BEM VIVER NA CRIAÇÃO DE DEUS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "BEM VIVER NA CRIAÇÃO DE DEUS"

Transcrição

1 1 BEM VIVER NA CRIAÇÃO DE DEUS Carlos Gilberto Bock 1 Situando o autor e o texto Antes de iniciar o meu texto, quero destacar o lugar de onde escrevo, que reflete os conceitos e as opiniões que expresso, e os limites da minha abordagem. Desde meados de 2008, trabalho como secretário executivo da Fundação Luterana de Diaconia (FLD), que mantém uma relação de parceria com o Conselho de Missão Indígena (COMIN). 2 Tenho, assim, o privilégio de acompanhar o significativo trabalho que o COMIN desenvolve com diferentes povos indígenas. No acompanhamento deste trabalho aprendi a conhecer e respeitar a alteridade cultural e religiosa que caracteriza os diversos povos indígenas no nosso país e no continente latino-americano. Minha relação com os povos indígenas, assim, é mais de interesse, que propriamente de acompanhamento direto. A defesa dos direitos indígenas é uma das causas que recebe o apoio da FLD, através de pequenos projetos, e especialmente no acompanhamento ao trabalho desenvolvido pelo COMIN. O enfoque teológico que apresento neste texto, num primeiro momento, é mais sistemático. Ao valorizar a importante contribuição dos povos indígenas com o conceito bem viver, procuro identificar a relação do mesmo com princípios fundamentais da fé cristã. Tais princípios, contudo, nem sempre ganharam a devida expressão na vida das igrejas cristãs. A atual reflexão, assim, aponta para o desafio de se buscar traduzir tais conceitos e princípios em experiências concretas, na vida cotidiana das comunidades cristãs, e sua respectiva expressão na sociedade mais ampla. A segunda parte do texto procura identificar algumas experiências que estão em curso. 1 Carlos Gilberto Bock. Teólogo. Secretário executivo da Fundação Luterana de Diaconia (FLD) e professor assistente das Faculdades EST. 2 A Fundação Luterana de Diaconia (FLD) é uma instituição de direito privado, criada por decisão do Conselho da Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil (IECLB), e constituída no dia 17 de julho de Ela herdou o histórico do Serviço de Projetos de Desenvolvimento (SPD), criado em A FLD mobiliza recursos e apoia projetos sociais e diaconais de grupos sociais e comunidades, em âmbito nacional, e desenvolve parcerias para a implementação de projetos de justiça econômica e justiça socioambiental.

2 2 Situando o conceito do Bem Viver O conceito bem viver deriva-se dos povos andinos, em especial dos povos indígenas Quéchua (que hoje vivem no Equador, e cuja expressão na sua língua materna é Sumak Kawsay) e dos povos indígenas Aimará (que hoje vivem na Bolívia, e cuja expressão na sua língua nativa é Suma Qamaña). Sumak Kawsay literalmente significa viver em plenitude. Há duas compreensões que são centrais no conceito de bem viver para os povos andinos, a saber, o sentido de pertença à natureza e o sentido de pertença à comunidade. Trata-se a rigor de uma cosmovisão, que tem como seu fundamento espiritual e religioso o entendimento de que toda a vida é sagrada e impregnada com o transcendente, e que se expressa num sistema social que promove o equilíbrio, a reciprocidade e a convivência de forma colaborativa entre os membros da comunidade, e na relação com a natureza. Seu uso mais recorrente no atual momento, também da teologia, indica, de um lado, a valorização de uma sabedoria e vivência indígena ancestral, e de outro, a crise do atual sistema socioeconômico que gera a crescente exploração da natureza e a exclusão de países, povos e pessoas. Num contexto de crise global (econômico-financeira, ambiental ou climática) quais são as alternativas e respostas possíveis do ponto de vista sistêmico? Neste cenário, penso que os povos indígenas, inclusive as comunidades andinas, com a sabedoria do Sumak Kawsay podem trazer importantes contribuições, também como crítica ao sistema capitalista e ao modo de produção e de consumo das nossas sociedades. Assim, não obstante a sua importante contribuição, há que se tomar certo cuidado para não se fazer uma apropriação indevida deste conceito, ao deslocá-lo do seu próprio contexto e cultura. Como conceito, ele também precisa ser interpretado e traduzido para os diferentes contextos de vida. Diferentes dimensões do Bem Viver na cosmovisão indígena 3 3 O texto original foi apresentado no seminário organizado pelo COMIN, sob o título Bem viver na criação de Deus, nos dias 21 e 22 de maio de 2012, em São Leopoldo. A atual versão já inclui o resultado do diálogo com representantes indígenas presentes naquele seminário. O texto que segue neste item é uma edição de diferentes frases, a partir de depoimentos orais, apresentados por diferentes participantes indígenas, representando comunidades que são acompanhadas pelo COMIN, e que foram convidados a compartilhar a sua visão sobre o tema.

3 3 Bem viver, territorialidade e meio ambiente A relação com a terra e com o meio ambiente é estruturante na cosmovisão e no modo de viver indígena. Bem viver é a terra livre, são as águas puras e as florestas sagradas. A preservação das florestas é fundamental para o bem viver indígena. Todos os seres têm vida. Por isso, o bem viver deve ser para todos os seres. Bem viver e cultura Viver bem é preservar a cultura dos antepassados. Saber compartilhar faz parte do bem viver. Bem viver e economia O modo de produção indígena respeita a mata. Bem viver é ter o suficiente para o momento presente. O que sobra é compartilhado. Não há acúmulo. O trabalho é o esforço para ter o suficiente. O importante é o ter o suficiente para viver (alimento e saúde). Bem viver e vida em comunidade Bem viver inclui a todos e todas (que adianta se eu vivo bem e o outro não). Bem viver é ter respeito e compromisso com o outro. Reafirmando alguns princípios da fé cristã no diálogo com o conceito Bem Viver A natureza também é parte da boa criação de Deus Confessamos que Deus é o criador de tudo o que há, inclusive da natureza. Confessamos também que tudo o que Deus criou é bom. Na base desta confissão há uma clara distinção entre Deus e criatura, que não se confundem. Com isso, declaramos que as coisas criadas, natureza e pessoas não podem ser elevadas à condição divina. Em parte esta compreensão levou a comunidade cristã a se diferenciar da visão predominante em algumas religiões naturais, segundo as quais o destino humano é determinado pelos deuses ou pelas forças da natureza. A comunidade cristã afirma que há somente um Deus, criador de tudo que há. Contudo, na história da tradição cristã, não raro esta compreensão que distingue Deus da sua criação, expressou-se na forma de uma separação absoluta, sobretudo na relação entre Deus e a natureza. Ora, tal separação entre Deus e a natureza é um claro equívoco teológico que precisa ser criticado e superado.

4 4 A atividade criadora de Deus na criação é permanente Confessamos que a criação, também a natureza, foi originalmente criada por Deus. O ato criador de Deus, contudo, não se deu somente na origem de tudo que há, mas permanece ao longo da história da criação. Ou seja, Deus não cria uma única vez e se afasta. Confessamos também que Deus se faz presente na criação através do seu Espírito. O Espírito de Deus perpassa todas as coisas vivas e criadas, como energia que move, como força que inspira, como sopro que dá vida. Nesta concepção, Deus é simultaneamente transcendente e imanente. A encarnação de Jesus Cristo, como Filho de Deus, é a expressão mais definitiva desta unidade entre o transcendente e o imanente. A fé cristã faz uma distinção entre matéria e espírito, mas não separa o espírito da matéria. A espiritualidade cristã é vivida no mundo concreto, como força transformadora para promover o amor, a paz, a justiça, para preservar a vida humana e da natureza. Toda separação entre vida espiritual e vida material ou vida mundana é um equívoco teológico que precisa ser criticado e superado. O ser humano recebeu a responsabilidade de cuidar e zelar da boa criação de Deus Confessamos que o ser humano foi criado à imagem e semelhança de Deus, e como tal recebeu um mandato diferenciado na relação com a criação. Mesmo sendo parte da natureza, o ser humano recebeu a capacidade de se relacionar com ela e dela retirar a fonte de seu sustento. Contudo, o ser humano, na fase histórica mais recente, afirma claramente a sua supremacia e domínio sobre a natureza, e inclusive contra a natureza. Tal postura, de forma contínua, coloca em risco a sua própria sustentabilidade e sobrevivência, e por isso precisa ser denunciada e superada. Há que se reafirmar que o ser humano é parte da natureza e dela depende. Seu governo sobre ela é para dela cuidar e não para dominá-la de forma inconsequente e egoísta. O domínio sobre a criação, de forma indiscriminada e irresponsável, é pecado e deve ser denunciado. O ser humano é justificado por graça, mediante a fé Confessamos que o ser humano carece de sentido, que está além do seu valor próprio, das relações que estabelece e das coisas que conquista. Este sentido último da sua existência, o ser humano encontra, através da fé, no amor de Deus,

