EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO PARA SELEÇÃO DE PROJETOS PARA APOIO À PROMOÇÃO TURÍSTICA INTERNACIONAL DE FESTAS JUNINAS.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO PARA SELEÇÃO DE PROJETOS PARA APOIO À PROMOÇÃO TURÍSTICA INTERNACIONAL DE FESTAS JUNINAS."

Transcrição

1 EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO PARA SELEÇÃO DE PROJETOS PARA APOIO À PROMOÇÃO TURÍSTICA INTERNACIONAL DE FESTAS JUNINAS. EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO Nº 003/2013 PARA A UTILIZAÇÃO DE RECURSOS EM INICIATIVAS DE PROMOÇÃO INTERNACIONAL DE DESTINOS TURÍSTICOS COM RELEVÂNCIA NAS FESTAS JUNINAS. O Presidente da EMBRATUR - Instituto Brasileiro de Turismo, no uso de suas atribuições conferidas pelo art. 4º da Lei n , de 28 de março de 1991, art. 14 da Estrutura Regimental, aprovada pelo Decreto nº 6.916, de 29 de julho de 2009, e art. 5 do Regimento Interno aprovado pela Portaria MTur nº 108, de 30 de junho de 2011, torna público o presente Edital e faz saber que a Autarquia receberá propostas para habilitação de órgãos e entidades de turismo estaduais, municipais e do Distrito Federal que poderão receber apoio financeiro para execução de projetos nos termos estabelecidos em conformidade com este Edital, sujeitando-se ao Decreto nº 6.170, de 25 de julho de 2007 à Portaria Interministerial MP/MF/CGU nº 507, de 24 de novembro de 2011, à Lei nº 8.666, de 21 de junho de 1993, à Lei nº , de 04 de abril de 2013 e à Lei de Diretrizes Orçamentárias vigente, no que couberem: CAPÍTULO I 1. DO OBJETO: O presente edital tem por objeto a seleção de propostas a serem apresentadas por órgãos e entidades de turismo estaduais, municipais e do Distrito Federal, aptas a receberem recursos financeiros por meio de convênios, para apoio a projetos de promoção internacional de suas FESTAS JUNINAS, em mercados prioritários internacionais, conforme as diretrizes e objetivos estabelecidos na Política Nacional do Turismo PNT, prevista na Lei nº , de 17 de setembro de 2008, no Plano Aquarela Marketing Turístico Internacional e em conformidade com as condições estabelecidas neste edital. 1

2 1.1 JUSTIFICATIVA: A realização da Copa do Mundo FIFA em 2014 coloca o Brasil em evidência na mídia internacional nos próximos anos, grande vitrine para que destinos turísticos com potencial de atratividade internacional, por meio da singularidade e notoriedade de sua cultura, possam ampliar o conhecimento, a diversificação da promoção e da comercialização de produtos e serviços turísticos a serem inseridos no rol dos roteiros antes, durante e pós-evento. A multifacetada cultura brasileira desperta grande interesse para que os turistas estrangeiros conheçam regiões e destinos diversificados, notadamente pela variedade de manifestações que ocorrem em determinada época do ano, a exemplo das festas juninas. Este interesse se intensifica e gera uma relação de proximidade com países que mantêm fortalecido o elo de amizade e de curiosidade em relação aos principais atributos que fazem o povo brasileiro tão distinto junto aos segmentos de públicos internacionais: sua alegria e sua riqueza cultural. Neste sentido, torna-se imprescindível aumentar o conhecimento sobre a pluralidade das manifestações culturais, neste caso, os Festejos Juninos, que acontecem nas regiões do Brasil. A diversidade dos festejos entre as regiões brasileiras poderá se tornar o grande fator de atratividade junto aos mercados de interesse, motivados por ações de promoção deflagradas desde junho deste ano. Para efeitos deste Chamamento Público, consideram-se como Festas Juninas as manifestações da cultura popular que se realizam durante o mês de junho. Essas festas se apresentam de diferentes formas em todo o Brasil, como Festas dos Santos da Igreja Católica (São Pedro, Santo Antônio e São João), Festivais Folclóricos de Boi e Quadrilhas Juninas, etc. 2. DAS CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO 2.1. Podem participar do processo seletivo os projetos dos eventos que atenderem às condições deste Chamamento Público, podendo ser apresentados por órgãos e entidades de turismo estaduais, municipais e do Distrito Federal que possuam capacidade técnica e administrativa comprovada e que atendam aos critérios dispostos na Portaria Interministerial MP/MF/CGU nº 507, de 24 de novembro de Com vistas a contemplar o maior número de destinos turísticos detentores de Festas Juninas, fica estabelecido que cada órgão ou entidade poderá inscrever uma única proposta, contemplando uma única festa A participação no processo de seleção implicará ao interessado: 2

3 Observância dos critérios obrigatórios e responsabilidade pela fidelidade, legitimidade das informações e dos documentos apresentados; Aceitação plena e irrevogável de todos os termos, cláusulas e condições constantes neste Chamamento Público e seus Anexos: I, (Tabela 1); II (Tabela 2),III (Tabela 3), IV e V; Inserção da proposta no SICONV com toda documentação completa, conforme disposto no item DAS DATAS, PRAZOS, CONDIÇÕES, LOCAL E FORMA DE APRESENTAÇÃO DAS PROPOSTAS. 3.1 Primeira Fase: Cadastramento e Envio das Propostas a. Cadastramento de Propostas no Sistema de Gestão de Convênios e Contratos de Repasse do Governo Federal (SICONV); b. Publicação do edital de Chamamento Público 09/10/13 c. Período previsto para a Primeira Fase: 10/10 /2013 a 24 /10 / Segunda Fase: Habilitação das Propostas a. Análise preliminar e habilitação das Propostas enviadas e inseridas no SICONV. b. Período previsto para a Segunda Fase: 25/10/2013 a 29 /10/2013; c. Publicação do resultado da fase de habilitação: 30/10/2013; d. Prazo para recebimento e análise dos recursos: 31/10/2013 a 04/11/2013; e. Publicação do resultado dos recursos: 05/11/ Terceira Fase: Avaliação e Classificação das Propostas a. Análise técnica e classificação das Propostas, conforme Capítulo IV, do presente Edital; b. Período previsto para a Terceira Fase: 06/11 /2013 a 14 /11 /2013; c. Publicação do resultado da fase de Avaliação e Classificação das Propostas: 18/11/2013; d. Prazo para recebimento e análise dos recursos: 19/11/2013 a 25/11/

4 e. Publicação do resultado final do julgamento das Propostas: 26/11/ Quarta Fase: Formalização de Convênios a. Análise das propostas classificadas; b. Formalização de Convênios, conforme item 13, do presente Edital;. c. Período previsto para a Quarta Fase: 27/11/2013 a 13/12/2013. CAPÍTULO II 4. PRIMEIRA FASE: CADASTRAMENTO E ENVIO DAS PROPOSTAS. 4.1 As Propostas deverão ser apresentadas conforme os seguintes critérios: Constar o valor dos recursos a serem pleiteados, no valor mínimo de R$ ,00 (cem mil reais) até o valor máximo de R$ ,00 (trezentos mil reais), proporcionais ao número e tipos de ações que poderão ser apoiadas, conforme item 12, Das Modalidades de Promoção e item 5, do Anexo IV deste Edital. Os valores, em referência, não abrangem a contrapartida estabelecida no item O período para o cadastramento e envio da Proposta para análise, no Sistema de Gestão de Convênios e Contratos de Repasse do Governo Federal (SICONV) no Programa nº , será das 08h00 do dia 10/10/ 2013 às 23h59 do dia 24/10/2013, horário de Brasília; O Termo de Referência a ser devidamente preenchido conforme modelo disponível no sítio eletrônico: na aba serviço de publicidade, deverá estar acompanhado da documentação comprobatória, obedecendo às exigências legais da Portaria Interministerial 507 de 2011; Ao final do cadastramento da proposta, a entidade proponente deverá, obrigatoriamente, enviá-la para Análise, gerando o status de "Proposta/Plano de Trabalho enviado em Análise e, enviar mensagem via correio eletrônico para informando o status da proposta; Caso haja necessidade de alterações na proposta, com status Proposta/Plano de Trabalho enviado em Análise dentro do prazo previsto 4

5 no item 3.1, a entidade proponente deverá encaminhar para: solicitando reabertura da proposta, indicando o número da proposta, a entidade proponente, o responsável técnico e o motivo da alteração; A EMBRATUR não se responsabilizará por inscrições incompletas devido aos problemas específicos dos proponentes ou falhas tecnológicas do sistema e de envio da Proposta; Não serão recebidas, em hipótese alguma, Propostas por ou impressas via postal. 5. DAS VEDAÇÕES Não serão analisadas as Propostas que: a. forem inseridas no SICONV fora do prazo estabelecido no item 4.1.2; b. forem inseridas no SICONV, independente do período indicado no item 3.1, em Programa divergente do estabelecido no item 4.1.2; c. forem inseridas no SICONV e não enviadas para análise conforme indicado no item CAPÍTULO III 6. SEGUNDA FASE: HABILITAÇÃO DAS PROPOSTAS. 6.1 CRITÉRIOS TÉCNICOS Considerando as Propostas cadastradas, encaminhadas e enviadas para "Análise", dentro do prazo e do Programa, bem como as condições fixadas nos Capítulos anteriores estabelecidos neste Edital, a EMBRATUR procederá às referidas análises, observando o seguinte: Propostas no SICONV: O objetivo da proposta deverá ser necessariamente a promoção da festa junina, que acontece em seu estado e/ou município, em mercados internacionais prioritários definidos no Plano Aquarela Marketing Turístico Internacional (Anexo IV Briefing). Propostas que não 5

6 estiverem em conformidade com este item serão desconsideradas e rejeitadas A Proposta/Plano de Trabalho inserida no SICONV deverá conter, obrigatoriamente, os itens abaixo: a) Aba Dados; a.1) Capacidade Técnica e Gerencial, contendo: b) Aba Crono Físico; a.1.1) Declaração de Capacidade Técnico-Operativa c) Aba Crono Desembolso; d) Aba Plano de Aplicação Detalhado; e) Aba Projeto Básico/Termo de Referência, contendo: e.1) identificação do projeto; e.2) identificação do proponente; e.3) identificação do representante legal; e e.4) conteúdo do projeto limitado a 10 laudas: 1) apresentação (resumo do projeto); 2) objetivo (objetivos gerais são aqueles definidos como mais amplos da ação pretendida; específicos/metas aqueles que contribuem para o cumprimento do objetivo geral); 3) justificativa (caracterização do interesses recíprocos, explicitando os benefícios sociais e/ou econômicos para a comunidade local/estado/país (impactos) e os resultados (quantitativos e qualitativos) esperados com a realização da promoção das Festas Juninas; 4) descrição detalhada do projeto - estratégia de ação (demonstração de como serão realizadas as ações, com descritivo necessário dos procedimentos técnicos e operacionais à concretização de cada meta prevista, com uma sequencia lógica entre elas); 5) público alvo (informar para quem serão dirigidas as ações, destacando a importância do público alvo no âmbito do projeto) 6) valor (planilha orçamentária, com detalhamento dos custos unitários e totais, considerando os preços praticados no mercado, apurados junto, a no mínimo, três fornecedores); 6

