Projeto São Paulo. Relatório de Sinergias. São Paulo, novembro de 2008 MASTER STAMP

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Projeto São Paulo. Relatório de Sinergias. São Paulo, novembro de 2008 MASTER STAMP"

Transcrição

1 Projeto São Paulo Resultados do relatório com base nas informações disponibilizadas pelo Data Room do Banco Nossa Caixa Relatório de Sinergias São Paulo, novembro de 2008

2 O valor médio do Banco Nossa Caixa para o Banco do Brasil considerando os benefícios fiscais do ágio e sinergias passa a ser de R$ 8,1 bilhões. Valor Stand Alone do Banco Nossa Caixa para o BB considerando benefícios fiscais do ágio e sinergia líquidas R$ Milhões Máx Cálculo PwC Médio Máx Min. Min Ativos Estado de São Paulo FOPAG Operações Bancárias MAPFRE Nota(*): R$ 94 milhões já reconhecidos nas operações bancárias Cálculo do CAPM indica taxas nominais de desconto entre 13,5% e 14,5% ao ano em Reais nominais, dependendo do risco país utilizado. Ajustes Due Diligence BNC "stand alone" Impacto da Dedutibilidade fiscal do ágio na aquisição Sinergias Líquidas BNC "Stand alone" com benef. fiscais do ágio e sinergias 2008 Accenture. Todos os direitos reservados. 2

3 Análises mostram que a incorporação do BNC tem o potencial de gerar sinergias entre R$ 2,3 e R$ 3,3 bilhões para o Banco do Brasil. Sinergias Líquidas Alavancas Valores () Finalização Receitas Ampliar penetração de produtos nos clientes BNC Equalizar as taxas de fundos de investimentos PF/PJ BBxBNC Criação de valor: Sinergias Líquidas (R$ milhões) Qualidade do Crédito Eficiência Operacional Redução da PDD Consolidação das operações de back-office, Administração e Tecnologia Otimização e consolidação de canais De-sinergias (calculadas em cada alavanca) Investimentos na incorporação (TI, marketing, comunicação, treinamento, agências e outros) Adequação da política de benefícios (325) (458) Baixa Alta 2008 Accenture. Todos os direitos reservados. 3

4 65 Potencial de sinergias com o aumento de IPP, melhoria da PDD e adequação das taxas de fundos de investimentos varia entre R$ 1,0 e R$ 1,5 bilhão. Sinergias de Receitas e Qualidade do Crédito VPL das Sinergias de de Receita (R$ () Racional das Sinergias de de Receita Total Qualidade do Crédito Aplicação das políticas de crédito BB com adequação dos níveis de risco pós incorporação e renovação da carteira IPP Ampliar a penetração de produtos do BB na base de clientes PF do BNC (análise da base PJ em desenvolvimento) Fundos de Investimentos Adequação das taxas de administração dos fundos de investimentos PF e PJ aos padrões BB Taxas e Tarifas Adequação dos spreads, tarifas de pacotes de serviços e receitas de serviços por cartão aos padrões BB (em análise) Aumento Base de Clientes Conservador Agressivo Impossibilidade de término da análise sem abertura de informações Aumento da base de clientes do BNC sob gestão do BB (em análise) Fonte: Data Room BNC e dados fornecidos pelo BB. Análise Accenture 2008 Accenture. Todos os direitos reservados. 4

5 65 A incorporação do BNC ao BB tem potencial de geração de sinergias de custos entre R$ 1,3 e R$ 1,7 bilhão. Sinergias de Custos Despesas: atuais vs. vs. pós incorporação* (R$ (, 2007) VPL das Sinergias (R$ () Total Consolidação Administrativa Consolidação das Operações Consolidação de TI Otimização de Canais Depreciação % % % % % 104 Total Consolidação Administrativa Consolidação das Operações Consolidação de TI Otimização de Canais * Valor médio da redução assumindo que incorporação ocorreu já em 2007 Fonte: BNC; BB; análise Accenture 2008 Accenture. Todos os direitos reservados. 5

6 100 As sinergias das áreas administrativas são estimadas entre R$ 351 MM e R$ 468 MM. Sinergias das Áreas Corporativas Despesas: atuais vs. vs. pós incorporação* (R$ (, 2007) Racional e e VPL das Sinergias (R$ () Total Marketing Gestão de Produtos Gestão de Pessoas Jurídico Controladoria e Riscos Auditoria Finanças Compras Planejamento Estratégico % % -48% -10% -79% -50% -67% -33% -46% % * Valor médio da redução assumindo que incorporação ocorreu já em 2007 Fonte: BNC; BB; análise Accenture Potencial realocação de funcionários Ajuste das despesas de marketing do BNC para os patamares de despesas por correntista do Banco do Brasil e ganho de escala Potencial realocação de funcionários pela sobreposição de atividades. Alinhamento aos índices de produtividade do BB DGP: func. (63-70%) DCO: func. (80-71%) DPR: func. (72-79%) DFI: func. (74-82%) DEJUR: func. (10-13%) DEAUD: func. (48-53%) DECES: func. (38-43%) DEPEM: func. (67-74%) Total Marketing Gestão de Produtos Controladoria e Riscos Gestão de Pessoas Finanças Auditoria Compras Jurídico Planejamento Estratégico Accenture. Todos os direitos reservados. 6

7 86 As sinergias nas áreas de operações estão fundamentadas na sobreposição de funções, eliminação de núcleos regionais do BNC e alinhamento aos índices de produtividade operacional do BB. Sinergias das Operações Despesas: atuais vs. vs. pós incorporação* (R$ (, 2007) Racional e e VPL das Sinergias (R$ () TOTAL DEOPE DEINF, DEPAT DENIM, DERUR DCR DEOFI, DEINT DGT DISEB % % % -34% -23% 191 * Valor médio da redução assumindo incorporação ocorreu já em 2007 Fonte: BNC; BB; análise Accenture % % Eliminação dos 15 Núcleos de Apoio e 7 Núcleos Operacionais Diminuição da camada gerencial Realocação de ~232 FTEs Eliminação das 6 Coordenações Técnicas Diminuição de camada gerencial Realocação de ~76 FTEs Eliminação dos 3 Núcleos Imobiliários, 2 Núcleos de Crédito Imobiliários e 8 Divisões de Suporte a Negócios Rurais e Industriais Diminuição de camada gerencial Realocação de ~83 FTEs Diminuição de camada gerencial e realocação de pessoas: DCR: ~24 FTEs DEOFI, DEINT: ~14 FTEs DGT: ~4 FTEs TOTAL DEOPE DEINF, DEPAT DENIM, DERUR DCR DEOFI, DEINT DGT Accenture. Todos os direitos reservados. 7

8 621 A incorporação da tecnologia apresenta potencial de sinergia entre R$ 673 MM e R$ 898 MM, fundamentado na realocação de recursos, revisão de contratos e redução de infra-estrutura técnica e de sistemas. Sinergias em Tecnologia Despesas: atuais vs. vs. pós incorporação* (R$ (, 2007) Racional e e VPL das Sinergias (R$ () Total Recursos Humanos Internos % Redução do quadro de funcionários e equipe de terceiros se dará através de remanejamento das pessoas atualmente alocados nos sistemas Produtos do BNC e da absorção de funções de tecnologia pelo BB no momento da incorporação definitiva. Total Recursos Humanos Internos Sistemas e Infra-Estrutura Técnica % % Redução da infra-estrutura técnica devido à migração e eliminação de sistemas. Ganhos de escala nos contratos de manutenção de sistemas pela possibilidade de duplicidade de empresas terceirizadas Sistemas e Infra-Estrutura Técnica * Valor das despesas da operação estabilizada Fonte: BNC; BB; análise Accenture Accenture. Todos os direitos reservados. 8

9 35 As sinergias líquidas em canais apresentam variação entre R$ 65 e R$ 141 milhões para o BB. Sinergias em Canais Estrutura de de Despesas Atuais (R$ (, 2007) Racional e e VPL das Sinergias de de Canais (R$ () TOTAL -7% Migração de Transações Custo Unidades¹ % -9% Sobreposição de Unidades Sinergia Total de Canais Custos de Transações² Atual Futuro Aumento do custo referente à migração de transações para canais eletrônicos VPL da Padronização de Rede VPL (1) Considerados os custos com pessoas, processamento de dados, administrativos e patrimoniais (2) Consideradas as despesas referentes à disponibilização dos serviços na rede de atendimento sem despesas de pessoal Fonte: BNC; BB; análise Accenture Accenture. Todos os direitos reservados. 9

10 Para a captura das sinergias foram estimados, inicialmente, investimentos da ordem de R$ 876 milhões. Investimentos Preliminares para Captura de Sinergias () VPL Investimento acumulado Racional Canais Custo de material de TI e reforma das agências, PABs e ATMs (R$ 605K / agência; R$ 119k / PAB; R$ 7k / ATM) Pessoas Realocação de ~3200 pessoas (sendo ~1700 das agências) com custo de R$ 100 mil/pessoa da administração central e R$ 76 mil/pessoa das agências. Migração de ~2100 pessoas Integração de Sistemas e Equipamentos Integração e Convivência dos sistemas (980 mil horas - R$ 85/H) + Consultoria de Processos (R$ 15,1MM) + Equipamentos para Backoffice (R$ 2,6MM) Marketing e Treinamento Comunicação com clientes e mercado. Emissão e envio de tangíveis BB aos clientes. Treinamento de boas vindas e treinamentos gerais Total Validadores Fonte: Dados BNC; BB; análise Accenture 2008 Accenture. Todos os direitos reservados. 10

11 350 A variação de 0% a 4% na taxa de crescimento da base de despesas do BNC stand alone gera um aumento no valor das sinergias de até R$ 800 milhões. Cenários de VPL das Sinergias de Custo Taxas de de crescimento real da da base de de custos 1 1 VPL das Sinergias (R$ () % % % % % (1) Crescimento contínuo Fonte: BNC; BB; análise Accenture Canais Operações Administrativo TI 2008 Accenture. Todos os direitos reservados. 11

12 Agenda Anexos (materiais de suporte)

13 Alguns pressupostos de negócios foram adotados para calcular a estimativa das sinergias. Pressupostos para o Cálculo das Sinergias O Padrão BB serviu de base para determinar balizadores de produtividade. A captura de benefícios de quantidade de pessoas oriunda de sobreposições de atividades está estimada para ocorrer após o período de absorção. A absorção completa do BNC tem um tempo estimado entre 18 e 24 meses. A carteira de crédito do BNC deverá migrar para os padrões do BB em 3 anos. O custo de realocação de pessoas foi estimado em torno de R$ 100 mil (calculado com base nos salários médios BNC e regras do último PDV do BB). As informações utilizadas foram coletadas na sala de dados do BNC, reuniões com executivos BNC, sites públicos (BACEN, CVM, Febraban, etc.) e reuniões com executivos do BB Accenture. Todos os direitos reservados. 13

14 Agenda Sinergias Receitas 2008 Accenture. Todos os direitos reservados. 14

15 65 A melhoria dos níveis de provisionamento do BNC em função da melhor gestão do BB tem potencial de gerar sinergias entre R$ 504 e R$ 756 milhões. Redução da PDD Varejo Despesa de de PDD sobre Saldo da da Carteira de de Varejo Racional Melhoria da da PDD em em função da da melhor gestão Estimativa de de Sinergia (R$ () BNC BB -2,8% Atual Conservador (40%) Agressivo (60%) Agressivo Conservador PDD/ Carteira 5,59% * 8,40% 8,4% 7,3% 6,7% Pressupostos: VPL % Ativos entre risco AA e C: BNC 85,5% x BB 91,9% (credit scoring automatizado em implantação no BNC) Renovação da carteira (58% com vencimento em até 360 dias) Crescimento da carteira de crédito BNC stand alone (16,5% a.a.) menos inflação (4,03% a.a.) Início da migração dos clientes em Jul/10 e duração de 6 meses Saldo renovado no BB considera: (i) saldos BNC entre níveis de risco AA e C, (ii) subtração de sobreposição de clientes (20% - 40%) e (iii) perda de 8% da base de clientes pós integração Ficha Impostos: IR e CSLL Fonte: Data Room BNC, dados fornecidos pelo BB, sites e relatórios anuais das empresas. Análise Accenture 2008 Accenture. Todos os direitos reservados. 15

