ATRAVÉS DE - POR QUE NÃO USAR? USE SIM.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ATRAVÉS DE - POR QUE NÃO USAR? USE SIM."

Transcrição

1 ATRAVÉS DE - POR QUE NÃO USAR? USE SIM. De uns tempos para cá, simplesmente por ouvir dizer que não se deve usar, algumas pessoas deixaram de utilizar e outras se negam a usar a expressão através de e preferem por meio de, por intermédio de e similares. Chega um momento na elaboração da composição que começam a sentir dificuldade e seu texto acaba eivado dessas expressões, o que poderia ser amenizado com o simples e eufônico através de. Esse fenômeno de abandonar e não usar a simpática expressão deve ocorrer porque se chegou à conclusão de que o através de traz em si a idéia de perpassar, de transpassar, de atravessar. Para alguns, também ficou gravada a idéia da luz transpassando alguma coisa, necessariamente, diáfana. Há certa lógica nesses conceitos, mas só porque tanto a expressão através de quanto o verbo atravessar vieram do mesmo radical: través ( lat. transversus,a,um 'atravessado, oblíquo', part.pas. de transvertère 'converter, mudar em, transformar; desviar, arredar, apartar; desvairar (a razão), cegar, desencaminhar', mediante a seguinte evolução fonética transversum ou transversam > *travesso ou *travessa > través; segundo se explica mais comumente a apócope da vogal temática -o ou -a se deveu à posição proclítica..., conforme o Dicionário Houaiss). No Dicionário Escolar das Dificuldades da Língua Portuguesa, elaborado por Cândido Jucá (filho) para o Ministério da Educação e Cultura, 3ª edição, 1968, está que Través é um substantivo masculino que significa esguelha, obliqüidade, viés; flanco, lado. Como se pode ver, tanto no dicionário de Cândido Jucá quanto no Houaiss, nada de luz que atravessa ou perpassa alguma coisa! A esse substantivo se juntou, primeiramente, a preposição A e se formou a expressão ATRAVÉS, posteriormente transformada na locução prepositiva ATRAVÉS DE, que, no mesmo dicionário escolar, significa de lado, a lado de, pelo meio de, por entre. Daí a se atingir o sentido figurado atual de introduzir uma expressão adverbial de instrumento ou de meio foi uma questão de ampliação de significado, como ocorre com tantas e tantas palavras e expressões da nossa língua. No entanto, antes de falar dessa ampliação de significado, vejamos outros dicionaristas. Segundo o Aurélio, a locução através de, que significa de lado a lado; atravessadamente; transversalmente, apresenta as seguintes possibilidades de uso: 1. De um para outro lado de: Para atingir suas metas, deveria passar através de rios e montanhas, E, através da vidraça, espia a rua (Austro- Costa). 2. Por entre: Os cabeços das serras negrejam... entre nuvens cinzentas (Camilo Castelo Branco), Conserva sempre o bom humor, através de todas as vicissitudes da vida. 3. No decurso de: E, subjugado o olvido, através das idades, / Violador de sertões, plantador de cidades, / Dentro do coração da pátria viverás (Olavo Bilac) Foi sempre o mesmo homem, através de anos e anos. 4. Por intermédio de. Como se pode ver, para cada significado, o dicionarista fornece dois exemplos, alguns de escritores consagrados, outros de lavra própria. Mas não deu exemplos para a quarta possibilidade, pois parece ter faltado a convicção que sobrou nas três

2 anteriores, de uso consagrado. O através de com o significado de por intermédio de, mediante talvez começasse a se firmar e o dicionarista ainda esperaria um pouco mais para exemplifica-lo. Já houve época em que, para um neologismo ou nova expressão ser dicionarizada, era preciso um longo tempo de uso, coisa de 20 a 30 anos. Com as modernas comunicações através das novas tecnologias, esse tempo de incorporação já vem ocorrendo até de um ano para o outro. O dicionarista Houaiss, por sua vez, diz que a locução através de apresenta os seguintes significados e dá os exemplos: 1 pelo meio de, por entre Ex.: ver o Sol através das nuvens 2 por dentro de; pelo interior de Ex.: o raio passa através da matéria 3 por, pelo Ex.: o ladrão entrou na casa através da janela. Através da vidraça via a chuva cair 4 no decorrer de (medida de tempo) Ex.: esses costumes prolongam-se através dos séculos 5 de um lado para o outro (de qualquer espaço delimitado) Ex.: caminharam através de florestas e pântanos 6 Derivação: sentido figurado. por meio de; mediante Ex.: educar através de exemplos - Conseguiu o emprego através de artifícios Houaiss, mais ousado (ou mais atualizado) do que o Aurélio, acata, no item 6 de suas definições, a ampliação de significado da expressão através de, pelo processo da Derivação: sentido figurado, locução que também assumiu a significação de por meio de; mediante. E dá exemplos muito claros desse novo sentido, ao contrário do Aurélio, que, no item 4, fala também da ampliação do significado para Por intermédio de, mas se manteve de forma tímida. Domingos Paschoal Cegalla, no útil Dicionário de Dificuldades da Língua Portuguesa, Ed. Nova Fronteira, 2ª edição revista e atualizada, 2006, no verbete próprio através de, diz o seguinte: 2. Está generalizando o emprego desta locução no sentido de por meio de, por intermédio de. Por isso, não há senão legitimá-lo: Soube a notícia através da imprensa. / Conseguiu emprego através de amigo influente. / Resgatou a culpa através de dura penitência. (Vivaldo Coaraci, Todos Contam Sua Vida, p. 95) / O mundo só se poderá salvar através do diálogo e da contemplação. (Antônio Carlos Villaça, Os Saltinbancos da Porciúncula, p. 49). Também Napoleão Mendes de Almeida, no seu prático Dicionário de Questões Vernáculas, Editora Caminho Suave Ltda, 1981, fala taxativamente, no verbete próprio sobre a locução através de, o seguinte:

3 Se constitui erro empregar através de para indicar o agente da passiva (O gol foi feito através do jogador Tal), não se deve por outro lado cair no exagero oposto de julgar que a locução só é possível quando significa de um lado para o outro, de lado a lado (Passou através da multidão Passou a espada através do corpo). Não vemos erro em: A palavra veio-nos do latim através do francês, como não vemos na passagem de Herculano: Através desses lábios inocentes murmuram durante alguns instantes as orações submissas. Há aí metáfora, metáfora que não conseguimos ver em advertência feita através do bispo, desaparecimento notado através de sua ausência. A Derivação, na forma de ampliação de sentido ou de junção de afixos a radicais, é o mais importante recurso de aumento vocabular e de transformação do léxico da Língua Portuguesa. Negar a Derivação é negar a vida de nossa língua. Vejamos alguns exemplos de palavras que, ao longo dos anos (ou através dos anos), foram ampliando ou restringindo seu significado, algumas vezes até perdendo a denotação original: a) Batizar na Grécia antiga era apenas o ato de imergir, lavar. Hoje é dar ou receber um sacramento da Igreja; b) Esposa entre os latinos antigos era apenas a noiva; atualmente é a mulher casada; c) Esquema já foi na Antigüidade maneira de ser, gesto; hoje é projeto, figura, esboço; d) Felis ou Feles, em latim, era adjetivo que designava a fêmea dos mamíferos. Através dos tempos, foi restringindo seu significado para a fêmea do gato apenas, a gata; e) Pé de mesa foi uma expressão formada a partir da comparação com as patas de animais; hoje é nome, lexia; f) Ribeira até o século XV era a orla marítima ou fluvial; atualmente é um pequeno rio; g) Salário já foi pagamento feito através de um punhado de sal; hoje é ordenado; h) Sinistro era apenas qualquer coisa que estivesse na mão esquerda; hoje é tragédia, desastre, catástrofe; i) Subsídio já foi reserva de soldados, tropa, reforço numa guerra; hoje é ajuda, reforço monetário, financeiro; j) Torrente, de torrere, queria dizer ficar em brasa, queimar, daí tórrida; hoje passou para o lado oposto e se tornou grande quantidade de água corrente; k) Véspera já foi o cair da noite apenas, relacionado com a estrela Vésper; hoje é um dia todo anterior a algum evento l) Zelo já foi ciúme, ardor, desejo; hoje é cuidado, manutenção. Todas as expressões acima, como se viu, já tiveram uma significação muito mais restrita ou mais ampla do que a que apresentam hoje, graças à ampliação, restrição ou até mudança do seu sentido. Uma coisa a questionar: cremos que não haja ainda um estudo sobre a porcentagem de significados denotativos (reais) e conotativos (figurados) que