7 7) cronograma de execução físico-financeiro; 8) contrapartida financeira. O termo de referência deverá ser elaborado, digitalizado e inserido na aba Projeto Básico/Termo de Referência, em papel timbrado, contendo identificação do proponente, CNPJ, endereço e telefone, fac-símile, endereço eletrônico do proponente e do representante legal, impresso com numeração sequencial de página, em português, salvo quanto a expressões técnicas de uso corrente, sem emendas e rasuras, rubricado em todas as laudas, contendo a data, assinatura e identificação clara do signatário (representante legal) na última lauda. A lauda (um dos lados da folha de papel) deve ter o seguinte formato padrão: Margem superior: 3,0 cm Margem inferior: 2,0 cm Margem direita: 2,0 cm Margem esquerda: 3,0 cm Entre linhas (espaço): 1,5 cm Fonte: 12 Tipo: Arial Formato de papel: A4 Cor do papel: branca f) Aba Anexos, f.1) Declaração de Disponibilidade de Contrapartida com indicação da previsão na lei orçamentária do estado/município; f.2) Orçamentos em papel timbrado do fornecedor, devidamente detalhados, contendo as seguintes informações: Nome da Empresa; CNPJ; Inscrição Estadual Registro no CADASTUR (para cotação de prestadores de serviços turísticos: meio de hospedagem, transportadora, operadoras e agências de viagens); Endereço completo, telefone, endereço eletrônico; 7

8 Data de emissão e validade da proposta; Assinatura, nome e cargo do responsável pelo orçamento. f.3) Orçamentos no caso de serviços contratados no exterior deverão ser apresentados pelo proponente no SICONV, em papel timbrado do fornecedor, devidamente detalhados, contendo as seguintes informações: Endereço completo, telefone e endereço eletrônico; Data de emissão e validade da proposta; Assinatura, nome e cargo do responsável pelo orçamento. 6.2 DA HABILITAÇÃO Serão consideradas habilitadas e aptas a passar para a Terceira Fase do processo (Avaliação e Classificação) as propostas que apresentarem, na sua totalidade, as informações e documentos estabelecidos no Anexo 1, Tabela Após a finalização da habilitação, a EMBRATUR publicará a lista de projetos habilitados no sítio eletrônico: na aba serviço de publicidade e no SICONV. 6.3 DOS RECURSOS DA HABILITAÇÃO O prazo para a interposição de recursos para a segunda Fase do Processo Seletivo será de 3 (três) dias úteis, a partir da data da publicação da lista das propostas habilitadas, conforme item do presente Edital Os recursos deverão ser encaminhados para o em documento digitalizado, oficial, com identificação e assinatura do dirigente máximo da entidade, ou representante legal devidamente constituído, contendo os itens contestados e as respectivas justificativas e argumentações necessárias Os recursos apresentados fora do prazo estabelecido no item não serão aceitos A EMBRATUR, por meio do Comitê Técnico, analisará os recursos interpostos e divulgará o resultado no sítio eletrônico: 8

9 na aba serviço de publicidade, bem como informará no SICONV, por meio da proposta analisada (Aba Pareceres ) a partir do dia 05/11/2013. CAPÍTULO IV 7. TERCEIRA FASE: AVALIAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DAS PROPOSTAS. 7.1 DA PONTUAÇÃO A comissão avaliadora apreciará somente as propostas selecionadas na Segunda Fase Habilitação das Propostas; A avaliação será efetivada pela adoção de critérios de pontuação de acordo com os elementos que caracterizam a Festa Junina e suas condições de promoção internacional, conforme os valores descritos abaixo: a) Quanto às condições de promoção internacional da Festa Junina, serão avaliados os critérios definidos no Anexo II, Tabela 2: conteúdo da festa que conste em sítio eletrônico, comprovado por meio de captura de tela da página principal em idioma estrangeiro 05 pontos; conteúdo da festa que conste em sítio eletrônico, comprovado por meio de captura de tela da página principal no idioma oficial do país onde se pretende fazer a promoção 05 pontos; banco de imagens da festa junina, comprovado por meio de cópia escaneada ou cópia digital 05 pontos; imagens em mídia digital, comprovadas por meio de cópia digital e cópia do termo de tempo de uso 10 pontos; vídeo da festa, disponível no idioma dos países onde pretende fazer a promoção, comprovada por meio de cópia digital 10 pontos folheteria da festa em língua estrangeira, comprovada por meio de cópia de exemplares das peças em outros idiomas 10 pontos; folheteria da festa no idioma dos países onde se pretende fazer a promoção, comprovada por meio de cópia de exemplares das peças em outros idiomas 10 pontos; Festa realizada em município que seja um dos 65 destinos indutores do Turismo Brasileiro, comprovado por meio da lista do Ministério do Turismo 5 pontos; 9

10 Festa que tenha pacotes anunciados por operadoras turísticas ou agências de viagens regional, nacional e/ou internacional, comprovado por meio de apresentação de anúncio em veículo regional, nacional ou internacional, como também por meio de catálogos de operadoras ou agências de viagens nacional e internacional: o o o regional 2,5 pontos; nacional 5,0 pontos; internacional 10 pontos. capacidade hoteleira do destino onde a festa é realizada e/ou entorno comprovada por meio da relação de hotéis cadastrados no CADASTUR. o de 1 a 5 mil leitos 2,5 pontos; o de 5,01 a 10 mil leitos 5,0 pontos; o acima de 10,01 mil leitos 10 pontos. b) Quanto à atratividade da Festa Junina para a Promoção Internacional serão avaliados os critérios definidos no Anexo III, Tabela 3: Notoriedade ou reconhecimento a ser comprovado por meio de clipping (cópia de matérias de revistas, jornais, mídia de rádio, TV e redes sociais) de edição anterior. o Regional 2,5 pontos; o Estadual 5,0 pontos; o Nacional 10 pontos. Porte da festa, a ser comprovado pela apresentação de documento de registro na prefeitura (polícia militar ou corpo de bombeiros), relatórios de realização do evento, documentários sobre a festa e artigos de jornais e revistas: o festa de pequeno porte: conta com a participação de até 10 mil pessoas 2,5 pontos; o festa de médio porte: conta com a participação de 10,01 a 20 mil pessoas 5,0 pontos. o festa de grande porte: conta com a participação acima de 20,01 mil pessoas 10 pontos; 10

11 Número de edições ininterruptas, a serem comprovadas por meio de material de divulgação da festa: o Entre 3 a 5 edições 1,25 pontos; o Entre 6 a 10 edições 2,5 pontos; o Acima de 10 edições 5,0 pontos. Calendário de eventos turísticos municipal, estadual ou nacional comprovado por meio de cópia da publicação do calendário de eventos o Festa que conste no calendário de eventos turísticos municipal, 1,25 pontos; o Festa que conste no calendário de eventos turísticos estadual 2,5 pontos; o Festa que conste no calendário de eventos turísticos nacional 5,0 pontos. c) Para as Notas serão atribuídos os seguintes pesos: Peso 1: informações de baixa prioridade para a geração de fluxo turístico internacional (existência de banco de imagens e de vídeo); Peso 2: informações de média prioridade para a geração de fluxo turístico internacional ( folheteria, website, imagem em mídia digital, destinos indutores do turismo brasileiro, porte da festa, calendário de eventos turísticos e número de edições ininterruptas da festa); Peso 3: informações de alta prioridade para a geração de fluxo turístico internacional; conjunto de informações que caracterizam os festejos juninos e são constituintes da promoção internacional (oferta hoteleira, operadoras turísticas ou agências de turismo, notoriedade/ reconhecimento nacional) DA CLASSIFICAÇÃO E SELEÇÃO DAS PROPOSTAS As propostas serão julgadas por Comitê Técnico Deliberativo instalado pela Portaria nº 119, de 20 de setembro de 2013 EMBRATUR, por nomeação da Presidência, com base nos critérios estabelecidos nas Tabelas 02 e 03, respectivamente dos Anexos II e III, pontuação esta que somada representará a nota final do projeto. 11

12 7.2.2 As propostas serão classificadas em ordem decrescente conforme pontuação final obtida pela Nota Final, contida na Tabela 3, Anexo Serão selecionadas todas as propostas, obedecendo à ordem de classificação final e cuja soma não exceda o limite de R$ ,00, observado o item DOS CRITÉRIOS DE DESEMPATE 8.1 Como critério de desempate, será considerada: 9 DO RESULTADO a.) a maior pontuação obtida no item 7.1.2, letra b, quanto à atratividade da festa junina para a promoção internacional, Anexo III, tabela 3; b.) permanecendo o empate, prevalecerá a maior nota obtida no critério 3.3, da tabela 3, Anexo III; c.) persistindo o empate, o comitê técnico realizará sorteio. 9.1 As propostas classificadas, de acordo com a pontuação estabelecida no item 7, serão encaminhadas para a Quarta Fase (Formalização de Convênios), do presente Edital. 9.2 O resultado deste Chamamento Público será publicado até o dia 18/11/2013 no sítio eletrônico: na aba serviço de publicidade e no SICONV. 10. DOS RECURSOS DA AVALIAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DAS PROPOSTAS O prazo para a interposição de recursos para a Terceira Fase do Processo Seletivo (Avaliação e Classificação das Propostas) será de 5 (cinco) dias úteis, a partir da data da publicação da lista das propostas classificadas, conforme item 9.1 do presente Edital Os recursos deverão ser encaminhados para o em documento digitalizado, oficial, com identificação e assinatura do dirigente máximo da entidade, ou representante legal devidamente constituído, contendo os itens contestados e as respectivas justificativas e argumentações necessárias. 12

13 10.3. Os recursos apresentados, fora do prazo estabelecido no item 3.3, letra d, não serão aceitos A EMBRATUR, por meio do Comitê Técnico, analisará os recursos interpostos e divulgará o resultado no sítio eletrônico: na aba serviço de publicidade, bem como informará no SICONV, por meio da Proposta analisada (Aba Pareceres ) a partir do dia 26/11/ DAS CONDIÇÕES PARA RECEBER TRANFERÊNCIAS VOLUNTÁRIAS Para a celebração dos convênios, objeto deste edital, os proponentes devem estar aptas a atender a todas as exigências previstas na legislação vigente e aplicáveis às transferências voluntárias de recursos do Orçamento Geral da União, em especial as determinações da Portaria Interministerial MP/MF/CGU nº 507, de 24 de novembro de A contrapartida deverá ser exclusivamente financeira e será estabelecida em termos percentuais, conforme o artigo 57 da Lei nº , de 17 de agosto de 2012 (Lei de Diretrizes Orçamentária - LDO), considerando-se a capacidade financeira da respectiva unidade beneficiada e seu Índice de Desenvolvimento Humano IDH; No caso dos Municípios: a. 2% (dois por cento) para Municípios com até cinquenta mil habitantes; b. 4% (quatro por cento) para Municípios acima de cinquenta mil habitantes localizados nas áreas prioritárias definidas no âmbito da Política Nacional de Desenvolvimento Regional - PNDR, nas áreas da Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste - SUDENE, da Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia - SUDAM e da Superintendência do Desenvolvimento do Centro-Oeste - SUDECO; e c. 8% (oito por cento) para os demais No caso dos Estados e do Distrito Federal: 13

14 a. 5% (cinco por cento) se localizados nas áreas prioritárias definidas no âmbito da PNDR, nas áreas da SUDENE, SUDAM e SUDECO; b. 10% (dez por cento) para os demais. 12. DAS MODALIDADES DE PROMOÇÃO As ações previstas no projeto deverão ocorrer obrigatoriamente em um ou mais dos 17 mercados prioritários definidos pela EMBRATUR, conforme item 4 do Anexo IV Briefing As ações que poderão ser apoiadas são: a. Produção de material promocional b. Campanha Publicitária c. Realização de Eventos no exterior 12.3 As propostas deverão seguir as orientações constantes do item 5 do Anexo IV Briefing deste Edital. 13. QUARTA FASE - DA FORMALIZAÇÃO DO CONVÊNIO Após a aprovação dos projetos, a EMBRATUR promoverá os procedimentos internos necessários para a formalização de convênios, conforme legislação vigente, para as entidades indicadas no item Sem prejuízo das demais vedações do art. 52 da Portaria Interministerial MP/MF/CGU nº 507/2011 e LDO vigente, não poderão ser realizadas, com recursos repassados pelo Concedente, despesas com: a) elaboração da proposta; b) pagamento de diárias e passagens a militares, servidores públicos da ativa e empregados públicos, por intermédio de convênios ou instrumentos congêneres firmados com entidades de direito privado ou com órgãos ou entidades de direito público, considerando-se a exceção prevista no inciso VIII do 1º, do art. 20 da Lei nº , de 12 de agosto de LDO; c) pagamento, a qualquer título, a militar ou a servidor público da ativa, ou a empregado de empresa pública ou de sociedade de economia mista, por serviços prestados, inclusive consultoria, assistência técnica ou assemelhados, à conta de quaisquer fontes de recursos, 14

