Processamento de dados Visual 3D

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Processamento de dados Visual 3D"

Transcrição

1 Página 1 de 14 Processamento de dados Visual 3D Visão geral do programa O que é? Vantagens - Software de análise biomecânica, principalmente relacionado à análise e modelagem de movimento tridimensional. - Minimiza a necessidade de desenvolvimento de softwares para customizar a realidade da pesquisa. - Permite gerenciar dados de captura do movimento. - Durante o processo de análise, o software mantém os dados originais sem modificá-los, o que permite, o reprocessamento a qualquer momento Extensão dos arquivos CMO Arquivo que salva todo o ambiente de trabalho, ou seja, irá englobar os arquivos que são adicionados para análise, modelos, dados processados, assim como os relatórios produzidos. C3D Arquivo que representa cada coleta de dados Outras extensões também existem para salvar p.ex. o modelo utilizado na pesquisa como template Observação: Levar em consideração se algum procedimento já foi realizado no QTM. - Área de trabalho dividia em abas - Pipelines Organização básica Workspace Status Tab Local em que estarão presentes os arquivos de coleta (modelo, arquivos da coleta dos movimentos) Signal and Events Tab Local em que há a animação da coleta, conteúdo dos arquivos originais C3D, local em que os dados calculados serão exibidos, delimitação dos eventos. Models Tab Local em que será construído o modelo biomecânico Reports Tab Local em que irá definir e construir o relatório para ser impresso Real-Time Tab Local em que os dados podem ser vistos e processados em tempo real Conjunto de comandos para processamento de dados

2 Página 2 de 14 - Indicação do arquivo que está sendo analisado Criação do modelo - Clicar em Model/Create (Add Static Calibration File)/Hybrid Model form C3DFile - Na janela Select the calibration file for the new model, selecionar o arquivo de coleta estática exportado do QTM - O Visual 3D irá mudar para o modo Model Building Nesse momento, pode ser aplicado um Model Template, caso já exista algum salvo para a coleta de pesquisa. Do contrário, deve ser realizado a criação do modelo. Model Template Criação do modelo: - Criação de segmentos - É um arquivo ASCII que contêm as definições e especificações das marcas e segmentos. - Salvo como.mdh - Pode ser aplicado a diferentes voluntários Clicar na aba Models Ir em Segments Observar que já há opções de segmentos no próprio software. Contudo, pode ser criado também novos segmentos. Caso o processamento envolva somente dados cinemáticos, marcar a opção Kinematic only. Caso não seja somente cinemática, o software irá solicitar a massa corporal total e a altura. No segmento criado, definir as marcas anatômicas proximais e distais do segmento. As marcas serão aquelas já nomeadas no QTM. Indicar a marca lateral e medial de cada segmento. Observação: A referência de proximal e distal é o centro de massa. Nessa perspectiva, no caso do tronco as marcas mais inferiores são as marcas proximais e as mais superiores, as marcas distais. Observação: O modelo do Visual 3D é nomeado como sendo um modelo conectado, ou seja, a articulação é definida como a ligação (conexão mecânica) entre a parte distal de um segmento e a parte proximal do outro.

3 Página 3 de 14 A partir das marcas anatômicas definidas, o software determina a orientação dos eixos X, Y e Z. Definição das marcas de rastreamento (Tracking targets). No mínimo 3 marcas de rastreamento, não colineares. Clicar em Apply Ir em Segments Properties Comentar: Massa do segmento: É proporcional a massa corporal total e com uma constante (Dempster) Comprimento: Foi calculado com base na localização das marcas anatômicas Geometria do segmento: Os segmentos já nomeados pelo software apresentam essa característica pré-definida. Baseado nessas definições, o software já cria os valores inerciais e centro de massa. Clicar em Modify Segment Coordinate System - Todos os segmentos devem ter o mesmo sistema de coordenadas que deve ser o mesmo do laboratório; - Considerando dois sistemas de coordenadas, o Visual 3D realiza os cálculos entre pontos desses sistemas por meio de transformações de coordenadas que são expressas por meio de matrizes e computadas por meio de álgebra de matrizes. - Demais itens: Landmarks No caso da integração com o QTM, para a maior parte dos segmentos, não é necessária a criação de marcas extras. Subject Data/Metrics Observar que algumas variáveis são editáveis, como massa, altura, gravidade. As demais variáveis já foram calculadas pelo software e não há como editar. - Especificidade do Segmento Pé Rígido

4 Página 4 de 14 Ao considerar os marcadores anatômicos proximais para o segmento pé rígido como sendo os maléolos lateral e medial, o pé tende a ficar com o seu eixo em flexão plantar. Para minimizar esse problema, uma estratégia é criar o pé virtual, com o objetivo de deixar a articulação do tornozelo na posição zero grau na postura estática. O pé virtual pode ser criado por meio de dois métodos: Método 1 Definir o sistema de coordenada do segmento pé virtual como sendo o mesmo do segmento perna. Para isso é definido as mesmas marcas proximais e distais do segmento perna para o segmento pé virtual. - Na aba Segments, criar o segmento Right/Left Virtual Foot, indicar como sendo do tipo Visual 3D e marcar o item Kinematic Only. Observação: Somente análise cinemática pode ser realizada com qualquer segmento virtual. - Definir as marcas anatômicas como sendo as mesmas marcas proximais e distais da perna. - No item Extra Target to Define Orientation (if needed), colocar Location: Lateral: None - Definir as marcas de rastreamento como as marcas de rastreamento do segmento pé. Método 2 Esse método consiste em projetar as marcas usadas para definir o pé no mesmo plano, em que, por conveniência, pode ser utilizado o chão do laboratório. Criação de 3 marcas do laboratório: Landmark Name: Lab_Origin Starting Point: Não colocar nada Existing Segment: LAB Offset Using the Following ML/AP/AXIAL Offset Eixo ML=0, Eixo AP=0, Eixo Axial=0 Calibration Only Landmark: Deixar desmarcado Landmark Name: Lab_Y (Observação: Marca relacionada ao eixo ML) Starting Point: Não colocar nada Existing Segment: LAB Offset Using the Following ML/AP/AXIAL Offset Eixo ML=0.1, Eixo AP=0, Eixo Axial=0

5 Página 5 de 14 Calibration Only Landmark: Deixar desmarcado Landmark Name: Lab_X (Observação: Marca relacionada ao eixo AP) Starting Point: Não colocar nada Existing Segment: LAB Offset Using the Following ML/AP/AXIAL Offset Eixo ML=0, Eixo AP=0.1, Eixo Axial=0 Calibration Only Landmark: Deixar desmarcado Criação de 3 marcas projetadas Landmark Name: ML Floor (Observação: Marca projetada do maléolo lateral) Starting Point: Lab Origin Targets and/or Landmarks: Marcar Ending Point: Lab Y Lateral Object: Lab X Project From: ML (Observação: Marca do maléolo lateral) Calibration Only Landmark: Marcar Landmark Name: MM Floor (Observação: Marca projetada do maléolo medial) Starting Point: Lab Origin Targets and/or Landmarks: Marcar Ending Point: Lab Y Lateral Object: Lab X Project From: MM (Observação: Marca do maléolo medial) Calibration Only Landmark: Marcar Landmark Name: C5MT Floor (Observação: Marca projetada da cabeça do 5º metatarso) Starting Point: Lab Origin

6 Página 6 de 14 Targets and/or Landmarks: Marcar Ending Point: Lab Y Lateral Object: Lab X Project From: C5MT (Observação: Marca da cabeça do 5º metatarso) Calibration Only Landmark: Marcar Caso tenha a marca anatômica da cabeça do 1º metatarso Landmark Name: C1MT Floor (Observação: Marca projetada da cabeça do 1º metatarso) Starting Point: Lab Origin Targets and/or Landmarks: Marcar Ending Point: Lab Y Lateral Object: Lab X Project From: C1MT (Observação: Marca da cabeça do 1º metatarso) Calibration Only Landmark: Marcar Esse método não colocará a articulação do tornozelo a zero grau na postura ortostática (coleta estática), mas irá criar o sistema de coordenada do segmento paralelo ao plano do chão. Esse procedimento é conveniente para descrever o ângulo do segmento pé relativo ao laboratório, e também produz um ângulo do tornozelo que é próximo de zero na postura ortostática (se a perna está vertical, o ângulo será zero). Define Proximal Joint and Radius Lateral: ML Floor Joint: None Medial: MM Floor Define Distal Joint and Radius Lateral: C5MT Floor Joint: None

