Padrão de entrada para baixa tensão 380/220v

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Padrão de entrada para baixa tensão 380/220v"

Transcrição

1 Padrão de entrada para baixa tensão 380/220v

2 DESENHO 1: padrão ligação monofásica - instalação na parede com ramal de entrada aéreo, edificação do mesmo lado da rede e na divisa com o passeio público. RELAÇÃO DE MATERIAIS DO DESENHO 1: Os itens 1,2,7 e 22 são de responsabilidade 1 Item de responsabilidade. 2 Item de responsabilidade. 5 1 pç Luva de PVC 1/2 rosqueável 6 2 pç Luva de PVC 3/4"rosqueável 7 Item de responsabilidade. 8 3,8 m Eletroduto de PVC Rígido 1/2" externo à parede rosqueável 9 1,5 m Eletroduto de PVC Rígido 3/4 externo à parede rosqueável 10 1 pç Armação secundária de 1 estribo com isolador roldana ou parafuso olhal 11 5,2 m Fio de cobre isolado para 750V 12 1 pç Caixa de medição 13 1 pç Caixa para disjuntor monofásico 14 4 pç Abraçadeira tipo "D" com cunha de aço inoxidável para eletroduto de 1/2" 15 3 pç Abraçadeira tipo "D" com cunha de aço inoxidável para eletroduto de 3/4" 16 2 pç Bucha de alumínio para eletroduto de 1/2" 17 4 pç Arruela de alumínio para eletroduto de 1/2" 18 1 pç Bucha de alumínio para eletroduto de 3/4" 19 1 pç Arruela de alumínio para eletroduto de 3/4" 20 1 pç Borracha de vedação em forma de arruela p/ eletroduto 3/4" 21 1 pç Curva 90º eletroduto PVC 3/4" rosqueável 22 Item de responsabilidade pç Haste de terra em aço cobreado, 16x2400mm com conexão do condutor de aterramento à haste através de solda exotérmica 24 1 pç Caixa para aterramento em alvenaria ou concreto pç Parafuso autoatarrachante 4,2x40mm galvanizado passivado pç Bucha de nylon S6-6x30mm 27 6 pç Arruela de aço lisa para 5/32" Cx. medição e proteção 28 1 pç Parafuso cabeça quadrada, com porca e arruela lisa, galvanizados a fogo M10x100 para fixaçãoda armação secundária.

3 DESENHO 2: padrão ligação monofásica - instalação na parede com ramal de entrada aéreo, edificação do lado contrário da rede e na divisa com o passeio público. RELAÇÃO DE MATERIAIS DO DESENHO 2: Os itens 1 e 2 são de responsabilidade da Eletrobras 1 Item de responsabilidade. RELAÇÃO 2 DE MATERIAIS DO DESENHO Item de responsabilidade 2:. 3 1 pç Curva 180º eletroduto PVC 3/4" rosqueável 4 2 pç Curva 90º eletroduto PVC 1/2" rosqueável 5 3 pç Luva de PVC 1/2 rosqueável 6 2 pç Luva de PVC 3/4"rosqueável 7 Item de responsabilidade. 8 3,8 m Eletroduto de PVC Rígido 1/2" externo à parede rosqueável 9 3,0 m Eletroduto de PVC Rígido 3/4 externo à parede rosqueável 10 1 pç Armação secundária de 1 estribo com isolador roldana ou parafuso olhal 11 5,2 m Fio de cobre isolado para 750V 12 1 pç Caixa de medição 13 1 pç Caixa para disjuntor monofásico 14 4 pç Abraçadeira tipo "D" com cunha de aço inoxidável para eletroduto de 1/2" 15 3 pç Abraçadeira tipo "D" com cunha de aço inoxidável para eletroduto de 3/4" 16 2 pç Bucha de alumínio para eletroduto de 1/2" 17 4 pç Arruela de alumínio para eletroduto de 1/2" 18 1 pç Bucha de alumínio para eletroduto de 3/4" 19 1 pç Arruela de alumínio para eletroduto de 3/4" 20 1 pç Borracha de vedação em forma de arruela p/ eletroduto 3/4" 21 1 pç Curva 90º eletroduto PVC 3/4" rosqueável 22 Item de responsabilidade pç Haste de terra em aço cobreado, 16x2400mm com conexão do condutor de aterramento à haste através de solda exotérmica 24 1 pç Caixa para aterramento em alvenaria ou concreto pç Parafuso autoatarrachante 4,2x40mm galvanizado passivado pç Bucha de nylon S6-6x30mm 27 6 pç Arruela de aço lisa para 5/32" Cx. medição e proteção 28 1 pç Parafuso cabeça quadrada, com porca e arruela lisa, galvanizados a fogo M10x100 para fixação da armação secundária pç Pontalete

4 DESENHO 3: padrão ligação trifásica com ramal de entrada aéreo edificação na divisa com o passeio público medição direta fixação na fachada. O item 7 é de responsabilidade RELAÇÃO DE MATERIAIS DO DESENHO 3: 1 01 pç Curva de 135 com bucha 2 01 pç Armação secundária de um estribo 3 01 pç Haste Ø16 x 150 p/ armação secundária 4 01 pç Isolador roldana 5 02 cj Buchas e porcas-arruelas 6 01 pç Item de responsabilidade. 7 Item de responsabilidade pç 9 01 pç Parafuso-chumbador pç Curva de pç Caixa para disjuntor pç Caixa de medição 13 Variável m Condutor cobre isolado Haste de terra em aço cobreado, 16x2400mm com conexão do condutor de aterramento à haste através de solda exotérmica pç Terminal p/ aterramento caixa pç Caixa para aterramento em alvenaria ou concreto pç Eletroduto para aterramento

5 DESENHO 4: padrão ligação trifásica com ramal de entrada aéreo edificação na divisa com o passeio público medição direta fixação no pontalete. RELAÇÃO DE MATERIAIS DO DESENHO 4: O item 7 é de responsabilidade 1 01 pç Tampão 2 01 pç Armação secundária de um estribo 3 Variável m Fita bandit 4 01 pç Isolador roldana 5 01 pç Curva de pç Cinta 7 Item de responsabilidade pç Eletroduto 9 01 pç Caixa para disjuntor pç Caixa de medição 11 Item de responsabilidade pç Haste de terra em aço cobreado, 16x2400mm com conexão do condutor de aterramento à haste através de solda exotérmica pç Haste Ø16x150 para armação secundária pç Terminal para aterramento caixa pç Pontalete pç Curva de pç Caixa para aterramento em alvenaria ou concreto

6 Desenho 5: padrão ligação trifásica com ramal de entrada aéreo multiplexado Instalação em muro ou mureta, com poste de concreto leitura pela via pública, saída embutida, disjuntor com acesso pelo interior da propriedade, medição direta. RELAÇÃO DE MATERIAIS DO DESENHO 5: 15, 16, 17 e 18 são de responsabilidade 1 01 pç Poste de concreto armado 2 01 pç Caixa de medição 3 02 cj Bucha e contra bucha para eletroduto 4 01 cj Bucha e contra bucha para eletroduto de diâmetro interno mínimo de 16mm 5 01 m Eletroduto de diâmetro em função da demanda da entrada de serviço 6 Variável m Eletroduto de PVC rígido de diâmetro interno mínimo de 16mm 7 01 pç Luva de emenda para eletroduto 8 01 pç Curva de 135º para eletroduto 9 01 pç Bucha pç Armação secundária de 1 estribo pç Parafuso de aço galvanizado de diâmetro 16mm com cabeça quadrada e porca quadrada pç Arruela quadrada de aço galvanizado pç Isolador roldana pç Alça pré-formada de serviço 15 Item de responsabilidade. 16 Item de responsabilidade. 17 Item de responsabilidade. 18 Item de responsabilidade pç Caixa para aterramento em alvenaria ou concreto pç Haste de terra em aço cobreado, 16x2400mm com conexão do condutor de aterramento à haste através de solda exotérmica pç Caixa para disjuntor pç Curva para eletroduto 90º de diâmetro em função do tipo de atendimento 23 Variável m Fita bandit pç Terminal para aterramento caixa