15 considerando-se a exceção prevista no inciso VI do 1º, do art. 20 da Lei nº , de 12 de agosto de LDO; d) pagamento, a qualquer título, a empresas privadas que tenham em seu quadro societário servidor público da ativa, ou empregado de empresa pública ou de sociedade de economia mista, por serviços prestados, inclusive consultoria, assistência técnica ou assemelhados; e) taxa de administração, de gerência ou similar; e f) publicidade, salvo as de caráter educativo, informativo ou de orientação social, que não contenham nomes, símbolos ou imagens que caracterizem promoção pessoal. 14. DOS RECURSOS FINANCEIROS 14.1 A origem dos recursos será o orçamento da EMBRATUR nas ações abaixo relacionadas: a. PO Promoção, Marketing e Apoio à Comercialização no Mercado Europeu. b. PO Promoção, Marketing e Apoio à Comercialização no Mercado Norte Americano. c. PO Promoção, Marketing e Apoio à Comercialização no Mercado Latino Americano. d. PO Promoção, Marketing e Apoio à Comercialização em Outros Mercados Para as propostas selecionadas, será destinado o valor total de R$ ,00 (três milhões de reais) que atenderá projetos a partir de R$ ,00 (cem mil reais) até R$ ,00 (trezentos mil reais) pelo proponente A contrapartida deverá obedecer ao art. 57 da Lei nº /2012, conforme item As datas previstas no presente edital e os repasses de recursos estão condicionados à liberação orçamentária e financeira do Orçamento da União. 15. DISPOSIÇÕES GERAIS 15.1 As questões não previstas neste Edital serão decididas pela EMBRATUR, por meio do Comitê Técnico. 15

16 15.2 A presente Chamada Pública poderá ser revogada, anulada, no todo ou em parte, por motivo de interesse público ou exigência legal, sem que isso implique direito a indenização ou reclamação de qualquer natureza A qualquer tempo, a presente Chamada Pública poderá sofrer alterações no que diz respeito aos prazos estabelecidos, no todo ou em parte, por motivo de interesse público ou exigência legal, sem que isso implique direito a indenização ou reclamação de qualquer natureza A EMBRATUR não se responsabiliza pelas inscrições que não forem enviadas por falta de energia elétrica, problemas no servidor web, na transmissão de dados, na linha telefônica ou em provedores de acesso dos usuários, por casos fortuitos ou de força maior, bem como pelas inscrições que apresentarem dados incorretos, incompletos ou inverídicos e, ainda, os que não apresentarem a correta documentação, cabendo à entidade proponente assegurar-se do correto envio da Proposta, observando, assim, a instrução dos procedimentos previstos neste Edital para os casos em questão O ato de cadastramento e envio das Propostas pelas entidades proponentes pressupõe a plena concordância com os termos deste Edital Todo o processo de seleção ficará à disposição dos interessados no Sistema de Gestão de Convênios e Contratos de Repasse do Governo Federal (SICONV) Todas as propostas recebidas dos proponentes serão tratados como confidenciais pela EMBRATUR, até a divulgação do resultado Constituem anexos do presente edital: ANEXO I Habilitação da Proposta: Tabela 1 ANEXO II Critérios de Avaliação e Classificação das Propostas (Tabela 2: Condições de Promoção Internacional da Festa Junina) ANEXO III Critérios de Avaliação e Classificação das Propostas (Tabela 3: Atratividade da Festa Junina para a promoção internacional) ANEXO IV Briefing ANEXO V Minuta de Convênio 15.9 Os esclarecimentos acerca do conteúdo desta chamada poderão ser obtidos através do Brasília, de outubro de Flavio Dino Presidente 16

17 1.1. Consta Justificativa? ANEXO I HABILITAÇÃO DA PROPOSTA TABELA 1 Itens de Habilitação SIM NÃO 1.2. Consta objeto de convênio descrito de forma clara? 1.3. Consta declaração de capacidade técnica e gerencial? 1.4. Consta Termo de Referência preenchido, identificado e assinado? 1.5. Consta valor da proposta do Termo de Referência? 1.6. Consta orçamentos (mínimo 3 orçamentos para cada item/despesa) 1.7. Os objetivos estão expostos de maneira clara e sucinta? 1.8. Os objetivos expressam os resultados que se pretende atingir? 1.9. O projeto atende as recomendações propostas no Anexo IV Briefing para ações e mercados selecionados a) A proposta será considerada HABILITADA se todos os itens forem marcados na coluna SIM. b) A proposta será considerada INABILITADA se pelo menos um dos itens for marcado na coluna NÃO. 17

18 ANEXO II - CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO E CLASSIFICACÃO DAS PROPOSTAS Tabela 2 Condições de Promoção Internacional da Festa Junina Categoria de avaliação Descrição da Categoria Total de pontos Peso Nota Parcial 2.1. Website a) Possui sítio eletrônico disponível, comprovado por meio de captura de tela da página principal em idioma estrangeiro? b) Possui sítio eletrônico, comprovado por meio de captura de tela da página principal, no idioma oficial do país onde se pretende fazer a promoção? a) Possui banco de imagens das Festas Juninas, comprovada por meio de cópias escaneadas? Banco de imagens/vídeo b) Possui imagem em mídia digital, comprovada por meio de cópia e cópia do termo de tempo de uso? c) Possui vídeo das Festas Juninas disponível no idioma dos países onde pretende fazer a promoção, comprovado por meio de cópia digital? a) Possui folheteria das Festas Juninas disponível em idioma estrangeiro, comprovada por meio de cópia de exemplares das peças em outros idiomas Folheteria b) Possui folheteria das Festas Juninas disponível no idioma dos países onde se pretende fazer a promoção, comprovada por meio de exemplares, no idioma oficial do país onde a ação ocorrerá? Destino Indutor do Turismo Brasileiro O Município (destino) onde se realiza a festa faz parte dos 65 destinos indutores do Turismo Brasileiro, comprovado por meio

19 da lista do Ministério do Turismo? 2.5. Operadoras turísticas ou agências de turismo que anunciam em veículos de comunicação ou em catálogos turísticos da festa junina, comprovadas por meio de apresentação de anúncios e de catálogos de operadoras ou agências de viagens 2.6. Capacidade hoteleira (número de leitos - mil), comprovada por meio da relação de hotéis cadastrados no CADASTUR Nível Pontos Regional 2,5 Nacional 5 Internacional 10 Intervalo Pontos De 1 a 5 2,5 De 5,01 a 10 5 Acima de 10, NOTA TOTAL: 19

20 ANEXO III - CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO Tabela 3 Atratividade da Festa Junina para a promoção internacional 3.1. Notoriedade/reconhecimento, a ser comprovado por meio de Clipping de edições anteriores Abrangência Pontos Regional 2,5 Estadual 5,0 Nacional 10 Peso 3 Nota Parcial 3.2. Porte da Festa (em número de mil), a ser comprovada pela apresentação de documentos de registro na Prefeitura, relatórios de realização do evento, documentários sobre a festa e artigos de jornais e de revistas Intervalo Pontos Pequeno Até 10 2,5 Médio - De 10,01 até 5,0 20 Grande - Acima de Peso 2 Nota Parcial 3.3. Edições ininterruptas da Festa, comprovada por meio de material de divulgação da festa Intervalo Pontos De 3 a 5 1,25 De 6 a 10 2,5 Acima de 10 5,0 Peso 2 Nota Parcial 3.4. Calendário de eventos turísticos, comprovada por meio de cópia da publicação do Calendário de eventos Abrangência Pontos Municipal 1,25 Estadual 2,5 Nacional 5,0 Peso 2 Nota Parcial NOTA TOTAL: A nota final da Proposta será obtida pela soma da Nota Total da Tabela 2 com a Nota Total da Tabela 3 (NT2+NT3) NOTA FINAL 20

21 ANEXO IV - BRIEFING PROMOÇÃO INTERNACIONAL DOS PRINCIPAIS DESTINOS TURISTICOS NO ÂMBITO DAS FESTAS JUNINAS 1. PROPOSTA A realização da Copa do Mundo FIFA tm em 2014, coloca o Brasil em evidência na mídia internacional nos próximos anos. É a grande vitrine para que destinos turísticos com potencial de atratividade internacional, por meio da singularidade e notoriedade de sua cultura, possam ser inseridos no rol dos roteiros alternativos e diversificados antes, durante e pós-evento. A multifacetada cultura brasileira exerce um grande interesse por parte dos turistas estrangeiros em conhecerem regiões e destinos diversificados, notadamente pela variedade de manifestações que ocorrem em determinada época do ano, a exemplo dos festejos juninos. Com uma base calcada na herança cultural de nossos colonizadores, esse desejo se intensifica e gera uma relação de proximidade com países que mantem fortalecidos o elo de amizade e de certa curiosidade em relação aos principais atributos que fazem do povo brasileiro tão diferenciado junto aos segmentos de públicos internacionais: sua alegria e sua riqueza cultural. Nesse sentido, torna-se imprescindível aumentar o conhecimento sobre a pluralidade das manifestações culturais, no caso, das Festas Juninas que acontecem nas regiões do Brasil. A diferenciação e a distinção dos festejos entre as regiões brasileiras poderão se tornar o grande fator de atratividade junto aos mercados de interesse, motivados por ações de promoção, objeto deste Edital. Assim, propomos a realização de ações de promoção do Brasil e destinos com destacado apelo cultural, calcado nos festejos juninos, nos 17 países prioritários. A relação das ações nos mercados foi pautada em critérios que consideraram: a conectividade aérea, o perfil do turista, a distância das principais capitais e a prioridade dos países em consonância ao Plano Aquarela 2020 (www.turismo.gov.br/export/sites/default/plano_aquarela_2020 pd ). Serão realizadas ações de publicidade e nas redes sociais com foco nas festas juninas proporcionando integração das atividades promocionais realizadas pela EMBRATUR, de forma a gerar maiores resultados. 2. OBJETIVOS Ampliar o conhecimento técnico dos operadores e agentes de viagens dos países prioritários da América do Sul, dos Estados Unidos e da Europa sobre a diversidade cultural do Brasil; 21

22 Apresentar à cadeia produtiva internacional a oferta turística brasileira, motivando aos profissionais de turismo incremento à comercialização de pacotes turísticos regionais; Associar à promoção do Brasil as manifestações culturais por meio das Festas Juninas, como ferramenta de fortalecimento da imagem país como destino turístico de experiência e de singularidade; Ampliar e fortalecer o relacionamento com a mídia internacional, levando informações atualizadas sobre a oferta de destinos com grande apelo promocional, por sua riqueza cultural; Consolidar as festas juninas como produtos turísticos capazes de estimular o aumento do fluxo de turistas estrangeiros para o Brasil. 3. PÚBLICO ALVO Operadores de Turismo e Agentes de Viagens Mídia Geral e Especializada Público em geral 4. MERCADOS PRIORITÁRIOS Europa Portugal Itália Espanha França Alemanha Holanda Reino Unido América do Norte Canadá México América do Sul Peru Venezuela Colômbia Argentina Uruguai Chile Paraguai 22

