Exploração. Programa de Exploração AngloGold Ashanti Brasil

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Exploração. Programa de Exploração AngloGold Ashanti Brasil"

Transcrição

1 Exploração 2012 Programa de Exploração AngloGold Ashanti Brasil

2 AngloGold Ashanti

3 AngloGold Ashanti 2011 Produção mundial MOz Brasil 428KOz produzidas $6.6 bilhões de faturamento empregados + contratados Produção de Ouro por região 37% - África do Sul 36% - África Continental 21% - Américas 6% - Australia

4 AngloGold Ashanti Valores Segurança é nosso primeiro valor; Valorizamos a diversidade; Tratamos uns aos outros com dignidade e respeito; Somos responsáveis pelas nossas ações e cumprimos nossos compromissos; As comunidades e regiões onde a AngloGold Ashanti mantém suas operações devem se tornar melhores em função da presença da Empresa; Respeitamos o meio ambiente.

5 AngloGold Ashanti - Operações 4

6 AngloGold Ashanti Recursos & Reservas 3.2MOz Reservas na África do Sul; 3.8MOz Adição de Recursos em La Colosa; 0.9MOz Adição de Recursos em Gramalote; 1.3MOz Crescimento de recursos em Geita; 0.8MOz Adição de Recursos em Tropicana; 0.8MOz Adição de Recursos em AGA Brasil;

7 AngloGold Ashanti Crescimento Ser líder em crescimento sustentável na indústria de mineração de ouro. 6,0 5,0 4,0 3,0 2,0 1,0 AGA Mundial - Produção de Ouro - MOz 0,0 Base Target

8 AngloGold Ashanti - Crescimento Crescimento orgânico.

9 AngloGold Ashanti Brasil Crescimento Ser líder em crescimento sustentável na indústria de mineração de ouro Brasil - Produção de Ouro - KOz 2011 Target 2015 Target 2020

10 AngloGold Ashanti - Greenfield

11 AngloGold Ashanti - Brownfield 10

12 Investimentos em Exploração & Projetos Categoria Global Brasil Global Brasil Greenfields $ 98m $ 5.8m $ 108m $ 5.3m Brownfields $ 87m $ 30m $ 102m $ 41m Exploração Marinha $ 19m - $ 20m - Pré Viabilidade $ 109m - $ 150m - Total $ 313m $ 36m $ 380m $ 46.3m

13 Pipeline de Projetos

14 Pipeline de Projetos Greenfields e Brownfields avanços

15 Pipeline de Projetos Novas e importantes descobertas.. 24Moz 14

16 AngloGold Ashanti Brasil Programa de Exploração AngloGold Ashanti Brasil

17 Exploração - Projetos

18 Exploração - Estrutura Equipe própria > 35 geólogos > 30 técnicos/supervisores > 80 auxiliares/operadores Equipe de GIS e Geofísica Consultores Internos AGA e Externos Sondagem 2011 > m Sondagem 2012 > m

19 Exploração Minas Gerais - QF

20 Exploração Minas Gerais - QF Por que o QF? MOz MOz MOz 20 40MOz 10 0 Produzido Recursos Endowment

21 Exploração BF- Cuiabá-Lamego

22 Exploração BF- Cuiabá-Lamego Recursos Minerais CATEGORIA Au KOz Medido Indicado Inferido Total: Dobra tubular com mergulho 115/30º; Corpos de minério hospedados em FFB sulfetadas (pirita, pirrotita e arsenopirita); Complexidade estrutural aumentando em profundidade; Reservas Minerais CATEGORIA Au KOz Provada 914 Provável 646 Total: Dez 2011

23 Exploração BF- Cuiabá-Lamego

24 Exploração BF- Cuiabá-Lamego 2012/13/14 > m de sondagem; Sondagem profunda > 2.000m Geofísica profunda > 2.500m (MT??) 2.300m

25 Exploração BF- Nova Lima Sul

26 Exploração BF- Nova Lima Sul Minas paralisadas e complexas; Foco na decisão do potencial; Objetivo Completar a capacidade do circuito Queiroz; 2010 Sondagem profunda em Raposos; 2011 Ranking dos alvos com maiores potencias vs restrições; 2012 Sondagem de subsolo para detalhamento; 2013 Continuidade dos trabalhos de detalhe;

27 Exploração BF- Nova Lima Sul Raposos Recursos atuais 600KOz Potencial 1MOz Limite em profundidade?? Exemplo Mina Velha > 2.500m Deep drilling Raposos L to m g/t L32 L to m to m EW and ES orebody model Santa Catarina orebody model L44-591m

28 Exploração BF- Córrego do Sítio e Região Três trends paralelos SW/NE com 15Km de extensão; Região com geologia estrutural complexa; Corpos de minério hospedados na sequência metassedimentar com sulfetação variada (pirrotita, pirita, calcopirita e arsenopirita); Mapa e histórico 3 slides

29 Exploração BF- Córrego do Sitio e Região Recursos Minerais CATEGORIA Au KOz Medido 251 Indicado Inferido Total: Reserva Mineral CATEGORIA Au KOz Provada 78 Provável 300 Total: Dez 2011

30 Exploração BF- Córrego do Sitio e Região 2012/13/14 > m de sondagem; Definição do potencial total Programa Fast-Track; Exploração regional guiada pela estratégia de crescimento de CdS; ROSALINO 100KOz (2013) para 250KOz (2018) MUTUCA and CACHORRO FUNDO CACHORRO BRAVO LARANJEIRAS CARVOARIA 15 Km SANGUE DE BOI SÃO BENTO MINE SHAFT BARRA FELIZ ANOMALIA I ANOMALIA II LEVEL 300 LEVEL 0 LEVEL -200 CDS - Curto Prazo CDS Curto / Médio Prazo CDS Longo Prazo

31 Exploração BF- Mineração Serra Grande Recursos Totais CATEGORIA Au KOz Lavrados Recursos & Reservas GB Crixás; Total: Mineralização hospedada na sequência metassedimentar; Xistos sulfetados pirrotita e arsenopirita; VQz com alto teor; > 680mil metros 30

32 Exploração BF- Mineração Serra Grande Fases de Exploração Substituição de Reservas 1989 a 2005 US$ 18M; Adição de Recursos 2006 a 2010 US$ 20M; Fast-Track 2011/12 US$ 20M; Resultados Adição de recursos desde 2008 >1MOz; Custo de adição US$23.5/Oz Custo US$131/m o ano Fast-Track 661KOz (Exploração + Geologia de Mina)

33 Exploração BF- Mineração Serra Grande DOL DOL DOL GX MBA-I GX DOL MBA-T DOL MBA-B GX DOL MGV GX GNCX GX MBA-I Limite MBA-B DOL de intemperismo DOL MGV GX GX DOL DOL GNCX GX MGV NW F-472 F-462 F-445 F-441 F-350 F-383 F-347 F-515 F-513 Rio Vermelho K-21 Superfície K-49 K-5 K-1 K-72 K-85 F-159 F-65 F-44 F-66 F-69 Open Pit F-72 F-495 F-32 F-127 SE F-129 F-144 NÍVEL 100 ZONA SUPERIOR ESTRUTURA III NÍVEL 500 ESTRUTURA PALMEIRAS ESTRUTURA IV ZONA INFERIOR Nível 700 NÍVEL 1000 ESTRUTURA IV ESTRUTURA III NÍVEL 1500 NÍVEL 2000

