Manuaes para o desenviolvimento

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Manuaes para o desenviolvimento"

Transcrição

1 Formação sobre control biologico das pragas Proyecto: Apoio a Promoção da Soberanía alimentar e a Medicina tradicional com Equidade de Genero nas Regiões de Oio, Cacheu e Bafatá (Guinea Bissau) (PR803D 17 /2012)

2 A maquetación deste manual realizouse integramente con software libre. Confederaçao camponesa KAFODjalicunda - Rexión de Oio Guinea Bissau WEB : SODePAZ Galicia Rúa da Rosa, 36 Baixo Santiago de Compostela Imagens KAFO SODEPAZ uerrera blog.cosechando.es Atribución 2.0 Vostede é libre de: copiar, distribuír e comunicar publicamente a obra e facer obras derivadas. Baixo as condicións seguintes: Recoñecemento - Debe recoñecer os créditos da obra do xeito especificado polo autor ou o licenciador (pero non dun xeito que suxira que ten o seu apoio ou apoian o uso que fai da súa obra) Non comercial - Non pode utilizar esta obra para fins comerciais. Ao reutilizar ou distribuír a obra, ten que deixar ben claro os termos da licenza desta obra. Algunha destas condicións pode non aplicarse se se obtén o permiso do titular dos dereitos de autor Os dereitos derivados de usos lexítimos ou outras limitacións non se ven afectados polo anterior. os autores/as

3 Formação sobre control biologico das pragas

4 Índice 1. INTRODUÇÃO CONTROL ORGÁNICO DE PRAGAS E DOENÇAS IMPLEMENTAÇÃO...22

5 1. INTRODUÇÃO 1.1. Seguranza alimentar/soberania alimentar Segurança alimentar é um conjunto de normas de ter acesso ao alimento através de produção, transporte e armazenamento de alimentos visando determinadas características físico-químicas, microbiológicas padronizadas, segundo as quais os alimentos seriam adequados ao consumo. Soberania alimentar é o direito dos povos, comunidades e países a definirem as suas próprias políticas agrícolas, gestão e controlo de agua, pecuárias, laborais, de pesca, alimentares de forma a serem ecológica, social, económica e culturalmente apropriadas às suas circunstâncias exclusivas. A soberanía alimentaria da prioridade as economías locais e aos mercados locais e nacionais e otorga o poder aos /as camponeses/as e á agricultura familiar, a pesca artesanal e ao pastoricia tradicional; coloca a produção alimentaria, a distribução e o consumo sobre a base da sostenibilidade (que interrelaciona ao ambiental com o social e o económico). Ofrece uma estrategía para resistir e desmantelar o comercio libre e corporativo e o régimen alimentario actual, para encauzar aos sistemas alimentarios, agrícolas, pastoriles e de pesca para que pasen a estar gestionados pelos produtores locais.

6 1.2. Legislação guinense sobre seguranza alimentar ntar A.- Constitução de Guinea Bissau: A Constituição é também chamada constituição da república, é lei fundamental, lei suprema, lei das leis, lei maior, carta magna, carta mãe. Concretamente, além de ser a lei básica do Estado (perspectiva jurídica), a Constituição é também a norma fundamental ordenadora e conformadora da vida social(perspectiva sociopolítica), em cujo âmbito se formulam os fins sociais onde, afinal, se ordena o processo político como um todo. A Constituição é, pois, o conjunto de normas estruturais de uma dada sociedade política. B.- Lei de terra (lei 5/98 de 28 de Abril ): O artigo 4º epigrafado como Do uso da terra reconhece a todos os cidadãos o direito de uso privativo da terra, sem discriminação de sexo, de origem social ou de proveniência dentro do território nacional. A Lei da Terra cinge igualmente sobre os aspectos da sustentabilidade de utilização da terra. Assim na al. c) do seu artigo 5º dispõe que a utilização dos solos tomará em consideração a multiplicidade das suas funções ecológicas e a sua consideração como recurso limitado. O que equivale dizer, que a exploração da terra deve ser feita de tal maneira que ela sirva não somente as pessoas hoje, mas, também que possa servir as pessoas amanhã. A Lei da Terra chama a si a preocupação legal sobre a segurança alimentar ao preceituar no nº1 do artigo 20º quanto à exploração das terras no regime do uso consuetudinário que nas terras sujeitas às regras de uso consuetudinário, utilizadas e geridas de acordo com as práticas tradicionais, procurar-se-á sempre uma gestão racional e equilibrada dos recursos e a satisfação das necessidades básicas das populações. C.-Lei de Florestas (lei 4-A/92 DE 17 de setembro de 2012)

7 A Lei Florestal tende a proteger as florestas como património nacional, mais um bem público Legislação guinense sobre seguranza alimentar (continuação) As florestas são fonte para a procura de alimentos, medicamentos tradicionais, matéria-prima para o artesanato caseiro, material de construção de casas, cerimónias de fanado, fonte de arranjar dinheiro a través de atividades geradoras de rendimento económico com por exemplo, transformação e comercialização de produtos frutais silvestres a través de sumo, compotas, a queima de carvão para a venda etc Cultivos sano, terra e saudé humana É de urgencia tomar medidas meio ambientáis que parem o deterioro de o chão, que promovam o seu uso correcto a través de planos e programas que elaborem produtos de consumo sas, sem contaminantes que afectem a saudé e ao meio ambiente. O importante depois de todo, é consumir o que producimos e pódenos oforecer a natureza de forma optima Biodiversidade e respeito á Natureza Biodiversidade e pragas: Conceito de biodiversidade: Variabilidade de organismos vivos de qualquer fonte, incluidos, entre outras coisas, os ecosistemas terrestres e marinos e outros tipos de ecosistemas acuáticos e os complexos ecológicos dos que forman parte; comprende a

8 diversidade dentro de cada especie, entre as especies e dos ecosistemas.(segúm o Convenio sobre a Diversidad Biológica de Naciones Unidas). A biodiversidade é o conjunto de seres vivos que formam a Terra (animais, plantas, fungos, bacterias...)e o conjunto de elementos não vivos que permitem súa existencia cascalho, areia, agua...). Todos estos elementos interactúan entre sí formando uma complexa rede inter ligada entre eles. É por todo isso que cada especie existente dentro da Natureza e imprescindivél, ate aquélas que são aparentemente agresivos, e não devem ser eliminadas. Não obstante, em ocasiões produzem um grande aumento da população de uma determinada especie, a qual vem a atacar os cultivos provocando grandes danos. É então quando podemos falar de praga sendo assim precisso definir mecanismos de prevenção e luta contra a mesma. A biodiversidade é a variedade e a interdependencia de todas as formas de vida dependemos de ela em cada aspecto da nossa existencia. Pelo que as populações em expanssão e a crecente riqueza estão ameaçando a biodiversidade de mouitos ecosistemas sensiveis e ricos. O respeito pela naturaleza é inseparavel da atitude das pessoas com o mundo. As florestas comunitarias são formas de vida onde a biodiversidade é respetada e protegida. 2. CONTROL ORGÁNICO DE PRAGAS E DOENÇAS 2.1. Definição de agricultura orgánica / natural / biológica: A agricultura ecológica u orgánica é aquélla que fai uso de iuma

9 forma optima dos recursos naturais, a través de prácticas agricolas ou agroindustriais que sieguem um proceso saudavçel e sem danos ao meio ambiente. É por tudo isso que não permite a utilização de qualquera tipo de produto químico ou genéticamente modificado. A aplicação de produtos químicos aos cultivos tem demostrado provocar problemas medioambientais e sobre a saúde humana, ademais de conducir á degradacção do mesmo chao que mantem os cultivos. A agricultura ecológica não é mais que a volta a agricultura tradicional, que consiste em querer revalorizar o simple e sabio que aporta a natureza, assim como ressalatar a imposibilidade de productividade infinitas. Deste modo, pelos beneficios que supon a meio-longo prazo, a agricultura tradicional ou ecológica tem se convertido em um fenómeno que actualmente está experimentado um importante crecemento em todo o mundo, sendo considerado não só um xeito de proteger e coidar ao entorno natural, senão tambem de coidar a saude humana Diferenças entre controlo de plagas biológico e químico O que é o tratamento natural? Tratamento natural é o tratamento feito com produtos naturais, que podemos obter na própria tabanca (por ejemplo palha, bosta,cinza para compostagem biologico e bisilão, neem,tabaco,malagueta para control de plagas etc ). O que é tratamento químico?

