HISTÓRIA DA FILOSOFIA OCIDENTAL

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "HISTÓRIA DA FILOSOFIA OCIDENTAL"

Transcrição

1 HISTÓRIA DA FILOSOFIA OCIDENTAL A filosofia ocidental possui como pensamento matriz o pensamento grego. No século XVIII (Iluminismo) Houve a racionalização da cultura, separando da fé e a razão. DIFERENÇA DA CULTURA OCIDENTAL E DA ORIENTAL Esfera Pública Você perante o Estado, papel de cidadão. Cidadão: pessoa que possui capacidade de viver em sociedade, respeitando leis. Esfera Privada Estados laicos (não possuem identidade religiosa) Direitos Humanos Homem dotado de razão e consciência, ou seja, o homem sabe que é racional, por isso tem consciência. 1

2 UNIÃO ENTRE HISTÓRIA GERAL E HISTÓRIA DA FILOSOFIA Pré-História Surgimento do homem (homo sapiens) até a invenção da escrita. História/Filosofia Antiga Invenção da escrita até a queda de Roma (século V a.c.). História/Filosofia Medieval Queda de Roma (capital ocidental do império) até a queda da Constantinopla (capital oriental do império). História/Filosofia Moderna Queda da Constantinopla até a Revolução Francesa. História/Filosofia Contemporânea Pós-Revolução Francesa, mundo contemporâneo dominado pelos burgueses. 2

3 FILOSOFIA CONTEMPORÂNEA Definição de subjetividade filosoficamente: tentativa e experiência de tornar-se sujeito (estar no domínio de si). Definição da subjetividade psicologicamente: encontro dos seus pensamentos com os seus sentimentos, ou seja, a maneira de ser. MARX O indivíduo não significa nada. O agente é a sociedade edade. FREUD O indivíduo depende do inconsciente. FILOSOFIA MODERNA O objeto de estudo é a razão. Razão É o que torna o homem capaz de pensar. A diferença entre ser racional e ser inteligente: Razão precisa de uma sequência de regras para que entre em funcionamento, ou seja, precisa de um método; Inteligência Deriva da ativação da razão. FILOSOFIA MEDIEVAL O que torna o home capaz de pensar é uma luz divina (fé ilumina a mente e/ou alma). Deus é o centro de todas as coisas. 3

4 SISTEMA FILOSÓFICO Tentativa de produzir respostas convincentes para os problemas humanos. Deve conter: Lógica - Reflexão sobre como o homem raciocina; Teodicéia - Discurso sobre o sagrado. Sagrado é aquilo que possui valor absoluto; Política - Proposta de organização da vida coletiva; Ética - É uma escala de valores (moral/ação). Indica o como o ser humano deve se comportar. Para ser ético é necessário unir o comportamento com a moral. Os valores são todas as coisas que não permitem que você seja indiferente; Estética - Definições de beleza; Epistemologia - Explicação sobre o processo cognitivo; Ontologia Posiciona o homem sobre a definição de essência. Solucionar a questão: Qual é a essência da realidade?. Para Marx a essência é o trabalho, para o cristianismo é o amor e para Freud é o desejo. 4

5 ESTRUTURAÇÃO DA CONSCIÊNCIA 1. Esoterismo: É um saber milenar cultivado de forma secreta, por exemplo, a magia, o ocultismo e etc. 2. Mitologia: No mundo antigo Explicação para a origem do mundo. Cosmogonia (passagem do caos para o cosmos). No mundo atual Expansão de forças culturais inconscientes. Exemplo: O Ayrton Senna é considerado um mito (freqüência pela qual o inconsciente coletivo aflora) por realizar vitórias com ética em uma época de desmoralização. 3. Teologia: Sistematização da fé. Fé Convicção profunda que eleva o ser humano ao absoluto. Quando algo é eleito absoluto, todas as outras coisas são relativas ao absoluto eleito. 4. Filosofia: Filos = amizade e Sofia = sabedoria. Diálogo feito a partir de um método com a história. Uma reflexão somente é filosófica se é embasada em um método. 5. Ciência: Conhecimento empírico (experimental) baseado no método de Galileu (século XVII) que consiste em: observação, hipótese, experimentação e teoria. 5

6 DIFERENÇA ENTRE FILOSOFIA E CIÊNCIA FILOSOFIA É uma interpretação racional da realidade, não experimental. É um conhecimento racional e sistemático sustentado pela lógica (conjunto de pensamentos). CIÊNCIA É experimental. Conhecimento sustentado pela prova concreta. 6

CONTEÚDOS DE FILOSOFIA POR BIMESTRE PARA O ENSINO MÉDIO COM BASE NOS PARÂMETROS CURRICULARES DO ESTADO DE PERNAMBUCO

CONTEÚDOS DE FILOSOFIA POR BIMESTRE PARA O ENSINO MÉDIO COM BASE NOS PARÂMETROS CURRICULARES DO ESTADO DE PERNAMBUCO DE FILOSOFIA POR BIMESTRE PARA O ENSINO MÉDIO COM BASE NOS PARÂMETROS CURRICULARES DO ESTADO DE PERNAMBUCO GOVERNADOR DE PERNAMBUCO João Lyra Neto SECRETÁRIO DE EDUCAÇÃO E ESPORTES Ricardo Dantas SECRETÁRIA

Leia mais

DEPARTAMENTO DE FILOSOFIA EMENTÁRIO DE DISCIPLINAS ATIVAS

DEPARTAMENTO DE FILOSOFIA EMENTÁRIO DE DISCIPLINAS ATIVAS DEPARTAMENTO DE FILOSOFIA EMENTÁRIO DE DISCIPLINAS ATIVAS GFL00024 - INTRODUÇÃO À FILOSOFIA Delimitação do objeto próprio da Filosofia. Divisão da Filosofia. Caracterização dos diferentes tipos de saber.

