Universidade Fundação Oswaldo Aranha - UNIFOA. Curso de Pós-Graduação em Comunicação Integrada de Marketing

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Universidade Fundação Oswaldo Aranha - UNIFOA. Curso de Pós-Graduação em Comunicação Integrada de Marketing"

Transcrição

1 Universidade Fundação Oswaldo Aranha - UNIFOA Curso de Pós-Graduação em Comunicação Integrada de Marketing André Edson Ribeiro de Souza Aprigio Daniel Reis MARKETING DE RELACIONAMENTO E SATISFAÇÃO: UM ESTUDO SOBRE O ROTARY INTERNATIONAL Maceió 26

2 André Edson Ribeiro de Souza Aprigio Daniel Reis MARKETING DE RELACIONAMENTO E SATISFAÇÃO: UM ESTUDO SOBRE O ROTARY INTERNATIONAL Monografia apresentada à Banca Examinadora do Programa de Avaliação de Ensino, da UNIFOA, como requisito para obtenção do título de especialista Latu Senso Comunicação Integrada de Marketing, sob a orientação do Professor Esp. César Lonn Pinto. Maceió 26

3 André Edson Ribeiro de Souza Aprigio Daniel Reis MARKETING DE RELACIONAMENTO SATISFAÇÃO: UM ESTUDO SOBRE O ROTARY INTERNATIONAL Monografia apresentada à Universidade Fundação Oswaldo Aranha - UNIFOA, como parte dos requisitos para obtenção do Título de Especialista em Comunicação Integrada de Marketing. Orientador: Prof. Esp. César Lonn Pinto 1º Examinador: 2º Examinador: Data da aprovação: / / 26

4 Dedicamos este trabalho aos nossos pais, familiares, companheiros de Rotary e amigos.

5 AGRADECIMENTOS Obrigado Senhor, por esta tarefa cumprida, esta etapa superada e este sonho realizado. A Deus, nosso melhor fornecedor, de quem somos clientes fiéis e encantados. A nossa família e amigos, dois grupos de fornecedores de carinho, afeto, compreensão, que suportaram nossas ansiedades e inquietações, compreenderam a ausência e incentivaram-nos nos momentos de cansaço e desânimo. Ao Professor Especialista César Lonn Pinto, pelos ensinamentos, orientação e, principalmente, amizade. A todos aqueles que, de uma maneira ou de outra, contribuíram para a realização deste, quer ajudando, quer não atrapalhando.

6 Com um olhar atento Ele chega, às vezes inibido e, Em certas ocasiões, atrevido. Ele bota a mão em tudo, Especula sobre tudo, Mas nem sempre leva alguma coisa. Com olhar atento Ele demonstra sonhar, olhando vividamente tudo. Desmancha-se de prazer, às vezes Demonstra irritação e raiva, n outras vezes. Reclama, clama e de vez em quando, agradece. Canta aos quatro cantos do mundo A melodia que lhe agradou. Desanima até os mais ávidos a experimentar, O que não lhe completou. Às vezes cliente, às vezes não, Às vezes contemplando, às vezes comprando. Mas, na verdade, sempre avaliando, Como e o que lhe oferecem, Nesta taça da vida onde o vinho Seja novo, ou seja velho, Tem que ser bem servido pra ser bebido. Marcos de Freitas Pintaud

7 APRIGIO, André Edson Ribeiro de Souza. REIS, Daniel. Marketing de relacionamento e satisfação: um estudo sobre o Rotary International. 26. Trabalho de Conclusão de Curso de Pós-Graduação em Comunicação Integrada de Marketing Universidade Fundação Oswaldo Aranha - UNIFOA, Maceió, 26. RESUMO Este trabalho tem a finalidade de analisar o nível de satisfação dos rotarianos do Distrito 439 do Rotary International, que compreende os estados de Alagoas, Sergipe e parte norte da Bahia, ao tempo em que se dispõe a identificar que ações específicas a organização tem tomado no sentido de atender/superar as expectativas e anseios dos seus sócios. Para tanto, as pesquisas de natureza bibliográfica e de campo, fundamentaram-se nos autores que realizam estudos na área de Marketing de Relacionamento e de Marketing de Serviços, tais como KOTLER (1998), MOLLER e BARLOW (1996), McKENNA (1992), entre outros. Foi aplicado um questionário com sócios dos Rotary Clubes de Maceió e do interior de Alagoas. A análise demonstrou que os sócios demandam por mais oportunidades de servir à comunidade em que estão inseridos e que os clubes, não obstante seus princípios e objetivos, em sua maioria, são negligentes nesse aspecto. Nesse contexto, tem-se, como conseqüência, uma crescente insatisfação dos sócios, causando diminuição do quadro social dos Rotary Clubes, bem como uma dificuldade, cada vez maior, de se prospectar novos sócios, o que corroborou a hipótese deste trabalho. PALAVRAS-CHAVE: Marketing, satisfação, Rotary International, ONG.

8 APRIGIO, André Edson Ribeiro de Souza. REIS, Daniel. Marketing de relacionamento e satisfação: um estudo sobre o Rotary International. 26. Trabalho de Conclusão de Curso de Pós-Graduação em Comunicação Integrada de Marketing Universidade Fundação Oswaldo Aranha - UNIFOA, Maceió, 26. ABSTRACT The purpose of this work is to analyze the level of Rotary Clubs member s satisfaction in District 439, that includes the states of Alagoas, Sergipe and the north of Bahia, as to identify what actions the organization has been taking in order to assist / overcome the rotarian's expectations and longings. For that matter, those field and bibliographical researches were based on authors that accomplish studies on Relationship Marketing and Service Marketing, such as KOTLER (1998), MOLLER & BARLOW (1996), and McKENNA (1992), among others. A questionnaire was applied to members of Rotary Clubs of Maceió and to members of two Rotary Clubs located in the countryside of Alagoas. The analysis demonstrated that the members demand for more opportunities for community service, and that the clubs, even though they are supposed to provide community service opportunities, most of them are negligent in that aspect. As a consequence of this context, there is a growing dissatisfaction of the members of the Rotary Clubs in Distritct 439, causing a decrease in the number of Rotarians, as well as a continuous difficulty of getting new members, what have corroborated the hypothesis of this work. KEY WORDS: Marketing, satisfaction, Rotary International, NGO.

9 SUMÁRIO INTRODUÇÃO...12 CAPÍTULO 1 MARKETING: ALGUMAS NOÇÕES BÁSICAS Breve Histórico e Definição O que é Marketing de Relacionamento?...15 CAPÍTULO 2 SATISFAÇÃO DO CLIENTE Satisfação: uma definição Satisfação: um padrão lógico Endomarketing... 2 CAPÍTULO 3 ROTARY INTERNATIONAL Histórico do Rotary International Os clubes Análise SWOT do Rotary International...26 CAPÍTULO 4 MARKETING DE RELACIONAMENTO E SATISFAÇÃO DO CLIENTE: UMA ANÁLISE DO DISTRITO 439 DO ROTARY INTERNATIONAL Alguns aspectos metodológicos da pesquisa Pesquisa de satisfação...33 CONCLUSÃO...42 REFERÊNCIAS...49 BIBLIOGRAFIA CONSULTADA...51 ANEXOS

10 INTRODUÇÃO Por meio do Marketing de Relacionamento, uma organização pode alcançar um posicionamento no mercado com seus produtos ou serviços, visando sempre satisfazer o cliente/sócio. Se a organização (o Rotary International, no caso em apreço) não ouve os seus membros, por outro lado, dificilmente conseguirá satisfazê-los e mantê-los fiéis a ela. Para se chegar a uma excelência de serviços prestados é necessário saber os desejos e necessidades da comunidade onde está inserido o Rotary Club, bem como dos sócios que fazem parte do mesmo. Ainda de acordo com McKENNA (1992), as relações são a chave da escolha do cliente. As empresas estão sempre analisando sua aceitação e criando soluções e, a partir das experiências analisadas, as empresas vão decidir o que investir no desenvolvimento do mercado. Nos Rotary Clubes, a necessidade de aumento de número de sócios em escala tem desencadeado um processo de admissão acirrado. O desafio, portanto, ultrapassa as delimitações de buscar novos membros, e sim priorizar a devida e imperativa satisfação dos atuais. Nesse quadro, é possível colocar o seguinte questionamento de pesquisa: Quando foi a última vez que os Rotary Clubes (ou Distritos) implementaram uma pesquisa de satisfação do sócio / cliente? Além disso, pode-se questionar o motivo pelo qual se decidiu enfocar o Rotary International. A resposta é que esse essa organização, mesmo que secular, encontra-se em livre crescimento, presente em 168 países, com vasta gama de

11 projetos internacionais, mas tendo experimentado uma crescente diminuição no número de sócios, mormente no Distrito 439, foco deste trabalho. Verifica-se, ainda, que os Rotary Clubes têm se preocupado muito em ampliar o seu quadro social, criar novos clubes, sendo a manutenção e a satisfação das necessidades dos seus sócios atuais renegada em detrimento de vários outros fatores o que resulta em várias solicitações de desligamento da organização, pouca prestação de serviços à comunidade local, principalmente quando levado em consideração o potencial do mercado onde estão inseridos os Rotary Clubes do Distrito 439 e, por último, porém não menos importante, a pouca (ou quase nenhuma) promoção institucional na mídia local. Ratificando esse contexto, nossa hipótese é a de que os Rotary Clubes do Distrito 439 não têm enveredado esforços no sentido de proporcionar maiores oportunidades de prestação de serviços à comunidade local, tampouco em promover-se institucionalmente na mídia local. Para expor o resultado das pesquisas, este trabalho foi organizado em quatro capítulos que tratam de Conceitos Básicos do Marketing e de Marketing de Relacionamento, no capítulo 1; da Satisfação do Cliente, no capítulo 2; Rotary International e Seus Sócios, no capítulo 3 e uma Análise do Rotary International com base no tema proposto: Marketing de Relacionamento e Satisfação do Cliente, no capítulo 4.

