ESTUDO DE VIABILIDADE PARA IMPLANTAÇÃO DA TECNOLOGIA WIMAX NA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DA CIDADE DE GUAÍBA-RS 1

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ESTUDO DE VIABILIDADE PARA IMPLANTAÇÃO DA TECNOLOGIA WIMAX NA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DA CIDADE DE GUAÍBA-RS 1"

Transcrição

1 ESTUDO DE VIABILIDADE PARA IMPLANTAÇÃO DA TECNOLOGIA WIMAX NA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DA CIDADE DE GUAÍBA-RS 1 Ronaldo de Bem Martins 2 Verônica Conceição 3 Universidade Luterana do Brasil (ULBRA) Curso Superior de Tecnologia em Redes de Computadores Câmpus Canoas Av. Farroupilha, Bairro São José CEP Canoas - RS RESUMO 29 de novembro de 2010 Este artigo apresenta um estudo de viabilidade para implantação da tecnologia Wimax na rede municipal de ensino da cidade de Guaíba, visando substituir a conexão de internet que existe atualmente. O atual cenário de acesso à rede pública de computadores apresenta problemas de desempenho, impossibilitando o município de implantar o software i-educar, essencial para a gestão escolar, além de impossibilitar aos alunos de utilizarem a internet como fonte de pesquisa e aprendizado. A solução Wimax disponibiliza para as escolas municipais uma conexão via rádio de alta qualidade, segurança e melhor desempenho, com um baixo investimento. Palavras-chave: Wimax, i-educar e internet. ABSTRACT Title: Feasibility study to implementation of the Wimax technology in the municipal schools in the city of Guaíba- RS This paper presents a feasibility study to implementation of the Wimax technology in the municipal schools in the city of Guaíba to replace the internet connection that exists today. The actual cenary of access to public network of computers has performance problems that`s make harder to the city to deploy the software i-educar, essential for school management and even to the students that use the internet as a source of research and learning. The Wimax solution provides to the municipal schools a high quality radio connection, security and performance with a low investiment. Key-words: Wimax, i-educar and internet. 1 INTRODUÇÃO Inclusão digital é um assunto bastante abordado nos últimos anos e é muito difícil imaginar uma escola fora desta. As escolas necessitam de acesso à internet para inúmeros fins, como por exemplo, a internet pode ser utilizada como uma ferramenta auxiliar nos processos administrativos, fonte de pesquisa para professores, funcionários e alunos, além de preparar os alunos ao mercado de trabalho, pois hoje em dia as pessoas que não estão familiarizadas com tecnologia da informação, encontram grande dificuldade de entrar no mercado de trabalho. O foco deste artigo serão as escolas do município de Guaíba-RS que fica localizado na região metropolitana de Porto Alegre, distante 32 km da capital. Segundo informações da secretaria de educação, o município conta com 16 escolas municipais, atendendo aproximadamente 8000 alunos de ensino fundamental. O acesso à internet nestas escolas é via conexão ADSL contratada junto à operadora de telecomunicações OI e possui vazão de 1 Mbps. Segundo a assessora técnica da secretaria de educação do município, o governo federal está disponibilizando para as escolas estaduais e municipais do país, o software i-educar. O i-educar é um software de gestão escolar que centraliza as informações de um sistema educacional municipal, diminuindo a necessidade de uso de papel, a duplicidade de documentos, o tempo de atendimento ao cidadão e racionalizando o trabalho do servidor público. Este software foi desenvolvido pela 1 Artigo de conclusão do curso Superior de Tecnologia em Redes de Computadores do tipo avaliação. 2 Aluno do curso Superior de Tecnologia em Redes de Computadores da Ulbra Canoas. 3 Professora orientadora 1

2 prefeitura de Itajaí-SC em parceria com a empresa Cobra Tecnologia S.A. no ano de 2007 e conforme estudos, o i-educar possibilita ao município uma economia de mais de R$ 55 mil ao ano. Este software está disponível como software livre através de uma parceria tecnológica com a empresa Cobra Tecnologia. Com o i-educar é possível controlar todo o cadastro de alunos, com seus dados pessoais, familiares e pedagógicos. Funcionalidades como: matrículas, transferências, emissão de certificados e diplomas, suspensões, quadro de horários e relatórios gerenciais são realizados de forma integrada. O sistema conta também com um módulo de biblioteca que faz a gestão de bibliotecas de cada escola. Porém, com a conexão que as escolas possuem hoje, torna-se inviável a utilização deste software, pois embora a conexão ADSL contratada seja de 1 Mbps, velocidade real, geralmente não passa de 256 Kbps. Atualmente, existem diversas opções de tecnologia para acesso a internet, como ADSL (Assimetric Digital Subscribe Line), acesso discado, tecnologias sem fio (wireless) e cabeada (cable modem). O tipo de conexão a ser utilizada está diretamente relacionada à necessidade de quem deseja contratar e, da disponibilidade na região onde é necessário o acesso. O presente projeto visa apresentar um estudo de viabilidade, para substituir a conexão existente que, apresenta limitações técnicas, como por exemplo: lentidão, velocidade de download maior que de upload), dependência de cabeamento telefônico, dentre outras. Este projeto propõe substituir esta conexão, pela tecnologia de Interoperabilidade Mundial para Acesso por Microondas (Wimax) que apresenta características técnicas que podem solucionar o problema citado anteriormente, disponibilizando maior vazão para acesso à internet. Wimax é uma tecnologia de banda larga sem-fio, capaz de atuar como alternativa a tecnologias como cabo e XDSL, na construção de redes comunitárias e provimento de acesso de última milha. Os equipamentos Wimax são capazes de transmitir entre 1 Mbps e 70 Mbps e possuem alcance de até 50 km com visada e 8 km sem visada, dependendo dos equipamentos utilizados, da freqüência, distância entre a ERB e os receptores de sinal, além da topografia do terreno e obstáculos entre a ERB e os receptores de sinal. A seguir, na seção 2, serão apresentados alguns conceitos para melhor compreensão sobre as tecnologias de acesso à internet, segurança nas tecnologias sem fio, tipos de redes sem fio, dando uma maior ênfase a tecnologia Wimax que é o principal assunto deste estudo e encerrando a seção com uma breve apresentação da tecnologia VOIP. A seção 3 apresentará uma avaliação do ambiente e a tecnologia que melhor se adequa para solucionar o problema que motivou o estudo de viabilidade já citado anteriormente no artigo, na seção 4 será apresentado um comparativo de equipamentos e, por fim, baseado neste comparativo, apresentar a tecnologia indicada, bem como os equipamentos a serem indicados e onde serão instalados, na seção 5 será apresentada a conclusão, onde constará opiniões sobre o estudo de viabilidade, apresentando as vantagens de implantar o projeto, as desvantagens, bem como dizer se o projeto é viável ou não e porque é viável ou não e, finalizando o artigo, a seção 6 apresentará as referências bibliográficas utilizadas para auxiliar no desenvolvimento do artigo. O artigo apresentado é do tipo avaliação, pois apresenta um estudo de viabilidade para implantação da tecnologia Wimax na rede municipal de ensino da cidade de Guaíba-RS. 2 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA Esta seção apresenta a fundamentação teórica, dividido em quatro seções que tratarão dos conceitos básicos dos assuntos tratados neste artigo, além de mostrar dois casos similares ao tratado neste artigo com suas devidas soluções. 2.1 Tecnologias de acesso internet Hoje, milhões de usuários se conectam à internet graças às diversas tecnologias de acesso, estas são o ponto-chave de todo o processo. A cada dia a busca por aprimoramento das conexões é maior, pois a quantidade de pessoas que acessam a internet está crescendo de forma exponencial no mundo. Outro fator que evidencia o aumento da necessidade de conexões de qualidade e seguras é que, a maioria das empresas já utilizam a internet como ferramenta de trabalho, com aplicações que exigem cada vez mais uma maior vazão para acesso à internet, como por exemplo, os sites de comércio eletrônico, vídeoconferências e ligações telefônicas via voz sobre IP (VOIP). Para suportar toda esta estrutura, uma complexa rede de equipamentos e protocolos torna-se necessária. Segundo o Ibope/Nielsen, em pesquisa realizada em dezembro de 2009, 2

3 67,5 milhões de brasileiros acessam a internet, sendo que nas áreas urbanas já são 44% da população e 97% das empresas conectadas à internet. Estas pessoas acessam a internet de diversas maneiras diferentes, atualmente são várias as opções disponíveis de acesso à internet, conforme mostra a figura 1 abaixo. Algumas destas tecnologias já estão obsoletas, como por exemplo se pode citar, as conexões via linha discada, outras em plena evolução, como as tecnologias de redes sem fio (Wireless). Além destas tecnologias já citadas, há também as conexões XDSL, e cable modem. Todas as tecnologias citadas acima serão vistas a seguir. (LOTITO e CARVALHO, 2005). Figura 1 Tipos de tecnologias de acesso à internet - Adaptado de Google, Linha discada: Tipo de acesso à Internet no qual se utiliza um modem e uma linha telefônica convencional para acessar a rede mundial de computadores. Este tipo de conexão está caindo em desuso devido a sua baixa velocidade de conexão que não passa de 56 Kbps, alto custo do acesso, instabilidade da conexão além de que, durante a conexão, a linha telefônica se mantém ocupada. xdsl: Esse acesso também é fornecido por meio da rede de telefonia convencional, mas diferentemente do acesso discado, a conexão não indisponibiliza a linha telefônica, pois existem faixas de freqüência distintas para voz e dados. Cada concessionária, dependendo da infraestrutura que tiver instalada, pode oferecer diversas velocidades de acesso. No acesso ADSL (Asymmetric Digital Subscriber Line), por exemplo, a velocidade para download e upload são diferenciadas, variando de 256 Kbps a 8 Mbps; o ADSL2 ou ADSL2+ vai de 256 Kbps até 24 Mbps; o VDSL (Very-high-bit-rate Digital Subscriber Line) pode chegar a 52 Mbps e o VDSL2 até 100 Mbps. Apesar da popularidade desse tipo de acesso, não está disponível em todos os lugares. Outro detalhe neste tipo de conexão é que geralmente as concessionárias não garantem que o usuário terá a velocidade contratada, a velocidade de acesso geralmente será mais baixa do que aquela que foi contratada, devido a isto, as concessionárias deixam claro no contrato de serviço que garantem apenas 10% da velocidade nominal contratada. Cabo: A conexão via cabo utiliza a mesma infra-estrutura do serviço de televisão por assinatura, o serviço de televisão e os dados de internet trafegam simultaneamente. Sua limitação é que a oferta este tipo de acesso só é disponibilizada nas regiões onde exista o serviço de televisão via cabo. Este acesso exige um cable modem e um computador com placa ethernet. Este tipo de conexão oferece velocidades que variam de 128 Kbps até 24 Mbps, com garantia de vazão, isto é, o usuário terá sempre a velocidade de acesso contratada independente de dia e hora. Conexões sem fio: Uma rede sem fio é uma rede na qual, pelo menos dois terminais são capazes de comunicar entre si graças a sinais radioelétricos. As redes sem fio constituem-se hoje como a principal alternativa às redes convencionais ou guiadas, fornecendo as mesmas funcionalidades, mas de forma flexível, de fácil configuração e com boa conectividade em áreas que antes só seria possível por meio de fios. Por meio das redes sem fio, os recursos de informática são utilizados com mais flexibilidade, pois os usuários não precisam estar conectados a rede por meio de um cabo. 3

