Avaliara Tecnologiaatravésdo Modelo SECTIONS. Craig Montgomerie & Danielle Dubien

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Avaliara Tecnologiaatravésdo Modelo SECTIONS. Craig Montgomerie & Danielle Dubien"

Transcrição

1 Avaliara Tecnologiaatravésdo Modelo SECTIONS Craig Montgomerie & Danielle Dubien

2 SECTIONS Baseado em: Bates, A.W.; and Poole,G. (2003) Effective Teaching With Technology in Higher Education: Foundations For Success. San Francisco: Jossey-Bass Publishers Underhill, C. (20??) Assessing Technology Using the SECTIONS Model. Vancouver: University of British Columbia. (Disponível:??) Avaliar a Tecnologia através do Modelo SECTIONS 2

3 O queé o SECTIONS Bates & Poole originalmentecriaramo SECTIONS enquanto enquadramentopara a selecçãoe usoda tecnologia e para facilitaras decisõesrelativamenteà escolha da tecnologia quer ao nível estratégico, quer ao nível táctico, bem como ajudar a obter o equilíbrio mais adequadoentre meiosdiferentesno quese referea uma tecnologia em particular. Underhill operacionalizou& reformulou o SECTIONS na forma de questões importantes para aqueles que implementamsoluçõestecnológicas. Avaliar a Tecnologia através do Modelo SECTIONS 3

4 Planearo Enquadramento Processo de quatro etapas: Definir Avaliar Implementar Aperfeiçoar Avaliar a Tecnologia através do Modelo SECTIONS 4

5 Etapa1 -Definir Definiro quese pretendeconseguiratravésda identificação de objectivos como: Quero que os estudantes aprendam Pensoqueeupoderiasermaiseficaza facilitara aprendizagem, se A actividade de aprendizagem que escolhi para atingir estesobjectivosé A tecnologiaqueestoua pensarusarpara apoiaresta actividadede aprendizagem Avaliar a Tecnologia através do Modelo SECTIONS 5

6 Etapa2 -Avaliar S (Students) Estudantes Estãoa serdesenvolvidascompetênciastransferíveis? A tecnologiapermiteum níveladequadode acessoà comunidade para além dos participantes registados no curso? Os estudantes podem mostrar o seu trabalho através de ligações na rede(url)? Avaliar a Tecnologia através do Modelo SECTIONS 6

7 Etapa2 Avaliar(continuação) E (Ease of Use) Facilidadede Utilização Será que os alunos precisam de fazer um grande investimento em termos de tempo para aprender a usar a tecnologia? Será que eu preciso de fazer um grande investimento em termos de tempo para aprender a usar a tecnologia? Sinto-me suficientementeconfortávelcom a tecnologia para orientar os alunos? Avaliar a Tecnologia através do Modelo SECTIONS 7

8 Etapa2 Avaliar(continuação) C (Costs) -Custos São os custos de tempo relativamente baixos para projectar um ambiente de aprendizagem que utilize esta tecnologia (ou pelo menos para fazer com que a relação custo/benefício seja favorável)? Será que os alunos incorrem em custos adicionais em consequência da incorporação desta nova tecnologia/ abordagem? Existem custos de atribuição de licenças associados com a instalação/ arquivo de materiais para além do tempo de vida do curso? Avaliar a Tecnologia através do Modelo SECTIONS 8

9 Etapa2 Avaliar(continuação) T (Teaching and Learning) Ensino e Aprendizagem Será que essa tecnologia apoia os objectivos de aprendizagem que identifiquei? Serão os alunos envolvidos num tipo de aprendizagem autêntica e baseada no mundo real graças à implementação desta tecnologia? Será que esta tecnologia permite avaliação de pares e auto-avaliação, bem como avaliação por parte do instrutor? Avaliar a Tecnologia através do Modelo SECTIONS 9

10 Etapa2 Avaliar(continuação) I (Interactivity) - Interactividade Será que esta tecnologia permite interacções entre pares, instrutores e outras pessoas que estejam associadas ou que contribuam para as actividades de aprendizagem? Será que esta tecnologia permite a partilha/colaboração com as comunidades de aprendizagem para além dos participantes registados nos cursos? Será que as pessoas podem interagir facilmente com os produtos/recursos desenvolvidos no curso? Avaliar a Tecnologia através do Modelo SECTIONS 10

11 Etapa2 Avaliar(continuação) O (Organizational Issues) Questões Organizacionais Estarão as estruturas de apoio preparadas para manter e actualizar esta tecnologia? Existe ajuda disponível para mim ou para os meus alunos, se precisarmos dela? Existe alguma maneira através da qual eu possa recuperar o meu material se esta tecnologia falhar ou for substituída? Será que esta tecnologia funciona com o SIS? Será necessário que os alunos façam a gestão das suas próprias contas? Será necessário que eu adicione manualmente os alunos no ambiente on-line? Avaliar a Tecnologia através do Modelo SECTIONS 11

12 Etapa2 Avaliar(continuação) N (Novelty) -Novidade Será que isto representa uma nova abordagem de ensino para mim? Será que isto vai proporcionar uma nova (e diferente) experiência de aprendizagem para os alunos? Há exemplos de uso num contexto educacional? Avaliar a Tecnologia através do Modelo SECTIONS 12

13 Etapa2 Avaliar(continuação) S (Speed) -Velocidade Posso fazer alterações imediatas no conteúdo e nas actividades de aprendizagem? Será esta uma nova tecnologia (beta) ou algo experimentado e comprovado? Posso (em última instância) trabalhar de modo independente no meu desenvolvimento com o uso desta tecnologia? Avaliar a Tecnologia através do Modelo SECTIONS 13

14 Etapa3: Implementar Ao observar os alunos a envolverem-se com esta actividade, percebo que... A tecnologia que eu escolhi permite a aprendizagem, porque... A tecnologia que eu escolhi é uma barreira para a aprendizagem, porque... O feedback dos alunos sobre esta tecnologia é... Avaliar a Tecnologia através do Modelo SECTIONS 14

15 Etapa4: Aperfeiçoar O queé quefuncionou? O queé quenãofuncionoue porquê? Preciso de mudar O meuplanopara fazerestamudançaé Avaliar a Tecnologia através do Modelo SECTIONS 15

16 Avaliar a Tecnologia através do Modelo SECTIONS 16

17 Questões Avaliar a Tecnologia através do Modelo SECTIONS 17

Estratégia de intervenção do QIMRAM no desenvolvimento de competências nos docentes da RAM

Estratégia de intervenção do QIMRAM no desenvolvimento de competências nos docentes da RAM Estratégia de intervenção do QIMRAM no desenvolvimento de competências nos docentes da RAM 1- Estabelecimentos de ensino integrados no projecto em anos lectivos transactos Os docentes colocados em estabelecimentos

Leia mais

Qual é o seu desafio?