Leia mais

TÉCNICAS DE GESTÃO E EMPREENDEDORISMO

TÉCNICAS DE GESTÃO E EMPREENDEDORISMO Plano Geral da Disciplina Ementa: 1. Definição de ciência; 2. Tipos de conhecimento; 3. O processo de construção do conhecimento científico; 4. Tipos de trabalhos acadêmicos; 5. Classificação da pesquisa

Leia mais

FILOSOFIA PRIMEIRO CICLO

FILOSOFIA PRIMEIRO CICLO FILOSOFIA PRIMEIRO CICLO Plano Curricular Percurso 1 QUESTÕES APROFUNDADAS DE FILOSOFIA (QAF) FORMAÇÃO FUNDAMENTAL Antropologia Filosófica 4,5 Axiologia e Ética 4,5 Epistemologia 4 Estética e Teorias da

Leia mais

O iluminismo ou Século das luzes

O iluminismo ou Século das luzes O iluminismo ou Século das luzes Início O contexto histórico em que surgiu o Iluminismo Burguesia e Iluminismo As luzes da razão O que o iluminismo defendia O que o iluminismo combatia Os pensadores iluministas

Leia mais

Unidade 05. Prof.ª Fernanda Mendizabal Instituto de Educação Superior de Brasília

Unidade 05. Prof.ª Fernanda Mendizabal Instituto de Educação Superior de Brasília Unidade 05 Prof.ª Fernanda Mendizabal Instituto de Educação Superior de Brasília Apresentar as contribuições da Fisiologia e da Psicofísica para a constituição científica da Psicologia. Relacionar os principais

Leia mais

Filosofia Prof. Frederico Pieper Pires

Filosofia Prof. Frederico Pieper Pires Filosofia Prof. Frederico Pieper Pires Filosofia da religião no pensamento de Martin Heidegger (Parte I) Objetivos Abordar os tramas e dramas da relação entre filosofia e religião; Analisar aspectos principais

Leia mais

1º ano. 1º Bimestre. 2º Bimestre. 3º Bimestre. 4º Bimestre

1º ano. 1º Bimestre. 2º Bimestre. 3º Bimestre. 4º Bimestre 1º ano A atividade filosófica -A filosofia como felicidade e um bem. - Atitude Ingênua, Atitude Crítica e Atitude Filosófica. -A dúvida e o diálogo. Pensamento, consciência e Filosofia. -A consciência

Leia mais

HISTÓRIA - 1 o ANO MÓDULO 46 A REVOLUÇÃO CIENTÍFICA DO SÉCULO XVII

HISTÓRIA - 1 o ANO MÓDULO 46 A REVOLUÇÃO CIENTÍFICA DO SÉCULO XVII HISTÓRIA - 1 o ANO MÓDULO 46 A REVOLUÇÃO CIENTÍFICA DO SÉCULO XVII Fixação F 1) A revolução intelectual do século XVII teve como um de seus mentores René Descartes. 2 Sobre as concepções cartesianas

Leia mais

Filosofia Medieval e Moderna

Filosofia Medieval e Moderna Medieval e Moderna 1. Quais auxílios divinos sem, os quais, a vida ética - na Idade Média - seria impossível? I. Aos humanos, cabe ignorar a vontade e a lei de Deus, cumprindo somente as leis humanas II.

Leia mais

Conceitos hist his óric óric

Conceitos hist his óric óric Conceitos históricos Conhecimento histórico Resgate de origens e processos de transformação; Estudo das experiências da humanidade ao longo do tempo; Compreensão dos acontecimentos do passado: sua importânciatemporal

Leia mais

AULA 03 As Ciências Humanas

AULA 03 As Ciências Humanas 1 AULA 03 As Ciências Humanas Ernesto F. L. Amaral 11 de março de 2010 Metodologia (DCP 033) Fonte: Aranha, Maria Lúcia de Arruda; Martins, Maria Helena Pires. 2003. Filosofando: introdução à filosofia.

Leia mais

Compreensão sobre saúde coletiva: associação com direitos humanos

Compreensão sobre saúde coletiva: associação com direitos humanos Compreensão sobre saúde coletiva: associação com direitos humanos The essence of public health is the prevention of preventable suffering and the creation and promotion of a world in which all can truly

Leia mais

Método Científico S.T.C.

Método Científico S.T.C. Método Científico S.T.C. O que é um Método Científico e para que serve? É o conjunto de processos ou operações mentais que devem ser empregados na investigação. Proporcionar bases lógicas à investigação

Leia mais

INTERATIVIDADE FINAL CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA. Aula 3.2 Conteúdo: A escola Platônica

INTERATIVIDADE FINAL CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA. Aula 3.2 Conteúdo: A escola Platônica Aula 3.2 Conteúdo: A escola Platônica 2 Habilidades: Conhecer os principais pontos das ideias de Platão para interpretar a realidade diária. 3 REVISÃO Sócrates: o homem Grande questão: o que é a essência

Leia mais

O PRINCÍPIO RESPONSABILIDADE HANS JONAS

O PRINCÍPIO RESPONSABILIDADE HANS JONAS O PRINCÍPIO RESPONSABILIDADE HANS JONAS CAP. I: A NATUREZA MODIFICADA DO AGIR A obra foi escrita em 1979. O novo continente da práxis coletiva que adentramos com a alta tecnologia ainda constitui, para

Leia mais

UNIDADE 1 - Do Mito à Filosofia

UNIDADE 1 - Do Mito à Filosofia FILOSOFIA UNIDADE 1 - Do Mito à Filosofia A curiosidade humana levou o homem a buscar explicações para os fenômenos do cotidiano. Numa época em que não havia nenhuma fundamentação científica capaz de

Leia mais

ISO Fev / 11 CLAUDIA PEDRAL PAPEL DA FAMILIA NO COTIDIANO ESCOLAR

ISO Fev / 11 CLAUDIA PEDRAL PAPEL DA FAMILIA NO COTIDIANO ESCOLAR ISO Fev / 11 CLAUDIA PEDRAL PAPEL DA FAMILIA NO COTIDIANO O QUE É PAPEL? Dentro da Ciência, muitas teorias vieram para definir papéis e os espaços do sujeito na sociedade. DEFINI-SE COMO SENDO: A forma

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SECRETARIA DOS ÓRGÃOS COLEGIADOS

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SECRETARIA DOS ÓRGÃOS COLEGIADOS UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SECRETARIA DOS ÓRGÃOS COLEGIADOS DELIBERAÇÃO Nº 170, DE 17 DE JUNHO DE 2009. O CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

Leia mais

Filosofia Moderna: a nova ciência e o racionalismo.

