Especificação de Requisitos de Software

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Especificação de Requisitos de Software"

Transcrição

1 Especificação de Requisitos de Software Sistema de Monitoração Remota de Pacientes Versão 1.0 Grupo 03 Aloísio De Menezes Vilas-Bôas Simone de Souza Hoff Pierre MO409 Engenharia de Software I Maio/2011.

2 Especificação de Requisitos do Sistema de Monitoração Remota de Pacientes Page ii Conteúdo Sumário 1. Introdução Propósito Escopo do Projeto Referências Descrição Geral Perspectiva do Produto Características do Produto Características e Classes de usuários Ambiente de Operação Limitações de projeto e implementação Documentação do usuário Suposições e Dependências Requisitos Funcionais do Sistema Diagrama de casos de uso Requisitos de Interfaces Externas Interfaces com o Usuário Interfaces de Hardware Interfaces de Software Interfaces de Comunicação Requisitos Não-Funcionais Validação dos requisitos...13 [CDU-01]... Erro! Indicador não definido. [CDU-02]... Erro! Indicador não definido. [CDU-03]... Erro! Indicador não definido. [CDU-04]... Erro! Indicador não definido. [CDU-05]... Erro! Indicador não definido. [CDU-06]... Erro! Indicador não definido. [CDU-07]... Erro! Indicador não definido. [CDU-08]... Erro! Indicador não definido. [CDU-09]... Erro! Indicador não definido. [CDU-10]... Erro! Indicador não definido. [CDU-11]... Erro! Indicador não definido. [CDU-12]... Erro! Indicador não definido. [CDU-13]... Erro! Indicador não definido. [CDU-14]... Erro! Indicador não definido. [CDU-15]... Erro! Indicador não definido. [CDU-16]... Erro! Indicador não definido. [CDU-17]... Erro! Indicador não definido. [CDU-18]... Erro! Indicador não definido.

3 Especificação de Requisitos do Sistema de Monitoração Remota de Pacientes Page iii História de Revisões Nome Data Causas das modificações Versão Aloísio e Simone 04/05/2011 Primeira versão do documento 1.0

4 Especificação de Requisitos do Sistema de Monitoração Remota de Pacientes Page 1 1. Introdução 1.1 Propósito O propósito deste trabalho é: - Elencar os requisitos do Sistema, ligados ao tempo real, e ligá-los aos casos de uso elaborados pelo Grupo S2, em complemento e sequenciamento ao seu trabalho; - Analisar e efetuar a criação de novos casos de uso que cubram as necessidades de tempo real do Sistema; - Contribuir com os próximos artefatos da fase de análise: Diagrama de Sequência e Diagrama de Classes, alinhados aos requisitos e aos cenários; - Finalizar a fase de análise desta iteração, mapeando todos os requisitos funcionais a casos de uso (no Diagrama de Casos de Uso) e a operações (no Diagrama de Classes). 1.2 Escopo do Projeto Sendo o Sistema de Monitoramento de Pacientes, usado como objeto de estudo da disciplina MO409 e descrito em [GS1Trab], dotado de mecanismos responsáveis por coletar dados referentes à situação vital de uma pessoa, além dos requisitos funcionais, necessários para delimitar o escopo e as funcionalidades do Sistema, é necessário que o quesito tempo real seja levado em conta nas etapas de desenvolvimento que seguem. Dessa forma, ficou a cargo do Grupo 3, autor desse documento, a abordagem aos requisitos não funcionais de tempo real, refinamento do diagrama de casos de uso e a elaboração do diagrama de classes. É importante ressaltar que o contexto desse trabalho tem como foco o Kit de Monitoramento, que compreende o Servidor Pessoal e sua comunicação com os sensores. Mais informações sobre as partes do Sistema podem ser encontradas nesse documento em 2.2 Características do Produto. Uma descrição mais detalhada do sistema, no que diz respeito à sua abrangência, é apresentada no Documento de Visão do Sistema em [GS1Trab]. 1.3 Referências [MAR11] MARTINS, Eliane; Engenharia de Software, Notas de Curso, [BEZ07] BEZERRA, Eduardo; Princípios de Análise e Projeto de Sistemas com UML, Editora Campus, 2a. Edição, [GS1] Franco, Preparado por Rômulo (Grupo S1); Visão de uma solução em monitoramento médico slides da apresentação do trabalho referente à disciplina MO409, [GS1Trab] Franco, Preparado por Rômulo (Grupo S1); Documento de Visão - Uma solução de monitoramento médico, Trabalho da disciplina MO409 - Engenharia de Software I, IC-Unicamp, 2ª versão, março/2011.

5 Especificação de Requisitos do Sistema de Monitoração Remota de Pacientes Page 2 [GS1TC] Franco, Preparado por Rômulo (Grupo S1); Solucao em Monitoramento Medico.zip conjunto de arquivos que contém os requisitos do Sistema a serem importados via TopCased, trabalho da disciplina MO409, [GS2] Tosta, Tatiane; Maike, Vanessa (Grupo S2); Uso de cenários no desenvolvimento de Sistemas slides da apresentação do trabalho referente à disciplina MO409, [GS2Trab] Tosta, Tatiane; Maike, Vanessa (Grupo S2); Casos de Uso - Sistema de Monitoração Remota de Pacientes, Trabalho da disciplina MO409 - Engenharia de Software I, IC-Unicamp, abril/2011. [GS2TC] Tosta, Tatiane; Maike, Vanessa (Grupo S2); EngSW zip conjunto de arquivos com os casos de uso e máquinas de estado elaborados pelo grupo, na ferramenta TopCased, para a disciplina MO409, [DOU99] DOUGLASS, Bruce Powel; Doing Hard Time: Developing Real-Time Systems with UML, Objects, Frameworks and Patterns, Addison-Wesley. Object Technology Series (cap. 2 e cap.4) [DOU0299] DOUGLASS, Bruce Powel; ROPES -- Rapid Object-Oriented Process for Embedded Systems, Documento obtido em : [HOL02] HÖLTZ, Rudy Hamilton; Desenvolvimento de Sistemas Tempo-Real usando Orientação a Objetos: Estudo sobre o Mapeamento de Especificações para Linguagens de Programação, Tese de Mestrado, Porto Alegre, [ZAN99] ZANCANARO, Airton e outros; Utilização da UML para Especificação de Sistemas de Tempo Real, VIII SEMINCO, [MILEN] MILENKOVIC et Al., 2006 MILENKOVIC, A., OTTO, C, JOVANOV, E., "Wireless Sensor Networks for Personal Health Monitoring: Issues and an Implementation," to appear in Computer Communications (Special issue: Wireless Sensor Networks: Performance, Reliability, Security, and Beyond), Elsevier, [RUB04] RUBIRA, Cecília M. F.; Introdução à Análise Orientada a Objetos, Editora Unicamp, Campinas, [ZIGALL] ZigBee Alliance, 2011 ZigBee Alliance: Site da ZigBee Alliance disponível em <http://www.zigbee.org>. Última visita: 03/05/2011. [FUR98] FURLAN, José David; Modelagem de Objetos através da UML Análise e Desenho Orientados a Objetos, Makron Books do Brasil, SP, [LAGO11] LAGO, Daniel; Introdução ao TopCased documento com orientações sobre o uso da ferramenta, Descrição Geral Como já foi abordado por [GS1Trab], a monitoração dos sinais vitais de pacientes dentro de um hospital é uma tarefa do cotidiano de enfermeiros e médicos. Porém, realizar a mesma monitoração fora do hospital pode ser uma tarefa cansativa para o paciente, ou para a pessoa responsável por realizar tal tarefa e que não tenha a experiência de cuidador ou de enfermeiro. Outro ponto que pode ocasionar certo desconforto são situações onde o paciente necessite visitar um centro de monitoração, de maneira periódica, para se obter um acompanhamento ou para a realização de um possível diagnóstico médico.

6 Especificação de Requisitos do Sistema de Monitoração Remota de Pacientes Page 3 Dados estes cenários, a monitoração por meio de uma rede de sensores sem fio, colocados no paciente e interligados a um dispositivo pode ser uma saída para este fim. As descrições a seguir foram todas baseadas em [GS1Trab]. 2.1 Perspectiva do Produto O acompanhamento de sinais vitais de pacientes é algo extremamente corriqueiro em hospitais. Porém, quando um paciente é monitorado em casa por um cuidador, por uma pessoa responsável por ele ou por ele próprio, isso pode se tornar uma tarefa não tão simples, dado o fato de que muitas pessoas não tem intimidade com esfigmomanômetros, estetoscópios e medidores de glicose. Além disso, pode ser necessária uma monitoração constante e precisa, e isso pode não acontecer caso as medições sejam feitas por pessoas que não estão habituadas a esta tarefa. Ainda, quando o paciente parece estar bem, mas seus sinais oscilam sem um padrão ou motivo aparente, é necessário que uma monitoração seja realizada para encontrar a causa do problema, ou alertar caso seus sinais estejam muito fora dos limites aceitáveis para seu quadro. Assim, o Sistema de Monitoração Remota de Pacientes tem como objetivo auxiliar seus usuários nas tarefas de monitoramento de sinais cardiovasculares e níveis de glicemia. Tal monitoramento ocorre graças a uma rede de sensores sem fio, aplicados no corpo do paciente, e a comunicação entre os sensores e o Servidor Pessoal (Personal Server), que capta os sinais lidos, armazena-os e faz a comparação do que foi lido com os limites aceitáveis para o perfil do paciente. Caso esses níveis estejam foram dos limites, os envolvidos com a monitoração são avisados e com isso podem tomar as devidas providências. Ainda: A monitoração ininterrupta permite que os dados dos pacientes estejam à disposição dos médicos ou dos responsáveis por esses pacientes, possibilitando uma melhor análise do estado real, com a possibilidade de imediata intervenção, evitando possíveis problemas; Possibilitar o envolvimento de vários profissionais, ou outros responsáveis, no tratamento e cuidados com um paciente; Possibilitar aos profissionais da saúde o acompanhamento de um maior número de pessoas, independente da sua localização geográfica, pois o paciente pode usar o Sistema em sua casa, ou onde quer que ele esteja. O médico e a pessoa responsável pelo paciente serão informados caso os sinais vitais sofram oscilações ou atinjam níveis fora dos limites. 2.2 Características do Produto Descrição baseada em [GS1Trab]: O Sistema consta de sensores espalhados pelo corpo do paciente, que irão efetuar leituras dos sinais vitais em intervalos de tempos. A distribuição e atuação dos sensores está baseada na tecnologia Wireless Body Area Network (WBAN), que se refere justamente a uma rede de área corporal através de sensores [MILEN]. Tais leituras serão enviadas para um Servidor Pessoal (Personal Server), aparelho este que irá processar as informações recebidas, com o objetivo de disponibilizálas e verificar se os sinais estão dentro de intervalos aceitáveis, ou se estão em níveis críticos onde medidas precisam ser tomadas pelo paciente, por uma pessoa responsável por ele ou pelo médico que o acompanha.