16 68,95 Sinergias e De-Sinergias de Receitas Aumento de IPP PF Detalhamento Pressupostos Venda de produtos BB para clientes migrados do BNC com objetivo de atingir os patamares de IPP do BB. Sobreposição de base por segmento de cliente: A =36%; B =39%; C =20% Crescimento Base de Clientes BNC 5% a.a. 8% perda de clientes estimada na base BNC Início da migração de clientes após 24 meses Tempo de migração 6 meses Tempo de incremento do IPP de 6 meses pós migração Potencial de captura 40%- 60% da diferença do IPP BB e BNC Índice de Eficiência BNC em 2010 e BB a partir de 2009 Impostos: ISS, PIS/Pasep, Cofins, IR e CSLL FLUXO Clientes Migrados C (R$ 0-800) B ( ) A ( ) Incremento Receita C (R$ 0-800) B ( ) A ( ) Incremento Despesas Imposto sobre Receitas Impacto Desp.Adm Imposto de Renda Benefício Líquido VPL 1 : 499 MM (mil) Segmento de Clientes B ( ) A ( ) TOTAL 2007 C (R$ 0-800) Clientes Migrados (#) ,187 2,654 1,288 % 63% 31% 6% 100% IPP ,396 2,787 1, (109.5) (10.3) (82.4) (27.0) MASTER 2012 STAMP 2018 MC no BB (R$/cliente. mes) 7,63 32,54 93,68 22,32 4,616 2,927 1, (144.5) (13.7) (108.8) (35.7) IPP ,611 3,557 1, (201.5) (17.4) (138.6) (45.5) 68.2 MC VPL = Valor presente líquido em 2008, calculado com taxa real de 10,26% ao ano e perpetuidade a partir do 2017 ano com taxa de crescimento de 0% a.a. Taxa de desconto real baseada na taxa nominal de 14,29% calculada pela PwC descontada a inflação projetada de 3.65%aa Accenture. Todos os direitos reservados. 16 Fonte: Banco Nossa Caixa; Banco do Brasil; análise Accenture

17 65 Ampliar o IPP no segmento PF em função da adoção do modelo comercial do BB tem o potencial de gerar sinergias entre R$ 333 e R$ 500 milhões. Ampliar IPP na Base PF Penetração de de Produtos PF PF Racional Venda do do próximo produto mais consumido pelos clientes Estimativa de de Sinergia (R$ () Segmento PF BNC BB "A" "B" "C" +0,1 1,5 1,6 2,9 +2,2 +0,6 2,6 3,2 5,1 Atual 2,92 2,63 1,48 Conservador (40%) 3,79 2,87 1,52 Agressivo (60%) 4,23 2,99 1,53 Pressupostos: Início da Migração de clientes em Jul/10 e duração de 6 meses Incremento de IPP 6 meses após a migração do cliente Considera potencial sobreposição de clientes com BB (de 20% a 40%) e perda de 8% da base pós integração Crescimento da base de clientes de 5,0% a.a. (BNC: CAGR 03/07: 10% e Var. 06/07: 5,6%) Índice de eficiência BNC (64%) até 2010 e assume índice do BB (51%) em 2011 Impostos: ISS, PIS/Pasep, Cofins, IR e CSLL Agressivo Conservador VPL Ficha Fonte: Data Room BNC e dados fornecidos pelo BB. Análise Accenture 2008 Accenture. Todos os direitos reservados. 17

18 353 Sinergias e De-Sinergias de Crédito Redução da PDD Detalhamento Pressupostos Redução do índice de despesa de PDD sobre o saldo da carteira de crédito Renovação apenas dos saldo classificados entre os níveis de risco AA e C e referente aos clientes migrados Crescimento da carteira de crédito considerada no stand alone, CAGR de 13%, Migração dos clientes iniciando em Julho/10 com duração de 6 meses, subtraída do potencial sobreposição (de 20% a 40%) de clientes com BB e saída de 8% da base BNC. Fluxo Saldo Médio Renovado no BB Crédito PF Crédito PJ Incremento de Mg. Fin. Redução de Despesas PDD Incremento de Despesas. Imposto de Renda (40%) Benefício Líquido VPL 1 : 756 MM ,0 0, ,0 0, ,0 (34,01) 51,0 Despesa de PDD 2010E para os saldos a serem renovados no BB: % ,3 (42,51) MASTER 2012 STAMP , ,6 (51,03) 76, (62,98) 94,5 Modelo Atual Modelo Futuro 1. VPL = Valor presente líquido em 2008, calculado com taxa de 10,26% ao ano e perpetuidade a partir do 2017 ano com taxa de crescimento de 0% a.a. Taxa de desconto real baseada na taxa nominal de 14,29% calculada pela PwC descontada a inflação projetada de 3.65%aa. Fonte: Banco Nossa Caixa; Banco do Brasil; análise Accenture 2008 Accenture. Todos os direitos reservados. 18

19 65 A aplicação das taxas de adm. de fundos do BB no PL dos fundos para PF e PJ do BNC tem o potencial de gerar sinergias entre R$ 189 e 252 milhões. Equalizar as Taxas de Fundos Taxas de de Administração de de Fundos de de Investimentos BNC BB Fundos PF/PJ 1,5% 2,4% Racional Adequação das das taxas de de administração aos aos valores cobrados pelo BB BB Atual Conservador (60%) Agressivo (80%) 1,5% 2,0% 2,2% Estimativa de de Sinergia (R$ () Agressivo Conservador 252 Gov. C/ Tesouro 0,0% 0,2% +0,9% 0,0% Não há alteração Gov. S/ Tesouro 0,4% 2,3% 0,4% Não há alteração 189 Pressupostos: Taxa de administração BB de fundos equivalentes por tipo de portfólio e aplicação inicial mínima Não há renegociação das taxas de administração dos fundos de Governo Migração dos saldos e reajuste das tarifas PF/PJ acompanha a migração de clientes considerando a sobreposição e perda de clientes Projeção do PL Médio dos Fundos: CAGR (07/17) de 14,58% a.a. (com inflação de 4,03% a.a.) Ficha Impostos: ISS, PIS/Pasep, Cofins, IR e CSLL VPL Fonte: Data Room BNC, dados fornecidos pelo BB, sites e relatórios anuais das empresas. Análise Accenture 2008 Accenture. Todos os direitos reservados. 19

20 140 Sinergias e De-Sinergias de Receitas Fundos de Investimentos Detalhamento Pressupostos Adequação das taxas de administração dos fundos PF/PJ aos valores das taxas de fundos equivalentes do BB por tipo de portfólio e aplicação inicial mínima Não há renegociação das taxas de administração dos fundos de Governo Migração dos saldos e reajuste das tarifas PF/PJ acompanha a migração de clientes considerando a sobreposição e perda de clientes Projeção do PL Médio dos Fundos: CAGR (07/17) de 14,58% a.a. (com inflação de 4,03% a.a.) Impostos: ISS, PIS/Pasep, Cofins, IR e CSLL Fluxo PL Médio Dez (97% do PL) Incremento de Receita Incremento Rec. Serviço Incremento de Despesas Imposto sobre Receitas IR+CSLL Benefício Líquido VPL 1 : 252 MM , , , ,542 29,55 (2,85) (10,68) 16, ,342 32,71 (3,16) (11,82) Receita com Fundos de Investimentos 2010E para o PL migrado ao BB: % 17,73 MASTER 2012 STAMP ,226 36,17 (3,49) (13,07) 19,61 16,886 66,21 (6,39) (23,93) 35,89 Modelo Atual Modelo Futuro 1. VPL = Valor presente líquido em 2008, calculado com taxa de 10,26% ao ano e perpetuidade a partir do ano 2017 com taxa de crescimento de 0% a.a. Taxa de desconto real baseada na taxa nominal de 14,29% calculada pela PwC descontada a inflação projetada de 3.65%aa. Fonte: Banco Nossa Caixa; Banco do Brasil; análise Accenture 2008 Accenture. Todos os direitos reservados. 20

21 Agenda Sinergias Áreas Corporativas 2008 Accenture. Todos os direitos reservados. 21

22 36 A incorporação das funções de marketing proporcionará remanejamento de 85% recursos e redução de 27% nas despesas em propaganda e mídia. Incorporação das Funções de Marketing Marketing Presidência Área Função Marketing e Comunicação DEMAR Marketing Comunicação Institucional Comunicação Mercadológica I DIMAR.1 (7) DIMAR.3 (9) DIMAR.2 (11) Marketing Institucional e produtos Planejamento de Marketing Eventos Comunicação Mercadológica II DIMAR.3 (5) Marketing Estratégico Planej. Orç. Aval. e Acomp. de Mídia DIMAR.4 (8) Operacional e Patrocínios Relacionamento com a Imprensa DIMAR.1 (1) Relacionamento com a Imprensa Comunicação Interna DIMAR.1 (2) Endomarketing Ouvidoria Externa OUVIR (14) Ouvidoria Externa Potencial realocação de de recursos Atual 67-85% Futuro 10 Redução em em propaganda e e mídia Atual 49-27% Futuro 36 Modelo futuro Descontinuação da marca Nossa Caixa e redução das despesas associadas. Incremento nas despesas de marketing do BB para suportar a ampliação do negócio. Revisão dos patrocínios existentes. Incorporação de parte da equipe BNC com potencial remanejamento por sobreposição de funções e atividades Accenture. Todos os direitos reservados. 22

23 As atividades de eventos serão realizadas por estruturas regionais. Já as demais funções, centralizadas, migrarão para a estrutura do Banco do Brasil de acordo com sua capacidade de absorção. Incorporação das funções de Marketing Principais Atribuições Estratégia Propaganda e Mídia Comunicação Visual Eventos Patrocínios Presidência Área Função Marketing e Comunicação DEMAR (10) Marketing Parâmetros Operacionais Pessoas, Infra, outros Eventos Propagandas profissionais em Marketing 14 profissionais na Ouvidoria Comunicação Institucional Comunicação Mercadológica I Comunicação Mercadológica II DIMAR.1 (7) DIMAR.3 (9) DIMAR.2 (11) DIMAR.3 (5) Marketing Institucional e produtos Planejamento de Marketing Eventos Marketing Estratégico Despesa total 2007 (R$MM) Diretrizes de Incorporação As atividades de marketing e comunicação do Banco Nossa Caixa deixam de existir após a incorporação total ao Banco do Brasil, visto que a marca do BNC será descontinuada. Atividades e profissionais das gerências de departamento e divisão devem ser absorvidos na estrutura em Brasília, considerando a grande sinergia existente. Atividades de eventos que apóiam as atividades comerciais locais devem continuar para suporte da rede / clientes absorvidos pelo BB. Reavaliação da continuidade dos patrocínios existentes. Planej. Orç. Aval. e Acomp. de Mídia Relacionamento com a Imprensa Comunicação Interna Ouvidoria Externa DIMAR.4 (8) DIMAR.1 (1) DIMAR.1 (2) OUVIR (14) Operacional e Patrocínios Relacionamento com a Imprensa Endomarketing Ouvidoria Externa 1. Parâmetros de 2007 Fonte: Banco do Brasil; Banco Nossa Caixa; análise Accenture Presidência e VPs Diretorias Gerências ( ) Quantidade de funcionários do Banco Nossa Caixa 2008 Accenture. Todos os direitos reservados. 23

