II. Pelo setor privado:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "II. Pelo setor privado:"

Transcrição

1 DIÁRIO OFICIAL DO MUNICÍPIO DE PONTA GROSSA Lei Nº 9926/2009 EDIÇÃO Nº / ANO VI / 06 PÁGINAS PONTA GROSSA, TERÇA-FEIRA, 07 DE OUTUBRO DE 2014 Jornalista responsável: EDGAR HAMPF Identificação profissional nº 6681 DECRETOS D E C R E T O Nº , de 24/09/2014 Institui o Programa de Gerenciamento de Resíduos Sólidos, no Município de Ponta Grossa, para efeito da Lei Federal nº /2010 e dá outras providências. O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE PONTA GROSSA, ESTADO DO PARANÁ, no uso das suas atribuições legais, de acordo com o protocolado /2014, Considerando que a Lei Federal nº /2010 que atribui aos Municípios a classifi cação dos resíduos gerados por estabelecimentos comerciais e prestação de serviço; Considerando que os Planos: Nacional, Estadual e Municipal estipulam diretrizes para o Gerenciamento de Resíduos Sólidos; Considerando que a Lei Municipal nº /2012 regulamenta a gestão dos resíduos sólidos no âmbito do Município de Ponta Grossa, D E C R E T A Art. 1º. Fica instituído o Programa de Gerenciamento Municipal de Resíduos Sólidos, instrumento para a implementação da gestão dos resíduos sólidos no Município de Ponta Grossa, cujo objetivo é o cumprimento da legislação, quanto à redução da produção, transporte e destinação fi nal adequada dos resíduos. Art. 2º. Para efeito deste decreto, são adotadas as seguintes defi nições: I. Gerador Doméstico ou Pequeno Gerador são pessoas, físicas ou jurídicas, que gerem resíduos provenientes de habitações unifamiliares ou em cada unidade das habitações em série ou coletivas, cuja coleta é regular, limitada à quantidade máxima de 100 (cem) litros por dia disponível à coleta pública; II. Gerador Comercial ou Grande Gerador são pessoas, físicas ou jurídicas, que gerem resíduos decorrentes de atividade econômica ou não econômica, excedentes à quantidade máxima de 100 (cem) litros por dia; III. Transportadores são as pessoas, físicas ou jurídicas, que exerçam o transporte dos resíduos entre as fontes geradoras e as áreas de triagem, tratamento ou destinação fi nal, ou entre cada área; IV. Receptores são pessoas jurídicas, públicas ou privadas, cuja função seja o manejo de resíduos sólidos e rejeitos em pontos de entrega, áreas de triagem, áreas de compostagem e aterros, entre outras; V. Projeto de Gerenciamento de Resíduos Sólidos é o estudo técnico de sistema de gestão que visa reduzir, reutilizar ou reciclar resíduos, incluindo planejamento, responsabilidades, práticas, procedimentos e recursos para desenvolver e implementar as ações necessárias ao cumprimento das etapas previstas em programas e planos e, especialmente, diagnosticar e relatar as quantidades de resíduo sólido produzido pela atividade, de forma a garantir a informação aos órgãos competentes sobre os montantes e práticas adotadas. Parágrafo único. Os grandes geradores deverão prever as quantidades geradas de resíduos sólidos nos respectivos Planos de Gerenciamento de Resíduos Sólidos. Art. 3º. Todos os geradores deverão ter como objetivo prioritário a não geração de resíduos e, secundariamente, a redução, a separação, a reciclagem, a compostagem e a destinação fi nal adequada, prioritariamente destinando os resíduos gerados novamente ao ciclo produtivo, através da logística reversa, reciclagem, reuso, dentro dos padrões estabelecidos pela legislação e normas técnicas. 1º. Os resíduos devem ser separados diretamente na origem, de maneira a permitir a compostagem do orgânico e a minimização da geração dos demais. 2º. Os resíduos recicláveis deverão ser encaminhados, preferencialmente, à cooperativa/associações de triagem devidamente cadastrada junto ao município, em consonância com o disposto na Lei Federal /2010. Art. 4º. A gestão dos resíduos sólidos será dividida entre a responsabilidade pública e privada, conforme a Lei Federal /2010, tendo as seguintes diretrizes: I. Pelo setor público: SUMÁRIO ATOS DO PODER EXECUTIVO ADMINISTRAÇÃO DIRETA - DECRETOS LICITAÇÕES CONTRATOS RECURSOS HUMANOS DIVERSOS... 4 ADMINISTRAÇÃO INDIRETA - PROAMOR CPS PROLAR... 6 ATOS DO PODER LEGISLATIVO - CÂMARA MUNICIPAL... 6 a) a normatização, fi scalização e controle das atividades geradoras; b) a proteção ambiental pela preservação dos recursos naturais e dos recursos públicos; c) a realização de programas de educação ambiental referentes à minimização da geração de resíduos sólidos; d) O intercâmbio de informações perante os órgãos ambientais de nível estadual e federal; e) Responsabilização pela gestão dos resíduos dos geradores domésticos. II. Pelo setor privado: a) a elaboração, por técnico habilitado, das medidas necessárias à elaboração e implementação do Programa de Gerenciamento de Resíduos Sólidos das medidas descritas, conforme anexo deste Decreto; b) disponibilizar as informações inerentes aos resíduos decorrentes da sua atividade; c) a assunção dos custos fi nanceiros pela implementação destas medidas, especialmente da segregação, da coleta/transporte, compostagem e da destinação fi nal adequada; d) a comprovação das práticas do integral gerenciamento dos resíduos sólidos de sua responsabilidade. Art. 5º. São de competência do Município de Ponta Grossa, o planejamento, a execução e fiscalização das ações que visem à garantia da qualidade dos serviços de limpeza pública, quer estes sejam executados de forma direta ou indireta. Art. 6º. Cabe ao Município de Ponta Grossa, a remoção, através da coleta, dos resíduos sólidos produzidos pelos geradores domésticos. 1º Entende-se por gerador doméstico aquele descrito no inciso I, do artigo 2º deste Decreto. 2º Entende-se por acondicionamento, o ato de dispor os resíduos em embalagens adequadas, podendo estas ser acomodadas em recipientes padronizados, para fi ns de coleta regular e transporte. 3º Os condomínios prediais e horizontais, residenciais e comerciais, compostos exclusivamente pela soma de geradores domésticos, assim considerados, conforme a defi nição deste decreto, deverão ser adequados para a coleta seletiva, garantindo a prévia separação dos resíduos sólidos e demais resíduos dos geradores domésticos inseridos, dispondo os resíduos para a coleta pública, em conformidade com as normas técnicas e legislação em vigor. Art. 7º. A fi scalização dos preceitos estabelecidos neste decreto fi cará ao encargo da Secretaria Municipal de Meio Ambiente. Art. 8º. Os Geradores Comerciais ou grandes geradores são integralmente responsáveis pelos resíduos sólidos decorrentes das suas atividades, devendo suportar todos os ônus decorrentes do acondicionamento, da segregação, coleta/transporte, compostagem e destinação fi nal adequada, não podendo, sob qualquer forma, transferi-los à coletividade. 1º. Considera-se Gerador Comercial ou Grande Gerador, aquele descrito no inciso II do artigo 2º deste Decreto; 2º. Os geradores devem utilizar equipamentos de coleta destinados a resíduos sólidos, para a disposição exclusivamente destes resíduos, respeitando a capacidade dos equipamentos, em conformidade com as determinações do órgão municipal responsável; 3º. Os geradores deverão utilizar exclusivamente os serviços de remoção de transportadores cadastrados junto ao Poder Público Municipal; 4º. O Gerador Comercial deverá proceder à separação e identifi cação dos resíduos no local de origem, obedecendo à classifi cação preconizada pela legislação vigente sobre a matéria e originária dos órgãos federais, estaduais e municipais; 5º. O Gerador Comercial é responsável pelo passivo ambiental oriundo da desativação de suas atividades, bem como pela recuperação das áreas degradadas, em razão do não cumprimento da legislação ambiental em vigor. Art. 9º. É responsável pela elaboração e apresentação do respectivo Projeto de Gerenciamento de Resíduos Sólidos, o Gerador Comercial, que deverá contemplar, no mínimo, as seguintes etapas: I. caracterização: nesta etapa, o gerador deverá identifi car e quantifi car todos os tipos de resíduos produzidos; II. separação: deverá ser realizada, preferencialmente, pelo gerador na origem, ou ser realizada nas áreas de destinação licenciadas para essa fi nalidade; III. acondicionamento: o gerador deve garantir o confi namento dos resíduos, após a geração até a etapa de transporte, assegurando, em todos os casos, as condições de uso; IV. transporte: deverá ser realizado em conformidade com as etapas anteriores e de acordo com as normas técnicas vigentes para o transporte de resíduos; V. destinação: deverá ser dada a estabelecimento devidamente licenciado e capacitado para realizar o serviço de tratamento e destinação fi nal adequado dos resíduos, conforme tecnologia disponível. Art. 10. Os Projetos de Gerenciamento de Resíduos Sólidos devem ser assinados por profi ssional capacitado, bem como devem possuir responsável igualmente habilitado, que deverá ser incumbido da sua execução e efetiva implantação. Art. 11. Os Projetos de Gerenciamento de Resíduos Sólidos de empreendimentos e atividades públicos ou privados, devem ser apresentados ao município, devendo ser submetido à aprovação pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente e se integrará à análise para a obtenção dos alvarás, licenças, autorizações, permissões e concessões, sendo condicionante para a concessão destes para a atividade, inclusive, em caso de renovação por ampliação dos serviços. Art. 12. A emissão de alvará de funcionamento, licenças, autorizações, permissões e concessões pelo órgão municipal competente, para os empreendimentos caracterizados como geradores comerciais, deve estar condicionada à apresentação de certidão emitida pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente de integral cumprimento do projeto de gerenciamento de resíduo, comprovadores da correta triagem, transporte e destinação dos resíduos gerados. Art. 13. A implementação do Projeto de Gerenciamento de Resíduos pelos geradores pode ser realizada mediante a contratação de serviços de terceiros, mantida a responsabilidade do gerador, em relação à destinação fi nal dos resíduos. Art. 14. Os geradores de resíduos sólidos, submetidos a contratos com o Poder Público, devem comprovar, durante a execução e no término das atividades, o cumprimento das responsabilidades defi nidas no Projeto de Gerenciamento de Resíduos Sólidos. Art. 15. Os transportadores de resíduos sólidos deverão cadastrar-se junto à Secretaria Municipal de Meio Ambiente. 1º. O cadastramento deverá ser realizado por ocasião da liberação do primeiro Alvará de Funcionamento da atividade, através do preenchimento de formulário próprio, e deverá ser atualizado na renovação do alvará, ou sempre que houver alterações nos dados do cadastro; 2º. As empresas que já possuem Alvará de funcionamento, deverão atender o disposto no caput deste artigo, a partir da data de publicação deste decreto. Art. 16. Os transportadores deverão fornecer informações ao Poder Público Municipal, sempre que determinado, acerca dos geradores atendidos, volumes coletados e sua destinação. Art. 17. Os receptores de resíduos devem estar devidamente licenciados junto ao órgão ambiental e, regularmente, cadastrados junto a Secretaria Municipal de Meio Ambiente. Parágrafo Único: Os receptores de resíduos sólidos deverão informar a Secretaria Municipal de Meio Ambiente os montantes de resíduos recebidos, conjuntamente à identifi cação de cada gerador. Art. 18. No cumprimento das normas estabelecidas neste decreto, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente, no âmbito de sua competência, deve: I. fi scalizar as atividades disciplinadas por este decreto; II. orientar os geradores, quanto aos procedimentos de recolhimento ou de disposição de pequenos e grandes volumes; III. divulgar a listagem dos transportadores cadastrados; IV. informar aos transportadores os locais regularizados para o descarte de resíduos; V. monitorar e inibir a formação de locais de descargas irregulares e bota-foras; VI. implantar um Programa de Informação Ambiental específi co para os Resíduos Sólidos; Art. 19. Todos os Geradores, Transportadores, Receptores e órgãos públicos competentes deverão se enquadrar nos dispositivos deste decreto, a partir da data de sua publicação. Art. 20. A não-observância ao disposto neste decreto, total ou parcialmente, sujeitará o infrator às penalidades constantes na Lei Municipal nº 11233/2012. Art. 21. Este Decreto entra em vigor na data de sua publicação, SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO E ASSUNTOS JURÍDI- COS, em 24 de setembro de MARCELO RANGEL CRUZ DE OLIVEIRA Prefeito Municipal DINO ATHOS SCHRUTT Secretário Municipal de Administração e Assuntos Jurídicos ANEXO DO DECRETO Nº 9240/2014 DIRETRIZES DA SECRETARIA MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE PARA ELA- BORAÇÃO E APRESENTAÇÃO DE PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS Os planos de gerenciamento de resíduos sólidos para atividades de Saneamento, Indústrias (Processos Produtivos e Instalações), Atividades que gerem Resíduos de Serviços de Saúde, Atividades de Mineração, Comercio e Prestação de Serviços (quando couber), Atividades que gerem Resíduos da Construção Civil, Responsáveis por Terminais de Transporte e empresas de Transporte quando couber a legislação, assim como atividades Agrossilvipastoris, deverão ser elaborados por técnico habilitado apresentados para análise da SMMA, em 02 (duas) vias, acompanhados da respectiva Anotação de Responsabilidade Técnica ART. 1. IDENTIFICAÇÃO DO EMPREENDIMENTO 1.1. Razão social, nome fantasia, CNPJ, endereço, CEP, município, telefone, fax. 2. INFORMAÇÕES GERAIS 2.1. Planta baixa de localização e de implantação da área física e vizinhança do empreendimento, indicando a área construída e área total do terreno; 2.2. Tipologia do empreendimento; 2.3. Descrição sucinta da atividade, com a apresentação do fl uxograma descrevendo os procedimentos realizados no empreendimento; 2.4. Número de funcionários; 2.5. Horário de funcionamento; 2.6. Indicação do período de paradas e freqüências das mesmas para as indústrias que adotam este procedimento; 2.7. Informações sobre a perspectiva de reformas e ampliações no empreendimento; 2.8. Indicação dos responsáveis técnicos: pelo estabelecimento, pela elaboração e aplicação do Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos; 2.9. Outras informações importantes, que caracterizem o estabelecimento, relacionadas a geração dos resíduos sólidos. 3. ELABORAÇÃO DO DIAGNÓSTICO DA SITUAÇÃO ATUAL 3.1. Devem ser avaliados as quantidades, os tipos de resíduos gerados pela Empresa, suas condições de segregação, acondicionamento, transporte interno e externo, estocagem e formas de tratamento ou destinação fi nal adotados. Devem ser também analisados os custos envolvidos nas atividades de ge-