10 Tratamento químico é o tratamento feito com produtos sintéticos produzidos em industrias. Os produtos químicos são importados. A.-Gasto económico: O controlo de pragas biológico e más barato que o químico, pudendo ser considerado gratuito, visto que se realiza a partir de mateariais na aldeia e mediante processos sensiveis. B.-Abordagem dos trabalhos agrícolas: O controlo orgánico é uma actividade em que vinculam uma serie de elementos, que vao desde la conduta humana, a saude humana, e manejo correcto das ferramentas e maneira da rega, respeitado a direçao do vento, e desenho da horta o sembradío e sobre tudo o conhecimento das receitas ancestrais que nao prejudicam em absoluto a salude humana. C.-Grau de eliminação das pragas: As especies que lleva suponer una plaga forman parte del equilibrio global del sistema natural, el control orgánico, a diferencia del control químico, no busca eliminar completamente sua poblacao, se nao baixar seus niveies populacional ate que nao resultem perjuizos para os cultivos. D.-Resistencia das pragas: O uso continuado de praguicidas cria resistencia dos insectos porque o producto, em cada ano que passa as praguicida químico deixam de ser efectivo. Com os mecanismos de control biológico ocurre o mesmo, pelo que este pode ser evitado com uso combinado e alternado de varios métodos biológicos. E.-Degradação do terreno: Em a agricultura orgánica, o aspecto mais importante para o uso de pragas é o mantenimento de a fertilidade do chão (a través de técnicas de laboreo, abonos verdes, compost, rotações e asociações de prantas). Sem embargo, a contaminação do chão pela utilização continuada de productos

11 químicos faz que dita fertilidad disminue com o passo do tempo, reducindo así a productividade. F.-Impactos em os productos agrícolas: Os productos químicos afectan ao desenvolvimento vegetativo da pranta,tanto o seu crecemento como o seu porte que se desarrollo vegetativo de la planta, tanto su crecimiento como su porte que se aprecia totalmente dañado. G.-Contaminação: O uso de produtos químicos contamina as aguas naturais debido a chuvas ou riegos, que arrastran estos productos e acabam em os ríos, lagos, aguas subterráneas e mares. H.-Impacto sobre a saúde humana: Os produtos químicos perjudican a saúde humana de forma direta, ja que permanecen em os frutos que serám ingeridos pelas pessoas, transformándose depois em o organismo. Tambem som perjudiciais á saúde pelo contacto físico, ja que os productos químicos reaccionão com a pel, e por inhalação, afectando ao aparato respiratorio. Por ejemplo, em mulheres embarazadas os productos tóxicos provocam danos em ela mesma e em os bebés em formação, mentras que em os homens afectão principalmente pulmons e sistema reproductor. Em os casos mais graves, a exposição elevada a productos químicos pode conducir á morte. 3. IMPLEMENTAÇÃO

12 3.1. Recomendações gerais para o control de pragas Selecção de sementes: -Origem conhecido: melhor conhecemento de as sementes -Origem local: sementes de origem locais adaptadas ao medio -Variedades resistentes: mais fortes ante as inclemencias climaticas -Variedades não modificadas geneticamente Localização e orientação Proximidade da água Proximidade da habitaçao Calidade do solo Relevo Exposiçao au sol Exposiçao o vento Superficie cultivável Desenho da sembra Sucessão de cultivos A sucessão de cultivos permite aproveitar melhor o espaço disponivél, combinando hortalizas de ciclo longo com outras de ciclo medio ou curto. Mentras as primeiras se van desarrollando, podemos recoger la siembra de las segundas. Asociações de cultivos

13 É uma práctica fundamental em agricultura ecológica que consiste em combinar cultivos buscando a proteção frente a pragas, así como o aproveitamento dos recursos (agua, luz ou nutrientes). As asociações positivas podem producirse entre hortalizas moi diferentes. Debe evitarse colocar os cultivos mais propensos a adquirir pragas e/ou enfermidades (tomate, djagatú...). Éstos deben ficar colocados sempre em os extremos da area a plantar. Cultivo de plantas aromáticas e medicinais A presença e disposição de prantas aromáticas e florais junto aos vegetais e frutais é outro dos secretos da horta orgánica. Tanto as aromáticas como as flores som apreciados em a horta pelos suas propiedades decorativas, culinarias, medicinais e pelo seu efecto benéfico em a asociação com outras prantas. Os sus aromas e cores atraen aos insectos benéficos e assustam aos que são daninos Rega A agua nunca debe ir a favor da pendente pois de essa forma seria um meio eficaz para a propagação de pragas ou bem, trabalhar um sistema de curvas de nivel e sempre aporcar os cultivos por dois(2) razoês: proteção do sistema radicular e proteção de pragas ou doenças Higiene laboral Do terreno: preparação do terreno O terreno deve ser preparado (lavrado, gradeado), antes da sementeira ou transplantação. Esta pratica pode ser feita manualmente com a ajuda duma enxada, tractor ou bois (tracção animal). Do/da camponês/camponesa: Toda pessoa que trabalha em a horta ou área agrícola deve estar em boas condições de saude, ja que o trabalho de campo implica, de por si, um desgaste maiúsculo em o balance químico do ser humano. É por isso que debe ingresar ao trabalho previo ter consumido alimentos energéticos e portar agua em abundancia.

14 Equipos e ferramentas: Todos os equipos, utensilios e ferramentas empleados em as labores de campo, colheita e pos colheita deben ser revisados e mantidos em boas condições. Para esto debe-se contar com um programa de manutanção preventivo e de calibração, conforme com os requerimentos de cada um de eles. Dos Productos: Todo producto deposi da colheita em a horta, debe ser retirado de forma rápida, e protegido contra condições adversas a súa conservação e para prevenir a contaminação Uso de animais predadores Moitos animais pequenos alimentan-se de insectos que podem convertirse em pragas. Para por um ejemplo, os sapos podem comermiles de insectos ao mes, incluindo as larvas de oruga,as babosas,as formigas e as orugas. As aranhas comen moitos insectos que são pragas e as cobrascomen aos roedores. Algunhas aves comen ás pragas de insectos, e alguns insectoscomen outros insectos Floração parcial de os nosos cultivos Se, a pesar do anterior, o cultivo esta afectado por algunha praga ou doença,pode-se deixar florecer algunha pranta do nosso cultivo (ej: apio, perejil...). As flores atraerão insectos benéficos para a horta, os quais se alimentaram de as pragas que afectam aos cultivos Identificação de pragas e enfermedades

15 Antes de decidir qual método de control de pragas utilizar, é importante aprender sobre a praga. Sería um erro estar a gastar tempo e dinheiro para controlar um insecto ou um animal quando não está a danar a planta. 1. Identificação da praga: Por ejemplo, se há buracos em as folhas, éprecisso observar á pranta diferentes horas do día e da noite para poer olhar a praga em ação.falar com outros camponeses/as para obter informação quando seja precisso. 2. Conocimiento de la plaga: Aprenda sobre o seu ciclo de vida,a súa alimentação e os seus enemigos naturais.em muitas ocassiões,há uma etapta em o ciclo de que é mais fácil controlar a praga(por ej.eliminar os ovos antes de que nazcan os insectos). 3. Seguimento da praga: A praga aparece em uma estação do ano determinada?está presente em toda a pranta ou cultivo ou unicamente em certas partes?a praga esta aumentando ou disminue a quantidade? 4. Planificação da ação a emprender: Lembrar que todos os insectos dão parte do meio ambiente natural e debemos tratar de não entorpecer o equilibrio natural ao menos que seja necesario.

16 1.-Ácaros (arachas Tetranychus Sp.) Definição: Atacam grande número de culturas, mas principalmente a beringela, o djagatu e o feijão Danos: Aparecem no lado inferior das folhas e são geralmente de cor vermelhas, as vezes podem ser de cor verde ou laranja, Os ovos de cor amarela podem ver-se no lado inferior das folhas. Nas plantas atacadas as folhas ficam cobertas de pequenas manchas amarelas, Quanto os ataques são fortes as folhas ficam prateadas. Tratamentos: Nivaquina (Neem) - Tabaco Sabão

17 2.-Afideos (pulgão Ou Piolho, Aphis Gossypii, Myzus Persicae) Definição: Atacam grande numero de culturas, mas principalmente curcubitaceas (pepino, melão, ) diagatu, tomate e pimento. Aparecem em grupos no lado inferior das folhas, nos rebentos e botões florais. Danos: Os afideos sugam a seiva das plantas, as folhas ficam enrugadas e deformadas. Ademais, os afideos podem transmitir vírus. Tratamento: Malagueta Nivaquina (Neem) Tabaco Sabão

18 3.-Jassides Definição: Atacam principalmente Beringela, djagatu, candja e tomate. Estes insectos são de cor verdes clara e encontram-se no lado inferior das folhas. Danos: As folhas começam a amarelecer nos bordos e entre as nervuras, mais tarde enrolam nos bordos. Em ataques fortes as folhas ficam castanhas e enegrecem. Tratamentos: Cobrir os canteiros com palha Tabaco Nivaquina (Neem)

19 4.-Lagarta Rotis (Agrotis Sp., Etc.) Definição: São muito numerosas as espécies de lagartas que podem atacar a horta. Atacam mais frequentemente a malagueta, a pimenta, a alface e a couve. As lagartas podem ser encontradas durante o dia, enroladas sobre si, no solo junto ao pé das plantas atacadas. Estas lagartas têm cor cinzenta escura. Danos: cortam os caules das plantas junto ao solo. Tratamentos: Tabaco Malagueta Nivaquina cobrir o solo com cinza

20 5.-Lagarta Mineira (Plutella Sp.) Definição: Ataca principalmente Tomate e couve. Danos: São de cor verde e escavam túneis no interior das folhas. Tratamento: Nivaquina Tabaco Malagueta

21 6.-Lagarta Dos Frutos (Heliothis Armigera) Definição: Esta lagarta tem cor verde clara ou castanho escura e apresenta riscas ao longo do corpo. Ataca principalmente o tomate e pimenta, também ataca o feijão, a alface e a candja. Danos: As lagartas atacam principalmente os frutos escavando buracos no seu interior. Os frutos apodrecem e caiem. Tratamento: Nivaquina Tabaco Malagueta

22 7.-Mosca Branca Definição: Ataca Curcubitaceas (pepino, melão, ), tomate, beringela, feijão e batata doce. Danos: Este insecto de pequeno tamanho suga a seiva da planta. A planta torna-se fraca e morre. Esta mosca pode transmitir vírus a planta atacada Tratamento: Tabaco Nivaquina

23 8.-Mosca Da Fruta (Ceratitis Capitata, Dacus Sp.) Definição: Ataca malagueta, tomate, pimenta, melão, pepino. Danos: As larvas da mosca perfuram os frutos e causam o seu apodrecimento. Os frutos caiem antes de amadurecer. Tratamento: Tabaco Nivaquina Colher os frutos atacados e enterrá-los.

