Competências Humanas para a Sustentabilidade

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Competências Humanas para a Sustentabilidade"

Transcrição

1 Competências Humanas para a Sustentabilidade Trabalho acadêmico de Conclusão de Curso (TCC) MBA em Gestão de Pessoas PUC-Rio Instituto de Administração e Gerência Rua Marquês de São Vicente, Gávea CEP: Tel.: (21) Coordenador do MBA em Recursos Humanos: Profª Ana Heloisa da Costa Lemos - Tel.: (21) Autora CV: MARIA ISABEL MONTEIRO FAUSTO BARRETO Rua Siqueira Campos, 238 / apto Copacabana CEP: Tel.: (21) / Graduada em Comunicação/Publicidade (1986) pela PUC-Rio, com MBA em Marketing (1988), Recursos Humanos (2010/11) e Gestão (2012) pela mesma instituição, e Especialização em Marketing Cultural (1994) pelo Centro Cultural Candido Mendes. Atuou em agências de publicidade (VS Escala, Claquete Filmes e Promarket Grupo Amil), empresas (T&P Exportação, Norteshopping, Shopping Rio Sul, Café Globo, L Óréal, Salsa Cosméticos, Jean Louis David), museus e centros culturais (Museu Nacional de Belas Artes, Centro Cultural Apis), ONGs (SYDA Foundation USA-Brasil) e instituições de ensino (Senac, Universidade Estácio de Sá). É professora da PUC-Rio há 25 anos. Professora-orientadora: Profª Eliane Leite Vice-Presidente da Affero - Rua Bambina, 25 - Botafogo CEP: Tel.: (21) / Iniciou a carreira gerencial em 1975, passando por empresas como o SERPRO - Serviço Federal de Processamento de Dados, Mesbla e XEROX do Brasil, onde atuou como Diretora de Educação Corporativa, com especial foco nas áreas de Gerenciamento do Conhecimento, Gestão de Competências, Educação Corporativa, Planejamento Estratégico e Qualidade Total. Participou da equipe que estruturou a Empresa de Pesquisa Energética - EPE, estatal que iniciou sua operação em 2005, ligada ao Ministério de Minas e Energia. Nela ocupou o cargo de Superintendente de Recursos Logísticos, responsável pelas funções de Recursos Humanos, Tecnologia da Informação e Administração Geral. Graduada em Psicologia pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro e Mestre em Administração pela PUC-Rio, possui curso de nível MBA feito no Brasil e de nível gerencial em Kellogg - Northwestern University - Chicago. É professora do MBA em Recursos Humanos - PUC-Rio / IAG.

2 Resumo Os temas Ecologia e Sustentabilidade estão atualmente em pauta. Porém, a mudança efetiva só vai acontecer quando as pessoas se interiorizarem para poderem agir de forma consciente e definitiva. Em termos de gestão, muitas organizações estão dando os primeiros passos, focando na Gestão de Sustentabilidade dos recursos naturais (quando abraçam alguma causa com objetivos de Imagem Institucional) ou de seus recursos materiais (reciclagem de resíduos sólidos, por exemplo). E a Gestão de Sustentabilidade de seus Recursos Humanos? Estes recursos também precisam receber uma atenção especial, pois somente assim a mudança poderá acontecer. Recentemente, foi lançado o Relatório Visão 2050 desenvolvido por empresas globais associadas ao World Business Council for Sustainable Development (WBCSD). Dirigido aos líderes do presente e do futuro, o Relatório dá indicações de como alcançar a Visão. Em termos gerais, pode-se resumir em: mudanças de estilo de vida, mudanças comportamentais e inovações sociais. Para o sucesso dessa empreitada, a Educação passa a ter importância profunda nesse momento de mudança e transformação. Estarmos passando por período de crise de consciência, de valores. O Brasil tem papel preponderante no cenário da Ecologia e da Sustentabilidade para o mundo. E pode servir também de modelo para Gestões de Recursos Humanos é re-conhecido internacionalmente como referência também em convivência pacífica de pessoas de diversas origens (raças, credos,), devido à sua própria formação. O presente trabalho buscou, portanto, identificar as bases para essa mudança: os Valores das Pessoas e o Desenvolvimento Humano. Ou seja, quais as competências humanas necessárias para que uma pessoa possa dar sua contribuição efetiva no que diz respeito às questões relacionadas à Sustentabilidade nas organizações, em particular. O conceito de competência envolve: atributos individuais; conhecimentos, habilidades e atitudes (CHAs) juntamente com motivação, crenças, valores e comportamentos. Portanto, a Gestão por Competências se resume em saber os Conhecimentos, Habilidades, Atitudes e Comportamentos que a empresa precisa ter em seus colaboradores para que todos, de forma orientada e organizada, possam alcançar os objetivos traçados. De todas as virtudes conhecidas para o aprimoramento individual e social, uma é fundamental para a raça humana: HARMONIA. Afinal de contas, o universo é perfeitamente harmônico e tudo o que fere essa harmonia é ruim. Esse movimento para uma nova consciência pode vir justamente do principal ator do capitalismo: as organizações. A empresa é a força mais poderosa da sociedade atual. Danah Zohar, movida por valores espirituais profundos, nos incita a viver de modo a fazer alguma diferença neste mundo, pois, se estamos passando por alguma crise (pessoal, social ou econômica), isto se deve à falta de valores profundos e pensamento inteligente em muitos setores da nossa sociedade. Capital Espiritual é a riqueza que extraímos de nossos mais profundos valores e princípios, propósitos fundamentais e motivações mais elevadas. É aquele que se faz necessário nas organizações, comunidades e culturas da sociedade global da atualidade extraído de motivações, princípios, valores e propósitos profundos não sectários encontrados em qualquer ser humano.

3 Introdução Os temas Ecologia e Sustentabilidade estão atualmente em pauta. Porém, quando se fala nestes temas, precisamos começar de dentro para fora. Pois a mudança efetiva só vai acontecer quando as pessoas se interiorizarem para poderem agir de forma consciente e definitiva. Na Rio 92 houve um braço, pouco divulgado, que aconteceu na Assembléia Legislativa o espaço foi dedicado aos líderes espirituais da Terra. Dom Hélder Câmara, Dalai Lama, entre outros. Félix Guattari, já na década de 1970, propunha um novo paradigma que englobava uma Ecologia Integral. Esta começaria com uma Ecologia Pessoal (visando a saúde física, mental, emocional e espiritual do ser humano), passando pela Ecologia Social (a integração do ser humano com a sociedade, o exercício da cidadania, a cultura de paz, a ética da diversidade, os valores universais, entre outras coisas) até chegar à Ecologia Ambiental (a integração do ser humano com a natureza, no sentido amplo da palavra). De dentro para fora. É uma mudança de mentalidade. Foi ele que propôs o conceito de ecosofia. Vai além do conceito racional da ecologia. Ecosofia é uma questão filosófica, de sabedoria. Portanto, sem uma mudança de perspectiva, fica-se somente no discurso. E para que se possa chegar ao meio ambiente, ao externo, é preciso começar com o ser humano, dentro das células que o constituem, na energia de cada uma destas células os pensamentos, a consciência, a essência de cada um. O homem é o centro deste processo. Em termos de gestão, muitas organizações estão dando os primeiros passos, focando na Gestão de Sustentabilidade dos recursos naturais (quando abraçam alguma causa com objetivos de Imagem Institucional) ou de seus recursos materiais (reciclagem de resíduos sólidos, por exemplo). E a Gestão de Sustentabilidade de seus Recursos Humanos? Estes recursos também precisam receber uma atenção especial, pois somente assim a mudança poderá acontecer (do interior para o exterior). Na história recente da administração, houve a onda da Qualidade Total, em vários setores. Primeiro, as organizações passaram pela fase da busca pela Qualidade em Produtos. Depois, pela Qualidade nos Processos. Recentemente, entraram na fase da Qualidade nas Relações. Acredito que, quando as preocupações com a Qualidade das Relações forem exauridas, a atenção poderá ser dirigida para a Qualidade das Pessoas. Recentemente, foi lançado o Relatório Visão Este foi desenvolvido por empresas globais associadas ao World Business Council for Sustainable Development (WBCSD) com a colaboração de consultores, especialistas e colaboradores de múltiplos setores. Ele é dirigido aos líderes do presente e do futuro. O Relatório dá indicações de como alcançar a Visão. Para isso, dividiu-o em nove áreas-críticas, sendo que destaco: Valores das Pessoas e Desenvolvimento Humano. Em termos gerais, pode-se resumir em: mudanças de estilo de vida, mudanças comportamentais e inovações sociais. Existem duas ferramentas preponderantes para o sucesso dessa empreitada: Comunicação e Educação. A Comunicação tem um papel mais generalista, impessoal e de caráter mais imediato. Por outro lado, a Educação passa a ter importância

4 profunda nesse momento de mudança e transformação. Estarmos passando por período de crise de consciência, de valores. Metodologia Tipo de Pesquisa A pesquisa foi do tipo exploratória visto que o assunto em questão ainda é embrionário e, portanto, com pouca estruturação das informações / conhecimentos. A presente pesquisa tem como intenção identificar os elementos das competências humanas (CHA) para Sustentabilidade, por meio da revisão bibliográfica. Desta forma, será possível dar uma contribuição para futuras pesquisas. A pesquisa foi operacionalizada através de pesquisa documental leitura, análise e interpretação de material existente sobre o tema. Principalmente livros e artigos científicos. O Problema Assim, o papel da Educação é fundamental em todo esse processo rumo a Sem acesso à mão de obra qualificada adequadamente, as empresas não poderão funcionar de forma bem-sucedida. A grande problemática hoje é a dissonância entre o mundo acadêmico e a realidade das organizações. Treinar pessoas em habilidades para lidar com inovações tecnológicas, questões globais e capacidade de abstração é crucial. Entretanto, só conhecimento teórico/técnico não basta. As competências comportamentais são cada vez mais solicitadas. Mas quais são estas competências? Muitos também já apontaram para o papel preponderante do Brasil no cenário da Ecologia e da Sustentabilidade para o mundo. Seus modelos de energia limpa e reciclagem já são referência para vários países. Acredita-se que o Brasil pode servir de modelo também para Gestões de Recursos Humanos uma vez que é re-conhecido internacionalmente como referência também em convivência pacífica de pessoas de diversas origens (raças, credos, nacionalidades,...), devido à sua própria formação como país. Objetivo Final O presente trabalho buscou, portanto, identificar as bases para essa mudança: os Valores das Pessoas e o Desenvolvimento Humano. Ou seja, quais as competências humanas necessárias para que uma pessoa possa dar sua contribuição efetiva no que diz respeito às questões relacionadas à Sustentabilidade nas organizações, em particular. Somente assim as empresas vão poder identificar as competências de seus (futuros) funcionários e alinhá-las às suas core competences. Dessa maneira, conseguirão desempenhar o seu importante papel de protagonista (juntamente com governos e sociedade civil) no processo de transformação pelo qual todo o planeta está passando.

