Este padrão aplica-se às atividades de Qualificação e Certificação de Pessoal realizado pelo SEQUI-ETCM/CEND.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Este padrão aplica-se às atividades de Qualificação e Certificação de Pessoal realizado pelo SEQUI-ETCM/CEND."

Transcrição

1 1. OBJETIVO PP-5EN-0063 Fornecer ao candidato no Processo de Qualificação de Pessoal para Inspetores de END Ultrassom PHASED ARRAY, as instruções necessárias para o exame prático no ensaio não destrutivo por ultrassom computadorizado e mecanizado pela técnica Phased Array conforme requisitos do Sistema Petrobras. 2. APLICAÇÃO E ABRANGÊNCIA Este padrão aplica-se às atividades de Qualificação e Certificação de Pessoal realizado pelo SEQUI-ETCM/CEND. O presente padrão cancela e substitui o E-QP-EUS Ultrassom Phased Array Instruções ao Candidato Exame Prático. 3. DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA E COMPLEMENTARES PP-5EN Ensaio Não Destrutivo - Qualificação de Pessoal; PP-5EN Procedimento de END - Ultrassom Computadorizado pela Técnica Phased Array - Inspeção de soldas; PP-5EN Lista de Verificação Candidato - US-N2-Phased Array - Exame Prático; PP-5EN Lista de Verificação Candidato - US-N1-Phased Array - Exame Prático; PP-5EN Ultrassom Phased Array - Instruções ao Candidato - Geral. 4. DEFINIÇÕES São adotadas as definições constantes do PP-5EN Glossário de Termos e Definições e PP-5EN Ensaio Não Destrutivo - Qualificação de Pessoal. 5. AUTORIDADE E RESPONSABILIDADE Compete à gerência do SEQUI-ETCM/CEND gerenciar e manter atualizado este padrão 6. DESCRIÇÃO 6.1. Modalidades O exame será aplicado nos seguintes níveis: PROPRIEDADE DA PETROBRAS Página 1/14

2 NÍVEL US-N1 US-N2 ATRIBUIÇÃO a) Montagem e calibração do equipamento de aquisição dos dados Phased Array. b) Produção de arquivos de dados completos de Phased Array, com qualidade especificada para interpretação e laudo pelo nível 2, conforme instrução escrita e/ou procedimento de inspeção qualificado. a) Todas do US-N1 e: b) Interpretação de imagens e avaliação de soldas (laudo) em arquivos de inspeções reais Regras gerais A qualificação de inspetores de ultrassom é inerente a cada modalidade/nível, conforme descrito no item anterior. O inspetor qualificado em uma modalidade/nível não é considerado qualificado em outra modalidade/subnível superior, a menos que seja submetido a exame complementar/adicional O candidato fará o exame prático em seguida aos exames teóricos, sem interrupção Para a realização do exame prático o candidato deve apresentar-se munido de todo o equipamento necessário para o exame. O candidato poderá também fazer opção pelo aluguel do material do CEQ no ato de sua inscrição. (Ver relação de material disponível no site da ABENDI) Durante o exame o candidato somente deve fazer uso da cópia do procedimento de ensaio entregue pelo examinador no momento do exame. Qualquer outro documento de consulta deve ter a expressa autorização do examinador, sob pena de interrupção do exame e reprovação do candidato Os relatórios deverão ser escritos com caneta azul ou preta. É proibido o uso de lápis ou caneta vermelha. Os relatórios não deverão conter rasuras ou emendas, que possam causar dúvidas no resultado do candidato Os resultados dos exames, teórico e prático, serão fornecidos ao candidato somente através da secretaria da ABENDI É proibido o uso de telefones celulares, agendas eletrônicas, HD externos, pen-drives, calculadoras programáveis e similares durante os exames. A não observação destes requisitos, bem como a tentativa de alguma fraude, implica em interrupção do exame e reprovação do candidato. PROPRIEDADE DA PETROBRAS Página 2/14

3 Aparelhos de ultrassom pertencentes ao candidato com recursos de memória (HD, Flash card e similares) deverão ter os arquivos gerados no exame prático de US-N1-Phased Array (Etapa 1 da prova de US-N2-Phased Array) apagados na presença do examinador após transferência de dados para o computador da Petrobras O exame será interrompido durante o horário do almoço Aplicação e Avaliação do Exame Prático Exame Prático (EP). Divisão e sequência de aplicação do exame US-N1-Phased Array O exame prático constará de: a) Etapa 1 - Montagem e calibração do equipamento de aquisição dos dados Phased Array. Esta parte do exame envolve a verificação de elementos mortos e a configuração do equipamento para inspeção de um corpo de prova indicado pelo examinador, seguido de um exercício de aquisição em um bloco de demonstração, para verificar o desempenho do sistema de teste. Os candidatos deverão demonstrar que estão familiarizados com a exibição de dados, métodos de manipulação do computador e armazenamento de dados do sistema Phased Array em uso. b) Etapa 2 - Inspeção de 1 corpo de prova soldado, com produção de arquivo(s) de dados completo(s) de Phased Array conforme instrução escrita e procedimento de inspeção fornecido pelo examinador. c) Etapa 3 - Avaliação da qualidade dos dados de Phased Array produzidos, em relação a uma dada instrução e procedimento, determinando sua validade para a interpretação de resultados e eventual necessidade de realização de varreduras adicionais Tempo Disponível Chapa ½ Chapa 1 Chapa 1½ Chapa 2 Etapa 1 3 h 4 h 5 h 5 h Etapa 2 40 min 1 h 1h 30 min 1h 30 min Etapa 3 40 min 1 h 1h 30 min 1h 30 min PROPRIEDADE DA PETROBRAS Página 3/14

4 US-N2-Phased Array O exame prático constará de: a) Etapa 1 - Atividades listadas em a) b) e c) para US-N1-Phased Array. Nota: Candidato já qualificado como US-N1-Phased Array está dispensado da Etapa 1. b) Etapa 2 Dimensionamento de descontinuidades e avaliação e registro de descontinuidades, incluindo laudo em coleções específicas de arquivos de inspeções já realizadas. (Serão duas coleções distintas, uma especificamente para dimensionamento e outra pra avaliação e laudo). c) Etapa 3 - Elaboração de Instrução Técnica para uma situação fornecida. Esta instrução tem como objetivo definir os parâmetros de inspeção, orientando um profissional nível 1 ou outro nível 2 na execução do ensaio Tempo Disponível Etapa 1 Os tempos para cada atividade a) b) e c) devem ser de acordo com a espessura do corpo de prova indicado ao candidato, conforme tabela abaixo: Atividade Montagem e calibração para aquisição ( a) Inspeção do corpo de prova ( b) Avaliação da qualidade dos dados ( c) Chapa ½ Chapa 1 Chapa 11/2 Chapa 2 3 h 4 h 5 h 5 h 40 min 1 h 1h 30 min 40 min 1 h 1h 30 min 1h 30 min 1h 30 min Etapa 2 Dimensionamento - 01h30min. Etapa 2 Avaliação e Laudo - 02h30min. Etapa 3 2 h. O tempo de exame estipulado não pode ser ultrapassado, portanto, expirado o prazo o arquivo/relatório/prova será recolhido pelo examinador e a prova corrigida até onde foi executada Materiais e Equipamentos a serem utilizados É de responsabilidade do candidato a seleção e utilização de materiais e equipamentos com qualidade assegurada O examinador fornecerá ao candidato os seguintes materiais: PROPRIEDADE DA PETROBRAS Página 4/14

5 - Instruções ao Candidato - Procedimento de ensaio - Formulário para registro de resultados - CP para inspeção - Equipamentos e acessórios (quando alugado junto ao CEQ) - Será disponibilizado para o exame os seguintes aparelhos e software mediante aluguel: OMNISCAN MX e Software Tomoview 2.9 Nota: É de responsabilidade do candidato o conhecimento e domínio do aparelho e software escolhido no ato da inscrição para exame. - Para nível 2 será fornecido ainda: - Notebook + chave do visualizador e do EsbeamTool; - Arquivos das coleções das etapas de Dimensionamento e Laudo O candidato poderá solicitar ao examinador outros materiais e informações, desde que seja pertinente a execução do ensaio Execução do Exame US-N1-PA Etapa 1- Como evidência da calibração efetuada, o candidato deve varrer um bloco de calibração (furo ou entalhe) ou um bloco de demonstração, cujo arquivo de varredura deverá ser identificado da seguinte forma: - Sequi- ETCMXXXXX_setup_N1_PA_etapa1 (Sendo XXXXX o número Sequi-ETCM do candidato). Para a evidência do teste de elementos mortos, o arquivo deverá ser identificado da seguinte forma: Sequi-ETCMXXXXX_elem_N1_PA_etapa Etapa 2 - O candidato deverá inspecionar um corpo de prova indicado pelo examinador, demonstrando as atividades de montagem e calibração da aparelhagem de ultrassom e execução da inspeção para aquisição de dados. Estas atividades devem ser realizadas na presença do examinador e a varredura do corpo de prova poderá ser efetuada no máximo três (3) vezes. Os arquivos gerados deverão ser identificados da seguinte forma: - Sequi-ETCMXXXXX_N1_PA_CP-AUT-ZZ_etapa2 (Sendo XXXXX o número Sequi-ETCM do candidato e ZZ o número do Corpo de Prova). O examinador determinará o corpo de prova a ser inspecionado. Todos os corpos de prova estão numerados e o referencial zero está estabelecido segundo o critério a seguir: PROPRIEDADE DA PETROBRAS Página 5/14