Filosofia Moderna: a nova ciência e o racionalismo. FILOSOFIA MODERNA Filosofia Moderna: a nova ciência e o racionalismo. Período histórico: Idade Moderna (século XV a XVIII). Transformações que podemos destacar: A passagem do feudalismo para o capitalismo

Leia mais

A SEMIÓTICA SEGUNDO PEIRCE

A SEMIÓTICA SEGUNDO PEIRCE A SEMIÓTICA SEGUNDO PEIRCE SANTAELLA, Lucia. Semiótica aplicada. SP: Pioneira, 2004. Teorias dos signos UNEB Lidiane Lima A TEORIA DOS SIGNOS: Três origens: EUA (1), Europa Ocidental e União Soviética

Leia mais

Maquiavel ( 1469 1527 )

Maquiavel ( 1469 1527 ) Maquiavel ( 1469 1527 ) Maquiavel tentou ir ao cerne da questão e tratar a política não como uma parte da filosofia moral ou ética, mas simplesmente em termos práticos e realistas. Ao colocar a utilidade

Leia mais

CURRÍCULO DO CURSO. Mínimo: 6 semestres. Prof. Dr. Celso Reni Braida 37219433

CURRÍCULO DO CURSO. Mínimo: 6 semestres. Prof. Dr. Celso Reni Braida 37219433 Documentação: jetivo: Titulação: Diplomado em: Renovação Atual de Reconhecimento - Port. nº286/mec de 21/12/12-DOU 27/12/12.Curso reconhecido pelo Decreto Federal 6266, de 26/06/1959, publicado no Diário

Leia mais

Introduçãoà Epistemologia

Introduçãoà Epistemologia Introduçãoà Epistemologia Programa de Pós-Graduação em Educação Disciplina: Fundamentos Epistemológicos da pesquisa em educação Professora: Dra. Gisele Masson CIÊNCIA E FILOSOFIA A ciência e a filosofia

Leia mais

Filosofia (aula 10) Dimmy Chaar Prof. de Filosofia. SAE

Filosofia (aula 10) Dimmy Chaar Prof. de Filosofia. SAE Filosofia (aula 10) Prof. de Filosofia SAE leodcc@hotmail.com Gnosiologia (GNOSIOLOGIA) - Relação do sujeito cognoscente com o objeto cognoscível. (GNOSIOLOGIA) - Relação do sujeito cognoscente com o objeto

Leia mais

PARTE I - EVOLUÇÃO DO PENSAMENTO. Curso Análise de Dados e Políticas Públicas. Ementa. Metodologia. Plano de Aula

PARTE I - EVOLUÇÃO DO PENSAMENTO. Curso Análise de Dados e Políticas Públicas. Ementa. Metodologia. Plano de Aula Curso Análise de Dados e Políticas Públicas Professor: Pablo Cerdeira Ementa O que Matemática tem a ver com Direito? Muita coisa. Neste curso de Análise de Dados e Políticas Públicas abordaremos três importantes

Leia mais

1. A revolução científica

1. A revolução científica 1. A revolução científica 1. A «era da curiosidade» persistência da explicação de fenómenos físicos através de superstições e/ou do sobrenatural (astros, Deus, Diabo ) persistência dos textos clássicos

Leia mais

RENASCIMENTO. Localização Espacial: Cidades Italianas, Países Baixos e reinos alemães. Localização Temporal: Século XV e XVI

RENASCIMENTO. Localização Espacial: Cidades Italianas, Países Baixos e reinos alemães. Localização Temporal: Século XV e XVI RENASCIMENTO Localização Espacial: Cidades Italianas, Países Baixos e reinos alemães Localização Temporal: Século XV e XVI Não há uma definição de Renascimentos mas sim definições. Este período histórico

Leia mais

ÉTICA E MORAL. profa. Karine Pereira Goss

ÉTICA E MORAL. profa. Karine Pereira Goss profa. Karine Pereira Goss Muitas vezes utiliza-se esses termos como sinônimos. Mas há diferenças entre eles, embora se relacionem estreitamente. MORAL é um conjunto de normas que regulam o comportamento

Leia mais

Unidade 2: História da Filosofia. Filosofia Serviço Social Igor Assaf Mendes

Unidade 2: História da Filosofia. Filosofia Serviço Social Igor Assaf Mendes Unidade 2: História da Filosofia Filosofia Serviço Social Igor Assaf Mendes Períodos Históricos da Filosofia Filosofia Grega ou Antiga (Séc. VI a.c. ao VI d.c.) Filosofia Patrística (Séc. I ao VII) Filosofia

Leia mais

PGH 04 - TÓPICOS EM HISTÓRIA DOS MOVIMENTOS SOCIAIS NO BRASIL

PGH 04 - TÓPICOS EM HISTÓRIA DOS MOVIMENTOS SOCIAIS NO BRASIL DISCIPLINAS DO CURSO DE MESTRADO EM HISTÓRIA PGH 01 - METODOLOGIA DA PESQUISA EM HISTÓRIA O conhecimento histórico e sua produção em diferentes tradições historiográficas. Estratégias de construção dos

Leia mais

Evolucionismo vs Criacionismo

Evolucionismo vs Criacionismo Evolucionismo vs Criacionismo uma perspectiva filosófica fica M. Patrão Neves Filosofia fisiólogos e filósofos sistemáticos multiplicidade do real: ordem? unidade da multiplicidade diversidade dos seres:

Leia mais

A igreja cristã primitiva

A igreja cristã primitiva FEDERAÇÂO ESPÍRITA BRASILERIRA Estudo Aprofundado da Doutrina Espírita Livro I Cristianismo e Espiritismo Módulo II O Cristianismo A igreja cristã primitiva Roteiro 22 Objetivos Relatar fatos históricos

Leia mais

O QUE É DESENVOLVIMENTO CURRICULAR? Tradicionalistas vs Progressistas

O QUE É DESENVOLVIMENTO CURRICULAR? Tradicionalistas vs Progressistas O QUE É DESENVOLVIMENTO CURRICULAR? Tradicionalistas vs Progressistas O PROGRAMA SILABICO E O CURRÍCULO O que você acha que é a diferença? Definição de Silabos Um plano geral do conteúdo que a escola deve

Leia mais

AULA 03 O Método Científico

AULA 03 O Método Científico 1 AULA 03 O Método Científico Ernesto F. L. Amaral 24 de março de 2011 Metodologia (DCP 033) Fonte: Aranha, Maria Lúcia de Arruda; Martins, Maria Helena Pires. 2003. Filosofando: introdução à filosofia.