7 Especificação de Requisitos do Sistema de Monitoração Remota de Pacientes Page 4 A tecnologia que será usada na transmissão dos sinais, colectados pelos sensores, para o Servidor Pessoal será a ZigBee [GS1Trab] [ZIGALL]. É dado ao Servidor Pessoal e ao conjunto de sensores o nome de Kit de Monitoramento. Figura 1 - Integração Personal Server com Sensores (Obtida em [GS1Trab]) O Servidor Pessoal (Personal Server) conterá recursos de conexão com a Internet, o que permitirá disparar dados para um servidor central, que por sua vez pode dispará-los para outros envolvidos como médicos e responsáveis pelo paciente, que de posse de um celular, ou de um dispositivo conectado à Internet, poderão efetuar a leitura dos sinais vitais. Ainda, deverá ter recursos de GPS permitindo a rápida localização de pacientes que apresentem um grau de risco maior. Um módulo de administração se faz necessário nesse caso, como um Portal WEB, que permita a avaliação das leituras feitas pelos sensores, a manutenção de prontuários eletrônicos, a administração de parâmetros do Sistema, entre outras funcionalidades. O Servidor Central é um com computador com um poder maior de processamento e armazenamento. Ele desempenhará o papel de recepção dos dados oriundos do Personal Server ou de outros dispositivos integrados à solução. Também deverá manter disponíveis as informações dos pacientes para possíveis consultas pelos usuários autorizados (Médicos, Enfermeiros, Responsáveis e o próprio Paciente). Também desempenhará a função de envio de alertas para envolvidos nos cuidados com um determinado paciente.

8 Especificação de Requisitos do Sistema de Monitoração Remota de Pacientes Page 5 Figura 2 - Elementos envolvidos com o Servidor Central (Obtida em [GS1Trab]) 2.3 Características e Classes de usuários Paciente pessoa que terá seus sinais monitorados pelo Sistema. O paciente pode ser alguém que necessite de ter seus dados monitorados por estar em um estado crítico de enfermidade, por necessitar de um acompanhamento para manter níveis saudáveis de glicemia e/ou batimentos cardíacos, ou ainda alguém que esteja em um processo de diagnóstico onde seja necessário mapear seus sinais vitais durante um tempo determinado.

9 Especificação de Requisitos do Sistema de Monitoração Remota de Pacientes Page 6 Pessoa Responsável Em casos de pacientes debilitados, incapazes ou idosos, é interessante que alguém se responsabilize por seu acompanhamento. Assim, dependendo dos níveis medidos pelos sensores, é interessante que a pessoa responsável seja informada da situação dos sinais vitais do paciente. Médico profissional da saúde responsável pelo caso do paciente e ainda:, por manter as informações sobre os sensores (ativá-los, desativá-los e fazer as calibrações sobre os níveis de glicemia e dados cardiovasculares), configurar o Servidor Pessoal, receber os alertas, fazer diagnósticos e tomar as decisões baseadas nos dados lidos pelo Sistema. Enfermeiro profissional da saúde responsável por auxiliar o médico. Seu papel está atrelado ao contexto do Servidor Web. Por tanto, não faz parte do escopo deste trabalho. 2.4 Ambiente de Operação Ambientes envolvidos no contexto do Sistema: AO001 - O ambiente de coleta de medições no Paciente: A partir do momento em que o Kit de Monitoramento é colocado no paciente e ativado, o mesmo inicia a coleta das informações, que podem ser visualizadas no próprio Servidor Pessoal. AO002 - O ambiente de analise dos dados: Os profissionais ligados à área de saúde são responsáveis por realizar tal análise e alimentar o Sistema com as informações limítrofes sobre os sinais vitais. Nesse contexto também entram o Servidor Central e o Portal Web. Lembrando que o Servidor Central é acessado via Portal Web e isso é feito remotamente, independente da localização geográfica. Ainda, o contexto de trabalho abrange somente o Kit de Monitoramento, não entrando no mérito do Portal Web AO003 - Um misto de ambiente de coleta e de análise: tal ambiente pode ser encontrado na residência do paciente (quando acompanhado por um profissional de saúde), ou quando o Kit de Monitoramento for utilizado em Academias de Educação Física, Clínicas com finalidades diversas Pontos Importantes: AO004 - Por se tratar de um sistema de monitoramento de pacientes, e visto que tal paciente pode estar em situação de saúde debilitada e risco de morte, o servidor deverá possuir alta disponibilidade; AO005 - Os dados deverão ser protegidos (utilização de mecanismos de segurança) e com restrições de acesso, pois é necessário resguardar a privacidade dos pacientes. Quando da fase de Arquitetura, as informações sobre a plataforma do Sistema, tipo de Banco de Dados, Web Browsers que devem ser aceitos pelo Sistema e demais informações pertinentes serão fornecidas. 2.5 Limitações de projeto e implementação Uma das limitações dos sensores é a capacidade de processamento, armazenamento ou comunicação. Por este motivo, a WBAN necessita de uma interligação com redes externas tornando assim o processamento eficiente.

10 Especificação de Requisitos do Sistema de Monitoração Remota de Pacientes Page 7 As informações abaixo foram baseadas em [GS1Trab]. A sigla LE-x faz referência ao item 3.2. Limitações e Exclusões presente no documento. LE-1 LE-2 LE-3 LE-4 LE-5 LE-6 LE-7 LE-8 O Sistema de Monitoramento remoto consiste em coletar os dados do pacientes através dos sensores pré-configurados, enviando estes dados a um servidor central por intermédio de diversos dispositivos de comunicação. Os dados serão processados e disponibilizados por esse servidor. O sistema deverá ser utilizado estritamente no contexto de monitoração de sinais cardíacos e nível de glicemia. Outros sinais não estão contemplados. O Monitoramento dependerá da pré-configuração dos sensores, sendo necessária uma avaliação médica inicial. O Monitoramento será configurado para comunicação com os sensores nos modelos definidos para acompanhamentos de Sistema Cardiovascular e de Níveis de Glicemia para o controle do Diabetes; O sistema estará apto para realizar a monitoração após a configuração dos parâmetros estabelecidos pelo(s) médico(s) responsável(is). O Objetivo do sistema é a monitoração remota e constante do paciente independente de sua localização geográfica. A prescrição final deverá ser feita pelo médico responsável. O Kit de monitoramento não pode ser utilizado em atividades aquáticas A tecnologia utilizada na comunicação entre os sensores e o Servidor Pessoal será a ZigBee [ZIGALL] 2.6 Documentação do usuário O Sistema deve vir acompanhado de Guias para os diferentes usuários do Sistema, ou seja, um manual para a equipe médica/enfermagem, com informações mais técnicas, e um Guia para o paciente e/ou pessoa responsável, onde informações mais práticas devem ser disponibilizadas. Ainda, deve haver um help online no site do fabricante, para dúvidas na ausência dos manuais. 2.7 Suposições e Dependências As informações abaixo foram baseadas em [GS1Trab]. As siglas SU-x e DE-x fazem referência ao item 2.3. Suposições e Dependências presente no documento. DE-1 DE-2 DE-3 DE-4 O Servidor Central depende de recursos de tolerância a falhas ou planos de contingência que garanta a estabilidade do sistema Os dispositivos móveis dependem de conexão com a Internet para envio dos dados, neste caso há a necessidade de conexão via GPRS ou 3G O sistema depende de constante conexão com a internet para envio e acesso dos dados. O sistema necessita que os sensores sejam pré-configurados de forma que possam fazer a comunicação com os dispositivos identificados e definidos bem como toda a configuração de coleta e transmissão dos dados. 3. Requisitos Funcionais do Sistema