5 O objetivo geral dessa pesquisa foi o de identificar, através de pesquisa bibliográfica, as competências humanas necessárias para que, a partir disto, seja possível se desenvolver programas de Educação para Sustentabilidade. Pretende-se, como objetivos específicos: identificar o comportamento de pessoas orientadas por princípios valores atemporais, visão de longo prazo. Referencial Teórico Sustentabilidade Sustentabilidade não se limita ao meio ambiente. Sustentabilidade, pode-se dizer, é o paradigma do século XXI. Trata-se de um conceito, uma idéia, uma filosofia, uma postura perante a tudo e a todos. Até o fim da década de 1960, o paradigma vigente era o de que desenvolvimento e meio ambiente eram duas coisas incompatíveis. E, caso os países subdesenvolvidos seguissem os passos dos ricos em relação ao consumo, o planeta caminharia para o caos. Não existia gestão ambiental no Brasil até a década de A ONU convocou então a Conferência de Estocolmo (1972). O tema, até aqui restrito à esfera acadêmica (!), se expandiu para os governos e a coisa começou a mudar. Apesar de ser durante o período militar, o Brasil teve papel destacado nessa história e o governo brasileiro saiu vitorioso da Conferência. Foi o relatório da Comissão Brundtland (Estocolmo) que colocou em circulação a expressão desenvolvimento sustentável. E foi nessa mesma época que a gestão ambiental começou a evoluir para a gestão da sustentabilidade. Para estruturar o conceito de desenvolvimento sustentável, a Comissão recorreu á noção de capital ambiental. Portanto, o desenvolvimento sustentável deveria ser aquele que satisfaz as necessidades do presente sem comprometer a capacidade de as futuras gerações satisfazerem suas próprias necessidades. No início dos anos 1980 a pergunta era: como conciliar atividade econômica e conservação do meio ambiente? Apesar de já ter aparecido, na Conferência da ONU em Estocolmo, em 1972, apesar da tese de que os dois pontos não eram incompatíveis, como então colocar em prática? O homem vinha de um paradigma mecanicista, cartesiano, reducionista, construído em 300 anos de Revoluções Científica e Industrial. Portanto, estava acostumado a ver o mundo de forma dividida em compartimentos. (ALMEIDA, 2002, p. 53) No final do século XX começou a constatar que a natureza era sistêmica, complexa e não-linear. Não funciona como a soma das partes que a compõem, mas como produto da inter-relação das partes. (ALMEIDA, 2002, p. 54) E para compreendê-la, é necessário um novo paradigma: orgânico, holístico, integrador; demandando um modelo transdisciplinar (sintético) que explicasse as relações entre as partes. Não é mais uma questão de economia OU ecologia, mas de economia E ecologia. É preciso lembrar que o ser humano está inserido nas duas; é tudo uma coisa só, que demanda respeito e ética consciência. Paradigma cartesiano X Paradigma da sustentabilidade CARTESIANO SUSTENTÁVEL

6 - Reducionista, mecanicista, tecnocêntrico - Fatos e valores não relacionados - Preceitos éticos desconectados das práticas cotidianas - Separação entre o objetivo e o subjetivo - Seres humanos e ecossistemas separados, em uma relação de dominação - Conhecimento compartimentado e empírico - Relação linear de causa e efeito - Natureza entendida como descontínua, o todo formado pela soma das partes - Bem-estar avaliado por relação de poder (dinheiro, influência, recursos) - Ênfase na quantidade (renda per capita) - Análise - Centralização de poder - Especialização - Ênfase na competição - Pouco ou nenhum limite tecnológico - Orgânico, holístico, participativo - Fatos e valores fortemente relacionados - Ética integrada ao cotidiano - Interação entre o objetivo e o subjetivo - Seres humanos inseparáveis dos ecossistemas, em uma relação de sinergia - Conhecimento indivisível, empírico e intuitivo - Relação não-linear de causa e efeito - Natureza entendida como um conjunto de sistemas inter-relacionados, o todo maior que a soma das partes - Bem-estar avaliado pela qualidade das inter-relações entre os sistemas ambientais e sociais - Ênfase na qualidade (qualidade de vida) - Síntese - Descentralização de poder - Transdisciplinaridade - Ênfase na cooperação - Limite tecnológico definido pela sustentabilidade O papel das organizações no novo modelo econômico é de extrema importância nos dias atuais. O desafio das empresas é o de gerenciar suas atividades com o intuito de minimizar o impacto produzido, além de encontrar formas de evitar que suas operações comprometam o equilíbrio ambiental e social. Ou seja, precisam ter um sistema de gestão integrado. A Sustentabilidade deve fazer parte da estratégia das organizações, se transformando em vantagem competitiva. Segundo Michael Porter, em seu Vantagem Competitiva, "normalmente as companhias têm uma estratégia econômica e um estratégia de responsabilidade social, e o que elas devem ter é uma estratégia só". A partir do momento em que as organizações tiverem uma consciência sustentável e uma estratégia única, isso vai gerar uma vantagem competitiva para elas. Não será mais uma estratégia de Marketing, Comunicação ou Imagem Institucional, mas uma estratégia de aquisição de vantagem competitiva. F. Almeida acredita que o rumo da sustentabilidade não se encontra em promessas populistas efêmeras, mas na visão e ação de lideranças empresariais e governamentais com postura de verdadeiros estadistas aqueles que sabem apontar rumos em tempos de crise. O interessante aqui é ele intitular as lideranças empresariais e governamentais de verdadeiros estadistas. A postura e atitude dos empresários e executivos é fundamental. Fica claro também em qual patamar ele coloca estes empresários; o papel que eles têm nesse processo. A mudança é tão radical e extensa que na visão de F. Almeida para alcançar a sustentabilidade, até o conceito de felicidade precisa ser repensado. O bem-estar humano não demanda, necessariamente, altos níveis de consumo. Competências Humanas

7 As empresas, em conjunto com governos e sociedade civil são os protagonistas nesse processo de mudança pelo qual estamos passando. Seu papel é preponderante para um novo modelo econômico, valorizando o capital não só natural e financeiro, mas principalmente o humano. Assim, um dos componentes da vantagem competitiva das organizações será do capital humano. Para isso, as competências humanas, sobretudo as comportamentais, deverão existir ou serem desenvolvidas. Nesse cenário, segundo Guimarães e colaboradores (2006, cap. 10, p. 228) o diagnóstico de competências é um primeiro passo para subsidiar o processo decisório de organizações a respeito de estratégias, políticas de gestão em geral e de gestão de pessoas em particular. Esse diagnóstico serve, de modo geral, para identificar competências humanas relevantes para o sucesso de uma organização e também fornecer subsídios para ações de TD&E. Pode-se dizer que há uma ligação estreita entre gestão de competências e aprendizagem no espaço empresarial. Atualmente, mais do que em outras épocas, as organizações têm necessidade premente de aprenderem a existir e funcionar num ambiente de constante mudança. O conceito de competência envolve: atributos individuais; conhecimentos, habilidades e atitudes (CHAs) juntamente com motivação, crenças, valores e comportamentos, e características requeridas para o bom desempenho em uma área ou tarefa (p. 202). Segundo Rogério Leme, Gestão de Pessoas baseada em Competências é o processo de conduzir os colaboradores para atingirem as metas e os objetivos da organização através de suas competências técnicas e comportamentais. A Gestão por Competências se resume em saber os Conhecimentos, Habilidades, Atitudes e Comportamentos que a empresa precisa ter em seus colaboradores para que todos, de forma orientada e organizada, possam alcançar os objetivos traçados. O resultado desse tipo de gestão é proporcionar: aumento da produtividade, assertividade, criar um ambiente participativo e motivacional, maior comprometimento dos colaboradores, fortalecer as gerências e equipes, ter foco em resultados, ter vantagem competitiva e diferencial no mercado. Afinal, o maior capital de uma empresa é o Capital Humano e a Gestão por Competências visa valorizar o Capital Humano das empresas. Competências Humanas para a Sustentabilidade Capital Moral Em 2008, uma crise financeira, iniciada nos EUA e com conseqüências internacionais, veio mexer com os Valores de todos morais, de vida, de toda a sociedade global. Os processos de expansão da consciência só dão saltos qualitativos quando algo significativo os influencia. A consciência ecológica, a consciência social tem crescido bastante em todo o mundo, no Brasil inclusive. Segundo Marcelo Diniz, o objetivo da ética é a busca do bem comum nas relações políticas, econômicas e sociais. Entretanto, ela é dinâmica. E convida para a reflexão: qual nível de consciência precisamos atingir para praticar a ética do nosso

