DIÁRIO OFICIAL ELETRÔNICO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DIÁRIO OFICIAL ELETRÔNICO"

Transcrição

1 DIÁRIO OFICIAL ELETRÔNICO Porto Velho - RO quarta-feira, 3 de dezembro de 2014 nº ano IV DOeTCE-RO SUMÁRIO DELIBERAÇÕES DO TRIBUNAL PLENO, DECISÕES SINGULARES, EDITAIS DE CITAÇÃO, AUDIÊNCIA E OFÍCIO, TERMOS DE ALERTA E OUTROS Administração Pública Estadual >>Poder Executivo Pág. 1 >>Autarquias, Fundações, Institutos, Empresas de Economia Pág. 2 Mista, Consórcios e Fundos Administração Pública Municipal Pág. 3 ATOS DA PRESIDÊNCIA >>Portarias Pág. 6 CORREGEDORIA-GERAL >>Gabinete da Corregedoria Pág. 8 PROCESSO Nº: 1473/2008 INTERESSADA: MATILDE SANTOS BARUFALDI CPF N ASSUNTO: APOSENTADORIA ESPECIAL DE MAGISTÉRIO ORIGEM: SUPERINTENDÊNCIA DE ESTADO DE ADMINISTRAÇÃO E RECURSOS HUMANOS RELATOR: CONSELHEIRO-SUBSTITUTO Nº 508/2014 2ª CÂMARA EMENTA: Aposentadoria especial de magistério. Art. 6º da EC n.o 41/03, c/c art. 2º da EC n.o 47/05. Proventos integrais e com paridade. Cumprimento dos requisitos legais para concessão. Legalidade. Registro do ato. Arquivamento. UNANIMIDADE. Vistos, relatados e discutidos os presentes autos, que tratam da Aposentadoria Especial de Magistério da Senhora Matilde Santos Barufaldi, como tudo dos autos consta. Cons. JOSÉ EULER POTYGUARA PEREIRA DE MELLO PRESIDENTE Cons. PAULO CURI NETO VICE-PRESIDENTE Cons. EDÍLSON DE SOUSA SILVA CORREGEDOR Cons. FRANCISCO CARVALHO DA SILVA OUVIDOR Cons. WILBER CARLOS DOS SANTOS COIMBRA PRESIDENTE DA ESCOLA SUPERIOR DE CONTAS Cons. BENEDITO ANTÔNIO ALVES PRESIDENTE DA 1ª CÂMARA Cons. PRESIDENTE DA 2ª CÂMARA DAVI DANTAS DA SILVA AUDITOR SUBSTITUTO DE CONSELHEIRO OMAR PIRES DIAS AUDITOR SUBSTITUTO DE CONSELHEIRO FRANCISCO JÚNIOR FERREIRA DA SILVA AUDITOR SUBSTITUTO DE CONSELHEIRO AUDITOR SUBSTITUTO DE CONSELHEIRO ADILSON MOREIRA DE MEDEIROS PROCURADOR-GERAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO DE CONTAS ÉRIKA PATRÍCIA SALDANHA DE OLIVEIRA PROCURADORA YVONETE FONTINELLE DE MELO PROCURADORA SÉRGIO UBIRATÃ MARCHIORI DE MOURA PROCURADOR ERNESTO TAVARES VICTORIA PROCURADOR Deliberações do Tribunal Pleno, Decisões Singulares, Editais de Citação, Audiência e Ofício, Termos de Alerta e Outros Administração Pública Estadual Poder Executivo A 2ª Câmara do, em, por UNANIMIDADE de votos, decide: I Considerar legal o ato concessório de Aposentadoria Especial de Professora, Nível III, Referência 09, matrícula n.o , com proventos integrais e com paridade, à Senhora Matilde Santos Barufaldi, CPF n.o , pertencente ao Quadro Permanente de Pessoal Civil do Estado de Rondônia, consubstanciado no Decreto de 13 de novembro de 2007, publicado no Diário Oficial do Estado de Rondônia n.o 0891, de , com fundamento no art. 40, 1º, III, a, e 5º da Constituição Federal, retificado pela publicação no DOE n.o 2472, de , com fundamento do art. 6º da EC n.o 41/03, c/c art. 2º da EC n. 47/05; II Determinar o registro do ato nesta Corte, nos termos do art. 49, inciso III, alínea b, da Constituição Estadual, combinado com o art. 37, inciso II, da Lei Complementar n.o 154/96 e art. 56 do Regimento Interno desta III Determinar ao Instituto de Previdência dos Servidores Públicos do Estado de Rondônia-Iperon que passe a reter, se ainda não o fez, a Certidão Original de Tempo de Contribuição do RGPS da ex-servidora, ou se tiver que devolvê-la, que registre na respectiva via que a averbação do tempo de contribuição fora efetivada, para fins desta aposentadoria; IV Alertar o Instituto de Previdência dos Servidores Públicos do Estado de Rondônia-Iperon para que cumpra o prazo de 10 dias para encaminhamento dos processos relativos à concessão de aposentadoria e pensão civil, nos termos do art. 37 da Instrução Normativa n.o 13/TCER- 2004; V Dar conhecimento desta Decisão ao órgão de origem, informando-o de que o seu inteiro teor encontra-se disponível no sítio deste Tribunal de Contas (); e VI Após os trâmites legais, proceda-se ao arquivamento dos autos.

2 2 Procuradora do Ministério Público junto ao TCE-RO PROCESSO Nº: 3825/2008 INTERESSADA: JUSCINÉIA PERNIS DO NASCIMENTO CPF N ASSUNTO: APOSENTADORIA POR INVALIDEZ PERMANENTE (PROVENTOS INTEGRAIS) RESPONSÁVEL: SUPERINTENDÊNCIA DE ESTADO DE ADMINISTRAÇÃO E RECURSOS HUMANOS RELATOR: CONSELHEIRO-SUBSTITUTO Nº 509/2014 2ª CÂMARA EMENTA: Aposentadoria por invalidez permanente. Proventos integrais e com paridade. Cumprimento dos requisitos legais para concessão. Atendimento das determinações. Legalidade. Registro do ato. Arquivamento. UNANIMIDADE. Vistos, relatados e discutidos os presentes autos, que tratam da Aposentadoria por invalidez da Senhora Juscinéia Pernis do Nascimento, como tudo dos autos consta. A 2ª Câmara do, em, por UNANIMIDADE de votos, decide: I Considerar legal o ato concessório de Aposentadoria por Invalidez, com proventos integrais e paridade, à Senhora Juscinéia Pernis do Nascimento, no cargo de Agente de Polícia, Classe 3, cadastro n.o , pertencente ao Quadro Permanente de Pessoal Civil do Estado de Rondônia, consubstanciado no Decreto de 12 de março de 2008, publicado no Diário Oficial do Estado de Rondônia n.o 970, de , retificado pela publicação no DOE n.o 2505, de , com fundamento no art. 40, 1º, I, da Constituição Federal, c/c art. 6º-A da Emenda Constitucional n.º 41/2003 e art. 44, 1º e 2º, da Lei Complementar n.º 228/00, com a redação dada pela Lei Complementar n.º 253/02; II Determinar o registro do ato nesta Corte, nos termos do art. 49, inciso III, alínea b, da Constituição Estadual, combinado com o art. 37, inciso II, da Lei Complementar n.o 154/96 e art. 56 do Regimento Interno desta III Alertar o Instituto de Previdência dos Servidores Públicos do Estado de Rondônia-Iperon para que cumpra o prazo de 10 dias para encaminhamento dos processos relativos à concessão de aposentadoria e pensão civil, nos termos do art. 37 da Instrução Normativa n.o 13/TCER- 2004; IV Dar conhecimento desta Decisão ao órgão de origem, informando-o de que o seu inteiro teor encontra-se disponível no sítio deste Tribunal de Contas (); e Procuradora do Ministério Público junto ao TCE-RO Autarquias, Fundações, Institutos, Empresas de Economia Mista, Consórcios e Fundos PROCESSO Nº: 0144/2009 INTERESSADOS: JOSÉ DORVANDI MARQUES DOS SANTOS (CÔNJUGE) CHARLES HENRIQUE MARQUES DOS SANTOS (FILHO) ASSUNTO: PENSÃO POR MORTE ORIGEM: INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO ESTADO DE RONDÔNIA RELATOR: CONSELHEIRO-SUBSTITUTO Nº 510/2014 2ª CÂMARA EMENTA: Pensão por morte. Fato gerador e condição de beneficiários comprovados. Reconhecimento do direito à pensão vitalícia e temporária, com paridade. Legalidade. Registro. Determinações. Arquivamento. Exame sumário. UNANIMIDADE. Vistos, relatados e discutidos os presentes autos, que tratam da pensão concedida ao Senhor José Dorvandi Marques dos Santos (cônjuge) e a Charles Henrique Marques dos Santos (filho), beneficiários da ex-servidora Andrelina Maria dos Santos, como tudo dos autos consta. A 2ª Câmara do, em, por UNANIMIDADE de votos, decide: I Considerar legal o ato concessório de pensão mensal vitalícia ao Senhor José Dorvandi Marques dos Santos (cônjuge) e temporário ao Senhor Charles Henrique Marques dos Santos (filho), dependentes da exservidora Andrelina Maria dos Santos, falecida em , quando inativa no cargo de Oficial de Manutenção, pertencente ao quadro de pessoal do Estado de Rondônia, materializado pelo Ato n. 004/DIPREV/09, publicado no DOE n.o 1162, de , com fundamento art. 22, incisos I, II e IV; art. 50, inciso II; arts. 51 e 53 da Lei Complementar 228/2000; II Determinar o registro do ato nesta Corte, nos termos do artigo 49, inciso III, alínea b, da Constituição Estadual, combinado com o artigo 37, II, da Lei Complementar n.o 154/96 e artigo 54 do Regimento Interno desta III Dar conhecimento Instituto de Previdência dos Servidores Públicos do Estado de Rondônia - Iperon de que, em função da necessidade de maior celeridade no procedimento adotado para a efetivação do registro dessas concessões nesta Corte, a composição dos proventos não foi analisada nesta oportunidade, mas poderá ser objeto de auditorias e/ou inspeções a serem realizadas na folha de pagamento dos inativos e pensionistas; V Após os trâmites legais, proceda-se ao arquivamento dos autos.

3 3 IV Alertar o Presidente do Instituto de Previdência dos Servidores Públicos do Estado de Rondônia Iperon para que passe a indicar nos próximos atos concessórios o grau de parentesco dos beneficiários, no formato do inciso IV do art. 29 da Instrução Normativa n. 13/2004-TCE/RO; V Dar ciência ao Instituto de Previdência dos Servidores Públicos do Estado de Rondônia - Iperon, informando-o de que o voto e a decisão, em seu inteiro teor, encontram-se disponíveis no sítio deste Tribunal (); e VI Arquivar os autos após o cumprimento das formalidades legais. Procuradora do Ministério Público junto ao TCE-RO PROCESSO Nº: 3867/2010 INTERESSADOS: RICHARDES SEBASTIÃO DE LIMA DA SILVA (FILHO) LORUAMA DE LIMA DA SILVA (FILHA) ASSUNTO: PENSÃO POR MORTE RESPONSÁVEL: INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO ESTADO DE RONDÔNIA RELATOR: CONSELHEIRO-SUBSTITUTO Nº 513/2014 2ª CÂMARA EMENTA: Pensão por morte. Fato gerador e condição de beneficiários comprovados. Reconhecimento do direito à pensão temporária, com paridade. Legalidade. Registro. Arquivamento. Exame sumário. UNANIMIDADE. Vistos, relatados e discutidos os presentes autos, que tratam da pensão concedida a Richardes Sebastião de Lima da Silva (filho) e a Loruama de Lima da Silva (filha), beneficiários do ex-servidor Manoel Alonso Pereira da Silva, como tudo dos autos consta. A 2ª Câmara do, em, por UNANIMIDADE de votos, decide: I Considerar legal o ato concessório de pensão mensal, em caráter temporário, a Richardes Sebastião de Lima da Silva (filho) e a Loruama de Lima da Silva (filha), representados por sua mãe, Senhora Valdelice Alves de Lima, dependentes do ex-servidor Manoel Alonso Pereira da Silva, falecido em , materializado pelo Ato n. 261/DIPREV/2010, publicado no DOE n , de , com fundamento no art. 28, incisos I; art. 30, I, art. 32, II, a ; art. 34, II; e art. 37 da Lei Complementar n.º 432/2008, c/c art. 40, 7º, I e 8º da Constituição Federal, com a redação dada pela Emenda Constitucional n.º 41/2003; II Determinar o registro do ato nesta Corte, nos termos do artigo 49, inciso III, alínea b, da Constituição Estadual, combinado com o artigo 37, II, da Lei Complementar n.o 154/96 e artigo 54 do Regimento Interno desta III Dar conhecimento Instituto de Previdência dos Servidores Públicos do Estado de Rondônia Iperon de que, em função da necessidade de maior celeridade no procedimento adotado para a efetivação do registro dessas concessões nesta Corte, a composição dos proventos não foi analisada nesta oportunidade, mas poderá ser objeto de auditorias e/ou inspeções a serem realizadas na folha de pagamento dos inativos e pensionistas; IV Alertar o Presidente do Instituto de Previdência dos Servidores Públicos do Estado de Rondônia Iperon para que passe a indicar nos próximos atos concessórios o grau de parentesco dos beneficiários, no formato do inciso IV do art. 29 da Instrução Normativa n.o 13/2004- TCE/RO; V Dar ciência ao Instituto de Previdência dos Servidores Públicos do Estado de Rondônia - Iperon, informando-o de que o voto e a decisão, em seu inteiro teor, encontram-se disponíveis no sítio deste Tribunal (); e VI Arquivar os autos após o cumprimento das formalidades legais. Procuradora do Ministério Público junto ao TCE-RO Administração Pública Municipal Município de Jaru ACÓRDÃO PROCESSO Nº: 1540/2009 INTERESSADO: INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPAIS DE JARU ASSUNTO: PRESTAÇÃO DE CONTAS - EXERCÍCIO DE 2008 RESPONSÁVEL: PAULO WERTON JOAQUIM DOS SANTOS CPF N SUPERINTENDENTE RELATOR: CONSELHEIRO ACÓRDÃO Nº 116/2014 2ª CÂMARA EMENTA: PRESTAÇÃO DE CONTAS. INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPAIS DE JARU. EXERCÍCIO AUSÊNCIA DE IMPROPRIEDADES PREJUDICIAIS. REGULARIDADE DAS CONTAS. ARQUIVAMENTO DOS AUTOS. UNANIMIDADE. Vistos, relatados e discutidos os presentes autos, que tratam da Prestação de Contas, exercício de 2008, do Instituto de Previdência e Assistência dos Servidores Públicos Municipais de Jaru, como tudo dos autos consta. ACORDAM os Senhores Conselheiros da 2ª Câmara do Tribunal de Contas do Estado de Rondônia, em consonância com o Voto do Relator, Conselheiro, por UNANIMIDADE de votos, em:

4 4 I - Julgar Regular a Prestação de Contas do INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPAIS DE JARU, referente ao exercício de 2008, de responsabilidade do Senhor PAULO WERTON JOAQUIM DOS SANTOS - Superintendente, concedendo-lhe quitação, com fundamento na Lei Complementar n 154/96, artigo 16, inciso I, combinado com o Regimento Interno do Tribunal de Contas, artigo 23, parágrafo único; II Determinar aos atuais Gestores do INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPAIS DE JARU a adoção de medidas com vistas ao encaminhamento a esta e. Corte de Contas, quando das futuras Prestações de Contas, do seguinte: a) demonstrativo de gastos com os proventos e pensões dos segurados vinculados ao Regime Próprio de Previdência Social, relativo ao exercício financeiro imediatamente anterior ao da Prestação de Contas apresentada para análise por esta e. b) demonstrativo do percentual da taxa de administração do exercício financeiro em apreciação para que se possa aferir o cumprimento do que determina a Lei Federal nº 9.717/98; e c) observar na íntegra as determinações contidas nas Resoluções do Bacen, principalmente no que concerne à aplicação de recursos e política de investimentos, adotando medidas com vistas a prevenir irregularidades que possam vir a trazer prejuízos aos cofres do Instituto de Previdência do Município de Rolim de Moura. III - Dar conhecimento do inteiro teor deste Acórdão, via Diário Oficial eletrônico do TCE/RO, ao Senhor PAULO WERTON JOAQUIM DOS SANTOS - Superintendente, comunicando-lhe a disponibilidade do Voto e do Parecer Ministerial, na íntegra, no site: ; IV Encaminhar os autos ao Departamento da 2ª Câmara para que possa adotar providências no sentido de atendimento aos itens II e III deste decisum; e Nº 519/2014 2ª CÂMARA EMENTA: Pensão por morte. Fato gerador e condição de beneficiária comprovados. Reconhecimento do direito à pensão vitalícia, sem paridade. Legalidade. Registro. Determinações. Arquivamento. Exame sumário. UNANIMIDADE. Vistos, relatados e discutidos os presentes autos, que tratam da pensão concedida à Senhora Amasilia Maria Cardoso (cônjuge), beneficiária do exservidor Noé Henrique Cardoso, como tudo dos autos consta. A 2ª Câmara do, em, por UNANIMIDADE de votos, decide: I Considerar legal o ato concessório de pensão mensal vitalícia à Senhora Amasilia Maria Cardoso (cônjuge), dependente do ex-servidor Noé Henrique Cardoso, falecido em , materializado pela Portaria nº 1127/G.P./2009, de , publicada no DOE nº 1.230, de , nos termos delineados no art. 40, 2º e 7º, inciso I, da Constituição Federal, com redação dada pela EC nº 41/2003, c/c o art.8º, inciso I; art. 35, inciso II, alínea a ; artigo 49, I e artigo 50, I, da Lei Municipal n /2006; II Determinar o registro do ato nesta Corte, nos termos do artigo 49, inciso III, alínea b, da Constituição Estadual, combinado com o artigo 37, II, da Lei Complementar n.o 154/96 e artigo 54 do Regimento Interno desta III Dar conhecimento ao Instituto de Previdência dos Servidores Públicos do Município de Ouro Preto do Oeste IPSM de que, em função da necessidade de maior celeridade no procedimento adotado para a efetivação do registro dessas concessões nesta Corte, a composição dos proventos não foi analisada nesta oportunidade, mas poderá ser objeto de auditorias e/ou inspeções a serem realizadas na folha de pagamento dos inativos e pensionistas; V Arquivar os autos após o atendimento das formalidades legais e administrativas pertinentes. Participaram da Sessão o Conselheiro (Relator); o Conselheiro WILBER CARLOS DOS SANTOS COIMBRA; o Conselheiro-Substituto ; o Conselheiro PAULO CURI NETO, Presidente da Sessão da 2ª Câmara; a Procuradora do Ministério Público de Contas, ÉRIKA PATRÍCIA SALDANHA DE OLIVEIRA. PAULO CURI NETO Conselheiro Presidente da Sessão da 2ª Câmara Conselheiro Relator Procuradora do Ministério Público de Contas Município de Ouro Preto do Oeste PROCESSO Nº: 2357/2009 INTERESSADA: AMASILIA MARIA CARDOSO (CÔNJUGE) ASSUNTO: PENSÃO POR MORTE ORIGEM: INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE OURO PRETO DO OESTE RELATOR: CONSELHEIRO-SUBSTITUTO IV Alertar o Instituto de Previdência dos Servidores Públicos do Município de Ouro Preto do Oeste IPSM para que passe a indicar nos próximos atos concessórios a data do óbito e a data da vigência do benefício, no formato do inciso IV do art. 29 da Instrução Normativa n.o 13/2004- TCE/RO; V Dar ciência ao Instituto de Previdência dos Servidores Públicos do Município de Ouro Preto do Oeste IPSM, informando-o de que o voto e a decisão, em seu inteiro teor, encontram-se disponíveis no sítio deste Tribunal (); VI Arquivar os autos após o cumprimento das formalidades legais. Procuradora do Ministério Público junto ao TCE-RO

5 5 Município de Porto Velho PROCESSO Nº: 2062/2010 INTERESSADOS: GEDAIAS DOS SANTOS NASCIMENTO (CÔNJUGE) DAVID HUGO SILVA NASCIMENTO (FILHO) ASSUNTO: PENSÃO POR MORTE ORIGEM: INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DE PORTO VELHO RELATOR: CONSELHEIRO-SUBSTITUTO Nº 511/2014 2ª CÂMARA EMENTA: Pensão por morte. Fato gerador e condição de beneficiários comprovados. Reconhecimento do direito a pensão vitalícia e temporária. Legalidade. Registro. Determinações. Arquivamento. Exame sumário. UNANIMIDADE. Vistos, relatados e discutidos os presentes autos, que tratam da pensão concedida a Gedaias dos Santos Nascimento (cônjuge) e a David Hugo Silva Nascimento (filho), beneficiários da ex-servidora Natalina da Silva Rocha Nascimento, como tudo dos autos consta. A 2ª Câmara do, em, por UNANIMIDADE de votos, decide: I Considerar legal o ato concessório de pensão mensal, em caráter vitalício e temporário, a Gedaias dos Santos Nascimento (cônjuge) e David Hugo Silva Nascimento (filho), dependentes da ex-servidora Natalina Silva da Rocha Nascimento, falecida em , quando ocupava o cargo de Professora do quadro permanente de pessoal do Município de Porto Velho, materializado pela Portaria n 74/2010/DIBEN/COPREV/Presidência/IPAM, publicada no DOM nº de , nos termos delineados no art. 40, 2º, da Constituição Federal, com redação dada pela Emenda n. 41/03, Lei Federal n /04 combinada com a Lei Complementar Municipal 227/2005, em seu art. 8º, letra a, art. 44, inc. II e 3º e art. 45, inc. I e art. 46; II Determinar o registro do ato nesta Corte, nos termos do artigo 49, inciso III, alínea b, da Constituição Estadual, combinado com o artigo 37, II, da Lei Complementar n.o 154/96 e artigo 54 do Regimento Interno desta III Dar conhecimento ao Instituto de Previdência de Porto Velho IPAMPVH de que, em função da necessidade de maior celeridade no procedimento adotado para a efetivação do registro dessas concessões nesta Corte, a composição dos proventos não foi analisada nesta oportunidade, mas poderá ser objeto de auditorias e/ou inspeções a serem realizadas na folha de pagamento dos inativos e pensionistas; IV Alertar o Instituto de Previdência de Porto Velho - IPAMPVH para que passe a indicar nos próximos atos concessórios matrícula, cargo, classe, referência da instituidora, data da vigência do benefício e indicação da cota-parte, no formato do inciso IV do art. 29 da Instrução Normativa n.o 13/2004-TCE/RO; V Determinar ao Instituto de Previdência de Porto Velho - IPAMPVH que, doravante, observe o prazo para encaminhamento ao Tribunal de Contas, para fins de registro, dos processos de aposentadoria e pensão, em obediência ao comando estabelecido no artigo 37 da Instrução Normativa n.o 13/TCERO-2004; VI Dar ciência ao Instituto de Previdência de Porto Velho - IPAMPVH, informando-o de que o voto e a decisão, em seu inteiro teor, encontram-se disponíveis no sítio deste Tribunal (); e VII Arquivar os autos após o cumprimento das formalidades legais. de Contas, ÉRIKA PATRÍCIA SALDANHA DE OLIVEIRA. Procuradora do Ministério Público de Contas Município de Porto Velho PROCESSO Nº: 2064/2010 INTERESSADO: FRANCISCO ALVES FEITOSA FILHO CPF N ASSUNTO: APOSENTADORIA VOLUNTÁRIA COM PROVENTOS INTEGRAIS (REGRA DE TRANSIÇÃO) ORIGEM: SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO DE PORTO VELHO RELATOR: CONSELHEIRO-SUBSTITUTO Nº 515/2014 2ª CÂMARA EMENTA: Aposentadoria voluntária com proventos integrais e paridade. Regra de transição. Preenchidos os requisitos legais e constitucionais do benefício. Exame Sumário. Legalidade. Registro. Arquivamento. UNANIMIDADE. Vistos, relatados e discutidos os presentes autos, que tratam da aposentadoria do Senhor Francisco Alves Feitosa Filho, como tudo dos autos consta. A 2ª Câmara do, em, por UNANIMIDADE de votos, decide: I Considerar legal o ato concessório de aposentadoria voluntária, com proventos integrais, do Senhor Francisco Alves Feitosa Filho, ocupante do cargo de Técnico de Nível Médio/Colegial, Classe C, Referência 02, matrícula n.o 32475, pertencente ao quadro permanente de pessoal do Município de Porto Velho, materializado por meio da Portaria nº 737/SEMAD/CMRH/DICAS, de , conforme publicação no Diário Oficial do Município n.o 3.752, de 11 de maio de 2010, com fundamento no art. 3º, incisos I, II e III, da Emenda Constitucional nº 47/2005, e art. 1º da Lei , de ; II Determinar o registro do ato nesta Corte, nos termos do artigo 49, inciso III, alínea b, da Constituição Estadual, combinado com o artigo 37, II, da Lei Complementar n.o 154/96 e artigo 56 do Regimento Interno desta egrégia Corte; III Dar conhecimento ao gestor do Instituto de Previdência do Município de Porto Velho de que, em função da necessidade de maior celeridade no procedimento adotado para a efetivação do registro dessas concessões nesta Corte, os proventos serão analisados em auditorias e inspeções a serem realizadas na folha de pagamento dos inativos e pensionistas; IV Após o registro, o Departamento da 2ª Câmara deverá desentranhar dos autos as certidões de tempo de serviço expedidas utilizadas para averbação (fls. 18 e 19), substituindo-as por fotocópias, devendo certificar nas originais que o tempo de contribuição já foi computado para concessão

6 6 de aposentadoria, constando o número do registro da inativação, após encaminhe-se aos órgão expedidores (Secretaria Municipal de Administração de Porto Velho e Instituto de Previdência do Município de Porto Velho), com a advertência de que a original ficará sob sua guarda; V Dar ciência ao Instituto de Previdência do Município de Porto Velho e à Secretaria Municipal de Administração, informando-os de que o voto e a decisão, em seu inteiro teor, encontram-se disponíveis no sítio deste Tribunal (); e II, da Lei Complementar n.o 154/96 e artigo 54 do Regimento Interno desta III Dar conhecimento ao Instituto de Previdência dos Servidores Públicos do Município de Theobroma de que, em função da necessidade de maior celeridade no procedimento adotado para a efetivação do registro dessas concessões nesta Corte, a composição dos proventos não foi analisada nesta oportunidade, mas poderá ser objeto de auditorias e/ou inspeções a serem realizadas na folha de pagamento dos inativos e pensionistas; VI Arquivar os autos após o cumprimento das formalidades legais. Procuradora do Ministério Público de Contas Município de Theobroma PROCESSO Nº: 4214/2010 INTERESSADOS: LOURIVAL SOARES DA SILVA (CÔNJUGE) LUCAS WINTER DE ALMEIDA DOARES (FILHO) ASSUNTO: PENSÃO POR MORTE ORIGEM: INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE THEOBROMA RELATOR: CONSELHEIRO-SUBSTITUTO Nº 514/2014 2ª CÂMARA EMENTA: Pensão por morte. Fato gerador e condição de beneficiários comprovados. Reconhecimento do direito à pensão vitalícia e temporária, sem paridade. Legalidade. Registro. Determinações. Arquivamento. Exame sumário. UNANIMIDADE. Vistos, relatados e discutidos os presentes autos, que tratam da pensão concedida ao Senhor Lourival Soares da Silva (cônjuge) e a Lucas Winter de Almeida Soares (filho), beneficiários da ex-servidora Ivanete Majesky de Almeida Silva, como tudo dos autos consta. A 2ª Câmara do, em, por UNANIMIDADE de votos, decide: I Considerar legal o ato concessório de pensão mensal vitalícia ao Senhor Lourival Soares da Silva (cônjuge) e temporária ao Senhor Lucas Winter de Almeida Soares (filho), dependentes da ex-servidora Ivanete Majesky de Almeida Silva, falecida em , materializada pela Portaria n 07/2010/IPT, publicado no DOE nº 1.628, de , nos termos delineados no art. 40, 7º, inciso II, da Constituição Federal, com redação determinada pela Emenda 41/03, art. 28, da Lei Municipal n.º 194/2006; II Determinar o registro do ato nesta Corte, nos termos do artigo 49, inciso III, alínea b, da Constituição Estadual, combinado com o artigo 37, IV Alertar o Instituto de Previdência dos Servidores Públicos do Município de Theobroma para que passe a indicar nos próximos atos concessórios o grau de parentesco dos beneficiários, no formato do inciso IV do art. 29 da Instrução Normativa n.o 13/2004-TCE/RO; V Dar ciência ao Instituto de Previdência dos Servidores Públicos do Município de Theobroma, informando-o de que o voto e a decisão, em seu inteiro teor, encontram-se disponíveis no sítio deste Tribunal (); e VI Arquivar os autos após o cumprimento das formalidades legais. Procuradora do Ministério Público junto ao TCE-RO Atos da Presidência Portarias PORTARIA RH Portaria n , de 3 de dezembro de Nomeação. O SECRETÁRIO-GERAL DE ADMINISTRAÇÃO E PLANEJAMENTO DO TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE RONDÔNIA, usando da competência que lhe confere o artigo 1º, inciso III, alínea a da Portaria n. 643, de , publicada no DOeTCE-RO n. 681 ano IV, de , e em razão de aprovação obtida no Concurso Público regido pelo Edital n. 01/TCE-RO/2013, cuja homologação foi publicada no Diário Oficial Eletrônico do n. 546 ano III, de , resolve: Art. 1º Nomear o candidato abaixo relacionado no cargo de Analista de Tecnologia da Informação, TC/ATA-402, nível I, referência A, do Quadro de Permanente de Pessoal do, criado pela Lei Complementar n. 307, de 1º de outubro de 2004, e suas alterações. CLASSIFICAÇÃO CANDIDATO 9º ALEXSANDRO PEREIRA TRINDADE

