Podemos dividir nossas soluções com os seguintes sub-sistemas:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Podemos dividir nossas soluções com os seguintes sub-sistemas:"

Transcrição

1 A Energesp iniciou suas atividades no ano de 2001 com a fabricação de toda a linha de painéis elétricos para o ramo da construção civil. Atualmente, além da fabricação de painéis para este segmento, a Energesp fornece sistemas integrados de potência abrangendo equipamentos e serviços elétricos para todos os segmentos de mercado. O OBJETIVO DA ENERGESP É OFERECER AOS SEUS CLIENTES SERVIÇOS DE VALOR AGREGADO E PRODUTOS DE QUALIDADE RENOMADA, INTEGRADOS DE FORMA PROPOR SOLUÇÕES COMPLETAS Podemos dividir nossas soluções com os seguintes sub-sistemas: 1. INSTALAÇÃO, RETROFIT E COMISSIONAMENTO DE PROTEÇÃO 2. MONTAGEM DE CABINES PRIMÁRIAS E SUBESTAÇÕES MT EM ALVENARIA 3. MONTAGEM DE CABINES PRIMÁRIAS E SUBESTAÇÕES MT BLINDADAS 4. USINAS DE GERAÇÃO MT E BT DE 500KVA ATÉ 24MVA 5. BARRAMENTOS BLINDADOS PARA TRANSMISSÃO DE POTÊNCIA 6. INSTALAÇÕES ELÉTRICAS PREDIAIS / INDUSTRIAIS 7. GERENCIAMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA 8. FABRICAÇÃO DE PAINÉIS DE PROTEÇÃO E CONTROLE 9. FABRICAÇÃO DE PAINÉIS DE TELECOM 10. FABRICAÇÃO DE PAINÉIS DE POTÊNCIA BT PAINÉIS DE SERVIÇOS AUXILIARES CA/CC QUADROS DE TRANSFERÊNCIA QTA MT/BT QUADROS GERAIS QGBT BT CCM S E PAINÉIS DE COMANDO BANCO DE CAPACITORES PARA CORREÇÃO DO FATOR DE POTÊNCIA 11. PROJETOS Vencedora Prêmio Melhores Fornecedores da 2013 na modalidade "Serviços de Engenharia"; 1(24)

2 1. INSTALAÇÃO, RETROFIT E COMISSIONAMENTO DE PROTEÇÃO Dispomos de mão de obra especializada para a instalação e comissionamento de painéis de proteção, controle e medição em campo. Em parceria com a empresa fabricante do relê, dispomos para todo Brasil a instalação em campo dos painéis, assim como a instalação unicamente dos relês para a digitalização de subestações antigas (retrofit de proteção e controle), comissionamento e ativação. ANTES DEPOIS Substituição de Reles Eletromecânicos por Digitais Instalação de Medidor de Qualidade de Energia Equipe Energesp efetuando a troca de relês em SE de concessionária 2(24)

3 ANTES ANTES DEPOIS DEPOIS 3(24)

4 2. MONTAGEM DE CABINES PRIMÁRIAS E SUBESTAÇÕES MT EM ALVENARIA Subestação é todo o conjunto de condutores, aparelhos e equipamentos destinados a modificar as características da energia elétrica, permitindo a sua distribuição aos pontos de consumo em níveis adequados de utilização. Juntamente com os seus clientes, a Energesp efetua todo o levantamento de cargas e define a melhor configuração da cabine primária / subestação. Todo o projeto incluindo a sua aprovação na concessionária é por nossa conta. Projeto ilustrativo de uma subestação convencional, tensão primária de 13,8 KV. 4(24)

5 3. MONTAGEM DE CABINES PRIMÁRIAS E SUBESTAÇÕES MT BLINDADAS As subestações blindadas podem ser destacadas as vantagens de ter o espaço reduzido (podendo chegar a até 10% de uma SE convencional), baixa manutenção e operação segura inteiramente contidas em invólucros metálicos. Os painéis são constituídos por um conjunto de cubículos homogêneos dotados de células compartimentadas modulares com intertravamentos que impedem manobras indevidas. Conjunto de Blindados MT para entrada e distribuição 5(24)

6 Proteção contra o arco interno - Os quadros fornecidos pela Energesp na versão à prova de arco interno asseguram as máximas condições de segurança para os operadores mesmo na eventualidade de ocorrência de um arco dentro do compartimento. Os quadros são projetados para resistirem às sobrepressões provocadas pelo arco interno e possuem condutos especiais que canalizam os gases produzidos pelo arco para fora do quadro. Cada coluna é segmentada em 4 compartimentos: A. Compartimento dos Barramentos: Os barramentos são realizados com barras planas em cobre eletrolítico descoberto e são dimensionados para suportar as solicitações térmicas e eletrodinâmicas conseqüentes às correntes de curto-circuito. Os barramentos passam de uma unidade à adjacente sem a intercalação de diafragmas, de maneira a constituírem um conduto contínuo. B. Compartimento do Seccionador: Contém as partes ativas do seccionador e é segregado metalicamente do compartimento dos barramentos e do compartimento da linha por meio do invólucro de aço inox do próprio seccionador. A instalação deste tipo de aparelho determina a segregação metálica e a ligação à terra entre o compartimento dos barramentos e o compartimento da linha da unidade, assegurando a máxima segurança para os operadores em caso de intervenção no compartimento da linha, mesmo com os barramentos principais sob tensão, como por exemplo para a substituição de um ou de mais fusíveis ou para o controle dos cabos. C. Compartimento de Linha: É normalmente segregado metalicamente do compartimento dos barramentos por meio de um seccionador de isolamento (compartimento B). Contem vários aparelhos dependendo da unidade típica, sendo disjuntores, TC s e TP s nas colunas de entrada e fusíveis nas colunas de saída. D. Compartimento de Proteção e Circuitos Auxiliares: Localizado na frente ou acima do compartimento dos barramentos em célula separada dedicada a alojar o sub-sistema de Proteção e Comando. 6(24)

7 4. USINAS DE GERAÇÃO MT E BT DE 500KVA ATÉ 24MVA Consultoria, engenharia e instalação, buscando fornecer a melhor solução para as empresas que buscam sua INDEPENDÊNCIA ENERGÉTICA, seja total ou parcial, através da montagem de USINAS DE GERAÇÃO com tantos grupos geradores quanto for à demanda a ser suprida. O sistema entra em funcionamento automaticamente toda vez que houver falha no fornecimento da concessionária, alimentando após transferência as cargas do empreendimento. Opcionalmente o sistema poderá ser programado para uso em horário de ponta. A transferência de cargas para a usina é progressiva e imperceptível (regime de transição fechada e em rampa) devido o paralelismo momentâneo com a concessionária, não ocasionando nenhum desligamento de cargas. O sistema também pode efetuar o paralelismo permanente com a concessionária, podendo suprir ao sistema apenas parte da energia consumida. Esta condição de uso é muito vantajosa quando necessário a redução da demanda elétrica devido um racionamento de energia ou em momentos que a demanda contratada for ultrapassada. Neste último caso a usina poderá operar de forma automática nos momentos de pico (peak shaving) fornecendo apenas a demanda consumida excedente à demanda contratada, sem que o empreendimento sofra multas por ultrapassagem de demanda e nem reduza a demanda sacrificando sua produção. Usinas de Geração de 500KVA à 24MVA 7(24)

8 Transferência Transformador Geradores em Média Tensão (QTA) Elevador 13,8KV em Paralelo Principais vantagens: Diagrama simplificado ilustrativo O sistema pode ser dimensionado para a quantidade de geradores n + 1, proporcionando alta redundância. Os motores possuem controle eletrônico proporcionando alto rendimento de combustível. Variações bruscas de carga são efetivamente absorvidas propiciando alta estabilidade ao sistema. Nossos projetos possuem capacidade inicial de 500KVA com 1 gerador e capacidade máxima de 32 grupos de 750KVA em paralelo, totalizando 24MVA. A transferência de cargas é automática e em rampa através do painel QTA fornecido. Para a total redundância do sistema este painel dispõe de bypass dos disjuntores através de chaves adicionais, permitindo testes e manutenções com o sistema energizado. O painel de transferência é dotado de todas as proteções exigidas pela concessionária de forma permitir o paralelismo momentâneo ou permanente. A tensão fornecida da usina pode ser em Baixa Tensão ou em Media Tensão até 36KV através do emprego de transformadores elevadores, visando o suprimento de energia em maior demanda. 8(24)

