EVANGÉLICA C E N T R O U N I V E R S I T Á R I O

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "EVANGÉLICA C E N T R O U N I V E R S I T Á R I O"

Transcrição

1 Página 2 de 66

2 Sumário Associação Educativa Evangélica Centro Universitário de Anápolis (UniEVANGÉLICA-Sede e Campus de Ceres) Sobre os cursos Edital e regulamento nº 51/2014-COMSEL Da abertura Regulamentação 1. Sobre o processo seletivo Dos cursos e vagas Das inscrições Dos direitos dos candidatos com deficiência Das provas Enem - Critérios de utilização e de classificação Dos critérios de eliminação Da interposição de recursos Da classificação final Da divulgação dos resultados Das matrículas Do preenchimento de vagas remanescentes Das disposições Gerais Anexo I - Dos programas das disciplinas Sobre o Anexo II Anexo II - Requerimento para candidato com necessidade especial Formulário para preenchimento do laudo médico Anexo III - Requerimento para interposição de recurso contra o gabarito preliminar Página 3 de 66

3 Prezado(a) Vestibulando(a). Bem-vindo ao Vestibular do Centro Universitário de Anápolis - UniEVANGÉLICA-Sede e Campus de Ceres, mantido pela Associação Educativa Evangélica! Nosso desejo é que você se torne um profissional capaz de competir no mercado de trabalho e de conquistar o seu espaço exercendo sua cidadania de forma plena. A Associação Educativa Evangélica é uma das mais tradicionais mantenedoras de Instituições de Ensino Superior de Goiás, oferecendo ensino de qualidade, com um corpo docente formado por especialistas, mestres e doutores, e conta com uma estrutura completa em todas as áreas: laboratórios modernos, salas de aula equipadas, ampla biblioteca, parque aquático e ginásio poliesportivo para o desenvolvimento de atividades teórico-práticas, culturais e de lazer dos acadêmicos. Você certamente tem metas e sonhos a alcançar e faremos todo o possível para que isto aconteça. O objetivo de fazer um curso superior demonstra a sua vontade de vencer e de contribuir para o desenvolvimento de nossa sociedade, o que faz com que você seja desde agora uma pessoa vitoriosa. A vida acadêmica e profissional é cheia de lutas e desafios permanentes; no entanto, não devemos desanimar, porque esses desafios tornam-se gratificantes e nos estimulam sempre a olhar para a frente, na busca da realização de nossos sonhos. Parabéns! Você fez a melhor escolha. Estamos torcendo por você. Carlos Hassel Mendes da Silva Reitor/UniEVANGÉLICA Marcelo Mello Barbosa Pró-Reitor Acadêmico/UniEVANGÉLICA Presidente/COMSEL Página 4 de 66

4 Mantenedora MEMBROS DA ASSEMBLEIA Anderson Pinangé Silva Augusto César Rocha Ventura Cicílio Alves de Moraes Djalma Maciel de Lima Ernei de Oliveira Pina Francisco Barbosa de Alencar Francisco Emídio Filho Gélcio Sisteroli de Carvalho Geraldo Henrique Ferreira Espíndola Gercira Rosa de Carvalho e Silva Ivan Gonçalves da Rocha James Usevícius João Batista Machado Josué Moreira dos Santos Marco Aurélio Soares Lôbo Marcos Antonio Argôlo Nelson Natal de Siqueira Nilza Esteves de Azevedo Lima Olímpio Ferreira Sobrinho Rubens Monteiro Berredo William Baird Fanstone MEMBROS DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO Biênio: Presidente: Geraldo Henrique Ferreira Espíndola 1º vice-presidente: Ernei de Oliveira Pina 2º vice-presidente: Cicílio Alves de Moraes Primeiro-secretário: Ivan Gonçalves da Rocha Segundo-secretário: Marcos Antonio Argôlo Primeiro-tesoureiro: Francisco Barbosa de Alencar Segundo-tesoureiro: Augusto César Rocha Ventura Conselho Fiscal - Titulares Nelson Natal de Siqueira Josué Moreira dos Santos Anderson Pinangé Silva Conselho Fiscal - Suplentes João Batista Machado James Usevicius Nilza Esteves de Azevedo Lima MEMBROS BENEMÉRITOS DA ASSEMBLEIA Cacildo Bernardes dos Santos Mounir Naoum Sebastião Fiaia Página 5 de 66

5 Breve histórico da A, com sede administrativa e foro jurídico no Município de Anápolis, Estado de Goiás, é uma sociedade civil confessional, sem fins lucrativos e com objetivos de fundar e manter escolas em todos os setores do ensino fundamental, médio, superior e de pósgraduação. Fundamentada em princípios cristãos, tem como missão a promoção, com excelência, do conhecimento por meio do ensino nos diferentes níveis, da pesquisa e da extensão, buscando a formação de cidadãos comprometidos com o desenvolvimento sustentável. A Associação Educativa Evangélica, CGC nº / , possui registro no CNSS sob os números: MUNICIPAL: Lei nº 223/61; ESTADUAL: Decreto Estadual nº /68; FEDERAL: Decreto Federal nº 5.294/63; CNSA: Resolução nº 101/98. Foi fundada em 31 de março de 1947 e rege-se por Estatuto próprio, inscrito no 2º Registro Civil das Pessoas Jurídicas sob o número 0012 do Livro A-00. A manutenção e o desenvolvimento do Centro Universitário de Anápolis e dos Colégios Couto Magalhães e Álvaro de Melo são realizados por meio de dotações da Mantenedora, do poder público, receita dos encargos educacionais e de outros serviços prestados. A AEE é composta por 21 membros dirigentes, com mandato de dois anos, pertencentes a igrejas evangélicas, cujas doutrinas básicas se harmonizam e que se reúnem em ASSEMBLEIA GERAL Ordinária ou Extraordinária. A ASSEMBLEIA GERAL é o órgão supremo da Associação Educativa Evangélica, com poderes dentro dos limites da lei e do Estatuto, para tomar toda e qualquer decisão de interesse social e eleger o CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO, que dirige os seus destinos, entre uma assembleia e outra. Página 6 de 66

6 Centro Universitário de Anápolis UniEVANGÉLICA - Sede/Campus de Ceres Estrutura Organizacional Geraldo Henrique Ferreira Espíndola - Chanceler Carlos Hassel Mendes da Silva - Reitor Francisco Itami Campos - Pró-Reitor de Pós-graduação, Pesquisa, Extensão e Ação Comunitária Marcelo Mello Barbosa - Pró-Reitor Acadêmico e Presidente da Comissão de Seleção Lucio Carlos de Carvalho Boggian Diretor - Administrativo Aparecida Maria José Pereira Diretora - Financeiro Diretores de cursos Alexandre Ribeiro Gonçalves - Arquitetura e Urbanismo Cristiane Martins Rodrigues Bernardes - Odontologia Dulcinea Maria Barbosa Campos - Farmácia Edna Alves Barbosa Ciências Contábeis Hélio de Souza Queiroz - Engenharia Mecânica Ieso Costa Marques Administração Iransé Oliveira Silva - Educação Física João Baptista Carrijo - Medicina Joaquim Orlando Parada - Engenharia Civil (Ceres) Kátia Rúbia Leite - Direito (Ceres) Libna Lemos Ignácio Pereira Pedagogia/ISE Lila Maria Spadoni Lemes - Psicologia Marcelo Henrique dos Santos - Direito (Anápolis) Roberto Toledo de Magalhães - Agronomia Rogério dos Santos Cardoso - Engenharia Civil (Anápolis) Sandra Valéria Martins Pereira - Enfermagem Viviane Antonio Abrahão - Cursos Superiores de Tecnologia Viviane Carla Batista Pocivi Engenharia de Computação Viviane Lemos Silva Fernandes Fisioterapia Página 7 de 66

7 Centro Universitário de Anápolis UniEVANGÉLICA - Sede/Campus de Ceres Infraestrutura A UniEVANGÉLICA-Sede, a mais tradicional instituição de ensino superior da cidade de Anápolis com Campus em Ceres está hoje totalmente preparada para receber seus alunos, sempre empenhada em promover melhorias em sua infraestrutura, visando atender às exigências de seus cursos. Salas de aulas climatizadas e com recursos audiovisuais. 03 (três) auditórios climatizados e com todos os recursos audiovisuais. Biblioteca de alto padrão. Funciona 16 horas consecutivas. Seu acervo conta atualmente com mais de títulos com exemplares, Biblioteca Virtual com mais de Títulos de todas as áreas do conhecimento, 159 títulos de periódicos com fascículos, 357 CD s ROM s com exemplares, 474 DVDs com 580 exemplares, 98 mapas com 106 exemplares e monografias com exemplares. Possui assinaturas de Bases de dados nas áreas de saúde, exatas e humanas. Oito Laboratórios de informática com acesso à internet e à intranet. Fábrica de Tecnologias Turing - Laboratórios de arquitetura de computadores, rede digital e de programação e desenvolvimento de softwares. Laboratório de informática para o teste TOEFL. Brinquedoteca, Laboratório de educação matemática, Laboratório pedagógico e Laboratório de Línguas. Escritório Modelo - Propicia serviço de assistência jurídica, atendendo às necessidades jurídicas da população carente da região. Consultoria Empresa Júnior Presta consultoria e desenvolve projetos para empresas, entidades e a sociedade em geral. Laboratórios de Arquitetura: Atelier para projetos (I, II, III e IV), Laboratório de Informática aplicada à Arquitetura, Laboratório de Conforto de Ambientes (Heliodon e Túnel de Vento), Tecnologia Alternativa, Construção Sustentável, Maquetaria e Audiovisual. Laboratórios das Engenharias Engenharia Civil: Laboratório de Física, Eletricidade e Instalações Elétricas com mais de 200 kits das mais diversas áreas da física. Laboratório de Topografia, Laboratório de Mecânica dos Fluidos e Hidráulica, Laboratório de Materiais, Estruturas e Solos, Câmara Úmida, Laboratório para ensaios de compressão axial em corpos de prova (Prensa Elétrica Servo controlada, capacidade 100T). Engenharia Mecânica: Laboratório de Processos de Fabricação, Laboratório de Materiais e Ensaios Mecânicos, Laboratório de Ciências Térmicas, Laboratório de Metrologia, Laboratório de Manutenção, Laboratório de Manutenção e Controle/CNC. Agronomia: Laboratório de Entomologia e Fitopatologia, Laboratório de Química e Saneamento Básico, Laboratório de Análises Físicas de Solos, Campo de Experimentos Agrícolas (Campo de Plantio, Casa de Vegetação e Galpão para Implementos Agrícolas). Biotério e serpentário Laboratório das disciplinas básicas comuns aos cursos da área de saúde (Laboratórios Básicos): Laboratórios de Anatomia Humana (I, II e III), de Microscopia (I e II), de Imunologia e Microbiologia. Alto padrão de modernidade com peças anatômicas naturais e artificiais; com microscópios óticos, lupas estereoscópicas, câmera de projeção de lâminas e mais de (doze mil) lâminas histológicas permanentes. Página 8 de 66

