GESTÃO DE ESTOQUES AVALIAÇÃO DE ESTOQUE

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "GESTÃO DE ESTOQUES AVALIAÇÃO DE ESTOQUE"

Transcrição

1 GESTÃO DE ESTOQUES AVALIAÇÃO DE ESTOQUE Gestão Pública Administração de Recursos Materiais e Patrimoniais Aula 6 Prof. Rafael Roesler

2 Sumário Avaliação de estoques Métodos para avaliação de estoques

3 Introdução Os estoques devem ser registrados (manualmente ou por computador) com a finalidade de controlar a quantidade de materiais estocados tanto em volume físico como em valores financeiros. Como avaliar financeiramente os estoques em termos de preço para permitir informações contábeis ou financeiras atualizadas?

4 Avaliação de Estoques A avaliação dos estoques é o levantamento do valor financeiro dos materiais desde as matérias-primas iniciais, os materiais em processamento, semi-acabados ou acabados, até os produtos acabados tomando por base o preço de custo ou o preço de mercado, preferindo-se geralmente o menor.

5 Avaliação de Estoques A avaliação dos estoques pode ser feita a partir de quatro métodos diferentes: Avaliação pelo Custo Médio; Avaliação pelo método PEPS (FIFO); Avaliação pelo método UEPS (LIFO); Avaliação pelo Custo de Reposição.

6 Avaliação pelo Custo Médio Consiste em avaliar os estoques pelo custo médio de aquisição apurado em cada entrada de mercadoria, ponderado pelas quantidades adicionadas e pelas anteriores existentes. O sistema exige que cada entrada a custo unitário de aquisição diferente do custo médio anterior, necessite de um ajuste do custo médio. É o método mais usado no Brasil, justamente porque é aceito pela fiscalização. (Art. 295, Decreto Nº 3.000, de 26/3/1999).

7 Avaliação pelo Custo Médio O valor de estoque é calculado pela média dos preços de entrada, enquanto o custo de produção é calculado com os materiais avaliados a preço médio. No longo prazo, esse sistema indica os custos reais das compras de material e funciona como um estabilizador ao equilibrar as flutuações de preços que ocorrem ao longo do tempo.

8 Avaliação pelo Método PEPS (FIFO) PEPS primeiro a entrar, primeiro a sair (FIFO first in, first out). A avaliação é feita pela ordem cronológica das entradas. Sai o material que entrou antes (lote mais antigo), cujo preço está baseado no custo em que ele entrou para estoque. Terminado o lote mais antigo aplica-se o preço do segundo lote mais antigo. O saldo em estoque é calculado pelo custo das entradas de material.

9 Avaliação pelo Método PEPS (FIFO) A vantagem desse método é que o valor dos estoques fica sempre atualizado em relação ao valor da última entrada. Isso significa que o valor dos estoques se aproxima dos preços atuais de mercado. Por outro lado, o custo de produção é calculado em função dos valores dos primeiros lotes de entrada.

10 Avaliação pelo Método UEPS (LIFO) UEPS último a entrar, primeiro a sair (LIFO last in, first out). A saída do estoque é feita pelo preço do último lote a entrar no almoxarifado. O valor dos estoques é calculado ao custo do último preço, que normalmente é o mais elevado. Provoca, com isso, a supervaloriação do preço do material computado na produção do PA e, ao final do exercício, produz um crédito positivo de materiais.

11 Avaliação pelo Método UEPS (LIFO) A vantagem desse método reside na simplificação dos cálculos.

12 Avaliação pelo Custo de Reposição É o custo de reposição do estoque que ajusta a avaliação financeira do estoque. O valor do estoque, assim, é sempre atualizado em função dos preços de mercado. Geralmente utiliza-se a equação: CR = PU + ACR CR = custo de reposição PU = preço unitário do material ACR = acréscimo do custo de reposição em porcentagem (%)

13 Avaliação pelo Custo de Reposição

14 Conclusão Dependendo do método utilizado, o resultado líquido da organização no final do exercício poderá ser maior ou menor, refletindo na base do Imposto de Renda a pagar. Por isso, a legislação brasileira somente autoriza o uso do PEPS ou do Custo Médio. Caso a organização opte por utilizar o UEPS, esse critério somente poderá ser empregado para fins gerenciais, já que o método não serve para base de cálculo do IR.

Operações com Mercadorias Sem Impostos

Operações com Mercadorias Sem Impostos Contabilidade Empresarial Operações com Mercadorias Sem Impostos Profa. Vanda Aparecida Oliveira Dalfior Vanda.oliveira@pitagoras.com.br Curso de Ciências Contábeis - 2º. Período (2º. Semestre/2012) Operações

Leia mais

FICHA DE CONTROLE DE ESTOQUE CRITÉRIO PEPS ENTRADA SAÍDA SALDO DATA Quanti Valor Total. Total ade Unitário

FICHA DE CONTROLE DE ESTOQUE CRITÉRIO PEPS ENTRADA SAÍDA SALDO DATA Quanti Valor Total. Total ade Unitário CURSO: CIÊNCIAS CONTÁBEIS DISCIPLINA: CONTABILIDADE GERAL PROFESSOR: JÚLIO CÉSAR PEREIRA MARTINS 1. AVALIAÇÃO DE ESTOQUES 1.1 INVENTÁRIO PERMANENTE É um sistema de controle de estoque onde controlamos

Leia mais

AULA 9 - OPERAÇÕES COM MERCADORIAS

AULA 9 - OPERAÇÕES COM MERCADORIAS AS EMPRESAS COMERCIAIS SÃO AQUELAS CUJO OBJETO SOCIAL É A COMPRA E A REVENDA DE COM OBJETIVO DE LUCRO. O LUCRO OU PREJUÍZO OBTIDO NESSAS OPERAÇÕES É DENOMINADO RESULTADO COM. 21/11/2009 PROF. PAULO VICECONTI

