Representantes da Fehosp na Comissão Estadual Maria Fátima da Conceição Hermínia Maria Martins

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Representantes da Fehosp na Comissão Estadual Maria Fátima da Conceição Hermínia Maria Martins"

Transcrição

1 RELATÓRIO DA 2ª REUNIÃO DA COMISSÃO ESTADUAL DE MONITORAMENTO DO AUXÍLIO FINANCEIRO ÀS INSTITUIÇÕES FILANTRÓPICAS - SANTA CASA SUSTENTÁVEL REALIZADA EM 18/03/2016. Representantes da Fehosp na Comissão Estadual Maria Fátima da Conceição Hermínia Maria Martins

2 REPRESENTAÇÃO DO COSEMS A representante do COSEMS enviou mensagem eletrônica no dia 17/03/16, informando que a Diretoria do COSEMS deliberou pela não participação nesta Comissão, alegando a não pactuação da referida política em espaço Bipartite (CIB).

3 NÚCLEO TÉCNICO EXECUTIVO Representantes do Núcleo Técnico Executivo fizeram apresentação do condensado dos resultados do ano I do Auxílio Financeiro às Instituições Filantrópicas - Santa Casa SUStentável, onde destacou-se a evolução positiva do desempenho do conjunto dos hospitais quanto à pontuação obtida por estes, conforme previsto no monitoramento dos indicadores.

4 FINALIZAÇÃO DO PRIMEIRO ANO Até dezembro encerrada a inserção dos dados. Até janeiro Comissões Regionais finalizaram as avaliações. Até fevereiro 2016 Consolidação das Avaliações.

5 ALCANCE DAS METAS ANO I

6 OBSERVAÇÃO 1º TRIMESTRE: PERÍODO DE CAPACITAÇÃO E IMPLANTAÇÃO DOS MÓDULOS DE REGULAÇÃO. NÃO FOI UTILIZADO NA AVALIAÇÃO DO ALCANCE DAS METAS.

7 OBSERVAÇÃO 1º TRIMESTRE: PERÍODO DE CAPACITAÇÃO E IMPLANTAÇÃO DOS MÓDULOS DE REGULAÇÃO. NÃO FOI UTILIZADO NA AVALIAÇÃO DO ALCANCE DAS METAS.

8 OBSERVAÇÃO 1º TRIMESTRE: PERÍODO DE CAPACITAÇÃO E IMPLANTAÇÃO DOS MÓDULOS DE REGULAÇÃO. NÃO FOI UTILIZADO NA AVALIAÇÃO DO ALCANCE DAS METAS.

9

10 QUESTÕES LEVANTADAS E AS PROPOSTAS DA COMISSÃO 1 Definição da base de cálculo, que norteará os valores financeiros para a renovação dos convênios para o Ano III Proposta: retornar à produção MAC sem FAEC do respectivo hospital. 2 Período de produção MAC a ser utilizado: Proposta: utilizar a produção apresentada e paga pelo Ministério da Saúde conforme dados do SIH e SIA, sem a produção FAEC, do período de Janeiro a Dezembro de Considerar que a série histórica de produção MAC sem FAEC de 2015 é superior à série do período anteriormente utilizado (junho de 2012 a maio de 2013) o que deverá implicar em impacto financeiro a maior, com algumas exceções

11 QUESTÕES LEVANTADAS E AS PROPOSTAS DA COMISSÃO 3 Faixas de pontuação e percentuais de corte a serem aplicados: Proposta: manter os percentuais de cortes de acordo com as respectivas faixas de pontuação obtidas no processo de monitoramento atualmente aplicado, descrito na tabela abaixo: Pontuação Corte 00,00-10% E x c l u s ã o 10,01 50% 30% 50,01 60% 20% 60,01 70% 10% 70,01 75% 5% 75,01 100% 0%

12 INSTITUIÇÃO A01. CNES Atualizado A02.1. CID Secundário Informado - Pediatria A02.2. CID Secundário Preenchido - Ginecologia A02.3. CID Secundário Informado - Clínica Médica A02.4. CID Secundário Informado - Clínica Cirúrgica A03. Atualização do Módulo Pré-Hospitalar, do Portal CROSS TOTAL SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE COORDENADORIA REGIONAL DE SAÚDE PAINEL - SUSTENTÁVEL - NOTAS - ANO I A05. Atualização Diária do Módulo de Regulação de Leitos, do Portal CROSS 17.SC DE S J DOS CAMPOS A04. Atendimento de Urgência/Emergência Disponibilizado na Central de Regulação de Urgências A06. Atualização Diária do Módulo de Regulação de Ambulatorial (Recepção), do Portal CROSS A07. Disponibilização Mensal da Agenda Ambulatorial, no Portal CROSS A08. Protocolo de Acolhimento e de Classificação de Riscos A09. Alta Hospitalar Qualificada A10. Custos Por Absorção A11. Política Estadual de Humanização A12. Apresentação das AIH no mês subsequente da Alta do Paciente A13. Apresentação da Produção Ambulatorial SUS no mês subsequente da Realização A14. Caracterização correta do Caráter de Internação (Urgência/Eletiva) das AIH A15.1. Comissões - Ética Médica A15.3. Comissões - Óbito A15.4. Comissões - Prontuários A16. Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes A17. Plano de Atendimento a Desastres e Incidentes com múltiplas vítimas A18.1. Licença de Funcionamento da VISA INDICADOR A15.2. Comissões - Controle de Infecção Hospitalar A18.2. Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB) A19. Taxa de Suspensão de Cirurgia por Motivos Administrativos A20. Taxa de Recusa de Solicitação da Central de Regulação de Urgências A21. Percentual de Vaga Zero A22. Educação Permanente - Capacitações e Treinamentos A23.1. Balanço Patrimonial - Liquidez Corrente (LC) A23.2. Balanço Patrimonial - Liquidez Geral (LG) A23.3. Balanço Patrimonial - Solvência Geral (SG) B01. Taxa de Alcance da Produção Conveniada/Contratada - Ambulatorial e Hospitalar B02. Taxa de Ocupação (leitos SUS - Clínica Cirúrgica e Clínica Médica) B03. Taxa de Ocupação de Leitos de Terapia Intensiva B04. Tempo Médio de Permanência - Especialidade Clínica B05. Tempo Médio de Permanência - Especialidade Clínica Cirúrgica B06. Tempo Médio de Permanência - UTI B07. Taxa de Mortalidade Institucional B08. Indicação de Infecção Hospitalar B09. Incidência de Queda de Paciente 3º TRIMESTRE 4º TRIMESTRE ,5 0,5 0,5 0,5 0,5 0,5 0,5 0, NOTA % ALCANCE 53,61% 81,44% 53, ,44 = 135,05 135,05 / 2 = 67,52 Média alcançada = 67,52 Como chegou a esse percentual Máximo 97 pontos 52 pontos *100/97 = 53,61% = 65 67, = 80 82,47 67,01 +82,47 =149,48 149,48/2 = 74,52 EXEMPLO DE CALCULO DA MÉDIA DESTA AVALIAÇÃO

13 Pontuação Corte Pontuação Alcançável 00,00-10% E x c l u s ã o 10,01 50% 30% 50,01 60% 20% 60,01 70% 10% 67,52 70,01 75% 5% 74,52 75,01 100% 0%

14 QUESTÕES LEVANTADAS E AS PROPOSTAS DA COMISSÃO 4 Período de avaliação a ser utilizado para definição dos valores financeiros a serem praticados na ocasião da renovação do convênio para o ano III: Proposta: primeiro semestre do ano II.