8 tempo a ética universal?, como conciliar o bem comum com a competição nos negócios, sejam locais ou entre nações? O primeiro ponto da nova consciência: acumular não traz felicidade. Assistimos a uma inversão dos valores morais. Temos visto exemplos práticos de egoísmo, ambição, vaidade. Riqueza é confundida com bem-estar, bem-estar com capacidade de consumo. De todas as virtudes conhecidas para o aprimoramento individual e social, uma é fundamental para a raça humana: HARMONIA. Afinal de contas, o universo é perfeitamente harmônico e tudo o que fere essa harmonia é ruim. Esse movimento para uma nova consciência pode vir justamente do principal ator do capitalismo: as organizações. A empresa é a força mais poderosa da sociedade atual. Capital Espiritual Danah Zohar junta duas áreas do saber, aparentemente antagônicas, porém bastante contemporâneas: a espiritualidade e as empresas. E coloca uma questão crucial: como passar de um mundo dos negócios como o conhecemos hoje para uma cultura empresarial impulsionada por valores fundamentais e um profundo sentido de propósito, que procura agir em prol do bem comum? Movida por valores espirituais profundos, nos incita a viver de modo a fazer alguma diferença neste mundo, pois, se estamos passando por alguma crise (pessoal, social ou econômica), isto se deve à falta de valores profundos e pensamento inteligente em muitos setores da nossa sociedade. Depois de séculos de vigência do paradigma newtoniano, é preciso voltarmos às origens. Quando conseguirmos modificar a nós mesmos, poderemos mudar o mundo. É só uma questão de descobrir novas práticas e filosofias de vida capazes de acelerar nossa busca por um futuro mais significativo e sustentável. Zohar parte do princípio de que nossa cultura capitalista e suas práticas de negócios estão em crise e nos lembra que podemos usar todo o potencial tanto para encontrar mecanismos capazes de gerar riqueza material quanto para criar espaço para realização das atividades humanas mais elevadas. Danah Zohar nos fala explicitamente dos três tipos de Capital: Material, Social e Espiritual. Sendo que a acumulação de cada um está associada com uma das três mais importantes inteligências humanas: Capital Inteligência Função Capital Material Capital Social Capital Espiritual QI: Inteligência Racional QE: Inteligência Emocional QS: Inteligência Espiritual o que penso o que sinto o que sou Muitos indivíduos, impulsionados por motivações elevadas, podem fazer a diferença. Os líderes atuais e futuros podem usar sua Inteligência Espiritual para criar um Capital Espiritual em culturas organizacionais mais amplas, tornando-as mais sustentáveis. Podemos ter como meta um capitalismo auto-sustentável e um mundo em que este capitalismo será capaz de gerar uma riqueza para atender a todas as nossas necessidades humanas.

9 O termo Capital Espiritual é usado aqui como a riqueza que extraímos de nossos mais profundos valores e princípios, propósitos fundamentais e motivações mais elevadas. É aquele que se faz necessário nas organizações, comunidades e culturas da sociedade global da atualidade extraído de motivações, princípios, valores e propósitos profundos não sectários encontrados em qualquer ser humano. As organizações que forem ricas em Capital Espiritual não serão apenas sustentáveis, serão evolutivas; pois quando passam pelo processo de aumentá-lo, elas se transformam de dentro para fora, se movimentam, têm vida e adquirem profundo sentimento de propósito e direção. Quando se preocuparem com a acumulação de Capital Espiritual, estarão constantemente colocando suas metas e estratégias em um contexto mais amplo de significado e valor. Sendo o comportamento a parte visível de atitudes, valores e motivações, a autora acredita que a transformação motivacional de culturas e indivíduos em todos os aspectos da sociedade é essencial, se estivermos dispostos a construir um mundo melhor. São os princípios de transformação que estarão por trás de qualquer tentativa de alterar os motivos humanos e, consequentemente, o comportamento. Danah Zohar elenca 12 qualidades (competências) que, a seu ver, definem tanto um ser humano, quanto uma organização com alta Inteligência Espiritual. Acrescenta também que estas constituem o alicerce para uma compreensão mais ampla do planejamento estratégico das organizações. São eles: - Autopercepção: Para saber em que acredito e valorizo e o que me motiva em nível muito profundo. Percepção de meus mais profundos propósitos de vida. - Espontaneidade: Viver e reagir ao momento presente e a tudo o que ele contém. - Ser conduzido por Visão e Valores: Agir com base em crenças e princípios profundos e viver de acordo com eles. Visão é o que dá origem a novas realidades por meio de elevação das motivações humanas e são fundamentadas em valores. Valores nos definem como seres humanos e servem de pilares para os tipos de organizações e sociedades que extraem o melhor do potencial humano. - Holístico (sentido do todo do sistema ou da conectividade): Capacidade de se ver dentro de modelos, relacionamentos e conexões mais amplos. Uma forte sensação de pertencer. - Compaixão: Qualidade de sentir-se ligado a alguém e profunda empatia. O terreno fundamental para a simpatia universal. - Celebração da diversidade: Valorizar as pessoas e situações desconhecidas por causa de suas diferenças, e não apesar delas. - Independência do campo: Ser capaz de se destacar da multidão e manter suas próprias convicções. - Tendência para fazer perguntas fundamentais sobre o porquê: Necessidade de entender as coisas, de chegar ao fundo das questões. - Capacidade de reestruturar: Afastar-se do problema ou situação para buscar por uma maior perspectiva, pelo contexto mais amplo. - Uso positivo da adversidade: Capacidade de assumir os erros e aprender com eles, de encarar problemas como oportunidades para aprender. Flexibilidade.

10 - Humildade: Sensação de ser um ator inserido em um drama maior, sentimento de qual é seu verdadeiro lugar no mundo. Base para a autocrítica e o julgamento crítico. - Sentido de Vocação: Achar que foi chamado para servir a algo maior do que a si próprio. Gratidão pelos que ajudaram e desejo de retribuir. Base para o líder a serviço. Conclusão Félix Guattari, em seu livro As Três Ecologias, propôs um novo paradigma que o englobava numa Ecologia Integral. Esta começaria com uma Ecologia Pessoal, passando pela Ecologia Social até chegar à Ecologia Ambiental. Assim, o conceito de Ecosofia visava trazer uma nova postura diante da vida, filosoficamente falando. Ou seja, qualquer mudança deveria começar com uma tomada de consciência do ser humano de dentro para fora. Muita coisa mudou nesses últimos 40 anos. Na Conferência de Estocolmo, em 1972, o tema era restrito à esfera acadêmica mas o Relatório Brundtland continua bastante atual e ainda com muita coisa para ser colocada em prática. Durante a Rio 92, a participação das empresas foi bastante tímida Ecologia e Sustentabilidade eram questões basicamente governamentais. Naquela época, a dimensão ambiental era a principal, e a preocupação com ela, ainda vista como um mal necessário; pois ia contra aos preceitos capitalistas das organizações que só visavam produção e lucro. Paradoxalmente, no mesmo encontro, a ONU tomou uma iniciativa ímpar ao propor uma reunião de líderes espirituais da Terra. Foi o próprio Relatório Brundtland que colocou em circulação a expressão desenvolvimento sustentável. E para estruturar este conceito, recorreu à noção de capital ambiental. Quando Maurice Strong, Secretário Geral da Conferência da Rio 92, solicita a seu principal conselheiro o trabalho sobre desenvolvimento sustentável do ponto de vista dos empresários com o intuito de estimular o interesse e o envolvimento da comunidade empresarial internacional o relatório Mudando o rumo, tudo começa a mudar. De lá para cá, as empresas começaram um movimento de conscientização de seu papel na sociedade. Os empresários passaram a ser mais pró-ativos e se tornam cada vez mais aptos a compreender e participar das mudanças estruturais na relação de forças nas áreas ambiental, econômica e social. Iniciam um modelo de gestão baseado na Sustentabilidade. Por enquanto, têm focado seus esforços no que tange aos recursos naturais / ambientais e materiais. Penso que o próximo passo será com relação aos Recursos Humanos, desenvolvê-los e educá-los. Pois a Educação será a grande ferramenta de transformação capaz de suplantar a crise de consciência e de valores pela qual estamos passando. Nesse período, também testemunhamos uma mudança no pensamento científico o que se refletiu no modo de ver o mundo. Na virada do século / milênio, começou-se a perceber que a natureza era sistêmica, complexa e não-linear; um produto da inter-relação das partes. E para compreendê-la, era necessário um novo paradigma: orgânico, holístico, integrador; demandando um modelo transdisciplinar (sintético) que explicasse as relações entre as partes. O padrão agora é de conexão e cooperação.

