PROGRAMA MAIS EDUCAÇÃO: ESTRATÉGIA INDUTORA DA EDUCAÇÃO INTEGRAL, EM TEMPO INTEGRAL NO BRASIL

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROGRAMA MAIS EDUCAÇÃO: ESTRATÉGIA INDUTORA DA EDUCAÇÃO INTEGRAL, EM TEMPO INTEGRAL NO BRASIL"

Transcrição

1 Ministério da Educação Secretaria de Educação Básica Diretoria de Currículos e Educação Integral Coordenação Geral de Educação Integral PROGRAMA MAIS EDUCAÇÃO: ESTRATÉGIA INDUTORA DA EDUCAÇÃO INTEGRAL, EM TEMPO INTEGRAL NO BRASIL FEVEREIRO/ 2014

2 PROGRAMA MAIS EDUCAÇÃO O Programa Mais Educação é uma ação indutora para a política pública de Educação Integral no Brasil. Preconiza a ressignificação da escola, entendendo que os espaços formativos podem transcender os limites da escola, conformando territórios educativos. Preconiza também o enfrentamento dos preconceitos em relação aos filhos das classes populares. Entende que o tempo educativo diário deve ser ampliado, fortalecendo o projeto pedagógico da escola, contribuindo para qualificar os processos de ensino e aprendizagem e fortalecendo a escola como um espaço para vivências democráticas.

3 PROGRAMA MAIS EDUCAÇÃO PÚBLICO-ALVO: Estudantes de escolas públicas de Ensino Fundamental CRITÉRIOS/2013: Unidades escolares urbanas: * Escolas contempladas com PDDE/Integral nos anos de 2008, 2009, 2010, 2011 e 2012; * Escolas estaduais, municipais e/ou distritais que foram contempladas com o PDE/Escola e que possuam o Ideb abaixo ou igual a 3,5 nos anos iniciais e/ou finais, Ideb anos iniciais menor que 4.6 e Ideb anos finais menor que 3.9; * Escolas localizadas em todos os municípios do País; * Escolas com índices igual ou superior a 50% de estudantes participantes do Programa Bolsa Família. Unidades escolares do campo: * Municípios com 15% ou mais da população não alfabetizados ; * Municípios que apresentam 25% ou mais de pobreza rural; * Municípios com 30% da população rural ; * Municípios com assentamento de 100 famílias ou mais; * Municípios com escolas quilombolas e indígenas.

4 PROGRAMA MAIS EDUCAÇÃO ESCOLAS URBANAS Oportunidades Educativas: Reorganizando o percurso escolar 1. Acompanhamento Pedagógico Orientação de Estudos e Leitura 2. Comunicação, Uso de Mídias e Cultura Digital e Tecnológica 3. Cultura, Artes e Educação Patrimonial 4. Educação Ambiental, Desenvolvimento Sustentável e Economia Solidária e Criativa/Educação Econômica 5. Esporte e Lazer 6. Educação em Direitos Humanos 7. Promoção da Saúde

5 PROGRAMA MAIS EDUCAÇÃO ESCOLAS DO CAMPO Oportunidades Educativas: Reorganizando o percurso escolar 1. Acompanhamento Pedagógico - Campos do Conhecimento 2. Agroecologia 3. Cultura, Artes e Educação Patrimonial 4. Educação em Direitos Humanos 5. Esporte e Lazer 6. Iniciação Científica 7. Memória e História das Comunidades Tradicionais

6 PROGRAMA MAIS EDUCAÇÃO: REGISTROS DAS ATIVIDADES

7 Escola Municipal Desembargador Montenegro Rio de Janeiro (RJ) Macrocampo: Acompanhamento Pedagógico Atividade: Letramento PROGRAMA MAIS EDUCAÇÃO

8 Escola Municipal Adélia Ribas Governador Valadares (MG) Macrocampo: Comunicação, Uso de Mídias e Cultura Digital e Tecnológica Atividade: Jornal Escolar PROGRAMA MAIS EDUCAÇÃO

9 Escola Municipal Adélia Ribas Governador Valadares (MG) Macrocampo: Esporte e Lazer Atividades: Judô e Xadrez PROGRAMA MAIS EDUCAÇÃO

10 CEF 01 de Sobradinho Distrito Federal (DF) Escola Municipal Deodato Formosa (GO) Macrocampo: Educação Ambiental e Sociedade Sustentável Atividade: Jornal Escolar PROGRAMA MAIS EDUCAÇÃO

11 Centro Municipal de Educação Básica Maria Lygia Andrade Haack Esteio (RS) Macrocampo: Cultura, Artes e Educação Patrimonial Atividade: Flauta e Percussão PROGRAMA MAIS EDUCAÇÃO

12 Evolução do Programa Mais Educação: Municípios Fonte: SIMEC Agosto/2013

13 Programa Mais Educação Em 2012, cerca de escolas públicas municipais, estaduais e do Distrito Federal participaram da adesão ao Programa Mais Educação, com indicação de atendimento a, aproximadamente, 4 milhões e 800 mil estudantes. Em 2013, foi estabelecida a meta de ampliar o atendimento para 45 mil escolas. Essa meta foi cumprida e ultrapassada, conforme o cadastramento dos planos de atendimento, para mais de 49 mil escolas. Estima-se atender seis milhões de estudantes. Perspectivas 2014: 60 mil escolas públicas (estaduais, municipais e do Distrito Federal) Fonte: SIMEC Outubro/2013

14 Evolução do Programa Mais Educação: escolas Escolas que aderiram ao Mais Educação Fonte: SIMEC Outubro/2013

15 Evolução do Programa Mais Educação: estudantes Estudantes participantes do Mais Educação Fonte: SIMEC Outubro/2013

16 Programa Mais Educação: recursos A oferta do Programa é realizada por meio da transferência voluntária de recursos da União para as escolas, conforme a dinâmica do Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE), do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), para: - Ressarcimento de despesas de alimentação e transporte dos monitores responsáveis pelo desenvolvimento de atividades; - Aquisição de materiais de consumo e/ou permanentes; - Contratação de serviços e custeio e/ou capital; - Aquisição de kits de materiais para as atividades escolhidas. Também são repassados recursos para estados e municípios, via o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE).

