Sistemas de Geração Eólica. Bibliografia. Conselhos e Associações. Conselhos e Associações. Aula 1 Panorâma da Geração Eólica Ano-base: 2010

Save this PDF as:
Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Sistemas de Geração Eólica. Bibliografia. Conselhos e Associações. Conselhos e Associações. Aula 1 Panorâma da Geração Eólica Ano-base: 2010"

Transcrição

1 Cronograma Aula 1. Panorâma de geração eólica 22/11 Sistemas de Aula 2. Operação de sistemas de geração eólica 29/11 Prof. Romeu Reginato Outubro de Aula 3. Tecnologias de geração eólica 06/12 Aula 4. Modelagem de sistemas de geração eólica 13/12 2 Bibliografia Ackermann, T.; Wind Power in Power Systems; Wiley; Aula 1 Panorâma da Ano-base: Conselhos e Associações Conselhos e Associações Global Wind Energy Council (GWEC) Fórum global para o setor de energia eólica (industrias e associações representativas World Wind Energy Association (WWEA) Associação de promoção e desenvolvimento mundial da tecnologia de energia eólica European Wind Energy Association (EWEA) Voz da indústria de energia éolica na Europa (Bruchelas) American Wind Energy Association (AWEA) Associação comercial representante da indústria de energia eólica Associação Brasileira de Energia Eólica (ABEEólica) Empresas da cadeia geradora de energia eólica 5 US Department of Energy (DOE) US Energy Information Administration (EIA) Análises e estatísticas independentes Brasil MME - Ministério das Minas e Energias, ONS - Operador Nacional do Sistema Elétrico, Aneel Agência Nacional de Energia Elétrica, 6

2 Potencial Eólico 13% da superfície terrestre apresenta ventos com velocidade média acima de 6.9m/s Stanford University s Global Climate and Energy Project (apud GWEC) 7500 pontos de medição a 80m de altura 500 estações de monitoramento por balão Potencial Eólico Potêncial eólico mundial aproveitável German Advisory Council on Global Change (apud GWEC) medidas de vento de 14 anos ( ) Considera aproveitável 10-15% do total TWh/ano sem offshore TWh/ano com offshore Fontes: Aneel (Atlas de Enegia Elétrica do Brasil); EIA (Energy Information Adm.) 7 GWEC (Global Wind Energy Council) Fontes: Aneel (Atlas de Enegia Elétrica do Brasil); EIA (Energy Information Adm.) 8 GWEC (Global Wind Energy Council) Potencial Eólico Energia Eólica no Mundo Potêncial eólico mundial aproveitável TWh/ano sem offshore TWh/ano com offshore Energia elétrica mundial gerada em ,196 TWh total 36% do sem offshore 3.654,093 TWh energias renováveis 6,9% do sem offshore 209,915 TWh energia eólica 0,4% do sem offshore Fontes: EIA (Energy Information Adm.) GWEC (Global Wind Energy Council) 9 Global Wind Energy Council (GWEC) Global Wind 2009 Report, GWEC, March Global Wind 2007 Report, GWEC, May Global Wind Outlook 2010, GWEC, Oct Crescimento global acumulado Crescimento global acumulado Taxa de crescimento média 28% ao ano exp(0.25t) 11 12

3 Crescimento anual Capacidade anual instalada por região Taxa de crescimento média 28% ao ano exp(0.25t) Taxa de crescimento média 28% ao ano exp(0.25t) Capacidade instalada por país Global Wind 2007 Report, GWEC, May Global Wind 2009 Report, GWEC, March Valores e projeções Indicador Potência instalada mundial MW MW Potência anual instalada MW MW Taxa de crescimento anual 21,2% 24,2% Energia anual produzida 163,5 TWh 209,9 TWh (2008) Percentual da energia elétrica mundial 1% 3% 17 Global Wind 2007 Report, GWEC, May Global Wind 2009 Report, GWEC, March

4 Penetração da geração eólica Europa 19 Pure Power: Wind energy targets for 2020 and 2030, EWEA, Nov Projeção de crescimento Projeção do mercado Global Wind 2009 Report, GWEC, March Projeção para os próximos 5 anos. Período Variáveis: Capacidade anual instalada (MW adicionados a cada ano). Taxa de crescimento da capacidade anual instalada. Capacidade acumulada (MW). Taxa de crescimento da capacidade acumulada Projeção de crescimento anual Projeção de crescimento cumulativo 23 24

5 Projeção de crescimento Global Wind Outlook 2010, GWEC, Oct Projeção de crescimento Global Wind Outlook 2010, GWEC, Oct Projeção para os próximos 20 a 30 anos. Período Taxa de Crescimento Variáveis: Capacidade anual instalada (MW adicionados a cada ano). Taxa de crescimento da capacidade anual instalada. Cenário referência Cenário moderado 17% 26% 3% (2015) 9% 3% 5% Capacidade acumulada (MW). Taxa de crescimento da capacidade acumulada. Cenário avançado 27% 9% 4% Global Wind Energy Outlook 2010, GWEC, Oct Global Wind Energy Outlook 2010, GWEC, Oct Projetos de Crescimento Wind Force 12 - Mundial Pure Power - Europa 20% Wind Energy by 2030 EUA Plano Nacional de Energia Brasil 1/5 da energia elétrica produzida por geração eólica Global Wind Energy Outlook 2010, GWEC, Oct

6 Wind Force 12 EWEA & Greenpeace Junho/2005 Pure Power: Wind Energy Scenarios up to 2030 EWEA European Wind Energy Association Março/ % da energia elétrica mundial produzida por energia eólica em % da energia elétrica da Europa produzida por energia eólica em 2030 Relatório de revisão e atualização (refere a 2009 EU Renewable Energy Directive) Novembro/09 32 Crescimento da energia eólica na Europa (previsão 2008) Crescimento da energia eólica na Europa (revisão 2009) Capacidade instalada (GW) Capacidade eólica instalada (GW) Participação geração eólica ,4% Pure Power, EWEA, May ,9% ,1% ,5% 33 Capacidade instalada (GW) Capacidade eólica instalada (GW) Onshore Offshore Participação geração eólica (capacidade) ,5 1,5 8,1% ,9% ,2% Pure Power: Wind energy targets for 2020 and 2030, EWEA, Nov ,7% 34 Crescimento de na Europa Crescimento Anual de Pure Power: Wind energy targets for 2020 and 2030, EWEA, Nov Pure Power: Wind energy targets for 2020 and 2030, EWEA, Nov

7 Participação de na Europa 20% Wind Energy by 2030 US Department of Energy (DOE) 20% da energia elétrica dos EUA produzida por energia eólica em 2030 Pure Power: Wind energy targets for 2020 and 2030, EWEA, Nov Participação da Energia Eólica no Brasil Tipo Quantidade Potência Outorgada (MW) Potência Fiscalizada (MW) % Energia Eólica no Brasil CGH EOL ,73 838,93 184,12 835,34 0,17 0,75 PCH , ,23 2,95 SOL 4 0,086 0,086 0 UHE , ,67 68,97 UTE , ,18 25,35 UTN , ,00 1,81 Total , , Central de Informações de Geração; Aneel. 40 Situação da Energia Eólica no Brasil Evolução da capacidade instalada Empreendimentos Situação Outorgados Em construção Em operação Potencial eólico brasileiro: MW Central de Informações de Geração; Aneel. Aneel, Atlas de Energia Elétrica do Brasil Energia Eólica (cap. 6) Potência (MW) 3.049,83 273,30 835, Capacidade Instalada (MW)

