mercantil (Leasing) Ativo Não Circulante Intangível Mais comentários sobre Teste de Recuperabilidade de Ativos Composição do Passivo Ajuste dos passivos de longo prazo a valor presente Composição do Patrimônio Líquido Capital Social Reservas de Capital Ágio na emissão de ações Produto da alienação de partes beneficiárias Produto da alienação de bônus de subscrição Ajustes de Avaliação Patrimonial Reservas de Lucros Reserva Legal Reserva Estatutária Reserva para Contingências Reserva de Incentivos Fiscais Reserva de retenção de lucros Reserva de Lucros a realizar Cálculo do dividendo mínimo obrigatório Cálculo da reserva de lucros a realizar Reserva especial para dividendo obrigatório não distribuído Ações em tesouraria Lucros ou prejuízos acumulados Demonstração do Resultado e Demonstração do Resultado Abrangente Conceitos Introdutórios Estrutura da D.R.E Receita Bruta de Vendas Deduções da Receita Bruta Outras Receitas Operacionais Outras receitas e outras despesas (antigos resultados não operacionais) Provisão para Contribuição social sobre lucro líquido Provisão para Imposto de Renda

4 10 Anivaldo Carvalho Participações nos Lucros Lucro por ação do capital social Demonstração do Resultado Abrangente Demonstração dos Lucros ou Prejuízos Acumulados Conceitos Introdutórios Estrutura da DLPA Saldo no início do período Ajustes de exercícios anteriores Ajustes de exercícios anteriores Lucro ou Prejuízo Líquido Lucro ou Prejuízo Líquido Dividendos Propostos Dividendos Intermediários Parcela dos lucros destinadas ao aumento do capital social Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido Conceituação Conceitos previstos nas legislações Finalidade e Vantagens DLPA X DMPL Apresentação Demonstração dos Fluxos de Caixa Conceitos Introdutórios Utilidade da Demonstração dos Fluxos de Caixa Usuários da Demonstração dos Fluxos de Caixa Benefícios das Informações dos Fluxos de Caixa Definições Apresentação de uma Demonstração dos Fluxos de Caixa Demonstração do Valor Adicionado Conceitos Introdutórios Objetivo e benefícios das informações da DVA Estrutura da DVA Exemplo de uma DVA Notas explicativas Conceitos introdutórios Finalidades Normatização e conteúdo Combinação de Negócios Conceito Cisão Fusão Incorporação Extinção Reconhecimento e mensuração de ativo identificável adquirido, de passivo assumido e de participação de não controlador na adquirida Ágio por expectativa de rentabilidade futura (goodwill) Compra vantajosa Consolidação das Demonstrações Contábeis Conceitos introdutórios A Comissão de Valores Mobiliários CVM Efeitos Fiscais e Sociais na Consolidação Interesse dos Investidores na Consolidação

5 Sumário A Consolidação e a Gestão Empresarial Procedimentos de Consolidação Uniformidade de Critérios Contábeis Eliminações de Consolidação Eliminações do Balanço Patrimonial Eliminações de Duplicatas a Receber Investimentos Eliminação na DRE Vendas Intercompanhias Comissões sobre Vendas, juros e outros Transações entre empresas do grupo Registros da Consolidação Resultados Intercompanhias Conversão das Demonstrações Contábeis para Moeda Estrangeira Objetivos e Alcance Definições Tópicos e Comentários Questões comentadas de Contabilidade Geral Prova de Setembro de Prova de Março de Prova de Setembro de Capítulo 2 CONTABILIDADE DE CUSTOS Aspectos iniciais pertinentes ao Exame de Suficiência Conceitos Básicos de Contabilidade de Custos Introdução Definições Princípios contábeis aplicados à Contabilidade de Custos Classificação e nomenclatura dos custos Custos diretos e indiretos Custos Fixos e Custos Variáveis Custos controláveis e não controláveis Custos primários e custos de transformação Controle e registro contábil de custos Apuração do Custo dos Produtos, Mercadorias ou Serviços Vendidos Custos com mão-de-obra direta e indireta Exemplos da diferenciação entre a mão de obra direta e indireta Custos com Materiais Diretos e Indiretos Custos indiretos de fabricação (Gastos gerais de fabricação) Rateio de custo indireto: Exemplo prático Departamentalização e Centros de Custos A sequência lógica da contabilidade de custos (departamentalização) Critérios de rateios dos CIF pelos departamentos Métodos de custeio Custeio por Absorção Características do Custeio por Absorção Custeio variável ou direto Características do Custeio Variável ou Direto Relação entre o Custeio por Absorção e o Custeio Variável Custeio Baseado em Atividades (ABC Actívity-Based Costing)

6 12 Anivaldo Carvalho 4.5. Custeio Pleno (RKW) Sistemas de Acumulação de Custos Produção por Ordem ou encomenda Produção Contínua (ou Produção por Processo) Apropriação dos custos conjuntos aos coprodutos, subprodutos e sucatas: Conceitos e Tratamentos Contábeis Alocação dos Custos Conjuntos aos Coprodutos Tratamento das Perdas Custo dos Produtos Acabados. Custos dos produtos em elaboração e Custos dos produtos vendidos Equivalente de produção Custos para controle Custos reais (históricos), estimados e projetados Custo padrão (padrões físicos e padrões financeiros) Padrões físicos e financeiros do custo padrão Custo padrão x Custo real Questões comentadas de Contabilidade de Custos Prova de Setembro de Prova de Março de Prova de Setembro de Capítulo 3 CONTABILIDADE GERENCIAL Aspectos iniciais pertinentes ao Exame de Suficiência Custos para Decisão Comportamento dos custos e volume de produção Margem de contribuição Margem de contribuição e fator de limitação Ponto de equilíbrio contábil (PEC) Ponto de Equilíbrio Econômico (PEE) Custo de oportunidade Conceito e exemplo de ponto de equilíbrio econômico Ponto de Equilíbrio Financeiro (PEF) Exemplo com os três pontos de equilíbrio Margem de segurança (MS) Alavancagem operacional Fixação do preço de venda Decisões entre comprar ou fabricar Custos perdidos Custos imputados Custo Diferencial Custos para Controle Custos Estimados Custo Padrão- Outro enfoque Variações do custo padrão e real Análise das demonstrações contábeis Análise vertical e horizontal Análise através de Índices Análise da Liquidez Análise dos Índices de Endividamento Índices de rentabilidade

7 Sumário Prazos médios de renovação de estoques, recebimento de vendas e pagamento de compras Ciclo operacional e financeiro Capital Circulante Líquido Questões comentadas de Contabilidade Gerencial Prova de Setembro de Prova de Março de Prova de Setembro de Capítulo 4 CONTROLADORIA Aspectos iniciais pertinentes ao Exame de Suficiência Contextualização Função da Controladoria Ambiente Função do Controller Planejamento e Orçamento Empresarial Planejamento estratégico Conceito Características Planejamento Tático Conceito Características Planejamento Operacional Conceito Características Orçamentos Conceito de orçamento Orçamento de venda Orçamento de Produção Orçamento de Despesas Operacionais Orçamento de Caixa Controle Orçamentário Gestão e a controladoria Processo decisório Sistema de Avaliação de desempenho Modelos de gestão Avaliação de Desempenho Tipos de Indicadores Administração por centro de responsabilidades Sistemas de Informações gerenciais Funcionamento de um sistema Finalidades de um sistema de informações gerenciais Capítulo 5 CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO Conceituação, Objeto e Campo de Aplicação Conceito Objeto Campo de Aplicação

