ADMINISTRAÇÃO DE CARGOS E SALÁRIOS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ADMINISTRAÇÃO DE CARGOS E SALÁRIOS"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE CÂNDIDO MENDES PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO DIRETORIA DE PROJETOS ESPECIAIS PROJETO A VEZ DO MESTRE PÓS-GRADUAÇÃO LATU SENSU REENGENHARIA E GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS ADMINISTRAÇÃO DE CARGOS E SALÁRIOS FABIANA VAZ SOARES RIO DE JANEIRO, DEZEMBRO DE 2001.

2 UNIVERSIDADE CÂNDIDO MENDES PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO DIRETORIA DE PROJETOS ESPECIAIS PROJETO A VEZ DO MESTRE PÓS-GRADUAÇÃO LATU SENSU REENGENHARIA E GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS ADMINISTRAÇÃO DE CARGOS E SALÁRIOS FABIANA VAZ SOARES Projeto apresentado à Universidade Cândido Mendes como requisito parcial à obtenção do título de Especialista em Reengenharia e Gestão de Recursos Humanos, sob a orientação da Professora Maria Esther de Araújo Oliveira. RIO DE JANEIRO, DEZEMBRO DE 2001.

3

4 DEDICATÓRIA Dedico este trabalho à minha família pelas atitudes de força e compreensão para que nunca desistisse de meus objetivos e àqueles que nos transmitiram seus conhecimentos e experiências profissionais e de vida com dedicação e carinho.

5 AGRADECIMENTOS Agradeço à Deus por me dar forças a cada dia que passa, ao meu namorado e aos amigos que de alguma forma contribuíram para que eu subisse mais um degrau nesta escola chamada vida.

6 SUMÁRIO Resumo... 6 Introdução... 7 Capítulo I Introdução à Administração de Cargos e Salários Salário e Motivação Planejamento para a Implantação... 9 Capítulo II Análise de Cargos Etapas da Análise de Cargos Subsídios para Análise de Cargos em atividades de Recursos Humanos Descrição de Cargos Titulação de Cargos Classificação de Cargos Catálogo de Cargos Capítulo III Pesquisa Salarial Fases para a elaboração da Pesquisa Salarial Seleção dos Cargos a serem pesquisados Seleção das empresas participantes Estrutura e Política Salarial Conclusão Bibliografia... 25

7 RESUMO Este estudo tem como objetivo fornecer informações essenciais no processo de Administração de Cargos e Salários que passou por mudanças significativas, tornando-se de fácil entendimento entre os funcionários da área de Recursos Humanos. Atualmente, com as mudanças marcantes, é necessário que as empresas se modifiquem, é preciso torná-las competitivas, e para conseguir competitividade, flexibilidade, qualidade e produtividade, o respeito aos funcionários é de fundamental importância. Os desafios impostos às empresas são na realidade impostos às pessoas. Cargos e Salários sempre ocuparam um espaço importante nas discussões empresariais, e é muito bom que o mesmo esteja nas discussões e principalmente, que através delas sejam encontradas alternativas condizentes, com a maior participação dos empregados nos sucessos das empresas.

8 INTRODUÇÃO Muito se discute sobre o tema Administração de Cargos e Salários que passa por mudanças significativas na forma de aplicação dos conceitos nas organizações. O mundo empresarial mudou rápida e radicalmente. A mudança foi tamanha que tudo que era usual está hoje sendo questionado, inclusive se as técnicas tradicionais devem ser abandonadas ou se continuam sendo válidas em nossos tempos. Segundo Benedito Rodrigues Pontes para que possamos responder a essa questão, de forma mais aprimorada, devemos antes de tudo verificar o que mudou e quais são as necessidades atuais das empresas. Verificando isso, teremos de analisar se podemos aplicar as técnicas de Administração de Cargos e Salários de forma evoluída, condizente com os novos tempos. Com o passar dos anos o homem passou a ter importância relevante, e a sua participação e contribuição tornaram-se vitais para as organizações. O tema Cargos e Salários trilhavam pelo mesmo caminho. Os planos eram guardados em sigilo absoluto e poucas pessoas podiam ter acesso às estruturas de cargos, aos métodos de avaliação e, principalmente, às estruturas salariais. Diante dessas posturas, poucos entendiam o processo. O Sistema de Administração de Cargos e Salários pode ser dividido em três segmentos para seu melhor entendimento: Introdução, Análise de Cargos, e Pesquisa Salarial. Para que o sistema funcione harmoniosamente é necessário que estes três segmentos possam inter-relacionar e se fundir, como se fossem uma única parte.

9 1- INTRODUÇÃO À ADMINISTRAÇÃO DE CARGOS E SALÁRIOS 1.1 Salário e Motivação Uma das questões mais polêmicas referentes a salários é se este funciona como um fator de motivação para os funcionários. O salário é uma demonstração objetiva do quanto à empresa valoriza o trabalho de seu funcionário. Associado ao plano de carreiras, se bem administrado pelo Departamento de Recursos Humanos da empresa, ele pode vir a ser não propriamente um fator de motivação, mas um fator que servirá de base aos fatores motivadores ligados ao cargo ocupado. Segundo a teoria de Herzberg, poderemos compreender melhor o papel do salário, que está ligado à satisfação das necessidades humanas. Herzberg divide os fatores em higiênicos e motivadores, sendo que os higiênicos abrangem todos os benefícios oferecidos pela empresa, tais como: ambiente de trabalho, relacionamento com os superiores, benefícios sociais e salário, já os fatores motivadores, estão relacionados com o cargo ocupado pelo empregado, e abrangem o trabalho adequadamente realizado, responsabilidade exigida, reconhecimento e progresso profissional. Portanto, de acordo com a teoria de Herzberg podemos mostrar que o salário não é fator de motivação quando analisado isoladamente. A troca fria de produção por salário não gera satisfação ao empregado; é apenas a recompensa justa pelo seu trabalho. Porém, se analisarmos os fatores considerados como motivadores sem levarmos em conta a contrapartida salarial, estes perderão sua força de satisfazer necessidades, pois é muito importante para o funcionário que a relação entre esses elementos seja mantida. O salário vem fortalecer os aspectos motivadores que o empregado encontra na empresa para melhorar seu desempenho.

10 1.2 Planejamento para a Implantação A empresa deve ver o salário como função agregada de motivação e procurar utilizá-lo como um instrumento a mais na compatibilização dos objetivos organizacionais e pessoais. Para que possa existir ambiente motivador no seio da organização, pessoas integradas e produtivas, são necessários planos adequados de Recursos Humanos e o plano básico é, sem dúvida, o de cargos e salários, porque sem ele dificilmente os demais planos de desenvolvimento funcionam. A organização da área de Administração de Salários na empresa é muito importante, principalmente visando com que a política salarial da empresa seja implantada de maneira mais eficiente possível. Dentro das organizações é de fundamental importância cuidar do equilíbrio salarial interno, oferecer oportunidades de crescimento profissional e repensar a forma de remuneração. Existem várias alternativas para isso, que ultrapassam as questões centrais de política clássica de gestão de cargos e salários, a implantação de um plano que propicie carreira profissional e de uma política séria de participação nos lucros ou resultados, além de benefícios diferenciados. A preocupação central da Administração de Cargos e Salários é a manutenção do equilíbrio interno e externo. O equilíbrio interno é conseguido pela correta avaliação dos cargos, de forma a manter uma hierarquia. Muitas vezes a insatisfação com a remuneração advém da diferença de remuneração entre cargos e pessoas. O equilíbrio externo é conseguido através da adequação salarial da organização diante do mercado de trabalho e quando o mesmo não é mantido, a empresa tem dificuldades em conservar seus talentos profissionais.