8 Evolução da participação 0,8 0,7 0,6 0,5 0,4 0,3 0,2 0,1 0 Participação da (%) Parques Eólicos no Brasil Operação + Outorgados (09/2003) (Atlas Eólico Brasileiro; Aneel) Potência dos empreendimentos Potëncia dos Empreendimentos (MW) Capacidade instalada por estado Capacidade instalada por estado (MW) CE RS PB RN PE PI SC PR 518, ,2 49,3 24, ,8 2,5 Maior potência (Praia Formosa, CE): 104,4MW Potência média dos empreendimentos: 18,16MW Região Nordeste: 80,02% Região Sul: 19,98% Localidade da Usina Osório Sangradouro Índios Rio do Fogo Prainha (Aquiraz) Água Doce Taiba - São Gonçalo do Amarante Horizonte Palmas Porto de Muçuripe Macau Morro Camelinho Bom Jardim da Serra Olinda Fernando de Noronha Alguns parques eólicos instalados Estado RS RS RS RN CE SC CE SC PR CE RN MG SC PE PE Capacidade (MW) , ,8 2,5 2,4 1,8 1 0,6 0,3 0,25 Turbinas 25 x 2 MW 25 x 2 MW 25 x 2 MW 62 x 800 kw 10 x 500 kw 15 x 600 kw 10 x 500 kw 08 x 600 kw 05 x 500 kw 04 x 600 kw 03 x 600 kw 04 x 500 kw 01 x 600 kw 01 x 300 kw 01 x 225 kw Ano Plano Nacional de Energia 2030 (PNE-2030) Ministério das Minas e Energia, Brasil Novembro de MW de geração eólica instalados em 2030, representando 2% da energia elétrica produzida no Brasil 48

9 Caso Ilustrativo 49 Parque eólico de Osório, RS Potência instalada: 50 MW Número de aerogeradores: 25 Potência por aerogerador: 2 MW Fator de capacidade médio: 34% Previsão de retorno: 12 anos 50 70m Turbinas Wobben/Enercon E-70 Peso da torre 810 toneladas Peso da turbina 100 toneladas 98m 51 Visão Geral dos Tipos de Turbinas Eólicas 52 Aerogeradores de eixo horizontal São os mais utilizados atualmente Opções com diferentes números de pás, com operação em diferentes faixas de velocidade de vento Modelo de 3 pás mais utilizado Necessita de controle de orientação do vento para garantir bom aproveitamento Duas pás do vento disponível 53 11kW 54 Três pás 100kW Multipás Três pás residencial

10 Aerogeradores de eixo vertical Vantagem. Responde bem para ventos em todas direções não necessita de controle de orientação. Desvantagens. Velocidades baixas na parte inferior das hélices Precisa de arranque auxiliar Manutenção mais complexa Necessidade de cabos auxiliares para sustentação 55 Eixo vertical 1kW Torre tubular X em treliça 56 Eixo horizontal 3 pás Evolução das turbinas eólicas Estado da arte Altura: 138 m Diâmetro: 126 m Potência: 6 MW Enercon (Alemanha) (Wind Power; Adaptado de: Molly, J.P.; Global Renewable Energy Forum; Foz do Iguaçu, Possível tecnologia Tecnologias Emergentes Altura: 300m 10-15kW Eficiência: 50% Em teste: MARS Magenn Power Air Rotor System Empresa Canadense. Sistema baseado nos princípios do dirigível Magnus. (Inovação Tecnológica; Balão que gera eletricidade a partir do vento começa a ser testado; ) (Magenn, Wind Power Anywhere; 60

Energia Eólica Potencial e Oportunidades no Brasil. Lauro Fiuza Junior

Energia Eólica Potencial e Oportunidades no Brasil. Lauro Fiuza Junior Energia Eólica Potencial e Oportunidades no Brasil. Lauro Fiuza Junior Presidente da ABEEólica Associação Brasileira de Energia Eólica 20 de maio de 2008. ABEEólica Desenvolver a geração eólica no Brasil

Leia mais

Fontes Renováveis Não-Convencionais Parte I

Fontes Renováveis Não-Convencionais Parte I Fontes Renováveis Não-Convencionais Parte I Prof. Antonio Simões Costa Labspot - EEL A. Simões Costa (Labspot - EEL) Fontes Renováveis 1 / 24 Desenvolvimento Histórico da Energia Eólica (1) Primeira turbina

Leia mais

Energia Eólica. Estado da Arte e Princípios Físicos. Sumário

Energia Eólica. Estado da Arte e Princípios Físicos. Sumário Centro de Pesquisas de Energia Elétrica Energia Eólica Estado da Arte e Princípios Físicos Ricardo Marques Dutra Departamento de Tecnologias Especiais - DTE Sumário Estado da Arte Tecnologia Eólica Viabilidade

Leia mais

Recursos Energéticos e Meio Ambiente. Professor Sandro Donnini Mancini. 14- Energia Eólica. Sorocaba, Maio de 2016.

Recursos Energéticos e Meio Ambiente. Professor Sandro Donnini Mancini. 14- Energia Eólica. Sorocaba, Maio de 2016. Instituto de Ciência e Tecnologia de Sorocaba Recursos Energéticos e Meio Ambiente Professor Sandro Donnini Mancini 14- Energia Eólica Sorocaba, Maio de 2016. ENERGIA EÓLICA Aproveitamento da força de

Leia mais

A ENERGIA EÓLICA NO BRASIL 1º. Congresso Brasileiro de Geração Distribuída e Energias Renováveis Agosto de 2009

A ENERGIA EÓLICA NO BRASIL 1º. Congresso Brasileiro de Geração Distribuída e Energias Renováveis Agosto de 2009 A ENERGIA EÓLICA NO BRASIL 1º. Congresso Brasileiro de Geração Distribuída e Energias Renováveis Agosto de 2009 Regina Araújo Desenvolvimento de Negócios Energia Eólica no Mundo 2 PRINCIPAIS MERCADOS DA

Leia mais

Histórico. 900 AC Moinho persa.

