Ministério da Educação UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ Criada pela Lei nº , de 24 de abril de AUDITORIA INTERNA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Ministério da Educação UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ Criada pela Lei nº. 10.435, de 24 de abril de 2002. AUDITORIA INTERNA"

Transcrição

1 RELATÓRIO DE AUDITORIA Nº. 02/2013 Setor: Patrimônio - Prefeitura do Campus Universitário (PCU) Período: 21/02/2013 a 08/04/2013 Legislação Aplicada: - Lei nº /98 - Lei nº /64 - Lei nº /93 - Decreto-Lei nº /46 - Decreto-Lei nº. 200/67 - Decreto nº /90 - IN/SEDAP nº. 205/88 - Portaria STN nº. 406/11 - Portaria Interministerial STN/SPU nº. 322/01 ESCOPO DO TRABALHO Os trabalhos de auditoria foram realizados no período de 21 de fevereiro a 08 de abril de 2013, em estrita observância às normas de auditoria aplicáveis ao serviço público federal, com o objetivo de examinar e comprovar a legalidade e legitimidade dos fatos e atos administrativos e avaliar os resultados alcançados, quanto aos aspectos de eficiência, eficácia e economicidade. Em específico, avaliar a confiabilidade do sistema patrimonial através da verificação da existência física dos bens móveis, sua localização e a responsabilidade sobre os mesmos, e principalmente, avaliar os controles internos existentes. Acrescente-se ainda, que em atendimento a recomendação contida no Ofício n /DSEDUI/DS/SFC/CGU-PR da Secretaria Federal de Controle Interno foi também realizada uma avaliação objetiva sobre a gestão do patrimônio imobiliário de responsabilidade da Universidade Federal de Itajubá, tendo sido contemplado os seguintes aspectos: a) suficiência da estrutura de pessoal da UJ para bem gerir os bens imóveis sob sua responsabilidade, da União, próprios ou locado de terceiros; b) existência ou não de estrutura tecnológica para gerir os imóveis; c) correção e completude dos registros dos imóveis no Sistema de Gerenciamento dos Imóveis de Uso Especial da União - SPIUnet, quando de uso obrigatório pela UJ; 1

2 d) análise comparativa dos gastos realizados com a manutenção dos imóveis próprios e da União e com os gastos com a manutenção de imóveis locados de terceiros; e) regularidade dos processos de locação de imóveis de terceiros, principalmente em relação à adequação dos preços contratuais dos aluguéis aos valores de mercado; f) indenização, pelos locadores, das benfeitorias úteis e necessárias realizadas no exercício pelos entes públicos locatários, nos termos do art. 35 da Lei nº /91; g) existência de segregação contábil suficientemente analítica para a distinção dos registros relativos às despesas com: i. locação de imóveis para uso dos servidores; ii. locação de imóveis para uso do órgão, unidade ou subunidade; iii. manutenção dos imóveis próprios e da União; iv. manutenção dos imóveis locados de terceiros privados ou de outras esferas públicas; v. manutenção dos imóveis locados de outros órgãos e entidades da administração pública federal. I Bens Móveis: Os trabalhos foram feitos por amostragem, não tendo sido utilizado nenhum método específico para seleção dos itens auditados. Foram selecionados para exame os seguintes itens: Item Patrimônio/Tombo Material Valor Setor AA ESTEIRA ERGOMETRICA ,05 CPE AA IMPRESSORA BRAILLE ,00 BIM AA NOTEBOOK 2.859,00 DSI AA PRENSA HIDRÁULICA ,00 PRCEU AA ANALISADOR DE ENERGIA ELÉTRICA ,55 ISEE AA PONTE DE RESISTÊNCIA ,00 ISEE AA VIBRÔMETRO ,53 IEM AA BOMBA CALORÍMETRICA ,11 IEM AA SISTEMA ESTÉREO MICROSCÓPIO ,00 IEPG AA IMPRESSORA MULTIFUNCIONAL ,80 IEPG AA ACOUSTIC DOPPLER CURRENT PROFILER - ADCP ,07 IRN AA ANALISADOR DE CARBONO TOTAL ,00 IRN AA BANHO MARIA 994,35 IESTI AA ESTUFA 4.720,56 IESTI AA INCUBADORA NEONATAL ,27 IESTI AA CELA ELETROREOLOGIA ,99 ICE AA POLARÍMETRO DIGITAL AUTOMÁTICO ,00 ICE AA ESPECTOFOTÔMETRO ,43 DFQ AA MEDIDOR DE LCR ,89 DFQ AA MONITOR DE VIDEO RT VALOR TOTAL AUDITADO: R$ ,60 2

3 Resultado dos Exames: Ministério da Educação A) Inexistência de Identificação Patrimonial em Bens de Uso Permanente. Item Patrimônio/Tombo Material Valor Setor AA ANALISADOR DE ENERGIA ELÉTRICA ,55 ISEE AA PONTE DE RESISTÊNCIA ,00 ISEE AA CELA ELETROREOLOGIA ,99 ICE AA POLARÍMETRO DIGITAL AUTOMÁTICO ,00 ICE Os bens acima relacionados foram localizados sem a devida plaqueta ou etiqueta apropriada de identificação de patrimônio e tombamento. Em consonância com essa necessidade, assim tem se manifestado o Tribunal de Contas da União: Assunto: TOMBAMENTO. Ementa: determinação à Escola Agrotécnica Federal de Colorado do Oeste/RO para que proceda à afixação das plaquetas de tombamento em todos os bens adquiridos pela Instituição (item 9.4.3, TC /2007-6, Acórdão nº /2008-1ª Câmara).. B) Falha na Movimentação de Bem Patrimonial. Item Patrimônio/Tombo Material Setor Cadastrado Setor Localizado AA NOTEBOOK DSI IFQ Não foi efetuada pela Divisão de Material (DMA) a devida transferência patrimonial do bem conforme solicitado no Memorando nº. 240/DSI/UNIFEI/2011, de 12 de dezembro de 2011, in verbis: Solicito suas providencias a fim de que o material abaixo relacionado seja transferido do cadastro patrimonial do DSI, para o do ICE: Notebook - nº. de patrimônio AA; Projetor Multimídia - nº. de patrimônio AA; Projetor Multimídia - nº. de patrimônio AA; Impressora Laser - nº. de patrimônio AA.. (grifo nosso). C) Falta de Atualização dos Termos de Responsabilidade. Item Patrimônio/Tombo Material Responsável AA ANALISADOR DE ENERGIA ELÉTRICA Antônio Eduardo Hermeto AA PONTE DE RESISTÊNCIA Antônio Eduardo Hermeto AA CELA ELETROREOLOGIA Luiz Francisco Pontin AA POLARÍMETRO DIGITAL AUTOMÁTICO Luiz Francisco Pontin Foi constatado que em alguns Relatórios de Cadastro Patrimonial figuram como responsáveis pelos equipamentos pessoas que não pertencem mais ao quadro de servidores ativos da Instituição. Sobre a atualização dos Termos de Responsabilidade, já tem decidido reiteradamente o Tribunal de Contas da União: 3