11 Para que haja a substituição do antigo para o novo paradigma, todas as áreas do pensamento e da ação humana são convocadas. O novo se baseia no diálogo entre saberes e conhecimentos diversos (do científico ao religioso, passando pelo cotidiano). Na Era da Sustentabilidade prevalece a visão sistêmica na qual tudo está inter-relacionado, em permanente diálogo e demanda comprometimento de longo prazo. Papel das Organizações As organizações nesse novo paradigma econômico são de extrema importância, visto que começam a valorizar e recuperar todas as formas de capital: natural, financeiro e humano. Danah Zohar, consultora internacional de organizações, se especializou no mundo dos negócios por duas razões: - A organização é o principal veículo dos valores capitalistas que permeiam a nossa sociedade. - É nos negócios onde estão o dinheiro e o poder capazes de mudar o modo como todo tipo de riqueza é gerado e usado para beneficiar os indivíduos e a sociedade. Sua visão é bastante pragmática. Ela acredita que se quisermos ampliar os valores do capitalismo, precisamos começar ampliando os valores de um número significativo de empresários e administradores. E para que estas pessoas consigam fazer alguma diferença, a cultura empresarial precisa mudar. Zohar conclama essas lideranças a serem verdadeiros cavaleiros andantes. Por outro lado, Fernando Almeida, presidente executivo do CEBDS (Brasil), nos diz que, numa Economia Verde, para caminharmos rumo à Sustentabilidade, as lideranças empresariais precisam ter visão e ação, postura e atitude, e os convocam a serem verdadeiros estadistas ou seja, pessoas que apontam os rumos em tempos de crise. E, como disse, Peter Drucker, a ecologia precisa dar lucros. Eu diria, não só dá lucros mas, numa visão sistêmica e de longo prazo, vantagem competitiva. A partir do momento em que a Missão, a Visão e os Valores de uma empresa refletir uma consciência sustentável, pode-se adotar uma Estratégia única de sucesso, para todos os stakeholders acionistas, comunidade, colaboradores, fornecedores,... O financeiro, o ambiental e o social precisam ter um sistema de gestão integrado. Moralização, solidariedade e manutenção e recuperação dos ecossistemas é a base da nova economia. Segundo F. Almeida, até o conceito de felicidade vai precisar ser repensado; pois o bem-estar humano não está, necessariamente, atrelado ao nível de consumo. Competências para a Sustentabilidade Capital Moral

12 Testemunhamos uma mudança de paradigma também entre as pessoas. A espiritualidade voltou e marca o tom do Terceiro Milênio. Marcelo Diniz nos lembra que os processos de expansão da consciência sempre existiram, mas só dão saltos qualitativos quando algo significativo os influencia. E Pierre Levy, em seu Conexão Planetária, nos apresenta uma série de diagramas para demonstrar a evolução da consciência. No Círculo Virtuoso de Expansão da Consciência, uma leva à outra e todas desagüam na Consciência Social. Num estágio mais avançado, o Círculo Virtuoso leva à Expansão, e conseqüente, Consciência Espiritual. Ele destaca a virtude da Harmonia para o aprimoramento individual e social da raça humana. Afinal, o universo é perfeitamente harmônico. E só a harmonia, considerada do ponto de vista holístico, pode nos trazer o bem comum em todas as relações humanas. Capital Espiritual Danah Zohar, com seu foco na cultura corporativa, faz anos convida para a seguinte reflexão: como passar de um mundo dos negócios, como o conhecemos hoje, para uma cultura empresarial impulsionada por valores fundamentais e um profundo sentido de propósito, que procura agir em prol do bem comum? Ela parte do princípio de que nossa cultura capitalista e suas práticas de negócios estão em crise e nos lembra que podemos usar todo o potencial tanto para encontrar mecanismos capazes de gerar riqueza material quanto para criar espaço para realização das atividades humanas mais elevadas (ZOHAR, 2006, p. 14). O termo Capital Espiritual é usado por Zohar para designar a riqueza que extraímos de nossos mais profundos valores e princípios, propósitos fundamentais e motivações mais elevadas que serão usados em todas as relações de nossa vida cotidiana. E nos fala dos três tipos de Capital: Material, Social e Espiritual. Sendo que, no mundo organizacional, o Capital Espiritual requer a complementação das dimensões morais e sociais ao capitalismo que conhecemos, e busca a riqueza do espírito humano e do bem-estar generalizado. Em suma, aumenta a dimensão dos valores, princípios e propósitos que compartilhamos e trata das preocupações relativas ao significado do ser humano e ao propósito da vida. Para ela, somente quando os aspectos do espírito forem atendidos e aumentados é que poderemos dar continuidade à acumulação de riqueza social e material que sustenta a vida cotidiana. Na visão de Zohar, para que possamos viver um capitalismo sustentável, teremos que acumular os três tipos de Capital (Material, Social e Espiritual) usando nossas 3 Inteligências Racional (QI), Emocional (QE) e Espiritual (QS). E explica que as organizações que forem ricas em Capital Espiritual não serão apenas sustentáveis, serão evolutivas; pois quando passam pelo processo de aumentá-lo, elas se transformam de dentro para fora, se movimentam, têm vida e adquirem profundo sentimento de propósito e direção (Missão e Visão). Quando se preocuparem com a acumulação de Capital Espiritual, estarão constantemente colocando suas Metas e Estratégias em um contexto mais amplo de significado e valor. E convida a todos, culturas e indivíduos, a uma transformação motivacional.

13 Zohar nos fala que nossa Inteligência Espiritual precisa ser estimulada a crescer, reaprender ou melhorar, assim como acontece com a Emocional. Para desenvolvê-la, é preciso saber quais são as qualidades do modo de ser e do comportamento de uma pessoa (competências comportamentais) que possam indicar a presença de um QS em funcionamento. Sendo física e filósofa, ela nos introduz a uma breve explicação sobre as novas teorias científicas: a teoria do caos e a da complexidade. E diz que tanto indivíduos, quanto organizações têm características semelhantes aos sistemas adaptáveis complexos. Então, partindo das propriedades (10) dos sistemas complexos adaptáveis ela lista as qualidades de um sistema complexo adaptável espiritualmente inteligente o ser humano. Ao acrescentar mais duas, ela chega a 12 qualidades (competências) que, a seu ver, definem tanto um ser humano, quanto uma organização com alta Inteligência Espiritual. São elas: - Autopercepção - Espontaneidade - Conduzido por visão e valores - Holístico - Compaixão (sensação de estar com) - Celebração da diversidade - Independência de campo - Perguntar por quê? - Reestruturar - Uso positivo da adversidade - Humildade - Sentido de vocação As qualidades acima listadas podem, portanto, ser consideradas as competências humanas necessárias para que uma pessoa possa dar sua contribuição efetiva no que diz respeito às questões relacionadas à Sustentabilidade nas organizações.

14 Bibliografia - ALMEIDA, Fernando. O Bom Negócio da Sustentabilidade. Rio de Janeiro: Ed. Nova Fronteira, Os Desafios da Sustentabilidade. Rio de Janeiro: Ed. Elsevier, Experiências Empresariais em Sustentabilidade. Rio de Janeiro: Ed. Elsevier, BERTUCCI, Janete Lara de Oliveira. Metodologia Básica para Elaboração de Trabalhos de Conclusão de Cursos. São Paulo: Ed. Atlas, BORGES-ANDRADE, Jairo et al. Treinamento, Desenvolvimento e Educação em Organizações e Trabalho. Porto Alegre: Ed. Artmed, Cap. 4, p ; Cap. 5, p ; Cap. 10, p ; Cap. 11, p ; Cap. 14, p COLLINS, James e PORRAS, Jerry. Feitas para Durar. Rio de Janeiro: Ed. Rocco, COVEY, Stephen. Os 7 Hábitos das Pessoas Muito Eficazes. São Paulo: Ed. Best Seller, DINIZ, Marcelo. Capital Moral. Rio de Janeiro: Ed. Qualitymark, EBOLI, Marisa. Educação Corporativa no Brasil. São Paulo: Ed. Gente, GUATTARI, Felix. As Três Ecologias. Campinas: Ed. Papirus, HUNTER, James. O Monge e o Executivo. Rio de Janeiro: Ed. Sextante, LEME, Rogerio. Aplicação Prática de Gestão de Pessoas por Competências. Rio de Janeiro: Ed. Qualitymark, ZOHAR, Danah e MARSHALL, Ian. Capital Espiritual : Rio de Janeiro. Ed. Best Seller, Sites - DURAND, Thomas. L'alchimie de la compétence - Revue Française de Gestion, Harvard Business Review: - Les compétences de troisième dimension - Aubrun / Orofiamma CNAM; in: Les sciences de l education ao Carrefour Du XXIème siècle - DELORS, Jacques. Os 4 pilares da educação ; in: Educar para o futuro UNESCO

Curso Sustentabilidade e Saúde Humana:

Curso Sustentabilidade e Saúde Humana: Curso Sustentabilidade e Saúde Humana: Ações individuais para melhorias em todo o planeta Nosso maior desafio neste século é pegar uma idéia que parece abstrata desenvolvimento sustentável e torná-la uma

Leia mais

Roteiro. Desenvolvimento Sustentável: Conceitos e dimensões 27/10/2011. Histórico. Conceitos. Princípios. Dimensões. Pegada ecológica.

Roteiro. Desenvolvimento Sustentável: Conceitos e dimensões 27/10/2011. Histórico. Conceitos. Princípios. Dimensões. Pegada ecológica. Desenvolvimento Sustentável: Conceitos e dimensões Out/2011 Roteiro Histórico Conceitos Princípios Dimensões Pegada ecológica TI Verde Cidades Sustentáveis 1 Paradigma do desenvolvimento O desenvolvimento

Leia mais

Reverência pela Vida: Atitude Transdisciplinar na Educação Ambiental

Reverência pela Vida: Atitude Transdisciplinar na Educação Ambiental Reverência pela Vida: Atitude Transdisciplinar na Educação Ambiental RESUMO Rosa Maria Viana (Universidade Salgado Oliveira/rosamviana@yahoo.com.br) Sandra de Fátima Oliveira (Universidade Federal de Goiá/sanfaoli@iesa.ufg.br)

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu. MBA em Estratégia e Liderança Empresarial

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu. MBA em Estratégia e Liderança Empresarial Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Estratégia e Liderança Empresarial Apresentação O programa de MBA em Estratégia e Liderança Empresarial tem por objetivo preparar profissionais para

Leia mais

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva.