Histórico. 900 AC Moinho persa. Histórico 900 AC Moinho persa. Histórico Moinho Europeu Sistema de giro; Posição do rotor; Número de pás; Altura em relação ao solo; Pás com perfil aerodinâmico; Histórico Moinhos de vento portugueses

Leia mais

Ministério de Minas e Energia

Ministério de Minas e Energia PLANO NACIONAL DE ENERGIA HORIZONTE 2030 Altino Março Ventura de 2007 Filho Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Energético SPE/MME LAS / ANS SYMPOSIUM 2008 SETOR ENERGÉTICO PROCESSO DE PLANEJAMENTO

Leia mais

PEA 3100 Energia, Meio Ambiente e Sustentabilidade. Aula 9 Fontes Renováveis de Energia. Energia Eólica

PEA 3100 Energia, Meio Ambiente e Sustentabilidade. Aula 9 Fontes Renováveis de Energia. Energia Eólica PEA 3100 Energia, Meio Ambiente e Sustentabilidade Aula 9 Fontes Renováveis de Energia Energia Eólica slide 1 / 27 Produção de Energia Elétrica Geração Eólica Parque Eólico Osório Osório/RS Foto: Carlos

Leia mais

Energy Storage e a Nova Matriz Elétrica Março de 2016

Energy Storage e a Nova Matriz Elétrica Março de 2016 Energy Storage e a Nova Matriz Elétrica Março de 2016 0 Cenário Mundial - demanda elétrica e energias renováveis intermitentes Crescimento da Demanda de 3% a.a. nas últimas 4 décadas Crescimento de 2%

Leia mais

Geração de energia elétrica

Geração de energia elétrica Geração de energia elétrica Capítulo 5 Sistemas eólicos de geração de energia elétrica Lineu Belico dos Reis O vento, movimento do ar na atmosfera terrestre, é principalmente gerado pelo maior aquecimento

Leia mais

Energia eólica: análise sobre o potencial eólico brasileiro

Energia eólica: análise sobre o potencial eólico brasileiro Energia eólica: análise sobre o potencial eólico brasileiro Diego Barbosa Leite Filipe* Emanuel de Melo Lobato** Vinicius Contilio Quintan*** Resumo Na atual conjuntura mundial, as discussões sobre novas

Leia mais

transformando-os em conhecimento, contextualizando-os e disponibilizando-os para a prática de Inteligência Competitiva nas empresas.

transformando-os em conhecimento, contextualizando-os e disponibilizando-os para a prática de Inteligência Competitiva nas empresas. Energia Eólica Clipping 04 de fevereiro de 2010 Quinta-Feira N# 292 Clipping Energia Eólica tem o objetivo de reunir dados e informações relevantes ao setor de energia eólica, transformando-os em conhecimento,

Leia mais

DESAFIOS DO SETOR ENERGÉTICO NO RIO GRANDE DE SUL ENERGIA EÓLICA

DESAFIOS DO SETOR ENERGÉTICO NO RIO GRANDE DE SUL ENERGIA EÓLICA DESAFIOS DO SETOR ENERGÉTICO NO RIO GRANDE DE SUL ENERGIA EÓLICA Ronaldo dos Santos Custódio Junho/2015 CONTEÚDO Energia Elétrica no Brasil Energia Eólica no Brasil Energia Eólica no Rio Grande do Sul

Leia mais

Energia Eólica Potencial e Oportunidades no Brasil. Lauro Fiuza Junior

Energia Eólica Potencial e Oportunidades no Brasil. Lauro Fiuza Junior Energia Eólica Potencial e Oportunidades no. Lauro Fiuza Junior Presidente da ABEEólica - Associação eira de Energia Eólica 3 de Junho de 2008. ABEEólica Desenvolver a geração eólica no Ela é parte essencial

Leia mais

Energia Eólica em um Contexto Mundial

Energia Eólica em um Contexto Mundial Energia Eólica em um Contexto Mundial 1 China 91,42 2 EUA 61,09 3 Alemanha 34,25 4 Espanha 22,96 5 Índia 20,15 6 Reino Unido 10,53 7 Itália 8,55 8 França 8,25 9 Canadá 7,80 10 Dinamarca 4,77 11 Portugal

Leia mais

Universidade Federal de Santa Catarina Departamento de Engenharia Mecânica Centro Tecnológico ENERGIAS RENOVÁVEIS. Prof. Júlio César Passos

Universidade Federal de Santa Catarina Departamento de Engenharia Mecânica Centro Tecnológico ENERGIAS RENOVÁVEIS. Prof. Júlio César Passos Universidade Federal de Santa Catarina Departamento de Engenharia Mecânica Centro Tecnológico ENERGIAS RENOVÁVEIS VEIS ENERGIA EÓLICA E (1) Prof. Júlio César Passos Email: jpassos@emc.ufsc.br Florianópolis,

Leia mais

ENERGY FOR THE WORLD. Andrea von Lindeiner. International Sales Manager Lateinamerika, Australien, Neuseeland, Schweiz

ENERGY FOR THE WORLD. Andrea von Lindeiner. International Sales Manager Lateinamerika, Australien, Neuseeland, Schweiz ENERGY FOR THE WORLD Andrea von Lindeiner International Sales Manager Lateinamerika, Australien, Neuseeland, Schweiz ENERCON PRODUCTION FACILITIES Sweden (Malmö) ENERCON Windtower Production A.B. Tower

Leia mais

FÓRUM E MOSTRA TECNOLÓGICA ÁGUA E ENERGIA.

FÓRUM E MOSTRA TECNOLÓGICA ÁGUA E ENERGIA. FÓRUM E MOSTRA TECNOLÓGICA ÁGUA E ENERGIA Sandra Carneiro ANÁLISE TÉCNICA E ECONÔMICA COMPARATIVA DE FONTES DE ENERGIA Vitória (ES), Junho de 2017. Sandra Carneiro PEDRO PACHECO BACHETI 2013 2014 2015

Leia mais

Sistema de Conexão ON-GRID

Sistema de Conexão ON-GRID ANÁLISE DA VIABILIDADE TÉCNICAT CNICA- ECONÔMICA DE ES DE PEQUENO PORTE Introdução Apresentação Carlos Eduardo Kroth Orientador: Prof. Dr. Jorge Antonio Villar Alé Monografia apresentada ao Departamento

Leia mais

2ºs anos Material de apoio Geografia

2ºs anos Material de apoio Geografia 2ºs anos Material de apoio Geografia Renováveis Não renováveis HIDRELÉTRICAS As usinas hidrelétricas (ou hidroelétricas) são sistemas que transformam a energia contida na correnteza dos rios, em

Leia mais

O PLANEJAMENTO INTEGRADO DE RECURSOS: ALTERNATIVA PARA DINAMIZAÇÃO DA EFICIENCIA ENERGETICA NO BRASIL PROF. ILDO SAUER, IEE/USP.