8 14 Anivaldo Carvalho 1.4. Unidade contábil Patrimônio e Sistemas Contábeis Patrimônio público Classificação do patrimônio público sob o enfoque contábil Conceituação do patrimônio público sob o enfoque contábil Estrutura do sistema contábil Planejamento e seus Instrumentos sob o Enfoque Contábil Escopo de evidenciação Conceito Aspectos principais Transações no Setor Público Conceitos Natureza das transações no setor público e seus reflexos no patrimônio público Variações patrimoniais Transações que envolvem valores de terceiros Registro Contábil Formalidades do registro contábil Segurança da documentação contábil Reconhecimento e bases de mensuração ou avaliação aplicáveis Demonstrações Contábeis do setor público Demonstrações contábeis Divulgação das demonstrações contábeis Balanço patrimonial Balanço orçamentário Balanço Financeiro Demonstração das variações patrimoniais Demonstração dos fluxos de caixa Demonstração do resultado econômico Notas explicativas Consolidação das Demonstrações Contábeis Aspecto inicial Procedimentos para consolidação Controle Interno Abrangência Classificação Estrutura e componentes Depreciação, amortização e exaustão Definições Critérios de mensuração e reconhecimento Métodos de depreciação, amortização e exaustão Divulgação da depreciação, da amortização e da exaustão Avaliação e mensuração de ativos e passivos em entidades do setor público Conceitos importantes Avaliação e mensuração Disponibilidades Créditos e dívidas Estoques Investimentos permanentes Imobilizado Intangível Reavaliação e redução ao valor recuperável

9 Sumário Questões comentadas de Contabilidade Pública Prova de Setembro de Prova de Março de Prova de Setembro de Capítulo 6 TEORIA DA CONTABILIDADE Aspectos iniciais pertinentes ao Exame de Suficiência Estrutura Conceitual Básica da Contabilidade Conceito e objetivos Usuários e suas necessidades de informação Os diversos ramos aplicados da Contabilidade Escolas ou doutrinas na história da Contabilidade Evolução histórica da Contabilidade Reconhecimento e mensuração de ativos, passivos, receitas e despesas, ganhos e perdas. Capital físico, financeiro e sua manutenção Aspectos gerais Ativos Passivos Receitas e Despesas, Ganhos e Perdas Capital físico, financeiro e sua manutenção Princípios de Contabilidade: Resolução CFC n.º 750/93, atualizados pela Resolução CFC n.º 1.282/10 e possíveis alterações e inclusões até noventa dias antes da realização do Exame Patrimônio Líquido e suas teorias Características Qualitativas das Demonstrações Contábeis Características qualitativas fundamentais Características qualitativas de melhoria Questões comentadas de Teoria da Contabilidade Prova de Setembro de Prova de Março de Prova de Setembro de Capítulo 7 LEGISLAÇÃO E ÉTICA PROFISSIONAL Aspectos iniciais pertinentes ao Exame de Suficiência Ética geral e profissional O conceito e sua inserção na Filosofia Os campos de Ética e da Moral As fontes das regras éticas A Sociedade e a Ética O papel da Contabilidade na Sociedade A Ética Profissional Legislação sobre a ética profissional: Código de Ética Profissional do Contador Resolução CFC n.º 803/96 e suas respectivas alterações Objetivo Deveres do Contabilista Deveres do Contabilista de áreas específicas Deveres do Contabilista com relação a colegas de classe Proibições ao Contabilista

10 16 Anivaldo Carvalho 2.6. Honorários Outros aspectos importantes Normas de conduta Penalidades Julgamentos Legislação Profissional e de Organização dos Conselhos de Contabilidade Decreto Lei n.º 1.040/ Resolução CFC 1.370/11 Regulamento Geral dos Conselhos de Contabilidade Constituição e Finalidade Composição e Mandato Competência Receitas Exercício da Profissão Infrações e Penalidades Decreto-Lei n.º 9.295/ Questões comentadas de Legislação e Ética Profissional Prova de Setembro de Prova de Março de Prova de Setembro de Capítulo 8 PRINCÍPIOS CONTÁBEIS E NORMAS CONTÁBEIS Aspectos iniciais pertinentes ao Exame de Suficiência Princípios de Contabilidade Resolução CFC n.º 750/ Aspectos Iniciais Conceito e Alcance Princípio da Entidade Princípio da Continuidade Princípio da Oportunidade Princípio do Registro pelo Valor Original Princípio da Competência Princípio da Prudência Convenções Contábeis Estrutura das Normas Brasileiras de Contabilidade Resolução CFC n.º 1.328/ Questões comentadas de Princípios e Normas Contábeis Prova de Setembro de Prova de Março de Prova de Setembro de Capítulo 9 AUDITORIA CONTÁBIL Aspectos iniciais pertinentes ao Exame de Suficiência Conceito e aplicação da Auditoria Contábil Conceitos. Objetivo e finalidade da auditoria Tipos de Auditoria Distinção entre auditoria interna e auditoria externa Controle interno Estrutura Conceitual de Trabalhos de Asseguração

11 Sumário Origem do termo e definições Asseguração razoável asseguração limitada Conclusão do Auditor nos relatórios emitidos em trabalhos de asseguração Aceitação de um trabalho de asseguração Elementos de um trabalho de asseguração Objetivos Gerais do Auditor Independente e a Condução da Auditoria em Conformidade com as Normas de Auditoria Concordância com os Termos do Trabalho de Auditoria Controle de Qualidade na Auditoria de Demonstrações Financeiras Documentação da Auditoria Responsabilidade do Auditor em Relação à Fraude, no Contexto da Auditoria Considerações de Leis e Regulamentos na Auditoria de Demonstrações Contábeis Comunicações com os Responsáveis pela Governança Comunicações de Deficiências no Controle Interno Planejamento da Auditoria de Demonstrações Financeiras e Trabalhos Iniciais Identificação e Avaliação dos Riscos de Distorção Relevante por meio do Entendimento da Entidade e de seu Ambiente Materialidade no Planejamento e na Execução da Auditoria Avaliação das Distorções Identificadas Durante a Auditoria Respostas do Auditor aos Riscos Avaliados Execução dos trabalhos de Auditoria Evidências de Auditoria Confirmações Externas Procedimentos Analíticos Amostragem em Auditoria Auditoria de Estimativas Contábeis, inclusive do Valor Justo, e Divulgações Relacionadas Partes Relacionadas Eventos Subsequentes Continuidade Operacional Representações Formais Auditoria de Demonstrações Financeiras de Grupos, incluindo o Trabalho dos Auditores dos Componentes Utilização de Trabalho de Auditoria Interna Utilização do Trabalho de Especialistas Formação da Opinião e Emissão do Relatório do Auditor Independente sobre as Demonstrações Financeiras Relatório de Auditoria sem opinião modificada Modificações na opinião do auditor independente Parágrafos de Ênfase e Parágrafos de Outros Assuntos no Relatório do Auditor Independente Informações comparativas Valores correspondentes e demonstrações financeiras comparativas Responsabilidade do auditor em relação a outras informações incluídas em documentos que contenham demonstrações contábeis auditadas Questões comentadas de Auditoria Contábil Prova de Setembro de Prova de Março de Prova de Setembro de

12 18 Anivaldo Carvalho Capítulo 10 PERÍCIA CONTÁBIL Aspectos Introdutórios Conceitos gerais Definição Classificação Finalidade Aspectos Profissionais Perfil profissional do perito Aspectos Técnico, Doutrinário, Processual e Operacional Perícia Judicial e Extrajudicial Planejamento, execução e procedimentos Planejamento da Perícia Execução da Perícia Procedimentos da Perícia Competência técnico-profissional Honorários Periciais Quesitos Indicação de Assistentes Laudo Pericial e Parecer Pericial Contábil Termo de Diligência Legislação Legislação profissional Habilitação Profissional Educação Continuada Independência Impedimento e Suspeição Impedimento Legal Impedimento técnico-científico Suspeição Sigilo Responsabilidade Responsabilidade e ética Responsabilidade civil e penal Zelo Profissional Utilização de Trabalho de Especialista Aplicações práticas de Perícia Contábil Apuração de haveres Dissolução de sociedades Inventários Perícia Contábil Trabalhista Questões comentadas de Perícia Contábil Prova de Setembro de Prova de Março de Prova de Setembro de Capítulo 11 NOÇÕES DE DIREITO Aspectos iniciais pertinentes ao Exame de Suficiência Direito Público e Privado Conceito de Direito

