1.ª Conferência da REDE de Língua Portuguesa de Avaliação de Impactos

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "1.ª Conferência da REDE de Língua Portuguesa de Avaliação de Impactos"

Transcrição

1 INTERNATIONAL ASSOCIATION FOR IMPACT ASSESSMENT 1.ª Conferência da REDE de Língua Portuguesa de Avaliação de Impactos Lisboa (Fundação Cidade de Lisboa) de junho de 2010 Transportes, Desenvolvimento Urbano e Avaliação de Impactos Programa Final

2 Atividades especiais e eventos Índice Atividades especiais e 2 eventos Boas-vindas 3 Sobre a IAIA, a APAI, a AAIA e a REDE 3 Programa geral 4 Programa detalhado 5-6 Posters 7 Oradores convidados 7-8 Cursos pré-conferência 9-10 Visitas técnicas 11 Informação geral 12 Apoios e patrocínios 13 Contactos e informações T: (351) (Ana Roque) Cocktail de boas vindas A Conferência inicia-se com um cocktail de boas vindas a bordo de um cacilheiro (barco que faz a travessia do rio Tejo entre Lisboa e a margem sul o seu nome vem de Cacilhas, principal terminal na margem sul). Durante duas horas navegaremos no estuário do Tejo, assistindo ao pôr-do-sol. Venha reencontrar velhos amigos e conhecer novos colegas. Dia 16, 4ª-feira, 19h00-21h00 Terminal Fluvial de Belém Incluída na inscrição, mas necessita de confirmação prévia Cursos pré-conferência A Conferência constitui a oportunidade de frequentar um dos quatro cursos de formação especialmente selecionados. Cada curso tem um limite máximo de formandos, sendo respeitada a ordem de inscrição. Dia 16, 4ª-feira, 9h30-17h30 Fundação Cidade de Lisboa Mais informação nas pág Sessão de posters A comunicação sob a forma de posters é uma forma diferente e eficaz de transmitir informação. A interação entre os autores dos posters e os restantes participantes tem um lugar muito especial na sessão de posters. Aproveite também esta sessão para votar no Melhor Poster, cujo prémio será entregue no Jantar da Conferência. Dia 18, 6ª-feira, 10h30-11h15 Fundação Cidade de Lisboa Reunião da REDE Esta reunião, aberta a todos os interessados, tem como objetivo discutir as melhores formas organizativas e as futuras atividades da REDE. É uma oportunidade para se integrar na comunidade dos profissionais e outros interessados em Avaliação de Impactos no espaço da língua portuguesa. Dia 17, 5ª-feira, 18h00-19h00 Fundação Cidade de Lisboa, sala B Jantares informais A gastronomia portuguesa e lisboeta num ambiente informal. Organizados em pequenos grupos, convidamos os participantes a continuar as conversas, à frente de uns petiscos e pratos tradicionais. Os locais escolhidos têm preços reduzidos. Cada um paga a sua despesa. Os interessados devem inscrever-se até às 16h30 do dia 17 nas folhas afixadas junto da Receção da Conferência. Dia 17, 5ª-feira, 20h00-22h00 Restaurantes e pontos de encontro afixados junto à Receção da Conferência Jantar da Conferência O Jantar formal de encerramento da Conferência terá lugar num espaço que também se relaciona com a língua portuguesa: o Museu do Oriente. Pretendemos que a última noite que estamos juntos constitua uma boa recordação da Conferência. Dia 18, 6ª-feira, 20h00-22h30 Museu do Oriente (transporte assegurado de e para os hotéis selecionados) Incluído na inscrição, mas necessita de confirmação prévia Visitas técnicas A organização selecionou três visitas técnicas que permitem o contacto com casos de estudo relacionados com o tema geral da conferência: Transportes, Desenvolvimento Urbano e Avaliação de Impactos Dia 19, Sábado, horários variáveis Mais informação na pág. 10 Mesa de exposição Pretende partilhar algum documento? Use a mesa de exposição para o efeito. Se se tratar de um exemplar único, cole uma etiqueta pedindo para não remover. Dias 17 e 18, 9h00-18h00 Fundação Cidade de Lisboa 1ª Conferência da REDE Programa 2

3 Bem vindos à 1ª Conferência da REDE! A 1ª Conferência da REDE de Língua Portuguesa de Avaliação de Impactos constitui um marco importante na consolidação deste projeto da APAI Associação Portuguesa de Avaliação de Impactes. O projeto da REDE arrancou em finais de 2008 e teve o seu crescimento dificultado pela crise que entretanto ocorreu. Apesar da escassez de recursos, foi possível congregar os apoios suficientes para criar um site, traduzir para português toda a documentação de referência da IAIA e organizar a 1ª Conferência. Em paralelo foram decorrendo ações de divulgação da REDE, quer em Portugal quer noutros países. Foram também estabelecidos contactos institucionais com entidades, que se vieram a traduzir na assinatura de protocolos e memorandos de entendimentos com a IAIA Associação Internacional de Avaliação de Impactos, o Departamento de Planeamento, Prospectiva e Relações Internacionais (DPPRI) do Ministério do Ambiente e Ordenamento do Território de Portugal, o Instituto Português de Apoio ao Desenvolvimento (IPAD) e a Associação Moçambicana de Avaliação do Impacto Ambiental (AMAIA). O tema escolhido para a Conferência Transportes, Desenvolvimento Urbano e Avaliação de Impactos é um tema aplicável aos vários contextos geográficos e apresenta uma atualidade relevante, pelas suas ligações às questões candentes dos nossos dias a pobreza, as alterações climáticas, a biodiversidade, a saúde e o bem-estar humanos. A Conferência constituirá também a oportunidade para discutirmos em conjunto o futuro da REDE e torná-la verdadeiramente um instrumento partilhado por todos os profissionais e interessados na Avaliação de Impactos no espaço da língua portuguesa. A Conferência vai ter um programa intenso de apresentações e discussões formais, e também de oportunidades para o convívio e os debates informais. Serão quatro dias cansativos, mas estimulantes. Lisboa, cidade profundamente ligada à expansão da língua portuguesa no mundo, constitui um cenário magnífico de paisagem histórica urbana que espero constitua uma atração adicional para os participantes na Conferência. É com o maior prazer que vos receberemos em Lisboa, nos próximos dias 16 a 19 de junho. Faço votos para que tirem o melhor partido da Conferência e das atividades associadas e se envolvam ativamente na REDE! Júlio de Jesus, Coordenador da REDE 2008/2010 e Presidente da Comissão Organizadora Comissão Organizadora Júlio de Jesus (Portugal) Ana Roque (Portugal) Cátia Sá (Portugal) Comissão Científica Iara Verocai (Brasil) Luis Sánchez (Brasil) Maria do Rosário Partidário (Portugal) Miguel Coutinho (Portugal) Sobre a IAIA, a APAI, a AMAIA e a REDE A IAIA Associação Internacional de Avaliação de Impactos, fundada em 1980, é a rede global líder na melhor prática da utilização da avaliação de impactes para um processo de decisão informado relativo a políticas, planos, programas e projectos. Conta com mais de 1300 membros em cerca de 120 países e associações filiadas nos cinco continentes. O seu papel no avanço do estado da arte e na promoção das melhores práticas em Avaliação de Impactos é internacionalmente reconhecido. Mais informações em A APAI Associação Portuguesa de Avaliação de Impactes, fundada em 1995, é afiliada da IAIA. Conta com cerca de cem membros individuais e três dezenas de membros coletivos (agências da Administração, indústrias, consultores, ONG). Tem tido um papel importante no avanço da prática da Avaliação de Impactos em Portugal. Mais informações em A AMAIA Associação Moçambicana de Avaliação de Impacto Ambiental é o mais recente afiliado da IAIA. Tem organizado ações de formação e colaborado com o projeto da REDE. A REDE de Língua Portuguesa de Avaliação de Impactos é um projeto da APAI, reconhecido e apoiado pela IAIA e com a colaboração da AMAIA, que pretende constituir a rede dos profissionais e das instituições envolvidas nas várias formas de avaliação de impactos, utilizando o português como língua de comunicação. A missão da REDE é contribuir para o avanço da inovação e da comunicação da melhor prática em todas as formas de avaliação de impactos no espaço da língua portuguesa e para a promoção do português como língua internacional de trabalho em avaliação de impactos. Mais informações em 1ª Conferência da REDE Programa 3

4 Intervalo para Intervalo para Programa geral da Conferência Dia 16, 4ª-feira Cursos pré-conferência Cocktail de boas vindas (cruzeiro no Tejo) Dia 17, 5ª-feira Sessão de abertura Intervalo para café Sessão plenária A: A Avaliação de Impactos Perspetivas Futuras (Oradores convidados) Almoço Sessão paralela B1 (Sala A): Transportes, Desenvolvimento Urbano e AI Impactos económicos, na saúde e alterações climáticas Sessão paralela B2 (Sala B): Sistemas de AI e Licenciamento Ambiental Intervalo para café Sessão paralela C1 (Sala A): AI e Biodiversidade Sessão paralela C2 (Sala B): AI sociais Reunião da REDE (Sala B) Jantares informais Dia 18, 6ª-feira Sessão plenária D: A AI e a Economia Verde Balanço da Conferência Anual da IAIA Sessão de posters / Intervalo para café Sessão paralela E1 (Sala A): Sistemas de AI e Licenciamento Ambiental Sessão paralela E2 (Sala B): Impactos geoambientais, na paisagem e no património cultural Almoço Sessão plenária F: A integração do ambiente na política de apoio ao desenvolvimento: o papel da AI Intervalo para café Sessão plenária G: Painel sobre sistemas de AI nos países de língua portuguesa Sessão de encerramento Jantar da Conferência Dia 19, Sábado variável Visitas técnicas 4 1ª Conferência da REDE Programa

