Investimento Financeiro

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Investimento Financeiro"

Transcrição

1 Investimento Financeiro Apontamentos de: Sandra Gomes Data: Janeiro 2009 Livro: Mercados e Investimentos financeiros Nota: é o resumo dos 3 primeiros capítulos do livro / guião da cadeira 1

2 GUIÃO DE APOIO CAPÍTULO 1 INTRODUÇÃO 1.1 Activos reais e activos financeiros _ Investimento o sacrifício de hoje para investimento no amanha _ Investimentos reais: exemplo comprar uma casa _ Investimentos financeiros: exemplo o banco onde faço empréstimo está a fazer investimento financeiro 1.2 Escolha intertemporal e taxa de juro _ Cálculo do valor actualizado de um fluxo de cash-flows Val= CF1/1+r + CF2/(1+R)2.+CFt/(1+r)t Cash-flows CF= Valor recebido ou pago em determinado momento; t= período de tempo; r= taxa de juros _ Noção de taxa de juro é o preço de utilizar uma unidade monetária durante um perído de tempo Taxa de juros de equilíbrio quando a oferta 0 procura; aumenta quando oferta «á procura; quando a oferta» que a procura o juro baixa 1.3 Escolha em contexto de incerteza _ Relação rentabilidade/risco as pessoas só estão dispostas a deter activos com + risco se a sua rentabilidade esperada for mais elevada Exemplo 1.4 _ Conceito de arbitragem é importante ver a carteira de activos e verificar os riscos nela contidos (opções) quando existe arbitragem significa que o mercado de capitais não está em equilíbrio ou seja 2 activos CAPÍTULO 2 MERCADOS E INVESTIMENTOS FINANCEIROS 2.1 Mercados financeiros _ Mercado primário é quando um titulo financeiro é oferecido pela 1ª vez ao publico as empresas utilizam para fazer investimentos reais o Governo utiliza para financiar deficits orçamentais. _ Mercado secundário são as transacções posteriores ao 1º lançamento do titulo e que ocorre entre diferentes investidores e podem ser vendidos e comprados entre eles este mercado é muito importante porque á liquidez aos investimentos financeiros permitindo aos investidores venderem ou comprarem mt mais rapidamente títulos financeiros _ Bancos de investimento eles são intermediários entre as empresas e potenciais investidores normalmente aconselham as empresas sobre o tipo de produto a emitir e são responsáveis pelo marketing e pela venda dos títulos. _ Oferta privada Pode ser privada onde um numero restrito de potenciais investidos têm acesso _ Oferta pública quando o publico geral tem acesso _ Mercado monetário é onde são transaccionados produtos financeiros de curto prazo _ Mercado de capitais é onde se transaccionam produtos financeiros de longo prazo podem ter mercado organizado e mercado de balcão _ Mercado organizado de capitais é o que se chama bolsa de valores onde ocorrem leilões centralizados 2

3 _ Mercado de balcão é o conjunto de operações de compra e venda de títulos financeiros que são realizadas fora da bolsa de valores por intermediários financeiros ou por correctores autorizados, onde estes contactam directamente entre uns e outros. _ Mercados organizados Negociação contínua as transacções ocorrem em qualquer momento do tempo e negociação com base em chamadas as transacções ocorrem só num determinado momento do tempo, podem se de viva voz onde é anunciado o preço e vão leiloando até a oferta e procura estarem o mais próximo possível, tb pode ser computorizada Características desejáveis em qualquer mercado 1º fácil e rápido acesso à informação rigorosa sobre o mercado 2ª tb é desejável que os custos de transacção sejam baixos 3º Liquidez de mercado ( onde à continuidade de preço ou seja não se altera e profundidade de mercado ou seja a existência de muitos compradores e vendedores) _ Mercados organizados em Portugal Mercados regulamentados Mercados de bolsa (Euronext) Dericvdos Futuros Operações Contado Mercado de cotações oficiais Segundo mercado ( pequenas e médias empresas sólidas) Novo mercado (novas empresas com gr. potencial de crescimento) Outros MEOG (Mercado especial operações por grosso gr lotes) MEDIP Mercados não regulamentados Mercados sem cotações Operações fora do mercado regulamentado Repos Empréstimos de valores Códigos dos Valores Mobiliários é a Lei básica que regulamenta os mercados de bolsa, Estabelece as regras fundamentais da estrutura dos mercados de valores imobiliários, Determina as regras das informações a prestar ao publico, Determina as regras de operações realizadas em vários mercados, As condições de admissão de títulos, A estrutura do mercado de futuros e operações Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) regula e fiscaliza o mercado primário o mercado secundário e os mercados derivados Euronext Lisboa é a bolsa de valores em Portugal em Setembro de 2002 permitiu aos participantes desta bolsa efectuarem directamente transacções a vista nas bolsas da EU em Julho de 2004 passou a ser possível transaccionar derivados da Euronext Liffe( em data anterior eram transaccionados pela bolsa de derivados do Porto) Opera diariamente em sessões normais que operam em 4 segmentos de mercado (mercado cotações oficiais, 2º mercado, mercado sem cotações e novo mercado, tb tem sessões especiais onde grandes lotes são transaccionados OPA Oferta publica de Aquisição OPV Oferta publica de venda 3

4 _ Ordens de bolsa são as ordens relativas as operações de compra ou venda de títulos de bolsa. Podem ser dadas pelos investidores directamente a correctores que a deve executar ou podem ser dadas a um intermediário financeiro que depois a dá ao corrector. Conteúdo tem de ter Natureza da transacção (compra/ venda) Natureza dos títulos a transaccionar (títulos do tesouro / Acções da empresa X) Tipo de operação e condições em que se devem realizar. Modalidade de ordem quanto ao preço (o melhor, c/ limite, c/ menção stop) Prazo de validade da ordem ( com ou sem data limite) Data em que a ordem é datada Tipos de ordem Market Orders (ao melhor preço) para comprar ao melhor preço o corrector deve comprar ao mais baixo preço possível), para vender o corrector deve vender ao preço mais alto possível Limit Orders (limite de preço) para comprar o corrector fixa o preço máximo para vender fixa o preço mínimo. Stops ordrs (ordem com menção stop) para comprar a menção stop é activada assim que o preço seja igual ou superior ao valor stop, para venda activa o stop assim que o valor é igual ou inferior ao valor stop. Ordens casadas são ordens que são dadas em simultâneo uma ordem de compra e uma ordem de venda de títulos diferentes sendo a execução de uma condicionada na execução da outra. _ Operações em conta margem um investidor pode adquirir títulos pagando uma parte em dinheiro e outra parte pedido emprestado (ficando titulo financeiro na posse do credor) sendo esta parte sem dinheiro compra a margem _ Índices de mercado são indicadores que nos fornecem informações sobre o estado do mercado bolsista através da quantidade e cotações dos títulos financeiros. Índices Acções é a soma das acções de X empresas e dividindo por um factor de ajustamento e as suas variações é o que dá os índices. Exp Dow Jones de 30 empresas soma-se os preços das 30 acções e divide-se por um factor de ajustamento SOP 500 diz-nos qual é a evolução do preço de uma carteira que em termos de valor combina as 500 acções. CRSP já inclui os derivados logo pode ser indicador de rentabilidade. PSI Geral é o mais utilizado na euronext Lisboa para o índice de acções PSI 20 indicador de rentabilidade. Índice de Obrigações todos eles levam em conta não só as mais valias mas também o pagamento de juros e todas elas têm uma base alargada levando em conta todas as emissões acima de um determinado valor e cada obrigação é ponderada pelo seu contributo para o valor de mercado. Os índices mais conhecidos de obrigações são os indices constituídos pela empresa Lehman Brothers, Merrill Lynch e Salomon Brothers 2.2 Investimentos financeiros Títulos primários são emitidos pelas empresas e pelo Governo Títulos derivados são emitidos por investidores individuais são designados por opções dá ao seu detentor direito de comprar e vender 1 titulo primário a um determinado preço numa determinada data ou período de tempo. Quando um investidor vende uma opção ter haver outro que a compre agregando todas as posições negativas e positivas desse tipo de titulo o seu valor é zero. 4