9 5. BARRAMENTOS BLINDADOS PARA TRANSMISSÃO DE POTÊNCIA Destacamos no fornecimento de instalações de potência o uso de barramentos blindados, os chamados bus-ways. São dimensionados para interligar subestações transformadoras, transformadores a centro de carga, grupos geradores à rede e demais sistemas que exijam alta confiabilidade, perdas reduzidas e versatilidade, resultando em uma grande performance. Indicado para edificações horizontais (fábricas) e verticais (prédios) com elevada velocidade de instalação. Os bus-ways são recomendados para transporte e distribuição de energia em regime intenso de trabalho, de pequena à grande capacidade, podendo variar de 100A à 6300A por cada linha. Fabricamos painéis de força especiais e dedicados para o total acoplamento às linhas de bus-ways, com total robustez mecânica e elétrica. 9(24)

10 Fornecimento e instalações de bus-way realizada pela Energesp. Fornecimento e instalações de bus-way realizada pela Energesp. 10(24)

11 6. INSTALAÇÕES ELÉTRICAS PREDIAIS / INDUSTRIAIS De forma atender amplamente nossos clientes, fornecemos serviços de instalações elétricas em geral, como: - Distribuição de força envolvendo cabos de potência e infraestrutura como leitos, eletrocalhas e tubulações aparentes ou embutidas. - Instalação de painéis elétricos em geral. - Redes de distribuição aérea de energia de Média e Baixa Tensão. - Sistema de Aterramento e SPDA. - Sistemas de Iluminação com estudo luminotécnico. - Infraestrutura para redes de dados, telefonia, TV, vigilância e combate à incêndio. Iluminação industrial Solda exotérmica para malha de aterramento de Sistema de Proteção de Decargas Atmosférica - SPDA As elaborações dos nossos projetos, assim com a execução dos nossos serviços, são feitos de acordo com o que prescreve nas diretrizes da ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas, conforme: NBR NBR 5410 NBR 5419 NBR 5413 NBR IEC IEC NR 10 - Instalações Elétricas em Média Tensão - Instalações Elétricas em Baixa Tensão - Sistema de Proteção Contra Descargas Atmosféricas. - Iluminância de Interiores - Conjuntos de manobra e controle de baixa tensão - International Electrotechnical Commission - Segurança em Instalações e Serviços em Eletricidade 11(24)

12 7. GERENCIAMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA Através da instalação de um controlador para aquisição das leituras do relógio da concessionária e de um software de gerenciamento em um micro-computador, o sistema é capaz de monitorar e controlar os três principais componentes da conta de energia elétrica como o consumo, a demanda e o fator de potência. As grandezas elétricas como energia consumida, energia fornecida, tensão, corrente, demanda, fator de potência de outros setores da instalação podem também ser monitoradas, de forma única ou setorizada. Sistemas de oscilografia para acompanhamento da qualidade de energia também podem ser incorporados. O sistema disponibiliza vários relatórios e gráficos de demanda, fator de potência, consumo, e outros de aplicação financeira, como: - Simulação da fatura de energia elétrica da instalação, para as diferentes classes tarifárias: Convencional, Verde e Azul. - Rateio de Custos entre os setores referentes aos diversos pontos de medição. - Análises de contrato de demanda, com sugestão de valores contratuais ideais (ponta e fora de ponta). - Determinação do potencial de economia com energia elétrica. Descrição do funcionamento: Consiste de um controlador geralmente instalado próximo ao medidor da concessionária, seja de consumidor livre ou cativo. Faz o papel de gateway para aquisição de dados, assim como opcionalmente controlar a demanda e o fator de potência. Supervisão usando protocolo Modbus (RTU ou TCP), o que garante compatibilidade com qualquer sistema de supervisório. Basicamente, o sistema recebe informações de medição de energia (da concessionária e/ou de setores da planta), processa estas informações, atua sobre relés controlando a demanda e o fator de potência, e transfere registros históricos e ocorrências para um micro-computador através de rede Ethernet. 12(24)

13 A aquisição das leituras do relógio da concessionária é feita diretamente do próprio relógio, não requerendo novo medidor (transdutor de energia) e nem TC s. A aquisição de medições de demais setores é feita por transdutores fornecidos e de TC s instalados. O controlador é compatível com todos os relógios de concessionárias e transdutores de mercado. Com a medição das grandezas, o sistema é capaz de otimizar os custos de energia elétrica, interagindo de forma criteriosa e automática em cargas menos prioritárias como máquinas, iluminação e utilidades (ar condicionado, água gelada, água quente, ar comprimido e outras), de forma que a demanda contratada junto à concessionária de energia NÃO seja ultrapassada, evitando multas por ultrapassagem da demanda contratual. Exemplo de Gerenciamento de Energia: A Energesp é capacitada em fornecer a solução completa para a sua empresa. 13(24)

14 8. FABRICAÇÃO DE PAINÉIS DE PROTEÇÃO E CONTROLE Esta atividade é dedicada aos fornecedores de SEP Sistemas Elétricos de Potência, que atuam na geração, transmissão ou distribuição de energia em Alta e Extra Alta Tensão (AT/EAT), com o fornecimento de Sistemas de Proteção Controle e Supervisão (SPCS). O fornecimento de Painéis de Proteção e Controle inclui a especificação construtiva e funcional do painel conforme projeto ou necessidade do cliente, montagem das partes mecânicas e elétricas com fornecimento de todos componentes, podendo os componentes de maior relevância como relês de proteção, equipamentos telecom, etc, ser sugeridos e fornecidos pela Energesp ou de aquisição direta pelo cliente conforme sua conveniência ou preferência. Temos engenharia própria para o desenvolvimento de projetos construtivos e funcionais em parceria com a empresa fornecedora do relê, para as diversas aplicações como: Proteções de Linha de Transmissão Proteção de Barra Proteção de Alimentador Proteção de Trafo Proteção de Reator Proteção de Capacitor, Sistemas de Supervisão e Controle Podemos atuar também na instalação de painéis ou exclusivamente na instalação de relês e UAC s (Unidades de Aquisição e Controle) para projetos de digitalização de SE s (retrofits). Acessórios para operação como blocos de teste, chaves de comando, botões, sinaleiros, etc 14(24)

15 Fiação acondicionada por chicotes, canaletas e dutos Minidisjuntores, relês auxiliares, dps, etc Porta frontal externa com visor Porta frontal interna basculante Porta traseira p/ saída de cabos 15(24)

16 9. FABRICAÇÃO DE PAINÉIS DE TELECOM Montagem de painéis com o fornecimento de sub-bastidores para racks de 19, como DID, BEO/DIO, blocos de telefonia, entre outros, para comunicação entre SE s. DID Blocos de Telefonia + BEO/DIO 16(24)

17 10. FABRICAÇÃO DE PAINÉIS DE POTÊNCIA BT Através de fábrica própria a Energesp projeta, fabrica e instala todos os tipos de quadros de distribuição e proteção de baixa tensão, envolvendo Quadros de Distribuição CA e CC para Serviços Auxiliares de SE s, Quadros Gerais QGBT s, Quadros de Transferência Automática QTA s, Centro de Controle de Motores CCM s e outros PAINÉIS DE SERVIÇOS AUXILIARES CA/CC Painel de Serviços Auxiliar CA com transferência automática entre TSA s e GMG Painel de Serviço Auxiliar CC Painel de Serviço Auxiliar CA+CC Distribuição CA (Parte Superior) Distribuição CC (Parte Inferior) (Painel Combinado) 17(24)

18 10.2. QUADROS DE TRANSFERÊNCIA QTA MT/BT Para os quadros de Media Tensão a Energesp dispõe na fabricação parceria com a Schneider-Electric, linha SM6. QTA BAIXA TENSÃO 3200A QTA + QGBT BAIXA TENSÃO 2500A À 6300A QTA MÉDIA TENSÃO 18(24)

19 10.3. QUADROS GERAIS QGBT BT Quadros Gerais de Distribuição CA / CC com base plug-in Quadros de Distribuição CA com transferência Automática de Alimentadores na Forma 4a de compartimentação, segundo NBR-IEC Operação dos disjuntores através de manoplas (todos os acionamentos são com as portas fechadas). Cada disjuntor possui seu próprio compartimento TOTALMENTE SEGREGADO dos barramentos e dos demais disjuntores. 19(24)

