BARÓMETRO IMOBILIÁRIO IPD /JLL

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "BARÓMETRO IMOBILIÁRIO IPD /JLL"

Transcrição

1 BARÓMETRO IMOBILIÁRIO IPD /JLL 1ª EDIÇÃO - JUNHO DE 2015 msci.com

2 MERCADO EM RECUPERAÇÃO Em 2015, a MSCI e a JLL decidiram lançar uma nova ferramenta com o objetivo de aumentar a transparência e visibilidade do mercado de investimento imobiliário em Portugal. O Barómetro IPD /JLL é uma iniciativa semestral independente que assume o objetivo de registar o sentimento e as perspetivas de evolução futuras dos indicadores de referência do mercado imobiliário, junto dos principais investidores a operar no mercado nacional. No Barómetro são analisados diversos indicadores de mercado, tais como a evolução das yields, rendas de mercado, volume de absorção, tendências de investimento, entre outros. Queremos agradecer o contributo do conjunto de investidores participantes no painel e que tornaram possível a presente edição do Barómetro. Entidades participantes: Banif Gestão de Ativos BPI Gestão de Ativos ECS Explorer Fidelidade Fundger GNB Gestão de Ativos Internos Global Investors Montepio Valor Mundicenter Norfin Selecta Silvip Sonae Sierra Square Asset Management

3 ECONOMIA ECONOMIA NACIONAL A RECUPERAR De acordo com os dados divulgados recentemente pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), a economia portuguesa cresceu 0,9% em 2014, naquele que foi o seu primeiro crescimento anual positivo desde o ano de Ainda que moderado, o crescimento evidenciado pela economia nacional não deixa de ser animador. Com base em dados publicados pelo mesmo organismo, o Produto Interno Bruto (PIB) português cresceu 1,5% no primeiro trimestre de 2015, face ao mesmo período do ano passado. A economia nacional tem beneficiado da aceleração das exportações e do abrandamento das importações, assim como do impacto positivo da procura interna, fruto do acelerar do consumo privado. No que respeita a previsões, diversos organismos apontam para um crescimento da economia portuguesa superior a 1,5% em QUAL A SUA PREVISÃO DE CRESCIMENTO ECONÓMICO PARA PORTUGAL EM 2015? O Banco de Portugal perspetiva um crescimento do PIB de 1,7%. Por outro lado, a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), em linha com as recentes projeções do Governo português, espera que a economia nacional cresça 1,6% em Em ambos os casos, os dados divulgados revelam um maior otimismo face às projeções de crescimento de 1,5% e 1,3%, respetivamente, avançadas no final de Confrontados sobre as perspetivas de evolução da economia nacional para 2015, os membros do painel mostraram-se otimistas e antecipam um crescimento do PIB português em torno dos 1,3%, confirmando a aceleração, ainda que moderada, da economia portuguesa face ao crescimento registado em O crescimento robusto das exportações e da procura interna são identificados como os principais motores da evolução favorável perspetivada para a economia portuguesa em % 1% 0.9% 1.3 0% -1% -1.8% -1.4% Máx Média Mín -2% -3% -3.3% Realizado -4% Prev Fonte: INE, MSCI, JLL 3

4 ESCRITÓRIOS MERCADO REVELA DINAMISMO O ano de 2014 foi caracterizado pela retoma do mercado de escritórios de Lisboa. De acordo com o Lisbon Prime Index (LPI), o volume de absorção ascendeu a m² em 2014, o seu melhor registo dos últimos seis anos, evidenciando um crescimento de 63% face a 2013, ano em que o índice atingiu o seu mínimo histórico ( m²). Os primeiros três meses de 2015 confirmam o cenário de recuperação, com um take-up muito próximo dos m², o que remete para um crescimento de 71% face ao mesmo período do ano passado, e para o melhor primeiro trimestre dos últimos cinco anos. A dinâmica observada no mercado no que respeita à ocupação de espaços, aliada à ausência de construção nova, tem impactado positivamente a taxa de disponibilidade que, ao longo dos últimos trimestres, tem mantido a sua tendência de correção. A taxa de desocupação situava-se nos 12,1% no final de 2014, tendo caído para os 11,7% durante o primeiro trimestre de Os investidores inquiridos, confiantes na manutenção do cenário de retoma, antecipam uma taxa de disponibilidade em torno dos 11% no final de DIFERENÇA ENTRE A RENDA FACIAL E RENDA EFETIVA - ESCRITÓRIOS PRIME CBD A mudança de instalações surge como o principal motivo para a ocupação de novos espaços, em especial numa altura em que as empresas tentam beneficiar de melhores, e mais vantajosas, condições de mercado para ocupar espaços de qualidade. No que se refere a rendas prime, o mercado de escritórios de Lisboa tem sido caracterizado pela estabilidade dos seus valores de referência ao longo dos últimos tempos. Contudo, de acordo com os membros do painel, o aumento observado na procura, conjugado com a escassez de produto de qualidade, poderá motivar a subida das rendas. Os investidores inquiridos antecipam uma renda prime para os escritórios localizados no Prime CBD da cidade de Lisboa em torno dos 19 /m²/mês, face aos 18,25 / m²/mês no final de 2014, de acordo com dados publicados pela JLL. Se por um lado é expectável que se registe um aumento das rendas na zona prime e no Parque das Nações mais cedo do que o previsto, por outro, nas restantes zonas este efeito não será imediato, apesar de se esperar que ocorra num futuro próximo. No que se refere a incentivos, os investidores participantes partilham da opinião de que se tem vindo a assistir a uma redução gradual do nível de incentivos (descontos, carências, entre outros) concedidos pelos proprietários aos inquilinos. Perspetiva-se que os mesmos, em termos médios, representem um desconto de 11% face à renda facial no final de em / m² /mês % Renda facial Renda efetiva

5 RETALHO BOAS PERSPETIVAS PARA 2015 Os bons dados macroeconómicos começam a refletir-se pouco a pouco na economia real. Prova disso mesmo são os resultados divulgados pelo INE para o Índice de Volume de Negócios no Comércio a Retalho que registou, em abril de 2015, uma variação homóloga de 3,5%, confirmando o crescimento de 1,7% observado no ano de 2014 (dezembro). Os dados publicados recentemente confirmam o crescimento de 2,1% do consumo privado em Com as perspetivas de recuperação do consumo privado, que se espera em torno dos 2,4% em 2015, de acordo com as projeções avançadas pelo Banco de Portugal, diversas marcas reativaram as suas estratégias de expansão, anunciando a abertura de novas lojas. Dadas as previsões positivas de evolução do consumo e da afluência aos centros comerciais, 83% dos membros do painel preveem um aumento do volume de negócios dos retalhistas. Os ativos prime denotam níveis de ocupação muito elevados, contrastando com os ativos secundários, que em alguns casos continuam com algumas dificuldades. Na sua maioria (58%), os inquiridos antecipam uma ligeira redução da taxa de disponibilidade dos centros comerciais, sendo que 33% apontam para uma estabilidade do referido indicador em Como consequência da recuperação observada no mercado de retalho, e em especial nos centros comerciais e lojas de rua, a maioria dos membros do painel (75%) esperam que se verifique um aumento das rendas praticadas. Perante um contexto económico mais favorável, o painel mostra-se positivo relativamente ao ano de A maioria dos inquiridos antecipa um ligeiro aumento, tanto do consumo (para 75% dos inquiridos), como da afluência aos centros comerciais (para 83% dos inquiridos) em PRINCIPAIS INDICADORES DE RETALHO QUAL A TENDÊNCIA DA TAXA DE ESFORÇO? Evolução do volume de vendas Evolução das rendas Consumo Afluência C.C 8% 8% 75% 83% Desocupação C.C 8% 58% Diminuirá fortemente Diminuirá ligeiramente Permanecerá estável Aumentará ligeiramente 17% 83% 25% 75% Diminuição Estabilidade Aumento 33% 17% 8% Aumentará fortemente

