Marcos Roberto Ramos (UNIVALI) Flávio Anthero Nunes Vianna Santos. Eugenio Andrés Díaz Merino (UFSC) Cibele Eschner Lin

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Marcos Roberto Ramos (UNIVALI) Flávio Anthero Nunes Vianna Santos. Eugenio Andrés Díaz Merino (UFSC) Cibele Eschner Lin"

Transcrição

1 ISSN GESTÃO DO DESIGN: ANÁLISE SOBRE A APLICAÇÃO DOS CONCEITOS E RELAÇÃO COM A GESTÃO DE PROJETOS EM ESCRITÓRIOS DE DESIGN GRÁFICO NA MICRORREGIÃO DE ITAJAÍ SC. Marcos Roberto Ramos (UNIVALI) Flávio Anthero Nunes Vianna Santos (UNIVALI) Eugenio Andrés Díaz Merino (UFSC) Cibele Eschner Lin (UNIVALI) Resumo: Com a globalização presente na atualidade, cada vez mais as empresas buscam por diferenciação no mercado, recorrendo à diversas estratégias, dentre elas a inserção do Design. Assim, esta pesquisa busca analisar como é realizada a Gestão do Design em Escritórios de Design Gráfico, responsáveis principalmente pela inovação nas áreas de Identidade visual e corporativa, editorial, superfície e estamparia, sinalização, tipografia, material promocional e de divulgação, entre outras. Essa abordagem fundamenta-se em conceitos de Gestão de Projetos e na forma como estes são introduzidos para organização das atividades destes escritórios, bem como para a obtenção de resultados positivos junto aos clientes. A obtenção de dados é realizada através de uma pesquisa em uma amostragem de escritórios da microrregião de Itajaí Estado de Santa Catarina e proporciona a análise da relação entre Gestão do Design e Gestão de Projetos nas atividades destes escritórios. Palavras-chaves: Design; Escritórios de Design Gráfico; Gestão do Design; Gestão de Projetos

2 1 INTRODUÇÃO Atualmente, a dinâmica da economia mundial decorrente da globalização e de aceleradas inovações tecnológicas, tem impulsionado a adoção de estratégias por parte das empresas visando ao aumento da competitividade e inovação. Assim, para manter-se competitiva no mercado, qualquer empresa precisa estar em constante atualização e mantendo uma velocidade acelerada de criação associada a uma gestão sustentável e socialmente responsável. De acordo com Kim e Mauborgne (2005), através da incorporação de estratégias de inovação uma empresa pode, não só buscar espaço no mercado competitivo, como também buscar inovações que lhe permitam abrir um mercado livre de concorrência. Com base neste conceito e na preocupação relacionada às crescentes exigências dos consumidores, as empresas têm se voltado principalmente, à busca pela inovação nos produtos e/ou serviços prestados, onde, de acordo com Bes e Kotler (2011), há um grande consenso entre os empresários e pesquisadores de que é necessário inovar, mas falta difusão sobre como concretizá-la. Neste contexto então, a função do design como fator de diferenciação e de competitividade vem se evidenciando significativamente; a procura por empresas prestadoras de serviços e especializadas em promover a inovação, tem sido cada vez mais significativa. Assim, temos os escritórios de Design, requisitados para elaboração de projetos com diferentes finalidades: criação e/ou aperfeiçoamento de produtos, conceituação e elaboração de identidades visuais, marcas, embalagens, entre outras, visando sempre proporcionar a seus clientes, um critério de destaque frente a este concorrido mercado. Esta importância da aplicação de Design em projetos de empresas de diversos segmentos é enfatizada com o Programa Brasileiro do Design - PBD, criado em 1995 pelo Decreto de 09 de novembro, qual se destina a promover o desenvolvimento do design no Brasil, dado o fato deste país ter forte identidade criativa, apto a desenvolver a marca Brasil no competitivo mercado internacional. O PBD resultou da aglutinação e articulação de subprogramas de abrangência geral e específica, promovendo uma orientação estratégica única e caráter descentralizado, buscando motivar os empresários e engajá-los no alvo principal, que é inserir o binômio design e inovação no sistema produtivo (PBD, 2012). O Design então é forte elemento de competitividade empresarial, em especial para os segmentos pressionados pela concorrência internacional. É um diferencial estratégico visto que possibilita a otimização no uso de matéria-prima, melhoria nas fases de projeto, produção e até 2

3 mesmo no consumo, quando associada sua prática ao desenvolvimento de produtos, assegurando melhores níveis de satisfação do cliente. Sendo assim, principalmente na atuação de escritórios de Design Gráfico, é fundamental o conhecimento pleno de técnicas e processos desenvolvidos para se atingir esses níveis de satisfação. Neste sentido, a investigação desta pesquisa se dará partir deste problema, que discute como o Design é gerenciado e desenvolvido dentro desses escritórios responsáveis por gerir produtos cada vez mais inovadores que atendam as necessidades dos clientes. 2 OBJETIVO Este estudo tem como objetivo principal evidenciar a forma como é elaborado o Processo de Design nos escritórios de Design Gráfico e especificamente, analisar como essa organização ou não do processo influencia nos resultados, de forma que todo o processo executado seja fluente e que todos os envolvidos, tanto interna quanto externamente, sejam beneficiados. 3 GESTÃO DO DESIGN O Design é uma atividade que vem se desenvolvendo e com o passar dos anos, ganha cada vez mais destaque no mercado. Fundamentando na visão de Damazio (2006) a atividade de design é passível de muitas interpretações diferentes entre si, mas todas concordam que o Design pressupõe uma atividade ligada a soluções de necessidades. e para Kotler (2003), o Design fornece um conjunto de ferramentas e conceitos para o desenvolvimento de produtos e serviços de sucesso. Segundo o SEBRAE/SP (2011) a atividade se divide tradicionalmente em áreas, de acordo com sua atuação: 3

4 Área Design Gráfico Design Industrial ou de Produto Design de Interiores Design de Embalagem Design da Informação Web Designer Design de Moda Atividades Identidade visual e corporativa, editorial, superfície e estamparia, sinalização, tipografia, material promocional e de divulgação. Mobiliário, objetos de uso pessoal, utensílios domésticos e de decoração, eletrodomésticos e eletroeletrônicos, iluminação, acessórios de construção civil, transportes, máquinas e ferramentas, produtos médico-hospitalares, etc. Espaços, postos e estações de trabalho, chão de fábrica, pontos de venda, vitrines, feiras e eventos, recepção e áreas de circulação. Rótulos, cartonados e flexíveis - mais relacionados ao Design gráfico; embalagens de consumo e de transporte (frascos, vidros, containers, caixas e pallets) - mais ligadas ao Design de produto. Apresentação, estatísticas, algarismo, códigos ou dados geográficos. Desenvolvimento para Websites, internet. Joias, roupas, bolsas, calçados e acessórios. Tabela 01: Áreas de atuação do Design Fonte: Adaptado de Martins e Merino (2011) e SEBRAE/SP (2011). Com o passar dos anos, além de o reconhecimento mais detalhado sobre o Design, as práticas estão ficando mais detalhada, assim a introdução da Gestão do Design vem ganhando força em diversas organizações mais abertas à inovação e reconhecedoras de que o Design não pode ser trabalhado de maneira isolada. De acordo com Magalhães (2006), a gestão de design pode ser incorporada à empresa como uma de suas áreas ou ainda pode ser contratada como serviço terceirizado, e ele quando bem gerenciado se constitui numa fonte de vantagens competitivas, uma eficaz metodologia para a inovação de produtos e processos e um fator de rentabilidade econômica em qualquer setor. (DDI, 2005). Esta Gestão do Design pode ser definida em uma organização como a proposição de valores bem definidos que é a estratégia da corporação, seguida por claras definições de visão, missão, objetivos, estratégias e planos de ação que unam a corporação e o negócio. (WALTON, 1998, p.4). Segundo Martins & Merino (2011) Gestão do Design é um conjunto de técnicas de gestão dirigido a maximizar, ao menor custo possível, a competitividade que a empresa obtém pela incorporação e utilização do Design como instrumento de sua estratégia empresarial. 4

5 Na definição do Sebrae/SP (2011) esse termo teve origem em meados da década de 1960 se referindo a forma como projetos de Design deveriam ser gerenciados, acompanhados de fluxogramas, diagramas e métodos sistemáticos, na relação entre um escritório de Design e seus clientes. A partir de então, são introduzidos cada vez mais, critérios da área de Design como, por exemplo: atenção aos detalhes, priorização pela qualidade e foco no usuário, ao campo da Gestão (Administração). Com essa mudança no pensamento corporativo, o Design deixou de ser um setor isolado e passou a atuar de forma multidisciplinar na empresa, enfatizado em conectar a organização (e suas estratégias) à geração de valor e inovação, fatores estes, que devem ser evidenciados ainda mais por se tratar de escritórios de Design. Segundo Phillips (2008), através da gestão de design, o designer participa na construção da visão, estratégia e vantagens competitivas da corporação. Percebendo o valor gerado pela aplicação e ação de conceitos de Design nas organizações, os gestores implantam um processo que engloba este conceito desde o pensamento inicial da empresa. Seragini (2006) reforça que "o Pensamento de Design é o novo modelo de gestão capaz de enfrentar os desafios e a complexidade do mundo atual, não apenas no âmbito dos negócios como também nos temas públicos, como a saúde, a habitação a educação e o lazer". De acordo com Fascioni (2006) e Merino & Martins (2011) e Mozota (2011), a Gestão do Design está dividia em três níveis que se relacionam diretamente. A divisão por níveis de atividades busca facilitar o mecanismo no processo de implantação do Design nas empresas: Níveis de Decisões Gestão Estratégica do Design Gestão Tática ou Comercial do Design Gestão Operacional do Design Níveis de Criação de valor Atuação do Design sobre o ambiente empresarial ou função transformadora de Design. Atuação sobre a empresa ou função coordenadora de Design. Atuação sobre a oferta da organização ou função diferenciadora do Design. Tabela 02: Gestão do Design sobre os três níveis de especialidade Fonte: Adaptado de Fascioni (2006) e Martins & Merino (2011) e Mozota (2011) De modo geral e com base no que afirma Mozota (2011, p ) O design é um processo que nunca termina, e sua gestão é essencial para o sucesso da política de inovação de uma empresa, assim, as empresas que hoje são líderes em seus mercados já identificam que a organização do processo de Design é fundamental para mantê-las competitivas e conforme Best 5