5 5 que supera todo o entendimento. Este amor é alcançado mesmo sem merecimento. E através deste amor de Deus, a pessoa é libertada do seu egoísmo, também para viver uma vida comunitária, que zela e cuida pelo bem estar das outras pessoas e da vida social. O ser humano encurvado em si (homo incurvatus in se), que tem uma postura ensimesmada, precisa ser constantemente desafiado a incluir o outro na sua própria perspectiva. Por isso, confessamos que somos simultaneamente justos e pecadores. Somos justos porque fomos amados primeiro e temos a promessa da vida eterna com Deus independente de qualquer mérito. E somos pecadores porque, em nossa condição humana, permanecemos reféns de nossos próprios interesses e limites, e por isso, constantemente desafiados a superá-los. A vida cristã se expressa na comunidade, no corpo de Cristo Na comunidade cristã, confessamos que somos parte de corpo de Cristo. Temos valor individual, temos capacidades próprias, que estão a serviço de uma coletividade e de uma causa maior que nós mesmos. Somos seres relacionais. Neste corpo nos relacionamos com os semelhantes e com os diferentes, com os fortes e com os fracos, com homens e mulheres, com crianças e com pessoas idosas. O corpo de Cristo, por sua vez, se relaciona com outras comunidades de fé, como parte da mesma família humana, que busca construir relações de paz e de justiça. O corpo de Cristo está a serviço do mundo A comunidade cristã, como corpo de Cristo, está a serviço do bem estar da criação. Este serviço acontece, seja de forma individual no exercício da profissão e nas relações familiares e interpessoais, seja de forma comunitária no exercício da diaconia, sobretudo com as pessoas e grupos mais vulneráveis. Este serviço se dá também na sociedade, nas mais diferentes formas e expressões, como sinais concretos com vistas à melhoria da vida social, econômica, cultural e ambiental. A diaconia como serviço ao mundo é parte inerente da vida cristã. Por isso, confessamos também que a fé sem obras é morta, ou seja, a fé que não se expressa de forma concreta e relacional em verdade é nula ou sem efeito.

6 6 Alguns exemplos concretos de cuidado da boa criação de Deus, a partir da comunidade cristã, em diálogo com a perspectiva do Bem Viver a) Em maio de 2012, a conferência virtual Verde e Justo, da Federação Luterana Mundial (FLM), reuniu 400 pessoas numa conferência virtual, de diferentes países e continentes, num diálogo comprometido sobre a relação entre a fé cristã, a crítica ao modelo de produção e de consumo predominantes, e o compromisso com atitudes de cuidado do meio ambiente e de consumo consciente, em consonância com a sustentabilidade da criação 4. b) Desde setembro de 2011, o caderno Criatitude. Jovens pelo cuidado com a criação engajou jovens da IECLB, no compartilhar de reflexões e práticas de atitudes conscientes e responsáveis de consumo, e no apoio a iniciativas concretas de cuidado da criação 5. Através desta iniciativa, mais de 30 lideranças jovens da IECLB e de igrejas luteranas latino-americanas, participaram da Cúpula dos Povos, evento paralelo à Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (Rio +20), realizado no Rio de Janeiro, de 15 a 23 de junho de Os jovens luteranos do Brasil e da América Latina se juntaram a milhares de outros jovens, na defesa de um novo modelo de desenvolvimento que seja mais sustentável 6. c) Além dos jovens, cristãos adultos do Brasil, da América Latina e do mundo estiveram igualmente reunidos na Cúpula dos Povos, mais especificamente no Espaço Religiões por Direitos. Tratou-se de um espaço ecumênico e inter-religioso, no qual representantes de igrejas, de organismos ecumênicos, de centros de formação, de ONGs compartilharam suas experiências e suas reflexões com representantes de outras religiões sobre temáticas bem concretas, como por exemplo: soberania e segurança alimentar, justiça ambiental e mudanças climáticas, 4 Justiça ambiental e justiça climática são temas relevantes na agenda da FLM, também do ponto de vista da reflexão teológica. Em 2010 a FLM publicou o livreto Deus, Criação e Mudanças Climáticas. Subsídios para reflexão e debate. A versão em português foi traduzida pela Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil (IECLB), e está disponível em <http://www.luteranos.com.br/portal/site/conteudo.php?idconteudo=75>. Acesso em 1 de Ago Informações complementares sobre a conferência virtual Verde e Justo estão disponíveis em <http://www.lutheranworld.org/lwf/index.php/virtual-conference-prompts-greater-involvement-inecological-justice.html>. Acesso em 1 de Ago Disponível em: <http://fld.com.br/index.php/fld/publicacao/criatitude_- _jovens_pelo_cuidado_com_a_criacaeo/>. Acesso em 1 de Ago Informações adicionais sobre a participação da juventude luterana na Cúpula dos Povos estão disponíveis em <http://criatitudejeieclb.blogspot.com.br/> e em <http://fld.com.br/index.php/fld/noticia/criatitude_na_cupula_dos_povos_jovens_desafiam_para_pens amento_coletivo_no_/>. Acesso em 1 de Ago

7 7 justiça econômica e inclusão social, etnodesenvolvimento e povos indígenas, água e responsabilidade ambiental, desenvolvimento sustentável e consumo consciente 7. d) Milhares de pessoas cristãs têm se engajado, desde o princípio, na organização e realização dos Fóruns Sociais Mundiais (FSM), que, desde 2001, preconizam que outro mundo é possível. Neste amplo espaço multilateral, que reúne uma diversidade de atores em torno de múltiplas temáticas, também se conformou a presença cristã através da Coalizão Ecumênica, espaço que reúne representantes de conselhos, de federações de igrejas, de igrejas e organismos ecumênicos. Desde 2005, em sintonia com o FSM passou-se a promover o Fórum Mundial de Teologia e Libertação (FMTL), como um espaço de reflexão sobre a produção teológica em matriz libertadora, e em sintonia com os grandes temas da agenda socioeconômica, ambiental, etnocultural e religiosa internacional. Nas primeiras edições o FMTL precedeu a realização do FSM, em Porto Alegre, Belém e Nairóbi, e na última edição em Dakar foi realizado como uma oferta dentro do próprio FSM 8. e) O cenário de mudanças climáticas aumentou a incidência e a intensidade das catástrofes e das situações de emergências, em todas as regiões do nosso planeta, também no Brasil. Tal cenário exige a profunda revisão e mudança dos padrões de produção e de consumo, que estão na base da crise ambiental que vivemos. Mas tal cenário também exige a qualificação da resposta preventiva às catástrofes e de mitigação dos efeitos das emergências. Temos testemunhado, em diferentes contextos, a importância da ajuda humanitária a comunidade que vivem em situações de risco e/ou que sofreram as consequências de desastres. A FLD, como braço social da IECLB, desde 2011 incluiu a ajuda humanitária como uma de suas dimensões de atuação. Como parte deste mandato, em novembro de 2011 realizou um seminário com representantes sinodais, a partir do qual se construiu uma proposta de mecanismo de resposta de emergência da IECLB, que ainda está em fase de implementação. Este mecanismo prevê diferentes níveis de resposta 7 Informações adicionais em < Acesso em 1 de Ago Para informações adicionais, veja FACHIN, Patricia. Entrevista Roberto Zwetsch. FMTL: Uma comunidade teológica mundial. In: IHU Online. Publicada em 23 de Ago Disponível em: <http://www.ihuonline.unisinos.br/index.php?option=com_content&view=article&id=3773&secao=357. Acesso em 11 Mai A riqueza da produção teológica do FMTL pode ser acessada, por exemplo, nas publicações de coletâneas das diferentes edições do fórum. SUSIN, Luiz Carlos (org.). Teologia para outro mundo possível. São Paulo: Paulinas, SUSIN, Luiz Carlos e SANTOS, Joe Marçal Gonçalves dos. Nosso planeta, nossa vida: ecologia e teologia. São Paulo: Paulinas, 2011.

