Esta apresentação foi previamente enviado à CVM, de acordo com o parágrafo 5º artigo 50 da Instrução 400/03 de

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Esta apresentação foi previamente enviado à CVM, de acordo com o parágrafo 5º artigo 50 da Instrução 400/03 de 29.12.2003."

Transcrição

1

2 Aviso Este material foi preparado para as apresentações relacionadas à Oferta Pública das ações da RENAR MAÇÃS S/A, e não constitui uma oferta de venda ou convite à compra de ações. LEIA O PROSPECTO ANTES DE ACEITAR A OFERTA. Para avaliar os riscos do investimento, o investidor deverá ler o Prospecto, onde estão registradas as informações deste material publicitário, que está à disposição dos interessados nos sites e nas sedes: da Emissora e das Coordenadoras. Esta apresentação foi previamente enviado à CVM, de acordo com o parágrafo 5º artigo 5 da Instrução 4/3 de A Emissora obteve o registro de empresa de capital aberto junto à CVM em A Emissora obteve o registro da emissão na CVM em sob número CVM/SRE/REM/25/1.

3 Condição Básica para Conclusão da Oferta A totalidade dos Pedidos de Reserva deverá ser no mínimo igual ao valor da emissão; Não haverá distribuição parcial; Se os Pedidos de Reserva forem inferiores a quantidade de ações emitidas, a Oferta será cancelada e os depósitos realizados devolvidos em 3 (três) dias após a data do cancelamento, na forma prevista no Aviso ao Mercado; Se os Pedidos de Reserva, forem superiores a quantidade das ações emitidas, haverá rateio na forma prevista no Aviso ao Mercado

4 Sumário da Oferta Tipo de Oferta Quantidade de Ações Precificação Total da Oferta Destino dos recursos Quarentena dos Controladores Formador de mercado Oferta pública inicial primária. Emissão de 1.. de ações ordinárias, em conformidade com os padrões do Novo Mercado da Bovespa, representando 25% do capital total após a oferta. R$ 1,6 por ação R$ 16.., Investimento em infraestrutura para exportação; Capital de giro para exportação da produção de terceiros; Otimização da estrutura de capital com substituição de linhas de financiamento por capital próprio. Até 6 meses após a oferta, proibição total de vender ações e direitos detidos no momento da Oferta; Após 6 meses, venda de ações e direitos limitadas a no máximo 4% dos saldos previamente detidos. Gradual Corretora de Câmbio, Títulos e Valores Mobiliários Ltda.

5 Distribuição Público-Alvo Investidores institucionais e não-institucionais Lote mínimo Lote máximo Lote adicional Rateio 1. ações R$ 1.6, 5. ações R$ 8., Não haverá lote adicional. Na hipótese de demanda superior ao total ofertado será aplicado o rateio proporcional sobre as reservas, sendo assegurado atendimento a todos os pedidos até o valor do lote mínimo conforme ordem cronológica. Não haverá distinção por tipo de investidor. Data da Oferta Período de Reserva A partir de (publicação do Aviso ao Mercado). De 14.2 à

6 Instituições intermediárias Coordenadores Elite CCVM (LÍDER) Fator Gradual Isoldi Sagres Spinelli Título Adesão especial Coinvalores CCVM Intra S/A CVC PETRA CTVM Ltda São Paulo CV Ltda SLW CVC Ltda Umuarama S/A CTVM Consultoria e planejamento Partbank S/A

7 Consórcio de colocação Regime de colocação Melhores esforços.

8 Cronograma Previsto da Operação Nº EVENTOS DATA Registro da Emissão na CVM Publicação do Aviso ao Mercado, Distribuição do Prospecto Físico e Eletrônico Início do Período de Reserva e data do Pedido de Reserva das Pessoas Vinculadas Encerramento do Período de Reserva Publicação do Anúncio de Início de Distribuição Data da Liquidação à CBLC e da CBLC com a Emissora Cerimônia de Início das Operações na BOVESPA Data da Publicação do Anúncio de Encerramento ELITE e RENAR Prestam Contas à CVM

9 Quadro Executivo Nome Currículo Roland Brandes Diretor Presidente Roberto Frey Diretor Comercial Ricardo Martins Cecchini Diretor de Produção Elvito Coldebella Diretor Administrativo Financeiro / Diretor de Relações com o Mercado Administrador de empresas com MBA pela FGV. Trabalhou na Siemens AG na Alemanha e no Brasil. Está na RENAR desde Engenheiro civil pela UFPR com MBA pela Fundação Dom Cabral. Está na RENAR desde Engenheiro agrônomo pela Universidade de Passo Fundo / RS com MBA pela FGV. Está na RENAR desde Graduado em ciências contábeis pela Unoesc. Está na RENAR desde 1981.

10 O Mercado

11 Nossos consumidores

12 Dimensionamento do setor KG US$ mil US$/Kg,6,55,5,45,4,35,3,25,2 O Brasil vem aumentando sua participação nas exportações para a Europa, o maior mercado ajudado pelas cotações internacionais da maçã, estáveis ao redor de US$,5 por quilo do produto. 2, 15, 1, 5, A jovialidade e produtividade da cultura no Brasil proporcionam à maçã brasileira um diferencial de qualidade... Toneladas Chile Nova Zelandia Africa do Sul Argentina Brasil levando o Brasil a tirar mercado de outros fornecedores mais tradicionais.

13 A produção no Brasil As quantidades... (em toneladas)... e o destino. 1,2, 1,, 8, 6, 4, Mercado Interno Expor tação Indústria 2, 1974 / / / / / / início da maçã no Brasil. Crescimento constante a taxas de 1% a.a. nos últimos 1 anos. 24 Mercado interno in natura Exportação Indústrias de alimentos em Kton * previsão para 24 em % 66,4 1,9 22,7

14 Histórico vendas / produção RENAR Vendas em ton Vendas em R$ Exportação Merc.Interno *

15 Indústria nacional Yakult Sucos; Nutrimental Ind. Comercio Alimentos; Fresh Start Bakeries Ltda. Varejo nacional Bompreço Supermercados (Wal Mart); CBD (Pão de Açúcar, Extra); G Barbosa Supermercados; De Marchi Comercial Imp. Ltda; Irmãos Martins Comércio Ltda; Varejo e atacadistas no exterior Royal Ahold Coopnorden Greencell Ltd. Direct Fruit Mkt. (Chiquita Brands Inc.) Os maiores clientes

16 Exportações da RENAR por país 3,5 3, 2,5 Volumes crescentes em 5 dos 6 principais destinos. 2, 1,5 1, Ásia pode ser uma região promissora. 5 ALEMANHA HOLANDA FINLÂNDIA SUÉCIA INGLATERRA DINAMARCA NORUEGA IRLANDA ITÁLIA FRANÇA ESPANHA BÉLGICA SUIÇA BANGLADESH PHILLIPINAS ÍNDIA MALÁSIA INDONÉSIA ESTADOS UNIDOS Europa Asia America do Norte Outros * Estados Unidos, um mercado difícil mas onde a RENAR já esteve presente

17 Evolução das exportações da RENAR Toneladas 14, 12, 1, 8, 6, 4, 2, CAGR 2-24 = 74,5 % CAGR = taxa média ponderada de crescimento Região País Europa ALEMANHA HOLANDA FINLÂNDIA SUÉCIA INGLATERRA DINAMARCA NORUEGA IRLANDA ITÁLIA FRANÇA ESPANHA BÉLGICA SUIÇA Europa Total Asia BANGLADESH PHILLIPINAS ÍNDIA MALÁSIA INDONÉSIA Asia Total America do Norte EUA America do Norte Total Outros Total de Outros Total geral

18 3.144 Ha. de terrenos rurais; 936 Ha. de macieiras; 23. m 2 de área construída no Packing House; 11.1 ton em atmosfera controlada 7.6 ton em atmosfera normal frota própria de veículos e máquinas agrícolas; 28 veículos leves, 39 tratores e 39 pulverizadores moderna linha de produção automatizada; 2 máquinas eletrônicas de classificação com capacidade total de 2 ton / hora (1) As marcas RENAR, REFRAI e NATURA. Ativos sólidos, marcas consolidadas e uma história construída desde 1962 (1) a marca RENAR não está contabilizada nos livros da empresa.