2 2 ATOS DO MUNICÍPIO DE PONTA GROSSA EDIÇÃO Nº PONTA GROSSA, TERÇA-FEIRA, 07 DE OUTUBRO DE 2014 renciamento de resíduos. Os dados serão obtidos através de quantifi cações por peso e volume e identifi cação de todos os resíduos gerados na Empresa, sendo posteriormente validados através da checagem dos produtos e matérias primas consumidos Identifi cação e quantifi cação dos pontos de geração de resíduos, Classifi cação de cada resíduo de acordo com o Anexo II da Resolução CONAMA nº 313/2002, que dispõe sobre o Inventário de Resíduos Industriais, e com base na Norma NBR Classificação de Resíduos Sólidos Descrição dos procedimentos adotados quanto à segregação, coleta, acondicionamento, armazenamento, transporte/transbordo e destinação fi nal dos resíduos gerados, identifi cando os pontos de desperdício, perdas, não segregação, formas não adequadas de acondicionamento, armazenamento, transporte, tratamento e destinação fi nal dos resíduos Levantamento dos custos envolvidos nas atividades de gerenciamento de resíduos sólidos, comparando-os com os custos de mercado Ações preventivas direcionadas a não geração e minimização da geração de resíduos. 4. PROPOSTA DO PGRS 4.1. O planejamento das atividades de gerenciamento e manejo dos resíduos deverá ser desenvolvido tendo por base o diagnóstico da situação atual do gerenciamento dos resíduos sólidos, como também as legislações vigentes, tais como, Resoluções do Conselho Nacional do Meio Ambiente CONAMA, Resoluções e Decretos da Secretaria Estadual do Meio Ambiente SEMA e do Instituto Ambiental do Paraná IAP, leis e decretos estaduais pertinentes ao gerenciamento dos resíduos sólidos, e as normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), relativas às atividades de gerenciamento de resíduos Devem ser verifi cadas as possibilidades de melhoria, soluções disponíveis no mercado e tecnologias já adotadas para o gerenciamento de resíduos sólidos Este planejamento deverá contemplar metas a serem atingidas, proposta de melhoria do sistema atual, contendo a descrição dos procedimentos que estão sendo previstos para a implementação do Sistema de Manejo dos Resíduos Sólidos, abordando os aspectos organizacionais, técnicos-operacionais e de recursos humanos, ou seja: 4.4. Política (diretrizes gerais) para implementação do Plano; 4.5. Estrutura organizacional; 4.6. Descrição das técnicas e procedimentos a serem adotados em cada fase do manejo dos resíduos, relacionados a: segregação, coleta, acondicionamento, armazenamento, transporte/transbordo e destinação fi nal, identifi cando as possibilidades de minimização dos resíduos, através da redução da quantidade e/ou redução de periculosidade e as possibilidades de reaproveitamento e/ ou reciclagem dos Resíduos; 4.7. Se couber, ações relativas a responsabilidade compartilhada no ciclo de vida dos produtos, conforme Art. 31 da Lei Federa N 12305/ Caracterização, identifi cação e distribuição dos equipamentos de coleta interna dos resíduos sólidos; 4.9. Roteiros de coleta, indicando os horários, percursos e equipamentos; Descrição das unidades intermediárias, apresentando lay-out ou projeto dessas unidades; Descrição dos recursos humanos e das equipes necessários para a implantação, operação, monitoramento e implementação do PGRS; Descrição dos equipamentos de proteção individual; Indicação de fornecedores com respectivos custos envolvidos; Descrição das ações preventivas e corretivas a serem praticadas no caso de situações de manuseio incorreto e/ou acidentais (procedimentos emergenciais de controle); Medidas Saneadoras dos Passivos (quando houver) relacionados aos resíduos Sólidos Elaboração de Programa de Treinamento e Capacitação; Cronograma físico de implantação, execução e operação das medidas e das ações propostas pelo Plano, de sua revisão e de atualização. 5. ATUALIZAÇÃO DO PGRS 5.1. Deverão ser disponibilizadas informações acerca do acompanhamento da evolução do sistema de gerenciamento implantado, através do monitoramento das ações e metas planejadas e proposição de ações corretivas. Deverão ser elaborados relatórios de avaliação do PGRS, que serão apresentados a Prefeitura em prazo estipulado pela SMMA, contendo o acompanhamento e avaliação das atividades como meio de aferição das ações planejadas e implementadas. D E C R E T O Nº , de 03/10/2014 Dispõe sobre a realização do XV Exame Supletivo II Etapa da Fase I do Ensino Fundamental (1.º ao 5.º ano), pelo Centro Municipal Professora Helena Kolody Educação de Jovens e Adultos CEHELENA, vinculado à Secretaria Municipal de Educação. O PREFEITO MUNICIPAL DE PONTA GROSSA, Estado do Paraná, no uso de suas atribuições legais, especialmente o previsto no artigo 54, da Lei n , de 28/07/2004 e no artigo 71, inciso IX, da Lei Orgânica do Município e considerando, ainda, a necessidade de estabelecer normas para a realização do XV Exame Supletivo, II Etapa/2014, referente à Fase I do Ensino Fundamental (1.º ao 5.º ano), Educação de Jovens e Adultos, e tendo em vista o contido no protocolado nº /2014, D E C R E T A Art. 1º. Fica divulgada a realização do XV Exame Supletivo, II Etapa/2014, da Fase I do Ensino Fundamental (1.º ao 5.º ano), conforme normas estabelecidas pelo Edital nº 05/14, do Centro Municipal Professora Helena Kolody Educação de Jovens e Adultos/CEHELENA, conforme anexo deste Decreto. Art. 2º. Este Decreto entra em vigor na data de sua publicação. SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS JURÍDI- COS, em 03 de outubro de MARCELO RANGEL CRUZ DE OLIVEIRA Prefeito Municipal ESMÉRIA DE LOURDES SAVELI Secretária Municipal de Educação DINO ATHOS SCHRUTT Secretário Municipal de Administração e Assuntos Jurídicos ANEXO DO DECRETO Nº 9.272/2014 EDITAL N.º 05/2014 ABERTURA DAS INSCRIÇÕES DO XV EXAME SUPLETIVO, II ETAPA 2014, REFE- RENTE À FASE I DO ENSINO FUNDAMENTAL (1.º AO 5.º ANO) O Centro Municipal Professora Helena Kolody Educação de Jovens e Adultos, vinculado à Secretaria Municipal de Educação de Ponta Grossa (Autorização de Funcionamento conforme Resolução n.º 01/06, publicada em 01/11/06), torna público, para conhecimento dos interessados, a abertura das inscrições ao XV Exame Supletivo, II Etapa 2014 referente à Fase I do Ensino Fundamental (1.º ao 5.º ano), conforme previsto em sua Proposta e Regimento. 1. NORMAS GERAIS 1.1 O Exame Supletivo referente à Fase I do Ensino Fundamental (1.º ao 5.º ano), de que trata o presente Edital, é orientado pelo princípio da moralidade, impessoalidade e transparência, obedecendo a Lei n. 9394, de 20 de dezembro de 1996 que estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional, publicada no Diário Ofi cial da União/ Brasília: p , col. 1, em 23 de dezembro de 1996, o Parecer n.º 11, de 10 de maio de 2000, do Conselho Nacional de Educação que delineia as Diretrizes Nacionais em vigor para a Educação de Jovens e Adultos e as disposições contidas na Proposta Pedagógica e Regimento do CEHELENA O Exame Supletivo, no que se refere a data, horários, orientações técnico-pedagógicas e administrativas, está sujeito ao controle direto do CEHELENA/ SME. 1.2 O Exame Supletivo referente a Fase I Ensino Fundamental (1.º ao 5.º ano), está constituído pelas seguintes Áreas de Conhecimento: Língua Portuguesa, Matemática, Ciências da Sociedade e da Natureza A prova será organizada contemplando os conteúdos de todas as Áreas do Conhecimento da respectiva Fase do Ensino Fundamental para a qual o candidato tenha se inscrito, sendo o gabarito unifi cado O Exame é ofertado duas vezes ao ano. 1.3 O candidato prestará Exame em todas as Áreas do Conhecimento, concomitantemente A elaboração da prova para o Exame Supletivo, relativo a Fase I (1.º ao 5.º ano) do Ensino Fundamental é de responsabilidade do CEHELENA/SME A prova da Fase I (1.º ao 5.º ano) do Ensino Fundamental, de acordo com as Áreas de Conhecimento, será composta por: a) questões de múltipla escolha de Língua Portuguesa, Matemática e Ciências da Natureza e da Sociedade; b) Produção de Texto, elaborada pelo candidato com tema específi co exposto na prova A aplicação da prova requer, obrigatoriamente a presença do candidato no local, em horário e data pré-estabelecidos e publicados pelo CEHELENA/SME, com, obrigatoriedade de apresentação de documento de identifi cação e comprovante de inscrição (emitido pelo CEHELENA) A Ata de Aplicação do Exame fi cará sob a responsabilidade do CEHELENA. 2. INSCRIÇÃO 2.1. O candidato será inscrito automaticamente em todas as Áreas do Conhecimento ofertadas na Fase I (1.º ao 5.º ano) do Ensino Fundamental As inscrições somente serão aceitas se realizadas no prazo estabelecido neste EDITAL É de responsabilidade do CEHELENA: - tornar público a abertura ofi cial das inscrições do exame; - divulgar de forma ampla a data de realização do exame; - elaborar o edital e respectivos anexos para a normatização do exame; - orientar o preenchimento da fi cha de inscrição para o exame, deferindo ou indeferindo a mesma de acordo com os amparos legais; - emitir relatório ofi cial dos inscritos para verifi cação e conferência dos mesmos; - dar ciência aos inscritos do local onde será realizado o exame; - organizar a infraestrutura para a realização do exame; - orientar as unidades escolares que ofertam o programa da Educação de Jovens e Adultos sobre o processo de execução do exame; - fi scalizar, supervisionar e garantir a execução e fi dedignidade do exame; - elaborar o conteúdo contido no exame, contemplando todas as Áreas de Conhecimento; - realizar o exame na data prevista, obedecendo o horário estipulado; - proceder a correção do exame; - divulgar amplamente a listagem dos aprovados; - efetivar o preenchimento e entrega dos históricos escolares Período de inscrição do Exame Supletivo: Segue o cronograma exposto neste edital, em todas as Unidades Escolares da Rede Municipal (CMEIs e Escolas) e na Divisão da Educação de Jovens e Adultos/Secretaria Municipal de Educação (EJA/SME) Condições para inscrição: - para validação de inscrição ao Exame Supletivo, a idade do candidato é requisito obrigatório (15 anos completos), conforme a legislação vigente; - a emancipação ou casamento não isenta o candidato da idade mínima exigida conforme a Resolução n 1/2000, CNE/CEB, art. 8., 1. e 2. (já afi rmado anteriormente pelo Parecer 699/71, do CFE); - o candidato receberá, no ato da inscrição, informações sobre todos os procedimentos que concernem ao exame; - o candidato com defi ciência, poderá requerer, por escrito no ato de preenchimento da fi cha de inscrição, instrumento de avaliação diferenciado, conforme prevê a legislação vigente Documentação: - Para efetuar a inscrição o candidato deverá apresentar: requerimento de inscrição devidamente preenchido, documento original e fotocópia da Cédula de Identidade ou Carteira de Motorista (modelo novo com foto) ou Carteira de Identidade Militar expedida pelos órgãos ofi ciais ou original da Carteira de Estrangeiro com Visto de Permanência; - A inscrição por procuração será permitida mediante a apresentação do respectivo mandato, fotocópia da Cédula de Identidade do candidato e apresentação da Cédula de Identidade do procurador Condições para Aprovação: - Será considerado aprovado no Exame o candidato que obtiver nota igual ou superior a 5,0 (cinco), numa escala de 0(zero) a 10,0 (dez); - O cálculo da média fi nal do Exame será realizado pela somatória das seguintes partes: 1ª parte Produção de Texto com valor de 0 (zero) a 4,0 (quatro); 2ª parte Áreas de Conhecimento com valor de 0 (zero) a 6,0 (seis); Média Final = 1.ª PARTE + 2.ª PARTE. 3. CRONOGRAMA DE EXECUÇÃO Atividades Datas Locais Publicação do Edital de Abertura 07/10/14 Diário Ofi cial do Município do Exame Período de inscrição 08/10 a 10/11/14 Entrega das inscrições pelas Unidades Escolares Municipais 11/11/14 EJA/SME Período de conferência das inscrições 12 a 17/11/14 EJA/SME Divulgação ofi cial da lista dos 18/11/14 inscritos Município Entrega dos comprovantes de inscrição 19 a 21/11 Realização do Exame 26/11/2014 Escola Cel. Claudio Correção do Exame 27/11 a 02/12 SME Divulgação ofi cial do resultado do Exame Formatura com entrega dos Históricos Escolares 4. DISPOSIÇÕES FINAIS 05/12/14 Unidades Escolares Municipais e na EJA/SME Unidades Escolares Municipais, DEJA/SME e Diário Ofi cial do Unidades Escolares Municipais e EJA/SME Unidades Escolares Municipais e EJA/SME e Diário Ofi cial do Município 11/12/14 Centro de Cultura 4.1. O candidato, após a entrega do gabarito e término do Exame, poderá fi car com o caderno de prova É permitido o uso da calculadora no Exame, nas questões que contém cálculo, desde que, cada candidato utilize seu próprio instrumento e não haja empréstimo da mesma durante o Exame Poderá ser formada Banca Especial para aplicação do Exame, em situações especiais, desde que, protocolada tal situação e autorizada pelo CEHELENA/ SME, a fi m de atender o candidato cuja enfermidade não permita locomoção até o local de realização do Exame O preenchimento do gabarito é de inteira responsabilidade do candidato Os interessados terão o prazo de 02 (dois) dias úteis, a contar da data de divulgação do Gabarito do Exame, para protocolarem eventuais questionamentos acerca da execução do Exame, na Praça de Atendimento da Prefeitura de Ponta Grossa, endereçando o protocolo à Secretaria Municipal de Educação/ PG, A divulgação dos aprovados no Exame será efetuada pelo Diário Ofi cial do Município Após a divulgação ofi cial do resultado do Exame, o candidato aprovado terá direito ao HISTÓRICO ESCOLAR referente a Fase I do Ensino Fundamental (1.º ao 5.º), emitido pelo CEHELENA e retirado pelo próprio candidato ou via procuração, de acordo com a legalidade A inscrição do Exame de que trata o presente EDITAL implicará no conhecimento e aceitação, por parte do candidato de todas as condições nele contidas Outras informações serão fornecidas pelo CEHELENA/SME Os casos omissos que surgirem serão resolvidos pelo Centro Municipal Professora Helena Kolody Educação de Jovens e Adultos e pela Secretaria Municipal de Educação, na esfera de suas competências e, se necessário, serão objeto de EDITAIS complementares divulgados amplamente. LICITAÇÕES AVISO DE EDITAL A PREFEITURA MUNICIPAL DE PONTA GROSSA - ESTADO DO PARANÁ, através de seu Departamento de Compras, torna público a realização do seguinte procedimento licitatório: Pregão, na Forma ELETRONICA nº 469/14 Data: 17/10/2014 Horário: 13:30 horas Objeto: Aquisição de brinquedos que serão utilizados em atividades pelas crianças que frequentam o serviço PETI, na sala de atividades. Para atender os serviços de Média Complexidade gerenciados pela Gerencia de Proteção Social Especial da Secretaria Municipal de Assistência Social SMAS. Valor máximo: R$ 4.971,50 (quatro mil novecentos e setenta e um reais e cinquenta centavos). Maiores informações, bem como a íntegra do Edital e anexos, poderão ser obtidos junto ao Departamento de Compras - Divisão de Licitações da Prefeitura Municipal de Ponta Grossa, sito à Av. Visconde de Taunay, 950, Ronda, no horário das 08:00h às 12:00h, das 13:00 às 17:00, ou ainda pelo fone (42) ou ainda pelo Site: / PREGOEIRA: Claudete Quadros. JULIO FRANCISCO SCHIMANSKI KULLER Secretaria Municipal de Assistência Social PONTA GROSSA, 6 DE OUTUBRO DE AVISO DE EDITAL A PREFEITURA MUNICIPAL DE PONTA GROSSA - ESTADO DO PARANÁ, através de seu Departamento de Compras, torna público a realização do seguinte procedimento licitatório: Pregão, na Forma ELETRONICA nº 472/14 Data: 17/10/2014 Horário: 15h00 Objeto: Aquisição de brinquedos que serão utilizados em atividades pelas crianças que frequentam o serviço Sentinela, na sala de atividades. Para atender os serviços de Média Complexidade gerenciados pela Gerencia de Proteção Social Especial da Secretaria Municipal de Assistência Social. Valor máximo: R$ ,50 (dez mil setecentos e trinta e sete reais e cinquenta centavos). Maiores informações, bem como a íntegra do Edital e anexos, poderão ser obtidos junto ao Departamento de Compras - Divisão de Licitações da Prefeitura Municipal de Ponta Grossa, sito à Av. Visconde de Taunay, 950, Ronda, no horário das 08:00h às 12:00h, das 13:00 às 17:00, ou ainda pelo fone (42) ou ainda pelo Site: / PREGOEIRA: Claudete Quadros. JULIO FRANCISCO SCHIMANSKI KULLER Secretaria Municipal de Assistência Social PONTA GROSSA, 6 DE OUTUBRO DE RESULTADO DO PREGÃO NA FORMA ELETRÔNICA Nº 440/2014 Pregão Eletrônico nº 440/2014 Processo nº 705/2014 para Aquisição de Gêneros Alimentícios para comercialização nas Unidades do Programa Mercado da Família, realizado em 22/09/2014. Lote Fornecedor Qtd Unitário Total 2 1 PANIFICIO BRUNET LTDA - EPP , , PANIFICIO BRUNET LTDA - EPP , , PANIFICIO BRUNET LTDA - EPP , , PANIFICIO BRUNET LTDA - EPP , , PANIFICIO BRUNET LTDA - EPP , , , , , , , , , , , , , ,00 Totais por fornecedor: Fornecedor Valor Total PANIFICIO BRUNET LTDA - EPP , ,00 PREGOEIRA: ROSEMARI FERREIRA EXTRATO DE DISPENSA POR LIMITE Processo nº 785 Dispensa nº 149 Protocolo nº /2014 Data de expedição - 06/10/14 Objeto - Aquisição de 20 (vinte) blocos de TAA - Termo de Apreensão de Amostra, para utilização da Coordenadoria de Vigilância Sanitária FUNDAMENTO LEGAL: Artigo 24, inciso II da Lei 8.666/93 Órgão Solicitante SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE Bloco de TAA - Termo de Apreensão de Amostra - bloco com 50 unidades, sendo cada unidade com 04 vias : 01 via cor em off-set 56g, 01 via cor em superbond verde 56g, 01 via cor em superbond rosa 56g, 01 via cor em superbond amarela 56g - 30x21cm - carbonado, colado, grampeado, picotado - numeração a partir de Quantidade Valor Unitario Valor Total do 20,00 44,50 890,00 Fornecedor Valor Total RODRIGO GULIN MARTINS 890,00 Angela Conceição Oliveira Pompeu Secretária Municipal de Saúde EXTRATO DE JUSTIFICATIVA Nº 150/2014 Objeto e finalidade: Contratação de empresa para prestação de serviço de revisão periódica de manuteção por quilometragem do veículo Chevrolet S10 2.4L FLEX 4x2 CD, PM nº 500, Placas AXP-9973, da Guarda Municipal., conforme o disposto do protocolado /2014. Contratado: CIPAUTO VEÍCULOS LTDA Quantidade do Unidade Descrição do 5,00 L Óleo 5W30 API SN 1,00 UND ANEL RETENTOR 1,00 PÇ Filtro de Óleo 1,00 UND ELEMENTO FILTRANTE 1,00 JG Pastilha de freio 1,00 SVÇ Substiruição das pastilhas 1,00 SVÇ Seg Rev Valor: R$ 1.354,16 ( mil trezentos e cinquenta e quatro reais e dezesseis centavos ) Prazo: Cód. Reduzido 30 dias Dot. Orçamentário Secretaria Produto OUTROS MATERIAIS PARA MANUTENÇÃO DE VEÍC