6 (2006, p.28) o gestor de Design é responsável tanto pela coerência e consistência da mensagem de Design na organização quanto por assegurar que ela esteja alinhada à sua estratégia de negócios, neste sentido o sucesso da empresa passa a estar intimamente relacionado à forma como organiza e aplica o seu processo de Design. Com a preocupação voltada à associação de conceitos de Design também na parte de Gestão da empresa, os escritórios geralmente utilizam uma estrutura de trabalho, que serve como um guia para a execução de projetos organizando-os em etapas. Etapa Ação 01 Briefing do Cliente 02 Criação 03 Apresentação de propostas 04 Aprovação 05 Revisão Final 06 Finalização Eletrônica 07 Pré-produção 08 Produção 09 Produto / Serviço Final Tabela 03: Exemplo de estrutura de trabalho utilizada em escritórios de Design Fonte: Adaptado do Escritório MetaDesign, Assim, levando em consideração que criação e desenvolvimento de novos produtos são de competência do designer/escritórios de Design, evidencia-se que estes necessitam de uma atuação mais abrangente e organizada interna e externamente, para tornar o processo ainda mais eficiente. Segundo Brunner e Emery (2010), uma vez que a empresa esteja focada no Design, é preciso que ela mantenha o compromisso de seu padrão de qualidade, pois o cliente torna-se mais exigente, sendo assim, para que estes resultados obtidos pelos escritórios de Design sejam satisfatórios, é fundamental ainda que o processo seja organizado com a aplicação de uma gestão mais específica e relacionada ao processo administrativo da empresa, que envolva a organização dos projetos, processos, etapas, tempo, ferramentas e/ou investimento necessário para a elaboração dos mesmos. 6

7 4 GESTÃO DE PROJETOS A Gestão de Projetos tem sido identificada cada vez mais nas organizações, como uma ferramenta primordial para estruturar, organizar e aprimorar as práticas realizadas, bem como para alinhar projetos a seus objetivos estratégicos. Como fonte principal, alguns autores que abordam o assunto, fundamentam-se no guia de Gestão de Projetos (Project Management Body of Knowledge PMBOK) elaborado pelo Project Management Institute (PMI) órgão internacional que trata do gerenciamento de projetos, criado na Filadélfia, Estados Unidos em 1969 e que define projeto como sendo um esforço temporário empreendido para criar um produto, serviço ou resultado exclusivo (PMBOK, 2013, p.5). Este instituto considera que os projetos podem causar impactos sociais, econômico e ambientais com duração bem maior que o projeto em si. Nesta visão, gerenciar projetos é aplicar conhecimentos, habilidades, ferramentas e técnicas às atividades do projeto, a fim de gerar resultados positivos e alcançar objetivos, ou seja, trazendo para o ambiente dos escritórios de Design Gráfico, a satisfação do cliente. Assim, para analisar como essa Gestão de Projetos associada a Gestão do Design pode gerar resultados positivos ou não, o PMBOK identifica e descreve os princípios e práticas mais aplicadas e aceitas na maioria dos projetos fundamentando-as em 5 grupos de processos e 9 áreas de conhecimento primordiais na gestão de Projeto. Processo de Iniciação: Definição do projeto, identificação das necessidades; Processo de Planejamento: Definição e detalhamento do objetivo do Projeto; Desenvolvimento de planos auxiliares como plano de qualidade, comunicação, riscos, suprimentos e recursos humanos; Processo de Execução: Integração de pessoas e outros recursos para executar o projeto; Processo de Controle: Avaliação e Controle do andamento do projeto; Processo de Encerramento: Formaliza a aceitação do projeto, serviço ou resultado. Quanto às áreas de conhecimento temos: Gerenciamento do Escopo do Projeto: Permite que o projeto inclua todas as atividades necessárias para a obtenção dos resultados esperados; 7

8 Gerenciamento do Tempo do Projeto: Assegura que o projeto seja concluído no prazo previsto; Gerenciamento do Custo do Projeto: Possibilita que o projeto seja concluído dentro do orçamento aprovado; Gerenciamento da Qualidade do Projeto: Controla o projeto para manter níveis de qualidade fundamentais para satisfazer as necessidades para as quais ele foi criado; Gerenciamento dos Recursos Humanos do Projeto: Organiza que todos os recursos humanos envolvidos no projeto, estão alocados de forma correta e eficaz. Gerenciamento de Comunicação do Projeto: Gerencia a questão de coleta, divulgação, armazenamento e distribuição das informações do projeto para todos os envolvidos. Gerenciamento dos Riscos do Projeto: Analisa os riscos relacionados ao desenvolvimento do projeto; Gerenciamento de Aquisições do Projeto: Processos necessários para a aquisição de produtos e serviços a fim de cumprir o escopo do projeto; Gerenciamento da Integração do Projeto: Analisa que vários aspectos do projeto estejam coordenados. Com base nestes conceitos, então, realizando-se a pesquisa buscar-se-á evidenciar nos escritórios de Design Gráfico, de que forma estes são desenvolvidos na rotina de trabalho, e de que forma na presença ou ausência destes, o resultado do projeto é influenciado. 5 METODOLOGIA Este estudo trata-se primeiramente de uma pesquisa exploratória e descritiva. Para Gil (2010) a finalidade da pesquisa exploratória é oferecer um panorama global sobre determinado tema pouco explorado, assim, esta foi elaborada através de procedimentos técnicos como pesquisa bibliográfica e de campo (entrevistas e questionário). Segundo Marconi e Lakatos (2010), a pesquisa 8

9 bibliográfica proporciona a análise de um assunto através de um novo olhar e não a simples reprodução de algo falado ou registrado sobre este tema. Quanto à natureza, está classificada sendo do tipo básica, de acordo com Gil (2010) pois, prevê a análise e conceituação dos procedimentos reunindo estudos com propósito de preencher uma lacuna no conhecimento e não aborda neste primeiro momento, a aplicação destes conceitos reformulados para possíveis experimentos e testes. Quanto à forma de abordagem será predominantemente qualitativa com alguns dados analisados quantitativamente, que visam ao fim da pesquisa, identificar e analisar a forma como são gerenciados os projetos em escritórios de Design. Segundo Vieira (2008), a pesquisa quantitativa busca classificar, ordenar ou medir as variáveis, enquanto a pesquisa qualitativa procura levantar as opiniões, o significado das coisas nas palavras dos participantes da pesquisa. Em função do tempo de aplicação desta pesquisa, considera-se como transversal simples, onde foi retirada uma amostra de entrevistados da população para obtenção das informações uma única vez (MALHOTRA, 2006). Estas entrevistas e a aplicação dos questionários foram realizadas em escritórios de Design Gráfico da microrregião de Itajaí-SC. O levantamento realizado apontou um total de 10 escritórios com atividade reconhecida que possibilitariam a obtenção de dados. Após análise do perfil destes escritórios, atendimentos que realizam, ramo de atuação e quantidade de funcionários, foi realizado contato telefônico onde foram verificadas mais algumas informações principais a respeito da empresa e após, agendamento e visita na sede evidenciando a rotina de trabalho e a forma como gerenciam os trabalhos, aplicando-se também o questionário para coleta de dados. Dos 10 escritórios contatados, em 05 obteve-se retorno do questionário, qual foi encaminhado via após a entrevista inicial realizada no escritório para registro das informações. Este procedimento permite que a empresa preencha o questionário com maior tranquilidade, incluindo mais detalhes e informações que ainda julgar necessário. Para esta coleta de dados primários, utilizou-se de um questionário elaborado com um total de 10 questões baseadas nos principais conceitos do guia PMBOK, visando identificar nos escritórios os procedimentos relacionados à aspectos da gestão de projetos contando com perguntas abertas, permitindo ao informante responder livremente, usando linguagem própria e emitir opiniões (MARCONI e LAKATOS, 2010). Após um pré-teste do questionário e algumas alterações realizadas, o questionário ficou com a estrutura relacionando os conceitos abordados e em qual questão foi aplicado, conforme pode ser evidenciado a seguir: 9