5 Programa detalhado da Conferência Dia 16, 4ª-feira Receção de participantes inscritos nos cursos pré-conferência Receção de participantes na Conferência Cursos pré-conferência (ver pág. 9-10) Intervalo para café Cursos pré-conferência (continuação) Almoço Cursos pré-conferência (continuação) Intervalo para café Cursos pré-conferência (continuação) Cocktail de Boas Vindas (cruzeiro no Tejo) Dia 17, 5ª-feira Receção de participantes na Conferência * a confirmar Sessão de abertura Júlio de Jesus, Coordenador da REDE 2008/2010 e Presidente da Comissão Organizadora Natasha Aragão, Representante da AMAIA Associação Moçambicana de Avaliação de Impacto Ambiental João Almeida, Presidente da APAI Associação Portuguesa de Avaliação de Impactes Jonathan Allotey, Presidente da IAIA International Association for Impact Assessment Domingos Simões Pereira, Secretário Executivo da CPLP Comunidade dos Países de Língua Portuguesa * Manuel Correia, Presidente do IPAD Instituto Português de Apoio ao Desenvolvimento * Intervalo para Intervalo para café Sessão plenária A: Avaliação de Impactos Perspetivas Futuras Moderadora: Iara Verocai Luís de Sousa: A Transparency International, a luta contra a corrupção e o papel da Avaliação de Impactos Carlos Dora: Mecanismos de governança para avaliações de impacto (também na saúde) como as novas medidas dos bancos de desenvolvimento Marília Marreco Cerqueira: Avaliação de Impactos no Brasil perspetivas futuras Maria João Coelho: Avaliação de Impactes em Portugal balanço e perspectivas Almoço Sessão paralela B1: Transportes, Desenvolvimento Urbano e AI Impactos económicos, na saúde e alterações climáticas Moderador: Miguel Coutinho Elisabete Arsénio: A Avaliação Económica dos Impactos dos Transportes: uma análise crítica João Bibe e Marlene Fernandes: Avaliação de Impactos - Programas Públicos de Prevenção e Controlo da infecção VIH/Sida e Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados Paula Santana, António Rodrigues, Rita Santos, Cláudia Costa e Adriana Loureiro: O impacto da distância na utilização dos Cuidados de Saúde Primários: a reorganização das Unidades de Saúde em Coimbra Miguel Coutinho e Margaret Pereira: Avaliação de impactes das alterações climáticas: como fazer? Intervalo para café Sessão paralela B2: Sistemas de AI e Licenciamento Ambiental Moderadora: Bertília Valadas Wilfred Brandt: Deficiências nos processos de licenciamento ambiental e conseqüências na efetividade de seus resultados Victor Ranieri e Graziela Aguilar: Licenciamento ambiental de usinas termelétricas: fatores intervenientes nos tempos de tramitação de processos Roberta Maria Costa e Luis Enrique Sánchez: O Papel da Supervisão Ambiental em Obras Rodoviárias Mariana Santos e Victor Ranieri: O zoneamento ambiental como base para o licenciamento ambiental para o setor sucroalcooleiro do Estado de São Paulo 1ª Conferência da REDE Programa 5

6 Sessão paralela C1: AI e Biodiversidade Moderadora: Cátia Sá Sílvia Mesquita, Joana Bernardino, Hugo Costa, Miguel Mascarenhas e Ana Roxo: A Directiva Habitats e a avaliação de planos rodoviários: uma proposta metodológica Graça Garcia: A Biodiversidade e as Estradas: Procedimentos e Estratégias da EP na Minimização dos Impactes Mário Biague: Caso da Construção do Porto das Aguas Profundas em Buba, Guiné-Bissau - Avaliação Económica dos Danos Estimados no Parque Natural das Lagoas de Cufada Angela Pellin e Victor Ranieri: As Reservas Particulares do Patrimônio Natural no Brasil: contribuição para a conservação, principais problemas e impactos ambientais sobre essas áreas Rosa Cesaltina: A conservação da biodiversidade ao longo da costa moçambicana e a Avaliação de Impactos Reunião da REDE (ver pág. 2) Dia 18, 6ª-feira Sessão paralela C2: AI sociais Moderadora: Amarilis Gallardo Carlos Eduardo Caldarelli: A longa construção da desconfiança na implantação, operação e modernização de uma base de lançamento de foguetes no nordeste brasileiro. Carlos E. Caldarelli, Carlos Gimenes, Matheus Zati, Lucas Franceschi, Renan Arnault, Helder Pomaro e André Simonsen: Microhistória e avaliação de impacto ambiental Francisco Fabbro Neto, Emilena M. Marques, Flávia S. Santos, Marcelo Montaño e Marcelo P. Souza: Diferenças na definição de áreas prioritárias para a recuperação florestal definida por critérios técnicos e pela participação social Ana Cristina Martins: A estrada no ambiente urbano: duas perspectivas de actuação Joana Pedro: A fuga do campo para a cidade: o caso da África Subsariana Sessão plenária D: A AI e a Economia Verde Balanço da Conferência Anual da IAIA Moderador: Pedro Bettencourt Mesa redonda com Luis Sánchez, Maria do Rosário Partidário e Miguel Coutinho Sessão de posters (ver pág. 7) Sessão paralela E1: Sistemas de AI e Licenciamento Ambiental Moderador: Luis Sánchez Almoço Iñigo Sobrini e Manuel Díaz Martin: O sistema de AIA em Espanha Cristina Rebelo e José Guerreiro: Os sistemas de AIA de Moçambique, Angola, Tanzânia, Quénia e África do Sul Emilio La Rovere, Heliana Silva, Daniel Oberling e Diego Bastos: Avaliação Ambiental Estratégica do Pólo Mínero- Industrial de Corumbá e Influências sobre a Planície Pantaneira: análise da logística de transportes Clara Lemos e Marcelo de Souza: Uma estrutura geral para aplicação da avaliação ambiental estratégica no planejamento do setor de turismo Denise Gallo Pizella e Marcelo Souza: Contribuições da Avaliação Ambiental Estratégica para a tomada de decisões sobre a liberação comercial de Plantas Geneticamente Modificadas no Brasil Sessão plenária F: Mesa Redonda Apoio ao desenvolvimento: o papel da AI Moderadora: Maria do Rosário Partidário Sessão paralela E2: Impactos geoambientais, na paisagem e no património cultural Moderadora: Ana Cerdeira Omar Y. Bitar, Sofia Campos, Amarilis Gallardo, Caio Cavalhieri, Marissa Alvarenga, Nivaldo Paulon, Tânia Braga, Rafael Tiezzi, Geraldo Gama Jr., Cláudio Gomes, Emiliana Soares, André Ferreira: Impactos Geoambientais em Obras Rodoviárias: Avanços e Desafios na Construção do Anel Metropolitano de São Paulo Jorge Cancela, André Ataíde, Duarte Silva e Isabel Lopes: Avaliação da qualidade paisagística da Terceira Travessia do Tejo (TTT) em Lisboa Solange Caldarelli: Transportes ferroviários, passivos arqueológicos e licenciamento ambiental no Brasil Solange Caldarelli: Participação da arqueologia na criação de Unidades de Conservação no Brasil como medida compensatória aos impactos sobre o patrimônio arqueológico Inês Rosa (IPAD): O sistema de funcionamento da cooperação para o desenvolvimento e os instrumentos de integração do ambiente Alexandra Carvalho e Luís Chainho (GRI-MAOT): A integração do ambiente na política de apoio ao desenvolvimento: o papel da AI Intervalo para café Sessão plenária G: Painel sobre sistemas de AIA nos países de língua portuguesa Moderador: Júlio de Jesus Painel com Álvaro dos Santos (Timor-Leste), Arlindo de Carvalho (S. Tomé e Príncipe), Iara Verocai (Brasil), Mário Biague (Guiné-Bissau), Julieta Condez (Angola), Rosa Cesaltina (Moçambique) e representante da Agência Portuguesa do Ambiente* Sessão de encerramento Dia 19, Sábado Visita técnica 1: CRIL (ver pág. 11) Visita técnica 2: Variante de Alcácer da Linha do Sul (ver pág. 11) Visita técnica 3: Parque das Nações (ver pág. 11) 6 1ª Conferência da REDE Programa

7 Posters 1. Anunciação Calandula e Luis Anapaz: O sistema de Avaliação de Impactos de Licenciamento Ambiental Angolano 2. Aurélio Fontes e Marcelo Souza: Base de Referência de Ribeirão Preto (SP): instrumento para o diagnóstico ambiental 3. Graça Garcia: Impacte da Auto-Estrada A2 na ZPE de Castro Verde: Efeitos na Distribuição e Densidade de Sisão (Tetrax tetrax) 4. Ana Cerdeira, Rute Lourenço e Marta Macedo: O acompanhamento arqueológico do Prolongamento da Linha Azul, entre Amadora-Este e Reboleira 5. Ana Cerdeira e Patrícia Pinto: Os impactes socioeconómicos da fase de construção do Prolongamento da Linha Vermelha, entre Oriente e Aeroporto, do Metropolitano de Lisboa 6. Luís Silva, Heitor Araújo e Miguel Repas: Análise da Qualidade do Ar ambiente na área envolvente à implantação de superfícies comerciais Oradores convidados Luís de Sousa Instituto de Ciências Socias (ICS), Universidade de Lisboa / Transparency International Doutorado em Ciências Sociais e Políticas pelo Instituto Universitário Europeu de Florença em 2002, com uma tese intitulada Corruption: Assessing Ethical Standards in Political Life through Control Policies. Investigador desde 2002 do Centro de Investigação e Estudos de Sociologia do ISCTE. Vencedor do Prémio da Fundação Calouste Gulbenkian Estímulo à Investigação em Em , trabalhou como investigador na Australian National University de Canberra. Foi Gulbenkian Fellow no Instituto Universitário Europeu de Florença durante o ano lectivo Desempenhou actividades de docência na Faculdade de Ciência Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa e no Departamento de Ciência Politica da Universidade do Sofia na Bulgária. Atualmente, é investigador do Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa. É o fundador e director da primeira rede de investigação sobre agências anti-corrupção (ANCORAGE-NET) e coordenador do Ponto de Contacto Nacional da Transparency International, ONG dedicada exclusivamente ao combate à corrupção. Tem várias publicações, projectos de investigação e de consultoria para organismos nacionais e internacionais em matéria de políticas de controlo à corrupção e financiamento político. Carlos Dora Organização Mundial de Saúde Médico epidemiologista. Perito da OMS onde lidera a unidade de Intervenções para Ambientes Saudáveis. Esta unidade cobre três áreas: impactos na saúde dos sectores, em particular dos transportes e da energia, fortalecimento dos mecanismos de governança e sistemas nacionais para a gestão dos riscos ambientais para a saúde e saúde ocupacional. O trabalho do Dr. Dora focaliza-se nos impactos na saúde das políticas de outros sectores, incluindo avaliações de impacto na saúde e saúde ambiental na AAE. Anteriormente trabalhou no Centro Europeu para o Ambiente e Saúde e em avaliação de riscos ambientais para a saúde (incluindo impactos na saúde de produtos químicos, do desastre de Chernobyl e do urânio empobrecido em zonas de guerra). Desempenhou funções de assessor do Director-Geral da OMS. Antes de se envolver em agências internacionais, trabalhou em investigação e formação em epidemiologia ambiental na London School of Hygiene and Tropical Medicine (onde se doutorou). É atualmente professor visitante da Academia Chinesa de Ciências dos Transportes. As suas publicações incluem um livro comparativo da comunicação dos riscos de saúde pela comunicação social, governo, peritos de saúde e cientistas e um livro sobre os impactos na saúde de cenários de transportes. Marília Marreco Cerqueira Gabinete da Ministra do Meio Ambiente do Brasil Bióloga (Universidade de Brasília), especialidade em biomedicina e ecologia. Coordenadora de programas e projetos, abrangendo temas de amplo escopo, como Amazônia Legal, Unidades de Conservação e Áreas Protegidas, Controle e Fiscalização Ambiental, Licenciamento Ambiental, Legislação de Meio Ambiente, Produtos Químicos e Resíduos Perigosos, Agrotóxicos, Emergências Ambientais e situações de risco, Poluição do Meio Ambiente, Planejamento Territorial e Desenvolvimento Sustentável. Experiência em análise e elaboração de projetos de lei, desde a Lei 6938/81 (Política e Sistema Nacional do Meio Ambiente), Lei 7802/89 (Lei dos Agrotóxicos), até as recentes resoluções do Conselho Nacional do Meio Ambiente. Foi Presidente do IBAMA - Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis em , onde já tinha desempenhado funções técnicas e de direcção. Foi Diretora do Departamento de Gestão de Riscos Ambientais da Secretaria de Qualidade Ambiental e de Assentamentos Humanos do Ministério do Meio Ambiente (MMA) em , Secretária de Articulação Institucional do MMA em e Assessora da Secretária Executiva do MMA em Atualmente é Assessora da Ministra de Meio Ambiente. 1ª Conferência da REDE Programa 7