4 Satélite: Embora o acesso por conexão via satélite ofereça uma conexão estável, com alta disponibilidade, sua grande desvantagem está no alto custo para aquisição de equipamentos e seu tempo de atraso do sinal (delay). É necessário adquirir uma antena que consiga captar o sinal do satélite e transmiti-lo para o computador. A antena pode ser fornecida pelo provedor de acesso ou adquirida pelo usuário. A sua velocidade de conexão em 2008 não passava de 2 Mbps, mas hoje já pode-se contratar conexões de 8 Mbps junto a Embratel. Sua principal vantagem em relação às conexões citadas anteriormente é que este tipo de conexão pode ser disponibilizada em qualquer lugar, mudando apenas o tipo de antena de recepção, pois quanto mais remoto estiver o cliente, maior deverá ser o alcance da antena e consequentemente maior será o custo para adquirir esta. (PETRACIOLI, 2008). Rádio: São redes que utilizam transmissões de rádio freqüência (RF). Estas redes não requerem uma conexão física direta entre computadores. Em vez disto, cada computador participante está associado a uma antena, que pode tanto transmitir como receber RF. O tamanho e o tipo da antena variam de acordo com a tecnologia utilizada e o alcance que se pretende atingir. (COMER, 2007). 2.2 Segurança nas tecnologias sem fio Hoje, quando se pensa em implantar uma rede sem fio, as pessoas pensam logo na mobilidade e flexibilidade que esta propicia, além do baixo custo para implantação (devido a não haver gastos com cabeamento), mas acabam esquecendo que uma rede sem fio é muito mais vulnerável que uma rede cabeada, pois é muito mais difícil controlar os acessos, visto que o sinal e os dados transmitidos e recebidos são propagados no ar e podem ser captados a kilômetros de distância. Pensando nisto, foram criados inúmeros mecanismos de segurança que visam garantir a autenticidade das pessoas que acessam a rede, a integridade e privacidade da comunicação e a disponibilidade da informação. Visando proteger as informações sigilosas, criou-se a criptografia, onde só que possui a chave secreta pode decriptar a informação. Pode-se dizer que criptografia é a técnica de esconder informações sigilosas. Um dos principais objetivos da criptografia é garantir o armazenamento e circulação segura de mensagens. Os protocolos de criptografia são um destes mecanismos de segurança muito utilizados nas redes sem fio. O principal protocolo de criptografia em redes wireless é o protocolo WEP (Wired Equivalent Privacy). O objetivo do uso do WEP é garantir a confidencialidade e a integridade das informações na rede wireless. O protocolo WEP foi o primeiro protocolo de segurança adotado, que conferia, no nível do enlace, uma certa segurança para as redes sem fio semelhante a segurança das redes com fio. O protocolo WEP utiliza o algoritmo RC4 para criptografar os pacotes que serão trocados numa rede sem fios a fim de tentar garantir confidenciabilidade aos dados de cada usuário. Além disso, utiliza-se também a CRC-32 que é uma função detectadora de erros que ao fazer o "checksum" de uma mensagem enviada, gera um ICV (Integrity Check Value) que deve ser conferido pelo receptor da mensagem, no intuito de verificar se a mensagem recebida foi corrompida e/ou alterada no meio do caminho. Um ponto desfavorável na utilização do protocolo WEP é que o algoritmo RC4 permite que a mesma seqüência aleatória se repita de vez em quando. Para minimizar esta falha de segurança citada acima, o protocolo WEP utiliza um vetor de inicialização para cada pacote, fazendo com que a seqüência gerada pelo algoritmo RC4 seja diferente para cada pacote. Outro protocolo de criptografia que está sendo bastante utilizado em redes wireless é o protocolo WPA (Wi-Fi Protected Access), que substitui dia a dia o atual WEP. O protocolo WPA conta com tecnologia aprimorada de criptografia e de autenticação de usuário. Cada usuário tem uma senha exclusiva, que deve ser digitada no momento da ativação do WPA. No decorrer da sessão, a chave de criptografia será trocada periodicamente e de forma automática. Assim, torna-se infinitamente mais difícil que um usuário nãoautorizado consiga se conectar à WLAN. A chave de criptografia dinâmica é uma das principais diferenças do WPA em relação ao WEP, que utiliza a mesma chave repetidamente. Esta característica do WPA também é conveniente porque não exige que se digite manualmente as chaves de criptografia, ao contrário do WEP que necessita a digitação manual destas chaves. (WIKIPEDIA, 2010). Quanto a tecnologia Wimax, esta possui suporte para vários tipos de protocolos de segurança de criptografia de dados, os principais são o DES (Data Encryption Standard), o 3DES e o AES (Advanced Encryption Standard). 4

5 Enquanto o protocolo DES cifra blocos de 64 bits (8 caracteres) em blocos de 64 bits, utilizando uma chave composta por 56 bits mais 8 bits de paridade, o protocolo AES é capaz de suportar chaves de 128, 192 e 256 bits, sendo o protocolo de segurança de criptografia de dados mais utilizados na tecnologia Wimax. Já o protocolo 3DES (Triple Data Encryption Standard) é um padrão de criptografia baseado no algoritmo de criptografia DES. O 3DES utiliza 3 chaves de 64 bits. Os dados são encriptados na primeira chave, decriptados na segunda chave e novamente encriptados na terceira chave, fazendo que este seja mais lento que o DES original, mas oferecendo maior segurança. Conforme apresentado abaixo na figura 2, as redes sem fio são divididas em Wireless Personal Área Networks (WPAN), Wireless Local Área Networks(WLAN), Wireless Metropolitan Área Networks(WMAN) e Wireless Wide Área Networks(WWAN). Figura 2 Tipos de redes sem fio - Adaptado de kioskea, 2010 As redes WPAN são redes de curta distância, entre 1m e 100m e velocidade de até 4 Mbps para conexões via infravermelho e 1 Mbps via Bluetooth. Estas conexões são utilizadas para interligar objetos pessoais como, celulares, agendas eletrônicas, câmeras fotográficas, dentre outros. Podem funcionar por rádio ou infravermelho e fazem conexão ponto a ponto. Um exemplo são as conexões via Bluetooth. As conexões via Bluetooth são conexões entre dispositivos como telefones celulares, notebooks, computadores, impressoras, câmeras digitais e consoles de videogames digitais através de uma frequência de rádio de curto alcance globalmente não licenciada e segura. As redes WLAN são redes que utilizam ondas de rádio para interligar computadores, notebooks dentre outros com conexão ponto a ponto e multiponto e alcance de 100 m (indoor) à 300 m (outdoor). São nas redes WLAN que encontramos a utilização da tecnologia Wi-Fi (Wireless Fidelity), que é uma rede local sem fio padronizada pelo IEEE e que opera em faixas de frequências que não necessitam de licença para instalação e/ou operação, sendo muito utilizado em escritórios e residências, substituindo ou complementando redes que utilizam cabos coaxiais. As redes WMAN são redes que utilizam ondas de rádio com conexões ponto a ponto e multiponto, taxa de transferência de até 70 Mbps interligando prédios distantes até 50 km. São nas redes WMAN que se observa a utilização da tecnologia Wimax (Worldwide Interoperability for Microwave Access). As redes WWAN são redes que utilizam microondas e satélites, com conexões ponto a ponto e multiponto e atingem longas distâncias, podendo interligar grandes links de dados. Aqui podemos citar o uso das tecnologias GSM, GPRS e UMTS (3G). (TANENBAUM, 2003; TORRES, 2001; RUFINO, 2005). 2.3 Wimax Wimax é uma tecnologia de rede sem fio que permite a comunicação fixa entre um ou mais pontos, comunicação portátil e inclusive comunicação móvel sem fio sem a necessidade de visada direta com a estação base, com foco em atender as WMANs. 5

6 A tecnologia Wimax apresenta diversas vantagens em relação às demais tecnologias de acesso à internet, pois possui maior velocidade de conexão em comparação com as conexões via linha discada, cabo, xdsl e satélite, não apresenta delay, muito comum na conexão via satélite e pode ser implantada em qualquer região, pois não depende de infraestrutura local (cabeamento, linhas telefônicas entre outras), pois a recepção do sinal e transmissão do mesmo são feitos através de rádio e seu alcance depende do tipo de antena e rádio a ser utilizada. A tecnologia Wimax possui dois tipos de arquitetura possíveis que são: Arquitetura ponto-a-ponto: Permite apenas a comunicação entre a estação base e as estações assinantes, ou seja, toda comunicação de uma estação de assinante passa sempre pela estação base. Arquitetura ponto-multiponto: Nesta arquitetura, a comunicação pode ser passada através das estações assinantes, sem passar pela estação base. O IEEE é o padrão para transmissão sem fio ponto-a-ponto e ponto-multiponto para estações fixas e projetada para atingir até 50 km, utilizam faixas de freqüência entre 2 GHz e 11 GHz, embora esteja operando no Brasil em apenas três diferentes freqüências, a de 3,5 GHz, que exige licitação e suporta o padrão fixo; a de 2,5 GHz (também licitada), que concentra principalmente os provedores de MMDS (Multichannel Multipoint Distribution Service) e suporta o padrão móvel; e a de 5,8 GHz, também utilizada pelo padrão fixo, porém não-licitada. O Wimax apresenta três modos de operação, que são: Single Carrier, OFDMA e OFDM, sendo o último o modo mais comumente utilizado. O modo Single Carrier consiste em enviar os símbolos de maneira serial, ou seja, um de cada vez enquanto o modo OFDM consiste na transmissão paralela de dados, os símbolos são enviados em sequência e o espectro ocupa toda a faixa de frequências disponível. O padrão Wi-Fi utiliza antenas de pequena potência, com alcance de algumas dezenas de metros, diferentemente do Wimax que utiliza antenas mais potentes, com maior alcance, porém o alcance depende de vários fatores, como o tipo de antena, a topografia do terreno, bem como a presença de árvores, rios e prédios. O grande atrativo do Wimax é que dispensa a instalação de cabos ligando o prestador aos assinantes. Torna-se economicamente viável oferecer banda larga em regiões onde outros tipos de conexão não compensam, devido ao alto custo de instalação das outras tecnologias. É possível oferecer banda larga de custo aceitável em bairros afastados e em regiões rurais, a cerca de 10 a 20 quilômetros do centro da cidade ou em locais onde não é oferecido outras tecnologias. Os principais serviços oferecidos pelo Wimax são: Acesso à Internet por banda larga (móvel e fixa), telefonia fixa através de VoIP, telefonia móvel através de VoIP e tv via internet. Suas principais características são: Suporta múltiplas especificações na camada física; Estabelece uma rede integrada, compartilhando os recursos e diminuindo os custos da rede; Possibilita a conexão direta da rede principal de internet com a rede doméstica; Altas taxas de transmissão de dados; Redução nos custos com infra-estrutura de banda larga para conexão com o usuário final, principalmente no que diz respeito a custos com cabeamento; Permite acesso à internet mesmo quando se está em movimento; Apresenta um recurso de qualidade de serviço (QOS) devido à baixa latência para serviços sensíveis ao retardo, como por exemplo, a voz sobre IP (Voip); A comunicação Wimax funciona da seguinte forma: Um rádio digital de alto desempenho ligado a uma antena transmissora conectada preferencialmente por fibras ópticas em uma rede IP de alta velocidade, transmite os dados para os assinantes por ondas de rádio, cada assinante recebe os dados através de um receptor. Nas ligações ponto-a-ponto são utilizadas antenas unidirecionais e o alcance chega a 50 km, enquanto nas ligações ponto-a-multiponto são utilizadas antenas omnidirecionais, que têm alcance menor, porém irradiam em todas as direções. Os assinantes acessam a rede Wimax através desse tipo de ligação. Sem visada, a distância entre a ERB e o receptor não pode passar de 8 km. (VASCONCELOS, 2008). 6

7 2.4 Casos similares Abaixo, serão apresentados dois casos similares ao caso tratado neste artigo, o primeiro foi implantado no município de Ouro Preto em Minas Gerais e o segundo em Parintins, no estado do Amazonas. Ambos os projetos fazem parte do programa World Ahead e foram criados em parceria com CPqD, Embratel, Cisco, Proxim, Fundação Bradesco, Universidade Estadual do Amazonas, Universidade Federal do Amazonas e Universidade de São Paulo. É bom frisar que tanto o projeto tratado neste artigo quanto os dois casos similares apresentados abaixo, apresentam o mesmo foco, garantir acesso à internet nas escolas, uma vez que a escola é sempre um local com prioridade de acesso. Nestes casos, observa-se a utilização de Wimax, apenas quando as distâncias são maiores que as suportadas pelo Wi-Fi, já que o custo dos equipamentos Wimax é significativamente maior. (LADOCICCO, 2007) Apresentação de um caso similar implantado no município de Ouro Preto MG utilizando a tecnologia Wimax. Muitas cidades no Brasil apresentam dificuldades de obter acesso à internet, devido à distância dos grandes centros urbanos, topologia irregular e custo benefício, dentre outros problemas. O caso apresentado a seguir, mostra a solução que foi adotada no município de Ouro Preto no estado de Minas Gerais, onde foi implantada de forma pioneira, a tecnologia Wimax com sucesso, solução esta, similar à solução proposta neste artigo conforme será visto mais adiante na seção 4. Em 2005, na cidade de Ouro Preto, foi implementado projeto Ouro Preto cidade digital, com objetivo de disponibilizar a conexão de escolas à internet com tecnologia sem fio Wimax em parceria com a Intel sob direção da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP) e com participação da Prefeitura Municipal de Ouro Preto, Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP), Anatel, Sec&T, Secretaria de Estado de Educação de MG e Telemar. Dentre os problemas que motivaram a implantação da tecnologia Wimax no município de Ouro Preto, os principais foram: a sua topografia irregular, que dificulta comunicação, devido à falta de visada em alguns pontos e a ausência de conexão de banda larga em grande escala. Para isto, foi instalada a ERB no campus da UFOP e nos locais citados abaixo foram colocadas estações receptoras de sinal: Escolas municipais de 5ª a 8ª e estaduais de ensino médio. Sec.Educ. da Prefeitura Municipal de Ouro Preto Departamento de Computação da UFOP Órgãos municipais (biblioteca, planejamento, saúde e cultura) Telecentro Auta de Souza (Morro Santana) Agência de Desenvolvimento Econômico e Social de Ouro Preto (ADOP) O provimento de acesso é feito pela Rede Educacional: RNP e pela Telemar, cada uma disponibilizando uma banda de 2 Mbps. Inicialmente, foram usados como teste, equipamentos das empresas Aperto e Alvarion, operando em 3,5 GHz, mas posteriormente foram utilizados apenas rádios de fabricação da empresa Aperto, trafegando na freqüência pública de 5,8 GHz e banda passante nominal de 20 Mbps por setor. Cada setor pode ter um lóbulo de 60 º ou 90º com taxa efetiva de aproximadamente 14 Mbps. (CAVALCANTI, 2005). A rede municipal de ensino de Guaíba-RS apresenta problemas semelhantes aos problemas do caso citado acima, pois em ambos, a idéia é conectar diversos pontos à Internet, em lugares onde a rede cabeada não atenda, ou atenda fornecendo uma banda de baixa velocidade. Com a utilização da tecnologia Wimax, em pontos que a distância entre a ERB e as estações receptoras de sinais não passe de 8 km, não há a necessidade de visada, o que torna a tecnologia apropriada em ambos os casos. Sendo que em cada projeto, há peculiaridades e devido a isto, deve-se avaliar qual equipamento melhor cumpre as exigências dos usuários. No caso da rede municipal de ensino de Guaíba verificou-se que a maioria das escolas localizam-se em regiões que não há disponibilidade de redes ADSL, nem cabeadas, deixando-as isoladas do mundo digital. Este é um dos problemas a serem estudados durante a elaboração do estudo de viabilidade Apresentação de um caso similar implantado no município de Parintins AM utilizando a tecnologia Wimax. Em 2006, na cidade de Parintins AM, foi implantada a solução Intel e Proxin, para Wimax e Wi-Fi. 7