7 Desenho 6: padrão ligação trifásica com ramal de entrada aéreo multiplexado Instalação em muro ou mureta, com poste de concreto leitura pela via pública, saída aérea, disjuntor com acesso pelo interior da propriedade, medição direta 15, 16, 17 e 18 são de responsabilidade RELAÇÃO DE MATERIAIS DO DESENHO 6: 1 01 pç Poste de concreto armado 2 01 pç Caixa de medição 3 04 cj Bucha e contra bucha para eletroduto 4 01 cj Bucha e contra bucha para eletroduto de diâmetro interno mínimo de 16mm 5 01 pç Eletroduto de diâmetro em função da demanda da entrada de serviço 6 Variável m Eletroduto de PVC rígido de diâmetro interno mínimo de 16mm 7 Variável pç Luva de emenda para eletroduto 8 02 pç Curva de 135º para eletroduto 9 02 pç Bucha ou outro dispositivo adequado pç Armação secundária de 1 estribo pç Parafuso de aço galvanizado de diâmetro 16mm com cabeça quadrada e porca quadrada pç Arruela quadrada de aço galvanizado pç Isolador roldana pç Armação secundária, número de estribos em função do tipo de atendimento 15 Item de responsabilidade. 16 Item de responsabilidade. 17 Item de responsabilidade. 18 Item de responsabilidade. 19 Item de responsabilidade pç Caixa para aterramento em alvenaria ou concreto pç Haste de terra em aço cobreado, 16x2400mm com conexão do condutor de aterramento à haste através de solda exotérmica 22 Variável m Fita bandit pç Caixa para disjuntor

8 Descrição Demanda provável (kva) Demanda provável (kva) Tipo de Ligação (sistema V) Monofásico (Tipo M) Trifásico (Tipo T) Categoria M1 M2 M3 T1 T2 T3 T4 Carga Instalada (KW) 0 < P 5,0 5,1 P 10,0 10,1 P 15,0 15,1 P 25,0 25,1 P 40,0 40,1 P 55,0 55,1 P 75,0 Eletroduto PVC rígido (diâmetro em mm) Disjuntor Termomagnético - limite Máximo (A) Aterramento (condutor de cobre nu) Diâmetro eletroduto aterramento (mm) Haste para aterramento aço cobre - solda isotérmic com cabo (diâmetro em mm) Condutor de proteção (mm2) ou x x x x x x x Poste DT 5000/ / / / / / /300 Pontalete fixação embutido na parede (mm) NOTAS: 1. Para ligações monofásicas, a montagem será toda aparente, com a caixa de medição externa à unidade consumidora e a caixa para disjuntor interna ou externa à unidade consumidora. 2. A caixa de medição e a caixa para disjuntor deverão ser fixadas por meio de parafusos com bucha de nylon S6 e arruelas 5/ O eletroduto do ramal de entrada, saída e do aterramento devem ser fixados à parede com abraçadeira tipo D, bucha de nylon S6 e parafusos 4,2 x 40mm. 4. O isolador roldana com suporte pressbow deverá ser fixado no caibro do telhado por parafuso com porca. 5. As distâncias entre as abraçadeiras serão de 1.500mm. 6. Quando não for possível utilizar a armação secundária, utilizar a opção 2, do desenho 1, onde o olhal será chumbado na parede. 7. O disjuntor instalado dentro da caixa para disjuntor deverá ser dimensionado em função da faixa de atendimento. 8. O pontalete deverá ser chumbado na parede. 9. Montagens embutidas, com a mesmas condições apresentadas, também serão aceitas. 10. Até Dezembro/2015 serão aceitas hastes de aterramento sem a conexão exotérmica, desde que estejam com cabos e conectores adequados à carga instalada. Norma para Padrão de Entrada em Baixa Tensão: NDEE-02 Novembro de 2014 Versão 00 pode ser alterada sem aviso prévio

COMUNICADO TÉCNICO Nº 04

COMUNICADO TÉCNICO Nº 04 Página 1 de 1 COMUNICADO TÉCNICO Nº 04 CAIXA DE MEDIÇÃO INSTALADA NA DIVISA COM O PASSEIO PÚBLICO PARA ATENDIMENTO INDIVIDUAL EM BAIXA TENSÃO ATRAVÉS DA NORMA CEMIG ND- 5.1 1.OBJETIVO Visando a redução

Leia mais

AFASTAMENTOS MÍNIMOS PADRONIZADOS

AFASTAMENTOS MÍNIMOS PADRONIZADOS AFASTAMENTOS MÍNIMOS PADRONIZADOS 11 metros = 150 12 metros = 150 900 300 600 1000 máximo 1000 máximo 11 metros = 850 12 metros = 1450 900 100 11 metros = 1300 12 metros = 1300 800 450 350 11 metros =

Leia mais

MONTAGEM DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA URBANA- TIPO PSH - 13,8 KV NTD - 17

MONTAGEM DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA URBANA- TIPO PSH - 13,8 KV NTD - 17 MONTAGEM DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA URBANA- TIPO PSH - 13,8 KV NTD - 17 CONTROLE DE VERSÕES NTD 17 - MONTAGEM DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA URBANA- TIPO PSH - 13,8 kv Nº.: DATA VERSÃO 0 03/09 Original

Leia mais

M E M O R I A L D E S C R I T I V O

M E M O R I A L D E S C R I T I V O M E M O R A L D E S C R T V O N S T A L A Ç Õ E S E L É T R C A S CONSELHO REGONAL DE ENFERMAGEM DE SERGPE-COREN Endereço : Rua Duque de Caxias nº 389, Bairro São José, cidade de Aracaju/SE. Proprietário

Leia mais

OBJETIVO: APLICAÇÃO:

OBJETIVO: APLICAÇÃO: OBJETIVO: Este manual tem por objetivo sugerir os procedimentos, do ponto de vista técnico, para execução da infra-estrutura interna das unidades usuárias dos serviços em fibra óptica da Copel Telecomunicações.

Leia mais

ESTRUTURAS DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO - MULTIPLEXADA NTD SUMÁRIO

ESTRUTURAS DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO - MULTIPLEXADA NTD SUMÁRIO Página: 1 de 15 SUMÁRIO.001 - REDE SECUNDARIA MULTIPLEXADA INSTALAÇÕES E AMARRAÇÕES... 1.002 - REDE SECUNDARIA MULTIPLEXADA INSTALAÇÕES BÁSICA... 2.003 - REDE SECUNDARIA MULTIPLEXADA INSTALAÇÕES BÁSICA...

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO ABRIGO MODELO. O novo abrigo de ligação facilitará a vida de todos.