Leia mais

A Teoria do Conhecimento

A Teoria do Conhecimento A Teoria do Conhecimento Objeto Conhecimento Objetivo Estudar a origem, natureza, valor e limites do conhecimento e da nossa capacidade de conhecer Problemas As formas do conhecimento A definição de conhecimento

Leia mais

Como se desenvolve o trabalho filosófico? Como constrói o filósofo esses argumentos?

Como se desenvolve o trabalho filosófico? Como constrói o filósofo esses argumentos? O que é filosofia? A filosofia é uma atividade interrogativa (dimensão teórica) que tenta responder a problemas e questões que nos são comuns, discutindo-os e analisando-os. Questões como O que é o conhecimento?,

Leia mais

SOCIOLOGIA ENSINO MÉDIO PROF. JOSINO MALAGUETA 2 ANO PROF. DÁRIO PINHEIRO

SOCIOLOGIA ENSINO MÉDIO PROF. JOSINO MALAGUETA 2 ANO PROF. DÁRIO PINHEIRO SOCIOLOGIA 2 ANO PROF. DÁRIO PINHEIRO ENSINO MÉDIO PROF. JOSINO MALAGUETA Avaliação da unidade II Pontuação: 7,5 pontos 2 Questão 01 (1,0) O termo religião vem do latim religare e significa algo que liga

Leia mais

Ciência e Religião são compatíveis? Nahor N. Souza Jr.

Ciência e Religião são compatíveis? Nahor N. Souza Jr. Ciência e Religião são compatíveis? Nahor N. Souza Jr. Ciência Definição: Ciência Ciência Definição: Conjunto organizado de conhecimentos relativos a um determinado objeto, obtidos gradativamente, mediante

Leia mais

Émile Durkheim (1858-1917) Por: lucmodes www.sociobox.wordpress.com

Émile Durkheim (1858-1917) Por: lucmodes www.sociobox.wordpress.com Émile Durkheim (1858-1917) Por: lucmodes www.sociobox.wordpress.com Durkheim Nasceu em Epinal, na Alsácia, descendente de uma família de rabinos. Lecionou Sociologia em Bordéus, primeira cátedra dessa

Leia mais

O Iluminismo. defesa dos ideais de liberdade, igualdade, tolerância e justiça. Frontispício da Enciclopédia (1772)

O Iluminismo. defesa dos ideais de liberdade, igualdade, tolerância e justiça. Frontispício da Enciclopédia (1772) O Iluminismo Movimento cultural e filosófico que se desenvolveu na Europa, no século XVIII (Século das Luzes), e que se caracterizou pela afirmação do valor da Razão e do conhecimento para atingir o progresso;

Leia mais

Legislação Pesqueira e Ambiental. Prof.: Thiago Pereira Alves

Legislação Pesqueira e Ambiental. Prof.: Thiago Pereira Alves Técnico em Aquicultura Legislação Pesqueira e Ambiental Prof.: Thiago Pereira Alves IFSC Instituto Federal de Santa Catarina Direito ESTADO NATURAL ESTADO DE DIREITO O Homem necessita se relacionar com

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SECRETARIA DOS ÓRGÃOS COLEGIADOS

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SECRETARIA DOS ÓRGÃOS COLEGIADOS DELIBERAÇÃO Nº 99, DE 23 DE JULHO DE 2013 O DA UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO, tendo em vista a decisão tomada em sua 316ª Reunião Ordinária, realizada em 23 de julho de 2013, e o que consta

Leia mais

Judith Sonja Garbers, Psicóloga

Judith Sonja Garbers, Psicóloga Judith Sonja Garbers, Psicóloga A maior parte da nossa atividade cerebral é inconsciente Tudo o que nos alcança através dos nossos sentidos é registrado Só uma porcentagem minúscula se torna consciente

Leia mais

EDUCAÇÃO, PEDAGOGOS E PEDAGOGIA questões conceituais. Maria Madselva Ferreira Feiges Profª DEPLAE/EDUCAÇÃO/UFPR

EDUCAÇÃO, PEDAGOGOS E PEDAGOGIA questões conceituais. Maria Madselva Ferreira Feiges Profª DEPLAE/EDUCAÇÃO/UFPR EDUCAÇÃO, PEDAGOGOS E PEDAGOGIA questões conceituais Maria Madselva Ferreira Feiges Profª DEPLAE/EDUCAÇÃO/UFPR EDUCAÇÃO prática social NÃO-ESCOLAR - fábrica - igreja - mídia - partido político - ONGs -

Leia mais

Biodiversidade Ao longo da história, a diversidade de seres vivos existente no planeta causa fascínio em todas as sociedades; Sociedade Ocidental - in

Biodiversidade Ao longo da história, a diversidade de seres vivos existente no planeta causa fascínio em todas as sociedades; Sociedade Ocidental - in Breve história das ideias evolucionistas O conceito de evolução biológica Biodiversidade Ao longo da história, a diversidade de seres vivos existente no planeta causa fascínio em todas as sociedades; Sociedade

Leia mais

Ação do Saúde da Família para o Fortalecimento do Controle Social e da Participação Comunitária no SUS

Ação do Saúde da Família para o Fortalecimento do Controle Social e da Participação Comunitária no SUS Ação do Saúde da Família para o Fortalecimento do Controle Social e da Participação Comunitária no SUS Enfermeiro Acadêmico de Direito Justificativa: Saúde como responsabilidade do Estado - Participação

Leia mais

CAPÍTULO 2 A Finalidade da Ética no Mundo Contemporâneo

CAPÍTULO 2 A Finalidade da Ética no Mundo Contemporâneo CAPÍTULO 2 A Finalidade da Ética no Mundo Contemporâneo Antes mesmo de ingressar propriamente no trato das questões contemporâneas da ética cumpre justificar o salto da antiguidade clássica 1 para o atual.

Leia mais

Niterói Educadora, Inovadora e Sustentável PERMITA-SE IR ALÉM!!

