Diário Oficial. Atos do Poder Executivo LEIS LEI Nº 1116/2010 DE 22 DE NOVEMBRO DE 2010 LEI Nº 1118/2010 DE 25 DE NOVEMBRO DE 2010

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Diário Oficial. Atos do Poder Executivo LEIS LEI Nº 1116/2010 DE 22 DE NOVEMBRO DE 2010 LEI Nº 1118/2010 DE 25 DE NOVEMBRO DE 2010"

Transcrição

1 Diári Oficial Prefeitura Municipal de Camaçari - An VIII - Nº 386 de 20a 26 de Nvembr de 2010 LEIS Ats d Pder Executiv LEI Nº 1116/2010 DE 22 DE NOVEMBRO DE 2010 particulares d Municípi de Camaçari. Parágraf Únic A cnstruçã e adaptaçã das edificações e cnstruções as cndições de acessibilidade das pessas cm deficiência u cm mbilidade reduzida deverã bedecer às nrmas técnicas da ABNT. Dispõe sbre a fixaçã de avis as prtadres de Marca Pass ns estabeleciments cmerciais e financeirs equipads cm prtas detectras de metais e dá utras prvidências. O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE CAMAÇARI, ESTADO DA BAHIA, n us de suas atribuições legais, FAÇO saber que a Câmara de Vereadres aprvu e eu sancin a seguinte Lei. Art. 1º - Tds s estabeleciments financeirs e cmerciais que dispuserem de aparelhs detectres de metais deverã afixar cartazes alertand as prtadres de aparelh ' Marca Pass acerca ds riscs à sua saúde. sua publicaçã. Art. 2º - Esta Lei entra em vigr na data de GABINETE DO PREFEITO DO MUNICIPIO DE CAMAÇARI, EM 22 DE NOVEMBRO DE LUIZ CARLOS CAETANO PREFEITO LEI Nº 1117/2010 DE 22 DE NOVEMBRO DE 2010 Dispõe sbre a brigatriedade de instalaçã de banheirs masculins e feminins, bem cm de bebedurs públics, na rede Bancária d Municípi de Camaçari. O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE CAMAÇARI, ESTADO DA BAHIA, n us de suas atribuições legais, FAÇO saber que a Câmara de Vereadres aprvu e eu sancin a seguinte Lei. Art. 1º - Fica estabelecida a brigatriedade de instalaçã de banheirs masculins e feminins, inclusive cm dependências próprias as pessas cm deficiências u cm mbilidade reduzida, e bebedurs públics, nas dependências ds bancs ficiais e Art. 2º - Os estabeleciments bancáris terã praz de 180 dias para realizar a clcaçã ds banheirs, ns terms d art. 1º desta Lei, a cntar da data de sua publicaçã. Art. 3º - A nã bservância d dispst nesta Lei ensejará multa de (dez mil) UFIRs, dbrada na reincidência. Art. 4º - O Pder Executiv pr mei da Secretaria de Saúde, respeitand as nrmas técnicas estabelecidas pela Vigilância Sanitária e ABNT, regulamentará e executará dispst na presente Lei, n praz de 30 dias, a cntar da publicaçã desta Lei. Art. 5º - Esta Lei entrará em vigr na data de sua publicaçã, revgadas as dispsições em cntrári. GABINETE DO PREFEITO DO MUNICIPIO DE CAMAÇARI, EM 22 DE NOVEMBRO DE LUIZ CARLOS CAETANO PREFEITO LEI Nº 1118/2010 DE 25 DE NOVEMBRO DE 2010 Dispõe sbre a dispnibilizaçã de cabines sanitáris e instalaçã de acess as camartes e palcs, específics e exclusivs as prtadres de necessidades especiais, ns events realizads n Municípi de Camaçari. O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE CAMAÇARI, ESTADO DA BAHIA, n us de suas atribuições legais, FAÇO saber que a Câmara de Vereadres aprvu e eu sancin a seguinte Lei. Art. 1º - Ns events realizads n Municípi de Camaçari é brigatóri a dispnibilizaçã de cabine sanitária adaptada para us especific e exclusiv ds prtadres de necessidades especiais, bem cm a

2 PÁGINA 02 - DIÁRIO OFICIAL - ANO VIII - Nº de 20 a 26 de Nvembr de PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMAÇARI instalaçã de rampas u elevadres de acess ns camartes e palcs, quand inexistentes instalações físicas definitivas para ambas as finalidades. Art. 2º - O descumpriment desta Lei sujeitará a empresa respnsável às seguintes penalidades: I) Multa de R$ 1.000,00 (um mil reais); II) Multa de R$ 5.000,00 (cinc mil reais); II) Multa de R$ ,00 (dez mil reais) e c a s s a ç ã d a l v a r á d e funcinament, em cas de terceira reincidência. Art. 3º - O Pder cncedente pderá regulamentar esta Lei para facilitar tant seu cumpriment bem cm a fiscalizaçã. Art. 4º - Esta Lei entrará em vigr na data de sua publicaçã. e m e v e n t s d e t r e i n a m e n t desenvlvids pela PMC; II) expr, cm cnferencista u palestrante, em event de capacitaçã, seminári e cngresss realizads pela PMC. 3º - O planejament das atividades de instrutria será desenvlvid fra d hrári de expediente. 4º - Nã pde exercer a atividade de instrutria, servidr que estiver em gz das licenças elencadas n artig 95 da Lei Municipal nº 407/98. Art. 3º - A GPSI smente será paga, se as atividades realizadas ns terms d artig anterir frem exercidas sem prejuíz das atribuições funcinais desenvlvida pel servidr, e serã bjets de anuência frmal d titular da respectiva Secretaria Municipal e de cmpensaçã de carga hrária quand desempenhadas durante a jrnada de trabalh. GABINETE DO PREFEITO DO MUNICIPIO DE CAMAÇARI, EM 25 DE NOVEMBRO DE Administraçã: Art. 4º - Cabe à Secretaria Municipal da LUIZ CARLOS CAETANO PREFEITO LEI N.º 1119/2010 DE 25 DE NOVEMBRO DE 2010 Institui a gratificaçã pela Prestaçã de Serviçs de Instrutria GPSI, em curss de frmaçã, capacitaçã u treinament, decrrentes de prgramas municipais de treinament e desenvlviment para servidres da Prefeitura Municipal de Camaçari e dá utras prvidências. O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE CAMAÇARI, ESTADO DA BAHIA, n us de suas atribuições legais. Faç saber que a Câmara de Vereadres aprvu e eu sancin a seguinte Lei: Art. 1º - Fica instituída, n âmbit da Prefeitura Municipal de Camaçari, a Gratificaçã pr Prestaçã de Serviçs de Instrutria GPSI. Art. 2º - A gratificaçã denminada GPSI será paga a servidr cadastrad n Banc de Dads da Prefeitura cm Instrutr Intern de Treinament, quand designad em caráter eventual, para desempenhar atividades em events de frmaçã, capacitaçã u treinament, criads, mantids u realizads através de prgramas e prjets regularmente instituíds n âmbit da administraçã pública municipal. 1º - A GPSI nã é incrprada as subsídis u venciments d servidr. instrutria interna: 2º - Cnsidera-se cm atividade de I) ministrar aulas presenciais a servidr I - a elabraçã ds prgramas e prjets destinads à frmaçã, capacitaçã u treinament de servidres, definind s seus níveis de cmplexidade; II - cadastrament e a seleçã ds instrutres, bem cm regrament para avaliaçã destes e s cass de suspensã e afastament definitiv ds serviçs de instrutria; III - a autrizaçã para pagament da GPSI. 1º - Os prgramas e prjets citads n incis I deste artig serã aprvads através de nrmas administrativas expedidas pela Secretaria da Administraçã. 2º - Os candidats a instrutr deverã ser cadastrads nas áreas em que cmprvadamente pssuam nível de esclaridade necessári e a especializaçã e/u experiência prfissinal cmpatíveis. 3º - Quand huver mais de um instrutr cadastrad para mesm event, a seleçã acntecerá cm base ns critéris abaix relacinads, na seguinte rdem de priridade: I melhr avaliaçã cm instrutr em curss anterires de mesm cnteúd prgramátic; II mair temp de experiência cm instrutr da matéria bjet d event; III mair nível de esclaridade e frmaçã na área de atividade d event; IV mair temp de experiência prfissinal em atividade relacinada a cnteúd prgramátic d event a ser ministrad; V mair temp de serviç públic prestad n âmbit d Pder Públic Municipal. 4º - É respnsabilidade d servidr habilitad cm instrutr, manter seu cadastr atualizad junt à Secretaria Municipal de Administraçã. Art. 5º - A GPSI será paga a servidr, pr hra trabalhada, e seu valr crrespnderá a 0,03% (três centésims pr cent) d valr atribuíd a carg de

3 PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMAÇARI - DIÁRIO OFICIAL - ANO VIII - Nº de 20 a 26 de Nvembr de PÁGINA 03 Crdenadr, símbl GES -II 1º - A gratificaçã d servidr que executar atividades indicadas na presente Lei, durante hrári de expediente, nã pderá ser superir a equivalente a 120 (cent e vinte hras) de trabalh semestral, ressalvada situaçã de excepcinalidade, devidamente justificada e previamente aprvada pel Secretári de Administraçã. 2º - O pagament da GPSI será efetuad através de flha de pagament, mediante dcument encaminhad pela Gerência de Desenvlviment d Servidr GEDES à Crdenadria Central de Gestã de Pessas, cm as infrmações referentes a event d instrutr e da carga hrária devidamente autrizad, pel Secretári da Administraçã. Art. 6º - As despesas rçamentárias decrrentes da aplicaçã desta Lei serã previstas em dtações rçamentárias próprias. Art. 7º - Esta Lei entrará em vigr na data de sua publicaçã, revgadas as dispsições em cntrári. GABINETE DO PREFEITO DO MUNICIPIO DE CAMAÇARI, EM 25 DE NOVEMBRO DE LUIZ CARLOS CAETANO PREFEITO LEI N.º 1120/2010 DE 25 DE NOVEMBRO DE 2010 Institui Códig de Plícia Administrativa d Municípi de Camaçari, Revga as Leis Municipais nº. 051, de 10 de dezembr de 1976, nº. 228, de 17 de dezembr 1991, nº. 378, de 30 de julh de 1997, nº. 747, de 18 de agst de 2006, e dá utras prvidências. O PREFEITO DO MUNICIPIO DE CAMAÇARI, ESTADO DA BAHIA, n us das atribuições que lhe cnfere a Lei Orgânica Municipal, FAÇO saber que a Câmara de Vereadres aprvu e eu sancin a seguinte Lei: TÍTULO I DO PODER DE POLÍCIA Art. 1 - Este Códig estabelece nrmas que regulamentam exercíci regular d Pder de Plícia Administrativa n âmbit d Municípi, visand a cntrle, à fiscalizaçã e à disciplina da limpeza, da higiene, da saúde pública, da segurança, d ssseg, d us ds espaçs públics, da publicidade, da circulaçã de pedestre e veículs e d hrári de funcinament ds estabeleciments cmerciais, industriais e de serviçs. Parágraf únic - Cnsidera-se Pder de Plícia a atividade de prevençã, fiscalizaçã e restriçã desempenhada pela administraçã pública, ns limites da lei, sbre us e gz de bens, atividades e direits individuais, em benefíci da cletividade, visand a assegurar exercíci ds direits ds cidadãs em plena harmnia cm interesse cletiv n espaç urban e rural d Municípi. TÍTULO II DO HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO DAS ATIVIDADES Art. 2 - É livre hrári d funcinament ds estabeleciments industriais cmerciais e prestadres de serviçs, bservads s preceits da legislaçã federal que regulam a duraçã e as cndições de trabalh. 1 - Sã exceções a artig acima s estabeleciments industriais, cmerciais e prestadres de serviçs instalads em áreas mistas, cujas atividades causem transtrn à vizinhança, que bedecerã as hráris a serem regulamentads pel Pder Executiv; 2 - As dmings e ns feriads nacinais, estaduais e municipais s estabeleciments industriais, cmerciais e prestadres de serviçs permanecerã fechads, cm exceçã ds permitids pr esta Lei. Art. 3 - Em qualquer dia e hra, salv ns cass em que vigrar legislaçã u determinaçã específica aplicável, de caráter temprári u definitiv, baixadas pr órgãs federais u estaduais cmpetentes, será permitid funcinament ds estabeleciments que se dediquem às atividades a seguir indicadas, excluídas as pertinentes cm expediente de escritóri, cm bservância das dispsições da legislaçã trabalhista, quant a hrári de trabalh e a descans ds empregads: I. impressã e distribuiçã de jrnais; II. fri industrial; III. garagens cmerciais e pnts de estacinament; IV. distribuiçã de gás liquefeit de petróle (GLP) e de utrs derivads de petróle, bem cm de álcl cmbustível e gás natural veicular (GNV); V. serviçs de transprte pessal e cletiv; VI. agências de passagens e de navegaçã; VII. ficinas de cnserts de pneus e câmaras de ar; VIII. instituts de educaçã e de assistência; IX. farmácias, drgarias e labratóris; X. hspitais, casas de saúde e psts de serviçs médics; XI. htéis, pensões e hspedarias; XII. restaurantes, bares e lanchnetes; XIII. mercads, supermercads e casas de gêners alimentícis; XIV. livrarias e agências de jrnais e revistas, exclusivamente para venda de jrnais, revistas, livrs e similares; XV. cinemas, teatrs, museus e utras diversões. TÍTULO III DAS ATIVIDADES TRANSITÓRIAS E EVENTUAIS Art. 4 - Sã cnsideradas atividades transitórias e eventuais:

4 PÁGINA 04 - DIÁRIO OFICIAL - ANO VIII - Nº de 20 a 26 de Nvembr de PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMAÇARI I. a atividade cmercial u de prestaçã de serviçs em lgradurs públics, sem instalações u lcais fixs; II. a atividade mercantil u de prestaçã de serviçs exercida em festas, expsições e events de curta duraçã. Art. 5 - O exercíci da atividade transitória u eventual dependerá sempre de autrizaçã d pder públic, expedida mediante Alvará de Autrizaçã através de requeriment d interessad. 1 - O Alvará de Autrizaçã só terá validade para event e praz em que fi cncedid. 2 - Nas atividades previstas n incis II d art. 4º desta lei, órgã cmpetente pririzará a expediçã d Alvará de Autrizaçã às pessas que cmprvarem residência n Municípi. TÍTULO IV DA EXPLORAÇÃO DE ATIVIDADES EM LOGRADOUROS PÚBLICOS CAPITULO I D Cmérci Ambulante requerentes residentes n Municípi e, entre esses, as pessas prtadres de deficiência, e cm 60 (sessenta) ans de idade u mais. 2 - O vendedr ambulante nã autrizad, que esteja exercend a atividade, ficará sujeit à apreensã da mercadria encntrada em seu pder. Art. 9 - A Autrizaçã, pessal e intransferível, deverá cnter as seguintes infrmações: I. númer de inscriçã n cadastr municipal de atividades; II. nme d respnsável pel prdut que cmercializa; III. ftgrafia d respnsável; IV. tip de prdut que cmercializa; V. tip de equipament que utiliza; VI. lcalizaçã d cmérci e d equipament, quand fr cas; VII. praz de validade da autrizaçã. Parágraf únic - O vendedr ambulante deverá sempre prtar a Autrizaçã cncedida pel Pder Públic Municipal, quand n exercíci da atividade. Art. 6 - Para s fins desta lei, cnsidera-se cmerciante ambulante a pessa física regularmente autrizada pela Prefeitura, que, pessalmente, pr cnta própria e a seus riscs, exerce pequena atividade cmercial em via pública, u de prta em prta, a pé, utilizand bicicleta u veícul autmtr. Parágraf únic - Enquadra-se também cm cmerciante ambulante aquele que exerce sua atividade cmercial num lcal fix pré-estabelecid pela Prefeitura e, a final da jrnada de trabalh, retira seu equipament, deixand a via pública livre, desimpedida e limpa. ambulante: Art. 10- É vedad a cmerciante I. explrar atividade diferente da que fi autrizada; II. afastar-se d exercíci da atividade pr períd superir a 60 (sessenta) dias, sem cmunicaçã prévia a órgã cmpetente da Prefeitura; Descumpriment: infraçã média. Art É pribid cmérci ambulante de: Art. 7 - O exercíci da atividade de cmérci ambulante dependerá sempre de autrizaçã da Prefeitura, mediante requeriment d interessad e pagament de preç públic, send pessal e intransferível. Art. 8 - O pedid de autrizaçã para cmérci ambulante deverá ser acmpanhad ds seguintes dcuments: I. dcument de identidade e CPF; II. cmprvante de residência; III. atestad de saúde, para s que negciarem cm gêners alimentícis; IV. autrizaçã sanitária expedida pela autridade cmpetente, para s que negciarem gêners alimentícis; V. certificad de prpriedade d veícul, u autrizaçã d prprietári, quand cmérci se faça sb sua utilizaçã; VI. carteira de mtrista, quand cmérci se faça cm utilizaçã de veícul autmtr; VII. cmprvante de ter sid veícul vistriad previamente pela autridade cmpetente. 1 - Terã priridade para btençã da autrizaçã para exercíci de cmérci ambulante s I. m e d i c a m e n t s e p r d u t s farmacêutics; II. armas e munições; III. animais silvestres; IV. s u b s t â n c i a s i n f l a m á v e i s u explsivas; V. agrtóxics e venens; VI. bebidas alcólicas, cigarrs e similares, e prduts causadres de dependência física; VII. prduts deterirads e imprópris para cnsum; VIII. prduts de atividades ilegais; IX. prduts que dependam de autrizaçã especial de órgãs públics u autarquias, sem esta. Descumpriment: infraçã gravíssima. Parágraf únic - Smente ns cass de events ppulares e mediante autrizaçã especial, será permitid cmérci ambulante de bebidas alcólicas, cigarrs e similares. Art É pribida a instalaçã de qualquer equipament destinad a cmérci ambulante sbre áreas ajardinadas de vias e praças públicas.

5 PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMAÇARI - DIÁRIO OFICIAL - ANO VIII - Nº de 20 a 26 de Nvembr de PÁGINA 05 Descumpriment: infraçã grave. Art A utilizaçã de veículs para fins de cmérci ambulante smente pderá crrer após autrizaçã da Prefeitura e em lcais previamente determinads. Descumpriment: infraçã média. Art O pder públic estabelecerá s meis u tips de equipaments e/u recipientes aprpriads para exercíci d cmérci ambulante, especialmente de aliments (tabuleirs, carrcinhas, cestas, caixas envidraçadas, caixas térmicas, pequens recipientes térmics e utrs que sejam aprvads). 1 - O cmerciante ambulante nã pderá alterar equipament usad para a atividade sem a prévia autrizaçã d órgã cmpetente da Prefeitura. 2 - Os equipaments a que se refere este artig devem ser mantids em bas cndições de higiene e cnservaçã. Art O lcal indicad para exercíci d cmérci eventual deverá ser mantid em perfeitas cndições de assei e limpeza, ficand cmerciante u prestadr de serviçs brigad à utilizaçã de recipientes aprpriads para a cleta d lix u resídus prvenientes d exercíci da atividade. CAPÍTULO II Das Feiras Livres e Mercads Art As atividades cmerciais nas feiras livres e mercads municipais destinam-se, priritariamente, a abasteciment de gêners alimentícis essenciais à ppulaçã, especialmente s de rigem hrtifrutigranjeira. Parágraf únic - A Prefeitura definirá e especificará, em at administrativ, tdas as atividades que pderã ser exercidas nas feiras livres e mercads e a frma d seu exercíci, inclusive especificand lcais, dias e hráris de funcinament. Art Para exercíci de atividade em feira livre e mercad, além d alvará de autrizaçã, interessad deverá estar matriculad previamente na Prefeitura. Parágraf únic. O requeriment da matrícula será instruíd cm s seguintes dcuments: I. dcument de identidade e CPF; II. cmprvante de residência; III. atestad de saúde, para s que negciarem cm gêners alimentícis. Art As feiras livres serã instaladas em áreas u lgradurs públics previamente estabelecids pela Prefeitura, que disciplinará seu funcinament de md a nã prejudicar trânsit. Art As mercadrias serã expstas à venda em barracas desmntáveis, tabuleirs u utr mbiliári, bedecend a dimensões previamente determinadas pela Prefeitura e a mdels diferenciads aprvads pela Prefeitura. 1 - Na aprvaçã ds mdels das barracas referids n caput deste artig, a Prefeitura levará em cnsideraçã s cstumes e cultura lcal. 2 - Sã brigações cmuns a tds s que exercem atividades nas feiras livres e mercads: I. cupar exclusivamente lcal e área delimitads para seu cmérci; II. manter a higiene d seu lcal de cmérci e clabrar para a limpeza da feira u mercad e suas imediações; III. smente clcar à venda gêners em perfeitas cndições para cnsum; IV. prmver, a final da atividade, a desmntagem das barracas, realizand reclhiment de tabuleirs, mercadrias e utrs pertences, deixand a área livre e desimpedida para a açã da limpeza pública. Descumpriment: infraçã média. Art Tds s aliments à venda nas feiras livres e mercads deverã estar agrupads de acrd cm a sua natureza, devidamente acndicinads e prtegids da açã ds rais slares, chuvas e utras intempéries, ficand terminantemente pribid clcá-ls diretamente sbre sl. Descumpriment: infraçã média CAPÍTULO III Da Instalaçã de Equipaments Diverss em Passeis e Lgradurs Públics Art A cupaçã de passeis e utrs lgradurs públics cm mesas, cadeiras e smbreirs, pr parte de estabeleciments cmerciais, só será permitida quand autrizada pela Prefeitura e quand estes materiais: I. cuparem apenas parte d passei c r r e s p n d e n t e à t e s t a d a d estabeleciment; II. deixarem livre para trânsit públic uma faixa de passei de largura nã inferir a 1,50m (um metr e cinqüenta centímetrs), faixa esta medida a partir d mei-fi. Descumpriment: infraçã média. 1 - Na ausência de passei u mei-fi n lgradur, deverá ser resguardada sempre a livre circulaçã de pedestres e veículs. 2 - O pedid de autrizaçã para clcaçã das mesas deverá ser acmpanhad de uma planta d estabeleciment, indicand a testada, a largura d passei, númer e a dispsiçã de mesas e cadeiras. 3 - Em tds s cass deverã ficar preservads e resguardads quaisquer acesss as demais imóveis cntígus a que utilizar passei cm mesas e cadeiras. Art A instalaçã u armaçã de

6 PÁGINA 06 - DIÁRIO OFICIAL - ANO VIII - Nº de 20 a 26 de Nvembr de PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMAÇARI palanques, tlds móveis u equipament similar, bem cm us de veículs, ns lgradurs públics, para a realizaçã de cmícis plítics, festividades cívicas, religisas u de caráter ppular, dependerá de autrizaçã d Pder Públic Municipal, a partir de slicitaçã prtclada cm antecedência mínima de 8 (it) dias. Descumpriment: infraçã grave. 1 - O requeriment para autrizaçã da instalaçã u armaçã deve ser acmpanhad de: I. cmprvante de ficializaçã d event junt à Plícia Militar e a órgã municipal respnsável pel trânsit; II. c r q u i s d e i m p l a n t a ç ã d equipament devidamente assinad pel técnic respnsável pela sua instalaçã e a c m p a n h a d d e A n t a ç ã d e Respnsabilidade Técnica ART, quand fr cas; III. planta de lcalizaçã da área d event, cm indicaçã clara d lcal da instalaçã u armaçã d equipament. 2 - Os palanques u equipaments similares, uma vez instalads, deverã, necessariamente, ser vistriads pr técnics da Prefeitura quant à segurança, instalações e lcalizaçã, para que se prceda à aprvaçã de seu funcinament. Descumpriment: infraçã média. 3 - Na lcalizaçã de crets, palanques, tlds móveis u equipaments similares deverã ser bservads, brigatriamente, s seguintes requisits: I. nã perturbar trânsit públic; II. ser prvid de instalaçã elétrica, quand necessária; III. nã prejudicar calçament u pavimentaçã u fachada de imóveis, nem impedir escament das águas pluviais, crrend pr cnta ds respnsáveis pelas festividades s repars ds estrags prventura verificads; IV. estar lcal desembaraçad n praz de 24 (vinte e quatr) hras, a cntar d encerrament ds festejs. 4 - Após praz estabelecid n parágraf anterir, a Prefeitura prmverá a remçã d equipament, crrend as despesas, acrescidas de 20% (vinte pr cent), pr cnta ds respnsáveis. 5 - O destin d material remvid será dad a juíz da Prefeitura. CAPÍTULO IV Ds Equipaments Fixs: Bancas de Impresss, de Chaveir etc. Art A explraçã de equipaments fixs (banca de impresss, de chaveirs, de carimbs e utras atividades), em lgradurs públics, é cnsiderada permissã de serviç públic ns terms da legislaçã específica, exigind-se prévia licitaçã pública. 1 - É vedada a permissã de explraçã de mais de um equipament para um mesm permissinári. 2 - A explraçã d equipament fix pel permissinári é pessal e intransferível. 3 - A permissã de explraçã de equipament fix pderá ser revgada, sem avis prévi, cas lcal passe pr intervençã de interesse públic; 4 - Ocrrend faleciment d permissinári, seu cônjuge u cmpanheira, u, na falta u desistência frmal deste, s filhs maires, pderã prsseguir na explraçã d equipament, cm s mesms direits e brigações d sucedid, mediante prévia aprvaçã da Prefeitura. Art A lcalizaçã d equipament fix ns lgradurs públics será definida pel Municípi n at licitatóri, quand, também, apresentará prjet, a atividade cmercial e a frma d equipament a serem respeitads pel permissinári, juntamente cm as seguintes cndições: I. apresentar bm aspect estétic, em cnfrmidade a prjet aprvad pela Prefeitura, bem cm bas cndições higiênicas; II. cupar exclusivamente espaç que lhe fi destinad pela Prefeitura; III. ser clcada de frma que nã prejudique livre trânsit nas calçadas e a visã ds mtristas e pedestres; IV. nã ser lcalizada em rtatórias, em frente a esclas, mnuments, hspitais, casas de saúde, das travessias sinalizadas de pedestres, entradas de edificações residenciais e cmerciais, bem cm de repartições públicas; V. nã prejudicar a visibilidade ds i m ó v e i s, n e m a c e s s a s estabeleciments cmerciais u de serviçs frntais mais próxims; VI. ficar afastada a mais de 10m (dez metrs) das esquinas e ds pnts de parada de transprte cletiv. Descumpriment: infraçã média. Art Os equipaments de que trata este capítul, bservads zneament, a padrnizaçã, a lcalizaçã e demais critéris e cndições estabelecids pel órgã cmpetente da Prefeitura, serã instalads de acrd cm este Códig e d regulament específic a ser psterirmente editad pel Pder Executiv Municipal. Parágraf únic - Dependend das nrmas regulamentares próprias, pderã também ser vendids nas bancas de impresss: I. álbuns e figurinhas, quand editadas pr casas editras, jrnais e revistas que sejam bjets de prêmis; II. bilhetes de lteria, se explrads u cncedids pel pder públic;