7 Página 7 de 14 Medial: C1MT Floor Extra Target To Define Orientation (if needed) Location: Lateral: None Select Tracking Markers Selecionar as marcas de rastreamento do pé Abrindo arquivos das coletas dinâmicas - File/Open/Add - Selecionar Insert new files into your currently open workspace - Clicar OK - Selecionar os arquivos desejados e clicar em Open - Verificar se os arquivos dinâmicos apareceram na coluna Motion Files, no modo Workspace - Para associar os arquivos dinâmicos abertos com o modelo: - No menu Model, selecionar Assign Model to Motion Files - Na próxima janela, indicar os arquivos que se deseja associar com o modelo e clicar em OK Analisando os arquivos das coletas dinâmicas - No modo Workspace, clicar duas vezes no arquivo dinâmico que se deseja analisar, ou selecionar alguma tag criada Criação de tags - Os arquivos dinâmicos podem ser associados por meio da criação de tags. Esse processo realiza o agrupamento de arquivos dinâmicos de forma que eles possam ser processados em conjunto. - Para criação de tags, clique no botão Add new file tag, presente no modo Workspace. - Identifique a tag criada por meio de um nome. - Para deletar uma tag: Quando nenhum arquivo é associado a uma tag, ao mudar para qualquer outra página, essa tag será excluída. - Processamento do sinal - Filtro e interpolação

8 Página 8 de 14 Interpolação Processo de preenchimento de lacunas na série temporal dos dados. Esse preenchimento é realizado por meio do ajuste de mínimos quadrados de polinômio cuja a ordem é determinada pelo usuário. Além disso, o usuário determina o Num Fit, em que se determina quantos quadros antes e após a lacuna serão usados para o cálculo dos coeficientes do polinômio, assim como o Maximum Gap, em que se indica a quantidade máxima de quadros que podem ser substituídos pelos valores da interpolação. Esse processo pode ser executado clicando com o botão direito no dado desejado ou por meio de Pipeline. Lowpass filter (Filtro passa baixa) Observação: O Visual 3D utiliza um filtro Butterworth Bidirecional de segunda ordem tanto para o filtro Lowpass quanto Highpass. A quantidade de vezes que o filtro passa determinada a ordem do filtro. Dessa forma, a ordem mínima do filtro, será de 4ª ordem (ou seja, ao selecionar passar uma vez). Esse filtro pode ser rodado ao clicar com o botão direito no dado que se deseja rodar ou por meio de comando Pipeline. O usuário pode determinar a frequência de corte (cutoff frequency). Para dados cinemáticos de marcha, de acordo com os estudos apresentados em Winter (2009), a frequência de corte mais indicada seria a 6 Hz. Como os filtros digitais não funcionam adequadamente no final da série de dados, o Visual 3D apara (buffer) a série de dados em suas duas extremidades. O usuário pode determinar para o dado ser refletido ao início e final da série e/ou que os dados sejam linearmente extrapolados ao início e ao fim da série de dados. Por exemplo, se for escolhido para refletir 10 pontos (# Samples reflected) e o tamanho do buffer é ajustado em 20, 10 pontos serão refletidos no início da série, enquanto que no final, 10 quadros serão adicionados na série de dados por extrapolação linear. Após o processo de filtragem, o buffer é retirado. Todo sinal processado irá aparecer em uma subpasta Processed. O Visual 3D criará somente uma pasta Processed, ou seja, essa pasta terá sempre o processamento mais recente do sinal. Se clicar com o botão esquerdo do mouse sobre a pasta, abrirá uma janela (Data View) com abas. Uma dessas abas é a Signal Processing History, em que são identificados todos os passos já realizados de análise. Caso se deseje proteger uma pasta Processed para não ser sobreposta no próximo processamento, a pasta deve ser renomeada. Assim, no próximo processamento, o Visual 3D irá criar uma nova pasta Processed.

9 Página 9 de 14 - Criação de ângulos - Processo pode ser realizado por meio do menu Model/Compute Model Based Data ou então por meio do Pipeline correspondente - Todo o processo de geração baseado no modelo (Compute Model Based Data), considerará a modelagem de corpos rígidos - Definição: O ângulo articular é definido como a orientação de um segmento relativo a outro. Esses segmentos não precisam necessariamente estar conectados ou nem mesmo perto um do outro. Ao iniciar o processo do Compute Model Based Data, irá abrir uma janela com os seguintes itens: - Data name: Colocar o nome do ângulo a ser criado - Model Based Item Properties: Selecionar Joint Angle - Negate: O Visual 3D sempre computa todos os sinais baseados na regra da mão direita. Essa regra consiste em alinhar o polegar na direção do eixo que deseja se analisar, a direção dos demais dedos indica para qual direção o movimento articular será positivo. A direção contrária será negativa. Por exemplo, no esquema abaixo, o polegar está alinhado com o eixo médiolateral do quadril, indicando que o movimento de flexão do quadril direito será positivo, enquanto o de extensão será negativo. Considerando essa regra, podem ocorrer diferenças entre os lados direito e esquerdo para um mesmo segmento, assim como pode ser gerado uma direção que irá contra a referência da literatura que está sendo utilizada para definição do que seria positivo ou negativo. Nesses casos, ao negar um eixo (X, Y ou Z), o dado gerado apresentará as direções (positiva ou negativa) invertidas do que seria a definição da regra da mão direita. - Normalization: O processo de normalização significa que quando os segmentos da coleta dinâmica estiverem na mesma postura relativa aos mesmos segmentos da postura estática, o ângulo articular será zero.

10 Página 10 de 14 Nesse processo, a posição ortostática da coleta estática e a coleta dinâmica devem estar alinhadas com os eixos do laboratório, o que nem sempre é possível. Assim, essa é uma opção que não é geralmente recomendada utilizar. - Segment e Reference Segment O Segment seria o segmento que se deseja analisar em referência a outro (Reference Segment). Por exemplo, para criação do ângulo do joelho, comumente utiliza-se como Segment como sendo a perna e o Reference Segment como sendo a coxa. Geralmente, o Segment é o segmento distal a articulação, enquanto o Reference Segment é o segmento proximal. - Resolution Coordinate System: - Para a definição dos movimentos do segmento no espaço, são necessários dois processos de transformação de coordenadas: Transformação das coordenadas globais de referência (coordenadas do laboratório) para às coordenadas das marcas de rastreamento e a transformação das coordenadas das marcas de rastreamento para as coordenadas das marcas anatômicas. Essas transformações ocorrem por meio de rotações, sendo necessário definir a sequência como os eixos irão rodar. Dessa forma, ao definir uma sequência de rotações: Y (médio-lateral), X (ântero-posterior) e Z (súpero-inferior), isso significaria que inicialmente rodou-se ao redor eixo Y primeiramente, sem seguida ao redor do novo eixo X (sua posição mudou devido a mudança do eixo Y) e por último, ao redor do novo eixo Z. De acordo com Winter (2009), a sequência X, Z, Y é conhecida como sistema de Cardan e a sequência Y, X, Z, como sistema de Euler. - O Visual 3D dá liberdade ao usuário para definir a sequência que desejar. - Clicar em Create - Logo em seguida, irá aparecer uma janela Processing Results. Essa uma janela que indica qualquer erro durante o processamento de dados solicitados. Ela também indica quais arquivos de coletas dinâmicas foram utilizados durante o processamento. Além disso, ao realizar algumas análises, essa janela também indicará todos os passos realizados durante a mesma, o que ocorre, por exemplo, ao se utilizar uma lista de comandos por meio do Pipeline. - Uma pasta (LINK_MODEL_BASED) será criada, em que conterá os resultados do ângulo pedido. - Explorando o dado criado: - Ao clicar com o botão direito do mouse no dado criado (dentro da pasta LINK_MODEL_BASED) há opções para: - Graph X; Graph Y; Graph Z: Criação de gráficos em cada eixo

