Formulário de Solicitação de Pequenos Financiamentos para Intercambistas de 2008

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Formulário de Solicitação de Pequenos Financiamentos para Intercambistas de 2008"

Transcrição

1 Formulário de Solicitação de Pequenos Financiamentos para Intercambistas de 2008 UInstruções:U As solicitações devem ser entregues à Embaixada dos EUA em Brasília até as 17 h do dia 31 de outubro de Solicitações entregues após essa data/hora NÃO serão examinadas. Também não serão examinadas solicitações incompletas. As solicitações podem ser encaminhadas em inglês ou português. Consulte também o Comunicado sobre Financiamentos para mais informações sobre o Concurso de Pequenos Financiamentos para Intercambistas. As propostas bem sucedidas deverão reunir pelo menos dois (e de preferência, mais) participantes de programas de intercâmbio financiados pelo governo dos EUA para elaborar um projeto conjunto em uma das três áreas de projetos. Pelo menos um dos intercambistas envolvidos no projeto deve ter participado de programa patrocinado pelo Departamento de Estado/Bureau de Assuntos Educacionais e Culturais (ECA), embora seja bem vinda a participação de intercambistas de programas patrocinados pela USAID e por outros departamentos e agências do governo americano (não pertencentes ao Departamento de Estado/ECA). Os projetos devem: demonstrar como os intercambistas participantes usarão sua experiência de intercâmbio em benefício de outros no Brasil; explicar de que forma o projeto aprimorará o desenvolvimento profissional do intercambista; mostrar como o projeto será avaliado por seus participantes; e demonstrar sustentabilidade quando o financiamento terminar. Propostas para projetos de pesquisa individuais não poderão ser financiadas. Os resultados do projeto deverão ser colocados na seção Brazilian Alumni Community (Comunidade de Intercambistas Brasileiros) do site State Alumni: (HTUhttps://alumni.state.govUTH). Se ainda não o fizeram, todos os intercambistas envolvidos no projeto, inclusive o contato principal para o financiamento e todos os outros intercambistas participantes, devem se cadastrar no site State Alumni. Recomenda se que os intercambistas analisem projetos bem sucedidos na seção Alumni News (Notícias dos Intercambistas) do State Alumni. Os orçamentos dos projetos devem incluir divisão de custos e podem incluir somente custos permitidos. As propostas devem apresentar texto narrativo e orçamento detalhado. O encaminhamento das solicitações à Embaixada deve ser feito por e mail e dentro do prazo. Uma cópia impressa com assinatura original também deve ser encaminhada pelo correio e pode chegar APÓS o prazo. Enviar e mail para: americana.org.br Enviar correspondência para: Aos cuidados de: Tara Rougle, Public Affairs, US Embassy Brasilia, SES Av. Das Nações, Q. 801, Lote 03, , Brasilia, DF

2 1. Nome da pessoa para contato sobre o financiamento: 2. Você está cadastrado no site State Alumni? Sim Não 3. Endereço de correspondência, telefone, fax e e mail da pessoa para contato sobre o financiamento: 4. Nome do programa de intercâmbio dos EUA do qual o contato para o financiamento participou: 5. Data de participação no programa de intercâmbio: 6. Nomes de outros Intercambistas que participarão do projeto e nome e datas do programa de intercâmbio do qual participaram. (Pelo menos dois intercambistas do GEUA devem participar do projeto): 7. Todos os intercambistas relacionados acima estão cadastrados no site State Alumni? Sim Não

3 8. Título do projeto: 9. Tipo de projeto (assinale um): Meio Ambiente Promoção de Estudos Americanos/ Ensino da Língua Inglesa/ e/ou Intercâmbios Justiça Social/ Desenvolvimento Econômico 10. Valor do financiamento solicitado (o valor máximo do financiamento é de US$ 5 mil para ser concedido em reais brasileiros): 11. Número de não intercambistas que o projeto vai envolver e descrição dos participantes nãointercambistas no projeto: 12. Cidade(s) e/ou regiões onde o projeto será realizado:

4 13. Descrição do projeto, metas e objetivos. Favor providenciar uma descrição narrativa de seu projeto incluindo (A) Metas do projeto (B) Instituições parceiras (C) Sustentabilidade do projeto e (D) Avaliação do projeto. Sinta se à vontade para aumentar o número de páginas, mas limite a Descrição do projeto ao máximo de três páginas digitadas com tamanho de fonte não inferior a 10.

5 14. Cronograma do projeto. Apresente etapas para todo o projeto, com datas aproximadas de início e término para cada etapa.

6 15. Responsabilidade financeira. Por favor, indique que pessoa física ou instituição será favorecida pelas verbas e a experiência dessa pessoa ou instituição em gestão de financiamentos, isto é, financiamentos recebidos anteriormente, seus valores, etc. 16. Orçamento do projeto. Preencha o formulário de orçamento abaixo. Todas as solicitações devem incluir pelo menos alguma divisão de custo, como espaço doado para evento (com valor estimado de aluguel do espaço para um evento único), horas dos funcionários do projeto (isto é, se uma instituição parceira for remunerar alguém para trabalhar no projeto, inclua o valor das horas a serem pagas a essa pessoa), etc. Observe que NÃO são permitidos os seguintes custos: salários, despesas gerais administrativas (ou seja, aluguel de escritório, serviços públicos de escritório, compra de equipamentos para escritório, etc., embora sejam permitidos os custos de aluguel de espaço/equipamentos para um evento, por exemplo uma conferência); alimentação e bebida (contudo, uma diária razoável para cobrir despesas com refeições pode ser concedida aos participantes do projeto que viajam); viagens internacionais e sites de intercambistas separados do site State Alumni. Consulte também os termos e condições padrão do Departamento de Estado dos EUA para doações governamentais no exterior (abaixo) para obter mais informações sobre os custos permitidos, etc. Descreva cada item do orçamento em detalhes. Observe que, embora o orçamento seja solicitado em dólares americanos, todos os financiamentos serão concedidos no valor equivalente em reais brasileiros de acordo com as taxas de câmbio do momento. Os orçamentos não podem exceder US$ 5 mil.

7 Descrição do item Valor solicitado ao Programa de Pequenos Financiamentos para Intercambistas (em dólares americanos) Valor da divisão de custos (em dólares americanos) TOTAL: 17. Se o beneficiário do financiamento for uma instituição (o beneficiário do financiamento não precisa ser necessariamente uma pessoa física), é preciso obter um número DUNS, ou seja, número do Sistema Universal de Numeração de Dados do governo federal dos EUA, e incluí lo nessa solicitação. Para conseguir esse número, acesse o site abaixo e siga as instruções: HTUhttp://fedgov.dnb.com/webform/displayHomePage.do;jsessionid=A245F888C048FC0F900F5574F8 3632BEUTH Número DUNS (somente beneficiários de financiamentos institucionais):

8 18. Por favor, observe as seguintes diretrizes com relação à concessão de financiamentos. O contato principal para o financiamento deverá assinar abaixo confirmando ter lido e entendido as diretrizes. Li e entendi os termos e condições padrão do Departamento de Estado dos EUA para doações governamentais no exterior. Assinatura do contato principal para o financiamento Data

9 DEPARTAMENTO DE ESTADO DOS EUA TERMOS E CONDIÇÕES PADRÃO PARA DOAÇÕES GOVERNAMENTAIS NO EXTERIOR ÍNDICE TU1. INTRODUÇÃOUT...10 TU2. ORDEM DE PRIORIDADEUT...10 TU3. IDIOMA PREDOMINANTEUT...10 TU4. RESPONSABILIDADES DO DEPARTAMENTO DE ESTADO (DOS)UT...10 TU5. PAPEL E RESPONSABILIDADES DO REPRESENTANTE DO OFICIAL RESPONSÁVELUT...11 TU6. RESPONSABILIDADES DO beneficiário E OBSERVÂNCIA DOS REQUISITOS FEDERAISUT...11 TU8. PerÍODO DE DISPONIBILIDADE DE VERBASUT...14 TU9. CUSTOS PRÉ-DOAÇÃOUT...14 TU10. REQUISITOS DE APROVAÇÃO PRÉVIAUT...15 TU11. DESPESAS NÃO PERMITIDASUT...15 TU13. PAGAMENTOS NOS TERMOS DO CONTRATO DE DOAÇÃOUT...16 TU14. Exigência de relatóriosut...17 TU15. RESTRIÇÕES DA LEI AMERICANA DE TRANSPORTE AÉREO [Fly America Act]UT...18 TU16. TERRORISMOUT...19 TU17. PERSEGUIÇÃO RELIGIOSAUT...19 TU18. DIREITOS AUTORAISUT...20 TU19. PUBLICAÇÕES PARA PÚBLICOS PROFISSIONAISUT...20 TU20. PROIBIÇÃO DE CESSÃOUT...20 TU21. OFICIAIS ISENTOS DE BENEFÍCIOUT...20 TU22. NOTIFICAÇÃO DE DOAÇÃO PARA PROGRAMA SEMELHANTEUT...21 TU23. RESPONSABILIDADEUT...21 TU24. PROTOCOLO E DECOROUT...21 TU25. RESTRIÇÕES A LOBBYUT...21 TU26. SUBSTÂNCIAS CONTROLADASUT...21 TU27. VISITAS AOS LOCAISUT...22 TU28. bensut...22 TU29. VERIFICAÇÃO DE REGISTROSUT...22 TU30. MANUTENÇÃO DE REGISTROSUT...23 TU31. SUSPENSÃO E EXPULSÃOUT...23 TU32. SUSPENSÃO OU RECISÃOUT...24 TU33. LEI DE PROTEÇÃO ÀS VÍTIMAS DO TRÁFICO, DE 2000 (e suas alterações pela Lei de Reautorização da Proteção às Vítimas do Tráfico, de 2003)UT...25