Qual é o seu desafio? APRESENTAÇÃO Qual é o seu desafio? Quer concretizar uma grande mudança que lhe trará mais sucesso pessoal, profissional ou no seu negócio? Está a lutar com o stress, com a gestão de tempo, quer um maior

Leia mais

Projecto de Desenvolvimento de Sistemas de Software

Projecto de Desenvolvimento de Sistemas de Software Projecto de Desenvolvimento de Sistemas de Software Grupo 2 Carla Alexandra Marques Gregório, nº51840 Nuno Filipe Cruzeiro de Almeida, nº51822 Rogério Araújo Costa, nº51831 1 Introdução No âmbito da disciplina

Leia mais

Estratégia de intervenção do QIMRAM no desenvolvimento de competências nos docentes da RAM

Estratégia de intervenção do QIMRAM no desenvolvimento de competências nos docentes da RAM Estratégia de intervenção do QIMRAM no desenvolvimento de competências nos docentes da RAM 1- Estabelecimentos de ensino integrados no projecto em anos lectivos transactos Os docentes colocados em estabelecimentos

Leia mais

Avaliação Interna e Qualidade das Aprendizagens

Avaliação Interna e Qualidade das Aprendizagens Avaliação Interna e Qualidade das Aprendizagens Perspectivas da OCDE www.oecd.org/edu/evaluationpolicy Paulo Santiago Direcção da Educação e das Competências, OCDE Seminário, Lisboa, 5 de Janeiro de 2015

Leia mais

Cognição e Aprendizagem em História e Ciências Sociais. Isabel Barca, Ana Catarina Simão, Júlia Castro, Carmo Barbosa, Marília

Cognição e Aprendizagem em História e Ciências Sociais. Isabel Barca, Ana Catarina Simão, Júlia Castro, Carmo Barbosa, Marília Projectos de investigação Cognição e Aprendizagem em História e Ciências Sociais Coordenador: Isabel Barca Equipa de investigação Isabel Barca, Ana Catarina Simão, Júlia Castro, Carmo Barbosa, Marília

Leia mais

O GOOGLE SITES NA APRESENTAÇÃO DO V DE GOWIN DE UMA INVESTIGAÇÃO EXPERIMENTAL EM CIÊNCIAS NATURAIS

O GOOGLE SITES NA APRESENTAÇÃO DO V DE GOWIN DE UMA INVESTIGAÇÃO EXPERIMENTAL EM CIÊNCIAS NATURAIS O GOOGLE SITES NA APRESENTAÇÃO DO V DE GOWIN DE UMA INVESTIGAÇÃO EXPERIMENTAL EM CIÊNCIAS NATURAIS Berta Bemhaja, Elizabeth Ashall, Inês Tavares, Sara Barroca, Zara Baltazar Escola Secundária, com 3º ciclo,

Leia mais

Simulação e avaliação de um módulo de aprendizagem de Alimentação Humana em formato de Webinar

Simulação e avaliação de um módulo de aprendizagem de Alimentação Humana em formato de Webinar Simulação e avaliação de um módulo de aprendizagem de Alimentação Humana em formato de Webinar Renata Barros 1, Maria Teresa Campos 1, Pedro Carvalho 1, Vítor Hugo Teixeira 1, Rui Chilro 1, André Moreira

Leia mais

Avaliação para a Aprendizagem e Alunos com Necessidades Educativas Especiais

Avaliação para a Aprendizagem e Alunos com Necessidades Educativas Especiais PROCESSO DE AVALIAÇÃO EM CONTEXTOS INCLUSIVOS PT Avaliação para a Aprendizagem e Alunos com Necessidades Educativas Especiais O objectivo deste artigo é disponibilizar uma síntese das questões-chave que

Leia mais

Um Olhar sobre o Site. Dulce Franco. Isabel Chagas Centro de Investigação em Educação Faculdade de Ciências, Universidade de Lisboa

Um Olhar sobre o Site. Dulce Franco. Isabel Chagas Centro de Investigação em Educação Faculdade de Ciências, Universidade de Lisboa Um Olhar sobre o Site Dulce Franco Centro de Estudos Observatório de Políticas de Educação e de Contextos Educativos, Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias Isabel Chagas Centro de Investigação

Leia mais

e-learning: Outro espaço para ensinar e aprender

e-learning: Outro espaço para ensinar e aprender e-learning: Outro espaço para ensinar e aprender João Torres, Miguel Figueiredo e Rosário Rodrigues Centro de Competência Nónio Séc. XXI da ESE de Setúbal 26 de Abril de 2005 1 2 3 4 5 24 Objectivos Debater

Leia mais

POTENCIALIDADES E LIMITAÇÕES DE DISCUSSÕES DE CONTROVÉRSIAS SOCIOCIENTÍFICAS COM RECURSO À PLATAFORMA MOODLE PARA A PROMOÇÃO DA ARGUMENTAÇÃO

POTENCIALIDADES E LIMITAÇÕES DE DISCUSSÕES DE CONTROVÉRSIAS SOCIOCIENTÍFICAS COM RECURSO À PLATAFORMA MOODLE PARA A PROMOÇÃO DA ARGUMENTAÇÃO POTENCIALIDADES E LIMITAÇÕES DE DISCUSSÕES DE CONTROVÉRSIAS SOCIOCIENTÍFICAS COM RECURSO À PLATAFORMA MOODLE PARA A PROMOÇÃO DA ARGUMENTAÇÃO José Fanica Agrupamento de escolas de Romeu Correia joseffanica@hotmail.com

Leia mais

PESSOAL DOCENTE AÇÕES DE FORMAÇÃO ACREDITADAS PELO CONSELHO CIENTÍFICO-PEDAGÓGICO DA FORMAÇÃO CONTÍNUA PARA O CENTRO EDUCATIS

PESSOAL DOCENTE AÇÕES DE FORMAÇÃO ACREDITADAS PELO CONSELHO CIENTÍFICO-PEDAGÓGICO DA FORMAÇÃO CONTÍNUA PARA O CENTRO EDUCATIS TREINO DA APTIDÃO MUSCULAR EM CRIANÇAS E ADOLESCENTES Registo: CCPFC/ACC-61196/09 Válida até: 30-09-2012 Destinado a: Professores dos Grupos 260 e 620 AERÓBICA NA ESCOLA - METODOLOGIA BÁSICA Registo: CCPFC/ACC-61225/09

