Anuário Estatístico de Turismo

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Anuário Estatístico de Turismo - 2016"

Transcrição

1 Secretaria Executiva Ministério do Turismo Anuário Estatístico de Turismo Volume 43 Ano base 2015

2 Sumário I - Turismo receptivo 1. Chegadas de turistas ao Brasil Chegadas de turistas ao Brasil, por vias de acesso, segundo Chegadas de turistas ao Brasil, segundo Chegadas de turistas ao Brasil, segundo - Via aérea Chegadas de turistas ao Brasil, segundo - Via marítima Chegadas de turistas ao Brasil, segundo - Via terrestre Chegadas de turistas ao Brasil, segundo - Via fluvial Chegadas de turistas ao Brasil, por Unidades da Federação e vias de acesso, segundo Chegadas de turistas pelo Acre Chegadas de turistas pelo Acre, por vias de acesso, segundo Chegadas de turistas pelo Acre, segundo Chegadas de turistas pelo Acre, segundo - Via terrestre Chegadas de turistas pelo Amapá Chegadas de turistas pelo Amapá, por vias de acesso, segundo Chegadas de turistas pelo Amapá, segundo Chegadas de turistas pelo Amapá, segundo - Via aérea Chegadas de turistas pelo Amapá, segundo - Via fluvial Chegadas de turistas pelo Amazonas Chegadas de turistas pelo Amazonas, por vias de acesso, segundo Chegadas de turistas pelo Amazonas, segundo Chegadas de turistas pelo Amazonas, segundo - Via aérea Chegadas de turistas pelo Amazonas, segundo - Via terrestre Chegadas de turistas pela Bahia Chegadas de turistas pela Bahia, por vias de acesso, segundo Chegadas de turistas pela Bahia, segundo Chegadas de turistas pela Bahia, segundo - Via aérea Chegadas de turistas pela Bahia, segundo - Via marítima Chegadas de turistas pelo Ceará Chegadas de turistas pelo Ceará, por vias de acesso, segundo Chegadas de turistas pelo Ceará, segundo Chegadas de turistas pelo Ceará, segundo - Via aérea Chegadas de turistas pelo Ceará, segundo - Via marítima Chegadas de turistas pelo Distrito Federal Chegadas de turistas pelo Distrito Federal, por vias de acesso, segundo Chegadas de turistas pelo Distrito Federal, segundo Chegadas de turistas pelo Distrito Federal, segundo - Via aérea Chegadas de turistas pelo Mato Grosso do Sul Chegadas de turistas pelo Mato Grosso do Sul, por vias de acesso, segundo Chegadas de turistas pelo Mato Grosso do Sul, segundo Chegadas de turistas pelo Mato Grosso do Sul, segundo - Via aérea Chegadas de turistas pelo Mato Grosso do Sul, segundo - Via terrestre Chegadas de turistas pelo Mato Grosso do Sul, segundo - Via fluvial Chegadas de turistas por Minas Gerais Chegadas de turistas por Minas Gerais, por vias de acesso, segundo Chegadas de turistas por Minas Gerais, segundo Chegadas de turistas por Minas Gerais, segundo - Via aérea Chegadas de turistas pelo Pará Chegadas de turistas pelo Pará, por vias de acesso, segundo Chegadas de turistas pelo Pará, segundo Chegadas de turistas pelo Pará, segundo - Via aérea Chegadas de turistas pelo Pará, segundo - Via fluvial Chegadas de turistas pelo Paraná Chegadas de turistas pelo Paraná, por vias de acesso, segundo Chegadas de turistas pelo Paraná, segundo Chegadas de turistas pelo Paraná, segundo - Via aérea Chegadas de turistas pelo Paraná, segundo - Via marítima Chegadas de turistas pelo Paraná, segundo - Via terrestre Chegadas de turistas pelo Paraná, segundo - Via fluvial Chegadas de turistas por Pernambuco Chegadas de turistas por Pernambuco, por vias de acesso, segundo Chegadas de turistas por Pernambuco, segundo Chegadas de turistas por Pernambuco, segundo - Via aérea Chegadas de turistas por Pernambuco, segundo - Via marítima Chegadas de turistas pelo Rio de Janeiro Chegadas de turistas pelo Rio de Janeiro, por vias de acesso, segundo Chegadas de turistas pelo Rio de Janeiro, segundo

3 Chegadas de turistas pelo Rio de Janeiro, segundo - Via aérea Chegadas de turistas pelo Rio de Janeiro, segundo - Via marítima Chegadas de turistas pelo Rio Grande do Norte Chegadas de turistas pelo Rio Grande do Norte, por vias de acesso, segundo Chegadas de turistas pelo Rio Grande do Norte, segundo Chegadas de turistas pelo Rio Grande do Norte, segundo - Via aérea Chegadas de turistas pelo Rio Grande do Norte, segundo - Via marítima Chegadas de turistas pelo Rio Grande do Sul Chegadas de turistas pelo Rio Grande do Sul, por vias de acesso, segundo Chegadas de turistas pelo Rio Grande do Sul, segundo Chegadas de turistas pelo Rio Grande do Sul, segundo - Via aérea Chegadas de turistas pelo Rio Grande do Sul, segundo - Via marítima Chegadas de turistas pelo Rio Grande do Sul, segundo - Via terrestre Chegadas de turistas pelo Rio Grande do Sul, segundo - Via fluvial Chegadas de turistas pelo Roraima Chegadas de turistas pelo Roraima, por vias de acesso, segundo Chegadas de turistas pelo Roraima, segundo Chegadas de turistas pelo Roraima, segundo - Via aérea Chegadas de turistas pelo Roraima, segundo - Via terrestre Chegadas de turistas por Santa Catarina Chegadas de turistas por Santa Catarina, por vias de acesso, segundo Chegadas de turistas por Santa Catarina, segundo Chegadas de turistas por Santa Catarina, segundo - Via aérea Chegadas de turistas por Santa Catarina, segundo - Via marítima Chegadas de turistas por Santa Catarina, segundo - Via terrestre Chegadas de turistas por São Paulo Chegadas de turistas por São Paulo, por vias de acesso, segundo Chegadas de turistas por São Paulo, segundo Chegadas de turistas por São Paulo, segundo - Via aérea Chegadas de turistas por São Paulo, segundo - Via marítima Chegadas de turistas por Outras Unidades da Federação Chegadas de turistas por outras Unidades da Federação, por vias de acesso, segundo Chegadas de turistas por outras Unidades da Federação, segundo Chegadas de turistas por outras Unidades da Federação, segundo - Via aérea Chegadas de turistas por outras Unidades da Federação, segundo - Via marítima Chegadas de turistas por outras Unidades da Federação, segundo - Via terrestre Síntese Brasil 3.1. Chegadas de turistas ao Brasil, por vias de acesso, segundo Unidades da Federação Chegadas de turistas ao Brasil, por vias de acesso, segundo os meses Chegadas de turistas ao Brasil, por Unidades da Federação, segundo os meses Chegadas de turistas ao Brasil, por Unidades da Federação, segundo os meses - Via aérea Chegadas de turistas ao Brasil, por Unidades da Federação, segundo os meses - Via marítima Chegadas de turistas ao Brasil, por Unidades da Federação, segundo os meses - Via terrestre Chegadas de turistas ao Brasil, por Unidades da Federação, segundo os meses - Via fluvial Chegadas de turistas ao Brasil, segundo principais países emissores Chegadas de turistas ao Brasil, segundo os anos

4 Guia de leitura

5 Guia de leitura O Guia de Leitura tem o propósito de orientar o usuário sobre como localizar os diferentes tipos de informações disponíveis para consulta. Os principais pontos de acesso às informações dentro do Anuário são o Guia de leitura e o Sumário, que indicam os títulos das seções, os temas e as tabelas. As informações apresentadas no Sumário estão organizadas de forma a facilitar a consulta ao conteúdo da publicação permitindo uma visão sucinta de seu conteúdo. A seção relativa ao Turismo Receptivo está estruturada conforme detalhamento abaixo : I - Turismo Receptivo - Reúne informações relativas ao turismo internacional no Brasil. 1. Chegadas de turistas ao Brasil : Reúne dados relativos ao fluxo de chegadas de turistas ao Brasil, desagregados por países de residência, meses e vias de acesso (aérea, marítima, terrestre ou fluvial). 2. Chegadas de turistas ao Brasil, por Unidades da Federação e vias de acesso, segundo : Apresenta, para 14 Unidades da Federação, os dados desagregados sobre o fluxo de chegadas de turistas por países de residência, meses e vias de acesso (aérea, marítima, terrestre ou fluvial). As tabelas referentes às Outras Unidades da Federação reúnem informações de localidades que, por questões estatísticas, não permitem desagregações. 3. Síntese Brasil: Contém dados consolidados para os anos de 2014 e 2015 relativos a portões de entrada, apresentados por vias de acesso e meses. Também disponibiliza a posição dos principais países emissores de turistas para o Brasil e a série histórica, com informações sobre o fluxo de chegadas de turistas no período de 1970 a 2015.

