Opinião. Por considerar fundamental a aposta no turismo, este

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Opinião. Por considerar fundamental a aposta no turismo, este"

Transcrição

1 Opinião Por considerar fundamental a aposta no turismo, este executivo assumiu a necessidade de reorientar a política municipal com vista à definição de objectivos estratégicos neste domínio. Borges Neves Vereador responsável pelo Turismo O turismo assume-se hoje como uma actividade económica com peso significativo na sociedade contemporânea. O concelho de Loures possui um verdadeiro potencial para o desenvolvimento da indústria de lazer. A sua proximidade do aeroporto e da capital, as excelentes acessibilidades de que beneficia e o património cultural e paisagístico existente, aliados à dinamização de outros novos desígnios que possam complementar a procura turística, estão a transformar Loures num destino privilegiado para quem visita a Área Metropolitana de Lisboa. Por considerar fundamental a aposta neste domínio, este executivo assumiu a necessidade de reorientar a política municipal com vista à definição de objectivos estratégicos que se reflictam em significativos impactes a nível económico-social. A par da preparação do Plano de Desenvolvimento Turístico, estão em curso várias acções que visam dar nova dinâmica ao sector. A apresentação de candidaturas a programas comunitários é um dos vectores de aposta, designadamente no âmbito do PIQTUR (Programa de Intervenções para a Qualificação do Turismo) ou do PITER (Programas Integrados Turísticos de Natureza Estruturante e base Regional), em conjunto com a Associação de Turismo de Lisboa. A captação de novos parceiros ou de projectos de âmbito turístico (o Hotel-Escola, o parque de diversões, campos de golfe, etc.) são perceptíveis no novo modelo de gestão municipal. A celeridade na apreciação de processos relativos a projectos e investimentos em infra-estruturas turísticas e unidades de alojamento é já patente com o lançamento da primeira pedra do Hotel VIP Executive, em Santa Iria, bem como com outros projectos que se encontram em fase de aprovação, como por exemplo dois novos hotéis em Sacavém e no Prior Velho, ou de análise, como uma pousada, em Lousa, uma albergaria, em Loures, e uma unidade de Turismo Rural, em Santo Antão do Tojal. Nos dois últimos anos, o Gabinete de Turismo teve também a preocupação de aproximar a população local da oferta turística interna, promovendo acções, dinamizadas pela Autarquia ou por outras instituições, que visam a promoção do turismo natureza, aspecto diferenciador da oferta concelhia, que se traduz em passagens pela gastronomia, enologia, ecologia, património, cultura e desporto aventura. Turismo em expansão Página III Novas unidades hoteleitas Página V Turismo activo Página VIII

2 Definir estratégias de promoção Loures aposta no turismo de qualidade Um concelho situado às portas da capital do País, com uma considerável área verde, um património arquitectónico relevante e diversas valências a nível de acessibilidades, merece uma forte aposta na promoção das suas potencialidades turísticas. Quando diversos analistas financeiros apontaram o turismo como um dos factores impulsionadores da economia portuguesa nos próximos anos, foi traçada uma linha orientadora que nos conduz a um denominador comum: a necessidade da promoção turística. Baseado nesta perspectiva, Loures terá de se assumir como um concelho diferente, pois, não podendo competir com outras regiões a nível do património e não tendo uma costa marítima com potencialidades balneares, tem, dentro das suas próprias fronteiras, diversas valências por explorar. Duas grandes metas se colocam de imediato. A primeira prende-se com a necessidade da construção de unidades hoteleiras que fixem turistas nacionais e estrangeiros. A segunda está relacionada com a promoção dos dois grandes pólos de oferta turística do concelho: o enoturismo e o turismo activo na zona norte e o turismo de negócios na zona oriental. A recente criação da Rota dos Vinhos simboliza apenas o primeiro passo dado num vasto trabalho de promoção da região de Bucelas, onde o vinho se assume como catalizador de toda uma vasta oferta turística que, no futuro, se pretende mais abrangente, nomeadamente a nível do turismo activo. Toda a área verde a explorar, situada às portas de Lisboa, oferece condições únicas para captar novos investimentos, integrando necessariamente os promotores turísticos em toda a campanha promocional a efectuar. Neste âmbito, a viabilidade financeira de projectos como a construção de campos de golfe um dos mais importantes sectores turísticos a nível mundial, reveste-se de singular importância na criação da diversidade de oferta turística que Loures pode e deve oferecer. Quanto à zona oriental, as vantagens relacionadas com a localização do aeroporto da Portela, do terminal rodo-ferroviário da Estação do Oriente e da Ponte Vasco da Gama terão de ser aproveitadas na sua totalidade, criando sinergias com a nova centralidade oriunda da construção do Parque das Nações. A todas estas mais-valias acrescentam-se ainda diversas iniciativas tendentes a projectar o nome e a imagem de Loures a nível nacional e internacional, como são exemplos a continuidade do Carnaval de Loures, ou ainda a realização de grandes festivais de música, como este ano aconteceu com o Festival de Verão e, em 2004, com o Super Rock in Lisbon, que concentrará em território concelhio algumas das maiores estrelas da música pop e rock da actualidade. Neste sentido, foi organizado, em 2002 e no âmbito das comemorações do Ano Internacional do Ecoturismo, um seminário intitulado Que turismo para Loures?. A sua realização teve como objectivo a sensibilização dos técnicos para a necessidade de fazer algo mais do que a mera animação, uma vez que sem infra-estruturas turísticas o concelho não tem potencial. De salientar a presença neste seminário de individualidades como Luís Castanheira, chefe de gabinete do secretário de Estado do Turismo, Maria João Burnay, vice-presidente do Instituto de Conservação da Natureza, Licínio Cunha, da Universidade Lusófona, e Carlos Teixeira, presidente da Câmara de Loures. Será baseada nestas e noutras premissas que assentará a elaboração do Plano de Desenvolvimento Turístico de Loures, que traçará, a médio e a longo prazo, as directrizes do crescimento do turismo no concelho. As bases estão lançadas para que, de futuro, o turismo encontre em Loures uma marca de qualidade superior. Turismo em Loures Uma actividade em expansão A Zona de Turismo de Loures foi criada através do Decreto-Lei n.º 463/99, de 5 de Novembro, partindo dos pressupostos de que Loures possui um vasto leque de recursos turísticos que devem ser valorizados. Território marcado pela fronteira entre a tradicional herança saloia e os novos pólos de desenvolvimento urbano e industrial, Loures tem a seu favor excelentes condições climatéricas, óptimas acessibilidades, múltiplos equipamentos de lazer e uma paisagem rica e diversificada. Os museus, o património, os itinerários e os parques, conjuntamente com a gastronomia, as festas populares, o enoturismo e o artesanato, são também alguns dos atractivos do concelho. De forma a incentivar e promover as potencialidades deste território, e após a criação da Zona de Turismo, foi nomeada a Comissão Municipal de Turismo de Loures, que tem como principais competências colaborar na preparação do Plano Anual de Actividade Turística e dar parecer sobre quaisquer projectos de obras de interesse turístico. Composta pelo delegado de saúde e por representantes dos serviços centrais de turismo, da Comissão Municipal de Arte e Arqueologia, da indústria hoteleira, do comércio e dos proprietários, esta comissão reúne bimestralmente, e deverá emitir pareceres que contribuam para a melhoria do turismo local. II III

