PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO"

Transcrição

1 PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO CRICIÚMA / SC ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO: 08 DE JULHO DE 2011 Faculdade SATC 1

2 Carlos Antonio Ferreira Diretor da Faculdade SATC Kelli Savi da Silva Coordenadora Acadêmica Sônia Regina Trichez Orientadora Educacional Cristiane Dias Secretária Acadêmica Jovani Castelan Coordenador do Curso de Design Gráfico Faculdade SATC 2

3 SUMÁRIO 1 APRESENTAÇÃO Mantenedora Histórico da Instituição A Instituição Hoje Princípios norteadores da instituição Faculdade SATC Bases Legais BREVE HISTÓRICO DO DESIGN concepção do curso Base Legal Oferta do Curso Duração do Curso Objetivos do Curso Contexto Regional e Inserção na Comunidade Formas de Ingresso Perfil do Egresso Articulação do PPC com PPI/PDI ESTRUTURA CURRICULAR Organização Pedagógica dos Semestres Descrição dos Projetos Gráficos ESTRUTURAÇÃO INTERDISCIPLINAR FLUXOGRAMA DE INTEGRALIZAÇÃO CURRICULAR Observações sobre a integralização curricular: EMENTÁRIO E BIBLIOGRAFIA ORGANIZAÇÃO DIDÁTICO PEDAGÓGICA DO CURSO Coordenação Composição e funcionamento do colegiado de curso ou equivalente Atividades complementares Flexibilização curricular Trabalho de Conclusão de Curso - TCC Estágio Extra-curricular Faculdade SATC 3

4 8.7 Interdisciplinaridade AVALIAÇÃO Formas de avaliação do ensino/aprendizagem Avaliação institucional INFRAESTRUTURA Infraestrutura geral Infra-estrutura específica Biblioteca REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS Faculdade SATC 4

5 1 APRESENTAÇÃO O presente documento procura fornecer todas as informações de ordem acadêmica demonstrando a concepção e as estratégias a serem implantadas para tornar o Curso de Graduação uma ação de qualidade da Faculdade SATC. O Projeto Pedagógico do Curso (PPC) Superior em Design Design Gráfico, expressa os principais parâmetros para a ação educativa, fundamentando, juntamente com o Projeto Pedagógico Institucional (PPI), a gestão acadêmica, pedagógica e administrativa do Curso. O PPC de graduação está sintonizado com uma nova visão de mundo, relacionando-se ao novo paradigma de sociedade e de educação, a fim de garantir a formação global e crítica dos acadêmicos envolvidos no processo. O documento está em permanente construção, sendo elaborado, reelaborado, implementado e avaliado constantemente. Tem como missão incentivar a participação de toda a comunidade acadêmica na construção de uma mentalidade democrática, estável e formal, visando à elaboração de um projeto que normatize a realidade da área do Curso. 1.1 Mantenedora A Associação Beneficente da Indústria Carbonífera de Santa Catarina - SATC, mantenedora da Faculdade SATC, é uma entidade jurídica de direito privado, sem fins econômicos e filantrópicos. Instituída originalmente com o nome de Sociedade de Assistência aos Trabalhadores do Carvão SATC foi fundada em 02 de maio de 1959 por iniciativa da Indústria de Extração de Carvão Mineral da Região Carbonífera de Santa Catarina. Em 28 de dezembro de 2003, a SATC teve seu Estatuto reformulado para atender as exigências do Novo Código Civil Brasileiro e do Conselho Nacional de Serviço Social CNAS, para continuar usufruindo do título de entidade beneficente, principalmente no que se refere à razão social que exige que a entidade deva ter caráter de Associação (art. 53), pois segundo o referido Código as sociedades são constituídas para fins econômicos (art. 98), o que não é e nunca foi à finalidade da SATC. Faculdade SATC 5

6 Assim, pelo novo Estatuto a nova razão social da entidade passou a ser: ASSOCIAÇÃO BENEFICENTE DA INDÚSTRIA CARBONÍFERA DE SANTA CATARINA (SATC). 1.2 Histórico da Instituição Na década de 50, Criciúma, cidade tipicamente operária, debatia-se com o angustiante problema político social. A situação era grave, principalmente nos meios operários das minas de carvão, pois faltava conscientização e mão-de-obra qualificada, o que comprometia a qualidade de vida e bem estar das pessoas da região. As empresas produtoras de carvão, sem o necessário apoio do governo, que se limitava a fixar cotas de produção e mercado consumidor, sentiam-se impotentes, podendo oferecer pouco, no sentido de evitar ou ao menos contornar os graves problemas sociais advindos da instabilidade. Preocupados com esta situação, os produtores de carvão realizaram um esforço mútuo para amenizar a realidade atual e criaram um espaço para preparar melhor a mão-de-obra da região, pois acreditavam que assim provocariam mudanças significativas no quadro social do momento. Assim, no dia 02 de maio de 1959, por iniciativa da Indústria Carbonífera de Santa Catarina, foi criada a SATC, Sociedade de Assistência aos Trabalhadores do Carvão, focada na preparação de mão-de-obra qualificada e especializada, bem como na assistência social. Em 10 de abril de 1963 inaugurava a Escola Industrial, em parceria com o SENAI, iniciando com cursos de aprendizagem industrial. Após cinco anos, iniciaram-se os cursos técnicos, que até hoje suprem as necessidades do mercado por estes profissionais, em todo Estado de Santa Catarina e também no país. Nos dias atuais a SATC, agora chamada de Associação Beneficente da Indústria Carbonífera de Santa Catarina, entidade sem fins lucrativos, filantrópica e pertencente ao segmento comunitário, é um braço social da atividade carbonífera, pois o campus de educação e tecnologia da instituição é mantido via contribuição de cerca de um por cento do faturamento das empresas carboníferas da região (3,3 milhões de Reais em 2008), além das mensalidades pagas pelos alunos. Tem por finalidade prestar assistência técnica, educacional, entre outras, para a comunidade Faculdade SATC 6

7 em geral. Paralelamente, a SATC presta assistência técnica e educacional a entidades carentes, reforçando seu caráter de assistência social. 1.3 A Instituição Hoje Desde 1959 a instituição já passou por várias revitalizações. Em 2008, atendendo a uma solicitação de mercado, constituiu um novo organograma, que contempla duas grandes áreas: A SATCEDU e a SATCTEC. Fazem parte da SATCEDU: - Escola Educacional Técnica Satc EDUTEC: oferece educação básica do ensino fundamental ao médio e educação profissional técnica de nível médio e pós-técnico, por meio dos cursos de Informática Industrial, Eletromecânica, Eletrotécnica, Meio Ambiente, Secretariado, Design, Cerâmica Artística Artesanal, Eletrônica, Mineração, Mecânica, Projetos Mecânicos, Plástico, Metalurgia e Gestão Empreendedora, Segurança do Trabalho, Química, Automobilística e pós-técnico em Usinagem. Mais de quatro mil alunos fazem parte da Edutec. - Extensão Satc: contempla Educação Executiva, esta tem como objetivo promover estratégias e ações de educação empresarial e corporativas voltadas para o aumento da competitividade do setor empresarial; Capacitação Empresarial, que auxilia as empresas no sentido de aprimorar a qualificação técnica e humana de seus colaboradores, bem como da comunidade, por meio de cursos de qualificação profissional de nível básico nas áreas de Mecânica, Elétrica, Informática, Eletrônica, Gestão Empresarial, Meio Ambiente, Educacional, Comunicação e Expressão, Segurança no Trabalho, Gestão de Pessoas, entre outros; Educação à Distância, Atendendo via internet os mais diversos públicos, oferecendo flexibilidade no horário de estudos, autonomia e ritmo próprio de aprendizado; Desenvolvimento de Ações Comunitárias, como o projeto Satc para Todos, que desde 2005 promove cursos gratuitos em comunidades com vulnerabilidade social da região carbonífera. - Faculdade Satc: atua no ensino superior com cursos de Graduação e Pós-graduação, e tem seu principal enfoque nas áreas tecnológicas. Busca promover uma formação que contemple sintonia entre as questões técnicas e humanas, contribuindo de forma significativa para o cumprimento da missão da SATC por meio do ensino e da pesquisa. São cerca de mil e duzentos acadêmicos que recebem uma Faculdade SATC 7