13 Sumário Direito objetivo e subjetivo Direito positivo e natural Direito e moral Fontes do Direito Fases da lei Noções de interpretação jurídica aplicada Direito Constitucional Direito Administrativo Direito Internacional Direito Penal Direito Financeiro Direito Processual Direito Civil Direito do Consumidor Direito Trabalhista e Legislação Social Consolidação das Leis do Trabalho Empregador Serviço Empregado Identificação profissional Duração do trabalho Salário mínimo Férias Segurança e medicina no trabalho Proteção ao trabalho da mulher Proteção ao trabalho do menor Contrato Individual de Trabalho Previdência Conceitos Básicos Conceitos básicos de previdência e assistência social Previdência pública e Previdência privada Direito Comercial e Legislação Societária Origem do Direito Comercial ou Empresarial Conceito de comércio e comerciante Conceito de empresa e empresário Personalidade física e jurídica Capacidade civil O Empresário, requisitos, direitos, deveres e prerrogativas Sociedade não personificada Sociedade em comum Sociedade em conta de participação Sociedade personificada Sociedade empresária e simples Sociedade em nome coletivo Sociedade em comandita simples Sociedade limitada Sociedade anônima Sociedade comandita por ações Sociedades cooperativas Contrato social Dissolução parcial ou total da sociedade Recuperação judicial e falência

14 20 Anivaldo Carvalho Reorganização societária Direito e Legislação Tributária Conceitos gerais Ordem econômica e financeira Sistema Tributário Nacional Finanças públicas Princípios constitucionais tributários Poder de tributar Código Tributário Nacional (CTN) Competência Tributária Limitações Constitucionais ao poder de tributar Competência tributária da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios Competência cumulativa, comum e residual Receitas Públicas: conceito e classificação de receitas Conceito e classificação de tributos Distribuição de receitas tributárias Obrigação tributária Crédito tributário Constituição de Crédito Tributário Modalidades de Lançamento do Crédito Tributário Suspensão do Crédito Tributário Extinção do Crédito Tributário Exclusão do Crédito Tributário Administração tributária Questões comentadas de Contabilidade de Noções de Direito Prova de Setembro de Prova de Março de Prova de Setembro de Capítulo 12 ESTATÍSTICA E MATEMÁTICA FINANCEIRA Aspectos iniciais pertinentes ao Exame de Suficiência Distribuição de Frequência Pontos mais importantes Descrição de Dados Medidas de Posição Médias Média aritmética simples Média aritmética ponderada Média Geométrica Mediana Moda Probabilidades Eventos independentes, dependentes e mutuamente exclusivos Eventos independentes e eventos dependentes Eventos Mutuamente Exclusivos Valor esperado Probabilidade condicional Análise combinatória Juros Simples e Compostos Taxas nominal, proporcional, efetiva e equivalente

15 Sumário Descontos Desconto simples Desconto composto Questões comentadas de Contabilidade de Estatística e Matemática Financeira Prova de Setembro de Prova de Março de Prova de Setembro de Capítulo 13 DICAS Contabilidade Geral Representação Gráfica do Patrimônio Equação Básica da Contabilidade Receitas e Despesas Resumo do Funcionamento das Contas Tipos de inventários Comparação entre os tipos de avaliação de estoques Mensuração dos Estoques Mensuração dos Ativos Intangíveis Depreciação Teste de Recuperabilidade Reconhecimento de receita dos investimentos pelo método do valor justo e método de equivalência patrimonial Provisões, Ativos e Passivos Contingentes Balanço Patrimonial Diferenças entre reservas e provisões de contingencias DRE DLPA DMPL DFC DVA Contabilidade de custos Definições básicas Custos Diretos e Indiretos, Fixos e Variáveis Custo Primário e Custo de Transformação Custeio por absorção e Custeio variável Fórmula básica para encontrar os saldos de estoques Contabilidade gerencial Margem de contribuição Pontos de Equilíbrio Margem de segurança (MS) Índices de liquidez Índices de endividamento Índices de rentabilidade Prazos médios de renovação de estoques, recebimento de vendas e pagamento de compras Ciclos Capital Circulante Líquido Controladoria O que é? Controller

16 22 Anivaldo Carvalho 4.3. Planejamento Contabilidade do setor público Sistemas Demonstrações Estrutura e componentes Teoria da contabilidade Doutrinas Características qualitativas fundamentais Características qualitativas de melhoria Legislação e Ética Profissional Penalidades Atenuantes e Agravantes Normas de conduta Princípios e Normas Contábeis Resumo dos Princípios Exceções ao Princípio do registro pelo valor original Convenções contábeis Auditoria Contábil Quadro de diferenças entre auditoria interna e auditoria independente Assuntos de normas profissionais Controle interno Fraudes x Erros Relatórios (parecer) de auditoria Quadro comparativo entre os procedimentos de auditoria da legislação atual e a anterior Testes de auditoria Riscos de auditoria Perícia Contábil Tipos de Perícia Procedimentos da Perícia Laudo Pericial e Parecer Pericial Contábil Conceitos importantes sobre laudo pericial Termo de Diligência Impedimento e Suspeição Direitos Direito x Moral Fontes Conceitos importantes de Direito Trabalhista Conceitos importantes de Direito Comercial Reorganização societária Direito Tributário Princípios constitucionais tributários Impostos Distribuição da receita tributária Suspensão do Crédito Tributário Extinção do Crédito Tributário Exclusão do Crédito Tributário Matemática e Estatística BIBLIOGRAFIA

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO 1. CONTABILIDADE GERAL a) Patrimônio e Variações Patrimoniais: Conceituação, ativos, passivos, patrimônio líquido, aspecto qualitativo e quantitativo do patrimônio, representação

Leia mais

DETALHAMENTO DO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO APLICÁVEL À PROVA DE BACHAREL EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS (1ª EDIÇÃO I/2011 EDITAL EXAME DE SUFICIÊNCIA N

DETALHAMENTO DO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO APLICÁVEL À PROVA DE BACHAREL EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS (1ª EDIÇÃO I/2011 EDITAL EXAME DE SUFICIÊNCIA N ANEXO I DETALHAMENTO DO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO APLICÁVEL À PROVA DE BACHAREL EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS (1ª EDIÇÃO I/2011 EDITAL EXAME DE SUFICIÊNCIA N.º 01/2010)) 1. CONTABILIDADE GERAL a) A Escrituração Contábil:

Leia mais

Resumo de Contabilidade Geral

Resumo de Contabilidade Geral Ricardo J. Ferreira Resumo de Contabilidade Geral 4ª edição Conforme a Lei das S/A, normas internacionais e CPC Rio de Janeiro 2010 Copyright Editora Ferreira Ltda., 2008-2009 1. ed. 2008; 2. ed. 2008;

Leia mais

Ementário e Bibliografia do curso de. Ciências Contábeis. Fase: II Carga Horária: 60h/a Créditos: 04

Ementário e Bibliografia do curso de. Ciências Contábeis. Fase: II Carga Horária: 60h/a Créditos: 04 01 - ADMINISTRAÇÃO Fase: II Carga Horária: 60h/a Créditos: 04 Introdução à Administração. Antecedentes históricos da Administração. Escolas de Administração. Administração e suas perspectivas. Variáveis

Leia mais

6 Balanço Patrimonial - Passivo - Classificações das Contas, 25 Exercícios, 26

6 Balanço Patrimonial - Passivo - Classificações das Contas, 25 Exercícios, 26 Prefácio 1 Exercício Social, 1 Exercícios, 2 2 Disposições Gerais, 3 2.1 Demonstrações financeiras exigidas, 3 2.2 Demonstrações financeiras comparativas, 4 2.3 Contas semelhantes e contas de pequenos,