4 usamos, mas certamente deve haver um equilíbrio entre ambos. Muitas palavras evoluíram seu significado original para um significado figurado. O que se enfatiza, no entanto, é que todo sentido figurado tem sua base necessariamente no sentido real. Para encerrar, percebemos que se pode usar a expressão através de de muitas formas, principalmente quando ela apresenta, entre outras, idéia de movimento, de passagem, de transposição, de deslocamento ou de transcurso no tempo ou no espaço, e também com a significação de mediante, por meio de, por intermédio de, conforme se vê nos exemplos dos dicionários. Entretanto, como a expressão ainda é noviça nesse último significado, é conveniente evitar algo como O presidente falou através de seu porta-voz, pois os mais puristas poderiam alegar, como nos chamou a atenção Josué Machado, que o porta-voz precisaria de mais furos no corpo do que o normal. Com essas explicações, esperamos que a agradável expressão através de seja alforriada de vez e passemos a usá-la sem pejo. Parece-nos mais eufônica do que por intermédio de, por meio de. Mas é tudo uma questão individual. Opte pelo que quiser. Mas não tire o direito dos outros de fazer a sua própria opção dentro das possibilidades que a língua oferece. Dezembro de 2005 atualizado em dezembro de 2007 Prof. Leo Ricino Mestre em Comunicação e Letras pela Universidade Presbiteriana Mackenzie e coordenador de Curso da Faculdade de Letras da UNISA Universidade de Santo Amaro. REFERÊNCIAS: Dicionários: 1) ALMEIDA, Napoleão Mendes de. Dicionário de Questões Vernáculas, Ed. Caminho Suave Ltda., São Paulo, ) CEGALLA, Domingos Paschoal. Dicionário de Dificuldades da Língua Portuguesa, Ed. Nova Fronteira, São Paulo, ) HOUAISS, Antônio. Dicionário da Língua Portuguesa Houaiss, Editora Objetiva, São Paulo, ) JOTA, Zélio dos Santos. Glossário das Dificuldades Sintática, Editora Fundo de Cultura, São Paulo, s/d 5) JUCA (filho). Dicionário Escolar das Dificuldades da Língua Portuguesa MEC, 3ª ed., Rio de Janeiro, ) MACHADO, José Pedro. Dicionário Etimológico da Língua Portuguesa, 2ª ed., Editorial Confluência, Lisboa, ) MAURICÉA FILHO, A. Dicionário de Curiosidades Etimológicas, Edições de Ouro, Rio de Janeiro, ) MICHAELIS. Dicionário da Língua Portuguesa, Ed. Melhoramentos, São Paulo, ) NASCENTES, Antenor. Dicionário Etimológico Resumido, MEC, Rio de Janeiro, ) Novo Dicionário Aurélio Editora Nova Fronteira, 1ª ed., Rio de Janeiro, 1975

5 Outros: 1) BECHARA, Evanildo. Moderna Gramática Portuguesa, 37ª ed. Editora Lucerna, Rio de Janeiro, ) BUENO, Francisco da Silveira. Gramática Normativa da Língua Portuguesa Curso Superior, 7ª ed., Edição Saraiva, São Paulo, ) COSTA, José Maria da. Manual de Redação Profissional, Editora Millennium, Campinas, ) CUNHA, Celso e CINTRA, Lindley. Nova Gramática do Português Contemporâneo, 3ª ed. Editora Nova Fronteira, Rio de Janeiro, ) GRION, Laurinda. Cem Erros que um Executivo Comete ao Redigir (mas não poderia cometer), Edicta Editora, São Paulo, ) LEME, Odilon Soares. Tirando Dúvidas de Português, 3ª ed, Editora Ática, São Paulo, ) MACHADO FILHO, Aires da Mata. Grande Coleção da Língua Portuguesa, 1ª ed., Vol. II, Gráfica Urupês, São Paulo, ) NICOLA, José e TERRA, Ernani Dúvidas de Português, 12ª ed. Editora Saraiva, São Paulo, ) PIMENTA, Reinaldo. A Casa da Maria Joana, Editora Campus, Rio de Janeiro, ) SACONI, Luiz Antônio. Não Erre Mais, Cia. Editora Nacional, São Paulo, ) SILVA, Deonísio da. De onde vêm as palavras, Ed. Mandarim, São Paulo, 1999 Escrito em outubro de Atualizado em 05/01/08

1. (FUVEST-SP) Em Queria que me ajudasses, o trecho destacado pode ser substituído por:

1. (FUVEST-SP) Em Queria que me ajudasses, o trecho destacado pode ser substituído por: COLÉGIO DE APLICAÇÃO DOM HÉLDER CÂMARA AVALIAÇÃO: EXERCÍCIOS COMPLEMENTARES I DISCIPLINA: LÍNGUA PORTUGUESA PROFESSOR(A): ANA PAULA DA VEIGA CALDAS ALUNO(A) DATA: / / TURMA: M SÉRIE: 9º ANO DATA PARA ENTREGA:

Leia mais

Solução Comentada Prova de Língua Portuguesa

Solução Comentada Prova de Língua Portuguesa Leia as questões da prova e, em seguida, responda-as preenchendo os parênteses com V (verdadeiro) ou F (falso). Texto 1 Januária 08 Toda gente homenageia Januária na janela Até o mar faz maré cheia Pra

Leia mais

REFORÇO ESCOLAR EM LÍNGUA PORTUGUESA

REFORÇO ESCOLAR EM LÍNGUA PORTUGUESA REFORÇO ESCOLAR EM LÍNGUA PORTUGUESA Bruna de Oliveira Nobre 1 Introdução Através do PIBID - Programa de Iniciação a Docência, que leva os alunos da graduação a terem um conhecimento prévio da escola e

Leia mais

c) O verbo ficará no singular ou no plural se o sujeito coletivo for especificado com substantivo no plural.

c) O verbo ficará no singular ou no plural se o sujeito coletivo for especificado com substantivo no plural. Concordância Verbal a) O verbo vai para a 3ª pessoa do plural caso o sujeito seja composto e anteposto ao verbo. Se o sujeito composto é posposto ao verbo, este irá para o plural ou concordará com o substantivo

Leia mais

Biblioteca Escolar. O Dicionário

Biblioteca Escolar. O Dicionário O Dicionário O que é um dicionário? Livro de referência onde se encontram palavras e expressões de uma língua, por ordem alfabética, com a respetiva significação ou tradução para outra língua e ainda,

Leia mais

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul NÚMERO DA VAGA: 22 venho por meio deste pedir a anulação

Leia mais

Será de acordo com a vaga que concorre e será divulgado na próxima quinta-feira.