8 Laboratórios multidisciplinares de química: complexo composto por 3 (três) laboratórios com câmaras de exaustão, chuveiros lava-olhos, com modernos equipamentos para análises químicas, farmacêuticas e sucroalcooleiro. Laboratórios modernos de enfermagem com manequins de procedimento tipo Suzie Simon, dorsos anatômicos humanos, manequins com bacias obstétricas, lavatórios tipos cirúrgicos com sensores, conjunto de instrumentais e equipamentos hospitalares. Laboratórios de educação médica: Laboratório Morfofuncional I e II, com microscópios de alta resolução, equipamento de informática ligado à internet, câmera de projeção de lâminas e mais de lâminas histopatológicas permanentes; Laboratório de Habilidades Médicas - 12 estações simulando consultórios médicos. Centro de Simulação Avançada I, II e III, com manequins do mais alto nível técnico. Laboratório Experimental de Técnica Cirúrgica, com Centro Cirúrgico, Sala de Recuperação e Sala de Videoconferência. Clínicas de atendimento equipadas para o aprendizado na prática. Três clínicas odontológicas, com 102 equipos, 70 deles com ar estéril, e três laboratórios de préclínica, com 100 equipos. Um moderno centro de radiodiagnóstico e uma central de esterilização considerada uma das melhores da região Centro-Oeste. Dois (02) Laboratórios de Matérias Profissionalizantes. Clínica Escola de Fisioterapia UniFISIO, conveniada ao Sistema Único de Saúde (SUS), possui ampla área, instalações e equipamentos especializados para o atendimento nas diversas áreas da atenção fisioterapêutica, incluindo uma piscina terapêutica aquecida e coberta para o atendimento em Hidroterapia. Há 03 laboratórios multidisciplinares (Terapias manuais, Movimento Humano, e de Recursos Biotecnológicos). Moderna Farmácia-Escola, Laboratório Escola de Análises Clínicas, Laboratório de Bromatologia - oferecendo estágios em farmácia comunitária, farmácia de manipulação, análises clínicas e análises de alimentos. Na sede, Ginásio poliesportivo com 5 quadras poliesportivas para voleibol, basquetebol, handebol, tênis, futsal e uma Academia de Musculação completa, com instrumentos de última geração e aparelhagem de Ginástica Olímpica. Com Laboratório de Avaliação Física, Judô, Dança, Ginástica Artística e Olímpica. Pista de atletismo Campo de Futebol. Parque aquático coberto com piscinas semiolímpica e infantil, aquecidas e com arquibancadas. Para os cursos de Tecnologia: Cozinha Escola: Panificação, Laboratório A (cozinha fria), Laboratório B (cozinha quente). Laboratório Multidisciplinar de Estética e Cosmética. Estúdio de Fotografia. Laboratório Aeronáutico, Motores e Vibrações. No Campus de Ceres as salas de aulas e o auditório são igualmente climatizados e com recursos audiovisuais. As instalações contam, ainda, com duas quadras poliesportivas e polo aquático com duas piscinas, sendo uma semiolímpica e outra infantil, ambas com arquibancadas. A Biblioteca do Campus de Ceres funciona diariamente 15 horas consecutivas e possui acervo com mais de (8.079 títulos, com exemplares. Na Biblioteca virtual são disponibilizados títulos, 251 títulos de periódicos com fascículos, 23 CD-ROMs com 60 exemplares, 79 DVDs com 106 exemplares e 145 monografias com 267 exemplares. Possui assinaturas de bases de dados nas áreas de Ciências da Saúde, Ciências Exatas e Ciências Humanas. O Campus de Ceres possui laboratórios de informática com acesso à internet e à intranet e Laboratório de Física, Eletricidade e Instalações Elétricas com kits das diversas áreas da Física, este específico do curso de Engenharia Civil. Encontram-se em processo de implantação: Laboratório de Topografia, Laboratório de Mecânica dos Fluidos e Hidráulica, Laboratório de Materiais, Estruturas e Solos, Câmara Úmida e Laboratório para Ensaios de Compressão Axial em Corpos de Prova (prensa elétrica Servo controlada, capacidade 100T). Página 9 de 66

9 Sobre os cursos Bacharelado O Bacharelado é o curso de graduação que habilita para o exercício profissional em uma área definida. Confere ao diplomado competências em determinado campo do saber para o exercício de atividade acadêmica ou profissional Administração O curso de Administração tem por objetivo capacitar profissionais empreendedores e gestores de seus próprios negócios ou em seu trabalho, com atenção voltada para as oportunidades de mercado, explorando as atividades num enfoque estratégico e inovador. Como tarefa, busca obter resultados por meio da coordenação de pessoas, seja nas indústrias, organizações de serviços públicos, instituições de saúde, de educação, militares ou religiosas, no comércio ou na atividade agropecuária. O graduado em Administração deverá reunir características profissionais e pessoais, com perfil generalista, aliando liderança, competência, visão de negócios e espírito empreendedor, para que tanto tenha condições de proporcionar o desenvolvimento próprio e de terceiros, quanto capacitar-se para realizar pesquisas básicas aplicadas às áreas empresariais das organizações. O administrador é um profissional que atua nos mais variados níveis de uma organização - desde o hierárquico elementar até o de dirigente máximo. Para tanto, a proposta do curso contempla as áreas de marketing, finanças, produção, recursos humanos, logística, entre outras. Mercado de trabalho Em uma sociedade de desafios constantes, o papel do administrador se faz presente em toda e qualquer organização. Das transformações tecnológicas às decisões políticas internacionais encontramos exemplos do que move o estudo permanente da administração no contexto da globalização. Com tantas decisões a serem tomadas, a valorização do conhecimento se faz presente. Segundo dados do Conselho Federal de Administração (2010), a profissão de Administrador é a que mais cresce no mundo, tal a quantidade de problemas a ser solucionada nas organizações (públicas, privadas e/ou que não visam ao lucro). No Brasil esta situação não é diferente. No Estado de Goiás as oportunidades também serão várias, a começar pelo número de municípios que apresentam uma economia crescente que vai desde o extrativismo, às práticas pecuárias e de plantio, a industrialização, o comércio forte, o turismo, a prestação de serviços em geral. O crescimento de Goiás está acima da média brasileira. Estudos organizados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE, janeiro a maio/2010), para o setor industrial no Brasil, revelam que, na primeira metade daquele ano, o estado de Goiás cresceu economicamente 27,9%. Diferenciais Estrutura curricular - A estrutura curricular do curso é moderna e atualizada, pois além de atender às exigências do Ministério da Educação contempla as demandas do contexto local e regional. Ela ainda busca assegurar profundidade e perspectivas adequadas à aplicação de práticas e Página 10 de 66

10 conhecimentos gerais e específicos, desenvolvimento de pesquisas e geração de novos conhecimentos. As disciplinas oferecidas integram-se entre si e se organizam tendo como referência os Núcleos Temáticos. Consultoria Empresa Júnior - A Consultoria Empresa Júnior, em funcionamento desde agosto/2002, é laboratório de prática de gestão, constituída por alunos do curso de Administração, que prestam consultoria e desenvolvem projetos para futuros empreendedores, microempresas, e sociedade em geral nas suas áreas de atuação. O trabalho dos alunos é supervisionado por professores e profissionais especializados, constituindo-se em um importante espaço para o exercício da prática profissional relacionado com a formação acadêmica dos alunos do curso. Laboratórios de informática - O Centro Universitário de Anápolis conta atualmente com 10 (dez) laboratórios de informática multidisciplinares. Eles são os espaços onde os acadêmicos de administração poderão aprender a confeccionar planilhas eletrônicas, trabalhar simulações gerenciais em softwares e ferramentas eletrônicas específicas, bem como trabalhar com diferentes recursos informatizados, além de desenvolverem pesquisas teóricas acompanhados de seus professores. Agronomia O curso de Agronomia tem como objetivo a formação de um profissional que reúna as condições técnico-científico-humanísticas para executar todas as tarefas inerentes à produção de alimentos para seres humanos e para animais domésticos, intervindo desde a definição das condições de plantio até a chegada do produto industrializado ao consumidor. Este profissional, cuja profissão está regulamentada pela Lei de 24/12/1966, pode atuar nos setores públicos e privados, nas atividades de planejamento, ensino, pesquisa, extensão e produção. O egresso do curso terá um perfil que lhe possibilite contribuir na construção de um modelo de desenvolvimento agropecuário sustentável, potencializando a geração e aplicação de novos produtos, tecnologias e serviços, respeitando os preceitos ambientais com vistas ao desenvolvimento socioeconômico. A meta, portanto, é preparar profissionais-cidadãos críticos, sintonizados com o mundo moderno, com potencial de promover mudanças no meio agrícola e com capacidade para desenvolver uma agricultura sustentável onde exista a inter-relação entre o ambiente, o homem da terra (ente social) e a área econômica. Mercado de trabalho O Agrônomo pode atuar em diferentes setores, tais como: manejo e exploração de culturas de cereais, olerícolas, frutíferas, ornamentais, oleaginosas, estimulantes, forrageiras e plantas medicinais; melhoramento genético vegetal e animal; produção de sementes e mudas; construções rurais; irrigação e drenagem; mecanização e implementos agrícolas; fotointerpretação para fins agrícolas; paisagismo, parques e jardins; recursos florestais; manejo de plantas daninhas, doenças e pragas de plantas; manejo, classificação e conservação do solo, de bacias hidrográficas e de recursos naturais renováveis; controle de poluição na agricultura; tecnologia de transformação e conservação de produtos de origem vegetal e animal; nutrição e alimentação animal; economia e crédito rural; planejamento e administração de propriedades agrícolas; e extensão rural. Página 11 de 66

11 Exige-se um profissional capacitado para a observação, análise, concepção e não só para a execução. Além disso, sua formação não pode ser entendida como conclusiva e terminal, mas indutora de aprendizagens permanentes, que acontecerão ao longo da sua vida profissional, principalmente pela leitura, pesquisa e capacidade de observação e sistematização. Diferenciais O grande diferencial do curso de Agronomia são o laboratórios acadêmicos. É neles que professores e estudantes realizam a parte prática de seus trabalhos e projetos, atuando nas áreas de ensino, pesquisa e extensão. As atividades desenvolvidas dão suporte ao curso, promovem o desenvolvimento de materiais, tecnologias e processos, e permitem a prestação de serviços à comunidade. Laboratórios de Física e Eletricidade; Complexo Multidisciplinar e de Microscopia; Complexo Multidisciplinar de Química; Ateliê; Laboratório de Materiais de Construção, Estruturas e Solos; Laboratório de Mecânica dos Fluidos e Hidráulica; Laboratório de Topografia; Laboratório de Microbiologia e Imunologia, Microbiologia do Solo, Fitopatologia Geral e Fitopatologia Aplicada; Laboratório Multidisciplinar de Informática; Laboratório de Entomologia. Arquitetura e Urbanismo O curso de Graduação em Arquitetura e Urbanismo da UniEVANGÉLICA objetiva a formação de profissionais de nível superior, com o título de Arquiteto e Urbanista, aptos a desempenhar as atividades referentes a edificações, conjuntos arquitetônicos, monumentos, paisagismo, interiores, planejamento físico, local, urbano territorial e serviços afins e correlatos, atuando nas fases de supervisão, coordenação e orientação técnica, estudo, planejamento, projeto e especificação, assistência, assessoria e consultoria, direção de obra e serviço técnico, vistoria, perícia, avaliação, arbitramento, laudo e parecer técnico, desempenho de cargo e função técnica, ensino, pesquisa, análise, experimentação, ensaio mensuração e controle de qualidade, execução de obra e serviço técnico, fiscalização de obra e serviço técnico, produção técnica e especializada, condução de equipe de instalação, montagem, operação, reparo ou manutenção, execução de instalação, montagem e reparo, operação e manutenção de equipamento e instalação, execução de desenho técnico. O Arquiteto e Urbanista formado na UniEVANGÉLICA deverá ter um perfil de profissional generalista, apto a compreender e traduzir as necessidades de indivíduos, grupos sociais e comunidade, com relação à concepção, organização e construção do espaço exterior e interior, abrangendo a edificação, o urbanismo e o paisagismo nos conceitos da sustentabilidade, bem como a conservação e a valorização do patrimônio construído, proteção do equilíbrio do ambiente natural e à utilização racional dos recursos disponíveis, orientados para a projetação arquitetônica e urbanística, em sua mais ampla acepção, e a consecução dos projetos complementares e execução de obras. Página 12 de 66