Leia mais

4 Fatos Contábeis que Afetam a Situação Líquida: Receitas, Custos, Despesas, Encargos, Perdas e Provisões, 66

4 Fatos Contábeis que Afetam a Situação Líquida: Receitas, Custos, Despesas, Encargos, Perdas e Provisões, 66 Apresentação Parte I - CONCEITOS FUNDAMENTAIS DE CONTABILIDADE, 1 1 Introdução ao Estudo da Ciência Contábil, 3 1 Conceito, 3 2 Objeto, 3 3 Finalidade, 4 4 Técnicas contábeis, 4 5 Campo de aplicação, 5

Leia mais

Ciências Contábeis. Fase: II Carga Horária: 60h/a Créditos: 04

Ciências Contábeis. Fase: II Carga Horária: 60h/a Créditos: 04 01 - ADMINISTRAÇÃO Fase: II Carga Horária: 60h/a Créditos: 04 Introdução à Administração. Antecedentes históricos da Administração. Escolas de Administração. Administração e suas perspectivas. Variáveis

Leia mais

Curso Preparatório para o Exame de Suficiência do CFC

Curso Preparatório para o Exame de Suficiência do CFC Curso Preparatório para o Exame de Suficiência do CFC Objetivo Preparar os estudantes e profissionais para prestar o Exame de Suficiência do CFC 2013 Bacharel em Ciências Contábeis. O curso inclui módulos

Leia mais

2 Noções de Direito Público e Privado - Paulo César de Melo Mendes, 88 Objetivos, 88

2 Noções de Direito Público e Privado - Paulo César de Melo Mendes, 88 Objetivos, 88 Apresentação 1 Contabilidade Geral - Rodrigo de Souza Gonçalves e Fernanda Fernandes Rodrigues, 1 Objetivos, 1 Introdução, 1 1 Plano de contas - elaboração e utilização, 2 2 Balanço patrimonial - estrutura

Leia mais

CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS

CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS 1 CURSO DE EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2009.1A BRUSQUE (SC) 2014 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 ADMINISTRAÇÃO... 4 02 CONTABILIDADE INTRODUTÓRIA I... 4 03 MATEMÁTICA... 4 04 METODOLOGIA CIENTÍFICA... 4 05 NOÇÕES

Leia mais

Demonstrações Contábeis

Demonstrações Contábeis Demonstrações Contábeis 12.1. Introdução O artigo 176 da Lei nº 6.404/1976 estabelece que, ao fim de cada exercício social, a diretoria da empresa deve elaborar, com base na escrituração mercantil, as

Leia mais

19. Patrimônio líquido 19.1 Capital 20. Balanço patrimonial de acordo com a Lei n.º 6.404/76 e alterações Questões de provas comentadas

19. Patrimônio líquido 19.1 Capital 20. Balanço patrimonial de acordo com a Lei n.º 6.404/76 e alterações Questões de provas comentadas Sumário CAPÍTULO 1 CONCEITOS BÁSICOS 1. Conceito de contabilidade 1.1 Ciência social 1.1.1 Princípios de contabilidade 1.2 Objeto da contabilidade 1.3 Objetivo da contabilidade 1.4 Finalidade da contabilidade

Leia mais

CONTABILIDADE: DEMONSTRAÇÃO DE LUCROS OU PREJUÍZOS ACUMULADOS (DLPA) PROCEDIMENTOS

CONTABILIDADE: DEMONSTRAÇÃO DE LUCROS OU PREJUÍZOS ACUMULADOS (DLPA) PROCEDIMENTOS CONTABILIDADE: DEMONSTRAÇÃO DE LUCROS OU PREJUÍZOS ACUMULADOS (DLPA) PROCEDIMENTOS SUMÁRIO 1. Considerações Iniciais 2. Demonstração de Lucros ou Prejuízos Acumulados (DLPA) na Lei das S.A. 3. Demonstração

Leia mais

Notas Explicativas. Armando Madureira Borely armando.borely@globo.com

Notas Explicativas. Armando Madureira Borely armando.borely@globo.com CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Home page: www.crc.org.br - E-mail: cursos@crcrj.org.br Notas Explicativas Armando Madureira Borely armando.borely@globo.com (Rio de Janeiro)

Leia mais

AGENTE E ESCRIVÃO DA POLÍCIA FEDERAL Disciplina: Contabilidade Prof.: Adelino Data: 07/12/2008

AGENTE E ESCRIVÃO DA POLÍCIA FEDERAL Disciplina: Contabilidade Prof.: Adelino Data: 07/12/2008 Alterações da Lei 6404/76 Lei 11638 de 28 de dezembro de 2007 Lei 11638/07 que altera a Lei 6404/76 Art. 1o Os arts. 176 a 179, 181 a 184, 187, 188, 197, 199, 226 e 248 da Lei no 6.404, de 15 de dezembro

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA (EAD) CIÊNCIAS CONTÁBEIS CIÊNCIAS CONTÁBEIS COMUNICAÇÃO E EXPRESSÃO A leitura como vínculo leitor/texto, através da subjetividade contextual, de atividades

Leia mais

ANEXO 01. CURSO: Ciências Contábeis - UFRJ SELEÇÃO DE DOCENTES

ANEXO 01. CURSO: Ciências Contábeis - UFRJ SELEÇÃO DE DOCENTES ANEXO 01 CURSO: Ciências Contábeis - UFRJ SELEÇÃO DE DOCENTES DISCIPLINA/FUNÇÃO PROGRAMA/ATIVIDADES PERFIL DOS CANDIDATOS 1 2 3 4 de Custos Intermediária Introdução à Adm e Comp Organizacional Economia

Leia mais

Introdução l Resumo Exercícios 15 Demonstrações Contábeis

Introdução l Resumo Exercícios 15 Demonstrações Contábeis Introdução l 1. l Um breve histórico l l.2 Definição do termo Contabilidade 2 1.3 O processo contábil 3 1.3.1 Posicionamento do contador em relação à empresa 4 l.4 Ramos de atuação da Contabilidade 5 l.4.

Leia mais

2 Questão 31 Classificação de Contas e Grupos Patrimoniais

2 Questão 31 Classificação de Contas e Grupos Patrimoniais Conteúdo 1 Introdução... 1 2 Questão 31 Classificação de Contas e Grupos Patrimoniais... 1 3 Questão 32 Natureza das contas... 3 4 Questão 33 Lançamentos - Operações de captação de recursos... 4 5 Questão

Leia mais

Sumário. Capítulo 1 Introdução 1

Sumário. Capítulo 1 Introdução 1 Capítulo 1 Introdução 1 1 Conceito 1 1.1 Contabilidade Teórica 1 1.2 Contabilidade Prática 3 2 Objeto 3 3 Finalidade ou objetivo 5 4 Pessoas interessadas nas informações contábeis 6 5 Funções 8 6 Identificação

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE

CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE ANEXO I DETALHAMENTO DO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO APLICÁVEL À PROVA DE QUALIFICAÇÃO TÉCNICA GERAL 13º EXAME DE QUALIFICAÇÃO TÉCNICA JUNHO/2013 1. LEGISLAÇÃO E ÉTICA PROFISSIONAL. a) A LEGISLAÇÃO SOBRE A ÉTICA

Leia mais

CONTABILIDADE SOCIETÁRIA AVANÇADA Revisão Geral BR-GAAP. PROF. Ms. EDUARDO RAMOS. Mestre em Ciências Contábeis FAF/UERJ SUMÁRIO

CONTABILIDADE SOCIETÁRIA AVANÇADA Revisão Geral BR-GAAP. PROF. Ms. EDUARDO RAMOS. Mestre em Ciências Contábeis FAF/UERJ SUMÁRIO CONTABILIDADE SOCIETÁRIA AVANÇADA Revisão Geral BR-GAAP PROF. Ms. EDUARDO RAMOS Mestre em Ciências Contábeis FAF/UERJ SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO 2. PRINCÍPIOS CONTÁBEIS E ESTRUTURA CONCEITUAL 3. O CICLO CONTÁBIL

Leia mais

RESOLUÇÃO CFC Nº 1.418/12 -MODELO CONTÁBIL SIMPLIFICADO PARA MICROEMPRESAS E EMPRESAS DE PEQUENO PORTE ITG 1000

RESOLUÇÃO CFC Nº 1.418/12 -MODELO CONTÁBIL SIMPLIFICADO PARA MICROEMPRESAS E EMPRESAS DE PEQUENO PORTE ITG 1000 RESOLUÇÃO CFC Nº 1.418/12 -MODELO CONTÁBIL SIMPLIFICADO PARA MICROEMPRESAS E EMPRESAS DE PEQUENO PORTE ALCANCE 1.... estabelece critérios e procedimentos específicos a serem observados pelas entidades

Leia mais

Disciplina: Introdução à Economia

Disciplina: Introdução à Economia Ementário do Curso de Ciências Contábeis PTA Faculdade Alvorada Disciplina: Teoria da Administração Ementa: Introdução à Teoria da Administração. Escolas da Administração. Universalidade e papel do administrador.