10 1. INTRODUÇÃO O beneficiário e todos os sub-beneficiários deverão, além das garantias e certificações providenciadas como parte da doação governamental, cumprir todos os termos e as condições aplicáveis durante o período do projeto. 2. ORDEM DE PRIORIDADE No caso de qualquer inconsistência entre as disposições da doação, tal inconsistência deverá ser solucionada atribuindo-se a seguinte ordem de prioridade: Leis e regulamentações aplicáveis dos Estados Unidos, inclusive todas as disposições legislativas específicas previstas pela autoridade legal para a doação Termos e condições padrão Bureau/Termos e condições específicos de pós-doação Outros documentos e anexos 3. IDIOMA PREDOMINANTE É política do Departamento de Estado que o inglês seja o idioma oficial de todos os documentos de doação. Se algum documento de doação ou de comprovação for entregue tanto em inglês quanto em idioma estrangeiro, deverá ser declarado em cada versão que a versão em inglês é predominante. 4. RESPONSABILIDADES DO DEPARTAMENTO DE ESTADO (DOS) O DOS têm inteira responsabilidade pelas doações governamentais por ele concedidas, inclusive pela supervisão da execução técnica, programática, financeira e administrativa. UAgência de Administração de Doações Governamentais Oficial Responsável (GO) O GO, em nome do Departamento de Estado, responde por todas as ações relacionadas com assinatura, alteração ou rescisão de uma doação governamental. O GO é autorizado por uma ordem emitida pelo Diretor de Compras Governamentais no Escritório do Diretor de Compras Governamentais. Ademais, o GO é responsável pela coordenação administrativa e pelo relacionamento com o beneficiário. O GO é a única pessoa autorizada a aprovar mudanças em quaisquer dos requisitos da doação. Se o beneficiário efetuar alguma mudança sob orientação de qualquer outra pessoa que não o GO, a(s) mudança(s) será(ão) considerada(s) não autorizada(s) e

11 nenhum ajuste será feito na quantia da doação para cobrir qualquer aumento de custo incorrido como resultado dessa(s) mudança(s). UContato do Programa na Agência Representante do Oficial Responsável (GOR)U De acordo com a política do DOS, o GO pode designar pessoal tecnicamente qualificado para auxiliar na administração das concessões. O GOR é responsável pelos aspectos programáticos, técnicos e/ou científicos da doação. Os beneficiários deverão encaminhar ao GOR todas as correspondências relacionadas com questões programáticas e orçamentárias. 5. PAPEL E RESPONSABILIDADES DO REPRESENTANTE DO OFICIAL RESPONSÁVEL O Representante do Oficial Responsável (GOR) é a pessoa designada, por escrito, pelo Oficial Responsável para administrar determinados aspectos do instrumento de assistência pós-doação. Essa autoridade não pode ser repassada a terceiros que não estejam especificados na carta de designação do Oficial Responsável. O GOR é responsável por assegurar que o Departamento de Estado realize uma gestão prudente, supervisionando a doação por meio de contatos com o beneficiário, monitoramento e avaliação do desempenho do beneficiário. O GOR não tem autoridade para emitir nenhuma orientação técnica ao beneficiário que: 1. modifique o escopo geral da doação; 2. modifique o orçamento, inclusive ajustes em item de dotações; 3. modifique termos e condições definidos na doação ou dispense o cumprimento de quaisquer deles; 4. substitua os principais membros da equipe definida na doação; 5. altere o período de cumprimento da doação; 6. interfira no direito do beneficiário de agir de acordo com os termos e as condições da doação; e 7. coloque o GOR como supervisor dos funcionários do beneficiário. 6. RESPONSABILIDADES DO BENEFICIÁRIO E OBSERVÂNCIA DOS REQUISITOS FEDERAIS O beneficiário é responsável por notificar o DOS sobre quaisquer problemas importantes relacionados com os aspectos administrativos ou financeiros da doação. O beneficiário tem inteira responsabilidade pelo gerenciamento do projeto ou das atividades financiadas nos termos da doação, bem como pelo cumprimento de seus termos e condições.

12 Embora o beneficiário seja encorajado a buscar aconselhamento e a solicitar o parecer do GO e/ou do GOR sobre problemas especiais que possam surgir, tal aconselhamento não diminui a responsabilidade do beneficiário de tomar decisões prudentes e eficazes, segundo as circunstâncias prevalecentes no momento em que a decisão foi tomada, e não deve inferir que a responsabilidade pelas decisões operacionais tenha sido transferida para o DOS. O beneficiário é responsável por e assegura que: Dentro de 30 (trinta) dias após a assinatura do contrato de doação, o beneficiário fornecerá nomes, títulos e resumos biográficos (caso estes não tenham sido apresentados anteriormente), inclusive informações sobre a formação e a experiência dos principais membros da equipe encarregada do projeto, objeto da doação, bem como de outros profissionais importantes e dos supervisores; ou seja, dos membros da equipe profissional com cargos de supervisão em um programa que sejam responsáveis por ou designados para assumir obrigações nos termos da doação. O beneficiário também prestará informações semelhantes sobre novos executivos desse nível que possam vir a ser designados pelo beneficiário para assumir obrigações relacionadas com a doação. Quaisquer alterações, ausências prolongadas ou ajustes significativos no tempo total dedicado ao projeto, objeto da doação, por parte de qualquer dos funcionários relacionados devem ser comunicados ao GO para aprovação prévia. Todos os sub-beneficiários serão submetidos aos mesmos termos e condições, os quais constarão de modo adequado do instrumento de subdoação (verbas liberadas nos termos da doação principal para a contratação de serviços específicos ou para a execução de tarefas relacionadas ao programa) da organização que executa o projeto. Todos os beneficiários cumprirão tais termos e condições, a menos que especificado de outra forma no instrumento de doação. Todos os beneficiários deverão cumprir as exigências federais, os termos e as condições aplicáveis e gerenciar com prudência todos os gastos e ações que afetem a doação. A documentação de cada gasto ou ação que afete a doação deve refletir as aprovações organizacionais adequadas, as quais devem ser obtidas antes da ação. As aprovações organizacionais destinam-se a ajudar a garantir que os gastos sejam permitidos, necessários e razoáveis para o desenvolvimento do projeto, e que a ação proposta atenda aos seguintes requisitos: o está em consonância com termos e condições; o está em consonância com as políticas estabelecidas e redigidas pelo DOS e pelo beneficiário; o representa uso eficaz dos recursos do DOS; e o não constitui modificação significativa do projeto.

13 O(s) pesquisador(es) principal(is) ou o(s) diretor(es) do projeto recebem uma cópia dos termos e das condições, inclusive do instrumento de doação, dos requisitos específicos do bureau e de quaisquer alterações subseqüentes nos termos e nas condições. Os funcionários competentes dos beneficiários terão conhecimento dos termos e das condições por meio de sua disponibilização pelo DOS, em formato eletrônico, no site HTUhttp://fa.statebuy.state.gov/UTH, e eles poderão ser duplicados, copiados ou de outro modo reproduzidos, conforme o caso. Esta disposição não altera a inteira responsabilidade do beneficiário pelo desenvolvimento do projeto e cumprimento de todos os seus termos e condições. 7. CONFIDENCIALIDADE DAS INFORMAÇÕES (a) O termo informações confidenciais, como usado nesta disposição, significa: 1) informações ou dados de natureza pessoal sobre uma pessoa, ou 2) informações ou dados apresentados por, ou pertencentes a, uma instituição ou organização. (b) Além dos tipos de informação confidencial descritos em (a) (1) e (2) acima, as informações que merecem consideração especial no que diz respeito ao momento de sua divulgação podem derivar de estudos ou pesquisas cuja divulgação pública dos seus resultados preliminares inválidos pode levar a conclusões equivocadas com possibilidade de ameaçar a saúde e a segurança públicas se forem usados como base para ações. (c) O Oficial Responsável e o beneficiário podem, por consentimento mútuo, identificar nesta doação outras informações ou categorias de informação prestadas pelo governo ao beneficiário, ou que se espera sejam geradas pelo beneficiário, que devam ser consideradas confidenciais. Da mesma forma, o Oficial Responsável e o beneficiário podem, por consentimento mútuo, identificar informações confidenciais desse tipo, de tempos em tempos, durante o cumprimento deste contrato. (d) Caso seja determinado que as informações a serem utilizadas no cumprimento deste contrato de doação estão sujeitas à Lei de Privacidade, o beneficiário obedecerá as normas e os procedimentos de divulgação previstos na Lei de Privacidade de 1974, bem como as regulamentações e políticas de implementação, no que concerne aos sistemas de registro considerados objeto da Lei de Privacidade. (e) Informações confidenciais, conforme definição em (a) (1) e (2) acima, não deverão ser divulgadas sem o prévio consentimento por escrito da pessoa, instituição ou organização (DOS). (f) Será entregue ao Oficial Responsável notificação por escrito com antecedência mínima de 45 dias sobre a intenção do beneficiário de divulgar resultados de estudos ou pesquisas que possam

14 ter efeito adverso no público ou na agência federal, conforme descrito no item (b) acima. Se o Oficial Responsável não apresentar nenhuma objeção por escrito no prazo de 45 dias, o beneficiário poderá prosseguir com a divulgação. (g) Sempre que o beneficiário tiver dúvidas quanto ao tratamento adequado do material relacionado a este Acordo de Cooperação, ou se o material em questão for objeto da Lei de Privacidade ou for considerado informação confidencial nos termos desta disposição, o beneficiário deverá obter decisão escrita do Oficial Responsável antes de qualquer divulgação, disseminação ou publicação. (h) O parágrafo (e) desta disposição não se aplicará quando a informação for objeto de disposições conflitantes ou superpostas em outras leis federais, estaduais ou locais. 8. PERÍODO DE DISPONIBILIDADE DE VERBAS O período do projeto, nos termos da doação, está indicado na capa do instrumento de doação. O beneficiário só poderá atribuir à doação custos permitidos, resultantes de obrigações incorridas durante o período de financiamento, conforme orçamento aprovado pelo Oficial Responsável. Atividades de conclusão de projeto podem ocorrer por um período de apenas 90 dias após a data de término; entretanto, não são permitidas verbas após a data de término de uma doação. As atividades de conclusão do projeto do beneficiário são limitadas à elaboração de relatórios finais. 9. CUSTOS PRÉ-DOAÇÃO O GO está autorizado, a seu critério, a dispensar a exigência de aprovações prévias por escrito de pré-doação. Tal dispensa pode incluir o que se segue, autorizando os beneficiários a: Incorrer em custos pré-doação 90 dias corridos antes da doação. A aprovação do GO é necessária para custos pré-doação que excedam 90 dias corridos. Todos os custos prédoação são efetuados por conta e risco do beneficiário (ou seja, o Departamento de Estado não tem obrigação de reembolsar esses custos, se por algum motivo o beneficiário não receber a doação ou se a doação for menor do que o previsto ou insuficiente para cobrir tais custos). Os custos pré-doação devem ser necessários ao desenvolvimento eficaz e econômico do período do projeto e, em outras circunstâncias, os custos devem ser aprovados segundo os requisitos de aprovação prévia.