10 Conceitos abordados Escopo / Tempo Escopo / Tempo / Riscos Escopo / Tempo / Qualidade / Custo Tempo / Qualidade Escopo / Comunicação Recursos Humanos Aquisições Integração Questão 1) É feita uma previsão do tempo necessário para a conclusão de um trabalho e esta costuma ser cumprida? 2) O tempo disponível para elaboração do projeto influência diretamente na qualidade do mesmo? Já ocorreu de recusarem algum projeto por indisponibilidade de tempo? 3) Costuma-se definir o resultado a ser alcançado ao término do projeto já no início das atividades? 4) Na elaboração dos projetos já se pensa uma aplicação dos resultados de forma contínua? 5) Todos os projetos são totalmente repensados, sem a utilização de qualquer Padrão (Templates)? 6) Há alguma metodologia que organize as etapas dentro do Processo de Design executado no escritório? 7) No processo de seleção para contratação de funcionários, dentro os principais itens considerados, há por exemplo, exigência de curso de nível superior? 8) Há políticas visando a valorização dos funcionários? 9) Existe algum planejamento de compra ou atualização dos recursos físicos necessários para o desenvolvimento dos projetos? 10) O Planejamento de um projeto é realizado com participação de toda a equipe? Tabela 04: Questionário aplicado nos escritórios de Design Fonte: Desenvolvido pelos autores Após obtenção dos resultados na aplicação destes questionários, algumas análises podem ser realizadas, conforme consta no capítulo seguinte. 10

11 6 ANÁLISE DOS RESULTADOS Inicialmente, para analisar os resultados da melhor forma, buscou-se identificar os perfis destes escritórios onde se realizou a entrevista e efetivamente aplicaram-se os questionários, organizando-os em ordem numérica para preservar a identidade dos mesmos, como pode ser conferido a seguir: Escritório Perfil Com menos de 4 anos de atuação no mercado possui equipe de apenas 3 sócios. Trabalha com projetos gráficos e web e concentra principalmente suas atividades na elaboração de identidades visuais. Formado por 2 sócios, atua exclusivamente na área gráfica e integra profissionais específicos à equipe de acordo com a necessidade do projeto. Composto atualmente por 1 proprietário e 1 Designer Gráfica, que atua no mercado desenvolvendo projetos de identidade corporativa, editoriais e promocionais para empresas dos mais diversos setores e está no mercado há mais de 5 anos. Líder de mercado no segmento, possui uma estrutura completa em equipamentos e equipe multidisciplinar (Designer, Administrador, Publicitário). Desde 1999, atua na área de Design Gráfico, com criação de logotipo, layout de materiais promocionais (folders, placas, fachadas), papelaria (papel carta, cartões de visita, pastas, etc.), websites, com ênfase na identidade visual. É formada por uma equipe enxuta. Tabela 05: Perfil das agências Fonte: Desenvolvido pelos autores Considerando então o perfil de cada escritório, na aplicação da entrevista buscou-se evidenciar questões envolvendo a gestão de projetos para organização no desenvolvimento das atividades de cada escritório. Por se tratar de um questionário com questões abertas, para auxiliar em uma visualização inicial, estas respostas foram tabuladas de acordo com o teor, identificando-se como negativa as respostas contrárias à questão, e positiva as respostas que atendiam ao 11

12 solicitado na questão. Estes resultados servirão de base para uma posterior análise qualitativa das mesmas. Resultados dos questionários e entrevistas Questões Escritório 1 Escritório 2 Escritório 3 Escritório 4 Escritório 5 1 Negativa Positiva Positiva Positiva Negativa 2 Positiva Positiva Positiva Negativa Positiva 3 Positiva Negativa Positiva Negativa Positiva 4 Negativa Positiva Positiva Positiva Positiva 5 Positiva Positiva Positiva Positiva Positiva 6 Positiva Positiva Negativa Positiva Positiva 7 Negativa Positiva Negativa Negativa Positiva 8 Positiva Positiva Negativa Positiva Negativa 9 Negativa Negativa Negativa Positiva Negativa 10 Positiva Positiva Positiva Positiva Positiva Tabela 06: Resultados dos questionários e entrevistas. Fonte: Desenvolvido pelos autores De modo geral, o fundamento mais importante no ramo do Design e também primordial na Gestão de Projetos é atendido em todos os escritórios, ou seja, todos eles atuam com a elaboração de resultados únicos e exclusivos evidenciados no resultado unânime da questão 5. Como visto anteriormente, de acordo com PMBOK (2013), projeto é um empreendimento único que deve ser claramente definido seu início e fim e que conduzido por pessoas possa atingir seus objetivos, respeitando o prazo, custo e qualidade e no contexto da inovação, analisa-se que todos os escritórios atuam com o desenvolvimento de trabalhos visando à diferenciação que segundo Oda (2011), em relação aos concorrentes se dá pela utilização de estratégias que sejam difíceis de serem imitadas. Ainda nesta análise de acordo com o PMBOK (2013), temos na relação prazo, custo e qualidade que a maioria dos escritórios cumpre os prazos acordados junto aos clientes (questão 1), e que o tempo influencia diretamente na qualidade do trabalho entregue (questão 2), ou seja, quanto maior for o tempo disponível para elaboração do projeto, melhor será o resultado obtido, porém o custo também será reajustado em função da maior quantidade de horas trabalhadas, enfim, quanto mais prazo, mais qualidade e maior custo. 12

13 Outra associação importante de ser realizada nos resultados obtidos é que, mesmo que os escritórios não se identifiquem fundamentalmente como adeptos da Gestão de Projetos, os trabalhos elaborados possuem uma organização, caracterizada em alguns por uma metodologia de Projeto e em outros por um roteiro de etapas para a conclusão do projeto. Neste contexto esta gestão vem contribuir com o design permitindo-lhe aplicar ferramentas de decisões, diagnósticos, articulação e coordenação para a eficácia dos projetos, inclusive de diversos projetos inter-relacionados (MARTINS e MERINO, 2011). Em relação principalmente a questão 4, a maioria dos escritórios entrevistados identifica qualquer projeto como algo contínuo, parte de um processo mais complexo que inicia, por exemplo, com a criação de uma peça gráfica específica, e depois se desdobra para a criação de um logotipo da empresa ou até mesmo, toda a identidade visual. Nesta visão, a forma como é conduzida o projeto seria muito interessante, pois se tem o planejamento, execução, conclusão bem definidos e ainda a proposta de novos projetos que podem agregar mais valor para o cliente. Porém um ponto preocupante na análise seria a questão relacionada à qualidade de vida do profissional destes escritórios bem como a profissionalização destes serviços, uma vez que se identifica na maioria dos escritórios, que não é necessário possuírem um curso de nível superior, ou seja, formação específica na área para atuar com Design. Uma dificuldade do mercado até, como evidenciado por Fascioni (2008), em todo o estado de Santa Catarina existem 28 cursos de Design, e destes 14 possuem disciplinas de Gestão de Design. Com certeza o conhecimento obtido ao longo dos anos auxilia muito na qualidade com que são confeccionados os materiais por um profissional, porém, a integração de profissionais não graduados com especialistas na área é um caso para uma análise mais específica e que pode gerar alguns conflitos analisando-se o ambiente organizacional. Na abordagem geral dos escritórios, outro critério de instabilidade na prestação de serviços e que influi diretamente no prazo, é a falta de planejamento de aquisições, atualização de equipamentos, que poderia evitar muitas surpresas no meio de um projeto, que acabam prolongando o prazo para entrega. Por fim, em uma análise individualizada dos escritórios, percebe-se que o tempo de mercado, influencia diretamente nos aspectos de organização do trabalho, planejamento e desenvolvimento dos projetos. Ao longo da atuação, estes identificam que a organização dos processos e visualização de resultados é fundamental para uma melhor gerência do processo e consequentemente, maior diferencial frente ao mercado, sendo percebida pelos clientes. A gestão de design embasa-se em 13

14 projetos e em qualidade, visando contribuir para a mudança do comportamento e da visão corporativa (MOZOTA, 2011, p. 91). 7 CONCLUSÕES Nesta fase conclusiva, apresenta-se uma síntese dos resultados da pesquisa como um resultado satisfatório principalmente em função de todas as dificuldades encontradas com confidencialidade de informações e dados, indisponibilidade de horários, entre outros. Quanto à relação de Gestão do Design e Gestão de Projetos, identificou-se como uma prática fundamental para a organização dos escritórios, uma vez que estrutura toda a questão de prazo, qualidade, custo, entre outros, que influenciam diretamente no resultado do projeto, precisam ser detalhados e necessitam de atenção especial. Através das análises foi possível perceber que os escritórios que não possuem uma organização de seu trabalho, possuem certas dificuldades que influenciam diretamente nos resultados obtidos, na elaboração de orçamentos e comprometem de certa forma, os serviços prestados pelos mesmos. Pretende-se ainda, ampliar esta análise desdobrando o tema de forma mais abrangente e aprofundada em dados mais específicos e detalhados. A prática de Design vem sendo cada vez mais reconhecida no cenário nacional e acredita-se que com pesquisas aplicadas principalmente na área da gestão, o ramo só tende a crescer e se tornar um setor ainda mais representativo, valorizado e importante na economia. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS BES, Fernando Trías de; KOTLER, Philip. A Bíblia da Inovação Princípios fundamentais para levar a cultura da inovação contínua às organizações. São Paulo, Leya, BEST, K. Design Management Managing Design Strategy, Process and Implementation. Switzerland: AVA, BRUNNER, R.; EMERY, S. Gestão Estratégica do Design: Como um ótimo design fará as pessoas amarem sua empresa. São Paulo: M. Books,

