1 ORIENTAÇÃO E LOCALIZAÇÃO A) ORIENTAÇÃO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "1 ORIENTAÇÃO E LOCALIZAÇÃO A) ORIENTAÇÃO"

Transcrição

1 MÓDULO 01 ENEM - ORIENTAÇÃO E LOCALIZAÇÃO 1 ORIENTAÇÃO E LOCALIZAÇÃO A) ORIENTAÇÃO A orientação é um procedimento fundamental na localização dos lugares. Orientar-se é ir à procura do oriente, lugar onde o Sol nasce (leste). No sentido geográfico é o mesmo que rumo ou direção. Graficamente a rosa-dos-ventos nos dá as direções. É sempre importante considerarmos o Sol, as estrelas, a bússola e o GPS, para a orientação. O descaso no que diz respeito à utilização de tais instrumentos pode acarretar problemáticas situações cotidianas como comprar uma passagem de ônibus ou de trem e viajar o tempo todo do lado do sol, ou construir uma casa com os quartos voltados para onde não há sol no inverno. A ROSA-DOS-VENTOS Para entender e aplicar a orientação, consideram-se os pontos cardeais. Entre os pontos cardeais existem os pontos colaterais e entre os cardeais e os colaterais existem os subcolaterais, que podem ser demonstrados na rosa-dos-ventos. O conceito de orientação está associado à determinação da posição do elemento no espaço geográfico e sua relação com os pontos cardeais, colaterais e subcolaterais. Veja o desenho da rosa-dos-ventos, também chamada rosa-dos-rumos. ROSA DOS VENTOS CARDEAIS: Norte = N Sul = S Leste = L ou E Oeste = O ou W COLATERAIS: Nordeste = NE Sudeste = SE Sudoeste = SO ou SW Noroeste = NO ou NW SUBCOLATERAIS: Norte-nordeste = NNE Norte-noroeste = NNW Leste-nordeste = ENE Leste-sudeste = ESSE Sul-sudeste = SSE Sul-sudoeste = SSW Oeste-sudoeste = WSW Oeste-noroeste = WNW OUTROS NOMES DOS PONTOS CARDEAIS: Norte: setentrional e boreal Sul: meridional e austral Leste: oriental e nascente Oeste: ocidental e poente 1

2 ORIENTAÇÃO PELO SOL A orientação pelo Sol é estabelecida pelo chamado movimento aparente do Sol, isto é, devido ao movimento de rotação da Terra, de oeste para leste, tem-se a sensação de que o Sol está se movimentando na direção contrária. Para uma pessoa orientar-se pelo Sol, basta posicionar a mão direita estendida para o nascente, onde se tem o leste. A mão esquerda indica o oeste; a frente da pessoa, o norte; e suas costas, o sul. ORIENTAÇÃO PELAS ESTRELAS Além do Sol, outras estrelas podem ser utilizadas para a orientação. No Hemisfério Sul tem-se a Constelação do Cruzeiro do Sul. Para orientar-se por ela, é necessário prolongar quatro vezes e meia a parte maior de cruz e, em seguida, estender uma linha, imaginária, perpendicular até a superfície da Terra, onde se acha o Pólo Sul. No Hemisfério Norte, utiliza-se com maior freqüência a estrela Polar da Constelação Ursa Maior, que indica o Pólo Norte, bastando apenas traçar uma perpendicular da estrela até a superfície terrestre. ORIENTAÇÃO PELA LUA Tal como o Sol, a Lua nasce no leste e se põe no oeste. Assim sendo, devemos proceder como no caso da orientação pelo Sol: estender o braço direito na direção onde ela nasce, isto é, o leste. Nossa esquerda corresponde ao oeste, nossa frente ao norte e nossas costas ao sul. A BÚSSOLA Do século XII ao século XV, acontece a invenção e o predomínio da bússola, um prático e eficiente instrumento de orientação inventado pelos chineses, que permitia traçar o rumo em qualquer momento de uma viagem. Foi fundamental nas Grandes Navegações, mas hoje é utilizada como instrumento simples e prático de orientação pessoal. Navios e aviões orientam-se por sistemas mais sofisticados. Constitui-se de uma agulha imantada que gira sobre um eixo vertical, em um fundo constituído por um mostrador, como a rosa-dos-ventos, com 360º de circunferência. A agulha imantada da bússola não aponta o Norte geográfico, mas sim o pólo magnético da Terra. É necessário, então, fazer uma correção na direção apontada pela bússola, denominada declinação magnética, que é o ângulo formado pela distância entre o Pólo Norte da Terra e o pólo magnético, indicado pela agulha da bússola. B) LOCALIZAÇÃO Olhe, detalhadamente para um mapa ou um globo terrestre. Onde os lugares se localizam? Cada lugar tem o seu endereço global, que diz exatamente onde se localiza no mundo. Existem dois números no endereço 2

3 global: um para a latitude e um outro para a longitude. Se conhecermos esses dois números e soubermos como usá-los, poderemos encontrar qualquer lugar na superfície da Terra e dar sua localização exata. Para isso, foram criadas as coordenadas geográficas, que são as linhas imaginárias determinantes da latitude (paralelos) e da longitude (meridianos). PARALELOS Paralelos são círculos imaginários que atravessam a terra, paralelamente ao equador, nos dois hemisférios, dividindo a Terra em Norte e Sul. Diminuem de tamanho à medida que se afastam do equador, até se transformarem em um ponto nos pólos, a 90º. A LATITUDE pode ser Norte ou Sul, variando de 0º a 90º. È a distância (em graus) de qualquer ponto da superfície terrestre ao Equador. PRINCIPAIS PARALELOS E ZONAS TÉRMICAS DA TERRA MERIDIANOS Meridianos são semicircunferências imaginárias traçadas na Terra de pólo a pólo, possuindo a mesma extensão. Dividem a Terra em Leste e Oeste de Greenwich. A Longitude pode ser Leste ou Oeste, variando de 0º a 180º. É a distância (em graus) de qualquer ponto da superfície terrestre ao Meridiano de Greenwich. Assim, são 180º leste e 180º oeste, obtendo-se a volta no globo (360º). 3

4 MÓDULO 02 ENEM - ORIENTAÇÃO E LOCALIZAÇÃO PARTE 2 C) FORMA, MOVIMENTOS DA TERRA E ESTAÇÕES DO ANO A Terra possui uma superfície de 510 milhões de km 2 e sua forma é geóide (geo terra; óide forma), ou seja, forma própria da terra, achatada nos pólos e abaulada no equador, devido ao efeito da rotação terrestre. Para fins geodésicos e cartográficos criou-se uma superfície teórica regular o Elipsóide. Medidas da Terra Raio da Terra no Equador: 6.378,388 km Raio da Terra nos Pólos: 6.356,912 km Diâmetro Equatorial: ,776 km Diâmetro Polar: ,821 km Circunferência Equatorial: ,84 km Circunferência Polar: ,14 km Elipsóide Movimento de rotação É o movimento que a Terra executa em torno do seu eixo polar, ou o tempo gasto para girar 360º no sentido oeste-leste. O tempo gasto para executar esse movimento, de 23h56min4s, denomina-se dia sideral. Em decorrência do movimento de rotação, há: - movimento aparente do Sol; - sucessão de dias e de noites; - obliqüidade dos raios solares durante o dia; - desvio dos ventos alísios; - horários diferenciados (fusos horários); - pontos cardeais e achatamento nos pólos. ROTAÇÃO DA TERRA Sentido Oeste-Leste 4