Leia mais

1 Regime de Inventário Permanente

1 Regime de Inventário Permanente 1 Regime de Inventário Permanente... 1 1.1 Primeiro que entra primeiro que sai (PEPS FIFO)... 5 1.2 Média ponderada móvel (Média)... 6 1.3 Último que entra último que sai (UEPS LIFO)... 9 1 Regime de Inventário

Leia mais

IPEP - Custos e Orçamentos 45 Prof. Tamanaha ---------------------------------------------------------------------------

IPEP - Custos e Orçamentos 45 Prof. Tamanaha --------------------------------------------------------------------------- IPEP - Custos e Orçamentos 45 CUSTO DE MATERIAIS MATÉRIA PRIMA : DT Metalúrgica mantém um sistema de requisição de material do almoxarifado de tal forma que possibilita a determinação de o quanto de material

Leia mais

Aula 3 Contextualização

Aula 3 Contextualização Custos Industriais Aula 3 Contextualização Profa. Me. Marinei Abreu Mattos Custos Industriais Uma vez compreendida a terminologia de custos e suas fases durante o processo produtivo, iremos delimitar os

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE ESTOQUES

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE ESTOQUES CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE ESTOQUES No inventário periódico, o controle é feito de períodos em períodos, no momento da apuração do resultado do exercício. Esse intervalo de tempo pode ser semanal, quinzenal,

Leia mais

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM CNPJ: 10.793.118/0001-78 Projeto T2Ti ERP. Módulo Suprimentos. Controle de Estoque

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM CNPJ: 10.793.118/0001-78 Projeto T2Ti ERP. Módulo Suprimentos. Controle de Estoque Módulo Suprimentos Controle de Estoque Objetivo O objetivo deste artigo é dar uma visão geral sobre o Módulo Suprimentos Controle de Estoque. Todas informações aqui disponibilizadas foram retiradas no

Leia mais

Custos Industriais. Custo de aquisição. Custo de aquisição. Métodos de avaliação dos estoques

Custos Industriais. Custo de aquisição. Custo de aquisição. Métodos de avaliação dos estoques s Industriais Prof. M.Sc. Gustavo Meireles 2012 Gustavo S. C. Meireles 1 de aquisição O custo das mercadorias e materiais adquiridos deve incluir todos os gastos necessários para que a mercadoria ou material

Leia mais

Operações Terminais Armazéns. PLT RODRIGUES, Paulo R.A. Gestão Estratégica da Armazenagem. 2ª ed. São Paulo: Aduaneiras, 2007.

Operações Terminais Armazéns. PLT RODRIGUES, Paulo R.A. Gestão Estratégica da Armazenagem. 2ª ed. São Paulo: Aduaneiras, 2007. Operações Terminais Armazéns AULA 3 PLT RODRIGUES, Paulo R.A. Gestão Estratégica da Armazenagem. 2ª ed. São Paulo: Aduaneiras, 2007. A Gestão de Estoques Definição» Os estoques são acúmulos de matériasprimas,

Leia mais

CONTABILIDADE DE CUSTOS. Avaliação de Estoques

CONTABILIDADE DE CUSTOS. Avaliação de Estoques CONTABILIDADE DE CUSTOS Avaliação de Estoques IMPORTÂNCIA DO ESTUDO Importância do estudo dos critérios de avaliação dos estoques se justifica: a aquisição de um mesmo material em datas diferentes, com

Leia mais

Contabilidade Comercial

Contabilidade Comercial Contabilidade Comercial Professor conteudista: Hildebrando Oliveira Revisora: Divane A. Silva Sumário Contabilidade Comercial Unidade I 1 OPERAÇÕES COM MERCADORIAS...1 2 RESULTADO BRUTO COM MERCADORIAS

Leia mais

Taxa de Aplicação de CIP (Custos Indiretos de Produção)

Taxa de Aplicação de CIP (Custos Indiretos de Produção) Projeto Curso Disciplina Tema Professor Pós-graduação MBA em Engenharia de Produção Custos Industriais Aplicação de Custos Diretos e Indiretos Luizete Fabris Introdução tema. Assista à videoaula do professor

Leia mais

Classificação e Codificação de Materiais

Classificação e Codificação de Materiais Localização e Classificação de Estoque Prof. Msc. Marco Aurélio C. da Silva Data: 26/09/2011 Classificação e Codificação de Materiais Estabelecer uma padronização através da identificação, da catalogação,

Leia mais

OPERAÇÕES COM ERCADORIAS

OPERAÇÕES COM ERCADORIAS OPERAÇÕES COM MERCADORIAS OPERAÇÕES COM ERCADORIAS APURAÇÃO DE CUSTO DA MERCADORIA VENDIDA (CMV) As organizações são constituídas com intuito de oferecer bens e/ou serviços ao mercado. Disso, portanto,

Leia mais

Curso Online Contabilidade Concurso do BDMG Teoria e Exercícios Prof. Jaildo Lima

Curso Online Contabilidade Concurso do BDMG Teoria e Exercícios Prof. Jaildo Lima AULA 10 Contabilidade de Custos Parte 2 1. Introdução Nessa aula, estudaremos os critérios de avaliação de estoque, identificando o reflexo que tais critérios tem na apuração dos resultados das empresas.

Leia mais

GESTÃO DE ESTOQUES. Gestão Pública - 1º Ano Administração de Recursos Materiais e Patrimoniais Aula 4 Prof. Rafael Roesler

GESTÃO DE ESTOQUES. Gestão Pública - 1º Ano Administração de Recursos Materiais e Patrimoniais Aula 4 Prof. Rafael Roesler GESTÃO DE ESTOQUES Gestão Pública - 1º Ano Administração de Recursos Materiais e Patrimoniais Aula 4 Prof. Rafael Roesler Sumário Gestão de estoque Conceito de estoque Funções do estoque Estoque de segurança

Leia mais

CONTABILIDADE DE CUSTOS/GERENCIAL PARA CONTÁBEIS/ADMINISTRAÇÃO REVISÃO: CUSTO DE MERCADORIAS E PRODUTOS VENDIDOS.