8 Maria João Coelho Gabinete do Secretário de Estado do Ambiente de Portugal Maria João Coelho é Engenheira do Ambiente (Universidade Nova de Lisboa) e pós-graduada em Protecção Civil Riscos Naturais e Tecnológicos (Instituto Superior de Engenharia de Lisboa e Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa). Assessora do Secretário de Estado do Ambiente desde 2006, em particular para as áreas de avaliação de impacte ambiental (AIA), avaliação de incidências ambientais, avaliação ambiental de planos e programas, responsabilidade ambiental, riscos ambientais, ruído e qualidade da água. Anteriormente foi consultora, tendo participado na elaboração de Estudos de Impacte Ambiental. Foi ainda Assistente de Investigação no Grupo de Ordenamento do Território (Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa), tendo participado no projecto europeu BioScene Scenarios for reconciling the conservation of biodiversity with declining agricultural use in the mountains of Europe e em trabalhos de investigação nas áreas de Avaliação Estratégica de Impactes (ou Avaliação Ambiental Estratégica), Estratégias de Sustentabilidade, Gestão de Recursos Naturais e Ordenamento do Território. 8 1ª Conferência da REDE Programa

9 Cursos de formação pré-conferência A Conferência da Rede de Língua Portuguesa de Avaliação de Impactos, ao reunir profissionais e outros interessados em Avaliação de Impactos, constitui uma oportunidade para oferecer cursos de formação de curta duração em língua portuguesa. Para esta primeira conferência foram seleccionados quatro cursos. Data, local: Todos os cursos terão lugar no dia 16 de Junho (4ª-feira), na Fundação Cidade de Lisboa. Horário: Todos os cursos têm o mesmo horário: 9h30-13h00 e 14h30-17h30. Haverá um intervalo de 15 minutos da parte da manhã e outro intervalo de 15 minutos da parte da tarde. Inscrição: O custo de inscrição em cada curso é de 150,00. A inscrição inclui: documentação do curso, almoço e coffee-breaks. Para inscrição, por favor utilize a ficha de inscrição na conferência. A todos os formandos será entregue um certificado. Limite de inscrições: Cursos 1 e 4 25 formandos; Cursos 2 e 3 20 formandos. Curso 1 Introdução à Avaliação de Impacte Ambiental (AIA) Objetivos: Muitos profissionais que começam a trabalhar em AIA ou que se relacionam com a AIA não dispõem de formação específica sobre AIA, podendo este curso ser considerado como uma introdução ao tema. No fim do curso os formandos deverão ser capazes de: Conhecer os objetivos e os conceitos base da AIA, enquanto instrumento de Avaliação de Impactos; Compreender as fases da AIA, os tipos de metodologias usados em AIA e o papel da participação pública nos processos de decisão; Compreender os principais problemas e dificuldades do planeamento e gestão do EIA; Aplicar os conceitos base da AIA às situações concretas das respetivas atividades profissionais em diferentes contextos geográficos e institucionais; Identificar fontes de informação adicionais para aprofundar o tema. Formador: Júlio de Jesus (ECOSSISTEMA, Lda, director da IAIA e membro do CCAIA) Destinatários e pré-requisitos: Profissionais novos na área da AIA e outros interessados, sem formação específica sobre AIA. Não há prérequisitos para a frequência do curso. Curso 2 Avaliação Ambiental Estratégica (AAE) os principais sistemas internacionais Objetivos: A prática de AAE é hoje muito diversificada e, até certo ponto, confusa. Existem muitas abordagens, algumas semelhantes com nomes distintos, outras muito diferentes e com o mesmo nome. Uma das áreas que tem recebido maior atenção em AAE tem sido a coperação internacional. O curso proposto tem como objetivo apresentar uma mostra, e uma revisão crítica face aos objectivos da AAE, dos principais sistemas internacionais para AAE (Diretiva Europeia, OCDE-DAC, Banco Mundial e Programa das Nações Unidas para o Ambiente). Pretende-se que no final do curso os participantes: - conheçam os conceitos e os objectivos da AAE - estejam familiarizados com os principais procedimentos internacionais para AAE - saibam distinguir estes sistemas em relação às suas vantagens e desvantagens - tenham adquirido a capacidade de seleção e utilização dos sistemas de AAE discutidos, os seus guias e principais orientações Formadora: Maria do Rosário Partidário (Instituto Superior Técnico) Destinatários e pré-requisitos: Profissionais interessados no tema, preferencialmente no domínio da cooperação internacional e com alguma formação ou experiência em AAE ou AIA. Curso 3 Ferramentas para Avaliação de Impactes na Qualidade do Ar Objetivos: Este curso visa responder às necessidades das organizações em matéria de avaliação de impactes na qualidade do ar, formando profissionais que identifiquem e avaliem os efeitos das fontes de emissões atmosféricas, fornecendo uma maior eficácia na concepção e implementação de Planos de Monitorização Atmosférica. A 1ª Conferência da Rede de Língua Portuguesa de Avaliação de Impactos incide sobre duas temáticas em que a qualidade do ar ganha grande destaque: - Os Transportes são uma das principais fontes de poluentes atmosféricos com consequências determinantes na qualidade do ar das áreas urbanas; - A qualidade do ar é muitas vezes considerado como um dos melhores indicadores para a qualidade de vida das áreas urbanas sendo uma variável fundamental a equacionar na temática do desenvolvimento urbano. Formadores: Miguel Coutinho e Clara Ribeiro (IDAD- Instituto do Ambiente e Desenvolvimento). Destinatários e pré-requisitos: Licenciados, mestres ou profissionais de diversas áreas da engenharia e da gestão que procuram aumentar o seu conhecimento e a sua capacidade de intervenção nas organizações, ao nível da avaliação de impactes da qualidade do ar. Cursos de formação pré-conferência 1ª Conferência da REDE Programa 9

10 Curso 4 Acompanhamento Ambiental de obras em meio urbano Objetivos: Constitui objetivo geral deste curso dotar os formandos com conhecimentos aprofundados que lhes permitirão implementar e gerir corretamente o Acompanhamento Ambiental de obras em meio urbano, com o devido enquadramento que é exigido legalmente em Portugal para um projecto sujeito ao procedimento de Avaliação de Impacte Ambiental. Como objetivos específicos, pretendese que no final do curso os formandos sejam capazes de: - identificar, individualmente, os impactes ambientais mais significativos associados a um obra em meio urbano; - enumerar, a partir de exemplos concretos, uma medida de minimização em fase de obra para cada fator ambiental mais significativo em meio urbano; - definir corretamente, a partir de um caso de estudo, as diretrizes gerais a considerar num Programa de Monitorização Ambiental; - distinguir corretamente, a partir de exemplos concretos de documentação em Acompanhamento Ambiental, os objetivos e a estrutura deste tipo de documentação. Formadoras: Ana Cerdeira (Metropolitano de Lisboa) e Ana Rego (ACE Litoral Oeste Construtores) Destinatários e pré-requisitos: Interessados em adquirir mais conhecimentos sobre o Acompanhamento Ambiental de obras em meio urbano, com conhecimentos em Avaliação de Impacte Ambiental, designadamente como esta temática se integra na fase de Pós-Avaliação. Recomendam-se alguns conhecimentos e alguma experiência em obra. 1ª Conferência da REDE Programa 10

11 Visitas técnicas As visitas selecionadas procuram complementar as apresentações e debates em torno do tema geral da Conferência: Transportes, Desenvolvimento Urbano e Avaliação de Impactos. Data: Todos as visitas terão lugar no dia 19 de Junho (Sábado). Inscrição: O custo de inscrição nas visitas 1 e 3 é de 10,00. O custo de inscrição na visita 2 é de 20,00. A inscrição nas Visitas 1 e 2 inclui almoço. Para inscrição, por favor utilize a ficha de inscrição na conferência. Limite de inscrições: Visita 1: 24 participantes; Visita 2: 44 participantes; Visita 3: 24 participantes. Vestuário, calçado e outros cuidados: Recomenda-se o uso de vestuário fresco e calçado apropriado a caminhadas, de preferência botas (desaconselham-se sandálias e sapatos com salto). Será fornecida água durante as visitas. Responsabilidade: Independentemente das visitas não apresentaram qualquer risco especial, a APAI não se responsabiliza por acidentes ou prejuízos ocorridos nas visitas. Recomenda-se que os participantes subscrevam seguros de saúde e de acidentes pessoais. Visita 1 CRIL O lanço do IC17- CRIL entre a Buraca e a Pontinha tem cerca de 3,6 km mas a sua concretização reveste-se de extrema importância na melhoria das actuais condições de circulação e de mobilidade na Área Metropolitana de Lisboa, possibilitando o fecho desta circular que se desenvolve entre Algés e a Ponte Vasco da Gama. A construção desta via vai também promover a requalificação dos espaços urbanos na sua área de inserção, contribuindo para o bemestar e a qualidade de vida de utentes e dos cidadãos das zonas envolventes, compatibilizando-se com a preservação de património cultural. Face às condicionantes de uma obra desta natureza, com desenvolvimento em área urbana, a fase de construção tem sido acompanhada por um programa de comunicação com a população, de modo a minimizar os incómodos que, inevitavelmente, existem. Para além disso têm sido acautelados os impactes do ruído e na qualidade do ar. A preservação dos Aquedutos das Águas Livres e das Francesas, foi também uma das fases desta obra que mereceu medidas especiais e o acompanhamento de equipas especializadas. A visita que se irá efetuar pretende mostrar os aspetos mais marcantes desta obra, tanto do ponto de vista ambiental como em termos de soluções de engenharia. Encontro: 9h10 na Pç. Marquês de Pombal lado Norte. Visita 2 Variante de Alcácer A Variante de Alcácer, na Linha do Sul, constitui nos dias de hoje, o investimento mais significativo em curso na Rede Ferroviária Nacional, implicando a construção de uma variante de cerca de 29 km de nova linha e englobando a travessia da Reserva Natural do Estuário do Sado (destacando-se a zona de travessia do Rio com o mesmo nome) área de elevada sensibilidade ambiental. Esta obra é peça muito relevante na exploração da rede, porque inserida no eixo estratégico que liga Braga a Faro, com impacte quer no movimento de passageiros neste eixo, assim como, no transporte de mercadorias, designadamente, na ligação do Porto de Sines ao Norte do País e a Espanha. Marca o início de uma nova abordagem ambiental aos investimentos na REFER, potenciado pela natureza do sítio onde se insere, sendo que a integração dos requisitos ambientais foi uma constante quer na fase de concepção do projecto, quer na fase da execução da obra. Encontro: 8h30 na Praça Marquês de Pombal lado Norte. Regresso às 16h30. Visita 3 Parque das Nações O Parque das Nações resultou da operação de renovação urbanística desencadeada nos anos 90 para acolher a EXPO 98. Trata-se da mais importante intervenção de reconversão de uma antiga zona industrial, envolvendo a descontaminação de solos, a transferência de usos industriais e o planeamento de uma nova área urbana. A visita ilustra o que foi este processo, bem como as medidas de monitorização e gestão ambiental adotadas. Encontro: 9h30 na Parque Expo (Av. D. João II, lote ) próximo do Metro Oriente. 1ª Conferência da REDE Programa 11

