REGULAMENTO DA ASSISTÊNCIA JURÍDICA

Save this PDF as:
Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "REGULAMENTO DA ASSISTÊNCIA JURÍDICA"

Transcrição

1 REGULAMENTO DA ASSISTÊNCIA JURÍDICA A Diretoria da Associação Paulista de Medicina APM, no uso de suas atribuições legais, resolve aprovar este regulamento, mediante os termos e condições a seguir, com a finalidade de estabelecer normas para o acesso dos associados à ASSISTÊNCIA JURÍDICA em situações que envolvam o exercício da atividade profissional do médico quando acusados da má prática da medicina, aqui denominada como erro médico. CLÁUSULA PRIMEIRA - OBJETO 1. A assistência jurídica oferecida pela APM consiste na prevenção, orientação e defesa de seus associados, quando acusados da má prática da medicina no exercício de sua atividade profissional, apontada como erro médico Essa assistência será realizada por meio de escritório de advocacia devidamente registrado na Ordem dos Advogados do Brasil, especialmente contratado para esta finalidade. CLÁUSULA SEGUNDA DOS SERVIÇOS 2. Os serviços oferecidos abrangem: a) Defesa do associado quando citado judicialmente em processo civil de caráter indenizatório, envolvendo dano moral e/ou material, decorrente do exercício da medicina e apontado como erro médico, nos limites do Estado de São Paulo; b) Defesa do associado quando estiver na condição de réu em processo criminal instaurado por fato decorrente do exercício da medicina e apontado como erro médico, nos limites do Estado de São Paulo; c) Orientação jurídica ao associado quando acusado da prática da medicina, apontado como erro médico, e estiver na condição de indiciado em

2 inquérito policial, com direito a ser acompanhado por advogado quando convocado para depor na Delegacia de Polícia no Estado de São Paulo e esse ato puder influir na sua defesa. Caso não haja indiciamento do associado, este deve receber orientação jurídica; d) Defesa do associado quando notificado da abertura de sindicância e/ou processo ético-profissional pelo Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo; e) Orientação verbal ao associado para os casos que contra ele tramitarem perante Comissão de Ética Médica, Comissão Processante ou Comissões similares; f) Orientação verbal ao associado em quaisquer outros casos envolvendo acusação relacionada à má prática médica nas áreas cível, criminal e ética. 2.1 Afora os serviços acima indicados, o associado terá direito, ainda, a receber orientação preventiva por meio de artigos disponibilizados no site da APM na internet, de autoria dos advogados contratados, além de participar de fóruns e/ou palestras que abordam os temas relacionados ao erro médico A estratégia de defesa do associado deverá ser acertada diretamente com o advogado que irá defendê-lo, em relacionamento confidencial. CLÁUSULA TERCEIRA DO DIREITO À ASSISTÊNCIA JURÍDICA 3. Terão direito aos serviços previstos na Cláusula Segunda deste regulamento todo associado da APM que esteja em dia com suas obrigações estatutárias, observadas as disposições a seguir: Os serviços contratados abrangem o ato médico praticado a partir do dia 01/10/2003, exceções feitas nas condições a seguir:

3 a) àqueles casos em que os associados, por força do Plano de Assistência Jurídica APM, iniciado em 01/10/2001, já vinham recolhendo os valores relativos a esta assistência, situação em que os serviços contratados abrangem o ato médico praticado a partir do dia seguinte à adesão do médico neste plano; b) àqueles casos em que o médico vier a se associar à APM após o dia 01/10/2003, nesta situação, o associado terá direito aos serviços aqui previstos a partir do dia seguinte da sua admissão na entidade Em qualquer situação, o associado deverá estar quite com as contribuições associativas devidas à Entidade, nos termos e condições previstos no Estatuto Social da APM vigente, sendo que o Associado que estiver com seus direitos sociais suspensos por falta de pagamento de suas contribuições associativas, conforme normas do Estatuto Social da APM, não terá direito aos serviços previstos na Cláusula Segunda e, caso seja acionado, em Juízo ou no CREMESP, em razão de ato praticado antes ou durante o período de inadimplência, também não poderá se valer dos benefícios oferecidos, mesmo que venha a quitar a (s) importância (s) em atraso. Assim, nas situações em que o associado depender de defesa, em Juízo ou no CREMESP, somente terá direito ao atendimento nos casos em que o ato por ele praticado e que originou o processo tenha ocorrido a partir da data seguinte da quitação de seus débitos junto à entidade Para fazer jus aos serviços previstos neste Regulamento, o associado deverá procurar os advogados do escritório de advocacia contratado pela APM na av. Brigadeiro Luiz Antônio, nº 278, 3º andar, Bela Vista, em São Paulo (SP), pessoalmente ou por telefone Quando já instaurado processo judicial ou ético, o associado será atendido pessoalmente no local referido no item 3.2., em dia e horário previamente marcados, no prazo mais rápido possível, nunca superior a metade do prazo final para a apresentação da defesa, apresentando sua citação judicial ou

4 notificação do Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo, relatando os fatos, outorgando procuração para promoção de sua defesa, comprometendo-se a providenciar toda a documentação solicitada e ainda recolher as custas e despesas do processo Caso haja conflito de interesses no mesmo processo em que estejam envolvidos dois ou mais associados, e procurarem os serviços previstos neste regulamento junto aos advogados contratados, estando estes eticamente impedidos de patrocinar a todos, conforme estabelece o art. 17 do Código de Ética da Ordem dos Advogados do Brasil, será defendido o associado que primeiro os procurar, no prazo assinalado no item anterior, outorgar procuração e apresentar a documentação solicitada Caso o processo seja promovido contra a pessoa jurídica da qual o associado é sócio, a defesa da empresa deverá ser realizada somente quando o próprio associado for o autor do ato médico questionado no feito. CLÁUSULA QUARTA DESPESAS E CUSTAS PROCESSUAIS 4. Toda e qualquer despesa processual, tais como custas, honorários periciais, emolumentos e outras, indispensável ao regular processamento do feito, ou mesmo para cumprimento de carta precatória para fora do Estado de São Paulo, hipótese em que também se incluem despesas com o transporte e estadia do advogado, será de responsabilidade do associado, que deverá suportar os valores a serem recolhidos assim que lhes forem solicitados, a tempo e a hora. CLÁUSULA QUINTA VIGÊNCIA DOS SERVIÇOS 5. Os benefícios oferecidos pela APM a seus associados, previstos na Cláusula Segunda deste Regulamento, serão realizados por prazo indeterminado, podendo ser cancelados a qualquer momento, neste caso, para os processos em trâmite e que o associado esteja sendo defendido pelos

