CÓPIA. Coordenação-Geral de Tributação. Relatório. Solução de Consulta Interna nº 19 - Cosit Data 1 de agosto de 2014 Origem DRF ARARAQUARA/SP

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CÓPIA. Coordenação-Geral de Tributação. Relatório. Solução de Consulta Interna nº 19 - Cosit Data 1 de agosto de 2014 Origem DRF ARARAQUARA/SP"

Transcrição

1 Fl. 39 Cosit Fls. 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta Interna nº 19 - Cosit Data 1 de agosto de 2014 Origem DRF ARARAQUARA/SP ASSUNTO: IMPOSTO SOBRE PRODUTOS INDUSTRIALIZADOS - IPI INDUSTRIALIZAÇÃO. MONTAGEM. GERADOR. USINA. A operação de montagem de um gerador executada pelo adquirente do bem (no caso, usina hidrelétrica), que recebeu do fabricante o gerador em partes e peças e realizada sob supervisão do fabricante do gerador, mediante cobrança de valor específico, constitui uma industrialização (montagem) nos termos do inciso III do art. 4º e não se encontra nas exclusões previstas no inciso VIII, alíneas b ou c do art. 5º do Ripi/2010. Na remessa ao adquirente do gerador em partes e peças, o fato gerador do IPI (inciso II do art. 35 do Ripi/2010) ocorre na saída das partes e peças do estabelecimento fabricante, incluído no valor tributável a importância cobrada a título de supervisão de montagem conforme disposto no art. 190, inciso II e 1º do Ripi/2010. Neste caso, ex vi do inciso VIII do art. 43 do Ripi/2010, a saída das partes e peças do estabelecimento fabricante não poderá ocorrer com suspensão do IPI, tendo em vista que a montagem do gerador, na usina, não é feita pelo vendedor (fabricante). DISPOSITIVOS LEGAIS: Decreto nº 7.212, de 2010 Ripi/2010, art.4º, inciso III, art.5º, inciso VIII e IX, art. 35, inciso II, art. 43, inciso VIII, art. 190, inciso II e 1º; PN CST nº 9/71, nº 526/71, item 3, nº 34/73, nº 81/77. (e-processo nº / ) Relatório A DRF/Araraquara SP formula consulta interna a esta Disit/SRRF- 8ª RF, com base na Ordem de Serviço SRRF08 nº 08, de 13 de novembro de 2012, que disciplina sobre o encaminhamento de consultas internas e pedidos de orientação relativos a questionamentos sobre a interpretação da legislação de matéria tributária de competência da RFB, no âmbito da 8ª RF. 2. Informa que, em virtude de pedido administrativo de ressarcimento de crédito tributário de IPI formulado por empresa cujo CNAE constante no cadastro da RFB é " Fabricação de motores e turbinas, peças e acessórios, exceto para aviões e veículos rodoviários'' e cujo contrato social no art. 2º diz que a companhia tem por objeto social a elaboração de projetos 1

2 Fl. 40 de engenharia, a fabricação, o fornecimento e a armazenagem de equipamentos e sistemas, bem como a execução de serviços de montagem de equipamentos destinados à geração de energia hidroelétrica além de fornecer serviços de consultoria, gerenciamento, administração e locação, e a comercialização de produtos relativos à sua área de atuação inclusive por representação, importação e exportação", está procedendo a auditoria fiscal na referida empresa. 3. Diz que o processo industrial segundo a fiscalizada é o descrito a seguir: a) os insumos são industrializados pela FISCALIZADA em concordância com o projeto de engenharia e condições técnicas de potência nominal acordadas e contratadas por seus clientes. Ainda, tais industrializações ocorrem no estabelecimento industrial da FISCALIZADA; b) no curso do processo de fabricação, ocorre a montagem de partes e peças das turbinas e geradores inclusive com interatividade com o laboratório para fins de verificar inconformidades no processo de fabricação. A montagem de partes e peças das turbinas e geradores ocorre dentro do estabelecimento da FISCALIZADA; c) as partes e peças das turbinas e geradores, mencionadas no parágrafo anterior, após o aval dado pelos engenheiros e técnicos da FISCALIZADA, são desmontadas para transporte e remetidas até o canteiro de obras da usina hidrelétrica onde estas partes e peças de turbinas e geradores são novamente montadas por engenheiros e técnicos da FISCALIZADA; d) no canteiro de obras da usina hidrelétrica, a montagem das turbinas e geradores envolve obras de construção civil visando a fixação das máquinas, turbinas e geradores, e sua acomodação na casa de máquinas situada na estrutura da barragem. Envolve, também, a conexão dos componentes e tubos de sucção das máquinas à vazão do rio. Conforme a resposta apresentada, a montagem das turbinas e geradores, com o envolvimento de obras de construção civil, não é realizado pela FISCALIZADA. Dois são os motivos: este tipo de montagem (envolvendo obras de construção civil) não é objeto de seu estatuto social e expressa determinação contratual entre as partes; e) embora não realize a montagem das turbinas e geradores na barragem da usina hidrelétrica, a FISCALIZADA presta serviços de supervisão da montagem das turbinas e geradores (supervisão esta prevista nos contratos apresentados). Tal supervisão, conforme mencionado, é efetuada por seus engenheiros, seus técnicos e por terceiros contratados pela FISCALIZADA visando garantir, em campo, que as turbinas e geradores alcancem a potência e performance projetada e contratada pelos clientes e f) para os serviços de supervisão da montagem das turbinas e geradores, a FISCALIZADA faz uso de sua habilidade e conhecimento da tecnologia em hidro geração, sendo que a montagem das citadas máquinas é efetuada em concordância com os manuais e desenhos técnicos de propriedade da fiscalizada. 4. Comenta, a DRF/Araraquara, que: 4.1 com relação à montagem de turbinas e geradores na barragem da usina hidrelétrica, é importante informar que foi apresentada uma relação contendo o nome de 39 (trinta e nove) funcionários da FISCALIZADA que estão alocados em canteiros de obras de diversas usinas 2