24 9.-Tripés (Thrips Tabaci) Definição: Os tripés são insectos muito pequenos de cor escura e podem-se ver no lado interno das folhas. Os ataques de tripés são muito frequentes na cebola. Também surgem ataques na pimenta, malagueta e melão. Danos: Causa o amarelecimento das pontas das folhas da cebola. Observam-se pequenos pontos negros sobre as folhas, que são os excrementos dos insectos. Ademais, os tripés podem transmitir viroses. Tratamento: Nivaquina Tabaco Sabão

25 10.-Fungos: Mildeo Definição: Ataca mais frequentemente a couve e as curcubitaceas (melão, melancia e pepino). Danos: Nas folhas surgem manchas amarelas irregulares. As folhas murcham e morrem. Tratamento:Semente de Neem apilada e mezclada com a terra.

26 11.-Fungos: Oideos Definição: Atacam principalmente as curcubitaceas e candja, Danos: Nas folhas aparecem manchas brancas semelhantes a pó de talco. As folhas murcham e morrem. Tratamento: Semente de Neem apilada e mezclada com a terra.

27 12.-Fungos: Ferrugem Definição: Ataca principalmente o feijão, a beringela e o djagatu. Danos: Surgem nas folhas pequenas manchas de cor amarela, que ficam cobertas de esporos de cor alaranjada. As folhas murcham e caiem. Tratamento: Folha de Neem

28 13.-BagaBaga Definição: inseto sociais que mora no grandes colônias. A maioria das especies de baga-baga são inofensivas, mais algumas podem ocasionar importantes danos em o cultivos agrícolas, ademais de em a madera. São de pequeno tamanho e cor variavel (branco-negro); algumas tenhem alas; algumas tenhem olhos e outras são cegas. Dano: Podem atacar uma gran variedade de cultivos, como arroz, mandioca, mancara, palma (palmera de cocos), sorgho, nhame, pé di mango, frizon, palma (palmera de aceite), canha de azúcar. Tratamento: Bisilon.

29 14.-Coleopteros Definição: insecto alado com armadura, com seis(6) patas e aparato masticador grande. Grande variedade de formas, cores e tamanhos. Dano: Algumas especies podem provocar danos em a madeira, em prantas jóvenes, em cultivos de batata, algodão, palmeras, mandioca, soja... e tambem em as colmenas de bagueras. Tratamento: Malagueta + sabão

30 15.-Formigas Definição: Insecto social que vive em colonias, com seis (6) patas, corpo segmentado e de cores normalmente oscuros. Algunhas tenhem alas em uma época do ano. Dano: A maioría de especies são beneficiosas para os cultivos, pero algumas podem provocar danos indirectos por favorecer a existencia de outras especies perjudicais para os cultivos, como por ejemplo o pulgón. Algumas formigas tambem podem devorar as folhas de os cultivos, por ejemplo de mandioca. Tratamento: Tabaco,folha de neem Malagueta + sabao malagueta - azúcar + ajenjo + tanaceto + tomate.

31 16.-Gafanhotos Definição: insecto de grande tamanho, com seis(6) patas (as 2 traseras moi longas) e grande aparato masticador. Salta e voa, poidendo constituir grandes pragas.o seu color normalmente é marrón ou verde. Danos: quando formão enjambres podem devorar rápidamente cultivos completos. Podem atacar a cuasi todos os tipos de cultivos. Tratamento: Alho Nim - Piri-piri + sabao

32 17.-Lesmas Definição: molusco alargado e de corpo brando, de 1 a 15 cm, e que crea uma secreção ao despalazarse. Danos: em as folhas de cultivos hortícolas e frutais. Tratamento: Sal cerveza

33 18.-Mildio Definição: fungo que provoca o crecemento de pelusa branco-grisácea em o revés das folhas e manchas amarelas-marronáceas em o haz direito. Danos: produce doenças em as folhas,talhos,troncos e remas,especialmente em cultivos hortícolas. Tratamento: Tabaco + sabão cinza papaia mistura de plantas

34 19.-Minador Das Folhas Definição: larva. Danos: produze enfermidades em cultivos especialmente de batatas, etc. Tratamento: Tabaco + sabão.

35 20.-Murcha Bacteriana Definição: bacteria natural do chão que pode provocar doenças vasculares. Danos: pode atacar a gram variedade de cultivos, como pementa, banana, gengibre, cacahuete... Tratamento: Alho.

36 21.-Nematódos Definição: gusanos de moi pequeno tamanho (menos de 1mm).Pode descubrirse pela aparição de nudosidades e outras malformações.vive onde os chãos soa húmedos. Danos: chupam a savia de as prantas disminuindo a súa vitalidade. Puedem atacar as raíces, folhas e tronco. Tratamento: Nim Piri-piri - Tabaco Cinza.

37 22.-Oidio Definição: fungo que ataca as folhas,os frutos,as ramas e os brotes de as prantas,cubrindose de um polvo branco. Danos: produce o retorcimento de as folhas,a deformação de os brotes e a falta de floração,e debilita a pranta ate mata-la.ataca principalmente a calabaza,pepino e tomate. Tratamento: cinza Mistura de plantas.

38 23.-Viroses Definição: são invisiveis ao olho humano e só podem vivir dentro de outro ser vivo.expandense com muita rapidez. Danos: producem distintas doençãs e podem aparecer em qualquera pranta. Tratamento: Malagueta + sabão.

39 24.-Virus Do Mosaico Definição: tipo de virus que forma manchas amarillentas ou verde claro. Danos: impiden o crecemento de as plantas producindo a sua degeneração e morte. Tratamento: Urina de vaca.

40 25.-Pulgones Definição: insecto de pequeno tamanho. Pode provocar que as folhas fiquen enroladas e estem pegajosas, e normalmente sitúanse em os brotes tiernos.também pode descubrirse por producir manchar amarelas ou verde pálido. Danos: provoca o debilitamento de a planta. Aparecem em grande quantidade de cultivos, como alface,pemento,cereais... Tratamento: Cebola Nim Piri-piri Mistura.

41 26.-Percevejo Verde Definição: insecto de pequeno tamanho e cor verde ou marrão, com seis(6) patas e grandes antenas e corpo duro. Danos: Deformação de as plantas, problemas de crecemento, transmissão de doneças.. Tratamento: Nim.

42 3.3.Aplicação do tratamento especifico: Como fazer a aplicação dos tratamentos: Antes de aplicar o tratamento: Retirar os frutos atacados Arrancar as plantas muito atacadas Retirar os insectos visíveis Aplicar produto com vassoura (ou pulverizador): Mergulhar a vassoura no líquido e sacudir sobre as parte atacadas das plantas Molhar bem a planta com o líquido Se a infestação for grave fazer 2 tratamentos durante a semana Controlar o resultado dos tratamentos Repetir os tratamento se necessário

43

44 Elaboração de fitosanitarios biologicos com prantas locais: 1.-Neem (Nivakina)

45

46

47

48 2.-Malagueta 3.-Tabaco

49

50 4.-Bisilon Manuaes para o desenviolvimento

51 Tratamento especifico por praga PLAGA REMEDIOS Acaros 8 Kg/m de tierra 1) Nivaquina: 4 canecas de folhas de nivaquina pilada 1) Nivaquina: 4 canecas de folhas de nivaquina pilada litros de agua + 5 litros de agua Preparação: Colocar as folhas piladas em 5 litros de agua Deixar uma noite Coar com o pano Juntar mais 5 litros de agua

52 PLAGA ACAROS REMEDIOS 2) Tabaco: 3 folhas de tabaco ½ pedaço de sabão 4 litros de agua + 15 litros de agua Preparação: Cortar as folhas de tabaco em pedaços Cortar o sabão em pedaços Misturar o tabaco com o sabão em 4 litros de agua Ferver tudo durante 30 minutos Deixar arrefecer Coar com o pano Juntar mais 15 litros de agua ATENÇÃO!!! O TABACO É MUITO TOXICO, POR ISSO AS FOLHAS E FRUTOS TRATADOS NÃO PODEM SER COLHIDOS DURANTE 4 DIAS 3) Mistura: Aceite de Parafina, Jabón de Potasa, Infusión de Ortigas, Infusión de Ajenjo e Infusión de Ajo 4) Urina de vaca: Deixar ao sol durante 2 semanas. Diluir ml de urina en 20 L de agua. Pulverizar. 5) Folhas de mangueira ou goiabeira: uma certa quantidade de folhas piladas em 10L de água. Filtrar antes de utilizar.

53 PLAGA AFIDIOS REMEDIOS 1) Malagueta + sabao: 1 mão cheia de malagueta 1 pedaço de sabão (o mais pequeno há venda no mercado) 1 litro de agua + 5 litros de agua Preparação: Pilar a malagueta Cortar o sabão em pedaços Misturar bem a malagueta com o sabão em 1 litro de aua Deixar uma noite Juntar mais 5 litros de agua Coar com um pano 3) Mistura: Aceite de Parafina, Jabón de Potasa, Infusión de Ortigas, Infusión de Ajenjo e Infusión de Ajo2) Nivaquina: 4 canecas de folhas de nivaquina pilada litros de agua + 5 litros de agua Preparação: Colocar as folhas piladas em 5 litros de agua Deixar uma noite Coar com o pano Juntar mais 5 litros de agua

54 PLAGA REMEDIOS 3) Alho: Pilar 4 cabecas de alho, diluir em 10 L de agua. AFIDIOS 4) Urina de vaca: Deixar ao sol durante 2 semanas. Diluir ml de urina en 20 L de agua. Pulverizar. 5) Tabaco + sabao: Ferver 3 folhas de tabaco em 4L de água + 1 pedaço de sabao durante 30 minutos. Deixar arrefecer e filtrar. Acrescentar 15L de água antes de utilizar. 6) Manguiera ou golabeira: uma certa quantidade de folhas de manguiera ou golabeira piladas em 10 L de agua. 7) Malagueta: 5 Malguetas por litro de agua. 8) Malagueta + sabao: Misturar 1L de água + uma pequena quantidade de malagueta pilada + 1 pedaço de sabao. Deixar em repouso durante a noite. Acrescentar 5 L de água antes da sua 9) Alho: Pilar 4 cabeças de alho, diluir em 10L de água. Tratar após a rega.

