TECNOLOGIA EM DESIGN GRÁFICO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "TECNOLOGIA EM DESIGN GRÁFICO"

Transcrição

1 INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE PERNAMBUCO EXAME DE SELEÇÃO / VESTIBULAR 2010 TECNOLOGIA EM DESIGN GRÁFICO REDAÇÃO QUESTÕES: LÍNGUA ESTRANGEIRA - 01 a 10 HISTÓRIA - 11 a 30 DIA 13/12/2009 (DOMINGO) 1. Leia todas as instruções antes de iniciar a prova. 2. Preencha seus dados pessoais. 3. Autorizado o início da prova, verifique se este caderno contém 30 (trinta) questões e a folha de rascunho de Redação. Se não estiver completo, exija, imediatamente, do fiscal da sala outro exemplar. Responda apenas às questões da Língua Estrangeira que você optou no ato de inscrição. 4. No texto da prova de redação, deverão ser observados os seguintes critérios: adequação ao tema proposto. adequação às normas gramaticais. coerência, coesão e clareza na exposição das idéias. atendimento ao número de linhas, mínimo de 20 e máximo de Será atribuída nota 0 (zero) na prova de redação, se: a folha-resposta estiver identificada por assinatura, rubrica ou qualquer outro identificador, bem como se for entregue em branco. houver fuga total a um dos temas propostos. o candidato destacar o canhoto da parte superior da folha de redação. 6. Ao receber a folha-resposta, confira o seu nome e o número de inscrição. Qualquer irregularidade comunique imediatamente ao fiscal da sala. 7. Para marcar a folha-resposta, utilize caneta esferográfica com tinta na cor preta ou azul, e faça as marcas de acordo com o modelo: Preencher a quadrícula assim 8. Marque apenas uma resposta para cada questão, pois só há uma única resposta correta. A questão que for marcada com mais de uma resposta, ou rasurada, será anulada. 9. Se a Comissão Organizadora do Exame de Seleção / Vestibular 2010 verificar que a resposta de uma questão é dúbia ou inexistente, a questão será posteriormente anulada e os pontos, a ela correspondentes, distribuídos entre as demais. 10. Não risque, não amasse, não dobre e não suje a folha-resposta, pois isso poderá prejudicá-lo. 11. Os fiscais não estão autorizados a emitir opinião, nem prestar esclarecimentos sobre o conteúdo das provas. 12. O caderno de provas e a folha-resposta deverão ser devolvidos ao fiscal da sala. 13. A prova terá início às 9h e deverá ser concluída até as 12h. Por razões de segurança do concurso, o candidato só poderá deixar o local de realização da aplicação das provas, 1 (uma) hora após o seu início. 14. Os fiscais não estão autorizados a fazer retificações de qualquer natureza nas instruções ou enunciados de questões das provas. Apenas e, exclusivamente, o CHEFE DE PRÉDIO, pessoalmente, é que poderá comunicar alguma retificação. 15. O IFPE não se responsabilizará por objetos ou valores portados, esquecidos, danificados ou extraviados nas dependências dos locais de aplicação das provas. 16. Todos os materiais impressos, entregues aos candidatos no dia da prova, deverão ser devolvidos na íntegra, pois pertencem ao IFPE. 17. O gabarito oficial será divulgado 2 (duas horas) depois do encerramento das provas, no sítio 18. Será facultado ao candidato apresentar recurso, devidamente fundamentado, relativo ao gabarito e/ou ao conteúdo das questões. O recurso deverá ser interposto até as 18 (dezoito) horas do dia subseqüente ao da divulgação do gabarito oficial, dirigido à Comissão do Exame de Seleção/Vestibular 2010 do IFPE, e entregue no Protocolo Geral do IFPE na Unidade para a qual o candidato concorre à vaga. Não será aceito recurso via postal, via fax ou correio eletrônico ou interposto por procurador. 19. Divulgação dos aprovados a partir de 12/02/2010 (www.ifpe.edu.br). 20. Fique atento ao cronograma de matrícula. Impressão Digital Nome: R.G. nº: Órgão: Assinatura: Inscrição nº: Sala nº:

2 PROPOSTA PARA REDAÇÃO 1ª PROPOSTA: Leia a tirinha que segue, para dela extrair o tema de sua redação. Desenvolva um texto argumentativo e lhe dê um título. 2ª PROPOSTA Tomando como base o LEMA da Campanha da Fraternidade 2009 (abaixo transcrita), desenvolva um texto argumentativo. Dê um título à sua redação. TEMA: Fraternidade e Segurança Pública LEMA: A paz é fruto da justiça

3 RASCUNHO PARA A REDAÇÃO (Não tem valor para correção) TEMA: OBS: Responda no rascunho o qual deverá ser transcrito para a folha-resposta definitiva.

4 PROVA DE LÍNGUA ESPANHOLA TEXTO: UN NUEVO RÍO PARA 2016 Comprensión lectora Lula asegura que la palabra favela desaparecerá para los Juegos Unos millones de euros transformarán la ciudad y se plantarán 24 millones de árboles. Los cariocas ya se han despertado del sueño de la victoria olímpica, pero siguen soñando. Ahora, con la metamorfosis que va a sufrir Río de Janeiro ante los Juegos de Que todo Brasil siente la victoria como suya lo demuestra el hecho de que sus ciudadanos tienen un deseo concreto para la ciudad más risueña del país. Brasil pretende alejar de la droga a miles de jóvenes mediante el deporte. Todos los gastos y las inversiones podrán seguirse através de Internet. Hasta el presidente, Luiz Inácio Lula da Silva, gran artífice de la victoria ante el Comité Olímpico Internacional (COI), tiene un sueño para Río que va más allá de los Juegos: que desaparezca de su diccionario la palabra favela. Incluso el gobernador de São Paulo, ciudad tradicionalmente enfrentada a Río, el socialdemócrata José Serra, que disputará seguramente las elecciones presidenciales el año que viene, ha puesto a disposición de Río los recursos de su rico Estado que recoge el 25% del PIB nacional, sin rivalidades y con espíritu de verdadera colaboración. Los ecologistas también están exultantes ante el anuncio de que Río será de verdad una ciudad verde, en la que, según ha anunciado ya el alcalde, Eduardo Paes, serán plantados nada más y nada menos que 24 millones de árboles. Ello, a pesar de que Río ya es una ciudad con mucho verde y la selva llega a lamer las playas más famosas del mundo. Todas las obras que serán realizadas con motivo de los Juegos llevarán el sello verde: deberán ser ecológicamente correctas, usando energías alternativas, como la solar o la eólica, o mediante el aprovechamiento del agua de lluvia. El apartado de la construcción civil será una de las metas más importantes con motivo de los Juegos. Deberá contarse con un 50% más de la actual capacidad hotelera además de con innumerables nuevos edificios para el uso de nuevas empresas. Los Juegos, además, se van a juntar a los proyectos ya en curso de la alcaldía de Río, que prevé la total transformación de la degradada zona del puerto, en la línea de lo que se hizo en Barcelona en Los Juegos van a transformar totalmente el caótico sistema actual de transportes de la ciudad, de 10 millones de habitantes, que cuenta hoy con más de autobuses públicos, más miles de piratas, y prácticamente sin metro. Se calcula que en Río se hará durante los siete años que faltan para la gran cita olímpica lo que no se ha hecho durante 50, muchas veces por la parálisis a la que llevaban las luchas políticas internas entre los partidos que gobernaban el Estado y la ciudad. El reto, claro, es también deportivo. Al estilo de China con los recientes Juegos de Pekín, Río y Brasil pretenden remodelar la política de ayudar al deporte y llegar a 2016 con un grupo de atletas que eleven el número de medallas del país. Se trata además del deporte una salida contra las tentaciones de entrar en las filas del tráfico de droga ante la falta de alternativas profesionales. Texto resumido de El país.com/deportes Juan Arias Río de Janeiro 05/10/ Tras leer cuidadosamente el texto, marque la opción que no está en consonancia con el sentido general del texto. a) Los cariocas anhelan ardientemente la transformación por la que va a pasar Río de Janeiro ante los juegos de b) El gobernador de São Paulo, ciudad que mantiene fuerte animadversión con Río, se opuso a cooperar con su colega carioca. c) Además de contar con nuevas edificaciones, el ayuntamiento de Río planea transformar la red pública de transporte y usar energía de fuentes naturales. d) Lo notable es que, además del reto deportivo, hay también una justa preocupación de inserir socialmente a los jóvenes en la vida del país. e) Se pretende, con los juegos, hacer en poco tiempo grandes hechos en proporciones gigantescas. 02. En las líneas de tres a seis del texto, se registra el uso de artículos, preposiciones y contracción de preposición con artículo. Senãle la alternativa totalmente correcta en cuanto al empleo de esos hechos gramaticales. a) Los atletas vinieron del Panamá el viernes pasado. b) El año que pasó, conocí a Evo Morales en la Bolívia. c) Las ONGs presentaron una otra fuerte razón para preservar el medio ambiente. d) El Evangelio nos presenta a Jesucristo, el Señor, como el que nos da el agua viva. e) El bueno de nuestro país es que se habla el portugués en todas partes.