7 7 Art. 2º Para a posse o candidato deverá apresentar-se à Secretaria de Gestão de Pessoas, no prazo de 30 (trinta) dias contados da data de publicação deste ato de nomeação, para entregar a documentação disposta no Edital de Convocação n. 9, de 27 de novembro de 2014, publicado no DOeTCE-RO n. 804 ano IV, de 28 de novembro de 2014, nos termos do 1º do art. 17 da Lei Complementar n. 68, de 9 de dezembro de 1992, caso não tenha apresentada a documentação indicada. LUIZ GUILHERME ERSE DA SILVA Secretário-Geral de Administração e Planejamento Portaria n /2014, de 26 de novembro de O PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE RONDÔNIA, usando da competência que lhe confere o artigo 187, inciso XXVII do Regimento Interno desta Corte de Contas e do artigo 66, inciso I, da Lei Complementar n. 154, de , e considerando o que consta do Processo n. 3930/2014, resolve: Art. 1º Autorizar a viagem do servidor SENILDO SILVA DE FIGUEIREDO, Auditor de Controle Externo, cadastro n. 276, à cidade de São Francisco do Guaporé - RO, no período de a , com a finalidade de realizar Auditoria na Prefeitura Municipal de São Francisco do Guaporé - RO. Art. 2º Conceder ao servidor 12,5 (doze e meia) diárias. JOSÉ EULER POTYGUARA PEREIRA DE MELLO Conselheiro Presidente Portaria n /2014, de 26 de novembro de O PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE RONDÔNIA, usando da competência que lhe confere o artigo 187, inciso XXVII do Regimento Interno desta Corte de Contas e do artigo 66, inciso I, da Lei Complementar n. 154, de , e considerando o que consta do Processo n. 3930/2014, resolve: Art. 1º Autorizar a viagem da servidora MARA CELIA ASSIS ALVES, Auditora de Controle Externo, cadastro n. 405, à cidade de São Francisco do Guaporé - RO, no período de a , com a finalidade de realizar Auditoria na Prefeitura Municipal de São Francisco do Guaporé - RO. Art. 2º Conceder a servidora 12,5 (doze e meia) diárias. JOSÉ EULER POTYGUARA PEREIRA DE MELLO Conselheiro Presidente Portaria n /2014, de 26 de novembro de O PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE RONDÔNIA, usando da competência que lhe confere o artigo 187, inciso XXVII do Regimento Interno desta Corte de Contas e do artigo 66, inciso I, da Lei Complementar n. 154, de , e considerando o que consta do Processo n. 3930/2014, resolve: Art. 1º Autorizar a viagem do servidor MOISES RODRIGUES LOPES, Técnico de Controle Externo, ocupante do cargo de Secretário Regional de Controle Externo da Secretaria Regional de Controle Externo de Ji-Paraná, cadastro n. 270, à cidade de São Francisco do Guaporé - RO, no período de a , com a finalidade de realizar Auditoria na Prefeitura Municipal de São Francisco do Guaporé - RO. Art. 2º Conceder ao servidor 12,5 (doze e meia) diárias. JOSÉ EULER POTYGUARA PEREIRA DE MELLO Conselheiro Presidente Portaria n /2014, de 2 de dezembro de O SECRETÁRIO-GERAL DE ADMINISTRAÇÃO E PLANEJAMENTO DO TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE RONDÔNIA, usando da competência que lhe confere o inciso I, alínea l, item 9 do artigo 1º da Portaria n. 643, de 30 de maio de 2014, publicada no DOe-TCE-RO n. 681 ano IV, de , resolve: Art. 1º Autorizar a viagem do servidor SAMIR ARAUJO RAMOS, Motorista, Cadastro n. 379, ao município de Guajará Mirim e Nova Califórnia - RO (distrito), no período de a , com a finalidade de entregar de Mandados de Audiência e Citação. Art. 2º Conceder ao servidor 2,5 (duas e meia) diárias. LUIZ GUILHERME ERSE DA SILVA Secretário-Geral de Administração e Planejamento Portaria n /2014, de 2 de dezembro de O SECRETÁRIO-GERAL DE ADMINISTRAÇÃO E PLANEJAMENTO DO TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE RONDÔNIA, usando da competência que lhe confere o inciso I, alínea l, item 9 do artigo 1º da Portaria n. 643, de 30 de maio de 2014, publicada no DOe-TCE-RO n. 681 ano IV, de , e considerando o que consta do Processo n. 0000/0000, resolve: Art. 1º Autorizar a viagem do servidor JUSCELINO VIEIRA, Secretario de Planejamento, Cadastro n , à Cidade de Brasília/DF, no período de a , com a finalidade de representar o Tribunal de Contas do Estado de Rondônia na solenidade de comemoração dos 40 anos da Associação Brasileira de Orçamento Público/ABOP.

8 8 Art. 2º Conceder ao servidor 2 (duas) diárias. LUIZ GUILHERME ERSE DA SILVA Secretário-Geral de Administração e Planejamento Portaria n /2014, de 2 de dezembro de O SECRETÁRIO-GERAL DE ADMINISTRAÇÃO E PLANEJAMENTO DO TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE RONDÔNIA, usando da competência que lhe confere o inciso I, alínea l, item 9 do artigo 1º da Portaria n. 643, de 30 de maio de 2014, publicada no DOe-TCE-RO n. 681 ano IV, de , resolve: Art. 1º Autorizar a viagem da convidada MARIA DAS GRAÇAS BARBOSA DA CUNHA, CPF n , ocupante do cargo de Chefe do Departamento de de Documentação e Protocolo - DDP do Tribunal de Contas do Estado da Paraíba - TCE-PB, a Porto Velho - RO, no período de a , com a finalidade de realizar visita técnica. Art. 2º Conceder a convidada 8,5 (oito e meia) diárias. O SECRETÁRIO-GERAL DE ADMINISTRAÇÃO E PLANEJAMENTO DO TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE RONDÔNIA, usando da competência que lhe confere o inciso I, alínea l, item 9 do artigo 1º da Portaria n. 643, de 30 de maio de 2014, publicada no DOe-TCE-RO n. 681 ano IV, de , e considerando o que consta do Memorando n. 457/SGCE, de 20 de novembro de 2014, resolve: Art. 1º Autorizar a viagem do servidor WESLER ANDRES PEREIRA NEVES, Cadastro n. 492, Auditor de Controle Externo, à cidade de Manaus - AM, no período de a , com a finalidade de participar do Treinamento de Atuação Conjunta do Ministério da Previdência Social - MPS e dos Tribunais de Contas dos Estados e Municípios na Supervisão dos Regimes Próprios de Previdência Social - RPPS, promovido pelo Tribunal de Contas do Estado do Amazonas - TCE-AM. Art. 2º Conceder ao servidor 3,5 (três e meia) diárias. LUIZ GUILHERME ERSE DA SILVA Secretário-Geral de Administração e Planejamento Corregedoria-Geral Gabinete da Corregedoria LUIZ GUILHERME ERSE DA SILVA Secretário-Geral de Administração e Planejamento Portaria n /2014, de 2 de dezembro de O SECRETÁRIO-GERAL DE ADMINISTRAÇÃO E PLANEJAMENTO DO TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE RONDÔNIA, usando da competência que lhe confere o inciso I, alínea l, item 9 do artigo 1º da Portaria n. 643, de 30 de maio de 2014, publicada no DOe-TCE-RO n. 681 ano IV, de , e considerando o que consta do Memorando n. 457/SGCE, de 20 de novembro de 2014, resolve: Art. 1º Autorizar a viagem da servidora GISLENE RODRIGUES MENEZES, Cadastro n. 486, Auditora de Controle Externo, à cidade de Manaus - AM, no período de a , com a finalidade de participar do Treinamento de Atuação Conjunta do Ministério da Previdência Social - MPS e dos Tribunais de Contas dos Estados e Municípios na Supervisão dos Regimes Próprios de Previdência Social - RPPS, promovido pelo Tribunal de Contas do Estado do Amazonas - TCE-AM. Art. 2º Conceder a servidora 3,5 (três e meia) diárias. LUIZ GUILHERME ERSE DA SILVA Secretário-Geral de Administração e Planejamento Portaria n /2014, de 2 de dezembro de ATOS ASSUNTO: Investigação Social dos candidatos aprovados no Concurso Público n. 01/2013 do N. 109/ Dispõe o art. 4º, inciso III, da Resolução n. 144/2013/TCE-RO (Regimento Interno da Corregedoria-Geral do Tribunal de Contas do Estado de Rondônia) que compete ao Corregedor-Geral superintender a investigação social dos candidatos aprovados em concursos públicos realizados pelo (TCE-RO), que será conduzida pela Comissão Permanente de Sindicância (CPS). 2. A Comissão Permanente de Sindicância procedeu à investigação social dos aprovados Marfiza Silva Paes e Anderson Charles França Scorgie no Concurso Público n. 01/2013, convocados pelo Edital n. 7, de 28 de outubro de 2014 para o cargo de Agente Administrativo, e amparou-se nas declarações e certidões prestadas pelos candidatos, as quais tiveram a legitimidade previamente analisadas pela Secretaria de Gestão de Pessoas (SEGESP), apresentando relatório conclusivo. 3. É o sucinto relatório. Decido. 4. A Comissão Permanente de Sindicância realizou os trabalhos de forma impecável, razão pela qual adoto o Relatório de Investigação Social como razão de decidir, transcrevendo-o ipsis litteris: RELATÓRIO DE INVESTIGAÇÃO SOCIAL O presente relatório foi realizado em observância ao disposto art. 4º, inciso III, da Resolução nº 144/2013/TCE-RO, que institui o Regimento Interno da Corregedoria-Geral do e estabelece caber a esta Comissão Permanente de Sindicância CPS, conduzir a investigação social dos candidatos aprovados em concursos públicos realizados pelo Tribunal de Contas. Exercendo tal mister, procedeu-se a investigação social dos candidatos Anderson Charles França e Marfiza Silva Paes, aprovados no Concurso