19 Cadeia de Valor - Atividades CULTIVO CULTIVO PRÓPRIO PRÓPRIO pesquisa plantio poda raleio manejo (controle) colheita PRODUÇÃO PRODUÇÃO DE DE TERCEIROS TERCEIROS PACKING HOUSE PROCESSAMENTO PROCESSAMENTO recebimento pesagem amostragem CLASSIFICAÇÃO CLASSIFICAÇÃO & EMBALAGEM EMBALAGEM descarga em água 1ª seleção manual banho de escovação 2ª seleção manual classificação embalagem paletização estocagem expedição INDUSTRIALIZAÇÃO polpa congelada polpa desidratada VENDA in natura mercado local exportação C O N S U M I D O R

20 A tecnologia que a RENAR tem... PRODUÇÃO PRODUÇÃO DE DE TERCEIROS TERCEIROS operação da planta industrial de clientes especiais PACKING HOUSE INDUSTRIALIZAÇÃO CULTIVO CULTIVO PRÓPRIO PRÓPRIO PROCESSAMENTO PROCESSAMENTO CLASSIFICAÇÃO CLASSIFICAÇÃO & & EMBALAGEM EMBALAGEM controle biológico de pragas polinização por apicultura pré-resfriamento com água a 2ºC atmosfera controlada classificação eletrônica com até 25 saídas câmara fria a 2ºC VENDA in natura fast track certificação... é o que faz a diferença! 5% diretamente a varejistas no Brasil 43% do voltado à exportação

21 24 Sistema anti-granizo

22 O diferencial da equipe comercial... RESPONSABILIDADE: COMPETÊNCIA: FOCO ESTRATÉGICO: CONFIABILIDADE: A Renar é o mais importante fornecedor de maçãs da Finlândia, respondendo por 8% do total importado pelo país; Grupo ROYAL AHOLD - SELECTED SUPPLIER de maçãs desde 21 e melhor fornecedor de 23 do Hemisfério Sul; Grupo COOPNORDEN - fornecedor exclusivo de maçãs brasileiras desde 2; A Renar é a única empresa a fornecer diretamente a supermercados, sem intermediários ou agentes; Aprovada pelo governo inglês para o programa UK FRUIT SCHEME PROGRAM, de fornecimento de frutas para crianças de 4 a 7 anos de idade; PIONEIRISMO: Primeira empresa a expor em feiras na Ásia e Arábia Saudita;... e os ótimos resultados alcançados!

23 Certificações Certificada EUREPGAP European Good Agricultural Practices; Certificada APPCC (HACCP) Análise de Perigos e Pontos Críticos de Controle; Certificada BRC - British Retail Consortium.

24 Parcerias e novos produtos

25 Objetivos Empresariais da RENAR Manter-se como a mais rentável empresa do Setor; Estar entre os 3 maiores exportadores de frutas do Brasil; Manter a melhor tecnologia; Ter a melhor gestão e relacionamento com Acionistas, Colaboradores e Sociedade; Ser a referência de Modelo de Negócio no Setor de Fruticultura; Praticar uma remuneração adequada e consistente aos acionistas; Tornar-se referência no mercado de capitais no Novo Mercado, através da transparência, governança e resultados; Estar preparada para as oportunidades do Setor, que tenderá a maior concentração; Reduzir o grau de alavancagem financeira. Ser a mais capitalizada;

26 Estratégia Asia e Médio Oriente Novo Mercado America do Norte Abertura de Mercado Crescente Europa Mercado Estável

27 Aplicação dos recursos da Oferta Compra de frutas de terceiros visando aumento de exportação Melhoria do sistema atual de classificação e armazenagem visando redução de Mão de Obra e aumento de produtividade Máquina para embalar maçãs em sacolas plásticas, visando agregar maior valor a fruta miúda Camaras frias com sistema de Rack para resfriamento e armazenagem de pallets prontos para embarque Redução de captações para Capital de Giro e Dívidas de curto prazo Custos da emissão Total Geral R$ 8.1. R$ 1.8. R$ 1.2. R$ 1.4. R$ 2.5. R$ 1.. R$ 16.. A companhia receberá 1 % dos recursos em decorrência da realização da oferta

28 Informações financeiras

29 Demonstrações resumidas BALANÇO PATRIMONIAL DEMONSTRAÇÃO de RESULTADOS jun jun 24 Circulante Receita Bruta RLP Impostos Permanente Receita Liquida ATIVO CPV Lucro Bruto Circulante Desp. Operacionais ELP Resultado Operacional (1.16) PL Resultado antes do IR (47) PASSIVO Lucro Líquido o aumento nos recebíveis (clientes) foi financiado por fornecedores e empréstimos. em 24 as vendas já superam todo o ano de o mesmo ocorrendo para o Lucro Líquido.

30 Receitas e despesas valores em R$ mil Desp. Operacionais (em R$ mil) 35, 3, 25, 2, 15, 1, 5, 15,26 11,334 5,33 4,795 24,92 15,812 7,775 6,945 32,861 2,361 9,77 8,975 5, 4, 3, 2, 1, , Receita Liquida Despesas Operacionais CPV EBITDA D. Vendas Administrativas Financeiras Liquidas Outras Operac. Crescimento da receita SUPERIOR ao do CPV e das despesas operacionais mostrando ganhos de escala com margem EBITDA sempre próxima de 3%. Despesas financeiras são o principal item das despesas operacionais valores que podem virar dividendos para os acionistas.

31 Linhas de crédito (em R$ mil) /24 7. Vencimentos de 23 (em R$ mil) curto prazo longo prazo total de empréstimos EBITDA empréstimos / EBITDA (24 anualizado) desp. financeira bruta desp. financ. / EBITDA 2,8 x ,3% 2, x ,3% 1,9 x ,9% 1,5 x ,1% TJLP US$ CDI TR O crescimento do EBITDA é superior ao crescimento da despesa financeira bruta. O EBITDA do primeiro semestre de 24 já é superior ao do ano 22. Neste contexto a capacidade de pagamento está garantida, independente da atual capitalização. O perfil da dívida é bastante longo, como requer o setor agrícola. As taxas de juros são baixas, 14%aa em média. A maior parte dos vencimentos de curto prazo são antecipação de vendas

32 Maiores empresas do setor Receita (R$Mil) x Volume (% da produção anual) 2,% ,% 4. 1,% 2. 5,% FISCHER SCHIO RENAR RASIP AGRÍCOLA POMIFRAI,% Faturamento % Prod. Nacional 1 - Dados referentes a 23 e Receita estimada para Fischer e Schio A RENAR é a 3ª em receita com apenas 3,5% do volume físico maior valor agregado de seus produtos.

33 Governança Corporativa 1ª empresa do setor agrícola a ingressar no Novo Mercado; Somente ações ordinárias, isto é, com direto a voto. Direito de adesão à venda em bloco(1%). Direito dos acionistas minoritários elegerem um membro para o Conselho de Administração; Liquidez proporcionada por formador de preços contratado; Dividendo anual mínimo de 3% dos lucros com pagamento semestral; Profissional independente para o Conselho, indicado pelos controladores; Conselho Fiscal atuante há mais de 6 anos. Clube de Investimentos exclusivo para os funcionários investirem em ações da empresa.