Niterói Educadora, Inovadora e Sustentável PERMITA-SE IR ALÉM!! BEM-VINDOS! Niterói Educadora, Inovadora e Sustentável PERMITA-SE IR ALÉM!! Lucila Martínez Calvi Consultora ILTC Coordenadora Nacional Cátedra da UNESCO Cidade e Meio Ambiente 11 de junho de 2015 As cidades

Leia mais

Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo FESPSP PLANO DE ENSINO

Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo FESPSP PLANO DE ENSINO F Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo FESPSP PLANO DE ENSINO I. IDENTIFICAÇÃO DISCIPLINA Filosofia - matutino CARGA HORÁRIA 36 horas CURSO Sociologia e Política SEMESTRE 1º / 2016 PROFESSOR

Leia mais

Fundamentos da Educação Infantil

Fundamentos da Educação Infantil FAAC Faculdade Afonso Cláudio Pólo Tijuca Rio de Janeiro Pós-graduação em Educação Fundamentos da Educação Infantil Rosane Tesch rosanetesch@gmail.com Educação Infantil: Fundamentos e Métodos Zilma Ramos

Leia mais

Unidade: O enfraquecimento do positivismo: ciências humanas e. Unidade I: ciências naturais

Unidade: O enfraquecimento do positivismo: ciências humanas e. Unidade I: ciências naturais Unidade: O enfraquecimento do positivismo: ciências humanas e Unidade I: ciências naturais 0 Unidade: O enfraquecimento do positivismo: ciências humanas e ciências naturais A pesquisa pode apresentar diferentes

Leia mais

A RELAÇÃO ENTRE A EMPRESA PRIVADA E O INTERESSE PÚBLICO: PRINCÍPIO DA UTILIDADE E DA ABERTURA EMPRESARIAL NUM CAMINHO PARA CREDIBILIDADE

A RELAÇÃO ENTRE A EMPRESA PRIVADA E O INTERESSE PÚBLICO: PRINCÍPIO DA UTILIDADE E DA ABERTURA EMPRESARIAL NUM CAMINHO PARA CREDIBILIDADE A RELAÇÃO ENTRE A EMPRESA PRIVADA E O INTERESSE PÚBLICO: PRINCÍPIO DA UTILIDADE E DA ABERTURA EMPRESARIAL NUM CAMINHO PARA CREDIBILIDADE Roberto Fonseca Vieira RESUMO A nova identidade empresarial traz

Leia mais

Escola Básica e Secundária de Velas. Planificação Anual Filosofia 11º Ano de Escolaridade. Ano letivo 2012/2013. Professores João Silva e Mário Lopes

Escola Básica e Secundária de Velas. Planificação Anual Filosofia 11º Ano de Escolaridade. Ano letivo 2012/2013. Professores João Silva e Mário Lopes Escola Básica e Secundária de Velas Planificação Anual Filosofia 11º Ano de Escolaridade Ano letivo 2012/2013 Professores João Silva e Mário Lopes PRIMEIRO PERÍODO Argumentação e lógica formal Distinção

Leia mais

PLANIFICAÇÃO A LONGO PRAZO HISTÓRIA A 11º ANO

PLANIFICAÇÃO A LONGO PRAZO HISTÓRIA A 11º ANO PLANIFICAÇÃO A LONGO PRAZO HISTÓRIA A 11º ANO Ano Lectivo - 013/014 (sujeita a reajustamentos) 1º PERÍODO MÓDULO 4 A EUROPA NOS SÉCULOS XVII E XVIII SOCIEDADE, PODER E DINÂMICAS COLONIAIS MÓDULO 5 - O

Leia mais

O Serviço Civil e a Construção do Futuro EVELYN LEVY. IV Fórum da Reforma do Estado - São Paulo Set. 2005

O Serviço Civil e a Construção do Futuro EVELYN LEVY. IV Fórum da Reforma do Estado - São Paulo Set. 2005 O Serviço Civil e a Construção do Futuro EVELYN LEVY A Importância de Serviço Civil Estruturado Bens e Serviços Públicos Governança Reforma da Política Econômica Gasto Público Sustentabilidade Fiscal Fonte:

Leia mais

VALORES OLÍMPICOS: ENTRE A CONTINUIDADE E A TRANSFORMAÇÃO Otávio Tavares. Seminario España Brasil en Estudios Olímpicos CEO/UAB - UGF

VALORES OLÍMPICOS: ENTRE A CONTINUIDADE E A TRANSFORMAÇÃO Otávio Tavares. Seminario España Brasil en Estudios Olímpicos CEO/UAB - UGF VALORES OLÍMPICOS: ENTRE A CONTINUIDADE E A TRANSFORMAÇÃO Otávio Tavares Seminario España Brasil en Estudios Olímpicos CEO/UAB - UGF VALORES OLÍMPICOS: ENTRE A CONTINUIDADE E A TRANSFORMAÇÃO Conceituar

Leia mais

Instruções. Se o Caderno estiver incompleto ou contiver imperfeição gráfica que prejudique a leitura, peça imediatamente ao Fiscal que o substitua.

Instruções. Se o Caderno estiver incompleto ou contiver imperfeição gráfica que prejudique a leitura, peça imediatamente ao Fiscal que o substitua. 1 2 Instruções Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso. Se, em qualquer outro local deste Caderno, você assinar, rubricar,

Leia mais

Inteligência Artificial. Inteligência Artificial

Inteligência Artificial. Inteligência Artificial Inteligência Artificial Sistemas Especialistas IF THEN UNLESS Ex.: IF It is Sunday (S) THEN John works in the yard (Y) UNLESS The weatherisbad (B) IF (P) THEN

Leia mais

Prova escrita de FILOSOFIA

Prova escrita de FILOSOFIA Prova de Equivalência à Frequência Prova escrita de FILOSOFIA Informação -Prova Data: 20 Abril 2015 Prova 161/2015 11º Ano de escolaridade Decreto-Lei nº 74/2004, 26 de março Apresentação O presente documento

Leia mais

Jean-Jacques Rousseau (1753) de Maurice Quentin de La Tour Da vontade geral surge o Estado

Jean-Jacques Rousseau (1753) de Maurice Quentin de La Tour Da vontade geral surge o Estado 1 JEAN-JACQUES ROUSSEAU: A VONTADE GERAL. Jean-Jacques Rousseau (1753) de Maurice Quentin de La Tour Da vontade geral surge o Estado Rousseau e a democracia direta 2 Assim como os demais pensadores políticos