5 03. El verbo alejar, presente en la línea seis del texto, y el vocablo inversiones (línea siete), pueden ser reemplazados, sin cambiar el sentido del texto, respectivamente, por: a) alienar/investiduras b) aliñar/despesas c) enajenar/mudanzas d) alijar/alteraciones e) apartar/capital 04. Después de observar atentamente las formas verbales: siente, demuestra, tienen, pretende y desaparezca, constantes del texto (líneas cuatro, cinco, seis y nueve). Está correcto afirmarse que: a) Hay irregularidad en todas las formas verbales citadas. b) De hecho, solamente la flexión desaparezca presenta irregularidad en la conjugación. c) Todas las formas referidas pertenecen al presente de indicativo, excepto desaparezca. d) La flexión desaparezca sirve de paradigma para la conjugación de los verbos: vencer, ejercer y torcer. e) Las alteracines ocurridas en la mayoría de las formas verbales mencionadas son simples modificaciones ortográficas, y no constituen irregularidades de la conjugación española. 05. Marque la opción en la que no hay ningún tipo de error. Las voces hasta e incluso (líneas ocho y once), son respectivamente: a) Adverbios y corresponden en portugués a até y também. b) Preposiciones y significan talvez e inclusive en el idioma de Camões. c) Conjunciones y equivalen a além y exclusive en la lengua portuguesa. d) Interjecciones y funcionan como partículas de realce en el contexto. e) Adverbios, equivalentes a adido e inclusivo en portugués. 06. La expressión siguen soñando (línea tres) del texto, según la gramática española, es a) una perífrasis verbal de participio y expresa una idea repetida. b) un ejemplo cabal de perífrasis verbal de infinitivo e indica una acción considerada como terminada. c) una locución verbal de valor concesivo y denota el desenlace de la acción. d) una perífrasis verbal de gerundio y expresa la continuidad de la acción. e) un término con valor de adjetivo. Sugiere idea de permanencia. 07. En la línea docedel texto, aparecen las palabras elecciones presidenciales. Tales formas de plural se justifican por ser: a) Nombre y adjetivo cuyas formas en el singular terminan en consonante. b) Nombres polisílabos llanos acabados en es. c) Substantivos femeninos terminados en vocal y consonante no acentuadas. d) Substantivo y adjetivo polisílabos cuyas grafías en el singular acaban en vocal precedida de consonante. e) Adjetivo y nombre polisílabos esdrújulos terminados en es. 08. Según la regla gramatical española, las palabras metamorfosis y parálisis, presentes en las líneas cuatro y veintisiete, son invariables en cuanto al número. Señale la opción en la que todos los nombres son igualmente invariables, tanto en singular como en plural. a) Paraguas, viernes, pez b) gas, crisis, tesis c) énfasis, interés, ley d) país, martes, autobús e) miércoles, tesis, elipsis. 09. La palabra además que consta en la línea veintiuno del texto, se puede clasificar, gramaticalmente, como a) un conector argumentativo. b) una conjunción copulativa. c) una conjunción adversativa. d) una conjunción concesiva. e) una locución consecutiva.

6 10. El término ello que aparece en la línea dieciséis, de acuerdo con la gramática española, es a) un pronombre neutro; se refiere a una información anterior y significa isso. b) Un pronombre sujeto de uso enfático y se refiere a Eduardo Paes, citado anteriormente. c) Un pronombre sujeto de uso obligatorio; sirve para evitar ambigüedades. d) Un pronombre neutro usado normalmente en caso de elipsis de la forma verbal. e) Simplesmente la forma singular del pronombre personal sujeto ellos. Text 1 PROVA DE LÍNGUA INGLESA O Texto 1 serve de base para as questões de 1 a 4. Successful websites generate sales and create a positive image of companies in the virtual world. What factors influence the success of your business homepage? Is it a cool or playful design, flash animations, colorful pictures, a bunch of text? The answer is: That depends! As usual in marketing (and in life in general) there is no standard recipe for success. You have to define the aim and the target groups of your website - these two aspects determine design, content and the technologies used on the site (Web design Collection) 01. Utilizando-se o skimming, é correto dizer que o principal assunto do texto é: a) Como fazer maravilhosos sites. b) O que é necessário para se fazerem sites. c) A receita para um site de sucesso. d) Não há receita padrão para o sucesso de um site. e) Um site tem que ter animações e figuras. 02. De acordo com o contexto, a palavra target significa a) público. b) jeito. c) alvo. d) comum. e) coloridos. 03. Assinale a alternativa que apresenta sinônimos: a) aim goal b) playful large c) recipe receive d) standard Nice e) content happy 04. A expressão sublinhada, na última linha do texto, refere-se a: a) The aim and the target groups of a website b) There s no standard recipe for success. c) Design, content and technologies used on the site. d) The success of your business homepage. e) As usual in marketing and in life in general.

7 Text 2 O Texto 2 serve de base para as questões de 5 a 7. Wireless LANs: Security Since wireless LANs are easy to hack if they re not adequately protected, security should be a major consideration in the network design. Some traditional security technologies (Wired Equivalent Privacy, WiFi Protected Access and Light Extensible Authentication Protocol) may have already proven insufficient when used with wireless LANs. Rogue access points are serious threat from outside the enterprise. In addition, there is a danger that legitimate users may inadvertently stray into unauthorized areas. (Fluke Networks) 05. A palavra since, de acordo com o contexto, significa: a) Para b) Onde c) Já que d) A fim de que e) Por mais que 06. No texto, a palavra enterprise poderá ser substituída, sem alteração do sentido original, por: a) Country b) City c) Organization d) Department e) College 07. Das expressões abaixo, qual a que representa um grupo nominal? a) Easy to hack b) Have already proven c) Stray into d) Rogue Access points e) When used with wireless Text 3: Agatha Christie O Texto 3 serve de base para as questões de 8 a 10. Agatha Christie was born on 15 th September She didn t go to school because her mother wanted to teach her at home. She studied the piano and singing in Paris. She got married in 1914 to a pilot and they had one daughter. During the first World War, when she was working as a nurse, she began to write detective stories. In the hospital she learnt a lot about drugs and poisons, and she used this information in her novels. (New English File 1- Oxford) 08. De acordo com o texto, é correto afirmar que: a) Agatha Christie went to school in b) Agatha Christie didn t study piano and singing at school. c) When she was 24 she married to a pilot and they had no children. d) During the first World War, she worked as a nurse and learnt a lot about novels. e) She learnt about drugs and poisons and used this information in hospital. 09. Qual o significado da palavra novels? a) novelas b) contos c) romances d) filmes e) apresentações

8 10. Quando trabalhava como enfermeira, o que Agatha Christie fez? a) She started to write about drugs and poisons. b) She started to study piano. c) She began to study singing and novels. d) She started to write detective stories. e) She began to write detective stories and novels. PROVA DE HISTÓRIA 11. A cultura que Roma levou à Gália era, ela própria, tirada do Oriente grego. Nos dois últimos séculos de história republicana, Roma sofreu a influência da civilização helenística. Disso adveio um florescimento da atividade intelectual e um impulso a mais no sentido da mudança social, além daquele que fora produzido pelas guerras púnicas (Burns, Edward Macnall. História da Civilização Ocidental. p.151). Tomando como base o texto acima, acerca da cultura romana, na Antiguidade, é correto afirmar que a) os romanos adotaram como herança a cultura helenística, rejeitando as manifestações culturais dos gregos. b) o cristianismo foi banido em todo o território sob domínio romano, até a queda do Império Romano do Ocidente, em 476. c) no campo das artes plásticas, pode-se dizer, a cultura romana imitou a grega, notadamente na arquitetura e na escultura. d) a Filosofia na Roma antiga, inicialmente preocupada com as origens das coisas do mundo, da natureza, destacou nomes como Tales, Pitágoras, Aristóteles. e) a rudeza do cidadão romano, aliada ao seu espírito guerreiro, impossibilitou o desenvolvimento da literatura na Roma antiga. 12. O homem medieval, nobre ou servo, estava marginalizado das atividades culturais e científicas. Na civilização do Ocidente medieval, todas as atividades e manifestações da vida humana estavam condicionadas pela religião cristã. (Aquino, Oscar e Denise. História das Sociedades. V.1, p. 432). Considerando esse enunciado, conclui-se, corretamente, que a) o período medieval na Europa não conheceu manifestações artístico-culturais e científicas. b) apenas o clero católico foi autor de obras de arte na Europa medieval. c) na arquitetura predominou a construção de igrejas, nos estilos românico e gótico. d) a literatura, mesmo de cunho religioso, foi proibida pela Igreja em toda a Europa. e) a arquitetura foi a única manifestação artística no período medieval europeu. 13. No século XVIII, começou a se difundir na França a idéia de que era possível opor-se às tiranias e dissipar as trevas da ignorância com as luzes da razão. Chamados indistintamente de filósofos, os escritores franceses dessa época provocaram uma verdadeira revolução intelectual na história do pensamento moderno. (Arruda, José Jobson de A. Toda a História. p. 225). Com base no texto acima, analise as seguintes proposições sobre o Iluminismo. I. Representou mesmo a culminância de um processo que começou no Renascimento, quando a razão se impôs como método de conhecimento do mundo. II. Adeptos do racionalismo, os filósofos da Ilustração apresentavam-se ateus e buscavam a derrubada do clero católico. III. As concepções e propostas iluministas foram produzidas e divulgadas principalmente na França e Inglaterra, por meio de obras escritas, que são analisadas e discutidas até hoje. IV. A característica básica do Iluminismo era o discurso a favor da democracia e dos direitos e garantias individuais do homem, como se pode observar nos escritos de Voltaire. V. Montesquieu, autor de O Contrato Social, notabilizou-se por defender a soberania popular, além de criticar a propriedade privada. Está(ão) correta(as), apenas: a) I e III b) II, IV e V c) IV d) II, III e V e) II e IV