8 8 (local, sinodal e nacional) e deverá trabalhar fortemente na capacitação de pessoas para a prevenção de desastres e no atendimento psicossocial às vítimas de desastres 9. f) Em consonância com o projeto do COMIN junto à Rede Sinodal de Educação, que prevê a educação para a inclusão, o diálogo intercultural e interreligioso, a FLD estabeleceu uma parceria com vistas à Educação para a solidariedade. Tal proposta visa ampliar, articular e integrar as diferentes iniciativas de educação que fomentem a prática da solidariedade na comunidade escolar e nas suas respectivas sociedades. Tal iniciativa também visa ampliar a solidariedade com as diferentes iniciativas e projetos sociais e ambientais, com vistas a ampliar a sua sustentabilidade. O postulado de fundo é que o ser humano é gregário e com aptidão à colaboração. O seu desejo inato à solidariedade precisa ser estimulado e educado. O primeiro seminário sobre a educação para a solidariedade está agendado para o final de agosto de g) A FLD mantém um Fundo de Projetos, através do qual apoia pequenos projetos de diferentes áreas temáticas. Uma das áreas prioritárias da FLD é a temática da justiça econômica, através da qual são apoiados pequenos projetos de geração de trabalho e renda, e que trabalham com a perspectiva da economia solidária. Tais projetos objetivam melhorar o nível de organização e de gestão da entidade proponente (seja associação ou cooperativa), qualificar os produtos e aumentar a renda das pessoas envolvidas. Há boas experiências de pequenos projetos que fazem uma importante diferença na vida de pequenas organizações e das pessoas nelas envolvidas. Um dos desafios é aumentar o número de pessoas que consomem produtos da economia solidária, ou seja, difundir este modelo de produção e de consumo. Por isso, a FLD desenvolveu uma iniciativa que visa ampliar o apoio a propostas de comércio justo e de economia solidária. Através desta iniciativa, a FLD se propõe a divulgar e intermediar produtos da economia 9 Para informações adicionais, veja <http://fld.com.br/index.php/fld/emergencias/. Acesso em 1 de Ago A Rede Sinodal de Educação compõe-se atualmente de 59 instituições, em 6 estados brasileiros, com principal concentração no Sul. São 42 instituições no Rio Grande do Sul, 10 em Santa Catarina, 4 no Paraná e uma em cada um dos estados: São Paulo, Rio de Janeiro e Mato Grosso. No país são alunos. Informações adicionais em < Acesso em 1 de Ago

9 9 solidária junto a comunidades e instituições luteranas. Através desta proposta visa também ajudar a refletir sobre novos modelos de produção e de consumo 11. Considerações finais Na essência, o que está em questão no atual diálogo sobre o bem viver é a crítica ao modelo de desenvolvimento que predomina nas nossas sociedades. Assim, este diálogo está em sintonia com a busca de modelos de desenvolvimento que sejam ambientalmente mais sustentáveis e mais inclusivos do ponto de vista social, econômico e cultural. Tais modelos deverão levar em conta alguns princípios fundamentais, entre os quais: a) Defesa da terra e do território; b) Defesa da mata e da biodiversidade; c) Preservação das águas e dos peixes; d) Preservação das sementes crioulas; e) Preservação das culturas nativas; f) Preservação da culinária e das receitas tradicionais; g) Modelo de vida comunitário, com ênfase na partilha, na hospitalidade e na solidariedade (sem grandes desigualdades); h) Viver sem acúmulos e sem desperdícios; i) Valorizar o passado e a tradição e mostrar contentamento com o momento presente 12. Referências ARAÚJO, Rogéria. Entrevista Ivone Gebara: Bem Viver exige cautela para que não haja uma apropriação indevida da tradição indígena. In: Adital. Notícias da América Latina e Caribe. Publicada em 31 de Out Disponível em: <http://www.adital.com.br/site/noticia.asp?idioma=pt&cod=61934>. Acesso em 11 Mai BOFF, Leonardo. Contribución de America Latina a una geosociedad. In: Revista Fusion. Publicada em 19 de Ago Disponível em: <http://www.revistafusion.com/ /firmas/leonardo-boff/contribucion-deamerica-latina-a-una-geosociedad.htm>. Acesso em 11 Mai Vivir mejor o el buen vivir? In: Revista Fusion. Publicada em 03 Abr Disponível em: <http://www.revistafusion.com/ /firmas/leonardo- Boff/ivivir-mejor-o-el-buen-vivir.htm>. Acesso em 11 Mai CIMI. Bem viver, alternativa ao modelo desenvolvimentista. In: Adital. Publicada em 21 de Jun Disponível em 11 Informações adicionais em <http://fld.com.br/index.php/fld/comercio/>. Acesso em 1 de Ago Para uma visão ampliada sobre modelo de desenvolvimento que promova o direito à soberania e à segurança alimentar, veja Vida Sem Fome, disponível em <http://fld.com.br/index.php/fld/publicacao/vida_sem_fome/>. Acesso em 1 de Ago

10 10 <http://www.adital.com.br/site/noticia_imp.asp?lang=pt&img=n&cod=57619>. Acesso em 1 Ago LOPES, Mercedes. Bíblia e Bem Viver. In: Adital. Notícias da América Latina e Caribe. Publicada em 17 de Ago Disponível em: <http://www.adital.com.br/site/noticia.asp?idioma=pt&cod=59353>. Acesso em 11 Mai FACHIN, Patricia. Entrevista Roberto Zwetsch. FMTL: Uma comunidade teológica mundial. In: IHU Online. Publicada em 23 de Ago Disponível em: <http://www.ihuonline.unisinos.br/index.php?option=com_content&view=article&id=3 773&secao=357>. Acesso em 11 Mai PATIAS, Jaime Carlos. Fé e Vida na busca do Bem-Viver. In: Adital. Notícias da América Latina e Caribe. Publicada em 27 de Out Disponível em: <http://www.adital.com.br/site/noticia.asp?idioma=pt&cod=61824>. Acesso em 11 Mai SBARDELOTTO, Moisés. Entrevista Quinto Regazzoni. A relação entre o Reino pregado por Jesus e o conceito de Vida Boa dos povos indígenas. In: IHU Online. Publicada em 23 de Ago Disponível em: <http://www.ihuonline.unisinos.br/index.php?option=com_content&view=article&id=3 441&secao=340>. Acesso em 11 Mai SUESS, Paulo. Viver bem Sumak Kawsay Reino de Deus. Disponível em: <http://www.cimi.org.br/pub/publicacoes/ _texto%20buen%20viver%20pa ulo%20suess.pdf>. Acesso em 1 de Ago

MÍSTICA E CONSTRUÇÃO Por que pensar em Mística e Construção?

MÍSTICA E CONSTRUÇÃO Por que pensar em Mística e Construção? MÍSTICA E CONSTRUÇÃO Espiritualidade e profecia são duas palavras inseparáveis. Só os que se deixam possuir pelo espírito de Deus são capazes de plantar sementes do amanhã e renovar a face da terra. Todo

Leia mais

Educar hoje e amanhã uma paixão que se renova. Prof. Humberto S. Herrera Contreras

Educar hoje e amanhã uma paixão que se renova. Prof. Humberto S. Herrera Contreras Educar hoje e amanhã uma paixão que se renova Prof. Humberto S. Herrera Contreras O que este documento nos diz? Algumas percepções iniciais... - O título já é uma mensagem espiritual! tem movimento, aponta

Leia mais

BIÊNIO 2012-2013. Tema Geral da Igreja Metodista "IGREJA: COMUNIDADE MISSIONÁRIA A SERVIÇO DO POVO ESPALHANDO A SANTIDADE BÍBLICA. Tema para o Biênio

BIÊNIO 2012-2013. Tema Geral da Igreja Metodista IGREJA: COMUNIDADE MISSIONÁRIA A SERVIÇO DO POVO ESPALHANDO A SANTIDADE BÍBLICA. Tema para o Biênio 1 IGREJA METODISTA PASTORAL IMED PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO E PLANO DE AÇÃO BIÊNIO 2012-2013 Tema Geral da Igreja Metodista "IGREJA: COMUNIDADE MISSIONÁRIA A SERVIÇO DO POVO ESPALHANDO A SANTIDADE BÍBLICA

Leia mais

Reverência pela Vida: Atitude Transdisciplinar na Educação Ambiental

Reverência pela Vida: Atitude Transdisciplinar na Educação Ambiental Reverência pela Vida: Atitude Transdisciplinar na Educação Ambiental RESUMO Rosa Maria Viana (Universidade Salgado Oliveira/rosamviana@yahoo.com.br) Sandra de Fátima Oliveira (Universidade Federal de Goiá/sanfaoli@iesa.ufg.br)

Leia mais

A Uwê uptabi Marãiwatsédé buscam o bem viver no território tradicional. Palavras-Chaves: Território Sustentabilidade- Bem Viver.

A Uwê uptabi Marãiwatsédé buscam o bem viver no território tradicional. Palavras-Chaves: Território Sustentabilidade- Bem Viver. A Uwê uptabi Marãiwatsédé buscam o bem viver no território tradicional. Este trabalho tem o objetivo de discutir a sustentabilidade do território A uwe- Marãiwatsédé, mediada pelas relações econômicas,

Leia mais

MEIO AMBIENTE E VIDA TEXTO PARA A CAMINHADA DE CORPUS CRISTI A VIDA AMEAÇADA...