12 Informação geral Publicações Na pasta distribuída aos participantes encontrará uma lista dos participantes (inscritos até 14 de junho), o Programa Final e os Resumos das Comunicações. Será distribuído no início (ou durante a conferência) um CD com o texto das comunicações. Língua A língua oficial da Conferência é o português. Local e horário de funcionamento A conferência terá lugar na Fundação Cidade de Lisboa (Campo Grande, 388), a 200 m da estação de metro Campo Grande. O secretariado funcionará nos dias 16, 17 e 18 entre as 9h00 e as 18h30. Crachás de identificação Todos os participantes na Conferência devem usar o crachá que lhes é entregue no check-in. Recordese que o crachá facilita o contacto entre participantes. Responsabilidade A APAI não se responsabiliza por quaisquer acidentes que possam ocorrer durante a Conferência (incluindo os eventos e as visitas associadas à Conferência) ou como resultado das deslocações de e para a Conferência. Sugerimos que cada participante subscreva um seguro de saúde/de viagem e/ou de responsabilidade civil. Avaliação dos Cursos e da Conferência A avaliação dos cursos pelos formandos será efetuada no fim de cada curso. A avaliação da Conferência será feita através de um inquérito enviado por mail após a Conferência. Refeições Os almoços do dia 16 serão servidos na Fundação Cidade de Lisboa. Nos dias 17 e 18 os almoços terão lugar no restaurante do Hotel Radisson SAS, a cerca de 200 metros da Fundação Cidade de Lisboa. Se tem alguma restrição dietética assinale-a, por favor, na ficha de inscrição. Alojamento A organização selecionou os seguintes hotéis: International Design Hotel **** Zenit Hotel Lisboa **** Sana Executive Hotel *** Lisbon Lounge Hostel Cada participante deverá efectuar a reserva diretamente com o hotel. Não há tarifas especiais para os participantes na conferência. A organização não se responsabiliza pela existência de vagas, pelo que se recomenda a reserva com a maior antecedência possível. Todos os hotéis indicados estão próximos de estações de Metro que não requerem mudança para chegar à estação do campo Grande, situada a 200 m da Fundação Cidade de Lisboa. A organização assegura transporte em autocarro entre os hotéis e o local de embarque para a receção (dia 16) e entre os hotéis e o local do Jantar da Conferência (dia 18). Transportes Será fornecido a cada participante que o solicite um título de transporte válido para o Metro. Os táxis entre os hotéis selecionados e o Aeroporto custam um máximo de 15. Há um autocarro (Aerobus) que parte do Aeroporto (de 20 em 20 minutos) e serve os vários hotéis selecionados - o custo do bilhete é de 3,25. Fumadores Em Portugal é proibido fumar na generalidade dos espaços públicos fechados. Em particular é proibido fumar nas instalações da Fundação Cidade de Lisboa, nos restaurantes selecionados para os jantares informais, no jantar da Conferência e nos transportes públicos. Vistos Os cidadãos nacionais de alguns países necessitam de vistos de entrda em Portugal. A Comissão Organizadora pode emitir cartas convite ou, se necessário, contactar a Embaixada de Portugal nos vários países. Não deixe para a última hora a obtenção de visto. 1ª Conferência da REDE Programa 12

13 Como tirar o máximo partido da Conferência Informe-se e prepare-se. Faça o seu check-in cedo. Analise o programa e escolha as sessões paralelas. Leia os resumos das comunicações e prepare as suas questões para os apresentadores. Faça uma lista de objetivos. Porque decidiu inscrever-se na conferência? O que espera ganhar? Tire um momento para pensar nos seus objetivos. Tente clarificá-los e escrevê-los. Reveja-os durante a conferência; ajudá-lo-ão a manter-se focalizado. Conheça outras pessoas. Esta é uma excelente oportunidade para expandir a sua rede de contactos. Sente-se junto de quem não conhece, mesmo que esteja a participar na conferência com colegas. Interaja durante os intervalos. Troque cartões de visita. Cada participante tem uma área de especialização; tente aprofundar qual é em vez de falar sobre o tempo. Sugerimos que um dos seus objetivos seja encontrar três (ou mais) pessoas por dia com as quais preveja que se mantenha em contacto no futuro. Participe! Coloque questões. Faça contribuições. Considere as sessões como um ginásio mental onde se pode correr, cair e pôr-se de pé novamente. Beneficiará muito mais se participar no jogo do que ficar a assistir. Relate o que aprendeu a si próprio. Não se satisfaça com conhecimento abstrato. Tenha presente os seus problemas, conflitos e interesses. À medida que aprenda novas abordagens e técnicas, relacione-as com a sua própria situação. Comprometa-se a rever os seus apontamentos. Anote na agenda um momento daqui a alguma semanas para retomar o programa. Não deite fora novas ideias juntamente com os seus apontamentos. Escreva ao seu chefe. Se o seu Governo, agência ou empresa o inscreveram na conferência, agradeça-lhes através de uma carta. Inclua uma lista das suas ideias baseada nos objetivos que traçou o que pensa fazer ou mudar como resultado do que aprendeu. Aprecie a conferência! Comece descontraído (descanse e rehidratese para recuperar do jet-lag, se for o caso) e termine inspirado e com as baterias recarregadas. Esqueça o que está a acontecer no escritório. Esta é a sua conferência aproveite tudo o que puder. Apoios e patrocínios A Conferência tem, até ao momento, os seguintes apoios e patrocínios: - IPAD Instituto Português de Apoio ao Desenvolvimento - Gabinete de Relações Internacionais (Departamento de Planeamento e Prospectiva e Relações Internacionais) do Ministério do Ambiente e do Ordenamento do Território de Portugal - REN Redes Energéticas Nacionais, SGPS, SA - InIR Instituto de Infra-Estruturas Rodoviárias I.P. - Estradas de Portugal, SA - EPAL Empresa Portuguesa das Águas Livres, SA - REFER Rede Ferroviária Nacional, EPE e RAVE Rede de Alta Velocidade, SA - EGF - Empresa Geral do Fomento, SA - Parque Expo 98, SA - IDAD Instituto do Ambiente e Desenvolvimento - Associação de Estudantes do Instituto de Geografia e Ordenamento do Território da Universidade de Lisboa - Câmara Municipal de Lisboa Estas organizações demonstraram o seu empenho em contribuir para o avanço da Avaliação de Impactos no espaço da língua portuguesa e para um mundo mais sustentável. Obrigado! 13 1ª Conferência da REDE Programa

1.ª Conferência da REDE de Língua Portuguesa de Avaliação de Impactos

1.ª Conferência da REDE de Língua Portuguesa de Avaliação de Impactos INTERNATIONAL ASSOCIATION FOR IMPACT ASSESSMENT 1.ª Conferência da REDE de Língua Portuguesa de Avaliação de Impactos Lisboa (Fundação Cidade de Lisboa) 16-19 de junho de 2010 Transportes, Desenvolvimento

Leia mais

1.ª Conferência da REDE de Língua Portuguesa de Avaliação de Impactos

1.ª Conferência da REDE de Língua Portuguesa de Avaliação de Impactos INTERNATIONAL ASSOCIATION FOR IMPACT ASSESSMENT 1.ª Conferência da REDE de Língua Portuguesa de Avaliação de Impactos Lisboa (Fundação Cidade de Lisboa) 16-19 de junho de 2010 Transportes, Desenvolvimento

Leia mais

Título: A Rede de Língua Portuguesa de Avaliação de Impactos Balanço 2008-2010

Título: A Rede de Língua Portuguesa de Avaliação de Impactos Balanço 2008-2010 Título: A Rede de Língua Portuguesa de Avaliação de Impactos Balanço 2008-2010 Autores: Júlio de Jesus, Coordenador da Rede, julio.jesus@redeimpactos.org; Ana Roque, Secretária Técnica da Rede, ana.roque@redeimpactos.org,

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES 2009

RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES 2009 RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES 2009 1. Introdução A Rede de Língua Portuguesa de Avaliação de Impactos (REDE) é um projeto da APAI Associação Portuguesa de Avaliação de Impactes, única filiada de língua

Leia mais

2.ª CONFERÊNCIA MOBILIDADE URBANA

2.ª CONFERÊNCIA MOBILIDADE URBANA 2.ª CONFERÊNCIA MOBILIDADE URBANA Gestão Inteligente e Competitividade 15 de Setembro 2011 Museu da Carris Conheça as estratégias nacionais e internacionais para uma gestão eficiente da mobilidade urbana

Leia mais

MINISTÉRIO DO AMBIENTE

MINISTÉRIO DO AMBIENTE REPÚBLICA DE ANGOLA MINISTÉRIO DO AMBIENTE O Ministério do Ambiente tem o prazer de convidar V. Exa. para o Seminário sobre Novos Hábitos Sustentáveis, inserido na Semana Nacional do Ambiente que terá

Leia mais

Rede de Língua Portuguesa de Avaliação de Impactes

Rede de Língua Portuguesa de Avaliação de Impactes Rede de Língua Portuguesa de Avaliação de Impactes A avaliação de impactes no mundo A IAIA e a APAI A língua portuguesa no mundo A Rede de Língua Portuguesa de Avaliação de Impactes - visão e missão, funcionamento,

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA REUNIÃO DOS MINISTROS DA SAÚDE DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA - CPLP

REGIMENTO INTERNO DA REUNIÃO DOS MINISTROS DA SAÚDE DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA - CPLP REGIMENTO INTERNO DA REUNIÃO DOS MINISTROS DA SAÚDE DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA - CPLP A Reunião dos Ministros da Saúde da CPLP tendo em consideração: A sua qualidade de órgão da CPLP,

Leia mais

A cooperação Canadá - Brasil: INTERNACIONALIZAÇÃO PARA A INOVAÇÃO

A cooperação Canadá - Brasil: INTERNACIONALIZAÇÃO PARA A INOVAÇÃO OUI- IOHE MISSÃO OUI DE UNIVERSIDADES CANADENSES NO BRASIL 28 de novembro a 2 de dezembro de 2011 Programa preliminar A cooperação Canadá - Brasil: INTERNACIONALIZAÇÃO PARA A INOVAÇÃO À luz dos excelentes

Leia mais

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE AVALIAÇÃO DE IMPACTO

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE AVALIAÇÃO DE IMPACTO ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE AVALIAÇÃO DE IMPACTO COMUNICAÇÃO REFERENTE À ORGANIZAÇÃO DA 2a CONFERÊNCIA DA REDE DE LÍNGUA PORTUGUESA DE AVALIAÇÃO DE IMPACTOS E 1o CONGRESSO BRASILEIRO DE AVALIAÇÃO DE IMPACTO

Leia mais

DEMOCRACIA E GESTÃO AUTÁRQUICA

DEMOCRACIA E GESTÃO AUTÁRQUICA DEMOCRACIA E GESTÃO AUTÁRQUICA DURAÇÃO / COMPONENTE / DIPLOMA CURSO DE FORMAÇÃO AVANÇADA I Edição 2014 30 Horas lectivas / Teórica / Curso de Formação Avançada COORDENAÇÃO Coordenação Científica Prof.