11 2- SISTEMAS DE ANÁLISE DE CARGOS A eficiência de um sistema de avaliação de cargos e administração de salários repousam no desenvolvimento aprimorado da descrição e especificação de cargos. As descrições e especificações de cargos fornecem o alicerce para a avaliação dos cargos, da qual resultará a fixação de salários internamente coerentes. Definimos como função o agregado de tarefas atribuídas a cada individuo na organização. Isto implica que numa organização existem tantas funções quanto for o número de colaboradores. Cargo foi definido como o agregado de funções idênticas quanto à natureza das tarefas executadas e especificações exigidas, o que nos leva a considerar que numa empresa existe um número muito menor de cargos em relação ao número de funções. Por exemplo, Auxiliares administrativos executando atividades de natureza similar e com pré-requisitos parecidos de seus ocupantes devem formar um único cargo. A especificação do cargo é dividida em quatro grandes áreas: - Área Mental - Determina os conhecimentos teóricos ou práticos necessários para que o ocupante do cargo desempenhe adequadamente as suas funções. - Área de Responsabilidades Determina as exigências impostas ao ocupante do cargo para impedir danos à produção, ao patrimônio e à imagem da empresa. - Área Física - Determina os desgastes físicos impostos ao ocupante do cargo em decorrência de tensões, movimentos, posições assumidas, etc. - Área de Condições de Trabalho - Determina o ambiente onde é desenvolvido o trabalho e os riscos a que está submetido o ocupante do cargo.

12 Cargos: Mostramos as definições dos Principais termos empregados na Análise de FUNÇÃO - É o agregado de tarefas atribuídas a cada indivíduo na organização, por exemplo, serviços de secretaria da área comercial, serviços de secretaria da área de marketing. CARGO - É o conjunto de funções substancialmente idênticas quanto à natureza das tarefas executadas e às especificações exigidas do seu ocupante. Da análise resulta a descrição e a especificação do cargo. ANÁLISE DE CARGO - É o estudo que se faz para coligir informações sobre as tarefas componentes do cargo e as especificações exigidas do seu ocupante. Da análise resulta a descrição e a especificação do cargo. DESCRIÇÃO DE CARGO - É o relato das tarefas descritas de forma organizada. ESPECIFICAÇÃO DE CARGO - É o relato dos requisitos, responsabilidades e incômodos impostos aos ocupantes do cargo. GRUPO OCUPACIONAL - É o conjunto de cargos que se assemelham quanto á natureza do trabalho. Os grupos ocupacionais são os seguintes: Grupo Ocupacional Gerencial - Abrange os cargos de gerentes, diretores, etc. Grupo Ocupacional de Profissionais de Nível Superior abrange os cargos de engenheiro, economista, advogado, administrador, etc. Grupo Ocupacional de Técnicos de Nível Médio Abrange os cargos de desenhista, laboratorista, inspetor, supervisores técnicos, etc.

13 Grupo Ocupacional Administrativo Abrange os cargos de recepcionista, auxiliares, analistas, supervisores administrativos, etc. Grupo Ocupacional Operacional - Abrange os cargos de pedreiro, operador, mecânico, supervisores operacionais, etc. Os fatores servem para mensurar, isoladamente, as diferenças entre os cargos. Apresentamos abaixo um resumo da especificação do cargo. Os fatores de análise são, geralmente, diferentes em cada grupo ocupacional. Por exemplo, o fator condições de trabalho é muito importante no grupo ocupacional operacional, não sendo importante no grupo ocupacional administrativo. Um fator é incluído para estudo de um grupo ocupacional quando, através dele, torna-se possível sentir as diferenças entre os cargos desse grupo. Assim, se dentro de um grupo ocupacional, por exemplo, operacional, o fator risco especificar o mesmo grau a todos os cargos, esse fator não deve ser incluído para análise.

14 No quadro a seguir, mostramos os fatores mais comumentes utilizados na Análise de Cargos por Grupos Ocupacionais: GRUPOS OCUPACIONAIS ÁREAS/ FATORES Operacional Administrativo Técnicos de nível médio Profissionais de nível Superior Gerencial MENTAL Instrução Conhecimento Especialização Experiência Complexidade das tarefas Iniciativa FÍSICA Esforço Físico Posições assumidas Habilidade manual Concentração mental/ visual Monotonia RESPONSABILIDADE Por material ou produto Por ferramentas e equipamentos Por erros Por valores (dinheiro, títulos e documentos) Por contatos Pela segurança de outros Por subordinados Por decisões Por dados confidenciais CON. TRAB. Ambiente de trabalho Riscos

15 Os grupos ocupacionais servem para classificar os cargos e administra-los diferentemente. Não há nenhuma rigidez para essa classificação de cargos, e o número de grupos depende do porte da organização e de sua área de atuação. Existem organizações que classificam em um único grupo ocupacional os gerentes, técnicos de nível médio, profissionais de nível superior e administrativo. É comum encontrarmos pelo menos três grupos ocupacionais, como segue: Grupo Ocupacional Operacional, Grupo Ocupacional Técnico de Nível Médio, Administrativo, Profissionais de Nível Superior e Grupo ocupacional Gerencial. 2.1 Etapas da Análise de Cargos A análise de cargos pressupõe certos passos, ou seja, fases específicas de trabalho, conforme apresentado abaixo. Uma vez concluído o trabalho, o produto resultante é o catálogo de cargos. COLETA DE DESCRIÇÃO E DADOS ESPECIFICAÇÃO DE CARGOS Escolha da técnica de coleta de dados Coleta de dados Junção das funções de mesma natureza e especificação para formação dos cargos Redação da descrição dos cargos Redação da especificação dos cargos Classificação dos cargos conforme grupos ocupacionais Da organização Catálogo de cargos 2.2 Subsídios para Análise de Cargos em Atividades de Recursos Humanos

16 A análise de cargos é demorada e trabalhosa; no entanto o catálogo de cargos não servirá apenas à administração de salários, mas também a uma série de atividades da área de Recursos Humanos como podemos observar: Avaliação de Cargos Pesquisa Salarial Classificação dos Cargos em Grupos Ocupacionais Enquadramento do Pessoal nos Cargos Administração dos Salários Avaliação do Desempenho do Ocupante do Cargo Contestações em Reclamações Trabalhistas Treinamento e Desenvolvimento de Pessoal Recrutamento e Seleção de Pessoal Segurança no Trabalho Pesquisa de Hiatos e Sobreposição de Tarefas Elaboração de Carreiras Profissionais 2. 3 Descrição de cargos A descrição de Cargos deve ser elaborada com base nos dados levantados dos cargos, questionário e/ou entrevista, de forma organizada e padronizada. A descrição deve ser elaborada de forma simples e clara para que alguém que não conheça determinado cargo possa compreendê-lo. Os detalhes devem ser descritos para evitar dúvidas e os que não contribuam para sua compreensão devem ser eliminados. A descrição e a especificação referem-se ao cargo e não ao ocupante deste. Portanto, devem ser descritas as tarefas e especificados os requisitos exigidos pelo cargo e não o que o eventual ocupante sabe fazer. Dessa forma, se o ocupante de um cargo sabe um idioma estrangeiro, mas o cargo não exige tal

17 conhecimento, essa informação não deve fazer parte da descrição e especificação do cargo. (ANEO 1) 2.4 Titulação de Cargos O título a ser atribuído a um cargo deve espelhar as tarefas desse cargo, preferencialmente o título deve ser universal, isto é, aquele utilizado pela maioria das empresas. Nas denominações de cargos de uma mesma família, deve-se utilizar títulos para diferenciá-los como pleno, master, sênior, como no exemplo: Analista de Cargos Júnior Analista de Cargos Pleno Analista de Cargos Sênior 2.5 Classificação dos cargos Estando todos os cargos descritos, especificados e titulados, é o momento da classificação dos cargos por grupos ocupacionais. A classificação é necessária, tendo presente que as demais fases da elaboração do plano de cargos e salários é diferenciada para cada grupo ocupacional. 2.6 Catálogo de Cargos A última etapa da análise é a reunião de volumes das descrições e especificações dos cargos, a qual denominamos catálogo de cargos.