Leia mais

Gestão Contábil e Financeira nas Pequenas e Médias Empresas PMEs

Gestão Contábil e Financeira nas Pequenas e Médias Empresas PMEs Gestão Contábil e Financeira nas Pequenas e Médias Empresas PMEs. 1 A Contabilidade como Ferramenta de Gestão: Nova Visão Empresarial Benefícios e Vantagens; Parceria do Administrador e do Profissional

Leia mais

CURSO DE CONTABILIDADE INTRODUTÓRIA

CURSO DE CONTABILIDADE INTRODUTÓRIA www.editoraferreira.com.br CURSO DE CONTABILIDADE INTRODUTÓRIA Professor Humberto Fernandes de Lucena 6.1. Balanço Patrimonial Desde o início de nosso curso, vimos tratando sobre Balanço Patrimonial apenas

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Com relação aos conceitos, objetivos e finalidades da contabilidade, Julgue os itens subsequentes, relativos à correta classificação e julgue os itens a seguir. utilização de

Leia mais

1-DEMONSTRATIVOS CONTÁBEIS BÁSICOS 1.1 OBJETIVO E CONTEÚDO

1-DEMONSTRATIVOS CONTÁBEIS BÁSICOS 1.1 OBJETIVO E CONTEÚDO 2 -DEMONSTRATIVOS CONTÁBEIS BÁSICOS. OBJETIVO E CONTEÚDO Os objetivos da Análise das Demonstrações Contábeis podem ser variados. Cada grupo de usuários pode ter objetivos específicos para analisar as Demonstrações

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE

CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE RESOLUÇÃO CFC N.º 1.418/12 Aprova a ITG 1000 Modelo Contábil para Microempresa e Empresa de Pequeno Porte. O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais e com

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE

CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE ANEXO I DETALHAMENTO DO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO APLICÁVEL À PROVA DE QUALIFICAÇÃO TÉCNICA GERAL 10º EXAME DE QUALIFICAÇÃO TÉCNICA 1. LEGISLAÇÃO E ÉTICA PROFISSIONAL. a) A LEGISLAÇÃO SOBRE A ÉTICA PROFISSIONAL

Leia mais

MBA EM GESTÃO FINANCEIRA: CONTROLADORIA E AUDITORIA Curso de Especialização Pós-Graduação lato sensu

MBA EM GESTÃO FINANCEIRA: CONTROLADORIA E AUDITORIA Curso de Especialização Pós-Graduação lato sensu MBA EM GESTÃO FINANCEIRA: CONTROLADORIA E AUDITORIA Curso de Especialização Pós-Graduação lato sensu Coordenação Acadêmica: Prof. José Carlos Abreu, Dr. 1 OBJETIVO: Objetivos Gerais: Atualizar e aprofundar

Leia mais

ANO XXIV - 2013-4ª SEMANA DE MAIO DE 2013 BOLETIM INFORMARE Nº 21/2013

ANO XXIV - 2013-4ª SEMANA DE MAIO DE 2013 BOLETIM INFORMARE Nº 21/2013 ANO XXIV - 2013-4ª SEMANA DE MAIO DE 2013 BOLETIM INFORMARE Nº 21/2013 ASSUNTOS CONTÁBEIS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS OBRIGATÓRIAS APÓS AS LEIS NºS 11.638/2007 E 11.941/2009... Pág. 341 IMPOSTO DE RENDA PESSOA

Leia mais

FAPAN Faculdade de Agronegócio de Paraíso do Norte

FAPAN Faculdade de Agronegócio de Paraíso do Norte BALANÇO PATRIMONIAL 1. CRITÉRIO DE DISPOSIÇÃO DAS CONTAS NO ATIVO E NO PASSIVO (ART. 178 DA LEI 6.404/76): a. No ativo, as contas serão dispostas em ordem decrescente de grau de liquidez dos elementos

Leia mais

Curso Novas Regras de Contabilidade para Pequenas e Médias Empresas

Curso Novas Regras de Contabilidade para Pequenas e Médias Empresas Curso Novas Regras de Contabilidade para Pequenas e Médias Empresas Conhecimento essencial em Gestão de Controladoria Depois de sucessivas crises econômicas, os investidores pressionam cada vez mais pela

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Sem. CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS I II III IV V VI VI I Matriz Curricular válida para os acadêmicos ingressantes

Leia mais

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS (Currículo iniciado em 2012)

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS (Currículo iniciado em 2012) EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS (Currículo iniciado em 2012) ADMINISTRAÇÃO 1915 C/H 102 Breve histórico e fundamentos da administração. Perspectivas da administração: clássica,

Leia mais

Pontuação homologada para o PEPC - 2014

Pontuação homologada para o PEPC - 2014 100 PORCENTO AUDIT 100 PORCENTO AUDIT AGF CONSULT. E TREIN. EMPRESARIAL AGF CONSULT. E TREIN. EMPRESARIAL AGF CONSULT. E TREIN. EMPRESARIAL AGF CONSULT. E TREIN. EMPRESARIAL AGF CONSULT. E TREIN. EMPRESARIAL

Leia mais

FAPAN Faculdade de Agronegócio de Paraíso do Norte

FAPAN Faculdade de Agronegócio de Paraíso do Norte DLPA DEMONSTRAÇÃO DE LUCROS OU PREJUÍZOS ACUMULADOS A DLPA expõe as variações ocorridas, durante o exercício, na conta Lucros ou Prejuízos Acumulados. Ela pode ser incluída na DMPL Demonstração das Mutações

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS»CONTABILIDADE «

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS»CONTABILIDADE « CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS»CONTABILIDADE «21. A respeito das funções da Contabilidade, tem-se a administrativa e a econômica. Qual das alternativas abaixo apresenta uma função econômica? a) Evitar erros

Leia mais

MBA CONTROLES INTERNOS (COMPLIANCE)

MBA CONTROLES INTERNOS (COMPLIANCE) MBA CONTROLES INTERNOS (COMPLIANCE) Disciplinas Carga horária Gestão de Pessoas 12 Ética Empresarial 15 Cálculos Financeiros 18 Estatística 30 Contabilidade Societária e para Instituições Financeiras (com

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR CIÊNCIAS CONTÁBEIS

MATRIZ CURRICULAR CIÊNCIAS CONTÁBEIS Curso: Graduação: Regime: Duração: CIÊNCIAS CONTÁBEIS BACHARELADO MATRIZ CURRICULAR SERIADO ANUAL - NOTURNO 4 (QUATRO) ANOS LETIVOS Integralização: A) TEMPO TOTAL - MÍNIMO = 04 (QUATRO) ANOS LETIVOS -

Leia mais

Antes das alterações no livro propriamente, vejamos alguns temas de caráter geral, que exigem esclarecimentos adicionais.