17 Evolução do Programa Mais Educação: Recursos Financeiros do PDDE/Educação Integral , , , ,00 Recursos Financeiros PDDE-Educação Integral , , , , ,00 0, , , Observação: O dado de 2013 é uma estimativa, visto que o pagamento referente à adesão 2013 não foi concluído até a data da solicitação dos dados. Para a Adesão 2013, foi prevista a liberação de R$ ,00. Fonte: SIMEC Outubro/2013

18 Evolução do Programa Mais Educação: Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) Pagamentos Efetuados pelo PNAE - Programa Mais Educação R$ ,00 R$ ,00 R$ ,00 R$ ,00 R$ ,00 R$ ,00 R$ ,00 R$ ,80 R$ ,00 R$ Observação: Não foram disponibilizados dados dos anos anteriores a 2010, pois o PNAE não tinha um Plano Interno especifico para o Mais Educação. Desta forma, os pagamentos nesse período foram feitos em forma de ajustes no Ensino Fundamental. O valor referente ao ano de 2013 é uma parcial. Na época de coleta dos dados ainda faltavam ser liberadas 02 (duas) parcelas pelo PANE. Fonte: PNAE Outubro/2013

19 Parceria Mais Educação e Bolsa Família Mais de 40% do total de escolas maioria 100% PBF (que somam 77 mil ao todo / Brasil) participarão do Programa Mais Educação em 2013 (32 mil). Dessas escolas que 42% aderiram ao PME 2013, 27 mil são municipais e 5 mil são estaduais. Dados referentes aos dados de acompanhamento de 2010 a 2012, e dados do Educacenso de 2010 a mil 32 mil Fonte: MEC / MDS Elaboração DECON/SENARC/MDS

20 Fonte: MEC / MDS Elaboração DECON/SENARC/MDS

21 Parceria Mais Educação e Bolsa Família Os estados que contam com o maior número absoluto de escolas maioria PBF são BA, CE, MA, MG, PA, PB, 24 mil (74%) PE e PI. São aproximadamente 23 mil escolas com esse perfil contempladas por esses estados, representando um potencial de 4 milhões de matrículas de estudantes 8 mil (26%) de famílias beneficiárias do PBF. Em termos proporcionais, esses estados representam 74% das escolas maioria PBF no PME em 2013 e 30% do total de estudantes de famílias PBF no Brasil. BA, CE, MA, MG, PA, PB, PE, PI Outros estados Fonte: MEC / MDS Elaboração DECON/SENARC/MDS

22 DESAFIOS Currículo Educação Integral Carreira Docente Formação Tempo Integral Infraestrutura Gestão

23 PROGRAMA MAIS EDUCAÇÃO: DESAFIOS Políticas de arquitetura e urbanismo articuladas à adequação, manutenção e construção de instalações físicas apropriadas para o funcionamento das escolas (cozinha, quadra de esporte, área de lazer, refeitório e biblioteca), em termos pedagógicos, de saúde, segurança e convívio comunitário; e articuladas aos espaços e equipamentos públicos para uso da cidade. Garantia das contrapartidas dos Sistemas de Ensino: - Assegurar, no mínimo, um técnico da Secretaria (40h) para a Coordenação do PME ao nível da rede; - Assegurar um professor lotado na escola (40h) para coordenar as atividades na unidade de ensino; - Assegurar merendeiras, pessoal de apoio e manutenção da escola para desenvolvimento do Programa; - Profissionalização dos educadores que ministram atividades de educação integral para a gradual transição entre ação voluntária e ação profissional nos campos de esporte, cultura, arte, comunicação, acompanhamento pedagógico e outros.

24 PROGRAMA MAIS EDUCAÇÃO: DESAFIOS Jornada única da escola com organização curricular que articula os diferentes campos do conhecimentos e as diferentes dimensões do desenvolvimento humano (cognitiva, afetiva, ambiental; corporal; cultural; estética; ética; relacional e social). Democratização da relação escola-comunidade, por meio da gestão democrática, com eleição de diretores. Introdução e aprofundamento da temática da Educação Integral nos currículos de formação docente em níveis de Graduação e Pós-Graduação. Aprofundamento da agenda de Educação Integral nos territórios, conforme a meta 6 do PL nº 8.023, em debate no Congresso Nacional; e por meio da criação e do fortalecimento dos Comitês Territoriais de Educação Integral, como esfera pública e permanente de debate.

25 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA DIRETORIA DE CURRÍCULOS E EDUCAÇÃO INTEGRAL COORDENAÇÃO GERAL DE EDUCAÇÃO INTEGRAL LEANDRO DA COSTA FIALHO Coordenador Geral de Educação Integral (61) /9187

PME PROEMI. Municípios por faixas percentuais de abrangência das ESCOLAS do Ensino Fundamental no PME e do Ensino Médio no PROEMI em 2014

PME PROEMI. Municípios por faixas percentuais de abrangência das ESCOLAS do Ensino Fundamental no PME e do Ensino Médio no PROEMI em 2014 Municípios por faixas percentuais de abrangência das ESCOLAS do Ensino Fundamental no PME e do Ensino Médio no PROEMI PME Total de 5.570 municípios 604 municípios não par cipantes 592 com até 20% 882 entre

Leia mais

Matriz de Ações 2013 As ações constantes neste relatório estão sendo executadas no Território da Cidadania: Curimataú - PB

Matriz de Ações 2013 As ações constantes neste relatório estão sendo executadas no Território da Cidadania: Curimataú - PB Matriz de Ações 2013 As ações constantes neste relatório estão sendo executadas no Território da Cidadania: Curimataú - PB Matriz de Ações 2013 1 Min. da Educação - MEC 1 Programa Mais Educação Campo Matriz

Leia mais

O MP E A FISCALIZAÇÃO DO SISTEMA ÚNICO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL SUAS

O MP E A FISCALIZAÇÃO DO SISTEMA ÚNICO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL SUAS O MP E A FISCALIZAÇÃO DO SISTEMA ÚNICO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL SUAS Redesenho/Reestruturação Orgânica da Política de Assistência Social estão Estabelecidos em 4 Instrumentos Básicos: Política Nacional de

Leia mais

EU LIDERO ESTA MUDANÇA! EDUCAÇÃO INTEGRAL- Projeto Mais Educação

EU LIDERO ESTA MUDANÇA! EDUCAÇÃO INTEGRAL- Projeto Mais Educação EU LIDERO ESTA MUDANÇA! EDUCAÇÃO INTEGRAL- Projeto Mais Educação GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO SECRETARIA ADJUNTA DE ENSINO NUCLEO DE PLANEJAMENTO, PROJETO PESQUISA, E AVALIAÇÃO

Leia mais

Financiamento da Educação: necessidades e possibilidades

Financiamento da Educação: necessidades e possibilidades Financiamento da Educação: necessidades e possibilidades Jorge Abrahão de Castro Diretor da Diretoria de Estudos e Políticas Sociais do IPEA Brasília, 14 de dezembro de 2011 Sub-setorial Transversal Educação

Leia mais

Plano Safra da Agricultura Familiar 2016/2017. Alimentos Saudáveis para o campo e a cidade

Plano Safra da Agricultura Familiar 2016/2017. Alimentos Saudáveis para o campo e a cidade Plano Safra da Agricultura Familiar 2016/2017 Alimentos Saudáveis para o campo e a cidade Crédito Pronaf R$ 30 bilhões para financiamento da produção de Alimentos Saudáveis Juros mais baixos, redução de

Leia mais

II PLANO NACIONAL DE POLÍTICAS PARA AS MULHERES. Princípios da Política Nacional para as Mulheres

II PLANO NACIONAL DE POLÍTICAS PARA AS MULHERES. Princípios da Política Nacional para as Mulheres II PLANO NACIONAL DE POLÍTICAS PARA AS MULHERES Princípios da Política Nacional para as Mulheres Igualdade Respeito à diversidade Eqüidade Autonomia das mulheres Estado laico Universalidade das políticas