8 formação completa nos cursos de graduação em Tecnologia em Sistemas de Telecomunicações, Tecnologia em Manutenção Industrial, Tecnologia em Automação Industrial, Engenharia Elétrica, Engenharia Mecânica, Jornalismo e Design Gráfico, além dos cursos de Pós-graduação. Fazem parte da SATCTEC: - Laec, Laqua e Lametro: São laboratórios que possuem a certificação NBR ISO 9001:2000 e oferecem acompanhamento técnico às empresas e instituições. O Laboratório de Metrologia (Lametro) realiza trabalhos de calibração, o Laboratório de Análises e Ensaios de Carvão (Laec) análises e ensaios de carvão e o Laboratório de Análises Químicas e Ambientais (Laqua) análises de águas e efluentes. - Centro Tecnológico de Carvão Limpo (CTCL): O CTCL tem por objetivo atuar na condução do desenvolvimento de pesquisa em tecnologias de utilização sustentável do carvão mineral. O principal foco será o desenvolvimento de tecnologias limpas para a utilização do carvão mineral na geração de energia, visando à atenuação da emissão de gases causadores do chamado efeito estufa. Este Centro conta, ainda, com as áreas de mineração, geologia e meio ambiente especialmente suportando o Programa de Recuperação Ambiental da Bacia Carbonífera do Sul de Santa Catarina. O CTCL procurará desenvolver e utilizar tecnologias que possibilitem a sustentabilidade do meio no qual está inserido e nas áreas em que atua, incluindo a captura e o armazenamento geológico de carbono, que é estratégico para o desenvolvimento do setor carbonífero. A área inicial do CTCL será de 220 mil m², com 12 mil m² de área, em um investimento de cerca de 25 milhões de reais. Sua estrutura física começou a ser construída em O Centro Tecnológico contará com o CEDRIC Centro de Documentação e Rede de Informação do Carvão. Corresponde a um centro de referência em publicações, cujo acervo traz as mais variadas informações sobre os aspectos da atividade carbonífera. O CEDRIC é uma biblioteca que trabalha com três meios de suportes: virtual, digital e físico. Além disso, dispõe de um serviço de resposta técnica,que procura sanar as dúvidas do público. O CTCL será o centro de inteligência de pesquisa e desenvolvimento do setor carbonífero nacional. - Incubadora: A Pré-Incubadora de Base Tecnológica da Satc (PRINTEC- SATC) deve prover ferramentas de apoio institucional a propostas e idéias Faculdade SATC 8

9 promissoras e com viabilidade mercadológica que possam evoluir para futuros negócios e empreendimentos a serem abrigados em incubadoras de empresas. Tem como objetivo apoiar os empreendedores que têm uma idéia,sabem como viabilizála, mas ainda não detêm as condições necessárias para o início imediato do seu empreendimento e necessitam de treinamento e orientação para a elaboração de seu Plano de Negócios. Setores produtivos do plástico, metal-mecânico, elétrico, cerâmico, mineração especificamente de carvão, vestuário, tecnologia de informação, mobiliário e de serviços são as áreas preferenciais de atuação. A missão da Satc é Oportunizar a mobilidade social por meio da educação e tecnologia, contribuindo para a formação de cidadãos e do desenvolvimento sustentável do país. Procurando cumprir os seus objetivos e atuando como entidade comprometida socialmente, a Satc se mantém atenta a todas as transformações e inovações no campo da educação. Dessa forma, busca acompanhar eficientemente o processo cultural e tecnológico, valorizando o ser humano. Prova disso, são as mais de seis mil matrículas que ocorrem a cada ano, comprovando a excelência do ensino oferecido pela Satc. Os alunos carentes, matriculados nos diversos cursos oferecidos, recebem bolsas de estudos e outros auxílios. A entidade oferece ainda atendimento odontológico, técnico de enfermagem, profissional de psicologia e assistência social para todos os alunos e colaboradores.oferece para colaboradores, alunos e pais uma Unidade de Idiomas (UDISATC), proporcionando o ensino da língua inglesa e italiana a baixo custo, complementando a qualificação e sendo um diferencial para a empregabilidade. Todas as ações, principalmente as pedagógicas, procuram conscientizar os estudantes da importância e do compromisso social com a comunidade, compromisso este que a indústria carbonífera assumiu quando criou a Satc. Muitos projetos e iniciativas fazem com que os alunos reflitam sobre valores como comprometimento, ética, cidadania e respeito a natureza. A instituição também possui um setor de Meio Ambiente, vinculado diretamente à direção executiva, voltado à preservação ambiental da região carbonífera de Santa Catarina. Colabora, através de ações, para a melhoria da qualidade de vida das populações, atua no desenvolvimento de tecnologias e processos na área ambiental, produção, distribuição e difusão de produtos de educação ambiental e desenvolvimento de processos e treinamento na área ambiental e de gestão. Faculdade SATC 9

10 Por meio de um Sistema de Gestão Ambiental desenvolvido por este setor, a instituição adotou uma política ambiental e criou ações para controle e gestão dos impactos ambientais, como implantação do Sistema de Tratamento de Efluentes, programa de coleta seletiva e programa de conservação de energia. Diante disso, a Satc recebeu em 2008 a recomendação para a certificação a ISO 14001, tornando-se a primeira instituição de ensino de Santa Catarina e quarta no país a receber esta qualificação. Em qualquer país, a Satc será conhecida como uma instituição que possui credibilidade ambiental, e pode ter acesso facilitado a recursos, seguros e financiamentos. 1.4 Princípios norteadores da instituição Missão Oportunizar a mobilidade social por meio da educação e da tecnologia, contribuindo para a formação de cidadãos e do desenvolvimento sustentável do país. Visão A SATC quer ser referência em educação e tecnologia com Responsabilidade Social até Política da Qualidade Desenvolver uma cultura organizacional baseada no Sistema de Gestão, objetivando a eficácia e melhoria contínua. Atender aos requisitos regulamentares e necessidades dos clientes, aplicáveis à educação básica, profissional e superior, bem como a prestação de serviços. Negócio Educação e Tecnologia Faculdade SATC 10

11 1.5 Faculdade SATC A Faculdade SATC foi criada com a missão de educar para a sociedade contemporânea, que convive com a tecnologia. Possuindo todo um aparato educacional e tecnológico, a Faculdade SATC pretende formar profissionais qualificados, que é a maior exigência e procura das empresas de grande porte. Além disso, o objetivo final é oferecer ao mercado de trabalho verdadeiro agentes de transformação da sociedade industrial atual. O credenciamento da Faculdade SATC deu-se através da Portaria Ministerial nº publicado no Diário Oficial da União em 28 de novembro de Atualmente, são cerca de mil e duzentos acadêmicos que recebem uma formação completa nos cursos de graduação em Tecnologia em Sistemas de Telecomunicações, Tecnologia em Manutenção Industrial, Tecnologia em Automação Industrial, Engenharia Elétrica, Engenharia Mecânica, Jornalismo e Design Gráfico, além dos cursos de Pós-Graduação 1.6 Bases Legais A Faculdade SATC foi credenciada pela Portaria Ministerial publicado no Diário Oficial da União em 28 de novembro de Faculdade SATC 11