34 Organograma funcional & Composição acionária ASSEMBLÉIA DE ACIONISTAS CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO (5 conselheiros) ROLAND BRANDES Diretor Presidente ROBERTO FREY D. Comercial RICARDO CECCHINI D. Produção ELVITO COLDEBELLA D. Financeiro e R.I. ACIONISTAS Willy Egon Frey Família Ziolkowski MERCADO total % ATUAL 7, 3, - 1 % APÓS 52,5 22,5 25, 1

35 Responsabilidade social e ambiental QUALIDADE DE VIDA PARA OS FUNCIONÁRIOS. 2 casas para funcionários; Dormitórios para 7 pessoas; 12 refeitórios com capacidade para até 1.2 pessoas/dia; Banheiros nos pomares; Assistência médica; Creches, escolas e treinamento; Entrega mensal de cestas básicas; MEIO AMBIENTE SAUDÁVEL PARA A HUMANIDADE. Preservação permanente de nascentes, de rios, de matas ciliares e da reserva natural com 61 Ha. de mata nativa Rene Frey; Reciclagem de lixo e tratamento de esgoto; Sistemas de prevenção de acidentes ambientais. APOIO PARA A COMUNIDADE E REGIÃO. Maior arrecadação do Município em 23; Distribuição semanal de maçãs em escolas; Doações para o Programa FOME ZERO; Contribuições para Sindicatos, Corpo de Bombeiros Voluntários, Hospital, Casa Lar; E O MERCADO RECONHECE AS INCIATIVAS DA RENAR NO CAMPO SOCIAL E AMBIENTAL Top de Exportação em 23 pela ADVB; Empresa Cidadã em 1999 pela ADVB; Certificação EUREPGAP (boas práticas agrícolas ) Certificação BRC (qualidade para o varejo britânico)

36 Quadro de funcionários FUNCIONÁRIOS PERMANENTES Sem escolaridade 1ª a 4ª Série 5ª a 8ª Série Nível Médio Superior Pós Graduação A RENAR gera crescimento: Ao criar mais empregos a cada ano Ao Reduzir o analfabetismo e melhorando a escolaridade Ao oferecer quase 2. vagas de emprego temporário nos períodos de safra!

37 Encerramento e notas A RENAR MAÇÃS S/A e os coordenadores da Oferta Pública agradecem a atenção dos presentes. A RENAR e os coordenadores estão à disposição para quaisquer esclarecimentos adicionais que se fizerem necessários. Mais informações disponíveis também no site Demonstrações financeiras auditadas por: Russel Bedford Brasil Auditores Independentes Fone: (41) 35.6

RESULTADOS 2T15 Teleconferência 10 de agosto de 2015

RESULTADOS 2T15 Teleconferência 10 de agosto de 2015 RESULTADOS 2T15 Teleconferência 10 de agosto de 2015 AVISO Nesta apresentação nós fazemos declarações prospectivas que estão sujeitas a riscos e incertezas. Tais declarações têm como base crenças e suposições

Leia mais

SUCESSO EM ALGUMAS EM OUTRAS... XXXXX. Salário para boa condição de vida. Leva à PRODUTIVIDADE que é buscada continuamente

SUCESSO EM ALGUMAS EM OUTRAS... XXXXX. Salário para boa condição de vida. Leva à PRODUTIVIDADE que é buscada continuamente ADMINISTRAR ----- NÃO É ABSOLUTO. SUCESSO EM ALGUMAS EM OUTRAS... INTEGRAÇÃO = PESSOAS / EMPRESAS = ESSENCIAL SATISFAÇÃO FINANCEIRA RESULTANTE DA SINERGIA Leva à PRODUTIVIDADE que é buscada continuamente

Leia mais

O ano de 2004 foi marcado pelo fato do Brasil ter colhido sua maior safra de maçãs.

O ano de 2004 foi marcado pelo fato do Brasil ter colhido sua maior safra de maçãs. RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas, Em atendimento às disposições legais e estatutárias, submetemos à apreciação de V. Sas. o presente relatório, juntamente com as Demonstrações Financeiras

Leia mais

Contexto Operacional. Operação. Receita Líquida. 12,9 bilhões. Composição da Receita Consolidada (%)

Contexto Operacional. Operação. Receita Líquida. 12,9 bilhões. Composição da Receita Consolidada (%) 103 Contexto Operacional A seguir seguem os comentários sobre o desempenho da S.A. referentes ao exercício de 2014. Com intuito de proporcionar a visibilidade anual dos resultados, tais comentários são

Leia mais

Mercado de Ações O que são ações? Ação é um pedacinho de uma empresa Com um ou mais pedacinhos da empresa, você se torna sócio dela Sendo mais formal, podemos definir ações como títulos nominativos negociáveis

Leia mais

PORQUE E COMO ABRIR O CAPITAL DE UMA EMPRESA

PORQUE E COMO ABRIR O CAPITAL DE UMA EMPRESA PORQUE E COMO ABRIR O CAPITAL DE UMA EMPRESA! Os custos! As vantagens! Os obstáculos! Os procedimentos Francisco Cavalcante (francisco@fcavalcante.com.br) Sócio-Diretor da Cavalcante & Associados, empresa

Leia mais

Teleconferência Resultados 3T10

Teleconferência Resultados 3T10 Teleconferência Resultados 3T10 Sexta-feira, 5 de Novembro de 2010 Horário: 14:00 (horário de Brasília) 12:00 (horário US EDT) Tel: + 55 (11) 4688-6361 Código: LASA Replay: + 55 (11) 4688-6312 Código:

Leia mais

ÍNDICE. Definições... 5 Resumo das Características da Oferta... 7 2. INFORMAÇÕES SOBRE OS ADMINISTRADORES, CONSULTORES E AUDITORES

ÍNDICE. Definições... 5 Resumo das Características da Oferta... 7 2. INFORMAÇÕES SOBRE OS ADMINISTRADORES, CONSULTORES E AUDITORES ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO Definições... 5 Resumo das Características da Oferta... 7 2. INFORMAÇÕES SOBRE OS ADMINISTRADORES, CONSULTORES E AUDITORES Administradores da Emissora... 13 Coordenador Líder... 13

Leia mais

Apresentação Preliminar. Grupo Incefra Certificados de Recebíveis Imobiliários Junho, 2014

Apresentação Preliminar. Grupo Incefra Certificados de Recebíveis Imobiliários Junho, 2014 Apresentação Preliminar Grupo Incefra Certificados de Recebíveis Imobiliários Junho, 2014 Disclaimer Esta apresentação está sendo disponibilizada para análise, em caráter personalíssimo, no âmbito da oferta

Leia mais

Simulado CPA 10 Completo

Simulado CPA 10 Completo Simulado CPA 10 Completo Question 1. O SELIC é um sistema informatizado que cuida da liquidação e custódia de: ( ) Certificado de Depósito Bancário ( ) Contratos de derivativos ( ) Ações negociadas em

Leia mais

Luiz Fernando Rolla. Diretor de Finanças, Relações com Investidores e Controle de Participações

Luiz Fernando Rolla. Diretor de Finanças, Relações com Investidores e Controle de Participações Luiz Fernando Rolla Diretor de Finanças, Relações com Investidores e Controle de Participações Nossa base de acionistas assegura liquidez América do Norte Canadá Estados Unidos México Europa Luxemburgo