5 Movimento de translação É o movimento da Terra em torno do Sol, realizando, em órbita elíptica, um percurso de 930 milhões de quilômetros, com duração de um ano solar ou 365 dias, 5h48min9s, arredondada para 365 dias e 6 h. Na prática se usa o ano civil 365 dias. Por isso, a cada quatro anos se acrescenta um dia a cada ano, constituindose o ano bissexto 366 dias. A forma da órbita do movimento de translação é uma elipse, na qual o Sol ocupa um dos focos. Dessa forma, a Terra ora se afasta do Sol, ora se aproxima. O afastamento máximo, AFÉLIO (aproximadamente 152 milhões de quilômetros), ocorre em 4 de julho. O dia 3 de janeiro é o período em que a Terra mais se aproxima do Sol (cerca de 147 milhões de quilômetros) PERIÉLIO. Estações do ano A forma esférica da Terra e a inclinação de seu eixo, associadas ao movimento de translação são responsáveis pela ocorrência das estações do ano. - No dia 21 de dezembro, o Hemisfério Sul recebe os raios solares quase perpendicularmente ao Trópico de Capricórnio, ocasionando o solstício de verão no Hemisfério Sul e o solstício de inverno no Hemisfério Norte. - Em 21 de junho, o Hemisfério Norte é que recebe mais os raios solares, havendo o solstício de verão neste hemisfério e o solstício de inverno no Hemisfério Sul. - Nos dias 21 de março e 23 de setembro, os raios solares incidem perpendicularmente na região do equador, provocando os equinócios de primavera e outono. Nos equinócios os dois hemisférios estão iluminados por igual, por isso as noites terão a mesma duração dos dias 12 horas cada. 5

6 O MOVIMENTO DE TRANSLAÇÃO E AS ESTAÇÕES DO ANO HEMISFÉRIO SUL ESTAÇÃO HEMISFÉRIO NORTE ESTÁ OCORRENDO 21 de dezembro VERÃO 21 de junho SOLSTÍCIOS 21 de março OUTONO 23 de setembro EQUINÓCIOS 21 de junho INVERNO 21 de dezembro SOLSTÍCIOS 23 de setembro PRIMAVERA 21 de março EQUINÓCIOS A seqüência de figuras de 1 a 4 ilustra a variação da incidência solar, ao longo do ano, em relação a um observador posicionado na linha do equador exatamente ao meio-dia solar. Em 1 e 3, o Sol está perpendicular à linha do Equador, por isso não há sombra projetada. Nesses dois momentos estão ocorrendo os Equinócios luz solar igualmente distribuída para os dois hemisférios. Em 2 e 4, o Sol está perpendicular, respectivamente, aos trópicos de Capricórnio e de Câncer. Estão ocorrendo os Solstícios máxima desigualdade na distribuição de luz e calor entre os dois hemisférios. 6

7 EXERCÍCIOS SÉRIE A 1) O anúncio oferece um apartamento para venda no município de São Paulo. APTO COBERTURA Novo, 2Stes. Americanas, Living, Lavabo, Face Norte, Piscina, Churrasqueira, Local tranqüilo. Confira. T.: 531-XX00 (Adap. Folha de São Paulo: 17/08/99) A expressão Face Norte indica que o apartamento: a) Está na Zona Norte, próximo à Serra da Cantareira, em local elevado e livre das enchentes. b) Deve ter boa luminosidade pela manhã e à tarde graças à longitude de São Paulo. c) Está na Zona Norte, área muito valorizada, pois fica próxima aos mananciais do município. d) Deve ter boa luminosidade pela manhã e à tarde, pois a cobertura fica na fachada frontal do prédio. e) Deve ter boa luminosidade por estar voltado para o Norte. 2) Assinale verdadeiro (V) ou falso (F): Para localizar pontos específicos na superfície terrestre não basta apenas o rumo ou a orientação. Por esse motivo, foram criadas as coordenadas geográficas. Com base nos conhecimentos acerca do assunto, pode-se afirmar: ( ) As linhas imaginárias que servem de base para a localização de qualquer ponto na superfície terrestre são os paralelos e os meridianos. ( ) Os paralelos permitem o cálculo da latitude, distância em quilômetros entre o ponto que se quer localizar e o Equador. ( ) As longitudes, que podem ser Norte e Sul, são indicadas pelos meridianos. ( ) A latitude varia de 0º a 90º e pode estar a Leste ou a Oeste. ( ) A longitude varia de 0º a 180º, iniciando na linha do Equador. A seqüência correta é: a) V, V, F, F, F. b) V, F, F, F, F. c) V, V, V, F, V. d) F, V, F, F, V. e) F, F, V, F, F. 3) Responder à questão com base no gráfico, que representa parte das coordenadas geográficas. As coordenadas geográficas dos pontos A e C são, respectivamente, a) 2 de latitude Sul e 4 de longitude Leste - 4 e 30' de latitude Sul e 2 de longitude Leste. b) 4 de latitude Leste e 2 de longitude Sul - 2 de latitude Leste e 3 e 30' de longitude Norte. c) 2 de latitude Sul e 4 de longitude Leste - 3 e 30' de latitude Sul e 2 de longitude Leste. d) 2 de longitude Leste e 4 de latitude Norte - 3 e 30' de longitude Leste e 2 de latitude Norte. e) 4 de longitude Oeste e 2 de latitude Norte - 2 de longitude Oeste e 4 e 30' de latitude Norte. 7

8 4) Responder à questão com base no desenho e nas afirmativas. I. Os raios solares estão perpendiculares ao solo, pois o desenho representa um lugar situado na linha do Trópico de Capricórnio, no momento em que inicia o inverno. II. A situação evidenciada no desenho é, provavelmente, de solstício de verão no Hemisfério Norte. III. Esta data corresponde, provavelmente, ao início de verão no Hemisfério Norte, e o local representado está situado em qualquer ponto sobre o Trópico de Câncer. IV. Simultaneamente à situação mostrada no desenho, no Hemisfério Sul, o Sol também está incidindo perpendicularmente, ao meio-dia, em qualquer ponto do Trópico de Capricórnio. V. O desenho não se refere a Porto Alegre, pois nesta latitude não ocorre a incidência perpendicular dos raios solares. A análise do desenho e das afirmativas permite concluir que estão corretas apenas: a) II, III e V d) I, II e III b) I, II e IV c) I, III, IV e V e) III, IV e V 5) Leia o texto: "As populações que vivem nos trópicos recebem luz ultravioleta (UV) suficiente para sintetizar a vitamina D o ano todo. Mas aquelas que vivem em latitudes setentrionais ou meridionais não recebem as quantidades necessárias de radiação UV. Nas zonas temperadas, as pessoas não dispõem de luz UV suficiente para fabricar vitamina D durante um mês por ano; aquelas que vivem mais perto dos pólos, não obtêm luz UV suficiente para sintetizar a vitamina D durante a maior parte do ano." Fonte: "Scientific American" Brasil, ano 1, n. 6, novembro de Pela leitura do trecho acima, podemos AFIRMAR que: a) a incidência da radiação solar interfere somente na vida humana. b) os raios solares, em altas latitudes, incidem obliquamente sobre a superfície. c) nas regiões polares a incidência da luz ultravioleta é nula. d) a variação da luz UV recebida pela população é função da cor da pele. e) nas latitudes setentrionais, a luz UV incide verticalmente sobre a superfície. 6) O fenômeno do sol da meia-noite no hemisfério norte ocorre durante a estação: a) do outono no mesmo hemisfério. b) do verão no hemisfério sul. c) do inverno no mesmo hemisfério. d) do inverno no hemisfério sul. e) da primavera no mesmo hemisfério. 8

9 EXERCÍCIOS SÉRIE B 1) A compreensão e o uso das coordenadas geográficas são de importância fundamental na cartografia. A esse respeito, responda: a) O que são coordenadas geográficas? b) Qual a sua utilização no estudo do espaço geográfico? 2) Como você pode se localizar em relação aos pontos cardeais sem utilizar bússolas? 3) Qual a diferença entre Solstícios e Equinócios? 9

GEOGRAFIA - PISM 1 UNIDADE 1 UNIDADE 1: REPRESENTAÇÕES DO ESPAÇO GEOGRÁFICO

GEOGRAFIA - PISM 1 UNIDADE 1 UNIDADE 1: REPRESENTAÇÕES DO ESPAÇO GEOGRÁFICO GEOGRAFIA - PISM 1 UNIDADE 1 UNIDADE 1: REPRESENTAÇÕES DO ESPAÇO GEOGRÁFICO 1. O Sistema de Coordenadas Terrestres Olhe, detalhadamente para um mapa ou um globo terrestre. Onde os lugares se localizam?