5 advogados do escritório de advocacia contratado pela entidade, o associado será notificado para que no prazo de 30 (trinta) dias constitua outro advogado, por sua conta e risco, inclusive honorários advocatícios, para condução da causa. CLÁUSULA SEXTA CONDIÇÕES GERAIS 6. As normas, condições e serviços estabelecidos neste instrumento poderão ser alterados a qualquer momento, mediante aprovação da Diretoria da APM, nos termos do Estatuto Social A APM auxiliará o associado arcando única e exclusivamente com os honorários advocatícios, acordados por meio de contrato específico, firmado entre a APM e o escritório de advocacia A APM poderá, a seu exclusivo critério, substituir o escritório de advocacia contratado para os serviços previstos na Cláusula Segunda, caso em que o associado que esteja sendo defendido em processo, em Juízo ou no CREMESP, será notificado a respeito. Caso o associado não aceite essa substituição, poderá constituir outro advogado de sua confiança, devendo, então, arcar com os honorários advocatícios cobrados Em nenhuma hipótese a APM ou o escritório de advocacia contratado serão responsabilizados pelo resultado do processo, em Juízo ou no CREMESP, nem suportarão qualquer ônus decorrente do desacolhimento, total ou parcial, da defesa promovida, devendo o associado arcar com toda e qualquer condenação que lhe for imposta O associado que se valer dos serviços oferecidos na Cláusula Segunda, fica ciente que o escritório de advocacia poderá, a pedido da Presidência da

6 APM, fornecer seu nome, data e tipo de atendimento prestado, ficando preservado o sigilo profissional que o caso requer Compete à Diretoria deliberar sobre matéria omissa neste Regulamento Este Regulamento entra em vigor na data de sua aprovação conforme ata da reunião de Diretoria nº 002, a qual se encontra registrada no Cartório do 1º Ofício de Registro Civil de Pessoa Jurídica, sob nº São Paulo, 09 de dezembro de Dr. Florisval Meinão Presidente Dra. Francine Curtolo Acayaba de Toledo OAB-SP nº

CONDIÇÕES GERAIS DE ASSISTÊNCIA PROTEÇÃO A CARTÕES PLANO 1

CONDIÇÕES GERAIS DE ASSISTÊNCIA PROTEÇÃO A CARTÕES PLANO 1 CONDIÇÕES GERAIS DE ASSISTÊNCIA PROTEÇÃO A CARTÕES PLANO 1 1. QUADRO RESUMO DE SERVIÇOS ITEM SERVIÇOS LIMITES DO SERVIÇO 1 Assistência Global de Proteção a Cartões e Serviço de Solicitação de Cartão Substituto

Leia mais

CONTRATO DE ASSOCIAÇÃO. ASSOCIADA Nome do Advogado

CONTRATO DE ASSOCIAÇÃO. ASSOCIADA Nome do Advogado CONTRATO DE ASSOCIAÇÃO ASSOCIADA Nome do Advogado Pelo presente instrumento e na melhor forma de direito, de um lado, NOME DA SOCIEDADE, sociedade inscrita na Ordem dos Advogados do Brasil - Secção de

Leia mais

Resolução nº 003, de 02 de Fevereiro de 2.016

Resolução nº 003, de 02 de Fevereiro de 2.016 Resolução nº 003, de 02 de Fevereiro de 2.016 Regulamenta os serviços disponibilizados aos Associados e dependentes do SIRCOM/BENEFÍCIOS e dá outras providências Considerando a existência de uma regulamentação

Leia mais

ANEXO II ACORDO DE CONFIDENCIALIDADE

ANEXO II ACORDO DE CONFIDENCIALIDADE ANEXO II ACORDO DE CONFIDENCIALIDADE TELEFONICA BRASIL S.A, com sede à Rua Martiniano de Carvalho, nº. 851, na cidade de São Paulo, inscrita no CNPJ/MF sob nº. 02.558.157/0001-62, neste ato representada

Leia mais

REQUERIMENTO PESSOA JURÍDICA

REQUERIMENTO PESSOA JURÍDICA REQUERIMENTO PESSOA JURÍDICA A pessoa jurídica localizada em nº bairro cidade CEP, telefone. Vem pelo presente documento solicitar: ( ) Baixa de Registro Interrupção das Atividade ( ) Baixa por solicitação

Leia mais

1) Esta promoção é uma iniciativa da RWTECH e somente ela poderá se. pronunciar, estabelecer e modificar suas regras e formato, além de ser a

1) Esta promoção é uma iniciativa da RWTECH e somente ela poderá se. pronunciar, estabelecer e modificar suas regras e formato, além de ser a 1) Esta promoção é uma iniciativa da RWTECH e somente ela poderá se pronunciar, estabelecer e modificar suas regras e formato, além de ser a única a comunicar seus participantes. 2) Qualquer informação

Leia mais

MANUAL DE SERVIÇOS 1. PLANO DE ASSISTÊNCIA JURÍDICA FAMILIAR PAF

MANUAL DE SERVIÇOS 1. PLANO DE ASSISTÊNCIA JURÍDICA FAMILIAR PAF MANUAL DE SERVIÇOS 1. PLANO DE ASSISTÊNCIA JURÍDICA FAMILIAR PAF 1.1 SERVIÇOS PRESTADOS Souza & Evangelista Advocacia e Consultoria Jurídica propicia atividades jurídicas privativas de advogados nas vias

Leia mais

REGULAMENTO DE CONCILIAÇÃO

REGULAMENTO DE CONCILIAÇÃO REGULAMENTO DE CONCILIAÇÃO Regulamento de Conciliação da Câmara de Mediação e Arbitragem do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Minas Gerais CREA-MG. A Câmara de Mediação e Arbitragem do Conselho

Leia mais

REGULAMENTO DA COMISSÃO EXECUTIVA DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REDITUS - SOCIEDADE GESTORA DE PARTICIPAÇÕES SOCIAIS, S.A.

REGULAMENTO DA COMISSÃO EXECUTIVA DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REDITUS - SOCIEDADE GESTORA DE PARTICIPAÇÕES SOCIAIS, S.A. REGULAMENTO DA COMISSÃO EXECUTIVA DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REDITUS - SOCIEDADE GESTORA DE PARTICIPAÇÕES SOCIAIS, S.A. ARTIGO 1.º (Âmbito e Aplicabilidade) 1. O presente regulamento estabelece as regras

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SCM

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SCM CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SCM Contrato que entre si celebram Edmilson de Lima Araújo - ME, inscrito no CNPJ sob o nº 00552496/0001-06, Inscrição Estadual 24837800-7, situado a Av. Dr. Jayme Carneiro Lopes

Leia mais

Regulamento das comissões internas de prevenção de acidentes - CIPAs

Regulamento das comissões internas de prevenção de acidentes - CIPAs Pág.: 1/5 1 Objetivo 1.1 Esta Norma estabelece os procedimentos relativos ao funcionamento das Comissões Internas de Prevenção de Acidentes - CIPAs na COPASA MG. 1.2 Aplica-se a todos os empregados e Unidades