15 DDI - Development Dimensions International. Leadership forecast : best practices for tomorrow s global leaders. Disponível em: <http://www.ddiworld.com/thoughtleadership/leadershipforecast.asp>. Acesso em: 25 jul FASCIONI, L. Quem sua empresa pensa que é?. Rio de Janeiro: Ciência Moderna Ltda., p.. Considerações sobre a formação dos gestores de Design no Brasil. In: 8º CONGRESSO BRASILEIRO DE PESQUISA EM DESIGN, 2008, São Paulo. Disponível em: <http://www1.sp.senac.br/hotsites/arquivos_materias/ped2008/ _ped_05_cader no_resumos.pdf >. Acesso em: 21 jan GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6 ed. 3 reimp. São Paulo: Atlas, KIM, W. Chan; MAUBORGNE, Renée. A Estratégia do Oceano Azul. Rio de Janeiro Ed. Campus, KOTLER, P. Marketing de A a Z: 80 conceitos que todo profissional precisa saber. Rio de Janeiro: Elsevier, LAKATOS E.M., MARCONI, M.A. Fundamentos de metodologia científica. 7 ed. São Paulo: Atlas, MALHOTRA, Naresh. Pesquisa de marketing: uma orientação aplicada. Porto Alegre: Bookman, 2006 MARTINS, R. F. F.; MERINO, E. A. D. A Gestão de Design como Estratégia Organizacional. 2. ed. Londrina: EDUEL, METADESIGN. Disponível em: <http://www.metadesign.com.br>. Acesso em: 06 ago MOZOTA, Brigitte Borja de. Gestão de Design: usando o design para construir valor de marca e inovação corporativa. Porto Alegre: Bookman,

16 ODA, Luciana Sayuri. Diagnóstico de Design: definindo indicadores para mensurar a contribuição do design no desempenho empresarial de MPES. Florianopolis: UfSC, v. 01, 05 mar Dissertação. PBD, Programa Brasileiro do Design. Disponível em: <http://www.desenvolvimento.gov.br/sitio/interna/interna.php?area=2&menu=3262>. Acesso em: 10 nov PHILLIPS, P. L. Briefing: A gestão do projeto de design. São Paulo: Editora Blucher, PROJECT MANAGEMENT INSTITUTE. Um Guia do Conjunto de Conhecimentos em Gerenciamento de Projetos (Guia PMBOK ). São Paulo: Editora Project Management Institute, 2013 SANTOS, F. A. N. V. O design como diferencial competitivo. 2. ed. Itajaí: Editora da Univali, SEBRAE. Termo de Referência para atuação em Design. São Paulo: Sebrae, SERAGINI, L. Design: Revolução na Escola e nos Negócios. Exame, São Paulo, 22 mar VIEIRA, S. Como escrever uma tese. 6. ed. São Paulo: Atlas, WALTON, T. Taking a moment to define design management. Design Management Journal. Boston: The Design Management Institute Press, Summer

A GESTÃO DE PROJETOS COMO FERRAMENTA DE PLANEJAMENTO NO DESIGN DE NOVOS PRODUTOS: O CASO DA INDÚSTRIA DE MÓVEIS EM SANTA MARIA-RS 1

A GESTÃO DE PROJETOS COMO FERRAMENTA DE PLANEJAMENTO NO DESIGN DE NOVOS PRODUTOS: O CASO DA INDÚSTRIA DE MÓVEIS EM SANTA MARIA-RS 1 A GESTÃO DE PROJETOS COMO FERRAMENTA DE PLANEJAMENTO NO DESIGN DE NOVOS PRODUTOS: O CASO DA INDÚSTRIA DE MÓVEIS EM SANTA MARIA-RS 1 Mazzini JR., E. G.²; Ferreira, A. R.² 1 Trabalho da linha de pesquisa:

Leia mais

Objetivos da aula. Planejamento, Execução e Controle de Projetos de Software. O que é um plano de projeto? O que é um projeto?

Objetivos da aula. Planejamento, Execução e Controle de Projetos de Software. O que é um plano de projeto? O que é um projeto? Planejamento, Execução e Controle de Projetos de Software. Objetivos da aula 1) Dizer o que é gerenciamento de projetos e a sua importância; 2) Identificar os grupos de processos do gerenciamento de projetos

Leia mais

A importância do design nos negócios

A importância do design nos negócios A importância do design nos negócios SUMÁRIO Apresentação 4 A importância do Design 5 Design de Comunicação 13 A Escada do Design 6 Design Gráfico 14 O processo do Design 7 Logomarca 15 Design & Inovação

Leia mais

LEVANTAMENTO E ANÁLISE DE RETORNO DAS PRINCIPAIS FERRAMENTAS DE MARKETING PROMOCIONAL UTILIZADAS NO MERCADO IMOBILIÁRIO REGIONAL DE BALNEÁRIO CAMBORIÚ

LEVANTAMENTO E ANÁLISE DE RETORNO DAS PRINCIPAIS FERRAMENTAS DE MARKETING PROMOCIONAL UTILIZADAS NO MERCADO IMOBILIÁRIO REGIONAL DE BALNEÁRIO CAMBORIÚ LEVANTAMENTO E ANÁLISE DE RETORNO DAS PRINCIPAIS FERRAMENTAS DE MARKETING PROMOCIONAL UTILIZADAS NO MERCADO IMOBILIÁRIO REGIONAL DE BALNEÁRIO CAMBORIÚ Alexandra Cardoso da Rosa Bittencourt 1 ; Rogério

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO GERENCIAL: UM ESTUDO DE CASO EM UMA PEQUENA EMPRESA DO SETOR AGRONEGÓCIO NO MUNICÍPIO DE BAMBUÍ/MG.

A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO GERENCIAL: UM ESTUDO DE CASO EM UMA PEQUENA EMPRESA DO SETOR AGRONEGÓCIO NO MUNICÍPIO DE BAMBUÍ/MG. Bambuí/MG - 2008 A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO GERENCIAL: UM ESTUDO DE CASO EM UMA PEQUENA EMPRESA DO SETOR AGRONEGÓCIO NO MUNICÍPIO DE BAMBUÍ/MG. Ana Cristina Teixeira AMARAL (1); Wemerton Luis EVANGELISTA

Leia mais

GERENCIAMENTO DE PORTFÓLIO DE PROGRAMAS DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA: UMA PERSPECTIVA PARA A IMPLANTAÇÃO DO ESCRITÓRIO DE PROJETOS

GERENCIAMENTO DE PORTFÓLIO DE PROGRAMAS DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA: UMA PERSPECTIVA PARA A IMPLANTAÇÃO DO ESCRITÓRIO DE PROJETOS GERENCIAMENTO DE PORTFÓLIO DE PROGRAMAS DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA: UMA PERSPECTIVA PARA A IMPLANTAÇÃO DO ESCRITÓRIO DE PROJETOS Luis Fernando Vitorino 1, Moacir José dos Santos 2, Monica Franchi Carniello

Leia mais

Práticas institucionais e seus impactos em estruturas e processos organizacionais

Práticas institucionais e seus impactos em estruturas e processos organizacionais Práticas institucionais e seus impactos em estruturas e processos organizacionais INTRODOUÇÃO Aluna: Marcela Pestana Molinaro Orientadora: Sandra Regina da Rocha Pinto Observa-se que a área de gestão estratégica

Leia mais

Gerenciamento de Projetos

Gerenciamento de Projetos Gerenciamento de Projetos PMI, PMP e PMBOK PMI (Project Management Institute) Estabelecido em 1969 e sediado na Filadélfia, Pensilvânia EUA, o PMI é a principal associação mundial, sem fins lucrativos,

Leia mais

BOAS PRÁTICAS EM GESTÃO DE CONHECIMENTO PARA MELHORAR RESULTADOS DE PROJETOS

BOAS PRÁTICAS EM GESTÃO DE CONHECIMENTO PARA MELHORAR RESULTADOS DE PROJETOS BOAS PRÁTICAS EM GESTÃO DE CONHECIMENTO PARA MELHORAR RESULTADOS DE PROJETOS Marcela Souto Castro (UFF ) idearconsultoria@gmail.com Jose Rodrigues de Farias Filho (UFF ) rodrigues@labceo.uff.br Arnaldo

Leia mais

MBA EM DESIGN ESTRATÉGICO & INOVAÇÃO

MBA EM DESIGN ESTRATÉGICO & INOVAÇÃO MBA EM DESIGN ESTRATÉGICO & INOVAÇÃO O programa prepara você para tornar-se um gestor do design nos ambientes de negócio; oferecendo as habilidades gerenciais necessárias para desenvolver e administrar

Leia mais

GERÊNCIA DE INTEGRAÇÃO DO PROJETO

GERÊNCIA DE INTEGRAÇÃO DO PROJETO GERÊNCIA DE INTEGRAÇÃO DO PROJETO Estevanir Sausen¹, Patricia Mozzaquatro² ¹Acadêmico do Curso de Ciência da Computação ²Professor(a) do Curso de Ciência da Computação Universidade de Cruz Alta (UNICRUZ)

Leia mais

Jose Luciano Virginio da Silva (FAVIP) IVANCIL TIBÚRCIO CAVALCANTI (UFRPE)

Jose Luciano Virginio da Silva (FAVIP) IVANCIL TIBÚRCIO CAVALCANTI (UFRPE) ISSN 1984-9354 OTIMIZAÇÃO DE RESULTADOS MEDIANTE USO CONSULTORIA ORGANIZACIONAL: UM ESTUDO SOBRE A NECESSIDADE DE IMPLANTAÇÃO DE UMA EMPRESA DE ASSESSORIA EM GESTÃO DE RECURSOS ENERGÉTICOS NA CIDADE DE

Leia mais

Projetos (PMO) : Oportunidades de Sinergia

Projetos (PMO) : Oportunidades de Sinergia Escritórios de Processos (BPM Office) e de Projetos (PMO) : Oportunidades de Sinergia Introdução...2 Uniformizando o entendimento dos conceitos... 4 Entendendo as principais similaridades... 5 Entendendo

Leia mais

Gerenciamento de Projetos de TI. Alércio Bressano, MBA

Gerenciamento de Projetos de TI. Alércio Bressano, MBA Gerenciamento de Projetos de TI Alércio Bressano, MBA Os projetos possuem em seu código genético o fracasso! Eles nasceram para dar errado! Nós é que temos a responsabilidade de conduzí-los ao sucesso!