12 2 BREVE HISTÓRICO DO DESIGN Ao longo da história da humanidade, a capacidade humana de produzir design se manteve constante, muito embora os meios e métodos para tal tenham sido alterados, simultaneamente às muitas mudanças tecnológicas, organizacionais e culturais (HESKETT, 2008). De acordo com FONTOURA (1997), Nos anos 1950 e 1960, a Escola de Ulm era uma referência no ensino do design na Europa e dela saíram para o mundo conceitos e fundamentos que davam um caráter científico à profissão. A reflexão sistemática sobre os problemas de design; os métodos de análise e de síntese aplicados ao projeto; a fundamentação e a argumentação de propostas projetuais; e os processos de criação, de seleção e escolha de alternativas, passaram a fazer parte do repertório comum da profissão e da formação do designer. No Brasil, durante a década de 50, a atividade de Desenho Industrial Design passou a ser referenciada no país e foi fortemente influenciada pelos modelos curriculares alemães (Bauhaus e Ulm) (...). Os primeiros cursos de Desenho Industrial no país dividiam suas habilitações em duas áreas: Comunicação Visual, que tratava de projetos de linguagem visual e de Desenho Industrial, referindo-se a projetos de objetos. (ALVARES, p. 10). De 1963, ano de fundação da ESDI Escola Superior de Desenho Industrial (Rio de Janeiro), até os dias atuais, também ocorreram muitas mudanças no ensino do Design. De formação generalista, o curso de Design da ESDI se tornou um centro produtor da identidade nacional dos produtos e dos meios de comunicação visual e de legitimar a profissão de designer. Na conjuntura atual, percebe-se uma fragmentação das atividades do design e, por conseqüência, a criação de cursos com as mais variadas habilitações. Foram estabelecidas as diretrizes curriculares nacionais e debate-se, com freqüência, a regulamentação da profissão. De acordo com ALVARES (2004, p.11), em julho de 1988, durante a realização do V ENDI - Encontro Nacional de Desenhistas Industriais foi aprovada a adoção Faculdade SATC 12

13 nacional do termo Design para a profissão/atividade; e as áreas de atuação seriam explicitadas com a precedência do termo Design (Design gráfico, Design têxtil, Design de produtos, etc), visando seu melhor entendimento. O termo Designer foi adotado, para designar o profissional da atividade. Faculdade SATC 13

14 3 CONCEPÇÃO DO CURSO O Curso de Design da Faculdade SATC foi idealizado inicialmente no potencial econômico e industrial dos municípios da região carbonífera, considerando-se, sobretudo, as atividades relacionadas às artes gráficas em geral. Também se pensou no aprimoramento e re-qualificação dos profissionais ligados ao setor de criação e desenvolvimento de projetos gráficos, já que em sua grande maioria têm formação de nível técnico e ressentem-se de um curso de graduação que os coloque no mesmo patamar que outras profissões já ostentam há algum tempo. A elaboração do Projeto Pedagógico do Curso (PPC) teve como matriz as Diretrizes Curriculares Nacionais (DCNs) aprovadas pelo Ministério da Educação, em consonância com as diretrizes oficiais da Faculdade SATC expressas no Projeto Pedagógico Institucional (PPI), no Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI), no Regimento Geral e nas Normas Gerais da Graduação. A organização didático-pedagógica tem por finalidade reger os processos didáticos e pedagógicos desenvolvidos no curso de Design - de acordo com PPI e o PDI. Atividades estas, voltadas para o planejamento das atividades docentes, pensamentos estratégicos, seleção de conteúdos relevantes e atuais, atividades acadêmicas articuladas à formação e ENADE, bem como a operacionalização de metodologias participativas que priorizem a socialização de experiências, a pesquisa e a troca de saberes,utilizando se de novas tecnologias, sem perder de vista a dimensão coletiva do aprender. No mundo contemporâneo, a nova ordem econômica, as alterações na relação trabalho-capital, a modernização dos sistemas produtivos, o volume crescente e disponível de conhecimentos científicos e tecnológicos, as novas concepções de administração das organizações, a facilidade de acesso às informações, a eliminação das barreiras entre mercados, entre outros aspectos, constituem-se, fatores determinantes no redimensionamento das exigências do consumidor de bens e de serviços e, ao mesmo tempo, no redimensionamento dos níveis de competitividade entre aqueles que os produzem. A velocidade das transformações em todo o mundo e a expansão do conhecimento nas últimas décadas vem impondo às instituições de ensino o desafio de preparar as novas gerações para atuar numa sociedade globalizada e em Faculdade SATC 14

15 constante processo de mudanças. Neste contexto, novos desafios se colocam frente às instituições de ensino, e para adaptarem-se a esse futuro, as instituições precisam permanentemente, atualizar seus currículos, conciliando o melhor de sua experiência com inovações fundamentadas nas exigências das oportunidades do mercado de trabalho. Tal realidade exige a construção de conhecimento e profissionais competentes, teorizados, criativos e críticos para fazer frente ao impacto do avanço tecnológico, da mudança de postura social, das reestruturações, das relações proporcionadas pela globalização A atualidade da história da educação superior, se traduz em tarefa de alto grau de complexidade, em formulação de um Projeto Pedagógico de Curso,que proporcione conhecimentos significativos, que garanta a presença dos valores humanísticos e das relações inter-pessoais, e possibilite desenvolver os preceitos do empreendedorismo. Assim, o PPC do Curso de Design da Faculdade SATC, visando uma proposição de práxis com vistas à melhoria na qualidade do processo ensino e aprendizagem, procurou basear-se numa concepção que fundamenta-se no método e princípios teórico-dialéticos, possibilitando a formação de um profissional capaz de construir ao longo de sua vida conhecimentos que proporcionem mudanças significativas em relação ao mundo, com criticidade. O projeto de um curso é uma das oportunidades de mudar e transformar a realidade existente, dar mobilidade social através da educação e da tecnologia aos discentes, é uma chance única de contribuir para a formação de cidadãos e colaborar com o desenvolvimento sustentável do país em oposição a ações imobilistas e hegemônicas. O Curso Superior de Design, concebido á luz das mudanças tecnológicas e sociais, está sendo construído a partir das reflexões produzidas da prática, sendo portanto, flexível e aberto; numa concepção dialógica em que alunos, comunidade e equipe docente discutem resultados e consensos e, dessa forma, democrático. Sendo a Educação o principal negócio da instituição mantenedora e considerando o aspecto de inserção, formação profissional e mobilidade social presente em sua missão, o Curso de Design é mais uma oportunidade, dentre os Faculdade SATC 15

16 tantos cursos já oferecidos, de desenvolver habilidades e competências específicas que transformarão o estudante em um profissional com bagagem técnica, gerencial, ética e artística, dando condições de desenvolver com eficiência sua atividade profissional. Por outro lado, é um curso inédito para a Faculdade SATC, já que o Design tem uma essência bastante diversa dos Cursos de Tecnologia e de Engenharia já implementados. Todavia, diferente do que muitos podem achar o Design não é regado apenas por idéias criativas e apelos artísticos. Sua estrutura curricular baseiase em um design responsável, considerando custos de produção, processos produtivos, comercialização e eficiência dos produtos e sistemas de comunicação visual. Ainda sob outro ponto de vista, o Curso de Design pode fazer com que muitos estudantes interessados em aprimorar seu conhecimento, não tenham que reprogramar suas vidas, tendo que estudar em outras cidades e estados, como Florianópolis, Paraná ou Rio Grande do Sul, onde o Curso de Design e suas habilitações já se encontram em funcionamento. 3.1 Base Legal Resolução CNE/CES Nº 5, de 08 de março de 2004 (Diretrizes Curriculares Nacionais). 3.2 Oferta do Curso Denominação: CURSO SUPERIOR EM DESIGN - HABILITAÇÃO DESIGN GRÁFICO Dados do responsável pela elaboração do Projeto: Jovani Castelan (coordenador do curso) Faculdade SATC 16

17 Regime de Matricula: Crédito Periodicidade letiva: Semestral Total de vagas semestrais: 40 Turno de funcionamento: Noturno, com possíveis aulas aos sábados, a título de complementação de estudos e carga horária. Carga horária: horas. Carga horária incluindo as disciplinas: Atividades Complementares I e II (30h cada) + disciplina de Libras (30): horas Coordenador do curso: Jovani Castelan, Dr. Eng. 3.3 Duração do Curso O tempo mínimo de duração do curso será de 4 anos (08 semestres) e no máximo, 08 anos (16 semestres), totalizando 160 créditos e horas. Neste total, estão inseridas 120 horas correspondentes ao período de Trabalho de Conclusão de Curso. O Acadêmico deverá cursar todas as disciplinas do primeiro semestre e, no mínimo, 12 créditos por semestre nas fases seguintes. 3.4 Objetivos do Curso Objetivo Geral: Formar e qualificar profissionais para conceber, desenvolver e supervisionar a execução de projetos de elementos de comunicação visual que contribuam para a agilidade, precisão, beleza e eficiência da informação, considerando aspectos sócio-culturais, econômicos, estéticos, ambientais e ergonômicos. Objetivos Específicos: Faculdade SATC 17