Leia mais

Cartografia: formas e movimentos da Terra.

Cartografia: formas e movimentos da Terra. Cartografia: formas e movimentos da Terra. 1) (UFPel RS/2009) O movimento de translação é a órbita que a Terra percorre ao redor do Sol. Essa trajetória é realizada em 365 dias, 5 horas, 48 minutos e 48

Leia mais

austral leste ocidente

austral leste ocidente 1. Complete as lacunas, utilizando os seguintes termos: Eixo da Terra norte austral leste ocidente Rosa dos ventos boreal bússola oeste setentrional Equador longitude oriente latitude Equador sul poente

Leia mais

ORIENTAÇÃO NO ESPAÇO GEOGRÁFICO

ORIENTAÇÃO NO ESPAÇO GEOGRÁFICO ORIENTAÇÃO NO ESPAÇO GEOGRÁFICO Onde estamos na Terra: os pontos de orientação Ao nos deslocarmos no espaço, sentimos a necessidade de uma referência que oriente o nosso movimento. No cotidiano, utilizamos

Leia mais

C O L É G I O F R A N C O - B R A S I L E I R O

C O L É G I O F R A N C O - B R A S I L E I R O C O L É G I O F R A N C O - B R A S I L E I R O Nome: N.º: Turma: Professor(a): Ano: 6º Data: / / 2014 2ª LISTA DE RECUPERAÇÃO - GEOGRAFIA 1) Para responder a esta questão, considere os mapas a seguir.

Leia mais

Geocentrismo e Heliocentrismo

Geocentrismo e Heliocentrismo Geocentrismo e Heliocentrismo O interesse sobre a ordenação do Sistema Solar proporcionou muitos anos de observações, estudos e debates. Ao longo da história, as duas teorias mais conhecidas são: a do

Leia mais

O movimento aparente do Sol e as estações do ano. Roberto Ortiz EACH/USP Roberto Bockzo IAG/USP

O movimento aparente do Sol e as estações do ano. Roberto Ortiz EACH/USP Roberto Bockzo IAG/USP O movimento aparente do Sol e as estações do ano Roberto Ortiz EACH/USP Roberto Bockzo IAG/USP Determinação do meridiano local (Método da sombra mínima ) Nascente Meridiano Linha do Meio dia Ocaso Determinação

Leia mais

Introdução. Aula 3: Movimento Anual do Sol e Estações do Ano

Introdução. Aula 3: Movimento Anual do Sol e Estações do Ano Aula 3: Movimento Anual do Sol e Estações do Ano Maria de Fátima Oliveira Saraiva, Kepler de Souza Oliveira Filho &Alexei Machado Müller Devido ao movimento orbital da Terra, o Sol parece mover-se entre

Leia mais

3.1. Terra e Sistema Solar (2)

3.1. Terra e Sistema Solar (2) 1 Ciências Físico-químicas - 7º ano de escolaridade Unidade 3 PLANETA TERRA (2) Sucessão dos dias e das noites Estações do ano Ciências Físico- Químicas 7º Ano de Escolaridade Docente: Marília Silva Soares

Leia mais

* Coordenadas Geográficas Movimento de rotação 6ºANO Cap 2 pg 23

* Coordenadas Geográficas Movimento de rotação 6ºANO Cap 2 pg 23 * Coordenadas Geográficas Movimento de rotação 6ºANO Cap 2 pg 23 Nosso planeta abrange uma área de aproximadamente 510 milhões de quilômetros quadrados. A título de comparação, o Brasil representa apenas

Leia mais

Introdução. Aula 3 - Movimento anual do Sol: estações do ano.

Introdução. Aula 3 - Movimento anual do Sol: estações do ano. Aula 3 - Movimento anual do Sol: estações do ano. Área 1, Aula 3 Alexei Machado Müller, Maria de Fátima Oliveira Saraiva & Kepler de Souza Oliveira Filho Ilustração dos movimentos diurnos do Sol, visto

Leia mais

CARTOGRAFIA LINHA DE APOIO

CARTOGRAFIA LINHA DE APOIO COMEÇO DE CONVERSA PROF. Wagner Atallah CARTOGRAFIA LINHA DE APOIO Chegar a um lugar desconhecido utilizando um mapa requer uma série de conhecimentos que só são adquiridos num processo de alfabetização

Leia mais

O Sol nasce em pontos diferentes ao longo do ano. Nascer do Sol. Leste é o ponto onde o Sol nasce. (?!?)

O Sol nasce em pontos diferentes ao longo do ano. Nascer do Sol. Leste é o ponto onde o Sol nasce. (?!?) Relógios de Sol O Sol nasce em pontos diferentes ao longo do ano. Nascer do Sol Leste é o ponto onde o Sol nasce. (?!?) Ao longo de um dia, a sombra é máxima no nascer e no ocaso do Sol, e é mínima ao

Leia mais

Geografia Capítulo 2. Cartografia. Introdução

Geografia Capítulo 2. Cartografia. Introdução Geografia Capítulo 2 Cartografia Introdução Cartografia é a ciência voltada para o estudo da construção e interpretação de mapas. Nesta ciência estuda-se como representar uma área geográfica em uma superfície

Leia mais

Universidade Ibirapuera Arquitetura e Urbanismo Conforto Ambiental: Insolação e Iluminação MÓDULO 2: ILUMINAÇÃO NATURAL

Universidade Ibirapuera Arquitetura e Urbanismo Conforto Ambiental: Insolação e Iluminação MÓDULO 2: ILUMINAÇÃO NATURAL Universidade Ibirapuera Arquitetura e Urbanismo Conforto Ambiental: Insolação e Iluminação MÓDULO : INSOLAÇÃO MÓDULO : ILUMINAÇÃO NATURAL MÓDULO : ILUMINAÇÃO DE INTERIORES Docente: Claudete Gebara J. Callegaro

Leia mais

Movimento Anual Aparente do Sol

Movimento Anual Aparente do Sol Movimentos aparentes dos Astros: Movimento Anual Aparente do Sol 15 09 2011 Prof. J. Meléndez, baseado no Prof. R. Boczko IAG - USP Movimentos aparentes Movimento diurno aparente do Sol Movimento anual

Leia mais

Coordenadas geográficas. Porto Alegre 2015

Coordenadas geográficas. Porto Alegre 2015 Coordenadas geográficas Porto Alegre 2015 Localização no espaço geográfico O conceito mais apropriado de orientação é direção. Usamos em nosso dia-a-dia uma localização básica fundamentada em Direita,

Leia mais

LOCALIZANDO PONTOS ATRAVÉS DE COORDENADAS GEOGRÁFICAS

LOCALIZANDO PONTOS ATRAVÉS DE COORDENADAS GEOGRÁFICAS CONHECENDO A CARTOGRAFIA E OS MAPAS Segundo a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), Cartografia é definida como: "A arte do levantamento, construção e edição de mapas e cartas de qualquer natureza..