Leia mais

METODOLOGIA HSM Centrada nos participantes com professores com experiência executiva, materiais especialmente desenvolvidos e infraestrutura tecnológica privilegiada. O conteúdo exclusivo dos especialistas

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA MBA EM GESTÃO ESTRATÉGICA DE PROJETOS

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA MBA EM GESTÃO ESTRATÉGICA DE PROJETOS 1 CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA MBA EM GESTÃO ESTRATÉGICA DE PROJETOS OS BENEFÍCIOS DA APLICAÇÃO DAS DIRETRIZES DA GESTÃO DE PROJETOS REUNIDAS NO PMBOK NO PLANEJAMENTO TURÍSTICO DE DESTINOS ALUNA: HELENA PERES

Leia mais

4. PMBOK - Project Management Body Of Knowledge

4. PMBOK - Project Management Body Of Knowledge 58 4. PMBOK - Project Management Body Of Knowledge No Brasil, as metodologias mais difundidas são, além do QL, o método Zopp, o Marco Lógico do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e o Mapp da

Leia mais

APÊNDICE A QUESTIONÁRIO APLICADO AOS GESTORES

APÊNDICE A QUESTIONÁRIO APLICADO AOS GESTORES 202 INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO ALGUNS COMENTÁRIOS ANTES DE INICIAR O PREENCHIMENTO DO QUESTIONÁRIO: a) Os blocos a seguir visam obter as impressões do ENTREVISTADO quanto aos processos de gestão da Policarbonatos,

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO FEEDBACK NO PROCESSO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO REALIZADO NAS ORGANIZAÇÕES DA ZONA DA MATA MINEIRA RESUMO

A IMPORTÂNCIA DO FEEDBACK NO PROCESSO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO REALIZADO NAS ORGANIZAÇÕES DA ZONA DA MATA MINEIRA RESUMO 1 A IMPORTÂNCIA DO FEEDBACK NO PROCESSO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO REALIZADO NAS ORGANIZAÇÕES DA ZONA DA MATA MINEIRA Daniel de Souza Ferreira 1 RESUMO Ferreira, Daniel de Souza. A Impostância do Feedback

Leia mais

Implementação utilizando as melhores práticas em Gestão de Projetos

Implementação utilizando as melhores práticas em Gestão de Projetos Implementação utilizando as melhores práticas em Gestão de Projetos Objetivo dessa aula é mostrar a importância em utilizar uma metodologia de implantação de sistemas baseada nas melhores práticas de mercado

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO GESTÃO DE PROJETOS: UM ESTUDO DE CASO SOBRE A IMPLANTAÇÃO DE UM SOFTWARE PMIS Área de conhecimento

Leia mais

MBA EM DESIGN DE INTERIORES COMERCIAIS

MBA EM DESIGN DE INTERIORES COMERCIAIS MBA EM DESIGN DE INTERIORES COMERCIAIS O programa irá prepará-lo para ser um especialista em Design de Interiores Comerciais na elaboração de projetos comerciais ou de serviços. MBA EM DESIGN DE INTERIORES

Leia mais

INOVAÇÃO COMO FATOR DE FORTALECIMENTO DE MICROEMPRESAS E PEQUENAS EMPRESAS ATRAVÉS DA GESTÃO DE DESIGN

INOVAÇÃO COMO FATOR DE FORTALECIMENTO DE MICROEMPRESAS E PEQUENAS EMPRESAS ATRAVÉS DA GESTÃO DE DESIGN ISSN 1984-9354 INOVAÇÃO COMO FATOR DE FORTALECIMENTO DE MICROEMPRESAS E PEQUENAS EMPRESAS ATRAVÉS DA GESTÃO DE DESIGN Dr. Eugenio Andrés Díaz Merino (UFSC) Camila de Cássia das Dores Ogava (UFSC) Resumo

Leia mais

Gerenciamento de Projetos

Gerenciamento de Projetos Gerenciamento de Projetos Grupo de Consultores em Governança de TI do SISP 20/02/2013 1 Agenda 1. PMI e MGP/SISP 2. Conceitos Básicos - Operações e Projetos - Gerenciamento de Projetos - Escritório de

Leia mais

Gerência de Projetos de Software CMM & PMBOK

Gerência de Projetos de Software CMM & PMBOK Gerência de Projetos de Software CMM & PMBOK http://www.sei.cmu.edu/ Prefácio do CMM Após várias décadas de promessas não cumpridas sobre ganhos de produtividade e qualidade na aplicação de novas metodologias

Leia mais

Resultados alcançados com a Ferramenta Channel em implementação de sucesso da Gerência de Projetos no nível G de maturidade do MR-MPS

Resultados alcançados com a Ferramenta Channel em implementação de sucesso da Gerência de Projetos no nível G de maturidade do MR-MPS Resultados alcançados com a Ferramenta Channel em implementação de sucesso da Gerência de Projetos no nível G de maturidade do MR-MPS Mauricio Fiorese 1, Alessandra Zoucas 2 e Marcello Thiry 2 1 JExperts

Leia mais

TECNOLOGIA E SISTEMAS DE INFORMAÇÃO UM ESTUDO DE CASO NA EMPRESA POSTO DOURADÃO LTDA RESUMO

TECNOLOGIA E SISTEMAS DE INFORMAÇÃO UM ESTUDO DE CASO NA EMPRESA POSTO DOURADÃO LTDA RESUMO TECNOLOGIA E SISTEMAS DE INFORMAÇÃO UM ESTUDO DE CASO NA EMPRESA POSTO DOURADÃO LTDA Hewerton Luis P. Santiago 1 Matheus Rabelo Costa 2 RESUMO Com o constante avanço tecnológico que vem ocorrendo nessa

Leia mais

PMBOK 4ª Edição I. Introdução

PMBOK 4ª Edição I. Introdução PMBOK 4ª Edição I Introdução 1 PMBOK 4ª Edição Um Guia do Conhecimento em Gerenciamento de Projetos Seção I A estrutura do gerenciamento de projetos 2 O que é o PMBOK? ( Project Management Body of Knowledge

Leia mais

Aula Nº 10 Planejamento da Comunicação

Aula Nº 10 Planejamento da Comunicação Aula Nº 10 Planejamento da Comunicação Objetivos da Aula: Os objetivos desta aula visam analisar as necessidades de informação para se manter os stakeholders internos e externos bem como a equipe de projetos

Leia mais

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE NEGÓCIOS

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE NEGÓCIOS ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE NEGÓCIOS O plano de negócios deverá conter: 1. Resumo Executivo 2. O Produto/Serviço 3. O Mercado 4. Capacidade Empresarial 5. Estratégia de Negócio 6. Plano de marketing

Leia mais

INFORMAÇÕES CONECTADAS

INFORMAÇÕES CONECTADAS INFORMAÇÕES CONECTADAS Soluções de Negócios para o Setor de Serviços Públicos Primavera Project Portfolio Management Solutions ORACLE É A EMPRESA Alcance excelência operacional com fortes soluções de gerenciamento

Leia mais

MBA EM GESTÃO COMERCIAL E INTELIGÊNCIA DE MERCADO

MBA EM GESTÃO COMERCIAL E INTELIGÊNCIA DE MERCADO MBA EM GESTÃO COMERCIAL E INTELIGÊNCIA DE MERCADO O programa irá desenvolver no aluno competências sobre planejamento e força de Vendas, bem como habilidades para liderar, trabalhar em equipe, negociar

Leia mais

08 a 11 de outubro de 2014

08 a 11 de outubro de 2014 COMO ELABORAR UMA PESQUISA DE MERCADO 08 a 11 de outubro de 2014 08 a 11 de outubro de 2014 O QUE É??? A coleta sistemática e o registro, classificação, análise e apresentação objetiva de dados sobre hábitos,

Leia mais

O Gerenciamento de Projetos na abordagem do

O Gerenciamento de Projetos na abordagem do Seminário de Desenvolvimento de Gestores de Programas e Projetos Fórum QPC O Gerenciamento de Projetos na abordagem do PMI - Project Management Institute Marco Antônio Kappel Ribeiro Presidente do PMI-RS

Leia mais

Organização da Aula Gestão de Projetos

Organização da Aula Gestão de Projetos Organização da Aula Gestão de Projetos Aula 6 Profa. Me. Carla Patricia S. Souza Gestão de processos do projeto Integração, comunicações, recursos humanos, escopo, tempo, custos, aquisições, qualidade

Leia mais

Gestão por Processos. Gestão por Processos Gestão por Projetos. Metodologias Aplicadas à Gestão de Processos

Gestão por Processos. Gestão por Processos Gestão por Projetos. Metodologias Aplicadas à Gestão de Processos Gestão por Processos Gestão por Projetos Gestão por Processos Gestão de Processos de Negócio ou Business Process Management (BPM) é um modelo de administração que une gestão de negócios à tecnologia da

Leia mais

Project and Portfolio Management [PPM] Sustainable value creation.