MANUAL DE INSTALAÇÃO ABRIGO MODELO. O novo abrigo de ligação facilitará a vida de todos. MANUAL DE INSTALAÇÃO ABRIGO MODELO O novo abrigo de ligação facilitará a vida de todos. ÍNDICE O QUE É ABRIGO MODELO? VANTAGENS DO NOVO ABRIGO COMO INSTALAR POSIÇÕES POSSÍVEIS PARA INSTALAÇÃO MATERIAIS

Leia mais

CONHEÇA AQUI O PADRÃO PARA NOVA LIGAÇÃO

CONHEÇA AQUI O PADRÃO PARA NOVA LIGAÇÃO CONHEÇA AQUI O PADRÃO PARA NOVA LIGAÇÃO Para que a Celpa ligue a sua luz pela primeira vez, você precisa estar com o padrão de entrada de energia instalado corretamente. Chamamos de Padrão de Entrada Celpa

Leia mais

NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NTD-RE- 006

NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NTD-RE- 006 NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NTD-RE- 006 INSTALAÇÃO DE RELIGADOR AUTOMÁTICO TIPO ESV da COOPER POWER DIRETORIA DE ENGENHARIA CORPORATIVA 1. OBJETIVO Padronizar as estruturas de montagem do religador automático

Leia mais

CONECTORES PARA CABOS FLEXÍVEIS RAMAIS DE LIGAÇÃO E MEDIDORES

CONECTORES PARA CABOS FLEXÍVEIS RAMAIS DE LIGAÇÃO E MEDIDORES T Í T U L O ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DA DISTRIBUIÇÃO CONECTORES PARA CABOS FLEXÍVEIS RAMAIS DE LIGAÇÃO E MEDIDORES CÓDIGO ESP-I-GPC-01/13 VERSÃO APROVAÇÃO DATA DATA DA VIGÊNCIA R0 20/05/2013 CONTROLE DE REVISÃO

Leia mais

DEOP DIRETORIA DE ENGENHARIA E OPERAÇÕES EPE PLANEJAMENTO E ENGENHARIA MANUAL DE TUBULAÇÕES TELEFÔNICAS PREDIAIS

DEOP DIRETORIA DE ENGENHARIA E OPERAÇÕES EPE PLANEJAMENTO E ENGENHARIA MANUAL DE TUBULAÇÕES TELEFÔNICAS PREDIAIS CAPÍTULO 3: ATERRAMENTOS 1. FINALIDADE O sistema de equipotencialização principal da edificação consiste na interligação de elementos especificados visando obter a equipotencialidade necessária para os

Leia mais

S i s t e m a N o r m a t i vo Corporativo

S i s t e m a N o r m a t i vo Corporativo S i s t e m a N o r m a t i vo Corporativo PADRÃO TÉCNICO VERSÃO Nº DELIBERAÇÃO Nº APROVAÇÃO DATA DATA DE PUBLICAÇÃO 01-22/07/2014 05/08/2014 APROVADO POR RODNEY PEREIRA MENDERICO JÚNIOR DTES-BD SUMÁRIO

Leia mais

Padrões de Entradas de Serviço para Atendimento à Resolução ANEEL 384/2009 e Programa Luz Legal

Padrões de Entradas de Serviço para Atendimento à Resolução ANEEL 384/2009 e Programa Luz Legal Padrões de Entradas de Serviço para Atendimento à Resolução ANEEL 384/2009 e Programa Luz Legal DDI/SCD/SED Maio/2010 Notas sobre esta revisão (maio/2010) Este manual, originalmente desenvolvido para Entrada

Leia mais

Escola Municipal Caminho para o Futuro. Rua Goiânia 559-S, Lucas do Rio Verde - MT. Elaine Benetti Lovatel

Escola Municipal Caminho para o Futuro. Rua Goiânia 559-S, Lucas do Rio Verde - MT. Elaine Benetti Lovatel DADOS CADASTRAIS CLIENTE PROPRIETÁRIO Pref. Municipal de Lucas do Rio Verde OBRA Escola Municipal Caminho para o Futuro LOCAL DA OBRA Rua Goiânia 559-S, Lucas do Rio Verde - MT SECRETÁRIA DE EDUCAÇÃO MUNICIPAL

Leia mais

FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM TENSÃO DE DISTRIBUIÇÃO SECUNDÁRIA 220/127 V

FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM TENSÃO DE DISTRIBUIÇÃO SECUNDÁRIA 220/127 V NORMA DE DISTRIBUIÇÃO VERSÃO Nº DATA DATA DA VIGÊNCIA ITEM ASSUNTO PÁGINA 01 FINALIDADE... 02 02 ÂMBITO DE APLICAÇÃO... 02 03 CONCEITOS BÁSICOS... 02 04 PROCEDIMENTOS... 05 05 CONSIDERAÇÕES GERAIS... 23

Leia mais

CEIRF Coordenação Executiva de Infraestrutura da Rede Física

CEIRF Coordenação Executiva de Infraestrutura da Rede Física MEMORIAL DESCRITIVO PARA INSTALAÇÃO DA REDE ELÉTRICA E LÓGICA - 2016 1. OBJETO Serviços de instalação de rede elétrica e lógica para os postos policiais do São João 2016. 2. DESCRIÇÃO DOS SERVIÇOS Os parâmetros

Leia mais

NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NTD-RE- 002

NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NTD-RE- 002 NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NTD-RE- 002 INSTALAÇÃO DE RELIGADOR AUTOMÁTICO NOVA COOPER POWER SYSTEMS DIRETORIA DE ENGENHARIA CORPORATIVA 1. OBJETIVO Padronizar a estrutura de montagem do religador automático

Leia mais

NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NTD-RE- 004

NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NTD-RE- 004 NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NTD-RE- 004 INSTALAÇÃO DE RELIGADOR AUTOMÁTICO VIPER S SHANGHAI G & W ELECTRIC DIRETORIA DE ENGENHARIA CORPORATIVA 1. OBJETIVO Padronizar a estrutura de montagem do religador

Leia mais

1 - MEMORIAL DESCRITIVO

1 - MEMORIAL DESCRITIVO MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO DE SPDA ESTRUTURAL AMPLIAÇÃO DA TELECOMUNICAÇÕES 1 - MEMORIAL DESCRITIVO 2 MEMORIAL DESCRITIVO DO SISTEMA DE PROTEÇÃO CONTRA DESCARGA ATMOSFÉRICA - SPDA 1.0 - DADOS BÁSICOS:

Leia mais

Edição Data Alterações em relação à edição anterior. Nome dos grupos

Edição Data Alterações em relação à edição anterior. Nome dos grupos Projeto de Rede de Distribuição de IP com Circuito Exclusivo Processo Planejamento, Ampliação e Melhoria da Rede Elétrica Atividade Obras de Distribuição Código Edição Data VR01.03-00.020 2ª Folha 1 DE

Leia mais

TABELA IZA PVC METAIS

TABELA IZA PVC METAIS TABELA IZA PVC METAIS ABRAÇADEIRA "D" COM CUNHA 287 ABRAÇADEIRA "D" COM CUNHA 1/2 288 ABRAÇADEIRA "D" COM CUNHA 3/4 289 ABRAÇADEIRA "D" COM CUNHA 1 290 ABRAÇADEIRA "D" COM CUNHA 1 1/4 291 ABRAÇADEIRA "D"

Leia mais

3 Barreiras de Fogo - Sistema C-AJ-5030

3 Barreiras de Fogo - Sistema C-AJ-5030 3 Barreiras de Fogo - Sistema C-AJ-5030 Dados Técnicos Junho/02 Substitui: Janeiro/01 Tubos Metálicos Isolados F 1 and 2 horas (veja o item 1) T 0 horas L Temperatura Ambiente 0,30 m³/m² ( 2 CFM/sq ft)

Leia mais

2. Critério do limite da queda de tensão (qualquer carga):

2. Critério do limite da queda de tensão (qualquer carga): 4 Dimensionamento de Circuitos de Motores 2. Critério do limite da queda de tensão (qualquer carga): 23 4 Dimensionamento de Circuitos de Motores 24 Exemplo de aplicação 4.4(3.7): 4(3 Calcular a seção

Leia mais

Item (Pág. 26) Foi inserida a Norma NR 10 Segurança em instalações e serviços em eletricidade.