15 10. REQUISITOS DE APROVAÇÃO PRÉVIA O beneficiário deve submeter todas as solicitações, por escrito, ao GOR, antes da data de início do projeto indicada no formulário DS A aprovação final está sujeita à analise e aceitação do GO. A menos que de outra forma indicado no contrato de doação, as disposições dos princípios de custos federais aplicáveis e de outros requisitos administrativos federais para aprovação prévia aplicam-se exclusivamente às atividades e despesas especificadas no contrato de doação. Exige-se a aprovação prévia do GO do Departamento do Estado, por meio de emenda, para: o mudança no escopo ou no objetivo do projeto ou programa (mesmo que não haja revisão orçamentária associada exigindo aprovação prévia por escrito); o substituição de funcionário-chave relacionado na solicitação ou no documento de doação; o ausência por mais de três meses do diretor ou principal pesquisador do projeto aprovado, ou redução de 25% do tempo que dedicam ao projeto; o necessidade de financiamento federal adicional; o transferência de quantias orçadas para custos indiretos para absorver aumentos nos custos diretos; o prorrogação do período de execução; o transferência de verbas entre categorias de custos diretos ou programas, funções e atividades para doações nas quais a participação federal no projeto exceda US$ 100 mil e o valor cumulativo de tais transferências exceda, ou estima-se que exceda, 20% do orçamento total; o a menos que especificadas na solicitação e financiadas por verbas da doação aprovadas, a subdoação, a transferência ou a contratação de terceiros para qualquer trabalho previsto nos termos da doação; e o transferência de verbas alocadas para ajuda de custo durante treinamento (pagamento direto aos treinandos) para outras categorias de despesa. 11. DESPESAS NÃO PERMITIDAS Despesas não permitidas compreende despesas gerais ou centralizadas de um beneficiário que recebe verbas do Departamento de Estado e cujos custos administrativos não são passíveis de serem financiados com verbas da doação do Departamento de Estado.

16 a) Bebidas alcoólicas. Despesas com bebidas alcoólicas. b) Dívida incobrável. Dívidas incobráveis incluem perdas (sejam elas reais ou estimadas) derivadas de contas incobráveis e outras reivindicações, custos de cobrança a elas relacionados e outros custos legais correspondentes. c) Contingências. Não são permitidas contribuições para formação de provisão de contingência ou qualquer provisão semelhante para cobertura de eventos cuja ocorrência não pode ser prevista em termos de período, intensidade ou certeza de ocorrência. O termo "provisão de contingência" exclui provisões para seguro próprio; fundos de pensão; e provisões para pagamento normal por demissão de pessoal. d) Contribuições (a outras entidades). Contribuições e doações do beneficiário para outros. e) Entretenimento. Despesas com entretenimento, diversão, atividades sociais, cerimoniais e custos associados, como refeições, hospedagem, aluguéis, transportes e gorjetas. f) Bens ou serviços de uso pessoal. Custos de bens ou serviços de uso pessoal de funcionários do beneficiário não são permitidos, ainda que sejam relacionados como renda tributável de funcionários. g) Custos organizacionais. Despesas como taxas de incorporação, pagamento a corretores, promotores, organizadores ou assessores gerenciais, advogados, contadores ou assessores de investimentos, sejam ou não funcionários do beneficiário, relacionados com estabelecimento ou reorganização não são permitidos a não ser com aprovação prévia da agência responsável pela doação. 12. CUSTOS INDIRETOS Custos indiretos não podem ser atribuídos a esta Concessão a menos que especificamente incluídos em um item do orçamento aprovado para esta doação. A recuperação de custo indireto por quaisquer custos realmente indiretos incorridos pelo beneficiário que sejam superiores ao indicado no item de custo indireto do orçamento aprovado para a doação é limitado ao valor da doação. 13. PAGAMENTOS NOS TERMOS DO CONTRATO DE DOAÇÃO (a) Adiantamentos. O beneficiário pode receber adiantamentos das verbas da doação, desde que cumpra as normas de gerenciamento financeiro, conforme aplicáveis. (b) Necessidades imediatas de fluxo de caixa. O valor dos adiantamentos solicitados pelo beneficiário devem se basear em necessidades reais e imediatas de dinheiro a fim de minimizar a quantia de dinheiro federal em caixa.

17 (c) Faturas. As faturas de adiantamento deverão ser feitas no Formulário Padrão (SF) 270, Solicitação de Adiantamento ou Reembolso. O SF-270 deverá ser numerado de forma consecutiva e identificar o período para o qual o pagamento é reivindicado. (d) Interrupção de adiantamentos. Caso um beneficiário não estabeleça procedimentos para reduzir o tempo decorrido entre o recebimento do dinheiro de adiantamento e seu desembolso, o Departamento de Estado poderá, após a devida comunicação ao beneficiário, interromper o procedimento de adiantamentos e só permitir adiantamento por solicitação individual com aprovação ou por reembolso. 14. EXIGÊNCIA DE RELATÓRIOS Cada beneficiário deve apresentar relatórios sobre o andamento do projeto e a situação financeira até a data estabelecida e/ou na freqüência exigida no contrato de doação. Solicitações de prorrogação de prazo para entrega de relatórios poderão ser aceitas pelo Oficial Responsável quando o(s) relatório(s) não puder(em) ser entregue(s) em tempo oportuno por razões legitimamente fora do controle do beneficiário. DEIXAR DE CUMPRIR A EXIGÊNCIA DE RELATÓRIOS PODE PREJUDICAR A QUALIFICAÇÃO PARA FUTURAS DOAÇÕES OU RESULTAR NA SUSPENSÃO DE TODO O PAGAMENTO FUTURO, NOS TERMOS DESTA DOAÇÃO, ATÉ QUE A DEFICIÊNCIA SEJA CORRIGIDA. UFormatos de relatório: Relatórios sobre Situação Financeira devem ser apresentados via Formulário Padrão (SF) 269. Relatórios sobre o Andamento do Projeto devem ser apresentados ou em formato especificado no contrato de doação ou determinado pelo Oficial Responsável. URelatório final: O beneficiário deve apresentar um relatório final sobre Situação Financeira e um relatório final sobre o Andamento do Projeto dentro de 90 dias corridos, a contar da data de término da execução indicada no contrato de doação. UExigência de relatórios para sub-beneficiários: O Departamento de Estado exige que cada beneficiário estabeleça suas próprias exigências de relatórios aos sub-beneficiários. Os beneficiários são responsáveis pelo monitoramento de atividades e necessidades de treinamento dos sub-beneficiários, pelo acompanhamento dos avanços para cumprimento dos objetivos e pela identificação de desafios. Os sub-beneficiários devem cumprir as exigências de relatórios indicadas e comunicadas por seu beneficiário para cada ano do programa.

18 15. RESTRIÇÕES DA LEI AMERICANA DE TRANSPORTE AÉREO [Fly America Act] (a) A Lei de Direito Público dispõe que todas as agências federais, os contratados, subcontratados e beneficiários do governo devem utilizar companhias aéreas americanas para transporte aéreo internacional de pessoal (e de seus objetos de uso pessoal) ou bens, desde que os serviços de tais companhias estejam disponíveis. Dispõe também que a Controladoria Geral dos Estados Unidos não aprovará nenhuma despesa de verbas destinada a transporte aéreo internacional quando realizado por companhias de transportes aéreos que não sejam americanas, se não houver comprovação satisfatória da sua necessidade. (b) o beneficiário se compromete a utilizar empresas aéreas americanas para transporte aéreo internacional de pessoas (e de seus objetos de uso pessoal) ou bens, desde que o serviço de tais empresas esteja disponível. (c) Caso o beneficiário escolha uma empresa aérea que não seja americana para transporte aéreo internacional, será elaborado um atestado para justificar tal transporte, fundamentalmente nos seguintes termos: UATESTADO DE INDISPONIBILIDADE DE EMPRESAS AÉREAS AMERICANAS Pelo presente declaro que o serviço de transporte de pessoas (e de seus objetos de uso pessoal) ou bens por companhias aéreas certificadas estava indisponível pelas razões a seguir: (declare as razões). (d) A terminologia utilizada nesta cláusula tem o seguinte significado: (1) Transporte aéreo internacional compreende o transporte de pessoal (e de seus objetos de uso pessoal) ou bens, por via aérea, entre um lugar nos Estados Unidos e outro fora do país ou entre dois lugares fora dos Estados Unidos. (2) Empresa aérea americana compreende uma das companhias aéreas com certificação de conveniência e necessidade públicas emitida pelo Conselho Civil da Aeronáutica dos EUA e aprovada pelo presidente, autorizando operações entre os Estados Unidos e/ou seus territórios e um ou mais países estrangeiros. (3) O termo Estados Unidos compreende os cinqüenta estados, o Estado Livre Associado de Porto Rico, as possessões dos Estados Unidos e o Distrito de Colúmbia. (e) O beneficiário deve inserir o inteiro teor desta cláusula, inclusive este parágrafo (e), em todas as subdoações ou compras que envolvam transporte aéreo internacional.

19 16. TERRORISMO Ato do Executivo Bloqueio de bens e proibição de transações com quem comete, ou possa vir a cometer, atos terroristas ou prestar apoio ao terrorismo O Ato do Executivo designou 27 indivíduos e entidades que cometeram atos terroristas, ou representam risco significativo de vir a cometer tais atos, e autorizou o secretário de Estado a designar mais entidades e indivíduos. O Ato também autorizou o secretário do Tesouro a designar outros indivíduos e entidades que apóiam ou prestam serviços a, são donos ou controladores, atuam ou favorecem, ou, de algum modo, estão associados com indivíduos ou entidades que foram designados pelo Ato Executivo ou com base nele. Todas as propriedades e participações em propriedades da pessoa ou entidade nos Estados Unidos, ou sob posse ou controle de pessoas dos Estados Unidos, são bloqueados. O Ato Executivo proíbe todas as transações ou negociações de propriedades ou participações bloqueados nos Estados Unidos, ou por pessoas nos Estados Unidos, e também proíbe transações com, e apoio a, pessoas ou entidades relacionadas no Ato ou a ele sujeitas. Os beneficiários devem ter conhecimento do Ato do Executivo e dos nomes das pessoas e entidades nele designadas. Uma relação desses nomes pode ser encontrada no Sistema de Listas de Partes Excluídas-EPLS. Site: Hhttp://www.epls.govH Os beneficiários são informados que o Ato do Executivo e as leis dos EUA proíbem transações com, fornecimento de recursos e apoio a pessoas e organizações associadas com o terrorismo. É responsabilidade legal do beneficiário/contratado assegurar o cumprimento desses Atos Executivos e dessas leis. 17. PERSEGUIÇÃO RELIGIOSA No que diz respeito à perseguição religiosa, em particular, o beneficiário deve assegurar que, no trabalho, o seu pessoal leve em conta as considerações expressas na Lei Internacional sobre Liberdade Religiosa, referentes às condições de cada país específico, o direito à liberdade de religião, os métodos de perseguição religiosa praticados em países estrangeiros e as diferenças aplicáveis dentro de um país entre a natureza e o tratamento de várias práticas e crenças religiosas.