Project and Portfolio Management [PPM] Sustainable value creation. Project and Portfolio Management [PPM] Sustainable value creation. O SoftExpert PPM Suite é a solução mais robusta, funcional e fácil para priorizar, planejar, gerenciar e executar projetos, portfólios

Leia mais

fagury.com.br. PMBoK 2004

fagury.com.br. PMBoK 2004 Este material é distribuído por Thiago Fagury através de uma licença Creative Commons 2.5. É permitido o uso e atribuição para fim nãocomercial. É vedada a criação de obras derivadas sem comunicação prévia

Leia mais

PMI - PMBoK PMI PROJECT MANAGEMENT INSTITUTE. PMBoK PROJECT MANAGEMENT BODY OF KNOWLEDGE

PMI - PMBoK PMI PROJECT MANAGEMENT INSTITUTE. PMBoK PROJECT MANAGEMENT BODY OF KNOWLEDGE PMI - PMBoK PMI PROJECT MANAGEMENT INSTITUTE PMBoK PROJECT MANAGEMENT BODY OF KNOWLEDGE 1 PMI- Project Management Institute Fundado nos Estudos Unidos em 1969; Instituto sem fins lucrativos, dedicado ao

Leia mais

Estar apto a utilizar técnicas, ferramentas e terminologias básicas do gerenciamento de projetos após a realização do curso.

Estar apto a utilizar técnicas, ferramentas e terminologias básicas do gerenciamento de projetos após a realização do curso. Curso sobre Gerenciamento de Projetos Apresentação O Gerenciamento de Projetos evoluiu nos últimos anos, ampliando sua área de atuação dentro das organizações. Nos mais variados campos da administração,

Leia mais

CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PUBLICIDADE E PROPAGANDA

CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PUBLICIDADE E PROPAGANDA 1 CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PUBLICIDADE E PROPAGANDA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS BRUSQUE (SC) 2012 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 INTRODUÇÃO A PUBLICIDADE E PROPAGANDA... 4 02 HISTÓRIA DA ARTE... 4 03 COMUNICAÇÃO

Leia mais

INFORMAÇÃO E VANTAGEM COMPETITIVA EM ORGANIZAÇÃO DE MÓVEIS E ELETROS

INFORMAÇÃO E VANTAGEM COMPETITIVA EM ORGANIZAÇÃO DE MÓVEIS E ELETROS INFORMAÇÃO E VANTAGEM COMPETITIVA EM ORGANIZAÇÃO DE MÓVEIS E ELETROS Elane de Oliveira, UFRN 1 Max Leandro de Araújo Brito, UFRN 2 Marcela Figueira de Saboya Dantas, UFRN 3 Anatália Saraiva Martins Ramos,

Leia mais

Estratégias em Tecnologia da Informação

Estratégias em Tecnologia da Informação Estratégias em Tecnologia da Informação Capítulo 6 Sistemas de Informações Estratégicas Sistemas integrados e sistemas legados Sistemas de Gerenciamento de Banco de Dados Material de apoio 2 Esclarecimentos

Leia mais

MBA em Gestão Estratégica de Marketing e Mercados

MBA em Gestão Estratégica de Marketing e Mercados MBA em Gestão Estratégica de Marketing e Mercados 1-OBJETIVOS OBJETIVO GERAL: Especializar profissionais com diploma do curso superior, que atuem nos setores empresariais, estratégicos, gerenciais e técnicos

Leia mais

MASTER IN PROJECT MANAGEMENT

MASTER IN PROJECT MANAGEMENT MASTER IN PROJECT MANAGEMENT PROJETOS E COMUNICAÇÃO PROF. RICARDO SCHWACH MBA, PMP, COBIT, ITIL Atividade 1 Que modelos em gestão de projetos estão sendo adotados como referência nas organizações? Como

Leia mais

Unidade I FINANÇAS EM PROJETOS DE TI. Prof. Fernando Rodrigues

Unidade I FINANÇAS EM PROJETOS DE TI. Prof. Fernando Rodrigues Unidade I FINANÇAS EM PROJETOS DE TI Prof. Fernando Rodrigues Nas empresas atuais, a Tecnologia de Informação (TI) existe como uma ferramenta utilizada pelas organizações para atingirem seus objetivos.

Leia mais

Participação dos pequenos negócios na economia

Participação dos pequenos negócios na economia Sebraetec Participação dos pequenos negócios na economia Países Participação Empresas (%) Participação Emprego Participação Val. Adic. PIB Itália 99,4 68,50 55,60 Espanha 99 63,20 50,60 Portugal 99,3 65,20

Leia mais

Design Estratégico: Um Estudo de Caso de Uma Empresa do Panifício

Design Estratégico: Um Estudo de Caso de Uma Empresa do Panifício Design Estratégico: Um Estudo de Caso de Uma Empresa do Panifício Cínthia Costa Kulpa (UFRGS) cinthia.kulpa@gmail.com Maurício Bernardes (UFRGS) bernardes@ufrgs.br Resumo: Este trabalho apresenta um estudo

Leia mais

GERÊNCIA DE RISCOS E ESCOPO EM PROJETOS DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE

GERÊNCIA DE RISCOS E ESCOPO EM PROJETOS DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE GERÊNCIA DE RISCOS E ESCOPO EM PROJETOS DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE Viviana Regina Weber 1 Anderson Yanzer Cabral 2 RESUMO O presente artigo tem como objetivo apresentar uma pesquisa, em desenvolvimento,

Leia mais

MBA EM BRANDING (GESTÃO DE MARCAS) APOIO: INFOBRANDING O MAIOR PORTAL DE BRANDING DO BRASIL

MBA EM BRANDING (GESTÃO DE MARCAS) APOIO: INFOBRANDING O MAIOR PORTAL DE BRANDING DO BRASIL MBA EM BRANDING (GESTÃO DE MARCAS) APOIO: INFOBRANDING O MAIOR PORTAL DE BRANDING DO BRASIL O programa irá prepara-lo para especializar-se no desenvolvimento e planejamento da gestão de marcas; capacitando-o

Leia mais

GUIA DE ELABORAÇÃO DE PLANO DE NEGÓCIOS

GUIA DE ELABORAÇÃO DE PLANO DE NEGÓCIOS GUIA DE ELABORAÇÃO DE PLANO DE NEGÓCIOS Sumário 1. APRESENTAÇÃO... 2 2. PLANO DE NEGÓCIOS:... 2 2.1 RESUMO EXECUTIVO... 3 2.2 O PRODUTO/SERVIÇO... 3 2.3 O MERCADO... 3 2.4 CAPACIDADE EMPRESARIAL... 4 2.5

Leia mais

Universidade de Brasília Faculdade de Ciência da Informação Curso de Arquivologia Profa. Lillian Alvares

Universidade de Brasília Faculdade de Ciência da Informação Curso de Arquivologia Profa. Lillian Alvares Universidade de Brasília Faculdade de Ciência da Informação Curso de Arquivologia Profa. Lillian Alvares O Project Management Institute é uma entidade sem fins lucrativos voltada ao Gerenciamento de Projetos.

Leia mais

2. Gerenciamento de projetos

2. Gerenciamento de projetos 2. Gerenciamento de projetos Este capítulo contém conceitos e definições gerais sobre gerenciamento de projetos, assim como as principais características e funções relevantes reconhecidas como úteis em

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE SITES DE COMPRA COLETIVA, POR EMPRESAS DO RAMO ALIMENTÍCIO, COMO ESTRATÉGIA DE MARKETING

UTILIZAÇÃO DE SITES DE COMPRA COLETIVA, POR EMPRESAS DO RAMO ALIMENTÍCIO, COMO ESTRATÉGIA DE MARKETING UTILIZAÇÃO DE SITES DE COMPRA COLETIVA, POR EMPRESAS DO RAMO ALIMENTÍCIO, COMO ESTRATÉGIA DE MARKETING Monique Michelon 1 Lorete Kossowski 2 RESUMO O empreendedorismo no Brasil vive hoje um cenário promissor,

Leia mais

Gerenciamento de Projetos

Gerenciamento de Projetos Gerenciamento de Projetos (ref. capítulos 1 a 3 PMBOK) TC045 Gerenciamento de Projetos Sergio Scheer - scheer@ufpr.br O que é Gerenciamento de Projetos? Aplicação de conhecimentos, habilidades, ferramentas

Leia mais

Manual Básico do Usuário GP-Web Gestão de projetos

Manual Básico do Usuário GP-Web Gestão de projetos Manual Básico do Usuário GP-Web Gestão de projetos Departamento de Planejamento Pró-reitoria de Planejamento e Finanças Universidade Federal de Santa Catarina 1 Sumário O que é um projeto?... 4 O que é

Leia mais

Módulo: Empreendedorismo Gestão de Projetos. Agenda da Teleaula. Vídeo. Logística 28/8/2012

Módulo: Empreendedorismo Gestão de Projetos. Agenda da Teleaula. Vídeo. Logística 28/8/2012 Logística Profª. Paula Emiko Kuwamoto Módulo: Empreendedorismo Gestão de Projetos Agenda da Teleaula Reforçar a importância dos projetos no cenário atual. Apresentar os principais conceitos envolvendo

Leia mais

A PERCEPÇÃO DOS GESTORES EM RELAÇÃO À IMPLANTAÇÃO DO E-LEARNING: UM ESTUDO EM EMPRESAS EM DIFERENTES ESTÁGIOS DE IMPLANTAÇÃO

A PERCEPÇÃO DOS GESTORES EM RELAÇÃO À IMPLANTAÇÃO DO E-LEARNING: UM ESTUDO EM EMPRESAS EM DIFERENTES ESTÁGIOS DE IMPLANTAÇÃO 1 A PERCEPÇÃO DOS GESTORES EM RELAÇÃO À IMPLANTAÇÃO DO E-LEARNING: UM ESTUDO EM EMPRESAS EM DIFERENTES ESTÁGIOS DE IMPLANTAÇÃO Porto Alegre RS Abril 2010 Bianca Smith Pilla Instituto Federal de Educação,

