CENTRO UNIVERSITÁRIO DE ARARAQUARA PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU MBA EM BANCO DE DADOS ORACLE. Rogério Fernandes da Costa

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CENTRO UNIVERSITÁRIO DE ARARAQUARA PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU MBA EM BANCO DE DADOS ORACLE. Rogério Fernandes da Costa"

Transcrição

1 CENTRO UNIVERSITÁRIO DE ARARAQUARA PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU MBA EM BANCO DE DADOS ORACLE Rogério Fernandes da Costa MÉTODOS DE ENSINO: uma proposta de aplicação para a disciplina de banco de dados no curso tecnologia em gestão de tecnologia da informação ARARAQUARA SP 2014

2 CENTRO UNIVERSITÁRIO DE ARARAQUARA PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU MBA EM BANCO DE DADOS ORACLE Rogério Fernandes da Costa MÉTODOS DE ENSINO: uma proposta de aplicação para a disciplina de banco de dados no curso tecnologia em gestão de tecnologia da informação Trabalho de Conclusão de Curso apresentado ao Programa de Pós-graduação do Centro Universitário de Araraquara como requisito parcial para obtenção do título de MBA em Banco de Dados Oracle, sob a orientação do Profº. Msc. Marcus Rogério de Oliveira. ARARAQUARA SP 2014

3 DECLARAÇÃO Eu, Rogério Fernandes da Costa, declaro ser o autor do texto apresentado Trabalho de Conclusão de Curso, no programa de pós-graduação lato sensu em MBA em Banco de Dados Oracle com o título MÉTODOS DE ENSINO: uma proposta de aplicação para a disciplina de banco de dados no curso tecnologia em gestão de tecnologia da informação. Afirmo, também, ter seguido as normas do ABNT referentes às citações textuais que utilizei e das quais eu não sou o autor, dessa forma, creditando a autoria a seus verdadeiros autores. Através dessa declaração dou ciência de minha responsabilidade sobre o texto apresentado e assumo qualquer responsabilidade por eventuais problemas legais, no tocante aos direitos autorais e originalidade do texto. Araraquara, de de. Assinatura do autor(a)

4 Rogério Fernandes da Costa MÉTODOS DE ENSINO: uma proposta de aplicação para a disciplina de banco de dados no curso tecnologia em gestão de tecnologia da informação Trabalho de Conclusão de Curso apresentado como exigência parcial para a finalização do Curso de MBA em Banco de Dados Oracle pelo Centro Universitário de Araraquara Uniara. Orientador: Marcus Rogério de Oliveira Data da defesa/entrega: / / MEMBROS COMPONENTES DA BANCA EXAMINADORA: Presidente e Orientador: Nome e título Membro Titular: Nome e título Membro Titular: Universidade. Nome e título Média Data: / / Centro Universitário de Araraquara Araraquara- SP

5 DEDICATÓRIA Dedico este trabalho a todos aqueles que assim como eu, acreditam que somente através da educação teremos uma sociedade mais justa.

6 "Tenha em mente que tudo que você aprende na escola é trabalho de muitas gerações. Receba essa herança, honre-a, acrescente a ela e, um dia, fielmente, deposite-a nas mãos de seus filhos. (Albert Einstein).

7 RESUMO A partir do contexto histórico e da expansão dos cursos superiores de tecnologia no país, esta monografia descreve alguns elementos fundamentais no processo de ensino-aprendizagem, são detalhados métodos e técnicas pedagógicas que possam ser aplicadas no ensino da disciplina Fundamentos de Banco de Dados, trata-se de um trabalho que visa contribuir com proposições que possam levar à melhoria da qualidade do Curso de Tecnologia em Gestão de Tecnologia da Informação. Em particular, ressalta-se a necessidade de adoção de um modelo pedagógico eficiente, que possibilite o alinhamento entre o propósito do curso com seu público-alvo. Palavras-chave: Cursos Superiores de Tecnologia, Educação Profissional, Banco de Dados.

8 ABSTRACT From the historical context and the expansion of higher education in technology in the country, this monograph describes some key elements in the teaching-learning process, are detailed methods and pedagogical techniques that can be applied in teaching discipline Fundamentals of Database, it is a work that aims to contribute to propositions that can lead to improved quality of Course Technology in Information Technology Management. In particular, it highlights the need to adopt an effective pedagogical model, which allows the alignment between the purpose of the course with your target audience. Keywords: Higher Education Courses in Technology, Professional Education, Database.

9 LISTA DE ABREVIATURAS E SIGLAS ABNT CASE CST CTS DER Associação Brasileira de Normas Técnicas Engenharia de Software Auxiliada por Computador, do inglês Computer-Aided Software Engeneering Cursos Superiores de Tecnologia Ciência, Tecnologia e Sociedade Diagrama Entidade-relacionamento DDL Linguagem de Definição de Dados, do inglês Data Definition Language DML GTI ISES LDB MER NoSQL SGBD SQL TCO Linguagem de Manipulação de Dados, do inglês Data Manipulation Language Gestão de Tecnologia da Informação Instituto Sumaré de Ensino Superior Lei de Diretrizes e Bases da Educação Modelo Entidade-relacionamento Termo utilizado para definir banco de dados não-relacionais Sistema de Gerenciamento de Banco de Dados Linguagem de Consulta Estruturada, do inglês Structured Query Language Custo Total de Propriedade, do inglês Total Cost of Ownership

10 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO Objetivos Objetivo Geral Objetivos Específicos Justificativa Metodologia Estrutura da monografia PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM...14, Modelos Pedagógicos Jean Piaget...15, Lev Semenovich Vygotsky Henri Wallon Métodos e Técnicas de ensino Aula expositiva...17, Técnica do interrogatório Método de problemas Técnica de problemas...18, Métodos de aprendizagem por projetos Técnica de estudo de caso Método de ensino das ciências exatas Método das tarefas dirigidas Atividades práticas em laboratório Seminário DISCIPLINA DE BANCO DE DADOS...20, Plano de Ensino Objetivos...22

11 Ementa Conteúdos essenciais...23, MÉTODOS E TÉCNICAS APLICADOS NO ENSINO DA DISCIPLINA DE BANCO DE DADOS...25, Técnicas e Métodos aplicados em Banco de Dados...26, CONSIDERAÇÕES FINAIS Conclusões Recomendações para trabalhos futuros...30 REFERÊNCIAS...31, 32

12 1. INTRODUÇÃO No Brasil o conceito de educação profissional surgiu na década de 1970, embora este tipo de ensino não seja novo, a oferta dos chamados Cursos Superiores de Tecnologia (CST) por parte das instituições privadas e públicas só passou a ser significativa a partir da segunda metade da década de A expansão dos Cursos Superiores de Tecnologia, se deu em grande parte em virtude da implementação de um conjunto de normas e pareceres que visavam à regulamentação da formação de tecnólogos, o ápice desta mudança se deu com a promulgação da Lei nº 9.394/96. A partir da Lei de Diretrizes e Bases (LDB), o oferecimento de cursos de especialização e de mestrado para alunos egressos de cursos de tecnólogos foi viabilizado. Atualmente, o reconhecimento e renovação do reconhecimento dos Cursos Superiores de Tecnologia estão condicionados a observância das diretrizes definidas pelo Ministério da Educação. Neste contexto, de acordo com o Catálogo Nacional de Cursos Superiores de Tecnologia (2014): [...] o profissional egresso do curso superior de Tecnologia em Gestão da Tecnologia da Informação define parâmetros de utilização de sistemas, gerencia os recursos humanos envolvidos, implanta e documenta rotinas, controla os níveis de serviço de sistemas operacionais e banco de dados, gerenciando os sistemas implantados. Assim como nos demais cursos na área de Computação e Informática, a disciplina Banco de Dados é exigida para o curso Tecnologia em Gestão de Tecnologia da Informação (GTI), sendo esta, a motivação para este trabalho Objetivos Objetivo Geral Apresentar métodos e técnicas pedagógicas que possam ser aplicados no plano de ensino da disciplina Fundamentos de Banco de Dados do Curso de Tecnologia em Gestão de Tecnologia da Informação o Instituto Sumaré de Ensino Superior Objetivos Específicos Apresentar a disciplina de Banco de Dados, seu plano de ensino e a importância para o curso de Tecnologia em Gestão de Tecnologia da Informação. Detalhar os métodos e técnicas pedagógicas que possam ser aplicados nos conteúdos essenciais da disciplina Fundamentos de Banco de Dados. Contemplar as principais diferenças entre os seguintes SGBDs: SQL Server, MySQL e PL/SQL. 12