Leia mais

TERMO DE ADESÃO AO PLANO DE ASSISTÊNCIA JURÍDICA

TERMO DE ADESÃO AO PLANO DE ASSISTÊNCIA JURÍDICA TERMO DE ADESÃO AO PLANO DE ASSISTÊNCIA JURÍDICA 1. DAS DEFINICÕES 1.1 São aplicáveis a este Termo as seguintes definições e abreviaturas: 1.1.1 PAF: Plano de Assistência Familiar. 1.1.2 PAE: Plano de

Leia mais

REGULAMENTO DE EMPRÉSTIMO

REGULAMENTO DE EMPRÉSTIMO REGULAMENTO DE EMPRÉSTIMO Art. 1º Este documento, doravante denominado Regulamento de Empréstimo, estabelece os direitos e as obrigações da Boticário Prev, dos Participantes e Assistidos, para a concessão

Leia mais

Resolução n. 04/2014. Instituir o Programa Anuidade Zero, conforme os termos do regulamento abaixo:

Resolução n. 04/2014. Instituir o Programa Anuidade Zero, conforme os termos do regulamento abaixo: Resolução n. 04/2014 Cria o Programa Anuidade Zero, e institui seu regulamento. O CONSELHO SECCIONAL DO RIO GRANDE DO NORTE DA ORDEM DOS ADVOGADO DO BRASIL, no uso de suas atribuições, resolve: 1. Considerando

Leia mais

Contrato (on-line) de Loja Virtual. Última modificação: 07/05/2015. Bem vindo a Propaganda Certa!

Contrato (on-line) de Loja Virtual. Última modificação: 07/05/2015. Bem vindo a Propaganda Certa! Contrato (on-line) de Loja Virtual Última modificação: 07/05/2015 Bem vindo a Propaganda Certa! Este contrato (on-line) de Loja Virtual (o "Contrato") é celebrado entre Propaganda Certa, emprsa de razão

Leia mais

Regulamento de Empréstimo

Regulamento de Empréstimo Regulamento $ de Empréstimo Para participantes do Plano Complementar de Benefícios Previdenciais - Plano BD $ Fundação de Previdência dos Empregados da CEB Regulamento aprovado pelo Conselho Deliberativo

Leia mais

REGULAMENTO DA PROMOÇÃO

REGULAMENTO DA PROMOÇÃO REGULAMENTO DA PROMOÇÃO A CONSTRUTORA Massai, empresa inscrita no CNPJ/MF sob o nº 01.295.921/0001-91, com sede na Av. Monteiro da Franca, Nº 1092, CEP 58038-20 - bairro Manaíra, em JOÃO PESSOA /PB, realizará

Leia mais

Termo Aditivo ao Contrato de Abertura, Movimentação e Manutenção de Conta de Depósito à Vista Adesão a Serviços de Liquidação Cetip

Termo Aditivo ao Contrato de Abertura, Movimentação e Manutenção de Conta de Depósito à Vista Adesão a Serviços de Liquidação Cetip Termo Aditivo ao Contrato de Abertura, Movimentação e Manutenção de Conta de Depósito à Vista Adesão a Serviços de Liquidação Cetip CONTA CORRENTE (uso exclusivo do banco) Razão Social do Titular Endereço

Leia mais

Este regulamento está em vigor a partir do 11/07/2007 (inclusive) substituindo e cancelando o anterior

Este regulamento está em vigor a partir do 11/07/2007 (inclusive) substituindo e cancelando o anterior Este regulamento está em vigor a partir do 11/07/2007 (inclusive) substituindo e cancelando o anterior REGULAMENTO DE ACÚMULO DE PONTOS NO PROGRAMA BRADESCO COM TRANSFERÊNCIA PARA O PROGRAMA FIDELIDADE

Leia mais

ACORDO DE COOPERAÇÃO COMERCIAL

ACORDO DE COOPERAÇÃO COMERCIAL ACORDO DE COOPERAÇÃO COMERCIAL ATELECOM S.A., inscrita no CNPJ/MF sob nº 03.498.897/0001-13, com sua sede social sita na Rua do Rócio, 291-2 andar, Vila Olímpia, São Paulo / SP, doravante denominada ATELECOM

Leia mais

REGULAMENTO PROMOÇÃO YOU PINHEIROS

REGULAMENTO PROMOÇÃO YOU PINHEIROS DADOS DA PROMOTORA PLATINUM EMPREENDIMENTO IMOBILIÁRIO LTDA. CNPJ/MF n 18.579.884/0001-46 CCM: 4812315-3 IE: Isento Endereço: Avenida Presidente Juscelino Kubitschek, n.º 360, 4º andar, sala 44, Vila Nova

Leia mais

CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES RESOLUÇÃO CFC N.º 1.166/09 Dispõe sobre o Registro Cadastral das Organizações Contábeis. regimentais, O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e RESOLVE: CAPÍTULO I

Leia mais

REGULAMENTO DA PROMOÇÃO QUEM INDICA AMIGO É

REGULAMENTO DA PROMOÇÃO QUEM INDICA AMIGO É REGULAMENTO DA PROMOÇÃO QUEM INDICA AMIGO É 1. DA REALIZADORA 1.1 Este instrumento tem como objetivo regulamentar as condições para participação dos Clientes Claro HDTV na Promoção Quem indica Amigo é,

Leia mais

REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, NATUREZA, SEDE E DURAÇÃO

REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, NATUREZA, SEDE E DURAÇÃO REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, NATUREZA, SEDE E DURAÇÃO Art. 1º O Colegiado Estadual de Procuradores e Advogados Municipais de Santa Catarina, que passará a utilizar com exclusividade a denominação

Leia mais

Resolução nº. 02/2013. RESOLVEM Divulgar CHAMADA INTERNA nº 02 nas condições e regras que abaixo se transcreve:

Resolução nº. 02/2013. RESOLVEM Divulgar CHAMADA INTERNA nº 02 nas condições e regras que abaixo se transcreve: Resolução nº. 02/2013 OS DIRETORES PRESIDENTE, ADMINISTRATIVO, FINANCEIRO E CIENTÍFICO DA FUNDAÇÃO DE APOIO À FAFIPA, NO USO DE SUAS ATRIBUIÇÕES ESTATUTÁRIAS, RESOLVEM Divulgar CHAMADA INTERNA nº 02 nas

Leia mais

ANEXO 5 TERMO DE CONSTITUIÇÃO DE CONSÓRCIO

ANEXO 5 TERMO DE CONSTITUIÇÃO DE CONSÓRCIO ANEXO 5 TERMO DE CONSTITUIÇÃO DE CONSÓRCIO Termo de Constituição de Consórcio 1 As Partes: A empresa (Nome da Empresa)..., com sede na cidade de..., (Endereço)..., com CNPJ n o..., Inscrição Estadual...,