4 Assunto: TERMOS DE RESPONSABILIDADE. Ementa: o Tribunal de Contas da União posicionou-se pela necessidade de que sejam mantidos atualizados os termos de responsabilidade, em atendimento aos subitens 7.11 e 7.12 da Instrução Normativa SEDAP nº. 205/1988 (item 1.1.4, TC /2002-6, Acórdão nº /2005-TCU-1ª Câmara).. Assunto: TERMOS DE RESPONSABILIDADE. Ementa: o Tribunal de Contas da União determinou observância a dispositivo da Lei n /64 relativo à guarda e à administração de bens (art. 94), mantendo atualizados os termos de responsabilidade dos bens móveis, materiais e equipamentos em uso, procedendo periodicamente à verificação da existência desses bens (item 9.4.4, Acórdão n /2005-TCU-1a Câmara).. Especificamente, sobre a constatação acima, transcrevemos também a seguinte decisão: Assuntos: PATRIMÔNIO. Ementa: o TCU determinou à Universidade Federal do Amazonas que, nas modificações das chefias dos órgãos, procedesse à passagem da carga do mobiliário, equipamentos e demais bens ao sucessor, ou este realizasse, de imediato, a contagem física para verificar o estado dos bens e seu quantitativo, na forma do item 8.1, "c" da Instrução Normativa SEDAP nº. 205/1988 (item 1.2.2, TC /1997-6, Acórdão nº /2007-TCU-Plenário).. D) Bens Móveis Cedidos em Comodato. Término da Vigência do Contrato. Termo de Encerramento. Não Procedida à Restituição dos Bens. Falha no Controle Interno. Item Patrimônio/Tombo Material Valor Processo Localizado AA BANHO MARIA 994, / HE AA ESTUFA 4.720, / FMIt Foi constatada a existência de bens móveis cedidos em comodato a Fundação Dr. Sebastião Pereira Rennó (CNPJ nº / ) localizados nas dependências do Hospital Escola de Itajubá (HE) e da Faculdade de Medicina de Itajubá (FMIt). Os bens mencionados fazem parte de uma série de equipamentos médico-hospitalares emprestados pela Universidade Federal de Itajubá, em caráter gratuito e temporário, a Fundação Dr. Sebastião Pereira Rennó (mantenedora do Hospital Escola da Faculdade de Medicina de Itajubá) para serem utilizados em atividades relacionadas ao projeto de pesquisa intitulado Sistema de Monitorização Central de Incubadoras Neonatal sob orientação e coordenação do Prof. José Alberto Ferreira Filho (SIAPE ). Todavia, ao analisarmos o Contrato Administrativo de Comodato nº. 007/2005 (Processo nº / ) verificamos que a sua vigência expirou em 15/11/2006 (fl. 32), e que não houve prorrogação do prazo mediante celebração de termo aditivo, tendo sido o contrato oficialmente encerrado pela Pró-Reitoria de Cultura e Extensão Universitária em 08/12/2006 (fl. 38). Primeiramente, é importante destacar que a Cláusula Terceira do referido contrato dispõe expressamente que: O presente comodato terá duração de 12 (Doze) meses a partir da data da assinatura deste, sendo que a COMODATÁRIA compromete-se a restituir o bem descrito na 4

5 cláusula primeira, nas mesmas condições de uso e conservação em que se encontra nesta data.. (grifo nosso). E, nessa linha, a Cláusula Onze estabelece o seguinte: Os bens objeto do presente comodato, deverão ser restituídos ao final do prazo fixado na cláusula terceira, cabendo a COMODATÁRIA todas as despesas decorrentes da entrega dos bens.. (grifo nosso). E, por último, determina em sua Subcláusula Única que: A COMODATÁRIA responderá pela mora na entrega dos bens, em aluguel correspondente a 10% do valor fixado na cláusula primeira, arcando ainda com os riscos e conseqüências de deteriorização dos bens dados em comodato.. (grifo nosso). Depreende-se do exposto que houve uma falha por parte da Universidade Federal de Itajubá em não ter até hoje notificado formalmente a Fundação Dr. Sebastião Pereira Rennó para que a mesma restituísse, conforme disposição contratual, os bens que lhe foram cedidos em comodato. Ademais, impende registrar que no exercício de 2009, em auditoria realizada na área patrimonial, foram também identificadas outras fragilidades no controle dos bens cedidos em comodato a Fundação Dr. Sebastião Pereira Rennó, tendo a Auditoria Interna emitido na época à seguinte recomendação: Em relação a bens objetos de comodato, como medida de controle interno, recomendamos aos responsáveis pelos mesmos que verifiquem a vigência dos contratos, e que façam um levantamento minucioso de todos os bens cedidos e sua localização.. (Relatório de Auditoria nº. 02/ Setor: Patrimônio - Campus Itajubá). E) Ausência de Inventário Físico-Financeiro. Inobservância ao Disposto no Artigo 96 da Lei nº /64 e Item 8 da IN/SEDAP nº. 205/88. Sobre a constatação acima, vale a transcrição das seguintes decisões do Tribunal de Contas da União: Assunto: INVENTÁRIO. Ementa: determinação à Universidade Federal do Paraná para que promova, anualmente, o inventário físico dos bens móveis da instituição, podendo, com esse objetivo, realizar os procedimentos de modo descentralizado, com a participação dos diversos setores responsáveis pela guarda dos bens, adotando medidas adequadas de controle e fiscalização por parte de seus órgãos internos de controle ou da própria comissão inventariante, ainda que por amostragem, devendo, ainda, a instituição empregar, na tarefa, sempre que possível, métodos informatizados de identificação, leitura e conferência dos bens, ressalvando-se que os setores porventura omissos na informação sobre a existência e situação dos bens sob sua guarda deverão ser devidamente responsabilizados, cabendo ao responsável principal informar em suas futuras contas anuais, no relatório de gestão, as providências disciplinares adotadas para esses casos (item 9.3.1, TC /2001-8, Acórdão nº /2009-1ª Câmara).. 5

6 Assunto: INVENTÁRIO. Ementa: determinação ao Núcleo Estadual do Ministério da Saúde no Espírito Santo (NEMS/ES) para que: a) observe as disposições da Instrução Normativa/SEDAP nº. 205/1988 quanto à elaboração dos inventários de bens móveis, em especial o item que estabelece o agrupamento dos móveis por categorias patrimoniais, em obediência à determinação do Tribunal de Contas da União no Acórdão nº /2004-2ª C; b) instrua as comissões de inventário a atualizarem a situação física dos bens móveis no sistema de controle patrimonial utilizado pela Unidade, quando da realização dos próximos inventários, em conformidade com o disposto no item 8, alíneas "d" e "e", da Instrução Normativa/SEDAP nº. 205/1988; c) instrua as comissões de inventário anual a consignar em relatório quaisquer divergências entre os valores dos equipamentos e materiais permanentes constantes do Sistema de Controle Patrimonial e os saldos das respectivas contas patrimoniais constantes do Sistema SIAFI em 31 de dezembro do exercício a que se refere o levantamento patrimonial, devendo identificar as causas e sugerir os acertos necessários para a correção dessas divergências; d) apure, em conformidade com o item 10 da Instrução Normativa/SEDAP nº. 205/1988, as eventuais responsabilidade pelos desaparecimentos dos bens não localizados pela Comissão de Inventário. Em seguida, quando for o caso, providenciar os acertos contábeis necessários à baixa dos bens desaparecidos do patrimônio da Unidade (itens a , TC /2008-6, Acórdão nº /2010-1ª Câmara).. Ressalte-se, ainda, que na recente Coletânea de Entendimentos elaborada em conjunto pela Controladoria-Geral da União (CGU) e o Ministério da Educação (MEC), sobre como deve ser feito o controle de bens móveis pelas IFEs (Item 21 - Página 26), assim orientou: Consideradas a quantidade e a diversidade de itens em uso e movimentação nas IFEs e suas diferentes características, a sistemática de controle a ser estabelecida deve considerar o grau de importância de cada item, seu valor relativo e dificuldades para sua reposição. O setor de controle dos bens deve estar preparado para o acompanhamento das operações típicas: aquisições, movimentações, doações, baixas, etc, com emissão e guarda dos documentos comprobatórios necessários (notas fiscais, termos de responsabilidade, termos de transferência, termos de doação, relatórios de comissões de sindicância e avaliação), em especial, quando ocorrer perda, extravio, dano, ou, ainda, obsolescência, desuso, etc. Estes controles podem englobar, conforme item 7.4 da I.N. SEDAP Nº. 205/88: a) registro de pedidos de fornecimento (requisições); b) acompanhamento periódico; ou c) acompanhamento a cada movimentação. As IFEs devem realizar anualmente o inventário físico destinado a comprovar a quantidade e o valor dos bens patrimoniais do acervo de cada unidade gestora, existente em 31 de dezembro de cada exercício - constituído do inventário anterior e das variações patrimoniais ocorridas durante o exercício.. (grifo nosso). 6