3 Imagem virtual do futuro Hotel Vip Executive Santa Iria Imagem virtual do futuro Hotel Vip Executive Santa Iria Sacavém e Santa Iria de Azóia Novas unidades hoteleiras prontas em 2004 Respondendo a uma necessidade premente para o concelho, os industriais hoteleiros preparam-se para abrir as primeiras unidades nos próximos anos. Os hotéis de Sacavém e Santa Iria de Azóia vão avançar de imediato. Um dos maiores promotores turísticos internacionais o Grupo Vip Hotels encabeça a lista de industriais hoteleiros com interesse em investir no concelho de Loures na construção de unidades hoteleiras. Sendo um grupo com uma vasta experiência na exploração de hotéis na Área Metropolitana de Lisboa (neste momento conta já com sete unidades nesta zona geográfica), a Vip Hotels arranca com a construção do futuro Hotel Vip Executive Santa Iria e, em Sacavém, do Hotel Vip Grand. Quanto à unidade de Santa Iria de Azóia, catalogada com quatro estrelas, terá como capacidade de alojamento 120 quartos duplos e quatro suites, e ficará situada junto ao acesso ao IC2. Do projecto constam ainda restaurante, bar, pavilhão polivalente (para reuniões e eventos), piscina, health-club e outras valências. Já no que diz respeito a Sacavém, o Hotel Vip Grand disporá da categoria de cinco estrelas e terá a capacidade de 250 quartos duplos e 15 suites. Com salas de reuniões, dois restaurantes, dois bares, piscina e health-club, esta unidade ficará situada junto à Quinta do Património e, tal como o de Santa Iria de Azóia, disporá de excelentes acessos rodoviários a Lisboa, ao Parque das Nações, à Ponte Vasco da Gama, à Auto-Estrada do Norte e ao Aeroporto. A questão das servidões rodoviárias é uma das mais importantes na escolha dos locais de construção de hotéis, permitindo uma fácil promoção junto de públicos em que o turismo de negócios seja a principal motivação da visita ao concelho de Loures. Em relação às restantes unidades hoteleiras, três ficarão situadas na zona norte Santo Antão do Tojal, Loures e Lousa e a outra na zona oriental Prior Velho. Este hotel ficará localizado na Quinta da Francelha, terá quatro estrelas e será dotado de piscina, zonas verdes e de mais de 200 lugares de estacionamento, tudo isto numa área superior a 23 mil metros quadrados. Concluído este longo e moroso processo, que implica, à luz da legislação em vigor, diversas autorizações dos mais variados organismos públicos, poder-se-á dizer que Loures ficará com uma base considerável de pontos de oferta turísticos, nomeadamente na área do alojamento, permitindo a fixação de turistas no concelho e, indirectamente, desenvolver outros mercados paralelos como a restauração, o artesanato e o desporto, entre muitos outros. Hotel Vip Grand em Sacavém Fachada principal da Quinta da Francelha Prior Velho IV V

4 Eventos Actividades para todos os gostos Ao longo do ano, o Gabinete de Turismo da Câmara de Loures promove dezenas de actividades nas mais diversas áreas. Das feiras aos encontros temáticos, dos grandes eventos como o Carnaval Saloio e a comemoração do Dia Mundial do Turismo às visitas temáticas ao concelho, centenas de munícipes e visitantes têm à sua disposição uma oferta lúdica e de lazer capaz de satisfazer os mais diferenciados gostos. Feiras, mostras e congressos Como habitualmente a Câmara faz uma primeira abordagem aos diversos promotores turísticos na BTL Bolsa de Turismo de Lisboa, captando novos públicos e promovendo o concelho. Também na FIA Feira Internacional de Artesanato, o Gabinete de Turismo dá oportunidade para que os artesãos de Loures mostrem o que de melhor se faz no concelho. A promoção do turismo de Loures também se faz no apoio a congressos e encontros de profissionais do trade ou ainda em outros certames como foi o caso da Expo Viva em Forma. Visitas e passeios Com o objectivo de promover diversos locais de interesse turístico um pouco por todo o concelho, são organizadas visitas guiadas que, gratuitamente, permitem que um numeroso grupo de visitantes percorra rotas programadas subordinadas a temáticas como o património arquitectónico, a história, as zonas verdes ou as grandes produções vitivinícolas. Assim, quer os Passeios Pedestres, quer as Visitas ao Nosso Concelho têm sido procurados como forma de conhecer mais profundamente um território onde as valências culturais, paisagísticas e patrimoniais são evidentes. Dia Mundial do Turismo Tendo como palco as freguesias de Santo Antão do Tojal e Sacavém, a Câmara de Loures celebra anualmente o Dia Mundial do Turismo com diversas actividades. Na imponente Praça Monumental de Santo Antão do Tojal, a feira e desfile setecentistas são a face mais visível desta iniciativa que promove usos e costumes ancestrais. Também em Sacavém, no passeio ribeirinho do Trancão, a música, o artesanato e a gastronomia dão vida a um dia diferente que, habitualmente, encerra com um grandioso fogo-de-artifício que encanta todos os presentes. Carnaval Saloio de Loures Com uma longa tradição que se intensificou durante todo o século XX, o Carnaval Saloio de Loures assumiu, nos últimos anos, um papel de destaque na promoção turística do concelho. Sendo catalogado como um dos mais importantes carnavais da Área Metropolitana de Lisboa, os festejos do Entrudo trazem às ruas de Loures milhares de visitantes ávidos por momentos de boa disposição e diversão sem limites. Turismo Sénior Anualmente, dezenas de munícipes aderem ao Turismo Sénior que pretende ser uma forma de ocupação de tempos livres de todos os utentes de centros de dia e associações de reformados. Destinado ao público menos jovem, esta iniciativa tem levado os avós do concelho a visitar inúmeros locais de norte a sul, promovendo o concelho um pouco por todo o País. Caracol Saloio Granjeando um enorme prestígio nos últimos anos, o Festival do Caracol Saloio é já um ex-líbris do trabalho realizado pelo Gabinete de Turismo. Ano após ano, milhares de visitantes dão vida a uma mostra gastronómica que promove o consumo dos saborosos gastrópodes. O trabalho que visa a divulgação das tradições gastronómicas saloias tem nesta actividade o seu ponto mais alto, embora, paralelamente, também se atinjam outros objectivos, como é exemplo o desenvolvimento das actividades empresariais na área da restauração. Encontros temáticos Os encontros de carochas, minis, clássicos e todo-o- -terreno, entre outros, já fazem parte inequívoca do quotidiano das actividades do Gabinete de Turismo. Trata- -se de uma forma de juntar pessoas com paixões comuns e que, deste modo, encontram um ponto de encontro para realizar diversas actividades relacionadas com os seus bólides de estimação. Também os que gostam de motas, designadamente, de moto 4, têm oportunidade de realizar provas desportivas, explorando as potencialidades da zona norte do concelho. VI VII

5 Turismo Activo Da terra, ao ar e à água Das poucas actividades com contínua expansão em Portugal, o turismo é daquelas que, apesar de tudo, vai apresentando resultados positivos, em parte por ser um sector que se encontra dividido e subdividido em diversos géneros e tipologias. O turismo activo caracteriza-se pela interacção dos desportos com o meio natural, resultando dessa simbiose uma fruição mais próxima da natureza. Este novo tipo de turismo promove o desenvolvimento das economias dos locais onde está inserido, através da necessidade de disponibilizar alojamento, viagens, alimentação e animação. A procura, cada vez maior, de zonas afastadas dos grandes centros urbanos para passar um fim-desemana diferente, com desportos mais ou menos radicais, levou ao incremento desta inovadora vertente turística que, aproveitando as inatas potencialidades da natureza, promove actividades ao ar livre que exploram o ar, a água e a terra. Complementando-se com o enoturismo, o turismo rural e o ecoturismo, o turismo activo é uma actividade que congrega muitos adeptos que viajam para um determinado local, tendo apenas em conta a amenidade e o valor recreativo resultantes do contacto a naturareza. O desenvolvimento do turismo activo, associado ao aumento do turismo interno, especialmente durante os pequenos períodos (fins- -de-semana, férias de curta duração), aproveita a tendência da distribuição das férias por três ou quatro períodos ao longo do ano, constituindo factores decisivos para uma alteração das preferências e para um maior equilíbrio entre os diferentes ambientes. Actividades Parapente BTT Passeios equestres Trekking Slide Rappel Balonismo Pára-quedismo Todo-o-terreno Moto4 Orientação Tiro com arco Paint-ball Escalada Tiro com armas de caça Edição: Câmara Municipal de Loures DIRP/AR Suplemento da revista N.º 7 Gabinete de Turismo Rua da República, 70 Loures Telefone: VIII