20 A saída de cabos é livre de partes energizadas, com compartimento de saída próprio. A conexão das barras dos disjuntores às barras principais é por terminais posteriores, permitindo acesso frontal para instalação dos cabos com total isolação e segurança. Abaixo segue as diferentes formas de compartimentação previstas pela norma NBR IEC que o painéis Energesp podem atender. Quanto maior for a segregação entre barramentos, unidades funcionais e terminais de saída, maior é o grau de segurança dado à operação do painel. 20(24)

21 Painéis na Forma 4b de compartimentação segundo NBR-IEC Com grande diferencial no quesito segurança, os painéis integrados pela Energesp possuem Certificação de Ensaio de Arco Elétrico, conforme a norma IEC TR 61641, nas seguintes condições: 50KArms (105KA peak) at 415V, 0.25 power factor for 0.3 second. Painéis com Ensaio de Arco Elétrico 21(24)

22 10.4. CCM S E PAINÉIS DE COMANDO Fabricamos e instalamos quadros de comando para todos diferentes tipos de partida, como direta, estrela-triângulo e compensada. O Centro de Controle de Motores (CCM) é aplicado onde grande número de motores precisam ser comandados e quando necessário assegurar máxima continuidade de serviço, atendendo necessidades de vários segmentos da indústria. Para aplicações específicas de processos a Energesp desenvolve soluções de acionamento de motores CCM (Centro de Controle de Motores), com inversores de freqüência para regulação de pressão, temperatura ou outras grandezas que necessitam ser controladas. Centro de Controle de Motores CCM Os módulos de comando (tipo gaveta) possuem inovador sistema de extração e engate rápido, possibilitando a substituição e reconfiguração das unidades com o sistema energizado. Gaveta extraível do CCM Painel de Comando (Água, Esgoto,...) Painel de Comando e Distribuição (Luz,...) Os painéis de comando são projetados para receber comandos remotos, assim como enviar sinalização de status e alarmes. 22(24)

23 10.5. BANCO DE CAPACITORES PARA CORREÇÃO DO FATOR DE POTÊNCIA Dimensionamos, fabricamos e instalamos bancos de capacitores para correção do fator de potência, podendo ser de operação manual ou automática. Banco de Capacitor Automático Os capacitores que utilizamos em nossos painéis são do tipo a seco autoregenerativo, sem risco de vazamento ou contaminação do ambiente, pois são isentos de óleo, portanto não contêm o risco de explosão por geração de gases internos. O banco de capacitor pode funcionar de forma autônoma com controlador próprio ou pode ser controlado pelo Controlador do Gerenciamento de Energia (HX 900 Schneider Electric) através de uma rede RS-485 a ser fornecida. 23(24)

24 11. PROJETOS A Energesp dispõe de corpo técnico próprio para suporte aos projetos de clientes, com o fornecimento de mão de obra especializada como projetistas cadistas para as seguintes atividades: Desenvolvimento de projetos, construtivos e funcionais de Painéis de Proteção & Controle em parceria com a contratante. Desenvolvimento de projetos, construtivos e funcionais de Painéis de Serviços Auxiliares de SE s e Painéis de Potência MT/BT para grandes consumidores. Correções de projetos (As-Built). Estudo de seletividade e proteção elétrica para os painéis de serviços auxiliares. Projetos de Subestações MT com sistema de geração própria. Integração com sistemas de supervisão e controle elétrico. Atenciosamente; Solicite uma visita no tel Atenciosamente, ENERGESP Soluções de Energia e Infraestrutura Ltda Av. Mutinga, 3385 Pirituba São Paulo SP Cep: CNPJ: / Registrada no CREA SP sob no.: Ramiro Marcondes de Souza Eng. Eletricista Gerência Cel (24)

PAINÉIS DE PROTEÇÃO E CONTROLE - AT

PAINÉIS DE PROTEÇÃO E CONTROLE - AT PAINÉIS DE PROTEÇÃO E CONTROLE - AT A Energesp iniciou suas atividades no ano de 2001 com a fabricação de toda a linha de painéis elétricos para o ramo da construção civil. Atualmente, além da fabricação

Leia mais

Introdução: O que é uma Subestação? Definição NBR 5460 / 1992

Introdução: O que é uma Subestação? Definição NBR 5460 / 1992 Subestações Introdução: O que é uma Subestação? Definição NBR 5460 / 1992 Parte de um sistema de potência, concentrada em um dado local, compreendendo primordialmente as extremidades de linhas de transmissão

Leia mais

Série Quasar. Quadro Geral de Baixa Tensão Quadro de Distribuição Centro de Controle de Motores Inteligente. www.altus.com.br

Série Quasar. Quadro Geral de Baixa Tensão Quadro de Distribuição Centro de Controle de Motores Inteligente. www.altus.com.br Série Quasar Quadro Geral de Baixa Tensão Quadro de Distribuição Centro de Controle de Motores Inteligente www.altus.com.br Na medida exata para seu negócio Modular: ampla variedade de configurações para

Leia mais

eccosystems@eccosystems.com.br janaina@eccosystems.com.br

eccosystems@eccosystems.com.br janaina@eccosystems.com.br eccosystems@eccosystems.com.br janaina@eccosystems.com.br 51 3307 6597 A ECCOSYSTEMS está estruturada para a prestação de serviços de engenharia, consultoria, elaboração de estudos, planejamento, projetos

Leia mais

NT 6.005. Nota Técnica. Diretoria de Planejamento e Engenharia Gerência de Engenharia. Felisberto M. Takahashi Elio Vicentini. Preparado.

NT 6.005. Nota Técnica. Diretoria de Planejamento e Engenharia Gerência de Engenharia. Felisberto M. Takahashi Elio Vicentini. Preparado. NT.005 Requisitos Mínimos para Interligação de Gerador de Consumidor Primário com a Rede de Distribuição da Eletropaulo Metropolitana com Paralelismo Momentâneo Nota Técnica Diretoria de Planejamento e

Leia mais

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Soluções em Energia Solar

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Soluções em Energia Solar Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas www.weg.net Tecnologia para minimizar o consumo das indústrias. Sustentabilidade para maximizar a qualidade de vida das pessoas. O sol é uma

Leia mais

Fornecemos energia que gera desenvolvimento e segurança de forma inteligente e sustentável. A P3 Engenharia Elétrica é especializada no

Fornecemos energia que gera desenvolvimento e segurança de forma inteligente e sustentável. A P3 Engenharia Elétrica é especializada no Energia ao seu alcance Fornecemos energia que gera desenvolvimento e segurança de forma inteligente e sustentável. A P3 Engenharia Elétrica é especializada no desenvolvimento de projetos elétricos, laudos,

Leia mais

Escolha o melhor parceiro para estar entre os maiores. Escolha TSE ENERGIA E AUTOMAÇÃO. www.grupotse.com.br

Escolha o melhor parceiro para estar entre os maiores. Escolha TSE ENERGIA E AUTOMAÇÃO. www.grupotse.com.br Escolha o melhor parceiro para estar entre os maiores. Escolha TSE www.grupotse.com.br I. A EMPRESA II. SERVIÇOS III. CLIENTES IV. CERTIFICAÇÕES V. CASES www.grupotse.com.br A Empresa Com Matriz em São

Leia mais

PROCEDIMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO Título PARALELISMO MOMENTÂNEO DE GERADOR COM O SISTEMA PRIMÁRIO DE DISTRIBUIÇÃO ATÉ 25 kv, COM OPERAÇÃO EM RAMPA

PROCEDIMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO Título PARALELISMO MOMENTÂNEO DE GERADOR COM O SISTEMA PRIMÁRIO DE DISTRIBUIÇÃO ATÉ 25 kv, COM OPERAÇÃO EM RAMPA PROCEDIMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO Título PARALELISMO MOMENTÂNEO DE GERADOR COM O SISTEMA PRIMÁRIO DE DISTRIBUIÇÃO ATÉ 25 kv, COM OPERAÇÃO EM RAMPA Código NTD-00.024 Data da emissão 05.11.2009 Data da última

Leia mais

CM ELETRICISTA MONTADOR PLANO DE CURSO

CM ELETRICISTA MONTADOR PLANO DE CURSO CM ELETRICISTA MONTADOR PLANO DE CURSO Categoria e Atribuições Executar a montagem de painéis e quadro de distribuição, caixas de fusíveis e outros instrumentos de comandos, encaixando e ajustando as peças