CONTABILIDADE DE CUSTOS/GERENCIAL PARA CONTÁBEIS/ADMINISTRAÇÃO REVISÃO: CUSTO DE MERCADORIAS E PRODUTOS VENDIDOS. CONTABILIDADE DE CUSTOS/GERENCIAL PARA CONTÁBEIS/ADMINISTRAÇÃO REVISÃO: CUSTO DE MERCADORIAS E PRODUTOS VENDIDOS. AVALIAÇÃO DE ESTOQUES Matérias-Primas e Mercadorias 1. CUSTO DE AQUISIÇÃO DE MERCADORIAS

Leia mais

Recursos Materiais 1

Recursos Materiais 1 Recursos Materiais 1 FCC - 2008 No processo de gestão de materiais, a classificação ABC é uma ordenação dos itens consumidos em função de um valor financeiro. São considerados classe A os itens de estoque

Leia mais

Controle de estoques. Capítulo 6. André Jun Nishizawa

Controle de estoques. Capítulo 6. André Jun Nishizawa Controle de estoques Capítulo 6 Sumário Conceito de estoque Tipos Sistemas de controle de estoques Fichas de estoque Classificação de estoque Dimensionamento de estoque Logística e Cadeia de suprimentos

Leia mais

Artigo publicado na Revista CEPPG Nº 24 1/2011 ISSN 1517-8471 Páginas 37 à 44 RESUMO

Artigo publicado na Revista CEPPG Nº 24 1/2011 ISSN 1517-8471 Páginas 37 à 44 RESUMO CONTROLE DE QUALIDADE NA AVALIAÇÃO DE UM ESTOQUE Andre Luis de Souza Neto 1 RESUMO O presente trabalho justifica-se pela discussão do grande papel da avaliação e controle da qualidade de um estoque em

Leia mais

13. Operações com mercadoria

13. Operações com mercadoria MATERIAL DE APOIO - ENVIADO PELO PROFESSOR 13. Operações com mercadoria Na comercialização de mercadoria (principal objeto de empresa comercial) existirão os tributos; entre eles o ICMS que será estudado

Leia mais

CURSO TÉCNICO EM CONTABILIDADE CONTABILIDADE SOCIETÁRIA

CURSO TÉCNICO EM CONTABILIDADE CONTABILIDADE SOCIETÁRIA 1 CURSO TÉCNICO EM CONTABILIDADE CONTABILIDADE SOCIETÁRIA Prof. Carmem Haab Lutte Cavalcante 2012 2 CONTABILIDADE SOCIETARIA 2 3 1 CONTABILIDADE Conceito de contabilidade, campo de atuação, usuários, objetivos

Leia mais

Contabilidade Financeira I

Contabilidade Financeira I Contabilização de Inventários Contabilidade Financeira I Introdução.. Mensuração/Valorimetria de existências. Contabilização de Inventários comerciais 2 Introdução Inventários: bens armazenáveis que foram

Leia mais

Modulo 01 Exercícios Gestão de Materiais

Modulo 01 Exercícios Gestão de Materiais QUESTÕES DE CONCURSOS Acerca de planejamento e controle da produção, e gestão da cadeia de suprimentos, julgue os seguintes itens. 01. A importância do planejamento da produção decorre principalmente da

Leia mais

SOFOLHA SOLUÇÕES CORPORATIVAS CONSULTORIA TRIBUTÁRIA. SFAutomatus X Controle de Estoque X SFContábil. Obrigação de Avaliar os Estoques

SOFOLHA SOLUÇÕES CORPORATIVAS CONSULTORIA TRIBUTÁRIA. SFAutomatus X Controle de Estoque X SFContábil. Obrigação de Avaliar os Estoques SFAutomatus X Controle de Estoque X SFContábil Legislação Aplicada Obrigação de Avaliar os Estoques Empresas Tributadas com Base no Lucro Real As pessoas jurídicas submetidas à tributação com base no lucro

Leia mais

Contabilidade Geral Questões da FCC

Contabilidade Geral Questões da FCC Olá pessoal!!! Contabilidade Geral Questões da FCC Abaixo seguem duas questões comentadas da FCC cobradas no concurso do TRF da 2ª e 3ª região, ambos para o cargo de Analista Contador. Bons estudos, Roberto

Leia mais

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO Competitividade Perenidade Sobrevivência Evolução Orienta no desenvolvimento de seu negócio de forma estratégica e inovadora à vencer as barreiras internacionais.

Leia mais

Já, o novo Custo Fixo Unitário (CF/u) será outro para o novo volume de produção, ou seja: CF/u = R$ 120.000,00 1.120 = R$ 107,14

Já, o novo Custo Fixo Unitário (CF/u) será outro para o novo volume de produção, ou seja: CF/u = R$ 120.000,00 1.120 = R$ 107,14 Obra: Contabilidade de Custos 1 a edição Autor: Ed Luiz Ferrari Página 45 No enunciado do exercício 22, onde está...300 unidades... deve-se ler...00 unidades... Página 67 O gabarito correto da questão

Leia mais

Aqui seus Resultados Aparecem

Aqui seus Resultados Aparecem Aqui seus Resultados Aparecem 2 Evolution Materiais: Controle de Estoque, Compras Gerencia necessidades de compra para reposição de estoque ou para atender à necessidade de um Centro de Custo. Envolve

Leia mais

CURVA ABC NA GESTÃO DE ESTOQUE RESUMO

CURVA ABC NA GESTÃO DE ESTOQUE RESUMO Carla Milanesi de Oliveira Carla_mila_lala@hotmail.com CURVA ABC NA GESTÃO DE ESTOQUE RESUMO Nos dias atuais, uma das áreas que mais se desenvolvem dentro das organizações sem dúvida é a Gestão dos Estoques,

Leia mais

AUDITORIA DE AVALIAÇÃO DE ESTOQUES

AUDITORIA DE AVALIAÇÃO DE ESTOQUES AUDITORIA DE AVALIAÇÃO DE ESTOQUES 1.0 - CONCEITO A auditoria de Avaliação de Estoques consiste na conferência e análise da avaliação monetária dos estoques de mercadorias destinadas à comercialização

Leia mais

A gestão de estoque no contexto da logística

A gestão de estoque no contexto da logística A gestão de estoque no contexto da logística Beranice Maria de Lima Torquato (Instituição Toledo de Ensino) beranice@terra.com.br Resumo Esse artigo visa avaliar a gestão do estoque dentro da logística.