55 PLAGA REMEDIOS 10) Nim (folhas): Mixturar em 5L de agua 4 canecas de folhas de nim pilado. Deixar em repouso durante a noite. Filtrar e acrecentar mais 10L de agua antes da utilizaçao. AFIDIOS 11) Nim (sementes): 500 g de semente de nim piladas + 10 L de agua. Deixar em repouso durante a noite. Filtrar antes da utilizaçao. 12) Mangueira ou goiabeira: folhas de mangueira ou goiabeira: uma certa quantidade de folhas piladas em 10L de água. Filtrar antes de utilizar. 13) Sabao: utilizar água de lavar roupa que tem sabao.

56 PLAGA REMEDIOS 1) Malagueta + sabao: 1 mão cheia de malagueta 1 pedaço de sabão (o mais pequeno há venda no mercado) 1 litro de agua + 5 litros de agua Preparação: Formigas Pilar a malagueta Cortar o sabão em pedaços Misturar bem a malagueta com o sabão em 1 litro de aua Deixar uma noite Juntar mais 5 litros de agua Coar com um pano 2) Malagueta: 5 Malguetas por litro de agua 3) Mistura: Azúcar, Inifusión de Ajenjo, Infusión de Tanaceto e Infusión de Tomate

57 PLAGA REMEDIOS Fungus 1) Alho: Pilar 4 cabeças de alho, diluir em 10L de água. Tratar após a rega. PLAGA REMEDIOS 1) Alho+sabao: 20 dentes de alho Sabão liquido para lavar a louça Uma colher de sopa de azeite Preparação: Amassar os 20 dentes de alho picado Insectos maiores Adicionar o azeite e deixar durante 24 horas Adicionar duas colheres de chá desta mistura com duas chávenas de agua (500ml) Adicionar algumas gotas de sabão liquido Agitar e filtrar de novo Diluir o concentrado de 40 colheres de chá para 10 Litros de agua e pulverizar

58 PLAGA REMEDIOS 1) Alho: Pilar 4 cabeças de alho, diluir em 10L de água. Tratar após a rega. 2) Nim (sementas): 500 g de semente de NIM piladas + 10 Lt de agua. Deixa uma noche em repouso Gafanhotos 3) Nim (folhas): Mixturar em 5L de agua 4 canecas de folhas de nim pilado. Deixar em repouso durante a noite. Filtrar e acrecentar mais 10L de agua antes da utilizaçao. 4) Nim + sabao: 1 a 2 Kg de Folhas de Nim apiladas, 3 Lt de agua e 1 polegar de sabáo.. Amassar as folhas mum pilao, depois de bem amassadas colocar num balde e acrescentar 3L de agua, deixar em molho durante 5 horas de tempo e em seguida coe para um outro recipiente. 5) Piri-piri + sabao: 100g de piri piri, 1L de agua, 1.5 L de agua com sabaó. Acrescentar um Lt de agua com um grande punhado de +/100 gr de Piri Piri, deixar descansar uma noite Coar com uma tela fina. Acresentar uma quantidade igual de agua com sabaó.

Alternativas Biológicas para o Combate de Pragas Agrícolas

Alternativas Biológicas para o Combate de Pragas Agrícolas Geramos valor para a Natureza Alternativas Biológicas para o Combate de Pragas Agrícolas Simone Aguiar & Henrique Joaquim Agosto, 2014 MUSAMI Operações Municipais do Ambiente, EIM, SA Índice Agricultura

Leia mais

1. Manejo da Horta e Prevenção de Pragas

1. Manejo da Horta e Prevenção de Pragas 1. Manejo da Horta e Prevenção de Pragas Em agricultura orgânica sempre se busca o equilíbrio ecológico e a prevenção de problemas que afetam a saúde das plantas. Através do uso de algumas técnicas simples

Leia mais

9.5 PRINCIPAIS PRAGAS E DOENÇAS DO FEIJOEIRO

9.5 PRINCIPAIS PRAGAS E DOENÇAS DO FEIJOEIRO 9.5 PRINCIPAIS PRAGAS E DOENÇAS DO FEIJOEIRO 9.5.1 Controle de Pragas PRINCIPAIS PRAGAS -Lagarta elasmo -Vaquinhas - Mosca branca -Ácaro branco -Carunchos LAGARTA ELASMO Feijão da seca aumento da população

Leia mais

Principais pragas das hortaliças e perspectivas de controle biológico. Terezinha Monteiro dos Santos Cividanes Pesquisador Científico APTA/SAA - SP

Principais pragas das hortaliças e perspectivas de controle biológico. Terezinha Monteiro dos Santos Cividanes Pesquisador Científico APTA/SAA - SP Principais pragas das hortaliças e perspectivas de controle biológico Terezinha Monteiro dos Santos Cividanes Pesquisador Científico APTA/SAA - SP Plantas cultivadas em sistema de aquaponia Alface Cebolinha

Leia mais

Reciclagem de Lixo. 38 Introdução a Reciclagem. Saneamento ecológico. Reciclagem 38 - Introdução a Reciclagem

Reciclagem de Lixo. 38 Introdução a Reciclagem. Saneamento ecológico. Reciclagem 38 - Introdução a Reciclagem Reciclagem 38 - Introdução a Reciclagem 99 5 Reciclagem de Lixo 38 Introdução a Reciclagem Neste capítulo vamos tratar dois tipos de reciclagem: a reciclagem de nutrientes através de saneamento ecológico,

Leia mais

Manual Formação em sistemas de gestão de sementes e melhora de condição de conservação

Manual Formação em sistemas de gestão de sementes e melhora de condição de conservação Manual Formação em sistemas de gestão de sementes e melhora de condição de conservação Proyecto: Apoio a Promoção da Soberanía alimentar e a Medicina tradicional com Equidade de Genero nas Regiões de Oio,

Leia mais

Manual sobre técnicas preservação de sementes e vulgarização de sementes tradicionais conservadas

Manual sobre técnicas preservação de sementes e vulgarização de sementes tradicionais conservadas Manual sobre técnicas preservação de sementes e vulgarização de sementes tradicionais conservadas Proyecto: Apoio a Promoção da Soberanía alimentar e a Medicina tradicional com Equidade de Genero nas Regiões

Leia mais

CUIDADO COM AS PLANTAS PRAGAS E DOENÇAS IDENTIFICAÇÃO E CONTROLE

CUIDADO COM AS PLANTAS PRAGAS E DOENÇAS IDENTIFICAÇÃO E CONTROLE 19 CUIDADO COM AS PLANTAS Nesse ponto cabe observar que plantas nutridas, bem adubadas, com irrigação adequada, com boa insolação e bem ambientadas são plantas sadias e não dão chances às pragas. Outro

Leia mais

www.500receitasparaemagrecer.com.br

www.500receitasparaemagrecer.com.br Olá, Querido (a) amigo (a), É com imenso prazer que trago para você este guia prático e fácil para ajuda-lo na tarefa árdua que é perder peso e principalmente mantêlo. O que dificulta muitas vezes manter

Leia mais

-./*0(1(21&1'#"0(31#*4(

-./*0(1(21&1'#0(31#*4( -./*0(1(21&1#"0(31#*4( 5/"6$17"(+1(8*$/"(0".+9:1;(!"#$%&"()*$+,*( ! "#$%&!!()*+,&!-+%.! /$,012,!3!4%1$,!&,#3567!!!!!! 8,+19)*,!:%13;%! ÍNDICE!"#$!%&%&(&)*+!%,&*$-% INTRODUÇÃO MODO DE EMPREGO SUMOS 1. Sumo

Leia mais

Plantas a cultivar. Pragas e doenças

Plantas a cultivar. Pragas e doenças a a Abóbora Afídios, cochonilhas Chicória, feijão verde Alface -Junho Pulgão, lagarta, tesourinha Alho francês Maio septoriose, cercosporiose Sclerotinia, míldio, vírus do mosaico. Aipo, cebola, cenoura,

Leia mais

Projeto 10.000 Hortas na á frica. Métodos naturais de defesa

Projeto 10.000 Hortas na á frica. Métodos naturais de defesa Projeto 10.000 Hortas na á frica Métodos naturais de defesa w w w. s l o w f o o d f o u n d a t i o n. c o m Porque escolher métodos naturais de defesa Para defender as hortas das adversidades (patologias

Leia mais

BOAS PRÁTICAS. Fonte: Manual Boas Práticas Agrícolas para a Agricultura Familiar http://rlc.fao.org/es/agricultura/bpa

BOAS PRÁTICAS. Fonte: Manual Boas Práticas Agrícolas para a Agricultura Familiar http://rlc.fao.org/es/agricultura/bpa BOAS PRÁTICAS AGRÍCOLAS Fonte: Manual Boas Práticas Agrícolas para a Agricultura Familiar http://rlc.fao.org/es/agricultura/bpa O QUE SÃO AS BOAS PRÁTICAS AGRÍCOLAS (BPA)? Os consumidores estão cada vez

Leia mais

f a z e r e revolucionar sua alimentação

f a z e r e revolucionar sua alimentação C o m o f a z e r sua horta em casa e revolucionar sua alimentação MANUAL PRÁTICO POR QUE TER UMA HORTA EM CASA? Sabe-se que a alimentação funciona como um combustível, e o organismo responde de acordo

Leia mais

Programa 5 ao Dia. Faz Crescer com Energia. O que conta como uma porção para o 5 ao Dia? Mercado Abastecedor da Região de Évora, S.A.