13 1.2. Justificativa A limitação do conteúdo da disciplina Fundamentos de Banco de Dados às técnicas de modelagem, normalização e/ou introdução a SQL, por exemplo, não contribuem para o desenvolvimento de habilidades e competências por parte do futuro gestor que o qualifique a identificar a melhor solução tecnológica de acordo com as regras de negócio. A formação especifica dos gestores em ciências ou engenharia é insuficiente para entender a importância da tecnologia para seus negócios (BURGELMAN, 2012). O Tecnólogo em Gestão de Tecnologia da Informação deve desenvolver habilidades e competências técnicas e administrativas, desta forma, estará qualificado para tomar decisões assertivas, sejam elas relacionadas ao investimento em recursos materiais, aquisição de tecnologia, contratação de mão de obra, ou demais situações ligadas a sua esfera de atuação. Busca-se através deste trabalho, correlacionar os seguintes assuntos: Métodos de Ensino-aprendizagem; Métodos e Técnicas de Ensino aplicados à disciplina de Banco de Dados; Fases de um Projeto de Banco de Dados; Licenciamento e custo total de propriedade; Escalabilidade e suporte ao Sistema Operacional; Segurança; Manutenabilidade Metodologia A concepção deste trabalho está pautada nos processos de aprendizagem, nos modelos pedagógicos e nas concepções da aprendizagem. Na primeira fase deste estudo, a partir da revisão bibliográfica foi elaborado o referencial teórico sobre aprendizagem. Numa segunda etapa buscou-se o plano pedagógico do Curso de Tecnologia em Gestão de Tecnologia da Informação do Instituto Sumaré de Ensino Superior - ISES e o plano de ensino da Disciplina Fundamentos de Banco de Dados. Por último, são apresentadas técnicas e métodos que possam ser utilizados para os conteúdos essenciais da disciplina, o enfoque se deu a partir de minha experiência como professor na disciplina de Banco de Dados, bem como, na percepção sobre a relação entre a baixa empregabilidade e as deficiências dos egressos dos Cursos Superiores de Tecnologia. 13

14 1.4. Estrutura da monografia Objetivando a consulta facilitada por assuntos específicos, esta monografia foi organizada em cinco capítulos. A justificativa e objetivos do trabalho proposto, bem como, a metodologia de pesquisa e a estrutura da monografia são apresentados no primeiro capítulo. No segundo capítulo apresenta-se a correlação entre o processo de aprender, os modelos pedagógicos e as concepções de aprendizagem. O terceiro capítulo contempla os conteúdos essenciais da disciplina Fundamentos de Banco de Dados e sua importância para o curso de Tecnologia em Gestão de Tecnologia da Informação. No quarto capítulo são discutidos técnicas e métodos indicados para cada tópico da disciplina. No quinto e último capítulo estão as considerações finais e sugestões para trabalhos futuros. 2. PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM A analise da aprendizagem a partir de grupos de teorias é uma prática docente frequente, equacionar a inter-relação entre o sistema educativo e outros sistemas sociais é um paradigma contemporâneo. Atualmente, passamos por várias alfabetizações, sendo assim, devemos levar em conta que a formação educacional não se limita ao domínio da leitura e escrita; a mesma envolve uma diversidade de códigos culturais da sociedade e das relações econômicas e produtivas. Em virtude das necessidades dos empregadores e do processo de globalização da economia, torna-se evidente a importância de competitividade das empresas e do país, a consequência direta destes fatores é uma maior valorização da educação profissional e tecnológica, isto, entretanto, nem sempre foi assim. A expansão dos Cursos Superiores de Tecnologia se deu através da LDB (Lei nº 9.394/96, cap. III, art. 39), a Lei de Diretrizes e Bases introduziu o termo educação profissional: a educação profissional, integrada às diferentes formas de educação, ao trabalho, à ciência e à tecnologia, conduz ao permanente desenvolvimento de aptidões para a vida produtiva. A educação tecnológica encaminha-se para o enfoque CST (Ciência, Tecnologia e Sociedade), neste contexto, faz-se necessário a renovação das estruturas curriculares dos conteúdos. Para Medina e Sanmartín (1990) é importante questionar a distinção convencional entre conhecimento teórico e conhecimento prático, assim como sua distribuição social entre 14

15 os que pensam e os que executam, que reflete, por sua vez, um sistema educativo dúbio que diferencia a educação geral da vocacional Modelos Pedagógicos Modelos pedagógicos antenados com o mercado de trabalho são praticamente inexistentes nos Cursos Superiores de Tecnologia, este provavelmente seja o maior contra senso em uma modalidade de ensino que deveria preparar tecnicamente mão de obra para o mercado. Pesquisas recentes 1 demonstram descontentamento dos empregadores com as habilidades e competências de muitos dos novos graduados, sendo este, um dos principais motivos para a baixa empregabilidade dos egressos dos Cursos Superiores de Tecnologia. Dentro do contexto de inserção no mercado de trabalho, empregabilidade é a probabilidade do graduado apresentar atributos que os empregadores antecipam como necessários para o futuro funcionamento efetivo de sua organização (MOROSINI, 2001). O processo de renovação das estruturas curriculares dos conteúdos aplicados nos Cursos Superiores de Tecnologia requer profissionais da educação qualificados, que possam assumir essa proposta de educar o cidadão a partir de uma visão crítico reflexiva, para tal, fazse necessária uma formação que atenda a uma base geral de conhecimentos e a uma base específica associada a uma área de atuação ou disciplina (PONTE, 2007) Jean Piaget A teoria piagetiana preocupa-se em compreender a gênese (origem) do conhecimento, Piaget estudou as engrenagens da inteligência, do nascimento à maturidade do ser humano, onde decifrou sucessivos degraus na evolução do raciocínio, ou seja, como a inteligência humana se desenvolve (BOLZAN, 1998). Na visão de Piaget a inteligência passa a ser construída a partir do momento do nascimento (schema), os esquemas de aprendizagem são constituídos por dados, conceitos, situações, fatos ou sequencia de ações e seu desenvolvimento se dá através das interações mútuas entre o indivíduo e o meio ambiente. É fácil identificar a influência da teoria piagetiana nos modelos de ensinoaprendizagem contemporâneos. Geralmente os conteúdos dos cursos são agrupados por eixos temáticos, o que significa uma sistematização orgânica de conceitos, constructos hipotéticos 2 e teorias que estruturam e conformam uma ideia e suas inter-relações. Embora não possamos 1 Falta de mão de obra especializada se agrava Pesquisa Realizada pela Fundação Dom Cabral. Disponível em: 15

16 observar a aprendizagem ou motivação dos discentes, podemos perceber mudanças comportamentais. A acomodação 3 acontece quando o(s) aluno(s) não consegue(em) assimilar um novo estímulo, na existência deste tipo de situação, cabe ao docente identificar um novo esquema ou modificar o existente, a mudança na estrutura cognitiva poderá proporcionar maior possibilidade do(s) aluno(s) assimilar(em) a nova informação em função das particularidades desse novo estímulo Lev Semenovich Vygotsky Vygotsky vinculou seus estudos à teoria histórico-cultural da atividade, esta linha de pesquisa está centrada na interação social e na interconexão entre teoria e metodologias transformadoras. Em oposição à teoria piagetiana, o modelo intervencionista não explica de forma detalhada os estágios de desenvolvimento das funções psíquicas através de acumulação de processos elementares, a preocupação principal do autor foi descrever e entender o que ocorre ao longo da gênese de certas funções, como por exemplo, a inferência de novos conhecimentos a partir de estímulos (intervenções). Para o autor, a ascensão do abstrato ao concreto, ou seja, o desenvolvimento intelectual se dá segundo a lei da dupla estimulação: primeiro no nível social e depois no nível individual, ou seja, primeiro entre as pessoas (interpsicológica) e depois no interior da pessoa (intrapsicológica). Para ilustrar o conceito da dupla estimulação, podemos considerar o processo de formação dos alunos, neste cenário, a aprendizagem no nível social, se dá mediante à interação dos alunos com o professor ou com os demais colegas da turma. Importante destacar que o simples fato da existência de interação entre os alunos e o professor não é uma garantia de aprendizagem efetiva. A apropriação/internalização cultural pelo indivíduo não acontece de forma passiva: o aluno, ao receber do meio social um significado convencional de um determinado conceito, interioriza-o e promove. Cabe aqui, um paralelo entre metodologia e estratégia de ensino: aulas práticas em laboratório promovem a exploração dos conceitos por parte dos alunos proporcionando a internacionalização dos mesmos. 2 Esquemas não acessíveis a observação direta, por exemplo: motivação, aprendizagem, impulso, pensamento e inconsciente. Os constructos hipotéticos são considerados como variáveis que podem interferir entre o estimulo/entrada e a resposta/saída (variável interveniente). 3 Modificação dos esquemas cognitivos. 16