7 II Bens Imóveis: Os trabalhos foram realizados em atendimento a recomendação contida no Ofício n /DSEDUI/DS/SFC/CGU-PR da Secretaria Federal de Controle Interno, tendo sido avaliada a gestão do patrimônio imobiliário de responsabilidade da Universidade Federal de Itajubá. Em resposta ao Memorando Eletrônico nº. 22/2013-AI (Solicitação de Auditoria - Bens Imóveis - Exercício 2013) foram repassadas pela Pró-Reitoria de Administração as seguintes informações: A) Relação dos bens imóveis próprios e da União sob-responsabilidade da Universidade Federal de Itajubá, informando inclusive, através de documentos comprobatórios, quais estão devidamente cadastrados no Sistema de Gerenciamento dos Imóveis de Uso Especial da União (SPIUnet); Resposta: Os bens imóveis sob a responsabilidade da Universidade Federal de Itajubá se encontram cadastrados no Sistema de Gerenciamento dos Imóveis de Uso Especial da União (SPIUnet), a saber: RIP Valor da Avaliação (R$) Registro SIAFI (R$) , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,86 Informamos que os documentos comprobatórios solicitados na primeira pergunta (letra a) serão enviados em papel.. (Memorando Eletrônico nº. 184/ PRAD). B) Informar a respeito da suficiência da estrutura de pessoal da Universidade Federal de Itajubá para bem gerir os bens imóveis sob sua responsabilidade, da União, próprios ou locado de terceiros; Resposta: Devido ao elevado crescimento da Instituição, a Universidade, enfrenta dificuldades que possam atender toda a demanda destas atividades, porém, está sendo favorecida em razão dos treinamentos realizados pela Secretaria de Patrimônio da União-Minas Gerais, que trouxe excelentes subsídios para dirimir dúvidas e consequentemente regularizar todos os seus bens imóveis no SPIUnet.. (Memorando Eletrônico nº. 184/ PRAD). C) Informar a existência ou não de estrutura tecnológica para gerir os imóveis; Resposta: Não existe nenhuma outra estrutura tecnológica própria para gerir os imóveis, sendo utilizado somente o SPIUnet.. (Memorando Eletrônico nº. 184/ PRAD). 7

8 D) Informar se são realizadas avaliações ou reavaliações periódicas dos imóveis cadastrados no Sistema de Gerenciamento dos Imóveis de Uso Especial da União (SPIUnet), a fim de os valores apurados estejam em consonância com o mercado imobiliário; Resposta: Os Registros Imobiliário Patrimonial-RIP indicados abaixo de propriedade da Universidade Federal de Itajubá, não sofreram até o presente momento, nenhum tipo de avaliações ou reavaliações. A UG já está preparando um plano de ação para o exercício de 2013, com vistas em regularizar e efetuar a avaliação ou reavaliações dos bens imóveis de sua propriedade, a fim de que os valores apurados estejam em consonância com o mercado imobiliário. RIP Valor da Avaliação (R$) Registro SIAFI (R$) , , , , , ,39 Ao passo que os Registros Imobiliário Patrimonial-RIP indicados abaixo de propriedade da Universidade Federal de Itajubá, somente serão avaliados ou reavaliados a partir de 18/03/2015, já que foram avaliados em 18/03/2013 com nível de rigor: estimativa de valor (24 meses).. RIP Valor da Avaliação (R$) Registro SIAFI (R$) , , , , , , , , , , , , , , , ,86 Memorando Eletrônico nº. 184/ PRAD - Assunto: Resposta ao Memorando Eletrônico nº. 33/2013-AI (Solicitação de Auditoria - Bens Imóveis - Exercício 2013) E) Informar se Universidade Federal de Itajubá possui contratos de locação de imóveis de terceiros, detalhando os objetivos das locações e, principalmente, os valores dos alugueis, para análise da adequação dos preços contratuais dos aluguéis aos valores de mercado; Resposta: A Universidade não possui contratos de locação de imóveis.. (Memorando Eletrônico nº. 184/ PRAD). F) Informar os gastos realizados com a manutenção dos imóveis próprios e da União e com os gastos com a manutenção de imóveis locados de terceiros (se houver); Resposta: As despesas decorrentes com imóveis da União, quando incorridas ou pagas são registradas contabilmente no elemento/sub-elemento de despesas: (Manutenção e Conservação de Bens Imóveis) e também no elemento/sub-elemento: (Material para Manutenção de Bens Imóveis/Instalações. 8

9 No exercício de 2012 os gastos realizados pela UG com a manutenção dos imóveis próprios da União foram: Material para manutenção de Bens Imóveis/Instalações, no valor de R$ ,19 (Trezentos e dez mil, um real, dezenove centavos) Manutenção e Conservação de Bens Imóveis - R$ ,55 (Setecentos quarenta e dois mil trezentos e um reais, cinquenta e cinco centavos).. (Memorando Eletrônico nº. 184/ PRAD). G) Informar se houve indenização, pelos locadores, das benfeitorias úteis e necessárias eventualmente realizadas no exercício pelos entes públicos locatários, nos termos do art. 35 da Lei nº /91; Resposta: Não houve, pois a Universidade não possui contratos de locação de imóveis.. (Memorando Eletrônico nº. 184/ PRAD). H) Informar a existência de segregação contábil suficientemente analítica para a distinção dos registros relativos às despesas com: i. locação de imóveis para uso servidores; ii. locação de imóveis para uso do órgão, unidade ou subunidade; iii. manutenção dos imóveis próprios e da União; iv. manutenção dos imóveis locados de terceiros privados ou de outras esferas públicas; v. manutenção dos imóveis locados de outros órgãos e entidades da administração pública federal. Resposta: As despesas decorrentes com imóveis da União, quando incorridas ou pagas são registradas contabilmente no elemento/sub-elemento de despesas: (Manutenção e Conservação de Bens Imóveis) e também no elemento/sub-elemento: (Material para Manutenção de Bens Imóveis/Instalações.. (Memorando Eletrônico nº. 184/ PRAD). Cumpre-nos alertar que em recente auditoria realizada na Universidade Federal de Itajubá (09/04/2012 a 12/04/2012) a Controladoria Regional da União no Estado de Minas Gerais identificou algumas fragilidades nos controles relativos às informações contidas no SPIUnet sobre Bens de Uso Especial da União, tendo expedido as seguintes recomendações: Registrar as informações relativas à gestão dos bens imóveis de uso especial de responsabilidade da Entidade no sistema SPIUnet, de forma a refletir a situação atualizada dos imóveis sob responsabilidade da UNIFEI, em observância ao disposto no art. 2º da Portaria Interministerial STN/SPU nº. 322/2001 e ao Manual de Contabilidade Aplicada ao Setor Público - Parte II Procedimentos Contábeis Patrimoniais.. (Relatório de Auditoria Anual de Contas nº ). 9

10 Realizar as avaliações ou as reavaliações dos imóveis cadastrados, preferencialmente por meio da constituição de uma comissão de servidores da UNIFEI para este fim de forma a evitar custos com contratação, a fim de que os valores apurados estejam em consonância com o valor justo, definido de acordo com os procedimentos previstos na Portaria STN nº. 406/2011, que já estavam contidos na Portaria STN nº. 664/2010, e sejam atualizados no SPIUnet, a fim de que ocorra a correspondência entre esses montantes e os valores do Ativo Imobilizado registrados no SIAFI.. (Relatório de Auditoria Anual de Contas nº ). É importante ressaltar que a Auditoria Interna tem, dentre suas principais atribuições, a de acompanhar a implementação das recomendações e determinações provenientes dos órgãos de controle interno (CGU) e externo (TCU). Neste sentido, verificamos que a Universidade Federal de Itajubá, embora não tenha conseguido atender integralmente as recomendações provindas da CGU/MG, tem realizado várias ações com vistas a sanar a maior parte das falhas apontadas por este órgão de controle interno. Cabe destacar, ainda, que ela esta tentando organizar e atualizar a gestão interna de seus bens imóveis, providenciando, na medida do possível, a regularização e atualização dos registros no sistema SPIUnet. Por fim, cumpre salientar que a gestão adequada dos bens imóveis também depende, necessariamente, da adequação dos controles internos com vistas a garantir uma maior conformidade dos procedimentos adotados com a legislação que dispõe sobre o assunto. III Orientações: - Recomendamos a Divisão de Material (PCU) que envide esforços no sentido de providenciar a plaqueta (ou etiqueta) com número de registro patrimonial e afixá-la no bem antes do seu envio a unidade requisitante, e, no tocante aos bens localizados sem o devido número de registro (Analisador de Energia Elétrica - Patrimônio: AA; Ponte de Resistência - Patrimônio: AA; Cela Eletroreologia - Patrimônio: AA e Polarímetro Digital Automático - Patrimônio: AA), que providencie o imediato emplacamento ou colocação da etiqueta apropriada, em atendimento ao determinado no item da IN/SEDAP nº. 205/88; - Recomendamos a Divisão de Material (PCU) proceder à atualização periódica do Cadastro Patrimonial da Instituição, principalmente em relação à identificação, localização, responsabilidade e valor dos bens móveis, devendo, para tanto, cumprir o disposto no artigo 96 da Lei nº /64, no que se refere à elaboração anual do inventário físico-financeiro dos bens patrimoniais existentes, providenciando inclusive, por meio de uma comissão regularmente constituída, a devida conferência física dos bens que compõem o acervo patrimonial; - Em relação aos bens móveis cedidos em comodato a Fundação Dr. Sebastião Pereira Rennó (Processo nº / e outros) recomendamos que a mesma seja formalmente notificada a restituí-los conforme disposição contratual, e, não havendo 10