Leia mais

Armazenagem e controle. Prof. Paulo Medeiros FATEC - Pompéia

Armazenagem e controle. Prof. Paulo Medeiros FATEC - Pompéia Armazenagem e controle Prof. Paulo Medeiros FATEC - Pompéia Armazenagem Armazenagem e manuseio de mercadorias são componentes essenciais do conjunto de atividades logísticas.seus custos podem absorver

Leia mais

Armazenagem e controle. Prof. Paulo Medeiros FATEC - Pompéia

Armazenagem e controle. Prof. Paulo Medeiros FATEC - Pompéia Armazenagem e controle Prof. Paulo Medeiros FATEC - Pompéia Armazenagem Armazenagem e manuseio de mercadorias são componentes essenciais do conjunto de atividades logísticas.seus custos podem absorver

Leia mais

Devolução de mercadoria vendida - Contabilização - Roteiro de Procedimentos

Devolução de mercadoria vendida - Contabilização - Roteiro de Procedimentos Devolução de mercadoria vendida - Contabilização - Roteiro de Procedimentos Neste Roteiro trataremos sobre a contabilização das mercadorias recebidas em devolução. O texto encontra-se atualizado à Resolução

Leia mais

EXERCÍCIO 01. Classificar em: Custos de Fabricação Despesas Administrativas Despesas Comerciais ou de Vendas Lucro

EXERCÍCIO 01. Classificar em: Custos de Fabricação Despesas Administrativas Despesas Comerciais ou de Vendas Lucro EXERCÍCIO 01 Classificar em: Custos de Fabricação Despesas Administrativas Despesas Comerciais ou de Vendas Lucro - Despesas de viagens 1.000 - Material direto 35.000 - Salário da administração 14.000

Leia mais

MPU Gestão de Materiais Parte 03 Janilson Santos

MPU Gestão de Materiais Parte 03 Janilson Santos MPU Gestão de Materiais Parte 03 Janilson Santos 2012 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAL PROF.: JANILSON EXERCÍCIOS CESPE 1) (TJ-DF Técnico)

Leia mais

ESCOLA SUPERIOR ABERTA DO BRASIL ESAB CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM LOGÍSTICA EMPRESARIAL ELIANE DE JESUS ROCHA GESTÃO DE ESTOQUE

ESCOLA SUPERIOR ABERTA DO BRASIL ESAB CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM LOGÍSTICA EMPRESARIAL ELIANE DE JESUS ROCHA GESTÃO DE ESTOQUE ESCOLA SUPERIOR ABERTA DO BRASIL ESAB CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM LOGÍSTICA EMPRESARIAL ELIANE DE JESUS ROCHA GESTÃO DE ESTOQUE VILA VELHA - ES 2010 ELIANE DE JESUS ROCHA GESTÃO DE ESTOQUE Monografia

Leia mais

CONTABILIDADE BÁSICA Aula: Operações com Mercadorias

CONTABILIDADE BÁSICA Aula: Operações com Mercadorias CONTABILIDADE BÁSICA Aula: Operações com Mercadorias Professora M. Sc. (Mestre) Crísley do Carmo Dalto Mestre em Ciências Contábeis- Contabilidade Gerencial Especialista em Contabilidade Gerencial Resultado

Leia mais

O CONTROLE DE ESTOQUE COMO FERRAMENTA COMPETITIVA NAS ORGANIZAÇÕES

O CONTROLE DE ESTOQUE COMO FERRAMENTA COMPETITIVA NAS ORGANIZAÇÕES 1 O CONTROLE DE ESTOQUE COMO FERRAMENTA COMPETITIVA NAS ORGANIZAÇÕES Cesar Paulo Lomba (Discente do 4º período de Tecnologia de Gestão Financeira das Faculdades Integradas de Três Lagoas AEMS) Maria Luzia

Leia mais

Oficina Técnica. Estoques (Métodos de Avaliação do Estoque pelas Normas Contábeis e Fiscais) Fevereiro 2013. Elaborado por: Walter Luiz Quaglio

Oficina Técnica. Estoques (Métodos de Avaliação do Estoque pelas Normas Contábeis e Fiscais) Fevereiro 2013. Elaborado por: Walter Luiz Quaglio Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo Tel. (11) 3824-5400, 3824-5433 (teleatendimento), fax (11) 3824-5487 Email: desenvolvimento@crcsp.org.br web: www.crcsp.org.br Rua Rosa e Silva,

Leia mais

1.1 Caracterização do problema

1.1 Caracterização do problema 4 1. INTRODUÇÃO A gestão de materiais controla a quantidade em estoque à disposição dos setores produtivos e administrativos da empresa, mas refere-se também à sua valorização, ou seja, serve para fornecer

Leia mais

SOCIEDADE DE EDUCAÇÃO DO VALE DO IPOJUCA SESVALI FACULDADE DO VALE DO IPOJUCA FAVIP DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS

SOCIEDADE DE EDUCAÇÃO DO VALE DO IPOJUCA SESVALI FACULDADE DO VALE DO IPOJUCA FAVIP DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS SOCIEDADE DE EDUCAÇÃO DO VALE DO IPOJUCA SESVALI FACULDADE DO VALE DO IPOJUCA FAVIP DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS FÁBIO AMÉRICO DO SANTOS A UTILIZAÇÃO DO CONTROLE DE ESTOQUE

Leia mais

CURVA ABC NA GESTÃO DE ESTOQUE Carla Milanesi de Oliveira - carla_mila_lala@hotmail.com RESUMO