Leia mais

REGULAMENTO DE MEDIAÇÃO

REGULAMENTO DE MEDIAÇÃO REGULAMENTO DE MEDIAÇÃO 1. Da Mediação 1.1 - A mediação é meio não adversarial de solução pacífica de controvérsias com resultados reconhecidamente eficazes. 1.2 - A mediação caracteriza-se por ser procedimento

Leia mais

O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais,

O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, RESOLUÇÃO CFC N.º 1.371/11 Dispõe sobre o Registro das Entidades Empresariais de Contabilidade. O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, RESOLVE: CAPÍTULO

Leia mais

Plano de Outorga de Opção de Compra de Ações

Plano de Outorga de Opção de Compra de Ações Plano de Outorga de Opção de Compra de Ações 1. OBJETIVO DO PLANO 1.1. O objetivo deste Plano de Outorga de Opção de Compra de Ações ( Plano ) da QGEP Participações S.A. ( Companhia ), instituído nos termos

Leia mais

Capítulo 1 - O Diretório Acadêmico

Capítulo 1 - O Diretório Acadêmico DIRETÓRIO ACADÊMICO DA ENGENHARIA DO CEFET/RJ ATA DE ALTERAÇÃO DO ESTATUTO Aos vinte e cinco dias do mês de junho de dois mil e oito, na sede do Diretório Acadêmico da Engenharia do CEFET/RJ, sito a Avenida

Leia mais

Regulamento para Concessão do Selo Plantamos Árvores para reduzir os efeitos das emissões de CO 2 - Fundação SOS Mata Atlântica e Instituto Totum

Regulamento para Concessão do Selo Plantamos Árvores para reduzir os efeitos das emissões de CO 2 - Fundação SOS Mata Atlântica e Instituto Totum Controle de alterações 10 de março de 2008 emissão inicial 1 ÍNDICE 0. Condições Gerais... 3 1. Condições de Admissão e Visão Geral do Processo... 4 2. Abertura de Processo... 5 3. Processo Técnico Reconhecimento

Leia mais

PROGRAMA DE CRÉDITO EDUCATIVO - INVESTCREDE REGULAMENTO

PROGRAMA DE CRÉDITO EDUCATIVO - INVESTCREDE REGULAMENTO PROGRAMA DE CRÉDITO EDUCATIVO - INVESTCREDE 1. DAS INFORMAÇÕES GERAIS REGULAMENTO 1.1 - O presente regulamento objetiva a concessão de Crédito Educativo para estudantes devidamente Matriculados nos cursos

Leia mais

REGULAMENTO DA PROMOÇÃO DO EMPREENDIMENTO SPOT IPIRANGA "Comprou, Ganhou

REGULAMENTO DA PROMOÇÃO DO EMPREENDIMENTO SPOT IPIRANGA Comprou, Ganhou REGULAMENTO DA PROMOÇÃO DO EMPREENDIMENTO SPOT IPIRANGA "Comprou, Ganhou REGULAMENTO EMPREENDIMENTO SPOT IPIRANGA ( Empreendimento Participante ) 1. A presente promoção ( Promoção ) é uma iniciativa da

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO TRANS-MUX (EXPLORAÇÃO INDUSTRIAL DE LINHA DEDICADA EILD) ANEXO 3 TERMO DE COMPROMISSO DE CONFIDENCIALIDADE

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO TRANS-MUX (EXPLORAÇÃO INDUSTRIAL DE LINHA DEDICADA EILD) ANEXO 3 TERMO DE COMPROMISSO DE CONFIDENCIALIDADE CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO TRANS-MUX (EXPLORAÇÃO INDUSTRIAL DE LINHA DEDICADA EILD) ANEXO 3 TERMO DE COMPROMISSO DE CONFIDENCIALIDADE 1. OBJETIVO Este Anexo ao Contrato de Prestação de Serviço TRANS-MUX

Leia mais

Este regulamento está em vigor a partir do 11/07/2007 (inclusive) substituindo e cancelando o anterior

Este regulamento está em vigor a partir do 11/07/2007 (inclusive) substituindo e cancelando o anterior Este regulamento está em vigor a partir do 11/07/2007 (inclusive) substituindo e cancelando o anterior REGULAMENTO DE ACÚMULO DE PONTOS NO PROGRAMA BRADESCO COM TRANSFERÊNCIA PARA O PROGRAMA FIDELIDADE

Leia mais

Mondial Pet Protection CONDIÇÕES GERAIS PRINCIPAIS BENEFÍCIOS: Assistência Emergencial. Implantação de Microchip. Desconto em Cirurgias

Mondial Pet Protection CONDIÇÕES GERAIS PRINCIPAIS BENEFÍCIOS: Assistência Emergencial. Implantação de Microchip. Desconto em Cirurgias MONDIAL PET PROTECTION é um conjunto de serviços oferecido a cachorros e gatos (domésticos), disponível nas Capitais do Nordeste, Sudeste e Sul e Centro-Oeste do Brasil e grandes centros metropolitanos.

Leia mais

O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES RESOLUÇÃO CFC N.º 1.390/12 Dispõe sobre o Registro Cadastral das Organizações Contábeis. O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, RESOLVE: CAPÍTULO I

Leia mais

REGULAMENTO E DISPOSIÇÕES GERAIS DO PROGRAMA FIDELIDADE T- Maki RESTAURANTE JAPONÊS

REGULAMENTO E DISPOSIÇÕES GERAIS DO PROGRAMA FIDELIDADE T- Maki RESTAURANTE JAPONÊS REGULAMENTO E DISPOSIÇÕES GERAIS DO PROGRAMA FIDELIDADE T- Maki RESTAURANTE JAPONÊS DO PROGRAMA DE FIDELIDADE O Programa de Fidelidade T-Maki Restaurante Japonês objetiva identificar, reconhecer e valorizar

Leia mais

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES E ADQUIRENTES DO CONDOMÍNIO ALTO DA BOA VISTA CAPÍTULO I - FINALIDADES

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES E ADQUIRENTES DO CONDOMÍNIO ALTO DA BOA VISTA CAPÍTULO I - FINALIDADES ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES E ADQUIRENTES DO CONDOMÍNIO ALTO DA BOA VISTA CAPÍTULO I - FINALIDADES Art. 1º A Associação dos Moradores e Adquirentes do Condomínio Alto da Boa Vista é uma sociedade