18 Denominamos de Catálogo de Cargos à reunião das descrições e especificações dos cargos. Esta fase representa a última etapa da análise de cargos é a reunião em volumes das descrições e especificações dos cargos. Cada volume pode representar um grupo. (ANEO 2) 3- PESQUISA SALARIAL Pesquisa salarial é o estudo do comportamento salarial praticado em certo setor empresarial. A pesquisa salarial não difere das demais pesquisas e,

19 portanto, deve conter as fases de coleta, tratamento estatístico e análise de dados, para propiciar tomadas de decisões. Dessa forma, através da pesquisa salarial, podemos conhecer os salários praticados por outras companhias, bem como a reação do mercado à política salarial imposta pelo Governo. A pesquisa salarial fornece elementos importantes para a determinação de critérios da política salarial a ser praticada pela empresa. É através da pesquisa salarial que alcançamos o equilíbrio externo, uma vez que pelos dados obtidos é construída a faixa salarial da empresa. A pesquisa salarial também fornece dados para a ponderação de manual de avaliação de cargos pelo método de pontos quando da implantação do programa de administração de cargos e salários. Normalmente, a pesquisa salarial é elaborada no momento da implantação do Plano de Cargos e Salários e, posteriormente, realizada uma vez por ano, para acompanhamento dos salários no mercado de trabalho. 3.1 Fases para a Elaboração da Pesquisa Salarial Para a elaboração da Pesquisa Salarial, devem ser seguidas as seguintes fases: Seleção de cargos a serem pesquisados. Seleção das empresas participantes. Preparação do manual de coleta de dados. Coleta de dados Tabulação dos dados. Análise do resultado e recomendações. Relatório aos participantes. 3.2 Seleção dos Cargos a serem pesquisados A primeira decisão a ser tomada é quanto ao número de cargos a ser incluído na pesquisa, que não deve ser excessivo; deve ser inferior a cinqüenta; no

20 entanto, quando se tratar de uma pesquisa geral, que envolva todos os planos da companhia (operacional, administrativo e executivo), esse número poderá ser maior. Os cargos devem ser representativos, tanto interna quanto externamente. Devem ser específicos, para evitar dúvidas sobre o seu conteúdo, e não incluir grande variedade de tarefas. São os cargos universais, como secretária, digitador, analista de treinamento, mecânico, etc. Devem ser escolhidos cargos de todas as classes salariais. Assim, se a empresa possui um único plano para pessoal administrativo e gerencial, na pesquisa devem ser incluídos cargos das classes mais baixas (contínuos, auxiliares, etc.), cargos das classes intermediárias (analistas) e das classes superiores (gerentes). Representamos abaixo os critérios para seleção dos cargos: Número Não Excessivo Representativos interna e externamente SELEÇÃO DOS CARGOS Universais Específicos Representativos de todas as classes da estrutura salarial Que não apresentam grande variedade de tarefas 3.3 Seleção da Empresas Participantes Este é um dos pontos importantes da pesquisa, uma vez que as empresa a serem convidadas formarão o universo de abrangência do mercado.

21 O objetivo é saber, com uma pesquisa salarial, qual a remuneração praticada no mercado de trabalho, para os cargos pesquisados. O conceito de mercado, é amplo, pois considera a remuneração oferecida por todas as empresas para aqueles cargos. Portanto não seria possível, pesquisar todas as demais companhias. As empresas que vão participar de uma pesquisa salarial não podem ser escolhidas aleatoriamente. O numero de participantes deve ser definido antecipadamente. Devem ser escolhidas empresas do mesmo porte da Companhia pesquisadora. O porte das empresas pode ser mensurado pelo faturamento anual ou número de empregados. Devem ser escolhidas, também, empresas concorrentes ou aquelas que empregam o mesmo tipo de profissionais que a empresa pesquisadora. 3.4 Estrutura e Política Salarial Realizada a pesquisa salarial e a avaliação dos cargos, chega-se à fase da elaboração da estrutura salarial, que tem como objetivo identificar os salários de acordo com os cargos determinados. A estrutura salarial é a organização de uma progressão salarial em função da crescente valorização dos cargos, resultante do processo de avaliação. Para que a administração de salários se efetive, é necessário o estabelecimento segundo os critérios dos instrumentos da promoção, para que através deles possa ser avaliado o progresso do funcionário. A promoção horizontal ou aumento por mérito é a passagem do colaborador para um nível superior de salário dentro do mesmo cargo e grau, decorrente de destacado desempenho de suas tarefas e aumento da experiência. Em geral, a promoção horizontal obedece ao prazo mínimo de um ano entre um aumento e outro. As empresas destinam uma verba em seus orçamentos para atender aos aumentos decorrentes da promoção horizontal. A promoção vertical ou aumento por promoção é a passagem do colaborador de um cargo para outro, classificado em grau superior. Em geral a

22 promoção vertical obedece ao prazo mínimo de seis meses de permanência do funcionário no cargo inicial. CONCLUSÃO Pela observação dos aspectos analisados, conclui-se que o tema é um dos mais polêmicos e principais na Administração de Recursos Humanos e que com o passar dos anos sofreu várias mudanças, tendo as empresas que acompanhálas.

23 Vimos que o sistema dividido em três partes: introdução à administração de cargos e salários; sistemas de análise de cargos e Pesquisa Salarial pôde mostrar-nos os principais passos que para que o mesmo funcione harmoniosamente dentro da organização, fazendo com que os funcionários tenham acesso às estas questões. O salário é uma demonstração objetiva do quanto à empresa valoriza o trabalho de seu funcionário A organização da área de Administração de Salários na empresa é muito importante, principalmente visando com que a política salarial da empresa seja implantada de maneira mais eficiente possível. As descrições e especificações de cargos fornecem informações essenciais para a avaliação dos cargos, da qual resultará a fixação de salários internamente coerentes. É através da pesquisa salarial que fornecemos dados para obter a faixa salarial da empresa.

24 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS a) Pontes, Benedito Rodrigues. Administração de Cargos e Salários. São Paulo: LTR, 2000 b) Westin, Felipe Vasquez. Administração de Salários por Desempenho. São Paulo: ABRH, 1984 c) Chiavenato, Idalberto. Remuneração, Benefícios e Relações de Trabalho. São Paulo: Atlas, 1998

25 ANEOS

26 ANEO 1 DESCRIÇÃO DE CARGO Título do Cargo: Coordenador de Recursos Humanos SUMÁRIO DO CARGO: Planejar, organizar a área de Recursos Humanos, levando à F.Amaral aos seus propósitos. Responsável por assegurar que a F. Amaral tenha um pacote de Recursos Humanos capaz de atrair e recompensar funcionários, através da definição e manutenção do mix de instrumentos de gestão de Recursos Humanos, estando em linha com as práticas de mercado e respeitando as estratégicas e diretrizes da F. Amaral. Coordenar todas as necessidades de Recursos Humanos em conjunto com as Diretorias/Gerências da F. Amaral. Responsável por coordenar o desenho dos processos e políticas de Recursos Humanos, maximizando os recursos e adotando soluções informatizadas. ORGANOGRAMA Diretor de Administração Superior Mediato Gerente Geral de Administração Superior Imediato Coordenador de Recursos Cargo Humanos Títulos dos cargos subordinados ao seu superior: Gerente de Divisão Títulos dos cargos de seus subordinados diretos e nº de indiretos: 03 Analistas DESAFIOS: Manter os funcionários da F. Amaral atualizados e motivados quanto a política de Recursos Humanos da Empresa Avaliar periodicamente o nível de satisfação dos funcionários com as políticas e práticas da Empresa Contribuir para a implementação do sistema de Recursos Humanos Manter o equilíbrio do quadro de pessoal, avaliando o desempenho de todos os profissionais da F. Amaral. Criação de um plano de ação para atingir as metas definidas pela Diretoria Negociar relações de trabalho com pessoas cada vez mais bem informadas e conscientes de seu projeto profissional

27 ANEO 2 CATÁLOGO DE CARGOS CARGO Administrador de rede Sistemas SUMÁRIO Executar sob orientação as recomendações para a configuração dos sistemas e redes, rotinas de manutenção preventiva, buscando solução para problemas de hardware e software. Atuar sob orientação como um recurso para viabilizar a utilização de aplicativos ou programas pelos usuários. REQUISITOS / HABILIDADES Experiência: Área de Sistemas / Redes Escolaridade:Superior Tecnologia/Informática (Cursando) Administrador de rede Sênior Executar recomendações sobre a configuração dos sistemas. 10 anos experiência na Área de sistemas. Superior Completo Administrador de rede Pleno Executar as recomendações sobre os sistemas 1 ano de experiência Agente Administrativo Dar suporte às Gerencias no que se refere aos procedimentos administrativos. Acompanhar e analisar os resultados as metas estabelecidas, controlando os custos pertinentes a área de vendas. 2 anos de experiência na área administrativa Agente Máster Administrativo Dar suporte às gerencias gerais quanto aos procedimentos administrativos de cada gerência. 3 anos de experiência na área administrativa. Agente Sênior Administrativo Administrar às gerencias, tendo amplo conhecimento nos assuntos burocráticos e administrativos da empresa. 4 anos de experiência na área administrativa.