15 CONGRESSO Contratualização Filantropia SANI Sistema de Gestão de Convênios e Prestação de Contas Gestão para Além da Tabela Cases de sucesso Centro de Serviços Compartilhados Eficiência Energética e Compra de Energia SND Lavanderia Farmácia Judicialização na Saúde

Secretaria de Estado da Saúde SP Coordenadoria de Regiões de Saúde - CRS. Painel Santa Casa SUStentável

Secretaria de Estado da Saúde SP Coordenadoria de Regiões de Saúde - CRS. Painel Santa Casa SUStentável Painel Santa Casa SUStentável Em 11 de dezembro de 2013 foi realizado o lançamento do Programa de auxílio às Santas Casas e hospitais filantrópicos do Estado de São Paulo. O projeto, conhecido como Santa

Leia mais

SAÍDAS HOSPITALARES Serviços Contratados Meta Realizado % Alcance das Metas Clínica Médica 136 146 93,38 % Saídas Clínica Cirúrgica 160

SAÍDAS HOSPITALARES Serviços Contratados Meta Realizado % Alcance das Metas Clínica Médica 136 146 93,38 % Saídas Clínica Cirúrgica 160 SAÍDAS HOSPITALARES Serviços Contratados Meta Realizado % Alcance das Metas Clínica Médica 136 146 93,38 % Saídas Clínica Cirúrgica 160 83 63,75% Hospitalares TOTAL DE SAÍDAS 296 229 77,36% Fonte: MV SOUL:

Leia mais

Circular 067/2017 São Paulo, 02 de Fevereiro de 2016.

Circular 067/2017 São Paulo, 02 de Fevereiro de 2016. Circular 067/2017 São Paulo, 02 de Fevereiro de 2016. PROVEDOR(A) ADMINISTRADOR(A) Aprova modificações na forma de pontuação e de apresentação de indicadores do Mapa de es para o monitoramento da Estratégia

Leia mais

Programa de Apoio e Qualificação dos Hospitais Públicos de Referência Local e Microrregional do Paraná - HOSPSUS Fase 3

Programa de Apoio e Qualificação dos Hospitais Públicos de Referência Local e Microrregional do Paraná - HOSPSUS Fase 3 Programa de Apoio e Qualificação dos Hospitais Públicos de Referência Local e Microrregional do Paraná - HOSPSUS Fase 3 Paraná 2013 HOSPSUS FASE 3 Objetivos: - Apoiar os Hospitais de referência local e

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE ASSISTÊNCIA HOSPITALAR E AMBULATORIAL DEPARTAMENTO DE AÇÕES EM SAÚDE

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE ASSISTÊNCIA HOSPITALAR E AMBULATORIAL DEPARTAMENTO DE AÇÕES EM SAÚDE NOTA TÉCNICA Assunto: Leitos de Saúde Mental Integral DA HABILITAÇÃO 1. No Estado do Rio Grande do Sul, os leitos de saúde mental integral terão duas formas de habilitação: federal, quando se tratarem

Leia mais

MANUAL DE PROCESSOS EME01 - INTERNAR PACIENTE DO PRONTO SOCORRO

MANUAL DE PROCESSOS EME01 - INTERNAR PACIENTE DO PRONTO SOCORRO MANUAL DE PROCESSOS EME01 - INTERNAR PACIENTE DO PRONTO SOCORRO SUMÁRIO GLOSSÁRIO (SIGLAS, SIGNIFICADOS)... 3 I. OBJETIVO DO PROCESSO... 5 II. ÁREAS ENVOLVIDAS... 5 III. DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES... 5 IV.

Leia mais

A importância dos Indicadores para a medição de resultados e aprimoramento da gestão MARISA MADI 12 de março de 2018

A importância dos Indicadores para a medição de resultados e aprimoramento da gestão MARISA MADI 12 de março de 2018 A importância dos Indicadores para a medição de resultados e aprimoramento da gestão MARISA MADI 12 de março de 2018 1 0 Fórum Somos SUStentáveis da Fehosp SUMÁRIO CENÁRIO INDICADORES VALOR REFLEXÕES CONTEXTO

Leia mais

Hospital da Mulher. Maria José dos Santos Stein

Hospital da Mulher. Maria José dos Santos Stein Hospital da Mulher Maria José dos Santos Stein Hospital da Mulher Maria José dos Santos Stein Fundado em agosto de 2008 parceria da Prefeitura com a FUABC É hoje o maior centro de referência em saúde da

Leia mais

Política Nacional de Atenção às Urgências. Componente Hospitalar da Rede de Atenção às Urgências:

Política Nacional de Atenção às Urgências. Componente Hospitalar da Rede de Atenção às Urgências: NOTA TÉCNICA 29 2011 Política Nacional de Atenção às Urgências Componente Hospitalar da Rede de Atenção às Urgências: Portas de Entrada Hospitalares de Urgência Enfermarias Clínicas de Retaguarda Enfermarias

Leia mais

PORTARIA Nº 2.395, DE 11 DE OUTUBRO DE 2011

PORTARIA Nº 2.395, DE 11 DE OUTUBRO DE 2011 PORTARIA Nº 2.395, DE 11 DE OUTUBRO DE 2011 Organiza o Componente Hospitalar da Rede de Atenção às Urgências no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE, no uso da atribuição

Leia mais

ACREDITAÇÃO HOSPITALAR: METODOLOGIA QUE GARANTE A MELHORIA DA GESTÃO DE PROCESSOS DA INSTITUIÇÃO

ACREDITAÇÃO HOSPITALAR: METODOLOGIA QUE GARANTE A MELHORIA DA GESTÃO DE PROCESSOS DA INSTITUIÇÃO ACREDITAÇÃO HOSPITALAR: METODOLOGIA QUE GARANTE A MELHORIA DA GESTÃO DE PROCESSOS DA INSTITUIÇÃO Setembro 2008 Hoje Visão sistêmica Foco: Atuação das Pessoas Hospitalidade Gestão de risco Anos 90 Foco:

Leia mais

IV Encontro Pedagógico do IFAM

IV Encontro Pedagógico do IFAM IV Encontro Pedagógico do IFAM Mesa temática III: Órgãos Reguladores e Processos de Auditoria na EPT Palestrante: Samara Santos dos Santos Responsável pela Auditoria Interna do IFAM Manaus, 01 de junho