CURVA ABC NA GESTÃO DE ESTOQUE Carla Milanesi de Oliveira - carla_mila_lala@hotmail.com RESUMO CURVA ABC NA GESTÃO DE ESTOQUE Carla Milanesi de Oliveira - carla_mila_lala@hotmail.com RESUMO Nos dias atuais, uma das áreas que mais se desenvolvem dentro das organizações sem dúvida é a Gestão dos Estoques,

Leia mais

AUTOR(ES): CRISTIANE LEONCIO DE MELO, GISLAINE APARECIDA PAULINO ADRIANO, NATALIA ANGUINONI DA SILVA

AUTOR(ES): CRISTIANE LEONCIO DE MELO, GISLAINE APARECIDA PAULINO ADRIANO, NATALIA ANGUINONI DA SILVA TÍTULO: SISTEMA DE INVENTARIO NA AREA DE TRABALHO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE JAGUARIÚNA AUTOR(ES): CRISTIANE LEONCIO DE MELO,

Leia mais

expert PDF Trial Estoques (Métodos de Avaliação do Estoque pelas Normas Contábeis e Fiscais)

expert PDF Trial Estoques (Métodos de Avaliação do Estoque pelas Normas Contábeis e Fiscais) Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo Tel. (11) 3824-5400 - ramal 1529 (núcleo de relacionamento) Email: desenvolvimento@crcsp.org.br web: www.crcsp.org.br Rua Rosa e Silva, 60 Higienópolis

Leia mais

Introdução l Resumo Exercícios 15 Demonstrações Contábeis

Introdução l Resumo Exercícios 15 Demonstrações Contábeis Introdução l 1. l Um breve histórico l l.2 Definição do termo Contabilidade 2 1.3 O processo contábil 3 1.3.1 Posicionamento do contador em relação à empresa 4 l.4 Ramos de atuação da Contabilidade 5 l.4.

Leia mais

DICAS PARA EXAME DE SUFICIÊNCIA CUSTOS

DICAS PARA EXAME DE SUFICIÊNCIA CUSTOS 1 DICAS PARA EXAME DE SUFICIÊNCIA CUSTOS CUSTODIO ROCHA Você bem preparado para o futuro da 2profissão. 1 OBJETIVOS Identificação do Conteúdo de Custos Aplicado nas Provas de Suficiência Breve Revisão

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS INSTITUTO DE CIÊNCIAS GERÊNCIAIS E ECONÔMICAS Ciências Contábeis Contabilidade em moeda constante e conversão de demonstrações contábeis para moeda estrangeira

Leia mais

http://www.itcnet.com.br/materias/printable.php

http://www.itcnet.com.br/materias/printable.php Página 1 de 5 1 de Setembro, 2011 Impresso por ANDERSON JACKSON TOASSI DEVOLUÇÃO DE MERCADORIAS COMPRADAS NAS OPERAÇÕES COMERCIAIS 1 - Introdução Nas relações comerciais as operações de devolução e retorno

Leia mais

Armazenagem e controle. Prof. Paulo Medeiros FATEC - Marília

Armazenagem e controle. Prof. Paulo Medeiros FATEC - Marília Armazenagem e controle Prof. Paulo Medeiros FATEC - Marília Armazenagem Armazenagem e manuseio de mercadorias são componentes essenciais do conjunto de atividades logísticas.seus custos podem absorver

Leia mais

Gestão de Operações V

Gestão de Operações V Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade e Atuária Departamento de Administração Gestão de Operações V 2ª Apostila Prof. Marcio Cardoso Machado

Leia mais

No prazo de 11 (onze) meses, no caso de aquisições ocorridas em agosto de 2011;

No prazo de 11 (onze) meses, no caso de aquisições ocorridas em agosto de 2011; Créditos sobre ativo imobilizado novas regras: A MP 540 artigo 4, de 2 de agosto de 2011 introduz novas regras para a tomada de crédito sobre itens do ativo imobilizado, conforme destacamos a seguir: O

Leia mais

Os valores totais do Ativo e do Patrimônio Líquido são, respectivamente,

Os valores totais do Ativo e do Patrimônio Líquido são, respectivamente, Faculdade de Tecnologia SENAC Goiás Exercícios de Contabilidade Professora Niuza Adriane da Silva 1º A empresa XYZ adquire mercadorias para revenda, com promessa de pagamento em 3 parcelas iguais, sendo

Leia mais

Custeio por Absorção. Prof. Laércio Juarez Melz

Custeio por Absorção. Prof. Laércio Juarez Melz Custeio por Absorção Prof. Laércio Juarez Melz Introdução Método que apropria os custos diretos e indiretos ao produto. Os custos diretos são atribuídos com ajuda de controles específicos: Controle de

Leia mais

Unidade IV CONTABILIDADE COMERCIAL. Profa. Divane Silva

Unidade IV CONTABILIDADE COMERCIAL. Profa. Divane Silva Unidade IV CONTABILIDADE COMERCIAL Profa. Divane Silva A disciplina está dividida em 04 Unidades: Unidade I 1. Operações com Mercadorias 2. Resultado Bruto com Mercadorias (RCM) 3. Custo das Mercadorias

Leia mais

Coletânea de questões para BACEN CESPE PARTE 2 RECURSOS MATERIAIS. Prof. Gilberto Porto

Coletânea de questões para BACEN CESPE PARTE 2 RECURSOS MATERIAIS. Prof. Gilberto Porto Coletânea de questões para BACEN CESPE PARTE 2 RECURSOS MATERIAIS Prof. Gilberto Porto Recursos Materiais Prova: CESPE - 2013 - MPU - Técnico AdministraMvo Na figura, a curva ABC representa uma situação

Leia mais

Apostilas OBJETIVA Ano X - Concurso Público 2015. Conteúdo

Apostilas OBJETIVA Ano X - Concurso Público 2015. Conteúdo Conteúdo 1 Classificação de materiais. 1.1 Atributos para classificação de materiais. 1.2 Tipos de classificação. 2 Gestão de estoques. 3 Compras. 3.1 Organização do setor de compras. 3.2 Etapas do processo.