7 PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMAÇARI - DIÁRIO OFICIAL - ANO VIII - Nº de 20 a 26 de Nvembr de PÁGINA 07 III. sels da Empresa Brasileira de Crreis e Telégrafs, cartões telefônics e cartões pstais; IV. pequens adesivs e material plástic cntend mensagens e figuras de natureza cívica, cultural, educacinal, desprtiva, assistencial u religisa; V. balas, dces, srvetes, refrigerantes e cngêneres. Art É vedad a permissinári: I. explrar atividade diferente da que fi autrizada; II. manter equipament fechad pr períd superir a 60 (sessenta) dias u utilizá-l cm depósit de materiais; III. cupar passeis, murs u paredes cm expsiçã de material referente à sua atividade cmercial u de serviçs, sem a prévia e específica autrizaçã d Pder Públic Municipal; IV. cmercializar bebidas alcólicas e prduts causadres de dependência física e psíquica. Descumpriment: infraçã grave. Art É pribida a expsiçã, a públic em geral, de materiais de cunh discriminatóri, prngráfic u vilent, em revistas, jrnais, videcassetes, discs u qualquer utr mei. 1 - Entende-se pr prngrafia tda vilaçã d direit à privacidade d crp human em sua natureza masculina e feminina, vilaçã que reduz a pessa humana e crp human a um bjet despersnalizad, cm intuit de ferecer, ainda que gratuitamente, satisfaçã libidinsa. 2 - Entende-se pr vilenta tda apresentaçã de ats que descrevem a agressividade exercida de maneira prfundamente fensiva u passinal, desrespeitand a dignidade da pessa, em seus aspects físics u psíquics, e s valres sciais de cnvivência, diálg e respeit mútu. 3 - A expsiçã de prduts de cunh prngráfic deverá ser feita em invólucr lacrad u em lcal privad, devend cmerciante u prestadr de serviçs impedir a entrada de crianças e adlescentes. Descumpriment: infraçã grave. Art Fica pribida a venda de bebidas alcólicas, cigarrs e cngêneres em estabeleciments u pnts de vendas lcalizads a mens de 100,0m (cem metrs) de esclas públicas u particulares. Parágraf Únic. O estabeleciment cmercial que desrespeitar essa nrma terá alvará de funcinament suspens pel praz de 120 dias e cancelad, em cas de reincidência. TÍTULO V DOS ENGENHOS PUBLICITÁRIOS Art A explraçã de qualquer mei publicitári nas vias, ns lgradurs públics e nas áreas particulares cm expsiçã a públic depende de autrizaçã d órgã cmpetente d Municípi, mediante requeriment d interessad e pagament de preç públic, de acrd cm s prcediments estabelecids nesta lei. Descumpriment: infraçã grave. 1 - Incluem-se nas exigências d presente artig: I. quaisquer meis de publicidade e p r p a g a n d a r e f e r e n t e s a estabeleciments cmerciais, industriais u prestadres de serviçs, escritóris e cnsultóris, casas de diversões u qualquer utr tip; II. s anúncis, letreirs, painéis, tabuletas, emblemas, placas e aviss, quaisquer que sejam a sua natureza e finalidade; III. quaisquer meis de publicidade e prpaganda afixads, suspenss u pintads em paredes, murs, tapumes, veículs u calçadas; IV. s anúncis e letreirs clcads em terrens própris d dmíni privad e que frem visíveis ds lgradurs públics; V. a distribuiçã de anúncis, cartazes e quaisquer utrs meis de publicidade e prpaganda escrita. 2 - A autrizaçã prevista n caput deste artig é at administrativ precári, pdend ser revgada, a qualquer temp, pr mtiv de cnveniência u prtunidade, a critéri da administraçã pública. 3 - A autrizaçã prevista n caput deste artig será cncedida pel praz de um an, pdend ser renvada mediante requeriment e pagament ds valres cabíveis. 4 - Esgtad praz da autrizaçã, sem que haja sua renvaçã, será suspensa a atividade publicitária, inclusive mediante remçã d mei utilizad para prpaganda, cm ônus para s interessads, além da aplicaçã da multa cabível. Art A explraçã de publicidade deverá atender as seguintes requisits: I. ferecer cndições de segurança a públic, bservand-se estad de cnservaçã d engenh publicitári n que tange à estabilidade, resistência de materiais e aspect visual; II. atender às nrmas técnicas u a p a r e c e r t é c n i c e m i t i d p e l a cncessinária d serviç n que se refere às distâncias d engenh publicitári das redes de distribuiçã de energia elétrica; III. nã impedir u cmprmeter a visualizaçã de imóveis e utrs bens de valr cultural e paisagístic;

8 PÁGINA 08 - DIÁRIO OFICIAL - ANO VIII - Nº de 20 a 26 de Nvembr de PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMAÇARI IV. bservar s requisits de limpeza e higiene d lcal. Descumpriment: infraçã média. Parágraf únic. A explraçã de publicidade deve ainda atender às diretrizes e restrições impstas pela lei d Plan Diretr de Desenvlviment Urban. Art Fica pribida a explraçã de publicidade, seja qual fr a sua finalidade, frma u cmpsiçã, quand: I. utilize incrretamente vernácul, salv na veiculaçã de marcas registradas; II. favreça u incentive qualquer mdalidade de fensa u discriminaçã quant à raça, rientaçã sexual, gêner, etnia, religiã e cndiçã scial; III. fr de natureza fensiva à mral u cntiver referências desprimrsas a i n d i v í d u s, e s t a b e l e c i m e n t s, instituições u crenças; IV. cntenha elements que pssam induzir a atividades criminsas u ilegais, à vilência u que pssam favrecer, enaltecer u estimular tais práticas; V. veicule mensagens de prduts pribids; VI. prejudique a perfeita visibilidade ds sinais de trânsit, de cmbate a incêndi, a numeraçã de imóveis, denminaçã ds lgradurs, além de utrs destinads à rientaçã da ppulaçã; VII. prejudique s aspects paisagístics da cidade, seus panramas naturais, mnuments típics, histórics e tradicinais; VIII. prejudique a inslaçã u aeraçã da edificaçã em que estiver clcada u das edificações vizinhas; IX. prejudique a livre circulaçã de pedestres e veículs u acess as imóveis d entrn. Descumpriment: incis II a V - infraçã grave; demais incis infraçã média. Art Ficam dispensads de autrizaçã prévia da Prefeitura: I. cmunicaçã institucinal, feita pel Pder Públic Municipal, nas áreas de saúde, educaçã, desenvlviment scial, cultura, sinalizaçã de trânsit e transprte, denminaçã de lgradurs públics, nme e númer de imóveis; II. referências que indiquem ltaçã, capacidade e as que recmendem cautela u indiquem perig; III. anúncis indicativs, desde que exibids n própri lcal de atividade e que sua área de exibiçã nã ultrapasse a 2 0,25 m (vinte e cinc decímetrs quadrads); IV. as placas brigatórias, instaladas em c a n t e i r d e b r a s, e x i g i d a s e r e g u l a m e n t a d a s p r e n t i d a d e s gvernamentais e pels cnselhs e órgãs de classe, desde que cntenham apenas exigid pelas respectivas regulamentações. 1 - O órgã cmpetente da Prefeitura Municipal estabelecerá s lcais indicads para a clcaçã de cmunicaçã institucinal feita pel Pder Públic Municipal. 2 - A denminaçã ds lgradurs públics e a numeraçã ds imóveis sã definidas pel Pder Públic Municipal. Art Os pedids de autrizaçã para a veiculaçã de publicidade, ainda que lcalizada em áreas privadas, deverã ser encaminhads a órgã cmpetente da Prefeitura Municipal, mediante a apresentaçã de desenhs e dizeres em escala adequada, cntend: I. a indicaçã ds lcais nde serã clcads, pintads u distribuíds; II. a estrutura cnstrutiva, se huver, e as medidas de segurança pública; III. a natureza d material de cnfecçã; IV. as dimensões; V. as inscrições, as imagens e text; VI. as cres e alegrias utilizadas; VII. a apresentaçã de respnsável técnic, quand julgad necessári; VIII. temp previst para a veiculaçã. Art A administraçã pública municipal, n exercíci d seu pder de plícia, pderá retirar e apreender, ainda que em área privada cm expsiçã a públic, qualquer publicidade em desacrd cm as dispsições previstas nesta lei, crrend as despesas, acrescidas de 20% (vinte pr cent), pr cnta ds respnsáveis. Art O Chefe d Executiv Municipal pderá, mediante celebraçã de term própri e de acrd cm a lei Orgânica Municipal, estabelecer parcerias cm a iniciativa privada para patrcíni, prestaçã de serviçs, execuçã de bras, implantaçã u instalaçã de equipaments e mbiliáris urbans, estipuland, cm cntrapartida, a btençã de exibiçã de publicidade em espaçs determinads n Municípi, cnfrme as nrmas a serem estabelecidas pel regulament desta lei. Art A autrizaçã para publicidade pr mei de alt-falantes, amplificadres de sm e aparelhs de reprduçã eletr-acústica smente será cncedida quand: I. pela lcalizaçã e hrári de funcinament da publicidade, nã prejudiquem ssseg da ppulaçã; II. nã estejam lcalizads nas prximidades de maternidade, casas de saúde u repus, hspital, escla, clégi, igreja u em znas nde silênci seja exigid. Art O Pder Executiv Municipal

9 PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMAÇARI - DIÁRIO OFICIAL - ANO VIII - Nº de 20 a 26 de Nvembr de PÁGINA 09 editará nrmas cmplementares sbre a explraçã de publicidade n Municípi, inclusive sbre a publicidade snra. TÍTULO VI DA HIGIENE PÚBLICA CAPÍTULO I Da Higiene das Habitações e ds Terrens Art As habitações, prédi, terrens, passeis, quintais e pátis, situads ns limites d Municípi, devem ser mantids livres de águas estagnadas, livres de resídus sólids, resídus de cnstruçã e demliçã e demais elements que pssam cmprmeter assei e a saúde da ppulaçã. Descumpriment infraçã média 1 - Nã é permitida a existência de terrens servind de depósit de lix, n territóri d municípi, nem de tanques d'água sem tampa u cbertura aprpriada. Descumpriment infraçã grave 2 - O lix dmiciliar será depsitad em recipientes aprpriads e fechads, para ser reclhid pel serviç de limpeza pública em dias e ns limites diáris determinads pela Prefeitura, cnfrme Regulament de Limpeza Urbana. 3 - Os resídus de cnstruçã civil e de demliçã serã depsitads em recipientes aprpriads, cm destinaçã final de respnsabilidade d geradr, cnfrme a Lei 969/2009, que aprva Plan de Gestã Integrada ds Resídus da Cnstruçã Civil. Descumpriment infraçã média 4º - Além da brigatriedade de utrs requisits, é vedad, a qualquer pessa, depsitar bjets nas janelas e parapeits ds terraçs, u sbre lajes de qualquer edificaçã, sem a devida prteçã. Art Cnstitui brigaçã d prprietári de área urbana a edificaçã de mur u gradil e passei nas testadas de sua prpriedade. Descumpriment infraçã leve 1 - O pder públic ntificará prprietári, pssuidr u respnsável, cnfrme fr cas, fixand praz para cumpriment d dispst n caput deste artig. 2 - Decrrid praz sem cumpriment da brigaçã, pder públic prmverá a execuçã de trabalh de cnstruçã de murs, calçadas, drenagem, aterrs e/u remçã e limpeza geral da área, mediante cbrança das despesas, acrescidas de multa de 20% (vinte pr cent), independente das penalidades previstas em lei. 3 - O pder públic prmverá s meis legais de acess e interdiçã das instalações para assegurar as cndições de higiene cmpatíveis cm a saúde pública. Art Durante a execuçã de edificaçã de qualquer natureza, respnsável deverá prvidenciar para que passei e leit d lgradur, n trech c m p r e e n d i d p e l a s b r a s, s e j a m m a n t i d s permanentemente desbstruíds e em perfeit estad de limpeza. Descumpriment: infraçã média. CAPÍTULO II Da Higiene ds Estabeleciments Art O pder públic exercerá, em clabraçã cm as autridades sanitárias estaduais e federais, rigrsa fiscalizaçã sbre a higiene ds estabeleciments industriais, cmerciais e de serviçs lcalizads n Municípi. Art Cnstitui brigaçã d prprietári u respnsável manter as instalações cmerciais, industriais e de serviçs em cndições salubres, que nã sirvam de reprduçã u abrig de pragas u de insets, redres u utrs animais de imprtância sanitária, que pssam ser veícul transmissr de denças. Descumpriment: infraçã grave Art Os estabeleciments deverã realizar, na peridicidade determinada pels órgãs cmpetentes, a detetizaçã e desratizaçã das suas dependências. Descumpriment infraçã grave 1 - A brigatriedade a que se refere caput deste artig estende-se às casas de divertiment públic, hspitais e estabeleciments vinculads à saúde e à educaçã, bares, lanchnetes, restaurantes e utrs, a juíz da autridade cmpetente. 2 - Para efeit de fiscalizaçã, prprietári d estabeleciment licenciad deverá afixar, em lcal visível, cmprvante em que cnste a data da detetizaçã e desratizaçã. Art Ns estabeleciments hspitalares, além d dispst na legislaçã federal, estadual e municipal que lhes frem aplicáveis, é brigatória: I. a apresentaçã d Plan de Gerenciament ds Resídus de Serviçs de Saúde - PGRSS; II. a existência de depósits de rupas servidas; III. a existência de lavanderia cm água quente e instalaçã cmpleta de esterilizaçã de rupas; IV. esterilizaçã de luças, talheres e utensílis diverss; V. d e s i n f e c ç ã d e c l c h õ e s, travesseirs, cbertres e ambiente de acmdaçã, após alta d paciente; VI. a manutençã da czinha, cpa e despensa devidamente asseadas e em cndições de cmpleta higiene;

10 PÁGINA 10 - DIÁRIO OFICIAL - ANO VIII - Nº de 20 a 26 de Nvembr de PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMAÇARI VII. a manutençã ds sanitáris, mictóris, banheirs e pias em perfeit estad de limpeza e desinsetizaçã; VIII. a instalaçã de necrtéris, bedecidas às dispsições da legislaçã urbanística e nrmas especiais. Descumpriment: infraçã gravíssima. 1 - A instalaçã de necrtéris em unidades de prnt atendiment, hspitais e serviçs de terapia renal substitutiva devem bedecer à legislaçã urbanística e nrmas sanitárias. 2 - Os serviçs de prcessament e esterilizaçã de rupas pderã ser terceirizads a empresas especializadas, cnfrme facultad pela legislaçã sanitária, ficand esta sujeita à fiscalizaçã d órgã cmpetente da Prefeitura Municipal. Art Ns estabeleciments médics, ambulatriais, labratriais, dntlógics e clínicas veterinárias, além d dispst na legislaçã federal, estadual e municipal que lhes frem aplicáveis, é brigatória: I. a apresentaçã d Plan de Gerenciament ds Resídus de Serviçs de Saúde - PGRSS; II. a existência de instalaçã cmpleta de esterilizaçã; III. esterilizaçã de luças, talheres e utensílis diverss; IV. a manutençã da czinha, cpa e despensa devidamente asseadas e em cndições de cmpleta higiene; V. a manutençã ds sanitáris, mictóris, banheirs e pias em perfeit estad de limpeza e desinfestaçã. Descumpriment: infraçã gravíssima. 1 - Cabe as geradres de resídus de saúde e a respnsável legal, gerenciament ds resídus, desde a geraçã até a dispsiçã final, de frma a atender as requisits ambientais e de saúde pública e cupacinal. 2 - Aplica-se dispst n parágraf primeir deste artig a tds s serviçs relacinads cm atendiment à saúde humana u animal, inclusive s serviçs de assistência dmiciliar e de trabalh de camp; labratóris analítics de prduts para a saúde; necrtéris, funerárias e serviçs nde se realizem atividades de embalsamament (tanatpraxia u smatcnservaçã); serviçs de medicina legal; drgarias e farmácias, inclusive as de manipulaçã; estabeleciments de ensin e pesquisa na área de saúde; centrs de cntrle de znses, distribuidres de prduts farmacêutics; imprtadres, distribuidres e prdutres de materiais e cntrles para diagnóstic in vitr; unidades móveis de atendiment à saúde; serviçs de acupuntura; serviçs de tatuagens, entre utrs similares. 3 - Os geradres de resídus de serviçs de saúde cnstantes n parágraf segund deste artig, em peraçã u a serem implantads n Municípi, devem elabrar e implantar Plan de Gerenciament de Resídus de Serviçs de Saúde PGRSS, de acrd cm a legislaçã vigente, especialmente as nrmas de vigilância sanitária. CAPÍTULO III Da Higiene ds Aliments Art O pder públic municipal exercerá, em clabraçã cm as autridades sanitárias estaduais e federais, rigrsa fiscalizaçã sbre a higiene ds estabeleciments de prepar e prduçã de aliments n municípi, bem cm sbre a higiene ds aliments expsts à venda ns estabeleciments industriais, cmerciais e de serviçs lcalizads n Municípi. Art Nã será permitida a prduçã, expsiçã u venda de gêners alimentícis indevidamente acndicinads, deterirads, falsificads, adulterads u ncivs à saúde, s quais serã apreendids e remvids para lcal destinad à inutilizaçã. Descumpriment infraçã gravíssima Art Os gêners alimentícis, bem cm tda e qualquer substância utilizada para sua elabraçã, estarã sujeits à análise fiscal pels órgãs de fiscalizaçã sanitária cmpetentes. Art Tds aqueles que, n cmérci fix u ambulante, exercem atividades vinculadas à prduçã e cmercializaçã de gêners alimentícis estarã brigads a exame médic periódic, realizad anualmente pr prfissinal devidamente habilitad. Descumpriment: infraçã média. Art Os instruments, aparelhs, recipientes e embalagens usads em prduçã, armazenament e cmercializaçã de aliments devem estar isents de cntaminaçã bilógica e físic-química. Descumpriment infraçã grave. Art A água e/u gel utilizads n prepar de bebidas e demais gêners alimentícis deverã ser ptáveis e isents de qualquer cntaminaçã. Descumpriment infraçã grave A r t É b r i g a t ó r i, n s estabeleciments cmerciais e de serviçs, us de recipientes de lix à dispsiçã ds cnsumidres. Descumpriment infraçã leve Art É pribida a presença de animais ns lcais de prepar e venda de gêners alimentícis. Descumpriment infraçã grave Art O funcinament de frigrífics e matadurs n territóri municipal depende de autrizaçã d órgã estadual cmpetente.