6 INDUSTRIAL RECUPERAÇÃO A CURTO PRAZO? A evolução favorável da economia portuguesa em 2014 não se traduziu, de forma evidente, num aumento da procura de espaços logísticos. Ainda assim, e com base nas previsões de crescimento económico para os próximos dois a três anos, é esperada uma mudança de cenário, fazendo com que este setor, afetado por uma forte estagnação ao longo dos últimos anos, comece a evidenciar sinais de revitalização. As perspetivas são positivas, ainda que moderadas, e os dados recentes confirmam isso mesmo. O indicador de confiança da indústria transformadora aumentou igualmente no mês de março de 2015, confirmando a sua evolução positiva desde março de A economia nacional continua a evidenciar sinais de recuperação e crescimento, sustentados no bom desempenho das exportações e do consumo privado, os quais poderão impulsionar a atividade logística no mercado nacional. Os dados publicados pelo INE para o Índice de Produção Industrial (IPI) em Portugal, evidenciam um crescimento de 3,4% em março de 2015, face ao mesmo período do ano passado, naquele que foi o seu primeiro crescimento em cinco meses. Segundo os membros do painel, a renda prime em Lisboa permanecerá estável em torno dos 4 /m²/mês em No que se refere a incentivos, espera-se que os mesmos correspondam a um desconto de 13% face à renda facial. DIFERENÇA ENTRE A RENDA FACIAL E RENDA EFETIVA - LOGÍSTICA NA GRANDE LISBOA 5.0 em / m² /mês % Renda facial Renda efetiva

7 INVESTIMENTO ATIVIDADE DE INVESTIMENTO A ACELERAR O ano de 2014 foi caracterizado pelo retomar da atividade de investimento em imobiliário comercial. Com um volume de investimento em torno dos 900 milhões de EUR em 2014, de acordo com dados publicados pela JLL, o mercado de investimento alcançou o seu melhor registo desde 2007, ano em que superou a barreira dos 1000 milhões de EUR (1253 milhões de EUR). A maioria dos inquiridos (70%) estima que o volume de investimento em 2015 supere os 1200 milhões de EUR, o que revela o otimismo dos investidores e posiciona o presente ano, claramente, como um potencial ano record em termos de investimento. De acordo com os dados recentemente divulgados pela JLL, o volume de investimento estimado no primeiro semestre de 2015 situar-se-á nos 800 milhões de EUR, quatro vezes mais que no mesmo período do ano passado, o que vem confirmar a forte tendência de crescimento. Neste âmbito, os fundos oportunistas e os fundos core são identificados por 31% e 26% dos inquiridos, respetivamente, como os investidores mais ativos, no que respeita a investimento, durante o ano de As recentes aquisições protagonizadas pelo investidor norte-americano Blackstone são um claro exemplo disso mesmo. Os fundos core continuam também ativos, atraídos pelas expetativas de recuperação e rentabilidades acima da média europeia, procurando em especial produto prime, bem localizado e com bons inquilinos. INVESTIDORES MAIS ATIVOS % DE INVESTIDORES QUE ELEGE CADA PERFIL COMO ATOR MAIS DESTACADO Fundos Oportunistas 31% Fundos Core 26% 2015 Family Offices 15% Sociedades Gestoras de FII 7% Sociedades imobiliárias 7% Seguradoras e similares 7% Outros 6% 0% 10% 20% 30% 40% Questionados sobre a origem do investimento, todos os membros do painel esperam que este seja principalmente internacional. Os dados avançados este ano confirmam este cenário, com o volume de investimento protagonizado por investidores internacionais a representar cerca de 85% do volume total. QUAL O VOLUME DE INVESTIMENTO QUE ANTECIPA PARA O MERCADO IMOBILIÁRIO NACIONAL EM 2015? 0% 20% Inferior a 1000 Milhões EUR Entre 1000 e 1199 Milhões EUR 30% Entre 1200 e 1399 Milhões EUR 10% Entre 1400 e 1599 Milhões EUR Superior a 1600 Milhões EUR 40% Apesar da recuperação observada no investimento em 2014, os investidores continuam a enfrentar algumas resistências. Os membros do painel identificam as expetativas divergentes entre vendedores e compradores (30%) e a escassez de produto (28%) como os dois principais entraves ao investimento. A dificuldade de acesso a financiamento bancário é tida como o terceiro principal entrave, com um peso de 21%. É verdade que a recuperação dos mercados financeiros conduziu a uma melhoria das condições de acesso ao financiamento, no entanto, alguns inquiridos consideram que ainda existem limitações consideráveis a este nível. Os investidores internacionais mais ativos, que tendencialmente realizam operações de maior dimensão com financiamento local, encontram os bancos locais ainda sem plenas condições para o fazer. 7

8 PRINCIPAIS ENTRAVES AO INVESTIMENTO Expetativas divergentes entre vendedores e compradores Escassez de produto 28% 30% Financiamento bancário limitado Incerteza sobre o contexto económico / mercado de arrendamento 13% 21% 2015 Expetativas de descida de preços 9% 0% 10% 20% 30% 40% O aumento observado na procura, em especial no último ano, associado a uma escassez do lado da oferta, conduziu a um cenário de subida dos preços e compressão das yields. Os membros do painel esperam que a tendência de descida das yields registada em 2014 se mantenha em As previsões do painel situam a yield para os escritórios prime localizados no Prime CBD da cidade de Lisboa em torno dos 6,2% no final de 2015, em 6,4% para centros comerciais e 7,5% para ativos logísticos. QUAL SERÁ A YIELD NO FINAL DE 2015? 8.0% 7.0% 6.0% Máx Média Mín 5.0% 4.0% Escritórios CBD Centros comerciais Logística 8

9 ESTRATÉGIA ESCRITÓRIOS E RETALHO, OS ALVOS PREFERENCIAIS Os escritórios, em especial os localizados no Prime CBD de Lisboa e no Parque das Nações, e o retalho, em particular as lojas de rua, são os produtos imobiliários que maior interesse reúnem junto dos investidores inquiridos. Os investidores revelam uma preferência por ativos de renda garantida (28%), no entanto, também é verdade que muitos revelam estarem dispostos a assumir um maior risco: 25% dos inquiridos declara ter interesse em ativos por reestruturar e 24% em ativos com desocupação. A dimensão de mercado e escassez de produto tem levado os investidores a buscarem alternativas e produtos com maior perfil de risco. Por outro lado, essa maior disposição também surge associada às boas perspetivas de evolução económica. No que respeita a desinvestimento, o setor residencial surge claramente como produto a vender por 22% dos inquiridos. A baixa rendibilidade e dificuldade de gestão deste tipo de ativos são alguns dos argumentos mencionados. Os produtos secundários, tais como escritórios localizados na zona secundária de Lisboa ou Porto, são também incluídos no grupo de produtos para venda a curto prazo. PREFERÊNCIAS DE INVESTIMENTO DIRETO PREFERÊNCIAS DE INVESTIMENTO DIRETO Escritórios Lisboa CBD & Prime Zone 21% Ativos com renda garantida 28% Escritórios Lisboa Novas Áreas de Escritórios 13% Ativos para reestruturar 25% Lojas de rua Residencial Centros comerciais 12% 11% 10% Ativos com desocupação Promoções 13% 24% Outros produtos 32% Promoções pré-comercializadas 10% 0% 10% 20% 30% 40% 0% 10% 20% 30% 40% 9