23 5. AÇÕES SUGERIDAS Com o objetivo de ampliar maior efetividade à promoção dos festejos juninos junto aos segmentos de públicos definidos no item 3, os projetos deverão contemplar ferramentas de comunicação que estejam em consonância com as seguintes ações: a) Produção de material promocional Produção de material promocional de suporte à divulgação dos destinos tais como: folders, guias, cartazes, vídeos, produção de Banco de Imagens e brindes. Para a criação destes materiais é necessário submeter à aprovação final da Diretoria de Marketing da EMBRATUR todo o material, antes de sua impressão ou produção. b) Campanha Publicitária Campanhas publicitárias veiculadas nos países alvo das ações. As campanhas devem seguir as informações técnicas de campanhas promocionais emitidas pela Diretoria de Marketing da EMBRATUR, bem como devem submeter à aprovação final daquela Diretoria toda mídia a ser veiculada. c) Realização de Eventos no Exterior Ações voltadas para apresentação de manifestações representativas das festas juninas dos destinos em eventos de trade, formadores de opinião, embaixadas e público final nos mercados selecionados. Observações Importantes à apresentação do projeto No caso de material gráfico As especificações de produção de material gráfico devem informar: o Tipo de impresso: Folder, cartaz, panfleto, banner, livreto, revista, etc; o Formato: base x altura. Observar o formato aberto e fechado no caso de folders. Também pode ser expresso nos tamanhos padrões A1, A2, A3, A4, A5; o Quantidade de dobras; o Quantidade de cores: O sistema de impressão gráfica é o CMYK, ou seja, combina 04 cores básicas que formam todas as outras. Exemplo: se um panfleto é colorido de um lado e somente possui uma cor do outro lado, ele será 4/1. Se for colorido dos dois lados será 4/4. A quantidade de cores influencia no preço; 23

24 o Papel: Observar os diferentes tipos de papel e de gramatura (espessura do papel). Exemplo: couchê 120 gr; o Tipos de acabamento: grampo, cola, costura, verniz, textura, laminação, facas (cortes especiais demandam facas de corte); o Quantidade de páginas; o Justificativa da tiragem do material; o Forma de distribuição do material; o Criação e finalização deve obedecer a Tabela SINAPRO Sindicato das Agências de Propaganda do Estado e precisa estar juntada a documentação referente aos orçamentos; o Público do Evento, sendo: imprensa trade (cadeia produtiva do turismo) e consumidor; o Quantitativo de público. No caso de Material Audiovisual Para garantir a produção ou a compra de imagens vídeos ou fotos com padrões de qualidade adequados ao uso em diversos meios, sejam para fins publicitários, promocionais ou de comunicação, detalhamos abaixo os requisitos mínimos necessários à aprovação dos projetos apresentados pelos proponentes: o Fotos: deverão ser compradas ou produzidas nos sistemas JPEG ou TIFF, em arquivos medindo, no mínimo, 30 cm x 40 cm e com 300 dpis de resolução. A negociação do custo de produção deve considerar o tempo de direito de uso das imagens e os diversos meios de utilização nacional e internacional. o Vídeos: A captação deve ser feita em formato digital - mini DV, DVCAM, HDV e formatos HD. A entrega dos vídeos deverá ser nos formatos AVI, MOV, MPG e MPG4; o Apresentação de 3 (três) orçamentos decupados; o Justificativa da produção ou aquisição das imagens. No caso de Mídia No plano de mídia deve constar os seguintes dados: 24

25 o Defesa técnica porque deve ser feito em tal veículo, qual a importância dele no mercado e plano de ação proposto pelo estado; o Estratégia de mídia qual plano de ação que justifica a entrada do veículo. Qual o fim desejado; o Descritivo da proposta com a tiragem, período de veiculação e o formato da peça publicitária; o Proposta comercial tabela (normalmente no programa Excel) que deve constar: Nome do veículo, nº de inserções, mercado em que irá circular; Formato; Target (público-alvo); Tiragem/circulação; CPM (custo por mil); Frequência da publicação; Valor líquido moeda original (ex.: euro, dólar, peso); Negociação (desconto em porcentagem) o ideal é que sempre tenha algum desconto; Valor líquido com desconto na moeda original; Honorários da agência de publicidade na moeda original; Valor bruto na moeda original; Valor bruto em real; Cotação utilizada para o plano; Bonificação - o ideal é sempre ter alguma bonificação. Ele vai aparecer como se fosse uma inserção, mas sem valor. Plano de comunicação tabela (normalmente no programa Excel) que deve demonstrar o período de inserção. No caso de Realização de Eventos no Exterior o Passagem aérea (classe econômica): trecho (s), valor unitário e total. o Hospedagem: categoria do hotel, tipo de acomodação (apartamento single, double, triplo), período, valor unitário e total. o Alimentação (café da manhã, almoço, jantar, coffe break): quantidade de beneficiários, quantidade de refeições, valor unitário e total. 25

26 o Locação de espaço: tipo de espaço, o que está incluído na locação do espaço, metragem, período da locação, valor da diária e valor total. o Montagem de estande: tipo de material, metragem, valor total da montagem; o Decoração: tipo de decoração, tipo de material, valor unitário de cada peça e valor total da decoração; o Sonorização condizente com o evento: tipo de sonorização com rider técnico (Especificação técnica dos equipamentos utilizados); o Iluminação condizente com o evento: descrever o rider técnico (Especificação técnica dos equipamentos utilizados); o Ponto de rede de internet/wireless: número de pontos e valor da diária; o Data show: especificação, valor da diária e valor total. o Telão: verificar tamanho e especificação técnica do telão. o Microfone: quantidade, valor unitário e valor total. o Aluguel de notebook: informar especificação, quantidade, valor unitário e valor total. o Porta banner: verificar especificação, quantidade, valor unitário e valor total; o Traslado: verificar trajeto (exemplo: aeroporto/hotel/aeroporto), tipo de veículo (van, micronibus, ônibus categoria), quantidade de pessoas, valor unitário, diária e valor total; o Transporte: tipo de veículo (van, micronibus, ônibus categoria), capacidade, valor da diária e valor total; o Chefe de cozinha: verificar a justificativa da escolha, a apresentação de 3 orçamentos, o valor do cachê, o valor total. o Serviço de alimentação: verificar o tipo de alimentação (brunch, almoço, jantar, café da manhã, coquetel, coffe break, entre outros) com detalhamento do que será servido, quantidade de pessoas, valor unitário e valor total; o Serviço de Transporte/Carga: verificar peso, destino, valor unitário e valor total. o Contratação de empresa especializada para apoio na execução de serviços no exterior. o Grupo musical profissional e de manifestação artística/cultural brasileira: quando da contratação de artistas consagrados, enquadrados na hipótese de inexigibilidade prevista no inciso III do art. 25, da Lei nº 8.666/1992, por 26

27 meio de intermediários ou representantes: deve ser apresentada cópia do contrato de exclusividade dos artistas com o empresário contratado, registrado em cartório. Deve ser ressaltado que o contrato de exclusividade difere da autorização que confere exclusividade apenas para os dias correspondentes à apresentação dos artistas e que é restrita à localidade do evento. Também deverá ser apresentada cópia de contratos anteriores firmados pelo grupo e/ou artista de forma a comprovar a razoabilidade do valor das contratações decorrentes de inexigibilidade de licitação com outros entes públicos e/ou privados. Em caso de não enquadramento de inexigibilidade deverá ser apresentada a cotação de, no mínimo, três grupos e/ou artistas. 27

MINISTÉRIO DO ESPORTE SECRETARIA NACIONAL DE ESPORTE, EDUCAÇÃO, LAZER E INCLUSÃO SOCIAL

MINISTÉRIO DO ESPORTE SECRETARIA NACIONAL DE ESPORTE, EDUCAÇÃO, LAZER E INCLUSÃO SOCIAL MINISTÉRIO DO ESPORTE SECRETARIA NACIONAL DE ESPORTE, EDUCAÇÃO, LAZER E INCLUSÃO SOCIAL SEPN 511, Bloco A, 2 Andar, Edifício Bittar II - Brasília/DF CEP: 70.758-900 Fone: (61) 3217.9516 Endereço eletrônico:

Leia mais

EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO PARA APOIO DE AÇÕES DE CAPTAÇÃO OU PROMOÇÃO DE EVENTOS INTERNACIONAIS

EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO PARA APOIO DE AÇÕES DE CAPTAÇÃO OU PROMOÇÃO DE EVENTOS INTERNACIONAIS EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO PARA APOIO DE AÇÕES DE CAPTAÇÃO OU PROMOÇÃO DE EVENTOS INTERNACIONAIS EDITAL 001/2014 PARA A UTILIZAÇÃO DE RECURSOS EM INICIATIVAS DE CAPTAÇÃO OU PROMOÇÃO DE EVENTOS INTERNACIONAIS

Leia mais

EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA Nº 02/2011 FBN X ENTIDADES PÚBLICAS E PRIVADAS SEM FINS LUCRATIVOS

EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA Nº 02/2011 FBN X ENTIDADES PÚBLICAS E PRIVADAS SEM FINS LUCRATIVOS EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA Nº 02/2011 FBN X ENTIDADES PÚBLICAS E PRIVADAS SEM FINS LUCRATIVOS SELEÇÃO PÚBLICA DE PROPOSTAS PARA PROJETOS REFERENTES AO PROGRAMA LIVRO ABERTO NA AÇÃO FOMENTO A PROJETOS CULTURAIS

Leia mais

DETALHAMENTO DO PROCESSO SELETIVO DE PROJETOS DE FORTALECIMENTO DO TURISMO RELIGIOSO NO BRASIL

DETALHAMENTO DO PROCESSO SELETIVO DE PROJETOS DE FORTALECIMENTO DO TURISMO RELIGIOSO NO BRASIL O Ministério do Turismo, por intermédio da Secretaria Nacional de Políticas do Turismo, torna pública a realização de processo seletivo de projetos para apoio ao Fortalecimento do Turismo Religioso no

Leia mais

MINISTÉRIO DO ESPORTE SECRETARIA NACIONAL DE ESPORTE, EDUCAÇÃO, LAZER E INCLUSÃO SOCIAL

MINISTÉRIO DO ESPORTE SECRETARIA NACIONAL DE ESPORTE, EDUCAÇÃO, LAZER E INCLUSÃO SOCIAL EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO SNELIS N o 2/2015 VERSÃO CONSOLIDADA SELEÇÃO PÚBLICA DE PROPOSTAS PARA IMPLANTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DO PROGRAMA LUTA PELA CIDADANIA, DO PROGRAMA SEGUNDO TEMPO PADRÃO, DO PROGRAMA

Leia mais

MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL SUPERINTENDÊNCIA DO DESENVOLVIMENTO DO NORDESTE

MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL SUPERINTENDÊNCIA DO DESENVOLVIMENTO DO NORDESTE MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL SUPERINTENDÊNCIA DO DESENVOLVIMENTO DO NORDESTE CHAMAMENTO PÚBLICO Nº 008/2012 Chamamento Público para o Programa 2040 GESTÃO DE RISCOS E RESPOSTA A DESASTRES Ação 8172

Leia mais

Chamada de Projetos nº 04/2008

Chamada de Projetos nº 04/2008 Ministério do Turismo Chamada de Projetos nº 04/2008 O Ministério do Turismo, por intermédio da Comissão Avaliadora de Eventos, torna pública a realização de processo seletivo de projetos para apoio à

Leia mais

INSERIR LOGOMARCA DA INSTITUIÇÃO PROPONENTE

INSERIR LOGOMARCA DA INSTITUIÇÃO PROPONENTE INSERIR LOGOMARCA DA INSTITUIÇÃO PROPONENTE INSERIR O TÍTULO DO PROJETO O título do projeto deve delimitar a área de abrangência onde as ações serão executadas. Mês, 2015 1 SUMÁRIO 1. DADOS GERAIS DO PROJETO

Leia mais

Bem-vindo a sala de aula do curso: Siconv Transferências voluntárias da União. Facilitador: Fernanda Lyra

Bem-vindo a sala de aula do curso: Siconv Transferências voluntárias da União. Facilitador: Fernanda Lyra Bem-vindo a sala de aula do curso: Siconv Transferências voluntárias da União Facilitador: Fernanda Lyra Horário da Aula: 28 de janeiro - Segunda - das 18h às 20h SICONV TRANSFERÊNCIAS VOLUNTÁRIAS DA UNIÃO

Leia mais

EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO N.º 1/2012/DESAM/FUNASA/MS.

EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO N.º 1/2012/DESAM/FUNASA/MS. EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO N.º 1/2012/DESAM/FUNASA/MS. 1. DISPOSIÇÕES PRELIMINARES A Fundação Nacional de Saúde FUNASA, observando as disposições da Lei nº 8.080, de 19 de setembro de 1990, Lei nº 8.142,

Leia mais

Apresentação de projetos na Bahiatursa

Apresentação de projetos na Bahiatursa Apresentação de projetos na Bahiatursa - Orientações - janeiro/2012 Apresentação A Bahiatursa, empresa oficial de turismo do Estado da Bahia, é vinculada à Secretaria de Turismo do Estado e tem como finalidade

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR SECRETARIA DE COMÉRCIO E SERVIÇOS

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR SECRETARIA DE COMÉRCIO E SERVIÇOS EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA DE PROJETOS Nº 01, DE 02 DE OUTUBRO DE 2012 CHAMADA PÚBLICA DE PROPOSTAS DE PROJETO PARA A REALIZAÇÃO DE ATIVIDADES DE CAPACITAÇÃO PARA MICRO E PEQUENAS EMPRESAS, EMPREENDEDORES

Leia mais

Publicidade Legal x Publicidade Institucional

Publicidade Legal x Publicidade Institucional Aperfeiçoamento em Licitações Públicas e Contratos Administrativos Módulo 6: Contratação de serviços de publicidade Edinando Brustolin Graduado e mestre em Direito pela UFSC. Assessor jurídico da Federação

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO PÚBLICA PARA APOIO A PROJETOS CULTURAIS DA REGIÃO NORTE INFORMAÇÕES GERAIS E DICAS DE PARTICIPAÇÃO

EDITAL DE SELEÇÃO PÚBLICA PARA APOIO A PROJETOS CULTURAIS DA REGIÃO NORTE INFORMAÇÕES GERAIS E DICAS DE PARTICIPAÇÃO EDITAL DE SELEÇÃO PÚBLICA PARA APOIO A PROJETOS CULTURAIS DA REGIÃO NORTE INFORMAÇÕES GERAIS E DICAS DE PARTICIPAÇÃO 1 1. O que é o Programa Amazônia Cultural? Trata-se de programa gerenciado pela Representação

Leia mais

EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO N.º 02/2014/DESAM/FUNASA/MS.

EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO N.º 02/2014/DESAM/FUNASA/MS. EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO N.º 02/2014/DESAM/FUNASA/MS. 1. DISPOSIÇÕES PRELIMINARES A Fundação Nacional de Saúde FUNASA, observando as disposições da Lei nº 8.080, de 19 de setembro de 1990, Lei nº 8.142,

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS CONSELHO NACIONAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS CONSELHO NACIONAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS CONSELHO NACIONAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE O CONSELHO NACIONAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE (CONANDA) E A UNIÃO, por

Leia mais

Este regulamento define e torna públicas as regras gerais para participação no Edital de Projetos da Fundação Aperam Acesita 2014.

Este regulamento define e torna públicas as regras gerais para participação no Edital de Projetos da Fundação Aperam Acesita 2014. 1. Objeto EDITAL DE PROJETOS FUNDAÇÃO APERAM ACESITA 2014 REGULAMENTO GERAL Este regulamento define e torna públicas as regras gerais para participação no Edital de Projetos da 2014. São objetivos do presente

Leia mais

INSERIR LOGOMARCA DA INSTITUIÇÃO PROPONENTE INSERIR O TÍTULO DO PROJETO

INSERIR LOGOMARCA DA INSTITUIÇÃO PROPONENTE INSERIR O TÍTULO DO PROJETO INSERIR LOGOMARCA DA INSTITUIÇÃO PROPONENTE INSERIR O TÍTULO DO PROJETO O título do projeto deve delimitar a área de abrangência onde as ações serão executadas. Setembro, 2014 1 SUMÁRIO 1. DADOS GERAIS

Leia mais

Inclusão, Disponibilização, Alteração, Inativação, Reativação e Copia de Programas

Inclusão, Disponibilização, Alteração, Inativação, Reativação e Copia de Programas MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO ORÇAMENTO E GESTÃO DEPARTAMENTO DE SUPORTE À GESTÃO DO SISTEMA DE TRANSFERÊNCIAS VOLUNTÁRIAS DA UNIÃO Portal dos Convênios SICONV Inclusão, Disponibilização, Alteração, Inativação,

Leia mais

Nova Lei de Contratação de Serviços de Publicidade Lei Federal nº 12.232/10

Nova Lei de Contratação de Serviços de Publicidade Lei Federal nº 12.232/10 PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMPINAS Secretaria Municipal de Gestão e Controle Departamento de Auditoria Nova Lei de Contratação de Serviços de Publicidade Lei Federal nº 12.232/10 LEI FEDERAL 12.232, DE 29

Leia mais

EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA DE PROJETOS MTur/Nº 001/2008 SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE PROJETOS PARA APOIO ÀS INICIATIVAS DE TURISMO DE BASE COMUNITÁRIA

EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA DE PROJETOS MTur/Nº 001/2008 SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE PROJETOS PARA APOIO ÀS INICIATIVAS DE TURISMO DE BASE COMUNITÁRIA Ministério do Turismo Secretaria Nacional de Programas de Desenvolvimento do Turismo Departamento de Qualificação e Certificação e de Produção Associada ao Turismo EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA DE PROJETOS

Leia mais

TRANSPARÊNCIA E RIGOR NA NOVA LEI DE LICITAÇÕES DA PUBLICIDADE DE ÓRGÃO PÚBLICO

TRANSPARÊNCIA E RIGOR NA NOVA LEI DE LICITAÇÕES DA PUBLICIDADE DE ÓRGÃO PÚBLICO TRANSPARÊNCIA E RIGOR NA NOVA LEI DE LICITAÇÕES DA PUBLICIDADE DE ÓRGÃO PÚBLICO Por João Luiz Faria Netto A nova lei conta com normas principais e obrigatórias para a contratação de agências de publicidade

Leia mais

2. DO OBJETIVO Constitui objeto deste EDITAL, seleção de projetos para a realização dos Eventos Juninos nas áreas rurais e distritos de Canindé.

2. DO OBJETIVO Constitui objeto deste EDITAL, seleção de projetos para a realização dos Eventos Juninos nas áreas rurais e distritos de Canindé. PREFEITURA MUNICIPAL DE CANINDÉ FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE CULTURA E ESPORTE DE CANINDÉ EDITAL Nº: 002/2013 EDITAL DE CHAMADA PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS CONCORRENTES PARA A REALIZAÇÃO (APOIO A FESTEJOS JUNINOS)

Leia mais

Ministério da Cultura Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional Departamento do Patrimônio Imaterial Coordenação Geral de Salvaguarda

Ministério da Cultura Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional Departamento do Patrimônio Imaterial Coordenação Geral de Salvaguarda Ministério da Cultura Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional Departamento do Patrimônio Imaterial Coordenação Geral de Salvaguarda EDITAL Nº. 10/2012 Chamamento Público para a seleção de

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA MCTI/FINEP/CT-INFRA - PROINFRA 02/2014 Equipamentos Multiusuários

CHAMADA PÚBLICA MCTI/FINEP/CT-INFRA - PROINFRA 02/2014 Equipamentos Multiusuários CHAMADA PÚBLICA MCTI/FINEP/CT-INFRA - PROINFRA 02/2014 Equipamentos Multiusuários SELEÇÃO PÚBLICA DE PROPOSTAS PARA APOIO A PROJETOS INSTITUCIONAIS DE AQUISIÇÃO E DE MANUTENÇÃO DE EQUIPAMENTOS MULTIUSUÁRIOS

Leia mais

ANEXO IV MANUAL DE PRESTAÇÃO DE CONTAS REFERENTE À CONCESSÃO DE PATROCÍNIO. Lei 12.378 de 31/12/2010 Conselho de Arquitetura e Urbanismo

ANEXO IV MANUAL DE PRESTAÇÃO DE CONTAS REFERENTE À CONCESSÃO DE PATROCÍNIO. Lei 12.378 de 31/12/2010 Conselho de Arquitetura e Urbanismo ANEXO IV MANUAL DE PRESTAÇÃO DE CONTAS REFERENTE À CONCESSÃO DE PATROCÍNIO Lei 12.378 de 31/12/2010 Conselho de Arquitetura e Urbanismo Resolução nº 23 de 04/05/12 CAU/BR Portaria Interministerial Nº 507

Leia mais

Prezados, seguem abaixo questionamentos pertinentes a Concorrência FIESC nº 020/2014 Lote 2.

Prezados, seguem abaixo questionamentos pertinentes a Concorrência FIESC nº 020/2014 Lote 2. Data: 16/09/2014 Para: AOS PARTICIPANTES DA CONCORRÊNCIA 020/2014 De: FIESC COMISSÃO ESPECIAL DE LICITAÇÃO Assunto: Esclarecimento n. 6 Pergunta: Prezados, seguem abaixo questionamentos pertinentes a Concorrência

Leia mais

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE LOGÍSTICA E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DEPARTAMENTO DE GESTÃO ESTRATÉGICA DA INFORMAÇÃO

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE LOGÍSTICA E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DEPARTAMENTO DE GESTÃO ESTRATÉGICA DA INFORMAÇÃO MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE LOGÍSTICA E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DEPARTAMENTO DE GESTÃO ESTRATÉGICA DA INFORMAÇÃO Portal dos Convênios SICONV Disponibilização de Programas

Leia mais

1. DA AUTORIZAÇÃO: 2. DO OBJETO

1. DA AUTORIZAÇÃO: 2. DO OBJETO CHAMADA PÚBLICA Nº 04/2011 PARA SELEÇÃO DE PROJETOS QUE VISEM A REALIZAÇÃO DE EVENTOS, DE CARÁTER NACIONAL, DAS ENTIDADES DO MOVIMENTO NEGRO E QUILOMBOLAS, POR MEIO DE ESTABELECIMENTO DE CONVÊNIOS, A SEREM

Leia mais

CAIXA ECONÔMICA FEDERAL PROGRAMA CAIXA DE APOIO AO ARTESANATO BRASILEIRO PATROCÍNIO 2011 REGULAMENTO

CAIXA ECONÔMICA FEDERAL PROGRAMA CAIXA DE APOIO AO ARTESANATO BRASILEIRO PATROCÍNIO 2011 REGULAMENTO CAIXA ECONÔMICA FEDERAL PROGRAMA CAIXA DE APOIO AO ARTESANATO BRASILEIRO PATROCÍNIO 2011 REGULAMENTO 1. OBJETO 1.1. A CAIXA receberá, de 26 de abril a 18 de junho de 2010, projetos a serem realizados ao