18 o Proporcionar o aprimoramento profissional, em nível de graduação, àqueles que exercem atividades afins ao Design; o Estimular a pesquisa e desenvolvimento de sistemas de comunicação impressos e digitais, beneficiando tanto as empresas quanto seus clientes; o Fomentar a prospecção e formulação de novos nichos de mercado, desenvolvendo o empreendedorismo; o Realizar projetos de cunho social, norteados pela missão da instituição mantenedora. 3.5 Contexto Regional e Inserção na Comunidade Procurando cumprir os seus objetivos e atuando como entidade comprometida socialmente, a SATC se mantém atenta a todas as transformações e inovações no campo da educação. Desta forma, busca acompanhar eficientemente o processo cultural e tecnológico, valorizando o ser humano. Compreendendo que a educação superior cumpre uma função estratégica no desenvolvimento sustentável, a SATC constrói formas efetivas de integração entre os diversos níveis de ensino, pesquisa e extensão, buscando privilegiar projetos e programas de maior impacto acadêmico e social, com repercussão de caráter local, regional, nacional e internacional. Todas as ações, principalmente as pedagógicas, visam conscientizar os estudantes da importância do compromisso social com a comunidade, compromisso este que a indústria carbonífera assumiu quando criou a SATC. Muitos projetos e iniciativas fazem com que os alunos reflitam sobre valores como comprometimento, ética, cidadania e respeito à natureza. A propósito dessa necessária e oportuna inserção da SATC em sua comunidade e em sua economia, pode-se afirmar que a melhor forma de contribuir e de se inserir em sua região, da perspectiva de sua missão, ainda é formar bons profissionais e cidadãos conscientes, portadores de uma cultura aberta à inovação, à Faculdade SATC 18

19 criatividade, à iniciativa, ao espírito crítico, como empregadores ou como empregados. Essa cultura é desejável independentemente das posições ocupadas na estrutura social e econômica. Por essa razão, o caminho da Faculdade SATC é o da educação transformadora, para a tecnologia, para o desenvolvimento de competência gerencial e capacidade empreendedora, para o desenvolvimento do seu potencial, para a formação de quadros qualificados capazes de transformar a cultura e a economia. A Faculdade SATC recebe alunos de praticamente todos os municípios do Sul do Estado. O Sul do Estado de Santa Catarina compreende 43 municípios com uma população estimada em 900 mil habitantes, com cerca de 500 mil em áreas urbanas e divide-se em três microrregiões: Tabela 1 Municípios do Sul do Estado de Santa Catarina AMESC AMUREL AMREC Araranguá Baln. Arroio do Silva Balneário Gaivota Ermo Jacinto Machado Maracajá Meleiro Morro Grande Passo de Torres Praia Grande Santa Rosa do Sul São João do Sul Sombrio Timbé do Sul Turvo Fonte: Armazém Braço do Norte Capivari de Baixo Grão Pará Gravatal Imaruí Imbituba Jaguaruna Laguna Pedras Grandes Rio Fortuna Sangão Santa Rosa de Lima São Ludgero São Martinho Treze de Maio Tubarão Cocal do Sul Criciúma Forquilhinha Içara Lauro Muller Morro da Fumaça Nova Veneza Orleans Siderópolis Treviso Urussanga 3.6 Formas de Ingresso A Faculdade SATC possibilita ao futuro acadêmico escolher a modalidade de ingresso que melhor se encaixa em sua situação. São elas: Faculdade SATC 19

20 - VESTIBULAR: Nesta forma de ingresso o candidato fará uma prova vocacionada, com 45 questões de múltipla escolha e 01 redação. - TRANSFERÊNCIAS: O ingresso ocorre quando os alunos regularmente matriculados são provenientes de curso de graduação de outra instituição de Ensino Superior. Para realizar a transferência, o aluno deve ter cumprido pelo menos uma disciplina no curso de origem, que tenha possibilidade de aproveitamento no curso de destino. A efetivação da transferência também está condicionada às vagas remanescentes. - DISCIPLINAS ISOLADAS: Poderá matricular-se em Disciplina Isolada, interessados que possuem Certificado de conclusão do Ensino Médio ou Técnico, sendo que o ingresso estará condicionado à existência de vaga na disciplina. - PROUNI: É um programa do Ministério da Educação, criado pelo Governo Federal em 2004, que oferece bolsas de estudos em instituições de educação superior privadas, em cursos de graduação e seqüenciais de formação específica, a estudantes brasileiros de baixa renda sem diploma de nível superior. O Curso de Design Gráfico da Faculdade SATC disponibiliza 10% de suas vagas na 1ª. fase a alunos do PROUNI. 3.7 Perfil do Egresso O perfil atual do Designer consiste em um indivíduo que ainda luta pelo reconhecimento formal da profissão e busca espaço e reconhecimento junto ao mercado de trabalho. Isso se deve em parte ao uso banalizado do termo Designer, auto-atribuído até mesmo a pessoas sem qualquer processo de educação formal, tanto a nível técnico como superior. Assim, o designer deve ter conhecimento acerca das leis e novas resoluções que norteiam a profissão, para que possa exercê-la corretamente. O Profissional da área de Design deve ter um aprofundado conhecimento artístico, conhecendo seus movimentos, tendências e o contexto histórico, para poder desenvolver projetos criativos, eficientes e marcantes. Por outro lado, deve também ter compreensão dos materiais e processos industriais de reprodução Faculdade SATC 20

PROJETO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL

PROJETO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL SATC - ASSOCIAÇÃO BENEFICENTE DA INDÚSTRIA CARBONÍFERA DE SANTA CATARINA PROJETO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL CRICIÚMA SC 2008 0 Projeto Pedagógico Institucional Aprovado pelo Conselho Superior em 11 de dezembro

Leia mais

NORMATIZAÇÃO E REGULAÇÃO DOS DOCUMENTOS OFICIAIS DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR LASSALISTA CURSOS DE GRADUAÇÃO

NORMATIZAÇÃO E REGULAÇÃO DOS DOCUMENTOS OFICIAIS DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR LASSALISTA CURSOS DE GRADUAÇÃO NORMATIZAÇÃO E REGULAÇÃO DOS DOCUMENTOS OFICIAIS DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR LASSALISTA CURSOS DE GRADUAÇÃO PROVÍNCIA LA SALLE BRASIL - CHILE APRESENTAÇÃO O Setor de Educação Superior da Província

Leia mais

Design Manual do curso

Design Manual do curso Design Manual do curso Informações gerais INFORMAÇÕES GERAIS Nome: curso de Design, bacharelado Código do currículo: 2130 Nível: curso superior de graduação Início: o curso de Design com habilitação em

Leia mais

CURSO DE DESIGN DE MODA

CURSO DE DESIGN DE MODA 1 CURSO DE MATRIZ CURRICULAR 2016.1 EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS BRUSQUE (SC) Consuni nº. 49/15, 2015 de 7 de outubro de 2015. SUMÁRIO 2 1ª FASE... 4 01 DESENHO DE MODA I... 4 02 HISTÓRIA: ARTE E INDUMENTÁRIA...