5 Investimentos directos quando o investidor adquire directamente algum titulo financeiro. Se o investidor fizer um investimento financeiro pode adquirir Títulos financeiros no mercado monetário (são transaccionados instrumentos de curto prazo) Produtos no mercado de capitais (títulos a longo prazo9 Produtos no mercado de derivados. Investimentos indirectos quando o investidor adquire fundos que são transaccionados por intermediários financeiros _ Instrumentos financeiros do mercado monetário são de curto prazo (1 ano) podem ser emitidos pelo Governo, instituições financeiras ou empresas. Quem intervem no mercado monetário é o Banco Central e os bancos em geral. Bilhetes do Tesouro são títulos de divida com maturidade de 91, 182 ou 364 dias Não pagam cupão Os juros estam implicados na diferença entre o preço de aquisição e o valor nominal do titulo No mercado primário são leiloados às instituições que estão sujeitas à constituição de disponibilidades mínimas de caixa e a sociedades mediadoras posteriormente podem ser transaccionadas a empresas e particulares Certificados de Aforro são títulos de divida publica, normativos, com período de capitalização de 3 meses contados a partir da data de emissão Papel Comercial tem características iguais aos bilhetes do tesouro, mas são emitidos pelas empresas _ Instrumentos financeiros do mercado de capitais são de longo prazo Podem ser obrigações, acções ou títulos mistos (equity linked bonds) no mercado primário de capitais é onde tem lugar as emissões novos títulos para serem transaccionados no mercado secundário (bolsa de valores) Obrigações é um titulo de divida negociável onde o seu emissor se compromete a pagar a quem o tenha, um rendimento / juro em condições definidas aquando da emissão são emitidas pelo governo e empresas. quem compra são investidores particulares, bancos, companhias de seguros, fundos de pensões e fundos de investimentos Principais elementos das Obrigações valor nominal ou valor facial é o valor inscrito no titulo. prelo de emissão valor a pagar quando é emitido Se o preço emissor é inferior ao valor nominal diz-se que é abaixo do par Ser o preço emissor é superior diz-se acima do par Periodicidade da taxa de juro (trimestral, semestral ou anual) Vida máxima dum empréstimo obrigacionista é o período de tempo que decorre entre a emissão e o ultimo reembolso do capital ( pode ser total ou parcial) Tipos de obrigações Obrigações de taxa fixa têm taxa de juro fixa, tem maturidade predeterminada no momento da emissão Obrigações de taxa variável onde a taxa de juro pode evoluir ao longo do tempo com base em uma taxa de referência mais o spread (diferencial) 5

6 Obrigações de cupão zero não pagam juros periodicamente logo a taxa de rentabilidade da obrigação é dada pela diferença entre o preço da aquisição e a venda. Rating é a actividade de ratinsg que consiste na classificação mediante determinados critérios a obrigação que está a avaliar determinando o nível de segurança na aquisição e respectivo pagamento dessa obrigação por parte das empresas Avalia as características do título que está em avaliação Avalia as características da empresa (o risco do sector onde opera a sua posição no mercado, situação financeira e rentabilidade) A nível internacional as mais conhecidas são Standard & Poor e a Moody s Standard & Poor atribui AAA a emissões de risco quase nulo, AA emissões com risco ligeiramente maior (Portugal rege-se por esta) Acções dá ao seu detentor o direito de propriedade sobre uma facção dos rendimentos e dos activos da empresa, se falir o seu detentor perde só o investimento inicial ou seja tem responsabilidade limitada acções ordinarias Direito estatuário direito ao voto e direito a ser informado Direito económico direito de receber dividendos, o direito de preferência (se quiserem comprar mais acções) e o direito de atribuição (lucros) Acções preferenciais O seu detentor não tem direito a voto O pagamento de dividendos é preferencial as anteriormente citadas Têm prioridade de reembolso no caso de liquidação da empresa Títulos mistos tem características intermédias entre uma acção e uma obrigação warrant ao detentor da obrigação dá o direito de adquiri 1 certo numero de acções da empresa emissora a um preço predefinido e durante um determinado período de tempo não tem direito ao voto são geralmente separados das obrigações e podem ser transaccionados independentemente. É emitido pela empresa Obrigações convertíveis o detentor pode decidir converte-la num numero predefinido de acções da mesma empresa (sob certas condições e em determinado período de tempo) O Direito de conversão não é cotado separadamente Rácio de conversão (numero de acções a que cada obrigação dá direito) Títulos de participação são títulos perpétuos emitidos por empresas publicas ou por S.A. (Soc. Anónimas) pertencentes maioritariamente ao estado. Podem ser nominativas ou ao portador Rendimento anual tem uma componente fixa e uma componente variável que é em função dos resultados da empresa. _ Instrumentos financeiros derivados são instrumentos financeiros cujo valor depende do valor de um titulo ou de um conjunto de titulo em que se baseia Opções dá ao seu detentor o direito de adquiri ou vender um determinado activo ou conjunto de activos, numa data futura por um determinado preço pode no futuro usufruir ou não dos direitos que a opção lhe dá aquando da aquisição. 6

7 Futuros obriga o seu detentor a comprar um determinado bem (titulo financeiro ou conj. De títulos) a um determinado valor numa determinada período data ( promessa de compra futura) utiliza-se em produtos agrícolas (trigo, milho) metais e petróleo, cotações bolsistas, taxas de juros, divisas) é um contrato padronizado e é negociável Mercado forward tem características do anterior mas são os vendedores e os compradores que têm de acordar todos pormenores da transacção _ Investimentos indirectos quando um investidor adquire fundos que são transaccionados por intermediários financeiros. São carteiras de activos com determinadas características que são geridas por sociedades gestoras de fundos Cada investidor é titular de quotas-partes do valor de carteira. Cada quota-parte designa-se por unidade de participação Fundos de investimento Mobiliário inclui valores mobiliários (Bilhetes do tesouro, Aplicações no mercado monetário interbancário MMI, títulos de participação) Imobiliário só podem incluir títulos de divida publica, depósitos bancários. CAPÍTULO 3 CARTEIRAS DE ACTIVOS Portfólio ou carteira de activos é o conjunto de activos financeiros que um investidor detém 3.1 Rentabilidade de um activo a rentabilidade de um titulo financeiro num determinado período é igual a variação percentual na riqueza que resulta de deter uma unidade de titulo durante aquele período de tempo _ Rentabilidade Exemplo 3.1 _ Variável aleatória é uma variável que pode ter vario valores numéricos e de forma aleatória _ Função de probabilidades descreve a probabilidade de ocorrência de cada um dos possíveis valores da variável aleatória _ Valor esperado de uma variável aleatória é uma media ponderada em que cada um dos valores é ponderado como probabilidade de ocorrer _ Variância indica-nos a dispersão da variável em torno da sua média 7