8 Parintins é uma cidade fluvial localizada a 369 km de Manaus e com a implantação da tecnologia Wimax, se tornou a cidade mais remota do Brasil a possuir acesso à internet. O projeto interligou 80 computadores, estes, distribuídos entre 2 escolas, um posto de saúde e um centro comunitário, abrangendo um raio de até 48 km. Os rádios Wimax recebem neste projeto, um sinal full-duplex via satélite de 2 Mbps. Para este projeto, a empresa Cisco forneceu seis access points Cisco AIRAP1121G, um roteador de serviços integrados Cisco 1841 ISR Series e dois switches Cisco Catalyst 2940 Series. O CPqD, parceiro da Intel na implementação de infovias municipais (serviços, aplicações e infra-estrutura da rede de comunicações comunitária do município), foi responsável pelo planejamento, projeto, especificação e instalação da infovia de Parintins e da rede WLAN (rede local sem fio) nas escolas e posto de saúde, bem como pela integração de todos os recursos e atividades relacionadas ao projeto. A Embratel participou com o serviço Business Link, através de um segmento espacial entre Parintins e Manaus. A Universidade da Amazônia implantou um programa de Telemedicina em conjunto com a Escola de Medicina da Universidade de São Paulo. A Universidade estadual do Amazonas colaborou com o treinamento dos alunos via videoconferência, pesquisas na área de saúde e tele-consultas. A Proxim forneceu as estações rádio-base Tsunami MP.16 e as licenças de uso. Antes, a cidade era atendida somente com um ponto de internet via satélite do Governo Eletrônico Serviço de Atendimento ao Cidadão (GESAC), programa do governo federal, com um único computador. A velocidade era de 64 Kbps. Com a conexão da Embratel, a velocidade passou para 1 Mbps. Em Parintins, a Intel e a Fundação Bradesco treinaram 24 professores por meio de suas iniciativas educacionais: o 'Programa Intel Educação para o Futuro', que ensina os professores como usar a tecnologia para melhorar a maneira com que os alunos aprendem; e o 'Programa Intel Aprender' que prepara estudantes menos privilegiados, com idades entre 10 e 18 anos, para o mercado de trabalho. O posto de saúde passou a contar com um sistema de videoconferência, para permitir que os médicos locais possam se comunicar com especialistas em Manaus e outras cidades. (JOHNSON, 2006) Diferentemente do projeto implantado em Ouro Preto, que utilizava uma freqüência não licenciada de 5,8 Ghz, em Parintins a freqüência utilizada foi a de 3,5 Ghz licenciada pela Anatel, através de uma parceria com a Embratel que possui autorização para operar nesta faixa de freqüência. 2.5 VOIP VOIP (voice over Internet protocol) é uma tecnologia que possibilita o uso de redes IP como o meio de transmissão de voz, ou seja, permite telefonar através da mesma infra-estrutura que torna a Internet possível. As principais características da tecnologia VOIP: Comutação baseada em pacotes, diferente das redes de telefonia convencional que a comutação é baseada em circuitos. As amostras de voz digitalizadas são acumuladas em pacotes (datagramas IP) e enviadas pela rede IP. Existem muitas formas de se utilizar a tecnologia VOIP, como por exemplo: Softphones (PC para PC): São softwares para comunicação VOIP, disponíveis na internet para download. Esse é um dos recursos mais comuns e que exige menos investimento, pois basta ter um computador com o software de VOIP instalado e um headset (telefone com microfone) para falar, mas é importante salientar que para que se estabeleça a comunicação, é preciso que os dois usuários estejam on-line e possuam o mesmo software instalado em seus computadores. Os softwares mais utilizados hoje em dia são: Skype, Idefisk, Xlite, Express talk, Xten, dentre outros. Hardphone (telefone IP para telefones convencionais): São aparelhos telefônicos que possuem entrada para a rede de internet, basta conectá-lo à internet, ligar na energia e estar fazendo as configurações do VOIP. Ligações entre telefones VOIP o custo é zero, mas de telefone VOIP para telefones convencionais é necessário contratar um provedor de serviços VOIP e comprar créditos para as ligações. SkypeOut, TVA Voz e Vono (da GVT) já oferecem esse recurso. Os custos das ligações para o exterior, utilizando estes softphones é aproximadamente 75 % mais baratos. Hardphone (telefones normais ATA s): Para quem não quer comprar um telefone IP, há ainda a opção de adquirir um ATA (Analog Telephone Adaptor), é um conversor que é conectado ao telefone convencional e à rede, transformando o telefone convencional em um telefone IP. 8

9 Solução Asterisk: É uma solução opensource e free, que funciona como uma central telefônica digital e pode ser utilizada em ambientes domésticos também. A grande vantagem do Asterisk é que ele faz todo um gerenciamento dos ramais e da central telefônica. (GOMES, 2005). 3 AVALIAÇÃO DO AMBIENTE Visando propiciar ao município de Guaíba condições técnicas para implantação do software i-educar, sistema este oferecido gratuitamente pelo governo federal, será efetuado uma avaliação do ambiente e levantamento dos motivos pelo qual o município hoje não pode implantar o software i-educar, software este que o município de Guaíba, localizado na região metropolitana de Porto Alegre mostrou interesse em adquirir para implantação em sua rede de ensino. Hoje, as dezesseis te escolas da rede municipal de ensino, mais a Secretaria de educação possuem uma conexão ADSL fornecida pela concessionária OI com velocidade de 1 Mbps, mas segundo as informações fornecidas pelo setor de TI do município, a velocidade efetiva não passa de 256 Kbps, o que impossibilita a implantação deste software devido à baixa vazão do canal de dados. Foi verificado que o município não é contemplado por conexões de banda larga de qualidade, visto que não há rede xdsl em todos os bairros, nem mesmo conexão via cabo. Como a implantação de uma rede xdsl ou cabeada em todos os bairros seria inviável financeiramente devido ao custo de investimento pelas empresas de telefonia e conseqüente baixo retorno, estudou-se a implantação de uma rede sem fio, pois esta rede não depende de infraestrutura local (cabeamento, linhas telefônicas entre outras). Dentre os tipos de tecnologias sem fio existentes (Bluetooth, Wi-Fi, Wimax e satélite), a tecnologia Wimax é a que apresenta as melhores características técnicas para ser implantada no município, em substituição à conexão existente hoje, pois possui altas taxas de transmissão de dados, QOS, segurança (criptografia) e abrange distâncias de até 50 km com visada e 8 km sem visada, e no caso da solução Wimax Canopy da Motorola, a abrangência fica entre 3,2 km sem refletor e 16 km com refletor em uma conexão ponto-multiponto. Conexões ponto-ponto podem alcançar distâncias de até 56 km. Conforme apresentado abaixo, na tabela 1, todas as escolas atendidas no projeto estão distantes entre 0,95 km e 10,75 km do local onde será instalado a ERB e levando em conta que há visada para todas as escolas, será utilizado conexão tipo ponto-multiponto, onde toda comunicação de uma estação de assinante passa sempre pela estação base. Baseado nas informações citadas acima, tanto a solução Wimax, quanto a solução Wimax Canopy podem ser implantadas no projeto, porém mais adiante no artigo, será efetuado um comparativo entre equipamentos das soluções citadas acima e com base neste comparativo, será escolhida a melhor solução para o projeto. Tabela 1 Relação das escolas e secretaria de educação com seus endereços e distância entre a ERB e a estação receptora de sinal. Escola Endereço Distância entre a escola e a ERB EMEF. Amadeu Bolognesi Rua Flávio Santana, s/nº - Bairro Colina. 2,2 km EMEF. Anita Garibaldi Rua Mário Fernandes da Cunha, nº Bairro 1,4 km Alegria. EMEF. Arlindo Stringhini Rua Urias Lugon, nº Bairro Columbia City. 3,9 km EMEF. Breno Guimarães Rua Capitão Pedro Timóteo da Rosa, nº 475-2,5 km Bairro Vila Iolanda. EMEF. Darcy Berbigier Rua Marechal Floriano, s/nº - Bairro Alvorada. 2,1 km EMEF. Inácio de Quadros Rua Dona Frutuosa, s/nº - Bairro Coronel Nassuca. 0,95 km EMEF. José Carlos Ferreira Rua José C. Ferreira - Bairro Pedras Brancas. 10,75 km EMEF. Liberato Salsano Vieira Bairro Passo Fundo. 3,4 km da Cunha EMEF. Máximo Laviaguerre Rua Bom retiro, 21 - Bairro Passo Fundo. 6,25 km 9

10 EMEF. Rio Grande do Sul Rua João Goulart, nº Bairro Vila Jardim. 3,9 km EMEF. Santa Catarina Rua Bom Retiro, s/nº - Bairro Passo Fundo. 6,6 km EMEF. Santa Rita de Cássia Rua Cuiabá, s/nº - Bairro Jardim Santa Rita. 4,8 km EMEF. São Francisco de Assis Rua C-5, Quadra C-8 - Bairro Colina. 1,55 km EMEF. São Paulo Bairro Morro Santana. 9,8 km EMEF. Senador Teotônio Brandão Vilella EMEF. Zilá Paiva Rodrigues Jardim Secretaria Municipal de Educação Rua José Curto, s/nº - Bairro Bom Fim. Rua Honório Lemos, nº Bairro Jardim dos Lagos. Avenida Nestor de Moura Jardim, nº Bairro Centro. 4,65 km 5,25 km 1,45 km Conforme pode ser observado na figura 3, a torre da concessionária OI, fica localizada próximo a região central do município, região esta que é contemplada com conexão cabeada, o que viabiliza a implantação do projeto, pois a concessionária OI disponibilizará a banda necessária para o projeto. Outra opção é o fornecimento do sinal via satélite, como no caso similar citado anteriormente referente a implantação da tecnologia Wimax no município de Parintins no Amazonas. A torre onde será instalado o rádio transmissor, fica localizada no ponto mais alto do município, mais precisamente na rua Dona Frutuosa número 885 e possui visada para a secretaria de educação e quase todas as escolas contempladas no projeto. A exceção são as escolas EMEF. Santa Catarina e EMEF. São Paulo, mas mais abaixo será mostrado que estas escolas também receberão o sinal com a mesma qualidade que as demais. A proposta é instalar uma Estação Rádio Base (ERB) no ponto definido acima que transmitirá o sinal via rádio para todas as escolas. Em cada escola será instalado um receptor de sinal que receberá o sinal de internet de alta qualidade. Figura 3 Mapa identificando a ERB onde serão instalados os módulos transmissores e as escolas que receberão os receptores de sinal - Adaptado de Google,

11 4 SOLUÇÃO Para apresentar uma solução para o problema citado anteriormente, foi necessário o cumprimento de algumas etapas. Já tendo sido decidido a tecnologia a ser aplicada, Foi feito um comparativo entre os equipamentos mais utilizados e, tendo em base este comparativo, pode-se escolher aquele que possui as características técnicas que melhor atendem as exigências do projeto, pois são equipamentos de custo elevado que, em caso de uma escolha equivocada, gerará um enorme prejuízo para o cliente. Após a escolha dos equipamentos, o projeto está pronto para iniciar a próxima etapa, que é a implantação propriamente dita dos mesmos e suas devidas configurações e testes. 4.1 Comparativo entre os rádios Motorola Canopy Access Point 5.7ghz ap e Parks Netair 1100 X Figura 4 Cluster de rádios Motorola Canopy Access Point 5.7ghz ap e rádio Parks NetAir Adaptado de Google,2010. Acima, na figura 4, observa-se a imagem dos rádios que constam no comparativo apresentado na tabela 2, que está logo abaixo. Este comparativo é referente aos rádios das empresas Motorola e Parks, estudados no projeto, que são os rádios mais utilizados nos projetos que utilizam a tecnologia Wimax. Cabe salientar que além destes fabricantes de rádios para Wimax, existem muitos outros fabricantes, como por exemplo: CISCO (Estados Unidos), LINEAR (Estados Unidos), ALVARION (Israel), APERTO NETWORKS (Estados Unidos), SIEMENS (Alemanha), AIRSPAN (Inglaterra), dentre outras. Tabela 2 Comparativo dos rádios estudados no projeto. Equipamento Módulo Canopy Access Point 5.7ghz Netair ap 20mbps (AP) Fabricante Motorola Parks Faixa de freqüência 5725 a 5850 Mhz 5735 a 5835 Mhz Potência de transmissão Até 30 db Até 21 db Faixa operacional com visada 3,2 km 8 km Faixa operacional sem visada 56 km 50 km Custo R$ 4.154,00 x 6 R$ 9.048,00 Método de acesso TDD/TDMA TDD Temperatura de operação -40 C a +55 C 0 C a +55 C Padrão IEEE d IEEE d Tipo de modulação BFSK OFDM, 64QAM, 16QAM, QPSK e BPSK Interface 10/100 Base T 10/100 Base T Garantia 1 ano 1 ano Com base no comparativo apresentado acima na tabela 2, foi verificado que a unidade de rádio NetAir 1100 possui características técnicas que melhor se adequam às exigências do projeto, pois sua faixa operacional é superior à faixa operacional do rádio Canopy Subscriber Module 5.7 GHz (SM), pois as escolas EMEF. Santa Catarina e EMEF. Liberato Sal. Vieira da Cunha, não possuem visada direta e estão acima das exigências do rádio Canopy Subscriber Module 5.7 GHz (SM), que limita a distância sem visada a 3,2 km, para atingir esta distância seria necessário a aquisição de antenas refletoras de sinal, que aumentaria a abrangência para 16 km, mas oneraria mais o projeto, pois cada refletor custa em média R$ 11