Será de acordo com a vaga que concorre e será divulgado na próxima quinta-feira. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO PARA O CONCURSO PÚBLICO DA SUSER Nível Superior CONTADOR LÍNGUA PORTUGUESA O conteúdo a ser utilizado na prova do Concurso será disponibilizado na Próxima 5ª feira CONHECIMENTO ESPECÍFICO

Leia mais

PLANO DE CARREIRA DA FISCALIZAÇÃO MUNICIPAL PROGRAMAS DAS PROVAS CARGOS DE ENSINO SUPERIOR

PLANO DE CARREIRA DA FISCALIZAÇÃO MUNICIPAL PROGRAMAS DAS PROVAS CARGOS DE ENSINO SUPERIOR PLANO DE CARREIRA DA FISCALIZAÇÃO MUNICIPAL PROGRAMAS DAS PROVAS CARGOS DE ENSINO SUPERIOR CARGO: FISCAL DE SAÚDE PÚBLICA I PROVAS COMUNS ÀS FUNÇÕES DE FISCAL DE SAÚDE PÚBLICA E FISCAL DE SAÚDE PÚBLICA/FARMACÊUTICO.

Leia mais

Exemplo: O pedido tem a finalidade de atender as necessidades previstas. O pedido tem a finalidade de atender às necessidades previstas.

Exemplo: O pedido tem a finalidade de atender as necessidades previstas. O pedido tem a finalidade de atender às necessidades previstas. Projeto Falar Bem O projeto Falar Bem está sendo desenvolvido na ECEME, no corrente ano, com o objetivo de observar e analisar palestras e instruções, a fim de reunir dados para a elaboração de uma crítica

Leia mais

COMBINADOS PARA O SEMESTRE:

COMBINADOS PARA O SEMESTRE: COMBINADOS PARA O SEMESTRE: Temas de redação serão dados durantes as aulas. É importante pesquisá-los e estudá-los, pois alguns deles serão utilizados para as produções em sala ou em simulados; Toda a

Leia mais

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul NÚMERO DA VAGA: 22 MOTIVO ALEGADO PELO CANDIDATO: alternativa

Leia mais

Através do presente encaminhamos-lhe abaixo as respostas elaboradas pelos professores acerca das questões recursadas por candidatos, conforme segue:

Através do presente encaminhamos-lhe abaixo as respostas elaboradas pelos professores acerca das questões recursadas por candidatos, conforme segue: Alta Floresta MT, 28 de dezembro de 2009 À Banca Examinadora de Recursos do Concurso Público BERCP NOVA BANDEIRANTES MATO GROSSO. Estimadas Senhoras, REF. ATENDIMENTO DOS QUESTIONAMENTOS DE CANDIDATOS

Leia mais

7 INTRODUÇÃO À SINTAXE

7 INTRODUÇÃO À SINTAXE Aula INTRODUÇÃO À SINTAXE META Expor informações básicas sobre sintaxe. OBJETIVOS Ao final desta aula o aluno deverá: levar o aluno a compreender o que seja sintaxe de regência, de colocação e de concordância.

Leia mais

SEE/AC - SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO DO ACRE - PROFESSOR P2

SEE/AC - SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO DO ACRE - PROFESSOR P2 SEE/AC - SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO DO ACRE - PROFESSOR P2 RESPOSTAS AOS RECURSOS Cargo: ART - PROFESSOR P2 / ARTE Disciplina: LÍNGUA PORTUGUESA (LPO) 5 - Gab.:V B 5 - Gab.:W C 5 - Gab.:X D 8 - Gab.:V

Leia mais

Conteúdo Programático

Conteúdo Programático Conteúdo Programático Teste Seletivo 2014 - Edital 4º Ano Ensino Fundamental I 1. Interpretação de texto; 2. Redação; 3. Operações Fundamentais (probleminhas). 5º Ano Ensino Fundamental I 1. Interpretação

Leia mais

Unidade: Os Níveis de Análise Linguística I. Unidade I:

Unidade: Os Níveis de Análise Linguística I. Unidade I: Unidade: Os Níveis de Análise Linguística I Unidade I: 0 OS NÍVEIS DE ANÁLISE LINGUÍSTICA I Níveis de análise da língua Análise significa partição em segmentos menores para melhor compreensão do tema.

Leia mais

MUNICÍPIO DE MONTENEGRO Estado do Rio Grande do Sul CONCURSO PÚBLICO C/89/09

MUNICÍPIO DE MONTENEGRO Estado do Rio Grande do Sul CONCURSO PÚBLICO C/89/09 EDITAL Nº04/2009 PERCIVAL SOUZA DE OLIVEIRA, Prefeito Municipal de MONTENEGRO, no uso de suas atribuições legais, em conformidade com o Edital de Abertura nº 01/2009, torna público o presente edital para

Leia mais

Palestrante: José Nazareno Nogueira Lima Advogado, Diretor -Tesoureiro da OAB/PA, Consultor da ALEPA

Palestrante: José Nazareno Nogueira Lima Advogado, Diretor -Tesoureiro da OAB/PA, Consultor da ALEPA A ÉTICA NA POLÍTICA Palestrante: Advogado, Diretor -Tesoureiro da OAB/PA, Consultor da ALEPA A origem da palavra ÉTICA Ética vem do grego ethos, que quer dizer o modo de ser, o caráter. Os romanos traduziram

Leia mais

Utilização do BibleWorks BHS

Utilização do BibleWorks BHS Utilização do BibleWorks BHS Edson de Faria Francisco. São Bernardo do Campo, março de 2014. 1. Introdução O software BibleWorks é um programa para todos aqueles que trabalham com textos bíblicos. O programa

Leia mais

DICIONÁRIO REGIONALISTA E ESPANHOL: UMA ANÁLISE DISCURSIVA

DICIONÁRIO REGIONALISTA E ESPANHOL: UMA ANÁLISE DISCURSIVA DICIONÁRIO REGIONALISTA E ESPANHOL: UMA ANÁLISE DISCURSIVA Branco, Natieli Luiza Trabalho de Iniciação Científica/financiamento PET/Conexões de Saberes/MEC Universidade Federal de Santa Maria/Curso de

Leia mais

Só abra este caderno quando o fiscal autorizar. Leia atentamente as instruções abaixo.

Só abra este caderno quando o fiscal autorizar. Leia atentamente as instruções abaixo. PROCESSO SELETIVO 2003/1 REDAÇÃO Só abra este caderno quando o fiscal autorizar. Leia atentamente as instruções abaixo. 1. 2. 3. 4. 5. 6. Este caderno de prova contém três temas para redação, uma folha

Leia mais

Sem o acento, uma frase como essa teria seu sentido alterado, pois, em "Saiu a francesa", "a francesa" é o sujeito da oração.