MEIO AMBIENTE E VIDA TEXTO PARA A CAMINHADA DE CORPUS CRISTI A VIDA AMEAÇADA... MEIO AMBIENTE E VIDA TEXTO PARA A CAMINHADA DE CORPUS CRISTI Daniel Cenci A VIDA AMEAÇADA... A vida é sempre feita de escolhas. A qualidade de vida resulta das escolhas que fazemos a cada dia. É assim

Leia mais

CARTA DE PRINCÍPIOS, CRENÇAS E VALORES 1 ALIANÇA CRISTÃ EVANGÉLICA BRASILEIRA Aliança Evangélica. A unidade na fé a caminho da missão

CARTA DE PRINCÍPIOS, CRENÇAS E VALORES 1 ALIANÇA CRISTÃ EVANGÉLICA BRASILEIRA Aliança Evangélica. A unidade na fé a caminho da missão CARTA DE PRINCÍPIOS, CRENÇAS E VALORES 1 ALIANÇA CRISTÃ EVANGÉLICA BRASILEIRA Aliança Evangélica A unidade na fé a caminho da missão Nossa Visão Manifestar a unidade da igreja por meio do testemunho visível

Leia mais

Declaração de Santa Cruz de la Sierra

Declaração de Santa Cruz de la Sierra Reunião de Cúpula das Américas sobre o Desenvolvimiento Sustentável Santa Cruz de la Sierra, Bolivia, 7 ao 8 de Dezembro de 1996 Declaração de Santa Cruz de la Sierra O seguinte documento é o texto completo

Leia mais

Conclusões do Encontro do Laicato Dominicano

Conclusões do Encontro do Laicato Dominicano Conclusões do Encontro do Laicato Dominicano História OP Quatro elementos foram tomados como pontos de reflexão e ação para os dois primeiros anos. Um dos pontos ou aspetos sobre o qual trabalhar é a compaixão.

Leia mais

introdução Trecho final da Carta da Terra 1. O projeto contou com a colaboração da Rede Nossa São Paulo e Instituto de Fomento à Tecnologia do

introdução Trecho final da Carta da Terra 1. O projeto contou com a colaboração da Rede Nossa São Paulo e Instituto de Fomento à Tecnologia do sumário Introdução 9 Educação e sustentabilidade 12 Afinal, o que é sustentabilidade? 13 Práticas educativas 28 Conexões culturais e saberes populares 36 Almanaque 39 Diálogos com o território 42 Conhecimentos

Leia mais

REDE LUTA CONTRA POBREZA URBANA RLCPU PLANO ESTRATÉGICO,2015-2017

REDE LUTA CONTRA POBREZA URBANA RLCPU PLANO ESTRATÉGICO,2015-2017 REDE LUTA CONTRA POBREZA URBANA RLCPU PLANO ESTRATÉGICO,2015-2017 Adão Augusto, Consultor 12-02-2015 1. Contextualização. Os projectos sociais fazem parte de um sistema complexo de relações que envolvem

Leia mais

Documento em construção. Declaração de Aichi-Nagoya

Documento em construção. Declaração de Aichi-Nagoya Documento em construção Declaração de Aichi-Nagoya Declaração da Educação para o Desenvolvimento Sustentável Nós, os participantes da Conferência Mundial da UNESCO para a Educação para o Desenvolvimento

Leia mais

CARTA DA TERRA PARA CRIANÇAS

CARTA DA TERRA PARA CRIANÇAS 1 CARTA DA TERRA A Carta da Terra é uma declaração de princípios fundamentais para a construção de uma sociedade que seja justa, sustentável e pacífica. Ela diz o que devemos fazer para cuidar do mundo:

Leia mais

Disciplina: Ensino Religioso Professor(a): Rosemary de Souza Gelati

Disciplina: Ensino Religioso Professor(a): Rosemary de Souza Gelati ESCOLA VICENTINA SÃO VICENTE DE PAULO Disciplina: Ensino Religioso Professor(a): Rosemary de Souza Gelati Paranavaí / / 6º ANO TRADIÇÕES RELIGIOSAS TEXTOS SAGRADOS Se as religiões estão para humanizar

Leia mais

Declaração de Pequim adotada pela Quarta Conferência Mundial sobre as Mulheres: Ação para Igualdade, Desenvolvimento e Paz (1995)

Declaração de Pequim adotada pela Quarta Conferência Mundial sobre as Mulheres: Ação para Igualdade, Desenvolvimento e Paz (1995) Declaração de Pequim adotada pela Quarta Conferência Mundial sobre as Mulheres: Ação para Igualdade, Desenvolvimento e Paz (1995) 1. Nós, os Governos, participante da Quarta Conferência Mundial sobre as

Leia mais

CURSO PARA CAPACITAÇÃO DE LIDERANÇA E COORDENADORES DE GRUPOS JOVENS

CURSO PARA CAPACITAÇÃO DE LIDERANÇA E COORDENADORES DE GRUPOS JOVENS CURSO PARA CAPACITAÇÃO DE LIDERANÇA E COORDENADORES DE GRUPOS JOVENS Apresentação A JUVENTUDE MERECE ATENÇÃO ESPECIAL A Igreja Católica no Brasil diz que é preciso: Evangelizar, a partir de Jesus Cristo,

Leia mais

DECLARAÇÃO FINAL CÚPULA DOS POVOS NA RIO+20 POR JUSTIÇA SOCIAL E AMBIENTAL EM DEFESA DOS BENS COMUNS, CONTRA A MERCANTILIZAÇÃO DA VIDA.

DECLARAÇÃO FINAL CÚPULA DOS POVOS NA RIO+20 POR JUSTIÇA SOCIAL E AMBIENTAL EM DEFESA DOS BENS COMUNS, CONTRA A MERCANTILIZAÇÃO DA VIDA. DECLARAÇÃO FINAL CÚPULA DOS POVOS NA RIO+20 POR JUSTIÇA SOCIAL E AMBIENTAL EM DEFESA DOS BENS COMUNS, CONTRA A MERCANTILIZAÇÃO DA VIDA. Movimentos sociais e populares, sindicatos, povos, organizações da

Leia mais

Junto com todos os povos da Terra nós formamos uma grande família. E cada um de nós compartilha a responsabilidade pelo presente e pelo futuro

Junto com todos os povos da Terra nós formamos uma grande família. E cada um de nós compartilha a responsabilidade pelo presente e pelo futuro para crianças Junto com todos os povos da Terra nós formamos uma grande família. E cada um de nós compartilha a responsabilidade pelo presente e pelo futuro bem-estar da família humana e de todo o mundo

Leia mais

Oração por todos Kit de ferramentas cristão para redes sociais

Oração por todos Kit de ferramentas cristão para redes sociais Oração por todos Kit de ferramentas cristão para redes sociais As redes sociais são um componente importante na divulgação das Metas Globais para amigos e irmãos cristãos. Além de tornar a comunicação

Leia mais

Carta da Terra e Ecopedagogia

Carta da Terra e Ecopedagogia Carta da Terra e Ecopedagogia A Carta da Terra como marco ético e conceito de sustentabilidade no século XXI Valéria Viana Labrea O que está no início, o jardim ou o jardineiro? É o segundo. Havendo um

Leia mais

Mobilização e Participação Social no

Mobilização e Participação Social no SECRETARIA-GERAL DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME Mobilização e Participação Social no Plano Brasil Sem Miséria 2012 SUMÁRIO Introdução... 3 Participação

Leia mais

DESCRIÇÃO DOS CURSOS E ENCONTROS DA PJM

DESCRIÇÃO DOS CURSOS E ENCONTROS DA PJM DESCRIÇÃO DOS CURSOS E ENCONTROS DA PJM 1 Páscoa Jovem 1.1. Descrição A Páscoa Jovem é um encontro vivencial realizado para proporcionar uma experiência reflexiva e celebrativa da Paixão, Morte e Ressurreição

Leia mais

Escola Básica e Secundária Dr. Vieira de Carvalho

Escola Básica e Secundária Dr. Vieira de Carvalho Escola Básica e Secundária Dr. Vieira de Carvalho Planificação do 7º Ano - Educação Moral e Religiosa Católica Unidades Temáticas Conteúdos Competências Específicas Instrumentos de Avaliação UL1- AS ORIGENS

Leia mais

Informativo Fundos Solidários nº 13

Informativo Fundos Solidários nº 13 Informativo Fundos Solidários nº 13 Em dezembro de 2014, em Recife, Pernambuco, foi realizado o 2º seminário de Educação Popular e Economia Solidária. Na ocasião, discutiu-se sobre temas relevantes para