Leia mais

VBWK Módulo de Entrada em MT para Instalações em Alvenaria. Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas

VBWK Módulo de Entrada em MT para Instalações em Alvenaria. Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas VBWK Módulo de Entrada em MT para Instalações em Alvenaria Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas Solução Integrada para Instalações em Alvenaria O kit de entrada em média tensão VBWK

Leia mais

1.1 Fundação... 3 1.2 Objetivo... 3

1.1 Fundação... 3 1.2 Objetivo... 3 1 - HISTÓRICO E OBJETIVO DA EMPRESA 1.1 Fundação... 3 1.2 Objetivo... 3 2 DIVISÃO DE SERVIÇOS 2.1 MONTAGENS 2.1.1 Montagens elétricas em média e baixa tensão;... 4 2.1.2 Sistemas de proteção contra descargas

Leia mais

Uma viagem pelas instalações elétricas. Conceitos & aplicações

Uma viagem pelas instalações elétricas. Conceitos & aplicações Uma viagem pelas instalações elétricas. Conceitos & aplicações Workshop Etapa BRASÍLIA CEB CEB 01 UPS 150 kva IGBT/IGBT BASEADO NAS INFORMAÇÕES DO DIAGRAMA UNIFILAR APRESENTADO, DEFINIR: 1 - Corrente nominal

Leia mais

Características Técnicas Série Quasar

Características Técnicas Série Quasar Descrição do Produto A Série Quasar é uma linha de painéis tipo CCMi (centro de controle de motores inteligente) para baixa tensão e correntes até 3150 A, ensaiados conforme a norma NBR/IEC 60439-1 - TTA

Leia mais

ENGENHARIA E PROJETOS ELÉTRICOS LTDA MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO ELÉTRICO

ENGENHARIA E PROJETOS ELÉTRICOS LTDA MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO ELÉTRICO MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO ELÉTRICO OBRA: SUBESTAÇÃO 500KVA PROPRIETÁRIO: TRT TRIBUNAL REGIONALDO TRABALHO 12ºREGIÃO RESPONSÁVEL TÉCNICO: ENG. EMERSON CESAR PADOIN PADOIN ENGENHARIA E PROJETOS LTDA MEMORIAL

Leia mais

SUBESTAÇÕES ELÉTRICAS

SUBESTAÇÕES ELÉTRICAS SUBESTAÇÕES ELÉTRICAS 4EN 2013/1 SOLIVAN ALTOÉ SISTEMA ELÉTRICO CONCEITOS BÁSICOS SISTEMA ELÉTRICO CONCEITOS BÁSICOS DE TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA Transmissão de energia elétrica A tensão elétrica

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SUMÁRIO CONTEÚDO PG. 1. OBJIVO 02 2. ÂMBITO 02 3. CONCEITOS 02 4. NORMAS, LEGISLAÇÃO APLICÁVEIS E DOCUMENTOS COMPLEMENTARES 02 5. INSTRUÇÕES GERAIS 03 5.1. Local da realização dos serviços 03 5.2. Condições

Leia mais

Usina de Inovações Brasil Novembro 2008 SIPLUX E SIVACON S4

Usina de Inovações Brasil Novembro 2008 SIPLUX E SIVACON S4 Usina de Inovações Brasil Novembro 2008 SIPLUX E SIVACON S4 Painéis de distribuição e Centro de Controle de Motores para todas as aplicações em Baixa Tensão. O que se espera de um painel de Baixa tensão?

Leia mais

NT 6.010. Nota Técnica. Diretoria de Planejamento e Engenharia Gerência de Engenharia. Elio Vicentini Ermínio Belvedere João Martins.

NT 6.010. Nota Técnica. Diretoria de Planejamento e Engenharia Gerência de Engenharia. Elio Vicentini Ermínio Belvedere João Martins. NT 6.010 Requisitos Mínimos Para Interligação de Gerador de Consumidor Secundário com a Rede de Distribuição da Eletropaulo Metropolitana com Paralelismo Momentâneo Nota Técnica Diretoria de Planejamento

Leia mais

DIRETORIA TÉCNICA PLANEJAMENTO E ENGENHARIA DE AT E MT DECISÃO TÉCNICA DT-104/2010 R-03

DIRETORIA TÉCNICA PLANEJAMENTO E ENGENHARIA DE AT E MT DECISÃO TÉCNICA DT-104/2010 R-03 DIRETORIA TÉCNICA PLANEJAMENTO E ENGENHARIA DE AT E MT DECISÃO TÉCNICA /2010 R- FOLHA DE CONTROLE I APRESENTAÇÃO A presente Decisão Técnica R substitui a R02 e visa estabelecer instruções técnicas para

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA TEMA DA AULA PROFESSOR: RONIMACK TRAJANO DE SOUZA

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA TEMA DA AULA PROFESSOR: RONIMACK TRAJANO DE SOUZA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA TEMA DA AULA EQUIPAMENTOS DA SE PROFESSOR: RONIMACK TRAJANO DE SOUZA COMPONENTES SUBESTAÇÕES OBJETIVOS Apresentar os principais equipamentos

Leia mais

REQUISITOS MÍNIMOS PARA INSTALAÇÃO DE GERADOR POR PARTICULARES

REQUISITOS MÍNIMOS PARA INSTALAÇÃO DE GERADOR POR PARTICULARES REQUISITOS MÍNIMOS PARA INSTALAÇÃO DE GERADOR POR PARTICULARES NTD-22 CONTROLE DE VERSÕES NTD 22- REQUISITOS MÍNIMOS PARA INSTALAÇÃO DE GERADOR POR PARTICULARES Nº.: DATA VERSÃO 01 04/2010 Original INDICE

Leia mais

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU - 020

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU - 020 NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU - 020 EXIGÊNCIAS MÍNIMAS PARA INTERLIGAÇÃO DE GERADOR DE CONSUMIDOR PRIMÁRIO COM A REDE DE DISTRIBUIÇÃO DA ENERGISA COM PARALELISMO MOMENTÂNEO SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO...

Leia mais

Catálogo de Serviços

Catálogo de Serviços Catálogo de Serviços Estudos Elétricos 4 Projetos Elétricos 5 Engenharia de Campo 6 Treinamentos Técnicos 8 Apresentação da Empresa A SISPOT Engenharia e Consultoria nasceu do desejo de tornar-se referência

Leia mais

COMISSIONAMENTO DE BANCOS DE CAPACITORES SÉRIE CONVENCIONAIS E CONTROLADOS A TIRISTORES

COMISSIONAMENTO DE BANCOS DE CAPACITORES SÉRIE CONVENCIONAIS E CONTROLADOS A TIRISTORES GSE/ 03 17 à 22 de outubro de 1999 Foz do Iguaçu Paraná - Brasil GRUPO VIII GRUPO DE ESTUDOS DE SUBESTAÇÕES E EQUIPAMENTOS ELÉTRICOS (GSE) COMISSIONAMENTO DE BANCOS DE CAPACITORES SÉRIE CONVENCIONAIS E

Leia mais

Uma viagem pelas instalações elétricas. Conceitos & aplicações

Uma viagem pelas instalações elétricas. Conceitos & aplicações Uma viagem pelas instalações elétricas. Conceitos & aplicações Avaliação do Sistema de Transformação em Subestações e Painéis de Média Tensão - Operação, Manutenção e Ensaios Eng. Marcelo Paulino Subestações

Leia mais

Realizar Novas Ligações. Executar Ligação AT. HISTÓRICO DE MODIFICAÇÕES Edição Data Alterações em relação à edição anterior

Realizar Novas Ligações. Executar Ligação AT. HISTÓRICO DE MODIFICAÇÕES Edição Data Alterações em relação à edição anterior Paralelismo Momentâneo de Gerador com o Sistema de Distribuição com Processo Atividade Realizar Novas Ligações Executar Ligação AT Código Edição Data SM04.08-00.005 2ª Folha 1 DE 10 11/11/2010 HISTÓRICO

Leia mais

Instalações Elétricas Industriais

Instalações Elétricas Industriais Instalações Elétricas Industriais ENG 1480 Professor: Rodrigo Mendonça de Carvalho Instalações Elétricas Industriais CAPÍTULO 01 INTRODUÇÃO Flexibilidade: admitir mudanças nas localizações dos equipamentos,