Sem o acento, uma frase como essa teria seu sentido alterado, pois, em Saiu a francesa, a francesa é o sujeito da oração. OBS.: A locução prepositiva "à moda de" tem uma peculiaridade: nela se costuma observar a elisão do substantivo feminino "moda", mas, mesmo nos casos em que isso ocorre, mantém-se o acento de crase. Ex.:

Leia mais

Língua Portuguesa RESOLUÇÃO

Língua Portuguesa RESOLUÇÃO PROCESSO SELETIVO/2009 CADERNO 2 Respostas da 2. a Fase Língua Portuguesa RESOLUÇÃO FGVS-2.ªFase/2.ºCad-Língua Portuguesa-Resolução-manhã 2 LÍNGUA PORTUGUESA Leia o texto para responder às questões de

Leia mais

ANÁLISE DA PROVA DE LÍNGUA PORTUGUESA (BLOCO 3) DA SEFAZ-RS PROFESSOR ALBERT IGLÉSIA (albert@pontodosconcursos.com.br)

ANÁLISE DA PROVA DE LÍNGUA PORTUGUESA (BLOCO 3) DA SEFAZ-RS PROFESSOR ALBERT IGLÉSIA (albert@pontodosconcursos.com.br) 1. D A imprensa não omite o número. Ela procura expor a causa da violência: a corrupção. Acredita-se que a descrição dela cumpre papel informativo em relação a outros aspectos. As demais alternativas encontram

Leia mais

LINGUAGEM E ARGUMENTAÇÃO JURÍDICA

LINGUAGEM E ARGUMENTAÇÃO JURÍDICA AULA 11 PG 1 Este material é parte integrante da disciplina Linguagem e Argumentação Jurídica oferecido pela UNINOVE. O acesso às atividades, as leituras interativas, os exercícios, chats, fóruns de discussão

Leia mais

7 Tal pai, tal filho. Acabada a assembléia da comunidade de. Cenatexto

7 Tal pai, tal filho. Acabada a assembléia da comunidade de. Cenatexto JANELA A U L A 7 Tal pai, tal filho Cenatexto Acabada a assembléia da comunidade de Júpiter da Serra, em que se discutiu a expansão da mineradora, dona Ana volta para casa com o Samuel, seu garotinho.

Leia mais

I SEMINÁRIO INTERDISCIPLINAR DAS CIÊNCIAS DA LINGUAGEM NO CARIRI DE 21 a 23 DE NOVEMBRO DE 2012 - ISSN 2318-8391

I SEMINÁRIO INTERDISCIPLINAR DAS CIÊNCIAS DA LINGUAGEM NO CARIRI DE 21 a 23 DE NOVEMBRO DE 2012 - ISSN 2318-8391 ENSINO E APRENDIZAGEM DE LATIM NA URCA: UM ESTUDO DE CASO SOUZA, Yascara Simão 1 ARRUDA, Francisco Edmar Cialdine 2 RESUMO Este trabalho tem como objetivo apresentar análises colhidas de materiais como

Leia mais

Turma Regular Semanal Manhã

Turma Regular Semanal Manhã A) ARTIGOS CORRELATOS CONCORDÂNCIA NOMINAL Introdução Leia a frase abaixo e observe as inadequações: Aquele dois meninos estudioso leram livros antigo. Note que as inadequações referem-se aos desajustes

Leia mais

PARA QUEM CURSA O 7.O ANO EM

PARA QUEM CURSA O 7.O ANO EM Nome: N.º: endereço: data: Telefone: E-mail: Colégio PARA QUEM CURSA O 7.O ANO EM 2014 Disciplina: Prova: PoRTUGUÊs desafio nota: Analise o cartaz abaixo e responda às questões 1 e 2. 1 PORTUGUÊS DESAFIO

Leia mais

Esperamos que este pequeno material seja esclarecedor e que possa levar mais gente a se interessar pela língua que falamos.

Esperamos que este pequeno material seja esclarecedor e que possa levar mais gente a se interessar pela língua que falamos. Apresentação Será que a Língua Portuguesa é mesmo difícil? Por que é comum ouvir brasileiros dizerem que não sabem falar português? Será que a experiência escolar com o ensino de Língua Portuguesa causa

Leia mais

Adjunto adnominal. Os dois primeiros colocados disputarão a medalha de ouro. adj. adn. adj. adn. adj. adn. adj. adn. adj: adn.

Adjunto adnominal. Os dois primeiros colocados disputarão a medalha de ouro. adj. adn. adj. adn. adj. adn. adj. adn. adj: adn. Professor Jailton Adjunto adnominal é o termo da oração que sempre se refere a um substantivo que funciona como núcleo de um termo, a fim de determiná-lo, indeterminá-lo ou caracterizá-lo. adj. adn. adj.

Leia mais

Conversando com os pais

Conversando com os pais Conversando com os pais Motivos para falar sobre esse assunto, em casa, com os filhos 1. A criança mais informada, e de forma correta, terá mais chances de saber lidar com sua sexualidade e, no futuro,

Leia mais

Professora: Lícia Souza

Professora: Lícia Souza Professora: Lícia Souza Morfossintaxe: a seleção e a combinação de palavras Observe que, para combinar as palavras loucamente, louco e loucura com outras palavras nas frases de modo que fiquem de acordo

Leia mais

USO DOS PRONOMES DEMONSTRATIVOS NA FALA E NA ESCRITA 1

USO DOS PRONOMES DEMONSTRATIVOS NA FALA E NA ESCRITA 1 USO DOS PRONOMES DEMONSTRATIVOS NA FALA E NA ESCRITA 1 RESUMO Sirlei de Faria Andrade¹ Nesta pesquisa, o objeto de estudo é análise da apresentação dos pronomes demonstrativos nas gramáticas de Bechara

Leia mais

UMA PROPOSTA DIDÁTICA PARA A DESCRIÇÃO DO GÊNERO DOS SUBSTANTIVOS EM PORTUGUÊS INTRODUÇÃO

UMA PROPOSTA DIDÁTICA PARA A DESCRIÇÃO DO GÊNERO DOS SUBSTANTIVOS EM PORTUGUÊS INTRODUÇÃO UMA PROPOSTA DIDÁTICA PARA A DESCRIÇÃO DO GÊNERO DOS SUBSTANTIVOS EM PORTUGUÊS José Mario Botelho (UERJ e ABRAFIL) INTRODUÇÃO Não há dúvida de que há uma inconsistência nos ensinamentos tradicionais acerca

Leia mais

5 Sintaxe dos verbos haver e existir

5 Sintaxe dos verbos haver e existir 5 Sintaxe dos verbos haver e existir Há aspectos envolvidos em construções com haver e existir que são muito importantes, para encontrar as raízes das dificuldades que se apresentam no uso desses dois

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO COMPANHIA DE PROCESSAMENTO DE DADOS DO MUNICÍPIO DE GOIÂNIA COMDATA EDITAL N.º 001/07 PROGRAMAS DAS PROVAS CARGOS DE ENSINO MÉDIO