17 Henri Wallon A exemplo de Vygotsky, Wallon argumentava que o desenvolvimento individual está relacionado à interação social, sendo este, o tema central de seu estudo. Para o autor, rupturas, retrocessos e reviravoltas podem ditar o ritmo no curso de desenvolvimento individual, em sua visão, o processo de desenvolvimento intelectual não se dá de forma linear, podendo provocar profundas mudanças na passagem de uma etapa a outra. Assim como em outras disciplinas, a dificuldade em se ensinar os conteúdos essenciais de Banco de Dados não se dá em seguir ou não uma das correntes de pensamento aqui apresentadas, o desafio aqui posto, reside na escolha certa de um método de ensino Métodos e Técnicas de Ensino É imprescindível estabelecermos uma relação direta entre o propósito do curso, os ensinamentos e a vida dos indivíduos. Ao encararmos que cada aluno se trata de um ser humano único, fica implícito que pessoas diferentes umas das outras aprendem de maneiras diversas. Da mesma forma, cursos diferentes exigem enfoques diferentes; sendo assim, podemos concluir que um único método de ensino não pode contemplar todas as situações e pessoas envolvidas. Nesto contexto se apresenta um dos principais problemas relacionados aos ensinamentos em cursos tecnológicos: a generalização dos conteúdos e por consequência, dos métodos de ensino. O desenvolvimento de um método ou técnica de ensino deve considerar que e existem elementos indissociáveis, somente a partir do alinhamento entre o propósito do curso com seu público-alvo, poderemos definir os conteúdos essenciais e a temática em questão. Nas pedagogias ativas, o centro se transfere aos alunos e o método deve atender prioritariamente a seus interesses e necessidades e mais secundariamente ao conteúdo (CARBONELL, 2002) Aula Expositiva A adoção de aula expositiva para abordar assuntos teóricos provavelmente é a mais tradicional das técnicas de ensino, é difícil, senão impossível, enxergar como a educação pode ser feita, sobretudo nos seus níveis mais elementares, sem algum tipo de ensino instrutivista (Howe e Berv, 2000). No contexto da disciplina Fundamentos de Banco de Dados, a técnica de aula expositiva pode ser utilizada na instrumentalização conceitual sobre o histórico e 17

18 evolução dos Sistemas de Gerenciamento de Banco de Dados (SGBs), esquemas de um banco de dados, modelagem, entre outros. O diálogo entre entre o professor e o aluno pode estabelecer uma relação de intercâmbio de conhecimentos, isso é essencial para que a iniciativa não dependa exclusivamente do professor. É importante estimular o pensamento crítico visando uma maior participação por parte dos alunos, nesta perspectiva, a aula expositiva dialógica fomenta um ambiente mais democrático e consultivo Técnica do Interrogatório A técnica do interrogatório baseada em perguntas a partir da apresentação de objetos merece a atenção do professor, a priori deveria ser utilizada para auxiliar os alunos a elaborarem respostas através da observação dos conceitos e do método intuitivo. Apesar de ser um dos melhores instrumentos do campo didático, muitas vezes tem um caráter repressivo, nestes casos, torna-se um mecanismo punitivo utilizado pelo professor para castigar os alunos que não estiverem prestando atenção à aula Método de Problemas O processo de ensino-aprendizagem pode ocorrer a partir da Metodologia da Problematização, neste modelo, podemos eleger um problema real para todo o grupo estudar ou então apresentamos vários deles, distribuindo um para cada pequeno grupo. O raciocínio e discussão entre os integrantes do grupo os instigará a apresentarem propostas de solução para o problema em questão Técnica de Problemas A aprendizagem baseada em problemas permite o professor elaborar uma quantidade representativa de problemas que contemplem os temas essenciais da disciplina, nesta técnica definimos o que os alunos devem estudar para cumprir o Currículo. O sequenciamento do conteúdo programático advindo desta técnica, exige que para avançar para o próximo nível, os alunos tenham compreendido os assuntos abordados em cada etapa estudada, desta forma, a partir de estudos anteriores os alunos podem propor soluções para os problemas apresentados. 18

19 Para que a adoção desta técnica seja um mecanismo eficiente no processo de ensinoaprendizagem, faz-se necessário avaliação ao final de cada módulo, isso permitirá identificarmos as aptidões e competências necessárias sem as quais os alunos não poderão ser considerados aptos à exercer a profissão Métodos de Aprendizagem por Projetos A aprendizagem por projetos é uma forma de conceber educação a partir de situações cotidianas, neste método, as interações e articulações necessárias para a desenvoltura dos discentes em áreas distintas do conhecimento, ocorrem em grande parte, através do envolvimento entre o alunos, o professor e os recursos disponíveis. O desafio de projetar e executar algo, contribui de forma efetiva para capacitação dos alunos. A busca por soluções práticas envolvendo um problema real, requer dos participantes: trabalho em equipe, poder de tomada de decisão, habilidade de comunicação e relacionamento interpessoal Técnica de Estudo de Caso O método de estudo de caso pode ser utilizado como uma maneira para se gerar insights sobre um problema ou evento específico. A leitura de um caso real onde um ou mais problemas foram solucionados, proporciona aos alunos uma oportunidade de iniciativa exploratória, sua compreensão permitirá identificar as condições que afetam não apenas o caso apresentado, mas também outros casos correlacionados ou similares Método de Ensino das Ciências Exatas As discussões fomentadas sobre ensino-aprendizagem por alguns professores, são reflexos do tipo de aula a que estiveram submetidos em sua vida escolar e isto explicaria sua estabilidade e resistência à mudança (Joram e Grabiele, 1998). Nas ciências exatas ainda prevalece o modelo tradicional de exposição prolongada dos alunos às disciplinas e realização de exercícios. 19

20 Método das Tarefas Dirigidas Neste método, a partir da apresentação de um tema/problema estruturado, podemos solicitar aos alunos que realizem a coleta e análise dos dados (primeira fase), podendo ou não ocorrer durante o período de aula, individualmente ou em grupo. Em um segundo momento, os alunos são motivados à discutirem os dados obtidos Atividades Práticas em Laboratório A atividade prática de laboratório pode ser adotada em complemento aos demais métodos e técnicas, este tipo de atividade, proporciona uma dinâmica de troca de ações entre os alunos e o ambiente. Ao colocarem em prática os conhecimentos adquiridos em determinada disciplina, os conceitos e teorias são melhores compreendidos Seminário Seminário é um método normalmente utilizado para se pesquisar temas diversificados a fim de apresentá-los e discuti-los cientificamente, embora seja muito efetivo para a análise sistêmica dos fatos, sua adoção exige além de independência intelectual, a maturidade dos discentes. Estes são alguns dos motivos que dificultam sua aplicação por parte dos alunos. 3. DISCIPLINA DE BANCO DE DADOS A disciplina Banco de Dados é exigida nos cursos da área de Computação e Informática em virtude das diretrizes curriculares do MEC. No Instituto Sumaré de Ensino Superior existem 6 cursos nessa área: Ciência da Computação, Sistemas de Informação, Tecnologia em Banco de Dados, Tecnologia em Gestão da Tecnologia da Informação, Tecnologia em Redes de Computadores e Tecnologia em Sistemas para Internet. O curso de Ciência da Computação tem a computação como atividade fim, visa a formação de recursos humanos para o desenvolvimento científico e tecnológico da computação. O curso de Sistemas de Informação tem a computação como atividade meio, seu enfoque se dá na formação de recursos humanos para solucionar problemas de informação das organizações. 20