Antes das alterações no livro propriamente, vejamos alguns temas de caráter geral, que exigem esclarecimentos adicionais. Este texto por finalidade atualizar o livro Contabilidade ESAF Provas Comentadas 6ª edição (Ricardo J. Ferreira, Editora Ferreira), em razão da Lei nº 11.638, de 28 de dezembro de 2007. Antes das alterações

Leia mais

Maratona Fiscal ISS Contabilidade geral

Maratona Fiscal ISS Contabilidade geral Maratona Fiscal ISS Contabilidade geral 1. Em relação ao princípio contábil da Competência, é correto afirmar que (A) o reconhecimento de despesas deve ser efetuado quando houver o efetivo desembolso financeiro

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Julgue os itens a seguir, a respeito da Lei n.º 6.404/197 e suas alterações, da legislação complementar e dos pronunciamentos do Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC). 71 Os gastos incorridos com pesquisa

Leia mais

ANEXO 01 (Conteúdo do EXIN 2016.1 CONTABEIS - Campus Mossoró) 3ª série

ANEXO 01 (Conteúdo do EXIN 2016.1 CONTABEIS - Campus Mossoró) 3ª série ANEXO 01 (Conteúdo do EXIN 2016.1 CONTABEIS - Campus Mossoró) 3ª série CONTABILIDADE INTRODUTORIA II DIREITO TRIBUTARIO LEGISLAÇÃO SOCIAL E TRABALHISTA ORÇAMENTO PUBLICO TEORIA DA CONTABILIDADE CONTEÚDO

Leia mais

Curso Extensivo de Contabilidade Geral

Curso Extensivo de Contabilidade Geral Curso Extensivo de Contabilidade Geral Adelino Correia 4ª Edição Enfoque claro, didático e objetivo Atualizado de acordo com a Lei 11638/07 Inúmeros exercícios de concursos anteriores com gabarito Inclui

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS De acordo com o comando a que cada um dos itens de 51 a 120 se refira, marque, na folha de respostas, para cada item: o campo designado com o código C, caso julgue o item CERTO; ou o campo designado com

Leia mais

DEFENSORIA PÚBLICA ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL 2012. Resolução comentada da prova de Contabilidade Prof. Milton M. Ueta. Analista-Contabilidade

DEFENSORIA PÚBLICA ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL 2012. Resolução comentada da prova de Contabilidade Prof. Milton M. Ueta. Analista-Contabilidade DEFENSORIA PÚBLICA ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL 2012 Resolução comentada da prova de Contabilidade Prof. Milton M. Ueta Analista-Contabilidade 1 Primeiramente, é necessário Apurar o Resultado pois, como

Leia mais

Setembro 2012. Elaborado por: Luciano Perrone O conteúdo desta apostila é de inteira responsabilidade do autor (a).

Setembro 2012. Elaborado por: Luciano Perrone O conteúdo desta apostila é de inteira responsabilidade do autor (a). Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo Tel. (11) 3824-5400, 3824-5433 (teleatendimento), fax (11) 3824-5487 Email: desenvolvimento@crcsp.org.br web: www.crcsp.org.br Rua Rosa e Silva,

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Julgue os itens que se seguem de acordo com a Lei n.º 6.404/1976, atualizada nos pronunciamentos do Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC) e nos princípios fundamentais de contabilidade, adotados pelo

Leia mais

BACEN Técnico 2010 Fundamentos de Contabilidade Resolução Comentada da Prova

BACEN Técnico 2010 Fundamentos de Contabilidade Resolução Comentada da Prova Conteúdo 1 Questões Propostas... 1 2 Comentários e Gabarito... 1 2.1 Questão 41 Depreciação/Amortização/Exaustão/Impairment... 1 2.2 Questão 42 fatos contábeis e regime de competência x caixa... 2 2.3

Leia mais

IFRS EM DEBATE: Aspectos gerais do CPC da Pequena e Média Empresa

IFRS EM DEBATE: Aspectos gerais do CPC da Pequena e Média Empresa IFRS EM DEBATE: Aspectos gerais do CPC da Pequena e Média Empresa outubro/2010 1 SIMPLIFICAÇÃO DOS PRONUNCIAMENTOS: Pronunciamento CPC PME - Contabilidade para Pequenas e Médias Empresas (225 páginas)

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2012 - COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS-AMBEV Versão : 1. Composição do Capital 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2012 - COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS-AMBEV Versão : 1. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 4 Balanço Patrimonial Passivo 6 Demonstração do Resultado 9 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - BANCO BRADESCO SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - BANCO BRADESCO SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 5 Balanço Patrimonial Passivo 9 Demonstração do Resultado 12 Demonstração do Resultado

Leia mais

- Considerando o disposto no Projeto Pedagógico de Curso PPC do Curso de Ciências Contábeis;

- Considerando o disposto no Projeto Pedagógico de Curso PPC do Curso de Ciências Contábeis; RESOLUÇÃO CAS Nº 06/2014 CRIA O REGULAMENTO DAS ATIVIDADES PRATI- CAS DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS DAS FACULDADES INTEGRADAS MACHADO DE ASSIS FEMA. O CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO SUPERIOR, face ao disposto

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS DIRETORIA ACADÊMICA PROGRAMAS E BIBLIOGRAFIAS

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS DIRETORIA ACADÊMICA PROGRAMAS E BIBLIOGRAFIAS DISCIPLINA GL203 NOME Contabilidade I Horas Semanais Teóricas Práticas Laboratório Orientação Distância Estudo em Casa Sala de Aula 04 00 00 00 00 00 04 Nº semanas Carga horária total Créditos Exame Frequência

Leia mais

Demonstrações Contábeis Obrigatórias

Demonstrações Contábeis Obrigatórias Demonstrações Contábeis Obrigatórias 1.Introdução As demonstrações contábeis são os meios pelos quais as empresas e as demais entidades informam à sociedade as condições de seu patrimônio. A legislação

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01896-1 MEHIR HOLDINGS S.A. 04.310.392/0001-46 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01896-1 MEHIR HOLDINGS S.A. 04.310.392/0001-46 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/9/25 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Divulgação Externa O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Considerando as transformações sofridas pela contabilidade brasileira a partir do processo de sua harmonização com as normas ano grupo contábil 1 2 3 internacionais de contabilidade,

Leia mais

CONSOLIDAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS: AJUSTES E ELIMINAÇÕES IMPORTANTES

CONSOLIDAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS: AJUSTES E ELIMINAÇÕES IMPORTANTES CONSOLIDAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS: AJUSTES E ELIMINAÇÕES IMPORTANTES Qual o objetivo da consolidação? O que precisa ser consolidado? Quais são as técnicas de consolidação? Como considerar a participação

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 998, DE 21 DE MAIO DE 2004

RESOLUÇÃO Nº 998, DE 21 DE MAIO DE 2004 CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE RESOLUÇÃO Nº 998, DE 21 DE MAIO DE 2004 Aprova a NBC T 19.2 - Tributos sobre Lucros. O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais,

Leia mais

CGM-SP Auditor Municipal de Controle Interno Geral Prova Objetiva Comentada Contabilidade Geral

CGM-SP Auditor Municipal de Controle Interno Geral Prova Objetiva Comentada Contabilidade Geral CGM-SP Auditor Municipal de Controle Interno Geral Prova Objetiva Comentada Contabilidade Geral Salve, guerreiros(as)! A seguir comentamos as questões de Contabilidade Geral aplicadas no concurso da CGM-SP

Leia mais

QUADRO IV PROGRAMA DE PROVAS

QUADRO IV PROGRAMA DE PROVAS QUADRO IV PROGRAMA DE PROVAS Programa de provas de Português e Matemática para os estágios de Nível Técnico. Língua Portuguesa: Conhecimento gramatical de acordo com o padrão culto da língua; estrutura

Leia mais

RESUMO DAS NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE APLICADAS AO SETOR PÚBLICO

RESUMO DAS NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE APLICADAS AO SETOR PÚBLICO RESUMO DAS NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE APLICADAS AO SETOR PÚBLICO NBC T 16.1 - CONCEITUAÇÃO, OBJETO E CAMPO DE APLICAÇÃO A Contabilidade Pública aplica, no processo gerador de informações, os princípios

Leia mais

Documento gerado em 28/04/2015 13:31:35 Página 1 de 42

Documento gerado em 28/04/2015 13:31:35 Página 1 de 42 DCA-Anexo I-AB Balanço Patrimonial - Ativo e Passivo Padrao Balanço Patrimonial Ativo - Ativo - 1.0.0.0.0.00.00 - Ativo 96.744.139,42 1.1.0.0.0.00.00 - Ativo Circulante 24.681.244,01 1.1.1.0.0.00.00 -