Leia mais

Iniciativas Futuro Verde" do Japão

Iniciativas Futuro Verde do Japão 1. Compreensão Básica Iniciativas Futuro Verde" do Japão 1. Nas condições atuais, em que o mundo está enfrentando diversos problemas, como o crescimento populacional, a urbanização desordenadas, a perda

Leia mais

A ESCOLA CATÓLICA, UMA INSTITUIÇAO DE ENSINO COM MÍSTICA EVANGELIZADORA

A ESCOLA CATÓLICA, UMA INSTITUIÇAO DE ENSINO COM MÍSTICA EVANGELIZADORA A ESCOLA CATÓLICA, UMA INSTITUIÇAO DE ENSINO COM MÍSTICA EVANGELIZADORA A escola católica será uma instituiçao com mística evangelizadora UMA ESCOLA A SERVIÇO DA PESSOA E ABERTA A TODOS UMA ESCOLA COM

Leia mais

Síntese e Resultados. III Conferência das Nações Unidas para a Redução do Risco de Desastres. 14-18 Março de 2015, Sendai, Japão

Síntese e Resultados. III Conferência das Nações Unidas para a Redução do Risco de Desastres. 14-18 Março de 2015, Sendai, Japão Síntese e Resultados III Conferência das Nações Unidas para a Redução do Risco de Desastres 14-18 Março de 2015, Sendai, Japão Resultados & Avanços Resultados Implementaçao de Hyogo revista e avaliada*

Leia mais

Ser Voluntário. Ser Solidário.

Ser Voluntário. Ser Solidário. Ser Voluntário. Ser Solidário. Dia Nacional da Cáritas 2011 Colóquio «Ser Voluntário. Ser Solidário». Santarém, 2011/03/26 Intervenção do Secretário Executivo do CNE, João Teixeira. (Adaptada para apresentação

Leia mais

Entrevista - Espiritualidade nas empresas

Entrevista - Espiritualidade nas empresas Entrevista - Espiritualidade nas empresas 1 - O que podemos considerar como espiritualidade nas empresas? Primeiramente considero importante dizer o que entendo por espiritualidade. Podemos dizer que é

Leia mais

DIACONIA INSTITUCIONAL

DIACONIA INSTITUCIONAL DIACONIA INSTITUCIONAL Carlos Gilberto Bock 1 Marilu Nörnberg Menezes 2 Resumo O presente artigo conceitua a diaconia institucional como a prática estruturada, contínua e profissional oferecida por uma

Leia mais

REF: As pautas das crianças e adolescentes nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.

REF: As pautas das crianças e adolescentes nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. Brasília, Dezembro de 2015 Exma. Sra. Dilma Rousseff Presidente da República Federativa do Brasil Palácio do Planalto Gabinete da Presidência Praça dos Três Poderes, Brasília - DF, 70150-900. REF: As pautas

Leia mais

uma agenda universal para o desenvolvimento sustentável

uma agenda universal para o desenvolvimento sustentável uma agenda universal para o desenvolvimento sustentável Raphael Azeredo Vinícius Fox Drummond Cançado Trindade Só nos sustentamos em pé porque estamos ligados uns aos outros. A inspiradora frase de Candido

Leia mais

Proposta de Pacto Federativo pela Alimentação Adequada e Saudável: uma agenda para os próximos anos

Proposta de Pacto Federativo pela Alimentação Adequada e Saudável: uma agenda para os próximos anos Ministério de Desenvolvimento Social e Combate à Fome Secretaria Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional Câmara Intersetorial de Segurança Alimentar e Nutricional - CAISAN Secretaria-Executiva Proposta

Leia mais

DECLARAÇÃO FINAL Quebec, 21 de setembro de 1997

DECLARAÇÃO FINAL Quebec, 21 de setembro de 1997 DECLARAÇÃO FINAL Quebec, 21 de setembro de 1997 Reunidos na cidade de Quebec de 18 a 22 de setembro de 1997, na Conferência Parlamentar das Américas, nós, parlamentares das Américas, Considerando que o

Leia mais

LÍDER: compromisso em comunicar, anunciar e fazer o bem.

LÍDER: compromisso em comunicar, anunciar e fazer o bem. ESCOLA VICENTINA SÃO VICENTE DE PAULO Disciplina: Ensino Religioso Professor(a): Rosemary de Souza Gelati Paranavaí / / "Quanto mais Deus lhe dá, mais responsável ele espera que seja." (Rick Warren) LÍDER:

Leia mais

Plano Decenal dos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes

Plano Decenal dos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes Plano Decenal dos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes EIXO 1 PROMOÇÃO DOS DIREITOS DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES Diretriz 01 - Promoção da cultura do respeito e da garantia dos direitos humanos de

Leia mais

49 o CONSELHO DIRETOR 61 a SESSÃO DO COMITÊ REGIONAL

49 o CONSELHO DIRETOR 61 a SESSÃO DO COMITÊ REGIONAL ORGANIZAÇÃO PAN-AMERICANA DA SAÚDE ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE 49 o CONSELHO DIRETOR 61 a SESSÃO DO COMITÊ REGIONAL Washington, D.C., EUA, 28 de setembro a 2 de outubro de 2009 CD49.R10 (Port.) ORIGINAL:

Leia mais

O desenvolvimento do Terceiro Setor e a profissionalização

O desenvolvimento do Terceiro Setor e a profissionalização O desenvolvimento do Terceiro Setor e a profissionalização Cristiane dos Santos Schleiniger * Lise Mari Nitsche Ortiz * O Terceiro Setor é o setor da sociedade que emprega aproximadamente 1 milhão de pessoas.

Leia mais

Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org

Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org Este documento faz parte do Repositório Institucional do Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org FSM 2009: ENCONTRO SEM FRONTEIRAS AMAPÁ/SURINAME/GUIANAS TEMA: MIGRAÇÕES HUMANAS & DIREITOS HUMANOS

Leia mais

A CARTA DE BANGKOK PARA A PROMOÇÃO DA SAÚDE EM UM MUNDO GLOBALIZADO

A CARTA DE BANGKOK PARA A PROMOÇÃO DA SAÚDE EM UM MUNDO GLOBALIZADO A CARTA DE BANGKOK PARA A PROMOÇÃO DA SAÚDE EM UM MUNDO GLOBALIZADO Introdução Escopo A Carta de Bangkok identifica ações, compromissos e promessas necessários para abordar os determinantes da saúde em

Leia mais

CAPTAÇÃO DE RECURSOS ATRAVÉS DE PROJETOS SOCIAIS. Luis Stephanou Fundação Luterana de Diaconia fld@fld.com.br

CAPTAÇÃO DE RECURSOS ATRAVÉS DE PROJETOS SOCIAIS. Luis Stephanou Fundação Luterana de Diaconia fld@fld.com.br CAPTAÇÃO DE RECURSOS ATRAVÉS DE PROJETOS SOCIAIS Luis Stephanou Fundação Luterana de Diaconia fld@fld.com.br Apresentação preparada para: I Congresso de Captação de Recursos e Sustentabilidade. Promovido

Leia mais

FORMAÇÃO DE LIDERANÇAS E ASSESSORESCAMINHOS DE ESPERANÇA

FORMAÇÃO DE LIDERANÇAS E ASSESSORESCAMINHOS DE ESPERANÇA FORMAÇÃO DE LIDERANÇAS E ASSESSORESCAMINHOS DE ESPERANÇA A beleza de ser um eterno aprendiz. (Gonzaguinha) Por que pensar em formação de lideranças e assessores? A Pastoral da Juventude busca potencializar

Leia mais

DIACONIA I. Aula nº 4

DIACONIA I. Aula nº 4 DIACONIA I Prof. Dr. Nelson Célio de Mesquita Rocha Aula nº 4 A dimensão prática da Diaconia A prática diaconal é tão antiga quanto a Igreja. 1 Na comunidade dos apóstolos, o compartilhar dos bens fez

Leia mais

PREFEITURA DE ESTÂNCIA TURÍSTICA DE SÃO ROQUE - SP DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO PROJETO DE CAPACITAÇÃO DE PROFESSORES EDUCAÇÃO PARA A PAZ

PREFEITURA DE ESTÂNCIA TURÍSTICA DE SÃO ROQUE - SP DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO PROJETO DE CAPACITAÇÃO DE PROFESSORES EDUCAÇÃO PARA A PAZ PREFEITURA DE ESTÂNCIA TURÍSTICA DE SÃO ROQUE - SP DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO PROJETO DE CAPACITAÇÃO DE PROFESSORES EDUCAÇÃO PARA A PAZ TEMA PROJETO DE CAPACITAÇÃO DE PROFESSORES Educação para a Paz Aplicadores:

Leia mais

Ciências Humanas e Suas Tecnologias - Geografia Ensino Médio, 3º Ano Principais Conferências Internacionais sobre o Meio Ambiente