12 307,98. Já o rádio NetAir 1100 abrange uma distância de até 8 km sem visada e uma taxa de transmissão de até 15 Mbps. As escolas citadas acima, estão respectivamente a 6,6 km e 3,4 km de distância da ERB. Outro detalhe é o custo para aquisição dos equipamentos NetAir, que é menor e possuem maior potência de transmissão. Este rádio atua na freqüência 5.8 Mhz, que é considerada de livre utilização, com menor poluição de RF (ruído ou batimento) e melhor desempenho do link, podendo atender de forma satisfatória os clientes em um raio de até 50 km. Os rádios NetAir possuem outra grande vantagem em relação aos rádios da solução Canopy, trata-se da modulação, pois estes rádios trabalham com vários tipos de modulação, como a modulação OFDM (Orthogonal Frequency Division Multiplex), que consiste na transmissão paralela de dados em diversas subportadoras, com modulação QAM ou PSK e com taxas de transmissão por sub-portadora tão baixas quanto maior for o número destas, QPSK (Quadriphase-Shift Keying), BPSK (Binaryphase-Shift Keying) e a modulação QAM (Quadrature Amplitude Modulation). Estas modulações possuem vantagens e desvantagens na utilização, mas utilizando a solução Wimax com rádios NetAir, pode-se utilizar concomitantemente mais de um tipo de modulação. Conforme pode ser visto na figura 5 abaixo, a modulação QPSK pode ser utilizada para atingir pontos mais distantes, no caso pode ser utilizada para transmitir sinal para as escolas que estão a mais de 2 km da ERB. Já as modulações QAM16 e QAM64 não cobrem as distâncias conseguidas pela modulação BPSK e QPSK, principalmente o QAM64, porém a qualidade de sinal é superior para esse tipo de modulação. Assim, se pode utilizar estas modulações para transmitir sinal para as escolas que estão a menos de 2 km da ERB (QAM16) e 1 km (QAM64). Figura 5 Tipos de modulação em uma conexão sem fio Adaptado de Google, A utilização de mais de uma modulação faz com que os usuários mais próximos sejam atendidos com a excelente qualidade de serviço da modulação QAM, e os mais longínquos também sejam atendidos com a modulação BPSK e QPSK, embora a qualidade de serviço não seja a mesma. Já a solução Canopy trabalha apenas com um tipo de modulação, a BFSK, que apresenta o inconveniente de ocupar uma banda de freqüência bastante alta, devido a estas variações bruscas de freqüência em função da transição de bits, além possibilitar taxas de transmissão relativamente baixas. Demais características técnicas do rádio NetAir 1100 que não foram contempladas no comparativo acima: Segurança: Autenticação por certificados, MAC Filter (conexão apenas para MACs autorizados, proteção do modo de configuração com senha de 2 níveis e utiliza o padrão de criptografia 3DES que já foi descrito anteriormente no trabalho. QOS: Classificação e marcação de pacotes, DiffServ para priorizar os pacotes classificados. Indicador auditivo para alinhamento da antena. Indicador via software (comandos ou WEB) de nível de sinal, para facilitar o alinhamento de antena. Gerenciamento e configuração: Interface gráfica baseada em HTML para configuração e monitoramento do equipamento local e remoto via WEB Browser, telnet, atualização de firmware no equipamento local e remoto via FTP e porta serial interna para manutenção de debug do equipamento. Características mecânicas: Gabinete de alumínio com proteção contra UVB, antena integrada, pode ser fixada à paredes ou mastros, com ajuste flexível para obter-se o melhor ajuste da antena 12

13 e válvula de pressão para equalização interna do equipamento com o ambiente externo, evitando a degradação prematura dos componentes eletrônicos. 4.2 Definições pré-implantação Foi efetuado um estudo de campo e constatado que as escolas que estão localizadas a mais de 8 km da ERB, no caso, as escolas EMEF. José Carlos Ferreira e EMEF. São Paulo, que estão respectivamente a 10,75 km e 9,8 km da ERB, possuem visada, o que torna viável o projeto. O grande diferencial no custo do rádio NetAir em relação ao rádio Canopy Access Point 5.7ghz ap é que o rádio NetAir possui uma área de abrangência de 360 graus, enquanto o outro abrange apenas 60 graus, sendo necessário a instalação de 6 módulos. Além das características técnicas do equipamento citadas acima, podemos citar alguns fatores que motivaram a indicação do rádio NetAir 1100, conforme abaixo: Custo x benefício: Levando-se em conta que não há gastos com cabeamento entre a ERB e as escolas, o custo limita-se a aquisição dos equipamentos: Confiabilidade comprovada: Superior a 99.5%. Escalabilidade: Possibilidade de adicionar novos clientes sem preocupação em diminuição na qualidade do serviço ou problemas de interferência. Imediata implementação: A instalação e configuração dos rádios é muito simples e rápido, podendo ser instalados em poucas horas. Os rádios NetAir oferecem acesso à internet em alta velocidade e agilidade na implantação, além de estar em conformidade com a legislação vigente. A mais recente regulamentação sobre o uso da rádiofreqüência para transmissão de dados é a resolução número 365 de 10 de maio de 2004, da Anatel. O ponto fraco dos equipamentos NetAir está na compatibilidade, pois estes equipamentos só são compatíveis com dispositivos do mesmo fabricante. A banda a ser implementada no projeto é de 4 Mbps, fornecida pela concessionária OI, proprietária da torre onde serão instalados os rádios transmissores (AP). A implantação da tecnologia Wimax na rede municipal de ensino da cidade de Guaíba proporciona muitas vantagens, dentre muitas já citadas no projeto, pode-se acrescentar a utilização da voz sobre IP (VOIP), que pode gerar uma grande economia para o município, pois o serviço utiliza a rede de dados para o tráfego de voz sem custo adicional, propiciando a transmissão de voz entre as unidades sem tarifação. A idéia não é substituir toda a rede de telefonia convencional do município pelo serviço de VOIP e sim utilizar os Softphones para ligações entre as escolas e demais órgãos do município, pois para que seja feita uma substituição total, seria necessária uma vazão muito maior, o que elevaria o custo do projeto. Existem muitos serviços de VOIP disponibilizados gratuitamente na internet que podem ser instalados nos computadores e utilizados de forma gratuita, conforme citados na seção 2.4 (VOIP). Cabe a secretaria de educação do município a escolha do software a ser utilizado, pois o estudo de viabilidade proposto neste artigo não contempla um estudo aprofundado sobre este tipo serviço. Segundo mostra a figura 6, localizada na página 14, em cada escola será instalado um rádio NetAir 1101-SS-A-SS-A (CPE com antena integrada). O alcance deste rádio é de 8 km sem visada e 50 km com visada. A antena integrada possui ganho mínimo de 22dBi, com polarização vertical ou horizontal e potência máxima de 6 Watts. Conforme detalhado abaixo na tabela 3, o custo total com aquisição dos equipamentos é de R$ ,00. É bom salientar que o estudo não incluiu os custos com a instalação dos equipamentos e cabeamento interno. Tabela 3 Custo com aquisição de equipamentos. Equipamento Custo unitário Custo total Rádio Parks modelo Netair 1100 R$ 9.048,00 R$ 9.048,00 Rádio NetAir 1101-SS-A-SS-A (com antena integrada) R$ 2.303,00 R$ ,00 (17 unidades) Access point LINKSYS-WAP54G-LA R$ 235,00 R$ 7.990,00 (34 unidades) Tratando-se da rede LAN do cliente, visando proporcionar mobilidade e redução de custo com implantação de infra-estrutura cabeada, é recomendado o uso da tecnologia Wi-Fi, utilizando pontos de acesso (AP) suficientes para atender a associação de 5 estações de trabalho por ponto de acesso, desta forma o compartilhamento de banda de cada AP de tecnologia a/g, com velocidade de 54 Mbps, não irá prejudicar as estações quanto a sua velocidade de transmissão e recepção. Com cinco estações associadas por ponto de acesso, mesmo que todas estejam em operação, é possível garantir a vazão média de 10 Mbps por 13

14 estação. A idéia é disponibilizar internet na secretaria da escola e na biblioteca, (aproximadamente 8 computadores por escola) e um AP na secretaria de educação. Será instalado inicialmente, 2 APs em cada escola, sendo que um ficará na sala da secretaria da escola e outro na biblioteca. Mas cabe ressaltar que se pode aproveitar a estrutura já existente nas escolas que possuam rede cabeada. Após pesquisa entre vários fornecedores de access points, como D-Link, Linksys, Furukawa, Siemens e Sunix, o modelo recomendado para utilização no projeto foi o LINKSYS-WAP54G-LA, pois este equipamento atende todas as necessidades técnicas do projeto, como por exemplo: atende o padrão Wireless: IEEE b/g 54 Mbps e os protocolos de criptografia WEP/WPA/WPA2, além de possuir 3 anos de garantia. Cabe salientar que o município é livre para escolher outro modelo de AP, pois o modelo citado acima é apenas uma recomendação, mas quanto aos rádios transmissores e receptores, não podem ser mudados sob pena de inviabilizar o projeto. Conforme mostra a figura 6, será instalado na ERB, um rádio NetAir 1100 que possui as mesmas características técnicas do rádio NetAir 1101-SS-A, mudando apenas sua funcionalidade, pois enquanto o NetAir 1101-SS-A é um rádio receptor de sinal, o NetAir1100 é o rádio transmissor. 4.3 Funcionamento Figura 6 Topologia Ponto-Multiponto - Adaptado de Telefônica, Abaixo, no quadro 1, serão apresentadas as etapas do estabelecimento de uma seção entre o rádio transmissor e o rádio receptor. Quadro 1 Estabelecimento de seção entre estação transmissora e estação receptora Etapa Etapa 1 Etapa 2 Etapa 3 Etapa 4 Etapa 5 Etapa 6 Etapa 7 Etapa 8 Scan Ranging Requisição de capacidade Autorização Requisição de registro Inicialização do DHCP Sincronização 14

15 temporal Conexões de transporte criadas Abaixo serão detalhadas as etapas necessárias para o estabelecimento de seção entre a estação transmissora e estação receptora citadas no quadro 1, mostrado acima. Etapa 1 (Scan): A estação receptora faz uma busca (scan) por um canal de downlink e estabelece sincronização com a ERB. Etapa 2 (Ranging): Inicia-se o ajuste dos parâmetros locais (ranging): O processo é iniciado com a estação receptora enviando uma mensagem de requisição de ranging MAC. Caso ela não receba uma resposta, é efetuada uma nova requisição, usando uma potência de transmissão mais alta. Se a resposta indica sucesso, a estação receptora está pronta para enviar dados no canal de uplink, caso contrário ela deve efetuar as correções e enviar um novo pedido de ranging. O processo se repetirá até que seja obtido sucesso na requisição. Etapa 3 (Requisição de capacidade): A estação receptora envia para a ERB uma mensagem de requisição de capacidades descrevendo-as em termos dos níveis de modulação suportados, esquemas e taxas de codificação e métodos de duplexação. A ERB aceita ou nega a admissão de uma estação receptora com base nas suas capacidades. Etapa 4 (Autorização): A ERB conduz um processo de autorização da estação receptora para que ela possa entrar na rede, o que inclui a troca chaves de segurança entre a ERB e a estação receptora. Etapa 5 (Requisição de registro): A estação receptora envia uma mensagem de requisição de registro para a ERB e esta envia uma resposta à solicitação de registro da estação receptora. A troca de mensagens de registro inclui suporte a parâmetros como versão do protocolo IP, gerenciamento de SS, parâmetros ARQ, opção de classificação, CRC e controle de fluxo. Etapa 6 (Inicialização do DHCP): Nesta etapa, a estação receptora inicializa o DHCP para obter um endereço IP e outros parâmetros os quais viabilizam o estabelecimento de conectividade IP com a ERB. A estação receptora usa o protocolo TFTP (Trivial File Transfer Protocol) para obter os parâmetros operacionais. Este protocolo é muito semelhante ao FTP (File Transfer Protocol), a diferença está na porta a ser utilizada, pois enquanto o protocolo TFTP utiliza UDP na porta 69 como protocolo de transporte, o protocolo FTP utiliza TCP na porta 21. Etapa 7 (Sincronização temporal): Neste momento é efetuada a sincronização temporal, isto é, a estação receptora e a ERB sincronizam data e a hora atuais. Etapa 8 (Conexões de transportes criadas): Por fim, as conexões de transporte são criadas depois que as etapas de registro e de transferência de parâmetros operacionais são finalizadas. Na torre da concessionária OI (ERB), localizada na rua Dona Frutuosa número 885, será instalado um rádio modelo NetAir 1100 que será o rádio transmissor. Este rádio oferecerá uma cobertura para uma área de até km 2. Este rádio estará conectado à internet por meio de uma conexão de 4 Mbps, podendo ser ampliada caso seja necessário futuramente. Esta conexão será fornecida pela concessionária OI que transmitirá sinal para o rádio transmissor e este disponibilizará a conexão de internet para os rádios receptores que serão instalados nas escolas contempladas no projeto. Em cada escola será instalado um rádio modelo NetAir 1101-SS-A que funcionará como um receptor de sinal. A camada MAC (camada de controle de acesso ao meio) é usada pela ERB para alocar largura de banda nos canais de uplink e downlink para os assinantes de acordo com suas demandas e onde são feitas as requisições de retransmissão automáticas e QOS. Possui também na camada MAC a modulação adaptativa, melhor detalhada na subseção 4.1. Este tipo de modulação permite taxas de dados mais elevadas de acordo com as condições do canal, melhorando a capacidade do sistema. Na secretaria de educação e nas escolas EMEF. Anita Garibaldi, EMEF. Inácio de Quadros e EMEF. São Francisco de Assis será oferecido o serviço sem linha de visão (non-line-of-sight), pois embora estando próximas a ERB, não possuem visada direta, pois ficam em uma região com bastante edificações. Mas mesmo não havendo visada direta, estas transmissões de baixo comprimento de onda não são interrompidas com tanta facilidade por obstruções físicas, pois elas são capazes de difratar mais facilmente, ou se curvarem aos obstáculos. O tipo de modulação na escola EMEF. Inácio de Quadros será a modulação QAM64, pois esta está 15