O PLANEJAMENTO INTEGRADO DE RECURSOS: ALTERNATIVA PARA DINAMIZAÇÃO DA EFICIENCIA ENERGETICA NO BRASIL PROF. ILDO SAUER, IEE/USP. O PLANEJAMENTO INTEGRADO DE RECURSOS: ALTERNATIVA PARA DINAMIZAÇÃO DA EFICIENCIA ENERGETICA NO BRASIL PROF. ILDO SAUER, IEE/USP. SÃO PAULO, 25 DE AGOSTO DE 2015 INTRODUÇÃO Há três iniciativas simultâneas

Leia mais

V JORNADAS INTERNACIONALES DE ENERGÍA EÓLICA. Energia Eólica. Brasil x Uruguai

V JORNADAS INTERNACIONALES DE ENERGÍA EÓLICA. Energia Eólica. Brasil x Uruguai V JORNADAS INTERNACIONALES DE ENERGÍA EÓLICA Energia Eólica Brasil x Uruguai Elbia Melo Maio / 2014 Fonte Eólica no Mundo Ranking Mundial 1 China 91,42 2 EUA 61,09 3 Alemanha 34,25 4 Espanha 22,96 5 Índia

Leia mais

Turbina eólica: conceitos

Turbina eólica: conceitos Turbina eólica: conceitos Introdução A turbina eólica, ou aerogerador, é uma máquina eólica que absorve parte da potência cinética do vento através de um rotor aerodinâmico, convertendo em potência mecânica

Leia mais

XVIII Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica. Integração de Parques Eólicos na Rede Elétrica do Brasil

XVIII Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica. Integração de Parques Eólicos na Rede Elétrica do Brasil XVIII Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2008-06 a 10 de outubro Olinda - Pernambuco - Brasil Integração de Parques Eólicos na Rede Elétrica do Brasil Gustavo de Almeida Siqueira

Leia mais

ESTUDO DA VIABILIDADE TÉCNICO-ECONÔMICA DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS INTERLIGADOS À REDE ELÉTRICA EM DIFERENTES CENÁRIOS DE GERAÇÃO

ESTUDO DA VIABILIDADE TÉCNICO-ECONÔMICA DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS INTERLIGADOS À REDE ELÉTRICA EM DIFERENTES CENÁRIOS DE GERAÇÃO UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE ELETROTÉCNICA CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA EMERSON SHINJI IKUTA JÚNIOR FERNANDO TAKEO GOYA ESTUDO DA VIABILIDADE TÉCNICO-ECONÔMICA DE

Leia mais

Energia Fotovoltaica. Hélvio Neves Guerra. Brasília 28 de maio de 2015. Superintendente de Concessões e Autorizações de Geração

Energia Fotovoltaica. Hélvio Neves Guerra. Brasília 28 de maio de 2015. Superintendente de Concessões e Autorizações de Geração Energia Fotovoltaica Hélvio Neves Guerra Superintendente de Concessões e Autorizações de Geração Brasília 28 de maio de 2015 Sumário i. Evolução da fonte solar fotovoltaica ii. Panorama Geral dessa fonte

Leia mais

Uma Visão do Balanço Energético da Bahia

Uma Visão do Balanço Energético da Bahia SECRETARIA DE INFRAESTRUTURA Uma Visão do Balanço Energético da Bahia Aplicação como Instrumento de Planejamento Balanço Energético da Bahia 2011 Resultados Balanço Energético Instrumento de Planejamento

Leia mais

ACOMPANHAMENTO MENSAL DA GERAÇÃO DE ENERGIA DAS USINAS EOLIELÉTRICAS COM PROGRAMAÇÃO E DESPACHO CENTRALIZADOS PELO ONS SETEMBRO / 2013

ACOMPANHAMENTO MENSAL DA GERAÇÃO DE ENERGIA DAS USINAS EOLIELÉTRICAS COM PROGRAMAÇÃO E DESPACHO CENTRALIZADOS PELO ONS SETEMBRO / 2013 ACOMPANHAMENTO MENSAL DA GERAÇÃO DE ENERGIA DAS USINAS EOLIELÉTRICAS COM PROGRAMAÇÃO E DESPACHO CENTRALIZADOS PELO ONS SETEMBRO / 213 Operador Nacional do Sistema Elétrico - ONS Diretoria de Operação DOP

Leia mais

INTRODUÇÃ.D 2.1 Escalas de movimento do ar, 7 2.2 As radiações solar e terrestre como causas do vento, 7 2.3 Movimento do ar causado pelas forças do g

INTRODUÇÃ.D 2.1 Escalas de movimento do ar, 7 2.2 As radiações solar e terrestre como causas do vento, 7 2.3 Movimento do ar causado pelas forças do g INTRODUÇÃ.D 2.1 Escalas de movimento do ar, 7 2.2 As radiações solar e terrestre como causas do vento, 7 2.3 Movimento do ar causado pelas forças do gradiente de pressão atmosférica, 9 2.4 A força de Coriolis,

Leia mais

Estudo mostra benefício da complementaridade entre as fontes eólica e hidroelétrica

Estudo mostra benefício da complementaridade entre as fontes eólica e hidroelétrica Page 1 of 7 HOME - QUEM SOMOS - NEWSLETTER - ASSINATURA - GLOSSÁRIO - FALE CONOSCO - LINKS - VÍDEOS Notícias Estudo mostra benefício da complementaridade entre as fontes eólica e hidroelétrica Fonte: Redação

Leia mais

Energia Eólica Panorama Geral e a Geração Distribuída

Energia Eólica Panorama Geral e a Geração Distribuída Energia Eólica Panorama Geral e a Geração Distribuída Novembro de 2017 Associados 2 Trajetória Mundial (Capacidade Instalada Acumulada) Fonte: GWEC ABEEólica 3 Trajetória Mundial (Capacidade Instalada

Leia mais

Linha de produtos ENERCON

Linha de produtos ENERCON Sub MW E-, E-, E- MW E-, E- E, E- E, E-, E-, E- E, E-, E- EP Multi-MW E- Para cada local, o aerogerador adequado Linha de produtos ENERCON Liderança graças à inovação Aerogeradores ENERCON Liderança graças

Leia mais

IV SBSE Mesa Redonda 2

IV SBSE Mesa Redonda 2 IV SBSE Mesa Redonda 2 A Inserção de Fontes Eólicas de Geração Distribuída e os Desafios Impostos á Engenharia quanto à operação e Qualidade da Energia Elétrica Dalton O. C. Brasil ONS Goiânia, 17.05.2012

Leia mais

A GERAÇÃO EÓLICA E OS DESAFIOS PARA A OPERAÇÃO DO SISTEMA ELÉTRICO BRASILEIRO

A GERAÇÃO EÓLICA E OS DESAFIOS PARA A OPERAÇÃO DO SISTEMA ELÉTRICO BRASILEIRO 1 A GERAÇÃO EÓLICA E OS DESAFIOS PARA A OPERAÇÃO DO SISTEMA ELÉTRICO BRASILEIRO Angela C. S. L. Guimarães Pedro Bezerra Companhia Hidro Elétrica do São Francisco - Chesf 2 PROPOSTA DO TRABALHO MOTIVAÇÃO

Leia mais

A implantação de empreendimentos eólicos e

A implantação de empreendimentos eólicos e I Jornada Internacional sobre Energias Renováveis, veis, Eficiência Energética e Poder Local Betim, mar/09 A implantação de empreendimentos eólicos e pela Cemig Alexandre Heringer Lisboa O vento, ao incidir

Leia mais

Sistemas de Energia (SIE)

Sistemas de Energia (SIE) Sistemas de Energia (SIE) Aula 08 Energia Eólica. Prof: Christian dos Santos christian.santos@ifsc.edu.br Plano de aula Objetivos - Fontes renováveis - Energia Eólica. - Vantagens e Desvantagens Energia

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA-CAMPUS ARARANGUÁ JOANA EMILIE DA SILVA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE ENERGIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA-CAMPUS ARARANGUÁ JOANA EMILIE DA SILVA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE ENERGIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA-CAMPUS ARARANGUÁ JOANA EMILIE DA SILVA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE ENERGIA ARARANGUÁ 2015 1 ANÁLISE DO RECURSO E POTENCIAL EÓLICO