34 Exploração BF- Mineração Serra Grande Exploração Futura m KOz US$ 4.7M 3.6M 4.7M 9.9M 8.0M 10.9M 11.5M 11.0M Adição proximal nas minas Programa Fast Track Consolidação da adição de recursos Geração de alvos Geração de outros alvos no GB de Crixás e regionais Custo de adição de Recursos - US$23.5/Oz

35 Exploração Greenfields Brasil 2009 Geração de Projetos e Ranking das Províncias Metalogenéticas Brasileiras; Revisão técnica contínua dos mais prospectivos Belts; Exercício contínuo de geração de alvos; Três approaches integrados: Exploração Greenfields AGA Gerenciamento e operação; JV s e Parcerias Junior s e Mid-Tier Companies; Business Development & Value Addition M&A e Estratégia de crescimento regional ; Alvos Crescimento regional alimentando o Pipeline Brasil Longo Prazo busca de um Global game changer

36 Exploração Greenfields Brasil

37 Exploração Greenfields Brasil Projeto Falcão JV AngloGold e Horizonte Minerals Anomalia de Ouro significante; 3.000m de sondagem diamantada executados em 2011; Orçamento aprovado para 2012 US$1.6M; 2012 Novos trabalhos em fase de planejamento; Treinamento e especialização da equipe técnica; Negociações de novas parcerias em andamento.

38 37

12 de maio de 2015 - Belo Horizonte (MG) PROJETO PREMIADO. Realização. 11 3895-8590 eventos@revistaminerios.com.br www.revistaminerios.com.

12 de maio de 2015 - Belo Horizonte (MG) PROJETO PREMIADO. Realização. 11 3895-8590 eventos@revistaminerios.com.br www.revistaminerios.com. 12 de maio de 2015 - Belo Horizonte (MG) PROJETO PREMIADO Realização 11 3895-8590 eventos@revistaminerios.com.br www.revistaminerios.com.br Otimização do Planejamento de Mina Longo Prazo em Córrego do

Leia mais

o 5 Projetos de Ouro em diferentes estados Brasileiros. o Províncias minerais com histórico de produção de Ouro.

o 5 Projetos de Ouro em diferentes estados Brasileiros. o Províncias minerais com histórico de produção de Ouro. Projetos Projetos Mapa de Localização Projeto Pau D arco (Estado do Pará) Projetos Igaracy 1 e 2 (Estado da Paraíba) Projeto Jatobá (Estado do Pará) o 5 Projetos de Ouro em diferentes estados Brasileiros.

Leia mais

3 MINERALIZAÇÕES AURÍFERAS NO GREENSTONE BELT RIO DAS VELHAS

3 MINERALIZAÇÕES AURÍFERAS NO GREENSTONE BELT RIO DAS VELHAS 3 MINERALIZAÇÕES AURÍFERAS NO GREENSTONE BELT RIO DAS VELHAS Depósito de ouro orogênico (Groves et al. 1998) é o termo utilizado para definir depósitos de ouro associados a orógenos, ou seja, a zonas de

Leia mais

PARA DIVULGAÇÃO IMEDIATA

PARA DIVULGAÇÃO IMEDIATA POTÁSSIO DO BRASIL INTERSECTA MINÉRIO DE POTÁSSIO COM TEOR DE 39.94% KCl A UMA PROFUNDIDADE DE 843.08 m CONFIRMANDO POTENCIAL DE JAZIDA NA BACIA AMAZÔNICA PARA DIVULGAÇÃO IMEDIATA Furo PB-AT-11-09 intercepta

Leia mais

SEMINÁRIO RECURSOS ENERGÉTICOS DO BRASIL: PETRÓLEO, GÁS, URÂNIO E CARVÃO Rio de Janeiro 30 de setembro de 2004 - Clube de Engenharia

SEMINÁRIO RECURSOS ENERGÉTICOS DO BRASIL: PETRÓLEO, GÁS, URÂNIO E CARVÃO Rio de Janeiro 30 de setembro de 2004 - Clube de Engenharia Urânio: Alguns Aspectos relacionados com as Pesquisas, Produção, Demanda e Mercado de Urânio no Brasil e no Mundo SEMINÁRIO RECURSOS ENERGÉTICOS DO BRASIL: PETRÓLEO, GÁS, URÂNIO E CARVÃO Rio de Janeiro

Leia mais

POTÁSSIO DO BRASIL ANUNCIA NOVA DESCOBERTA DE MINERALIZAÇÃO DE POTÁSSIO NA BACIA AMAZÔNICA E MOBILIZA TERCEIRA SONDA

POTÁSSIO DO BRASIL ANUNCIA NOVA DESCOBERTA DE MINERALIZAÇÃO DE POTÁSSIO NA BACIA AMAZÔNICA E MOBILIZA TERCEIRA SONDA POTÁSSIO DO BRASIL ANUNCIA NOVA DESCOBERTA DE MINERALIZAÇÃO DE POTÁSSIO NA BACIA AMAZÔNICA E MOBILIZA TERCEIRA SONDA PARA DIVULGAÇÃO IMEDIATA Nova descoberta de minério de potássio na Bacia do Amazonas

Leia mais

FERRAMENTA DE AVALIAÇÃO DA PRODUTIVIDADE DA MINA

FERRAMENTA DE AVALIAÇÃO DA PRODUTIVIDADE DA MINA FERRAMENTA DE AVALIAÇÃO DA PRODUTIVIDADE DA MINA Ricardo Assis - Mineração Serra Grande Wanderlúcio Martins - Mineração Serra Grande Rogério Machado Leal - AngloGold Ashanti Córrego do Sítio Mineração

Leia mais

O PROGRAMA DE EXPLORAÇÃO MINERAL CBPM. SIMEXMIN Ouro Preto - Maio 2012

O PROGRAMA DE EXPLORAÇÃO MINERAL CBPM. SIMEXMIN Ouro Preto - Maio 2012 O PROGRAMA DE EXPLORAÇÃO MINERAL CBPM SIMEXMIN Ouro Preto - Maio 2012 REFERENCIAIS HISTÓRICOS A Companhia Baiana de Pesquisa Mineral (CBPM) é uma sociedade de economia mista, criada pela Lei Estadual nº

Leia mais

PESQUISA MINERAL E O MEIO AMBIENTE

PESQUISA MINERAL E O MEIO AMBIENTE PESQUISA MINERAL E O MEIO AMBIENTE A mineração não brota simplesmente do subsolo acima do qual o Estado impõe a sua jurisdição. É preciso que a geologia desse subsolo tenha características peculiares (que

Leia mais

Boletim Informativo Exploração

Boletim Informativo Exploração Boletim Informativo 01 O grupo é formado pela Rio Tinto plc, cujas ações são negociadas na Bolsa de Valores de Londres, e pela Rio Tinto Limited, com ações negociadas na Bolsa de Valores da Austrália.