6 Quando o candidato portar equipamento próprio, os arquivos gerados (setup e varreduras) após transferência para notebook do SEQUI-ETCM devem ser apagados do drive de dados e da lixeira do Windows na presença do examinador Etapa 3 A avaliação da qualidade dos dados de Phased Array produzidos na etapa 2 devem ser avaliados pelo candidato. Esta avaliação deve ser realizada no próprio aparelho utilizado na aquisição, em relação a uma dada instrução e procedimento, determinando sua validade para a interpretação pelo inspetor nível 2 e eventual necessidade de realização de varreduras adicionais. Deve ser preenchido o Formulário de Relatório de Ensaio (ANEXO I), registrando o parecer quanto a qualidade dos dados US-N2-PA Etapa 1 a) Como evidência da calibração efetuada, o candidato deve varrer um bloco de calibração (furo ou entalhe) ou um bloco de demonstração, cujo arquivo de varredura deverá ser identificado da seguinte forma: - Sequi- ETCMXXXXX_setup_N2_PA_etapa1_cal (Sendo XXXXX o número Sequi- ETCM do candidato). Para a evidência do teste de elementos mortos, o arquivo deverá ser identificado da seguinte forma: Sequi-ETCMXXXXX_elem_N1_PA_etapa1. b) O candidato deverá inspecionar o corpo-de-prova indicado pelo examinador, demonstrando as atividades de montagem e calibração da aparelhagem de ultrassom e execução da inspeção para aquisição de dados. Estas atividades devem ser realizadas na presença do examinador e a varredura de cada corpo PROPRIEDADE DA PETROBRAS Página 6/14

7 de prova poderá ser efetuada no máximo três (3) vezes. Os arquivos gerados deverão ser identificados da seguinte forma: - Sequi- ETCMXXXXX_N2_PA_CP-AUT-ZZ_etapa1_scan (Sendo XXXXX o número Sequi-ETCM do candidato e ZZ o número do Corpo-de-Prova). O examinador determinará o corpo-de-prova a ser inspecionado. Todos os corpos-de-prova estão numerados e o referencial zero está estabelecido segundo o critério a seguir: Quando o candidato portar equipamento próprio, os arquivos gerados (setup e varreduras) após transferência para computador do SEQUI-ETCM devem ser apagados do drive de dados e da lixeira do Windows na presença do examinador. c) A qualidade dos dados de Phased Array produzidos na aquisição do CP acima deve ser avaliada pelo candidato. Esta avaliação deve ser realizada no próprio aparelho utilizado na aquisição, em relação a uma dada instrução e procedimento, determinando sua validade para a interpretação pelo inspetor nível 2 e eventual necessidade de realização de varreduras adicionais. Deve ser preenchido o Formulário de Relatório de Ensaio (ANEXO I), registrando o parecer quanto a qualidade dos dados Etapa 2 (dimensionamento) Será realizada em um notebook/computador do SEQUI-ETCM com os softwares de visualização e análise apropriados. Os arquivos para dimensionamento serão disponibilizados pelo examinador em uma pasta com a identificação do candidato localizada na pasta intitulada Documentos Comuns existente na área de trabalho do notebook de exame de AUT disponibilizado pelo examinador. Para cada descontinuidade identificada, o candidato deverá salvar uma imagem da tela do PROPRIEDADE DA PETROBRAS Página 7/14

8 software em arquivo do programa Word, com os cursores posicionados de forma a envolver a descontinuidade, representando o dimensionamento (comprimento e altura) realizado. O arquivo gerado deve ser nomeado da seguinte forma: - Sequi-ETCMXXXXX_N2_PA_etapa2D (sendo XXXXX o número Sequi-ETCM do candidato) e salvo na pasta do candidato mencionada acima. O Formulário indicado no ANEXO II deve ser preenchido e assinado pelo candidato Etapa 2 (avaliação e laudo) - Será realizada em um notebook/computador do SEQUI-ETCM com os softwares de visualização e análise apropriados. Os arquivos para Avaliação e Registro de descontinuidades, incluindo laudo, serão disponibilizados pelo examinador em uma pasta com a identificação do candidato localizada na pasta intitulada Documentos Comuns existente na área de trabalho do notebook de exame de AUT disponibilizado pelo examinador. Somente as descontinuidades reprovadas devem ser relatadas e para cada uma delas o candidato deverá salvar imagem da tela do software em arquivo do programa Word, uma com os cursores posicionados na posição de máxima amplitude considerada e outra nos extremos de forma a envolver a descontinuidade, representando o dimensionamento (comprimento e altura) realizado. O arquivo gerado deve ser nomeado da seguinte forma: - Sequi-ETCMXXXXX_N2_PA_etapa2L. (sendo XXXXX o número Sequi-ETCM do candidato) e salvo na pasta do candidato mencionada acima. O Formulário indicado no ANEXO III deve ser preenchido e assinado pelo candidato Etapa 3 A Instrução Técnica deverá ser elaborada em formulário específico fornecido pelo examinador, baseando-se, podendo não se limitar, ao conteúdo mínimo sugerido no formulário. Para esta etapa estará disponível para uso do candidato, o software EsbeamTool 4. No caso do candidato fazer uso do software EsbeamTool, deverá ser salvo o arquivo gerado e copiado para pasta com a identificação do candidato localizada na pasta intitulada Documentos Comuns existente na área de trabalho do notebook de exame de AUT disponibilizado pelo examinador Avaliação do Exame Prático Para obter aprovação na prova prática, o candidato deverá ter um aproveitamento mínimo de 80%. A avaliação será feita de acordo com a Lista de Verificação - Exame Prático Candidato a nível 2 que obtiver desempenho não satisfatório nas etapas 2 e/ou 3, mas tiver obtido desempenho satisfatório na etapa 1, será considerado qualificado como US-N1-Phased Array. PROPRIEDADE DA PETROBRAS Página 8/14

9 6.4. Prazo de Retorno Prazo de Retorno Mínimo Ao candidato reprovado na primeira ou segunda tentativa será dado um prazo de retorno de 30 dias. O candidato reprovado em uma terceira tentativa só poderá apresentar-se para um novo exame, decorrido o prazo, mínimo, de 90 dias e deverá fazer o exame em sua totalidade Retorno do candidato reprovado US-N1-Phased Array No retorno de candidato reprovado, o exame será aplicado integralmente US-N2-Phased Array No retorno de candidato reprovado, o exame será aplicado naquela(s) etapa(s) em que o desempenho foi considerado não satisfatório Interrupção do Exame O exame poderá ser interrompido quando o candidato apresentar: - Indisposição física, orgânica ou emocional. - Tentativa de fraude ou participação do exame de outro candidato. Neste caso ambos os exames serão interrompidos e os candidatos, considerados reprovados. 7. ANEXOS 7.1. ANEXO I - RELATÓRIO DE ENSAIO US-N1-ETAPA 1, 2 e 3 / US-N2 ETAPA ANEXO II - RELATÓRIO DE ENSAIO DIMENSIONAMENTO DE DESCONTINUIDADES US-N2-PHASED ARRAY 7.3. ANEXO III - RELATÓRIO DE ENSAIO INTERPRETAÇÃO / AVALIAÇÃO DE IMAGENS E LAUDO PROPRIEDADE DA PETROBRAS Página 9/14

10 PROPRIEDADE DA PETROBRAS Página 10/14

11 PROPRIEDADE DA PETROBRAS Página 11/14

12 PROPRIEDADE DA PETROBRAS Página 12/14

13 PROPRIEDADE DA PETROBRAS Página 13/14

14 PROPRIEDADE DA PETROBRAS Página 14/14

2. APLICAÇÃO E ABRANGÊNCIA Este padrão aplica-se às atividades de Qualificação e Certificação de Pessoal realizado pelo SEQUI-ETCM/CEND.