3 EDIÇÃO Nº PONTA GROSSA, TERÇA-FEIRA, 07 DE OUTUBRO DE 2014 ATOS DO MUNICÍPIO DE PONTA GROSSA OUTROS COMBUSTÍVEIS E LUBRIFICANTES AUTO OUTROS SERV. DE MANUTENÇÃO E CON- SERVAÇÃO LONAS E PASTILHAS DE FREIO Fundamento: Conforme Artigo 24, XVII da Lei 8666/93. 06/10/14 - ARY FERNANDO GUIMARÃES LOVATO - SECRETÁRIO MUNICIPAL DE CIDA EXTRATO DE JUSTIFICATIVA Nº 151/2014 Objeto e finalidade: Contratação de empresa para prestação de Serviço de revisão periódica de manutenção por quilometragem do veículo Chevrolet S10 LS 2.4 FLEX 4x2 CD, PM nº 502, Placas AXP-9976, da Guarda Municipal., conforme o disposto do protocolado /2014. Contratado: CIPAUTO VEÍCULOS LTDA Quantidade do Unidade Descrição do 5,00 L Óleo 5W30 API SN 1,00 UND ANEL RETENTOR 1,00 PÇ Filtro de Óleo 1,00 UND ELEMENTO FILTRANTE 1,00 JG Pastilha de freio 1,00 SVÇ Substiruição das pastilhas 1,00 SVÇ Seg Rev Valor: R$ 1.354,16 ( mil trezentos e cinquenta e quatro reais e dezesseis centavos ) Prazo: 30 dias Cód. Reduzido Dot. Orçamentário Secretaria Produto OUTROS MATERIAIS PARA MANUTENÇÃO DE VEÍC OUTROS COMBUSTÍ- VEIS E LUBRIFICAN- TES AUTO OUTROS SERV. DE MANUTENÇÃO E CONSERVAÇÃO LONAS E PASTILHAS DE FREIO Fundamento: Conforme artigo 24, XVII da Lei 8666/93. 06/10/14 - ARY FERNANDO GUIMARÃES LOVATO - SECRETÁRIO MUNICIPAL DE CIDA EXTRATO DE JUSTIFICATIVA Nº 148/2014 Objeto e finalidade: Contratação de empresa especializada na comercialização dos medicamentos XARELTO (rivaroxabana 20mg, caixa com 14 ou 28 comprimidos) para atender Ordem Judicial destinada a este Município, conforme o disposto do protocolado /2014. Contratado: FARMA FONE COMÉRCIO DE MEDICAMENTOS LTDA - ME Quantidade Unidade Descrição do do XARELTO - Rivaroxabana 20 mg. Caixa com 14 ou ,00 CMP comprimidos Valor: R$ 2.311,40 ( dois mil trezentos e onze reais e quarenta centavos ) Prazo: Cód. Reduzido 01 dia Dot. Orçamentário Secretaria SECRETARIA MUNICI- PAL DE SAÚDE Produto MATERIAIS DE SAÚDE PARA DISTRIBUIÇÃO GRA Fundamento: Artigo 24, inciso IV da Lei 8.666/93 06/10/14 - Angela Conceição Oliveira Pompeu - Secretária Municipal de Saúde RESULTADO DO PREGÃO 397/14 Com base na Lei Federal nº 8.666/93 e alterações posteriores, analisando o processo licitatório realizado sob a modalidade Pregão Eletrônico nº 397/2014 Processo nº 644/2014 para Aquisição de material de limpeza e descartáveis, para atender os itens descritos na Proposta para Estruturação da Rede de Serviços de Proteção Social Especial- proposta número /2012 e convenio /2012, firmado entre o Governo Federal e Município, produtos serão destinado a Instituição Colméia Espírita Cristã - Abegail - Lar de Velhinhas Carentes, realizado em 05/09/2014. Lote Fornecedor Qtd Unitário Total 1 3 T.R. CARPES & CIA LTDA - EPP 100 5, , T.R. CARPES & CIA LTDA - EPP 100 2, , T.R. CARPES & CIA LTDA - EPP 150 3, , T.R. CARPES & CIA LTDA - EPP 100 2, , T.R. CARPES & CIA LTDA - EPP 600 4, , T.R. CARPES & CIA LTDA - EPP 100 3, , T.R. CARPES & CIA LTDA - EPP 30 12, , T.R. CARPES & CIA LTDA - EPP 10 10, , T.R. CARPES & CIA LTDA - EPP 50 10, , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,00 LOTE 1 - ITEM 2 FRUSTRADO Totais por fornecedor: Fornecedor Valor Total T.R. CARPES & CIA LTDA - EPP 5.557, ,53 PREGOEIRA: Claudete Quadros CONTRATOS CONTRATO Nº 694/2014 CONTRATADA: EXPRESSO PRINCESA DOS CAMPOS S/A OBJETO: Transporte de Ponta Grossa à Curitiba e Campina Grande do Sul (Paraná), e retorno a Ponta Grossa, para pacientes do TFD (Tratamento fora Domicilio). VALOR: R$ ,00 (seiscentos e trinta e três mil quinhentos e noventa reais) PRAZO: 12 (doze) meses FORO: Comarca de Ponta Grossa, Estado do Paraná. LICITAÇÃO: Pregão n 327/2014. PRIMEIRO ADITIVO AO CONTRATO N 371/2014 CONTRATADA: CARLOS ALBERTO ALBUQUERQUE. CLAUSULA PRIMEIRA: Em virtude da readequação dos cardápios, fi ca acrescido o valor contratual, aludido na cláusula terceira do instrumento originário, em R$ ,53 (cento e um mil quatrocentos e setenta e seis reais e cinquenta e três centavos). RETIFICAÇÃO DE PUBLICAÇÃO DIA 06/10/2014: TERCEIRO ADITIVO AO CONTRATO N 206/2013 CONTRATADA: GOVERNANÇABRASIL S/A TECNOLOGIA E GESTÃO EM SERVI- ÇOS. CLAUSULA PRIMEIRA: Acordam as partes em prorrogar o prazo de execução, aludido na cláusula sexta do instrumento originário, em mais 12 (doze) meses, de 25/06/2014 a 25/06/2015, convalidando a data de 25/06/2014. CLÁUSULA SEGUNDA: Em razão da renovação do contrato por mais 12 (doze) meses, fi ca acrescido o valor contratual, aludido na cláusula terceira do instrumento originário, em R$ ,16 (trezentos e oitenta e oito mil novecentos e trinta e quatro reais e dezesseis centavos). SÉTIMO ADITIVO AO CONTRATO N 415/2011 CONTRATADA: PERFURIMAX POÇOS ARTESIANOS LTDA. CLAUSULA PRIMEIRA: Através do presente Termo Aditivo, as partes resolvem promover a redução de meta física de R$ 630,00 (seiscentos e trinta reais), passando o valor global do contrato original para R$ ,50 (setenta e três mil novecentos e sessenta e oito reais e cinquenta centavos). ATA DE REGISTRO DE PREÇOS N.º 7 CONTRATANTE: AGÊNCIA DE FOMENTO ECONÔMICO DE PONTA GROSSA - AFE- PON CONTRATADA: SUPERLIGHT ALIMENTOS LTDA OBJETO: VALOR: Lote Código Descrição Valor Unit Café 100% puro, com selo de pureza Abic, embalagem a vácuo, torrado e moído, torra clássica 03, forte ou média, em caixas com pacotes de 500gr, 7,99 padrão similar ao da marca Melitta. Certifi cado pela ANVISA Açúcar refinado de primeira qualidade, pacote contendo 1 Kg. 1, Adoçante dietético, frasco contendo 100 ml, de boa qualidade, com selo de qualidade da ANAD. 1, Chá de erva doce, caixa com 10 sachet, peso líquido 20g. 2, Chá de maçã, caixa com 10 sachet, peso líquido 20g. 3,04 PRAZO: 12 (doze) meses. FORO: Comarca de Ponta Grossa, Estado do Paraná. LICITAÇÃO: Pregão na forma eletrônica nº 10/2014. ATA DE REGISTRO DE PREÇOS N.º 6 CONTRATANTE: AGÊNCIA DE FOMENTO ECONÔMICO DE PONTA GROSSA - AFE- PON CONTRATADA: SUPERLIGHT ALIMENTOS LTDA OBJETO: VALOR: lote Qtd Emb Descrição do objeto/marca Vl. Unitário Pano de limpeza 100% algodão, alvejado, branco, UN tipo saco duplo medindo 40x65cm. MARCA: 2,90 PANO PRATIC UN Pano de limpeza 100% algodão, alvejado, branco, tipo saco duplo medindo 60x90cm. MARCA: 5,00 PANO PRATIC UN Pano para pia, malha, duplo, medindo 30x35cm, 100% algodão. MARCA: PANO PRATIC UN Flanela amarela, de boa qualidade, com arremate reforçado ao redor, para diversos tipos de aplicação, 100% algodão, medindo 28x48cm. MARCA: PANO PRATIC UN Vassoura de palha natural com cabo em madeira 120cm. MARCA: PEROVINHA 13, UN Vassoura multiuso de nylon comum, com capa, macia, para pisos internos e externos, com 64 tufos, medindo 30 x 16,5 x 4,5cm. MARCA: PE- ROVINHA UN Rodo duplo de borracha, medindo 40 cm, cabo de madeira encapado. MARCA: PEROVINHA 6,50 Esponja multiuso de boa qualidade, medindo 110x75x20 mm, dupla face, superfi cies na cor verde e amarela, com ação bactericida, que combate o desenvolvimento e proliferação de germes e 1,60 bactéris na esponja, especifi cado na embalagem (pacote com 4 unidades). MARCA: ESFREBOM Lã de aço biodegradável, 100% ecológico, não FRD acumula bactéias, pacote com 60g, fardo com 14 18,00 pacotes de 8 unidades. MARCA: INOVE Detergente líquido de boa qualidade para louça, UN diversas fragâncias. Frasco com 500 ml. O produto deverá possuir registro no MS/ANVISA e constar 1,06 na embalagem. MARCA: FACILLE UN Sabonáceo cremoso original, para limpeza de superfi cie cromada, esmaltadas, de aço inox. Embalagem 2,90 comtendo 300 ml. MARCA: SANY par Luvas multiuso, cofeccionada em látex natural, revestida internamente com fl ocos de algodão, frisos anti-derrapantes, cor azul, para proteger as mãos de produtos químicos leve como os de 3,70 limpeza e higienização. TAMANHO M. MARCA: DANY UN Álcool etílico para uso doméstico, hidratado 92%, embalagem de 1000 ml, de plástico resistente, com tampa de ótima vedação. O produto deverá possuir registro no MS/ANVISA e constar na embalagem. MARCA: MEGA 5, UN Álcool em gel antiséptico 70%, ideal para higienização das mãos, com glicerina e vitamina E. Embalagem com 500ml. O produto deverá possuir registro na MS/ANVISA e constar na embalagem. MARCA: MEGA Inseticida aerosol multi, embalagem contendo UN 300ml. Aprovado pelo INMETRO. MARCA: STRAIK Detergente sanitário sendo pastilhas adesivas, várias fragrâncias, com bicarbonato de sódio, anti CX manchas, 390 descargas. Caixa c/ 3 unidades de 9g. O produto deverá possuir registro no MS/AN- VISA e constar na embalagem. MARCA: SANY Água Sanitária, a base de hipoclorito de sódio com teor ativo de 2,5%, embalado em garrafas resistentes de 2000ml cada, com tampa de fácil UN vedação. Validade de 12 meses, a partir da entrega do produto. O produto deverá possuir registro no MS/ANVISA e constar na embalagem. MAR- CA: GIRANDO SOL Sabão em pedra neutro, glicerinado, pacote contendo 5 unidades de 200g cada. MARCA: MARILUX Sabão em pó azul, de primeiríssima qualidade, biodegradável. Embalagem contendo 1Kg. Validade UN de 12 meses, a partir da entrega do produto. O produto deverá possuir registro no MS/ANVISA e constar na embalagem. MARCA:GIRANDO SOL UN Lustra móveis, lavanda, brilho, contendo 200 ml. MARCA: FACILLE Limpador Multiuso, de uso geral, para ser aplicado em qualquer superfície lavável, efi ciente na remoção de poeiras, gorduras e outros tipos de UN sujeira, nas fragrâncias de limão e/ou lavanda. Frasco contendo 500ml. Validade de 12 meses, a partir da entrega do produto. O produto deverá possuir registro no MS/ANVISA e constar na embalagem. MARCA: ONIXX Limpador concentrado para limpeza geral, frasco contendo 1L, original, sem perfume. Validade UN de 12 meses, a partir da entrega do produto. O produto deverá possuir registro no MS/ANVISA e constar na embalagem. MARCA: AJAX Limpador sanitário multiação lavanda, limpeza avançada, remoção de manchas, ação germicida UN Frasco contendo 500 ml com bico dosador. Validade de 12 meses, a partir da entrega do produto. O produto deverá possuir registro no MS/ANVISA e constar na embalagem. MARCA: HARPIC Desodorizador spray, aerosol, aparelho e refi l, frasco contendo 12ml. 120 aplicações, várias UN fragrâncias. Validade de 12 meses, a partir da entrega do produto. O produto deverá possuir registro no MS/ANVISA e constar na embalagem. MARCA: BOM AR Desodorizador spray, aerosol, refi l, frasco contendo 12ml. 120 aplicações, várias fragrâncias. Validade UN de 12 meses, a partir da entrega do produto. O produto deverá possuir registro no MS/ANVISA e constar na embalagem. MARCA: BOM AR Desodorizador de ambientes em spray, frasco contendo 400 ou 360ml. Várias fragrâncias. Validade UN de 12 meses, a partir da entrega do produto. O produto deverá possuir registro no MS/ANVISA e constar na embalagem. MARCA: BOM AR Sabonete líquido, cremoso, coloração perolada, fragrância de Erva Doce, produto de primeiríssima qualidade, ideal para utilização em áreas administrativas UN Sachet contendo 800 ml. Validade de 12 meses, a partir da entrega do produto. O produto deverá possuir registro no MS/ANVISA e constar na embalagem. MARCA: PREMISSE Papel higiênico Folha dupla, branco, neutro, com controle bacteriológico, 100% fi bras celulósicas FRD virgens. Fardo com 64 rolos (16 pacotes com 4 unidades de 30m x 10cm). Marca de referência de qualidade: Duetto. MARCA: BOB Papel toalha interfolhado para mãos, de alta absorção, branco Luxo, medindo 20 x 20 cm, pacote contendo 1000 folhas. MARCA: ECOPEPER Saco de lixo doméstico, cor preta, acima de 8 micras de espessura, super reforçado e resistente, FRD capacidade de 20 litros. Fardo com 100 unidades. MARCA: AZPLAST Saco de lixo doméstico, cor preta, acima de 10 micras de espessura, super reforçado e resistente, FRD capacidade de 40 litros. Fardo com 100 unidades. MARCA: AZPLAST Saco de lixo doméstico, cor preta, acima de 10 micras de espessura, super reforçado e resistente, FRD capacidade de 100 litros. Fardo com 100 unidades. MARCA: AZPLAST Balde de polipropileno, com capacidade de 8,5L, UN alça plástica anatômica e segura, material durável, medindo 27 x 30cm. MARCA: SAN REMO Balde de polipropileno, com capacidade de 15L, UN alça plástica anatômica e segura, material durável, com bico dosador de água, medindo 35,5 x 32,3cm. MARCA: VANFIX UN Kit pá e vassourinha para limpeza geral, diversas cores. MARCA: BETTANINN Cesto para lixo de plástico, sem tampa, na cor UN preta, com capacidade de 15L. MARCA: AR- QPLAST Dispenser para papel toalha interfolhada, com UN chave, dispensa 1 toalha por vez, branco, capacidade de 2 maços de até 250 folhas cada. MAR- CA: PREMISSE Guardanapos de papel, folha simples e macia, de alta qualidade, medindo 24 x 22 cm e pacote contendo 50 unidades. MARCA: SANTEPEL Papel toalha, de cozinha, alta absorção, suavidade e maciez. Pacote contendo 02 rolos de 60 folhas cada, medindo 22 x 20 cm. MARCA: SNOB CX Filtro de papel para cafeteira, nº4, caixa contendo 60 unidades. MARCA: MELITTA CX Filtro de papel para café, nº 103, caixa contendo 30 unidades. MARCA: JOVITA Pano de copa atoalhado, 100% algodão, com estampas UN diversas, medindo no mínimo 40 x 63 cm. MARCA: PANO PRATIC Pano de prato em tecido branco, encorpado e absorvente, UN 100% algodão, medindo no mínimo 45 x 75 cm. MARCA: FLABOM Copo plástico descartável para água, capacidade CX de 180 ml, composição polipropileno, branco, caixa contendo unidades. Conforme norma da ABNT. MARCA: TOTALPLAST Copo plástico descartável para café, capacidade CX de 50 ml, composição polipropileno, caixa contendo unidades. Conforme norma da ABNT. MARCA: TOTALPLAST 3,60 3,00 4,10 4,01 5,00 3,00 2,20 9,60 8,00 8,44 5,12 6,55 8,80 56,50 8,80 6,82 11,09 31,00 9,29 12,12 14,56 20,00 1,00 2,81 3,19 52,01 52,03