10 SOBRE A MSCI Ao longo de mais de 40 anos, os índices e análises da MSCI ajudaram os principais investidores mundiais a construir e a gerir melhor os seus portefólios. Os clientes confiam na nossa oferta dado que proporcionamos uma visão mais profunda sobre os fatores de performance e risco nos seus portefólios, uma ampla cobertura das classes de ativos financeiros e research inovador. A nossa linha de produtos e serviços inclui índices, modelos analíticos, dados, benchmarks imobiliários e research ESG. MSCI serve 98 das 100 maiores sociedades gestoras de ativos financeiros, de acordo com o mais recente ranking P & I. Para mais informações, visite-nos em SOBRE A JLL A JLL é uma consultora internacional especializada em imobiliário, que presta serviços a promotores, proprietários, investidores e inquilinos. Com uma equipa de colaboradores em todo o mundo, operamos em 80 países com mais de 230 escritórios, proporcionando serviços integrados através de uma plataforma global que partilha informação, boas práticas e experiência, para que possamos acrescentar valor ao negócio imobiliário dos nossos clientes. Presente em Portugal desde 1997, a JLL conta atualmente com mais de 100 colaboradores, que desenvolvem a sua atividade nos mercados de escritórios, retalho e residencial, nas áreas de comercialização, investimento, consultoria estratégica, avaliações, gestão de imóveis, corporate solutions, gestão de projeto, arquitetura e obras em espaços interiores e research. Apostamos na criação de sinergias entre as diversas áreas, de modo a acompanhar o cliente em todas as fases do imobiliário, desenvolvendo soluções completas e feitas à medida. CONTACTOS MSCI T: E: JLL T: E: The information contained herein (the Information ) may not be reproduced or redisseminated in whole or in part without prior written permission from MSCI. The Information may not be used to verify or correct other data, to create indexes, risk models, or analytics, or in connection with issuing, offering, sponsoring, managing or marketing any securities, portfolios, financial products or other investment vehicles. Historical data and analysis should not be taken as an indication or guarantee of any future performance, analysis, forecast or prediction. None of the Information or MSCI index or other product or service constitutes an offer to buy or sell, or a promotion or recommendation of, any security, financial instrument or product or trading strategy. Further, none of the Information or any MSCI index is intended to constitute investment advice or a recommendation to make (or refrain from making) any kind of investment decision and may not be relied on as such. The Information is provided as is and the user of the Information assumes the entire risk of any use it may make or permit to be made of the Information. NONE OF MSCI INC. OR ANY OF ITS SUBSIDIARIES OR ITS OR THEIR DIRECT OR INDIRECT SUPPLIERS OR ANY THIRD PARTY INVOLVED IN THE MAKING OR COMPILING OF THE INFORMAT ION (EACH, AN MSCI PARTY ) MAKES ANY WARRANTIES OR REPRESENTAT IONS AND, TO THE MAXIMUM EXTENT PERMITTED BY LAW, EACH MSCI PARTY HEREBY EXPRESS LY DISCLAIMS ALL IMPLIED WARRANTIES, INCLUDING WARRANTIES OF MERCHANTAB ILITY AND FITNESS FOR A PARTICULAR PURPOSE. WITHOUT LIMITING ANY OF THE FOREGOING AND TO THE MAXIMUM EXTENT PERMITTED BY LAW, IN NO EVENT SHALL ANY OF THE MSCI PARTIES HAVE ANY LIABILITY REGAR DING ANY OF THE INFORMAT ION FOR ANY DIRECT, INDIRECT, SPECIAL, PUNITIVE, CONSEQUENTIAL (INCLUDING LOST PROFITS) OR ANY OTHER DAMAGES EVEN IF NOT IFIED OF THE POSS IBILITY OF SUCH DAMAGES. The foregoing shall not exclude or limit any liability that may not by applicable law be excluded or limited MSCI Inc. All rights reserved CBR0615

Market Pulse. Destaques. Economia. Mercado Imobiliário em Portugal Relatório Trimestral T2 2015

Market Pulse. Destaques. Economia. Mercado Imobiliário em Portugal Relatório Trimestral T2 2015 Market Pulse Mercado Imobiliário em Portugal Relatório Trimestral T2 2015 Destaques Na primeira metade de 2015 o investimento em imobiliário comercial ultrapassou o volume total investido no ano passado,

Leia mais

Índice APFIPP/ IPD de Fundos de Investimento Imobiliário Portugueses APFIPP/ IPD Portugal Quarterly Property Fund Index

Índice APFIPP/ IPD de Fundos de Investimento Imobiliário Portugueses APFIPP/ IPD Portugal Quarterly Property Fund Index Índice APFIPP/ IPD de Fundos de Investimento Imobiliário Portugueses APFIPP/ IPD Portugal Quarterly Property Fund Index Resultados à data de 31 de Março 2015 / Results to March 2015 Performance histórica

Leia mais

RELATÓRIO E CONTAS BBVA MULTIFUNDO ALTERNATIVO

RELATÓRIO E CONTAS BBVA MULTIFUNDO ALTERNATIVO RELATÓRIO E CONTAS BBVA MULTIFUNDO ALTERNATIVO FUNDO ESPECIAL DE INVESTIMENTO 30 JUNHO 20 1 BREVE ENQUADRAMENTO MACROECONÓMICO 1º semestre de 20 No contexto macroeconómico, o mais relevante no primeiro

Leia mais

SINAIS POSITIVOS TOP 20 (atualizado a 10JUL2014)

SINAIS POSITIVOS TOP 20 (atualizado a 10JUL2014) SINAIS POSITIVOS TOP 20 (atualizado a 10JUL2014) 1. Taxa de Desemprego O desemprego desceu para 14,3% em maio, o que representa um recuo de 2,6% em relação a maio de 2013. Esta é a segunda maior variação

Leia mais

RELATÓRIO E CONTAS BBVA BOLSA EURO

RELATÓRIO E CONTAS BBVA BOLSA EURO RELATÓRIO E CONTAS BBVA BOLSA EURO 30 JUNHO 20 1 BREVE ENQUADRAMENTO MACROECONÓMICO 1º semestre de 20 No contexto macroeconómico, o mais relevante no primeiro semestre de 20, foi a subida das taxas do

Leia mais

Mercado de investimento mais dinâmico. Durante o primeiro trimestre do ano registaram-se 28 milhões de euros investidos em ativos de rendimento.

Mercado de investimento mais dinâmico. Durante o primeiro trimestre do ano registaram-se 28 milhões de euros investidos em ativos de rendimento. Market Pulse Mercado Imobiliário em Portugal Relatório Trimestral T1 2014 Destaques Mercado de investimento mais dinâmico. Durante o primeiro trimestre do ano registaram-se 28 milhões de euros investidos

Leia mais

VALOR EM TEMPOS DE CRISE

VALOR EM TEMPOS DE CRISE IPD PORTUGAL 2009 JULHO 2010 1 Introdução 2 IPD 2009 - Retorno Total - Retorno das Rendas - Valorização do Capital 8 Análise Cushman & Wakefield Av. da Liberdade, 131 2º 1250-140 Lisboa, Portugal www.cushmanwakefield.com

Leia mais

A COLOCAÇÃO DE ESCRITÓRIOS PODE VOLTAR AOS 150 MIL/170 MIL M2 EM 2009

A COLOCAÇÃO DE ESCRITÓRIOS PODE VOLTAR AOS 150 MIL/170 MIL M2 EM 2009 OJE 3 de Dezembro 2008 (1/5) A COLOCAÇÃO DE ESCRITÓRIOS PODE VOLTAR AOS 150 MIL/170 MIL M2 EM 2009 O take-up de ESCRITÓRIOS vai regredir em 2009 para o nível dos anos de 2004 e 2005, embora o preço das

Leia mais

Relatório de Gestão & Contas - Ano 2012 RELATÓRIO DE GESTÃO. Resende e Fernandes, Construção Civil, Lda.