Leia mais

CARTOGRAFIA SISTEMÁTICA COORDENADAS GEOGRÁFICAS FUSOS HORÁRIOS

CARTOGRAFIA SISTEMÁTICA COORDENADAS GEOGRÁFICAS FUSOS HORÁRIOS CARTOGRAFIA SISTEMÁTICA COORDENADAS GEOGRÁFICAS FUSOS HORÁRIOS Elaboração e Organização: Profa. Dra. Andréia Medinilha Pancher COORDENADAS GEOGRÁFICAS Elaboração e Organização: Profa. Dra. Andréia Medinilha

Leia mais

CARTOGRAFIA SISTEMÁTICA

CARTOGRAFIA SISTEMÁTICA CARTOGRAFIA SISTEMÁTICA PROJEÇÃO Universal Transversa de Mercator (UTM) COORDENADAS UTM Elaborado por: Andréia Medinilha Pancher e Maria Isabel Castreghini de Freitas SISTEMA DE PROJEÇÃO UNIVERSAL TRANSVERSA

Leia mais

22-11-2015. No outono e inverno: Na primavera e no verão: As estações do ano (Pp. 95 a 101) Estações do ano. Manual

22-11-2015. No outono e inverno: Na primavera e no verão: As estações do ano (Pp. 95 a 101) Estações do ano. Manual As estações (Pp. 95 a 101) Estações Inclinação do eixo de rotação Solstício de inverno Solstício de verão Equinócio da primavera Equinócio do outono Inclinação dos raios solares Atenção às Páginas do MANUAL

Leia mais

Coordenadas Horizontais O sistema horizontal é mais intuitivo porque é baseado no horizonte local. Por esta razão,

Coordenadas Horizontais O sistema horizontal é mais intuitivo porque é baseado no horizonte local. Por esta razão, Coordenadas Horizontais O sistema horizontal é mais intuitivo porque é baseado no horizonte local. Por esta razão, as coordenadas horizontais variam com a posiçã ção o do observador. Azimute (A):( abertura

Leia mais

Equipe de Geografia. Geografia

Equipe de Geografia. Geografia Aluno (a): Série: 3ª Turma: TUTORIAL 2B Ensino Médio Equipe de Geografia Data: Geografia Cartografia Coordenadas geográficas conjunto formado por paralelos e meridianos que atravessam o planeta e permitem

Leia mais

COLÉGIO 7 DE SETEMBRO DISICIPLINA DE GEOGRAFIA PROF. RONALDO LOURENÇO 1º ANO CAPÍTULO 01 PLANETA TERRA: COORDENADAS, MOVIMENTOS E FUSOS HORÁRIOS

COLÉGIO 7 DE SETEMBRO DISICIPLINA DE GEOGRAFIA PROF. RONALDO LOURENÇO 1º ANO CAPÍTULO 01 PLANETA TERRA: COORDENADAS, MOVIMENTOS E FUSOS HORÁRIOS COLÉGIO 7 DE SETEMBRO DISICIPLINA DE GEOGRAFIA PROF. RONALDO LOURENÇO 1º ANO CAPÍTULO 01 PLANETA TERRA: COORDENADAS, MOVIMENTOS E FUSOS HORÁRIOS IMPORTÂNCIA O homem não existe sem a geografia O princípio

Leia mais

GEOGRAFIA FUNDAMENTAL PROF.ª ANDREZA XAVIER 6 ANO PROF. WALACE VINENTE

GEOGRAFIA FUNDAMENTAL PROF.ª ANDREZA XAVIER 6 ANO PROF. WALACE VINENTE GEOGRAFIA 6 ANO PROF. WALACE VINENTE FUNDAMENTAL PROF.ª ANDREZA XAVIER REVISÃO DOS CONTEÚDOS Unidade II Comunicação e tecnologia. 2 REVISÃO DOS CONTEÚDOS Aula 12.1 Conteúdos Desvendando o Universo. O Sistema

Leia mais

NOÇÕES ESPACIAIS NOÇÕES DE ORIENTAÇÃO E LOCALIZAÇÃO. ROSA-DOS- VENTOS ou ROSA-DOS- RUMOS

NOÇÕES ESPACIAIS NOÇÕES DE ORIENTAÇÃO E LOCALIZAÇÃO. ROSA-DOS- VENTOS ou ROSA-DOS- RUMOS NOÇÕES ESPACIAIS NOÇÕES DE ORIENTAÇÃO E LOCALIZAÇÃO ROSA-DOS- VENTOS ou ROSA-DOS- RUMOS 1 HEMISFÉRIOS: ( Metade da esfera terrestre) Há QUATRO hemisférios SINÔNIMOS NORTE: SETENTRIONAL ou BOREAL SINÔNIMOS

Leia mais

1. (URCA) Sobre as coordenadas geográficas, assinale o que for CORRETO.

1. (URCA) Sobre as coordenadas geográficas, assinale o que for CORRETO. QUESTÕES DE APROFUNDAMENTO FUSOS HORÁRIOS 1. (URCA) Sobre as coordenadas geográficas, assinale o que for CORRETO. a) A linha do equador sendo o paralelo inicial de 0º, tem o seu oposto em 90, o qual define

Leia mais

Relações Astronômicas Terra-Sol

Relações Astronômicas Terra-Sol Capítulo II Relações Astronômicas Terra-Sol Objetivos: 1. Determinar a distância da Terra em relação ao Sol; 2. Distinguir entre coordenadas geográficas e coordenadas celestes; 3. Analisar o triângulo

Leia mais

LOCALIZAÇÃO E COORDENADAS GEOGRÁFICAS. Luiz Fernando Wisniewski

LOCALIZAÇÃO E COORDENADAS GEOGRÁFICAS. Luiz Fernando Wisniewski LOCALIZAÇÃO E COORDENADAS GEOGRÁFICAS Prof.º Luiz Fernando Wisniewski lfw.geografia@gmail.com LOCALIZAÇÃO E COORDENADAS GEOGRÁFICAS Orientação através da rosa dos ventos Paralelos e Meridianos Latitude

Leia mais

ASTRONOMIA BÁSICA LIÇÃO 01 FUNDAMENTOS DE ASTRONOMIA DE POSIÇÃO

ASTRONOMIA BÁSICA LIÇÃO 01 FUNDAMENTOS DE ASTRONOMIA DE POSIÇÃO 1 ASTRONOMIA BÁSICA LIÇÃO 01 FUNDAMENTOS DE ASTRONOMIA DE POSIÇÃO 1.1 CONCEITO Astronomia de é a parte da astronomia que tem como objetivo o estudo da esfera celeste, visando a determinação do norte verdadeiro

Leia mais

EXERCÍCIOS DE REVISÃO

EXERCÍCIOS DE REVISÃO EXERCÍCIOS DE REVISÃO 6º ano Componente Curricular: Geografia Espaço Geográfico; Lugar; Paisagem; Orientação e localização; Conteúdos: Forma e Movimentos da Terra; Mapas e cartografia; Coordenadas Geográficas;

Leia mais

Latitude e longitude. espaço geográfico. descobrir alguns dos principais conceitos da Geografia, como espaço geográfico, espaço

Latitude e longitude. espaço geográfico. descobrir alguns dos principais conceitos da Geografia, como espaço geográfico, espaço 12_13.indd 12-13 12 1 Orientação e localização no espaço geográfico Prepare-se! Aqui começa a primeira Expedição dessa fantástica viagem pelo planeta. No Percurso 1, você vai descobrir alguns dos principais

Leia mais

1. Encontre no caça palavras alguns astros do sistema solar.

1. Encontre no caça palavras alguns astros do sistema solar. 1. Encontre no caça palavras alguns astros do sistema solar. 2. Assinale um X nas afirmações corretas. ( ) Astros são corpos celestes que podem ter luz própria ou não. ( ) Os planetas são astros que não