11 PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMAÇARI - DIÁRIO OFICIAL - ANO VIII - Nº de 20 a 26 de Nvembr de PÁGINA 11 açugues: Art É vedad as matadurs e I. abater gad de qualquer espécie fra d matadur u fra de lugares aprpriads; II. vender carnes em estabeleciments que nã satisfaçam as exigências regulamentares; III. abater gad de qualquer espécie antes d descans necessári, bem cm vacas, prcas, velhas e cabras em estad de prenhez; IV. deixar animais mrts, depis de abatids, ns currais d matadur pr mais de três hras u deixar de retirar, n mesm dia, s que frem rejeitads em exames prcedids pela autridade cmpetente; V. transprtar carnes verdes em veículs nã aprpriads, salv pr m t i v d e f r ç a m a i r e c m cnsentiment prévi da autridade cmpetente; VI. realizar descartes em lcais nã autrizads. Art Para limpeza de carnes e pescads, deverã, brigatriamente, existir lcais aprpriads, bem cm recipientes própris para acndicinar s detrits, nã pdend estes, de frma alguma, e sb qualquer pretext, permanecerem sbre as mesas, serem jgads n chã u utr lcal nã autrizad. Descumpriment infraçã média. Art Tds s estabeleciments que se destinam a prepar, fabricaçã e cmérci de gêners alimentícis deverã dispr de cletres de lix e resídus cm tampas à prva de insets e redres. Descumpriment infraçã média. Art As equipes de fiscalizaçã terã acess, a qualquer dia e hra, as lcais e estabeleciments de prepar, manipulaçã, estcagem e cmercializaçã de gêners alimentícis, send s prprietáris, depsitáris u respnsáveis brigads a facilitar a açã da fiscalizaçã, prestand tdas as infrmações requeridas. CAPÍTULO IV Da Higiene d Trabalh Descumpriment infraçã gravíssima. Art Smente será permitid expr à venda e a cnsum carnes prvenientes ds matadurs licenciads, regularmente inspecinadas e carimbadas, e quand cnduzidas em veículs aprpriads, cnfrme legislaçã específica. Descumpriment: infraçã gravíssima. Art Os estabeleciments que cmercializam carnes e pescads deverã acndiciná-ls em câmaras frigríficas e em recipientes independentes. Descumpriment infraçã gravíssima. Art Quant à cmercializaçã de frutas e verduras, deverã ser bservadas as seguintes prescrições: I. serem clcadas sbre mesas, tabuleirs, prateleiras u recipientes rigrsamente limps; II. nã estarem deteriradas; III. nã serem despjadas de suas camadas prtetras u cascas, nem ficarem expstas em fatias. Art Os estabeleciments que cmercializem laticínis deverã pssuir refrigeradres u câmaras frigríficas e balcões cm tampa de aç inxidável u material equivalente. Art O leite deverá ser pasteurizad, frnecid em recipiente aprpriad e mantid sb refrigeraçã, send vedada a sua venda in natura. Descumpriment: infraçã média. Art A autridade sanitária clabrará cm órgã federal e estadual específic n cntrle das cndições de higiene e segurança d trabalh, pdend atuar supletivamente. Art Respeitada a rientaçã nrmativa federal e estadual, a regulamentaçã desta lei determinará as cndições e requisits para funcinament ds lcais de trabalh, fixand medidas gerais e especiais de prteçã a trabalhadr. CAPÍTULO V Da Vigilância da Água Art As equipes de fiscalizaçã terã acess, a qualquer dia e hra, as lcais e estabeleciments cmerciais, industriais e de serviçs para a fiscalizaçã ds depósits e sistemas (rede de distribuiçã) de abasteciment de água para prepar de aliments e cnsum human, de frma a assegurar a qualidade da água, send s prprietáris, depsitáris u respnsáveis brigads a facilitar a açã de fiscalizaçã, prestand tdas as infrmações requeridas. TÍTULO VII DO BEM-ESTAR E SOSSEGO PÚBLICO CAPÍTULO I Dispsições Gerais Art É dever da Prefeitura zelar pela manutençã da rdem, da segurança e d ssseg públic em td territóri d Municípi, de acrd cm as dispsições desta Lei e d Códig Urbanístic e Ambiental. CAPÍTULO II Das Diversões Públicas

12 PÁGINA 12 - DIÁRIO OFICIAL - ANO VIII - Nº de 20 a 26 de Nvembr de PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMAÇARI Art Para a realizaçã de entreteniments e festejs públics, em recints aberts u fechads u, ainda, de livre acess a públic, será brigatória a prévia autrizaçã d pder públic municipal. Descumpriment infraçã grave. Art Ns estabeleciments de diversões públicas serã bservadas as seguintes dispsições: I. tdas as dependências deverã ser mantidas limpas, higienizadas e em perfeit estad de cnservaçã; II. as prtas e s crredres para exterir cnservar-se-ã sempre livres de quaisquer bstáculs que pssam dificultar a rápida retirada d públic, em cas de emergência; III. tdas as prtas de saída serã encimadas pela inscriçã SAÍDA, legível à distância e luminsa de frma suave quand se apagarem as luzes da sala, devend ser abertas de dentr para fra; IV. dispr de sistema de iluminaçã de emergência para cas de ausência temprária de energia elétrica; V. s a p a r e l h s d e s t i n a d s à r e n v a ç ã d a r d e v e r ã s e r cnservads e mantids em perfeit funcinament; VI. pssuir bebedur de água filtrada, em cndições de ptabilidade própria para cnsum human; VII. pssuir extintres de incêndi em quantidade, tip e expsiçã de acrd cm as nrmas técnicas de segurança, m e d i a n t e a v a l i a ç ã d ó r g ã cmpetente; VIII. pssuir instalações sanitárias cmpatíveis cm a capacidade de ltaçã d estabeleciment; IX. d i s p r d e c n d i ç õ e s d e acessibilidade adequadas para as pessas cm deficiência e/u cm mbilidade reduzida, ns terms da legislaçã federal e municipal. Descumpriment infraçã grave. Parágraf únic - Nas casas de espetáculs de sessões cnsecutivas, deve-se manter recint abert pr um laps de temp mínim apurad em laud técnic apresentad pel respnsável, entre a saída e entrada de espectadres, para efeit da renvaçã d ar. Descumpriment infraçã grave. Art A armaçã de circs u parques de diversões smente será permitida em lcais previamente autrizads pel pder públic municipal, após a cmprvaçã d reclhiment d preç públic crrespndente. Descumpriment infraçã média. Parágraf únic - As dependências ds circs e a área ds parques de diversões deverã ser, brigatriamente, mantidas em permanentemente estad de limpeza e higiene, cm reclhiment d lix em recipientes fechads. Art Os bilhetes de entrada de circs, parque e utrs estabeleciments de diversã pública nã pderã ser vendids em númer superir à capacidade de ltaçã d estabeleciment, de acrd cm prjet aprvad, e deles deverã cnstar preç, a data e hrári d espetácul. Descumpriment infraçã média. Art Na lcalizaçã de estabeleciment de diversã nturna, seu licenciament terá sempre em vista a rdem, ssseg e a tranqüilidade da vizinhança. Art Os estabeleciments que realizarem apresentações cm música a viv, u executarem música utilizand amplificadres de sm em vlume que pssa perturbar ssseg da vizinhança, deverã implantar adequad islament acústic, send esta cndiçã essencial para cncessã d Alvará de Funcinament pr parte da Prefeitura. Descumpriment: infraçã grave. Art. 74- As desrdens, algazarras u barulh prventura verificads ns referids estabeleciments de diversã pública serã cnsiderads cm infraçã grave e sujeitarã s seus prprietáris a pagament de multa, prevista ns anexs II e III da presente Lei. Art Os prvedres de acess à internet que prestem serviç n Municípi deverã instalar prgramas que impeçam acess a sites que transmitam cnteúd de cunh prngráfic u vilent, pdend ser liberads a pedid express d cnsumidr, cmprvada a idade adequada e mediante senha a ser frnecida pel prvedr. Descumpriment infraçã gravíssima. Art É pribid alienar, emprestar u de qualquer frma deixar na psse de crianças e adlescentes s seguintes materiais: I. armas, munições e explsivs; II. bebidas alcólicas; III. prduts cujs cmpnentes pssam causar dependência física u psíquica ainda que pr utilizaçã indevida; IV. fgs de estampid e de artifícis, excet aqueles que, pel seu reduzid ptencial, sejam incapazes de prvcar qualquer dan físic em cas de utilizaçã indevida; V. materiais de cunh vilent u prngráfic, incluíd neste cnceit s brinqueds, cmestíveis, peças de vestuári, csmétics e quaisquer utrs prduts que se apresentem de frma cntrária à dignidade da pessa humana

13 PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMAÇARI - DIÁRIO OFICIAL - ANO VIII - Nº de 20 a 26 de Nvembr de PÁGINA 13 u se destinem a utilizaçã inadequada; VI. publicações que cntenham ilustrações, ftgrafias, legendas, crônicas u anúncis ds materiais citads n incis V. Descumpriment infraçã gravíssima. CAPÍTULO III D Us Adequad das Praias e Crps Hídrics Art Cmpete à Prefeitura zelar para que públic use adequadamente as praias e crps hídrics. Art Nas praias é pribid: I. trânsit, a permanência u banh de qualquer espécie animal, ainda que acmpanhad de seu dn; II. jgar futebl, vleibl, frescbl, basquetebl u tênis em lcais e hráris que nã sejam s devidamente autrizads pela Prefeitura; III. instalar qualquer dispsitiv permanente para abrig u para qualquer utr fim; IV. instalar circs e parques de diversões; V. lançar detrits, esgts u lix de qualquer natureza; VI. exercíci d cmérci em pnt fix. Descumpriment: inciss I e II - infraçã leve; demais inciss infraçã grave. 1 - As barracas, tlds e utrs abrigs, sem fins cmerciais, só pderã ser armads nas praias se frem móveis u desmntáveis e se permanecerem apenas nas hras em que frem utilizads. Descumpriment infraçã média. 2 - Nas praias, a clcaçã de aparelhs e de quaisquer dispsitivs para a prática de esprtes só pderá ser permitida em caráter temprári e em lcais previamente delimitads pel órgã cmpetente da Prefeitura. Descumpriment infraçã média. 3 - O nã cumpriment d mencinad n parágraf anterir implica nã apreensã d material, além de utras penalidades previstas neste códig. Art Será permitid nas praias, previamente determinad pela Municipalidade, cmérci ambulante, em pequena escala, de dces e salgads, refrigerantes em recipientes plástics u de papel, srvetes, piclés, brinqueds de pequen prte, chapéus de palha e utrs prduts artesanais, respeitadas as demais exigências legais. Parágraf únic - Ns cass a que se refere presente artig, s ambulantes nã pderã fazer us de qualquer veícul autmtr para seu cmérci. Descumpriment infraçã gravíssima. Art De md a resguardar a integridade física ds banhistas, é pribid tráfeg de embarcações de prpulsã a mtr, rebque de esqui aquátic, pára-quedas e similares, a mens de 200 (duzents) metrs da linha base, cnsiderada cm a linha de arrebentaçã das ndas u, n cas de lags, lagas e ris, nde se inicia espelh d água. Descumpriment infraçã gravíssima. Parágraf únic - N cas das embarcações utilizand prpulsã a rem u a vela, só será permitid tráfeg a partir de cem (100) metrs da linha base. Descumpriment infraçã grave. Art Excepcinalmente, embarcações de prpulsã a mtr u à vela pderã se aprximar da linha base para fundear, cas nã haja n lcal nenhum dispsitiv cntrári estabelecid pela autridade cmpetente. Parágraf únic - Tda aprximaçã deverá ser feita perpendicular à linha base e cm velcidade nã superir a 3 (três) nós, preservand a segurança ds banhistas, cnfrme estabelecem as nrmas da Diretria de Prts e Cstas, d Ministéri da Defesa. Descumpriment infraçã grave. Art Na faixa de praia cmpreendida entre a linha de mair baixa-mar até 50m (cinqüenta metrs) acima da linha de mair preamar d an (maré sizínia) é: I. pribid trânsit de qualquer tip de veícul em tda extensã da rla marítima d municípi; II. pribida qualquer fnte de iluminaçã que casine intensidade luminsa superir a Zer LUX, em tda extensã da rla marítima d municípi. Descumpriment: incis I - infraçã grave; incis II infraçã leve. Parágraf únic - Estã dispensads d cumpriment d incis I desse artig s veículs ficiais em serviç e s particulares, em cas de cmprvada necessidade. CAPÍTULO IV D transprte e trânsit públic Art É pribid embaraçar u impedir, pr qualquer mei, livre trânsit de pedestres u de veículs ns lgradurs públics, excet para efeit de bras públicas u de interesse públic relevante. Descumpriment infraçã média. Parágraf únic - Sempre que crrer a necessidade de interrupçã d trânsit, devidamente autrizada pel pder públic, esta se dará através de divulgaçã prévia e da adequada sinalizaçã.