Relatório de Gestão & Contas - Ano 2012 RELATÓRIO DE GESTÃO. Resende e Fernandes, Construção Civil, Lda. RELATÓRIO DE GESTÃO Resende e Fernandes, Construção Civil, Lda. 2012 ÍNDICE DESTAQUES... 3 MENSAGEM DO GERENTE... 4 ENQUADRAMENTO MACROECONÓMICO... 5 Economia internacional... 5 Economia Nacional... 5

Leia mais

Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N.º 11 Novembro 2014. Gabinete de Estratégia e Estudos Ministério da Economia

Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N.º 11 Novembro 2014. Gabinete de Estratégia e Estudos Ministério da Economia Boletim Mensal de Economia Portuguesa N.º 11 Novembro Gabinete de Estratégia e Estudos Ministério da Economia GPEARI Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais Ministério

Leia mais

BUSINESS BRIEFING MAIO 2012 INTRODUÇÃO

BUSINESS BRIEFING MAIO 2012 INTRODUÇÃO BUSINESS BRIEFING Análise IPD 2011 MAIO 2012 INTRODUÇÃO O Investment Property Databank (IPD) é um índice que analisa o retorno do investimento institucional direto em ativos imobiliários, assumindo-se

Leia mais

Sonae Sierra regista um Resultado Líquido de 96,3 milhões em 2014

Sonae Sierra regista um Resultado Líquido de 96,3 milhões em 2014 Maia - Portugal, 5 de Março de 2015 Sonae Sierra regista um Resultado Líquido de 96,3 milhões em 2014 Resultado Direto atinge 52,7 milhões EBIT de 106,1 milhões Resultado Indireto atinge 43,6 milhões Dois

Leia mais

As nossas acções Sonaecom

As nossas acções Sonaecom 3.0 As nossas acções Em 2009, as acções da Sonaecom registaram o segundo melhor desempenho do PSI-20, valorizando cerca de 92,2 %, o que constitui uma prova clara da nossa resiliência e um voto de confiança

Leia mais

VALOR EM TEMPOS DE CRISE

VALOR EM TEMPOS DE CRISE IPD PORTUGAL 2008 AGOSTO 2009 1 Introdução 2 IPD 2008 - Retorno Total - Retorno das Rendas - Valorização do Capital 7 Análise A evolução do Índice Imobiliário Anual Português Imométrica/IPD (Investment

Leia mais

BARÓMETRO PME COMÉRCIO E SERVIÇOS 4º TRIMESTRE 2013 DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS

BARÓMETRO PME COMÉRCIO E SERVIÇOS 4º TRIMESTRE 2013 DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 14 DE ABRIL 2014 BARÓMETRO PME COMÉRCIO E SERVIÇOS PRINCIPAIS RESULTADOS 1.1 - EVOLUÇÃO DO VOLUME DE NEGÓCIOS Volume de Negócios no 4º Trimestre de 2013 (t.v.h.) Aumentou em 42,5%

Leia mais

1.2 Situação patrimonial dos setores não financeiros

1.2 Situação patrimonial dos setores não financeiros .2 Situação patrimonial dos setores não financeiros No primeiro semestre de 203, prosseguiu o processo de ajustamento gradual dos desequilíbrios no balanço dos particulares 3 Nos primeiros seis meses de

Leia mais

Conjuntura da Construção n.º 77 O SETOR CONTINUA EM CRISE MAS EMPRESÁRIOS ACREDITAM NA RECUPERAÇÃO

Conjuntura da Construção n.º 77 O SETOR CONTINUA EM CRISE MAS EMPRESÁRIOS ACREDITAM NA RECUPERAÇÃO FEPICOP - FEDERAÇÃO PORTUGUESA DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO E OBRAS PÚBLICAS Associações Filiadas: AECOPS Associação de Empresas de Construção e Obras Públicas e Serviços AICCOPN Associação dos Industriais

Leia mais

Press Release. Worx divulga WMarket Report 1ºS 2008

Press Release. Worx divulga WMarket Report 1ºS 2008 Press Release No: 77 / DZ Data: 15 de Setembro de 2008 Edifício Taurus, Campo Edifício Pequeno, Taurus, 48 4º 1000-081 Campo Pequeno, Lisboa 48 4º 1000-081 Lisboa + 351 217 999 960 tel. + 351 217 999 965

Leia mais

A mosca na sopa. PhotoDisc

A mosca na sopa. PhotoDisc A mosca na sopa O reduzido número de IPO continua a ser a mosca na sopa do capital de risco europeu. Não fosse o fraco volume de operações realizadas e a redução de fundos captados e o balanço da actividade

Leia mais

Presente. O que se segue?

Presente. O que se segue? 2012 REVISTA ANUAL PORTUGAL ESCRITÓRIOS Presente Economia: O resgate económico de Portugal acabou com a utópica visão do Governo de então, sobre a sustentabilidade financeira do país. 2012 é projectado

Leia mais

CONTACTO: Ana Rita Ribeiro comunicar-se@netcabo.pt

CONTACTO: Ana Rita Ribeiro comunicar-se@netcabo.pt IPD divulga Índice conjunto do Retorno do Investimento Imobiliário para a Europa REINO UNIDO E ALEMANHA PRESSIONAM RESULTADOS PAN-EUROPEUS EM BAIXA Lisboa, 27 de Maio de 2008 - O IPD, líder mundial em

Leia mais

A importância da IAA para o crescimento da economia Ambição 2020 na rota do crescimento

A importância da IAA para o crescimento da economia Ambição 2020 na rota do crescimento A importância da IAA para o crescimento da economia Ambição 2020 na rota do crescimento Nuno Netto nnetto@deloitte.pt 28 de Outubro 2014 Agenda 2014. Para informações, contacte Deloitte Consultores, S.A.

Leia mais

Market Pulse. Destaques. Economia. Mercado Imobiliário em Portugal Relatório Trimestral T4 2015. Indicador 2015 (p) 2016 (p) 2017 (p)

Market Pulse. Destaques. Economia. Mercado Imobiliário em Portugal Relatório Trimestral T4 2015. Indicador 2015 (p) 2016 (p) 2017 (p) Market Pulse Mercado Imobiliário em Portugal Relatório Trimestral T4 2015 Destaques Em 2015 atingiu-se o recorde histórico de volume de investimento em Portugal, com um total de 1,8 mil milhões de euros,

Leia mais

G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N.

G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N. Boletim Mensal de Economia Portuguesa N.º 05 Maio 2015 Gabinete de Estratégia e Estudos Ministério da Economia G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais Ministério

Leia mais

SUMÁRIO. 3º Trimestre 2009 RELATÓRIO DE EVOLUÇÃO DA ACTIVIDADE SEGURADORA. Produção de seguro directo. Custos com sinistros

SUMÁRIO. 3º Trimestre 2009 RELATÓRIO DE EVOLUÇÃO DA ACTIVIDADE SEGURADORA. Produção de seguro directo. Custos com sinistros SUMÁRIO Produção de seguro directo No terceiro trimestre de, seguindo a tendência evidenciada ao longo do ano, assistiu-se a uma contracção na produção de seguro directo das empresas de seguros sob a supervisão

Leia mais

PORTUGAL Economic Outlook. Carlos Almeida Andrade Chief Economist Julho 2008

PORTUGAL Economic Outlook. Carlos Almeida Andrade Chief Economist Julho 2008 PORTUGAL Economic Outlook Carlos Almeida Andrade Chief Economist Julho 2008 Portugal: Adaptação a um novo ambiente económico global A economia portuguesa enfrenta o impacto de um ambiente externo difícil,

Leia mais

Previsões do inverno de 2014: recuperação económica ganha terreno

Previsões do inverno de 2014: recuperação económica ganha terreno COMISSÃO EUROPEIA COMUNICADO DE IMPRENSA Bruxelas/Estrasburgo, 25 de fevereiro de 2014 Previsões do inverno de 2014: recuperação económica ganha terreno As previsões do inverno da Comissão Europeia preveem

Leia mais

Economia dos EUA e Comparação com os períodos de 1990-1991 e 2000-2001

Economia dos EUA e Comparação com os períodos de 1990-1991 e 2000-2001 Economia dos EUA e Comparação com os períodos de - e - Clara Synek* O actual período de abrandamento da economia dos EUA, iniciado em e previsto acentuar-se no decurso dos anos /9, resulta fundamentalmente

