AVALIAÇÃO DA EXPOSIÇÃO OCUPACIONAL NA INDUSTRIA DA MINERAÇÃO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "AVALIAÇÃO DA EXPOSIÇÃO OCUPACIONAL NA INDUSTRIA DA MINERAÇÃO"

Transcrição

1 2005 International Nuclear Atlantic Conference - INAC 2005 Santos, SP, Brazil, August 28 to September 2, 2005 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENERGIA NUCLEAR - ABEN ISBN: AVALIAÇÃO DA EXPOSIÇÃO OCUPACIONAL NA INDUSTRIA DA MINERAÇÃO Lígia M.Q.C. Julião, Dunstana R. Melo, Maria L. Godoy, Wanderson O. Sousa, Maristela S. Santos and Paulo César Fernandes Instituto de Radioproteção e Dosimetria (IRD / CNEN - RJ) Av. Salvador Allende, s/n Rio de Janeiro, RJ RESUMO Em diversas regiões do Brasil onde são comercialmente extraídos minérios de elementos estáveis de grande importância econômica e industrial temos freqüentemente a ocorrência de elementos radioativos pertencentes às séries naturais do urânio e do tório. A mineradora estudada extrai e produz concentrados de cassiterita (estanho), zirconita (zircônio) e columbita/tantalita (tântalo e nióbio). O objetivo desse estudo é avaliar a exposição de trabalhadores sujeitos à inalação e ingestão de particulados contendo o elemento macro constituinte do minério com urânio e tório associado. Neste trabalho foram analisadas amostras de urina de trabalhadores ocupacionalmente expostos e indivíduos do público, habitantes da região para caracterização da exposição ambiental, num total de 105 amostras divididas em 3 grupos de indivíduos: 17 amostras de urina de trabalhadores, ocupacionalmente expostos, coletadas após a jornada de trabalho; 49 amostras de urina de trabalhadores, ocupacionalmente expostos, coletadas antes do início da jornada de trabalho; 39 amostras de urina de pessoas que trabalham no hospital da vila, não ocupacionalmente expostas, que foram utilizadas como grupo controle. O método instrumental utilizado para a determinação das concentrações de Nb, Sn, Th e U foi a espectrometria de massa com plasma indutivamente acoplado (ICP-MS modelo ELAN 6000). As concentrações de Nb, Sn e U nas amostras de urina dos trabalhadores são estatisticamente superiores às amostras do grupo controle, indicando haver exposição ocupacional. 1. INTRODUÇÃO No Brasil existem várias regiões onde são extraídos e processados minérios contendo elementos de grande importância comercial, como estanho, nióbio e tântalo. Alguns desses minérios contem urânio e tório associados à sua rede cristalina [1]. Esse estudo foi feito em uma mina de nióbio localizada na região amazônica. A mineradora estudada extrai e produz concentrados de cassiterita (estanho), zirconita (zircônio), e columbita/tantalita (tântalo e nióbio), por processos de separação hidrogravimétrico e eletromagnético. O objetivo desse estudo é avaliar a exposição ocupacional de trabalhadores sujeitos a inalação e ingestão de particulados contendo urânio, tório, nióbio e estanho através de dados de bioanálise.

2 2. MATERIAIS E MÉTODOS Neste trabalho foram analisadas amostras de urina de trabalhadores ocupacionalmente expostos e indivíduos do público, habitantes da região para caracterização da exposição ambiental, num total de 105 amostras divididas em três grupos de indivíduos: 49 amostras de urina de trabalhadores ocupacionalmente expostos, coletadas antes do início da jornada de trabalho; 17 amostras de urina de trabalhadores ocupacionalmente expostos, coletadas após a jornada de trabalho; 39 amostras de urina de pessoas não ocupacionalmente expostas, moradores da região, como grupo controle. O volume de urina coletado correspondeu a uma única excreção. A técnica instrumental utilizada para análise das amostras de urina foi a espectrometria de massa, com plasma indutivamente acoplado, por ser uma técnica de alta sensibilidade para os elementos em questão. O espectrômetro de massa utilizado nas análises foi do tipo quadrupolo, modelo Elan 6000, da empresa Perkin Elmer-Sciex, equipado com um conjunto nebulizador do tipo cross flow e câmara de nebulização confeccionados em Ryton. Os parâmetros instrumentais utilizados foram: potência da radiofreqüência 1050 W, taxa de aspiração da amostra 1,0 ml.min -1, modo de detecção pulso e analógico, tempo de permanência 50 ms, número de varreduras por leitura 20, número de leituras por réplica 1, número de réplicas 3. A preparação das amostras de urina foi realizada no laboratório de bioanálise do Serviço de Monitoração Interna do Instituto de Radioproteção e Dosimetria (SEMIN/IRD) e obedeceu à seguinte seqüência de procedimentos: de cada amostra de urina de 24 horas, foi retirada cuidadosamente uma alíquota de 0,5 ml e a alíquota transferida para um tubo de centrífuga de polietileno com volume de 15 ml, previamente identificado. A seguir foi adicionado 8,5 ml de HNO 3 2% supra-puro, a partir deste ponto [2], as amostras foram enviadas para o laboratório de espectrometria de massa do Serviço de Análise Ambientais (SEANA/IRD) para análise. O limite de detecção para a técnica foi de 0.01 µg/l para Nb; 0.06 µg/l para Sn; 0.08 µg/l para Th e 0.01 µg/l para U. 3. RESULTADOS E DISCUSSÃO As concentrações médias e o intervalo de variação das concentrações de Nb, Sn, Th e U obtidos nas amostras de urina dos três grupos analisados, são apresentados na Tabela 1. Objetivando identificar uma possível incorporação devido à exposição ocupacional e também, comparar os resultados de concentração dos elementos nas amostras de urina dos indivíduos de cada grupo, foi aplicado o teste estatístico t student. Para o nióbio, estanho e urânio foi observado que as concentrações nas amostras de urina para o grupo controle são estatisticamente diferentes dos dois grupos ocupacionalmente expostos. As concentrações desses elementos nas amostras de urina coletada antes da jornada de trabalho são estatisticamente diferentes das concentrações encontradas na urina coletada após a jornada de

3 trabalho. Os valores encontrados para a concentração de nióbio, estanho e urânio estão apresentados nas Figuras 1, 2 e 3, respectivamente. Tabela 1. Concentrações médias de nióbio, estanho, tório e urânio em amostras de urina de trabalhadores e habitantes. Elementos Nb Sn Th U 7 ± 8 0,15 ± 0,23 0,11 ± 9 3 ± 3 Intervalo de variação (1 0,40) (6 1,41) (8 0,53) (1 0,40) Após a jornada de trabalho 0,15 ± 0,21 0,45 ± 0,93 0,22 ± 0,49 8 ± 0,12 Intervalo de variação (2 0,73) (6 3,96) (8 2,12) (1 0,11) 1 ± 1 0,10 ± 0,10 < 8 < 1 Intervalo de variação (1 6) (6 0,58) < 8 <1 Concentração de Nb em urina 0,8 0,6 0,4 0,2 Figura 1. Concentração de nióbio em urina dos três grupos estudados.