11 interesse por parte da UNIFEI em manter em sua carga patrimonial os referidos equipamentos, que providencie, com a devida análise prévia da Procuradoria Federal, a correta destinação dos mesmos nos moldes previstos na Lei nº /1993 e no Decreto nº /1990; - Por fim, recomendamos a Divisão de Material (PCU) que concentre esforços para corrigir as falhas acima apontadas e que cumpra integralmente o disposto na legislação vigente, em especial na Instrução Normativa nº. 205, de 08/04/1988. IV Conclusão: Em face dos exames realizados e comparando com os resultados obtidos em exercícios anteriores, concluímos que ainda existem algumas falhas em nosso sistema de controle patrimonial, sendo elas provenientes, em parte, da falta de uma atualização periódica e confiável do inventário dos bens móveis e imóveis da Instituição. Por outro lado, acreditamos que atendendo as recomendações contidas neste relatório e nos anteriores, bem como, seguindo as orientações provenientes dos nossos órgãos de controle (CGU/TCU), e principalmente, com a efetiva implantação do Módulo Patrimônio do Sistema Integrado de Patrimônio, Administração e Contratos - SIPAC, provavelmente haverá um controle mais efetivo do patrimônio institucional e consequentemente todas as falhas encontradas serão gradativamente corrigidas. No mais, lembramos que a Auditoria Interna deve ser sempre entendida como uma atividade de assessoramento à Administração, de caráter essencialmente preventivo, destinada a agregar valor e a melhorar as operações da entidade, assistindo-a na consecução de seus objetivos mediante uma abordagem sistemática e disciplinada, fortalecendo a gestão e racionalizando as ações de controle interno. É o nosso relatório. Itajubá, 12 de abril de Anderson Christi Duarte Pinto Ferreira Chefe da Auditoria Interna - UNIFEI (Portaria nº , de 20 de dezembro de 2012) Graziela Emília Cassiano Assistente da Auditoria Interna (Portaria nº. 650, de 03 de abril de 2013) 11

Ministério da Educação UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ Criada pela Lei nº. 10.435, de 24 de abril de 2002. AUDITORIA INTERNA

Ministério da Educação UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ Criada pela Lei nº. 10.435, de 24 de abril de 2002. AUDITORIA INTERNA RELATÓRIO DE AUDITORIA Nº. 02/2012 Setor: Patrimônio - Divisão de Material (PCU) Período: 12/03/2012 a 30/03/2012 Legislação Aplicada: - Lei nº. 4.320/64 - Lei nº. 8.666/93 - Decreto-Lei nº. 200/67 - Decreto

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 012/UNIR/GR/2014, DE 25 DE AGOSTO DE 2014.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 012/UNIR/GR/2014, DE 25 DE AGOSTO DE 2014. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 012/UNIR/GR/2014, DE 25 DE AGOSTO DE 2014. Estabelece procedimentos para o inventário de bens móveis, imóveis e bens de consumo da Fundação Universidade Federal de Rondônia. A Reitora

Leia mais

Ministério da Educação UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ Criada pela Lei nº. 10.435, de 24 de abril de 2002. AUDITORIA INTERNA

Ministério da Educação UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ Criada pela Lei nº. 10.435, de 24 de abril de 2002. AUDITORIA INTERNA PLANO ANUAL DE ATDADES DE EXERCÍCO DE 2011 1 Í N D C E : NTRODUÇÃO DA FATORES CONSDERADOS NA ELABORAÇÃO DO PANT DO PLANO ANUAL DE ATDADES DE CONSDERAÇÕES GERAS ANUAL 2 N T R O D U Ç Ã O Ministério da Educação

Leia mais

Ministério da Educação UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ Criada pela Lei nº. 10.435, de 24 de abril de 2002. AUDITORIA INTERNA

Ministério da Educação UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ Criada pela Lei nº. 10.435, de 24 de abril de 2002. AUDITORIA INTERNA RELATÓRIO DE AUDITORIA Nº. 06/2012 Setor: Transportes (PCU) Período: 15/10/2012 a 31/10/2012 Legislação Aplicada: - Instrução Normativa nº. 03/08 - IN/SEDAP nº. 205/88 ESCOPO DO TRABALHO I Os trabalhos

Leia mais

Relatório de Auditoria Interna nº 01/2014

Relatório de Auditoria Interna nº 01/2014 2014 RELATÓRIO DE AUDITORIA Nº 05/2011 UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO GABINETE DO REITOR AUDITORIA INTERNA Rua Dom Manoel de Medeiros, s/n - Dois Irmãos; 52171-900 - Recife (PE) Fone/Fax: (81)

Leia mais

Ministério da Educação UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ Criada pela Lei nº. 10.435, de 24 de abril de 2002. AUDITORIA INTERNA

Ministério da Educação UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ Criada pela Lei nº. 10.435, de 24 de abril de 2002. AUDITORIA INTERNA RELATÓRIO DE AUDITORIA Nº. 03/2008 Setor: Licitações, Contratos e Convênios (CCC e DCF) Período: 09/06/2008 a 30/06/2008 Legislação Aplicada: - Lei nº. 8.666/93 - Lei nº. 11.170/2005 - Decreto nº. 3.931/01

Leia mais

MÓDULO D PATRIMONIO. - Estrutura organizacional do ILMD para a respectiva área aprovada pelo CD Fiocruz

MÓDULO D PATRIMONIO. - Estrutura organizacional do ILMD para a respectiva área aprovada pelo CD Fiocruz MÓDULO D PATRIMONIO - Grau de descentralização administrativa do Patrimônio - Médio - Dados gerenciais ( X ) A Dirad possui dados gerenciais ou técnicos de diversas áreas do ILMD. conforme apresentados

Leia mais

Ministério da Educação UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ Criada pela Lei nº. 10.435, de 24 de abril de 2002. AUDITORIA INTERNA

Ministério da Educação UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ Criada pela Lei nº. 10.435, de 24 de abril de 2002. AUDITORIA INTERNA RELATÓRIO DE AUDITORIA Nº. 03/2014 Setor: Suprimento de Fundos / Cartão de Pagamento do Governo Federal Período: 17/03/2014 a 04/04/2014 Legislação Aplicada: - Lei nº. 8.666/1993 - Decreto nº. 6.370/2008

Leia mais

Ministério da Educação UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ Criada pela Lei nº. 10.435, de 24 de abril de 2002. AUDITORIA INTERNA

Ministério da Educação UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ Criada pela Lei nº. 10.435, de 24 de abril de 2002. AUDITORIA INTERNA RELATÓRIO DE AUDITORIA Nº. 03/2007 Setor: Licitações, Contratos e Convênios (CCC e DCF) Período: 02/07/2007 a 10/08/2007 Legislação Aplicada: - Lei nº. 8.666/93 - Lei nº. 11.170/2005 - Decreto nº. 3.931/01

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES DE AUDITORIA INTERNA RAAAI 2004 I - INTRODUÇÃO

RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES DE AUDITORIA INTERNA RAAAI 2004 I - INTRODUÇÃO RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES DE AUDITORIA INTERNA RAAAI 2004 I - INTRODUÇÃO A da Universidade Federal do Amazonas apresenta o seu Relatório Anual de Atividades de, com base no Decreto nº. 3.591/2000,

Leia mais

INVENTÁRIO ANUAL. Exercício 2011. Orientações e Procedimentos para Comissões Inventariantes

INVENTÁRIO ANUAL. Exercício 2011. Orientações e Procedimentos para Comissões Inventariantes INVENTÁRIO ANUAL Exercício 2011 Orientações e Procedimentos para Comissões Inventariantes Elaboração: Fernando de Souza Guimarães : 3409-4674 / 3409-4675 : dimat@dsg.ufmg.br Belo Horizonte, 2011 SUMÁRIO

Leia mais

No uso de suas atribuições, o Diretor-Geral do Campus Bento Gonçalves do IFRS, institui a Norma Operacional de número 01/2012.