9 9 Público nº 01/2013 e convocado pelo edital nº 7, de , para o preenchimento do cargo de Agente Administrativo. Ressalte-se que, para tanto, esta CPS amparou-se nas declarações e certidões prestadas pelo candidato, nos termos exigidos nos itens 3.4 e 3.5 do Edital de Convocação nº 3/2014, as quais tiveram a legitimidade previamente analisadas pela Secretaria de Gestão de Pessoas SEGESP. A respeito da investigação social, cumpre destacar que o Supremo Tribunal Federal, sob o ponto de vista do Direito Penal, tem entendido que candidato não pode ser excluído de concurso público exceto no caso de haver decisão judicial transitada em julgado que desabone sua reputação moral, in verbis: EMENTA Agravo regimental no agravo de instrumento. Concurso público. Delegado da Polícia Civil. Inquérito policial. Investigação social. Exclusão do certame. Princípio da presunção de inocência. Violação. Impossibilidade. Precedentes. 1. A jurisprudência da Corte firmou o entendimento de que viola o princípio da presunção de inocência a exclusão de certame público de candidato que responda a inquérito policial ou ação penal sem trânsito em julgado da sentença condenatória. candidato do certame ao cargo de soldado da polícia militar por não ter apresentado as devidas informações na fase de investigação social; o impetrante alega que informou em formulário ter respondido ocorrência criminal a qual, contudo, teria resultado em transação penal. 2. As provas pré-constituídas juntadas aos autos não demonstram a juntada das certidões de antecedentes das justiças federal e estadual, assim como das polícias federal e estadual, conforme exigido expressamente nos itens 8.4, "b" e "d" do edital do concurso; tal exigência editalícia, inclusive, possui amparo na Lei Complementar Estadual n. 108/ A jurisprudência do STJ é pacífica no sentido de que a omissão em prestar informações, conforme demandado por edital, na fase de investigação social ou de sindicância da vida pregressa, enseja a eliminação de candidato do concurso público. Precedentes: AgRg no RMS /MS, Rel. Ministro Humberto Martins, Segunda Turma, DJe ; RMS /RO, Rel. Ministro Jorge Mussi, Quinta Turma, DJe ; e RMS /BA, Rel. Ministro Castro Meira, Segunda Turma, DJe 1º Agravo regimental improvido." (AgRg no RMS /PE, Rel. Ministro Humberto Martins, 2. Agravo regimental não provido. (AG.REG. NO AGRAVO DE INSTRUMENTO CEARÁ, Rel. Min. Dias Tolofi, dj 23/04/2013 1ª Turma) Ademais, o Superior Tribunal de Justiça - STJ entende que a negativa de nomeação, por conta de questão que macule a moral de um candidato somente pode ser imposta caso haja previsão legal expressa. Nesse sentido, texto retirado do informativo nº 500 do Tribunal da Cidadania: CONCURSO PÚBLICO. CANDIDATO ANTERIORMENTE DEMITIDO DO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL. NEGATIVA DE NOMEAÇÃO EM OUTRO CARGO. OFENSA AO PRINCÍPIO DA LEGALIDADE. Segunda Turma, julgado em , DJe ) "ADMINISTRATIVO. SERVIDOR ESTADUAL. CONCURSO PÚBLICO. MAGISTRATURA. EXCLUSÃO NA FASE DE INVESTIGAÇÃO SOCIAL. OMISSÃO DE INFORMAÇÕES. PREVISÃO NO EDITAL. AUSÊNCIA DE DIREITO LÍQUIDO E CERTO. 1. Cuida-se de recurso ordinário interposto contra acórdão que manteve o indeferimento da petição inicial, pela manifesta ausência de direito líquido e certo na impetração; no writ, foi perseguida a anulação da exclusão de candidato em concurso para a magistratura estadual que omitiu informações na fase de investigação social. O cerne da controvérsia cinge-se à interpretação e aplicação dos princípios da moralidade e da legalidade insculpidos no art. 37, caput, da CF. No caso, o impetrante foi aprovado em concurso público para os cargos de analista fiscal de contas públicas e de analista administrativo do TC estadual, mas teve sua nomeação recusada em virtude de anterior demissão dos quadros da PRF por ato de improbidade administrativa. A Min. Relatora observou que, estando ambos os princípios ladeados entre os regentes da Administração Pública, a discussão ganha relevância na hipótese em que o administrador edita ato em obséquio ao imperativo constitucional da moralidade, mas sem previsão legal específica. A Turma entendeu que, por força do disposto nos arts. 5º, II, 37,caput, e 84, IV, da CF, a legalidade na Administração Pública é estrita, não podendo o gestor atuar senão em virtude de lei, extraindo dela o fundamento jurídico de validade dos seus atos. Assim, incorre em abuso de poder a negativa de nomeação de candidato aprovado em concurso para o exercício de cargo no serviço público estadual em virtude de anterior demissão no âmbito do Poder Público Federal se inexistente qualquer previsão em lei ou no edital de regência do certame. RMS RR, Rel. Min. Maria Thereza de Assis Moura, julgado em 19/6/2012. De outra banda, o STJ tem entendido que a apresentação de documentação falsa ou de informações inexatas pode dar causa a exclusão do candidato, desde que haja previsão do edital do concurso, nesse sentido: "ADMINISTRATIVO. PROCESSUAL CIVIL. SERVIDOR ESTADUAL. POLICIAL MILITAR. CONCURSO PÚBLICO. EXCLUSÃO NA FASE DE INVESTIGAÇÃO SOCIAL. OMISSÃO DE INFORMAÇÕES. PREVISÃO NO EDITAL. AUSÊNCIA DE DIREITO LÍQUIDO E CERTO. PRECEDENTES. 1. Cuida-se de recurso ordinário em mandado de segurança interposto contra acórdão que denegou o pleito de anulação da portaria que excluiu 2. A alegação recursal está baseada na interpretação de que o candidato somente deveria comunicar as ações e transações penais em curso, não sendo necessária a informação de eventos anteriores; todavia, o item 9.IX do Edital é claro no sentido de que as informações referem-se ao presente e ao passado. 3. A falta em cumprir o requisito do Edital, ou seja, prestar as informações devidas para a fase de investigação social enseja a exclusão do candidato. Precedentes: RMS /RO, Rel. Min. Jorge Mussi, Quinta Turma, DJe ; e RMS /BA, Rel. Ministro Castro Meira, Segunda Turma, DJe 1º Agravo regimental improvido." (AgRg no RMS /MS, Rel. Ministro Humberto Martins, Segunda Turma, julgado em , DJe ) "ADMINISTRATIVO. CONCURSO PÚBLICO. DELEGADO DA POLÍCIA CIVIL DO ESTADO DE RONDÔNIA. VIDA PREGRESSA E INVESTIGAÇÃO SOCIAL. INFORMAÇÕES INVERÍDICAS PRESTADAS PELO CANDIDATO. OMISSÃO DE ANTERIOR CONDENAÇÃO CRIMINAL. EXCLUSÃO DO CERTAME. 1. A sindicância, instaurada para apurar dissonância nas informações prestadas pelo candidato, prescinde da observância dos princípios do contraditório e da ampla defesa, por se tratar de procedimento de natureza inquisitorial. Precedentes. 2. O reconhecimento de eventual nulidade processual exige a comprovação de prejuízo à defesa, o que, no caso, verifica-se não ter ocorrido, atraindo a incidência do princípio pas de nullité sans grief.

10 10 3. A autoridade coatora, ao ratificar a portaria anterior, adotou as razões de fato e os fundamentos de direito apresentados anteriormente, motivando de forma suficiente a exclusão do candidato. 4. O edital para o concurso de Delegado da Polícia Civil do Estado de Rondônia estabeleceu como requisito básico para a investidura no cargo que o candidato não tenha registro de antecedentes criminais e profissionais, e não responda a inquérito policial ou processo criminal. Exigiu, também, conduta irrepreensível na vida pública e privada, a ser apurada em investigação social. 5. O candidato, ao ocultar deliberadamente condenação criminal, faltou com a verdade no formulário que balizaria a investigação de vida pregressa, em desrespeito ao edital do concurso, o que autoriza sua exclusão do certame. 6. Recurso ordinário improvido." (RMS /RO, Rel. Ministro Jorge Mussi, Quinta Turma, julgado em , DJe ) "ADMINISTRATIVO. CONSTITUCIONAL. CONCURSO PÚBLICO. INVESTIGAÇÃO SOCIAL. AGENTE DA POLÍCIA CIVIL. OMISSÃO DE INFORMAÇÕES RELEVANTES. QUEBRA DO DEVER DE LEALDADE. ELIMINAÇÃO DO CANDIDATO. PREVISÃO NO EDITAL. RECURSO NÃO PROVIDO. 1. O recorrente participou de concurso público para provimento do cargo de Agente da Polícia Civil do Estado da Bahia. Na fase de investigação social, o candidato foi considerado "contra-indicado", por ter omitido informação acerca da existência de processo criminal em que figurava como réu. 2. A Administração Pública está vinculada às regras editalícias, cabendolhe zelar por sua estrita observância, razão pela qual, havendo previsão expressa no edital do certame, não há ilegalidade no ato que desclassificou o candidato por ter omitido informação relevante na fase de investigação social. 3. Deve-se salientar que a hipótese dos autos não diz respeito à eliminação de candidato por processo criminal não transitado em julgado ou já arquivado. No caso, a rejeição ocorreu em virtude de não ter sido prestada informação relevante sobre seus antecedentes criminais, o que afasta a alegativa de violação do princípio constitucional da presunção de inocência. 4. Ademais, essa omissão caracterizou a quebra do dever de lealdade entre o candidato e a Administração Pública, sendo a sanção aplicada prevista no edital e condizente com os princípios da razoabilidade e da proporcionalidade. 5. Recurso ordinário em mandado de segurança não provido." (RMS /BA, Rel. Ministro Castro Meira, Segunda Turma, julgado em , DJe 1º ) Utilizando todos os precedentes judiciais como parâmetro para a análise da vida pregressa dos candidatos ora submetidos à investigação social, tem-se que, a rigor, somente seria possível considerá-lo contraindicado ao exercício da função pública no Tribunal de Contas caso houvessem deixado de prestar informações exigidas pelo edital, tivessem apresentado informações inverídicas ou no caso de terem sido demitidos de cargos ocupados no âmbito do próprio Estado de Rondônia (art. 170, 1º da Lei nº 8.666/93). Isso porque inexiste na Lei Complementar nº 68/92 (Regime Jurídico dos Servidores Públicos Civis do Estado de Rondônia, das Autarquias e das Fundações Públicas Estaduais) e nas leis relativas ao Tribunal de Contas do Estado de Rondônia qualquer dispositivo legal que impeça expressamente o ingresso de servidores condenados perante o Poder Judiciário, bem como daqueles que já tenham sofrido penalidade de demissão do serviço público em outras esferas administrativas. Ressalte-se que nenhuma das situações narradas acima foi verificada no caso em apreço, de modo a não subsistir nenhum óbice ao pleno exercício de função pública pelo ora investigado. CONCLUSÃO Diante de todo o exposto, a CPS entende que o Senhor Anderson Charles França e a Senhora Marfiza Silva Paes estão aptos a exercerem os cargos para os quais foram aprovados no Tribunal de Contas do Estado de Rondônia. RECOMENDAÇÕES Com o escopo de possibilitar a realização de trabalhos céleres e eficientes, reiteram-se as recomendações feitas por ocasião dos relatórios já apresentados por esta CPS nas investigações sociais anteriores: 1 Elaboração de projeto de lei prevendo expressamente, como requisito para investidura em cargos do quadro de servidores do Tribunal de Contas do Estado de Rondônia, reputação moral ilibada, mencionando-se, expressamente, a impossibilidade de ingresso de servidores que tenham sido demitidos em quaisquer esferas da Federação (União, Estados- Membros, Distrito Federal e Municípios); 2 No mesmo normativo deverá existir dispositivo prevendo a impossibilidade de ingresso no quadro de servidores do Tribunal de Contas de candidatos condenados por decisão colegiada ou transitada em julgado, nos moldes previstos na Resolução nº 95/TCE-RO/2012, que estabelece normas a respeito do provimento dos cargos comissionados no âmbito do, com base na Lei Complementar nº 135/2010 (Lei da Ficha Limpa); 3 Previsão expressa, nos próximos editais de concurso público, de exclusão do certame dos candidatos que não apresentarem todos os documentos exigidos para nomeação e daqueles que omitirem informações ou as prestarem com conteúdo inverídico; 4 Seja normatizado o procedimento de investigação social, possibilitando-se, dessa forma, o pleno atendimento do disposto no art. 4º, III, da Resolução nº 144/2013/TCE-RO; 5 Pondere-se acerca da eficácia e eficiência de serem atribuídas mais funções à Comissão de Sindicância, na medida em que seus membros, atualmente, são responsáveis pela realização de investigação social, de sindicâncias investigativas, bem como das funções inerentes aos cargos que ocupam no. Porto Velho-RO, 24 de novembro de Willian Afonso Pessoa Presidente... Keyla de Sousa Máximo Membro... Flávia Andréa Barbosa Paes da Silva Membro 5. Ante o exposto, decido acolher integralmente o Relatório de Investigação Social elaborado pela Comissão Permanente de Sindicância.