24 68,95 Sinergias e De-Sinergias de Marketing Detalhamento Sinergias Redução de ~86% no número de pessoas Redução das despesas de infra-estrutura proporcionalmente às pessoas Despesas de publicidade e propaganda nos patamares do BB e ganho de escala de 5% (R$14.5 para R$10.9 por correntista) De-Sinergias Gastos com o Plano de Antecipação de Aposentadoria Despesas com treinamento e mudança de localização geográfica para os recursos mantidos na área Aumento da despesa com agências de marketing do Banco do Brasil HeadCount MASTER STAMP 10 Sinergias Pessoas Infra Física Infra Técnica Serviços Gerais De-Sinergias (11.29) (11) (0.13) (2.90) (2.90) Contratos Treinamento pessoas - (1) Transferência pessoas - - (0.13) Kit boas vindas (11.29) (0) Midia e sinalização - (10) Cartão+postagem Consultoria processos PDV (2.90) (2.90) Arquitetura de Integração Investimentos Benefício Total Líquido (6.77) (6.01) (8) VPL 1 : 134 Despesas recorrentes 2007 atuais (Modelo Atual) e após captura das sinergias (Modelo Futuro) 1. VPL = Valor presente líquido em 2008, calculado com taxa de 10.26% ao ano e perpetuidade a partir do 2017 ano com taxa de crescimento de 0% a.a. Taxa de desconto real baseada na taxa nominal de 14,29% calculada pela PwC descontada a inflação projetada de 3.65%aa. Fonte: Banco Nossa Caixa; Banco do Brasil; análise Accenture 2008 Accenture. Todos os direitos reservados ,40 Modelo Atual -47% 37,05 Modelo Futuro

25 27 A incorporação das funções de Recursos Humanos e Responsabilidade Sócio-Ambiental proporcionará a liberação de 68% dos recursos que poderão migrar para outras áreas do Banco do Brasil. Incorporação de Recursos Humanos e RSA Recursos Humanos e RSA VP de Gestão de Pessoas e RSA Gestão de Pessoas Provimento e Retribuição Educação e Desenv.de Compet. Profissionais Monit. e Aval. em Gestão de Pessoas e Coord.Rede Relações com Funcionários e RSA Responsabilidade Socioambiental Relações Trabalhistas Área DEGEP DESER DIGEP.1 (5) DIGEP.2 (9) DISER.1 (8) DISER.2 (5) DIGEP.1 (6) DISER.1 (13) DIGEP.1 (2) DISER.1 (10) DICOG (7) Função Gestão de Serviços a Pessoas Desenvolvimento e Gestão de Pessoas Recrutamento e Seleção; PCS Gestão da folha Definição de políticas de DP Treinamentos Gestão de fornecedores de treinamento Avaliação de desempenho Medicina do trabalho e RSA Relações com funcionários Linha Direta Relações com Funcionários e com Ent. Patrocinadas VP de TI e Logística Logística CSL DISER.2 (45) Suporte e operação regional de DP Cálculos trabalhistas Potencial realocação de de recursos Modelo futuro Atual Futuro % Transferência das atividades de gestão de pessoas, relações com funcionários e sócio ambiental para a administração central em Brasília. Reavaliação dos contratos de fornecedores e migração gradativa para os fornecedores do BB. Utilização dos núcleos regionais do Banco do Brasil em São Paulo para as atividades operacionais de gestão de pessoas 2008 Accenture. Todos os direitos reservados. 25

26 As funções de Gestão de Pessoas migrarão para a estrutura do Banco do Brasil de acordo com sua capacidade de absorção, aproveitando as estruturas operacionais regionais existentes no BB. Incorporação das funções de Gestão de Pessoas e RSA Principais Atribuições Seleção Carreira Recrutamento e seleção Cargos e treinamentos Avaliação de desempenho Parâmetros Operacionais (2007) Infra, outros Treinamentos Pessoas Operações Comunicação entre áreas e RH 95 Despesa total 2007 (R$MM) Benefícios Gestão da folha de pagamento Planejamento de benefícios Saude ocupacional 136 funcionários Gestão de funcionários do BNC 2800 ocorrências atendidas 91 mil treinamentos realizados 965 cargos descritos, 299 em fase de descrição VP de Gestão de Pessoas e RSA Gestão de Pessoas Provimento e Retribuição Educação e Desenv.de Compet. Profissionais Monit. e Aval. em Gestão de Pessoas e Coord.Rede Relações com Funcionários e RSA Responsabilidade Socioambiental Área DGP (3) DEGEP (2) DESER (2) DIGEP.1 (10) DIGEP.2 (9) DISER.1 (8) DISER.2 (3) DIGEP.1 (10) DISER.1 (13) DIGEP.1 (4) DISER.1 (19) Função Gestão de Serviços Desenvolvimento e Gestão de Pessoas Recrutamento e Seleção; PCS Gestão da folha Definição de políticas de DP Treinamentos Gestão de fornecedores de treinamento Avaliação de desempenho Medicina do trabalho e RSA Diretrizes de Incorporação Transferência das atividades de gestão de pessoas, relações com funcionários e sócio ambiental para a administração central em Brasília. Reavaliação dos contratos de fornecedores e migração gradativa para os fornecedores do BB. Utilização dos núcleos regionais do Banco do Brasil em São Paulo para as atividades operacionais de gestão de pessoas. Relações Trabalhistas Relações com Funcionários e com Ent. Patrocinadas VP de TI e Logística Logística CSL DICOG (8) DISER.2 (45) Relações com funcionários Linha Direta Suporte e operação regional de DP Cálculos trabalhistas 1. Parâmetros de 2007 Fonte: Banco do Brasil; Banco Nossa Caixa; análise Accenture Presidência e VPs Diretorias Gerências ( ) Quantidade de funcionários do Banco Nossa Caixa 2008 Accenture. Todos os direitos reservados. 26

27 21,85 Sinergias e De-Sinergias de Gestão de Pessoas Detalhamento Sinergias Liberação de ~68% no número de pessoas da área para aproveitamento em outras funções no BB Redução das despesas de infra-estrutura proporcionalmente às pessoas liberadas De-Sinergias Gastos com o Plano de Antecipação de Aposentadoria Despesas com treinamento e mudança de localização geográfica para os recursos mantidos na área HeadCount VPL 1 : 66MM Sinergias (0) (0) (0) Pessoas Infra Física (0) (0) (0) Infra Técnica Serviços Gerais De-Sinergias (0) (7) (0.63) (4.70) (4.70) Contratos Treinamento pessoas - (7) Transferência pessoas - - (0.63) Kit boas vindas (0) Midia e sinalização Cartão+postagem Consultoria processos PDV (4.70) (4.70) Arquitetura de Integração Investimentos Benefício Total Líquido (0) (4) (0.38) Despesas recorrentes 2007 atuais (Modelo Atual) e após captura das sinergias (Modelo Futuro) 1. VPL = Valor presente líquido em 2008, calculado com taxa de 10.26% ao ano e perpetuidade a partir do 2017 ano com taxa de crescimento de 0% a.a. Taxa de desconto real baseada na taxa nominal de 14,29% calculada pela PwC descontada a inflação projetada de 3.65%aa. Fonte: Banco Nossa Caixa; Banco do Brasil; análise Accenture 2008 Accenture. Todos os direitos reservados Modelo Atual 16-49% Modelo Futuro

28 32 A incorporação das funções de Controladoria, Riscos e Contabilidade apresenta potencial de liberação de 82% dos recursos. Incorporação das Funções de Controladoria, Riscos e Contabilidade Controladoria Riscos Contabilidade VP de Crédito, Controladoria e Risco Global Área Função VP de Crédito, Controladoria e Risco Global Área Função VP de Crédito, Controladoria e Risco Global Área Função Controladoria DECOI Controladoria e Gestão de informações Gestão de Riscos DEGER Gestão estratégica de riscos Contadoria (Unidade) DECON Contabilidade Contabilidade e Infs.Gerenciais DICOI.3 (20) Informações gerenciais Gestão de Ativos e Passivos Normatização DICON.1 (5) Metodologia Contábil Orçamento e Análise DICOI.2 (6) Orçamento Riscos Mercado/Liquidez Fundos Invest. DIGER.1 (12) Risco de Mercado e Liquidez Evidenciação DICON.4 (14) Demonstrações e Análises Modelagem DICOI.4 (6) Custos Gestão Risco Crédito DIGER.2 (9) Risco de Crédito Controle e Escrituração DICON.2 (42) Execução e Controle VP de TI e Logística Logística CSL DICOI.1 (25) Controles Internos Gestão Risco Operacional DIGER.3 (7) Risco Operacional Gestão Tributária Planejamento Tributário DICON.3 (12) Divisão Tributária Potencial realocação de de recursos Modelo futuro Atual Futuro % Transferência das atividades de controle interno, orçamentos, relatórios gerenciais, indicadores e metas da rede, gestão de custos, gestão de riscos, metodologia contábil, execução e controle, demonstrações e análises e gestão tributária para a administração central em Brasília. Unificação contábil e de informações para mercado. Report consolidado das informações das duas instituições após a incorporação Accenture. Todos os direitos reservados. 28

29 As funções de Controladoria serão consolidadas com na estrutura do Banco do Brasil em Brasília de acordo com a capacidade de absorção. Incorporação das funções de Controladoria Principais Atribuições Controles Internos Prevenção à lavagem de dinheiro Identificação e classificação de riscos Orçamento Discussão e elaboração do orçamento corporativo Informações Relatórios gerenciais Indicadores Informações comerciais ao Banco Central Custos Metodologia e apuração de custos de produtos e serviços VP de Crédito, Controladoria e Risco Global Controladoria Área DECOI (3) Função Controladoria e Gestão de informações Parâmetros Operacionais Contabilidade e Infs.Gerenciais DICOI.3 (20) Informações gerenciais Infra, outros 8 60 funcionários Orçamento e Análise DICOI.2 (6) Orçamento Pessoas 7 Modelagem DICOI.4 (6) Custos Despesa total 2007 (R$MM) Diretrizes de Incorporação Transferência das atividades de controle interno, orçamentos, relatórios gerenciais, indicadores e metas da rede e custos para a administração central em Brasília. Consolidação das premissas, projeções e análises orçamentárias. VP de TI e Logística Logística CSL DICOI.1 (25) Controles Internos 1. Parâmetros de 2007 Fonte: Banco do Brasil; Banco Nossa Caixa; análise Accenture Presidência e VPs Diretorias Gerências ( ) Quantidade de funcionários do Banco Nossa Caixa 2008 Accenture. Todos os direitos reservados. 29

30 As funções de Contabilidade migrarão para a estrutura do Banco do Brasil de acordo com sua capacidade de absorção. Incorporação das funções de Contabilidade Principais Atribuições Metodologia Execução Análises Tributário VP de Crédito, Controladoria e Risco Global Área Função Contadoria (Unidade) DECON (13) Contabilidade Parâmetros Operacionais 1 Normatização DICON.1 (5) Metodologia Contábil Infra, outros Publicações Pessoas Despesa total 2007 (R$MM) 86 funcionários 1048 unidades contábeis Total de lançamentos manuais e automáticos (passivos, permanente, tvm, contratos, folha de pagamento e demais unidades) Evidenciação Controle e Escrituração DICON.4 (14) DICON.2 (42) Demonstrações e Análises Execução e Controle Diretrizes de Incorporação Transferência das atividades de metodologia contábil, execução e controle, demonstrações e análises e gestão tributária para a administração central em Brasília. Unificação contábil a partir da incorporação da Nossa Caixa. Unificação das informações enviadas ao mercado e terceiros (Ex. BACEN e receita federal) Gestão Tributária Planejamento Tributário DICON.3 (12) Divisão Tributária 1. Parâmetros de 2007 Fonte: Banco do Brasil; Banco Nossa Caixa; análise Accenture Presidência e VPs Diretorias Gerências ( ) Quantidade de funcionários do Banco Nossa Caixa 2008 Accenture. Todos os direitos reservados. 30