Programa 5 ao Dia. Faz Crescer com Energia. O que conta como uma porção para o 5 ao Dia? Mercado Abastecedor da Região de Évora, S.A. O que conta como uma porção para o 5 ao Dia? Programa 5 ao Dia Frutas ou Hortícolas Tamanho das peças de Frutas ou Hortícolas Equivalência em gramas Abacate 1/5 de um médio 30 Aipo 2 talos médios 110 Alface

Leia mais

Projeto 10.000 Hortas na á frica. Projecto de hortas

Projeto 10.000 Hortas na á frica. Projecto de hortas Projeto 10.000 Hortas na á frica Projecto de hortas w w w. s l o w f o o d f o u n d a t i o n. c o m As hortas são um sistema em contínua evolução que responde às solicitações: do ambiente externo, das

Leia mais

Controle Biológico. Ivan Cruz, entomologista ivan.cruz@.embrapa.br. Postura no coleto. Posturas nas folhas

Controle Biológico. Ivan Cruz, entomologista ivan.cruz@.embrapa.br. Postura no coleto. Posturas nas folhas Controle Biológico Postura no coleto Ivan Cruz, entomologista ivan.cruz@.embrapa.br Posturas nas folhas Proteção Ambiental: Controle Biológico Agrotóxicos Produtividade x Saúde do Trabalhador Rural Fonte:

Leia mais

18 RECEITAS FÁCEIS E SAUDÁVEIS PARA O SEU DIA A DIA. Fabiana Nanô

18 RECEITAS FÁCEIS E SAUDÁVEIS PARA O SEU DIA A DIA. Fabiana Nanô 18 RECEITAS FÁCEIS E SAUDÁVEIS PARA O SEU DIA A DIA Fabiana Nanô O que você encontrará neste ebook? Este ebook contém 18 receitas deliciosas para você fazer no dia a dia. São receitas fáceis de se preparar

Leia mais

Em 2006, a Prefeitura foi convidada a participar do

Em 2006, a Prefeitura foi convidada a participar do HORTAS URBANAS 3 Apresentação Em 2006, a Prefeitura foi convidada a participar do evento de lançamento do Programa de Nutrição, um trabalho integrado por diversos setores da sociedade. A proposta foi

Leia mais

Sugestões de refeições para o Dia de S. Valentim. Inclui receitas

Sugestões de refeições para o Dia de S. Valentim. Inclui receitas Sugestões de refeições para o Dia de S. Valentim Inclui receitas Ficha Técnica Título: Sugestões de refeições para o Dia de S. Valentim Concepção: Mariana Barbosa Corpo redactorial: Mariana Barbosa Revisão:

Leia mais

CNPq Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico. Sol e Frutas: Desidratação e Produção Agroecológica Familiar

CNPq Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico. Sol e Frutas: Desidratação e Produção Agroecológica Familiar CNPq Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico Sol e Frutas: Desidratação e Produção Agroecológica Familiar CONSERVAÇÃO DE FRUTAS E HORTALIÇAS PELO CONTROLE DE UMIDADE VANTAGENS ECONÔMICAS: Menor

Leia mais

PRINCIPAIS PRAGAS E SUGESTÃO DE CONTROLE ALTERNATIVO

PRINCIPAIS PRAGAS E SUGESTÃO DE CONTROLE ALTERNATIVO PRINCIPAIS PRAGAS E SUGESTÃO DE CONTROLE ALTERNATIVO NESTA LIÇÃO SERÁ ABORDADO Quais os métodos utilizados na agricultura orgânica para controle de pragas e doenças. Quais os defensivos alternativos e

Leia mais

Livro de Receitas com Ómega 3 Cardio-Saudável

Livro de Receitas com Ómega 3 Cardio-Saudável Livro de Receitas com Ómega Cardio-Saudável Sabe bem à mesa, sabe bem ao coração! Os ácidos gordos Ómega EPA + DHA, presentes de forma natural no pescado, contribuem para o normal funcionamento do coração.*

Leia mais

Nabos do Norte CONSOCIAÇÕES ENTRE PLANTAS HORTÍCOLAS

Nabos do Norte CONSOCIAÇÕES ENTRE PLANTAS HORTÍCOLAS Nabos do Norte CONSOCIAÇÕES ENTRE PLANTAS HORTÍCOLAS Consociação favorável entre plantas hortícolas consiste em cultivar dentro do mesmo canteiro diferentes espécies de plantas (culturas) que se complementam

Leia mais

:: Sabão Líquido :: Em um balde ou recipiente bem grande, despejar a soda e 1 litro de água, mexendo por ceca de 5 minutos;

:: Sabão Líquido :: Em um balde ou recipiente bem grande, despejar a soda e 1 litro de água, mexendo por ceca de 5 minutos; :: Sabão Líquido :: Para fazer 30 litros Ingredientes: 1,5 litros de azeite (morno) ½ quilo de soda cáustica 1,5 litros de álcool líquido 1 litro de água (1ª etapa) 27 litros de água (2ª etapa) 2 colheres

Leia mais

Inseticida 1. Doses. Modalidade de aplicação. Culturas. Pragas controladas

Inseticida 1. Doses. Modalidade de aplicação. Culturas. Pragas controladas COMPOSIÇÃO: Imidacloprido 200 g/l CLASSE: Inseticida GRUPO QUÍMICO: Neonicotinoide TIPO DE FORMULAÇÃO: Suspensão Concentrada (SC) CLASSIFICAÇÃO TOXICOLÓGICA III - MEDIANAMENTE TÓXICO INSTRUÇÕES DE USO:

Leia mais

Fatores de cultivo CLIMA:

Fatores de cultivo CLIMA: Fatores de cultivo CLIMA: Os fatores climáticos influenciam de forma acentuada o desenvolvimento dos PMAC, bem como a produção dos princípios ativos. Estes fatores podem influenciar isoladamente ou em

Leia mais

ARQUIVO DO AGRÔNOMO Nº 7 - DEZEMBRO/94

ARQUIVO DO AGRÔNOMO Nº 7 - DEZEMBRO/94 Foto 1. Deficiência de nitrogênio: clorose nos folíolos das folhas mais velhas com posterior necrose e queda. Foto 2. À esquerda, planta com nutrição normal; à direita, planta deficiente em nitrogênio.

Leia mais

A GRAÚDO PÉROLA GRAÚDO MG

A GRAÚDO PÉROLA GRAÚDO MG COMPRA DE HORTIFRUTICOLAS PARA A ALIMENTAÇÃO ESCOLAR ESPECIFICAÇÃO DO EDITAL CEASA MG CEAGESP ABACAXI PÉROLA OU HAWAÍ: De Primeira; Graudo. Classificação: Grupo I (Polpa Amarela), Subgrupo: Colorido (Até

Leia mais

Receitas de Sucos. Sucos com Frutas. Suco de abacaxi e gengibre. Suco de laranja, amora e grapefruit. Batida de papaya e laranja

Receitas de Sucos. Sucos com Frutas. Suco de abacaxi e gengibre. Suco de laranja, amora e grapefruit. Batida de papaya e laranja Receitas de Sucos Sucos com Frutas Suco de abacaxi e gengibre 1 abacaxi médio bem maduro 1 colher de sopa de gengibre fresco picado 4 copos de água Lavar bem o abacaxi usando uma escova. Descascar com

Leia mais

Plano de Educação Ambiental

Plano de Educação Ambiental Plano de Educação Ambiental Ano Lectivo 2007/08 da Quinta da Gruta, 28 de Setembro de 2007 Tipos de Actividades: Laboratoriais; Hortas; Animais; Cozinha; Atelier s Visitas temáticas; Dias Comemorativos

Leia mais

Rotação milho e soja para aumento do rendimento

Rotação milho e soja para aumento do rendimento Rotação milho e soja para aumento do rendimento Para mais informações contacte: O seu agente de extensão ou Departamento de Formação Documentação e Difusão do IIAM/CZC Contacto: +25123692 Chimoio, Moçambique.

Leia mais

PRODUÇÃO ORGÂNICA DE HORTALIÇAS!

PRODUÇÃO ORGÂNICA DE HORTALIÇAS! PRODUÇÃO ORGÂNICA DE HORTALIÇAS! UMA OPORTUNIDADE DE PRODUZIR ALIMENTOS SAUDÁVEIS PARA CONSUMO E VENDA! ELABORAÇÃO: ENG. AGRÔNOMO MAURO LÚCIO FERREIRA Msc. CULTIVO DE HORTALIÇAS Agosto- 2006 ÍNDICE POR

Leia mais

ANEXO I GOVERNO DO ESTADO DO PIAUÍ SECRETARIA ESTADUAL DE EDUCAÇÃO E CULTURA RELAÇÃO DOS GÊNEROS ALIMENTÍCIOS DA AGRICULTURA FAMILIAR PARA ALIMENTAÇÃO ESCOLAR E SUAS ESPECIFICAÇÕES. GÊNERO ALIMENTÍCIO

Leia mais

Livro de Receitas. Receitas do. Chef César Santos

Livro de Receitas. Receitas do. Chef César Santos Livro de Receitas Receitas do Chef César Santos Camarão com arroz de coco Ingredientes: 400 g de filé de camarão 10 quiabos médios 50 g de pimentão verde 50 g de pimentão amarelo 50 g de pimentão vermelho

Leia mais

Município de Reguengos de Monsaraz MANUAL DE BOAS PRÁTICAS AGRÍCOLAS NAS HORTAS URBANAS

Município de Reguengos de Monsaraz MANUAL DE BOAS PRÁTICAS AGRÍCOLAS NAS HORTAS URBANAS Município de Reguengos de Monsaraz MANUAL DE BOAS PRÁTICAS AGRÍCOLAS NAS HORTAS URBANAS 0 1. O que são as Boas Práticas Agrícolas? Os consumidores estão cada vez mais preocupados em obter alimentos saudáveis,

Leia mais

CORTE O AÇÚCAR, ELIMINE GRÃOS E FARINHAS, NÃO CONSUMA NADA PROCESSADO E CORTE LATICÍNIOS.