No pavilhão 2, com 108 stands, estavam representadas as regiões de turismo, câmaras municipais, associações e juntas de turismo, para além de hotéis,

No pavilhão 2, com 108 stands, estavam representadas as regiões de turismo, câmaras municipais, associações e juntas de turismo, para além de hotéis, VIII Legislatura II Sessão Plenária Horta, 26 de Janeiro de 2005 Grupo Parlamentar do Partido Socialista Deputada Ana Isabel Moniz Assunto: Bolsa de Turismo de Lisboa Senhor Presidente da Assembleia, Senhoras

Leia mais

O ENOTURISMO. Conceito:

O ENOTURISMO. Conceito: Conceito: O conceito de enoturismo ainda está em formação e, a todo o momento, vão surgindo novos contributos; Tradicionalmente, o enoturismo consiste na visita a vinhas, estabelecimentos vinícolas, festivais

Leia mais

Tertúlia Algarvia. Centro de Conhecimento em Cultura e Alimentação Tradicional do Algarve

Tertúlia Algarvia. Centro de Conhecimento em Cultura e Alimentação Tradicional do Algarve Tertúlia Algarvia Centro de Conhecimento em Cultura e Alimentação Tradicional do Algarve Dossier de Apresentação do Projecto Janeiro de 2008 A génese do Projecto INEXISTÊNCIA NA REGIÃO Local que permita

Leia mais

P l a n o d e A c t i v i d a d e s

P l a n o d e A c t i v i d a d e s P l a n o d e A c t i v i d a d e s A n o d e 2 0 1 4 A TURIHAB Associação do Turismo de Habitação, em 2014, desenvolverá o seu plano de actividades em três vertentes fundamentais: - Inovação e Desenvolvimento

Leia mais

Enquadramento Turismo Rural

Enquadramento Turismo Rural Enquadramento Turismo Rural Portugal é um País onde os meios rurais apresentam elevada atratividade quer pelas paisagens agrícolas, quer pela biodiversidade quer pelo património histórico construído o

Leia mais

AQUI HÁ. património! Valorizamos e recuperamos memórias, tradições, valores e espaços que a cultura e os nossos antepassados nos legaram.

AQUI HÁ. património! Valorizamos e recuperamos memórias, tradições, valores e espaços que a cultura e os nossos antepassados nos legaram. Visite LOURES SANTO ANTÓNIO DOS CAVALEIROS Capela do Espírito Santo, Quinta do Conventinho SANTO ANTÃO DO TOJAL Aqueduto [MIP] LOURES Igreja de Santa Maria de Loures [MN] SANTO ANTÃO DO TOJAL Largo Monumental

Leia mais

"Relação Umbilical entre o Turismo e a Cultura: Oportunidades e Desafios"

Relação Umbilical entre o Turismo e a Cultura: Oportunidades e Desafios "Relação Umbilical entre o Turismo e a Cultura: Oportunidades e Desafios" Oferecer o que temos, somos e fazemos como produto turístico Vasco Estrela Presidente da Câmara Municipal de Mação Cultura e Turismo

Leia mais

Um projecto central na reabilitação da frente ribeirinha

Um projecto central na reabilitação da frente ribeirinha Um projecto central na reabilitação da frente ribeirinha Na frente ribeirinha de Lisboa, a poucos minutos do Parque das Nações, desenvolve-se um novo condomínio que enquadra toda a estrutura pré-existente

Leia mais

TURISMO NO ESPAÇO RURAL LEGISLAÇÃO MANUAL

TURISMO NO ESPAÇO RURAL LEGISLAÇÃO MANUAL TURISMO NO ESPAÇO RURAL LEGISLAÇÃO MANUAL Índice 1. Turismo no espaço rural: tipologias.2 2. Exploração e funcionamento.... 5 3. Legislação aplicável.17 Bibliografia. 18 1 1.Turismo no espaço rural: tipologias

Leia mais

Artigo de opinião GADEC, Câmara Municipal de Montemor-o-Novo

Artigo de opinião GADEC, Câmara Municipal de Montemor-o-Novo Artigo de opinião GADEC, Câmara Municipal de Montemor-o-Novo Carta Estratégica de Montemor-o-Novo 2007>2017 Com uma União Europeia, de orientação neo-liberal, integrada por 25 países, com a entrada em

Leia mais

Apoios Financeiros ao Investimento no Turismo. Anadia, 25 de Fevereiro de 2008 Miguel Mendes

Apoios Financeiros ao Investimento no Turismo. Anadia, 25 de Fevereiro de 2008 Miguel Mendes Apoios Financeiros ao Investimento no Turismo Anadia, 25 de Fevereiro de 2008 Miguel Mendes 2 Apoios Financeiros ao Investimento no Turismo Índice 1 Plano Estratégico Nacional do Turismo (PENT) 2 Crédito

Leia mais

Requalificação da Frente Ribeirinha do Concelho de Vila Franca de Xira Polis & Polis XXI

Requalificação da Frente Ribeirinha do Concelho de Vila Franca de Xira Polis & Polis XXI Requalificação da Frente Ribeirinha do Concelho de Vila Franca de Xira Polis & Polis XXI Luís Matas de Sousa Director do Projecto de Requalificação Urbana da Câmara Municipal de Vila Franca de Xira Área

Leia mais

P l a n o d e A c t i v i d a d e s

P l a n o d e A c t i v i d a d e s P l a n o d e A c t i v i d a d e s A n o d e 2 0 1 3 O ano de 2013 ficará assinalado pela comemoração dos 30 anos da TURIHAB Associação do Turismo de Habitação, ao serviço dos seus Associados e do Turismo.

Leia mais

Integrado do Vale do Minho. Av. Miguel Dantas, n.º 69. 4930-678 Valença. Tel.: +351 251 825 811/2. Fax: +351 251 825 620. adriminho@mail.telepac.

Integrado do Vale do Minho. Av. Miguel Dantas, n.º 69. 4930-678 Valença. Tel.: +351 251 825 811/2. Fax: +351 251 825 620. adriminho@mail.telepac. Eixo 3 do PRODER Dinamização das zonas Rurais Englobam no eixo 3 do PRODER Abordagem Leader as seguintes Medidas e Acções Medida 3.1 Diversificação da Economia e Criação de Emprego 3.1.1 Diversificação

Leia mais

TURISMO DE NATUREZA. AEP / Gabinete de Estudos

TURISMO DE NATUREZA. AEP / Gabinete de Estudos TURISMO DE NATUREZA AEP / Gabinete de Estudos Junho de 2008 1 1. Situação a nível europeu De acordo com o Estudo realizado por THR (Asesores en Turismo Hotelería y Recreación, S.A.) para o Turismo de Portugal,

Leia mais

Plano de Actividades Ano de 1999

Plano de Actividades Ano de 1999 Plano de Actividades Ano de 1999 O ano de 1999 ficará assinalado pela reorganização da Central de Reservas com o lançamento da CENTER - Central Nacional de Turismo no Espaço Rural. CENTER - Central Nacional