12 CAPÍTULO 1 - MARKETING: ALGUMAS NOÇÕES BÁSICAS 1.1- Breve Histórico e Definição A preocupação do homem com o marketing é, relativamente, contemporânea. O termo tomou notabilidade, apenas, a partir da década de 5, quando se passou a utilizá-lo para representar uma significante atividade empresarial. Todavia, as atividades de marketing constituem-se em uma das profissões mais antigas do mundo, conforme Kotler (1998). LEVITT (Marketing..., 24), em seu artigo Marketing Myopia (Miopia do Marketing), modificou o modo de pensar os negócios. O artigo é a consolidação do moderno conceito de marketing, em um texto extremamente valioso. Para Levitt (Marketing..., 24), " [...] o primeiro negócio de qualquer negócio é continuar no negócio. Para tanto, é preciso gerar e manter consumidores". Disse ele, ainda, sobre a distinção entre vendas e marketing, princípio basilar de sua tese: A diferença entre marketing e vendas é mais do que semântica. Vendas têm seu foco nas necessidades do vendedor, marketing nas do comprador. Vendas preocupam-se com a necessidade do vendedor de converter seu produto em dinheiro; marketing preocupase com a idéia de satisfazer as necessidades do consumidor com o produto. Segundo KOTLER (1998), o marketing - estudo dos processos e relações de troca - apareceu formalmente apenas no início do século XX. Cobra (1996), por sua vez, define o surgimento do termo marketing como: Marketing é uma expressão anglo-saxônica derivada da palavra mercari, do latim, que significa comércio ou ato de mercar, comercializar ou transacionar. O berço do marketing, para RICHERS

13 (1994), encontra-se indiscutivelmente nos Estados Unidos. Segundo ele, a difusão do marketing pelo mundo foi relativamente lenta, sendo que, mesmo na Europa, o marketing só começou a ser aceito após a Segunda Guerra Mundial. Apesar disso, historicamente, podemos caracterizar a Revolução Industrial como período que marca o aumento da oferta de produtos e da concorrência fazendo com que a produção não estivesse apenas voltada para o que, até então, era considerado básico. Inicia-se a eterna luta pela satisfação das necessidades humanas. Dentro desta lógica da natureza humana, KOTLER (1998) sugere que marketing é a atividade humana dirigida para a satisfação das necessidades e desejos, através dos processos de troca. Analisando essa proposta de KOTLER (1998), e sem querer abordar de forma mais aprofundada a questão, vê-se que, apesar das condições para a sobrevivência serem tão básicas, as necessidades do homem, assim como a sua evolução, são uma constante e o marketing encarrega-se de satisfazê-las. Não obstante os inúmeros conceitos de marketing, várias discussões surgiram em torno da aplicação social de todos eles. Foi então que KOTLER (1998, p.44) colocou, dentro dos conceitos de marketing, novos propósitos de conceito humano, conceito de consumo inteligente e conceito do imperativo ecológico, dando origem ao Marketing de Caráter Societal: O conceito de Marketing Societal assume que a tarefa da organização é determinar as necessidades, desejos e interesses dos mercados-alvos e atender às satisfações desejadas mais eficaz e eficientemente do que os concorrentes, de maneira a preservar ou ampliar o bem-estar dos consumidores e da sociedade. Esse novo conceito societal acrescenta o bem-estar do consumidor e do público a longo prazo além de exigir a inclusão de quatro considerações nas

14 tomadas de decisões: desejos dos consumidores, interesses dos consumidores, exigências da empresa e bem-estar social. O marketing societal desperta a preocupação em relação à má distribuição de renda e a necessidade de adequar produtos e serviços a populações diferenciadas. O grande ponto comum entre as definições de marketing é a busca pela satisfação dos clientes, e como conseqüência da busca da satisfação, está a identificação das necessidades. No processo de identificação pode ser utilizado um marketing baseado no conhecimento: de novas tecnologias, da concorrência, de seus clientes, de sua própria organização, recursos, planos e formas de fazer negócio; e a experiência, que enfatiza a interatividade, conectividade e criatividade (MCKENNA, 1992) O que é Marketing de Relacionamento? O conceito de Marketing de Relacionamento é relativamente recente, surgido nos anos 9. Como todos os conceitos da área de administração, este também surgiu de uma necessidade, imposta pelo mercado. Uma necessidade de reformulação da relação empresa/consumidor. O Marketing de Relacionamento era a forma com que se faziam os negócios antes da Revolução Industrial, antes dos produtos de massa e das grandes mídias. Esta citação clássica é fornecida por PEPPERS e ROGERS (2) colocando que o pensamento dos empresários da época era o de que o seu negócio coincidia exatamente com a participação no cliente.

15 Ainda, segundo os autores, o lojista era o responsável pelo marketing e levava um banco de dados na cabeça. Hoje, a tecnologia da informação dá possibilidades às grandes empresas de serem eficazes nos relacionamentos pessoais, tanto quanto os pequenos lojistas daquela época. Atualmente, como requisito competitivo, a qualidade do relacionamento com o cliente é a medida mais apropriada do sucesso. Segundo GORDON (22, p. 16): O marketing de relacionamento tem condições de oferecer às empresas uma série de vantagens importantes, tais como desenvolver a fidelidade entre os clientes, dispor de um ambiente que favoreça soluções inovadoras, estabelecer um local propício para testar novas idéias e alinhar a empresa com os clientes que valorizam o que ela tem a oferecer. Para KOTLER (1998, p.3): Marketing de relacionamento é a prática da construção de relações satisfatórias a longo prazo com partes-chaves [...] para reter sua preferência e negócios a longo prazo. Historicamente, o Marketing de Relacionamento é uma evolução do Marketing Direto, viabilizado pelos avanços nas tecnologias de comunicação e banco de dados. Adicionalmente, na visão de alguns autores, Marketing de Relacionamento é uma nova filosofia de gestão baseada na idéia que KOTLER (1998) já trabalha em seus livros, o Marketing Integrado acoplado a uma grande preocupação, não só com o cliente alvo da empresa, mas com a comunidade que a empresa está inserida. Na verdade, para o sucesso das organizações, os valores do Marketing de Relacionamento são elementos imprescindíveis. Esses valores são fundamentais para a definição da cultura organizacional de orientação para o relacionamento com

16 o consumidor, no caso em apreço, a comunidade. No Marketing de Relacionamento, há a possibilidade de os valores serem compartilhados com os clientes/sócios. Todavia, os valores do Marketing de Relacionamento não estão ligados exclusivamente ao objeto de troca, seja um produto ou um serviço. Muito pelo contrário. Os valores são quase sempre associados ao relacionamento entre clientes, empresas, fornecedores ou qualquer tipo de parceiro, baseados em expressões geralmente como confiança, colaboração, comprometimento, honestidade, segurança, entre outras. Ressalte-se que certos valores, quando comunicados e percebidos pelo consumidor, podem gerar e realçar outros valores, trazendo benefícios adicionais, como por exemplo, a diminuição da propensão à saída de sócios da organização, ou até mesmo a diminuição da percepção negativa em relação à imagem da mesma.

17 CAPÍTULO 2 SATISFAÇÃO E ENDOMARKETING 2.1 Satisfação: uma definição Segundo o Dicionário Aurélio Eletrônico para o século XXI, satisfação é: 1. Ato ou efeito de satisfazer(-se); contentamento. 2. Contentamento, alegria, deleite, aprazimento (FERREIRA, 1999). Trazendo a conceituação para a seara mercadológica, KOTLER (1998, p.53) define: Satisfação é o sentimento de prazer ou de desapontamento resultante da comparação do desempenho esperado pelo produto (ou resultado) em relação às expectativas da pessoa. Portanto, a satisfação das pessoas está ligada diretamente as suas expectativas. Assim, pode-se considerar que as pessoas satisfeitas são aquelas que percebem que o atendimento de suas necessidades é pelo menos igual àquele que se esperava. Para satisfazer necessidades, anseios e expectativas das pessoas é condição sine qua non que se conheçam essas necessidades, anseios e expectativas. Só haverá satisfação das pessoas se elas perceberem que houve empenho em descobrir o que elas necessitavam Satisfação: um padrão lógico A satisfação do cliente segue um padrão lógico. Para entendê-lo, pode-se contar com o modelo das etapas de satisfação do homem, desenvolvido por MASLOW (Maslow..., 24).