Leia mais

INSTRUMENTO PARTICULAR DE CONTRATO DE PARCERIA COMERCIAL E OUTRAS AVENÇAS

INSTRUMENTO PARTICULAR DE CONTRATO DE PARCERIA COMERCIAL E OUTRAS AVENÇAS INSTRUMENTO PARTICULAR DE CONTRATO DE PARCERIA COMERCIAL E OUTRAS AVENÇAS LIVRE TELECOM COM. E SERV. EM TELECOMUNICAÇÕES LTDA., sociedade regularmente constituída com sede na Av. Cásper Líbero, 383 8 andar

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS JURÍDICOS

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS JURÍDICOS CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS JURÍDICOS Pelo presente instrumento particular de Contrato de Prestação de Serviços Jurídicos, a empresa... (razão social da empresa), inscrita do CNPJ/MF sob o nº...,

Leia mais

REGULAMENTO DO SERVIÇO DE MENSAGEM BRADESCO

REGULAMENTO DO SERVIÇO DE MENSAGEM BRADESCO REGULAMENTO DO SERVIÇO DE MENSAGEM BRADESCO O Banco Bradesco S.A., com sede na Cidade de Osasco, Estado de São Paulo, à Cidade de Deus, s/nº, inscrito no CNPJ sob o nº 60.746.948/0001/12, disponibilizará

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA RESGATE DE MENSALIDADE DA ASTTTER

REGULAMENTO DO PROGRAMA RESGATE DE MENSALIDADE DA ASTTTER REGULAMENTO DO PROGRAMA RESGATE DE MENSALIDADE DA ASTTTER CLÁUSULA PRIMEIRA: OBJETIVO E VIGÊNCIA DO PROGRAMA 1.1. O programa previsto neste regulamento tem como objetivo conceder ao associado titular da

Leia mais

CONTRATO DE ADESÃO DOS TERMOS DO PRESENTE CONTRATO.

CONTRATO DE ADESÃO DOS TERMOS DO PRESENTE CONTRATO. CONTRATO DE ADESÃO DOS TERMOS DO PRESENTE CONTRATO. São sujeitos deste contrato: A empresa PEOPLE CLUB. PEOPLECLUB LTDA., inscrita no CNPJ/MF sob o n. 19.308.938/0001-00, com sede à Av. Perimetral esq.

Leia mais

REGULAMENTO PROGRAMA CLARO UP

REGULAMENTO PROGRAMA CLARO UP REGULAMENTO PROGRAMA CLARO UP A CLARO S/A, inscrita no CNPJ sob o nº 40.432.544/0001-47, com sede na Rua Flórida, 1970 Brooklin São Paulo - SP - CEP: 04665-001, denominada neste instrumento simplesmente

Leia mais

PORTARIAN 4536/2013. gusto Viana Neto Presidente. José Is.

PORTARIAN 4536/2013. gusto Viana Neto Presidente. José Is. - 2" REGIAO Serviço Público Federal PORTARIAN 4536/2013 Altera o Regulamento Executivo das Delegacias Sub. regionais o Presidente do da 2 Região, no exercício regular de suas atribuições legais e regimentais,

Leia mais

REGULAMENTO DA PROMOÇÃO INDICAÇÃO PREMIADA URBAMAIS

REGULAMENTO DA PROMOÇÃO INDICAÇÃO PREMIADA URBAMAIS REGULAMENTO DA PROMOÇÃO INDICAÇÃO PREMIADA URBAMAIS URBAMAIS PROPERTIES E PARTICIPAÇÕES S.A., sociedade por ações, inscrita no CNPJ/MF sob o nº 10.571.175/0001-02, com sede na Av. Raja Gabaglia, nº 2720,

Leia mais

Câmara Portuguesa de Comércio no Brasil - São Paulo

Câmara Portuguesa de Comércio no Brasil - São Paulo REGULAMENTO DO CENTRO DE MEDIAÇÃO E ARBITRAGEM DA CÂMARA PORTUGUESA DE COMÉRCIO NO BRASIL SÃO PAULO Artigo 1º O Centro de Arbitragem 1.1. O Centro de Mediação e Arbitragem da Câmara Portuguesa de Comércio

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS PARA EMISSÃO DE VISTO CANADENSE

CONDIÇÕES GERAIS PARA EMISSÃO DE VISTO CANADENSE CONDIÇÕES GERAIS PARA EMISSÃO DE VISTO CANADENSE 1. Todos os documentos enviados ao Consulado Geral do Canadá em São Paulo não são devolvidos com exceção do passaporte. Caso envie algum documento original,

Leia mais

REGULAMENTO PONTOS TURBINADOS

REGULAMENTO PONTOS TURBINADOS REGULAMENTO PONTOS TURBINADOS 1. O SERVIÇO 1.1. O Banco Citicard S.A, com sede na cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, inscrito no CNPJ sob o nº 34.098.442./0001-34, emissor dos cartões de crédito

Leia mais

RESOLUÇÃO CFN Nº 510/2012

RESOLUÇÃO CFN Nº 510/2012 Página 1 de 9 RESOLUÇÃO CFN Nº 510/2012 Dispõe sobre o registro, nos Conselhos Regionais de Nutricionistas, de atestados para comprovação de aptidão para desempenho de atividades nas áreas de alimentação

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DO BRADESCO SOLUÇÃO DE ALUGUEL

CONDIÇÕES GERAIS DO BRADESCO SOLUÇÃO DE ALUGUEL I INFORMAÇÕES INICIAIS CONDIÇÕES GERAIS DO BRADESCO SOLUÇÃO DE ALUGUEL SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: BRADESCO CAPITALIZAÇÃO S.A. CNPJ: 33.010.851/0001-74 BRADESCO SOLUÇÃO DE ALUGUEL PLANO PU 15/15 A - MODALIDADE:

Leia mais

Informamos a reabertura do Plano de Apoio à Aposentadoria PAA 2012, no âmbito do Programa de Preparação à Aposentadoria.

Informamos a reabertura do Plano de Apoio à Aposentadoria PAA 2012, no âmbito do Programa de Preparação à Aposentadoria. Segunda-feira, 03 de dezembro de 2012. REABERTURA PAA de 03 a 21.12.2012 Informamos a reabertura do Plano de Apoio à Aposentadoria PAA 2012, no âmbito do Programa de Preparação à Aposentadoria. O período

Leia mais

Regulamento da Carteira de Empréstimo - Antecipação do Abono Anual

Regulamento da Carteira de Empréstimo - Antecipação do Abono Anual Regulamento da Carteira de Empréstimo - Antecipação do Abono Anual Art. 1º - O presente Regulamento tem por finalidade disciplinar o funcionamento da Carteira de Empréstimo - Antecipação do Abono Anual,

Leia mais

REDE PETRO - BACIA DE CAMPOS REGIMENTO INTERNO

REDE PETRO - BACIA DE CAMPOS REGIMENTO INTERNO REDE PETRO - BACIA DE CAMPOS REGIMENTO INTERNO CAPITULO I DA ORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA Art. 1º - A Organização Administrativa corresponde à estrutura da REDE PETRO-BC que tem como finalidade garantir