20 18. DIREITOS AUTORAIS Salvo disposições em contrário expostas nesta doação, o autor(es) ou beneficiário(s) têm liberdade para registrar direitos autorais sobre quaisquer livros, publicações ou outro material passível de direito autoral produzido no decorrer desta doação ou que seja objeto desta doação. No entanto, os Estados Unidos reservam-se o direito livre de royalties, não-exclusivo e irrevogável de reproduzir, publicar, traduzir ou de algum modo usar e autorizar outros a usar, para fins do governo federal, todos os direitos autorais para os quais um beneficiário, subbeneficiário ou contratado adquira a titularidade com a ajuda da doação. 19. PUBLICAÇÕES PARA PÚBLICOS PROFISSIONAIS Todas as publicações ou artigos resultantes desta doação deverão reconhecer o apoio do Departamento de Estado e conter declaração de isenção de endosso oficial, com o seguinte teor: Este [artigo] foi financiado [em parte] por concessão de verbas do Departamento de Estado dos Estados Unidos. As opiniões, resultados e conclusões aqui expressos são de responsabilidade do(s) autor(es) e não necessariamente refletem a posição nem as políticas do Departamento de Estado dos EUA. O beneficiário deve assegurar que essa declaração de isenção de responsabilidade seja incluída em todas as revistas, folhetos, pôsteres, cartazes ou outros trabalhos gráficos produzidos nos termos da doação. USelo/Logo O selo do Departamento de Estado não poderá ser usado pelos beneficiários sem a expressa autorização, por escrito, do Departamento de Estado dos Estados Unidos. 20. PROIBIÇÃO DE CESSÃO Não obstante qualquer outra disposição desta doação, o beneficiário não poderá transferir, empenhar, hipotecar ou de alguma forma ceder esta doação ou qualquer participação dela resultante, ou qualquer reivindicação dela originada, a nenhuma parte ou partes, empresas fiduciárias ou instituições financeiras ou de financiamentos. 21. OFICIAIS ISENTOS DE BENEFÍCIO Não será permitido que nenhum membro ou representante do Congresso ou Tcomissário federal residentet tenha direito a qualquer participação ou parte nesta doação nem a nenhum benefício dela resultante; entretanto, esta disposição poderá não ser considerada para esta doação, caso se destine a instituição corporativa, educacional ou sem fins lucrativos em beneficio geral.

CAPÍTULO XI FINANÇAS

CAPÍTULO XI FINANÇAS CAPÍTULO XI FINANÇAS A. INVESTIMENTO DOS FUNDOS DA ASSOCIAÇÃO As decisões referentes aos investimentos da associação deverão tomar como base as declarações sobre normas de investimentos para o Fundo Geral

Leia mais

ESTÁGIO INTERNACIONAL CONTRATO MESTRE Brigham Young University

ESTÁGIO INTERNACIONAL CONTRATO MESTRE Brigham Young University ESTÁGIO INTERNACIONAL CONTRATO MESTRE Brigham Young University Contrato celebrado dia de, 201 ( Data da vigência ) entre a Brigham Young University, empresa sem fins lucrativos e instituição educacional

Leia mais

Princípios Gerais para a Prevenção dos Riscos Penais Endesa Brasil

Princípios Gerais para a Prevenção dos Riscos Penais Endesa Brasil Princípios Gerais para a Prevenção dos Riscos Penais Endesa Brasil Introdução 5 INTRODUÇÃO A seguir, são descritos os comportamentos e princípios gerais de atuação esperados dos Colaboradores da Endesa

Leia mais

EDITAL 02/2015 EDITAL DE CONCESSÃO DO AUXÍLIO EVENTOS

EDITAL 02/2015 EDITAL DE CONCESSÃO DO AUXÍLIO EVENTOS EDITAL 02/2015 EDITAL DE CONCESSÃO DO AUXÍLIO EVENTOS A Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB), por meio da Pró-Reitoria de Sustentabilidade e Integração Social (PROSIS) torna público o presente EDITAL

Leia mais

Broward County Public Schools Educação de Estudantes Excepcionais Programa para Superdotados (Exceptional Student Education - Gifted Program)

Broward County Public Schools Educação de Estudantes Excepcionais Programa para Superdotados (Exceptional Student Education - Gifted Program) Salvaguardas Processuais para Estudantes Excepcionais que São Superdotados 6A-6.03313 Salvaguardas Processuais para Estudantes Excepcionais que São Superdotados. Informar os pais sobre os seus direitos

Leia mais

Hilti do Brasil Comercial Ltda. Política de Privacidade e Proteção de Informações Pessoais

Hilti do Brasil Comercial Ltda. Política de Privacidade e Proteção de Informações Pessoais Hilti do Brasil Comercial Ltda. Política de Privacidade e Proteção de Informações Pessoais Nós, Hilti (Brasil) Comercial Ltda. (coletivamente, referido como Hilti, "nós", "nosso" ou "a gente") nessa Política

Leia mais

Adendo de ao Contrato da Oracle PartnerNetwork

Adendo de ao Contrato da Oracle PartnerNetwork Adendo de ao Contrato da Oracle PartnerNetwork Este Adendo de Validação de Integração de Aplicativos (este "Adendo") é firmado entre você e a Oracle do Brasil Sistemas Limitada. As definições usadas no

Leia mais

REGULAMENTOS PARA INTERNET, PEDIDOS POR CORREIO E GERAÇÃO DE CONTATOS (LEADS) NO BRASIL. Em vigor a partir 1 de novembro de 2003

REGULAMENTOS PARA INTERNET, PEDIDOS POR CORREIO E GERAÇÃO DE CONTATOS (LEADS) NO BRASIL. Em vigor a partir 1 de novembro de 2003 REGULAMENTOS PARA INTERNET, PEDIDOS POR CORREIO E GERAÇÃO DE CONTATOS (LEADS) NO BRASIL Em vigor a partir 1 de novembro de 2003 Estes regulamentos aplicam-se aos sites da web, programas de pedido pelo

Leia mais

O Acordo de Madrid relativo ao Registro. Internacional de Marcas e o Protocolo. referente a este Acordo: Objetivos,

O Acordo de Madrid relativo ao Registro. Internacional de Marcas e o Protocolo. referente a este Acordo: Objetivos, O Acordo de Madrid relativo ao Registro Internacional de Marcas e o Protocolo referente a este Acordo: Objetivos, Principais Características, Vantagens Publicação OMPI N 418 (P) ISBN 92-805-1313-7 2 Índice

Leia mais

Norma para pagamento de diária a serviço e solicitação de passagem aérea

Norma para pagamento de diária a serviço e solicitação de passagem aérea Norma para pagamento de diária a serviço e solicitação de passagem aérea Objetivo: A presente norma tem por objetivo formalizar e agilizar os pedidos de diária e passagem a serviço da entidade bem como

Leia mais

3.2. O USUÁRIO poderá alterar sua senha a qualquer momento, assim como criar uma nova chave em substituição a uma chave já existente;

3.2. O USUÁRIO poderá alterar sua senha a qualquer momento, assim como criar uma nova chave em substituição a uma chave já existente; 1. CONTRATO Os termos abaixo se aplicam aos serviços oferecidos pela Sistemas On Line Ltda., doravante designada S_LINE, e a maiores de 18 anos ou menores com permissão dos pais ou responsáveis, doravante

Leia mais

Ficha anexa para operação em bolsa e outros mercados regulamentados de valores mobiliários

Ficha anexa para operação em bolsa e outros mercados regulamentados de valores mobiliários Ficha anexa para operação em bolsa e outros mercados regulamentados de valores mobiliários Esta ficha complementa o cadastro do cliente na Credit Suisse (Brasil) S.A. CTVM ( Credit Suisse ) com informações

Leia mais

MEMORANDO DE ENTENDIMENTO ENTRE A AUSTRALIAN SECURITIES COMMISSION E A COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DO BRASIL

MEMORANDO DE ENTENDIMENTO ENTRE A AUSTRALIAN SECURITIES COMMISSION E A COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DO BRASIL MEMORANDO DE ENTENDIMENTO ENTRE A AUSTRALIAN SECURITIES COMMISSION E A COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DO BRASIL INTRODUÇÃO 1. A Australian Securities Commission e a Comissão de Valores Mobiliários, reconhecendo

Leia mais

Política de privacidade V2

Política de privacidade V2 Política de privacidade V2 Para os fins desta Política de Privacidade, as palavras grifadas em maiúsculo terão os seguintes significados: V2 é uma loja virtual disponibilizada na Internet para comercialização

Leia mais

ParanáBanco. REGULAMENTO DE USO DO NETBANKING PARANÁ BANCO Atualizado em 16/09/2015

ParanáBanco. REGULAMENTO DE USO DO NETBANKING PARANÁ BANCO Atualizado em 16/09/2015 O Cliente, pela assinatura física e/ou eletrônica do Termo de Adesão e Uso do NetBanking Paraná Banco, adere ao presente Regulamento, definido conforme os seguintes termos e condições: 1. Regras de uso

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE INTERNET

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE INTERNET CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE INTERNET Pelo presente Instrumento Particular o BANCO MÁXIMA S/A, com sede na cidade de Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, na Avenida Atlântica, 1130, 12º andar

Leia mais

ISRAEL SECURITIES AUTHORITY SECURITIES COMMISSION OF BRAZIL

ISRAEL SECURITIES AUTHORITY SECURITIES COMMISSION OF BRAZIL ISRAEL SECURITIES AUTHORITY SECURITIES COMMISSION OF BRAZIL MEMORANDO DE ENTENDIMENTOS PARA CONSULTA, COOPERAÇÃO E TROCA DE INFORMAÇÕES ENTRE A COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS E AS AUTORIDADES ESTATUTÁRIAS

Leia mais

FUNDAÇÃO NACIONAL PARA A DEMOCRACIA DIRETRIZES DA PROPOSTA DIRETRIZ ADICIONAL

FUNDAÇÃO NACIONAL PARA A DEMOCRACIA DIRETRIZES DA PROPOSTA DIRETRIZ ADICIONAL Utilize este documento como uma ajuda adicional para escrever um orçamento ou narrativa da proposta. Se tiver outras perguntas, queria enviar um email à equipe regional do NED apropriada ou para proposals@ned.org.