Ciências Humanas e Suas Tecnologias - Geografia Ensino Médio, 3º Ano Principais Conferências Internacionais sobre o Meio Ambiente Ciências Humanas e Suas Tecnologias - Geografia Ensino Médio, 3º Ano Principais Conferências Internacionais sobre o Meio Ambiente Prof. Claudimar Fontinele Em dois momentos a ONU reuniu nações para debater

Leia mais

PORTARIA NORMATIVA INTERMINISTERIAL Nº- 17, DE 24 DE ABRIL DE 2007

PORTARIA NORMATIVA INTERMINISTERIAL Nº- 17, DE 24 DE ABRIL DE 2007 PORTARIA NORMATIVA INTERMINISTERIAL Nº- 17, DE 24 DE ABRIL DE 2007 Institui o Programa Mais Educação, que visa fomentar a educação integral de crianças, adolescentes e jovens, por meio do apoio a atividades

Leia mais

População, Recursos e Ambiente Desenvolvimento Sustentável 5ª aula teórica PRINCÍPIO DA PROCURA DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Conferência de Estocolmo: 1º Conferência ONU sobre Ambiente e Estabelecimentos

Leia mais

UMAPAZ Universidade Aberta do Meio Ambiente e da Cultura de Paz

UMAPAZ Universidade Aberta do Meio Ambiente e da Cultura de Paz UMAPAZ Universidade Aberta do Meio Ambiente e da Cultura de Paz O que é A Universidade Aberta do Meio Ambiente e da Cultura de Paz - UMAPAZ nasceu de uma proposta delineada, em 2005, com o propósito de

Leia mais

QUANDO TODO MUNDO JOGA JUNTO, TODO MUNDO GANHA!

QUANDO TODO MUNDO JOGA JUNTO, TODO MUNDO GANHA! QUANDO TODO MUNDO JOGA JUNTO, TODO MUNDO GANHA! NOSSA VISÃO Um mundo mais justo, onde todas as crianças e todos os adolescentes brincam, praticam esportes e se divertem de forma segura e inclusiva. NOSSO

Leia mais

Inscrições abertas para edital com foco em crianças e adolescentes

Inscrições abertas para edital com foco em crianças e adolescentes Financiamento e apoio técnico Inscrições abertas para edital com foco em crianças e adolescentes A Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH/PR) e o Conselho Nacional dos Direitos

Leia mais

Lição 01 O propósito eterno de Deus

Lição 01 O propósito eterno de Deus Lição 01 O propósito eterno de Deus LEITURA BÍBLICA Romanos 8:28,29 Gênesis 1:27,28 Efésios 1:4,5 e 11 VERDADE CENTRAL Deus tem um propósito original e eterno para minha vida! OBJETIVO DA LIÇÃO Que eu

Leia mais

Sumário 1. CARO EDUCADOR ORIENTADOR 3 PARCEIROS VOLUNTÁRIOS 3. TRIBOS NAS TRILHAS DA CIDADANIA 4

Sumário 1. CARO EDUCADOR ORIENTADOR 3 PARCEIROS VOLUNTÁRIOS 3. TRIBOS NAS TRILHAS DA CIDADANIA 4 Guia do Educador CARO EDUCADOR ORIENTADOR Sumário 1. CARO EDUCADOR ORIENTADOR 3 2. PARCEIROS VOLUNTÁRIOS 3 3. TRIBOS NAS TRILHAS DA CIDADANIA 4 Objetivo GERAL 5 METODOLOGIA 5 A QUEM SE DESTINA? 6 O QUE

Leia mais

O talento é seu. A gente só aperfeiçoa. Conheça: est.edu.br

O talento é seu. A gente só aperfeiçoa. Conheça: est.edu.br O talento é seu. A gente só aperfeiçoa. EXTENSÃO Conheça: est.edu.br PROGRAMA DE EXTENSÃO A Faculdades EST é vinculada à Rede Sinodal de Educação, identificada com a Igreja Evangélica de Confissão Luterana

Leia mais

Contribuição sobre Economia solidária para o Grupo de Alternativas econômicas Latino-Americano da Marcha Mundial das Mulheres Isolda Dantas 1

Contribuição sobre Economia solidária para o Grupo de Alternativas econômicas Latino-Americano da Marcha Mundial das Mulheres Isolda Dantas 1 Contribuição sobre Economia solidária para o Grupo de Alternativas econômicas Latino-Americano da Marcha Mundial das Mulheres Isolda Dantas 1 Economia solidária: Uma ferramenta para construção do feminismo

Leia mais

Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento. (2010-2015) ENED Plano de Acção

Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento. (2010-2015) ENED Plano de Acção Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento (2010-2015) ENED Plano de Acção Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento (2010-2015) ENED Plano de Acção 02 Estratégia Nacional de

Leia mais

Fundamentos, conceitos e paradigmas da evangelização

Fundamentos, conceitos e paradigmas da evangelização Curso: Teologia Prof. Nicanor Lopes Fundamentos, conceitos e paradigmas da evangelização OBJETIVOS DA AULA Oferecer aos estudantes a construção de um conhecimento consistente e crítico sobre Evangelização,

Leia mais

COLÉGIO ESTADUAL PEDRO ARAUJO NETO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO

COLÉGIO ESTADUAL PEDRO ARAUJO NETO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO COLÉGIO ESTADUAL PEDRO ARAUJO NETO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO General Carneiro 2010 APRESENTAÇÃO DA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO. O Ensino Religioso existiu num primeiro

Leia mais

EDUCAÇÃO RELIGIOSA 7º ANO 17B, C

EDUCAÇÃO RELIGIOSA 7º ANO 17B, C EDUCAÇÃO RELIGIOSA 7º ANO 17B, C CONTEÚDOS DO EXAME Líderes religiosos, Motivação e Liderança Convivência com o grupo; Amizade e sentido de grupo Os projetos Solidários; O que é um projeto? Olhares sobre

Leia mais

Agenda 21 e a Pedagogia da Terra

Agenda 21 e a Pedagogia da Terra Agenda 21 e a Pedagogia da Terra A Carta da Terra como marco ético e conceito de sustentabilidade no século XXI Valéria Viana - NAIA O que está no início, o jardim ou o jardineiro? É o segundo. Havendo

Leia mais

INTRODUÇÃO. Sobre o Sou da Paz: Sobre os Festivais Esportivos:

INTRODUÇÃO. Sobre o Sou da Paz: Sobre os Festivais Esportivos: 1 INTRODUÇÃO Sobre o Sou da Paz: O Sou da Paz é uma organização que há mais de 10 anos trabalha para a prevenção da violência e promoção da cultura de paz no Brasil, atuando nas seguintes áreas complementares:

Leia mais

AGENDA DE CURSOS E EVENTOS

AGENDA DE CURSOS E EVENTOS AGENDA DE S E EVENTOS 2015 AGENDA DE S E EVENTOS 2015 CATEGORIAS DE S Introdução à Governança Primeiro passo dentro da Governança Corporativa, os cursos de Introdução à Governança fornecem uma visão de

Leia mais

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE 1. OBJETIVO E ABRANGÊNCIA Esta Política tem como objetivos: Apresentar de forma transparente os princípios e as diretrizes de sustentabilidade que permeiam a estratégia e direcionam

Leia mais

O Deus testemunhado por Jesus Cristo o Pai. Objetivos 12/4/2012. Identidade e relevância da cristologia. Cláudio Ribeiro

O Deus testemunhado por Jesus Cristo o Pai. Objetivos 12/4/2012. Identidade e relevância da cristologia. Cláudio Ribeiro O Deus testemunhado por Jesus Cristo o Pai Cláudio Ribeiro Objetivos Avaliar a doutrina de Trindade suas raízes, premissas fundamentais, ênfases e mudanças no contexto global da história da Igreja e as

Leia mais

Ata do Lançamento do Ano Pastoral FAMÍLIA SALESIANA 2015/2016

Ata do Lançamento do Ano Pastoral FAMÍLIA SALESIANA 2015/2016 Ata do Lançamento do Ano Pastoral FAMÍLIA SALESIANA 2015/2016 Aos dezanove dias do mês de Setembro de dois mil e quinze realizou-se em Fátima, na Casa Nossa Senhora do Carmo, o encontro de apresentação

Leia mais

CONSULTA DE PARCERIA EMK-WELTMISSION 10 A 13 DE Maio, 2015 Freudenstadt

CONSULTA DE PARCERIA EMK-WELTMISSION 10 A 13 DE Maio, 2015 Freudenstadt CONSULTA DE PARCERIA EMK-WELTMISSION 10 A 13 DE Maio, 2015 Freudenstadt Quem somos? Igreja Metodista Missão: Participar na ação de Deus em Seu propósito de salvar o mundo. Visão: Comunidade Missionária