CONCURSO PÚBLICO COMPANHIA DE PROCESSAMENTO DE DADOS DO MUNICÍPIO DE GOIÂNIA COMDATA EDITAL N.º 001/07 PROGRAMAS DAS PROVAS CARGOS DE ENSINO MÉDIO PROGRAMAS DAS PROVAS CARGOS DE ENSINO MÉDIO LÍNGUA PORTUGUESA - PROVA COMUM A TODOS OS CARGOS DE ENSINO MÉDIO 1 Interpretação textual Metáfora, metonímia, ambigüidade, ironia, denotação e conotação, pontos

Leia mais

Homens. Inteligentes. Manifesto

Homens. Inteligentes. Manifesto Homens. Inteligentes. Manifesto Ser homem antigamente era algo muito simples. Você aprendia duas coisas desde cedo: lutar para se defender e caçar para se alimentar. Quem fazia isso muito bem, se dava

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: Informação e Comunicação Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: Bacharelado em Sistemas de Informação FORMA/GRAU:( )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( X ) bacharelado ( ) licenciatura

Leia mais

PLANIFICAÇÃO ANUAL 2015/2016 PORTUGUÊS - 3ºANO

PLANIFICAÇÃO ANUAL 2015/2016 PORTUGUÊS - 3ºANO DIREÇÃO DE SERVIÇOS DA REGIÃO ALGARVE Agrupamento de Escolas José Belchior Viegas (Sede: Escola Secundária José Belchior Viegas) PLANIFICAÇÃO ANUAL 2015/2016 PORTUGUÊS - 3ºANO METAS Domínios/ Conteúdos

Leia mais

A LÍNGUA PORTUGUESA E SEU ALTO GRAU DE DIVERSIDADE E DE RESUMO. A comunicação é indispensável ao homem que vive em sociedade, com esta necessidade

A LÍNGUA PORTUGUESA E SEU ALTO GRAU DE DIVERSIDADE E DE RESUMO. A comunicação é indispensável ao homem que vive em sociedade, com esta necessidade A LÍNGUA PORTUGUESA E SEU ALTO GRAU DE DIVERSIDADE E DE VARIABILIDADE. *Gisele Rogelin Prass RESUMO A comunicação é indispensável ao homem que vive em sociedade, com esta necessidade surge à língua. A

Leia mais

COMUNICAÇÃO: O VOCATIVO EM CORPUS DO DIALETO MINEIRO OITOCERNTISTA: UMA ABORDAGEM VARIACIONISTA

COMUNICAÇÃO: O VOCATIVO EM CORPUS DO DIALETO MINEIRO OITOCERNTISTA: UMA ABORDAGEM VARIACIONISTA COMUNICAÇÃO: O VOCATIVO EM CORPUS DO DIALETO MINEIRO OITOCERNTISTA: UMA ABORDAGEM VARIACIONISTA -Juliana Costa Moreira -UFOP -Mônica G. R. de Alkmim -UFOP O presente trabalho tem como objeto de estudo

Leia mais

1 Introdução. 1.1 Apresentação do tema

1 Introdução. 1.1 Apresentação do tema 1 Introdução 1.1 Apresentação do tema Segundo Basílio (1987), as principais funções do léxico são a representação conceitual e o fornecimento de unidades básicas para a construção dos enunciados. Para

Leia mais

Concordância Nominal

Concordância Nominal Concordância Nominal Concordância Nominal Regra Geral O artigo, o pronome, o numeral e o adjetivo devem concordar em gênero e número com o substantivo ao qual se referem. Ex.: Os nossos dois brinquedos

Leia mais

A brisa do mar está ótima!

A brisa do mar está ótima! A brisa do mar está ótima! Mais um fim de semana. Cristiana e Roberto vão à praia e convidam Maristela para tomar um pouco de ar fresco e de sol, e tirar o mofo! É verão e o sol já está bem quente. Mas

Leia mais

COMANDO DA AERONÁUTICA ESCOLA DE ESPECIALISTAS DE AERONÁUTICA SUBDIVISÃO DE ADMISSÃO E DE SELEÇÃO

COMANDO DA AERONÁUTICA ESCOLA DE ESPECIALISTAS DE AERONÁUTICA SUBDIVISÃO DE ADMISSÃO E DE SELEÇÃO Questão : 08 19 25 A questão 08 do código 07, que corresponde à questão 19 do código 08 e à questão 25 do código 09 Assinale a alternativa incorreta em relação à regência nominal. a) São poucos os cargos

Leia mais

Esta edição segue as normas do Novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa.

Esta edição segue as normas do Novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. [2] Luciano Portela, 2015 Todos os direitos reservados. Não há nenhum empecilho caso queira compartilhar ou reproduzir frases do livro sem permissão, através de qualquer veículo impresso ou eletrônico,

Leia mais

CASOS PARTICULARES S + S + A Obs:

CASOS PARTICULARES S + S + A Obs: 1) Regra geral Palavra que acompanha substantivo concorda com ele. Ex.: O aluno. Os alunos. A aluna. As alunas. Meu livro. Meus livros. Minha pasta. Minhas pastas. Garoto alto. Garotos altos. Garota alta.

Leia mais

Precisa. falar inglês. no trabalho, mas tem medo? Conheça 4 maneiras para superar esta barreira.

Precisa. falar inglês. no trabalho, mas tem medo? Conheça 4 maneiras para superar esta barreira. Precisa falar inglês no trabalho, mas tem medo? Conheça 4 maneiras para superar esta barreira. Aprender um novo idioma é se sentir como uma criança novamente: faltam palavras para se expressar e a insegurança

Leia mais

Conheça também! As demais disciplinas desta coleção nas páginas 4, 8, 32, 36, 72 e 90.

Conheça também! As demais disciplinas desta coleção nas páginas 4, 8, 32, 36, 72 e 90. porta aberta Nova edição Geografia 2º ao 5º ano O estudo das categorias lugar, paisagem e espaço tem prioridade nesta obra. 25383COL05 Conheça também! As demais disciplinas desta coleção nas páginas 4,

Leia mais

AGRUPAMENTO DE CLARA DE RESENDE COD. 242 937 COD. 152 870

AGRUPAMENTO DE CLARA DE RESENDE COD. 242 937 COD. 152 870 CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO (Aprovados em Conselho Pedagógico de 16 outubro de 2012) No caso específico da disciplina de PORTUGUÊS, do 3.º ano de escolaridade, a avaliação incidirá ainda ao nível

Leia mais

A Terra gira... Nesta aula vamos aprender um pouco mais. sobre o movimento que a Terra realiza em torno do seu eixo: o movimento de

A Terra gira... Nesta aula vamos aprender um pouco mais. sobre o movimento que a Terra realiza em torno do seu eixo: o movimento de A U A U L L A A Terra gira... Nesta aula vamos aprender um pouco mais sobre o movimento que a Terra realiza em torno do seu eixo: o movimento de rotação. É esse movimento que dá origem à sucessão dos dias

Leia mais

RESPOSTAS AOS RECURSOS IMPRETADOS POR CANDIDATOS DO VESTIBULAR 2012

RESPOSTAS AOS RECURSOS IMPRETADOS POR CANDIDATOS DO VESTIBULAR 2012 RESPOSTAS AOS RECURSOS IMPRETADOS POR CANDIDATOS DO VESTIBULAR 2012 1º DIA Prova de Língua Portuguesa Questão 2 Na questão 2, o enunciado diz claramente que o que se está avaliando é o significado que

Leia mais

As questões a seguir foram extraídas de provas de concurso.