Leia mais

Energia Solar Fotovoltaica: Diagnóstico e Cenários Ronaldo Koloszuk Paulo Bacil

Energia Solar Fotovoltaica: Diagnóstico e Cenários Ronaldo Koloszuk Paulo Bacil FIESP Reunião de Diretoria de Energia Energia Solar Fotovoltaica: Diagnóstico e Cenários Ronaldo Koloszuk Paulo Bacil Outubro, 2015 Cenário Mundial 01 Evolução global da capacidade instalada de energia

Leia mais

PEA 5002 Energia Eólica: Fundamentos e Viabilidade Técnica e Econômica Profa Eliane Fadigas - Sala A2-38 e.mail:

PEA 5002 Energia Eólica: Fundamentos e Viabilidade Técnica e Econômica Profa Eliane Fadigas - Sala A2-38 e.mail: PEA 5002 Energia Eólica: Fundamentos e Viabilidade Técnica e Econômica Profa Eliane Fadigas - Sala A2-38 e.mail: eliane@pea.usp.br tel: 30919839 Dewi Programa resumido: Estado da arte e evolução do mercado

Leia mais

Joaquim Rolim Jurandir Picanço. 08 de Julho de 2016

Joaquim Rolim Jurandir Picanço. 08 de Julho de 2016 FATOS RELEVANTES Joaquim Rolim Jurandir Picanço 08 de Julho de 2016 Estado debate simplificação de licença ambiental Fonte : DIARIO DO NORDESTE http://diariodonordeste.verdesmares.com.br/mobile/cadernos/negocios/estado-debate-simplificacaode-licenca-ambiental-1.1579637

Leia mais

Aula 16 assíncrona Conteúdo:

Aula 16 assíncrona Conteúdo: Aula 16 assíncrona Conteúdo: Fontes alternativas de energia: eólica e nuclear. Fontes alternativas de energia: Solar e biogás Habilidade: Valorizar os progressos da química e suas aplicações como agentes

Leia mais

A Energia na Cidade do Futuro

A Energia na Cidade do Futuro Ministério de Minas e Energia A Energia na Cidade do Futuro 2º Workshop Perspectivas da Matriz Elétrica Brasileira I Participação das Fontes Renováveis e Alternativas Campinas, 07 de junho de 2013 José

Leia mais

MERCADO DE ENERGIAS RENOVÁVEIS E GERAÇÃO DISTRIBUÍDA. Jurandir Picanço

MERCADO DE ENERGIAS RENOVÁVEIS E GERAÇÃO DISTRIBUÍDA. Jurandir Picanço MERCADO DE ENERGIAS RENOVÁVEIS E GERAÇÃO DISTRIBUÍDA Jurandir Picanço Novembro/2015 Cenários de Longo Prazo União Européia 2050 100% Renovável para eletricidade Consumo em TWh Fonte: WEC Word Energy Council

Leia mais

Anexo III. Pesquisa de satisfação

Anexo III. Pesquisa de satisfação Anexo III Pesquisa de satisfação Elaboração do Plano Diretor de Tecnologia da Informação PDTI 2014-2016 Página 1 de 7 1. Introdução Em maio de 2015 a ANVISA iniciou o processo formal de planejamento da

Leia mais

ENERGIAS RENOVÁVEIS E A MATRIZ ENERGÉTICA BRASILEIRA

ENERGIAS RENOVÁVEIS E A MATRIZ ENERGÉTICA BRASILEIRA ENERGIAS RENOVÁVEIS E A MATRIZ ENERGÉTICA BRASILEIRA Eng. Fabián Yaksic Gerente do Departamento de Tecnologia e Política Industrial da ABINEE Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica Presidente

Leia mais

O que é energia solar?

O que é energia solar? ENERGIA SOLAR Renováveis O sol, o vento, a água e a biomassa são as fontes mais promissoras de energia hoje. O mundo não precisa investir em mais usinas a carvão e deve investir em alternativas para os

Leia mais

Aproveitamento da energia eólica. Fontes alternativas de energia - aproveitamento da energia eólica 1

Aproveitamento da energia eólica. Fontes alternativas de energia - aproveitamento da energia eólica 1 Aproveitamento da energia eólica Fontes alternativas de energia - aproveitamento da energia eólica 1 Formas de aproveitamento Denomina-se energia eólica a energia cinética contida nas massas de ar em movimento

Leia mais

... um novo e sustentável ciclo de produção descentralizada de energia!

... um novo e sustentável ciclo de produção descentralizada de energia! Fontes Renováveis e a Expansão da Oferta de Energia Elétrica Set/2015... um novo e sustentável ciclo de produção descentralizada de energia! Blackout New York 14, August 2003 COGEN Associação da Indústria

Leia mais

Sistemas de Geração Eólica

Sistemas de Geração Eólica Cronograma Aula 1. Panorâma de geração eólica 22/11 Sistemas de Geração Eólica Aula 2. Operação de sistemas de geração eólica 29/11 Prof. Romeu Reginato Outubro de 2010 1 Aula 3. Tecnologias de geração

Leia mais

Jornal do Commercio Online 17/05/2015 Erros do setor elétrico chegam na conta do consumidor

Jornal do Commercio Online 17/05/2015 Erros do setor elétrico chegam na conta do consumidor Jornal do Commercio Online 17/05/2015 Erros do setor elétrico chegam na conta do consumidor http://jconline.ne10.uol.com.br/canal/economia/pernambuco/noticia/2015/05/17/erros-do-setoreletrico-chegam-na-conta-do-consumidor-181452.php

Leia mais

ICEI Índice de Confiança do Empresário Industrial Julho/07 Interiorização da Sondagem

ICEI Índice de Confiança do Empresário Industrial Julho/07 Interiorização da Sondagem Resultado do ICEI - Índice de Confiança do Empresário Industrial - nas Regionais FIESP Projeto de de Opinião CNI (DEPAR/DEPECON) Introdução A Sondagem Industrial é uma pesquisa qualitativa realizada trimestralmente

Leia mais

VANTAGENS E DESVANTAGENS DA ENERGIA EÓLICA

VANTAGENS E DESVANTAGENS DA ENERGIA EÓLICA VANTAGENS E DESVANTAGENS DA ENERGIA EÓLICA A energia eólica é hoje considerada uma das mais promissoras fontes naturais de energia. No caso brasileiro, a nossa energética sempre foi, historicamente, atrelada

Leia mais

ENERGIA EÓLICA NO BRASIL

ENERGIA EÓLICA NO BRASIL ENERGIA EÓLICA NO BRASIL (Desenvolvimento e Incentivos) Edvaldo Santana, Dr Aymoré de Castro Alvim Filho, Dr ANEEL 10/02/2009 Lisboa - Portugal SUMÁRIO Panorama Geral Caracterização do Setor Elétrico Brasileiro