CORTE O AÇÚCAR, ELIMINE GRÃOS E FARINHAS, NÃO CONSUMA NADA PROCESSADO E CORTE LATICÍNIOS. Desafio: Whole30 INTRODUÇÃO Seja bem-vindo ao seu novo programa de reeducação alimentar Whole30! A partir de hoje durante 30 dias você vai seguir essa dieta exatamente como está aqui. Cada vez que você

Leia mais

Treinamento: Aproveitamento Integral de Alimentos Cód. 821

Treinamento: Aproveitamento Integral de Alimentos Cód. 821 APROVEITAMENTO INTEGRAL DE ALIMENTOS Para higienização de hortifrutis: - 1 litro de água potável - 1 colher de sopa (10 ml) de água sanitária, sem perfume - Deixar de molho por 15 minutos CALDO NUTRITIVO

Leia mais

É de pequenino que se cultiva o pepino. Como uma escola em Byron Bay, na Australia, fez uma horta e porquê.

É de pequenino que se cultiva o pepino. Como uma escola em Byron Bay, na Australia, fez uma horta e porquê. É de pequenino que se cultiva o pepino Como uma escola em Byron Bay, na Australia, fez uma horta e porquê. Porquê hortas nas escolas? As hortas ligam as crianças aos recursos alimentares As crianças tomam

Leia mais

AGRICULTURA ORGÂNICA

AGRICULTURA ORGÂNICA Conceitos básicos Oficina do Grupo Meio Ambiente, Mudanças Climáticas e Pobreza Setembro 2009 O que é De modo geral, a agricultura orgânica é uma forma de produção agrícola que não utiliza agrotóxicos,

Leia mais

Tabule Rendimento 4 porções

Tabule Rendimento 4 porções Tabule Rendimento 4 porções - 4 tomates picados - 1 xícara (chá) de trigo para quibe - 1 cebola picada - 1 pepino com casca picado em cubos - 1/2 xícara (chá) de salsinha picada - 1/4 xícara (chá) de cebolinha

Leia mais

Currículo de Sustentabilidade do Café (CSC)

Currículo de Sustentabilidade do Café (CSC) Currículo de Sustentabilidade do Café (CSC) ÍNDICE 1. Gestão da Propriedade...03 2. Gestão Ambiental...04 3. Material Propagativo (Sementes, mudas e estacas)...05 4. Localização e Implantação de Cafezais...06

Leia mais

CARDÁPIOS PARA VÉSPERA E ANTEVÉSPERA DA COLONOSCOPIA

CARDÁPIOS PARA VÉSPERA E ANTEVÉSPERA DA COLONOSCOPIA CARDÁPIOS PARA VÉSPERA E ANTEVÉSPERA DA COLONOSCOPIA CAMPO GRANDE MS JULHO DE 2008 Nutricionista Responsável: Dayane Belusso CRN 3 24696/P E-mail belussob@hotmail.com CARDÁPIO DA ANTEVÉSPERA DO EXAME DESJEJUM

Leia mais

RECEITAS DIETÉTICAS PARA O VERÃO

RECEITAS DIETÉTICAS PARA O VERÃO ROLINHOS DE PEIXE COM ESPINAFRES 4 Filetes de peixe sem pele e espinhas com cerca de 100g cada 1 Colher (sopa) de sumo de limão 300g de espinafres congelados 1 Dente de alho 3 Colheres (sopa) de azeite

Leia mais

Primeiro dia. Café da manhã. Pro lanche entre o café e o almoço. Para o almoço. Pro lanche entre o almoço e o jantar. Pro jantar. Segundo dia.

Primeiro dia. Café da manhã. Pro lanche entre o café e o almoço. Para o almoço. Pro lanche entre o almoço e o jantar. Pro jantar. Segundo dia. Dieta alimentar saudável com esta dieta você conseguira emagrecer ate 5 quilos em um mês sem prejudicar a saúde. Primeiro dia. 200 ml de leite desnatado, 1 colher de chá com azeite de oliva extra virgem,

Leia mais

SOBRAS REQUINTADAS REAPROVEITE RESTOS ALIMENTARES NA PREPARAÇÃO DE RECEITAS ORIGINAIS E SABOROSAS REDUZA O SEU DESPERD ÍCIO ALIMENTAR

SOBRAS REQUINTADAS REAPROVEITE RESTOS ALIMENTARES NA PREPARAÇÃO DE RECEITAS ORIGINAIS E SABOROSAS REDUZA O SEU DESPERD ÍCIO ALIMENTAR SOBRAS REQUINTADAS REAPROVEITE RESTOS ALIMENTARES NA PREPARAÇÃO DE RECEITAS ORIGINAIS E SABOROSAS REDUZA O SEU DESPERDÍCIO ALIMENTAR Legumes cozidos ( ± 0,5 kg, variados) 250 gr de farinha 2dl de leite

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMPO GRANDE ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL

PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMPO GRANDE ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº 03/2015 PROCESSO ADMINISTRATIVO Nº 101312/2014-81 VIGÊNCIA: 01/04/2015 a 31/03/2016 A.L.M. CORTEZ - HORTIFRUTIGRANJEIROS - ME CNPJ: 08.453.366/0001-28 ITEM ESPECIFICAÇÃO QUANT.

Leia mais

Receitas Deliciosas de Aproveitamentos APRESENTAÇÃO EVITANDO O DESPERDÍCIO. Receitas deliciosas com talos, folhas e sementes

Receitas Deliciosas de Aproveitamentos APRESENTAÇÃO EVITANDO O DESPERDÍCIO. Receitas deliciosas com talos, folhas e sementes APRESENTAÇÃO A alimentação e tão necessária ao nosso corpo quanto o ar que precisamos para a nossa sobrevivência, devem ter qualidade para garantir a nossa saúde. Quando falamos em alimentação com qualidade

Leia mais

PROJETO INTERDISCIPLINAR

PROJETO INTERDISCIPLINAR PROJETO INTERDISCIPLINAR "O Campo no Colégio" Ano Letivo 2012/2013 11 NOTA INTRODUTÓRIA O contacto com a Natureza assume um papel de extrema importância na vida do ser humano. A agricultura, a jardinagem

Leia mais

Livro Bonus de Receitas Ecológicas

Livro Bonus de Receitas Ecológicas Livro Bonus de Receitas Ecológicas Daniel Queijo de Amendoim 2 xícaras de amendoim germinado descascado; 1 Dente de Alho; 1/2 Cebola branca; 6 Colheres de Azeite; 1 Limão (suco e a raspa da casca de uma

Leia mais

Como preparar argila para aplicação externa geral

Como preparar argila para aplicação externa geral Como preparar argila para aplicação externa geral A preparação da argila em pó para aplicação externa, não é difícil, mas pode exigir um pouco de paciência. Em média, a quantidade de água necessária para

Leia mais

DETOX. 5 RECEITAS DETOX PODEROSAS E FÁCEIS DE FAZER por Rosi Feliciano

DETOX. 5 RECEITAS DETOX PODEROSAS E FÁCEIS DE FAZER por Rosi Feliciano DETOX 5 RECEITAS DETOX PODEROSAS E FÁCEIS DE FAZER por Rosi Feliciano Índice Introdução... Como Fazer... Suco Detox de Melancia com Linhaça... Suco Detox de Chá Verde e Uva... Sopa Detox Energizante...

Leia mais

A COUVE CHINESA NA ESCOLA DO SABOR

A COUVE CHINESA NA ESCOLA DO SABOR ESCOLA DO SABOR O alimento é a nossa fonte de energia, a nossa garantia de sobrevivência. Sem uma alimentação adequada a criança não pode se desenvolver ou crescer. A COUVE CHINESA NA ESCOLA DO SABOR Uma

Leia mais

Caldeirada de Peixe. Bolinho de Siri. Ingredientes: Modo de preparo: Ingredientes:

Caldeirada de Peixe. Bolinho de Siri. Ingredientes: Modo de preparo: Ingredientes: Caldeirada de Peixe - 4 cebolas médias -8 dentes de alho - 6 tomates médios - 1/2 pimentão verde - 1/2 pimentão vermelho - 1/2 pimentão amarelo - 3 folhas de louro - salsa - coentro - 1,5kg batata - 2kg

Leia mais

Presença indesejável no Brasil

Presença indesejável no Brasil Presença indesejável no Brasil Lucas Tadeu Ferreira e Maria Fernanda Diniz Avidos mosca-branca (Bemisia argentifolii) é uma velha conhecida da comunidade científica. Os problemas que causa à agricultura

Leia mais

Reciclagem 40 - A Fossa Alterna. da fossa com terra. adicional da adição de terra e, especialmente. possa ser aproveitado. também a homogeneizar

Reciclagem 40 - A Fossa Alterna. da fossa com terra. adicional da adição de terra e, especialmente. possa ser aproveitado. também a homogeneizar Reciclagem 40 - A Fossa Alterna 105 40 A Fossa Alterna A fossa alterna é um sistema de instalação sanitária simples especificamente construído para produzir fertilizante valioso para jardins e terrenos.

Leia mais

Receitas do Workshop de Dietas Pastosas e Gostosas

Receitas do Workshop de Dietas Pastosas e Gostosas Receitas do Workshop de Dietas Pastosas e Gostosas 1 Dicas para uma alimentação pastosa e gostosa Apesar do seu filho necessitar de ingerir todos os alimentos triturados, deverá, igualmente, ter uma alimentação

Leia mais

Código de Boas Práticas. para a Prevenção e Redução. de Micotoxinas em Cereais

Código de Boas Práticas. para a Prevenção e Redução. de Micotoxinas em Cereais Código de Boas Práticas para a Prevenção e Redução de Micotoxinas em Cereais Índice: Introdução... 3 I. Práticas recomendadas com base nas Boas Práticas Agrícolas (BPA) e nas Boas Práticas de Fabrico (BPF)...