Leia mais

Problemas, perspectivas e desafios

Problemas, perspectivas e desafios Mineração no Brasil Problemas, perspectivas e desafios Bruno Milanez Universidade Federal de Juiz de Fora Rede Brasileira de Justiça Ambiental Extractivismo: nuevos contextos de dominacióny resistencias

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL DE SUSTENTABILIDADE

RELATÓRIO ANUAL DE SUSTENTABILIDADE RELATÓRIO ANUAL DE SUSTENTABILIDADE NOTA SOBRE NOSSOS RELATÓRIOS O Relatório de Sustentabilidade de nosso Grupo é publicado anualmente, sendo que o relatório anterior foi publicado em abril de 2013. Este

Leia mais

AGOSTO GOSTO,, 2011, 2011 Aviso Legal Esta apresentação contém algumas afirmações e informações prospectivas relacionadas a Companhia que refletem a atual visão e/ou expectativas da Companhia e de sua

Leia mais

Perguntas de Gere 1- Comente a trilogia Recursos Tecnologia Mercado. Porque razão a sociedade actual pode ser acusada de regalista, em matéria de recursos? 2- Traduza em diagrama, as implicações do factor

Leia mais

HIDROGEOLOGIA E MINERAÇÃO (PLANEJAMENTO E OPERAÇÃO)

HIDROGEOLOGIA E MINERAÇÃO (PLANEJAMENTO E OPERAÇÃO) HIDROGEOLOGIA E MINERAÇÃO (PLANEJAMENTO E OPERAÇÃO) Marcus Vinícios Andrade Silva Engenheiro Geólogo / Hidrogeólogo Professor de Hidrogeologia CEFET MG (Campus Araxá) Supervisor Corporativo de Hidrogeologia

Leia mais

Serviço Geológico do Brasil - CPRM - SUREG/GO

Serviço Geológico do Brasil - CPRM - SUREG/GO Serviço Geológico do Brasil - CPRM - SUREG/GO Atuação da CPRM na Região Centro-Oeste (GO, MT, TO e DF) Projetos em Execução da Gerência de Geologia e Recursos Minerais Cleber Ladeira Alves MISSÃO DA CPRM

Leia mais

Gestão de capital e criação de valor. APIMEC Rio 27 de janeiro de 2012

Gestão de capital e criação de valor. APIMEC Rio 27 de janeiro de 2012 Gestão de capital e criação de valor 1 APIMEC Rio 27 de janeiro de 2012 Gestão do capital orientada para a criação de valor: foco em disciplina na alocação do capital e transparência Excelência na execução

Leia mais

Projeto premiado com o 16 Prêmio de Excelência da Indústria Minero-metalúrgica Brasileira 13 de maio de 2014 - Hotel Ouro Minas - Belo Horizonte (MG)

Projeto premiado com o 16 Prêmio de Excelência da Indústria Minero-metalúrgica Brasileira 13 de maio de 2014 - Hotel Ouro Minas - Belo Horizonte (MG) Projeto premiado com o 16 Prêmio de Excelência da Indústria Minero-metalúrgica Brasileira 13 de maio de 2014 - Hotel Ouro Minas - Belo Horizonte (MG) o Tel. (11) 3895-8590 premiodeexcelencia@revistaminerios.com.br

Leia mais

E-mail: Bamburra@superig.com.br Web Site: http://www.bamburra.com

E-mail: Bamburra@superig.com.br Web Site: http://www.bamburra.com Planejamento e Economia Mineral Ltda. a Caixa Postal: 37005-22.622-970 Rio de Janeiro - RJ - Brasil Fone: (+ 55) (21) 2439-8153 / 2449-1756 Fax: (+55) (21) 2493-2881 / 2439-8153 E-mail: Bamburra@superig.com.br

Leia mais

AUDIÊNCIA PÚBLICA COMISSÃO DE MINAS E ENERGIA

AUDIÊNCIA PÚBLICA COMISSÃO DE MINAS E ENERGIA AUDIÊNCIA PÚBLICA COMISSÃO DE MINAS E ENERGIA Impactos ambientais, financeiros e sociais do novo Código de Mineração 07 de julho de 2015 O Instituto Brasileiro de Mineração (IBRAM) Organização privada,

Leia mais

RELATÓRIO DE SUSTENTABILIDADE DA ANGLOGOLD ASHANTI 2011 OURO SUSTENTÁVEL

RELATÓRIO DE SUSTENTABILIDADE DA ANGLOGOLD ASHANTI 2011 OURO SUSTENTÁVEL RELATÓRIO DE SUSTENTABILIDADE DA ANGLOGOLD ASHANTI 2011 OURO SUSTENTÁVEL SER A EMPRESA LÍDER EM MINERAÇÃO Criar valor para nossos acionistas, nossos empregados e nossos parceiros sociais e parceiros de

Leia mais

MINERAÇÃO NA BAHIA: RANKING NACIONAL E POTENCIAL DA PESQUISA MINERAL

MINERAÇÃO NA BAHIA: RANKING NACIONAL E POTENCIAL DA PESQUISA MINERAL MINERAÇÃO NA BAHIA: RANKING NACIONAL E POTENCIAL DA PESQUISA MINERAL Sessão Técnica: Mina a Céu Aberto Aspectos Econômicos e Sociais AUTORES: Cláudia Maia, Eriberto Leite, Osmar Silva e Rodrigo Lanfranchi

Leia mais

POTÁSSIO DO BRASIL CONFIRMA RESERVAS DE POTÁSSIO NO AMAZONAS QUE PODEM GARANTIR SUPRIMENTO AOS AGRICULTORES BRASILEIROS

POTÁSSIO DO BRASIL CONFIRMA RESERVAS DE POTÁSSIO NO AMAZONAS QUE PODEM GARANTIR SUPRIMENTO AOS AGRICULTORES BRASILEIROS POTÁSSIO DO BRASIL CONFIRMA RESERVAS DE POTÁSSIO NO AMAZONAS QUE PODEM GARANTIR SUPRIMENTO AOS AGRICULTORES BRASILEIROS PARA DIVULGAÇÃO IMEDIATA As descobertas de minério de potássio na Bacia do Amazonas

Leia mais

Empresas mineradoras no Brasil

Empresas mineradoras no Brasil Em 211, a Produção Mineral Brasileira (PMB) deverá atingir um novo recorde ao totalizar US$ 5 bilhões (valor estimado), o que configurará um aumento de 28% se comparado ao valor registrado em 21: US$ 39

Leia mais

TSX.V: LGC LMA: LGC OTCQX: LGCUF

TSX.V: LGC LMA: LGC OTCQX: LGCUF A PRÓXIMA MID TIER PRODUTORA DE OURO NO BRASIL BRASIL TSX.V: LGC LMA: LGC OTCQX: LGCUF SIMEXMIN V Simpósio Brasileiro de Pesquisa Mineral Maio de 2012 Titus Haggan VPE Objetivamos maximizar o retorno a

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO MINERALÓGICA DO MINÉRIO DE OURO DA RIO PARACATU MINERAÇÃO (RPM), VISANDO A DETERMINAÇÃO DE MINERAIS PORTADORES DE TITÂNIO

CARACTERIZAÇÃO MINERALÓGICA DO MINÉRIO DE OURO DA RIO PARACATU MINERAÇÃO (RPM), VISANDO A DETERMINAÇÃO DE MINERAIS PORTADORES DE TITÂNIO CARACTERIZAÇÃO MINERALÓGICA DO MINÉRIO DE OURO DA RIO PARACATU MINERAÇÃO (RPM), VISANDO A DETERMINAÇÃO DE MINERAIS PORTADORES DE TITÂNIO R. H. Rojas 1, M. L. Torem 1, L. C. Bertolino 2, M. B. M. Monte