31 As funções de Gestão de Riscos serão consolidadas com a estrutura do Banco do Brasil de acordo com a capacidade de absorção. Incorporação das funções de Riscos Principais Atribuições Políticas e Diretrizes Controles de Limites Gestão e Planos VP de Crédito, Controladoria e Risco Global Gestão de Riscos Área DEGER (1) Função Gestão estratégica de riscos Parâmetros Operacionais Gestão de Ativos e Passivos Infra, outros 3 29 funcionários Riscos Mercado/Liquidez Fundos Invest. DIGER.1 (12) Risco de Mercado e Liquidez Pessoas 3 Gestão Risco Crédito DIGER.2 (9) Risco de Crédito Despesa total 2007 (R$MM) Diretrizes de Incorporação Gestão Risco Operacional DIGER.3 (7) Risco Operacional Transferência e unificação das atividades de gestão de riscos para a administração central em Brasília. Report consolidado das informações das duas instituições após a incorporação. 1. Parâmetros de 2007 Fonte: Banco do Brasil; Banco Nossa Caixa; análise Accenture Presidência e VPs Diretorias Gerências ( ) Quantidade de funcionários do Banco Nossa Caixa 2008 Accenture. Todos os direitos reservados. 31

32 5 Sinergias e De-Sinergias de Controladoria e Riscos. Detalhamento Sinergias Redução de ~82% no número de pessoas Redução das despesas de infra-estrutura proporcionalmente às pessoas Aumento de 20% dos custos com auditoria externa (80% de redução das despesas) De-Sinergias Gastos com o Plano de Antecipação de Aposentadoria Despesas com treinamento e mudança de localização geográfica para os recursos mantidos na área HeadCount VPL 1 : 79MM Sinergias Pessoas Infra Física Infra Técnica Serviços Gerais De-Sinergias (0) (5) (0.47) - (14.89) Contratos Treinamento pessoas - (5) Transferência pessoas - - (0.47) Kit boas vindas (0) Midia e sinalização Cartão+postagem Consultoria processos PDV (14.89) Arquitetura de Integração Investimentos Benefício Total Líquido (0) (3) (0.28) Despesas recorrentes 2007 atuais (Modelo Atual) e após captura das sinergias (Modelo Futuro) 1. VPL = Valor presente líquido em 2008, calculado com taxa de 10.26% ao ano e perpetuidade a partir do 2017 ano com taxa de crescimento de 0% a.a. Taxa de desconto real baseada na taxa nominal de 14,29% calculada pela PwC descontada a inflação projetada de 3.65%aa. Fonte: Banco Nossa Caixa; Banco do Brasil; análise Accenture 2008 Accenture. Todos os direitos reservados Modelo Atual -80% 5 Modelo Futuro

33 0 As funções estratégicas do Jurídico serão centralizadas e absorvidas pela estrutura do Banco do Brasil. As atividades operacionais serão mantidos nas estruturas regionais do Banco do Brasil. Incorporação das funções do Jurídico Principais Atribuições Atividades consultivas e contenciosas Apoio ao varejo Realizada internamente e com escritórios externos Parâmetros Operacionais Serviços Legais Pessoas Despesa total 2007 (R$MM) Diretrizes de Incorporação Projetos especiais Direito societário Contratações e desenvolvimento de produtos 295 profissionais internos, sendo 59 advogados 120 mil ações em andamento 810 atendimentos mensais consultas mensais A execução das atividades jurídicas operacionais e respectivos funcionários serão mantidas em São Paulo através dos AJURE e NUJUR distribuídos em SP. As atividades de proposição de estratégias, políticas e diretrizes jurídicas serão realizadas de forma centralizada em Brasília. As atividades e recursos das gerências jurídicas devem ser distribuídos na estrutura do Banco do Brasil segundo a matéria de direito de cada gerência (estrutura do BNC não é completamente dividida por matéria do direito e sim por tipo de atividade). Presidência Jurídico Direito Civil, Comercial e Internacional Direito Tributário, Societário e Securitário Direito Público e Reestr. Ativos Direito Trabalho e Administrativo Direito Privado, Agronegócios e Gestão Rede Área DEJUR (146) DIJUR.1 (15) DIJUR.2 (34) DIJUR.3 (44) DIJUR.4 (34) DIJUR.5 (22) Jurídico Função Atendimento ao varejo para resolução de dúvidas (ex. procurações e ordens judiciais) Causas cíveis e direito tributário. 35 escritórios externos (causas até R$ 300mil) Causas cíveis e direito tributário. Tratadas internamente (causas até R$ 300mil) Atividades consultivas, contenciosas e terceirizados sobre direito do trabalhista Projetos especiais (societária, contratações e desenvolvimento de produtos) Núcleos jurídicos regionais 2 1. Parâmetros de Em processo de desativação em andamento Fonte: Banco do Brasil; Banco Nossa Caixa; análise Accenture Presidência e VPs Diretorias Gerências ( ) Quantidade de funcionários do Banco Nossa Caixa 2008 Accenture. Todos os direitos reservados. 33

34 57 Sinergias e De-Sinergias da área Jurídica Detalhamento Sinergias Redução de ~13% no número de pessoas Redução das despesas de infra-estrutura proporcionalmente às pessoas De-Sinergias Gastos com o Plano de Antecipação de Aposentadoria Despesas com treinamento e mudança de localização geográfica para os recursos mantidos na área HeadCount VPL 1 : 10MM Sinergias Pessoas Infra Física Infra Técnica Serviços Gerais De-Sinergias (0) (0.39) (3.33) (1.90) (1.90) Contratos Treinamento pessoas - (0.39) Transferência pessoas - - (3.33) Kit boas vindas (0) Midia e sinalização Cartão+postagem Consultoria processos PDV (1.90) (1.90) Arquitetura de Integração Investimentos Benefício Total Líquido (0) (0.23) (2.00) (0.25) Despesas recorrentes 2007 atuais (Modelo Atual) e após captura das sinergias (Modelo Futuro) 1. VPL = Valor presente líquido em 2008, calculado com taxa de 10.26% ao ano e perpetuidade a partir do ano 2017 com taxa de crescimento de 0% a.a. Taxa de desconto real baseada na taxa nominal de 14,29% calculada pela PwC descontada a inflação projetada de 3.65%aa. Fonte: Banco Nossa Caixa; Banco do Brasil; análise Accenture 2008 Accenture. Todos os direitos reservados Modelo Atual 27 Modelo Futuro -10%

35 As funções de Negócios Internacionais migrarão para a estrutura do Banco do Brasil de acordo com sua capacidade de absorção. Incorporação das funções de Negócios Internacionais Principais Atribuições Atendimento Front Office Suporte Middle Office Operações Back Office VP de Negócios Internacionais e Atacado Área Função Arbitragem, interbancário, câmbio, operações de crédito (inclusive com governo) Internacional DEINT (3) Negócios Internacionais Parâmetros Operacionais 1 Finanças Internacionais DIINT.3 (14) Controle Administrativo de Operações Serviços, Infra Pessoas funcionários 10 mil operações de câmbio por ano Operações Internacionais Clientes/Mercado Internacional Capitais DIINT.1 (5) Negociação de Operações Despesa total 2007 (R$MM) Diretrizes de Incorporação Transferência e unificação das atividades de negócios internacionais para a administração central em Brasília e das operações para a GECEX. Análise dos volumes das atividades e capacidade de absorção da estrutura do Banco do Brasil. Controle/Gestão Rede Externa Serviços e Participações No Exterior Diretoria de Comércio Exterior DIINT.2 (8) Estruturação e Gestão de Operações 1. Parâmetros de 2007 Fonte: Banco do Brasil; Banco Nossa Caixa; análise Accenture Presidência e VPs Diretorias Gerências ( ) Quantidade de funcionários do Banco Nossa Caixa 2008 Accenture. Todos os direitos reservados. 35

36 As funções de Operações Financeiras migrarão para a estrutura do Banco do Brasil de acordo com sua capacidade de absorção. Incorporação das funções de Operações Financeiras Principais Atribuições Tesouraria Instituições financeiras e institucionais Negociação de depósitos e créditos com agências Acompanhamento do mercado de taxas Atendimento a clientes corporate e funcionários Derivativos e operações estruturadas VP de Negócios Internacionais e Atacado Comercial Área DEOFI (3) Função Operações Financeiras Parâmetros Operacionais 1 Infra, outros Serviços Financeiros Pessoas funcionários Atendimento de aproximadamente 100 ligações por dia Clientes e Rede Atacado Operações Estruturadas Produtos/Serviços DIOFI.3 (5) Operações Estruturadas e com Derivativos Despesa total 2007 (R$MM) Negócios em Cadeia de Valor Diretrizes de Incorporação Transferência e unificação das atividades para a administração central em Brasília e no Rio de Janeiro. Análise dos volumes das atividades e capacidade de absorção da estrutura do Banco do Brasil. VP de Finanças, Mercado de Capitais e RI Finanças DIOFI.2 (7) Operações Comerciais com clientes Operações Financeiras DIOFI.1 (3) Operações Interfinanceiras 1. Parâmetros de 2007 Fonte: Banco do Brasil; Banco Nossa Caixa; análise Accenture Presidência e VPs Diretorias Gerências ( ) Quantidade de funcionários do Banco Nossa Caixa 2008 Accenture. Todos os direitos reservados. 36

37 As funções Financeiras migrarão para a estrutura do Banco do Brasil de acordo com sua capacidade de absorção. Incorporação das funções Financeiras Principais Atribuições Caixa Fluxo de caixa Verificação de saldos antes de liquidações Acompanhamento de compulsórios Pagamentos Pagamentos a fornecedores Liquidação das operações da mesa Sistema de Pagamentos Brasileiro Conferência de valores Relatórios SPB VP de Finanças, Mercado de Capitais e RI Finanças Estruturação e Análise Financeira Área DEFIN (3) Financeiro Função Parâmetros Operacionais Infra, outros Pessoas 8 7 Despesa total 2007 (R$MM) 72 funcionários 6813 pagamentos no primeiro trimestre de pagamentos no segundo trimestre de 2008 Operações Financeiras Caixa Monitor.Mercado Acomp.Gerencial Prods.Tesouraria Mercado de Capitais DIFIN.1 (13) DIESE (16) Gestão Financeira Projeções Financeiras Diretrizes de Incorporação Transferência e unificação das atividades para a administração central em Brasília e no Rio de Janeiro. Análise dos volumes das atividades e capacidade de absorção da estrutura do Banco do Brasil. Custódia e Controle de Investimentos VP de Tecnologia e Logística Unidade de Suporte Operacional DIFIN.2 (23) Controle Financeiro e Pagamentos Gerência de Valores DIFIN.3 (17) Gestão SPB 1. Parâmetros de 2007 Fonte: Banco do Brasil; Banco Nossa Caixa; análise Accenture Presidência e VPs Diretorias Gerências ( ) Quantidade de funcionários do Banco Nossa Caixa 2008 Accenture. Todos os direitos reservados. 37

38 As funções de Relação com Investidores serão consolidadas com a estrutura do Banco do Brasil. Incorporação das funções de Relações com Investidores Principais Atribuições Relação com Investidores Relatórios periódicos Acompanhamento das ações Atendimento a analistas de mercado de capitais VP de Finanças, Mercado de Capitais e RI Relações com Investidores (Unidade) Área Função Parâmetros Operacionais 1 Informação e Relações Mercado Investidor DIREL (7) Relações com Investidores 7 funcionários Serviços Pessoas 0 Despesa total 2007 (R$MM) Diretrizes de Incorporação Transferência e unificação das atividades de RI para a administração central em Brasília. 1. Parâmetros de 2007 Fonte: Banco do Brasil; Banco Nossa Caixa; análise Accenture Presidência e VPs Diretorias Gerências ( ) Quantidade de funcionários do Banco Nossa Caixa 2008 Accenture. Todos os direitos reservados. 38