Rotinas de DP- Professor: Robson Soares

Rotinas de DP- Professor: Robson Soares Rotinas de DP- Professor: Robson Soares Capítulo 2 Conceitos de Gestão de Pessoas - Conceitos de Gestão de Pessoas e seus objetivos Neste capítulo serão apresentados os conceitos básicos sobre a Gestão

Leia mais

PLANO DE CARGOS & SALÁRIOS UNIMED ANÁPOLIS

PLANO DE CARGOS & SALÁRIOS UNIMED ANÁPOLIS PLANO DE CARGOS & SALÁRIOS UNIMED ANÁPOLIS 1 ÍNDICE APRESENTAÇÃO... 02 1 OBJETIVO DO MANUAL... 03 2 CONCEITOS UTILIZADOS... 04 3 POLÍTICA DE CARGOS E SALÁRIOS... 06 4 POLÍTICA DE CARREIRA... 07 5 AVALIAÇÃO

Leia mais

Sistemas de Remuneração Tradicionais e a Remuneração Estratégica

Sistemas de Remuneração Tradicionais e a Remuneração Estratégica Sistemas de Remuneração Tradicionais e a Remuneração Estratégica por Camila Hatsumi Minamide* Vivemos em um ambiente com transformações constantes: a humanidade sofre diariamente mudanças nos aspectos

Leia mais

PLANO DE CARGOS E SALÁRIOS METODOLOGIA E ANÁLISE DOS BENEFÍCIOS PARA A ORGANIZAÇÃO

PLANO DE CARGOS E SALÁRIOS METODOLOGIA E ANÁLISE DOS BENEFÍCIOS PARA A ORGANIZAÇÃO PLANO DE CARGOS E SALÁRIOS METODOLOGIA E ANÁLISE DOS BENEFÍCIOS PARA A ORGANIZAÇÃO Cecília, Pereira¹ Rosalina, Batista¹ Cruz, Paulo Emílio² RESUMO Através deste artigo iremos abordar de forma objetiva,

Leia mais

Sejam Bem Vindos! Disciplina: Gestão de Pessoas 1 Prof. Patrício Vasconcelos. *Operários (1933) Tarsila do Amaral.

Sejam Bem Vindos! Disciplina: Gestão de Pessoas 1 Prof. Patrício Vasconcelos. *Operários (1933) Tarsila do Amaral. Sejam Bem Vindos! Disciplina: Gestão de Pessoas 1 Prof. Patrício Vasconcelos *Operários (1933) Tarsila do Amaral. A Função Administrativa RH É uma função administrativa compreendida por um conjunto de

Leia mais

NOÇÕES DE ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DE PESSOAS

NOÇÕES DE ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DE PESSOAS NOÇÕES DE ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DE PESSOAS Concurso para agente administrativo da Polícia Federal Profa. Renata Ferretti Central de Concursos NOÇÕES DE ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DE PESSOAS 1. Organizações como

Leia mais

SISTEMAS DE REMUNERAÇÃO

SISTEMAS DE REMUNERAÇÃO SISTEMAS DE REMUNERAÇÃO ESTRATÉGIAS DE REMUNERAÇÃO REMUNERAÇÃO ESTRATÉGICA É O USO INTELIGENTE DAS VÁRIAS FORMAS DE REMUNERAÇÃO, CUJO CONJUNTO ESTABELECE UM FORTE VÍNCULO COM A NOVA REALIDADE DAS ORGANIZAÇÕES

Leia mais

Treinamento do Sistema RH1000

Treinamento do Sistema RH1000 Treinamento do Sistema RH1000 = Conceitos de Gestão por Competências = Ohl Braga Desenvolvimento Empresarial Atualizado em 21Ago2015 1 Tópicos abordados Principais processos 4 Vantagens 5 Avaliação de

Leia mais

Gerenciamento de Recursos Humanos do Projeto. Equipe do Projeto. 9. Gerenciamento de recursos humanos do projeto

Gerenciamento de Recursos Humanos do Projeto. Equipe do Projeto. 9. Gerenciamento de recursos humanos do projeto Gerenciamento de Recursos Humanos do Projeto Equipe do Projeto 9. Gerenciamento de recursos humanos do projeto PMBOK 2000 PMBOK 2004 9.1 Planejamento organizacional 9.1 Planejamento de recursos humanos

Leia mais

Bibliografia: PONTES, BENEDITO RODRIGUES. Administração de cargos e salários 11. ed. São Paulo : LTR, 2005. Capítulo 17, p. 334 a 354.

Bibliografia: PONTES, BENEDITO RODRIGUES. Administração de cargos e salários 11. ed. São Paulo : LTR, 2005. Capítulo 17, p. 334 a 354. PLANEJAMENTO DE CARREIRA Bibliografia: PONTES, BENEDITO RODRIGUES. Administração de cargos e salários 11. ed. São Paulo : LTR, 2005. Capítulo 17, p. 334 a 354. CARREIRA Conceito: Podemos dizer que a carreira

Leia mais

POLÍTICA DE GESTÃO DE CARGOS E SALÁRIOS

POLÍTICA DE GESTÃO DE CARGOS E SALÁRIOS POLÍTICA DE GESTÃO DE CARGOS E SALÁRIOS I. Introdução Este Manual de Gestão de Cargos e Salários contempla todas as Áreas e Equipamentos da POIESIS e visa a orientar todos os níveis de gestão, quanto às

Leia mais

CAPACITAÇÃO P R O F A. D R A. M A R I A D A G L Ó R I A V I T Ó R I O G U I M A R Ã E S P R O F. D R. D A N I E L R E I S A R M O N D D E M E L O

CAPACITAÇÃO P R O F A. D R A. M A R I A D A G L Ó R I A V I T Ó R I O G U I M A R Ã E S P R O F. D R. D A N I E L R E I S A R M O N D D E M E L O CAPACITAÇÃO P R O F A. D R A. M A R I A D A G L Ó R I A V I T Ó R I O G U I M A R Ã E S P R O F. D R. D A N I E L R E I S A R M O N D D E M E L O MAPEAMENTO DA DEMANDA/OFERTA O que é Capacitação Ato ou

Leia mais

MQS do Brasil Consultoria, Assessoria e Treinamento. Segurança do Trabalho, RH, Gestão da Qualidade, e Meio Ambiente.

MQS do Brasil Consultoria, Assessoria e Treinamento. Segurança do Trabalho, RH, Gestão da Qualidade, e Meio Ambiente. MQS do Brasil Consultoria, Assessoria e Treinamento Segurança do Trabalho, RH, Gestão da Qualidade, e Meio Ambiente. Realização de cursos, treinamento e palestras. 1 ISO 9001:2008 - Interpretação e Implementação

Leia mais

Prof Elly Astrid Vedam

Prof Elly Astrid Vedam Prof Elly Astrid Vedam Despertar e saber lidar com os mecanismos de liderança e se preparar para a gestão de pequenos e médios negócios; Identificar conflitos no ambiente de seu negócio, calculando e avaliando

Leia mais

Ilca Maria Moya de Oliveira

Ilca Maria Moya de Oliveira Ilca Maria Moya de Oliveira Cargos e suas estruturas são hoje um tema complexo, com várias leituras e diferentes entendimentos. Drucker (1999, p.21) aponta que, na nova sociedade do conhecimento, a estrutura

Leia mais

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva.