No uso de suas atribuições, o Diretor-Geral do Campus Bento Gonçalves do IFRS, institui a Norma Operacional de número 01/2012. Norma Operacional número 01/2012 Bento Gonçalves, 13 de janeiro de 2012 No uso de suas atribuições, o Diretor-Geral do do IFRS, institui a Norma Operacional de número 01/2012. Norma Operacional nº 01/2012

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE SINOP ESTADO DE MATO GROSSO INSTRUÇÃO NORMATIVA SPA 001/2009. Sistema de Controle Patrimonial

CÂMARA MUNICIPAL DE SINOP ESTADO DE MATO GROSSO INSTRUÇÃO NORMATIVA SPA 001/2009. Sistema de Controle Patrimonial 1 CÂMARA MUNICIPAL DE SINOP ESTADO DE MATO GROSSO INSTRUÇÃO NORMATIVA SPA 001/2009 Versão: 01 Aprovação em: 31/07/2009 Unidade Responsável: Coordenadoria de Finanças e Patrimônio - CFP SPA: Sistema de

Leia mais

MANUAL CONTROLE PATRIMONIAL

MANUAL CONTROLE PATRIMONIAL MANUAL CONTROLE PATRIMONIAL Parnaíba 2013 APRESENTAÇÃO A partir da vigência da Constituição de 1988, a Administração Pública passou a conviver com normas e leis mais rígidas de controle contábil, financeiro,

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA SECRETARIA DE CONTROLE INTERNO GERÊNCIA DE AUDITORIA TOMADA DE CONTAS ANUAL SIMPLIFICADA RELATÓRIO DE AUDITORIA Nº 9/2006/GEAUD/CISET/MD TIPO DE AUDITORIA : AVALIAÇÃO DE GESTÃO EXERCÍCIO

Leia mais

Número: 00225.000795/2012-63 Unidade Examinada: Município de Taubaté/SP

Número: 00225.000795/2012-63 Unidade Examinada: Município de Taubaté/SP Número: 00225.000795/2012-63 Unidade Examinada: Município de Taubaté/SP Relatório de Demandas Externas n 00225.000795/2012-63 Sumário Executivo Este Relatório apresenta os resultados das ações de controle

Leia mais

Ministério da Educação UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ Criada pela Lei nº. 10.435, de 24 de abril de 2002. AUDITORIA INTERNA

Ministério da Educação UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ Criada pela Lei nº. 10.435, de 24 de abril de 2002. AUDITORIA INTERNA PLANO ANUAL DE ATDADES DE EXERCÍCO DE 2013 1 ÍNDCE: - NTRODUÇÃO - DA - FATORES CONSDERADOS NA ELABORAÇÃO DO PANT - DO PLANO ANUAL DE ATDADES DE - DA EXECUÇÃO DOS PROGRAMAS E AÇÕES GOERNAMENTAS - CONSDERAÇÕES

Leia mais

PLANO ANUAL DE ATIVIDADES DE AUDITORIA INTERNA PAINT 2012

PLANO ANUAL DE ATIVIDADES DE AUDITORIA INTERNA PAINT 2012 PLANO ANUAL DE ATIVIDADES DE AUDITORIA INTERNA PAINT 2012 Rua Diogo de Vasconcelos, 328 Pilar Ouro Preto MG Brasil CEP 35.400-000 Homepage: http://www.ufop.br - E-mail: liliancosta@reitoria.ufop.br. Tel:

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2008 PROCESSO Nº

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº. 199 DE 27 DE DEZEMBRO DE 2013

RESOLUÇÃO Nº. 199 DE 27 DE DEZEMBRO DE 2013 RESOLUÇÃO Nº. 199 DE 27 DE DEZEMBRO DE 2013 A PRESIDENTE EM EXERCÍCIO DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO DA, no uso de suas atribuições legais e CONSIDERANDO que as entidades da Administração Pública Federal indireta

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2008 PROCESSO Nº

Leia mais

RELATÓRIO DO INVENTÁRIO FÍSICO DE BENS PATRIMONIAIS DO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO CASSIANO ANTÔNO MORAES - HUCAM

RELATÓRIO DO INVENTÁRIO FÍSICO DE BENS PATRIMONIAIS DO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO CASSIANO ANTÔNO MORAES - HUCAM RELATÓRIO DO INVENTÁRIO FÍSICO DE BENS PATRIMONIAIS DO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO CASSIANO ANTÔNO MORAES - HUCAM MARÇO - 2013 1 INTRODUÇÃO O Inventário consiste no levantamento e identificação de bens visando

Leia mais

Ministério da Educação UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ Criada pela Lei nº. 10.435, de 24 de abril de 2002. AUDITORIA INTERNA

Ministério da Educação UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ Criada pela Lei nº. 10.435, de 24 de abril de 2002. AUDITORIA INTERNA RELATÓRIO DE AUDITORIA Nº. 08/2011 Setor: Transportes (PCU) Período: 17/10/2011 a 04/11/2011 Legislação Aplicada: - Instrução Normativa nº. 03/08 - IN/SEDAP nº. 205/88 ESCOPO DO TRABALHO I Os trabalhos

Leia mais

Inventário 2014 Manual de Procedimentos

Inventário 2014 Manual de Procedimentos Inventário 2014 Manual de Procedimentos O Inventário anual de bens móveis Conforme está previsto na legislação vigente (Instrução Normativa 205/88), é obrigatório aos gestores das Unidades responsáveis

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 019/2014

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 019/2014 Salvador, Bahia Sexta-Feira 21 de novembro de 2014 Ano XCIX N o 21.577 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 019/2014 Orienta os órgãos e entidades da Administração Pública do Poder Executivo Estadual, sobre a realização

Leia mais

MINUTA DA INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº. 010/2012

MINUTA DA INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº. 010/2012 MINUTA DA INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº. 010/2012 DISPÕE SOBRE AS NORMAS E PROCEDIMENTOS A SEREM OBSERVADOS NO REGISTRO, CONTROLE, INVENTÁRIO E DEPRECIAÇÃO DE BENS MÓVEIS E IMÓVEIS DO MUNICÍPIO DE NOVA VENÉCIA

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2009 PROCESSO Nº

Leia mais

ORDEM DE SERVIÇO Nº 03/2003-GAB

ORDEM DE SERVIÇO Nº 03/2003-GAB ORDEM DE SERVIÇO Nº 03/2003-GAB Fixa normas e procedimentos administrativos relativos ao controle patrimonial do ativo imobilizado da FFFCMPA. O Diretor da Fundação Faculdade Federal de Ciências Médicas

Leia mais

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA PRÓ-REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA PRÓ-REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 001 de 03 de julho de 2012. FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA PRÓ-REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO Regulamenta os procedimentos para movimentação física dos bens patrimoniais,

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA MILITAR DO ESTADO

TRIBUNAL DE JUSTIÇA MILITAR DO ESTADO PLANO DE AUDITORIA DE LONGO PRAZO (PALP) 2013-2014 Sumário: 1 INTRODUÇÃO... 3 2 BIÊNIO 2013-2014: ATIVIDADES DE MONITORAMENTO E ACOMPANHAMENTO.... 3 2.1 Apoio ao Tribunal de Contas do Estado de São Paulo...