Leia mais

Ensino Médio Inovador. Webconferência 31/10/16

Ensino Médio Inovador. Webconferência 31/10/16 Ensino Médio Inovador Webconferência 31/10/16 Ensino Médio Inovador O Programa Ensino Médio Inovador tem por objetivo apoiar e fortalecer os Sistemas de Ensino Estaduais e Distrital no desenvolvimento

Leia mais

Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei n.º 9.394 de 20 de dezembro de 1996

Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei n.º 9.394 de 20 de dezembro de 1996 Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional Lei n.º 9.394 de 20 de dezembro de 1996 Tramitação 1988 Promulgação da Constituição Federal 1988 a 1991 Início de discussão do projeto Jorge Hage na Câmara

Leia mais

CRAS Centro de Referência de Assistência Social. Coordenadores, Assistentes Sociais, Técnicos. (Organização)

CRAS Centro de Referência de Assistência Social. Coordenadores, Assistentes Sociais, Técnicos. (Organização) 2 ANÁLISE AMBIENTAL 2.1 A organização, Centro Referência e Assistência Social (CRAS) senvolveu um plano ação, o qual tem como base três serviços que são fundamentais para a existência da instituição; Serviço

Leia mais

Avaliação de impacto do Programa Escola Integrada de Belo Horizonte

Avaliação de impacto do Programa Escola Integrada de Belo Horizonte Avaliação de impacto do Programa Escola Integrada de Belo Horizonte Índice Programa Escola Integrada Avaliação de impacto Amostra Pesquisa Indicadores Resultados Impactos estimados Comentários Programa

Leia mais

Em 23/2/2005, o Senhor Secretário de Educação Básica do Ministério da Educação,

Em 23/2/2005, o Senhor Secretário de Educação Básica do Ministério da Educação, PARECER HOMOLOGADO(*) (*) Despacho do Ministro, publicado no Diário Oficial da União de 28/10/2005 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO: Ministério da Educação/Secretaria de

Leia mais

Formulário fora do período de validade!

Formulário fora do período de validade! Formulário fora do período de validade! Data Inicial: 01/05/2016 Data Final: 31/05/2016 Em caso de dúvida entre em contato com: Nome: Equipe de Promoção da Saúde (Gabriela, Gisele, Kátia e Roberta) Email:

Leia mais

SAÚDE MENTAL E ATENÇÃO PRIMARIA À SAÚDE NO BRASIL. Dr Alexandre de Araújo Pereira

SAÚDE MENTAL E ATENÇÃO PRIMARIA À SAÚDE NO BRASIL. Dr Alexandre de Araújo Pereira SAÚDE MENTAL E ATENÇÃO PRIMARIA À SAÚDE NO BRASIL Dr Alexandre de Araújo Pereira Atenção primária no Brasil e no Mundo 1978 - Conferência de Alma Ata (priorização da atenção primária como eixo de organização

Leia mais

IV Encontro Pedagógico do IFAM

IV Encontro Pedagógico do IFAM IV Encontro Pedagógico do IFAM Mesa temática III: Órgãos Reguladores e Processos de Auditoria na EPT Palestrante: Samara Santos dos Santos Responsável pela Auditoria Interna do IFAM Manaus, 01 de junho

Leia mais

Controle Social no Programa Bolsa Família 1

Controle Social no Programa Bolsa Família 1 Controle Social no Programa Bolsa Família 1 Definição É o acompanhamento efetivo da sociedade civil na gestão do Programa Bolsa Família como contribuição para uma maior transparência das ações do Estado

Leia mais

EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E T

EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E T SETEC EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA XXXV ENDP Porto Alegre, 02 de setembro de 2015. Histórico Organização da Educação Brasileira EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA Formação Inicial e Continuada

Leia mais

Prefeitura Municipal de Moju Projeto Vale Alfabetizar Projeto TeleSol Vale

Prefeitura Municipal de Moju Projeto Vale Alfabetizar Projeto TeleSol Vale SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO MOJU/PA COM PARCERIA E RESPONSABILIDADE TODOS PODEM práticas exitosas na Educação de Jovens e Adultos Prefeitura Municipal de Moju Projeto Vale Alfabetizar Projeto TeleSol

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA - CONSULTOR POR PRODUTO -

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA - CONSULTOR POR PRODUTO - TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA - CONSULTOR POR PRODUTO - TOR/UNESCO/SEB Nº /20. Número e Título do Projeto: Projeto 94BRA - Fundo de Fortalecimento da Escola Equidade e Qualidade

Leia mais

NOME DO CURSO: A Gestão do Desenvolvimento Inclusivo da Escola Nível: Aperfeiçoamento Modalidade: A distância. Parte 1 Código / Área Temática

NOME DO CURSO: A Gestão do Desenvolvimento Inclusivo da Escola Nível: Aperfeiçoamento Modalidade: A distância. Parte 1 Código / Área Temática NOME DO CURSO: A Gestão do Desenvolvimento Inclusivo da Escola Nível: Aperfeiçoamento Modalidade: A distância Parte 1 Código / Área Temática Código / Nome do Curso Etapa de ensino a que se destina Educação

Leia mais

POLÍTICA DE EDUCAÇÃO INTEGRAL NO BRASIL: AMPLIAÇÃO DE DIREITOS PARA OUTROS TEMPOS E ESPAÇOS EDUCATIVOS

POLÍTICA DE EDUCAÇÃO INTEGRAL NO BRASIL: AMPLIAÇÃO DE DIREITOS PARA OUTROS TEMPOS E ESPAÇOS EDUCATIVOS Ministério da Educação Secretaria de Educação Básica Diretoria de Currículos e Educação Integral POLÍTICA DE EDUCAÇÃO INTEGRAL NO BRASIL: AMPLIAÇÃO DE DIREITOS PARA OUTROS TEMPOS E ESPAÇOS EDUCATIVOS Zaire,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL UFRGS PRÓ-REITORIA DE PESQUISA-PROPESQ. Edital 08/2016

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL UFRGS PRÓ-REITORIA DE PESQUISA-PROPESQ. Edital 08/2016 UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL UFRGS PRÓ-REITORIA DE PESQUISA-PROPESQ Edital 08/2016 1. Sobre o Programa A Pró-Reitoria de Pesquisa (PROPESQ) lança a 8ª edição do Programa Ciência na Sociedade

Leia mais

Agenda Objetivos do PRONATEC Público Alvo Redes Ofertantes Iniciativas e Metas Oportunidades e Ameaças

Agenda Objetivos do PRONATEC Público Alvo Redes Ofertantes Iniciativas e Metas Oportunidades e Ameaças Agenda Objetivos do PRONATEC Público Alvo Redes Ofertantes Iniciativas e Metas Oportunidades e Ameaças Objetivos do PRONATEC (lei 12.513/2011) Expandir, interiorizar e democratizar a oferta de cursos de