11 Página 11 de 14 - Graph X, Y and Z: Criação dos gráficos nos três eixos - Remove All Graphs: Remover gráficos existentes no canto direito da janela. Esse comando também pode ser executado ao clicar com o botão direito do mouse na região dos gráficos. Ao realizar esse procedimento, haverá a opção de remoção de somente um gráfico ou de todos os gráficos. Na escolha da primeira opção, será aberto uma janela, em que o gráfico desejado pode ser escolhido para remoção. - Delete Data: Apagar o dado criado - Generate Metric: Opção com alguns comandos para análise, como média do dado, que podem também ser encontrados por meio do Pipeline - Criação de Momento Articular - Pressupostos: - Forças articulares são iguais e opostos ao redor da articulação. - Momentos articulares são iguais e opostos ao redor da articulação - O Visual 3D calcula o Momento Interno - Na janela do Compute Model Based Data (a mesma janela para criação de ângulos articulares), considerar os itens: - Model Based Item Properties: Joint_Moment - Negate: A interpretação do que é positivo ou negativo é baseado na regra da mão direita, como na determinação dos ângulos. - Normalization: - Normalize using default normalization: Utiliza a massa do voluntário para normalizar - Normalize to local metric value: Utiliza outro valor calculado pelo usuário. Ao selecionar esse item, aparecerá as opções de outros valores para serem utilizados, dentro de Metric - Normalize to GLOBAL metric value: Similar ao anterior, exceto que assume que o sinal é GLOBAL. - Joint: Selecionar a articulação de interesse. Por exemplo, RKNEE (nome padrão) é parte proximal do segmento perna. - Resolution Coordinate System: Usualmente, seleciona-se o segmento proximal à articulação que está sendo analisada

12 Página 12 de 14 - Criação de eventos Procedimento para delimitação de períodos para serem analisados na série temporal. Por exemplo, criação dos eventos contato inicial e retirada do pé para delimitação da fase de apoio da marcha. A criação de eventos pode ser feita de várias maneiras. Por exemplo, a literatura apresenta descrição para delimitação do evento contato inicial da marcha por meio cinemático (mínimo valor no eixo súpero-inferior da marca mais inferior do retropé) ou por meio cinético (quando a plataforma de força registra o primeiro valor em Z). Além de eventos característicos para cada movimento analisado, podem ser criados eventos para delimitação de outras variáveis de interesse específicos da pesquisa, como por exemplo, a determinação do evento início e fim para delimitar a o período da série temporal coletada para ser analisado. A criação dos eventos pode ser realizada manualmente ou por meio de Pipelines. - Determinação manual por meio de gráfico - Abrir o gráfico desejado, por exemplo, o eixo Z da força de reação do solo - Clicar duas vezes com o botão esquerdo do mouse no quadro em que ocorre o primeiro registro de força - Nomear o evento, por exemplo, CI (Contato Inicial) - Determinação por meio do Pipeline Automatic Gait Events Disponível quando a coleta utiliza plataforma de força - No comando Pipeline, selecionar Event Creation/Automatic_Gait_Events - Ao clicar duas vezes com o botão esquerdo do mouse no nome Automatic Gait Events, que aparece na lista de pipelines presente no meio da janela, abrirá a janela de edição desse comando. A edição também pode ser acessada clicando no botão Edit no canto inferior direito da janela Pipeline Workshop - Na janela de edição desse comando, o eixo que indica a direção da gravidade - Clicar em Done e em seguida em Execute Pipeline - Para destacar o evento no gráfico, clique com o botão direito no evento desejado dentro da pasta EVENT_LABEL e marque a opção Highlight Event on Graphs - Editando um evento: - Clicar no ícone EDIT EVENTS - Na janela que surgirá, o evento pode ser editado quanto ao quadro em que foi criado, copiado ou renomeado

13 Página 13 de 14 Criando Relatórios A aba Report apresenta as opções para criação de relatórios. No geral, as informações são gerenciadas nesse espaço por meio da determinação da página, linha e coluna. Cada página do relatório pode ter um número diferente de linhas e colunas, de acordo com desejo do usuário. Após a criação de um relatório modelo, o mesmo pode ser salvo como Report Template Report Template - Contém o layout da página dos gráficos e tabelas selecionados; - Não contêm dados, uma vez que cada gráfico está referenciando um local específico na área de trabalho; - Para reutilizar o template é necessário usar os mesmos nomes de marcas, eventos, métricas, abas, entre outros. - Relatório das variáveis espaço-temporais - No modo Report, selecionar Temporal and Distance Metrics em Item to add - Clicar em Add - Na janela seguinte, Edit Temporal Distance Properties, selecionar o nome dos eventos criados para os eventos indicados na janela (Left Heel Strike Label,..., Right Toe Off Label), assim como para as demais informações solicitadas. Caso haja somente parte das informações (por exemplo, somente foi avaliado um membro inferior), ainda sim pode ser gerado as variáveis espaço-temporais correspondentes ao dado coletado. - Relatório dos gráficos - Selecionar 2D Graph em Item to add - Clicar em Add

14 Página 14 de 14 1 Define a localização (Column, Row, Page) e o tamanho do gráfico (Span). A opção Span define o número de linhas e colunas que o gráfico irá ocupar. 2 Define a cor e estilo da linha, assim como permite a criação de linhas no gráfico para representar a média e o desvio padrão. 3 Define o grupo de arquivos que irá fornecer os dados para o gráfico. Dessa forma, pode ser colocado alguma tag criada no modo Workspace ou então selecionar ALL_FILES para que seja considerado todos os arquivos dinâmicos 4 Define o eixo X 5 Normaliza os dados para apresentação, como por exemplo, fase de apoio da marcha 6 Define o eixo Y 7 Permite a criação, visualização dentro da janela do gráfico 2D 8 Permite a criação de anotações específicas no gráfico

ArcMAP (parte 2) Rodar o ArcMap teclar: Iniciar > Todos os programas > ArcGIS > ArcMap. Sobre a janela selecionar o item An existing map:

ArcMAP (parte 2) Rodar o ArcMap teclar: Iniciar > Todos os programas > ArcGIS > ArcMap. Sobre a janela selecionar o item An existing map: ArcMAP (parte 2) Nesta parte do tutorial, você irá mapear cada tipo de uso da terra dentro do noise contour. Você adicionará dados ao seu mapa, desenhará feições baseadas em atributos, selecionará feições

Leia mais

TÉCNICAS DE CAD PARA ENGENHARIA CIVIL AULA 2 2. FUNÇÕES BÁSICAS / ESTRUTURAS DE COMANDOS. 3. COMO DEFINIR UMA SEÇÃO DE TRABALHO (Arquivo)

TÉCNICAS DE CAD PARA ENGENHARIA CIVIL AULA 2 2. FUNÇÕES BÁSICAS / ESTRUTURAS DE COMANDOS. 3. COMO DEFINIR UMA SEÇÃO DE TRABALHO (Arquivo) Profs. Paula Viero e Beatriz Lima TÉCNICAS DE CAD PARA ENGENHARIA CIVIL AULA 2 1. O AUTOCAD 2. FUNÇÕES BÁSICAS / ESTRUTURAS DE COMANDOS 3. COMO DEFINIR UMA SEÇÃO DE TRABALHO (Arquivo) 4. ALGUNS COMANDOS

Leia mais

Apostila de CmapTools 3.4

Apostila de CmapTools 3.4 Apostila de CmapTools 3.4 Índice Definição do software... 3 Criando um novo mapa... 3 Adicionando um conceito... 3 Alterando a formatação das caixas (Barra de Ferramentas Estilos Paleta Styles)... 7 Guia

Leia mais

Autodesk Civil 3D. Adaptado para o Brasil

Autodesk Civil 3D. Adaptado para o Brasil Autodesk Civil 3D Adaptado para o Brasil Abordamos a parte de labels do Civil3D onde criei uma sequência de comandos que no final resultaram na formatação típica brasileira para identificar estes componentes