Leia mais

LEITURA COMPLEMENTAR UNIDADE II

LEITURA COMPLEMENTAR UNIDADE II LEITURA COMPLEMENTAR UNIDADE II A leitura complementar tem como objetivo reforçar os conteúdos estudados e esclarecer alguns assuntos que facilitem a compreensão e auxiliem na elaboração da atividade.

Leia mais

Administração de Materiais

Administração de Materiais Administração de Materiais vanessa2010.araujo@gmail.com EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO Subsistemas Adm. Materiais 1) (CESPE-SGA/AC 2008) A Administração de materiais busca coordenar os estoques e a movimentação

Leia mais

UNISALESIANO- LINS CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICO SALESIANO AUXILIUM CONTABILIDADE AVANÇADA II CONTABILIDADE EM MOEDA FORTE

UNISALESIANO- LINS CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICO SALESIANO AUXILIUM CONTABILIDADE AVANÇADA II CONTABILIDADE EM MOEDA FORTE UNISALESIANO- LINS CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICO SALESIANO AUXILIUM CONTABILIDADE AVANÇADA II CONTABILIDADE EM MOEDA FORTE PROF. M.Sc. RICARDO GONÇALVES DOS SANTOS LINS-SP/2012 1 TEORIA CONTÁBIL DO LUCRO

Leia mais

4 Fatos Contábeis que Afetam a Situação Líquida: Receitas, Custos, Despesas, Encargos, Perdas e Provisões, 66

4 Fatos Contábeis que Afetam a Situação Líquida: Receitas, Custos, Despesas, Encargos, Perdas e Provisões, 66 Apresentação Parte I - CONCEITOS FUNDAMENTAIS DE CONTABILIDADE, 1 1 Introdução ao Estudo da Ciência Contábil, 3 1 Conceito, 3 2 Objeto, 3 3 Finalidade, 4 4 Técnicas contábeis, 4 5 Campo de aplicação, 5

Leia mais

AULA 04 Movimentação e Armazenagem de Materiais. Prof. Dr. Daniel Bertoli Gonçalves

AULA 04 Movimentação e Armazenagem de Materiais. Prof. Dr. Daniel Bertoli Gonçalves AULA 04 Movimentação e Armazenagem de Materiais Prof. Dr. Daniel Bertoli Gonçalves PORQUE EXISTE ESTOQUE? se o fornecimento ocorresse exatamente quando fosse demandado, um item nunca seria estocado. 2

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Nas questões de 31 a 60, marque, para cada uma, a única opção correta, de acordo com o respectivo comando. Para as devidas marcações, use a folha de respostas, único documento válido para a correção das

Leia mais

SCE. Sistema de Controle de Estoque

SCE. Sistema de Controle de Estoque SCE Sistema de Controle de Estoque SCE SISTEMA DE CONTRLE DE ESTOQUES - CADASRO - CFOP Cadastro da Natureza de Operação. - CADASRO Fornecedores Cadastro dos Fornecedores. Inclusão de todos os fornecedores

Leia mais

AVALIAÇÃO DO METODO DE MENSURAÇÃO DOS ESTOQUES EM UMA EMPRESA S.A. UM ESTUDO DE CASO

AVALIAÇÃO DO METODO DE MENSURAÇÃO DOS ESTOQUES EM UMA EMPRESA S.A. UM ESTUDO DE CASO AVALIAÇÃO DO METODO DE MENSURAÇÃO DOS ESTOQUES EM UMA EMPRESA S.A. UM ESTUDO DE CASO GILMAR LIMA RODRIGUES a219563318@fumec.edu.br Fumec Carlos Alberto de Souza carlosprofs@gmail.com Fumec e Una Vanda

Leia mais

Cobertura de Estoques-Antigiro (Prazo médio de Rotação)

Cobertura de Estoques-Antigiro (Prazo médio de Rotação) Aula 3 Adm. de Materiais-TRE- ALEX DINIZ INDICADORES Giro de estoques Rotação de Estoques GIRO é a média de entrada e saída de um item em estoque, A unidade que este vem expresso é o inverso da unidade

Leia mais

Controle de Estoques

Controle de Estoques Controle de Estoques Valores em torno de um Negócio Forma Produção Marketing Posse Negócio Tempo Lugar Logística Atividades Primárias da Logística Transportes Estoques Processamento dos pedidos. Sumário

Leia mais

Durante o mês de dezembro a Companhia efetuou as seguintes transações:

Durante o mês de dezembro a Companhia efetuou as seguintes transações: Durante o mês de dezembro a Companhia efetuou as seguintes transações: 1) Antecipação do pagamento de uma duplicata de $ 140.000 a um de seus fornecedores, com 2% de desconto. i 2) Efetuou os seguintes

Leia mais

FACAPE 2008.2 - CURSO DE ADMINISTRAÇÃO 3.º PERÍODO PROF. WALDENIR S. F. BRITTO - CONTABIILIDADE BÁSICA

FACAPE 2008.2 - CURSO DE ADMINISTRAÇÃO 3.º PERÍODO PROF. WALDENIR S. F. BRITTO - CONTABIILIDADE BÁSICA FACAPE 2008.2 - CURSO DE ADMINISTRAÇÃO 3.º PERÍODO PROF. WALDENIR S. F. BRITTO - CONTABIILIDADE BÁSICA 1 - RESPONDA TODOS OS EXERCICIOS UTILIZANDO OS TRÊS MÉTODOS DE CONTROLE DO ESTOQUE INVENTARIO PERMANENTE.

Leia mais

OPERAÇÕES COM MERCADORIAS: INVENTÁRIO PERMANENTE INTRODUÇÃO

OPERAÇÕES COM MERCADORIAS: INVENTÁRIO PERMANENTE INTRODUÇÃO OPERAÇÕES COM MERCADORIAS: INVENTÁRIO PERMANENTE INTRODUÇÃO Se tiver dúvidas sobre um dos assuntos estudados até aqui, procure o professor, o colega, qualquer contador que conheça, Não fique pra trás!!!!

Leia mais

RESULTADO COM MERCADORIAS!!!