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva. COMPREENDENDO A GESTÃO DE PESSOAS Karina Fernandes de Miranda Helenir Celme Fernandes de Miranda RESUMO: Este artigo apresenta as principais diferenças e semelhanças entre gestão de pessoas e recursos

Leia mais

PLANO DE CARGOS E SALÁRIOS PROJETO BARUERI

PLANO DE CARGOS E SALÁRIOS PROJETO BARUERI PLANO DE CARGOS E SALÁRIOS PROJETO BARUERI O Plano de Cargos e Salários aqui apresentado é resultado do entendimento e alinhamento dos direcionadores do Modelo de Organização e Gestão e das Políticas e

Leia mais

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado Professora Débora Dado Prof.ª Débora Dado Planejamento das aulas 7 Encontros 19/05 Contextualizando o Séc. XXI: Equipes e Competências 26/05 Competências e Processo de Comunicação 02/06 Processo de Comunicação

Leia mais

G P - AMPLITUDE DE CONTROLE E NÍVEIS HIERÁRQUICOS

G P - AMPLITUDE DE CONTROLE E NÍVEIS HIERÁRQUICOS G P - AMPLITUDE DE CONTROLE E NÍVEIS HIERÁRQUICOS Amplitude de Controle Conceito Também denominada amplitude administrativa ou ainda amplitude de supervisão, refere-se ao número de subordinados que um

Leia mais

Processos de Recursos Humanos

Processos de Recursos Humanos Gestão Integrada RH Recursos Humanos Unida 2 Rosemeri da Silva Paixão Recursos Humanos 28 Gestão Integrada RH Sumário Introdução... 30 Objetivos... 31 Estrutura da Unida... 31 UNIDADE 2: Recursos Humanos

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAL

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAL SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAL 2015 Sabemos que as empresas atualmente utilizam uma variedade muito grande de sistemas de informação. Se você analisar qualquer empresa que conheça, constatará que existem

Leia mais

V Congresso Auditar. Tema:

V Congresso Auditar. Tema: V Congresso Auditar Tema: Carreira em Organizações Públicas - Conceitos e Experiências Prof. Dr. José Antonio Monteiro Hipólito Brasília, 05 de setembro de 014 14:00 15:30h Agenda 1. Introdução: Importância

Leia mais

Diretoria de Gestão de Pessoas

Diretoria de Gestão de Pessoas Apresentamos o Plano de Cargos, Carreiras e Salários da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares EBSERH, criada pela Lei n. 12.550, de 15 de dezembro de 2011. A referência para instruir o presente plano

Leia mais

Credenciamento: Decreto Presidencial de 23 de fevereiro de 1999

Credenciamento: Decreto Presidencial de 23 de fevereiro de 1999 1 SUMÁRIO SISTEMA DE REMUNERAÇÃO TÍTULO I DOS CONCEITOS...3 TÍTULO II DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS...3 TÍTULO III ESTRUTURA DE CARGOS E SALÁRIOS...4 TÍTULO IV DA TABELA SALARIAL...9 TÍTULO V DO INGRESSO E

Leia mais

PLANO DE CARGOS, CARREIRAS E SALÁRIOS. Brasília, dezembro de 2014. Diretoria de Gestão de Pessoas

PLANO DE CARGOS, CARREIRAS E SALÁRIOS. Brasília, dezembro de 2014. Diretoria de Gestão de Pessoas PLANO DE CARGOS, CARREIRAS E SALÁRIOS Brasília, dezembro de 2014 1 APRESENTAÇÃO Apresentamos o Plano de Cargos, Carreiras e Salários da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares EBSERH, criada pela Lei

Leia mais

Utilização dos processos de RH em algumas empresas da cidade de Bambuí: um estudo multi-caso

Utilização dos processos de RH em algumas empresas da cidade de Bambuí: um estudo multi-caso III Semana de Ciência e Tecnologia do IFMG campus Bambuí II Jornada Científica 9 a 23 de Outubro de 200 Utilização dos processos de RH em algumas empresas da cidade de Bambuí: um estudo multi-caso Sablina

Leia mais

COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS QUALIDADE

COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS QUALIDADE COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS QUALIDADE DESCRIÇÕES DOS NÍVEIS APRENDIZ SABER Aprende para adquirir conhecimento básico. É capaz de pôr este conhecimento em prática sob circunstâncias normais, buscando assistência

Leia mais

PLANO DE CARGOS E SALÁRIOS PARA UMA EMPRESA DE ASSESSORIA CONTÁBIL

PLANO DE CARGOS E SALÁRIOS PARA UMA EMPRESA DE ASSESSORIA CONTÁBIL PLANO DE CARGOS E SALÁRIOS PARA UMA EMPRESA DE ASSESSORIA CONTÁBIL MARCELO EMERICK Discente do Curso de Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos das Faculdades Integradas de Três Lagoas -AEMS MARCELA RIBEIRO

Leia mais

Os Sistema de Administração de Gestão de Pessoas

Os Sistema de Administração de Gestão de Pessoas Os Sistema de Administração de Gestão de Pessoas As pessoas devem ser tratadas como parceiros da organização. ( Como é isso?) Reconhecer o mais importante aporte para as organizações: A INTELIGÊNCIA. Pessoas:

Leia mais

Remuneração, Incentivos e Benefícios Profª Ma. Máris de Cássia Ribeiro Vendrame Visão do Futuro

Remuneração, Incentivos e Benefícios Profª Ma. Máris de Cássia Ribeiro Vendrame Visão do Futuro Remuneração, Incentivos e Benefícios Profª Ma. Máris de Cássia Ribeiro Vendrame Visão do Futuro A Empresa será reconhecida como uma organização comprometida com a valorização do homem O Significado dos

Leia mais

GESTÃO EMPRESARIAL E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

GESTÃO EMPRESARIAL E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO GESTÃO EMPRESARIAL E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO * César Raeder Este artigo é uma revisão de literatura que aborda questões relativas ao papel do administrador frente à tecnologia da informação (TI) e sua

Leia mais

Faculdade Internacional de Curitiba MBA em Planejamento e Gestão Estratégica Mapas Estratégicos Prof. Adriano Stadler

Faculdade Internacional de Curitiba MBA em Planejamento e Gestão Estratégica Mapas Estratégicos Prof. Adriano Stadler Faculdade Internacional de Curitiba MBA em Planejamento e Gestão Estratégica Mapas Estratégicos Prof. Adriano Stadler AULA 5 - PERSPECTIVA DE APRENDIZADO E CRESCIMENTO Abertura da Aula Uma empresa é formada

Leia mais

INTRODUÇÃO À GESTÃO DE PESSOAS Comparativo entre idéias

INTRODUÇÃO À GESTÃO DE PESSOAS Comparativo entre idéias FACULDADE GOVERNADOR OZANAM COELHO PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO DE PESSOAS INTRODUÇÃO À GESTÃO DE PESSOAS Comparativo entre idéias ALINE GUIDUCCI UBÁ MINAS GERAIS 2009 ALINE GUIDUCCI INTRODUÇÃO À GESTÃO DE

Leia mais

NOSSO OBJETIVO. GESTÃO DO DESEMPENHO: uma possibilidade de ampliar o negócio da Organização

NOSSO OBJETIVO. GESTÃO DO DESEMPENHO: uma possibilidade de ampliar o negócio da Organização NOSSO OBJETIVO GESTÃO DO DESEMPENHO: uma possibilidade de ampliar o negócio da Organização RHUMO CONSULTORIA EMPRESARIAL Oferecer soluções viáveis em tempo hábil e com qualidade. Essa é a receita que a

Leia mais

Gestão Por Competências nas IFES

Gestão Por Competências nas IFES Goiânia 22 de Novembro de 2012 Gestão Por Competências nas IFES Anielson Barbosa da Silva anielson@uol.com.br A G E N D A 1 Desafios da Gestão de Pessoas nas IFES. 2 3 Bases Legais da Gestão de Pessoas