Leia mais

Informática Aplicada. Aula 2 Windows Vista. Professora: Cintia Caetano

Informática Aplicada. Aula 2 Windows Vista. Professora: Cintia Caetano Informática Aplicada Aula 2 Windows Vista Professora: Cintia Caetano AMBIENTE WINDOWS O Microsoft Windows é um sistema operacional que possui aparência e apresentação aperfeiçoadas para que o trabalho

Leia mais

ATENÇÃO. Leitura Indispensável

ATENÇÃO. Leitura Indispensável ATENÇÃO Leitura Indispensável O Guia Rápido do Asure ID 2009 foi criado com base na versão Exchange, ou seja, a versão mais completa da linha Asure ID 2009, portanto, os usuários de outras versões ao utilizarem

Leia mais

Tutorial Administrativo (Backoffice)

Tutorial Administrativo (Backoffice) Manual - Software ENTRANDO NO SISTEMA BACKOFFICE Para entrar no sitema Backoffice, digite no seu navegador de internet o seguinte endereço: http://pesquisa.webbyapp.com/ Entre com o login e senha. Caso

Leia mais

Resumo. Maria Bernadete Barison apresenta aulas práticas sobre RETAS em Desenho Geométrico. Geométrica vol.1 n.1d. 2006 RETAS CAD

Resumo. Maria Bernadete Barison apresenta aulas práticas sobre RETAS em Desenho Geométrico. Geométrica vol.1 n.1d. 2006 RETAS CAD 1 1. INTRODUÇÃO. RETAS CAD Iniciaremos o estudo das retas construindo no CAD alguns exercícios já construídos na aula teórica utilizando a régua e o compasso. Entretanto, o nosso compasso aqui será o comando

Leia mais

GERENCIADOR DE CONTEÚDO

GERENCIADOR DE CONTEÚDO 1/1313 MANUAL DO USUÁRIO GERENCIADOR DE CONTEÚDO CRISTAL 2/13 ÍNDICE 1. OBJETIVO......3 2. OPERAÇÃO DOS MÓDULOS......3 2.1 GERENCIADOR DE CONTEÚDO......3 2.2 ADMINISTRAÇÃO......4 Perfil de Acesso:... 4

Leia mais

Manual da Ferramenta Metadata Editor

Manual da Ferramenta Metadata Editor 4 de março de 2010 Sumário 1 Introdução 3 2 Objetivos 3 3 Visão Geral 3 3.1 Instalação............................. 3 3.2 Legenda.............................. 4 3.3 Configuração Inicial........................

Leia mais

APOSTILA BÁSICA COMO UTILIZAR A LOUSA DIGITAL E O SOFTWARE SMART NOTEBOOK

APOSTILA BÁSICA COMO UTILIZAR A LOUSA DIGITAL E O SOFTWARE SMART NOTEBOOK APOSTILA BÁSICA COMO UTILIZAR A LOUSA DIGITAL E O SOFTWARE SMART NOTEBOOK 1 SÚMARIO ASSUNTO PÁGINA Componentes da Lousa... 03 Função Básica... 04 Função Bandeja de Canetas... 05 Calibrando a Lousa... 06

Leia mais

Microsoft Office Excel

Microsoft Office Excel 1 Microsoft Office Excel Introdução ao Excel Um dos programas mais úteis em um escritório é, sem dúvida, o Microsoft Excel. Ele é uma planilha eletrônica que permite tabelar dados, organizar formulários,

Leia mais

APOSTILA WORD BÁSICO

APOSTILA WORD BÁSICO APOSTILA WORD BÁSICO Apresentação O WORD é um editor de textos, que pertence ao Pacote Office da Microsoft. Suas principais características são: criação de textos, cartas, memorandos, documentos, mala

Leia mais

Manual de Configuração de Exportação/Importação de arquivos (MultiSET/SISCEL)

Manual de Configuração de Exportação/Importação de arquivos (MultiSET/SISCEL) Manual de Configuração de Exportação/Importação de arquivos (MultiSET/SISCEL) ÍNDICE Configuração do MultiSET para exportação de arquivo para o SISCEL... 3 Transporte do arquivo do MACINTOSH para o PC...

Leia mais

Barra de ferramentas padrão. Barra de formatação. Barra de desenho Painel de Tarefas

Barra de ferramentas padrão. Barra de formatação. Barra de desenho Painel de Tarefas Microsoft Power Point 2003 No Microsoft PowerPoint 2003, você cria sua apresentação usando apenas um arquivo, ele contém tudo o que você precisa uma estrutura para sua apresentação, os slides, o material

Leia mais

Manual de Instalação: Agente do OCS Inventory NG

Manual de Instalação: Agente do OCS Inventory NG Manual de Instalação: Agente do OCS Inventory NG Abril 2013 Sumário 1. Agente... 1 2. Onde instalar... 1 3. Etapas da Instalação do Agente... 1 a. Etapa de Instalação do Agente... 1 b. Etapa de Inserção

Leia mais

Criar um Aplicativo de Realidade Aumentada

Criar um Aplicativo de Realidade Aumentada Escola Superior de Educação de Santarém Criar um Aplicativo de Realidade Aumentada Exercício 2 Nuno Lopes Data 21 Maio 2013 26 Maio 2013 Passo 1: Criar um novo projeto 1- Dar o nome ao projeto de projeto_ra

Leia mais

Veja abaixo um exemplo de como os dados são mostrados quando usamos o

Veja abaixo um exemplo de como os dados são mostrados quando usamos o Objeto DataGridView O controle DataGridView é um dos objetos utilizados para exibir dados de tabelas de um banco de dados. Ele está disponível na guia de objetos Data na janela de objetos do vb.net. Será

Leia mais

Centro Universitário do Triângulo Introdução ao Ambiente Delphi

Centro Universitário do Triângulo Introdução ao Ambiente Delphi Centro Universitário do Triângulo Introdução ao Ambiente Delphi A figura abaixo mostra a tela inicial do Delphi 7 e nos dá uma visão geral de seu ambiente de desenvolvimento, composto de múltiplas janelas

Leia mais

Manual de utilização GDS Touch PAINEL TOUCH-SCREEN CONTROLE RESIDENCIAL INTERATIVO. Versão: 1.0 Direitos reservados.

Manual de utilização GDS Touch PAINEL TOUCH-SCREEN CONTROLE RESIDENCIAL INTERATIVO. Versão: 1.0 Direitos reservados. Bem Vindo GDS TOUCH Manual de utilização GDS Touch PAINEL TOUCH-SCREEN CONTROLE RESIDENCIAL INTERATIVO O GDS Touch é um painel wireless touchscreen de controle residencial, com design totalmente 3D, interativo

Leia mais

PROF. Ms. GUSTAVO CELESTINO MARTINS PROF. Dr. GUANIS DE BARROS VILELA JUNIOR

PROF. Ms. GUSTAVO CELESTINO MARTINS PROF. Dr. GUANIS DE BARROS VILELA JUNIOR PROF. Ms. GUSTAVO CELESTINO MARTINS PROF. Dr. GUANIS DE BARROS VILELA JUNIOR ANTES DE INICIAR O SKILLSPECTOR Realizar a filmagem; Passar a filmagem para o computador; Utilizar um programa de edição de

Leia mais

Microsoft Excel 2000. Alan Cleber Borim - alan.borim@poli.usp.br. http://www.pcs.usp.br/~alan

Microsoft Excel 2000. Alan Cleber Borim - alan.borim@poli.usp.br. http://www.pcs.usp.br/~alan Microsoft Excel 2000 Alan Cleber Borim - alan.borim@poli.usp.br http://www.pcs.usp.br/~alan Microsoft Índice 1.0 Microsoft Excel 2000 3 1.1 Acessando o Excel 3 1.2 Como sair do Excel 3 1.3 Elementos da

Leia mais

Consultas a banco de dados no ArcView

Consultas a banco de dados no ArcView UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS INSTITUTO DE GEOCIÊNCIAS DEPARTAMENTO DE CARTOGRAFIA Laboratório de Geoprocessamento Grazielle Anjos Carvalho Belo Horizonte, 2007 A consulta ao banco de dados no Arcview