39 21,85 Sinergias e De-Sinergias de Finanças Detalhamento Sinergias Liberação de ~78% no número de pessoas da área para aproveitamento em outras funções no BB Redução das despesas de infra-estrutura proporcionalmente às pessoas liberadas Redução de ~80% das despesas com auditorias externas De-Sinergias Gastos com o Plano de Antecipação de Aposentadoria Despesas com treinamento e mudança de localização geográfica para os recursos mantidos na área HeadCount MASTER STAMP18 Sinergias Pessoas Infra Física Infra Técnica Serviços Gerais De-Sinergias (0) (3) (0.27) (3.20) (3.20) Contratos Treinamento pessoas - (3) Transferência pessoas - - (0.27) Kit boas vindas (0) Midia e sinalização Cartão+postagem Consultoria processos PDV (3.20) (3.20) Arquitetura de Integração Investimentos Benefício Total Líquido (0) (2) (0.16) VPL 1 : 35MM Despesas recorrentes 2007 atuais (Modelo Atual) e após captura das sinergias (Modelo Futuro) 1. VPL = Valor presente líquido em 2008, calculado com taxa de 10.26% ao ano e perpetuidade a partir do 2017 ano com taxa de crescimento de 0% a.a. Taxa de desconto real baseada na taxa nominal de 14,29% calculada pela PwC descontada a inflação projetada de 3.65%aa. Fonte: Banco Nossa Caixa; Banco do Brasil; análise Accenture 2008 Accenture. Todos os direitos reservados ,10 Modelo Atual -68% 3,87 Modelo Futuro

40 As funções de gestão de produtos cartões serão consolidadas com a estrutura do Banco do Brasil. Incorporação das funções de Cartões Principais Atribuições Desenvolvimento Desenvolvimento e reciclagem de produtos Administração de cartões Operações Gestão e performance da processadora e serviços Operações cartões Controles Gerenciais Planejamento Monitoramento da carteira VP de Cartões e Novos Negócios de Varejo Cartões Área DECAR (4) Cartões Função Parâmetros Operacionais Infra, outros Process. Cartão e Serviços 46 Pessoas 3 Despesa total 2007 (R$MM) 33 funcionários Base de 1,5 milhão de cartões de crédito Cartões Pessoas Físicas Cartões Pessoas Jurídicas Negócios com Cartões DICAR.1 (6) DICAR.3 (6) DICAR.1 (3) Desenvolvimento Controle Gerenciais Desenvolvimento Diretrizes de Incorporação Operações DICAR.2 (14) Gestão Operacional Transferência e unificação das atividades de cartões para a administração central em Brasília. Processo de substituição dos produtos da Nossa Caixa pelo BB deve ser considerado na captura das sinergias da incorporação da área. 1. Parâmetros de 2007 Fonte: Banco do Brasil; Banco Nossa Caixa; análise Accenture Presidência e VPs Diretorias Gerências ( ) Quantidade de funcionários do Banco Nossa Caixa 2008 Accenture. Todos os direitos reservados. 40

41 As funções de Produtos de Crédito serão consolidadas com a estrutura do Banco do Brasil. Incorporação das funções de Administração de Produtos de Crédito Principais Atribuições Desenvolvimento Gestão de Administração Gestão de Desempenho VP de Varejo e Distribuição Área Função Mapeamento de demandas Proposta de produto Viabilidade Parametrizações de condições nos sistemas Participação na definição de taxas Acompanhamento de indicadores Varejo DEDAP (2) Administração de produtos de crédito Parâmetros Operacionais 1 Clientes Pessoas Físicas Infra, outros Folha Consignado 17 Pessoas 3 Despesa total 2007 (R$MM) Diretrizes de Incorporação 25 funcionários Pagamento para o estado de 1% sobre o valor de crédito consignado 6 promotoras para crédito consignado Canais Virtuais Crédito para Pessoas Físicas Investimentos, Conta Corrente e Serviços DIDAP.3 (9) DIDAP.2 (9) Créditos Eletrônicos e outros canais Produtos de crédito para PF Transferência e unificação das atividades de produtos de crédito para a administração central em Brasília. Processo de substituição dos produtos da Nossa Caixa pelo BB deve ser considerado na captura das sinergias da incorporação da área. Diretoria de Micro e Pequenas Empresas Produtos e Serviços DIDAP.1 (5) Produtos de crédito para PJ 1. Parâmetros de 2007 Fonte: Banco do Brasil; Banco Nossa Caixa; análise Accenture Presidência e VPs Diretorias Gerências ( ) Quantidade de funcionários do Banco Nossa Caixa 2008 Accenture. Todos os direitos reservados. 41

42 As funções de Captações e Serviços serão consolidadas na estrutura do Banco do Brasil. Incorporação das funções de Administração de Produtos de Captação e Serviços Principais Atribuições Desenvolvimento Mapeamento de demandas Proposta de produto Viabilidade Gestão de Administração Parametrizações de condições nos sistemas Participação na definição de taxas Gestão de Desempenho Acompanhamento de indicadores VP de Cartões e Novos Negócios de Varejo Seguros, Previdência e Capitalização Seguridade Área DECAP (4) Função Administração de Produtos de Captação e Serviços Parâmetros Operacionais 1 Infra, outros Pessoas 5 5 Despesa total 2007 (R$MM) 37 funcionários Produtos: conta corrente, poupança, depósito judicial e a prazo tarifas, transferências, seguros de vida, consórcios sacado net, holerite eletrônico Negócios de Varejo Financiamento de Veículos Crédito Imobiliário DICAP.2 (11) Serviços na Rede Diretrizes de Incorporação Transferência e unificação das atividades de captações e serviços para a administração central em Brasília. Processo de substituição dos produtos da Nossa Caixa pelo BB deve ser considerado na captura das sinergias da incorporação da área. VP de Varejo e Distribuição Varejo Clientes Pessoas Físicas DICAP.3 (8) Serviços em Canais Alternativos Investimentos, Conta Corrente e Serviços DICAP.1 (14) Depósitos 1. Parâmetros de 2007 Fonte: Banco do Brasil; Banco Nossa Caixa; análise Accenture Presidência e VPs Diretorias Gerências ( ) Quantidade de funcionários do Banco Nossa Caixa 2008 Accenture. Todos os direitos reservados. 42

Banco Santander (Brasil) S.A.

Banco Santander (Brasil) S.A. Banco Santander (Brasil) S.A. Resultados em BR GAAP 4T14 3 de Fevereiro de 2015 INFORMAÇÃO 2 Esta apresentação pode conter certas declarações prospectivas e informações relativas ao Banco Santander (Brasil)

Leia mais

www.panamericano.com.br

www.panamericano.com.br www.panamericano.com.br Agenda Principais dados do Banco Histórico Divulgação das Demonstrações Financeiras Resultado e Balanço Providências e Perspectivas 2 Agenda Principais dados do Banco 3 Composição

Leia mais

BANCO DO BRASIL 1º Trimestre 2012

BANCO DO BRASIL 1º Trimestre 2012 BANCO DO BRASIL 1º Trimestre 2012 Aviso Importante Esta apresentação faz referências e declarações sobre expectativas, sinergias planejadas, estimativas de crescimento, projeções de resultados e estratégias

Leia mais

1. COMISSÃO EXECUTIVA DE RECURSOS HUMANOS

1. COMISSÃO EXECUTIVA DE RECURSOS HUMANOS Governança Corporativa se faz com Estruturas O Itaú se orgulha de ser um banco essencialmente colegiado. A Diretoria atua de forma integrada e as decisões são tomadas em conjunto, buscando sempre o consenso

Leia mais

INTEGRAÇÃO DAS CÂMARAS DA BM&FBOVESPA Apresentação para mercado

INTEGRAÇÃO DAS CÂMARAS DA BM&FBOVESPA Apresentação para mercado INTEGRAÇÃO DAS CÂMARAS DA BM&FBOVESPA Apresentação para mercado CLASSIFICAÇÃO DA INFORMAÇÃO (MARQUE COM UM X ): CONFIDENCIAL RESTRITA CONFIDENCIAL USO INTERNO X PÚBLICO AGENDA AMBIENTE DE PÓS-NEGOCIAÇÃO

Leia mais

Resultado da Oferta Pública Voluntária de Permuta. Novembro de 2014

Resultado da Oferta Pública Voluntária de Permuta. Novembro de 2014 Resultado da Oferta Pública Voluntária de Permuta Novembro de 2014 OFERTA VOLUNTÁRIA DE PERMUTA DE AÇÕES No dia 30 de outubro realizamos o leilão da oferta voluntária. A adesão dos minoritários do Santander

Leia mais

Assessoria Consultoria Treinamento F I N A N C E I R A - E M P R E S A R I A L

Assessoria Consultoria Treinamento F I N A N C E I R A - E M P R E S A R I A L Assessoria Consultoria Treinamento F I N A N C E I R A - E M P R E S A R I A L Quem somos Bem vindo à Nord. Formada por profissionais oriundos do mercado financeiro, com formações multidisciplinares e

Leia mais

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCOS

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCOS Conselho de Administração Diretoria Geral Gerenciamento de Capital Diretoria de Controladoria, Operações, Jurídico, Ouvidoria e Cobrança Diretoria de Tesouraria, Produtos e Novos Negócios Operações Bancárias

Leia mais

4 trimestre de 2010. Sumário Executivo. Itaú Unibanco Holding S.A.

4 trimestre de 2010. Sumário Executivo. Itaú Unibanco Holding S.A. 4 trimestre de 2010 Sumário Executivo Apresentamos, abaixo, informações e indicadores financeiros do (Itaú Unibanco) do quarto trimestre de 2010 e do exercício findo em 31 de dezembro de 2010. (exceto

Leia mais

Apresentação Bradesco

Apresentação Bradesco Apresentação Bradesco 1 Perspectivas Econômicas 2013 Bradesco 2014 * Consenso do Mercado ** 2015 * 2014 2015 PIB 2,50% 0,50% 1,50% 0,29% 1,01% Juros(SelicFinal) 10,00% 11,00% 11,00% 11,00% 11,38% Inflação(IPCA)

Leia mais

Ementário e Bibliografia do curso de. Ciências Contábeis. Fase: II Carga Horária: 60h/a Créditos: 04

Ementário e Bibliografia do curso de. Ciências Contábeis. Fase: II Carga Horária: 60h/a Créditos: 04 01 - ADMINISTRAÇÃO Fase: II Carga Horária: 60h/a Créditos: 04 Introdução à Administração. Antecedentes históricos da Administração. Escolas de Administração. Administração e suas perspectivas. Variáveis

Leia mais

SOCINAL S.A- CRÉDITO FINANCIAMENTO E INVESTIMENTO

SOCINAL S.A- CRÉDITO FINANCIAMENTO E INVESTIMENTO SOCINAL S.A- CRÉDITO FINANCIAMENTO E INVESTIMENTO RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO DE RISCO DE CAPITAL - EXERCICIO 2014 SUMÁRIO 1. Introdução; 2. Política Institucional para Gestão do Risco de Capital; 3. Estrutura,

Leia mais

Líder em consultoria no agronegócio

Líder em consultoria no agronegócio MPRADO COOPERATIVAS mprado.com.br COOPERATIVAS 15 ANOS 70 Consultores 25 Estados 300 cidade s 500 clientes Líder em consultoria no agronegócio 2. Finanças 2.1 Orçamento anual integrado Objetivo: Melhorar

Leia mais

Luiz Carlos Angelotti. Diretor Executivo Gerente e Diretor de Relações com Investidores

Luiz Carlos Angelotti. Diretor Executivo Gerente e Diretor de Relações com Investidores 59 Luiz Carlos Angelotti Diretor Executivo Gerente e Diretor de Relações com Investidores Estratégia de Atuação 60 60 Balanço Patrimonial Tecnologia vs Eficiência operacional Basileia Desempenho Financeiro

Leia mais

Assistência Jurídica para a Construção de um Mundo dos Negócios Novo e Sustentável

Assistência Jurídica para a Construção de um Mundo dos Negócios Novo e Sustentável Assistência Jurídica para a Construção de um Mundo dos Negócios Novo e Sustentável Quem Somos Somos uma sociedade de advogados dedicada à assistência e orientação jurídica as empresas nacionais e estrangeiras.