Item (Pág. 26) Foi inserida a Norma NR 10 Segurança em instalações e serviços em eletricidade. O presente documento contém as alterações, correções e inclusões da versão anterior, contempladas na versão 1.2, que entrará em vigor a partir de 1º de novembro de 2014. TEXTO Item 10.3.2 (Pág. 26) Foi

Leia mais

O que é Padrão de Entrada?

O que é Padrão de Entrada? 1 O que é Padrão de Entrada? O padrão de entrada é o conjunto de condutores, eletrodutos, poste, caixa de medição e demais acessórios utilizados na sua montagem, padronizados pela Cosern e de acordo com

Leia mais

MONTAGEM DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA URBANA TRIFÁSICA 13,8 E 34,5 KV NTD-016

MONTAGEM DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA URBANA TRIFÁSICA 13,8 E 34,5 KV NTD-016 ÍNDICE APRESENTAÇÃO... 2 1-OBJETIVO...3 2-AMPLITUDE...3 3-RESPONSABILIDADE QUANTO AO CUMPRIMENTO...3 4-INSTRUÇÕES GERAIS...3 5-PROCEDIMENTOS...5 5.1-Afastamentos padronizados na estrutura...5 5.2-Afastamentos

Leia mais

SUMÁRIO. N.Documento: Categoria: Versão: Aprovado por: Data Publicação: Página: 13 Manual 2.3 Rubens Bruncek Ferreira 27/07/2009 1 de 103

SUMÁRIO. N.Documento: Categoria: Versão: Aprovado por: Data Publicação: Página: 13 Manual 2.3 Rubens Bruncek Ferreira 27/07/2009 1 de 103 SUMÁRIO 1. OBJETIVO 2. CAMPO DE APLICAÇÃO. 3. REFERÊNCIAS 4. TERMINOLOGIA 5. CONDIÇÕES GERAIS DE FORNECIMENTO 6. RAMAL DE LIGAÇÃO 7. RAMAL DE ENTRADA 8. PROTEÇÃO CONTRA SOBRE CARGA E SECCIONAMENTO. 9.

Leia mais

Rel.Mat. Rede e Tomada MT

Rel.Mat. Rede e Tomada MT Rel.Mat. Rede e Tomada MT INSTALAÇÃO DE MATERIAIS RD Engenharia Elétrica 20 anos ERM de Santa : Cruz do Sul E-0 Relação de materiais p/extensão de rede de MT e Tomada - S. Cruz do Sul Materiais padronizados

Leia mais

ANEXO I ANATEL - AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES

ANEXO I ANATEL - AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES ANEXO I ANATEL - AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES PROJETO DE INSTALAÇÕES DE REDE LOCAL DE COMPUTADORES E DE SPDA (SISTEMA DE PROTEÇÃO CONTRA DESCARGAS ATMOSFÉRICAS) DO ESCRITÓRIO REGIONAL ER-8 - SALVADOR-BA

Leia mais

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-001

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-001 NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-001 FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM TENSÃO SECUNDÁRIA EDIFICAÇÕES INDIVIDUAIS OU AGRUPADAS ATÉ 3 UNIDADES CONSUMIDORAS APROVAÇÃO Júlio César Ragone Lopes Diretor

Leia mais

Adaptação do galpão de aqüicultura do campus Fazenda Experimental e da sala destinada aos técnicos do núcleo de atendimento ao dicente e docente.

Adaptação do galpão de aqüicultura do campus Fazenda Experimental e da sala destinada aos técnicos do núcleo de atendimento ao dicente e docente. PROJETO BÁSICO: Adaptação do galpão de aqüicultura do campus Fazenda Experimental e da sala destinada aos técnicos do núcleo de atendimento ao dicente e docente 1. IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO 1.1 Título do

Leia mais

PROJETO SPDA UBS - UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE - TIPO 1 PADRE PAULO PREFEITURA DE CÁCERES

PROJETO SPDA UBS - UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE - TIPO 1 PADRE PAULO PREFEITURA DE CÁCERES Oc» MufiCipioe ASSOCIAÇÃO MATOGROSSENSE DOS MUNICÍPIOS SITE: wmv.amni.urg.hr - E-mail: engenharia:^ ainni.org. h r AV. RUBENS DE MENDONÇA, N 3.920 - CEP 78000-070 - CUIABÁ - MT FONE: (65) 2123-1200 - FAX:

Leia mais

Estimativa. Unioeste 33789/2011 Cod. Fornecedor Classificação Vlr.Un. Total. Setor Processo Item edital

Estimativa. Unioeste 33789/2011 Cod. Fornecedor Classificação Vlr.Un. Total. Setor Processo Item edital Filtrado por ( : = '' ) E (Imprimir quantidades por setor de consumo = Sim) 23/01/2012 11:28:06 Page 1 of 1 Fornecedor Classificação Vlr.Un. 1 8300 Cabo UTP Cat 5e Premium FURUKAWA PROENERG ENGENHARIA

Leia mais

REDES DE DISTRIBUIÇÃO ADENDO 1 MANUAL DE PROCEDIMENTOS DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO

REDES DE DISTRIBUIÇÃO ADENDO 1 MANUAL DE PROCEDIMENTOS DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO MPN-DP-/MN-002 MANUAL DE Página 1 de 26 08/03/26 RES nº. 053/26, 08/03/26 MANUAL DE ADENDO 1 MPN-DP-/MN-002 Página 2 de 26 08/03/26 RES nº. 053/26, 08/03/26 Sumário 1. OBJETIVO... 3 2. APLICAÇÃO... 3 3.

Leia mais

Estruturas para Redes Aéreas Isoladas de Distribuição de Energia Elétrica

Estruturas para Redes Aéreas Isoladas de Distribuição de Energia Elétrica Estruturas para Redes Aéreas Isoladas de Distribuição de Energia Elétrica 09/2013 NORMA ELEKTRO Eletricidade e Serviços S.A. Diretoria de Operações Rua Ary Antenor de Souza, 321 Jd. Nova América Campinas

Leia mais

AFASTAMENTOS PADRONIZADOS - CIRCUITO SIMPLES - Chave na Vertical

AFASTAMENTOS PADRONIZADOS - CIRCUITO SIMPLES - Chave na Vertical AFASTAMENTOS PADRONIZADOS - CIRCUITO SIMPLES - Chave na Vertical OBS.: 1. Medidas em centímetros. 2. Deverá atender os Afastamentos Mínimos na Estrutura - 856 000. 3. A estrutura indicada no desenho é

Leia mais

PADRÃO DE SUBESTAÇÃO PS 052/2003

PADRÃO DE SUBESTAÇÃO PS 052/2003 C O ELCE C om panhia Energética do Ceará PADRÃO DE SUBESTAÇÃO PS 052/2003 DETALHES DE INSTALAÇÃO E MONTAGEM DE EQUIPAMENTOS E MATERIAIS 72,5 15 kv COELCE C om panhia Energética do Ceará Código PADRÃO

Leia mais

Cabo de cobre de 25 mm², tensão de isolamento 8,7/15 kv - isolação m EPR 90 C M 30 R$ 20,58 R$ 617,36 R$ 11,14 R$ 334,26 R$ 951,62