Leia mais

PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 26 APRESENTAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS

PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 26 APRESENTAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 26 APRESENTAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Correlação às Normas Internacionais de Contabilidade IAS 1 Objetivos e considerações gerais sobre as Demonstrações Financeiras Conteúdo

Leia mais

EQUIVALÊNCIA PATRIMONIAL

EQUIVALÊNCIA PATRIMONIAL EQUIVALÊNCIA PATRIMONIAL A equivalência patrimonial é o método que consiste em atualizar o valor contábil do investimento ao valor equivalente à participação societária da sociedade investidora no patrimônio

Leia mais

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM CONTABILIDADE GERENCIAL ESTRATÉGICA

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM CONTABILIDADE GERENCIAL ESTRATÉGICA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM CONTABILIDADE GERENCIAL ESTRATÉGICA Disciplina: Matemática Financeira para Tomada de Decisões (20 horas) Os métodos quantitativos têm sido amplamente

Leia mais

MATERIAL DE APOIO PROFESSOR

MATERIAL DE APOIO PROFESSOR Aula n 04 online MATERIAL DE APOIO PROFESSOR Balanço Patrimonial Plano de Contas É um elemento sistematizado e metódico de todas as contas movimentadas por uma empresa. Cada empresa deverá ter seu próprio

Leia mais

IFRS para PMEs: Seção 35 Adoção Inicial

IFRS para PMEs: Seção 35 Adoção Inicial Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo Tel. (11) 3824-5400, 3824-5433 (teleatendimento), fax (11) 3824-5487 Email: desenvolvimento@crcsp.org.br web: www.crcsp.org.br Rua Rosa e Silva,

Leia mais

NOVAS DIRETRIZES PARA A CONTABILIDADE MUNICIPAL ISAAC DE OLIVEIRA SEABRA TCE-PE

NOVAS DIRETRIZES PARA A CONTABILIDADE MUNICIPAL ISAAC DE OLIVEIRA SEABRA TCE-PE NOVAS DIRETRIZES PARA A CONTABILIDADE MUNICIPAL ISAAC DE OLIVEIRA SEABRA TCE-PE CENÁRIO ANTERIOR Gestão Dívida Financeira Pública ORÇAMENTO PUBLICO Contabilidade Receita e Despesa Demonstrativos Contábeis:

Leia mais

MBK Securitizadora S.A. Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de

MBK Securitizadora S.A. Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de MBK Securitizadora S.A. Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de dezembro de 2012 MBK Securitizadora S.A. Demonstrações Financeiras

Leia mais

Ferramentas da Contabilidade. Tipos de Auditoria. Tipos de Auditoria. Tipos de Auditoria. Objetivo da Auditoria Contábil

Ferramentas da Contabilidade. Tipos de Auditoria. Tipos de Auditoria. Tipos de Auditoria. Objetivo da Auditoria Contábil Ferramentas da Contabilidade Tipos de Auditoria Escrituração Contabilidade de Custos Análise das Demonstrações Contábeis Auditoria * Balanço Patrimonial -- BP, BP, Demonstração do do Resultado do do Exercício

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2012 - PARTICIPAÇÕES INDUST. DO NORDESTE S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2012 - PARTICIPAÇÕES INDUST. DO NORDESTE S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 6 Demonstração do Resultado Abrangente 7 Demonstração

Leia mais

Demonstrações Financeiras Ático Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda.

Demonstrações Financeiras Ático Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda. Demonstrações Financeiras Ático Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda. com Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras Demonstrações financeiras Índice Relatório

Leia mais

2ª edição Ampliada e Revisada. Capítulo 10 Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos

2ª edição Ampliada e Revisada. Capítulo 10 Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos 2ª edição Ampliada e Revisada Capítulo Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos Tópicos do Estudo Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos (Doar). Uma primeira tentativa de estruturar

Leia mais

Contabilidade Avançada Fluxos de Caixa DFC

Contabilidade Avançada Fluxos de Caixa DFC Contabilidade Avançada Demonstração dos Fluxos de Caixa DFC Prof. Dr. Adriano Rodrigues Normas Contábeis: No IASB: IAS 7 Cash Flow Statements No CPC: CPC 03 (R2) Demonstração dos Fluxos de Caixa Fundamentação

Leia mais

Tabela de Fatos - DCA 2014

Tabela de Fatos - DCA 2014 Tabela de Fatos - DCA 2014 Element siconfi-cor:p1.0.0.0.0.00.00 siconfi-cor:p1.1.0.0.0.00.00 siconfi-cor:p1.1.1.0.0.00.00 siconfi-cor:p1.1.1.1.0.00.00 siconfi-cor:p1.1.1.1.1.00.00 siconfi-cor:p1.1.1.1.2.00.00

Leia mais

A Geradora Aluguel de Máquinas S.A.

A Geradora Aluguel de Máquinas S.A. Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo Passivo e patrimônio líquido Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa 17.488 25.888 Fornecedores e outras obrigações 17.561 5.153 Contas a receber

Leia mais

ALTERAÇÕES DA LEI DAS SOCIEDADES POR AÇÕES MARCELO CAVALCANTI ALMEIDA

ALTERAÇÕES DA LEI DAS SOCIEDADES POR AÇÕES MARCELO CAVALCANTI ALMEIDA ALTERAÇÕES DA LEI DAS SOCIEDADES POR AÇÕES MARCELO CAVALCANTI ALMEIDA Sócio da Deloitte e autor de livros da Editora Atlas 1 EVOLUÇÃO Instrução CVM n 457/07 Demonstrações financeiras consolidadas a partir

Leia mais

Balanço Patrimonial. Janeiro à Novembro de 2014 - Anexo 14, da Lei 4.320/64. Exercício Anterior

Balanço Patrimonial. Janeiro à Novembro de 2014 - Anexo 14, da Lei 4.320/64. Exercício Anterior Página 1 de 5 CIRCULANTE 3.458.065,56 1.875.217,00 CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA 2.816.152,90 1.000.561,87 CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA EM MOEDA NACIONAL 2.816.152,90 1.000.561,87 CAIXA E EQUIVALENTES

Leia mais

Mudanças de natureza contábil e alguns ajustes relativos à tributação

Mudanças de natureza contábil e alguns ajustes relativos à tributação A Nova Lei das S/A Lei nº 11.638/07 Introdução Mudanças de natureza contábil e alguns ajustes relativos à tributação Dependência de normatização: CVM, BACEN, SUSEP, CFC e outros LEI nº 11.638 versus Medida

Leia mais

Marketing Prof. Sidney Leone. Hoje Você Aprenderá: Ferramentas. Gestão Financeira: Planejamento Financeiro

Marketing Prof. Sidney Leone. Hoje Você Aprenderá: Ferramentas. Gestão Financeira: Planejamento Financeiro Marketing Prof. Sidney Leone Gestão Financeira: Planejamento Financeiro Hoje Você Aprenderá: Demonstrativos financeiros da empresa (Balanço Patrimonial, DRE, DMPL etc...) Análise econômicofinanceira.(fluxo

Leia mais

RESOLUÇÃO CFC N.º 920/01. Aprova, Da NBC T 10 Dos Aspectos Contábeis Específicos em Entidades Diversas, o item: NBC T 10.8 Entidades Cooperativas.