3 Fl. 41 hidrelétricas para as quais serão fornecidas turbinas e geradores ( grifos da DRF/Araraquara); 4.2 nos contratos firmados pela FISCALIZADA estão previstos: o projeto de engenharia para a construção das turbinas e geradores; sua fabricação; a montagem preliminar das partes e peças das turbinas e geradores em seu estabelecimento industrial; a remessa das partes e peças das turbinas e geradores para o canteiro de obras das usinas de geração hidrelétrica; a supervisão da montagem das turbinas e geradores em campo e, finalmente, os testes de comissionamento objetivando avaliar o funcionamento global e o desempenho dos equipamentos de modo a verificar se as máquinas estão em conformidade com o projeto contratado junto aos clientes ( grifos da DRF/Araraquara); 4.3 com relação ao parágrafo anterior, utilizou-se a expressão partes e peças de turbinas e geradores, visto que, conforme informação prestada pela própria FISCALIZADA, as turbinas e geradores são enormes e não podem ser montadas completamente em seu estabelecimento industrial. Referidas máquinas ficarão completamente montadas apenas na barragem da usina hidrelétrica (grifos da DRF/Araraquara). 5. Expõe que, ao analisar os arquivos digitais do IPI da Fiscalizada, verificou que as notas fiscais de saída emitidas indicavam a saída de partes e peças de turbinas e de partes e peças de geradores mas que a empresa, nessas notas fiscais, não utilizou os códigos fiscais relativos a partes e peças de turbinas e a partes e peças de geradores, mas, sim, indicou como códigos fiscais NCM os relativos a turbinas e geradores, respectivamente e , e para os quais as alíquotas do IPI estão reduzidas a zero; que entre esses documentos não havia qualquer nota fiscal de montagem, sendo identificadas, apenas, notas fiscais de supervisão de montagem e que também neles não havia qualquer informação que indicasse que a Fiscalizada tivesse optado por operações de venda para entrega futura (tais como, menção ao art. 333, inciso VII, 3º, incisos I a III do Ripi/2002 atualmente art. 407, inciso VII, 3º, incisos I a III, no campo Dados Adicionais da Nota Fiscal); que intimou a fiscalizada a esclarecer se possuía notas fiscais que estivessem vinculadas à montagem de gerador na barragem da usina hidroelétrica; ou vinculada à venda de geradores para entrega futura ou que atendessem o disposto no art. 335 do Ripi/2002 (art. 409 do Ripi/2010), quanto a execução de operações fora do estabelecimento e que a empresa respondeu que não emitiu nenhuma das notas fiscais mencionadas. 6. Avalia, da auditoria efetuada, que: 6.1 a remessa de partes e peças de turbinas e partes e peças de geradores é condizente com a resposta da FISCALIZADA e informada no item 1.3 dessa consulta (no curso do processo de fabricação, ocorre a montagem de partes das turbinas e geradores inclusive com interatividade com o laboratório para fins de verificar inconformidades no processo de fabricação. A montagem de partes das turbinas e geradores ocorre dentro do estabelecimento da fiscalizada e, após o aval dado pelos engenheiros e técnicos da fiscalizada, são desmontados para transporte e remetidos até o canteiro de obras da usina hidrelétrica onde estas partes de turbinas e geradores são novamente montadas por engenheiros e técnicos da fiscalizada) ; (grifos da DRF/Araraquara) 6.2 a operação de montagem dos geradores na barragem da usina hidrelétrica é considerada uma operação de industrialização nos termos do 4, inciso III, do RIPI/2002 e do RIPI/2010 e que o código fiscal utilizado nos documentos fiscais que documentou as saídas das partes e peças das turbinas e das partes e peças dos geradores foi incorreto o que acarretou uma incidência do IPI também incorreta (transcreve a Regra 2 a das Regras Gerais para Interpretação do Sistema Harmonizado e a as Notas da Seção XVI das Regras Gerais para Interpretação do Sistema Harmonizado, aprovadas pela IN SRF nº 157/2002 -, para demonstrar a correta classificação). 3

4 Fl com relação as partes e peças de turbinas, o código fiscal NCM correto seria , porém, tendo em vista que a ele corresponde uma alíquota de IPI reduzida a zero, não teria ocorrido prejuízo na tributação uma vez que ao código fiscal adotado pela fiscalizada ( ) também corresponde uma alíquota do IPI reduzida a zero. 6.4 com relação as partes e peças dos geradores, o código fiscal NCM correto seria "Outras" pertencente ao grupo "Partes reconhecíveis como exclusiva ou principalmente destinadas às máquinas das posições ou 85.02", cuja a alíquota de IPI é de 10% (dez por cento) e não o adotado pela fiscalizada ( ) cuja alíquota do IPI está reduzida a zero. Logo, o problema mencionado no início deste item é proveniente do fato de que, nas notas fiscais de saída de partes e peças de geradores, enviados ao canteiro de obras das usinas hidrelétricas, a FISCALIZADA utilizou a alíquota de 0% (zero por cento) quando deveria ter sido utilizada a alíquota de 10% (dez por cento ) (grifos da DRF/Araraquara). 6.5 relativamente ao gerador, a fiscalizada alega que a montagem dele na barragem da usina hidrelétrica não é considerada uma operação industrial, pois enquadra-se no art. 5º, inciso VIII, alíneas b ou c do Ripi/2002 (Decreto nº 4.544, de 2002) - atualmente correspondente ao art. 5º, inciso VIII, alíneas b ou c do Ripi/2010 (Decreto nº 7.212, de 2010) -, o qual dispõe que não é considerada industrialização a operação efetuada fora do estabelecimento industrial, consistente na reunião de produtos, peças ou partes e de que resulte instalação de oleodutos, usinas hidrelétricas, torres de refrigeração, estações e centrais telefônicas ou outros sistemas de telecomunicação e telefonia, estações, usinas e redes de distribuição de energia elétrica e semelhantes (art. 5º, inciso VIII, alínea b ) ; ou a fixação de unidades ou complexos industriais ao solo (art. 5º, inciso VIII, alínea c ). 7. A DRF/Araraquara entende, com relação ao subitem 6.5 acima, que ainda que a alegação da Fiscalizada fosse correta as partes e peças utilizadas nessas operações (no caso, partes e peças de geradores) deveriam ser tributadas nos termos do art. 5, parágrafo único do RIPI/2002 e do RIPI/2010 (grifos da DRF/Araraquara). 8. Diante do exposto e alegando que a solução a ser dada é pela necessidade do destaque de IPI, à alíquota de 10% (dez por cento), nas notas fiscais de venda das partes e peças de geradores enviadas do estabelecimento industrial da FISCALIZADA e/ou da repartição que promoveu o desembaraço aduaneiro ao canteiro de obras da usina hidrelétrica, formula as seguintes perguntas, in verbis : a) a montagem de um gerador na barragem de uma usina hidrelétrica, envolvendo obras de construção civil, NÃO É considerada uma operação de industrialização nos termos do art. 5, inciso VIII, alíneas "b" ou "c", do RIPI/2002 e do RIPI/2010? b) caso a montagem de um gerador na barragem de uma usina hidrelétrica NÃO SEJA considerada uma operação de industrialização, então, nos termos do art. 5, parágrafo único, do RIPI/2002 e do RIPI/2010, é devido o IPI sobre as partes e peças do gerador remetidas pela FISCALIZADA para a execução da referida montagem efetuada por terceiros? c) caso a montagem de um gerador na barragem de uma usina hidrelétrica SEJA considerada uma operação de industrialização e considerando as informações prestadas nos itens 1.3 e 1.4 desta consulta, a FISCALIZADA pode dar saída das partes e peças do gerador, de seu estabelecimento industrial e/ou da repartição que promoveu o desembaraço 4