12 Mercado de trabalho O graduado em arquitetura e urbanismo deverá ter uma visão suficientemente amadurecida e conexa com outras áreas afins, pois a sociedade necessita de profissionais com conhecimentos e treinamento à altura do desenvolvimento tecnológico contemporâneo, com base na sustentabilidade ambiental, social e econômica, nas condicionantes ambientais e dos parâmetros da acessibilidade universal. Seu exercício profissional deve possibilitar a sua participação efetiva na qualidade de vida dos habitantes, dos assentamentos humanos e a qualidade material do ambiente construído e sua durabilidade; no uso da tecnologia em respeito às necessidades sociais, culturais, estéticas e econômicas das comunidades; no equilíbrio ecológico e o desenvolvimento sustentável do ambiente natural e construído; na valorização e preservação da arquitetura, do urbanismo e da paisagem como patrimônio e responsabilidade coletiva. Diferenciais O curso de Arquitetura dispõe de uma série de laboratórios específicos, os quais contribuem para uma formação plena e próxima da prática profissional. Os laboratórios são os seguintes: Ateliês; Laboratório de maquete; Laboratório de conforto; Laboratório de topografia; Laboratório de Materiais de Construção, Estruturas e Solos; Laboratório de Física/Eletricidade. Ciências Contábeis O curso de Ciências Contábeis da UniEVANGÉLICA tem como objetivo formar bacharéis com visão crítica, técnica e científica acerca dos processos econômico-financeiros que afetem o patrimônio das empresas, sejam elas públicas, privadas ou do terceiro setor. O curso proporcionará o desenvolvimento de habilidades e competências necessárias à interpretação de princípios e normativas contábeis, bem como dos aspectos legais indispensáveis ao registro, apuração e elaboração de demonstrações financeiras de maneira ética e responsável, subsidiando a tomada de decisões como forma de preservação do patrimônio e a melhor gestão do negócio. Mercado de trabalho Nos locais em que a economia se desenvolve com maior rapidez, o Bacharel em Ciências Contábeis tem se destacado enquanto profissional responsável em quantificar as informações financeiras, patrimoniais e governamentais, com vistas a resguardar a integridade do patrimônio da entidade. Na atualidade, no Brasil, o enfoque da contabilidade tem sido o gerencial, em consonância com as mudanças ocorridas no ambiente competitivo no qual as organizações estão inseridas. O cenário econômico atual exige profissionais com qualificação diferenciada em decorrência de vários fatores, entre eles a evolução tecnológica, crescimento das organizações, ambiente econômico oscilante, inflação, crise econômica, necessidades de conhecer legislação contábil dos diferentes países com os quais o Brasil tem negócios etc. Página 13 de 66

13 Assim, as habilidades do profissional da contabilidade têm evoluído na mesma proporção que o ambiente empresarial exige, ou seja, um profissional com capacidade de intermediar grandes negócios; transmitir e receber informações, apontar e antecipar problemas, indicando possíveis soluções. Além de estar apto a constituir seu próprio escritório para atuar como empresário na prestação de serviços contábeis, o egresso de Ciências Contábeis também poderá atuar em: Escritórios especializados em contabilidade, perícia e auditoria; Organizações industriais, comerciais e de prestação de serviços, atuando na área de tributos, pessoal e escrituração contábil; Prefeituras, Câmaras Municipais, ONG s, Fundações, entidades do terceiro setor e órgãos públicos em geral; Bancos e instituições financeiras; Consultorias independentes na área tributária, societária, custos, finanças, etc; Empresas públicas como agente fiscal de tributos e também em tribunais de contas; Institutos de pesquisas; Universidades, escolas técnicas e cursos de aperfeiçoamento como professor de contabilidade. Diferenciais Parcerias - O curso de Ciências Contábeis no intuito de alcançar seus objetivos institucionais tem realizado algumas parcerias, entre elas com a Empresa Júnior, com Centro de Integração Empresas- Escola (CIEE), empresa de software Tron Informática e Instituto Euvaldo Lodi (IEL). Consultoria Empresa Junior - Em funcionamento desde agosto de 2002, a Consultoria Empresa Júnior é uma associação civil, sem fins lucrativos, constituída exclusivamente por alunos do curso de Administração e Ciências Contábeis da UniEVANGÉLICA, que prestam consultoria e desenvolvem projetos para empresas, entidades e sociedade em geral nas suas áreas de atuação, sob supervisão de professores e profissionais especializados. Tem como Missão, assessorar estrategicamente as empresas de modo criativo e inovador, utilizando profissionais éticos, por meio da integração entre alunos e professores orientadores na busca de resultados com eficiência e eficácia. Laboratório de Prática Contábil - O curso de Ciências Contábeis conta com dois laboratórios de Prática Contábil, nos quais foram instalados sistemas de informação contábil disponibilizados pela empresa de software Tron Informática, com programas específicos de contabilidade, folha de pagamento, escrita fiscal, LALUR, entre outros. Cada laboratório está equipado com 30 máquinas de última geração, utilizados pelos professores desde o 1º período, no sentido de viabilizar aos discentes conhecimentos teórico-práticos referentes à estrutura organizacional de uma entidade. O sistema instalado possibilita simulações que contribuem para aprofundar o conhecimento teórico-prático adquirido. Direito O Curso de Direito da UniEVANGÉLICA, em funcionamento desde de 1968, está entre os mais antigos da região Centro-Oeste. Tem por objetivo oferecer uma visão crítica do fenômeno jurídico, valorizando a aplicação dos raciocínios jurídicos à realidade social em mutação. Página 14 de 66

14 O curso propicia aos seus acadêmicos a segurança advinda da experiência em várias décadas de atividade educacional. Além da tradição, procura fundamentos contemporâneos da formação pedagógica, buscando se aprimorar para atender às exigências atuais, sem perder de vista os aspectos éticos e humanísticos. O estudante que recebe o título de Bacharel em Direito estará apto a exercer a profissão de advogado, mediante aprovação no exame de Ordem, além de poder ingressar, mediante concurso público, nas carreiras da Magistratura, Ministério Público, Defensoria Pública, Procuradorias dos Estados e Municípios, Advocacia Geral da União, Procuradorias das Autarquias, Agências Reguladoras, Empresas Públicas e Privadas, Magistério Superior. Mercado de trabalho O perfil desejado do formado repousa em uma sólida formação geral e humanística, com capacidade de análise e articulação de conceitos e argumentos, de interpretação e valoração dos fenômenos jurídico-sociais, aliado a uma postura reflexiva e crítica e a uma visão pluralista do Direito, compreendendo-o como fenômeno e não como um conjunto de normas estáticas. O operador de Direito deve ter sua formação estruturada sobre quatro eixos: articulação sóciojurídica para a preservação da democracia e da cidadania, em suas diferentes faces; competência profissional para as diversas atividades jurídicas; concorrência para o fortalecimento das políticas públicas por meio do conhecimento do controle social e de outros mecanismos não-judicializados de conflito; conhecimento interdisciplinar que lhe propicie ser agente de transformação social. Para esse profissional, o mercado de trabalho oferece oportunidades diversas. Em função disso, o curso de Direito busca formar bacharéis com habilitação suficiente para o exercício de uma das muitas atividades jurídicas. Sinteticamente, o bacharel em Direito tem duas opções de carreia: atuar como advogado, sendo que para isso é necessário ser aprovado no exame da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil); seguir carreira jurídica (advogado público, juiz, promotor de Justiça ou delegado de polícia), prestando concurso público. É importante lembrar que para a carreira de juiz é necessário ter dois anos de inscrição na OAB. É importante lembrar que para as carreiras de juiz ou Promotor de Justiça é necessário ter três anos de inscrição na OAB ou de exercício de atividade jurídica. Diferenciais NPDU - O Núcleo de Pesquisa do Curso de Direito da UniEVANGÉLICA (NPDU) é um setor avançado de estudos e pesquisas, destinado a coordenar e implementar políticas e ações na área especificada, fornecendo condições técnicas para o desenvolvimento de atividades de pesquisa do curso de Direito e também de pesquisas interdisciplinares na temática adotada pelo NPDU. O NPDU tem como temática de concentração de trabalho do núcleo Direitos Humanos e Políticas Públicas e duas linhas de pesquisa: Estado, Sociedade e Cidadania; e Educação em Direitos Humanos. As linhas de pesquisa bem como a temática de concentração dos trabalhos do núcleo, serão escolhidos por um conselho formado pelo Diretor do Curso de Direito, coordenação pedagógica, coordenadora do NPDU e Núcleo Docente Estruturante (NDE). NPJ - No cenário pedagógico dos cursos de Direito são imprescindíveis as atividades práticas jurídicas, com o objetivo de criar laços entre a teoria lecionada nas salas de aula com a prática nos diversos segmentos das atividades a serem exercidas, constituindo-se como componente essencial à formação do bacharel em Direito. Página 15 de 66

15 Núcleo de Prática Jurídica NPJ - órgão subordinado à Coordenação do Curso de Direito, é responsável pela prática jurídica real. A prática real será ministrada mediante a atuação de professores-orientadores, do quadro docente da instituição, os quais terão a incumbência de aplicar, fiscalizar o cumprimento e avaliar as atividades de estágio curricular do curso de Direito da UniEVANGÉLICA, Nesse contexto, tem-se a confirmação do estágio curricular supervisionado, realizado no Núcleo de Prática Jurídica, concebendo uma prática além da dimensão judicial, aproximando-a mais da realidade social e exigindo uma relação mais íntima entre teorias e práticas, notadamente, as levadas a cabo no estágio supervisionado e nas atividades de extensão. NAS - O Núcleo de Atividades Simuladas NAS, órgão subordinado à Coordenação do Curso de Direito, é responsável pela prática jurídica simulada. A prática simulada será ministrada mediante a atuação de professores-orientadores, do quadro docente da instituição, os quais terão a incumbência de aplicar atividades, fiscalizar o seu cumprimento e avaliar as atividades de estágio curricular do Curso de Direito da UniEVANGÉLICA. Na realização das atividades simuladas, o estagiário trabalhará com situações jurídicas criadas pelos professores-orientadores e deverá praticar todos os atos processuais, observando-se, rigorosamente, os aspectos formais do processo, bem como os prazos processuais. Educação Física O homem moderno precisa criar estratégias concretas que lhe proporcione condições de conhecer seu próprio corpo, entender o funcionamento desse quando requisitado fisicamente, desenvolver e manter habilidades motoras, experimentar o contato com grupos sociais, entendendo o papel destas atividades na construção do ser como um todo. Por esse motivo, a UniEVANGÉLICA elaborou um curso de formação em Educação Física em que possam ser habilitados profissionais capazes de interagir com a sociedade e transformar sua forma de ver o corpo e entender o movimento. O curso de Educação Física (Bacharelado) visa formar um profissional dotado de experiências múltiplas na área da saúde, esporte e lazer, tendo condições para compreender as questões científicas, técnicas, sociais, éticas e morais de forma contextualizada. A Educação Física cuida de preservar a saúde do indivíduo por meio das atividades físicas e desportivas, ao mesmo tempo em que desenvolve os valores cognitivos. Mercado de trabalho A procura pelo curso em Educação Física tem se mostrado significativa, a partir de uma nova visão determinada pela definição de novos paradigmas para a área que tem se afirmado acadêmica e socialmente como um campo de conhecimento capaz de contribuir, de forma significativa, tanto para a formação e desenvolvimento do cidadão quanto para a melhoria das suas condições de saúde e consequente melhoria da qualidade de vida, pelo cultivo e valorização de um estilo de vida mais saudável. De acordo com a resolução 046/2002 do Conselho Federal de Educação Física - CONFEF, que dispõe sobre a Intervenção do Profissional de Educação Física, esta é uma profissão integrada às áreas da educação e da saúde. O campo de ação da área abrange: o jogo, o esporte, a ginástica, a musculação, a dança, a ergonomia, as lutas, as artes marciais, a recreação, o lazer e a reabilitação. O Profissional de Educação Física utiliza diagnóstico, define procedimentos, ministra, orienta, Página 16 de 66