21 Os cursos de Tecnologia em Banco de Dados, Tecnologia em Gestão da Tecnologia da Informação, Tecnologia em Redes de Computadores e Tecnologia em Sistemas para Internet visam formação técnica específica e partem do pressuposto de que é necessário a introdução da computação em praticamente todas as áreas do conhecimento, neste sentido, torna-se necessário organizar a produção desse novo conceito em um conjunto compacto de eixos temáticos (MEC 2006). O curso de Tecnologia em Gestão da Tecnologia da Informação, objeto desse estudo, possui uma base interdisciplinar, contemplando características do eixo tecnológico informática (Informação e Comunicação) e Gestão e Negócios. O perfil do egresso do curso de GTI é descrito a seguir (ISES, 2014): O tecnólogo em Gestão da Tecnologia da Informação lida com a implementação e gerenciamento de sistemas informatizados nas empresas de qualquer segmento. Os profissionais estarão aptos a projetar, documentar e manutenir redes de computadores, definindo, instalando, integrando e solucionando problemas relacionados aos sistemas operacionais e softwares. [grifo nosso] Importante frisar que na descrição do eixo tecnológico Informação e Comunicação do Parecer CNE/CES Nº: 277/2006 no qual o curso encontra-se enquadrado, não existe menção a palavra gerenciamento, a justificativa para esse fato, pode ser encontrada no próprio Parecer ao propor a seguinte consideração: Por ser a tendência atual francamente interdisciplinar, o currículo de um curso pode contemplar características de dois ou mais eixos tecnológicos, dependendo da ênfase do curso, prevalecendo, para fins de cumprimento de carga horária mínima, as definições do Catálogo Nacional de Cursos Superiores de Tecnologia. (CNE/CES 277/2006, pg 3, grifo nosso) Atualmente, a formação de mão de obra especializada requer o desenvolvimento de uma grande variedade de competências. Ao contextualizarmos a disciplina Bando de dados, percebemos que em virtude das demandas atuais da sociedade, em particular, da necessidade de gerir o grande volume de informações no âmbito empresarial, isso se faz necessário. O profissional de Gestão de Tecnologia da Informação deve reunir habilidades técnicas e administrativas, desta forma, poderá oferecer contribuição efetiva para minimização de riscos em setores críticos, tendo como exemplos, os fluxos de estoque, finanças, previsões meteorológicas, entre outros. O planejamento da infraestrutura que possibilite o fornecimento de informações relevante para a tomada de decisões mais assertivas é uma síntese dessa relação. 21

22 3.1. Plano de Ensino O plano de ensino é a base teórica que norteia o desenvolvimento dos materiais didáticos. O referencial do plano de ensino deve contemplar os seguintes itens: a) Informações Gerais: Dados do Curso, Dados da Disciplina, Carga Horária, Nome do Professor; b) Informações do Projeto Pedagógico, Objetivos e Conteúdos Essenciais; c) Detalhamento do Plano de Ensino: Programação aula a aula, Conteúdos Programáticos e Critério de Avaliação Objetivos A disciplina Banco de Dados tem por objetivo habilitar o aluno à Elaborar Modelo Entidade Relacionamento; Executar Modelagem de Dados; Elaborar Projetos de Banco de Dados; Elaborar Dicionário de Dados; Realizar Normalização de Dados; Realizar Administração de Dados; Acessar o Banco de Dados utilizando comandos SQL; Aplicar procedimentos de Segurança: Backup, Recover e Restart. No que diz respeito à relevância da disciplina de Fundamentos de Banco de Dados para o curso de GTI, devemos considerar a necessidade de estabelecermos uma ponte com as matérias de Gestão de Projetos, Técnicas e Recomendações de Gerenciamento de Infra Estrutura, Fundamentos de Sistemas para Web e Análise e Projeto de Sistemas Ementa Disciplina Fundamentos de Banco de Dados: Modelo Entidade Relacionamento; Definir organização de dados e método de acesso; Normalização de banco de dados; Identificar entidades e construir o modelo conceitual; Construir o modelo lógico; Implementar o modelo físico; Sistema de Gerenciamento de Banco de Dados; Instruções SQL para criação de banco/tabela; Consulta e Manipulação de dados; Exportar e Importar Scripts SQL. 22

23 Conteúdos Essenciais De acordo com as diretrizes curriculares definidas pelo MEC, a disciplina de Banco de Dados deve cobrir tópicos que envolvam os seguintes assuntos: Modelagem, armazenamento, organização, distribuição e empacotamento de dados, segurança e integridade; Sistemas de Gerenciamento de Bancos de Dados (SGBD) e sua arquitetura; Linguagens de manipulação e consultas de dados, otimização de consulta, indexação, concorrência, recuperação, gerenciamento de buffers e arquivos. Haja visto que as diretrizes do MEC descrevem a estrutura disciplinar de forma genérica entre cursos semelhantes, dependendo do curso, os conteúdos essenciais podem ser abordados de formas diferentes. Entre os assuntos que envolvem os conteúdos essenciais, importante destacar o custo efetividade de uma tecnologia e sua possível obsolescência, as vantagens/desvantagens dos principais SGBDs e suas particularidades. Por exemplo: - No SGBD Oracle podemos reutilizar programas testados e estáveis, desenvolvidos em classes Java, existe também a possibilidade de redução do TCO da infraestrutura ao executarmos aplicativos da empresa em seu hardware e Engineered Systems 4. Além dos dados em formato relacional, o Oracle, suporta as estruturas Orientadas a Objeto (OO) e oferece solução de cluster 5 proporcionando alta disponibilidade. - O SQL Server é projetado para tirar proveito do sistema operacional Windows, tornando possível que vários componentes do Windows comuns forneçam funcionalidade adicional para o SQL Server, possui TCO menor que o Oracle. A principal desvantagem deste SGBD se dá no fato de que sua implantação só pode ser realizada apenas para sistemas operacionais Microsoft. - A velocidade é uma característica marcante do sistema gerenciador do MySQL, trata-se de um banco de dados de código aberto, multiplataforma, com estimativa de 15 milhões de instalações. Em relação a sua aquisição, o custo total de propriedade é 90% inferior se comparado ao Microsoft SQL Server 6. 4 Sistemas da Oracle, concebidos, projetados e testados para funcionar melhor em conjunto com o SGBD 5 RAC - Real Aplication Clusters: solução de banco de dados em cluster que requer dois ou mais nós de hardware capazes de trabalhar juntos sob o controle de um sistema operacional Principais Motivos para Usar o MySQL como um Banco de Dados Incorporado - Disponível em: 23

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. TURMA: 3º semestre EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. TURMA: 3º semestre EMENTA Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: Informação e Comunicação CURSO: Sistemas de Informação FORMA/GRAU:( ) Integrado ( ) Subsequente ( ) Concomitante ( X ) Bacharelado ( ) Licenciatura ( ) Tecnólogo

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Etec Dr. José Luiz Viana Coutinho Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Etec: Dr. José Luiz Viana Coutinho Código: 073 Município: Jales Eixo Tecnológico: Informação e Comunicação Componente

Leia mais

PLANO DE ENSINO. PRÉ-REQUISITO: Modelagem e Programação Orientada a Objetos. PROFESSOR RESPONSÁVEL : Josino Rodrigues Neto

PLANO DE ENSINO. PRÉ-REQUISITO: Modelagem e Programação Orientada a Objetos. PROFESSOR RESPONSÁVEL : Josino Rodrigues Neto UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO Rua Dom Manoel de Medeiros, s/n Dois Irmãos 52171-900 Recife-PE Fone: 0xx-81-332060-40 proreitor@preg.ufrpe.br PLANO DE ENSINO

Leia mais

RELATO DO PROJETO OBSERVATÓRIO DA EDUCAÇÃO. GT 06 Formação de professores de Matemática: práticas, saberes e desenvolvimento profissional

RELATO DO PROJETO OBSERVATÓRIO DA EDUCAÇÃO. GT 06 Formação de professores de Matemática: práticas, saberes e desenvolvimento profissional RELATO DO PROJETO OBSERVATÓRIO DA EDUCAÇÃO GT 06 Formação de professores de Matemática: práticas, saberes e desenvolvimento profissional Maria Madalena Dullius, madalena@univates.br Daniela Cristina Schossler,

Leia mais

Roteiro 2 Conceitos Gerais

Roteiro 2 Conceitos Gerais Roteiro 2 Conceitos Gerais Objetivos: UC Projeto de Banco de Dados Explorar conceitos gerais de bancos de dados; o Arquitetura de bancos de dados: esquemas, categorias de modelos de dados, linguagens e

Leia mais

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO PROFISSIONAL. Plano de Trabalho Docente 2014