16 localizada a menos de 1 km da ERB, enquanto na Secretaria de educação e nas escolas EMEF. Anita Garibaldi e EMEF. São Francisco de Assis, será utilizada a modulação QAM16, pois estas escolas estão distantes entre 1 km e 2 km da ERB. Estas modulações enviam um sinal de melhor qualidade, mas só podem ser utilizadas quando as estações receptoras estão próximas da ERB. Nas demais escolas serão utilizadas a modulação BPSK que é ideal para quando as estações receptoras estão a mais de 2 km da estação transmissora (ERB). É bom frisar, que o tipo de modulação a ser utilizada é definida na camada física. No caso das escolas que estão a mais de 2 km da ERB, o serviço disponibilizado será o serviço com linha de visão, pois estas escolas possuem visada para a ERB. A conexão de linha de visão é mais forte e mais estável e consegue enviar muitos dados com poucos erros. Além de haver menor interferência no sinal. Os dados transmitidos, via sinal de rádio, serão criptografados utilizando o protocolo de criptografia AES, que é o protocolo de segurança de criptografia de dados mais utilizados na tecnologia Wimax. Além do protocolo AES, foi estudado também a utilização do protocolo 3DES para este projeto, mas embora este seja o mais seguro de todos os protocolos de criptografia, ele gera uma lentidão na rede devido a complexidade de suas ações, conforme explicado anteriormente na seção 2.2 (Segurança nas tecnologias sem fio). Uma vez transmitidos os dados, estes serão entregues para as estações receptoras localizadas nas escolas e será feito o processo inverso, isto é, será efetuada a decriptação dos dados e entregue ao requisitante, neste caso, um computador da rede LAN da escola. 5 CONCLUSÃO O artigo apresenta um estudo de viabilidade que propõe substituir a forma de acesso à internet existente hoje no município de Guaíba, que não supre a demanda do município, devido a ser uma conexão com baixa vazão e não estar disponível em toda a região, pois a rede cabeada do município não atende todas as escolas e não há previsão de expansão desta rede, pois devido ao baixo retorno financeiro que daria a implantação de uma rede cabeada em todas as escolas, as empresas de tecnologia não possuem interesse em efetuar investimentos. O artigo propõe substituir a conexão citada acima pela tecnologia Wimax, que dentre as tecnologias de acesso à internet utilizadas nos dias de hoje, esta é a tecnologia que possui as características técnicas que melhor suprem as necessidades do município. Este tipo de tecnologia apresenta uma conexão estável, de excelente abrangência, podendo cobrir grandes distâncias, onde não há a possibilidade de estabelecer uma conexão cabeada, ou por problemas técnicos, ou até por inviabilidade financeira e que, hoje, as redes sem fio, quando bem configuradas, são tão seguras quanto às demais tecnologias de acesso à internet, além de ter menor custo de implantação, quando comparadas com as tecnologias cabeadas, a implantação desta tecnologia se mostra como uma das melhores opções no mercado atualmente. Baseado nas características técnicas da tecnologia Wimax, quanto à abrangência, velocidade e segurança, conforme mencionado no artigo e, levando-se em conta que a topologia do município é ideal para transmissão de dados via rádio, pois não há grandes obstáculos naturais, tão pouco problemas que possam impedir o estabelecimento de uma conexão com sinal de qualidade entre as estações receptoras e a estação transmissora, é entendido que a viabilidade técnica é total. Durante o estudo de viabilidade, foram analisados outros projetos similares e, em todos estes projetos, a satisfação pós implementação foi excelente, o que faz com que cenário quanto a implantação deste projeto seja muito otimista. Financeiramente o projeto torna-se viável, pois com um investimento inicial de aproximadamente R$ ,00 para aquisição de equipamentos, o município poderá atender demandas que, após implantadas, irão gerar um retorno considerável. Um exemplo é o caso da economia que será gerada com a implantação do software de gestão escolar, além da redução de custos de telefonia com a utilização da tecnologia VOIP. Em relação ao software i-educar, para se ter uma idéia do retorno financeiro, conforme informações da prefeitura de Itajaí em Santa Catarina, que criou este software, a economia anual após a implantação deste software chega a R$ ,00. Foi efetuado um comparativo entre dois modelos de rádio, o Motorola Canopy Access Point 5.7ghz ap e o Parks NetAir 1100, e com base neste comparativo, os modelo escolhido foi o rádio fabricado pela empresa Parks, pois tecnicamente atende as necessidades do projeto e possui menor custo, além de possuírem 3 anos de garantia, o que elimina o custo com manutenção dos mesmos, além de possuírem assistência técnica no próprio estado do Rio Grande do Sul. Quando se pensa na possibilidade de expansão do projeto, o cenário é muito otimista, pois, levandose em conta que o rádio transmissor é o equipamento mais caro do projeto e em caso de expansão não há 16

17 necessidade de adquirir um outro rádio transmissor, pois este pode atender todo o município, o custo adicional será na aquisição de rádios receptores e equipamentos para rede LAN, como os access points por exemplo. Tecnicamente, os rádios Wimax podem suportar milhares de usuários por rádio transmissor (ERB) sem significante perda de qualidade de sinal e velocidade, o que garante que não haverá problemas técnicos que inviabilizem esta expansão, caso o município resolva optar por expandir sua rede Wimax para os demais órgãos. É bom ressaltar que, quanto mais órgãos do município forem incluídos no projeto, maior economia será gerada. Ainda no quesito expansão, há a possibilidade de o município expandir esta rede para os municípios vizinhos de Eldorado do Sul e Barra do Ribeiro, que possuem uma topologia similar à topologia de Guaíba onde foi efetuado este estudo de viabilidade e estão dentro da área de abrangência da ERB. Estes municípios pagariam um valor mensal pelo acesso, gerando uma fonte de renda para o município de Guaíba, a ser utilizada no próprio projeto. Outra sugestão a ser acrescentada, é a possibilidade de o município oferecer esta conexão a pequenas empresas que também pagariam um valor mensal pelo acesso. As opções de expansão do projeto são inúmeras, as citadas acima são apenas algumas, mas pode-se expandir o projeto para milhares de usuários, inclusive residenciais, desde que haja interesse do município. Por não exigir a instalação de cabos, o tempo para disponibilizar a conexão Wimax, é muito rápido, na verdade é o tempo para instalar o rádio receptor e ligar a estes, access points que distribuirão o sinal via conexão Wi-Fi. Isto faz com que o Wimax possa ser instalado em feiras e eventos do município e após o término, ser retirado os equipamentos para utilização em outros eventos. Isto é uma grande vantagem, pois o município não precisa manter a infra-estrutura quando não é necessária. Neste artigo, foram apresentadas muitas vantagens que o município de Guaíba pode obter com a implantação da tecnologia Wimax nas escolas municipais, mas é evidente que o projeto, olhando-o como um todo, é vantajoso, mas não se pode deixar de relatar que, se for analisado o custo benefício escola por escola, observa-se que em algumas escolas não haverá retorno financeiro. São escolas que possuem poucos alunos e são muito pequenas, mas por outro lado, a implantação da tecnologia Wimax nestas escolas, disponibilizará para os alunos que nelas estudam uma oportunidade de enriquecer seus conhecimentos e até se prepararem para entrar no mercado de trabalho, em escolas localizadas na região rural do município e a única oportunidade destas crianças terem acesso à internet é na escola. Com a implantação deste projeto, Guaíba passará a fazer parte de um seleto grupo de municípios, que incluem Brasília, Guaratinguetá, Manaus e Itajaí, dentre outros, que se preocupam em oferecer uma internet de qualidade para seus estudantes e funcionários. Se o futuro da nação está nas mãos de nossos estudantes, nada melhor que prepará-los para isto e a inclusão digital com certeza é uma forte aliada para ajudar nossos jovens a se prepararem para o mercado de trabalho e o futuro. 6 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS Canopy Motorola Wireless Transmissão de dados via rádio. Disponível em: <http://engesbra.com.br/motorola/canopy/canopy_sm.html>. Acesso em: 17 out CAVALCANTI, Carlos Frederico. Ouro Preto cidade digital. Ouro Preto, 09 mai Disponível em: <http://www.rnp.br/_arquivo/wrnp/2005/wi-max-fortaleza.pdf>. Acesso em 30 ago COLCHER, Sergio; GOMES, Antônio; SILVA, Anderson Oliveira; FILHO, Guido; SOARES, Luiz Fernando. VOIP - voz sobre IP. Rio de Janeiro: Ed. CAMPUS, p. COMER, Douglas. Redes de computadores e internet. São Paulo: Ed. ARTMED, p. DE CARVALHO, Daniel Balparda; Segurança de dados com criptografia: Métodos e algoritmos. Rio de Janeiro: Ed. BOOK EXPRESS, p. FARIAS, Paulo Cesar Bento; Treinamento profissional em redes wireless. Tudo o que você precisa saber sobre esta poderosa tecnologia! São Paulo: Ed. DIGERATI BOOKS, p. FOROUZAN, B. Comunicação de dados e redes de computadores. São Paulo: Ed. ARTMED, p. 17

18 GOUVEIA, José; MAGALHÃES, Alberto. Redes de computadores. Lisboa: Ed. FCA, p. I-educar. Disponível em: <http://pt.wikipedia.org/wiki/i-educar>. Acesso em: 18 set JOHNSON, Thienne; Bumba-meu-Wimax. 03 out Disponível em: <http://www.wirelessbrasil.org/wirelessbr/index2.php?option=com_content&do_pdf=1&id=439>. Acesso em: 28 out JORDÃO, Antonio; Tecnologia Wimax chega a Brasília. Disponível em: < Acesso em: 05 nov KUROSE, James; ROSS, Keith. Redes de computadores e a internet: uma abordagem topdown. São Paulo: Ed. PEARSON ADDISON WESLEY, p. LADOCICCO, Luiz Eduardo; Wimax em foco. São Paulo: Universidade de São Paulo, LOTITO, Alberto; CARVALHO, Gustavo. Tecnologias de acesso à internet. São Paulo: Ed. NOVATEC, p. <http://maps.google.com.br/maps?mid= >. Acesso em: 19 out MEGGLEN, Jim; SMITH, Jared; MADSEN, Leif. Asterisk - O futuro da telefonia. Rio de Janeiro: Ed. ALTA BOOKS, p. MILLER, Michael; Descobrindo Bluetooth. Rio de Janeiro: Ed. CAMPUS, p. MORIMOTO, Carlos Eduardo; Redes: Guia prático. Porto Alegre: Ed. Sul Editores, p. NAVES, Sanzio; CHAN, Rodrigo. WiMax (IEEE ): Tutorial e Comparação de Esforços de Simulação. Santa Rita do Sapucaí: Ed. Inatel, p. PETRACIOLI, Fernando. Conheça os diferentes tipos de conexão à Internet. Revista pcworld. Ed. NOW!DIGITAL BUSINESS. 18 jan Redes sem fio Wireless Networks. Disponível em: <http://pt.kioskea.net/contents/wireless/wlintro.php3>. Acesso em: 22 out RUFINO, Nelson Murilo de O. Segurança em redes sem Fio. São Paulo: Ed. NOVATEC, p. TANENBAUM, Andrew S. Redes de computadores. Rio de Janeiro: Ed. CAMPUS, p. Telefônica faz projeto piloto com Wimax 2,5 Ghz em SP. Disponível em: <http://h6.com.br/blog/telefonica_faz_projeto_piloto_com_wimax_em_sp/>. Acesso em: 04 set TERADA, Routo; Segurança de Dados: Criptografia em redes de computadores. São Paulo: Ed. EDGARD BLUCHER, p. TITTEL, Ed; Redes de computadores e internet. São Paulo: Ed. BOOKMAN, p. TORRES, Gabriel. Redes de computadores curso completo. Rio de Janeiro: Ed. AXCEL BOOKS, p. Transmissão de dados via rádio Motorola Redes wireless. Disponível em: <http://www.acent-radios.com.br/motorola/canopy/canopy.html>. Acesso em: 17 out VASCONCELOS, Laércio. Tecnologia wimax. São Paulo, 07 jul Disponível em: <http://www.laercio.com.br/artigos/hardware/hard-107/hard-107.htm>. Acesso em 02 out VASQUES, Carlos Magno R. Redes sem fio de longa distância: Padrão IEEE Rio de Janeiro: Disponível em: <http://www.gta.ufrj.br/grad/04_1/carlos_magno/>. Acesso em: 07 ago Wimax em Ouro Preto. Disponível em: <http://olhardigital.uol.com.br/produtos/central_de_videos/wimaxem-ouro-preto/4474>. Acesso em: 30 ago

19 WPA. Disponível em: <http://pt.wikipedia.org/wiki/wpa>. Acesso em: 18 set

WiMAX. Eduardo Mayer Fagundes e-mail: eduardo@efagundes.com

WiMAX. Eduardo Mayer Fagundes e-mail: eduardo@efagundes.com Eduardo Mayer Fagundes e-mail: eduardo@efagundes.com WiMAX é uma tecnologia padronizada de rede sem fio que permite substituir as tecnologias de acesso de banda larga por cabo e ADSL. O WiMAX permite a

Leia mais

Comunicação Sem Fio REDES WIRELES. Comunicação Sem Fio. Comunicação Sem Fio. Comunicação Sem Fio. Comunicação Sem Fio 06/05/2014

Comunicação Sem Fio REDES WIRELES. Comunicação Sem Fio. Comunicação Sem Fio. Comunicação Sem Fio. Comunicação Sem Fio 06/05/2014 REDES WIRELES Prof. Marcel Santos Silva Comunicação Sem Fio Usada desde o início do século passado Telégrafo Avanço da tecnologia sem fio Rádio e televisão Mais recentemente aparece em Telefones celulares

Leia mais

Local Multipoint Distribuition Service (LMDS)

Local Multipoint Distribuition Service (LMDS) Local Multipoint Distribuition Service (LMDS) Este tutorial apresenta a tecnologia LMDS (Local Multipoint Distribuition Service), acesso em banda larga para última milha por meio de rádios microondas.

