Cursos de Doutoramento em TSI - Situação em Ensino Superior Público...g.2 2 Ensino Superior Particular e Cooperativo...g.6

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Cursos de Doutoramento em TSI - Situação em 2000. 1 Ensino Superior Público...g.2 2 Ensino Superior Particular e Cooperativo...g.6"

Transcrição

1 Anexo G Cursos de Doutoramento em TSI - Situação em 2000 Adaptado de: Índice 1 Ensino Superior Público...g.2 2 Ensino Superior Particular e Cooperativo...g.6 Ordenação alfabética dos cursos por estabelecimento de ensino. Os estabelecimentos de ensino encontram-se ordenados alfabeticamente por tipo de ensino.

2 g.2 A informação aqui coligida sobre os Cursos de Doutoramento em TSI existentes no ano de 2000, em Portugal, refere-se apenas aos cursos existentes a nível do ensino superior público. Esta informação foi obtida no site da Direcção-Geral do Ensino Superior, do Ministério da Educação ( Os cursos listados neste anexo foram determinados através de pesquisa efectuada à base de dados disponível no referido site através das seguintes palavras chave: - inform para permitir procurar termos como: informática(s); informático(s); sistema(s) de informação; tecnologia(s) de informação; - comp para permitir procurar termos como: computador(es); computação; computacional; - multimédia Apesar de se reconhecer que o critério utilizado, baseado fundamentalmente no nome dos cursos, pode ter conduzido a uma selecção menos correcta, as limitações temporais do projecto ET2000, no âmbito do qual este relatório foi elaborado, não permitiram a análise dos curricula dos cursos, o que provavelmente teria permitido uma selecção mais rigorosa. Crê-se, no entanto, que tal aspecto não deturpará consideravelmente as conclusões que poderão ser derivadas deste trabalho. Lamentável foi, no entanto, o facto de não ter sido possível elaborar uma listagem semelhante para as instituições de ensino privado. Tal como foi referido na introdução deste trabalho, a obtenção de informação sobre o assunto formação em TSI mostrou-se pouco fácil, revestindo-se mesmo de enorme dificuldade no que concerne às instituições de ensino particular e cooperativo. Os cursos seleccionados são apresentados a seguir, por estabelecimento de ensino e organizados alfabeticamente. 1. Ensino Superior Público Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa Ciências e Tecnologias da Informação Gestão de Sistemas de Informação

3 g.3 Universidade da Beira Interior Engenharia Informática Universidade da Madeira Engenharia de Sistemas - Especialidade: Informática Matemática - Especialidade: Lógica e Ciências de Computação Universidade de Aveiro Gestão da Informação Universidade de Coimbra Faculdade de Ciências e Tecnologia Engenharia Electrotécnica - Especialidade: Informática Engenharia Informática Faculdade de Economia Gestão de Informação nas Organizações Gestão de Informação nas Organizações - Área de especialização: Estatística e Sistemas de Informação nas Organizações Organização e Gestão de Empresas - Especialidade: Gestão de Informação nas Organizações Universidade de Évora Gestão de Empresas - Especialidade: Gestão da Informação Organização e Sistemas de Informação

4 g.4 Universidade de Lisboa Faculdade de Ciências Computação e Educação Faculdade de Medicina e Educação Universidade do Algarve Engenharia de Sistemas e Computação Engenharia de Sistemas e Computação - Área de especialização: Bioelectrónica Engenharia de Sistemas e Computação - Área de especialização: Sistemas de Computação Engenharia de Sistemas e Computação - Área de especialização: Sistemas de Comunicação Engenharia Electrónica e Computação Engenharia Electrónica e Computação - Especialidade: Ciências da Computação Engenharia Electrónica e Computação - Especialidade: Engenharia de Software e Base de Dados Engenharia Electrónica e Computação - Especialidade: Linguagens da Programação e Estrutura de Dados Engenharia Electrónica e Computação - Especialidade: Sistemas de Comunicação

5 g.5 Universidade do Minho Electrónica Industrial - Especialidade: Informática Industrial Engenharia de Produção e Sistemas - Especialidade: Ciências da Computação - Área de especialização: Ciências da Computação - Área de especialização: Informática de Gestão - Área de especialização: Sistemas Distribuídos, Comunicações por Computadores e Arq. de Computadores - Especialidade: Comunicações por Computador - Especialidade: Engenharia de Computadores - Especialidade: Fundamentos da Computação - Especialidade: Informática no Ensino - Especialidade: Inteligência Artificial - Especialidade: Sistemas de Informação - Especialidade: Sistemas Digitais - Especialidade: Tecnologia da Programação Sistemas de Informação Universidade do Porto Faculdade de Ciências Ciência de Computadores Inteligência Artificial e Computação Faculdade de Economia Inteligência Artificial e Computação Faculdade de Engenharia Engenharia Electrotécnica e de Computadores Engenharia Electrotécnica e de Computadores - Área de especialização: Informática Industrial Engenharia Electrotécnica e de Computadores - Área de especialização: Sistemas Engenharia Electrotécnica e de Computadores - Área de especialização: Telecomunicações Gestão da Informação Inteligência Artificial e Computação

6 g.6 Universidade dos Açores - Ponta Delgada Ciências da Matemática - Especialidade: Teoria da Computação Universidade Nova de Lisboa Faculdade de Ciências e Tecnologia Engenharia Electrotécnica - Especialidade: Sistemas de Informação Industriais Engenharia Industrial - Especialidade: Computação Engenharia Informática Engenharia Sistémica - Especialidade: Sistemas de Informação - Especialidade: Informática Faculdade de Ciências Sociais e Humanas Linguística - Especialidade: Linguística e Informática Faculdade de Economia Gestão de Empresas - Especialidade: Sistemas de Informação Instituto Superior de Estatística e Gestão de Informação Estatística e Gestão de Informação Gestão de Informação Gestão de Informação - Especialidade: Sistemas de Informação e Decisão Gestão de Informação - Especialidade: Tecnologias de Informação Gestão de Informação Digital - Bibliotecas Digitais e Edição/Publicação Electrónica

7 g.7 Universidade Técnica de Lisboa Instituto Superior Técnico Engenharia Electrotécnica e de Computadores Engenharia Electrotécnica e de Computadores - Área de especialização: Telecomunicações Engenharia Electrotécnica e de Computadores - Área de especialização: Sistemas Electrónicos e Computadores Engenharia Electrotécnica e de Computadores - Área de especialização: Informática e Computadores Engenharia Informática e de Computadores Sistemas de Informação Geográfica

8 g.8 2. Ensino Superior Particular e Cooperativo Universidade Portucalense Infante D. Henrique