5 Fl. 43 Fundamentos aduaneiro, com suspensão de IPI, nos termos do art. 42, inciso VIII, do RIPI/2002 e do art. 43, inciso VIII, do RIPI/2010? 9. Inicialmente, observe-se que a situação apresentada pela DRF/Araraquara permite interpretações diversas, uma vez que não houve clareza e precisão na exposição dos fatos, não sendo possível visualizar os limites do pleito sob análise (por exemplo, não foi esclarecido quem adquiriu o gerador; se este foi vendido para a usina hidrelétrica ou se para terceiro; em sua exposição ora dá a entender que se trata de venda de um gerador completo, o qual, pelo seu porte, é fabricado em partes e peças, sendo assim remetido pelo fabricante até a usina; ora dá a entender que se trata de fabricante de partes e peças de gerador, sendo a venda relativa apenas a partes e peças; não esclarece por quem será efetuada a execução da montagem do gerador na usina: pelo adquirente ou pelo fabricante bem como se o gerador (ou suas partes e peças) é retirado da fábrica pelo adquirente ou se a entrega é efetuada pelo vendedor; no caso de se tratar de venda de gerador e de entrega do mesmo pelo vendedor na usina, não esclarece se o vendedor (fabricante) contrata um executor de montagem industrial para que, sob sua supervisão, seja montado o bem na usina ou se, ao invés disso, o adquirente do gerador (usina ou terceiro) será aquele que efetuará a montagem, sob supervisão do fabricante do bem; etc). 10. Assim, com o objetivo de fornecer orientação sobre a interpretação da legislação tributária, e tendo em vista as questões da interessada, transcritas no item 8 acima, a manifestação será realizada em tese, sobre o conceito de montagem de que trata o art. 4º, inciso III, do Decreto nº 7.212, de 15 de junho de 2010 (Ripi/2010) e as exclusões desse conceito das operações de que trata o inciso VII e inciso IX do art. 5º do mesmo Ripi/2010, diante da seguinte operação também configurada em tese: usina adquire gerador do estabelecimento fabricante, o qual será industrializado seguindo as especificações do adquirente (usina hidrelétrica). O gerador, dado o seu porte, é industrializado no estabelecimento fabricante em partes e peças, para ser montado fora do estabelecimento industrial, no local da obra. Esse gerador, portanto, não sai do estabelecimento fabricante pronto e acabado, mas, sim, em partes e peças para ser montado no estabelecimento do adquirente (usina). Essas partes e peças fabricadas, a serem remetidas à usina, são desmontadas no estabelecimento fabricante e remontadas na usina pelo próprio fabricante/remetente. A execução da montagem do bem, na usina, é realizada pelo adquirente do bem (usina), com a supervisão do fabricante do gerador, mediante cobrança de valor específico. A supervisão, efetuada por técnicos do fabricante durante a montagem do gerador, consiste no acompanhamento da colocação de soldas, vedações, etc, da sua fixação, da sua acomodação na casa de máquinas, de obras de construção civil, bem como da conexão dos componentes e tubos de sucção das máquinas à vazão do rio. 11. O inciso III do art. 4º do Decreto nº 7.212, de 15 de junho de 2010 Ripi/2010, dispõe que montagem é a operação que consiste na reunião de produtos, peças ou partes e de que resulte um novo produto ou unidade autônoma, ainda que sob a mesma classificação fiscal. Desta regra se excluem as operações de montagem previstas nos incisos VIII e IX do art. 5º do mesmo Ripi/2010: Art. 4º Caracteriza industrialização qualquer operação que modifique a natureza, o funcionamento, o acabamento, a apresentação ou a finalidade do produto, ou o aperfeiçoe para consumo, tal como (Lei nº 5.172, de 1966, art. 46, parágrafo único, e Lei nº 4.502, de 1964, art. 3º, parágrafo único):... 5

6 Fl. 44 III - a que consista na reunião de produtos, peças ou partes e de que resulte um novo produto ou unidade autônoma, ainda que sob a mesma classificação fiscal (montagem);... (negritou-se) Art. 5º Não se considera industrialização :... VIII - a operação efetuada fora do estabelecimento industrial, consistente na reunião de produtos, peças ou partes e de que resulte: a) edificação (casas, edifícios, pontes, hangares, galpões e semelhantes, e suas coberturas); b) instalação de oleodutos, usinas hidrelétricas, torres de refrigeração, estações e centrais telefônicas ou outros sistemas de telecomunicação e telefonia, estações, usinas e redes de distribuição de energia elétrica e semelhantes; ou c) fixação de unidades ou complexos industriais ao solo; IX a montagem de óculos, mediante receita médica (Lei nº 4.502, de 1964, art. 3º, parágrafo único, inciso III, e Decreto-lei nº 1.199, de 1971, art. 5º, alteração 2ª)... Parágrafo único. O disposto no inciso VIII não exclui a incidência do imposto sobre os produtos, partes ou peças utilizados nas operações nele referidas. 12. O Parecer CST/DET nº 1445, de 11 de julho de 1984, ao analisar a definição de montagem constante do inciso III do art.4º do Ripi/2010 (à época, inciso III do art. 3º do Ripi/82), orientou que : (...) 4. Inicialmente, na procura do esclarecimento desejado, há que se tentar fixar uma definição para um novo produto ou unidade autônoma, como resultados de operações de montagem. 4.1 O entendimento do que seja um novo produto, como na própria expressão, parece-nos dispensar qualquer adjetivação por ser suficientemente claro o seu real sentido. 4.2 No item 7 do PARECER NORMATIVO CST nº 526/71, encontra-se expresso que:... a unidade autônoma para que se caracterize como tal, terá que ter classificação fiscal própria, ainda que seja a mesma das peças e partes que a compõem. E isto quer dizer mais precisamente que a unidade produzida na montagem será autônoma na medida em que tiver características próprias, podendo ser identificada e/ou funcionar independentemente de sua apresentação com qualquer outro produto. 5. Desta linha de raciocínio infere-se, sem dúvida, que não caracteriza uma operação de montagem a simples colocação do produto acabado no local de sua utilização, ou colocação à disposição do seu adquirente sem a realização de quaisquer outras atividades que não sejam as providências necessárias ao seu posicionamento para uso. 6

7 Fl De modo contrário, será uma operação de montagem a reunião de produtos, peças ou partes, no estabelecimento industrial ou fora dele, com ou sem a utilização de outros produtos, desde que da ação produzida resulte um novo produto ou unidade autônoma, ainda que sob a mesma classificação fiscal das peças e partes que a compõem. (...). 13. Ou seja, o mencionado Parecer CST/DET orientou que constituí operação de montagem, para efeitos de incidência do IPI, a reunião de produtos, peças ou partes, no estabelecimento industrial ou fora dele, com ou sem a utilização de outros produtos, desde que da ação produzida resulte um novo produto ou unidade autônoma, ainda que sob a mesma classificação fiscal das partes e peças que a compõe. Desta regra excluem-se as operações de montagem previstas nos incisos VIII e IX do art. 5º do Ripi/ Ressalte-se que com relação as exclusões das operações previstas no inciso VIII e inciso IX do art. 5º do Ripi/2010, valem as orientações dos PN CST nº 9/71, nº 526/71, item 3, nº 34/73, nº 81/77, salientando-se que o item 12 do PN CST nº 9/71, esclareceu o alcance das disposições do parágrafo único do art. 5º. 14. Assim, na hipótese configurada no item 11 acima, a operação de montagem do gerador realizada na usina, pelo adquirente do bem, constitui uma industrialização, tendo em vista que da reunião das partes e peças do gerador recebidas, no local da obra, resulta uma unidade autônoma (item 5.1 do Parecer CST/DET nº 1445, de 1984, acima transcrito) e a operação não se encontra nas exclusões previstas no inciso VIII ou IX do art. 5º do Ripi/2010 (por não se tratar de edificações e instalações citadas na norma regulamentar bem como de simples fixação de unidades ou complexos industriais ao solo, ou de montagem de óculos) Observe-se que a operação de montagem do gerador executada pelo adquirente, na usina, não se confunde com a operação de remontagem das partes e peças do gerador realizada pelo próprio fabricante (remetente do gerador em partes e peças), na usina. Essa remontagem das partes e peças não se caracteriza como uma operação de montagem nos termos do Ripi/2010, uma vez que dela não resulta qualquer outra unidade autônoma (item 5 do Parecer CST/DET nº 1445, de 1984, acima transcrito). Ou seja, da remontagem das partes e peças, que foram assim remetidas, pelo fabricante do gerador, para fins de transporte, não resulta uma unidade autônoma, mas, sim, as mesmas partes e peças que serão, posteriormente, reunidas, pelo adquirente, para obter o gerador (unidade autônoma). 15. A operacionalidade das obrigações no caso configurado, face à legislação do IPI, pode ser indicada da seguinte forma (Parecer CST nº 1455, de 1984 e Parecer CST nº 1598, de 1984): 15.1 se o fabricante do gerador for contratado pelo adquirente (usina) para fabricar o gerador, montá-lo na usina e supervisionar a montagem, ou seja, tudo por conta do fabricante do bem, o fato gerador do IPI ocorrerá na saída das partes e peças do gerador do estabelecimento fabricante (remessa do gerador em partes e peças), uma vez que o fato gerador do imposto é o momento da saída do bem (inciso II do art. 35 do Ripi/2010). Neste caso, a saída das partes e peças do estabelecimento fabricante poderá ocorrer com suspensão do IPI (inciso VIII do art. 43 do Ripi/2010), e o fato gerador do tributo passará a existir na forma do disposto no inciso VII do art. 36 do Ripi/2010 (no momento em que ficar concluída a operação industrial, quando a industrialização se der no próprio local de consumo ou de utilização do produto, fora do estabelecimento industrial), com valor tributável pelo total cobrado. 7