Leia mais

Perspetivas de colaboração Portugal China, Apoios à internacionalização e o papel da AICEP

Perspetivas de colaboração Portugal China, Apoios à internacionalização e o papel da AICEP Perspetivas de colaboração Portugal China, Apoios à internacionalização e o papel da AICEP AIMINHO Braga, 24 de Outubro, 2014 1 P a g e Distintas Entidades aqui presentes, Senhores Empresários, Minhas

Leia mais

RELATÓRIO DE EVOLUÇÃO

RELATÓRIO DE EVOLUÇÃO ASF Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões SUMÁRIO I PRODUÇÃO E CUSTOS COM SINISTROS 1. Análise global 2. Ramo Vida 3. Ramos Não Vida a. Acidentes de Trabalho b. Doença c. Incêndio e Outros

Leia mais

Relatório de evolução da atividade seguradora

Relatório de evolução da atividade seguradora Relatório de evolução da atividade seguradora 1.º Semestre 214 I. Produção e custos com sinistros 1. Análise global 2. Ramo Vida 3. Ramos Não Vida a. Acidentes de Trabalho b. Doença c. Incêndio e Outros

Leia mais

Impacto da recente crise financeira internacional na riqueza das famílias em Portugal e na Área do Euro

Impacto da recente crise financeira internacional na riqueza das famílias em Portugal e na Área do Euro Impacto da recente crise financeira internacional na riqueza das famílias em Portugal e na Área do Euro Clara Synek * Resumo O aumento da incerteza relativo às perspectivas económicas, do mercado de trabalho,

Leia mais

90,5% dos perfis de TI disponível para mobilidade profissional

90,5% dos perfis de TI disponível para mobilidade profissional Michael Page lança Barómetro de TI 90,5% dos perfis de TI disponível para mobilidade profissional Lisboa, 21 de Julho de 2015 A Michael Page, empresa líder em recrutamento de quadros médios e superiores,

Leia mais

SONAE REFORÇA VENDAS E INTERNACIONALIZAÇÃO

SONAE REFORÇA VENDAS E INTERNACIONALIZAÇÃO Maia, 11 de março de 2015 Reforço de posições de liderança em Portugal, internacionalização e compromisso com famílias em 2014 SONAE REFORÇA VENDAS E INTERNACIONALIZAÇÃO 1. PRINCIPAIS DESTAQUES DE 2014:

Leia mais

01 _ Enquadramento macroeconómico

01 _ Enquadramento macroeconómico 01 _ Enquadramento macroeconómico 01 _ Enquadramento macroeconómico O agravamento da crise do crédito hipotecário subprime transformou-se numa crise generalizada de confiança com repercursões nos mercados

Leia mais

Volume de Negócios das áreas de retalho da Sonae cresceu 3% em 2014

Volume de Negócios das áreas de retalho da Sonae cresceu 3% em 2014 1 DESTAQUES Volume de Negócios das áreas de retalho da Sonae cresceu 3% em 2014 SONAE MC Ganhos de quota de mercado e crescimento do Volume de Negócios, num ambiente competitivo particularmente difícil

Leia mais

Portugal Forte crescimento no início do ano

Portugal Forte crescimento no início do ano 8 Abr ANÁLISE ECONÓMICA Portugal Forte crescimento no início do ano Miguel Jiménez / Agustín García / Diego Torres / Massimo Trento Nos primeiros meses do ano, a retoma do consumo privado teria impulsionado

Leia mais

Projeções para a economia portuguesa: 2014-2016

Projeções para a economia portuguesa: 2014-2016 Projeções para a Economia Portuguesa: 2014-2016 1 Projeções para a economia portuguesa: 2014-2016 As projeções para a economia portuguesa apontam para uma recuperação gradual da atividade ao longo do horizonte.

Leia mais

Emilio Botín: O objetivo é nos tornarmos o banco privado número um do Brasil

Emilio Botín: O objetivo é nos tornarmos o banco privado número um do Brasil Nota de Imprensa Emilio Botín: O objetivo é nos tornarmos o banco privado número um do Brasil Presidente mundial do Banco Santander apresenta em São Paulo o Plano Estratégico 2008-2010 para o A integração

Leia mais

RESULTADOS CONSOLIDADOS A 30 DE JUNHO DE 2005 1

RESULTADOS CONSOLIDADOS A 30 DE JUNHO DE 2005 1 COMUNICADO Página 1 / 9 RESULTADOS CONSOLIDADOS A 30 DE JUNHO DE 2005 1 09 de Setembro de 2005 (Os valores apresentados neste comunicado reportam-se ao primeiro semestre de 2005, a não ser quando especificado

Leia mais

RELATÓRIO DE GESTÃO 2012

RELATÓRIO DE GESTÃO 2012 RELATÓRIO DE GESTÃO 2012 NATURTEJO EMPRESA DE TURISMO - EIM MARÇO, CASTELO BRANCO 2013 Nos termos legais e estatutários, vimos submeter a apreciação da assembleia Geral o Relatório de Gestão, as contas,

Leia mais

Sonae Sierra registou Resultado Líquido de 1,3 milhões no primeiro semestre

Sonae Sierra registou Resultado Líquido de 1,3 milhões no primeiro semestre Maia, 31 de Julho de 2008 Desempenho afectado por desvalorização dos activos ditada pelo mercado Sonae Sierra registou Resultado Líquido de 1,3 milhões no primeiro semestre Rendas cresceram 4,5% numa base

Leia mais

MICROCAT PARA HYUNDAI INSTRUÇÕES PARA INSTALAÇÃO

MICROCAT PARA HYUNDAI INSTRUÇÕES PARA INSTALAÇÃO MICROCAT PARA HYUNDAI INSTRUÇÕES PARA INSTALAÇÃO O Microcat pode ser instalado para operar independentemente ou num ambiente de rede. As instalações do Microcat necessitam que um dongle (chave de segurança

Leia mais

RELATÓRIO DE GESTÃO 2013

RELATÓRIO DE GESTÃO 2013 RELATÓRIO DE GESTÃO 2013 NATURTEJO EMPRESA DE TURISMO - EIM MARÇO, CASTELO BRANCO 2014 Nos termos legais e estatutários, vimos submeter a apreciação da assembleia Geral o Relatório de Gestão, as contas,

Leia mais

Exercício de stress test Europeu: Resultados principais dos bancos portugueses 15 Julho 2011

Exercício de stress test Europeu: Resultados principais dos bancos portugueses 15 Julho 2011 Exercício de stress test Europeu: Resultados principais dos bancos portugueses Julho Esta nota resume as principais características e resultados do exercício de stress test realizado ao nível da União

Leia mais

Cork Information Bureau 2015. Informação à Imprensa 28 de Agosto de 2015. EXPORTAÇÕES DE CORTIÇA CRESCEM 7,8% (1º. Semestre 2015) apcor.

