IBP FERRAMENTA PARA INSPEÇÃO GEOMÉTRICA DE DUTOS DE 3 J. A. Pereira da Silva 1, Adriano F. Pinho 2 3. ,Miguel. Abstract

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "IBP02701. FERRAMENTA PARA INSPEÇÃO GEOMÉTRICA DE DUTOS DE 3 J. A. Pereira da Silva 1, Adriano F. Pinho 2 3. ,Miguel. Abstract"

Transcrição

1 FERRAMENTA PARA INSPEÇÃO GEOMÉTRICA DE DUTOS DE 3 J. A. Pereira da Silva 1, Adriano F. Pinho 2 3,Miguel Copyright 2001, Brazilian Petroleum and Gas Institute - IBP This paper was prepared for presentation at the 3 rd Seminar on Pipeline, held in Rio de Janeiro, Brazil, November, 2001 This paper was selected for presentation by the Event Technical C ommittee following review of information contained in an abstract submitted by the author(s). Contents of the paper, as presented, have not been reviewed by the IBP. Organizers will neither translate nor correct texts received. The material, as presented, does not necessarily reflect any position of the Brazilian Petroleum Institute, its officers, or members. Abstract The pipeline geometry inspection allow the detection of dents and ovalities that damage all the structural integrity, favoring the corrosion and forbidding the utilization of magnetic inspection tools. This activity has already been performed on the construction and operation of 6 to 40 diameters pipelines very frequently. In relation to the world -wide market, doesn t exist a geometric pig capable to inspect pipelines with diameter smaller than 4. Due to the high demand, Pipeway developed a geometric pig to inspect 3 diameter pipelines. Actually, notice the digital technology evolution, like microprocessors, sophisticated softwares, graphic visualization and analysis. This high technology in data processors describes the 3 geometric pig activities and the inspection results. This geometric pig is composed by many modules where the geometry sensors, microcontroler, memories (where the run datas are stored), the batteries and the odometer are distributed. This tool benefits itself because of the high level of eletronic and mechanical integration. Resumo A inspeção geométrica de dutos permite detectar mossas e ovalizações que afetam toda a integridade estrutural, favorecendo a corrosão e impedindo a utilização de ferramentas de inspeção magnética. Esta atividade já está sendo realizada com freqüência na construção e operação de dutos com diâmetro de 6 a 40. Em relação ao mercado mundial, não há pig geométrico capaz de inspecionar dutos de diâmetros menores que 4. Devido a grande demanda, a Pipeway está desenvolvendo o pig geométrico para inspecionar dutos com diâmetro de 3. Observa-se atualmente a evolução da tecnologia digital, como microprocessadores, softwares sofisticados de visualização gráfica e de análise. Esta alta tecnologia em processamento de dados descreve as atividades do pig geométrico de 3 e os resultados obti dos na inspeção. O pig geométrico é composto por diversos módulos, nos quais são distribuídos os sensores de geometria, o microcontrolador, a memória de massa (onde são armazenados os dados da corrida), a bateria e o odômetro. Esta ferramenta se beneficia pela aplicabilidade do sofisticado software de visualização e análise utilizado com os pigs de diâmetros maiores. 1 Mestre, Diretor PipeWay Engenharia Ltda. 2 Projetista Mecânico PipeWay Engenharia Ltda. 3 Analista de sistema Centro de Estudos em Telecomunicações PUC-Rio

2 Introdução A ferramenta para inspeção geométrica de dutos (PIG geométrico) é um equipamento que verifica medidas internas em dutos de óle o e gás, tais como amassamentos e ovalizações. Para efeitos práticos ele é como um computador, só que menor, mais resistente e muito mais confiável. À medida que o PIG se desloca (impulsionado por gás, ar, água ou óleo que são injetados no duto) ele faz as medidas de diâmetro da seção e armazena estes resultados em sua memória flash. Ao término da passagem os dados adquiridos são levados para análise, descobrindo -se quais são os pontos da linha em que existem problemas. É possível então fazer a manutenção d a linha antes que ocorra uma falha real como, por exemplo, um vazamento. O objetivo da presente pesquisa foi o desenvolvimento de um PIG geométrico (capaz de medir amassamentos e outras avarias) para linhas de 3 polegadas de diâmetro. As maiores dificuldad es para o desenvolvimento deste equipamento são o tamanho reduzido que impede a utilização de sistemas comerciais de aquisição de dados, limitando também a capacidade das baterias e os projetos mecânicos dos conjuntos de sensores de geometria e dos odômetros. Corpo do Trabalho 1. Pig Geométrico de 3 O PIG geométrico de 3 polegadas é o primeiro no mundo a ser desenvolvido com esta dimensão. Este projeto de grande dificuldade tecnológica só foi possível devido a integração dos componentes em uma eletrônica 100% nacional. Este conceito difere radicalmente dos projetos convencionais de outros PIGs instrumentados que utilizavam computadores industriais, semelhantes a um computador comum mas de muito maior confiabilidade e robustez. Novas soluções para este problema foram elaboradas, desenvolvendo uma eletrônica própria através de um microcontrolador de 8 bits e um sistema de armazenamento de dados em estado sólido (memória Flash) de alta densidade. Mesmo com suas dimensões reduzidas a nova eletrônica tem capacidade de armazenamento de 64 até 288 Mbytes, capaz de guardar 130km de medidas. O consumo de apenas 20mW, muito menor que projetos anteriores, permite uma autonomia de mais de 48 horas. Além disto o PIG possui um sistema de gerenciamento de energia que se desliga caso esteja sem movimento (problemas com o bombeamento de ar comprimido são comuns durante a passagem), preservando a vida útil das baterias. 2. Características do Pig geométrico de 3 O PIG geométrico de 3 polegadas é composto de quatro módulos separados e articulados. Este sistema é necessário para que o PIG possa fazer curvas acompanhado o traçado do duto. Os módulos principais são: - Módulo de baterias: são utilizadas baterias de lítio por sua boa relação capacidade x volume. Inclui ainda o circuito de regulação de tensão para a eletrônica e proteção de curto -circuito.

3 - Sensores: 4 sensores geométricos permitem detectar amassamentos e irregularidades ao longo de todo o perímetro interno do duto. Os sensores são protegidos por capas de metal para resistir às pancadas que receberão durante a passagem. - Odômetro: é uma "roda" de metal que fica em contato com a parede do duto mantendo a pressão por um sistema de mola. Esta roda faz a contagem da distância percorrida pelo PIG, permitindo saber depois onde foram encontrados os problemas. - Módulo da eletrônica: constituído por um microcontrolador de 8 bits com conversor analógico/digital integrado. O microcontrolador gerencia todo o funcionamento do PIG, recebendo os dados dos sensores geométricos e odômetros. Os dados são armazenados em uma memória Flash, que é uma tecnologia de memória não volátil, ou seja, não perde o seu conteúdo quando desligada. A memória Flash realiza a mesma função de um disco rígido de computador, com a vantagem de não possuir partes móveis sendo assim imune a vibrações e choques. Durante uma operação de passagem o PIG é colocado numa extremidade da linha de transmissão de gás que em seguida é pressurizada. Através do ar comprimido que é colocado na linha o PIG vai sendo deslocado até o final dela, onde os dados são recolhidos e enviados para análise. Todo o sistema é construído de modo a resistir às condições mais severas de operação. Suas unidades mais sensíveis (como a eletrônica) são colocadas dentro de vaso s de aço inoxidável, projetados para resistir a elevadas pressões. Todos os contatos elétricos são protegidos por conectores especiais para impedir a entrada de água e resíduos químicos. Figura 1 Foto do protótipo do PIG geométrico de 3 polegadas (acima). Detalhe dos sensores (inferior esquerda) e de um odômetro (inferior direita).