6 I - Turismo receptivo

7 1. Chegadas de turistas ao Brasil

8 1. Chegadas de turistas ao Brasil 1.1. Chegadas de turistas ao Brasil, por vias de acesso, segundo Aérea Marítima Terrestre Fluvial Brasil África África do Sul Angola Cabo Verde Nigéria Outros países da África América Central e Caribe Costa Rica Cuba Guatemala Panamá Outros países da América Central e Caribe América do Norte Canadá Estados Unidos México América do Sul Argentina Bolívia Chile Colômbia Equador Guiana Francesa Paraguai Peru República da Guiana Suriname Uruguai Venezuela Ásia China Índia Israel Japão República da Coréia Outros países da Ásia Europa Alemanha Áustria Bélgica Dinamarca Espanha Finlândia França Grécia Holanda Hungria Inglaterra Irlanda Itália Noruega Polônia Portugal República Tcheca Rússia Suécia Suíça Outros países da Europa Oceania Austrália Nova Zelândia Outros países da Oceania Países não especificados Chegadas de turistas Vias de acesso

9 1. Chegadas de turistas ao Brasil 1.2. Chegadas de turistas ao Brasil, segundo Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Brasil África África do Sul Angola Cabo Verde Nigéria Outros países da África América Central e Caribe Costa Rica Cuba Guatemala Panamá Outros países da América Central e Caribe América do Norte Canadá Estados Unidos México América do Sul Argentina Bolívia Chile Colômbia Equador Guiana Francesa Paraguai Peru República da Guiana Suriname Uruguai Venezuela Ásia China Índia Israel Japão República da Coréia Outros países da Ásia Europa Alemanha Áustria Bélgica Dinamarca Espanha Finlândia França Grécia Holanda Hungria Inglaterra Irlanda Itália Noruega Polônia Portugal República Tcheca Rússia Suécia Suíça Outros países da Europa Oceania Austrália Nova Zelândia Outros países da Oceania Países não especificados Chegadas de turistas (Continua)

10 1- Chegadas de turistas ao Brasil Chegadas de turistas ao Brasil, segundo (Conclusão) Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro Brasil África África do Sul Angola Cabo Verde Nigéria Outros países da África América Central e Caribe Costa Rica Cuba Guatemala Panamá Outros países da América Central e Caribe América do Norte Canadá Estados Unidos México América do Sul Argentina Bolívia Chile Colômbia Equador Guiana Francesa Paraguai Peru República da Guiana Suriname Uruguai Venezuela Ásia China Índia Israel Japão República da Coréia Outros países da Ásia Europa Alemanha Áustria Bélgica Dinamarca Espanha Finlândia França Grécia Holanda Hungria Inglaterra Irlanda Itália Noruega Polônia Portugal República Tcheca Rússia Suécia Suíça Outros países da Europa Oceania Austrália Nova Zelândia Outros países da Oceania Países não especificados Chegadas de turistas

11 1. Chegadas de turistas ao Brasil 1.3. Chegadas de turistas ao Brasil, segundo - Via aérea Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Brasil África África do Sul Angola Cabo Verde Nigéria Outros países da África América Central e Caribe Costa Rica Cuba Guatemala Panamá Outros países da América Central e Caribe América do Norte Canadá Estados Unidos México América do Sul Argentina Bolívia Chile Colômbia Equador Guiana Francesa Paraguai Peru República da Guiana Suriname Uruguai Venezuela Ásia China Índia Israel Japão República da Coréia Outros países da Ásia Europa Alemanha Áustria Bélgica Dinamarca Espanha Finlândia França Grécia Holanda Hungria Inglaterra Irlanda Itália Noruega Polônia Portugal República Tcheca Rússia Suécia Suíça Outros países da Europa Oceania Austrália Nova Zelândia Outros países da Oceania Países não especificados Chegadas de turistas por via aérea (Continua)

12 1- Chegadas de turistas ao Brasil Chegadas de turistas ao Brasil, segundo - Via aérea (Conclusão) Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro Brasil África África do Sul Angola Cabo Verde Nigéria Outros países da África América Central e Caribe Costa Rica Cuba Guatemala Panamá Outros países da América Central e Caribe América do Norte Canadá Estados Unidos México América do Sul Argentina Bolívia Chile Colômbia Equador Guiana Francesa Paraguai Peru República da Guiana Suriname Uruguai Venezuela Ásia China Índia Israel Japão República da Coréia Outros países da Ásia Europa Alemanha Áustria Bélgica Dinamarca Espanha Finlândia França Grécia Holanda Hungria Inglaterra Irlanda Itália Noruega Polônia Portugal República Tcheca Rússia Suécia Suíça Outros países da Europa Oceania Austrália Nova Zelândia Outros países da Oceania Países não especificados Chegadas de turistas por via aérea

13 1. Chegadas de turistas ao Brasil 1.4. Chegadas de turistas ao Brasil, segundo - Via marítima Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Brasil África África do Sul Angola Cabo Verde Nigéria Outros países da África América Central e Caribe Costa Rica Cuba Guatemala Panamá Outros países da América Central e Caribe América do Norte Canadá Estados Unidos México América do Sul Argentina Bolívia Chile Colômbia Equador Guiana Francesa Paraguai Peru República da Guiana Suriname Uruguai Venezuela Ásia China Índia Israel Japão República da Coréia Outros países da Ásia Europa Alemanha Áustria Bélgica Dinamarca Espanha Finlândia França Grécia Holanda Hungria Inglaterra Irlanda Itália Noruega Polônia Portugal República Tcheca Rússia Suécia Suíça Outros países da Europa Oceania Austrália Nova Zelândia Outros países da Oceania Países não especificados Chegadas de turistas por via marítima (Continua)

14 1- Chegadas de turistas ao Brasil Chegadas de turistas ao Brasil, segundo - Via marítima (Conclusão) Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro Brasil África África do Sul Angola Cabo Verde Nigéria Outros países da África América Central e Caribe Costa Rica Cuba Guatemala Panamá Outros países da América Central e Caribe América do Norte Canadá Estados Unidos México América do Sul Argentina Bolívia Chile Colômbia Equador Guiana Francesa Paraguai Peru República da Guiana Suriname Uruguai Venezuela Ásia China Índia Israel Japão República da Coréia Outros países da Ásia Europa Alemanha Áustria Bélgica Dinamarca Espanha Finlândia França Grécia Holanda Hungria Inglaterra Irlanda Itália Noruega Polônia Portugal República Tcheca Rússia Suécia Suíça Outros países da Europa Oceania Austrália Nova Zelândia Outros países da Oceania Países não especificados Chegadas de turistas por via marítima