16 desenvolve, identifica, planeja, coordena, supervisiona, leciona, assessora, organiza, dirige e avalia as atividades físicas, desportivas e similares, sendo especialista no conhecimento da atividade física/motricidade humana nas suas diversas manifestações. Diferenciais Laboratório de Fisiologia do Exercício (LAFE) - Onde os estudante tem todas as condições para realizar atividades práticas envolvendo: avaliação postural; avaliação antropométrica; avaliação cardiorrespiratória. Ginásio Poliesportivo da UniEvangélica - Oferece excelente estrutura, sendo considerado o maior da região Centro-Oeste. Abriga a academia escola, o laboratório de fisiologia, o tatame, a Secretaria do Curso de Educação Física, almoxarifado, palco, área para ginástica olímpica, quatro arquibancadas e 5 quadras apropriadas para basquete, futsal, vôlei, handebol e tênis. Academia de musculação - Está localizada no Ginásio de Esportes do curso de Educação Física e funciona nos períodos matutino, vespertino e noturno. Este espaço tem como objetivo a capacitação global e ampla do aluno quanto à prática da realidade do profissional em uma academia. O acadêmico aprende a importância da organização e planejamento para se obter resultados seguros e eficazes. Parque Aquático - Este setor acolhe campeonatos de renome em virtude de sua estrutura composta por piscina semiolímpica de 25m e piscina infantil, arquibancada, camarote, sala de aula, vestiários masculino e feminino e recepção voltada ao controle das aulas de natação e recreação aquática, oferecidas ao público geral. Outros destaques são os projetos orientados por profissionais do curso de Educação Física que estão em grande ascendência, como Nadando com o corpo deficiente e Hidroginástica para idosos. Vale observar que a Instituição, em parceria com a prefeitura, ampara o Programa Esporte para Todos, atendendo crianças e adolescentes de segunda a quinta feira. Pista de Atletismo e Campo de Futebol - Tem caráter oficial, ou seja, possui 460m na raia externa e 400m na raia interna, apropriada para corridas rasas, de fundo e com barreira, salto em distância, salto em altura, salto triplo, arremesso de peso, lançamento de dardo e lançamento de disco. Cerca o campo de futebol que tem por volta de 75m e ambos oferecem suporte às disciplinas de Fundamentos do Atletismo e Fundamentos do Futebol. Vale observar que a Instituição, em parceria com a prefeitura, ampara o Projeto Zatopeck Atletismo, o qual concentra muitos medalhistas. Enfermagem O curso de Enfermagem é oferecido no período noturno, com opção de estágios supervisionados nos três turnos. Possui infraestrutura moderna e adequada a formação do Enfermeiro generalista, competente ao exercício profissional em diferentes situações de saúde-doença. Salas de aula adequadas e confortáveis, biblioteca com amplo e atualizado acervo, acesso ao portal de periódicos da CAPES, laboratórios com equipamentos e simuladores de ponta e convênio de estágios firmado em toda rede de saúde do município. O corpo docente qualificado e experiente juntamente com sua excelente organização pedagógica conferem ao curso prestígio no campo da educação e da saúde, promovendo a aprendizagem significativa e prazerosa de enfermeiros com alta aceitabilidade no Página 17 de 66

17 mercado de trabalho. Além de todas as vantagens apresentadas, o acadêmico tem oportunidade de participar de projetos de extensão, de Bolsas de Iniciação Científica (PBIC-FUNADESP OU CNPQ), de estágios remunerados agenciados pelo IEL, CIEE, empresa Júnior e outras agências que atendam a Lei do Estágio e de intercâmbio com diversas Universidades de países no exterior. Mercado de trabalho O Enfermeiro é valorizado pela alta competência para o cuidado humano. Esse profissional é membro essencial da equipe multidisciplinar de saúde, contribuindo para promoção da saúde, bem como para todos outros níveis de assistência em instituições pública ou privadas, no atendimento de baixa, média e alta complexidades. A instituição do Sistema Único de Saúde (SUS), na década de 90, foi responsável pela implantação de novos modelos assistenciais, dentre eles a Estratégia Saúde da Família (ESF), que representa uma importante expansão do mercado de trabalho para o enfermeiro. Apesar do expressivo quantitativo de enfermeiros no país, a concentração e a disponibilidade desses profissionais por habitante é bastante desigual e até insuficiente em determinadas regiões. Há menos de um enfermeiro para cada mil habitantes, o que representa um quarto do preconizado pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Os egressos do curso de Enfermagem da UniEVANGÉLICA tem apresentado alta empregabilidade no país, em áreas de atuação diversas: assistência, gerenciamento, ensino, pesquisa e gestão. O Bacharel em Enfermagem pode atuar em diferentes áreas: Assistência: Promoção da saúde, Instituições de saúde públicas ou privadas, atenção básica, hospitais, SUS, com ênfase para Estratégia de Saúde da Família; Assessoria e Consultoria de serviços de saúde; Gerenciamento; Home care; Atuação em Entidades de Categoria (Associação Brasileira de Enfermagem, Conselho Federal de Enfermagem, Conselho Regional de Enfermagem, Sindicato dos Enfermeiros); Educação em Enfermagem: Ensino Técnico; Ensino Superior; Pesquisa e Extensão. Diferenciais Infraestrutura arrojada, composta por espaços físicos apropriados a aprendizagem. Corpo docente altamente qualificado, dotado de experiência profissional e pedagógica. Laboratórios com tecnologia de ponta, equipados com simuladores e insumos médico hospitalares de última geração. Matriz integradora, que permite o desenvolvimento de habilidades e competências, conforme as Diretrizes Curriculares Nacionais (DCNs). Aproximação dos acadêmicos com o campo clínico, estabelecida desde o início do curso, com práticas clínicas a partir do terceiro período do curso. A biblioteca do Centro Universitário possui amplo acervo, atendendo de forma eficiente todas as bibliografias previstas nos planos de curso. Alto prestígio e empregabilidade na microrregião e no país. Página 18 de 66

18 Promoção e participação em eventos científicos e de extensão do Centro Universitário e parceiros. Oportunidade de Bolsas de Iniciação Científica (PBIC-FUNADESP OU CNPQ), Oportunidade de estágios remunerados agenciados pelo IEL, CIEE, empresa Júnior e outras agências que atendam a Lei do Estágio. Oportunidade de intercâmbio com diversas Universidades de países no exterior. Engenharia Civil A formação acadêmica em Engenharia Civil possibilita que o estudante entenda a necessidade de se primar pela busca contínua da fundamentação técnica, ao mesmo tempo em que o impele a uma busca diligente pela excelência e pelo estado da arte. Assim, procura-se despertar o indivíduo, ao longo do curso, para um nível de comprometimento pessoal com esse processo de formação, mostrando que esse é o único caminho para se agir de forma responsável, o qual conduz a resultados otimizados, traduzidos em obras civis que compatibilizem, devidamente: a segurança, a durabilidade, a economia, a funcionalidade, a estética, a agilidade e os devidos requerimentos legais. Mercado de trabalho O egresso do curso de Engenharia Civil será capaz de desencadear ações críticas e estruturadas, dentro das áreas de planejamento, execução e controle, de obras e serviços de engenharia civil. A partir do programa acadêmico, o egresso estará capacitado a identificar os princípios básicos que governarão os problemas encontrados no campo da Engenharia Civil, e a buscar recursos que potencializem sua criatividade, habilidade e capacidade gerencial. Tais competências adquiridas, conjugadas a um espírito empreendedor, sinalizam para a possibilidade de se extrapolar fronteiras de trabalhos convencionais, o que pode ser conseguido conduzindo-se pesquisas numéricas e/ou experimentais. Por outro lado, nas situações convencionais, a formação permite o aperfeiçoamento de técnicas e a manutenção de elevados padrões de qualidade. De qualquer forma, a partir desse perfil adquirido por uma sólida formação acadêmica generalista, o egresso, atuando de forma individual ou corporativa, poderá almejar a proposição de soluções particulares e até inovadoras, sempre adequadas às realidades e condicionantes espaciais, econômicas e temporais. Diferenciais Laboratório de Física - Consiste em laboratório didático para entendimento dos princípios básicos da física. Os ensaios a serem realizados no laboratório de física, contemplarão os seguintes conteúdos: Medidas, Erros e Gráficos; Mecânica; Termologia; Eletricidade; Magnetismo; Ótica;Ondas. Laboratório de Eletricidade - Consiste em laboratório didático para entendimento dos princípios básicos da eletricidade. Os ensaios a serem realizados no laboratório de eletricidade, contemplarão os seguintes conteúdos: Fenômenos e grandezas elétricas; Mecânica; Termologia; Eletricidade; Magnetismo. Laboratório de Materiais de Construção, Estruturas e Solos Este laboratório possui equipamentos utilizados durante a realização de ensaios necessários à caracterização de materiais e Página 19 de 66

19 componentes da Construção Civil, estruturas e solos: agregados, aglomerantes, argamassas, concretos, blocos de concreto, solos, etc. Possui também amostras de materiais e componentes e um conjunto de catálogos que serve de subsídio para o aprendizado dos alunos referentes a essa área. Possui área externa de 1000 m2, onde estão instaladas baias para o armazenamento de agregados, solos, sistemas construtivos e piso para realização de aulas práticas. Estes laboratórios serão também utilizados para a realização de trabalhos de pesquisa e extensão; de Iniciação Científica, desenvolvidos por alunos do Curso de Engenharia Civil. Laboratório de Materiais de Construção - Consiste em laboratório didático para entendimento dos princípios básicos dos materiais e componentes de construção civil. Atividades a serem avaliadas no Laboratório de materiais de construção: Ensaios para determinação de curvas granulométricas de agregados miúdos e graúdos; Ensaio de modulo e Finura dos agregados e argamassa; Ensaios para a caracterização de concreto e argamassa em estado fresco; Ensaios de caracterização de cimento: determinação de finura, tempo de pega e resistência à compressão; Ensaios para determinação de resistência à compressão de corpos de prova de concreto; Ensaios em materiais cerâmicos: tijolos, blocos e telhas; Ensaios de resistência à tração em metais; Ensaios de dureza. Laboratório de Estruturas - Consiste em laboratório didático para entendimento dos princípios básicos das estruturas. Atividades a serem avaliadas no Laboratório de estruturas: Ensaios mecânicos de compressão, flexão e corte de elementos de construção com funções resistentes; Ensaios em estruturas de concreto armado, chapas de cobertura, prismas de alvenaria. Laboratório de Solos - Consiste em laboratório didático para entendimento dos princípios básicos da mecânica dos solos e geotecnia. Atividades a serem avaliadas no Laboratório de solos:ensaios de caracterização de Sólidos; Determinação de teor de Umidade dos solos; Determinação de Granulometria por Peneiramento e Sedimentação; Determinação dos Índices de Plasticidade do solo; Determinação da Densidade Real dos Grãos; Determinação de peso especifico aparente no campo; Ensaios de Compactação de Solos;Proctor Normal e Proctor Modificado; Ensaios para obtenção do Coeficiente De Permeabilidade;Permeâmetros de Carga Constante de Carga Variável; Ensaio de Índice de suporte Califórnia (CBR); Ensaio de Adensamento Unidimensional; Ensaio de Cisalhamento Direto. Laboratório de Mecânica dos Fluidos e Hidráulica - Os laboratórios de Mecânica dos fluidos e Hidráulica possuem equipamentos utilizados para realização de ensaios. Suas instalações permitem aos alunos visualizar fenômenos como perda de energia e mudanças em regimes de escoamento e obter medidas de pressão, vazão velocidade, coeficiente de rugosidade e perda de carga. Estes laboratórios serão também utilizados para a realização de trabalhos de pesquisa e extensão; de Iniciação Científica, desenvolvidos por alunos do Curso de Engenharia Civil. Laboratório de Mecânica dos Fluidos - Consiste em laboratório didático para entendimento dos princípios básicos da Mecânica dos Fluidos. Atividades a serem realizadas avaliadas no laboratório de mecânica de fluidos: Ensaios Hidrostáticos; Determinação de densidade e viscosidade dos fluidos; Determinação das pressões relativa e absoluta; Determinação de forças que atuam em superfícies submersas; Determinação da vazão em condutos fechados e em canais abertos/cursos de água. Laboratório de Hidráulica - Consiste em laboratório didático para entendimento dos princípios básicos da Hidráulica. Atividades a serem realizadas avaliadas no laboratório de Hidráulica:Ensaios para determinação de perdas de Cargas Localizadas e Distribuídas; Ensaios para determinação de Página 20 de 66