Cursos de Mestrado em TSI Situação em 2000. 1 Ensino Superior Público... f.2 2 Ensino Superior Particular e Cooperativo... f.5

Cursos de Mestrado em TSI Situação em 2000. 1 Ensino Superior Público... f.2 2 Ensino Superior Particular e Cooperativo... f.5 Anexo F Cursos de Mestrado em TSI Situação em 2000 Adaptado de: http://www.desup.min-edu.pt/posgrad.htm Índice 1 Ensino Superior Público... f.2 2 Ensino Superior Particular e Cooperativo... f.5 Ordenação

Leia mais

Cursos Superiores de Tecnologias e Sistemas de Informação

Cursos Superiores de Tecnologias e Sistemas de Informação Anexo D Cursos Superiores de Tecnologias e Sistemas de Informação Índice Anexo D1 - Cursos Superiores de TSI - Situação em 1990...d.2 Anexo D2 - Cursos Superiores de TSI - Situação em 2000...d.5 Ordenação

Leia mais

CATÁLOGO DE REQUISITOS DE TITULAÇÃO

CATÁLOGO DE REQUISITOS DE TITULAÇÃO CATÁLOGO DE REQUISITOS DE TITULAÇÃO Administração Cálculos Financeiros Administração Administração (EII) Administração - Habilitação em Administração de Empresas Administração - Habilitação em Administração

Leia mais

Tabela das correspondências dos cursos de engenharia professados em escolas nacionais e as especialidades estruturadas na Ordem Índice

Tabela das correspondências dos cursos de engenharia professados em escolas nacionais e as especialidades estruturadas na Ordem Índice Tabela das correspondências dos cursos de engenharia professados em escolas nacionais e as especialidades estruturadas na Ordem [de acordo com a alínea h) do artigo 147º do Estatuto da Ordem dos Engenheiros,

Leia mais

ESCOLA TÉCNICA ESTADUAL DE ILHA SOLTEIRA ILHA SOLTEIRA

ESCOLA TÉCNICA ESTADUAL DE ILHA SOLTEIRA ILHA SOLTEIRA REQUISITOS PARA INSCRIÇÕES AO PROCESSO SELETIVO DE DOCENTES, OBJETIVANDO A FORMAÇÃO DE CADASTRO PARA CONTRATAÇÃO TEMPORÁRIA DE EXCEPCIONAL INTERESSE PÚBLICO, Nº 065/01/2016 de 05/04/2016. Processo nº 2216/2016.

Leia mais

ACESSO AO ENSINO SUPERIOR 2016-1ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO Pares instituição/curso objeto de concurso nacional Código Instit.

ACESSO AO ENSINO SUPERIOR 2016-1ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO Pares instituição/curso objeto de concurso nacional Código Instit. ACESSO AO ENSINO SUPERIOR - 1ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO Nome da Instituição Nome do Grau (cont. geral) 0140 8031 Universidade dos Açores - Faculdade de Ciências Agrárias e do Ambiente Ciências

Leia mais

CONCURSO DO ESTUDANTE INTERNACIONAL PARA O ANO LETIVO DE 2016/2017

CONCURSO DO ESTUDANTE INTERNACIONAL PARA O ANO LETIVO DE 2016/2017 CUJOS CANDIDATOS QUE NÃO SEJAM TITULARES DE S DO ENSINO CON DO ESTUDANTE INTERNACIONAL PARA O ANO LETIVO DE 2016/2017 FACULDADE DE ARQUITETURA Arquitetura, área de especialização em Arquitetura de Interiores

Leia mais

Instituto de Arte, Design e Empresa - Universitário. ISPA - Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida

Instituto de Arte, Design e Empresa - Universitário. ISPA - Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida Distrito Subsistema Tipo de ensino Cód. Estab. Nome do Estabelecimento Nome do Curso Grau Lisboa Privado Universitário 4560 Instituto de Arte, Design e Empresa - Universitário Design Lisboa Privado Universitário

Leia mais

Bacharelado em Ciência da Computação 2009

Bacharelado em Ciência da Computação 2009 Bacharelado em Ciência da Computação 2009 1 Resumo do Curso Tipo do Curso Duração mínima Carga horária mínima obrigatória Bacharelado anos 3.212 horas (contadas em 15 semanas) 21 créditos Turno Regime

Leia mais

RESOLUÇÃO N o RESOLVE

RESOLUÇÃO N o RESOLVE RESOLUÇÃO N o Estabelece o Currículo Pleno do Curso de Ciência da Computação - Bacharelado, do Setor de Ciências Exatas, da Universidade Federal do Paraná.. O CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO, órgão

Leia mais

CURSO DE BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

CURSO DE BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 1º GSI001 1º GSI002 1º GSI003 Componentes Curriculares BSI Per. Código Componente Curricular Empreendedorismo em Informática Introdução à Programação de Computadores Introdução aos Sistemas de Informação

Leia mais

Perfis e competências profissionais

Perfis e competências profissionais Perfis e competências profissionais Roberto Henriques NOVA IMS Apresentação Institucional NOVA IMS INTRODUÇÃO A NOVA Information Management School (NOVA IMS) é a Escola de Gestão de Informação da. Este

Leia mais

EMPREGABILIDADE. Integ na Electomec.

EMPREGABILIDADE. Integ na Electomec. Desde a sua criação, a Universidade da Beira Interior tem vindo a desempenhar a sua missão como centro de criação, transmissão e difusão de cultura, de ciência e de tecnologia, com uma forte ênfase na

Leia mais

Requisitos de Titulação para Inscrição no Processo Seletivo de Docentes Aviso 064.06.2012 Processo 8969/2012

Requisitos de Titulação para Inscrição no Processo Seletivo de Docentes Aviso 064.06.2012 Processo 8969/2012 Etec Professor Horácio Augusto da Silveira Classe Descentralizada E.M. Mufarrege Salomão Chamma Requisitos de Titulação para Inscrição no Processo Seletivo de Docentes Aviso 064.06.2012 Processo 8969/2012

Leia mais

O ACESSO AO ENSINO SUPERIOR PORTUGUÊS NO ÂMBITO DA COOPERAÇÃO

O ACESSO AO ENSINO SUPERIOR PORTUGUÊS NO ÂMBITO DA COOPERAÇÃO O ACESSO AO ENSINO SUPERIOR PORTUGUÊS NO ÂMBITO DA COOPERAÇÃO PALOP E TIMOR-LESTE ANTÓNIO MORÃO DIAS DIRECTOR-GERAL DO ENSINO SUPERIOR Centro de Congressos de Lisboa, 22 de Abril de 2010 DIRECÇÃO DE SERVIÇOS

Leia mais

Integralização do Curso Nova grade de Ciência Proposta

Integralização do Curso Nova grade de Ciência Proposta Caros alunos, esse documento é um guia para facilitar o entendimento do processo de migração do currículo e não é definitivo. O processo de criação da nova grade ainda está em fase final de elaboração.