Leia mais

Resultados 1T15. 08 de maio de 2015

Resultados 1T15. 08 de maio de 2015 Resultados 1T15 08 de maio de 2015 2 Principais destaques do 1T15 Crescimento da receita líquida de 23%, sendo de 2 dígitos em todas unidades de negócio no comparativo ano vs. ano, favorecidas por 83%

Leia mais

ALOG SOLUÇÕES DE TECNOLOGIA EM INFORMÁTICA S.A., sucessora por incorporação de ALOG DATA CENTERS DO BRASIL S.A. 1ª Emissão Pública de Debêntures

ALOG SOLUÇÕES DE TECNOLOGIA EM INFORMÁTICA S.A., sucessora por incorporação de ALOG DATA CENTERS DO BRASIL S.A. 1ª Emissão Pública de Debêntures ALOG SOLUÇÕES DE TECNOLOGIA EM INFORMÁTICA S.A., sucessora por incorporação de ALOG DATA CENTERS DO BRASIL S.A. 1ª Emissão Pública de Debêntures Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2012 ALOG

Leia mais

APIMEC-MG Belo Horizonte 26 de agosto de 2009

APIMEC-MG Belo Horizonte 26 de agosto de 2009 APIMEC-MG Belo Horizonte 26 de agosto de 2009 1 1 Ressalvas As informações e declarações sobre eventos futuros estão sujeitas a riscos e incertezas, as quais têm como base estimativas e suposições da Administração

Leia mais

Relatório Analítico 27 de março de 2012

Relatório Analítico 27 de março de 2012 VENDA Código de Negociação Bovespa TGM A3 Segmento de Atuação Principal Logística Categoria segundo a Liquidez 2 Linha Valor de M ercado por Ação (R$) 29,51 Valor Econômico por Ação (R$) 32,85 Potencial

Leia mais

Suzano Papel e Celulose anuncia os resultados consolidados do 2º trimestre de 2006

Suzano Papel e Celulose anuncia os resultados consolidados do 2º trimestre de 2006 Suzano Papel e Celulose anuncia os resultados consolidados do 2º trimestre de 2006 Ebitda consolidado pro-forma com Ripasa atinge US$125 milhões São Paulo, 19 de julho de 2006. Suzano Papel e Celulose

Leia mais

A Coordenadora Líder é Elite CCVM Prospecto de 24 de Janeiro de 2005 Oferta Pública Primária de Ações Ordinárias da Código ISIN: BRRNARACNOR6 A RENAR

A Coordenadora Líder é Elite CCVM Prospecto de 24 de Janeiro de 2005 Oferta Pública Primária de Ações Ordinárias da Código ISIN: BRRNARACNOR6 A RENAR A Coordenadora Líder é Elite CCVM Prospecto de 24 de Janeiro de 2005 Oferta Pública Primária de Ações Ordinárias da Código ISIN: BRRNARACNOR6 A RENAR MAÇAS S. A. está realizando oferta pública de 10.000.000

Leia mais

Prospecto de 24 de Janeiro de 2005 Oferta Pública Primária de Ações Ordinárias da

Prospecto de 24 de Janeiro de 2005 Oferta Pública Primária de Ações Ordinárias da Prospecto de 24 de Janeiro de 25 Oferta Pública Primária de Ações Ordinárias da RENAR MAÇÃS S.A. Companhia Aberta CNPJ 86.55.951/1-5 Rua Nereu Ramos, 219 Fraiburgo SC R$ 16.., Código ISIN: BRRNARACNOR6

Leia mais

Unopar. Dezembro 2011 KROT11

Unopar. Dezembro 2011 KROT11 Unopar Dezembro 2011 KROT11 Notas Importantes As afirmações contidas neste documento relacionadas a perspectivas sobre os negócios, projeções sobre resultados operacionais e financeiros e aquelas relacionadas

Leia mais

INDICADORES FINANCEIROS

INDICADORES FINANCEIROS Relatório 2014 Um Olhar para o Futuro DESEMPENHO ECONÔMICO ECONÔMICA www.fibria.com.br/r2014/desempenho-economico/ 126 INDICADORES FINANCEIROS A Fibria encerrou 2014 com lucro líquido de R$ 163 milhões,

Leia mais

BR Towers SPE1 S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2012 e relatório dos auditores independentes

BR Towers SPE1 S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2012 e relatório dos auditores independentes Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2012 e relatório dos auditores independentes Demonstração do resultado Exercício/período findo em 31 de dezembro Receita líquida (Nota 14) 13.913 Custo

Leia mais

SÉRIE IPO s: TUDO O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE ABERTURA DE CAPITAL. Parte 4: Como tornar sua Empresa uma Companhia de Capital Aberto

SÉRIE IPO s: TUDO O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE ABERTURA DE CAPITAL. Parte 4: Como tornar sua Empresa uma Companhia de Capital Aberto SÉRIE IPO s: TUDO O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE ABERTURA DE CAPITAL Parte 4: Como tornar sua Empresa uma Companhia de Capital Aberto o O que é Abertura de Capital o Vantagens da abertura o Pré-requisitos

Leia mais

VALID SOLUÇÕES E SERVIÇOS DE SEGURANÇA EM MEIOS DE PAGAMENTO E IDENTIFICAÇÃO S.A. 1ª Emissão Pública de Debêntures

VALID SOLUÇÕES E SERVIÇOS DE SEGURANÇA EM MEIOS DE PAGAMENTO E IDENTIFICAÇÃO S.A. 1ª Emissão Pública de Debêntures VALID SOLUÇÕES E SERVIÇOS DE SEGURANÇA EM MEIOS DE PAGAMENTO E IDENTIFICAÇÃO S.A. 1ª Emissão Pública de Debêntures Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2011 VALID SOLUÇÕES E SERVIÇOS DE SEGURANÇA

Leia mais

PROPOSTA DO IBMEC PROJETO ACESSO DAS EMPRESAS AO MERCADO DE CAPITAIS SÃO PAULO 29/06/2012

PROPOSTA DO IBMEC PROJETO ACESSO DAS EMPRESAS AO MERCADO DE CAPITAIS SÃO PAULO 29/06/2012 PROPOSTA DO IBMEC PROJETO ACESSO DAS EMPRESAS AO MERCADO DE CAPITAIS CEMEC SÃO PAULO 29/06/2012 C.A.ROCCA INDICE 1. Bases da proposta do IBMEC 2. Mercado de capitais brasileiro: regulação, funcionalidade

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O GRADIUS HEDGE FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO CNPJ: Nº 10.446.951/0001-42

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O GRADIUS HEDGE FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO CNPJ: Nº 10.446.951/0001-42 LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O GRADIUS HEDGE FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO CNPJ: Nº Informações referentes à Abril de 2013 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o

Leia mais

Novo Mercado de Acesso no Brasil: Bovespa Mais e Bovespa Mais Nível 2

Novo Mercado de Acesso no Brasil: Bovespa Mais e Bovespa Mais Nível 2 Novo Mercado de Acesso no Brasil: Bovespa Mais e Bovespa Mais Nível 2 MERCADO jun/15 E O AMBIENTE PARA IPOS NO BRASIL Confidencial Restrita Confidencial Uso Interno X Público 1 HISTÓRICO DO MERCADO DE

Leia mais

RESULTADOS 1T15 Teleconferência 8 de maio de 2015

RESULTADOS 1T15 Teleconferência 8 de maio de 2015 RESULTADOS 1T15 Teleconferência 8 de maio de 2015 Aviso Nesta apresentação nós fazemos declarações prospectivas que estão sujeitas a riscos e incertezas. Tais declarações têm como base crenças e suposições

Leia mais

Seminário "Governança Corporativa: Experiências em Empresas Estatais"