9 14. Fala-se, genericamente, que tudo começou em 1769, quando um escocês chamado James Watt aperfeiçoou a máquina a vapor, um ano depois de um outro senhor de nome Arkwright haver aperfeiçoado o tear hidráulico para a indústria têxtil. (Canêdo, Letícia Bicalho. A Revolução Industrial. p. 7) Sobre o tema Revolução Industrial, é correto afirmar que a) em sua primeira fase, a eletricidade destacou-se como nova força motriz no setor da produção. b) tem início por volta da primeira metade do século XIX, quando se desenvolveram o setor de comunicações, a automobilística etc. c) apresenta um novo momento em sua evolução, com a disseminação da informática e dos computadores pessoais, a partir da década de d) entre suas conseqüências, cita-se a melhoria das condições de trabalho nas fábricas inglesas, ainda no século XVIII, além da adoção de leis de proteção ao trabalhador. e) o pioneirismo inglês na Revolução Industrial relaciona-se com a política fiscalista e industrial do Estado absolutista na Inglaterra. 15. Não em princípio solução de continuidade entre a formação do proletariado manufatureiro e a do proletariado industrial. Ambos se processam mediante o que Marx chamou de acumulação primitiva, ou seja, mediante a separação mais ou menos violenta do produtor autônomo de seus meios de produção. Durante a Revolução Industrial, na Grã-Bretanha, as fileiras da classe operária continuavam sendo alimentadas basicamente por camponeses expulsos da terra e por artesãos arruinados. (Singer, Paul. A Formação da Classe Operária. p. 29) O texto acima nos revela parte dos efeitos negativos da moderna industrialização no contexto das sociedades européias da época. Ainda no século XIX, surgem as teorias sociais, buscando solução para as questões sociais advindas da Revolução Industrial. Nesse contexto, é correto afirmar que a corrente socialista que defendia a abolição da propriedade privada, do capitalismo, e o estabelecimento de uma sociedade igualitária foi a) o anarquismo, de Bakunim. b) o socialismo utópico, de Fourier. c) o catolicismo social, do papa Leão XIII. d) o socialismo científico, de Karl Marx. e) a social-democracia, de Rosa Luxembrugo. 16. Quando o último tiro da guerra foi disparado, a Europa estava em ruínas. Grande parte das cidades, principalmente da Alemanha, era um montão de escombros exalando o cheiro da morte e da destruição. Pedro, Antonio. A Segunda Guerra Mundial. p. 64). Sobre o episódio da Segunda Grande Guerra, analise as afirmativas abaixo. I. Mostrou ao mundo de então uma evoluída tecnologia bélica, em parte uma herança ainda da Primeira Guerra Mundial. II. Entre suas principais causas, estão o conflito no Pacífico, entre os Estados Unidos e o Japão. III. Horrores da guerra foram mostrados ao mundo, antes mesmo do início do conflito, em 1939, por Picasso em sua obra Guernica. IV. A Alemanha sucumbiu, finalmente, mediante o uso de uma nova arma nas mãos dos norte-americanos: a bomba atômica, jogada no país em fins de abril de V. Após o conflito, com a vitória da democracia contra o nazi-fascismo, consolidaram-se as práticas neocolonialistas levadas a cabo pelas potências européias na África e Ásia. Estão corretas, apenas: a) I e III b) I, II e V c) II e IV d) III, IV e V e) IV e V

10 17. O século XX foi agitado por fortes mudanças sociais, políticas e culturais, causadas pela Revolução Industrial e pela Revolução Francesa do final do século XVIII. Do mesmo modo, a atividade artística tornou-se mais complexa. Assim, identificam-se nesse período vários movimentos que produziram obras de arte, segundo diferentes concepções e tendências. (...) é o caso do Romantismo, do Realismo, do Impressionismo, do pós-impressionismo. (Proença, Graça. História da Arte, p. 126). Sobre o Romantismo, é correto afirmar que a) se caracterizou como uma reação ao Barroco, tendência artística predominante na Alemanha. b) os românticos voltaram-se para a imitação da arte grego-romana e dos mestres do Renascimento italiano. c) temas históricos marcaram as pinturas românticas, a exemplo da obra fuzilamentos de 3 de maio, de Goya. d) apenas a arquitetura foi contemplada pelo Romantismo artístico. e) A morte de Marat, de Jacques Louis David, é uma importante obra da arte romântica. 18. Joseph Ki-Zerbo, em sua Histoire de l Afrique Noire, lembra a posição radical de Hegel em seu curso sobre a filosofia da História: a África, com exceção da parte setentrional que pertence ao mundo europeu ou asiático, não constitui uma parte histórica do mundo. (Giordani, Mario Curtis. História da África antes dos descobrimentos, p. 7). O trecho acima é parte da introdução da obra do referenciado autor sobre a história da África, onde ele expõe claro exemplo de preconceito em relação aos africanos e à sua história e cultura. Sobre a história da África e sua cultura, analise as afirmações seguintes. I. Diversos reinos se desenvolveram no continente africano, entre o período medieval e os Tempos Modernos, entre eles Gana, Benin, Songhai, Congo. II. A produção artística entre os povos africanos já é reconhecida pelo ocidente, a exemplo das máscaras, estátuas, trabalhos em bronze etc. III. O contato dos diversos reinos africanos com o mundo europeu e com os orientais só ocorreu a partir do século XVI, no contexto do tráfico negreiro para a América. IV. Devido à sua organização tribal, os povos da África, desde os tempos antigos e medievais, desconheciam as atividades comerciais. V. O animismo e o islamismo eram práticas religiosas de diversos povos africanos, quando da chegada dos europeus ao continente, no século XV. Está(ão) correta(as), apenas: a) III e IV b) I c) II, III e IV d) I, II e V e) IV e V 19. Entre 1985 e 1991, o reformista Mikhail Gorbatchev foi secretário-geral do Partido Comunista da União Soviética; ele também presidiu o país entre 1990 e Nesse período, a União Soviética era a segunda potência mundial e o principal pólo do bloco socialista europeu. Gorbatchev iniciou uma série de transformações políticas e econômicas que tiveram profundas repercussões na Europa Oriental e também em países de outros continentes, como Cuba, ligados à esfera de influência soviética. (Braick, Patrícia Ramos/Mota, Myryam Becho. História das cavernas ao terceiro milênio. p. 677) Sobre esse período, é correto afirmar que: a) Gorbatchev lançou a Glasnost e a Perestróika. b) Bóris Yeltsin sucedeu Gorbatchev no governo da União Soviética, até recentemente. c) O regime socialista no país tornou-se mais repressivo e intolerante. d) O reformismo de Gorbatchev levou à construção do Muro de Berlin na Alemanha. e) O bloco socialista saiu fortalecido com a abertura política (glasnost). 20. Na comunidade indígena, prevaleciam as relações igualitárias, os trabalhos eram realizados em cooperação, inexistindo o escravismo. A economia era de subsistência, não havendo comércio. (Costa, Luís César A./Mello, Leonel Itaussu A. História do Brasil, 29). Sobre os povos indígenas brasileiros, à época dos descobrimentos, é correto afirmar que a) assimilaram, sem resistência, a doutrina cristã imposta pelos jesuítas. b) praticavam, indistintamente, a antropofagia de caráter ritual. c) desconheciam a escrita, daí não haver manifestações artístico-culturais entre eles. d) suas origens são, comprovadamente, a África subsaariana. e) foram os primeiros a serem escravizados no Brasil, pelos colonizadores portugueses.

11 21. O êxito da expedição de Martim Afonso estimulou a Coroa portuguesa a promover a ocupação sistemática do território que lhe cabia na América, nos termos do Tratado de Tordesilhas. (Divalte. História, p. 151). A respeito da colonização do Brasil e da empresa açucareira aqui instalada, analise as proposições seguintes. I. O vértice do sistema colonial, sua mola mestra, era o monopólio comercial. II. A cultura da cana-de-açúcar, desenvolvida no Brasil, foi uma atividade inédita para os portugueses. III. A produção de açúcar consolidou, no Nordeste, uma economia baseada no latifúndio monocultor e escravocrata IV. Atribui-se aos capitais holandeses e ao domínio das técnicas de produção dos portugueses os fatores que possibilitaram a montagem e a expansão da área colonial açucareira no Brasil. V. Entre os séculos XVI e XVII, Pernambuco, São Paulo e Minas Gerais foram os maiores pólos açucareiros no Brasil-colônia. Está(ão) correta(as), apenas: a) I, II e V b) I, III e IV c) II e V d) III e) I e V 22. Do ponto de vista cultural e artístico, a época de Nassau foi marcante. Vivia cercado por intelectuais, artistas e cientistas como o naturalista Jorge Marcgrav, o médico Willem Piso e os pintores Frans Post e Albert Eckhout, que retrataram em famosas telas a óleo aspectos da flora, da fauna e da vida humana na colônia. (Silva, Francisco de Assis. História do Brasil. p. 69) O texto acima relata a administração nassoviana no Nordeste holandês. Com relação à presença dos holandeses no Brasil, é correto afirmar, exceto: a) Numa nova investida ao Brasil, os holandeses conquistaram Olinda e Recife, em 1630, sofrendo a resistência do Arraial do Bom Jesus. b) O açúcar foi o fator decisivo para a invasão holandesa ao Nordeste brasileiro, capitaneada pela Cia. Das Índias Ocidentais. c) Maurício de Nassau, um calvinista, administrou com intolerância e mão-de-ferro o Nordeste holandês. d) Recife foi urbanizada, teve ruas pavimentadas, além de pontes construídas, e sediou a Administração holandesa no Nordeste brasileiro. e) As batalhas dos Guararapes e Campina do Taborda se inserem no movimento luso-pernambucano pela expulsão definitivamente dos holandeses do país. 23. Em 2007, a Assembléia Legislativa de Pernambuco proclamou o dia 6 de março como data magna para o estado. Essa data refere-se ao início da revolta colonial conhecida por Insurreição Pernambucana de Sobre o referido episódio, assinale a alternativa correta. a) Tratou-se do primeiro movimento de caráter emancipacionista no Brasil colônia. b) Teve forte participação do clero, a exemplo dos padres Miguelinho e João Ribeiro, entre outros. c) Foi conduzido pelas camadas humildes da região, daí seu caráter popular e democrático. d) Apesar dos esforços e apoio militar, o movimento não chegou a dominar o Recife, sendo rapidamente debelado pelas autoridades portuguesas. e) Entre suas propostas, além da independência, o movimento defendeu a imediata abolição da escravatura no Brasil. 24. Do ponto de vista internacional, a emancipação do Brasil significou a substituição do domínio português pela preeminência inglesa, secundada por outros países europeus e pelos Estados Unidos. (Koshiba, Luis/Pereira, Denise Manzi F. História do Brasil- No contexto da História Ocidental, p. 229). Após o 7 de setembro de 1822, o Brasil independente adotava a monarquia como forma de governo, dando início ao chamado Primeiro Reinado. São fatos inerentes ao Primeiro Reinado no Brasil: a) a chegada da Missão Artística Francesa; a constituinte da mandioca; a anexação da Cisplatina ao Brasil. b) a constituinte de 1823; a Confederação do Equador; a adoção do Poder Moderador. c) a adoção do voto censitário; a eclosão da Conjuração dos Alfaiates; o tratado de Aliança e Amizade com a Inglaterra. d) a outorga de nossa primeira Constituição; a abertura dos portos; a Revolta Praieira. e) a guerra da Cisplatina; adoção do parlamentarismo às avessas; adoção do voto universal.