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO PROFISSIONAL. Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO PROFISSIONAL Plano de Trabalho Docente 2014 ETEC PROF. MASSUYUKI KAWANO Código: 136 Município: TUPÃ Eixo Tecnológico: INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Habilitação Profissional:

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Administração de Banco de Dados - Oracle

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Administração de Banco de Dados - Oracle Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Administração de Banco de Dados - Oracle Apresentação O programa de Pós-graduação Lato Sensu em Administração de Banco de Dados tem por fornecer conhecimento

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: Informação e Comunicação CURSO: Técnico em Informática FORMA/GRAU: (X) Integrado ( ) Subsequente ( ) Concomitante ( ) Bacharelado ( ) Licenciatura ( ) Tecnólogo

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. SEMESTRE ou ANO DA TURMA:2013 EMENTA OBJETIVOS

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. SEMESTRE ou ANO DA TURMA:2013 EMENTA OBJETIVOS EIXO TECNOLÓGICO:Ensino Superior Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: Licenciatura em Física FORMA/GRAU:( )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( x ) licenciatura ( ) tecnólogo MODALIDADE:

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Business Intelligence (BI)

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Business Intelligence (BI) Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Business Intelligence (BI) Apresentação O programa de Pós-graduação Lato Sensu em Business Intelligence Inteligência Competitiva tem por fornecer conhecimento

Leia mais

Dimensão 1 - Organização Didático-Pedagógica do Curso

Dimensão 1 - Organização Didático-Pedagógica do Curso AUTO-AVALIAÇAO INSTITUCIONAL DO CURSO DE PEDAGOGIA FACED-UFAM / Professores Dimensão 1 - Organização Didático-Pedagógica do Curso Objetivos do Curso 01 - Tenho conhecimento do Projeto Pedagógico do Curso.

Leia mais

CURSO DE INFORMÁTICA LICENCIATURA 1 PERÍODO

CURSO DE INFORMÁTICA LICENCIATURA 1 PERÍODO CURSO DE INFORMÁTICA LICENCIATURA 1 PERÍODO DISCIPLINA: Metodologia Científica H111900 Finalidade da metodologia científica. Importância da metodologia no âmbito das ciências. Metodologia de estudos. O

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Etec: PAULINO BOTELHO Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Habilitação Profissional: TÉCNICO EM INFORMÁTICA Qualificação:

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 015 Ensino Técnico Etec ETEC PAULINO BOTELHO Código: 091 Município: SÃO CARLOS Eixo Tecnológico: Informação e Comunicação Habilitação Profissional: Técnico em Informática para

Leia mais

1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO

1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO 1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO O Curso de Secretariado Executivo das Faculdades Integradas de Ciências Exatas Administrativas e Sociais da UPIS, reconhecido pelo MEC desde 1993, pela Portaria 905, de 24.06,1993,

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Etec: Dr. José Luiz Viana Coutinho Código: 073 Município: Jales Eixo Tecnológico: Informação e Comunicação Componente Curricular: Técnica de Nível Médio

Leia mais

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Ensino Técnico. Qualificação: Auxiliar de Informática

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Ensino Técnico. Qualificação: Auxiliar de Informática Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico ETEC PAULINO BOTELHO Código: 091 Município: São Carlos - SP Eixo Tecnológico: Informação e Comunicação Habilitação Profissional: Técnico em Informática Qualificação:

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2013. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2013. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico ETEC PAULINO BOTELHO Código: 091 Município: São Carlos - SP Eixo Tecnológico: Informação e Comunicação Habilitação Profissional: Técnico em Informática Qualificação:

Leia mais

LICENCIATURA EM COMPUTAÇÃO

LICENCIATURA EM COMPUTAÇÃO Coordenador: Duração: Carga Horária: LICENCIATURA EM COMPUTAÇÃO Victor Emanuel Corrêa Lima 6 semestres 2800 horas Situação Legal: Reconhecido pela Portaria MEC nº 503 de 15/02/2006 MATRIZ CURRICULAR Primeiro

Leia mais

CURSO DE GRADUAÇÃO TECNOLÓGICA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS. RECONHECIDO conforme PORTARIA nº 295, de 25 de Junho de 2008.

CURSO DE GRADUAÇÃO TECNOLÓGICA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS. RECONHECIDO conforme PORTARIA nº 295, de 25 de Junho de 2008. CURSO DE GRADUAÇÃO TECNOLÓGICA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS RECONHECIDO conforme PORTARIA nº 295, de 25 de Junho de 2008. Título: Tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Turno: Noturno

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS CST em Análise e Desenvolvimento de Sistemas 3ª Série Programação em Banco de Dados A atividade prática supervisionada (ATPS) é um procedimento metodológico de ensino-aprendizagem

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO CST ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS INTRODUÇÃO À COMPUTAÇÃO 68 A disciplina estuda a área da informática como um todo e os conceitos fundamentais, abrangendo desde a

Leia mais

CONCEPÇÕES MATEMÁTICA APRESENTADAS POR PROFESSORES DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM PSICOPEDAGOGIA

CONCEPÇÕES MATEMÁTICA APRESENTADAS POR PROFESSORES DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM PSICOPEDAGOGIA CONCEPÇÕES MATEMÁTICA APRESENTADAS POR PROFESSORES DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM PSICOPEDAGOGIA Jacqueline Oliveira de Melo Gomes Faculdade de Formação de Professores da Mata Sul / FAMASUL-PE jacomgomes@yahoo.com.br

Leia mais

Campanha Nacional de Escolas da Comunidade Mantenedora da Faculdade Cenecista de Campo Largo

Campanha Nacional de Escolas da Comunidade Mantenedora da Faculdade Cenecista de Campo Largo Ementas das Disciplinas 1. Teorias Administrativas e a Gestão Escolar - 30 horas Ementa: Gestão Educacional conceitos, funções e princípios básicos. A função administrativa da unidade escolar e do gestor.

Leia mais

Pró-Reitoria de Ensino de Graduação Núcleo de Apoio Pedagógico - NAPE P L A N O D E E N S I N O

Pró-Reitoria de Ensino de Graduação Núcleo de Apoio Pedagógico - NAPE P L A N O D E E N S I N O Pró-Reitoria de Ensino de Graduação Núcleo de Apoio Pedagógico - NAPE P L A N O D E E N S I N O Curso: CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Componente Curricular: BANCO DE DADOS II Modalidade: Presencial ( X ) Semipresencial

Leia mais

MINI STÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINI STRO P ORTARIA Nº 808, DE 18 DE JUNHO DE 2010

MINI STÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINI STRO P ORTARIA Nº 808, DE 18 DE JUNHO DE 2010 MINI STÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINI STRO P ORTARIA Nº 808, DE 18 DE JUNHO DE 2010 Aprova o instrumento de avaliação para reconhecimento de Cursos Pedagogia, no âmbito do Sistema Nacional de Avaliação

Leia mais

Banco de Dados. Aula 1 - Prof. Bruno Moreno 16/08/2011

Banco de Dados. Aula 1 - Prof. Bruno Moreno 16/08/2011 Banco de Dados Aula 1 - Prof. Bruno Moreno 16/08/2011 Roteiro Apresentação do professor e disciplina Definição de Banco de Dados Sistema de BD vs Tradicional Principais características de BD Natureza autodescritiva

Leia mais

ü Curso - Bacharelado em Sistemas de Informação

ü Curso - Bacharelado em Sistemas de Informação Curso - Bacharelado em Sistemas de Informação Nome e titulação do Coordenador: Coordenador: Prof. Wender A. Silva - Mestrado em Engenharia Elétrica (Ênfase em Processamento da Informação). Universidade

Leia mais

a importância de formar profissionais para atuar nos campos de trabalho emergentes na área;

a importância de formar profissionais para atuar nos campos de trabalho emergentes na área; SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Resolução n. 66/ 2012 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Graduação em Computação, Licenciatura

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Etec: Dr. José Luiz Viana Coutinho Código: 073 Município: Jales Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Habilitação Profissional

Leia mais

Curso Superior de Tecnologia em BD Curso Superior de Tecnologia em DAI

Curso Superior de Tecnologia em BD Curso Superior de Tecnologia em DAI Curso Superior de Tecnologia em BD Curso Superior de Tecnologia em DAI Fundamentos de Banco de Dados Aula 01 Introdução aos Sistemas de Bancos de Dados Introdução aos Sistemas de BD Objetivo Apresentar