15 1. Chegadas de turistas ao Brasil 1.5. Chegadas de turistas ao Brasil, segundo - Via terrestre Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Brasil África África do Sul Angola Cabo Verde Nigéria Outros países da África América Central e Caribe Costa Rica Cuba Guatemala Panamá Outros países da América Central e Caribe América do Norte Canadá Estados Unidos México América do Sul Argentina Bolívia Chile Colômbia Equador Guiana Francesa Paraguai Peru República da Guiana Suriname Uruguai Venezuela Ásia China Índia Israel Japão República da Coréia Outros países da Ásia Europa Alemanha Áustria Bélgica Dinamarca Espanha Finlândia França Grécia Holanda Hungria Inglaterra Irlanda Itália Noruega Polônia Portugal República Tcheca Rússia Suécia Suíça Outros países da Europa Oceania Austrália Nova Zelândia Outros países da Oceania Países não especificados Chegadas de turistas por via terrestre (Continua)

16 1- Chegadas de turistas ao Brasil Chegadas de turistas ao Brasil, segundo - Via terrestre (Conclusão) Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro Brasil África África do Sul Angola Cabo Verde Nigéria Outros países da África América Central e Caribe Costa Rica Cuba Guatemala Panamá Outros países da América Central e Caribe América do Norte Canadá Estados Unidos México América do Sul Argentina Bolívia Chile Colômbia Equador Guiana Francesa Paraguai Peru República da Guiana Suriname Uruguai Venezuela Ásia China Índia Israel Japão República da Coréia Outros países da Ásia Europa Alemanha Áustria Bélgica Dinamarca Espanha Finlândia França Grécia Holanda Hungria Inglaterra Irlanda Itália Noruega Polônia Portugal República Tcheca Rússia Suécia Suíça Outros países da Europa Oceania Austrália Nova Zelândia Outros países da Oceania Países não especificados Chegadas de turistas por via terrestre

17 1. Chegadas de turistas ao Brasil 1.6. Chegadas de turistas ao Brasil, segundo - Via fluvial Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Brasil África África do Sul Angola Cabo Verde Nigéria Outros países da África América Central e Caribe Costa Rica Cuba Guatemala Panamá Outros países da América Central e Caribe América do Norte Canadá Estados Unidos México América do Sul Argentina Bolívia Chile Colômbia Equador Guiana Francesa Paraguai Peru República da Guiana Suriname Uruguai Venezuela Ásia China Índia Israel Japão República da Coréia Outros países da Ásia Europa Alemanha Áustria Bélgica Dinamarca Espanha Finlândia França Grécia Holanda Hungria Inglaterra Irlanda Itália Noruega Polônia Portugal República Tcheca Rússia Suécia Suíça Outros países da Europa Oceania Austrália Nova Zelândia Outros países da Oceania Países não especificados Chegadas de turistas por via fluvial (Continua)

18 1- Chegadas de turistas ao Brasil Chegadas de turistas ao Brasil, segundo - Via fluvial (Conclusão) Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro Brasil África África do Sul Angola Cabo Verde Nigéria Outros países da África América Central e Caribe Costa Rica Cuba Guatemala Panamá Outros países da América Central e Caribe América do Norte Canadá Estados Unidos México América do Sul Argentina Bolívia Chile Colômbia Equador Guiana Francesa Paraguai Peru República da Guiana Suriname Uruguai Venezuela Ásia China Índia Israel Japão República da Coréia Outros países da Ásia Europa Alemanha Áustria Bélgica Dinamarca Espanha Finlândia França Grécia Holanda Hungria Inglaterra Irlanda Itália Noruega Polônia Portugal República Tcheca Rússia Suécia Suíça Outros países da Europa Oceania Austrália Nova Zelândia Outros países da Oceania Países não especificados Chegadas de turistas por via fluvial

19 2. Chegadas de turistas ao Brasil, por Unidades da Federação e vias de acesso, segundo Continentes e países de residência

20 2.1. Chegadas de turistas pelo Acre Chegadas de turistas pelo Acre, por vias de acesso, segundo Aérea Marítima Terrestre Fluvial África África do Sul Angola Cabo Verde Nigéria Outros países da África América Central e Caribe Costa Rica Cuba Guatemala Panamá Outros países da América Central e Caribe América do Norte Canadá Estados Unidos México América do Sul Argentina Bolívia Chile Colômbia Equador Guiana Francesa Paraguai Peru República da Guiana Suriname Uruguai Venezuela Ásia China Índia Israel Japão República da Coréia Outros países da Ásia Europa Alemanha Áustria Bélgica Dinamarca Espanha Finlândia França Grécia Holanda Hungria Inglaterra Irlanda Itália Noruega Polônia Portugal República Tcheca Rússia Suécia Suíça Outros países da Europa Oceania Austrália Nova Zelândia Outros países da Oceania Países não especificados Chegadas de turistas Vias de acesso

Anuário Estatístico de Turismo - 2015

Anuário Estatístico de Turismo - 2015 Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Ministério do Turismo Anuário Estatístico de Turismo - 2015 Volume 42 Ano base 2014 Sumário I Turismo receptivo 1. Chegadas de turistas ao Brasil - 2013-2014

Leia mais

MOEDAS, JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS E COMMODITIES

MOEDAS, JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS E COMMODITIES MOEDAS, JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS E COMMODITIES 11/08/10 10/09/10 10/10/10 09/11/10 09/12/10 08/01/11 07/02/11 09/03/11 08/04/11 08/05/11 07/06/11 07/07/11 06/08/11 05/09/11 05/10/11 04/11/11 04/12/11

Leia mais

MOEDAS, JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS E COMMODITIES

MOEDAS, JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS E COMMODITIES MOEDAS, JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS E COMMODITIES 11/06/11 11/07/11 11/08/11 11/09/11 11/10/11 11/11/11 11/12/11 11/01/12 11/02/12 11/03/12 11/04/12 11/05/12 11/06/12 11/07/12 11/08/12 11/09/12 11/10/12

Leia mais

MOEDAS, JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS E COMMODITIES

MOEDAS, JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS E COMMODITIES MOEDAS, JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS E COMMODITIES 15/07/10 14/08/10 13/09/10 13/10/10 12/11/10 12/12/10 11/01/11 10/02/11 12/03/11 11/04/11 11/05/11 10/06/11 10/07/11 09/08/11 08/09/11 08/10/11 07/11/11

Leia mais

Taxa de Ocupação (em %)

Taxa de Ocupação (em %) Ocupação de agosto dos hotéis cariocas atinge 66,12% Viagens de negócios e numero de turistas brasileiros tiveram aumento Os hotéis cariocas registraram 66,12% de ocupação no mês de agosto, ficando 1,06

Leia mais

TAXA DE OCUPAÇÃO HOTELEIRA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO

TAXA DE OCUPAÇÃO HOTELEIRA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO TAXA DE OCUPAÇÃO HOTELEIRA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO Levantamento da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis Rio de Janeiro, em parceria com a Federação do Comércio do Estado do Rio de Janeiro Novembro

Leia mais

2 - Resumo das autorizações de trabalho temporário

2 - Resumo das autorizações de trabalho temporário 2 - Resumo das autorizações de trabalho temporário Atualizado até 30/09/2011 Atualizada até 31/12/2012 1 I - Autorizações de trabalho temporário - Geral 1 - Síntese geral das autorizações de trabalho temporário.

Leia mais

Anuário Estatístico de Turismo - 2012

Anuário Estatístico de Turismo - 2012 Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Ministério do Turismo Anuário Estatístico de Turismo - 2012 Volume 39 Ano base 2011 Sumário I Turismo receptivo 1. Chegadas de turistas ao Brasil - 2010-2011

Leia mais

Estatísticas básicas de turismo. Brasil. Brasília, novembro de 2007.