Leia mais

ANÁLISE FINANCEIRA VISÃO ESTRATÉGICA DA EMPRESA

ANÁLISE FINANCEIRA VISÃO ESTRATÉGICA DA EMPRESA ANÁLISE FINANCEIRA ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA NAS EMPRESAS INTEGRAÇÃO DOS CONCEITOS CONTÁBEIS COM OS CONCEITOS FINANCEIROS FLUXO DE OPERAÇÕES E DE FUNDOS VISÃO ESTRATÉGICA DA EMPRESA Possibilita um diagnóstico

Leia mais

Avenida Jamaris, 100, 10º e 3º andar, Moema São Paulo SP 04078-000 55 (11) 5051-8880

Avenida Jamaris, 100, 10º e 3º andar, Moema São Paulo SP 04078-000 55 (11) 5051-8880 APRESENTAÇÃO DA EMPRESA E DOS SERVIÇOS AUDITORIA CONSULTORIA EMPRESARIAL CORPORATE FINANCE EXPANSÃO DE NEGÓCIOS CONTABILIDADE INTRODUÇÃO A FATORA tem mais de 10 anos de experiência em auditoria e consultoria

Leia mais

Gestão. Curso Superior de Tecnologia em Gestão da Qualidade. Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos

Gestão. Curso Superior de Tecnologia em Gestão da Qualidade. Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos da Qualidade Gestão O tecnólogo em Gestão da Qualidade é o profissional que desenvolve avaliação sistemática dos procedimentos, práticas e rotinas internas e externas de uma entidade, conhecendo e aplicando

Leia mais

ENTIDADES AUTO-REGULADORAS DO MERCADO ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO

ENTIDADES AUTO-REGULADORAS DO MERCADO ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO BM&FBOVESPA A BM&FBOVESPA é muito mais do que um espaço de negociação: lista empresas e fundos; realiza negociação de ações, títulos, contratos derivativos; divulga cotações; produz índices de mercado;

Leia mais

Unidade III. Operadores. Demais instituições financeiras. Outros intermediários financeiros e administradores de recursos de terceiros

Unidade III. Operadores. Demais instituições financeiras. Outros intermediários financeiros e administradores de recursos de terceiros MERCADO FINANCEIRO E DE CAPITAIS Unidade III 6 O SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL O sistema financeiro nacional é o conjunto de instituições e instrumentos financeiros que possibilita a transferência de recursos

Leia mais

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO VII PROJETO BÁSICO: DESCRIÇÃO DOS MACROPROCESSOS DO BNDES

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO VII PROJETO BÁSICO: DESCRIÇÃO DOS MACROPROCESSOS DO BNDES CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO VII PROJETO BÁSICO: DESCRIÇÃO DOS MACROPROCESSOS DO BNDES 1. Introdução As tabelas a seguir apresentam os MACROPROCESSOS do BNDES, segregados por plataformas. As

Leia mais

Metodologia de Auditoria com Foco em Riscos.

Metodologia de Auditoria com Foco em Riscos. Metodologia de Auditoria com Foco em Riscos. 28 de Novembro de 2003 Dados do Projeto Colaboradores: Bancos ABN Amro Real Banco Ficsa Banco Itaú Banco Nossa Caixa Bradesco Caixa Econômica Federal HSBC Febraban

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - BANCO BRADESCO SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - BANCO BRADESCO SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 5 Balanço Patrimonial Passivo 9 Demonstração do Resultado 12 Demonstração do Resultado

Leia mais

MBA EM GESTÃO FINANCEIRA: CONTROLADORIA E AUDITORIA Curso de Especialização Pós-Graduação lato sensu

MBA EM GESTÃO FINANCEIRA: CONTROLADORIA E AUDITORIA Curso de Especialização Pós-Graduação lato sensu MBA EM GESTÃO FINANCEIRA: CONTROLADORIA E AUDITORIA Curso de Especialização Pós-Graduação lato sensu Coordenação Acadêmica: Prof. José Carlos Abreu, Dr. 1 OBJETIVO: Objetivos Gerais: Atualizar e aprofundar

Leia mais

MANUAL DE GERENCIAMENTO DO RISCO DE LIQUIDEZ

MANUAL DE GERENCIAMENTO DO RISCO DE LIQUIDEZ MANUAL DE GERENCIAMENTO DO RISCO DE LIQUIDEZ Introdução O Gerenciamento do Risco de Liquidez no Grupo Didier Levy, considerando as empresas BEXS Banco de Câmbio S/A e BEXS Corretora de Câmbio S/A está

Leia mais

Resultados do 1T08. 14 de maio de 2008

Resultados do 1T08. 14 de maio de 2008 Resultados do 1T08 14 de maio de 2008 Destaques do Trimestre Desenvolvimento dos Negócios Início dos desembolsos das operações de FINAME e BNDES Automático Bim Promotora de Vendas fase piloto das operações

Leia mais

www.pwc.com AMCHAM Visão integrada das áreas de Marketing e Finanças Abril de 2013

www.pwc.com AMCHAM Visão integrada das áreas de Marketing e Finanças Abril de 2013 www.pwc.com Visão integrada das áreas de Marketing e Finanças Agenda Introdução Como abordar o problema Discussões Conclusão PwC 2 Introdução PwC 3 Introdução Visões do Marketing Marketing tem que fazer

Leia mais

9) Política de Investimentos

9) Política de Investimentos 9) Política de Investimentos Política e Diretrizes de Investimentos 2010 Plano de Benefícios 1 Segmentos Macroalocação 2010 Renda Variável 60,2% 64,4% 28,7% 34,0% Imóveis 2,4% 3,0% Operações com Participantes

Leia mais

Profissionais formados em Cursos Superiores de Tecnologia ligados à área de Administração podem obter seu registro profissional no CRA/RJ

Profissionais formados em Cursos Superiores de Tecnologia ligados à área de Administração podem obter seu registro profissional no CRA/RJ 19/11/2009 Profissionais formados em Cursos Superiores de Tecnologia ligados à área de Administração podem obter seu registro profissional no CRA/RJ (fonte: CFA) Nos últimos anos cresceu significativamente

Leia mais

GRADE DE DISCIPLINAS MBA em Gestão de Crédito

GRADE DE DISCIPLINAS MBA em Gestão de Crédito GRADE DE DISCIPLINAS MBA em Gestão de Crédito Disciplinas (*) Modalidade H/A (**) Núcleo Contabilidade Contabilidade Financeira Presencial 24 Contabilidade dos Investimentos em Participações Societárias

Leia mais

Princípios de Finanças

Princípios de Finanças Princípios de Finanças Apostila 01 Finanças e Empresas Professora: Djessica Karoline Matte 1 SUMÁRIO Finanças e Empresas... 3 1. Introdução a Administração Financeira... 3 2. Definições... 3 2.1. Empresas...

Leia mais

Sumário do Resultado 2T09

Sumário do Resultado 2T09 Sumário do Resultado 1 BB lucra R$ 4,0 bilhões no 1º semestre de 2009 O Banco do Brasil registrou lucro líquido de R$ 4.014 milhões no 1S09, resultado que corresponde a retorno sobre Patrimônio Líquido

Leia mais

MBA EM GESTÃO DO MARKETING ESTRATÉGICO - EMENTAS

MBA EM GESTÃO DO MARKETING ESTRATÉGICO - EMENTAS MBA EM GESTÃO DO MARKETING ESTRATÉGICO - EMENTAS Branding Corporativo O que é Branding. O que é uma marca. História da Marcas. Naming. Arquitetura de Marcas. Tipos de Marcas. Brand Equity. Gestão de Marcas/Branding.

Leia mais

Gerenciamento de Projetos Fundamentos

Gerenciamento de Projetos Fundamentos Gerenciamento de Fundamentos MBA EM GESTÃO DE PROJETOS - EMENTAS Definição de Projeto. Contexto e Evolução do Gerenciamento de. Areas de conhecimento e os processos de gerenciamento do PMI - PMBoK. Ciclo

Leia mais

RESULTADOS 2T15 Teleconferência 10 de agosto de 2015

RESULTADOS 2T15 Teleconferência 10 de agosto de 2015 RESULTADOS 2T15 Teleconferência 10 de agosto de 2015 AVISO Nesta apresentação nós fazemos declarações prospectivas que estão sujeitas a riscos e incertezas. Tais declarações têm como base crenças e suposições

Leia mais

Tecnólogo. Portfólio Easy to Learn. em gestão FINANCEIRA

Tecnólogo. Portfólio Easy to Learn. em gestão FINANCEIRA Tecnólogo Portfólio Easy to Learn em gestão FINANCEIRA ÍNDICE Introdução à Gestão Empresarial...2 Fundamentos de Sistemas de Informação...2 Gerenciamento de Projetos...2 Empreendedorismo...2 Fundamentos

Leia mais

REGISTRO PROFISSIONAL

REGISTRO PROFISSIONAL REGISTRO PROFISSIONAL 19/11/2009 Profissionais formados em Cursos Superiores de Tecnologia ligados à área de Administração podem obter seu registro profissional no CRA/RJ (fonte: CFA) Nos últimos anos

Leia mais

Ementário do Curso de Administração Grade 2008-1 1 Administração da Produção I Fase: Carga Horária: Créditos: Ementa:

Ementário do Curso de Administração Grade 2008-1 1 Administração da Produção I Fase: Carga Horária: Créditos: Ementa: 1 da Produção I Ementário do Curso de Introdução à administração da produção; estratégias para definição do sistema de produção; estratégias para o planejamento do arranjo físico; técnicas de organização,

Leia mais

ANEXO I DOS SERVIÇOS A SEREM CONTRATADOS

ANEXO I DOS SERVIÇOS A SEREM CONTRATADOS Concorrência DIRAT/CPLIC-009/2006 1 ANEXO I DOS SERVIÇOS A SEREM CONTRATADOS A empresa contratada deverá executar os serviços de auditoria contábil e outros correlatos, com emissão de pareceres e/ou relatórios,

Leia mais

Teleconferência Resultados 1T10

Teleconferência Resultados 1T10 Teleconferência Resultados 1T10 18 de maio de 2010 Visão Geral da Administração Venda da estrutura de Varejo + Foco no segmento de crédito a Empresas Transferência das atividades de originação e crédito

Leia mais

Ministério da Fazenda. Conferência Internacional de Crédito Imobiliário Salvador - Bahia

Ministério da Fazenda. Conferência Internacional de Crédito Imobiliário Salvador - Bahia Conferência Internacional de Crédito Imobiliário Salvador - Bahia Novembro 2007 1 Política Governamental e Propostas para Combate do Déficit Habitacional Crédito Imobiliário: Desenvolvendo Mecanismos de

Leia mais

Ementário do Curso de Administração Grade 2010-2 1 Administração da Produção I Fase: Carga Horária: Créditos: Ementa:

Ementário do Curso de Administração Grade 2010-2 1 Administração da Produção I Fase: Carga Horária: Créditos: Ementa: 1 da Produção I Ementário do Curso de Introdução à administração da produção; estratégias para definição do sistema de produção; estratégias para o planejamento do arranjo físico; técnicas de organização,

Leia mais

Divulgação dos Resultados 1T15

Divulgação dos Resultados 1T15 Divulgação dos Resultados 1T15 Sumário Resultado Itens Patrimoniais Índices Financeiros e Estruturais Guidance 2 Resultado Margem Financeira (em e %) * 1T15 / 1T14 1T15 / 4T14 1T15 / 1T14 21,1% 5,4% 21,1%

Leia mais

Reestruturação Societária Grupo Telesp. Criando Valor

Reestruturação Societária Grupo Telesp. Criando Valor Reestruturação Societária Grupo Criando Valor Novembro, 1999 Índice 8 Visão Geral da Reestruturação 2 8 Passos da Reestruturação 3 8 Benefícios da Reestruturação 4 8 Bases da Reestruturação 5 8 As Relações

Leia mais

EXISTE UM NOVO JEITO DE DELIGENCIAR. suas finanças. Ascent. Consultores

EXISTE UM NOVO JEITO DE DELIGENCIAR. suas finanças. Ascent. Consultores EXISTE UM NOVO JEITO DE DELIGENCIAR suas finanças Ascent MISSÃO Prestar serviços profissionais diferenciados que sejam uma ferramenta útil para a tomada de decisões e agreguem valor ao cliente, baseada