Leia mais

ATUAÇÃO DA CCIH NO CONTROLE DAS INFECÇÕES HOSPITALARES

ATUAÇÃO DA CCIH NO CONTROLE DAS INFECÇÕES HOSPITALARES ATUAÇÃO DA CCIH NO CONTROLE DAS INFECÇÕES HOSPITALARES Francisco Eugênio Deusdará de Alexandria e Mestrando em Genética e Toxicologia Aplicada Em muitos países o controle e prevenção das infecções hospitalares

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE COORDENADORIA DE SERVIÇOS DE SAÚDE - CSS

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE COORDENADORIA DE SERVIÇOS DE SAÚDE - CSS Os objetivos deste modelo de regimento visam a padronização de critérios importantes para melhorar o funcionamento da comissão, estabelecer condições mínimas de composição e fortalecer a comissão junto

Leia mais

NOTA TÉCNICA. Assunto: Esclarecimentos sobre Leito 87- Leito de Saúde Mental

NOTA TÉCNICA. Assunto: Esclarecimentos sobre Leito 87- Leito de Saúde Mental MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE REGULAÇÃO, AVALIAÇÃO E CONTROLE DE SISTEMAS DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO ESPECIALIZADA E TEMÁTICA COORDENAÇÃO-GERAL DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

Leia mais

Página 2 de 5 01 Centro de Referência para até 12.000 casos novos anuais 02 Centros de Referência para >12.000-24.000 casos novos anuais 03 Centros de

Página 2 de 5 01 Centro de Referência para até 12.000 casos novos anuais 02 Centros de Referência para >12.000-24.000 casos novos anuais 03 Centros de Página 1 de 5 ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde PORTARIA Nº 741, DE 19 DE DEZEMBRO DE 2005 O Secretário de Atenção

Leia mais

MANUAL DE PROCESSOS EME02 - TRANSFERIR PACI- ENTE DO PRONTO SOCORRO PARA UNID. ASSISTENCIAL

MANUAL DE PROCESSOS EME02 - TRANSFERIR PACI- ENTE DO PRONTO SOCORRO PARA UNID. ASSISTENCIAL MANUAL DE PROCESSOS EME02 - TRANSFERIR PACI- ENTE DO PRONTO SOCORRO PARA UNID. ASSISTENCIAL SUMÁRIO GLOSSÁRIO (SIGLAS, SIGNIFICADOS)... 3 I. OBJETIVO DO PROCESSO... 5 II. ÁREAS ENVOLVIDAS... 5 III. DESCRIÇÃO

Leia mais

AUDIENCIA PÚBLICA NA COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMILIA. TEMA : Debater o reajuste da tabela do SUS aplicável aos hospitais filantrópicos

AUDIENCIA PÚBLICA NA COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMILIA. TEMA : Debater o reajuste da tabela do SUS aplicável aos hospitais filantrópicos AUDIENCIA PÚBLICA NA COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMILIA TEMA : Debater o reajuste da tabela do SUS aplicável aos hospitais filantrópicos Março/15 Formas de transferências federais Per capita Incentivos

Leia mais

Circular 0009/2000 São Paulo, 04 de Janeiro de 2000.

Circular 0009/2000 São Paulo, 04 de Janeiro de 2000. Circular 0009/2000 São Paulo, 04 de Janeiro de 2000. Provedor(a) Administrador(a) Assunto: FIDEPS Minuta de Contrato de Metas Prezado(a) Senhor(a), O DOU nº. 249 E, de 29 12 99, traz publicada a Portaria

Leia mais

INDICADORES Relatório de Avaliações da Comissão

INDICADORES Relatório de Avaliações da Comissão 1 A01. CNES Atualizado PERTINENTE 3,00 3,00 2 A02.1. CID secundário informado - Pediatria PERTINENTE 1,00 1,00 3 A02.2. CID secundário informado - Obstetrícia PERTINENTE 1,00 1,00 4 A02.3. CID secundário

Leia mais

Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde

Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União PORTARIA Nº 2.994 DE 13 DE DEZEMBRO DE 2011 (*) Aprova a Linha de Cuidado do Infarto Agudo do Miocárdio e o Protocolo de Síndromes

Leia mais

Por determinação deste Conselho, fomos ao estabelecimento acima identificado verificar suas condições de funcionamento.

Por determinação deste Conselho, fomos ao estabelecimento acima identificado verificar suas condições de funcionamento. RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO Hospital Getúlio Vargas CNPJ 10.572.048/0005-51 Avenida San Martin, s/n Cordeiro Recife. Telefone: (81) 3184-5600, 3184-5607 Diretor Geral: Dr. Gustavo Sampaio de Souza Leão,

Leia mais

Curso de Integração. Competência do HSPM no atendimento ao Servidor Público Municipal

Curso de Integração. Competência do HSPM no atendimento ao Servidor Público Municipal SAÚDE Curso de Integração Competência do HSPM no atendimento ao Servidor Público Municipal Realização: DERH/Cogep/Sempla Apoio: Gestão de Talentos/HSPM/SMS NÚCLEO ADMINISTRATIVO DO HSPM: Dra. Regina Lúcia

Leia mais

INDICADORES Relatório de Avaliações da Comissão

INDICADORES Relatório de Avaliações da Comissão 1 A01. CNES Atualizado PERTINENTE 3,00 3,00 2 A02.1. CID secundário informado - Pediatria PERTINENTE 1,00 1,00 3 A02.2. CID secundário informado - Obstetrícia PERTINENTE 1,00 1,00 4 A02.3. CID secundário

Leia mais

A - FORMULÁRIO PARA VISTORIA DO GESTOR (deve ser preenchido e assinado pelo Gestor)(esse formulário não deve ser modificado e/ou substituído)

A - FORMULÁRIO PARA VISTORIA DO GESTOR (deve ser preenchido e assinado pelo Gestor)(esse formulário não deve ser modificado e/ou substituído) A - FORMULÁRIO PARA VISTORIA DO GESTOR (deve ser preenchido e assinado pelo Gestor)(esse formulário não deve ser modificado e/ou substituído) ALTA COMPLEXIDADE EM TRAUMATOLOGIA E ORTOPEDIA NOME DA UNIDADE:

Leia mais

Número de consultas médicas (SUS) por habitante F.1

Número de consultas médicas (SUS) por habitante F.1 Número de consultas médicas (SUS) por habitante F.1 1. Conceituação Número médio de consultas médicas apresentadas 1 no Sistema Único de Saúde (SUS) por habitante, em determinado espaço geográfico, no

Leia mais

INDICADORES Relatório de Avaliações da Comissão

INDICADORES Relatório de Avaliações da Comissão 1 A01. CNES Atualizado NÃO PERTINENTE 3,00 3,00 2 A02.1. CID secundário informado - Pediatria PERTINENTE 1,00 1,00 3 A02.2. CID secundário informado - Obstetrícia PERTINENTE 1,00 1,00 4 A02.3. CID secundário