2. APLICAÇÃO E ABRANGÊNCIA Este padrão aplica-se às atividades de Qualificação e Certificação de Pessoal realizado pelo SEQUI-ETCM/CEND. 1. OBJETIVO 1.1 Este procedimento fixa as condições para a execução do ensaio por ultrassom computadorizado pela técnica de Phased Array, para detecção e avaliação de descontinuidades em juntas soldadas.

Leia mais

RECERTIFICAÇÃO DE INSPETOR DE PINTURA INDUSTRIAL NÍVEL 2 INSTRUÇÕES AOS CANDIDATOS

RECERTIFICAÇÃO DE INSPETOR DE PINTURA INDUSTRIAL NÍVEL 2 INSTRUÇÕES AOS CANDIDATOS 1 de 5 1 OBJETIVO Este documento tem o objetivo de orientar o candidato para a execução dos exames de recertificação de Inspetor de Pintura Industrial Nível 2 do Sistema Nacional de Qualificação e Certificação

Leia mais

PP-5EN-00062 PROCEDIMENTO DE END ULTRASSOM COMPUTADORIZADO PELA TÉCNICA TOFD INSPEÇÃO DE SOLDAS Rev.0. Anexo A ÍNDICE

PP-5EN-00062 PROCEDIMENTO DE END ULTRASSOM COMPUTADORIZADO PELA TÉCNICA TOFD INSPEÇÃO DE SOLDAS Rev.0. Anexo A ÍNDICE PP-5EN-00062 Rev.0 Anexo A ÍNDICE 1. OBJETIVO 2. DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA 3. TERMINOLOGIA 4. MATERIAL/DIMENSÕES 5. SAÚDE E SEGURANÇA 6. MATERIAL, DIMENSIONAL, TIPO E DETALHE DE JUNTAS 7. APARELHAGEM 8.

Leia mais

E-QP-EUS-034 REV. 0 24/01/2013

E-QP-EUS-034 REV. 0 24/01/2013 PROCEDIMENTO DE END ULTRASSOM COMPUTADORIZADO PELA TÉCNICA PHASED ARRAY INSPEÇÃO DE SOLDAS Procedimento Operacional ETM-CORP ENGENHARIA, TECNOLOGIA E MATERIAIS CORPORATIVO Os comentários e sugestões referentes

Leia mais

ULTRA-SOM - SOLDA PROCEDIMENTO DE END PR 011

ULTRA-SOM - SOLDA PROCEDIMENTO DE END PR 011 Página: 1 de 29 1. OBJETIVO Este procedimento fixa as condições para a execução do ensaio por ultra-som para detecção e avaliação de descontinuidades em juntas soldadas de acordo com o Sistema Nacional

Leia mais

Centro de Ciências da Saúde Departamento de Medicina Programa de Residência Médica

Centro de Ciências da Saúde Departamento de Medicina Programa de Residência Médica EDITAL Nº 027/2013 COREME A COREME - COMISSÃO DE RESIDENCIA MÉDICA vinculada ao DEPARTAMENTO DE MEDICINA do CENTRO DE CIENCIAS DA SAÚDE e ao HOSPITAL UNIVERSITÁRIO REGIONAL DE MARINGÁ da UNIVERSIDADE ESTADUAL

Leia mais

Requisitos para inscrição

Requisitos para inscrição COMUNICADO DE PROCESSO SELETIVO Nº 000271-2013-A INSTRUTOR DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL II ÁREA DE ATUAÇÃO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO INFORMÁTICA BÁSICA CFP 1.44 SÃO BERNARDO DO CAMPO CONTRATO POR PRAZO DETERMINADO

Leia mais

QUALIFICAÇÃO E CERTIFICAÇÃO DE PESSOAS EM ESTANQUEIDADE NA-019 1. OBJETIVO 2 2. REFERÊNCIAS NORMATIVAS 2 3. SIGLAS E DEFINIÇÕES 2

QUALIFICAÇÃO E CERTIFICAÇÃO DE PESSOAS EM ESTANQUEIDADE NA-019 1. OBJETIVO 2 2. REFERÊNCIAS NORMATIVAS 2 3. SIGLAS E DEFINIÇÕES 2 Página: 1 de 10 1. OBJETIVO 2 2. REFERÊNCIAS NORMATIVAS 2 3. SIGLAS E DEFINIÇÕES 2 4. MODALIDADES DE COMPETÊNCIA 4 5. SISTEMÁTICA PARA QUALIFICAÇÃO E CERTIFICAÇÃO 4 5.1 Geral 4 5.2 Centros de Exames de

Leia mais

PP-5EN-00029 Rev. B ESTANQUEIDADE PROCEDIMENTO DE INSPEÇÃO

PP-5EN-00029 Rev. B ESTANQUEIDADE PROCEDIMENTO DE INSPEÇÃO 1. OBJETIVO Este procedimento estabelece as condições necessárias para a execução do ensaio não destrutivo de estanqueidade pelas técnicas de Pressão Positiva, Pressão Negativa e Capilaridade, a ser utilizado

Leia mais

1. OBJETIVO 3 2. SIGLAS E DEFINIÇÕES 3 3. CLASSIFICAÇÃO DOS NÍVEIS DE QUALIFICAÇÃO E CERTIFICAÇÃO 6 4. SISTEMÁTICA PARA QUALIFICAÇÃO E CERTIFICAÇÃO 8

1. OBJETIVO 3 2. SIGLAS E DEFINIÇÕES 3 3. CLASSIFICAÇÃO DOS NÍVEIS DE QUALIFICAÇÃO E CERTIFICAÇÃO 6 4. SISTEMÁTICA PARA QUALIFICAÇÃO E CERTIFICAÇÃO 8 Página: 1 de 25 1. OBJETIVO 3 2. SIGLAS E DEFINIÇÕES 3 2.1 Siglas 3 2.2 Definições 3 3. CLASSIFICAÇÃO DOS NÍVEIS DE QUALIFICAÇÃO E CERTIFICAÇÃO 6 3.1 Profissionais END Nível 1 7 3.2 Profissionais END Nível

Leia mais

UNIC - UNIVERSIDADE DE CUIABÁ Faculdade de MEDICINA

UNIC - UNIVERSIDADE DE CUIABÁ Faculdade de MEDICINA EDITAL PROCESSO SELETIVO PARA O PREENCHIMENTO DE VAGAS DOS PROGRAMAS DE RESIDÊNCIA MÉDICA UNIC/HGU 2016. A Faculdade de Medicina da Universidade de Cuiabá (UNIC) e o Hospital Geral Universitário (HGU)

Leia mais

Manual Técnico do Sistema MODULAR de Terças para Cobertura e Fechamento. Edição - Julho/2012. modular@modularsc.com.br www.modularsc.com.

Manual Técnico do Sistema MODULAR de Terças para Cobertura e Fechamento. Edição - Julho/2012. modular@modularsc.com.br www.modularsc.com. Manual Técnico do Sistema MODULAR de Terças para Cobertura e Fechamento Edição - Julho/2012 modular@modularsc.com.br CONTEÚDO A EMPRESA 3 SISTEMA DE TERÇAS PARA COBERTURA E FECHAMENTO 4 Apresentação 4

Leia mais

QUALIFICAÇÃO E CERTIFICAÇÃO DE PESSOAL EM ENSAIOS NÃO DESTRUTIVOS PARA O SETOR SUBAQUÁTICO NA-003

QUALIFICAÇÃO E CERTIFICAÇÃO DE PESSOAL EM ENSAIOS NÃO DESTRUTIVOS PARA O SETOR SUBAQUÁTICO NA-003 Página: 1 de 30 1. OBJETIVO Esta Norma estabelece a sistemática adotada pela Associação Brasileira de Ensaios Não Destrutivos e Inspeção ABENDI, através do Sistema Nacional de Qualificação e Certificação

Leia mais

PROCESSO SELETIVO EDITAL 23/2014

PROCESSO SELETIVO EDITAL 23/2014 PROCESSO SELETIVO EDITAL 23/2014 CARGO E UNIDADES: Técnico Operacional II Administração Atenção: NÃO ABRA este caderno antes do início da prova. Tempo total para resolução desta prova: 3 (três) horas.

Leia mais

TREINAMENTO, QUALIFICAÇÃO E CERTIFICAÇÃO DE PESSOAL EM ENSAIOS NÃO-DESTRUTIVOS.