Leia mais

INSTRUÇÃO Nº 019 DE 27 DE DEZEMBRO DE 2006

INSTRUÇÃO Nº 019 DE 27 DE DEZEMBRO DE 2006 INSTRUÇÃO Nº 019 DE 27 DE DEZEMBRO DE 2006 Orienta os órgãos da Administração Direta do Poder Executivo Estadual sobre os procedimentos a serem aplicados no controle patrimonial de bens móveis, em conformidade

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Conselho Universitário

Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Conselho Universitário Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Conselho Universitário PR UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ INTERESSADO: Universidade Tecnológica Federal do Paraná - UTFPR ASSUNTO:

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2006 PROCESSO Nº : 04972.000579/2007-59 UNIDADE AUDITADA

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DE CONTROLE DE QUALIDADE EM SAÚDE CONTROLE PATRIMONIAL DO SAM/INCQS GUIA DE PROCEDIMENTOS PARA CONTROLE DE

INSTITUTO NACIONAL DE CONTROLE DE QUALIDADE EM SAÚDE CONTROLE PATRIMONIAL DO SAM/INCQS GUIA DE PROCEDIMENTOS PARA CONTROLE DE INSTITUTO NACIONAL DE CONTROLE DE QUALIDADE EM SAÚDE CONTROLE PATRIMONIAL DO SAM/INCQS GUIA DE PROCEDIMENTOS PARA CONTROLE DE 2012 OBJETIVOS DESTE GUIA Estabelecer uma Cultura Institucional de Controle

Leia mais

RESOLUÇÃO N o 016, de 1º de junho de 2009. (Modificada pela Res. 019/2010)

RESOLUÇÃO N o 016, de 1º de junho de 2009. (Modificada pela Res. 019/2010) RESOLUÇÃO N o 016, de 1º de junho de 2009. (Modificada pela Res. 019/2010) Aprova Regimento Interno da Pró-Reitoria de Administração PROAD. O PRESIDENTE DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO DA UNIVERSIDADE FEDERAL

Leia mais

PLANO ANUAL DE ATIVIDADES DE AUDITORIA INTERNA

PLANO ANUAL DE ATIVIDADES DE AUDITORIA INTERNA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUL DE MINAS GERAIS PLANO ANUAL DE ATIVIDADES DE AUDITORIA INTERNA PAINT

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS CAPÍTULO II DA FINALIDADE, VINCULAÇÃO E SEDE

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS CAPÍTULO II DA FINALIDADE, VINCULAÇÃO E SEDE LEI N. 2.031, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2008 Institui o Serviço Social de Saúde do Acre, paraestatal de direito privado, na forma que especifica. O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE seguinte Lei: FAÇO SABER que

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO UNIDADE AUDITADA : NÚCLEO ESTADUAL DO MINISTÉRIO DA SAÚDE/PE CÓDIGO UG : 250029 RELATÓRIO Nº : 189831 UCI EXECUTORA : 170063 Chefe da CGU-Regional/PE, RELATÓRIO

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CERTIFICADO DE AUDITORIA

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CERTIFICADO DE AUDITORIA 1 de 10 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CERTIFICADO DE AUDITORIA CERTIFICADO Nº :201108660 UNIDADE AUDITADA :110008 - MINISTERIO DA PESCA E

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO 1 1 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2008 PROCESSO

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DE PATRIMÔNIO

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DE PATRIMÔNIO MANUAL DE PROCEDIMENTOS DE PATRIMÔNIO Apresentação Dentre as diversas atribuições administrativas da UNIPAMPA está a de efetuar a aquisição, manutenção, controle e desfazimento do seu ativo permanente.

Leia mais

REGIMENTO INTERNO AUDITORIA INTERNA DA UNIFEI. CAPÍTULO I Disposições Preliminares

REGIMENTO INTERNO AUDITORIA INTERNA DA UNIFEI. CAPÍTULO I Disposições Preliminares REGIMENTO INTERNO DA UNIFEI CAPÍTULO I Disposições Preliminares Art. 1º. A Auditoria Interna da Universidade Federal de Itajubá é um órgão técnico de assessoramento da gestão, vinculada ao Conselho de

Leia mais

PLANO ANUAL DE ATIVIDADES

PLANO ANUAL DE ATIVIDADES PLANO ANUAL DE ATIVIDADES DE AUDITORIA INTERNA PAINT 2015 Sumário I INTRODUÇÃO...3 II INSTITUIÇÃO....3 III AUDITORIA INTERNA...3 IV FATORES CONSIDERADOS NA ELABORAÇÃO DO PAINT...4 V AÇÕES DE AUDITORIA...6

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA SECRETARIA DE CONTROLE INTERNO GERÊNCIA DE AUDITORIA TOMADA DE CONTAS ANUAL SIMPLIFICADA RELATÓRIO DE AUDITORIA Nº 18/2007/GEAUD/CISET/MD TIPO DE AUDITORIA : AVALIAÇÃO DE GESTÃO EXERCÍCIO

Leia mais

NORMA DE EXECUÇÃO/SA/INCRA/Nº 42, DE 25 DE JANEIRO DE 2005

NORMA DE EXECUÇÃO/SA/INCRA/Nº 42, DE 25 DE JANEIRO DE 2005 NORMA DE EXECUÇÃO/SA/INCRA/Nº 42, DE 25 DE JANEIRO DE 2005 Dispõe sobre os prazos e procedimentos para apresentação do processo de Contas Anual das Superintendências Regionais e suas unidades jurisdicionadas.

Leia mais

REGIMENTO DA UNIDADE DE AUDITORIA INTERNA DO IF SUDESTE DE MINAS GERAIS CAPÍTULO I

REGIMENTO DA UNIDADE DE AUDITORIA INTERNA DO IF SUDESTE DE MINAS GERAIS CAPÍTULO I REGIMENTO DA UNIDADE DE AUDITORIA INTERNA DO IF SUDESTE DE MINAS GERAIS CAPÍTULO I Disposições Preliminares Art. 1º A Auditoria Interna do IF Sudeste de Minas Gerais, está vinculada ao Conselho Superior,

Leia mais

PODER EXECUTIVO. Publicado no D.O. de 14.01.2014 DECRETO Nº 44.558 DE 13 DE JANEIRO DE 2014

PODER EXECUTIVO. Publicado no D.O. de 14.01.2014 DECRETO Nº 44.558 DE 13 DE JANEIRO DE 2014 Publicado no D.O. de 14.01.2014 DECRETO Nº 44.558 DE 13 DE JANEIRO DE 2014 REGULAMENTA A GESTÃO DOS BENS MÓVEIS INTEGRANTES DO PATRIMÔNIO PÚBLICO DO PODER EXECUTIVO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO E DÁ OUTRAS

Leia mais

Perguntas e Respostas sobre Gestão Patrimonial

Perguntas e Respostas sobre Gestão Patrimonial Perguntas e Respostas sobre Gestão Patrimonial 1) Como fazer uma doação de um Bem para o Instituto Federal do Paraná Câmpus Curitiba, adquirido com recursos de Projetos de Pesquisa? Deverá comunicar o

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE MATINHOS Estado do Paraná CONTROLADORIA GERAL DO MUNICÍPIO

PREFEITURA MUNICIPAL DE MATINHOS Estado do Paraná CONTROLADORIA GERAL DO MUNICÍPIO INSTRUÇÃO NORMATIVA CG Nº 001 DE 02 de junho de 2014 Institui o Plano de atividades de Auditoria Interna no ano de 2014 e dá outras providências. O CONTROLADOR GERAL DO MUNICPIO DE MATINHOS, no uso de

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 08/2013 *******************************

RESOLUÇÃO Nº 08/2013 ******************************* RESOLUÇÃO Nº 08/2013 ******************************* Promulgo a presente Resolução de conformidade com a legislação vigente. Em 30 de agosto de 2013. Silvio Rodrigues de Oliveira =Presidente da Câmara=

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2008 PROCESSO Nº

Leia mais

UNIDADE DE AUDITORIA INTERNA (UAUDI) Conceitos & Normativos

UNIDADE DE AUDITORIA INTERNA (UAUDI) Conceitos & Normativos UNIDADE DE AUDITORIA INTERNA (UAUDI) Conceitos & Normativos Exercício 2015 Auditoria Interna Unidade de Auditoria Interna - CEFET/RJ Normativos: Portaria nº 07, de 15/01/2001: cria a Unidade de Auditoria

Leia mais

Ministério das Relações Exteriores Secretaria de Controle Interno Coordenação-Geral de Auditoria RELATÓRIO DE AUDITORIA DE GESTÃO