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DE UMA LÍNGUA

A IMPORTÂNCIA DE UMA LÍNGUA Dia Ibero-americano - 30 de Maio de 2011 Apresentação da Rede de Língua Portuguesa de Avaliação de Impactos Ana Cerdeira, Vice-Presidente da APAI ana.cerdeira@metrolisboa.pt A IMPORTÂNCIA DE UMA LÍNGUA

Leia mais

PRIMEIROS PASSOS DA AAE EM PORTUGAL APLICAÇÃO À ESTRATÉGIA DE INVESTIMENTO DO PARQUE ALQUEVA

PRIMEIROS PASSOS DA AAE EM PORTUGAL APLICAÇÃO À ESTRATÉGIA DE INVESTIMENTO DO PARQUE ALQUEVA PRIMEIROS PASSOS DA AAE EM PORTUGAL APLICAÇÃO À ESTRATÉGIA DE INVESTIMENTO DO PARQUE ALQUEVA Maria do Rosário Partidário, Sofia Antunes, Júlio de Jesus e Marta Garcia LOCALIZAÇÃO Localizado no Concelho

Leia mais

PROJETO de Documento síntese

PROJETO de Documento síntese O Provedor de Justiça INSERIR LOGOS DE OUTRAS ORGANIZAÇÔES Alto Comissariado Direitos Humanos das Nações Unidas (ACNUDH) Provedor de Justiça de Portugal Ministério dos Negócios Estrangeiros de Portugal

Leia mais

Formação em Gestão de Fundos de Investimento Imobiliário 2009. 28 e 29 de Outubro Hotel Trópico, Luanda

Formação em Gestão de Fundos de Investimento Imobiliário 2009. 28 e 29 de Outubro Hotel Trópico, Luanda Formação em Gestão de Fundos de Investimento Imobiliário 2009 28 e 29 de Outubro Hotel Trópico, Luanda Formação em Gestão de Fundos Imobiliários A formação em Gestão de Fundos de Investimento Imobiliário

Leia mais

Manual da Marca Priolo

Manual da Marca Priolo 2015 Manual da Marca Priolo Carta Europeia de Turismo Sustentável Terras do Priolo ÍNDICE RESUMO 01 1. NOTA INTRODUTÓRIA 02 1.1 Justificação da necessidade de criação da Marca Priolo 02 2. PROCEDIMENTO

Leia mais

Seminário A Qualidade nas Intervenções de Conservação, Reabilitação e Valorização das Casas Antigas

Seminário A Qualidade nas Intervenções de Conservação, Reabilitação e Valorização das Casas Antigas Seminário A Qualidade nas Intervenções de Conservação, Reabilitação e Valorização das Casas Antigas Data: Sábado, 14 de Novembro de 2009, 14h00 18h30 Local: Palácio dos Marqueses de Fronteira, em Lisboa

Leia mais

Termo de Referência nº 2014.0918.00043-7. 1. Antecedentes

Termo de Referência nº 2014.0918.00043-7. 1. Antecedentes Termo de Referência nº 2014.0918.00043-7 Ref: Contratação de consultoria pessoa física para desenvolver o Plano de Uso Público para a visitação do Jardim Botânico do Rio de Janeiro concentrando na análise

Leia mais

PRÉMIO EMPREENDEDORISMO INOVADOR NA DIÁSPORA PORTUGUESA

PRÉMIO EMPREENDEDORISMO INOVADOR NA DIÁSPORA PORTUGUESA PRÉMIO EMPREENDEDORISMO INOVADOR NA DIÁSPORA PORTUGUESA 2015 CONSTITUIÇÃO DO JÚRI Joaquim Sérvulo Rodrigues Membro da Direcção da COTEC Portugal, Presidente do Júri; Carlos Brazão Director Sénior de Vendas

Leia mais

Workshop Regional de Disseminação do Pacote da Mobilidade

Workshop Regional de Disseminação do Pacote da Mobilidade Workshop Regional de Disseminação do Pacote da Mobilidade Évora, Universidade de Évora, 24 de Abril de 2012 Programa Preliminar Tema Intervenientes 9h30 Receção aos Participantes 9h45 Boas Vindas e Abertura

Leia mais

As Mesas Redondas compostas por oradores convidados de modo a promover o debate nos seguintes domínios:

As Mesas Redondas compostas por oradores convidados de modo a promover o debate nos seguintes domínios: Objectivo: O Congresso de Inovação na Construção Sustentável (CINCOS 12), é um evento organizado pela Plataforma para a Construção Sustentável, reconhecida pelo QREN como entidade gestora do cluster Habitat

Leia mais

CLUSTER DE LOGÍSTICA URBANA DE LISBOA E VALE DO TEJO

CLUSTER DE LOGÍSTICA URBANA DE LISBOA E VALE DO TEJO CONVÉNIO CLUSTER DE LOGÍSTICA URBANA DE LISBOA E VALE DO TEJO ÍNDICE FINALIDADE... 2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS... 3 CONSTITUIÇÃO E GOVERNÂNCIA... 4 FINANCIAMENTO... 5 RELATÓRIOS... 5 Ficha de Adesão ao CLUSTER

Leia mais

AGENDA 21 escolar. Pensar Global, agir Local. Centro de Educação Ambiental. Parque Verde da Várzea 2560-581 Torres Vedras 39º05'08.89" N 9º15'50.

AGENDA 21 escolar. Pensar Global, agir Local. Centro de Educação Ambiental. Parque Verde da Várzea 2560-581 Torres Vedras 39º05'08.89 N 9º15'50. AGENDA 21 escolar Pensar Global, agir Local Centro de Educação Ambiental Parque Verde da Várzea 2560-581 Torres Vedras 39º05'08.89" N 9º15'50.84" O 918 773 342 cea@cm-tvedras.pt Enquadramento A Agenda

Leia mais

ÍNDICE APRESENTAÇÃO 02 HISTÓRIA 02 OBJECTIVOS 02 CURSOS 04 CONSULTORIA 06 I&D 07 DOCENTES 08 FUNDEC & IST 09 ASSOCIADOS 10 PARCERIAS 12 NÚMEROS 13

ÍNDICE APRESENTAÇÃO 02 HISTÓRIA 02 OBJECTIVOS 02 CURSOS 04 CONSULTORIA 06 I&D 07 DOCENTES 08 FUNDEC & IST 09 ASSOCIADOS 10 PARCERIAS 12 NÚMEROS 13 ÍNDICE APRESENTAÇÃO 02 HISTÓRIA 02 OBJECTIVOS 02 CURSOS 04 CONSULTORIA 06 I&D 07 DOCENTES 08 FUNDEC & IST 09 ASSOCIADOS 10 PARCERIAS 12 NÚMEROS 13 QUEM SOMOS FUNDEC APRESENTAÇÃO HISTÓRIA OBJECTIVOS A

Leia mais

MASTER EXECUTIVO GESTÃO ESTRATÉGICA

MASTER EXECUTIVO GESTÃO ESTRATÉGICA Pág.: 1/10 HISTÓRICO DO DOCUMENTO / EMISSÃO Data Ver. Objeto da Revisão Elab. / Verif. (Função / Nome / Assinatura(*)) C. Técnicocientífica/ S. Iglésias Aprovação (Função / Nome / Assinatura(*)) Diretora/

Leia mais

3.ª CONFERÊNCIA MOBILIDADE URBANA. Das Novas Tecnologias à Eficiência dos Sistemas. 18 de Setembro MUDE Museu do Design e da Moda, Lisboa PARCERIA

3.ª CONFERÊNCIA MOBILIDADE URBANA. Das Novas Tecnologias à Eficiência dos Sistemas. 18 de Setembro MUDE Museu do Design e da Moda, Lisboa PARCERIA 3.ª CONFERÊNCIA MOBILIDADE URBANA ORGANIZAÇÃO PARCERIA UMA PUBLICAÇÃO Das Novas Tecnologias à Eficiência dos Sistemas 18 de Setembro MUDE Museu do Design e da Moda, Lisboa APRESENTAÇÃO Depois de duas edições,

Leia mais

ALIANÇA ESTRATÉGICA DA SAÚDE E AMBIENTE PARA A IMPLEMENTAÇÃO DA DECLARAÇÃO DE LIBREVILLE

ALIANÇA ESTRATÉGICA DA SAÚDE E AMBIENTE PARA A IMPLEMENTAÇÃO DA DECLARAÇÃO DE LIBREVILLE ALIANÇA ESTRATÉGICA DA SAÚDE E AMBIENTE PARA A IMPLEMENTAÇÃO DA DECLARAÇÃO DE LIBREVILLE Projecto IMCHE/2/CP2 1 ALIANÇA ESTRATÉGICA DA SAÚDE E AMBIENTE PARA A IMPLEMENTAÇÃO DA DECLARAÇÃO DE LIBREVILLE

Leia mais

CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento

CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.9 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora:

Leia mais

EDITAL PARA A ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE GESTÃO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA (BGCT) ATRIBUIÇÃO DE 6 (SEIS) BOLSAS DE GESTÃO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA

EDITAL PARA A ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE GESTÃO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA (BGCT) ATRIBUIÇÃO DE 6 (SEIS) BOLSAS DE GESTÃO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA EDITAL PARA A ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE GESTÃO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA (BGCT) ATRIBUIÇÃO DE 6 (SEIS) BOLSAS DE GESTÃO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA No âmbito de protocolo celebrado com a Fundação de Ciência e

Leia mais

I REUNIÃO DE MINISTROS DA ENERGIA DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA. Cascais, 23 de junho de 2015. Declaração de Cascais

I REUNIÃO DE MINISTROS DA ENERGIA DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA. Cascais, 23 de junho de 2015. Declaração de Cascais I REUNIÃO DE MINISTROS DA ENERGIA DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA Cascais, 23 de junho de 2015 Declaração de Cascais Os Ministros responsáveis pela Energia da Comunidade dos Países de Língua

Leia mais

Como delegar eficazmente?