Leia mais

SECRETARIA MUNICIPAL DA MULHER

SECRETARIA MUNICIPAL DA MULHER SECRETARIA MUNICIPAL DA MULHER LEGISLAÇÃO: Lei Municipal nº 8.834 de 01/07/2002 e Decreto nº 525 de 09/08/2002. ATRIBUIÇÕES: 1500 - SECRETARIA MUNICIPAL DA MULHER Compete propor, coordenar e acompanhar

Leia mais

REGULAMENTO DA POLÍTICA DE ASSUNTOS ESTUDANTIS DO CENTRO UNIVERSITÁRIO DE MINEIROS UNIFIMES

REGULAMENTO DA POLÍTICA DE ASSUNTOS ESTUDANTIS DO CENTRO UNIVERSITÁRIO DE MINEIROS UNIFIMES CENTRO UNIVERSITARIO DE MINEIROS (UNIFIMES) PRÓ-REITORIA DE ENSINO, DE PESQUISA E DE EXTENSÃO DIRETORIA DE EXTENSÃO, ASSUNTOS COMUNITÁRIOS, ESTUDANTIS E CULTURAIS REGULAMENTO DA POLÍTICA DE ASSUNTOS ESTUDANTIS

Leia mais

Trabalho 001- Estratégias oficiais de reorientação da formação profissional em saúde: contribuições ao debate. 1.Introdução

Trabalho 001- Estratégias oficiais de reorientação da formação profissional em saúde: contribuições ao debate. 1.Introdução Trabalho 001- Estratégias oficiais de reorientação da formação profissional em saúde: contribuições ao debate. 1.Introdução As pesquisas e os investimentos que influenciaram as mudanças nas propostas para

Leia mais

O Brasil cresceu porque a pobreza diminuiu. Já pensou quando acabarmos, de vez, com a miséria?

O Brasil cresceu porque a pobreza diminuiu. Já pensou quando acabarmos, de vez, com a miséria? O Brasil cresceu porque a pobreza diminuiu. Já pensou quando acabarmos, de vez, com a miséria? Ministério do esenvolvimento Social e Combate à Fome Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome

Leia mais

Profissionalização da Gestão na Educação. Mozart Neves Ramos Diretor de articulação e Inovação do Instituto Ayrton Senna

Profissionalização da Gestão na Educação. Mozart Neves Ramos Diretor de articulação e Inovação do Instituto Ayrton Senna Profissionalização da Gestão na Educação Mozart Neves Ramos Diretor de articulação e Inovação do Instituto Ayrton Senna PDE (2007) IDEB: 5 Ano do Ensino Fundamental IDEB: 3 ano do Ensino Médio PAR: Plano

Leia mais

Resumo da Lei nº8080

Resumo da Lei nº8080 Resumo da Lei nº8080 Lei n. 8.080, 19 de setembro de 1990 Sancionada pelo Presidente da República, Sr. Fernando Collor, e decretada pelo Congresso Nacional, foi publicada no Diário Oficial da União em

Leia mais

ENSINO SUPERIOR E REFORMULAÇÃO CURRICULAR

ENSINO SUPERIOR E REFORMULAÇÃO CURRICULAR SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO PARÁ PRÓ-REITORIA DE ENSINO DIRETORIA DE POLÍTICAS EDUCACIONAIS COORDENAÇÃO GERAL DE EDUCAÇÃO SUPERIOR

Leia mais

50º PAINEL TELEBRASIL Soluções com Telecomunicações para a Educação

50º PAINEL TELEBRASIL Soluções com Telecomunicações para a Educação 50º PAINEL TELEBRASIL Soluções com Telecomunicações para a Educação PROJETO EMBRATEL EDUCAÇÃO Disponibiliza novas Tecnologias da Informação e Comunicação nas escolas da rede pública localizadas em áreas

Leia mais

A FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL. Silvia Helena Vieira Cruz

A FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL. Silvia Helena Vieira Cruz A FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL Silvia Helena Vieira Cruz INTRODUÇÃO Os ganhos decorrentes das experiências vividas pelas crianças em creches e pré-escolas dependem diretamente

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE EDUCAÇÃO DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR E PLANEJAMENTO EDUCACIONAL

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE EDUCAÇÃO DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR E PLANEJAMENTO EDUCACIONAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE EDUCAÇÃO DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR E PLANEJAMENTO EDUCACIONAL INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES AO EDITAL N 127, DE 09 DE SETEMBRO DE 2010, PUBLICADO NO

Leia mais

PERGUNTAS ORIENTADORAS

PERGUNTAS ORIENTADORAS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA, ALFABETIZAÇÃO E DIVERSIDADE DIRETORIA DE POLÍTICAS PÚBLICAS DE EJA INSUMOS PARA AS DISCUSSÕES NOS GRUPOS TEMÁTICOS AGENDA TERRITORIAL Atividade:

Leia mais

Profa.Dra. Ronalda Barreto Silva Universidade do Estado da Bahia - UNEB

Profa.Dra. Ronalda Barreto Silva Universidade do Estado da Bahia - UNEB Pelo Direito de Produzir e Viver em Cooperação de Maneira Sustentável Profa.Dra. Ronalda Barreto Silva Universidade do Estado da Bahia - UNEB Economia Solidária Atividades Econômicas Produção de bens Prestação

Leia mais

Presença a do Estado no Brasil: Federação, Suas Unidades e Municipalidades

Presença a do Estado no Brasil: Federação, Suas Unidades e Municipalidades Presença a do Estado no Brasil: Federação, Suas Unidades e Municipalidades Ipea - Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada BRASIL Marcio Pochmann Presidente Brasília, 15 de dezembro de 2009 Justificativa

Leia mais

PLANO DE ATIVIDADES DE ESTÁGIO (PAE)

PLANO DE ATIVIDADES DE ESTÁGIO (PAE) Núcleo de Apoio à Prática Profissional das Licenciaturas CURSOS DE LICENCIATURAS PLANO DE ATIVIDADES DE ESTÁGIO (PAE) ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO Atualizado em 17 jun 2016 5º. PERÍODO 4º. PERÍODO

Leia mais

SÍNTESE DO LEVANTAMENTO DE DEMANDAS DE PROJETOS DO TERRITÓRIO

SÍNTESE DO LEVANTAMENTO DE DEMANDAS DE PROJETOS DO TERRITÓRIO SÍNTESE DO LEVANTAMENTO DE DEMANDAS DE PROJETOS DO TERRITÓRIO Ministério do Meio Ambiente O Projeto de Elaboração do Plano de Desenvolvimento Territorial Sustentável Socioambientais Prioritários/Vale do

Leia mais

Perguntas Freqüentes. 1. PST no Mais Educação

Perguntas Freqüentes. 1. PST no Mais Educação Perguntas Freqüentes 1. PST no Mais Educação O Segundo Tempo no Mais Educação é fruto da parceria entre o Ministério do Esporte e o Ministério da Educação e se desenvolve por meio da adesão voluntária

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. 1 Justificativa

TERMO DE REFERÊNCIA. 1 Justificativa 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA, ALFABETIZAÇÃO, DIVERSIDADE E INCLUSÃO DIRETORIA DE POLÍTICAS DE EDUCAÇÃO PARA A JUVENTUDE COORDENAÇÃO GERAL DE POLÍTICAS PEDAGÓGICAS PARA A JUVENTUDE