Ministério das Relações Exteriores Secretaria de Controle Interno Coordenação-Geral de Auditoria RELATÓRIO DE AUDITORIA DE GESTÃO Ministério das Relações Exteriores Secretaria de Controle Interno Coordenação-Geral de Auditoria RELATÓRIO DE AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2013 PROCESSO : 09144.000037/2014-14 RELATÓRIO : 06/2014 UNIDADE

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 12/2010

RESOLUÇÃO Nº 12/2010 RESOLUÇÃO Nº 12/2010 Dispõe sobre a incorporação, carga patrimonial, movimentação, controle, responsabilização, conservação, recuperação, baixa, reaproveitamento e alienação de bens permanentes no âmbito

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS CAMPUS TIMÓTEO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS CAMPUS TIMÓTEO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS CAMPUS TIMÓTEO 1 - INTRODUÇÃO O Setor de Patrimônio do Campus Timóteo é uma extensão da Divisão de

Leia mais

RELATÓRIO SA 001/2013 AUDIN/IFPR

RELATÓRIO SA 001/2013 AUDIN/IFPR RELATÓRIO SA 001/2013 AUDIN/IFPR 1. INTRODUÇÃO A Solicitação de Auditoria ( SA") 001/2013 AUDIN/IFPR teve como objetivo atender parte do escopo de trabalho da Auditoria Interna prevista no PAINT 2013,

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO. PORTARIA Nº RJ-PGD-2007/00095 de 8 de outubro de 2007

PODER JUDICIÁRIO. PORTARIA Nº RJ-PGD-2007/00095 de 8 de outubro de 2007 PORTARIA Nº RJ-PGD-2007/00095 de 8 de outubro de 2007 O JUIZ FEDERAL - DIRETOR DO FORO E CORREGEDOR PERMANENTE DOS SERVIÇOS AUXILIARES DA - SEÇÃO JUDICIÁRIA DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas atribuições

Leia mais

Diretoria de Patrimônio - DPA

Diretoria de Patrimônio - DPA Diretoria de Patrimônio - DPA Diretoria de Patrimônio - DPA Finalidade Coordenar, supervisionar, controlar e executar as atividades relativas a administração patrimonial do Estado. (Decreto Estadual nº

Leia mais

DECRETO 4.479 DE 01 DE AGOSTO DE 2013.

DECRETO 4.479 DE 01 DE AGOSTO DE 2013. DECRETO 4.479 DE 01 DE AGOSTO DE 2013. Dispõe sobre o controle e a baixa do material permanente e de consumo no âmbito da Prefeitura Municipal de Severínia e Autarquias, nomeia a Comissão de Reavaliação,

Leia mais

PLANO ANUAL DE ATIVIDADES DE AUDITORIA INTERNA EXERCÍCIO DE 2013 -PAINT/2013

PLANO ANUAL DE ATIVIDADES DE AUDITORIA INTERNA EXERCÍCIO DE 2013 -PAINT/2013 PLANO ANUAL DE ATIVIDADES DE AUDITORIA INTERNA EXERCÍCIO DE 2013 -PAINT/2013 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE BRASÍLIA - IFB NÚCLEO DE AUDITORIA INTERNA PLANO

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA UNIDADE DE AUDITORIA INTERNA DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MATO GROSSO DO SUL (IFMS)

REGIMENTO INTERNO DA UNIDADE DE AUDITORIA INTERNA DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MATO GROSSO DO SUL (IFMS) REGIMENTO INTERNO DA UNIDADE DE AUDITORIA INTERNA DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MATO GROSSO DO SUL (IFMS) CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º A Unidade de Auditoria

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO UNIDADE AUDITADA : HOSPITAL DE IPANEMA CÓDIGO UG : 250103 RELATÓRIO Nº : 208073 UCI EXECUTORA : 170130 Senhor Chefe da CGU-Regional/RJ,

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2008 PROCESSO Nº

Leia mais

MANUAL DE PATRIMÔNIO

MANUAL DE PATRIMÔNIO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA BAIANO CAMPUS BOM JESUS DA LAPA BR 349 - Km 14 Zona Rural - Caixa Postal 34

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2008 PROCESSO Nº

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SUDESTE DE MINAS GERAIS AUDITORIA INTERNA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SUDESTE DE MINAS GERAIS AUDITORIA INTERNA PLANO ANUAL DE PAINT 2013 1 INDÍCE 1. Apresentação...3 2. Auditoria Interna...3 3. Fatores Considerados Para Elaboração do PAINT...3 4. Unidades que compõem o PAINT...4 5. Recursos Humanos a serem empregados...4

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2007 PROCESSO Nº

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO UNIDADE AUDITADA : CONAB SUREG/PE CÓDIGO UG : 135285 RELATÓRIO Nº : 190674 UCI EXECUTORA : 170063 RELATÓRIO DE AUDITORIA Chefe da CGU-Regional/PE, Em atendimento

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS CONSELHO UNIVERSITÁRIO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS CONSELHO UNIVERSITÁRIO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO CUNI Nº 003, DE 26 DE FEVEREIRO DE 2014. O CONSELHO UNIVERSITÁRIO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS, no uso de suas

Leia mais

Itabuna PREFEITURA MUNICIPAL DE ITABUNA

Itabuna PREFEITURA MUNICIPAL DE ITABUNA D E C R E T O Nº 11.028, de 10 de novembro de 2014 EMENTA: Dispõe sobre os procedimentos e prazos para o Encerramento do Exercício Financeiro de 2014, no âmbito da Administração Pública Municipal e, dá

Leia mais

O CONTROLE INTERNO COMO INSTRUMENTO DE GESTÃO PARA OS MUNICÍPIOS

O CONTROLE INTERNO COMO INSTRUMENTO DE GESTÃO PARA OS MUNICÍPIOS O CONTROLE INTERNO COMO INSTRUMENTO DE GESTÃO PARA OS MUNICÍPIOS Luís Filipe Vellozo de Sá e Eduardo Rios Auditores de Controle Externo TCEES Vitória, 21 de fevereiro de 2013 1 Planejamento Estratégico

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 424/2003 (Revogada pela Resolução nº 522/2007)

RESOLUÇÃO Nº 424/2003 (Revogada pela Resolução nº 522/2007) Publicação: 29/08/03 RESOLUÇÃO Nº 424/2003 (Revogada pela Resolução nº 522/2007) Cria a Superintendência Administrativa do Tribunal de Justiça e estabelece seu Regulamento. A CORTE SUPERIOR DO TRIBUNAL

Leia mais

Instrução nº 2550/12 Dispõe sobre procedimentos relativos à responsabilidade e ao inventário físico-financeiro dos bens permanentes do Crea-SP.

Instrução nº 2550/12 Dispõe sobre procedimentos relativos à responsabilidade e ao inventário físico-financeiro dos bens permanentes do Crea-SP. Instrução nº 2550/12 Dispõe sobre procedimentos relativos à responsabilidade e ao inventário físico-financeiro dos bens permanentes do Crea-SP. O Presidente do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO TIPO DE AUDITORIA : Auditoria de Gestão PROCESSO Nº : COAD-DIR 001/2007 UNIDADE AUDITADA : Observatório Nacional CÓDIGO UG : 240126 : Rio de Janeiro RELATÓRIO Nº : 189914 UCI Executora : 170130 CGU-REGIONAL/RJ

Leia mais

Departamento de Água e Esgoto Sanitário de Juína

Departamento de Água e Esgoto Sanitário de Juína CNPJ 04.709.778/000-25 SCI - 007/203 3/05/203 /8 ) DOS OBJETIVOS:.) Disciplinar e normatizar os procedimentos do Setor de Patrimônio;.2) Regulamentar o fluxo operacional de movimentação patrimonial móveis

Leia mais

CELEBRAÇÃO DE CONVÊNIOS NO SICONV

CELEBRAÇÃO DE CONVÊNIOS NO SICONV CELEBRAÇÃO DE CONVÊNIOS NO SICONV Gianna Lepre Perim Curitiba - 2013 SICONV VEDAÇÕES PI 507/2011 VEDAÇÕES Art. 10º É vedada a celebração de convênios e contratos de repasse: I - com órgãos e entidades