Leia mais

CAIXA ECONÔMICA FEDERAL PROGRAMA CAIXA DE APOIO AO ARTESANATO BRASILEIRO PATROCÍNIO 2013 REGULAMENTO

CAIXA ECONÔMICA FEDERAL PROGRAMA CAIXA DE APOIO AO ARTESANATO BRASILEIRO PATROCÍNIO 2013 REGULAMENTO CAIXA ECONÔMICA FEDERAL PROGRAMA CAIXA DE APOIO AO ARTESANATO BRASILEIRO PATROCÍNIO 2013 REGULAMENTO 1. OBJETO 1.1 O presente regulamento tem por objeto a seleção para patrocínio de projetos a serem realizados

Leia mais

Inclusão e Envio de Propostas

Inclusão e Envio de Propostas MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE LOGÍSTICA E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DEPARTAMENTO DE GESTÃO ESTRATÉGICA DA INFORMAÇÃO Portal dos Convênios - SICONV Abertura Automática de contas

Leia mais

parlamentares direcionadas às ações desta Secretaria Nacional de Esporte de Alto Rendimento/SNEAR, para o exercício de 2014.

parlamentares direcionadas às ações desta Secretaria Nacional de Esporte de Alto Rendimento/SNEAR, para o exercício de 2014. SECRETARIA NACIONAL DE ESPORTE DE ALTO RENDIMENTO EDITAL Nº 6/2013 CHAMADA PÚBLICA SELEÇÃO PÚBLICA DE PROPOSTAS PARA APOIO A PROJETOS VOLTADOS PARA A PROMOÇÃO DO ESPORTE DE ALTO RENDIMENTO O Ministério

Leia mais

MINISTÉRIO DA CULTURA SECRETARIA DO AUDIOVISUAL EDITAL DE CONCURSO Nº 02, DE 23 DE NOVEMBRO DE 2007

MINISTÉRIO DA CULTURA SECRETARIA DO AUDIOVISUAL EDITAL DE CONCURSO Nº 02, DE 23 DE NOVEMBRO DE 2007 MINISTÉRIO DA CULTURA SECRETARIA DO AUDIOVISUAL EDITAL DE CONCURSO Nº 02, DE 23 DE NOVEMBRO DE 2007 O Ministério da Cultura - MinC, por meio da Secretaria do Audiovisual SAV, torna público o Concurso de

Leia mais

EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA Nº 01/2012/SNBP-FBN X ENTIDADES PÚBLICAS E PRIVADAS SEM FINS LUCRATIVOS

EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA Nº 01/2012/SNBP-FBN X ENTIDADES PÚBLICAS E PRIVADAS SEM FINS LUCRATIVOS EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA Nº 01/2012/SNBP-FBN X ENTIDADES PÚBLICAS E PRIVADAS SEM FINS LUCRATIVOS SELEÇÃO PÚBLICA DE PROPOSTA PARA PROJETO DE PESQUISA E FORMAÇÃO DE PESSOAL DE BIBLIOTECAS PÚBLICAS REFERENTE

Leia mais

COTAÇÃO DE PREÇOS Termo de Referência nº 08/2013/AHJPE

COTAÇÃO DE PREÇOS Termo de Referência nº 08/2013/AHJPE COTAÇÃO DE PREÇOS Termo de Referência nº 08/2013/AHJPE Seleção de Empresas para prestação de serviços /fornecimento de produtos relacionados às atividades específicas do plano de trabalho para Convênio

Leia mais

CAIXA ECONÔMICA FEDERAL PROGRAMA CAIXA DE APOIO AO ARTESANATO BRASILEIRO PATROCÍNIO 2012 REGULAMENTO

CAIXA ECONÔMICA FEDERAL PROGRAMA CAIXA DE APOIO AO ARTESANATO BRASILEIRO PATROCÍNIO 2012 REGULAMENTO CAIXA ECONÔMICA FEDERAL PROGRAMA CAIXA DE APOIO AO ARTESANATO BRASILEIRO PATROCÍNIO 2012 REGULAMENTO 1. OBJETO 1.1. A CAIXA receberá, de 16 de maio a 17 de junho de 2011 projetos a serem realizados ao

Leia mais

Programa de Apoio a Eventos no País PAEP

Programa de Apoio a Eventos no País PAEP Programa de Apoio a Eventos no País PAEP C A P E S EDITAL CAPES 004/2010/DPB/CAPES Seleção pública de propostas de projetos de eventos voltados ao Programa de Apoio a Eventos no País - PAEP A Fundação

Leia mais

PORTARIA Nº 00l DE 6 DE JANEIRO DE 2010

PORTARIA Nº 00l DE 6 DE JANEIRO DE 2010 PORTARIA Nº 00l DE 6 DE JANEIRO DE 2010 O MINISTRO DE ESTADO DO ESPORTE, Interino, no uso de suas atribuições constitucionais legais, e considerando o disposto no artigo 4º do Decreto nº 6.170/2007 e no

Leia mais

b. Ampliar a participação de mulheres e jovens no debate das políticas do cooperativismo e do associativismo rural.

b. Ampliar a participação de mulheres e jovens no debate das políticas do cooperativismo e do associativismo rural. EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO N o 002/2013 OBJETO: Chamamento público com fins de seleção de projetos para Fortalecimento das Estratégias do Cooperativismo de Produção Agropecuário e do Associativismo Rural,

Leia mais

PUBLICIDADE INSTITUCIONAL E A CONTRATAÇÃO LEGAL DOS SERVIÇOS PUBLICITÁRIOS. Paulo Gomes de Oliveira Filho Advogados Associados

PUBLICIDADE INSTITUCIONAL E A CONTRATAÇÃO LEGAL DOS SERVIÇOS PUBLICITÁRIOS. Paulo Gomes de Oliveira Filho Advogados Associados PUBLICIDADE INSTITUCIONAL E A CONTRATAÇÃO LEGAL DOS SERVIÇOS PUBLICITÁRIOS I DISPOSIÇÕES GERAIS 1 Normais legais e convencionais que regulam as licitações e as contratações de serviços publicitários: Normas

Leia mais

Edital CNPq/CT-Petro nº 01/2003

Edital CNPq/CT-Petro nº 01/2003 Edital CNPq/CT-Petro nº 01/2003 O Ministério da Ciência e Tecnologia, por intermédio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - CNPq, torna público o presente edital e convoca os

Leia mais

Chamamento Público para a seleção de Projeto de Salvaguarda do Patrimônio Cultural

Chamamento Público para a seleção de Projeto de Salvaguarda do Patrimônio Cultural Ministério da Cultura Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional Departamento do Patrimônio Imaterial Coordenação Geral de Identificação e Registro Chamamento Público para a seleção de Projeto

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA Nº 03/2015 EDUCAÇÃO EMPREENDEDORA PARA O ENSINO SUPERIOR

CHAMADA PÚBLICA Nº 03/2015 EDUCAÇÃO EMPREENDEDORA PARA O ENSINO SUPERIOR 1. PREÂMBULO CHAMADA PÚBLICA Nº 03/2015 EDUCAÇÃO EMPREENDEDORA PARA O ENSINO SUPERIOR I. O SERVIÇO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DO ESTADO DO PARANÁ - SEBRAE/PR, entidade associativa de direito

Leia mais

Portal dos Convênios SICONV. Orientações/Passo a Passo. Concedente

Portal dos Convênios SICONV. Orientações/Passo a Passo. Concedente Portal dos Convênios SICONV Orientações/Passo a Passo Concedente Programa, Analise de Proposta/Plano de Trabalho, Convênio, UGTV, Empenho, Conta Bancária, Celebração, TV - SIAFI, Documento Hábil, OB e

Leia mais

EDITAL CAPES N 004/2012/ CAPES. Seleção pública de propostas de projetos de eventos voltados ao Programa de Apoio a Eventos no País - PAEP

EDITAL CAPES N 004/2012/ CAPES. Seleção pública de propostas de projetos de eventos voltados ao Programa de Apoio a Eventos no País - PAEP PAEP Programa de Apoio a Eventos no País EDITAL CAPES N 004/2012/ CAPES Seleção pública de propostas de projetos de eventos voltados ao Programa de Apoio a Eventos no País - PAEP A Fundação Coordenação

Leia mais

Ministério da Ciência e Tecnologia e Inovação Secretaria de Ciência e Tecnologia para Inclusão Social

Ministério da Ciência e Tecnologia e Inovação Secretaria de Ciência e Tecnologia para Inclusão Social Ministério da Ciência e Tecnologia e Inovação Secretaria de Ciência e Tecnologia para Inclusão Social Programa de Apoio à Implantação e à Modernização dos Centros Vocacionais Tecnológicos Documento de

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA N.º 02/2012 - SDH/PR

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA N.º 02/2012 - SDH/PR PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA VISANDO À SELEÇÃO DE PROJETOS VOLTADOS PARA EXECUÇÃO DE PROGRAMAS NO ÂMBITO DA SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS DA PRESIDÊNCIA

Leia mais

EDITAL DE JUSTIFICATIVA Nº XX/2015

EDITAL DE JUSTIFICATIVA Nº XX/2015 Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome Secretaria Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional EDITAL DE JUSTIFICATIVA Nº XX/2015 IMPLANTAÇÃO OU MODERNIZAÇÃO DE COZINHAS COMUNITÁRIAS, RESTAURANTES

Leia mais

3. DA APRESENTAÇÃO DA PROPOSTA

3. DA APRESENTAÇÃO DA PROPOSTA SECRETARIA NACIONAL DE ESPORTE DE ALTO RENDIMENTO EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA Nº 4/2014 SELEÇÃO PÚBLICA DE PROPOSTAS PARA O APOIO AOS ATLETAS SELECIONADOS PARA O PROGRAMA ATLETA PÓDIO E PLANO BRASIL MEDALHAS

Leia mais

EDITAL N. 57/2015. II. Incentivar a divulgação dos resultados de pesquisa e inovação realizadas no âmbito do IFRO Campus Cacoal;

EDITAL N. 57/2015. II. Incentivar a divulgação dos resultados de pesquisa e inovação realizadas no âmbito do IFRO Campus Cacoal; EDITAL N. 57/2015 INCENTIVO A DIVULGAÇÃO E PARTICIPAÇÃO EM EVENTOS CIENTÍFICOS, TECNOLÓGICOS E DE INOVAÇÃO POR SERVIDORES DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÔNIA CAMPUS CACOAL.