Leia mais

Prefeitura Municipal de Jaboticabal

Prefeitura Municipal de Jaboticabal LEI Nº 4.715, DE 22 DE SETEMBRO DE 2015 Institui a Política Municipal de estímulo à produção e ao consumo sustentáveis. RAUL JOSÉ SILVA GIRIO, Prefeito Municipal de Jaboticabal, Estado de São Paulo, no

Leia mais

Semana Acadêmica na Faculdade Batista Pioneira 09 a 13 de março de 2015 Prof. Me Rui Osvaldo Teske rui@teske.com.br

Semana Acadêmica na Faculdade Batista Pioneira 09 a 13 de março de 2015 Prof. Me Rui Osvaldo Teske rui@teske.com.br Semana Acadêmica na Faculdade Batista Pioneira 09 a 13 de março de 2015 Prof. Me Rui Osvaldo Teske rui@teske.com.br O planejamento não diz respeito a decisões futuras, mas às implicações futuras de decisões

Leia mais

Programa de Diálogo Intercultural para as Relações Étnico-Raciais da UNESCO no Brasil

Programa de Diálogo Intercultural para as Relações Étnico-Raciais da UNESCO no Brasil Programa de Diálogo Intercultural para as Relações Étnico-Raciais da UNESCO no Brasil Bases Fundamentais Convenção para a proteção e promoção da diversidade das expressões culturais Consolida princípios

Leia mais

Solidariedade - É uma empatia fundamental com as causas das famílias mais excluídas, que nos move a # querer estar e trabalhar junto com elas.

Solidariedade - É uma empatia fundamental com as causas das famílias mais excluídas, que nos move a # querer estar e trabalhar junto com elas. BRIEF COMERCIAL 2015 QUEM SOMOS TETO é uma organização presente na América Latina e no Caribe, que busca superar a situação de pobreza em que vivem milhões de pessoas nos assentamentos precários, através

Leia mais

PLANO DE AÇÃO FÓRUM DO MUNICÍPIO QUE EDUCA

PLANO DE AÇÃO FÓRUM DO MUNICÍPIO QUE EDUCA PLANO DE AÇÃO FÓRUM DO MUNICÍPIO QUE EDUCA PROPOSTA DE AÇÃO Criar um fórum permanente onde representantes dos vários segmentos do poder público e da sociedade civil atuem juntos em busca de uma educação

Leia mais

A UNIVERSIDADE E OS PROJETOS SOCIAIS: PROJETO RONDON COOPERAÇÃO ENTRE A UNIVERSIDADE E COMUNIDADES DO ESTADO DO MATO GROSSO / MT

A UNIVERSIDADE E OS PROJETOS SOCIAIS: PROJETO RONDON COOPERAÇÃO ENTRE A UNIVERSIDADE E COMUNIDADES DO ESTADO DO MATO GROSSO / MT A UNIVERSIDADE E OS PROJETOS SOCIAIS: PROJETO RONDON COOPERAÇÃO ENTRE A UNIVERSIDADE E COMUNIDADES DO ESTADO DO MATO GROSSO / MT Myrian Lucia Ruiz Castilho André Luiz Castilho ** A educação é um direito

Leia mais

Participação Critérios de participação - Elegibilidade Procedimento para participar da chamada: Número de propostas/aplicações

Participação Critérios de participação - Elegibilidade Procedimento para participar da chamada: Número de propostas/aplicações Campanha Mundial "Construindo Cidades Resilientes: Minha cidade está se preparando! Plataforma Temática sobre Risco Urbano nas Américas Chamada sobre boas práticas e inovação no uso de Sistemas de Informação

Leia mais

ÁREAS DE ATUAÇÃO, PERFIL E COMPETÊNCIAS DOS EGRESSOS DOS NOVOS CURSOS

ÁREAS DE ATUAÇÃO, PERFIL E COMPETÊNCIAS DOS EGRESSOS DOS NOVOS CURSOS CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA PRÓ-REITORIA ACADÊMICA ÁREAS DE ATUAÇÃO, PERFIL E COMPETÊNCIAS DOS EGRESSOS DOS NOVOS CURSOS 5. CURSO DE TEOLOGIA Área de atuação O egresso do Curso de Teologia

Leia mais

o pensar e fazer educação em saúde 12

o pensar e fazer educação em saúde 12 SUMÁRIO l' Carta às educadoras e aos educadores.................5 Que história é essa de saúde na escola................ 6 Uma outra realidade é possível....... 7 Uma escola comprometida com a realidade...

Leia mais

QUEM SOMOS VISÃO MISSÃO HISTÓRICO BRIEF INSTITUCIONAL 2013

QUEM SOMOS VISÃO MISSÃO HISTÓRICO BRIEF INSTITUCIONAL 2013 BRIEF INSTITUCIONAL 2013 QUEM SOMOS TETO é uma organização presente na América Latina e no Caribe, que busca superar a situação de pobreza em que vivem milhões de pessoas nos assentamentos precários, através

Leia mais

Padrão de Príncipes, Critérios e Indicadores para Florestas Modelo. Rede Ibero-Americana de Florestas Modelo 2012

Padrão de Príncipes, Critérios e Indicadores para Florestas Modelo. Rede Ibero-Americana de Florestas Modelo 2012 Meta superior (RIABM 2011): A Floresta Modelo é um processo em que grupos que representam uma diversidade de atores trabalham juntos para uma visão comum de desenvolvimento sustentável em um território

Leia mais

Documento referencial: uma contribuição para o debate

Documento referencial: uma contribuição para o debate Documento referencial: uma contribuição para o debate desenvolvimento integração sustentável participação fronteiriça cidadã 1. Propósito do documento O presente documento busca estabelecer as bases para

Leia mais

O Programa de Fortalecimento Institucional para a Igualdade de Gênero e Raça, Erradicação da Pobreza e Geração de Emprego - GRPE

O Programa de Fortalecimento Institucional para a Igualdade de Gênero e Raça, Erradicação da Pobreza e Geração de Emprego - GRPE O Programa de Fortalecimento Institucional para a Igualdade de Gênero e Raça, Erradicação da Pobreza e Geração de Emprego - GRPE Marcia Vasconcelos - OIT Reunión de Especialistas Género, Probreza, Raza,

Leia mais

NÚCLEOS DE EXTENSÃO EM DESENVOLVIMENTO TERRITORIAL. PARCERIA MDA / CNPq. Brasília, 13 de maio de 2014

NÚCLEOS DE EXTENSÃO EM DESENVOLVIMENTO TERRITORIAL. PARCERIA MDA / CNPq. Brasília, 13 de maio de 2014 NÚCLEOS DE EXTENSÃO EM DESENVOLVIMENTO TERRITORIAL PARCERIA MDA / CNPq Brasília, 13 de maio de 2014 A política de desenvolvimento territorial Desde 2004 a SDT implementa a estratégia de desenvolvimento

Leia mais

1. United Nations Conference on Environment and Development UNCED (ECO-92) DECLARAÇÃO DO RIO DE JANEIRO SOBRE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO

1. United Nations Conference on Environment and Development UNCED (ECO-92) DECLARAÇÃO DO RIO DE JANEIRO SOBRE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO VEJA RIO+20 1. United Nations Conference on Environment and Development UNCED (ECO-92) DECLARAÇÃO DO RIO DE JANEIRO SOBRE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO Abstract: A declaração final da ECO-92 acenou para

Leia mais

ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DR. VIEIRA DE CARVALHO Planificação Educação Moral e Religiosa Católica. Ano Letivo 2015/2016 3º Ciclo 7º Ano

ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DR. VIEIRA DE CARVALHO Planificação Educação Moral e Religiosa Católica. Ano Letivo 2015/2016 3º Ciclo 7º Ano Unidade Letiva: 1 - As Origens Período: 1º 1. Questionar a origem, o destino e o sentido do universo e do ser humano. As origens na perspetiva científica L. Estabelecer um diálogo entre a cultura e a fé.

Leia mais

Avaliação Ambiental Estratégica em Instituições Financeiras Multilaterais

Avaliação Ambiental Estratégica em Instituições Financeiras Multilaterais Avaliação Ambiental Estratégica em Instituições Financeiras Multilaterais Garo Batmanian Banco Mundial Seminário Latino Americano de Avaliação Ambiental Estratégica Brasília, 28 de agosto de 2006 Estratégia

Leia mais

3.1 Planejar, organizar logística e tecnicamente das Oficinas temáticas de formação da Agentes de Prevenção e seus parceiros locais.