Estatísticas básicas de turismo. Brasil. Brasília, novembro de 2007. Brasil Brasília, novembro de 2007. Índice Páginas I Turismo no mundo 1. Fluxo receptivo internacional 1.1 - Chegadas de turistas no Mundo por Regiões e Sub-regiões - 2002/2006 03 1.2 - Chegada de turistas:

Leia mais

Obrigatoriedade de visto para estrangeiros que entram na Ucrânia. País Visto obrigatório/não obrigatório Nota *

Obrigatoriedade de visto para estrangeiros que entram na Ucrânia. País Visto obrigatório/não obrigatório Nota * Obrigatoriedade de visto para estrangeiros que entram na Ucrânia País Visto obrigatório/não obrigatório Nota * 1. Áustria Não é obrigatório o Visto para estadia 2. Afganistão PD possuidores de passaporte

Leia mais

Relatório Estatístico de Pedidos de Cooperação

Relatório Estatístico de Pedidos de Cooperação Relatório Estatístico de Pedidos de Cooperação Março de 2015 TOTAL: 369 PEDIDOS DE COOPERAÇÃO Por Ano Quantidade Percentual do Total Pesquisado 2015 369 100.00% Por Tipo de Pedido Quantidade Percentual

Leia mais

Educação Matemática. Profª. Andréa Cardoso MATEMÁTICA - LICENCIATURA 2015/2

Educação Matemática. Profª. Andréa Cardoso MATEMÁTICA - LICENCIATURA 2015/2 Educação Matemática Profª. Andréa Cardoso MATEMÁTICA - LICENCIATURA 2015/2 UNIDADE II: TENDÊNCIAS EM EDUCAÇÃO MATEMÁTICA Para construção de uma nova 2 O Índice Global de Habilidades Cognitivas e Realizações

Leia mais

Estatísticas básicas de turismo. Brasil

Estatísticas básicas de turismo. Brasil Estatísticas básicas de turismo Brasil Brasília, outubro de 2010 Estatísticas básicas de turismo Índice Páginas I - Turismo no mundo 1. Fluxo receptivo internacional 1.1 - Chegadas de turistas internacionais

Leia mais

Copyright 2015 Observatório das Migrações Internacionais. Universidade de Brasília- UnB- Campus Darcy Ribeiro Campus Universitário Darcy

Copyright 2015 Observatório das Migrações Internacionais. Universidade de Brasília- UnB- Campus Darcy Ribeiro Campus Universitário Darcy MTE - Ministério do Trabalho e Emprego Ministro Manoel Dias Chefia de Gabinete André Roberto Menegotto CGIg - Coordenação Geral de Imigração Coordenador Geral Aldo Cândido Costa Filho Coordenador Substituto

Leia mais

Anuário Estatístico de Turismo - 2013

Anuário Estatístico de Turismo - 2013 Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Ministério do Turismo Anuário Estatístico de Turismo - 2013 Volume 40 Ano base 2012 Guia de leitura Guia de leitura O Guia de Leitura tem o propósito de orientar

Leia mais

Relatório Estatístico de Pedidos de Cooperação

Relatório Estatístico de Pedidos de Cooperação Relatório Estatístico de Pedidos de Cooperação Dezembro 2015 ********* TOTAL: 454 PEDIDOS DE COOPERAÇÃO ********************** Por Ano Quantidade Percentual do Total Pesquisado 2015 454 100.00% Por Tipo

Leia mais

O DIA DAS MÃES NA ERA MODERNA

O DIA DAS MÃES NA ERA MODERNA O DIA DAS MÃES O DIA DAS MÃES Desde os primórdios dos tempos o homem celebra a MÃE - das festas pagãs dos solstícios e equinócios, ao nosso almoço no segundo domingo de maio de todos os anos, passando

Leia mais

Algoritmo para classificação. das notificações de casos de. Gripe A (H1N1)

Algoritmo para classificação. das notificações de casos de. Gripe A (H1N1) Algoritmo para classificação das notificações de casos de Gripe A (H1N1) Situações para sua aplicação Roberto Dusi, Lívia Sant anna, Rosa Mossri, Adarc Flor, Ana Maria, Sueli Sabino, Rosilene Rodrigues,

Leia mais

Estatísticas da suinocultura no Brasil e no mundo

Estatísticas da suinocultura no Brasil e no mundo AZ44 - Suinocultura Estatísticas da suinocultura no e no mundo Prof. Marson Bruck Warpechowski PRODUÇÃO MUNDIAL DE CARNE SUÍNA EM 28 3% 2% 23% 1% % 3% 46% Vietnã Filipinas Taiwan Chile Belarus Australia

Leia mais

PLANO BÁSICO DE SERVIÇO LONGA DISTÂNCIA INTERNACIONAL

PLANO BÁSICO DE SERVIÇO LONGA DISTÂNCIA INTERNACIONAL TRANSIT DO BRASIL LTDA. PLANO BÁSICO DE SERVIÇO LONGA DISTÂNCIA INTERNACIONAL Este Plano Básico de Serviço visa oferecer aos assinantes do Serviço Móvel Pessoal (SMP) e do Serviço Telefônico Fixo Comutado

Leia mais

Ministério do Trabalho e Previdência Social l MTPS. Coordenação Geral de Imigração l CGIg. Anual 2014 2015

Ministério do Trabalho e Previdência Social l MTPS. Coordenação Geral de Imigração l CGIg. Anual 2014 2015 Ministério do Trabalho e Previdência Social l MTPS Coordenação Geral de Imigração l CGIg Anual 2014 2015 MTPS - Ministério do Trabalho e Previdência Social Ministro Miguel Rossetto CGIg - Coordenação Geral

Leia mais

Diretoria de Pesquisas Coordenação de Serviços e Comércio - COSEC PESQUISA MENSAL DE SERVIÇOS PMS

Diretoria de Pesquisas Coordenação de Serviços e Comércio - COSEC PESQUISA MENSAL DE SERVIÇOS PMS Diretoria de Pesquisas Coordenação de Serviços e Comércio - COSEC PESQUISA MENSAL DE SERVIÇOS PMS 18/07/2013 OBJETIVO Acompanhar o desempenho conjuntural do setor de serviços, através de indicadores mensais,

Leia mais

MERCADO DE ALIMENTOS E BEBIDAS UNIÃO EUROPEIA E CHINA

MERCADO DE ALIMENTOS E BEBIDAS UNIÃO EUROPEIA E CHINA MERCADO DE ALIMENTOS E BEBIDAS UNIÃO EUROPEIA E CHINA INFORMAÇÕES PARA A FEIRA SIAL 2016 PARIS (FRANÇA) INTRODUÇÃO A SIAL (Salon International de l'alimentation) é considerada a maior feira de alimentos

Leia mais

Conferência FAUBAI 2016 reúne mais de 560 participantes para discutir internacionalização da educação superior

Conferência FAUBAI 2016 reúne mais de 560 participantes para discutir internacionalização da educação superior Conferência FAUBAI 2016 reúne mais de 560 participantes para discutir internacionalização da educação superior Encontro internacional realizado em Fortaleza, no Ceará, promoveu palestras, workshops e sessões

Leia mais

Colégio Santa Dorotéia

Colégio Santa Dorotéia Colégio Santa Dorotéia Tema Transversal: Casa comum, nossa responsabilidade. Disciplina: Geografia / ESTUDOS AUTÔNOMOS Série: 5ª - Ensino Fundamental Aluno(a): N o : Turma: Professora: Data: / /2016 Querido(a)

Leia mais

Latitude e longitude. espaço geográfico. descobrir alguns dos principais conceitos da Geografia, como espaço geográfico, espaço

Latitude e longitude. espaço geográfico. descobrir alguns dos principais conceitos da Geografia, como espaço geográfico, espaço 12_13.indd 12-13 12 1 Orientação e localização no espaço geográfico Prepare-se! Aqui começa a primeira Expedição dessa fantástica viagem pelo planeta. No Percurso 1, você vai descobrir alguns dos principais

Leia mais

Pesquisa com visitantes domésticos e internacionais dos Jogos Rio 2016 Resultados Preliminares

Pesquisa com visitantes domésticos e internacionais dos Jogos Rio 2016 Resultados Preliminares Pesquisa com visitantes domésticos e internacionais dos Jogos Rio 2016 Resultados Preliminares Metodologia Público-alvo Pesquisa doméstica Turistas domésticos em viagem ao Rio de Janeiro, durante os Jogos