8 Fl. 46 Art. 43. Poderão sair com suspensão do imposto:... VIII as matérias-primas ou os produtos intermediários remetidos por estabelecimento industrial, para emprego em operação industrial realizada fora desse estabelecimento, quando o executor da industrialização for o próprio contribuinte remetente daqueles insumos;... (negritou-se) 15.2 se o fabricante do gerador for contratado pelo adquirente (usina) somente para a fabricação e a supervisão da montagem (a montagem é executada pelo adquirente, na usina), o fato gerador do IPI (inciso II do art. 35 do Ripi/2010) ocorre na saída das partes e peças do gerador do estabelecimento fabricante, incluído no valor tributável a importância cobrada a título de supervisão de montagem, de acordo com o disposto no art. 190, inciso II e 1º, do Ripi/2010. Neste caso, ex vi do inciso VIII do art. 43 do Ripi/2010, a saída das partes e peças do estabelecimento fabricante não poderá ocorrer com suspensão do IPI, tendo em vista que a montagem do gerador, na usina, não é feita pelo vendedor (fabricante). 16. Por fim, esclareça-se que havendo dúvidas sobre a classificação fiscal dos produtos, estas devem ser encaminhadas à Divisão de Controle Aduaneiro (Diana) desta SRRF-8ª RF a quem compete solucionar indagações relativas à classificação fiscal de mercadorias. Conclusão 17. Diante do exposto e com base nos atos citados, proponho que, relativamente a interpretação do conceito de montagem de que trata o art. 4º, inciso III, Ripi/2010 correlacionada à hipótese configurada no item 11 acima, seja declarado que a operação de montagem de um gerador executada pelo adquirente do bem (no caso, usina hidrelétrica), que recebeu do fabricante o gerador em partes e peças e realizada sob supervisão do fabricante do gerador, mediante cobrança de valor específico, constitui uma industrialização (montagem) nos termos do inciso III do art. 4º e não se encontra nas exclusões previstas no inciso VIII, alíneas b ou c do art. 5º do Ripi/2010. Na remessa ao adquirente do gerador em partes e peças, o fato gerador do IPI (inciso II do art. 35 do Ripi/2010) ocorre na saída das partes e peças do estabelecimento fabricante, incluído no valor tributável a importância cobrada a título de supervisão de montagem. Neste caso, ex vi do inciso VIII do art. 43 do Ripi/2010, a saída das partes e peças do estabelecimento fabricante não poderá ocorrer com suspensão do IPI, tendo em vista que a montagem do gerador, na usina, não é feita pelo vendedor (fabricante). Divulgue-se na Internet e no Decisoes-w da RFB. 1 (assinado digitalmente) FERNANDO MOMBELLI AFRFB - Coordenador-Geral da Cosit 1 SCI minutada por RITA LIA MARIA ROCCHICCIOLI, Auditor-Fiscal da RFB/Disit08 e EDUARDO NEWMAN DE MATTERA GOMES, Chefe/Disit08, com revisão de SERGIO ALVARENGA DE ANDRADE GOMES, Auditor-Fiscal da RFB/Disit06, e MARIO HERMES SOARES CAMPOS, Chefe/Disit06. Analisado por MARCOS VINÍCIOS C. L. TAPAJÓS, Documento assinado Auditor-Fiscal digitalmente da conforme RFB/Ditip/Cotex/Cosit, MP nº de com 24/08/2001 revisão de JOÃO HAMILTON RECH Coordenador da Cotex. 8

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 2 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 30 - Data 29 de janeiro de 2014 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: IMPOSTO SOBRE PRODUTOS INDUSTRIALIZADOS - IPI IMPORTAÇÃO POR CONTA

Leia mais

CÓPIA. Coordenação Geral de Tributação SP SÃO PAULO SRRF08. Solução de Consulta nº 37 Cosit Data 29 de novembro de 2013 Processo Interessado CNPJ/CPF

CÓPIA. Coordenação Geral de Tributação SP SÃO PAULO SRRF08. Solução de Consulta nº 37 Cosit Data 29 de novembro de 2013 Processo Interessado CNPJ/CPF Fl. 40 Fls. 1 0 Coordenação Geral de Tributação Solução de Consulta nº 37 Data 29 de novembro de 2013 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: IMPOSTO SOBRE PRODUTOS INDUSTRIALIZADOS IPI ISENÇÃO. ZONA FRANCA

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Divergência nº 12 - Data 28 de agosto de 2014 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: IMPOSTO SOBRE PRODUTOS INDUSTRIALIZADOS - IPI SETOR AUTOMOTIVO. SUSPENSÃO.

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 2 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 235 - Data 1 de setembro de 2014 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: IMPOSTO SOBRE PRODUTOS INDUSTRIALIZADOS - IPI EMPRESAS HABILITADAS

Leia mais

Data 23 de março de 2015 Processo Interessado CNPJ/CPF

Data 23 de março de 2015 Processo Interessado CNPJ/CPF 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 76 - Cosit Data 23 de março de 2015 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: CONTRIBUIÇÃO PARA O FINANCIAMENTO DA SEGURIDADE SOCIAL - COFINS PARTES

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 2 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 17 - Data 16 de janeiro de 2014 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: IMPOSTO SOBRE PRODUTOS INDUSTRIALIZADOS - IPI INDUSTRIALIZAÇÃO. CORTE

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Divergência nº 4 - Data 28 de abril de 2014 Processo Interessado CNPJ/CPF SIMPLES NACIONAL. IMPORTADORA. ANEXO II. A receita de venda de mercadoria importada

Leia mais

TRIBUTÁRIO. IPI. FABRICAÇÃO DE ELEVADORES. INDUSTRIALIZAÇÃO. ATIVIDADE DENTRO DO CAMPO DE INCIDÊNCIA DO IPI.

TRIBUTÁRIO. IPI. FABRICAÇÃO DE ELEVADORES. INDUSTRIALIZAÇÃO. ATIVIDADE DENTRO DO CAMPO DE INCIDÊNCIA DO IPI. APELAÇÃO/REEXAME NECESSÁRIO Nº 2002.71.00.010443-8/RS RELATOR : Des. Federal ÁLVARO EDUARDO JUNQUEIRA APELANTE APELADO REMETENTE EMENTA : UNIÃO FEDERAL (FAZENDA NACIONAL) : Procuradoria-Regional da Fazenda

Leia mais

Imposto sobre Produtos Industrializados - IPI

Imposto sobre Produtos Industrializados - IPI Imposto sobre Produtos Industrializados - IPI BASE CONSTITUCIONAL E LEGAL Artigo 153, Inciso IV, da Constituição Federal. Decreto 4.544 de 26/12/2002: Regulamento do IPI vigência a partir de 27/12/2002.