4 4 ATOS DO MUNICÍPIO DE PONTA GROSSA EDIÇÃO Nº PONTA GROSSA, TERÇA-FEIRA, 07 DE OUTUBRO DE Misturador para café, cristal, pacote contendo 500 unidades, 9 cm. MARCA: STRUAPLAST Coletor para copos descartáveis em dupla, de UN polipropileno, capacidade de 200 copos, medindo 760 x 240 x 130 cm. Água e café. MARCA: PREMISSE Dispenser para copos descartáveis de 180 ml, UN material acrílico transparente, com reforço lateral. MARCA: PREMISSE Dispenser para copos descartáveis de 50 ml, UN material acrílico transparente, com reforço lateral. MARCA: PREMISSE PRAZO: 12 (doze) meses FORO: Comarca de Ponta Grossa, Estado do Paraná. LICITAÇÃO: Pregão na forma eletrônica nº 11/2014. RECURSOS HUMANOS 4,95 30, ,00 EXTRATO DE CONTRATOS DE TRABALHO Nº 075/2014 CONTRATANTE: Prefeitura Municipal de Ponta Grossa CGC/MF: / TESTE SELETIVO Nº 001/2014 Emprego público: AGENTE COMUNIT. DE SAUDE Matr. Nome RG Data Unidade de Saúde Class DUILIO /09/2014 AGOSTINHO BRENNER 1 LUCIANA ANALINE GOMES GRA /09/2014 AGOSTINHO BRENNER 3 CHINSKI DANCOSKI NEUZELI RUPPEL /09/2014 AGOSTINHO BRENNER 4 FAGUNDES ANDREIA ANTUNES /09/2014 ANTERO MACHADO DE 1 MELLO SILVANA DIAS DE MORAES /09/ VIVIANE ANDRADE DE /09/ ALMEIDA MARCIA CORREIA /09/ FERREIRA NAYARA APARECIDA /09/ MACHADO PATRICIA RODRIGUES DA /09/ SILVA SIQUEIRA ROSELI DIAS /09/ ALINE PEREIRA MACHADO /09/ DINALCI CRISTINA /09/2014 ANTONIO SALIBA 1 OLIVEIRA ELISANGELA LILIAN MAR /09/2014 ANTONIO SALIBA 2 QUES BELLO DA ROSA MARILAINE DA SILVA /10/2014 ANTONIO SALIBA RAFAELA DE SOUZA MEIRA /09/2014 ANTONIO SALIBA 4 VIVIANE DA SILVA /09/2014 ANTONIO SALIBA 5 SPERANDIO MARIELI LOURENCO /09/2014 ANTONIO SALIBA 2 AF MACHADO OZORIO MEYRE DE CASSIA /09/2014 ANTONIO SCHWANZEE 1 BALMANT SCHILA LILIAN MARLI TEIXEIRA DE /09/2014 ANTONIO SCHWANZEE 2 CARVALHO SIRLEI APARECIDA GODOY /09/2014 ANTONIO SCHWANZEE ANA MARIA DE CASTRO /09/2014 ANTONIO SCHWANZEE 4 NEULIANE REGINA SEM /09/2014 ANTONIO SCHWANZEE 6 CHECHEN ROSICLEIA DE FATIMA /09/2014 ANTONIO SCHWANZEE 7 BARANOSKI JOHN DENIZE SCHMIDT /09/2014 ANTONIO SCHWANZEE 8 RODRIGUES PAULO RICARDO ARRUDA /09/2014 ANTONIO SCHWANZEE OSNIR PEREIRA DA COSTA /09/2014 ANTONIO SCHWANZEE WLADIMIR LARA /09/2014 ANTONIO SCHWANZEE 11 SONIA MARIA GUIMARAES /09/2014 ANTONIO SCHWANZEE 12 CAMARGO ROSEMEYRE FERREIRA /09/2014 AURELIO GROTT 1 DE QUADROS FRANCISMEIRY APARECI /09/2014 AURELIO GROTT 2 DA FERREIRA DAIANE BATAMAM /09/2014 AURELIO GROTT 3 SUELEN APARECIDA /09/2014 AURELIO GROTT 6 BATISTA DA SILVA ANA CRISTINA ALBUQUER /09/2014 AURELIO GROTT 1 AF QUE DE MORAES CARMEM SILVIA DE LIMA /09/2014 CARLOS DEZAUNET NETO 3 FERREIRA ROSANGELA APARECIDA /09/2014 CARLOS DEZAUNET NETO 6 CARVALHO LUCINEIA APARECIDA /09/2014 CARLOS DEZAUNET NETO 8 BOBALO FERREIRA ALINE CRISTINA AFFONSO /09/2014 CAS UVARANAS 3 DE JESSICA FABIANE PATECK /09/2014 CAS UVARANAS 6 DE MOURA SARINA PENTEADO /09/2014 CAS UVARANAS 7 CHRESTANI ANGELICA GONCALVES /09/2014 CAS UVARANAS 8 PADILHA MARTINS FABIANE DE FATIMA /09/2014 CAS UVARANAS 11 CONRADO ANA PAULA LOPES /09/2014 CAS UVARANAS 14 RAFAELA JEAN RENAUD /09/2014 CAS UVARANAS 16 VICENTE CAROLINE JUSCINSKI /09/2014 CAS UVARANAS 18 MARIA JOSE DE LIMA /09/2014 CAS UVARANAS 20 SANTOS FABIANA DE LIMA /10/2014 CAS UVARANAS RHAYANE TORRENS /09/ VIVIANE JANSEN /09/ LARISSA GUIMARAES /09/ KRACHISNKI DIULA ROSANA RIBAS GON /09/ CALVES LUCIANE DO NASCIMENTO /09/ ANDREIA CAPRI X 08/09/ ZILDA TATHIANE PRIGOL /09/2014 EGON ROSKAMP 1 SILVANA APARECIDA /09/2014 EGON ROSKAMP 2 MENEZES KOSKOSKI RAFAELA BUTIN CAMARGO /09/2014 EGON ROSKAMP 3 LEILA MARIA DE SOUZA /09/2014 EGON ROSKAMP 6 PRADO NELSI APARECIDA DO /09/2014 FELIX VIANNA 1 AMARAL MARGARETE DE SOUZA /09/2014 JARDIM AMALIA 1 PEREIRA JENIFFER CRISTINA DE /09/2014 JARDIM AMALIA 2 OLIVEIRA LIDIANE PESCKE PEREIRA /09/2014 JARDIM AMALIA 4 CLAUDINEIA ANGELICA /09/2014 JARDIM AMALIA 5 GORTE CAMARGO ARIADNES DA SILVA /09/2014 JARDIM AMALIA 6 QUADROS VIVIANE PINTO /09/2014 JARDIM AMALIA 7 GILMARA DE CASSIA /09/2014 JARDIM AMALIA 8 CASTRO EMILIA LINDAMIR DUTRA /09/2014 JARDIM AMALIA 9 SUELEN DE FATIMA /09/2014 JARDIM AMALIA 10 RODRIGUES JANETE DE JESUS GUER /09/2014 JARDIM PLANALTO 1 LINGER DECHANDT CLODOALDO FABRICIO /09/2014 JARDIM PLANALTO 2 DECHANDT ELIZETE NOGUEIRA /09/2014 JAVIER CEJAS ARZABE 1 ROSICLEIA APARECIDA /09/2014 JAVIER CEJAS ARZABE 2 DOS SANTOS CLEUNICE HUK DANELIU /09/2014 JAVIER CEJAS ARZABE 3 MARCIO MENDES /09/2014 JAYME GUSMAN 1 RODRIGUES EDILEIA DE JESUS RIGONI /09/2014 JOSE CARLOS ARAUJO 1 LUCIVANE COSTA DE /09/2014 JOSE CARLOS ARAUJO 2 OLIVEIRA VIVIANE TEIXEIRA /09/2014 JOSE CARLOS ARAUJO 3 WASSONSKI SILVANE NASCIMENTO DO /09/2014 JOSE CARLOS ARAUJO 4 AMARAL ELISANGELA APARECIDA /09/2014 JOSE CARLOS ARAUJO 5 DA SILVA FERREIRA MERY TEREZINHA DE /09/2014 JOSE DA SILVA RIBEIRO 1 MARINS RAMOS IVONILDE APARECIDA /09/2014 JOSE DA SILVA RIBEIRO 2 MORAIS DA LUZ JOSIANE LUCIMARA /09/2014 JOSE DA SILVA RIBEIRO 3 KOZIEL CINTIA MACHADO DA /09/2014 JOSE DA SILVA RIBEIRO 5 ROSA EDRINELI VIKETA DA LUZ /09/2014 JOSE DA SILVA RIBEIRO 7 CLEONICE WEGERMANN /09/2014 JOSE DA SILVA RIBEIRO 9 LEMOS CORDOBA KELLI CRISTINE DE /10/2014 JOSE DA SILVA RIBEIRO 10 ANDRADE MICHELE VIEIRA ROSAS /09/2014 LAURO MÜLLER 1 VIVIANE GABRIEL DE O /09/2014 LAURO MÜLLER 2 PALOGAN REGINATO LUCIANE DIAS SOARES /09/2014 LAURO MÜLLER 3 ELIS REGINA MENON /09/2014 LAURO MÜLLER 4 VICENTE ROSANGELA DE FATIMA /09/2014 LAURO MÜLLER 5 MOTTA EVELINE DE BRITTO /09/2014 LAURO MÜLLER 6 BARBOZA PAULO ROBERTO /09/2014 LAURO MÜLLER 8 QUADROS ERENICE APARECIDA DOS /09/2014 LAURO MÜLLER 9 SANTOS SONIA MARA ROBASKIE /09/2014 LOUIS A. CHARLES BÜRON 1 VICZ VANDERLEIA CARNEIRO /09/2014 LOUIS A. CHARLES BÜRON 2 TRINDADE DE LIMA ADRIANA DE FRANCA /09/ FERREIRA VALERIA DE RAMOS /09/ SCUDLAREK ELLISETY BUENO /09/ TEIXEIRA BRUNA MICHELE ALVES /09/ DE LARA CASEMIRA ARRUDA PAULO MADUREIRA /09/ CAMPANUCCI NOVAES RENI DE FATIMA COSTA PAULO MADUREIRA /09/ DA SILVA NOVAES SONIA MARIA SUKOSKI /09/2014 PINHEIRINHOS 1 RAMOS ANA CLAUDIA NEVES ROBERTO B. FURSTEM /09/ DA SILVA BERGER PAULO EDUARDO GON /09/ CALVES MARCIA TEREZINHA /09/ DA SILVA KAREN LOUISE DE LIMA /09/ NOGUEIRA JOZELIA PEDRUCZNY /09/ KATIA MARIA MACHADO /09/ AF JEANA CRISTINA RODRI /09/2014 SADY SILVEIRA 1 GUES DOS SANTOS MICHELLE CAROLINE /09/2014 SADY SILVEIRA 3 MACIEL DE LARA ROSEMERI DE FATIMA /09/2014 SADY SILVEIRA 4 DIAS RAFAELA MONTEIRO /09/2014 SADY SILVEIRA JANETE KINACH /09/2014 ZILDA ARNS 1 ROSELENE BATISTA /09/2014 ZILDA ARNS 4 FERNANDES EDINA LEMES /09/2014 ZILDA ARNS MARIA LUCIA WICHINESKI /09/2014 ZILDA ARNS 9 ANDREIA FERREIRA /09/2014 ZILDA ARNS 10 DE LIMA FRANCIELLY CRISTINA DE /09/2014 ZILDA ARNS 11 FRANCA GILMAR DE JESUS VAZ /09/2014 ZILDA ARNS 12 DAIANE APARECIDA BAR /09/2014 ZILDA ARNS 14 BOSA DE LIMA PUCHTA FRANCIELE APARECIDA /09/2014 ZILDA ARNS 16 NADAL OSGA RUTE BERGER CAMARGO /09/2014 ZILDA ARNS 18 RAQUEL DE FREITAS /09/2014 ZILDA ARNS 19 CHAVES CLEONICE APARECIDA /09/2014 ZILDA ARNS 21 BRANDT DAESKI IVONILDA DE AZEVEDO /09/2014 ZILDA ARNS 22 SCHEREMETA NILCE JOZIELE CZERSKI /09/2014 ZILDA ARNS RONALDO GOMES FILHO /09/2014 ZILDA ARNS 24 TOTAL GERAL: 127 Ponta Grossa, 3 de Outubro de EXTRATO DE CONTRATOS DE TRABALHO Nº 076/2014 CONTRATANTE: Prefeitura Municipal de Ponta Grossa CGC/MF: / Teste Seletivo nº 003/2011 Emprego público: AGENTE COMUNIT. DE SAUDE Data Data Matr Nome RG Local de Trabalho Class. Ingresso Término UPSF ADILSON BAGGIO EDINEIA PONTES /10/ (SANTO ANTONIO) Total: TOTAL GERAL: Ponta Grossa, 2 de Outubro de EXTRATO DE CONTRATOS DE TRABALHO Nº 077/2014 CONTRATANTE: Prefeitura Municipal de Ponta Grossa CGC/MF: / Concurso Público nº 001/2013 Emprego público: SERVENTE ESCOLAR Matr Nome RG Data Data Ingresso Término Class EDILAINE DE OLIVEIRA /10/ ROSANGELA CONRADO BORGES DE RAMOS /10/ MARILIM VIVIAN ANNIES SCHIBES /10/ KATHREIN VANESSA FERRAZ /10/ VIVIANE CAMARGO MARTINS /10/ EDNA ROSANGELA MOREIRA SANTOS /10/ Total: TOTAL GERAL: Ponta Grossa, 6 de Outubro de DIVERSOS À DD. DIRETORIA DO INSTITUTO EDUCACIONAL DUQUE DE CAXIAS PONTA GROSSA PR 1. Nós, abaixo assinado, membros do conselho fi scal, examinamos o balanço patrimonial do, levantado em 31 de dezembro de 2013, e as respectivas demonstrações do resultado, das mutações do patrimônio líquido e dos seus fl uxos de caixa e valor adicionado, correspondentes ao exercício fi ndos nesta data, elaborados sob a responsabilidade de sua administração. Nossa responsabilidade é a de expressar uma opinião sobre essas demonstrações contábeis. 2. Nossos exames foram conduzidos de acordo com as normas contábeis e compreenderam: (a) o planejamento dos trabalhos, considerando a relevância dos saldos; o volume de transações, o sistema contábil e de controles internos da instituição; (b) a constatação, com base em testes, das evidências e dos registros que suportam os valores e informações contábeis divulgados; e (c) a avaliação das práticas e das estimativas contábeis mais representativas, adotadas pela administração do, bem como da apresentação das demonstrações contábeis tomadas em conjunto. 3. Em nossa opinião, as demonstrações contábeis acima referidas, quando lidas em conjunto com as notas explicativas que as acompanham, representam adequadamente, em seus aspectos relevantes a posição patrimonial e fi nanceira do INSTI- TUTO EDUCACIONAL DUQUE DE CAXIAS em 31 de dezembro de 2013 e o resultado de suas operações, das mutações do patrimônio líquido e seus fl uxos de caixa e valor adicionado, referente ao exercício fi ndo nesta data, de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil. Ponta Grossa, 24 de Março de DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO FINDO EM BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO DE 2013 ATIVO ATIVO CIRCULANTE ,73 Disponibilidades ,37. Caixa 964,18. Bancos conta movimento 2.742,53. Aplicação Financeira de liquidez imediata ,66 Despesas Exercício Seguinte ,36. Seguro de veículos a apropriar 8.955,47. IPVA/DPVAT/Licenciamento a apropriar 2.965,89 ATIVO NÃO CIRCULANTE ,72 Ativo Realizável a Longo Prazo ,20. Depósitos Bloqueado CEF ,20 Imobilizado ,52. Edifi cações e Construções ,91. Máquinas e Equipamentos ,58. Instalações Comerciais ,30. Veículos ,00. Móveis e Utensílios ,96. Direitos s/linhas Telefônicas 320,00. Depreciações Acumuladas ( ,23) CONTAS DE COMPENSAÇÃO 3.039,48 Ajuste de Exercícios Anteriores 3.039,48. Ajuste de exercícios anteriores 3.039,48 TOTAL DO ATIVO ,93 DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO FINDO EM BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO DE 2013 PASSIVO 2013 PASSIVO CIRCULANTE ,82 Empréstimos e Financiamentos ,85 Convênios a realizar ,27 Fornecedores 801,36 Salários a Pagar ,13 Obrigações sociais e previdenciárias ,84 Obrigações Sociais 3.563,50 Contas a Pagar 9.989,65 Cheques a compensar ,22 PATRIMÔNIO SOCIAL ,11 Superávit acumulado ,11 TOTAL DO PASSIVO ,93 DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO FINDO EM DEMONSTRAÇÃO DO SUPERÁVIT OU DÉFICIT DO EXERCÍCIO Períodos de a RECEITA OPERACIONAL BRUTA ,85 Doações pessoas físicas ,05 Doações pessoas jurídicas ,90 Bazar e eventos ,90 Curatela Odilon Mendes ,00 Venda de húmus 3.98 DEDUÇÕES DA RECEITA BRUTA (7.224,69) Aquisição de mercadorias (7.224,69) RESULTADO OPERACIONAL BRUTO ,16 Despesas Operacionais ( ,22) Despesas com Pessoal ( ,53) Salários e Ordenados ( ,03) INSS Patronal ( ,43) INSS Renúncia fi scal ,43 FGTS (37.379,43) 13º Salário (11.691,09) Férias (24.443,43) Rescisões de Contrato (28.856,21) Indenizações Trabalhistas (19.140,00) Vales Transporte (4.991,34) Despesas Gerais ( ,69) Gastos Gerais ( ,25) Depreciações ( ,44) Despesas Tributárias (6.476,11) Impostos e Taxas (6.476,11) Cofi ns (20.848,63)