Leia mais

ORIENTAÇÃO DE PREENCHIMENTO DO PLANO DE TRABALHO PARA O PROGRAMA BRASIL ALFABETIZADO 2005

ORIENTAÇÃO DE PREENCHIMENTO DO PLANO DE TRABALHO PARA O PROGRAMA BRASIL ALFABETIZADO 2005 ORIENTAÇÃO DE PREENCHIMENTO DO PLANO DE TRABALHO PARA O PROGRAMA BRASIL ALFABETIZADO 2005 ANEXO 1 - DECLARAÇÃO DE CUMPRIMENTO DOS CONDICIONANTES LEGAIS Campo 1 - CNPJ com o número que consta no Cadastro

Leia mais

PLANO DE GOVERNO UNIÃO DEMOCRÁTICA E POPULAR 2013-2016 SAÚDE

PLANO DE GOVERNO UNIÃO DEMOCRÁTICA E POPULAR 2013-2016 SAÚDE PLANO DE GOVERNO UNIÃO DEMOCRÁTICA E POPULAR 2013-2016 SAÚDE Valorização dos profissionais dentro disso; analisar a possibilidade da criação de plano de carreira de todos os profissionais da prefeitura;

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DA ESTÂNCIA TURÍSTICA DE SALESÓPOLIS

PREFEITURA MUNICIPAL DA ESTÂNCIA TURÍSTICA DE SALESÓPOLIS CARGOS ASSISTENTE SOCIAL (CRAS) AUXILIAR DE VIDA ESCOLAR (AVE) PRINCIPAIS ATRIBUIÇÕES REALIZAR ACOLHIDA, ESCUTA QUALIFICADA, ACOMPANHAMENTO ESPECIALIZADO E OFERTA DE INFORMAÇÕES E ORIENTAÇÕES POR MEIO

Leia mais

Em 2005, surge o IDEB, mas ele só se tornou política de governo, a partir do lançamento do PDE.

Em 2005, surge o IDEB, mas ele só se tornou política de governo, a partir do lançamento do PDE. Breve Histórico Anos 90=> Fundo Escola- Banco Mundial FNDE Plano de Desenvolvimento da Escola (PDE). Carro chefe: Identificar pontos fracos e fortes. Cunho empresarial Metodologia muito ampla exigia trabalho

Leia mais

I Mostra de Experiências Bem-Sucedidas em Nutrição (MS) 21/10/2005

I Mostra de Experiências Bem-Sucedidas em Nutrição (MS) 21/10/2005 FOME ZERO I Mostra de Experiências Bem-Sucedidas em Nutrição (MS) 21/10/2005 Estrutura da apresentação: 1. Fome Zero: conceito, eixos, programas e ações 2. Aspectos inovadores e desafiadores 3. Alguns

Leia mais

PROGRAMA DE GOVERNO ELEIÇÕES 2012 CANDIDATA: ANGELA MARIA FERREIRA ALVES 13 PT POCRANE MG

PROGRAMA DE GOVERNO ELEIÇÕES 2012 CANDIDATA: ANGELA MARIA FERREIRA ALVES 13 PT POCRANE MG PROGRAMA DE GOVERNO ELEIÇÕES 2012 CANDIDATA: ANGELA MARIA FERREIRA ALVES 13 PT POCRANE MG 1 Implantação de um governo com planejamento, participação popular, ética e transparência. I- EDUCAÇÃO: Potencializar

Leia mais

1ª CHAMADA INTERNA SIMPLIFICADA PARA CONTRATAÇÃO DE BOLSISTA - REDE ETEC BRASIL

1ª CHAMADA INTERNA SIMPLIFICADA PARA CONTRATAÇÃO DE BOLSISTA - REDE ETEC BRASIL 1ª CHAMADA INTERNA SIMPLIFICADA PARA CONTRATAÇÃO DE BOLSISTA - REDE ETEC BRASIL A presente chamada interna visa contratar bolsista para atuar nos cursos técnicos, na modalidade educação a distância, da

Leia mais

CAPÍTULO II DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS

CAPÍTULO II DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente instrumento dispõe sobre as normas e procedimentos a serem observados

Leia mais

MAIS EDUCAÇÃO. Brasília, 2008. Instituído pela Portaria Interministerial nº 17/2007, de 24/04/2007

MAIS EDUCAÇÃO. Brasília, 2008. Instituído pela Portaria Interministerial nº 17/2007, de 24/04/2007 Instituído pela Portaria Interministerial nº 17/2007, de 24/04/2007 -Ministério da Educação -Ministério do Esporte -Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome -Ministério da Cultura -Ministério

Leia mais

Plano de Melhoria do Agrupamento 2015 2019

Plano de Melhoria do Agrupamento 2015 2019 Plano de Melhoria do Agrupamento 2015 2019 Introdução O Plano de Melhoria do Agrupamento de Escola Gaia Nascente para o quadriénio 2015 2019 tem como objetivo a consolidação e/ou mudança de algumas práticas.

Leia mais

I- INDICADORES II- AÇÕES

I- INDICADORES II- AÇÕES PARTICIPAÇÃO DOS NEGROS NO MERCADO DE TRABALHO Coordenação de Igualdade Racial Diretoria de Estudos e Políticas Sociais I- INDICADORES II- AÇÕES I- INDICADORES -> RETRATO DAS DESIGUALDADES DE GÊNERO E

Leia mais

NORMA OPERACIONAL DO SISTEMA ÚNICO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL NOB/SUAS

NORMA OPERACIONAL DO SISTEMA ÚNICO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL NOB/SUAS NORMA OPERACIONAL DO SISTEMA ÚNICO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL NOB/SUAS 2.5 Condições de Habilitação e Desabilitação dos Municípios I. Da Habilitação Para habilitação dos municípios nos níveis de gestão definidos

Leia mais

Marta Lima Gerente de Políticas Educacionais de Educação em Direitos Humanos, Diversidade e Cidadania.