11 11 6. Considerando que as recomendações da Comissão já encontram-se em fase de implementação com a instauração do Pedido de Providências n. 2410/2014, que tramita na Corregedoria-Geral, julgo-as prejudicadas. 7. Determino, ainda, que seja encaminhada à Presidência e ao Secretário Geral de Administração e Planejamento, cópia desta decisão e do Relatório de Investigação Social para conhecimento e eventuais providências. 8. Publique-se esta decisão. Cumpra-se. Porto Velho, 25 de novembro de Conselheiro Corregedor-Geral em Exercício ATOS ASSUNTO: Investigação Social do candidato aprovado no Concurso Público n. 01/2013 do N. 113/ Dispõe o art. 4º, inciso III, da Resolução n. 144/2013/TCE-RO (Regimento Interno da Corregedoria-Geral do Tribunal de Contas do Estado de Rondônia) que compete ao Corregedor-Geral superintender a investigação social dos candidatos aprovados em concursos públicos realizados pelo (TCE-RO), que será conduzida pela Comissão Permanente de Sindicância (CPS). 2. A Comissão Permanente de Sindicância procedeu à investigação social do aprovado Alexsandro Pereira Trindade no Concurso Público n. 01/2013, convocados pelo Edital n. 9, de 27 de novembro de 2014 para o cargo de Analista de Informática, e amparou-se nas declarações e certidões prestadas pelo candidato, as quais tiveram a legitimidade previamente analisadas pela Secretaria de Gestão de Pessoas (SEGESP), apresentando relatório conclusivo. 3. É o sucinto relatório. Decido. 4. A Comissão Permanente de Sindicância realizou os trabalhos de forma impecável, razão pela qual adoto o Relatório de Investigação Social como razão de decidir, transcrevendo-o ipsis litteris: RELATÓRIO DE INVESTIGAÇÃO SOCIAL O presente relatório foi realizado em observância ao disposto art. 4º, inciso III, da Resolução nº 144/2013/TCE-RO, que institui o Regimento Interno da Corregedoria-Geral do e estabelece caber a esta Comissão Permanente de Sindicância CPS, conduzir a investigação social dos candidatos aprovados em concursos públicos realizados pelo Tribunal de Contas. Exercendo tal mister, procedeu-se a investigação social do candidato Alexsandro Pereira Trindade, aprovado no Concurso Público nº 01/2013 e convocado pelo edital nº 9, de , para o preenchimento do cargo de Analista de Informática. Ressalte-se que, para tanto, esta CPS amparou-se nas declarações e certidões prestadas pelo candidato, nos termos exigidos nos itens 3.4 e 3.5 do Edital de Convocação nº 3/2014, as quais tiveram a legitimidade previamente analisadas pela Secretaria de Gestão de Pessoas SEGESP. A respeito da investigação social, cumpre destacar que o Supremo Tribunal Federal, sob o ponto de vista do Direito Penal, tem entendido que candidato não pode ser excluído de concurso público exceto no caso de haver decisão judicial transitada em julgado que desabone sua reputação moral, in verbis: EMENTA Agravo regimental no agravo de instrumento. Concurso público. Delegado da Polícia Civil. Inquérito policial. Investigação social. Exclusão do certame. Princípio da presunção de inocência. Violação. Impossibilidade. Precedentes. 1. A jurisprudência da Corte firmou o entendimento de que viola o princípio da presunção de inocência a exclusão de certame público de candidato que responda a inquérito policial ou ação penal sem trânsito em julgado da sentença condenatória. 2. Agravo regimental não provido. (AG.REG. NO AGRAVO DE INSTRUMENTO CEARÁ, Rel. Min. Dias Tolofi, dj 23/04/2013 1ª Turma) Ademais, o Superior Tribunal de Justiça - STJ entende que a negativa de nomeação, por conta de questão que macule a moral de um candidato somente pode ser imposta caso haja previsão legal expressa. Nesse sentido, texto retirado do informativo nº 500 do Tribunal da Cidadania: CONCURSO PÚBLICO. CANDIDATO ANTERIORMENTE DEMITIDO DO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL. NEGATIVA DE NOMEAÇÃO EM OUTRO CARGO. OFENSA AO PRINCÍPIO DA LEGALIDADE. O cerne da controvérsia cinge-se à interpretação e aplicação dos princípios da moralidade e da legalidade insculpidos no art. 37, caput, da CF. No caso, o impetrante foi aprovado em concurso público para os cargos de analista fiscal de contas públicas e de analista administrativo do TC estadual, mas teve sua nomeação recusada em virtude de anterior demissão dos quadros da PRF por ato de improbidade administrativa. A Min. Relatora observou que, estando ambos os princípios ladeados entre os regentes da Administração Pública, a discussão ganha relevância na hipótese em que o administrador edita ato em obséquio ao imperativo constitucional da moralidade, mas sem previsão legal específica. A Turma entendeu que, por força do disposto nos arts. 5º, II, 37,caput, e 84, IV, da CF, a legalidade na Administração Pública é estrita, não podendo o gestor atuar senão em virtude de lei, extraindo dela o fundamento jurídico de validade dos seus atos. Assim, incorre em abuso de poder a negativa de nomeação de candidato aprovado em concurso para o exercício de cargo no serviço público estadual em virtude de anterior demissão no âmbito do Poder Público Federal se inexistente qualquer previsão em lei ou no edital de regência do certame. RMS RR, Rel. Min. Maria Thereza de Assis Moura, julgado em 19/6/2012. De outra banda, o STJ tem entendido que a apresentação de documentação falsa ou de informações inexatas pode dar causa a exclusão do candidato, desde que haja previsão do edital do concurso, nesse sentido: "ADMINISTRATIVO. PROCESSUAL CIVIL. SERVIDOR ESTADUAL. POLICIAL MILITAR. CONCURSO PÚBLICO. EXCLUSÃO NA FASE DE INVESTIGAÇÃO SOCIAL. OMISSÃO DE INFORMAÇÕES. PREVISÃO NO EDITAL. AUSÊNCIA DE DIREITO LÍQUIDO E CERTO. PRECEDENTES. 1. Cuida-se de recurso ordinário em mandado de segurança interposto contra acórdão que denegou o pleito de anulação da portaria que excluiu candidato do certame ao cargo de soldado da polícia militar por não ter apresentado as devidas informações na fase de investigação social; o impetrante alega que informou em formulário ter respondido ocorrência criminal a qual, contudo, teria resultado em transação penal. 2. As provas pré-constituídas juntadas aos autos não demonstram a juntada das certidões de antecedentes das justiças federal e estadual, assim como das polícias federal e estadual, conforme exigido expressamente nos itens 8.4, "b" e "d" do edital do concurso; tal exigência editalícia, inclusive, possui amparo na Lei Complementar Estadual n. 108/ A jurisprudência do STJ é pacífica no sentido de que a omissão em prestar informações, conforme demandado por edital, na fase de

12 12 investigação social ou de sindicância da vida pregressa, enseja a eliminação de candidato do concurso público. Precedentes: AgRg no RMS /MS, Rel. Ministro Humberto Martins, Segunda Turma, DJe ; RMS /RO, Rel. Ministro Jorge Mussi, Quinta Turma, DJe ; e RMS /BA, Rel. Ministro Castro Meira, Segunda Turma, DJe 1º O candidato, ao ocultar deliberadamente condenação criminal, faltou com a verdade no formulário que balizaria a investigação de vida pregressa, em desrespeito ao edital do concurso, o que autoriza sua exclusão do certame. 6. Recurso ordinário improvido." (RMS /RO, Rel. Ministro Jorge Mussi, Quinta Turma, julgado em , DJe ) Agravo regimental improvido." (AgRg no RMS /PE, Rel. Ministro Humberto Martins, Segunda Turma, julgado em , DJe ) "ADMINISTRATIVO. SERVIDOR ESTADUAL. CONCURSO PÚBLICO. MAGISTRATURA. EXCLUSÃO NA FASE DE INVESTIGAÇÃO SOCIAL. OMISSÃO DE INFORMAÇÕES. PREVISÃO NO EDITAL. AUSÊNCIA DE DIREITO LÍQUIDO E CERTO. 1. Cuida-se de recurso ordinário interposto contra acórdão que manteve o indeferimento da petição inicial, pela manifesta ausência de direito líquido e certo na impetração; no writ, foi perseguida a anulação da exclusão de candidato em concurso para a magistratura estadual que omitiu informações na fase de investigação social. 2. A alegação recursal está baseada na interpretação de que o candidato somente deveria comunicar as ações e transações penais em curso, não sendo necessária a informação de eventos anteriores; todavia, o item 9.IX do Edital é claro no sentido de que as informações referem-se ao presente e ao passado. 3. A falta em cumprir o requisito do Edital, ou seja, prestar as informações devidas para a fase de investigação social enseja a exclusão do candidato. Precedentes: RMS /RO, Rel. Min. Jorge Mussi, Quinta Turma, DJe ; e RMS /BA, Rel. Ministro Castro Meira, Segunda Turma, DJe 1º Agravo regimental improvido." (AgRg no RMS /MS, Rel. Ministro Humberto Martins, Segunda Turma, julgado em , DJe ) "ADMINISTRATIVO. CONCURSO PÚBLICO. DELEGADO DA POLÍCIA CIVIL DO ESTADO DE RONDÔNIA. VIDA PREGRESSA E INVESTIGAÇÃO SOCIAL. INFORMAÇÕES INVERÍDICAS PRESTADAS PELO CANDIDATO. OMISSÃO DE ANTERIOR CONDENAÇÃO CRIMINAL. EXCLUSÃO DO CERTAME. 1. A sindicância, instaurada para apurar dissonância nas informações prestadas pelo candidato, prescinde da observância dos princípios do contraditório e da ampla defesa, por se tratar de procedimento de natureza inquisitorial. Precedentes. 2. O reconhecimento de eventual nulidade processual exige a comprovação de prejuízo à defesa, o que, no caso, verifica-se não ter ocorrido, atraindo a incidência do princípio pas de nullité sans grief. 3. A autoridade coatora, ao ratificar a portaria anterior, adotou as razões de fato e os fundamentos de direito apresentados anteriormente, motivando de forma suficiente a exclusão do candidato. 4. O edital para o concurso de Delegado da Polícia Civil do Estado de Rondônia estabeleceu como requisito básico para a investidura no cargo que o candidato não tenha registro de antecedentes criminais e profissionais, e não responda a inquérito policial ou processo criminal. Exigiu, também, conduta irrepreensível na vida pública e privada, a ser apurada em investigação social. "ADMINISTRATIVO. CONSTITUCIONAL. CONCURSO PÚBLICO. INVESTIGAÇÃO SOCIAL. AGENTE DA POLÍCIA CIVIL. OMISSÃO DE INFORMAÇÕES RELEVANTES. QUEBRA DO DEVER DE LEALDADE. ELIMINAÇÃO DO CANDIDATO. PREVISÃO NO EDITAL. RECURSO NÃO PROVIDO. 1. O recorrente participou de concurso público para provimento do cargo de Agente da Polícia Civil do Estado da Bahia. Na fase de investigação social, o candidato foi considerado "contra-indicado", por ter omitido informação acerca da existência de processo criminal em que figurava como réu. 2. A Administração Pública está vinculada às regras editalícias, cabendolhe zelar por sua estrita observância, razão pela qual, havendo previsão expressa no edital do certame, não há ilegalidade no ato que desclassificou o candidato por ter omitido informação relevante na fase de investigação social. 3. Deve-se salientar que a hipótese dos autos não diz respeito à eliminação de candidato por processo criminal não transitado em julgado ou já arquivado. No caso, a rejeição ocorreu em virtude de não ter sido prestada informação relevante sobre seus antecedentes criminais, o que afasta a alegativa de violação do princípio constitucional da presunção de inocência. 4. Ademais, essa omissão caracterizou a quebra do dever de lealdade entre o candidato e a Administração Pública, sendo a sanção aplicada prevista no edital e condizente com os princípios da razoabilidade e da proporcionalidade. 5. Recurso ordinário em mandado de segurança não provido." (RMS /BA, Rel. Ministro Castro Meira, Segunda Turma, julgado em , DJe 1º ) Utilizando todos os precedentes judiciais como parâmetro para a análise da vida pregressa do candidato ora submetido à investigação social, temse que, a rigor, somente seria possível considerá-lo contraindicado ao exercício da função pública no Tribunal de Contas caso houvesse deixado de prestar informações exigidas pelo edital, tivesse apresentado informações inverídicas ou no caso de ter sido demitido de cargo ocupado no âmbito do próprio Estado de Rondônia (art. 170, 1º da Lei nº 8.666/93). Isso porque inexiste na Lei Complementar nº 68/92 (Regime Jurídico dos Servidores Públicos Civis do Estado de Rondônia, das Autarquias e das Fundações Públicas Estaduais) e nas leis relativas ao Tribunal de Contas do Estado de Rondônia qualquer dispositivo legal que impeça expressamente o ingresso de servidores condenados perante o Poder Judiciário, bem como daqueles que já tenham sofrido penalidade de demissão do serviço público em outras esferas administrativas. Ressalte-se que nenhuma das situações narradas acima foi verificada no caso em apreço, de modo a não subsistir nenhum óbice ao pleno exercício de função pública pelo ora investigado. CONCLUSÃO

13 13 Diante de todo o exposto, a CPS entende que o Senhor Alexsandro Pereira Trindade está apto a exercer o cargo para o qual foi aprovado no Tribunal de Contas do Estado de Rondônia. Conselheiro Corregedor-Geral em Exercício RECOMENDAÇÕES Com o escopo de possibilitar a realização de trabalhos céleres e eficientes, reiteram-se as recomendações feitas por ocasião dos relatórios já apresentados por esta CPS nas investigações sociais anteriores: 1 Elaboração de projeto de lei prevendo expressamente, como requisito para investidura em cargos do quadro de servidores do Tribunal de Contas do Estado de Rondônia, reputação moral ilibada, mencionando-se, expressamente, a impossibilidade de ingresso de servidores que tenham sido demitidos em quaisquer esferas da Federação (União, Estados- Membros, Distrito Federal e Municípios); 2 No mesmo normativo deverá existir dispositivo prevendo a impossibilidade de ingresso no quadro de servidores do Tribunal de Contas de candidatos condenados por decisão colegiada ou transitada em julgado, nos moldes previstos na Resolução nº 95/TCE-RO/2012, que estabelece normas a respeito do provimento dos cargos comissionados no âmbito do, com base na Lei Complementar nº 135/2010 (Lei da Ficha Limpa); 3 Previsão expressa, nos próximos editais de concurso público, de exclusão do certame dos candidatos que não apresentarem todos os documentos exigidos para nomeação e daqueles que omitirem informações ou as prestarem com conteúdo inverídico; 4 Seja normatizado o procedimento de investigação social, possibilitando-se, dessa forma, o pleno atendimento do disposto no art. 4º, III, da Resolução nº 144/2013/TCE-RO; 5 Pondere-se acerca da eficácia e eficiência de serem atribuídas mais funções à Comissão de Sindicância, na medida em que seus membros, atualmente, são responsáveis pela realização de investigação social, de sindicâncias investigativas, bem como das funções inerentes aos cargos que ocupam no. Porto Velho-RO, 02 de dezembro de Keyla de Sousa Máximo Membro... Flávia Andréa Barbosa Paes da Silva Membro... Rosimary Azevedo Ribeiro Membro 5. Ante o exposto, decido acolher integralmente o Relatório de Investigação Social elaborado pela Comissão Permanente de Sindicância. 6. Considerando que as recomendações da Comissão já encontram-se em fase de implementação com a instauração do Pedido de Providências n. 2410/2014, que tramita na Corregedoria-Geral, julgo-as prejudicadas. 7. Determino, ainda, que seja encaminhada à Presidência e ao Secretário da Secretaria Estratégica de Tecnologia da Informação e Comunicação, cópia desta decisão e do Relatório de Investigação Social para conhecimento e eventuais providências. 8. Publique-se esta decisão. Cumpra-se. Porto Velho, 2 de dezembro de 2014.