Leia mais

Profa. Eliane Fadigas Prof. Alberto Bianchi

Profa. Eliane Fadigas Prof. Alberto Bianchi PEA 2200 Energia, Meio Ambiente e Sustentabilidade Energia Eólica Profa. Eliane Fadigas Prof. Alberto Bianchi slide 1 / 30 Detalhes de um aerogerador de eixo horizontal Pás de rotor Caixa de multiplicação

Leia mais

ENERGIA EÓLICA COMO FONTE LIMPA DE ELETRICIDADE

ENERGIA EÓLICA COMO FONTE LIMPA DE ELETRICIDADE ENERGIA EÓLICA COMO FONTE LIMPA DE ELETRICIDADE Gustavo Martins Russo Geógrafo UFF E-mail: gustavorusso87@gmail.com 1. INTRODUÇÃO A humanidade sempre sobreviveu em funcão da geração de energia, e esta

Leia mais

Evolução do mercado brasileiro de energia elétrica Agenda CCEE 2016

Evolução do mercado brasileiro de energia elétrica Agenda CCEE 2016 Evolução do mercado brasileiro de energia elétrica Agenda CCEE 2016 29/09/2015 3º Encontro Nacional de Consumidores Livres Rui Altieri Presidente do Conselho de Administração Agenda A CCEE Comercialização

Leia mais

Principais desafios e melhores práticas voltadas á operação na visão do ONS

Principais desafios e melhores práticas voltadas á operação na visão do ONS Principais desafios e melhores práticas voltadas á operação na visão do ONS Flávio Guimarães Lins Gerente de Pré-operação e Tempo Real do ONS/COSR-NE Natal-RN, 27 de junho de 2017 Sumário Os Centros de

Leia mais

INTEGRAÇÃO DE FONTES RENOVÁVEIS NÃO DESPACHÁVEIS NO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL ALESSANDRA MACIEL - ONS

INTEGRAÇÃO DE FONTES RENOVÁVEIS NÃO DESPACHÁVEIS NO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL ALESSANDRA MACIEL - ONS INTEGRAÇÃO DE FONTES RENOVÁVEIS NÃO DESPACHÁVEIS NO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL ALESSANDRA MACIEL - ONS Sumário Evolução da capacidade instalada e expansão prevista Geração, fator de capacidade e recordes

Leia mais

PRODUTO INTERNO BRUTO DO DISTRITO FEDERAL

PRODUTO INTERNO BRUTO DO DISTRITO FEDERAL PRODUTO INTERNO BRUTO DO DISTRITO FEDERAL 2010 Produto Interno Bruto - PIB Corresponde ao valor a preços de mercado, de todos os bens e serviços finais produzidos em um território, num determinado período

Leia mais

Crítica ao Plano Decenal de Expansão da Energia 2008-2017

Crítica ao Plano Decenal de Expansão da Energia 2008-2017 Crítica ao Plano Decenal de Expansão da Energia 2008-2017 Introdução No dia 23 de dezembro de 2008, o Ministério de Minas e Energia abriu para consulta pública a nova versão do Plano Decenal de Expansão

Leia mais

Apimec RJ. Energias Renováveis. Gustavo Estrella Diretor de Relações com Investidores

Apimec RJ. Energias Renováveis. Gustavo Estrella Diretor de Relações com Investidores Apimec RJ Energias Renováveis Gustavo Estrella Diretor de Relações com Investidores Agenda Oferta de energia Brasil x Mundo Perspectiva de Expansão da oferta de energia no Brasil Fontes Curto prazo Hidráulica

Leia mais

Boletim Mensal de Geração Eólica Dezembro/2014

Boletim Mensal de Geração Eólica Dezembro/2014 Dezembro/214 Operador Nacional do Sistema Elétrico - ONS Diretoria de Operação DOP Centro Nacional de Operação do Sistema CNOS Gerência Executiva de Pós-Operação, Análise e Estatística da Operação GOA

Leia mais

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade Agência Nacional de Telecomunicações Entidade Aferidora da Qualidade Qualidade da Banda Larga Publicação de Indicadores (agosto/13) setembro de 2013 Medição Banda Larga Fixa (SCM) Para a medição da banda

Leia mais

EM PORTUGAL. As Energias do Presente e do Futuro. Situação, objectivo e desafios. Lisboa, 21 de Novembro de Álvaro Rodrigues

EM PORTUGAL. As Energias do Presente e do Futuro. Situação, objectivo e desafios. Lisboa, 21 de Novembro de Álvaro Rodrigues As Energias do Presente e do Futuro Lisboa, 21 de Novembro de 2005 ENERGIA EÓLICA E EM PORTUGAL Situação, objectivo e desafios Álvaro Rodrigues Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto Instituto

Leia mais

Aula 6 Fontes Convencionais Geração Hidráulica

Aula 6 Fontes Convencionais Geração Hidráulica PEA 3100 Energia, Meio Ambiente e Sustentabilidade Aula 6 Fontes Convencionais Geração Hidráulica Conceitos básicos A usina hidrelétrica Tipologia Energia hidráulica no Brasil slide 1 / 35 Geração hidrelétrica

Leia mais

Principais desafios e melhores práticas voltadas á operação na visão do ONS

Principais desafios e melhores práticas voltadas á operação na visão do ONS Principais desafios e melhores práticas voltadas á operação na visão do ONS Flávio Guimarães Lins Gerente de Pré-operação e Tempo Real do ONS/COSR-NE Natal-RN, 27 de junho de 2017 Sumário Os Centros de

Leia mais

63 mil. 63,5 Milhões de consumidores. Empregados. Países. 5 Continentes. 85 GW Capacidade instalada. 2,2 milhões de km Extensão de rede.

63 mil. 63,5 Milhões de consumidores. Empregados. Países. 5 Continentes. 85 GW Capacidade instalada. 2,2 milhões de km Extensão de rede. New era. New energy 35 Países 63 mil Empregados 63,5 Milhões de consumidores 5 Continentes 85 GW Capacidade instalada 2,2 milhões de km Extensão de rede Enel no mundo 2 Presença no Brasil 18 estados presentes

Leia mais

Panorama Mundial e Brasileiro das Energias Renováveis Jurandir Picanço

Panorama Mundial e Brasileiro das Energias Renováveis Jurandir Picanço Panorama Mundial e Brasileiro das Energias Renováveis Jurandir Picanço 09 de maio de 2018 Panorama das Energias Renováveis no Mundo Visão do Futuro Mundo 2050 Fonte: The Solutions Project Stanford University

Leia mais

A geração distribuída: marco regulatório, panorama atual e perspectivas para o futuro.