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Etec: Professora Nair Luccas Ribeiro Código: 156 Município: Teodoro Sampaio Eixo Tecnológico: Informática e Comunicação Habilitação Profissional: Qualificação:

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: Informação e Comunicação Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: Sistemas de Informação FORMA/GRAU:( ) Integrado ( ) Subsequente ( ) Concomitante ( X ) Bacharelado ( ) Licenciatura ( ) Tecnólogo

Leia mais

Administração de Banco de Dados

Administração de Banco de Dados Administração de Banco de Dados Professora conteudista: Cida Atum Sumário Administração de Banco de Dados Unidade I 1 INTRODUÇÃO A BANCO DE DADOS...1 1.1 Histórico...1 1.2 Definições...2 1.3 Importância

Leia mais

PROCESSO SELETIVO EXTERNO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

PROCESSO SELETIVO EXTERNO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO ANEXO II EDITAL N 06/2014, DE 29 DE SETEMBRO DE 2014 PROCESSO SELETIVO EXTERNO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO A-01 - ASSESSOR TECNICO IV RECRUTAMENTO, SELEÇÃO, TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS Administração

Leia mais

Curso de Educação Profissional Técnica de Nível Médio Subseqüente ao Ensino Médio, na modalidade a distância, para:

Curso de Educação Profissional Técnica de Nível Médio Subseqüente ao Ensino Médio, na modalidade a distância, para: INSTITUIÇÃO: IFRS CAMPUS BENTO GONÇALVES CNPJ: 94728821000192 ENDEREÇO: Avenida Osvaldo Aranha, 540. Bairro Juventude. CEP: 95700-000 TELEFONE: (0xx54) 34553200 FAX: (0xx54) 34553246 Curso de Educação

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N 72/2009 Aprova o Projeto Político-Pedagógico do Curso de Sistemas de Informação, modalidade

Leia mais

Banco de Dados. Introdução. João Eduardo Ferreira Osvaldo Kotaro Takai. jef@ime.usp.br DCC-IME-USP

Banco de Dados. Introdução. João Eduardo Ferreira Osvaldo Kotaro Takai. jef@ime.usp.br DCC-IME-USP Banco de Dados Introdução João Eduardo Ferreira Osvaldo Kotaro Takai jef@ime.usp.br DCC-IME-USP Importância dos Bancos de Dados A competitividade das empresas depende de dados precisos e atualizados. Conforme

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO. Curso de Graduação Tecnológica em Marketing

PROJETO PEDAGÓGICO. Curso de Graduação Tecnológica em Marketing PROJETO PEDAGÓGICO Curso de Graduação Tecnológica em Marketing Porto alegre, 2011 1 1. Objetivos do Curso O projeto do curso, através de sua estrutura curricular, está organizado em módulos, com certificações

Leia mais

FACULDADE INTEGRADAS DE PARANAÍBA ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS. Bancos de Dados Conceitos Fundamentais

FACULDADE INTEGRADAS DE PARANAÍBA ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS. Bancos de Dados Conceitos Fundamentais FACULDADE INTEGRADAS DE PARANAÍBA ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS Bancos de Dados Conceitos Fundamentais Tópicos Conceitos Básicos Bancos de Dados Sistemas de Bancos de Dados Sistemas de Gerenciamento de Bancos

Leia mais

CENTRO DE ESTUDO DE PÓS-GRADUAÇÃO PROPOSTA DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

CENTRO DE ESTUDO DE PÓS-GRADUAÇÃO PROPOSTA DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU CENTRO DE ESTUDO DE PÓS-GRADUAÇÃO PROPOSTA DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU 2013 INTRODUÇÃO: O presente trabalho apresenta a relação de Cursos de Pós-Graduação Lato Sensu a serem reorganizados no

Leia mais

Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br

Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br Programação com acesso a BD Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br 1 Modelos de Dados, Esquemas e Instâncias 2 Modelos de Dados, Esquemas e Instâncias Modelo de dados: Conjunto de conceitos

Leia mais

SEMI-PRESENCIALIDADE NO ENSINO SUPERIOR: ALGUNS RESULTADOS DESSA MODALIDADE NA FGF

SEMI-PRESENCIALIDADE NO ENSINO SUPERIOR: ALGUNS RESULTADOS DESSA MODALIDADE NA FGF 1 SEMI-PRESENCIALIDADE NO ENSINO SUPERIOR: ALGUNS RESULTADOS DESSA MODALIDADE NA FGF Fortaleza CE Junho/2009 Karla Angélica Silva do Nascimento - Faculdade Integrada da Grande Fortaleza karla@fgf.edu.br

Leia mais

PROPOSTA PEDAGOGICA CENETEC Educação Profissional. Índice Sistemático. Capitulo I Da apresentação...02. Capitulo II

PROPOSTA PEDAGOGICA CENETEC Educação Profissional. Índice Sistemático. Capitulo I Da apresentação...02. Capitulo II Índice Sistemático Capitulo I Da apresentação...02 Capitulo II Dos objetivos da proposta pedagógica...02 Capitulo III Dos fundamentos da proposta pedagógica...02 Capitulo IV Da sinopse histórica...03 Capitulo

Leia mais

Portaria Inep nº 190 de 12 de julho de 2011 Publicada no Diário Oficial de 13 de julho de 2011, Seção 1, pág. 13

Portaria Inep nº 190 de 12 de julho de 2011 Publicada no Diário Oficial de 13 de julho de 2011, Seção 1, pág. 13 Portaria Inep nº 190 de 12 de julho de 2011 Publicada no Diário Oficial de 13 de julho de 2011, Seção 1, pág. 13 A Presidenta do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep),

Leia mais

FACULDADE ESTÁCIO DE SANTO ANDRÉ SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1

FACULDADE ESTÁCIO DE SANTO ANDRÉ SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: CST em Gestão em Recursos Humanos MISSÃO DO CURSO A missão do Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos da ESTÁCIO EUROPAN consiste em formar

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DO PROFESSOR CURSOS TÉCNICOS DE NÍVEL MÉDIO ENSINO A DISTÂNCIA

PLANO DE TRABALHO DO PROFESSOR CURSOS TÉCNICOS DE NÍVEL MÉDIO ENSINO A DISTÂNCIA PLANO DE TRABALHO DO PROFESSOR CURSOS TÉCNICOS DE NÍVEL MÉDIO ENSINO A DISTÂNCIA 1- DADOS DE IDENTIFICAÇÃO CÂMPUS: SANTO AUGUSTO DIREÇÃO GERAL: VERLAINE DENIZE BRASIL GERLACH DIREÇÃO DE ENSINO: CLARINÊS

Leia mais

CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 1 CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2011.1 BRUSQUE (SC) 2015 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 ARQUITETURA DE COMPUTADORES... 4 02 FILOSOFIA... 4 03 FUNDAMENTOS MATEMÁTICOS PARA COMPUTAÇÃO...

Leia mais

EMENTAS DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS

EMENTAS DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS EMENTAS DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS INTRODUÇÃO À COMPUTAÇÃO 60 h 1º Evolução histórica dos computadores. Aspectos de hardware: conceitos básicos de CPU, memórias,

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: SISTEMAS DA INFORMAÇÃO MISSÃO DO CURSO Os avanços da ciência, a melhoria dos processos produtivos e a abertura de mercado, são exemplos de fatores que contribuíram

Leia mais

FACULDADE PASCHOAL DANTAS

FACULDADE PASCHOAL DANTAS FACULDADE PASCHOAL DANTAS PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO ÊNFASE GESTÃO DE PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SÃO PAULO - SP NOVEMBRO DE 2008 ÍNDICE 1. Visão e Missão da FPD...3 2. ORGANIZAÇÃO

Leia mais

O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO

O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO Portaria nº 808, de 8 de junho de 00. Aprova o instrumento de avaliação para reconhecimento de Cursos Pedagogia, no âmbito do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior - SINAES. O MINISTRO DE

Leia mais

Regulamento do Programa RiSE/Porto Digital de Residência em Reuso de Software 2011

Regulamento do Programa RiSE/Porto Digital de Residência em Reuso de Software 2011 Regulamento do Programa RiSE/Porto Digital de Residência em Reuso de Software 2011 1. Apresentação A RiSE Reuse in Software Engineering e o Núcleo de Gestão do Porto Digital (NGPD), com o apoio do CNPq

Leia mais

Plano de Ensino. CARGA HORÀRIA: 60 horas. ANO/SEM DA TURMA: 4º Semestre TURNO: noturno TURMA: 22 EMENTA

Plano de Ensino. CARGA HORÀRIA: 60 horas. ANO/SEM DA TURMA: 4º Semestre TURNO: noturno TURMA: 22 EMENTA Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: Informação e Comunicação CURSO: Técnico em Informática FORMA/GRAU: ( )integrado ( X)subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo

Leia mais

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO PROFISSIONAL. Plano de Trabalho Docente 2014

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO PROFISSIONAL. Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO PROFISSIONAL Plano de Trabalho Docente 2014 ETEC PROF. MASSUYUKI KAWANO Código: 136 Município: TUPÃ Eixo Tecnológico: INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Habilitação Profissional:

Leia mais

Portaria Inep nº 249, de 02 de junho de 2014. Publicada no Diário Oficial da União em 04 de junho de 2014.