RESULTADO COM MERCADORIAS!!! RESULTADO COM MERCADORIAS!!! Aula 26/10/2009 RCM Já aprendemos como é contabilizada a venda de uma mercadoria! Os valores das vendas e dos custos foram informados, mas no dia a dia, na maioria das vezes

Leia mais

Contabilidade Parte II

Contabilidade Parte II Contabilidade Parte II Módulo I - Operações com mercadorias, preço e lucro adaptado por Sylvia Culhari Lucro pelo inventário periódico Apurar o lucro utilizando-se do inventário periódico, ou seja: Sendo:

Leia mais

20/03/2012 PORQUE EXISTE ESTOQUE? se o fornecimento ocorresse exatamente quando fosse demandado, um item nunca seria estocado.

20/03/2012 PORQUE EXISTE ESTOQUE? se o fornecimento ocorresse exatamente quando fosse demandado, um item nunca seria estocado. PORQUE EXISTE ESTOQUE? AULA 04 Movimentação e Armazenagem de Materiais Prof. Dr. Daniel Bertoli Gonçalves se o fornecimento ocorresse exatamente quando fosse demandado, um item nunca seria estocado. 2

Leia mais

GESTÃO DE ESTOQUE: UMA COMPARAÇÃO ENTRE OS MÉTODOS DE AVALIAÇÃO NA MOVIMENTAÇÃO DOS ESTOQUES EM UMA AGROINDÚSTRIA DO SUL DO ESTADO DE SANTA CATARINA

GESTÃO DE ESTOQUE: UMA COMPARAÇÃO ENTRE OS MÉTODOS DE AVALIAÇÃO NA MOVIMENTAÇÃO DOS ESTOQUES EM UMA AGROINDÚSTRIA DO SUL DO ESTADO DE SANTA CATARINA UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE UNESC CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS TIAGO DE FAVERI GESTÃO DE ESTOQUE: UMA COMPARAÇÃO ENTRE OS MÉTODOS DE AVALIAÇÃO NA MOVIMENTAÇÃO DOS ESTOQUES EM UMA AGROINDÚSTRIA

Leia mais

GESTÃO DE RECURSOS PATRIMONIAIS E LOGÍSTICOS

GESTÃO DE RECURSOS PATRIMONIAIS E LOGÍSTICOS Unidade III GESTÃO DE RECURSOS PATRIMONIAIS E LOGÍSTICOS Prof. Fernando Leonel Conteúdo da aula de hoje 1. Custos dos estoques 2. Custos diretamente proporcionais 3. Custos inversamente proporcionais 4.

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS De acordo com o comando a que cada um dos itens de 51 a 120 se refira, marque, na folha de respostas, para cada item: o campo designado com o código C, caso julgue o item CERTO; ou o campo designado com

Leia mais

219 Ciências Contábeis

219 Ciências Contábeis UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ PROCESSO DE OCUPAÇÃO DE VAGAS REMANESCENTES NÚCLEO DE CONCURSOS Edital n 06/2015 UOVR/COPAP/NC/PROGRAD / UFPR Prova Objetiva 18/10/2015 219 Ciências Contábeis INSTRUÇÕES

Leia mais

Análise dos Estoques Administração de Materiais e Recursos Patrimoniais Martins & Alt Editora Saraiva

Análise dos Estoques Administração de Materiais e Recursos Patrimoniais Martins & Alt Editora Saraiva CAPÍTULO Análise dos Estoques 1 Gestão de Estoques Série de ações que permitem ao administrador verificar se os estoques estão sendo bem utilizados, bem localizados em relação aos setores que deles se

Leia mais

Profa. Marinalva Barboza. Unidade IV RECURSOS MATERIAIS E

Profa. Marinalva Barboza. Unidade IV RECURSOS MATERIAIS E Profa. Marinalva Barboza Unidade IV RECURSOS MATERIAIS E PATRIMONIAIS Custos dos estoques Para manter estoque, é necessário: quantificar; identificar. Quanto custa manter estoque? Quais os custos envolvidos

Leia mais

AJES - FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS E ADMINISTRAÇÃO DO VALE DO JURUENA BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO

AJES - FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS E ADMINISTRAÇÃO DO VALE DO JURUENA BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO AJES - FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS E ADMINISTRAÇÃO DO VALE DO JURUENA BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO A GESTÃO DE ESTOQUE COMO FATOR GERADOR DE LUCROS NO SETOR VAREJISTA Autor: Antonio Marcos Gonçalves

Leia mais

Técnico em Logística. Estoques. Luciana Bazante de Oliveira

Técnico em Logística. Estoques. Luciana Bazante de Oliveira Técnico em Logística Estoques Luciana Bazante de Oliveira 2015 C Presidenta da República Dilma Vana Rousseff Vice-presidente da República Michel Temer Ministro da Educação Cid Ferreira Gomes Secretário

Leia mais

INVENTÁRIOS (IAS 2) Conceitos gerais Mensuração e perdas por imparidade Inventário permanente e intermitente CMVMC e variação da produção

INVENTÁRIOS (IAS 2) Conceitos gerais Mensuração e perdas por imparidade Inventário permanente e intermitente CMVMC e variação da produção AULA 05 INVENTÁRIOS (IAS 2) Conceitos gerais Mensuração e perdas por imparidade Inventário permanente e intermitente CMVMC e variação da produção - Contabilidade Financeira II 2007/ 2008 2º Semestre 1

Leia mais

NBC TSP 10 - Contabilidade e Evidenciação em Economia Altamente Inflacionária

NBC TSP 10 - Contabilidade e Evidenciação em Economia Altamente Inflacionária NBC TSP 10 - Contabilidade e Evidenciação em Economia Altamente Inflacionária Alcance 1. Uma entidade que prepara e apresenta Demonstrações Contábeis sob o regime de competência deve aplicar esta Norma

Leia mais

Entradas Saídas Saldos. Custo unitário Total R$

Entradas Saídas Saldos. Custo unitário Total R$ MANUAL/TUTORIAL Data: 09/12/2013 Página:1 O que é o Kardex? Kardex é um registro que guarda as informações de todas as movimentações do produto, sendo provenientes de documentos fiscais ou não fiscais