Leia mais

RESOLUÇÃO. Artigo 2º - O Curso, ora criado, será oferecido no turno noturno, com 10 semestres de duração e com 50 vagas iniciais.

RESOLUÇÃO. Artigo 2º - O Curso, ora criado, será oferecido no turno noturno, com 10 semestres de duração e com 50 vagas iniciais. RESOLUÇÃO CONSEPE 27/2001 CRIA E IMPLANTA O CURSO DE ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO, NO CCT, DO CÂMPUS DE CAMPINAS. O Presidente do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão - CONSEPE, no uso de suas atribuições

Leia mais

Projecto de Redes de Computadores I

Projecto de Redes de Computadores I Projecto de Redes de Computadores I 2005/2006 Introdução O projecto de redes Informáticas é fundamental para uma bom desempenho dinâmico e estrutural da infra-estrutura de rede. Desta forma a correcta

Leia mais

Gestão da Informação oportunidade ou necessidade? Luis Borges Gouveia

Gestão da Informação oportunidade ou necessidade? Luis Borges Gouveia Gestão da Informação oportunidade ou necessidade? Luis Borges Gouveia Apresentação no IESF 19:00, 12 de Abril de 2006 Gestão da Informação: oportunidade ou necessidade? As preocupações com a Gestão da

Leia mais

Nº de Vagas Lei Decreto nº

Nº de Vagas Lei Decreto nº Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul EDITAL Nº 19/2016 ANEXO II QUADRO DE VAGAS Nº de Vagas

Leia mais

Departamento de Ciência da Computação. Universidade Federal de Minas Gerais

Departamento de Ciência da Computação. Universidade Federal de Minas Gerais Departamento de Ciência da Computação Universidade Federal de Minas Gerais Por: Antônio Otávio Fernandes SUMÁRIO A UFMG O DCC Graduação Pós-graduação Principais áreas de interesse do Programa de Pós- Graduação

Leia mais

FUNDAÇÃO PARQUE TECNOLÓGICO ITAIPU - BRASIL EDITAL DO PROCESSO SELETIVO Nº 38.16

FUNDAÇÃO PARQUE TECNOLÓGICO ITAIPU - BRASIL EDITAL DO PROCESSO SELETIVO Nº 38.16 EDITAL DO PROCESSO SELETIVO Nº 38.16 A FUNDAÇÃO PARQUE TECNOLÓGICO ITAIPU BRASIL (FPTI-BR) torna público que serão recebidas as inscrições para o Processo Seletivo nº 38.16 sob contratação em regime CLT

Leia mais

E D I T A L. I. estiver regularmente matriculado nas Faculdades Integradas Sévigné;

E D I T A L. I. estiver regularmente matriculado nas Faculdades Integradas Sévigné; EDITAL SA N.º 06/2009 DISPÕE SOBRE O PROCESSO DE INSCRIÇÃO PARA A AVALIAÇÃO DE SUFICIÊNCIA E O EXAME DE PROFICIÊNCIA DAS FACULDADES INTEGRADAS SÉVIGNÉ. O Secretário Acadêmico das Faculdades Integradas

Leia mais

Disciplinas que têm material didático

Disciplinas que têm material didático Disciplinas que têm material didático Código CCE0001 GST0001 GST0027 GST0002 GST0003 CCA0066 CCE0002 CCT0001 GST0029 GST0030 GST0031 GST0032 CEL0014 SDE0022 SDE0002 CCE0091 CEL0001 CCA0068 CCT0013 SDE0004

Leia mais

PRODUÇÃO E VENDAS DO SETOR EDITORIAL BRASILEIRO

PRODUÇÃO E VENDAS DO SETOR EDITORIAL BRASILEIRO PRODUÇÃO E VENDAS DO SETOR EDITORIAL BRASILEIRO Ano Base 2010 O QUE É A PESQUISA PRODUÇÃO E VENDAS DO SETOR EDITORIAL BRASILEIRO? - É UMA ESTIMATIVA, ELABORADA A PARTIR DOS DADOS DE UMA AMOSTRA DE EDITORAS,

Leia mais

Professor: Técnico e Linguagem de Sinais

Professor: Técnico e Linguagem de Sinais Professor: Técnico e Linguagem de Sinais 26 C 02 D 27 D 03 C 28 B 04 B 29 D 05 A 30 C 06 D 31 A 07 E 32 E 08 B 33 E 09 C 34 D 10 B 35 B 11 B 36 E 12 A 12 E 37 A 13 B 13 C 38 B 14 A 14 C 39 A 15 E 15 B

Leia mais

PERÍODOS SEGUNDA TERÇA QUARTA QUINTA SEXTA

PERÍODOS SEGUNDA TERÇA QUARTA QUINTA SEXTA TÉCNICO EM COZINHA SUBSEQUENTE TURMA 10C (SALA 308) Obs.: O horário de início e de término ainda está por ser definido com todos os alunos do curso, portanto, está sujeito a alterações. 15:10 16:00 16:00

Leia mais

Europass Curriculum Vitae

Europass Curriculum Vitae Europass Curriculum Vitae Informação pessoal Nome(s) próprio(s) / Apelido(s) Morada(s) Endereço(s) de correio electrónico Rui Pedro Rego de Carvalho Rua Cidade de Rabat, nº32 3ºDt, 1500-163 Lisboa (Portugal)

Leia mais

Reitoria. Universidade do Minho, 2 de outubro de 2015

Reitoria. Universidade do Minho, 2 de outubro de 2015 Reitoria despacho RT-52/2015 No âmbito do Despacho RT-51/2015, de 2 de tubro, são aprovadas, para o ano letivo de 2016/2017, as provas de ingresso para titulares do ensino secundário português e pré-requisitos

Leia mais

Chamada Pública MCTI/CNPq/SPM-PR/Petrobras nº 18/2013 ANEXO I

Chamada Pública MCTI/CNPq/SPM-PR/Petrobras nº 18/2013 ANEXO I ANÁLISE DE SISTEMAS ANÁLISE DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO ANÁLISE DE SISTEMAS E TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS ANÁLISE ESTATÍSTICA ASTROFÍSICA ASTROFÍSICA E FÍSICA COMPUTACIONAL

Leia mais

Objetivo. Softwares Livres.