TREINAMENTO, QUALIFICAÇÃO E CERTIFICAÇÃO DE PESSOAL EM ENSAIOS NÃO-DESTRUTIVOS. TREINAMENTO, QUALIFICAÇÃO E CERTIFICAÇÃO DE PESSOAL EM ENSAIOS NÃO-DESTRUTIVOS. Paulo César Francisco Henriques Consultor - Rua Tirol 690 / 206 - Jacarepaguá - Rio de Janeiro RJ 22.750-007 pcfhenriques@ig.com.br

Leia mais

FAMÍLIA E COMUNIDADE E PSIQUIATRIA ofertados pela UNINGÀ encontram-se devidamente aprovado pela Comissão Nacional de Residência Médica (CNRM).

FAMÍLIA E COMUNIDADE E PSIQUIATRIA ofertados pela UNINGÀ encontram-se devidamente aprovado pela Comissão Nacional de Residência Médica (CNRM). EDITAL Nº 01/2015 EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÃO PARA A SELEÇÃO DE CANDIDATOS AOS PROGRAMAS DE RESIDÊNCIAS EM CIRURGIA GERAL, CLÍNICA MÉDICA, MEDICINA DE FAMÍLIA E COMUNIDADE, PSIQUIATRIA DA UNINGA DE

Leia mais

CONTROLE DIMENSIONAL CALDEIRARIA INSTRUÇÕES AO CANDIDATO

CONTROLE DIMENSIONAL CALDEIRARIA INSTRUÇÕES AO CANDIDATO Página: 1 de 9 1. OBJETIVO Este procedimento tem por objetivo orientar os candidatos na execução de provas práticas, na qualificação de Inspetor de Controle Dimensional, modalidade Caldeiraria. 2. REGRAS

Leia mais

52º CONGRESSO BRASILEIRO DE CONCRETO SEQUI. Gerência de Certificação, Qualificação e Inspeção ENGENHARIA/SL/SEQUI. Classificação: PÚBLICO

52º CONGRESSO BRASILEIRO DE CONCRETO SEQUI. Gerência de Certificação, Qualificação e Inspeção ENGENHARIA/SL/SEQUI. Classificação: PÚBLICO 52º CONGRESSO BRASILEIRO DE CONCRETO SEQUI Gerência de Certificação, Qualificação e Inspeção ENGENHARIA/SL/SEQUI Classificação: PÚBLICO 1978 Início do Sistema Brasileiro de Certificação Criação do SEQUI

Leia mais

Lista de cargos e funções disponíveis no Consórcio Ipojuca

Lista de cargos e funções disponíveis no Consórcio Ipojuca Lista de cargos e funções disponíveis no Consórcio Ipojuca 1. INSPETOR CONTROLE DE QUALIDADE- Atuar com inspeção de processos / final, ensaios de rotina, controle de qualidade e verificação de falhas na

Leia mais

2.7 SNQC/END: SISTEMA NACIONAL DE QUALIFICAÇÃO E CERTIFICAÇÃO DE PESSOAL EM ENSAIOS NÃO DESTRUTIVOS

2.7 SNQC/END: SISTEMA NACIONAL DE QUALIFICAÇÃO E CERTIFICAÇÃO DE PESSOAL EM ENSAIOS NÃO DESTRUTIVOS Página: 1 de 19 1. OBJETIVO Esta Norma estabelece a sistemática adotada pela Associação Brasileira de Ensaios Não Destrutivos e Inspeção ABENDE, através do Sistema Nacional de Qualificação e Certificação

Leia mais

ANEXO ÚNICO DO DECRETO Nº 28.088 DE 10 DE JANEIRO DE 2006 PREÂMBULO

ANEXO ÚNICO DO DECRETO Nº 28.088 DE 10 DE JANEIRO DE 2006 PREÂMBULO ANEXO ÚNICO DO DECRETO Nº 28.088 DE 10 DE JANEIRO DE 2006 PREÂMBULO Termo de Participação, via meio eletrônico, para a seleção da melhor proposta para aquisição por dispensa de licitação, nos termos do

Leia mais

PROCESSO SELETIVO PARA RESIDÊNCIA MÉDICA 2016 HOSPITAL UNIVERSITÁRIO CIÊNCIAS MÉDICAS - MG

PROCESSO SELETIVO PARA RESIDÊNCIA MÉDICA 2016 HOSPITAL UNIVERSITÁRIO CIÊNCIAS MÉDICAS - MG PROCESSO SELETIVO PARA RESIDÊNCIA MÉDICA 2016 HOSPITAL UNIVERSITÁRIO CIÊNCIAS MÉDICAS - MG A Faculdade Ciências Médicas MG recomenda a leitura de todo o Edital antes de realizar a inscrição A Fundação

Leia mais

EDITAL ABERTURA CONCURSO PÚBLICO Nº. 001/2014

EDITAL ABERTURA CONCURSO PÚBLICO Nº. 001/2014 EDITAL ABERTURA CONCURSO PÚBLICO Nº. 001/2014 A Câmara Municipal de Ipuã, Estado de São Paulo, por meio de sua Comissão Examinadora de Concurso Público, nomeada pelo Ato da Mesa nº 04/2014, de 01 de agosto

Leia mais

ACESSANDO A PÁGINA DO CADASTRO DE DEPÓSITOS

ACESSANDO A PÁGINA DO CADASTRO DE DEPÓSITOS ACESSANDO A PÁGINA DO CADASTRO DE DEPÓSITOS Localize o processo no sistema. Na capa do processo em INFORMAÇÕES ADICIONAIS clique na opção DEPÓSITO JUDICIAL. 1. CADASTRANDO CONTAS JUDICIAIS 1.1- Na tela

Leia mais

INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA

INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA Prova de Equivalência à Frequência INGLÊS PROVA ESCRITA Prova 06 2013 2.º Ciclo do Ensino Básico!. IntI ntrodução O presente documento visa divulgar as características da prova de equivalência à frequência

Leia mais

USM Vision 1.2 Uma Solução Total de Inspeção de Solda para Aumentar a Produtividade em Novo Processo de Fabricação de Tubulação

USM Vision 1.2 Uma Solução Total de Inspeção de Solda para Aumentar a Produtividade em Novo Processo de Fabricação de Tubulação GE Measurement & Control NEW USM Vision 1.2 Uma Solução Total de Inspeção de Solda para Aumentar a Produtividade em Novo Processo de Fabricação de Tubulação 16/128 16/128 16/128 Escaneamento paralelo Escaneamento

Leia mais

Página 1 de 30 HOSPITAL DAS CLÍNICAS FACULDADE DE MEDICINA DE BOTUCATU UNESP

Página 1 de 30 HOSPITAL DAS CLÍNICAS FACULDADE DE MEDICINA DE BOTUCATU UNESP Página 1 de 30 Secretaria de Estado de Saúde UNIDADE: Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu HCFMB CONCURSO PÚBLICO: Oficial Operacional (Motorista) INSTRUÇÃO ESPECIAL HCFMB Nº 02/2014

Leia mais

EDITAL DE PROCESSO SELETIVO 2016, de 29/10/2015 CONCURSO VESTIBULAR

EDITAL DE PROCESSO SELETIVO 2016, de 29/10/2015 CONCURSO VESTIBULAR EDITAL DE PROCESSO SELETIVO 2016, de 29/10/2015 CONCURSO VESTIBULAR O Diretor Geral da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ibitinga - FAIBI, mantida pela Fundação Educacional Municipal da Estância

Leia mais

E-QP-EIN-022 REV. B 25/Jul/2011 1. OBJETIVO 2. DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA 3. APLICAÇÃO 4. TERMINOLOGIA 5. REGRAS GERAIS 6. EXECUÇÃO DA PROVA PRÁTICA

E-QP-EIN-022 REV. B 25/Jul/2011 1. OBJETIVO 2. DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA 3. APLICAÇÃO 4. TERMINOLOGIA 5. REGRAS GERAIS 6. EXECUÇÃO DA PROVA PRÁTICA ENGENHARIA QUALIFICAÇÃO DE INSPETOR DE CONSTRUÇÃO, MONTAGEM E COMISSIONAMENTO DE INSTRUMENTAÇÃO NÍVEL 1 Instruções ao Candidato Os comentários e sugestões referentes a este documento devem ser encaminhados

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECÂNICA DESENHO MECÂNICO CORTES. Prof. Márcio Valério de Araújo