4 3. Funcionamento dos Sensores de Geometria Estes sensores têm a função de verificar a geometria interna dos dutos, ou seja, são eles que possibilitam registrar a informação, na qual poderemos identificar e classificar a anomalia existente. Os sensores de geometrias são compostos por uma parte eletrônica e outra mecânica. A parte eletrônica é formada por um sensor de efeito hall, que ao ser submetido a um campo magnético gerado por dois imãs gera um sinal elétrico, ou seja, quando o campo magnético variar em relaç ão ao sensor, este irá variar também o sinal elétrico. Sensor de efeito hall Imãs Figura 2 Princípio de funcionamento do sensor de geometria A parte mecânica é elaborada a fim de possibilitar que cada sensor eletrônico possa abranger uma parte da seção transversal do duto, assim cada sensor tem o seu sinal independente possibilitando uma identificação e classificação muito mais precisa da anomalia. Neste projeto, a maior dificuldade encontrada foi no que diz respeito às dimensões da parte mecânica do sensor, pois estamos dimensionando sensores para um duto de 3 polegadas. Para início do projeto ficou esclarecido através de estudos que para se obter uma boa precisão no dimensionamento das anomalias seria necessário a presença de 4 (quatro) sensores de geometr ia independentes, ou seja, a seção transversal do duto seria dividida em quatro partes iguais (Veja Figura 3). Figura 3 Área de abrangência de cada sensor na seção transversal do duto.

5 O diâmetro interno do duto pode variar caso exista alguma anomalia, ou reduções de diâmetro, ou seja, o sensor de geometria tem que atuar em uma faixa de diâmetros e garantir que o mesmo sempre abrangesse a seção transversal total do duto, assim garantindo a total inspeção do duto. Para uma melhor visualização pode-se verificar na figura 4 a dificuldade do projeto. Nesta figura podemos verificar que o sensor em um determinado diâmetro abrangia a quarta parte da seção, porém quando havia uma redução de diâmetro o sensor já não abrangia de forma igual e total a quarta parte da seção do duto, assim não podendo dimensionar de uma forma precisa a anomalia, pois caso esta estivesse na posição central (1) teria uma dimensão X, caso a anomalia estivesse na posição lateral do sensor (2) teria uma dimensão Y. 1 2 Figura 4 Simulação com a parte mecânica do sensor de geometria. Após esta primeira análise, foram gerados diversos protótipos de possíveis sensores em softwares de CAD - 3D gerando superfícies complexas, para que fosse possível garan tir a inspeção total do duto em uma determinada faixa de diâmetros. O protótipo escolhido (figura 5), garante a inspeção em determinada faixa de diâmetro devido sua superfície complexa, podemos verificar que mesmo diminuindo o diâmetro interno do du to, o

6 sensor sempre estará abrangendo a quarta parte do duto, ou seja, o sensor sempre estará em contato com a superfície do duto, assim possibilitando um dimensionamento correto da anomalia em qualquer parte da superfície do sensor. Figura 5 Protótipo do sensor de geometria Figura 6 Simulação de reduções de diâmetros com o sensor de geometria Figura 7 Ilustração dos quatro sensores de geometria

7 Observando a figura 8 pode-se verificar que a disposição dos sensores de geometria no seu respectivo módulo é disposta de dois sensores a frente e depois um pouco mais deslocados há mais dois sensores. Esta disposição evita que os sensores se colidam, pois caso contrário, ou seja se todos estivessem no mesmo plano quando houvesse uma redução de diâmetro os sensores ao se movimentarem iriam se colidir, esta disposição mostrada elimina este problema. Vale ressaltar que esta defasagem será considerada no software de análise para que se possa ter a real identificação e classificação da anomalia. Figura 8 Disposição dos sensores no seu respectivo módulo 4. Análise dos Dados Os dados da passagem do PIG geométrico são analisados em um computador ou estação gráfica utilizando softwares desenvolvidos pela Pipeway. No computador, estas ferramentas podem visualizar os amassamentos do duto em diversos modos, mostrados abaixo em uma situação real. Figura 9 Demonstração do software de análise

8 Neste caso, o amassamento foi encontrado à 9431,7 metros do início da linha. Ele pode ser observado como um corte transversal da seção do duto (janela à esquerda), através dos sinais dos sensores geométricos (direita inferior) ou como uma projeção tri-dimensional (direita superior). Após a análise o cliente recebe um relatório com informações de todos os problemas encontrados na linha e suas localizações. Assim será possível realizar os reparos necessários antes que a linha apresente vazamentos. 5. Conclusão A aplicação do PIG geométrico é um método muito eficiente para companhias como a Petrobrás preverem acidentes antes que eles ocorram. As economias são enormes, evitando multas por danos ambientais que podem chegar a 50 milhões de reais (legislação atual), prejuízos com a interrupção de uma linha em produção e equipes de emergência. Estima -se que uma linha de 3 polegadas de gás parada pode gerar a empresa prejuízos de até 500 mil reais por dia. O projeto se aplica em outros países como o Canadá, onde se encontra uma grande malha de dutos com diâmetro de 3, estima -se que somente o Canadá possui 3000 km de dutos instalados e em funcionamento. Diversas cidades da America Latina também serão servidas pelo projeto, principalmente agora com a instalação do gasoduto Bolívia - Brasil.

PIGS INSTRUMENTADOS PIGS INSTRUMENTADOS HISTÓRIA PRINCIPAIS FERRAMENTAS O QUE SÃO PIGS INSTRUMENTADOS?

PIGS INSTRUMENTADOS PIGS INSTRUMENTADOS HISTÓRIA PRINCIPAIS FERRAMENTAS O QUE SÃO PIGS INSTRUMENTADOS? PIGS INSTRUMENTADOS O QUE SÃO PIGS INSTRUMENTADOS? SÃO PIGS QUE REALIZAM MEDIDAS AO LONGO DO PERCURSO DO DUTO, REGISTRANDO AS INFORMAÇÕES. ESTAS INFORMAÇÕES NORMALMENTE SÃO UTILIZADAS PARA AVALIAR A INTEGRIDADE

Leia mais

2 SISTEMAS DE DETECÇÃO DE VAZAMENTOS EM DUTOS

2 SISTEMAS DE DETECÇÃO DE VAZAMENTOS EM DUTOS 2 SISTEMAS DE DETECÇÃO DE VAZAMENTOS EM DUTOS Neste capítulo vamos apresentar um breve estudo de técnicas e sistemas de detecção de vazamentos mais utilizados atualmente. Nosso objetivo é demonstrar que

Leia mais

MFL DE ALTA RESOLUÇÃO PARA CHAPAS DE FUNDO E TETO DE TANQUES DE ARMAZENAMENTO

MFL DE ALTA RESOLUÇÃO PARA CHAPAS DE FUNDO E TETO DE TANQUES DE ARMAZENAMENTO MFL DE ALTA RESOLUÇÃO PARA CHAPAS DE FUNDO E TETO DE TANQUES DE ARMAZENAMENTO Certificada ISO 9001:2008 1 A técnica de MFL consiste na magnetização com imãs permanentes poderosos capazes de criar um campo