As questões a seguir foram extraídas de provas de concurso. COMENTÁRIO QUESTÕES DE PORTUGUÊS PROFESSORA: FABYANA MUNIZ As questões a seguir foram extraídas de provas de concurso. 1. (FCC)...estima-se que sejam 20 línguas. (2º parágrafo) O verbo flexionado nos mesmos

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ COORDENADORIA DE CONCURSOS CCV PARECER

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ COORDENADORIA DE CONCURSOS CCV PARECER Língua Portuguesa Questão 02 A questão dois aborda o item 2.1. do Programa: referência. É correta a alternativa (E). Tanto o termo holandês (linha 21) como o termo primatólogo (linha 31) se referem a Frans

Leia mais

Uma chaminé esfumaçante em forma de arma apontada contra a cabeça só pode colocar a poluição como uma arma letal.

Uma chaminé esfumaçante em forma de arma apontada contra a cabeça só pode colocar a poluição como uma arma letal. 1. A legenda mais apropriada para a charge é: A poluição é uma arma que pode matar. Uma chaminé esfumaçante em forma de arma apontada contra a cabeça só pode colocar a poluição como uma arma letal. 02.

Leia mais

Assine e coloque seu número de inscrição no quadro abaixo. Preencha, com traços firmes, o espaço reservado a cada opção na folha de resposta.

Assine e coloque seu número de inscrição no quadro abaixo. Preencha, com traços firmes, o espaço reservado a cada opção na folha de resposta. Prezado(a) candidato(a): 1 Assine e coloque seu número de inscrição no quadro abaixo. Preencha, com traços firmes, o espaço reservado a cada opção na folha de resposta. Nº de Inscrição Nome PROVA DE LÍNGUA

Leia mais

CRASE TEORIA. REGRA GERAL A crase ocorrerá sempre que o termo anterior exigir a preposição a e o termo posterior admitir o artigo a ou as.

CRASE TEORIA. REGRA GERAL A crase ocorrerá sempre que o termo anterior exigir a preposição a e o termo posterior admitir o artigo a ou as. CRASE TEORIA (Aluna do Curso de Secretariado Executivo Trilíngüe da Universidade Estácio de Sá) Crase é a fusão da preposição a com o artigo a ou com o a inicial dos pronomes demonstrativos aquele, aquela,

Leia mais

O SUICÍDIO: UMA OUTRA VISÃO PERANTE A MORTE

O SUICÍDIO: UMA OUTRA VISÃO PERANTE A MORTE 53 O SUICÍDIO: UMA OUTRA VISÃO PERANTE A MORTE Sidnei Shirosaki Faculdade Unida de Suzano(sidnei.shirosaki@uniesp.edu.br) Resumo A morte é tratada de forma diferente por diversos povos, mas sempre com

Leia mais

I. Complete o texto seguinte com as formas correctas dos verbos ser ou estar. (5 pontos)

I. Complete o texto seguinte com as formas correctas dos verbos ser ou estar. (5 pontos) I. Complete o texto seguinte com as formas correctas dos verbos ser ou estar. Hoje. domingo e o tempo. bom. Por isso nós. todos fora de casa.. a passear à beira-mar.. agradável passar um pouco de tempo

Leia mais

ENSINO FUNDAMENTAL. Sondagem 2014 6º ANO. Língua Portuguesa

ENSINO FUNDAMENTAL. Sondagem 2014 6º ANO. Língua Portuguesa ENSINO FUNDAMENTAL O processo de sondagem Colégio Sion busca detectar, no aluno, pré-requisitos que possibilitem inseri-lo adequadamente no ano pretendido. As disciplinas de Língua Portuguesa e são os

Leia mais

PRINCÍPIOS PARA A REDAÇÃO DE UMA DISSERTAÇÃO OU TESE

PRINCÍPIOS PARA A REDAÇÃO DE UMA DISSERTAÇÃO OU TESE 1 PRINCÍPIOS PARA A REDAÇÃO DE UMA DISSERTAÇÃO OU TESE Prof. Dr. Flávio Villaça Professor Titular de Planejamento Urbano da FAU-USP Versão de 20/12/04 Flavila@uol.com.br INTRODUÇÀO Este texto foi elaborando

Leia mais

Enem. Dicas para você se dar bem na prova. A prova do ENEM está ai e você precisa de uma boa nota, certo? Verdade!

Enem. Dicas para você se dar bem na prova. A prova do ENEM está ai e você precisa de uma boa nota, certo? Verdade! Enem Dicas para você se dar bem na prova. A prova do ENEM está ai e você precisa de uma boa nota, certo? Verdade! Não tem mais para onde correr: O resto dos seus dias depende disso. Ou pelo menos é assim

Leia mais

EXERCÍCIOS DE PORTUGUÊS (6º ANO)

EXERCÍCIOS DE PORTUGUÊS (6º ANO) EXERCÍCIOS DE PORTUGUÊS (6º ANO) ADJETIVO 1. Leia. Escreva o substantivo que dá nome ao animal citado no texto. 2. De acordo com a ilustração, escreva esse substantivo e uma palavra que atribua característica

Leia mais

O CRISTÃO E A IDENTIDADE DOUTRINÁRIA. Uma introdução do curso

O CRISTÃO E A IDENTIDADE DOUTRINÁRIA. Uma introdução do curso O CRISTÃO E A IDENTIDADE DOUTRINÁRIA Sugestões bibliográficas: Uma introdução do curso BAVINCK, Herman. Dogmática Reformada. Vol 1-4. BERKHOF, Louis. Teologia Sistemática. 791pp. O Catecismo Maior de Westminster.

Leia mais

QUESTÕES DE LÍNGUA PORTUGUESA

QUESTÕES DE LÍNGUA PORTUGUESA QUESTÕES DE LÍNGUA PORTUGUESA TEXTO I - O Problema Ecológico (para as questões de 1 a 5) Se uma nave extraterrestre invadisse o espaço aéreo da Terra, com certeza seus tripulantes diriam que neste planeta

Leia mais

PRODUÇÃO DE SIGNIFICADOS NA SALA DE AULA DE MATEMÁTICA DO ENSINO FUNDAMENTAL

PRODUÇÃO DE SIGNIFICADOS NA SALA DE AULA DE MATEMÁTICA DO ENSINO FUNDAMENTAL PRODUÇÃO DE SIGNIFICADOS NA SALA DE AULA DE MATEMÁTICA DO ENSINO FUNDAMENTAL Amarildo Melchiades da Silva Universidade Federal de Juiz de Fora xamcoelho@terra.com.br José Eduardo Ferreira da Silva C.A.

Leia mais

PARTE 1 FONÉTICA CAPÍTULO 1 FONÉTICA...

PARTE 1 FONÉTICA CAPÍTULO 1 FONÉTICA... Sumário PARTE 1 FONÉTICA CAPÍTULO 1 FONÉTICA... 3 1.1. Fonema...3 1.2. Classificação dos fonemas...4 1.3. Encontros vocálicos...5 1.4. Encontros consonantais...5 1.5. Dígrafos...6 1.6. Dífono...7 1.7.