Leia mais

( RIPI/2010, art. 43, VII, art. 190, II, art. 191 e art. 497, e RICMS-SP/2000 - Decreto nº 45.490/2000 )

( RIPI/2010, art. 43, VII, art. 190, II, art. 191 e art. 497, e RICMS-SP/2000 - Decreto nº 45.490/2000 ) ICMS/SP - Industrialização - Operações triangulares de industrialização 20 de Agosto de 2010 Em face da publicação do novo Regulamento do IPI, aprovado pelo Decreto nº 7.212/2010, este procedimento foi

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fl. 12 Fls. 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta Interna nº 20 - Data 25 de agosto de 2014 Origem COORDENAÇÃO-GERAL DE ADMINISTRAÇÃO ADUANEIRA (COANA) ASSUNTO: NORMAS DE ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação LABORATÓRIOS BAGÓ DO BRASIL S/A CNPJ/CPF 04.748.181/0001-90

Coordenação-Geral de Tributação LABORATÓRIOS BAGÓ DO BRASIL S/A CNPJ/CPF 04.748.181/0001-90 Fl. 96 Fls. 2 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 15 - Data 13 de janeiro de 2014 Processo 18470.727814/2013-47 Interessado LABORATÓRIOS BAGÓ DO BRASIL S/A CNPJ/CPF 04.748.181/0001-90

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 2 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 255 - Data 15 de setembro de 2014 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: SIMPLES NACIONAL CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA SUBSTITUTIVA. EMPRESAS

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 308 - Data 24 de outubro de 2014 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: CONTRIBUIÇÃO PARA O FINANCIAMENTO DA SEGURIDADE SOCIAL - COFINS COFINS.

Leia mais

PIS/ COFINS EM NOTÍCIAS

PIS/ COFINS EM NOTÍCIAS PIS/ COFINS EM NOTÍCIAS I NOVAS SOLUÇÕES DE CONSULTAS.... 2 A) CORRETORAS DE SEGURO ESTÃO SUJEITAS AO REGIME CUMULATIVO DE PIS/COFINS.... 2 B) ICMS SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA NÃO GERA CRÉDITO DE PIS/COFINS...

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 10 9 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 334 - Data 4 de dezembro de 2014 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: CONTRIBUIÇÕES SOCIAIS PREVIDENCIÁRIAS CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 219 - Data 6 de agosto de 2014 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: CONTRIBUIÇÃO PARA O PIS/PASEP NÃO CUMULATIVIDADE. CRÉDITOS. VALE- ALIMENTAÇÃO

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 16 - Data 24 de outubro de 2013 Processo Interessado CNPJ/CPF Assunto: Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social - Cofins Ementa:

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fl. 23 Fls. 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta Interna nº 10 - Data 5 de junho de 2014 Origem DELEGACIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL EM PRESIDENTE PRUDENTE (DRF/PPE) ASSUNTO: IMPOSTO

Leia mais

Data 27 de abril de 2015 Processo Interessado CNPJ/CPF

Data 27 de abril de 2015 Processo Interessado CNPJ/CPF 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 106 - Cosit Data 27 de abril de 2015 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: CONTRIBUIÇÃO PARA O FINANCIAMENTO DA SEGURIDADE SOCIAL - COFINS FARDAMENTO

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 125 - Data 28 de maio de 2014 Processo Interessado CNPJ/CPF Assunto: Imposto sobre a Renda Retido na Fonte IRRF REMESSA AO EXTERIOR. ASSINATURA

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 2 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Divergência nº 35 - Data 29 de novembro de 2013 Processo Interessado CNPJ/CPF SERVIÇOS DE INSTALAÇÃO, MANUTENÇÃO E REPARAÇÃO ELÉTRICA. TRIBUTAÇÃO. ANEXO

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL Superintendência Regional da Receita Federal do Brasil da 3ª RF

MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL Superintendência Regional da Receita Federal do Brasil da 3ª RF MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL Superintendência Regional da Receita Federal do Brasil da 3ª RF Solução de Consulta Interna nº: 7 SRRF03/Disit Data: 06 de outubro de 2011

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 2 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 77 - Data 28 de março de 2014 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: CONTRIBUIÇÕES SOCIAIS PREVIDENCIÁRIAS PLANO DE SAÚDE DISPONIBILIZADO

Leia mais

Boletimj. Manual de Procedimentos. ICMS - IPI e Outros. Paraná. Federal. Estadual. IOB Setorial. IOB Comenta. IOB Perguntas e Respostas

Boletimj. Manual de Procedimentos. ICMS - IPI e Outros. Paraná. Federal. Estadual. IOB Setorial. IOB Comenta. IOB Perguntas e Respostas Boletimj Manual de Procedimentos Fascículo N o 50/2013 Paraná // Federal IPI Construção civil - Edificação - Exclusão do conceito de industrialização.... 01 // Estadual ICMS Leilão.... 02 // IOB Setorial

Leia mais

Exportação Direta x Exportação Indireta

Exportação Direta x Exportação Indireta Exportação Direta x Exportação Indireta Por JOSÉ ELIAS ASBEG Auditor Fiscal da Receita Federal do Brasil Na exportação direta o próprio fabricante, produtor ou revendedor remete (geralmente vende) a mercadoria

Leia mais

ICMS/SP - Mudança de endereço - Aspectos fiscais

ICMS/SP - Mudança de endereço - Aspectos fiscais ICMS/SP - Mudança de endereço - Aspectos fiscais Sumário 1. Introdução... 2 2. Considerações quanto ao IPI... 3 3. Considerações quanto ao ICMS... 4 3.1 Mudança de endereço no mesmo município... 4 3.2

Leia mais

Boletimj. Manual de Procedimentos. ICMS - IPI e Outros. Alagoas. Federal. Estadual. IOB Setorial. IOB Comenta. IOB Perguntas e Respostas

Boletimj. Manual de Procedimentos. ICMS - IPI e Outros. Alagoas. Federal. Estadual. IOB Setorial. IOB Comenta. IOB Perguntas e Respostas Boletimj Manual de Procedimentos Fascículo N o 50/2013 Alagoas Federal IPI Construção civil - Edificação - Exclusão do conceito de industrialização.... 01 Estadual ICMS Leilão de mercadorias apreendidas

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação. Art. 111. Interpreta-se literalmente a legislação tributária que disponha sobre:

Coordenação-Geral de Tributação. Art. 111. Interpreta-se literalmente a legislação tributária que disponha sobre: Fl. 27 Fls. 16 15 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta Interna nº 18 - Data 30 de julho de 2014 Origem DRF/DIVINOPÓLIS Assunto: Processo Administrativo Fiscal Ementa: Com base no art. 39

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 1 0 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 247 - Data 12 de setembro de 2014 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: CONTRIBUIÇÃO DE INTERVENÇÃO NO DOMÍNIO ECONÔMICO - CIDE MONTAGEM

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 24 23 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 228 - Data 21 de agosto de 2014 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: CONTRIBUIÇÕES SOCIAIS PREVIDENCIÁRIAS CPRB. CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA

Leia mais

Sim. O fato de operações caracterizadas como industrialização, pela legislação do IPI, se

Sim. O fato de operações caracterizadas como industrialização, pela legislação do IPI, se 001 Estão sujeitos ao IPI os produtos resultantes de operações caracterizadas como industrialização, quando essas são também consideradas serviços sujeitos ao ISS, relacionados na lista anexa à Lei Complementar

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 1 0 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 114 - Data 22 de abril de 2014 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: CONTRIBUIÇÃO PARA O PIS/PASEP PRESTAÇÃO DE SERVIÇO. REGIME DE COMPETÊNCIA.

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 1 0 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 138 - Data 2 de junho de 2014 Processo Interessado CNPJ/CPF Assunto: Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico CIDE. BANCOS DE DADOS.

Leia mais

Parecer Normativo nº 1 de 29 de julho de 2011. DOU de 9.8.2011

Parecer Normativo nº 1 de 29 de julho de 2011. DOU de 9.8.2011 Parecer Normativo nº 1 de 29 de julho de 2011 DOU de 9.8.2011 As diferenças no cálculo da depreciação de bens do ativo imobilizado decorrentes do disposto no 3º do art. 183 da Lei nº 6.404, de 1976, com

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 14 13 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 296 - Data 14 de outubro de 2014 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: IMPOSTO SOBRE A RENDA DE PESSOA FÍSICA - IRPF DESPESA MÉDICA. DEDUÇÃO.