Leia mais

Integrando Tecnologias para Criar Soluções

Integrando Tecnologias para Criar Soluções Triex Sistemas Sistemas de Testes, Supervisão e Controle Integrando Tecnologias para Criar Soluções Multiplexador de Canais Em aplicações onde se deseja inspecionar por ultra-som grandes áreas em pouco

Leia mais

2 Apresentação da empresa: Caso PipeWay

2 Apresentação da empresa: Caso PipeWay 2 Apresentação da empresa: Caso PipeWay Esse capítulo tem por objeto apresentar a empresa PipeWay, selecionada para o desenvolvimento desse estudo de caso. A PipeWay foi escolhida, inicialmente por ter

Leia mais

FAQ FREQUENT ASKED QUESTION (PERGUNTAS FREQUENTES)

FAQ FREQUENT ASKED QUESTION (PERGUNTAS FREQUENTES) FREQUENT ASKED QUESTION (PERGUNTAS FREQUENTES) PRINCIPAIS DÚVIDAS SOBRE O SISTEMA DE DETECÇÃO DE VAZAMENTO EM DUTOS. SUMÁRIO Introdução...4 1. Qual é a distância entre os sensores?...5 2. O RLDS/I-RLDS

Leia mais

inox. Atualmente, válvulas solenóide servo-assistidas são usadas cada vez mais ao invés de válvulas de ação direta.

inox. Atualmente, válvulas solenóide servo-assistidas são usadas cada vez mais ao invés de válvulas de ação direta. Este artigo traz uma visão tecnológica das válvulas solenóide para aplicações com alta pressão. O uso das mesmas em fornecedoras de gás natural e, em sistemas aspersores (água-neblina) de extintores de

Leia mais

Programa de Desenvolvimento de Fornecedores para o Setor de Óleo e Gás -MULTIFOR PLATEC PLATAFORMAS TECNOLÓGICAS PLATEC INOVAPETRO

Programa de Desenvolvimento de Fornecedores para o Setor de Óleo e Gás -MULTIFOR PLATEC PLATAFORMAS TECNOLÓGICAS PLATEC INOVAPETRO Programa de Desenvolvimento de Fornecedores para o Setor de Óleo e Gás -MULTIFOR PLATEC PLATAFORMAS TECNOLÓGICAS PLATEC INOVAPETRO INSTALAÇÕES SUBMARINAS Gustavo Adolfo Cavalcanti Freitas Gerente de Engenharia

Leia mais

Bancada de Testes Hidrostáticos e Pneumáticos

Bancada de Testes Hidrostáticos e Pneumáticos Bancada de Testes Hidrostáticos e Pneumáticos 1 Concepção O que é a bancada de testes da Valeq? Esta bancada foi desenvolvia com a intenção de agilizar os testes de campo e de bancada que envolvem pressão.

Leia mais

1. Introdução 1.1. Histórico do crescimento da produção de petróleo no Brasil

1. Introdução 1.1. Histórico do crescimento da produção de petróleo no Brasil 1. Introdução 1.1. Histórico do crescimento da produção de petróleo no Brasil A Petrobrás alcançou em julho de 2005 a média de produção de 1,76 milhões de barris por dia, sendo destes 1,45 milhões só na

Leia mais

OS DEZ MANDAMENTOS PARA O PROJETO, A CONSTRUÇÃO E A OPERAÇÃO DE DUTOS SEGUROS

OS DEZ MANDAMENTOS PARA O PROJETO, A CONSTRUÇÃO E A OPERAÇÃO DE DUTOS SEGUROS OS DEZ MANDAMENTOS PARA O PROJETO, A CONSTRUÇÃO E A OPERAÇÃO DE DUTOS SEGUROS Luiz Paulo Gomes Diretor da IEC-Instalações e Engenharia de Corrosão Ltda. LPgomes@iecengenharia.com.br www.iecengenharia.com.br

Leia mais

Carlos Henrique Francisco de Oliveira PETROBRAS S.A. Claudio Soligo Camerini PETROBRAS S.A.

Carlos Henrique Francisco de Oliveira PETROBRAS S.A. Claudio Soligo Camerini PETROBRAS S.A. PIG INSTRUMENTADO da PETROBRÁS RESULTADOS e PERSPECTIVAS Carlos Henrique Francisco de Oliveira PETROBRAS S.A. Claudio Soligo Camerini PETROBRAS S.A. Trabalho apresentado no XXI Congresso Nacional de Ensaios

Leia mais

EMPREGO DE REVESTIMENTO PARA PROTEÇÃO IN TERNA EM DUTOS. Marly Lachermacher PhD, Engenheira Química PETROBRAS/CENPES

EMPREGO DE REVESTIMENTO PARA PROTEÇÃO IN TERNA EM DUTOS. Marly Lachermacher PhD, Engenheira Química PETROBRAS/CENPES EMPREGO DE REVESTIMENTO PARA PROTEÇÃO IN TERNA EM DUTOS Marly Lachermacher PhD, Engenheira Química PETROBRAS/CENPES Byron Gonçalves de Souza Filho MSc, Engenheiro Metalúrgico TRANSPETRO/Sede - Confiabilidade

Leia mais

NORMA TÉCNICA N o 25 MEDIDAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO EM SUBESTAÇÕES ELÉTRICAS

NORMA TÉCNICA N o 25 MEDIDAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO EM SUBESTAÇÕES ELÉTRICAS ANEXO XXV AO DECRETO N o 3.950, de 25 de janeiro de 2010. NORMA TÉCNICA N o 25 MEDIDAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO EM SUBESTAÇÕES ELÉTRICAS 1. OBJETIVO Esta Norma Técnica estabelece as medidas de segurança

Leia mais

This paper was prepared for presentation at the Seminário de Instrumentação e Automação held in Rio de Janeiro, Brazil, 5-8 October, 1998.

This paper was prepared for presentation at the Seminário de Instrumentação e Automação held in Rio de Janeiro, Brazil, 5-8 October, 1998. IBP32598 Sistema de Visão Estéreo para Inspeção Submarina de Tubulações e Equipamentos de Petróleo em Águas Profundas Lenildo C. Silva 1, Antonio Petraglia 2, Mariane R. Petraglia 2 Copyright 1998, Brazilian

Leia mais

Termopares Convencionais I

Termopares Convencionais I Termopares Convencionais I Introdução Definimos Termopares como sensores de medição de temperatura que são constituídos por dois condutores metálicos e distintos, puros ou homogêneos. Em uma de suas extremidades

Leia mais

HYDAC KineSys Sistemas de acionamento

HYDAC KineSys Sistemas de acionamento HYDAC KineSys Sistemas de acionamento Veículos de manuseio de materiais Usinas termelétricas Máquinas injetoras de plástico Seu parceiro profissional para soluções de acionamento Todas as condições para

Leia mais

CIRCUITOS E SISTEMAS ELECTRÓNICOS

CIRCUITOS E SISTEMAS ELECTRÓNICOS INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS DO TRABALHO E DA EMPRESA Enunciado do 2º Trabalho de Laboratório CIRCUITOS E SISTEMAS ELECTRÓNICOS MODELAÇÃO E SIMULAÇÃO DE CIRCUITOS DE CONVERSÃO ANALÓGICO-DIGITAL E DIGITAL-ANALÓGICO

Leia mais

UM LABORATÓRIO WEB PARA ENSINO ORIENTADO A AUTOMAÇÃO E CONTROLE

UM LABORATÓRIO WEB PARA ENSINO ORIENTADO A AUTOMAÇÃO E CONTROLE UM LABORATÓRIO WEB PARA ENSINO ORIENTADO A AUTOMAÇÃO E CONTROLE Cleonilson Protásio de Souza 1 e José Tarcísio Costa Filho 2 Universidade Federal do Maranhão 1 Departamento de Engenharia de Eletricidade

Leia mais

Câmara para teste de mangueiras

Câmara para teste de mangueiras Câmara para teste de mangueiras A Superohm oferece um linha de Câmaras especiais para teste de mangueiras, as quais são modulares e podem ter uma única função ou varias funções juntas. Destinam-se às indústrias

Leia mais

Acumuladores hidráulicos na tecnologia híbrida.