Leia mais

Serviços de Média Tensão LCS PPMV Portifólio. ABB Group 6 de março de 2013 Slide 1

Serviços de Média Tensão LCS PPMV Portifólio. ABB Group 6 de março de 2013 Slide 1 Serviços de Média Tensão LCS PPMV Portifólio ABB Group 6 de março de 2013 Slide 1 PPMV Service Escopo Upgrade & Retrofit Retrofit Cubículo MT Retrofit Disjuntores MT Retrofit Contatores MT Retrofit de

Leia mais

LAUDO TÉCNICO DE AVALIAÇÃO DAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS DE BAIXA TENSÃO UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO UNESP CAMPUS DE FRANCA/SP

LAUDO TÉCNICO DE AVALIAÇÃO DAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS DE BAIXA TENSÃO UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO UNESP CAMPUS DE FRANCA/SP LAUDO TÉCNICO DE AVALIAÇÃO DAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS DE BAIXA TENSÃO UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO UNESP CAMPUS DE FRANCA/SP 1 INDÍCE 1 - OBJETIVO 2 - NORMAS APLICÁVEIS 3 - GENERALIDADES

Leia mais

Equipamentos Elétricos e Eletrônicos de Potência Ltda.

Equipamentos Elétricos e Eletrônicos de Potência Ltda. Equipamentos Elétricos e Eletrônicos de Potência Ltda. Confiança e economia na qualidade da energia. Recomendações para a aplicação de capacitores em sistemas de potência Antes de iniciar a instalação,

Leia mais

Automação de Subestações

Automação de Subestações Automação de Subestações Geração Distribuição Transmissão Indústria Produtos e Serviços: Merging Units Gateway DNP -IEC 61850 Projeto, Integração, TAF, TAC Montagem de Painéis Configuração de Sistemas

Leia mais

Automação Centros de Controle de Motores de Baixa Tensão. Motores Automação Energia Tintas

Automação Centros de Controle de Motores de Baixa Tensão. Motores Automação Energia Tintas Automação Centros de Controle de Motores de Baixa Tensão Motores Automação Energia Tintas CCMs BT WEG Os CCMs BT WEG foram desenvolvidos para atender aos mais diversos segmentos de mercado, atendendo a

Leia mais

IECETEC. Acionamentos elétricos AULA 1 PROJETO ELÉTRICO

IECETEC. Acionamentos elétricos AULA 1 PROJETO ELÉTRICO AULA 1 PROJETO ELÉTRICO 1- Introdução 2- Normas técnicas Todo projeto deve ser concebido a luz de uma norma técnica. No Brasil, a normatização é de responsabilidade da Associação Brasileira de Normas Técnica

Leia mais

CM ELETRICISTA FORÇA E CONTROLE PLANO DE CURSO

CM ELETRICISTA FORÇA E CONTROLE PLANO DE CURSO CM ELETRICISTA FORÇA E CONTROLE PLANO DE CURSO 1 Características do Curso Nível: Capacitação de nível médio Nome: Eletricista Força e Controle Carga horária: 240 horas Número de vagas: 20 2 Pré-requisito

Leia mais

NOTA TÉCNICA 6.008. Página 1 de 24. Diretoria de Planejamento e Engenharia. Gerência de Planejamento do Sistema. Gerência da Distribuição

NOTA TÉCNICA 6.008. Página 1 de 24. Diretoria de Planejamento e Engenharia. Gerência de Planejamento do Sistema. Gerência da Distribuição Página 1 de 4 NOTA TÉCNICA 6.008 REQUISITOS MÍNIMOS PARA INTERLIGAÇÃO DE GERADOR PARTICULAR COM A REDE DE DISTRIBUIÇÃO DA AES ELETROPAULO UTILIZANDO SISTEMA DE TRANSFERÊNCIA AUTOMÁTICA COM INTERRUPÇÃO

Leia mais

Sistema de Proteção Elétrica em Subestações com Alta e Média Tensão Parte I

Sistema de Proteção Elétrica em Subestações com Alta e Média Tensão Parte I Sistema de Proteção Elétrica em Subestações com Alta e Média Tensão Parte I Prof. Eng. José Ferreira Neto ALLPAI Engenharia Out/14 Parte 1 -Conceitos O Sistema Elétrico e as Subestações Efeitos Elétricos

Leia mais

TEMA DA AULA PROFESSOR: RONIMACK TRAJANO DE SOUZA

TEMA DA AULA PROFESSOR: RONIMACK TRAJANO DE SOUZA TEMA DA AULA TRANSFORMADORES DE INSTRUMENTOS PROFESSOR: RONIMACK TRAJANO DE SOUZA MEDIÇÃO DE GRANDEZAS ELÉTRICAS Por que medir grandezas elétricas? Quais grandezas elétricas precisamos medir? Como medir

Leia mais

Introdução ENERGIA ELÉTRICA: GERAÇÃO, TRANSMISSÃO E DISTRIBUIÇÃO.

Introdução ENERGIA ELÉTRICA: GERAÇÃO, TRANSMISSÃO E DISTRIBUIÇÃO. ENERGIA ELÉTRICA: GERAÇÃO, TRANSMISSÃO E DISTRIBUIÇÃO. Introdução A energia elétrica que alimenta as indústrias, comércio e nossos lares é gerada principalmente em usinas hidrelétricas, onde a passagem

Leia mais

CABINES METÁLICAS PRÉ-FABRICADAS DESTINADAS À MEDIÇÃO,PROTEÇÃO E TRANSFORMAÇÃO DE ENERGIA

CABINES METÁLICAS PRÉ-FABRICADAS DESTINADAS À MEDIÇÃO,PROTEÇÃO E TRANSFORMAÇÃO DE ENERGIA CABINES METÁLICAS PRÉ-FABRICADAS DESTINADAS À MEDIÇÃO,PROTEÇÃO E TRANSFORMAÇÃO DE ENERGIA ROMAGNOLE Produtos Elétricos S.A. 1 2 ROMAGNOLE Produtos Elétricos S.A. A energia é o núcleo dos acontecimentos,

Leia mais

Edição Data Alterações em relação à edição anterior. Atualização das informações. Nome dos grupos

Edição Data Alterações em relação à edição anterior. Atualização das informações. Nome dos grupos Instalação de Banco de Capacitores em Baixa Tensão Processo Realizar Novas Ligações Atividade Executar Ligações BT Código Edição Data SM04.14-01.008 2ª Folha 1 DE 9 26/10/2009 HISTÓRICO DE MODIFICAÇÕES

Leia mais

Centros de Controle de Motores de Baixa Tensão

Centros de Controle de Motores de Baixa Tensão Centros de Controle de Motores de Baixa Tensão Convencionais Inteligentes U S P Os CCMs BT WEG foram desenvolvidos para atender aos mais diversos segmentos de mercado, atendendo a requisitos de qualidade

Leia mais

ENGENHEIRO ELETRICISTA

ENGENHEIRO ELETRICISTA ENGENHEIRO ELETRICISTA QUESTÃO 01 O projeto de uma S.E. consumidora prevê dois transformadores, operando em paralelo, com as seguintes características: 500kVA, 13800//220/127V, Z = 5% sob 13.8KV; I n =

Leia mais

ÃO AO CURSO LEGENDA WS 01 S 01 ENGENHARIA ELÉTRICA. Valor: 1,0. 1 a QUESTÃO. Tomada de 350 W. Luminária de 250 W monofásica. Interruptor simples

ÃO AO CURSO LEGENDA WS 01 S 01 ENGENHARIA ELÉTRICA. Valor: 1,0. 1 a QUESTÃO. Tomada de 350 W. Luminária de 250 W monofásica. Interruptor simples CONCURSO DE ADMISSÃ ÃO AO CURSO DE FORMAÇÃO ENGENHARIA ELÉTRICA CADERNO DE QUESTÕES 2009 1 a QUESTÃO Valor: 1,0 3m 02 g 3m 3m 4m 3m e 6m 4m 6m 6m d 4m 4m 02 02 02 4m 02 S g f 4m S S f e 4m c S d WS ab

Leia mais

MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO

MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO Dados do cliente Proprietário: Roney Casagrande CPF: 765.425.990-53 Endereço: Estrada Pinhal da Serra, n 04452, Interior Cidade: Pinhal da Serra RS CEP: 95.390-000 Dados da