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA MCT/FINEP/CT-INFRA - PROINFRA

CHAMADA PÚBLICA MCT/FINEP/CT-INFRA - PROINFRA CHAMADA PÚBLICA MCT/FINEP/CT-INFRA - PROINFRA - 01/2008 SELEÇÃO PÚBLICA DE PROPOSTAS PARA APOIO A PROJETOS INSTITUCIONAIS DE IMPLANTAÇÃO DE INFRAESTRUTURA DE PESQUISA 1. OBJETIVO Selecionar propostas para

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA MCTI/SECIS/FINEP/FNDCT - VIVER SEM LIMITE - 01/2015

CHAMADA PÚBLICA MCTI/SECIS/FINEP/FNDCT - VIVER SEM LIMITE - 01/2015 CHAMADA PÚBLICA MCTI/SECIS/FINEP/FNDCT - VIVER SEM LIMITE - 01/2015 SELEÇÃO PÚBLICA DE PROJETOS PARA INCLUSÃO SOCIAL DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA, IDOSAS E COM MOBILIDADE REDUZIDA. 1. OBJETIVO Selecionar

Leia mais

CAIXA ECONÔMICA FEDERAL PROGRAMA DE OCUPAÇÃO DOS ESPAÇOS DA CAIXA CULTURAL PATROCÍNIO 2013 REGULAMENTO

CAIXA ECONÔMICA FEDERAL PROGRAMA DE OCUPAÇÃO DOS ESPAÇOS DA CAIXA CULTURAL PATROCÍNIO 2013 REGULAMENTO CAIXA ECONÔMICA FEDERAL PROGRAMA DE OCUPAÇÃO DOS ESPAÇOS DA CAIXA CULTURAL PATROCÍNIO 2013 REGULAMENTO 1. OBJETO 1.1 O presente Regulamento tem por objeto a seleção para patrocínio de projetos culturais

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DE CULTURA EDITAIS DE CULTURA 2008

GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DE CULTURA EDITAIS DE CULTURA 2008 Seleção Pública de Projetos na área de Audiovisual/ Implantação e Programação de Espaços de Exibição Cinematográfica Utilizando Tecnologia Digital e Analógica Chamada pública nº 0002/2008 O ESTADO DO RIO

Leia mais

EDITAL CULTURA, ARTES, PATRIMÔNIO e ECONOMIA CRIATIVA

EDITAL CULTURA, ARTES, PATRIMÔNIO e ECONOMIA CRIATIVA EDITAL CULTURA, ARTES, PATRIMÔNIO e ECONOMIA CRIATIVA A Pró-Reitoria de Extensão da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), por meio da Diretoria de Extensão Cultural (DEC) e do Instituto de Arte Contemporânea

Leia mais

(Alterada pela Resolução nº 014/2011/CA)

(Alterada pela Resolução nº 014/2011/CA) INSTRUÇÃO DE SERVIÇOS N 004 DE 25 DE JULHO DE 2011 (Alterada pela Resolução nº 014/2011/CA) CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS Estabelece diretrizes, normas e procedimentos para a Concessão de Patrocínio

Leia mais

PREENCHIMENTO DO FORMULÁRIO ELETRÔNICO

PREENCHIMENTO DO FORMULÁRIO ELETRÔNICO PREENCHIMENTO DO FORMULÁRIO ELETRÔNICO Este formulário é o canal exclusivo para o envio dos projetos concorrentes ao Edital de Patrocínio do Banco do Nordeste para 2015. Seu correto preenchimento é imprescindível

Leia mais

Portal dos Convênios - SICONV. Inclusão e Envio de Proposta. Manual do Usuário

Portal dos Convênios - SICONV. Inclusão e Envio de Proposta. Manual do Usuário MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE LOGÍSTICA E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DEPARTAMENTO DE LOGÍSTICA E SERVIÇOS GERAIS Portal dos Convênios - SICONV Inclusão e Envio de Proposta Manual

Leia mais

CELEBRAÇÃO DE CONVÊNIOS NO SICONV

CELEBRAÇÃO DE CONVÊNIOS NO SICONV CELEBRAÇÃO DE CONVÊNIOS NO SICONV Gianna Lepre Perim Curitiba - 2013 SICONV VEDAÇÕES PI 507/2011 VEDAÇÕES Art. 10º É vedada a celebração de convênios e contratos de repasse: I - com órgãos e entidades

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA COTAÇÃO PRÉVIA Nº 10/2014, REFERENTE AO CONVÊNIO SICONV Nº 794450/2013

TERMO DE REFERÊNCIA COTAÇÃO PRÉVIA Nº 10/2014, REFERENTE AO CONVÊNIO SICONV Nº 794450/2013 TERMO DE REFERÊNCIA COTAÇÃO PRÉVIA Nº 10/2014, REFERENTE AO CONVÊNIO SICONV Nº 794450/2013 O Instituto Tribos Jovens, associação civil sem fins lucrativos, com sede em Porto Seguro/BA, na Rua Saldanha

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE APOIO A INCLUSÃO SOCIAL PESQUISA E EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA 2014

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE APOIO A INCLUSÃO SOCIAL PESQUISA E EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA 2014 Chamada de Projetos Pública 04/2014 PROGRAMA INSTITUCIONAL DE APOIO A INCLUSÃO SOCIAL PESQUISA E EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA 2014 A Fundação Araucária de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do

Leia mais

EDITAL 03/2008 - FAPESQ/PB MCT/FINEP

EDITAL 03/2008 - FAPESQ/PB MCT/FINEP EDITAL 03/2008 - FAPESQ/PB MCT/FINEP A FUNDAÇÃO DE APOIO À PESQUISA DO ESTADO DA PARAÍBA FAPESQ e a Financiadora de Estudos e Projetos FINEP, tornam público e convocam os interessados a apresentarem propostas

Leia mais

EDITAL N. 58/2015 INCENTIVO

EDITAL N. 58/2015 INCENTIVO EDITAL N. 58/2015 INCENTIVO À DIVULGAÇÃO E PARTICIPAÇÃO EM EVENTOS CIENTÍFICOS, TECNOLÓGICOS E DE INOVAÇÃO POR SERVIDORES DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÔNIA. A Direção Geral

Leia mais

RESPOSTAS AOS QUESTIONAMENTOS REALIZADOS PELA FSB COMUNICAÇÃO

RESPOSTAS AOS QUESTIONAMENTOS REALIZADOS PELA FSB COMUNICAÇÃO COMUNICADO DE QUESTIONAMENTOS nº 002/2010-CEL Prezados(as) Senhores(as), O presente tem por objetivo divulgar respostas às solicitações de esclarecimentos/questionamentos, referentes à Concorrência nº

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO. EDITAL DE SELEÇÃO UAB nº. 01/2006-SEED/MEC/2006/2007

EDITAL DE SELEÇÃO. EDITAL DE SELEÇÃO UAB nº. 01/2006-SEED/MEC/2006/2007 EDITAL DE SELEÇÃO EDITAL DE SELEÇÃO UAB nº. 01/2006-SEED/MEC/2006/2007 Segunda Chamada Pública para Seleção de Pólos Municipais de Apoio Presencial e de Cursos Superiores de Instituições de Ensino Superior

Leia mais

DECRETO Nº 6.555, DE 8 DE SETEMBRO DE 2008.

DECRETO Nº 6.555, DE 8 DE SETEMBRO DE 2008. DECRETO Nº 6.555, DE 8 DE SETEMBRO DE 2008. Dispõe sobre as ações de comunicação do Poder Executivo Federal e dá outras providências. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso das atribuições que lhe confere o

Leia mais

REGULAMENTO DE COMPRAS

REGULAMENTO DE COMPRAS REGULAMENTO DE COMPRAS A SPDM /PAIS Associação Paulista Para O Desenvolvimento da Medicina, vem por meio deste dar publicidade ao Regulamento Próprio utilizado contendo os procedimentos que adotará para

Leia mais

Chamamento Público para o Programa Educação e Cultura nas Escolas Públicas/ Pesquisa-ação em iniciativas educacionais

Chamamento Público para o Programa Educação e Cultura nas Escolas Públicas/ Pesquisa-ação em iniciativas educacionais MINISTÉRIO DA CULTURA SECRETARIA DE POLÍTICAS CULTURAIS - SPC DIRETORIA DE EDUCAÇÃO E COMUNICAÇÃO - DEC CHAMAMENTO PUBLICO N 01/2011 Chamamento Público para o Programa Educação e Cultura nas Escolas Públicas/

Leia mais

MINISTÉRIO DA CULTURA INSTITUTO BRASILEIRO DE MUSEUS

MINISTÉRIO DA CULTURA INSTITUTO BRASILEIRO DE MUSEUS MINISTÉRIO DA CULTURA INSTITUTO BRASILEIRO DE MUSEUS EDITAL SELEÇÃO DE PROJETOS Nº /2012 O Instituto Brasileiro de Museus - IBRAM autarquia federal vinculada ao Ministério da Cultura, criada pela Lei n.º

Leia mais

Edital de Chamada Pública Nº 01/2015/SID-MC

Edital de Chamada Pública Nº 01/2015/SID-MC Ministério das Comunicações Secretaria de Inclusão Digital CENTROS DE RECONDICIONAMENTO DE COMPUTADORES Edital de Chamada Pública Nº 01/2015/SID-MC Brasília, setembro/2015 1 MINISTÉRIO DAS COMUNICAÇÕES

Leia mais

PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO Nº001/2016 SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIOS PARA AGÊNCIA EXPERIMENTAL GALO CANTA

PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO Nº001/2016 SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIOS PARA AGÊNCIA EXPERIMENTAL GALO CANTA PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO Nº001/2016 SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIOS PARA AGÊNCIA EXPERIMENTAL GALO CANTA A FACULDADE PROJEÇÃO, por intermédio do curso de Comunicação Social - Publicidade e Propaganda da Escola

Leia mais

EDITAL DE PROJETOS FUNDAÇÃO APERAM ACESITA 2015 REGULAMENTO GERAL

EDITAL DE PROJETOS FUNDAÇÃO APERAM ACESITA 2015 REGULAMENTO GERAL EDITAL DE PROJETOS FUNDAÇÃO APERAM ACESITA 2015 REGULAMENTO GERAL 1. INTRODUÇÃO 1.1 Este regulamento define e torna públicas as regras gerais para participação na quarta edição do Edital de Projetos da

Leia mais

Programa de Apoio à Produção de Material Didático para a Educação Básica Projeto Água EDITAL ANA-CAPES/DEB Nº 18/2015

Programa de Apoio à Produção de Material Didático para a Educação Básica Projeto Água EDITAL ANA-CAPES/DEB Nº 18/2015 Programa de Apoio à Produção de Material Didático para a Educação Básica Projeto Água EDITAL ANA-CAPES/DEB Nº 18/2015 A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES, instituída como

Leia mais

CONVÊNIO: PROJETO PARA REALIZAÇÃO DA MARCHA DAS MULHERES NEGRAS, CONTRA A VIOLENCIA E PELO BEM VIVER SICONV 804898/2014.

CONVÊNIO: PROJETO PARA REALIZAÇÃO DA MARCHA DAS MULHERES NEGRAS, CONTRA A VIOLENCIA E PELO BEM VIVER SICONV 804898/2014. CONVÊNIO: PROJETO PARA REALIZAÇÃO DA MARCHA DAS MULHERES NEGRAS, CONTRA A VIOLENCIA E PELO BEM VIVER SICONV 804898/2014. Licitação Cotação Prévia 001/2015 1) Preâmbulo A ASSOCIAÇÃO CULTURAL DE MULHERES

Leia mais

EDITAL FAPEAL Nº 04/2015 AUXÍLIO À PARTICIPAÇÃO EM REUNIÃO CIENTÍFICA NO BRASIL OU NO EXTERIOR - ARC

EDITAL FAPEAL Nº 04/2015 AUXÍLIO À PARTICIPAÇÃO EM REUNIÃO CIENTÍFICA NO BRASIL OU NO EXTERIOR - ARC Rua Melo Moraes, 354, CEP 57020-330 Centro Maceió - Alagoas Fone: 82 3315 2200/3315 2232. E-mail: atendimento@fapeal.br EDITAL FAPEAL Nº 04/2015 AUXÍLIO À PARTICIPAÇÃO EM REUNIÃO CIENTÍFICA NO BRASIL OU

Leia mais

UNIÃO DOS ESCOTEIROS DO BRASIL

UNIÃO DOS ESCOTEIROS DO BRASIL UNIÃO DOS ESCOTEIROS DO BRASIL EDITAL DE SELEÇÃO E FINANCIAMENTO DE PROJETOS ESCOTEIROS -1/2013 A União dos Escoteiros do Brasil torna público o Edital para seleção e financiamento de projetos escoteiros,