Leia mais

POLÍTICA NACIONAL DE ATENÇÃO ONCOLÓGICA

POLÍTICA NACIONAL DE ATENÇÃO ONCOLÓGICA NOTA TÉCNICA 26 a 2005 POLÍTICA NACIONAL DE ATENÇÃO ONCOLÓGICA 1 26 a: NT revisada após CT de Atenção á Saúde em 26/10/2005. Brasília, 11 de novembro de 2005. I. Introdução: NOTA TÉCNICA 26a 2005 O Ministério

Leia mais

FÓRUM: o SNA em debate - 15 e 16 de dezembro de 2006 Brasília - DF

FÓRUM: o SNA em debate - 15 e 16 de dezembro de 2006 Brasília - DF Apresentadas no Fórum: o SNA em debate, realizado entre os dias 15 e 16 de dezembro de 2006, em Brasília/DF Implantação da Política Nacional de Auditoria do Sistema Único de Saúde, definindo o financiamento

Leia mais

PROJETO: CUIDADOS CONTINUADOS INTEGRADOS DO ESTADO DO PARANA

PROJETO: CUIDADOS CONTINUADOS INTEGRADOS DO ESTADO DO PARANA 1 PROJETO: CUIDADOS CONTINUADOS 2 ESTADO DO PARANÁ População IBGE 2010: 10.444.526 Municípios: 399 Regionais de Saúde: 22 3 PARANÁ - REGIONAIS DE SAÚDE 4 TOTAL DE HOSPITAIS Hospital geral: 429 Hospital

Leia mais

INDICADORES Relatório de Avaliações da Comissão

INDICADORES Relatório de Avaliações da Comissão 1 A01. CNES Atualizado NÃO PERTINENTE 3,00 0,00 2 A02.1. CID secundário informado - Pediatria PERTINENTE 1,00 1,00 3 A02.2. CID secundário informado - Obstetrícia PERTINENTE 1,00 1,00 4 A02.3. CID secundário

Leia mais

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO LATO SENSU A DISTÂNCIA EM GESTÃO ESCOLAR UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO LATO SENSU A DISTÂNCIA EM GESTÃO ESCOLAR UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO LATO SENSU A DISTÂNCIA EM GESTÃO ESCOLAR UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO INFORMES GERAIS PARA CURSISTAS OURO PRETO 2013 APRESENTAÇÃO O Curso de Especialização em Gestão Escolar

Leia mais

INTEGRANTE DA PORTARIA Nº 108 DE 27 DE OUTUBRO DE

INTEGRANTE DA PORTARIA Nº 108 DE 27 DE OUTUBRO DE ANEXO II - R.E.A. MODELO E INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE RELATÓRIO DE EXECUÇÃO DE ATIVIDADES REA - DA META DE MOBILIZAÇÃO SOCIAL PARA OCUPAÇÃO EM FORMAÇÃO ARTÍSTICA E CULTURAL DO PROGRAMA CENTROS DE ARTES

Leia mais

NORMA OPERACIONAL DO SISTEMA ÚNICO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL NOB/SUAS

NORMA OPERACIONAL DO SISTEMA ÚNICO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL NOB/SUAS NORMA OPERACIONAL DO SISTEMA ÚNICO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL NOB/SUAS 2.5 Condições de Habilitação e Desabilitação dos Municípios I. Da Habilitação Para habilitação dos municípios nos níveis de gestão definidos

Leia mais

PROJETO REVIVENDO O IASERJ

PROJETO REVIVENDO O IASERJ PROJETO REVIVENDO O IASERJ Proposta alternativa à cessão do IASERJ CENTRAL ao INCa Considerando que o servidor público estadual e seus dependentes ( aproximadamente 1.200.000 pessoas ) precisam ter suas

Leia mais

PRAZOS DE GUARDA (em anos) DESTINAÇÃO OBSERVAÇÕES. Unidade com atribuições de Arquivo. Unidade Produtora. Guarda Permanente.

PRAZOS DE GUARDA (em anos) DESTINAÇÃO OBSERVAÇÕES. Unidade com atribuições de Arquivo. Unidade Produtora. Guarda Permanente. ANEXO III - TABELA DE TEMPORALIDADE DE DOCUMENTOS DO HOSPITAL DE CLÍNICAS DA UNICAMP: ATIVIDADES-FIM (PARCIAL 01), ao que se refere o artigo 1 da Resolução GR nº 55/2013. UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS

Leia mais

Nº / ANO DA PROPOSTA: 035042/2011 DADOS DO CONCEDENTE. OBJETO: Aquisição de equipamento para o Hospital Amaral Carvalho.

Nº / ANO DA PROPOSTA: 035042/2011 DADOS DO CONCEDENTE. OBJETO: Aquisição de equipamento para o Hospital Amaral Carvalho. MINISTERIO DA SAUDE PORTAL DOS CONVÊNIOS SICONV - SISTEMA DE GESTÃO DE CONVÊNIOS Nº / ANO DA PROPOSTA: 035042/2011 OBJETO: Aquisição de equipamento para o Hospital Amaral Carvalho. DADOS DO CONCEDENTE

Leia mais

Gestão de projetos filantrópicos de apoio ao desenvolvimento institucional do SUS

Gestão de projetos filantrópicos de apoio ao desenvolvimento institucional do SUS Gestão de projetos filantrópicos de apoio ao desenvolvimento institucional do SUS Sérgio F R Zanetta Médico Sanitarista, MsC, Diretor de Filantropia do HSL Hospital Sírio-Libanês Nossa missão: a Sociedade

Leia mais

Padrão TISS - Componente de Conteúdo e Estrutura - Novembro 2013 330

Padrão TISS - Componente de Conteúdo e Estrutura - Novembro 2013 330 Padrão TISS - Componente de Conteúdo e Estrutura - Novembro 2013 330 Registro ANS Número da no prestador na 1 2 Registro ANS Nº da no prestador String 6 String 20 Registro da operadora de plano privado

Leia mais

Destaques Bradesco Saúde

Destaques Bradesco Saúde Destaques Bradesco Saúde Presença Nacional Consolidou a liderança do mercado brasileiro de saúde suplementar (em faturamento e em beneficiários) em 2014 12,4% de todas as operadoras de planos e seguros

Leia mais

ANÁLISE DOS RESULTADOS DA AVALIAÇÃO DOCENTE INSTITUCIONAL 2013-2015

ANÁLISE DOS RESULTADOS DA AVALIAÇÃO DOCENTE INSTITUCIONAL 2013-2015 AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL ELETRÔNICA 2015 NOTA EXPLICATIVA: I A metodologia de análise dos dados relativos à Avaliação Institucional Eletrônica /2015 considerou: a) os dados gerais da instituição, visando

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO TERAPIA NUTRICIONAL EM UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA

EDITAL DE SELEÇÃO TERAPIA NUTRICIONAL EM UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA EDITAL DE SELEÇÃO CURSO DE CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL PARA NUTRICIONISTAS: TERAPIA NUTRICIONAL EM UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA A Universidade Corporativa do Hospital Mãe de Deus torna pública a abertura