Leia mais

Relé de Proteção do Motor RPM ANSI 37/49/50/77/86/94 CATÁLOGO. ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/5

Relé de Proteção do Motor RPM ANSI 37/49/50/77/86/94 CATÁLOGO. ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/5 CATÁLOGO ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/5 INTRODUÇÃO O Relé de Proteção de Motores RPM foi desenvolvido para supervisionar até 2 (dois) grupos ventiladores/motores simultaneamente, é utilizado

Leia mais

www.pdaengenharia.com.br

www.pdaengenharia.com.br www.pdaengenharia.com.br A PDA Engenharia é uma empresa voltada nas soluções de Engenharia elétrica e automação, com experiência nas áreas de montagem, manutenção, projetos elétricos de alta e baixa tensão,

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DE SUBESTAÇÃO ABAIXADORA DE ENERGIA ELÉTRICA

MEMORIAL DESCRITIVO DE SUBESTAÇÃO ABAIXADORA DE ENERGIA ELÉTRICA MEMORIAL DESCRITIVO DE SUBESTAÇÃO ABAIXADORA DE ENERGIA ELÉTRICA CLIENTE: EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS- DR/PE CNPJ 34.028.316/0021-57 LOCAL: AVENIDA GUARARAPES Nº250-SANTO ANTÕNIO RECIFE-PE.

Leia mais

Monitor de Temperatura MONITEMP

Monitor de Temperatura MONITEMP ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/5 INTRODUÇÃO O Monitor de Temperatura MoniTemp foi desenvolvido para supervisionar até 3 (três) canais de temperatura simultaneamente, ele é utilizado para proteger

Leia mais

LIVRETO EXPLICATIVO ENERGIA ATIVA E REATIVA

LIVRETO EXPLICATIVO ENERGIA ATIVA E REATIVA LIVRETO EXPLICATIVO LIVRETO EXPLICATIVO ENERGIA ATIVA E REATIVA DEZEMBRO/2009 ELABORADO POR: CLÁUDIO F. DE ALBUQUERQUE ENG ELETRICISTA EDITADO POR: NELSON FUCHIKAMI LOPES ENG ELETRICISTA Índice 1 O que

Leia mais

MANUTENÇÃO PREVENTIVA EM SUBESTAÇÕES DE MÉDIA E ALTA TENSÃO 13,8kV

MANUTENÇÃO PREVENTIVA EM SUBESTAÇÕES DE MÉDIA E ALTA TENSÃO 13,8kV MANUTENÇÃO PREVENTIVA EM SUBESTAÇÕES DE MÉDIA E ALTA TENSÃO 13,8kV EQUIPAMENTOS CONSTANTES: 1.0 CABINE SEMI-ENTERRADA (MECANICA) 13,8 kv - GENÉRICA 1.1.1 Disjuntor de Alta Tensão (classe tensão 15 KV);

Leia mais

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU 019

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU 019 NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU 019 EXIGÊNCIAS MÍNIMAS PARA INTERLIGAÇÃO DE GERADOR DE CONSUMIDOR PRIMÁRIO COM A REDE DE DISTRIBUIÇÃO DA ENERGISA COM PARALELISMO PERMANENTE SUMÁRIO 1.INTRODUÇÃO...

Leia mais

ENGEMATEC CAPACITORES

ENGEMATEC CAPACITORES ENGEMATEC CAPACITORES CORREÇÃO DO FATOR DE POTÊNCIA Confiança e economia na qualidade da energia. Equipamentos Elétricos e Elêtronicos de Potência Ltda 2 MODELOS DOS CAPACITORES TRIFÁSICOS PADRONIZADOS

Leia mais

Uma viagem pelas instalações elétricas. Conceitos & aplicações

Uma viagem pelas instalações elétricas. Conceitos & aplicações Uma viagem pelas instalações elétricas. Conceitos & aplicações Conceitos modernos de especificação e uso de Subestações e Painéis de média tensão Eng. Nunziante Graziano, M. Sc. AGENDA - NORMAS DE REFERÊNCIA

Leia mais

Produtos de Baixa Tensão. Novo SACE Emax 2 Referência em disjuntores de baixa tensão no mundo

Produtos de Baixa Tensão. Novo SACE Emax 2 Referência em disjuntores de baixa tensão no mundo Produtos de Baixa Tensão Novo SACE Emax 2 Referência em disjuntores de baixa tensão no mundo Novo Emax 2 A ABB criou a combinação perfeita de controle, facilidade de uso, conectividade e desempenho, para

Leia mais

ANSI - 23 26 45 49 49I 62 74 77 94

ANSI - 23 26 45 49 49I 62 74 77 94 ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/7 INTRODUÇÃO O Monitor de Temperatura MASTERTEMP foi desenvolvido para monitorar a temperatura de óleo e enrolamento, comandar a ventilação e proteger transformadores

Leia mais

TOPOLOGIAS DE NOBREAK

TOPOLOGIAS DE NOBREAK TOPOLOGIAS DE NOBREAK O que é um Nobreak? Nobreaks são equipamentos que possuem a função de fornecer energia ininterrupta para a carga (computadores, servidores, impressoras, etc.). Além desta função,

Leia mais

CCM. Centro de Controle de Motores Conjunto de manobra e controle de baixa tensão. Painéis metálicos fabricados em aço carbono.

CCM. Centro de Controle de Motores Conjunto de manobra e controle de baixa tensão. Painéis metálicos fabricados em aço carbono. Centro de Controle de Motores Conjunto de manobra e controle de baixa tensão Painéis metálicos fabricados em aço carbono. Definição ( montado): é uma combinação de dispositivos e equipamentos de manobra,

Leia mais

Electron do Brasil. Tecnologia ao seu alcance. Tecnologia Digital. www.electrondobrasil.com. Catálogo Monitemp - rev3. Qualidade Comprovada!

Electron do Brasil. Tecnologia ao seu alcance. Tecnologia Digital. www.electrondobrasil.com. Catálogo Monitemp - rev3. Qualidade Comprovada! Electron do Brasil Tecnologia Digital Qualidade Comprovada! Ensaios de Tipo Realizados Tecnologia ao seu alcance Catálogo Monitemp - rev3 Produtos Certificados! www.electrondobrasil.com O Monitor de Temperatura

Leia mais

A N E X O III M Ó D U L O S C O N S T R U T I V O S DE S U B E S T A Ç Õ E S D E D I S T R I B U I Ç Ã O

A N E X O III M Ó D U L O S C O N S T R U T I V O S DE S U B E S T A Ç Õ E S D E D I S T R I B U I Ç Ã O A N E X O III M Ó D U L O S C O N S T R U T I V O S DE S U B E S T A Ç Õ E S D E D I S T R I B U I Ç Ã O C A T Á L O G O R E F E R E N C I A L DE M Ó D U L O S P A D R Õ E S D E C O N S T R U Ç Ã O D E

Leia mais

3.3 Operação em Rampa Transferência de carga de modo gradativo entre a Distribuidora e um gerador de consumidor ou vice-versa.

3.3 Operação em Rampa Transferência de carga de modo gradativo entre a Distribuidora e um gerador de consumidor ou vice-versa. O SISTEMA DE DISTRIBUIÇÃO, COM OPERAÇÃO Processo: PROJETO E CONSTRUÇÃO Subprocesso: INSTALAÇÃO ELÉTRICA DE CONSUMIDOR PCI.00.05 1/9 Primeira 1. OBJETIVO Estabelecer os critérios e requisitos necessários

Leia mais

LAUDO TÉCNICO DE AVALIAÇÃO DAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS DE ENTRADA CONDOMÍNIO DO EDIFÍCIO SOLAR DAS LARANJEIRAS

LAUDO TÉCNICO DE AVALIAÇÃO DAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS DE ENTRADA CONDOMÍNIO DO EDIFÍCIO SOLAR DAS LARANJEIRAS LAUDO TÉCNICO DE AVALIAÇÃO DAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS DE ENTRADA DO CONDOMÍNIO DO EDIFÍCIO SOLAR DAS LARANJEIRAS 1 INDICE 1 OBJETIVO 2 NORMAS APLICÁVEIS 3 GENERALIDADES 4 METODOLOGIA 5 MEDIÇÕES DE GRANDEZAS