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça MANDADO DE SEGURANÇA Nº 10.818 - DF (2005/0116531-1) RELATOR : MINISTRO ERICSON MARANHO (DESEMBARGADOR CONVOCADO DO TJ/SP) IMPETRANTE : ADELINO SIMÕES JORGE ADVOGADO : ANNA ANDRÉA SIMÕES JORGE IMPETRADO

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO EM MANDADO DE SEGURANÇA Nº 26.044 - MS (2008/0000154-1) RELATORA RECORRENTE ADVOGADO RECORRIDO PROCURADOR : MINISTRA MARIA THEREZA DE ASSIS MOURA : MÁRCIA ARAÚJO LIMA : IGOR NAVARRO RODRIGUES CLAURE

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº. 260/2008 TCE 2ª CÂMARA

RESOLUÇÃO Nº. 260/2008 TCE 2ª CÂMARA RESOLUÇÃO Nº. 260/2008 TCE 2ª CÂMARA 1. Processo Nº: 00709/2007 2. Classe de Assunto: IV Aposentadoria 3. Interessado: Tercina Dias de Carvalho Secretaria da Educação e Cultura 4. Entidade: Instituto de

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO EM MANDADO DE SEGURANÇA Nº 32.400 - MT (2010/0112028-8) RELATOR : MINISTRO HUMBERTO MARTINS RECORRENTE : HELOISA MARIA MARTINS PEIXOTO ADVOGADO : MARIO MARCIO DE OLIVEIRA RIBEIRO RECORRIDO : DULCINÉIA

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal MANDADO DE SEGURANÇA 32.833 DISTRITO FEDERAL RELATOR IMPTE.(S) ADV.(A/S) IMPDO.(A/S) ADV.(A/S) : MIN. ROBERTO BARROSO :CARLOS RODRIGUES COSTA :LUZIA DO CARMO SOUZA :PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE CONTAS DA

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no RECURSO ESPECIAL Nº 1.015.473 - RS (2007/0299452-2) RELATOR : MINISTRO NAPOLEÃO NUNES MAIA FILHO AGRAVANTE : SIMONE DAI PRA ZAMIN ADVOGADO : FELIPE NÉRI DRESCH DA SILVEIRA E OUTRO(S) AGRAVADO :

Leia mais

CICLOS DE DEBATES DIREITO E GESTÃO PÚBLICA TEXTO X

CICLOS DE DEBATES DIREITO E GESTÃO PÚBLICA TEXTO X CICLOS DE DEBATES DIREITO E GESTÃO PÚBLICA CICLO 2012 TEXTO X A Previdência Social do Servidor Público Valéria Porto Ciclos de Debates - Direito e Gestão Pública A Previdência Social do Servidor Público

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE ALAGOAS

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE ALAGOAS TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE ALAGOAS Palestra Tema: Formalização de Processo Administrativo na Gestão de Pessoas Aposentadoria é a contraprestação assistencial por serviços prestados, nos termos da

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE RONDÔNIA SECRETARIA GERAL DE CONTROLE EXTERNO SECRETARIA DE INFORMÁTICA

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE RONDÔNIA SECRETARIA GERAL DE CONTROLE EXTERNO SECRETARIA DE INFORMÁTICA SECRETARIA GERAL DE CONTROLE EXTERNO SECRETARIA DE INFORMÁTICA MANUAL DO SIGAP MÓDULO GESTÃO FISCAL WEB VERSÃO 1.0 Colaboração Secretaria Geral de Controle Externo Secretaria de Informática Porto Velho

Leia mais

ESTADO DO MARANHÃO TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DIÁRIO OFICIAL ELETRÔNICO Edição nº 471/2015 São Luís, 23 de junho de 2015

ESTADO DO MARANHÃO TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DIÁRIO OFICIAL ELETRÔNICO Edição nº 471/2015 São Luís, 23 de junho de 2015 ESTADO DO MARANHÃO TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DIÁRIO OFICIAL ELETRÔNICO Edição nº 471/2015 São Luís, 23 de junho de 2015 COMPOSIÇÃO DO TRIBUNAL DE CONTAS Pleno Conselheiro João Jorge Jinkings Pavão -

Leia mais

DIÁRIO OFICIAL ELETRÔNICO

DIÁRIO OFICIAL ELETRÔNICO DIÁRIO OFICIAL ELETRÔNICO Porto Velho - RO sexta-feira, 9 de maio de 2014 nº 666 - ano IV DOeTCE-RO SUMÁRIO DELIBERAÇÕES DO TRIBUNAL PLENO, DECISÕES SINGULARES E EDITAIS DE CITAÇÃO, AUDIÊNCIA E OFÍCIO

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO SENHOR PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARANÁ.

EXCELENTÍSSIMO SENHOR PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARANÁ. EXCELENTÍSSIMO SENHOR PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARANÁ. Assunto: Desconto da Contribuição Sindical previsto no artigo 8º da Constituição Federal, um dia de trabalho em março de 2015.

Leia mais

RESOLUÇÃO TC n 227, DE 25 DE AGOSTO DE 2011 Publicação: D.O.E: 29.08.2011 Republicação: D.O.E: 02.09.2011 Republicação: D.O.E: 05.09.

RESOLUÇÃO TC n 227, DE 25 DE AGOSTO DE 2011 Publicação: D.O.E: 29.08.2011 Republicação: D.O.E: 02.09.2011 Republicação: D.O.E: 05.09. RESOLUÇÃO TC n 227, DE 25 DE AGOSTO DE 2011 Publicação: D.O.E: 29.08.2011 Republicação: D.O.E: 02.09.2011 Republicação: D.O.E: 05.09.2011 Dispõe sobre a criação, implantação, manutenção e fiscalização

Leia mais

REF: EXERCÍCIO DO DIREITO DE GREVE DOCENTES EM ESTÁGIO PROBATÓRIO, SUBSTITUTOS E VISITANTES ANÁLISE JURÍDICA.

REF: EXERCÍCIO DO DIREITO DE GREVE DOCENTES EM ESTÁGIO PROBATÓRIO, SUBSTITUTOS E VISITANTES ANÁLISE JURÍDICA. 1 Brasília (DF), 7 de maio de 2012. Ilustríssimo Senhor Professor LUIZ HENRIQUE SCHUCH, 1º Vice-Presidente do SINDICATO NACIONAL DOS DOCENTES DAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR- ANDES-SINDICATO NACIONAL.

Leia mais

PODER JUDICIáRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO GABINETE DO DESEMBARGADOR FEDERAL FRANCISCO WILDO

PODER JUDICIáRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO GABINETE DO DESEMBARGADOR FEDERAL FRANCISCO WILDO REMESSA EX OFFICIO EM AÇÃO CÍVEL Nº 526414/CE (2009.81.00.014498-7) PARTE A : BERCHRIS MOURA REQUIÃO NETO ADV/PROC : MARCUS CLAUDIUS SABOIA RATTACASO E OUTROS PARTE R : UNIÃO FEDERAL REMTE : JUÍZO FEDERAL

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 943/2009 TCE/TO Pleno

RESOLUÇÃO Nº 943/2009 TCE/TO Pleno RESOLUÇÃO Nº 943/2009 TCE/TO Pleno 1. Processo nº: 03760/2009 2. Classe de Assunto: (III Plenário) Consulta 3. Entidade: Prefeitura de Arraias TO 4. Responsável: Antônio Wagner Barbosa Gentil - Prefeito

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO TC 021.938/2015-6

TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO TC 021.938/2015-6 GRUPO II CLASSE V Segunda Câmara TC 021.938/2015-6. Natureza: Pensão Civil. Órgão: Gerência Executiva do INSS - Joinville/SC. Interessados: Carmem Lucia Schmalz (248.508.709-10); Ceres Maria Burgardt Muller

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5.ª REGIÃO Gabinete da Desembargadora Federal Margarida Cantarelli

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5.ª REGIÃO Gabinete da Desembargadora Federal Margarida Cantarelli R E L A T Ó R I O A Exmª Des. Federal MARGARIDA CANTARELLI (Relatora): Cuida-se de mandado de segurança impetrado pelo MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL contra decisão do Juízo da 8ª Vara Federal do Rio Grande

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no CONFLITO DE COMPETÊNCIA Nº 106.421 - SP (2009/0126372-1) RELATOR : MINISTRO HERMAN BENJAMIN AGRAVANTE : ASSOCIAÇÃO SAÚDE DA FAMÍLIA : MARCO ANTÔNIO OLIVA AGRAVADO : CAIO CÉSAR FERRACIOLI FERREIRA

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no RECURSO EM MANDADO DE SEGURANÇA Nº 35.825 - MG (2011/0218191-2) RELATOR : MINISTRO HUMBERTO MARTINS AGRAVANTE : BIANCA REIS DE SOUZA E OUTROS ADVOGADO : ALICE NETO F DE ALMEIDA E OUTRO(S) AGRAVADO

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO EM MANDADO DE SEGURANÇA Nº 26.927 - RO (2008/0107965-6) RELATORA RECORRENTE ADVOGADO RECORRIDO PROCURADOR : MINISTRA MARIA THEREZA DE ASSIS MOURA : ADALBERTO ROCHA LOBO : RONALDO GOMES NEVES E

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO EM MANDADO DE SEGURANÇA Nº 30.047 - MT (2009/0144646-9) RELATORA : MINISTRA LAURITA VAZ RECORRENTE : AGNALDO MOURA DA SILVA ADVOGADO : ANA LEONARDA PREZA BORGES RIOS - DEFENSORA PÚBLICA RECORRIDO

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL Seção de São Paulo SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA STJ. Atualizado em 08/09/2015

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL Seção de São Paulo SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA STJ. Atualizado em 08/09/2015 SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA STJ Atualizado em 08/09/2015 RESOLUÇÃO STJ/GP N. 3 DE 5 DE FEVEREIRO DE 2015. Dispõe sobre o pagamento de custas judiciais e porte de remessa e retorno de autos no âmbito do

Leia mais

Athayde Filho e outros) Vistos etc.

Athayde Filho e outros) Vistos etc. ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete do Des. José Di Lorenzo Serpa DECISÃO MONOCRÁTICA APELAÇÃO CÍVEL N2 107.2009.000348-7/001 Relator: Des. José Di Lorenzo Serpa Apelante: Município de Lagoa

Leia mais

PROCESSO: PCA nº 0.00.000.001227/2012 14 Conselheiro Tito Amaral Francisco Luciano Bezerra dos Santos Ministério Público da União

PROCESSO: PCA nº 0.00.000.001227/2012 14 Conselheiro Tito Amaral Francisco Luciano Bezerra dos Santos Ministério Público da União PROCESSO: PCA nº 0.00.000.001227/2012 14 RELATOR: REQUERENTE: REQUERIDO: Conselheiro Tito Amaral Francisco Luciano Bezerra dos Santos Ministério Público da União EMENTA: PROCEDIMENTO DE CONTROLE ADMINISTRATIVO.

Leia mais

Referência: Processo nº 23072.023024/2005-10 e Processo nº 23072.048228/2010-12

Referência: Processo nº 23072.023024/2005-10 e Processo nº 23072.048228/2010-12 MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO Secretaria de Recursos Humanos Departamento de Normas e Procedimentos Judiciais Coordenação-Geral de Elaboração, Sistematização e Aplicação das Normas NOTA

Leia mais

Inscrição de dependente em assentamentos funcionais. Referência: Processo Administrativo nº 10530.001247/2009-55

Inscrição de dependente em assentamentos funcionais. Referência: Processo Administrativo nº 10530.001247/2009-55 Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Secretaria de Recursos Humanos Departamento de Normas e Procedimentos Judiciais Coordenação-Geral de Elaboração, Sistematização e Aplicação das Normas NOTA

Leia mais

- A PBPREV é autarquia previdenciária estadual

- A PBPREV é autarquia previdenciária estadual AC no 200.2010.039908-4/001 1 Poder Judiciário do Estado da Paraíba Tribunal de Justiça Gabinete da Desembargadora Maria das Neves do Egito de A. D. Ferreira ACÓRDÃO APELAÇÃO CÍVEL No 200.2 010.039908-4/001

Leia mais

APOSENTADORIA ESPECIAL DO SERVIDOR PÚBLICO

APOSENTADORIA ESPECIAL DO SERVIDOR PÚBLICO Direito Previdenciário APOSENTADORIA ESPECIAL DO SERVIDOR PÚBLICO Rafael Gabarra www.gabarra.adv.br ROTEIRO I. RGPS x RPPS II. Aposentadoria Especial III. Servidor Público - RPPS IV. Omissão MI s Súmula

Leia mais

: MIN. DIAS TOFFOLI :NATAN DONADON :GILSON CESAR STEFANES :MESA DIRETORA DA CÂMARA DOS DEPUTADOS :ADVOGADO-GERAL DA UNIÃO

: MIN. DIAS TOFFOLI :NATAN DONADON :GILSON CESAR STEFANES :MESA DIRETORA DA CÂMARA DOS DEPUTADOS :ADVOGADO-GERAL DA UNIÃO MEDIDA CAUTELAR EM MANDADO DE SEGURANÇA 32.299 DISTRITO FEDERAL RELATOR IMPTE.(S) ADV.(A/S) IMPDO.(A/S) ADV.(A/S) : MIN. DIAS TOFFOLI :NATAN DONADON :GILSON CESAR STEFANES :MESA DIRETORA DA CÂMARA DOS

Leia mais

RECOMENDAÇÃO n.º 06/2014

RECOMENDAÇÃO n.º 06/2014 MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA BAHIA Procedimento Preparatório Autos n.º 1.14.000.002855/2013-57 RECOMENDAÇÃO n.º 06/2014 NO ESTADO DE DIREITO GOVERNAM AS LEIS E NÃO OS HOMENS. VIGE

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO EM MANDADO DE SEGURANÇA Nº 23.428 - RS (2007/0001863-1) RELATORA : MINISTRA MARIA THEREZA DE ASSIS MOURA RECORRENTE : GLAUCO MOREIRA CASTILHO E OUTRO ADVOGADO : FRANCIS CAMPOS BORDAS T. ORIGEM

Leia mais

A Constituição Federal, em seu art. 5º, LXXVI, confere a gratuidade do registro civil de nascimento aos reconhecidamente pobres.