Leia mais

PROJECTO NAZARÉ XXI. - Marina de recreio e Complexo Turístico de S. Gião

PROJECTO NAZARÉ XXI. - Marina de recreio e Complexo Turístico de S. Gião PROJECTO NAZARÉ XXI - Marina de recreio e Complexo Turístico de S. Gião Nazaré XXI é um projecto turístico de impacto regional, inserido na política de desenvolvimento económico que a Câmara Municipal

Leia mais

O turismo e o seu contributo para o desenvolvimento da Madeira

O turismo e o seu contributo para o desenvolvimento da Madeira O turismo e o seu contributo para o desenvolvimento da Madeira Lisboa, 5 de Julho 2012 Bruno Freitas Diretor Regional de Turismo da Madeira O Destino Madeira A Região Autónoma da Madeira (RAM) ocupa, desde

Leia mais

Relatório de Estágio. Análise dos dados constantes na Base de Dados das Rotas do Vinho

Relatório de Estágio. Análise dos dados constantes na Base de Dados das Rotas do Vinho Relatório de Estágio Análise dos dados constantes na Base de Dados das Rotas do Vinho Rui Neves Lisboa, 21 de Junho de 2011 Índice Introdução... 3 Caracterização da Base de Dados... 4 Recolha e validação

Leia mais

ANEXO I. FICHAS DE CARACTERIZAÇÃO DAS MEDIDAS 3.1. e 3.2. - EIXO 3 DO PRORURAL versão 7

ANEXO I. FICHAS DE CARACTERIZAÇÃO DAS MEDIDAS 3.1. e 3.2. - EIXO 3 DO PRORURAL versão 7 3.1.1. Diversificação de Actividades Não-Agrícolas na Exploração Descrição Apoio a iniciativas empresariais promotoras do saber fazer tradicional Apoio a actividades lúdicas de carácter inovador nas explorações

Leia mais

ANEXO TURISMO SUSTENTÁVEL BASES PARA A DEFINIÇÃO DE UM PROGRAMA DE VER PLANTA CASAS E MONTES AGRÍCOLAS ESTRATÉGIA DE TURISMO SUSTENTÁVEL -

ANEXO TURISMO SUSTENTÁVEL BASES PARA A DEFINIÇÃO DE UM PROGRAMA DE VER PLANTA CASAS E MONTES AGRÍCOLAS ESTRATÉGIA DE TURISMO SUSTENTÁVEL - ANEXO BASES PARA A DEFINIÇÃO DE UM PROGRAMA DE TURISMO SUSTENTÁVEL VER PLANTA CASAS E MONTES AGRÍCOLAS ESTRATÉGIA DE TURISMO SUSTENTÁVEL - ANEXO AO RELATÓRIO 3 ANEXO AO RELATÓRIO 3_ PROGRAMA DE EXECUÇÃO

Leia mais

Projectar o Algarve no Futuro

Projectar o Algarve no Futuro Projectar o Algarve no Futuro Os Novos Desafios do Algarve Região Digital paulo.bernardo@globalgarve.pt 25 Maio 2007 Auditório Portimão Arena Um mundo em profunda mudança O Mundo enfrenta hoje um processo

Leia mais

plano anual de educação ambiental

plano anual de educação ambiental plano anual de educação ambiental 2009/2010 complexo de educação ambiental da quinta da gruta PROGRAMA FAMÍLIAS Grelha Resumo por Sector Sector Rios/Espaços Verdes Animais Dias comemorativos Férias Datas

Leia mais

NORMAS DE FUNCIONAMENTO PROGRAMA VIVER SOLIDÁRIO. Programa Viver Solidário/ Normas Página 1

NORMAS DE FUNCIONAMENTO PROGRAMA VIVER SOLIDÁRIO. Programa Viver Solidário/ Normas Página 1 NORMAS DE FUNCIONAMENTO PROGRAMA VIVER SOLIDÁRIO Programa Viver Solidário/ Normas Página 1 PROGRAMA VIVER SOLIDÁRIO NORMAS DE FUNCIONAMENTO 1.INTRODUÇÃO A prática de actividades de animação regular e sistemática,

Leia mais

O REGIA DOURO PARK. Parque de Ciência e Tecnologia Sectores agroalimentar, vitivinícola e valorização ambiental.

O REGIA DOURO PARK. Parque de Ciência e Tecnologia Sectores agroalimentar, vitivinícola e valorização ambiental. N O REGIA DOURO PARK Parque de Ciência e Tecnologia Sectores agroalimentar, vitivinícola e valorização ambiental. O Régia-Douro Park Parque de Ciência e Tecnologia está focado nas áreas agroalimentar,

Leia mais

ITINERÁRIOS DE TURISMO EQUESTRE METODOLOGIA DE IMPLEMENTAÇÃO

ITINERÁRIOS DE TURISMO EQUESTRE METODOLOGIA DE IMPLEMENTAÇÃO METODOLOGIA DE IMPLEMENTAÇÃO estudo de caso minho - lima Fevereiro 2012 O Turismo Equestre representa um importante segmento do produto Touring Cultural e Paisagístico, de Turismo de Natureza e de valorização

Leia mais

REDE DAS ALDEIAS DO XISTO Rui Simão - ADXTUR Workshop «Territórios de baixa densidade: que futuro?» Auditório do Convento dos Frades, Trancoso, 28 de Outubro Agir para o turismo de natureza 4. Foco

Leia mais

Normas de Admissão (Regulamento de Jóias e Quotas)

Normas de Admissão (Regulamento de Jóias e Quotas) Normas de Admissão (Regulamento de Jóias e Quotas) Capítulo I // Disposições Gerais As presentes normas têm como finalidade estabelecer as regras a que devem obedecer a admissão de novos associados da

Leia mais

Programa de Promoção Turística e Cultural

Programa de Promoção Turística e Cultural Programa de Promoção Turística e Cultural Sintra encontra-se em 11º lugar no ranking dos 50 melhores lugares a visitar, nas escolhas dos leitores do jornal New York Times? Sintra é uma das 21 finalistas

Leia mais

Rota dos Vinhos Verdes - Enoturismo MINHO IN

Rota dos Vinhos Verdes - Enoturismo MINHO IN WORKSHOP DE LANÇAMENTO DO PROJECTO MINHO IN 20 DE JULHO DE 2011 Sofia Lobo : slobo@vinhoverde.pt O CONCEITO ROTA DOS VINHOS VERDES O produto enoturístico Rota dos Vinhos Verdes consiste na integração de

Leia mais

O Concelho de Beja. Localização

O Concelho de Beja. Localização O Concelho de Beja Localização Beja, capital de distrito, situa-se na região do Baixo Alentejo, no coração da vasta planície alentejana. É sede de um dos maiores concelhos de Portugal, com cerca de 1150

Leia mais

De acordo com os objectivos previamente definidos para esta investigação, apresentamos de seguida as respectivas conclusões:

De acordo com os objectivos previamente definidos para esta investigação, apresentamos de seguida as respectivas conclusões: 7.1 Conclusões De acordo com os objectivos previamente definidos para esta investigação, apresentamos de seguida as respectivas conclusões: 1 - Descrever os instrumentos/modelos de gestão e marketing estratégicos

Leia mais

PLANO ESTRATÉGICO NACIONAL DO TURISMO. Para o Desenvolvimento do Turismo em Portugal. Síntese

PLANO ESTRATÉGICO NACIONAL DO TURISMO. Para o Desenvolvimento do Turismo em Portugal. Síntese PLANO ESTRATÉGICO NACIONAL DO TURISMO Para o Desenvolvimento do Turismo em Portugal Síntese 1 O PENT - Plano Estratégico Nacional do Turismo é uma iniciativa governamental, da responsabilidade do Ministério