4 Concentração de Sn em urina 4,0 3,0 2,0 1,0 Figura 2. Concentração de estanho em urina dos três grupos estudados. Concentração de U em urina 0,5 0,4 0,3 0,2 0,1 Figura 3. Concentração de urânio em urina dos três grupos estudados. Para o tório, em ambos os grupos de trabalhadores, aplicando o teste estatístico de t student, não foi encontrada diferença estatisticamente significativa para os valores da concentração de tório, embora a média das concentrações do grupo após a jornada de trabalho seja duas vezes maior que a do grupo antes da jornada de trabalho, os grupos não são estatisticamente diferentes. O mesmo foi observado quando ambos os grupos de trabalhadores foram comparados com o grupo controle. Isso pode ser explicado pelo fato da maioria dos dados de concentração de tório em urina estarem abaixo do limite de detecção da técnica. Radionuclídeos naturais, envolvidos em processos que resultem em radiação natural tecnologicamente aumentada, podem levar à exposição ocupacional nas diferentes etapas de produção e também no gerenciamento do rejeito [3,4]. Não existem informações sobre a exposição ocupacional em minas de nióbio e estanho disponíveis na literatura. Desta forma, é

5 recomendada uma avaliação da dose efetiva comprometida, uma vez que a dose média anual ocupacional em outros tipos de mineração podem ser significantes quando comparadas com o limite de dose para a exposição ocupacional [5]. Estimativas de doses para trabalhadores em minas de cobre na Polônia foram em torno de 1 msv devido a exposição interna ao rádio e cerca de 0,5 msv devido a exposição externa. A estimativa de dose anual para trabalhadores de mina de zircônio na África do Sul, durante o processo de separação física, foi em torno de 3 msv devido a exposição interna e externa, sendo a maior parte da dose devido à exposição interna. A dose anual média recebida pelos trabalhadores de uma mina de ouro a céu aberto foi de 2,5 msv, com registros de dose anual acima de 20 msv para alguns trabalhadores [6]. 4. CONCLUSÕES A comparação de cada um dos elementos, analisados nas amostras de urina para os três grupos, mostrou uma diferença estatisticamente significativa (p<5), indicando um aumento da concentração de Nb, Sn e U na urina de trabalhadores do grupo após a jornada de trabalho. O mesmo foi encontrado quando o grupo controle foi comparado com o grupo antes da jornada de trabalho. Os dados de urina mostram que os trabalhadores estão tendo uma incorporação diária desses elementos. Para o tório não foi encontrada uma diferença estatisticamente significativa entre os três grupos. Isso não significa que os trabalhadores não estejam expostos, uma vez que a maioria dos valores encontrados estavam abaixo do limite de detecção da técnica. 5. REFERÊNCIAS 1. Dias da Cunha, K., Lipsztein, J. L., Azeredo, A. M., Melo, D. R., Julião, L. M. Q. C., Lamego, F. F., Santos, M. S. and Barros Leite, C. V., Study of worker s exposure to thorium, uranium and niobium mineral dust, Water, Air and Soil Pollution, Vol. 137, (2002). 2. Santos, M. S., Julião, L. M. Q. C., Azeredo, A. M., Fernandes, P. C. P., Melo, D. R., Godoy, M. L., Determinação de U, Th e Nb por ICP-MS em amostras biológicas de um grupo não ocupacionalmente exposto. V Regional Congress on Radiation Protection and Safety. April 29 - May 04, Recife, Brasil (2001). 3. Beliachkov, U.A., S.M. Grashchenko, E.I. Komarov, Limitations of radiation exposure of the workers and general public from natural sources. In: Proceedings of the 5th International Conference on High Levels of Natural Radiation and Radon Areas: Radiation Dose and Health Effects, Vol. II, pp , Munich, 4-7 September (2000). 4. Silk, T.J., G.M. Kendall and A.W. Phipps, Revised estimates of dose from ores and mineral sands, J. Radiol. Prot., Vol. 15(3): (1995). 5. International Commission on Radiological Protection Recommendations of the International Commission on Radiological Protection, Annals of the ICRP 21(1-3). ICRP Publication 60. Pergamon Press, Oxford (1991). 6. International Atomic Energy Agency Working material: The assessment of occupational protection conditions in workplaces with high levels of exposure to natural radiation. Report from a Technical Committee Meeting, Vienna, Austria, 7-11 May (2001).

DETERMINAÇÃO DE Nb, U E Th NA EXCREÇÃO URINÁRIA DE TRABALHADORES DE UMA MINERADORA DE NIÓBIO POR ICP- MS

DETERMINAÇÃO DE Nb, U E Th NA EXCREÇÃO URINÁRIA DE TRABALHADORES DE UMA MINERADORA DE NIÓBIO POR ICP- MS 2005 International Nuclear Atlantic Conference - INAC 2005 Santos, SP, Brazil, August 28 to September 2, 2005 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENERGIA NUCLEAR - ABEN ISBN: 85-99141-01-5 DETERMINAÇÃO DE Nb, U E

Leia mais

ASPECTOS DOSIMÉTRICOS DA OCORRÊNCIA DE IMPUREZAS RADIONUCLÍDICAS DE 99 Mo EM ELUATOS DE 99m Tc

ASPECTOS DOSIMÉTRICOS DA OCORRÊNCIA DE IMPUREZAS RADIONUCLÍDICAS DE 99 Mo EM ELUATOS DE 99m Tc 2005 International Nuclear Atlantic Conference - INAC 2005 Santos, SP, Brazil, August 28 to September 2, 2005 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENERGIA NUCLEAR - ABEN ISBN: 85-99141-01-5 ASPECTOS DOSIMÉTRICOS DA

Leia mais

DOSE EFETIVA E RISCO DE CÂNCER EM EXAMES DE PET/CT

DOSE EFETIVA E RISCO DE CÂNCER EM EXAMES DE PET/CT IX Latin American IRPA Regional Congress on Radiation Protection and Safety - IRPA 2013 Rio de Janeiro, RJ, Brazil, April 15-19, 2013 SOCIEDADE BRASILEIRA DE PROTEÇÃO RADIOLÓGICA - SBPR DOSE EFETIVA E

Leia mais

Técnicas de Monitoração (DPR 15)

Técnicas de Monitoração (DPR 15) Técnicas de Monitoração (DPR 15) Dr. Almy A. R. Da Silva Físico Especialista em Proteção Radiológica SESMT - Departamento de Saúde Monitoração Monitoração ou monitoramento: Acompanhamento, por meio de

Leia mais

REGULAMENTAÇÃO E DECISÕES NA AVALIAÇÃO DE IMPACTO AMBIENTAL DOS RESÍDUOS CONTENDO RADIOATIVIDADE

REGULAMENTAÇÃO E DECISÕES NA AVALIAÇÃO DE IMPACTO AMBIENTAL DOS RESÍDUOS CONTENDO RADIOATIVIDADE 2005 International Nuclear Atlantic Conference - INAC 2005 Santos, SP, Brazil, August 28 to September 2, 2005 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENERGIA NUCLEAR - ABEN ISBN: 85-99141-01-5 REGULAMENTAÇÃO E DECISÕES

Leia mais

Danilo Chagas Vasconcelos Bolsista de Pós-doutorado

Danilo Chagas Vasconcelos Bolsista de Pós-doutorado Universidade Federal de Minas Gerais Departamento de Engenharia Nuclear Semana de Engenharia Nuclear e Ciências das Radiações Danilo Chagas Vasconcelos Bolsista de Pós-doutorado As fontes de radiação naturais

Leia mais

LIMITES DE LIBERAÇÃO PARA REJEITOS RADIOATIVOS SÓLIDOS

LIMITES DE LIBERAÇÃO PARA REJEITOS RADIOATIVOS SÓLIDOS 2005 International Nuclear Atlantic Conference - INAC 2005 Santos, SP, Brazil, August 28 to September 2, 2005 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENERGIA NUCLEAR - ABEN ISBN: 85-99141-01-5 LIMITES DE LIBERAÇÃO PARA

Leia mais

AVALIAÇÃO DA DEPENDÊNCIA ENERGÉTICA DE MONITORES PORTÁTEIS DE RADIAÇÃO UTILIZADOS EM RADIOPROTEÇÃO

AVALIAÇÃO DA DEPENDÊNCIA ENERGÉTICA DE MONITORES PORTÁTEIS DE RADIAÇÃO UTILIZADOS EM RADIOPROTEÇÃO 2009 International Nuclear Atlantic Conference - INAC 2009 Rio de Janeiro,RJ, Brazil, September27 to October 2, 2009 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENERGIA NUCLEAR - ABEN ISBN: 978-85-99141-03-8 AVALIAÇÃO DA