Objetivo. Softwares Livres. UTILIZAÇÃO DO CADASTRO TERRITORIAL MULTIFINALITÁRIO NA GESTÃO DE RISCOS Amilton Amorim (Unesp) Ana Maria Rodrigues Monteiro de Sousa (U. Porto) Eric Rafael Pereira de Sousa (Unesp) Objetivo Mostrar o Cadastro

Leia mais

ANEXO 5 QUADRO DE OFERTA DE DISCIPLINAS 2015.1. Carga Horária. Microbiologia e Parasitologia 90 06 a 15.07.2015 2 Licenciatura em Biologia

ANEXO 5 QUADRO DE OFERTA DE DISCIPLINAS 2015.1. Carga Horária. Microbiologia e Parasitologia 90 06 a 15.07.2015 2 Licenciatura em Biologia ANEXO 5 QUADRO DE OFERTA DE DISCIPLINAS 2015.1 Curso: Licenciatura Plena em Ciências Biológicas Campus/Núcleo Bloco Disciplina Carga Horária Período Vagas Área de Formação de acordo com item 1.2 do Edital

Leia mais

ETEC PROF. DR. JOSÉ DAGNONI SANTA BÁRBARA D OESTE CLASSE DESCENTRALIZADA E.E. EMÍLIO ROMI

ETEC PROF. DR. JOSÉ DAGNONI SANTA BÁRBARA D OESTE CLASSE DESCENTRALIZADA E.E. EMÍLIO ROMI ETEC PROF. DR. JOSÉ DAGNONI SANTA BÁRBARA D OESTE CLASSE DESCENTRALIZADA E.E. EMÍLIO ROMI AVISO DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES AO PROCESSO SELETIVO DE DOCENTES, OBJETIVANDO A FORMAÇÃO DE CADASTRO PARA CONTRATAÇÃO

Leia mais

COORDENADORIA DO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO LISTA DE OFERTA 2012.1

COORDENADORIA DO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO LISTA DE OFERTA 2012.1 COORDENADORIA DO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO LISTA DE OFERTA 2012.1 PRIMEIRO PERÍODO Metodologia Cientifica DEFIL 0725.0 56 06/07 06/07 Cynthia P.Freire Ala N 303 Introdução a Computação DEINF 5587.8

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO FINAL PROGRAMA DE MONITORIA EDITAL Nº 001/2016

CLASSIFICAÇÃO FINAL PROGRAMA DE MONITORIA EDITAL Nº 001/2016 CLASSIFICAÇÃO FINAL PROGRAMA DE MONITORIA EDITAL Nº 001/2016 CLASSIFICAÇÃO UNIDADE CURSO DISCIPLINA 1 Guaíba Eng. da Computação Produção Textual 2 Guaíba Eng. da Computação Circuitos Elétricos I 3 Guaíba

Leia mais

Eixo VI _ Assistência Técnica. VI.1. Gestão Operacional e Monitorização Estratégica

Eixo VI _ Assistência Técnica. VI.1. Gestão Operacional e Monitorização Estratégica _ Assistência Técnica CONTROLO DO DOCUMENTO Versão Data Descrição N. de Página 1ª 2008.05.15 5 Pág. 1 de 5 Objectivo Assegurar as condições adequadas para a gestão, acompanhamento, avaliação, monitorização

Leia mais

Nº de Vagas Turno Curso Instituição de Ensino Superior

Nº de Vagas Turno Curso Instituição de Ensino Superior Nº de Vagas Turno Curso Instituição de Ensino Superior 1 MATUTINO ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS UNIA - CENTRO UNIVERSITÁRIO ANHANGUERA - (242) 1 NOTURNO ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS UNIA

Leia mais

CARGO 1: TÉCNICO EM GESTÃO DE INOVAÇÃO ÁREA: ADMINISTRAÇÃO TIPO A CARGO 2: TÉCNICO EM GESTÃO DE DESENVOLVIMENTO, CIÊNCIA, TECNOLOGIA E

CARGO 1: TÉCNICO EM GESTÃO DE INOVAÇÃO ÁREA: ADMINISTRAÇÃO TIPO A CARGO 2: TÉCNICO EM GESTÃO DE DESENVOLVIMENTO, CIÊNCIA, TECNOLOGIA E Agenda I 12 e 13/5/2008 Período provável para entrega dos documentos referentes à avaliação de títulos (para cargos de nível superior) e para a entrega dos documentos necessários à comprovação de idade

Leia mais

Faculdade La Salle Mantida pela Sociedade Porvir Científico Credenciada pela Portaria Ministerial nº. 2.653 de 07/12/01 D.O.U. de 10/12/01.

Faculdade La Salle Mantida pela Sociedade Porvir Científico Credenciada pela Portaria Ministerial nº. 2.653 de 07/12/01 D.O.U. de 10/12/01. CONSELHO PEDAGÓGICO - COP RESOLUÇÃO Nº 81/2010, DE 08 DE ABRIL DE 2010 Aprova quadro de equivalência de disciplinas entre cursos de graduação da Faculdade La Salle. O Presidente do Conselho Pedagógico

Leia mais

Ano lectivo - 2014 / 2015 - Anual Época Especial

Ano lectivo - 2014 / 2015 - Anual Época Especial MAPA DE SALAS Escola Superior de Tecnologia e Gestão Ano lectivo - 2014 / 2015 - Anual Época Especial Dia Hora Unidade Curricular Nº alunos Curso Sala 01-set 10h História e Crítica do Design DA S 2.7 04-set

Leia mais

Regulamento de creditação da formação anterior no Mestrado em Recursos Florestais da Escola Superio Agrária de Coimbra

Regulamento de creditação da formação anterior no Mestrado em Recursos Florestais da Escola Superio Agrária de Coimbra Regulamento de creditação da formação anterior no Mestrado em Recursos Florestais da Escola Superio Agrária de Coimbra 1. Os alunos com o grau de licenciado (com planos de estudos de 5 anos) pelos cursos

Leia mais

OPORTUNIDADES DE ESTÁGIO

OPORTUNIDADES DE ESTÁGIO Nº da vaga: 1122 Curso(s): Administração Requisito: A partir do 4º período sexo: Sem preferência cidade: Não Possuir experiência: Não (i) Levantamento dos indicadores gerenciais; (ii) planejar o instrumento

Leia mais

MESTRADO EM MÉTODOS QUANTITATIVOS EM FINANÇAS

MESTRADO EM MÉTODOS QUANTITATIVOS EM FINANÇAS MESTRADO EM MÉTODOS QUANTITATIVOS EM FINANÇAS Faculdade de Economia / Departamento de Matemática da Faculdade de Ciências e Tecnologia UNIVERSIDADE DE COIMBRA Estrutura curricular e plano de estudos ESTRUTURA