Leia mais

MONTIJO, CIDADE SAUDÁVEL E SUSTENTÁVEL DA CICLOVIA A UMA REDE PEDONAL E CICLÁVEL

MONTIJO, CIDADE SAUDÁVEL E SUSTENTÁVEL DA CICLOVIA A UMA REDE PEDONAL E CICLÁVEL MONTIJO, CIDADE SAUDÁVEL E SUSTENTÁVEL DA CICLOVIA A UMA REDE PEDONAL E CICLÁVEL Identificação do ponto de partida: O Município de Montijo: - Integra a Rede Portuguesa das Cidades Saudáveis, com quatro

Leia mais

Orientação nº 1/2008 ORIENTAÇÕES PARA A ELABORAÇÃO DA ESTRATÉGIA LOCAL DE DESENVOLVIMENTO (EDL) EIXO 4 REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES

Orientação nº 1/2008 ORIENTAÇÕES PARA A ELABORAÇÃO DA ESTRATÉGIA LOCAL DE DESENVOLVIMENTO (EDL) EIXO 4 REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES Programa de da ELABORAÇÃO DA ESTRATÉGIA LOCAL DE DESENVOLVIMENTO (ELD) 1 / 16 Programa de da 1. Caracterização Socioeconómica do Território A caracterização do território deve centrar-se em dois aspectos

Leia mais

XXXVII Congresso Nacional APAVT - Turismo: Prioridade Nacional Viseu, 01 a 04 de Dezembro de 2011. Diogo Gaspar Ferreira

XXXVII Congresso Nacional APAVT - Turismo: Prioridade Nacional Viseu, 01 a 04 de Dezembro de 2011. Diogo Gaspar Ferreira XXXVII Congresso Nacional APAVT - Turismo: Prioridade Nacional Viseu, 01 a 04 de Dezembro de 2011 Diogo Gaspar Ferreira 1. PONTOS FRACOS E FORTES DO TURISMO RESIDENCIAL PORTUGUÊS 2. PLANO ESTRATÉGICO A

Leia mais

P l a n o d e A c t i v i d a d e s

P l a n o d e A c t i v i d a d e s P l a n o d e A c t i v i d a d e s A n o d e 2 0 0 9 A TURIHAB Associação do Turismo de Habitação, em 2009, desenvolverá as suas acções em três vertentes fundamentais: a Internacionalização através do

Leia mais

16ª Sessão: Resorts Integrados: Da concepção à exploração

16ª Sessão: Resorts Integrados: Da concepção à exploração 16ª Sessão: Resorts Integrados: Da concepção à exploração Luís Correia da Silva Lisboa, 9 de Março de 2013 Faculdade de Direito Universidade de Lisboa A) Definição de Resorts Integrados Espaços de lazer

Leia mais

UM PROGRAMA PARA A MUDANÇA

UM PROGRAMA PARA A MUDANÇA UM PROGRAMA PARA A MUDANÇA pelo valor da nossa terra Preâmbulo O Concelho de Seia enfrenta hoje desafios absolutamente determinantes e estratégicos. Num tempo de aceleradas mudanças e de forte competitividade,

Leia mais

Escolas de Pentatlo Moderno

Escolas de Pentatlo Moderno Escolas de Pentatlo Moderno ÍNDICE O que é o franchising PENTAKID? 3 Serviços PENTAKID 5 Marketing 6 Recursos Humanos 7 Financiamento 8 Processo de aquisição 9 Ficha técnica 10 Carta de resposta 11 2 O

Leia mais

Cerimónia Oficial da XIII - Edição do Festival Músicas do Mundo 22 de Julho 2011. Caros Sineenses Visitantes e participantes do F.M.

Cerimónia Oficial da XIII - Edição do Festival Músicas do Mundo 22 de Julho 2011. Caros Sineenses Visitantes e participantes do F.M. Câmara Municipal Presidência Cerimónia Oficial da XIII - Edição do Festival Músicas do Mundo 22 de Julho 2011. Caros Sineenses Visitantes e participantes do F.M.M de Sines Bem vindos à nossa grande festa

Leia mais

HELLO CABO VERDE EXPO 2011

HELLO CABO VERDE EXPO 2011 New Bedford, 31 de Janeiro de 2011 HELLO CABO VERDE EXPO 2011 Exposição sobre as Oportunidades de Negócios e Turismo em Cabo Verde New Bedford, MA 27 a 29 de Maio de 2011 OBJECTIVO O objectivo da exposição

Leia mais

Estratégia de Eficiência Colectiva PROVERE. Criação de uma Região de Excelência para o Ecoturismo no Interior do Algarve e Costa Vicentina

Estratégia de Eficiência Colectiva PROVERE. Criação de uma Região de Excelência para o Ecoturismo no Interior do Algarve e Costa Vicentina Estratégia de Eficiência Colectiva PROVERE Criação de uma Região de Excelência para o Ecoturismo no Interior do Algarve e Costa Vicentina Acerca do... Turismo de Natureza Ecoturismo, Turismo Ambiental,

Leia mais

CARTA EUROPEIA DO ENOTURISMO PRINCIPIOS GERAIS

CARTA EUROPEIA DO ENOTURISMO PRINCIPIOS GERAIS PRINCIPIOS GERAIS I. OS FUNDAMENTOS DO ENOTOURISMO 1. Por enotourismo queremos dizer que são todas as actividades e recursos turísticos, de lazer e de tempos livres, relacionados com as culturas, materiais

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA Curso de Educação e Formação de Adultos NS

ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA Curso de Educação e Formação de Adultos NS 1 de 6 - mobilidade humana e OBJECTIVO: Identifica sistemas de administração territorial e respectivos funcionamentos integrados. O Turismo Guião de Exploração Indicadores sobre o turismo em Portugal 27

Leia mais

P l a n o d e A c t i v i d a d e s

P l a n o d e A c t i v i d a d e s P l a n o d e A c t i v i d a d e s A n o d e 2 0 1 0 A TURIHAB Associação do Turismo de Habitação, em 2010, desenvolverá as suas acções em quatro vertentes fundamentais: Organização do Turismo de Habitação

Leia mais

Projeto de Cooperação PRODER Um outro Algarve

Projeto de Cooperação PRODER Um outro Algarve Projeto de Cooperação PRODER Um outro Algarve As três Associações de Desenvolvimento Local do Algarve, no âmbito do PRODER, estão a cooperar para criar uma marca regional para o Turismo de Natureza, uma

Leia mais

GRANDES OPÇÕES DO PLANO 2011

GRANDES OPÇÕES DO PLANO 2011 GRANDES OPÇÕES DO PLANO 2011 1. Análise do Plano Plurianual de Investimentos (PPI) Neste orçamento, o Município ajustou, as dotações para despesas de investimento, ao momento de austeridade que o país

Leia mais

Assim o termo M.I.C.E. significa:

Assim o termo M.I.C.E. significa: 1 Assim o termo M.I.C.E. significa: Meetings Qualquer tipo de reunião, focalizado apenas em uma empresa ou organização e seus respectivos colaboradores ou participantes Incentives Qualquer tipo de iniciativa,

Leia mais

E N T I D A D E P L A N O D E A C T I V I D A D E S M U N I C I P A L MUNICIPIO DE MORA DO ANO 2013

E N T I D A D E P L A N O D E A C T I V I D A D E S M U N I C I P A L MUNICIPIO DE MORA DO ANO 2013 PÁGINA : 1 1. Funções gerais 25.122,75 53.500,00 53.500,00 55.105,00 51.456,00 53.001,00 238.184,75 1.1. Serviços gerais de 12.275,53 30.500,00 30.500,00 31.415,00 27.054,00 27.866,00 129.110,53 administração

Leia mais

Dinamização das Zonas Rurais

Dinamização das Zonas Rurais Dinamização das Zonas Rurais Dinamização das Zonas Rurais A Abordagem LEADER A Europa investe nas Zonas Rurais As zonas rurais caracterizam-se por condições naturais e estruturais que, na maioria dos

Leia mais

INTERVENÇÃO DO SENHOR SECRETÁRIO DE ESTADO DO TURISMO NO SEMINÁRIO DA APAVT: QUAL O VALOR DA SUA AGÊNCIA DE VIAGENS?