18 Em 1943, o psicólogo norte-americano MASLOW (Maslow..., 24) publicou nos meios científicos o trabalho Motivação e Personalidade. Nele, acreditava que essas necessidades deviam satisfazer-se segundo uma seqüência fixa, que começava com as necessidades fisiológicas e terminava com as necessidades de auto-realização. Além disso, essas necessidades tinham que se satisfazer cumulativamente. Então, se a motivação atual de uma pessoa é a satisfação de uma necessidade superior, como a de estima, por exemplo, as necessidades inferiores, como as fisiológicas, as de segurança e a de participação, já devem ter sido satisfeitas. (Maslow..., 24) O que faz tão importante a hierarquia das necessidades de MASLOW (Maslow..., 24) é a sua natureza seqüencial e cumulativa. Portanto, a necessidade básica de que as coisas funcionem deve satisfazer-se em primeiro termo. Uma vez obtida esta, a prioridade e o foco do cliente mudam e se relacionam com os serviços básicos que dão uma confiabilidade maior. Figura 1 Hierarquia das Necessidades Humanas Segundo sua teoria, as necessidades fisiológicas constituem a sobrevivência humana: alimentação, sono, abrigo, repouso, etc. As de segurança, por sua vez, constituem a busca de proteção contra a ameaça ou privação, tais como a fuga e o perigo. As sociais, incluem a necessidade de associação, de

19 aceitação, de participação por parte dos indivíduos, de troca de amizade, de afeto e amor. A necessidade de auto-estima está relacionada à autoconfiança, aprovação social, de respeito, status, prestígio, consideração, capacidade, utilidade, dentre outras. A necessidade de auto-realização é mais elevada e diz respeito à necessidade de cada indivíduo realizar o seu próprio potencial de autodesenvolverse continuamente Endomarketing... realizar ações de marketing voltadas para o público interno da empresa, com o fim de promover entre os seus funcionários e departamentos aqueles valores destinados a servir os clientes. BEKIN (Bekin..., 1995, p.34) lança as bases de uma tendência de marketing voltado para o seio das organizações, consoante definição de endomarketing acima. O endomarketing possui uma importância estratégica e, neste sentido, não pode ser separado do marketing. Do ponto de vista estratégico, o endomarketing é um processo para adequar a empresa a um mercado orientado para o cliente/sócio. Deste modo, a relação da empresa com o mercado, passa a ser um serviço feito por clientes internos, sócios dos Rotary Clubs, para clientes externos a comunidade. É assim que o endomarketing estimula toda a organização a manter-se voltada para o atendimento do mercado.

20 Com muita propriedade, SANTOS e MUNHOZ (Santos e Munhoz..., 23, p. 9), afirmam: O objetivo do endomarketing consiste em atrair e reter o cliente interno os sócios, nos Rotary Clubes com a função de obter resultados eficientes em relação aos seus clientes externos. Trata-se de fazer com que os sócios comprem 1 a organização; significa ver e tratar seus sócios como clientes internos, conscientizando-os do objetivo estratégico da organização: servir o cliente da melhor maneira possível. O endomarketing objetiva facilitar e realizar trocas construindo relacionamentos com o público interno, compartilhando os objetivos da organização, harmonizando e fortalecendo estas relações. Sua função é integrar a noção de cliente, no caso em apreço os sócios, nos processos internos da estrutura organizacional, propiciando a melhoria da qualidade dos serviços com produtividade pessoal e de processos. Parte-se da premissa que o endomarketing atua diretamente na excelência do clima organizacional, refletindo no índice de satisfação interno e na melhoria do fluxo de comunicação entre os diversos níveis da organização (Silva, 1999). A este respeito, BECKIN (Beckin, 1995, p. 69), caracteriza precisamente o endomarketing como um processo que objetiva estabelecer atividades permanentes de motivação do funcionário. SANTOS e MUNHOZ (Santos e Munhoz, 23, p.9) afirmam que, em sua maioria, a saída dos sócios dos Rotary Clubs acontece nos três primeiros anos de sua filiação à organização, comumente por desconhecimento das ações desenvolvidas, levando-os a uma sensação de inutilidade. 1 Grifos do autor

21 CAPÍTULO 3 ROTARY INTERNATIONAL 3.1 Histórico do Rotary International Em 23 de fevereiro de 195, Paul P. Harris fundou o Rotary Club de Chicago, primeiro clube de prestação de serviços do mundo. Guiado pelo lema Dar de Si Antes de Pensar em Si e já tendo comemorado seu centenário, o Rotary prima pela prevalência da verdade, aplicação da justiça, melhores relações entre os povos e alcance da paz mundial. Durante a 2ª Guerra Mundial, os rotarianos se envolveram com a promoção da compreensão internacional. Uma conferência do Rotary, realizada em Londres em 1942, inspirou a criação da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), à época, cerca de 5 rotarianos atuaram como delegados e consultores por ocasião da fundação da ONU. Hoje, junto à Organização das Nações Unidas, a organização detém uma das mais altas posições consultivas como organização não-governamental, permitindo-lhe acesso a recursos humanos e de outra natureza da ONU, no mundo inteiro. Em 1985, com o objetivo de imunizar todas as crianças do mundo contra a poliomielite, o Rotary International lançou o ambicioso programa denominado Polio Plus. O espírito de liderança da organização, apoio de voluntários e disponibilidade de verba inicial para aquisição de vacinas foram os agentes catalisadores que levaram a Assembléia Mundial da Saúde, em 1988, a pregar a erradicação global da doença. Os principais parceiros da Iniciativa Global para a Erradicação da Pólio são: Organização Mundial da Saúde, Rotary International,

22 Centro Norte-Americano de Controle e Prevenção de Doenças e UNICEF, Fundo das Nações Unidas para a Infância. Desde 1988, o resultado dessa parceria global foi uma redução de 99% na incidência da poliomielite, a qual está prestes a ser erradicada. Os rotarianos já contribuíram com mais de meio bilhão de dólares e inúmeras horas de trabalho voluntário em prol da erradicação da doença. Estudos feitos pela organização, revelam que a quantia a ser potencialmente economizada com a erradicação da pólio e encerramento dos trabalhos de imunização pode ser de até US$1,5 bilhão por ano, uma verba que poderia ser aplicada a outras prioridades de saúde pública. Outra área de atuação do Rotary diz respeito à promoção da compreensão e interação cultural por intermédio de bolsas educacionais, programas de intercâmbio e subsídios humanitários. Em 22, o Rotary lançou o programa Centros Rotary para Estudos Internacionais na área de paz e resolução de conflitos, inovadora atividade para a formação dos pacificadores do amanhã. Anualmente o programa patrocina, para 7 Bolsistas Rotary pela Paz Mundial, dois anos de estudo em nível de mestrado nas áreas de relações internacionais, paz e resolução de conflitos em uma das sete prestigiosas universidades parceiras ao redor do mundo, são elas: Duke University e North Carolina at Chapel Hill, na Carolina do Norte, EUA; Sciences Po, em Paris, França; University of Bredford, West Yorkshire, Inglaterra; University of Queensland, Austrália; International Christian University, Tóquio, Japão; Universidad del Salvador, Buenos Aires, Argentina e Universidade da Califórnia, Berkeley, Califórnia, EUA.

23 Desde 1947, cerca de 35 mil estudantes provenientes de 11 países estudaram no exterior como bolsistas do Rotary. A atividade Intercâmbio de Grupos de Estudos já possibilitou que mais de 45 mil jovens profissionais observassem o exercício de suas ocupações em outros países. Anualmente, cerca de 8 mil estudantes secundaristas têm a oportunidade de conhecer outras culturas por intermédio do programa Intercâmbio de Jovens do Rotary. O Rotary é uma organização dedicada à prestação voluntária de serviços humanitários, incentivo à prática de altos padrões éticos, a promoção da paz e boa vontade. O Rotary International é a associação de todos os Rotary Clubs do mundo, atualmente mais de 32 mil, em 168 países e 34 regiões geográficas, tendo sua sede instalada em Evanston, Illinois, EUA, congregando mais de 1,2 milhão de líderes profissionais e empresários, enfocando assuntos como o combate à pobreza, saúde, fome, analfabetismo e meio-ambiente. O RI é administrado por um Conselho Diretor que abriga 19 membros: Presidente, Presidente-Eleito e 17 Diretores, todos eles eleitos durante a Convenção Internacional anual, por delegados dos seus clubes ou grupos de clubes de todo o mundo. A secretaria geral do RI, verdadeiro pulmão administrativo da instituição, congrega mais de 45 pessoas de todo o mundo, muitas das quais dominando mais de um idioma. Existem, ainda, representações regionais, as chamadas sucursais ou centros de serviços do Rotary International, em número de 9. Visando a melhor assistência a todos os clubes, o RI dividiu-se em 34 zonas representativas, abrigando diversos distritos.

24 Distrito é uma região que concentra um determinado número de clubes rotários, variando de 45 a 8, podendo abranger, em alguns casos, mais de um país, por exemplo: o Distrito 331 que compreende Cingapura, Malásia e Brunei, na Ásia. Existem hoje 53 distritos de Rotary no mundo, todos governando-se pelo mesmo Código de Conduta e Procedimento, fato notável, pois regiões de culturas, raças e línguas mais de 4 diferentes convivem em harmonia e de acordo com padrões comuns. À cada Distrito corresponde um governador, eleito pelos clubes, que é representante do RI e o seu responsável perante a administração central. 3.2 Os Clubes Os clubes rotários são constituídos através de princípios recomendados pelo Rotary International e abrangem uma determinada área geográfica. Eles são dirigidos por um Conselho Diretor, eleito anualmente pelos sócios. São os clubes a menor parcela indivisível do organismo rotário, porém a sua maior expressão, como responsáveis por todas as realizações onde atuam. Os clubes se organizam a partir dos seus Conselhos Diretores, que por sua vez nomeiam e supervisionam as quatro Comissões de Serviços: Serviços Internos, Serviços à Comunidade, Serviços Profissionais e Serviços Internacionais. No início de cada Ano Rotário, que se estende desde o primeiro dia de julho a 3 de junho seguintes, são traçados os planos de atuação e reunidos nos Planos de Atividades, que deverão, na medida do possível, ser cumpridos à risca, com base nas disposições gerais emanadas pelo RI e em acordo com a orientação do Governador do Distrito correspondente.