11 Especificação de Requisitos do Sistema de Monitoração Remota de Pacientes Page 8 Código Requisito Descrição Prioridade Cadastro de O Personal Server deve permitir a inclusão, alteração e RF01 sensores exclusão de sensores Alta O Personal Server deve permitir o envio de uma mensagem de configuração de sensores definindo a forma de operação (aguarda requisição ou disparo), intervalo de Configuração dos coleta, tipo de sensor, localização e status (ativo ou RF02 sensores inativo) Alta RF03 RF04 RF05 RF06 RF07 RF08 RF09 RF10 RF11 RF12 Calibração nível de glicose Calibração dos dados cardiovasculares Sincronismo de tempo Verificação de sensores Sincronismo de dados Registro de coleta Visualizar informações para ECG Visualizar informações para Glicemia Notificação de alertas Realizar telefonema para centro médico O Personal Server deve permitir o envio de uma mensagem para os sensores de glicose uma mensagem de calibração e aguardará a resposta que poderá ser uma medida que confere com os padrões de um Sensor comum de glicose. O Personal Server enviará para os sensores uma mensagem de calibração e aguardará a resposta que poderá ser uma medida que confere com os padrões de voltagem esperado para as ondas para um ECG comum bem como a freqüência cardíaca. O Personal Server deve permitir o envio para todos os sensores independente do tipo de sensor, uma mensagem contendo a data e hora do dispositivo O Personal server deve permitir o envio de uma mensagem requisitando o status de cada sensor O Personal Server deve permitir efetuar requisições enviando novos dados para o Servidor Central e a resposta deste deve ser novos dados de recebimento ou uma resposta de ok. O aplicativo deve permitir que toda e qualquer alteração na configuração seja mantida em log para posterior envio ao Servidor Central O Personal Server deve obter as coletas enviadas pelos Sensores e quando houver novas coletas deverá armazenálas para posterior processamento O Personal Server deverá processar as coletas registradas e mostrá-las em formato gráfico padrão ECG e a freqüência cardíaca em um pequeno visor numérico destacado na tela O Personal Server deverá processar as coletas registradas e mostrá-las em formato gráfico e o valor do ultimo nível coletado em um pequeno visor numérico destacado na tela O Personal Server deve emitir notificações visual e sonora para situações em atenção, emergência e urgência. Poderá ter uma categorização das informações definindo-as como atenção, emergência e urgência, por exemplo, categorizar falhas de sensor como Atenção. Níveis intoleráveis para glicose e dados do ECG como Urgência, Nova prescrição médica como Emergência. O Personal Server deve permitir a realização de chamadas automáticas para um Centro médico quando da situação de Urgência repassando informações de localização Alta Alta Alta Alta Baixa Alta Alta Alta Alta Média

12 Especificação de Requisitos do Sistema de Monitoração Remota de Pacientes Page 9 RF13 RF14 RF15 RF16 RF18 Rastreador GPS Notificação FeedBack Manter responsáveis Pesquisar dados Configuração Personal Server geográfica O Personal Server deve coletar em um intervalo de tempo configurável a latitude e longitude (dados geográficos) do dispositivo para posterior envio no sincronismo de dados (RF04) O Personal Server deve permitir que o Paciente possa interagir com as notificações recebidas confirmando o recebimento destas O sistema deve permitir a inserção, alteração e remoção de responsáveis O personal Server deve permitir a consulta dos dados estatísticos das medições atuais e anteriores por tipo de Sensor O sistema deve permitir manter toda a configuração por parâmetros Média Média Média Baixa Média

13 Especificação de Requisitos do Sistema de Monitoração Remota de Pacientes Page Diagrama de casos de uso As descrições de cada caso de uso podem ser encontradas no apêndice B

14 Especificação de Requisitos do Sistema de Monitoração Remota de Pacientes Page Requisitos de Interfaces Externas 5.1 Interfaces com o Usuário A sigla IU-x faz menção à este item do documento. Algumas das informações abaixo foram baseadas em [GS1Trab]. As siglas PCP-x, PCM-x e PCRx fazem referência ao item 2.2. Principais características presente no documento. O sistema deverá permitir ao paciente: IU-1 Visualizar telas de fácil interpretação e com as funcionalidades estabelecidas pelos requisitos expressos neste documento. IU-2 Acessar Help on line no site do fabricante. Durante o preenchimento das configurações do paciente, quando os campos IU-3 preenchidos forem inválidos, o Sistema deverá retorna mensagem de erro apropriada. PCP-1 Receber alertas e notificações sobre seus sinais monitorados PCP-2 Visualizar os dados estatísticos das medições atuais e anteriores PCP-3 Alterar intervalo de monitoração no Personal Server O sistema deverá permitir ao médico: PCM-1 Receber alertas e notificações por e em outros dispositivos PCM-2 Administrar prontuários eletrônicos de pacientes que estão sob sua supervisão PCM-3 Acrescentar pacientes à sua supervisão PCM-4 Administrar configurações do Portal WEB (Item pertencente ao Contexto do Portal Web) O sistema deverá permitir ao responsável: PCR-1 Receber alertas e notificações por e em outros dispositivos PCR-2 Visualizar os dados estatísticos das medições atuais e anteriores via Portal Web de algum paciente que esteja responsável (Item pertencente ao Contexto do Portal Web) 5.2 Interfaces de Hardware IH-1 IH-2 O Sistema deverá permitir a coleta de dados cardiovasculares e de glicemia de um paciente via Rede de sensores (WBAN) (PCG-1 [GS1Trab]) A rede de sensores se comportará nos moldes descritos pela WBAN [MILEN] 5.3 Interfaces de Software Algumas das informações abaixo foram baseadas em [GS1Trab]. As siglas PCG-x fazem referência ao item 2.2. Principais características presente no documento. PCG-2 PCG-3 PCG-4 Enviar para o Personal Server os dados coletados Enviar do Personal Server, para um Servidor, informações que foram coletadas e já registradas no dispositivo Sincronizar configurações do Personal Server com o Servidor Central

15 Especificação de Requisitos do Sistema de Monitoração Remota de Pacientes Page 12 PCG-5 PCG-6 PCG-11 PCG-12 PCG-14 Processar informações e disparar o envio de notificações quando necessário No Personal Server e no Servidor Central, realizar chamadas automáticas para um Centro médico, quando da situação de Urgência, repassando informações de localização geográfica Criar mecanismo de confirmação de notificações em situação de urgência no Personal Server (Feedback Notification) Criar mecanismo de rastreamento no Personal Server de forma que possa ser rastreado via Personal Server Criar mecanismo de sincronização para mais de um Servidor Central 5.4 Interfaces de Comunicação IC-1 IC-2 Envio de para médico e responsável Envio de sms para os celulares cadastrados 6. Requisitos Não-Funcionais Código Requisito Descrição Prioridade Protocolo de A troca de mensagens entre os sensores e o Personal Server deve ser provida de segurança, certificando que os dados coletados não sofram RNF01 Segurança interferências e ou alterações Alta RNF02 RNF03 RNF04 RNF05 RNF06 Redundância de Informações Fácil Levar em Conta Limitação PDA Aferição Temporal dos Sensores Sem Atrasos Existe a necessidade de redundância das informações, para tanto é esperado que o sistema possua no mínimo dois sensores com a mesma função, e no caso de indisponibilidade de um deles o outra possa substituí-lo de forma a não prejudicar o monitoramento e consequentemente as informações e avaliação do paciente A aplicação utilizada no Personal Server pelo paciente para ter acesso aos dados deverá se de fácil utilização, com um treinamento mínimo Por ser utilizado num dispositivo móvel, o sistema deverá prever a limitação de recursos, como por exemplo, a quantidade de memória e ou tamanho em bytes do software O sistema deve permitir de tempos em tempos uma forma de aferição dos sensores mantendo a fidelidade das informações coletadas e portanto a credibilidade do sistema O sistema deverá permitir a execução de cada tarefa sem atrasos e nos intervalos prédefinidos nas coletas pelos sensores e no disparo para o Personal Server Alta Alta Alta Alta Alta

16 Especificação de Requisitos do Sistema de Monitoração Remota de Pacientes Page 13 RNF07 RNF08 RNF09 Possibilitar Informar Localização via GPS Controle de Transação Login e Senha Dependendo da criticidade do problema do paciente, o recurso de GPS deverá estar disponível para que o mesmo possa ser localizado em caso de emergência. Alta As operações no sistema devem ter controle de transação, ou seja, devem ser executadas automaticamente. Assim, na eventualidade de uma queda de comunicação durante uma operação a integridade do sistema será mantida Alta O Sistema deve prover o controle de acesso do Servidor Pessoal atraves de login e senha. Alta 7. Validação dos requisitos Diagrama de estados Resultados obtidos com a execução Apêndice A: Glossário GPS - Global Positioning System RF Requisito Funcional RN Requisito Não Funcional WBAN - Wireless Body Area Network Apêndice B: Descrição dos casos de uso do Sistema [CDU-01] Nome: Atores: Prioridade: Ativar Servidor Pessoal Paciente Alta Descrição Pré-condições: Pós-condições: Requisitos funcionais: - Requisitos nãofuncionais Este caso de uso será utilizado pelo Paciente quando for necessário ativar o seu servidor pessoal. O servidor pessoal está desativado. O aparelho em que o servidor pessoal roda está ligado. O servidor pessoal está ativado. -

17 Especificação de Requisitos do Sistema de Monitoração Remota de Pacientes Page 14 Fluxos de eventos Fluxo principal: Com o aparelho em que o servidor pessoal está instalado em mãos, o Paciente executa o aplicativo do servidor pessoal. O servidor pessoal exibe uma tela de espera, para mostrar que o aplicativo está sendo carregado. O servidor pessoal é ativado. Fluxo alternativo: Falha na ativação Após o passo 2 do fluxo principal, se ocorrer uma falha na ativação do servidor pessoal, os seguintes passos são executados: Uma mensagem de erro é exibida, explicitando o que ocasionou tal falha. O Paciente clica em OK para confirmar que leu a mensagem. O aparelho em que o servidor pessoal está instalado volta para a tela inicial. [CDU-02] Nome: Atores: Prioridade: Desativar Servidor Pessoal Paciente Alta Descrição Pré-condições: Pós-condições: Requisitos funcionais: - Requisitos nãofuncionais Fluxos de eventos Este caso de uso será utilizado pelo Paciente quando for necessário desativar o seu servidor pessoal. O servidor pessoal está ativado. O servidor pessoal está desativado. -