Cork Information Bureau 2015. Informação à Imprensa 28 de Agosto de 2015. EXPORTAÇÕES DE CORTIÇA CRESCEM 7,8% (1º. Semestre 2015) apcor. Informação à Imprensa 28 de Agosto de 2015 EXPORTAÇÕES DE CORTIÇA CRESCEM 7,8% (1º. Semestre 2015) apcor.pt Exportações de Cortiça crescem 7,8% As exportações portuguesas de cortiça registaram, no primeiro

Leia mais

Relatório Econômico Mensal JANEIRO/13

Relatório Econômico Mensal JANEIRO/13 Relatório Econômico Mensal JANEIRO/13 Índice INDICADORES FINANCEIROS 3 PROJEÇÕES 4 CENÁRIO EXTERNO 5 CENÁRIO DOMÉSTICO 7 RENDA FIXA 8 RENDA VARIÁVEL 9 Indicadores Financeiros Projeções Economia Global

Leia mais

RELATÓRIO DE EVOLUÇÃO

RELATÓRIO DE EVOLUÇÃO SUMÁRIO I PRODUÇÃO E CUSTOS COM SINISTROS 1. Análise global 2. Ramo Vida 3. Ramos Não Vida a. Acidentes de Trabalho b. Doença c. Incêndio e Outros Danos d. Automóvel II PROVISÕES TÉCNICAS E ATIVOS REPRESENTATIVOS

Leia mais

ENQUADUADRAMENTO DO SECTOR IMOBILIÁRIO MOÇAMBIQUE LANÇAMENTO DO LIVRO LEGISLAÇÃO DO SISTEMA FINANCEIRO DE MOÇAMBIQUE

ENQUADUADRAMENTO DO SECTOR IMOBILIÁRIO MOÇAMBIQUE LANÇAMENTO DO LIVRO LEGISLAÇÃO DO SISTEMA FINANCEIRO DE MOÇAMBIQUE ENQUADUADRAMENTO DO SECTOR IMOBILIÁRIO MOÇAMBIQUE LANÇAMENTO DO LIVRO LEGISLAÇÃO DO SISTEMA FINANCEIRO DE MOÇAMBIQUE MERCADO IMOBILIÁRIO MOÇAMBIQUE 2014 Nelson Rêgo Diretor Geral da Prime Yield MZ ÍNDICE

Leia mais

A atual oferta de financiamento

A atual oferta de financiamento Ciclo de Conferências CIP Crescimento Económico: Diversificar o modelo de financiamento das PME A atual oferta de financiamento Nuno Amado 28.nov.14 Centro de Congressos de Lisboa 5 Mitos sobre o financiamento

Leia mais

O incumprimento entre empresas aumenta, em comparação com 2011

O incumprimento entre empresas aumenta, em comparação com 2011 Lisboa, 29 de Maio de 2013 Estudo revela que os atrasos nos pagamentos entre empresas na região da Ásia - Pacífico se agravaram em 2012 - As empresas estão menos optimistas relativamente à recuperação

Leia mais

Financiamento Para o Desenvolvimento: A Classificação do Risco em Projetos de Infraestrutura

Financiamento Para o Desenvolvimento: A Classificação do Risco em Projetos de Infraestrutura Não é possível exibir esta imagem no momento. Não é possível exibir esta imagem no momento. Financiamento Para o Desenvolvimento: A Classificação do Risco em Projetos de Infraestrutura Regina Nunes Presidente

Leia mais

Panorama do mercado internacional

Panorama do mercado internacional Life & Health Panorama do mercado internacional A Global Perspective de seguros de vida e saúde Escola Nacional de Seguros Rio de Janeiro, Maio 2014 Escola Nacional de Seguros Rio de Janeiro Hernán Fatone

Leia mais

C&A aumenta quota de mercado na Europa em 2011

C&A aumenta quota de mercado na Europa em 2011 Comunicado de Imprensa Abril 2012 Empresa cresce e continua a investir C&A aumenta quota de mercado na Europa em 2011 Investimentos em atuais e novas lojas Aposta nas lojas on-line Aumento nas vendas de

Leia mais

EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2. Atividade global... 2. Atividade setorial... 3. - Produção... 3. - Volume de negócios... 5

EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2. Atividade global... 2. Atividade setorial... 3. - Produção... 3. - Volume de negócios... 5 SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal fevereiro 2015 - Newsletter ÍNDICE EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 5 Comércio internacional...

Leia mais

Como o ERP Tier 2 pode beneficiar o seu negócio

Como o ERP Tier 2 pode beneficiar o seu negócio Como o ERP Tier 2 pode beneficiar o seu negócio Os decisores empresariais podem beneficiar imenso da integração de dados de gestão internos e externos, garantindo que as informações essenciais estão sempre

Leia mais

A atratividade dos territórios e a dinâmica imobiliária: Evolução e perspetivas para o Alto Minho Ricardo Guimarães

A atratividade dos territórios e a dinâmica imobiliária: Evolução e perspetivas para o Alto Minho Ricardo Guimarães A atratividade dos territórios e a dinâmica imobiliária: Evolução e perspetivas para o Alto Minho Ricardo Guimarães Ricardo Guimarães, rguimaraes@confidencialimobiliario.com www.confidencialimobiliario.com

Leia mais

As Estatísticas do Banco de Portugal, a Economia e as Empresas

As Estatísticas do Banco de Portugal, a Economia e as Empresas 30 11 2012 As Estatísticas do Banco de Portugal, a Economia e as Empresas Teodora Cardoso 1ª Conferência da Central de Balanços Porto, 13 Dezembro 2010 O Banco de Portugal e as Estatísticas O Banco de

Leia mais

Conjuntura da Construção n.º 36. Construção em 2009 verificou dois andamentos

Conjuntura da Construção n.º 36. Construção em 2009 verificou dois andamentos Associações Filiadas: AECOPS Associação de Empresas de Construção e Obras Públicas e Serviços AICCOPN Associação dos Industriais da Construção Civil e Obras Públicas ANEOP Associação Nacional dos Empreiteiros

Leia mais

BANCO ESPIRITO SANTO RESULTADOS DO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2001

BANCO ESPIRITO SANTO RESULTADOS DO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2001 BANCO ESPIRITO SANTO RESULTADOS DO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2001 2 RESULTADOS DO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2001 ASPECTOS MAIS RELEVANTES: SIGNIFICATIVO CRESCIMENTO DA ACTIVIDADE DESIGNADAMENTE A CAPTAÇÃO DE RECURSOS

Leia mais

. VALORES MOBILIÁRIOS

. VALORES MOBILIÁRIOS . VALORES 2.. V MOBILIÁRIOS 2. Valores Mobiliários O QUE SÃO VALORES MOBILIÁRIOS? Valores mobiliários são documentos emitidos por empresas ou outras entidades, em grande quantidade, que representam direitos

Leia mais

Nova visão: Business Continuity Plan e gestão do risco operacional. Alexandre Canadas BP2S Location Manager Lisboa, 20 de Maio de 2008

Nova visão: Business Continuity Plan e gestão do risco operacional. Alexandre Canadas BP2S Location Manager Lisboa, 20 de Maio de 2008 Nova visão: Business Continuity Plan e gestão do risco operacional Alexandre Canadas BP2S Location Manager Lisboa, 20 de Maio de 2008 Agend Introdução De recuperação de actividade Dual Office Conclusão

Leia mais

Contexto Económico. Portugal Market Pulse 3T 2012. Principais Indicadores Económicos Previsões do FMI para 2013

Contexto Económico. Portugal Market Pulse 3T 2012. Principais Indicadores Económicos Previsões do FMI para 2013 Portugal Market Pulse 3T Contexto Económico Dando continuidade ao Acordo celebrado com a Troika, e mesmo com a implementação de duras medidas, o Governo avançou que não seria possível obter o principal

Leia mais

BUSINESS BRIEFING Comércio de Rua Lisboa e Porto

BUSINESS BRIEFING Comércio de Rua Lisboa e Porto Comércio de Rua Lisboa e Porto MAIO 2015 Avenida da Liberdade. Fonte: C&W INTRODUÇÃO Numa fase em que o comércio de rua em Portugal atrai retalhistas e investidores de todo o mundo, a Cushman & Wakefield

Leia mais

Imobiliário: estudo conclui que é preciso apostar em novos segmentos

Imobiliário: estudo conclui que é preciso apostar em novos segmentos Re-Search Angola Imobiliário: estudo conclui que é preciso apostar em novos segmentos Está a emergir em Angola uma classe média, com maior poder de compra e interesse em adquirir casa própria. Esta é uma

Leia mais

INVESTIR EM PORTUGAL

INVESTIR EM PORTUGAL INVESTIR EM PORTUGAL 投 资 与 移 民 门 道 是 专 门 提 供 投 资 与 移 民 服 务 的 独 立 咨 询 机 构 我 们 的 多 学 科 团 队 精 心 研 究, 旨 在 为 客 户 提 供 最 佳 的 商 业 战 略 和 国 际 投 资 方 案 INVESTIMENTO E EMIGRAÇÃO A GATEWAY É UMA CONSULTORA INDEPENDENTE,