25 3.3 Análise SWOT do Rotary International Não existe, no âmbito dos programas desenvolvidos pelo Rotary International, concorrência. Entretanto, ao se pensar em captação de recursos/sócios, deve-se levar em consideração todas as outras ONGs existentes nos três estados que englobam o distrito 439, Alagoas, Sergipe e norte da Bahia, tais como: Lions Club, Maçonaria, Cruz Vermelha, etc. Abaixo, tem-se uma breve análise SWOT do Rotary International: FORÇAS O Rotary tem um excelente produto; O Rotary é uma instituição de qualidade; O Rotary possui um vasto número de programas dos quais pode se orgulhar; 1 anos de história; Possibilidades de servir limitadas apenas pela capacidade de visão de seus sócios; Diversidade de sócios; Rede global de sócios; Financeiramente forte internacionalmente; Internacionalmente reconhecido. FRAQUEZAS A associação aos Rotary Clubes, em geral, é estática; A média de idade dos rotarianos está aumentando;

26 Baixo número de sócios do sexo feminino; Complacência e apatia são um problema; Alguns sócios são resistentes à mudança; Baixo nível de reconhecimento da comunidade; Estrutura gerencial rotativa (Anual); OPORTUNIDADES Rede de relacionamento; Interação social; Desenvolvimento pessoal; Novos sócios trazem Visão, Vitalidade, Entusiasmo e Continuidade; Servir à comunidade; Crescente (porém ainda pouca) exposição no mercado; Reposicionamento de mercado; Reestruturação das associações. AMEAÇAS Perda do endosso da comunidade; Baixa no número de associados; Contínua falta de direção estratégica; Turnaround gerencial é de apenas 1 ano 2. 2 O Conselho Diretor de cada Rotary Club, composto pelo Presidente, Vice-Presidente, Secretário, Tesoureiro de Diretor de Protocolo são eleitos para um período de um ano, que equivale ao ano fiscal dos Estados Unidos da América do Norte, de 1º de julho a 3 de junho de cada ano, denominado Ano Rotário

rotary isto é rotary

rotary isto é rotary rotary isto é rotary rotary Organização dedicada à prestação de serviços humanitários e promoção da boa vontade e paz mundial, que congrega 1,2 milhão de líderes profissionais e comunitários em mais de

Leia mais

Rotary é uma organização internacional dedicada Onde existe uma necessidade, Rotary encontra

Rotary é uma organização internacional dedicada Onde existe uma necessidade, Rotary encontra isto é rotary servir Rotary é uma organização internacional dedicada à prestação de serviços humanitários. Os homens e as mulheres associados ao Rotary são líderes profissionais e empresários que dedicam-se

Leia mais

Noções Básicas do Rotary

Noções Básicas do Rotary Noções Básicas do Rotary www.rotary.org/pt/rotarybasics Guia de Envolvimento com o Rotary Bem-vindo ao Rotary! Agora você é parte de uma rede global de voluntários empresariais, profissionais e comunitários.

Leia mais

INFORMATIVO ROTÁRIO. Rotary International Brazil Office NOVEMBRO MÊS DA FUNDAÇÃO ROTÁRIA

INFORMATIVO ROTÁRIO. Rotary International Brazil Office NOVEMBRO MÊS DA FUNDAÇÃO ROTÁRIA INFORMATIVO ROTÁRIO Rotary International Brazil Office NOVEMBRO MÊS DA FUNDAÇÃO ROTÁRIA Nº 176 A missão da Fundação Rotária é apoiar os esforços do Rotary International em prol do alcance da paz e compreensão

Leia mais

O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO

O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO Josiane Corrêa 1 Resumo O mundo dos negócios apresenta-se intensamente competitivo e acirrado. Em diversos setores da economia, observa-se a forte

Leia mais

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Justificativa: As transformações ocorridas nos últimos anos têm obrigado as organizações a se modificarem constantemente e de forma

Leia mais

100 Dicas do Presidente do RI Sakuji Tanaka para Fortalecer os Rotary Clubs

100 Dicas do Presidente do RI Sakuji Tanaka para Fortalecer os Rotary Clubs 100 Dicas do Presidente do RI Sakuji Tanaka para Fortalecer os Rotary Clubs 1. Fazer mais atividades humanitárias com maior enfoque. 2. Ajustar o número de comissões ao tamanho do clube. 3. Fazer com que

Leia mais

Capítulo 19 - RESUMO

Capítulo 19 - RESUMO Capítulo 19 - RESUMO Considerado como sendo um dos principais teóricos da área de marketing, Philip Kotler vem abordando assuntos referentes a esse fenômeno americano chamado marketing social, desde a

Leia mais

Unidade IV. Gerenciamento de Produtos, Serviços e Marcas. Prof a. Daniela Menezes

Unidade IV. Gerenciamento de Produtos, Serviços e Marcas. Prof a. Daniela Menezes Unidade IV Gerenciamento de Produtos, Serviços e Marcas Prof a. Daniela Menezes Tipos de Mercado Os mercados podem ser divididos em mercado de consumo e mercado organizacional. Mercado de consumo: o consumidor

Leia mais

LÍDER COACH Obtenha excelência em sua vida pessoal e profissional

LÍDER COACH Obtenha excelência em sua vida pessoal e profissional LÍDER COACH Obtenha excelência em sua vida pessoal e profissional Ao investir em pessoas o seu resultado é garantido! Tenha ganhos significativos em sua gestão pessoal e profissional com o treinamento

Leia mais

ENDOMARKETING: Utilização como ferramenta de crescimento organizacional

ENDOMARKETING: Utilização como ferramenta de crescimento organizacional ENDOMARKETING: Utilização como ferramenta de crescimento organizacional Carlos Henrique Cangussu Discente do 3º ano do curso de Administração FITL/AEMS Marcelo da Silva Silvestre Discente do 3º ano do

Leia mais

TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO

TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE AURIFLAMA AUTOR(ES):

Leia mais

A PERCEPÇÃO DAS EMPRESAS SOBRE OS SERVIÇOS PRESTADOS PELOS PROFISSIONAIS DA AREA DE SISTEMA DE INFORMAÇÃO 1

A PERCEPÇÃO DAS EMPRESAS SOBRE OS SERVIÇOS PRESTADOS PELOS PROFISSIONAIS DA AREA DE SISTEMA DE INFORMAÇÃO 1 A PERCEPÇÃO DAS EMPRESAS SOBRE OS SERVIÇOS PRESTADOS PELOS PROFISSIONAIS DA AREA DE SISTEMA DE INFORMAÇÃO 1 Tatiana Pereira da Silveira 1 RESUMO O objetivo deste trabalho é apresentar os resultados da

Leia mais

ENDOMARKETING COMO FERRAMENTA DE COMUNICAÇÃO COM O PÚBLICO INTERNO

ENDOMARKETING COMO FERRAMENTA DE COMUNICAÇÃO COM O PÚBLICO INTERNO 1 ENDOMARKETING COMO FERRAMENTA DE COMUNICAÇÃO COM O PÚBLICO INTERNO Por Regina Stela Almeida Dias Mendes NOVEMBRO 2004 UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA 2 ENDOMARKETING COMO FERRAMENTA DE COMUNICAÇÃO

Leia mais

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS - UNISINOS CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO CURSO DE RELAÇÕES PÚBLICAS. Daniela Valdez Rodrigues

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS - UNISINOS CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO CURSO DE RELAÇÕES PÚBLICAS. Daniela Valdez Rodrigues UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS - UNISINOS CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO CURSO DE RELAÇÕES PÚBLICAS Daniela Valdez Rodrigues A RELAÇÃO DO MARKETING DE RELACIONAMENTO COM RELAÇÕES PÚBLICAS São Leopoldo

Leia mais

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex...