A geração distribuída: marco regulatório, panorama atual e perspectivas para o futuro. A geração distribuída: marco regulatório, panorama atual e perspectivas para o futuro. Bárbara Rubim Vice Presidente do Conselho ENASE, 24 de maio de 2018. A ABGD foi fundada em 2015 com o objetivo de

Leia mais

Profa. Eliane Fadigas Prof. Alberto Bianchi

Profa. Eliane Fadigas Prof. Alberto Bianchi PEA 2200 Energia, Meio Ambiente e Sustentabilidade Energia Eólica Profa. Eliane Fadigas Prof. Alberto Bianchi slide 1 / 30 Potencial energético do vento Energia Cinética: ocasionada pelo movimento de massas

Leia mais

Inovação na Geração de Energia Elétrica a partir do Bagaço de Cana

Inovação na Geração de Energia Elétrica a partir do Bagaço de Cana Universidade do Brasil - UFRJ - Instituto de Economia Grupo de Estudos do Setor Elétrico GESEL Grupo Sistemas Agroindustriais, Inovação e Competitividade 1 o Workshop do InfoSucro Inovação na Geração de

Leia mais

TÍTULO: ESTUDO DA INSTALAÇÃO DE UM SISTEMA HÍBRIDO DE GERAÇÃO DE ENERGIA (EÓLICA FOTOVOLTAICA) PARA O ASSENTAMENTO ELDORADO II

TÍTULO: ESTUDO DA INSTALAÇÃO DE UM SISTEMA HÍBRIDO DE GERAÇÃO DE ENERGIA (EÓLICA FOTOVOLTAICA) PARA O ASSENTAMENTO ELDORADO II TÍTULO: ESTUDO DA INSTALAÇÃO DE UM SISTEMA HÍBRIDO DE GERAÇÃO DE ENERGIA (EÓLICA FOTOVOLTAICA) PARA O ASSENTAMENTO ELDORADO II Orlando Moreira Júnior 1, Gabriela Pinheiro Telles 2, Tatiane M. Barbosa 2,

Leia mais

PERSPECTIVAS E PROJEÇÕES PARA O SETOR SUCROENERGÉTICO DO BRASIL

PERSPECTIVAS E PROJEÇÕES PARA O SETOR SUCROENERGÉTICO DO BRASIL PERSPECTIVAS E PROJEÇÕES PARA O SETOR SUCROENERGÉTICO DO BRASIL O FENÔMENO DOS CARROS FLEX E OS NOVOS USOS DO ETANOL 2 MERCADO AUTOMOTIVO BRASILEIRO Vendas de automóveis e comerciais leves por tipo de

Leia mais

Perspectiva da Gestão Técnica do Sistema Elétrico TEMA Resultados do Leilão de Expansão de Energia Eólica no Brasil

Perspectiva da Gestão Técnica do Sistema Elétrico TEMA Resultados do Leilão de Expansão de Energia Eólica no Brasil MESA REDONDA SOBRE ENERGIA EÓLICA PAINEL 1 Perspectiva da Gestão Técnica do Sistema Elétrico TEMA Resultados do Leilão de Expansão de Energia Eólica no Brasil Amilcar Guerreiro Diretor de Estudos Econômico-Energéticos

Leia mais

Física do Meio Ambiente

Física do Meio Ambiente Física do Meio Ambiente Tema: Energia Eólica no Brasil Alex Sandro De Lima 7580414 Rubens Parker 8604130 Energia Eólica É a energia cinética contida nas massas de ar em movimento (vento); Sua conversão

Leia mais

Cenário Setor Aéreo Brasileiro Ministro Maurício Quintella

Cenário Setor Aéreo Brasileiro Ministro Maurício Quintella Cenário Setor Aéreo Brasileiro Ministro Maurício Quintella A associação foi criada em 2012 Princípios ABEAR Padrões Internacionais Estado Eficiente Liberdade Tarifária 2002 2015 + Efeitos da liberdade

Leia mais

DISTRIBUIÇÕES DE VENTOS EXTREMOS. Função Densidade de Probabilidade para Ventos Extremos Tipo I (Gumbel) exp

DISTRIBUIÇÕES DE VENTOS EXTREMOS. Função Densidade de Probabilidade para Ventos Extremos Tipo I (Gumbel) exp II. DISTRIBUIÇÕES DE VENTOS EXTREMOS A seguir, são apresentadas as distribuições de probabilidade utilizadas no desenvolvimento dos mapas de ventos extremos para o Rio Grande do Sul, conforme descrito

Leia mais

EEE934 Impactode GD àsredes Elétricas (http://www.cpdee.ufmg.br/~selenios)

EEE934 Impactode GD àsredes Elétricas (http://www.cpdee.ufmg.br/~selenios) Universidade Federal de Minas Gerais Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica Área de Concentração: Engenharia de Potência EEE934 Impactode GD àsredes Elétricas (http://www.cpdee.ufmg.br/~selenios)

Leia mais

Planejamento Desenvolvimento Políticas Públicas. Ministério do Planejamento

Planejamento Desenvolvimento Políticas Públicas. Ministério do Planejamento Planejamento Desenvolvimento Políticas Públicas PPA 2012-2015 Agenda 1. O PPA 2012-2015 2. Princípios 3. Dimensões do Plano 4. Principais Mudanças 5. Estrutura e Conceitos 6. Elaboração do PPA 1. O PPA

Leia mais

Panorama da Geração de Energia Elétrica no Espírito Santo SÁVIO DA RÓS

Panorama da Geração de Energia Elétrica no Espírito Santo SÁVIO DA RÓS Panorama da Geração de Energia Elétrica no Espírito Santo SÁVIO DA RÓS 18 de Agosto de 2010 CT07 -Diversificação Econômica Coordenador: Fausto Costa Sub-Coordenador: Nelson Flávio GT 7.1 - Projeto Fontes

Leia mais

11. ESTUDO DE ANÁLISE DE RISCO PRINCIPAIS RESULTADOS DO ESTUDO DE ANÁLISE DE RISCO

11. ESTUDO DE ANÁLISE DE RISCO PRINCIPAIS RESULTADOS DO ESTUDO DE ANÁLISE DE RISCO 11. ESTUDO DE ANÁLISE DE RISCO 11.1. CONSIDERAÇÕES INICIAIS O Estudo de Análise de Risco EAR do empreendimento foi elaborado pela empresa GEOCONSULT Consultoria, Geologia & Meio Ambiente Ltda., tendo como

Leia mais

Boletim Mensal de Geração Eólica Julho/2015

Boletim Mensal de Geração Eólica Julho/2015 Julho/215 Operador Nacional do Sistema Elétrico - ONS Diretoria de Operação DOP Centro Nacional de Operação do Sistema CNOS Gerência Executiva de Pós-Operação, Análise e Estatística da Operação GOA Gerência

Leia mais

Mesa Redonda sobre Energia Eólica

Mesa Redonda sobre Energia Eólica Mesa Redonda sobre Energia Eólica Informação de Enquadramento 10 de Fevereiro de 2010 Tópicos para apresentação Produção e consumo de electricidade em Portugal Produção em regime especial Produção eólica

Leia mais

Tecnologias de Operação e Controle de Aerogeradores. Eng. Antonio Carlos de Barros Neiva MSc., MBA

Tecnologias de Operação e Controle de Aerogeradores. Eng. Antonio Carlos de Barros Neiva MSc., MBA Tecnologias de Operação e Controle de Aerogeradores Eng. Antonio Carlos de Barros Neiva MSc., MBA a.neiva@gmail.com Sumário Fundamentos de energia eólica Aerodinâmica aplicada Geradores e sistemas acessórios

Leia mais

II Workshop PROTENSÃO COMO SOLUÇÃO 04 a 06 de agosto de 2016 Protensão em Torres Eólicas Eng.º Ricardo Loiacono