Portaria Inep nº 249, de 02 de junho de 2014. Publicada no Diário Oficial da União em 04 de junho de 2014. Portaria Inep nº 249, de 02 de junho de 2014. Publicada no Diário Oficial da União em 04 de junho de 2014. O Presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep),

Leia mais

Curso Superior de Tecnologia em BD

Curso Superior de Tecnologia em BD Curso Superior de Tecnologia em BD Modelagem de Dados Aula 01 Revisão Modelos de Dados Existem modelos para diferentes níveis de abstração de representação de dados modelos conceituais modelos lógicos

Leia mais

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Justificativa: As transformações ocorridas nos últimos anos têm obrigado as organizações a se modificarem constantemente e de forma

Leia mais

Centro de Estudos Avançados em Pós Graduação e Pesquisa

Centro de Estudos Avançados em Pós Graduação e Pesquisa GESTÃO EDUCACIONAL INTEGRADA: Oferecendo 04 Habilitações: supervisão de ensino, orientação educacional, inspeção de ensino e administração escolar. JUSTIFICATIVA O Curso de Especialização em Gestão Educacional

Leia mais

NÚCLEO DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA E ENSINO DE FÍSICA E AS NOVAS TECNOLOGIAS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES

NÚCLEO DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA E ENSINO DE FÍSICA E AS NOVAS TECNOLOGIAS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES NÚCLEO DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA E ENSINO DE FÍSICA E AS NOVAS TECNOLOGIAS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES Edson Crisostomo dos Santos Universidade Estadual de Montes Claros - UNIMONTES edsoncrisostomo@yahoo.es

Leia mais

Diretrizes curriculares nacionais e os projetos pedagógicos dos cursos de graduação

Diretrizes curriculares nacionais e os projetos pedagógicos dos cursos de graduação Diretrizes curriculares nacionais e os projetos pedagógicos dos cursos de graduação Curso de Atualização Pedagógica Julho de 2010 Mediador: Adelardo Adelino Dantas de Medeiros (DCA/UFRN) Diretrizes Curriculares

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS 2ª Série Processos Gerenciais CST em Gestão Financeira A atividade prática supervisionada (ATPS) é um método de ensinoaprendizagem desenvolvido por meio de um conjunto

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO. Concepção do Curso de Administração

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO. Concepção do Curso de Administração CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Concepção do Curso de Administração A organização curricular do curso oferece respostas às exigências impostas pela profissão do administrador, exigindo daqueles que integram a instituição

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO

PROJETO PEDAGÓGICO DO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO PROJETO PEDAGÓGICO DO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO APRESENTAÇÃO O Projeto Político Pedagógico da Escola foi elaborado com a participação da comunidade escolar, professores e funcionários, voltada para a

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: Informação e Comunicação CURSO: Técnico em Informática FORMA/GRAU:( X ) Integrado ( ) Subsequente ( ) Concomitante ( ) Bacharelado ( ) Licenciatura ( ) Tecnólogo

Leia mais

Faculdades Integradas do Vale do Ivaí Instituto Superior de Educação - ISE

Faculdades Integradas do Vale do Ivaí Instituto Superior de Educação - ISE DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO 1 Do estágio curricular supervisionado A modalidade de Estágio Supervisionado é uma importante variável a ser considerada no contexto de perfil do egresso. A flexibilidade prevista

Leia mais

Apresentação da FAMA

Apresentação da FAMA Pós-Graduação Lato Sensu CURSO DE ESPECIIALIIZAÇÃO 444 horras/aulla 1 Apresentação da FAMA A FAMA nasceu como conseqüência do espírito inovador e criador que há mais de 5 anos aflorou numa família de empreendedores

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: Informação e Comunicação CURSO: Sistemas de Informação FORMA/GRAU:( ) Integrado ( ) Subsequente ( ) Concomitante ( X ) Bacharelado ( ) Licenciatura ( ) Tecnólogo

Leia mais

A importância da Informática na Educação

A importância da Informática na Educação A importância da Informática na Educação AGUIAR, Juliana Discente da Faculdade de Ciências Jurídicas e Gerenciais FAEG - Rua das Flores, 740 Bairro Labienópolis - CEP 17400-000 Garça (SP) Brasil Telefone

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: Informação e Comunicação CURSO: Tecnólogo em Sistemas para Internet FORMA/GRAU:( )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura

Leia mais

Dado: Fatos conhecidos que podem ser registrados e têm um significado implícito. Banco de Dados:

Dado: Fatos conhecidos que podem ser registrados e têm um significado implícito. Banco de Dados: MC536 Introdução Sumário Conceitos preliminares Funcionalidades Características principais Usuários Vantagens do uso de BDs Tendências mais recentes em SGBDs Algumas desvantagens Modelos de dados Classificação

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: Informação e Comunicação CURSO: Técnico em Informática FORMA/GRAU:( X ) Integrado ( ) Subsequente ( ) Concomitante ( ) Bacharelado ( ) Licenciatura ( ) Tecnólogo

Leia mais

A Interdisciplinaridade como Metodologia de Ensino INTRODUÇÃO

A Interdisciplinaridade como Metodologia de Ensino INTRODUÇÃO A Interdisciplinaridade como Metodologia de Ensino O bom professor é o que consegue, enquanto fala trazer o aluno até a intimidade do movimento de seu pensamento. Paulo Freire INTRODUÇÃO A importância

Leia mais

Bancos de Dados. Conceitos F undamentais em S is temas de B ancos de Dados e s uas Aplicações

Bancos de Dados. Conceitos F undamentais em S is temas de B ancos de Dados e s uas Aplicações Conceitos F undamentais em S is temas de B ancos de Dados e s uas Aplicações Tópicos Conceitos Básicos Bancos de Dados Sistemas de Bancos de Dados Sistemas de Gerenciamento de Bancos de Dados Abstração

Leia mais

MBA em Marketing Estratégico

MBA em Marketing Estratégico MBA em Marketing Estratégico Público - alvo O MBA em Marketing Estratégico é indicado para profissionais com experiência profissional mínima de três anos, com formação universitária em qualquer área e

Leia mais

DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR

DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Pró-Reitoria de Graduação e Educação Profissional DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR APROVADO PELA RESOLUÇÃO

Leia mais

MBA em Marketing Estratégico

MBA em Marketing Estratégico MBA em Marketing Estratégico Público - alvo O MBA em Marketing Estratégico é indicado para profissionais com experiência profissional mínima de três anos, com formação universitária em qualquer área e

Leia mais

GRADUAÇÃO APRESENTAÇÃO E GRADE CURRICULAR DOS CURSOS PROCESSOS GERENCIAIS 1.675 HORAS

GRADUAÇÃO APRESENTAÇÃO E GRADE CURRICULAR DOS CURSOS PROCESSOS GERENCIAIS 1.675 HORAS GRADUAÇÃO APRESENTAÇÃO E GRADE CURRICULAR DOS CURSOS PROCESSOS GERENCIAIS 1.675 HORAS Apresentação: Prepara os estudantes para o empreendedorismo e para a gestão empresarial. Com foco nas tendências de

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO. Curso: Informática Modalidade: Bacharelado Turno: Integral.