Leia mais

REGULAMENTO DO TRADIPLUS

REGULAMENTO DO TRADIPLUS REGULAMENTO DO TRADIPLUS 1. Generalidades e Definições 1.1 - O TRADIPLUS é o programa de cliente frequente da empresa Tradicampo, Casas de Campo Tradicionais, Lda, que disponibiliza aos seus membros a

Leia mais

BIBLIOTECA MÈRE BLANCHOT REGULAMENTO PARA UTILIZAÇÃO DA BIBLIOTECA. Capítulo I - DISPOSIÇÕES GERAIS

BIBLIOTECA MÈRE BLANCHOT REGULAMENTO PARA UTILIZAÇÃO DA BIBLIOTECA. Capítulo I - DISPOSIÇÕES GERAIS BIBLIOTECA MÈRE BLANCHOT REGULAMENTO PARA UTILIZAÇÃO DA BIBLIOTECA Capítulo I - DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º - Dos Clientes A Biblioteca Mère Blanchot presta serviços à comunidade acadêmica da Faculdade

Leia mais

PORTARIA DIREF Nº 068 DE 27 DE ABRIL DE 2015

PORTARIA DIREF Nº 068 DE 27 DE ABRIL DE 2015 1 de 6 29/4/2015 13:10 SEÇÃO JUDICIÁRIA DE MINAS GERAIS PORTARIA DIREF Nº 068 DE 27 DE ABRIL DE 2015 Cria a Central Eletrônica de Videoconferências - CELEVI na sede da Seção Judiciária de Minas Gerais

Leia mais

INSTRUÇÕES NORMATIVAS - DNRC

INSTRUÇÕES NORMATIVAS - DNRC INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 88, DE 02 DE AGOSTO DE 2001 Dispõe sobre o arquivamento dos atos de transformação, incorporação, fusão e cisão de sociedades mercantis. O DIRETOR DO DEPARTAMENTO NACIONAL DE REGISTRO

Leia mais

(NOME DO PROVEDOR), (QUALIFICAÇÃO DO PROVEDOR), doravante denominada simplesmente PROVEDOR.

(NOME DO PROVEDOR), (QUALIFICAÇÃO DO PROVEDOR), doravante denominada simplesmente PROVEDOR. CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE BILHETAGEM E VALORAÇÃO DE CHAMADAS PARA INTERNET, ATENDIMENTO À CLIENTES E LANÇAMENTO DE CRÉDITO EM CONTA TELEFÔNICA, firmado entre TELEMAR NORTE LESTE S/A de um lado

Leia mais

Termos e Condições Adesão ao PROGRAMA SOMMA

Termos e Condições Adesão ao PROGRAMA SOMMA Termos e Condições Adesão ao PROGRAMA SOMMA 1. PROGRAMA SOMMA é um programa de acumulação de pontos, através do qual registra-se o consumo efetuado por cartão de crédito, cartão pré-pago ou cartão de fidelidade

Leia mais

Este regulamento estabelece as regras para o PROGRAMA E PROMOÇÃO AVAX CORRETORA DE SEGUROS INDIQUE UM AMIGO, instituído pela AVAX CORRETORA DE SEGUROS

Este regulamento estabelece as regras para o PROGRAMA E PROMOÇÃO AVAX CORRETORA DE SEGUROS INDIQUE UM AMIGO, instituído pela AVAX CORRETORA DE SEGUROS REGULAMENTO E TERMO DE ADESÃO AO PROGRAMA E PROMOÇÃO AVAX CORRETORA DE SEGUROS INDIQUE UM AMIGO Este regulamento estabelece as regras para o PROGRAMA E PROMOÇÃO AVAX CORRETORA DE SEGUROS INDIQUE UM AMIGO,

Leia mais

REGULAMENTO PROMOÇÃO ITBI PREMIADO MRV MAIO 2014

REGULAMENTO PROMOÇÃO ITBI PREMIADO MRV MAIO 2014 REGULAMENTO PROMOÇÃO ITBI PREMIADO MRV MAIO 2014 MRV ENGENHARIA E PARTICIPAÇÕES S.A. ( MRV ), pessoa jurídica de direito privado, inscrita no CNPJ/MF sob o nº 08.343.492/0001-20, com sede na Av. Raja Gabaglia,

Leia mais

TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO - APLUBCAP TRADICIONAL 16 MODALIDADE TRADICIONAL - PAGAMENTO ÚNICO

TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO - APLUBCAP TRADICIONAL 16 MODALIDADE TRADICIONAL - PAGAMENTO ÚNICO TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO - APLUBCAP TRADICIONAL 16 MODALIDADE TRADICIONAL - PAGAMENTO ÚNICO CONDIÇÕES GERAIS I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: APLUB CAPITALIZAÇÃO S/A CNPJ: 88.076.302/0001-94

Leia mais

Termos Gerais & Política de Compras da Fon

Termos Gerais & Política de Compras da Fon Termos Gerais & Política de Compras da Fon Definições Termos e Condições: Termos e Condições para a Venda de Equipamento (doravante denominado TCVE ). Fon Technology, S.L.: A Companhia que fornece ou vende

Leia mais

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX. FGTS Débitos Dos Empregadores Regularização Procedimentos

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX. FGTS Débitos Dos Empregadores Regularização Procedimentos VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX Orientador Empresarial FGTS Débitos Dos Empregadores Regularização Procedimentos CIRCULAR CAIXA Nº 351, DE 04 DE ABRIL DE 2005 - DOU

Leia mais

REGULAMENTO DE PREMIAÇÃO

REGULAMENTO DE PREMIAÇÃO A Odebrecht Realizações Imobiliárias e Participações S/A, estabelecida na Avenida A, número 4165, sala 101 Torre 4, no bairro da Praia do Paiva, Cabo de Santo Agostinho-PE, CEP 54.522-005, inscrita no

Leia mais

Resolução Nº 034/2012-ConEPE/UnP Natal-RN, 10 de setembro de 2013.