5 EDIÇÃO Nº PONTA GROSSA, TERÇA-FEIRA, 07 DE OUTUBRO DE 2014 ATOS DO MUNICÍPIO DE PONTA GROSSA 5 Cofi ns Renúncia fi scal ,63 PIS s/serviços (4.517,20) PIS s/serviços Renúncia fi scal 4.517,20 Resultados Financeiros Líquidos ,65 Despesas Financeiras (7.093,11) Receitas Aplicações Financeiras ,13 Descontos Obtidos ,63 RESULTADO OPERACIONAL LÍQUIDO (34.453,52) Resultados Não Operacionais ,00 Resultado venda Ativo Permanente ,00 DÉFICIT LÍQUIDO (19.453,52) DÉFICIT DO EXERCÍCIO (19.453,52) DEMONSTRAÇÃO DO VALOR ADICIONADO Exercício findo em R$ Receitas Vendas ,90 Outras Receitas Operacionais ,00 Insumos Adquiridos de Terceiros Materiais Consumidos ( ,68) Energia e Serviços de Terceiros (32.081,57) Outras Despesas Operacionais (31.330,03) Retenções Depreciações e Amortizações ( ,44) Valor Adicionado Bruto ( ,82) Receitas Financeiras ,13 Doações Recebidas ,95 Descontos obtidos ,63 Total do Valor Adicionado a Distribuir ,89 Salários e Encargos ,53 Despesas Tributárias ,77 Capital de Terceiros Despesas Financeiras 7.093,11 Superávit do Exercício (19.453,52) Total do Valor Destinado ou Distribuído ,89 DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA INDIRETO Exercício findo em R$ Fluxos de Caixa das Atividades Operacionais Superávit do Exercício (19.453,52) Depreciação ,44 Renda de Investimentos (37.568,76) Despesas de Juros 371,72 Aumento/red.A pagar Fornecedores e Prov ,90 Caixa Proveniente das operações (35.535,73) (=) Caixa Líquido Proveniente das atividades operacionais ,05 Fluxos de Caixa das Atividades de Investimentos Compras do Imobilizado ( ,53) Recebimento pela venda de bens ,00 (=) Caixa líquido usado nas atividades de investimento ( ,53) Aumento (redução) de caixa e equivalente de caixa ( ,48) Caixa e equivalente de caixa no início do período ,85 Caixa e equivalente de caixa no fim do período ,37 DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO Exercício fi ndo em 31 de dezembro Patrimônio Superávit/Déficit do Eventos Total Social Exercício Saldos em ,02 (25.204,39) ,63 Transf.p/Patrimônio (25.204,39) ,39 Social Saldos em , ,63 Transf.p/Patrimônio Social Ajuste de Exerc.Anteriores Superávit do Exercício (19.453,52) (19.453,52) Saldo em , ,11 NOTA 1 - CONTEXTO OPERACIONAL O, é uma instituição sem fi ns lucrativos, fundada em 25/08/1965, registrada no Cartório de Registro Civil das Pessoas Jurídicas em 12 de novembro de 1965, declarada de Utilidade Pública Municipal pela Lei nº de 11/09/1991 do município de Ponta Grossa, Utilidade Pública Estadual pela Lei nº em 13/12/1993 e Utilidade Pública Federal pelo Decreto de 03 de Abril de 2000, publicado no Diário Ofi cial da União em 04/04/2000 à folha nº65. O Instituto Educacional Duque de Caxias tem por objetivos: 1) criação, atendimento e desenvolvimento de órgãos de amparo e promoção humana à criança, ao adolescente e ao portador de necessidades especiais. 2) Suas atividades operacionais são desenvolvidas em Ponta Grossa no Estado do Paraná, através das atividades de SERVIÇO DE CONVIVÊNCIA E FORTALECIMENTO DE VÍNCULOS: Escola de Guardas Mirins Tenente Antônio João sito à Rua Ataulfo Alves 380, Jardim América; Recanto Espírita Maria Dolores sito à Rua Deodoro Alves Quintilhano 66, Contorno; Esperança Cidade dos Meninos sito à Rod PR438 KM m, Roxo Rois Distrito de Guaragi; Aldeia Espírita da Criança Dr. David Federmann sito à Rua Maria Ângela Caldas 419, Uvaranas. CENTROS DE EDUCAÇÃO INFANTIL: Cei Tia Sueli sito à Rua Maria Ângela Caldas SN, Uvaranas; Cei Ana Neri sito à Rua Antônio Frederico Ozanan 41, Jardim América; Cei Nosso Lar sito a Rua Correia de Freitas 506, Ronda. SERVIÇO DE ABRIGAMENTO PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA FÍSICA E MENTAL: Recanto Maria Dolores sito à Rua Deodoro Alves Quintilhano 66, Contorno. EDUCAÇÃO ES- PECIAL PARA PORTADORES DE MÚLTIPLAS DEFICIÊNCIAS: Recanto Espírita Odilon Mendes sito à Rua Odilon Antunes Mendes SN, Estrela. As normas que regulam o Instituto Educacional Duque de Caxias são estabelecidas pelo Estatuto e Legislação vigente. O Instituto não distribui resultados sob nenhuma forma ou pretexto, nem tampouco remunera nenhum cargo ou função criados pelo Estatuto. NOTA 2 Apresentação das Demonstrações Contábeis As demonstrações contábeis do, referente ao exercício de 2013 foram elaborados de acordo com as determinações da Lei nº 6.404/76, adotando e incorporando as alterações promovidas pela Lei nº /07 e Medida Provisória nº 449/08, apresentadas comparativamente, expressas em reais, e conjugadas com as normas de contabilidade para entidades sem fi ns lucrativos, consubstanciadas nas orientações emanadas do Conselho Nacional de Assistência Social e do Conselho Federal de Contabilidade-CFC. As demonstrações contábeis incorporam os procedimentos emanados do Comitê de Pronunciamentos Contábeis - CPC e das normas Brasileiras de Contabilidade emitidas pelo Conselho Federal de Contabilidade - CFC em vigor até a data de encerramento do exercício. Em função das alterações promovidas na legislação societária brasileira pela Lei nº /07 e Medida Provisória nº 449/08, a entidade passou a elaborar e divulgar a Demonstração dos Fluxos de Caixa - DFC em substituição à Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos - DOAR, e a Demonstração do Valor Adicionado - DVA. As práticas contábeis modifi cadas em função das alterações na legislação societária não afetaram o resultado ou o patrimônio líquido da entidade no período abrangido pelas demonstrações contábeis divulgadas. As alterações ocorreram somente em relação a reclassificação entre itens do ativo não circulante. Em abril de 2000, o Conselho Federal de Contabilidade emitiu a Resolução CFC nº 877, estabelecendo procedimentos contábeis para as Entidades sem fi ns lucrativos, assim, O Instituto Educacional Duque de Caxias, esta apresentando as Demonstrações Contábeis segundo as disposições contidas na referida resolução. NOTA 3 Principais Práticas Contábeis As demonstrações contábeis estão estruturadas de acordo com as normas contábeis de uso corrente em conformidade com as disposições vigentes na legislação societária, onde aplicável, apresentando-se de forma comparada com as do exercício anterior, levando em conta as seguintes e principais diretrizes: a) Apuração de Resultado As receitas, Despesas e Custos são reconhecidas na apuração do resultado do período pelo regime de competência. b) Aplicações Financeiras Estão demonstradas ao custo de aquisição, acrescido das remunerações contratadas proporcionalmente até a data do balanço. c) Imobilizado Os bens integrantes do imobilizado estão registrados ao custo de aquisição, ou construção, deduzido a depreciação calculada pelo método linear, tomando-se por base os saldos contábeis registrados nas respectivas contas. NOTA 4 Imobilizado 2012 Construções e Instalações ,91 Máquinas ,78 Equipamento ,80 Móveis e Utensílios ,26 Veículos ,00 Direitos/Linhas Telefônicas 320,00 (-) Depreciação acumulada ( ,23) TOTAL IMOBILIZADO ,52 Depreciação No exercício de 2013 as taxas utilizadas foram aquelas usualmente empregadas, constantes das tabelas divulgadas pelos Órgãos Ofi ciais para depreciação de bens do Ativo Imobilizado, para efeitos tributários. NOTA 5 Aplicação de recursos Na Atividade Institucional No exercício de 2013 o Instituto Educacional Duque de Caxias aplicou integralmente na sua atividade institucional, conforme fi cou evidenciado na Demonstração dos Fluxos de Caixa da atividade de investimento, totalizando R$ ,53. Receitas As receitas da entidade constituem-se basicamente de doações obtidas através das pessoas físicas e jurídicas. Da mensalidade de seus associados, de convênios com o poder público e promoções realizadas pela própria entidade. Em Atendimentos Gratuitos O Instituto Educacional Duque de Caxias, aplicou na sua atividade assistencial, na área da Assistência Social os recursos de sua arrecadação, como segue em 31 de dezembro: DEMONSTRAÇÃO DAS APLICAÇÕES EM GRATUIDADE Receita Operacional Bruta 2013 Área de Assistência Social ,85 Total ,85 Receitas Financeiras 2013 Receitas Financeiras ,76 Total ,76 Receitas não operacionais 2013 Venda ativo permanente ,00 Total ,00 Convênios com o poder público 2013 SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO SME PMPG ,67 SEED ,62 FUNDAÇÃO PROAMOR ,00 CONVÊNIO UEPG GUARDA MIRIN ,23 CONVÊNIO JUSTIÇA FEDERAL GUARDA MIRINS ,60 CONVÊNIO CMAS/SUAS/PMPG ,00 CONVÊNIO CMDCA/PMPG ,72 Total ,84 NOTA 6 Tributos e Contribuições O Instituto Educacional Duque de Caxias é uma entidade sem fi ns lucrativos e, portanto, goza de benefícios fi scais, cujas isenções obtidas estão contabilizadas consoante disposições emanadas do Conselho Nacional de Assistência Social, conjugadas com as Normas Brasileiras de Contabilidade, Resolução CFC nº 877 e legislação tributária vigente, como seguem: Renúncia Fiscal 2013 Contribuição Patronal do INSS ,43 Cofins ,63 PIS s/serviços 4.517,20 Total ,26 NOTA 7 Patrimônio Social O Patrimônio Social está apresentado na moeda atual, cuja composição em 31 de dezembro de 2013 é a seguinte: Contas 2013 Superávit acumulado ,63 Déficit do Exercício (19.453,52) Patrimônio Líquido ,11 NOTA 08 Cobertura de seguros Os bens do Instituto estão cobertos por seguros contra riscos de incêndio, raio, explosão, impacto de veículos, queda de aeronaves, vendaval e danos elétricos, cujo valor da cobertura em 31 de dezembro de 2013 é de R$ ,00. Os valores segurados são determinados e controlados em bases técnicas que se estimam sufi cientes para a cobertura de eventuais perdas decorrentes de sinistros. Ponta Grossa, 31 de dezembro de LUIZ CESAR FEREIRA DA SILVA CRC-PR Nº /O-4 Contador SECRETARIA DE SAÚDE COORDENADORIA DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA Of. Circular nº. 02/2014 Prezados Srs. Vimos, por meio do presente, INFORMAR aos farmacêuticos responsáveis técnicos por farmácias, drogarias, distribuidoras de medicamentos, farmácias privativas e congêneres, relação de medicamentos e produtos e seus lotes que apresentam irregularidades comprovadas e que, por isso, têm sua distribuição e venda proibidos por força de resoluções da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), conforme a seguir: PRODUTO/ MEDICA- MENTO FABRICANTE Dipirona Prati, Donaduzzi & Sódica 500 mg CIA. LTDA. comps. Imipra 25 mg (cloridrato de imipramina) Amitriptilina (cloridrato) 25 mg, comps. revs., med. genérico Norfloxacino 400 mg, caixa com 14 comps. revs., med. genérico Cristália Prods Químs. Farms. LTDA. Laboratório Teuto Brasileiro S.A. Laboratório Teuto Brasileiro S.A. Produto SU- PER PLUS Pronatus Produtos MISTRATO Naturais e todos os medicamentos Todos os produtos Medicamentos nas formas farmacêuticas líquidas por via oral Nutiervas /Planeta Natural Laboratório Kraemer LTDA. LOTE 13K Todos Todos Todos IRREGULARI- DADE OBSER- VADA Desvio de qualidade análise de aspecto Desvio de qualidade teor de substância ativa Irregularidades na embalagem primária Troca do medicamento do interior da caixa por outro Empresa não possui AFE e todos os produtos sem registro Empresa sem AFE; produtos sem registro Tais formas farmacêuticas não possuem registro e produção não atende às exigências sanitárias RESOLUÇÃO DA ANVISA de 01/07/2014; DOU nº. 124 de 02/07/ de 27/06/2014; DOU nº. 122 de 02/07/ de 12/09/2014; DOU nº. 177 de 15/09/ de 12/09/2014; DOU nº. 177 de 15/09/ de 12/09/2014; DOU nº. 177 de 15/09/ de 24/06/2014; DOU nº. 119 de 25/06/ de 27/06/2014; DOU nº. 122 de 30/06/2014 Note-se que os dois últimos descritos na tabela, por se tratarem de produtos sem registro junto à ANVISA e/ou cujas empresas fabricantes não possuem Autorização de Funcionamento legalmente expedida pela Agência, na confirmação de sua posse pelo estabelecimento deve imediatamente suspender sua venda, recolher da área de vendas e dispor em local identifi cado e de forma a impedir sua dispensação inadvertida, além de contatar esta Coordenadoria para proceder-se sua apreensão e inutilização. Reiteramos a informação que o fato eventual de um estabelecimento, na fi gura de seu responsável técnico, não ter recebido ou não portar ou alegar desconhecer este ofício circular não o isenta do cumprimento das determinações nele descritas, posto que as mesmas são de conhecimento público mediante publicação em Diário Ofi cial. Assim, a evidência da presença destes produtos nos estabelecimentos em área de venda, disponível para comercialização, confi gura em irregularidade que será alvo das sanções cabíveis na forma da legislação em vigor, por parte da Vigilância Sanitária, quando da sua constatação em inspeção. Atenciosamente, ÂNGELA S. R. PAULI ISAÍAS MONTES FILHO Coordenadora Farmacêutico- bioquímico CVS/SMS/PMPG CVS/SMS/PMPG AOS FARMACÊUTICOS RESPONSÁVEIS TÉCNICOS FARMÁCIAS, DROGARIAS, DISTRIBUIDORAS, FARMÁCIAS PRIVATIVAS E AFINS Ponta Grossa - PR RESOLUÇÃO Nº 018 de 29 de setembro de O Conselho Municipal de Saúde de Ponta Grossa conforme disposto no inciso III do artigo 169 e artigo 1º das leis federais nº 8080, de dezenove de setembro de 1990, e nº 8.142, de 28 de dezembro de 1990, pelas leis estaduais nº , de 04 de outubro de 1994, e nº , de 09 de novembro de 1995, no uso de sua competência Regional conferida pelo artigo 5º. O Conselho Municipal de Saúde de Ponta Grossa, na Plenária do dia 16 de setembro de RESOLVE: Aprovar o SISPACTO de 2014, aprovado por 17 votos favoráveis. Jiovany do Rocio Kissilevicz Presidente do CMS Homologo a presente Resolução do Conselho Municipal de Saúde de Ponta Grossa nº 018/2014, nos termos do 2, artigo 1 da lei 8142 de 28 de dezembro de Angela Oliveira Pompeu Secretário Municipal de Saúde RESOLUÇÃO Nº 019 de 30 de setembro de O Conselho Municipal de Saúde de Ponta Grossa conforme disposto no inciso III do artigo 169 e artigo 1º das leis federais nº 8080, de dezenove de setembro de 1990, e nº 8.142, de 28 de dezembro de 1990, pelas leis estaduais nº , de 04 de outubro de 1994, e nº , de 09 de novembro de 1995, no uso de sua competência Regional conferida pelo artigo 5º. O Conselho Municipal de Saúde de Ponta Grossa, na Plenária do dia 16 de setembro de RESOLVE: Aprovar por 17 votos favoráveis o Plano de Aplicação da entidade Organização Doutores Palhaços S.O.S. Alegria, no valor de R$ ,00 em conformidade com o parecer da Comissão Municipal de Orçamento, Programas e Projetos. Jiovany do Rocio Kissilevicz Presidenta do CMS Homologo a presente Resolução do Conselho Municipal de Saúde (COMSÁUDE/PG) nº 019/2014, nos termos do 2, artigo 1 da lei 8142 de 28 de dezembro de Angela Oliveira Pompeu Secretária Municipal de Saúde SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO DEPARTAMENTO DE URBANISMO Fica o seguinte proprietário NOTIFICADO para a RETIRADA DE OBSTÁCULO, que impede o livre trânsito no passeio. Conforme o Código de Posturas do Município, Lei nº 4712/92; Art. 44 É proibido embargar ou impedir, por qualquer meio, o livre trânsito de pedestres ou veículos nas ruas, praças, passeios, estradas e caminhos públicos... Art Compreende-se na proibição do artigo anterior, o depósito de quaisquer materiais, inclusive de construção, nas vias públicas em geral Edilson José Rodrigues Basílio Parabocz, Ofi cinas