Leia mais

Treinamento de Drupal para Administradores do Site Bibliotecas UFU

Treinamento de Drupal para Administradores do Site Bibliotecas UFU Treinamento de Drupal para Administradores do Site Bibliotecas UFU 1 1. Como logar no sistema como usuário autenticado Para logar no sistema como usuário autenticado é necessário digitar /user na frente

Leia mais

MANUAL DE NAVEGAÇÃO DO MILLENNIUM BUSINESS

MANUAL DE NAVEGAÇÃO DO MILLENNIUM BUSINESS MANUAL DE NAVEGAÇÃO DO MILLENNIUM BUSINESS 1 Conteúdo Apresentação... 3 1 Página Principal do Sistema... 4 2 Telas de busca... 8 3 Teclas de Navegação... 11 4 Tela de Menu de Relatório... 12 5 Telas de

Leia mais

Criando Banco de Dados, Tabelas e Campos através do HeidiSQL. Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011

Criando Banco de Dados, Tabelas e Campos através do HeidiSQL. Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011 Criando Banco de Dados, Tabelas e Campos através do HeidiSQL Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011 Edição 2 Pedreiros da Informação Criando Banco de Dados, Tabelas e Campos através do HeidiSQL

Leia mais

MVREP- Manual do Gerador de Relatórios. ÍNDICE

MVREP- Manual do Gerador de Relatórios. ÍNDICE ÍNDICE ÍNDICE... 1 CAPÍTULO 01 PREPARAÇÃO DO AMBIENTE... 2 1.1 IMPORTAÇÃO DO DICIONÁRIO DE DADOS... 2 CAPÍTULO 02 CADASTRO E CONFIGURAÇÃO DE RELATÓRIOS... 4 2.1 CADASTRO DE RELATÓRIOS... 4 2.2 SELEÇÃO

Leia mais

Primavera P6 EPPM 15.2

Primavera P6 EPPM 15.2 Primavera P6 EPPM 15.2 Conheça o mais novo release lançado pela Oracle. o Funcionalidade de Busca e Substituição Global (Global Search and Replace) A nova funcionalidade de busca e substituição global

Leia mais

Microsoft Power Point - Manual de Apoio

Microsoft Power Point - Manual de Apoio Microsoft Power Point - Manual de Apoio Pág. 1 de 26 Apresentação e introdução O ambiente de trabalho do Power Point. Abrir, guardar e iniciar apresentações. Obter ajuda enquanto trabalha. Principais barras

Leia mais

Capítulo 7 O Gerenciador de Arquivos

Capítulo 7 O Gerenciador de Arquivos Capítulo 7 O Gerenciador de Arquivos Neste capítulo nós iremos examinar as características da interface do gerenciador de arquivos Konqueror. Através dele realizaremos as principais operações com arquivos

Leia mais

CRM MITIS GERAR SMP PELO ASSISTENTE

CRM MITIS GERAR SMP PELO ASSISTENTE CRM MITIS GERAR SMP PELO ASSISTENTE INFORMAÇÕES INICIAIS... 3 PÁGINA INICIAL-CADASTRO DE VISITAS... 3 AGENDA DE VISITAS JANELA PRINCIPAL... 3 CADASTRO DE VISITAS... 3 GERAR SMP PELO ASSISTENTE... 4 PREENCHIMENTO

Leia mais

Montar planilhas de uma forma organizada e clara.

Montar planilhas de uma forma organizada e clara. 1 Treinamento do Office 2007 EXCEL Objetivos Após concluir este curso você poderá: Montar planilhas de uma forma organizada e clara. Layout da planilha Inserir gráficos Realizar operações matemáticas 2

Leia mais

EDITOR DE TEXTO BROFFICE WRITER

EDITOR DE TEXTO BROFFICE WRITER 1 1 Editor de Texto BrOffice Writer O Writer é o editor de texto do pacote OpenOffice, que corresponde ao Microsoft Word. Um editor de texto é um programa com recursos para formatação de texto que poderá

Leia mais

Passo- a- passo SKILLSPECTOR Software gratuito para análise cinemática Procedimentos para configuração, digitalização e calibragem

Passo- a- passo SKILLSPECTOR Software gratuito para análise cinemática Procedimentos para configuração, digitalização e calibragem Passo- a- passo SKILLSPECTOR Software gratuito para análise cinemática Procedimentos para configuração, digitalização e calibragem Prof. Dr. Ricardo Martins de Souza O passo- a- passo a seguir tem como

Leia mais

Lição 4 - Primeiros passos no Linux Ubuntu 11.04

Lição 4 - Primeiros passos no Linux Ubuntu 11.04 Lição 4 - Primeiros passos no Linux Ubuntu 11.04 Olá Aluno Os objetivos específicos desta lição são: - reconhecer o Ubuntu como mais uma alternativa de sistema operacional; - conhecer os elementos da área

Leia mais

BrOffice Impress. FREDERICO J. D. MÖLLER PET Mecatrônica/BSI IF Sudeste MG Campus Juiz de Forta. Frederico Möller

BrOffice Impress. FREDERICO J. D. MÖLLER PET Mecatrônica/BSI IF Sudeste MG Campus Juiz de Forta. Frederico Möller BrOffice Impress FREDERICO J. D. MÖLLER PET Mecatrônica/BSI IF Sudeste MG Campus Juiz de Forta Objetivos: Apresentar conceitos básicos sobre software livre e informática. Apresentar a interface do BrOffice

Leia mais

PROCEDIMENTOS DE BACKUP/RESTORE SQL SERVER 2005

PROCEDIMENTOS DE BACKUP/RESTORE SQL SERVER 2005 PROCEDIMENTOS DE BACKUP/RESTORE SQL SERVER 2005 SUMÁRIO 1 PROCEDIMENTOS DE BACKUP/RESTORE PARA SQL SERVER 2005... 3 1.1 Backup... 3 1.2 Restore... 9 www.aurum.com.br 1 PROCEDIMENTOS DE BACKUP/RESTORE PARA

Leia mais

ROBERTO OLIVEIRA CUNHA

ROBERTO OLIVEIRA CUNHA LEIAME Apresentação Nenhuma informação do TUTORIAL DO MICRO- SOFT OFFICE POWER POINT 2003 poderá ser copiada, movida ou modificada sem autorização prévia e escrita do Programador Roberto Oliveira Cunha.

Leia mais

TUTORIAL DE UTILIZAÇÃO DO PROTEUS

TUTORIAL DE UTILIZAÇÃO DO PROTEUS 1 Para iniciar a edição de um esquema elétrico para posterior simulação, busque no menu Iniciar do Windows, a opção Todos os Programas. Localize a pasta onde foi instalado o Proteus e selecione o programa

Leia mais

Sumário. Ambiente de Trabalho... Erro! Indicador não definido.

Sumário. Ambiente de Trabalho... Erro! Indicador não definido. Sumário Ambiente de Trabalho... Erro! Indicador não definido. Introdução ao Project Um projeto é uma seqüência bem definida de eventos, com um início e um final identificável. O foco de um projeto é obter

Leia mais

Criação Visual de Consultas. Curso: Técnico em Informática (Integrado) Disciplina: Banco de Dados Prof. Abrahão Lopes abrahao.lopes@ifrn.edu.

Criação Visual de Consultas. Curso: Técnico em Informática (Integrado) Disciplina: Banco de Dados Prof. Abrahão Lopes abrahao.lopes@ifrn.edu. Criação Visual de Consultas Curso: Técnico em Informática (Integrado) Disciplina: Banco de Dados Prof. Abrahão Lopes abrahao.lopes@ifrn.edu.br Introdução A complexidade dos sistemas informatizados atuais

Leia mais

Manual Simulador de Loja

Manual Simulador de Loja Manual Simulador de Loja Índice Início Menu Loja Modelo Loja Modelo Menu Criar Minha Loja Criar Minha Loja Abrir Projeto Salvo Teste Seu Conhecimento 0 04 05 08 09 8 9 0 Início 5 4 Figura 00. Tela inicial.