Resolução Nº 034/2012-ConEPE/UnP Natal-RN, 10 de setembro de 2013. Resolução Nº 034/2012-ConEPE/UnP Natal-RN, 10 de setembro de 2013. Aprova o Regulamento das atividades desenvolvidas pelas Ligas Acadêmicas de Medicina na Universidade Potiguar. A Presidente do Conselho

Leia mais

Programa CI-BRASIL RN-009/2010

Programa CI-BRASIL RN-009/2010 Programa CI-BRASIL RN-009/2010 Revoga as RN-010/2008 e RN-016/2009 O Presidente do CONSELHO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO - CNPq, no uso das atribuições que lhe são conferidas pelo

Leia mais

CONTRATO DE REVENDA WINCONNECTION

CONTRATO DE REVENDA WINCONNECTION CONTRATO DE REVENDA WINCONNECTION Pelo presente instrumento particular, de um lado: Winco Sistemas Ltda., pessoa jurídica de direito privado, com sede estabelecida à Rua Amazonas, 669 sala 37, Centro da

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS PARA EMISSÃO DE VISTO CANADENSE

CONDIÇÕES GERAIS PARA EMISSÃO DE VISTO CANADENSE CONDIÇÕES GERAIS PARA EMISSÃO DE VISTO CANADENSE 1. Todos os documentos enviados ao Consulado Geral do Canadá em São Paulo não são devolvidos com exceção do passaporte. Caso envie algum documento original,

Leia mais

CONTRATO PLANO DE SAÚDE ANIMAL

CONTRATO PLANO DE SAÚDE ANIMAL CONTRATO PLANO DE SAÚDE ANIMAL Contrato de cobertura de custos dos procedimentos de assistência medica e hospitalar veterinária, que entre si fazem, de um lado ANIMED PLANOS DE SAÚDE VETERINÁRIOS LTDA,

Leia mais

RESPONSABILIDADE PESSOAL DOS SÓCIOS ADMINISTRADORES NOS DÉBITOS TRIBUTÁRIOS QUANDO DA DISSOLUÇÃO IRREGULAR DA SOCIEDADE

RESPONSABILIDADE PESSOAL DOS SÓCIOS ADMINISTRADORES NOS DÉBITOS TRIBUTÁRIOS QUANDO DA DISSOLUÇÃO IRREGULAR DA SOCIEDADE compilações doutrinais RESPONSABILIDADE PESSOAL DOS SÓCIOS ADMINISTRADORES NOS DÉBITOS TRIBUTÁRIOS QUANDO DA DISSOLUÇÃO IRREGULAR DA SOCIEDADE Carlos Barbosa Ribeiro ADVOGADO (BRASIL) VERBOJURIDICO VERBOJURIDICO

Leia mais

Universidade Católica de Brasília UCB Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa PRPGP

Universidade Católica de Brasília UCB Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa PRPGP RESOLUÇÃO CONSEPE N.º 02/2008 DE 26/03/2008 Dispõe sobre o serviço voluntário no âmbito da Universidade Católica de Brasília - UCB e determina outras providências. O Presidente do Conselho de Ensino, Pesquisa

Leia mais

1.2. Presenteador: pessoa física ou jurídica que adquire o FLOT TRAVEL CARD mediante a compra direta de carga de valor.

1.2. Presenteador: pessoa física ou jurídica que adquire o FLOT TRAVEL CARD mediante a compra direta de carga de valor. REGULAMENTO DO FLOT TRAVEL CARD FLOT OPERADORA TURÍSTICA LTDA., o Presenteador e o Presenteado do FLOT TRAVEL CARD, a primeira, na qualidade de prestadora de serviços de turismo, o segundo e o terceiro,

Leia mais

RESOLUÇÃO CONSEPE 50/98 APROVA O REGULAMENTO DE ESTÁGIO PROFISSIONAL DE ADVOCACIA DA FD EM CONVÊNIO COM A OAB/SP.

RESOLUÇÃO CONSEPE 50/98 APROVA O REGULAMENTO DE ESTÁGIO PROFISSIONAL DE ADVOCACIA DA FD EM CONVÊNIO COM A OAB/SP. RESOLUÇÃO CONSEPE 50/98 APROVA O REGULAMENTO DE ESTÁGIO PROFISSIONAL DE ADVOCACIA DA FD EM CONVÊNIO COM A OAB/SP. O Presidente do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão - CONSEPE, no uso da atribuição

Leia mais

PDF created with pdffactory trial version www.pdffactory.com

PDF created with pdffactory trial version www.pdffactory.com REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DOS PLANOS DE ASSISTÊNCIA MÉDICO-HOSPITALAR E DE ASSISTÊNCIA ODONTOLÓGICA CONTRATADOS PELA ASTCERJ A utilização dos Planos de Assistência Médico-Hospitalar e de Assistência Odontológica

Leia mais

Política de Exercício de Direito de Voto

Política de Exercício de Direito de Voto Política de Exercício de Direito de Voto Versão 1 1 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO E OBJETIVO...3 2. EXCLUSÕES... 3 3. PRINCÍPIOS GERAIS...3 4. POTENCIAIS SITUAÇÕES DE CONFLITO DE INTERESSE...3 5. DA POLÍTICA DE

Leia mais

Regulamento do Trabalho de Conclusão de Curso Curso: Direito Faculdade das Américas FAM TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO (TCC)

Regulamento do Trabalho de Conclusão de Curso Curso: Direito Faculdade das Américas FAM TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO (TCC) Regulamento do Trabalho de Conclusão de Curso Curso: Direito Faculdade das Américas FAM TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO (TCC) 1. DA DEFINIÇÃO DO TCC E SUAS FINALIDADES O presente regulamento tem por finalidade

Leia mais

RETROATIVIDADE DO SEGURO: O Protector possibilita a contratação de cobertura retroativa para fatos desconhecidos de até 3 anos.

RETROATIVIDADE DO SEGURO: O Protector possibilita a contratação de cobertura retroativa para fatos desconhecidos de até 3 anos. SEGURADO: Advogados (pessoa física) e/ou Escritórios de Advocacia (pessoa jurídica) Limite: São 6 opções entre R$ 100.000 e R$ 500.000. O limite do seguro poderá ser utilizado para um ou uma série de sinistros

Leia mais

TERMO DE USO SERVIÇO VIVO REDES SOCIAIS USSD

TERMO DE USO SERVIÇO VIVO REDES SOCIAIS USSD TERMO DE USO SERVIÇO VIVO REDES SOCIAIS USSD As disposições abaixo regulam a utilização do serviço Vivo Redes Sociais ( Serviço ), desenvolvido pela Myriad e ofertado pela TELEFÔNICA BRASIL S/A, doravante

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS EDUCACIONAIS

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS EDUCACIONAIS CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS EDUCACIONAIS Pelo presente instrumento particular, a Empresa Marcia Regina Machado Santos Valiati, como CONTRATADA, pessoa jurídica de direito privado, de caráter técnico-científico

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA DP N.º 002/2013

INSTRUÇÃO NORMATIVA DP N.º 002/2013 INSTRUÇÃO NORMATIVA DP N.º 002/2013 Estabelece normas para o pagamento de semestralidade, mensalidades, taxas e outros emolumentos estabelecidos em portaria pelos serviços prestados pela FACCREI/FACED.