14 PÁGINA 14 - DIÁRIO OFICIAL - ANO VIII - Nº de 20 a 26 de Nvembr de PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMAÇARI Art É expressamente pribid: I. danificar u retirar sinais clcads nas vias, estradas u caminhs para impediment de trânsit; II. pintar faixas de sinalizaçã de garagem em desacrd cm as nrmas da Prefeitura; III. c r i a r a c e s s s p r i v a t i v s a c n d m í n i s u g r u p a m e n t s residenciais; IV. inserir quebra-mlas, redutres de velcidade u elements afins n leit das vias públicas, sem prévia autrizaçã da Prefeitura e em desacrd cm Códig de Trânsit Brasileir. Descumpriment infraçã média. Art Os pnts de estacinaments de veículs para transprte de passageirs serã determinads pela Prefeitura Municipal. Art O pder públic pderá impedir trânsit de qualquer veícul u mei de transprte que, pel seu estad de cnservaçã, pssa casinar dans à via pública u a terceirs. Descumpriment infraçã média. Art Ns cass de carga e descarga de materiais que nã pssam ser feitas n interir ds imóveis, estas pderã ser tleradas na via pública, desde que realizadas ns hráris estabelecids pel pder públic, que acarretem mínim de prejuíz a trânsit e que nã ultrapasse temp superir de 3 (três) hras. Parágraf únic. Decret municipal estabelecerá hrári para as perações de carga e descarga de mercadrias nas vias públicas. CAPÍTULO V Das Emissões Snras n Perímetr Urban Art É pribid perturbar ssseg e bem estar públic cm sns e ruíd que causem incômd de qualquer natureza e que ultrapassem s limites fixads nesta lei. Descumpriment infraçã grave. Art A emissã de sns e ruíds decrrentes de qualquer atividade desenvlvida n municípi bedecerá as padrões estabelecids pr esta lei, bjetivand garantir a saúde, a segurança, ssseg e bem-estar públic. Parágraf únic - Para s efeits desta lei, cnsidera-se sm u ruíd tda e qualquer vibraçã acústica capaz de prvcar sensações auditivas. Art Os níveis de sns e ruíds serã medids pr aparelh Medidr de Nível de Sm decibelímetr, bservand-se dispst na Nrma NBR da ABNT Assciaçã Brasileira de Nrmas Técnicas, u das que lhe suceder, e utilizand sempre a curva de pnderaçã A d respectiv aparelh. Art Para s efeits desta lei, s níveis máxims de sns e ruíds, de qualquer fnte emissra e natureza, em empreendiments u atividades residenciais, cmerciais, de serviçs, institucinais, industriais u especiais, públics u privads, assim cm em veículs autmtres sã: I. 60 db (sessenta decibéis), n períd cmpreendid entre 22:00h e 7:00h; II. 70 db (setenta decibéis), n períd cmpreendid entre 7:00h e 22:00h. Descumpriment infraçã grave. 1 - Sã exceçã s sns e ruíds prduzids pelas atividades de cnstruçã civil, que deverã respeitar s limites máxims de: I. Atividades nã passíveis de cnfinament; - 90 db (nventa decibéis), permitidas smente de 2ª. Feira a 6ª. Feira, n períd das 8:00h às 18:00h. II. A t i v i d a d e s p a s s í v e i s d e cnfinament; a) 70 db (setenta decibéis), n períd das 8:00h às 18:00h, da 2ª. Feira a 6ª. Feira; b) 60 db (sessenta decibéis), n períd das 18:00h às 7:59h. 2 - Quand s sns e ruíds frem causads pr máquinas, mtres, cmpressres u geradres estacináris, s níveis máxims sã de 55 db (cinqüenta e cinc decibéis), n períd cmpreendid entre 7:00h e 18:00h e 50 db (cinqüenta decibéis), n períd cmpreendid entre 18:00h e 7:00h. Descumpriment infraçã grave. Art As emissões de sns e ruíds terã seus níveis medids a 2,00m (dis metrs) de qualquer das divisas d imóvel nde se lcaliza a fnte emissra, devend aparelh estar guarnecid cm tela prtetra de vent. 1 - Quand a fiscalizaçã efetuar a mediçã ds níveis de sns e ruíds n interir d imóvel d reclamante, essa deverá crrer n recint receptr pr ele indicad cm de mair incômd, estand aparelh afastad n mínim 1,5m (um metr e mei) das paredes de abertura d ambiente, que deverã estar abertas. 2 - Os níveis máxims de sns e ruíds medids em ambientes interns serã de 55 db (cinqüenta e cinc decibéis), n períd cmpreendid entre 22:00h e 7:00h, e de 60 db (sessenta decibéis), n períd cmpreendid entre 7:00h e 22:00h. 3 - Quand se tratar de estabeleciment hspitalar, nível máxim de sns e ruíds em ambientes

15 PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMAÇARI - DIÁRIO OFICIAL - ANO VIII - Nº de 20 a 26 de Nvembr de PÁGINA 15 interns será de 45 db (quarenta e cinc decibéis), em qualquer períd. 4 - Os níveis máxims de sns e ruíds, de que trata artig 91 desta lei, serã medids a partir ds limites d imóvel nde se encntra a fnte emissra u n pnt de mair nível de intensidade n recint receptr. Art Em events tradicinais, tais cm carnaval, festas juninas, festas de larg, events religiss e similares, s níveis máxims de emissã de sns que deverã ser bservads pels equipaments snrs serã estabelecids pel órgã cmpetente d pder Executiv Municipal, em valres diferenciads a dispst n antig 91 desta lei. Descumpriment infraçã grave. Art A emissã snra gerada em atividades nã residenciais smente pderá ser efetuada após autrizaçã expedida pel órgã cmpetente da Prefeitura, bservad dispst nesta lei, através ds seguintes instruments: I. Autrizaçã de Utilizaçã Snra, para aparelhs snrs móveis; II. Autrizaçã Ambiental de Utilizaçã Snra, para estabeleciments cmerciais, de serviçs, institucinais u especiais, públics u privads; III. Autrizaçã Ambiental Especial de Utilizaçã Snra, para s events u atividades de curta duraçã. Descumpriment infraçã grave. Art A Autrizaçã de Utilizaçã Snra, a Autrizaçã Ambiental de Utilizaçã Snra e a Autrizaçã Ambiental Especial de Utilizaçã Snra serã requerids a órgã cmpetente da Prefeitura, juntand-se a seguinte dcumentaçã: I. requeriment em que cnste cm clareza: a) nme, endereç e qualificaçã d requerente e sua assinatura u de se seu representante legal; b) lcalizaçã d empreendiment nde é exercida a atividade em que haverá emissã snra, quand fr cas; c) listagem ds equipaments u aparelhs que sã fntes geradres de sns e ruíds. II. certidã negativa de débits municipais; III. a l v a r á d e l c a l i z a ç ã e funcinament, quand fr cas. 1 - Os templs religiss estã dispensads de apresentar dcument indicad n incis II deste artig. 2 - A Autrizaçã de Utilizaçã Snra e a Autrizaçã Ambiental de Utilizaçã Snra terã validade de 01 (um) an, cntad a partir da data de sua expediçã. 3 - N cas da Autrizaçã Ambiental Especial de Utilizaçã Snra, a sua validade está cndicinada à duraçã d event u atividade específica para a qual fi slicitada e nã pderá exceder praz máxim de 30 (trinta) dias, cntads a partir da data de sua expediçã. 4 - Os veículs, de qualquer natureza, cadastrads n órgã cmpetente da Prefeitura, deverã apresentar, em lcal visível, nº. da sua respectiva Autrizaçã de Utilizaçã Snra. Art A Autrizaçã Ambiental de Utilizaçã Snra será expedida pel órgã cmpetente da Prefeitura, após vistria d lcal nde a atividade é exercida e cnstataçã de que ambiente, nde haverá a emissã de sns e ruíds, pssui cndicinament acústic adequad, n sentid de preservar s limites estabelecids, verificad mediante medições efetuadas ns terms desta lei. Art Os estabeleciments nde sã exercidas as atividades de que trata artig 94 terã um praz de 90 (nventa) dias para serem adaptads a dispst nesta lei e slicitarem a Autrizaçã Ambiental de Utilizaçã Snra. Art A realizaçã de events em lgradurs públics que utilizem equipaments snrs será precedida da respectiva autrizaçã pel órgã cmpetente, respeitads s níveis máxims de emissã de sm estabelecids nesta lei. Parágraf Únic - O requeriment para a autrizaçã de que trata caput deste artig deverá ser dirigid a órgã cmpetente da Prefeitura, n praz máxim de 10 (dez) dias antes da data de realizaçã d event, dele cnstand, pel mens, data, lcal, hrári e equipaments a serem utilizads. Art Nã serã permitids, nas áreas urbanas d Municípi, sns prvcads pr criaçã, tratament, aljament e cmérci de animais que causem incômd para a vizinhança, salv quand em zlógics, parques e circs. Descumpriment infraçã grave. Art Sã pribids s sns e ruíd, independente de medições de qualquer natureza, gerads pr pregões, anúncis u prpagandas de caráter cmercial em lgradur públic, u para ele dirigid, prduzids pr aparelhs de sm u instrument de qualquer natureza, instalads em estabeleciments u em veículs autmtres. Descumpriment infraçã grave. 1 - Além da multa prevista pel descumpriment d dispst n caput deste artig, será efetuada a apreensã d equipament geradr de sm u ruíd pela fiscalizaçã da Prefeitura. 2 - Será tlerada a emissã de sns gerads pr alt-falantes, fnógrafs e utrs aparelhs usads em cnvcaçã ppular de utilidade pública, assim cm serviçs de rádi cmunitári, também de utilidade pública, limitand seu funcinament a períd cmpreendid entre 8:00h e 18:00h, desde que respeitads

16 PÁGINA 16- DIÁRIO OFICIAL - ANO VIII - Nº de 20 a 26 de Nvembr de PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMAÇARI s níveis máxims de sns e ruíds estabelecids pr esta Lei. 3 - Ficam excluíds da pribiçã de que trata caput deste artig s veículs de qualquer natureza, devidamente cadastrads n órgã cmpetente da Prefeitura, destinads exclusivamente à divulgaçã de anúncis publicitáris. 4 - Os veículs de qualquer natureza de que trata parágraf anterir pderã permanecer parads pr períds nã sã superires a 10 (dez) minuts, bjetivand a divulgaçã de anúncis publicitáris. Art Nã estã sujeits às pribições referidas nesta lei s sns prduzids pelas seguintes fntes: I. aparelhs snrs de qualquer natureza, fixs u móveis, usads durante períd de prpaganda eleitral, devidamente atendids a legislaçã própria e s parâmetrs desta lei, inclusive quant a hrári para emissã snra; II. sirenes u aparelhs snrs de viaturas, quand em serviç de scrr u pliciament; III. d e t n a ç õ e s d e e x p l s i v s empregads n arrebentament de pedreiras u rchas u em demlições, desde que em hrári e cm carga previamente autrizads pel órgã cmpetente da Prefeitura; IV. sins de igrejas desde que sirvam exclusivamente para indicar as hras u anunciar a realizaçã de ats u cults religiss; V. bandas de música e assemelhadas, desde que em prcissões, crtejs u d e s f i l e s p ú b l i c s, n h r á r i cmpreendid entre as 8:00h e 21:00h. Parágraf Únic - Os aparelhs de sm móveis referids n incis I, acima, deverã ser devidamente cadastrads n órgã cmpetente da Prefeitura. Art Verificada a inflaçã a qualquer dispsitiv estabelecid nesta Lei, órgã cmpetente da Prefeitura, independentemente de utras sanções cabíveis, aplicará as seguintes penalidades: c) ntificaçã; d) aut de infraçã; e) embarg d us da fnte de sm; f) apreensã da fnte de sm; g) embarg d estabeleciment; h) interdiçã d estabeleciment; i) cassaçã da Autrizaçã Ambiental de Utilizaçã Snra; j) cassaçã da Autrizaçã de Lcalizaçã e Funcinament d estabeleciment. Art O aut de infraçã, uma vez julgad prcedente, garantirá a emissã de multa prprcinal à natureza da infraçã, em cnfrmidade cm dispst n anex III desta lei. 1 - A quitaçã da multa nã exime infratr de cumprir que lhe fr determinad pela Prefeitura, visand sanar a irregularidade detectada pela fiscalizaçã. 2 - Infrações cmetidas pr tris elétrics e assemelhadas, em events devidamente autrizads, serã penalizads cm multas de R$ 1.500,00 (mil e quinhents reais) pr decibel que ultrapassar nível máxim permitid, cnfrme referid n artig 93 desta lei. Art O embarg d us da fnte de sm será aplicad na reincidência da infraçã. Art A apreensã da fnte de sm, assim cm embarg d estabeleciment, será aplicada quand d descumpriment d embarg d us da fnte de sm. Parágraf Únic - O infratr que tiver seu equipament geradr de sm apreendid pela fiscalizaçã terá praz máxim de 60 (sessenta) dias para, efetivand pagament de 5 (cinc) UFIR's pr dia de apreensã, slicitar a sua devluçã junt a órgã cmpetente da Prefeitura, find qual bem será encaminhad para leilã. Art A interdiçã d estabeleciment será aplicada n descumpriment d embarg d estabeleciment. Art A cassaçã da Autrizaçã Ambiental de Utilizaçã Snra crrerá na desbediência da interdiçã d estabeleciment. Art A cassaçã d Alvará de Lcalizaçã e Funcinament crrerá n prsseguiment da infraçã. Art Na aplicaçã das nrmas estabelecidas neste capítul desta lei, cabe a órgã cmpetente da prefeitura estabelecer prgrama de cntrle ds ruíds urbans, exercer pder de cntrle e fiscalizaçã das fntes de pluiçã snra, aplicar as sanções previstas na legislaçã vigente e rganizar prgramas de educaçã e cnscientizaçã. TÍTULO VIII DA CONSERVAÇÃO DOS EDIFÍCIOS, ELEVADORES, ESCADAS E ELEMENTOS DIVISÓRIOS DE TERRENOS CAPÍTULO I Da Preservaçã e Cnservaçã ds Edifícis Art Os edifícis e suas dependências deverã ser cnvenientemente cnservads pels respectivs prprietáris u inquilins, em especial quant à estabilidade, higiene e estética, para que nã sejam cmprmetidas a paisagem urbana, a segurança e a saúde ds cupantes, vizinhs e transeuntes. Descumpriment infraçã média. Art As prprietáris ds prédis em ruínas será cncedid, pela Prefeitura, praz para refrmáls de acrd cm s parâmetrs urbanístics municipais.