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 59 58 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 19 - Data 4 de novembro de 2013 Processo Interessado CNPJ/CPF Assunto: IMPOSTO SOBRE A RENDA DE PESSOA FÍSICA Ementa: CONDIÇÃO DE RESIDENTE

Leia mais

ICMS/SP - Principais operações - Venda à ordem

ICMS/SP - Principais operações - Venda à ordem ICMS/SP - Principais operações - Venda à ordem Sumário 1. Introdução... 2 2. Operações de venda à ordem - emissão de documentos fiscais... 3 2.1 Procedimentos adotados pelo vendedor remetente (fornecedor)...

Leia mais

PIS/ COFINS EM NOTÍCIAS

PIS/ COFINS EM NOTÍCIAS PIS/ COFINS EM NOTÍCIAS I NOVAS SOLUÇÕES DE CONSULTAS.... 2 A) SOMENTE O FRETE CONTRATADO PARA TRANSPORTE DE INSUMOS E MARCADORIAS PARA REVENDA QUANDO SUPORTADO PELO COMPRADOR GERA DIREITO AO CRÉDITO DE

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 1 0 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 54 - Data 20 de fevereiro de 2014 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: NORMAS GERAIS DE DIREITO TRIBUTÁRIO INDÚSTRIA DE CONFECÇÕES COM

Leia mais

ARQUIVO ATUALIZADO ATÉ 07/02/2014. Capítulo XX - IPI 2014

ARQUIVO ATUALIZADO ATÉ 07/02/2014. Capítulo XX - IPI 2014 ARQUIVO ATUALIZADO ATÉ 07/02/2014 Capítulo XX - IPI 2014 001 Estão sujeitos ao IPI os produtos resultantes de operações caracterizadas como industrialização, quando essas são também consideradas serviços

Leia mais

CÓPIA. Relatório. 27 Cosit SRRF06/DISIT

CÓPIA. Relatório. 27 Cosit SRRF06/DISIT Fl. 11 Fls. 1 nfls txtfls Solução de Consulta Interna nº MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL COORDENAÇÃO GERAL DE TRIBUTAÇÃO 27 Data 13 de setembro de 2013 Origem SRRF06/DISIT

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 2 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 140 - Data 2 de junho de 2014 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: CONTRIBUIÇÃO DE INTERVENÇÃO NO DOMÍNIO ECONÔMICO - CIDE ACESSO A BANCO

Leia mais

Página 1 de 5 IPI - Avarias, deterioração e outros danos em produtos tributados 9 de Novembro de 2012 Em face da publicação do Ato Declaratório Executivo RFB nº 9/2012 - DOU 1 de 08.11.2012, este procedimento

Leia mais

INFORMATIVO PIS/ COFINS

INFORMATIVO PIS/ COFINS INFORMATIVO PIS/ COFINS I NOVAS DECISÕES ADMINISTRATIVAS... 2 A) SOLUÇÃO DE DIVERGÊNCIA CONFIRMA ENTENDIMENTO QUE GASTOS COM DESEMBARAÇO ADUANEIRO NÃO GERAM CRÉDITO DE PIS E COFINS.... 2 B) FRETE INTERNACIONAL

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 28 27 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 64 - Data 30 de dezembro de 2013 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: SIMPLES NACIONAL LOCAÇÃO DE BENS MÓVEIS. FORNECIMENTO DE MÃO DE

Leia mais

Data 13 de fevereiro de 2015 Processo Interessado CNPJ/CPF

Data 13 de fevereiro de 2015 Processo Interessado CNPJ/CPF 90 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 14 - Cosit Data 13 de fevereiro de 2015 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: CONTRIBUIÇÃO PARA O FINANCIAMENTO DA SEGURIDADE SOCIAL - COFINS

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 2 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 304 - Data 24 de outubro de 2014 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: SIMPLES NACIONAL ORGANIZADORA DE FEIRAS E EVENTOS. RECEITA BRUTA.

Leia mais

SOLUÇÕES DE CONSULTA PIS/ COFINS

SOLUÇÕES DE CONSULTA PIS/ COFINS Av. Paulista, 475-3º andar / 7º andar conjunto A - CEP 01311-908 - São Paulo - SP Tel: (55 11) 2149.0500 - Fax: (55 11) 2149.0502 www.hondaestevao.com.br SOLUÇÕES DE CONSULTA PIS/ COFINS I NOVAS DECISÕES

Leia mais

Apresentação. Planejamento tributário como técnica de economizar impostos indiretos nos limites da lei. Parte I - Economia de Impostos, 1

Apresentação. Planejamento tributário como técnica de economizar impostos indiretos nos limites da lei. Parte I - Economia de Impostos, 1 Apresentação Prefácio à 11ª edição Prefácio à 10ª edição Prefácio à 9ª edição Prefácio à 8ª edição Prefácio à 7ª edição Prefácio à 6ª edição Nota à 5ª edição Prefácio Planejamento tributário como técnica

Leia mais

PIS/ COFINS. NOTÍCIAS DA SEMANA (07/02/11 a 11/02/11)

PIS/ COFINS. NOTÍCIAS DA SEMANA (07/02/11 a 11/02/11) PIS/ COFINS NOTÍCIAS DA SEMANA (07/02/11 a 11/02/11) I NOVAS SOLUÇÕES DE CONSULTAS. A) ALÍQUOTA ZERO DE PIS/COFINS NA IMPORTAÇÃO DE PARTES E PEÇAS E OUTROS COMPONENTES EMPREGADOS NA INDUSTRIALIZAÇÃO DE

Leia mais

Especial Área Fiscal Legislação Tributária do Estado de São Paulo Professor Dermeval Frossard

Especial Área Fiscal Legislação Tributária do Estado de São Paulo Professor Dermeval Frossard 1 O que você aconselha para quem começa agora a se preparar para a área fiscal? É necessário começar a estudar Contabilidade e Direito Tributário, pois sem exceção, estas matérias entram no edital de todos

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 148 - Data 3 de junho de 2014 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: NORMAS DE ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA CNPJ. INSCRIÇÃO. ENTIDADES RELIGIOSAS.

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 327 - Data 17 de novembro de 2014 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: CONTRIBUIÇÕES SOCIAIS PREVIDENCIÁRIAS CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 2 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 330 - Data 4 de dezembro de 2014 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: CONTRIBUIÇÕES SOCIAIS PREVIDENCIÁRIAS CONTRIBUIÇÃO SOBRE RECEITA

Leia mais

Sumário. (11) 3177-7700 www.systax.com.br

Sumário. (11) 3177-7700 www.systax.com.br Sumário Introdução... 3 Amostra... 4 Tamanho do cadastro de materiais... 5 NCM utilizadas... 6 Dúvidas quanto à classificação fiscal... 7 Como as empresas resolvem as dúvidas com os códigos de NCM... 8

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 22 21 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 206 - Data 11 de julho de 2014 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: IMPOSTO SOBRE A RENDA RETIDO NA FONTE - IRRF REFORMA A SOLUÇÃO DE

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 28 27 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 23 - Data 7 de novembro de 2013 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: CONTRIBUIÇÃO PARA O PIS/PASEP RETENÇÃO NA FONTE. SERVIÇOS DE PROTENSÃO.