Leia mais

Dispositivos de Proteção de CCM

Dispositivos de Proteção de CCM 58 Dispositivos de Proteção de CCM Elaborado por Weberton Eller, Thiago Ribeiro, Gilberto Marques e Allan Souto A utilização dos centros de controle de motores (CCM) é bastante comum nas indústrias, em

Leia mais

COMISSIONAMENTO ELÉTRICO TESTES ELÉTRICOS START UP OPERAÇÃO ASSISTIDA

COMISSIONAMENTO ELÉTRICO TESTES ELÉTRICOS START UP OPERAÇÃO ASSISTIDA COMISSIONAMENTO ELÉTRICO TESTES ELÉTRICOS START UP OPERAÇÃO ASSISTIDA Medidor de Fator de Potência de Isolamento 10 kv - DOBLE Caixa Hexafásica para Ensaio de Relés F6150 - DOBLE Subestações industriais

Leia mais

Consultoria e Tecnologia em Automação

Consultoria e Tecnologia em Automação ARTH ENGENHARIA - Consultoria em Engenharia, Controle e Tecnologia de Automação. Empresa Com a filosofia de associar inovação e experiência em seus projetos, a ARTH engenharia sempre contou com uma equipe

Leia mais

ENE065 Instalações Elétricas I

ENE065 Instalações Elétricas I 12/03/2012 ENE065 Instalações Elétricas I Prof.: Ivo Chaves da Silva Junior ivo.junior@ufjf.edu.br Informações ENE065 http://www.ufjf.br/ivo_junior/ ENE065_NOTURNO Generalidades Sistema Elétrico de Potência

Leia mais

SUBESTAÇÃO TIPOS DE SUBESTAÇÕES

SUBESTAÇÃO TIPOS DE SUBESTAÇÕES SUBESTAÇÃO Uma subestação elétrica é um grupamento de equipamentos elétricos com a finalidade de dirigir o fluxo de energia elétrica num sistema de potência e de possibilitar a operação segura do sistema,

Leia mais

Substações MT/BT Teoria e exemplos de cálculo das correntes de curto circuito trifásicas

Substações MT/BT Teoria e exemplos de cálculo das correntes de curto circuito trifásicas Substações MT/BT Teoria e exemplos de cálculo das correntes de curto circuito trifásicas Filippe Pereira Dolgoff Engenheiro de Aplicação Produtos e Sistema de Baixa Tensão ABB 1 INTRODUÇÃO Um sistema elétrico

Leia mais

Monitor de Nível de Óleo para Transformadores - MNO

Monitor de Nível de Óleo para Transformadores - MNO ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/5 INTRODUÇÃO O Monitor de Nível de Óleo para Transformadores e reatores MNO, é um equipamento microprocessado de alta precisão que indica o nível de óleo em escala

Leia mais

CORREÇÃO DO FATOR DE POTÊNCIA

CORREÇÃO DO FATOR DE POTÊNCIA CORREÇÃO DO FATOR DE POTÊNCIA TECNOLOGIA, QUALIDADE E ENERGIA A SERVIÇO DA ECONOMIA. Engelétrica Indústria, Comércio e Serviços Elétricos Ltda. Rua Xavier da Rocha, 10 Vila Prudente São Paulo - CEP: 03139-070

Leia mais

SCHWEITZER ENGINEERING LABORATORIES, COMERCIAL LTDA.

SCHWEITZER ENGINEERING LABORATORIES, COMERCIAL LTDA. COMO CRIAR UM ELEMENTO DE DETECÇÃO DE ARCO VOLTAICO RÁPIDO E SELETIVO, UTILIZANDO ELEMENTOS DE SOBRECORRENTE E INTENSIDADE LUMINOSA Eduardo Zanirato / Geraldo Rocha Resumo - O guia apresenta a lógica para

Leia mais

Soluções Schneider Electric voltadas à Eficiência Energética

Soluções Schneider Electric voltadas à Eficiência Energética Soluções Schneider Electric voltadas à Eficiência Energética Sistemas para Gerenciamento de Energia Fundação Santo André 25/03/08 Por: Eng. André F. Obst Depto. de Eficiência Energética Objetivo Entender

Leia mais

CONTROLADOR CONDAR MP3000.

CONTROLADOR CONDAR MP3000. CONTROLADOR CONDAR MP3000. O equipamento CONDAR MP3000 é um Controlador Eletrônico Microprocessado desenvolvido especificamente para automação de até três Condicionadores de Ar instalados em um mesmo ambiente

Leia mais

APRESENTAÇÃO INSTALAÇÕES E MONTAGENS INDUSTRIAIS QUALIDADE QUE SUPERA EXPECTATIVAS

APRESENTAÇÃO INSTALAÇÕES E MONTAGENS INDUSTRIAIS QUALIDADE QUE SUPERA EXPECTATIVAS QUALIDADE QUE SUPERA EXPECTATIVAS APRESENTAÇÃO A Munhoz Instalações Industriais é uma empresa referência no mercado, com forte atuação em engenharia elétrica e hidráulica. Reconhecimento resultado de dedicação

Leia mais

17,5kV P/V-17 Painel de Distribuição CA em Caixa Metálica. MSA CONTROL Indústria Elétrica Ltda.

17,5kV P/V-17 Painel de Distribuição CA em Caixa Metálica. MSA CONTROL Indústria Elétrica Ltda. GE Energy Management Industrial Solutions MSA CONTROL - (11) 3961-1171 - comercial@msacontrol.com.br Gear 17,5kV P/V-17 Painel de Distribuição CA em Caixa Metálica MSA CONTROL Indústria Elétrica Ltda.

Leia mais

Relés de Proteção Térmica Simotemp

Relés de Proteção Térmica Simotemp Relés de Proteção Térmica Simotemp Confiabilidade e precisão para controle e proteção de transformadores Answers for energy. A temperatura é o principal fator de envelhecimento do transformador Os relés

Leia mais

Nova Linha de Equipamentos Trifásicos Classic-DSP

Nova Linha de Equipamentos Trifásicos Classic-DSP Nova Linha de Equipamentos Trifásicos Classic-DSP Departamento de Pesquisa e Desenvolvimento - CP Eletrônica S.A. Rua da Várzea 379 CEP: 91040-600 Porto Alegre RS Brasil Fone: (51)2131-2407 Fax: (51)2131-2469

Leia mais

Monitor de Temperatura Digital para transformadores MONITEMP PLUS

Monitor de Temperatura Digital para transformadores MONITEMP PLUS ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/6 INTRODUÇÃO O Monitor de Temperatura MoniTemp Plus foi desenvolvido para monitorar a temperatura de óleo e enrolamento, comandar a ventilação e proteger transformadores

Leia mais

Energia sob medida com tecnologia Fockink

Energia sob medida com tecnologia Fockink Energia sob medida com tecnologia Fockink Grupo Fockink ISO 9001 Sistema de Gestão da Qualidade Certificado AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL E AGROINDUSTRIAL. CONCEPÇÃO, PROJETO, DESENVOLVIMENTO E MONTAGEM DE PAINÉIS

Leia mais

MANUTENÇÃO PREVENTIVA E CORRETIVA EM MÉDIA TENSÃO

MANUTENÇÃO PREVENTIVA E CORRETIVA EM MÉDIA TENSÃO MANUTENÇÃO PREVENTIVA E CORRETIVA EM MÉDIA TENSÃO TECNOLOGIA, QUALIDADE E ENERGIA A SERVIÇO DA ECONOMIA. Engelétrica Indústria, Comércio e Serviços Elétricos Ltda. Rua Xavier da Rocha, 10 Vila Prudente

Leia mais

Capítulo IX. Exemplos de automação em sistemas de supervisão e controle de subestações e redes de distribuição. Automação de subestações

Capítulo IX. Exemplos de automação em sistemas de supervisão e controle de subestações e redes de distribuição. Automação de subestações 54 Capítulo IX Exemplos de automação em sistemas de supervisão e controle de subestações e redes de distribuição A operação do sistema elétrico de potência é extremante dependente das informações de estados,

Leia mais

INSTALAÇÕES ELÉTRICAS ELETRICA

INSTALAÇÕES ELÉTRICAS ELETRICA ELETRICA A ME Engenharia tem como aliados profissionais altamente qualificados com anos de experiência em Engenharia de Eletricidade. Garantindo nossos projetos e manutenção com toda a proteção adequada