17 PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMAÇARI - DIÁRIO OFICIAL - ANO VIII - Nº de 20 a 26 de Nvembr de PÁGINA Para atendiment às exigências d presente artig, será feita a necessária intimaçã. 2 - N cas de s serviçs nã serem executads n praz fixad na intimaçã, prprietári deverá prceder à sua demliçã. Art A ser cnstatad, através de perícia técnica, que um prédi ferece risc de ruir, órgã cmpetente da Prefeitura adtará as seguintes prvidencias: I. evacuaçã e interdiçã d prédi; II. intimaçã d prprietári para iniciar, n praz mínim de 48 (quarenta e it) hras, s serviçs de repars, cnslidaçã u demliçã. 1 - Quand prprietári nã atender à intimaçã, a Prefeitura adtará as medidas legais e necessárias à prnta execuçã de sua decisã. 2 - As despesas decrrentes da execuçã ds serviçs, a que se refere parágraf anterir, acrescidas de 20% (vinte pr cent), serã cbradas d prprietári. CAPÍTULO II Ds Murs, Gradis, Cercas e Elements Divisóris em Geral, ds Murs de Sustentaçã, Calçadas e Tlds Art É brigatóri fechament ds terrens nã edificads e, n cas de cnstruçã de murs, é necessária a prévia autrizaçã ds órgãs cmpetentes. Descumpriment infraçã média. Parágraf únic - A cnstruçã de murs deverá ser de alvenaria, cnvenientemente revestida, u de utr material cm as mesmas características, tend sempre altura padrã de 1,80m (um metr e itenta centímetrs). Art O prprietári d imóvel é respnsável pela cnstruçã e cnservaçã de suas respectivas calçadas, bservad padrã cnstrutiv estabelecid pela Prefeitura. Parágraf únic - A brigaçã de cnstruçã de calçada, prevista n caput deste artig, nã se aplica as imóveis lcalizads nas Znas de Interesse Scial ZEIS, indicadas n Plan Diretr de Desenvlviment Urban PDDU, cabend as seus prprietáris, cntud, a respnsabilidade de cnservaçã das respectivas calçadas. Art A cnstatar a necessidade de cnstruçã u repar de mur u calçada, órgã cmpetente da Prefeitura intimará prprietári a executar s serviçs n praz de 30 (trinta) dias. 1 - Quand a intimaçã nã fr cumprida, n praz previst n parágraf anterir, pde a Prefeitura, tend em vista interesse públic, executar s serviçs e mandar as despesas pr cnta d infratr, acrescidas de 20% (vinte pr cent), a títul de administraçã. 2 - Os gasts e gravames resultantes da realizaçã da bra, nas hipóteses d parágraf anterir, pderã ser incluíds na guia de reclhiment d impst predial u territrial, cnfrme cas, sfrend s mesms acréscims que impst referid. Art A instalaçã de tlds em fachadas de imóveis residenciais, industriais, cmerciais u de serviçs, cm prjeçã sbre lgradurs públics, dependerá de prévi licenciament d Pder Públic Municipal. Descumpriment infraçã média. 1 - Os tlds acima referids devem: I. estar em perfeit estad de cnservaçã; II. nã prejudicar a arbrizaçã e a iluminaçã pública; III. nã cultar a sinalizaçã turística u de trânsit, a nmenclatura d lgradur e a numeraçã da edificaçã; IV. nã ultrapassar alinhament d mei-fi cm a sua prjeçã; V. nã prejudicar a circulaçã de pedestres e veículs. Descumpriment infraçã média. 2 - O Pder executiv Municipal regulamentará as características, materiais e cndições para instalaçã ds tlds referids n caput deste artig. CAPITULO III Ds Elevadres, Escadas Rlantes e Mnta-cargas Art Cmpete à Prefeitura fiscalizar, mediante vistrias periódicas, funcinament e manutençã de elevadres, escadas rlantes e mntacargas, em prédis públics e privads, a fim de verificar se ferecem as cndições de segurança a seus usuáris e, bem assim, a bservância da ltaçã estabelecida para s elevadres e ds limites de cargas transprtáveis. 1 - O órgã cmpetente da Prefeitura estabelecerá a ltaçã e limite máxims de cargas permitids, tend em vista as cndições d respectiv fabricante. 2 -É brigatóri clcar e manter permanentemente em perfeit estad, em uma das paredes da cabine ds elevadres de passageirs, um avis cm a indicaçã da capacidade licenciada, relativa à ltaçã, incluind ascensrista, se huver, e a carga máxima admissível. Descumpriment infraçã média. 3 - N cas de elevadres de carga, será brigatória a manutençã de avis semelhante a referid n parágraf anterir, indicand apenas a capacidade licenciada em quils. Art Qualquer que seja sistema de cmand ds elevadres de passageirs será brigatória a instalaçã de indicadres de psiçã relativs as paviments. Descumpriment infraçã média.

18 PÁGINA 18- DIÁRIO OFICIAL - ANO VIII - Nº de 20 a 26 de Nvembr de PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMAÇARI Parágraf únic. Será brigatória a fixaçã de uma placa, cm fund vermelh e letras brancas, a lad da prta ds elevadres, cm seguinte text: AVISO: Em cas de incêndi, nã utilize elevadr. Use as escadas. Descumpriment infraçã média. Art Além de ser brigatóri ter fechament autmátic, as prtas internas e externas ds elevadres deverã estar dtadas de dispsitivs de segurança, que impeçam a sua abertura quand carr nã estiver parad, bem cm de dispsitiv anti-esmagament. Descumpriment infraçã gravíssima. Art Após términ ds serviçs de instalaçã de elevadres, escadas rlantes u mntacargas, interessad deverá cmunicar fat, brigatriamente, a órgã cmpetente da Prefeitura, para efeit de indispensável vistria. Descumpriment infraçã grave. 1 - A firma instaladra d elevadr, escada rlante u mnta-cargas deverá ter registr n Cnselh Reginal de Engenharia, Arquitetura e Agrnmia. 2 - A firma instaladra d elevadr, da escada rlante u mnta-cargas deverá frnecer, brigatriamente, um term de respnsabilidade pelas bas cndições de funcinament e segurança da respectiva instalaçã. 3 - Nenhuma instalaçã de elevadr, escada rlante u mnta-cargas pderá ser psta em funcinament, antes de vistriada pel órgã cmpetente da Prefeitura, cm a participaçã d representante da firma instaladra, devend ser facilitads s meis para que sejam realizads tds s ensais e verificações exigidas nas prescrições nrmalizadas pela ABNT. 4 -Na vistria a que se refere presente artig, deverã ser atendidas as seguintes exigências: I. bservância ds dispsitivs deste Códig e d de Obras relativs a assunt, bem cm das prescrições nrmalizadas pela ABNT e das características da instalaçã; II. v e r i f i c a ç ã d p e r f e i t funcinament ds dispsitivs de segurança e de emergência; III. ensai das cndições de resistência e de funcinament da instalaçã, cmpreendend prva de carga, prva de velcidade e prva de funcinament ds freis. Art Cm alvará de instalaçã d elevadr, da escada rlante u d mnta-cargas, será frnecida a chapa de identificaçã d registr da Prefeitura, que deverá ser, brigatriamente, clcada internamente na parte superir da prta de entrada d carr u na lateral da escada rlante. Art Os elevadres, escadas rlantes u mnta-cargas deverã ser mantids, brigatriamente, em permanente e perfeit funcinament, salv suspensões transitórias pr interrupçã de energia, acidente, desarranj eventual u necessidade de reparaçã u de substituiçã de peças, cass em que a interrupçã durará espaç de temp indispensável para restabeleciment da nrmalidade. Descumpriment infraçã grave. Art É pribid funcinament de elevadres cm: I. as prtas abertas; II. excess de pes e de númer de pessas em relaçã a previst na placa indicadra. Descumpriment infraçã grave. TÍTULO IX DA SEGURANÇA DA POPULAÇÃO CAPITULO I Das Dispsições Gerais Art As atividades que pssam pr em risc a segurança da ppulaçã estarã sujeitas à intervençã da Prefeitura quant à: I. i n s t a l a ç ã d e a p a r e l h s e dispsitivs de segurança; II. execuçã de qualquer atividade que pssa causar ameaça à segurança da ppulaçã u a seus usuáris, tais cm instalaçã e funcinament de equipaments elétrics, eletrônics e eletrmecânics e de cmbustã e máquinas em geral. CAPÍTULO II Da Instalaçã e Funcinament das Máquinas e Mtres em Geral Art A instalaçã, assentament e funcinament das máquinas e mtres em geral deverã ser feits de md a nã prduzir pluiçã d mei ambiente, riscs u dans à saúde da ppulaçã. Descumpriment infraçã grave. Art Os estabeleciments que tenham pr finalidade a instalaçã, refrma, substituiçã e assistência técnica de máquinas e mtres, em geral, devem ter seu respnsável técnic registrad ns órgãs cmpetentes que disciplinam exercíci de prfissões, atendend às nrmas da Assciaçã Brasileira de Nrmas Técnicas (ABNT) e legislaçã específica. Art O funcinament de máquinas e mtres em geral, destinad a us da ppulaçã, smente será permitid mediante cmprvaçã de existência de cntrat de manutençã cm firma técnica especializada. Descumpriment: infraçã média. Parágraf únic - O respnsável pel lcal nde funcinem tais equipaments deverá manter em seu pder cópia d cntrat de manutençã, para apresentaçã

19 PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMAÇARI - DIÁRIO OFICIAL - ANO VIII - Nº de 20 a 26 de Nvembr de PÁGINA 19 as prepsts da Prefeitura, quand de vistria a lcal e sempre que requisitad. CAPÍTULO III Ds Inflamáveis, Explsivs e Químics Art A Autrizaçã de Lcalizaçã e Funcinament ds estabeleciments destinads a depósit, entrepst, transprte e fabric de prduts inflamáveis, fgs de artifícis, explsivs e químics smente serã cncedida respeitads s critéris estabelecids n Plan Diretr de Desenvlviment Urban, Códig Urbanístic e Ambiental e na legislaçã ambiental federal, estadual e municipal. Art A cmercializaçã de fgs de artifícis e de estampids smente será permitida em estabeleciments específics e mediante autrizaçã d Pder Executiv Municipal, bservadas a legislaçã federal e estadual pertinentes, bem cm: I. afastament mínim de 50m (cinqüenta metrs) ds lgradurs p ú b l i c s e d e r e s i d ê n c i a s e estabeleciments cmerciais; II. instalaçã elétrica blindada, de acrd cm as nrmas técnicas vigentes; III. estque bem acndicinad e em lcal visível e de fácil acess; IV. extintr de incêndi de água pressurizada cm capacidade de 10 (dez) 2 litrs para cada 12 m de área e um extintr de incêndi de pó químic, cm capacidade de 8 kg (it quils); V. área de circulaçã e evacuaçã d públic, em qualquer situaçã de emergência. Descumpriment infraçã grave. Art Os btijões de gás liquefeit de petróle smente pderã ser clcads à venda em estabeleciment cmercial especializad, e mediante autrizaçã da Prefeitura, bservadas as nrmas de segurança estabelecidas em legislaçã pertinente. Descumpriment: infraçã gravíssima. Art Em td depósit, pst de abasteciment de veículs, armazém a granel u qualquer utr imóvel, nde haja armazenament de prduts inflamáveis e explsivs, deverã existir equipaments e instalações cntra incêndis, em quantidade que atenda às nrmas técnicas, mantids em perfeit estad de funcinament. Descumpriment: infraçã gravíssima. Art É expressamente pribid: I. fabricar explsivs, incluind fgs de artifíci, sem autrizaçã especial e em lcal nã autrizad pela Prefeitura; II. depsitar u cnservar nas vias públicas, ainda que prvisriamente, inflamáveis u explsivs sem a prévia cncessã da Prefeitura, nem atendiment às nrmas de segurança; III. manter depósit de substâncias inflamáveis u de explsivs, incluind fgs de artifíci, sem a autrizaçã da Prefeitura e sem atender às exigências legais quant à cnstruçã e segurança; IV. queimar fgs de artifíci, bmbas u fgs similares ns lgradurs públics, excet em dias de regzij públic u festividades de caráter religis e cultural, cmícis e recepções plíticas; V. sltar balões em td territóri municipal; VI. fazer fgueiras em lgradurs públics sem a prévia autrizaçã municipal. Descumpriment: infraçã gravíssima. Art A utilizaçã de explsiv para desmnte de rcha u explraçã de pedreira deve se limitar exclusivamente a tip, espécie e métd executiv mencinads na autrizaçã cncedida pela Prefeitura. Descumpriment infraçã gravíssima. Art Para a explraçã de pedreiras u desmnte de rcha cm explsivs, será bservad seguinte: I. c l c a ç ã d e s i n a i s n a s prximidades das minas que pssam ser percebids claramente pels transeuntes a, pel mens, 100 (cem) metrs de distância; II. adçã de um tque cnvencinal e de um brand prlngad dand sinal de fg. Descumpriment infraçã gravíssima. Art Nã será permitid transprte de explsivs u inflamáveis n territóri municipal, sem a bservância das nrmas de segurança e precauções devidas. 1 - Nã pderã ser transprtads simultaneamente, n mesm veícul, explsivs e inflamáveis; 2 - Os veículs que transprtarem explsivs e inflamáveis nã pderã cnduzir utras pessas, além d mtrista e ajudante. 3 - Nã será permitida a descarga de explsivs ns passeis e vias públicas. Descumpriment d caput d artig e ds três parágrafs - infraçã gravíssima. Art Ns psts de abasteciment equipads cm serviçs de limpeza, lavagem e lubrificaçã de veículs, esses serã feits n recint ds psts, que deverã ser dtads, para tant, de instalações destinadas