Acumuladores hidráulicos na tecnologia híbrida. Acumuladores hidráulicos na tecnologia híbrida. HYDAC Matriz na Alemanha Seu parceiro competente para acumuladores hidráulicos inovadores e sistemas híbridos. Todos os requerimentos para eficientes soluções

Leia mais

CIRCUITO PARA MEDIÇÃO DE CORRENTES ELEVADAS

CIRCUITO PARA MEDIÇÃO DE CORRENTES ELEVADAS UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE CENTRO DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA DISCIPLINA: INSTRUMENTAÇÃO ELETRÔNICA PROFESSOR: LUCIANO FONTES CAVALCANTI CIRCUITO PARA MEDIÇÃO DE

Leia mais

Noções Básicas de identificação da qualidade de cabos coaxiais e pares trançados

Noções Básicas de identificação da qualidade de cabos coaxiais e pares trançados Noções Básicas de identificação da qualidade de cabos coaxiais e pares trançados Este tutorial apresenta noções básicas de identificação da qualidade de cabos coaxiais e pares trançados. Mauricio Matos

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO CURVE TRACER

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO CURVE TRACER PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO CURVE TRACER CURITIBA 2011 GUSTAVO MURILO SCHMITT MASSANEIRO CURVE TRACER Documentação apresentada

Leia mais

Prêmio AEA 2015 - Projetos de Meio Ambiente

Prêmio AEA 2015 - Projetos de Meio Ambiente Prêmio AEA 2015 - Projetos de Meio Ambiente Desenvolvimento de uma Bomba Elétrica de Combustível Flex com foco na Eficiência Responsáveis pelo Projeto (Erwin Franieck, Celso Favero, Lazaro Melo, Rafael

Leia mais

(51) lnt.ci.: G01 N 17/00 (2009.01) G05D 3/00 (2009.01)

(51) lnt.ci.: G01 N 17/00 (2009.01) G05D 3/00 (2009.01) (21) P0801399-3 A2 11111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111 * B R P O 8 O 1 3 9 9 A 2 * (22) Data de Depósito: 31/03/2008 (43) Data da Publicação: 17/1112009 (RP 2028)

Leia mais

DECODIFICADOR DE DISPLAY DE 7 SEGMENTOS COM LATCH

DECODIFICADOR DE DISPLAY DE 7 SEGMENTOS COM LATCH UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA DECODIFICADOR DE DISPLAY DE 7 SEGMENTOS COM LATCH Projeto para a matéria TE130 Projeto de Circuitos Integrados Digitais, ministrada pelo

Leia mais

Lavadora de Pisos Lava e seca simultaneamente

Lavadora de Pisos Lava e seca simultaneamente Lavadora de Pisos Lava e seca simultaneamente LST51 E LST51 B (Elétrica a cabo) (Bateria) A maior concentração de soluções técnicas de engenharia e de experts em limpeza, aplicadas a uma lavadora de piso

Leia mais

Ensaio de Emissão Acústica Aplicado em Cilindros sem Costura para Armazenamento de Gases

Ensaio de Emissão Acústica Aplicado em Cilindros sem Costura para Armazenamento de Gases Ensaio de Emissão Acústica Aplicado em Cilindros sem Costura para Armazenamento de Gases Pedro Feres Filho São Paulo, Brasil e-mail: pedro@pasa.com.br 1- Resumo Este trabalho teve como objetivo apresentar

Leia mais

Encoder de Quadratura

Encoder de Quadratura R O B Ó T I C A Sensor Smart de Quadratura Versão Hardware:. Versão Firmware: 2. REVISÃO 2.9 Sensor Smart de Quadratura. Introdução Os encoders são equipamentos utilizados para converter movimentos rotativos

Leia mais

IW10. Rev.: 02. Especificações Técnicas

IW10. Rev.: 02. Especificações Técnicas IW10 Rev.: 02 Especificações Técnicas Sumário 1. INTRODUÇÃO... 1 2. COMPOSIÇÃO DO IW10... 2 2.1 Placa Principal... 2 2.2 Módulos de Sensores... 5 3. APLICAÇÕES... 6 3.1 Monitoramento Local... 7 3.2 Monitoramento

Leia mais

MOTO LINK VÍDEO MONITORAMENTO DIGITAL. Divisão Relm Monitoramento. Divisão Relm Monitoramento

MOTO LINK VÍDEO MONITORAMENTO DIGITAL. Divisão Relm Monitoramento. Divisão Relm Monitoramento MOTO LINK VÍDEO MONITORAMENTO DIGITAL 3G NOV/2014 MULTI-APLICAÇÕES OPERADORA CDMA/EDGE/GPRS/3G INTERNET CENTRAL DE MONITORAMENTO Evento / Foto ilustrativa Evento / Foto ilustrativa Software de Reprodução

Leia mais

CORROSÃO E PROTEÇÃO CATÓDICA DE TUBULAÇÕES ENTERRADAS E TANQUES EM PLANTAS INDUSTRIAIS

CORROSÃO E PROTEÇÃO CATÓDICA DE TUBULAÇÕES ENTERRADAS E TANQUES EM PLANTAS INDUSTRIAIS CORROSÃO E PROTEÇÃO CATÓDICA DE TUBULAÇÕES ENTERRADAS E TANQUES EM PLANTAS INDUSTRIAIS Eng o Luiz Paulo Gomes Diretor da IEC-Instalações e Engenharia de Corrosão Ltda LPgomes@iecengenharia.com.br 21 2159

Leia mais

SUBESTAÇÕES. SCMS Sistema de monitoramento de corrente de fuga

SUBESTAÇÕES. SCMS Sistema de monitoramento de corrente de fuga SUBESTAÇÕES SCMS Sistema de monitoramento de corrente de fuga SCMS / STRAY CURRENT MONITORING SYSTEM (SISTEMA DE MONITORAMENTO DE CORRENTE DE FUGA) Definição de corrente de fuga O funcionamento dos sistemas

Leia mais

Sistema Remoto de Monitoramento On- Line das Pressões de Óleo de Cabos OF (Oil Fluid) da AES ELETROPAULO

Sistema Remoto de Monitoramento On- Line das Pressões de Óleo de Cabos OF (Oil Fluid) da AES ELETROPAULO Sistema Remoto de Monitoramento On- Line das Pressões de Óleo de Cabos OF (Oil Fluid) da AES ELETROPAULO Gerência de Redes Subterrâneas Diretoria Regional II Paulo Deus de Souza Técnico do Sistema Elétrico

Leia mais

eccosystems@eccosystems.com.br janaina@eccosystems.com.br

eccosystems@eccosystems.com.br janaina@eccosystems.com.br eccosystems@eccosystems.com.br janaina@eccosystems.com.br 51 3307 6597 A ECCOSYSTEMS está estruturada para a prestação de serviços de engenharia, consultoria, elaboração de estudos, planejamento, projetos

Leia mais

Mostra o valor da velocidade instantânea em Km/h. Com odômetro acumulativo e parcial.