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 2 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 29 - Data Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: SIMPLES NACIONAL SERVIÇOS DE LIMPEZA E CONSERVAÇÃO: DESINSETIZAÇÃO, IMUNIZAÇÃO, DESINFECÇÃO

Leia mais

Relatório. Data 17 de março de 2015 Processo Interessado CNPJ/CPF

Relatório. Data 17 de março de 2015 Processo Interessado CNPJ/CPF 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 74 - Cosit Data 17 de março de 2015 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: IMPOSTO SOBRE A IMPORTAÇÃO - II DRAWBACK VERDE-AMARELO. DRAWBACK INTEGRADO.

Leia mais

A não incidência do IPI na revenda de produtos importados: aspectos processuais e reflexos do art. 166 do CTN

A não incidência do IPI na revenda de produtos importados: aspectos processuais e reflexos do art. 166 do CTN 1 A não incidência do IPI na revenda de produtos importados: aspectos processuais e reflexos do art. 166 do CTN 2 Fundamentos Legais Constituição Federal Art. 153. Compete à União instituir impostos sobre:

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 1 0 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 168 - Data 22 de junho de 2015 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: OBRIGAÇÕES ACESSÓRIAS EFD-CONTRIBUIÇÕES. PESSOAS JURÍDICAS IMUNES E

Leia mais

IPI ICMS - SP LEGISLAÇÃO - SP ANO XXI - 2010-3ª SEMANA DE JULHO DE 2010 BOLETIM INFORMARE Nº 29/2010

IPI ICMS - SP LEGISLAÇÃO - SP ANO XXI - 2010-3ª SEMANA DE JULHO DE 2010 BOLETIM INFORMARE Nº 29/2010 IPI ANO XXI - 2010-3ª SEMANA DE JULHO DE 2010 BOLETIM INFORMARE Nº 29/2010 INDUSTRIALIZAÇÃO - DEFINIÇÕES E CONCEITOS CONFORME O NOVO RIPI/2010 Introdução - Industrial - Equiparados a Industrial - Aqueles

Leia mais

ANO XXIII - 2012-4ª SEMANA DE DEZEMBRO DE 2012 BOLETIM INFORMARE Nº 52/2012

ANO XXIII - 2012-4ª SEMANA DE DEZEMBRO DE 2012 BOLETIM INFORMARE Nº 52/2012 ANO XXIII - 2012-4ª SEMANA DE DEZEMBRO DE 2012 BOLETIM INFORMARE Nº 52/2012 TRIBUTOS FEDERAIS EXPORTAÇÃO INDIRETA - CONSIDERAÇÕES BÁSICAS... ICMS - MS/MT/RO ENTREGA FUTURA - PROCEDIMENTOS... LEGISLAÇÃO

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 53 52 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 49 - Data 26 de fevereiro de 2015 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: NORMAS DE ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA VENDA DE MERCADORIAS - RECEBIMENTO

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 1 0 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 52 - Data 20 de fevereiro de 2014 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: CONTRIBUIÇÕES SOCIAIS PREVIDENCIÁRIAS CONTRIBUIÇÕES INCIDENTES SOBRE

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 2 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 20 - Data 5 de agosto de 205 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: SIMPLES NACIONAL INSTALAÇÃO E MONTAGEM DE ESTRUTURAS METÁLICAS. O serviço

Leia mais

ANO XXIV - 2013-4ª SEMANA DE NOVEMBRO DE 2013 BOLETIM INFORMARE Nº 48/2013

ANO XXIV - 2013-4ª SEMANA DE NOVEMBRO DE 2013 BOLETIM INFORMARE Nº 48/2013 ANO XXIV - 2013-4ª SEMANA DE NOVEMBRO DE 2013 BOLETIM INFORMARE Nº 48/2013 IPI MODELOS, MOLDES, MATRIZES - PROCEDIMENTOS QUANTO AO IPI... Pág. 332 ICMS - RS CONHECIMENTO DE TRANSPORTE ELETRÔNICO CTE -

Leia mais

LAY-OUT ARQUIVOS DE INTEGRAÇÃO (Notas Fiscais e CTRC)

LAY-OUT ARQUIVOS DE INTEGRAÇÃO (Notas Fiscais e CTRC) EMPRESA: LAY-OUT ARQUIVOS DE INTEGRAÇÃO (Notas Fiscais e CTRC) NOME DO ARQUIVO Existem dois nomes possíveis: um para as notas de saída e outro para as notas de entrada. - Saídas : O nome do arquivo deve

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 2 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Divergência nº 36 - Data 4 de dezembro de 2013 Processo Interessado CNPJ/CPF INSTALAÇÃO, MANUTENÇÃO E REPARAÇÃO HIDRÁULICA, ELÉTRICA, SANITÁRIA, DE GÁS

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA PREENCHIMENTO DA NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE IMPORTAÇÃO

ORIENTAÇÕES PARA PREENCHIMENTO DA NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE IMPORTAÇÃO ORIENTAÇÕES PARA PREENCHIMENTO DA NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE IMPORTAÇÃO 1. Introdução: Toda mercadoria procedente do exterior, importada a título definitivo ou não, sujeita ou não ao pagamento do imposto

Leia mais

DIFERENCIAL DE ALÍQUOTAS E ANTECIPAÇÃO DO IMPOSTO

DIFERENCIAL DE ALÍQUOTAS E ANTECIPAÇÃO DO IMPOSTO DIFERENCIAL DE ALÍQUOTAS E ANTECIPAÇÃO DO IMPOSTO Agosto de 2015 Palestra DIFERENCIAL DE ALÍQUOTA NA AQUISIÇÃO DE MERCADORIAS INTRERESTADUAIS Tributação do ICMS nas entradas de outra Unidade da Federação

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 116 - Data 28 de abril de 2014 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: CONTRIBUIÇÃO PARA O PIS/PASEP ADMINISTRADORA DE BENEFÍCIOS. REGIME DE

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 18 17 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 137 - Data 2 de junho de 2014 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: CONTRIBUIÇÕES SOCIAIS PREVIDENCIÁRIAS BASE DE CÁLCULO. FÉRIAS. INCIDÊNCIA.

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fl. 35 Fls. 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta Interna nº 26 - Data 14 de novembro de 2014 Origem DELEGACIA ESPECIAL DE INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS EM SÃO PAULO ASSUNTO: NORMAS GERAIS DE

Leia mais

www.icmspratico.com.br Facilitadores: Paulo Almada & Ivanildo França Fortaleza, 06/06/14

www.icmspratico.com.br Facilitadores: Paulo Almada & Ivanildo França Fortaleza, 06/06/14 Fortaleza, 06/06/14 Facilitadores: Paulo Almada & Ivanildo França Em análise: I C M S Questões Atuais Arquivos Eletrônicos ICMS-ST com Material de Construção ICMS-ST com Supermercado/minimercado/atacadistas

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE RONDÔNIA SECRETARIA DE ESTADO DE FINANÇAS COORDENADORIA DA RECEITA ESTADUAL GERÊNCIA DE TRIBUTAÇÃO GETRI

GOVERNO DO ESTADO DE RONDÔNIA SECRETARIA DE ESTADO DE FINANÇAS COORDENADORIA DA RECEITA ESTADUAL GERÊNCIA DE TRIBUTAÇÃO GETRI 1 Interessado: 6ª DRRE/ARIQUEMES. EMENTA: Diferencial de alíquota. Bens do ativo fixo. Produtor rural. Leasing. Incidência do ICMS na opção de compra. 1. DO RELATÓRIO: A 6ª DRRE, com suporte no disposto

Leia mais

NÚCLEO DE METALMECÂNICAS

NÚCLEO DE METALMECÂNICAS NÚCLEO DE METALMECÂNICAS Incentivos fiscais e regimes especiais de tributação. Conceito de insumos para: ICMS, IPI, COFINS e PIS. REGULARIDADE, CONTROLES ELETRÔNICOS & INCENTIVOS FISCAIS DOIS conceitos

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 18 17 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 53 - Data 27 de fevereiro de 2015 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: IMPOSTO SOBRE A RENDA DE PESSOA JURÍDICA - IRPJ PROGRAMA DE INCLUSÃO

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 24 23 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 42 - Data 2 de dezembro de 2013 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: CONTRIBUIÇÕES SOCIAIS PREVIDENCIÁRIAS CPRB. CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 2 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 13 - Data 9 de fevereiro de 2015 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: IMPOSTO SOBRE A RENDA RETIDO NA FONTE - IRRF REGIME DE TRIBUTAÇÃO.