A Constituição Federal, em seu art. 5º, LXXVI, confere a gratuidade do registro civil de nascimento aos reconhecidamente pobres. PROCEDIMENTO DE CONTROLE ADMINISTRATIVO CONVERTIDO EM PEDIDO DE PROVIDÊNCIAS. REGISTRO DE NASCIMENTO. AVERBAÇÃO DE PATERNIDADE RECONHECIDA VOLUNTARIAMENTE. GRATUIDADE. AUSÊNCIA DE PREVISÃO LEGAL. A Constituição

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01/2015 R E S O L V E:

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01/2015 R E S O L V E: ESTADO DO PARANÁ INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01/2015 O Desembargador Fernando Wolff Bodziak, 2º Vice-Presidente e Supervisor-Geral dos Juizados Especiais, no uso de suas atribuições legais e CONSIDERANDO o

Leia mais

XI Congresso Brasileiro de Direito Previdenciário Advocacia previdenciária: serviços a serem oferecidos para os clientes do RPPS

XI Congresso Brasileiro de Direito Previdenciário Advocacia previdenciária: serviços a serem oferecidos para os clientes do RPPS XI Congresso Brasileiro de Direito Previdenciário Advocacia previdenciária: serviços a serem oferecidos para os clientes do RPPS MARCELO BARROSO LIMA BRITO DE CAMPOS CLIENTES DO RPPS SERVIDORES PÚBLICOS

Leia mais

O REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DO MUNICÍPIO DE TAQUARITINGA

O REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DO MUNICÍPIO DE TAQUARITINGA O REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DO MUNICÍPIO DE TAQUARITINGA 1. INTRODUÇÃO A previdência social no Brasil pode ser divida em dois grandes segmentos, a saber: Regime Geral de Previdência Social (RGPS):

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal Decisão sobre Repercussão Geral DJe 23/10/2012 Inteiro Teor do Acórdão - Página 1 de 11 30/08/2012 PLENÁRIO REPERCUSSÃO GERAL NO RECURSO EXTRAORDINÁRIO 684.169 RIO GRANDE DO SUL RELATOR RECTE.(S) ADV.(A/S)

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO EM MANDADO DE SEGURANÇA Nº 31.648 - MT (2010/0037619-1) RELATOR RECORRENTE ADVOGADO RECORRIDO PROCURADOR : MINISTRO MAURO CAMPBELL MARQUES : AMAGGI EXPORTAÇÃO E IMPORTAÇÃO LTDA : EUCLIDES RIBEIRO

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO EM MANDADO DE SEGURANÇA Nº 23.742 - MT (2007/0046932-7) RELATOR : MINISTRO JORGE MUSSI RECORRENTE : IVAIR SAVOINE ADVOGADO : FÁBIO MOREIRA PEREIRA E OUTRO T. ORIGEM : TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO

Leia mais

Jurisprudência sobre concursos públicos Hugo Goes

Jurisprudência sobre concursos públicos Hugo Goes Jurisprudência sobre concursos públicos Hugo Goes O presente artigo tem como escopo reunir a mais recente jurisprudência do STF e do STJ sobre concursos públicos e sobre os direitos dos candidatos. 1.

Leia mais

PARECER 02/0650/2015 MANDADO DE SEGURANÇA N. 383598-59.2014.8.09.0000 (201493835980) GOVERNADOR DO ESTADO DE GOIÁS

PARECER 02/0650/2015 MANDADO DE SEGURANÇA N. 383598-59.2014.8.09.0000 (201493835980) GOVERNADOR DO ESTADO DE GOIÁS PARECER 02/0650/2015 MANDADO DE SEGURANÇA N. 383598-59.2014.8.09.0000 (201493835980) COMARCA IMPETRANTE IMPETRADO ÓRGÃO JULGADOR DESEMBARGADOR RELATOR SUBPROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA PARA ASSUNTOS JURÍDICOS

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL Nº 719.474 - SP (2015/0125771-3) RELATOR AGRAVANTE PROCURADOR AGRAVADO : MINISTRO BENEDITO GONÇALVES : MUNICIPIO DE GUARULHOS : ANA PAULA HYROMI YOSHITOMI : CECÍLIA CRISTINA

Leia mais

Poder Judiciário do Estado do Rio de Janeiro. RESOLUÇÃO CM nº 12/2014

Poder Judiciário do Estado do Rio de Janeiro. RESOLUÇÃO CM nº 12/2014 RESOLUÇÃO CM nº 12/2014 Dispõe sobre o Concurso Público de provas ou provas e títulos para provimento de cargos efetivos do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro O CONSELHO DA MAGISTRATURA DO

Leia mais

Tal matéria é expressa pela Constituição Federal em seu art. 8º, IV:

Tal matéria é expressa pela Constituição Federal em seu art. 8º, IV: Parecer sobre Imposto Sindical A contribuição sindical, também denominada imposto sindical, é espécie de contribuição compulsória devida aos sindicatos, federações e confederações para sustentação econômica

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.557.756 - SE (2015/0241652-4) RELATOR : MINISTRO NAPOLEÃO NUNES MAIA FILHO RECORRENTE : INSTITUTO FEDERAL DE EDUCACAO, CIENCIA E TECNOLOGIA DE SERGIPE RECORRIDO : PRISCYLLA MARIA

Leia mais

O TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO ACRE

O TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO ACRE Institui o auxílio-alimentação para os s da Magistratura do Estado do Acre, no efetivo exercício. O, no uso de suas atribuições legais e tendo em vista a deliberação na 16ª Sessão Extraordinária do Pleno

Leia mais

SÚMULAS E JURISPRUDÊNCIAS COMENTADAS Disciplina: Direito Administrativo Prof.: Fabrício Bolzan Data: 25.05.2010 Aula 02 MATERIAL DE APOIO PROFESSOR

SÚMULAS E JURISPRUDÊNCIAS COMENTADAS Disciplina: Direito Administrativo Prof.: Fabrício Bolzan Data: 25.05.2010 Aula 02 MATERIAL DE APOIO PROFESSOR SÚMULAS E JURISPRUDÊNCIAS COMENTADAS Disciplina: Direito Administrativo Prof.: Fabrício Bolzan Data: 25.05.2010 Aula 02 MATERIAL DE APOIO PROFESSOR Dispensa imotivada de servidor público em estágio probatório

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO EM HABEAS CORPUS Nº 21.628 - SP (2007/0158779-3) RELATORA : MINISTRA LAURITA VAZ RECORRENTE : AGOSTINHO FERRAMENTA DA SILVA JÚNIOR ADVOGADO : JULIANA FERRAMENTA DA SILVA RECORRIDO : TRIBUNAL DE

Leia mais

CONHEÇA A VERDADE SOBRE A EC 50

CONHEÇA A VERDADE SOBRE A EC 50 CONHEÇA A VERDADE SOBRE A Porque os interesses de Goiás e do povo goiano estão acima de interesses pessoais e corporativistas. O que é a /2014? É uma Emenda Constitucional, que disciplina a representação

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 966.736 - RS (2007/0152846-0) RELATOR : MINISTRO NAPOLEÃO NUNES MAIA FILHO RECORRENTE : PAULO GILBERTO ALTMANN ADVOGADO : ANDRE ROBERTO MALLMANN RECORRIDO : INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO

Leia mais

PARECER Nº, DE 2013. RELATOR: Senador ARMANDO MONTEIRO

PARECER Nº, DE 2013. RELATOR: Senador ARMANDO MONTEIRO PARECER Nº, DE 2013 Da COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO, JUSTIÇA E CIDADANIA, sobre o Projeto de Lei do Senado nº 250, de 2005 Complementar, do Senador PAULO PAIM, que estabelece requisitos e critérios diferenciados

Leia mais

RESOLUÇÃO STJ N. 1 DE 4 DE FEVEREIRO DE 2014.

RESOLUÇÃO STJ N. 1 DE 4 DE FEVEREIRO DE 2014. RESOLUÇÃO STJ N. 1 DE 4 DE FEVEREIRO DE 2014. Dispõe sobre o pagamento de custas judiciais e porte de remessa e retorno de autos no âmbito do Superior Tribunal de Justiça. O PRESIDENTE DO SUPERIOR TRIBUNAL

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO EM MANDADO DE SEGURANÇA Nº 41.796 - MS (2013/0100701-0) RELATOR : MINISTRO HUMBERTO MARTINS RECORRENTE : MARGARETH DE MIRANDA VIDUANI ADVOGADO : PATRÍCIA CONTAR DE ANDRADE RECORRIDO : ESTADO DE

Leia mais

Brasília, 29 de janeiro de 2014 NOTA JURÍDICA. Assunto: Aposentadoria Especial. Abono de permanência. Orientações Normativas n. 15 e n. 16 do MPOG.

Brasília, 29 de janeiro de 2014 NOTA JURÍDICA. Assunto: Aposentadoria Especial. Abono de permanência. Orientações Normativas n. 15 e n. 16 do MPOG. Brasília, 29 de janeiro de 2014 NOTA JURÍDICA Assunto: Aposentadoria Especial. Abono de permanência. Orientações Normativas n. 15 e n. 16 do MPOG. Com o objetivo de assessorar juridicamente a ASSOCIAÇÃO

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL DE 1988 Emendas Constitucionais Emendas Constitucionais de Revisão Ato das Disposições

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO GABINETE DO CONSELHEIRO SUBSTITUTO RENATO SÉRGIO SANTIAGO MELO

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO GABINETE DO CONSELHEIRO SUBSTITUTO RENATO SÉRGIO SANTIAGO MELO Pag. 60 Objeto: Representação Relator: Conselheiro Substituto Renato Sérgio Santiago Melo Representante: Ministério Público junto ao Tribunal de Contas do Estado da Paraíba MPjTCE/PB Representada: Junta

Leia mais

ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO GABINETE DO DES. SAULO HENRIQUES DE SÁ E BENE VIDES ACÓRDÃO. MANDADO DE SEGURANÇA N 999.2012.001214-4/001 Relator

ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO GABINETE DO DES. SAULO HENRIQUES DE SÁ E BENE VIDES ACÓRDÃO. MANDADO DE SEGURANÇA N 999.2012.001214-4/001 Relator ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO GABINETE DO DES. SAULO HENRIQUES DE SÁ E BENE VIDES ACÓRDÃO MANDADO DE SEGURANÇA N 999.2012.001214-4/001 Relator : Des. Saulo Henriques de Sá e Benevides Impetrante :

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO

CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO RESOLUÇÃO N.º 13, DE 02 DE OUTUBRO DE 2006. (Alterada pela Res. 111/2014) Regulamenta o art. 8º da Lei Complementar 75/93 e o art. 26 da Lei n.º 8.625/93, disciplinando, no âmbito do Ministério Público,

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO EM MANDADO DE SEGURANÇA Nº 32.617 - MT (2010/0131496-9) RELATOR RECORRENTE ADVOGADO RECORRIDO PROCURADOR : MINISTRO HERMAN BENJAMIN : ANTÔNIO MÁXIMO GOMES DE SANTANA : ANA LÚCIA RICARTE : ESTADO

Leia mais

Poder Judiciário Tribunal Regional Federal da 5ª Região Gabinete do Desembargador Federal Rogério Fialho Moreira

Poder Judiciário Tribunal Regional Federal da 5ª Região Gabinete do Desembargador Federal Rogério Fialho Moreira RELATÓRIO Trata-se de recurso em sentido estrito interposto por Célio Bispo Kojuch contra sentença proferida pelo Juízo da 14.ª Vara da SJRN que denegou ordem de habeas corpus através da qual era objetivada

Leia mais

NOTA TÉCNICA Nº276/2011/CGNOR/DENOP/SRH/MP. ASSUNTO: Exercícios anteriores - revisão de aposentadoria SUMÁRIO EXECUTIVO

NOTA TÉCNICA Nº276/2011/CGNOR/DENOP/SRH/MP. ASSUNTO: Exercícios anteriores - revisão de aposentadoria SUMÁRIO EXECUTIVO Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Secretaria de Recursos Humanos Departamento de Normas e Procedimentos Judiciais Coordenação-Geral de Elaboração, Sistematização e Aplicação das Normas NOTA

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL OAB

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL OAB PADRÃO DE RESPOSTAS PEÇA PROFISSIONAL : Fábio é universitário, domiciliado no Estado K e pretende ingressar no ensino superior através de nota obtida pelo Exame Nacional, organizado pelo Ministério da

Leia mais

ENUNCIADO ORIENTATIVO 01/2015 - TJMT REGRAS, CÁLCULOS DE PROVENTOS E PROCEDIMENTOS PARA A CONCESSÃO DE APOSENTADORIA.

ENUNCIADO ORIENTATIVO 01/2015 - TJMT REGRAS, CÁLCULOS DE PROVENTOS E PROCEDIMENTOS PARA A CONCESSÃO DE APOSENTADORIA. ENUNCIADO ORIENTATIVO 01/2015 - TJMT REGRAS, CÁLCULOS DE PROVENTOS E PROCEDIMENTOS PARA A CONCESSÃO DE APOSENTADORIA. Coordenadoria de Controle Interno Abril/2015 Página 1 de 19 ENUNCIADO ORIENTATIVO 01/2015

Leia mais

Excelentíssimo Dr. Roberto Monteiro Gurgel Santos, DD. Presidente do Conselho Nacional do Ministério Público:

Excelentíssimo Dr. Roberto Monteiro Gurgel Santos, DD. Presidente do Conselho Nacional do Ministério Público: Excelentíssimo Dr. Roberto Monteiro Gurgel Santos, DD. Presidente do Conselho Nacional do Ministério Público: Venho à presença de Vossa Excelência, nos termos do Regimento Interno deste Conselho, apresentar

Leia mais

PROVIMENTO Nº 20, DE 09 DE OUTUBRO DE 2013. O CORREGEDOR GERAL DA JUSTIÇA DO ESTADO DE ALAGOAS, no uso de suas atribuições legais e regimentais,

PROVIMENTO Nº 20, DE 09 DE OUTUBRO DE 2013. O CORREGEDOR GERAL DA JUSTIÇA DO ESTADO DE ALAGOAS, no uso de suas atribuições legais e regimentais, PROVIMENTO Nº 20, DE 09 DE OUTUBRO DE 2013. Institui a emissão de Certidões Judiciais Cíveis e Criminais, inclusive por meio eletrônico, no âmbito da 1ª Instância do Poder Judiciário do Estado de Alagoas

Leia mais

P R O N U N C I A M E N T O M I N I S T E R I A L

P R O N U N C I A M E N T O M I N I S T E R I A L P R O N U N C I A M E N T O M I N I S T E R I A L Trata-se de mandado de segurança impetrado por em face do INSTITUTO NACIONAL DE SEGURO SOCIAL, objetivando assegurar que a autoridade coautora continue

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RELATOR : MINISTRO JORGE SCARTEZZINI EMENTA PROCESSO CIVIL - AGRAVO DE INSTRUMENTO - NEGATIVA DE PROVIMENTO - AGRAVO REGIMENTAL - SEGURO - ALEGAÇÃO DE DOENÇA PRÉ-EXISTENTE - MÁ-FÉ - REEXAME DE PROVA SÚMULA

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal Ementa e Acórdão Inteiro Teor do Acórdão - Página 1 de 12 06/03/2013 PLENÁRIO AG.REG. NO MANDADO DE INJUNÇÃO 4.842 DISTRITO FEDERAL RELATORA : MIN. CÁRMEN LÚCIA AGTE.(S) :UNIÃO PROC.(A/S)(ES) :ADVOGADO-GERAL