Cabo de cobre de 25 mm², tensão de isolamento 8,7/15 kv - isolação m EPR 90 C M 30 R$ 20,58 R$ 617,36 R$ 11,14 R$ 334,26 R$ 951,62 FUNDAÇÃO HEMOCENTRO DE RIBEIRÃO PRETO - NÚCLEO DE HEMOTERAPIA DE TAUBATÉ ADEQUAÇÃO DAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS E FORNECIMENTO E INSTALAÇÃO DE GRUPO GERADOR PLANILHA QUANTITATIVA E ESTIMATIVA DE CUSTO Item

Leia mais

ORIENTAÇÃO TÉCNICA - DISTRIBUIÇÃO OTD REDE COMPACTA ENTRADA CLIENTE. Sumário

ORIENTAÇÃO TÉCNICA - DISTRIBUIÇÃO OTD REDE COMPACTA ENTRADA CLIENTE. Sumário Sumário 1. Objetivo 2. Âmbito de Aplicação 3. Documentos de Referência 4. Requisitos Ambientais 5. Condições Gerais 6. Ramal de Entrada Subterrâneo 6.1. CE2H ES Poste de Concreto de Seção Circular 6.2.

Leia mais

MONTAGEM DE REDE AÉREA SECUNDÁRIA COM CABOS MULTIPLEX NTD-09

MONTAGEM DE REDE AÉREA SECUNDÁRIA COM CABOS MULTIPLEX NTD-09 MONTAGEM DE REDE AÉREA SECUNDÁRIA COM CABOS MULTIPLEX NTD-09 CONTROLE DE VERSÕES NTD 09 MONTAGEM DE REDE AÉREA SECUNDÁRIA Nº.: DATA VERSÃO 0 02/09 Revisão 0 02 05/0 Revisão 02 ÍNDICE APRESENTAÇÃO... 04/48.

Leia mais

Padrão de entrada PCI-3

Padrão de entrada PCI-3 Padrão de entrada PCI-3 padrão de entrada Relação de Materiais Item Qtde. Un. Descrição 01 01 pç 02 Fornecido e instalado pela EDP 03 Variável m Poste com caixa incorporada tipo PCI-3 (ver nota 4) Ramal

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

MEMORIAL DESCRITIVO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS UESPI UNIVERSIDADE ESTADUAL DO PIAUÍ MEMORIAL DESCRITIVO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS CAMPUS DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE OEIRAS 1 FAZENDA TALHADA, S/N OEIRAS-PI ÍNDICE 1.0 DADOS GERAIS...4 2.0 OBJETIVO...4

Leia mais

Unid. Quant. Unid. Quant.

Unid. Quant. Unid. Quant. LUMINÁRIAS Material unid. Quant. Interruptor Simples de 1 seção(10a - 250V) embutido na parede pç 112 Interruptor Simples de 2 seções(10a - 250V) embutido na parede pç 142 Interruptor Simples de 3 seções(10a

Leia mais

ÍNDICE DE REVISÕES DESCRIÇÃO E/OU FOLHAS ATINGIDAS

ÍNDICE DE REVISÕES DESCRIÇÃO E/OU FOLHAS ATINGIDAS CLIENTE: ÁREA: UNIFACS UNIVERSIDADE SALVADOR DISCIPLINA DE EXPRESSÃO GRÁFICA E PROJETOS CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA - ELETROTÉCNICA FOLHA: SEP: RLAM: ÍNDICE DE REVISÕES 1 de 18 Emissão original. DESCRIÇÃO

Leia mais

www.star.ind.br Fone: (19) 3864-1007

www.star.ind.br Fone: (19) 3864-1007 www.star.ind.br Fone: (19) 3864-1007 Módulo Disjuntor Introdução O seu Módulo Disjuntor reúne o que há de mais recente em tecnologia para valorizar ainda mais o seu empreendimento. Para maximizar a performance

Leia mais

MONTAGEM DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA URBANA-13,8 e 34,5kV NTD 11

MONTAGEM DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA URBANA-13,8 e 34,5kV NTD 11 MONTAGEM DE S DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA URBANA-13,8 e 34,5kV NTD 11 CONTROLE DE VERSÕES NTD 11 - MONTAGEM DE S DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA URBANA-13,8 e 34,5kV Nº.: DATA VERSÃO 01 12/2004 Original 02 03/2009 Revisão

Leia mais

Aula 5 Projetos elétricos

Aula 5 Projetos elétricos Aula 5 Projetos elétricos Um projeto elétrico é um conjunto de símbolos desenhados sobre uma planta baixa interligados de tal forma para mostrar com deve ser executada a obra. Todo projeto elétrico residencial,

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS E VIAÇÃO DIVISÃO DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS E VIAÇÃO DIVISÃO DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA ANEXO XI - MODELO DE ORÇAMENTO- Adequação das instalações de energia elétrica - Usinas de Asfalto DCVU/SMOV Elétrica - Material Unidade Quant. Custo Unit R$ Custo Total R$ Braçadeira de nylon Comprim.

Leia mais

Professor: José Junio Lopes

Professor: José Junio Lopes Aula 2 - Tensão/Tensão Normal e de Cisalhamento Média; Tensões Admissíveis. A - Tensão Normal Média 1. Exemplo 1.17 - A luminária de 80 kg é sustentada por duas hastes, AB e BC, como mostra a Figura 1.17a.

Leia mais

Montagem de Redes de Distribuição - Equipamentos Especiais Religadores instalados perpendicularmente à linha e SEM necessidade de TP KF KFE SEV

Montagem de Redes de Distribuição - Equipamentos Especiais Religadores instalados perpendicularmente à linha e SEM necessidade de TP KF KFE SEV AFASTAMENTOS PADRONIZADOS OBS.: 1. Medidas em centímetros 2. Desenho ilustrativo do religador KF. Pode ser construída com outros religadores que são instalados na mesma posição (perpendicular à linha)

Leia mais

ESTRUTURA ALTERNATIVA B4 PR-SF6 AFASTAMENTOS

ESTRUTURA ALTERNATIVA B4 PR-SF6 AFASTAMENTOS ESTRUTURA ALTERNATIVA B4 PR-SF6 AFASTAMENTOS 600 600 250 500 850 7300 1900 1800 9200 850 150 12000 (1) Medidas em milímetros. EMISSÃO: CT/PRJ-FEVEREIRO/04 REVISÃO: CNT -JUNHO/10 FOLHA : 1 / 7 ESTRUTURA

Leia mais

2.0- INSTALAÇÕES ELÉTRICAS ITEM I.1 - INSTALAÇÃO DE TRANSFORMADOR 45KVA PARA ILUMINAÇÃO DAS AVENIDAS

2.0- INSTALAÇÕES ELÉTRICAS ITEM I.1 - INSTALAÇÃO DE TRANSFORMADOR 45KVA PARA ILUMINAÇÃO DAS AVENIDAS PLANILHA ORÇAMENTÁRIA - PROJETO DE ELETRIFICAÇÃO PÚBLICA - CJK UFVJM - ETAPA II/FASE II ** Preços unitários e totais do material, mão de obra de instalação, equipamentos, BDI e outros ** preço unit (inclusv

Leia mais

PRODUTOS ELETROMETALÚRGICOS

PRODUTOS ELETROMETALÚRGICOS PRODUTOS ELETROMETALÚRGICOS Perfilado Perfurado 38x38x3000/6000mm Perfilado com 2 furos nas pontas 38x38x3000/6000mm Perfilado liso 19x38x3000/6000mm Perfilado Perfurado 19x38x3000/6000mm Perfilado perfurado