Leia mais

Colégio Santa Dorotéia

Colégio Santa Dorotéia Colégio Santa Dorotéia Área de Ciências Humanas Disciplina: Geografia Série: 6 a - Ensino Fundamental Professora: Cristiane Mattar Geografia Atividades para Estudos Autônomos Data: 25 / 4 / 2016 Aluno(a):

Leia mais

Rotação. Translação FORMA E MOVIMENTOS DA TERRA

Rotação. Translação FORMA E MOVIMENTOS DA TERRA FORMA E MOVIMENTOS DA TERRA Rotação A Terra gira em torno de si mesma num movimento chamado rotação. Esse movimento dura 24 horas ou, mais precisamente, 23 horas, 56 minutos e 4 segundos. Tal movimento

Leia mais

Seminários de Ensino de Matemática - 23/03/2012 Geometria do Globo terrestre: esferas de Lénárt x esferas de isopor

Seminários de Ensino de Matemática - 23/03/2012 Geometria do Globo terrestre: esferas de Lénárt x esferas de isopor Seminários de Ensino de Matemática - 23/03/2012 Geometria do Globo terrestre: esferas de Lénárt x esferas de isopor Primeira fotografia da Terra enviada do espaço em 26 de agosto de 1966 José Luiz Pastore

Leia mais

FUNDAMENTOS DA NAVEGAÇÃO ASTRONÔMICA TEORIA AUTOR: PROF. DR. FABIO GONÇALVES DOS REIS UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS UNICAMP EDIÇÃO REVISADA

FUNDAMENTOS DA NAVEGAÇÃO ASTRONÔMICA TEORIA AUTOR: PROF. DR. FABIO GONÇALVES DOS REIS UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS UNICAMP EDIÇÃO REVISADA FUNDAMENTOS DA NAVEGAÇÃO ASTRONÔMICA TEORIA AUTOR: PROF. DR. FABIO GONÇALVES DOS REIS UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS UNICAMP 2004 EDIÇÃO REVISADA SUMÁRIO INTRODUÇÃO definição da esfera celeste 01 à

Leia mais

Coordenadas Geográficas

Coordenadas Geográficas GEOGRAFIA SÉRIE: 1º ano Coordenadas Geográficas Profº Luiz Gustavo Silveira Unidade I A linguagem geográfica e a leitura no mundo Livro: parte I Capítulo 4 Nós estamos aqui Tópicos do capítulo Terra no

Leia mais

Tr a b a l h o On l in e

Tr a b a l h o On l in e Tr a b a l h o On l in e NOME: Nº: DISCIPLINA: GEOGRAFIA - PDF PROFESSOR: FELIPE VENTURA 1º ANO E.Médio TURMA: 110 1º Bimestre DATA: / / Nota: QUESTÕES DISCURSIVAS 1) (Ueg) Tomando o centro da Praça da

Leia mais

O Google Earth, que provavelmente já conheces, permite entender os conceitos básicos de localização absoluta. 1) A Latitude e a Longitude

O Google Earth, que provavelmente já conheces, permite entender os conceitos básicos de localização absoluta. 1) A Latitude e a Longitude Guião do Aluno O Google Earth, que provavelmente já conheces, permite entender os conceitos básicos de localização absoluta. 1) A Latitude e a Longitude Imagem de base do Google, centrada na Península

Leia mais

1o) constância da inclinação do eixo de rotação da Terra. 2o) movimento de translação da Terra ao redor do Sol.

1o) constância da inclinação do eixo de rotação da Terra. 2o) movimento de translação da Terra ao redor do Sol. Estações do Ano Aluno: Ricardo Augusto Viana de Lacerda Curso de Especialização em Astronomia (2009)-USP_leste Texto adaptado da Oficina de Astronomia do Prof. Dr. João Batista Garcia Canalle. a) A lâmpada

Leia mais

PROJEÇÕES CARTOGRÁFICAS

PROJEÇÕES CARTOGRÁFICAS PROJEÇÕES CARTOGRÁFICAS ENG. CARTÓGRAFA ANNA CAROLINA CAVALHEIRO CAMPO LARGO, 15 DE ABRIL DE 2013 SISTEMA METROPOLITANO DE INFORMAÇÕES GEORREFERENCIADAS METROGEO Conceitos de Cartografia Anna Carolina

Leia mais

a) a inclinação do eixo da Terra em 23º.27 e o seu movimento de translação.

a) a inclinação do eixo da Terra em 23º.27 e o seu movimento de translação. Questão 01) As causas responsáveis pela ocorrência das estações do ano (outono, inverno, primavera e verão) sobre a superfície terrestre são: a) a inclinação do eixo da Terra em 23º.27 e o seu movimento

Leia mais

CIÊNCIAS PROVA 1º BIMESTRE 6º ANO PROJETO CIENTISTAS DO AMANHÃ

CIÊNCIAS PROVA 1º BIMESTRE 6º ANO PROJETO CIENTISTAS DO AMANHÃ PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO SUBSECRETARIA DE ENSINO COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO CIÊNCIAS PROVA 1º BIMESTRE 6º ANO PROJETO CIENTISTAS DO AMANHÃ Prova elaborada

Leia mais

Professor Thiago Espindula - Geografia. Cartografia

Professor Thiago Espindula - Geografia. Cartografia Cartografia A Cartografia é a ciência que se presta à análise ou à criação de representações da Terra. A origem da palavra vem do fato das grandes representações do planeta serem feitas por cartas (mapas).

Leia mais

UNICAP Universidade Católica de Pernambuco Laboratório de Topografia de UNICAP LABTOP Topografia 1. Coordenadas UTM

UNICAP Universidade Católica de Pernambuco Laboratório de Topografia de UNICAP LABTOP Topografia 1. Coordenadas UTM UNICAP Universidade Católica de Pernambuco Laboratório de Topografia de UNICAP LABTOP Topografia 1 Coordenadas UTM Recife, 2014 Modelo Plano Considera a porção da Terra em estudo com sendo plana. É a simplificação

Leia mais

CAPiTuLO 2 - POSiÇÃO GEOGRÁFICA DO BRASIL. o Brasil na América do Sul. 1. Rússia 17.075.400 km 2. 3. China 9.536.499 km 2. 5. Brasil 8.514.

CAPiTuLO 2 - POSiÇÃO GEOGRÁFICA DO BRASIL. o Brasil na América do Sul. 1. Rússia 17.075.400 km 2. 3. China 9.536.499 km 2. 5. Brasil 8.514. CAPiTuLO 2 - POSiÇÃO GEOGRÁFICA DO BRASIL Um grande país ocidental o Brasil na América do Sul --- qi!.ador PAcíFICO ARGENTINA -- -- ----li:ójl;co do. --, ~.9..aprrcq:',!i~ --:- o 1;] g. N ~ 11.pp/lhas

Leia mais

Departamento de Astronomia - Instituto de Física - UFRGS

Departamento de Astronomia - Instituto de Física - UFRGS Departamento de Astronomia - Instituto de Física - UFRGS FIS02010 - FUNDAMENOS DE ASRONOMIA E ASROFÍSICA 1a. PROVA 2012/1 - URMA C - Profa. Maria de Fátima Saraiva NOME: Atenção: odas as questões que exigem

Leia mais

Quantos movimentos tem a Terra? Quem sabe???