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE LICENCIATURA EM FILOSOFIA 1º PERÍODO

EMENTAS DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE LICENCIATURA EM FILOSOFIA 1º PERÍODO EMENTAS DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE LICENCIATURA EM FILOSOFIA 1º PERÍODO FIL02457 - FILOSOFIA POLÍTICA I (60 h, OBR) O homem e sua ação política. A noção de polis no pensamento grego antigo e seus desdobramentos

Leia mais

PROPOSTA DE PERFIS PV PARA ÁREAS DE VACÂNCIA OBSERVAÇÕES INICIAIS

PROPOSTA DE PERFIS PV PARA ÁREAS DE VACÂNCIA OBSERVAÇÕES INICIAIS PROPOSTA DE PERFIS PV PARA ÁREAS DE VACÂNCIA OBSERVAÇÕES INICIAIS I) A definição dos perfis propostos abaixo se deu a partir da análise do Cadastro de Pesquisas promovida pela Vice-Direção de Pesquisa

Leia mais

RELIGIOSO NAS TRADIÇÕES RELIGIOSAS DE MATRIZ OCIDENTAL

RELIGIOSO NAS TRADIÇÕES RELIGIOSAS DE MATRIZ OCIDENTAL Ensino Religioso: O FENÔMENO RELIGIOSO NAS TRADIÇÕES RELIGIOSAS DE MATRIZ OCIDENTAL Ângela Maria Ribeiro Holanda email: ribeiroholanda@gmail.com 14/09/2011 1 Questionamentos 1- O que entendemos por mundo

Leia mais

CURSO E COLÉGIO ESPECÍFICO

CURSO E COLÉGIO ESPECÍFICO CURSO E COLÉGIO ESPECÍFICO Participação Política e Cidadania Disciplina: Sociologia Professor: Waldenir O Que é participação política? O conceito de participação política tem seu significado fortemente

Leia mais

INTRODUÇÃO A ROBÓTICA. Prof. MSc. Luiz Carlos Branquinho Caixeta Ferreira

INTRODUÇÃO A ROBÓTICA. Prof. MSc. Luiz Carlos Branquinho Caixeta Ferreira INTRODUÇÃO A ROBÓTICA Prof. MSc. Luiz Carlos Branquinho Caixeta Ferreira Email: luiz.caixeta@ifsuldeminas.edu.br Site intranet.ifs.ifsuldeminas.edu.br/~luiz.ferreira Atendimento: Segunda-feira, 12:30 a

Leia mais

Seminário de Atualização Filosófica

Seminário de Atualização Filosófica Seminário de Atualização Filosófica Questões orientadoras sobre a interpretação do texto filosófico: problemas e conceitos Prof. Vanderlei Carbonara Para a leitura de um texto filosófico é importante observar:

Leia mais

Instituto Federal Goiano Campus Rio Verde

Instituto Federal Goiano Campus Rio Verde Instituto Federal Goiano Campus Rio Verde Prof.: Emival da Cunha Ribeiro Disciplina: Ética, Sociedade, Cultura e Natureza Ética ou filosofia moral Toda cultura e cada sociedade institui uma moral, válida

Leia mais

IV O conhecimento e a racionalidade científica e tecnológica. Filosofia 11ºano. 2. Estatuto do conhecimento científico

IV O conhecimento e a racionalidade científica e tecnológica. Filosofia 11ºano. 2. Estatuto do conhecimento científico IV O conhecimento e a racionalidade científica e tecnológica Filosofia 11ºano 2. Estatuto do conhecimento científico 2.1. Conhecimento vulgar e conhecimento científico Professora: Carla Oliveira Senso

Leia mais

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA Professor, nós, da Editora Moderna, temos como propósito uma educação de qualidade, que respeita as particularidades de todo o país. Desta maneira, o apoio ao

Leia mais

Processo Seletivo/UFU - 2010-2 - 2ª Prova Comum TIPO 1 FILOSOFIA QUESTÃO 01 QUESTÃO 02

Processo Seletivo/UFU - 2010-2 - 2ª Prova Comum TIPO 1 FILOSOFIA QUESTÃO 01 QUESTÃO 02 FILOSOFIA QUESTÃO 01 A relação entre mito e filosofia é objeto de polêmica entre muitos estudiosos ainda hoje. Para alguns, a filosofia nasceu da ruptura com o pensamento mítico (teoria do milagre grego

Leia mais

A ORIGEM DA FILOSOFIA

A ORIGEM DA FILOSOFIA A ORIGEM DA FILOSOFIA UMA VIDA SEM BUSCA NÃO É DIGNA DE SER VIVIDA. SÓCRATES. A IMPORTÂNCIA DOS GREGOS Sob o impulso dos gregos, a civilização ocidental tomou uma direção diferente da oriental. A filosofia

Leia mais

BIOLOGIA QUÍMICA HISTÓRIA GEOGRAFIA SOCIOLOGIA

BIOLOGIA QUÍMICA HISTÓRIA GEOGRAFIA SOCIOLOGIA UNIVERSIDADE DE PERNAMBUCO PROCESSO DE INGRESSO NA UPE Sistema Seriado de Avaliação CADERNO DE PROVA - 2ºDIA BIOLOGIA QUÍMICA HISTÓRIA GEOGRAFIA SOCIOLOGIA DADOS DE IDENTIFICAÇÃO DO CANDIDATO Não deixe

Leia mais

CURSO DE ARTES CÊNICAS 2009/2 BACHARELADO EM INTERPRETAÇÃO

CURSO DE ARTES CÊNICAS 2009/2 BACHARELADO EM INTERPRETAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO CURSO DE ARTES CÊNICAS 2009/2 BACHARELADO EM INTERPRETAÇÃO CÓDIGO DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS PRÉ-REQUISITO CR CHS CHS AULAS PR ART361 Dramaturgia

Leia mais

CARACTERÍSITICAS DO REALISMO

CARACTERÍSITICAS DO REALISMO REALISMO Entre 1850 e 1900 surge nas artes européias, sobretudo na pintura francesa, uma nova tendência estética chamada Realismo, que se desenvolveu ao lado da crescente industrialização das sociedades.