Leia mais

CAMINHO PARA O CRESCIMENTO SUSTENTÁVEL

CAMINHO PARA O CRESCIMENTO SUSTENTÁVEL CAMINHO PARA O CRESCIMENTO SUSTENTÁVEL QUEM SOMOS PERFIL UMA DAS MAIORES EMPRESAS DE MINERAÇÃO DO BRASIL ENTRE OS MAIS COMPETITIVOS PRODUTORES DE ALUMÍNIO, NÍQUEL E ZINCO QUEM SOMOS NOSSA ENERGIA 33

Leia mais

INFORME MINERAL DNPM JULHO DE 2012

INFORME MINERAL DNPM JULHO DE 2012 INFORME MINERAL DNPM JULHO DE 2012 A mineração nacional sentiu de forma mais contundente no primeiro semestre de 2012 os efeitos danosos da crise mundial. Diminuição do consumo chinês, estagnação do consumo

Leia mais

As Pequenas Empresas de Exploração Mineral com Atuação na Amazônia Diante do Novo Marco da

As Pequenas Empresas de Exploração Mineral com Atuação na Amazônia Diante do Novo Marco da As Pequenas Empresas de Exploração Mineral com Atuação na Amazônia Diante do Novo Marco da Mineração ADIMB / V EGEEM - AGO 2013 MARCELO PINTO Esta palestra é dedicada a Nelson Bueno, um dos primeiros geólogos

Leia mais

Serviço Geológico do Brasil CPRM

Serviço Geológico do Brasil CPRM Serviço Geológico do Brasil CPRM A Província Mineral do Norte de Minas Gerais MARCO TULIO NAVES DE CARVALHO FRANCISCO TEIXEIRA VILELA PAULO HENRIQUE AMORIM DIAS JULIO CESAR LOMBELLO Simexmin 2014 OBJETIVOS

Leia mais

Modelamento Matemático da Mina Pequizão em Crixás GO

Modelamento Matemático da Mina Pequizão em Crixás GO Mecânica das Rochas para Recursos Naturais e Infraestrutura Conferência Especializada ISRM 09-13 Setembro 2014 CBMR/ABMS e ISRM, 2014 Modelamento Matemático da Mina Pequizão em Crixás GO Marcelo Pereira

Leia mais

MBA em Economia Mineral

MBA em Economia Mineral MBA em Economia Mineral Curso de Pós-Graduação Lato Sensu Especialização Belém, 25 maio de 2006 Sumário Panorama Global; Pará Mineral: destaques selecionados; MBA Economia Mineral; CIMN - Centro de Inteligência

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS» MINERAÇÃO E PETRÓLEO E GÁS «

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS» MINERAÇÃO E PETRÓLEO E GÁS « CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS» MINERAÇÃO E PETRÓLEO E GÁS «21. As rochas selantes devem mostrar propriedades como impermeabilidade e plasticidade para manter sua condição de selante mesmo após ser submetida

Leia mais

Jonathan Kreutzfeld RELEVO BRASILEIRO E FORMAS

Jonathan Kreutzfeld RELEVO BRASILEIRO E FORMAS Jonathan Kreutzfeld RELEVO BRASILEIRO E FORMAS RELEVO BRASILEIRO FORMAS DO RELEVO BRASILEIRO Escudos cristalinos: 36% Bacias sedimentares: 64% Escudos Cristalinos - Armazenamento de jazidas minerais -

Leia mais

APRESENTAÇÃO SAMARCO REUNIÃO CRI-MG/FDC 26/05/2011

APRESENTAÇÃO SAMARCO REUNIÃO CRI-MG/FDC 26/05/2011 APRESENTAÇÃO SAMARCO REUNIÃO CRI-MG/FDC 26/05/2011 TÓPICOS - A Samarco - Estratégia - Desenvolvimento tecnológico - Principais Desafios QUEM SOMOS Somos a Samarco. Uma empresa brasileira, fornecedora de

Leia mais

Reunião Pública 2013 Safra 13/14

Reunião Pública 2013 Safra 13/14 Reunião Pública 2013 Safra 13/14 Grupo São Martinho 300.000 ha Área agrícola de colheita 4 usinas São Martinho, Iracema, Santa Cruz e Boa Vista 21 milhões de tons Capacidade de processamento de cana de

Leia mais

Sistema de Acionamento Remoto sem Fio

Sistema de Acionamento Remoto sem Fio Sistema de Acionamento Remoto sem Fio Apresentação A Raytel apresenta a mais eficiente solução para as variadas necessidades relativas a acionamento a longas distâncias. Com inúmeras possibilidades de

Leia mais

A taxa de alimentação das usinas de beneficiamento são diretamente proporcionais à dureza e à qualidade do minério è Estudo dos Materiais Duros;

A taxa de alimentação das usinas de beneficiamento são diretamente proporcionais à dureza e à qualidade do minério è Estudo dos Materiais Duros; SUMÁRIO INTRODUÇÃO JUSTIFICATIVA LOCALIZAÇÃO GEOLOGIA REGIONAL GEOLOGIA LOCAL METODOLOGIA ANÁLISE EXPLORATÓRIA DOS DADOS MAPAS COLETA DE DADOS RESULTADOS CONCLUSÕES PRÓXIMOS PASSOS INTRODUÇÃO O presente

Leia mais

ÁGUA NA INDÚSTRIA MINERAL, IMPACTOS DA SECA, PERSPECTIVAS

ÁGUA NA INDÚSTRIA MINERAL, IMPACTOS DA SECA, PERSPECTIVAS ÁGUA NA INDÚSTRIA MINERAL, IMPACTOS DA SECA, PERSPECTIVAS Virginia S. T. Ciminelli Departamento de Engenharia Metalúrgica e Materiais, UFMG INCT em Recursos Minerais, Água e Biodiversidade. Raíssa R. V.

Leia mais

V ENCONTRO DE GERENTES E EXECUTIVOS DE EXPLORAÇÃO MINERAL

V ENCONTRO DE GERENTES E EXECUTIVOS DE EXPLORAÇÃO MINERAL V ENCONTRO DE GERENTES E EXECUTIVOS DE EXPLORAÇÃO MINERAL REFLEXOS DO NOVO MARCO DA MINERAÇÃO NAS MINERADORAS COM LUCRATIVIDADE MARGINAL SÉRGIO FRÁGUAS MINERAÇÃO CARAÍBA Rio de Janeiro, 04 de julho de

Leia mais

As perspectivas da. Murilo Ferreira Diretor-presidente Belo Horizonte, 24 de setembro de 2013

As perspectivas da. Murilo Ferreira Diretor-presidente Belo Horizonte, 24 de setembro de 2013 As perspectivas da mineração no Brasil Murilo Ferreira Diretor-presidente Belo Horizonte, 24 de setembro de 2013 Agenda Carajás, Brazil 1 A mineração no Brasil 2 A d d l b l minérios e metais A demanda

Leia mais

ÁGUA: UMA VIAGEM NO MUNDO DO CONHECIMENTO

ÁGUA: UMA VIAGEM NO MUNDO DO CONHECIMENTO UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ASTRONOMIA, GEOFÍSICA E CIÊNCIAS ATMOSFÉRICAS Departamento de Geofísica EXPOSIÇÃO ITINERANTE DO MUSEU DE CIÊNCIAS DA USP ÁGUA: UMA VIAGEM NO MUNDO DO CONHECIMENTO

Leia mais

Mapa de Riscos Jurídicos Ambientais

Mapa de Riscos Jurídicos Ambientais Mapa de Riscos Jurídicos Ambientais Atividades Minerárias Seminário Internacional de Direito Ambiental Empresarial Rio de Janeiro 31/05/2012 1 Grupo Votorantim 94 ANOS de historia Multinacional brasileira

Leia mais

Modelamento Geotécnico Mina CorpoV AngloGold Ashanti Serra Grande.