Quantos movimentos tem a Terra? Quem sabe??? Quantos movimentos tem a Terra? Quem sabe??? Rotação Movimento em torno de seu próprio eixo; Sentido: Oeste para Leste; Duração: 23horas e 56 minutos; Velocidade: 1 674 km/h. Consequência: sucessão dos

Leia mais

A POSIÇÃO RELATIVA DO SOL: QUEBRANDO PARADIGMAS SOBRE A CINEMÁTICA SOLAR

A POSIÇÃO RELATIVA DO SOL: QUEBRANDO PARADIGMAS SOBRE A CINEMÁTICA SOLAR A POSIÇÃO RELATIVA DO SOL: QUEBRANDO PARADIGMAS SOBRE A CINEMÁTICA SOLAR Autor: André Tato Professor de Física do Colégio Pedro II - campus Realengo II Doutorando do Programa Interunidades em Ensino de

Leia mais

Climatologia Motivação para Zootecnistas CLIMATOLOGIA. Natureza e campo da Climatologia Motivação Inicial INTRODUÇÃO A

Climatologia Motivação para Zootecnistas CLIMATOLOGIA. Natureza e campo da Climatologia Motivação Inicial INTRODUÇÃO A CL43B CLIMATOLOGIA INTRODUÇÃO A CLIMATOLOGIA PROF. DR. FREDERICO M. C. VIEIRA Natureza e campo da Climatologia Motivação Inicial Climatologia Motivação para Zootecnistas Por que uma raça selecionada para

Leia mais

DOCENTE: JORDANA MEDEIROS COSTA

DOCENTE: JORDANA MEDEIROS COSTA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE DISCIPLINA: GEOGRAFIA DOCENTE: JORDANA MEDEIROS COSTA 1. Sistemas de Localização Qual a importância da localização no nosso cotidiano?

Leia mais

MAIS DE 15 ROTAÇÃO DIAS E NOITES PLANO DA ÓRBITA OU DA ECLÍPTICA TRANSLAÇÃO E CONSEQÜÊNCIAS INCLINAÇÃO DO EIXO ROSA-DOS-VENTOS

MAIS DE 15 ROTAÇÃO DIAS E NOITES PLANO DA ÓRBITA OU DA ECLÍPTICA TRANSLAÇÃO E CONSEQÜÊNCIAS INCLINAÇÃO DO EIXO ROSA-DOS-VENTOS APRESENTAÇÃO PLANETA TERRA MAIS DE 15 ROTAÇÃO DIAS E NOITES PLANO DA ÓRBITA OU DA ECLÍPTICA AFÉLIO E PERIÉLIO INFLUÊNCIA TEMPERATURAS ATMOSFERA MOVIMENTOS DA TERRA TRANSLAÇÃO E CONSEQÜÊNCIAS INCLINAÇÃO

Leia mais

Ficha de Avaliação Sumativa 3

Ficha de Avaliação Sumativa 3 Ficha de Avaliação Sumativa 3 DISCIPLINA: Física e Química 7 ºAno de escolaridade 2015/2016 Data: Nome: Turma: N.º Classificação: (%) A Docente: E. E: As respostas às questões deste enunciado devem ser

Leia mais

As aventuras do Geodetetive 2: Latitude e Longitude. Série Matemática na Escola

As aventuras do Geodetetive 2: Latitude e Longitude. Série Matemática na Escola As aventuras do Geodetetive 2: Latitude e Longitude Série Matemática na Escola Objetivos 1. Explicar como são estabelecidas as coordenadas geográficas, latitude e longitude, usadas na localização de qualquer

Leia mais

Aula 2 LOCALIZAÇÃO, ORIENTAÇÃO E REPRESENTAÇÃO CARTOGRÁFICA

Aula 2 LOCALIZAÇÃO, ORIENTAÇÃO E REPRESENTAÇÃO CARTOGRÁFICA Aula 2 LOCALIZAÇÃO, ORIENTAÇÃO E REPRESENTAÇÃO CARTOGRÁFICA Orientação pelo Sol Leste = Nascente / Oeste = Poente Orientação por instrumentos (bússola) Consiste em uma agulha imantada que gira sobre um

Leia mais

Movimentos dos Corpos Celestes

Movimentos dos Corpos Celestes NOME: Nº Ensino Médio TURMA: Data: / DISCIPLINA: Física PROF. : Glênon Dutra ASSUNTO: Modelos Planetários e Leis de Kepler VALOR: NOTA: Movimentos dos Corpos Celestes Desde a Antigüidade, o homem observa

Leia mais

OS ELEMENTOS D0 CLIMA

OS ELEMENTOS D0 CLIMA OS ELEMENTOS D0 CLIMA Todos os elementos que permitem caracterizar o clima. Precipitação Queda de água no estado líquido l (chuva) ou sólido s (neve e granizo). Temperatura Grau de aquecimento do ar.

Leia mais

O Céu. Introdução à Astronomia Enos Picazzio IAGUSP / Fev.2006

O Céu. Introdução à Astronomia Enos Picazzio IAGUSP / Fev.2006 O Céu Introdução à Astronomia Enos Picazzio IAGUSP / Fev.2006 O céu nos parece como uma esfera. Por que? ILUSÃO Devido à infinitude, tudo parece estar à mesma distância. O horizonte encontra-se com o céu.

Leia mais

Os estratos da atmosfera

Os estratos da atmosfera Profº. Neto TROPOSFERA Ozomosfera ESTRATOSFERA MESOSFERA Ionosfera TERMOSFERA EXOSFERA Ônibus espacial Sputnik 1 900 km 800 700 600 500 Skylab 1 400 300 200 100 X 15 90 80 70 60 50 Balão-sonda 40 30 Aerostato

Leia mais

CURSO e COLÉGIO ESPECÍFICO Ltda

CURSO e COLÉGIO ESPECÍFICO Ltda A LOCALIZAÇÃO NO ESPAÇO E OS SISTEMAS DE INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS PRÉ-VESTIBULAR ALUNO: DATA: 03/11/2012 QUESTÃO 01 - (UEMG) - O texto a seguir revela como a modernização dos agronegócios pede por novas

Leia mais

Climas do Brasil PROFESSORA: JORDANA COSTA

Climas do Brasil PROFESSORA: JORDANA COSTA Elementos do clima Climas do Brasil PROFESSORA: JORDANA COSTA Temperatura Pressão Atmosférica Ventos Umidade do ar Precipitações - Altitude - Latitude -Continentalidade - Maritimidade - Vegetações -Correntes

Leia mais

SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 1 O MUNDO E SUAS REPRESENTAÇÕES. Para começo de conversa

SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 1 O MUNDO E SUAS REPRESENTAÇÕES. Para começo de conversa SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 1 O MUNDO E SUAS REPRESENTAÇÕES Para começo de conversa Páginas 3-4 1. Resposta pessoal. Porém, para um bom aproveitamento do exercício proposto, é preciso uma ação sua junto aos

Leia mais

Lista de Carnaval

Lista de Carnaval SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA/SECRETARIA DE EDUCAÇÃO POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS COMANDO DE ENSINO POLICIAL MILITAR COLÉGIO DA POLÍCIA MILITAR SARGENTO NADER ALVES DOS SANTOS SÉRIE/ANO: 7ª TURMA(S):

Leia mais

GEOGRAFIA GERAL 2008 Organização: Ricardo Vicente Ferreira

GEOGRAFIA GERAL 2008 Organização: Ricardo Vicente Ferreira GEOGRAFIA GERAL 2008 Organização: Ricardo Vicente Ferreira 1. MOVIMENTOS DA TERRA 1.1 Introdução Sabe-se que a Terra tem dois movimentos principais: rotação e translação (ou revolução). A rotação diz respeito

Leia mais

Desvendando o Universo

Desvendando o Universo GEOGRAFIA REVISÃO 1 REVISÃO 2 REVISÃO 3 Desvendando o Universo O planeta onde vivemos a Terra, é um dos inúmeros astros do Universo. Espaço geográfico e espaço astronômico. Astronomia: é a ciência que

Leia mais

Sistemas de coordenadas

Sistemas de coordenadas Sistemas de coordenadas Cartografia Profa. Ligia UTFPR Introdução Existem vários sistemas de coordenadas que permitem a localização precisa de um ponto qualquer na superfície terrestre. Dentre eles o mais

Leia mais

Aula 13 COORDENADAS UTM. Antônio Carlos Campos. META Apresentar a localização de elementos em cartas topográficas de acordo com o sistema UTM.