Leia mais

ÍNDICE GERAL - OBJETIVO 2 - DIANTE DOS CONSUMIDORES. 2.1 Práticas Proibidas. 2.2 Explicação e Demonstração. 2.3 Respostas e Perguntas.

ÍNDICE GERAL - OBJETIVO 2 - DIANTE DOS CONSUMIDORES. 2.1 Práticas Proibidas. 2.2 Explicação e Demonstração. 2.3 Respostas e Perguntas. ÍNDICE GERAL - OBJETIVO 2 - DIANTE DOS CONSUMIDORES 2.1 Práticas Proibidas. 2.2 Explicação e Demonstração. 2.3 Respostas e Perguntas. 2.4 Promessas Verbais. 3 Diante do Plano de Marketing 4 - Conselhos

Leia mais

Código de Conduta de Fornecedor

Código de Conduta de Fornecedor Código de Conduta de Fornecedor www.odfjelldrilling.com A Odfjell Drilling e suas entidades afiliadas mundialmente estão comprometidas em manter os mais altos padrões éticos ao conduzir negócios. Como

Leia mais

CAPÍTULO XI FINANÇAS

CAPÍTULO XI FINANÇAS CAPÍTULO XI FINANÇAS A. INVESTIMENTO DOS FUNDOS DA ASSOCIAÇÃO As decisões referentes aos investimentos da associação deverão tomar como base as declarações sobre normas de investimentos para o Fundo Geral

Leia mais

ARTIGO VI Este Acordo não prejudicará a cooperação de qualquer das Partes Contratantes com outros Estados e organizações internacionais.

ARTIGO VI Este Acordo não prejudicará a cooperação de qualquer das Partes Contratantes com outros Estados e organizações internacionais. ACORDO-QUADRO ENTRE O GOVERNO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL E O GOVERNO DOS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA SOBRE A COOPERAÇÃO NOS USOS PACÍFICOS DO ESPAÇO EXTERIOR O Governo da República Federativa do Brasil

Leia mais

Versão: 2 Início de Vigência: XX. XX.2006 Instrumento de Aprovação:

Versão: 2 Início de Vigência: XX. XX.2006 Instrumento de Aprovação: Procedimento de Comercialização MANUTENÇÃO DE CADASTRO DE AGENTES DA CCEE E USUÁRIOS DO SCL Versão: 2 Início de Vigência: XX. XX.2006 Instrumento de Aprovação: ÍNDICE 1. APROVAÇÃO...3 2. HISTÓRICO DE REVISÕES...3

Leia mais

FORMAÇÃO REGULAMENTO

FORMAÇÃO REGULAMENTO FORMAÇÃO REGULAMENTO Data: Julho de 2010 1. Politica e Estratégia A Formação desempenha um papel preponderante no desenvolvimento do indivíduo. É através dela que as pessoas adquirem os conhecimentos necessários

Leia mais

FRANKLIN ELECTRIC CO., INC. POLÍTICA DE PRIVACIDADE. Setembro de 2010

FRANKLIN ELECTRIC CO., INC. POLÍTICA DE PRIVACIDADE. Setembro de 2010 FRANKLIN ELECTRIC CO., INC. POLÍTICA DE PRIVACIDADE A. Propósito Setembro de 2010 A Franklin Electric Co., Inc. e suas subsidiárias e afiliadas (em conjunto, a Empresa ) têm o compromisso de proteger a

Leia mais

Termos de Serviço do Code Club World

Termos de Serviço do Code Club World Termos de Serviço do Code Club World POR FAVOR LEIA ESTE DOCUMENTO CUIDADOSAMENTE. CONTÉM INFORMAÇÕES IMPORTANTES SOBRE SEUS DIREITOS E OBRIGAÇÕES. CONTÉM TAMBÉM A ISENÇÃO DE RESPONSABILIDADE E A CLÁUSULA

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA ITAUCARD BUSINESS REWARDS

REGULAMENTO DO PROGRAMA ITAUCARD BUSINESS REWARDS REGULAMENTO DO PROGRAMA ITAUCARD BUSINESS REWARDS 1. DISPOSIÇÕES GERAIS a) Este Regulamento faz parte integrante do Contrato de Cartão de Crédito ( Contrato ) e regula as condições aplicáveis ao Programa

Leia mais

BANCO MUNDIAL DIRETRIZES DE DESEMBOLSO PARA PROJETOS

BANCO MUNDIAL DIRETRIZES DE DESEMBOLSO PARA PROJETOS BANCO MUNDIAL DIRETRIZES DE DESEMBOLSO PARA PROJETOS DEPARTAMENTO DE EMPRÉSTIMOS 10 de maio de 2006 Direitos autorais 2006 Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento / BANCO MUNDIAL 1818 H

Leia mais

A COMPLETA INSTALAÇÃO DESTE SOFTWARE IMPLICA NA IMEDIATA ACEITAÇÃO DE TODOS OS SEUS TERMOS E CONDIÇÕES.

A COMPLETA INSTALAÇÃO DESTE SOFTWARE IMPLICA NA IMEDIATA ACEITAÇÃO DE TODOS OS SEUS TERMOS E CONDIÇÕES. SIGMA SISTEMA GERENCIAL DE MANUTENÇÃO CONTRATO DE LICENÇA DE USO E GARANTIA A COMPLETA INSTALAÇÃO DESTE SOFTWARE IMPLICA NA IMEDIATA ACEITAÇÃO DE TODOS OS SEUS TERMOS E CONDIÇÕES. 1.0. INDENTIFICAÇÃO DO

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO TRANS-MUX (EXPLORAÇÃO INDUSTRIAL DE LINHA DEDICADA EILD) ANEXO 3 TERMO DE COMPROMISSO DE CONFIDENCIALIDADE

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO TRANS-MUX (EXPLORAÇÃO INDUSTRIAL DE LINHA DEDICADA EILD) ANEXO 3 TERMO DE COMPROMISSO DE CONFIDENCIALIDADE CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO TRANS-MUX (EXPLORAÇÃO INDUSTRIAL DE LINHA DEDICADA EILD) ANEXO 3 TERMO DE COMPROMISSO DE CONFIDENCIALIDADE 1. OBJETIVO Este Anexo ao Contrato de Prestação de Serviço TRANS-MUX

Leia mais

Regulamento geral para a certificação dos Sistemas de Gestão

Regulamento geral para a certificação dos Sistemas de Gestão Regulamento geral para a certificação dos Sistemas de Gestão Em vigor a partir de 01/04/2016 RINA Via Corsica 12 16128 Genova - Itália tel. +39 010 53851 fax +39 010 5351000 website : www.rina.org Normas

Leia mais

1.3 "Instituição", as escolas de idiomas, colégios, faculdades e / ou universidades que o Estudante se compromete a estudar;

1.3 Instituição, as escolas de idiomas, colégios, faculdades e / ou universidades que o Estudante se compromete a estudar; Termos e Condições Estes Termos e Condições entrarão em vigor no momento em que o formulário de registro for aceito pela LAISRA Ltd. A aceitação da sua reserva entrará em vigor quando enviarmos a você

Leia mais

TERMOS E CONDIÇÕES DE CADASTRAMENTO NO BANCO DE CONSULTORES DA ACOI EXPERT NETWORK 1

TERMOS E CONDIÇÕES DE CADASTRAMENTO NO BANCO DE CONSULTORES DA ACOI EXPERT NETWORK 1 TERMOS E CONDIÇÕES DE CADASTRAMENTO NO BANCO DE CONSULTORES DA ACOI EXPERT NETWORK 1 Os Termos e Condições abaixo dizem respeito aos requisitos exigidos dos profissionais especializados para seu cadastramento

Leia mais

Para utilizar o MULTI, é indispensável a aceitação dos termos descritos a seguir.

Para utilizar o MULTI, é indispensável a aceitação dos termos descritos a seguir. Termos de Uso Para utilizar o MULTI, é indispensável a aceitação dos termos descritos a seguir. Este Contrato de Licença de Usuário Final ("EULA") é um acordo legal entre licenciado (pessoa Física ou Jurídica)

Leia mais

ESTUDO COMPARATIVO NBR ISO 13485:2004 RDC 59:2000 PORTARIA 686:1998 ITENS DE VERIFICAÇÃO PARA AUDITORIA

ESTUDO COMPARATIVO NBR ISO 13485:2004 RDC 59:2000 PORTARIA 686:1998 ITENS DE VERIFICAÇÃO PARA AUDITORIA ESTUDOCOMPARATIVO NBRISO13485:2004 RDC59:2000 PORTARIA686:1998 ITENSDEVERIFICAÇÃOPARAAUDITORIA 1. OBJETIVO 1.2. 1. Há algum requisito da Clausula 7 da NBR ISO 13485:2004 que foi excluída do escopo de aplicação

Leia mais

Amway - Política de privacidade

Amway - Política de privacidade Amway - Política de privacidade Esta Política de Privacidade descreve como a Amway Brasil e determinadas filiadas, inclusive a Amway América Latina (conjuntamente Amway ) utilizam dados pessoais coletados

Leia mais

SETE BRASIL PARTICIPAÇÕES S.A.