8 Exemplo 3.2 e 3.3 _ Distribuição Normal pode ser usada para aproximar várias distribuições discretas pode tomar valores entre infinito e + infinito é caracterizada pela media e o desvio padrão _ Função de probabilidades conjuntas verificam como os activos se comportam em conjunto Exemplo 3.4 _ Funções de probabilidades conjuntas e marginais indicam-nos a probabilidade de cada um dos possíveis valores das variáveis aleatórias _ Convariância indica nos a forma como as 2 variáveis aleatórias covariam em relação a media se a variável X está acima da sua media e a variável Y tende a estar acima da sua media assim a convariância entre as duas variáveis é positiva se a variável X está acima da sua media e a variável Y tende a estar abaixo da sua media assim a convariância entre as duas variáveis é negativa pode tomar qualquer valor _ Coeficiente de correlação linear pode variar entre 1 e -1 para valor = a 1 significa que as 2 variáveis variam sempre no mesmo sentido e para - 1 variam em sentidos opostos 3.2 Propriedades de uma carteira de activos Quando combinamos 2 activos a variância da rentabilidade da carteira pode ser menor do que a variância de ambos os activos _ Risco de uma carteira a diversificação reduz o risco _ Rentabilidade esperada da carteira de activos R p = x 1 R 1 +x 2 R 2 + x n R n _ Valor esperado de uma combinação linear de variáveis aleatórias tem a propriedade em que o valor esperado da soma de variáveis aleatórias é igual á soma dos valores esperados dessas variáveis aleatórias O valor esperado de uma combinação linear de variável aleatória é igual a combinação dos valores esperados _ Rentabilidade esperada da carteira E[R p] = x 1e[ R 1] +x 2E[ R 2] + x ne[ R n] _ Variância da rentabilidade da carteira de activos 3.3 Diversificação _ Efeito de diversificação no risco do portfolio Exercícios Verifique soluções, na página

Activo subjacente: activo que serve de base a outros instrumentos financeiros, como sejam os futuros, as opções e os warrants autónomos.

Activo subjacente: activo que serve de base a outros instrumentos financeiros, como sejam os futuros, as opções e os warrants autónomos. GLOSSÁRIO Activo subjacente: activo que serve de base a outros instrumentos financeiros, como sejam os futuros, as opções e os warrants autónomos. Assembleia geral: órgão das sociedades anónimas em que

Leia mais

Organização do Mercado de Capitais Português

Organização do Mercado de Capitais Português Instituto Superior de Economia e Gestão Organização do Mercado de Capitais Português Docente: Discentes : Prof. Dra. Raquel Gaspar Inês Santos João Encarnação Raquel Dias Ricardo Andrade Temas a abordar

Leia mais

Os valores mobiliários que fazem parte de uma mesma emissão conferem aos seus titulares os mesmos direitos e deveres.

Os valores mobiliários que fazem parte de uma mesma emissão conferem aos seus titulares os mesmos direitos e deveres. VALORES MOBILIÁRIOS O QUE SÃO VALORES MOBILIÁRIOS? Valores mobiliários são documentos emitidos por empresas ou outras entidades, em grande quantidade, que representam direitos e deveres, podendo ser comprados

Leia mais

AUDITORIA GERAL DO MERCADO DE VALORES MOBILIÁRIOS 2. VALORES MOBILIÁRIOS

AUDITORIA GERAL DO MERCADO DE VALORES MOBILIÁRIOS 2. VALORES MOBILIÁRIOS AUDITORIA GERAL DO MERCADO DE VALORES MOBILIÁRIOS 2. VALORES MOBILIÁRIOS Banco de Cabo Verde O QUE SÃO VALORES MOBILIÁRIOS? Valores mobiliários são documentos emitidos por empresas ou outras entidades,

Leia mais

Mercados e Investimentos Financeiros. Introdução aos mercados acionistas. DOCENTE : Luís Fernandes Rodrigues

Mercados e Investimentos Financeiros. Introdução aos mercados acionistas. DOCENTE : Luís Fernandes Rodrigues Introdução aos mercados acionistas DOCENTE : Luís Fernandes Rodrigues O Mercado Financeiro O Mercado Monetário Interbancário (MMI) é um mercado organizado, onde as instituições participantes trocam entre

Leia mais

O investidor deve assumir um papel activo na recolha de informação que lhe permita tomar decisões de investimento fundamentadas.

O investidor deve assumir um papel activo na recolha de informação que lhe permita tomar decisões de investimento fundamentadas. O presente documento visa fornecer-lhe informações simples e práticas sobre como deve investir de forma responsável. Independentemente da protecção conferida pela legislação aos investidores não profissionais,

Leia mais

GUIA PARA INVESTIR. Rentabilizar os Investimentos

GUIA PARA INVESTIR. Rentabilizar os Investimentos www.facebook.com/santandertotta.pt http://twitter.com/santandertotta Onde deve investir? A escolha deve ter em conta diversos factores, tais como: quando é que pretende utilizar o montante que investiu?

Leia mais

GLOSSÁRIO. Auditoria Geral do Mercado de Valores Mobiliários 39

GLOSSÁRIO. Auditoria Geral do Mercado de Valores Mobiliários 39 GLOSSÁRIO Activo subjacente: activo que serve de base a outros instrumentos financeiros, como sejam os futuros, as opções e os warrants autónomos. Assembleia geral: órgão das sociedades anónimas em que

Leia mais

O investimento em instrumentos financeiros tem sempre associado uma rendibilidade potencial e um risco implícito.

O investimento em instrumentos financeiros tem sempre associado uma rendibilidade potencial e um risco implícito. INFORMAÇÕES GERAIS. O investimento em instrumentos financeiros tem sempre associado uma rendibilidade potencial e um risco implícito. A rendibilidade é a taxa de rendimento gerado pelo investimento durante

Leia mais

AUDITORIA GERAL DO MERCADO DE VALORES MOBILIÁRIOS RECOMENDAÇÕES DA AGMVM AOS INVESTIDORES NA BOLSA DE VALORES

AUDITORIA GERAL DO MERCADO DE VALORES MOBILIÁRIOS RECOMENDAÇÕES DA AGMVM AOS INVESTIDORES NA BOLSA DE VALORES AUDITORIA GERAL DO MERCADO DE VALORES MOBILIÁRIOS RECOMENDAÇÕES DA AGMVM AOS INVESTIDORES NA BOLSA DE VALORES Praia, 2007 Banco de Cabo Verde AGMVM Auditoria Geral do Mercado de Valores Mobiliários Avenida

Leia mais

. MERCADOS MOBILIÁRIOS

. MERCADOS MOBILIÁRIOS . MERCADOS 5.. M DE VALORES MOBILIÁRIOS 5. Mercados de Valores Mobiliários O QUE SÃO OS MERCADOS DE VALORES MOBILIÁRIOS? Os mercados de valores mobiliários são um espaço ou uma organização que se destina

Leia mais

INFORMAÇÃO SOBRE INSTRUMENTOS FINANCEIROS OFERECIDOS PELO BANCO POPULAR PORTUGAL, S.A.

INFORMAÇÃO SOBRE INSTRUMENTOS FINANCEIROS OFERECIDOS PELO BANCO POPULAR PORTUGAL, S.A. INFORMAÇÃO SOBRE INSTRUMENTOS FINANCEIROS OFERECIDOS PELO BANCO POPULAR PORTUGAL, S.A. Versão: 1.0 Data inicial: 2010/08/20 Última alteração: 2010/09/10 Mod. 853P/2010 Banco Popular Portugal, S.A. 2/8

Leia mais

Mercados e Investimentos Financeiros. Cesaltina Pacheco Pires

Mercados e Investimentos Financeiros. Cesaltina Pacheco Pires Mercados e Investimentos Financeiros Cesaltina Pacheco Pires iv Índice Prefácio xiii 1 Introdução 1 1.1 Activos reais e activos financeiros...................... 1 1.2 Escolhaintertemporaletaxadejuro...