Leia mais

PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO/A DE INFORMÁTICA - SISTEMAS

PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO/A DE INFORMÁTICA - SISTEMAS PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO/A DE INFORMÁTICA - SISTEMAS PERFIL PROFISSIONAL Técnico/a de Informática Sistemas Nível 3 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/5 ÁREA DE ACTIVIDADE OBJECTIVO GLOBAL SAÍDA(S)

Leia mais

Curso de Licenciatura em Matemática VITÓRIA

Curso de Licenciatura em Matemática VITÓRIA Curso de Licenciatura em Matemática VITÓRIA Coordenador Antonio Henrique Pinto Horário Matutino Duração 4 anos (8 semestres) Carga horária 3.060 horas de créditos em disciplinas e de estágio obrigatório

Leia mais

A PROCURA DE EMPREGO DOS DIPLOMADOS

A PROCURA DE EMPREGO DOS DIPLOMADOS A PROCURA DE EMPREGO DOS DIPLOMADOS COM HABILITAÇÃO SUPERIOR Em Fevereiro de 2008, o GPEARI do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior publicou o segundo relatório sobre a procura de emprego

Leia mais

GABINETE DE ESTRATÉGIA, PLANEAMENTO E AVALIAÇÃO CULTURAIS. Voluntariado Formal - Arte e Cultura em 2012. Arte. Cultura. GEPAC Setembro 2013

GABINETE DE ESTRATÉGIA, PLANEAMENTO E AVALIAÇÃO CULTURAIS. Voluntariado Formal - Arte e Cultura em 2012. Arte. Cultura. GEPAC Setembro 2013 ... Cultura GABINETE DE ESTRATÉGIA, PLANEAMENTO E AVALIAÇÃO CULTURAIS Arte Voluntariado Formal - Arte e Cultura em 2012 GEPAC Setembro 2013 TÍTULO Voluntariado Formal nas Artes e na Cultura em 2012 DIREÇÃO

Leia mais

Anexo V. Quadro de pessoal da GGTIN

Anexo V. Quadro de pessoal da GGTIN Anexo V Quadro de pessoal da GGTIN Elaboração do Plano Diretor de Tecnologia da Informação PDTI 2014-2016 Nome Anderson da Mota Ribeiro Antonielly Garcia Rodrigues Bruno Duarte Garcia Bruno Leite Reis

Leia mais

PROGRAMA NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO TÉCNICO E EMPREGO - PRONATEC RESOLUÇÃO/FNDE/CD/N 04 DE 16 DE MARÇO DE 2012

PROGRAMA NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO TÉCNICO E EMPREGO - PRONATEC RESOLUÇÃO/FNDE/CD/N 04 DE 16 DE MARÇO DE 2012 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA TECNOLOGIA DO AMAPÁ RESOLUÇÃO/FNDE/CD/N 04 DE 16 DE MARÇO DE 22 ANEXO 1 VAGAS/TITULAÇÃO MÍNIMA EXIGIDA: Função de Professor: Câmpus Laranjal

Leia mais

PROGRAMA NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO TÉCNICO E EMPREGO - Pronatec RESOLUÇÃO/FNDE/CD/N 04 DE 16 DE MARÇO DE 2012

PROGRAMA NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO TÉCNICO E EMPREGO - Pronatec RESOLUÇÃO/FNDE/CD/N 04 DE 16 DE MARÇO DE 2012 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO RESOLUÇÃO/FNDE/CD/N 04 DE 16 DE MARÇO DE 2012 ANEXO 1 VAGAS/TITULAÇÃO MÍNIMA EXIGIDA: Função de Professor: Câmpus Laranjal do Jari Cursos Turno Componentes Curriculares C.H. Quant.

Leia mais

TURMAS MÓDULO B - 2015 TURMAS MÓDULO C - 2015 TURMAS. Início Término Disciplinas. Início Término Disciplinas. Início Término Disciplinas

TURMAS MÓDULO B - 2015 TURMAS MÓDULO C - 2015 TURMAS. Início Término Disciplinas. Início Término Disciplinas. Início Término Disciplinas BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO Calouros - Quintas-feiras, das 18h20 às 20h25 (C3) - Núcleo Comum 03 primeiros Módulos, Veteranos - Quintas-feiras das 20h30 às 22h35 (C3) 2013/02 2012/08 - - - - MÓDULO NÚCLEO

Leia mais

Oficina de Informática e Telemática

Oficina de Informática e Telemática UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ (UESC) Criada pela Lei 6.344, de 05.12.1991, e reorganizada pela Lei 6.898, de 18.08.1995 e pela Lei 7.176, de 10.09.1997 Oficina de Informática e Telemática Prof. Dr.

Leia mais

Escola Básica e Secundária de Velas Projeto Curricular de Escola Ensino Secundário - 2011 / 2012. Projeto Curricular. do Ensino Secundário

Escola Básica e Secundária de Velas Projeto Curricular de Escola Ensino Secundário - 2011 / 2012. Projeto Curricular. do Ensino Secundário Projeto Curricular do Ensino Secundário Ano Letivo 2011/2012 1 1- Introdução De acordo com o Decreto -Lei n.º 74/ 2004, de 26 de março, com as alterações introduzidas pelo Decreto-Lei nº 24/2006, de 6

Leia mais

MAPA DO ENSINO SUPERIOR NO ESTADO DE SÃO PAULO RODRIGO CAPELATO

MAPA DO ENSINO SUPERIOR NO ESTADO DE SÃO PAULO RODRIGO CAPELATO MAPA DO ENSINO SUPERIOR NO ESTADO DE SÃO PAULO 2013 RODRIGO CAPELATO www.semesp.org.br Realização Apoio www.semesp.org.br Dados 1. Matrículas - Cursos presenciais, tecnológicos e EAD 2. Pirâmides - Cursos

Leia mais

ANEXO VII - (Quadro de Vagas com as respectivas codificações)

ANEXO VII - (Quadro de Vagas com as respectivas codificações) Código s Curso(s) Localidade(s) Turno ANEXO VII - (Quadro de Vagas com as respectivas codificações) 01 Padeiro Betim 20 horas Noções de Higiene e Segurança Alimentar 02 Padeiro Betim 20 horas Princípios

Leia mais

MATRIZ DA PROVA DE EXAME DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA A NÍVEL DE ESCOLA DE INTRODUÇÃO ÀS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO (PROVA 24)