SETE BRASIL PARTICIPAÇÕES S.A. SETE BRASIL PARTICIPAÇÕES S.A. CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REGIMENTO INTERNO DOS COMITÊS COMITÊ DE FINANÇAS E ORÇAMENTO APROVADO PELO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO EM 24 DE SETEMBRO DE 2014 SUMÁRIO I INTRODUÇÃO

Leia mais

TERMOS DE SERVIÇOS DE ACOMPANHAMENTO

TERMOS DE SERVIÇOS DE ACOMPANHAMENTO TERMOS DE SERVIÇOS DE ACOMPANHAMENTO Estes Termos de Serviços de Acompanhamento (i) regem os Serviços de Acompanhamento executados pela Parte Contratante UL para o Cliente, algumas vezes também referido

Leia mais

ENVIAR APÓLICE POR E-MAIL CORREIO INFORMAÇÕES DE PAGAMENTO

ENVIAR APÓLICE POR E-MAIL CORREIO INFORMAÇÕES DE PAGAMENTO PROPOSTA DE SEGURO EMPRESARIAL ORIGEM: 39 Nº PROPOSTA: RAZÃO SOCIAL ESTIPULANTE: CNPJ: ¹Pessoa Politicamente Exposta: Sim Não Relacionamento Próximo Nacionalidade: Reside no Brasil: Sim Não ¹Pessoa Politicamente

Leia mais

PROCEDIMENTOS DE REALIZAÇÃO DO PROCESSO DE HOMOLOGAÇÃO DE MATERIAIS DE FORNECEDORES NA COPASA

PROCEDIMENTOS DE REALIZAÇÃO DO PROCESSO DE HOMOLOGAÇÃO DE MATERIAIS DE FORNECEDORES NA COPASA PROCEDIMENTOS DE REALIZAÇÃO DO PROCESSO DE HOMOLOGAÇÃO DE MATERIAIS DE FORNECEDORES NA COPASA 1 Solicitação de Abertura do Processo de Homologação 1.1 Os fornecedores interessados em ter seus materiais

Leia mais

IV Regulamento do DICQ para Acreditação do Sistema de Gestão da Qualidade de Laboratórios Clínicos e seus anexos

IV Regulamento do DICQ para Acreditação do Sistema de Gestão da Qualidade de Laboratórios Clínicos e seus anexos IV Regulamento do DICQ para Acreditação do Sistema de Gestão da Qualidade de Laboratórios Clínicos e seus anexos 1 - Objetivo Estabelecer o Regulamento para a Acreditação do Sistema de Gestão da Qualidade

Leia mais

Programa CAPES-PVE CAPES. Processo Seletivo 2010 Edital nº 049/2010/CAPES/DRI

Programa CAPES-PVE CAPES. Processo Seletivo 2010 Edital nº 049/2010/CAPES/DRI Programa CAPES- Processo Seletivo 2010 Edital nº 049/2010/CAPES/DRI A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior-CAPES, Fundação Pública, criada pela Lei nº. 8.405, de 09 de janeiro de

Leia mais

Regulatory Practice Insurance News

Regulatory Practice Insurance News INSURANCE Regulatory Practice Insurance News FINANCIAL SERVICES Janeiro 2009 SUSEP Seguros Singulares Circular 381, de 08.01.2009 - Encaminhamento de informações A Circular 381 estabelece procedimentos

Leia mais

ACORDO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL ENTRE O JAPÃO E A REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL

ACORDO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL ENTRE O JAPÃO E A REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL ACORDO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL ENTRE O JAPÃO E A REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL O Japão e a República Federativa do Brasil, Desejosos de regular suas relações mútuas na área de Previdência Social, Acordaram

Leia mais

Instituto Nacional de Alergias e Doenças Infecciosas/NHI Levantamento de Sistema Operacional de Organização Estrangeira (FOSS)

Instituto Nacional de Alergias e Doenças Infecciosas/NHI Levantamento de Sistema Operacional de Organização Estrangeira (FOSS) Instituto Nacional de Alergias e Doenças Infecciosas/NHI Levantamento de Sistema Operacional de Organização Estrangeira (FOSS) 1. Organização Beneficiada: Endereço: Telefone: Fax: Web site: 2. Tipo de

Leia mais

Aos cuidados de: Alexandre Americano Diretor Presidente e Ricardo Levy Diretor Financeiro

Aos cuidados de: Alexandre Americano Diretor Presidente e Ricardo Levy Diretor Financeiro TRADUÇÃO No.6 LIVRO No.56 PÁGINA No.229 Para ENEVAS.A. EMRECUPERAÇÃOJUDICIAL PraiadoFlamengo,nº66,7ºandar 22.210 030,RiodeJaneiro RJ RiodeJaneiro9deabrilde2015 Aoscuidadosde:AlexandreAmericano Diretor

Leia mais

POLÍTICA DO BANCO SOBRE A AUDITORIA DE PROJETOS E ENTIDADES. (Documento AF-100) Washington, DC. Consultas: (202) 623-1617 y 2235 dev-fmr@iadb.

POLÍTICA DO BANCO SOBRE A AUDITORIA DE PROJETOS E ENTIDADES. (Documento AF-100) Washington, DC. Consultas: (202) 623-1617 y 2235 dev-fmr@iadb. Banco Interamericano de Desenvolvimento POLÍTICA DO BANCO SOBRE A AUDITORIA DE PROJETOS E ENTIDADES (Documento AF-100) Washington, DC. Consultas: (202) 623-1617 y 2235 dev-fmr@iadb.org 1 Í N D I C E Página

Leia mais

POLÍTICA DE PRIVACIDADE

POLÍTICA DE PRIVACIDADE POLÍTICA DE PRIVACIDADE Obrigado por acessar a BaxTalent, uma ferramenta do processo de inscrição online para vaga de trabalho da Baxter. Antes de usar a BaxTalent você deve ler esta política de privacidade.

Leia mais

REPÚBLICA DA NAMÍBIA. Lei de Investimentos Estrangeiros

REPÚBLICA DA NAMÍBIA. Lei de Investimentos Estrangeiros REPÚBLICA DA NAMÍBIA Lei de Investimentos Estrangeiros Promulgada em 7 de julho de 1992 e com emenda pela Lei 24 de 1993, Emenda da Lei de Investimentos Estrangeiros de 1993 LEI Para a disposição ao fomento

Leia mais

Dia útil: significa um dia de trabalho, conforme definido pelo Provedor nas respectivas Normas suplementares.

Dia útil: significa um dia de trabalho, conforme definido pelo Provedor nas respectivas Normas suplementares. Normas do RRDRP Estas Normas estão em vigor para todos os processos de RRDRP. Os processos administrativos referentes a resolução de disputas nos termos do Procedimento de resolução de disputas de restrições

Leia mais

Contrato (on-line) de Loja Virtual. Última modificação: 07/05/2015. Bem vindo a Propaganda Certa!

Contrato (on-line) de Loja Virtual. Última modificação: 07/05/2015. Bem vindo a Propaganda Certa! Contrato (on-line) de Loja Virtual Última modificação: 07/05/2015 Bem vindo a Propaganda Certa! Este contrato (on-line) de Loja Virtual (o "Contrato") é celebrado entre Propaganda Certa, emprsa de razão

Leia mais

CONTRATO DE AQUISIÇÃO DE SOFTWARE E PARTICIPAÇÃO AO PROGRAMA DE RECOMENDAÇÃO REMUNERADA SKYDOO (PRRS)

CONTRATO DE AQUISIÇÃO DE SOFTWARE E PARTICIPAÇÃO AO PROGRAMA DE RECOMENDAÇÃO REMUNERADA SKYDOO (PRRS) Entre si fazem, de um lado "SKYDOO", e, de outro lado, a pessoa física no cadastro eletrônico do site (WWW.skydoo.b22.us), doravante denominada "Contratante", "Divulgador Independente", "Membro", "Participante",

Leia mais

Contrato de Licença de Logotipo do Programa de parceria de software Intel

Contrato de Licença de Logotipo do Programa de parceria de software Intel Contrato de Licença de Logotipo do Programa de parceria de software Intel Este Contrato de Licença de Logotipo do Programa de parceria de software Intel (o Contrato ) obrigatório e requerido para permitir

Leia mais

Chamada MCTI/CNPq Nº 09/2015 - Auxílio Promoção de Eventos Científicos, Tecnológicos e/ou de Inovação - ARC. Perguntas Mais Frequentes

Chamada MCTI/CNPq Nº 09/2015 - Auxílio Promoção de Eventos Científicos, Tecnológicos e/ou de Inovação - ARC. Perguntas Mais Frequentes Chamada MCTI/CNPq Nº 09/2015 - Auxílio Promoção de Eventos Científicos, Tecnológicos e/ou de Inovação - ARC Perguntas Mais Frequentes 1) Onde encontro o Formulário Online de Propostas? O formulário Online

Leia mais

EB 3854/03. 15 novembro 2003 Original: espanhol. Projetos/Fundo Comum. Junta Executiva Londres, Inglaterra

EB 3854/03. 15 novembro 2003 Original: espanhol. Projetos/Fundo Comum. Junta Executiva Londres, Inglaterra EB 3854/03 International Coffee Organization Organización Internacional del Café Organização Internacional do Café Organisation Internationale du Café 15 novembro 2003 Original: espanhol Projetos/Fundo

Leia mais

DECRETO Nº 6.617, DE 23 DE OUTUBRO DE

DECRETO Nº 6.617, DE 23 DE OUTUBRO DE DECRETO Nº 6.617, DE 23 DE OUTUBRO DE 2008: Promulga o Acordo entre o Governo da República Federativa do Brasil e o Governo da República da África do Sul no Campo da Cooperação Científica e Tecnológica,

Leia mais

PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO E

PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO E PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO E QUALIFICAÇÃO - ANEXOS - ANEXO I - PROCEDIMENTOS PARA CAPACITAÇÃO INTERNA DO REQUERIMENTO Art. 1º - A capacitação interna poderá ser proposta pela Reitoria, Pró-Reitorias ou Diretorias

Leia mais

Contrato de Licença de Software da Novell para o Software Development Kit ("SDK") do SUSE Linux Enterprise 11 SP2

Contrato de Licença de Software da Novell para o Software Development Kit (SDK) do SUSE Linux Enterprise 11 SP2 Contrato de Licença de Software da Novell para o Software Development Kit ("SDK") do SUSE Linux Enterprise 11 SP2 LEIA ESTE CONTRATO COM ATENÇÃO. AO INSTALAR OU DE QUALQUER OUTRA FORMA UTILIZAR O SOFTWARE