Leia mais

Conceitos básicos de negociação em CFDs

Conceitos básicos de negociação em CFDs Conceitos básicos de negociação em CFDs N.º 808 10 20 20 ApoioCliente@GoBulling.com www.bancocarregosa.com/gobulling www.facebook.com/gobulling Advertências Específicas ao Investidor: Pode implicar a perda

Leia mais

. FUNDOS DE INVESTIMENTO

. FUNDOS DE INVESTIMENTO . FUNDOS 7.. F DE INVESTIMENTO 7. Fundos de Investimento O QUE É UM FUNDO DE INVESTIMENTO? Um fundo de investimento é um património que pertence a várias pessoas, destinado ao investimento em determinados

Leia mais

Guia dos Emitentes. Departamento de Supervisão de Emitentes e Auditoria. Data: 17/12/2015

Guia dos Emitentes. Departamento de Supervisão de Emitentes e Auditoria. Data: 17/12/2015 Guia dos Emitentes Departamento de Supervisão de Emitentes e Auditoria Data: 17/12/2015 Agenda Objectivos do Guia dos Emitentes Admissão de Valores Mobiliários nos Mercados Regulamentados Alternativas

Leia mais

Produto Financeiro Complexo

Produto Financeiro Complexo Zurich Companhia de Seguros Vida, S.A. PROSPETO SIMPLIFICADO (atualizado a 8 de fevereiro de 2013) Empresa de Seguros Entidades Comercializadoras Autoridades de supervisão Reclamações BBVA Unit-Linked,

Leia mais

Balcão. 0,58% 0,58% -- -- Mínimo / Máximo 36,23/-- 36,23/-- -- -- Aplica-se o preçário do ponto 1.1. Aplica-se o preçário do ponto 1.

Balcão. 0,58% 0,58% -- -- Mínimo / Máximo 36,23/-- 36,23/-- -- -- Aplica-se o preçário do ponto 1.1. Aplica-se o preçário do ponto 1. Na contratação de serviços de investimento em valores mobiliários, os investidores não qualificados devem analisar atentamente o preçário para calcular os encargos totais previsíveis do investimento a

Leia mais

Balcão. 0,58% 0,58% -- -- Mínimo / Máximo 36,23/-- 36,23/-- -- --

Balcão. 0,58% 0,58% -- -- Mínimo / Máximo 36,23/-- 36,23/-- -- -- Na contratação de serviços de investimento em valores mobiliários, os investidores não qualificados devem analisar atentamente o preçário para calcular os encargos totais previsíveis do investimento a

Leia mais

Processo de Decisão. Determinada perspectiva sobre um subjacente. Perspectiva sobre o movimento do subjacente. Escolher o tipo de produto.

Processo de Decisão. Determinada perspectiva sobre um subjacente. Perspectiva sobre o movimento do subjacente. Escolher o tipo de produto. Processo de Decisão Determinada perspectiva sobre um subjacente Perspectiva sobre o movimento do subjacente Escolher o tipo de produto Warrant Inline À escolha Certificados Turbo 1 1. Subjacentes Sumário

Leia mais

Mercados Financeiros. i ve seen, learnt and done things i can t forget. Definição e Classificação. Ricardo Diz

Mercados Financeiros. i ve seen, learnt and done things i can t forget. Definição e Classificação. Ricardo Diz Mercados Financeiros Definição e Classificação Ricardo Diz i ve seen, learnt and done things i can t forget Conteúdo Mercado Financeiro Classificação do Mercado Financeiro 2 Mercado Financeiro O Mercado

Leia mais

Holding (empresa) - aquela que possui, como atividade principal, participação acionária em uma ou mais empresas.

Holding (empresa) - aquela que possui, como atividade principal, participação acionária em uma ou mais empresas. Glossário de A a Z A Ação - título negociável, que representa a menor parcela em que se divide o capital de uma sociedade anônima. Ação listada em Bolsa - ação negociada no pregão de uma Bolsa de Valores.

Leia mais

Parte I Análise e Avaliação de Obrigações. Raquel M. Gaspar/ Sérgio F. Silva

Parte I Análise e Avaliação de Obrigações. Raquel M. Gaspar/ Sérgio F. Silva Produtos e Mercados de Dívida Raquel M. Gaspar Sérgio F. Silva 1 Parte I Análise e Avaliação de Obrigações 2 PARTE I Análise e Avaliação de Obrigações 1. Obrigações e Instrumentos do Mercado Monetário

Leia mais

Academia de Warrants. 1. Introdução ao mundo dos Warrants

Academia de Warrants. 1. Introdução ao mundo dos Warrants Academia de Warrants 1. Introdução ao mundo dos Warrants 1. Introdução ao mundo dos Warrants Sumário Executivo 1. Definição 2. Tipos de Warrants 3. Motivos para investir em Warrants 4. O Emitente 5. Como

Leia mais

BANCO DO BRASIL ESCRITURÁRIO

BANCO DO BRASIL ESCRITURÁRIO BANCO DO BRASIL ESCRITURÁRIO CONHECIMENTOS BANCÁRIOS 1. O Sistema Financeiro Nacional (SFN) é constituído por todas as instituições financeiras públicas ou privadas existentes no país e seu órgão normativo

Leia mais

GESTÃO BANCÁRIA (NOTAS DAS AULAS)

GESTÃO BANCÁRIA (NOTAS DAS AULAS) GESTÃO BANCÁRIA (NOTAS DAS AULAS) ANEXO 3 E S DAS SOCIEDADES FINANCEIRAS Fernando Félix Cardoso Ano Lectivo 2004-05 SOCIEDADES CORRETORAS E FINANCEIRAS DE CORRETAGEM Compra e venda de valores mobiliários

Leia mais

Conceitos básicos de negociação em Futuros

Conceitos básicos de negociação em Futuros Conceitos básicos de negociação em Futuros N.º 808 10 20 20 ApoioCliente@GoBulling.com www.bancocarregosa.com/gobulling www.facebook.com/gobulling Advertências Específicas ao Investidor: Pode implicar

Leia mais

Índice PARTE A ENQUADRAMENTO DA ACTIVIDADE FINANCEIRA NOTA PRÉVIA À 2ª EDIÇÃO 19 PREFÁCIO 21 INTRODUÇÃO 23

Índice PARTE A ENQUADRAMENTO DA ACTIVIDADE FINANCEIRA NOTA PRÉVIA À 2ª EDIÇÃO 19 PREFÁCIO 21 INTRODUÇÃO 23 introdução 7 Índice NOTA PRÉVIA À 2ª EDIÇÃO 19 PREFÁCIO 21 INTRODUÇÃO 23 PARTE A ENQUADRAMENTO DA ACTIVIDADE FINANCEIRA Capítulo 1 INTRODUÇÃO À ACTIVIDADE FINANCEIRA 1. Evolução da actividade bancária

Leia mais

Conceitos básicos de negociação em Obrigações

Conceitos básicos de negociação em Obrigações Conceitos básicos de negociação em Obrigações N.º 808 10 20 20 ApoioCliente@GoBulling.com www.bancocarregosa.com/gobulling www.facebook.com/gobulling Obrigação: título representativo de uma fração da dívida/passivo

Leia mais

CONHECIMENTOS BANCÁRIOS: - - - - - - MERCADO DE CAPITAIS

CONHECIMENTOS BANCÁRIOS: - - - - - - MERCADO DE CAPITAIS CONHECIMENTOS BANCÁRIOS: - - - - - - MERCADO DE CAPITAIS Prof.Nelson Guerra Ano 2012 www.concursocec.com.br MERCADO DE CAPITAIS É um sistema de distribuição de valores mobiliários, que tem o propósito