Leia mais

POLÍTICA CORPORATIVA Código PC.00.001. PRESIDÊNCIA Revisão 00

POLÍTICA CORPORATIVA Código PC.00.001. PRESIDÊNCIA Revisão 00 Páginas 1/8 1. OBJETIVO O Código de Ética é um conjunto de diretrizes e regras de atuação, que define como os empregados e contratados da AQCES devem agir em diferentes situações no que diz respeito à

Leia mais

Como calcular o número necessário de servidores? E QUANDO O PROCESSO DE TRABALHO NÃO É QUANTIFICÁVEL COM FACILIDADE? ALTERNATIVA 2 Uma possibilidade para transpor essa restrição seria a utilização de um

Leia mais

Elétrica montagem e manutenção ltda. AVALIAÇÃO DE COLABORADORES

Elétrica montagem e manutenção ltda. AVALIAÇÃO DE COLABORADORES AVALIAÇÃO DE COLABORADORES RESUMO A preocupação com o desempenho dos colaboradores é um dos fatores que faz parte do dia-a-dia da nossa empresas. A avaliação de desempenho está se tornando parte atuante

Leia mais

Implementação rápida do modelo Balanced Scorecard (BSC) nas empresas de seguros

Implementação rápida do modelo Balanced Scorecard (BSC) nas empresas de seguros Implementação rápida do modelo Balanced Scorecard (BSC) nas empresas de seguros Uma evolução nos sistemas de controle gerencial e de planejamento estratégico Francisco Galiza Roteiro Básico 1 SUMÁRIO:

Leia mais

1. Função Recursos Humanos/Administração de Pessoas 2. Abordagem Sistêmica dos Recursos Humanos

1. Função Recursos Humanos/Administração de Pessoas 2. Abordagem Sistêmica dos Recursos Humanos 5. Função Recursos Humanos/Administração de Pessoas Conteúdo 1. Função Recursos Humanos/Administração de Pessoas 2. Abordagem Sistêmica dos Recursos Humanos 1 Bibliografia Recomenda Livro Texto: Introdução

Leia mais

Unidade II GESTÃO ESTRATÉGICA DE. Professora Ani Torres

Unidade II GESTÃO ESTRATÉGICA DE. Professora Ani Torres Unidade II GESTÃO ESTRATÉGICA DE RECURSOS HUMANOS Professora Ani Torres Gestão de Pessoas Conjunto de métodos, políticas,técnicas e práticas definidos com o objetivo de orientar o comportamento humano

Leia mais

Administração de Pessoas

Administração de Pessoas Administração de Pessoas MÓDULO 5: ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS 5.1 Conceito de ARH Sem as pessoas e sem as organizações não haveria ARH (Administração de Recursos Humanos). A administração de pessoas

Leia mais

CONTROLE ESTRATÉGICO

CONTROLE ESTRATÉGICO CONTROLE ESTRATÉGICO RESUMO Em organizações controlar significa monitorar, avaliar e melhorar as diversas atividades que ocorrem dentro de uma organização. Controle é fazer com que algo aconteça como foi

Leia mais

PLANO DE DESENVOLVIMENTO DE RECURSOS HUMANOS DA FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DE CANOAS CANOASTEC

PLANO DE DESENVOLVIMENTO DE RECURSOS HUMANOS DA FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DE CANOAS CANOASTEC PLANO DE DESENVOLVIMENTO DE RECURSOS HUMANOS DA FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DE CANOAS CANOASTEC Institui o Plano de Desenvolvimento de Recursos Humanos criando o Quadro

Leia mais

Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 12

Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 12 Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 12 Questões sobre o tópico Desenvolvimento e treinamento de pessoal: levantamento de necessidades, programação, execução e avaliação. Olá Pessoal, hoje veremos outro

Leia mais

Autor Fred Silveira Fundador do Canal WWW.EMPRESAEXTRAORDINARIA.COM.BR

Autor Fred Silveira Fundador do Canal WWW.EMPRESAEXTRAORDINARIA.COM.BR Autor Fred Silveira Fundador do Canal WWW.EMPRESAEXTRAORDINARIA.COM.BR 2 CHECKLIST Sim Não Construindo o futuro Tenho um Plano de Vida que consulto com frequência. Tenho uma visão clara a respeito de para

Leia mais

Planejamento de Recursos Humanos

Planejamento de Recursos Humanos UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA Faculdade de Filosofia e Ciências Câmpus de Marília Departamento de Ciência da Informação Planejamento de Recursos Humanos Profa. Marta Valentim Marília 2014 As organizações

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA 1 OBJETIVOS 1. Quais são as principais aplicações de sistemas na empresa? Que papel eles desempenham? 2. Como os sistemas de informação apóiam as principais funções empresariais:

Leia mais

Diretoria de Gestão de Pessoas

Diretoria de Gestão de Pessoas Diretoria de Gestão de Pessoas APRESENTAÇÃO Apresentamos o Plano de Cargos, Carreiras e Salários da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares EBSERH, criada pela Lei n. 12.550, de 15 de dezembro de 2011.

Leia mais

Curso Balanced Scorecard como ferramenta de Gestão por Indicadores

Curso Balanced Scorecard como ferramenta de Gestão por Indicadores Curso Balanced Scorecard como ferramenta de Gestão por Indicadores O Planejamento Estratégico deve ser visto como um meio empreendedor de gestão, onde são moldadas e inseridas decisões antecipadas no processo

Leia mais

Profº Rogério Tavares

Profº Rogério Tavares Profº Rogério Tavares Administração Por Objetivos - APO A partir da década de 1950, a Teoria Neoclássica deslocou a atenção antes fixada nas chamadas atividades meios para os objetivos ou finalidades da

Leia mais

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES CURSO DE PÓS- GRADUAÇÃO EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES CURSO DE PÓS- GRADUAÇÃO EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES CURSO DE PÓS- GRADUAÇÃO EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS GERENCIAMENTO DOS RECURSOS HUMANOS, BASEADA NA METODOLOGIA DO PMI (PROJECT MANAGEMENT INSTITUTE) Amanda Ramires Moreira

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL

A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL Aldemar Dias de Almeida Filho Discente do 4º ano do Curso de Ciências Contábeis Faculdades Integradas de Três Lagoas AEMS Élica Cristina da

Leia mais

IDÉIAS SOBRE IMPLANTAÇÃO DE SISTEMAS EMPRESARIAIS INTEGRADOS. Prof. Eduardo H. S. Oliveira

IDÉIAS SOBRE IMPLANTAÇÃO DE SISTEMAS EMPRESARIAIS INTEGRADOS. Prof. Eduardo H. S. Oliveira IDÉIAS SOBRE IMPLANTAÇÃO DE SISTEMAS EMPRESARIAIS INTEGRADOS Introdução Nos últimos seis anos, tem ocorrido no Brasil uma verdadeira revolução na área de gestão empresarial. Praticamente, todas as grandes

Leia mais

FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FEA USP ARTIGO

FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FEA USP ARTIGO FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FEA USP ARTIGO COMO AS MUDANÇAS NAS ORGANIZAÇÕES ESTÃO IMPACTANDO A ÁREA DE RECURSOS HUMANOS Paola Moreno Giglioti Administração

Leia mais

Anderson L. S. Moreira

Anderson L. S. Moreira Tecnologia da Informação Aula 11 Sistemas de E-business Anderson L. S. Moreira anderson.moreira@ifpe.edu.br Instituto Federal de Pernambuco Recife PE Esta apresentação está sob licença Creative Commons

Leia mais

competências e habilidades

competências e habilidades Remuneração e Carreira com base em competências e habilidades Reflexão inicial Qual o percentual de pessoas desmotivadas nas organizações? Até que ponto e de que forma a remuneração influencia na desmotivação

Leia mais

Implementação de estratégias

Implementação de estratégias Etapa 1 Etapa 2 Etapa 3 Etapa 4 Etapa 5 Disciplina Gestão Estratégica e Serviços 7º Período Administração 2013/2 Implementação de estratégias Agenda: Implementação de Estratégias Visão Corporativa sobre