Leia mais

Fundação Oswaldo Aranha Centro Universitário de Volta Redonda RJ

Fundação Oswaldo Aranha Centro Universitário de Volta Redonda RJ Fundação Oswaldo Aranha Centro Universitário de Volta Redonda RJ Curso Seqüencial de Redes de Computadores Disciplina: Metodologia da Pesquisa Científica Outros trabalhos em: www.projetoderedes.com.br

Leia mais

Redes sem Fio 2016.1. WMANs (IEEE 802.16) Wi-MAX. Ricardo Kléber. Ricardo Kléber

Redes sem Fio 2016.1. WMANs (IEEE 802.16) Wi-MAX. Ricardo Kléber. Ricardo Kléber Redes sem Fio 2016.1 WMANs (IEEE 802.16) Wi-MAX Curso Superior de Tecnologia em Sistemas para Internet Turma: TEC.SIS.5M Redes sem Fio Onde Estamos? Sistemas de comunicação wireless Redes locais wireless

Leia mais

Alan Menk Santos alanmenk@hotmail.com www.sistemasul.com.br/menk. Camada Física: Redes Sem Fio. Equipamentos de Rede. O que já conhecemos.

Alan Menk Santos alanmenk@hotmail.com www.sistemasul.com.br/menk. Camada Física: Redes Sem Fio. Equipamentos de Rede. O que já conhecemos. Alan Menk Santos alanmenk@hotmail.com www.sistemasul.com.br/menk Camada Física: Redes Sem Fio Equipamentos de Rede O que já conhecemos. Cabos; Atenas; Tipos de transmissão; 1 O que vamos conhecer. Equipamentos

Leia mais

Guia das Cidades Digitais

Guia das Cidades Digitais Guia Técnico Inatel Guia das Cidades Digitais Módulo 4: Tecnologia Wi-Fi INATEL Competence Center treinamento@inatel.br Tel: (35) 3471-9330 Este módulo trata da tecnologia de acesso sem fio mais amplamente

Leia mais

Tecnologias Wireless WWAN Wireless Wide Area Network WLAN Wireless Local Area Network WPAN Wireless Personal Area Network

Tecnologias Wireless WWAN Wireless Wide Area Network WLAN Wireless Local Area Network WPAN Wireless Personal Area Network Fundamentos de Tecnologias Wireless Parte 1 Assunto Tecnologias Wireless Introdução à Wireless LAN Algumas questões e desafios Tecnologias Wireless WWAN Wireless Wide Area Network WLAN Wireless Local Area

Leia mais

Redes de Dados e Comunicações. Prof.: Fernando Ascani

Redes de Dados e Comunicações. Prof.: Fernando Ascani Redes de Dados e Comunicações Prof.: Fernando Ascani Redes Wireless / Wi-Fi / IEEE 802.11 Em uma rede wireless, os adaptadores de rede em cada computador convertem os dados digitais para sinais de rádio,

Leia mais

1 Introduc ao 1.1 Hist orico

1 Introduc ao 1.1 Hist orico 1 Introdução 1.1 Histórico Nos últimos 100 anos, o setor de telecomunicações vem passando por diversas transformações. Até os anos 80, cada novo serviço demandava a instalação de uma nova rede. Foi assim

Leia mais

Comunicação Comunicação é o ato de transmissão de informações de uma pessoa à outra. Emissor: Receptor: Meio de transmissão Sinal:

Comunicação Comunicação é o ato de transmissão de informações de uma pessoa à outra. Emissor: Receptor: Meio de transmissão Sinal: Redes - Comunicação Comunicação é o ato de transmissão de informações de uma pessoa à outra. Comunicação sempre foi, desde o início dos tempos, uma necessidade humana buscando aproximar comunidades distantes.

Leia mais

NOVAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO

NOVAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO NOVAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO Profª. Kelly Hannel Novas tecnologias de informação 2 HDTV WiMAX Wi-Fi GPS 3G VoIP Bluetooth 1 HDTV 3 High-definition television (também conhecido por sua abreviação HDTV):

Leia mais

REDE DE COMPUTADORES

REDE DE COMPUTADORES SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL REDE DE COMPUTADORES Tecnologias de Rede Arquitetura Padrão 802.11 Prof. Airton Ribeiro de Sousa E-mail: airton.ribeiros@gmail.com 1 Arquitetura Wireless Wi-Fi

Leia mais

Wireless Red e e d s e s s e s m e m fi f o

Wireless Red e e d s e s s e s m e m fi f o Wireless Redes sem fio A tecnologia Wireless (sem fio) permite a conexão entre diferentes pontos sem a necessidade do uso de cabos (nem de telefonia, nem de TV a cabo, nem de fibra óptica), através da

Leia mais

Redes Sem Fio (Wireless): Fundamentos e Padrões

Redes Sem Fio (Wireless): Fundamentos e Padrões Redes Sem Fio (Wireless): Fundamentos e Padrões As redes locais sem fio (WLANs) constituem-se como uma alternativa às redes convencionais com fio, fornecendo as mesmas funcionalidades, mas de forma flexível,

Leia mais

Protocolo wireless Ethernet

Protocolo wireless Ethernet Protocolo wireless Ethernet Conceituar as variações de redes sem fio (wireless) descrevendo os padrões IEEE 802.11 a, b, g e n. Em meados de 1986, o FCC, organismo norte-americano de regulamentação, autorizou

Leia mais

Redes Sem Fio. 1. Introdução. 2. Conceitos e Terminologias. 2.1. Rede Sem Fio. 2.2. Zona de Cobertura. Tecnologias Atuais de Redes Redes Sem Fio

Redes Sem Fio. 1. Introdução. 2. Conceitos e Terminologias. 2.1. Rede Sem Fio. 2.2. Zona de Cobertura. Tecnologias Atuais de Redes Redes Sem Fio 1. Introdução Geralmente, a forma mais rápida de se implementar uma rede de computadores é por meio da utilização de cabos, sejam eles de par trançado ou de fibra óptica. Para pequenas redes, com poucos

Leia mais

INF-111 Redes Sem Fio Aula 06 Tecnologias para WMAN Prof. João Henrique Kleinschmidt

INF-111 Redes Sem Fio Aula 06 Tecnologias para WMAN Prof. João Henrique Kleinschmidt INF-111 Redes Sem Fio Aula 06 Tecnologias para WMAN Prof. João Henrique Kleinschmidt Santo André, outubro de 2014 Roteiro Sistemas de Telefonia Celular Evolução dos Sistemas Celulares WMAN WiMAX Arquitetura

Leia mais

Tecnologias Atuais de Redes

Tecnologias Atuais de Redes Tecnologias Atuais de Redes Aula 2 Redes Sem Fio Tecnologias Atuais de Redes - Redes Sem Fio 1 Conteúdo Conceitos e Terminologias Alcance Interferência Padrões Segurança Tecnologias Atuais de Redes - Redes

Leia mais

802.11 PROTOCOLO DE SEGURANÇA

802.11 PROTOCOLO DE SEGURANÇA UNIVERSIDADE ESTÁCIO DE SÁ 802.11 PROTOCOLO DE SEGURANÇA Nome: Micaella Coelho Valente de Paula Matrícula: 201207115071 2 o Período Contents 1 Introdução 2 2 802.11 3 3 Seu Funcionamento 3 4 História 4

Leia mais

Composição. Estrutura Fisica Redes Sistemas Operacionais Topologias de redes

Composição. Estrutura Fisica Redes Sistemas Operacionais Topologias de redes Composição Estrutura Fisica Redes Sistemas Operacionais Topologias de redes Aterramento Fio de boa qualidade A fiação deve ser com aterramento neutro (fio Terra) trabalhando em tomadas tripolares Fio negativo,

Leia mais

AULA 9: REDES SEM FIO

AULA 9: REDES SEM FIO AULA 9: REDES SEM FIO Objetivo: Detalhar conceitos sobre a aplicação, configuração, métodos utilizados para autenticação de usuários e segurança de acesso a redes sem fio. Ferramentas: - Emuladores de

Leia mais

Prof. Edson Maia Graduado em Web Design e Programação Bacharel e Licenciado em Geografia Especialista em Gestão Ambiental Complementação para

Prof. Edson Maia Graduado em Web Design e Programação Bacharel e Licenciado em Geografia Especialista em Gestão Ambiental Complementação para Prof. Edson Maia Graduado em Web Design e Programação Bacharel e Licenciado em Geografia Especialista em Gestão Ambiental Complementação para Magistério Superior Especialista em Docência para Educação

Leia mais

Universidade de Brasília

Universidade de Brasília Universidade de Brasília Introdução a Microinformática Turma H Redes e Internet Giordane Lima Porque ligar computadores em Rede? Compartilhamento de arquivos; Compartilhamento de periféricos; Mensagens

Leia mais

02/03/2014. Conteúdo deste módulo. Curso de Preparatório para Concursos Públicos. Tecnologia da Informação REDES. Conceitos Iniciais

02/03/2014. Conteúdo deste módulo. Curso de Preparatório para Concursos Públicos. Tecnologia da Informação REDES. Conceitos Iniciais Curso de Preparatório para Concursos Públicos Tecnologia da Informação REDES Conceitos Iniciais; Classificações das Redes; Conteúdo deste módulo Equipamentos usados nas Redes; Modelos de Camadas; Protocolos

Leia mais

Capítulo 7 - Redes Wireless WiFi

Capítulo 7 - Redes Wireless WiFi Capítulo 7 - Redes Wireless WiFi Prof. Othon Marcelo Nunes Batista Mestre em Informática 1 de 55 Roteiro Definição Benefícios Tipos de Redes Sem Fio Métodos de Acesso Alcance Performance Elementos da Solução

Leia mais

Centro Federal de Educação Tecnológica CEFET/BA

Centro Federal de Educação Tecnológica CEFET/BA Centro Federal de Educação Tecnológica CEFET/BA Disciplina: Redes de Computadores Prof.: Rafael Freitas Reale Aluno: Data / / Prova Final de Redes Teoria Base 1) Qual o tipo de ligação e a topologia respectivamente

Leia mais

1. Introdução 1.1 Os sistemas de 4 a geração Quando falamos em redes de quarta geração (4G), dois nomes vem imediatamente à nossa cabeça: LTE (Long

1. Introdução 1.1 Os sistemas de 4 a geração Quando falamos em redes de quarta geração (4G), dois nomes vem imediatamente à nossa cabeça: LTE (Long 16 1. Introdução 1.1 Os sistemas de 4 a geração Quando falamos em redes de quarta geração (4G), dois nomes vem imediatamente à nossa cabeça: LTE (Long Term Evolution) e WiMAX [11]. A tecnologia LTE é um

Leia mais

Compartilhamento de Internet/ Wireless. Wilson Rubens Galindo

Compartilhamento de Internet/ Wireless. Wilson Rubens Galindo Compartilhamento de Internet/ Wireless Wilson Rubens Galindo Compartilhamento de Internet Ganhe dinheiro fácil com compartilhamento de Internet: Habilite um plano de Internet Banda Larga Compre um hub-switch

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Redes Sem Fio Fabricio Breve Tipos de transmissão sem fio Rádio Infravermelho Laser Aplicações Em ambientes internos: Ideal para situações onde não é possível utilizar cabeamento

Leia mais

4. Rede de Computador

4. Rede de Computador Definição Uma rede de computadores é formada por um conjunto de módulos processadores capazes de trocar informações e compartilhar recursos, interligados por um sub-sistema de comunicação, ou seja, é quando

Leia mais

Soluções de Segurança em ambientes heterogêneos

Soluções de Segurança em ambientes heterogêneos 2013 Soluções de Segurança em ambientes heterogêneos Protocolos de Segurança de Redes WI-FI Este documento destina-se a ser uma resenha crítica tendo como base o texto Entenda WEP e WPA, protocolos de