Leia mais

INTERVENÇÃO Dr. José Vital Morgado Administrador Executivo da AICEP ****

INTERVENÇÃO Dr. José Vital Morgado Administrador Executivo da AICEP **** INTERVENÇÃO Dr. José Vital Morgado Administrador Executivo da AICEP **** Gostaria de começar por agradecer o amável convite da CIP para participarmos nesta conferência sobre um tema determinante para o

Leia mais

Síntese da Conjuntura do Sector Elétrico e Eletrónico

Síntese da Conjuntura do Sector Elétrico e Eletrónico Síntese da Conjuntura do Sector Elétrico e Eletrónico 2º Trimestre de 2015 Recuperação sustentada do crescimento 1. Conjuntura Sectorial Nota: Os índices que se seguem resultam da média aritmética das

Leia mais

COMÉRCIO, TURISMO E ARRENDAMENTO OS DÍNAMOS DA REABILITAÇÃO URBANA

COMÉRCIO, TURISMO E ARRENDAMENTO OS DÍNAMOS DA REABILITAÇÃO URBANA COMÉRCIO, TURISMO E ARRENDAMENTO OS DÍNAMOS DA REABILITAÇÃO URBANA 23 de Outubro 14h30 Comércio, Turismo e Arrendamento. Os Dínamos da Reabilitação Urbana VIVERA REABI LITAÇÃO DE 23 A 25 OUTUBRO 2014 BRAGA

Leia mais

Maio 2013 PE2020. O papel da Engenharia como fator de competitividade. Iniciativa

Maio 2013 PE2020. O papel da Engenharia como fator de competitividade. Iniciativa Maio 2013 PE2020 O papel da Engenharia como fator de competitividade Iniciativa Agenda 1. Apresentação da Proforum e do PE2020 como plataforma colaborativa relevante e integradora 2. Contributo do PE2020

Leia mais

MARKETBEAT PORTUGAL OUTONO 2013. Economia. Uma publicação Cushman & Wakefield. Uma publicação Cushman & Wakefield

MARKETBEAT PORTUGAL OUTONO 2013. Economia. Uma publicação Cushman & Wakefield. Uma publicação Cushman & Wakefield MARKETBEAT PORTUGAL OUTONO 213 Lisboa o ponto de viragem Economia As últimas projeções para a economia portuguesa publicadas pelo Banco de Portugal no seu Boletim de Verão revelam uma manutenção da recessão

Leia mais

DISCLAIMER. Aviso Legal

DISCLAIMER. Aviso Legal ANÁLISE FINANCEIRA DISCLAIMER Aviso Legal Esta apresentação inclui afirmações que não se referem a factos passados e que se referem ao futuro e que envolvem riscos e incertezas que podem levar a que os

Leia mais

1. THE GROUP TODAY INDEX 1. O GRUPO HOJE 2. VISÃO ESTRATÉGICA

1. THE GROUP TODAY INDEX 1. O GRUPO HOJE 2. VISÃO ESTRATÉGICA 1 INDEX 1. O GRUPO HOJE 2. VISÃO ESTRATÉGICA 3. PRIORIDADES ESTRATÉGICAS 3.1 Concretizar o Potencial da Biedronka 3.2 Assegurar o Crescimento de Longo Prazo 1. THE GROUP TODAY 4. EXPLORAR TODO O POTENCIAL

Leia mais

Indicador de confiança dos Consumidores aumenta e indicador de clima económico suspende trajetória de crescimento

Indicador de confiança dos Consumidores aumenta e indicador de clima económico suspende trajetória de crescimento 29 de setembro de 2014 INQUÉRITOS DE CONJUNTURA ÀS EMPRESAS E AOS CONSUMIDORES Setembro de 2014 Indicador de confiança dos Consumidores aumenta e indicador de clima económico suspende trajetória de crescimento

Leia mais

Os Desafios da Fileira da Construção. As Oportunidades nos Mercados Externos

Os Desafios da Fileira da Construção. As Oportunidades nos Mercados Externos Os Desafios da Fileira da Construção As Oportunidades nos Mercados Externos Agradeço o convite que me foi dirigido para participar neste Seminário e felicito a AIP pela iniciativa e pelo tema escolhido.

Leia mais

RNGO11. Indicadores. O fundo foi lançado em: 20.7.2012; no valor de R$ 100,00 por cota. Não houve lançamentos secundário de cotas.

RNGO11. Indicadores. O fundo foi lançado em: 20.7.2012; no valor de R$ 100,00 por cota. Não houve lançamentos secundário de cotas. RNGO11 O fundo foi lançado em: 20.7.2012; no valor de R$ 100,00 por cota. Não houve lançamentos secundário de cotas. O fundo esteve em RMG até novembro de 2013 e pagou neste período um rendimento mensal

Leia mais

Análise ao Comércio Externo de Equipamento Elétrico e Eletrónico

Análise ao Comércio Externo de Equipamento Elétrico e Eletrónico Análise ao Comércio Externo de Equipamento Elétrico e Eletrónico Janeiro Dezembro 2013 1. Análise global Setor Elétrico e Eletrónico Confirma-se uma tendência decrescente na evolução do comércio externo

Leia mais

Projeções para a economia portuguesa: 2015-2017

Projeções para a economia portuguesa: 2015-2017 Projeções para a economia portuguesa: 2015-2017 As projeções para a economia portuguesa em 2015-2017 apontam para uma recuperação gradual da atividade ao longo do horizonte de projeção. Após um crescimento

Leia mais

Lloyd s no brasil. 2 anos após a abertura do mercado de resseguros MARCO ANTONIO DE SIMAS CASTRO

Lloyd s no brasil. 2 anos após a abertura do mercado de resseguros MARCO ANTONIO DE SIMAS CASTRO Lloyd s no brasil 2 anos após a abertura do mercado de resseguros MARCO ANTONIO DE SIMAS CASTRO July 2010 Lloyd s no Brasil abril 2008: O Lloyd s foi o primeiro ressegurador a receber a licença da SUSEP,

Leia mais

Tendências na Europa. Melhorias de desempenho a curto-prazo, evidenciam recuperação dos níveis de rendibilidade da indústria.

Tendências na Europa. Melhorias de desempenho a curto-prazo, evidenciam recuperação dos níveis de rendibilidade da indústria. Maio 25 Tendências na Europa O investimento europeu em private equity aumenta 5% em 24. De acordo com os dados preliminares divulgados pela EVCA (os finais serão conhecidos em Junho), o investimento total

Leia mais

RESULTADOS DO PRIMEIRO SEMESTRE DE 2015: A COFACE APRESENTA LUCRO DE 66 MILHÕES DE EUROS, APESAR DE UM AUMENTO DE SINISTROS EM PAÍSES EMERGENTES

RESULTADOS DO PRIMEIRO SEMESTRE DE 2015: A COFACE APRESENTA LUCRO DE 66 MILHÕES DE EUROS, APESAR DE UM AUMENTO DE SINISTROS EM PAÍSES EMERGENTES RESULTADOS DO PRIMEIRO SEMESTRE DE 2015: A COFACE APRESENTA LUCRO DE 66 MILHÕES DE EUROS, APESAR DE UM AUMENTO DE SINISTROS EM PAÍSES EMERGENTES Crescimento de volume de negócios: + 5.1% a valores e taxas

Leia mais

SINCOR-SP 2015 AGOSTO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

SINCOR-SP 2015 AGOSTO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS AGOSTO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 Sumário Palavra do presidente... 3 Objetivo... 4 1. Carta de Conjuntura... 5 2. Análise macroeconômica... 6 3. Análise do setor de seguros 3.1. Receita