INTERVENÇÃO DO SENHOR SECRETÁRIO DE ESTADO DO TURISMO NO SEMINÁRIO DA APAVT: QUAL O VALOR DA SUA AGÊNCIA DE VIAGENS? INTERVENÇÃO DO SENHOR SECRETÁRIO DE ESTADO DO TURISMO NO SEMINÁRIO DA APAVT: QUAL O VALOR DA SUA AGÊNCIA DE VIAGENS? HOTEL TIVOLI LISBOA, 18 de Maio de 2005 1 Exmos Senhores ( ) Antes de mais nada gostaria

Leia mais

Estrutura da Apresentação

Estrutura da Apresentação The importance of Information and Communication Technologies for the development of Portuguese Wine Routes 21st 23rd JUNE OPORTO Estrutura da Apresentação 2. Tecnologias de Informação e Comunicação no

Leia mais

Programas Operacionais e Sistemas de Incentivos às Empresas

Programas Operacionais e Sistemas de Incentivos às Empresas Programas Operacionais e Sistemas de Incentivos às Empresas Da União Europeia vão chegar até 2020 mais de 20 mil milhões de euros a Portugal. Uma pipa de massa, nas palavras do ex-presidente da Comissão

Leia mais

MODELOS INTEGRADOS DE COMERCIALIZAÇÃO DA OFERTA: a Central de Reservas Portugal Rural

MODELOS INTEGRADOS DE COMERCIALIZAÇÃO DA OFERTA: a Central de Reservas Portugal Rural I Seminário sobre Turismo Rural e Natureza Diferenciar o Produto, Qualificar a Oferta, Internacionalizar o Sector MODELOS INTEGRADOS DE COMERCIALIZAÇÃO DA OFERTA: a Central de Reservas Portugal Rural TÂNIA

Leia mais

1º FÓRUM UNIÃO DE EXPORTADORES CPLP 26 E 27 DE JUNHO DE 2015 CENTRO DE CONGRESSOS DE LISBOA. JUNTOS IREMOS LONGE www.uecplp.org

1º FÓRUM UNIÃO DE EXPORTADORES CPLP 26 E 27 DE JUNHO DE 2015 CENTRO DE CONGRESSOS DE LISBOA. JUNTOS IREMOS LONGE www.uecplp.org 1º FÓRUM UNIÃO DE EXPORTADORES CPLP 26 E 27 DE JUNHO DE 2015 CENTRO DE CONGRESSOS DE LISBOA JUNTOS IREMOS LONGE www.uecplp.org CONCEITO Realização do 1º Fórum União de Exportadores CPLP (UE-CPLP) que integra:

Leia mais

Preâmbulo. 3. Todos os restantes apoios e subsídios serão concedidos sob a forma de protocolo. 1/7

Preâmbulo. 3. Todos os restantes apoios e subsídios serão concedidos sob a forma de protocolo. 1/7 Preâmbulo Recentemente, um estudo efectuado pela União Europeia demonstra de uma forma clara que Portugal, é o país dos "Quinze" que tem uma menor percentagem de população a praticar desporto. Urge criar

Leia mais

Programa Director de Inovação, Competitividade e Empreendedorismo para o Município de Penela. Anexos. Sociedade Portuguesa de Inovação 1

Programa Director de Inovação, Competitividade e Empreendedorismo para o Município de Penela. Anexos. Sociedade Portuguesa de Inovação 1 Anexos Sociedade Portuguesa de Inovação 1 ANEXO A ENQUADRAMENTO GEOGRÁFICO Penela Penela Figura 1: Rede Rodoviária e Ferroviária Nacional. Fonte. http://www.dgotdu.pt/presentationlayer/dgotdu_site_ordcart00.aspx

Leia mais

IN STITU TO N A C IO N A L D E ESTA TISTIC A CABO VERDE DOCUMENTO METODOLÓGICO ESTATÍSTICAS DO TURISMO

IN STITU TO N A C IO N A L D E ESTA TISTIC A CABO VERDE DOCUMENTO METODOLÓGICO ESTATÍSTICAS DO TURISMO IN STITU TO N A C IO N A L D E ESTA TISTIC A CABO VERDE DOCUMENTO METODOLÓGICO ESTATÍSTICAS DO TURISMO 1999 I. ÁREA ESTATÍSTICA / LINHAS GERAIS DA ACTIVIDADE ESTATÍSTICA NACIONAL 1998-2001 O Conselho Nacional

Leia mais

PRODER Sub-Programa 3 Dinamização das Zonas Rurais ESTRATÉGIA LOCAL DE DESENVOLVIMENTO PARA O INTERIOR DO ALGARVE CENTRAL

PRODER Sub-Programa 3 Dinamização das Zonas Rurais ESTRATÉGIA LOCAL DE DESENVOLVIMENTO PARA O INTERIOR DO ALGARVE CENTRAL PRODER Sub-Programa 3 Dinamização das Zonas Rurais ESTRATÉGIA LOCAL DE DESENVOLVIMENTO PARA O INTERIOR DO ALGARVE CENTRAL Medida 3.1 - Diversificação da economia e criação de emprego Objectivos : - Promover

Leia mais

SI INOVAÇÃO INOVAÇÃO PRODUTIVA E EMPREENDEDORISMO QUALIFICADO

SI INOVAÇÃO INOVAÇÃO PRODUTIVA E EMPREENDEDORISMO QUALIFICADO SI INOVAÇÃO INOVAÇÃO PRODUTIVA E EMPREENDEDORISMO QUALIFICADO CRITÉRIOS DE INSERÇÃO DE PROJECTOS NO PÓLO DE COMPETITIVIDADE E TECNOLOGIA TURISMO 2015 TIPOLOGIAS DE INVESTIMENTO ELEGÍVEIS 1. No âmbito dos

Leia mais

REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. 2710 Diário da República, 1.ª série N.º 87 6 de Maio de 2009

REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. 2710 Diário da República, 1.ª série N.º 87 6 de Maio de 2009 2710 Diário da República, 1.ª série N.º 87 6 de Maio de 2009 REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA Assembleia Legislativa Decreto Legislativo Regional n.º 12/2009/M Adapta à Região Autónoma da Madeira o Decreto -Lei

Leia mais

Palmela - Experiências com Sabor

Palmela - Experiências com Sabor Promover a notoriedade da marca turística Palmela, como território associado à gastronomia, aos produtos locais de qualidade e às boas experiências que proporciona a quem o visita. Objectivo global Incentivar

Leia mais

Baixa densidade. Alta competitividade.