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... (/artigos /carreira/comopermanecercalmosob-pressao /89522/) Carreira Como permanecer calmo sob pressão (/artigos/carreira/como-permanecer-calmosob-pressao/89522/)

Leia mais

Introdução aos Serviços às Novas Gerações

Introdução aos Serviços às Novas Gerações Introdução aos Serviços às Novas Gerações O Que Significa Novas Gerações? O termo Novas Gerações se refere aos integrantes mais jovens da família rotária, ou seja, os participantes de programas pró-juventude,

Leia mais

Futuro do trabalho O futuro do trabalho Destaques O futuro do trabalho: Impactos e desafios para as empresas no Brasil

Futuro do trabalho O futuro do trabalho Destaques O futuro do trabalho: Impactos e desafios para as empresas no Brasil 10Minutos Futuro do trabalho Pesquisa sobre impactos e desafios das mudanças no mundo do trabalho para as organizações no B O futuro do trabalho Destaques Escassez de profissionais, novos valores e expectativas

Leia mais

A Importância do Marketing nos Serviços da. Área de Saúde - Estratégias utilizadas para fidelizar o cliente

A Importância do Marketing nos Serviços da. Área de Saúde - Estratégias utilizadas para fidelizar o cliente A Importância do Marketing nos Serviços da Área de Saúde - Estratégias utilizadas para fidelizar o cliente Hellen Souza¹ Universidade do Vale do Rio dos Sinos UNISINOS RESUMO Este artigo aborda a importância

Leia mais

M A N U A L TREINAMENTO. Mecânica de Veículos Piçarras Ltda. Manual Prático de Procedimento do Treinamento

M A N U A L TREINAMENTO. Mecânica de Veículos Piçarras Ltda. Manual Prático de Procedimento do Treinamento M A N U A L TREINAMENTO 1. Introdução A velocidade das mudanças tecnológicas, o aumento da diversidade nos locais de trabalho e a acentuada mobilidade dos trabalhadores atuais são aspectos do mundo contemporâneo

Leia mais

A MOTIVAÇÃO COMO FATOR DE SUCESSO NA ORGANIZAÇÃO UM ESTUDO DE CASO NA EMPRESA MARF

A MOTIVAÇÃO COMO FATOR DE SUCESSO NA ORGANIZAÇÃO UM ESTUDO DE CASO NA EMPRESA MARF A MOTIVAÇÃO COMO FATOR DE SUCESSO NA ORGANIZAÇÃO UM ESTUDO DE CASO NA EMPRESA MARF Danilo Domingos Gonzales Simão 1 Fábio Augusto Martins Pereira 2 Gisele Maciel de Lima 3 Jaqueline de Oliveira Rocha 4

Leia mais

INFORMATIVO ROTÁRIO Rotary International Brazil Office

INFORMATIVO ROTÁRIO Rotary International Brazil Office INFORMATIVO ROTÁRIO Rotary International Brazil Office BOAS VINDAS AOS DIRIGENTES ENTRANTES Nº 149 O Rotary International Brazil Office cumprimenta a todos os Governadores de Distrito, Governadores Assistentes,

Leia mais

ESTUDO DE CASO: QUAL GRUPO, FORMAL OU INFORMAL, POSSUI MAIOR INFLUÊNCIA NA EMPRESA V8 PRODUÇÕES LTDA, NA REALIZAÇÃO DAS ATIVIDADES?

ESTUDO DE CASO: QUAL GRUPO, FORMAL OU INFORMAL, POSSUI MAIOR INFLUÊNCIA NA EMPRESA V8 PRODUÇÕES LTDA, NA REALIZAÇÃO DAS ATIVIDADES? ESTUDO DE CASO: QUAL GRUPO, FORMAL OU INFORMAL, POSSUI MAIOR INFLUÊNCIA NA EMPRESA V8 PRODUÇÕES LTDA, NA REALIZAÇÃO DAS ATIVIDADES? Andrieli Ariane Borges Avelar, UNESPAR/FECILCAM João Marcos Borges Avelar,

Leia mais

4. Tendências em Gestão de Pessoas

4. Tendências em Gestão de Pessoas 4. Tendências em Gestão de Pessoas Em 2012, Gerenciar Talentos continuará sendo uma das prioridades da maioria das empresas. Mudanças nas estratégias, necessidades de novas competências, pressões nos custos

Leia mais

Planejamento Estratégico de Comunicação Interna Comunica Pirelli A Pirelli mais perto de você Versão resumida

Planejamento Estratégico de Comunicação Interna Comunica Pirelli A Pirelli mais perto de você Versão resumida Planejamento Estratégico de Comunicação Interna Comunica Pirelli A Pirelli mais perto de você Versão resumida Análise do contexto da organização A Pirelli é a quinta maior empresa do mundo no mercado de

Leia mais

Proposta de Candidatura Diretoria da Presidência Agrobio Consultoria Júnior Gestão 2013. Isabella Assunção Cerqueira Procópio

Proposta de Candidatura Diretoria da Presidência Agrobio Consultoria Júnior Gestão 2013. Isabella Assunção Cerqueira Procópio Proposta de Candidatura Diretoria da Presidência Agrobio Consultoria Júnior Gestão 2013 Isabella Assunção Cerqueira Procópio Janeiro de 2013 1 Sumário 1. Dados Básicos de Identificação...3 2. Histórico

Leia mais

A SATISFAÇÃO DOS CLIENTES DE UMA TRANSPORTADORA DA CIDADE DE SÃO PAULO: UM ESTUDO DE CASO

A SATISFAÇÃO DOS CLIENTES DE UMA TRANSPORTADORA DA CIDADE DE SÃO PAULO: UM ESTUDO DE CASO 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 A SATISFAÇÃO DOS CLIENTES DE UMA TRANSPORTADORA DA CIDADE DE SÃO PAULO: UM ESTUDO DE CASO Marcelo Cristian Vieira 1, Carolina Zavadzki Martins 2,Gerliane

Leia mais

Metodologia gerencial que permite estabelecer a direção a ser seguida pela empresa, visando maior grau de interação com o ambiente.

Metodologia gerencial que permite estabelecer a direção a ser seguida pela empresa, visando maior grau de interação com o ambiente. Mário Sérgio Azevedo Resta CONSULTOR TÉCNICO EM NEGÓCIOS PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Metodologia gerencial que permite estabelecer a direção a ser seguida pela empresa, visando maior grau de interação com

Leia mais

CAPÍTULO XIII RELAÇÕES INTERNACIONAIS

CAPÍTULO XIII RELAÇÕES INTERNACIONAIS CAPÍTULO XIII RELAÇÕES INTERNACIONAIS A. RELACIONAMENTO ENTRE LIONS CLUBS INTERNATIONAL E A ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS (CONSELHO ECONÔMICO E SOCIAL/ECOSOC) O artigo 71 da Carta das Nações Unidas declara

Leia mais

LIDERANÇA SITUACIONAL E EMPREENDEDORA LIDERANÇA SITUACIONAL E EMPREENDEDORA LIDERANÇA SITUACIONAL E EMPREENDEDORA GESTÃO AMBIENTAL E DA QUALIDADE

LIDERANÇA SITUACIONAL E EMPREENDEDORA LIDERANÇA SITUACIONAL E EMPREENDEDORA LIDERANÇA SITUACIONAL E EMPREENDEDORA GESTÃO AMBIENTAL E DA QUALIDADE MUITOS DOS PROBLEMAS MAIS CRÍTICOS NÃO ESTÃO NO MUNDO DAS COISAS, MAS NO MUNDO DAS PESSOAS. DESENVOLVIMENTO: APTIDÕES TÉCNICAS >>> HABILIDADES SOCIAIS CIÊNCIAS BEM SUCEDIDAS X CIÊNCIAS MAL SUCEDIDAS. -

Leia mais

Pesquisa Prazer em Trabalhar 2015

Pesquisa Prazer em Trabalhar 2015 Pesquisa Prazer em Trabalhar 2015 As 15 Melhores Práticas em Gestão de Pessoas no Pará VIII Edição 1 Pesquisa Prazer em Trabalhar Ano VI Parceria Gestor Consultoria e Caderno Negócios Diário do Pará A

Leia mais

Estatutos Prescritos para o Rotaract Club

Estatutos Prescritos para o Rotaract Club Estatutos Prescritos para o Rotaract Club Metas Patrocínio de Rotary Club Requisitos para associação ARTIGO I Nome O nome desta organização será Rotaract Club de. ARTIGO II Propósito e Metas O propósito

Leia mais

RESPONSABILIDADE SOCIAL

RESPONSABILIDADE SOCIAL RESPONSABILIDADE SOCIAL Universidade de Brasília Faculdade de Ciência da Informação Profa. Lillian Alvares TODO COMPORTAMENTO TEM SUAS RAZÕES. A ÉTICA É SIMPLESMENTE A RAZÃO MAIOR DAVID HUME DEFINIÇÕES

Leia mais

GESTÃO ESTRATÉGICA DE MARKETING

GESTÃO ESTRATÉGICA DE MARKETING GESTÃO ESTRATÉGICA DE MARKETING PÓS-GRADUAÇÃO / FIB-2009 Prof. Paulo Neto O QUE É MARKETING? Marketing: palavra em inglês derivada de market que significa: mercado. Entende-se que a empresa que pratica

Leia mais

MAISMKT - Ações em Marketing e uma empresa voltada para avaliação do atendimento, relacionamento com cliente, e marketing promocional.

MAISMKT - Ações em Marketing e uma empresa voltada para avaliação do atendimento, relacionamento com cliente, e marketing promocional. Empresa MAISMKT - Ações em Marketing e uma empresa voltada para avaliação do atendimento, relacionamento com cliente, e marketing promocional. Nossa filosofia e oferecer ferramentas de gestão focadas na

Leia mais

GESTÃO EMPRESARIAL E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

GESTÃO EMPRESARIAL E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO GESTÃO EMPRESARIAL E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO * César Raeder Este artigo é uma revisão de literatura que aborda questões relativas ao papel do administrador frente à tecnologia da informação (TI) e sua

Leia mais

Planejamento Estratégico do Sistema 2008/2010 PARTE II

Planejamento Estratégico do Sistema 2008/2010 PARTE II Planejamento Estratégico do Sistema 2008/2010 Planejamento Estratégico do Sistema 2008/2010 PARTE II 10/08/2007 SUMÁRIO Conceitos... 2 1. Missão... 2 2. Negócio... 3 3. Visão... 3 4. Valores... 5 5. Cenários...