Leia mais

REGULAMENTO PARA ATIVIDADES COMPLEMENTARES CURSO DE ENFERMAGEM

REGULAMENTO PARA ATIVIDADES COMPLEMENTARES CURSO DE ENFERMAGEM ENFERMAGEM REGULAMENTO PARA ATIVIDADES COMPLEMENTARES CURSO DE ENFERMAGEM CAPÍTULO I DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES E SUAS FINALIDADES Art. 1º. As atividades complementares, no âmbito do Curso de Enfermagem,

Leia mais

PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL PDI 2009 2013

PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL PDI 2009 2013 SATC - ASSOCIAÇÃO BENEFICENTE DA INDÚSTRIA CARBONÍFERA DE SANTA CATARINA PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL PDI 2009 2013 CRICIÚMA SC 2008 0 APRESENTAÇÃO Na busca por melhorias na organização administrativa

Leia mais

CURSO DE DESIGN DE MODA

CURSO DE DESIGN DE MODA 1 CURSO DE EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2011.1 BRUSQUE (SC) 2013 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 3 01 CRIATIVIDADE... 3 02 HISTÓRIA DA ARTE E DO DESIGN... 3 03 INTRODUÇÃO AO... 3 04 LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTO... 3

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: 4001 Publicidade e Propaganda MISSÃO DO CURSO O curso de Publicidade e Propaganda do Centro Universitário Estácio Radial de São Paulo tem como missão formar

Leia mais

CURSO DE GRADUAÇÃO PRESENCIAL SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

CURSO DE GRADUAÇÃO PRESENCIAL SISTEMAS DE INFORMAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS CURSO DE GRADUAÇÃO PRESENCIAL SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Identificação do Curso Nome do Curso: Sistemas de Informação Titulação: Bacharelado Modalidade de ensino: Presencial

Leia mais

Diretrizes Curriculares Nacionais e com a Legislação Interna, tendo como princípio a compreensão da informática em suas bases epistemológicas de

Diretrizes Curriculares Nacionais e com a Legislação Interna, tendo como princípio a compreensão da informática em suas bases epistemológicas de RESOLUÇÃO Nº 014/2010 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Informática, da Escola Superior de Tecnologia, da Universidade do Estado do Amazonas. O REITOR, EM EXERCÍCIO, DA UNIVERSIDADE

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO/ 2013

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO/ 2013 Curso: Graduação: Habilitação: Regime: Duração: COMUNICAÇÃO SOCIAL BACHARELADO MATRIZ CURRICULAR PUBLICIDADE E PROPAGANDA SERIADO ANUAL - NOTURNO 4 (QUATRO) ANOS LETIVOS Integralização: A) TEMPO TOTAL

Leia mais

Curso de Relações Públicas: 34 anos de tradição, ética e excelência

Curso de Relações Públicas: 34 anos de tradição, ética e excelência Universidade Metodista de São Paulo Faculdade de Jornalismo e Relações Públicas Curso de Relações Públicas: 34 anos de tradição, ética e excelência Fábio França Maria Aparecida Ferrari Maio de 2006 1 Tradição

Leia mais

Projeto Pedagógico do Curso

Projeto Pedagógico do Curso Projeto Pedagógico do Curso Fundamentação Diretrizes curriculares do MEC Diretrizes curriculares da SBC Carta de Princípios da UNICAP Projeto Pedagógico Institucional da UNICAP Diretrizes Curriculares

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO INTRODUÇÃO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO (PPC) Articulação com o Plano de Desenvolvimento Institucional PDI Projeto Político Pedagógico Indissociabilidade entre ensino, pesquisa

Leia mais

a importância de formar profissionais para atuar nos campos de trabalho emergentes na área;

a importância de formar profissionais para atuar nos campos de trabalho emergentes na área; SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Resolução n. 66/ 2012 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Graduação em Computação, Licenciatura

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE GRADUAÇÃO EM DESIGN

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE GRADUAÇÃO EM DESIGN CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE GRADUAÇÃO EM DESIGN Matriz Curricular do Curso de Design Fase Cód. Disciplina Créditos Carga Horária 01

Leia mais

Presidência da República Federativa do Brasil Ministério da Educação Secretaria Executiva Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais

Presidência da República Federativa do Brasil Ministério da Educação Secretaria Executiva Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Presidência da República Federativa do Brasil Ministério da Educação Secretaria Executiva Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP Diretoria de Avaliação da Educação

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N 72/2009 Aprova o Projeto Político-Pedagógico do Curso de Sistemas de Informação, modalidade

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA E ESPORTE. Curso: Licenciatura em Educação Física Projeto Pedagógico

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA E ESPORTE. Curso: Licenciatura em Educação Física Projeto Pedagógico UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA E ESPORTE Curso: Licenciatura em Educação Física Projeto Pedagógico Ingressantes em 2007 Dados: Sigla: Licenciatura em Educação Física Área: Biológicas

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO PUBLICIDADE E PROPAGANDA GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO PUBLICIDADE E PROPAGANDA GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO PUBLICIDADE E PROPAGANDA GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS Cultura Brasileira 1º PERÍODO O fenômeno cultural. Cultura(s) no Brasil. Cultura regional e

Leia mais

OBJETIVOS DO CURSO PERFIL DO EGRESSO

OBJETIVOS DO CURSO PERFIL DO EGRESSO 1 APRESENTAÇÃO Segundo Diretrizes Curriculares Nacionais dos Cursos Tecnologicos conforme RESOLUÇÃO CNE/CP 3, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2002, A educação profissional de nível tecnológico, integrada às diferentes

Leia mais

Curso Tecnólogo em Gestão da Tecnologia da Informação - 2013 -

Curso Tecnólogo em Gestão da Tecnologia da Informação - 2013 - Curso Tecnólogo em Gestão da Tecnologia da Informação - 2013 - O Curso Tecnólogo em Gestão da Tecnologia da Informação é um curso da área de informática e tem seu desenho curricular estruturado por competências

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR. (Eixo Tecnológico: Produção Cultural e Design)

MATRIZ CURRICULAR. (Eixo Tecnológico: Produção Cultural e Design) Curso: Graduação: Regime: Duração: MATRIZ CURRICULAR DESIGN DE MODA (Eixo Tecnológico: Produção Cultural e Design) TECNOLÓGICA SERIADO ANUAL - NOTURNO 3 (TRÊS) ANOS LETIVOS Integralização: A) TEMPO TOTAL

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N 75/2010 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Graduação em Engenharia de do Centro

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR NORTE - RS

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR NORTE - RS UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR NORTE - RS PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO CIÊNCIAS BIOLÓGICAS LICENCIATURA PLENA ESTRATÉGIAS PEDAGÓGICAS O Curso de Ciências Biológicas, através

Leia mais

Ementário do curso de Design de Moda Grade 2011/1

Ementário do curso de Design de Moda Grade 2011/1 1 1 INTRODUÇÃO AO DESIGN DE MODA Terminologias e conceitos da área. Contextualização e processo de moda. Mercado. Ciência e. 2 LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTO Leitura analítica e crítica. Gêneros textuais.

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN DE MODA

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN DE MODA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN DE MODA Nome IES: UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC 1 Curso Superior em Tecnologia em Design de Moda Dados de identificação da Universidade de Cuiabá - UNIC Dirigente

Leia mais

ANEXO AO MODELO DO PLANO DE AULA DO PROCESSO SELETIVO DOCENTE GERAL (PSD-G) 2015.1

ANEXO AO MODELO DO PLANO DE AULA DO PROCESSO SELETIVO DOCENTE GERAL (PSD-G) 2015.1 ANEXO AO MODELO DO PLANO DE AULA DO PROCESSO SELETIVO DOCENTE GERAL (PSD-G) 2015.1 ARQUITETURA E URBANISMO Graduar arquitetos e urbanistas com uma sólida formação humana, técnico-científica e profissional,

Leia mais

RESOLVE: Art. 1 o Aprovar o Projeto Político Pedagógico do Curso de Engenharia Elétrica, modalidade Bacharelado, do Centro de Tecnologia, no Campus I.

RESOLVE: Art. 1 o Aprovar o Projeto Político Pedagógico do Curso de Engenharia Elétrica, modalidade Bacharelado, do Centro de Tecnologia, no Campus I. SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N 23/2008 Aprova o Projeto Político-Pedagógico do Curso de Engenharia Elétrica, do Centro

Leia mais

CURSO DE GRADUAÇÃO TECNOLÓGICA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS. RECONHECIDO conforme PORTARIA nº 295, de 25 de Junho de 2008.