RESOLUÇÃO CFC N.º 920/01. Aprova, Da NBC T 10 Dos Aspectos Contábeis Específicos em Entidades Diversas, o item: NBC T 10.8 Entidades Cooperativas. RESOLUÇÃO CFC N.º 920/01 Aprova, Da NBC T 10 Dos Aspectos Contábeis Específicos em Entidades Diversas, o item: NBC T 10.8 Entidades Cooperativas. O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas

Leia mais

QUESTÕES PARA A PROVA ESPECÍFICA PARA ATUAÇÃO NA ÁREA DE AUDITORIA NAS INSTITUIÇÕES REGULADAS PELO BANCO CENTRAL DO BRASIL (BACEN)

QUESTÕES PARA A PROVA ESPECÍFICA PARA ATUAÇÃO NA ÁREA DE AUDITORIA NAS INSTITUIÇÕES REGULADAS PELO BANCO CENTRAL DO BRASIL (BACEN) QUESTÕES PARA A PROVA ESPECÍFICA PARA ATUAÇÃO NA ÁREA DE AUDITORIA NAS INSTITUIÇÕES REGULADAS PELO BANCO CENTRAL DO BRASIL (BACEN) 1. As normas e os procedimentos, bem como as Demonstrações Contábeis padronizadas

Leia mais

CONTABILIDADE GERAL E GERENCIAL

CONTABILIDADE GERAL E GERENCIAL CONTABILIDADE GERAL E GERENCIAL AULA 03: ESTRUTURA DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS TÓPICO 03: ORIGEM E EVOLUÇÃO HISTÓRICA DA QUALIDADE A DRE tem por objetivo evidenciar a situação econômica de uma empresa,

Leia mais

GRADUAÇÃO CIÊNCIAS CONTÁBEIS EMENTÁRIO PRIMEIRO PERÍODO

GRADUAÇÃO CIÊNCIAS CONTÁBEIS EMENTÁRIO PRIMEIRO PERÍODO GRADUAÇÃO CIÊNCIAS CONTÁBEIS EMENTÁRIO PRIMEIRO PERÍODO 302101 TEORIAS GERAL DA ADMINISTRAÇÃO A administração e o fenômeno administrativo. Evolução histórica da administração. Evolução do pensamento administrativo.

Leia mais

Contabilidade 2.0 FCC

Contabilidade 2.0 FCC AMOSTRA DA OBRA www.editoraferreira.com.br O sumário aqui apresentado é reprodução fiel do livro. Ricardo J. Ferreira Contabilidade 2.0 FCC teoria e questões sob medida Nota sobre o autor Sumário III Ricardo

Leia mais

LEI N 12.973/14 (CONVERSÃO DA MP N 627/13) ALTERAÇÕES RELEVANTES NA LEGISLAÇÃO TRIBUTÁRIA FEDERAL

LEI N 12.973/14 (CONVERSÃO DA MP N 627/13) ALTERAÇÕES RELEVANTES NA LEGISLAÇÃO TRIBUTÁRIA FEDERAL LEI N 12.973/14 (CONVERSÃO DA MP N 627/13) ALTERAÇÕES RELEVANTES NA LEGISLAÇÃO TRIBUTÁRIA FEDERAL A Lei n 12.973/14, conversão da Medida Provisória n 627/13, traz importantes alterações à legislação tributária

Leia mais

A NOVA CONTABILIDADE NAS ME e EPP-ITG 1000. Claudinei Tonon Julho 2013. Você bem preparado para o futuro da profissão.

A NOVA CONTABILIDADE NAS ME e EPP-ITG 1000. Claudinei Tonon Julho 2013. Você bem preparado para o futuro da profissão. A NOVA CONTABILIDADE NAS ME e EPP-ITG 1000 Claudinei Tonon Julho 2013 Você bem preparado para o futuro da profissão. Categorias de empresas x normas contábeis: Empresas de grande porte: 47 CPCs(+ ou -3.200

Leia mais

ESTRUTURA DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS 1 - BALANÇO PATRIMONIAL CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS TURMA 6º CCN

ESTRUTURA DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS 1 - BALANÇO PATRIMONIAL CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS TURMA 6º CCN CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Disciplina Estrutura e Análise das Demonstrações Contábeis PROFESSOR : Salomão Dantas Soares TURMA 6º CCN AULA 02 Turno/Horário Noturno Apostila

Leia mais

Fiscal - ECF. Me. Fábio Luiz de Carvalho. Varginha-MG, 31.julho.2015

Fiscal - ECF. Me. Fábio Luiz de Carvalho. Varginha-MG, 31.julho.2015 Escrituração Contábil Fiscal - ECF Me. Fábio Luiz de Carvalho Varginha-MG, 31.julho.2015 Causa & Efeito A Lei n. 11.638/07 combinada com os Pronunciamentos emitidos pelo Comitê de Pronunciamentos Contábeis

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2011 - CIA CAT. DE ÁGUAS E SANEAMENTO - CASAN Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2011 - CIA CAT. DE ÁGUAS E SANEAMENTO - CASAN Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Fluxo de Caixa 6 Demonstração das Mutações

Leia mais

TRABALHOS TÉCNICOS Divisão Jurídica ESCRITURAÇÃO CONTÁBIL SIMPLIFICADA PARA MICROEMPRESA E EMPRESA DE PEQUENO PORTE

TRABALHOS TÉCNICOS Divisão Jurídica ESCRITURAÇÃO CONTÁBIL SIMPLIFICADA PARA MICROEMPRESA E EMPRESA DE PEQUENO PORTE TRABALHOS TÉCNICOS Divisão Jurídica ESCRITURAÇÃO CONTÁBIL SIMPLIFICADA PARA MICROEMPRESA E EMPRESA DE PEQUENO PORTE ORIENTAÇÕES RECEBIDAS DO FÓRUM PERMANENTE DAS MICROEMPRESAS E EMPRESAS DE PEQUENO PORTE,

Leia mais

Comentários às Mudanças Contábeis na Lei nº 6.404/76 MP nº 449/08

Comentários às Mudanças Contábeis na Lei nº 6.404/76 MP nº 449/08 Comentários às Mudanças Contábeis na Lei nº 6.404/76 MP nº 449/08 Comentários às Mudanças Contábeis na Lei nº 6.404/76 MP nº 449/08 No dia 3 de dezembro de 2008, foi editada a Medida Provisória nº 449,

Leia mais

CAP ÍTULO 1 AUDITORIA INDEPENDENTE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS 1.1 CONCEITUAÇÃO E OBJETIVOS DA AUDITORIA I NDEP ENDENTE

CAP ÍTULO 1 AUDITORIA INDEPENDENTE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS 1.1 CONCEITUAÇÃO E OBJETIVOS DA AUDITORIA I NDEP ENDENTE www.editoraferreira.com.br CAP ÍTULO 1 AUDITORIA INDEPENDENTE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS 1.1 CONCEITUAÇÃO E OBJETIVOS DA AUDITORIA INDEPENDENTE P ÁGINA 1 Substituir a redação deste item pela seguinte:

Leia mais

MOORE STEPHENS AUDITORES E CONSULTORES

MOORE STEPHENS AUDITORES E CONSULTORES DURATEX COMERCIAL EXPORTADORA S.A. AVALIAÇÃO DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO CONTÁBIL APURADO POR MEIO DOS LIVROS CONTÁBEIS EM 31 DE AGOSTO DE 2015 Escritório Central: Rua Laplace, 96-10 andar - Brooklin - CEP 04622-000

Leia mais

MÓDULO 2 PASSIVO EXIGÍVEL (PE) E RECEITAS DIFERIDAS (ANTIGO RESULTADO DE EXERCÍCIOS FUTUROS (REF))

MÓDULO 2 PASSIVO EXIGÍVEL (PE) E RECEITAS DIFERIDAS (ANTIGO RESULTADO DE EXERCÍCIOS FUTUROS (REF)) CONTABILIDADE INTERMEDIÁRIA CAPÍTULO 2: PASSIVO EXIGÍVEL E RECEITAS DIFERIDAS MATERIAL DE ACOMPANHAMENTO MÓDULO 2 PASSIVO EXIGÍVEL (PE) E RECEITAS DIFERIDAS (ANTIGO RESULTADO DE EXERCÍCIOS FUTUROS (REF))

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão Financeira e Controladoria

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão Financeira e Controladoria Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão Financeira e Controladoria Apresentação O programa de Pós-graduação Lato Sensu em Gestão Financeira e Controladoria tem por objetivo o fornecimento

Leia mais