Aula 13 COORDENADAS UTM. Antônio Carlos Campos. META Apresentar a localização de elementos em cartas topográficas de acordo com o sistema UTM. Aula 13 COORDENADAS UTM META Apresentar a localização de elementos em cartas topográficas de acordo com o sistema UTM. OBJETIVOS Ao final desta aula, o aluno deverá: estabelecer medidas de distâncias por

Leia mais

EXERCÍCIOS DE RECUPERAÇÃO PARALELA 3º BIMESTRE

EXERCÍCIOS DE RECUPERAÇÃO PARALELA 3º BIMESTRE EXERCÍCIOS DE RECUPERAÇÃO PARALELA 3º BIMESTRE NOME Nº SÉRIE : 3º EM DATA : / / BIMESTRE 3º PROFESSOR: Renato DISCIPLINA: Física 1 ORIENTAÇÕES: 1. O trabalho deverá ser feito em papel almaço e deverá conter

Leia mais

Questões introdutórias à Cartografia 2015

Questões introdutórias à Cartografia 2015 Questões introdutórias à Cartografia 2015 Dar uma definição de Cartografia em sentido amplo. Dar uma definição de Cartografia em sentido restrito. Quais são os objetivos da Cartografia? O que é informação

Leia mais

Geografia. Paralelos e Meridianos. Professor Luciano Teixeira.

Geografia. Paralelos e Meridianos. Professor Luciano Teixeira. Geografia Paralelos e Meridianos Professor Luciano Teixeira www.acasadoconcurseiro.com.br Geografia PARALELOS E MERIDIANOS Noções Espaciais Rosa dos Ventos Antes de falarmos em orientação, precisamos

Leia mais

COLÉGIO MONJOLO QUIZ N / 1 BIMESTRE SILVANA GEOGRAFIA

COLÉGIO MONJOLO QUIZ N / 1 BIMESTRE SILVANA GEOGRAFIA COLÉGIO MONJOLO QUIZ N 01 2017 / 1 BIMESTRE SILVANA GEOGRAFIA Data da entrega: 28/04/2017. Aluno(a): 6º Ano 1-1-De acordo com desenho acima, Escreva qual é o Paralelo? e qual é o Meridiano? 2- Com base

Leia mais

Universidade Ibirapuera Arquitetura e Urbanismo Conforto Ambiental: Insolação e Iluminação MÓDULO 2: ILUMINAÇÃO NATURAL

Universidade Ibirapuera Arquitetura e Urbanismo Conforto Ambiental: Insolação e Iluminação MÓDULO 2: ILUMINAÇÃO NATURAL Universidade Ibirapuera Arquitetura e Urbanismo Conforto Ambiental: Insolação e Iluminação MÓDULO : INSOLAÇÃO MÓDULO : ILUMINAÇÃO NATURAL MÓDULO : ILUMINAÇÃO DE INTERIORES Docente: Claudete Gebara J. Callegaro

Leia mais

UECEVEST TD DE GEOGRAFIA (Orientação/Localização/Astronomia) Prof. Elvis Sampaio

UECEVEST TD DE GEOGRAFIA (Orientação/Localização/Astronomia) Prof. Elvis Sampaio UECEVEST TD DE GEOGRAFIA (Orientação/Localização/Astronomia) Prof. Elvis Sampaio 1. (Unb) A necessidade de orientação no espaço terrestre esteve presente na humanidade desde as sociedades primitivas. A

Leia mais

Dobro da massa do Sol. Mesmo raio do Sol ---

Dobro da massa do Sol. Mesmo raio do Sol --- 1. (Acafe 2016) A NASA vem noticiando a descoberta de novos planetas em nosso sistema solar e, também, fora dele. Independente de estarem mais próximos ou mais afastados de nós, eles devem obedecer às

Leia mais

O primeiro passo para o domínio das técnicas de orientação é o conhecimento da Rosa dos Ventos.

O primeiro passo para o domínio das técnicas de orientação é o conhecimento da Rosa dos Ventos. ORIENTAÇÃO Todo o Escuteiro deve saber orientar-se no campo. O primeiro passo para o domínio das técnicas de orientação é o conhecimento da Rosa dos Ventos. A Rosa dos Ventos é constituída por 4 Pontos

Leia mais

Lista de exercícios de Projeções Cartográficas Professor: Jair Henrique

Lista de exercícios de Projeções Cartográficas Professor: Jair Henrique Lista de exercícios de Projeções Cartográficas Professor: Jair Henrique (MACK) 1. http://www.grida.no/prog/global/cgiar/images/twat.gif De acordo com a representação cartográfica acima, está correto afirmar

Leia mais

1 a fase prova para alunos do 9º ano (8 a série)

1 a fase prova para alunos do 9º ano (8 a série) 1 a fase prova para alunos do 9º ano (8 a série) LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO: 01) Esta prova destina-se exclusivamente a alunos do 9º ano (8ª série). Ela contém vinte questões. 02) Cada questão

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS CARTOGRAFIA: PROJEÇÃO CARTOGRÁFICA E CUVAS DE NÍVEL.

LISTA DE EXERCÍCIOS CARTOGRAFIA: PROJEÇÃO CARTOGRÁFICA E CUVAS DE NÍVEL. LISTA DE EXERCÍCIOS CARTOGRAFIA: PROJEÇÃO CARTOGRÁFICA E CUVAS DE NÍVEL. 1) (UFPE) Observe o gráfico e, a seguir, assinale o item que indica uma falha de representação. a) As curvas de nível apresentam

Leia mais

Universidade Ibirapuera Arquitetura e Urbanismo Conforto Ambiental: Insolação e Iluminação MÓDULO 2: ILUMINAÇÃO NATURAL

Universidade Ibirapuera Arquitetura e Urbanismo Conforto Ambiental: Insolação e Iluminação MÓDULO 2: ILUMINAÇÃO NATURAL Universidade Ibirapuera Arquitetura e Urbanismo Conforto Ambiental: Insolação e Iluminação MÓDULO : INSOLAÇÃO MÓDULO : ILUMINAÇÃO NATURAL MÓDULO : ILUMINAÇÃO DE INTERIORES Docente: Claudete Gebara J. Callegaro

Leia mais

ANALISE DAS ANOMALIAS DAS TEMPERATURAS NO ANO DE 2015

ANALISE DAS ANOMALIAS DAS TEMPERATURAS NO ANO DE 2015 ANALISE DAS ANOMALIAS DAS TEMPERATURAS NO ANO DE 2015 O ano de 2015 foi marcado pela sensação de calor maior que em anos recentes, também muito quentes. Segundo a Agência Espacial Americana (NASA), o ano

Leia mais

Vestibular Nacional Unicamp 1998. 2 ª Fase - 13 de Janeiro de 1998. Física

Vestibular Nacional Unicamp 1998. 2 ª Fase - 13 de Janeiro de 1998. Física Vestibular Nacional Unicamp 1998 2 ª Fase - 13 de Janeiro de 1998 Física 1 FÍSICA Atenção: Escreva a resolução COMPLETA de cada questão nos espaços reservados para as mesmas. Adote a aceleração da gravidade

Leia mais

Climas. Professor Diego Alves de Oliveira

Climas. Professor Diego Alves de Oliveira Climas Professor Diego Alves de Oliveira Tempo e clima Tempo: estado momentâneo da atmosfera numa área. Pode mudar a qualquer hora. Clima: é o padrão da sucessão dos diferentes tipos de tempo que resultam