Leia mais

INSTITUTO POLITÉCNICO DE SETÚBAL

INSTITUTO POLITÉCNICO DE SETÚBAL INSTITUTO POLITÉCNICO DE SETÚBAL ESCOLA SUPERIOR DE CIÊNCIAS EMPRESARIAIS Departamento de Economia e Gestão Gestão da Distribuição e da Logística Gestão de Recursos Humanos Gestão de Sistemas de Informação

Leia mais

Plano Estratégico para a Fileira da Construção 2014-2020

Plano Estratégico para a Fileira da Construção 2014-2020 Plano Estratégico para a Fileira da Construção 2014-2020 1. A EVOLUÇÃO DOS MERCADOS 1.1 - A situação dos mercados registou mudanças profundas a nível interno e externo. 1.2 - As variáveis dos negócios

Leia mais

Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini agosto 2015

Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini agosto 2015 Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini agosto 2015 GESTÃO DO ESTOQUE DE UNIDADES PRONTAS Eco, MBA R.E., Mestre em Eng. Civil, Alfredo Eduardo Abibi Filho Dir. Inc. Jal Empreendimentos

Leia mais

Pesquisa do ManpowerGroup revela declínio nas expectativas de contratações no Brasil

Pesquisa do ManpowerGroup revela declínio nas expectativas de contratações no Brasil EMBARGOED UNTIL TUESDAY JUNE 09, 2015 AT 00.01 EST Pesquisa do ManpowerGroup revela declínio nas expectativas de contratações no Brasil A expectativa de contratação no Brasil chega a -3% para o próximo

Leia mais

Conferência Crescer, um desígnio nacional

Conferência Crescer, um desígnio nacional Conferência Crescer, um desígnio nacional Associação Comercial de Lisboa 20 de Novembro de 2012 EUROGROUP CONSULTING PORTUGAL O ponto de partida devia ser a parte mais pacífica do dia de hoje mas será

Leia mais

Barómetro de Conjuntura inverno 2014/15. Agências de Viagens

Barómetro de Conjuntura inverno 2014/15. Agências de Viagens Barómetro de Conjuntura inverno 2014/15 Agências de Viagens ÍNDICE Sumário Executivo 3 da procura - inverno 2014/15 Portugal - NUTS II Portugal - Principais NUTS II Principais 4 5 6 da procura - verão

Leia mais

Soluções de monitorização e gestão remota para o. Setor das Águas. Business

Soluções de monitorização e gestão remota para o. Setor das Águas. Business Soluções de monitorização e gestão remota para o Setor das Águas Business Água, fonte de vida e de desenvolvimento A água é essencial para a vida humana, para a natureza e para a economia. É um recurso

Leia mais

APRESENTAÇÃO DE RESULTADOS 2012 13 MARÇO 2013

APRESENTAÇÃO DE RESULTADOS 2012 13 MARÇO 2013 APRESENTAÇÃO DE RESULTADOS 2012 13 MARÇO 2013 AGENDA Destaques do ano Desempenho dos negócios e consolidado Desenvolvimentos estratégicos Desafios e prioridades DESTAQUES VOLUME DE NEGÓCIOS: EBITDA RECORRENTE:

Leia mais

A Vortal é uma empresa portuguesa, líder destacada no mercado ibérico de comércio G2B2B (government-to-business-to-business).

A Vortal é uma empresa portuguesa, líder destacada no mercado ibérico de comércio G2B2B (government-to-business-to-business). Uma parceria: A Confidencial Imobiliário é a primeira publicação dirigida ao sector imobiliário, com uma tradição de 20 anos a divulgar os preços do mercado imobiliário Publica a revista Confidencial Imobiliário

Leia mais

BARÓMETRO 2005-2015. Evolução da gestão de frotas nos últimos 10 anos

BARÓMETRO 2005-2015. Evolução da gestão de frotas nos últimos 10 anos BARÓMETRO 2005-2015. Evolução da gestão de frotas nos últimos 10 anos O Corporate Vehicle Observatory (CVO) tem por missão a produção e divulgação de informação relevante e neutra sobre as tendências da

Leia mais

O Financiamento Bancário no Contexto Atual

O Financiamento Bancário no Contexto Atual Seminário: Modelos de Financiamento de Operações Urbanísticas: desafios e oportunidades O Financiamento Bancário no Contexto Atual José Herculano Gonçalves IST Lisboa, 28 Janeiro 2014 Direção de Financiamento

Leia mais

Microcat Authorisation Server (MAS ) Guia do utilizador

Microcat Authorisation Server (MAS ) Guia do utilizador Microcat Authorisation Server (MAS ) Guia do utilizador Índice Introdução... 2 Instalar o Microcat Authorisation Server (MAS)... 3 Configurar o MAS... 4 Opções de licença... 4 Opções de Internet... 5 Gestor

Leia mais

CSHG RECEBIVEIS IMOBILIARIOS FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO FII

CSHG RECEBIVEIS IMOBILIARIOS FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO FII CSHG RECEBIVEIS IMOBILIARIOS FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO FII CNPJ 11.160.521/0001-22 Administradora: Credit Suisse Hedging-Griffo Corretora de Valores S.A. CNPJ: 61.809.182/0001-30 I. Objeto do Fundo

Leia mais

O desemprego como oportunidade Fundo Bem Comum

O desemprego como oportunidade Fundo Bem Comum Working Draft Last Modified 30/01/2007 18:09:06 GMT Standard Time O desemprego como oportunidade Fundo Bem Comum Conferência Mercado Laboral: A responsabilidade social das empresas em tempo de crise OJE

Leia mais

Cortes nas Finanças Pessoais 2014

Cortes nas Finanças Pessoais 2014 Cortes nas Finanças Pessoais 2014 Baker Tilly Janeiro 2014 Audit Tax Outsourcing Consulting Corporate Finance Information Systems An independent member of Baker Tilly International Cortes nas Finanças

Leia mais

CONFERÊNCIA DISTRIBUIÇÃO DE SEGUROS E PRODUTOS FINANCEIROS FERNANDO FARIA DE OLIVEIRA

CONFERÊNCIA DISTRIBUIÇÃO DE SEGUROS E PRODUTOS FINANCEIROS FERNANDO FARIA DE OLIVEIRA CONFERÊNCIA DISTRIBUIÇÃO DE SEGUROS E PRODUTOS FINANCEIROS FERNANDO FARIA DE OLIVEIRA 28 de Novembro de 2014 AGENDA FUNÇÕES DA BANCA E DOS SEGUROS BANCASSURANCE E ASSURBANK RACIONAL E CONDICIONANTES EVOLUÇÃO

Leia mais

EMBRAER ANUNCIA PERSPECTIVAS DE LONGO PRAZO PARA AVIAÇÃO Estimativas de demanda mundial abrangem os mercados de jatos comerciais e executivos

EMBRAER ANUNCIA PERSPECTIVAS DE LONGO PRAZO PARA AVIAÇÃO Estimativas de demanda mundial abrangem os mercados de jatos comerciais e executivos EMBRAER ANUNCIA PERSPECTIVAS DE LONGO PRAZO PARA AVIAÇÃO Estimativas de demanda mundial abrangem os mercados de jatos comerciais e executivos São José dos Campos, 7 de novembro de 2008 A Embraer (BOVESPA:

Leia mais

MARKETBEAT PORTUGAL PRIMAVERA 2015. CRESCIMENTO DA ECONOMIA Economia. Uma publicação Cushman & Wakefield. Uma publicação Cushman & Wakefield

MARKETBEAT PORTUGAL PRIMAVERA 2015. CRESCIMENTO DA ECONOMIA Economia. Uma publicação Cushman & Wakefield. Uma publicação Cushman & Wakefield MARKETBEAT PORTUGAL PRIMAVERA 215 ART S BUSINESS & HOTEL CENTRE - LISBOA CRESCIMENTO DA ECONOMIA Economia As mais recentes projeções do Banco de Portugal para o período entre 214 e 216 apontam para uma

Leia mais