20 Curvas Características de Bombas Hidráulicas; Ensaios de Canais Hidráulicos; Demonstração de Ressaltos Hidráulicos; Medição de profundidades normais de escoamento com variação de rugosidade das paredes dos canais; Demonstração das curvas de remanso. Vertedores, etc. Laboratório de Química/Saneamento - Os laboratórios de Química e Saneamento possuem equipamentos utilizados para realização de ensaios. Suas instalações permitem aos alunos realizar atividades práticas em química, saneamento e meio ambiente, como análises de águas de abastecimento e residuárias, monitoramento ambiental, modelos de simulação de tratamento de água e esgotos. Estes laboratórios serão também utilizados para a realização de trabalhos de pesquisa e extensão; de Iniciação Científica, desenvolvidos por alunos do Curso de Engenharia Civil. Laboratório de Química - Consiste em laboratório didático para entendimento dos princípios básicos da Química. Ensaios a serem avaliados no laboratório de química: Introdução das técnicas de laboratório; Reações químicas; Estequiometria; Equilíbrio químico; Preparo de soluções Acido-Base;Padronização de soluções Acido-Base Determinação da Concentração de uma Solução por Analise Volumétrica: Titulação; Eletroquímica; Corrosão. Laboratório de Saneamento - Consiste em laboratório didático para entendimento dos princípios básicos de Saneamento Básico. Ensaios a serem avaliados no Laboratório de Saneamento:Caracterização de água para fins de Abastecimento com determinação de: Turbidez, PH, Cor, Coliformes Fecais e Totais; Caracterização de Esgoto Sanitário com determinação de: Demanda Química de Oxigênio ou Demanda Bioquímica de Oxigênio, Determinação De Sólidos totais. Laboratório de Topografia - O laboratório de Topografia conta com amplos recursos de mensuração para atendimento às aulas práticas das disciplinas correlatas oferecidas aos cursos de Engenharia Civil. Também possui armários, bancadas, cadeiras e equipamentos. Este laboratório será também utilizado para a realização de trabalhos de pesquisa e extensão; de Iniciação Científica, desenvolvidos por alunos do Curso de Engenharia Civil. Atividades a serem avaliadas no laboratório de Topografia: Levantamento para elaboração de Plantas planialtimétricas; Levantamento de perímetros de áreas de terrenos; Desenhos de plantas topográficas; Cálculo de volumes corte e aterro; Cálculo de áreas de lotes e terrenos; Levantamento de perfis. Engenharia de Computação O curso de Engenharia de Computação com área de concentração em Engenharia de Software da UniEVANGÉLICA objetiva formar profissionais devidamente qualificados, aptos a atuarem nas etapas do processo de produção de software, com formação adequada para ocupar as vagas disponíveis no mercado de trabalho e contribuir para o desenvolvimento tecnológico e econômico do país, quais sejam: desenvolvedor de software, analista de requisitos, analista de negócios, arquiteto de software, entre outras. O curso visa contribuir com a formação de profissionais qualificados para se inserir nos mercados local, nacional e global da indústria de software e preencher a atual lacuna de formação tecnológica específica em Engenharia de Software, não preenchida nos cursos de graduação em computação Página 21 de 66

PROCESSO SELETIVO 2016/1

PROCESSO SELETIVO 2016/1 Prezado(a) Vestibulando(a). Bem-vindo ao Vestibular 2016-1 da FACULDADE RAÍZES! Nosso desejo é que você se torne um profissional capaz de competir no mercado de trabalho e de conquistar o seu espaço exercendo

Leia mais

PROCESSO SELETIVO UNIFICADO VESTIBULAR 2015-1 ASSOCIAÇÃO EDUCATIVA EVANGÉLICA. Página 1 de 49

PROCESSO SELETIVO UNIFICADO VESTIBULAR 2015-1 ASSOCIAÇÃO EDUCATIVA EVANGÉLICA. Página 1 de 49 Página 1 de 49 Página 2 de 49 Sumário Associação Educativa Evangélica... 05 Centro Universitário de Anápolis (UniEVANGÉLICA-Sede e Câmpus de Ceres... 07 Sobre os cursos... 09 Edital e regulamento nº 69/2014-COMSEL...

Leia mais

ANEXO AO MODELO DO PLANO DE AULA DO PROCESSO SELETIVO DOCENTE GERAL (PSD-G) 2015.1

ANEXO AO MODELO DO PLANO DE AULA DO PROCESSO SELETIVO DOCENTE GERAL (PSD-G) 2015.1 ANEXO AO MODELO DO PLANO DE AULA DO PROCESSO SELETIVO DOCENTE GERAL (PSD-G) 2015.1 ARQUITETURA E URBANISMO Graduar arquitetos e urbanistas com uma sólida formação humana, técnico-científica e profissional,

Leia mais

Resolução nº 2/2006 3/2/2006 RESOLUÇÃO CNE Nº 2, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 DOU 03.02.2006

Resolução nº 2/2006 3/2/2006 RESOLUÇÃO CNE Nº 2, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 DOU 03.02.2006 Resolução nº 2/2006 3/2/2006 RESOLUÇÃO CNE Nº 2, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 DOU 03.02.2006 Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para o curso de graduação em Engenharia Agrícola e dá outras providências.

Leia mais

Missão do Curso. Objetivos. Perfil do Profissional

Missão do Curso. Objetivos. Perfil do Profissional Missão do Curso A função primordial do Engenheiro Agrônomo consiste em promover a integração do homem com a terra através da planta e do animal, com empreendimentos de interesse social e humano, no trato

Leia mais

Escritório Modelo da Faculdade de Diadema

Escritório Modelo da Faculdade de Diadema Escritório Modelo da Faculdade de Diadema Profª. Vânia Amaro Gomes Coordenação de Curso DIADEMA, 2015 Introdução Atualmente há uma grande dificuldade dos alunos egressos das Faculdades em obter emprego

Leia mais

Área de Ciências Humanas

Área de Ciências Humanas Área de Ciências Humanas Ciências Sociais Unidade: Faculdade de Ciências Humanas e Filosofia (FCHF) www.fchf.ufg.br Em Ciências Sociais estudam-se as relações sociais entre indivíduos, grupos e instituições,

Leia mais

CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA PROPOSTA DE DIRETRIZES CURRICULARES

CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA PROPOSTA DE DIRETRIZES CURRICULARES CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA PROPOSTA DE DIRETRIZES CURRICULARES 1 1. PERFIL DO FORMANDO EGRESSO/PROFISSIONAL 1.1. Perfil Comum: Farmacêutico, com formação generalista, humanista, crítica e reflexiva.

Leia mais

VAGAS NO CAMPUS MARCO ZERO, EM MACAPÁ-AP

VAGAS NO CAMPUS MARCO ZERO, EM MACAPÁ-AP UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ GABINETE DA REITORIA EDITAL Nº 12/2012 CONCURSO PÚBLICO PARA PROFESSOR EFETIVO ANEXO I VAGAS POR ÁREA DE CONHECIMENTO VAGAS NO CAMPUS MARCO ZERO, EM MACAPÁ-AP 1) Área de Conhecimento:

Leia mais

1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO

1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO 1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO O Curso de Secretariado Executivo das Faculdades Integradas de Ciências Exatas Administrativas e Sociais da UPIS, reconhecido pelo MEC desde 1993, pela Portaria 905, de 24.06,1993,

Leia mais

Competências e Habilidades Específicas:

Competências e Habilidades Específicas: DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM 1. PERFIL DO FORMANDO EGRESSO/PROFISSIONAL Enfermeiro, com formação generalista, humanista, crítica e reflexiva. Profissional qualificado

Leia mais

Tecnologia em Produção de Grãos

Tecnologia em Produção de Grãos Tecnologia em Produção de Grãos Nível/Grau: Superior/Tecnólogo Vagas: 30 Turno: Matutino Duração: 3 anos mais estágio (7 semestres) Perfil do Egresso O profissional estará capacitado para: Produzir grãos

Leia mais

PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS. (Resumido)

PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS. (Resumido) FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS E ADMINISTRATIVAS DE CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM ES Curso de Administração reconhecido pelo Decreto Federal nº 78.951, publicado no D.O.U. de 16-12-1976 Curso de Ciências Contábeis

Leia mais

DISTRIBUIÇÃO DE VAGAS PARA PROFESSOR E FORMAÇÃO NECESSÁRIA

DISTRIBUIÇÃO DE VAGAS PARA PROFESSOR E FORMAÇÃO NECESSÁRIA 06/ 05/ INSTITUTO FEDERAL DO AMAZONAS PRÓ-REITORIA DE ENSINO PROCESSO SELETIVO DO º SEMESTRE 05 ANEXO II EDITAL Nº 8/05 DISTRIBUIÇÃO DE VAGAS PARA PROFESSOR E FORMAÇÃO NECESSÁRIA Técnico em Redes de Computadores

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ CONCURSO PÚBLICO PARA A CARREIRA DE TÉCNICO-ADMINISTRATIVO EM EDUCAÇÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ CONCURSO PÚBLICO PARA A CARREIRA DE TÉCNICO-ADMINISTRATIVO EM EDUCAÇÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ CONCURSO PÚBLICO PARA A CARREIRA DE TÉCNICO-ADMINISTRATIVO EM EDUCAÇÃO EDITAL N.º 51/2014 UNIFESSPA, DE 21 DE JULHO DE 2014 ANEXO I

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO, BACHARELADO CURRÍCULO 1610 REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO Das Disposições

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: EDUCAÇÃO FÍSICA LICENCIATURA MISSÃO DO CURSO O Curso de Licenciatura em Educação Física do Centro Universitário Estácio Radial de São Paulo busca preencher

Leia mais

Curso. Administração. Arquitetura. Ciências Biológicas

Curso. Administração. Arquitetura. Ciências Biológicas FACULDADE CATÓLICA SALESIANA DO ESPÍRITO SANTO SECRETARIA /FCSES EDITAL Nº002/2014 EDITAL DE SELEÇÃO DO PROGRAMA DE MONITORIA VOLUNTÁRIA PARA O 2º SEMESTRE DE 2014 1 A Secretária Geral da Faculdade Católica

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO. Concepção do Curso de Administração

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO. Concepção do Curso de Administração CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Concepção do Curso de Administração A organização curricular do curso oferece respostas às exigências impostas pela profissão do administrador, exigindo daqueles que integram a instituição

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 6, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 1