CURSO DE GRADUAÇÃO TECNOLÓGICA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS. RECONHECIDO conforme PORTARIA nº 295, de 25 de Junho de 2008. CURSO DE GRADUAÇÃO TECNOLÓGICA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS RECONHECIDO conforme PORTARIA nº 295, de 25 de Junho de 2008. Título: Tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Turno: Noturno

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO. Concepção do Curso de Administração

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO. Concepção do Curso de Administração CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Concepção do Curso de Administração A organização curricular do curso oferece respostas às exigências impostas pela profissão do administrador, exigindo daqueles que integram a instituição

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: LICENCIATURA EM ARTES VISUAIS MISSÃO DO CURSO O Curso de Licenciatura em Artes Visuais busca formar profissionais habilitados para a produção, a pesquisa

Leia mais

CHECK-LIST PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO

CHECK-LIST PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO CHECK-LIST PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO Com a finalidade de otimizar o processo de elaboração e avaliação dos Projetos Pedagógicos do Cursos (PPC), sugere-se que os itens a seguir sejam

Leia mais

PPI PROJETO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL Política Pedagógica Institucional Faculdade Eniac Ver. 02 (2010 / 2011) APRESENTAÇÃO

PPI PROJETO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL Política Pedagógica Institucional Faculdade Eniac Ver. 02 (2010 / 2011) APRESENTAÇÃO APRESENTAÇÃO O presente documento tem por finalidade apresentar o PPI que é o Projeto Pedagógico Institucional do ENIAC, conjunto das melhores práticas pedagógicas, tecnológicas, administrativas e de gestão

Leia mais

MANUAL DISCENTE 2012

MANUAL DISCENTE 2012 MANUAL DISCENTE 2012 SUMARIO 1. Apresentação da Instituição 02 2. Organização Institucional 03 3. Missão, Visão, Princípios e Valores 04 4. Procedimentos Acadêmicos 05 5. Estágio Supervisionado e Trabalho

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO RESOLUÇÃO Nº09/2011 Aprova a estrutura curricular do Curso de Administração do Centro de

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA PROJETO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL PPI

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA PROJETO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL PPI UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA PROJETO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL PPI ABRIL, 2005 Introdução A Universidade Federal da Bahia ao elaborar o seu Plano de Desenvolvimento Institucional PDI (2004-2008), incluiu

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO ELABORAÇÃO DO PPC INTRODUÇÃO O Projeto Pedagógico de Curso (PPC) deve orientar a ação educativa, filosófica e epistemológica do mesmo, explicitando fundamentos políticos,

Leia mais

Especialização em Marketing Digital - NOVO

Especialização em Marketing Digital - NOVO Especialização em Marketing Digital - NOVO Apresentação Previsão de Início Agosto/2013 Inscrições em Breve - Turma 01 - Campus Stiep O ambiente de negócios tem sido modificado pelas Novas Tecnologias da

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO Fundação Instituída nos termos da Lei 5.152 de 21/10/1966 São Luís Maranhão

UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO Fundação Instituída nos termos da Lei 5.152 de 21/10/1966 São Luís Maranhão RESOLUÇÃO N 758CONSEPE, de 24 de maio de 2010. Aprova a mudança de denominação do Curso de Desenho Industrial para Design, modalidade Bacharelado, e sua reestruturação pedagógica. O Reitor da Universidade

Leia mais

SATC - ASSOCIAÇÃO BENEFICENTE DA INDÚSTRIA CARBONÍFERA DE SANTA CATARINA PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL PDI 2014 2018

SATC - ASSOCIAÇÃO BENEFICENTE DA INDÚSTRIA CARBONÍFERA DE SANTA CATARINA PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL PDI 2014 2018 SATC - ASSOCIAÇÃO BENEFICENTE DA INDÚSTRIA CARBONÍFERA DE SANTA CATARINA PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL PDI 2014 2018 CRICIÚMA SC DEZEMBRO DE 2013 1 APRESENTAÇÃO O Plano de Desenvolvimento Institucional

Leia mais

Introdução à Engenharia de Controle e Automação

Introdução à Engenharia de Controle e Automação Introdução à Engenharia de Controle e Automação O CURSO DE ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO DA FACIT Renato Dourado Maia Faculdade de Ciência e Tecnologia de Montes Claros Fundação Educacional Montes

Leia mais

O Curso Superior de Tecnologia em Redes de Computadores possui flexibilidade para atender dois tipos de certificações intermediárias, que são:

O Curso Superior de Tecnologia em Redes de Computadores possui flexibilidade para atender dois tipos de certificações intermediárias, que são: 1) Formas de participação do Corpo Discente: O Colegiado do Curso é um órgão consultivo, deliberativo e normativo, onde é possível a participação do corpo discente nas decisões que competem a exposição

Leia mais

MODA. HABILITAÇÃO: Bacharelado em Moda - habilitação em modelagem e desenvolvimento de produto. PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 4 anos

MODA. HABILITAÇÃO: Bacharelado em Moda - habilitação em modelagem e desenvolvimento de produto. PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 4 anos MODA 1. TURNO: Noturno HABILITAÇÃO: Bacharelado em Moda - habilitação em modelagem e desenvolvimento de produto GRAU ACADÊMICO: Bacharel em Moda PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 4 anos Máximo = 7 anos 2.

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP Diretoria de Avaliação da Educação Superior - DAES SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR

Leia mais

FACULDADE SÃO MIGUEL MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE LICENCIATURA EM LETRAS RECIFE

FACULDADE SÃO MIGUEL MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE LICENCIATURA EM LETRAS RECIFE MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE LICENCIATURA EM LETRAS RECIFE 2014 2 MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Normas e orientações gerais para o Estágio Supervisionado da Licenciatura em Letras 1. APRESENTAÇÃO

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN GRÁFICO 514502 INTRODUÇÃO AO DESIGN Conceituação e história do desenvolvimento do Design e sua influência nas sociedades contemporâneas no

Leia mais

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC de Fundamentos de Linguagens de Programação para Multimídia

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC de Fundamentos de Linguagens de Programação para Multimídia MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO

Leia mais

O Curso de Engenharia Elétrica da Faculdade de Engenharia /Unesp/Bauru

O Curso de Engenharia Elétrica da Faculdade de Engenharia /Unesp/Bauru O Curso de Engenharia Elétrica da Faculdade de Engenharia /Unesp/Bauru Projeto Pedagógico e Estrutura Curricular Missão do Curso de Engenharia Elétrica da FE/Unesp/Bauru A formação continuada de Engenheiros

Leia mais

ü Curso - Bacharelado em Sistemas de Informação

ü Curso - Bacharelado em Sistemas de Informação Curso - Bacharelado em Sistemas de Informação Nome e titulação do Coordenador: Coordenador: Prof. Wender A. Silva - Mestrado em Engenharia Elétrica (Ênfase em Processamento da Informação). Universidade

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN GRÁFICO

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN GRÁFICO 1 CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN GRÁFICO EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS BRUSQUE (SC) Consuni nº. 63/14, 2011 de 10 de dezembro de 2014. 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 3 01 INTRODUÇÃO AO CONHECIMENTO TECNOLÓGICO...