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva. COMPREENDENDO A GESTÃO DE PESSOAS Karina Fernandes de Miranda Helenir Celme Fernandes de Miranda RESUMO: Este artigo apresenta as principais diferenças e semelhanças entre gestão de pessoas e recursos

Leia mais

Resumo. O caminho da sustentabilidade

Resumo. O caminho da sustentabilidade Resumo O caminho da sustentabilidade Termos recorrentes em debates e pesquisas, na mídia e no mundo dos negócios da atualidade, como sustentabilidade, desenvolvimento sustentável, responsabilidade empresarial

Leia mais

REFLEXÃO. (Warren Bennis)

REFLEXÃO. (Warren Bennis) RÉSUMÉ Consultora nas áreas de Desenvolvimento Organizacional e Gestão de Pessoas; Docente de Pós- Graduação; Coaching Experiência de mais de 31 anos na iniciativa privada e pública; Doutorado em Administração;

Leia mais

PROGRAMA DE APRENDIZAGEM MBA E PÓS-GRADUAÇÃO

PROGRAMA DE APRENDIZAGEM MBA E PÓS-GRADUAÇÃO PROGRAMA DE APRENDIZAGEM MBA E PÓS-GRADUAÇÃO PROFISSIONAL MBA e Pós-Graduação Cursos inovadores e alinhados às tendências globais Nossos cursos seguem modelos globais e inovadores de educação. Os professores

Leia mais

FDC E SUA RESPONSABILIDADE COMO UMA ESCOLA DE NEGÓCIOS

FDC E SUA RESPONSABILIDADE COMO UMA ESCOLA DE NEGÓCIOS FDC E SUA RESPONSABILIDADE COMO UMA ESCOLA DE NEGÓCIOS IV CONFERÊNCIA INTERAMERICANA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL EMPRESARIAL RIAL Cláudio Boechat Fundação Dom Cabral 12 DE DEZEMBRO, 2006 F U N D A Ç Ã O

Leia mais

RESENHA. Desenvolvimento Sustentável: dimensões e desafios

RESENHA. Desenvolvimento Sustentável: dimensões e desafios RESENHA Desenvolvimento Sustentável: dimensões e desafios Sustainable Development: Dimensions and Challenges Marcos Antônio de Souza Lopes 1 Rogério Antonio Picoli 2 Escrito pela autora Ana Luiza de Brasil

Leia mais

18/06/2009. Quando cuidar do meio-ambiente é um bom negócio. Blog: www.tudibao.com.br E-mail: silvia@tudibao.com.br.

18/06/2009. Quando cuidar do meio-ambiente é um bom negócio. Blog: www.tudibao.com.br E-mail: silvia@tudibao.com.br. Marketing Ambiental Quando cuidar do meio-ambiente é um bom negócio. O que temos visto e ouvido falar das empresas ou associado a elas? Blog: www.tudibao.com.br E-mail: silvia@tudibao.com.br 2 3 Sílvia

Leia mais

RESPONSABILIDADE SOCIAL NO CENÁRIO EMPRESARIAL ¹ JACKSON SANTOS ²

RESPONSABILIDADE SOCIAL NO CENÁRIO EMPRESARIAL ¹ JACKSON SANTOS ² RESPONSABILIDADE SOCIAL NO CENÁRIO EMPRESARIAL ¹ JACKSON SANTOS ² A Responsabilidade Social tem sido considerada, entre muitos autores, como tema de relevância crescente na formulação de estratégias empresarias

Leia mais

Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS

Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS Adm.Walter Lerner 1.Gestão,Competência e Liderança 1.1.Competências de Gestão Competências Humanas e Empresariais são Essenciais Todas as pessoas estão, indistintamente,

Leia mais

ANEXO B CONTEXTUALIZAÇÃO DA PROMOÇÃO DA SAÚDE EM MODELO DE GESTÃO ORGANIZACIONAL DE ALTO DESEMPENHO

ANEXO B CONTEXTUALIZAÇÃO DA PROMOÇÃO DA SAÚDE EM MODELO DE GESTÃO ORGANIZACIONAL DE ALTO DESEMPENHO ANEXO B CONTEXTUALIZAÇÃO DA PROMOÇÃO DA SAÚDE EM MODELO DE GESTÃO ORGANIZACIONAL DE ALTO DESEMPENHO Autoria: Elaine Emar Ribeiro César Fonte: Critérios Compromisso com a Excelência e Rumo à Excelência

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE ADMINISTRAÇÃO Evolução de Pensamento Administrativo I Estudo da administração, suas áreas e funções, o trabalho do administrador e sua atuação; a evolução

Leia mais

EMENTAS - MATRIZ CURRICULAR - 2016

EMENTAS - MATRIZ CURRICULAR - 2016 EMENTAS - MATRIZ CURRICULAR - 2016 901491 - EVOLUÇÃO DO PENSAMENTO ADMINISTRATIVO I Estudo da administração, suas áreas e funções, o trabalho do administrador e sua atuação; a evolução da teoria organizacional

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Projetos

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Projetos Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Projetos Apresentação O programa de Pós-graduação Lato Sensu em Gestão de Projetos tem por fornecer conhecimento teórico instrumental que

Leia mais

01/12/2012 MEIO AMBIENTE E RESPONSABILIDADE SOCIAL. Guarantã do Norte/MT A SOCIEDADE ESTÁ EM TRANSFORMAÇÃO

01/12/2012 MEIO AMBIENTE E RESPONSABILIDADE SOCIAL. Guarantã do Norte/MT A SOCIEDADE ESTÁ EM TRANSFORMAÇÃO MEIO AMBIENTE E RESPONSABILIDADE SOCIAL Guarantã do Norte/MT A SOCIEDADE ESTÁ EM TRANSFORMAÇÃO TAREFAS ESTRUTURA PESSOAS AMBIENTE TECNOLOGIA ÊNFASE NAS TAREFAS Novos mercados e novos conhecimentos ÊNFASE

Leia mais

CONSULTORIA DE DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL

CONSULTORIA DE DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL CONSULTORIA DE DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL Somos especializados na identificação e facilitação de soluções na medida em que você e sua empresa necessitam para o desenvolvimento pessoal, profissional,

Leia mais

Conteúdo. 1. Origens e Surgimento. Origens e Surgimento

Conteúdo. 1. Origens e Surgimento. Origens e Surgimento 1 2 Planejamento Estratégico: conceitos e evolução; administração e pensamento estratégico Profª Ms Simone Carvalho simonecarvalho@usp.br Profa. Ms. Simone Carvalho Conteúdo 3 1. Origens e Surgimento 4

Leia mais

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Justificativa: As transformações ocorridas nos últimos anos têm obrigado as organizações a se modificarem constantemente e de forma

Leia mais

COMPETÊNCIAS PARA A EMPREGABILIDADE NAS ORGANIZAÇÕES

COMPETÊNCIAS PARA A EMPREGABILIDADE NAS ORGANIZAÇÕES t COMPETÊNCIAS PARA A EMPREGABILIDADE NAS ORGANIZAÇÕES Joaquim Domingos Maciel Faculdade Sumaré joaquim.mackim@gmail.com RESUMO: Este artigo pretende alertar estudantes e profissionais para a compreensão

Leia mais

O Paradigma da nova liderança

O Paradigma da nova liderança O Paradigma da nova liderança Robert B. Dilts Um dos mais importantes conjuntos de habilidades Um dos mais importantes conjuntos de habilidades necessárias num mundo em transformação são as habilidades

Leia mais

Resenha. Inovação: repensando as organizações (BAUTZER, Daise. São Paulo: Atlas, 2009.)

Resenha. Inovação: repensando as organizações (BAUTZER, Daise. São Paulo: Atlas, 2009.) Resenha Inovação: repensando as organizações (BAUTZER, Daise. São Paulo: Atlas, 2009.) Patrícia Morais da Silva 1 Superar as expectativas do mercado atendendo de forma satisfatória as demandas dos clientes

Leia mais

Formulação da Visão e da Missão

Formulação da Visão e da Missão Formulação da Visão e da Missão Zilta Marinho zilta@globo.com Os grandes navegadores sempre sabem onde fica o norte. Sabem aonde querem ir e o que fazer para chegar a seu destino. Com as grandes empresas

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO. Curso de Graduação Tecnológica em Marketing

PROJETO PEDAGÓGICO. Curso de Graduação Tecnológica em Marketing PROJETO PEDAGÓGICO Curso de Graduação Tecnológica em Marketing Porto alegre, 2011 1 1. Objetivos do Curso O projeto do curso, através de sua estrutura curricular, está organizado em módulos, com certificações

Leia mais

Gerenciamento Estratégico e EHS Uma parceria que dá certo

Gerenciamento Estratégico e EHS Uma parceria que dá certo Gerenciamento Estratégico e EHS Uma parceria que dá certo INTRODUÇÃO O Balanced Scorecard (BSC) é uma metodologia desenvolvida para traduzir, em termos operacionais, a Visão e a Estratégia das organizações

Leia mais

SUSTENTABILIDADE NA CONSTRUÇÃO E A FORMAÇÃO DE EXECUTIVOS E GESTORES DE EMPRESAS DA CADEIA PRODUTIVA

SUSTENTABILIDADE NA CONSTRUÇÃO E A FORMAÇÃO DE EXECUTIVOS E GESTORES DE EMPRESAS DA CADEIA PRODUTIVA SUSTENTABILIDADE NA CONSTRUÇÃO E A FORMAÇÃO DE EXECUTIVOS E GESTORES DE EMPRESAS DA CADEIA PRODUTIVA Cláudio Bruzzi Boechat Centro de Desenvolvimento da Sustentabilidade na Construção São Paulo, 04 de

Leia mais

MEIO AMBIENTE E VIDA TEXTO PARA A CAMINHADA DE CORPUS CRISTI A VIDA AMEAÇADA...