Modelamento Geotécnico Mina CorpoV AngloGold Ashanti Serra Grande. Mecânica das Rochas para Recursos Naturais e Infraestrutura Conferência Especializada ISRM 09-13 Setembro 2014 CBMR/ABMS e ISRM, 2014 Modelamento Geotécnico Mina CorpoV AngloGold Ashanti Serra Grande.

Leia mais

Projeto UTE Rio Grande. Rio Grande do Sul Junho 2015

Projeto UTE Rio Grande. Rio Grande do Sul Junho 2015 Projeto UTE Rio Grande Rio Grande do Sul Junho 2015 I. Grupo Bolognesi II. Visão Geral dos Projetos III. Mão de Obra IV. Ações Sócio-Ambientais V. Impactos Positivos e Benefícios Visão Geral do Grupo Bolognesi

Leia mais

GEOQUÍMICA DOS FILITOS CARBONOSOS DO DEPÓSITO MORRO DO OURO, PARACATU, MINAS GERAIS

GEOQUÍMICA DOS FILITOS CARBONOSOS DO DEPÓSITO MORRO DO OURO, PARACATU, MINAS GERAIS UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA INSTITUTO DE GEOCIÊNCIAS GEOQUÍMICA DOS FILITOS CARBONOSOS DO DEPÓSITO MORRO DO OURO, PARACATU, MINAS GERAIS DISSERTAÇÃO DE MESTRADO N 249 BRUNA SAAR DE ALMEIDA Orientador: Prof.

Leia mais

Exploração geológica e prospecção em superfície

Exploração geológica e prospecção em superfície Exploração geológica e prospecção em superfície Métodos geoquímicos Métodos geofísicos A prospecção geológica ainda é necessária? Métodos computacionais Sensoriamento remoto Produção x Exploração? Uma

Leia mais

Exploração Geológica, Prospecção em superfície e subsuperfície

Exploração Geológica, Prospecção em superfície e subsuperfície Exploração Geológica, Prospecção em superfície e subsuperfície Etapa de Avaliação: Mapas e Escalas de Trabalho Prospecção com Martelo Investigação em Subsuperfície Fase de exploração reconhecimentos expeditos

Leia mais

. 3. Indicadores de Execução do Plano de Negócios

. 3. Indicadores de Execução do Plano de Negócios APIMEC MPX 2011 Aviso Legal Esta apresentação contém algumas afirmações e informações prospectivas relacionadas a Companhia que refletem a atual visão e/ou expectativas da Companhia e de sua administração

Leia mais

Viabilização da Mina de Cobre do Salobo

Viabilização da Mina de Cobre do Salobo Viabilização da Mina de Cobre do Salobo Do Estratégico ao Tático Alexandro Pinto SIMEXMIN Maio 2012 Agenda Estratégia da Vale em Cobre e Aprendizado Mina do Sossego Descrição e Soluções para Viabilidade

Leia mais

13º CONGRESSO BRASILEIRO DE MINERAÇÃO Seção Temática Painel 5 A ESTRATÉGIA DA AQUISIÇÃO SOB O PONTO DE VISTA TÉCNICO E FINANCEIRO

13º CONGRESSO BRASILEIRO DE MINERAÇÃO Seção Temática Painel 5 A ESTRATÉGIA DA AQUISIÇÃO SOB O PONTO DE VISTA TÉCNICO E FINANCEIRO 13º CONGRESSO BRASILEIRO DE MINERAÇÃO Seção Temática Painel 5 A ESTRATÉGIA DA AQUISIÇÃO SOB O PONTO DE VISTA TÉCNICO E FINANCEIRO joao_hilario@coffey.com jaleekey@yahoo.com.br Belo Horizonte, Setembro

Leia mais

CMR Companhia de Mineração. COMPANHIA DE MINERAÇÃO DE RONDÔNIA - www.cmr.ro.gov.br

CMR Companhia de Mineração. COMPANHIA DE MINERAÇÃO DE RONDÔNIA - www.cmr.ro.gov.br CMR Companhia de Mineração de Rondônia S/A COMPANHIA DE MINERAÇÃO DE CRIAÇÃO e OBJETIVO DA CMR Foi criada através do Decreto-Lei n. 017/82; A CMRtem por objetivo social a prospecção, pesquisa, lavra, beneficiamento,

Leia mais

CONSIDERAÇÕES QUANTO AO POTENCIAL MINERAL DA REGIÃO DO ARROIO DO TANQUE, VALE DO RIBEIRA (ADRIANÓPOLIS, PR)

CONSIDERAÇÕES QUANTO AO POTENCIAL MINERAL DA REGIÃO DO ARROIO DO TANQUE, VALE DO RIBEIRA (ADRIANÓPOLIS, PR) 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 CONSIDERAÇÕES QUANTO AO POTENCIAL MINERAL DA REGIÃO DO ARROIO DO TANQUE, VALE DO RIBEIRA (ADRIANÓPOLIS, PR) Luanna Chmyz 1, José Carlos Ribeiro 2, Daniela

Leia mais

INDÚSTRIA NACIONAL DE MATÉRIAS-PRIMAS PARA FERTILIZANTES. Investimentos : 2012-2017 2012-2017

INDÚSTRIA NACIONAL DE MATÉRIAS-PRIMAS PARA FERTILIZANTES. Investimentos : 2012-2017 2012-2017 INDÚSTRIA NACIONAL DE MATÉRIAS-PRIMAS PARA FERTILIZANTES Investimentos : 2012-2017 2012-2017 27/agosto/2012 Apresentação Luiz Antonio Veiga Mesquita José Emilio Nico Paulo Virgínio Teixeira de Lucena Nelson

Leia mais

O futuro da exploração de minérios

O futuro da exploração de minérios www.wipro.com O futuro da exploração de minérios Ajudando a indústria mineradora a ir mais fundo David Lee Tabla de Conteúdo 3... Introdução 4... A Resposta da Indústria da Exploração Aos Desafios - O

Leia mais

1 - A Empresa... 2 - Dados Cadastrais... 3 - Áreas de Atuação... 4 - Serviços Oferecidos... 4.1 - Petróleo e Gás Natural...

1 - A Empresa... 2 - Dados Cadastrais... 3 - Áreas de Atuação... 4 - Serviços Oferecidos... 4.1 - Petróleo e Gás Natural... Dossiê Geoprospectus 2013 2 Índice 1 - A Empresa... 2 - Dados Cadastrais... 3 - Áreas de Atuação... 4 - Serviços Oferecidos... 4.1 - Petróleo e Gás Natural... 4.1.1 - Engenharia do Petróleo... 4.1.2 -

Leia mais

RELATÓRIO DE SUSTENTABILIDADE 2011 > CLIQUE AQUI PARA COMEÇAR

RELATÓRIO DE SUSTENTABILIDADE 2011 > CLIQUE AQUI PARA COMEÇAR SUSTENTABILIDADE 2011 > CLIQUE AQUI PARA COMEÇAR Relatório de Sustentabilidade 2011 Apresentação Carta do Diretor-Presidente Perfil da Empresa Governança Corporativa 3 4 6 13 A evolução da Sustentabilidade

Leia mais

Possíveis jazidas de potássio na Bacia Amazônica podem suprir matéria-prima para fertili...