18 Especificação de Requisitos do Sistema de Monitoração Remota de Pacientes Page 15 Fluxo principal: Na tela principal do servidor pessoal, o Paciente seleciona a opção Desativar Servidor Pessoal. O servidor pessoal exibe uma tela de espera, para mostrar que está sendo desativado. O servidor pessoal desativa os sensores do Paciente. O aplicativo do servidor pessoal é completamente desativado e é exibida a tela principal do aparelho em que ele está instalado. Fluxo alternativo: Falha na desativação Após o passo 2 do fluxo principal, se ocorrer uma falha na ativação do servidor pessoal, os seguintes passos são executados: Uma mensagem de erro é exibida, explicitando o que ocasionou tal falha. O Paciente clica em OK para confirmar que leu a mensagem. O servidor pessoal volta para a tela inicial. [CDU-03] Nome: Atores: Prioridade: Ativar Sensores Paciente, Sensor Alta Descrição Pré-condições: Pós-condições: Requisitos funcionais: - Este caso de uso será utilizado pelo Paciente quando for necessário ativar os Sensores. Os sensores estão desativados. O servidor pessoal está ativado. Os sensores estão ativados.

19 Especificação de Requisitos do Sistema de Monitoração Remota de Pacientes Page 16 Requisitos nãofuncionais Fluxos de eventos Fluxo principal: - O servidor pessoal exibe a tela principal. O Paciente seleciona a opção Ativar Sensores. O servidor pessoal ativa os sensores. Uma mensagem de sucesso é exibida. Fluxo alternativo: Falha na ativação No passo 3 do fluxo principal, se ocorrer algum erro durante a ativação dos sensores, os seguintes passos serão executados: O servidor pessoal exibe uma mensagem de erro, explicitando o que ocasionou tal falha. O Paciente clica em OK para confirmar que leu a mensagem. O servidor pessoal volta para a tela inicial. [CDU-04] Nome: Atores: Desativar Sensores Paciente, Sensor

20 Especificação de Requisitos do Sistema de Monitoração Remota de Pacientes Page 17 Prioridade: Alta Descrição Pré-condições: Pós-condições: Requisitos funcionais: - Requisitos nãofuncionais Fluxos de eventos Fluxo principal: Fluxo alternativo: Este caso de uso será utilizado pelo Paciente quando for necessário desativar os Sensores. Os sensores estão ativados. O servidor pessoal está ativado. Os sensores estão desativados. - O servidor pessoal exibe a tela principal. O Paciente seleciona a opção Desativar Sensores. O servidor pessoal desativa os sensores. Uma mensagem de sucesso é exibida. Falha na desativação No passo 3 do fluxo principal, se ocorrer algum erro durante a desativação dos sensores, os seguintes passos serão executados: O servidor pessoal exibe uma mensagem de erro, explicitando o que ocasionou tal falha. O Paciente clica em OK para confirmar que leu a mensagem. O servidor pessoal volta para a tela principal. [CDU-05] Nome: Atores: Sincronizar Dados Paciente, Scheduler

Especificação dos Requisitos do Software. White Label

Especificação dos Requisitos do Software. White Label Ubee Especificação dos Requisitos do Software White Label Review 0.3 Autores: Airton Sampaio de Sobral (asds@cin.ufpe.br) Alan Gomes Alvino (aga@cin.ufpe.br) Glauco Roberto Pires dos Santos (grps@cin.ufpe.br)

Leia mais

Sistema de Inteligência Patrimônial. Especificação dos Requisitos

Sistema de Inteligência Patrimônial. Especificação dos Requisitos Sistema de Inteligência Patrimônial Especificação dos Requisitos Especificação dos Requisitos Data Versão: 18 / 11 / 2015 Histórico das Revisões Data Versão Descrição Autor 23 / 11/ 2015 1.0 Versão Inicial

Leia mais

Gerenciador Financeiro CITi. Gerenciador Financeiro CITi

Gerenciador Financeiro CITi. Gerenciador Financeiro CITi (Sistema de Gerenciamento Financeiro) Especificação dos Requisitos do Software Gerenciador Financeiro CITi Versão 1.0 Autores: Bruno Medeiros de Oliveira Igor Rafael Medeiros Pedro Araújo de Melo Tiago

Leia mais

Sistema Datachk. Documento de Requisitos. Versão <1.2> Z u s a m m e n a r b e i t I d e i a s C o l a b o r a t i v a s

Sistema Datachk. Documento de Requisitos. Versão <1.2> Z u s a m m e n a r b e i t I d e i a s C o l a b o r a t i v a s Documento de Requisitos Versão Z u s a m m e n a r b e i t I d e i a s C o l a b o r a t i v a s 2010 2 Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autores 27/04/2010 1.0 Criação da primeira versão

Leia mais

RASTREAMENTO VEICULAR SEGURANÇA & LOGÍSTICA. Funcionalidade Gerenciamento Equipamentos Comunicação Benefícios

RASTREAMENTO VEICULAR SEGURANÇA & LOGÍSTICA. Funcionalidade Gerenciamento Equipamentos Comunicação Benefícios RASTREAMENTO VEICULAR SEGURANÇA & LOGÍSTICA Funcionalidade Gerenciamento Equipamentos Comunicação Benefícios Soluções ICS A ICS desenvolve soluções que utilizam hardware com tecnologia de ponta. Os softwares

Leia mais

Histórico da Revisão. Versão Descrição Autor. 1.0 Versão Inicial

Histórico da Revisão. Versão Descrição Autor. 1.0 Versão Inicial 1 of 14 27/01/2014 17:33 Sistema de Paginação de Esportes Universitários Documento de Arquitetura de Software Versão 1.0 Histórico da Revisão Data 30 de novembro de 1999 Versão Descrição Autor 1.0 Versão

Leia mais

Monitor de Rastreamento de Frota para Segurança de Transporte Planejamento de Projetos Iterativos Aplicando o RUP Projeto Blue Moon

Monitor de Rastreamento de Frota para Segurança de Transporte Planejamento de Projetos Iterativos Aplicando o RUP Projeto Blue Moon Monitor de Rastreamento de Frota para Segurança de Transporte Planejamento de Projetos Iterativos Aplicando o RUP Projeto Blue Moon Exercício Estudar a descrição do sistema, examinar os planos de projetos

Leia mais

PRÓTOTIPO MÓVEL DE TELEMEDICINA PARA AUXILIO DE DIAGNOSTICO CARDIACO COM ECG EM CARATER EMERGENCIAL

PRÓTOTIPO MÓVEL DE TELEMEDICINA PARA AUXILIO DE DIAGNOSTICO CARDIACO COM ECG EM CARATER EMERGENCIAL PRÓTOTIPO MÓVEL DE TELEMEDICINA PARA AUXILIO DE DIAGNOSTICO CARDIACO COM ECG EM CARATER EMERGENCIAL Adson Diego Dionisio da SILVA 1, Saulo Soares de TOLEDO², Luiz Antonio Costa Corrêa FILHO³, Valderí Medeiros

Leia mais

Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Universidade Estadual do Oeste do Paraná Universidade Estadual do Oeste do Paraná Estudo de Requisitos de um software para uma loja de lentes de contato Bruno Eduardo Soares Leonardo Zanotto Baggio Maykon Valério da Silva Cascavel, 10 de Junho

Leia mais

Análise e Projeto de Sistemas Entrega 1: definição das equipes e escopo do projeto Integrantes: Felipe do Couto Farias - fcf4 Igor Vinicius Pinheiro Cordeiro Leao - ivpcl Leandro Ferraz Farias - lff2 Thaís

Leia mais

Nome da Empresa Sistema digitalizado no almoxarifado do EMI

Nome da Empresa Sistema digitalizado no almoxarifado do EMI Nome da Empresa Documento Visão Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 23/02/2015 1.0 Início do projeto Anderson, Eduardo, Jessica, Sabrina, Samuel 25/02/2015 1.1 Correções Anderson e Eduardo

Leia mais

EIMOBILE INSTITUIÇÕES DE ENSINO MOBILE

EIMOBILE INSTITUIÇÕES DE ENSINO MOBILE UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS CENTRO POLITÉCNICO TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS EIMOBILE INSTITUIÇÕES DE ENSINO MOBILE por Miguel Aguiar Barbosa Trabalho de curso II submetido como

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DE PROGRAMAS. PROGRAMADOR Joel Victor. Introdução

ESPECIFICAÇÃO DE PROGRAMAS. PROGRAMADOR Joel Victor. Introdução Página 1 de 16 Introdução Documento para especificação de programa do Caso de Uso Manter Usuários. Além da descrição de programa o documento terá o diagrama de classes e o diagrama de sequência. Caso de

Leia mais

MANUAL DE SUPORTE. Controle de Suporte. Este manual descreve as funcionalidades do controle de suporte.

MANUAL DE SUPORTE. Controle de Suporte. Este manual descreve as funcionalidades do controle de suporte. MANUAL DE SUPORTE Controle de Suporte Este manual descreve as funcionalidades do controle de suporte. SUMÁRIO Considerações Iniciais... 3 Acesso... 4 Controle de Suporte... 5 1. Solicitação de Atendimento...