Leia mais

Microsoft Excel 2003

Microsoft Excel 2003 Associação Educacional Dom Bosco Faculdades de Engenharia de Resende Microsoft Excel 2003 Módulo II Macros e Tabelas Dinâmicas Professores: Eduardo Arbex Mônica Mara Tathiana da Silva Resende 2010 Macro

Leia mais

Manual do Sistema de Apoio Operadores CDL

Manual do Sistema de Apoio Operadores CDL N / Rev.: Manual 751.1/02 Este documento não deve ser reproduzido sem autorização da FCDL/SC Aprovação: Representante da Direção Ademir Ruschel Elaboração: Supervisor da Qualidade Sílvia Regina Pelicioli

Leia mais

CAPITULO II COMANDOS BÁSICOS. Menu Draw > Line Teclado: L (atalho) LINE

CAPITULO II COMANDOS BÁSICOS. Menu Draw > Line Teclado: L <ENTER> (atalho) LINE COMANDOS BÁSICOS LINE CAPITULO II Menu Draw > Line Teclado: L (atalho) Modelo: Command: LINE LINE Specify first point: P1 (Clique com botão esquerdo um ponto na tela) Specify next point

Leia mais

MANUAL GDS TOUCH. Versão: 1.0 Direitos reservados.

MANUAL GDS TOUCH. Versão: 1.0 Direitos reservados. MANUAL GDS TOUCH Versão: 1.0 Direitos reservados. GDS TOUCH PAINEL TOUCH-SCREEN CONTROLE RESIDENCIAL INTERATIVO O GDS Touch é um painel wireless touch-screen de controle residencial, com design totalmente

Leia mais

Tutorial do Sistema GeoOffice. Todos os direitos reservados (1999-2002)

Tutorial do Sistema GeoOffice. Todos os direitos reservados (1999-2002) Tutorial do Sistema GeoOffice Todos os direitos reservados (1999-2002) Sistema GeoOffice Sistema Topográfico Solution Softwares Tutorial Passo a Passo Conteúdo I Tabela de Conteúdos Foreword 0 Parte I

Leia mais

Novas Funcionalidades do MyABCM v.4.0

Novas Funcionalidades do MyABCM v.4.0 Novas Funcionalidades do MyABCM v.4.0 Seguem abaixo as novas funcionalidades e melhorias do MyABCM e um resumo de como utilizar essas funcionalidades. 1. Nova funcionalidade para aplicação de fatores de

Leia mais

Mapas Interativos de Saúde Ambiental: Principais Funções.

Mapas Interativos de Saúde Ambiental: Principais Funções. Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde Departamento de Vigilância em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador Mapas Interativos de Saúde Ambiental: Principais Funções. 1. Introdução O Mapas

Leia mais

Como gerar arquivos para Sphinx Operador

Como gerar arquivos para Sphinx Operador Como gerar arquivos para Sphinx Operador Pré-requisitos: Lista das questões Formulário multimídia Visões O Sphinx Operador é um sistema específico para digitação de respostas e visualização de resultados

Leia mais

Microsoft Power Point 2007

Microsoft Power Point 2007 Microsoft Power Point 2007 Sumário Layout e Design 4 Formatação de Textos 8 Salvando um arquivo do PowerPoint 15 Plano de Fundo 16 Marcadores 18 Réguas e grade 19 Tabelas 20 Gráficos 21 Imagens 22 Smart

Leia mais

Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.4.1

Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.4.1 Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.4.1 26 de agosto de 2015 Departamento de Engenharia de Produto (DENP) SEAT Sistemas Eletrônicos de Atendimento 1. Introdução O Teclado de Satisfação é uma

Leia mais

Novell. Novell Teaming 1.0. novdocx (pt-br) 6 April 2007 EXPLORAR O PORTLET BEM-VINDO DESCUBRA SEU CAMINHO USANDO O NOVELL TEAMING NAVIGATOR

Novell. Novell Teaming 1.0. novdocx (pt-br) 6 April 2007 EXPLORAR O PORTLET BEM-VINDO DESCUBRA SEU CAMINHO USANDO O NOVELL TEAMING NAVIGATOR Novell Teaming - Guia de início rápido Novell Teaming 1.0 Julho de 2007 INTRODUÇÃO RÁPIDA www.novell.com Novell Teaming O termo Novell Teaming neste documento se aplica a todas as versões do Novell Teaming,

Leia mais

GUIA SIMPLIFICADO DE UTILIZAÇÃO DO DENTALSLICE

GUIA SIMPLIFICADO DE UTILIZAÇÃO DO DENTALSLICE GUIA SIMPLIFICADO DE UTILIZAÇÃO DO DENTALSLICE O ambiente virtual de planejamento DentalSlice (Bioparts) possibilita simulações realistas de planos de tratamento, levando em consideração tanto a quantidade

Leia mais

Programa EndNote. Download para teste no site: http://www.endnote.com/endemo.asp. (Atualmente o EndNote está na versão 5x)

Programa EndNote. Download para teste no site: http://www.endnote.com/endemo.asp. (Atualmente o EndNote está na versão 5x) Programa EndNote 1. Informações O EndNote é um gerenciador de referências bibliográficas desenvolvido pela Thomson Reuters. O software permite armazenar e organizar as referências encontradas nas buscas

Leia mais

BrOffice Impress Módulo 06 ÍNDICE

BrOffice Impress Módulo 06 ÍNDICE ÍNDICE VÍDEO 1 Trabalhando com o BrOffice.org Impress VÍDEO 2 Conhecendo o BrOffice.org Impress VÍDEO 3 Criando uma nova apresentação VÍDEO 4 Estrutura de tópicos VÍDEO 5 Layout VÍDEO 6 Trabalhando com

Leia mais

Introdução ao X3. Exercício 1: Criando um registro de Contato

Introdução ao X3. Exercício 1: Criando um registro de Contato Introdução ao X3 Exercício 1: Criando um registro de Contato Inicie por adicionar um novo registro de Contato. Navegue para a tabela de Contato clicando na aba de Contato no alto da página. Existem duas

Leia mais

TUTORIAL WEEBLY. 2-Crie um cadastro (lembrando que palavra passe é a senha). Após preencher o formulário, clique em Sign Up. It s Free!

TUTORIAL WEEBLY. 2-Crie um cadastro (lembrando que palavra passe é a senha). Após preencher o formulário, clique em Sign Up. It s Free! TUTORIAL WEEBLY 1- Entre no site do Weebly: www.weebly.com 2-Crie um cadastro (lembrando que palavra passe é a senha). Após preencher o formulário, clique em Sign Up. It s Free! 3- Irão aparecer algumas

Leia mais

Tutorial do SAP2000 Educational

Tutorial do SAP2000 Educational Tutorial do SAP2000 Educational Por Rakesh K. Goel Department of Civil and Environmental Engineering California Polytechnic State University San Luis Obispo, CA 93407 Traduzido por Tereza Denyse P. de

Leia mais

Janelas e seus elementos

Janelas e seus elementos Janelas e seus elementos As janelas são quadros que são exibidos na tela do monitor. Todos os aplicativos estudados nesse curso serão exibidos dentro de janelas. Nelas você poderá abrir, salvar e fechar

Leia mais

MANUAL DO ADMINISTRADOR DO MÓDULO

MANUAL DO ADMINISTRADOR DO MÓDULO MANUAL DO ADMINISTRADOR DO MÓDULO ÍNDICE Relatórios Dinâmicos... 3 Requisitos de Sistema... 4 Estrutura de Dados... 5 Operadores... 6 Tabelas... 7 Tabelas x Campos... 9 Temas... 13 Hierarquia Relacionamento...

Leia mais

UNIVERSIDADE TECNOLOGIA FEDERAL DO PARANÁ. Owncloud SERVIÇO DE COMPARTILHAMENTO EM NUVEM. Manual

UNIVERSIDADE TECNOLOGIA FEDERAL DO PARANÁ. Owncloud SERVIÇO DE COMPARTILHAMENTO EM NUVEM. Manual UNIVERSIDADE TECNOLOGIA FEDERAL DO PARANÁ Owncloud SERVIÇO DE COMPARTILHAMENTO EM NUVEM Manual DIRETORIA DE GESTÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DIRGTI 2015 Sumário 1. Introdução... 3 2. Acessando o serviço...