Leia mais

SUSE LINUX Enterprise Server (SLES) 10 Contrato de Licença de Software da Novell

SUSE LINUX Enterprise Server (SLES) 10 Contrato de Licença de Software da Novell SUSE LINUX Enterprise Server (SLES) 10 Contrato de Licença de Software da Novell LEIA ESTE CONTRATO COM ATENÇÃO. AO INSTALAR OU DE QUALQUER OUTRA FORMA UTILIZAR O SOFTWARE (INCLUINDO SEUS COMPONENTES),

Leia mais

Lista de checagem do protocolo

Lista de checagem do protocolo MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA Comitê de Ética em Pesquisa Lista de checagem do protocolo A avaliação do projeto

Leia mais

ORDEM DE SERVIÇO OS 002/DINFO/2014 29/10/2014. Art. 1º: Para fins de normatização da Política de Uso da Rede WIFI UERJ, com vistas a assegurar:

ORDEM DE SERVIÇO OS 002/DINFO/2014 29/10/2014. Art. 1º: Para fins de normatização da Política de Uso da Rede WIFI UERJ, com vistas a assegurar: A DIRETORIA DE INFORMÁTICA DINFO DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO -UERJ, no uso de suas atribuições legais, estabelece: Art. 1º: Para fins de normatização da Política de Uso da Rede WIFI UERJ,

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA E ÉTICA DIRETRIZ SOBRE PRESENTES E ENTRETENIMENTO

CÓDIGO DE CONDUTA E ÉTICA DIRETRIZ SOBRE PRESENTES E ENTRETENIMENTO CÓDIGO DE CONDUTA E ÉTICA DIRETRIZ SOBRE PRESENTES E ENTRETENIMENTO MAGNA INTERNATIONAL INC. DIRETRIZ SOBRE PRESENTES E ENTRETENIMENTO Oferecer ou receber presentes e entretenimento é muitas vezes uma

Leia mais

NBC TA 501 - APROVAÇÃO. RESOLUÇÃO CFC Nº. 1.218, de 03.12.2009

NBC TA 501 - APROVAÇÃO. RESOLUÇÃO CFC Nº. 1.218, de 03.12.2009 NBC TA 501 - APROVAÇÃO RESOLUÇÃO CFC Nº. 1.218, de 03.12.2009 Aprova a NBC TA 501 Evidência de Auditoria Considerações Específicas para Itens Selecionados. O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício

Leia mais

Manual de Orientações Técnico-Financeiras

Manual de Orientações Técnico-Financeiras Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - Manual de Orientações Técnico-Financeiras Programa /COLCIÊNCIAS BRASIL-COLÔMBIA 2013 Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior

Leia mais

REGULAMENTO DA PROMOÇÃO INDICAÇÃO PREMIADA URBAMAIS

REGULAMENTO DA PROMOÇÃO INDICAÇÃO PREMIADA URBAMAIS REGULAMENTO DA PROMOÇÃO INDICAÇÃO PREMIADA URBAMAIS URBAMAIS PROPERTIES E PARTICIPAÇÕES S.A., sociedade por ações, inscrita no CNPJ/MF sob o nº 10.571.175/0001-02, com sede na Av. Raja Gabaglia, nº 2720,

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA DO FORNECEDOR SODEXO APRIL 2014

CÓDIGO DE CONDUTA DO FORNECEDOR SODEXO APRIL 2014 CÓDIGO DE CONDUTA DO FORNECEDOR SODEXO APRIL 2014 Índice INTRODUÇÃO INTEGRIDADE NOS NEGÓCIOS DIREITOS HUMANOS E DIREITOS FUNDAMENTAIS NO TRABALHO Eliminação de todas as formas de trabalho forçado ou compulsório

Leia mais

Ministério do Desenvolvimento Social e do Ministério da Saúde para seleções via PNUD/UNESCO/OPAS

Ministério do Desenvolvimento Social e do Ministério da Saúde para seleções via PNUD/UNESCO/OPAS SECRETARIA ESTADUAL DA SAUDE Torna-se público no site da Secretaria Estadual da Saúde www.saude.rs.gov.br, o MANUAL PARA CONTRATAÇÃO DE PRESTADORES DE SERVIÇO PARA CONSULTORIA NO ÂMBITO DOS PROJETOS DE

Leia mais

Este regulamento está em vigor a partir do 11/07/2007 (inclusive) substituindo e cancelando o anterior

Este regulamento está em vigor a partir do 11/07/2007 (inclusive) substituindo e cancelando o anterior Este regulamento está em vigor a partir do 11/07/2007 (inclusive) substituindo e cancelando o anterior REGULAMENTO DE ACÚMULO DE PONTOS NO PROGRAMA BRADESCO COM TRANSFERÊNCIA PARA O PROGRAMA FIDELIDADE

Leia mais

1.1 O Certificado de Sistemas da Gestão Ambiental SAS é um certificado de conformidade com a norma brasileira:

1.1 O Certificado de Sistemas da Gestão Ambiental SAS é um certificado de conformidade com a norma brasileira: Documento analisado criticamente e aprovado quanto à sua adequação. Responsável: Carlos Henrique R. Figueiredo Diretor de Certificação * Inclusão de notas do item 2.1."b" quanto a documentação necessária

Leia mais

Desejando progredir mais no caminho que identificaram para permitir que alcancem uma solução mutuamente acordada para o contencioso, Seção I

Desejando progredir mais no caminho que identificaram para permitir que alcancem uma solução mutuamente acordada para o contencioso, Seção I MEMORANDO DE ENTENDIMENTO ENTRE O GOVERNO DOS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA E O GOVERNO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL SOBRE UM FUNDO DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA E FORTALECIMENTO DA CAPACITAÇÃO RELATIVO AO CONTENCIOSO

Leia mais

TERMOS DE REFERÊNCIA PARA A REVISÃO EX-POST DOS PROCESSOS DE AQUISIÇÕES DA DOCUMENTAÇÃO COMPROBATÓRIA DAS SOLICITAÇÕES DE DESEMBOLSO

TERMOS DE REFERÊNCIA PARA A REVISÃO EX-POST DOS PROCESSOS DE AQUISIÇÕES DA DOCUMENTAÇÃO COMPROBATÓRIA DAS SOLICITAÇÕES DE DESEMBOLSO Banco Interamericano de Desenvolvimento TERMOS DE REFERÊNCIA PARA A REVISÃO EX-POST DOS PROCESSOS DE AQUISIÇÕES DA DOCUMENTAÇÃO COMPROBATÓRIA DAS SOLICITAÇÕES DE DESEMBOLSO (Documento AF-500) Washington,

Leia mais

ACORDO BÁSICO DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA Assinado no Rio de Janeiro, a 29 de dezembro de 1964.

ACORDO BÁSICO DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA Assinado no Rio de Janeiro, a 29 de dezembro de 1964. ACORDO BÁSICO DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA Assinado no Rio de Janeiro, a 29 de dezembro de 1964. Aprovado pelo Decreto Legislativo nº 11, de 1966. Entrada em vigor (art. 6º, 1º) a 2 de maio de 1966. Promulgado

Leia mais

DECRETO Nº 4.702, DE 21 DE MAIO DE 2003. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 84, inciso VIII, da Constituição,

DECRETO Nº 4.702, DE 21 DE MAIO DE 2003. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 84, inciso VIII, da Constituição, DECRETO Nº 4.702, DE 21 DE MAIO DE 2003. Promulga o Acordo entre o Governo da República Federativa do Brasil e o Governo dos Estados Unidos da América Relativo à Cooperação entre suas Autoridades de Defesa

Leia mais

Serviço Público Municipal Prefeitura Municipal de Ubatã Estado da Bahia CNPJ: 14.235.253/0001-59 PORTARIA Nº 301 DE 09 DE DEZEMBRO DE 2015.

Serviço Público Municipal Prefeitura Municipal de Ubatã Estado da Bahia CNPJ: 14.235.253/0001-59 PORTARIA Nº 301 DE 09 DE DEZEMBRO DE 2015. PORTARIA Nº 301 DE 09 DE DEZEMBRO DE 2015. Estabelece os procedimentos e as normas a serem adotados pelos órgãos e entidades da administração pública estadual direta e indireta, para o encerramento anual

Leia mais

ADIANTAMENTO E REEMBOLSO DE DESPESAS

ADIANTAMENTO E REEMBOLSO DE DESPESAS ADIANTAMENTO E REEMBOLSO DE DESPESAS NÚMERO CIR.FIN.MAT.0001 Elaborada em: 08/08/2011 Atualizada em: - Quant. Páginas DEPARTAMENTO DE ORIGEM Departamento Finanças 5 1 Objetivo Este documento tem como objetivo

Leia mais

Termos de Uso Sistema Diário de Obras Online

Termos de Uso Sistema Diário de Obras Online Termos de Uso Sistema Diário de Obras Online Estes são os termos que determinarão o nosso relacionamento Este contrato refere-se ao sistema Diário de Obras Online, abrangendo qualquer uma de suas versões

Leia mais

Universidade de Brasília Decanato de Pesquisa e Pós-Graduação

Universidade de Brasília Decanato de Pesquisa e Pós-Graduação EDITAL 06/2012 Universidade de Brasília APOIO À PESQUISA DE CAMPO DE PÓS-GRADUANDOS NO PAÍS 1. Finalidade Apoiar os discentes de pós-graduação bolsistas CAPES, CNPq ou REUNI, regularmente matriculados

Leia mais

CONTRATO DE SERVIÇOS PROFISSIONAIS IBM No CSP. IBM Brasil - Indústria, Máquinas e Serviços Ltda.( IBM ) e. Nome do Cliente: Código: Endereço: CNPJ:

CONTRATO DE SERVIÇOS PROFISSIONAIS IBM No CSP. IBM Brasil - Indústria, Máquinas e Serviços Ltda.( IBM ) e. Nome do Cliente: Código: Endereço: CNPJ: IBM BRASIL - Indústria, Máquinas e Serviços Ltda. Av. Pasteur, 138/146 - Rio de Janeiro - RJ CEP 22296-900 Tel.: (21) 2132-5252 Internet: WWW.IBM.COM.BR CNPJ: 33.372.251/0001-56 CONTRATO DE SERVIÇOS PROFISSIONAIS

Leia mais

DIRETRIZ ORGANIZACIONAL

DIRETRIZ ORGANIZACIONAL TÍTULO: REQUISITOS DE MEIO AMBIENTE, SAÚDE OCUPACIONAL E SEGURANÇA DO TRABALHO PARA CONTRATADAS Área Responsável: Gerência Geral de Meio Ambiente Saúde e Segurança 1. OBJETIVO Este procedimento tem como