Leia mais

Gestão de Informação no ambiente de Cloud Computing

Gestão de Informação no ambiente de Cloud Computing Gestão de Informação no ambiente de Cloud Computing Karine Georg Dressler Karine Georg Dressler Programa Doutoral de Informação e Comunicação em Plataformas Digitais ICPD Faculdade de Letras Universidade

Leia mais

Últimos eventos. T- Story NEWSLETTER. Segundo seminário nacional. Outubro 2014. Edition N. 1

Últimos eventos. T- Story NEWSLETTER. Segundo seminário nacional. Outubro 2014. Edition N. 1 T- Story NEWSLETTER Outubro 2014 4ª Edição June 2013 Edition N. 1 Apresentamos a newsletter oficial do projeto T-Story - Storytelling Aplicado à Educação e Formação, um projeto financiado pela ação transversal

Leia mais

TRABALHOS RELATIVOS AOS ASSUNTOS DOS ESTUDANTES NO ENSINO SUPERIOR

TRABALHOS RELATIVOS AOS ASSUNTOS DOS ESTUDANTES NO ENSINO SUPERIOR TRABALHOS RELATIVOS AOS ASSUNTOS DOS ESTUDANTES NO ENSINO SUPERIOR Professor Doutor Chiu Wai Sang, Sammy Departamento de Serviço Social da Universidade Baptista de Hong Kong Hoje em dia, os trabalhos de

Leia mais

A utilização do LMS Chamilo na disciplina Laboratório de Ensino de Matemática: a experiência de professores em formação inicial

A utilização do LMS Chamilo na disciplina Laboratório de Ensino de Matemática: a experiência de professores em formação inicial A utilização do LMS Chamilo na disciplina Laboratório de Ensino de Matemática: a experiência de professores em formação inicial Luciane Mulazani dos Santos, UDESC, luciane.mulazani@udesc.br Ivanete Zuchi

Leia mais

Concepção de Roteiros de Formação para a oferta formativa do Programa Aveiro Norte

Concepção de Roteiros de Formação para a oferta formativa do Programa Aveiro Norte Concepção de Roteiros de Formação para a oferta formativa do Programa Aveiro Norte Miguel Oliveira 1, Fátima Pais 1, Pedro Beça 2, Sara Petiz 2, A.Manuel de Oliveira Duarte 2 1 Escola Superior Aveiro Norte

Leia mais

REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS NA LICENCIATURA EM PSICOLOGIA NA UNIVERSIDADE LUSÍADA DO PORTO

REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS NA LICENCIATURA EM PSICOLOGIA NA UNIVERSIDADE LUSÍADA DO PORTO REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS NA LICENCIATURA EM PSICOLOGIA NA UNIVERSIDADE LUSÍADA DO PORTO 1. A Universidade Lusíada do Porto organiza, a partir do ano lectivo de 2006-2007, estágios de prática

Leia mais

Modelo Lógico e Físico da Base de Dados

Modelo Lógico e Físico da Base de Dados Modelo Lógico e Físico da Base de Dados Second.UA Settlers Primeiro Modelo Lógico e Físico Modelos Lógicos e Físicos Finais Alterações na Base de Dados Descrição e justificação Após uma análise mais aprofundada

Leia mais

PROCESSO DE AUDITORIA INSTITUCIONAL. Projecto de Manual

PROCESSO DE AUDITORIA INSTITUCIONAL. Projecto de Manual PROCESSO DE AUDITORIA INSTITUCIONAL Projecto de Manual Conselho Consultivo da A3ES 12.04.2011 Sérgio Machado dos Santos A3ES Enquadramento do Projecto de Manual Análise Comparativa dos Processos Europeus

Leia mais

Serviço Comunitário na licenciatura em Psicologia: Um programa com reconhecidas vantagens na qualidade da formação dos futuros psicólogos

Serviço Comunitário na licenciatura em Psicologia: Um programa com reconhecidas vantagens na qualidade da formação dos futuros psicólogos na licenciatura em Psicologia: Um programa com reconhecidas vantagens na qualidade da formação dos futuros psicólogos 1.º Congresso Nacional da Ordem dos Psicólogos 18 a 21 abril 2012 Luísa Ribeiro Trigo*,

Leia mais

PHC dteamcontrol Externo

PHC dteamcontrol Externo PHC dteamcontrol Externo A gestão remota de projectos e de informação A solução via Internet que permite aos seus Clientes participarem nos projectos em que estão envolvidos, interagindo na optimização

Leia mais

QUEM SOMOS. Localização

QUEM SOMOS. Localização EY QUEM SOMOS Prestamos serviços a mais de 3,5 mil clientes 80% das empresas da Fortune Global 500 5.000 profissionais no Brasil 175.000 profissionais no mundo Localização São Paulo (SP), Rio de Janeiro

Leia mais

Abordagem Formativa Web-Based. Success does not happen by accident. It happens by Design.

Abordagem Formativa Web-Based. Success does not happen by accident. It happens by Design. Abordagem Formativa Web-Based Success does not happen by accident. It happens by Design. Objectivo, Processo, Resultado Objectivo desta Apresentação Introduzir as características e benefícios chave de

Leia mais

RESUMO DAS PRINCIPAIS QUESTÕES PARA

RESUMO DAS PRINCIPAIS QUESTÕES PARA A implementação de políticas de apoio a crianças e jovens pertencentes a minorias étnicas que têm o inglês como língua adicional (incluindo a avaliação do impacto de igualdade) Ministério da Educação Janeiro

Leia mais

Um projecto para a Educação. Apoio Institucional

Um projecto para a Educação. Apoio Institucional Um projecto para a Educação Apoio Institucional Gostaria de dotar as suas aulas de uma maior componente prática? E se pudesse ensinar os seus alunos recorrendo a uma solução de gestão líder de mercado?