20 PÁGINA 20- DIÁRIO OFICIAL - ANO VIII - Nº de 20 a 26 de Nvembr de PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMAÇARI a evitar a acumulaçã de água e de resídus de lubrificantes n sl u seu escament para lgradur públic. Descumpriment: infraçã grave. TÍTULO X DOS PARQUES, JARDINS E ESPAÇOS VERDES. Art Os parques, jardins e áreas verdes municipais sã espaçs públics cuja gestã é da cmpetência ds órgãs municipais, cabend a estes e à cletividade zelar pela sua prteçã e cnservaçã. Capítul I Ds Parques, Jardins e Áreas Verdes Art Ns parques, jardins e áreas verdes municipais é vedad: I. cnfeccinar refeições cm fgareir u equipament similar, u acampar fra ds lcais destinads a esse efeit; II. entrar e circular cm qualquer tip de veícul, salv cm prévia e expressa autrizaçã, send permitida a entrada e circulaçã de viatura de serviç públic, cadeiras de rdas, carrinhs de bebê, tricicls, bicicletas e carrinhs infantis, desde que nã pribid pr nrma específica; III. passear cm animais, salv se devidamente press e cntids pr guias, crrentes u trelas; IV. passear cm qualquer animal em parques desprtivs u infantis; V. crte, clheita u dan causad a flres e plantas em geral, bem cm crte u quebra de rams de árvres e arbusts; VI. us ds chafarizes, fntes e espelhs d água para banhs u pesca, bem cm lançar as mesms quaisquer bjets, líquids u detrits; VII. praticar jgs rganizads, fra ds lcais, cndições e hráris prevists para tal, sem btençã de prévia e expressa autrizaçã; VIII. caçar, perturbar u mlestar s animais que vivam ns parques, jardins e espaçs verdes; IX. lançar águas pluídas u prvenientes de limpezas dmésticas, u ainda quaisquer detrits; X. apascentar gad bvin, vin, caprin u eqüin; XI. instalar barracas u estruturas semelhantes, fixas u remvíveis; XII. permitir que s animais evacuem em quaisquer dessas znas, sem que acmpanhante apanhe dejet clcand- em sac plástic e infraçã média. depsite, de frma salubre, em cntentres prevists para este fim, admitind-se a única exceçã de cãesguia de deficientes visuais; XIII. urinar u defecar fra ds lcais expressamente destinads a esse fim; XIV. destruir u danificar, inclusive cm pichações, placas de sinalizaçã, m n u m e n t s, e s t á t u a s, f n t e s, esculturas, bancs, dispsitivs de rega u quaisquer tips de mbiliári urban existentes nesses lcais, XV. plantar árvres e arbusts sem rientaçã prévia d órgã cmpetente da Prefeitura Municipal. Descumpriment de qualquer incis Art É pribida a utilizaçã, ns parques, jardins e espaçs verdes, de aparelhs de sm, excet aqueles usads cm fnes de uvid u em events cletivs cm a devida autrizaçã d Pder Públic Municipal. Descumpriment: infraçã leve Capítul II Da Prteçã a Árvres e Arbusts ns Parques, Jardins e Espaçs Verdes Art É pribid pdar, crtar, danificar, derrubar u remver árvre ds lgradurs públics, send estes serviçs de atribuiçã exclusiva da Prefeitura Municipal. Descumpriment: infraçã média. 1 - Cnstitui infraçã grave pdar, crtar, danificar, derrubar u remver árvres nativas, cm risc de extinçã da espécie u aquelas de imprtância religisa. 2 - Quand se trnar abslutamente imprescindível, a pedid de particulares, órgã cmpetente da Prefeitura pderá fazer a remçã u derrubada de árvres cm ameaça de desabament u que tragam riscs u incômd para s mradres próxims e transeuntes. 3 - Para que nã seja desfigurada a arbrizaçã d lgradur, cada remçã u derrubada de árvre imprtará n imediat planti da mesma u de nva árvre em pnt cuj afastament seja menr pssível da antiga psiçã, cnfrme term de referência, assegurand a circulaçã de pedestre e a visã de mtrista. Art Nas árvres e arbusts que se encntrem plantads ns parques, jardins, áreas verdes em geral, ruas, praças e utrs espaçs públics, nã é permitid: I. subir para clher fruts, flres e sementes, u para utr fim d qual pssa resultar dan à planta;

Lista de Documentos o Abertura de Empresas Abertura de empresas na área de alimentos Documentos para estabelecimentos comerciais (pessoa física)

Lista de Documentos o Abertura de Empresas Abertura de empresas na área de alimentos Documentos para estabelecimentos comerciais (pessoa física) Lista de Dcuments Abertura de Empresas Abertura de empresas na área de aliments Dcuments para estabeleciments cmerciais (pessa física) 1) Ficha de Inscriçã Cadastral, preenchida na própria VISA; 2) Cópia

Leia mais

AGÊNCIA REGULADORA DE AGUAS, ENERGIA E SANEAMENTO BÁSICO DO DISTRITO FEDERAL

AGÊNCIA REGULADORA DE AGUAS, ENERGIA E SANEAMENTO BÁSICO DO DISTRITO FEDERAL AGÊNCIA REGULADORA DE AGUAS, ENERGIA E SANEAMENTO BÁSICO DO DISTRITO FEDERAL PUBLICADA NO DODF Nº 158 DE 05 DE AGOSTO DE 2014 ALTERADA POR MEIO DA PORTARIA Nº 112, DE 13 DE AGOSTO DE 2014, PUBLICADA NO

Leia mais

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE RESOLUÇÃO N 379, DE 19 DE OUTUBRO DE 2006 Cria e regulamenta sistema de dads e infrmações sbre a gestã flrestal n âmbit d Sistema Nacinal

Leia mais

Workshop Nova Legislação que regula a aplicação de Produtos Fitofarmacêuticos (PF)

Workshop Nova Legislação que regula a aplicação de Produtos Fitofarmacêuticos (PF) Wrkshp Nva Legislaçã que regula a aplicaçã de Prduts Fitfarmacêutics (PF) Quinta d Vallad, Vilarinh ds Freires Branca Teixeira 23 de mai de 2013 Nva Legislaçã Lei nº26/2013 de 11 de abril Regula as actividades

Leia mais

CAE Rev_3: 47990 VENDAS AUTOMÁTICAS (VENDING)

CAE Rev_3: 47990 VENDAS AUTOMÁTICAS (VENDING) O cnteúd infrmativ dispnibilizad pela presente ficha nã substitui FUNCHAL CAE Rev_3: 47990 VENDAS AUTOMÁTICAS (VENDING) ÂMBITO A atividade de venda autmática deve bedecer à legislaçã aplicável à venda

Leia mais

MANUAL dos LABORATÓRIOS De INFORMÁTICA

MANUAL dos LABORATÓRIOS De INFORMÁTICA MANUAL ds LABORATÓRIOS De INFORMÁTICA Objetiv 1. Oferecer as aluns a infra-estrutura e suprte necessári à execuçã de tarefas práticas, slicitadas pels prfessres, bservand s prazs estabelecids. 2. Oferecer

Leia mais

RESOLUÇÃO COMPLEMENTAR N o 01/2007 De 8 de novembro de 2007 Reedita as Normas para Reconhecimento de Títulos de Pós-Graduação, revogando a

RESOLUÇÃO COMPLEMENTAR N o 01/2007 De 8 de novembro de 2007 Reedita as Normas para Reconhecimento de Títulos de Pós-Graduação, revogando a RESOLUÇÃO COMPLEMENTAR N 01/2007 De 8 de nvembr de 2007 Reedita as Nrmas para Recnheciment de Títuls de Pós-Graduaçã, revgand a Resluçã Cmplementar n 02/93, de 25 de junh de 1993. O CONSELHO DE ENSINO,

Leia mais

Manual do DEC Domicílio Eletrônico do Contribuinte

Manual do DEC Domicílio Eletrônico do Contribuinte GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DA FAZENDA Crdenadria da Administraçã Tributária Diretria Executiva da Administraçã Tributária Manual d DEC Dmicíli Eletrônic d Cntribuinte Manual DEC (dezembr

Leia mais

Gestão de SHST e Ambiente. Regras de Qualidade, Ambiente e Segurança aplicáveis às entidades externas

Gestão de SHST e Ambiente. Regras de Qualidade, Ambiente e Segurança aplicáveis às entidades externas 1 / 7 I. OBJETIVO E ÂMBITO Este dcument estabelece as regras de Segurança n Trabalh e Ambiente aplicáveis a entidades que venham a desenvlver actividades dentr da RESIESTRELA, em regime de cntrat, prestaçã

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Orientações gerais MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO ESCOLA AGROTÉCNICA FEDERAL DE RIO DO SUL ESTRADA DO REDENTOR, 5665 BAIRRO CANTAGALO RIO DO SUL (SC) (47) 3521 3700 eafrs@eafrs.gv.br ORIENTAÇÕES GERAIS As rientações

Leia mais

PROCESSO EXTERNO DE CERTIFICAÇÃO

PROCESSO EXTERNO DE CERTIFICAÇÃO 1 de 7 1. OBJETIVO Este prcediment estabelece prcess para cncessã, manutençã, exclusã e extensã da certificaçã de sistema de segurança cnfrme ABNT NBR 15540. 2. DOCUMENTOS COMPLEMENTARES - ABNT NBR 15540:2013:

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR POLITÉCNICO DE VISEU ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO DE LAMEGO EDITAL

INSTITUTO SUPERIOR POLITÉCNICO DE VISEU ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO DE LAMEGO EDITAL EDITAL CANDIDATURA AOS CURSOS TÉCNICOS SUPERIORES PROFISSIONAIS (CTeSP) 2015 CONDIÇÕES DE ACESSO 1. Pdem candidatar-se a acess de um Curs Técnic Superir Prfissinal (CTeSP) da ESTGL tds s que estiverem

Leia mais

GUIA DE RELACIONAMENTO MT-COR: 001 Revisão: 000

GUIA DE RELACIONAMENTO MT-COR: 001 Revisão: 000 GUIA DE RELACIONAMENTO MT-COR: 001 Revisã: 000 A Mercur S.A., empresa estabelecida desde 1924, se precupa em cnduzir as suas relações de acrd cm padrões étics e cmerciais, através d cumpriment da legislaçã

Leia mais

SEGURANÇA NO TRABALHO CONTRATADOS E TERCEIROS DO CLIENTE

SEGURANÇA NO TRABALHO CONTRATADOS E TERCEIROS DO CLIENTE Flha 1 de 8 Rev. Data Cnteúd Elabrad pr Aprvad pr 0 16/06/2004 Emissã inicial englband a parte técnica d GEN PSE 004 Luiz C. Sants Cmitê da Qualidade 1 31/01/2006 Revisã geral Luiz C. Sants Cmitê da Qualidade

Leia mais

Este documento tem como objetivo definir as políticas referentes à relação entre a Sioux e seus funcionários.

Este documento tem como objetivo definir as políticas referentes à relação entre a Sioux e seus funcionários. OBJETIVO Este dcument tem cm bjetiv definir as plíticas referentes à relaçã entre a Siux e seus funcináris. A Siux se reserva direit de alterar suas plíticas em funçã ds nvs cenáris da empresa sem avis

Leia mais

Legenda da Mensagem de Resposta à Verificação de Elegibilidade (respostaelegibilidade)

Legenda da Mensagem de Resposta à Verificação de Elegibilidade (respostaelegibilidade) Legenda da Mensagem de Respsta à Verificaçã de Elegibilidade (respstaelegibilidade) Mensagem : Respta à verificaçã de elegibilidade (respstaelegibilidade) - Flux : Operadra para Prestadr Códig da mensagem

Leia mais

Anexo V. Software de Registro Eletrônico em Saúde. Implantação em 2 (duas) Unidades de Saúde

Anexo V. Software de Registro Eletrônico em Saúde. Implantação em 2 (duas) Unidades de Saúde Anex V Sftware de Registr Eletrônic em Saúde Implantaçã em 2 (duas) Unidades de Saúde Índice 1 INTRODUÇÃO... 3 2 ESTRATÉGIAS E PROCEDIMENTOS DE IMPLANTAÇÃO... 3 4 INFRAESTRUTURA NAS UNIDADES DE SAÚDE -

Leia mais

Regulamento do programa de bolsas de estudos

Regulamento do programa de bolsas de estudos Regulament d prgrama de blsas de estuds Unidades Ri de Janeir e Sã Paul Data de publicaçã: 13/05/2015 Regulament válid até 30/08/2015 1 1. Sbre prgrama Através de um prcess seletiv, prgrama de blsas de

Leia mais

LEI Nº 8.069, DE 13 DE JULHO DE 1990.

LEI Nº 8.069, DE 13 DE JULHO DE 1990. LEI Nº 8.069, DE 13 DE JULHO DE 1990. O IASAe a Escla Municipal de SantAndré realizaram uma série de ações vltadas para a disseminaçã e efetivaçã ds Direits das Crianças e Adlescentes estabelecids pel

Leia mais

PROCEDIMENTO ESPECÍFICO OPERAÇÕES DE DESMATAÇÃO, DESARBORIZAÇÃO E APLICAÇÃO DE FITOFARMACÊUTICOS

PROCEDIMENTO ESPECÍFICO OPERAÇÕES DE DESMATAÇÃO, DESARBORIZAÇÃO E APLICAÇÃO DE FITOFARMACÊUTICOS Página 1 de 9 0 CONTROLO DE REVISÕES... 2 1 OBJECTIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO... 2 2 REFERÊNCIAS... 2 3 DEFINIÇÕES... 2 4 ABREVIATURAS... 3 5 PROCEDIMENTO... 3 5.1 NECESSIDADE DE DESARBORIZAÇÃO OU DESMATAÇÃO...

Leia mais

Prefeitura Municipal de Belo Horizonte Vox Mercado Pesquisa e Projetos Ltda. Dados da organização

Prefeitura Municipal de Belo Horizonte Vox Mercado Pesquisa e Projetos Ltda. Dados da organização Data de elabraçã da ficha: Jun 2007 Prefeitura Municipal de Bel Hriznte Vx Mercad Pesquisa e Prjets Ltda. Dads da rganizaçã Nme: Prefeitura Municipal de Bel Hriznte Endereç: Av. Afns Pena, 1212 - Cep.