MATRIZ DA PROVA DE EXAME DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA A NÍVEL DE ESCOLA DE INTRODUÇÃO ÀS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO (PROVA 24) MATRIZ DA PROVA DE EXAME DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA A NÍVEL DE ESCOLA DE INTRODUÇÃO ÀS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO (PROVA 24) 2011 9º Ano de Escolaridade 1. INTRODUÇÃO O exame desta disciplina

Leia mais

FILOSOFIA PRIMEIRO CICLO

FILOSOFIA PRIMEIRO CICLO FILOSOFIA PRIMEIRO CICLO Plano Curricular Percurso 1 QUESTÕES APROFUNDADAS DE FILOSOFIA (QAF) FORMAÇÃO FUNDAMENTAL Antropologia Filosófica 4,5 Axiologia e Ética 4,5 Epistemologia 4 Estética e Teorias da

Leia mais

Participação nacional e guia para o estabelecimento de um Nó Nacional GBIF

Participação nacional e guia para o estabelecimento de um Nó Nacional GBIF Workshop: Importância da participação de Moçambique no Sistema Global de Informação Sobre Biodiversidade (GBIF) Participação nacional e guia para o estabelecimento de um Nó Nacional GBIF Rui Figueira Nó

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR EN - ESCOLA DE COMUNICAÇÃO E NEGÓCIOS COMUNICAÇÃO SOCIAL - HAB. PUBLICIDADE E PROPAGANDA (100 )

MATRIZ CURRICULAR EN - ESCOLA DE COMUNICAÇÃO E NEGÓCIOS COMUNICAÇÃO SOCIAL - HAB. PUBLICIDADE E PROPAGANDA (100 ) Página de. Disciplinas Obrigatórias ª SÉRIE - COMUNICAÇÃO SOCIAL - HAB. PUBLICIDADE E PROPAGANDA 0 FILOSOFIA E ÉTICA NFH.000_0 0 FOTOGRAFIA PUB._0 0 HISTÓRIA DA ARTE E DA CULTURA PUB.0_0 0 HISTÓRIA DA

Leia mais

BALANÇO SOCIAL 2009 1/14

BALANÇO SOCIAL 2009 1/14 BALANÇO SOCIAL 2009 1/14 ÍNDICE INTRODUÇÃO 1. Organograma do IDE-RAM 2. Distribuição global dos recursos humanos 3. Estrutura etária dos recursos humanos 4. Estrutura de antiguidades 5. Estrutura habilitacional

Leia mais

Exame de Equivalência à Frequência do Ensino Secundário

Exame de Equivalência à Frequência do Ensino Secundário Exame de Equivalência à Frequência do Ensino Secundário INFORMAÇÃO EXAME DE APLICAÇÕES INFORMÁTICAS B 2016 12º ANO DE ESCOLARIDADE (DECRETO-LEI N.º 139/ 2012, DE 5 DE JULHO) Prova 163 Escrita e Prática

Leia mais

CURSOS TÉCNICOS SUPERIORES PROFISSIONAIS Balanço e próximos passos 1 de dezembro de 2015

CURSOS TÉCNICOS SUPERIORES PROFISSIONAIS Balanço e próximos passos 1 de dezembro de 2015 1 de dezembro de 2015 1.Caraterísticas e objetivos dos CTeSP 2.Fases de registo de cursos 3.Ações de divulgação 4.Cursos registados em números 5.Próximos passos 1. Caraterísticas e objetivos Interação

Leia mais

OFERTAS DE TRABALHO CONCURSOS PARA A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA 17-03-2015

OFERTAS DE TRABALHO CONCURSOS PARA A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA 17-03-2015 OFERTAS DE TRABALHO CONCURSOS PARA A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA 17-03-2015 Concurso de Admissão de Voluntários para Prestação de Serviço Militar em Regime de Contrato na Categoria de Oficiais, nas Classes de

Leia mais

30/set - Informações Específicas para a Etapa da Prova Escrita

30/set - Informações Específicas para a Etapa da Prova Escrita 30/set - Informações Específicas para a Etapa da Prova Escrita EDITAL 078/13 - UNIDADE DE ARAXÁ Automação Eletrônica de Processos Elétricos e Industriais e Controle de Processos Eletrônicos e Retroalimentação

Leia mais

A PUCRS oferece a possibilidade de ingresso extravestibular nos cursos de graduação através de reopção a partir de 18 de abril de 2016.

A PUCRS oferece a possibilidade de ingresso extravestibular nos cursos de graduação através de reopção a partir de 18 de abril de 2016. Ingresso Extravestibular 2016/2 - Reopção A PUCRS oferece a possibilidade de ingresso extravestibular nos cursos de graduação através de reopção a partir de 18 de abril de 2016. Não serão aceitos pedidos

Leia mais

CURSO e IFES: LICENCIATURA EM PEDAGOGIA/UENF

CURSO e IFES: LICENCIATURA EM PEDAGOGIA/UENF Música e Educação Educação de Jovens e Adultos Língua Portuguesa na Educação 2 Licenciatura plena em Letras (todas as habilitações) ou Linguística Teatro e Educação Estágio Curricular Supervisionado 1

Leia mais

Escola Superior de Redes

Escola Superior de Redes Escola Superior de Redes Por que uma Escola Superior de Redes? Capacitação em TIC é um dos objetivos do Programa Prioritário de Informática do MCT/SEPIN (PPI RNP). A ESR é um novo instrumento na realização

Leia mais

REGULAMENTO DO CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

REGULAMENTO DO CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO REGULAMENTO DO CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO REGULAMENTO QUE DISPÕE SOBRE AS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO FACULDADE DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA/CAMPUS APARECIDA DE GOIÂNIA

Leia mais

Reitoria. despacho RT-45/2011

Reitoria. despacho RT-45/2011 Reitoria despacho RT-45/2011 Considerando o disposto na Lei nº 37/2003, de 22 de Agosto, designadamente no seu artigo 16º, na redacção que lhe foi introduzida pelo artigo 3º da Lei nº. 49/2005, de 30 de

Leia mais

Tecnologia de computadores. Alexandre Pontes nº27340 Wilson Roque nº27636

Tecnologia de computadores. Alexandre Pontes nº27340 Wilson Roque nº27636 Tecnologia de computadores Alexandre Pontes nº27340 Wilson Roque nº27636 Objectivos A implementação de sistemas de informação na saúde tem os seguintes objectivos: Administrativos e financeiros dados de