Leia mais

Indicadores Gerais para a Avaliação Inclusiva

Indicadores Gerais para a Avaliação Inclusiva PROCESSO DE AVALIAÇÃO EM CONTEXTOS INCLUSIVOS PT Preâmbulo Indicadores Gerais para a Avaliação Inclusiva A avaliação inclusiva é uma abordagem à avaliação em ambientes inclusivos em que as políticas e

Leia mais

TECNOLOGIAS DIGITAIS NO ENSINO-APRENDIZAGEM DE LÍNGUAS Cristiana Gomes de Freitas Menezes Martins 1

TECNOLOGIAS DIGITAIS NO ENSINO-APRENDIZAGEM DE LÍNGUAS Cristiana Gomes de Freitas Menezes Martins 1 1 TECNOLOGIAS DIGITAIS NO ENSINO-APRENDIZAGEM DE LÍNGUAS Cristiana Gomes de Freitas Menezes Martins 1 RESUMO O objetivo deste artigo é discutir o uso de tecnologias digitais no ensino-aprendizagem de línguas

Leia mais

O PROFESSOR ONLINE PRÁTICAS PEDAGÓGICAS

O PROFESSOR ONLINE PRÁTICAS PEDAGÓGICAS O PROFESSOR ONLINE PRÁTICAS PEDAGÓGICAS Carvalheiro, Gonçalo goncalocarvalheiro@gmail.com MPEL05 Universidade Aberta Resumo O presente artigo tem como base uma entrevista realizada a uma docente, investigadora

Leia mais

O Centro de Documentação como laboratório de mudança O papel da Gestão da Qualidade

O Centro de Documentação como laboratório de mudança O papel da Gestão da Qualidade O Centro de Documentação como laboratório de mudança O papel da Gestão da Qualidade Paula Ochôa Funchal, Seminário Qualidade em Serviços Públicos 15 de Novembro de 2002 Os serviços de informação na Administração

Leia mais

Atracção e Retenção de Talentos

Atracção e Retenção de Talentos Atracção e Retenção de Talentos FORUM RH 08 O Estado da Arte na Gestão das Pessoas Paula Nanita 18 de Abril de 2008 Atracção Leis de Newton: 1. Todo o corpo continua em repouso ou em movimento rectilíneo

Leia mais

Online Learning communities Baseado no Seminário de Joan Thormann Creating Online Learning communities

Online Learning communities Baseado no Seminário de Joan Thormann Creating Online Learning communities Online Learning communities Baseado no Seminário de Joan Thormann Creating Online Learning communities Nº 171303109 Mestrado em Ciências da educação Informática educacional Online Learning Communities.

Leia mais

Construção, Território e Ambiente. Construction, Planning and Environment. Semestre do plano de estudos 2

Construção, Território e Ambiente. Construction, Planning and Environment. Semestre do plano de estudos 2 Nome UC Construção, Território e Ambiente CU Name Código UC 11 Curso LEC Semestre do plano de estudos 2 Área científica Engenharia Civil Duração Semestral Horas de trabalho 95 ECTS 3.5 Horas de contacto

Leia mais

UAb Session on Institutional Change Students and Teachers. Lina Morgado

UAb Session on Institutional Change Students and Teachers. Lina Morgado UAb Session on Institutional Change Students and Teachers Lina Morgado Lina Morgado l SUMMARY 1 1. Pedagogical Model : Innovation Change 2. The context of teachers training program at UAb.pt 3. The teachers

Leia mais

Diagnóstico de Competências para a Exportação

Diagnóstico de Competências para a Exportação Diagnóstico de Competências para a Exportação em Pequenas e Médias Empresas (PME) Guia de Utilização DIRECÇÃO DE ASSISTÊNCIA EMPRESARIAL Departamento de Promoção de Competências Empresariais Índice ENQUADRAMENTO...

Leia mais

Caracterização. Curso de formação de Línguas Estrangeiras para Fins Específicos. (Francês / Inglês / Alemão / Espanhol / Português p/ Estrangeiros)

Caracterização. Curso de formação de Línguas Estrangeiras para Fins Específicos. (Francês / Inglês / Alemão / Espanhol / Português p/ Estrangeiros) CLEA Curso de Línguas Estrangeiras Aplicadas Pedro Reis _ Janeiro 2005 Caracterização Curso de formação de Línguas Estrangeiras para Fins Específicos (Francês / Inglês / Alemão / Espanhol / Português p/

Leia mais

CONCORRÊNCIA E COMPETITIVIDADE

CONCORRÊNCIA E COMPETITIVIDADE CONCORRÊNCIA E COMPETITIVIDADE Capítulo 7 Balanced Scorecard ÍNDICE 7.1 O que é o Balanced Scorecard 7.2 Indicadores de Ocorrência 7.3 O Método 7.4 Diagramas de Balanced Scorecard Capítulo 7 - BALANCED

Leia mais

A Secretária de Estado dos Transportes. Ana Paula Vitorino

A Secretária de Estado dos Transportes. Ana Paula Vitorino Intervenção de Sua Excelência, A Ana Paula Vitorino por ocasião da Sessão de encerramento da apresentação dos novos serviços online do IMTT Lisboa, 18 de Dezembro de 2008 (vale a versão lida) 1/14 Senhor

Leia mais

Simulação Empresarial ISCA-UA Ano lectivo 2010/2011

Simulação Empresarial ISCA-UA Ano lectivo 2010/2011 ISCA-UA Ano lectivo 2010/2011 é uma unidade curricular da licenciatura em Contabilidade ministrada no Instituto Superior de Contabilidade e Administração da Universidade de Aveiro. A arrancou em 1998 e

Leia mais

IDERANÇA E GESTÃO. Desenvolver competências que permitam acompanhar, motivar, desenvolver e avaliar equipas de trabalho

IDERANÇA E GESTÃO. Desenvolver competências que permitam acompanhar, motivar, desenvolver e avaliar equipas de trabalho L DE PESSOAS IDERANÇA E GESTÃO Desenvolver competências que permitam acompanhar, motivar, desenvolver e avaliar equipas de trabalho Coordenadores e Chefias Intermédias Adquirir técnicas de Liderança, de

Leia mais

Empacotar o software TI-Nspire com o Microsoft SMS 2003

Empacotar o software TI-Nspire com o Microsoft SMS 2003 Empacotar o software TI-Nspire com o Microsoft SMS 2003 Este documento fornece informações detalhadas para criar e implementar um pacote de rede do TI-Nspire com a plataforma do Microsoft SMS 2003. Este

Leia mais

Coordenação de curso e presença social num contexto de aprendizagem online

Coordenação de curso e presença social num contexto de aprendizagem online Educação, Formação & Tecnologias (Maio, 2011), 4 (1), 45 52 Submetido: Fevereiro, 2011 / Aprovado: Abril, 2011 Coordenação de curso e presença social num contexto de aprendizagem online PEDRO BARBOSA CABRAL,

Leia mais

As Demandas do Mercado e dos Especialistas em Carreira Armando Lourenzo - EY

As Demandas do Mercado e dos Especialistas em Carreira Armando Lourenzo - EY em Carreira Armando Lourenzo - EY EY QUEM SOMOS em Carreira Prestamos serviços a mais de 3,5 mil clientes 80% das empresas da Fortune Global 500 5.000 profissionais no Brasil 190.000 profissionais no mundo