Leia mais

Documento de Requisitos Sistema WEB GEDAI

Documento de Requisitos Sistema WEB GEDAI Universidade Federal de São Carlos Centro de Ciências Exatas e de Tecnologia Departamento de Computação GEDAI-Grupo de Estudo e Desenvolvimento em Automação Industrial Documento de Requisitos Sistema WEB

Leia mais

Introdução. Geral. Sumário Localização Trajetos Últimos registros Comandos Configurações. Relatórios

Introdução. Geral. Sumário Localização Trajetos Últimos registros Comandos Configurações. Relatórios Introdução Geral Sumário Localização Trajetos Últimos registros Comandos Configurações Relatórios Deslocamentos e paradas Velocidade Telemetria Acessos Falhas de comunicação Cadastro Cliente Subcliente

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DE PROGRAMAS. PROGRAMADOR Joel Victor. Introdução

ESPECIFICAÇÃO DE PROGRAMAS. PROGRAMADOR Joel Victor. Introdução Página 1 de 15 Introdução Documento para especificação de programa do Caso de Uso Manter Usuários. Além da descrição de programa o documento terá o diagrama de classes e o diagrama de sequência. Caso de

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE IVY MARTINS SALLES SATCAR: SISTEMA DE GERÊNCIA DE UMA EMPRESA DE RASTREAMENTO VEICULAR

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE IVY MARTINS SALLES SATCAR: SISTEMA DE GERÊNCIA DE UMA EMPRESA DE RASTREAMENTO VEICULAR UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE IVY MARTINS SALLES SATCAR: SISTEMA DE GERÊNCIA DE UMA EMPRESA DE RASTREAMENTO VEICULAR NITERÓI 2010 IVY MARTINS SALLES SATCAR: SISTEMA DE GERÊNCIA DE UMA EMPRESA DE RASTREAMENTO

Leia mais

Documento de Visão. Uma solução de monitoramento médico. Versão 2.0. Preparado por Rômulo Franco e Robson Canato. Seminários

Documento de Visão. Uma solução de monitoramento médico. Versão 2.0. Preparado por Rômulo Franco e Robson Canato. Seminários Documento de Visão Uma solução de monitoramento médico Versão 2.0 Preparado por Rômulo Franco e Robson Canato Seminários Março 2011 Visão e Escopo Página ii Conteúdo 1. Requisitos do Sistema...1 1.1. Contexto

Leia mais

Uma Proposta de Tecnologia Embarcada na Internação Domiciliar Capítulo 3 Implementação do SMD 93

Uma Proposta de Tecnologia Embarcada na Internação Domiciliar Capítulo 3 Implementação do SMD 93 Capítulo 3 Implementação do SMD 93 CAPÍTULO 3 IMPLEMENTAÇÃO DO SMD Este capítulo reserva-se à apresentação da implementação do SMD tomando como partida o desenvolvimento do Projeto Preliminar que consta

Leia mais

Cenários do CEL. Acessar ao sistema

Cenários do CEL. Acessar ao sistema Cenários do CEL Acessar ao sistema Permitir que o usuário acesse ao Sistema de Léxicos e Cenários nas seguintes condições: logando-se, quando já estiver cadastrado; ou incluindo usuário independente, quando

Leia mais

Manual de Configuração e Utilização TabFisc Versão Mobile 09/2013 Pag. 1 MANUAL DE UTILIZAÇÃO TABLET VERSÃO MOBILE

Manual de Configuração e Utilização TabFisc Versão Mobile 09/2013 Pag. 1 MANUAL DE UTILIZAÇÃO TABLET VERSÃO MOBILE Pag. 1 MANUAL DE UTILIZAÇÃO TABLET VERSÃO MOBILE Pag. 2 INTRODUÇÃO Esse documento contém as instruções básicas para a utilização do TabFisc Versão Mobile (que permite ao fiscal a realização do seu trabalho

Leia mais

Manual de Utilização das Funções Básicas do Sistema ClinicWeb

Manual de Utilização das Funções Básicas do Sistema ClinicWeb Manual de Utilização das Funções Básicas do Sistema ClinicWeb Dezembro/2012 2 Manual de Utilização das Funções Básicas do Sistema ClinicWeb Sumário de Informações do Documento Título do Documento: Resumo:

Leia mais

Universidade Federal Rural de Pernambuco. Bacharelado em Sistemas de Informação. Disciplina: Análise e Projeto de Sistemas de Informação

Universidade Federal Rural de Pernambuco. Bacharelado em Sistemas de Informação. Disciplina: Análise e Projeto de Sistemas de Informação Universidade Federal Rural de Pernambuco Bacharelado em Sistemas de Informação Disciplina: Análise e Projeto de Sistemas de Informação Docente: Rodrigo Aluna: Thays Melo de Moraes Diagramas do Projeto

Leia mais

UC05 Manter Páginas. Diplomata CADASTRO. Versão 1.0

UC05 Manter Páginas. Diplomata CADASTRO. Versão 1.0 UC05 Manter Páginas Versão.0 Página / 0 HISTÓRICO DE REVISÕES Data Versão Descrição Autor.0 Criação do documento. Eduardo Gomes de Souza Página 3 / 0 SUMÁRIO. FINALIDADE... 4. REFERÊNCIAS... 4 3. GLOSSÁRIO...

Leia mais

Manual de Utilização

Manual de Utilização Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões URI Pró-Reitoria de Pesquisa, Extensão e Pós-Graduação PROPEPG Manual de Utilização Sistema de Projetos URI Módulo Projetos Versão 1 - Revisão

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO - VISÃO DE EMPRESAS. Todos os direitos reservados à Softbox

MANUAL DE UTILIZAÇÃO - VISÃO DE EMPRESAS. Todos os direitos reservados à Softbox MANUAL DE UTILIZAÇÃO - VISÃO DE EMPRESAS 2012 Todos os direitos reservados à Softbox 1101001112211110000212451 Seja bem vindo! Você está recebendo o MANUAL DE UTILIZAÇÃO VISÃO DE EMPRESAS. Este manual

Leia mais

SisLegis Sistema de Cadastro e Controle de Leis

SisLegis Sistema de Cadastro e Controle de Leis Sistema de Cadastro e Controle de Leis Desenvolvido por Fábrica de Software Coordenação de Tecnologia da Informação Pág 1/22 Módulo: 1 Responsável: Desenvolvimento Ti Data: 01/11/2012 Versão: 1.0 Empresa:

Leia mais

Manual do Aplicativo - Rastreamento Veicular

Manual do Aplicativo - Rastreamento Veicular Manual do Aplicativo - Rastreamento Veicular Sumário Apresentação... 2 Instalação do Aplicativo... 2 Localizando o aplicativo no smartphone... 5 Inserindo o link da aplicação... 6 Acessando o sistema...

Leia mais

W4Mobile Operations Management System. Manual do Usuário Versão 1.3.3

W4Mobile Operations Management System. Manual do Usuário Versão 1.3.3 W4Mobile Operations Management System Manual do Usuário Versão 1.3.3 W4Mobile Team: + 55 31 3475 3594 E-mail: suporte@3ssistemas.com.br Este documento consiste em 27 páginas. Elaborado por: IT Applications

Leia mais

Processo de garantia da qualidade baseado no modelo MPS.BR. Acadêmico: Anildo Loos Orientador: Everaldo Artur Grahl

Processo de garantia da qualidade baseado no modelo MPS.BR. Acadêmico: Anildo Loos Orientador: Everaldo Artur Grahl Processo de garantia da qualidade baseado no modelo MPS.BR Acadêmico: Anildo Loos Orientador: Everaldo Artur Grahl Roteiro introdução objetivos do trabalho fundamentação teórica desenvolvimento da ferramenta

Leia mais

Conecta S_Line. 2.2 Downloads Para instalar o Conecta S_Line, basta acessar www.sline.com.br/downloads.aspx

Conecta S_Line. 2.2 Downloads Para instalar o Conecta S_Line, basta acessar www.sline.com.br/downloads.aspx 1 Introdução O Conecta S_Line permite que o laboratório envie à Central S_Line os resultados de exames gerados pelo Sistema de Informação Laboratorial (LIS) em forma de arquivos digitais. Todo o processo

Leia mais

DMS Documento de Modelagem de Sistema. Versão: 1.4

DMS Documento de Modelagem de Sistema. Versão: 1.4 DMS Documento de Modelagem de Sistema Versão: 1.4 VERANEIO Gibson Macedo Denis Carvalho Matheus Pedro Ingrid Cavalcanti Rafael Ribeiro Tabela de Revisões Versão Principais Autores da Versão Data de Término

Leia mais

MODEM USB 3G+ WM31. Manual do Usuário

MODEM USB 3G+ WM31. Manual do Usuário MODEM USB 3G+ WM31 Manual do Usuário 2 Conteúdo 1 Introdução... 3 2 Descrição da Interface do Cliente... 5 3 Conexão... 7 4 SMS... 10 5 Contatos... 14 6 Estatística... 18 7 Configurações... 19 8 SIM Tool

Leia mais

CONTRA CONTROLE DE ACESSOS E MODULARIZADOR DE SISTEMAS

CONTRA CONTROLE DE ACESSOS E MODULARIZADOR DE SISTEMAS MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO SUBSECRETARIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE MODERNIZAÇÃO E INFORMÁTICA CONTRA CONTROLE DE ACESSOS E MODULARIZADOR DE SISTEMAS MANUAL

Leia mais

Universidade Católica de Pelotas. Centro Politécnico. Analise e Desenvolvimento de Sistema LET S RUNNING. Por. Guilherme Carvalho Gehling

Universidade Católica de Pelotas. Centro Politécnico. Analise e Desenvolvimento de Sistema LET S RUNNING. Por. Guilherme Carvalho Gehling Universidade Católica de Pelotas Centro Politécnico Analise e Desenvolvimento de Sistema LET S RUNNING Por Guilherme Carvalho Gehling Documento de conclusão da disciplina de Trabalho de Curso II Orientador.