Marta Lima Gerente de Políticas Educacionais de Educação em Direitos Humanos, Diversidade e Cidadania. Marta Lima Gerente de Políticas Educacionais de Educação em Direitos Humanos, Diversidade e Cidadania. FUNDAMENTOS DA EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS DEMOCRACIA REGIME PAUTADO NA SOBERANIA POPULAR E NO RESPEITO

Leia mais

Curso: Bacharelado em Psicologia. Portaria de Autorização n 657 de 08/05/2009 Publicado no D.O.U. 11/05/2009

Curso: Bacharelado em Psicologia. Portaria de Autorização n 657 de 08/05/2009 Publicado no D.O.U. 11/05/2009 Curso: Bacharelado em Psicologia Portaria de Autorização n 657 de 08/05/2009 Publicado no D.O.U. 11/05/2009 Área de Formação: Psicologia Diploma em: Bacharel em Psicologia Período de Integralização: Mínimo

Leia mais

EDITAL PARA POSTO DE TRABALHO PROFESSOR COORDENADOR

EDITAL PARA POSTO DE TRABALHO PROFESSOR COORDENADOR EDITAL PARA POSTO DE TRABALHO PROFESSOR COORDENADOR A Diretora da Escola Estadual Azevedo Júnior, em Santos, no uso de suas atribuições legais, com fundamento na Resolução SE 75 de 30/12/2014, alterada

Leia mais

Auditoria de Natureza Operacional

Auditoria de Natureza Operacional Tribunal de Contas da União Secretaria de Fiscalização e Avaliação de Programas de Governo - SEPROG Auditoria de Natureza Operacional Programa Doação, Captação e Transplantes de Órgãos e Tecidos Ministro-Relator:

Leia mais

LATO SENSU CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO

LATO SENSU CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Nº ÁREA SOCIAL 01 GESTÃO DO SUAS - SISTEMA ÚNICO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL 495 HORAS 02 INSTRUMENTALIDADE DO SERVIÇO SOCIAL 495 HORAS 03 PEDAGOGIA SOCIAL E ELABORAÇÃO DE

Leia mais

Programa Viseu Solidário. Conteúdo do Plano de Apoio a Pessoas e Famílias 2013

Programa Viseu Solidário. Conteúdo do Plano de Apoio a Pessoas e Famílias 2013 Programa Viseu Solidário Conteúdo do Plano de Apoio a Pessoas e Famílias 2013 Tendo em conta os cortes orçamentais decorrentes das medidas de austeridade existentes no nosso País prevê-se um aumento significativo

Leia mais

A Tipificação e o Protocolo de Gestão Integrado

A Tipificação e o Protocolo de Gestão Integrado A Tipificação e o Protocolo de Gestão Integrado Acompanhamento Familiar Construção do Meu ponto de Vista acerca do Protocolo e da Tipificação Quais as mudanças percebidas na gestão dos CRAS a partir da

Leia mais

Linha do Tempo. Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica

Linha do Tempo. Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica Linha do Tempo Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica 1909 O presidente Nilo Peçanha assina o Decreto Nº 7.566/1909, criando inicialmente 19 Escolas de Aprendizes Artífices subordinadas ao

Leia mais

Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Secretaria de Planejamento e Investimentos Estratégicos

Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Secretaria de Planejamento e Investimentos Estratégicos Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Secretaria de Planejamento e Investimentos Estratégicos Processo de seleção para Analistas Temáticos A SPI está reestruturando sua atuação, buscando reforçar

Leia mais

PPA e o SUS: gestão, participação e monitoramento

PPA e o SUS: gestão, participação e monitoramento PPA e o SUS: gestão, participação e monitoramento Jorge Abrahão de Castro Diretor de Temas Sociais da SPI/MPOG Brasília-DF, 26 de agosto de 2015 1 Inovações para o PPA 2016-2019 MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO

Leia mais

PORTARIA Nº 078-R, DE 28 DE JUNHO DE 2016. O SECRETÁRIO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO, no uso da atribuição que lhe foi conferida pela Lei Nº. 3.

PORTARIA Nº 078-R, DE 28 DE JUNHO DE 2016. O SECRETÁRIO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO, no uso da atribuição que lhe foi conferida pela Lei Nº. 3. PORTARIA Nº 078-R, DE 28 DE JUNHO DE 2016. Dispõe sobre o Calendário Escolar/2º semestre letivo 2016 do ensino fundamental e médio na modalidade de Educação de Jovens e Adultos, nas unidades escolares

Leia mais

PT - PROGRAMA AGRÁRIO PROPOSTA DE DIRETRIZES E AÇÕES PARA OS MUNICÍPIOS

PT - PROGRAMA AGRÁRIO PROPOSTA DE DIRETRIZES E AÇÕES PARA OS MUNICÍPIOS PT - PROGRAMA AGRÁRIO PROPOSTA DE DIRETRIZES E AÇÕES PARA OS MUNICÍPIOS 12 ÍNDICE PT Programa Agrário Proposta de Diretrizes e Ações para os Municípios* Diretrizes e Ações 5 2 3 PT Programa Agrário Proposta

Leia mais

QUALIDADE DA EDUCAÇÃO: DEMOCRATIZAÇÃO DO ACESSO, PERMANÊNCIA, AVALIAÇÃO, CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO E APRENDIZAGEM

QUALIDADE DA EDUCAÇÃO: DEMOCRATIZAÇÃO DO ACESSO, PERMANÊNCIA, AVALIAÇÃO, CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO E APRENDIZAGEM EIXO IV QUALIDADE DA EDUCAÇÃO: DEMOCRATIZAÇÃO DO ACESSO, PERMANÊNCIA, AVALIAÇÃO, CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO E APRENDIZAGEM A qualidade da educação almejada deve ser definida em consonância com o projeto

Leia mais

Financiamento das Ações de Alimentação e Nutrição

Financiamento das Ações de Alimentação e Nutrição XIII Encontro Nacional da Rede de Alimentação e Nutrição do SUS Financiamento das Ações de Alimentação e Nutrição Coordenação-Geral de Alimentação e Nutrição Brasília, Agosto de 2015 Financiamento das

Leia mais

ARTICULAÇÃO PEDAGÓGICA

ARTICULAÇÃO PEDAGÓGICA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS MOSTEIRO E CÁVADO ORGANOGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DA ARTICULAÇÃO PARA O TRIÉNIO 2010-13 MARÇO 2013 ORGANOGRAMA DE DESENV. DA ARTICULAÇÃO 2010-2013 ARTICULAÇÃO 2010/11 2011/12 2012/13

Leia mais

DECRETO No- 7.559, DE 1o- DE SETEMBRO DE 2011

DECRETO No- 7.559, DE 1o- DE SETEMBRO DE 2011 DECRETO No- 7.559, DE 1o- DE SETEMBRO DE 2011 Dispõe sobre o Plano Nacional do Livro e Leitura - PNLL e dá outras providências. A PRESIDENTA DA REPÚBLICA, no uso das atribuições que lhe confere o art.

Leia mais

Extensão Rural Audiência Pública. José Silva Soares - Presidente ASBRAER

Extensão Rural Audiência Pública. José Silva Soares - Presidente ASBRAER Extensão Rural Audiência Pública José Silva Soares - Presidente ASBRAER Brasilia, Outubro de 2007 HISTÓRICO ACAR Minas Gerais 1948 ABCAR Sistema Nacional de Extensão Rural EMBRATER SIBRATER 1955 1960 1975

Leia mais

EDITAL PARA PREENCHIMENTO DE VAGA PARA PROFESSOR COORDENADOR

EDITAL PARA PREENCHIMENTO DE VAGA PARA PROFESSOR COORDENADOR EDITAL PARA PREENCHIMENTO DE VAGA PARA PROFESSOR COORDENADOR A Diretora da Escola Estadual Professor SILVIA JORGE POLLASTRINI, em Itanhaém, com fundamento na Resolução SE 75 de 30/12/2014, torna público

Leia mais

POLÍTICAS PÚBLICAS E DESENVOLVIMENTO RURAL

POLÍTICAS PÚBLICAS E DESENVOLVIMENTO RURAL POLÍTICAS PÚBLICAS E DESENVOLVIMENTO RURAL A contribuição da ATER, Pesquisa e Ensino para o rural do futuro Hur Ben Corrêa da Silva (Phd) Brasília, 17 e 18 de dezembro de 2013 1 RECEBIMENTO DE ORIENTAÇÃO

Leia mais

O Cadastro Único como ferramenta do Plano Brasil sem Miséria e a Busca Ativa para o Cadastramento

O Cadastro Único como ferramenta do Plano Brasil sem Miséria e a Busca Ativa para o Cadastramento O Cadastro Único como ferramenta do Plano Brasil sem Miséria e a Busca Ativa para o Cadastramento Secretaria Nacional de Renda de Cidadania Plano Brasil Sem Miséria No que consiste o Plano Brasil Sem Miséria?