Leia mais

Autoridade Certificadora CAIXA Pessoa Jurídica CONTRATO DE ASSINANTE A1

Autoridade Certificadora CAIXA Pessoa Jurídica CONTRATO DE ASSINANTE A1 TERMO DE CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE CERTIFICAÇÃO DIGITAL que entre si fazem, de um lado, como contratada a CAIXA ECONÔMICA FEDERAL, Empresa Pública de Direito Privado, inscrita no CNPJ/MF sob

Leia mais

Anexo para Produtos e Serviços da IBM Internet Security Systems No

Anexo para Produtos e Serviços da IBM Internet Security Systems No IBM BRASIL - Indústria, Máquinas e Serviços Ltda. Av. Pasteur, 138/146 - Rio de Janeiro - RJ CEP 22296-900 Tel.: (21) 2132-5252 Internet: WWW.IBM.COM.BR CNPJ: 33.372.251/0001-56 Anexo para Produtos e Serviços

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURSOS TÉCNICOS Revisão: setembro/2012 Escola SENAI Santos Dumont CFP 3.02 Rua Pedro Rachid, 304 Santana São José dos Campos - SP Fone: (12) 3519-4850 Fax: (12) 3922-9060 ELABORAÇÃO

Leia mais

TERMOS E CONDIÇÕES DA AQUIPELAGO BUSINESS

TERMOS E CONDIÇÕES DA AQUIPELAGO BUSINESS TERMOS E CONDIÇÕES DA AQUIPELAGO BUSINESS Usando ARQUIPELAGOBUSINESS.COM (incluindo www.arquipelagobusiness.com e seus subdomínios relacionados, serviços e outros sites e ferramentas ligadas ao arquipelagobusinnes.com

Leia mais

TERMOS E CONDIÇÕES GERAIS DE USO DO APLICATIVO CONTROLY E DO CARTÃO CONTROLY

TERMOS E CONDIÇÕES GERAIS DE USO DO APLICATIVO CONTROLY E DO CARTÃO CONTROLY TERMOS E CONDIÇÕES GERAIS DE USO DO APLICATIVO CONTROLY E DO CARTÃO CONTROLY Os presentes termos e condições gerais de uso (os Termos de Uso ) definem os direitos e obrigações aplicáveis aos usuários do

Leia mais

Instruções para Habilitação aos Auxílios e Apoios do PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECÂNICA-UFU PROEX-PPG-EM-UFU

Instruções para Habilitação aos Auxílios e Apoios do PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECÂNICA-UFU PROEX-PPG-EM-UFU Instruções para Habilitação aos Auxílios e Apoios do PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECÂNICA-UFU PROEX-PPG-EM-UFU Documento Básico de Orientações do Programa de Excelência Acadêmica PROEX PROGRAMA

Leia mais

Regulamento de Bolsas de Investigação Científica da Fundação BIAL

Regulamento de Bolsas de Investigação Científica da Fundação BIAL Regulamento de Bolsas de Investigação Científica da Fundação BIAL PREÂMBULO Tendo como objetivo incentivar a investigação centrada sobre o Homem, tanto sob os aspetos físicos como sob o ponto de vista

Leia mais

Edital N 10/2014 DRI/UFF

Edital N 10/2014 DRI/UFF Edital N 10/2014 DRI/UFF Dispõe sobre o programa de Mobilidade Internacional de alunos de graduação da Universidade Federal Fluminense para o segundo semestre de 2015 e primeiro de 2016. A Diretoria de

Leia mais

ICANN COMUNIDADE AT-LARGE. Corporação da Internet para Atribuição de Nomes e Números POLÍTICA SOBRE VIAGENS DA AT-LARGE

ICANN COMUNIDADE AT-LARGE. Corporação da Internet para Atribuição de Nomes e Números POLÍTICA SOBRE VIAGENS DA AT-LARGE ICANN PT AL/2007/SD/4.Rev1 ORIGINAL: inglês DATA: 6 de junho de 2007 STATUS: FINAL Corporação da Internet para Atribuição de Nomes e Números Série de documentos 2007 - Propostas para a equipe COMUNIDADE

Leia mais

Condições gerais do Paylogic Nederland BV

Condições gerais do Paylogic Nederland BV Artigo 1º Definições Condições gerais do Paylogic Nederland BV 1.1 Nestas Condições gerais, as seguintes definições são utilizadas: Cliente Condições gerais Seguro de cancelamento A parte que faz a compra

Leia mais

INSTRUÇÃO TÉCNICA PARA AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE DO PROGRAMA SELO DE QUALIDADE ABGD. 1. Histórico de mudanças... 2. 2. Escopo... 3. 3. Manutenção...

INSTRUÇÃO TÉCNICA PARA AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE DO PROGRAMA SELO DE QUALIDADE ABGD. 1. Histórico de mudanças... 2. 2. Escopo... 3. 3. Manutenção... Página 1 de 8 SUMÁRIO 1. Histórico de mudanças... 2 2. Escopo... 3 3. Manutenção... 3 4. Referências... 3 5. Definições... 3 6. Qualificação da equipe de auditores... 3 7. Condições gerais... 3 7.1 Selo

Leia mais

1º ADITIVO AO CONTRATO DE AFILIAÇÃO AO SISTEMA CIELO. Cláusula 1ª Fica incluído na Cláusula 4ª do CONTRATO o Parágrafo Terceiro abaixo transcrito:

1º ADITIVO AO CONTRATO DE AFILIAÇÃO AO SISTEMA CIELO. Cláusula 1ª Fica incluído na Cláusula 4ª do CONTRATO o Parágrafo Terceiro abaixo transcrito: 1º ADITIVO AO CONTRATO DE AFILIAÇÃO AO SISTEMA CIELO A CIELO S.A., com sede na Alameda Grajaú, 219, Alphaville, na cidade de Barueri, Estado de São Paulo, inscrita no CNPJ/MF sob no. 01.027.058/0001-91,

Leia mais

FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO PROGRAMA DE PEQUENOS FINANCIAMENTOS PARA PROJETOS LGBT SMALL GRANTS PROGRAM

FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO PROGRAMA DE PEQUENOS FINANCIAMENTOS PARA PROJETOS LGBT SMALL GRANTS PROGRAM FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO PROGRAMA DE PEQUENOS FINANCIAMENTOS PARA PROJETOS LGBT SMALL GRANTS PROGRAM Consulado dos Estados Unidos em Recife Rua Gonçalves Maia, 163 Boa Vista Recife PE Tel: (55-81) 3416-3050

Leia mais

REGULAMENTO PRODUTOS PREMIADOS Banco Mercantil do Brasil S/A

REGULAMENTO PRODUTOS PREMIADOS Banco Mercantil do Brasil S/A 11º Termo de Aditamento O Banco Mercantil do Brasil S/A, CNPJ 17.184.037/0001-10, com endereço na Rua Rio de Janeiro, 654 Centro, em Belo Horizonte MG, pelo presente ADITAMENTO resolve alterar o Regulamento

Leia mais

ANEXO III TRANSAÇÕES SEM CARTÃO PRESENTE

ANEXO III TRANSAÇÕES SEM CARTÃO PRESENTE ANEXO III TRANSAÇÕES SEM CARTÃO PRESENTE O presente Anexo III faz parte integrante do Contrato de Credenciamento ao Sistema Elavon ( CONTRATO ) registrado no 5º Oficial de Registro de Títulos e Documentos

Leia mais

Para informações sobre as condições de uso das redes sociais da Abbott, por favor acesse os Termos de Uso para mídiais sociais.

Para informações sobre as condições de uso das redes sociais da Abbott, por favor acesse os Termos de Uso para mídiais sociais. TERMOS DE USO Estes Termos de Uso regulam o acesso a páginas de Internet controladas pela Abbott Laboratories, suas subsidiárias e afiliadas (doravante denominadas, em conjunto, Abbott ), e para as quais

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DE ATUAÇÃO DA DIRETORIA EXECUTIVA DA FUNDAÇÃO UNIPLAC DA NATUREZA, FINALIDADE E COMPOSIÇÃO

REGIMENTO INTERNO DE ATUAÇÃO DA DIRETORIA EXECUTIVA DA FUNDAÇÃO UNIPLAC DA NATUREZA, FINALIDADE E COMPOSIÇÃO REGIMENTO INTERNO DE ATUAÇÃO DA DIRETORIA EXECUTIVA DA FUNDAÇÃO UNIPLAC DA NATUREZA, FINALIDADE E COMPOSIÇÃO Art. 1º A Diretoria Executiva, subordinada ao Presidente da Fundação, é responsável pelas atividades

Leia mais

Autoridade Certificadora CAIXA Pessoa Física CONTRATO DE ASSINANTE A1

Autoridade Certificadora CAIXA Pessoa Física CONTRATO DE ASSINANTE A1 TERMO DE CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE CERTIFICAÇÃO DIGITAL que entre si fazem, de um lado, como contratada a CAIXA ECONÔMICA FEDERAL, Empresa Pública de Direito Privado, inscrita no CNPJ/MF sob

Leia mais

REGULAMENTO DA PROMOÇÃO

REGULAMENTO DA PROMOÇÃO REGULAMENTO DA PROMOÇÃO A CONSTRUTORA Massai, empresa inscrita no CNPJ/MF sob o nº 01.295.921/0001-91, com sede na Av. Monteiro da Franca, Nº 1092, CEP 58038-20 - bairro Manaíra, em JOÃO PESSOA /PB, realizará

Leia mais

Última atualização: 01 de Março de 2015

Última atualização: 01 de Março de 2015 O programa do certificado Dream Vacation Week (DVW) é fornecido pela Worldwide Vacation & Travel, Inc. (WVT), uma empresa da Flórida e subsidiária da Interval Leisure Group, Inc. O uso de um certificado

Leia mais

Programa de Nível de Serviço do Ariba Cloud Services. Garantia de Acesso ao Serviço Segurança Diversos

Programa de Nível de Serviço do Ariba Cloud Services. Garantia de Acesso ao Serviço Segurança Diversos Programa de Nível de Serviço do Ariba Cloud Services Garantia de Acesso ao Serviço Segurança Diversos 1. Garantia de Acesso ao Serviço a. Aplicabilidade. A Garantia de Acesso ao Serviço cobre a Solução

Leia mais