Baixa densidade. Alta competitividade. Baixa densidade. Alta competitividade. O projeto Minho Empreende O que é? Quem é a Rede? O Minho Empreende representa um Projeto Âncora da EEC/Estratégia de Eficiência Coletiva MINHO IN, reconhecido como

Leia mais

1- Breve historial do Hotel

1- Breve historial do Hotel 1- Breve historial do Hotel A Exposição Hotel da Praia do Sol História de um Tempo e de uma Praia, assinala o septuagésimo quinto aniversário deste hotel e não poderíamos deixar passar esta data tão importante

Leia mais

ENOTURISMO produto estratégico para Portugal

ENOTURISMO produto estratégico para Portugal ENOTURISMO produto estratégico para Portugal Ação de Sensibilização Da produção vitivinícola ao enoturismo Novembro, 2011 Turismo de Portugal Departamento de Dinamização O Potencial Competitivo de Portugal

Leia mais

ais do que um percurso uma história

ais do que um percurso uma história ais do que um percurso uma história Onde? São Brás de Alportel Quando? Candidatura ao PROalgarve- 2006 Inauguração da Rota- 2008 Quem? Membros Associados Autarquia de São Brás de Alportel, a Associação

Leia mais

Carta de Compromisso da Rede ROTA VICENTINA

Carta de Compromisso da Rede ROTA VICENTINA Carta de Compromisso da Rede ROTA VICENTINA A Rota Vicentina (RV) é uma rota pedestre ao longo do Sw de Portugal que pretende afirmar esta região enquanto destino internacional de turismo de natureza,

Leia mais

Apresentação do Plano de Actividades Rota dos Vinhos Verdes 2013/2014 CVRVV, 10 de Janeiro de 2013. Sofia Lobo : slobo@vinhoverde.

Apresentação do Plano de Actividades Rota dos Vinhos Verdes 2013/2014 CVRVV, 10 de Janeiro de 2013. Sofia Lobo : slobo@vinhoverde. Apresentação do Plano de Actividades Rota dos Vinhos Verdes 2013/2014 CVRVV, 10 de Janeiro de 2013 Sofia Lobo : slobo@vinhoverde.pt O que é o ENOTURISMO? Enoturismo é composto por deslocações realizadas

Leia mais

Eng.ª Ana Paula Vitorino. por ocasião da

Eng.ª Ana Paula Vitorino. por ocasião da INTERVENÇÃO DE SUA EXCELÊNCIA A SECRETÁRIA DE ESTADO DOS TRANSPORTES Eng.ª Ana Paula Vitorino por ocasião da Sessão de Encerramento do Colóquio PORTO DE AVEIRO: ESTRATÉGIA E FUTURO, Ílhavo Museu Marítimo

Leia mais

CICLO DE CONFERÊNCIAS "25 ANOS DE PORTUGAL NA UE"

CICLO DE CONFERÊNCIAS 25 ANOS DE PORTUGAL NA UE Boletim Informativo n.º 19 Abril 2011 CICLO DE CONFERÊNCIAS "25 ANOS DE PORTUGAL NA UE" A Câmara Municipal de Lamego no âmbito de atuação do Centro de Informação Europe Direct de Lamego está a promover

Leia mais

Ações Integradas de Âmbito Municipal para a Promoção do Desenvolvimento Económico no Alto Minho

Ações Integradas de Âmbito Municipal para a Promoção do Desenvolvimento Económico no Alto Minho Ações Integradas de Âmbito Municipal para a Promoção do Desenvolvimento Económico no Alto Minho Sessão Desenvolvimento e Competitividade Económica: O Papel do Poder Local Viana do Castelo, 9 de abril de

Leia mais

Estratégia Local de Desenvolvimento (ELD)

Estratégia Local de Desenvolvimento (ELD) (ELD) O diagnóstico realizado na fase precedente, aponta para um conjunto de fragilidades comuns aos espaços rurais do interior do país, nomeadamente o esvaziamento e envelhecimento da população; despovoamento

Leia mais

Universidade. Estácio de Sá. Turismo, Hotelaria e Gastronomia

Universidade. Estácio de Sá. Turismo, Hotelaria e Gastronomia Universidade Estácio de Sá Turismo, Hotelaria e Gastronomia A Estácio Hoje reconhecida como a maior instituição particular de ensino superior do país, a Universidade Estácio de Sá iniciou suas atividades

Leia mais

Assunto: DescubraPortugal / Canal de promoções comerciais

Assunto: DescubraPortugal / Canal de promoções comerciais CIRCULAR Nº 021/2009 (G) CP/MS Lisboa, 04 de Março de 2009 Assunto: DescubraPortugal / Canal de promoções comerciais Caro Associado, A campanha Descubra um Portugal Maior, lançada pelo Turismo de Portugal

Leia mais

Ação Piloto para a Regeneração Urbana. Avenida da Liberdade, Braga. Concurso de Ideias Profissionais de Arquitectura

Ação Piloto para a Regeneração Urbana. Avenida da Liberdade, Braga. Concurso de Ideias Profissionais de Arquitectura Ação Piloto para a Regeneração Urbana Avenida da Liberdade, Braga Concurso de Ideias Profissionais de Arquitectura Cientes da importância de promover uma intervenção capaz de revitalizar o centro histórico

Leia mais

Associação de Valorização do Património Cultural e Ambiental de Olhão PROJECTO APOS REQUALIFICAÇÃO DA BARRETA

Associação de Valorização do Património Cultural e Ambiental de Olhão PROJECTO APOS REQUALIFICAÇÃO DA BARRETA PROJECTO APOS REQUALIFICAÇÃO DA BARRETA INTRODUÇÃO A Barreta é o bairro mais antigo da cidade de Olhão, base da fundação do que se veio a tornar a actual cidade, junto à frente ribeirinha com a Ria Formosa

Leia mais

RESUMO DE GEOGRAFIA 9º ANO

RESUMO DE GEOGRAFIA 9º ANO RESUMO DE GEOGRAFIA 9º ANO A Revolução industrial iniciou-se no séc. XVIII. Indústria - consiste na transformação de matérias-primas em produtos acabados ou é uma actividade económica que consiste na transformação

Leia mais

INDIVÍDUOS. Freguesia

INDIVÍDUOS. Freguesia INDIVÍDUOS Total de Indivíduos Residentes, INE: Censos de 2011, CAOP 2013 Indivíduos Residentes Homens Mulheres Bucelas 4663 2243 2420 Fanhões 2801 1403 1398 Loures 26769 12787 13982 Lousa 3169 1511 1658

Leia mais

WORKSHOP O PAPEL DA MULHER NO DESENVOLVIMENTO RURAL

WORKSHOP O PAPEL DA MULHER NO DESENVOLVIMENTO RURAL WORKSHOP O PAPEL DA MULHER NO DESENVOLVIMENTO RURAL 3 FEVEREIRO 2010 CENTRO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DO VALE GONÇALINHO ORGANIZAÇÃO: PARCEIROS: FINANCIAMENTO: O Rural Value, enquanto projecto dinamizador

Leia mais

Plano de Actividades. Orçamento ASSOCIAÇÃO DO COMÉRCIO, INDÚSTRIA E SERVIÇOS DOS CONCELHOS DE VILA FRANCA DE XIRA E ARRUDA DOS VINHOS

Plano de Actividades. Orçamento ASSOCIAÇÃO DO COMÉRCIO, INDÚSTRIA E SERVIÇOS DOS CONCELHOS DE VILA FRANCA DE XIRA E ARRUDA DOS VINHOS Plano de Actividades e Orçamento Exercício de 2012 Plano de Actividades e Orçamento para o exercício de 2012 Preâmbulo: O Plano de Actividades do ano de 2012 foi concebido com a prudência que resulta da

Leia mais

O PROVEDOR DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA NO CONCELHO DE VISEU. Prof. Joaquim Escada

O PROVEDOR DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA NO CONCELHO DE VISEU. Prof. Joaquim Escada O PROVEDOR DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA NO CONCELHO DE VISEU Prof. Joaquim Escada Como surgiu a ideia da criação desta figura no Concelho de Viseu: - Contactos do Executivo da Câmara Municipal de Viseu com

Leia mais

E O CITY MARKETING O NOSSO CONTRIBUTO PARA FAZER CIDADE

E O CITY MARKETING O NOSSO CONTRIBUTO PARA FAZER CIDADE E O CITY MARKETING O NOSSO CONTRIBUTO PARA FAZER CIDADE O Contributo da Reabilitação da Baixa Portuense e do Centro Histórico para a Cidade do Porto Como Cidade Competitiva Como Cidade Pátria Como Cidade