Leia mais

O Regime Geral de Previdência Social RGPS

O Regime Geral de Previdência Social RGPS O Regime Geral de Previdência Social RGPS Capítulo 5 O Regime Geral de Previdência Social RGPS Sumário 1. Introdução 2. Os beneficiários do RGPS: 2.1 Os segurados obrigatórios; 2.2. O segurado facultativo;

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA PRIMEIRA REGIÃO

TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA PRIMEIRA REGIÃO DECISÃO 2012 PROCESSO : 36098-81.2012.4.01.3400 IMPETRANTE : SINDICATO DOS TRABALHADORES EM SAÚDE TRABALHO E PREVIDÊNCIA SOCIAL NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO IMPETRADO : SECRETARIO DE GESTÃO PÚBLICA DO MINISTÉRIO

Leia mais

Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Paraná 1ª TURMA RECURSAL JUÍZO A

Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Paraná 1ª TURMA RECURSAL JUÍZO A JUIZADO ESPECIAL (PROCESSO ELETRÔNICO) Nº200970500082370/PR RELATOR : Juíza Federal Ana Beatriz Vieira da Luz Palumbo RECORRENTE : EDSON CORREIA DE ALCARAZ RECORRIDO : UNIÃO FEDERAL VOTO Trata-se de recurso

Leia mais

Processo nº 0117284-44.2015.4.02.5001 (2015.50.01.117284-7)

Processo nº 0117284-44.2015.4.02.5001 (2015.50.01.117284-7) Fls 263 Classe: ORDINÁRIA/OUTRAS Autor(es): SINDICATO DOS ARQUITETOS E URBANISTAS NO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Réu(s): CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA DO ESPÍRITO SANTO - CREA/ES DECISÃO Trata-se

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº. 521/2008 TCE 2ª CÂMARA

RESOLUÇÃO Nº. 521/2008 TCE 2ª CÂMARA RESOLUÇÃO Nº. 521/2008 TCE 2ª CÂMARA 1. Processo Nº: 07391/2007 2. Classe de Assunto: IV Pensão 3. Interessado: Edivan Moura Braga Pensionista DERTINS-TO 4. Entidade: Instituto de Gestão Previdenciária

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça MANDADO DE SEGURANÇA Nº 17.583 - DF (2011/0225182-8) RELATOR : MINISTRO NAPOLEÃO NUNES MAIA FILHO IMPETRANTE : CESÁRIO AUGUSTO ALCÂNTARA FERREIRA ADVOGADO : RICARDO DANTAS ESCOBAR E OUTRO(S) IMPETRADO

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL Nº 184.727 - DF (2012/0112646-2) RELATOR : MINISTRO HERMAN BENJAMIN : MINISTÉRIO PÚBLICO DO DISTRITO FEDERAL E TERRITÓRIOS EMENTA PROCESSUAL CIVIL. COMPETÊNCIA. PERIÓDICO

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA - TCU Nº 63, DE 1º DE SETEMBRO DE 2010

INSTRUÇÃO NORMATIVA - TCU Nº 63, DE 1º DE SETEMBRO DE 2010 INSTRUÇÃO NORMATIVA - TCU Nº 63, DE 1º DE SETEMBRO DE 2010 Estabelece normas de organização e de apresentação dos relatórios de gestão e das peças complementares que constituirão os processos de contas

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO 1ª CÂMARA

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO 1ª CÂMARA Objeto: Aposentadoria Relator: Auditor Renato Sérgio Santiago Melo Responsáveis: Vanderlei Medeiros de Oliveira e outra Interessada: Railda Neri Lira EMENTA: PODER EXECUTIVO MUNICIPAL ADMINISTRAÇÃO INDIRETA

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no RECURSO ESPECIAL Nº 1.311.383 - RS (2012/0041009-1) RELATOR : MINISTRO NAPOLEÃO NUNES MAIA FILHO AGRAVANTE : ANTONIO CHAGAS DE ANDRADE ADVOGADOS : MARCELO LIPERT E OUTRO(S) ROBERTO DE FIGUEIREDO

Leia mais

RELATÓRIO. Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL

RELATÓRIO. Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Órgão: TURMA REGIONAL DE UNIFORMIZAÇÃO DE JURISPRUDÊNCIA N. Processo: 0500029-74.2008.4.05.8103 Origem: Primeira Turma Recursal do Estado do Ceará Recorrente: João Ferreira

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DÉCIMA SÉTIMA CÂMARA CÍVEL

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DÉCIMA SÉTIMA CÂMARA CÍVEL TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DÉCIMA SÉTIMA CÂMARA CÍVEL Agravo de Instrumento nº 0052654-08.2013.8.19.0000 Agravante: Município de Armação de Búzios Agravado: Lidiany da Silva Mello

Leia mais

PODER JUDICIáRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO

PODER JUDICIáRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO PARTE A ADV/PROC PARTE R REPTE ORIGEM RELATOR : JORGEVALDO ROBINSTON DE MOURA : FÁBIO CORREA RIBEIRO E OUTROS : INSS INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL : PROCURADORIA REPRESENTANTE DA ENTIDADE : JUÍZO

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO EM MANDADO DE SEGURANÇA Nº 19.257 - DF (2004/0169336-4) RELATOR : MINISTRO ARNALDO ESTEVES LIMA RECORRENTE : JOSÉ FRANCISCO DE ARAÚJO ADVOGADO : ANTÔNIO VALE LEITE E OUTRO T. ORIGEM : TRIBUNAL

Leia mais

Nº 11/CSMPF GAB/MC PROCESSO Nº : 1.00.001.000097/2006-99

Nº 11/CSMPF GAB/MC PROCESSO Nº : 1.00.001.000097/2006-99 Nº 11/CSMPF GAB/MC PROCESSO Nº : 1.00.001.000097/2006-99 INTERESSADO : Doutor Igor Nery Figueiredo RELATORA : Conselheira MARIA CAETANA CINTRA SANTOS ASSUNTO : 22º Concurso Público para Provimento de Cargos

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 447.888 - RO (2002/0084713-3) RELATORA : MINISTRA NANCY ANDRIGHI RECORRENTE : ADMINISTRADORA E CORRETORA DE SEGUROS - RONSEG ADVOGADO : ODAILTON KNORST RIBEIRO RECORRENTE : SUL AMÉRICA

Leia mais

SENTENÇA. Trata-se de ação movida por EQUIPAV S/A PAVIMENTAÇÃO, ENGENHARIA E COMÉRCIO em face do TRIBUNAL DE CONTAS DO DO ESTADO DE SÃO PAULO.

SENTENÇA. Trata-se de ação movida por EQUIPAV S/A PAVIMENTAÇÃO, ENGENHARIA E COMÉRCIO em face do TRIBUNAL DE CONTAS DO DO ESTADO DE SÃO PAULO. fls. 1 CONCLUSÃO Aos 20/10/2009, promovo estes autos à conclusão do(a) MMº(ª). Juiz(a) de Direito, desta 10ª Vara da Fazenda Pública, Dr(a). Eliana Adorno de Toledo Tavares, Eu,. (Ricardo Macedo Soares),

Leia mais

DIRETRIZES DE CONTROLE EXTERNO Projeto Qualidade e Agilidade dos TCs

DIRETRIZES DE CONTROLE EXTERNO Projeto Qualidade e Agilidade dos TCs DIRETRIZES DE CONTROLE EXTERNO Projeto Qualidade e Agilidade dos TCs Resolução Atricon 01/2014 Domínio E Estrutura e Gestão de Apoio-QATC 13 - Corregedoria Conselheiro Edilson de Sousa Silva Corregedor-Geral

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 110, DE 05 DE DEZEMBRO DE 2012

RESOLUÇÃO Nº 110, DE 05 DE DEZEMBRO DE 2012 RESOLUÇÃO Nº 110, DE 05 DE DEZEMBRO DE 2012 Dispõe sobre a Comissão Permanente de Avaliação e Gestão de Documentos no âmbito da Justiça Militar do Estado do Rio Grande do Sul. O DO ESTADO DO RIO GRANDE

Leia mais

MANDADO DE SEGURANÇA Nº 467817-05.2014.8.09.0000 (201494678179)

MANDADO DE SEGURANÇA Nº 467817-05.2014.8.09.0000 (201494678179) MANDADO DE SEGURANÇA Nº 467817-05.2014.8.09.0000 (201494678179) COMARCA DE GOIÂNIA IMPETRANTE: IMPETRADOS: RELATOR: ADRIANO JOSÉ DOS SANTOS SECRETÁRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO ESTADO DE GOIÁS E OUTRO

Leia mais

ADVOCACIA-GERAL DA UNIÃO CONSULTORIA JURÍDICA DO MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO

ADVOCACIA-GERAL DA UNIÃO CONSULTORIA JURÍDICA DO MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO PARECER/MP/CONJUR/SMM/Nº 1653-3.5 / 2009 PROCESSO Nº: 03080.002850/2009-34 EMENTA: CONSULTA FORMULADA PELA SECRETARIA DE GESTÃO DESTE MINISTÉRIO ACERCA DA INTERPRETAÇÃO DAS DISPOSIÇÕES CONTIDAS NO ARTIGO

Leia mais

ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GABINETE DO DES. MÁRCIO MURILO DA CUNHA RAMOS

ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GABINETE DO DES. MÁRCIO MURILO DA CUNHA RAMOS Nitkiffis pg ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GABINETE DO DES. MÁRCIO MURILO DA CUNHA RAMOS APELAÇÃO E REMESSA OFICIAL N 013.2011.000114-9/001 4' Vara da Comarca de Cajazeiras RELATOR:

Leia mais

(6^_ê0â1R0) (D=:A5) - Nº Lote: 2013101705-2_1 - REEXAME NECESSÁRIO N. 2008.34.00.006506-3/DF - TR14403 V O T O RELATÓRIO

(6^_ê0â1R0) (D=:A5) - Nº Lote: 2013101705-2_1 - REEXAME NECESSÁRIO N. 2008.34.00.006506-3/DF - TR14403 V O T O RELATÓRIO (6^_ê0â1R0) PODER JUDICIÁRIO RELATÓRIO Trata-se de reexame necessário de sentença em que o magistrado da 9ª Vara Federal da Seção Judiciária do Distrito Federal, em ação de mandado de segurança, concedeu

Leia mais

ADVOCACIA & CONSULTORIA EVILSON BRAZ

ADVOCACIA & CONSULTORIA EVILSON BRAZ ADVOCACIA & CONSULTORIA EVILSON BRAZ Rua Rodrigues de Aquino, n.º267, 9º Andar/Sala 903 Edf. Asplan, Centro, João Pessoa/PB (083) 8761-0375/9989-6277/3021-8444 E-mail: evilsonbraz@ig.com.br ******************************

Leia mais

DECISÃO. Relatório. Tem-se do voto condutor do julgado recorrido:

DECISÃO. Relatório. Tem-se do voto condutor do julgado recorrido: DECISÃO RECURSO EXTRAORDINÁRIO. CONSTITUCIONAL. DESAPROPRIAÇÃO POR INTERESSE SOCIAL PARA FINS DE REFORMA AGRÁRIA. CLASSIFICAÇÃO DA PROPRIEDADE RURAL. INCLUSÃO DE ÁREAS NÃO APROVEITÁVEIS. PRECEDENTE DO

Leia mais

EDITAL DE RETIFICAÇÃO Nº 01/2014 A Defensora Pública-Geral do Estado de Minas Gerais, Presidente da Comissão de Concurso, no uso de suas atribuições,

EDITAL DE RETIFICAÇÃO Nº 01/2014 A Defensora Pública-Geral do Estado de Minas Gerais, Presidente da Comissão de Concurso, no uso de suas atribuições, EDITAL DE RETIFICAÇÃO Nº 01/2014 A Defensora Pública-Geral do Estado de Minas Gerais, Presidente da Comissão de Concurso, no uso de suas atribuições, informa que em virtude da publicação da Emenda Constitucional

Leia mais

ESTADO DO CEARÁ PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GABINETE DESEMBARGADOR RAIMUNDO NONATO SILVA SANTOS

ESTADO DO CEARÁ PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GABINETE DESEMBARGADOR RAIMUNDO NONATO SILVA SANTOS fls. 122 Processo: 0135890-46.2012.8.06.0001 - Apelação Apelante: Sindicato dos Guardas Municipais da Região Metrolitana de Fortaleza - SINDIGUARDAS Apelado: Município de Fortaleza Vistos etc. DECISÃO

Leia mais

Ementa: Apresentação da declaração de bens e rendas. Lei 8.730/93. Lei 8.429/92. Instrução Normativa do TCU nº 65, de 20 de abril de 2011.

Ementa: Apresentação da declaração de bens e rendas. Lei 8.730/93. Lei 8.429/92. Instrução Normativa do TCU nº 65, de 20 de abril de 2011. Nota Técnica n 01/2011 Ementa: Apresentação da declaração de bens e rendas. Lei 8.730/93. Lei 8.429/92. Instrução Normativa do TCU nº 65, de 20 de abril de 2011. Obrigatoriedade. 1. No dia 03.05.2011 o

Leia mais

DIREITO ADMINISTRATIVO CONTROLE

DIREITO ADMINISTRATIVO CONTROLE DIREITO ADMINISTRATIVO CONTROLE Atualizado em 12/11/2015 CLASSIFICAÇÕES E SISTEMAS DE CONTROLE CLASSIFICAÇÕES DO CONTROLE Quanto ao posicionamento do órgão controlador: Externo: exercido por um ente que

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 611, DE 20 DE DEZEMBRO DE 2013

LEI COMPLEMENTAR Nº 611, DE 20 DE DEZEMBRO DE 2013 LEI COMPLEMENTAR Nº 611, DE 20 DE DEZEMBRO DE 2013 Procedência: Governamental Natureza: PLC/0046.0/2013 DO: 19.729, de 31/12/2013 Fonte: ALESC/Coord. Documentação Fixa o subsídio mensal dos integrantes

Leia mais

PARECER PGFN/CRJ/Nº 2126 /2011

PARECER PGFN/CRJ/Nº 2126 /2011 PARECER PGFN/CRJ/Nº 2126 /2011 Contribuição previdenciária. Não incidência em relação aos valores recebidos em razão do exercício de função comissionada, após a edição da Lei 9.783/99, pelos servidores

Leia mais