Leia mais

Av. Anita Garibaldi, Salvador, Bahia, 30 de junho de Foto: Arthur Vargens

Av. Anita Garibaldi, Salvador, Bahia, 30 de junho de Foto: Arthur Vargens UNIDADE: Onde fica? / Brasil SITUAÇÃO DE USO Localização de informações geográficas em uma cidade. EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM - Localizar estabelecimentos e objetos a partir de um ponto referencial,

Leia mais

GEOGRAFIA (AULA 04) - NOÇÕES ESPACIAIS: MOVIMENTOS TERRESTRES E FUSO HORÁRIO

GEOGRAFIA (AULA 04) - NOÇÕES ESPACIAIS: MOVIMENTOS TERRESTRES E FUSO HORÁRIO GEOGRAFIA (AULA 04) - NOÇÕES ESPACIAIS: MOVIMENTOS TERRESTRES E FUSO HORÁRIO 1. Movimentos terrestres O planeta Terra apresenta diversos fenômenos naturais, dentre muitos estão os movimentos executados

Leia mais

OS SERES VIVOS DO AMBIENTE PRÓXIMO

OS SERES VIVOS DO AMBIENTE PRÓXIMO OS SERES VIVOS DO AMBIENTE PRÓXIMO Comparo e classifico as plantas segundo alguns critérios. Desde sempre o homem tomou consciência da variedade de plantas que o rodeavam e sentiu necessidade de as reunir

Leia mais

ENSAIO SOBRE AS FASES DA LUA

ENSAIO SOBRE AS FASES DA LUA Introdução ENSAIO SOBRE AS FASES DA LUA Denis E. Peixoto NASE Brasil Compreender e explicar as fases da tem sido um dos maiores obstáculos enfrentados pelos professores de ciências tanto do Ensino Fundamental

Leia mais

e-mail: ederaldoazevedo@yahoo.com.br

e-mail: ederaldoazevedo@yahoo.com.br Assunto: Topografia Prof. deraldo Azevedo Aula 3 e-mail: ederaldoazevedo@yahoo.com.br 2. Azimutes e Rumos: Azimutes: Azimute de uma direção (linha) é o ângulo formado entre a meridiana de origem que contém

Leia mais

INTRODUÇÃO À CARTOGRAFIA. Prof. Rogério da Mata

INTRODUÇÃO À CARTOGRAFIA. Prof. Rogério da Mata INTRODUÇÃO À CARTOGRAFIA A importância dos pontos de referência Pontos Cardeais: são pontos principais utilizados como padrão de localização ou pontos de referência. Através deles é possível localizar

Leia mais

3) A imagem a seguir representa nitidamente, entre outros, dois problemas atuais:

3) A imagem a seguir representa nitidamente, entre outros, dois problemas atuais: 1) A seguinte frase faz uma crítica aos grandes centros urbanos. Os grandes centros urbanos são, em sua maioria, um formigueiro onde trabalhamos incessantemente para promover o regresso da humanidade.

Leia mais

A planta possui linhas horizontais (letras) e verticais (números) que facilitam a localização de ruas, praças e logradouros.

A planta possui linhas horizontais (letras) e verticais (números) que facilitam a localização de ruas, praças e logradouros. A planta possui linhas horizontais (letras) e verticais (números) que facilitam a localização de ruas, praças e logradouros. Qualquer região da superfície terrestre pode ser dividida por linhas horizontais

Leia mais

CARTOGRAFIA: ELEMENTOS E TÉCNICAS MÓDULO 01 GEOGRAFIA 01

CARTOGRAFIA: ELEMENTOS E TÉCNICAS MÓDULO 01 GEOGRAFIA 01 CARTOGRAFIA: ELEMENTOS E TÉCNICAS MÓDULO 01 GEOGRAFIA 01 Cartografia ciência responsável pela elaboração de representações da superfície da Terra. Com a ajuda da matemática, evoluiu e aprimorou mapas e

Leia mais

COORDENADAS GEOGRÁFICAS

COORDENADAS GEOGRÁFICAS COORDENADAS GEOGRÁFICAS www.geografiaparatodos.com.br/ index.php?pag=mapas Os mapas são representações da forma da Terra e suas localidades, naturais ou criadas pelo homem. Estas representações nos aparecem

Leia mais

Localização de um lugar relativamente a outros locais, conhecidos.

Localização de um lugar relativamente a outros locais, conhecidos. Localização de um lugar relativamente a outros locais, utilizando pontos de referência conhecidos. Indicação de edifícios/construções conhecidas (da casa de um amigo, de uma Igreja, de uma rotunda, de

Leia mais

= i= Com a aplicação ou uso da primeira expressão obtém-se 18,50m 2. Area=(1*(1 5 )+ 3*(2 6)+ 5*(5 5)+ 7*(6-4) + 9*(5-2)+4*(4-1)+3*(2-2))/2= 18,50m 2.

= i= Com a aplicação ou uso da primeira expressão obtém-se 18,50m 2. Area=(1*(1 5 )+ 3*(2 6)+ 5*(5 5)+ 7*(6-4) + 9*(5-2)+4*(4-1)+3*(2-2))/2= 18,50m 2. 4.8.5 Avaliação de Área na Projeção UTM O valor numérico da área de um limite determinado por um conjunto de pontos unidos entre si por segmentos de linha reta sucessivos que não se cruzam pode ser calculado

Leia mais

IF/UFRJ Introdução às Ciências Físicas 1 1 o Semestre de 2011 AP3 de ICF1 e ICF1Q

IF/UFRJ Introdução às Ciências Físicas 1 1 o Semestre de 2011 AP3 de ICF1 e ICF1Q Instituto de Física UFRJ Gabarito da Terceira Avaliação Presencial de ICF1 e Segunda Avaliação Presencial de ICF1Q AP3 Primeiro Semestre de 2011 PROVA AP31 DE ICF1 Questão 1 (3,5 pontos) A Figura 1 mostra

Leia mais

Escola: Escola Estadual Jerônimo Gueiros Professor (a) Supervisor (a): Ary Pereira Bolsistas: Ana Moser de Araújo Silva Débora Leyse

Escola: Escola Estadual Jerônimo Gueiros Professor (a) Supervisor (a): Ary Pereira Bolsistas: Ana Moser de Araújo Silva Débora Leyse Universidade Federal do Rio Grande do Norte Centro de Ciências Humanas, letras e Artes. Departamento de Geografia Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID). Escola: Escola Estadual

Leia mais

2. Assinale com V (verdadeiro) ou com F (falso) as seguintes afirmações sobre a posição geográfica das cidades 1, 2, 3 e 4.

2. Assinale com V (verdadeiro) ou com F (falso) as seguintes afirmações sobre a posição geográfica das cidades 1, 2, 3 e 4. QUESTÕES DE REVISÃO VESTIBULAR UFRGS QUESTÕES 2014 MAPA PARA AS QUESTÕES 1 e 2 De acordo com o mapa, assinale a alternativa correta sobre a posição e a orientação geográfica dos países. (A) Os Estados

Leia mais

Formas de Orientação no Espaço Geográfico

Formas de Orientação no Espaço Geográfico ALUNO(A): ATIVIDADE INSTRUMENTAL PROFESSOR(A): EMILLY AMORIM DATA: / /2017 DISCIPLINA: GEOGRAFIA 6º A ( ) B ( ) C ( ) Orientação no Espaço Geográfico e Coordenadas Geográficas Formas de Orientação no Espaço

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO DEPARTAMENTO DE GEOGRAFIA Disciplina: FLG 0253 - CLIMATOLOGIA I

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO DEPARTAMENTO DE GEOGRAFIA Disciplina: FLG 0253 - CLIMATOLOGIA I UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO DEPARTAMENTO DE GEOGRAFIA Disciplina: FLG 0253 - CLIMATOLOGIA I 1. Objetivos da disciplina: 1.1 Fornecer os meios básicos de utilização dos subsídios meteorológicos à análise

Leia mais