Leia mais

COMENTÁRIO DA PROVA DE LÍNGUA PORTUGUESA

COMENTÁRIO DA PROVA DE LÍNGUA PORTUGUESA COMENTÁRIO DA PROVA DE LÍNGUA PORTUGUESA A seleção de textos, como não poderia deixar de ser, priorizou a Política como eixo temático. Afinal, 2014 não apenas foi ano de eleição presidencial, como também

Leia mais

Letras. Objetivo. Aspectos das Conexões Sintáticas. Prof a. Dr a. Leda Szabo

Letras. Objetivo. Aspectos das Conexões Sintáticas. Prof a. Dr a. Leda Szabo Letras Prof a. Dr a. Leda Szabo Aspectos das Conexões Sintáticas Objetivo Diferenciar o objeto de estudo da análise de base sintática do objeto de estudo da análise do discurso. Compreender a diferença

Leia mais

:: Cuidados na Elaboração de uma Redação Científica

:: Cuidados na Elaboração de uma Redação Científica :: Cuidados na Elaboração de uma Redação Científica José Mauricio Santos Pinheiro em 21/04/2005 Os princípios indispensáveis à redação científica podem ser resumidos em quatro pontos fundamentais: clareza,

Leia mais

FACULDADE DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES

FACULDADE DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES REFLEXÕES SOBRE O OBJETO DIRETO, O OBJETO INDIRETO E O ADJUNTO CIRCUNSTANCIAL, NA CLASSIFICAÇÃO SINTÁTICA DOS TERMOS DA ORAÇÃO, DE MÁRIO PERINI Antônio Sérgio Cavalcante da Cunha (UERJ/FFP) INTRODUÇÃO

Leia mais

CURIOSIDADES GRÁFICAS

CURIOSIDADES GRÁFICAS CURIOSIDADES GRÁFICAS 1. USO DOS PORQUÊS POR QUE: usado em frases interrogativas diretas e indiretas; quando equivale a pelo qual e flexões e quando depois dessa expressão vier escrita ou subentendida

Leia mais

FUNDAMENTOS DA LÍNGUA LATINA

FUNDAMENTOS DA LÍNGUA LATINA FUNDAMENTOS DA LÍNGUA LATINA INTRODUÇÃO Conhecer o objetivo que se quer atingir em um empreendimento é condição básica para que este seja realizado a contento. Considerando que o curso de Letras é primariamente

Leia mais

FILOSOFIA DE VIDA Atos 13.36

FILOSOFIA DE VIDA Atos 13.36 FILOSOFIA DE VIDA Atos 13.36 Tendo, pois, Davi servido ao propósito de Deus em sua geração, adormeceu, foi sepultado com os seus antepassados e seu corpo se decompôs. Não são todos que têm o privilégio

Leia mais

O objeto direto preposicionado pode ocorrer quando: Estiver representando nomes próprios. Ex.: Sempre quis viajar a Fernando de Noronha.

O objeto direto preposicionado pode ocorrer quando: Estiver representando nomes próprios. Ex.: Sempre quis viajar a Fernando de Noronha. Em alguns casos, o objeto direto pode ser introduzido por preposição: é o chamado objeto direto preposicionado. Nesses casos, o verbo é sempre transitivo direto, e seu complemento é, obviamente, um objeto

Leia mais

21 sacadas para levar o seu negócio para o próximo nível

21 sacadas para levar o seu negócio para o próximo nível Para quem é este livro? Este livro é para todas aquelas pessoas que fazem o que amam em seu trabalho mas não estão tendo o retorno que gostariam. Este mini guia com 21 sacadas é um resumo dos atendimentos

Leia mais

Estudo de Caso. Cliente: Cristina Soares. Coach: Rodrigo Santiago. Duração do processo: 12 meses

Estudo de Caso. Cliente: Cristina Soares. Coach: Rodrigo Santiago. Duração do processo: 12 meses Estudo de Caso Cliente: Cristina Soares Duração do processo: 12 meses Coach: Rodrigo Santiago Quando decidi realizar meu processo de coaching, eu estava passando por um momento de busca na minha vida.

Leia mais

** O texto aqui reproduzido é de propriedade do MUD - Museu da Dança e não pode ser copiado ou reproduzido sem a autorização prévia.

** O texto aqui reproduzido é de propriedade do MUD - Museu da Dança e não pode ser copiado ou reproduzido sem a autorização prévia. * Este texto corresponde à visão da autora Marcia Dib e todas as informações aqui contidas são de inteira responsabilidade da autora. ** O texto aqui reproduzido é de propriedade do MUD - Museu da Dança

Leia mais

LC 19_1-10 OS ENCONTROS DE JESUS ZAQUEU O HOMEM QUE QUERIA VER JESUS

LC 19_1-10 OS ENCONTROS DE JESUS ZAQUEU O HOMEM QUE QUERIA VER JESUS 1 LC 19_1-10 OS ENCONTROS DE JESUS ZAQUEU O HOMEM QUE QUERIA VER JESUS Lc 19 1 Jesus entrou em Jericó e estava atravessando a cidade. 2 Morava ali um homem rico, chamado Zaqueu, que era chefe dos cobradores

Leia mais

Meu pai disse-me, à porta do Ateneu, que eu ia encontrar ( que eu encontraria ) o mundo e que (eu) tivesse coragem para a luta.

Meu pai disse-me, à porta do Ateneu, que eu ia encontrar ( que eu encontraria ) o mundo e que (eu) tivesse coragem para a luta. Tipos de Discurso (exercícios para fixação de conteúdo, bem como material de consulta e estudo). 1. Transforme a fala abaixo em um discurso indireto. Para tal, imagine que há, na cena, um narrador que

Leia mais

PARTE IV. O chamado para a especialização

PARTE IV. O chamado para a especialização PARTE IV O chamado para a especialização Durante o século XIX o missionário era um evangelista. Mas durante o século XX ele se torna um especialista que evangeliza. Isso tem a ver com o fundo histórico

Leia mais

03. Resposta: E. Página 552 02.

03. Resposta: E. Página 552 02. Orações coordenadas Página 550 a) O aquecimento excessivo do planeta é um fato incontestável [1], por isso muitos países já implantaram programas de redução de poluentes [2], mas / porém / no entanto o

Leia mais

Leia o poema de Carlos Drummond de Andrade e a seguir responda à questão proposta.

Leia o poema de Carlos Drummond de Andrade e a seguir responda à questão proposta. Leia o poema de Carlos Drummond de Andrade e a seguir responda à questão proposta. Família Três meninos e duas meninas, sendo uma ainda de colo. a cozinheira preta, a copeira mulata, o papagaio, o gato,

Leia mais

A Morfologia é o estudo da palavra e sua função na nossa língua. Na língua portuguesa, as palavras dividem-se nas seguintes categorias:

A Morfologia é o estudo da palavra e sua função na nossa língua. Na língua portuguesa, as palavras dividem-se nas seguintes categorias: MORFOLOGIA A Morfologia é o estudo da palavra e sua função na nossa língua. Na língua portuguesa, as palavras dividem-se nas seguintes categorias: 1. SUBSTANTIVO Tudo o que existe é ser e cada ser tem

Leia mais

AS QUESTÕES OBRIGATORIAMENTE DEVEM SER ENTREGUES EM UMA FOLHA À PARTE COM ESTA EM ANEXO. A etiqueta nas redes sociais

AS QUESTÕES OBRIGATORIAMENTE DEVEM SER ENTREGUES EM UMA FOLHA À PARTE COM ESTA EM ANEXO. A etiqueta nas redes sociais ENSINO FUNDAMENTAL Conteúdos do 8º Ano 1º/2º Bimestre 2014 Trabalho de Dependência Nome: N. o : Turma: Professor(a): Aline Data: / /2014 Unidade: Cascadura Mananciais Méier Taquara Língua Portuguesa Resultado

Leia mais

A Bíblia seja colocada em lugar de destaque, ao lado de uma vela acesa.