Leia mais

Engenharia de Software. Ciclos de Vida do Software. 1. Sistemas

Engenharia de Software. Ciclos de Vida do Software. 1. Sistemas Engenharia de Software Profa. Dra. Lúcia Filgueiras Profa. Dra. Selma S. S. Melnikoff Ciclos de Vida do Software 1. Sistemas 2. Crise do software 3. Caracterização do software 4. Ciclos de vida do software

Leia mais

Como Fazer uma Monografia

Como Fazer uma Monografia Como Fazer uma Monografia Profa. Mara Abel Instituto de Informática / UFRGS marabel@inf.ufrgs.br O que é uma monografia? A descrição, através de um texto com formato pré-definido, dos resultados obtidos

Leia mais

Listagem de Estágios - 5ª Edição

Listagem de Estágios - 5ª Edição Listagem de Estágios - 5ª Edição Projecto Função Habilitações Literárias exigidas Entidade / Local 1 WEB Designer ou Licenciatura Global Score -Consultores, Lda. 2 Programador / Técnico Informático Licenciatura

Leia mais

CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO

CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO ANO LECTIVO 2009/2010 1 CURSO DO ENSINO REGULAR DISCIPLINA: INTRODUÇÃO ÀS TECNOLOGIAS INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO ANO: 9.º DOMÍNIOS COMPETÊNCIAS PONRAÇÃO Rentabilizar as Tecnologias da Informação e Comunicação

Leia mais

Modelo do Relatório Final de Apreciação do Programa de Bolsa a elaborar pelo Bolseiro

Modelo do Relatório Final de Apreciação do Programa de Bolsa a elaborar pelo Bolseiro Modelo do Relatório Final de Apreciação do Programa de Bolsa a elaborar pelo Bolseiro Ex.mo Senhor Vice-Reitor Reitoria da Universidade de Aveiro Campus Universitário de Santiago 3810-193 Aveiro.. (nome

Leia mais

Nº horas ESTRATÉGIAS RECURSOS AVALIAÇÃO

Nº horas ESTRATÉGIAS RECURSOS AVALIAÇÃO ANO: 10.º Curso Profissional Técnico de Informática de Gestão Disciplina: Linguagens de Programação ANO LECTIVO: 2008/2009 p.1/13 Módulo 1 Algoritmia 1 - Introdução à Lógica de Programação Lógica Sequência

Leia mais

CAMPUS DO POLO ABATETETUBA ANANINDEUA BELEM BRAGANÇA BREVES CASTANHAL PARAGOMINAS

CAMPUS DO POLO ABATETETUBA ANANINDEUA BELEM BRAGANÇA BREVES CASTANHAL PARAGOMINAS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO PARÁ CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTODE CARGO EFETIVO DA CARREIRA DE MAGISTÉRIODO ENSINO BÁSICO, TÉCNICO E TECNOLÓGICO EDITAL

Leia mais

1. Introdução: Bem-vind@s ao V Dia na USP!

1. Introdução: Bem-vind@s ao V Dia na USP! 1. Introdução: Bem-vind@s ao V Dia na USP! Programação do V Dia na USP 3. Como vencer o vestibular? Orientações: Informações sobre o Dia na USP: orientações. 3. Informações sobre o ingresso na usp: as

Leia mais

PRINCÍPIOS GERAIS PRINCÍPIOS GERAIS PRINCÍPIOS GERAIS NÍVEIS DA REFORMA PRINCÍPIOS GERAIS. Funções de suporte Apoio à Governação Gestão de Recursos

PRINCÍPIOS GERAIS PRINCÍPIOS GERAIS PRINCÍPIOS GERAIS NÍVEIS DA REFORMA PRINCÍPIOS GERAIS. Funções de suporte Apoio à Governação Gestão de Recursos PRINCÍPIOS GERAIS Funções de suporte Apoio à Governação Gestão de Recursos Funções Operacionais 30-03-2006 1 30-03-2006 2 PRINCÍPIOS GERAIS Apoio à Governação (em todos os Ministérios) Serviços de planeamento,

Leia mais

Carreira 170 Economia Empresarial e Controladoria Ribeirão Preto Curso 35: Bacharelado em Economia Empresarial e Controladoria

Carreira 170 Economia Empresarial e Controladoria Ribeirão Preto Curso 35: Bacharelado em Economia Empresarial e Controladoria Carreira 100 Administração Ribeirão Preto Curso 10: Administração Diurno Curso 11: Administração Noturno Carreira 105 Arquitetura FAU Curso 12: Arquitetura e Urbanismo Carreira 110 Arquitetura São Carlos

Leia mais

CALENDÁRIO DE PROVAS PRESENCIAIS

CALENDÁRIO DE PROVAS PRESENCIAIS CALENDÁRIO DE PROVAS PRESENCIAIS P á g i n a 1 Caro(a) estudante: Encontra se disponível o calendário de provas presenciais para o ano letivo 2015/2016. O referido calendário foi elaborado tendo por base

Leia mais

MESTRADO EM ECOLOGIA APLICADA 2006/2008. Propinas: 1250 /Ano

MESTRADO EM ECOLOGIA APLICADA 2006/2008. Propinas: 1250 /Ano MESTRADO EM ECOLOGIA APLICADA 2006/2008 Propinas: 1250 /Ano Nº clausus: 10 Mestrado em Ecologia Aplicada Nº mínimo para funcionamento: 7 no conjunto dos dois cursos (Mestrado e Pós-Graduação) Período de

Leia mais

Instituto de Educação

Instituto de Educação Instituto de Educação Universidade de Lisboa Oferta Formativa Pós-Graduada Doutoramento em Educação Especialização: Administração e Política Educacional (Regime Intensivo) 16 17 Edição Instituto de Educação

Leia mais

Normas para a elaboração de um relatório. para a disciplina de projecto integrado. 3.º ano 2.º semestre. Abril de 2004

Normas para a elaboração de um relatório. para a disciplina de projecto integrado. 3.º ano 2.º semestre. Abril de 2004 Normas para a elaboração de um relatório para a disciplina de projecto integrado 3.º ano 2.º semestre Abril de 2004 Instituto Superior de Tecnologias Avançadas Índice Introdução...3 O que é um relatório...3

Leia mais

Componente Curricular: ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO PLANO DE CURSO

Componente Curricular: ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO PLANO DE CURSO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Reconhecimento Renovado pela Portaria MEC nº 264 de 14.07.11, DOU de 19.07.11. Componente Curricular: ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Código: CTB-252 Pré-requisito:

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO PARECER HOMOLOGADO Despacho do Ministro, publicado no D.O.U. de 28/7/2005, Seção 1, p. 13. Portaria MEC nº 2.642, publicada no D.O.U. de 28/7/2005, Seção 1, p. 11. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL

Leia mais

O desemprego dos diplomados da Universidade do Minho

O desemprego dos diplomados da Universidade do Minho O desemprego dos diplomados da Universidade do Minho Situação em junho de 2011 Trabalho realizado por: Elisabete Pacheco e Isabel Santos Serviços para a Garantia da Qualidade Miguel Portela, Carla Sá e

Leia mais

Funcionamento dos Tribunais Administrativos e Fiscais

Funcionamento dos Tribunais Administrativos e Fiscais Funcionamento dos Tribunais Administrativos e Fiscais O Conselho Distrital de Lisboa enviou, via mailing electrónico, em 3 de Agosto do corrente ano, a todos os Advogados da sua área de jurisdição, um

Leia mais

Pós-Graduação. Ampliação da abrangência da pós-graduação da UFMG, através de mudanças

Pós-Graduação. Ampliação da abrangência da pós-graduação da UFMG, através de mudanças Pós-Graduação Ampliação da abrangência da pós-graduação da UFMG, através de mudanças Na concepção do processo seletivo, de modo a ampliar a abrangência regional e nacional da pós-graduação; Número de Alunos

Leia mais

As rectificações divulgadas nesta adenda, após a publicação da 1.ª edição do Guia da Candidatura n.º 69, já estão integradas na 2.

As rectificações divulgadas nesta adenda, após a publicação da 1.ª edição do Guia da Candidatura n.º 69, já estão integradas na 2. As rectificações divulgadas nesta adenda, após a publicação da 1.ª edição do Guia da Candidatura n.º 69, já estão integradas na 2.ª edição deste Guia. ao Guia do Ensino Superior n.º 69 ENSINO SUPERIOR

Leia mais

PRES-EDT01-2016 EDITAL CONCURSO DE ACESSO AOS CURSOS DE MESTRADO ANO LETIVO DE 2016/2017

PRES-EDT01-2016 EDITAL CONCURSO DE ACESSO AOS CURSOS DE MESTRADO ANO LETIVO DE 2016/2017 PRES-EDT01-2016 EDITAL CONCURSO DE ACESSO AOS CURSOS DE MESTRADO ANO LETIVO DE 2016/2017 João Manuel Simões da Rocha, Presidente do Instituto Superior de Engenharia do Porto (ISEP), faz saber que, nos

Leia mais

ESTADO DO MARANHÃO SECRETARIA DE ESTADO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO INSTITUTO DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO MARANHÃO

ESTADO DO MARANHÃO SECRETARIA DE ESTADO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO INSTITUTO DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO MARANHÃO ESTADO DO MARANHÃO SECRETARIA DE ESTADO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO INSTITUTO DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO MARANHÃO Edital IEMA nº 08, de 03 de maio de 2016 EDITAL DE INSCRIÇÃO SELEÇÃO INTERNA

Leia mais

50 anos a trabalhar pela saúde das pessoas

50 anos a trabalhar pela saúde das pessoas 50 anos a trabalhar pela saúde das pessoas 0 Intervenções Prácticas para a Melhora dos Processos de Planificação e Gestão Sanitária Mapas Sanitários da Área Municipal da Cidade de Maputo Março Julho 2013

Leia mais

Sistemas de Informação para Bibliotecas

Sistemas de Informação para Bibliotecas Sistemas de Informação para Bibliotecas Notas de Apoio ao Tópico 1 Henrique S. Mamede 1 Antes de mais nada: O QUE É MESMO INFORMAÇÃO?? Dados Informação Conhecimento Sabedoria 2 Dados São tipicamente voltados

Leia mais

1.2.1 Modelo de referência para as tecnologias multimédia 12

1.2.1 Modelo de referência para as tecnologias multimédia 12 EXTRATEXTO: FIGURAS A CORES XVII AGRADECIMENTOS XXV NOTA DO AUTOR XXVII PREFÁCIO À 5.ª EDIÇÃO XXXI 1- INTRODUÇÃO 1 1.1 Multimédia: o que é? 2 1.1.1 Contextualização do conceito multimédia 3 1.1.2 Tipos

Leia mais

ESCOLA TÉCNICA ESTADUAL DE ILHA SOLTEIRA ILHA SOLTEIRA

ESCOLA TÉCNICA ESTADUAL DE ILHA SOLTEIRA ILHA SOLTEIRA REQUISITOS PARA INSCRIÇÕES AO PROCESSO SELETIVO DE DOCENTES, OBJETIVANDO A FORMAÇÃO DE CADASTRO PARA CONTRATAÇÃO TEMPORÁRIA DE EXCEPCIONAL INTERESSE PÚBLICO, Nº 065/02/2016 DE 14/04/2016. PROCESSO Nº 2050/2016.

Leia mais

Aviso de Abertura 141/03/2014, de 22/12/2014 - Processo Nº 6771/2014

Aviso de Abertura 141/03/2014, de 22/12/2014 - Processo Nº 6771/2014 Aviso de Abertura 141/03/2014, de 22/12/2014 - Processo Nº 6771/2014 COMPONENTE CURRICULAR 1. Língua Portuguesa e Literatura (Base Nacional Comum - Ensino Médio; Informática para Internet Integrado ao

Leia mais

Comiqs Manual e Guia de exploração do Comiqs para utilização em contexto de Educação Visual e Tecnológica. Rosabela Agostinho Borges

Comiqs Manual e Guia de exploração do Comiqs para utilização em contexto de Educação Visual e Tecnológica. Rosabela Agostinho Borges Estudo sobre a integração de ferramentas digitais no currículo da disciplina de Educação Visual e Tecnológica Comiqs Manual e Guia de exploração do Comiqs para utilização em contexto de Educação Visual

Leia mais

Turma(s): A11, A12, A13, A14, A21, A22, A23, A24, B11, B12, B13, B14, B21, B22, B23, B24

Turma(s): A11, A12, A13, A14, A21, A22, A23, A24, B11, B12, B13, B14, B21, B22, B23, B24 Componente: Teórica AULA n.º: 1 Dia 11-02-2015 das 16:00 às 19:00 Apresentação da Unidade Curricular Negociação da avaliação Estrutura dos Serviços de Enfermagem à nível das Organizações Publicas e Privadas

Leia mais

Chamada para Multiplicadores Eurodesk Portugal

Chamada para Multiplicadores Eurodesk Portugal Braga, 01 de Julho de 2016 Chamada para Multiplicadores Eurodesk Portugal Eurodesk, o que é? A Agência Erasmus + Juventude em Ação cumpre, para além da sua missão cumprir as responsabilidades delegadas

Leia mais