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECÂNICA DESENHO MECÂNICO CORTES. Prof. Márcio Valério de Araújo UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECÂNICA DESENHO MECÂNICO CORTES Prof. Márcio Valério de Araújo INTRODUÇÃO IMPORTÂNCIA DA REPRESENTAÇÃO EM CORTE NO DESENHO TÉCNICO

Leia mais

Sumário. 1. Instalando a Chave de Proteção 3. 2. Novas características da versão 1.3.8 3. 3. Instalando o PhotoFacil Álbum 4

Sumário. 1. Instalando a Chave de Proteção 3. 2. Novas características da versão 1.3.8 3. 3. Instalando o PhotoFacil Álbum 4 1 Sumário 1. Instalando a Chave de Proteção 3 2. Novas características da versão 1.3.8 3 3. Instalando o PhotoFacil Álbum 4 4. Executando o PhotoFacil Álbum 9 3.1. Verificação da Chave 9 3.1.1. Erro 0001-7

Leia mais

REGULAMENTO CONCURSO DE BOLSAS 2016

REGULAMENTO CONCURSO DE BOLSAS 2016 REGULAMENTO CONCURSO DE BOLSAS 2016 Para celebrar seus 60 anos de historia na cidade de Florianópolis, a Aliança Francesa de Florianópolis, com o objetivo de ampliar oportunidades aos estudantes interessados

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DO PROGRAMA DE PÓS- GRADUAÇÃO LATO SENSU À DISTÂNCIA

REGULAMENTO GERAL DO PROGRAMA DE PÓS- GRADUAÇÃO LATO SENSU À DISTÂNCIA REGULAMENTO GERAL DO PROGRAMA DE PÓS- GRADUAÇÃO LATO SENSU À DISTÂNCIA TÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º - O Programa de Pós-graduação lato sensu à distância da FAZU - Faculdades Associadas de

Leia mais

CATÁLOGO DE APLICAÇÕES Disponibilidade de Estoque

CATÁLOGO DE APLICAÇÕES Disponibilidade de Estoque CATÁLOGO DE APLICAÇÕES Disponibilidade de Estoque Objetivo(s) do projeto Este orçamento pretende alcançar os seguintes objetivos: Analise de Disponibilidade tem por objetivo proporcionar uma visão geral

Leia mais

CALEDÁRIO ESCOLAR. Página 1 de 24

CALEDÁRIO ESCOLAR. Página 1 de 24 Página 1 de 24 SISTEMA DE CALENDÁRIO ESCOLAR O Sistema de Calendário Escolar é a primeira etapa de uma grande evolução que ocorrerá nos sistemas de informatização da Secretaria de Estado da Educação. As

Leia mais

EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA - Disciplina semestral 32 aulas previstas

EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA - Disciplina semestral 32 aulas previstas EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA 3ºCICLO DO ENSINO BÁSICO CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS 7.ºANO EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA - Disciplina semestral 32 aulas previstas CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS Os Conteúdos Programáticos estão enunciados

Leia mais

Requisitos para o cargo

Requisitos para o cargo COMUNICADO DE PROCESSO SELETIVO Nº 000443-2014-A INSTRUTOR DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL III ÁREA/CAMPO DE ATUAÇÃO: METALURGIA / ENSAIOS NÃO DESTRUTIVOS DE METAIS FORMAÇÃO DE CADASTRO RESERVA SENAI-SP A Diretoria

Leia mais

Desenho de máquinas. Aula 3

Desenho de máquinas. Aula 3 Desenho de máquinas Aula 3 Cotagem A cotagem e a escolhas das vistas que irão compor um desenho, são os dois itens que mais exigem conhecimentos e experiência do engenheiro mecânico na área do Desenho

Leia mais

PRÁTICA RECOMENDADA ABENDI

PRÁTICA RECOMENDADA ABENDI Página: 0 de 25 PRÁTICA RECOMENDADA ABENDI CONSULTA PÚBLICA n.01 São Paulo, 18 de Junho de 2015 A Abendi - Associação Brasileira de Ensaios Não Destrutivos e Inspeção, entidade sem fins lucrativos, sediada

Leia mais

Rodovia MS 80, Km 10 Campo Grande, MS CEP: 79114-901 fone: 0XX67 368-0100 www.detran.ms.gov.br

Rodovia MS 80, Km 10 Campo Grande, MS CEP: 79114-901 fone: 0XX67 368-0100 www.detran.ms.gov.br EDITAL N. 01 DETRAN-MS O Diretor Presidente do Departamento Estadual de Trânsito de Mato Grosso do Sul, no uso de suas atribuições legais, atendendo o disposto na Resolução n. 358, de 13 de agosto de 2010,

Leia mais

Manual de Utilização do Sistema Protocolo

Manual de Utilização do Sistema Protocolo Manual de Utilização do Sistema Protocolo Setembro/2013. Introdução: Leia o manual Leia com atenção este manual e guarda-o para futuras consultas Lendo o manual, você conseguirá obter o rendimento máximo

Leia mais

MANUAL PARA JUNTAR DIVERSOS PEDIDOS EM

MANUAL PARA JUNTAR DIVERSOS PEDIDOS EM 19/7/2010 SHP MANUAL PARA JUNTAR DIVERSOS PEDIDOS EM UMA NOTA SHP HELP DESK Manual para juntar diversos Pedidos em uma Nota Este manual tem por objetivo ajudar na atividade de juntar diversos pedidos de

Leia mais

Secretaria de Estado da Saúde Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo Comissão de Concursos Públicos - CCP

Secretaria de Estado da Saúde Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo Comissão de Concursos Públicos - CCP Secretaria de Estado da Saúde Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo Comissão de Concursos Públicos - CCP Concurso Público: DESENHISTA Edital HCFMUSP no. 13/2008-CCP

Leia mais

DE PESSOAL EM ENSAIOS NÃO DESTRUTIVOS

DE PESSOAL EM ENSAIOS NÃO DESTRUTIVOS Página: 1 de 18 1. OBJETIVO Complementar a norma ABENDE NA-001, no que se refere ao estabelecimento da sistemática para Qualificação e Certificação de Pessoal em Ensaios Não Destrutivos nos setores industriais

Leia mais

SISTEMÁTICA DE INSPEÇÃO ULTRASSÔNICA DE TRILHOS PARÂMETROS E CRITÉRIOS

SISTEMÁTICA DE INSPEÇÃO ULTRASSÔNICA DE TRILHOS PARÂMETROS E CRITÉRIOS SISTEMÁTICA DE INSPEÇÃO ULTRASSÔNICA DE TRILHOS APLICAÇÃO A finalidade da inspeção ultrassônica de trilhos é a prevenção contra a ocorrência de trincas e fraturas. As trincas e fraturas resultam, basicamente,

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO Título ELO FUSÍVEL DE DISTRIBUIÇÃO

ESPECIFICAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO Título ELO FUSÍVEL DE DISTRIBUIÇÃO ESPECIFICAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO Título ELO FUSÍVEL DE DISTRIBUIÇÃO Código ETD-00.016 Data da emissão 30.04.1987 Data da última revisão 29.06.2006 Folha 1 SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Normas Complementares 3 Definições

Leia mais

Uso da Tecnologia de Informação Aplicada ao Processo de Qualificação e Certificação de Pessoal em END

Uso da Tecnologia de Informação Aplicada ao Processo de Qualificação e Certificação de Pessoal em END Uso da Tecnologia de Informação Aplicada ao Processo de Qualificação e Certificação de Pessoal em END - Luiz Cesar de Almeida ( Gerente - ENGENHARIA/SL/SEQUI ) - Joaquim José Moreira dos Santos ( Consultor

Leia mais

FACULDADE ERNESTO RISCALI REGULAMENTO DA BIBLIOTECA BIBLIOTECA ARMANDO RISCALI

FACULDADE ERNESTO RISCALI REGULAMENTO DA BIBLIOTECA BIBLIOTECA ARMANDO RISCALI FACULDADE ERNESTO RISCALI REGULAMENTO DA BIBLIOTECA BIBLIOTECA ARMANDO RISCALI OLÍMPIA 2014 1 REGULAMENTO DA BIBLIOTECA BIBLIOTECA ARMANDO RISCALI APRESENTAÇÃO A Biblioteca presta serviços ao público em

Leia mais

CRITÉRIO ESPECÍFICO PARA A ACREDITAÇÃO DE ORGANISMO DE INSPEÇÃO DE ENSAIOS NÃO DESTRUTIVOS

CRITÉRIO ESPECÍFICO PARA A ACREDITAÇÃO DE ORGANISMO DE INSPEÇÃO DE ENSAIOS NÃO DESTRUTIVOS CRITÉRIO ESPECÍFICO PARA A ACREDITAÇÃO DE ORGANISMO DE INSPEÇÃO DE ENSAIOS NÃO DESTRUTIVOS NORMA Nº: NIT-DIOIS-003 APROVADA EM JUN/2011 Nº 0 01/09 SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Campo de Aplicação 3 Responsabilidade