Seminário Governança Corporativa: Experiências em Empresas Estatais Seminário "Governança Corporativa: Experiências em Empresas Estatais" Marco Geovanne Tobias da Silva 17 de maio de 2005 O que é Governança Corporativa? Conjunto de normas de conduta a serem adotadas por

Leia mais

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 08. Custos de Transação e Prêmios na Emissão de Títulos e Valores Mobiliários

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 08. Custos de Transação e Prêmios na Emissão de Títulos e Valores Mobiliários COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 08 Custos de Transação e Prêmios na Emissão de Títulos e Valores Mobiliários Correlação às Normas Internacionais de Contabilidade IAS 39 partes

Leia mais

Senior Solution (SNSL3) Conhecendo a empresa

Senior Solution (SNSL3) Conhecendo a empresa Análise XP Fundamentos Senior Solution (SNSL3) Conhecendo a empresa A Empresa A Senior Solution está presente, há mais de 17 anos, no segmento de Tecnologia da Informação no mercado brasileiro, sendo uma

Leia mais

Os desafios da implementação da Lei 11.638/07

Os desafios da implementação da Lei 11.638/07 Os desafios da implementação da Lei 11.638/07 Nossos principais negócios: 40 empresas e 7 consórcios Corporação Cemig Áreas de Atuação: Geração, transmissão, comercialização e distribuição de energia elétrica

Leia mais

Divulgação de resultados 3T13

Divulgação de resultados 3T13 Brasil Brokers divulga seus resultados do 3º Trimestre do ano de 2013 Rio de Janeiro, 13 de novembro de 2013. A Brasil Brokers Participações S.A. (BM&FBovespa: BBRK3) uma empresa com foco e atuação no

Leia mais

Por que abrir o capital?

Por que abrir o capital? Por que abrir capital? Por que abrir o capital? Vantagens e desafios de abrir o capital Roberto Faldini Fortaleza - Agosto de 2015 - PERFIL ABRASCA Associação Brasileira de Companhias Abertas associação

Leia mais

REUNIÃO APIMEC-SP 3T04. 30 de novembro 2004

REUNIÃO APIMEC-SP 3T04. 30 de novembro 2004 REUNIÃO APIMEC-SP 3T04 30 de novembro 2004 Índice Perfil Corporativo Desempenho Econômico-Financeiro Mercado de Capitais Responsabilidade Corporativa Perspectivas Disclaimer Declarações contidas nesta

Leia mais

A propósito, apresentamos a seguir um breve histórico sobre a matéria, um resumo da manifestação da Companhia, nossas considerações e a conclusão.

A propósito, apresentamos a seguir um breve histórico sobre a matéria, um resumo da manifestação da Companhia, nossas considerações e a conclusão. Para: SGE MEMO/SRE/GER-2/Nº 135/2006 De: GER-2 Data: 1/6/2006 Assunto: Pedido de Dispensa de Requisitos de Registro Processo CVM n o RJ 2006/3627 Senhor Superintendente Geral, Requerem a CREMER S.A ("Companhia"

Leia mais

2 Abertura de capital

2 Abertura de capital 2 Abertura de capital 2.1. Mercado de capitais O Sistema Financeiro pode ser segmentado, de acordo com os produtos e serviços financeiros prestados, em quatro tipos de mercado: mercado monetário, mercado

Leia mais

Julho/2008. Abertura de Capital e Emissão de Debêntures

Julho/2008. Abertura de Capital e Emissão de Debêntures Julho/2008 Abertura de Capital e Emissão de Debêntures Principal instrumento de captação de recursos de médio e longo prazos, a debênture representa para muitas companhias a porta de entrada no mercado

Leia mais

NORMA CONTABILISTICA E DE RELATO FINANCEIRO 2 DEMONSTRAÇÃO DE FLUXOS DE CAIXA. Objectivo ( 1) 2 Âmbito ( 2) 2 Definições ( 3 a 6) 2

NORMA CONTABILISTICA E DE RELATO FINANCEIRO 2 DEMONSTRAÇÃO DE FLUXOS DE CAIXA. Objectivo ( 1) 2 Âmbito ( 2) 2 Definições ( 3 a 6) 2 NORMA CONTABILISTICA E DE RELATO FINANCEIRO 2 DEMONSTRAÇÃO DE FLUXOS DE CAIXA Esta Norma Contabilística e de Relato Financeiro tem por base a Norma Internacional de Contabilidade IAS 7 Demonstrações de

Leia mais

DESAFIOS E PERSPECTIVAS PARA A INDÚSTRIA DE FUNDOS IMOBILIÁRIOS NO BRASIL

DESAFIOS E PERSPECTIVAS PARA A INDÚSTRIA DE FUNDOS IMOBILIÁRIOS NO BRASIL DESAFIOS E PERSPECTIVAS PARA A INDÚSTRIA DE FUNDOS IMOBILIÁRIOS NO BRASIL Valdery Albuquerque 2ª Conferência Internacional de Crédito Imobiliário De 17 a 19 de março de 2010 Índice 1. Conceitos e Características

Leia mais

REIT SECURITIZADORA DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS S.A. (Prata Forte) 3º Série da 2ª Emissão de Certificados de Recebíveis Imobiliários

REIT SECURITIZADORA DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS S.A. (Prata Forte) 3º Série da 2ª Emissão de Certificados de Recebíveis Imobiliários REIT SECURITIZADORA DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS S.A. (Prata Forte) 3º Série da 2ª Emissão de Certificados de Recebíveis Imobiliários ÍNDICE CARACTERÍSTICAS DOS CRI s... 3 CARACTERIZAÇÃO DA EMISSORA... 3

Leia mais

TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o Terceiro Trimestre de 2005 Publicação, 08 de novembro de 2005 (07 páginas)

TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o Terceiro Trimestre de 2005 Publicação, 08 de novembro de 2005 (07 páginas) TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o Terceiro Trimestre de 2005 Publicação, 08 de novembro de 2005 (07 páginas) Para maiores informações, contatar: Daniel de Andrade Gomes TELEFÔNICA

Leia mais

APIMEC 1T10. 27 de maio 2010

APIMEC 1T10. 27 de maio 2010 APIMEC 1T10 27 de maio 2010 Aviso Importante O material que segue é uma apresentação de informações gerais de Multiplus S.A. ( Multiplus" ou "Companhia") na data desta apresentação. Este material foi preparado

Leia mais

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 4T14

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 4T14 VISÃO GERAL DA COMPANHIA A Iochpe-Maxion é uma companhia global, líder mundial na produção de rodas automotivas, um dos principais produtores de componentes estruturais automotivos nas Américas e também

Leia mais

MRS LOGISTICA S.A. 3ª Emissão Pública de Debêntures. Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2007

MRS LOGISTICA S.A. 3ª Emissão Pública de Debêntures. Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2007 MRS LOGISTICA S.A. 3ª Emissão Pública de Debêntures Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2007 MRS LOGISTICA S.A. 3ª Emissão Pública de Debêntures Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício

Leia mais

- Assessoria de Mercado de Capitais e Empresarial Ltda - Consultores Ltda

- Assessoria de Mercado de Capitais e Empresarial Ltda - Consultores Ltda 19/02/2010 CETIP S.A BALCÃO ORGANIZADO DE ATIVOS E DERIVATIVOS A Companhia A CETIP S.A. - Balcão Organizado de Ativos e Derivativos ( Companhia ou CETIP ) opera o maior Mercado Organizado para Ativos de

Leia mais

BTG Fundo de Fundos. 5ª Emissão. Janeiro, 2013. Para informações adicionais, leia atentamente os Avisos Adicionais no final da apresentação.