3.1 Planejar, organizar logística e tecnicamente das Oficinas temáticas de formação da Agentes de Prevenção e seus parceiros locais. EDITAL DO CENTRO DE PROMOÇÃO DA SAÚDE TERMO DE REFERÊNCIA Nº 10/2012 COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇO Nº 10/2012 TIPO: MELHOR TÉCNICA O Centro de Promoção da Saúde, entidade privada sem fins lucrativos, inscrita

Leia mais

Plano estratégico da ADRA Portugal. Siglas 2. Identidade 3 Visão 3 Missão 3. Princípios e Valores 4

Plano estratégico da ADRA Portugal. Siglas 2. Identidade 3 Visão 3 Missão 3. Princípios e Valores 4 Conteúdos: Siglas 2 Identidade 3 Visão 3 Missão 3 Princípios e Valores 4 Objetivos Gerais Meta 1: Responsabilidade Social e Ação Social 6 Meta 2: Cooperação e Ação Humanitária 7 Meta 3: Educação para o

Leia mais

Histórico Rede Evangélica Nacional de Ação Social (RENAS) agosto de 2010 no Recife Transformando a sociedade a partir da igreja local

Histórico Rede Evangélica Nacional de Ação Social (RENAS) agosto de 2010 no Recife Transformando a sociedade a partir da igreja local Histórico Esta campanha tem sua origem no contexto do V Encontro Nacional da Rede Evangélica Nacional de Ação Social (RENAS) em agosto de 2010 no Recife PE. Nessa ocasião, o enfoque do evento foi: Transformando

Leia mais

PROTEÇÃO INTEGRAL EM REDES SOCIAIS

PROTEÇÃO INTEGRAL EM REDES SOCIAIS PROTEÇÃO INTEGRAL EM REDES SOCIAIS ENCONTRO DE GRUPOS REGIONAIS DE ARTICULAÇÃO- ABRIGOS - SÃO PAULO O QUE É UMA REDE DE PROTEÇÃO SOCIAL? sistemas organizacionais capazes de reunir indivíduos e instituições,

Leia mais

Carta da Terra: Consciência e cidadania socioambiental

Carta da Terra: Consciência e cidadania socioambiental Carta da Terra: Consciência e cidadania socioambiental Luciana Vieira Professora efetiva rede estadual de ensino de Santa Catarina e doutoranda em Ensino de Geografia/UFRGS lucianageografia1996@gmail.com

Leia mais

SISTEMA DE INFORMAÇÃO PARA OBSERVATÓRIO SÓCIO-AMBIENTAL

SISTEMA DE INFORMAÇÃO PARA OBSERVATÓRIO SÓCIO-AMBIENTAL SISTEMA DE INFORMAÇÃO PARA OBSERVATÓRIO SÓCIO-AMBIENTAL FICHA DE APRESENTAÇÃO SISTEMA INTERATIVO DE MONITORAÇÃO E PARTICIPAÇÃO PARA O APOIO À IMPLEMENTAÇÃO DA PLATAFORMA DE C O O P E R A Ç Ã O A M B I

Leia mais

Eixo Temático ET-02-002 - Gestão de Áreas Protegidas RESERVA DE FLORESTA URBANA MATA DO PASSARINHO: EXPERIÊNCIAS DE UMA ÁREA PROTEGIDA EM MEIO URBANO

Eixo Temático ET-02-002 - Gestão de Áreas Protegidas RESERVA DE FLORESTA URBANA MATA DO PASSARINHO: EXPERIÊNCIAS DE UMA ÁREA PROTEGIDA EM MEIO URBANO 148 Eixo Temático ET-02-002 - Gestão de Áreas Protegidas RESERVA DE FLORESTA URBANA MATA DO PASSARINHO: EXPERIÊNCIAS DE UMA ÁREA PROTEGIDA EM MEIO URBANO Wellington Lima Pereira; Cleide Amorim Leite RESUMO

Leia mais

A temática Sistema Nacional de Educação foi dissertada pela Profa. Flávia Maria Barros Nogueira Diretora da SASE.

A temática Sistema Nacional de Educação foi dissertada pela Profa. Flávia Maria Barros Nogueira Diretora da SASE. CARTA DE RECIFE O Fórum Nacional de Conselhos Estaduais de Educação realizou em Recife, no período de 16 a 18 de setembro a Reunião Plenária da Região Nordeste, com a participação dos Conselhos Estaduais

Leia mais

Repasse da 76a. Assembléia da CNBB Sul I Aparecida de 10 a 12/06/2013

Repasse da 76a. Assembléia da CNBB Sul I Aparecida de 10 a 12/06/2013 Repasse da 76a. Assembléia da CNBB Sul I Aparecida de 10 a 12/06/2013 1. Finalidade do Ano da Fé; 2. O que é a Fé; 3. A transmissão da Fé enquanto professada, celebrada, vivida e rezada; 4. O conteúdo

Leia mais

Pólos da Paz e Praças da Paz SulAmérica

Pólos da Paz e Praças da Paz SulAmérica A iniciativa O projeto Praças é uma iniciativa do Instituto Sou da Paz, em parceria com a SulAmérica, que promove a revitalização de praças públicas da periferia de São Paulo com a participação da comunidade

Leia mais

PLANO ESTRATÉGICO (REVISTO) 2014-2016 VALORIZAÇÃO DA DIGNIDADE HUMANA, ATRAVÉS DE UMA ECONOMIA SUSTENTÁVEL

PLANO ESTRATÉGICO (REVISTO) 2014-2016 VALORIZAÇÃO DA DIGNIDADE HUMANA, ATRAVÉS DE UMA ECONOMIA SUSTENTÁVEL PLANO ESTRATÉGICO (REVISTO) 2014-2016 VALORIZAÇÃO DA DIGNIDADE HUMANA, ATRAVÉS DE UMA ECONOMIA SUSTENTÁVEL 1 PLANO ESTRATÉGICO 2014-2016 REUNIÃO DA COMISSÃO EXECUTIVA ABIDJAN 2014 2 PLANO ESTRATÉGICO 2014-2016

Leia mais

Fórum de Diálogo IBAS

Fórum de Diálogo IBAS Fórum de Diálogo IBAS, e do Sul Integração SUL-SUL Fórum de Mulheres FÓRUM De DIÁLOGO IBAS, e do Sul O Fórum IBAS é uma iniciativa trilateral entre, e do Sul, desenvolvida para promover a cooperação Sul-

Leia mais

Atuação do COEP frente às mudanças climáticas. Equipe Mobilizadores Oficina Mudanças Climáticas Novembro de 2011

Atuação do COEP frente às mudanças climáticas. Equipe Mobilizadores Oficina Mudanças Climáticas Novembro de 2011 Atuação do COEP frente às mudanças climáticas Equipe Mobilizadores Oficina Mudanças Climáticas Novembro de 2011 Mudanças Climáticas e pobreza As populações mais pobres tendem a ficar mais vulneráveis diante

Leia mais

e construção do conhecimento em educação popular e o processo de participação em ações coletivas, tendo a cidadania como objetivo principal.

e construção do conhecimento em educação popular e o processo de participação em ações coletivas, tendo a cidadania como objetivo principal. Educação Não-Formal Todos os cidadãos estão em permanente processo de reflexão e aprendizado. Este ocorre durante toda a vida, pois a aquisição de conhecimento não acontece somente nas escolas e universidades,

Leia mais

Documento base sobre Sistema Nacional de Comércio Justo e Solidário. O que é e para quem é o Comércio Justo e Solidário?

Documento base sobre Sistema Nacional de Comércio Justo e Solidário. O que é e para quem é o Comércio Justo e Solidário? Documento base sobre Sistema Nacional de Comércio Justo e Solidário Este é um documento que objetiva apresentar a proposta do Sistema Nacional de Comércio Justo e Solidário, sua importância, benefícios

Leia mais

CARTA DE OTTAWA. PRIMEIRA CONFERÊNCIA INTERNACIONAL SOBRE PROMOÇÃO DA SAÚDE Ottawa, novembro de 1986

CARTA DE OTTAWA. PRIMEIRA CONFERÊNCIA INTERNACIONAL SOBRE PROMOÇÃO DA SAÚDE Ottawa, novembro de 1986 CARTA DE OTTAWA PRIMEIRA CONFERÊNCIA INTERNACIONAL SOBRE PROMOÇÃO DA SAÚDE Ottawa, novembro de 1986 A Primeira Conferência Internacional sobre Promoção da Saúde, realizada em Ottawa, Canadá, em novembro

Leia mais

O papel da mulher na construção de uma sociedade sustentável

O papel da mulher na construção de uma sociedade sustentável O papel da mulher na construção de uma sociedade sustentável Sustentabilidade Socioambiental Resistência à pobreza Desenvolvimento Saúde/Segurança alimentar Saneamento básico Educação Habitação Lazer Trabalho/

Leia mais