Leia mais

EDITAL DE CONVOCAÇÃO DE PROVAS

EDITAL DE CONVOCAÇÃO DE PROVAS EDITAL DE CONVOCAÇÃO DE PROVAS No uso das atribuições legais, e mediantes as condições estipuladas nos Editais e Comunicados oficiais publicados no site www.selecao.uneb.br/dpe2012, CONVOCA os Candidatos

Leia mais

MANUAL DE OPERAÇÃO SISTEMA ROR

MANUAL DE OPERAÇÃO SISTEMA ROR MANUAL DE OPERAÇÃO SISTEMA ROR ÍNDICE I - INTRODUÇÃO... 02 II - RECEBENDO SEU SISTEMA ROR... 02 III - MONTAGEM DO EQUIPAMENTO... 03 IV - LIGANDO SUA BALANÇA... 03 V - RECURSOS PARA OPERAÇÃO... 04 VI -

Leia mais

E-QP-EES-014 REV. 0 02/Jan/2012

E-QP-EES-014 REV. 0 02/Jan/2012 ESTANQUEIDADE PROCEDIMENTO DE INSPEÇÃO ENGENHARIA Procedimento Operacional Os comentários e sugestões referentes a este documento devem ser encaminhados ao SEQUI, indicando o item a ser revisado, a proposta

Leia mais

N-1594 REV. F DEZ / 2004 ENSAIO NÃO-DESTRUTIVO - ULTRA-SOM. CONTEC Comissão de Normas Técnicas SC - 27. Procedimento. Apresentação

N-1594 REV. F DEZ / 2004 ENSAIO NÃO-DESTRUTIVO - ULTRA-SOM. CONTEC Comissão de Normas Técnicas SC - 27. Procedimento. Apresentação ENSAIO NÃO-DESTRUTIVO - ULTRA-SOM Procedimento Esta Norma substitui e cancela a sua revisão anterior. Cabe à CONTEC - Subcomissão Autora, a orientação quanto à interpretação do texto desta Norma. O Órgão

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO MANUAL DE FUNCIONAMENTO

MANUAL DE INSTALAÇÃO MANUAL DE FUNCIONAMENTO PROVISÓRIO SPAL APS 2 MANUAL DE INSTALAÇÃO MANUAL DE FUNCIONAMENTO A marca SPAL é uma marca depositada. 2005. É proibida a reprodução. DESCRIÇÃO Módulo electrónico com as seguintes funções: Activar a central

Leia mais

GUIA DE PREENCHIMENTO DO FORMULÁRIO. (Módulo da Entidade Parceira Exclusivamente Financiadora)

GUIA DE PREENCHIMENTO DO FORMULÁRIO. (Módulo da Entidade Parceira Exclusivamente Financiadora) ACÇÃO 4.2.2 REDES TEMÁTICAS DE INFORMAÇÃO E DIVULGAÇÃO GUIA DE PREENCHIMENTO DO FORMULÁRIO (Módulo da Entidade Parceira Exclusivamente Financiadora) União Europeia FEADER PRODER 1 INSTRUÇÕES PARA UMA CORRECTA

Leia mais

EDITAL DO CONCURSO VESTIBULAR UNIFESP/2002

EDITAL DO CONCURSO VESTIBULAR UNIFESP/2002 EDITAL DO CONCURSO VESTIBULAR UNIFESP/2002 REITOR DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO/ESCOLA PAULISTA DE MEDICINA, no uso de suas atribuições legais e tendo em vista o aprovado pelo Conselho de Graduação

Leia mais

PROGRAMA DE VALORIZAÇÃO DO PROFISSIONAL DA ATENÇÃO BÁSICA TUTORIAL PARA O SUPERVISOR

PROGRAMA DE VALORIZAÇÃO DO PROFISSIONAL DA ATENÇÃO BÁSICA TUTORIAL PARA O SUPERVISOR PROGRAMA DE VALORIZAÇÃO DO PROFISSIONAL DA ATENÇÃO BÁSICA TUTORIAL PARA O SUPERVISOR NOVAS FUNCIONALIDADES DO WEB PORTFÓLIO PROVAB 2015 Brasília/DF, 12 de novembro de 2015. 1 APRESENTAÇÃO NOVAS FUNCIONALIDADES

Leia mais

FACULDADE DE CIÊNCIAS MÉDICAS UNICAMP COMISSÃO DOS CURSOS DE APRIMORAMENTO E ESPECIALIZAÇÃO NÃO MÉDICA LATO SENSU (SCAE) EDITAL

FACULDADE DE CIÊNCIAS MÉDICAS UNICAMP COMISSÃO DOS CURSOS DE APRIMORAMENTO E ESPECIALIZAÇÃO NÃO MÉDICA LATO SENSU (SCAE) EDITAL FACULDADE DE CIÊNCIAS MÉDICAS UNICAMP COMISSÃO DOS CURSOS DE APRIMORAMENTO E ESPECIALIZAÇÃO NÃO MÉDICA LATO SENSU (SCAE) EDITAL A Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Estadual de Campinas, por

Leia mais

REGULAMENTO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CAPÍTULO 1 DA DEFINIÇÃO

REGULAMENTO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CAPÍTULO 1 DA DEFINIÇÃO ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E EDUCAÇÃO DE RIO CLARO ASSOCIAÇÃO DE ESCOLAS REUNIDAS TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC CURSO DE ADMINISTRAÇÃO GRADES 2008/2010 REGULAMENTO MARÇO 2012 (Substitui o regulamento

Leia mais

ULTRA-SOM MEDIÇÃO DE ESPESSURA PROCEDIMENTO DE END PR 036

ULTRA-SOM MEDIÇÃO DE ESPESSURA PROCEDIMENTO DE END PR 036 Página: 1 de 5 1. OBJETIVO Este procedimento fixa as condições mínimas do ensaio não destrutivo por meio de ultra-som para medição de espessura em materiais metálicos, em exames de qualificação do Sistema

Leia mais

REGULAMENTO DA BOLSA DE MANUAIS ESCOLARES

REGULAMENTO DA BOLSA DE MANUAIS ESCOLARES Preâmbulo O presente regulamento cumpre o estipulado nos artigos n.º 7.º, 7.º-A, 7.º-B e 13.º-A do Despacho n.º 11886-A/2012, de 6 de setembro (que altera o despacho n.º 18987/2009, de 17 de agosto, com

Leia mais

Normas para Elaboração do Trabalho de Conclusão do Curso de Psicologia

Normas para Elaboração do Trabalho de Conclusão do Curso de Psicologia Normas para Elaboração do Trabalho de Conclusão do Curso de Psicologia Petrolina PE Julho de 2015 1 Capítulo I Da natureza do TCC Art. 1º O Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) é um componente obrigatório

Leia mais

1 - Razão social da pessoa jurídica requerente e das aderentes, se for o caso: RBS ZERO HORA EDITORA JORNALÍSTICA S/A.

1 - Razão social da pessoa jurídica requerente e das aderentes, se for o caso: RBS ZERO HORA EDITORA JORNALÍSTICA S/A. PLANO DE OPERAÇÃO DE PROMOÇÃO COMERCIAL 1 - Razão social da pessoa jurídica requerente e das aderentes, se for o caso: RBS ZERO HORA EDITORA JORNALÍSTICA S/A. 2 - Nome fantasia da pessoa jurídica requerente

Leia mais

Usuários: Divisão de Medição e Proteção da Receita, Gerências e Centros Regionais.