Leia mais

REDE TEMÁTICA DE ACTIVIDADE FÍSICA ADAPTADA

REDE TEMÁTICA DE ACTIVIDADE FÍSICA ADAPTADA REDE TEMÁTICA DE ACTIVIDADE FÍSICA ADAPTADA Patrocinada e reconhecida pela Comissão Europeia no âmbito dos programas Sócrates. Integração social e educacional de pessoas com deficiência através da actividade

Leia mais

SENTE FAZ PARTILHA IMAGINA. Kit do Professor

SENTE FAZ PARTILHA IMAGINA. Kit do Professor Kit do Professor A Associação High Play pretende proporcionar a crianças e jovens um Projecto Educativo preenchido de experiências positivas que permitam o desenvolvimento de competências transversais

Leia mais

Formar para a Inovação

Formar para a Inovação Formar para a Inovação Sociedade Portuguesa de Inovação Porto, 28.01.2005 Sociedade Portuguesa de Inovação Sociedade Portuguesa de Inovação Missão A Sociedade Portuguesa de Inovação é uma empresa que tem

Leia mais

Blended Learning. Crie, avalie e lecione usando as melhores práticas e tecnologias de ensino-aprendizagem

Blended Learning. Crie, avalie e lecione usando as melhores práticas e tecnologias de ensino-aprendizagem Blended Learning Crie, avalie e lecione usando as melhores práticas e tecnologias de ensino-aprendizagem Curso ministrado de Londres em Português de Portugal Blended Learning À distância, ao vivo R$580,00

Leia mais

REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS NAS LICENCIATURAS EM RELAÇÕES INTERNACIONAIS E GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS NA UNIVERSIDADE LUSÍADA DO PORTO

REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS NAS LICENCIATURAS EM RELAÇÕES INTERNACIONAIS E GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS NA UNIVERSIDADE LUSÍADA DO PORTO REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS NAS LICENCIATURAS EM RELAÇÕES INTERNACIONAIS E GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS NA UNIVERSIDADE LUSÍADA DO PORTO 1. A Universidade Lusíada do Porto organiza, a partir

Leia mais

Guia de Websites para a Administração Pública

Guia de Websites para a Administração Pública Guia de Websites para a Administração Pública Portugal precisa de um desafio de exigência e de conhecimento que nos eleve aos níveis de competência e de produtividade dos países mais desenvolvidos, de

Leia mais

Dias, Paulo (2004). Comunidades de aprendizagem e formação on-line. Nov@ Formação, Ano 3, nº3, pp.14-17

Dias, Paulo (2004). Comunidades de aprendizagem e formação on-line. Nov@ Formação, Ano 3, nº3, pp.14-17 Comunidades de aprendizagem e formação on-line Paulo Dias Universidade do Minho pdias@iep.uminho.pt Introdução Comunicar e aprender em rede constituem dois aspectos de uma das mais profundas mudanças em

Leia mais

Desenvolvimento de Sistema de Software

Desenvolvimento de Sistema de Software Desenvolvimento de Sistema de Software Grupo 5 Abel Matos 51776 João Amorim 51771 João Guedes 51755 Luís Oliveira 51801 Pedro Reis 51829 Introdução Neste relatório, realizado no âmbito da primeira fase

Leia mais

Design da utilização da Web 2.0 como aprendizagem em contexto num curso formal de pós-graduação

Design da utilização da Web 2.0 como aprendizagem em contexto num curso formal de pós-graduação Design da utilização da Web 2.0 como aprendizagem em contexto num curso formal de pós-graduação Nelson Jorge Universidade Aberta nelsonrjorge@gmail.com Lina Morgado Universidade Aberta lmorgado@univ-ab.pt

Leia mais

MODERNIZAR E MELHORAR AS ESCOLAS ATRAVÉS DAS TIC

MODERNIZAR E MELHORAR AS ESCOLAS ATRAVÉS DAS TIC 30 Dossier Tic Tac Tic Tac MODERNIZAR E MELHORAR AS ESCOLAS ATRAVÉS DAS TIC Texto de Elsa de Barros Ilustração de Luís Lázaro Contribuir para o aumento do sucesso escolar dos alunos, equipando as escolas

Leia mais

Manual de Utilizador. CNCVisual. Julho de 2006. Âmbito do Projecto de 5º Ano de Engenharia Mecânica. Autor: Bruno Lameiro

Manual de Utilizador. CNCVisual. Julho de 2006. Âmbito do Projecto de 5º Ano de Engenharia Mecânica. Autor: Bruno Lameiro Manual de Utilizador CNCVisual Julho de 2006 Âmbito do Projecto de 5º Ano de Engenharia Mecânica Autor: Bruno Lameiro Introdução: A existência do manual de utilizador da aplicação CNCVisual tem como objectivo

Leia mais

GLOSSÁRIO DE FORMAÇÃO

GLOSSÁRIO DE FORMAÇÃO GLOSSÁRIO DE FORMAÇÃO Acolhimento - Acções que visam proporcionar ao colaborador um conjunto de referências e conhecimentos, relacionados com o ambiente organizacional e a função, tendo como objectivo

Leia mais

Cadeira de Tecnologias de Informação. Conceitos fundamentais de sistemas e tecnologias de informação e de gestão do conhecimento.

Cadeira de Tecnologias de Informação. Conceitos fundamentais de sistemas e tecnologias de informação e de gestão do conhecimento. Cadeira de Tecnologias de Informação Ano lectivo 2008/2009 Conceitos fundamentais de sistemas e tecnologias de informação e de gestão do conhecimento. Profª Ana Lucas (Responsável) Mestre Cristiane Pedron

Leia mais

RELATÓRIO FINAL DO PROJECTO TECNOLÓGICO DENATURAL

RELATÓRIO FINAL DO PROJECTO TECNOLÓGICO DENATURAL 13 de Junho de 2011 12º G RELATÓRIO FINAL DO PROJECTO TECNOLÓGICO DENATURAL Professor responsável: - André Ramos Realizado por: - Ana Silvestre - Natacha Domingos - Nicolau Cardoso - Priscila Domingos

Leia mais

Democratize access to the Serious Games

Democratize access to the Serious Games Paris - Annecy - Geneva - Moscow www.itycom.com Democratize access to the Serious Games Customizable Off-the-Shelf Training Modules Serious Games e-learning Multimedia Elements Interactive Comics ITyStudio

Leia mais

MODELOS INTEGRADOS DE COMERCIALIZAÇÃO DA OFERTA: a Central de Reservas Portugal Rural