Leia mais

Finanças Internacionais

Finanças Internacionais Universidade dos Açores Departamento de Economia e Gestão Mestrado em Ciências Empresariais Finanças Internacionais Ponta Delgada, Abril de 2009 Fernando José Rangel da Silva Melo Sumário 1 Gestão Financeira

Leia mais

ANTE-PROPOSTA DE DECRETO-LEI VALORES MOBILIÁRIOS DE ESTRUTURA DERIVADA

ANTE-PROPOSTA DE DECRETO-LEI VALORES MOBILIÁRIOS DE ESTRUTURA DERIVADA ANTE-PROPOSTA DE DECRETO-LEI VALORES MOBILIÁRIOS DE ESTRUTURA DERIVADA CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1.º Âmbito O presente decreto-lei aplica-se aos seguintes valores mobiliários de estrutura derivada:

Leia mais

INTRODUÇÃO ÀS FINANÇAS BREVE INTRODUÇÃO AOS MERCADOS FINANCEIROS

INTRODUÇÃO ÀS FINANÇAS BREVE INTRODUÇÃO AOS MERCADOS FINANCEIROS INTRODUÇÃO ÀS FINANÇAS BREVE INTRODUÇÃO AOS MERCADOS FINANCEIROS 2006. António Gomes Mota, Clementina Barroso, Helena Soares e Luís Laureano. 1. INTRODUÇÃO As pessoas e as empresas contactam diariamente,

Leia mais

Módulo 2. Organização e Funcionamento de Mercados de Derivados

Módulo 2. Organização e Funcionamento de Mercados de Derivados Módulo 2 Organização e Funcionamento de Mercados de Derivados Organização e Funcionamento de Mercados de Derivados Mercados organizados e de balcão Bolsas de Derivados Principais Características Padronização

Leia mais

. VALORES MOBILIÁRIOS

. VALORES MOBILIÁRIOS . VALORES 2.. V MOBILIÁRIOS 2. Valores Mobiliários O QUE SÃO VALORES MOBILIÁRIOS? Valores mobiliários são documentos emitidos por empresas ou outras entidades, em grande quantidade, que representam direitos

Leia mais

Mercado de Ações O que são ações? Ação é um pedacinho de uma empresa Com um ou mais pedacinhos da empresa, você se torna sócio dela Sendo mais formal, podemos definir ações como títulos nominativos negociáveis

Leia mais

MERCADOS, INSTRUMENTOS E INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS ENQUADRAMENTO DO MERCADO DE TÍTULOS ESPAÇO O FINANCEIRO EUROPEU

MERCADOS, INSTRUMENTOS E INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS ENQUADRAMENTO DO MERCADO DE TÍTULOS ESPAÇO O FINANCEIRO EUROPEU MERCADOS, INSTRUMENTOS E INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS ENQUADRAMENTO DO MERCADO DE TÍTULOS ANÁLISE INSTITUCIONAL DO MERCADO DE TÍTULOS 1 ENQUADRAMENTO DO MERCADO DE TÍTULOS 2 ESPAÇO O FINANCEIRO EUROPEU CEE

Leia mais

Futuros PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

Futuros PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Futuros PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO ADVERTÊNCIA AO INVESTIDOR Risco de perda súbita total, superior ou parcial do capital investido Remuneração não garantida Existência de comissões Possibilidade de exigência

Leia mais

ANEXO VI - OPERAÇÕES SOBRE VALORES MOBILIÁRIOS *

ANEXO VI - OPERAÇÕES SOBRE VALORES MOBILIÁRIOS * ANEXO VI - OPERAÇÕES SOBRE VALORES MOBILIÁRIOS * 1. OPERAÇÕES DE BOLSA Mercado Euronext Lisboa - Mercado Vista 1.1. Ordens de Bolsa - Sobre o valor de transacção de cada espécie Até 2.000 euros 0,50% 6,73

Leia mais

O que são CFDs? CFDS Uma abordagem prática

O que são CFDs? CFDS Uma abordagem prática O que são CFDs? Um CFD (Contract for difference) é um instrumento financeiro negociado fora de mercados regulamentados que proporciona, aos investidores, uma forma mais eficiente de negociação em acções.

Leia mais

Obrigações CMVM Comissão do Mercado de Valores Mobiliários OUTUBRO 2012 1

Obrigações CMVM Comissão do Mercado de Valores Mobiliários OUTUBRO 2012 1 CMVM Comissão do Mercado de Valores Mobiliários OUTUBRO 2012 1 O que são obrigações As obrigações são instrumentos financeiros que representam um empréstimo contraído junto dos investidores pela entidade

Leia mais

1. FINANCIAMENTO A MÉDIO E LONGO PRAZO

1. FINANCIAMENTO A MÉDIO E LONGO PRAZO 1. FINANCIAMENTO A MÉDIO E LONGO PRAZO Finanças II Ano Lectivo 2005/06 Turma TP1 Ricardo Valente 1 Introdução Decisões de financiamento Captação de fundos para financiar actividade corrente, projectos

Leia mais

/ Warrants: uma definição /

/ Warrants: uma definição / Warrants www.warrants.commerzbank.com Warrants: uma definição Os warrants são valores mobiliários associados a activos como acções, índices ou taxas de câmbio que amplificam os movimentos DE preço dos

Leia mais

Contratos Diferenciais CFDs: Contracts For Difference

Contratos Diferenciais CFDs: Contracts For Difference Contratos Diferenciais CFDs: Contracts For Difference PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO ADVERTÊNCIA AO INVESTIDOR Risco de perda súbita total, superior ou parcial do capital investido Remuneração não garantida

Leia mais

Curso CPA-10 Certificação ANBID Módulo 4 - Princípios de Investimento

Curso CPA-10 Certificação ANBID Módulo 4 - Princípios de Investimento Pág: 1/18 Curso CPA-10 Certificação ANBID Módulo 4 - Princípios de Investimento Pág: 2/18 Módulo 4 - Princípios de Investimento Neste módulo são apresentados os principais fatores para a análise de investimentos,

Leia mais

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Um investimento responsável exige que conheça as suas implicações e que esteja disposto a aceitá-las. Contraparte: Saxo Bank. O Saxo Bank

Leia mais

COMISSÃO DO MERCADO DE VALORES MOBILIÁRIOS

COMISSÃO DO MERCADO DE VALORES MOBILIÁRIOS COMISSÃO DO MERCADO DE VALORES MOBILIÁRIOS Índice Apresentação... 03 1. A CMVM... 04 2. Valores Mobiliários... 09 3. Ofertas Públicas... 23 4. Informação e Emitentes de Valores Mobiliários... 27 5. Mercados

Leia mais

Documento Informativo

Documento Informativo Notes db Investimento Europa-América (2ª Versão) Notes relating to a Basket of Indices ISIN: XS0460668550 Produto Financeiro Complexo 1. Advertências ao investidor Risco de perda total ou parcial do capital

Leia mais

Conhecimentos Bancários. Item 3.5.4 - Mercado de Capitais

Conhecimentos Bancários. Item 3.5.4 - Mercado de Capitais Conhecimentos Bancários Item 3.5.4 - Mercado de Capitais Conhecimentos Bancários Item 3.5.4 - Mercado de Capitais Sistema de distribuição de valores mobiliários, que tem o objetivo de proporcionar liquidez

Leia mais

VAL- 1 VALOR EM FINANÇAS

VAL- 1 VALOR EM FINANÇAS VAL- 1 VALOR EM FINANÇAS VAL- 2! Objectivo: " Identificação de uma teoria do valor (ainda rudimentar)! Caso os mercados funcionem bem os preços igualarão o valor dos diferentes produtos e serviços.! Qual

Leia mais

Estrutura do Mercado Financeiro e de Capitais

Estrutura do Mercado Financeiro e de Capitais Estrutura do Mercado Financeiro e de Capitais Prof. Paulo Berger SIMULADO ATIVOS FINANCEIROS E ATIVOS REAIS. Ativo real, é algo que satisfaz uma necessidade ou desejo, sendo em geral fruto de trabalho

Leia mais

Os títulos de renda fixa são caracterizados pó terem previamente definida a forma de remuneração. Esses títulos podem ser prefixados ou pós-fixados.