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO. Curso: Informática Modalidade: Bacharelado Turno: Integral. UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO PLANO DE ENSINO - PERÍODO LETIVO/ANO 2007 ANO DO CURSO 4 o Curso: Informática Modalidade: Bacharelado Turno: Integral Centro: Centro de

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CST SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DISCIPLINA: Algoritmo e Programação I A disciplina aborda o estudo de algoritmos, envolvendo os conceitos fundamentais: variáveis, tipos de dados, constantes,

Leia mais

CAPÍTULO I Das Disposições Preliminares

CAPÍTULO I Das Disposições Preliminares C M E CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO NATAL/RN RESOLUÇÃO Nº 003/2011 CME Estabelece normas sobre a Estrutura, Funcionamento e Organização do trabalho pedagógico da Educação de Jovens e Adultos nas unidades

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DO PROFESSOR CURSOS TÉCNICOS DE NÍVEL MÉDIO ENSINO A DISTÂNCIA

PLANO DE TRABALHO DO PROFESSOR CURSOS TÉCNICOS DE NÍVEL MÉDIO ENSINO A DISTÂNCIA PLANO DE TRABALHO DO PROFESSOR CURSOS TÉCNICOS DE NÍVEL MÉDIO ENSINO A DISTÂNCIA 1- DADOS DE IDENTIFICAÇÃO CAMPUS:SANTO AUGUSTO DIREÇÃO GERAL: VERLAINE GERLACH DIREÇÃO DE ENSINO:MARINÊS HAMES COORDENAÇÃO

Leia mais

DOCÊNCIA ASSISTIDA NO ENSINO SUPERIOR: EXPERIÊNCIA NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES NO CURSO DE MÚSICA LICENCIATURA DA UFRN

DOCÊNCIA ASSISTIDA NO ENSINO SUPERIOR: EXPERIÊNCIA NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES NO CURSO DE MÚSICA LICENCIATURA DA UFRN DOCÊNCIA ASSISTIDA NO ENSINO SUPERIOR: EXPERIÊNCIA NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES NO CURSO DE MÚSICA LICENCIATURA DA UFRN Autor: Anne Charlyenne Saraiva Campos; Co-autor: Emerson Carpegiane de Souza Martins

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: Gestão e Negócios Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: Superior em Administração FORMA/GRAU:( )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( x ) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo

Leia mais

Campanha Nacional de Escolas da Comunidade CNEC

Campanha Nacional de Escolas da Comunidade CNEC Campanha Nacional de Escolas da Comunidade CNEC Regulamento de Projeto Integrador dos Cursos Superiores de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas, Segurança da Informação e Sistemas para Internet

Leia mais

NÚCLEO DE APOIO DIDÁTICO E METODOLÓGICO (NADIME)

NÚCLEO DE APOIO DIDÁTICO E METODOLÓGICO (NADIME) NÚCLEO DE APOIO DIDÁTICO E METODOLÓGICO (NADIME) Palmas 2010 1. Apresentação O Núcleo de Apoio Didático e Metodológico NADIME é o órgão da Faculdade Católica do Tocantins responsável pela efetivação da

Leia mais

Engenharia de Produção: Grande área e diretrizes curriculares

Engenharia de Produção: Grande área e diretrizes curriculares ABEPRO Associação Brasileira de Engenharia de Produção DOCUMENTO NÃO CONCLUÍDO Engenharia de Produção: Grande área e diretrizes curriculares Documento elaborado nas reuniões do grupo de trabalho de graduação

Leia mais

Curso de Formação Pedagógica para Docentes da FEI. Coordenação Prof. Dr. Marcos T. Masetto

Curso de Formação Pedagógica para Docentes da FEI. Coordenação Prof. Dr. Marcos T. Masetto Curso de Formação Pedagógica para Docentes da FEI Coordenação Prof. Dr. Marcos T. Masetto 1 Curso de Formação Pedagógica para Docentes da FEI Professor Doutor Marcos T. Masetto Objetivos Desenvolver competências

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO. MBA em Gestão de Pessoas com Ênfase em Estratégias

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO. MBA em Gestão de Pessoas com Ênfase em Estratégias CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA em Gestão de Pessoas com Ênfase em Estratégias Coordenação Acadêmica: Maria Elizabeth Pupe Johann 1 OBJETIVOS: Objetivo Geral: - Promover o desenvolvimento

Leia mais

GRADUAÇÃO E PÓS-GRADUAÇÃO APRESENTAÇÃO E GRADE CURRICULAR DOS CURSOS

GRADUAÇÃO E PÓS-GRADUAÇÃO APRESENTAÇÃO E GRADE CURRICULAR DOS CURSOS GRADUAÇÃO E PÓS-GRADUAÇÃO APRESENTAÇÃO E GRADE CURRICULAR DOS CURSOS Graduação PROCESSOS GERENCIAIS 1.675 HORAS Prepara os estudantes para o empreendedorismo e para a gestão empresarial. Com foco nas tendências

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Projetos

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Projetos Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Projetos Apresentação O programa de Pós-graduação Lato Sensu em Gestão de Projetos tem por fornecer conhecimento teórico instrumental que

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico ETEC Monsenhor Antônio Magliano Código: 088 Município: Garça Eixo Tecnológico: Informação e Comunicação Habilitação Profissional: Técnica de Nível Médio de

Leia mais

e-mail: ebertonsm@gmail.com eberton.marinho@gmail.com

e-mail: ebertonsm@gmail.com eberton.marinho@gmail.com INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE Ambientes de Programação e Banco de Dados Docente: Éberton da Sl Silva Marinho e-mail: ebertonsm@gmail.com eberton.marinho@gmail.com

Leia mais

Curso de Graduação. Dados do Curso. Administração. Contato. Modalidade a Distância. Ver QSL e Ementas. Universidade Federal do Rio Grande / FURG

Curso de Graduação. Dados do Curso. Administração. Contato. Modalidade a Distância. Ver QSL e Ementas. Universidade Federal do Rio Grande / FURG Curso de Graduação Administração Modalidade a Distância Dados do Curso Contato Ver QSL e Ementas Universidade Federal do Rio Grande / FURG 1) DADOS DO CURSO: COORDENAÇÃO: Profª MSc. Suzana Malta ENDEREÇO:

Leia mais

Pedagogia. Objetivos deste tema. 3 Sub-temas compõem a aula. Tecnologias da informação e mídias digitais na educação. Prof. Marcos Munhoz da Costa

Pedagogia. Objetivos deste tema. 3 Sub-temas compõem a aula. Tecnologias da informação e mídias digitais na educação. Prof. Marcos Munhoz da Costa Pedagogia Prof. Marcos Munhoz da Costa Tecnologias da informação e mídias digitais na educação Objetivos deste tema Refletir sobre as mudanças de experiências do corpo com o advento das novas tecnologias;

Leia mais

Projeto Pedagógico do Curso

Projeto Pedagógico do Curso Projeto Pedagógico do Curso Fundamentação Diretrizes curriculares do MEC Diretrizes curriculares da SBC Carta de Princípios da UNICAP Projeto Pedagógico Institucional da UNICAP Diretrizes Curriculares

Leia mais

AGENTE DE DESENVOLVIMENTO SOCIOAMBIENTAL

AGENTE DE DESENVOLVIMENTO SOCIOAMBIENTAL PLANO DE CURSO QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL EM AGENTE DE DESENVOLVIMENTO SOCIOAMBIENTAL EIXO TECNOLÓGICO:Ambiente e Saúde Carga Horária: 160 horas CATALÃO GO JANEIRO- 2014 SUMÁRIO 1- Justificativa ( Inserir

Leia mais

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO PROFISSIONAL. Plano de Trabalho Docente 2015

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO PROFISSIONAL. Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO PROFISSIONAL Plano de Trabalho Docente 2015 ETEC Monsenhor Antônio Magliano Código: 088 Município: Garça EE: Eixo Tecnológico: Informação e Comunicação Habilitação

Leia mais

Parâmetros para avaliação de mestrado profissional*

Parâmetros para avaliação de mestrado profissional* Parâmetros para avaliação de mestrado profissional* 1. Natureza do mestrado profissional A pós-graduação brasileira é constituída, atualmente, por dois eixos claramente distintos: o eixo acadêmico, representado

Leia mais

14/08/2008. Curso Superior de Tecnologia em Banco de Dados Disciplina: Projeto de Banco de Dados Relacional 1 Prof.: Fernando Hadad Zaidan

14/08/2008. Curso Superior de Tecnologia em Banco de Dados Disciplina: Projeto de Banco de Dados Relacional 1 Prof.: Fernando Hadad Zaidan Faculdade INED Curso Superior de Tecnologia em Banco de Dados Disciplina: Projeto de Banco de Dados Relacional 1 Prof.: Fernando Hadad Zaidan 1 Unidade 2 Introdução a SQL 2 Leitura Obrigatória ELMASRI,

Leia mais