Leia mais

CENTRO DE EDUCAÇÃO E ESPORTES GERAÇÃO FUTURA

CENTRO DE EDUCAÇÃO E ESPORTES GERAÇÃO FUTURA MEMORIAL DESCRITIVO E JUSTIFICATIVO DE CÁLCULO PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS EM MÉDIA TENSÃO 13.8KV CENTRO DE EDUCAÇÃO E ESPORTES GERAÇÃO FUTURA RUA OSVALDO PRIMO CAXILÉ, S/N ITAPIPOCA - CE 1. INTRODUÇÃO

Leia mais

Módulo de Aquisição de Dados e Controle. Catálogo

Módulo de Aquisição de Dados e Controle. Catálogo DM Catálogo Módulo de Aquisição de Dados e Controle O Módulo de Aquisição de Dados e Controle - DM efetua a interface de sistemas digitais com qualquer equipamento analógico ou eletromecânico que não possui

Leia mais

Relé de proteção do diferencial 865

Relé de proteção do diferencial 865 Relé de proteção do diferencial 865 Para a proteção do diferencial de motores, transformadores e geradores Boletim 865, Série A Guia de especificações Sumário Página de descrição da seção 1.0 Características

Leia mais

ELIPSE POWER AUTOMATIZA A SUBESTAÇÃO CRUZ ALTA DA CPFL, UTILIZANDO OS PROTOCOLOS IEC 61850 E DNP3

ELIPSE POWER AUTOMATIZA A SUBESTAÇÃO CRUZ ALTA DA CPFL, UTILIZANDO OS PROTOCOLOS IEC 61850 E DNP3 ELIPSE POWER AUTOMATIZA A SUBESTAÇÃO CRUZ ALTA DA CPFL, UTILIZANDO OS PROTOCOLOS IEC 61850 E DNP3 Solução da Elipse Software apresenta rápida integração com os equipamentos da subestação localizada em

Leia mais

Workshop. Proteção em redes de serviços via cabo coaxial

Workshop. Proteção em redes de serviços via cabo coaxial Workshop Proteção em redes de serviços via cabo coaxial Distúrbios em sistemas elétricos Surto Surtos elétricos Incidência de Descargas Atmosféricas na região sudeste, sul, Mato Grosso e Goiás (em milhões)

Leia mais

Capítulo V A IEEE 1584 e os métodos para cálculo de energia incidente e distância segura de aproximação

Capítulo V A IEEE 1584 e os métodos para cálculo de energia incidente e distância segura de aproximação 34 Capítulo V A IEEE 1584 e os métodos para cálculo de energia incidente e distância segura de aproximação Por Alan Rômulo e Eduardo Senger* No artigo anterior foram abordados os métodos previstos na NFPA

Leia mais

RECOMENDAÇÕES PARA REFORMA DE INSTALAÇÕES ELETRICAS TEATRO SERRADOR

RECOMENDAÇÕES PARA REFORMA DE INSTALAÇÕES ELETRICAS TEATRO SERRADOR RECOMENDAÇÕES PARA REFORMA DE INSTALAÇÕES ELETRICAS TEATRO SERRADOR Tel.: (021) 2583 6737 Fax.: (021) 2583 6737 Cel.: (021) 9159 4057 dsp@dsp-rj.com.br 1 / 9 Sumário 1 OBJETIVO... 3 2- NORMAS APLICÁVEIS...

Leia mais

Monitor de Temperatura M96

Monitor de Temperatura M96 ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/5 INTRODUÇÃO O Monitor de Temperatura M96 foi desenvolvido para supervisionar até 8 (oito) canais de temperatura simultaneamente, ele é utilizado para proteger

Leia mais

Soluções da Elipse garantem um melhor desempenho ao Centro de Pesquisas da Petrobras

Soluções da Elipse garantem um melhor desempenho ao Centro de Pesquisas da Petrobras Soluções da Elipse garantem um melhor desempenho ao Centro de Pesquisas da Petrobras Tecnologias da Elipse Software permitem controlar os sistemas de refrigeração e distribuição de energia elétrica aos

Leia mais

Edição Data Alterações em relação à edição anterior. 4ª 13/08/2007 Inclusão dos itens 4.9, 4.10 e substituição do ANEXO III e IV.

Edição Data Alterações em relação à edição anterior. 4ª 13/08/2007 Inclusão dos itens 4.9, 4.10 e substituição do ANEXO III e IV. Paralelismo Momentâneo de Gerador com o Sistema de Distribuição, com Processo Atendimento aos Clientes Atividade Código Edição Data SM01.00-00.007 7ª Folha 1 DE 15 21/07/2010 HISTÓRICO DE MODIFICAÇÕES

Leia mais

CHAVES DE TRANSFERÊNCIA AUTOMÁTICA. Sistemas de Baixa Tensão

CHAVES DE TRANSFERÊNCIA AUTOMÁTICA. Sistemas de Baixa Tensão CHAVES DE TRANSFERÊNCIA AUTOMÁTICA Sistemas de Baixa Tensão Toda instalação onde se utiliza o grupo gerador como fonte alternativa de energia necessita, obrigatoriamente, de uma chave reversora ou comutadora

Leia mais

REQUISITOS DE COMPARTILHAMENTO PARA INSTALAÇÕES DE TRANSMISSÃO EXISTENTES

REQUISITOS DE COMPARTILHAMENTO PARA INSTALAÇÕES DE TRANSMISSÃO EXISTENTES REQUISITOS DE COMPARTILHAMENTO PARA INSTALAÇÕES DE TRANSMISSÃO EXISTENTES Revisão Motivo da revisão Data 0 1 Este documento foi motivado para dar transparência das normas e padrões técnicos comuns das

Leia mais

ASSUNTO: CO.APR.T.013.2004 CONSTRUÇÃO CIVIL E MONTAGEM ELETROMECÂNICA, COM FORNECIMENTO DE MATERIAIS E SISTEMAS, DA SE IVAIPORÃ 7ª AMPLIAÇÃO.

ASSUNTO: CO.APR.T.013.2004 CONSTRUÇÃO CIVIL E MONTAGEM ELETROMECÂNICA, COM FORNECIMENTO DE MATERIAIS E SISTEMAS, DA SE IVAIPORÃ 7ª AMPLIAÇÃO. ASSUNTO: CONSTRUÇÃO CIVIL E MONTAGEM ELETROMECÂNICA, COM FORNECIMENTO DE MATERIAIS E SISTEMAS, DA SE IVAIPORÃ 7ª AMPLIAÇÃO. ESCLARECIMENTOS N 04 1) Transcrevemos abaixo, perguntas de empresas participantes

Leia mais

Gerenciador de energia HX-600

Gerenciador de energia HX-600 26 Gerenciador de energia HX-600 Solução WEB Energy O Gerenciador HX-600 possui tecnologia de ponta em sistemas de controle de demanda e fator de potência. Trata-se de um equipamento com design moderno

Leia mais

LINHA DOUBLE WAY MONOFÁSICA

LINHA DOUBLE WAY MONOFÁSICA 42BEspecificação Técnica LINHA DOUBLE WAY MONOFÁSICA 3 / 6 / 8 / 10 / 12 / 15 / 20 kva 38BEngetron Engenharia Eletrônica Ind. e Com. Ltda Atendimento ao consumidor: (31) 3359-5800 Web: Hwww.engetron.com.br

Leia mais

DIAGNÓSTICO E DEFINIÇÃO DE SOLUÇÕES

DIAGNÓSTICO E DEFINIÇÃO DE SOLUÇÕES Somos uma empresa brasileira, especializada em soluções de automação de máquinas e processos industriais, instalação, comissionamento e segurança de infraestrutura elétrica e de máquinas, microgeração

Leia mais

ÍNDICE DE REVISÕES DESCRIÇÃO E/OU FOLHAS ATINGIDAS

ÍNDICE DE REVISÕES DESCRIÇÃO E/OU FOLHAS ATINGIDAS DIVISÃO DE ENGENHARIA E ARQUITETURA Página 1 de 42 DEA612PBELELMD1 ÍNDICE DE REVISÕES DESCRIÇÃO E/OU FOLHAS ATINGIDAS EMISSÃO INICIAL 1 2 3 4 5 6 7 8 DATA 26.5.215 25.8.15 EXECUÇÃO WV CRB VERIFICAÇÃO RM

Leia mais