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE LETRAS INGLÊS E LITERATURAS DA LÍNGUA INGLESA Nome da disciplina: Comunicação e Expressão Código da disciplina: 990101 A leitura como vínculo leitor/texto,

Leia mais

Unidade 08. Prof.ª Fernanda Mendizabal Instituto de Educação Superior de Brasília

Unidade 08. Prof.ª Fernanda Mendizabal Instituto de Educação Superior de Brasília Unidade 08 Prof.ª Fernanda Mendizabal Instituto de Educação Superior de Brasília Apresentar o Estruturalismo como escola de pensamento fundada por Titchener, enfocando seus principais conceitos e métodos.

Leia mais

Profa. Lillian Alvares Faculdade de Ciência da Informação, Universidade de Brasília

Profa. Lillian Alvares Faculdade de Ciência da Informação, Universidade de Brasília Modelo de Excelência em Gestão Profa. Lillian Alvares Faculdade de Ciência da Informação, Universidade de Brasília Conceitos Fundamentais Os Fundamentos da Excelência em Gestão expressam conceitos que

Leia mais

8 - QUANDO VOCÊ VAI ACORDAR?

8 - QUANDO VOCÊ VAI ACORDAR? 8 - QUANDO VOCÊ VAI ACORDAR? Na última vez em que falei com você, disse tão claro quanto me foi possível, através da mente de meu Canal: QUANDO VOCÊ VAI ACORDAR, CRESCER E CRIAR A CORAGEM DE ABANDONAR

Leia mais

Colégio Estadual...(colocar o nome do colégio) PLANO DE TRABALHO DOCENTE PARA O COLETIVO DE 2012

Colégio Estadual...(colocar o nome do colégio) PLANO DE TRABALHO DOCENTE PARA O COLETIVO DE 2012 1 Colégio Estadual...(colocar o nome do colégio) PLANO DE TRABALHO DOCENTE PARA O COLETIVO DE 2012 ENSINO:( ) Fundamental ( ) Médio ( ) Jovens e adultos. SÉRIE/ TURMAS:...... E. Médio TURNO:... DISCIPLINA:

Leia mais

DIREITO EMPRESARIAL. 1.1. Egito Antigo (3000 a.c): Monopólio do Estado;

DIREITO EMPRESARIAL. 1.1. Egito Antigo (3000 a.c): Monopólio do Estado; 1. Evolução Histórica 1.1. Egito Antigo (3000 a.c): Monopólio do Estado; 1.2. Grécia (Séc. XVI e XV a.c): intensa atividade comercial com a criação de normas costumeiras (costumes comerciais): lex Rhodia.

Leia mais

TÍTULO DO PROGRAMA. Palestina Parte 1 SINOPSE DO PROGRAMA

TÍTULO DO PROGRAMA. Palestina Parte 1 SINOPSE DO PROGRAMA TÍTULO DO PROGRAMA Palestina Parte 1 SINOPSE DO PROGRAMA Diariamente no noticiário internacional, o conflito entre israelenses e palestinos parece uma história antiga. Porém, poucas pessoas sabem como

Leia mais

Igreja Católica Apostólica Romana e Ortodoxa

Igreja Católica Apostólica Romana e Ortodoxa Igreja Católica Apostólica Romana e Ortodoxa Roteiro 23 FEDERAÇÃO ESPÍRITA BRASILEIRA Estudo Aprofundado da Doutrina Espírita Livro I Cristianismo e Espiritismo Módulo II O Cristianismo Objetivos Identificar

Leia mais

Conceito da Ética Destacando as teorias da formação dos conceitos, o objeto e o objetivo da Ética

Conceito da Ética Destacando as teorias da formação dos conceitos, o objeto e o objetivo da Ética Conceito da Ética Destacando as teorias da formação dos conceitos, o objeto e o objetivo da Ética. Definições e Conceitos O termo ética deriva do grego ethos (caráter, modo de ser de uma pessoa). Ética

Leia mais

Resumo de Sociologia 2º ano

Resumo de Sociologia 2º ano Resumo elaborado pelos professores do Colégio Odete São Paio: Milra e Jorge. Resumo de Sociologia 2º ano Bens e serviços Bens são todas as coisas materiais colhidas na natureza ou produzidas para satisfazer

Leia mais

FILOSOFIA BREVE PANORAMA GERAL FILOSOFIA ANTIGA

FILOSOFIA BREVE PANORAMA GERAL FILOSOFIA ANTIGA FILOSOFIA BREVE PANORAMA GERAL FILOSOFIA ANTIGA SOBRE FILOSOFIA DEFINIÇÃO TRADICIONAL (segundo a perspectiva ocidental) TEOLOGIA CIÊNCIA certezas dúvidas Bertrand Russell (1872-1970) utiliza seus temas

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO CLARENTIANO. Pós Graduação em Filosofia e Ensino da Filosofia. Sergio Levi Fernandes de Souza RA: 1123930

CENTRO UNIVERSITÁRIO CLARENTIANO. Pós Graduação em Filosofia e Ensino da Filosofia. Sergio Levi Fernandes de Souza RA: 1123930 CENTRO UNIVERSITÁRIO CLARENTIANO Pós Graduação em Filosofia e Ensino da Filosofia Sergio Levi Fernandes de Souza RA: 1123930 Filosofia e Filosofia da Educação Contribuições da corrente filosófica Filosofia

Leia mais

Pesquisa de temas recorrentes nas questões de humanas do ENEM (2005-2015)

Pesquisa de temas recorrentes nas questões de humanas do ENEM (2005-2015) SOCIOLOGIA Profº Ney Jansen. Mestre em Sociologia Política pela UFSC. Bacharel e Licenciado em Ciências Sociais pela PUC-SP. Professor de Sociologia no Colégio Estadual do Paraná. Pesquisa de temas recorrentes

Leia mais

Rta! (sobre ética, liberdade e verdade) César Benjamin para Caros Amigos

Rta! (sobre ética, liberdade e verdade) César Benjamin para Caros Amigos Rta! (sobre ética, liberdade e verdade) César Benjamin para Caros Amigos A diversidade de comportamento dos seres humanos sempre foi um enigma. Todos os outros seres, existentes na natureza, apresentam

Leia mais

Arendt e o Totalitarismo

Arendt e o Totalitarismo Arendt e o Totalitarismo 10.4025/6cih.pphuem.427 Rodrigo Gonçalves de Souza - UEL Hannah Arendt começou a escrever As origens do totalitarismo logo depois da guerra. Após sua chegada aos Estados Unidos