MODELOS INTEGRADOS DE COMERCIALIZAÇÃO DA OFERTA: a Central de Reservas Portugal Rural I Seminário sobre Turismo Rural e Natureza Diferenciar o Produto, Qualificar a Oferta, Internacionalizar o Sector MODELOS INTEGRADOS DE COMERCIALIZAÇÃO DA OFERTA: a Central de Reservas Portugal Rural TÂNIA

Leia mais

António Amaro Marketing Digital Junho 2014 INTRODUÇÃO E OBJECTIVOS

António Amaro Marketing Digital Junho 2014 INTRODUÇÃO E OBJECTIVOS INTRODUÇÃO E OBJECTIVOS FACTOS A Internet mudou profundamente a forma como as pessoas encontram, descobrem, compartilham, compram e se conectam. INTRODUÇÃO Os meios digitais, fazendo hoje parte do quotidiano

Leia mais

Nestor Almeida da Silva UNIVIMA Universidade Virtual do Estado do Maranhão nestoralmeida2010@hotmail.com

Nestor Almeida da Silva UNIVIMA Universidade Virtual do Estado do Maranhão nestoralmeida2010@hotmail.com Inclusão Social com o Auxílio das TICs na EaD: a experiência do reforço escolar para o Exame Nacional do Ensino Médio nas Escolas Públicas do Estado no Maranhão. Nestor Almeida da Silva UNIVIMA Universidade

Leia mais

E GESTÃO DA BIBLIOTECA ESCOLAR

E GESTÃO DA BIBLIOTECA ESCOLAR THEKA Projecto Gulbenkian Formação de Professores Responsáveis pelo Desenvolvimento de Bibliotecas Escolares POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO E GESTÃO DA BIBLIOTECA ESCOLAR A BIBLIOTECA E A ESCOLA O MESMO CAMINHO

Leia mais

APRENDIZAGEM MULTIMÍDIA NA DISCIPLINA DE LIBRAS SOB A PERSPECTIVA DO ALUNO EAD

APRENDIZAGEM MULTIMÍDIA NA DISCIPLINA DE LIBRAS SOB A PERSPECTIVA DO ALUNO EAD APRENDIZAGEM MULTIMÍDIA NA DISCIPLINA DE LIBRAS SOB A PERSPECTIVA DO ALUNO EAD Erineuda do Amaral Soares 1 Resumo O relato aqui apresentado tem como objetivo compartilhar experiência como discente da disciplina

Leia mais

a) Caracterização do Externato e meio envolvente; b) Concepção de educação e valores a defender;

a) Caracterização do Externato e meio envolvente; b) Concepção de educação e valores a defender; Projecto Educativo - Projecto síntese de actividades/concepções e linha orientadora da acção educativa nas suas vertentes didáctico/pedagógica, ética e cultural documento destinado a assegurar a coerência

Leia mais

O USO D A L O USA E L E T R O NI C A N O E NSIN O D E IN G L ÊS C O M O SE G UND A L ÍN G U A: E M Q U E EST Á G I O EST A M OS?

O USO D A L O USA E L E T R O NI C A N O E NSIN O D E IN G L ÊS C O M O SE G UND A L ÍN G U A: E M Q U E EST Á G I O EST A M OS? O USO D A L O USA E L E T R O NI C A N O E NSIN O D E IN G L ÊS C O M O SE G UND A L ÍN G U A: E M Q U E EST Á G I O EST A M OS? The use of the electronic board for EFL teaching: on which stage are we?

Leia mais

Formulário de preenchimento obrigatório, a anexar à ficha modelo ACC 2

Formulário de preenchimento obrigatório, a anexar à ficha modelo ACC 2 CONSELHO CIENTÍFICO-PEDAGÓGICO DE FORMAÇÃO CONTÍNUA APRESENTAÇÃO DE ACÇÃO DE FORMAÇÃO NAS MODALIDADES DE ESTÁGIO, PROJECTO, OFICINA DE FORMAÇÃO E CÍRCULO DE ESTUDOS Formulário de preenchimento obrigatório,

Leia mais

Criação do OBSERVATÓRIO DE SUSTENTABILIDADE DO OESTE

Criação do OBSERVATÓRIO DE SUSTENTABILIDADE DO OESTE OBSERVATÓRIO DE SUSTENTABILIDADE ENERGÉTICA E AMBIENTAL NOS MUNICÍPIOS ASSOCIADOS DA OESTESUSTENTÁVEL Objectivo Geral: Dotar os municípios associados da OesteSustentável de mecanismos que permitam exercer

Leia mais

Projectos de investigação

Projectos de investigação Teses e Projectos de Investigação 261 Projectos de investigação Software Educativo Multimédia: Estrutura, Interface e Aprendizagem Responsável: Ana Amélia Amorim Carvalho Departamento de Currículo e Tecnologia

Leia mais

USO DA PLATAFORMA MOODLE EM UMA DISCIPLINA PRESENCIAL: PERCEPÇÕES DE ALUNOS E PROFESSORA SOBRE A COMPLEMENTARIDADE DOS

USO DA PLATAFORMA MOODLE EM UMA DISCIPLINA PRESENCIAL: PERCEPÇÕES DE ALUNOS E PROFESSORA SOBRE A COMPLEMENTARIDADE DOS USO DA PLATAFORMA MOODLE EM UMA DISCIPLINA PRESENCIAL: PERCEPÇÕES DE ALUNOS E PROFESSORA SOBRE A COMPLEMENTARIDADE DOS AMBIENTES ONLINE E PRESENCIAL Renata Cristina de Azevedo Borges Peres Projeto Letras

Leia mais

MULTIMÉDIA. Aprendizagem Multimédia. Luís Manuel Borges Gouveia. IM - Instituto Multimédia Porto, 9 de Maio de 1994. Luis Gouveia

MULTIMÉDIA. Aprendizagem Multimédia. Luís Manuel Borges Gouveia. IM - Instituto Multimédia Porto, 9 de Maio de 1994. Luis Gouveia MULTIMÉDIA Aprendizagem Multimédia Luís Manuel Borges Gouveia IM - Instituto Multimédia Porto, 9 de Maio de 1994 Introdução Q Aprendizagem multimédia X Onde a realizar? X Como a concretizar? Q Luís Manuel

Leia mais

Plano T ecnológico Tecnológico d a da E ducação Educação

Plano T ecnológico Tecnológico d a da E ducação Educação Plano Tecnológico da Educação 23 de Julho de 2007 ENQUADRAMENTO Estratégia de Lisboa ME Tornar a Europa a economia baseada no conhecimento mais dinâmica e competitiva do mundo Aumentar a qualidade e a