Os títulos de renda fixa são caracterizados pó terem previamente definida a forma de remuneração. Esses títulos podem ser prefixados ou pós-fixados. Faculdades Integradas Campos Salles Curso: Ciências Contábeis Disciplina: Contabilidade Aplicada às Instituições Financeiras Professor: Adeildo Paulino Aula: 12/05/2012 Matéria: Títulos e Valores Mobiliários

Leia mais

* * * T R A N S P A R Ê N C I A S * * *

* * * T R A N S P A R Ê N C I A S * * * Escola Profissional de Agentes de Serviço e Apoio Social Curso de Animador Social/Assistente Familiar Área Científica - ECONOMIA * * * T R A N S P A R Ê N C I A S * * * Módulo 4: MOEDA E MERCADO FINANCEIRO

Leia mais

Capítulo 3. Taxas de câmbio e mercados de divisas. Objectivos do capítulo

Capítulo 3. Taxas de câmbio e mercados de divisas. Objectivos do capítulo Capítulo 3 Taxas de câmbio e mercados de divisas Objectivos do capítulo A função das taxas de câmbio no comércio internacional; Como se determinam as taxas de câmbio? Preços e decisões dos agentes económicos

Leia mais

. INFORMAÇÃO E EMITENTES MOBILIÁRIOS

. INFORMAÇÃO E EMITENTES MOBILIÁRIOS . INFORMAÇÃO 4.. I E EMITENTES DE VALORES MOBILIÁRIOS 4. Informação e Emitentes de Valores Mobiliários O QUE É PRECISO SABER PARA INVESTIR EM VALORES MOBILIÁRIOS? A informação desempenha um papel fundamental

Leia mais

REGULAMENTADO SESSÃO ESPECIAL DE MERCADO. 1 de Julho de 2015

REGULAMENTADO SESSÃO ESPECIAL DE MERCADO. 1 de Julho de 2015 SESSÃO ESPECIAL DE MERCADO REGULAMENTADO Apuramento dos Resultados de: - Oferta Pública de Subscrição de Obrigações ME Fev-2020 - Oferta Pública de Troca de Obrigações ME Mar-2016 1 de Julho de 2015 Não

Leia mais

a) mercados de derivativos, tais como, exemplificativamente, índices de ações, índices de preços, câmbio (moedas), juros;

a) mercados de derivativos, tais como, exemplificativamente, índices de ações, índices de preços, câmbio (moedas), juros; CREDIT SUISSE HEDGINGGRIFFO 1. Públicoalvo LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS dezembro/2013 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o CSHG EQUITY HEDGE LEVANTE FUNDO DE INVESTIMENTO

Leia mais

AULA 4 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DE AÇOES

AULA 4 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DE AÇOES AULA 4 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DE AÇOES Prof Keilla Lopes Mestre em Administração pela UFBA Especialista em Gestão Empresarial pela UEFS Graduada em Administração pela UEFS Contatos: E-mail: keillalopes@ig.com.br

Leia mais

COMISSÃO DO MERCADO DE VALORES MOBILIÁRIOS

COMISSÃO DO MERCADO DE VALORES MOBILIÁRIOS COMISSÃO DO MERCADO DE VALORES MOBILIÁRIOS OUTUBROUTUBRO DE 2004 Í N D I C E Apresentação... 02 1. A CMVM... 03 2. Os Valores Mobiliários... 07 3. As Ofertas Públicas... 19 4. Os Emitentes e a Informação...

Leia mais

ÁREA DE FORMAÇÃO: POUPAR E INVESTIR NOÇÕES BÁSICAS SOBRE APLICAÇÃO DE POUPANÇA

ÁREA DE FORMAÇÃO: POUPAR E INVESTIR NOÇÕES BÁSICAS SOBRE APLICAÇÃO DE POUPANÇA ÁREA DE FORMAÇÃO: POUPAR E INVESTIR NOÇÕES BÁSICAS SOBRE APLICAÇÃO DE Índice A importância da poupança Remuneração e risco Principais tipos de riscos Princípios básicos da aplicação da poupança Produtos

Leia mais

1. INFORMAÇÃO SOBRE A EMPRESA DE SEGUROS 2. ENTIDADES COMERCIALIZADORAS 3. AUTORIDADES DE SUPERVISAO

1. INFORMAÇÃO SOBRE A EMPRESA DE SEGUROS 2. ENTIDADES COMERCIALIZADORAS 3. AUTORIDADES DE SUPERVISAO 1. INFORMAÇÃO SOBRE A EMPRESA DE SEGUROS 2. ENTIDADES COMERCIALIZADORAS 3. AUTORIDADES DE SUPERVISAO 4. RECLAMAÇÕES 5. DURAÇÃO DO CONTRATO 6. RISCO DE 7. PRINCIPAIS RISCOS DO PRODUTO PROSPECTO SIMPLIFICADO

Leia mais

2. CAPITAL SOCIAL. Contabilidade das Sociedades 2009/2010 1

2. CAPITAL SOCIAL. Contabilidade das Sociedades 2009/2010 1 2. CAPITAL SOCIAL 1 Índice Conceitos 3 Referências normativas 4 Sociedade por quotas 6 10 2 Conceitos Sociedades SUBSCRIÇÃO Acto pelo qual os sócios formalizam a sua obrigação de entrada. REALIZAÇÃO ou

Leia mais

DE QUE FORMA OS CONHECIMENTOS

DE QUE FORMA OS CONHECIMENTOS COMISSÃO DO MERCADO DE VALORES MOBILIÁRIOS COMISSÃO DO MERCADO DE VALORES MOBILIÁRIOS DE QUE FORMA OS CONHECIMENTOS E A EXPERIÊNCIA DOS INVESTIDORES DETERMINAM O MODO COMO SÃO TRATADOS PELOS INTERMEDIÁRIOS

Leia mais

a) Quanto, quando e a que título o investidor paga ou pode pagar? b) Quanto, quando e a que título o investidor recebe ou pode receber?

a) Quanto, quando e a que título o investidor paga ou pode pagar? b) Quanto, quando e a que título o investidor recebe ou pode receber? Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Um investimento responsável exige que conheça as suas implicações e que esteja disposto a aceitá-las PFC Valorização Retalho Entidade

Leia mais

BAN CO DO BRASIL. Atualizada 19/01/2011 Neste curso os melhores alunos estão sendo preparados pelos melhores Professores 1

BAN CO DO BRASIL. Atualizada 19/01/2011 Neste curso os melhores alunos estão sendo preparados pelos melhores Professores 1 41. (CAIXA/2010) Compete à Comissão de Valores Mobiliários CVM disciplinar as seguintes matérias: I. registro de companhias abertas. II. execução da política monetária. III. registro e fiscalização de

Leia mais

Companhia de Seguros Açoreana, S.A. PROSPECTO INFORMATIVO INVESTSEGURO

Companhia de Seguros Açoreana, S.A. PROSPECTO INFORMATIVO INVESTSEGURO Companhia de Seguros Açoreana, S.A. PROSPECTO INFORMATIVO INVESTSEGURO Dezembro de 2004 1/6 Parte I Informações sobre a empresa de seguros 1. Denominação ou firma da empresa de seguros: Companhia de Seguros