Leia mais

Resistência e Inovação

Resistência e Inovação Resistência e Inovação Av. Tancredo Neves, 112 - Timbó/SC +55 (47) 3382-7859 vendas@msartefatos.com.br A EMPRESA A MS Artefatos de Metal Ltda. é uma empresa com mais de 15 anos de mercado, inicialmente

Leia mais

ORIENTAÇÃO TÉCNICA - DISTRIBUIÇÃO OTD REDE CONVENCIONAL CHAVE FUSÍVEL. Sumário

ORIENTAÇÃO TÉCNICA - DISTRIBUIÇÃO OTD REDE CONVENCIONAL CHAVE FUSÍVEL. Sumário Sumário 1. Objetivo 2. Âmbito de Aplicação 3. Documentos de Referência 4. Requisitos Ambientais 5. Condições Gerais 6. Estruturas de Derivação com Chaves Fusíveis 6.1. Estrutura M1-N3 com Chave Fusível

Leia mais

ORIENTAÇÃO TÉCNICA - DISTRIBUIÇÃO OTD REDE COMPACTA CHAVE FUSÍVEL. Sumário

ORIENTAÇÃO TÉCNICA - DISTRIBUIÇÃO OTD REDE COMPACTA CHAVE FUSÍVEL. Sumário Sumário 1. Objetivo 2. Âmbito de Aplicação 3. Documentos de Referência 4. Requisitos Ambientais 5. Condições Gerais 6. Estruturas de Derivação com Chaves Fusíveis 6.1. Estrutura CE2-CE3 CF Poste de Concreto

Leia mais

1/8 EF-30. Esquadria de ferro para duto de capela (L=90cm) Componentes. Código de listagem. Atenção. Revisão Data Página 1 27/03/15

1/8 EF-30. Esquadria de ferro para duto de capela (L=90cm) Componentes. Código de listagem. Atenção. Revisão Data Página 1 27/03/15 /8 2/8 3/8 4/8 5/8 6/8 7/8 8/8 DESCRIÇÃO Constituintes Contra-marcos e perfis conforme bitolas especificadas nos desenhos. --Obs.: Em regiões litorâneas ou outros locais sujeitos à atmosfera corrosiva

Leia mais

Apostila de Instalações Elétricas

Apostila de Instalações Elétricas 12.1 Eletrodutos Para se determinar a medida dos eletrodutos deve-se: medir, diretamente na planta, os eletrodutos representados no plano horizontal e somar, quando for o caso, os eletrodutos que descem

Leia mais

Memorial de Projeto: Instalações Hidráulicas

Memorial de Projeto: Instalações Hidráulicas Pág. 1 Memorial de Projeto: Instalações Hidráulicas Cliente: Unidade: Assunto: Banco de Brasília - BRB DITEC Reforma das instalações Código do Projeto: 1564-12 Pág. 2 Índice Sumário 1. Memorial Descritivo

Leia mais

Diretoria Técnica Planejamento e Engenharia Engenharia e Obra

Diretoria Técnica Planejamento e Engenharia Engenharia e Obra PADRÃO DE MEDIÇÃO INDIVIDUAL DE CLIENTES EM BAIXA TENSÃO COMUNICADO A Ampla Energia e Serviços S/A comunica que visando favorecer ao consumidor na construção de instalação para medição de energia em baixa

Leia mais

ILUMINAÇÃO INDUSTRIAL

ILUMINAÇÃO INDUSTRIAL ILUMINAÇÃO INDUSTRIAL 2 ILUMINAÇÃO INDUSTRIAL LUMINÁRIAS INDUSTRIAIS EM ALUMÍNIO REPUCHADO OU POLICARBONATO/ACRÍLICO LI 201 LI 201 535 mm 355 mm LI 202 560 mm/ 460 mm 450 mm 520 mm EXTRAS ARANDELA INDUSTRIAL

Leia mais

Montagem de Redes de Distribuição - Equipamentos Especiais Religadores instalados perpendicularmente à linha e SEM necessidade de TP KF KFE SEV

Montagem de Redes de Distribuição - Equipamentos Especiais Religadores instalados perpendicularmente à linha e SEM necessidade de TP KF KFE SEV AFASTAMENTOS PADRONIZADOS OBS.: 1. Medidas em centímetros 2. Desenho ilustrativo do religador KF. Pode ser construída com outros religadores que são instalados na mesma posição (perpendicular à linha)

Leia mais

Fornecimento de Energia Elétrica a Edifícios de Uso Coletivo e Medição Agrupada

Fornecimento de Energia Elétrica a Edifícios de Uso Coletivo e Medição Agrupada Fornecimento de Energia Elétrica a Edifícios de Uso Coletivo e Medição Agrupada Revisão 04 06/2014 NORMA ND.26 ELEKTRO Eletricidade e Serviços S.A. Diretoria de Operações Gerência Executiva de Engenharia,

Leia mais

Padrão de Entrada COELBA. Padrão de Entrada Monofásico

Padrão de Entrada COELBA. Padrão de Entrada Monofásico Padrão de Entrada COELBA Informações do site www.coelba.com.br Padrão de Entrada é o conjunto de instalações composto de caixa de medição, sistema de aterramento, condutores e outros acessórios indispensáveis

Leia mais

CATÁLOGO DE PRODUTO.

CATÁLOGO DE PRODUTO. CATÁLOGO DE PRODUTO www.paraeng.com.br Captor Tipo Franklin Rosca 3/4" Latão niquelado PPR-0101 1 descida 250mm PPR-0102 1 descida 300mm PPR-0103 1 descida 350mm PPR-0104 2 descida 250mm PPR-0105 2 descida

Leia mais

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-001 FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM TENSÃO SECUNDÁRIA

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-001 FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM TENSÃO SECUNDÁRIA NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-001 FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM TENSÃO SECUNDÁRIA EDIFICAÇÕES INDIVIDUAIS OU AGRUPADAS ATÉ 3 UNIDADES CONSUMIDORAS SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 1 2. EXCEÇÕES...

Leia mais

PLP BRASIL. Seção 8 OPGW

PLP BRASIL. Seção 8 OPGW Transmissão: Seção 8 PLP BRASIL Seção 8 OPGW Índice Página Grampo de Suspensão Fiberlign 4300 8-2 Grampo de Ancoragem Fiberlign GAF 8-3 Reparo Preformado Fiberlign AWLS 8-4 Caixa de Emenda para Cabos de

Leia mais

Bairro: Zona Rural N e data da ART de projeto: N e data da art de execução:

Bairro: Zona Rural N e data da ART de projeto: N e data da art de execução: P A R A Carga Instalada: Demandas: 86,6 kw KW: 52 KVA: 56 U S O D A C E M I G Desenho: Conteúdo: Cálculo de demanda, carga instalada, situação, diagrama unifilar, quadro de medidores, dimensionamentos

Leia mais

Chave Fusível Religadora

Chave Fusível Religadora INSTALAÇÃO MONOFÁSICA: N O Data Revisões Visto Vanderlei Robadey Aprov. Antônio C.Alves Página 1 de 5 ITEM QUANTIDADE C M MATERIAIS M4 02 02 ALÇA PREFORMADA OLHAL DE DISTRIBUIÇÃO A2 03 05 ARRUELA E14 01

Leia mais

Sumário. CÓDIGO: NTD DATA DE VIGÊNCIA: 10/07/2012 TÍTULO: Estrutura do SEMTS na Rede de MT VERSÃO NORMA: 1.1

Sumário. CÓDIGO: NTD DATA DE VIGÊNCIA: 10/07/2012 TÍTULO: Estrutura do SEMTS na Rede de MT VERSÃO NORMA: 1.1 Sumário 1 Objetivo... 2 2 Âmbito de aplicação... 2 3 Norma complementar... 2 4 Diretrizes para elaboração do projeto... 2 4.1 Local da aplicação... 2 4.2 Escolha do poste de concreto... 2 4.3 Estrutura

Leia mais

SOLDAGEM S99. Dimensões. Características Técnicas. Montagem CONJUNTO DE REPARO - COD B1562 (MONTADO) Registro Dupla Saída Oxigênio.