Leia mais

SUMÁRIO. Apresentação. I. Portarias da Diretoria de Administração e Gestão... 05

SUMÁRIO. Apresentação. I. Portarias da Diretoria de Administração e Gestão... 05 SUMÁRIO Apresentação I. Portarias da Diretoria de Administração e Gestão... 05 SEPARATA DO BOLETIM DE SERVIÇO Nº 17 ANO XXIV Setembro - 2011 APRESENTAÇÃO Esta Separata do Boletim de Serviço destina-se

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ CONSELHO UNIVERSITÁRIO. Resolução n 027/2011-CONSU De 22 de dezembro de 2011

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ CONSELHO UNIVERSITÁRIO. Resolução n 027/2011-CONSU De 22 de dezembro de 2011 Resolução n 027/2011-CONSU De 22 de dezembro de 2011 Regulamenta as normas para o relacionamento entre a Universidade Federal do Amapá e as Fundações de Apoio prevista na Lei n 8.958, de 20 de dezembro

Leia mais

Parecer de Dirigente do Controle Interno Presidência da República - Controladoria-Geral da União - Secretaria Federal de Controle Interno Relatório: 201305995 Exercício: 2012 Processo: 23078.008389/2013-66

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIAGERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIAGERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS 1 de 6 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIAGERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2010 PROCESSO

Leia mais

PARECER Nº 03/2013. C ON S U L T A

PARECER Nº 03/2013. C ON S U L T A PARECER Nº 03/2013. EMENTA: CONSULTA DIVERSA. DOCUMENTAÇÃO PRECÁRIA. PARECER ABSTRATO. RESPEITO AOS PRAZOS DA COMISSÃO DE TRANSMISSÃO DE CARGOS E DE PRESTAÇÃO DE CONTAS. RESOLUÇÃO N. 1311/12 E N. 1060/05

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CERTIFICADO DE AUDITORIA

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CERTIFICADO DE AUDITORIA 1 de 5 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CERTIFICADO DE AUDITORIA CERTIFICADO Nº : 201109414 UNIDADE AUDITADA :225001 - CIA.DE ENTREPOSTOS E ARMAZENS

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO AUDITORIA INTERNA SECRETARIA DE ORIENTAÇÃO E AVALIAÇÃO PARECER CORAG/SEORI/AUDIN-MPU Nº 0819/2014

MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO AUDITORIA INTERNA SECRETARIA DE ORIENTAÇÃO E AVALIAÇÃO PARECER CORAG/SEORI/AUDIN-MPU Nº 0819/2014 MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO AUDITORIA INTERNA SECRETARIA DE ORIENTAÇÃO E AVALIAÇÃO PARECER CORAG/SEORI/AUDIN-MPU Nº 0819/2014 Referência : Correio eletrônico de 13/3/2014. Protocolo AUDIN-MPU nº 453/2014.

Leia mais

file://l:\sfc\ds\dsseg\exercício 2010\TC-PC 2010\RELATÓRIOS PARA PUBLICAÇÃO\DPF-...

file://l:\sfc\ds\dsseg\exercício 2010\TC-PC 2010\RELATÓRIOS PARA PUBLICAÇÃO\DPF-... Página 1 de 7 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2010

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS AUDITORIA INTERNA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS AUDITORIA INTERNA Pelotas, 06 de junho de 2013. ORIENTAÇÃO TÉCNICA Nº 03/2013 Assunto: de Gratificação por Encargo de Curso ou Concurso CONSIDERANDO os termos da demanda encaminhada a esta Unidade de Auditoria Interna por

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO UNIDADE AUDITADA : MAPA/CONAB SUREG/PE CÓDIGO UG : 135285 RELATÓRIO Nº : 208220 UCI EXECUTORA : 170063 RELATÓRIO DE AUDITORIA Senhor Chefe da CGU - Regional/PE,

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO TOMADA DE CONTAS ANUAL AGREGADA TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2007 PROCESSO Nº : 71000.010766/2007-25

Leia mais

RELATÓRIO DE AUDITORIA Nº 03/2013. Suprimento de Fundos - CPGF

RELATÓRIO DE AUDITORIA Nº 03/2013. Suprimento de Fundos - CPGF RELATÓRIO DE AUDITORIA Nº 03/2013 Suprimento de Fundos - CPGF 1. INTRODUÇÃO Em atenção ao preceituado no item 09 do PAINT/2013, devidamente aprovado pelo Conselho Universitário da UNIFAL-MG em 29/05/2013,

Leia mais

Ministério da Educação UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ Criada pela Lei nº. 10.435, de 24 de abril de 2002. AUDITORIA INTERNA

Ministério da Educação UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ Criada pela Lei nº. 10.435, de 24 de abril de 2002. AUDITORIA INTERNA RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES DE EXERCÍCIO DE 2013 1 Í N D I C E : I DESCRIÇÃO DAS AÇÕES DE REALIZADAS PELA ENTIDADE. II REGISTRO QUANTO À IMPLEMENTAÇÃO OU CUMPRIMENTO, PELA ENTIDADE, AO LONGO DO EXERCÍCIO,

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2007 PROCESSO Nº

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DE RONDÔNIA

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DE RONDÔNIA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DE RONDÔNIA TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2006

Leia mais

INSTRUÇÃO DE SERVIÇO Nº 14, 16 DE JANEIRO DE 2015

INSTRUÇÃO DE SERVIÇO Nº 14, 16 DE JANEIRO DE 2015 INSTRUÇÃO DE SERVIÇO Nº 14, 16 DE JANEIRO DE 2015 O PRÓ-REITOR DE ADMINISTRAÇÃO, da FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL, no uso das suas atribuições e considerando o disposto na Instrução

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO 530 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO TOMADA DE CONTAS ANUAL - CONSOLIDADA RELATÓRIO Nº : 189892 UCI EXECUTORA : 170961 EXERCÍCIO : 2006 PROCESSO

Leia mais

Anexo A MODELO DE RELATÓRIO DO TOMADOR DE CONTAS RELATÓRIO DO TOMADOR DE CONTAS Nº 999/20XX

Anexo A MODELO DE RELATÓRIO DO TOMADOR DE CONTAS RELATÓRIO DO TOMADOR DE CONTAS Nº 999/20XX Anexo A MODELO DE RELATÓRIO DO TOMADOR DE CONTAS MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS ª INSPETORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS DO EXÉRCITO RELATÓRIO DO TOMADOR DE

Leia mais

Questão de auditoria Informações Requeridas Fontes de Informação Procedimentos Possíveis Achados

Questão de auditoria Informações Requeridas Fontes de Informação Procedimentos Possíveis Achados Questão de auditoria Informações Requeridas Fontes de Informação s Possíveis Achados 1 As características da unidade de controle interno atendem aos preceitos normativos e jurisprudenciais? Ato que criou

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2008 PROCESSO Nº

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2008 PROCESSO Nº

Leia mais

BOLETIM ADMINISTRATIVO Nº 020 DE 12 a 16/05/14

BOLETIM ADMINISTRATIVO Nº 020 DE 12 a 16/05/14 Leia-se:...Art. 1º DELEGAR COMPETÊNCIA e as responsabilidades decorrentes ao Superintendente Regional do DNIT nos estados de Goiás e Distrito Federal para Lavrar o Termo Aditivo de Prorrogação de prazo,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO (UFRRJ) REGIMENTO DA AUDITORIA INTERNA (Audin) CAPÍTULO I

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO (UFRRJ) REGIMENTO DA AUDITORIA INTERNA (Audin) CAPÍTULO I UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO (UFRRJ) REGIMENTO DA AUDITORIA INTERNA (Audin) CAPÍTULO I DA ORIGEM E FINALIDADE Art. 1º A Auditoria Interna da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA AGÊNCIA BRASILEIRA GESTORA DE FUNDOS GARANTIDORES E GARANTIAS S.A. ABGF AUDITORIA INTERNA AUDIT

MINISTÉRIO DA FAZENDA AGÊNCIA BRASILEIRA GESTORA DE FUNDOS GARANTIDORES E GARANTIAS S.A. ABGF AUDITORIA INTERNA AUDIT MINISTÉRIO DA FAZENDA AGÊNCIA BRASILEIRA GESTORA DE FUNDOS GARANTIDORES E GARANTIAS S.A. ABGF AUDITORIA INTERNA AUDIT PLANO ANUAL DE ATIVIDADES DE AUDITORIA INTERNA EXERCÍCIO DE 2015 dezembro/2014 PLANO

Leia mais