Leia mais

O que são os «OGM s»???

O que são os «OGM s»??? O que são os «OGM s»??? Em Portugal, como em toda a União Europeia, apenas está autorizada a libertação deliberada no ambiente para o cultivo do milho geneticamente modificado, ou como vulgarmente é denominado,

Leia mais

Tipos de Sistema de Produção

Tipos de Sistema de Produção Tipos de Sistema de Produção Os sistemas de cultura dominantes conjunto de plantas cultivadas, forma como estas se associam e técnicas utilizadas no seu cultivo apresentam grandes contrastes entre o Norte

Leia mais

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA Direcção Nacional dos Serviços Agrários

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA Direcção Nacional dos Serviços Agrários MINISTÉRIO DA AGRICULTURA Direcção Nacional dos Serviços Agrários AVALIAÇÃO PRELIMINAR DA CAMPANHA AGRÍCOLA 2009-10 Conteúdo da Apresentação 1. Previsão da estação chuvosa 2009/10 e interpretação na agricultura;

Leia mais

Sua majestade o. www.evsvipmooca.com.br

Sua majestade o. www.evsvipmooca.com.br Sua majestade o www.evsvipmooca.com.br Shake Tradicional - Muito simples e delicioso! Esta é a maneira mais comum, simples e prática de preparar o seu Shake Herbalife no dia-a-dia. Serve para qualquer

Leia mais

Governo do Estado do Rio de Janeiro Secretaria de Estado de Educação ANEXO I. Especificação Técnica

Governo do Estado do Rio de Janeiro Secretaria de Estado de Educação ANEXO I. Especificação Técnica ANEXO I Especificação Técnica UNIDADES ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA ABACAXI: Fruto colhido maduro, o que é indicado quando a malha do fruto estiver aberta; o padrão desejado são frutos com peso acima de 1,8 (um

Leia mais

Esta informação reflete o que era conhecido em abril de 2016. Veja o website da Hesperian em http://en.hesperian.org/hhg/zika para atualização.

Esta informação reflete o que era conhecido em abril de 2016. Veja o website da Hesperian em http://en.hesperian.org/hhg/zika para atualização. Esta informação reflete o que era conhecido em abril de 2016. Veja o website da Hesperian em http://en.hesperian.org/hhg/zika para atualização. O Vírus Zika O vírus Zika é transmitido por mosquitos de

Leia mais

RECEITAS SEM GLÚTEN ALERGIAS ALIMENTARES RECEITAS

RECEITAS SEM GLÚTEN ALERGIAS ALIMENTARES RECEITAS RECEITAS Souflê de brócolis (4 - Porção(ões) - 120 - Caloria(s)) Ingredientes: 100 g de queijo minas ou tofu 1 xícara de leite ou extrato de soja 2 ovos 1 colher de sopa de amido de milho (maisena) 1 pitada

Leia mais

PROGRAMA DE TREINO DE COMPETÊNCIAS DE GESTÃO DOMÉSTICA ECONOMIA ALIMENTAR

PROGRAMA DE TREINO DE COMPETÊNCIAS DE GESTÃO DOMÉSTICA ECONOMIA ALIMENTAR de formação PROGRAMA DE TREINO DE COMPETÊNCIAS DE GESTÃO DOMÉSTICA ECONOMIA ALIMENTAR 16 HORAS Página 1 de 11 INTRODUÇÃO O Programa de Treino de Competências Básicas de Gestão Doméstica Economia Alimentar

Leia mais

FICHA TÉCNICA. Como reduzir o desperdício alimentar Alexandra Bento Iara Pimenta, Helena Real

FICHA TÉCNICA. Como reduzir o desperdício alimentar Alexandra Bento Iara Pimenta, Helena Real FICHA TÉCNICA Título: Direcção Editorial: Concepção: Corpo Redactorial: Produção Gráfica: Propriedade: Redacção: Como reduzir o desperdício alimentar Alexandra Bento Iara Pimenta, Helena Real Iara Pimenta,

Leia mais

NÚMERO. Alimentação: Sustentável. Receitas deliciosas. O seu dia a dia muito mais saboroso. CHICO SARDELLI DEPUTADO ESTADUAL PV

NÚMERO. Alimentação: Sustentável. Receitas deliciosas. O seu dia a dia muito mais saboroso. CHICO SARDELLI DEPUTADO ESTADUAL PV Alimentação: Sustentável NÚMERO 3 Receitas deliciosas. O seu dia a dia muito mais saboroso. Risoto de casca de Abóbora Cascas de 2kg de abóbora (ralada ) 3 xicaras de arroz cozido 1 cebola grande (picada)

Leia mais

Prevenir a erosão... 200 História: Trabalhadores de ONG aprendem sobre a erosão com os camponeses... 201 Restaurar a terra estragada...

Prevenir a erosão... 200 História: Trabalhadores de ONG aprendem sobre a erosão com os camponeses... 201 Restaurar a terra estragada... Prevenir a erosão..................................................... 200 História: Trabalhadores de ONG aprendem sobre a erosão com os camponeses............................................... 201 Restaurar

Leia mais

V Semana de Ciência e Tecnologia IFMG - campus Bambuí V Jornada Científica 19 a 24 de novembro de 2012

V Semana de Ciência e Tecnologia IFMG - campus Bambuí V Jornada Científica 19 a 24 de novembro de 2012 BIOFERTILIZANTE ORGÂNICO NO CONTROLE DE PRAGAS EM BRÁSSICAS Vinícius Dias de OLIVEIRA 1 ; Luciano Donizete GONÇALVES 2 1 Estudante de Agronomia-Bolsista de Iniciação Científica (PIBIC) FAPEMIG. Instituto

Leia mais

Como. horta. em casa

Como. horta. em casa Como manter uma horta em casa Como manter uma horta em casa Plantando cidadania... 2 Cuidados com sua horta... 4 Observando se tudo está bem... 6 O que NÃO se deve fazer!... 8 Algumas dicas... 9 Cuidando

Leia mais

Fruticultura. Bananeira : Mal do Panamá. Nome Bananeira : Mal do Panamá Produto Informação Tecnológica Data 1985 Preço - Linha Fruticultura Resenha

Fruticultura. Bananeira : Mal do Panamá. Nome Bananeira : Mal do Panamá Produto Informação Tecnológica Data 1985 Preço - Linha Fruticultura Resenha 1 de 5 10/16/aaaa 11:32 Fruticultura Bananeira : Mal do Panamá Nome Bananeira : Mal do Panamá Produto Informação Tecnológica Data 1985 Preço - Linha Fruticultura Resenha Informações sobre a doença do mal-do-panamá

Leia mais

BIFES Maneira de fazer os bifes: Maneira de servir os bifes: BIFE ABAFADO

BIFES Maneira de fazer os bifes: Maneira de servir os bifes: BIFE ABAFADO BIFES 1. Bife Abafado 2. Bife à Baiana 3. Bife à Crioula 4. Bife Empanado 5. Bife Enrolado 6. Bife Ensopado com Vagem 7. Bife de Filé Mignon 8. Bife de Grelha 9. Bife Guisado 10. Bife à Imperial 11. Bife

Leia mais

CURSO DE APROVEITAMENTO INTEGRAL DE ALIMENTOS INPA RECEITAS

CURSO DE APROVEITAMENTO INTEGRAL DE ALIMENTOS INPA RECEITAS CURSO DE APROVEITAMENTO INTEGRAL DE ALIMENTOS INPA RECEITAS Suflê da Casca de Jerimum 2 xícaras de casca de Jerimum; 1 xícara de talo de couve; 2 colheres de sopa de margarina; 2 ovos (claras batidas em

Leia mais

1. PROPAGAÇÃO SEXUADA ASSEXUADA VEGETATIVA MICRIPROPAGAÇÃO MACROPROPAGAÇÃO ENXERTIA BORBULHIA MERGULHIA AMONTOA ALPORQUIA ESTAQUIA

1. PROPAGAÇÃO SEXUADA ASSEXUADA VEGETATIVA MICRIPROPAGAÇÃO MACROPROPAGAÇÃO ENXERTIA BORBULHIA MERGULHIA AMONTOA ALPORQUIA ESTAQUIA 1. PROPAGAÇÃO SEXUADA ASSEXUADA VEGETATIVA MICRIPROPAGAÇÃO MACROPROPAGAÇÃO ENXERTIA BORBULHIA MERGULHIA AMONTOA ALPORQUIA ESTAQUIA 1. PROPAGAÇÃO MICROPROPAGAÇÃO 1. PROPAGAÇÃO 1. PROPAGAÇÃO ENXERTIA 1.