Possíveis jazidas de potássio na Bacia Amazônica podem suprir matéria-prima para fertili... Page 1 of 7 Enviar para um amigo 0 Compartilhar no Facebook Ocultar RuralBR Pecuária Canal Rural Tempo Blogs Especiais Notícias C2Rural Lance Rural Agricultura Veja as últimas notícias sobre agricultura:

Leia mais

Augustinho Rigoti Curriculum Vitae

Augustinho Rigoti Curriculum Vitae Augustinho Rigoti Curriculum Vitae Julho/2014 Augustinho Rigoti Curriculum Vitae Dados pessoais Nome Augustinho Rigoti Nome em citações bibliográficas RIGOTI, A. Nascimento 28/08/1950 - Itatiba do Sul/RS

Leia mais

CONGRESSO TOCANTINENSE DE ENGENHARIA E MINERAÇÃO. Gestão para a Sustentabilidade na Mineração 20 anos de história

CONGRESSO TOCANTINENSE DE ENGENHARIA E MINERAÇÃO. Gestão para a Sustentabilidade na Mineração 20 anos de história CONGRESSO TOCANTINENSE DE ENGENHARIA E MINERAÇÃO Gestão para a Sustentabilidade na Mineração 20 anos de história Palmas, 13 de maio de 2014 IBRAM-Instituto Brasileiro de Mineração Organização privada,

Leia mais

sólidos em cavas. Workshop Cavas de Mina: Uso para disposição de resíduos

sólidos em cavas. Workshop Cavas de Mina: Uso para disposição de resíduos Avaliação do impacto ambiental causado pela disposição de resíduos sólidos em cavas. Workshop Cavas de Mina: Uso para disposição de resíduos Flávio Vasconcelos Ph.D. Geoquímico Ambiental 24/10/2008. SUMÁRIO:

Leia mais

O que é a Pesquisa Mineral?

O que é a Pesquisa Mineral? O que é a Pesquisa Mineral? Belém, 08 de Agosto de 2012 O QUE É A PESQUISA MINERAL? A Pesquisa Mineral é um conjunto de atividades desenvolvidas, sem garantia de sucesso, para evidenciar a existência de

Leia mais

A INDÚSTRIA QUÍMICA É RELEVANTE PARA O BRASIL 6 ª 10 % MAIOR. do PIB. Indústria Química DO MUNDO INDUSTRIAL. Fonte: ABIQUIM, IBGE PIA/2012

A INDÚSTRIA QUÍMICA É RELEVANTE PARA O BRASIL 6 ª 10 % MAIOR. do PIB. Indústria Química DO MUNDO INDUSTRIAL. Fonte: ABIQUIM, IBGE PIA/2012 Carlos Fadigas A INDÚSTRIA QUÍMICA É RELEVANTE PARA O BRASIL Fonte: ABIQUIM, IBGE PIA/2012 10 % do PIB INDUSTRIAL 6 ª MAIOR Indústria Química DO MUNDO A INDÚSTRIA QUÍMICA DEVE FATURAR US$ 157 BILHÕES

Leia mais

1º 107 6 2011: 45% EBITDA 1º

1º 107 6 2011: 45% EBITDA 1º QUEM SOMOS Uma das maiores empresas de mineração do mundo. Cerca de 107 mil empregados diretos. Líderes globais na produção de platina e diamante e participação significativa em cobre, níquel, minério

Leia mais

A instrutora voluntária Inês Gregória Dias e as crianças Vitória Maria do Nascimento Monteiro e Samuel Henrique Rafael participam do projeto Mães que

A instrutora voluntária Inês Gregória Dias e as crianças Vitória Maria do Nascimento Monteiro e Samuel Henrique Rafael participam do projeto Mães que A instrutora voluntária Inês Gregória Dias e as crianças Vitória Maria do Nascimento Monteiro e Samuel Henrique Rafael participam do projeto Mães que Choram, com recursos destinados pela AngloGold Ashanti

Leia mais

19/11/2014 SISTEMA BRASILEIRO DE GEOLOGIA E MINERAÇÃO MISSÃO DA CPRM- SERVIÇO. REDE OPERACIONAL da CPRM. Serviço Geológico do Brasil CPRM

19/11/2014 SISTEMA BRASILEIRO DE GEOLOGIA E MINERAÇÃO MISSÃO DA CPRM- SERVIÇO. REDE OPERACIONAL da CPRM. Serviço Geológico do Brasil CPRM Serviço Geológico do Brasil CPRM UMA BREVE VISÃO DA CPRM / MINERAÇÃO NO BRASIL E NO MUNDO O BRASIL É UM PAÍS EMERGENTE DE GRANDE IMPORTÂNCIA PARA A MINERAÇÃO MUNDIAL TEOBALDO R O JÚNIOR, DSc SUREGSA SALVADOR-BA,

Leia mais

FOCO NA MINERAÇÃO OPÇÃO ESTRATÉGICA PARA PLANEJAMENTO DE MÍDIA VOLTADO ESPECIALMENTE AO SETOR MINERAL

FOCO NA MINERAÇÃO OPÇÃO ESTRATÉGICA PARA PLANEJAMENTO DE MÍDIA VOLTADO ESPECIALMENTE AO SETOR MINERAL FOCO NA MINERAÇÃO OPÇÃO ESTRATÉGICA PARA PLANEJAMENTO DE MÍDIA VOLTADO ESPECIALMENTE AO SETOR MINERAL M E D I A K I T 2 0 1 6 PERFIL EDITORIAL IN THE MINE é uma publicação dirigida à indústria de mineração

Leia mais

Estratégia e criação. Luciano Siani Rio de Janeiro 29 de janeiro de 2013

Estratégia e criação. Luciano Siani Rio de Janeiro 29 de janeiro de 2013 Estratégia e criação de valor Luciano Siani Rio de Janeiro 29 de janeiro de 2013 A estratégia e os investimentos da Vale Reduzindo incertezas Enorme avanço no processo de licenciamento ambiental, permitindo

Leia mais

Soluções Integradas em Petróleo, Gás e Energia BRASIL

Soluções Integradas em Petróleo, Gás e Energia BRASIL BRASIL O Brasil possui uma economia sólida, construída nos últimos anos, após a crise de confiança que o país sofreu em 2002, a inflação é controlada, as exportações sobem e a economia cresce em ritmo

Leia mais

A CRISE INTERNACIONAL E A REPERCUSSÃO NO BRASIL

A CRISE INTERNACIONAL E A REPERCUSSÃO NO BRASIL A CRISE INTERNACIONAL E A REPERCUSSÃO NO BRASIL ANÁLISE ECONÔMICA DA CSN DE SETEMBRO DE 2011 Cenário Internacional 2011 foi marcado por um ambiente econômico de instabilidade, agravamento da crise européia.