SOLDAGEM S99. Dimensões. Características Técnicas. Montagem CONJUNTO DE REPARO - COD B1562 (MONTADO) Registro Dupla Saída Oxigênio. Registro Dupla Saída Oxigênio série FDS modelo FDS-30 Construído em Latão com sistema de fechamento tipo agulha em aço inox, são utilizados para distribuição de oxigênio através de mangueiras. Dimensões

Leia mais

Sumário ORIENTAÇÃO TÉCNICA - DISTRIBUIÇÃO OTD REDE CONVENCIONAL ENTRADA CLIENTE

Sumário ORIENTAÇÃO TÉCNICA - DISTRIBUIÇÃO OTD REDE CONVENCIONAL ENTRADA CLIENTE Sumário 1. Objetivo 2. Âmbito de Aplicação 3. Documentos de Referência 4. Requisitos Ambientais 5. Condições Gerais 6. Ramal de Entrada Subterrâneo de Cliente 6.1. Ramal Simples em Estrutura M1 6.2. Ramal

Leia mais

ORIENTAÇÃO TÉCNICA - DISTRIBUIÇÃO OTD REDE CONVENCIONAL EQUIPAMENTOS. Sumário

ORIENTAÇÃO TÉCNICA - DISTRIBUIÇÃO OTD REDE CONVENCIONAL EQUIPAMENTOS. Sumário Sumário 1. Objetivo 2. Âmbito de Aplicação 3. Documentos de Referência 4. Requisitos Ambientais 5. Condições Gerais 6. Banco Regulador de Tensão 6.1. Em Plataforma 6.1.1. Vista Lateral 6.1.2. Vista Frontal

Leia mais

O objetivo desta NTC é estabelecer a padronização das montagens de equipamentos especiais nas redes aéreas de distribuição.

O objetivo desta NTC é estabelecer a padronização das montagens de equipamentos especiais nas redes aéreas de distribuição. 1. OBJETIVO O objetivo desta NTC é estabelecer a padronização das montagens de equipamentos especiais nas redes aéreas de distribuição. 2. CAMPO DE APLICAÇÃO A presente NTC aplica-se às redes de distribuição

Leia mais

Sumário ORIENTAÇÃO TÉCNICA - DISTRIBUIÇÃO OTD REDE CONVENCIONAL SECCIONADOR UNIPOLAR

Sumário ORIENTAÇÃO TÉCNICA - DISTRIBUIÇÃO OTD REDE CONVENCIONAL SECCIONADOR UNIPOLAR Sumário 1. Objetivo 2. Âmbito de Aplicação 3. Documentos de Referência 4. Requisitos Ambientais 5. Condições Gerais 6. Estruturas de Derivação com Seccionador Unipolar 6.1. Estrutura M1-N3 com SU 6.2.

Leia mais

FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA A EDIFICAÇÕES COM MEDIÇÃO AGRUPADA NTD- 13

FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA A EDIFICAÇÕES COM MEDIÇÃO AGRUPADA NTD- 13 APRESENTAÇÃO...2 1. OBJETIVO... 3 2. AMPLITUDE... 3 3. RESPONSABILIDADE QUANTO AO CUMPRIMENTO... 3 4. CONCEITUAÇÃO... 3 5. INSTRUÇÕES GERAIS... 7 6. PROCEDIMENTOS...12 7. VIGÊNCIA... 20 8. APROVAÇÃO...

Leia mais

Linha Deslizante. Descrição do Produto

Linha Deslizante. Descrição do Produto Descrição do Produto Os portões deslizantes, mais conhecidos como portões de correr, abrem por deslizamentos sobre trilhos e trabalham com trilho inferiores ou superiores, bem aceitos no mercado, usados

Leia mais

E S P E C I F I C A Ç Õ E S T É C N I C A S

E S P E C I F I C A Ç Õ E S T É C N I C A S SUBGRUPO: 180400 CERCA / MURO FOLHA: SUMÁRIO 1. CERCA COM TELA DE ARAME GALVANIZADO E ESTACAS DE CONCRETO...1 1.1 OBJETIVO E DEFINIÇÕES...1 1.2 MATERIAIS...1 1.3 EQUIPAMENTOS...2 1.4 EXECUÇÃO...2 1.5 CONTROLE...2

Leia mais

REDE COMPACTA PARA-RAIOS. Sumário

REDE COMPACTA PARA-RAIOS. Sumário Sumário 1. Objetivo 2. Âmbito de Aplicação 3. Documentos de Referência 4. Requisitos Ambientais 5. Condições Gerais 6. Estruturas de Transição Rede Compacta Rede Nua com Para-Raios 6.1. Estrutura CE3.N3

Leia mais

CRR-RA CRR-RF CRR-RS Recorte Recorte Semi- Aberto Fechado Recortado

CRR-RA CRR-RF CRR-RS Recorte Recorte Semi- Aberto Fechado Recortado Dutos - Dutoplast Os dutos Dutoplast, protegem os cabos e fios contra todo o tipo de influência externa, e estão disponíveis em 4 recortes laterais diferentes, liso, recorte fechado, recorte aberto e semi

Leia mais

CARACTERÍSTICAS DESCRIÇÃO

CARACTERÍSTICAS DESCRIÇÃO caixa de junção CARACTERÍSTICAS Permite conexão fácil e segura em fieldbus (Fo u n d at i o n TM fieldbus, PROFIBUS) HART e na instrumentação convencional 4-20 ma; Ideal para ligações de sensores, atuadores

Leia mais

Sistema Normativo Corporativo

Sistema Normativo Corporativo Sistema Normativo Corporativo NORMA TÉCNICA VERSÃO Nº ATA Nº DATA DATA DA VIGÊNCIA 00 064 11/07/2011 05/09/2011 ELABORAÇÃO Agostinho G. Barreira ÍNDICE 1. RESUMO... 4 2. HISTÓRICO DAS REVISÕES... 4 3.