Leia mais

1. O mapa mostra a posição geográfica do Brasil na América do Sul.

1. O mapa mostra a posição geográfica do Brasil na América do Sul. 1. O mapa mostra a posição geográfica do Brasil na América do Sul. a) Pinte de amarelo o território brasileiro. b) Escreva no mapa o nome do oceano que banha o litoral brasileiro. c) Contorne com preto

Leia mais

SITUAÇÃO MUNDIAL DA VITIVINICULTURA

SITUAÇÃO MUNDIAL DA VITIVINICULTURA nº 6 SITUAÇÃO MUNDIAL DA VITIVINICULTURA Índice I. SUPERFÍCIES VITÍCOLAS 3 II. PRODUÇÃO MUNDIAL DE UVAS 4 III PRODUÇÃO DE VINHO 5 IV CONSUMO MUNDIAL DE VINHO 5 V COMÉRCIO MUNDIAL DE VINHO 6 1 Situação

Leia mais

O que é e quais as suas vantagens e benefícios. Linha do tempo e Garantia Estendida em números

O que é e quais as suas vantagens e benefícios. Linha do tempo e Garantia Estendida em números Garantia Estendida Garantia Estendida no mundo O que é e quais as suas vantagens e benefícios Principais varejistas Linha do tempo e Garantia Estendida em números Benefícios para sociedade Volume de atendimento

Leia mais

ANUÁRIO CNT DO TRANSPORTE. Estatísticas consolidadas

ANUÁRIO CNT DO TRANSPORTE. Estatísticas consolidadas ANUÁRIO CNT DO TRANSPORTE Estatísticas consolidadas 2016 ANUÁRIO CNT DO TRANSPORTE Estatísticas consolidadas 2016 Anuário CNT do transporte estatísticas consolidadas 2016. 2ª tiragem. Brasília: CNT, 2016.

Leia mais

PRÓ- REITORIA DE EXTENSÃO E CULTURA. INTERNACIONALIZAÇÃO via EXTENSÃO UNIVERSITARIA

PRÓ- REITORIA DE EXTENSÃO E CULTURA. INTERNACIONALIZAÇÃO via EXTENSÃO UNIVERSITARIA PRÓ- REITORIA DE EXTENSÃO E CULTURA INTERNACIONALIZAÇÃO via EXTENSÃO UNIVERSITARIA PROGRAMA INTERNACIONALIZAÇÃO EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA (INTEREXT) XXXIV Encontro do FORPROEX Palmas/TO, 6 a 9 de novembro

Leia mais

Para onde foi a Economia Portuguesa? A Crise através dos Números

Para onde foi a Economia Portuguesa? A Crise através dos Números Para onde foi a Economia Portuguesa? A Crise através dos Números Pedro Nogueira Ramos GEMF e Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra 1950 1960 1970 1981 1991 2001 2011 Taxa de Analfabetismo (nos

Leia mais

Boletim nº VIII, Agosto de 2012 Sindicato e Organização das Cooperativas do Estado do Paraná Ocepar, Curitiba. agroexportações

Boletim nº VIII, Agosto de 2012 Sindicato e Organização das Cooperativas do Estado do Paraná Ocepar, Curitiba. agroexportações agroexportações EXPORTAÇÕES DAS COOPERATIVAS DO PARANÁ De Janeiro a Julho de 2012 Contexto Nacional Cooperativas do Paraná 1,15 bilhão de dólares em exportações 36% das exportações brasileiras de cooperativas

Leia mais

Educação Brasileira: Desafios e Oportunidades

Educação Brasileira: Desafios e Oportunidades Educação Brasileira: Desafios e Oportunidades VI Congresso Brasileiro de Gestão Educacional GEduc 2008 São Paulo, 26 de março de 2008 Gustavo Ioschpe desembucha@uol.com.br Brasil perde o bonde da História

Leia mais

Carga Tributária Brasileira Uma Análise Comparativa

Carga Tributária Brasileira Uma Análise Comparativa Carga Tributária Brasileira Uma Análise Comparativa Nelson Leitão Paes PIMES/UFPE RESUMO O objetivo deste artigo é analisar o tamanho da carga tributária brasileira não apenas em relação ao seu tamanho

Leia mais

A PRODUÇÃO DE ESTATÍSTICAS HARMONIZADAS SOBRE AS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA

A PRODUÇÃO DE ESTATÍSTICAS HARMONIZADAS SOBRE AS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA Secretaria Especial dos Direitos Humanos da Presidência da República Coordenadoria Nacional para Integração da Pessoa Portadora de Deficiência A PRODUÇÃO DE ESTATÍSTICAS HARMONIZADAS SOBRE AS PESSOAS COM

Leia mais

Tabela ALUNOS REGULARES ESTRANGEIROS MATRICULADOS NO MESTRADO POR PAÍS DE ORIGEM EM 2010

Tabela ALUNOS REGULARES ESTRANGEIROS MATRICULADOS NO MESTRADO POR PAÍS DE ORIGEM EM 2010 Tabela 3.26 - ALUNOS REGULARES ESTRANGEIROS MATRICULADOS NO MESTRADO POR PAÍS DE ORIGEM EM 2010 ALUNOS REGULARES / UNIDADE ALEMANHA - - - - - 1 - - - - 1 - - - - - - - - - 2 ANGOLA - - - - - - - 1-1 -

Leia mais

200 4 Anuário Estatístico

200 4 Anuário Estatístico 2004 Anuário Estatístico REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA Presidente MINISTÉRIO DO TURISMO WALFRIDO SILVINO DOS MARES GUIA Ministro INSTITUTO BRASILEIRO DE TURISMO EMBRATUR EDUARDO

Leia mais

MERCADO MUNDIAL DE LEITE E DERIVADOS: uma apreciação no período 1984-92 1

MERCADO MUNDIAL DE LEITE E DERIVADOS: uma apreciação no período 1984-92 1 MERCADO MUNDIAL DE LEITE E DERIVADOS: uma apreciação no período 1984-92 1 Eloisa Elena Bortoleto 2 Atualmente, os maiores produtores mundiais de leite de vaca, de acordo com o Departamento de Agricultura

Leia mais

O Desempenho Comparado das Telecomunicações do Brasil Preços dos Serviços de Telecomunicações Utilização de Banda Larga Móvel

O Desempenho Comparado das Telecomunicações do Brasil Preços dos Serviços de Telecomunicações Utilização de Banda Larga Móvel O Desempenho Comparado das Telecomunicações do Brasil Preços dos Serviços de Telecomunicações Utilização de Banda Larga Móvel Documento preparado por solicitação da TELEBRASIL & FEBRATEL São Paulo, Abril

Leia mais

Previdência social no Brasil: desajustes, dilemas e propostas. Paulo Tafner

Previdência social no Brasil: desajustes, dilemas e propostas. Paulo Tafner Previdência social no Brasil: desajustes, dilemas e propostas Paulo Tafner São Paulo - Novembro de 2015. Previdência Social Os fatos Previdência Social Brasileira - 2014 (% do PIB) Previdência Social Brasileira

Leia mais

Comércio Exterior de Mato Grosso do Sul / Desempenho Industrial Outubro 2015

Comércio Exterior de Mato Grosso do Sul / Desempenho Industrial Outubro 2015 >> Exportações de produtos industriais 1 Período Quadro evolutivo - Exportação de Mato Grosso do Sul (2011 a 2015) Industrial Total Receita (US$ Milhão) Participação (%) sobre a Receita total Variação

Leia mais

O Índice Bloomberg de Eficiência em Saúde: Aonde se Encontra o Brasil?