6 6 ATOS DO MUNICÍPIO DE PONTA GROSSA EDIÇÃO Nº PONTA GROSSA, TERÇA-FEIRA, 07 DE OUTUBRO DE 2014 PROAMOR FUNDAÇÃO PROAMOR DE ASSISTÊNCIA SOCIAL EXTRATO DO 1º ADITIVO AO CONTRATO Nº 11/2013 CONTRATANTE: FUNDAÇÃO MUNICIPAL PROAMOR DE ASSISTÊNCIA SOCIAL CONTRATADA: NELSON KIRIAN REFEIÇÕES - O presente termo tem por fi nalidade alterar o teor do seguinte item do Contrato PRAZO DE VIGÊNCIA: Fica prorrogado em 12 (doze) meses, a partir de 13 de agosto de 2014 à 12 de agosto de 2015 o prazo de vigência do contrato n º 11/2013, celebrado entre as partes acima citada. DO FISCAL DO CONTRATO: Fica alterado para as servidoras Carmen Lúcia Schiffer Santos, portadora do RG: SSP/PR e CPF: , residente e domiciliada à Rua: João Maurício Favre, 220 Vila Estrela e Rosemery da Silva Campagnoli, RG: e CPF: a Rua Dr. Colares, 879 ap. 03 Centro. FORA: Comarca de Ponta Grossa, Estado do Paraná. JULIO KÜLLER Presidente EXTRATO DE INEXIGIBILIDADE Nº 1/2014 Objeto e finalidade: Contratação de empresa para prestação de serviços Técnicos Profi ssionais para o Projeto Circo Escola, par o Departaento do Defi ciente da Fundação Proamor de Assistência Social., conforme o disposto do protocolado /2014. Contratado: ROBERT WILLIANS VARGAS SALGUEIRO Quantidade do Unidade Descrição do Complemento do 1 SVÇ Contratação de empresa Prestação de serviços Técnicos Profi s- para prestação de serviços Técnicos Profi ssio- Departamento do Defi ciente da Fundação sionais para o Projeto Circo Escola, par o nais para o Projeto Circo Proamor de Assistência Social, com a fi - Escola, par o Departamento do Defi ciente da ses dentro do conteúdo programático, ao nalidade de proporcionar atividades circen- Fundação Proamor de Departamento do Defi ciente da Fundação Assistência Social. PROAMOR. Valor: R$ ,00 ( quatorze mil e quatrocentos reais ) Prazo: 12 meses Cód. Reduzido Dot. Orçamentário Secretaria Produto FUND.MUN. PROAMOR DE SERV. TÉCNICOS PROFIS ASSISTÊNCIA SOCIAL SIONAIS Fundamento: Conforme Artigo 25, II da Lei 8666/93. 06/10/14 - JÚLIO FRANCISCO SCHIMANSKI KULLER - PRESIDENTE DA FUNDA- ÇÃO PROAMOR CPS COMPANHIA PONTAGROSSENSE DE SERVIÇOS RESULTADO DA TOMADA DE PREÇO N 005/2014 EMPREITADA GLOBAL MENOR PREÇO OBJETO:- Contratação de empresa especializada para prestação de serviços de pavimentação asfáltica na Avenida Continental, Distrito Industrial, no trecho entre a Rua Salma Fayad e o pavimento existente, no Município de Ponta Grossa (PR), conforme projeto, quantitativos e memorial descritivo, anexos ao Edital. VENCEDOR:- Arena Transporte, Terraplanagem e Pavimentação. CNPJ: / VALOR TOTAL:- R$ ,25 (quatrocentos e oitenta nove mil, setecentos e sessenta dois reais e vinte cinco centavos) Data:- 06/10/2014. PROLAR COMPANHIA DE HABITAÇÃO DE PONTA GROSSA AVISO DE EDITAL A COMPANHIA DE HABITAÇÃO DE PONTA GROSSA - PROLAR, torna público, que em sua sede localizada na Rua Balduíno Taques, nº 445, 2º piso, Centro, Ponta Grossa, Estado do Paraná, estará realizando o seguinte procedimento licitatório: PREGÃO PRESENCIAL nº 026/2014 DATA: 20/10/2014. HORÁRIO: 09:00 horas. OBJETO: Contratação de empresa especializada para a realização de formatura dos benefi ciários do Projeto de Trabalho Técnico Social, referente aos Conjuntos Residenciais Londres e Itapoá, localizados no Município de Ponta Grossa/PR, no âmbito do Programa Minha Casa Minha Vida TIPO: Menor preço global. VALOR: R$ ,40 (dezessete mil, duzentos e vinte e seis reais e quarenta centavos). RECURSOS: TERMOS DE CONVÊNIO SOB Nºs e , (FAR Fundo de Arrendamento Residencial). Cópia do Edital e demais informações poderão ser obtidas através do site da PROLAR - ou pelo fone/fax: ou prolarpmpg.com.br. Ponta Grossa, 03 de outubro de DINO ATHOS SCHRUTT Diretor Presidente PROLAR CÂMARA MUNICIPAL DIVERSOS Relação de diárias concedidas pelo Poder Legislativo em 03/10/2014 DATA FUNÇÃO NOME O MOTO ESTARÁ A DO VEREADOR GEOR- GE LUIZ DE OLIVEIRA CARLITO DE SOUZA GILBERTO BONFATI GILBERTO BONFATI AIRTON DE CAMARGO VALOR DIA- RIAS CAM- PINA GRAN- DE DO SUL SADY FIDE- LIS DA LUZ O MOTO ESTARÁ A SERVIÇO DO DEPAR- TAMENTO JURÍDICO DA CÂMARA MUNICIPAL SADY FIDE- LIS DA LUZ MOTIVO DA VIAGEM O MOTO ESTARÁ A DO VEREADOR ISAIAS SALUSTIANO O MOTO ESTARÁ A DO VEREADOR LUIZ BERTOLDO O MOTO ESTARÁ A DO VEREADOR JORGE DA FARMACIA O MOTO ESTARÁ A DA VEREADORA ADELIA SOUZA QTDE. OR- DEM DESTI- NO COMPANHIA PONTAGROSSENSE DE SERVIÇOS WAGNER MARTINELLI PRESIDENTE COMISSÃO LICITAÇÃO TERMO DE HOMOLOGAÇÃO PROCESSO ADMINISTRATIVO nº. 022/2014 TOMADA DE PREÇO nº 006/2014 Em conformidade com a Lei 8.666/93 e alterações posteriores e de acordo com a legalidade de todos os procedimentos adotados no processo administrativo em referência e, em estrita consonância com os princípios elencados no artigo 3º da Lei 8.666/93, torna-se pública a homologação do processo licitatório da modalidade Tomada de Preço em epígrafe do seguinte objeto: - Contratação de empresa especializada para prestação de serviços de pavimentação asfaltica, conforme projetos, quantitativos e memoriais descritivos, anexos das ruas abaixo relacionadas: RUA Bairro Valor Total 1 Rua Augusta Dalcol, trecho entre as Ruas Jardim Bernardo Erich Lohmann e Maria de Lurdes R$ ,36 2 Rua Bernardo Erichh Lohmann, trecho entre as Ruas Jardim Maria Alvina e Augusta Dalcol R$ ,55 3 Rua Fermiano Onofre Coelho, trecho entre as Ruas Jardim Maria Alvina e Ramilio Ferreira de Lima R$ ,45 4 Rua José Antonio, trecho entre as Ruas Rio Jardim Paranapanema e Rua Rio Itararé R$ ,32 5 Rua Luciano Spinardi, trecho entre as Ruas Maria Jardim Alvina e Arnaldo Teixeira R$ ,23 6 Rua Maria Alvina, trecho entre as Ruas Alfredo Rodrigues e Final de Rua Jardim R$ ,41 7 Rua Maria Alvina, trecho entre as Ruas Luciano Spinardi e José Antonio Jardim R$ ,62 8 Rua Maria Alvina, trecho entre as Ruas Naldi Jardim Teixeira e Fermiano Onofre Coelho R$ ,77 9 Rua Maria Alvina, trecho entre as Ruas Fermiano Onofre Coelho e Virginia Medeiros Sikorski Jardim R$ ,26 10 Rua Maria Alvina, trecho entre as Ruas Maria Jardim de Lurdes Dalcol e Luciano Spinardi R$ ,80 11 Rua Maria Alvina, trecho entre as Ruas José Jardim Antonio e Naldi Teixeira R$ ,25 12 Rua Maria Alvina, trecho entre as Ruas Maria Jardim de Lurdes e Bernardo Erich Lohmann R$ ,00 13 Rua Maria de Lurdes, trecho entre as Ruas Jardim Augusta Dalcol e Arnaldo Teixeira R$ ,45 14 Rua Maria de Lurdes, trecho entre as Ruas Jardim Augusta Dalcol e Maria Alvina R$ ,30 15 Rua Naldi Teixeira, trecho entre as Ruas Maria Alvina Jardim e Ramilio Ferreira de Lima R$ ,75 VALOR TOTAL GLOBAL R$ ,52 Vencedor de todos os itens:- ANTONIO MORO & CIA LTDA, CNPJ: / Prazo do Contrato:- 12 (doze) meses. Ponta Grossa, 06 de Outubro de ODAILTON JOSÉ MOREIRA DE SOUZA Diretor Presidente DIÁRIO OFICIAL DO MUNICÍPIO DE PONTA GROSSA - PR para envio de publicações: p g Versão digital: p p g

O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE LONDRINA, ESTADO DO PARANÁ, no uso das suas atribuições legais, conforme Lei Orgânica Municipal, e;

O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE LONDRINA, ESTADO DO PARANÁ, no uso das suas atribuições legais, conforme Lei Orgânica Municipal, e; DECRETO Nº 769 DE 23 DE SETEMBRO DE 2009 SÚMULA: Regulamenta a gestão dos resíduos orgânicos e rejeitos de responsabilidade pública e privada no Município de Londrina e dá outras providências. O PREFEITO

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA A ELABORAÇÃO DE PLANOS DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS - PGRS

TERMO DE REFERÊNCIA PARA A ELABORAÇÃO DE PLANOS DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS - PGRS TERMO DE REFERÊNCIA PARA A ELABORAÇÃO DE PLANOS DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS - PGRS 1. JUSTIFICATIVA O presente Termo de Referência tem por fim orientar a elaboração do PGRS conforme previsto no

Leia mais

LOTE 1 - MATERIAL DE LIMPEZA ITEM QUANT. UN. ESPECIFICAÇÃO MARCA

LOTE 1 - MATERIAL DE LIMPEZA ITEM QUANT. UN. ESPECIFICAÇÃO MARCA LOTE 1 - MATERIAL DE LIMPEZA 1 300 UN 2 200 L 3 100 UN 4 20 UN 5 2 UN 6 200 UN 7 200 UN 8 300 UN 9 250 UN 10 500 UN Água sanitária 1Lt, desinfetante e alvejante. Álcool Etílico Hidratado, 1Lt, mínimo de

Leia mais

ESTADO DO ACRE Secretaria de Estado da Gestão Administrativa Secretaria Adjunta de Compras e Licitações Comissão Permanente de Licitação CPL 03

ESTADO DO ACRE Secretaria de Estado da Gestão Administrativa Secretaria Adjunta de Compras e Licitações Comissão Permanente de Licitação CPL 03 LOTE I 1 Água sanitária, à base de cloro. Composição química: hipoclorito de sódio, hidróxido de sódio, cloreto. Teor cloro ativo variando de 2 a 2,50, cor levemente amareloesverdeada. Aplicação: alvejante

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO RIO GRANDE DO SUL MUNICÍPIO DE NOVA PRATA

ESTADO DO RIO GRANDE DO RIO GRANDE DO SUL MUNICÍPIO DE NOVA PRATA EDITAL N.º 084/2015 - LICITAÇÃO N.º058/2015 - PREGÃO PRESENCIAL N.º 017/2015 REGISTRO DE PREÇOS N.º 022/2015 LICITAÇÃO NA MODALIDADE PREGÃO PRESENCIAL PARA REGISTRO DE PREÇOS OBJETIVANDO A AQUISIÇÃO DE

Leia mais

MATERIAL DE LIMPEZA ITEM ESPECIFICAÇÃO UNID QTDE

MATERIAL DE LIMPEZA ITEM ESPECIFICAÇÃO UNID QTDE RERRATIFICAÇÃO AO EDITAL DE LICITAÇÃO PREGÃO ELETRÔNICO Nº 01/2015 Processo no. 01/2015 SISTEMA REGISTRO DE PREÇOS OBJETO: Tem por objeto o presente Edital de PREGÃO ELETRÔNICO, SISTEMA REGISTRO DE PREÇOS,

Leia mais

Conselho Regional de Enfermagem de Mato Grosso do Sul Sistema Cofen/Conselhos Regionais - Autarquia Federal criada pela Lei Nº 5.

Conselho Regional de Enfermagem de Mato Grosso do Sul Sistema Cofen/Conselhos Regionais - Autarquia Federal criada pela Lei Nº 5. COTAÇÃO DE PREÇO PROCESSO Nº. 349/15 NOME DA EMPRESA: DATA: 1. OBJETO Aquisição de materiais de limpeza e higiene para atender as necessidades do Conselho Regional de Enfermagem de Mato Grosso do Sul conforme

Leia mais

PREGÃO ELETRÔNICO SRP Nº 04-037/2015 ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº 053/2015

PREGÃO ELETRÔNICO SRP Nº 04-037/2015 ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº 053/2015 PREGÃO ELETRÔNICO SRP Nº 04-037/2015 ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº 053/2015 Aos vinte e um dias do mês de setembro do ano de 2015 a, através da Comissão Especial de Registro de Preços, designada pela Portaria

Leia mais

COTAÇÃO DE PREÇOS Nº.064/2007

COTAÇÃO DE PREÇOS Nº.064/2007 PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 14ª REGIÃO D.S.M.P. - SEÇÃO DE COMPRAS COTAÇÃO DE PREÇOS Nº.064/2007 Solicitamos de Vossa Senhoria a especial gentileza de preencher

Leia mais

PEDIDO DE COTAÇÃO - ANEXO I

PEDIDO DE COTAÇÃO - ANEXO I Folha: 0001 Objeto: (Alimentício e Limpeza) 001 000047-3 AGUA, sanitaria, uso domestico, a base de hipoclorito de sodio, com teor de cloro ativo entre 2,0 a 2,5 % p/p. Embalagem plastica de 01 litro, com

Leia mais

ANEXO I T E R M O DE R E F E R Ê N C I A EDITAL DE PREGÃO Nº 05/2013 CREMEB

ANEXO I T E R M O DE R E F E R Ê N C I A EDITAL DE PREGÃO Nº 05/2013 CREMEB ANEXO I T E R M O DE R E F E R Ê N C I A EDITAL DE PREGÃO Nº 05/2013 CREMEB 1 - DO OBJETO Constitui objeto da presente Pregão a aquisição de materiais de limpeza. 2 JUSTIFICATIVA Os materiais objeto deste

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE FRANCA

PREFEITURA MUNICIPAL DE FRANCA ANEXO I - PLANILHA DE QUANTIDADES E S 1 LTS 1.800,00 2 LTS 1.800,00 3 UN 4.800,00 4 UN 7.600,00 5 UN 4.200,00 6 UN 3.600,00 7 UN 2.400,00 AGUA SANITARIA 2% A 2,5%,CLORO ATIVO,FRASCO PLAS.C/1LITRO - (AGUA

Leia mais

Especificação dos materiais e produtos de limpeza

Especificação dos materiais e produtos de limpeza Item Especificação dos materiais e produtos de limpeza Apres. Qtd/ mensal 03 06 07 ÁGUA SANITÁRIA, uso doméstico, a base de hipoclorito de sódio. Embalagem plástica de litro, com dados de identificação

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE VILA VELHA Secretaria Municipal de Desenvolvimento Sustentável

PREFEITURA MUNICIPAL DE VILA VELHA Secretaria Municipal de Desenvolvimento Sustentável PREFEITURA MUNICIPAL DE VILA VELHA Secretaria Municipal de Desenvolvimento Sustentável TERMO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS (APLICADO A INDÚSTRIA E COMÉRCIO

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA N.º 036/2011

TERMO DE REFERÊNCIA N.º 036/2011 TERMO DE REFERÊNCIA N.º 036/2011 FORMAÇÃO DE REGISTGRO DE PREÇO PARA EVENTUAL AQUISIÇÃO DE MATERIAIS DE LIMPEZA E COPA PARA ATENDER A ELETROBRAS DISTRIBUIÇÃO RONDÔNIA PORTO VELHO, 2011. Termo de Referência

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA IITEM CÓDIGO ESPECIFICAÇÃO DO MATERIAL UN. Açúcar Açúcar cristal de origem vegetal, constituído

TERMO DE REFERÊNCIA IITEM CÓDIGO ESPECIFICAÇÃO DO MATERIAL UN. Açúcar Açúcar cristal de origem vegetal, constituído GOVERNO DO ESTADO DE GOIÁS SECRETARIA DE ESTADO DA CASA CIVIL SUPERINTENDÊNCIA DE GESTÃO, PLANEJAMENTO E FINANÇAS GERÊNCIA DE APOIO LOGÍSTICO E DE SUPRIMENTOS TERMO DE REFERÊNCIA Aquisição de alimentos

Leia mais

RELATÓRIO DE MATERIAIS/SERVIÇOS

RELATÓRIO DE MATERIAIS/SERVIÇOS UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI ÁRIDO SISTEMA INTEGRADO DE PATRIMÔNIO, ADMINISTRAÇÃO E CONTRATOS EMITIDO EM 04/03/2015 10:04 RELATÓRIO DE MATERIAIS/SERVIÇOS Grupo de Material: 3022 Somente Materiais

Leia mais

ESTADO DE SERGIPE PREFEITURA MUNICIPAL DE ARACAJU SECRETARIA MUNICIPAL DO PLANEJAMENTO E ORÇAMENTO

ESTADO DE SERGIPE PREFEITURA MUNICIPAL DE ARACAJU SECRETARIA MUNICIPAL DO PLANEJAMENTO E ORÇAMENTO ESTADO DE SERGIPE PREFEITURA MUNICIPAL DE ARACAJU SECRETARIA MUNICIPAL DO PLANEJAMENTO E ORÇAMENTO PREGÃO ELETRÔNICO Nº 003/2013 - ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº 005/2013 AQUISIÇÃO DE MATERIAL DE CONSUMO

Leia mais

DISPÕE SOBRE A POLÍTICA DE COLETA SELETIVA NO MUNICÍPIO DE CACHOEIRA ALTA E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

DISPÕE SOBRE A POLÍTICA DE COLETA SELETIVA NO MUNICÍPIO DE CACHOEIRA ALTA E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. LEI Nº 1.223/2013 DE 16 DE ABRIL DE 2013. DISPÕE SOBRE A POLÍTICA DE COLETA SELETIVA NO MUNICÍPIO DE CACHOEIRA ALTA E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. A CÂMARA MUNICIPAL DE CACHOEIRA ALTA, Estado de Goiás, por

Leia mais

Município de Capanema - PR

Município de Capanema - PR LEI Nº. 1.557, DE 20 DE MAIO DE 2015. Dispõe sobre a política municipal de resíduos sólidos do Município de Capanema e dá outras providências. A Câmara Municipal de Capanema, Estado do Paraná, aprovou

Leia mais

Constitui objeto da presente Pregão a aquisição de materiais de limpeza.