BTG Fundo de Fundos. 5ª Emissão. Janeiro, 2013. Para informações adicionais, leia atentamente os Avisos Adicionais no final da apresentação. 5ª Emissão Janeiro, 2013 Para informações adicionais, leia atentamente os Avisos Adicionais no final da apresentação. SEÇÃO 1 Características Características Fundo Carteira Remuneração FUNDO FII fechado

Leia mais

Índice. RS no Brasil Nossa Empresa Governança Corporativa Nossos Números Análise Comparativa Sustentabilidade Projeções e Estimativas

Índice. RS no Brasil Nossa Empresa Governança Corporativa Nossos Números Análise Comparativa Sustentabilidade Projeções e Estimativas CICLO APIMEC 2010 Índice RS no Brasil Nossa Empresa Governança Corporativa Nossos Números Análise Comparativa Sustentabilidade Projeções e Estimativas 3 RS no Brasil DADOS DEMOGRÁFICOS RS BRASIL População

Leia mais

Resultados 1T07 10 de maio de 2007

Resultados 1T07 10 de maio de 2007 PUBLICIDADE CAIXA CRESCEU 102% BASE DE ASSINANTES BANDA LARGA CRESCEU 32% São Paulo, O UOL (BOVESPA: UOLL4) anuncia hoje os resultados do 1T07. As demonstrações financeiras da Companhia são elaboradas

Leia mais

Brasil como maior exportador mundial de carne bovina: conquistas e desafios

Brasil como maior exportador mundial de carne bovina: conquistas e desafios Brasil como maior exportador mundial de carne bovina: conquistas e desafios João Ricardo Albanez Superintendente de Política e Economia Agrícola, Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de

Leia mais

INFORMAÇÕES CONSOLIDADAS 1T14

INFORMAÇÕES CONSOLIDADAS 1T14 Caxias do Sul, 12 de maio de 2014 - A Marcopolo S.A. (BM&FBOVESPA: POMO3; POMO4), divulga os resultados do primeiro trimestre de 2014 (1T14). As demonstrações financeiras são apresentadas de acordo com

Leia mais

Cenário. Ibovespa 60.000 50.000 40.000 30.000 20.000 10.000. set-02. set-06. set-04. set-05. set-03. jan-02. jan-04. jan-03. jan-05. jan-06.

Cenário. Ibovespa 60.000 50.000 40.000 30.000 20.000 10.000. set-02. set-06. set-04. set-05. set-03. jan-02. jan-04. jan-03. jan-05. jan-06. Data Base: jun/07 Cenário O Brasil está começando a firmar-se como economia estável e previsível. A queda dos juros vem diminuindo o atrativo dos investimentos em títulos do Governo. Quanto mais credibilidade

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2012 - VIX LOGÍSTICA S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2012 - VIX LOGÍSTICA S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Os resultados do segundo trimestre e primeiro semestre de 2014 consolidam as Empresas BRF S.A.

Os resultados do segundo trimestre e primeiro semestre de 2014 consolidam as Empresas BRF S.A. BRF RESULTADOS 2T14 Os resultados do segundo trimestre e primeiro semestre de 2014 consolidam as Empresas BRF S.A. As declarações contidas neste relatório relativas à perspectiva dos negócios da Empresa,

Leia mais

Planejamento e Controle do Lucro Empresas de Pequeno e Médio Porte

Planejamento e Controle do Lucro Empresas de Pequeno e Médio Porte Planejamento e Controle do Lucro Empresas de Pequeno e Médio Porte Profa. Dariane Reis Fraga Castanheira darianer@fia.com.br www.fia.com.br/proced Profa. Dariane Reis Fraga Castanheira 1 Objetivo Planejamento

Leia mais

(c) promover, realizar ou orientar a captação, em fontes internas e externas, de recursos a serem aplicados pela Companhia ou pela sua controlada;

(c) promover, realizar ou orientar a captação, em fontes internas e externas, de recursos a serem aplicados pela Companhia ou pela sua controlada; RELATORIO DA ADMINISTRAÇÃO SENHORES ACIONISTAS, Atendendo às disposições legais e estatutárias, a Administração da TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. sociedade anônima de capital aberto, submete à apreciação

Leia mais

Teleconferência de Resultados do 3T09

Teleconferência de Resultados do 3T09 Teleconferência de Resultados do 3T09 2 Destaques do trimestre O forte resultado do 3T09 demonstrou nossa confortável posição competitiva na indústria de proteínas e confirmou os resultados esperados de

Leia mais

CSU CARDSYSTEM SA. investidorescsu@csu.com.br

CSU CARDSYSTEM SA. investidorescsu@csu.com.br CSU CARDSYSTEM SA investidorescsu@csu.com.br 2 Considerações Iniciais Esta apresentação pode incluir declarações que representem expectativas sobre eventos ou resultados futuros de acordo com a regulamentação

Leia mais

ENTERPRISE EUROPE NETWORK. Título: Procura-se investidor para a produção e desenvolvimento de linha inovadora de produtos feitos de peixe.

ENTERPRISE EUROPE NETWORK. Título: Procura-se investidor para a produção e desenvolvimento de linha inovadora de produtos feitos de peixe. Tipo de parceria: Investimento Procura-se investidor para a produção e desenvolvimento de linha inovadora de produtos feitos de peixe. Empresa húngara desenvolveu uma linha de alimentos a base de peixe

Leia mais

Foz de Jeceaba Engenharia Ambiental S.A. Demonstrações financeiras e relatório dos auditores independentes em 31 de dezembro de 2011

Foz de Jeceaba Engenharia Ambiental S.A. Demonstrações financeiras e relatório dos auditores independentes em 31 de dezembro de 2011 Foz de Jeceaba Engenharia Ambiental S.A. Demonstrações financeiras e relatório dos auditores independentes em 31 de dezembro de 2011 Balanços patrimoniais em 31 de dezembro Em milhares de reais Ativo

Leia mais

DESAFIOS PARA A CITRICULTURA DE MESA BRASILEIRA. Camilo Lázaro Medina clmedina@conplant.com.br

DESAFIOS PARA A CITRICULTURA DE MESA BRASILEIRA. Camilo Lázaro Medina clmedina@conplant.com.br DESAFIOS PARA A CITRICULTURA DE MESA BRASILEIRA Camilo Lázaro Medina clmedina@conplant.com.br DESAFIOS PARA A FRUTICULTURA DE MESA BRASILEIRA Importância: 73% do volume de produção brasileira se destinam

Leia mais

COMPANHIA SIDERÚRGICA NACIONAL

COMPANHIA SIDERÚRGICA NACIONAL P E N T Á G O N O D E B T R E S E A R C H COMPANHIA SIDERÚRGICA NACIONAL RELATÓRIO DO AGENTE FIDUCIÁRIO BRASIL SETOR: SIDERÚRGIA CÓDIGO CETIP: CSNA13-23 CÓDIGO CBLC: CSNA-D31-D32 REGISTRO NA CVM Nº: CVM/SRE/DEB-2003/022

Leia mais

Teleconferência Resultados 1T10

Teleconferência Resultados 1T10 Teleconferência Resultados 1T10 18 de maio de 2010 Visão Geral da Administração Venda da estrutura de Varejo + Foco no segmento de crédito a Empresas Transferência das atividades de originação e crédito

Leia mais

Associação Nacional dos Exportadores de Sucos Cítricos Consumo Mundial de Suco de Laranja

Associação Nacional dos Exportadores de Sucos Cítricos Consumo Mundial de Suco de Laranja Associação Nacional dos Exportadores de Sucos Cítricos Consumo Mundial de Suco de Laranja Câmara Setorial da Citricultura Brasília, 6 de setembro de 2011. TRANSPARÊNCIA E INFORMAÇÃO AGO/2010 OUT/2010 NOV-DEZ/2010