Usuários: Divisão de Medição e Proteção da Receita, Gerências e Centros Regionais. 1 Usuários: Divisão de Medição e Proteção da Receita, Gerências e Centros Regionais. SUMÁRIO 1. OBJETIVO 2. NORMAS E DOCUMENTOS COMPLEMENTARES 3. DEFINIÇÕES 4. CONDIÇÕES GERAIS 5. CONDIÇÕES ESPECÍFICAS

Leia mais

EDITAL PARA O PROCESSO SELETIVO DE RESIDÊNCIA MÉDICA 2012

EDITAL PARA O PROCESSO SELETIVO DE RESIDÊNCIA MÉDICA 2012 EDITAL PARA O PROCESSO SELETIVO DE RESIDÊNCIA MÉDICA 2012 Recomenda-se a leitura atenta de todo o Edital do Processo Seletivo, disponível no site www.scpassos.org.br antes de realizar sua inscrição. O

Leia mais

PROCESSO SELETIVO PARA RESIDÊNCIA MÉDICA HOSPITAL SANTA HELENA- 2015 Edital nº 02, de 01 de NOVEMBRO de 2015 PARECER CNRM/MEC Nº:1608/2014

PROCESSO SELETIVO PARA RESIDÊNCIA MÉDICA HOSPITAL SANTA HELENA- 2015 Edital nº 02, de 01 de NOVEMBRO de 2015 PARECER CNRM/MEC Nº:1608/2014 PROCESSO SELETIVO PARA RESIDÊNCIA MÉDICA HOSPITAL SANTA HELENA- 2015 Edital nº 02, de 01 de NOVEMBRO de 2015 PARECER CNRM/MEC Nº:1608/2014 O Hospital Santa Helena (HSH) torna público que realizará processo

Leia mais

PROCESSO SELETIVO 2016. Programa de Treinamento Médico em Oftalmologia - DayHORC

PROCESSO SELETIVO 2016. Programa de Treinamento Médico em Oftalmologia - DayHORC PROCESSO SELETIVO 2016 Programa de Treinamento Médico em Oftalmologia - DayHORC O DayHORC, através de sua Comissão do Programa de Treinamento Médico em Oftalmologia (CPTMO/DayHORC), no uso de suas atribuições,

Leia mais

INSTITUTO DAS APÓSTOLAS DO SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS Rua Coronel Melo de Oliveira, 221 Pompéia São Paulo SP - CNPJ: 61.015.

INSTITUTO DAS APÓSTOLAS DO SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS Rua Coronel Melo de Oliveira, 221 Pompéia São Paulo SP - CNPJ: 61.015. INSTITUTO DAS APÓSTOLAS DO SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS Rua Coronel Melo de Oliveira, 221 Pompéia São Paulo SP - CNPJ: 61.015.087/0001-65 UNIDADE EXECUTORA: COLÉGIO COR JESU AV. L2 SUL /SGAS 615 - BRASÍLIA/DF

Leia mais

WIN-SOFT STARTER. Software de simulação e especificação para soft starters SIRIUS 3RW. www.siemens.com.br/sirius. Win-Soft Starter Versão 1.

WIN-SOFT STARTER. Software de simulação e especificação para soft starters SIRIUS 3RW. www.siemens.com.br/sirius. Win-Soft Starter Versão 1. WIN-SOFT STARTER Software de simulação e especificação para soft starters SIRIUS 3RW Versão: 1.1-BR Edição: 08/2011 www.siemens.com.br/sirius Agosto 2011 Página 1 Conteúdo 1. Introdução... 3 2. Soft Starters

Leia mais

EDITAL Nº 01 DE 10 DE SETEMBRO DE 2015 PROCESSO SELETIVO PARA O PRIMEIRO E SEGUNDO SEMESTRE 2016

EDITAL Nº 01 DE 10 DE SETEMBRO DE 2015 PROCESSO SELETIVO PARA O PRIMEIRO E SEGUNDO SEMESTRE 2016 EDITAL Nº 01 DE 10 DE SETEMBRO DE 2015 PROCESSO SELETIVO PARA O PRIMEIRO E SEGUNDO SEMESTRE 2016 A Diretora Geral, no uso de suas atribuições, de acordo com o Estatuto e Regimento Geral em vigor e nos

Leia mais

DISPENSA DE LICITAÇÃO ATRAVÉS DE CONTRATAÇÃO DIRETA EDITAL 20150763

DISPENSA DE LICITAÇÃO ATRAVÉS DE CONTRATAÇÃO DIRETA EDITAL 20150763 DISPENSA DE LICITAÇÃO ATRAVÉS DE CONTRATAÇÃO DIRETA EDITAL 20150763 FUNDAMENTAÇÃO LEGAL: Artigo 24, inciso II, 1º da Lei nº8.666/93 e Artigo 1º, inciso II do Decreto Estadual Nº29.337, de 25 de junho 2008.

Leia mais

APOSTILA ZELIO SOFT 2

APOSTILA ZELIO SOFT 2 APOSTILA ZELIO SOFT 2 Prof. Maycon Max Kopelvski Fev/2010 rev.01 Página 1 de 20 1) Clique no ícone para abrir o programa Zelio Soft 2 2) Abrirá a tela inicial do Programa: Clique em Criar um novo programa.

Leia mais

EDITAL PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM - TURMA 2015 MESTRADO ACADÊMICO

EDITAL PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM - TURMA 2015 MESTRADO ACADÊMICO UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO - UERJ CENTRO BIOMÉDICO FACULDADE DE ENFERMAGEM PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM CURSO DE MESTRADO ACADÊMICO EDITAL PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM

Leia mais

Processo Seletivo para Residência Médica INC. Edital de Convocação ANO 2016

Processo Seletivo para Residência Médica INC. Edital de Convocação ANO 2016 1 Instituto de Neurologia de Curitiba (INC) Rua Jeremias Maciel Perretto, 300 Campo Comprido Curitiba PR 81210-310 Fone/fax: (41) 3028-8580 http://www.inc-neuro.com.br E-mail: residenciamedica@inc-neuro.com.br

Leia mais

UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL ULBRA CONTROLE DE MOTOR DE PASSO VIA PORTA PARALELA -BUILDER C++ FABRÍCIO DE MARI

UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL ULBRA CONTROLE DE MOTOR DE PASSO VIA PORTA PARALELA -BUILDER C++ FABRÍCIO DE MARI UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL ULBRA CONTROLE DE MOTOR DE PASSO VIA PORTA PARALELA -BUILDER C++ FABRÍCIO DE MARI Canoas, junho de 2007. SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO...03 1.1 Objetivo...04 1.2 Justificativa...04

Leia mais

EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES - CEDEP 003/2015 - RESIDÊNCIA MÉDICA 2016 ÁREAS DE ATUAÇÃO

EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES - CEDEP 003/2015 - RESIDÊNCIA MÉDICA 2016 ÁREAS DE ATUAÇÃO EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES - CEDEP 003/2015 - RESIDÊNCIA MÉDICA 2016 ÁREAS DE ATUAÇÃO O Instituto de Assistência Médica ao Servidor Público Estadual - IAMSPE, por meio do Centro de Desenvolvimento

Leia mais

PROCESSO SELETIVO PARA O CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM OFTALMOLOGIA DO HOSPITAL SANTA LUZIA- 2016. Fundação Colombo Spínola

PROCESSO SELETIVO PARA O CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM OFTALMOLOGIA DO HOSPITAL SANTA LUZIA- 2016. Fundação Colombo Spínola PROCESSO SELETIVO PARA O CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM OFTALMOLOGIA DO HOSPITAL SANTA LUZIA- 2016 Fundação Colombo Spínola O Hospital Santa Luzia/ Fundação Colombo Spínola faz saber que realizará processo

Leia mais

TORNA PÚBLICO O PROCESSO SELETIVO CONCURSO VESTIBULAR PARA INGRESSO NOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UNIJUÍ MODALIDADES PRESENCIAL E - NO 1º SEMESTRE DE

TORNA PÚBLICO O PROCESSO SELETIVO CONCURSO VESTIBULAR PARA INGRESSO NOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UNIJUÍ MODALIDADES PRESENCIAL E - NO 1º SEMESTRE DE EDITAL TORNA PÚBLICO O PROCESSO SELETIVO CONCURSO VESTIBULAR PARA INGRESSO NOS DE GRADUAÇÃO DA UNIJUÍ MODALIDADES PRESENCIAL E EaD - NO 1º SEMESTRE DE 2016. A Vice-Reitora de Graduação da Universidade

Leia mais

Malwares Segurança da Informação. S.O.S. Concursos Prof: Tiago Furlan Lemos

Malwares Segurança da Informação. S.O.S. Concursos Prof: Tiago Furlan Lemos Malwares Segurança da Informação. S.O.S. Concursos Prof: Tiago Furlan Lemos Malware O termo malware é proveniente do inglês malicious software; é um software destinado a se infiltrar em um sistema de computador

Leia mais

MINUTA DO PROJETO DE LEI Nº XX/GP/2012, DE XX DE XXX DE 2012.