Mostra o valor da velocidade instantânea em Km/h. Com odômetro acumulativo e parcial. Rua Sigfredo Day, 50 - Sobreloja CIC CEP 81.170-650 CURITIBA PR Fone / Fax: (41)3014-3536. E-mail: vendas@guster.com.br INSTRUMENTOS AUTOMOTIVOS MONITORAMENTO DE VEÍCULOS RASTREADORES GPS - TRAVAS ******************************************************************

Leia mais

Física FUVEST ETAPA. ε = 26 cm, e são de um mesmo material, Resposta QUESTÃO 1 QUESTÃO 2. c) Da definição de potência, vem:

Física FUVEST ETAPA. ε = 26 cm, e são de um mesmo material, Resposta QUESTÃO 1 QUESTÃO 2. c) Da definição de potência, vem: Física QUESTÃO 1 Um contêiner com equipamentos científicos é mantido em uma estação de pesquisa na Antártida. Ele é feito com material de boa isolação térmica e é possível, com um pequeno aquecedor elétrico,

Leia mais

Procure pensar em outros exemplos da nossa vida em que os sensores estão presentes.

Procure pensar em outros exemplos da nossa vida em que os sensores estão presentes. Sensores Fabrício Ramos da Fonseca Introdução aos Sensores Nas plantas automatizadas os sensores são elementos muito importantes. Na nossa vida cotidiana, os sensores estão presentes em várias situações,

Leia mais

POSICIONADOR INTELIGENTE PARA VÁLVULAS 4 a 20 ma + Comunicação Digital HART. smar

POSICIONADOR INTELIGENTE PARA VÁLVULAS 4 a 20 ma + Comunicação Digital HART. smar POSICIONADOR INTELIGENTE PARA VÁLVULAS a ma + Comunicação Digital HART DESCRIÇÃO O posicionador microprocessado FY proporciona o posicionamento rápido e seguro dos atuadores tipo diafragma ou cilindro.

Leia mais

índice 02 CONDIÇÕES BÁSICAS Prezado cliente, REDE DE ACESSO PARA INSTALAÇÃO DOS EQUIPAMENTOS ACOMODAÇÕES DE EQUIPAMENTOS CABOS E CONEXÕES

índice 02 CONDIÇÕES BÁSICAS Prezado cliente, REDE DE ACESSO PARA INSTALAÇÃO DOS EQUIPAMENTOS ACOMODAÇÕES DE EQUIPAMENTOS CABOS E CONEXÕES Prezado cliente, índice Bem-vindo à GVT. Agora sua empresa conta com soluções inovadoras de voz, dados e Internet com o melhor custo-benefício. Para garantir a qualidade dos serviços e aproveitar todos

Leia mais

Laboratório de Máquinas Elétricas Utilizando um Sistema de Aquisição de Dados

Laboratório de Máquinas Elétricas Utilizando um Sistema de Aquisição de Dados Laboratório de Máquinas Elétricas Utilizando um Sistema de Aquisição de Dados Mauricélio Alves de Sousa, Eng o Fernando Luiz Marcelo Antunes, PhD Ricardo Silva Thé Pontes, MSc Grupo de Processamento de

Leia mais

Série PC EMIC. Prensas de Compressão para Laboratório

Série PC EMIC. Prensas de Compressão para Laboratório Série PC EMIC Prensas de Compressão para Laboratório 2 Tome uma Decisão Segura Desempenho e Aceitação no Mercado As tradicionais Prensas de Compressão da EMIC são as mais requisitadas pelos laboratórios

Leia mais

Funções de Posicionamento para Controle de Eixos

Funções de Posicionamento para Controle de Eixos Funções de Posicionamento para Controle de Eixos Resumo Atualmente muitos Controladores Programáveis (CPs) classificados como de pequeno porte possuem, integrados em um único invólucro, uma densidade significativa

Leia mais

CONTROLADORES PONTUAIS DE IRRIGAÇÃO

CONTROLADORES PONTUAIS DE IRRIGAÇÃO CONTROLADORES PONTUAIS DE IRRIGAÇÃO Adonai Gimenez Calbo & Washington L.C. Silva CAPÍTULO 10 Controladores de irrigação Irrigas são dispositivos pneumáticos que usam ar comprimido para acionar a aplicação

Leia mais

Transmissor de pressão para aplicações de refrigeração e ar-condicionado Modelo R-1, com sensor metálico thin-film hermeticamente soldado

Transmissor de pressão para aplicações de refrigeração e ar-condicionado Modelo R-1, com sensor metálico thin-film hermeticamente soldado Medição eletrônica de pressão Transmissor de pressão para aplicações de refrigeração e ar-condicionado Modelo R-1, com sensor metálico thin-film hermeticamente soldado WIKA folha de dados PE 81.45 Aplicações

Leia mais

SENSOR DE VELOCIDADE Hudson Pinheiro de Andrade

SENSOR DE VELOCIDADE Hudson Pinheiro de Andrade UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE CENTRO DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA INSTRUMENTAÇÃO ELETRÔNICA PROFESSOR: LUCIANO CAVALCANTI SENSOR DE VELOCIDADE Hudson Pinheiro de Andrade

Leia mais

Cap.4 - Medição de Tensão e Corrente Cap. 5 - Medidas com Multímetros Analógicos e Digitais

Cap.4 - Medição de Tensão e Corrente Cap. 5 - Medidas com Multímetros Analógicos e Digitais Universidade Federal de Itajubá UNIFEI Cap.4 - Cap. 5 - Medidas com Multímetros Analógicos e Digitais Prof. Dr. Fernando Nunes Belchior fnbelchior@hotmail.com fnbelchior@unifei.edu.br Medição de Tensão

Leia mais

AUTOMATION. Soluções em sensoriamento industrial. Sensores fotoelétricos e laser, digitais e analógicos

AUTOMATION. Soluções em sensoriamento industrial. Sensores fotoelétricos e laser, digitais e analógicos Sensores fotoelétricos e laser, digitais e analógicos Sensores Indutivos, capacitivos e ultrassônicos Sistemas de medição laser e visão industrial Cabos e conectores de campo AUTOMATION. Soluções em sensoriamento

Leia mais

RESOLUÇÃO N.º 27 CONSIDERANDO:

RESOLUÇÃO N.º 27 CONSIDERANDO: PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE COMISSÃO CONSULTIVA PARA PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO RESOLUÇÃO N.º 27 Interpreta a aplicação dos artigos 103 e 104 da Lei Complementar 420/98 A Comissão Consultiva Para

Leia mais

Megôhmetro Digital de 12kV

Megôhmetro Digital de 12kV Megôhmetro Digital de 12kV Funções: Maior flexibilidade para testar máquinas de alta tensão, se comparado aos instrumentos comuns com tensão de medição de 5/10kV. A alta corrente de curto aumenta a velocidade