O Índice Bloomberg de Eficiência em Saúde: Aonde se Encontra o Brasil? D O M I N G O, A B R I L 1 3, 2 0 1 4 O Índice Bloomberg de Eficiência em Saúde: Aonde se Encontra o Brasil? Introdução André Medici Bloomberg L.P. é um complexo de empresas de comunicação, sediado em

Leia mais

FLUXO CONSTRUÇÃO - OBRAS DE INFRA- ESTRUTURA POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009

FLUXO CONSTRUÇÃO - OBRAS DE INFRA- ESTRUTURA POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 FLUXO - OBRAS DE INFRA- ESTRUTURA POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 29 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 29 FLUXO - OBRAS DE INFRA-ESTRUTURA, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA

Leia mais

Sistema de Consultas sobre Tarifas, Regras de Origem e Serviços dos Acordos Comerciais Brasileiros

Sistema de Consultas sobre Tarifas, Regras de Origem e Serviços dos Acordos Comerciais Brasileiros Sistema de Consultas sobre Tarifas, Regras de Origem e Serviços dos Acordos Comerciais Brasileiros Departamento de Negociações Internacionais - SECEX/MDIC OBJETIVOS www.capta.mdic.gov.br Divulgar e facilitar

Leia mais

Emigração portuguesa na União Europeia

Emigração portuguesa na União Europeia oem Observatório da Emigração Emigração portuguesa na União Europeia Os dados dos censos de 2011 Rui Pena Pires, Cláudia Pereira e Inês Espírito-Santo Instituto Universitário de Lisboa (ISCTE-IUL), Centro

Leia mais

DEFENSORIA PÚBLICA DA UNIÃO CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS E FORMAÇÃO DE CADASTRO DE RESERVA EM CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR E DE NÍVEL MÉDIO

DEFENSORIA PÚBLICA DA UNIÃO CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS E FORMAÇÃO DE CADASTRO DE RESERVA EM CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR E DE NÍVEL MÉDIO DEFENSORIA PÚBLICA DA UNIÃO CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS E FORMAÇÃO DE CADASTRO DE RESERVA EM CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR E DE NÍVEL MÉDIO CARGO LOCAL DE VAGA TOTAL DE INSCRITOS QTD DE CANDIDATOS

Leia mais

Quantidade de Acessos / Plano de Serviço / Unidade da Federação - Novembro/2007

Quantidade de Acessos / Plano de Serviço / Unidade da Federação - Novembro/2007 Quantidade de Acessos / Plano de Serviço / Unidade da Federação - Novembro/2007 REGIÃO NORTE 5.951.408 87,35 861.892 12,65 6.813.300 RONDÔNIA 760.521 88,11 102.631 11,89 863.152 ACRE 298.081 85,86 49.094

Leia mais

Banco Central: Objetivos das Políticas Monetária, Creditícia e Cambial e Impacto Fiscal de suas Operações

Banco Central: Objetivos das Políticas Monetária, Creditícia e Cambial e Impacto Fiscal de suas Operações Banco Central: Objetivos das Políticas Monetária, Creditícia e Cambial e Impacto Fiscal de suas Operações Henrique de Campos Meirelles Setembro de 20 1 Prestação de Contas - LRF Objetivos das Políticas

Leia mais

RESUMO GERAL Atualizada até 31/12/2012

RESUMO GERAL Atualizada até 31/12/2012 Gabinete do Ministro - GM Coordenação Geral de Imigração - CGIg Atualizado até 30/09/2011 RESUMO GERAL Atualizada até 31/12/2012 1 Gabinete do Ministro - GM Coordenação Geral de Imigração - CGIg Autorizações

Leia mais

RESUMO GERAL Atualizada até 30/09/2012

RESUMO GERAL Atualizada até 30/09/2012 Gabinete do Ministro - GM Coordenação Geral de Imigração - CGIg Atualizado até 30/09/2011 RESUMO GERAL Atualizada até 30/09/2012 1 Gabinete do Ministro - GM Coordenação Geral de Imigração - CGIg Autorizações

Leia mais

O Desempenho Comparado das Telecomunicações do Brasil Preços dos Serviços de Telecomunicações Serviço Móvel Pessoal Pré-Pago (Celular Pré-pago)

O Desempenho Comparado das Telecomunicações do Brasil Preços dos Serviços de Telecomunicações Serviço Móvel Pessoal Pré-Pago (Celular Pré-pago) O Desempenho Comparado das Telecomunicações do Brasil Preços dos Serviços de Telecomunicações Serviço Móvel Pessoal Pré-Pago (Celular Pré-pago) Documento preparado por solicitação da TELEBRASIL & FEBRATEL

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br Legislação de trânsito no Brasil Ravênia Márcia de Oliveira Leite* Em 27 de outubro de 1910, dezessete anos após a chegada ao Brasil do primeiro automóvel, foi publicado o Decreto

Leia mais

Março de 2013 UMA REDE GLOBAL

Março de 2013 UMA REDE GLOBAL Março de 2013 UMA REDE GLOBAL O Camões - Instituto da Cooperação e da Língua é um instituto público, integrado na administração indireta do Estado, dotado de autonomia administrativa, financeira e património

Leia mais

EMBAIXADAS EM PORTUGAL

EMBAIXADAS EM PORTUGAL EMBAIXADAS EM PORTUGAL África do Sul Av. Luís Bivar, 10 1069 024 Lisboa Tel. 213192200 Fax: 213555931-213535713 E-mail: safrica@mail.eunet.pt Alemanha Campo dos Mártires da Pátria, 38 1169-043 Lisboa Endereço

Leia mais

Brasil 2014. FedEx International Priority. FedEx International Economy 3

Brasil 2014. FedEx International Priority. FedEx International Economy 3 SERVIÇOS E TARIFAS Soluções FedEx para o seu negócio Caso você tenha necessidade de enviar documentos urgentes, economizar em remessas regulares ou enviar cargas pesadas, a FedEx tem uma solução de transporte

Leia mais

IMIGRANTES NO BRASIL: O CASO DA ENFERMAGEM. Ana Luiza Stiebler Vieira Carmen Lúcia Lupi Monteiro Garcia Carmem de Almeida da Silva

IMIGRANTES NO BRASIL: O CASO DA ENFERMAGEM. Ana Luiza Stiebler Vieira Carmen Lúcia Lupi Monteiro Garcia Carmem de Almeida da Silva IMIGRANTES NO BRASIL: O CASO DA ENFERMAGEM Ana Luiza Stiebler Vieira Carmen Lúcia Lupi Monteiro Garcia Carmem de Almeida da Silva Objetivo: analisar os imigrantes da área de no Brasil Justificativa Referencial

Leia mais

Miniestudo Setorial Têxtil

Miniestudo Setorial Têxtil MINIESTUDO SETORIAL TÊXTIL MARÇO 2015 MINIESTUDO SETORIAL TÊXTIL MARÇO DE 2015 Dados coletados em 14/04/15 Federação das Indústrias do Estado do Ceará - FIEC Centro Internacional de Negócios - CIN Superintendência:

Leia mais

Your Partner in Business

Your Partner in Business Your Partner in Business PT PERFIL A Finpartner é uma sociedade especializada na prestação de serviços de contabilidade, fiscalidade e consultoria a nível nacional e internacional. A actuação da Finpartner

Leia mais

Notas recebidas. Nome do PRONAC Projeto 1412981 Teatro Musical como Inclusão Social. Avaliador Critério Nota Diogo de Carvalho Baldacci

Notas recebidas. Nome do PRONAC Projeto 1412981 Teatro Musical como Inclusão Social. Avaliador Critério Nota Diogo de Carvalho Baldacci Nome do PRONAC Projeto 498 Teatro Musical como Inclusão Social Notas recebidas Avaliador Critério Nota a) Quanto ao currículo e experiência do candidato: Possui formação acadêmica ou técnica na área artística,

Leia mais

Detalhamento do Plano

Detalhamento do Plano Plano Básico de Serviço Local A. Empresa: BLUE TELECOMUNICAÇÕES B. Nome do Plano: Plano Básico de Serviço Local BLUE C. Identificação para a Anatel: Plano Básico de Serviço Local BLUE 01/2015 D. Modalidade