Leia mais

Endomarketing: um estudo de caso em uma agência de uma instituição financeira de Bambuí- MG

Endomarketing: um estudo de caso em uma agência de uma instituição financeira de Bambuí- MG Endomarketing: um estudo de caso em uma agência de uma instituição financeira de Bambuí- MG Bruna Jheynice Silva Rodrigues 1 ; Lauriene Teixeira Santos 2 ; Augusto Chaves Martins 3 ; Afonso Régis Sabino

Leia mais

MBA IBMEC 30 anos. No Ibmec, proporcionamos a nossos alunos uma experiência singular de aprendizado. Aqui você encontra:

MBA IBMEC 30 anos. No Ibmec, proporcionamos a nossos alunos uma experiência singular de aprendizado. Aqui você encontra: MBA Pós - Graduação QUEM SOMOS Para pessoas que têm como objetivo de vida atuar local e globalmente, ser empreendedoras, conectadas e bem posicionadas no mercado, proporcionamos uma formação de excelência,

Leia mais

O comprometimento dos colaboradores é a chave para o sucesso das organizações

O comprometimento dos colaboradores é a chave para o sucesso das organizações O comprometimento dos colaboradores é a chave para o sucesso das organizações Jean C. de Lara (Faculdade SECAL) jean@smagon.com.br Maria Elisa Camargo (Faculdade SECAL) elisa@aguiaflorestal.com.br Enir

Leia mais

Líder em consultoria no agronegócio

Líder em consultoria no agronegócio MPRADO COOPERATIVAS mprado.com.br COOPERATIVAS 15 ANOS 70 Consultores 25 Estados 300 cidade s 500 clientes Líder em consultoria no agronegócio 1. Comercial e Marketing 1.1 Neurovendas Objetivo: Entender

Leia mais

PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL: UM ESTUDO COM OS COLABORADORES DE UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO

PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL: UM ESTUDO COM OS COLABORADORES DE UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL: UM ESTUDO COM OS COLABORADORES DE UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO Bruno Samways dos Santos (UTFPR) bruno.samways@gmail.com Thais Distefano Wiltenburg (PUC) thais_distefano@hotmail.com

Leia mais

GUIA DE SOCIAIS EM REDES BOAS PRÁTICAS EM GESTÃO DO ATENDIMENTO E RELACIONAMENTO MELHORES PRÁTICAS. MELHORES RESULTADOS.

GUIA DE SOCIAIS EM REDES BOAS PRÁTICAS EM GESTÃO DO ATENDIMENTO E RELACIONAMENTO MELHORES PRÁTICAS. MELHORES RESULTADOS. GUIA DE BOAS PRÁTICAS EM GESTÃO DO ATENDIMENTO E RELACIONAMENTO EM REDES SOCIAIS MELHORES PRÁTICAS. MELHORES RESULTADOS. APRESENTAÇÃO OBJETIVO A ABA - Associação Brasileira de Anunciantes, por meio de

Leia mais

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva.

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva. COMPREENDENDO A GESTÃO DE PESSOAS Karina Fernandes de Miranda Helenir Celme Fernandes de Miranda RESUMO: Este artigo apresenta as principais diferenças e semelhanças entre gestão de pessoas e recursos

Leia mais

Aula 9. Liderança e Gestão de Equipes

Aula 9. Liderança e Gestão de Equipes Aula 9 Liderança e Gestão de Equipes Profa. Ms. Daniela Cartoni daniela.cartoni@veris.edu.br Trabalho em Equipe Nenhum homem é uma ilha, sozinho em si mesmo; Cada homem é parte do continente, parte do

Leia mais

CADDAN EMPRESARIAL Daniela Leluddak

CADDAN EMPRESARIAL Daniela Leluddak CADDAN EMPRESARIAL Daniela Leluddak Caddan Empresarial tem como foco o desenvolvimento de pessoas dentro dos sistemas organizacionais. Atuação da Caddan Campos da Consultoria: Programas de Sucessão; Auxílio

Leia mais

PESQUISA DO CLIMA ORGANIZACIONAL EM UMA EMPRESA DE MÁRMORES E GRANITOS DO MUNICÍPIO DE COLIDER - MT.

PESQUISA DO CLIMA ORGANIZACIONAL EM UMA EMPRESA DE MÁRMORES E GRANITOS DO MUNICÍPIO DE COLIDER - MT. PESQUISA DO CLIMA ORGANIZACIONAL EM UMA EMPRESA DE MÁRMORES E GRANITOS DO MUNICÍPIO DE COLIDER - MT. 1 NATÁLIA SALVADEGO, 2 FRANCIANNE BARONI ZANDONADI 1 Bacharel em Engenheira Florestal (UNEMAT) e Estudante

Leia mais

BIC AMAZÔNIA S.A. RELATÓRIO DE DESEMPENHO SOCIAL JANEIRO DE 2015 I - APRESENTAÇÃO

BIC AMAZÔNIA S.A. RELATÓRIO DE DESEMPENHO SOCIAL JANEIRO DE 2015 I - APRESENTAÇÃO BIC AMAZÔNIA S.A. RELATÓRIO DE DESEMPENHO SOCIAL JANEIRO DE 2015 I - APRESENTAÇÃO A unidade BIC Amazônia está localizada na cidade de Manaus, no Estado do Amazonas, onde são produzidos canetas, lápis,

Leia mais

ANEC PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO UMA ABORDAGEM. Reflexões voltadas para a Gestão

ANEC PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO UMA ABORDAGEM. Reflexões voltadas para a Gestão ANEC PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO UMA ABORDAGEM Reflexões voltadas para a Gestão MUDANÇAS EDUCAÇÃO NO BRASIL 1996 Lei 9.934 LDB 1772 Reforma Pombalina 1549 Ensino Educação público no dos Brasil Jesuítas Lei

Leia mais

UNIMEP MBA em Gestão e Negócios

UNIMEP MBA em Gestão e Negócios UNIMEP MBA em Gestão e Negócios Módulo: Sistemas de Informações Gerenciais Aula 4 TI com foco nos Negócios: Áreas envolvidas (Parte II) Flávio I. Callegari www.flaviocallegari.pro.br O perfil do profissional

Leia mais

#ElesPorElas. Movimento ElesPorElas (HeForShe) de Solidariedade da ONU Mulheres pela Igualdade de Gênero Impactando Universidades

#ElesPorElas. Movimento ElesPorElas (HeForShe) de Solidariedade da ONU Mulheres pela Igualdade de Gênero Impactando Universidades #ElesPorElas Movimento ElesPorElas (HeForShe) de Solidariedade da ONU Mulheres pela Igualdade de Gênero Impactando Universidades ElesPorElas Criado pela ONU Mulheres, a Entidade das Nações Unidas para

Leia mais

MARKETING DE RELACIONAMENTO: UM ESTUDO DE CASO NO COMÉRCIO DE TRÊS LAGOAS

MARKETING DE RELACIONAMENTO: UM ESTUDO DE CASO NO COMÉRCIO DE TRÊS LAGOAS MARKETING DE RELACIONAMENTO: UM ESTUDO DE CASO NO COMÉRCIO DE TRÊS LAGOAS ADRIELI DA COSTA FERNANDES Aluna da Pós-Graduação em Administração Estratégica: Marketing e Recursos Humanos da AEMS PATRICIA LUCIANA

Leia mais

11. Abordagem Comportamental

11. Abordagem Comportamental 11. Abordagem Comportamental Conteúdo 1. Behaviorismo 2. Novas Proposições sobre a Motivação Humana 3. Teoria da Hierarquia das de Maslow 4. Teoria dos dois fatores 5. Teoria X & Y de McGregor 6. Outros

Leia mais

2015 Manual de Parceiro de Educação. Suas soluções. Nossa tecnologia. Mais inteligentes juntos.

2015 Manual de Parceiro de Educação. Suas soluções. Nossa tecnologia. Mais inteligentes juntos. 2015 Manual de Parceiro de Educação Suas soluções. Nossa tecnologia. Mais inteligentes juntos. Prêmios Reais, a Partir de Agora Bem-vindo ao Intel Technology Provider O Intel Technology Provider é um programa

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE Viva Vida Produtos de Lazer Ltda. Manual da Qualidade - MQ V. 1 Sistema de Gestão da Qualidade Viva Vida - SGQVV

MANUAL DA QUALIDADE Viva Vida Produtos de Lazer Ltda. Manual da Qualidade - MQ V. 1 Sistema de Gestão da Qualidade Viva Vida - SGQVV MANUAL DA QUALIDADE Manual da Qualidade - MQ Página 1 de 15 ÍNDICE MANUAL DA QUALIDADE 1 INTRODUÇÃO...3 1.1 EMPRESA...3 1.2 HISTÓRICO...3 1.3 MISSÃO...4 1.4 VISÃO...4 1.5 FILOSOFIA...4 1.6 VALORES...5

Leia mais

EMPREENDEDORISMO 2013

EMPREENDEDORISMO 2013 COLÉGIO CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE Rua Professor Pedreira de Freitas, 401/415 Fone 2942-1499 Tatuapé ORIENTAÇÕES AO PROJETO DE EMPREENDEDORISMO EMPREENDEDORISMO 2013 APRESENTAÇÃO Empreendedorismo é o estudo