Leia mais

Projeto premiado com o 16 Prêmio de Excelência da Indústria Minero-metalúrgica Brasileira 13 de maio de 2014 - Hotel Ouro Minas - Belo Horizonte (MG)

Projeto premiado com o 16 Prêmio de Excelência da Indústria Minero-metalúrgica Brasileira 13 de maio de 2014 - Hotel Ouro Minas - Belo Horizonte (MG) Projeto premiado com o 16 Prêmio de Excelência da Indústria Minero-metalúrgica Brasileira 13 de maio de 2014 - Hotel Ouro Minas - Belo Horizonte (MG) o Tel. (11) 3895-8590 premiodeexcelencia@revistaminerios.com.br

Leia mais

Manual do Professor. Heitor Antönio Paladim Junior Doutor e Mestre em Ciencias Humanas (Geografia) de educa<;äo bäsica e ensino superior.

Manual do Professor. Heitor Antönio Paladim Junior Doutor e Mestre em Ciencias Humanas (Geografia) de educa<;äo bäsica e ensino superior. Mauricio de Almeida Bacharel e Licenciado em Geografia pela Pontificia Universidade Cat61ica de Säo Paulo (PUC-SP) Professor de G.eografia Heitor Antönio Paladim Junior Doutor e Mestre em Ciencias Humanas

Leia mais

Aula 1.1 Conteúdo: Como regionalizar o espaço mundial? O que são continentes? FORTALECENDO SABERES APRENDER A APRENDER CONTEÚDO E HABILIDADES

Aula 1.1 Conteúdo: Como regionalizar o espaço mundial? O que são continentes? FORTALECENDO SABERES APRENDER A APRENDER CONTEÚDO E HABILIDADES CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA A Aula 1.1 Conteúdo: Como regionalizar o espaço mundial? O que são continentes? 2 CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA A

Leia mais

A novidade é que o Brasil não é só litoral É muito mais é muito mais que qualquer zona sul Tem gente boa espalhada por este Brasil Que vai fazer

A novidade é que o Brasil não é só litoral É muito mais é muito mais que qualquer zona sul Tem gente boa espalhada por este Brasil Que vai fazer CAUSAS: Acirramento da concorrência comercial entre as potências coloniais; Crise das lavouras de cana; Estagnação da economia portuguesa na segunda metade do século XVII; Necessidade de encontrar metais

Leia mais

O ESTADO DA ARTE DO DESENVOLVIMENTO DE SOLUÇÕES PARA O PLANEJAMENTO DE LAVRA EM MINAS A CÉU ABERTO

O ESTADO DA ARTE DO DESENVOLVIMENTO DE SOLUÇÕES PARA O PLANEJAMENTO DE LAVRA EM MINAS A CÉU ABERTO O ESTADO DA ARTE DO DESENVOLVIMENTO DE SOLUÇÕES PARA O PLANEJAMENTO DE LAVRA EM MINAS A CÉU ABERTO Beck Nader beckn@demin.ufmg.br D.Sc. Engenharia Mineral M.Sc. Tecnologia Mineral Engenheiro de Minas MAIG

Leia mais

Serrote da Laje. Caboclo

Serrote da Laje. Caboclo BRAZIL Maio 2012 Serrote da Laje Caboclo 1960 DNPM - ocorrência de magnetita 1979 DNPM CPRM descrição de magnetitito 1982 DOCEGEO - geoquímica ( 0,8% Cu) 1984-2001 CVRD pesquisa e estudo de viabilidade

Leia mais

Principais Fatos e Números

Principais Fatos e Números Principais Fatos e Números BRAZIL Brasil Minas Gerais Região Metropolitana de Classificado como a 6ª maior economia em 2011, esperando chegar à 5ª posição até 2016. 3 ª maior economia dentre os 27 Estados

Leia mais

PROCESSOS METALOGENÉTICOS

PROCESSOS METALOGENÉTICOS João Carlos Biondi PROCESSOS METALOGENÉTICOS DEPÓSITOS MINERAIS BRASILEIROS E OS 2ª edição revisada e atualizada processos metalogeneticos_2ed.indb 3 01/07/2015 16:54:14 S U M Á R I O 15 1 ALGUNS CONCEITOS

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA SUBSÍDIOS PARA A ELABORAÇÃO DO PLANO DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DA CADEIA PRODUTIVA DA INDÚSTRIA DE CERÂMICA VERMELHA

TERMO DE REFERÊNCIA SUBSÍDIOS PARA A ELABORAÇÃO DO PLANO DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DA CADEIA PRODUTIVA DA INDÚSTRIA DE CERÂMICA VERMELHA TERMO DE REFERÊNCIA SUBSÍDIOS PARA A ELABORAÇÃO DO PLANO DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DA CADEIA PRODUTIVA DA INDÚSTRIA DE CERÂMICA VERMELHA 1. A CADEIA PRODUTIVA DA INDÚSTRIA CERÂMICA Segundo a Associação

Leia mais

SBGf. boletim. A Geofísica na Indústria da Mineração

SBGf. boletim. A Geofísica na Indústria da Mineração boletim SBGf Publicação da Sociedade Brasileira de Geofísica Número 4.2010 ISSN 2177-9090 A Geofísica na Indústria da Mineração Investir em levantamentos geofísicos é o caminho mais eficiente na busca

Leia mais

DMT CoreScan 3 Ferramenta de medição de testemunho de alta tecnologia

DMT CoreScan 3 Ferramenta de medição de testemunho de alta tecnologia DMT CoreScan 3 Ferramenta de medição de testemunho de alta tecnologia É um equipamento versátil desenvolvido para aquisição de imagens, avaliação e armazenamento digital em cores de testemunhos de sondagem

Leia mais

REGIÃO NORTE: MAIOR REGIÃO BRASILIERA EM EXTENSÃO. 45% do território nacional

REGIÃO NORTE: MAIOR REGIÃO BRASILIERA EM EXTENSÃO. 45% do território nacional REGIÃO NORTE REGIÃO NORTE: MAIOR REGIÃO BRASILIERA EM EXTENSÃO. 45% do território nacional GRANDE ÁREA COM PEQUENA POPULAÇÃO, O QUE RESULTA EM UMA BAIXA DENSIDADE DEMOGRÁFICA (habitantes por quilômetro

Leia mais

Jornada Infinity de Desenvolvimento Humano Rio. Formação e Treinamento da Liderança : a formação de Líderes como um processo contínuo

Jornada Infinity de Desenvolvimento Humano Rio. Formação e Treinamento da Liderança : a formação de Líderes como um processo contínuo Jornada Infinity de Desenvolvimento Humano Rio Formação e Treinamento da Liderança : a formação de Líderes como um processo contínuo DEFININDO A RESPONSABILIDADE E ESTRUTURA ORGANIZACIONAL PARA OS TREINAMENTOS

Leia mais

NOVO OURO DE GOIÁS O GEÓLOGO E O. Por Tébis Oliveira

NOVO OURO DE GOIÁS O GEÓLOGO E O. Por Tébis Oliveira minepersonalidade O GEÓLOGO E O NOVO OURO DE GOIÁS Por Tébis Oliveira O engenheiro geólogo Klaus Petersen formou-se pela UFOP (Universidade Federal de Ouro Preto), na turma de 1988, onde foi membro da

Leia mais

O B r a s i l e a S e g u r a n ç a d o A t l â n t i c o S u l *

O B r a s i l e a S e g u r a n ç a d o A t l â n t i c o S u l * O B r a s i l e a S e g u r a n ç a d o A t l â n t i c o S u l * Wilson Barbosa Guerra Vice Almirante, Ministério da Defesa do Brasil * Comunicação efectuada no Seminário Internacional sobre O Futuro