Leia mais

LISTA DE CURSOS DE TECNOLOGIA COM BASE NAS RN's 374/2009, 379/2009, 386/2010, 396/2010 404/2011, 412/2011, 414/2011 DO CFA

LISTA DE CURSOS DE TECNOLOGIA COM BASE NAS RN's 374/2009, 379/2009, 386/2010, 396/2010 404/2011, 412/2011, 414/2011 DO CFA LISTA DE CURSOS DE TECNOLOGIA COM BASE NAS RN's 374/2009, 379/2009, 386/2010, 396/2010 404/2011, 412/2011, 414/2011 DO CFA Curso Superior de Tecnologia em Comércio Exterior Exportação e Importação Gerência

Leia mais

Teleconferência Resultados 3T10

Teleconferência Resultados 3T10 Teleconferência Resultados 3T10 Sexta-feira, 5 de Novembro de 2010 Horário: 14:00 (horário de Brasília) 12:00 (horário US EDT) Tel: + 55 (11) 4688-6361 Código: LASA Replay: + 55 (11) 4688-6312 Código:

Leia mais

BNDES Prosoft. Programa BNDES para o Desenvolvimento da Indústria Nacional de Software e Serviços de Tecnologia da Informação

BNDES Prosoft. Programa BNDES para o Desenvolvimento da Indústria Nacional de Software e Serviços de Tecnologia da Informação BNDES Prosoft Programa BNDES para o Desenvolvimento da Indústria Nacional de Software e Serviços de Tecnologia da Informação Objetivo - Contribuir para o desenvolvimento da indústria nacional de software

Leia mais

MBA em Gestão Financeira, Controladoria e Auditoria

MBA em Gestão Financeira, Controladoria e Auditoria MBA em Gestão Financeira, Controladoria e Auditoria CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO Coordenação Acadêmica Prof. Carlos Alberto dos Santos Silva OBJETIVO: O MBA EM GESTÃO FINANCEIRA, CONTROLADORIA

Leia mais

experiência Uma excelente alternativa em serviços de auditoria

experiência Uma excelente alternativa em serviços de auditoria experiência Uma excelente alternativa em serviços de auditoria A Íntegra é uma empresa de auditoria e consultoria, com 25 anos de experiência no mercado brasileiro. Cada serviço prestado nos diferentes

Leia mais

Relatório da Administração. 1º Semestre de 2015

Relatório da Administração. 1º Semestre de 2015 Relatório da Administração 1º Semestre de 2015 Sumário 1. Senhores Acionistas... 3 2. Banco Luso Brasileiro S.A.... 3 3. Estrutura Acionária... 3 4. Desempenho Operacional... 3 5. Destaques do Semestre...

Leia mais

Política Institucional Gerenciamento de Capital

Política Institucional Gerenciamento de Capital P a g e 1 1 P a g e 2 Índice: 1. Objetivos... 2 2. Estrutura... 3 Diretoria BNY Mellon Serviços Financeiros Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários S.A e BNY Mellon Banco S.A... 4 Diretor Responsável

Leia mais

Valor Inovação Gestão de Negócios

Valor Inovação Gestão de Negócios Valor Inovação Gestão de Negócios Valor Inovação Definição de Negócios Assessorar o empresariado brasileiro para o desenvolvimento dos setores comercial, industrial e de serviços. Ser um agente eficiente

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS De acordo com o comando a que cada um dos itens de 51 a 120 se refira, marque, na folha de respostas, para cada item: o campo designado com o código C, caso julgue o item CERTO; ou o campo designado com

Leia mais

Programa de Incentivo ao Mercado de Renda Fixa BNDES

Programa de Incentivo ao Mercado de Renda Fixa BNDES Programa de Incentivo ao Mercado de Renda Fixa BNDES Uso de instrumentos de mercado de capitais em Projetos de Longo Prazo Laura Bedeschi Agosto/2015 Debêntures Adquiridas 2 BNDES Investidor Debêntures

Leia mais

Parecer do Comitê de Auditoria

Parecer do Comitê de Auditoria Parecer do Comitê de Auditoria 26/01/2015 Introdução Título do documento De acordo com o que estabelece o seu regimento interno, compete ao Comitê de Auditoria assegurar a operacionalização dos processos

Leia mais

RESUMO DO RELATÓRIO DO COMITÊ DE AUDITORIA

RESUMO DO RELATÓRIO DO COMITÊ DE AUDITORIA RESUMO DO RELATÓRIO DO COMITÊ DE AUDITORIA 1- INTRODUÇÃO O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico Social, por meio do Decreto nº 5.212, de 22 de setembro de 2004, teve o seu Estatuto Social alterado

Leia mais

Reunião Pública Apresentação de Resultados 1º Semestre 2011

Reunião Pública Apresentação de Resultados 1º Semestre 2011 Reunião Pública Apresentação de Resultados 1º Semestre 2011 Rio de Janeiro, 09 de Agosto 2011 1 Informação importante Esta apresentação foi preparada pelo Banco Santander (Brasil) S.A., eventuais declarações

Leia mais

Aula 1 - Montagem de Fluxo de Caixa de Projetos

Aula 1 - Montagem de Fluxo de Caixa de Projetos Avaliação da Viabilidade Econômico- Financeira em Projetos Aula 1 - Montagem de Fluxo de Caixa de Projetos Elias Pereira Apresentação Professor Alunos Horário 19:00h às 23:00 h com 15 min. Faltas Avaliação

Leia mais

EMPRESAS BRADESCO SEGUROS, PREVIDÊNCIA E CAPITALIZAÇÃO

EMPRESAS BRADESCO SEGUROS, PREVIDÊNCIA E CAPITALIZAÇÃO L2 0 0 6 R E L AT Ó R I O A N U A EMPRESAS BRADESCO SEGUROS, PREVIDÊNCIA E CAPITALIZAÇÃO Prêmio de Seguros Participação no Mercado (em %) Mercado 74,2% Fonte: Susep e ANS Base: Nov/2006 Bradesco 25,8%

Leia mais

OS DADOS GERALMENTE OU SÃO INSUFICIENTES OU ABUNDANTES. PARA PROCESSAR O GRANDE VOLUME DE DADOS GERADOS E TRANSFORMÁ-LOS EM INFORMAÇÕES VÁLIDAS

OS DADOS GERALMENTE OU SÃO INSUFICIENTES OU ABUNDANTES. PARA PROCESSAR O GRANDE VOLUME DE DADOS GERADOS E TRANSFORMÁ-LOS EM INFORMAÇÕES VÁLIDAS O ADMINISTRADOR EM SUAS TAREFAS DIÁRIAS AJUSTA DADOS OS DADOS GERALMENTE OU SÃO INSUFICIENTES OU ABUNDANTES. 1.EXCESSO DE DADOS DISPENSÁVEIS 2. ESCASSEZ DE DADOS RELEVANTES NECESSITA DE SISTEMAS DE INFORMAÇÕES

Leia mais

Ciências Contábeis. Fase: II Carga Horária: 60h/a Créditos: 04

Ciências Contábeis. Fase: II Carga Horária: 60h/a Créditos: 04 01 - ADMINISTRAÇÃO Fase: II Carga Horária: 60h/a Créditos: 04 Introdução à Administração. Antecedentes históricos da Administração. Escolas de Administração. Administração e suas perspectivas. Variáveis

Leia mais

BRB ANUNCIA RESULTADOS DO 2T15

BRB ANUNCIA RESULTADOS DO 2T15 BRB ANUNCIA RESULTADOS DO 2T15 Brasília, 26 de agosto de 2015 O BRB - Banco de Brasília S.A., sociedade de economia mista, cujo acionista majoritário é o Governo de Brasília, anuncia seus resultados do

Leia mais

EARNINGS RELEASE 2T12 e 1S12

EARNINGS RELEASE 2T12 e 1S12 São Paulo, 15 de agosto de 2012 - A Inbrands S.A. ( Inbrands ou Companhia ), uma empresa de consolidação e gestão de marcas de lifestyle e moda premium do Brasil, anuncia hoje os resultados do segundo

Leia mais

CONSTRUIR DIFERENCIAL COMPETITIVO

CONSTRUIR DIFERENCIAL COMPETITIVO Nosso Foco GERAR RESULTADO Através do aporte de visão estratégica, associada ao conhecimento técnico e operacional do dia-a-dia, em: Meios de pagamentos (cartões private label, híbridos e pré-pagos), No

Leia mais

1º SEMESTRE 2º SEMESTRE

1º SEMESTRE 2º SEMESTRE 1º SEMESTRE 7ECO003 ECONOMIA DE EMPRESAS I Organização econômica e problemas econômicos. Demanda, oferta e elasticidade. Teoria do consumidor. Teoria da produção e da firma, estruturas e regulamento de

Leia mais

APRESENTAÇÃO FGV APRESENTAÇÃO TRECSSON BUSINESS

APRESENTAÇÃO FGV APRESENTAÇÃO TRECSSON BUSINESS APRESENTAÇÃO FGV Criado em 1999, o FGV Management é o Programa de Educação Executiva Presencial da Fundação Getulio Vargas, desenvolvido para atender a demanda do mercado por cursos de qualidade, com tradição

Leia mais

Byte Software POLÍTICA COMERCIAL. Parceiros Comerciais

Byte Software POLÍTICA COMERCIAL. Parceiros Comerciais Byte Software POLÍTICA COMERCIAL Parceiros Comerciais 2013 1. Apresentação Este guia descreve o Programa de Parceria Byte Software através de uma estrutura básica, incluindo como participar e, ainda, uma

Leia mais

PROGRAMAS E PROJETOS DE COOPERAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE PROGRAMAS E PROJETOS DE COOPERAÇÃO COOPE. www.ucp.fazenda.gov.br

PROGRAMAS E PROJETOS DE COOPERAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE PROGRAMAS E PROJETOS DE COOPERAÇÃO COOPE. www.ucp.fazenda.gov.br COORDENAÇÃO-GERAL DE PROGRAMAS E PROJETOS DE COOPERAÇÃO COOPE www.ucp.fazenda.gov.br PROGRAMAS EM ANDAMENTO Programa Nacional de Apoio à Gestão Administrativa e Fiscal dos Municípios Brasileiros - PNAFM

Leia mais

PORTIFÓLIO SERVIÇOS MERIDIONAL INTELIGÊNCIA EMPRESARIAL. Atualizado em Setembro/2014

PORTIFÓLIO SERVIÇOS MERIDIONAL INTELIGÊNCIA EMPRESARIAL. Atualizado em Setembro/2014 PORTIFÓLIO DE SERVIÇOS MERIDIONAL INTELIGÊNCIA EMPRESARIAL Atualizado em Setembro/2014 Sobre a Meridional A Meridional Inteligência Empresarial é uma empresa de consultoria e assessoria em gestão com atuação

Leia mais

A Controladoria no Processo de Gestão. Clóvis Luís Padoveze

A Controladoria no Processo de Gestão. Clóvis Luís Padoveze 1 A Controladoria no Processo de Gestão Clóvis Luís Padoveze Cascavel - 21.10.2003 2 1. Controladoria 2. Processo de Gestão 3. A Controladoria no Processo de Gestão 3 Visão da Ciência da Controladoria

Leia mais

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCO DE LIQUIDEZ. 1 Objetivo. 2 Diretrizes. 2.1 Princípios para Gerenciamento do Risco de Liquidez

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCO DE LIQUIDEZ. 1 Objetivo. 2 Diretrizes. 2.1 Princípios para Gerenciamento do Risco de Liquidez ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCO DE LIQUIDEZ 1 Objetivo Apresentar o modelo de gerenciamento de Risco de Liquidez no Banco Safra e os princípios, as diretrizes e instrumentos de gestão em que este modelo