Leia mais

CONTRIBUIÇÃO DE UMA DIRETORIA DE PROJETOS

CONTRIBUIÇÃO DE UMA DIRETORIA DE PROJETOS www.tecnologiadeprojetos.com.br Diretoria de Acompanhamento e Avaliação de Projetos da Secretaria de Estado da Educação de Minas Gerais DAPE/SEE-MG RELATÓRIO DE PESQUISA 1 : CONTRIBUIÇÃO DE UMA DIRETORIA

Leia mais

MARCA BRADESCO RECURSOS HUMANOS

MARCA BRADESCO RECURSOS HUMANOS ATIVOS INTANGÍVEIS Embora a Organização não registre seus ativos intangíveis, há evidências da percepção de sua magnitude pelos investidores e que pode ser encontrada na expressiva diferença entre o Valor

Leia mais

A Comunicação no Modelo de Excelência da Gestão (MEG) 1

A Comunicação no Modelo de Excelência da Gestão (MEG) 1 A Comunicação no Modelo de Excelência da Gestão (MEG) 1 Narjara Bárbara Xavier Silva 2 Patrícia Morais da Silva 3 Resumo O presente trabalho é resultado do Projeto de Extensão da Universidade Federal da

Leia mais

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA Autor: Jeferson Correia dos Santos ARTIGO TÉCNICO INOVAÇÃO NA GESTÃO DE PÓS-VENDAS: SETOR AUTOMOTIVO RESUMO A palavra inovação tem sido atualmente umas das mais mencionadas

Leia mais

Como trabalhar com voluntários na captação de recursos Andrea Goldschmidt*

Como trabalhar com voluntários na captação de recursos Andrea Goldschmidt* Como trabalhar com voluntários na captação de recursos Andrea Goldschmidt* Quando falamos de captação de recursos para uma organização, podemos estar falando em captação de dinheiro, de materiais, de produtos,

Leia mais

Política de Sustentabilidade

Política de Sustentabilidade Política de Sustentabilidade Sul Mineira 1 Índice Política de Sustentabilidade Unimed Sul Mineira Mas o que é Responsabilidade Social? Premissas Básicas Objetivos da Unimed Sul Mineira Para a Saúde Ambiental

Leia mais

INFORMATIVO ROTÁRIO Rotary International Brazil Office

INFORMATIVO ROTÁRIO Rotary International Brazil Office INFORMATIVO ROTÁRIO Rotary International Brazil Office INFORMATIVO ROTÁRIO EM NOVA VERSÃO Com base nas sugestões recebidas de rotarianos de todo o Brasil, que contribuíram enviando-nos feedback sobre o

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA CENTRO DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOS

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA CENTRO DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOS MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA CENTRO DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOS Manual de Aplicação Questionário de Levantamento Organizacional e de Fatores Humanos Brasília, novembro

Leia mais

Veículo: Site Catho Data: 18/09/2009

Veículo: Site Catho Data: 18/09/2009 Veículo: Site Catho Data: 18/09/2009 Seção: Estilo&Gestão RH Pág.: www.catho.com.br Assunto: Entrevista Marly Vidal Marly Macedo ajuda a Sabin a ser uma das melhores empresas para trabalhar Tatiana Aude

Leia mais

ROTARY CLUB DE LUANDA SUL

ROTARY CLUB DE LUANDA SUL CONSELHO DIRECTOR 2010 2011 Presidente: Isabelle Bamba-Crettaz Vice-Presidente: Joaquim de Almeida Secretário: Rodrigo Sousa Alves dos Santos Tesoureiro: Quilaco Antonio Pedro Protocolo: Felisbina Ferreira

Leia mais

PROGRAMA DE ADOÇÃO DE PRINCÍPIOS SOCIOAMBIENTAIS

PROGRAMA DE ADOÇÃO DE PRINCÍPIOS SOCIOAMBIENTAIS A Copagaz A Copagaz, primeira empresa do Grupo Zahran, iniciou suas atividades em 1955 distribuindo uma tonelada de Gás Liquefeito de Petróleo - GLP por dia nos estados de São Paulo, Mato Grosso e Mato

Leia mais

CRM Uma ferramenta tecnológica inovadora

CRM Uma ferramenta tecnológica inovadora CRM Uma ferramenta tecnológica inovadora Nelson Malta Callegari (UTFPR) nelson.estudo@gmail.com Prof Dr. João Luiz Kovaleski (UTFPR) kovaleski@pg.cefet.br Prof Dr. Antonio Carlos de Francisco (UTFPR) acfrancisco@pg.cefetpr.br

Leia mais

1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL

1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL 1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL 1.1 APRESENTAÇÃO O Plano de Comunicação e Participação Social subsidiará a elaboração do Plano Diretor de Mobilidade Urbana, criando as bases para

Leia mais

Profa. Ligia Vianna. Unidade II PRINCÍPIOS BÁSICOS DA

Profa. Ligia Vianna. Unidade II PRINCÍPIOS BÁSICOS DA Profa. Ligia Vianna Unidade II PRINCÍPIOS BÁSICOS DA ADMINISTRAÇÃO Num passado não muito distante, a ordem sociopolítica compreendia apenas dois setores, ou seja, um público e outro privado. Esses setores

Leia mais

Curso de Graduação em Administração

Curso de Graduação em Administração Curso de Graduação em Administração O curso de Administração da ESPM forma excelentes profissionais há mais de uma década. Iniciado em 1990, formou sua primeira turma em 1994, quando o curso tinha cinco

Leia mais

ANEXO B CONTEXTUALIZAÇÃO DA PROMOÇÃO DA SAÚDE EM MODELO DE GESTÃO ORGANIZACIONAL DE ALTO DESEMPENHO

ANEXO B CONTEXTUALIZAÇÃO DA PROMOÇÃO DA SAÚDE EM MODELO DE GESTÃO ORGANIZACIONAL DE ALTO DESEMPENHO ANEXO B CONTEXTUALIZAÇÃO DA PROMOÇÃO DA SAÚDE EM MODELO DE GESTÃO ORGANIZACIONAL DE ALTO DESEMPENHO Autoria: Elaine Emar Ribeiro César Fonte: Critérios Compromisso com a Excelência e Rumo à Excelência

Leia mais

O PROCESSO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO NA CONSTRUÇÃO DE UM NOVO PARADIGMA PARA A EFICIÊNCIA E EFICÁCIA NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA.

O PROCESSO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO NA CONSTRUÇÃO DE UM NOVO PARADIGMA PARA A EFICIÊNCIA E EFICÁCIA NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. O PROCESSO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO NA CONSTRUÇÃO DE UM NOVO PARADIGMA PARA A EFICIÊNCIA E EFICÁCIA NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. INTRODUÇÃO A democratização da economia, as frequentes mudanças que se processam

Leia mais

com níveis ótimos de Brand Equity, os interesses organizacionais são compatíveis com as expectativas dos consumidores.

com níveis ótimos de Brand Equity, os interesses organizacionais são compatíveis com as expectativas dos consumidores. Brand Equity O conceito de Brand Equity surgiu na década de 1980. Este conceito contribuiu muito para o aumento da importância da marca na estratégia de marketing das empresas, embora devemos ressaltar

Leia mais

M A N U A L D O I N S T R U T O R D I S T R I TA L 246-PO (304)

M A N U A L D O I N S T R U T O R D I S T R I TA L 246-PO (304) M A N U A L D O I N S T R U T O R D I S T R I TA L 246-PO (304) Esta é a edição de 2004 do Manual do Instrutor Distrital (246-PO), para ser usada em treinamentos em 2004-05, 2005-06 e 2006-07. As informações

Leia mais

THE NEXT GENERATION IS NOW MANAGEMENT & CONSULTING GROUP

THE NEXT GENERATION IS NOW MANAGEMENT & CONSULTING GROUP Soluções integradas para a Indústria do turismo empresarial THE NEXT GENERATION IS NOW MANAGEMENT & CONSULTING GROUP A equipa da XYM Hospitality e os seus parceiros possuem vastos conhecimentos sobre a

Leia mais

GESTÃO DE PESSOAS E PRODUTIVIDADE

GESTÃO DE PESSOAS E PRODUTIVIDADE GESTÃO DE PESSOAS E PRODUTIVIDADE 2 Download da Apresentação www.gptw.com.br publicações e eventos palestras Great Place to Work - Missão 3 Construindo um Excelente Ambiente de Trabalho 4 1 2 3 4 O que

Leia mais

2015 Manual de Parceiro de Varejo. Suas soluções. Nossa tecnologia. Mais inteligentes juntos.

2015 Manual de Parceiro de Varejo. Suas soluções. Nossa tecnologia. Mais inteligentes juntos. 2015 Manual de Parceiro de Varejo Suas soluções. Nossa tecnologia. Mais inteligentes juntos. Prêmios reais, a partir de agora Bem-vindo ao Intel Technology Provider O Intel Technology Provider é um programa