Leia mais

LEVANTAMENTO DE DADOS SOBRE RADIOPROTEÇÃO E SEGURANÇA DE FONTES EM LABORATÓRIOS DE PESQUISA

LEVANTAMENTO DE DADOS SOBRE RADIOPROTEÇÃO E SEGURANÇA DE FONTES EM LABORATÓRIOS DE PESQUISA 2005 International Nuclear Atlantic Conference - INAC 2005 Santos, SP, Brazil, August 28 to September 2, 2005 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENERGIA NUCLEAR - ABEN ISBN: 85-99141-01-5 LEVANTAMENTO DE DADOS SOBRE

Leia mais

Distribuições Conjuntas (Tabelas de Contingência)

Distribuições Conjuntas (Tabelas de Contingência) Cruzamento de Dados Distribuições Conjuntas (Tabelas de Contingência) Lorí Viali, Dr. DESTAT/FAMAT/PUCRS viali@pucrs.br http://www.pucrs.br/famat/viali Distribuição Conjunta Exemplo (tabela um) Suponha

Leia mais

1 Introdução. 1.1 Importância da Utilização da Amostragem

1 Introdução. 1.1 Importância da Utilização da Amostragem 1 Introdução Um dos principais objetivos da maioria dos estudos, análises ou pesquisas estatísticas é fazer generalizações seguras com base em amostras, sobre as populações das quais as amostras foram

Leia mais

ANOVA. (Analysis of Variance) Prof. Dr. Guanis de Barros Vilela Junior

ANOVA. (Analysis of Variance) Prof. Dr. Guanis de Barros Vilela Junior ANOVA (Analysis of Variance) Prof. Dr. Guanis de Barros Vilela Junior Para que serve a ANOVA? Para comparar três ou mais variáveis ou amostras. Por exemplo, queremos testar os efeitos cardiorrespiratórios

Leia mais

CAPÍTULO V - CARACTERIZAÇÃO DE RISCO

CAPÍTULO V - CARACTERIZAÇÃO DE RISCO CAPÍTULO V - CARACTERIZAÇÃO DE RISCO V.1. Introdução O processo de caracterização do risco inclui uma análise integrada dos resultados mais importantes da avaliação de risco. A análise integrada reúne

Leia mais

Desenvolvimento da Técnica de Bioanálise in vitro para Determinação de 65 Zn em Amostras Biológicas

Desenvolvimento da Técnica de Bioanálise in vitro para Determinação de 65 Zn em Amostras Biológicas SCIENTIA PLENA VOL. 8, NUM. 11 2012 www.scientiaplena.org.br Desenvolvimento da Técnica de Bioanálise in vitro para Determinação de 65 Zn em Amostras Biológicas Development of an in vitro bioassay technique

Leia mais

Estatística. Aula 1 -Fundamentos e conceitos básicos (Notas de aula) Prof. Idemauro Antonio Rodrigues de Lara

Estatística. Aula 1 -Fundamentos e conceitos básicos (Notas de aula) Prof. Idemauro Antonio Rodrigues de Lara Estatística Aula 1 -Fundamentos e conceitos básicos (Notas de aula) Prof. Idemauro Antonio Rodrigues de Lara Objetivo da disciplina Adquirir conhecimento dos fundamentos da Estatística, em seus campos

Leia mais

Importância da associação do ELISA IgM e Soroaglutinação Microscópica para diagnóstico e epidemiologia da leptospirose humana

Importância da associação do ELISA IgM e Soroaglutinação Microscópica para diagnóstico e epidemiologia da leptospirose humana SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE COODENADORIA DE CONTROLE DE DOENÇAS INSTITUTO ADOLFO LUTZ - SOROCABA Importância da associação do ELISA IgM e Soroaglutinação Microscópica para diagnóstico e epidemiologia

Leia mais

AGOSTO DE 2013 2 LIGEIRA REDUÇÃO DA TAXA DE DESEMPREGO

AGOSTO DE 2013 2 LIGEIRA REDUÇÃO DA TAXA DE DESEMPREGO MERCADO DE TRABALHO METROPOLITANO 1 AGOSTO DE 2013 2 LIGEIRA REDUÇÃO DA TAXA DE DESEMPREGO As informações captadas pela Pesquisa de Emprego e Desemprego revelam ligeira redução da taxa de desemprego e

Leia mais

PERSISTÊNCIA DO PODER POLÍTICO E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO: O CASO DA TRANSIÇÃO DE REGIME NO BRASIL

PERSISTÊNCIA DO PODER POLÍTICO E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO: O CASO DA TRANSIÇÃO DE REGIME NO BRASIL PERSISTÊNCIA DO PODER POLÍTICO E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO: O CASO DA TRANSIÇÃO DE REGIME NO BRASIL Aluno: Rafael Campos de Mattos Orientador: Claudio Ferraz Introdução Nas últimas décadas, observou-se

Leia mais

AVALIAÇÃO DA REDUÇÃO DA DOSE OCUPACIONAL APÓS AUTOMAÇÃO DO PROCESSO DE CALIBRAÇÃO DE MONITORES DE RADIAÇÃO GAMA

AVALIAÇÃO DA REDUÇÃO DA DOSE OCUPACIONAL APÓS AUTOMAÇÃO DO PROCESSO DE CALIBRAÇÃO DE MONITORES DE RADIAÇÃO GAMA IX Latin American IRPA Regional Congress on Radiation Protection and Safety - IRPA 2013 Rio de Janeiro, RJ, Brazil, April 15-19, 2013 SOCIEDADE BRASILEIRA DE PROTEÇÃO RADIOLÓGICA - SBPR AVALIAÇÃO DA REDUÇÃO

Leia mais

HETEROGENEIDADE REGIONAL

HETEROGENEIDADE REGIONAL HETEROGENEIDADE REGIONAL Miguel Matteo*1 Uma das faces da heterogeneidade estrutural é representada pela profunda desigualdade regional brasileira. A distribuição dos setores é profundamente desigual em

Leia mais

BOLETIM CAGED Cadastro Geral de Empregados e Desempregados. FEVEREIRO - 2016 Comportamento do Emprego - Limeira/SP.

BOLETIM CAGED Cadastro Geral de Empregados e Desempregados. FEVEREIRO - 2016 Comportamento do Emprego - Limeira/SP. BOLETIM CAGED Cadastro Geral de Empregados e Desempregados FEVEREIRO - 216 Comportamento do Emprego - Limeira/SP. A Consultoria Técnica Especializada da Câmara Municipal de Limeira apresenta os dados do

Leia mais

Elaboração e Análise de Projetos

Elaboração e Análise de Projetos Elaboração e Análise de Projetos Análise de Mercado Professor: Roberto César ANÁLISE DE MERCADO Além de ser o ponto de partida de qualquer projeto, é um dos aspectos mais importantes para a confecção deste.