Leia mais

A Eurafrásia A, Afro-Eurásia ou África-Eurásia é formada por: Europa, África e Ásia e estende-se por mais de 84 milhões de km² (quase 60% da superfície sólida da Terra) com uma população de cerca de 5.5

Leia mais

RESOLUÇÃO CFM nº 2.115/2014

RESOLUÇÃO CFM nº 2.115/2014 RESOLUÇÃO CFM nº 2.115/2014 (Publicada no D.O.U., 23 dez. 2014, Seção I, p. 131-2) Aprova previsão orçamentária do Conselho Federal de Medicina e dos Conselhos Regionais de Medicina para o exercício de

Leia mais

Ingressos de Turistas Internacionais no RS por via de acesso

Ingressos de Turistas Internacionais no RS por via de acesso Anuário Estatístico de Turismo 2015 ano base 2014* *Publicado em 08/07/2015, pelo Ministério do Turismo. A publicação apresenta uma compilação de informações anuais relativas ao comportamento de diversos

Leia mais

PARTICIPAÇÃO DO PORTO DE SANTOS SOBE PARA 30,8% NA BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA

PARTICIPAÇÃO DO PORTO DE SANTOS SOBE PARA 30,8% NA BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA Página 1 de 6 Atualizado às 11:04, 28-04-2016 Pesquisar... h cib ENTRAR Destaques Licenciamento ambiental pode deixar de existir Notícias Portos e logística PARTICIPAÇÃO DO PORTO DE SANTOS SOBE PARA 30,8%

Leia mais

Acessibilidade Brasil

Acessibilidade Brasil Acessibilidade Brasil Novas Tecnologias de Informação e Informação para o Acesso Universal Acessibilidade Brasil A Importância da Acessibilidade A palavra acessibilidade deve ser compreendida não apenas

Leia mais

PROMOÇÃO VIVO EASY REGULAMENTO

PROMOÇÃO VIVO EASY REGULAMENTO PROMOÇÃO VIVO EASY REGULAMENTO Vivo SP, RJ, ES, PR, MG, BA, GO, MT, CE, PB, PE, AL, RN, PI, PR, SC RR, TO, AM, AP, PA, DF, RS, MS, SE, AC, MA e RO. 1. DISPOSIÇÕES GERAIS DA PROMOÇÃO 1.1. Descrição Geral:

Leia mais

Mercados. informação regulamentar. Portugal Acordos Bilaterais Celebrados

Mercados. informação regulamentar. Portugal Acordos Bilaterais Celebrados Mercados informação regulamentar Portugal Acordos Bilaterais Celebrados Março 2010 Índice 5 NOTA DE PRÉVIA 6 ENQUADRAMENTO GERAL A 7 ÁFRICA DO SUL 7 ALBÂNIA 7 ALEMANHA 8 ANDORRA 8 ANGOLA 9 ANGUILLA 9 ARGÉLIA

Leia mais

1.2 Vitimização 1.2.6 Agressão física

1.2 Vitimização 1.2.6 Agressão física Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Características da vitimização e do acesso à justiça no Brasil 2009 Tabela 1.2.6.1.1 - Pessoas de 10 anos ou mais de idade que foram vítimas de agressão física,

Leia mais

São Paulo, Estado Nº 1 do Brasil

São Paulo, Estado Nº 1 do Brasil São Paulo, Estado Nº 1 do Brasil Sérgio Costa Diretor 1 de dezembro de 2014 Missão Ser a porta de entrada para novos investimentos ou expansão dos negócios existentes, gerando inovação, emprego e renda,

Leia mais

Experiência Brasileira

Experiência Brasileira SEGUNDA REUNIÓN REGIONAL SOBRE EVALUACIÓN Y ESTIMACIONES DEMOGRÁFICAS CON BASE EN INFORMACION CENSAL Análisis de la mortalidad adulta Experiência Brasileira Santiago, Chile, 11 al 16 junio de 2012 Tábuas

Leia mais

Apresentação. Comissão PROFORTE Programa de Fortalecimento dos Esportes Olímpicos. Câmara dos Deputados. Brasília, 12/02/2014

Apresentação. Comissão PROFORTE Programa de Fortalecimento dos Esportes Olímpicos. Câmara dos Deputados. Brasília, 12/02/2014 Apresentação Comissão PROFORTE Programa de Fortalecimento dos Esportes Olímpicos Câmara dos Deputados Brasília, 12/02/2014 Panorama atual do Futebol Brasileiro - Calendário Ruim; - Baixa Qualidade dos

Leia mais

Prof. Bosco Torres CE_16_União_Europeia 1

Prof. Bosco Torres CE_16_União_Europeia 1 UNIÃO EUROPEIA DISCIPLINA: Comércio Exterior FONTE: DIAS, Reinaldo. RODRIGUES, Waldemar. Comércio Exterior Teoria e Gestão. Atlas. São Paulo: 2004. Outras fontes CE_16_União_Europeia 1 Blocos Econômicos

Leia mais

2.1 Educação. Por que Educação? Comparação Internacional. Visão 2022

2.1 Educação. Por que Educação? Comparação Internacional. Visão 2022 Por que Educação? Um dos principais determinantes da competitividade da indústria é a produtividade do trabalho. Equipes educadas e engenheiros bem formados utilizam melhor os equipamentos, criam soluções

Leia mais

EXPORTAÇÃO BRASILEIRA DO CAPÍTULO 71 DA NCM. Por Principais Países de Destino. Janeiro - Dezembro. Bijuterias

EXPORTAÇÃO BRASILEIRA DO CAPÍTULO 71 DA NCM. Por Principais Países de Destino. Janeiro - Dezembro. Bijuterias Bijuterias Principais Países 2010 2011 2012 2013 2014 US$ mil 2014/ 2013 Estados Unidos 5.667 3.828 2.668 3.491 5.006 43 Colômbia 407 800 748 1.112 993-11 França 1.085 931 910 998 969-3 Argentina 2.112

Leia mais

Participantes no TALIS

Participantes no TALIS 2 Participantes no TALIS TALIS 2008: 24 países TALIS 2013: 30 países Países da OCDE Austrália Áustria Bélgica (Comunidade Flamenga) Dinamarca Espanha Estónia Holanda Hungria Islândia Irlanda Itália México

Leia mais

O Mercado Internacional de Seguros: as Evidências para os Anos 2000-2005 Abstract Insurance and economic growth: some international evidence Claudio R

O Mercado Internacional de Seguros: as Evidências para os Anos 2000-2005 Abstract Insurance and economic growth: some international evidence Claudio R O Mercado Internacional de Seguros: as Evidências para os Anos 2000-2005 + Claudio R. Contador Diretor de Pesquisa e Desenvolvimento da Escola Nacional de Seguros Funenseg, Ph.D. em Economia pela Universidade

Leia mais

Acre Previsão por Coeficiente no Estado

Acre Previsão por Coeficiente no Estado Acre 0,6 121.073,55 262.729,59 0,8 161.431,39 350.306,12 1,0 201.789,24 437.882,66 1,2 242.147,09 525.459,19 1,4 - - 1,6 322.862,79 700.612,25 1,8 363.220,64 788.188,78 2,0 - - 2,2 - - 2,4 - - 2,6 524.652,03

Leia mais

O mercado de trabalho na Região Metropolitana de Salvador: uma análise retrospectiva de 2009 e as perspectivas para 2010

O mercado de trabalho na Região Metropolitana de Salvador: uma análise retrospectiva de 2009 e as perspectivas para 2010 ENCONTROS DE ATUALIDADES ECONÔMICAS O mercado de trabalho na Região Metropolitana de Salvador: uma análise retrospectiva de 2009 e as perspectivas para 2010 Prof. Dr. Laumar Neves de Souza Diagrama do