12 25. Assumindo o poder com menos de quinze anos de idade, viu-se forçado o jovem imperador a depender da orientação e dos conselhos de alguns dos principais políticos da época. (Mathias, Herculano Gomes. D.Pedro II, p. 31) Analise as proposições seguintes sobre o longo governo de D.Pedro II no Brasil. I. Ocorreu um surto industrial, favorecido pela tarifa Alves Branco e iniciativas de particulares como o barão de Mauá. II. Caracterizou-se no plano político pela participação da aristocracia rural no poder, através do sistema parlamentarista. III. Vivenciou a recuperação de nossa economia a partir da cafeicultura, inicialmente com mão-de-obra escrava. IV. Foi marcado no plano cultural pelos trabalhos artísticos de Pedro Américo (A independência ou morte), Vitor Meireles ( A primeira missa no Brasil), Almeida Junior entre outros. V. Ocorre a abolição da escravatura, por iniciativa exclusiva do governo imperial e apoio direto dos cafeicultores fluminenses. Está(ão) correta(as), apenas: a) I e V b) V c) I, II, III e IV d) I e III e) IV e V 26. Se o parlamento pouco contribuía para a causa abolicionista, fora dele começou a se organizar uma verdadeira campanha em favor da libertação dos escravos. (Domingues, Joelza Ester/Fiúsa, Layla Paranhos L. História: Brasil em foco., p. 161) Com base nesse texto, é correto afirmar que a) o abolicionismo brasileiro tem sua origem na Revolta dos Malês, em b) a Lei Eusébio de Queirós resultou de acordos entre os governos brasileiros e franceses. c) a abolição da escravatura no Brasil atendeu às exigências do capitalismo, fortalecido com a Revolução Industrial. d) a Lei Áurea foi produto exclusivo da ação humanitária dos cafeicultores paulistas. e) leis abolicionistas como a do Ventre Livre e a dos Sexagenários evidenciaram o interesse de toda a classe aristocrática pela libertação dos escravos brasileiros. 27. Do ponto de vista das transformações políticas, a Proclamação da República, de inicio, não trouxe grandes mudanças. O povo ficou fora do processo de decisão e a oligarquia, principalmente a cafeeira, aperfeiçoou seu domínio sobre o Estado. ( Priore, Mary Del et al. Documentos de História do Brasil de Cabral aos anos 90, p. 69) No contexto descrito acima, irromperam diversas revoltas no início da República brasileira. Importante movimento ocorrido no período da República Velha no Brasil, ligado diretamente à questão da terra e à miséria que assolava as populações sertanejas, foi a) a Revolta de Juazeiro, chefiada pelo Pe. Cícero Romão. b) a Guerra de Canudos, liderada por Antonio Conselheiro. c) o cangaço, em que se destacou Lampião. d) a Revolta da Vacina. e) a Coluna Prestes, liderada por Luís Carlos Prestes. 28. O Estado que surge do movimento de 30, tendo à sua frente o homem que iria marcar a política brasileira durante quase um quarto de século Getúlio Vargas, tem muitas características novas. (Vita, Álvaro de. Sociologia da Sociedade Brasileira, p. 186). Sobre o período Getulista ( ), é correto afirmar: a) Getúlio Vargas implantou no país um regime fascista, nos moldes do fascismo italiano. b) Foi criada, no período getulista, a Petrobrás, confirmando seu liberalismo econômico. c) Foram criadas as primeiras leis trabalhistas, a exemplo do seguro-desemprego e do PIS/PASEP. d) Foi estabelecido o culto popular do chefe de Estado, Getúlio Vargas, a partir de e) O poder político passou a ser monopólio do Congresso Nacional, em comunhão com os interesses continuístas de Vargas.

13 29. A queda do Estado Novo abriu caminho para a democratização do país pós-guerra. Com a Constituição de 1946, as liberdades e os direitos civis tomaram forma de lei. (Teixeira, Francisco M.P. Brasil - História e Sociedade. p. 272). O período posterior à Era Vargas ficou conhecido por República Democrática ( ). Sobre esse período, afirma-se corretamente: a) Getúlio Vargas retorna à presidência da República, e, em seguida, suicida-se, ao tentar impor nova ditadura ao país. b) Através de seu plano desenvolvimentista, JK criou a Cia. Vale do Rio Doce e a Chesf, previsto em seu Plano de Metas. c) O qüinqüênio de JK correspondeu a um momento de grande produção cultural, alcançando o cinema, a literatura e as artes plásticas, além da música popular com a Bossa Nova. d) Jânio quadros, um populista eleito pelo PTB, buscou dar continuidade à política econômica getulista. e) Apesar da euforia cultural promovida pelo seu governo, além de seu nacionalismo econômico apoiado pelo alto escalão das Forças Armadas, Goulart sofreu o golpe liderado pelos getulistas. 30. Mas ao desembarcar em Porto Alegre, por volta de 4 horas da madrugada de 2 de abril, Goulart percebeu que lá, igualmente, não disporia de força para reagir ao golpe de Estado. (Bandeira, Moniz. O Governo João Goulart as lutas sociais no Brasil, p. 183). Analise as afirmativas abaixo, em relação ao período de nossa história recente, sob a égide militar, a partir de I. Foram decretados vários atos institucionais, a exemplo do AI-5, que conferia ao executivo amplos poderes. II. Foram proibidas as atividades do poder legislativo, nas esferas federal, estadual e municipal, durante todo o ciclo militar. III. O ano de 1968 foi marcado por intensa oposição ao regime, a exemplo da passeata dos 100 mil e de greves de operários em São Paulo e Minas Gerais. IV. A economia brasileira conheceu baixos índices de produtividade em todo o período, produto da política nacionalista dos governos militares. V. Com o governo do presidente João Batista Figueiredo, é incrementada a abertura política: eleição direta para governadores, anistia política e o retorno ao pluripartidarismo. Estão corretas, apenas: a) I, III e V b) I, II e IV c) II e IV d) II, IV e V e) III e IV

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE PERNAMBUCO EXAME DE SELEÇÃO / VESTIBULAR 2010 DIA 13/12/2009 (DOMINGO)

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE PERNAMBUCO EXAME DE SELEÇÃO / VESTIBULAR 2010 DIA 13/12/2009 (DOMINGO) INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE PERNAMBUCO EXAME DE SELEÇÃO / VESTIBULAR 010 LICENCIATURA EM FÍSICA LICENCIATURA EM MATEMÁTICA TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS

Leia mais

1º ano. A reconquista ibérica e as grandes navegações Capítulo 10: Item 2 A revolução comercial Capítulo 12: Item 3 O Novo Mundo Capítulo 10: Item 2

1º ano. A reconquista ibérica e as grandes navegações Capítulo 10: Item 2 A revolução comercial Capítulo 12: Item 3 O Novo Mundo Capítulo 10: Item 2 1º ano O absolutismo e o Estado Moderno Capítulo 12: Todos os itens A reconquista ibérica e as grandes navegações Capítulo 10: Item 2 A revolução comercial Capítulo 12: Item 3 O Novo Mundo Capítulo 10:

Leia mais

História. baseado nos Padrões Curriculares do Estado de São Paulo

História. baseado nos Padrões Curriculares do Estado de São Paulo História baseado nos Padrões Curriculares do Estado de São Paulo 1 PROPOSTA CURRICULAR DA DISCIPLINA DE HISTÓRIA Middle e High School 2 6 th Grade A vida na Grécia antiga: sociedade, vida cotidiana, mitos,

Leia mais

1º ano. I. O Surgimento do Estado e a Organização de uma Sociedade de Classes

1º ano. I. O Surgimento do Estado e a Organização de uma Sociedade de Classes Africana: África como berço da humanidade Capítulo 1: Item 1 Européia Capítulo 1: Item 2 Asiática Capítulo 1: Item 2 Americana Capítulo 1: Item 3 Arqueologia Brasileira Capítulo 1: Item 4 A paisagem e

Leia mais

PLANO DE ENSINO DE HISTÓRIA 5ª. SÉRIE DO ENSINO FUNDAMENTAL 1º BIMESTRE

PLANO DE ENSINO DE HISTÓRIA 5ª. SÉRIE DO ENSINO FUNDAMENTAL 1º BIMESTRE PLANO DE ENSINO DE HISTÓRIA 5ª. SÉRIE DO ENSINO FUNDAMENTAL 1º BIMESTRE - Sistemas sociais e culturais de notação de tempo ao longo da história, - As linguagens das fontes históricas; - Os documentos escritos,

Leia mais

AS INVASÕES FRANCESAS

AS INVASÕES FRANCESAS AS INVASÕES FRANCESAS 2ª invasão 1612 Maranhão Fundação da França Equinocial e a Cidade de São Luís Comandante Daniel de La Touche Obs: esse período Portugal passava para domínio espanhol 1ª invasão Rio

Leia mais

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA ENSINO MÉDIO ÁREA CURRICULAR: CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIAS DISCIPLINA: HISTÓRIA SÉRIE 1.ª CH 68 ANO 2012 COMPETÊNCIAS:. Compreender

Leia mais

Invasões Holandesas. 1630 uma armada holandesa ocupou Olinda e o Recife.