Leia mais

VI Seminário Internacional Sobre Remediação de Áreas Contaminadas INSTITUTO EKOS BRASIL

VI Seminário Internacional Sobre Remediação de Áreas Contaminadas INSTITUTO EKOS BRASIL VI Seminário Internacional Sobre Remediação de Áreas Contaminadas INSTITUTO EKOS BRASIL Alexandre Maximiano, Msc. Tecnohidro Projetos Ambientais São Paulo, SP PLANILHA CETESB PARA QUANTIFICAÇÃO DO RISCO

Leia mais

ICEI Índice de Confiança do Empresário Industrial Julho/07 Interiorização da Sondagem

ICEI Índice de Confiança do Empresário Industrial Julho/07 Interiorização da Sondagem Resultado do ICEI - Índice de Confiança do Empresário Industrial - nas Regionais FIESP Projeto de de Opinião CNI (DEPAR/DEPECON) Introdução A Sondagem Industrial é uma pesquisa qualitativa realizada trimestralmente

Leia mais

PLANO DE TRABALHO: DISCIPLINA DE TECNOLOGIA EM RADIOTERAPIA

PLANO DE TRABALHO: DISCIPLINA DE TECNOLOGIA EM RADIOTERAPIA PLANO DE TRABALHO: DISCIPLINA DE TECNOLOGIA EM RADIOTERAPIA PROFESSOR: Jony Marques Geraldo 1. EMENTA: Viabilizar o conhecimento dos procedimentos radioterapêuticos e planejamentos para diferentes tipos

Leia mais

Maio 2004. São Paulo. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE

Maio 2004. São Paulo. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE Pesquisa Mensal de Emprego Maio 2004 Região Metropolitana de São Paulo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE 1 I) INTRODUÇÃO PESQUISA MENSAL DE EMPREGO ESTIMATIVAS PARA O MÊS DE MAIO DE

Leia mais

Carta de controle para o desvio-padrão

Carta de controle para o desvio-padrão Carta de controle para o desvio-padrão O desvio padrão é um indicador mais eficiente da variabilidade, principalmente para amostras grandes (a amplitude perde eficiência). Recomenda-se o uso da carta Xb

Leia mais

Caracterização do perfil lipídico de espermatozoides humanos por espectrometria de massas

Caracterização do perfil lipídico de espermatozoides humanos por espectrometria de massas Caracterização do perfil lipídico de espermatozoides humanos por espectrometria de massas Edson Borges Jr., Thais Serzedello, Rita de Cássia S. Figueira, Amanda S. Setti, Assumpto Iaconelli Jr., Agnaldo

Leia mais

IMPACTO DA EVOLUÇÃO TECNOLÓGICA NA REDUÇÃO DA RADIAÇÃO IONIZANTE. Carlos A.M. Gottschall, MD, PhD, FSCAI

IMPACTO DA EVOLUÇÃO TECNOLÓGICA NA REDUÇÃO DA RADIAÇÃO IONIZANTE. Carlos A.M. Gottschall, MD, PhD, FSCAI IMPACTO DA EVOLUÇÃO TECNOLÓGICA NA Carlos A.M. Gottschall, MD, PhD, FSCAI Radiação não é depurada do organismo (As Low As Reasonably Achievable) Pacientes somente devem ser expostos à radiação quando inevitável

Leia mais

A Significância Estatística do Proger na Redução da Taxa de Desemprego por Haroldo Feitosa Tajra

A Significância Estatística do Proger na Redução da Taxa de Desemprego por Haroldo Feitosa Tajra A Significância Estatística do Proger na Redução da Taxa de Desemprego por Haroldo Feitosa Tajra 1. INTRODUÇÃO O objetivo desta análise é verificar a significância estatística das aplicações do Programa

Leia mais

Radioativ. Tecnologia humana

Radioativ. Tecnologia humana Os danos que a radioatividade pode causar à saúde humana justificam as rigorosas normas de segurança adotadas nas atividades que usam a energia nuclear. Mas muitas pessoas podem estar sendo expostas, sem

Leia mais

A associação correta é: I. radiação alfa (α) II. radiação beta (β) III. radiação gama (γ) Resposta: a - I; b - II; g - III

A associação correta é: I. radiação alfa (α) II. radiação beta (β) III. radiação gama (γ) Resposta: a - I; b - II; g - III 01 A associação correta é: I. radiação alfa (α) II. radiação beta (β) III. radiação gama (γ) Resposta: a - I; b - II; g - III 1 02 Todos os itens são verdadeiros. 2 03 I. Verdadeira II. Verdadeira III.

Leia mais

OCUPAÇÃO E EMPREENDEDORISMO NAS REGIÕES DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO: uma análise a partir do Censo 2010

OCUPAÇÃO E EMPREENDEDORISMO NAS REGIÕES DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO: uma análise a partir do Censo 2010 OCUPAÇÃO E EMPREENDEDORISMO NAS REGIÕES DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO: uma análise a partir do Censo 2010 NOTA CONJUNTURAL DO OBSERVATÓRIO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, MAIO

Leia mais

PERFIL DO CONSUMO DE ÁGUA DE UMA HABITAÇÃO UNIFAMILIAR

PERFIL DO CONSUMO DE ÁGUA DE UMA HABITAÇÃO UNIFAMILIAR PERFIL DO CONSUMO DE ÁGUA DE UMA HABITAÇÃO UNIFAMILIAR Adilson Lourenço Rocha (1) Engenheiro mecânico pela FEI/SP (1971). Mestre em engenharia civil pela EPUSP (199). Pesquisador III do Laboratório de

Leia mais

PRODUÇÃO CIENTÍFICA DOS PESQUISADORES DA UEL, NA ÁREA DE AGRONOMIA: TRABALHOS PUBLICADOS EM EVENTOS DE 2004 A 2008.

PRODUÇÃO CIENTÍFICA DOS PESQUISADORES DA UEL, NA ÁREA DE AGRONOMIA: TRABALHOS PUBLICADOS EM EVENTOS DE 2004 A 2008. PRODUÇÃO CIENTÍFICA DOS PESQUISADORES DA UEL, NA ÁREA DE AGRONOMIA: TRABALHOS PUBLICADOS EM EVENTOS DE 2004 A 2008. Karina de Oliveira Pinho (PIBIC/ UEL), Ana Esmeralda Carelli (Orientador), e-mail: carelliana@uel.br

Leia mais

Boletim eletrônico trimestral sobre a participação das mulheres no mercado de trabalho a partir dos dados da - Pesquisa Mensal de Emprego do IBGE -

Boletim eletrônico trimestral sobre a participação das mulheres no mercado de trabalho a partir dos dados da - Pesquisa Mensal de Emprego do IBGE - Boletim eletrônico trimestral sobre a participação das mulheres no mercado de trabalho a partir dos dados da - Pesquisa Mensal de Emprego do IBGE - Elaboração: (SPM), Fundo de Desenvolvimento das Nações

Leia mais

Resumo Expandido Título da Pesquisa Palavras-chave Campus Tipo de Bolsa Financiador Bolsista Professor Orientador Área de Conhecimento Resumo

Resumo Expandido Título da Pesquisa Palavras-chave Campus Tipo de Bolsa Financiador Bolsista Professor Orientador Área de Conhecimento Resumo Resumo Expandido Título da Pesquisa: ANÁLISE DA VARIAÇÃO DA OFERTA DE BANANA E MORANGO NA CEASAMINAS Palavras-chave: Banana Prata; Banana Nanica; Morango; CEASAMINAS. Campus: São João Evangelista Tipo

Leia mais

FÍSICA APLICADA A RADIOLOGIA. Proº. Lillian Lemos E-mail: lillianlemos@yahoo.com.br

FÍSICA APLICADA A RADIOLOGIA. Proº. Lillian Lemos E-mail: lillianlemos@yahoo.com.br FÍSICA APLICADA A RADIOLOGIA Proº. Lillian Lemos E-mail: lillianlemos@yahoo.com.br ESTADOS DA MATÉRIA Três tipos: -Estado Fundamental -Estado Excitado -Estado Ionizado ESTADOS DA MATÉRIA Estado Fundamental:

Leia mais

Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis

Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis PROCEDIMENTOS ADOTADOS PELO IBAMA URÂNIO EM ÁGUA DE POÇO EM LAGOA REAL, CAETITÉ / BA. Audiência Pública na Comissão de Meio Ambiente

Leia mais

APLICAÇÃO DE MONITORES PORTÁTEIS PARA MONITORAÇÃO INTERNA EM MEDICINA NUCLEAR

APLICAÇÃO DE MONITORES PORTÁTEIS PARA MONITORAÇÃO INTERNA EM MEDICINA NUCLEAR X Congreso Regional Latinoamericano IRPA de Protección y Seguridad Radiológica Radioprotección: Nuevos Desafíos para un Mundo en Evolución Buenos Aires, 12 al 17 de abril, 2015 SOCIEDAD ARGENTINA DE RADIOPROTECCIÓN