Leia mais

01/12/2012 MEIO AMBIENTE E RESPONSABILIDADE SOCIAL. Guarantã do Norte/MT A SOCIEDADE ESTÁ EM TRANSFORMAÇÃO

01/12/2012 MEIO AMBIENTE E RESPONSABILIDADE SOCIAL. Guarantã do Norte/MT A SOCIEDADE ESTÁ EM TRANSFORMAÇÃO MEIO AMBIENTE E RESPONSABILIDADE SOCIAL Guarantã do Norte/MT A SOCIEDADE ESTÁ EM TRANSFORMAÇÃO TAREFAS ESTRUTURA PESSOAS AMBIENTE TECNOLOGIA ÊNFASE NAS TAREFAS Novos mercados e novos conhecimentos ÊNFASE

Leia mais

MEETING DO MARKETING

MEETING DO MARKETING MEETING DO MARKETING Reputação Corporativa Ativo com Resultados Tangíveis Cristina Panella Cristina Panella Setembro Pág1 2007 Toda empresa funciona num meio ambiente de públicos Philip Kotler Pág2 Tipos

Leia mais

COMUNICAÇÃO DE MARKETING

COMUNICAÇÃO DE MARKETING COMUNICAÇÃO DE MARKETING COMUNICAÇÃO INTEGRADA DE MARKETING Meio através do qual a empresa informa, persuadi e lembra os consumidores sobre o seu produto, serviço e marcas que comercializa. Funções: Informação

Leia mais

PERFIL, NECESSIDADES E ANSEIOS DOS ALUNOS DOS CURSOS DE ADMINISTRAÇÃO DE MACEIÓ 1

PERFIL, NECESSIDADES E ANSEIOS DOS ALUNOS DOS CURSOS DE ADMINISTRAÇÃO DE MACEIÓ 1 PERFIL, NECESSIDADES E ANSEIOS DOS ALUNOS DOS CURSOS DE ADMINISTRAÇÃO DE MACEIÓ 1 Paulo da Cruz Freire dos Santos 2 Muito tem se falado em crise do ensino e das instituições educacionais. Entretanto parece

Leia mais

PLANO DE AÇÃO FÓRUM DO MUNICÍPIO QUE EDUCA

PLANO DE AÇÃO FÓRUM DO MUNICÍPIO QUE EDUCA PLANO DE AÇÃO FÓRUM DO MUNICÍPIO QUE EDUCA PROPOSTA DE AÇÃO Criar um fórum permanente onde representantes dos vários segmentos do poder público e da sociedade civil atuem juntos em busca de uma educação

Leia mais

PROGRAMA COMPLIANCE VC

PROGRAMA COMPLIANCE VC Seguir as leis e regulamentos é ótimo para você e para todos. Caro Colega, É com satisfação que compartilho esta cartilha do Programa Compliance VC. Elaborado com base no nosso Código de Conduta, Valores

Leia mais

APOSTILA DE FILOSOFIA E ÉTICA NAS ORGANIZAÇÕES

APOSTILA DE FILOSOFIA E ÉTICA NAS ORGANIZAÇÕES APOSTILA DE FILOSOFIA E ÉTICA NAS ORGANIZAÇÕES 2º. Bimestre Capítulos: I Ética: noções e conceitos básicos II Processo de Decisão Ética III - Responsabilidade Social Apostila elaborada pela Profa. Ana

Leia mais

A MOTIVAÇÃO INFLUENCIA NO DESEMPENHO DAS PESSOAS NAS ORGANIZAÇÕES? INFLUENCE MOTIVATION PERFORMANCE OF PERSONS IN ORGANIZATIONS?

A MOTIVAÇÃO INFLUENCIA NO DESEMPENHO DAS PESSOAS NAS ORGANIZAÇÕES? INFLUENCE MOTIVATION PERFORMANCE OF PERSONS IN ORGANIZATIONS? A MOTIVAÇÃO INFLUENCIA NO DESEMPENHO DAS PESSOAS NAS ORGANIZAÇÕES? INFLUENCE MOTIVATION PERFORMANCE OF PERSONS IN ORGANIZATIONS? Ana Carolina Gimenes Figueiredo Graduanda em Administração - Universidade

Leia mais

Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro.

Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro. PLANO DE MARKETING Andréa Monticelli Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro. 1. CONCEITO Marketing é

Leia mais

ARTIGOS AÇÕES MOTIVACIONAIS

ARTIGOS AÇÕES MOTIVACIONAIS ARTIGOS AÇÕES MOTIVACIONAIS ÍNDICE em ordem alfabética: Artigo 1 - ENDOMARKETING: UMA FERRAMENTA ESTRATÉGICA PARA DESENVOLVER O COMPROMETIMENTO... pág. 2 Artigo 2 - MOTIVANDO-SE... pág. 4 Artigo 3 - RECURSOS

Leia mais

1 Introdução 1.1 Contextualização do Problema

1 Introdução 1.1 Contextualização do Problema 1 Introdução 1.1 Contextualização do Problema O papel do líder é muito relevante numa pequena empresa familiar. Isso se dá devido a vários fatores, dentre outros, deve-se enfatizar a dificuldade de criação

Leia mais

CAPITAL INTELECTUAL COMO VANTAGEM COMPETITIVA NAS ORGANIZAÇÕES EMPRESARIAIS

CAPITAL INTELECTUAL COMO VANTAGEM COMPETITIVA NAS ORGANIZAÇÕES EMPRESARIAIS CAPITAL INTELECTUAL COMO VANTAGEM COMPETITIVA NAS ORGANIZAÇÕES EMPRESARIAIS Cesar Aparecido Silva 1 Patrícia Santos Fonseca 1 Samira Gama Silva 2 RESUMO O presente artigo trata da importância do capital

Leia mais

CONSULTOR CARLOS MARTINS AÇAO EM MARKETING

CONSULTOR CARLOS MARTINS AÇAO EM MARKETING CONSULTOR CARLOS MARTINS CRIA - AÇAO EM MARKETING SUA EMPRESA Copyright Consultor Carlos Martins - Todos os direitos reservados wwwcarlosmartinscombr - consultor@carlosmartinscombr Como conquistar Clientes

Leia mais

Hotsite: Carta de Serviços ao Cidadão do MDS

Hotsite: Carta de Serviços ao Cidadão do MDS PRÁTICA 1) TÍTULO Hotsite: Carta de Serviços ao Cidadão do MDS 2) DESCRIÇÃO DA PRÁTICA - limite de 8 (oito) páginas: O Hotsite da Carta de Serviços ao Cidadão do MDS foi um projeto realizado pela Ouvidoria

Leia mais

Pesquisa de Clima tornou-se uma ação estratégica de Gestão de Pessoas

Pesquisa de Clima tornou-se uma ação estratégica de Gestão de Pessoas Pesquisa de Clima tornou-se uma ação estratégica de Gestão de Pessoas Boas propostas são essenciais para que uma gestão tenha êxito, mas para que isso ocorra é fundamental que os dirigentes organizacionais

Leia mais

AULA 20. Atendimento

AULA 20. Atendimento AULA 20 Atendimento Marketing em Serviços Marketing em serviços pode ser definido com o conjunto de atividades que objetivam a análise, o planejamento, a implementação e o controle de programas destinados

Leia mais

Nível de Satisfação dos Clientes da Empresa Visual Mídia Formação Profissional: Um Estudo de Caso.

Nível de Satisfação dos Clientes da Empresa Visual Mídia Formação Profissional: Um Estudo de Caso. 1 Nível de Satisfação dos Clientes da Empresa Visual Mídia Formação Profissional: Um Estudo de Caso. Daiane Maria ALONGE 1 Edson Leite Lopes GIMENEZ 2 Resumo Com a atual concorrência, entender os desejos

Leia mais

AUXÍLIO FINANCEIRO A CURSOS PROJETO DE PESQUISA APLICADA SUMÁRIO

AUXÍLIO FINANCEIRO A CURSOS PROJETO DE PESQUISA APLICADA SUMÁRIO 1 AUÍLIO FINANCEIRO A CURSOS PROJETO DE PESQUISA APLICADA SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 2 2 O QUE É UM PROJETO?... 2 2.1 PROJETO DE PESQUISA... 2 3 CLASSIFICAÇÃO DAS PESQUISAS... 4 4 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO PARA

Leia mais

Redes Sociais Em Apoio À Tomada De Decisão

Redes Sociais Em Apoio À Tomada De Decisão Redes Sociais Em Apoio À Tomada De Decisão Este assunto normalmente é tratado quando se aborda a coleta de dados no ciclo de Inteligência. No entanto, o fenômeno das redes sociais, atualmente, cresceu

Leia mais

ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE NEGÓCIOS

ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE NEGÓCIOS ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE NEGÓCIOS São Paulo Presença nacional, reconhecimento mundial. Conheça a Fundação Dom Cabral Uma das melhores escolas de negócios do mundo, pelo ranking de educação executiva

Leia mais

REPRODUÇÃO PROIBIDA. Relatório Sintético

REPRODUÇÃO PROIBIDA. Relatório Sintético REPRODUÇÃO PROIBIDA Relatório Sintético Agosto 2011 REPRODUÇÃO PROIBIDA 1. Objetivo 2. Metodologia 3. Perfil e Formação 4. Atuação Profissional 5. Forma de Atuação 6. Remuneração do Consultor e adicionais

Leia mais

Corpo e Fala EMPRESAS

Corpo e Fala EMPRESAS Corpo e Fala EMPRESAS A Corpo e Fala Empresas é o braço de serviços voltado para o desenvolvimento das pessoas dentro das organizações. Embasado nos pilares institucionais do negócio, ele está estruturado

Leia mais