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA

ESTADO DE SANTA CATARINA Folha: 1/10 (As propostas serão abertas para julgamento às 09:15 horas do dia 23/05/2011). Fornecedor:... Endereço:... Cidade:... Estado:... Telefone: CNPJ / CPF:... Inscrição Estadual:... Fax: Validade

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA CLIENTE: UNIFACS UNIVERSIDADE SALVADOR DISCIPLINA DE EXPRESSÃO GRÁFICA E PROJETOS ELÉTRICOS

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA CLIENTE: UNIFACS UNIVERSIDADE SALVADOR DISCIPLINA DE EXPRESSÃO GRÁFICA E PROJETOS ELÉTRICOS ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA CLIENTE: PROGRAMA: ÁREA: UNIFACS UNIVERSIDADE SALVADOR DISCIPLINA DE EXPRESSÃO GRÁFICA E PROJETOS ELÉTRICOS CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA ELETROTÉCNCIA FOLHA 1 de 5 ÍNDICE DE REVISÕES

Leia mais

02.01.01.02.001 02.01.02.02.001

02.01.01.02.001 02.01.02.02.001 INFRAERO RJ.06/432.92/2073/00 33/58 02.01.01.02 02.01.02.02 FORNECIMENTO E INSTALAÇÃO DE TUBULAÇÕES E ACESSÓRIOS DA CASA DE BOMBAS Descrição: O fornecimento e instalação de tubulações e acessórios da casa

Leia mais

Banco de Reguladores de Tensão para Rede de Distribuição

Banco de Reguladores de Tensão para Rede de Distribuição INSTALAÇÃO FASE A: N O Data Revisões Visto Vanderlei Robadey Página 1 de 6 INSTALAÇÃO FASE B: N O Data Revisões Visto Vanderlei Robadey Página 2 de 6 INSTALAÇÃO FASE C: N O Data Revisões Visto Vanderlei

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO DA CORTINA DE AR INTERNATIONAL

MANUAL DE INSTALAÇÃO DA CORTINA DE AR INTERNATIONAL MANUAL DE INSTALAÇÃO DA CORTINA DE AR INTERNATIONAL APRESENTAÇÃO Agradecemos pela preferência na escolha de produtos International Refrigeração. Este documento foi elaborado cuidadosamente para orientar

Leia mais

Instalações Elétricas de BT I. Odailson Cavalcante de Oliveira

Instalações Elétricas de BT I. Odailson Cavalcante de Oliveira Instalações Elétricas de BT I Odailson Cavalcante de Oliveira Componentes das instalações Componente: podem ser materiais, acessórios, dispositivos, instrumentos, equipamentos, máquinas, conjuntos, partes

Leia mais

APRENDIZAGEM INDUSTRIAL. UNIDADE 4 Práticas de Instalação

APRENDIZAGEM INDUSTRIAL. UNIDADE 4 Práticas de Instalação APRENDIZAGEM INDUSTRIAL UNIDADE 4 Práticas de Instalação Instalação de cabos e hardware metálicos Devem ser instalados de forma que se permita uma inspeção visual. Cabos com capa danificada; Cabos com

Leia mais

Segurança Industrial Equipamentos SEGURANÇA EM PRIMEIRO LUGAR

Segurança Industrial Equipamentos SEGURANÇA EM PRIMEIRO LUGAR Telefones para Atmosfera Explosiva, Gás e Poeira - TUC229A1IN Telefone para uso industrial, classificado para uso em atmosferas explosivas no grupos IIC na zona II2GD (Gás e poeira). Carcaça na cor laranja

Leia mais

DEPARTAMENTO DE MANUTENÇÃO MEMORIAL TÉCNICO: CONSTRUÇÃO DE SUBESTAÇÃO EM POSTE SIMPLES COM CABINA DE MEDIÇÃO INDIRETA DE ENERGIA ELÉTRICA EM BT RESUMO

DEPARTAMENTO DE MANUTENÇÃO MEMORIAL TÉCNICO: CONSTRUÇÃO DE SUBESTAÇÃO EM POSTE SIMPLES COM CABINA DE MEDIÇÃO INDIRETA DE ENERGIA ELÉTRICA EM BT RESUMO DEPARTAMENTO DE MANUTENÇÃO MEMORIAL TÉCNICO: CONSTRUÇÃO DE SUBESTAÇÃO EM POSTE SIMPLES COM CABINA DE MEDIÇÃO INDIRETA DE ENERGIA ELÉTRICA EM BT SANEP Sede Fragata Av. Duque de Caxias, 71 RESUMO O presente

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO SISTEMA DE PROTEÇÃO CONTRA DESCARGAS ATMOSFÉRICAS

MEMORIAL DESCRITIVO SISTEMA DE PROTEÇÃO CONTRA DESCARGAS ATMOSFÉRICAS MEMORIAL DESCRITIVO SISTEMA DE PROTEÇÃO CONTRA DESCARGAS ATMOSFÉRICAS PROPRIETÁRIO.: TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE GOIÁS - TCE OBRA: CONSTRUÇÃO DA NOVA SEDE ENDEREÇO: RUA UBIRAJARA BEROCAN LEITE - GOIÂNIA-GO

Leia mais

Bancada de Comandos Elétricos - XE 301 -

Bancada de Comandos Elétricos - XE 301 - T e c n o l o g i a Bancada de Comandos Elétricos - XE 301 - Os melhores e mais modernos MÓDULOS DIDÁTICOS para um ensino tecnológico de qualidade. Bancada de Comandos Elétricos - XE301 - INTRODUÇÃO Os

Leia mais

Divisão da instalação em circuitos

Divisão da instalação em circuitos Divisão da instalação em circuitos 285 Tipo de proteção a ser empregada Vamos optar pela instalação do DR nos circuitos terminais e DTM na entrada + demais terminais. 286 Página 143 Tipo de proteção a

Leia mais

O objetivo desta NTC é estabelecer a padronização das montagens de equipamentos especiais nas redes aéreas de distribuição.

O objetivo desta NTC é estabelecer a padronização das montagens de equipamentos especiais nas redes aéreas de distribuição. 1. OBJETIVO O objetivo desta NTC é estabelecer a padronização das montagens de equipamentos especiais nas redes aéreas de distribuição. 2. CAMPO DE APLICAÇÃO A presente NTC aplica-se às redes de distribuição

Leia mais

Critérios Básicos para Elaboração de Projeto e Construção de Rede de Distribuição com Poste de Concreto Duplo T

Critérios Básicos para Elaboração de Projeto e Construção de Rede de Distribuição com Poste de Concreto Duplo T ITA 012 Rev. 1 Janeiro / 2007 Praça Leoni Ramos n 1 São Domingos Niterói RJ Cep 24210-205 http:\\ www.ampla.com Critérios Básicos para Elaboração de Projeto e Construção de Rede de Distribuição com Poste

Leia mais

Bancada de Medidas Elétricas - XE 201 -

Bancada de Medidas Elétricas - XE 201 - T e c n o l o g i a Bancada de Medidas Elétricas - XE 201 - Os melhores e mais modernos MÓDULOS DIDÁTICOS para um ensino tecnológico de qualidade. Bancada de Medidas Elétricas - XE201 - INTRODUÇÃO Os conhecimentos

Leia mais

Instruções complementares. Conector de encaixe M12 x 1. para sensores de medição contínua. Document ID: 30377

Instruções complementares. Conector de encaixe M12 x 1. para sensores de medição contínua. Document ID: 30377 Instruções complementares Conector de encaixe M2 x para sensores de medição contínua Document ID: 30377 Índice Índice Para sua segurança. Utilização conforme a finalidade... 3.2 Utilização não permitida...

Leia mais

Conferência do Projeto

Conferência do Projeto 214-DPDORC4B 22/4/214 1 de 5 12/2/214 1:9.23 CARACTERIZAÇÃO Data Projeto Nº Pedido Finalidade 16/7/213 Título Implantação de SE Descrição da Obra: Tipo da Obra: IMPLANTAÇÃO EXPANSÃO DA REDE ELÉTRICA (ALTA

Leia mais

4.1 Esquema de ligação para Baixa Tensão

4.1 Esquema de ligação para Baixa Tensão 15 4 Esquemas elétricos 4.1 Esquema de ligação para Baixa Tensão Os projetos elétricos em baixa tensão devem ser utilizados, conforme esquemas de ligação, onde as ligações são desenvolvidas através de

Leia mais