Leia mais

Peça para um amigo baixar o programa também, e você pode começar a experimentar o VoIP para ver como funciona. Um bom lugar para procurar é

Peça para um amigo baixar o programa também, e você pode começar a experimentar o VoIP para ver como funciona. Um bom lugar para procurar é VOIP Se você nunca ouviu falar do VoIP, prepare-se para mudar sua maneira de pensar sobre ligações de longa distância. VoIP, ou Voz sobre Protocolo de Internet, é um método para pegar sinais de áudio analógico,

Leia mais

Estrutura de um Rede de Comunicações. Redes e Sistemas Distribuídos. Tarefas realizadas pelo sistema de comunicação. Redes de comunicação de dados

Estrutura de um Rede de Comunicações. Redes e Sistemas Distribuídos. Tarefas realizadas pelo sistema de comunicação. Redes de comunicação de dados Estrutura de um Rede de Comunicações Profa.. Cristina Moreira Nunes Tarefas realizadas pelo sistema de comunicação Utilização do sistema de transmissão Geração de sinal Sincronização Formatação das mensagens

Leia mais

Descritivo Técnico AirMux-200

Descritivo Técnico AirMux-200 Multiplexador Wireless Broadband -Visualização da unidade indoor IDU e unidade outdoor ODU com antena integrada- Principais Características Rádio e multiplexador wireless ponto-a-ponto com interface E1

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES MEMÓRIAS DE AULA AULA 1 APRESENTAÇÃO DO CURSO, HISTÓRIA, EQUIPAMENTOS E TIPOS DE REDES Prof. José Wagner Bungart CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Definição de Redes de Computadores e Conceitos

Leia mais

Wireless. Leandro Ramos www.professorramos.com

Wireless. Leandro Ramos www.professorramos.com Wireless Leandro Ramos www.professorramos.com Redes Wireless Interferências Access-Point / ROUTER Wireless Ponto de Acesso Numa rede wireless, o hub é substituído pelo ponto de acesso (access-point em

Leia mais

Sistemas de redes sem fio são classificadas nas categorias de móveis ou fixas:

Sistemas de redes sem fio são classificadas nas categorias de móveis ou fixas: Redes Sem Fio Sistemas de redes sem fio são classificadas nas categorias de móveis ou fixas: Redes sem fio fixa são extremamente bem adequado para implantar rapidamente uma conexão de banda larga, para

Leia mais

Descritivo Técnico BreezeACCESS-VL

Descritivo Técnico BreezeACCESS-VL Broadband Wireless Access -Visualização da linha de produtos BreezeACCESS VL- Solução completa ponto multiponto para comunicação Wireless em ambiente que não tenha linda de visada direta, utiliza a faixa

Leia mais

Prof. Manuel A Rendón M

Prof. Manuel A Rendón M Prof. Manuel A Rendón M MORAES, C. C. Engenharia de Automação Industrial, Cap. 6 Tanenbaum, Redes de Computadores, Cap. 1.2 AGUIRRE, L. A. Enciclopédia da Automática, Volume II, Cap. 15.3 Escravo é um

Leia mais

Conexão Sem Fio Guia do Usuário

Conexão Sem Fio Guia do Usuário Conexão Sem Fio Guia do Usuário Copyright 2007 Hewlett-Packard Development Company, L.P. Windows é uma marca registrada da Microsoft Corporation nos Estados Unidos. Bluetooth é marca comercial dos respectivos

Leia mais

Guia das Cidades Digitais

Guia das Cidades Digitais Guia Técnico Inatel Guia das Cidades Digitais Módulo 2: Tecnologia WiMAX INATEL Competence Center treinamento@inatel.br Tel: (35) 3471-9330 Neste segundo módulo, abordaremos a tecnologia WiMAX, que faz

Leia mais

TOPOLOGIAS E CONCEITOS BÁSICOS SOBRE O PADRÃO IEEE 802.16 (WIMAX) MATHEUS CAVECCI

TOPOLOGIAS E CONCEITOS BÁSICOS SOBRE O PADRÃO IEEE 802.16 (WIMAX) MATHEUS CAVECCI TOPOLOGIAS E CONCEITOS BÁSICOS SOBRE O PADRÃO IEEE 802.16 (WIMAX) MATHEUS CAVECCI Dezembro 2011 INTRODUÇÃO A transmissão de dados via ondas de radio não é novidade, segundo Haykin e Moher, as primeiras

Leia mais

26. O sistema brasileiro de televisão digital adota os seguintes parâmetros para HDTV:

26. O sistema brasileiro de televisão digital adota os seguintes parâmetros para HDTV: IFPB Concurso Público/Professor de Ensino Básico, Técnico e Tecnológico (Edital 24/2009) CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CÓDIGO 06 UCs de Comunicações Móveis e/ou de Processamento de Sinais de Áudio e Vídeo

Leia mais

André Aziz (andreaziz.ufrpe@gmail.com) Francielle Santos (francielle.ufrpe@gmail.com) Noções de Redes

André Aziz (andreaziz.ufrpe@gmail.com) Francielle Santos (francielle.ufrpe@gmail.com) Noções de Redes André Aziz (andreaziz.ufrpe@gmail.com) Francielle Santos (francielle.ufrpe@gmail.com) Noções de Redes Noções de Redes: Estrutura básica; Tipos de transmissão; Meios de transmissão; Topologia de redes;

Leia mais

TE155-Redes de Acesso sem Fios Inclusão Digital usando Redes sem Fios

TE155-Redes de Acesso sem Fios Inclusão Digital usando Redes sem Fios Inclusão Digital usando Redes sem Fios Ewaldo Luiz de Mattos Mehl Universidade Federal do Paraná Departamento de Engenharia Elétrica mehl@eletrica.ufpr.br Inclusão Digital usando Redes sem Fios Conceito

Leia mais

Roteador Sem Fio. Prof. Marciano dos Santos Dionizio

Roteador Sem Fio. Prof. Marciano dos Santos Dionizio Roteador Sem Fio Prof. Marciano dos Santos Dionizio Roteador Sem Fio Um roteador wireless é um dispositivo de redes que executa a função de um roteador mas também inclui as funções de um access point.

Leia mais

Roteiro I Redes WiMAX. WiMAX, de onde deriva a tecnologia e perspectivas de evolução. Taxas de transferência, características quanto a mobilidade.

Roteiro I Redes WiMAX. WiMAX, de onde deriva a tecnologia e perspectivas de evolução. Taxas de transferência, características quanto a mobilidade. Curso: Curso Superior de Tecnologia em Redes de Computadores Disciplina: Redes I Professor: Marco Câmara Aluno: Guilherme Machado Ribeiro Turma: 12 matutino Roteiro I Redes WiMAX 1-Histórico WiMAX, de

Leia mais

Descritivo Técnico AirMux-400

Descritivo Técnico AirMux-400 Multiplexador Wireless Broadband Principais Características Rádio e Multiplexador wireless ponto-a-ponto com interface E1 e Ethernet; Opera na faixa de 2.3 a 2.5 Ghz e de 4.8 a 6 Ghz; Tecnologia do radio:

Leia mais

5.2 MAN s (Metropolitan Area Network) Redes Metropolitanas

5.2 MAN s (Metropolitan Area Network) Redes Metropolitanas MÓDULO 5 Tipos de Redes 5.1 LAN s (Local Area Network) Redes Locais As LAN s são pequenas redes, a maioria de uso privado, que interligam nós dentro de pequenas distâncias, variando entre 1 a 30 km. São

Leia mais

8/3/2009. TE155-Redes de Acesso sem Fios. TE155-Redes de Acesso sem Fios

8/3/2009. TE155-Redes de Acesso sem Fios. TE155-Redes de Acesso sem Fios Panorama atual das Redes de Acesso sem Fios para Computadores Ewaldo Luiz de Mattos Mehl Universidade Federal do Paraná Departamento de Engenharia Elétrica mehl@eletrica.ufpr.br Computação do Passado Computadores

Leia mais

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO TELECOMUNICAÇÕES As telecomunicações referem -se à transmissão eletrônica de sinais para as comunicações, incluindo meios como telefone, rádio e televisão. As telecomunicações

Leia mais

Exercícios do livro: Tecnologias Informáticas Porto Editora

Exercícios do livro: Tecnologias Informáticas Porto Editora Exercícios do livro: Tecnologias Informáticas Porto Editora 1. Em que consiste uma rede de computadores? Refira se à vantagem da sua implementação. Uma rede de computadores é constituída por dois ou mais

Leia mais

Tecnologia da Informação Apostila 02

Tecnologia da Informação Apostila 02 Parte 6 - Telecomunicações e Redes 1. Visão Geral dos Sistemas de Comunicações Comunicação => é a transmissão de um sinal, por um caminho, de um remetente para um destinatário. A mensagem (dados e informação)

Leia mais

IEEE 802.11a. IEEE 802.11b. IEEE 802.11a/b/g. IEEE 802.11g. IEEE 802.11n 23/09/2015. Histórico Funcionamento Padrões Equipamentos Wimax PLC

IEEE 802.11a. IEEE 802.11b. IEEE 802.11a/b/g. IEEE 802.11g. IEEE 802.11n 23/09/2015. Histórico Funcionamento Padrões Equipamentos Wimax PLC Redes de Computadores Fabricio Alessi Steinmacher Histórico Funcionamento Padrões Wimax PLC H I S T Ó R I C O Wire (cabo, fio) + Less (sem) IEEE 802.11a IEEE 802.11b IEEE 802.11g IEEE 802.11n Faixa 5GHZ

Leia mais

Estudo de caso da Solução Unified Wireless Cisco. Jonas Odorizzi. Curso de Redes e Segurança de Sistemas. Pontifícia Universidade Católica do Paraná

Estudo de caso da Solução Unified Wireless Cisco. Jonas Odorizzi. Curso de Redes e Segurança de Sistemas. Pontifícia Universidade Católica do Paraná Estudo de caso da Solução Unified Wireless Cisco Jonas Odorizzi Curso de Redes e Segurança de Sistemas Pontifícia Universidade Católica do Paraná Curitiba, Abril de 2010 RESUMO Este artigo tem o objetivo

Leia mais

Orientações para implantação e uso de redes sem fio

Orientações para implantação e uso de redes sem fio Orientações para implantação e uso de redes sem fio Define requisitos e orientações técnicas para implantação e uso de redes sem fio na Universidade Estadual de Campinas. I. Introdução Este documento apresenta

Leia mais

Solução Acesso Internet Áreas Remotas

Solução Acesso Internet Áreas Remotas Solução Acesso Internet Áreas Remotas Página 1 ÍNDICE GERAL ÍNDICE GERAL... 1 1. ESCOPO... 2 2. SOLUÇÃO... 2 2.1 Descrição Geral... 2 2.2 Desenho da Solução... 4 2.3 Produtos... 5 2.3.1 Parte 1: rádios

Leia mais

Atualmente dedica-se à Teleco e à prestação de serviços de consultoria em telecomunicações.

Atualmente dedica-se à Teleco e à prestação de serviços de consultoria em telecomunicações. Rádio Spread Spectrum Este tutorial apresenta os aspectos técnicos dos Rádios Spread Spectrum (Técnica de Espalhamento Espectral) aplicados aos Sistemas de Transmissão de Dados. Félix Tadeu Xavier de Oliveira

Leia mais

Capítulo 11: Redes de Computadores. Prof.: Roberto Franciscatto

Capítulo 11: Redes de Computadores. Prof.: Roberto Franciscatto Capítulo 11: Redes de Computadores Prof.: Roberto Franciscatto REDES - Introdução Conjunto de módulos de processamento interconectados através de um sistema de comunicação, cujo objetivo é compartilhar

Leia mais

Informática de Gestão - Redes de Computadores Professor: Alexandre Unterstell - prof.alex@uniuv.edu.br - www.alex.inf.br

Informática de Gestão - Redes de Computadores Professor: Alexandre Unterstell - prof.alex@uniuv.edu.br - www.alex.inf.br Informática de Gestão - Redes de Computadores Professor: Alexandre Unterstell - prof.alex@uniuv.edu.br - www.alex.inf.br Redes de computadores Coleção de computadores interconectados, permitindo a troca

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Prof. Macêdo Firmino Comunicação Wireless Macêdo Firmino (IFRN) Redes de Computadores Maio de 2012 1 / 30 Redes sem Fio Nas redes sem fio (wireless), não exite uma conexão cabeada

Leia mais

Evolução na Comunicação de

Evolução na Comunicação de Evolução na Comunicação de Dados Invenção do telégrafo em 1838 Código Morse. 1º Telégrafo Código Morse Evolução na Comunicação de Dados A evolução da comunicação através de sinais elétricos deu origem

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Considerando o circuito mostrado na figura acima, julgue os itens seguintes. 51 O valor da tensão v o é igual a 10 V. 52 O valor da corrente I 2 é igual a 1 ma. 53 O equivalente

Leia mais

Redes de Dados. Aula 1. Introdução. Eytan Mediano

Redes de Dados. Aula 1. Introdução. Eytan Mediano Redes de Dados Aula 1 Introdução Eytan Mediano 1 6.263: Redes de Dados Aspectos fundamentais do projeto de redes e análise: Arquitetura Camadas Projeto da Topologia Protocolos Pt - a Pt (Pt= Ponto) Acesso