MEIO AMBIENTE E VIDA TEXTO PARA A CAMINHADA DE CORPUS CRISTI A VIDA AMEAÇADA... MEIO AMBIENTE E VIDA TEXTO PARA A CAMINHADA DE CORPUS CRISTI Daniel Cenci A VIDA AMEAÇADA... A vida é sempre feita de escolhas. A qualidade de vida resulta das escolhas que fazemos a cada dia. É assim

Leia mais

4. Tendências em Gestão de Pessoas

4. Tendências em Gestão de Pessoas 4. Tendências em Gestão de Pessoas Em 2012, Gerenciar Talentos continuará sendo uma das prioridades da maioria das empresas. Mudanças nas estratégias, necessidades de novas competências, pressões nos custos

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE ADMINISTRAÇÃO Nome da disciplina Evolução do Pensamento Administrativo I Estudo da administração, suas áreas e funções, o trabalho do administrador e sua atuação;

Leia mais

Como transformar a sua empresa numa organização que aprende

Como transformar a sua empresa numa organização que aprende Como transformar a sua empresa numa organização que aprende É muito interessante quando se fala hoje com profissionais de Recursos Humanos sobre organizações que aprendem. Todos querem trabalhar em organizações

Leia mais

A ética e o desenvolvimento sustentável sob a ótica das organizações

A ética e o desenvolvimento sustentável sob a ótica das organizações A ética e o desenvolvimento sustentável sob a ótica das organizações Ítalo Camilo da Silva Nogueira Faculdade Nossa Senhora Aparecida /GO - italocamilo@hotmail.com Karlla Junara Cintra Azambuja Soares

Leia mais

Texto base para discussão na Jornada Pedagógica julho/2009 O PLANO DE ENSINO: PONTE ENTRE O IDEAL E O REAL 1

Texto base para discussão na Jornada Pedagógica julho/2009 O PLANO DE ENSINO: PONTE ENTRE O IDEAL E O REAL 1 Texto base para discussão na Jornada Pedagógica julho/2009 O PLANO DE ENSINO: PONTE ENTRE O IDEAL E O REAL 1 É comum hoje entre os educadores o desejo de, através da ação docente, contribuir para a construção

Leia mais

RECONHECIDO INTERNACIONALMENTE

RECONHECIDO INTERNACIONALMENTE RECONHECIDO INTERNACIONALMENTE COACHING EDUCATION By José Roberto Marques Diretor Presidente - Instituto Brasileiro de Coaching Denominamos de Coaching Education a explicação, orientação e aproximação

Leia mais

Estabelecimento da Diretriz Organizacional

Estabelecimento da Diretriz Organizacional Estabelecimento da Diretriz Organizacional AULA 3 Bibliografia: Administração Estratégica: Planejamento e Implantação da Estratégia SAMUEL C. CERTO & J. P. PETERTO ASSUNTO: Três importantes considerações

Leia mais

APOSTILA DE FILOSOFIA E ÉTICA NAS ORGANIZAÇÕES

APOSTILA DE FILOSOFIA E ÉTICA NAS ORGANIZAÇÕES APOSTILA DE FILOSOFIA E ÉTICA NAS ORGANIZAÇÕES 2º. Bimestre Capítulos: I Ética: noções e conceitos básicos II Processo de Decisão Ética III - Responsabilidade Social Apostila elaborada pela Profa. Ana

Leia mais

INESUL / FAEC FACULDADE EDUCACIONAL DE COLOMBO. Programa de Responsabilidade Social

INESUL / FAEC FACULDADE EDUCACIONAL DE COLOMBO. Programa de Responsabilidade Social INESUL / FAEC FACULDADE EDUCACIONAL DE COLOMBO Programa de Responsabilidade Social APRESENTAÇÃO 2 O equilíbrio de uma sociedade em última instância, é formada pelo tripé: governo, família e empresa. Esperar

Leia mais

O comprometimento dos colaboradores é a chave para o sucesso das organizações

O comprometimento dos colaboradores é a chave para o sucesso das organizações O comprometimento dos colaboradores é a chave para o sucesso das organizações Jean C. de Lara (Faculdade SECAL) jean@smagon.com.br Maria Elisa Camargo (Faculdade SECAL) elisa@aguiaflorestal.com.br Enir

Leia mais

A atividade de Relações Públicas como suporte para a gestão socialmente responsável

A atividade de Relações Públicas como suporte para a gestão socialmente responsável A atividade de Relações Públicas como suporte para a gestão socialmente responsável Felipe de Oliveira Fernandes Vivemos em um mundo que está constantemente se modificando. O desenvolvimento de novas tecnologias

Leia mais

Política de Sustentabilidade das empresas Eletrobras

Política de Sustentabilidade das empresas Eletrobras Política de Sustentabilidade das empresas Eletrobras 1. DECLARAÇÃO Nós, das empresas Eletrobras, comprometemo-nos a contribuir efetivamente para o desenvolvimento sustentável, das áreas onde atuamos e

Leia mais

ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MBA EM GESTÃO DE PESSOAS, LIDERANÇA E COACHING

ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MBA EM GESTÃO DE PESSOAS, LIDERANÇA E COACHING ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MBA EM GESTÃO DE PESSOAS, LIDERANÇA E COACHING CENÁRIO E TENDÊNCIAS DOS NEGÓCIOS 8 h As mudanças do mundo econômico e as tendências da sociedade contemporânea.

Leia mais

EDUCAÇÃO PARA HUMANOS CRESCIDOS PALESTRAS 11 3672-6822 11 8067-9041. www.santagente.com.br

EDUCAÇÃO PARA HUMANOS CRESCIDOS PALESTRAS 11 3672-6822 11 8067-9041. www.santagente.com.br EDUCAÇÃO PARA HUMANOS CRESCIDOS PALESTRAS Sobre a Santa Gente Mudamos o formato das palestras convencionais com o propósito de vender inovação com inovação. Utilizamos a música como ferramenta de facilitação

Leia mais

Lider coach: Uma nova abordagem para a gestão de pessoas. Orlando Rodrigues.

Lider coach: Uma nova abordagem para a gestão de pessoas. Orlando Rodrigues. Lider coach: Uma nova abordagem para a gestão de pessoas. Orlando Rodrigues. Ao longo da historia da Administração, desde seus primórdios, a partir dos trabalhos de Taylor e Fayol, muito se pensou em termos

Leia mais

IV Encontro Nacional de Escolas de Servidores e Gestores de Pessoas do Poder Judiciário Rio de Janeiro set/2012

IV Encontro Nacional de Escolas de Servidores e Gestores de Pessoas do Poder Judiciário Rio de Janeiro set/2012 IV Encontro Nacional de Escolas de Servidores e Gestores de Pessoas do Poder Judiciário Rio de Janeiro set/2012 Rosely Vieira Consultora Organizacional Mestranda em Adm. Pública Presidente do FECJUS Educação

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO PROCESSO EMPRESARIAL: UMA ESTRATÉGIA NA INTEGRAÇÃO DAS AÇÕES DE SUSTENTABILIDADE

EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO PROCESSO EMPRESARIAL: UMA ESTRATÉGIA NA INTEGRAÇÃO DAS AÇÕES DE SUSTENTABILIDADE Revista Ceciliana Jun 5(1): 1-6, 2013 ISSN 2175-7224 - 2013/2014 - Universidade Santa Cecília Disponível online em http://www.unisanta.br/revistaceciliana EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO PROCESSO EMPRESARIAL: UMA

Leia mais

CAPITAL INTELECTUAL COMO VANTAGEM COMPETITIVA NAS ORGANIZAÇÕES EMPRESARIAIS

CAPITAL INTELECTUAL COMO VANTAGEM COMPETITIVA NAS ORGANIZAÇÕES EMPRESARIAIS CAPITAL INTELECTUAL COMO VANTAGEM COMPETITIVA NAS ORGANIZAÇÕES EMPRESARIAIS Cesar Aparecido Silva 1 Patrícia Santos Fonseca 1 Samira Gama Silva 2 RESUMO O presente artigo trata da importância do capital

Leia mais

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR Cada um de nós, na vida profissional, divide com a Essilor a sua responsabilidade e a sua reputação. Portanto, devemos conhecer e respeitar os princípios que se aplicam a todos.

Leia mais

MBA IBMEC 30 anos. No Ibmec, proporcionamos a nossos alunos uma experiência singular de aprendizado. Aqui você encontra:

MBA IBMEC 30 anos. No Ibmec, proporcionamos a nossos alunos uma experiência singular de aprendizado. Aqui você encontra: MBA Pós - Graduação QUEM SOMOS Para pessoas que têm como objetivo de vida atuar local e globalmente, ser empreendedoras, conectadas e bem posicionadas no mercado, proporcionamos uma formação de excelência,

Leia mais

Entrevista - Espiritualidade nas empresas

Entrevista - Espiritualidade nas empresas Entrevista - Espiritualidade nas empresas 1 - O que podemos considerar como espiritualidade nas empresas? Primeiramente considero importante dizer o que entendo por espiritualidade. Podemos dizer que é

Leia mais

O QUE É IMAGEM? O QUE ESTÁ POR TRÁS DAS IMAGENS? COACHING DE IMAGEM

O QUE É IMAGEM? O QUE ESTÁ POR TRÁS DAS IMAGENS? COACHING DE IMAGEM O QUE É IMAGEM? O QUE ESTÁ POR TRÁS DAS IMAGENS? O QUE É IMAGEM? O QUE ESTÁ POR TRÁS DA NOSSA IMAGEM? É a Imagem Forma. A Imagem Essência. É tudo que estabelece a nossa representação visual, ou seja, valores,

Leia mais

O Administrador e a Magnitude de sua Contribuição para a Sociedade. O Administrador na Gestão de Pessoas

O Administrador e a Magnitude de sua Contribuição para a Sociedade. O Administrador na Gestão de Pessoas O Administrador e a Magnitude de sua Contribuição para a Sociedade Eficácia e Liderança de Performance O Administrador na Gestão de Pessoas Grupo de Estudos em Administração de Pessoas - GEAPE 27 de novembro