Leia mais

Secretaria de Turismo da Bahia

Secretaria de Turismo da Bahia Secretaria de Turismo da Bahia Secretaria de Turismo do Estado da Bahia SETUR Sustentabilidade do Turismo na Zona Costeira UPB - 24 de março de 2009 Sustentabilidade do Turismo na Zona Costeira Para compreender

Leia mais

Intervenção de Vítor J. Amaral Vergamota Presidente da Associação Nacional do Turismo Equestre

Intervenção de Vítor J. Amaral Vergamota Presidente da Associação Nacional do Turismo Equestre 1º Congresso Internacional do TURISMO EQUESTRE Intervenção de Vítor J. Amaral Vergamota Presidente da Associação Nacional do Turismo Equestre 1 TURISMO EQUESTRE EM PORTUGAL 1. INTRODUÇÃO Falar de Turismo

Leia mais

P l a n o d e A c t i v i d a d e s

P l a n o d e A c t i v i d a d e s P l a n o d e A c t i v i d a d e s A n o d e 2 0 1 1 A TURIHAB Associação do Turismo de Habitação, em 2011, desenvolverá o seu plano de actividades em três vertentes fundamentais: Associativismo e Cooperação

Leia mais

RELATÓRIO DE CONJUNTURA AEP / GABINETE DE ESTUDOS

RELATÓRIO DE CONJUNTURA AEP / GABINETE DE ESTUDOS HOTELARIA RELATÓRIO DE CONJUNTURA AEP / GABINETE DE ESTUDOS Julho de 2005 A actividade da hotelaria insere-se na CAE 55 Alojamento e Restauração, que, por sua vez, integra o sector do turismo, um dos sectores

Leia mais

I CONFERÊNCIA NACIONAL DE DIREITO DO TURISMO

I CONFERÊNCIA NACIONAL DE DIREITO DO TURISMO I CONFERÊNCIA NACIONAL DE DIREITO DO TURISMO Local: Auditório do Centro de Artes e Espectáculos da Figueira da Foz Organização: APDC Direito do Consumo Data: 09 de Fevereiro de 2006 pelas 16 horas Palestra:

Leia mais

Torre Vasco da Gama recebe hotel

Torre Vasco da Gama recebe hotel Torre Vasco da Gama recebe hotel O EDIFÍCIO mais alto do país, construído como ícone da Expo' 98, vai acolher um hotel de luxo a partir de Setembro. A antiga Torre Vasco da Gama vai ser transformada no

Leia mais

Nº 32 ANO 6 DISTRIBUIÇÃO GRATUITA MARÇO/ABRIL 15 EDIÇÃO BIMESTRAL

Nº 32 ANO 6 DISTRIBUIÇÃO GRATUITA MARÇO/ABRIL 15 EDIÇÃO BIMESTRAL Nº 32 ANO 6 DISTRIBUIÇÃO GRATUITA MARÇO/ABRIL 15 EDIÇÃO BIMESTRAL 32 3 EDITORIAL Rui d Orey Presidente da Direcção Nacional da AGEPOR Orey Shipping Quem folhear, ainda que distraidamente, as páginas deste

Leia mais

1. ARQUITECTURA E CONSTRUÇÃO SUSTENTÁVEL PARA TODOS

1. ARQUITECTURA E CONSTRUÇÃO SUSTENTÁVEL PARA TODOS 1. No âmbito das Comemorações do Dia Mundial da Arquitectura (primeira segunda-feira do mês de Outubro 01 Out 2012), o Portal da Construção Sustentável (PCS) irá promover a 1ª edição da iniciativa, em

Leia mais

Associação para o Desenvolvimento do Baixo Guadiana

Associação para o Desenvolvimento do Baixo Guadiana Associação para o Desenvolvimento do Baixo Guadiana A Associação Odiana Esta Associação, sem fins lucrativos, fundada pelos municípios de Alcoutim, Castro Marim e Vila Real de Santo António em Dezembro

Leia mais

Roteiro do Tejo Ideia e conceito

Roteiro do Tejo Ideia e conceito Roteiro do Tejo Ideia e conceito O Rio Tejo (e sua bacia), objecto de estudo e recurso endógeno disponível... http://www.arhtejo.pt http://www.inag.pt p.16/37 Bacia hidrográfica do rio Tejo...recursos

Leia mais

REGIME JURÍDICO DO TURISMO NO ESPAÇO RURAL

REGIME JURÍDICO DO TURISMO NO ESPAÇO RURAL REGIME JURÍDICO DO TURISMO NO ESPAÇO RURAL O Turismo no Espaço Rural consiste no conjunto de actividades e serviços de alojamento e animação a turistas em empreendimentos de natureza familiar realizados

Leia mais

APRESENTAÇÃO DA NOVA POLÍTICA DE INCENTIVOS 2014-2020 SISTEMA DE INCENTIVOS PARA A COMPETITIVIDADE EMPRESARIAL COMPETIR +

APRESENTAÇÃO DA NOVA POLÍTICA DE INCENTIVOS 2014-2020 SISTEMA DE INCENTIVOS PARA A COMPETITIVIDADE EMPRESARIAL COMPETIR + APRESENTAÇÃO DA NOVA POLÍTICA DE INCENTIVOS 2014-2020 SISTEMA DE INCENTIVOS PARA A COMPETITIVIDADE EMPRESARIAL COMPETIR + Ponta Delgada, 28 de Abril de 2014 Intervenção do Presidente do Governo Regional

Leia mais

CURSO GESTÃO DA MOBILIDADE E DESLOCAÇÕES

CURSO GESTÃO DA MOBILIDADE E DESLOCAÇÕES CURSO GESTÃO DA MOBILIDADE E DESLOCAÇÕES NAS EMPRESAS PLANEAR PARA A REDUÇÃO DE CUSTOS E OPTIMIZAÇÃO DE SOLUÇÕES 19 e 20 Fevereiro 2013 Auditório dos CTT- Correios de Portugal Lisboa Horário Laboral: 09h30

Leia mais

Aviso para Apresentação de Candidaturas n.º 13/SI/2012 Inovação - Empreendedorismo Qualificado

Aviso para Apresentação de Candidaturas n.º 13/SI/2012 Inovação - Empreendedorismo Qualificado Aviso para Apresentação de Candidaturas n.º 13/SI/2012 Inovação - Empreendedorismo Qualificado Prazos De 24.10.2012 a 05.09.2013 Área Tipo de Projecto Incentivos às Empresas Inovação - Empreendedorismo

Leia mais

reconversão de empreendimentos turísticos

reconversão de empreendimentos turísticos reconversão de empreendimentos turísticos 01. Reconversão de Empreendimentos Turísticos Com o objectivo de requalificar a oferta turística nacional, foi aprovado um novo regime jurídico dos empreendimentos

Leia mais

02_03 SUCESSOS OPORTUNIDADES EMOÇÕES

02_03 SUCESSOS OPORTUNIDADES EMOÇÕES 02_03 SUCESSOS OPORTUNIDADES EMOÇÕES 04_05 Tudo no mesmo palco Mais de 6.000 m2 quadrados completamente adaptáveis a todo o tipo de evento, enquadrados no seio de uma região onde sol, animação, hospitalidade

Leia mais

REGULAMENTO DO CARTÃO MORTÁGUA JOVEM NOTA JUSTIFICATIVA

REGULAMENTO DO CARTÃO MORTÁGUA JOVEM NOTA JUSTIFICATIVA REGULAMENTO DO CARTÃO MORTÁGUA JOVEM NOTA JUSTIFICATIVA Um dos desígnios da Câmara Municipal de Mortágua é o de, através das suas competências, responder a necessidades reais sentidas pela camada mais

Leia mais