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 6, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 6, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 1 Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais do curso de graduação em Arquitetura

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 2, DE 17 DE JUNHO DE 2010 (*)

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 2, DE 17 DE JUNHO DE 2010 (*) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 2, DE 17 DE JUNHO DE 2010 (*) Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais do curso de graduação em Arquitetura

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO ÁREA DE CONCENTRAÇÃO: MARKETING Políticas de supply chain management e logística reversa Planejamento estratégico de marketing Marketing de serviço Pesquisa de marketing Marketing

Leia mais

ATRIBUIÇÕES ESPECÍFICAS POR DISCIPLINA / FORMAÇÃO. a) Administração

ATRIBUIÇÕES ESPECÍFICAS POR DISCIPLINA / FORMAÇÃO. a) Administração Anexo II a que se refere o artigo 2º da Lei nº xxxxx, de xx de xxxx de 2014 Quadro de Analistas da Administração Pública Municipal Atribuições Específicas DENOMINAÇÃO DO CARGO: DEFINIÇÃO: ABRANGÊNCIA:

Leia mais

Red Derechos Humanos y Educación Superior Taller 1 Metodología de la enseñanza de los DDHH en la Educación Superior (Lima, 16-17 de julio de 2012)

Red Derechos Humanos y Educación Superior Taller 1 Metodología de la enseñanza de los DDHH en la Educación Superior (Lima, 16-17 de julio de 2012) Red Derechos Humanos y Educación Superior Taller 1 Metodología de la enseñanza de los DDHH en la Educación Superior (Lima, 16-17 de julio de 2012) O Ensino de Direitos Humanos da Universidade Federal do

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 218, DE 29 DE JUNHO DE 1973

RESOLUÇÃO Nº 218, DE 29 DE JUNHO DE 1973 RESOLUÇÃO Nº 218, DE 29 DE JUNHO DE 1973 Discrimina atividades das diferentes modalidades profissionais da Engenharia, Arquitetura e Agronomia. O CONSELHO FEDERAL DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E AGRONOMIA,

Leia mais

CURSO: EDUCAÇÃO FÍSICA (bacharelado)

CURSO: EDUCAÇÃO FÍSICA (bacharelado) CURSO: EDUCAÇÃO FÍSICA (bacharelado) Missão Sua missão é tornar-se referência na formação de profissionais para atuar nos diferentes segmentos humanos e sociais, considerando a atividade física e promoção

Leia mais

DISCRIMINAÇÃO DO PRÉDIO I QUANTIDADE ÁREA (m 2 ) SUBSOLO. Redação Tele jornalística 01 80,00. Gráfica 01 20,00

DISCRIMINAÇÃO DO PRÉDIO I QUANTIDADE ÁREA (m 2 ) SUBSOLO. Redação Tele jornalística 01 80,00. Gráfica 01 20,00 DISCRIMINAÇÃO DO PRÉDIO I QUANTIDADE ÁREA (m 2 ) SUBSOLO Redação Tele jornalística 01 80,00 Gráfica 01 20,00 Estúdio Pedagógico de Áudio Visual 01 140,00 Laboratório de Rádio: Estúdio de Radio 01 24,00

Leia mais

A EXO 2 - LISTA DE VAGAS - DOCE TES

A EXO 2 - LISTA DE VAGAS - DOCE TES A EXO 2 - LISTA DE VAGAS - DOCE TES Campus Graduação na área de Artes Ministrar aulas em disciplinas relacionadas à área de Artes em geral. Desenvolver projetos e atividades extra-curriculares nas Artes

Leia mais

VAGAS NO CAMPUS MARCO ZERO, EM MACAPÁ-AP

VAGAS NO CAMPUS MARCO ZERO, EM MACAPÁ-AP UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ GABINETE DA REITORIA EDITAL Nº 13/2013 CONCURSO PÚBLICO PARA PROFESSOR EFETIVO ANEXO I VAGAS POR ÁREA DE CONHECIMENTO VAGAS NO CAMPUS MARCO ZERO, EM MACAPÁ-AP 135-Área de

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO CNE/CES 1, DE 18 DE FEVEREIRO DE 2003. (*)

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO CNE/CES 1, DE 18 DE FEVEREIRO DE 2003. (*) CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO CNE/CES 1, DE 18 DE FEVEREIRO DE 2003. (*) Institui Diretrizes Curriculares Nacionais dos Cursos de Graduação em Medicina Veterinária.

Leia mais

FACULDADE CATÓLICA SALESIANA DO ESPÍRITO SANTO

FACULDADE CATÓLICA SALESIANA DO ESPÍRITO SANTO FACULDADE CATÓLICA SALESIANA DO ESPÍRITO SANTO SECRETARIA GERAL/FCSES EDITAL Nº009/2010 EDITAL DE SELEÇÃO DO PROGRAMA DE MONITORIA VOLUNTÁRIA PARA O 2º SEMESTRE DE 2010 A Secretária Geral da Faculdade

Leia mais

Diretrizes curriculares nacionais e os projetos pedagógicos dos cursos de graduação

Diretrizes curriculares nacionais e os projetos pedagógicos dos cursos de graduação Diretrizes curriculares nacionais e os projetos pedagógicos dos cursos de graduação Curso de Atualização Pedagógica Julho de 2010 Mediador: Adelardo Adelino Dantas de Medeiros (DCA/UFRN) Diretrizes Curriculares

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.662, DE 28 DE ABRIL DE 2015

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.662, DE 28 DE ABRIL DE 2015 1 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.662, DE 28 DE ABRIL DE 2015 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em,

Leia mais

UNIDADES DE ENSINO DE NITERÓI CLASSE A: ADJUNTO A - REGIME: 40H DE 1 - Escola de Arquitetura e Urbanismo Departamento de Arquitetura Área de

UNIDADES DE ENSINO DE NITERÓI CLASSE A: ADJUNTO A - REGIME: 40H DE 1 - Escola de Arquitetura e Urbanismo Departamento de Arquitetura Área de UNIDADES DE ENSINO DE NITERÓI CLASSE A: ADJUNTO A - REGIME: 40H DE 1 - Escola de Arquitetura e Urbanismo Departamento de Arquitetura Área de Conhecimento: PROJETO DE HABITAÇÃO SOCIAL (uma vaga). Provas

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.465, DE 12 DE DEZEMBRO DE 2013

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.465, DE 12 DE DEZEMBRO DE 2013 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.465, DE 12 DE DEZEMBRO DE 2013 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Bacharelado em

Leia mais

PROPOSTA REFERENTE AO CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO EM GESTÃO DE ANÁLISE SANITÁRIA

PROPOSTA REFERENTE AO CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO EM GESTÃO DE ANÁLISE SANITÁRIA PROPOSTA REFERENTE AO CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO EM GESTÃO DE ANÁLISE SANITÁRIA 1- DO CURSO O Curso de Especialização em Gestão em Análise Sanitária destina-se a profissionais com curso superior em áreas correlatas

Leia mais

UNP - Universidade Potiguar EDITAL DE OFERTA DE DISCIPLINAS EM TURMA ESPECIAL - 2015 JANEIRO A JUNHO ANEXO: DISCIPLINAS EM OFERTA CURSOS DE GRADUAÇÃO

UNP - Universidade Potiguar EDITAL DE OFERTA DE DISCIPLINAS EM TURMA ESPECIAL - 2015 JANEIRO A JUNHO ANEXO: DISCIPLINAS EM OFERTA CURSOS DE GRADUAÇÃO UNP - Universidade Potiguar EDITAL DE OFERTA DE DISCIPLINAS EM TURMA ESPECIAL - 2015 JANEIRO A JUNHO ANEXO: DISCIPLINAS EM OFERTA CURSOS DE GRADUAÇÃO Curso Disciplina ADMINISTRAÇÃO - NATAL ANÁLISE DE INVESTIMENTOS

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ GABINETE DA REITORIA EDITAL N 08/2015 CONCURSO PÚBLICO PARA PROFESSOR EFETIVO - MACAPÁ, SANTANA E MAZAGÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ GABINETE DA REITORIA EDITAL N 08/2015 CONCURSO PÚBLICO PARA PROFESSOR EFETIVO - MACAPÁ, SANTANA E MAZAGÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ GABINETE DA REITORIA EDITAL N 08/2015 CONCURSO PÚBLICO PARA PROFESSOR EFETIVO - MACAPÁ, SANTANA E MAZAGÃO ANEXO I - RELAÇÃO DAS VAGAS E REQUISITOS ESPECÍFICOS POR ÁREA DE

Leia mais

Departamento de Enfermagem Básica (1 vaga) Processo nº 23071.004115/2009-81

Departamento de Enfermagem Básica (1 vaga) Processo nº 23071.004115/2009-81 Períodos de inscrições: no sítio http://www.concurso.ufjf.br a) Primeiro período: das 09h do dia 11/05/2009 até as 14h do dia 29/05/2009; b) Segundo período: das 09h do dia 22/06/2009 até as 14h do dia

Leia mais

MANUAL DO CANDIDATO. PROCESSO SELETIVO 2013 Cursos Técnicos a Distância 2 SEMESTRE

MANUAL DO CANDIDATO. PROCESSO SELETIVO 2013 Cursos Técnicos a Distância 2 SEMESTRE MANUAL DO CANDIDATO PROCESSO SELETIVO 2013 Cursos Técnicos a Distância 2 SEMESTRE APRESENTAÇÃO Neste Manual, desenvolvido pela Comissão de Processo Seletivo (COPESE) do Instituto Federal de Educação, Ciência

Leia mais

HUMANAS. Página na web: www.fea.ufjf.br CIÊNCIAS ECONÔMICAS. Apresentação:

HUMANAS. Página na web: www.fea.ufjf.br CIÊNCIAS ECONÔMICAS. Apresentação: HUMANAS ADMINISTRAÇÃO Os alunos de Administração da UFJF graduam-se na modalidade Bacharelado e podem escolher entre as opções de especialização: Administração de Empresas e Administração Pública. O curso

Leia mais

RESOLUÇÃO CONSEPE 47/99

RESOLUÇÃO CONSEPE 47/99 RESOLUÇÃO CONSEPE 47/99 ALTERA O PLANO CURRICULAR E O REGIME DO CURSO DE ENGENHARIA INDUSTRIAL MODALIDADE MECÂNICA, COM ÊNFASE EM AUTOMOBILÍSTICA, DO CÂMPUS DE ITATIBA. O Presidente do Conselho de Ensino,

Leia mais

SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO EDUCAÇÃO FÍSICA (bacharelado) / CORAÇÃO EUCARÍSTICO E-MEC Nº 2009 08671

SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO EDUCAÇÃO FÍSICA (bacharelado) / CORAÇÃO EUCARÍSTICO E-MEC Nº 2009 08671 SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO EDUCAÇÃO FÍSICA (bacharelado) / CORAÇÃO EUCARÍSTICO E-MEC Nº 2009 08671 01 PERFIL DOS CURSOS O conhecimento científico/tecnológico e as transformações econômicas, educacionais,

Leia mais

LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA - FAPEPE

LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA - FAPEPE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA - FAPEPE APRESENTAÇÃO DO CURSO O curso de licenciatura em Educação Física da FAPEPE tem como objetivo formar profissionais que estejam aptos a atuarem no contexto escolar,

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO COLEGIADO CES

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO COLEGIADO CES MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO: Conselho Nacional de Educação / Câmara de Educação Superior ASSUNTO: Diretrizes Curriculares Nacionais dos Cursos de Engenharia RELATOR(A):

Leia mais

Reitoria EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES PARA MONITORIA DE ENSINO