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão Estratégica de Negócios

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão Estratégica de Negócios Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão Estratégica de Negócios Apresentação O programa de Pós-graduação Lato Sensu em Gestão Estratégica de Negócios tem por objetivo desenvolver a

Leia mais

RH: GESTÃO INOVADORA ORGANIZACIONAL

RH: GESTÃO INOVADORA ORGANIZACIONAL programação do evento 4ª edição RH: GESTÃO INOVADORA ORGANIZACIONAL 10 de abril de 2014 Staybridge Suites São Paulo PATROCÍNIO GOLD PATROCÍNIO SILVER EXPO BRAND APOIO REALIZAÇÃO Os desafios do futuro na

Leia mais

ARTIGOS AÇÕES MOTIVACIONAIS

ARTIGOS AÇÕES MOTIVACIONAIS ARTIGOS AÇÕES MOTIVACIONAIS ÍNDICE em ordem alfabética: Artigo 1 - ENDOMARKETING: UMA FERRAMENTA ESTRATÉGICA PARA DESENVOLVER O COMPROMETIMENTO... pág. 2 Artigo 2 - MOTIVANDO-SE... pág. 4 Artigo 3 - RECURSOS

Leia mais

ENSINO DA ARTE E EDUCAÇÃO AMBIENTAL: FORMAÇÃO DE CIDADÃOS VISANDO A SUSTENTABILIDADE

ENSINO DA ARTE E EDUCAÇÃO AMBIENTAL: FORMAÇÃO DE CIDADÃOS VISANDO A SUSTENTABILIDADE ENSINO DA ARTE E EDUCAÇÃO AMBIENTAL: FORMAÇÃO DE CIDADÃOS VISANDO A SUSTENTABILIDADE Elaine Barbosa da Silva Xavier Faculdade de Ciências da Administração de Pernambuco - Mestranda Neuma Kelly Vitorino

Leia mais

Apresentação por Leonardo Melo melo.leonardo@ieee.org Universidade Federal de Juiz de Fora PET Elétrica IEEE Institute Of Electrical and Electronics

Apresentação por Leonardo Melo melo.leonardo@ieee.org Universidade Federal de Juiz de Fora PET Elétrica IEEE Institute Of Electrical and Electronics Apresentação por Leonardo Melo melo.leonardo@ieee.org Universidade Federal de Juiz de Fora PET Elétrica IEEE Institute Of Electrical and Electronics Engineers Prefácio O Engenheiro 2020 Como será ou deveria

Leia mais

LÍDER COACH Obtenha excelência em sua vida pessoal e profissional

LÍDER COACH Obtenha excelência em sua vida pessoal e profissional LÍDER COACH Obtenha excelência em sua vida pessoal e profissional Ao investir em pessoas o seu resultado é garantido! Tenha ganhos significativos em sua gestão pessoal e profissional com o treinamento

Leia mais

Apostamos em quem acredita, confiamos em quem arrisca, e somos muito apaixonados por quem empreende. Por isso, criamos o B.I. Empreendedores!

Apostamos em quem acredita, confiamos em quem arrisca, e somos muito apaixonados por quem empreende. Por isso, criamos o B.I. Empreendedores! Empreendedores Apostamos em quem acredita, confiamos em quem arrisca, e somos muito apaixonados por quem empreende. Por isso, criamos o B.I. Empreendedores! Por meio de um método de aprendizagem único,

Leia mais

O CONHECIMENTO PEDAGÓGICO NA ORGANIZAÇÃO: ESPAÇO DE QUEM?

O CONHECIMENTO PEDAGÓGICO NA ORGANIZAÇÃO: ESPAÇO DE QUEM? O CONHECIMENTO PEDAGÓGICO NA ORGANIZAÇÃO: ESPAÇO DE QUEM? Marlene Fernandes Universidade Luterana do Brasil RESUMO O mundo está em constante transformação, com segmentos funcionais altamente globalizados,

Leia mais

Desenvolvimento e Desigualdades: cenários e perspectivas para a saúde no mundo

Desenvolvimento e Desigualdades: cenários e perspectivas para a saúde no mundo Ciclo de Debates sobre Bioética, Diplomacia e Saúde Pública Desenvolvimento e Desigualdades: cenários e perspectivas para a saúde no mundo Samira Santana de Almeida 1 RELATÓRIO 1. Apresentação O presente

Leia mais

Fase I - Contexto e Pesquisa - Alinhamento dos conceitos de Branding, análise do contexto atual e introdução ao Design Thinking.

Fase I - Contexto e Pesquisa - Alinhamento dos conceitos de Branding, análise do contexto atual e introdução ao Design Thinking. Os programas de Pós-Graduação oferecidos pela Faculdade de Tecnologia do Istituto Europeo di Design estão em conformidade legal e atendem as Resoluções CNE/CES nº 1, de 3 de abril de 2001 e nº 1, de 8

Leia mais

PROGRAMAÇÃO DO EVENTO

PROGRAMAÇÃO DO EVENTO PROGRAMAÇÃO DO EVENTO Dia 08/08 // 09h00 12h00 PLENÁRIA Nova economia: includente, verde e responsável Nesta plenária faremos uma ampla abordagem dos temas que serão discutidos ao longo de toda a conferência.

Leia mais

Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec

Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico Etec ETEC: DE MAIRIPORÃ Código: 271 Município: MAIRIPORÃ Eixo Tecnológico: GESTÃO E NEGÓCIOS Habilitação Profissional: TÉCNICO EM CONTABILIDADE Qualificação:

Leia mais

AVALIAÇÃO DO PLANO DE T&D

AVALIAÇÃO DO PLANO DE T&D AVALIAÇÃO DO PLANO DE T&D Ariadne Cedraz 1 Léa Monteiro Rocha 2 Luciana Cristina Andrade Costa Franco 3 A quarta e última etapa do processo refere-se à avaliação que tem por objetivo averiguar se os resultados

Leia mais

PROGRAMA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL PRS-FACIIP

PROGRAMA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL PRS-FACIIP PROGRAMA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL PRS-FACIIP Aprovado na Reunião do CONASU em 21/01/2015. O Programa de Responsabilidade Social das Faculdades Integradas Ipitanga (PRS- FACIIP) é construído a partir

Leia mais

Aula 15. Tópicos Especiais I Sistemas de Informação. Prof. Dr. Dilermando Piva Jr.

Aula 15. Tópicos Especiais I Sistemas de Informação. Prof. Dr. Dilermando Piva Jr. 15 Aula 15 Tópicos Especiais I Sistemas de Informação Prof. Dr. Dilermando Piva Jr. Site Disciplina: http://fundti.blogspot.com.br/ Conceitos básicos sobre Sistemas de Informação Conceitos sobre Sistemas

Leia mais

Empreendedorismo social Missão social Concebe a riqueza como meio para alcançar determinado fim.

Empreendedorismo social Missão social Concebe a riqueza como meio para alcançar determinado fim. Empreendedorismo privado geração de riquezas Empreendedorismo social Missão social Concebe a riqueza como meio para alcançar determinado fim. 1 Modelo de gestão com mais de 80 anos, originalmente relacionado

Leia mais

www.verriveritatis.com.br

www.verriveritatis.com.br INTELIGÊNCIA ESPIRITUAL EM PROJETOS Por quê? Esta é uma pergunta com um infinito número de respostas, dependendo do contexto. Quando um membro da Equipe pergunta por que um determinado desafio corporativo

Leia mais

CLIMA E CULTURA ORGANIZACIONAL NO AMBIENTE EMPRESARIAL. LIMA, Sílvia Aparecida Pereira 1 RESUMO

CLIMA E CULTURA ORGANIZACIONAL NO AMBIENTE EMPRESARIAL. LIMA, Sílvia Aparecida Pereira 1 RESUMO CLIMA E CULTURA ORGANIZACIONAL NO AMBIENTE EMPRESARIAL LIMA, Sílvia Aparecida Pereira 1 RESUMO A presente pesquisa aborda os conceitos de cultura e clima organizacional com o objetivo de destacar a relevância

Leia mais

Permita-se ir além e descubra uma nova possibilidade, um conjunto de ideias e inovação, construído por você.

Permita-se ir além e descubra uma nova possibilidade, um conjunto de ideias e inovação, construído por você. Somos uma empresa inovadora, que através de uma metodologia vencedora proporciona a nossos clientes um ambiente favorável ao desenvolvimento de capacidades, para que seus profissionais alcancem o melhor

Leia mais

CURSOS DE PÓS - GRADUAÇÃO

CURSOS DE PÓS - GRADUAÇÃO CURSOS DE PÓS - GRADUAÇÃO ESPECIALIZAÇÃO EM ECOTURISMO Objetivo: O Curso tem por objetivo capacitar profissionais, tendo em vista a carência de pessoas qualificadas na área do ecoturismo, para atender,

Leia mais

GESTÃ T O O E P RÁ R TI T C I AS DE R E R CUR U S R OS

GESTÃ T O O E P RÁ R TI T C I AS DE R E R CUR U S R OS Ensinar para administrar. Administrar para ensinar. E crescermos juntos! www.chiavenato.com GESTÃO E PRÁTICAS DE RECURSOS HUMANOS Para Onde Estamos Indo? Idalberto Chiavenato Algumas empresas são movidas

Leia mais

Coach - Ferramenta para o

Coach - Ferramenta para o Desafios Aprendizagem Reconheci mento Coach - Ferramenta para o Autodesenvolvimento da Carreira Maria do Carmo Colturato e Silva www.alcalaconsult.com.br 11.99 319 2005 Programa Autoconhecimento (Life

Leia mais

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS Universidade Federal do Ceará Faculdade de Economia, Administração, Atuária, Contabilidade e Secretariado Curso de Administração de Empresas GESTÃO POR COMPETÊNCIAS MAURICIO FREITAS DANILO FREITAS Disciplina

Leia mais

DISCIPLINA: SUSTENTABILIDADE E RESPONSABILIDADE SOCIAL AULA 01 => HISTÓRICO DO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL.