A Bíblia seja colocada em lugar de destaque, ao lado de uma vela acesa. Encontro com a Palavra Agosto/2011 Mês de setembro, mês da Bíblia 1 encontro Nosso Deus se revela Leitura Bíblica: Gn. 12, 1-4 A Bíblia seja colocada em lugar de destaque, ao lado de uma vela acesa. Boas

Leia mais

PORTUGUÊS PARA CONCURSOS

PORTUGUÊS PARA CONCURSOS PORTUGUÊS PARA CONCURSOS Sumário Capítulo 1 - Noções de fonética Fonema Letra Sílaba Número de sílabas Tonicidade Posição da sílaba tônica Dígrafos Encontros consonantais Encontros vocálicos Capítulo 2

Leia mais

TROCANDO IDEIAS SOBRE A OBRA

TROCANDO IDEIAS SOBRE A OBRA Ideias sobre a obra 2 TROCANDO IDEIAS SOBRE A OBRA (ALUNOS SENTADOS EM CÍRCULO) ABORDAGEM GERAL Cite outros títulos que o livro Memórias de um dicionário poderia ter. A turma vai eleger o mais interessante.

Leia mais

SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 1 O QUE VEMOS NO CÉU? Levantamento inicial. Delimitando o céu para o estudo da Astronomia

SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 1 O QUE VEMOS NO CÉU? Levantamento inicial. Delimitando o céu para o estudo da Astronomia SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 1 O QUE VEMOS NO CÉU? Levantamento inicial Páginas 3-4 1. Esperam-se respostas como: Lua, estrelas, nuvens, Sol, pássaros, aviões, satélites etc. 2. Resposta pessoal. Caso os alunos

Leia mais

O CARTAZ Jesus é a Fonte da água viva Significado do Cartaz

O CARTAZ Jesus é a Fonte da água viva Significado do Cartaz O CARTAZ Jesus é a Fonte da água viva Significado do Cartaz Completando a coleção do quadriênio junto com o término do Planejamento IELB 2014, temos as imagens menores que apontam para os cartazes anteriores.

Leia mais

c) Eufemismo - É uma maneira de, por meio de palavras mais polidas, tornar mais suave e sutil uma informação de cunho desagradável e chocante.

c) Eufemismo - É uma maneira de, por meio de palavras mais polidas, tornar mais suave e sutil uma informação de cunho desagradável e chocante. c) Eufemismo - É uma maneira de, por meio de palavras mais polidas, tornar mais suave e sutil uma informação de cunho desagradável e chocante. Ex: Infelizmente ele se foi (em vez de morreu ). Ela está

Leia mais

Denominação do curso: ESPANHOL APLICADO A SERVIÇOS TURÍSTICOS BÁSICO

Denominação do curso: ESPANHOL APLICADO A SERVIÇOS TURÍSTICOS BÁSICO 1- DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Denominação do curso: ESPANHOL APLICADO A SERVIÇOS TURÍSTICOS BÁSICO Eixo Tecnilógico: Apoio Educacional Local de oferta: IFBA Campus Ilhéus Modalidade: Presencial Turno de oferta:

Leia mais

Objetivos da aula. Treinamento. Curso: Teologia. Treinamento, Liderança, autoridade e responsabilidade na administração eclesiástica

Objetivos da aula. Treinamento. Curso: Teologia. Treinamento, Liderança, autoridade e responsabilidade na administração eclesiástica Curso: Teologia Prof: Nicanor Lopes Treinamento, Liderança, autoridade e responsabilidade na administração eclesiástica Objetivos da aula Analisar métodos e técnicas de treinamento na administração eclesiástica;

Leia mais

A MORFOLOGIA EM LIBRAS Flancieni Aline R. Ferreira (UERJ) flan.uerj@hotmail.com

A MORFOLOGIA EM LIBRAS Flancieni Aline R. Ferreira (UERJ) flan.uerj@hotmail.com XVIII CONGRESSO NACIONAL DE LINGUÍSTICA E FILOLOGIA A MORFOLOGIA EM LIBRAS Flancieni Aline R. Ferreira (UERJ) flan.uerj@hotmail.com RESUMO Neste trabalho, discutiremos sobre o estudo morfossintático da

Leia mais

AS TRÊS EXPERIÊNCIAS

AS TRÊS EXPERIÊNCIAS Nome: N.º: endereço: data: Telefone: E-mail: Colégio PARA QUEM CURSA O 8 Ọ ANO EM 2014 Disciplina: PoRTUGUÊs Prova: desafio nota: Texto para as questões de 1 a 7. AS TRÊS EXPERIÊNCIAS Há três coisas para

Leia mais

Vestibular UFRGS 2013 Resolução da Prova de Língua Portuguesa

Vestibular UFRGS 2013 Resolução da Prova de Língua Portuguesa 01. Alternativa (E) Vestibular UFRGS 2013 Resolução da Prova de Língua Portuguesa Alternativa que contém palavras grafadas de acordo com o Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa - VOLP 02. Alternativa

Leia mais

MANUAL PARA CADASTRO DE PROJETOS

MANUAL PARA CADASTRO DE PROJETOS MANUAL PARA CADASTRO DE PROJETOS O QUE É O AMOR ANIMAL? É um site de financiamento coletivo, onde pessoas e/ou entidades cadastram iniciativas exclusivas para causas animais. Estes projetos ficam abertos

Leia mais

ESTRUTURA TÓPICO-COMENTÁRIO, A TRADIÇÃO GRAMATICAL E O ENSINO DE REDAÇÃO Antônio Sérgio Cavalcante da Cunha (UERJ/FFP) sergio03@ism.com.

ESTRUTURA TÓPICO-COMENTÁRIO, A TRADIÇÃO GRAMATICAL E O ENSINO DE REDAÇÃO Antônio Sérgio Cavalcante da Cunha (UERJ/FFP) sergio03@ism.com. ESTRUTURA TÓPICO-COMENTÁRIO, A TRADIÇÃO GRAMATICAL E O ENSINO DE REDAÇÃO Antônio Sérgio Cavalcante da Cunha (UERJ/FFP) sergio03@ism.com.br 1. Objetivos Este trabalho tem como objetivo expor o que é a estrutura

Leia mais

Problemas Notacionais da Língua

Problemas Notacionais da Língua Problemas Notacionais da Língua Problemas Notacionais da Língua Neste encontro, analisaremos algumas particularidades que nossa língua apresenta e, muitas vezes, devem ter deixado você com dúvidas. É muito

Leia mais