Leia mais

Última atualização: Maio de 2009 www.trackmaker.com Produto Descontinuado

Última atualização: Maio de 2009 www.trackmaker.com Produto Descontinuado Módulo Rastreador Veicular Manual de Instalação Última atualização: Maio de 2009 www.trackmaker.com Produto Descontinuado O Módulo Rastreador T3 introduz uma nova modalidade de localização e rastreamento

Leia mais

DETECÇÃO DE VAZAMENTOS EM TUBULAÇÕES PREDIAIS DE GÁS ATRAVÉS DA ANÁLISE ESPECTRAL DE TRANSIENTES DE PRESSÃO

DETECÇÃO DE VAZAMENTOS EM TUBULAÇÕES PREDIAIS DE GÁS ATRAVÉS DA ANÁLISE ESPECTRAL DE TRANSIENTES DE PRESSÃO DETECÇÃO DE VAZAMENTOS EM TUBULAÇÕES PREDIAIS DE GÁS ATRAVÉS DA ANÁLISE ESPECTRAL DE TRANSIENTES DE PRESSÃO R. B. SANTOS 1, M.M. de F. SILVA e A. M. F. FILETI Universidade Estadual de Campinas, Faculdade

Leia mais

Manual de Instruções Depósito Horizontal D.H.

Manual de Instruções Depósito Horizontal D.H. Manual de Instruções Depósito Horizontal D.H. Atenção: é recomendável que este manual seja lido por todos que participarão direta ou indiretamente da utilização deste produto. CONHEÇA O NOSSO PRODUTO ASSUNTOS

Leia mais

SOLUÇÃO DE DIGITALIZ AÇÃO 3D PAR A AVALIAÇÃO DA INTEGRIDADE DA TUBUL AÇÃO!

SOLUÇÃO DE DIGITALIZ AÇÃO 3D PAR A AVALIAÇÃO DA INTEGRIDADE DA TUBUL AÇÃO! SOLUÇÕES NDT SOLUÇÃO DE DIGITALIZ AÇÃO 3D PAR A AVALIAÇÃO DA INTEGRIDADE DA TUBUL AÇÃO! CONFORMIDADE COM OS CÓDIGO S Os operadores da tubulação e as empresas que prestam serviços de testes não destrutivos

Leia mais

Servoacionamento série CuiDADoS E PrECAuÇÕES

Servoacionamento série CuiDADoS E PrECAuÇÕES A U T O M A Ç Ã O Servoacionamento série CuiDADoS E PrECAuÇÕES Recomendamos a completa leitura deste manual antes da colocação em funcionamento dos equipamentos. 1 Sumário Garantia Estendida Akiyama 3

Leia mais

Robustez e alta velocidade com a garantia de cortes de alta precisão.

Robustez e alta velocidade com a garantia de cortes de alta precisão. METAL MECÂNICA AUTOCUT 4.0P HDX/2HDX Robustez e alta velocidade com a garantia de cortes de alta precisão. AutoCut 4.0P HDX/2HDX A AutoCut 4.0P é uma máquina CNC para corte de chapas de aço-carbono, aço

Leia mais

Na primeira aula, conhecemos um pouco sobre o projeto Arduino, sua família de placas, os Shields e diversos exemplos de aplicações.

Na primeira aula, conhecemos um pouco sobre o projeto Arduino, sua família de placas, os Shields e diversos exemplos de aplicações. Na primeira aula, conhecemos um pouco sobre o projeto Arduino, sua família de placas, os Shields e diversos exemplos de aplicações. A partir de agora, iremos conhecer o hardware do Arduino e suas caracteristicas

Leia mais

MANUAL DA ESTAÇÃO DE TESTE DE VAZÃO

MANUAL DA ESTAÇÃO DE TESTE DE VAZÃO MANUAL DA ESTAÇÃO DE TESTE DE VAZÃO São Carlos Novembro de 2008 1 ÍNDICE 1) Introdução... 3 2) Inspeção... 3 3) Aplicação... 3 4) Dados técnicos... 3 5) Componentes principais e funções... 4 6) Advertências...

Leia mais

Manual de Instruções. Poços de Proteção. Exemplos

Manual de Instruções. Poços de Proteção. Exemplos Manual de Instruções oços de roteção Exemplos Manual de Instruções de oços de roteção ágina 3-11 2 Índice Índice 1. Instruções de segurança 4 2. Descrição 4 3. Condições de instalação e instalação 5 4.

Leia mais

A CONSERVATIVE APPROACH TO THE ACOUSTIC EMISSION TECHNIQUE APPLIED TO EQUIPMENT SUBJECT TO INTERNAL PRESSURE

A CONSERVATIVE APPROACH TO THE ACOUSTIC EMISSION TECHNIQUE APPLIED TO EQUIPMENT SUBJECT TO INTERNAL PRESSURE A CONSERVATIVE APPROACH TO THE ACOUSTIC EMISSION TECHNIQUE APPLIED TO EQUIPMENT SUBJECT TO INTERNAL PRESSURE Sergio Damasceno Soares PETROBRAS/CENPES Ilha do Fundão Quadra 7 Rio de Janeiro RJ 21949-900

Leia mais

O melhor da tecnologia em prol da saúde da mulher. Graph Mammo DR Equipamento para mamografia digital. Catálogo Comercial

O melhor da tecnologia em prol da saúde da mulher. Graph Mammo DR Equipamento para mamografia digital. Catálogo Comercial O melhor da tecnologia em prol da saúde da mulher Graph Mammo DR Equipamento para mamografia digital Catálogo Comercial Nova tecnologia digital para Philips, sempre surpreendendo positivamente seus clientes!

Leia mais

APRESENTAÇÃO 2014 VISÃO CORPORATIVA PETROENGE PETRÓLEO ENGENHARIA LTDA. - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

APRESENTAÇÃO 2014 VISÃO CORPORATIVA PETROENGE PETRÓLEO ENGENHARIA LTDA. - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS VISÃO CORPORATIVA APRESENTAÇÃO 2014 PETROENGE PETRÓLEO ENGENHARIA LTDA. - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS EMPRESA Presente no mercado desde 1999, a PETROENGE é uma empresa de engenharia focada na maximização

Leia mais

Capítulo III. Faltas à terra no rotor e proteções de retaguarda. Proteção de geradores. Faltas à terra no rotor. Tipos de sistemas de excitação

Capítulo III. Faltas à terra no rotor e proteções de retaguarda. Proteção de geradores. Faltas à terra no rotor. Tipos de sistemas de excitação 24 Capítulo III Faltas à terra no rotor e proteções de retaguarda Por Geraldo Rocha e Paulo Lima* Faltas à terra no rotor A função primária do sistema de excitação de um gerador síncrono é regular a tensão

Leia mais

Aterramento. 1 Fundamentos

Aterramento. 1 Fundamentos Aterramento 1 Fundamentos Em toda instalação elétrica de média tensão para que se possa garantir, de forma adequada, a segurança das pessoas e o seu funcionamento correto deve ter uma instalação de aterramento.