Leia mais

CAIXA ECONÔMICA FEDERAL PROGRAMA CAIXA DE APOIO A FESTIVAIS DE TEATRO E DANÇA PATROCÍNIO 2013 REGULAMENTO

CAIXA ECONÔMICA FEDERAL PROGRAMA CAIXA DE APOIO A FESTIVAIS DE TEATRO E DANÇA PATROCÍNIO 2013 REGULAMENTO CAIXA ECONÔMICA FEDERAL PROGRAMA CAIXA DE APOIO A FESTIVAIS DE TEATRO E DANÇA PATROCÍNIO 2013 REGULAMENTO 1. OBJETO 1.1 O presente Regulamento tem por objeto a seleção para patrocínio de projetos de festivais

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA MCT/FINEP/AT INFRAESTRUTURA DE PESQUISA EM UNIVERSIDADES PRIVADAS 07/2010

CHAMADA PÚBLICA MCT/FINEP/AT INFRAESTRUTURA DE PESQUISA EM UNIVERSIDADES PRIVADAS 07/2010 CHAMADA PÚBLICA MCT/FINEP/AT INFRAESTRUTURA DE PESQUISA EM UNIVERSIDADES PRIVADAS 07/2010 APOIO A PROJETOS INSTITUCIONAIS DE IMPLANTAÇÃO DE INFRAESTRUTURA DE PESQUISA EM UNIVERSIDADES PRIVADAS COM TRADIÇÃO

Leia mais

EDITAL PRÊMIO GUNGA IDENTIDADE E CULTURA

EDITAL PRÊMIO GUNGA IDENTIDADE E CULTURA EDITAL PRÊMIO GUNGA IDENTIDADE E CULTURA 1. APRESENTAÇÃO Com base nos valores da economia solidária e da cultura livre, o Estúdio Gunga empresa de comunicação focada na criação de sites, editoração gráfica,

Leia mais

MANUAL DE PRESTAÇÃO DE CONTAS DE PATROCÍNIOS

MANUAL DE PRESTAÇÃO DE CONTAS DE PATROCÍNIOS MANUAL DE PRESTAÇÃO DE CONTAS DE PATROCÍNIOS INSTRUÇÕES GERAIS Leia com atenção todas as informações abaixo, antes de realizar a prestação de contas do seu projeto ao SEBRAE. A total liberação do recurso

Leia mais

Edital 002/2014/UFSJ/REITORIA Apoio à Organização de Eventos

Edital 002/2014/UFSJ/REITORIA Apoio à Organização de Eventos 1. Objetivo Conceder apoio financeiro a s acadêmicos, nas diferentes áreas de conhecimento, contribuindo para a difusão de conhecimento, nas suas dimensões de ensino, pesquisa e extensão. 2. Elegibilidade

Leia mais

PROGRAMA PETROBRAS CULTURAL FESTIVAIS E DIFUSÃO ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS

PROGRAMA PETROBRAS CULTURAL FESTIVAIS E DIFUSÃO ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS PROGRAMA PETROBRAS CULTURAL FESTIVAIS E DIFUSÃO ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS Este documento contém um pequeno descritivo do conteúdo que deve ser inserido em cada um dos campos do formulário de

Leia mais

AVISO DE CHAMAMENTO PÚBLICO Nº 01/2012 - SID-MC PROGRAMA REDES DIGITAIS DA CIDADANIA. Brasília, 14 de setembro de 2012.

AVISO DE CHAMAMENTO PÚBLICO Nº 01/2012 - SID-MC PROGRAMA REDES DIGITAIS DA CIDADANIA. Brasília, 14 de setembro de 2012. AVISO DE CHAMAMENTO PÚBLICO Nº 01/2012 - SID-MC PROGRAMA REDES DIGITAIS DA CIDADANIA O Ministério das Comunicações (MC), por intermédio da Secretaria de Inclusão Digital (SID), no uso de suas atribuições

Leia mais

Roteiro para elaboração de Projeto Proposta

Roteiro para elaboração de Projeto Proposta . Capa: - Título do projeto - Nome da instituição proponente - Linha de ação a ser apoiada. Roteiro para elaboração de Projeto Proposta. Identificação da instituição proponente e responsável legal - devem

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE LUZERNA INCUBADORA TECNOLÓGICA DE LUZERNA - ITL

PREFEITURA MUNICIPAL DE LUZERNA INCUBADORA TECNOLÓGICA DE LUZERNA - ITL PREFEITURA MUNICIPAL DE LUZERNA INCUBADORA TECNOLÓGICA DE LUZERNA - ITL Chamada Pública 02/2015 A Prefeitura Municipal de Luzerna, através da Incubadora Tecnológica - Luzerna torna pública que estão abertas

Leia mais

Ministério da Cultura Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional Departamento do Patrimônio Imaterial

Ministério da Cultura Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional Departamento do Patrimônio Imaterial Ministério da Cultura Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional Departamento do Patrimônio Imaterial Chamamento Público para a seleção de projetos voltados à implementação de programa de salvaguarda

Leia mais

EDITAL Nº 18 de 11 de dezembro de 2014

EDITAL Nº 18 de 11 de dezembro de 2014 EDITAL Nº 18 de 11 de dezembro de 2014 A Pró-Reitoria de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação (PROPPI) do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Goiano (IF Goiano), comunica aos interessados

Leia mais

INSTRUÇÃO DE SERVIÇOS N 004 DE 25 DE JULHO DE 2011 (Alterada pelas Resoluções nº 014/2011/CA e 034/2013/CA)

INSTRUÇÃO DE SERVIÇOS N 004 DE 25 DE JULHO DE 2011 (Alterada pelas Resoluções nº 014/2011/CA e 034/2013/CA) INSTRUÇÃO DE SERVIÇOS N 004 DE 25 DE JULHO DE 2011 (Alterada pelas Resoluções nº 014/2011/CA e 034/2013/CA) Estabelece diretrizes, normas e procedimentos para a Concessão de Patrocínio Financeiro para

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE POLÍTICAS DE PROMOÇÃO DA IGUALDADE RACIAL

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE POLÍTICAS DE PROMOÇÃO DA IGUALDADE RACIAL CHAMADA PÚBLICA N.º 001/2012 PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS QUE CONTEMPLEM A CAPACITAÇÃO DE LIDERANÇAS E O FORTALECIMENTO INSTITUCIONAL JUNTO AOS POVOS E COMUNIDADES TRADICIONAIS DE MATRIZ AFRICANA NO BRASIL

Leia mais

PROGRAMA BRASIL ARTE CONTEMPORÂNEA Primeira edição do Prêmio "Publicações em língua estrangeira de Arte Contemporânea"

PROGRAMA BRASIL ARTE CONTEMPORÂNEA Primeira edição do Prêmio Publicações em língua estrangeira de Arte Contemporânea PROGRAMA BRASIL ARTE CONTEMPORÂNEA Primeira edição do Prêmio "Publicações em língua estrangeira de Arte Contemporânea" EDITAL DE SELEÇÃO PÚBLICA PREÂMBULO A Fundação Bienal de São Paulo convoca interessados

Leia mais

MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL SUPERINTENDÊNCIA DO DESENVOLVIMENTO DA AMAZÔNIA SUDAM NORMA DE PROCEDIMENTOS N 003/2010

MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL SUPERINTENDÊNCIA DO DESENVOLVIMENTO DA AMAZÔNIA SUDAM NORMA DE PROCEDIMENTOS N 003/2010 MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL SUPERINTENDÊNCIA DO DESENVOLVIMENTO DA AMAZÔNIA SUDAM NORMA DE PROCEDIMENTOS N 003/2010 1. DO OBJETIVO 1.1. Normatizar e disciplinar os procedimentos para concessão de

Leia mais

As entidades privadas sem fins lucrativos e as transferências voluntárias. - Legislação -

As entidades privadas sem fins lucrativos e as transferências voluntárias. - Legislação - As entidades privadas sem fins lucrativos e as transferências voluntárias - Legislação - Mário Vinícius Spinelli Secretário de Prevenção da Corrupção e Informações Estratégicas Controladoria-Geral da União

Leia mais

SENADO FEDERAL GABINETE DO SENADOR PEDRO TAQUES. Assunto: Siconv aberto na Secretaria de Promoção Igualdade Racial

SENADO FEDERAL GABINETE DO SENADOR PEDRO TAQUES. Assunto: Siconv aberto na Secretaria de Promoção Igualdade Racial OF-CIRCULAR. GSPTAQ Nº 144/2014 SENADO FEDERAL GABINETE DO SENADOR PEDRO TAQUES Brasília, 1 de abril de 2014. Ilustríssimos(as) Prefeitos(as) e Vereadores(as) Municípios de Mato Grosso Assunto: Siconv

Leia mais

TREINAMENTO PRÁTICO SICONV CADASTRAR PROGRAMA

TREINAMENTO PRÁTICO SICONV CADASTRAR PROGRAMA TREINAMENTO PRÁTICO SICONV CADASTRAR PROGRAMA 1/8 CONCEDENTE Disponibilização de Programa (CONCEDENTE) Cópia de Programa (CONCEDENTE) Cadastro de Proposta/Plano de Trabalho (PROPONENTE) Análise de Proposta/Plano

Leia mais

DECRETO N 001 A / 2015 De 02 de janeiro de 2015.

DECRETO N 001 A / 2015 De 02 de janeiro de 2015. DECRETO N 001 A / 2015 De 02 de janeiro de 2015. EMENTA: Regulamenta o Sistema de Registro de Preços SRP previsto no art. 15 da Lei nº 8.666/93, no âmbito do Município de Central Bahia. O PREFEITO DO MUNICÍPIO

Leia mais

SOLICITAÇÃO DE COTAÇÃO IICA/NEAD Nº 005/2008 Data: 29/02/2008. EMPRESA CONVIDADA: Telefone: Fax: Endereço: Cidade: Estado:

SOLICITAÇÃO DE COTAÇÃO IICA/NEAD Nº 005/2008 Data: 29/02/2008. EMPRESA CONVIDADA: Telefone: Fax: Endereço: Cidade: Estado: SOLICITAÇÃO DE COTAÇÃO IICA/NEAD Nº 005/2008 Data: 29/02/2008 EMPRESA CONVIDADA: Telefone: Fax: Endereço: Cidade: Estado: Prezado (a) Senhor (a), O Projeto de Cooperação para Apoio às Políticas e à Participação

Leia mais

GESTÃO DE PROJETOS SICONV APRENDIZADO QUE GERA RESULTADOS

GESTÃO DE PROJETOS SICONV APRENDIZADO QUE GERA RESULTADOS GESTÃO DE PROJETOS SICONV APRENDIZADO QUE GERA RESULTADOS ABORDAGEM Conceitos relacionados ao tema; Legislação aplicável à execução; Modelo de gestão e processo adotado pela Fundep. O que é o SICONV? CONCEITOS

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA MCT/ FINEP/ FNDCT PESQUISA EM CIÊNCIAS SOCIAIS 04/2006

CHAMADA PÚBLICA MCT/ FINEP/ FNDCT PESQUISA EM CIÊNCIAS SOCIAIS 04/2006 CHAMADA PÚBLICA MCT/ FINEP/ FNDCT PESQUISA EM CIÊNCIAS SOCIAIS 04/2006 SELEÇÃO PÚBLICA DE PROPOSTAS PARA IMPLEMENTAÇÃO DE PROJETOS DE PESQUISA NA ÁREA DE CIÊNCIAS SOCIAIS 1. OBJETIVO O MINISTÉRIO DA CIÊNCIA

Leia mais

EDITAL Nº 06 SECAD/MEC, DE 1º DE ABRIL DE 2009

EDITAL Nº 06 SECAD/MEC, DE 1º DE ABRIL DE 2009 EDITAL Nº 06 SECAD/MEC, DE 1º DE ABRIL DE 2009 SELEÇÃO DE INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR PARA FOMENTO DA REDE DE EDUCAÇÃO PARA A DIVERSIDADE NO ÂMBITO DO SISTEMA UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL UAB A União,

Leia mais