Leia mais

Aplicativo para elaboração de questionários, coleta de respostas e análise de dados na área da saúde em dispositivos móveis

Aplicativo para elaboração de questionários, coleta de respostas e análise de dados na área da saúde em dispositivos móveis Aplicativo para elaboração de questionários, coleta de respostas e análise de dados na área da saúde em dispositivos móveis Visão Versão Histórico da Revisão Data Versão Descrição Autor 24/06/12

Leia mais

Documento de Requisitos

Documento de Requisitos UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE INFORMÁTICA GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO Documento de Requisitos Sistema Gerenciador de Atendimento de Chamados Técnicos Grupo: Luiz Augusto Zelaquett

Leia mais

Sumário. Apresentação O que é o Centro de Gerenciamento de Serviços (CGS) NTI? Terminologia Status do seu chamado Utilização do Portal Web

Sumário. Apresentação O que é o Centro de Gerenciamento de Serviços (CGS) NTI? Terminologia Status do seu chamado Utilização do Portal Web Sumário Apresentação O que é o Centro de Gerenciamento de Serviços (CGS) NTI? Terminologia Status do seu chamado Utilização do Portal Web Fazendo Login no Sistema Tela inicial do Portal WEB Criando um

Leia mais

Sistema Gerenciador de Hotel. Adriano Douglas Girardello. Ana Paula Fredrich. Tiago Alexandre Schulz Sippert

Sistema Gerenciador de Hotel. Adriano Douglas Girardello. Ana Paula Fredrich. Tiago Alexandre Schulz Sippert UNIOESTE Universidade Estadual do Oeste do Paraná CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS Colegiado de Informática Curso de Bacharelado em Informática Sistema Gerenciador de Hotel Adriano Douglas Girardello

Leia mais

Henry Equipamentos Eletrônicos e Sistemas Ltda.

Henry Equipamentos Eletrônicos e Sistemas Ltda. Manual do equipamento Henry Equipamentos Eletrônicos e Sistemas Ltda. +55 41 3661-0100 Rua Rio Piquiri, 400 - Jardim Weissópolis - Pinhais/PR - Brasil CEP: 83322-010 CNPJ: 01.245.055/0001-24 Inscrição

Leia mais

Especificações de Casos de Uso UC04 Cadastro de Funcionários

Especificações de Casos de Uso UC04 Cadastro de Funcionários Especificações de Casos de Uso UC04 Cadastro de Funcionários Sistema Gerenciador de Locadora Documento de Caso de Uso UC04 Versão 1.1 Responsável: Gustavo Teles UC04 Cadastro de Funcionários Página 1 de

Leia mais

Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.4.1

Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.4.1 Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.4.1 26 de agosto de 2015 Departamento de Engenharia de Produto (DENP) SEAT Sistemas Eletrônicos de Atendimento 1. Introdução O Teclado de Satisfação é uma

Leia mais

Sistema de Chamados Protega

Sistema de Chamados Protega SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 3 2. REALIZANDO ACESSO AO SISTEMA DE CHAMADOS... 4 2.1 DETALHES DA PÁGINA INICIAL... 5 3. ABERTURA DE CHAMADO... 6 3.1 DESTACANDO CAMPOS DO FORMULÁRIO... 6 3.2 CAMPOS OBRIGATÓRIOS:...

Leia mais

Comm5 Tecnologia Manual de utilização da família MI. Manual de Utilização. Família MI

Comm5 Tecnologia Manual de utilização da família MI. Manual de Utilização. Família MI Manual de Utilização Família MI ÍNDICE 1.0 COMO LIGAR O MÓDULO... pág 03 e 04 2.0 OBJETIVO... pág 05 3.0 COMO CONFIGURAR O MÓDULO MI... pág 06, 07, 08 e 09 4.0 COMO TESTAR A REDE... pág 10 5.0 COMO CONFIGURAR

Leia mais

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE LOGÍSTICA E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DEPARTAMENTO DE LOGÍSTICA E SERVIÇOS GERAIS

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE LOGÍSTICA E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DEPARTAMENTO DE LOGÍSTICA E SERVIÇOS GERAIS MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE LOGÍSTICA E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DEPARTAMENTO DE LOGÍSTICA E SERVIÇOS GERAIS DIVULGAÇÃO DE COMPRAS COTAÇÃO ELETRÔNICA MANUAL DO USUÁRIO

Leia mais

INFORMAÇÕES RELEVANTES...

INFORMAÇÕES RELEVANTES... SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO... 3 1.1. INFORMAÇÕES RELEVANTES... 3 2. VISÃO GERAL DO SISTEMA... 4 2.1. AUTENTICAÇÃO NO SISTEMA... ERROR! BOOKMARK NOT DEFINED. 3. INSTALANDO O MÓDULO RAAS-AD DESKTOP... 6 4.

Leia mais

Manual Easy Chat Data de atualização: 20/12/2010 16:09 Versão atualizada do manual disponível na área de download do software.

Manual Easy Chat Data de atualização: 20/12/2010 16:09 Versão atualizada do manual disponível na área de download do software. 1 - Sumário 1 - Sumário... 2 2 O Easy Chat... 3 3 Conceitos... 3 3.1 Perfil... 3 3.2 Categoria... 4 3.3 Ícone Específico... 4 3.4 Janela Específica... 4 3.5 Ícone Geral... 4 3.6 Janela Geral... 4 4 Instalação...

Leia mais

CONFORTO COM SEGURANÇA CONFORTO COM SEGURANÇA. 0 P27070 - Rev

CONFORTO COM SEGURANÇA CONFORTO COM SEGURANÇA. 0 P27070 - Rev P27070 - Rev. 0 1. RESTRIÇÕES DE FUNCIONAMENTO RECEPTOR IP ÍNDICE 1. Restrições de Funcionamento... 03 2. Receptor IP... 03 3. Inicialização do Software... 03 4. Aba Eventos... 04 4.1. Botão Contas...

Leia mais

DOCUMENTO DE REQUISITOS

DOCUMENTO DE REQUISITOS 1/38 DOCUMENTO DE REQUISITOS GED Gerenciamento Eletrônico de Documentos Versão 1.1 Identificação do Projeto CLIENTE: NOME DO CLIENTE TIPO DO SISTEMA OU PROJETO Participantes Função Email Abilio Patrocinador

Leia mais

Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.2.2

Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.2.2 Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.2.2 18 de fevereiro de 2015 Departamento de Engenharia de Produto (DENP) SEAT Sistemas Eletrônicos de Atendimento 1. Introdução O Teclado de Satisfação é

Leia mais

AVISO. O conteúdo deste documento é de propriedade intelectual exclusiva da GVDASA Sistemas e está sujeito a alterações sem aviso prévio.

AVISO. O conteúdo deste documento é de propriedade intelectual exclusiva da GVDASA Sistemas e está sujeito a alterações sem aviso prévio. AVISO O conteúdo deste documento é de propriedade intelectual exclusiva da GVDASA Sistemas e está sujeito a alterações sem aviso prévio. Nenhuma parte desta publicação pode ser reproduzida nem transmitida

Leia mais

Ferramenta: Spider-CL. Manual do Usuário. Versão da Ferramenta: 1.1. www.ufpa.br/spider

Ferramenta: Spider-CL. Manual do Usuário. Versão da Ferramenta: 1.1. www.ufpa.br/spider Ferramenta: Spider-CL Manual do Usuário Versão da Ferramenta: 1.1 www.ufpa.br/spider Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 14/07/2009 1.0 15/07/2009 1.1 16/07/2009 1.2 20/05/2010 1.3 Preenchimento

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO SUMÁRIO

MANUAL DO USUÁRIO SUMÁRIO SUMÁRIO 1. Home -------------------------------------------------------------------------------------------------------- 7 2. Cadastros -------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

TRABALHO DE DIPLOMAÇÃO Regime Modular ORIENTAÇÕES SOBRE O ROTEIRO DO PROJETO FINAL DE SISTEMAS DE INFORMAÇÕES

TRABALHO DE DIPLOMAÇÃO Regime Modular ORIENTAÇÕES SOBRE O ROTEIRO DO PROJETO FINAL DE SISTEMAS DE INFORMAÇÕES TRABALHO DE DIPLOMAÇÃO Regime Modular ORIENTAÇÕES SOBRE O ROTEIRO DO PROJETO FINAL DE SISTEMAS DE INFORMAÇÕES [Observação: O template a seguir é utilizado como roteiro para projeto de sistemas orientado

Leia mais

Manual de utilização sistema Comtele SMS

Manual de utilização sistema Comtele SMS Manual de utilização sistema Comtele SMS Login... 3 Dashboard... 4 Envio instantâneo de mensagens SMS... 5 Requisições de envio instantâneo para contatos ou grupos.... 5 Agendamento de envio d e SMS...7

Leia mais

INFORMAÇÕES RELEVANTES...