Leia mais

RESULTADOS DO PROGRAMA DE MONITORAÇÃO OCUPACIONAL DO CENTRO TECNOLÓGICO DA MARINHA EM SÃO PAULO

RESULTADOS DO PROGRAMA DE MONITORAÇÃO OCUPACIONAL DO CENTRO TECNOLÓGICO DA MARINHA EM SÃO PAULO RESULTADOS DO PROGRAMA DE MONITORAÇÃO OCUPACIONAL DO CENTRO TECNOLÓGICO DA MARINHA EM SÃO PAULO Perez, Clarice F.A.; Bitelli, Ricardo D.; Oliveira, Rodemir Centro Tecnológico da Marinha em São Paulo, -

Leia mais

SISTEMA DE DETECÇÃO DE RADIAÇÃO NACIONALIZADO PARA EMBARCAÇÕES

SISTEMA DE DETECÇÃO DE RADIAÇÃO NACIONALIZADO PARA EMBARCAÇÕES SISTEMA DE DETECÇÃO DE RADIAÇÃO NACIONALIZADO PARA EMBARCAÇÕES Mário Monteiro Morgado *, Marco Antônio P.V. de Moraes **, Tufic Madi Filho ** e Nelson Minoru Omi **. *Eletrobras Termonuclear S/A - ELETRONUCLEAR

Leia mais

CIRCULAR TÉCNICA N o 171 NOVEMBRO 1989 TABELAS PARA CLASSIFICAÇÃO DO COEFICIENTE DE VARIAÇÃO

CIRCULAR TÉCNICA N o 171 NOVEMBRO 1989 TABELAS PARA CLASSIFICAÇÃO DO COEFICIENTE DE VARIAÇÃO IPEF: FILOSOFIA DE TRABALHO DE UMA ELITE DE EMPRESAS FLORESTAIS BRASILEIRAS ISSN 0100-3453 CIRCULAR TÉCNICA N o 171 NOVEMBRO 1989 TABELAS PARA CLASSIFICAÇÃO DO COEFICIENTE DE VARIAÇÃO INTRODUÇAO Carlos

Leia mais

Recursos Minerais GEOGRAFIA DO BRASIL

Recursos Minerais GEOGRAFIA DO BRASIL GEOGRAFIA DO BRASIL Recursos Minerais FERRO - O Brasil possui a quinta maior reserva do mundo, possuindo um grande volume de minério. Com o alto teor de ferro contido nesses minérios, o Brasil está entre

Leia mais

PLANEJAMENTO DE RADIOPROTEÇÃO NO DESCOMISSIONAMENTO DA PLANTA PILOTO DE PROCESSAMENTO DE URÂNIO PARA FABRICAÇÃO DE ELEMENTO COMBUSTÍVEL

PLANEJAMENTO DE RADIOPROTEÇÃO NO DESCOMISSIONAMENTO DA PLANTA PILOTO DE PROCESSAMENTO DE URÂNIO PARA FABRICAÇÃO DE ELEMENTO COMBUSTÍVEL 2005 International Nuclear Atlantic Conference - INAC 2005 Santos, SP, Brazil, August 28 to September 2, 2005 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENERGIA NUCLEAR - ABEN ISBN: 85-99141-01-5 PLANEJAMENTO DE RADIOPROTEÇÃO

Leia mais

Avaliação De Impacto Radiológico Ambiental Utilizando Modelagem Matemática: Um Modelo Conceitual

Avaliação De Impacto Radiológico Ambiental Utilizando Modelagem Matemática: Um Modelo Conceitual Avaliação De Impacto Radiológico Ambiental Utilizando Modelagem Matemática: Um Modelo Conceitual Wagner de Souza Pereira 1 Alphonse Kelecom 2 Marcos Vicente Bento Macedo, Rosane Santos Araujo e Júlia Martinelli

Leia mais

Graduandos Eng. Florestal UTFPR Campus Dois Vizinhos- PR (felipe_speltz@hotmail.com, carlosmezzalira89@hotmail.com, taci_frigotto27@hotmail.

Graduandos Eng. Florestal UTFPR Campus Dois Vizinhos- PR (felipe_speltz@hotmail.com, carlosmezzalira89@hotmail.com, taci_frigotto27@hotmail. Sobrevivência de clones e hídridos de Eucalyptus sp. em testes de adaptação na região de Dois Vizinhos- Paraná Raquel Rossi Ribeiro 1 ; Felipe Ribeiro Speltz 2 ; Carlos Cesar Mezzalira 2 ; Taciana Frigotto

Leia mais

Controle Estátistico de Processo.

Controle Estátistico de Processo. Relatório de estudo dos fios. Controle Estátistico de Processo. Indice Item Assunto. Pág. Análise estatística C.E.P. 04 1 Introdução. 04 2 Controle estatístico do processo. 04 2.1 Definição. 04 2.3 Objetivo

Leia mais

Erros e Incertezas. Rafael Alves Batista Instituto de Física Gleb Wataghin Universidade Estadual de Campinas (Dated: 10 de Julho de 2011.

Erros e Incertezas. Rafael Alves Batista Instituto de Física Gleb Wataghin Universidade Estadual de Campinas (Dated: 10 de Julho de 2011. Rafael Alves Batista Instituto de Física Gleb Wataghin Universidade Estadual de Campinas (Dated: 10 de Julho de 2011.) I. INTRODUÇÃO Quando se faz um experimento, deseja-se comparar o resultado obtido

Leia mais

Pesquisa Mensal de Emprego

Pesquisa Mensal de Emprego Comunicação Social 25 de março de 2004 Pesquisa Mensal de Emprego Taxa de desocupação é de 12% em fevereiro Em fevereiro de 2004, a taxa de desocupação ficou estável tanto em relação ao mês anterior (11,7%)

Leia mais

A Região Integrada de Desenvolvimento do Distrito Federal (RIDE-DF) no Censo 2010

A Região Integrada de Desenvolvimento do Distrito Federal (RIDE-DF) no Censo 2010 A Região Integrada de Desenvolvimento do Distrito Federal (RIDE-DF) no Censo 2010 Coordenação: Rômulo José da Costa Ribeiro Responsável: Rômulo José da Costa Ribeiro 1 Colaboração: Juciano Rodrigues, Rosetta

Leia mais

Relações de Preço Sorgo/Milho nos Estados de São Paulo, Goiás e Rio Grande do Sul, 2001-2009. Alfredo Tsunechiro e Maximiliano Miura

Relações de Preço Sorgo/Milho nos Estados de São Paulo, Goiás e Rio Grande do Sul, 2001-2009. Alfredo Tsunechiro e Maximiliano Miura Relações de Preço Sorgo/Milho nos Estados de São Paulo, Goiás e Rio Grande do Sul, 2001-2009 Alfredo Tsunechiro e Maximiliano Miura Instituto de Economia Agrícola (IEA) Caixa Postal 68.029 04047-970 São

Leia mais

Acre. Tabela 1: Indicadores selecionados: mediana, 1 o e 3 o quartis nos municípios do estado do Acre (1991, 2000 e 2010)

Acre. Tabela 1: Indicadores selecionados: mediana, 1 o e 3 o quartis nos municípios do estado do Acre (1991, 2000 e 2010) Acre Em, no estado do Acre (AC) moravam 734 mil pessoas, e uma parcela ainda pequena dessa população, 4,3% (32 mil) tinha 65 ou mais anos de idade. O estado era composto de 22 municípios, dos quais sete

Leia mais

VIGILÂNCIA DOS NÍVEIS DE RADIAÇÃO EM INSTALAÇÕES DE GAMAGRAFIA INDUSTRIAL

VIGILÂNCIA DOS NÍVEIS DE RADIAÇÃO EM INSTALAÇÕES DE GAMAGRAFIA INDUSTRIAL VIGILÂNCIA DOS NÍVEIS DE RADIAÇÃO EM INSTALAÇÕES DE GAMAGRAFIA INDUSTRIAL Gomes, P., Branco, L. Unidade de Protecção Radiológica do Instituto de Soldadura e Qualidade (ISQ) RESUMO De acordo com a regulamentação