Leia mais

INTRODUÇÃO AOS INVESTIMENTOS ALTERNATIVOS HEDGE FUNDS

INTRODUÇÃO AOS INVESTIMENTOS ALTERNATIVOS HEDGE FUNDS INTRODUÇÃO AOS INVESTIMENTOS ALTERNATIVOS HEDGE FUNDS Fundos de Investimento Alternativo Os investimentos alternativos proporcionam uma fonte alternativa de rendimentosaos investimentos tradicionais, tais

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADE DO FUNDO DE INVESTIMENTO MOBILIÁRIO

RELATÓRIO DE ATIVIDADE DO FUNDO DE INVESTIMENTO MOBILIÁRIO RELATÓRIO DE ATIVIDADE DO FUNDO DE INVESTIMENTO MOBILIÁRIO MONTEPIO TAXA FIXA FUNDO DE INVESTIMENTO MOBILIÁRIO ABERTO DE OBRIGAÇÕES DE TAXA FIXA 30.06.2015 1. Política de Investimentos O Património do

Leia mais

A CVM E O MERCADO DE CAPITAIS NO BRASIL

A CVM E O MERCADO DE CAPITAIS NO BRASIL A CVM E O MERCADO DE CAPITAIS NO BRASIL Leonardo B. Pupo Analista de Mercado de Capitais Gerência de Acompanhamento de Mercado 2 Superintendência de Acompanhamento de Mercado Agenda Intermediação Financeira

Leia mais

EXERCÍCIOS DE PRODUTOS E MERCADOS DERIVADOS (FUTUROS FORWARDS OPÇÕES & SWAPS)

EXERCÍCIOS DE PRODUTOS E MERCADOS DERIVADOS (FUTUROS FORWARDS OPÇÕES & SWAPS) EXERCÍCIOS DE PRODUTOS E MERCADOS DERIVADOS (FUTUROS FORWARDS OPÇÕES & SWAPS) João Duque Fevereiro de 2004 1 Exercício 1 Usando a informação que lhe é fornecida pelo quadro abaixo sobre as opções cotadas

Leia mais

N.º 808 10 20 20 ApoioCliente@GoBulling.com www.bancocarregosa.com/gobulling www.facebook.com/gobulling

N.º 808 10 20 20 ApoioCliente@GoBulling.com www.bancocarregosa.com/gobulling www.facebook.com/gobulling Conceitos básicos de negociação em Forex N.º 808 10 20 20 ApoioCliente@GoBulling.com www.bancocarregosa.com/gobulling www.facebook.com/gobulling Um investimento responsável exige que conheça as suas implicações

Leia mais

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Um investimento responsável exige que conheça as suas implicações e que esteja disposto a aceitá-las. Ficha Técnica TODOS OS INVESTIMENTOS

Leia mais

O que é o Mercado de Capitais. A importância do Mercado de Capitais para a Economia. A Estrutura do Mercado de Capitais Brasileiro

O que é o Mercado de Capitais. A importância do Mercado de Capitais para a Economia. A Estrutura do Mercado de Capitais Brasileiro 1 2 O que é o Mercado de Capitais A importância do Mercado de Capitais para a Economia A Estrutura do Mercado de Capitais Brasileiro O que é Conselho Monetário Nacional (CNM) O que é Banco Central (BC)

Leia mais

Academia de Warrants. 6. Factor Certificates

Academia de Warrants. 6. Factor Certificates Academia de Warrants 6. Factor Certificates Factor Certificates - Sumário Executivo 1. Introdução 2. Definição 3. Exemplos 4. Mecanismo de protecção 5. Como negociar Academia de Warrants 6. Factor Certificates

Leia mais

INSTRUTIVO N.º 09/2003 De 11 de Julho. ASSUNTO: TÍTULOS DA DÍVIDA PÚBLICA DIRECTA Obrigações do Tesouro e Bilhetes do Tesouro

INSTRUTIVO N.º 09/2003 De 11 de Julho. ASSUNTO: TÍTULOS DA DÍVIDA PÚBLICA DIRECTA Obrigações do Tesouro e Bilhetes do Tesouro INSTRUTIVO N.º 09/2003 De 11 de Julho ASSUNTO: TÍTULOS DA DÍVIDA PÚBLICA DIRECTA Obrigações do Tesouro e Bilhetes do Tesouro Os Decretos n.º 51/03 e n.º 52/03, ambos de 8 de Julho, que criam os títulos

Leia mais

AÇÕES CMVM Comissão do Mercado de Valores Mobiliários OUTUBRO 2012

AÇÕES CMVM Comissão do Mercado de Valores Mobiliários OUTUBRO 2012 AÇÕES CMVM Comissão do Mercado de Valores Mobiliários OUTUBRO 2012 Ações O que são ações? Uma ação é um título que representa uma fração do capital social de uma empresa, constituída sob a forma de uma

Leia mais

EXEMPLO. Prática Financeira II Gestão Financeira

EXEMPLO. Prática Financeira II Gestão Financeira EXEMPLO Tendo em conta as operações realizadas pela empresa CACILHAS, LDA., pretende-se a elaboração da Demonstração de fluxos de caixa, admitindo que o saldo de caixa e seus equivalentes, no início de

Leia mais

Millennium bcp 2 Julho 2011

Millennium bcp 2 Julho 2011 Preçário de Títulos Na contratação de serviços de investimento em valores mobiliários, os investidores devem analisar atentamente o preçário para calcular os encargos totais previsíveis do investimento

Leia mais

Simulado CPA 10 Completo

Simulado CPA 10 Completo Simulado CPA 10 Completo Question 1. O SELIC é um sistema informatizado que cuida da liquidação e custódia de: ( ) Certificado de Depósito Bancário ( ) Contratos de derivativos ( ) Ações negociadas em

Leia mais

A QUEM PODE DAR ORDENS PARA INVESTIMENTO COMO E ONDE SÃO EXECUTADAS

A QUEM PODE DAR ORDENS PARA INVESTIMENTO COMO E ONDE SÃO EXECUTADAS COMISSÃO DO MERCADO DE VALORES MOBILIÁRIOS COMISSÃO DO MERCADO DE VALORES MOBILIÁRIOS A QUEM PODE DAR ORDENS PARA INVESTIMENTO COMO E ONDE SÃO EXECUTADAS NOVEMBRO DE 2007 CMVM A 1 de Novembro de 2007 o

Leia mais

O processo de criação de moeda. 1. Conceitos básicos 31

O processo de criação de moeda. 1. Conceitos básicos 31 Índice LISTA DE SÍMBOLOS 17 PREFÁCIO 23 INTRODUÇÃO 25 Capítulo 1 O processo de criação de moeda 1. Conceitos básicos 31 1.1. Moeda e outros activos de uma economia 31 1.2. Sector monetário de uma economia

Leia mais

7. Mercado Financeiro

7. Mercado Financeiro 7. Mercado Financeiro 7. Mercado Financeiro Mercado Financeiro O processo onde os recursos excedentes da economia (poupança) são direcionados para o financiamento de empresas (tomadores de crédito). Investidor

Leia mais

O Mercado de Capitais em Angola

O Mercado de Capitais em Angola O Mercado de Capitais em Angola Introdução e desenvolvimentos 16 de Julho de 2015 Objectivos Objectivos Gerais Transmitir aos colaboradores da TPA as ferramentas básicas para compreender e analisar os

Leia mais

INVESTIMENTO INVESTIMENTO O ABC DO. Em colaboração com:

INVESTIMENTO INVESTIMENTO O ABC DO. Em colaboração com: ASSOCIAÇÃO MOÇAMBICANA DOS OPERADORES DE MICROFINANÇAS O ABC DO INVESTIMENTO O ABC DO INVESTIMENTO Em colaboração com: Agradecimentos: Ministério de Finanças e Planeamento Económico da República do Ghana.