Leia mais

CAPÍTULO I DAS FINALIDADES

CAPÍTULO I DAS FINALIDADES PORTARIA INSTITUCIONAL Nº 08 A Direção Geral da Faculdades SPEI, no uso das suas atribuições, ouvido o Conselho Superior e aprovado pela Mantenedora, conforme Regimento Interno, RESOLVE: Estabelecer o

Leia mais

Visão Geral sobre Gestão de Projetos e Iniciação de Projetos Aula 2

Visão Geral sobre Gestão de Projetos e Iniciação de Projetos Aula 2 Visão Geral sobre Gestão de Projetos e Iniciação de Projetos Aula 2 Miriam Regina Xavier de Barros, PMP mxbarros@uol.com.br Agenda Bibliografia e Avaliação 1. Visão Geral sobre o PMI e o PMBOK 2. Introdução

Leia mais

A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E A GESTÃO DAS ORGANIZAÇÕES. Evolução do TI e Gestão das Organizações Gestão de Projetos Métodos Ágeis

A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E A GESTÃO DAS ORGANIZAÇÕES. Evolução do TI e Gestão das Organizações Gestão de Projetos Métodos Ágeis A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E A GESTÃO DAS ORGANIZAÇÕES Evolução do TI e Gestão das Organizações Gestão de Projetos Métodos Ágeis Vamos nos conhecer e definir as diretrizes de nosso curso??? www.eadistancia.com.br

Leia mais

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS Universidade Federal do Ceará Faculdade de Economia, Administração, Atuária, Contabilidade e Secretariado Curso de Administração de Empresas GESTÃO POR COMPETÊNCIAS MAURICIO FREITAS DANILO FREITAS Disciplina

Leia mais

ADM041 / EPR806 Sistemas de Informação

ADM041 / EPR806 Sistemas de Informação ADM041 / EPR806 Sistemas de Informação UNIFEI Universidade Federal de Itajubá Prof. Dr. Alexandre Ferreira de Pinho 1 Componentes de uma empresa Organizando uma empresa: funções empresariais básicas Funções

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE MQ SGQ 01-10

MANUAL DA QUALIDADE MQ SGQ 01-10 SUMÁRIO: Apresentação da ACEP 2 Missão da Empresa 3 Escopo e Justificativas de Exclusão 4 Comprometimento da Direção 5 Política da Qualidade 7 Objetivos de Qualidade 7 Fluxo de Processos 8 Organograma

Leia mais

Introdução. Uma forma comum de estabelecimento de metas usada nas organizações é a Administração por Objetivos - APO

Introdução. Uma forma comum de estabelecimento de metas usada nas organizações é a Administração por Objetivos - APO ADMINISTRAÇÃO POR OBJETIVOS 1 Introdução Uma forma comum de estabelecimento de metas usada nas organizações é a Administração por Objetivos - APO Este processo é uma tentativa de alinhar metas pessoais

Leia mais

4. Tendências em Gestão de Pessoas

4. Tendências em Gestão de Pessoas 4. Tendências em Gestão de Pessoas Em 2012, Gerenciar Talentos continuará sendo uma das prioridades da maioria das empresas. Mudanças nas estratégias, necessidades de novas competências, pressões nos custos

Leia mais

Sistema de Informação Gerencial (SIG)

Sistema de Informação Gerencial (SIG) Sistema de Informação Gerencial (SIG) Os Sistemas de Informação Gerencial (SIG) são sistemas ou processos que fornecem as informações necessárias para gerenciar com eficácia as organizações. Um SIG gera

Leia mais

RECRUTAMENTO, SELEÇÃO, AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO E SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO: ATUAÇÃO ESTRATÉGICA DOS RECURSOS HUMANOS

RECRUTAMENTO, SELEÇÃO, AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO E SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO: ATUAÇÃO ESTRATÉGICA DOS RECURSOS HUMANOS Centro de Educação Superior Barnabita CESB 1 RECRUTAMENTO, SELEÇÃO, AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO E SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO: ATUAÇÃO ESTRATÉGICA DOS RECURSOS HUMANOS Clara de Oliveira Durães 1 Profª. Pollyanna

Leia mais

CURSOS DE PÓS - GRADUAÇÃO

CURSOS DE PÓS - GRADUAÇÃO CURSOS DE PÓS - GRADUAÇÃO ESPECIALIZAÇÃO EM ECOTURISMO Objetivo: O Curso tem por objetivo capacitar profissionais, tendo em vista a carência de pessoas qualificadas na área do ecoturismo, para atender,

Leia mais

Formar LÍDERES e equipes. Atrair e reter TALENTOS. www.grupovalure.com.br

Formar LÍDERES e equipes. Atrair e reter TALENTOS. www.grupovalure.com.br Formar LÍDERES e equipes. Atrair e reter TALENTOS. www.grupovalure.com.br www.grupovalure.com.br Estes são alguns dos grandes desafios da atualidade no mundo profissional e o nosso objetivo é contribuir

Leia mais

Administração em Enfermagem Teorias da Administração - Aula 3

Administração em Enfermagem Teorias da Administração - Aula 3 Administração em Enfermagem Teorias da Administração - Aula 3 Teorias da Administração Aula 3 Teoria Científica Taylorismo (Continuação) Taylor observou que, ao realizar a divisão de tarefas, os operários

Leia mais

Código de Ética e Conduta

Código de Ética e Conduta Código de Ética e Conduta Introdução A Eucatex, através deste Código de Ética e Conduta, coloca à disposição de seus colaboradores, fornecedores e comunidade, um guia de orientação para tomada de decisões

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DA INFORMÁTICA

ADMINISTRAÇÃO DA INFORMÁTICA ADMINISTRAÇÃO DA INFORMÁTICA A informação sempre esteve presente em todas as organizações; porém, com a evolução dos negócios, seu volume e valor aumentaram muito, exigindo uma solução para seu tratamento,

Leia mais

Orçamento de Pessoal Aula 1 25-04-2012

Orçamento de Pessoal Aula 1 25-04-2012 Orçamento de Pessoal Aula 1 25-04-2012 Prof. Procópio Aula 25-04-2012 Quem sou Eu? Breve Programa do Curso Bibliografia Básica Sistema de Aulas Sistema de Avaliações Contatos do Professor Apresentação

Leia mais

ERP. Enterprise Resource Planning. Planejamento de recursos empresariais

ERP. Enterprise Resource Planning. Planejamento de recursos empresariais ERP Enterprise Resource Planning Planejamento de recursos empresariais O que é ERP Os ERPs em termos gerais, são uma plataforma de software desenvolvida para integrar os diversos departamentos de uma empresa,

Leia mais

b) supervisionar o cumprimento desta política pelas entidades integrantes do Sistema Sicoob;

b) supervisionar o cumprimento desta política pelas entidades integrantes do Sistema Sicoob; 1. Esta Política institucional de gestão de pessoas: Política institucional de gestão de pessoas a) é elaborada por proposta da área de Gestão de Pessoas da Confederação Nacional das Cooperativas do Sicoob

Leia mais

A pesquisa de campo foi realizada com questões para os núcleos administrativo, pessoal e acadêmico e procura explorar duas situações distintas:

A pesquisa de campo foi realizada com questões para os núcleos administrativo, pessoal e acadêmico e procura explorar duas situações distintas: 4 Pesquisa de campo Neste capitulo será apresentado o resultado dos questionários da pesquisa de campo que serviu para o estudo de caso. A coleta de dados será dividida em: Núcleo administrativo Núcleo

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA 2 SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA OBJETIVOS Quais são as principais aplicações de sistemas na empresa? Que papel eles desempenham? Como os sistemas de informação apóiam as principais funções empresariais:

Leia mais

High Potentials, Talentos e Sucessão no Brasil

High Potentials, Talentos e Sucessão no Brasil High Potentials, Talentos e Sucessão no Brasil P e s q u i s a d a F u n d a ç ã o G e t u l i o V a r g a s I n s t i t u t o d e D e s e n v o l v i m e n t o E d u c a c i o n a l Conteúdo 1. Propósito

Leia mais

Título do Case: Departamento Comercial com foco nas expectativas do cliente Categoria: Projeto Interno