Leia mais

Bem-vindo ao nosso mundo virtual! Guia do Portal de Ensino à Distância da Get Training 1

Bem-vindo ao nosso mundo virtual! Guia do Portal de Ensino à Distância da Get Training 1 Após uma experiência formativa de mais de 20 anos em formação presencial, e tendo sempre como princípios a inovação e a satisfação do cliente, é com grande satisfação que a Get Training implementa este

Leia mais

PARCERIA ENTRE A EDUCAÇÃO FORMAL E NÃO FORMAL VISANDO INOVAÇÕES CURRICULARES: O ENSINO DE FÍSICA MODERNA A PARTIR DA FÍSICA SOLAR 1

PARCERIA ENTRE A EDUCAÇÃO FORMAL E NÃO FORMAL VISANDO INOVAÇÕES CURRICULARES: O ENSINO DE FÍSICA MODERNA A PARTIR DA FÍSICA SOLAR 1 IX CONGRESO INTERNACIONAL SOBRE INVESTIGACIÓN EN DIDÁCTICA DE LAS CIENCIAS Girona, 9-12 de septiembre de 2013 COMUNICACIÓN PARCERIA ENTRE A EDUCAÇÃO FORMAL E NÃO FORMAL VISANDO INOVAÇÕES CURRICULARES:

Leia mais

PRA. Portefólio Reflexivo de Aprendizagem. A mediadora: Dr.ª Vera Ramos

PRA. Portefólio Reflexivo de Aprendizagem. A mediadora: Dr.ª Vera Ramos PRA Portefólio Reflexivo de Aprendizagem A mediadora: Dr.ª Vera Ramos Portefólio Reflexivo de Aprendizagem é: um conjunto coerente de documentação reflectidamente seleccionada, significativamente comentada

Leia mais

O PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM

O PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM Ao finalizar este tema deverá ser capaz de: - Definir o conceito de aprendizagem - Diferenciar entre aprendizagem e ensino - Definir o conceito de motivação Ao finalizar este tema deverá ser capaz de:

Leia mais

Relatos de Experiências

Relatos de Experiências Relatos de Experiências UMA EXPERIÊNCIANO ENSINO A DISTÂNCIADE QUÍMICAGERAL An experience in distance teaching of General Chemistry Paulo A. Z. Suarez 1 Gerson de S. Mol 2 Melquizedeque B. Alves 3 RESUMO:

Leia mais

EMPRESAS VIRTUAIS. Autor: Pedro Miguel da Silva Fernandes. PDF processed with CutePDF evaluation edition www.cutepdf.com. Pág.

EMPRESAS VIRTUAIS. Autor: Pedro Miguel da Silva Fernandes. PDF processed with CutePDF evaluation edition www.cutepdf.com. Pág. EMPRESAS VIRTUAIS Autor: Pedro Miguel da Silva Fernandes Pág. 1 (de 5) PDF processed with CutePDF evaluation edition www.cutepdf.com EMPRESAS VIRTUAIS Actualmente, vivemos numa época de grandes mudanças

Leia mais

Índice. Enquadramento do curso 3 Estrutura Programática 4. Primeiros passos com o e-best Learning 6. Actividades e Recursos 11

Índice. Enquadramento do curso 3 Estrutura Programática 4. Primeiros passos com o e-best Learning 6. Actividades e Recursos 11 Índice Parte 1 - Introdução 2 Enquadramento do curso 3 Estrutura Programática 4 Parte 2 Desenvolvimento 5 Primeiros passos com o e-best Learning 6 Como aceder à plataforma e-best Learning?... 6 Depois

Leia mais

INSTITUTO POLITÉCNICO VIANA DO CASTELO

INSTITUTO POLITÉCNICO VIANA DO CASTELO INSTITUTO POLITÉCNICO VIANA DO CASTELO ESCOLA SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DE VIANA DO CASTELO Relatório de Concretização do Processo de Bolonha. 2010 (2º Ciclo de Estudos - Ano Lectivo 2009/10) Viana do Castelo,

Leia mais

Ficha de Trabalho: Tema 2

Ficha de Trabalho: Tema 2 Área / UFCD Competência atingir (RA) a CLC5 - Identifica as mais valias da sistematização da informação disponibilizada por via electrónica em contextos socioprofissionais. Nome: Marlene Lourenço Ficha

Leia mais

INDAGAR E REFLECTIR PARA MELHORAR. Elisabete Paula Coelho Cardoso Escola de Engenharia - Universidade do Minho elisabete@dsi.uminho.

INDAGAR E REFLECTIR PARA MELHORAR. Elisabete Paula Coelho Cardoso Escola de Engenharia - Universidade do Minho elisabete@dsi.uminho. INDAGAR E REFLECTIR PARA MELHORAR Elisabete Paula Coelho Cardoso Escola de Engenharia - Universidade do Minho elisabete@dsi.uminho.pt Este trabalho tem como objectivo descrever uma experiência pedagógica

Leia mais

O USO DO TESTE STACK NO ENSINO B-LEARNING

O USO DO TESTE STACK NO ENSINO B-LEARNING O USO DO TESTE STACK NO ENSINO B-LEARNING Cristina M.R. Caridade Instituto Superior de Engenharia de Coimbra caridade@isec.pt Maria do Céu Faulhaber Instituto Superior de Engenharia de Coimbra amorim@isec.pt

Leia mais

Unidade I TECNOLOGIA. Material Instrucional. Profª Christiane Mazur

Unidade I TECNOLOGIA. Material Instrucional. Profª Christiane Mazur Unidade I TECNOLOGIA EDUCACIONAL EM EAD Material Instrucional Profª Christiane Mazur Ensinar Ensinar é, também, a arte de estimular o desejo de saber. EAD - Brasil 1904: Correspondência impressos; 1923:

Leia mais

EXERCÍCIOS DE APLICAÇÃO MÓDULO II UTILIZAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA FORMAÇÃO ONLINE

EXERCÍCIOS DE APLICAÇÃO MÓDULO II UTILIZAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA FORMAÇÃO ONLINE EXERCÍCIOS DE APLICAÇÃO MÓDULO II UTILIZAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA FORMAÇÃO ONLINE MÓDULO II - UTILIZAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA FORMAÇÃO ONLINE Projecto: Kit elearning, SAF/ Novabase, S.A. Equipa

Leia mais

PERFIL DO JOVEM EMPREENDEDOR

PERFIL DO JOVEM EMPREENDEDOR DESCRIÇÃO DOS MÓDULOS E UNIDADES DE PERFIL DO JOVEM EMPREENDEDOR UNIDADES FUNDAMENTAIS QEQ NÍVEL QNQ parceiros HORAS DE PONTOS ECVET UNIDADES GENÉRICAS NÍVEL QEQ QNQ HORAS DE APRENDIZAG EM PONTOS ECVET