Reitoria EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES PARA MONITORIA DE ENSINO 1 EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES PARA MONITORIA DE ENSINO EDITAL Nº 26/2015 Estarão abertas as inscrições para o preenchimento de vagas de Monitoria de Ensino, no período de 03 a 14.08.2015, na secretaria

Leia mais

FEDERAL ANEXO I MATRIZ ESPECÍFICA DE CORRELAÇÃO DO CONHECIMENTO

FEDERAL ANEXO I MATRIZ ESPECÍFICA DE CORRELAÇÃO DO CONHECIMENTO ANEXO I MATRIZ ESPECÍFICA DE CORRELAÇÃO DO CONHECIMENTO CARGO/ESPECIALIDADES Art. 378. Ao Consultor Legislativo, Especialidade Assessoramento Legislativo. ÁREAS DE INTERESSE DO SENADO FEDERAL Agronomia;

Leia mais

VESTIBULAR 2015 INFORMAÇÕES SOBRE OS CURSOS

VESTIBULAR 2015 INFORMAÇÕES SOBRE OS CURSOS VESTIBULAR 2015 SELEÇÃO PARA ENSINO PROFISSIONAL INTEGRADO AO ENSINO MÉDIO, EM REGIME INTEGRAL COM DURAÇÃO DE 3 ANOS, DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO TOCANTINS 2015 INFORMAÇÕES

Leia mais

Padrões de Qualidade para os Cursos de Graduação em Direito

Padrões de Qualidade para os Cursos de Graduação em Direito MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR COORDENAÇÃO DAS COMISSÕES DE ESPECIALISTAS DE ENSINO COMISSÃO DE ESPECIALISTAS DE ENSINO DE DIREITO APRESENTAÇÃO: Padrões de Qualidade para os Cursos

Leia mais

ENGENHARIA DA PRODUÇÃO 2.0

ENGENHARIA DA PRODUÇÃO 2.0 ENGENHARIA DA PRODUÇÃO 2.0 SOBRE O CURSO Mercados dinâmicos demandam profissionais com formação completa e abrangente, aptos a liderarem equipes multidisciplinares em empresas de todos os setores econômicos

Leia mais

VAGAS NO CAMPUS MARCO ZERO, EM MACAPÁ-AP

VAGAS NO CAMPUS MARCO ZERO, EM MACAPÁ-AP UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ GABINETE DA REITORIA EDITAL Nº 07/2013 CONCURSO PÚBLICO PARA PROFESSOR EFETIVO ANEXO I VAGAS POR ÁREA DE CONHECIMENTO VAGAS NO CAMPUS MARCO ZERO, EM MACAPÁ-AP 101-Área de

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR - CURSO DE AGRONOMIA (DIURNO)

MATRIZ CURRICULAR - CURSO DE AGRONOMIA (DIURNO) MATRIZ CURRICULAR - CURSO DE AGRONOMIA (DIURNO) Ingressantes a partir de 2015 1º SEMESTRE HORAS 2º SEMESTRE HORAS Introdução à Engenharia Agronômica 60 Metodologia Científica 60 Álgebra Linear 60 Desenho

Leia mais

VESTIBULAR 2015/1 INFORMAÇÕES SOBRE OS CURSOS

VESTIBULAR 2015/1 INFORMAÇÕES SOBRE OS CURSOS VESTIBULAR 2015/1 SELEÇÃO PARA CURSOS TECNICOS SUBSEQUENTES DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO TOCANTINS 2015/1 INFORMAÇÕES SOBRE OS CURSOS CURSO TÉCNICO EM AGRIMENSURA Aprovado

Leia mais

X (X-X): Total de Créditos (Carga Teórica semanal-carga Prática semanal)

X (X-X): Total de Créditos (Carga Teórica semanal-carga Prática semanal) Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro Curso: Engenharia Agrícola e Ambiental Matriz Curricular 1 Período IB 157 Introdução à Biologia 4 (2-2) IT 103 Técnicas Computacionais em Engenharia 4 (2-2)

Leia mais

ANEXO VI - DESCRIÇÃO SUMÁRIA DOS CARGOS

ANEXO VI - DESCRIÇÃO SUMÁRIA DOS CARGOS CARGO Administrador Analista de Tecnologia da Informação Assistente Social Bibliotecário- Documentarista Contador Engenheiro Civil Engenheiro Agrônomo DESCRIÇÃO DOS CARGOS Planejar, organizar, controlar

Leia mais

REESTRUTURAÇÃO CURRICULAR DA ENGENHARIA DE PRODUÇÃO MECÂNICA DA EESC - USP COM BASE NAS DIRETRIZES CURRICULARES PARA A ENGENHARIA

REESTRUTURAÇÃO CURRICULAR DA ENGENHARIA DE PRODUÇÃO MECÂNICA DA EESC - USP COM BASE NAS DIRETRIZES CURRICULARES PARA A ENGENHARIA REESTRUTURAÇÃO CURRICULAR DA ENGENHARIA DE PRODUÇÃO MECÂNICA DA EESC - USP COM BASE NAS DIRETRIZES CURRICULARES PARA A ENGENHARIA Fernando César Almada Santos Universidade de São Paulo - Escola de Engenharia

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Coordenadoria Geral de Pós-Graduação Lato Sensu

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Coordenadoria Geral de Pós-Graduação Lato Sensu PORTFÓLIO ESPECIALIZAÇÃO / MBA UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Sumário ÁREA: CIÊNCIAS DA SAÚDE... 2 CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO: PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL E DO TRABALHO... 2 ÁREA: COMUNICAÇÃO E LETRAS...

Leia mais

R E S O L U Ç Ã O. Artigo 2º - O Currículo, ora alterado, será implantado no início do ano 2000, para os matriculados no 1º semestre.

R E S O L U Ç Ã O. Artigo 2º - O Currículo, ora alterado, será implantado no início do ano 2000, para os matriculados no 1º semestre. RESOLUÇÃO CONSEPE 30/99 ALTERA O PLANO CURRICULAR E O REGIME DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO, DO CÂMPUS DE BRAGANÇA PAULISTA. O Presidente do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão - CONSEPE, no uso da atribuição

Leia mais

DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE BACHARELADO E LICENCIATURA DA UTFPR

DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE BACHARELADO E LICENCIATURA DA UTFPR Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Pró-Reitoria de Graduação e Educação Profissional DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE BACHARELADO E LICENCIATURA DA UTFPR Resolução

Leia mais

ANEXO I QUADRO DAS ÁREAS DE ESTUDO. Lotação 01 MARACANAÚ 01 MARACANAÚ 01 MARACANAÚ 01 MARACANAÚ 01 MARACANAÚ 01 MARACANAÚ

ANEXO I QUADRO DAS ÁREAS DE ESTUDO. Lotação 01 MARACANAÚ 01 MARACANAÚ 01 MARACANAÚ 01 MARACANAÚ 01 MARACANAÚ 01 MARACANAÚ Código/Área de Estudo. Desenho Técnico, Desenho Assistido por Computador (CAD), Informática 02. Materiais para Construção Mecânica, Corrosão e Tribologia 03. Termodinâmica, Refrigeração, Transferência

Leia mais

Lista de Quadros. Fundação Uniplac

Lista de Quadros. Fundação Uniplac Lista de Quadros Quadro 1 Dirigente dafundaçãouniplac... 22 Quadro 2 Matérias apreciadas no Conselho Curador... 23 Quadro 3 Nominata do Conselho Curador... 23 Quadro 4 Matérias apreciadas no Conselho de

Leia mais

FACULDADE DE INTEGRAÇÃO DO SERTÃO FIS

FACULDADE DE INTEGRAÇÃO DO SERTÃO FIS FACULDADE DE INTEGRAÇÃO DO SERTÃO FIS Portaria MEC nº 1.931, de dezembro de 2006, publicada no DOU de 08 de Dezembro de 2006. Rua João Luiz de Melo, 2110. Bairro Tancredo Neves. CEP. 56909-205. Serra Talhada/PE/Brasil.

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP Diretoria de Avaliação da Educação Superior - DAES SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR

Leia mais

ESCRITÓRIO MODELO DA FACULDADE DO GUARUJÁ.

ESCRITÓRIO MODELO DA FACULDADE DO GUARUJÁ. ESCRITÓRIO MODELO DA FACULDADE DO GUARUJÁ. Prof. Marat Guedes Barreiros Agosto/2013 Introdução É notória nos dias de hoje a dificuldade dos alunos egressos das Faculdades em obter emprego nas empresas

Leia mais

SISTEMA CONTINUADO DE AVALIAÇÃO DOCENTE DA UniEVANGÉLICA CRONOGRAMA ATENÇÃO!!!

SISTEMA CONTINUADO DE AVALIAÇÃO DOCENTE DA UniEVANGÉLICA CRONOGRAMA ATENÇÃO!!! SISTEMA CONTINUADO DE AVALIAÇÃO DOCENTE DA UniEVANGÉLICA PROCESSO PARA O SEMESTRE LETIVO 2014/2 CRONOGRAMA 02 a 20 de junho de 2014 Inscrições 26 a 28 de junho de 2014 Aula teste e entrevista ATENÇÃO!!!

Leia mais

ARQUITETURA E URBANISMO

ARQUITETURA E URBANISMO ARQUITETURA E URBANISMO Nome IES: UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC 1 CURSO: ARQUITETURA Dados de identificação da Universidade de Cuiabá - UNIC Dirigente da Mantenedora Presidente: Ed. Rodrigo Calvo Galindo

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ REITORIA BIBLIOTECA UNIVERSITÁRIA RELAÇÃO DE CURSOS ATENDIDOS PELO SISTEMA DE BIBLIOTECAS DA UFC

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ REITORIA BIBLIOTECA UNIVERSITÁRIA RELAÇÃO DE CURSOS ATENDIDOS PELO SISTEMA DE BIBLIOTECAS DA UFC UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ REITORIA BIBLIOTECA UNIVERSITÁRIA RELAÇÃO DE CURSOS ATENDIDOS PELO SISTEMA DE BIBLIOTECAS DA UFC Biblioteca Curso de Graduação Curso de Pós-Graduação Biblioteca de Ciências

Leia mais

ANEXO I - DOS CARGOS, DA FORMAÇÃO E DA HABILITAÇÃO

ANEXO I - DOS CARGOS, DA FORMAÇÃO E DA HABILITAÇÃO ANEXO I - DOS CARGOS, DA FORMAÇÃO E DA HABILITAÇÃO Administração/Logística Psicologia das Relações Humanas; Liderança e Gestão de Equipes; Professor de Psicologia Doutorado em Psicologia Enfermagem Segurança

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN DE MODA

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN DE MODA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN DE MODA Nome IES: UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC 1 Curso Superior em Tecnologia em Design de Moda Dados de identificação da Universidade de Cuiabá - UNIC Dirigente

Leia mais

Universidade. Estácio de Sá. Humanas

Universidade. Estácio de Sá. Humanas Universidade Estácio de Sá Humanas A Estácio Hoje reconhecida como a maior instituição particular de ensino superior do país, a Universidade Estácio de Sá iniciou suas atividades em 1970, como Faculdades

Leia mais

ANEXO 1 PERFIS DE PROFESSOR

ANEXO 1 PERFIS DE PROFESSOR ANEXO 1 PERFIS DE PROFESSOR EDITAL 162/2013 Curso Sem. Disciplina Perfil do Docente Administração 1º Teoria Geral da Administração Administração 1º Empreendedorismo Administração 1º Sociologia das Organizações

Leia mais

EXTRA. O Manual do Processo Seletivo 2011/1 EXTRA facilita o seu acesso a importantes informações sobre o vestibular.