Como delegar eficazmente? www.pwc.pt/academy Como delegar eficazmente? How to improve your skills? 21 e 22 de maio de 2013 Academia da PwC Delegar é um conceito aparentemente claro, mas que na prática, nem todos aplicam. A base

Leia mais

Programa 1º Workshop Posicionar o Planeamento e Controlo de Gestão no Hospital. 6-7 Maio 2009 4ªf-5ªf

Programa 1º Workshop Posicionar o Planeamento e Controlo de Gestão no Hospital. 6-7 Maio 2009 4ªf-5ªf Programa 1º Workshop Posicionar o Planeamento e Controlo de Gestão no Hospital 6-7 Maio 2009 4ªf-5ªf A crescente relevância que as áreas do planeamento e controlo de gestão têm assumido na gestão das organizações

Leia mais

VI REUNIÃO DE MINISTROS DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ENSINO SUPERIOR DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA. Maputo, 15 de Abril de 2014

VI REUNIÃO DE MINISTROS DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ENSINO SUPERIOR DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA. Maputo, 15 de Abril de 2014 VI REUNIÃO DE MINISTROS DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ENSINO SUPERIOR DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA Maputo, 15 de Abril de 2014 DECLARAÇÃO FINAL Os Ministros responsáveis pela Ciência, Tecnologia

Leia mais

7.ª GRANDE CONFERÊNCIA DO JORNAL ARQUITECTURAS

7.ª GRANDE CONFERÊNCIA DO JORNAL ARQUITECTURAS UMA INICIATIVA INTEGRADA NA: URBAVERDE FEIRA DAS CIDADES SUSTENTÁVEIS ª 7.ª GRANDE CONFERÊNCIA DO JORNAL ARQUITECTURAS ARRENDAMENTO E REABILITAÇÃO: DINAMIZAR O MERCADO, REGENERAR A CIDADE 12 de Abril de

Leia mais

2º CONGRESSO DAS EMPRESAS E DAS ATIVIDADES ECONÓMICAS. Lisboa, 9 e 10 de julho de 2015. Sessão de Abertura. António Saraiva, Presidente da CIP

2º CONGRESSO DAS EMPRESAS E DAS ATIVIDADES ECONÓMICAS. Lisboa, 9 e 10 de julho de 2015. Sessão de Abertura. António Saraiva, Presidente da CIP 2º CONGRESSO DAS EMPRESAS E DAS ATIVIDADES ECONÓMICAS Lisboa, 9 e 10 de julho de 2015 Sessão de Abertura António Saraiva, Presidente da CIP Bom Dia, Senhoras e Senhores Embaixadores, Senhores Representantes

Leia mais

A Ponte entre a Escola e a Ciência Azul

A Ponte entre a Escola e a Ciência Azul Projeto educativo A Ponte entre a Escola e a Ciência Azul A Ponte Entre a Escola e a Ciência Azul é um projeto educativo cujo principal objetivo é a integração ativa de estudantes do ensino secundário

Leia mais

Marketing de Feiras e Eventos: Promoção para Visitantes, Expositores e Patrocinadores

Marketing de Feiras e Eventos: Promoção para Visitantes, Expositores e Patrocinadores Gestão e Organização de Conferências e Reuniões Organização de conferências e reuniões, nos mais variados formatos, tais como reuniões educativas, encontros de negócios, convenções, recepções, eventos

Leia mais

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020 Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020 Universidade de Évora, 10 de março de 2015 Identidade, Competitividade, Responsabilidade Lezíria do Tejo Alto Alentejo Alentejo Central Alentejo Litoral

Leia mais

Estatutos do Conselho de Segurança Alimentar e Nutricional da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CONSAN-CPLP) Preâmbulo

Estatutos do Conselho de Segurança Alimentar e Nutricional da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CONSAN-CPLP) Preâmbulo Estatutos do Conselho de Segurança Alimentar e Nutricional da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CONSAN-CPLP) Preâmbulo Os Estados membros da CPLP - Comunidade dos Países de Língua Portuguesa,

Leia mais

REGULAMENTO Mobilidade Macau

REGULAMENTO Mobilidade Macau Face à parceria estabelecida entre a Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril (ESHTE) e o Instituto de Formação Turística em Macau (IFT Macau) no âmbito da qual são facultadas possibilidades de

Leia mais

Conferência Internacional

Conferência Internacional Lisboa, 18, 19 e 20 NOV. 2010 combaterpobreza@iscsp.utl.pt ORGANIZAÇÃO APRESENTAÇÃO CONSELHO CIENTÍFICO COMISSÃO ORGANIZADORA ENQUADRAMENTO LOCAL ANTEVISÃO DO PROGRAMA CONVITE À APRESENTAÇÃO DE COMUNICAÇÕES

Leia mais

ambithus Informação Prática COMO PROCEDER À INSCRIÇÃO? ORGANIZAÇÃO DA FORMAÇÃO INSCRIÇÕES EM GRUPO GARANTIA DE QUALIDADE CONTACTOS DA AMBITHUS

ambithus Informação Prática COMO PROCEDER À INSCRIÇÃO? ORGANIZAÇÃO DA FORMAÇÃO INSCRIÇÕES EM GRUPO GARANTIA DE QUALIDADE CONTACTOS DA AMBITHUS ambithus Informação Prática COMO PROCEDER À INSCRIÇÃO? ORGANIZAÇÃO DA FORMAÇÃO INSCRIÇÕES EM GRUPO GARANTIA DE QUALIDADE CONTACTOS DA AMBITHUS COMO CHEGAR À AMBITHUS? FICHA DE CANDIDATURA PARA A FORMAÇÃO

Leia mais

A inscrição no congresso inclui os dois dias de participação no mesmo sendo o seu valor (com IVA incluído) o seguinte:

A inscrição no congresso inclui os dois dias de participação no mesmo sendo o seu valor (com IVA incluído) o seguinte: ENQUADRAMENTO Integrar a à escala local, nomeadamente nos bairros é cada vez mais um desafio que vai ser abordado no congresso LiderA 2012 que se realiza nos dias 18 e 19 de Junho de 2012, no Complexo

Leia mais

::ENQUADRAMENTO ::ENQUADRAMENTO::

::ENQUADRAMENTO ::ENQUADRAMENTO:: ::ENQUADRAMENTO:: :: ENQUADRAMENTO :: O actual ambiente de negócios caracteriza-se por rápidas mudanças que envolvem a esfera politica, económica, social e cultural das sociedades. A capacidade de se adaptar

Leia mais

PROGRAMAÇÃO DO EVENTO

PROGRAMAÇÃO DO EVENTO PROGRAMAÇÃO DO EVENTO Dia 08/08 // 09h00 12h00 PLENÁRIA Nova economia: includente, verde e responsável Nesta plenária faremos uma ampla abordagem dos temas que serão discutidos ao longo de toda a conferência.

Leia mais

3ª Conferência Nacional sobre Ciência e Tecnologia

3ª Conferência Nacional sobre Ciência e Tecnologia República de Angola Ministério da Ciência e Tecnologia 3ª Conferência Nacional sobre Ciência e Tecnologia A Ciência, Tecnologia e Inovação ao serviço da sociedade Luanda, 11 13 de Setembro de 2013 Datas

Leia mais

A NOVA AGENDA DO DESENVOLVIMENTO URBANO SUSTENTÁVEL E OS NOVOS INSTRUMENTOS 2014-2020

A NOVA AGENDA DO DESENVOLVIMENTO URBANO SUSTENTÁVEL E OS NOVOS INSTRUMENTOS 2014-2020 ENCONTRO TEMÁTICO DESENVOLVIMENTO URBANO SUSTENTÁVEL 28 de Fevereiro de 2014, Espaço Jovem, Porto de Mós. Grupo de Trabalho Desenvolvimento Urbano Sustentável A NOVA AGENDA DO DESENVOLVIMENTO URBANO SUSTENTÁVEL

Leia mais

REF: PROJETO EVENTO N.º 02/2011/ CCBPB ENCONTRO EMPRESARIAL DE NEGÓCIOS NA LÍNGUA PORTUGUESA

REF: PROJETO EVENTO N.º 02/2011/ CCBPB ENCONTRO EMPRESARIAL DE NEGÓCIOS NA LÍNGUA PORTUGUESA REF: PROJETO EVENTO N.º 02/2011/ CCBPB ENCONTRO EMPRESARIAL DE NEGÓCIOS NA LÍNGUA PORTUGUESA APRESENTAÇÃO A CÂMARA DE COMÉRCIO BRASIL-PORTUGAL BRASÍLIA, associação civil sem fins lucrativos, foi constituída

Leia mais

LÍDERES DA CPLP ENCONTRO DE JOVENS. Este desafio é nosso! Iº ENCONTRO DE JOVENS LÍDERES COMUNIDADE DE PAÍSES DA CPLP NA DIÁSPORA PORTUGUESA

LÍDERES DA CPLP ENCONTRO DE JOVENS. Este desafio é nosso! Iº ENCONTRO DE JOVENS LÍDERES COMUNIDADE DE PAÍSES DA CPLP NA DIÁSPORA PORTUGUESA ENCONTRO DE JOVENS Iº ENCONTRO DE JOVENS LÍDERES COMUNIDADE DE PAÍSES DA CPLP NA DIÁSPORA PORTUGUESA Aveiro, 22 a 24 de Junho de UNIVERSIDADE DE AVEIRO Entidades Promotoras Parceiros Apoios O que é o Festival

Leia mais

AGENDA VALORIZAÇÃO DO TERRITÓRIO

AGENDA VALORIZAÇÃO DO TERRITÓRIO Novas Oportunidades para o Financiamento de Investimento Público e Empresarial no âmbito do QREN --- Sines 11 de Março de 2008 A Agenda Operacional para a Valorização do Território é uma estratégia de

Leia mais

Programa. Empreendedorismo Cultural e Indústrias Criativas 2012

Programa. Empreendedorismo Cultural e Indústrias Criativas 2012 Programa Empreendedorismo Cultural e Indústrias Criativas 2012 Programa Empreendedorismo Cultural e Indústrias Criativas 2012 3 Hemisfério esquerdo responsável pelo pensamento lógico e pela competência

Leia mais

O Social pela Governança. Mestrados Profissionalizantes Planos Curriculares Segurança e Higiene no trabalho

O Social pela Governança. Mestrados Profissionalizantes Planos Curriculares Segurança e Higiene no trabalho O Social pela Governança Mestrados Profissionalizantes Planos Curriculares Segurança e Higiene no trabalho ÍNDICE HIGIENE E SEGURANÇA NO TRABALHO... 3 OBJECTIVOS... 3 DESTINATÁRIOS... 3 INSCRIÇÕES E NÚMERO

Leia mais

CONCURSOS INTERNACIONAIS COMO OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO Skyna Hotel 22 de Junho de 2015

CONCURSOS INTERNACIONAIS COMO OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO Skyna Hotel 22 de Junho de 2015 LUANDA PROGRAMA AVANÇADO PARA DECISORES CONCURSOS INTERNACIONAIS COMO OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO Skyna Hotel 22 de Junho de 2015 2.ª EDIÇÃO Inscrições e mais informações em: www.ambienteonline.pt/luanda-concursos-internacionais-2015

Leia mais

Gestão de Equipas. Lisboa, 11 e 18 de abril de 2013. www.pwc.pt/academy. Academia da PwC

Gestão de Equipas. Lisboa, 11 e 18 de abril de 2013. www.pwc.pt/academy. Academia da PwC www.pwc.pt/academy Gestão de Equipas Lisboa, 11 e 18 de abril de 2013 Academia da PwC O sucesso das organizações depende cada vez mais de equipas de alto desempenho. Venha conhecer connosco as melhores

Leia mais

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA PLANIFICAÇÃO E DESENVOLVIMENTO. SÍNTESE DA 15 a SESSÃO PLENÁRIA DO OBSERVATÓRIO DE DESENVOLVIMENTO

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA PLANIFICAÇÃO E DESENVOLVIMENTO. SÍNTESE DA 15 a SESSÃO PLENÁRIA DO OBSERVATÓRIO DE DESENVOLVIMENTO REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA PLANIFICAÇÃO E DESENVOLVIMENTO SÍNTESE DA 15 a SESSÃO PLENÁRIA DO OBSERVATÓRIO DE DESENVOLVIMENTO Maputo, Abril de 2014 ÍNDICE I. INTRODUÇÃO... 3 II. TEMAS APRESENTADOS...