Leia mais

Perspectivas da gestão escolar para resultados de aprendizagem: A experiência de Sobral/CE

Perspectivas da gestão escolar para resultados de aprendizagem: A experiência de Sobral/CE Perspectivas da gestão escolar para resultados de aprendizagem: A experiência de Sobral/CE Ponto de Partida: Seminário Internacional INSTITUTO UNIBANCO FOLHA DE S. PAULO Resultado da avaliação de leitura

Leia mais

PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS (PCSF)

PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS (PCSF) PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS (PCSF) Criado pelo Decreto nº 7642 de 13 de dezembro de 2011 Dezembro de 2013 Elaborado por: (Vice-Diretoria da Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública - Coordenação

Leia mais

EDITAL PARA SELEÇÃO DE PROFESSOR COORDENADOR DO ENSINO FUNDAMENTAL CICLO I

EDITAL PARA SELEÇÃO DE PROFESSOR COORDENADOR DO ENSINO FUNDAMENTAL CICLO I SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO Diretoria de Ensino Região Santos ESCOLA ESTADUAL PROFESSOR GALDINO MOREIRA Rua Maria Alzira da Conceição, nº 426 Vila Rã Enseada CEP 11443-290 Guarujá SP FONE (13) 3351-9339

Leia mais

As Licenciaturas nas Instituições Comunitárias de Ensino Superior (ICES)

As Licenciaturas nas Instituições Comunitárias de Ensino Superior (ICES) As Licenciaturas nas Instituições Comunitárias de Ensino Superior (ICES) - relatório preliminar da pesquisa- 1. Instituições participantes A pesquisa obteve respostas de 35 ICES, filiadas à ABRUC. 1 Centro

Leia mais

FORMAÇÃO SUPERIOR EM EDUCAÇÃO FÍSICA. Prof.ª Dr.ª Iguatemy Lucena Mar@ns - CREF 0001- G/ PB

FORMAÇÃO SUPERIOR EM EDUCAÇÃO FÍSICA. Prof.ª Dr.ª Iguatemy Lucena Mar@ns - CREF 0001- G/ PB FORMAÇÃO SUPERIOR EM EDUCAÇÃO FÍSICA Prof.ª Dr.ª Iguatemy Lucena Mar@ns - CREF 0001- G/ PB Educação Superior e Preparação Profissional Formar cidadãos para exercer atividades que requerem preparo técnico,

Leia mais

Planejamento da Estrutura das Unidades da Saúde da Família no Estado do Paraná. Fevereiro de 2013

Planejamento da Estrutura das Unidades da Saúde da Família no Estado do Paraná. Fevereiro de 2013 Planejamento da Estrutura das Unidades da Saúde da Família no Estado do Paraná Fevereiro de 2013 Missão Formular a Política de Atenção Primária no Estado do Paraná implementando as ações e serviços para

Leia mais

PLANO DE TRABALHO PEDAGÓGICO

PLANO DE TRABALHO PEDAGÓGICO PLANO DE TRABALHO PEDAGÓGICO Justificativa. Considerando a necessidade da organização, coordenação e implementação de uma melhor qualidade no processo ensino e aprendizagem se faz necessário o trabalho

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CULTURA PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL PDI CAMPUS SALTO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CULTURA PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL PDI CAMPUS SALTO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CULTURA PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL PDI CAMPUS SALTO - 2018 1 1.PERFIL INSTITUCIONAL 1.1 Missão 1.2 Visão 1.3 Valores 1.4 Histórico UNIDADES IMPLANTADAS ATÉ AGOSTO 2008

Leia mais

A Agenda Nacional de Trabalho Decente para a Juventude. Laís Abramo Diretora do Escritório da OIT no Brasil Porto Alegre 29 de abril de 2014

A Agenda Nacional de Trabalho Decente para a Juventude. Laís Abramo Diretora do Escritório da OIT no Brasil Porto Alegre 29 de abril de 2014 A Agenda Nacional de Trabalho Decente para a Juventude Laís Abramo Diretora do Escritório da OIT no Brasil Porto Alegre 29 de abril de 2014 ESQUEMA DA APRESENTAÇÃO 1. O conceito de Trabalho Decente 2.

Leia mais

SANEAMENTO RURAL: ATUAÇÃO DA FUNASA E O PROGRAMA NACIONAL DE SANEAMENTO RURAL

SANEAMENTO RURAL: ATUAÇÃO DA FUNASA E O PROGRAMA NACIONAL DE SANEAMENTO RURAL SANEAMENTO RURAL: ATUAÇÃO DA FUNASA E O PROGRAMA NACIONAL DE SANEAMENTO RURAL José Antonio da Motta Ribeiro Coordenação Geral de Engenharia Sanitária Salvador, 18 de Setembro de 2015 Fundação Nacional

Leia mais

GRUPO II: estados TO GO PR PE - SC

GRUPO II: estados TO GO PR PE - SC GRUPO II: estados TO GO PR PE - SC Cristiane, Andréa, Patrícia, Estela, Terezinha, Ana Lúcia, Vanessa, Rosana, Ivan, Lorena, Mara Andréa, Rijane, Eliene Passo 1 Sensibilização dos professores quanto à

Leia mais

A Tipificação e o Protocolo de Gestão Integrada

A Tipificação e o Protocolo de Gestão Integrada A Tipificação e o Protocolo de Gestão Integrada As mudanças com a TIPIFICAÇÃO E O PROTOCOLO DE GESTÃO INTEGRADA nos serviços de Garantia de Direitos Quais as mudanças percebidas na garantia de direitos

Leia mais

POLÍTICA NACIONAL DE SAÚDE BUCAL

POLÍTICA NACIONAL DE SAÚDE BUCAL UNIME- União Metropolitana de Educação e Cultura Faculdade de Ciências Agrárias e da Saúde Curso de Odontologia INTRODUÇÃO ÀS CIÊNCIAS ODONTOLÓGICAS POLÍTICA NACIONAL DE SAÚDE BUCAL Professores(as): Michelle

Leia mais

AÇÃO NACIONAL DE FORMAÇÃO PROGRAMA MAIS EDUCAÇÃO. Fotografia de Luiz Felipe Sahd. É preciso toda uma aldeia para educar uma criança.