INFORMAÇÕES RELEVANTES... SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO... 3 1.1. INFORMAÇÕES RELEVANTES... 3 2. VISÃO GERAL DO SISTEMA... 4 3. INSTALANDO O MÓDULO RAAS-AD DESKTOP... 6 4. INSTALANDO O MÓDULO RAAS-AD MOBILE... 7 5. ACESSANDO E UTILIZANDO

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO ESCOLA DE ENGENHARIA DEPARTAMENTO DE ELETRÔNICA. Sistema de Gerenciamento Eletrônico de Documentos

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO ESCOLA DE ENGENHARIA DEPARTAMENTO DE ELETRÔNICA. Sistema de Gerenciamento Eletrônico de Documentos UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO ESCOLA DE ENGENHARIA DEPARTAMENTO DE ELETRÔNICA Sistema de Gerenciamento Eletrônico de Documentos Autor: Evandro Bastos Tavares Orientador: Antônio Claudio Gomez

Leia mais

Modelos de Sistemas Casos de Uso

Modelos de Sistemas Casos de Uso Modelos de Sistemas Casos de Uso Auxiliadora Freire Fonte: Engenharia de Software 8º Edição / Ian Sommerville 2000 Slide 1 Casos de Uso Objetivos Principais dos Casos de Uso: Delimitação do contexto de

Leia mais

Manual Laboratório. ICS Sistemas de Gestão em Saúde ICS 01/01/2014

Manual Laboratório. ICS Sistemas de Gestão em Saúde ICS 01/01/2014 2014 Manual Laboratório ICS Sistemas de Gestão em Saúde ICS 01/01/2014 Sumário Acesso ao Sistema... 2 Menu Cadastros... 4 Cadastro de usuários... 4 Inclusão de Novo Usuário... 5 Alteração de usuários...

Leia mais

Aplicativo da Manifestação do Destinatário. Manual

Aplicativo da Manifestação do Destinatário. Manual Aplicativo da Manifestação do Destinatário Manual Novembro de 2012 1 Sumário 1 Aplicativo de Manifestação do Destinatário...4 2 Iniciando o aplicativo...4 3 Menus...5 3.1 Manifestação Destinatário...5

Leia mais

Guia Rápido Primeiros Passos Pós-Instalação Sistema Móvel 1/13

Guia Rápido Primeiros Passos Pós-Instalação Sistema Móvel 1/13 Guia Rápido Primeiros Passos Pós-Instalação Sistema Móvel 1/13 ÍNDICE INTRODUÇÃO...2 FERRAMENTAS DE CONTROLE NO SGI...2 PERMISSÕES SISTEMA MÓVEL X SGI...3 COMUNICAÇÃO DO SISTEMA MÓVEL COM O SGI...4 SUPORTE

Leia mais

Sistema de Autorização Unimed

Sistema de Autorização Unimed Diretoria de Gestão Estratégica Departamento de Tecnologia da Informação Divisão de Serviços em TI Sistema de Autorização Unimed MANUAL DO USUÁRIO DIVISÃO DE SERVIÇOS EM TI A Divisão de Serviços em TI

Leia mais

Requisitos - M.O.P.I.

Requisitos - M.O.P.I. Casos de Uso 1. Cadastrar Requisitos - M.O.P.I. 1.1. Paciente O usuário fornece ao sistema Nome, CPF, Endereço, Celular, Login e Senha obrigatoriamente, além de campos opcionais como Alergias, RG, Plano

Leia mais

Manual do Sistema de Demandas da FUNDEPAG

Manual do Sistema de Demandas da FUNDEPAG 2015 Manual do Sistema de Demandas da FUNDEPAG Manual do Sistema de Demandas da FUNDEPAG Cliente Institucional e Atualizado em: 11 de setembro de 2015 Sumário 1. Conceito do software... 1 2. Abertura de

Leia mais

Especialização em Engenharia de Software com Ênfase em Software Livre ESL2/2008. Projeto Agenda Saúde Requisitos e Modelagem UML

Especialização em Engenharia de Software com Ênfase em Software Livre ESL2/2008. Projeto Agenda Saúde Requisitos e Modelagem UML Projeto Agenda Saúde Requisitos e Modelagem UML Histórico de Revisão Versão 0.1 Data 01/06/09 Revisor Descrição Versão inicial Sumário 1. Introdução...4 1.1 Visão geral deste documento...4 1.2 Módulos

Leia mais

Versão <1.0> Documento de Requisitos. Documento de Requisitos. Equipe:

Versão <1.0> Documento de Requisitos. Documento de Requisitos. Equipe: Versão Documento de Requisitos Documento de Requisitos Equipe: Bruno Harada (bhhc) Edilson Augusto Junior (easj) José Ivson Soares da Silva (jiss) Pedro Rodolfo da Silva Gonçalves (prsg) Raphael

Leia mais

Inclusão, Disponibilização, Alteração, Inativação, Reativação e Copia de Programas

Inclusão, Disponibilização, Alteração, Inativação, Reativação e Copia de Programas MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO ORÇAMENTO E GESTÃO DEPARTAMENTO DE SUPORTE À GESTÃO DO SISTEMA DE TRANSFERÊNCIAS VOLUNTÁRIAS DA UNIÃO Portal dos Convênios SICONV Inclusão, Disponibilização, Alteração, Inativação,

Leia mais

Todos os Registros no site referem-se aos momentos em que o equipamento estava conectado (decorrente dos dois eventos acima descritos).

Todos os Registros no site referem-se aos momentos em que o equipamento estava conectado (decorrente dos dois eventos acima descritos). 1. Como funcionado Equipamento? O Rastreador instalado é um equipamento Hibrido que utiliza tecnologia de transmissão de dados por Satélite e via Operadora de Telefone. O Satélite informa ao equipamento

Leia mais

SERVICE DESK MANAGER SDM. Manual do Sistema - DPOI

SERVICE DESK MANAGER SDM. Manual do Sistema - DPOI SERVICE DESK MANAGER SDM Manual do Sistema - DPOI Conteúdo SERVICE DESK MANAGER SDM... 1 Manual do Sistema - DPOI... 1 INTRODUÇÃO... 4 ACESSO AO SISTEMA... 5 OPÇÕES DO SISTEMA... 6 SISTEMA... 7 Pesquisar

Leia mais

Manual de Utilização. Sistema. Recibo Provisório de Serviço

Manual de Utilização. Sistema. Recibo Provisório de Serviço Manual de Utilização Sistema Recibo Provisório de Serviço Versão 1.0 17/08/2011 Sumário Introdução... 5 1. Primeiro Acesso... 7 2. Funções do e-rps... 8 2.1 Menu Superior... 8 2.1.1 Arquivo......8 2.1.2

Leia mais

Manual Software Controle de Jukebox. Manual. Software Controle de Jukebox

Manual Software Controle de Jukebox. Manual. Software Controle de Jukebox Manual Software Controle de Jukebox Versão 1.0 2014 Sumário 1. Principais Características... 2 2. Software Controle de Jukebox... 3 I. Tela Principal... 4 1 Data Cobrança... 4 2 Linha... 4 3 Cobrador...

Leia mais

1 Sumário... 2. 2 O Easy Chat... 3. 3 Conceitos... 3. 3.1 Perfil... 3. 3.2 Categoria... 3. 4 Instalação... 5. 5 O Aplicativo... 7 5.1 HTML...

1 Sumário... 2. 2 O Easy Chat... 3. 3 Conceitos... 3. 3.1 Perfil... 3. 3.2 Categoria... 3. 4 Instalação... 5. 5 O Aplicativo... 7 5.1 HTML... 1 Sumário 1 Sumário... 2 2 O Easy Chat... 3 3 Conceitos... 3 3.1 Perfil... 3 3.2 Categoria... 3 3.3 Ícone Específico... 4 3.4 Janela Específica... 4 3.5 Ícone Geral... 4 3.6 Janela Geral... 4 4 Instalação...

Leia mais

SISTEMA DE CONTROLE INTERNO DE FLUXO DE CAIXA DO SETOR DE APOIO FINANCEIRO (ULBRA GUAÍBA)

SISTEMA DE CONTROLE INTERNO DE FLUXO DE CAIXA DO SETOR DE APOIO FINANCEIRO (ULBRA GUAÍBA) SISTEMA DE CONTROLE INTERNO DE FLUXO DE CAIXA DO SETOR DE APOIO FINANCEIRO (ULBRA GUAÍBA) Alessandra Lubbe 1 Alexandre Evangelista 2 Jeandro Perceval 3 José Ramiro Pereira 4 Luiz Gustavo Mahlmann 5 RESUMO

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO Aplicativo Controle de Estoque Mobile

MANUAL DE UTILIZAÇÃO Aplicativo Controle de Estoque Mobile MANUAL DE UTILIZAÇÃO Aplicativo Controle de Estoque Mobile 1 1 INICIANDO O APLICATIVO PELA PRIMEIRA VEZ... 3 2 PÁGINA PRINCIPAL DO APLICATIVO... 4 2.1 INTERFACE INICIAL... 4 2.2 DISPOSITIVO NÃO REGISTRADO...

Leia mais

MODEM USB LTE LU11. Manual do Usuário

MODEM USB LTE LU11. Manual do Usuário MODEM USB LTE LU11 Manual do Usuário 2 Tabela de Conteúdo Manual do Usuário... 1 1 Introdução... 3 2 Instalação... 4 3 Descrição da Interface do Cliente... 5 3 Conexão... 8 5 Mensagens SMS... 10 6 Contatos...

Leia mais

Para funcionamento do Netz, alguns programas devem ser instalados e alguns procedimentos devem ser seguidos. São eles:

Para funcionamento do Netz, alguns programas devem ser instalados e alguns procedimentos devem ser seguidos. São eles: Instalação do Netz Para funcionamento do Netz, alguns programas devem ser instalados e alguns procedimentos devem ser seguidos. São eles: Instalação do Java SE 6, que pode ser instalado através da JDK.