Leia mais

ACESSO FÍSICA LISTA 1 (LEIS DE OHM E CORRENTE ELÉTRICA)

ACESSO FÍSICA LISTA 1 (LEIS DE OHM E CORRENTE ELÉTRICA) ACESSO FÍSICA LISTA 1 (LEIS DE OHM E CORRENTE ELÉTRICA) 1. (Fuvest) O plutônio ( Pu) é usado para a produção direta de energia elétrica em veículos espaciais. Isso é realizado em um gerador que possui

Leia mais

MÓDULOS PLUG & PLAY. MÓDULO ADL Manual de referência

MÓDULOS PLUG & PLAY. MÓDULO ADL Manual de referência MÓDULOS PLUG & PLAY MÓDULO ADL Manual de referência Parabéns pela aquisição de um produto STUDIO R! Eles foram projetados para anos de operação confiável sob as mais rigorosas condições. Seu STUDIO R deverá

Leia mais

guia de instalação cisterna vertical

guia de instalação cisterna vertical guia de instalação cisterna vertical FORTLEV CARACTERÍSTICAS FUNÇÃO Armazenar água pluvial ou água potável à temperatura ambiente. APLICAÇÃO Residências, instalações comerciais, fazendas, escolas ou qualquer

Leia mais

Módulos de Pressão Fluke da Série 750P

Módulos de Pressão Fluke da Série 750P Módulos de Pressão Fluke da Série 750P Dados técnicos Medição de pressão de precisão para calibradores das séries 75X e 720 Os módulos de pressão da série 750P são os módulos ideais que possibilitam a

Leia mais

Sistema de Telemetria para Hidrômetros e Medidores Aquisição de Dados Móvel e Fixa por Radio Freqüência

Sistema de Telemetria para Hidrômetros e Medidores Aquisição de Dados Móvel e Fixa por Radio Freqüência Sistema de Telemetria para Hidrômetros e Medidores Aquisição de Dados Móvel e Fixa por Radio Freqüência O princípio de transmissão de dados de telemetria por rádio freqüência proporciona praticidade, agilidade,

Leia mais

SISTEMAS AVANÇADOS DE CÂMARAS DE VIDEO PARA INSPEÇÃO

SISTEMAS AVANÇADOS DE CÂMARAS DE VIDEO PARA INSPEÇÃO SISTEMAS AVANÇADOS DE CÂMARAS DE VIDEO PARA INSPEÇÃO MODELOS VIS 200 / VIS 250 Generalidades: Os sistemas de inspeção VIS 200 e VIS 250 são equipamentos de grande robustez, a preço económico, mas de elevada

Leia mais

Detecção de vazamentos na rede urbana de água com rede de sensores sem fio

Detecção de vazamentos na rede urbana de água com rede de sensores sem fio Detecção de vazamentos na rede urbana de água com rede de sensores sem fio Igo Romero Costa de Souza 1, Icaro Ramires Costa de Souza 1, Mailson Sousa Couto 1 1 Instituto Federal da Bahia (IFBA) - Campus

Leia mais

EXPERIÊNCIA 17 USO DO TEMPORIZADOR INTERNO

EXPERIÊNCIA 17 USO DO TEMPORIZADOR INTERNO EXPERIÊNCIA 17 USO DO TEMPORIZADOR INTERNO Parte I Fundamentos Teóricos O que diferencia um microcontrolador (como o 8051) de um microprocessador é o fato de que o primeiro pode apresentar, integrados

Leia mais

VÁLVULAS VÁLVULAS DE BLOQUEIO

VÁLVULAS VÁLVULAS DE BLOQUEIO VÁLVULAS VÁLVULAS DE BLOQUEIO Gaveta Esfera VÁLVULAS DE REGULAGEM Globo Agulha Borboleta Diafragma VÁLVULAS QUE PERMITEM O FLUXO EM UM SÓ SENTIDO Retenção VÁLVULAS CONTROLE PRESSÃO DE MONTANTE Segurança

Leia mais

Ensaios de emissão Acústica em Esferas de Gás LP atendendo as exigências da NR-13.

Ensaios de emissão Acústica em Esferas de Gás LP atendendo as exigências da NR-13. Ensaios de emissão Acústica em Esferas de Gás LP atendendo as exigências da NR-13. Categoria Produção / Infra-estrutura Utingás Armazenadora S.A. Alfredo S. L. Carvalho Marcos Messina Paulo Bratfisch Lins

Leia mais

veículos de capacidade e cinqüenta

veículos de capacidade e cinqüenta 12 CATEGORIA PRO MOD PM 12.1) DEFINIÇÃO: Participam destas categorias veículos bipostos nacionais e importados, turismo, de produção em série, réplicas e protótipos, coupê, sedan ou pick upp de 2, 3, 4

Leia mais

Ferramentas SIMARIS. Fácil, rápido e seguro planejamento de Distribuição de Energia Elétrica. Totally Integrated Power

Ferramentas SIMARIS. Fácil, rápido e seguro planejamento de Distribuição de Energia Elétrica. Totally Integrated Power s Totally Integrated Power Ferramentas SIMARIS Fácil, rápido e seguro planejamento de Distribuição de Energia Elétrica. Answers for infrastructure and cities. Planejamento de distribuição de energia mais

Leia mais

Dataloggers Diver e software para de águas subterrâneas confiáveis e precisos. Diver-Suite

Dataloggers Diver e software para de águas subterrâneas confiáveis e precisos. Diver-Suite Dataloggers Diver e software para de águas subterrâneas confiáveis e precisos Diver-Suite TECNOLOGIA DE MONITORAMENTO INTELIGENTE O Diver-Suite* da Schlumberger Water Services oferece aos especialistas

Leia mais

TESTE DE ESTANQUEIDADE

TESTE DE ESTANQUEIDADE TESTE DE ESTANQUEIDADE Mais do que encontrar vazamentos... por: Mauricio Oliveira Costa Consumidores (e clientes) não querem produtos que vazem. De fato, eles estão cada vez mais, exigindo melhorias no

Leia mais

Curso Automação Industrial Aula 3 Robôs e Seus Periféricos. Prof. Giuliano Gozzi Disciplina: CNC - Robótica

Curso Automação Industrial Aula 3 Robôs e Seus Periféricos. Prof. Giuliano Gozzi Disciplina: CNC - Robótica Curso Automação Industrial Aula 3 Robôs e Seus Periféricos Prof. Giuliano Gozzi Disciplina: CNC - Robótica Cronograma Introdução a Robótica Estrutura e Características Gerais dos Robôs Robôs e seus Periféricos

Leia mais

GRUAS CENTRO DE EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL DE ÉVORA. UFCD 5811 Sistemas de transporte e elevação de carga Formador: David Inverno.