Leia mais

O CRM e a TI como diferencial competitivo

O CRM e a TI como diferencial competitivo O CRM e a TI como diferencial competitivo Nelson Malta Callegari (UTFPR) nelson.estudo@gmail.com Profº Dr. João Luiz Kovaleski (UTFPR) kovaleski@pg.cefetpr.br Profº Dr. Luciano Scandelari (UTFPR) luciano@cefetpr.br

Leia mais

Carlos Henrique Santos da Silva

Carlos Henrique Santos da Silva GOVERNANÇA DE TI Carlos Henrique Santos da Silva Mestre em Informática em Sistemas de Informação UFRJ/IM Certificado em Project Management Professional (PMP) PMI Certificado em IT Services Management ITIL

Leia mais

CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PUBLICIDADE E PROPAGANDA

CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PUBLICIDADE E PROPAGANDA 1 CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PUBLICIDADE E PROPAGANDA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS BRUSQUE (SC) 2012 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 INTRODUÇÃO A PUBLICIDADE E PROPAGANDA... 4 02 HISTÓRIA DA ARTE... 4 03 COMUNICAÇÃO

Leia mais

A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E A GESTÃO DAS ORGANIZAÇÕES. Evolução do TI e Gestão das Organizações Gestão de Projetos Métodos Ágeis

A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E A GESTÃO DAS ORGANIZAÇÕES. Evolução do TI e Gestão das Organizações Gestão de Projetos Métodos Ágeis A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E A GESTÃO DAS ORGANIZAÇÕES Evolução do TI e Gestão das Organizações Gestão de Projetos Métodos Ágeis Vamos nos conhecer e definir as diretrizes de nosso curso??? www.eadistancia.com.br

Leia mais

Aula 4. Introdução ao PMBOK e aos Processos da Gerência de Projetos

Aula 4. Introdução ao PMBOK e aos Processos da Gerência de Projetos Aula 4 Introdução ao PMBOK e aos Processos da Gerência de Projetos Objetivo Visualizar a gerência de projetos como um conjunto de processos encadeados e integrados. Lidar com as interações que podem ser:

Leia mais

EDITAL SENAI SESI DE INOVAÇÃO. Caráter inovador projeto cujo escopo ainda não possui. Complexidade das tecnologias critério de avaliação que

EDITAL SENAI SESI DE INOVAÇÃO. Caráter inovador projeto cujo escopo ainda não possui. Complexidade das tecnologias critério de avaliação que ANEXO II Caráter inovador projeto cujo escopo ainda não possui registro em base de patentes brasileira. Também serão considerados caráter inovador para este Edital os registros de patente de domínio público

Leia mais

F.1 Gerenciamento da integração do projeto

F.1 Gerenciamento da integração do projeto Transcrição do Anexo F do PMBOK 4ª Edição Resumo das Áreas de Conhecimento em Gerenciamento de Projetos F.1 Gerenciamento da integração do projeto O gerenciamento da integração do projeto inclui os processos

Leia mais

Universidade de Pernambuco Escola Politécnica de Pernambuco Engenharia Civil. Planejamento Operacional de Obras. Gerenciamento de Escopo

Universidade de Pernambuco Escola Politécnica de Pernambuco Engenharia Civil. Planejamento Operacional de Obras. Gerenciamento de Escopo Universidade de Pernambuco Escola Politécnica de Pernambuco Engenharia Civil Planejamento Operacional de Obras Gerenciamento de Escopo 1 GERENCIAMENTO DE PROJETOS INTRODUÇÃO PROCESSOS DE GERENCIAMENTO

Leia mais

A IMPORTANCIA DO CUSTEIO NA CADEIA DE SUPRIMENTOS COMO VANTAGEM COMPETITIVA: CASO LOGÍSTICO EM MORRINHOS/CE.

A IMPORTANCIA DO CUSTEIO NA CADEIA DE SUPRIMENTOS COMO VANTAGEM COMPETITIVA: CASO LOGÍSTICO EM MORRINHOS/CE. A IMPORTANCIA DO CUSTEIO NA CADEIA DE SUPRIMENTOS COMO VANTAGEM COMPETITIVA: CASO LOGÍSTICO EM MORRINHOS/CE. Jander Neves 1 Resumo: Este artigo foi realizado na empresa Comercial Alkinda, tendo como objetivo

Leia mais

Autor(es) FELIPE DE CAMPOS MARTINS. Orientador(es) ALEXANDRE TADEU SIMON. Apoio Financeiro PIBITI/CNPQ. 1. Introdução

Autor(es) FELIPE DE CAMPOS MARTINS. Orientador(es) ALEXANDRE TADEU SIMON. Apoio Financeiro PIBITI/CNPQ. 1. Introdução 19 Congresso de Iniciação Científica GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS: APRIMORAMENTO DA METODOLOGIA DE DIAGNOSTICO E PROPOSIÇÃO DE UM MÉTODO PARA IMPLANTAÇÃO BASEADO EM PROCESSOS DE NEGÓCIO Autor(es) FELIPE

Leia mais

CEAG Curso de Especialização em Administração para Graduados EMENTAS DAS DISCIPLINAS E CARGA HORÁRIA

CEAG Curso de Especialização em Administração para Graduados EMENTAS DAS DISCIPLINAS E CARGA HORÁRIA CEAG Curso de Especialização em Administração para Graduados EMENTAS DAS DISCIPLINAS E CARGA HORÁRIA Habilidades Computacionais 32 h/a Oferece ao administrador uma visão sobre as potencialidades da tecnologia

Leia mais

O Gerenciamento Organizacional de Projetos (GOP) pode ser descrito como uma estrutura de execução da estratégia coorporativa, com objetivo de

O Gerenciamento Organizacional de Projetos (GOP) pode ser descrito como uma estrutura de execução da estratégia coorporativa, com objetivo de Aula 02 1 2 O Gerenciamento Organizacional de Projetos (GOP) pode ser descrito como uma estrutura de execução da estratégia coorporativa, com objetivo de alcançar melhor desempenho, melhores resultados

Leia mais

Gestão da Qualidade em Projetos

Gestão da Qualidade em Projetos Gestão da Qualidade em Projetos As Fases do Ciclo de Vida do Projeto Fases O número de fases em um projeto é função de sua natureza, podendo variar entre quatro e nove fases características. Porém, para

Leia mais

Ementários. Disciplina: Gestão Estratégica

Ementários. Disciplina: Gestão Estratégica Ementários Disciplina: Gestão Estratégica Ementa: Os níveis e tipos de estratégias e sua formulação. O planejamento estratégico e a competitividade empresarial. Métodos de análise estratégica do ambiente

Leia mais

CARTILHA DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS

CARTILHA DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS CARTILHA DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS 1ª edição - 2015 ÍNDICE INTRODUÇÃO...03 O QUE É UM PROJETO?...04 O QUE É UM PROGRAMA?...07 ESTUDOS E PROJETOS...08 O QUE É O GERENCIAMENTO DE PROJETOS...09 QUEM É

Leia mais

GERENCIAMENTO DE PROJETOS

GERENCIAMENTO DE PROJETOS GESTÃO DE PROJETOS PROCESSOS DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS Os cinco grupos de processos de gerenciamento de projetos são: Iniciação Planejamento Execução Monitoramento e Controle Encerramento Segundo o

Leia mais

O design nos serviços

O design nos serviços O design nos serviços SUMÁRIO O que é Serviço Alguns segmentos do Serviço Design no Turismo Design na Economia criativa Design na Economia digital Design nas Startups Design na Limpeza Design no Transporte

Leia mais

BENEFÍCIOS DO GERENCIAMENTO DE PROJETOS. Por Maria Luiza Panchihak

BENEFÍCIOS DO GERENCIAMENTO DE PROJETOS. Por Maria Luiza Panchihak BENEFÍCIOS DO GERENCIAMENTO DE PROJETOS Por Maria Luiza Panchihak Este artigo apresenta os benefícios do gerenciamento de projetos e mostra a importância desse processo, dentro de uma organização, para

Leia mais

Aula 7 Mapeamento de processos e Questionário de Diagnóstico Organizacional (QDO)

Aula 7 Mapeamento de processos e Questionário de Diagnóstico Organizacional (QDO) Aula 7 Mapeamento de processos e Questionário de Diagnóstico Organizacional (QDO) Profa. Ms. Daniela Cartoni daniela.cartoni@veris.edu.br QUESTIONÁRIO DE DIAGNÓSTICO ORGANIZACIONAL (QDO) QUESTIONÁRIO DE

Leia mais

Combinando a norma ISO 10006 e o guia PMBOK para garantir sucesso em projetos

Combinando a norma ISO 10006 e o guia PMBOK para garantir sucesso em projetos Combinando a norma ISO 10006 e o guia PMBOK para garantir sucesso em projetos Combining the ISO 10006 and PMBOK to ensure successful projects 1 Por Michael Stanleigh Tradução e adaptação para fins didáticos

Leia mais

UNIÃO DE ENSINO SUPERIOR DE CAMPINA GRANDE FACULDADE DE CAMPINA GRANDE-FAC-CG

UNIÃO DE ENSINO SUPERIOR DE CAMPINA GRANDE FACULDADE DE CAMPINA GRANDE-FAC-CG UNIÃO DE ENSINO SUPERIOR DE CAMPINA GRANDE FACULDADE DE CAMPINA GRANDE-FAC-CG CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING MÓDULO I 304101 FUNDAMENTOS DE MARKETING Fundamentos do Marketing. Processo de Marketing.