Leia mais

A Importância da Inovação Tecnológica na Promoção da Cooperação Internacional

A Importância da Inovação Tecnológica na Promoção da Cooperação Internacional A Importância da Inovação Tecnológica na Promoção da Cooperação Internacional Rita Cadima, Nuno Mangas e João Paulo Marques Instituto Politécnico de Leiria, Portugal rita.cadima@ipleiria.pt nuno.mangas@ipleiria.pt

Leia mais

Comunidadesde Prática

Comunidadesde Prática Comunidadesde Prática Griff Richards, PhD Manager, Educational Technology and Learning Resources PRECA Nairobi, 15 Novembro 2013 Ideias-chave 1. Ninguém sabe tanto quanto toda a gente 2. A moedade trocade

Leia mais

António Amaro Marketing Digital Junho 2014 RESUMO

António Amaro Marketing Digital Junho 2014 RESUMO RESUMO METODOLOGIAS DO MARKETING DIGITAL As marcas e empresas precisam de ser ENCONTRADAS COMPREENDIDAS MEMORÁVEIS METODOLOGIAS DO MARKETING DIGITAL Ciclo de acções dos projectos de PESQUISA OBJECTIVOS

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA COM3º CICLO DE LOUSADA. Avaliação Interna. Questionário aos Pais Encarregados de Educação

ESCOLA SECUNDÁRIA COM3º CICLO DE LOUSADA. Avaliação Interna. Questionário aos Pais Encarregados de Educação ESCOLA SECUNDÁRIA COM3º CICLO DE LOUSADA Avaliação Interna Questionário aos Pais Encarregados de Educação Reconhece-se a importância da família e da sua colaboração no processo educativo. Com este questionário

Leia mais

Junte-se já a nós. Software SMART Board

Junte-se já a nós. Software SMART Board Junte-se já a nós. Software SMART Board Conheça o cerne dos quadros interactivos SMART Board Alguma vez pensou no que torna os quadros interactivos SMART Board tão eficazes? O Software SMART Board o génio

Leia mais

Cadeira de Tecnologias de Informação. Conceitos fundamentais de sistemas e tecnologias de informação e de gestão do conhecimento.

Cadeira de Tecnologias de Informação. Conceitos fundamentais de sistemas e tecnologias de informação e de gestão do conhecimento. Cadeira de Tecnologias de Informação Ano lectivo 2007/08 Conceitos fundamentais de sistemas e tecnologias de informação e de gestão do conhecimento. Prof. Mário Caldeira Profª Ana Lucas Dr. Fernando Naves

Leia mais

LENCASTRE, José Alberto & CHAVES, José Henrique (2006). Uma experiência de b-learning no âmbito da disciplina de tecnologias da imagem do mestrado em

LENCASTRE, José Alberto & CHAVES, José Henrique (2006). Uma experiência de b-learning no âmbito da disciplina de tecnologias da imagem do mestrado em LENCASTRE, José Alberto & CHAVES, José Henrique (2006). Uma experiência de b-learning no âmbito da disciplina de tecnologias da imagem do mestrado em tecnologia educativa da Universidade do Minho. In Alonso,

Leia mais

Avaliar Competência(s). Como e Porquê?

Avaliar Competência(s). Como e Porquê? Avaliar Competência(s). Como e Porquê? Henrique Santos Educador de infância Resumo A frequência de um contexto formal tem-se tornado indispensável para proporcionar às crianças vivências alargadas, relevantes

Leia mais

Questionário. Desenvolvimento Profissional dos Professores

Questionário. Desenvolvimento Profissional dos Professores Questionário Desenvolvimento Profissional dos Professores Com este questionário pretende-se contribuir para o conhecimento de algumas dimensões do desenvolvimento profissional dos professores portugueses,

Leia mais

E q n u q a u dr d a r me m n e t n o S st s e t m e a m d e d e Ge G s e t s ã t o d a d Q u Q a u lida d de

E q n u q a u dr d a r me m n e t n o S st s e t m e a m d e d e Ge G s e t s ã t o d a d Q u Q a u lida d de Sistema de Gestão e de Garantia da Qualidade Agenda Enquadramento Sistema de Gestão da Qualidade Sistema de Garantia da Qualidade 2 Enquadramento Estatutos da ESHTE Prossecução de objectivos de qualificação

Leia mais

Comunicar em segurança protecção de menores na utitilização das TIC

Comunicar em segurança protecção de menores na utitilização das TIC Comunicar em segurança protecção de menores na utitilização das TIC Sustentabilidade social This document is intellectual property of PT and its use or dissemination is forbidden without explicit written

Leia mais

Eymard Francisco Brito de Oliveira - Universidade Vale do Rio Verde de Três Corações - Doutorado

Eymard Francisco Brito de Oliveira - Universidade Vale do Rio Verde de Três Corações - Doutorado Projeto: EFICÁCIA DO ENSINO À DISTÂNCIA NO APRENDIZADO DE TÉCNICAS OPERATÓRIAS VÍDEO-LAPAROSCÓPICAS BÁSICAS POR PARTE DE ALUNOS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA Eymard Francisco Brito de Oliveira - Universidade

Leia mais

AVALIAÇÃO EXTERNA DO DESEMPENHO DOCENTE CLASSIFICAÇÃO

AVALIAÇÃO EXTERNA DO DESEMPENHO DOCENTE CLASSIFICAÇÃO AVALIAÇÃO EXTERNA DO DESEMPENHO DOCENTE CLASSIFICAÇÃO DIREÇÃO-GERAL DA ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR OBJETIVOS Enquadrar, em termos legislativos, a classificação da avaliação externa do desempenho docente; Explicitar

Leia mais

A UTILIZAÇÃO DE FERRAMENTAS DE INTERAÇÃO EM DISCIPLINAS TOTALMENTE ONLINE NOS CURSOS DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA: UM ESTUDO DE CASO

A UTILIZAÇÃO DE FERRAMENTAS DE INTERAÇÃO EM DISCIPLINAS TOTALMENTE ONLINE NOS CURSOS DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA: UM ESTUDO DE CASO A UTILIZAÇÃO DE FERRAMENTAS DE INTERAÇÃO EM DISCIPLINAS TOTALMENTE ONLINE NOS CURSOS DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA: UM ESTUDO DE CASO Miguel León González miguel.leon@cruzeirodosul.edu.br Samuel Dereste dos

Leia mais