Leia mais

CLASSE 9 CONTAS EXTRAPATRIMONIAIS

CLASSE 9 CONTAS EXTRAPATRIMONIAIS Anexo à Instrução nº 4/96 CLASSE 9 CONTAS EXTRAPATRIMONIAIS As contas desta classe registam as responsabilidades ou compromissos assumidos pela instituição ou por terceiros perante esta e que não estão

Leia mais

Fundos de Investimento Mobiliário em Portugal

Fundos de Investimento Mobiliário em Portugal Fundos de Investimento Mobiliário em Portugal Fernando Teixeira dos Santos Presidente da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários Presidente do Comité Executivo da IOSCO 9 de Abril de 2003 Sumário I

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O PERFIL DE INVESTIMENTOS CONSERVADOR INDEXADO A INFLAÇÃO DA VISÃO PREV SOCIEDADE DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O PERFIL DE INVESTIMENTOS CONSERVADOR INDEXADO A INFLAÇÃO DA VISÃO PREV SOCIEDADE DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O PERFIL DE INVESTIMENTOS CONSERVADOR INDEXADO A INFLAÇÃO DA VISÃO PREV SOCIEDADE DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais

Leia mais

Módulo 4 - Especulação e Cobertura de Riscos com Futuros

Módulo 4 - Especulação e Cobertura de Riscos com Futuros Sumário Módulo 4 - Especulação e Cobertura de Riscos com Futuros ISEG Universidade Técnica de Lisboa 6 de Maio de 2005 Parte I Sumário Parte I: Arbitragem com Futuros Parte II: Especulação com Futuros

Leia mais

REGULAMENTADO SESSÃO ESPECIAL DE MERCADO. Apuramento dos Resultados da Oferta Pública de Subscrição das OBRIGAÇÕES TAXA FIXA MOTA-ENGIL 2013/2016

REGULAMENTADO SESSÃO ESPECIAL DE MERCADO. Apuramento dos Resultados da Oferta Pública de Subscrição das OBRIGAÇÕES TAXA FIXA MOTA-ENGIL 2013/2016 SESSÃO ESPECIAL DE MERCADO REGULAMENTADO Apuramento dos Resultados da Oferta Pública de Subscrição das OBRIGAÇÕES TAXA FIXA MOTA-ENGIL 2013/2016 14 de Março de 2013 ENTIDADE OFERENTE OFERTA PÚBLICA DE

Leia mais

TAXA GARANTIDA 1ª SÉRIE

TAXA GARANTIDA 1ª SÉRIE Prospecto Informativo TAXA GARANTIDA 1ª SÉRIE ICAE NÃO NORMALIZADO Os elementos constantes deste prospecto informativo reportam-se a 31 de Dezembro de 2009 (actualização dos ns.8, 9 e 10 da Parte III)

Leia mais

REGULAMENTADO SESSÃO ESPECIAL DE MERCADO. Apuramento dos Resultados da Oferta Pública de Subscrição das Obrigações FC PORTO SAD 2014-2017

REGULAMENTADO SESSÃO ESPECIAL DE MERCADO. Apuramento dos Resultados da Oferta Pública de Subscrição das Obrigações FC PORTO SAD 2014-2017 SESSÃO ESPECIAL DE MERCADO REGULAMENTADO Apuramento dos Resultados da Oferta Pública de Subscrição das Obrigações FC PORTO SAD 2014-2017 4 de Junho de 2014 Não dispensa a consulta do prospecto e respectiva

Leia mais

FUNÇÃO FINANCEIRA DAS SEGURADORAS 3.1. A Gestão da Tesouraria. Autor: Prof. Doutor Carlos Pereira da Silva. Ano Lectivo 2007/2008

FUNÇÃO FINANCEIRA DAS SEGURADORAS 3.1. A Gestão da Tesouraria. Autor: Prof. Doutor Carlos Pereira da Silva. Ano Lectivo 2007/2008 Mestrado em Ciências Actuarias FUNÇÃO FINANCEIRA DAS SEGURADORAS 3.1. A Gestão da Tesouraria Autor: Prof. Doutor Carlos Pereira da Silva Ano Lectivo 2007/2008 1 3. A FUNÇÃO FINANCEIRA DAS SEGURADORAS 3.1.

Leia mais

Informação Importante

Informação Importante Informação Importante Independentemente das condições de prestação de serviços bancários, de investimento, de recepção e transmissão de ordens por conta de outrem, cujos termos se encontram expressos nas

Leia mais

Nota: O presente instrumento, representa uma importante fonte de informação para o investidor onde, oferece-lhe orientações relativamente ao Mercado

Nota: O presente instrumento, representa uma importante fonte de informação para o investidor onde, oferece-lhe orientações relativamente ao Mercado 2013 2013 Nota: O presente instrumento, representa uma importante fonte de informação para o investidor onde, oferece-lhe orientações relativamente ao Mercado de Títulos do Tesouro, nomeadamente, as características

Leia mais

O valor da remuneração do Depósito Indexado não poderá ser inferior a 0%. O Depósito garante na Data de Vencimento a totalidade do capital aplicado.

O valor da remuneração do Depósito Indexado não poderá ser inferior a 0%. O Depósito garante na Data de Vencimento a totalidade do capital aplicado. Designação Depósito Indexado PSI 20 Classificação Caracterização do Produto Garantia de Capital Garantia de Remuneração Factores de Risco Instrumentos ou variáveis subjacentes ou associados Perfil de cliente

Leia mais

EMPRÉSTIMO OBRIGACIONISTA OBRIGAÇÕES COLEP / 2014 2017 FICHA TÉCNICA

EMPRÉSTIMO OBRIGACIONISTA OBRIGAÇÕES COLEP / 2014 2017 FICHA TÉCNICA EMPRÉSTIMO OBRIGACIONISTA OBRIGAÇÕES COLEP / 2014 2017 FICHA TÉCNICA Emitente: Colep Portugal, S.A. Modalidade: Emissão de obrigações a taxa variável por oferta particular e direta. Moeda: Euro ( ). Montante

Leia mais

Impossibilidade de reembolso antecipado, quer pelo emitente quer pelo investidor.

Impossibilidade de reembolso antecipado, quer pelo emitente quer pelo investidor. Documento Informativo Montepio Top Europa - Março 2011/2015 Produto Financeiro Complexo ao abrigo do Programa de Emissão de Obrigações de Caixa de 3 000 000 000 Advertências ao investidor: Impossibilidade

Leia mais

Produto Financeiro Complexo Documento Informativo BPI CHINA 2012-2015 ISIN: PTBBUFOM0021

Produto Financeiro Complexo Documento Informativo BPI CHINA 2012-2015 ISIN: PTBBUFOM0021 Produto Financeiro Complexo Documento Informativo BPI CHINA 2012-2015 ISIN: PTBBUFOM0021 Emissão de Obrigações ao abrigo do Euro Medium Term Note Programme de 10,000,000,000 do Banco BPI para a emissão

Leia mais

Informações Fundamentais Destinadas aos Investidores (IFI)

Informações Fundamentais Destinadas aos Investidores (IFI) Informações Fundamentais Destinadas aos Investidores (IFI) O presente documento fornece as informações fundamentais destinadas aos investidores sobre este Fundo. Não é material promocional. Estas informações

Leia mais