Leia mais

Aline Lemes de Souza Curriculum Vitae

Aline Lemes de Souza Curriculum Vitae Aline Lemes de Souza Curriculum Vitae Aline Lemes de Souza Curriculum Vitae Dados Pessoais Nome: Aline Lemes de Souza. Filiação: Antonio Lemes de Souza e Celestia Baron. Nascimento: 31/08/1988 - Modelo/SC

Leia mais

SÍNTESE DO LEVANTAMENTO DE DEMANDAS DE PROJETOS DO TERRITÓRIO

SÍNTESE DO LEVANTAMENTO DE DEMANDAS DE PROJETOS DO TERRITÓRIO SÍNTESE DO LEVANTAMENTO DE DEMANDAS DE PROJETOS DO TERRITÓRIO Ministério do Meio Ambiente O Projeto de Elaboração do Plano de Desenvolvimento Territorial Sustentável Socioambientais Prioritários/Vale do

Leia mais

EDITAL DO CONCURSO DE RESIDÊNCIA MÉDICA DO HOSPITAL EVANGÉLICO DE CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM/ES

EDITAL DO CONCURSO DE RESIDÊNCIA MÉDICA DO HOSPITAL EVANGÉLICO DE CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM/ES CONCURSO DE RESIDÊNCIA MÉDICA DO HOSPITAL EVANGÉLICO DE CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM/ES ANO 2012 EDITAL DO CONCURSO DE RESIDÊNCIA MÉDICA DO HOSPITAL EVANGÉLICO DE CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM/ES Cachoeiro de Itapemirim,

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA A REDE DE PRESTADORES GUIA DE SOLICITAÇÃO DE INTERNAÇÃO

MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA A REDE DE PRESTADORES GUIA DE SOLICITAÇÃO DE INTERNAÇÃO MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA A REDE DE PRESTADORES GUIA DE SOLICITAÇÃO DE INTERNAÇÃO Recife/2007 SUMÁRIO PAG I Objetivos... 02 II Orientações Gerais... 04 III Instruções para preenchimento da Guia de Resumo

Leia mais

INDICADORES Relatório de Avaliações da Comissão

INDICADORES Relatório de Avaliações da Comissão 1 A01. CNES Atualizado PERTINENTE 3,00 3,00 2 A02.1. CID secundário informado - Pediatria PERTINENTE 1,00 1,00 3 A02.2. CID secundário informado - Obstetrícia PERTINENTE 1,00 1,00 4 A02.3. CID secundário

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE RORAIMA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE RORAIMA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO PLANO DE TRABALHO PARA AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL ANO BASE 2014 2014 Apresentação A Comissão Própria de Avaliação CPA, órgão vinculado à Reitoria da Universidade Federal de Roraima, que tem por fundamentos

Leia mais

PORTARIA Nº 3.090, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2011 Legislações - GM Seg, 26 de Dezembro de 2011 00:00

PORTARIA Nº 3.090, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2011 Legislações - GM Seg, 26 de Dezembro de 2011 00:00 PORTARIA Nº 3.090, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2011 Legislações - GM Seg, 26 de Dezembro de 2011 00:00 PORTARIA Nº 3.090, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2011 Estabelece que os Serviços Residenciais Terapêuticos (SRTs),

Leia mais

ATENDIMENTO AO PÚBLICO 12 26 ATENDIMENTO AO PÚBLICO 12 22 MANIPULADOR DE ALIMENTOS 12 28

ATENDIMENTO AO PÚBLICO 12 26 ATENDIMENTO AO PÚBLICO 12 22 MANIPULADOR DE ALIMENTOS 12 28 ATENDIMENTO AO PÚBLICO 12 26 ATENDIMENTO AO PÚBLICO 12 22 MANIPULADOR DE ALIMENTOS 12 28 MANIPULADOR DE ALIMENTOS 12 25 O ATENDIMENTO À CRIANÇA NA EDUCAÇÃO INFANTIL: UM ESTUDO COMPARATIVO ENTRE DUAS INSTITUIÇÕES

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO PARA MÉDICOS

REGULAMENTO INTERNO PARA MÉDICOS REGULAMENTO INTERNO PARA MÉDICOS 1. CADASTRO Para atuar no Hospital São Luiz, todo médico tem de estar regularmente cadastrado. No momento da efetivação, o médico deve ser apresentado por um membro do

Leia mais

Audiência Pública Financiamento da Saúde. Comissão sobre o Financiamento do Sistema de Saúde do Brasil Brasília (DF), 23 de maio de 2013

Audiência Pública Financiamento da Saúde. Comissão sobre o Financiamento do Sistema de Saúde do Brasil Brasília (DF), 23 de maio de 2013 Audiência Pública Financiamento da Saúde Comissão sobre o Financiamento do Sistema de Saúde do Brasil Brasília (DF), 23 de maio de 2013 1 Federação Nacional de Saúde Suplementar Associadas: 17 grupos empresariais

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI EDITAL DE ABERTURA CPD Nº 08 CONCURSO PÚBLICO, DE 10 DE AGOSTO DE 2016. A Fundação Universidade Federal de São João

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO ESTADUAL. Portaria nº 237 de 31 de janeiro de 2008. O SECRETÁRIO DA SAÚDE DO ESTADO DA BAHIA no uso de suas atribuições:

SERVIÇO PÚBLICO ESTADUAL. Portaria nº 237 de 31 de janeiro de 2008. O SECRETÁRIO DA SAÚDE DO ESTADO DA BAHIA no uso de suas atribuições: SERVIÇO PÚBLICO ESTADUAL Portaria nº 237 de 31 de janeiro de 2008 O SECRETÁRIO DA SAÚDE DO ESTADO DA BAHIA no uso de suas atribuições: Considerando o inciso XI, do artigo 17, da Lei nº 8.080 de 19/09/1990,

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SÃO PAULO PARECER COREN-SP GAB Nº 046 / 2011

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SÃO PAULO PARECER COREN-SP GAB Nº 046 / 2011 PARECER COREN-SP GAB Nº 046 / 2011 1. Do fato Assunto: Dimensionamento de Pessoal de Enfermagem em Unidade de Terapia Intensiva. Solicitado parecer por enfermeiro sobre a realização de cálculo de dimensionamento

Leia mais

COMO ORGANIZAÇÃO SOCIAL. Caracterização e Desafios

COMO ORGANIZAÇÃO SOCIAL. Caracterização e Desafios O PAPEL DO INSTITUTO AGROPOLOS COMO ORGANIZAÇÃO SOCIAL Caracterização e Desafios leodilma@institutoagropolos.org.br Abril de 2012 Objetivos da Apresentação Constituição da Organização Social - Instituto

Leia mais

Resolução COFEN Nº. 293/2004

Resolução COFEN Nº. 293/2004 Resolução COFEN Nº. 293/2004 Anexo II METODOLOGIA DE CÁLCULO DE PESSOAL DE ENFERMAGEM I) UNIDADE DE INTERNAÇÃO 1-UNIDADE DE INTERNAÇÃO (UI): Local com infraestrutura adequada para a permanência do paciente

Leia mais

INFORMAÇÕES PARA S UBSÍDIAR POLÍTICAS DE S AÚDE

INFORMAÇÕES PARA S UBSÍDIAR POLÍTICAS DE S AÚDE Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Sócio-Econômicos PROJETO PARA APRESENTAÇÃO AO MINISTÉRIO DA SAÚDE INFORMAÇÕES PARA S UBSÍDIAR POLÍTICAS DE S AÚDE 1. IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO Título:

Leia mais

Circular 0159/2000 São Paulo, 17 de Maio de 2000.