Leia mais

Sistema de Armazenamento de Dados Eleitorais - SisElege

Sistema de Armazenamento de Dados Eleitorais - SisElege Faculdade de Tecnologia Senac DF Sistema de Armazenamento de Dados Eleitorais - SisElege Documento de Visão Versão 4.0 Histórico de Revisão Data Versão Descrição Autor 05/09/2014 1.0 Versão Inicial do

Leia mais

DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 MANTER FUNCIONÁRIO RELEASE 4.1

DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 MANTER FUNCIONÁRIO RELEASE 4.1 DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 MANTER FUNCIONÁRIO RELEASE 4.1 SUMÁRIO DEFINIÇÃO DE REQUISITOS 4 1. INTRODUÇÃO 4 1.1 FINALIDADE 4 1.2 ESCOPO 4 1.3 DEFINIÇÕES, ACRÔNIMOS

Leia mais

Grifon Alerta. Manual do Usuário

Grifon Alerta. Manual do Usuário Grifon Alerta Manual do Usuário Sumário Sobre a Grifon Brasil... 4 Recortes eletrônicos... 4 Grifon Alerta Cliente... 4 Visão Geral... 4 Instalação... 5 Pré-requisitos... 5 Passo a passo para a instalação...

Leia mais

Guia de Utilização do Microsoft Dynamics CRM (Gestão de Relacionamento com Clientes)

Guia de Utilização do Microsoft Dynamics CRM (Gestão de Relacionamento com Clientes) Guia de Utilização do Microsoft Dynamics CRM (Gestão de Relacionamento com Clientes) 1. Sobre o Microsoft Dynamics CRM - O Microsoft Dynamics CRM permite criar e manter facilmente uma visão clara dos clientes,

Leia mais

Engenharia de Software I

Engenharia de Software I Engenharia de Software I Rogério Eduardo Garcia (rogerio@fct.unesp.br) Bacharelado em Ciência da Computação Aula 05 Material preparado por Fernanda Madeiral Delfim Tópicos Aula 5 Contextualização UML Astah

Leia mais

Documento de Requisitos

Documento de Requisitos UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO GRADUAÇÃO EM Ciência DA COMPUTAÇÃO CENTRO DE INFORMÁTICA 2013.1 Documento de Requisitos IF716 ESPECIFICAÇÃO E VALIDAÇÃO DE REQUISITOS Alunos: Felipe Duarte (fds) Gabriela

Leia mais

Manual Telemetria - RPM

Manual Telemetria - RPM Sumário Apresentação... 2 Home... 2 Definição do Idioma... 3 Telemetria RPM... 4 Pré-requisitos necessários para utilizar o menu Telemetria RPM... 5 Faixas RPM... 11 Configura Faixa do Veículo... 15 Acumulado

Leia mais

Manual de utilização do. sistema integrado de controle médico WWW.ISA.NET.BR

Manual de utilização do. sistema integrado de controle médico WWW.ISA.NET.BR Manual de utilização do sistema integrado de controle médico WWW.ISA.NET.BR Sistema integrado de controle médico Acesso... 3 Menu principal... 4 Cadastrar... 6 Cadastro de pacientes... 6 Convênios... 10

Leia mais

INTRODUÇÃO 2 ACESSO AO SIGTECWEB 3 TEMPO DE CONEXÃO 5 NAVEGAÇÃO 7 BARRA DE AÇÕES 7 COMPORTAMENTO DOS BOTÕES 7 FILTROS PARA PESQUISA 8

INTRODUÇÃO 2 ACESSO AO SIGTECWEB 3 TEMPO DE CONEXÃO 5 NAVEGAÇÃO 7 BARRA DE AÇÕES 7 COMPORTAMENTO DOS BOTÕES 7 FILTROS PARA PESQUISA 8 ÍNDICE INTRODUÇÃO 2 ACESSO AO SIGTECWEB 3 TEMPO DE CONEXÃO 5 NAVEGAÇÃO 7 BARRA DE AÇÕES 7 COMPORTAMENTO DOS BOTÕES 7 FILTROS PARA PESQUISA 8 ACESSO ÀS FERRAMENTAS 9 FUNÇÕES 12 MENSAGENS 14 CAMPOS OBRIGATÓRIOS

Leia mais

Diagramas de Casos de Uso

Diagramas de Casos de Uso Diagramas de Casos de Uso Não diga pouco em muitas palavras, mas sim, muito em poucas. Pitágoras Casos de uso O modelo de casos de uso modela os requisitos funcionais do sistema. É uma técnica de modelagem

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES SISTEMA OPERACIONAL MÉTODO QUANTUM 2014

MANUAL DE INSTRUÇÕES SISTEMA OPERACIONAL MÉTODO QUANTUM 2014 MANUAL DE INSTRUÇÕES SISTEMA OPERACIONAL MÉTODO QUANTUM 2014 ÍNDICE Apresentação Principais Botões Login Usúario Resultado Método Quantum Preencher Método Quantum Extrato On-Line Engenharia de Função Grupos

Leia mais

Manual Sistema Mó vel Msys Cómercial

Manual Sistema Mó vel Msys Cómercial Manual Sistema Mó vel Msys Cómercial Maravilha, 2014. 1 Sumário 1. REQUISITOS MÍNIMOS... 3 2. PRINCIPAIS TELAS E FUNCIONALIDADES... 4 2.1.1. Tela de acesso ao sistema.... 4 2.1.2. Tela Principal do Sistema....

Leia mais

produção MANUAL APRESENTAÇÃO

produção MANUAL APRESENTAÇÃO MANUALWEB 1 APRESENTAÇÃO MANUAL da produção online Conheça as funções, características e as facilidades para autorizar e faturar os atendimentos realizados aos beneficiários Unimed. Rio MANUALWEB 2 SUMÁRIO

Leia mais

Manual Digifort Evidence Versão 1.0.1 Rev. A

Manual Digifort Evidence Versão 1.0.1 Rev. A Manual Digifort Evidence Versão 1.0.1 Rev. A Índice ANTES DE VOCÊ COMEÇAR... 4 PRÉ-REQUISITOS... 4 SCREEN SHOTS... 4 A QUEM SE DESTINA ESTE MANUAL... 4 COMO UTILIZAR ESTE MANUAL... 4 Introdução... 5 INSTALANDO

Leia mais

[PÚBLICA] Manual Operacional. Sistema GEUI Gestão de Usuários da Internet. Produto: Consignado

[PÚBLICA] Manual Operacional. Sistema GEUI Gestão de Usuários da Internet. Produto: Consignado 1 [PÚBLICA] Manual Operacional Sistema GEUI Gestão de Usuários da Internet Produto: Consignado ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 1.1. Objetivo do Manual... 3 1.2. Público Alvo... 3 1.3. Conteúdo do Manual... 3

Leia mais

MODEM USB LTE. Manual do Usuário

MODEM USB LTE. Manual do Usuário MODEM USB LTE Manual do Usuário 2 Conteúdo Manual do Usuário... 1 1 Introdução... 3 2 Descrição da Interface do Cliente... 4 3 Conexão... 7 4 SMS... 10 5 Contatos... 14 6 Estatística... 18 7 Configurações...

Leia mais

MÓDULO DE CONTROLE ACADÊMICO - MCA Documento de Requisitos

MÓDULO DE CONTROLE ACADÊMICO - MCA Documento de Requisitos 1 MÓDULO DE CONTROLE ACADÊMICO - MCA Documento de Requisitos GUILHERME MANOEL CELESTE DE FREITAS GILBERTO TIMOTHEO JUNIOR RICARDO CUNHA VALE JUIZ DE FORA 2009 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO 2 1.1 Propósito 2 1.2

Leia mais

Uma Proposta de Tecnologia Embarcada na Internação Domiciliar Capítulo 5 Conclusões 133

Uma Proposta de Tecnologia Embarcada na Internação Domiciliar Capítulo 5 Conclusões 133 Capítulo 5 Conclusões 133 CAPÍTULO 5 CONCLUSÕES Neste capítulo são abordadas as conclusões traçadas no desenvolvimento e validação do SMD, e indicação de estudos futuros. Ressalta-se o atendimento aos

Leia mais

Histórico de Revisão Data Versão Descrição Autor

Histórico de Revisão Data Versão Descrição Autor H6Projetos Documento de Requisitos Versão 1.3 Histórico de Revisão Data Versão Descrição Autor 05/09/2013 1.0 Preenchimento do Capítulo 2 Requisitos Funcionais Evilson Montenegro 26/09/2013 1.1 Preenchimento

Leia mais

Manual Integra S_Line

Manual Integra S_Line 1 Introdução O é uma ferramenta que permite a transmissão Eletrônica de Resultado de Exames, possibilitando aos Prestadores de Serviços (Rede Credenciada), integrarem seus sistemas com os das Operadoras

Leia mais

Eagle Rastreamento Veicular

Eagle Rastreamento Veicular Softech Software Brasil Ltda. Eagle Rastreamento Veicular Softech Tecnologia em Software Versão 1.4.0.0 13 2 Introdução Objetivo do manual de instruções O presente manual foi elaborado com o objetivo de

Leia mais

Sistema de pedidos para estabelecimentos de alimentação: QuickPed. Adailton Antonio Ribeiro

Sistema de pedidos para estabelecimentos de alimentação: QuickPed. Adailton Antonio Ribeiro 2011 Sistema de pedidos para estabelecimentos de alimentação: QuickPed Adailton Antonio Ribeiro UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS BACHARELADO EM SISTEMAS

Leia mais