Leia mais

Faculdade Integrada do Ceará FIC Graduação em Redes de Computadores

Faculdade Integrada do Ceará FIC Graduação em Redes de Computadores Faculdade Integrada do Ceará FIC Graduação em Redes de Computadores Disciplina Redes de Banda Larga Prof. Andrey Halysson Lima Barbosa Aula 6 Redes xdsl Sumário Introdução; Taxas de transmissão DSL e qualidade

Leia mais

Comunicação sem fio (somente para determinados modelos)

Comunicação sem fio (somente para determinados modelos) Comunicação sem fio (somente para determinados modelos) Guia do Usuário Copyright 2006 Hewlett-Packard Development Company, L.P. Microsoft e Windows são marcas registradas da Microsoft Corporation nos

Leia mais

Formadora: Daniela Azevedo Módulo 11 IGRI13 Rui Bárcia - 15

Formadora: Daniela Azevedo Módulo 11 IGRI13 Rui Bárcia - 15 Formadora: Daniela Azevedo Módulo 11 IGRI13 Rui Bárcia - 15 Introdução, com algumas características Uma rede sem fios ou uma rede Wireless é uma infraestrutura das comunicações sem fio que permite a transmissão

Leia mais

Claudivan C. Lopes claudivan@ifpb.edu.br

Claudivan C. Lopes claudivan@ifpb.edu.br Claudivan C. Lopes claudivan@ifpb.edu.br Por que redes de computadores? Tipos de redes Componentes de uma rede IFPB/Patos - Prof. Claudivan 2 Quando o assunto é informática, é impossível não pensar em

Leia mais

Autor: Patrick Freitas Fures

Autor: Patrick Freitas Fures FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC PELOTAS TÉCNICO EM INFORMÁTICA Conectividade WIMAX Autor: Patrick Freitas Fures Relatório Técnico apresentado ao Profº. Nataniel Vieira com requisito parcial para obtenção

Leia mais

INFORMÁTICA IINTERNET / INTRANET

INFORMÁTICA IINTERNET / INTRANET INFORMÁTICA IINTERNET / INTRANET Objectivos História da Internet Definição de Internet Definição dos protocolos de comunicação Entender o que é o ISP (Internet Service Providers) Enumerar os equipamentos

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES Rede é um conjunto de módulos processadores capazes de trocar informações e compartilhar recursos. O tipo de rede é definido pela sua área de abrangência, podemos classificar as redes

Leia mais

IEEE 802.16 - WiMAX. Ewaldo Luiz de Mattos Mehl Universidade Federal do Paraná Departamento de Engenharia Elétrica mehl@eletrica.ufpr.

IEEE 802.16 - WiMAX. Ewaldo Luiz de Mattos Mehl Universidade Federal do Paraná Departamento de Engenharia Elétrica mehl@eletrica.ufpr. IEEE 802.16 - WiMAX Ewaldo Luiz de Mattos Mehl Universidade Federal do Paraná Departamento de Engenharia Elétrica mehl@eletrica.ufpr.br WiMax - Worldwide Interoperability for Microwave Access WiMAX Forum:

Leia mais

UTP ( PAR TRANÇADO SEM PROTEÇÃO)

UTP ( PAR TRANÇADO SEM PROTEÇÃO) Par Trançado UTP ( PAR TRANÇADO SEM PROTEÇÃO) O cabo UTP é composto por pares de fios, sendo que cada par é isolado um do outro e todos são trançados juntos dentro de uma cobertura externa, que não possui

Leia mais

Prof. Roberto Franciscatto 4º Semestre - TSI - CAFW. Free Powerpoint Templates Page 1

Prof. Roberto Franciscatto 4º Semestre - TSI - CAFW. Free Powerpoint Templates Page 1 Segurança na Web Capítulo 8: Segurança de Redes Sem Fio Prof. Roberto Franciscatto 4º Semestre - TSI - CAFW Page 1 Introdução Uma Wireless LAN (WLAN) é uma rede local sem fio padronizada pelo IEEE 802.11.

Leia mais

Primeiro Técnico TIPOS DE CONEXÃO, BANDA ESTREITA E BANDA LARGA

Primeiro Técnico TIPOS DE CONEXÃO, BANDA ESTREITA E BANDA LARGA Primeiro Técnico TIPOS DE CONEXÃO, BANDA ESTREITA E BANDA LARGA 1 Banda Estreita A conexão de banda estreita ou conhecida como linha discada disponibiliza ao usuário acesso a internet a baixas velocidades,

Leia mais

Introdução. Arquitetura de Rede de Computadores. Prof. Pedro Neto

Introdução. Arquitetura de Rede de Computadores. Prof. Pedro Neto Introdução Arquitetura de Rede de Prof. Pedro Neto Aracaju Sergipe - 2011 Ementa da Disciplina 1. Introdução i. Conceitos e Definições ii. Tipos de Rede a. Peer To Peer b. Client/Server iii. Topologias

Leia mais

Comunicação Sem Fio (Somente em Determinados Modelos)

Comunicação Sem Fio (Somente em Determinados Modelos) Comunicação Sem Fio (Somente em Determinados Modelos) Guia do Usuário Copyright 2007 Hewlett-Packard Development Company, L.P. Microsoft é uma marca registrada da Microsoft Corporation nos Estados Unidos.

Leia mais

Aula 1 - Redes de computadores 15

Aula 1 - Redes de computadores 15 Aula 1 - Redes de computadores Objetivos Compreender os conceitos iniciais de redes de computadores. Compreender as principais classificações de redes. Definir e diferenciar as principais topologias de

Leia mais

Administração de Sistemas de Informação Gerenciais

Administração de Sistemas de Informação Gerenciais Administração de Sistemas de Informação Gerenciais UNIDADE V: Telecomunicações, Internet e Tecnologia Sem Fio. Tendências em Redes e Comunicações No passado, haviam dois tipos de redes: telefônicas e redes

Leia mais

15/02/2015. Conteúdo deste módulo. Curso de Preparatório para Concursos Públicos. Tecnologia da Informação REDES. Conceitos Iniciais

15/02/2015. Conteúdo deste módulo. Curso de Preparatório para Concursos Públicos. Tecnologia da Informação REDES. Conceitos Iniciais Curso de Preparatório para Concursos Públicos Tecnologia da Informação REDES Conceitos Iniciais; Classificações das Redes; Topologias de Redes; Meios de Transmissão; Arquitetura de Redes; Conteúdo deste

Leia mais

Curso Técnico Integrado em Manutenção e Suporte em Informática

Curso Técnico Integrado em Manutenção e Suporte em Informática Curso Técnico Integrado em Manutenção e Suporte em Informática Disciplina: Infraestrutura de Redes de Computadores 1. Conceitos básicos, Classificação e Topologias de Redes Prof. Ronaldo

Leia mais

1. AULA 1 - INTRODUÇÃO À REDES DE COMPUTADORES

1. AULA 1 - INTRODUÇÃO À REDES DE COMPUTADORES 1. AULA 1 - INTRODUÇÃO À REDES DE COMPUTADORES Objetivos da Aula Aprender os conceitos básicos para compreensão das próximas aulas. Na maioria dos casos, os conceitos apresentados serão revistos com maior

Leia mais

Introdução às Redes de Computadores. Por José Luís Carneiro

Introdução às Redes de Computadores. Por José Luís Carneiro Introdução às Redes de Computadores Por José Luís Carneiro Portes de computadores Grande Porte Super Computadores e Mainframes Médio Porte Super Minicomputadores e Minicomputadores Pequeno Porte Super

Leia mais

Este tutorial tem como objetivo situar o uso da tecnologia WiMAX (802.16) e suas implicações sobre segurança.

Este tutorial tem como objetivo situar o uso da tecnologia WiMAX (802.16) e suas implicações sobre segurança. Segurança em WiMAX Este tutorial tem como objetivo situar o uso da tecnologia WiMAX (802.16) e suas implicações sobre segurança. Gabriel Perazzo É graduado em Tecnologia e Mídias Digitais na Faculdade

Leia mais

PROJETO BÁSICO (De acordo com a Res. nº 272 da Anatel SCM, de 9 de agosto de 2001, Anexo II) OBJETO

PROJETO BÁSICO (De acordo com a Res. nº 272 da Anatel SCM, de 9 de agosto de 2001, Anexo II) OBJETO PROJETO BÁSICO (De acordo com a Res. nº 272 da Anatel SCM, de 9 de agosto de 2001, Anexo II) OBJETO OUTORGA DE SERVIÇO DE COMUNICAÇÃO MULTIMÍDIA SCM sendo um serviço fixo de telecomunicações de interesse

Leia mais

III.2. CABLE MODEMS CARACTERÍSTICAS BÁSICAS UNIDADE III SISTEMAS HÍBRIDOS

III.2. CABLE MODEMS CARACTERÍSTICAS BÁSICAS UNIDADE III SISTEMAS HÍBRIDOS 1 III.2. CABLE MODEMS III.2.1. DEFINIÇÃO Cable modems são dispositivos que permitem o acesso em alta velocidade à Internet, através de um cabo de distribuição de sinais de TV, num sistema de TV a cabo.

Leia mais

Capítulo 2 Sistemas Rádio Móveis

Capítulo 2 Sistemas Rádio Móveis Capítulo 2 Sistemas Rádio Móveis 2.1. Histórico e Evolução dos Sistemas Sem Fio A comunicação rádio móvel teve início no final do século XIX [2], quando o cientista alemão H. G. Hertz demonstrou que as

Leia mais

Visão geral das redes sem fio

Visão geral das redes sem fio Visão geral das redes sem fio 1 - Introdução O termo redes de dados sem fio pode ser utilizado para referenciar desde dispositivos de curto alcance como o Bluetooth à sistemas de altas taxas de transmissão

Leia mais

Administração de Sistemas de Informação I

Administração de Sistemas de Informação I Administração de Sistemas de Informação I Prof. Farinha Aula 03 Telecomunicações Sistemas de Telecomunicações 1 Sistemas de Telecomunicações Consiste de Hardware e Software transmitindo informação (texto,

Leia mais

Advanced Wireless Networks Overview & Configuration. Workshop by Nicola Sanchez

Advanced Wireless Networks Overview & Configuration. Workshop by Nicola Sanchez Advanced Wireless Networks Overview & Configuration Workshop by Nicola Sanchez Microwave Wireless Telecom - Brasil Distribuidor Mikrotik no Brasil Fornecedor de Soluções em Redes Wireless Consultoria e

Leia mais

Voz em ambiente Wireless

Voz em ambiente Wireless Voz em ambiente Wireless Mobilidade, acesso sem fio e convergência são temas do momento no atual mercado das redes de comunicação. É uma tendência irreversível, que vem se tornando realidade e incorporando-se

Leia mais

Tecnologias de Banda Larga

Tecnologias de Banda Larga Banda Larga Banda larga é uma comunicação de dados em alta velocidade. Possui diversas tecnologia associadas a ela. Entre essas tecnologias as mais conhecidas são a ADSL, ISDN, e o Cable Modem. Essas tecnologias

Leia mais

09/06/2011. Profª: Luciana Balieiro Cosme

09/06/2011. Profª: Luciana Balieiro Cosme Profª: Luciana Balieiro Cosme Revisão dos conceitos gerais Classificação de redes de computadores Visão geral sobre topologias Topologias Barramento Anel Estrela Hibridas Árvore Introdução aos protocolos

Leia mais

Comunicação sem Fio WLAN (802.11) Edgard Jamhour

Comunicação sem Fio WLAN (802.11) Edgard Jamhour Comunicação sem Fio WLAN (802.11) Edgard Jamhour WLAN: Parte I Técnicas de Modulação, Taxas de Transmissão e Alcance Faixa de Freqüências faixa desde até comprimento da onda ELF 30 Hz 300 Hz 10 7 metros

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Introdução Redes de Computadores Marco Antonio Montebello Júnior marco.antonio@aes.edu.br Rede É um conjunto de computadores chamados de estações de trabalho que compartilham recursos de hardware (HD,

Leia mais

PROJETO BÁSICO. Serviço de Comunicação Multimídia

PROJETO BÁSICO. Serviço de Comunicação Multimídia PROJETO BÁSICO Serviço de Comunicação Multimídia xxxxxxxxxx, xx de xxxxx de 2009 PROJETO BÁSICO (De acordo com a Res. n 272 da Anatel - SCM, de 9 de agosto de 2001, Anexo II) O B J E T O SOLICITAÇÃO DE

Leia mais

Redes Locais Sem Fio

Redes Locais Sem Fio Redes Locais Sem Fio Prof. Rafael Guimarães Redes sem Fio Aula 13 Aula 13 Rafael Guimarães 1 / 63 Sumário Sumário 1 Motivação e Objetivos 2 Introdução 3 Terminologia 4 WiFi 5 Arquitetura 802.11 6 Padrões

Leia mais

Introdução. ISP: Internet Service Provider O provedor de acesso oferece serviço de acesso à internet, agregando a ele outros serviços como:

Introdução. ISP: Internet Service Provider O provedor de acesso oferece serviço de acesso à internet, agregando a ele outros serviços como: Introdução ISP: Internet Service Provider O provedor de acesso oferece serviço de acesso à internet, agregando a ele outros serviços como: Correio Eletrônico; Hospedagem de sites; Blogs; DNS; Voip. Introdução

Leia mais

Introdução. ISP Local

Introdução. ISP Local Introdução ISP: Internet Service Provider O provedor de acesso oferece serviço de acesso à internet, agregando a ele outros serviços como: Correio Eletrônico; Hospedagem de sites; Blogs; DNS; Voip. Introdução

Leia mais