Leia mais

No caminho da alimentação viva - receitas

No caminho da alimentação viva - receitas No caminho da alimentação viva receitas RECEITAS LEITES: Leite de Girassol ½ xícara de semente de girassol hidratada ou germinada; 1 copo (200ml) de água mineral. Bater no liquidificador as sementes com

Leia mais

Rua Roque Petrella,1146 Brooklin-São Paulo SP CEP.04581-051-Telefone (11) 5533.1026

Rua Roque Petrella,1146 Brooklin-São Paulo SP CEP.04581-051-Telefone (11) 5533.1026 PRIMEIRO DIA Somente Frutas Suco de frutas + 1 fruta Ex. suco de laranja com morango + 1{ mamão papaia DA MANHÃ 1 copo 250 ml Suco de melão + 1 fruta (ex. 1 ameixa ) Ex. Folhas de rúcula a vontade + 4

Leia mais

continente REAPROVEITE MAIS, DESPERDICE MENOS SUGESTÕES DE RECEITAS PRÁTICAS

continente REAPROVEITE MAIS, DESPERDICE MENOS SUGESTÕES DE RECEITAS PRÁTICAS REAPROVEITE MAIS, DESPERDICE MENOS SUGESTÕES DE RECEITAS PRÁTICAS Índice 4 Introdução Entradas 6 Patê de Talos 7 Pasta de Beringela Sopa 8 Sopa de talos e folhas Prato de Carne 9 Tomates Recheados Prato

Leia mais

ANEXO 7 CONSTITUIÇÃO DAS REFEIÇÕES ESCOLAS A TEMPO INTEIRO

ANEXO 7 CONSTITUIÇÃO DAS REFEIÇÕES ESCOLAS A TEMPO INTEIRO ANEXO 7 CONSTITUIÇÃO DAS REFEIÇÕES ESCOLAS A TEMPO INTEIRO CARATERÍSTICAS DAS REFEIÇÕES: COMPOSIÇÃO E CAPITAÇÕES 1. O adjudicatário obriga-se a fornecer, durante o período previsto e diariamente, 2 lanches

Leia mais

Sustentável. Alimentação: Receitas deliciosas. O seu dia a dia muito mais saboroso. Dicas orientadas pela nutricionista Miriam Abdel Latif - CRN 3152

Sustentável. Alimentação: Receitas deliciosas. O seu dia a dia muito mais saboroso. Dicas orientadas pela nutricionista Miriam Abdel Latif - CRN 3152 Alimentação: Sustentável Dicas orientadas pela nutricionista Miriam Abdel Latif - CRN 3152 Receitas deliciosas. O seu dia a dia muito mais saboroso. NÚMERO 4 Bolo de Maçã com casca 3 ovos 1 xícara (chá)

Leia mais

Alimentação Saudável

Alimentação Saudável Alimentação Saudável O que é a alimentação saudável? A Alimentação Saudável é uma forma racional de comer que assegura variedade, equilíbrio e quantidade justa de alimentos escolhidos pela sua qualidade

Leia mais

IMPACTOS DOS AGROTÓXICOS NA SAÚDE DA POPULAÇÃO E SAÚDE AMBIENTAL

IMPACTOS DOS AGROTÓXICOS NA SAÚDE DA POPULAÇÃO E SAÚDE AMBIENTAL ATUALMENTE O BRASIL É O 1º CONSUMIDOR MUNDIAL DE AGROTÓXICOS E A BAHIA OCUPA O 7º LUGAR ENTRE OS ESTADOS DA FEDERAÇÃO IMPACTOS DOS AGROTÓXICOS NA SAÚDE DA POPULAÇÃO E SAÚDE AMBIENTAL Vamos conhecer mais

Leia mais

Treinamento Conservas de frutas 382

Treinamento Conservas de frutas 382 Para que haja boa conservação dos alimentos é importante que os produtos conservados mantenham suas qualidades nutritivas, seu aroma, sabor e que se eliminem as causas das alterações. As várias maneiras

Leia mais

MODULO 1: INQUÉRITO AO NIVEL DO AGREGADO FAMILIAR

MODULO 1: INQUÉRITO AO NIVEL DO AGREGADO FAMILIAR As informações do inquérito são rigorosamente confidenciais (Decreto 12/82 de 22 de Julho de 1982) DIST ALD AF REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE Ministério de Agricultura e Desenvolvimento Rural Departamento de

Leia mais

Riscos de contaminação e impacto ambiental

Riscos de contaminação e impacto ambiental Um informativo do Centro Estadual de Vigilância em Saúde da Secretaria de Estado da Saúde, da EMATER, do Centro de Informações Toxicológicas da Fundação Estadual de Produção e Pesquisa em Saúde, da Secretaria

Leia mais

Modo de Preparo. Modo de Preparo RECEITAS FÁCEIS 1 ARROZ SORTIDO

Modo de Preparo. Modo de Preparo RECEITAS FÁCEIS 1 ARROZ SORTIDO RECEITAS FÁCEIS 1 ARROZ SORTIDO 280 gramas de peito de frango,2 dentes de Alho picados,4 xícaras de chá de Arroz,banco cozido,2 Ovos cozidos e picados,1 xícara de chá de Cebolinha picada,sal a gosto,pimenta-do-reino

Leia mais

O CHUCHU NA ESCOLA DO SABOR

O CHUCHU NA ESCOLA DO SABOR ESCOLA DO SABOR O CHUCHU NA ESCOLA DO SABOR O alimento é a nossa fonte de energia, a nossa garantia de sobrevivência. Comemos para matar a fome e porque é gostoso. A alimentação é a principal fonte de

Leia mais

A lagarta acabou com o meu feijão!

A lagarta acabou com o meu feijão! A lagarta acabou com o meu feijão! A UU L AL A Os brasileiros gostam muito de um bom prato de arroz e feijão. Quando vamos ao supermercado e compramos um pacote de feijão pronto para ser cozido, não imaginamos

Leia mais

Comida suficiente e nutritiva. 25 Introdução. Comida 25 - Introdução

Comida suficiente e nutritiva. 25 Introdução. Comida 25 - Introdução Comida 25 - Introdução 63 4 Comida suficiente e nutritiva 25 Introdução Existem vários sistemas simples e de baixo custo que podem melhorar a segurança alimentar e a nutrição. Estes incluem, por exemplo,

Leia mais

20 Receitas Econômicas e Nutritivas

20 Receitas Econômicas e Nutritivas 20 Receitas Econômicas e Nutritivas 1. ALMEIRÃO COM SOBRAS DE ARROZ 1 maço de almeirão 1 cebola picada 1 dente de alho 2 xícaras (chá) de arroz cozido 1 e 1/2 colher (sopa) de óleo Escolha e lave bem o

Leia mais

Danilo Scacalossi Pedrazzoli Diretor Industrial Koppert Biological Systems

Danilo Scacalossi Pedrazzoli Diretor Industrial Koppert Biological Systems Danilo Scacalossi Pedrazzoli Diretor Industrial Koppert Biological Systems ABCBio (Associação Brasileira das empresas de Controle Biológico) foi fundada em 2007, com a missão de congregar as empresas de

Leia mais

RUA TOMÁS RIBEIRO, 115 1050-228 LISBOA T (+351) 213 199 500 E realpalacio@hoteisreal.com REALHOTELSGROUP.COM

RUA TOMÁS RIBEIRO, 115 1050-228 LISBOA T (+351) 213 199 500 E realpalacio@hoteisreal.com REALHOTELSGROUP.COM RUA TOMÁS RIBEIRO, 115 1050-228 LISBOA T (+351) 213 199 500 E realpalacio@hoteisreal.com REALHOTELSGROUP.COM FOI EM 2008 QUE O HOTEL REAL PALÁCIO CRIOU UM BOMBOM FEITO DE AMOR VERDADEIRO. Sobremesa de

Leia mais

Agroindústria. Menu Introdução Pão integral Pão de mandioca Pão de torresmo com creme de alho Pão de Forma Pãezinhos de Batata. 1.

Agroindústria. Menu Introdução Pão integral Pão de mandioca Pão de torresmo com creme de alho Pão de Forma Pãezinhos de Batata. 1. 1 de 6 10/16/aaaa 10:42 Agroindústria Processamento artesanal de farinhas e farináceos Fabricação de pão caseiro Pão integral, pão de torresmo, pão de forma e pãezinhos de batata Processamento artesanal

Leia mais

CETAM - Centro de Formação de Agricultores de Montenegro

CETAM - Centro de Formação de Agricultores de Montenegro CETAM - Centro de Formação de Agricultores de Montenegro O Centro de Formação de Agricultores de Montenegro - CETAM está localizado no bairro Zootecnia em Montenegro. Em atividade desde 1998, encontra-se

Leia mais

Sugestão de Cardápio para o Jejum de 21 dias do MIESF12

Sugestão de Cardápio para o Jejum de 21 dias do MIESF12 ALMOÇO 1 Dia 2 Dia 3 Dia de ervas -Pão torrado -Mamão - fruta (melão) ou água de côco -Salada de folhas temperadas c/ azeite e orégano. -1 prato de sobremesa de legumes cozidos ou purê de batatas. - Arroz

Leia mais

UNIDADE DE SAÚDE PÚBLICA DO ALTO MINHO RECEITAS E FICHAS TÉCNICAS

UNIDADE DE SAÚDE PÚBLICA DO ALTO MINHO RECEITAS E FICHAS TÉCNICAS UNIDADE DE SAÚDE PÚBLICA DO ALTO MINHO RECEITAS E FICHAS TÉCNICAS VIANA DO CASTELO, JANEIRO 2011 ELABORADO POR: RUTE AZEVEDO CATARINA MARTINS LILIANA FERNANDES MARIANA OLIVEIRA SUSANA KARIM SUSANA LIQUITO

Leia mais

O Movimento GAIA Novidades Setembro 2003. Conteudo: Como Controlar Malária Novo no site GAIA Sobre o Prémio GAIA

O Movimento GAIA Novidades Setembro 2003. Conteudo: Como Controlar Malária Novo no site GAIA Sobre o Prémio GAIA O Movimento GAIA Novidades Setembro 2003 Conteudo: Como Controlar Malária Novo no site GAIA Sobre o Prémio GAIA COMO CONTROLAR MALÁRIA Você recebem malária através de picadas de alguns mosquitos especiais

Leia mais

No Brasil, as frutas e

No Brasil, as frutas e FRUTAS E HORTALIÇAS: FONTE DE PRAZER E SAÚDE No Brasil, as frutas e hortaliças frescas são produzidas, em diferentes épocas do ano, por milhares de pequenos produtores, distribuídos por todo o país. A

Leia mais