Leia mais

Gestão de Projetos e o Sistema Eleitoral Brasileiro

Gestão de Projetos e o Sistema Eleitoral Brasileiro Gestão de Projetos e o Sistema Eleitoral Brasileiro Giuseppe Dutra Janino Secretário de Tecnologia da Informação TSE abril/2011 Agenda 1. Direcionamento Institucional 2. Evolução do Processo Eleitoral

Leia mais

Criminalidade no Brasil

Criminalidade no Brasil Criminalidade no Brasil Instituto Avante Brasil Diretor- Presidente: Luiz Flávio Gomes Coordenação e elaboração de pesquisa: Flávia Mestriner Botelho CRIMINALIDADE NO BRASIL De acordo com um levantamento

Leia mais

mensário estatístico - exportação Janeiro 2011 CAFÉ EM GRÃOS

mensário estatístico - exportação Janeiro 2011 CAFÉ EM GRÃOS mensário estatístico - CAFÉ EM GRÃOS CONDIÇÕES Este relatório foi preparado pela Linus Galena Consultoria Econômica exclusivamente para uso de seus clientes e não poderá ser circulado, reproduzido, distribuído

Leia mais

Aula 11 História 4B OS IMPERIALISMOS I

Aula 11 História 4B OS IMPERIALISMOS I Aula 11 História 4B OS IMPERIALISMOS I Imperialismo Domínio imposto por uma nação poderosa sobre regiões ou países considerados mais fracos sob os aspectos político, militar e econômico. IMPERIALISMO EUROPEU

Leia mais

1. Encontre no caça palavras alguns astros do sistema solar.

1. Encontre no caça palavras alguns astros do sistema solar. 1. Encontre no caça palavras alguns astros do sistema solar. 2. Assinale um X nas afirmações corretas. ( ) Astros são corpos celestes que podem ter luz própria ou não. ( ) Os planetas são astros que não

Leia mais

CARACTERÍSTICAS DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE CARNE DE CAVALO, NO PERÍODO DE 1996 A 2004

CARACTERÍSTICAS DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE CARNE DE CAVALO, NO PERÍODO DE 1996 A 2004 CARACTERÍSTICAS DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE CARNE DE CAVALO, NO PERÍODO DE 1996 A 2004 HELOÍSA MARIA DE PEREIRA ORSOLINI Graduanda em Ciências Econômicas CPF: 220.964.408-90 Departamento de Economia,

Leia mais

Nota de Informação Estatística Lisboa, 22 de outubro de 2012

Nota de Informação Estatística Lisboa, 22 de outubro de 2012 Nota de Informação Estatística Lisboa, 22 de outubro de 2 Banco de Portugal publica Suplemento sobre Estatísticas das Administrações Públicas e divulga informação trimestral adicional O Banco de Portugal

Leia mais

Transporte Urbano de Massa tende a Driverless

Transporte Urbano de Massa tende a Driverless Transporte Urbano de Massa tende a Driverless Dr. Gerard Yelloz Membro da Instituição de Engenheiros de Sinalização Ferroviária Industry - Mobility - Rail Automation Linhas Driverless: do people mover

Leia mais

Tramita no Congresso Nacional a Proposta de Emenda

Tramita no Congresso Nacional a Proposta de Emenda Redução da jornada de trabalho - Mitos e verdades Apresentação Jornada menor não cria emprego Tramita no Congresso Nacional a Proposta de Emenda à Constituição 231/95 que reduz a jornada de trabalho de

Leia mais

O papel das Alfândegas no Comércio Internacional. Jorge Carvalho Aveiro, 26 de maio de 2014

O papel das Alfândegas no Comércio Internacional. Jorge Carvalho Aveiro, 26 de maio de 2014 O papel das Alfândegas no Comércio Internacional Jorge Carvalho Aveiro, 26 de maio de 2014 Índice I. Missão e Intervenção das Alfândegas II. As Alfândegas e a Exportação III. A relação aduaneira com a

Leia mais

9, R$ , , R$ ,

9, R$ , , R$ , Rondônia 2005 R$ 601.575,17 2005 10.154 2004 1.027.983 2004 108.139 2004 10,52 2006 R$ 609.834,21 2006 10.757 2005 1.025.249 2005 101.539 2005 9,90 2007 R$ 1.229.490,00 2007 9.100 2006 1.047.004 2006 111.068

Leia mais

BOLETIM CAGED Cadastro Geral de Empregados e Desempregados. FEVEREIRO - 2016 Comportamento do Emprego - Limeira/SP.

BOLETIM CAGED Cadastro Geral de Empregados e Desempregados. FEVEREIRO - 2016 Comportamento do Emprego - Limeira/SP. BOLETIM CAGED Cadastro Geral de Empregados e Desempregados FEVEREIRO - 216 Comportamento do Emprego - Limeira/SP. A Consultoria Técnica Especializada da Câmara Municipal de Limeira apresenta os dados do

Leia mais

ANUÁRIO ESTATÍSTICO DA TAXA DE OCUPAÇÃO HOTELEIRA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO

ANUÁRIO ESTATÍSTICO DA TAXA DE OCUPAÇÃO HOTELEIRA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO 2012 ABIH-RJ FECOMÉRCIO-RJ ANUÁRIO ESTATÍSTICO DA TAXA DE OCUPAÇÃO HOTELEIRA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO Pesquisa mensal da ABIH-RJ que visa acompanhar a taxa de ocupação nas unidades de hospedagem da

Leia mais

Curso de Especialização em Saúde da Família Modalidade a Distância. Unidade 2 Módulo 3 Taxa ou coeficiente de mortalidade infantil

Curso de Especialização em Saúde da Família Modalidade a Distância. Unidade 2 Módulo 3 Taxa ou coeficiente de mortalidade infantil Curso de Especialização em Saúde da Família Modalidade a Distância Unidade 2 Módulo 3 Taxa ou coeficiente de mortalidade infantil A taxa ou coeficiente de mortalidade infantil é uma estimativa do risco

Leia mais

Brasil Março 2016. Mercado em números

Brasil Março 2016. Mercado em números Março 2016 Mercado em números Guiana Venezuela Suriname Columbia Guiana Francesa Designação oficial: República Federativa do Capital: Brasília Localização: Leste da América do Sul Peru Fronteiras terrestres:

Leia mais

ESTATÍSTICAS DO TURISMO TOURISM STATISTICS 2005-2009

ESTATÍSTICAS DO TURISMO TOURISM STATISTICS 2005-2009 ESTATÍSTICAS DO TURISMO TOURISM STATISTICS 2005-2009 Secretaria Regional do Turismo e Transportes Avenida Arriaga, 18 9004-519 Funchal Madeira Telf: 351-291 211 900 Fax: 351-291 232 151 e-mail: info@madeiratourism.com

Leia mais

Dia da Europa 9 de maio

Dia da Europa 9 de maio Dia da Europa Comércio Internacional 1985-08 de maio de 2015 Dia da Europa 9 de maio Para assinalar o Dia da Europa, que ocorrerá a 9 de maio, o Instituto Nacional de Estatística apresenta uma análise

Leia mais

GEOGRAFIA 8º ANO SEDE: EBS PROF. GABRIEL ROCHA. PERCURSO 4 Outras regionalizações do espaço mundial.

GEOGRAFIA 8º ANO SEDE: EBS PROF. GABRIEL ROCHA. PERCURSO 4 Outras regionalizações do espaço mundial. GEOGRAFIA 8º ANO SEDE: EBS PROF. GABRIEL ROCHA PERCURSO 4 Outras regionalizações do espaço mundial. 1 Países desenvolvidos e subdesenvolvidos Após a Segunda Guerra Mundial, as expressões países desenvolvidos

Leia mais

Indicadores socioeconómicos dos Países de Língua Portuguesa

Indicadores socioeconómicos dos Países de Língua Portuguesa Publicação anual Outubro 2014 Indicadores socioeconómicos dos Países de Língua Portuguesa Comunidade em gráficos Área terrestre Milhares de km 2 População Milhões de habitantes, PIB EUR, mil milhões, preços

Leia mais