Leia mais

Mercado de capitais. Mercado Financeiro - Prof. Marco Arbex. Mercado de capitais. Comissão de Valores Mobiliários. Comissão de Valores Mobiliários

Mercado de capitais. Mercado Financeiro - Prof. Marco Arbex. Mercado de capitais. Comissão de Valores Mobiliários. Comissão de Valores Mobiliários Mercado de capitais Mercado de capitais Prof. Ms. Marco A. Arbex marco.arbex@live.estacio.br www.marcoarbex.wordpress.com O mercado de capitais está estruturado para suprir as necessidades de investimento

Leia mais

Ciências Econômicas. 4.2 Mercado de Capitais. Marcado Financeiro e de Capitais (Aula-2015/10.16) 16/10/2015. Prof. Johnny 1

Ciências Econômicas. 4.2 Mercado de Capitais. Marcado Financeiro e de Capitais (Aula-2015/10.16) 16/10/2015. Prof. Johnny 1 UNIVERSIDADE COMUNITÁRIA DA REGIÃO DE CHAPECÓ Ciências Econômicas Mercado de Capitais Tributações Relatórios Professor : Johnny Luiz Grando Johnny@unochapeco.edu.br 4.2 Mercado de Capitais 4.3.1 Conceitos

Leia mais

Apresentação de Resultados

Apresentação de Resultados Apresentação 3T08 Apresentação de Resultados José Carlos Aguilera (Diretor Presidente e de RI) Eduardo de Come (Diretor Financeiro) Marcos Leite (Gerente de RI) Destaques do Período Contexto de crise no

Leia mais

CYRELA BRAZIL REALTY S.A EMPREENDIMENTOS E PARTICIPAÇÕES

CYRELA BRAZIL REALTY S.A EMPREENDIMENTOS E PARTICIPAÇÕES CYRELA BRAZIL REALTY S.A EMPREENDIMENTOS E PARTICIPAÇÕES 1ª Emissão Pública de Debêntures Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2007 Cyrela Brazil Realty S.A. Empreendimentos e Participações

Leia mais

Earnings Release. Relação com Investidores. Destaques do 2T11. Brasil Insurance Anuncia Resultados do 2T11

Earnings Release. Relação com Investidores. Destaques do 2T11. Brasil Insurance Anuncia Resultados do 2T11 Relação com Investidores Luis Eduardo Fischman Diretor de Relações com Investidores (55 21) 3433-5060 ri@brinsurance.com.br Teleconferência de Resultados 2T11 Terça-Feira, 16 de agosto de 2011 Português

Leia mais

MBK Securitizadora S.A. Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de

MBK Securitizadora S.A. Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de MBK Securitizadora S.A. Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de dezembro de 2012 MBK Securitizadora S.A. Demonstrações Financeiras

Leia mais

Empresa Energética de Mato Grosso do Sul S.A. - ENERSUL

Empresa Energética de Mato Grosso do Sul S.A. - ENERSUL Empresa Energética de Mato Grosso do Sul S.A. - ENERSUL 6ª Emissão Pública de Debêntures Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2007 Empresa Energética de Mato Grosso do Sul S.A. - ENERSUL 6ª

Leia mais

Salus Infraestrutura Portuária S.A.

Salus Infraestrutura Portuária S.A. Salus Infraestrutura Portuária S.A. Demonstrações Financeiras Referentes ao Exercício Findo em 31 de Dezembro de 2014 e Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras Deloitte

Leia mais

AVALIAÇÃO DE EMPRESAS

AVALIAÇÃO DE EMPRESAS 1 2 sem/11 AVALIAÇÃO DE EMPRESAS Prof. Alcides T. Lanzana 2 AVALIAÇÃO DE EMPRESAS Introdução Valuation Métodos de atribuição de valor à empresa 3 USOS DO VALUATION Compra e Venda Fusões e Incorporações

Leia mais

a) mercados de derivativos, tais como, exemplificativamente, índices de ações, índices de preços, câmbio (moedas), juros;

a) mercados de derivativos, tais como, exemplificativamente, índices de ações, índices de preços, câmbio (moedas), juros; CREDIT SUISSE HEDGINGGRIFFO 1. Públicoalvo LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS dezembro/2013 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o CSHG EQUITY HEDGE LEVANTE FUNDO DE INVESTIMENTO

Leia mais

Divulgação de Resultados do 4T13 e 2013

Divulgação de Resultados do 4T13 e 2013 R$ milhões R$ milhões R$ milhões R$ milhões Divulgação de Resultados do 4T13 e 2013 As informações financeiras são apresentadas em milhões de Reais, exceto quando indicado o contrário e, a partir de 2011,

Leia mais

Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de dezembro de 2012

Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de dezembro de 2012 Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de dezembro de 2012 Demonstrações Financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de

Leia mais

ITEM 10 DO FORMULÁRIO DE REFERÊNCIA COMENTÁRIO DOS ADMINISTRADORES SOBRE A SITUAÇAO FINANCEIRA DA COMPANHIA. (Instrução CVM nº 480)

ITEM 10 DO FORMULÁRIO DE REFERÊNCIA COMENTÁRIO DOS ADMINISTRADORES SOBRE A SITUAÇAO FINANCEIRA DA COMPANHIA. (Instrução CVM nº 480) ITEM 10 DO FORMULÁRIO DE REFERÊNCIA COMENTÁRIO DOS ADMINISTRADORES SOBRE A SITUAÇAO FINANCEIRA DA COMPANHIA (Instrução CVM nº 480) Em linhas gerais, o patrimônio da Companhia é composto por dezesseis embarcações

Leia mais

NCRF 2 Demonstração de fluxos de caixa

NCRF 2 Demonstração de fluxos de caixa NCRF 2 Demonstração de fluxos de caixa Esta Norma Contabilística e de Relato Financeiro tem por base a Norma Internacional de Contabilidade IAS 7 - Demonstrações de Fluxos de Caixa, adoptada pelo texto

Leia mais

PROGRAMA DE ATUALIZAÇÃO dos Profissionais Certificados pela ANBIMA CPA-10

PROGRAMA DE ATUALIZAÇÃO dos Profissionais Certificados pela ANBIMA CPA-10 PROGRAMA DE ATUALIZAÇÃO dos Profissionais Certificados pela ANBIMA CPA-10 Controle: D.04.10.04 Data da Elaboração: 10/11/2009 Data da Revisão: 30/09/2013 Elaborado por: Certificação ANBIMA Aprovado por:

Leia mais

Earnings Release 1T15

Earnings Release 1T15 Santo André, 05 de maio de 2015: A CVC Brasil Operadora e Agência de Viagens S.A. (BM&FBOVESPA: CVCB3), maior operadora de turismo das Américas, informa aos seus acionistas e demais participantes do mercado

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O VIDA FELIZ FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ 07.660.310/0001-81 OUTUBRO/2015

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O VIDA FELIZ FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ 07.660.310/0001-81 OUTUBRO/2015 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o Vida Feliz Fundo de Investimento em Ações. As informações completas sobre esse fundo podem ser obtidas no Prospecto e no Regulamento do fundo,

Leia mais

Programa de Atualização Certificação Profissional ANBIMA Série 10 (CPA-10) Versão 2.2

Programa de Atualização Certificação Profissional ANBIMA Série 10 (CPA-10) Versão 2.2 Programa de Atualização Certificação Profissional ANBIMA Série 10 (CPA-10) Versão 2.2 OBJETIVOS DA ATUALIZAÇÃO DA CPA-10 A Atualização dos profissionais certificados CPA-10 é parte do Código de Regulação

Leia mais

Fundo multimercado que tem como objetivo buscar rentabilidade acima do Certificado de Depósito Interbancário - CDI.