Leia mais

Grupo de Trabalho para as Questões da Pessoa Idosa, Dependente ou Deficiente de Grândola REGULAMENTO INTERNO

Grupo de Trabalho para as Questões da Pessoa Idosa, Dependente ou Deficiente de Grândola REGULAMENTO INTERNO Grupo de Trabalho para as Questões da Pessoa Idosa, Dependente ou Deficiente de Grândola REGULAMENTO INTERNO Maio de 2011 Preâmbulo As alterações demográficas que se têm verificado na população portuguesa

Leia mais

Regulamento do Concurso para Pontos de Contacto Nacionais do 7º Programa-Quadro de Investigação e Desenvolvimento Tecnológico da União Europeia

Regulamento do Concurso para Pontos de Contacto Nacionais do 7º Programa-Quadro de Investigação e Desenvolvimento Tecnológico da União Europeia Regulamento do Concurso para Pontos de Contacto Nacionais do 7º Programa-Quadro de Investigação e Desenvolvimento Tecnológico da União Europeia O Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (MCTES)

Leia mais

Membro da direcção da Revista Intervenção Social Investigadora do CLISSIS Doutoranda em Serviço Social

Membro da direcção da Revista Intervenção Social Investigadora do CLISSIS Doutoranda em Serviço Social A investigação do Serviço Social em Portugal: potencialidades e constrangimentos Jorge M. L. Ferreira Professor Auxiliar Universidade Lusíada Lisboa (ISSSL) Professor Auxiliar Convidado ISCTE IUL Diretor

Leia mais

UMA BOA IDEIA PARA A SUSTENTABILIDADE

UMA BOA IDEIA PARA A SUSTENTABILIDADE UMA BOA IDEIA PARA A SUSTENTABILIDADE REGULAMENTO DO CONCURSO DE IDEIAS (Aberto a todos os Cidadãos) 1. O QUE É: O concurso Uma Boa Ideia para a Sustentabilidade é uma iniciativa da Câmara Municipal de

Leia mais

GESTÃO MUSEOLÓGICA E SISTEMAS DE QUALIDADE Ana Mercedes Stoffel Fernandes Outubro 2007 QUALIDADE E MUSEUS UMA PARCERIA ESSENCIAL

GESTÃO MUSEOLÓGICA E SISTEMAS DE QUALIDADE Ana Mercedes Stoffel Fernandes Outubro 2007 QUALIDADE E MUSEUS UMA PARCERIA ESSENCIAL CADERNOS DE MUSEOLOGIA Nº 28 2007 135 GESTÃO MUSEOLÓGICA E SISTEMAS DE QUALIDADE Ana Mercedes Stoffel Fernandes Outubro 2007 QUALIDADE E MUSEUS UMA PARCERIA ESSENCIAL INTRODUÇÃO Os Sistemas da Qualidade

Leia mais

Executive Revolution Programs Competitive intelligence e inovação

Executive Revolution Programs Competitive intelligence e inovação Executive Revolution Programs Competitive intelligence e inovação Neste curso serão abordadas as melhores práticas que permitem gerir estrategicamente a informação, tendo em vista a criação de valor para

Leia mais

Gestão das Cidades, Intervenção Tecnológica e Combate a Pobreza

Gestão das Cidades, Intervenção Tecnológica e Combate a Pobreza Project Management Conferência Científica Internacional sobre Gestão das Cidades, Intervenção Tecnológica e Combate a Pobreza PROMOÇÃO: IMETRO REALIZAÇÃO: OMNEN INTELLEGENDA e IMETRO (Instituto Superior

Leia mais

MINISTÉRIO DAS OBRAS PÚBLICAS, TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES

MINISTÉRIO DAS OBRAS PÚBLICAS, TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES 1783 MINISTÉRIO DAS OBRAS PÚBLICAS, TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES Decreto n.º 7/2008 de 27 de Março A rede ferroviária de alta velocidade constitui um empreendimento público de excepcional interesse nacional

Leia mais

Painel Temático 2: A Educação para o Desenvolvimento Sustentável Sala G4 10H45 12H15 Moderadora: Cristina Gomes Ferreira Relatora: Elizabeth Silva

Painel Temático 2: A Educação para o Desenvolvimento Sustentável Sala G4 10H45 12H15 Moderadora: Cristina Gomes Ferreira Relatora: Elizabeth Silva Painel Temático 2: A Educação para o Desenvolvimento Sustentável Sala G4 10H45 12H15 Moderadora: Cristina Gomes Ferreira Relatora: Elizabeth Silva Apresentação dos seguintes projectos: 1) Câmara de Lobos.

Leia mais

Plano de Atividades 2015

Plano de Atividades 2015 Plano de Atividades 2015 ÍNDICE Introdução 1. Princípios orientadores do Plano Plurianual. Desempenho e qualidade da Educação. Aprendizagens, equidade e coesão social. Conhecimento, inovação e cultura

Leia mais

Curso de Gestão Para Empresários e Directores

Curso de Gestão Para Empresários e Directores Curso de Gestão Para Empresários e Directores Sob a direcção do Doutor José Nunes Maia, Professor Aposentado do ISCTE Lisboa, a MoreData pretende dar início à 1ª edição do Curso de Gestão para Empresários

Leia mais

TERMOS DE REFERÊNCIA PARA A CONTRATAÇÃO DE UM CONSULTOR PARA PRESTAR APOIO ÀS ACTIVIDADES ELEITORAIS EM MOÇAMBIQUE

TERMOS DE REFERÊNCIA PARA A CONTRATAÇÃO DE UM CONSULTOR PARA PRESTAR APOIO ÀS ACTIVIDADES ELEITORAIS EM MOÇAMBIQUE TERMOS DE REFERÊNCIA PARA A CONTRATAÇÃO DE UM CONSULTOR PARA PRESTAR APOIO ÀS ACTIVIDADES ELEITORAIS EM MOÇAMBIQUE Local de trabalho: Maputo, Moçambique Duração do contrato: Três (3) meses: Novembro 2011

Leia mais

luanda 4ª EDIÇÃO MASTER COURSE - GESTÃO DA FORMAÇÃO LOCAL EPIC SANA LUANDA HOTEL DATAS 14 A 23 JULHO 2014 Mastering People Development

luanda 4ª EDIÇÃO MASTER COURSE - GESTÃO DA FORMAÇÃO LOCAL EPIC SANA LUANDA HOTEL DATAS 14 A 23 JULHO 2014 Mastering People Development luanda www.letstalkgroup.com 4ª EDIÇÃO MASTER COURSE - GESTÃO DA FORMAÇÃO LOCAL EPIC SANA LUANDA HOTEL DATAS 14 A 23 JULHO 2014 Mastering People Development 4ª EDIÇÃO MASTER COURSE Gestão da Formação 14

Leia mais

Número 7/junho 2013 O PROGRAMA URBACT II

Número 7/junho 2013 O PROGRAMA URBACT II Número 7/junho 2013 O PROGRAMA URBACT II PARTILHA DE EXPERIÊNCIAS E APRENDIZAGEM SOBRE O DESENVOLVIMENTO URBANO SUSTENTÁVEL O URBACT permite que as cidades europeias trabalhem em conjunto e desenvolvam

Leia mais

INOVAR com SUSTENTABILIDADE ENERGIA IBERO-AMERICANA 2050

INOVAR com SUSTENTABILIDADE ENERGIA IBERO-AMERICANA 2050 INOVAR com SUSTENTABILIDADE ENERGIA IBERO-AMERICANA 2050 Lisboa, 26 de Novembro 2009 1. EFICIÊNCIA ENERGÉTICA 2. MOBILIDADE SUSTENTÁVEL 3. EXPLORAÇÃO & PRODUÇÃO 4. DOUTORAMENTO EM MEIO EMPRESARIAL 5. OPEN

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO / ESPECIALIZAÇÃO SISTEMAS DE GESTÃO DA SEGURANÇA ALIMENTAR

PÓS-GRADUAÇÃO / ESPECIALIZAÇÃO SISTEMAS DE GESTÃO DA SEGURANÇA ALIMENTAR PÓS-GRADUAÇÃO / ESPECIALIZAÇÃO SISTEMAS DE GESTÃO DA SEGURANÇA ALIMENTAR FORMAÇÃO SGS ACADEMY LOCAL: LISBOA, PORTO E FUNCHAL GRUPO SGS PORTUGAL O Grupo SGS Société Générale de Surveillance S.A é a maior

Leia mais

NOVOS INVESTIMENTOS NA FERROVIA ESTRATÉGIAS E ARTICULAÇÃO INTERMODAL 9 DE NOVEMBRO DE 2015

NOVOS INVESTIMENTOS NA FERROVIA ESTRATÉGIAS E ARTICULAÇÃO INTERMODAL 9 DE NOVEMBRO DE 2015 NOVOS INVESTIMENTOS NA FERROVIA ENQUADRAMENTO DA IMPLEMENTAÇÃO DA REDE TRANSEUROPEIA DE TRANSPORTES E DO MECANISMO INTERLIGAR A EUROPA JOSÉ VALLE / CEETVC ORIENTAÇÕES BASE DO PROGRAMA DA CEETVC PARA O

Leia mais

As ações de formação ação no âmbito do presente Aviso têm, obrigatoriamente, de ser desenvolvidas com a estrutura a seguir indicada.

As ações de formação ação no âmbito do presente Aviso têm, obrigatoriamente, de ser desenvolvidas com a estrutura a seguir indicada. Anexo A Estrutura de intervenção As ações de formação ação no âmbito do presente Aviso têm, obrigatoriamente, de ser desenvolvidas com a estrutura a seguir indicada. 1. Plano de ação para o período 2016

Leia mais

O presente documento suporta a apreciação do ponto 3 da Agenda da reunião da Comissão de Acompanhamento de 13/11/07, sendo composto por duas partes:

O presente documento suporta a apreciação do ponto 3 da Agenda da reunião da Comissão de Acompanhamento de 13/11/07, sendo composto por duas partes: EIXO I COMPETITIVIDADE, INOVAÇÃO E CONHECIMENTO INSTRUMENTO: SISTEMA DE INCENTIVOS À QUALIFICAÇÃO E INTERNACIONALIZAÇÃO DE PME (SI QUALIFICAÇÃO PME) O presente documento suporta a apreciação do ponto 3

Leia mais

Agência Portuguesa do Ambiente Apresentação Pública dos Resultados do Inquérito sobre Equipamentos de Educação Ambiental para a Sustentabilidade

Agência Portuguesa do Ambiente Apresentação Pública dos Resultados do Inquérito sobre Equipamentos de Educação Ambiental para a Sustentabilidade Agência Portuguesa do Ambiente Apresentação Pública dos Resultados do Inquérito sobre Equipamentos de Educação Ambiental para a Sustentabilidade Jorge Neves, 19/12/2011, Amadora colocar foto da era ENQUADRAMENTO

Leia mais

Adenda aos Critérios de Selecção

Adenda aos Critérios de Selecção Adenda aos Critérios de Selecção... Critérios de Selecção SI Qualificação PME EIXO I COMPETITIVIDADE, INOVAÇÃO E CONHECIMENTO INSTRUMENTO: SISTEMA DE INCENTIVOS À QUALIFICAÇÃO E INTERNACIONALIZAÇÃO DE

Leia mais

PLANO DE ESTUDOS DO 51º CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM SAÚDE PÚBLICA

PLANO DE ESTUDOS DO 51º CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM SAÚDE PÚBLICA PLANO DE ESTUDOS DO 51º CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM SAÚDE PÚBLICA Janeiro de 2012 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. DESTINATÁRIOS... 4 3. FINALIDADE... 4 4. OBJECTIVOS GERAIS... 4 5. PLANO CURRICULAR... 5 6.