II Workshop PROTENSÃO COMO SOLUÇÃO 04 a 06 de agosto de 2016 Protensão em Torres Eólicas Eng.º Ricardo Loiacono II Workshop PROTENSÃO COMO SOLUÇÃO 04 a 06 de agosto de 2016 Protensão em Torres Eólicas Eng.º Ricardo Loiacono ENERGIA EÓLICA NO BRASIL E NO MUNDO O Brasil tem alguns dos melhores ventos do mundo, três

Leia mais

Um Programa de Eólica para o Brasil

Um Programa de Eólica para o Brasil Energias renováveis: potencial, limitações e relevância no atual cenário de mudanças climáticas Um Programa de Eólica para o Brasil Lauro Fiuza Jr. Adão Linhares Muniz ABEEólica Navio Arctic Sunrise -

Leia mais

Perspectivas da Energia Eólica no Brasil

Perspectivas da Energia Eólica no Brasil Perspectivas da Energia Eólica no Brasil Belo Horizonte, MG 20 de agosto de 2008 Fábio Medeiros Sumário Situação atual da energia eólica no mundo. Situação e perspectivas da energia eólica no Brasil. Primeiras

Leia mais

Sistema elétrico. Geração Transmissão Transformação

Sistema elétrico. Geração Transmissão Transformação Sistema elétrico O sistema elétrico está formado pelo conjunto de estruturas e obras civis responsáveis por enviar energia elétrica aos consumidores O sistema elétrico está dividido em 3 partes principais

Leia mais

A Situação das Energias Renováveis no Brasil. Newton J. L. Duarte COGEN. 17 de Maio de 2019

A Situação das Energias Renováveis no Brasil. Newton J. L. Duarte COGEN. 17 de Maio de 2019 A Situação das Energias Renováveis no Brasil Newton J. L. Duarte COGEN 17 de Maio de 2019 1 Matriz Elétrica Brasileira 105 (64%) 15 (9%) 2019 2027 2,8 (1%) 13,6 (13,6) 20 (9%)) 23 (11%) 9 (6%) 8,6 (4%)

Leia mais

Fórum Global de Mobilidade Elétrica

Fórum Global de Mobilidade Elétrica PROGRAMA DE ENGENHARIA DE TRANSPORTES (PET) Fórum Global de Mobilidade Elétrica PLANEJANDO O USO DE TRAÇÃO ELÉTRICA PARA O TRANSPORTE URBANO. EXPERIÊNCIA DA COPPE NO BRASIL. MÁRCIO D AGOSTO dagosto@pet.coppe.ufrj.br

Leia mais

A Tecnologia eólica na geração de energia elétrica

A Tecnologia eólica na geração de energia elétrica Dewi A Tecnologia eólica na geração de energia elétrica Profa Eliane Amaral Fadigas GEPEA Grupo de Energia / Dept. de Engenharia de Energia e Automação Elétricas Escola Politécnica Núcleo de Energia Renovável

Leia mais

A Vocação e a Participação das Fontes Alternativas na Matriz Energética Brasileira. Fábio Sales Dias Diretor Executivo- APMPE

A Vocação e a Participação das Fontes Alternativas na Matriz Energética Brasileira. Fábio Sales Dias Diretor Executivo- APMPE A Vocação e a Participação das Fontes Alternativas na Matriz Energética Brasileira Fábio Sales Dias Diretor Executivo- APMPE São Paulo, 25 de agosto de 2009 Resumo Potencial Hídrico Brasileiro PCH no Brasil

Leia mais

COMPANHIA ENERGÉTICA DE MINAS GERAIS

COMPANHIA ENERGÉTICA DE MINAS GERAIS COMPANHIA ENERGÉTICA DE MINAS GERAIS ATO REGULATÓRIO: Consulta Pública CP nº 004/2014 AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL EMENTA: Obter subsídios com vistas ao aprimoramento do novo procedimento

Leia mais

Geração Distribuída Energia Solar. Eng Carlos Ribeiro

Geração Distribuída Energia Solar. Eng Carlos Ribeiro 04 2014 Geração Distribuída Energia Solar Eng Carlos Ribeiro Grupo Enel Presença no mundo 40 países 97 GW de capacidade instalada 297 TWh de energia elétrica gerada 61 milhões de clientes 84 bilhões de

Leia mais

Pegada de Carbono da Cadeia de Valor do Alumínio

Pegada de Carbono da Cadeia de Valor do Alumínio Pegada de Carbono da Cadeia de Valor do Alumínio Ayrton Filleti Associação Brasileira do Alumínio ABAL Ciclo de Debates Abralatas, São Paulo, 07/10/2010 Indústria do Alumínio no Mundo - 2008 BAUXITA Produção

Leia mais

SEMINÁRIO GESTÃO DO USO DA ENERGIA ELÉTRICA NO SANEAMENTO

SEMINÁRIO GESTÃO DO USO DA ENERGIA ELÉTRICA NO SANEAMENTO AESBE ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS EMPRESAS ESTADUAIS DE SANEAMENTO SEMINÁRIO GESTÃO DO USO DA ENERGIA ELÉTRICA NO SANEAMENTO Importância e dimensões do problema Rio de Janeiro Março / 2013 Airton S. Gomes

Leia mais

CENTRAIS GERADORAS EÓLICAS

CENTRAIS GERADORAS EÓLICAS INSTRUÇÕES PARA REQUERIMENTO AO ONS DE PARECER OU DOCUMENTO EQUIVALENTE DE ACESSO AO SISTEMA DE TRANSMISSÃO PARA FINS DE CADASTRAMENTO NA EPE COM VISTAS À HABILITAÇÃO TÉCNICA AO LEILÃO DE ENERGIA DE RESERVA

Leia mais

Prof.(a): Aline Carvalho Aluno:Valdecir Ribas Vecchiato

Prof.(a): Aline Carvalho Aluno:Valdecir Ribas Vecchiato Energia Eólica Prof.(a): Aline Carvalho Aluno:Valdecir Ribas Vecchiato Energia Eólica A energia eólica provém da radiação solar uma vez que os ventos são gerados pelo aquecimento não uniforme da superfície

Leia mais

WEG DAY. WEG Eólica. João Paulo Silva. Maio 2016

WEG DAY. WEG Eólica. João Paulo Silva. Maio 2016 WEG DAY WEG Eólica João Paulo Silva Maio 2016 1. Histórico da WEG no segmento eólico Fornecimento de subestações e transformadores para parques eólicos, com potência instalada total de 1.281,85 MW. Desenvolvimento

Leia mais

Ref.: Contribuições do Greenpeace Brasil para aprimoramento da proposta apresentada para o Plano Decenal de Expansão de Energia - PDE 2024

Ref.: Contribuições do Greenpeace Brasil para aprimoramento da proposta apresentada para o Plano Decenal de Expansão de Energia - PDE 2024 Greenpeace Brasil Rua Fradique Coutinho, 352 São Paulo - SP - 05416-000 Ao Ministério de Minas e Energia pde2024@mme.gov.br São Paulo, 7 de outubro de 2015 Ref.: Contribuições do Greenpeace Brasil para

Leia mais