Invasões Holandesas. 1630 uma armada holandesa ocupou Olinda e o Recife. Invasões Holandesas A dependência holandesa do açúcar brasileiro era enorme; Entre 1625 e 1630 a Holanda dedicou-se aos ataques de corsários, no litoral brasileiro e região do Caribe, chegando a ocupar

Leia mais

HISTÓRIA DO LEGISLATIVO

HISTÓRIA DO LEGISLATIVO HISTÓRIA DO LEGISLATIVO Maurício Barbosa Paranaguá Seção de Projetos Especiais Goiânia - 2015 Origem do Poder Legislativo Assinatura da Magna Carta inglesa em 1215 Considerada a primeira Constituição dos

Leia mais

Material de divulgação da Editora Moderna

Material de divulgação da Editora Moderna Material de divulgação da Editora Moderna Professor, nós, da Editora Moderna, temos como propósito uma educação de qualidade, que respeita as particularidades de todo o país. Desta maneira, o apoio ao

Leia mais

PUC - Rio - 2012 Rio VESTIBULAR 2012 PROVAS DISCURSIVAS DE HISTÓRIA LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO.

PUC - Rio - 2012 Rio VESTIBULAR 2012 PROVAS DISCURSIVAS DE HISTÓRIA LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. PUC - Rio - 2012 Rio VESTIBULAR 2012 PROVAS DISCURSIVAS DE HISTÓRIA 2 o DIA MANHÃ GRUPO 2 Novembro / 2011 LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 01 - Você recebeu do fiscal o seguinte material: a) este

Leia mais

FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS CURSO DE DIREITO VESTIBULAR 2009 PROVA DE HISTÓRIA. Fase 1

FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS CURSO DE DIREITO VESTIBULAR 2009 PROVA DE HISTÓRIA. Fase 1 FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS CURSO DE DIREITO VESTIBULAR 2009 PROVA DE HISTÓRIA Fase 1 Novembro 2008 INTRODUÇÃO Na prova de História de 2009 foi possível concretizar vários dos objetivos do programa do Vestibular.

Leia mais

AS INVASÕES FRANCESAS

AS INVASÕES FRANCESAS AS INVASÕES FRANCESAS 2ª invasão 1612 Maranhão Fundação da França Equinocial e a Cidade de São Luís Comandante Daniel de La Touche Obs: esse período Portugal passava para domínio espanhol 1ª invasão Rio

Leia mais

Durante. Utilize os conteúdos multimídia para ilustrar a matéria de outras formas.

Durante. Utilize os conteúdos multimídia para ilustrar a matéria de outras formas. Olá, Professor! Assim como você, a Geekie também tem a missão de ajudar os alunos a atingir todo seu potencial e a realizar seus sonhos. Para isso, oferecemos recomendações personalizadas de estudo, para

Leia mais

Total aulas previstas

Total aulas previstas ESCOLA BÁSICA 2/3 DE MARTIM DE FREITAS Planificação Anual de História do 7º Ano Ano Lectivo 2011/2012 LISTAGEM DE CONTEÚDOS TURMA Tema 1.º Período Unidade Aulas Previas -tas INTRODUÇÃO À HISTÓRIA: DA ORIGEM

Leia mais

A era dos impérios. A expansão colonial capitalista

A era dos impérios. A expansão colonial capitalista A era dos impérios A expansão colonial capitalista O século XIX se destacou pela criação de uma economia global única, caracterizado pelo predomínio do mundo industrializado sobre uma vasta região do planeta.

Leia mais

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL. Ensino Médio

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL. Ensino Médio Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL Ensino Médio ETEC Professora Nair Luccas Ribeiro Código: 156 Município: TEODORO SAMPAIO Área de conhecimento: Ciências Humanas Componente Curricular: Historia

Leia mais

Rei (controla poder moderador) além de indicar o primeiro ministro e dissolve a Câmara de Deputados Monarquia torna-se estável

Rei (controla poder moderador) além de indicar o primeiro ministro e dissolve a Câmara de Deputados Monarquia torna-se estável História do Brasil Professora Agnes (Cursinho Etec Popular de São Roque) Política Interna O SEGUNDO REINADO (1840-1889) * Apogeu da monarquia brasileira. * Centralização política e administrativa. * Pacificação

Leia mais

1º ano. 1º Bimestre. Revolução Agrícola Capítulo 1: Item 5 Egito - política, economia, sociedade e cultura - antigo império

1º ano. 1º Bimestre. Revolução Agrícola Capítulo 1: Item 5 Egito - política, economia, sociedade e cultura - antigo império Introdução aos estudos de História - fontes históricas - periodização Pré-história - geral - Brasil As Civilizações da Antiguidade 1º ano Introdução Capítulo 1: Todos os itens Capítulo 2: Todos os itens

Leia mais

Cite e analise UMA SEMELHANÇA e UMA DIFERENÇA entre a religião muçulmana e a religião cristã durante a Idade Média.

Cite e analise UMA SEMELHANÇA e UMA DIFERENÇA entre a religião muçulmana e a religião cristã durante a Idade Média. Questão 1: Leia o trecho abaixo a responda ao que se pede. COMISSÃO PERMANENTE DE SELEÇÃO COPESE Quando Maomé fixou residência em Yatrib, teve início uma fase decisiva na vida do profeta, em seu empenho

Leia mais

HISTÓRIA-2009 2ª FASE 2009

HISTÓRIA-2009 2ª FASE 2009 Questão 01 UFBA - -2009 2ª FASE 2009 Na Época Medieval, tanto no Oriente Médio, quanto no norte da África e na Península Ibérica, muçulmanos e judeus conviviam em relativa paz, fazendo comércio e expressando,

Leia mais

1º ano CULTURA, DIVERSIDADE E SER HUMANO TRABALHO, CONSUMO E LUTAS POR DIREITOS

1º ano CULTURA, DIVERSIDADE E SER HUMANO TRABALHO, CONSUMO E LUTAS POR DIREITOS 1º ano Estudo da História Estudo da História O Brasil antes dos portugueses América antes de Colombo Povos indígenas do Brasil A colonização portuguesa A colonização europeia na América Latina Introdução:

Leia mais

Quadro de conteúdos HISTÓRIA

Quadro de conteúdos HISTÓRIA Quadro de conteúdos HISTÓRIA 1 Apresentamos, a seguir, o conteúdo a ser trabalhado em cada período do segundo ciclo do Ensino Fundamental do 6º ao 9º ano. 6 o ano 1 A História e a humanidade 2 Sociedades

Leia mais

O candidato deverá demonstrar uma visão globalizante do processo transformacional

O candidato deverá demonstrar uma visão globalizante do processo transformacional CIÊNCIAS HUMANAS (HISTÓRIA/ATUALIDADES/GEOGRAFIA) O candidato deverá demonstrar uma visão globalizante do processo transformacional das sociedades através dos tempos, observando os fatores econômico, histórico,

Leia mais

COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150

COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150 COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150 PLANEJAMENTO ANUAL DE HISTÓRIA 8º ANO PROFESSOR: MÁRCIO AUGUSTO

Leia mais

Gabarito oficial preliminar: História

Gabarito oficial preliminar: História 1) Questão 1 Segundo José Bonifácio, o fim do tráfico de escravos significaria uma ameaça à existência do governo porque Geraria uma crise econômica decorrente da diminuição da mão de obra disponível,

Leia mais

Escola de Formação Política Miguel Arraes. Módulo I História da Formação Política Brasileira. Aula 2 A História do Brasil numa dimensão ética

Escola de Formação Política Miguel Arraes. Módulo I História da Formação Política Brasileira. Aula 2 A História do Brasil numa dimensão ética LINHA DO TEMPO Módulo I História da Formação Política Brasileira Aula 2 A História do Brasil numa dimensão ética SEC XV SEC XVIII 1492 A chegada dos espanhóis na América Brasil Colônia (1500-1822) 1500

Leia mais

VESTIBULAR 2011 1ª Fase HISTÓRIA GRADE DE CORREÇÃO

VESTIBULAR 2011 1ª Fase HISTÓRIA GRADE DE CORREÇÃO VESTIBULAR 2011 1ª Fase HISTÓRIA GRADE DE CORREÇÃO A prova de História é composta por três questões e vale 10 pontos no total, assim distribuídos: Questão 1 3 pontos (sendo 1 ponto para o subitem A, 1,5

Leia mais

HISTÓRIA - 6º AO 9º ANO

HISTÓRIA - 6º AO 9º ANO A FORMAÇÃO DO CURRÍCULO DA REDE O solicitou-nos uma base para colocar em discussão com os professores de história da rede de São Roque. O ponto de partida foi a grade curricular formulada em 2008 pelos

Leia mais

Provão. História 5 o ano

Provão. História 5 o ano Provão História 5 o ano 61 Os reis portugueses governaram o Brasil à distância, até o século XIX, porém alguns acontecimentos na Europa mudaram essa situação. Em que ano a família real portuguesa veio

Leia mais

COLÉGIO ESTADUAL CESAR STANGE EFM.

COLÉGIO ESTADUAL CESAR STANGE EFM. COLÉGIO ESTADUAL CESAR STANGE EFM. PLANO DE TRABALHO DOCENTE - 2012 Professora: Ana Claudia Martins Ribas Disciplina: História - 8º ano -Fundamental 1º BIMESTRE Conteúdos Básicos: -Povos, Movimentos e

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO PARÁ HISTÓRIA PROSEL/PRISE 1ª ETAPA

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO PARÁ HISTÓRIA PROSEL/PRISE 1ª ETAPA HISTÓRIA PROSEL/PRISE 1ª ETAPA EIXOS TEMÁTICOS: I. MUNDOS DO TRABALHO COMPETÊNCIA HABILIDADES CONTEÚDO -Compreender as relações de trabalho no mundo antigo, nas sociedades pré-colombianas e no mundo medieval.