Constitui objeto da presente Pregão a aquisição de materiais de limpeza. ANEXO I T E R M O DE R E F E R Ê N C I A EDITAL DE PREGÃO Nº 06/2015 CREMEB 1 - DO OBJETO Constitui objeto da presente Pregão a aquisição de materiais de limpeza. 2 JUSTIFICATIVA Os materiais objeto deste

Leia mais

Relação de Materiais de Consumo Estimativo Mensal

Relação de Materiais de Consumo Estimativo Mensal AEROPORTO DE JACAREPAGUÁ ROBERTO MARINHO SBJR Relação de Materiais de Consumo Estimativo Mensal Anexo I Junho/12 Relação de Materiais de Consumo Estimativo Mensal Item Unid. Material Iniciar Reposição

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PICADA CAFÉ

PREFEITURA MUNICIPAL DE PICADA CAFÉ PRFITURA MUNICIPAL D PICADA CAFÉ STADO DO RIO GRAND DO SUL AV. FRIDOLINO RITTR, 379 CNTRO CP: 95175- FON/FAX: (54) 3285.13 www.picadacafe.rs.gov.br -mail: administracao@picadacafe.rs.gov.br O Município

Leia mais

LEI FEDERAL 12305/2010 POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS

LEI FEDERAL 12305/2010 POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS LEI FEDERAL 12305/2010 POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS ARTIGO 13 -ORIGEM RSU(domiciliares e de limpeza pública) Comerciais e Prestadores de Serviços Serviços Públicos de Saneamento Básico Industriais

Leia mais

TOTAL...R$155.330,14

TOTAL...R$155.330,14 ATO DE HOMOLOGAÇÃO EM: 29/04/2015 Processo n.º: 050/2015 Pregão Presencial nº: 019/2015 Objeto: REGISTRO DE PREÇOS para futura e eventual compra de material de higienização e produção de limpeza pelo período

Leia mais

TABELA DE PREÇOS REFERENCIAIS DE MATERIAIS DE LIMPEZA

TABELA DE PREÇOS REFERENCIAIS DE MATERIAIS DE LIMPEZA 78252 AGUA SANITARIA, A BASE DE HIPOCLORITO DE SODIO OU CALCIO, COM VALIDADE MINIMA DE 4 MESES, A PARTIR DA DATA DE FABRICACAO, ACAO: DESINFETANTE, TEOR DE CLORO ATIVO: 2,0% P/P A 2,5%P/P, PRODUZIDO DE

Leia mais

TABELA DE PREÇOS REFERENCIAIS DE MATERIAIS DE LIMPEZA

TABELA DE PREÇOS REFERENCIAIS DE MATERIAIS DE LIMPEZA 78252 Materiais AGUA SANITARIA, A BASE DE HIPOCLORITO DE SODIO OU CALCIO, COM VALIDADE MINIMA DE 4 MESES, A PARTIR DA DATA DE FABRICACAO, ACAO: DESINFETANTE, TEOR DE CLORO ATIVO: 2,0% P/P A 2,5%P/P, PRODUZIDO

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE APUCARANA

CÂMARA MUNICIPAL DE APUCARANA www.apucarana.pr.leg.br - Centro Cívico José de Oliveira Rosa, ~5A - 86800-235 - Fone (43) 3420-7000 ESTADO DO PARANA SÚMULA - Institui o Plano Integrado de Gerenciamento de Resíduos da Construção Civil

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL (PGRCC)

TERMO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL (PGRCC) TERMO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL (PGRCC) Prefeitura Municipal de Fortaleza Secretaria Municipal de Urbanismo e Meio Ambiente - SEUMA Coordenadoria

Leia mais

PROPOSTA. Pregão. Proposta(s) Item: 0001 Descrição: Açúcar Cristal, Pacote 5Kg Quantidade: 2.000 Unidade de Medida: Pacote

PROPOSTA. Pregão. Proposta(s) Item: 0001 Descrição: Açúcar Cristal, Pacote 5Kg Quantidade: 2.000 Unidade de Medida: Pacote PROPOSTA Pregão Órgão: Prefeitura Municipal de Juiz de Fora Número: PE145/2012 Número do Processo: 03685/2012-SO Unidade de Compra: UG/PJF Proposta(s) Item: 0001 Descrição: Açúcar Cristal, Pacote 5Kg Quantidade:

Leia mais

TOMADA DE PREÇOS Nº 002/2014 UNC MATERIAIS DE LIMPEZA

TOMADA DE PREÇOS Nº 002/2014 UNC MATERIAIS DE LIMPEZA 1 TOMADA DE PREÇOS Nº 002/2014 UNC MATERIAIS DE LIMPEZA 1 - PREÂMBULO 1.1 - A Fundação Universidade do Contestado, através do seu Departamento de Compras, situado à Rua Victor Sopelsa, 3000, Bairro Salete,

Leia mais

TABELA DE PREÇOS REFERENCIAIS DE MATERIAIS DE LIMPEZA

TABELA DE PREÇOS REFERENCIAIS DE MATERIAIS DE LIMPEZA 78252 Materiais AGUA SANITARIA, A BASE DE HIPOCLORITO DE SODIO OU CALCIO, COM VALIDADE MINIMA DE 4 MESES, A PARTIR DA DATA DE FABRICACAO, ACAO: DESINFETANTE, TEOR DE CLORO ATIVO: 2,0% P/P A 2,5%P/P, PRODUZIDO

Leia mais

DECRETO Nº 25.316 de 12 de setembro de 2014

DECRETO Nº 25.316 de 12 de setembro de 2014 DECRETO Nº 25.316 de 12 de setembro de 2014 Regulamenta o disposto nos 4º e 6º do art. 160, da Lei nº 7.186, de 27 de dezembro de 2006, com alterações decorrentes da Lei nº 8.473, de 27 de setembro de

Leia mais

Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento PNUD. Edital Internacional nº 27681/2015

Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento PNUD. Edital Internacional nº 27681/2015 Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento PNUD Edital Internacional nº 27681/2015 Brasília/DF, 26 de fevereiro de 2015. Prezados, ASSUNTO: ERRATA II Favor considerar as seguintes informações para

Leia mais

INTENÇÃO DE REGISTRO DE PREÇOS

INTENÇÃO DE REGISTRO DE PREÇOS INTENÇÃO DE REGISTRO DE PREÇOS Processo Administrativo nº 1450/2014 O Fundo Municipal de Saúde, por intermédio da Comissão Permanente de Licitação, em obediência ao disposto no art. 5º do Decreto Federal

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA SECRETARIA MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA SECRETARIA MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA SECRETARIA MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE TERMO DE REFERÊNCIA PARA APRESENTAÇÃO DO PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE NO MUNICÍPIO DE CURITIBA

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE MORRINHOS Estado de Goiás

PREFEITURA MUNICIPAL DE MORRINHOS Estado de Goiás CONTRATO DE FORNECIMENTO Nº 627/2015 Contrato de Fornecimento que, entre si, fazem, de um lado, com contratante, o Fundo Municipal de Saúde de Morrinhos, devidamente representada por seu Gestor, o Sr.

Leia mais

Município de Reserva do Iguaçu - PR EMPENHO

Município de Reserva do Iguaçu - PR EMPENHO 003907 Ordinário 09/11/2009 003905 padrão 026 - LOCAÇÃO DE IMOVEIS Sem licitação Página: 1 / 30 LOURACENA RIBEIRO RUZIM CPF 584.344.969-68 1297-1 000240 02 Executivo Municipal 02.002 Chefia de Gabinete

Leia mais

Formulário de Pedidos

Formulário de Pedidos CUIDADOS COM A CASA [ 01/05 ] 8363 ÁGUA SANITÁRIA PROEZA 1000ML 8503 AMACIANTE DE ROUPAS PROEZA 2LT EMOÇÃO 85011 AMACIANTE DE ROUPAS PROEZA 2LT BEM ESTAR 8504 AMACIANTE DE ROUPAS PROEZA 2LT NENÉM 85021

Leia mais

PMGIRS e suas interfaces com o Saneamento Básico e o Setor Privado.

PMGIRS e suas interfaces com o Saneamento Básico e o Setor Privado. PMGIRS e suas interfaces com o Saneamento Básico e o Setor Privado. Ribeirão Preto, 08 de junho de 2011 Semana do Meio Ambiente AEAARP Associação de Engenharia, Arquitetura e Agronomia de Ribeirão Preto

Leia mais

CHECK LIST LICENÇA DE OPERAÇÃO

CHECK LIST LICENÇA DE OPERAÇÃO CHECK LIST LICENÇA DE OPERAÇÃO a) Requerimento através do Formulário N o 14 Licenciamento Ambiental, devidamente preenchido e assinado pelo representante legal da empresa; no mesmo formulário informar

Leia mais

20ª PROMOTORIA DE JUSTIÇA DA COMARCA DE LONDRINA PROMOTORIA DE DEFESA DO MEIO AMBIENTE, PESSOAS PORTADORAS DE DEFICIÊNCIA E FUNDAÇÕES

20ª PROMOTORIA DE JUSTIÇA DA COMARCA DE LONDRINA PROMOTORIA DE DEFESA DO MEIO AMBIENTE, PESSOAS PORTADORAS DE DEFICIÊNCIA E FUNDAÇÕES RECOMENDAÇÃO ADMINISTRATIVA CONJUNTA Nº 001/2011 A PROMOTORIA DE DEFESA DO MEIO AMBIENTE DE LONDRINA, através da Promotora de Justiça Solange Novaes da Silva Vicentin, e o INSTITUTO AMBIENTAL DO PARANÁ

Leia mais

Demonstrações Contábeis referente ao exercício findo em 31 de Dezembro de 2005 e Parecer dos Auditores Independentes

Demonstrações Contábeis referente ao exercício findo em 31 de Dezembro de 2005 e Parecer dos Auditores Independentes CENTRO ESPÍRITA NOSSO LAR CASAS ANDRÉ LUIZ CNPJ 62.220.637/0001-40 RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores membros do Conselho Deliberativo e do Conselho Fiscal: o Conselho Diretor submete à apreciação de

Leia mais

Política Nacional de Resíduos Sólidos. Pernambuco - PE

Política Nacional de Resíduos Sólidos. Pernambuco - PE Política Nacional de Resíduos Sólidos Pernambuco - PE Desafios 1. Eliminar lixões 2. Eliminar aterro controlado 3. Implantar aterro sanitário 4. Coleta seletiva 5. Compostagem e 6. Logística reversa Legenda

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DO AMBIENTE CONSELHO ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE DO RIO DE JANEIRO ATO DO PRESIDENTE

SECRETARIA DE ESTADO DO AMBIENTE CONSELHO ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE DO RIO DE JANEIRO ATO DO PRESIDENTE SECRETARIA DE ESTADO DO AMBIENTE CONSELHO ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE DO RIO DE JANEIRO ATO DO PRESIDENTE RESOLUÇÃO CONEMA Nº 56 DE 13 DE DEZEMBRO DE 2013. ESTABELECE CRITÉRIOS PARA A INEXIGIBILIDADE DE

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 307, DE 5 DE JULHO DE 2002 (DOU de 17/07/2002)

RESOLUÇÃO Nº 307, DE 5 DE JULHO DE 2002 (DOU de 17/07/2002) RESOLUÇÃO Nº 307, DE 5 DE JULHO DE 2002 (DOU de 17/07/2002) Estabelece diretrizes, critérios e procedimentos para a gestão dos resíduos da construção civil. Correlações: Alterada pela Resolução nº 469/15

Leia mais

Dispõe sobre a gestão dos resíduos sólidos, nos termos do artigo 247, parágrafo 3º da Constituição do Estado e dá outras providências.

Dispõe sobre a gestão dos resíduos sólidos, nos termos do artigo 247, parágrafo 3º da Constituição do Estado e dá outras providências. LEI Nº 9.921, DE 27 DE JULHO DE 1993. Dispõe sobre a gestão dos resíduos sólidos, nos termos do artigo 247, parágrafo 3º da Constituição do Estado e dá outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DO RIO

Leia mais

RESUMO DO DIÁRIO PUBLICAMOS NESTA EDIÇÃO OS SEGUINTES DOCUMENTOS:

RESUMO DO DIÁRIO PUBLICAMOS NESTA EDIÇÃO OS SEGUINTES DOCUMENTOS: Diário Oficial do Município de Guanambi - Bahia Poder Executivo Ano VII Nº 1049 12 de Novembro de 2015 RESUMO DO DIÁRIO PUBLICAMOS NESTA EDIÇÃO OS SEGUINTES DOCUMENTOS: LICITAÇÕES AVISO DE LICITAÇÃO PREGÃO

Leia mais

DECRETO N.º 3.952, DE 02 DE OUTUBRO DE 2013.

DECRETO N.º 3.952, DE 02 DE OUTUBRO DE 2013. DECRETO N.º 3.952, DE 02 DE OUTUBRO DE 2013. Disciplina a liberação, o cancelamento e a baixa de Alvará de Localização e Funcionamento no município de Erechim. O Prefeito Municipal de Erechim, Estado do

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE

CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE RESOLUÇÃO N. 307, DE 05 DE JULHO DE 2002 Alterações: Resolução CONAMA n. 348, de 16.08.04 Resolução CONAMA n. 431, de 24.05.11 Resolução CONAMA n. 448, de 18.01.12 Resolução

Leia mais

SOLICITAÇÃO DE COMPRA

SOLICITAÇÃO DE COMPRA SOLICITAÇÃO DE COMPRA Nova Esperança do Sudoeste, Paraná, 20 de janeiro de 2015 Ilmo. Senhor Prefeito Municipal: Pelo presente, solicito a Registro de Preços para aquisição de material de higiene, limpeza

Leia mais

LEI Nº 9.921, DE 27 DE JULHO DE 1993. O GOVERNADOR DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL.

LEI Nº 9.921, DE 27 DE JULHO DE 1993. O GOVERNADOR DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL. LEI Nº 9.921, DE 27 DE JULHO DE 1993. Dispõe sobre a gestão dos resíduos sólidos, nos termos do artigo 247, parágrafo 3º da Constituição do Estado e dá outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DO RIO

Leia mais

11º GV - Vereador Floriano Pesaro

11º GV - Vereador Floriano Pesaro PROJETO DE LEI Nº 496/2010 Dispõe sobre a destinação final ambientalmente adequada de resíduos sólidos produzidos p o r c e n t r o s c o m e r c i a i s denominados shoppings centers e similares, e dá

Leia mais

INSTRUMENTO CONTRATUAL N. 0164/2013.

INSTRUMENTO CONTRATUAL N. 0164/2013. INSTRUMENTO CONTRATUAL N. 0164/2013. CONTRATO GLOBAL DE FORNECIMENTO DE TINTA E SERVIÇOS DE PINTURA N. 0164/2013: O MUNICÍPIO DE XAXIM, Estado de Santa Catarina, com sede a Rua Rui Barbosa, 347, inscrito

Leia mais

Licitação. Relação de Itens da Licitação

Licitação. Relação de Itens da Licitação PREFEITURA MICIPAL DE Relação de Itens da CGCICM : INSCR M : 0000 001 25,00 VASSOURA DE PALHA COM CABO C/ NO MÍNIMO 3 COSTURAS, GRANDE 0000 002 77,00 DESINFETANTE PARA BANHEIRO 2 LITROS 0000 003 30,00

Leia mais

A INTERSETORIALIDADE APLICADA À GESTÃO DE RESÍDUOS DO SETOR ALIMENTÍCIO DE FORTALEZA

A INTERSETORIALIDADE APLICADA À GESTÃO DE RESÍDUOS DO SETOR ALIMENTÍCIO DE FORTALEZA A INTERSETORIALIDADE APLICADA À GESTÃO DE RESÍDUOS DO SETOR ALIMENTÍCIO DE FORTALEZA Ivna Barreto Costa Cidrão GERENTE DA CÉLULA DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA PONTOS TURÍSTICOS DE FORTALEZA SECRETARIA REGIONAL

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE-CONAMA

CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE-CONAMA CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE-CONAMA Resolução nº 307, de 5 de Julho de 2002. Estabelece diretrizes, critérios e procedimentos para a gestão dos resíduos da construção civil, disciplinando as ações

Leia mais

ESTADO DE GOIÁS CÂMARA MUNICIPAL DE INHUMAS Palácio Fulgêncio Alves Soyer

ESTADO DE GOIÁS CÂMARA MUNICIPAL DE INHUMAS Palácio Fulgêncio Alves Soyer CONTRATO N. 013/2013 Contrato firmado entre a Câmara de Inhumas e a empresa SUPERMERCADO CUICA LTDA na forma seguinte Pelo presente instrumento, de um lado o CÂMARA MUNICIPAL DE INHUMAS, pessoa jurídica

Leia mais

ANEXO VI MODELO DE PROPOSTA (PAPEL TIMBRADO DA EMPRESA)

ANEXO VI MODELO DE PROPOSTA (PAPEL TIMBRADO DA EMPRESA) ANEXO VI MODELO DE PROPOSTA (PAPEL TIMBRADO DA EMPRESA) Ao Excelentíssimo Senhor, Prefeito Municipal de Três de Maio Apresentamos abaixo nossa proposta para aquisição de materiais de limpeza para uso nas

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA SSP Nº 03/2011. UNIDADE RESPONSÁVEL: Unidades de Saúde e Secretaria Municipal de Saúde.