Leia mais

Professora Gleicilene S. Mello

Professora Gleicilene S. Mello ORGANIZAÇÃO INDUSTRIAL E ADMINISTRAÇÃO ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ Professora Gleicilene S. Mello Administração de Materiais Objetivo principal de uma empresa: maximizar

Leia mais

Helena Isidro e Isabel Lourenço Professoras Associadas ISCTE-IUL Aula Teórica nº 10

Helena Isidro e Isabel Lourenço Professoras Associadas ISCTE-IUL Aula Teórica nº 10 Helena Isidro e Isabel Lourenço Professoras Associadas ISCTE-IUL 1 Aula Teórica nº 10 Capítulo 6 Reporte e interpretação do custo das vendas e inventários Financial Accounting, Cap. 4 Short, Short, Libby,

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico ETEC Paulino Botelho Código: 091 Município: São Carlos (SP) Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional Técnica de Nível Médio de Auxiliar

Leia mais

LOGÍSTICA E CADEIA DE SUPRIMENTOS. rfsouza@fatecinternacional.com.br

LOGÍSTICA E CADEIA DE SUPRIMENTOS. rfsouza@fatecinternacional.com.br LOGÍSTICA E CADEIA DE SUPRIMENTOS PROF. RODRIGO FREITAS DE SOUZA REVISÃO rfsouza@fatecinternacional.com.br Objetivo da Logística Fazer chegar a quantidade certa das mercadorias certas ao local certo, no

Leia mais

GESTÃO DE ESTOQUE E A IMPORTÂNCIA DA CURVA ABC

GESTÃO DE ESTOQUE E A IMPORTÂNCIA DA CURVA ABC GESTÃO DE ESTOQUE E A IMPORTÂNCIA DA CURVA ABC Diego Loprete Leandro Parinos Luiz Fernando Pacheco Luiz Henrique Baptista Pereira Profº Esp. Francisco Vendrame Lins SP 2009 0 GESTÃO DE ESTOQUE E A IMPORTÂNCIA

Leia mais

Definir os procedimentos para gestão dos bens e materiais do TJAC.

Definir os procedimentos para gestão dos bens e materiais do TJAC. Código: MAP-DILOG-004 Versão: 00 Data de Emissão: 01/01/2013 Elaborado por: Gerência de Bens e Materiais Aprovado por: Diretoria de Logística 1 OBJETIVO Definir os procedimentos para gestão dos bens e

Leia mais

Contabilidade Básica PRINCÍPIOS CONTÁBEIS E OPERAÇÕES COM MERCADORIAS. Prof. Me. Antonio Luiz Santos

Contabilidade Básica PRINCÍPIOS CONTÁBEIS E OPERAÇÕES COM MERCADORIAS. Prof. Me. Antonio Luiz Santos Contabilidade Básica PRINCÍPIOS CONTÁBEIS E OPERAÇÕES COM MERCADORIAS Contabilidade Básica Controle de Estoque Inventário Permanente: Nesse sistema, o custo das mercadorias vendidas é apurado no momento

Leia mais

Tópicos Contemp. de Contabilidade ( Contabilidade Internacional) 16-08-2013 - ETEC GUARACY. Prof. Procópio 3º CONTAB Aula - 4

Tópicos Contemp. de Contabilidade ( Contabilidade Internacional) 16-08-2013 - ETEC GUARACY. Prof. Procópio 3º CONTAB Aula - 4 AULA 4 Princípios e Convenções Além dos princípios éticos no exercício de sua profissão, o contador, deverá observar e aplicar os princípios e convenções contábeis, porque são eles que norteiam e direcionam

Leia mais

Controlo e Gestão de Stocks

Controlo e Gestão de Stocks Publicação Nº 13-19 Maio 2010 Controlo e Gestão de Stocks PONTOS DE INTERESSE: Gestão de Stocks Sistemas de Inventário Controlo das saídas Uma gestão eficaz dos stocks é importante para qualquer empresa,

Leia mais

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LOGISTICA EMPRESARIAL PROJETO A VEZ DO MESTRE

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LOGISTICA EMPRESARIAL PROJETO A VEZ DO MESTRE UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LOGISTICA EMPRESARIAL PROJETO A VEZ DO MESTRE COMO ESTABELECER UM SISTEMA DE POLITICA DE GESTÃO DE ESTOQUE Por: MARCELO RIBEIRO FERREIRA Orientador Prof. JORGE

Leia mais

17/08/2010 PORQUE EXISTE ESTOQUE? se o fornecimento ocorresse exatamente quando fosse demandado, um item nunca seria estocado.

17/08/2010 PORQUE EXISTE ESTOQUE? se o fornecimento ocorresse exatamente quando fosse demandado, um item nunca seria estocado. Administração de Materiais: Estoques PORQUE EXISTE ESTOQUE? AULA 05 Gestão de Estoques se o fornecimento ocorresse exatamente quando fosse demandado, um item nunca seria estocado. 2 DEFINIÇÃO DE ESTOQUE

Leia mais

Sumário. Capítulo 1. Conceitos Básicos...1. Cap00.indd 17 15/02/2016 10:18:53

Sumário. Capítulo 1. Conceitos Básicos...1. Cap00.indd 17 15/02/2016 10:18:53 Sumário Capítulo 1 Conceitos Básicos...1 1. Contabilidade...1 1.1. Conceitos...1 1.2. Campo de Aplicação...2 1.3. Funções da Contabilidade...2 1.4. Usuários da Informação Contábil...3 1.5. Técnicas Contábeis

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS APLICADAS ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS B

INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS APLICADAS ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS B 2 INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS APLICADAS ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS B GERÊNCIAMENTO E CONTROLE DE ESTOQUE Guilherme Demo Limeira SP 2005 3 GUILHERME DEMO GERÊNCIAMENTO E CONTROLE DE ESTOQUE Projeto científico

Leia mais