Leia mais

ENEM 2014 - Caderno Rosa. Resolução da Prova de História

ENEM 2014 - Caderno Rosa. Resolução da Prova de História ENEM 2014 - Caderno Rosa Resolução da Prova de História 5. Alternativa (E) Uma das características basilares do contato entre jesuítas e os povos nativos na América, entre os séculos XVI e XVIII, foi o

Leia mais

A Presença Estrangeira no Período Colonial. A Disputa pelas Novas Terras

A Presença Estrangeira no Período Colonial. A Disputa pelas Novas Terras A Presença Estrangeira no Período Colonial. A Disputa pelas Novas Terras O descobrimento de novas terras e riquezas (o pau-brasil) estimulou a cobiça de várias nações européias que iniciavam as suas aventuras

Leia mais

Conteúdo Básico Comum (CBC) de HISTÓRIA do Ensino Fundamental do 6º ao 9º ano Exames Supletivos/2015

Conteúdo Básico Comum (CBC) de HISTÓRIA do Ensino Fundamental do 6º ao 9º ano Exames Supletivos/2015 SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO DE MINAS GERAIS SUBSECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO BÁSICA SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO DO ENSINO MÉDIO DIRETORIA DE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS Conteúdo

Leia mais

EUROPA NO SÉCULO XIX. http://historiaonline.com.br

EUROPA NO SÉCULO XIX. http://historiaonline.com.br EUROPA NO SÉCULO XIX A INGLATERRA NO SÉCULO XIX: Era Vitoriana (1837-1901): Hegemonia marítima inglesa. Fortalecimento do poder político da burguesia. Expansão da economia industrial 2ª Revolução Industrial.

Leia mais

CADERNO DE ATIVIDADES. História

CADERNO DE ATIVIDADES. História COLÉGIO ARNALDO 2015 CADERNO DE ATIVIDADES História Aluno (a): 4º ano: Turma: Professor (a): Valor: 20 pontos Conteúdo de Recuperação O que é História. Identificar a História como ciência. Reconhecer que

Leia mais

COLÉGIO MARISTA DE BRASÍLIA Educação Infantil e Ensino Fundamental Aluno(a): 8º Ano: Nº Professor(a): Data: / / Componente Curricular: HISTÓRIA

COLÉGIO MARISTA DE BRASÍLIA Educação Infantil e Ensino Fundamental Aluno(a): 8º Ano: Nº Professor(a): Data: / / Componente Curricular: HISTÓRIA COLÉGIO MARISTA DE BRASÍLIA Educação Infantil e Ensino Fundamental Aluno(a): 8º Ano: Nº Professor(a): Data: / / Componente Curricular: HISTÓRIA 2011/HIST8ANOEXE2-PARC-1ºTRI-I AVALIAÇÃO PARCIAL 1º TRIMESTRE

Leia mais

TODOS COLÉGIOS SIMULADO 2ª SÉRIE

TODOS COLÉGIOS SIMULADO 2ª SÉRIE TODOS COLÉGIOS SIMULADO 2ª SÉRIE 1.Analise as afirmativas abaixo referentes ao Iluminismo: 01 - Muitas das idéias propostas pelos filósofos iluministas são, hoje, elementos essenciais da identidade da

Leia mais

a) A humilhação sofrida pela China, durante um século e meio, era algo inimaginável para os ocidentais.

a) A humilhação sofrida pela China, durante um século e meio, era algo inimaginável para os ocidentais. Questões: 01. Ao final do século passado, a dominação e a espoliação assumiram características novas nas áreas partilhadas e neocolonizadas. A crença no progresso, o darwinismo social e a pretensa superioridade

Leia mais

1) Em novembro de 1807, a família real portuguesa deixou Lisboa e, em março de 1808, chegou ao Rio de Janeiro. O acontecimento pode ser visto como:

1) Em novembro de 1807, a família real portuguesa deixou Lisboa e, em março de 1808, chegou ao Rio de Janeiro. O acontecimento pode ser visto como: 1) Em novembro de 1807, a família real portuguesa deixou Lisboa e, em março de 1808, chegou ao Rio de Janeiro. O acontecimento pode ser visto como: a) incapacidade dos Braganças de resistirem à pressão

Leia mais

CENTRO DE EDUCAÇÃO INTEGRADA Educando para o pensar Tema Integrador 2013 / Construindo o amanhã: nós agimos, o planeta sente CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS

CENTRO DE EDUCAÇÃO INTEGRADA Educando para o pensar Tema Integrador 2013 / Construindo o amanhã: nós agimos, o planeta sente CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS CENTRO DE EDUCAÇÃO INTEGRADA Educando para o pensar Tema Integrador 2013 / Construindo o amanhã: nós agimos, o planeta sente CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS CIÊNCIAS HUMANAS 3º ANO FILOSOFIA FILOSOFIA NA HISTÓRIA

Leia mais

MONITORIA SEMIPRESENCIAL NA MODALIDADE REMUNERADA PEDAGOGIA

MONITORIA SEMIPRESENCIAL NA MODALIDADE REMUNERADA PEDAGOGIA ANEXO II - EDITAL Nº. 16/2011 PERÍODO: 2012/01 INSTITUTO DE CIÊNCIAS HUMANAS, LETRAS E ARTES - ICHLA MONITORIA SEMIPRESENCIAL NA MODALIDADE REMUNERADA PEDAGOGIA VAGAS DIA CARGA História da Educação 01

Leia mais

Pré-História (600.000-4.000 a.c)

Pré-História (600.000-4.000 a.c) Pré Exame História HISTÓRIA GERAL Pré-História (600.000-4.000 a.c) Paleolítico - fogo - nômades - coletores REVOLUÇÃO do NEOLÍTICO agricultura e pecuária Neolítico - roda - produtores - sedentários Idade

Leia mais

HISTÓRIA. Assinale a alternativa que preenche corretamente os parênteses da Coluna B, de cima para baixo.

HISTÓRIA. Assinale a alternativa que preenche corretamente os parênteses da Coluna B, de cima para baixo. HISTÓRIA 37 Associe as civilizações da Antigüidade Oriental, listadas na Coluna A, às características políticas que as identificam, indicadas na Coluna B. 1 2 3 4 COLUNA A Mesopotâmica Fenícia Egípcia

Leia mais

SÉCULO XVII A INGLATERRA INCENTIVOU A COLONIZAÇÃO DAS TERRAS NORTE- AMERICANAS INCENTIVANDO A VINDA DE EMIGRANTES INGLESES

SÉCULO XVII A INGLATERRA INCENTIVOU A COLONIZAÇÃO DAS TERRAS NORTE- AMERICANAS INCENTIVANDO A VINDA DE EMIGRANTES INGLESES A GUERRA DE INDEPENDÊNCIA DOS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA ANTECEDENTES SÉCULO XVII A INGLATERRA INCENTIVOU A COLONIZAÇÃO DAS TERRAS NORTE- AMERICANAS INCENTIVANDO A VINDA DE EMIGRANTES INGLESES NESSA ÉPOCA

Leia mais

1. (Unicamp) Referindo-se à expansão marítima dos séculos XV e XVI, o poeta português Fernando Pessoa escreveu, em 1922, no poema Padrão :

1. (Unicamp) Referindo-se à expansão marítima dos séculos XV e XVI, o poeta português Fernando Pessoa escreveu, em 1922, no poema Padrão : Vai Ter Específica 1. (Unicamp) Referindo-se à expansão marítima dos séculos XV e XVI, o poeta português Fernando Pessoa escreveu, em 1922, no poema Padrão : E ao imenso e possível oceano Ensinam estas

Leia mais

PROGRAMA DAS DISCIPLINAS

PROGRAMA DAS DISCIPLINAS PROGRAMA DAS DISCIPLINAS PRODUÇÃO DE TEXTO O texto elaborado pelo candidato deve atender à situação de produção apresentada na prova, obedecendo para tanto à tipologia e ao gênero textual solicitados.

Leia mais

Universidade Federal do Ceará Coordenadoria de Concursos - CCV Comissão do Vestibular

Universidade Federal do Ceará Coordenadoria de Concursos - CCV Comissão do Vestibular Universidade Federal do Ceará Coordenadoria de Concursos - CCV Comissão do Vestibular Data: 08.11.2009 Duração: 05 horas Conhecimentos Específicos: Matemática: 01 a 05 Redação História: 06 a 10 Coloque,

Leia mais

TEMA 3 UMA EXPERIÊNCIA

TEMA 3 UMA EXPERIÊNCIA TEMA 3 UMA EXPERIÊNCIA DOLOROSA: O NAZISMO ALEMÃO A ascensão dos nazistas ao poder na Alemanha colocou em ação a política de expansão territorial do país e o preparou para a Segunda Guerra Mundial. O saldo

Leia mais

HISTÓRIA. SEGUNDA SÉRIE DO ENSINO MÉDIO Profº Msc. Givaldo Santos de Jesus REVOLUÇÕES INGLESAS DO SÉCULO XVII

HISTÓRIA. SEGUNDA SÉRIE DO ENSINO MÉDIO Profº Msc. Givaldo Santos de Jesus REVOLUÇÕES INGLESAS DO SÉCULO XVII HISTÓRIA SEGUNDA SÉRIE DO ENSINO MÉDIO Profº Msc. Givaldo Santos de Jesus REVOLUÇÕES INGLESAS DO SÉCULO XVII 1 - A Inglaterra no Início do Século XVII 1 - A Inglaterra no Início do Século XVII - A Dinastia

Leia mais

Os E.U.A. nos séculos XVIII e XIX.