Leia mais

CFH - sala HORÁRIO DE AULA 2012.2 2ª FASE NOTURNO Turma 02329

CFH - sala HORÁRIO DE AULA 2012.2 2ª FASE NOTURNO Turma 02329 CFH - sala HORÁRIO DE AULA 2012.2 2ª FASE NOTURNO Turma 02329 18:30 19:20 FIL 5641 FIL5632 FIL5602 FIL 5621 19:20 20:10 FIL 5641 FIL 5632 FIL5602 FIL 5621 20:20 21:10 FIL 5641 FIL 5632 FIL5602 FIL 5621

Leia mais

FILOSOFIA. A frase de Gusdorf, o homem não é o que é, mas é o que não é, refere-se a uma compreensão antropológica associada à tradição do

FILOSOFIA. A frase de Gusdorf, o homem não é o que é, mas é o que não é, refere-se a uma compreensão antropológica associada à tradição do FILOSOFIA 1ª QUESTÃO Para Aristóteles, são campos de investigação filosófica: A) Estética; Fenomenologia; Empirismo. B) Metafísica; Filosofia da Linguagem; Pós-Modernismo. C) Ontologia; Ética; Epistemologia.

Leia mais

1. O amor que sabe. 2. A boa e a má consciência

1. O amor que sabe. 2. A boa e a má consciência 1. O amor que sabe A idéia de que devem e podem assumir algo pelos pais ou ancestrais faz parte do pano de fundo que causa dificuldades aos filhos. Isso leva a problemas intermináveis para eles. E de certa

Leia mais

MODELO FORMATIVO. DATA DE INíCIO / FIM 25-10-2014 / 09-11-2014. Manhã - 09h00-13h00 Tarde - 14h00-18h00 INVESTIMENTO. O Módulo II decorrerá na Bwizer

MODELO FORMATIVO. DATA DE INíCIO / FIM 25-10-2014 / 09-11-2014. Manhã - 09h00-13h00 Tarde - 14h00-18h00 INVESTIMENTO. O Módulo II decorrerá na Bwizer MEDICINA CHINESA APLICADA à FISIOTERAPIA (OUT 2014) - PORTO A Medicina Chinesa (MC) tem por base o conhecimento das leis fundamentais que regem o funcionamento do organismo humano, bem como a interação

Leia mais

E D I T A L. I. estiver regularmente matriculado nas Faculdades Integradas Sévigné;

E D I T A L. I. estiver regularmente matriculado nas Faculdades Integradas Sévigné; EDITAL SA N.º 06/2009 DISPÕE SOBRE O PROCESSO DE INSCRIÇÃO PARA A AVALIAÇÃO DE SUFICIÊNCIA E O EXAME DE PROFICIÊNCIA DAS FACULDADES INTEGRADAS SÉVIGNÉ. O Secretário Acadêmico das Faculdades Integradas

Leia mais

O que é um mito? [...] o mito conta uma história sagrada; ele relata um acontecimento ocorrido no tempo primordial, o tempo fabuloso do "princípio".

O que é um mito? [...] o mito conta uma história sagrada; ele relata um acontecimento ocorrido no tempo primordial, o tempo fabuloso do princípio. O QUE É MITO? Profº Ms. Tiago Soares dos Santos Docente da SEED Colégio Estadual Pedro II Umuarama PR e LeonídiaPacheco Maria Helena PR. Faculdade Global de Umuarama Pedagogia, Letras e Fonoaudiologia

Leia mais

Os processos históricos que encadearam a emergência da Sociologia

Os processos históricos que encadearam a emergência da Sociologia Os processos históricos que encadearam a emergência da Sociologia 1. Contextualização Histórica. Fatores que contribuíram para o nascimento da Sociologia Sociais, econômicos, culturais. FEUDALISMO: Tipo

Leia mais

O PENSAMENTO SOCIOLÓGICO: AUGUSTO COMTE RESUMO. a frase em nossa bandeira brasileira Ordem e Progresso.

O PENSAMENTO SOCIOLÓGICO: AUGUSTO COMTE RESUMO. a frase em nossa bandeira brasileira Ordem e Progresso. 1 O PENSAMENTO SOCIOLÓGICO: AUGUSTO COMTE Rosemary Dias Ribeiro Rodrigues 1 Amália Cardoso Alves 2 João Marcos da Cunha 3 Alan Kardec Guimarães Júnior 4 Érika Tuyama 5 RESUMO Desenvolveu o Positivismo

Leia mais

EXERCÍCIO CIDADÃO E OS DESAFIOS ENFRENTADOS PELA COMUNIDADE DO BAIRRO NOSSA SENHORA DA VITÓRIA EM ILHÉUS-BAHIA

EXERCÍCIO CIDADÃO E OS DESAFIOS ENFRENTADOS PELA COMUNIDADE DO BAIRRO NOSSA SENHORA DA VITÓRIA EM ILHÉUS-BAHIA EXERCÍCIO CIDADÃO E OS DESAFIOS ENFRENTADOS PELA COMUNIDADE DO BAIRRO NOSSA SENHORA DA VITÓRIA EM ILHÉUS-BAHIA ISA FABÍOLA ALMEIDA SANTOS 1 JOCELMA SILVA NERES 2 LUIS CARLOS DO NASCIMENTO 3 UNIVERSIDADE

Leia mais

AS ESTRUTURAS DO PENSAMENTO MITOLÓGICO E O EXERCÍCIO FILOSÓFICO NA GRÉCIA. PROFESSOR UILSON FERNANDES UBERABA FEVEREIRO DE 2016

AS ESTRUTURAS DO PENSAMENTO MITOLÓGICO E O EXERCÍCIO FILOSÓFICO NA GRÉCIA. PROFESSOR UILSON FERNANDES UBERABA FEVEREIRO DE 2016 AS ESTRUTURAS DO PENSAMENTO MITOLÓGICO E O EXERCÍCIO FILOSÓFICO NA GRÉCIA. PROFESSOR UILSON FERNANDES UBERABA FEVEREIRO DE 2016 AS ORIGENS DA ESTRUTURA MITOLÓGICA Basicamente podemos determinar duas

Leia mais