Leia mais

A INSTRUÇÃO NORMATIVA 51 E A QUALIDADE DO LEITE NA REGIÃO NORDESTE E NOS ESTADOS DO PARÁ E TOCANTINS

A INSTRUÇÃO NORMATIVA 51 E A QUALIDADE DO LEITE NA REGIÃO NORDESTE E NOS ESTADOS DO PARÁ E TOCANTINS A INSTRUÇÃO NORMATIVA 51 E A QUALIDADE DO LEITE NA REGIÃO NORDESTE E NOS ESTADOS DO PARÁ E TOCANTINS Severino Benone Paes Barbosa 1, Raquel Bezerra Jatobá 2, Ângela Maria Vieira Batista 1 1 Professores

Leia mais

Introdução à Volumetria. Profa. Lilian Lúcia Rocha e Silva

Introdução à Volumetria. Profa. Lilian Lúcia Rocha e Silva Introdução à Volumetria Profa. Lilian Lúcia Rocha e Silva INTRODUÇÃO À VOLUMETRIA TITULAÇÃO Processo no qual uma solução padrão ou solução de referência é adicionada a uma solução que contém um soluto

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS GESTÃO

ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS GESTÃO GESTÃO DE ESTOQUES (Parte 1) Os estoques são recursos ociosos que possuem valor econômico, os quais representam um investimento destinado a incrementar as atividades de produção e servir aos clientes.

Leia mais

Revisão: radioproteção aplicada à Medicina Nuclear

Revisão: radioproteção aplicada à Medicina Nuclear Artigo de Revisão Revista Brasileira de Física Médica.2011;4(3):47-52. Revisão: radioproteção aplicada à Medicina Nuclear Review: radioprotection applied in Nuclear Medicine Marcos A. D. Machado 1,2,3,

Leia mais

Doença de base 2. CARACTERIZAÇÃO DAS LESÕES

Doença de base 2. CARACTERIZAÇÃO DAS LESÕES Doença de base As patologias de base dos pacientes corresponderam ao grupo ao qual pertenciam. Assim, o diabetes mellitus e a insuficiência venosa crônica, isolados ou associados a outras patologias, como

Leia mais

Avaliação de dose efetiva em um fantoma antropomórfico em situações de emergência radiológica

Avaliação de dose efetiva em um fantoma antropomórfico em situações de emergência radiológica BJRS BRAZILIAN JOURNAL OF RADIATION SCIENCES 03-01 (2015) 01-07 Avaliação de dose efetiva em um fantoma antropomórfico em situações de emergência radiológica L.K. Silva a ; D.S. Santos a a Divisão de Dosimetria/Dosimetria

Leia mais

II-228 DESEMPENHO DE FILTROS ANAERÓBIOS SEGUNDO DIFERENTES MEIOS SUPORTE E ALTURAS DE PERCOLAÇÃO

II-228 DESEMPENHO DE FILTROS ANAERÓBIOS SEGUNDO DIFERENTES MEIOS SUPORTE E ALTURAS DE PERCOLAÇÃO II-228 DESEMPENHO DE FILTROS ANAERÓBIOS SEGUNDO DIFERENTES MEIOS SUPORTE E ALTURAS DE PERCOLAÇÃO Eduardo Pacheco Jordão Dr.Eng., Prof. Adjunto do Depto. de Recursos Hídricos e Meio Ambiente da Escola Politécnica

Leia mais

Capítulo IX. Carregamento de transformadores

Capítulo IX. Carregamento de transformadores 42 Capítulo IX Carregamento de transformadores Por Manuel Luís Barreira Martinez* A tipificação dos transformadores contempla três agrupamentos distintos, o que em tese significa três diferentes tipos

Leia mais

Aumento do emprego contrasta com desindustrialização em SP e RJ

Aumento do emprego contrasta com desindustrialização em SP e RJ 3 set 2007 Nº 35 Aumento do emprego contrasta com desindustrialização em SP e RJ Por Antonio Marcos Ambrozio Economista da SAE Vagas na indústria de transformação foram deslocadas para outras regiões do

Leia mais

3. Resultados e Discussão 3.1 Estratégia metodológica

3. Resultados e Discussão 3.1 Estratégia metodológica 3. Resultados e Discussão 3.1 Estratégia metodológica Duas diferentes técnicas analíticas foram investigadas, a espectrometria de absorção atômica de alta resolução com fonte contínua (HR-CS AAS) e a espectrometria

Leia mais

I-004 - INVESTIGAÇÃO DE FATORES DE INFLUÊNCIA NO CONSUMO PER CAPITA DE ÁGUA EM ESTADOS BRASILEIROS E EM CIDADES DE MINAS GERAIS

I-004 - INVESTIGAÇÃO DE FATORES DE INFLUÊNCIA NO CONSUMO PER CAPITA DE ÁGUA EM ESTADOS BRASILEIROS E EM CIDADES DE MINAS GERAIS I-4 - INVESTIGAÇÃO DE FATORES DE INFLUÊNCIA NO CONSUMO PER CAPITA DE ÁGUA EM ESTADOS BRASILEIROS E EM CIDADES DE MINAS GERAIS Marcos von Sperling ( 1 ) Engenheiro Civil. Doutor em Engenharia Ambiental

Leia mais

II-388 - REDUÇÃO E ECONOMIA DE ÁGUA NO SETOR INDUSTRIAL DE CURTUME COM O REUSO DO SEU EFLUENTE TRATADO

II-388 - REDUÇÃO E ECONOMIA DE ÁGUA NO SETOR INDUSTRIAL DE CURTUME COM O REUSO DO SEU EFLUENTE TRATADO II-388 - REDUÇÃO E ECONOMIA DE ÁGUA NO SETOR INDUSTRIAL DE CURTUME COM O REUSO DO SEU EFLUENTE TRATADO Maria de Fátima Almeida Vieira (1) Engenheira Química pela Universidade Federal da Paraíba. Mestre

Leia mais

Análise do perfil da Poliomielite no Brasil nos últimos 10 anos

Análise do perfil da Poliomielite no Brasil nos últimos 10 anos Introdução A poliomielite é uma doença infectocontagiosa viral aguda, causada pelo poliovírus. Caracteriza-se por quadro de paralisia flácida, cujas manifestações frequentemente não ultrapassam três dias.

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO NÚCLEO DE ESTUDOS DE SAÚDE COLETIVA FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE SAÚDE DE NITERÓI PROGRAMA MÉDICO DE FAMÍLIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO NÚCLEO DE ESTUDOS DE SAÚDE COLETIVA FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE SAÚDE DE NITERÓI PROGRAMA MÉDICO DE FAMÍLIA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO NÚCLEO DE ESTUDOS DE SAÚDE COLETIVA FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE SAÚDE DE NITERÓI PROGRAMA MÉDICO DE FAMÍLIA AVALIAÇÃO DAS AÇÕES DE PREVENÇÃO DA TRANSMISSÃO VERTICAL

Leia mais

Influência no conforto visual

Influência no conforto visual SHO 2011 Colóquio Internacional sobre Segurança e Higiene Ocupacionais 10 e 11 de Fevereiro 2011 Universidade do Minho - Guimarães Influência no conforto visual Aida Pais Departamento de Saúde Ambiental

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DE UM BANCO DE DADOS DE PACIENTES DE MEDICINA NUCLEAR (DOSIMED)

IMPLANTAÇÃO DE UM BANCO DE DADOS DE PACIENTES DE MEDICINA NUCLEAR (DOSIMED) 2009 International Nuclear Atlantic Conference - INAC 2009 Rio de Janeiro,RJ, Brazil, September27 to October 2, 2009 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENERGIA NUCLEAR - ABEN ISBN: 978-85-99141-03-8 IMPLANTAÇÃO

Leia mais

Incremento Diamétrico de Trichilia claussenii C.DC. em uma Floresta Estacional Subtropical no Interior do Estado do Rio Grande do Sul