AÇÃO NACIONAL DE FORMAÇÃO PROGRAMA MAIS EDUCAÇÃO. Fotografia de Luiz Felipe Sahd. É preciso toda uma aldeia para educar uma criança. AÇÃO NACIONAL DE FORMAÇÃO PROGRAMA MAIS EDUCAÇÃO Fotografia de Luiz Felipe Sahd É preciso toda uma aldeia para educar uma criança. ( africano (provérbio CARACTERIZA O PROGRAMA MAIS EDUCAÇÃO Na educação

Leia mais

MUSEU PARAENSE EMILIO GOELDI ESTAÇÃO CIENTIFICA FERREIRA PENNA VII OLIMPÍADA DE CIÊNCIAS DA FLONA DE CAXIUANÃ TEMA: LUZ, CIÊNCIA E VIDA

MUSEU PARAENSE EMILIO GOELDI ESTAÇÃO CIENTIFICA FERREIRA PENNA VII OLIMPÍADA DE CIÊNCIAS DA FLONA DE CAXIUANÃ TEMA: LUZ, CIÊNCIA E VIDA MUSEU PARAENSE EMILIO GOELDI ESTAÇÃO CIENTIFICA FERREIRA PENNA VII OLIMPÍADA DE CIÊNCIAS DA FLONA DE CAXIUANÃ TEMA: LUZ, CIÊNCIA E VIDA 16 a 26 de outubro de 2015 EDITAL DE CHAMADA PARA SUBMISSÃO DE PROPOSTAS

Leia mais

DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO Resolução nº 001/2012 do Departamento de Educação sobre o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) 2012

DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO Resolução nº 001/2012 do Departamento de Educação sobre o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) 2012 DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO Resolução nº 001/2012 do Departamento de Educação sobre o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) 2012 A coordenação do Departamento de Educação e a Coordenação de Trabalho de Conclusão

Leia mais

O papel da educação financeira na construção da cidadania Maria Helena Krüger

O papel da educação financeira na construção da cidadania Maria Helena Krüger O papel da educação financeira na construção da cidadania Maria Helena Krüger Parceria : CNEC Cidadania e o Banco Central do Brasil Campanha Nacional de Escolas da Comunidade CNEC Associação civil de fins

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA O LIVRO DIDÁTICO NO CONTEXTO DO ENSINO FUNDAMENTAL DE 09 ANOS maio de 2009. Ministério da Educação Ensino fundamental de 09 anos Lei nº 11.274, de 06/02/2006:

Leia mais

Carta Política da 2ª Plenária Nacional dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais da Terceira Idade, Idosos e Idosas

Carta Política da 2ª Plenária Nacional dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais da Terceira Idade, Idosos e Idosas Carta Política da 2ª Plenária Nacional dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais da Terceira Idade, Idosos e Idosas Nós, presentes na 2ª Plenária Nacional dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais da Terceira

Leia mais

AGRICULTURA FAMILIAR NO PNAE

AGRICULTURA FAMILIAR NO PNAE AGRICULTURA FAMILIAR NO PNAE Atendimento universal 26 estados e o distrito federal 5.571 municípios 170.000 escolas ABRANGÊNCIA 47 milhões de alunos 130 milhões de refeições servidas diariamente R$ 3,5

Leia mais

Treinamento Básico do SIE Módulo Administrativo

Treinamento Básico do SIE Módulo Administrativo Treinamento Básico do SIE Módulo Administrativo Rio de Janeiro,11 de Março de 2009 Centro de Processamento de Dados O Sistema de Informações para o Ensino O SIE é acessível a partir de qualquer microcomputador

Leia mais

Qualidade de Vida e Promoção da Cidadania

Qualidade de Vida e Promoção da Cidadania Bahia de Toda Gente PPA 2004-2007 SECRETARIAS ENVOLVIDAS OBJETIVO RECURSOS SEC, SEFAZ, SEDUR Conferir qualidade didática e de gestão ao sistema escolar, buscando a ampliação do ingresso de alunos, com

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO nº 001/2013. Processo Administrativo nº 015/2013 PROJETO MAIS ÁGUA: CAPTAÇÃO DE ÁGUA DE CHUVA PARA PRODUÇÃO NO SEMIÁRIDO BAIANO.

EDITAL DE SELEÇÃO nº 001/2013. Processo Administrativo nº 015/2013 PROJETO MAIS ÁGUA: CAPTAÇÃO DE ÁGUA DE CHUVA PARA PRODUÇÃO NO SEMIÁRIDO BAIANO. EDITAL DE SELEÇÃO nº 001/2013 Processo Administrativo nº 015/2013 PROJETO MAIS ÁGUA: CAPTAÇÃO DE ÁGUA DE CHUVA PARA PRODUÇÃO NO SEMIÁRIDO BAIANO. A Barriguda Centro de Desenvolvimento Socioambiental apresenta

Leia mais

ESTADO DO MARANHÃO PREFEITURA MUNICIPAL DE BOM LUGAR EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO Nº.001/2013

ESTADO DO MARANHÃO PREFEITURA MUNICIPAL DE BOM LUGAR EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO Nº.001/2013 ERRATA Nº002/23 A Prefeitura Municipal de Bom Lugar - MA, e a Comissão Organizadora do Concurso Público no uso de suas atribuições legais resolvem alterar o Item 1.1, Anexo I, II (Conteúdo programático

Leia mais

econômica e socialmente sustentáveis. (Artigo 3º da Lei Orgânica de Segurança Alimentar e Nutricional, de 15 de setembro de 2006)

econômica e socialmente sustentáveis. (Artigo 3º da Lei Orgânica de Segurança Alimentar e Nutricional, de 15 de setembro de 2006) Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome MDS Câmara Interministerial de Segurança Alimentar e Nutricional SESAN Audiência Pública na Comissão de Agricultura e Reforma Agrária do Senado Federal

Leia mais

Ministério do Esporte ORIENTAÇÕES ESTRUTURANTES

Ministério do Esporte ORIENTAÇÕES ESTRUTURANTES Ministério do Esporte ORIENTAÇÕES ESTRUTURANTES INTRODUÇÃO.....4 1. ORIENTAÇÕES PEDAGÓGICAS PARA PARTICIPAÇÃO NO EDITAL........4 2. PROJETO TÉCNICO.....4 2.1 QUANTIDADE DE BENEFICIADOS...5 3. PERÍODO DE

Leia mais

vamos cuidar do planeta

vamos cuidar do planeta REGULAMENTO Conferência Internacional Infanto-Juvenil - Vamos cuidar do Planeta Brasília, 5 a 10 de junho de 2010 A Conferência Internacional Infanto-Juvenil Vamos cuidar do Planeta (Confint) é uma ação

Leia mais

PCN - PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS

PCN - PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS PCN - PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS 01. O que são os Parâmetros Curriculares Nacionais? (A) Um documento com leis educacionais. (B) Um livro didático para ser aplicado em sala. (C) Um referencial para

Leia mais