Leia mais

ESTRUTURAÇÃO DOS PROCESSOS DE COMUNICAÇÃO EM PROJETOS, PROGRAMAS E PORTFÓLIOS CONSULTORIA

ESTRUTURAÇÃO DOS PROCESSOS DE COMUNICAÇÃO EM PROJETOS, PROGRAMAS E PORTFÓLIOS CONSULTORIA ESTRUTURAÇÃO DOS PROCESSOS DE COMUNICAÇÃO EM PROJETOS, PROGRAMAS E PORTFÓLIOS CONSULTORIA SOBRE A CONSULTORIA Assegure melhores resultados em seus projetos com uma estrutura de comunicação simples, efetiva,

Leia mais

Guia de Boas Práticas para a elaboração de uma Concorrência

Guia de Boas Práticas para a elaboração de uma Concorrência Guia de Boas Práticas para a elaboração de uma Concorrência Comitê de Agências Gestão 2008 ÍNDICE OBJETIVO DO DOCUMENTO... 3 DEFINIÇÕES... 4 PONTOS PARA A ELABORAÇÃO DE UMA CONCORRÊNCIA... 5 RFI: Quando

Leia mais

Introdução a Gestão de Projetos e Pequenos Negócios: introdução a pequena empresa Prof. MSc Hugo Vieira L. Souza

Introdução a Gestão de Projetos e Pequenos Negócios: introdução a pequena empresa Prof. MSc Hugo Vieira L. Souza Introdução a Gestão de Projetos e Pequenos Negócios: introdução a pequena empresa Prof. MSc Hugo Vieira L. Souza Este documento está sujeito a copyright. Todos os direitos estão reservados para o todo

Leia mais

DISCIPLINAS TEORIA DAS ORGANIZAÇÕES:

DISCIPLINAS TEORIA DAS ORGANIZAÇÕES: DISCIPLINAS TEORIA DAS ORGANIZAÇÕES: A Teoria das Organizações em seu contexto histórico. Conceitos fundamentais. Abordagens contemporâneas da teoria e temas emergentes. Balanço crítico. Fornecer aos mestrandos

Leia mais

Diferenciais do ERP TECNICON: Um caso da área de manufatura

Diferenciais do ERP TECNICON: Um caso da área de manufatura Diferenciais do ERP TECNICON: Um caso da área de manufatura Juliano Hammes (FAHOR) jh000697@fahor.com.br Gustavo Gerlach (FAHOR) gg000675@fahor.com.br Édio Polacinski (FAHOR) edio.pk@gmail.com.br Resumo

Leia mais

GESTÃO DE DESIGN PARA O DESENVOLVIMENTO DE NOVOS PRODUTOS

GESTÃO DE DESIGN PARA O DESENVOLVIMENTO DE NOVOS PRODUTOS GESTÃO DE DESIGN PARA O DESENVOLVIMENTO DE NOVOS PRODUTOS Diogo de Hercule Analista de Negócios em Design SENAI Edson Augusto Lopes Analista de Negócios - SENAI Atualmente, as indústrias de móveis e estofados

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA GOIANO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA GOIANO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA GOIANO PROJETO DE PESQUISA-ETENSÃO MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DO MUNICÍPIO DE

Leia mais

CRM (CUSTOMER RELATIONSHIP MANAGEMENT) E A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (TI)

CRM (CUSTOMER RELATIONSHIP MANAGEMENT) E A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (TI) CRM (CUSTOMER RELATIONSHIP MANAGEMENT) E A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (TI) Nelson Malta Callegari (UTFPR) nelson.estudo@gmail.com Profº Dr. João Luiz Kovaleski (UTFPR) kovaleski@pg.cefetpr,br Profº Dr. Luciano

Leia mais

Capítulo 1. Introdução ao Gerenciamento de Projetos

Capítulo 1. Introdução ao Gerenciamento de Projetos Capítulo 1 Introdução ao Gerenciamento de Projetos 2 1.1 DEFINIÇÃO DE PROJETOS O projeto é entendido como um conjunto de ações, executadas de forma coordenada por uma organização transitória, ao qual são

Leia mais

Análise de Processos do PMBOK em uma Fábrica de Software Um Estudo de Caso

Análise de Processos do PMBOK em uma Fábrica de Software Um Estudo de Caso Análise de Processos do PMBOK em uma Fábrica de Software Um Estudo de Caso Carlos Alberto Rovedder, Gustavo Zanini Kantorski Curso de Sistemas de Informação Universidade Luterana do Brasil (ULBRA) Campus

Leia mais

SISTEMA DE INFORMAÇÕES DE MARKETING

SISTEMA DE INFORMAÇÕES DE MARKETING SISTEMA DE INFORMAÇÕES DE MARKETING DESAFIOS PARA O SÉC. XXI A globalização, que obrigará a empresa a comparar-se com o que há de melhor no mundo. A necessidade de educar, treinar, motivar e liderar talentos.

Leia mais

Conselho Regional de Enfermagem de São Paulo

Conselho Regional de Enfermagem de São Paulo AVISO DE SESSÃO PÚBLICA Nº 001/2015 Processo Administrativo nº 5199/2014 Recebimento de Propostas e Orçamentos para Produção de Pesquisa decorrente da Concorrência Pública nº 001/2012 Serviços de Publicidade

Leia mais

IMPLANTAÇÃO E TREINAMENTO NO SISTEMA DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS ESTUDO DE CASO

IMPLANTAÇÃO E TREINAMENTO NO SISTEMA DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS ESTUDO DE CASO 503 IMPLANTAÇÃO E TREINAMENTO NO SISTEMA DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS ESTUDO DE CASO Christina Garcia(1); Franciane Formighieri(2); Taciana Tonial(3) & Neimar Follmann(4)(1) Acadêmica do 4º Ano do Curso de

Leia mais

Manual de apoio à elaboração de projetos culturais

Manual de apoio à elaboração de projetos culturais Manual de apoio à elaboração de projetos culturais Um projeto tem como objetivo transformar idéias e aspirações em ações concretas que possam aproveitar oportunidades, solucionar problemas, atender a necessidades

Leia mais

Logística de Coleta de Resíduos Provenientes de Varrição do Serviço de Limpeza Urbana da Região Central do Município de Belo Horizonte - MG

Logística de Coleta de Resíduos Provenientes de Varrição do Serviço de Limpeza Urbana da Região Central do Município de Belo Horizonte - MG Logística de Coleta de Resíduos Provenientes de Varrição do Serviço de Limpeza Urbana da Região Central do Município de Belo Horizonte - MG Carlos Cirilo Marcelino ( FEAMIG ) carlosmarcelino1976@yahoo.com.br

Leia mais

CICLO DE VIDA E ORGANIZAÇÃO DO PROJETO

CICLO DE VIDA E ORGANIZAÇÃO DO PROJETO CICLO DE VIDA E ORGANIZAÇÃO DO PROJETO PROJETO CONCEITO DESENVOLVIMENTO PRODUTO + = Todo projeto inicia-se com a necessária clareza sobre seu escopo e os documentos: o termo de abertura a declaração do

Leia mais

ESTÁGIO DE NIVELAMENTO DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS MACROPROCESSO DE GESTÃO DO PORTFÓLIO

ESTÁGIO DE NIVELAMENTO DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS MACROPROCESSO DE GESTÃO DO PORTFÓLIO ESTÁGIO DE NIVELAMENTO DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS MACROPROCESSO DE GESTÃO DO PORTFÓLIO 05.11.2015 SUMÁRIO INTRODUÇÃO DEFINIÇÃO DE PORTFÓLIO CENÁRIO NEGATIVO DOS PORTFÓLIOS NAS ORGANIZAÇÕES GOVERNANÇA

Leia mais

GERENCIAMENTO DE OBRAS

GERENCIAMENTO DE OBRAS GERENCIAMENTO DE OBRAS APRESENTAÇÃO A CGRADIN é uma empresa de consultoria em engenharia especializada em gerenciamento e planejamento de obras, sediada em Salvador e com atuação em todo território nacional.

Leia mais

ASPECTOS GERAIS DE PROJETOS

ASPECTOS GERAIS DE PROJETOS ASPECTOS GERAIS DE PROJETOS O que é PROJETO Um empreendimento com começo e fim definidos, dirigido por pessoas, para cumprir objetivos estabelecidos dentro de parâmetros de custo, tempo e especificações.

Leia mais

A APLICAÇÃO DA GESTÃO DE MUDANÇAS DE ESCOPO E A SUA INFLUÊNCIA NAS RELAÇÕES GERENCIAIS. Marcelo Pereira da Conceição

A APLICAÇÃO DA GESTÃO DE MUDANÇAS DE ESCOPO E A SUA INFLUÊNCIA NAS RELAÇÕES GERENCIAIS. Marcelo Pereira da Conceição A APLICAÇÃO DA GESTÃO DE MUDANÇAS DE ESCOPO E A SUA INFLUÊNCIA NAS RELAÇÕES GERENCIAIS Marcelo Pereira da Conceição Resumo Respostas rápidas as mudanças pode ser uma ação de sobrevivência, este fato leva

Leia mais

Gestão de Contextos Visão Calandra Soluções sobre Gestão da Informação em Contextos White Paper

Gestão de Contextos Visão Calandra Soluções sobre Gestão da Informação em Contextos White Paper Gestão de Contextos Visão Calandra Soluções sobre Gestão da Informação em Contextos White Paper ÍNDICE ÍNDICE...2 RESUMO EXECUTIVO...3 O PROBLEMA...4 ILHAS DE INFORMAÇÃO...4 ESTRUTURA FRAGMENTADA VS. ESTRUTURA

Leia mais