Leia mais

1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO

1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO 1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO O Curso de Secretariado Executivo das Faculdades Integradas de Ciências Exatas Administrativas e Sociais da UPIS, reconhecido pelo MEC desde 1993, pela Portaria 905, de 24.06,1993,

Leia mais

SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL/GESTÃO DA COMUNICAÇÃO INTEGRADA ARCOS

SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL/GESTÃO DA COMUNICAÇÃO INTEGRADA ARCOS SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL/GESTÃO DA COMUNICAÇÃO INTEGRADA ARCOS 1 PERFIL DO CURSO A comunicação integrada é, cada vez mais, um instrumento necessário para a sobrevivência

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.640, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.640, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015 1 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.640, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Bacharelado

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO DE DESIGN, BACHARELADO REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO Das Disposições Gerais O estágio não obrigatório,

Leia mais

APRESENTAÇÃO OBJETIVO DO CURSO

APRESENTAÇÃO OBJETIVO DO CURSO 1 APRESENTAÇÃO Segundo Diretrizes Curriculares Nacionais dos Cursos de Graduação em Design (2004), o curso de graduação em Design deve ensejar, como perfil desejado do formando, capacitação para a apropriação

Leia mais

A Câmara Superior de Ensino do Conselho Universitário da Universidade Federal de Campina Grande, no uso de suas atribuições;

A Câmara Superior de Ensino do Conselho Universitário da Universidade Federal de Campina Grande, no uso de suas atribuições; SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO RESOLUÇÃO Nº 06/2014 Aprova a estrutura curricular contida no Projeto Pedagógico do Curso

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.638, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.638, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015 1 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.638, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura

Leia mais

UNIARA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE ARARAQUARA MESTRADO PROFISSIONAL EM EDUCAÇÃO: PROCESSOS DE ENSINO, GESTÃO E INOVAÇÃO REGULAMENTO SUMÁRIO

UNIARA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE ARARAQUARA MESTRADO PROFISSIONAL EM EDUCAÇÃO: PROCESSOS DE ENSINO, GESTÃO E INOVAÇÃO REGULAMENTO SUMÁRIO UNIARA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE ARARAQUARA MESTRADO PROFISSIONAL EM EDUCAÇÃO: PROCESSOS DE ENSINO, GESTÃO E INOVAÇÃO REGULAMENTO SUMÁRIO TÍTULO I - APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA... 1 TÍTULO II - DOS OBJETIVOS...

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.465, DE 12 DE DEZEMBRO DE 2013

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.465, DE 12 DE DEZEMBRO DE 2013 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.465, DE 12 DE DEZEMBRO DE 2013 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Bacharelado em

Leia mais

DESIGN. 1. TURNO: Noturno GRAU ACADÊMICO: Bacharelado. PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 4 anos

DESIGN. 1. TURNO: Noturno GRAU ACADÊMICO: Bacharelado. PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 4 anos DESIGN 1. TURNO: Noturno GRAU ACADÊMICO: Bacharelado HABILITAÇÃO: Projeto do Produto PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 4 anos Máximo = 7 anos 2. OBJETIVO/PERFIL DO PROFISSIONAL A SER FORMADO Objetivo: Proporcionar

Leia mais

FACULDADE DE TALENTOS HUMANOS

FACULDADE DE TALENTOS HUMANOS FACULDADE DE TALENTOS HUMANOS PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO UBERABA MG INSTITUTO EDUCACIONAL GUILHERME DORÇA PRESIDENTE: LUIZ HUMBERTO DORÇA FACULDADE DE TALENTOS HUMANOS DIRETOR

Leia mais

GRADE CURRICULAR DO BACHARELADO INTERDISCIPLINAREM ARTES E DESIGN http://www.ufjf.br/biad/

GRADE CURRICULAR DO BACHARELADO INTERDISCIPLINAREM ARTES E DESIGN http://www.ufjf.br/biad/ GRADE CURRICULAR DO BACHARELADO INTERDISCIPLINAREM ARTES E DESIGN http://www.ufjf.br/biad/ ESTRUTURA CURRICULAR DO 1º CICLO Bacharelado interdisciplinar em Artes e Design 3 anos Componentes curriculares

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE JORNALISMO

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE JORNALISMO ORGANIZAÇÃO CURRICULAR O curso de Jornalismo da Unipampa está estruturado em oito semestres e tem carga horária total de 3.060 horas, sessenta horas a mais que o aconselhado pelas novas Diretrizes Curriculares.

Leia mais

Faculdades Integradas do Vale do Ivaí

Faculdades Integradas do Vale do Ivaí 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO DO CURSO 1.1 Denominação Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas 1.2 Total de Vagas Anuais 80 vagas anuais 1.3 Regime Acadêmico de Oferta Seriado

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ UNED PARANAGUÁ Ensino Médio Subsequente PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO TÉCNICO EM MECÂNICA ENSINO MÉDIO SUBSEQUENTE

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ UNED PARANAGUÁ Ensino Médio Subsequente PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO TÉCNICO EM MECÂNICA ENSINO MÉDIO SUBSEQUENTE UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ UNED PARANAGUÁ Ensino Médio Subsequente PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO TÉCNICO EM MECÂNICA ENSINO MÉDIO SUBSEQUENTE 2009 SUMÁRIO 1. JUSTIFICATICA... 3 2. OBJETIVO... 3 3. REQUISITOS

Leia mais

Maio 2013 Macaé- RJ. Rafael Pacheco Lívia Leite

Maio 2013 Macaé- RJ. Rafael Pacheco Lívia Leite Maio 2013 Macaé- RJ Rafael Pacheco Lívia Leite Matriz do Curso de Engenharia Química 2013 Page 2 Sumário 1. APRESENTAÇÃO 2. JUSTIFICATIVA 3. DA CONCEPÇÃO DO CURSO 4. ORGANIZAÇÃO DO CURSO 5. A MATRIZ CURRICULAR

Leia mais

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC de SketchUp na Construção Civil. Parte 1 (solicitante)

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC de SketchUp na Construção Civil. Parte 1 (solicitante) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO

Leia mais

DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE BACHARELADO E LICENCIATURA DA UTFPR

DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE BACHARELADO E LICENCIATURA DA UTFPR Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Pró-Reitoria de Graduação e Educação Profissional DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE BACHARELADO E LICENCIATURA DA UTFPR Resolução

Leia mais

CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PUBLICIDADE E PROPAGANDA

CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PUBLICIDADE E PROPAGANDA 1 CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PUBLICIDADE E PROPAGANDA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS BRUSQUE (SC) 2012 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 INTRODUÇÃO A PUBLICIDADE E PROPAGANDA... 4 02 HISTÓRIA DA ARTE... 4 03 COMUNICAÇÃO

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO Fundação Instituída nos termos da Lei 5.152 de 21/10/1966 São Luís Maranhão

UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO Fundação Instituída nos termos da Lei 5.152 de 21/10/1966 São Luís Maranhão RESOLUÇÃO N 125-CONSUN, de 2 de maio de 20 Aprova o projeto de criação do Curso de Licenciatura em Artes Visuais, em substituição à Habilitação em Artes Plásticas do Curso de Licenciatura em Educação Artística

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO (PPC)

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO (PPC) , INCLUINDO ESSE, DEVEM SER RETIRADOS DO TEXTO FINAL, POIS SERVEM SOMENTE COMO ORIENTAÇÃO PARA ELABORAÇÃO DO DOCUMENTO FINAL> PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO (PPC)

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE CENTRO DE COMUNICAÇÃO E LETRAS Coordenação do Curso de Publicidade e Propaganda

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE CENTRO DE COMUNICAÇÃO E LETRAS Coordenação do Curso de Publicidade e Propaganda REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES Regulamenta as Atividades Complementares do Curso de Publicidade e Propaganda do Centro de Comunicação e Letras da Universidade Presbiteriana Mackenzie CAPÍTULO

Leia mais

Quadro Resumo de Projeto Pedagógico do Curso Superior de Tecnologia em GESTÃO COMERCIAL

Quadro Resumo de Projeto Pedagógico do Curso Superior de Tecnologia em GESTÃO COMERCIAL Quadro Resumo de Projeto Pedagógico do Curso Superior de Tecnologia em GESTÃO COMERCIAL Dados de Identificação: -Modalidade: Graduação Tecnológica -Ato Legal de Autorização: Resolução CONSUNI nº -Turnos

Leia mais

PUBLICIDADE E PROPAGANDA

PUBLICIDADE E PROPAGANDA PUBLICIDADE E PROPAGANDA Nome IES: UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC 1 CURSO: AGRONOMIA Dados de identificação da Universidade de Cuiabá - UNIC Dirigente da Mantenedora Presidente: Ed. Rodrigo Calvo Galindo

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 2014

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 2014 1 FACULDADE DE ESTUDOS SOCIAIS DO ESPÍRITO SANTO PIO XII CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS CURSO DE ADMINISTRAÇÃO EM COMÉRCIO EXTERIOR I INTRODUÇÃO REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 2014 O currículo