Fundo multimercado que tem como objetivo buscar rentabilidade acima do Certificado de Depósito Interbancário - CDI. LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS 1. Público-alvo dezembro/2013 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o CSHG VERDE FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO.

Leia mais

A Companhia de Concessões Rodoviárias Concluiu a Aquisição da Renovias Concessionária S/A.

A Companhia de Concessões Rodoviárias Concluiu a Aquisição da Renovias Concessionária S/A. A Companhia de Concessões Rodoviárias Concluiu a Aquisição da Renovias Concessionária S/A. As informações financeiras e operacionais abaixo, exceto onde indicado em contrário, referem-se a prática contábil

Leia mais

Banco Santander (Brasil) S.A.

Banco Santander (Brasil) S.A. Banco Santander (Brasil) S.A. Resultados em BR GAAP 4T14 3 de Fevereiro de 2015 INFORMAÇÃO 2 Esta apresentação pode conter certas declarações prospectivas e informações relativas ao Banco Santander (Brasil)

Leia mais

Resultado da Oferta Pública Voluntária de Permuta. Novembro de 2014

Resultado da Oferta Pública Voluntária de Permuta. Novembro de 2014 Resultado da Oferta Pública Voluntária de Permuta Novembro de 2014 OFERTA VOLUNTÁRIA DE PERMUTA DE AÇÕES No dia 30 de outubro realizamos o leilão da oferta voluntária. A adesão dos minoritários do Santander

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SPINELLI FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ 55.075.238/0001-78 SETEMBRO/2015

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SPINELLI FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ 55.075.238/0001-78 SETEMBRO/2015 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o Spinelli Fundo de Investimento em Ações. As informações completas sobre esse fundo podem ser obtidas no Prospecto e no Regulamento do fundo,

Leia mais

EM PAUTA O QUE É PRECISO FAZER PARA VIABILIZAR O ACESSO DE PEQUENAS & MÉDIAS EMPRESAS AO MERCADO DE CAPITAIS NO BRASIL?

EM PAUTA O QUE É PRECISO FAZER PARA VIABILIZAR O ACESSO DE PEQUENAS & MÉDIAS EMPRESAS AO MERCADO DE CAPITAIS NO BRASIL? O QUE É PRECISO FAZER PARA VIABILIZAR O ACESSO DE PEQUENAS & MÉDIAS EMPRESAS AO MERCADO DE CAPITAIS NO BRASIL? 8 REVISTA RI Setembro 2013 É o mercado de capitais brasileiro que precisa das pequenas e médias

Leia mais

Anúncio de Reestruturação Financeira

Anúncio de Reestruturação Financeira Anúncio de Reestruturação Financeira 1 Considerações Futuras Algumas informações sobre o Plano de Reestruturação Financeira da Companhia apresentam nossas expectativas sobre o resultado que poderemos obter

Leia mais

OI S.A. (Atual denominação de Brasil Telecom S.A.) 8ª Emissão Pública de Debêntures

OI S.A. (Atual denominação de Brasil Telecom S.A.) 8ª Emissão Pública de Debêntures OI S.A. (Atual denominação de Brasil Telecom S.A.) 8ª Emissão Pública de Debêntures Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2013 Oi S.A. (atual denominação de BRASIL TELECOM S.A.) 8ª Emissão

Leia mais

Terceiro Trimestre de 2014

Terceiro Trimestre de 2014 Terceiro Trimestre de 2014 Relatório de Resultados e Informações Financeiras Suplementares Teleconferência 3T14 sexta-feira, 14 de novembro de 2014 Português 11h00 (horário de Brasília) 08h00 (horário

Leia mais

SOARES & ASSOCIADOS AUDITORES INDEPENDENTES

SOARES & ASSOCIADOS AUDITORES INDEPENDENTES SOARES & ASSOCIADOS AUDITORES INDEPENDENTES Ilmos. Srs. Diretores e Acionistas de BVA Seguros S/A Rio de Janeiro - RJ RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES Examinamos as demonstrações financeiras individuais

Leia mais

1. Público-alvo. 2. Objetivos

1. Público-alvo. 2. Objetivos LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS dezembro/2013 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o. As informações completas sobre esse fundo podem ser obtidas no Prospecto e no Regulamento

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL 2012. BRASILFACTORS S.A. 1ª Emissão de Debêntures Simples. Abril 2013 www.fiduciario.com.br Página 1

RELATÓRIO ANUAL 2012. BRASILFACTORS S.A. 1ª Emissão de Debêntures Simples. Abril 2013 www.fiduciario.com.br Página 1 BRASILFACTORS S.A. 1ª Emissão de Debêntures Simples Abril 2013 www.fiduciario.com.br Página 1 ÍNDICE CARACTERIZAÇÃO DA EMISSORA... 3 CARACTERÍSTICAS DAS DEBÊNTURES... 3 DESTINAÇÃO DE RECURSOS... 6 ASSEMBLÉIAS

Leia mais

AULA 04 EXERCÍCIO 06 - ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS (FINANCEIRAS ):

AULA 04 EXERCÍCIO 06 - ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS (FINANCEIRAS ): Contabilidade Gerencial e Controladoria Prof. Oscar Scherer Dia 23/03/2012. AULA 04 EXERCÍCIO 06 - ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS (FINANCEIRAS ): Parte importante da administração financeira, devendo

Leia mais

CIBRASEC - COMPANHIA BRASILEIRA DE SECURITIZAÇÃO

CIBRASEC - COMPANHIA BRASILEIRA DE SECURITIZAÇÃO CIBRASEC - COMPANHIA BRASILEIRA DE SECURITIZAÇÃO 2ª Emissão de Certificados de Recebíveis Imobiliários Série: 153ª Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2013 CIBRASEC - COMPANHIA BRASILEIRA

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01896-1 MEHIR HOLDINGS S.A. 04.310.392/0001-46 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01896-1 MEHIR HOLDINGS S.A. 04.310.392/0001-46 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/9/25 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Divulgação Externa O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO

Leia mais

4º E 5º PERIODOS CIENCIAS CONTABEIS PROF NEUSA. 1- A empresa Brasil S/A apresenta inicialmente os seguintes saldos contábeis:

4º E 5º PERIODOS CIENCIAS CONTABEIS PROF NEUSA. 1- A empresa Brasil S/A apresenta inicialmente os seguintes saldos contábeis: 4º E 5º PERIODOS CIENCIAS CONTABEIS PROF NEUSA Exercícios: 1- A empresa Brasil S/A apresenta inicialmente os seguintes saldos contábeis: Banco 100.000 Duplicatas a receber 80.000 Financiamentos 80.000

Leia mais

Cerradinho Participações S.A. (Anteriormente denominada Cerradinho Holding S.A.) e Controladas

Cerradinho Participações S.A. (Anteriormente denominada Cerradinho Holding S.A.) e Controladas Cerradinho Participações S.A. (Anteriormente denominada Cerradinho Holding S.A.) e Controladas Demonstrações Financeiras Individuais e Consolidadas Referentes ao Exercício Findo em 31 de Março de 2012

Leia mais

Poder de voto de residentes: informar o poder de voto na empresa declarante detido por residentes.

Poder de voto de residentes: informar o poder de voto na empresa declarante detido por residentes. Data Base 31.12.2010 Dados do declarante Participação no capital social do declarante Poder de voto de residentes: informar o poder de voto na empresa declarante detido por residentes. Poder de voto de

Leia mais