Leia mais

FACULDADE DE CIÊNCIAS E LETRAS DE ASSIS REGULAMENTO DA BIBLIOTECA ACÁCIO JOSÉ SANTA ROSA

FACULDADE DE CIÊNCIAS E LETRAS DE ASSIS REGULAMENTO DA BIBLIOTECA ACÁCIO JOSÉ SANTA ROSA FACULDADE DE CIÊNCIAS E LETRAS DE ASSIS 1 REGULAMENTO DA BIBLIOTECA ACÁCIO JOSÉ SANTA ROSA CAPÍTULO I DO ACESSO E DO FUNCIONAMENTO Artigo 1º A Biblioteca destina-se especialmente ao corpo docente e discente,

Leia mais

Regulamento Programa Fidelidade

Regulamento Programa Fidelidade Regulamento Programa Fidelidade 1. CONDIÇÕES GERAIS 1.1. O presente instrumento tem por objetivo regulamentar a participação dos clientes das Farmácias SESI/DR/SC no Programa Fidelidade SESI Farmácia.

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N. 674, DE 19 DE MAIO DE 2009

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N. 674, DE 19 DE MAIO DE 2009 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N. 674, DE 19 DE MAIO DE 2009 REVOGADA pela Resolução n. 679, de 17 de novembro de 2009 Institui o Programa de Prestação

Leia mais

FACULDADES INTEGRADAS BARROS MELO REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO - DIREITO

FACULDADES INTEGRADAS BARROS MELO REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO - DIREITO FACULDADES INTEGRADAS BARROS MELO REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO - DIREITO DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º - Este Regulamento disciplina o funcionamento do Núcleo de Prática Jurídica (NPJ) e o Estágio

Leia mais

AÇÃO CORREÇÃO DO FUNDO DE GARANTIA

AÇÃO CORREÇÃO DO FUNDO DE GARANTIA AÇÃO CORREÇÃO DO FUNDO DE GARANTIA O objeto da ação é o reconhecimento judicial da correta aplicação dos índices de correção aplicados, desde 1999, sobre os valores das contas de Fundo de Garantia Por

Leia mais

TERMO DE USO - SERVIÇO VIVO TORPEDO GRUPOS

TERMO DE USO - SERVIÇO VIVO TORPEDO GRUPOS TERMO DE USO - SERVIÇO VIVO TORPEDO GRUPOS 1. OBJETO: 1.1. O presente Instrumento tem por objeto regular a prestação do serviço VIVO Torpedo Grupos ao Cliente, em toda Área de Prestação da VIVO definida

Leia mais

REGULAMENTO. Presenteador: É a pessoa física ou jurídica que adquire o VALE-VIAGEM CVC, mediante a compra direta de cargas de valores.

REGULAMENTO. Presenteador: É a pessoa física ou jurídica que adquire o VALE-VIAGEM CVC, mediante a compra direta de cargas de valores. REGULAMENTO A CVC BRASIL OPERADORA E AGÊNCIA DE VIAGENS S.A., o Presenteador e o Presenteado do VALE-VIAGEM CVC, a primeira, na qualidade de prestadora de serviços de turismo, e o segundo, aderindo às

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DO PU 12 MESES

CONDIÇÕES GERAIS DO PU 12 MESES CONDIÇÕES GERAIS DO PU 12 MESES I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: Sul América Capitalização S.A. SULACAP CNPJ: Nº 03.558.096/0001-04 PU 12 MESES - MODALIDADE: TRADICIONAL PROCESSO SUSEP

Leia mais

Termos e Condições Gerais de Vendas

Termos e Condições Gerais de Vendas Termos e Condições Gerais de Vendas 1º Escopo da aplicação (1) As condições a seguir são aplicáveis a todos os fornecimentos e serviços (por exemplo, instalações, projetos) da BrasALPLA. Estas condições

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS EDUCACIONAIS NA MODALIDADE PRESENCIAL CURSOS LIVRES DE CURTA DURAÇÃO

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS EDUCACIONAIS NA MODALIDADE PRESENCIAL CURSOS LIVRES DE CURTA DURAÇÃO CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS EDUCACIONAIS NA MODALIDADE PRESENCIAL CURSOS LIVRES DE CURTA DURAÇÃO Pelo presente instrumento particular, de um lado, GRUPO IBMEC EDUCACIONAL S.A., sociedade anônima

Leia mais

Bairro Cidade CEP UF. Agência Nome da Agência Operação Conta Dígito. Bairro Cidade CEP UF. Bairro Cidade CEP UF

Bairro Cidade CEP UF. Agência Nome da Agência Operação Conta Dígito. Bairro Cidade CEP UF. Bairro Cidade CEP UF SACADO ELETRÔNICO ADESÃO EXCLUSÃO Nome ou Razão Social Agência Nome da Agência Operação Conta Dígito AGREGADOS Nome ou Razão Social (I) Nome ou Razão Social (II) 1 Pelo presente instrumento, a CAIXA ECONÔMICA

Leia mais

CONDOMÍNIO RESIDENCIAL TORQUATO CASTRO,

CONDOMÍNIO RESIDENCIAL TORQUATO CASTRO, SERVIÇOS PROPOSTOS Executaremos os serviços de auditoria independente para o CONDOMÍNIO RESIDENCIAL TORQUATO CASTRO, referente à revisão das prestações de contas apresentadas pela administração relativas

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 03, DE 10 DE MAIO DE 2011

RESOLUÇÃO Nº 03, DE 10 DE MAIO DE 2011 RESOLUÇÃO Nº 03, DE 10 DE MAIO DE 2011 Disciplina os procedimentos a serem adotados relativos à comercialização e utilização do Alojamento da ENAP. O PRESIDENTE DO CONSELHO DIRETOR DA FUNDAÇÃO NACIONAL

Leia mais

RESOLUÇÃO CFP N 011/ 2012

RESOLUÇÃO CFP N 011/ 2012 RESOLUÇÃO CFP N 011/ 2012 Regulamenta os serviços psicológicos realizados por meios tecnológicos de comunicação a distância, o atendimento psicoterapêutico em caráter experimental e revoga a Resolução

Leia mais

A apresentação do TCC é parte da avaliação final do aluno para o qual será atribuída as menções satisfatório e insatisfatório.

A apresentação do TCC é parte da avaliação final do aluno para o qual será atribuída as menções satisfatório e insatisfatório. ORIENTAÇÕES PARA O T.C.C: O trabalho de conclusão de curso (TCC) é desenvolvido ao longo dos 5º e 6º semestres do curso, durante a realização das Orientações do Trabalho de Conclusão de Curso, as quais

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA DA MULTIPLAN EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS S.A.

CÓDIGO DE CONDUTA DA MULTIPLAN EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS S.A. CÓDIGO DE CONDUTA DA MULTIPLAN EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS S.A. O presente Código de Conduta da Multiplan Empreendimentos Imobiliários S.A. (a Companhia ), visa cumprir com as disposições do Regulamento

Leia mais