DISCIPLINA: SUSTENTABILIDADE E RESPONSABILIDADE SOCIAL AULA 01 => HISTÓRICO DO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL. DISCIPLINA: SUSTENTABILIDADE E RESPONSABILIDADE SOCIAL AULA 01 => HISTÓRICO DO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL. PROBLEMÁTICA: REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E INTENSIFICAÇÃO DAS ATIVIDADES ANTRÓPICAS LINHA DO TEMPO:

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Pessoas

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Pessoas Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Pessoas Apresentação O programa de Pós-graduação Lato Sensu em Gestão de Pessoas tem por objetivo o fornecimento de instrumental que possibilite

Leia mais

RESPONSABILIDADE SOCIAL

RESPONSABILIDADE SOCIAL RESPONSABILIDADE SOCIAL Universidade de Brasília Faculdade de Ciência da Informação Profa. Lillian Alvares TODO COMPORTAMENTO TEM SUAS RAZÕES. A ÉTICA É SIMPLESMENTE A RAZÃO MAIOR DAVID HUME DEFINIÇÕES

Leia mais

O que é ser um RH estratégico

O que é ser um RH estratégico O que é ser um RH estratégico O RH é estratégico quando percebido como essencial nas decisões estratégicas para a empresa. Enquanto a área de tecnologia das empresas concentra seus investimentos em sistemas

Leia mais

Empresas descobrem a importância da educação no trabalho e abrem as portas para pedagogos

Empresas descobrem a importância da educação no trabalho e abrem as portas para pedagogos Empresas descobrem a importância da educação no trabalho e abrem as portas para pedagogos Já passou a época em que o pedagogo ocupava-se somente da educação infantil. A pedagogia hoje dispõe de uma vasta

Leia mais

PRÁTICA DE ENSINO INTERDISCIPLINAR NO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO NA PERSPECTIVA DOS DISCENTES.

PRÁTICA DE ENSINO INTERDISCIPLINAR NO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO NA PERSPECTIVA DOS DISCENTES. PRÁTICA DE ENSINO INTERDISCIPLINAR NO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO NA PERSPECTIVA DOS DISCENTES. Introdução As mudanças e desafios no contexto social influenciam a educação superior, e como consequência, os

Leia mais

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS Versão 2.0 09/02/2015 Sumário 1 Objetivo... 3 1.1 Objetivos Específicos... 3 2 Conceitos... 4 3 Princípios... 5 4 Diretrizes... 5 4.1

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA em Desenvolvimento Humano de Gestores

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA em Desenvolvimento Humano de Gestores NÚCLEO AVANÇADO DE PÓS-GRADUAÇÃO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA em Desenvolvimento Humano de Gestores De acordo com a Resolução n o 1 de 08/06/2007 da CES do CNE do MEC Coordenação

Leia mais

ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE NEGÓCIOS

ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE NEGÓCIOS ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE NEGÓCIOS São Paulo Presença nacional, reconhecimento mundial. Conheça a Fundação Dom Cabral Uma das melhores escolas de negócios do mundo, pelo ranking de educação executiva

Leia mais

Ajudando você a fazer a diferença!

Ajudando você a fazer a diferença! Diretores da Lannes Consulting Luciano Lannes Consultor Organizacional e Palestrante com foco no Trabalho em Equipe e o processo de aprendizagem organizacional, visa o desenvolvimento empresarial e a educação

Leia mais

biblioteca Cultura de Inovação Dr. José Cláudio C. Terra & Caspar Bart Van Rijnbach, M Gestão da Inovação

biblioteca Cultura de Inovação Dr. José Cláudio C. Terra & Caspar Bart Van Rijnbach, M Gestão da Inovação O artigo fala sobre os vários aspectos e desafios que devem ser levados em consideração quando se deseja transformar ou fortalecer uma cultura organizacional, visando a implementação de uma cultura duradoura

Leia mais

As Organizações e o Processo de Inclusão

As Organizações e o Processo de Inclusão As Organizações e o Processo de Inclusão Introdução Não há nada permanente, exceto a mudança. Heráclito, filósofo grego (544-483 a.c.). Mudança é o processo no qual o futuro invade nossas vidas. Alvin

Leia mais

UIPES/ORLA Sub-Região Brasil

UIPES/ORLA Sub-Região Brasil 1 A CARTA DE BANGKOK PARA A PROMOÇÃO DA SAÚDE NO MUNDO GLOBALIZADO 1 Introdução Área de atuação. A Carta de Bangkok (CB) identifica ações, compromissos e garantias requeridos para atingir os determinantes

Leia mais

MBA Gestão de Negócios e Pessoas

MBA Gestão de Negócios e Pessoas PROJETO PEDAGÓGICO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Nome do Curso MBA Gestão de Negócios e Pessoas Área de Conhecimento Ciências Sociais Aplicadas Nome do Coordenador do Curso e Breve Currículo: Prof.

Leia mais

Gestão Por Competências nas IFES

Gestão Por Competências nas IFES Goiânia 22 de Novembro de 2012 Gestão Por Competências nas IFES Anielson Barbosa da Silva anielson@uol.com.br A G E N D A 1 Desafios da Gestão de Pessoas nas IFES. 2 3 Bases Legais da Gestão de Pessoas

Leia mais

A UNIVERSIDADE E OS PROJETOS SOCIAIS: PROJETO RONDON COOPERAÇÃO ENTRE A UNIVERSIDADE E COMUNIDADES DO ESTADO DO MATO GROSSO / MT

A UNIVERSIDADE E OS PROJETOS SOCIAIS: PROJETO RONDON COOPERAÇÃO ENTRE A UNIVERSIDADE E COMUNIDADES DO ESTADO DO MATO GROSSO / MT A UNIVERSIDADE E OS PROJETOS SOCIAIS: PROJETO RONDON COOPERAÇÃO ENTRE A UNIVERSIDADE E COMUNIDADES DO ESTADO DO MATO GROSSO / MT Myrian Lucia Ruiz Castilho André Luiz Castilho ** A educação é um direito

Leia mais

Gestão de Talentos. Aula 01. Contextualização. Instrumentalização

Gestão de Talentos. Aula 01. Contextualização. Instrumentalização Gestão de Talentos Aula 01 Prof. Me. Maria Tereza F. Ribeiro 1. Contextualização Apresentação dos tópicos a serem abordados atualidades 2. Instrumentalização Conceitos principais 3. Aplicação Exemplos

Leia mais

O papel da empresa na relação com o meio natural

O papel da empresa na relação com o meio natural Gestão Ambiental O papel da empresa na relação com o meio natural Visão Tradicional Empresa Consumidor Compreensão Básica: - Relações econômicas determinadas pela Oferta/Procura -Visão do lucro como o

Leia mais

O MUSEU E SUA FUNÇÃO SOCIAL PELO MAPEAMENTO DAS REDES SOCIAIS DOS MUSEUS Weidson Leles GOMES 1

O MUSEU E SUA FUNÇÃO SOCIAL PELO MAPEAMENTO DAS REDES SOCIAIS DOS MUSEUS Weidson Leles GOMES 1 O MUSEU E SUA FUNÇÃO SOCIAL PELO MAPEAMENTO DAS REDES SOCIAIS DOS MUSEUS Weidson Leles GOMES 1 Resumo: O presente Artigo busca abordar a pretensão dos museus de cumprir uma função social e a emergência

Leia mais

GESTÃO EMPRESARIAL E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

GESTÃO EMPRESARIAL E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO GESTÃO EMPRESARIAL E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO * César Raeder Este artigo é uma revisão de literatura que aborda questões relativas ao papel do administrador frente à tecnologia da informação (TI) e sua

Leia mais

Liderança Estratégica

Liderança Estratégica Liderança Estratégica A título de preparação individual e antecipada para a palestra sobre o tema de Liderança Estratégica, sugere-se a leitura dos textos indicados a seguir. O PAPEL DE COACHING NA AUTO-RENOVAÇÃO

Leia mais

LIDERANÇA: O líder contemporâneo André Lanna 1

LIDERANÇA: O líder contemporâneo André Lanna 1 1 LIDERANÇA: O líder contemporâneo André Lanna 1 RESUMO Este artigo analisa o perfil de diferentes tipos de líderes, bem como a análise de situações encontradas do ponto de vista de gestão de pessoas.

Leia mais

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado Professora Débora Dado Prof.ª Débora Dado Planejamento das aulas 7 Encontros 19/05 Contextualizando o Séc. XXI: Equipes e Competências 26/05 Competências e Processo de Comunicação 02/06 Processo de Comunicação

Leia mais

Educação Corporativa na Engenharia Naval como ferramenta de competitividade

Educação Corporativa na Engenharia Naval como ferramenta de competitividade Educação Corporativa na Engenharia Naval como ferramenta de competitividade Fausto de Bessa Braga, MBA Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro fausto.bessa@amrj.mar.mil.br Nélio Domingues Pizzolato, Ph.D

Leia mais

CARTA DE OTTAWA. PRIMEIRA CONFERÊNCIA INTERNACIONAL SOBRE PROMOÇÃO DA SAÚDE Ottawa, novembro de 1986

CARTA DE OTTAWA. PRIMEIRA CONFERÊNCIA INTERNACIONAL SOBRE PROMOÇÃO DA SAÚDE Ottawa, novembro de 1986 CARTA DE OTTAWA PRIMEIRA CONFERÊNCIA INTERNACIONAL SOBRE PROMOÇÃO DA SAÚDE Ottawa, novembro de 1986 A Primeira Conferência Internacional sobre Promoção da Saúde, realizada em Ottawa, Canadá, em novembro

Leia mais