Circular 0159/2000 São Paulo, 17 de Maio de 2000. [fesehf/cabecalho.htm] Circular 0159/2000 São Paulo, 17 de Maio de 2000. Assunto: Retirada de Órgãos para Transplantes Prezado (a) Senhor (a), Administrador(a) Faturamento O D.O.U nº 91 E, de 12/05/2000,

Leia mais

CURSO DE ATUALIZAÇÃO. Gestão das Condições de Trabalho e Saúde dos Trabalhadores da Saúde

CURSO DE ATUALIZAÇÃO. Gestão das Condições de Trabalho e Saúde dos Trabalhadores da Saúde CURSO DE ATUALIZAÇÃO Gestão das Condições de Trabalho e Saúde dos Trabalhadores da Saúde Promoção Integrada da Saúde dos Trabalhadores a partir da Implantação e Implementação da Mesa de Negociação Permanente

Leia mais

Faculdade AGES Credenciada pelo MEC Portaria 347/2001 Diário Oficial 23.02.01

Faculdade AGES Credenciada pelo MEC Portaria 347/2001 Diário Oficial 23.02.01 Faculdade AGES Credenciada pelo MEC Portaria 347/2001 Diário Oficial 23.02.01 PROPOSTA DE CURSO OU EVENTO DE EXTENSÃO ( ) CURSO DE EXTENSÃO (Atualização; Qualificação Profissional; Capacitação; Treinamento,

Leia mais

Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo TAXA DE OCUPAÇÃO DOS HOSPITAIS POR PORTE Porte (leitos) Hospitais Taxa de Ocupação Hospitais de Ensino 45 7

Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo TAXA DE OCUPAÇÃO DOS HOSPITAIS POR PORTE Porte (leitos) Hospitais Taxa de Ocupação Hospitais de Ensino 45 7 Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo TAXA DE OCUPAÇÃO DOS HOSPITAIS POR PORTE Porte (leitos) Hospitais Taxa de Ocupação Hospitais de Ensino 45 73% 151 100 63% 51-150 167 48% 50 168 34% Total 480

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 373/13 - CIB/RS. A Comissão Intergestores Bipartite/RS, no uso de suas atribuições legais, e considerando:

RESOLUÇÃO Nº 373/13 - CIB/RS. A Comissão Intergestores Bipartite/RS, no uso de suas atribuições legais, e considerando: RESOLUÇÃO Nº 373/13 - CIB/RS A Comissão Intergestores Bipartite/RS, no uso de suas atribuições legais, e considerando: a Lei Federal nº 8.080, de 19/09/1990, que dispõe sobre a organização do Sistema Único

Leia mais

CEBAS. Sistema SisCEBAS. Brunno Carrijo Ministério da Saúde

CEBAS. Sistema SisCEBAS. Brunno Carrijo Ministério da Saúde CEBAS Sistema SisCEBAS Brunno Carrijo Ministério da Saúde O sistema SISCEBAS tem como foco o fortalecimento na gestão do processo de certificação das Entidades Beneficentes para a devida transparência.

Leia mais

PROCESSO DE COMPRA DOS MATERIAIS

PROCESSO DE COMPRA DOS MATERIAIS PROCESSO DE COMPRA DOS MATERIAIS Instituições de saúde privadas compra direta sistema desburocratizado ágil Instituições públicas seguir, rigidamente, as normas relativas aos procedimentos legais que regulamentam

Leia mais

ESTADO DA PARAÍBA SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE COMISSÃO INTERGESTORES BIPARTITE REGIMENTO INTERNO

ESTADO DA PARAÍBA SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE COMISSÃO INTERGESTORES BIPARTITE REGIMENTO INTERNO ESTADO DA PARAÍBA SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE COMISSÃO INTERGESTORES BIPARTITE REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO ART. 1º - A Comissão Intergestores Bipartite, instituída através da Portaria

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO MATERNO INFANTIL

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO MATERNO INFANTIL SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO MATERNO INFANTIL CONCURSO PÚBLICO PARA DOCENTES DO MAGISTÉRIO SUPERIOR Edital nº 56, de 16 de junho de

Leia mais

PROCESSO SELETIVO PARA ESTÁGIOS NÃO OBRIGATÓRIOS DA SESAB - 2015-6ª. Edição EDITAL N.º 06/ 2015

PROCESSO SELETIVO PARA ESTÁGIOS NÃO OBRIGATÓRIOS DA SESAB - 2015-6ª. Edição EDITAL N.º 06/ 2015 PROCESSO SELETIVO PARA ESTÁGIOS NÃO OBRIGATÓRIOS DA ERRATA 001 pertinente ao EDITAL Nº 06/2015 A Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (SESAB), através da Superintendência de Recursos Humanos da Saúde

Leia mais

EDITAL Nº 001/2015 ACESSO POR TRANSFERÊNCIA CURSO DE MEDICINA ENTRADA 2015.2

EDITAL Nº 001/2015 ACESSO POR TRANSFERÊNCIA CURSO DE MEDICINA ENTRADA 2015.2 EDITAL Nº 001/2015 ACESSO POR TRANSFERÊNCIA CURSO DE MEDICINA ENTRADA 2015.2 A Faculdade Pernambucana de Saúde FPS, no uso de suas atribuições declara aberto processo seletivo para preenchimento de vagas

Leia mais

ASSISTÊNCIA HUMANIZADA AO RECÉM-NASCIDO. Dra. Nivia Maria Rodrigues Arrais Pediatra - Neonatologista Departamento de Pediatria - UFRN

ASSISTÊNCIA HUMANIZADA AO RECÉM-NASCIDO. Dra. Nivia Maria Rodrigues Arrais Pediatra - Neonatologista Departamento de Pediatria - UFRN ASSISTÊNCIA HUMANIZADA AO RECÉM-NASCIDO Dra. Nivia Maria Rodrigues Arrais Pediatra - Neonatologista Departamento de Pediatria - UFRN 10 PASSOS 22/04/2010 PARA A ATENÇÃO HOSPITALAR HUMANIZADA À CRIANÇA

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DA ESTÂNCIA TURÍSTICA DE SALESÓPOLIS

PREFEITURA MUNICIPAL DA ESTÂNCIA TURÍSTICA DE SALESÓPOLIS CARGOS ASSISTENTE SOCIAL (CRAS) AUXILIAR DE VIDA ESCOLAR (AVE) PRINCIPAIS ATRIBUIÇÕES REALIZAR ACOLHIDA, ESCUTA QUALIFICADA, ACOMPANHAMENTO ESPECIALIZADO E OFERTA DE INFORMAÇÕES E ORIENTAÇÕES POR MEIO

Leia mais

ÇÃO PERMANENTE PLANO ESTADUAL DE EDUCAÇÃ

ÇÃO PERMANENTE PLANO ESTADUAL DE EDUCAÇÃ ESCOLA DE SAÚDE PÚBLICA P DO PARANÁ CENTRO FORMADOR DE RECURSOS HUMANOS PLANO ESTADUAL DE EDUCAÇÃ ÇÃO PERMANENTE 2011-2013 2013 ESCOLA DE SAÚDE PÚBLICA ATÉ 2010 CENTRO FORMADOR DE RECURSO HUMANOS 2011..