Os E.U.A. nos séculos XVIII e XIX. Aula 13 Os E.U.A. nos séculos XVIII e XIX. Nesta aula iremos tratar da formação dos Estados Unidos da América. Primeiramente o processo de independência dos Estados Unidos, em seguida, o processo de expansão

Leia mais

Neoclassicismo e o Romantismo. Clique para adicionar texto HISTÓRIA DA ARTE

Neoclassicismo e o Romantismo. Clique para adicionar texto HISTÓRIA DA ARTE Neoclassicismo e o Romantismo Clique para adicionar texto HISTÓRIA DA ARTE Nas duas últimas décadas do século XVIII e nas três primeiras do século XIX, uma nova tendência estética predominou nas criações

Leia mais

Conhecimentos Específicos

Conhecimentos Específicos PROCESSO SELETIVO 2016 07/12/2015 INSTRUÇÕES 1. Confira, abaixo, o seu número de inscrição, turma e nome. Assine no local indicado. 2. Aguarde autorização para abrir o caderno de prova. Antes de iniciar

Leia mais

o declínio do poder dos senhores feudais e as monarquias nacionais... 14

o declínio do poder dos senhores feudais e as monarquias nacionais... 14 SuMÁRIo UNIDADE I O ADVENTO DO MUNDO MODERNO: POLÍTICA E CULTURA... 12 Capítulo 1 o declínio do poder dos senhores feudais e as monarquias nacionais... 14 A fragmentação do poder na sociedade feudal...

Leia mais

INDEPENDÊNCIA DA AMÉRICA LATINA (1808-1826) Profª Adriana Moraes

INDEPENDÊNCIA DA AMÉRICA LATINA (1808-1826) Profª Adriana Moraes INDEPENDÊNCIA DA AMÉRICA LATINA (1808-1826) Profª Adriana Moraes A independência foi o processo político e militar que afetou todas as regiões situadas entre os vicereinados da Nova Espanha e do Rio da

Leia mais

COMISSÃO DE EDUCAÇÃO E CULTURA PROJETO DE LEI Nº 530, DE 2011

COMISSÃO DE EDUCAÇÃO E CULTURA PROJETO DE LEI Nº 530, DE 2011 COMISSÃO DE EDUCAÇÃO E CULTURA PROJETO DE LEI Nº 530, DE 2011 (Do Senado Federal Senador Marco Maciel) Inscreve os nomes de Francisco Barreto de Menezes, João Fernandes Vieira, André Vidal de Negreiros,

Leia mais

5.1 Planificação a médio prazo. 1. A Revolução Americana, uma revolução fundadora. 28 aulas

5.1 Planificação a médio prazo. 1. A Revolução Americana, uma revolução fundadora. 28 aulas 5.1 Planificação a médio prazo 28 aulas Conteúdos programáticos Segundo o Programa Oficial (março de 2001) TH11 Parte 2 (pp.) Saberes/Aprendizagens 1. A Revolução Americana, uma revolução fundadora 1.1.

Leia mais

Lista de exercícios para pra final de História. 7ª série

Lista de exercícios para pra final de História. 7ª série Lista de exer PROVÍNCIA BRASILEIRA DA CONGREGAÇÃO DAS IRMÃS FILHAS DA CARIDADE DE SÃO VICENTE DE PAULO COLÉGIO VICENTINO SÃO JOSÉ Rua Pe. José Joaquim Goral, 182 Abranches Curitiba Fone (041) 3355-2200

Leia mais

Edital nº 01/2016 II Olímpiada de História História do Brasil Império

Edital nº 01/2016 II Olímpiada de História História do Brasil Império Edital nº 01/2016 II Olímpiada de História História do Brasil Império 1 DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Este documento contém as regras estabelecidas pela Comissão Organizadora da II Olimpíada Interna de

Leia mais

CURSOS História e Tecnologia em Design de Moda

CURSOS História e Tecnologia em Design de Moda PROCESSO SELETIVO 2006/1 História CURSOS História e Tecnologia em Design de Moda Só abra este caderno quando o fiscal autorizar. Leia atentamente as instruções abaixo. 1. Este caderno de prova contém dez

Leia mais

2. (Pucrs 2014) Considere as afirmações abaixo sobre a crise do Antigo Sistema Colonial e a Independência do Brasil (1822).

2. (Pucrs 2014) Considere as afirmações abaixo sobre a crise do Antigo Sistema Colonial e a Independência do Brasil (1822). 1. (Enem 2014) A transferência da corte trouxe para a América portuguesa a família real e o governo da Metrópole. Trouxe também, e sobretudo, boa parte do aparato administrativo português. Personalidades

Leia mais

HISTÓRIA - MATERIAL COMPLEMENTAR OITAVO ANO ENSINO FUNDAMENTAL II PROF. ROSE LIMA

HISTÓRIA - MATERIAL COMPLEMENTAR OITAVO ANO ENSINO FUNDAMENTAL II PROF. ROSE LIMA HISTÓRIA - MATERIAL COMPLEMENTAR OITAVO ANO ENSINO FUNDAMENTAL II PROF. ROSE LIMA INDEPENDÊNCIA DO Colonização: espanhola até 1697, posteriormente francesa. Produção açucareira. Maioria da população:

Leia mais

O IMPERIALISMO EM CHARGES. Marcos Faber www.historialivre.com marfaber@hotmail.com. 1ª Edição (2011)

O IMPERIALISMO EM CHARGES. Marcos Faber www.historialivre.com marfaber@hotmail.com. 1ª Edição (2011) O IMPERIALISMO EM CHARGES 1ª Edição (2011) Marcos Faber www.historialivre.com marfaber@hotmail.com Imperialismo é a ação das grandes potências mundiais (Inglaterra, França, Alemanha, Itália, EUA, Rússia

Leia mais

MOD. 13 CRISE DO IMPÉRIO COLONIAL ESPANHOL

MOD. 13 CRISE DO IMPÉRIO COLONIAL ESPANHOL MOD. 13 CRISE DO IMPÉRIO COLONIAL ESPANHOL A MUDANÇA DA POLÍTICA COLONIAL ESPANHOLA SE DEU EM FUNÇÃO: DO ENVOLVIMENTO DA ESPANHA NAS GUERRAS EUROPEIAS; DA DECADÊNCIA DA MINERAÇÃO; DAS DIFICULDADES QUE

Leia mais

PROCESSO SELETIVO 2011

PROCESSO SELETIVO 2011 PROCESSO SELETIVO 2011 Anos 06/12/2010 INSTRUÇÕES 1. Confira, abaixo, o seu número de inscrição, turma e nome. Assine no local indicado. 2. Aguarde autorização para abrir o caderno de prova. Antes de iniciar

Leia mais

.: MANUAL DO CANDIDATO :.

.: MANUAL DO CANDIDATO :. .: MANUAL DO CANDIDATO :. I- FORMAS DE ACESSO PROCESSO SELETIVO : -Vestibular: Prova convencional. -ENEM: Os candidatos que realizaram o ENEM poderão usar o resultado para concorrer a uma vaga nos cursos

Leia mais

Neoclassicismo. Segundo a leitura acima analise os itens e marque uma ÚNICA alternativa:

Neoclassicismo. Segundo a leitura acima analise os itens e marque uma ÚNICA alternativa: Neoclassicismo Questão 01 De acordo com a tendência neoclássica, uma obra de arte só seria perfeitamente bela na medida em que imitasse não as formas da natureza, mas as que os artistas clássicos gregos

Leia mais

Orientação Geral. Expansão Marítima e Comercial: a crise do feudalismo a partir do século XIII

Orientação Geral. Expansão Marítima e Comercial: a crise do feudalismo a partir do século XIII Orientação Geral Objetivos Este programa enfatiza a articulação do evento histórico com o processo geral de desenvolvimento das sociedades. O candidato deve saber: Analisar as instâncias econômicas, políticas

Leia mais

CRONOGRAMA ESPANHOL - 9º ANO 1º Bimestre 2014

CRONOGRAMA ESPANHOL - 9º ANO 1º Bimestre 2014 CRONOGRAMA ESPANHOL - 9º ANO 2014 Professor(a): Lígia Martins de Matos Total de aulas previstas: 10 aulas Apresentação coletiva na área externa da escola Aula de apresentação (formas de saludar, presentarse,

Leia mais

INSTRUÇÕES NÃO AMASSE, NÃO DOBRE, NÃO SUJE, NÃO RASURE ESTE MATERIAL.

INSTRUÇÕES NÃO AMASSE, NÃO DOBRE, NÃO SUJE, NÃO RASURE ESTE MATERIAL. INSTRUÇÕES Para a realização destas provas, você recebeu este Caderno de Questões e duas Folhas de Respostas. NÃO AMASSE, NÃO DOBRE, NÃO SUJE, NÃO RASURE ESTE MATERIAL. 1. Caderno de Questões Verifique

Leia mais

Guerra fria (o espaço mundial)

Guerra fria (o espaço mundial) Guerra fria (o espaço mundial) Com a queda dos impérios coloniais, duas grandes potências se originavam deixando o mundo com uma nova ordem tanto na parte política quanto na econômica, era os Estados Unidos

Leia mais

Economia e Sociedade Açucareira. Alan

Economia e Sociedade Açucareira. Alan Economia e Sociedade Açucareira Alan Características coloniais gerais Colônia de exploração Existência de Pacto Colonial Monopólio Economia de exportação de produtos tropicais Natureza predatória extrativista,

Leia mais

Construção do Espaço Africano

Construção do Espaço Africano Construção do Espaço Africano Aula 2 Colonização Para melhor entender o espaço africano hoje, é necessário olhar para o passado afim de saber de que forma aconteceu a ocupação africana. E responder: O

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO PARÁ HISTÓRIA PROSEL/PRISE 1ª ETAPA

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO PARÁ HISTÓRIA PROSEL/PRISE 1ª ETAPA HISTÓRIA PROSEL/PRISE 1ª ETAPA EIXOS TEMÁTICOS HABILIDADES/ COMPETÊNCIAS TEMAS/ CONTEÚDO - Compreender a diversidade do trabalho em sociedades que se baseiam nas relações sociais compulsórias e nas de

Leia mais

AULA: 17 Assíncrona. TEMA: Cidadania e Movimentos Sociais DINÂMICA LOCAL INTERATIVA CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES HISTÓRIA

AULA: 17 Assíncrona. TEMA: Cidadania e Movimentos Sociais DINÂMICA LOCAL INTERATIVA CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES HISTÓRIA CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA AULA: 17 Assíncrona TEMA: Cidadania e Movimentos Sociais 2 CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Conteúdos: China: dominação

Leia mais

Agrupamento de Escolas Agualva-Mira Sintra Planificação anual 2013/2014

Agrupamento de Escolas Agualva-Mira Sintra Planificação anual 2013/2014 Agrupamento de Escolas Agualva-Mira Sintra Planificação anual 2013/2014 Departamento Curricular de Ciências Sociais e Humanas Disciplina de História Ano:8º Temas Conteúdos Conceitos E : Expansão e Mudança

Leia mais

A Revolução Puritana

A Revolução Puritana A Revolução Puritana O que foi a Revolução Puritana A Revolução Puritana, ocorrida na Inglaterra entre 1641 e 1649, originou pela primeira vez a constituição de uma República (1649-1658) em solo inglês.