GRUAS CENTRO DE EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL DE ÉVORA. UFCD 5811 Sistemas de transporte e elevação de carga Formador: David Inverno. CENTRO DE EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL DE ÉVORA UFCD 5811 Sistemas de transporte e elevação de carga Formador: David Inverno GRUAS 16 Valores (Formador David Inverno) Introdução Gruas No âmbito da UFCD

Leia mais

Comunicações a longas distâncias

Comunicações a longas distâncias Comunicações a longas distâncias Ondas sonoras Ondas electromagnéticas - para se propagarem exigem a presença de um meio material; - propagam-se em sólidos, líquidos e gases embora com diferente velocidade;

Leia mais

NORMAS DE ACESSIBILIDADE - Associação Brasileira de Normas Técnicas - ABNT

NORMAS DE ACESSIBILIDADE - Associação Brasileira de Normas Técnicas - ABNT NORMAS DE ACESSIBILIDADE - Associação Brasileira de Normas Técnicas - ABNT 4.2 Pessoas em cadeira de rodas (P.C.R.) 4.2.1 Cadeira de rodas A figura 2 apresenta dimensões referenciais para cadeiras de rodas

Leia mais

Teste Hidrostático. Projeto de Dutos

Teste Hidrostático. Projeto de Dutos Teste hidrostático Definição (NBR 12712) Teste (ensaio) de pressão com água, que demonstra que um tubo ou um sistema de tubulação possui resistência mecânica compatível com suas especificações ou suas

Leia mais

METTLER TOLEDO Tecnologia de Sensores Analíticos Digitais

METTLER TOLEDO Tecnologia de Sensores Analíticos Digitais METTLER TOLEDO Tecnologia de Sensores Analíticos Digitais ISA Distrito 4 Seção Vale do Paraíba Jacareí SP Setembro de 2009 Ciro Medeiros Bruno Especialista em Desenvolvimento de Mercado Mettler Toledo

Leia mais

CAPÍTULO 5. INTERFACES PARA PERIFÉRICOS DE ARMAZENAMENTO INTERFACES DIVERSAS: FIREWIRE, SPI e I 2 C INTERFACES COM O MUNDO ANALÓGICO

CAPÍTULO 5. INTERFACES PARA PERIFÉRICOS DE ARMAZENAMENTO INTERFACES DIVERSAS: FIREWIRE, SPI e I 2 C INTERFACES COM O MUNDO ANALÓGICO 28 CAPÍTULO 5 INTERFACES PARA PERIFÉRICOS DE ARMAZENAMENTO INTERFACES DIVERSAS: FIREWIRE, SPI e I 2 C INTERFACES COM O MUNDO ANALÓGICO Interfaces para periféricos de armazenamento: Periféricos de armazenamento,

Leia mais

Desumidificador. Desidrat Plus IV Desidrat Plus V

Desumidificador. Desidrat Plus IV Desidrat Plus V Desumidificador Desidrat Plus IV Desidrat Plus V Obrigado por escolher esse produto. Por favor, leia esse manual de instrução antes de usar o aparelho. Índice: Introdução do Produto... 1 Instrução de Uso...

Leia mais

Ajustes e Regulagem de TUEs com foco na Redução do Consumo de Energia

Ajustes e Regulagem de TUEs com foco na Redução do Consumo de Energia Ajustes e Regulagem de TUEs com foco na Redução do Consumo de Energia 2 de 9 Resumo do Trabalho O principal insumo (e o principal custo) para a operação do transporte ferroviário de passageiros é a energia

Leia mais

Recomendações para aumento da confiabilidade de junta de expansão de fole com purga de vapor

Recomendações para aumento da confiabilidade de junta de expansão de fole com purga de vapor Recomendações para aumento da confiabilidade de junta de expansão de fole com purga de vapor 1. Junta de expansão de fole com purga de vapor d água Em juntas de expansão com purga da camisa interna, para

Leia mais

Construídos para toda a vida. Uma visão geral... Produtos para sistemas de ar comprimido

Construídos para toda a vida. Uma visão geral... Produtos para sistemas de ar comprimido Construídos para toda a vida Uma visão geral... Produtos para sistemas de ar comprimido Kaeser Compressores Nós oferecemos uma linha completa de produtos para sistemas de ar, incluindo compressores de

Leia mais

Ferramentas Industriais Bosch www.boschproductiontools.com

Ferramentas Industriais Bosch www.boschproductiontools.com Ferramentas Industriais Bosch www.boschproductiontools.com Tecnologia para a vida EXACT Parafusadeiras a Bateria / Elétricas Nossa embreagem de desligamento foi desenvolvida para minimizar a influência

Leia mais

Conceito de automação pneumática - uma comparação entre um terminal de válvulas e válvulas avulsas

Conceito de automação pneumática - uma comparação entre um terminal de válvulas e válvulas avulsas White Paper Conceito de automação pneumática - uma comparação entre um terminal de válvulas e válvulas avulsas Válvulas avulsas ou terminal de válvulas para controle de equipamentos automatizados pneumáticos?

Leia mais

A visão inteligente em eficiência energética. Micrologic E Unidade de controle para disjuntores Compact NS630b até NS3200 e Masterpact NT/NW

A visão inteligente em eficiência energética. Micrologic E Unidade de controle para disjuntores Compact NS630b até NS3200 e Masterpact NT/NW A visão inteligente em eficiência energética Micrologic E Unidade de controle para disjuntores Compact NS630b até NS3200 e Masterpact NT/NW Os edifícios podem obter economias de energia de até 30% com

Leia mais

SHX100. Módulo Shunt. Manual do Produto. AQX Instrumentação Eletrônica S.A.

SHX100. Módulo Shunt. Manual do Produto. AQX Instrumentação Eletrônica S.A. SHX100 Módulo Shunt Manual do Produto Rua Lauro Linhares, 589, Sobreloja, sala 1 - Trindade - Florianópolis - SC - 88036-001 Fone: +55 (48) 2107-2724 / 3333-2770- Fax: +55 (48) 3333-3745 Visite nosso site

Leia mais

Conversores D/A e A/D

Conversores D/A e A/D Conversores D/A e A/D Introdução Um sinal analógico varia continuamente no tempo. Som Temperatura Pressão Um sinal digital varia discretamente no tempo. Processamento de sinais digitais Tecnologia amplamente

Leia mais

Instruções de Instalação

Instruções de Instalação Instruções de Instalação Série ST ST/QBM, ST/MRA, ST Experience In Motion 1 Verificação do Equipamento 1.1 Seguir as normas de segurança da planta antes da desmontagem do equipamento: Consulte a Ficha

Leia mais

Turbocompressor modelo ABS HST 20

Turbocompressor modelo ABS HST 20 Turbocompressor modelo ABS HST 20 Principais Aplicações O turbocompressor modelo ABS HST 20 é altamente adequado para as seguintes áreas de aplicação: Aeração de água, efluentes ou outros líquidos Flotação

Leia mais

EPUSP PCS 2021/2308/2355 Laboratório Digital GERADOR DE SINAIS

EPUSP PCS 2021/2308/2355 Laboratório Digital GERADOR DE SINAIS GERADOR DE SINAIS E.T.M./2007 (adaptação) E.T.M./2011 (revisão) RESUMO Esta experiência tem como objetivo a familiarização com o problema da conversão de sinais digitalizados em sinais analógicos, o conversor

Leia mais

SISTEMA DE TREINAMENTO EM CONTROLADOR LÓGICO PROGRAMÁVEL

SISTEMA DE TREINAMENTO EM CONTROLADOR LÓGICO PROGRAMÁVEL SISTEMA DE TREINAMENTO EM CONTROLADOR LÓGICO PROGRAMÁVEL MODELO: CARACTERÍSTICAS 32 Pontos de Entrada / 32 Pontos de Saída. 3 Módulos Básicos: Controlador de Entrada, Simulador de Saída, Contador & Simulador

Leia mais

Termografia na Rede de Distribuição Subterrânea de Baixa Tensão da AES Eletropaulo na Manutenção Corretiva

Termografia na Rede de Distribuição Subterrânea de Baixa Tensão da AES Eletropaulo na Manutenção Corretiva Termografia na Rede de Distribuição Subterrânea de Baixa Tensão da AES Eletropaulo na Manutenção Corretiva Gerência de Redes Subterrâneas Diretoria Regional II Rafael Moreno Engenheiro Eletricista Campo

Leia mais