Leia mais

RESOLUÇÃO SESA Nº 116/2015 (Publicada no Diário Oficial do Estado nº 9426, de 07/04/15) Implanta o Sistema de controle de Repasses Fundo a Fundo FAF.

RESOLUÇÃO SESA Nº 116/2015 (Publicada no Diário Oficial do Estado nº 9426, de 07/04/15) Implanta o Sistema de controle de Repasses Fundo a Fundo FAF. RESOLUÇÃO SESA Nº 116/2015 (Publicada no Diário Oficial do Estado nº 9426, de 07/04/15) Implanta o Sistema de controle de Repasses Fundo a Fundo FAF. O SECRETÁRIO DE ESTADO DA SAÚDE, no uso da atribuição

Leia mais

Clique nos macroprocessos e conheça os processos da Unimed do Brasil

Clique nos macroprocessos e conheça os processos da Unimed do Brasil Clique nos macroprocessos e conheça os processos da Unimed do Brasil GESTÃO DA ESTRATÉGIA 1.1. Gestão da Estratégia FLX.019 GESTÃO ESTRATÉGICA 1.2. Gestão dos Indicadores de Desempenho FLX.026 GESTÃO ESTRATÉGICA

Leia mais

Impossibilidade legal da transformação de categoria de pacientes particulares para SUS

Impossibilidade legal da transformação de categoria de pacientes particulares para SUS Impossibilidade legal da transformação de categoria de pacientes particulares para SUS Esclarecemos a todos os médicos e demais colaboradores envolvidos nos processos assistenciais dos pacientes do Instituto

Leia mais

Grupo de Pesquisa Clínica, Tecnologias e Informática em Saúde e Enfermagem - GIATE

Grupo de Pesquisa Clínica, Tecnologias e Informática em Saúde e Enfermagem - GIATE Grupo de Pesquisa Clínica, Tecnologias e Informática em Saúde e Enfermagem - GIATE REGULAMENTO INTERNO CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE E FINALIDADES: Art.1º - O Grupo Pesquisa Clínica, Tecnologia e Informática

Leia mais

JUSTIFICATIVA DESCRIÇÃO LANÇAMENTO

JUSTIFICATIVA DESCRIÇÃO LANÇAMENTO CÓDIGO PREFEITURA DE JUIZ DE FORA SECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO E RECURSOS HUMANOS CO NTROLE DA FREQUÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPAIS TABELA DE OCORRÊNCIAS JUSTIFICATIVA DESCRIÇÃO LANÇAMENTO RESPONSÁVEL

Leia mais

Auditoria de Natureza Operacional

Auditoria de Natureza Operacional Tribunal de Contas da União Secretaria de Fiscalização e Avaliação de Programas de Governo - SEPROG Auditoria de Natureza Operacional Programa Doação, Captação e Transplantes de Órgãos e Tecidos Ministro-Relator:

Leia mais

Linhas de Cuidado - Saúde Bucal

Linhas de Cuidado - Saúde Bucal PLANO REGIONAL DE SAUDE DA PESSOA IDOSA DRS V Barretos EIXOS COLEGIADOS DE GESTÃO REGIONAL CGR NORTE E SUL PRIORIDADE 01: EIXO 1 Melhoria da cobertura vacinal VIGILÂNCIA E PROMOÇÃO À SAÚDE - Sensibilizar

Leia mais

Processo Eletrônico Nacional. Processo Eletrônico Nacional

Processo Eletrônico Nacional. Processo Eletrônico Nacional Processo Eletrônico Nacional O que é o projeto? Iniciativa conjunta de entes, órgãos e entidades das diversas esferas para a construção de uma infraestrutura pública de Processo Administrativo Eletrônico,

Leia mais

INDICADORES Relatório de Avaliações da Comissão

INDICADORES Relatório de Avaliações da Comissão 1 A01. CNES Atualizado PERTINENTE 3,00 3,00 2 A02.1. CID secundário informado - Pediatria PERTINENTE 1,00 1,00 3 A02.2. CID secundário informado - Obstetrícia PERTINENTE 1,00 1,00 4 A02.3. CID secundário

Leia mais

CALENDÁRIO - PED ENSINO DE HISTÓRIA E GEOGRAFIA Grupo 092 - Janeiro/2012

CALENDÁRIO - PED ENSINO DE HISTÓRIA E GEOGRAFIA Grupo 092 - Janeiro/2012 Grupo 85 - CALENDÁRIO - PED ENSINO DE HISTÓRIA E GEOGRAFIA CursoID 422 - GradeID 520 Estrutura do Calendário Antes de utilizar o Calendário do Curso, leia atentamente o Manual do Aluno de EAD para que

Leia mais

MANIFESTO EM DEFESA DOS HOSPITAIS FILANTRÓPICOS DE MINAS GERAIS

MANIFESTO EM DEFESA DOS HOSPITAIS FILANTRÓPICOS DE MINAS GERAIS MANIFESTO EM DEFESA DOS HOSPITAIS FILANTRÓPICOS DE MINAS GERAIS M DEFE SA DOS HOSPITAIS FILANTRÓPICOS DE MINAS GERAIS INTRODUÇÃO A Federação das Santas Casas, Hospitais e Entidades Filantrópicas de Minas

Leia mais

Time do Paciente Crítico. Regina Tranchesi

Time do Paciente Crítico. Regina Tranchesi Time do Paciente Crítico Regina Tranchesi Missão - Hospital 9 de Julho Somos um hospital geral, clínico e cirúrgico, com foco na excelência do atendimento, eficiência operacional e alta resolutividade.