Leia mais

Projeto de Ações de Melhoria

Projeto de Ações de Melhoria DIREÇÃO REGIONAL DE EDUCAÇÃO DE LISBOA E VALE DO TEJO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALVES REDOL, VILA FRANCA DE XIRA- 170 770 SEDE: ESCOLA SECUNDÁRIA DE ALVES REDOL 400 014 Projeto de Ações de Melhoria 2012/2013

Leia mais

Termo de Referência nº 2014.0918.00040-2. 1. Antecedentes

Termo de Referência nº 2014.0918.00040-2. 1. Antecedentes Termo de Referência nº 2014.0918.00040-2 Ref: Contratação de consultoria pessoa física para realização de um plano de sustentabilidade financeira para o Jardim Botânico do Rio de Janeiro, no âmbito da

Leia mais

III ASSEMBLEIA PARLAMENTAR DA CPLP (AP CPLP) PARLAMENTO NACIONAL DE TIMOR-LESTE. Díli, Timor-leste. 20 a 23 de Setembro de 2011

III ASSEMBLEIA PARLAMENTAR DA CPLP (AP CPLP) PARLAMENTO NACIONAL DE TIMOR-LESTE. Díli, Timor-leste. 20 a 23 de Setembro de 2011 III ASSEMBLEIA PARLAMENTAR DA CPLP (AP CPLP) PARLAMENTO NACIONAL DE TIMOR-LESTE Díli, Timor-leste 20 a 23 de Setembro de 2011 1 Enquadramento Teve lugar, em Díli (República Democrática de Timor - Leste),

Leia mais

ALIANÇA ESTRATÉGICA DA SAÚDE E AMBIENTE PARA A IMPLEMENTAÇÃO DA DECLARAÇÃO DE LIBREVILLE

ALIANÇA ESTRATÉGICA DA SAÚDE E AMBIENTE PARA A IMPLEMENTAÇÃO DA DECLARAÇÃO DE LIBREVILLE ALIANÇA ESTRATÉGICA DA SAÚDE E AMBIENTE PARA A IMPLEMENTAÇÃO DA DECLARAÇÃO DE LIBREVILLE Adoptada pelos Ministros da Saúde e Ministros do Ambiente na Segunda Conferência Interministerial sobre Saúde e

Leia mais

Programa de Desenvolvimento Rural do Continente para 2014-2020

Programa de Desenvolvimento Rural do Continente para 2014-2020 Programa de Desenvolvimento Rural do Continente para 2014-2020 Medida 1 INOVAÇÃO Ação 1.1 GRUPOS OPERACIONAIS Enquadramento Regulamentar Artigos do Regulamento (UE) n.º 1305/2013, do Conselho e do Parlamento

Leia mais

3.ª CONFERÊNCIA MOBILIDADE URBANA. Das Novas Tecnologias à Eficiência dos Sistemas. 18 de Setembro MUDE Museu do Design e da Moda, Lisboa

3.ª CONFERÊNCIA MOBILIDADE URBANA. Das Novas Tecnologias à Eficiência dos Sistemas. 18 de Setembro MUDE Museu do Design e da Moda, Lisboa INICIATIVA INSERIDA NA EVENTO 3.ª CONFERÊNCIA MOBILIDADE URBANA ORGANIZAÇÃO APOIOS UMA PUBLICAÇÃO ALTO PATROCÍNIO Das Novas Tecnologias à Eficiência dos Sistemas 18 de Setembro MUDE Museu do Design e da

Leia mais

Importância de Moçambique em termos ambientais. Situação de pobreza em que vive a maioria da população moçambicana. Corrida aos recursos naturais

Importância de Moçambique em termos ambientais. Situação de pobreza em que vive a maioria da população moçambicana. Corrida aos recursos naturais Carlos Manuel Serra Importância de Moçambique em termos ambientais. Situação de pobreza em que vive a maioria da população moçambicana. Corrida aos recursos naturais destaque para os petrolíferos e mineiros

Leia mais

1º FÓRUM UNIÃO DE EXPORTADORES CPLP 26 E 27 DE JUNHO DE 2015 CENTRO DE CONGRESSOS DE LISBOA. JUNTOS IREMOS LONGE www.uecplp.org

1º FÓRUM UNIÃO DE EXPORTADORES CPLP 26 E 27 DE JUNHO DE 2015 CENTRO DE CONGRESSOS DE LISBOA. JUNTOS IREMOS LONGE www.uecplp.org 1º FÓRUM UNIÃO DE EXPORTADORES CPLP 26 E 27 DE JUNHO DE 2015 CENTRO DE CONGRESSOS DE LISBOA JUNTOS IREMOS LONGE www.uecplp.org CONCEITO Realização do 1º Fórum União de Exportadores CPLP (UE-CPLP) que integra:

Leia mais

Programa de Educação para a Sustentabilidade 2014/2015

Programa de Educação para a Sustentabilidade 2014/2015 Programa de Educação para a Sustentabilidade 2014/2015 Plano de Atividades Programa de Educação para a Sustentabilidade O Programa de Educação para a Sustentabilidade para o ano letivo 2014/2015 integra

Leia mais

PAZ, FRAGILIDADE E SEGURANÇA A AGENDA PÓS-2015 E OS DESAFIOS À CPLP

PAZ, FRAGILIDADE E SEGURANÇA A AGENDA PÓS-2015 E OS DESAFIOS À CPLP PAZ, FRAGILIDADE E SEGURANÇA A AGENDA PÓS-2015 E OS DESAFIOS À CPLP 7 Maio 10 Horas NÚCLEO DE ESTUDANTES DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS ORGANIZAÇÃO: COM A PARTICIPAÇÃO: Paz, Fragilidade e Segurança A A G E

Leia mais

Guia Informativo. 8ª Edição do Prémio Empreendedorismo Inovador na Diáspora Portuguesa (2015)

Guia Informativo. 8ª Edição do Prémio Empreendedorismo Inovador na Diáspora Portuguesa (2015) Guia Informativo 8ª Edição do Prémio Empreendedorismo Inovador na Diáspora Portuguesa (2015) Objectivo do Prémio: O Prémio Empreendedorismo Inovador na Diáspora Portuguesa tem como objectivo central o

Leia mais

Sistema de Normalização Contabilística

Sistema de Normalização Contabilística www.pwcacademy.pt Sistema de Normalização Contabilística Sector da Construção Academia da PwC Oportunidade para apreender os principais aspectos do novo modelo de normalização contabilística bem como os

Leia mais

Perto de si, mudamos consigo! www.wechange.pt

Perto de si, mudamos consigo! www.wechange.pt Hotel Alvalade LUANDA 16 a 27 de RH Os Ciclos de RH, consistem em planos de desenvolvimento de competências no domínio da gestão de Recursos Humanos, nomeadamente ao nível das áreas de Selecção, Formação

Leia mais

Plano Intermunicipal de Mobilidade e Transportes da Região de Aveiro

Plano Intermunicipal de Mobilidade e Transportes da Região de Aveiro Plano Intermunicipal de Mobilidade e Transportes da Região de Aveiro www.regiaodeaveiro.pt PIMT de Aveiro, Aveiro TIS.PT Transportes Inovação e Sistemas, S.A. 1 16 Breve enquadramento A Comunidade Intermunicipal

Leia mais

Plano de Atividades 2014. www.andonicanela.com

Plano de Atividades 2014. www.andonicanela.com Plano de Atividades 2014 (Revisão) www.andonicanela.com PROGRAMA DE ACTIVIDADES 2014 REVISTO INTRODUÇÃO e VERTENTE ESTRATÉGICA A LPN como a mais antiga e mais consistente organização não governamental

Leia mais

MISSÃO EMPRESARIAL AO MÉXICO 19-27 Fev. 2016

MISSÃO EMPRESARIAL AO MÉXICO 19-27 Fev. 2016 PROJECTO CONJUNTO DE INTERNACIONALIZAÇÃO MÉXICO 2015-2016 MISSÃO EMPRESARIAL AO MÉXICO 19-27 Fev. 2016 INSCRIÇÕES ATÉ 15 DE JANEIRO 2016 Promotor: Co-financiamento: Monitorização: Foto: Miguel Moreira

Leia mais

UMA ASSOCIAÇÃO GLOBAL PARA ALIANÇAS ESTRATÉGICAS

UMA ASSOCIAÇÃO GLOBAL PARA ALIANÇAS ESTRATÉGICAS UMA ASSOCIAÇÃO GLOBAL PARA ALIANÇAS ESTRATÉGICAS UMA ASSOCIAÇÃO GLOBAL PARA ALIANÇAS ESTRATÉGICAS Presente em mais de 80 países e com mais de 280 escritórios em todos os Continentes, a MGI é uma das maiores

Leia mais

Projecto REDE CICLÁVEL DO BARREIRO Síntese Descritiva

Projecto REDE CICLÁVEL DO BARREIRO Síntese Descritiva 1. INTRODUÇÃO Pretende-se com o presente trabalho, desenvolver uma rede de percursos cicláveis para todo o território do Município do Barreiro, de modo a promover a integração da bicicleta no sistema de

Leia mais

Se não vir a nossa newsletter clique aqui

Se não vir a nossa newsletter clique aqui Se não vir a nossa newsletter clique aqui Em 2013, a APCRI organizou e apoiou um conjunto de iniciativas, com os seus Associados e com outros parceiros institucionais que visam potenciar a visibilidade

Leia mais

ESTRUTURA ORGÂNICA E FUNCIONAL

ESTRUTURA ORGÂNICA E FUNCIONAL ESTRUTURA ORGÂNICA E FUNCIONAL Diretor Geral O Diretor Geral supervisiona e coordena o funcionamento das unidades orgânicas do Comité Olímpico de Portugal, assegurando o regular desenvolvimento das suas

Leia mais

Mesa Redonda Novas agendas de atuação e os perfis profissionais em bibliotecas universitárias

Mesa Redonda Novas agendas de atuação e os perfis profissionais em bibliotecas universitárias Mesa Redonda Novas agendas de atuação e os perfis profissionais em bibliotecas universitárias Profa. Dra. Lillian Maria Araújo de Rezende Alvares Coordenadora-Geral de Pesquisa e Manutenção de Produtos

Leia mais

REGULAMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE SAÚDE. (Aprovado na 23ª Reunião Ordinária de Câmara Municipal, realizada em 21 de Novembro de 2001)

REGULAMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE SAÚDE. (Aprovado na 23ª Reunião Ordinária de Câmara Municipal, realizada em 21 de Novembro de 2001) REGULAMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE SAÚDE (Aprovado na 23ª Reunião Ordinária de Câmara Municipal, realizada em 21 de Novembro de 2001) REGULAMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE SAÚDE (Aprovado na 23ª Reunião

Leia mais