Leia mais

MANUAL COMO CRIAR UM PROJETO

MANUAL COMO CRIAR UM PROJETO MANUAL COMO CRIAR UM PROJETO MICROSOFT PROJECT 2010 Menu: Projeto > Informações do Projeto 1º Passo: Criando um novo projeto Um projeto pode ser agendado a partir da Data de inicio do projeto ou Data de

Leia mais

Universidade Federal de Santa Maria UFSM Centro de Tecnologia CT. Power Point. Básico

Universidade Federal de Santa Maria UFSM Centro de Tecnologia CT. Power Point. Básico Universidade Federal de Santa Maria UFSM Centro de Tecnologia CT Power Point Básico Santa Maria, julho de 2006 O Power Point é um aplicativo do Microsoft Office direcionado à criação de apresentações.

Leia mais

Manual de Sistema - 03/2014 Versão 4.15.0.4766

Manual de Sistema - 03/2014 Versão 4.15.0.4766 Manual de Sistema - 03/2014 Versão 4.15.0.4766 O Geocloud depende de alguns softwares para o seu melhor funcionamento. Depois de diversos testes e ajustes, para oferecer aos nossos usuários a melhor experiência

Leia mais

Tutorial do programa

Tutorial do programa 1 Tutorial do programa I. Guia Rápido 1. Clique no produto. 2. Clique na pasta de imagens. 3. Clique em preenchimento auto. 4. Verificar pedido. 5. Finalizar pedido. 6. Fazer pagamento / Entrega. 7. Fazer

Leia mais

MANUAL DE SOFTWARE ARKITOOL 2012

MANUAL DE SOFTWARE ARKITOOL 2012 MANUAL DE SOFTWARE ARKITOOL 2012 Editado por: Idéias e programas, S.L. San Román de los Montes 25-Março-2012. ARKITool, Arkiplan, Além disso ARKITool são marcas comerciais de idéias e programas, S.L. REQUISITOS

Leia mais

Conhecendo o Visual FoxPro 8.0 Parte 2

Conhecendo o Visual FoxPro 8.0 Parte 2 AULA Conhecendo o Visual FoxPro 8.0 Parte 2 Na aula anterior, vimos sobre: a) Janela de comando b) Gerenciador de Projetos c) Database Designer e Table Designer Prosseguiremos então a conhecer as ferramentas

Leia mais

COMO GERAR UM ARQUIVO NÃO IDENTIFICADO NO TABWIN

COMO GERAR UM ARQUIVO NÃO IDENTIFICADO NO TABWIN O programa TabWin pode ser utilizado para calcular indicadores epidemiológicos e operacionais da tuberculose bem como para análise da qualidade da base de dados do Sinan. O usuário deve ter a versão atualizada

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS. Instruções para Uso do Software VISIO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS. Instruções para Uso do Software VISIO UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS Instruções para Uso do Software VISIO Fevereiro/2006 Instruções para uso do Visio... 03 Instruções para Uso do Software VISIO 2 Instruções para uso do Visio O Visio 2003...

Leia mais

Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.6.0

Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.6.0 Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.6.0 09 de novembro de 2015 Departamento de Engenharia de Produto (DENP) SEAT Sistemas Eletrônicos de Atendimento 1. Introdução O Teclado de Satisfação é uma

Leia mais

6.10 Exercício...38 7 ORDENAÇÃO OU CLASSIFICAÇÃO DE DADOS...39 7.1 Autofiltro...39 7.2 Filtro padrão...39 7.3 Exercício...39 8 GRÁFICO...40 8.

6.10 Exercício...38 7 ORDENAÇÃO OU CLASSIFICAÇÃO DE DADOS...39 7.1 Autofiltro...39 7.2 Filtro padrão...39 7.3 Exercício...39 8 GRÁFICO...40 8. Sumário 1 INTRODUÇÃO...5 1.1 O que é uma planilha...5 1.2 Importância do uso de planilhas eletrônica...5 1.3 Quais os Software disponíveis...5 1.4 O que é BrOffice.org Calc?...5 1.5 Exercício...5 2 APRESENTANDO

Leia mais

BACTOCOUNT IBC EXPORTAÇÃO DE DADOS CONFIGURAÇÕES

BACTOCOUNT IBC EXPORTAÇÃO DE DADOS CONFIGURAÇÕES EXPORTAÇÃO DE DADOS CONFIGURAÇÕES N o Descrição Prep. Aprov. Data REVISÕES Elaborador ROSELITO Verificador SAMUEL Aprovado RAFAEL Rafael Castilha Data AGO/10 N o DOCUMENTO Resp. Técnico CREA 84365/D IBC-IT-01-002

Leia mais

SPSS Statistical Package for the Social Sciences Composto por dois ambientes:

SPSS Statistical Package for the Social Sciences Composto por dois ambientes: Introdução ao SPSS Essa serie de aulas sobre SPSS foi projetada para introduzir usuários iniciantes ao ambiente de trabalho do SPSS 15, e também para reavivar a memória de usuários intermediários e avançados

Leia mais

Manual. Pedido Eletrônico

Manual. Pedido Eletrônico Manual Pedido Eletrônico ÍNDICE 1. Download... 3 2. Instalação... 4 3. Sistema de Digitação SantaCruz... 8 3.1. Configuração... 8 4. Utilização do Sistema Digitação SantaCruz... 11 4.1. Atualizar cadastros...11

Leia mais

Conheça o Projeto. Apresentação. Finalidade. Objetivo

Conheça o Projeto. Apresentação. Finalidade. Objetivo Manual do Usuário Índice Conheça o Projeto...3 Apresentação...3 Finalidade...3 Objetivo...3 Histórico...4 Usando o Portal...5 Efetuando o cadastro na biblioteca digital...5 Logando na Biblioteca Digital...6

Leia mais

Manual de Usuário do UnB Webmail Destinado aos usuários de e-mail da Universidade de Brasília MODO DINÂMICO

Manual de Usuário do UnB Webmail Destinado aos usuários de e-mail da Universidade de Brasília MODO DINÂMICO Destinado aos usuários de e-mail da Universidade de Brasília MODO DINÂMICO Elaboração: Equipe de Suporte Avançado do CPD SA/SRS/CPD/UnB suporte@unb.br Universidade de Brasília Brasília / 2014 Resumo A

Leia mais

Introdução. Servidor de Tempo (SNTP) com opção de horário de verão automático; 1 Cadastro do novo modelo de equipamento Urano Topmax SS

Introdução. Servidor de Tempo (SNTP) com opção de horário de verão automático; 1 Cadastro do novo modelo de equipamento Urano Topmax SS Urano Indústria de Balanças e Equipamentos Eletrônicos Ltda. Rua Irmão Pedro 709 Vila Rosa Canoas RS Fone: (51) 3462.8700 Fax: (51) 3477.4441 Guia de Novas Funcionalidades Urano Integra 2.3 Data: 15/04/2015

Leia mais

Módulo de Georreferenciamento. Sistema. Página 1/75

Módulo de Georreferenciamento. Sistema. Página 1/75 Módulo de Georreferenciamento Sistema Página 1/75 Para iniciar o Módulo de Georreferenciamento acesse, no AutoCAD a partir do Menu flutuante >Posição >Georreferenciamento >Módulo de Georreferenciamento.

Leia mais

Como funciona? SUMÁRIO

Como funciona? SUMÁRIO SUMÁRIO 1. Introdução... 2 2. Benefícios e Vantagens... 2 3. Como utilizar?... 2 3.1. Criar Chave / Senha de Usuário... 2 3.2. Recursos da Barra Superior... 2 3.2.1. Opções... 3 3.2.1.1. Mover Para...

Leia mais

Anexo III Funcionamento detalhado do Sistema Montador de Autoria

Anexo III Funcionamento detalhado do Sistema Montador de Autoria 1 Sumário Anexo III Funcionamento detalhado do Sistema Montador de Autoria Anexo III Funcionamento detalhado do Sistema Montador de Autoria... 1 1 Sumário... 1 2 Lista de Figuras... 5 3 A Janela principal...