Título do Case: Departamento Comercial com foco nas expectativas do cliente Categoria: Projeto Interno Título do Case: Departamento Comercial com foco nas expectativas do cliente Categoria: Projeto Interno Resumo O presente case mostra como ocorreu o processo de implantação do Departamento Comercial em

Leia mais

Remuneração e Avaliação de Desempenho

Remuneração e Avaliação de Desempenho Remuneração e Avaliação de Desempenho Objetivo Apresentar estratégias e etapas para implantação de um Modelo de Avaliação de Desempenho e sua correlação com os programas de remuneração fixa. Programação

Leia mais

Pessoas e Negócios em Evolução

Pessoas e Negócios em Evolução Empresa: Atuamos desde 2001 nos diversos segmentos de Gestão de Pessoas, desenvolvendo serviços diferenciados para empresas privadas, associações e cooperativas. Prestamos serviços em mais de 40 cidades

Leia mais

FACULDADE ANHANGUERA DE ITAPECERICA DA SERRA

FACULDADE ANHANGUERA DE ITAPECERICA DA SERRA FACULDADE ANHANGUERA DE ITAPECERICA DA SERRA Profº Paulo Barreto Paulo.santosi9@aedu.com www.paulobarretoi9consultoria.com.br 1 Analista da Divisão de Contratos da PRODESP Diretor de Esporte do Prodesp

Leia mais

Aula 09 - Remuneração por competências: uma alavanca para o capital intelectual

Aula 09 - Remuneração por competências: uma alavanca para o capital intelectual Aula 09 - Remuneração por competências: uma alavanca para o capital intelectual Objetivos da aula: Estudar a remuneração por habilidades; Sistematizar habilidades e contrato de desenvolvimento contínuo.

Leia mais

ATENDIMENTO AO CLIENTE

ATENDIMENTO AO CLIENTE ATENDIMENTO AO CLIENTE 08 a 11 de outubro de 2014 08 a 11 de outubro de 2014 PROBLEMAS PARA CLIENTES SÃO PROVOCADOS POR: PROPRIETÁRIOS GERENTES SUPERVISORES SINTOMAS DE MAU ATENDIMENTO VOCÊ PODE TER CERTEZA

Leia mais

T&E Tendências & Estratégia

T&E Tendências & Estratégia FUTURE TRENDS T&E Tendências & Estratégia Newsletter número 1 Março 2003 TEMA deste número: Desenvolvimento e Gestão de Competências EDITORIAL A newsletter Tendências & Estratégia pretende ser um veículo

Leia mais

25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1

25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 RECURSOS HUMANOS EM UMA ORGANIZAÇÃO HOSPITALAR COM PERSPECTIVA DE DESENVOLVIVENTO DO CLIMA ORGANIZACONAL: O CASO DO HOSPITAL WILSON ROSADO EM MOSSORÓ RN

Leia mais

Revisão do PLANO DE CARREIRA, CARGOS E SALÁRIOS. Você escolhe o caminho e constroi sua própria saúde.

Revisão do PLANO DE CARREIRA, CARGOS E SALÁRIOS. Você escolhe o caminho e constroi sua própria saúde. Revisão do PLANO DE CARREIRA, CARGOS E SALÁRIOS Você escolhe o caminho e constroi sua própria saúde. PCCS Revisão do PLANO DE CARREIRA, CARGOS E SALÁRIOS Colaborador (a), Com o objetivo de alavancar a

Leia mais

FACULDADE PITÁGORAS DISCIPLINA: FUNDAMENTOS DA ADMINISTRAÇÃO

FACULDADE PITÁGORAS DISCIPLINA: FUNDAMENTOS DA ADMINISTRAÇÃO FACULDADE PITÁGORAS DISCIPLINA: FUNDAMENTOS DA ADMINISTRAÇÃO Prof. Ms. Carlos José Giudice dos Santos carlos@oficinadapesquisa.com.br www.oficinadapesquisa.com.br Organizações Nenhuma organização existe

Leia mais

Processo de Construção de um Plano de Cargos e Carreira. nas Organizações Públicas Brasileiras

Processo de Construção de um Plano de Cargos e Carreira. nas Organizações Públicas Brasileiras Processo de Construção de um Plano de Cargos e Carreira nas Organizações Públicas Brasileiras A estruturação ou revisão de um PCCR se insere em um contexto de crescente demanda por efetividade das ações

Leia mais

Ana Claudia M. dos SANTOS 1 Edson Leite Lopes GIMENEZ 2

Ana Claudia M. dos SANTOS 1 Edson Leite Lopes GIMENEZ 2 O desempenho do processo de recrutamento e seleção e o papel da empresa neste acompanhamento: Um estudo de caso na Empresa Ober S/A Indústria E Comercio Ana Claudia M. dos SANTOS 1 Edson Leite Lopes GIMENEZ

Leia mais

Evolução do uso de competências para remuneração

Evolução do uso de competências para remuneração Tema: Competências e Instrumentos de Análise de Desempenho na Gestão da Remuneração: Experiências e Lições dos Principais Grupos Empresariais do Brasil José Hipólito Evolução do uso de competências para

Leia mais

LÍDERES DO SECULO XXI RESUMO

LÍDERES DO SECULO XXI RESUMO 1 LÍDERES DO SECULO XXI André Oliveira Angela Brasil (Docente Esp. das Faculdades Integradas de Três Lagoas-AEMS) Flávio Lopes Halex Mercante Kleber Alcantara Thiago Souza RESUMO A liderança é um processo

Leia mais

POLÍTICA CARGOS E SALÁRIOS

POLÍTICA CARGOS E SALÁRIOS 1. OBJETIVO Estabelecer critérios de remuneração, baseados na legislação brasileira vigente e nas regras definidas pela Secretaria Executiva e Conselho Curador, com o objetivo de constituir uma estrutura

Leia mais

PRINCÍPIOS DA QUALIDADE E MODELOS DE GESTÃO

PRINCÍPIOS DA QUALIDADE E MODELOS DE GESTÃO INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DO ESPÍRITO SANTO FACASTELO Faculdade De Castelo Curso de Administração Disciplina: Qualidade e Produtividade PRINCÍPIOS DA QUALIDADE E MODELOS DE GESTÃO 1 Profa.: Sharinna

Leia mais

O desafio da liderança: Avaliação, Desenvolvimento e Sucessão

O desafio da liderança: Avaliação, Desenvolvimento e Sucessão O desafio da liderança: Avaliação, Desenvolvimento e Sucessão Esse artigo tem como objetivo apresentar estratégias para assegurar uma equipe eficiente em cargos de liderança, mantendo um ciclo virtuoso

Leia mais

RECURSOS HUMANOS COMO FATOR DE EFICÁCIA ORGANIZACIONAL

RECURSOS HUMANOS COMO FATOR DE EFICÁCIA ORGANIZACIONAL RECURSOS HUMANOS COMO FATOR DE EFICÁCIA ORGANIZACIONAL Por quê o lado humano dos negócios está emergindo como uma indispensável vantagem competitiva? Era Industrial Taylor e Fayol Era do Conhecimento Tecnologia

Leia mais

Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais

Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais Capítulo 3: Sistemas de Apoio Gerenciais Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais Objetivos do Capítulo Explicar como os SI empresariais podem apoiar as necessidades de informação de executivos,

Leia mais

UNIDADE 4. Introdução à Metodologia de Desenvolvimento de Sistemas

UNIDADE 4. Introdução à Metodologia de Desenvolvimento de Sistemas UNIDADE 4. Introdução à Metodologia de Desenvolvimento de Sistemas 4.1 Motivação Sistemas de Informação são usados em diversos níveis dentro de uma organização, apoiando a tomada de decisão; Precisam estar

Leia mais

Sistemas Empresariais. Capítulo 3: Sistemas de Negócios. Colaboração SPT SIG

Sistemas Empresariais. Capítulo 3: Sistemas de Negócios. Colaboração SPT SIG Capítulo 3: Sistemas de Negócios Colaboração SPT SIG Objetivos do Capítulo Explicar como os SI empresariais podem apoiar as necessidades de informação de executivos, gerentes e profissionais de empresas.

Leia mais