INSTRUÇÃO NORMATIVA SSP Nº 03/2011. UNIDADE RESPONSÁVEL: Unidades de Saúde e Secretaria Municipal de Saúde. Fls.: 1 de 11 INSTRUÇÃO NORMATIVA SSP Nº 03/2011 VERSÃO: 01/2011 APROVAÇÃO EM: 20 de julho de 2011 ATO DE APROVAÇÃO: Decreto nº 20/2011 UNIDADE RESPONSÁVEL: Unidades de Saúde e Secretaria Municipal de

Leia mais

CHECK LIST PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS

CHECK LIST PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS CHECK LIST PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS a) Requerimento através do Formulário N o 01, devidamente preenchido e assinado pelo representante legal da empresa; b) Declaração de Destino de Resíduos

Leia mais

CRITÉRIO DE JULGAMENTO: MENOR PREÇO E QUALIDADE DO PRODUTO

CRITÉRIO DE JULGAMENTO: MENOR PREÇO E QUALIDADE DO PRODUTO ATO CONVOCATÓRIO 012/2012 Compra de Materiais de Consumo/Alimentação MODALIDADE: CONCORRÊNCIA CRITÉRIO DE JULGAMENTO: MENOR PREÇO E QUALIDADE DO PRODUTO DATA LIMITE PARA ENTREGA DE ORÇAMENTO: 21/06/2012

Leia mais

Nº 267- ANO VIII Segunda-feira, 23 de Fevereiro de 2015. MEC reabre nesta segunda sistema de inscrições do Fies a novos alunos

Nº 267- ANO VIII Segunda-feira, 23 de Fevereiro de 2015. MEC reabre nesta segunda sistema de inscrições do Fies a novos alunos Nº 267- ANO VIII Segunda-feira, 23 de Fevereiro de 2015 MEC reabre nesta segunda sistema de inscrições do Fies a novos alunos O Ministério da Educação vai abrir nesta segunda-feira (23) o Sistema Informatizado

Leia mais

MATERIAL DE EXPEDIENTE

MATERIAL DE EXPEDIENTE MATERIAL DE EXPEDIENTE Almofada para carimbo, cor azul, nº 04 Almofada para carimbo, cor preta, nº 04 Almofada para carimbo, cor vermelha, nº 04 Apagador para quadro branco Barbante Caixa para arquivo

Leia mais

ANEXO II PROCEDIMENTO LICITATÓRIO Nº 3/2010 PREGÃO PRESENCIAL Nº 1/2010 MODELO DE CREDENCIAMENTO

ANEXO II PROCEDIMENTO LICITATÓRIO Nº 3/2010 PREGÃO PRESENCIAL Nº 1/2010 MODELO DE CREDENCIAMENTO ANEXO II PROCEDIMENTO LICITATÓRIO Nº 3/2010 PREGÃO PRESENCIAL Nº 1/2010 MODELO DE CREDENCIAMENTO Através do presente, credenciamos o(a) Sr.(a)..., portador(a) da Cédula de Identidade n.º... e CPF n.º...,

Leia mais

PROJETO DE LEI CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

PROJETO DE LEI CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES PROJETO DE LEI Institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos e dá outras providências. O CONGRESSO NACIONAL decreta: CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1 o Esta Lei institui a Política Nacional

Leia mais

CEF vai baixar os juros para o Minha Casa, Minha Vida

CEF vai baixar os juros para o Minha Casa, Minha Vida PREFEITURA MUNICIPAL DE PLANALTO Nº 433 - ANO VII Quarta -feira, 25 de Abril de 2012 Autorizado pela Lei Municipal 0246/2006 CEF vai baixar os juros para o Minha Casa, Minha Vida Depois de reduzir os juros

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE BARRA DE SÃO FRANCISCO

PREFEITURA MUNICIPAL DE BARRA DE SÃO FRANCISCO Objetivo: Aquisiçao de materiais de consumo (limpeza, higienizaçao e alimentação) para atender a diversos setores desta municipalidade, conforme Anexo I do presente Edital. Lote: 00001 00001 00029982 ACUCAR

Leia mais

CONTRATO Nº 095/2013 CONTRATO QUE ENTRE SI CELEBRAM O MUNICÍPIO DE PIRAJUÍ E A EMPRESA FORTIMIX COMÉRCIO DE CONCRETO LTDA.

CONTRATO Nº 095/2013 CONTRATO QUE ENTRE SI CELEBRAM O MUNICÍPIO DE PIRAJUÍ E A EMPRESA FORTIMIX COMÉRCIO DE CONCRETO LTDA. CONTRATO Nº 095/2013 CONTRATO QUE ENTRE SI CELEBRAM O MUNICÍPIO DE PIRAJUÍ E A EMPRESA FORTIMIX COMÉRCIO DE CONCRETO LTDA. Aos 03 dias do mês de julho de 2013, de um lado, o MUNICÍPIO DE PIRAJUÍ, pessoa

Leia mais

PREGÃO PRESENCIAL PARA REGISTRO DE PREÇOS nº 07/2016 ANALISE DAS AMOSTRAS EM 30/05/2016 NA SALA DE REUNIÃO DA DIVISÃO DE COMPRAS E LICITAÇÃO

PREGÃO PRESENCIAL PARA REGISTRO DE PREÇOS nº 07/2016 ANALISE DAS AMOSTRAS EM 30/05/2016 NA SALA DE REUNIÃO DA DIVISÃO DE COMPRAS E LICITAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL PARA REGISTRO DE PREÇOS nº 07/2016 ANALISE DAS AMOSTRAS EM 30/05/2016 NA SALA DE REUNIÃO DA DIVISÃO DE COMPRAS E LICITAÇÃO ANÁLISE DA 2ª COLOCADA - LOTE 01 EMPRESA MANGILI & SILVA - APROVADO

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PARÁ CENTRO DE APOIO OPERACIONAL MEIO AMBIENTE CRONOGRAMA DE PRAZOS SUGERIDOS PARA TAC - RESÍDUOS SÓLIDOS

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PARÁ CENTRO DE APOIO OPERACIONAL MEIO AMBIENTE CRONOGRAMA DE PRAZOS SUGERIDOS PARA TAC - RESÍDUOS SÓLIDOS 2ª 7ª 7ª, 3º 7ª, 4º 7ª, 5º 7ª, 6º 7ª, 7º 8ª 10, I MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PARÁ CENTRO DE APOIO OPERACIONAL MEIO AMBIENTE CRONOGRAMA DE PARA TAC - RESÍDUOS SÓLIDOS CLÁUSULA 2ª - O COMPROMISSÁRIO

Leia mais

LOCAL: RUA PEDRO RODRIGUES BANDEIRA, 143 8º ANDAR COMÉRCIO

LOCAL: RUA PEDRO RODRIGUES BANDEIRA, 143 8º ANDAR COMÉRCIO CONVITE Nº. 006/2011 SENAR/BA EDITAL Nº. 006/2011 DATA DA ABERTURA: 11/04/2011 HORÁRIO: 14h30min MODALIDADE: CARTA CONVITE TIPO: MENOR PREÇO, POR ITEM LOCAL: RUA PEDRO RODRIGUES BANDEIRA, 143 8º ANDAR

Leia mais

DECRETO Nº 728, DE 14 DE MARÇO DE 2016

DECRETO Nº 728, DE 14 DE MARÇO DE 2016 1 Gabinete do Prefeito DECRETO Nº 728, DE 14 DE MARÇO DE 2016 Regulamenta a Lei nº 9.498, de 19 de novembro de 2014, que dispõe sobre a cobrança de preço público decorrente da prestação de serviços de

Leia mais

LEI Nº 14.418 DE 05 DE OUTUBRO DE 2012

LEI Nº 14.418 DE 05 DE OUTUBRO DE 2012 LEI Nº 14.418 DE 05 DE OUTUBRO DE 2012 (Publicação DOM 08/10/2012: 03) INSTITUI O PLANO INTEGRADO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. A Câmara Municipal aprovou e

Leia mais

LEI Nº 6.126, DE 27 DE ABRIL DE 2006.

LEI Nº 6.126, DE 27 DE ABRIL DE 2006. LEI Nº 6.126, DE 27 DE ABRIL DE 2006. Autoria: Prefeito Municipal. INSTITUI O PLANO INTEGRADO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL E VOLUMOSOS E DÁ PROVIDÊNCIAS CORRELATAS. O Prefeito do Município

Leia mais

Políticas Públicas Resíduos e Reciclagem. Sérgio Henrique Forini

Políticas Públicas Resíduos e Reciclagem. Sérgio Henrique Forini Políticas Públicas Resíduos e Reciclagem. Sérgio Henrique Forini O lixo é conhecido como os restos das atividades humanas considerados inúteis, indesejáveis e descartáveis. No entanto, separado nos seus

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CRAVINHOS ESTADO DE SÃO PAULO

PREFEITURA MUNICIPAL DE CRAVINHOS ESTADO DE SÃO PAULO ATA DE REGISTRO DE PREÇO DE PRODUTOS DE LIMPEZA QUE ENTRE SI CELEBRAM O MUNICÍPIO DE CRAVINHOS E A EMPRESA MERCEARIA JANJÃO LTDA - ME, NA FORMA ABAIXO. VALOR DA ATA DE REGISTRO: R$ 15.068,95 ATA DE REGISTRO

Leia mais

GILMAR LUIZ ELY, Prefeito Municipal em Exercício de Almirante Tamandaré do Sul, Estado do Rio Grande do Sul.

GILMAR LUIZ ELY, Prefeito Municipal em Exercício de Almirante Tamandaré do Sul, Estado do Rio Grande do Sul. 1 GILMAR LUIZ ELY, Prefeito Municipal em Exercício de Almirante Tamandaré do Sul, Estado do Rio Grande do Sul. Faço saber que o Legislativo aprovou e eu sanciono e promulgo a seguinte Lei: LEI MUNICIPAL

Leia mais

ATA DE REGISTRO DE PREÇO Nº 046/2015

ATA DE REGISTRO DE PREÇO Nº 046/2015 Página 1 de 6 ATA DE REGISTRO DE PREÇO Nº 046/2015 PREGÃO PRESENCIAL Nº 033/2015 OBJETO: REGISTRO DE PREÇOS PARA EVENTUAL E FUTURA AQUISIÇÃO DE MATERIAIS DE HIGIENE, LIMPEZA E OUTROS, destinados as Secretarias

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 008/2013

RESOLUÇÃO Nº 008/2013 RESOLUÇÃO Nº 008/2013 Súmula: Define critérios para apresentação de projetos para o valor R$966.734,86 (Novecentos e sessenta e seis mil, setecentos e trinta e quatro reais e oitenta e seis centavos) do

Leia mais

PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL - PGRCC. (folha de 8 itens)

PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL - PGRCC. (folha de 8 itens) PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL - PGRCC 1.0 DADOS DO GERADOR/CONSTRUTOR (folha de 8 itens) PROCESSO Nº: CAD Nº: 1.1. Razão Social: 1.2 Endereço: 1.3 Fone: Fax: 1.4 E-mail: 1.5 CPF:

Leia mais

PLANOS MUNICIPAIS DE GESTÃO INTEGRADA DE RESÍDUOS SÓLIDOS - PMGIRS

PLANOS MUNICIPAIS DE GESTÃO INTEGRADA DE RESÍDUOS SÓLIDOS - PMGIRS NOTA TÉCNICA PLANOS MUNICIPAIS DE GESTÃO INTEGRADA DE RESÍDUOS SÓLIDOS - PMGIRS Esta Nota Técnica tem o objetivo de reforçar junto aos Municípios do Estado de Pernambuco sobre os Planos Municipais de Gestão

Leia mais

LEI Nº 10.847, DE 9 DE MARÇO DE 2010.

LEI Nº 10.847, DE 9 DE MARÇO DE 2010. LEI Nº 10.847, DE 9 DE MARÇO DE 2010. Institui o Plano Integrado de Gerenciamento de Resíduos da Construção Civil do Município de Porto Alegre, estabelece as diretrizes, os critérios e os procedimentos

Leia mais

PORTARIA 82/2000 NORMA TÉCNICA SLU/PBH Nº 001/2000

PORTARIA 82/2000 NORMA TÉCNICA SLU/PBH Nº 001/2000 PORTARIA 82/2000 NORMA TÉCNICA SLU/PBH Nº 001/2000 Aprova Norma Técnica que fixa a padronização de contenedor para o acondicionamento e procedimentos para o armazenamento de resíduo sólido de serviço de

Leia mais

Política Nacional de Resíduos Sólidos e Logística Reversa

Política Nacional de Resíduos Sólidos e Logística Reversa Política Nacional de Resíduos Sólidos e Logística Reversa Cristina R. Wolter Sabino de Freitas Departamento Ambiental O mundo será obrigado a se desenvolver de forma sustentável, ou seja, que preserve

Leia mais

VALOR EDUCAÇÃO ADMINISTRA FMS FMAS BOMBEIRO POLÍCIA TOTAL

VALOR EDUCAÇÃO ADMINISTRA FMS FMAS BOMBEIRO POLÍCIA TOTAL LOTE EDUCAÇÃO ADMINISTRA FMS FMAS BOMBEIRO POLÍCIA TOTAL 01 950 02 3.000 VALOR UNITÁRIO DESCRIÇÃO 1,40 Pacotes com 100 copos plásticos descartáveis com capacidade para 50 ml. Os copos devem ser fabricados

Leia mais

SÚMULA: Regulamenta o disposto na Lei Municipal nº 10.966/2010 e estabelece normas e procedimentos para parcerias entre o Poder Público Municipal e

SÚMULA: Regulamenta o disposto na Lei Municipal nº 10.966/2010 e estabelece normas e procedimentos para parcerias entre o Poder Público Municipal e O DECRETO Nº 1257, DE 24 DE SETEMBRO DE 2015, PUBLICADO NA EDIÇÃO Nº 2820, DE 30 DE SETEMBRO DE 2015, PGS. 4 A 6, PASSA A VIGORAR COM A SEGUINTE PUBLICAÇÃO: DECRETO Nº 1257, DE 24 DE SETEMBRO DE 2015 SÚMULA:

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 333 DISPOSIÇÕES GERAIS

LEI COMPLEMENTAR Nº 333 DISPOSIÇÕES GERAIS DISPÕE SOBRE A INSTALAÇÃO, CONSERVAÇÃO E FUNCIONAMENTO DE ELEVADORES E APARELHOS DE TRANSPORTE AFINS, REGULAMENTA A HABITAÇÃO DAS EMPRESAS PRESTADORAS DESSES SERVIÇOS E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. LEI COMPLEMENTAR

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL (PGRCC)

TERMO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL (PGRCC) TERMO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL (PGRCC) 1 JUSTIFICATIVA Este Termo de Referência tem como finalidade orientar os grandes e pequenos geradores

Leia mais

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS N 42/2012

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS N 42/2012 ESTADO DE RONDONIA PREFEITURA MUNICIPAL DE CACOAL COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO ATA DE REGISTRO DE PREÇOS N 42/2012 Aos um dia do mês de junho de 2012, nas dependências da Prefeitura Municipal de Cacoal,

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA COLETA DE PREÇOS Nº IAP-HSL 013/2014

TERMO DE REFERÊNCIA COLETA DE PREÇOS Nº IAP-HSL 013/2014 TERMO DE REFERÊNCIA COLETA DE PREÇOS Nº IAP-HSL 013/2014 CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA AQUISIÇÃO DE MATERIAL DE LIMPEZA E HIGIENE PARA ATENDER TODA DEMANDA DO HOSPITAL SÃO LUCAS 1 Unidade Requisitante Instituto

Leia mais

CONTRATO N 038 /2015 FORNECIMENTO DE MATERIAIS DE EXPEDIENTE

CONTRATO N 038 /2015 FORNECIMENTO DE MATERIAIS DE EXPEDIENTE CONTRATO N 038 /2015 FORNECIMENTO DE MATERIAIS DE EXPEDIENTE Pelo presente Instrumento Contratual, sendo de um lado o MUNICÍPIO DE PEIXE - ESTADO DO TOCANTINS, pessoa jurídica de direito público interno,

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE TIMBAÚBA PE

PREFEITURA MUNICIPAL DE TIMBAÚBA PE CONTRATO DE LOCAÇÃO DE VEÍCULO CONTRATO Nº.../2013 CONTRATO DE LOCAÇÃO DE VEÍCULO QUE ENTRE SI CELEBRAM O MUNICÍPIO DE TIMBAÚBA, ATRAVÉS DA SECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO E A EMPRESA R. U. VERAS TRANSPORTES.

Leia mais

PORTARIA CVS Nº 04, 21de março de 2011.

PORTARIA CVS Nº 04, 21de março de 2011. Retificação da Portaria CVS 4, de 21/03/2011, retificada em 31/03/2011, 17/01/2013 e 24/10/2014. PORTARIA CVS Nº 04, 21de março de 2011. Dispõe sobre o Sistema Estadual de Vigilância Sanitária (SEVISA),

Leia mais

CONTRATO Nº 027/10 FORNECIMENTO DE MATERIAL DE CONSTRUÇÃO

CONTRATO Nº 027/10 FORNECIMENTO DE MATERIAL DE CONSTRUÇÃO CONTRATO Nº 027/10 FORNECIMENTO DE MATERIAL DE CONSTRUÇÃO CONTRATANTE: Município de Nova Alvorada, pessoa jurídica de direito público, com sede administrativa na Av. Vicente Guerra, 1429, na cidade de

Leia mais

RESOLUÇÃO N o 307, DE 5 DE JULHO DE 2002 Publicada no DOU nº 136, de 17/07/2002, págs. 95-96

RESOLUÇÃO N o 307, DE 5 DE JULHO DE 2002 Publicada no DOU nº 136, de 17/07/2002, págs. 95-96 RESOLUÇÃO N o 307, DE 5 DE JULHO DE 2002 Publicada no DOU nº 136, de 17/07/2002, págs. 95-96 Correlações: Alterada pela Resolução nº 448/12 (altera os artigos 2º, 4º, 5º, 6º, 8º, 9º, 10 e 11 e revoga os

Leia mais

ANEXO I 1 / 5 PROCESSO

ANEXO I 1 / 5 PROCESSO Item DESCRIÇÃO DO PRODUTO UN. 01 02 Álcool etílico hidratado a 92,8º refinado de baixo teor de acidez e aldeídos, especialmente indicado para limpeza, não incluindo desinfecção e sem adição de desnaturante.

Leia mais

SECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO Procuradoria Geral República no Estado do Piauí. Ata de Realização do Pregão Eletrônico Nº 00003/2015 (SRP)

SECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO Procuradoria Geral República no Estado do Piauí. Ata de Realização do Pregão Eletrônico Nº 00003/2015 (SRP) Página 1 de 31 Pregão Eletrônico 200080.32015.16979.4396.748170.765 SECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO Procuradoria Geral República no Estado do Piauí Ata de Realização do Pregão Eletrônico Nº 00003/2015 (SRP)

Leia mais