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO 1 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Resolução n 90/ 2011 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Graduação em Relações Públicas, Bacharelado,

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO DE ENGENHARIA DE SOFTWARE, BACHARELADO REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO Das disposições gerais O presente

Leia mais

DIMENSÃO 2: - Política para o ensino, pesquisa, pós-graduação e extensão - Respectivas normas de operacionalização

DIMENSÃO 2: - Política para o ensino, pesquisa, pós-graduação e extensão - Respectivas normas de operacionalização DIMENSÃO 2: - Política para o ensino, pesquisa, pós-graduação e extensão - Respectivas normas de operacionalização 2.1 - GRADUAÇÃO 2.1.1. Descrição do Ensino de Graduação na UESC Cursos: 26 cursos regulares

Leia mais

LICENCIATURA EM COMPUTAÇÃO

LICENCIATURA EM COMPUTAÇÃO Coordenador: Duração: Carga Horária: LICENCIATURA EM COMPUTAÇÃO Victor Emanuel Corrêa Lima 6 semestres 2800 horas Situação Legal: Reconhecido pela Portaria MEC nº 503 de 15/02/2006 MATRIZ CURRICULAR Primeiro

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC 1 CURSO: BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Dados de Identificação da Universidade de Cuiabá - UNIC Dirigente da Mantenedora Presidente: Ed. Rodrigo

Leia mais

DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR

DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Pró-Reitoria de Graduação e Educação Profissional DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR APROVADO PELA RESOLUÇÃO

Leia mais

Diretrizes curriculares nacionais e os projetos pedagógicos dos cursos de graduação

Diretrizes curriculares nacionais e os projetos pedagógicos dos cursos de graduação Diretrizes curriculares nacionais e os projetos pedagógicos dos cursos de graduação Curso de Atualização Pedagógica Julho de 2010 Mediador: Adelardo Adelino Dantas de Medeiros (DCA/UFRN) Diretrizes Curriculares

Leia mais

Bacharelado em Moda Matriz Curricular 2010-1

Bacharelado em Moda Matriz Curricular 2010-1 CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA Bacharelado em Moda Matriz Curricular 2010-1 Fase Cod. Disciplina I II III IV Prérequisitos Carga Horária Teórica

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 13, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2006 (*)

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 13, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2006 (*) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 13, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2006 (*) Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Turismo

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: ENGENHARIA ELÉTRICA MISSÃO DO CURSO O Curso de Engenharia Elétrica tem por missão a graduação de Engenheiros Eletricistas com sólida formação técnica que

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA ITEPA FATEPA. Mantida pelo Instituto Técnico de Educação Porto Alegre Ltda

FACULDADE DE TECNOLOGIA ITEPA FATEPA. Mantida pelo Instituto Técnico de Educação Porto Alegre Ltda FACULDADE DE TECNOLOGIA ITEPA FATEPA Mantida pelo Instituto Técnico de Educação Porto Alegre Ltda CURSO DE GRADUAÇÃO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS PORTARIA/MEC DE AUTORIZAÇÃO Nº 468, D.O.U.

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO: PEDAGOGIA

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO: PEDAGOGIA 1 FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DE CRUZEIRO REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO: PEDAGOGIA 2 CRUZEIRO - SP 2014 APRESENTAÇÃO De acordo com a Resolução n o 1, de 02 de fevereiro de 2004,

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Resolução n 93/ 2011 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Graduação em Jornalismo, Bacharelado,

Leia mais

2º RELATÓRIO PARCIAL DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL

2º RELATÓRIO PARCIAL DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2º RELATÓRIO PARCIAL DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL - CPA Mantenedora: Fundação Presidente Antônio Carlos Mantida: Faculdade Presidente Antônio Carlos de Araguari

Leia mais

CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PUBLICIDADE E PROPAGANDA

CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PUBLICIDADE E PROPAGANDA 1 CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PUBLICIDADE E PROPAGANDA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS BRUSQUE (SC) 2012 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 INTRODUÇÃO A PUBLICIDADE E PROPAGANDA... 4 02 HISTÓRIA DA ARTE... 4 03 COMUNICAÇÃO

Leia mais

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC Fundamentos de Programação Web para Multimídia. Parte 1 (solicitante)

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC Fundamentos de Programação Web para Multimídia. Parte 1 (solicitante) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E DO DESPORTO - UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO Nº 60/00-CEPE RESOLVE:

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E DO DESPORTO - UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO Nº 60/00-CEPE RESOLVE: RESOLUÇÃO Nº /00-CEPE 1 Fixa o Currículo Pleno do Curso de Comunicação Social, Habilitações em Jornalismo, Relações Públicas e Publicidade e Propaganda, do Setor de Ciências Humanas, Letras e Artes. O,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO UFPE CENTRO DE ARTES E COMUNICAÇÃO - CAC CURSO DE LICENCIATURA EM DANÇA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO UFPE CENTRO DE ARTES E COMUNICAÇÃO - CAC CURSO DE LICENCIATURA EM DANÇA UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO UFPE CENTRO DE ARTES E COMUNICAÇÃO - CAC CURSO DE LICENCIATURA EM DANÇA Coordenadora do Curso: Prof a Maria Cláudia Alves Guimarães IDENTIFICAÇÃO DO CURSO 1. Denominação

Leia mais

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC Português para fins acadêmicos

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC Português para fins acadêmicos MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA CAMPUS GAROPABA Aprovação do curso e Autorização da oferta

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 039/2004-COU/UNICENTRO

RESOLUÇÃO Nº 039/2004-COU/UNICENTRO RESOLUÇÃO Nº 039/2004-COU/UNICENTRO REVOGADA PELA RESOLUÇÃO Nº 128/2014- COU/UNICENTRO. DISPOSITIVOS DO PROJETO PEDAGÓGICO APROVADO POR ESTA RESOLUÇÃO, ESTÃO ALTERADOS PELA RESOLUÇÃO Nº 26/2009-COU/UNICENTRO.

Leia mais

PADRÕES DE QUALIDADE PARA AUTORIZAÇÃO E RECONHECIMENTO DE CURSOS DE GRADUAÇÃO EM SERVIÇO SOCIAL

PADRÕES DE QUALIDADE PARA AUTORIZAÇÃO E RECONHECIMENTO DE CURSOS DE GRADUAÇÃO EM SERVIÇO SOCIAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E DO DESPORTO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DEPARTAMENTO DE POLÍTICA DE ENSINO SUPERIOR COORDENAÇÃO DAS COMISSÕES DE ESPECIALISTAS DE ENSINO COMISSÃO DE ESPECIALISTAS DE ENSINO

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01/2012 PRÓ-REITORIA DE ENSINO/IFMG/SETEC/MEC, DE 05 DE JUNHO DE 2012.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01/2012 PRÓ-REITORIA DE ENSINO/IFMG/SETEC/MEC, DE 05 DE JUNHO DE 2012. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS PRÓ-REITORIA DE ENSINO Av. Professor Mario Werneck, nº 2590,

Leia mais

Proposta do novo Projeto Pedagógico do Curso de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas. Núcleo Docente Estruturante (NDE)

Proposta do novo Projeto Pedagógico do Curso de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas. Núcleo Docente Estruturante (NDE) Proposta do novo Projeto Pedagógico do Curso de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Núcleo Docente Estruturante (NDE) 20/05/2015 Agenda 1 2 3 4 5 6 Introdução e Motivação Resultados da

Leia mais

REFORMULAÇÃO CURRICULAR E PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM DESIGN HABILITAÇÒES EM DESIGN GRÁFICO E EM DESIGN INDUSTRIAL - 2007

REFORMULAÇÃO CURRICULAR E PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM DESIGN HABILITAÇÒES EM DESIGN GRÁFICO E EM DESIGN INDUSTRIAL - 2007 REFORMULAÇÃO CURRICULAR E PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM DESIGN HABILITAÇÒES EM DESIGN GRÁFICO E EM DESIGN INDUSTRIAL - 2007 1. IDENTIFICAÇÃO Ato de autorização Resol. CONSUNI 029/96, de 29/08/1996

Leia mais