EXTRA. O Manual do Processo Seletivo 2011/1 EXTRA facilita o seu acesso a importantes informações sobre o vestibular. EXTRA O Manual do Processo Seletivo 2011/1 EXTRA facilita o seu acesso a importantes informações sobre o vestibular. Rotina de inscrição: Efetue o pagamento da taxa de inscrição conforme orientação do

Leia mais

negócios agroindustriais

negócios agroindustriais graduação administração linha de formação específica negócios agroindustriais Características gerais A Linha de Formação Específica de Negócios Agroindustriais da Univates visa ao desenvolvimento de competências

Leia mais

TOTAL DE VAGAS FURB 957

TOTAL DE VAGAS FURB 957 ANEXO I QUADRO DE CURSOS E VAGAS Universidade Regional de Blumenau - FURB FURB Campus Blumenau ADMINISTRAÇÃO Noturno 60 ARQUITETURA E URBANISMO Matutino 30 BIOMEDICINA Noturno 25 CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO

Leia mais

PROCESSO SELETIVO DE DOCENTES 2013/2

PROCESSO SELETIVO DE DOCENTES 2013/2 PROCESSO SELETIVO DE DOCENTES 23/2 QUADRO DE VAGAS ANÁPOLIS CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO ANÁPOLIS História, Teoria e Crítica da Arquitetura e do Urbanismo IV (3 h/a) 4º História, Teoria e Crítica da

Leia mais

Curso Tecnólogo em Gestão da Tecnologia da Informação - 2013 -

Curso Tecnólogo em Gestão da Tecnologia da Informação - 2013 - Curso Tecnólogo em Gestão da Tecnologia da Informação - 2013 - O Curso Tecnólogo em Gestão da Tecnologia da Informação é um curso da área de informática e tem seu desenho curricular estruturado por competências

Leia mais

Curso de MBA. Especialização em GESTÃO SUSTENTÁVEL DO AGRONEGÓCIO (COM ÊNFASE NO NOVO CÓDIGO FLORESTAL BRASILEIRO)

Curso de MBA. Especialização em GESTÃO SUSTENTÁVEL DO AGRONEGÓCIO (COM ÊNFASE NO NOVO CÓDIGO FLORESTAL BRASILEIRO) Curso de MBA Especialização em GESTÃO SUSTENTÁVEL DO AGRONEGÓCIO (COM ÊNFASE NO NOVO CÓDIGO FLORESTAL BRASILEIRO) 1 2 SUMÁRIO 4. FORMATO. 5. CONCEPÇÃO. 7. OBJETIVO. 7. PÚBLICO ALVO. 8. DIFERENCIAIS INOVADORES

Leia mais

EDITAL Nº024/2014. 1.1 O Processo Seletivo Interno será realizado para seleção de docentes para as disciplinas que seguem:

EDITAL Nº024/2014. 1.1 O Processo Seletivo Interno será realizado para seleção de docentes para as disciplinas que seguem: 1 EDITAL Nº024/2014 Dispõe sobre processo de SELEÇÃO INTERNA de docentes para lecionarem no ano letivo de 2014, nas Escolas Técnicas Agrícolas mantidas pela Fundação Educacional Barriga Verde - FEBAVE.

Leia mais

BACHARELADO. Administração. Ciências Contábeis. Ciências Econômicas. Serviço Social. Ciências Sociais. Objetivos. Objetivos. Objetivos.

BACHARELADO. Administração. Ciências Contábeis. Ciências Econômicas. Serviço Social. Ciências Sociais. Objetivos. Objetivos. Objetivos. BACHARELADO Administração O curso de Administração tem como objetivo formar profissionais que poderão atuar como executivos, técnicos em funções administrativas e/ou empreendedores, com capacidade de alinhar

Leia mais

O CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

O CURSO DE ADMINISTRAÇÃO O CURSO DE ADMINISTRAÇÃO IDENTIFICAÇÃO DO CURSO 1. Missão Capacitar Administradores, propiciando uma base técnico-científica que lhes permita um aprendizado hábil a absorver, processar e adequar informações

Leia mais

ASSISTENTE DE PLANEJAMENTO E CONTROLE DE PRODUÇÃO

ASSISTENTE DE PLANEJAMENTO E CONTROLE DE PRODUÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL CÂMPUS CANOAS PROJETO PEDAGÓGICO CURSO FIC PRONATEC Canoas

Leia mais

FACULDADE PASCHOAL DANTAS

FACULDADE PASCHOAL DANTAS FACULDADE PASCHOAL DANTAS PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO ÊNFASE GESTÃO DE PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SÃO PAULO - SP NOVEMBRO DE 2008 ÍNDICE 1. Visão e Missão da FPD...3 2. ORGANIZAÇÃO

Leia mais

CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO

CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO 2015 APRESENTAÇÃO A tem a satisfação de apresentar o seu novo portfólio de cursos de especialização. Agora você poderá continuar sua formação profissional, ampliar as possibilidades

Leia mais

PONTOS FRACOS E PONTOS FORTES E PROPOSTA PARA SOLUCIONAR E/OU MINIMIZAR

PONTOS FRACOS E PONTOS FORTES E PROPOSTA PARA SOLUCIONAR E/OU MINIMIZAR PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO COORDENADORIA DE ACOMPANHAMENTO E AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL SÍNTESE DE RELATORIO DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL E DE AVALIAÇÃO EXTERNA PONTOS FRACOS E PONTOS FORTES E PROPOSTA

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO (*) CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO (*) CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO (*) CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO CNE/CES Nº 5, DE 7 DE NOVEMBRO DE 2001. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Nutrição. O Presidente

Leia mais

Missão. - Estimular a capacidade de análise dos problemas que se apresentam no campo da Saúde Pública e Privada;

Missão. - Estimular a capacidade de análise dos problemas que se apresentam no campo da Saúde Pública e Privada; CURSO: Farmácia Missão O curso tem como missão formar profissionais farmacêuticos capazes de exercer atividades referentes aos fármacos e aos medicamentos, às análises clínicas e toxicológicas, ao controle,

Leia mais

ANEXO I DESCRIÇÃO SUMÁRIA DAS ATIVIDADES NÍVEL INTERMEDIÁRIO D DENOMINAÇÃO DO CARGO: TÉCNICO DE LABORATÓRIO /ÁREA

ANEXO I DESCRIÇÃO SUMÁRIA DAS ATIVIDADES NÍVEL INTERMEDIÁRIO D DENOMINAÇÃO DO CARGO: TÉCNICO DE LABORATÓRIO /ÁREA ANEXO I DESCRIÇÃO SUMÁRIA DAS ATIVIDADES NÍVEL INTERMEDIÁRIO D DENOMINAÇÃO DO CARGO: ASSISTENTE EM ADMINISTRAÇÃO Dar suporte administrativo e técnico nas áreas de recursos humanos, administração, finanças

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR CIÊNCIAS E TECNOLOGIA ALBERTO CHIPANDE Sede Beira, Rua: Correia do Brito, N º 1298, Ponta-Gêa / Telefax N º 843360480

INSTITUTO SUPERIOR CIÊNCIAS E TECNOLOGIA ALBERTO CHIPANDE Sede Beira, Rua: Correia do Brito, N º 1298, Ponta-Gêa / Telefax N º 843360480 INSTITUTO SUPERIOR CIÊNCIAS E TECNOLOGIA ALBERTO CHIPANDE Sede, Rua: Correia do Brito, N º 1298, Ponta-Gêa / Telefax N º 843360480 Direcção Académica EDITAL 2015 O Instituto Superior de Ciências e Tecnologia

Leia mais

Comissão avalia qualidade de ensino da FABE

Comissão avalia qualidade de ensino da FABE CPA / PESQUISA Comissão avalia qualidade de ensino da FABE Avaliação positiva: A forma de abordagem dos objetivos gerais dos cursos também foi bem avaliada e a qualidade do corpo docente continua em alta.

Leia mais

O papel do engenheiro agrônomo no desenvolvimento das plantas medicinais

O papel do engenheiro agrônomo no desenvolvimento das plantas medicinais O papel do engenheiro agrônomo no desenvolvimento das plantas medicinais Alexandre Sylvio Vieira da Costa 1 1.Engenheiro Agrônomo. Professor Universidade Vale do Rio Doce/Coordenador Adjunto da Câmara

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO COLEGIADO: CES

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO COLEGIADO: CES MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO: Secretaria de Educação Superior/ Câmara de Educação UF: DF Superior ASSUNTO: Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em

Leia mais

HORÁRIO DE PROVAS 3º BIMESTRE

HORÁRIO DE PROVAS 3º BIMESTRE CURSO DE PEDAGOGIA Gestão Escolar e Organização do Trabalho Pedagógico I 23.09.13 19horas Fundamentos da Língua Portuguesa: Leitura e Produção de 23.09.13 21horas Textos Psicologia da Educação I 24.09.13

Leia mais

Presidência da República Federativa do Brasil Ministério da Educação Secretaria Executiva Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais

Presidência da República Federativa do Brasil Ministério da Educação Secretaria Executiva Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Presidência da República Federativa do Brasil Ministério da Educação Secretaria Executiva Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP Diretoria de Avaliação da Educação

Leia mais

FEFUC - FOLDER EXPLICATIVO DE FUNCIONAMENTO DE CURSOS CURSO DE FARMÁCIA 1ª LINHA CONCEITUAL: CARACTERIZAÇÃO DO PROFISSIONAL DE FARMÁCIA

FEFUC - FOLDER EXPLICATIVO DE FUNCIONAMENTO DE CURSOS CURSO DE FARMÁCIA 1ª LINHA CONCEITUAL: CARACTERIZAÇÃO DO PROFISSIONAL DE FARMÁCIA 1 FEFUC - FOLDER EXPLICATIVO DE FUNCIONAMENTO DE CURSOS CURSO DE FARMÁCIA 1ª LINHA CONCEITUAL: CARACTERIZAÇÃO DO PROFISSIONAL DE FARMÁCIA O PROFISSIONAL FARMACÊUTICO O Farmacêutico é um profissional da

Leia mais

O Curso de Engenharia Elétrica da Faculdade de Engenharia /Unesp/Bauru

O Curso de Engenharia Elétrica da Faculdade de Engenharia /Unesp/Bauru O Curso de Engenharia Elétrica da Faculdade de Engenharia /Unesp/Bauru Projeto Pedagógico e Estrutura Curricular Missão do Curso de Engenharia Elétrica da FE/Unesp/Bauru A formação continuada de Engenheiros

Leia mais

RESOLUÇÃO. Artigo 2º - O Currículo, ora alterado, será implantado no 2º semestre letivo de 2001 para os alunos matriculados no 4º semestre.

RESOLUÇÃO. Artigo 2º - O Currículo, ora alterado, será implantado no 2º semestre letivo de 2001 para os alunos matriculados no 4º semestre. RESOLUÇÃO CONSEPE 38/2001 ALTERA O CURRÍCULO DO CURSO DE ENFERMAGEM, REGIME SERIADO SEMESTRAL, DO CÂMPUS DE BRAGANÇA PAULISTA. O Presidente do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão - CONSEPE, no uso

Leia mais

Portaria Inep nº 249, de 02 de junho de 2014. Publicada no Diário Oficial da União em 04 de junho de 2014.

Portaria Inep nº 249, de 02 de junho de 2014. Publicada no Diário Oficial da União em 04 de junho de 2014. Portaria Inep nº 249, de 02 de junho de 2014. Publicada no Diário Oficial da União em 04 de junho de 2014. O Presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep),

Leia mais

ATO NORMATIVO n.º 007, de 13 de junho de 2013.

ATO NORMATIVO n.º 007, de 13 de junho de 2013. ATO NORMATIVO n.º 007, de 13 de junho de 2013. Divulga REVOGAÇÃO de quadros de disciplinas do Ato Normativo nº 006/2013, de 10 de junho de 2013, sobre processo de seleção de professores para ministrar

Leia mais