Leia mais

DIRETRIZES E PARÂMETROS DE AVALIAÇÃO DE PROPOSTAS DE CURSOS NOVOS DE MESTRADO ACADÊMICO E DE DOUTORADO

DIRETRIZES E PARÂMETROS DE AVALIAÇÃO DE PROPOSTAS DE CURSOS NOVOS DE MESTRADO ACADÊMICO E DE DOUTORADO DIRETRIZES E PARÂMETROS DE AVALIAÇÃO DE PROPOSTAS DE CURSOS NOVOS DE MESTRADO ACADÊMICO E DE DOUTORADO 1) Apresentação Este documento descreve as diretrizes e parâmetros de avaliação de propostas de cursos

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO DE MINAS GERAIS ATRAVÉS DO INSTITUTO EUVALDO LODI DIVULGAÇÃO DO RESULTADO FINAL

SECRETARIA DE ESTADO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO DE MINAS GERAIS ATRAVÉS DO INSTITUTO EUVALDO LODI DIVULGAÇÃO DO RESULTADO FINAL SECRETARIA DE ESTADO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO DE MINAS GERAIS ATRAVÉS DO INSTITUTO EUVALDO LODI DIVULGAÇÃO DO RESULTADO FINAL PROCESSO DE SELEÇÃO IEL BID N.º 024/2012 Contratação de serviços de consultoria

Leia mais

Elaboração do Plano de Gestão de Logística Sustentável do Senado Federal - PGLS

Elaboração do Plano de Gestão de Logística Sustentável do Senado Federal - PGLS Elaboração do Plano de Gestão de Logística Sustentável do Senado Federal - PGLS Sustentabilidade Contexto Aumento no número de pessoas Maior quantidade de recursos explorados Produção e consumo: compras

Leia mais

DIRETRIZES E PARÂMETROS DE AVALIAÇÃO DE PROPOSTAS DE CURSOS NOVOS DE MESTRADO ACADÊMICO E DE DOUTORADO

DIRETRIZES E PARÂMETROS DE AVALIAÇÃO DE PROPOSTAS DE CURSOS NOVOS DE MESTRADO ACADÊMICO E DE DOUTORADO DIRETRIZES E PARÂMETROS DE AVALIAÇÃO DE PROPOSTAS DE CURSOS NOVOS DE MESTRADO ACADÊMICO E DE DOUTORADO 1) Apresentação Este documento descreve as diretrizes e parâmetros de avaliação de propostas de cursos

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO. Procedimentos para Inserção de Protocolo de Compromisso

MANUAL DO USUÁRIO. Procedimentos para Inserção de Protocolo de Compromisso MANUAL DO USUÁRIO Procedimentos para Inserção de Protocolo de Compromisso Orientações sobre o Protocolo de Compromisso* 1 - Protocolo de Compromisso Trata-se de procedimento adotado pelo Ministério da

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE COORDENADORIA DE SERVIÇOS DE SAÚDE - CSS

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE COORDENADORIA DE SERVIÇOS DE SAÚDE - CSS Os objetivos deste modelo de regimento visam a padronização de critérios importantes para melhorar o funcionamento da comissão, estabelecer condições mínimas de composição e fortalecer a comissão junto

Leia mais

ANEXO L PLANILHA DE CUSTOS E FORMAÇÃO DE PREÇOS

ANEXO L PLANILHA DE CUSTOS E FORMAÇÃO DE PREÇOS ANEXO L PLANILHA DE CUSTOS E FORMAÇÃO DE PREÇOS Número do Processo Licitação nº Dia / / às : horas. Discriminação dos serviços: (Dados referentes à contratação) A Data de apresentação da proposta (dia/mês/ano)

Leia mais

Edital nº 031 de 16 de maio de 2016.

Edital nº 031 de 16 de maio de 2016. Serviço Público Federal Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Campus Porto Alegre Edital nº 031

Leia mais

CO N T R O L A D O R I A E O U V I D O R I A

CO N T R O L A D O R I A E O U V I D O R I A CO N T R O L A D O R I A E O U V I D O R I A M E N S A G E M À A S S E M B L E I A L E G I S L A T I V A 2 0 1 3 G O V E R N O P A R T I C I P A T I V O, É T I C O E C O M P E T E N T E C o n t r o l a

Leia mais

IRMANDADE DA SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE SÃO CARLOS ACOMPANHAMENTO DE FATURAMENTO/RECEBIMENTO ALTA E MÉDIA COMPLEXIDADE AMB/HOSP

IRMANDADE DA SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE SÃO CARLOS ACOMPANHAMENTO DE FATURAMENTO/RECEBIMENTO ALTA E MÉDIA COMPLEXIDADE AMB/HOSP ACOMPANHAMENTO DE FATURAMENTO/RECEBIMENTO ALTA E MÉDIA COMPLEXIDADE AMB/HOSP Convênio 118/10 RECURSOS FINANCEIROS PREVISTOS NA CLÁUSULA OITAVA Subcláusula Valor Mensal (R$) 8.1.1. Proced. Hosp. de Média

Leia mais

RESOLUÇÃO N 59/2009/CONEPE. O CONSELHO DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO da UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE, no uso de suas atribuições legais,

RESOLUÇÃO N 59/2009/CONEPE. O CONSELHO DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO da UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE, no uso de suas atribuições legais, SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CONSELHO DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO RESOLUÇÃO N 59/2009/CONEPE Aprova as Normas Específicas do Estágio Curricular

Leia mais

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE SERVIÇOS LEGISLATIVOS LEI N 7.236, DE 28 DE DEZEMBRO DE 1999 - D.O. 28.12.99.

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE SERVIÇOS LEGISLATIVOS LEI N 7.236, DE 28 DE DEZEMBRO DE 1999 - D.O. 28.12.99. Autor: Poder Executivo LEI N 7.236, DE 28 DE DEZEMBRO DE 1999 - D.O. 28.12.99. Dispõe sobre a alteração da estrutura organizacional da Secretaria de Estado de Saúde- SES e dá outras providências. A ASSEMBLEIA

Leia mais

GRUPO DE TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO DE RECURSOS HUMANOS DA FACULDADE DE FILOSOFIA E CIENCIAS CAMPUS DE MARILIA

GRUPO DE TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO DE RECURSOS HUMANOS DA FACULDADE DE FILOSOFIA E CIENCIAS CAMPUS DE MARILIA GRUPO DE TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO DE RECURSOS HUMANOS DA FACULDADE DE FILOSOFIA E CIENCIAS CAMPUS DE MARILIA 1. INTRODUÇÃO RELATORIO FINAL DE ATIVIDADES DO EXERCÍCIO DE 2014 De acordo com o Programa

Leia mais

AUDITORIA DO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE - SUS

AUDITORIA DO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE - SUS AUDITORIA DO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE - SUS Apresentador: João Ávila Departamento Nacional de Auditoria do SUS (DENASUS) Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa Ministério da Saúde A Constituição

Leia mais

TOLERÂNCIA ZERO À NÃO HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS: TRABALHANDO COM MULTIPLICADORES. Vânia Montibeler Krause Coordenadora SCIH -HSC

TOLERÂNCIA ZERO À NÃO HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS: TRABALHANDO COM MULTIPLICADORES. Vânia Montibeler Krause Coordenadora SCIH -HSC TOLERÂNCIA ZERO À NÃO HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS: TRABALHANDO COM MULTIPLICADORES. Vânia Montibeler Krause Coordenadora SCIH -HSC Hospital Santa Catarina de Blumenau Hospital Privado 165 leitos 20 CTI adulto

Leia mais