Leia mais

NTI Núcleo de Tecnologia de Informação / UNIFAL-MG Drupal Manual do Usuário DRUPAL MANUAL DO USUÁRIO

NTI Núcleo de Tecnologia de Informação / UNIFAL-MG Drupal Manual do Usuário DRUPAL MANUAL DO USUÁRIO DRUPAL MANUAL DO USUÁRIO Primeiros passos para inserir conteúdo no site. 1. Logar-se no site através de seu usuário e senha. 2. Criar um novo menu. 3. Ativar o menu criado, colocando-o em alguma região

Leia mais

Mozart de Melo Alves Júnior

Mozart de Melo Alves Júnior Mozart de Melo Alves Júnior WORD 2000 INTRODUÇÃO: O Word é um processador de texto com recursos de acentuação, formatação de parágrafo, estilo de letras diferentes, criação de tabelas, corretor ortográfico,

Leia mais

Projeto de Agenda Telefônica. Cleyton Tsukuda Kano (kanoct@br.ibm.com)

Projeto de Agenda Telefônica. Cleyton Tsukuda Kano (kanoct@br.ibm.com) Projeto de Agenda Telefônica Cleyton Tsukuda Kano (kanoct@br.ibm.com) Objetivo Conhecer o elemento de designs XPages, componente da ferramenta Lotus Domino Designer, através da criação de uma aplicação

Leia mais

Produção de tutoriais. Suellem Oliveira

Produção de tutoriais. Suellem Oliveira Prefeitura de Volta Redonda Secretaria Municipal de Educação Implementação de Informática Aplicada à Educação Produção de tutoriais Suellem Oliveira Jclic Quebra cabeça com Recorte Para a produção deste

Leia mais

O MESMO EXCELENTE CONTEÚDO. UMA MELHOR EXPERIÊNCIA DE USUÁRIO.

O MESMO EXCELENTE CONTEÚDO. UMA MELHOR EXPERIÊNCIA DE USUÁRIO. O MESMO EXCELENTE CONTEÚDO. UMA MELHOR EXPERIÊNCIA DE USUÁRIO. Bem-vindo à nova interface do Catálogo de Vídeos da CNN Newsource. Elaborada pela BitCentral, esta nova interface proporciona o mesmo conteúdo

Leia mais

Para que o NSBASIC funcione corretamente em seu computador, você deve garantir que o mesmo tenha as seguintes características:

Para que o NSBASIC funcione corretamente em seu computador, você deve garantir que o mesmo tenha as seguintes características: Cerne Tecnologia www.cerne-tec.com.br Conhecendo o NSBASIC para Palm Vitor Amadeu Vitor@cerne-tec.com.br 1. Introdução Iremos neste artigo abordar a programação em BASIC para o Palm OS. Para isso, precisaremos

Leia mais

GERADOR DE RELATÓRIOS WINREPORT VERSÃO 2.0. Conteúdo

GERADOR DE RELATÓRIOS WINREPORT VERSÃO 2.0. Conteúdo GERADOR DE RELATÓRIOS WINREPORT VERSÃO 2.0 Este manual foi desenvolvido com o objetivo de documentar as principais funcionalidades do Gerador de Relatórios WinReport versão 2.0. Conteúdo 1. Tela Principal...

Leia mais

LIÇÃO 1 - USANDO O GRAVADOR DE MACROS

LIÇÃO 1 - USANDO O GRAVADOR DE MACROS 1_15 - ADS - PRO MICRO (ILM 001) - Estudo dirigido Macros Gravadas Word 1/35 LIÇÃO 1 - USANDO O GRAVADOR DE MACROS No Microsoft Office Word 2007 é possível automatizar tarefas usadas frequentemente criando

Leia mais

TUTORIAL LEICA SR-20

TUTORIAL LEICA SR-20 TUTORIAL LEICA SR-20 1 Tutorial de Campo SR-20 Ligar o GPS; Verificar carga de bateria e cartão de memória; No Menu Principal, selecione a opção 5 Configurações..., 1 Grupos de Configuração, selecione

Leia mais

Superprovas Versão 9

Superprovas Versão 9 Superprovas Versão 9 1. Introdução...2 2. Novos Recursos Adicionados...4 3. Janela Principal...7 4. Janela de Questões...11 5. Janela de Desempenho...12 6. Barras de Ferramentas...13 7. Teclas de Atalho...14

Leia mais

Tutorial: Abrindo Vídeos e Medindo Comprimentos no ImageJ

Tutorial: Abrindo Vídeos e Medindo Comprimentos no ImageJ 1 1. Introdução Tutorial: Abrindo Vídeos e Medindo Comprimentos no ImageJ O ImageJ é um software livre (freeware) que pode ser obtido gratuitamente no site http://rsb.info.nih.gov/ij/. Esse software é

Leia mais

Faculdade de Ciências Médicas FCM Unicamp Núcleo de Tecnologia de Informação NTI

Faculdade de Ciências Médicas FCM Unicamp Núcleo de Tecnologia de Informação NTI Manual do usuário Desenvolvendo páginas em Drupal Faculdade de Ciências Médicas FCM Unicamp Núcleo de Tecnologia de Informação NTI Conteúdo Primeiro Passo... 3 1.1 Login... 3 1.2 Recuperando a Senha...

Leia mais

Manual do usuário. Midas Touch PISOINTERATIVO.COM.BR

Manual do usuário. Midas Touch PISOINTERATIVO.COM.BR Manual do usuário Midas Touch PISOINTERATIVO.COM.BR 1 INSTALAÇÃO 1.1 Requisitos de sistema 1.2 Conteúdos do CD de instalação 1.3 Instalação 2 CONFIGURAÇÃO 2.1 ENUTV setup 2.2 Midas Touch 1.1 REQUISITOS

Leia mais

Revisão: Introdução. - Integração com o AutoManager; 1 Atualização de versão do banco de dados PostgreSQL

Revisão: Introdução. - Integração com o AutoManager; 1 Atualização de versão do banco de dados PostgreSQL Urano Indústria de Balanças e Equipamentos Eletrônicos Ltda. Rua Irmão Pedro 709 Vila Rosa Canoas RS Fone: (51) 3462.8700 Fax: (51) 3477.4441 Características do Software Urano Integra 2.2 Data: 12/05/2014

Leia mais

Serviço Técnico de Informática. Curso Básico de PowerPoint

Serviço Técnico de Informática. Curso Básico de PowerPoint Serviço Técnico de Informática Curso Básico de PowerPoint Instrutor: Tiago Souza e Silva de Moura Maio/2005 O Microsoft PowerPoint No Microsoft PowerPoint, você cria sua apresentação usando apenas um arquivo

Leia mais

Manual de instruções da unidade da impressora

Manual de instruções da unidade da impressora Manual de instruções da unidade da impressora Para Windows 7 DS-RX1 Ver.1.01 Em relação aos direitos autorais Os direitos autorais para o Manual de Instruções da Unidade da Impressora DS-RX1, a Unidade

Leia mais

Rational Quality Manager. Nome: Raphael Castellano Campus: AKXE Matrícula: 200601124831

Rational Quality Manager. Nome: Raphael Castellano Campus: AKXE Matrícula: 200601124831 Rational Quality Manager Nome: Raphael Castellano Campus: AKXE Matrícula: 200601124831 1 Informações Gerais Informações Gerais sobre o RQM http://www-01.ibm.com/software/awdtools/rqm/ Link para o RQM https://rqmtreina.mvrec.local:9443/jazz/web/console

Leia mais

Composição de Layout no Terraview

Composição de Layout no Terraview MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MEC Secretaria de Educação Superior - SESu Departamento de Modernização e Programas da Educação Superior DEPEM MINISTÉRIO DAS CIDADES Secretaria Executiva Diretoria de Desenvolvimento

Leia mais

TrampoFONO + Ctrl e arraste

TrampoFONO + Ctrl e arraste TrampoFONO TrampoFONO é a versão específica de TrampoPRO para consultório de fonoaudiologia. Basicamente tem o mesmo conceito de TrampoSecretária, diferenciando-se deste pelo botão Audio habilitado. A

Leia mais