Leia mais

INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E A ESTRATÉGIA DO SENAI PARA APOIAR A COMPETITIVIDADE DA INDÚSTRIA BRASILEIRA

INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E A ESTRATÉGIA DO SENAI PARA APOIAR A COMPETITIVIDADE DA INDÚSTRIA BRASILEIRA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E A ESTRATÉGIA DO SENAI PARA APOIAR A COMPETITIVIDADE DA INDÚSTRIA BRASILEIRA Inovação é o que distingue um líder de um seguidor. Steven Paul Jobs Grandes ideias mudam o mundo. Missão

Leia mais

Geologia Noções básicas. Profa. Dra. Andrea Sell Dyminski UFPR 2010

Geologia Noções básicas. Profa. Dra. Andrea Sell Dyminski UFPR 2010 Geologia Noções básicas Profa. Dra. Andrea Sell Dyminski UFPR 2010 Estrutura do Planeta Terra Fonte: http://domingos.home.sapo.pt/estruterra_4.html Eras Geológicas Evolução dos Continentes Vídeos: http://www.youtube.com/watch?v=hsdlq8x7cuk

Leia mais

Imagem Corporativa Marta Telles marta.telles@imagemcorporativa.com.br Tel: (11) 3526-4508. Márcia Avruch marcia.avruch@br.pwc.com Tel.

Imagem Corporativa Marta Telles marta.telles@imagemcorporativa.com.br Tel: (11) 3526-4508. Márcia Avruch marcia.avruch@br.pwc.com Tel. Press Release Date 1º de outubro de 2013 Contato Imagem Corporativa Marta Telles marta.telles@imagemcorporativa.com.br Tel: (11) 3526-4508 Márcia Avruch marcia.avruch@br.pwc.com Tel. (11) 3674-3760 Pages

Leia mais

ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES MATO-GROSSENSES Janeiro a Dezembro / 2007

ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES MATO-GROSSENSES Janeiro a Dezembro / 2007 ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES MATO-GROSSENSES / 2007 1- Balança Comercial Mato Grosso continua tendo superávit na Balança Comercial registrando em 2007 um expressivo saldo de US$ 4,38 bilhões valor que representa

Leia mais

A) Ação global. B) Ação Antrópica. C) Ação ambiental. D) Ação tectônic

A) Ação global. B) Ação Antrópica. C) Ação ambiental. D) Ação tectônic Disciplina: Geografia Roteiro de Recuperação Ano / Série: 6º Professor (a): Gabriel Data: / / 2013 Matéria da recuperação. Superficie da Terra. Litosfera, solo e relevo 1- Analise a imagem. www.trabanca.com-acesso:

Leia mais

Expansão da unidade Pirometalúrgica do Complexo Industrial do Queiroz Nova Lima - Brasil

Expansão da unidade Pirometalúrgica do Complexo Industrial do Queiroz Nova Lima - Brasil Expansão da unidade Pirometalúrgica do Complexo Industrial do Queiroz Nova Lima - Brasil Alexandre Freitas e Rosevelt Freire Um pouco da nossa história 1834: Fundação da companhia inglesa Saint John Del

Leia mais

Utilizando ArcGIS para Geoquímica de superfície e sondagem

Utilizando ArcGIS para Geoquímica de superfície e sondagem Utilizando ArcGIS para Geoquímica de superfície e sondagem Fernanda Almeida Executiva de Contas Janaína Gattermann Pereira Geóloga José Luis Ando Geólogo Agenda - O que é Geoquímica? - Geociências e Exploração

Leia mais

CARVÃO MINERAL & COMBUSTÍVEL ESTRATÉGICO PARA SANTA CATARINA E O BRASIL

CARVÃO MINERAL & COMBUSTÍVEL ESTRATÉGICO PARA SANTA CATARINA E O BRASIL CARVÃO MINERAL & COMBUSTÍVEL ESTRATÉGICO PARA SANTA CATARINA E O BRASIL Fernando Luiz Zancan Associação Brasileira do Carvão Mineral - ABCM Assembléia Legislativa de Santa Catarina Florianópolis/SC - 09

Leia mais

Ciências da Informação Geográfica Aula de Hidrografia. Definição e Objectivo da Hidrografia. Questão colocada a um painel de peritos em 1979

Ciências da Informação Geográfica Aula de Hidrografia. Definição e Objectivo da Hidrografia. Questão colocada a um painel de peritos em 1979 Hidrografia Definição e Objectivo da Hidrografia O que é a Hidrografia? Questão colocada a um painel de peritos em 1979 Identificados três vertentes essenciais Identificados três grupos de utilizadores

Leia mais

Oportunidades de Mercado na Visão do Serviço Florestal Brasileiro

Oportunidades de Mercado na Visão do Serviço Florestal Brasileiro Oportunidades de Mercado na Visão do Serviço Florestal Brasileiro - 2º Congresso Florestal do Tocantins - André Luiz Campos de Andrade, Me. Gerente Executivo de Economia e Mercados do Serviço Florestal

Leia mais

Associação Brasileira de Consultores de Engenharia

Associação Brasileira de Consultores de Engenharia ABCE Associação Brasileira de Consultores de Engenharia Filiada à Federación Panamericana de Consultores FEPAC. Membro do Conselho Consultivo da Financiadora de Estudos e Projetos - FINEP. Banco de Dados

Leia mais

I: Aplicação. Descritiva. propriedade mais. importante. (vista

I: Aplicação. Descritiva. propriedade mais. importante. (vista Noções básicas de Geometria Descritiva e sua aplicação naa análise de estruturas geológicas António Alexandre Araújo (Centro de Geofísica de Évora, Departamento de Geociências, Escola de Ciências e Tecnologia

Leia mais

IMPACTO DE DIFERENTES ALGORITMOS E GEOMETRIA DE DEPÓSITOS MINERAIS NO PLANEJAMENTO DE LONGO PRAZO

IMPACTO DE DIFERENTES ALGORITMOS E GEOMETRIA DE DEPÓSITOS MINERAIS NO PLANEJAMENTO DE LONGO PRAZO IMPACTO DE DIFERENTES ALGORITMOS E GEOMETRIA DE DEPÓSITOS MINERAIS NO PLANEJAMENTO DE LONGO PRAZO Mateus Toniolo Candido, Universidade Federal do Rio Grande do Sul UFRGS. mateus@miners.com.br Rodrigo de

Leia mais

2012 1ª PROVA PARCIAL DE GEOGRAFIA

2012 1ª PROVA PARCIAL DE GEOGRAFIA COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação 2012 1ª PROVA PARCIAL DE GEOGRAFIA Aluno(a): Nº Ano: 7º Turma: Data: 24/03/2012 Nota: Professor(a): Valor da Prova: 40 pontos Orientações gerais: 1) Número de

Leia mais

Geografia 8º Ano - Prof. Beto Filho

Geografia 8º Ano - Prof. Beto Filho Regionalização DO ESPAÇO MUNDIAL Unidade 1 Geografia 8º Ano - Prof. Beto Filho Neste capítulo vamos estudar uma forma de regionalizar o mundo fundamentada, principalmente, em fatores físicos ou naturais:

Leia mais