Leia mais

Byte Software POLÍTICA COMERCIAL. Parceiros Comerciais/CVB s

Byte Software POLÍTICA COMERCIAL. Parceiros Comerciais/CVB s Byte Software POLÍTICA COMERCIAL Parceiros Comerciais/CVB s 2013 1. Apresentação Este guia descreve o Programa de Parceria Byte Software através de uma estrutura básica, incluindo como participar e, ainda,

Leia mais

RESOLUÇÃO NORMATIVA CFA Nº 374, de 12 de novembro de 2009 (Alterada pela Resolução Normativa CFA nº 379 de 11/12/09)

RESOLUÇÃO NORMATIVA CFA Nº 374, de 12 de novembro de 2009 (Alterada pela Resolução Normativa CFA nº 379 de 11/12/09) Publicada no D.O.U. nº 217, de 13/11/09 Seção 1 Página 183 e 184 RESOLUÇÃO NORMATIVA CFA Nº 374, de 12 de novembro de 2009 (Alterada pela Resolução Normativa CFA nº 379 de 11/12/09) Aprova o registro profissional

Leia mais

Graficamente, o Balanço Patrimonial se apresenta assim: ATIVO. - Realizável a Longo prazo - Investimento - Imobilizado - Intangível

Graficamente, o Balanço Patrimonial se apresenta assim: ATIVO. - Realizável a Longo prazo - Investimento - Imobilizado - Intangível CONTABILIDADE GERAL E GERENCIAL AULA 03: ESTRUTURA DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS TÓPICO 02: BALANÇO PATRIMONIAL. É a apresentação padronizada dos saldos de todas as contas patrimoniais, ou seja, as que representam

Leia mais

ÊNFASE EM GESTÃO ECONÔMICO-FINANCEIRA

ÊNFASE EM GESTÃO ECONÔMICO-FINANCEIRA MBA DESENVOLVIMENTO AVANÇADO DE EXECUTIVOS ÊNFASE EM GESTÃO ECONÔMICO-FINANCEIRA O MBA Desenvolvimento Avançado de Executivos possui como característica atender a um mercado altamente dinâmico e competitivo

Leia mais

sumário executivo Itaú Unibanco Holding S.A. 3º trimestre de 2013 Análise Gerencial da Operação

sumário executivo Itaú Unibanco Holding S.A. 3º trimestre de 2013 Análise Gerencial da Operação sumário executivo 3º trimestre de 2013 (Esta página foi deixada em branco intencionalmente) 4 Apresentamos, abaixo, informações e indicadores financeiros do (Itaú Unibanco). Destaques (exceto onde indicado)

Leia mais

MBA CONTROLADORIA, FINANÇAS E PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO

MBA CONTROLADORIA, FINANÇAS E PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO MBA CONTROLADORIA, FINANÇAS E PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO 1. APRESENTAÇÃO O curso de MBA em Controladoria, Finanças e Planejamento Tributário desenvolvido pela FAACZ visa oferecer aos participantes instrumentais

Leia mais

Workshop de Securitização FIDC E CRI. Comitê de FIDCs da ANBIMA Ricardo Augusto Mizukawa

Workshop de Securitização FIDC E CRI. Comitê de FIDCs da ANBIMA Ricardo Augusto Mizukawa Workshop de Securitização FIDC E CRI Comitê de FIDCs da ANBIMA Ricardo Augusto Mizukawa Fundo de Investimento em Direitos Creditórios Mercado Iniciativas do Mercado - ANBIMA Classificação de FIDCs Formulário

Leia mais

Risco de Crédito. Estrutura Organizacional

Risco de Crédito. Estrutura Organizacional Risco de Crédito Estrutura Organizacional A estrutura para gestão de riscos do Banco Fidis deverá ser composta de Comitê de Cobrança e Risco, que é o órgão com responsabilidade de gerir o Risco de Crédito,

Leia mais

VALORA GESTÃO DE INVESTIMENTOS LTDA

VALORA GESTÃO DE INVESTIMENTOS LTDA MANUAL DE GERENCIAMENTO DE LIQUIDEZ VALORA GESTÃO DE INVESTIMENTOS LTDA Elaborado pelo Oficial de Compliance: Misak Pessoa Neto Data: 25/01/2016 Versão: 1.3 1 Sumário 1. Objetivo... 3 2. Princípios Gerais...

Leia mais

INSTITUIÇÃO FINANCEIRA CREDIALIANÇA COOPERATIVA DE CRÉDITO RURAL Av. Castro Alves, 1579 - Rolândia - PR CNPJ: 78.157.146/0001-32

INSTITUIÇÃO FINANCEIRA CREDIALIANÇA COOPERATIVA DE CRÉDITO RURAL Av. Castro Alves, 1579 - Rolândia - PR CNPJ: 78.157.146/0001-32 INSTITUIÇÃO FINANCEIRA CREDIALIANÇA COOPERATIVA DE CRÉDITO RURAL Av. Castro Alves, 1579 - Rolândia - PR CNPJ: 78.157.146/0001-32 BALANCETE PATRIMONIAL EM 30 DE NOVEMBRO DE 2015 (valores expressos em milhares

Leia mais

2005 Corretora em Nova York. Diversificação do portfólio. 2007 Expansão em Investment Bank, Consignado e Cartões. Estrutura acionária 3

2005 Corretora em Nova York. Diversificação do portfólio. 2007 Expansão em Investment Bank, Consignado e Cartões. Estrutura acionária 3 VISÃO GERAL - 2T5 Histórico 99 Início das operações como banco múltiplo 2002 Agência em Nassau 2005 Corretora em Nova York 2009 Início da parceria estratégica com o Banco do Brasil 205 BV Promotora (Consignado

Leia mais

Resumo Basileia III Brasil 2013

Resumo Basileia III Brasil 2013 Resumo Basileia III Brasil 2013 Basileia III - Introdução 1. Definição e Objetivos 2. Principais Medidas 3. Patrimônio de Referência (Nível I) 4. Deduções Regulamentares do Capital Principal 5. Nível II

Leia mais

DISCIPLINAS DE FORMAÇÃO BÁSICA GERAL

DISCIPLINAS DE FORMAÇÃO BÁSICA GERAL CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Turno: MATUTINO/NOTURNO Matutino Currículo nº 8 Noturno Currículo nº 8 Reconhecido pelo Decreto n 83.799, de 30.07.79, D.O.U. de 31.07.79 Renovação de Reconhecimento Decreto

Leia mais

SOCINALS.A- CRÉDITO FINANCIAMENTO E INVESTIMENTO

SOCINALS.A- CRÉDITO FINANCIAMENTO E INVESTIMENTO SOCINALS.A- CRÉDITO FINANCIAMENTO E INVESTIMENTO RELATÓRIO DE GESTÃO DO RISCO OPERACIONAL - EXERCICIO 2014 SUMÁRIO 1. Introdução; 2. Política Institucional para Gestão de Risco Operacional; 3. Estrutura

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu em CONTROLADORIA DE MARKETING

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu em CONTROLADORIA DE MARKETING Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu em CONTROLADORIA DE MARKETING Inscrições Abertas: Início das aulas: 24/08/2015 Término das aulas: 14/08/2016 Dias e horários das aulas: Segunda-Feira 18h30

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO 1 CURSO DE EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2010.2 A BRUSQUE (SC) 2014 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 INFORMÁTICA APLICADA À... 4 02 MATEMÁTICA APLICADA À I... 4 03 METODOLOGIA CIENTÍFICA... 4 04 PSICOLOGIA... 5 05

Leia mais

Ilmos. Senhores - Diretores e Acionistas da LINK S/A CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS

Ilmos. Senhores - Diretores e Acionistas da LINK S/A CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS A-PDF MERGER DEMO PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES São Paulo,04 de agosto de 2006. Ilmos. Senhores - es e Acionistas da LINK S/A CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS 1. Examinamos os balanços

Leia mais

Enquadramento Page 1. Objectivo. Estrutura do documento. Observações. Limitações

Enquadramento Page 1. Objectivo. Estrutura do documento. Observações. Limitações Objectivo No âmbito do processo de adopção plena das Normas Internacionais de Contabilidade e de Relato Financeiro ("IAS/IFRS") e de modo a apoiar as instituições financeiras bancárias ("instituições")

Leia mais

Práticas de Home Office na Ticket Brasil. Arnaldo Moral Gerente de RH

Práticas de Home Office na Ticket Brasil. Arnaldo Moral Gerente de RH Práticas de Home Office na Ticket Brasil Arnaldo Moral Gerente de RH Perfil Edenred Market Share Líder nos principais segmentos de atuação 41 países Sendo 59% de volume em países emergentes + 6.000 Colaboradores

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão Financeira e Controladoria

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão Financeira e Controladoria Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão Financeira e Controladoria Apresentação O programa de Pós-graduação Lato Sensu em Gestão Financeira e Controladoria tem por objetivo o fornecimento

Leia mais

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL A- NOVEMBRO 2013 INSTITUIÇÃO FINANCEIRA REGULADA PELO BANCO CENTRAL DO BRASIL A Brickell CFI é uma instituição financeira, regulada pelo Banco Central do Brasil, com sede em

Leia mais

Painel IV: Panorama do Crédito no Banco do Brasil. Ary Joel de Abreu Lanzarin Diretor de Micro e Pequenas Empresas

Painel IV: Panorama do Crédito no Banco do Brasil. Ary Joel de Abreu Lanzarin Diretor de Micro e Pequenas Empresas Painel IV: Panorama do Crédito no Banco do Brasil Ary Joel de Abreu Lanzarin Diretor de Micro e Pequenas Empresas As diretrizes estratégicas dão foco ao negócio Perspectivas Simplificar e agilizar a utilização

Leia mais

Administrando o Fluxo de Caixa

Administrando o Fluxo de Caixa Administrando o Fluxo de Caixa O contexto econômico do momento interfere no cotidiano das empresas, independente do seu tamanho mercadológico e, principalmente nas questões que afetam diretamente o Fluxo

Leia mais

MBA Gestão Financeira Controladoria e Auditoria. Coordenação: Agliberto Cierco

MBA Gestão Financeira Controladoria e Auditoria. Coordenação: Agliberto Cierco MBA Gestão Financeira Controladoria e Auditoria Coordenação: Agliberto Cierco Metodologia do TCC: O TCC se inicia na disciplina de Estratégia de Empresa, sendo acompanhado pela coordenação acadêmica do

Leia mais

Relatório. Gestão de Riscos. Conglomerado Cruzeiro do Sul

Relatório. Gestão de Riscos. Conglomerado Cruzeiro do Sul Relatório de Gestão de Riscos Conglomerado Cruzeiro do Sul Data-Base 31/12/2010 Superintendência de Riscos Índice 1. Introdução 3 2. Perímetro 3 3. Estrutura de Gestão de Riscos 3 3.1 Risco de Crédito

Leia mais

Quem somos SP I RJ I BH. www.tgec.com.br. www.tgecauditores.com.br. Tel: +55 11 3138.5100

Quem somos SP I RJ I BH. www.tgec.com.br. www.tgecauditores.com.br. Tel: +55 11 3138.5100 Soluções TG&C 2015 Quem somos A TG&C Trevisan Gestão & Consultoria carrega em seu DNA uma história de inovação e empreendedorismo. Em pouco tempo, a TG&C se tornou uma referência no mercado brasileiro,

Leia mais

Especialista questiona "ascensão" de bancos brasileiros em ranking

Especialista questiona ascensão de bancos brasileiros em ranking Veículo: Valor Online Data: 13/04/09 Especialista questiona "ascensão" de bancos brasileiros em ranking A crise global colocou os bancos brasileiros em destaque nos rankings internacionais de lucro, rentabilidade

Leia mais

GESTÃO ADMINISTRATIVA

GESTÃO ADMINISTRATIVA GESTÃO ADMINISTRATIVA A Andrade s Consultoria em Gestão Empresarial é uma empresa que desenvolve projetos de consultoria customizados de acordo com as necessidades de cada cliente. Nossos projetos são

Leia mais