MINUTA DO PROJETO DE LEI Nº XX/GP/2012, DE XX DE XXX DE 2012. MINUTA DO PROJETO DE LEI Nº XX/GP/2012, DE XX DE XXX DE 2012. SÚMULA: DISPÕE SOBRE A PADRONIZAÇÃO DO CONJUNTO DE PLACAS INDICATIVAS DE NOMES DE VIAS E LOGRADOUROS PÚBLICOS E A CONCESSÃO DE EXPLORAÇÃO DE

Leia mais

Manual para acesso às disciplinas na modalidade EAD

Manual para acesso às disciplinas na modalidade EAD Manual para acesso às disciplinas na modalidade EAD Para acessar sua senha: 1. Entrar no portal Metodista online Acesse o site www.bennett.br. No lado superior direito aparecerá a janela da área de login,

Leia mais

TERMO DE ADESÃO A CURSO ON LINE

TERMO DE ADESÃO A CURSO ON LINE TERMO DE ADESÃO A CURSO ON LINE O site disponibiliza, para usuários interessados e devidamente cadastrados, os cursos de: Inspetor de Soldagem N1 EAD Inspetor de Soldagem N2 EAD Inspetor de Equipamentos

Leia mais

Manual do usuário. A para seu paciente

Manual do usuário. A para seu paciente Manual do usuário A para seu paciente V.3.1R.02/013 R. Melo Palheta, 189 - Perdizes São Paulo - SP CEP: 05002-030 Suporte Técnico: Tel: + 55 11 3873-7727 Opção 5 (Das 08:00 ás 17:30 hs) E-mail: suporte@activeware.com.br

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO FEDERAL DE FONOAUDIOLOGIA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO FEDERAL DE FONOAUDIOLOGIA E D I T A L N o 0 0 1 / 2 0 1 3 C O N C U R S O D E P R O V A S E T Í T U L O S P A R A C O N C E S S Ã O E R E G I S T R O D O T Í T U L O D E E S P E C I A L I S T A N A S Á R E A S D A F O N O A U D

Leia mais

APOSTILA II DAC CRIADO POR DÉBORA M. BUENO FRANCO PROFESSORA DE DESENHO ASSISTIDO POR COMPUTADOR FACULDADE EDUCACIONAL DE ARAUCÁRIA - FACEAR

APOSTILA II DAC CRIADO POR DÉBORA M. BUENO FRANCO PROFESSORA DE DESENHO ASSISTIDO POR COMPUTADOR FACULDADE EDUCACIONAL DE ARAUCÁRIA - FACEAR APOSTILA II DAC INTRODUÇÃO O WorkCAD é uma ferramenta para criação, edição e impressão de projetos assistidos por computador (CAD - Computer Aided Design) que inclui a criação e gerenciamento de projetos

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR/SGP-301-R00 ESTÁGIO PROBATÓRIO

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR/SGP-301-R00 ESTÁGIO PROBATÓRIO MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR/SGP-301-R00 ESTÁGIO PROBATÓRIO 11/2015 PÁGINA INTENCIONALMENTE EM BRANCO 2 06 de novembro de 2015. Aprovado, Antonia Valeria Martins Maciel 3 PÁGINA INTENCIONALMENTE EM BRANCO

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 19, DE 28 DE MAIO DE 2009

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 19, DE 28 DE MAIO DE 2009 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 19, DE 28 DE MAIO DE 2009 O MINISTRO DE ESTADO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO, no uso da atribuição que lhe confere o art. 87, parágrafo único, inciso II, da Constituição,

Leia mais

Software Planejamento Tributário

Software Planejamento Tributário Software Planejamento Tributário Bem vindo ao segundo manual de instalação do software de Planejamento Tributário, este irá lhe mostrar os passos para o término da instalação e configuração do software

Leia mais

Diário da República, 2.ª série N.º 13 19 de Janeiro de 2011 3935

Diário da República, 2.ª série N.º 13 19 de Janeiro de 2011 3935 Diário da República, 2.ª série N.º 13 19 de Janeiro de 2011 3935 Despacho n.º 1550/2011 A mais recente revisão regulamentar do sector do gás natural, concretizada através do Despacho n.º 4878/2010, de

Leia mais

1. Introdução a Microsoft Excel

1. Introdução a Microsoft Excel Introdução a Microsoft Excel 1. Introdução a Microsoft Excel 1.1. O que é Microsoft Excel Microsoft Excel é um software de planilha eletrônica produzido pela Microsoft Corporation, para o sistema operacional

Leia mais

UNIVERSIDADE DO CEUMA UniCEUMA CURSO DE DIREITO NÚCLEO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES NAC

UNIVERSIDADE DO CEUMA UniCEUMA CURSO DE DIREITO NÚCLEO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES NAC II CONGRESSO NACIONAL DO & XXII JORNADA JURÍDICA ACADÊMICA DO O Direito em reforma: reflexões diante das mudanças sociais, políticas e jurídicas na sociedade brasileira São Luís/MA, 04 a 06 de novembro

Leia mais

MANUAL SOCIEDADE DE ADVOGADOS

MANUAL SOCIEDADE DE ADVOGADOS MANUAL SOCIEDADE DE ADVOGADOS O advogado responsável da Sociedade de Advogados deverá comparecer na Justiça Federal ou TRF, junto aos setores de distribuição, para cadastrar a sociedade e ser vinculado

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE TECNÓLOGO EM PRODUÇÃO DO VESTUÁRIO (com ênfase em calçados)

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE TECNÓLOGO EM PRODUÇÃO DO VESTUÁRIO (com ênfase em calçados) Mantenedora: Fundação Educacional Fausto Pinto da Fonseca - CNPJ : 04.149.536/0001-24 Av. Dom Cabral, 31 Centro - CEP: 35.519-000 - Nova Serrana - MG Fone: (37) 3226-8200 - Site: www.fanserrana.com.br

Leia mais

Portaria nº 220,de 19 de maio de 2011. CONSULTA PÚBLICA

Portaria nº 220,de 19 de maio de 2011. CONSULTA PÚBLICA MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO Portaria nº 220,de 19 de maio de 2011. CONSULTA PÚBLICA OBJETO:

Leia mais

REGULAMENTO CONCURSO DE REDAÇÃO POR DENTRO DA MENTE DE LEONARDO DA VINCI

REGULAMENTO CONCURSO DE REDAÇÃO POR DENTRO DA MENTE DE LEONARDO DA VINCI REGULAMENTO CONCURSO DE REDAÇÃO POR DENTRO DA MENTE DE LEONARDO DA VINCI Este concurso se destina a selecionar a melhor redação, em cada categoria, que representa o tema Por Dentro da Mente de. Para efeito

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL - UAB. Edital Nº 54, de 22 de julho de 2010

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL - UAB. Edital Nº 54, de 22 de julho de 2010 Edital Nº 54, de 22 de julho de 2010 A Coordenadora da UAB da Universidade Estadual de Maringá, no uso das atribuições, TORNA PÚBLICO A abertura de inscrições para o processo seletivo de TUTORIA (Tutor

Leia mais

RESULTADOS DE AUDITORIA EM SERVIÇOS DE END DURANTE PARADAS DE MANUTENÇÃO E CONSTRUÇÕES E MONTAGEM

RESULTADOS DE AUDITORIA EM SERVIÇOS DE END DURANTE PARADAS DE MANUTENÇÃO E CONSTRUÇÕES E MONTAGEM RESULTADOS DE AUDITORIA EM SERVIÇOS DE END DURANTE PARADAS DE MANUTENÇÃO E CONSTRUÇÕES E MONTAGEM Autores: Juvêncio Vieira Santos (PETROBRAS/ENGENHARIA/IERN) José Augusto dos Santos Serra (PETROBRAS/REPLAN)

Leia mais

E. A - 3 - SNQC / END Nº

E. A - 3 - SNQC / END Nº Nestor Carlos de Moura Formação: Técnico Projetista Mecânico Engenheiro Mecânico Programa de Mestrado em engenharia de Materiais focado em Ensaios Não Destrutivos Experiência Profissional: E. A - Nível

Leia mais

Portaria n.º 450, de 03 de outubro de 2014. CONSULTA PÚBLICA

Portaria n.º 450, de 03 de outubro de 2014. CONSULTA PÚBLICA Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA-INMETRO Portaria n.º 450, de 03 de outubro de 2014. CONSULTA

Leia mais

Na mentalidade da empresa, modernizar é elevar a qualidade dos processos e produtos, consequentemente, aumentar sua competitividade no mercado.

Na mentalidade da empresa, modernizar é elevar a qualidade dos processos e produtos, consequentemente, aumentar sua competitividade no mercado. O Grupo Pedra Norte iniciou suas atividades no ano de 2009, e hoje é uma organização formada pelas unidades de negócio Pedreira Pedra Norte, Usina de Asfalto Pedra Norte, Pedra Norte Concreto e Argamassa

Leia mais