Leia mais

Boletimj. Manual de Procedimentos. ICMS - IPI e Outros. Rio de Janeiro. Federal. Estadual. IOB Setorial. IOB Comenta. IOB Perguntas e Respostas

Boletimj. Manual de Procedimentos. ICMS - IPI e Outros. Rio de Janeiro. Federal. Estadual. IOB Setorial. IOB Comenta. IOB Perguntas e Respostas Boletimj Manual de Procedimentos Fascículo N o 50/2013 Rio de Janeiro // Federal IPI Construção civil - Edificação - Exclusão do conceito de industrialização.... 01 // Estadual ICMS Leilão.... 02 // IOB

Leia mais

CÓPIA. Coordenação Geral de Tributação. Relatório RJ RIO DE JANEIRO SRRF07

CÓPIA. Coordenação Geral de Tributação. Relatório RJ RIO DE JANEIRO SRRF07 Fl. 15 Fls. 1 0 Coordenação Geral de Tributação Solução de Consulta nº 40 Data 2 de dezembro de 2013 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: CONTRIBUIÇÕES SOCIAIS PREVIDENCIÁRIAS CONTRIBUIÇÃO SUBSTITUTIVA.

Leia mais

MEDIDA PROVISÓRIA Nº 544, DE 29 DE SETEMBRO DE 2011.

MEDIDA PROVISÓRIA Nº 544, DE 29 DE SETEMBRO DE 2011. MEDIDA PROVISÓRIA Nº 544, DE 29 DE SETEMBRO DE 2011. Estabelece normas especiais para as compras, as contratações de produtos, de sistemas de defesa, e A PRESIDENTA DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 1 0 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 215 - Data 21 de julho de 2014 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: SIMPLES NACIONAL SERVIÇO DE SUCÇÃO DE FOSSAS, CAIXAS DE GORDURA E ESGOTOS.

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Divergência nº 25 - Data 17 de outubro de 2013 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: CONTRIBUIÇÕES SOCIAIS PREVIDENCIÁRIAS CESSÃO DE MÃO DE OBRA. OBRAS

Leia mais

PORTARIA Nº 135/GSER

PORTARIA Nº 135/GSER PORTARIA Nº 135/GSER João Pessoa, 9 de junho de 2015. O SECRETÁRIO DE ESTADO DA RECEITA, no uso das atribuições que lhe confere o art. 3º, inciso VIII, alíneas a e g, da Lei nº 8.186, de 16 de março de

Leia mais

2015 INFORMATIVO DECRETO Nº 8.442, DE 29 DE ABRIL DE 2015

2015 INFORMATIVO DECRETO Nº 8.442, DE 29 DE ABRIL DE 2015 DECRETO Nº 8.442, DE 29 DE ABRIL DE 2015 Vigência Regulamenta os art. 14 a art. 36 da Lei nº 13.097, de 19 de janeiro de 2015, que tratam da incidência do Imposto sobre Produtos Industrializados - IPI,

Leia mais

Coordenação Geral de Tributação

Coordenação Geral de Tributação Fl. 12 Fls. 1 Coordenação Geral de Tributação Solução de Consulta Interna nº 2 Data 14 de janeiro de 2014 Origem DELEGACIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL DE ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA DE SÃO PAULO DERAT. ASSUNTO:

Leia mais

* V. Dec. 6.006/2006 (Aprova a Tabela de Incidência do Imposto sobre Produtos Industrializados TIPI).

* V. Dec. 6.006/2006 (Aprova a Tabela de Incidência do Imposto sobre Produtos Industrializados TIPI). DECRETO 4.544, DE 26 DE DEZEMBRO DE 2002 Regulamenta a tributação, fiscalização, arrecadação e administração do Imposto sobre Produtos Industrializados IPI. * V. Dec. 6.006/2006 (Aprova a Tabela de Incidência

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 38 - Data 2 de dezembro de 2013 Processo Interessado CNPJ/CPF Assunto: Contribuições Sociais Previdenciárias Ementa: CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA

Leia mais

IPI ICMS - DF/GO/TO LEGISLAÇÃO - DF LEGISLAÇÃO - TO ANO XX - 2009-3ª SEMANA DE FEVEREIRO DE 2009 BOLETIM INFORMARE Nº 08/2009

IPI ICMS - DF/GO/TO LEGISLAÇÃO - DF LEGISLAÇÃO - TO ANO XX - 2009-3ª SEMANA DE FEVEREIRO DE 2009 BOLETIM INFORMARE Nº 08/2009 ANO XX - 2009-3ª SEMANA DE FEVEREIRO DE 2009 BOLETIM INFORMARE Nº 08/2009 IPI SUSPENSÃO - LEI Nº 10.637/2002 - PROCEDIMENTOS Introdução - Estabelecimentos Com Direito à Suspensão - Preponderância de Faturamento

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 259 - Data 26 de setembro de 2014 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: CONTRIBUIÇÕES SOCIAIS PREVIDENCIÁRIAS RETENÇÃO. SERVIÇOS DE INSTALAÇÃO,

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 2 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Divergência nº 32 - Data 29 de novembro de 2013 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: SIMPLES NACIONAL SERVIÇOS DE INSTALAÇÃO, MANUTENÇÃO E REPARAÇÃO

Leia mais

IPI - Devolução de produtos - Tratamento fiscal

IPI - Devolução de produtos - Tratamento fiscal IPI - Devolução de produtos - Tratamento fiscal Sumário 1. Introdução... 2 2. Devolução por contribuinte do ICMS e/ou do IPI... 3 2.1 Procedimentos do contribuinte que efetuar a devolução... 3 2.1.1 Estorno

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 2 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Divergência nº 31 - Data 29 de novembro de 2013 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: SISTEMA INTEGRADO DE PAGAMENTO DE IMPOSTOS E CONTRIBUIÇÕES DAS

Leia mais

SAD Gestor ERP. Módulo Estoque. Cadastro de Produto Escrita Fiscal. Seja Bem Vindo!

SAD Gestor ERP. Módulo Estoque. Cadastro de Produto Escrita Fiscal. Seja Bem Vindo! SAD Gestor ERP Módulo Estoque Cadastro de Produto Escrita Fiscal Seja Bem Vindo! Introdução O planejamento tributário deve fazer parte do cotidiano da empresa. É uma decisão estratégica que pode determinar

Leia mais

Tabelas práticas. TABELA DE CFOP E CST è CÓDIGO FISCAL DE OPERAÇÕES E PRESTAÇÕES CFOP

Tabelas práticas. TABELA DE CFOP E CST è CÓDIGO FISCAL DE OPERAÇÕES E PRESTAÇÕES CFOP Tabelas práticas TABELA DE CFOP E CST è CÓDIGO FISCAL DE OPERAÇÕES E PRESTAÇÕES CFOP TABELA I Das entradas de mercadorias, bens ou aquisições de serviços As operações praticadas pelos contribuintes do

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 2 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 72 - Data 31 de dezembro de 2013 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: IMPOSTO SOBRE A RENDA RETIDO NA FONTE - IRRF Sendo o cancelamento

Leia mais