Leia mais

Crises na Colônia Portuguesa e a Chegada da Família Real. Prof.ª viviane jordão

Crises na Colônia Portuguesa e a Chegada da Família Real. Prof.ª viviane jordão Crises na Colônia Portuguesa e a Chegada da Família Real Prof.ª viviane jordão INTRODUÇÃO Na segunda metade do século XVIII, novas ideias começaram a se difundir pela América portuguesa. Vindas da Europa,

Leia mais

EXPANSÃO E COLAPSO DO CAPITALISMO

EXPANSÃO E COLAPSO DO CAPITALISMO EXPANSÃO E COLAPSO DO CAPITALISMO 2ªRevolução Industrial HOLDING TRUSTE CARTEL Empresas financeiras que controlam complexos industriais a partir da posse de suas ações. Formação de grandes conglomerados

Leia mais

Os Domínios Estrangeiros sobre o Brasil Colonial

Os Domínios Estrangeiros sobre o Brasil Colonial Os Domínios Estrangeiros sobre o Brasil Colonial Franceses, Ingleses e Holandeses Prof. Alan Carlos Ghedini O princípio: competição nos mares Portugal e Espanha chegaram primeiro à corrida das Grandes

Leia mais

João Paulo I O NORDESTE COLONIAL. Professor Felipe Klovan

João Paulo I O NORDESTE COLONIAL. Professor Felipe Klovan João Paulo I O NORDESTE COLONIAL Professor Felipe Klovan A ECONOMIA AÇUCAREIRA Prof. Felipe Klovan Portugal já possuía experiência no plantio da cana-de-açúcar nas Ilhas Atlânticas. Portugal possuía banqueiros

Leia mais

B. A partir de que fundamento os Estados Unidos reconhece a Independência do Brasil?

B. A partir de que fundamento os Estados Unidos reconhece a Independência do Brasil? Pré Universitário Uni-Anhanguera Lista de Exercícios Aluno(a): Nº. Professor: Barros Antônio Guimarães Dutra Série: 2ª. Disciplina: História (p1,1ª,chamada, 4º. Bimestre) prova dia 22 de outubro de 2015.

Leia mais

Imperialismo dos EUA na América latina

Imperialismo dos EUA na América latina Imperialismo dos EUA na América latina 1) Histórico EUA: A. As treze colônias, colonizadas efetivamente a partir do século XVII, ficaram independentes em 1776 formando um só país. B. Foram fatores a emancipação

Leia mais

UFMG - 2006 3º DIA HISTÓRIA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR

UFMG - 2006 3º DIA HISTÓRIA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR UFMG - 2006 3º DIA HISTÓRIA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR História Questão 01 Considerando as transformações que abriram caminho para o surgimento do Mundo Moderno, ANALISE o impacto dessas mudanças

Leia mais

PROCESSO DE INDEPENDÊNCIA DOS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA

PROCESSO DE INDEPENDÊNCIA DOS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA PROCESSO DE INDEPENDÊNCIA DOS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA TREZE COLÔNIAS Base de ocupação iniciativa privada: Companhias de colonização + Grupos de imigrantes = GRUPOS DISTINTOS [excedente da metrópole;

Leia mais

UFSC. Resposta: 02 + 04 + 16 = 22. Comentário. Resposta: Comentário

UFSC. Resposta: 02 + 04 + 16 = 22. Comentário. Resposta: Comentário Resposta: 02 + 04 + 16 = 22 Resposta: 01. Incorreta. Na região dos Rios Tigre e Eufrates tivemos o desenvolvimento da Civilização Mesopotâmica, que, mesmo enfrentando guerras, desenvolveu atividades artísticas

Leia mais

O FIM DO FEUDALISMO E A CENTRALIZAÇAO POLÍTICA

O FIM DO FEUDALISMO E A CENTRALIZAÇAO POLÍTICA O FIM DO FEUDALISMO E A CENTRALIZAÇAO POLÍTICA O sistema feudal entra em crise com o advento das cidades e a expansão do comércio, somados a outros fatores. 1) Necessidade de moedas, crescimento das cidades

Leia mais

Crise no Império Romano. Capítulo 6

Crise no Império Romano. Capítulo 6 Crise no Império Romano Capítulo 6 A falta de escravos leva ao aparecimento do sistema do colonato. Corte nas verbas do exército, gera revolta e briga entre os generais. Os generais passam a não obedecer

Leia mais

Movimentos de Pré- Independência e Vinda da Família Real. História C Aula 08 Prof. Thiago

Movimentos de Pré- Independência e Vinda da Família Real. História C Aula 08 Prof. Thiago Movimentos de Pré- Independência e Vinda da Família Real História C Aula 08 Prof. Thiago Movimentos de Pré- Independência Século XVIII e XIX Crise do mercantilismo e do Estado Absolutista Hegemonia de

Leia mais

A expansão dos EUA (séc. XVIII-XX)

A expansão dos EUA (séc. XVIII-XX) 1803 Os Estados Unidos compram a Louisiana da França. Cronologia 1846 a 1848 Guerra do México. Os Estados Unidos conquistam e anexam os territórios da Califórnia, Novo México, Nevada, Arizona e Utah. 1810

Leia mais

2a. prova Simulado 5 Dissertativo 27.09.06 HISTÓRIA INSTRUÇÕES PARA REALIZAÇÃO DO SIMULADO

2a. prova Simulado 5 Dissertativo 27.09.06 HISTÓRIA INSTRUÇÕES PARA REALIZAÇÃO DO SIMULADO Simulado 5 Padrão FUVEST Aluno: N o do Cursinho: Sala: HISTÓRIA INSTRUÇÕES PARA REALIZAÇÃO DO SIMULADO 1. Aguarde a autorização do fiscal para abrir o caderno de questões e iniciar a prova. 2. Duração

Leia mais

A novidade é que o Brasil não é só litoral É muito mais é muito mais que qualquer zona sul Tem gente boa espalhada por este Brasil Que vai fazer

A novidade é que o Brasil não é só litoral É muito mais é muito mais que qualquer zona sul Tem gente boa espalhada por este Brasil Que vai fazer CAUSAS: Acirramento da concorrência comercial entre as potências coloniais; Crise das lavouras de cana; Estagnação da economia portuguesa na segunda metade do século XVII; Necessidade de encontrar metais

Leia mais

Apontamentos das obras LeYa em relação ao Currículo de Referência da Rede Estadual de Educação de GOIÁs. História Oficina de História

Apontamentos das obras LeYa em relação ao Currículo de Referência da Rede Estadual de Educação de GOIÁs. História Oficina de História Apontamentos das obras LeYa em relação ao Currículo de Referência da Rede Estadual de Educação de GOIÁs História Oficina de História 2 Caro professor, Este guia foi desenvolvido para ser uma ferramenta

Leia mais

Com base nesse artigo e nos conhecimentos sobre a História da América, RESPONDA:

Com base nesse artigo e nos conhecimentos sobre a História da América, RESPONDA: PROCESSO SELETIVO/2006 3 O DIA CADERNO 8 1 HISTÓRIA QUESTÕES DE 01 A 05 01. A base naval norte-americana de Guantanamo tem estado em evidência nos últimos anos. Trata-se de uma área de 117,6 quilômetros

Leia mais

Cidade e desigualdades socioespaciais.

Cidade e desigualdades socioespaciais. Centro de Educação Integrada 3º ANO GEOGRAFIA DO BRASIL A Produção do Espaço Geográfico no Brasil nas economias colonial e primário exportadora. Brasil: O Espaço Industrial e impactos ambientais. O espaço

Leia mais

FUNDAMENTAL II: RECUPERAÇÃO 1º SEMESTRE 2015 9º ANO

FUNDAMENTAL II: RECUPERAÇÃO 1º SEMESTRE 2015 9º ANO FUNDAMENTAL II: RECUPERAÇÃO 1º SEMESTRE 2015 9º ANO Disciplina: LÍNGUA PORTUGUESA Turma : 901/902 Prof. :NETINHA GRUPO 1 1. ELEMENTOS DA COMUNICAÇÃO Leia com atenção Páginas: 21,22 Tarefas propostas Páginas:

Leia mais

Conhecimentos Específicos

Conhecimentos Específicos PROCESSO SELETIVO 2012 Anos 12/12/2011 INSTRUÇÕES 1. Confira, abaixo, o seu número de inscrição, turma e nome. Assine no local indicado. 2. Aguarde autorização para abrir o caderno de prova. Antes de iniciar

Leia mais

Escola Básica e Secundária das Lajes do Pico História e Geografia de Portugal 2º Ciclo Ano Lectivo 2007/2008

Escola Básica e Secundária das Lajes do Pico História e Geografia de Portugal 2º Ciclo Ano Lectivo 2007/2008 Escola Básica e Secundária das Lajes do Pico História e Geografia de Portugal 2º Ciclo Ano Lectivo 2007/2008 Conteúdos Ano Lectivo Período Lectivo Tema A-A península Ibérica: dos primeiros povos à formação

Leia mais