Incremento Diamétrico de Trichilia claussenii C.DC. em uma Floresta Estacional Subtropical no Interior do Estado do Rio Grande do Sul Incremento Diamétrico de Trichilia claussenii C.DC. em uma Floresta Estacional Subtropical no Interior do Estado do Rio Grande do Sul Táscilla Magalhães Loiola (1) ; Marcos Corrêa Kemmerich (1) ; Bruna

Leia mais

FREE PHASE REMOVAL BY IN SITU HEATING

FREE PHASE REMOVAL BY IN SITU HEATING V Seminário Internacional sobre Remediação e Revitalização de Áreas Contaminadas São Paulo, 5 a 7 de Novembro de 2007 REMOÇÃO DE FASE LIVRE POR AQUECIMENTO IN SITU FREE PHASE REMOVAL BY IN SITU HEATING

Leia mais

Índice fipezap de preços de imóveis anunciados

Índice fipezap de preços de imóveis anunciados Preço médio de locação inicia 2016 em queda de 0,16% Resultado de janeiro leva o Índice FipeZap de Locação a mostrar a nona queda nominal seguida na comparação com o mês anterior Os preços de locação iniciaram

Leia mais

FISIOLOGIA ANIMAL - UERJ

FISIOLOGIA ANIMAL - UERJ FISIOLOGIA ANIMAL - UERJ 1) Lipases são enzimas relacionadas à digestão dos lipídios, nutrientes que, em excesso, levam ao aumento da massa corporal. Certos medicamentos para combate à obesidade agem inibindo

Leia mais

Índice. Introdução...1. Capítulo 1. Micotoxicologia...11. 1. O que são micotoxinas...12. 2. Produção de micotoxinas e sua presença em alimentos...

Índice. Introdução...1. Capítulo 1. Micotoxicologia...11. 1. O que são micotoxinas...12. 2. Produção de micotoxinas e sua presença em alimentos... Índice Introdução...1 1.1. Enquadramento...2 1.2. Motivação...5 1.3. Objectivos e metodologia...6 1.4. Limitações do estudo...7 1.5. Estrutura da dissertação...8 Capítulo 1. Micotoxicologia...11 1. O que

Leia mais

DIRETORIA DE PESQUISAS DPE COORDENAÇÃO DE CONTAS NACIONAIS CONAC. Sistema de Contas Nacionais Brasil Referência 2010. Nota Metodológica nº 11

DIRETORIA DE PESQUISAS DPE COORDENAÇÃO DE CONTAS NACIONAIS CONAC. Sistema de Contas Nacionais Brasil Referência 2010. Nota Metodológica nº 11 DIRETORIA DE PESQUISAS DPE COORDENAÇÃO DE CONTAS NACIONAIS CONAC Sistema de Contas Nacionais Brasil Referência 2010 Nota Metodológica nº 11 Atividade de Construção Civil (versão para informação e comentários)

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DE UM BANCO DE DADOS DE PACIENTES DE MEDICINA NUCLEAR (DOSIMED)

IMPLANTAÇÃO DE UM BANCO DE DADOS DE PACIENTES DE MEDICINA NUCLEAR (DOSIMED) 2009 International Nuclear Atlantic Conference - INAC 2009 Rio de Janeiro,RJ, Brazil, September27 to October 2, 2009 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENERGIA NUCLEAR - ABEN ISBN: 978-85-99141-03-8 IMPLANTAÇÃO

Leia mais

Capítulo 6 Sistemas Computadorizados de Auxílio ao Diagnóstico Médico

Capítulo 6 Sistemas Computadorizados de Auxílio ao Diagnóstico Médico 25 Capítulo 6 Sistemas Computadorizados de Auxílio ao Diagnóstico Médico Existem diversos tipos de aplicações já desenvolvidas envolvendo o uso de processamento de imagens médicas, a fim de auxiliar o

Leia mais

MF.513.R-2 - DETERMINAÇÃO DA CONCENTRAÇÃO DE CO2, DO EXCESSO DE AR E DO PESO MOLECULAR DO GÁS SECO, EM CHAMINÉS

MF.513.R-2 - DETERMINAÇÃO DA CONCENTRAÇÃO DE CO2, DO EXCESSO DE AR E DO PESO MOLECULAR DO GÁS SECO, EM CHAMINÉS MF.513.R-2 - DETERMINAÇÃO DA CONCENTRAÇÃO DE CO2, DO EXCESSO DE AR E DO PESO MOLECULAR DO GÁS SECO, EM CHAMINÉS Notas: Aprovada pela Deliberação CECA n. 168, de 02 de abril de 1981 Publicada no DOERJ de

Leia mais

I-094 - COLIFORMES E ph MÉDIAS ARITMÉTICAS, MÉDIAS GEOMÉTRICAS E MEDIANAS

I-094 - COLIFORMES E ph MÉDIAS ARITMÉTICAS, MÉDIAS GEOMÉTRICAS E MEDIANAS I-9 - COLIFORMES E ph MÉDIAS ARITMÉTICAS, MÉDIAS GEOMÉTRICAS E MEDIANAS Marcos von Sperling ( 1 ) Engenheiro Civil (UFMG). Doutor em Engenharia Ambiental (Imperial College, Universidade de Londres Inglaterra).

Leia mais

PERIGO? AVALIAÇÃO DE RISCOS?? ANÁLISE DE PERIGOS? ANÁLISE DE RISCOS? RISCO? HACCP

PERIGO? AVALIAÇÃO DE RISCOS?? ANÁLISE DE PERIGOS? ANÁLISE DE RISCOS? RISCO? HACCP SIMILARIDADES E DIFERENÇAS ENTRE HACCP E ANÁLISE DE RISCOS BERNADETTE DGM FRANCO FCF / USP PERIGO? AVALIAÇÃO DE RISCOS?? ANÁLISE DE PERIGOS? ANÁLISE DE RISCOS? RISCO? HACCP Conceitos Fundamentos da Análise

Leia mais

Gaudencio Barbosa R3CCP HUWC

Gaudencio Barbosa R3CCP HUWC Gaudencio Barbosa R3CCP HUWC Pacientes com carcinoma de celulas escamosas (CEC) comumente se apresentam com massa cervical O primario geralmente é revelado após avaliação clínica O primário pode ser desconhecido

Leia mais

Centro de Pesquisa da Indústria de Exposições

Centro de Pesquisa da Indústria de Exposições Centro de Pesquisa da Indústria de Exposições Métodos eficazes para a Promoção aos visitantes Parte I: Organizadores da Exposição Índice Características de todos os organizadores de exposições entrevistados

Leia mais

Estratégias operacionais ponto a ponto no Metrô de São Paulo.

Estratégias operacionais ponto a ponto no Metrô de São Paulo. Estratégias operacionais ponto a ponto no Metrô de São Paulo. Leonardo Hideyoshi Ueda (1) (1) Companhia do Metropolitano e São Paulo Gerência de Operações Departamento de Controle Centralizado e Tráfego

Leia mais

Resultado de Vendas de Dia dos Namorados 2016

Resultado de Vendas de Dia dos Namorados 2016 Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Santa Catarina Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas de Santa Catarina Resultado de Vendas de Dia dos Namorados 2016 O perfil do empresário e

Leia mais

GESTÃO DA PRODUÇÃO APLICADA À FABRICAÇÃO DE COMBUSTÍVEL NUCLEAR COM URÂNIO DE REPROCESSAMENTO ENRIQUECIDO (URE)

GESTÃO DA PRODUÇÃO APLICADA À FABRICAÇÃO DE COMBUSTÍVEL NUCLEAR COM URÂNIO DE REPROCESSAMENTO ENRIQUECIDO (URE) GESTÃO DA PRODUÇÃO APLICADA À FABRICAÇÃO DE COMBUSTÍVEL NUCLEAR COM URÂNIO DE REPROCESSAMENTO ENRIQUECIDO (URE) Leonam dos Santos Guimarães Assistente do Diretor-Presidente ELETRONUCLEAR - Eletrobrás Termonuclear

Leia mais

Pernambuco. Tabela 1: Indicadores selecionados: mediana, 1º e 3º quartis nos municípios do estado de Pernambuco (1991, 2000 e 2010)

Pernambuco. Tabela 1: Indicadores selecionados: mediana, 1º e 3º quartis nos municípios do estado de Pernambuco (1991, 2000 e 2010) Pernambuco Em, no estado de Pernambuco (PE), moravam 8,8 milhões de pessoas, onde parcela relevante (7,4%; 648,7 mil habitantes) tinha 65 ou mais anos de idade. O estado era composto de 185 municípios,

Leia mais

Engenharia Econômica

Engenharia Econômica UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO UFPE CENTRO ACADÊMICO DO AGRESTE NÚCLEO DE TECNOLOGIA ENGENHARIA CIVIL Engenharia Econômica Aula I Professora Jocilene Otilia da Costa, Dra Conteúdo Juros Simples Juros

Leia mais

AVALIAÇÃO LABORATORIAL DA EXPOSIÇÃO A DROGAS DE ABUSO.

AVALIAÇÃO LABORATORIAL DA EXPOSIÇÃO A DROGAS DE ABUSO. UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Faculdade de Ciências Farmacêuticas Departamento de Análises Clínicas e Toxicológicas Laboratório de Análises Toxicológicas AVALIAÇÃO LABORATORIAL DA EXPOSIÇÃO A DROGAS DE ABUSO.

Leia mais

FERNANDO YOSHIO ARAKAWA FLÁVIO HENRIQUE RIBEIRO AVALIAÇÃO DOS RISCOS FÍSICOS DE UMA INDÚSTRIA DE EMBALAGENS DE ARAPONGAS-PR

FERNANDO YOSHIO ARAKAWA FLÁVIO HENRIQUE RIBEIRO AVALIAÇÃO DOS RISCOS FÍSICOS DE UMA INDÚSTRIA DE EMBALAGENS DE ARAPONGAS-PR FERNANDO YOSHIO ARAKAWA FLÁVIO HENRIQUE RIBEIRO AVALIAÇÃO DOS RISCOS FÍSICOS DE UMA INDÚSTRIA DE EMBALAGENS DE ARAPONGAS-PR Londrina 2005 FERNANDO YOSHIO ARAKAWA FLÁVIO HENRIQUE RIBEIRO AVALIAÇÃO DOS RISCOS

Leia mais

DISPOSITIVO DIGITAL UTILIZANDO ARDUÍNO COMO MEDIDOR DE ULTRA VIOLETA VISÍVEL PARA QUANTIFICAR Fe 3+ DISSOLVIDO EM ÁGUA

DISPOSITIVO DIGITAL UTILIZANDO ARDUÍNO COMO MEDIDOR DE ULTRA VIOLETA VISÍVEL PARA QUANTIFICAR Fe 3+ DISSOLVIDO EM ÁGUA DISPOSITIVO DIGITAL UTILIZANDO ARDUÍNO COMO MEDIDOR DE ULTRA VIOLETA VISÍVEL PARA QUANTIFICAR Fe 3+ DISSOLVIDO EM ÁGUA Vanessa F. Pinto¹, Flávia F. Stelzer², João Vitor M. Santos³, Bárbara M. dos Santos

Leia mais

As questões a seguir são do Concurso público para Tecnologista do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais

As questões a seguir são do Concurso público para Tecnologista do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais 1) (Concurso público para Perito Criminal da Polícia Federal 2002) A exposição a pesticidas tem levado a um incremento no número de casos de intoxicação que, muitas vezes, não são bem diagnosticados ou

Leia mais

CONTAMINAÇÃO DE DEPÓSITOS SEDIMENTARES QUATERNÁRIOS PELA EXPLORAÇÃO AURÍFERA HISTÓRICA NO SUDESTE DO QUADRILÁTERO FERRÍFERO, MINAS GERAIS

CONTAMINAÇÃO DE DEPÓSITOS SEDIMENTARES QUATERNÁRIOS PELA EXPLORAÇÃO AURÍFERA HISTÓRICA NO SUDESTE DO QUADRILÁTERO FERRÍFERO, MINAS GERAIS CONTAMINAÇÃO DE DEPÓSITOS SEDIMENTARES QUATERNÁRIOS PELA EXPLORAÇÃO AURÍFERA HISTÓRICA NO SUDESTE DO QUADRILÁTERO FERRÍFERO, MINAS GERAIS Adivane Terezinha Costa 1, Hermínio Arias Nalini Jr 1, Paulo de

Leia mais

ANÁLISE CLIMATOLÓGICA COMPARATIVA DAS ESTAÇÕES METEOROLÓGICAS DOS AEROPORTOS DE GUARULHOS E CONGONHAS. Edson Cabral

ANÁLISE CLIMATOLÓGICA COMPARATIVA DAS ESTAÇÕES METEOROLÓGICAS DOS AEROPORTOS DE GUARULHOS E CONGONHAS. Edson Cabral ANÁLISE CLIMATOLÓGICA COMPARATIVA DAS ESTAÇÕES METEOROLÓGICAS DOS AEROPORTOS DE GUARULHOS E CONGONHAS Edson Cabral Doutorando em Geografia Física - FFLCH/USP Mestre em Climatologia Urbana FFLCH/USP Observador

Leia mais

INCIDÊNCIA DE ESCHERICHIA COLI

INCIDÊNCIA DE ESCHERICHIA COLI INCIDÊNCIA DE ESCHERICHIA COLI E COLIFORMES TOTAIS EM FONTES DE ÁGUA DE UMA COMUNIDADE RURAL Sonáli Amaral de Lima 1; Maniza Sofia Monteiro Fernandes 2 ; Rodrigo Vieira Alves 3 ;Valéria Kelly Alves da

Leia mais

Química Analítica IV ERRO E TRATAMENTO DE DADOS ANALÍTICOS

Química Analítica IV ERRO E TRATAMENTO DE DADOS ANALÍTICOS Química Analítica IV 1 semestre 2012 Profa. Maria Auxiliadora Costa Matos ERRO E TRATAMENTO DE DADOS ANALÍTICOS Todas as medidas físicas possuem um certo grau de incerteza. Quando se faz uma medida, procura-se

Leia mais

Produção de Vídeos Didáticos: Tábua de Galton

Produção de Vídeos Didáticos: Tábua de Galton UNICAMP - Universidade Estadual de Campinas; IFGW Instituto de Física Gleb Watagin; Relatório Final de F 809, Instrumentação para ensino: Produção de Vídeos Didáticos: Tábua de Galton André de Ávila Acquaviva,

Leia mais

CESTA BÁSICA do Município de Catalão-GO

CESTA BÁSICA do Município de Catalão-GO BOLETIM Novembro 2015 CESTA BÁSICA do Município de Catalão-GO Mês de Referência: 11/2015 Mês de Divulgação: 12/2015 Profa. Dra. Michelle da Silva Borges Karen Brina Borges de Deus; Luciene Maria Borges

Leia mais

AMOSTRAGEM: DIMENSIONAMENTO DE AMOSTRAS. SELEÇÃO DOS ELEMENTOS DE UMA AMOSTRA. ESTIMATIVA DA CARACTERÍSTICA TOTAL DA POPULAÇÃO INVESTIGADA

AMOSTRAGEM: DIMENSIONAMENTO DE AMOSTRAS. SELEÇÃO DOS ELEMENTOS DE UMA AMOSTRA. ESTIMATIVA DA CARACTERÍSTICA TOTAL DA POPULAÇÃO INVESTIGADA AMOSTRAGEM: DIMENSIONAMENTO DE AMOSTRAS. SELEÇÃO DOS ELEMENTOS DE UMA AMOSTRA. ESTIMATIVA DA CARACTERÍSTICA TOTAL DA POPULAÇÃO INVESTIGADA META Dimensionar o tamanho ideal de amostra para cada população.

Leia mais