Leia mais

Software Development Kit (SDK) do Microsoft Kinect para Windows

Software Development Kit (SDK) do Microsoft Kinect para Windows Sftware Develpment Kit (SDK) d Micrsft Kinect para Windws Os presentes terms de licenciament cnstituem um cntrat entre a Micrsft Crpratin (u dependend d país em que reside uma das respetivas empresas afiliadas)

Leia mais

CARTILHA PARA ORIENTAÇÃO ACERCA DAS OBRIGAÇÕES PREVIDENCIÁRIAS PARA O PERÍODO ELEITORAL

CARTILHA PARA ORIENTAÇÃO ACERCA DAS OBRIGAÇÕES PREVIDENCIÁRIAS PARA O PERÍODO ELEITORAL MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL SECRETARIA DA RECEITA PREVIDENCIÁRIA - SRP DEPARTAMENTO DE FISCALIZAÇÃO - DEFIS CARTILHA PARA ORIENTAÇÃO ACERCA DAS OBRIGAÇÕES PREVIDENCIÁRIAS PARA O PERÍODO ELEITORAL

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ASSESSORIA CONTÁBIL

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ASSESSORIA CONTÁBIL CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ASSESSORIA CONTÁBIL Cntratante: O CONSELHO REGIONAL DE SERVIÇO SOCIAL - 12º REGIÃO, pessa jurídica de direit públic cnstituída sb a frma de autarquia fiscalizadra,

Leia mais

FACULDADE DE MEDICINA DA UNIVERSIDADE DO PORTO

FACULDADE DE MEDICINA DA UNIVERSIDADE DO PORTO FACULDADE DE MEDICINA DA UNIVERSIDADE DO PORTO C e n t r d e I n f r m á t i c a NORMAS DE UTILIZAÇÃO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA A FMUP dispõe de salas e labratóris de infrmática gerids pel Centr

Leia mais

FACULDADE DE EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE

FACULDADE DE EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE FACULDADE DE EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE (Prt. MEC nº 797/14, de 11/09/2014, publicada n DOU em 12/09/2014) EDITAL 2015 PROCESSO SELETIVO O Diretr Geral da Faculdade de Educaçã em Ciências da Saúde (FECS),

Leia mais

REGRAS PARA USO DE RECURSOS PROAP/CAP

REGRAS PARA USO DE RECURSOS PROAP/CAP REGRAS PARA USO DE RECURSOS PROAP/CAP I - AJUDA DE CUSTO A ALUNOS DE DOUTORADO DA CAP, PARA PARTICIPAÇÃO EM EVENTOS CIENTÍFICOS INTERNACIONAIS FORA DO PAÍS Eligibilidade Aluns de dutrad da CAP que preencham,

Leia mais

^i * aesíqn e=> ~omunícc3ç:c30

^i * aesíqn e=> ~omunícc3ç:c30 ^i * aesíqn e=> ~munícc3ç:c30 CONTRATO DE LICENÇA DE USO DO SISTEMA - SUBMIT CMS Web Site da Prefeitura de Frei Martinh - Paraíba 1. IDENTIFICAÇÃO DAS PARTES CONTRATANTE Prefeitura Municipal de Frei Martinh

Leia mais

CAE Rev_3: 74900 e 71120 LICENCIAMENTO DE EMPRESAS PARA O EXERCÍCIO DE ACTIVIDADES DE PRODUÇÃO E RENOVAÇÃO DE CADASTRO PREDIAL

CAE Rev_3: 74900 e 71120 LICENCIAMENTO DE EMPRESAS PARA O EXERCÍCIO DE ACTIVIDADES DE PRODUÇÃO E RENOVAÇÃO DE CADASTRO PREDIAL O cnteúd infrmativ dispnibilizad pela presente ficha nã substitui a cnsulta ds diplmas legais referenciads e da entidade licenciadra. FUNCHAL CAE Rev_3: 74900 e 71120 LICENCIAMENTO DE EMPRESAS PARA O EXERCÍCIO

Leia mais

Art. 2º. Trata-se de uma promoção de caráter exclusivamente de estimulo cultural, profissional e acadêmico sem vínculo com sorteios.

Art. 2º. Trata-se de uma promoção de caráter exclusivamente de estimulo cultural, profissional e acadêmico sem vínculo com sorteios. Prêmi Data Pint de Criatividade e Invaçã - 2011 N an em que cmpleta 15 ans de atuaçã n mercad de treinament em infrmática, a Data Pint ferece à cmunidade a prtunidade de participar d Prêmi Data Pint de

Leia mais

MODIFICAÇÕES AO ORÇAMENTO DA DESPESA

MODIFICAÇÕES AO ORÇAMENTO DA DESPESA ENTIDADE MDIFICAÇÕES A RÇAMENT DA Pagina: 1 TTAL DE ALTERAÇÕES : 13 CMVC TTAL DE REVISÕES : 2 D AN CNTABILISTIC DE 2014 ATÉ À DATA : 2014/12/31 IDENTIFICAÇÃ DAS RUBRICAS MDIFICAÇÕES RÇAMENTAIS DTAÇÕES

Leia mais

Direitos e Obrigações no âmbito dos Acidentes Profissionais e Doenças Profissionais

Direitos e Obrigações no âmbito dos Acidentes Profissionais e Doenças Profissionais Cmunicaçã Direits e Obrigações n âmbit ds Acidentes Prfissinais e Denças Prfissinais Direits e Obrigações n âmbit ds Acidentes Prfissinais e Denças Prfissinais (Lei nº 98/2009 de 4 de Setembr) 1- QUEM

Leia mais

Zoneamento Caraguatatuba (Lei Complemen

Zoneamento Caraguatatuba (Lei Complemen Zneament Caraguatatuba (Lei Cmplemen Zna (art. 105) Características Macrzna de Prteçã Ambiental (MSPA) A Macrzna de Prteçã Ambiental / MZPA é cnstituída pel Parque Estadual da Serra d Mar Núcle Caraguatatuba.

Leia mais

Lista de verificação do conteúdo do Plano de Emergência Interno

Lista de verificação do conteúdo do Plano de Emergência Interno Intrduçã Lista de verificaçã d cnteúd d Plan de Emergência Intern (artig 18.º d Decret-Lei n.º 254/2007, de 12 de julh) O Decret-Lei n.º 254/2007, de 12 de julh, estabelece regime de prevençã de acidentes

Leia mais

SDK (Software Development Kit) do Microsoft Kinect para Windows

SDK (Software Development Kit) do Microsoft Kinect para Windows SDK (Sftware Develpment Kit) d Micrsft Kinect para Windws Os presentes terms de licença cnstituem um acrd entre a Micrsft Crpratin (u, dependend d lcal n qual vcê esteja dmiciliad, uma de suas afiliadas)

Leia mais

REGULAMENTO DA OLIMPÍADA JURÍDICA 2014

REGULAMENTO DA OLIMPÍADA JURÍDICA 2014 1 REGULAMENTO DA OLIMPÍADA JURÍDICA 2014 PARTICIPANTES A Olimpíada Jurídica 2014 é uma cmpetiçã direcinada a aluns que estejam regularmente matriculads ns curss de graduaçã de Direit de Instituições de

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL Intrduçã O presente Regulament cnstitui um dcument intern d curs de Ciências Cntábeis e tem pr bjetiv reger as atividades relativas a Estági de Iniciaçã

Leia mais

Curso Profissional de Técnico Auxiliar de Saúde

Curso Profissional de Técnico Auxiliar de Saúde Curs Prfissinal de Técnic Auxiliar de Saúde Planificaçã Anual de Higiene, Segurança e Cuidads Gerais An Letiv 2014/2015 Códig Módul Cnteúds - - Apresentaçã 17/09/14 - - Avaliaçã Diagnóstica Inicial 6572

Leia mais

ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE SANTA EFIGÊNIA DE MINAS

ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE SANTA EFIGÊNIA DE MINAS ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE SANTA EFIGÊNIA DE MINAS AUXILIAR DE SECRETARIA Organizar e manter atualizad serviç de escrituraçã esclar. Redigir fícis, expsições de mtivs, atas, declarações, certidões de cntagem

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS REALIZAR MANUTENÇÃO PREDIAL

MANUAL DE PROCEDIMENTOS REALIZAR MANUTENÇÃO PREDIAL Códig: MAP-DILOG-002 Versã: 00 Data de Emissã: 01/01/2013 Elabrad pr: Gerência de Instalações Aprvad pr: Diretria de Lgística 1 OBJETIVO Estabelecer cicl d prcess para a manutençã predial crretiva e preventiva,

Leia mais

Prefeitura Municipal

Prefeitura Municipal Prefeitura Municipal Publicad autmaticamente n Diári de / / Divisã de Prtcl Legislativ Dê-se encaminhament regimental. Sala das Sessões, / / Presidente Curitiba, 22 de julh de 2015. MENSAGEM Nº 049 Excelentíssim

Leia mais

Promover a obtenção de AIM (Autorização de Introdução no Mercado) no estrangeiro de medicamentos criados e desenvolvidos em Portugal.

Promover a obtenção de AIM (Autorização de Introdução no Mercado) no estrangeiro de medicamentos criados e desenvolvidos em Portugal. SIUPI SISTEMA DE INCENTIVOS À UTILIZAÇÃO DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL FICHA DE MEDIDA Apia prjects que visem estimular investiment em factres dinâmics de cmpetitividade, assciads à invaçã tecnlógica, a design

Leia mais

O Certificado é um dos documentos exigidos para solicitar as seguintes isenções de contribuições sociais:

O Certificado é um dos documentos exigidos para solicitar as seguintes isenções de contribuições sociais: PROCEDIMENTOS PARA CERTIFICAÇÃO E/OU RENOVAÇÃO DO CEBAS CNAS CERTIFICAÇÃO/RENOVAÇÃO O Certificad é um ds dcuments exigids para slicitar as seguintes isenções de cntribuições sciais: Parte patrnal da cntribuiçã

Leia mais

MENSAGEM Nº 458, DE 30 DE JUNHO DE 2008.

MENSAGEM Nº 458, DE 30 DE JUNHO DE 2008. MENSAGEM Nº 458, DE 30 DE JUNHO DE 2008. Senhr Presidente d Senad Federal, Cmunic a Vssa Excelência que, ns terms d 1 d art. 66 da Cnstituiçã, decidi vetar parcialmente, pr incnstitucinalidade e cntrariedade

Leia mais

Vensis Manutenção. Rua Américo Vespúcio, 71 Porto Alegre / RS (51) 3012-4444 comercial@vensis.com.br www.vensis.com.br

Vensis Manutenção. Rua Américo Vespúcio, 71 Porto Alegre / RS (51) 3012-4444 comercial@vensis.com.br www.vensis.com.br Vensis Manutençã Vensis Manutençã É módul que permite gerenciament da manutençã de máquinas e equipaments. Prgramaçã de manutenções preventivas u registr de manutenções crretivas pdem ser feits de frma

Leia mais

OBJECTIVO. Ligação segura às redes públicas de telecomunicações, sob o ponto de vista dos clientes e dos operadores;

OBJECTIVO. Ligação segura às redes públicas de telecomunicações, sob o ponto de vista dos clientes e dos operadores; Prcediments de Avaliaçã das ITED ANACOM, 1ª ediçã Julh 2004 OBJECTIVO De acrd cm dispst n nº 1, d artº 22º, d Decret Lei nº 59/2000, de 19 de Abril (adiante designad cm DL59), a cnfrmidade da instalaçã

Leia mais

RELATOR: Senador EUNÍCIO OLIVEIRA

RELATOR: Senador EUNÍCIO OLIVEIRA De Plenári, err1 substituiçã à COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO, JUSTIÇA E CIDADANIA, sbre Prjet de Lei da Câmara 209, de 2015, de autria d Deputad Aeltn Freitas, que altera a Lei n 8.906, de 4 de julh de 1994

Leia mais

Regulamento para realização do Trabalho de Conclusão de Curso

Regulamento para realização do Trabalho de Conclusão de Curso Universidade Federal d Ceará Campus de Sbral Curs de Engenharia da Cmputaçã Regulament para realizaçã d Trabalh de Cnclusã de Curs Intrduçã Este dcument estabelece as regras básicas para funcinament das

Leia mais

FIES - Documentação comprobatória

FIES - Documentação comprobatória FIES - Dcumentaçã cmprbatória OBS: Devem ser apresentads riginais e cópias ds dcuments relacinads. COMPROVANTES DE RESIDÊNCIA DO ESTUDANTE: O estudante deverá cmparecer à CPSA e psterirmente a agente financeir

Leia mais

Operação Metalose orientações básicas à população

Operação Metalose orientações básicas à população Operaçã Metalse rientações básicas à ppulaçã 1. Quem é respnsável pel reclhiment de prduts adulterads? As empresas fabricantes e distribuidras. O Sistema Nacinal de Vigilância Sanitária (Anvisa e Vigilâncias

Leia mais

REGULAMENTO REGRA GERAL PARA PARTICIPAÇÃO NA PROMOÇÃO. Carrinho Premiado Tricard Smart 2015

REGULAMENTO REGRA GERAL PARA PARTICIPAÇÃO NA PROMOÇÃO. Carrinho Premiado Tricard Smart 2015 REGULAMENTO REGRA GERAL PARA PARTICIPAÇÃO NA PROMOÇÃO Carrinh Premiad Tricard Smart 2015 Banc Triângul S.A. (mandatária), cm sede na Av. Cesári Alvim, 2209, Bairr Aparecida Uberlândia/MG, inscrita n CNPJ/MF

Leia mais

EDITAL BOLSA SOCIOECONÔMICA. Seleção de Bolsistas para o Programa de Bolsa Socioeconômica para o período de 2014

EDITAL BOLSA SOCIOECONÔMICA. Seleção de Bolsistas para o Programa de Bolsa Socioeconômica para o período de 2014 EDITAL BOLSA SOCIOECONÔMICA Seleçã de Blsistas para Prgrama de Blsa Sciecnômica para períd de 2014 O Reitr d Centr Universitári Tled Unitled, ns terms d Regulament aprvad pel CONSEPE, cm vistas à seleçã

Leia mais

2. Condições a Observar pelas Empresas Beneficiárias. Síntese dos termos e condições gerais da Linha de Crédito PME Crescimento. Condições genéricas:

2. Condições a Observar pelas Empresas Beneficiárias. Síntese dos termos e condições gerais da Linha de Crédito PME Crescimento. Condições genéricas: 2. Cndições a Observar pelas Empresas Beneficiárias Síntese ds terms e cndições gerais da Linha de Crédit PME Cresciment ( presente dcument identifica as principais características da Linha de Crédit PME

Leia mais

CONSIDERAÇÕES DA CAPGEMINI

CONSIDERAÇÕES DA CAPGEMINI CONSIDERAÇÕES DA CAPGEMINI 6.1 Requisits de Capacidade e Experiência d Prestadr A ANEEL deveria exigir um puc mais quant a estes requisits, de frma a garantir uma melhr qualificaçã da empresa a ser cntratada.

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DOS ESTÁGIOS FAFIT

REGULAMENTO GERAL DOS ESTÁGIOS FAFIT O significad das cisas nã está nas cisas em si, mas sim em nssa atitude em relaçã a elas. (Antine de Saint-Exupéry, 1943) CURSOS bacharelads: Administraçã Geral Ciências Cntábeis Direit Educaçã Física

Leia mais

Informações Importantes 2015

Informações Importantes 2015 Infrmações Imprtantes 2015 CURSOS EXTRACURRICULARES N intuit de prprcinar uma frmaçã cmpleta para alun, Clégi Vértice ferece curss extracurriculares, que acntecem lg após as aulas regulares, tant n períd

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA E DE ÉTICA POLÍTICA SOBRE PRESENTES E ENTRETENIMENTO

CÓDIGO DE CONDUTA E DE ÉTICA POLÍTICA SOBRE PRESENTES E ENTRETENIMENTO CÓDIGO DE CONDUTA E DE ÉTICA POLÍTICA SOBRE PRESENTES E ENTRETENIMENTO POLÍTICA SOBRE PRESENTESE ENTRETENIMENTO Oferecer u receber presentes cmerciais e entreteniment é frequentemente uma frma aprpriada

Leia mais

O que a Lei diz sobre seguros de condomínios

O que a Lei diz sobre seguros de condomínios O que a Lei diz sbre segurs de cndmínis Segurs cndminiais, segund Códig Civil Códig Civil, Art. 1.346. "É brigatóri segur de tda a edificaçã cntra risc de incêndi u destruiçã, ttal u parcial." Este artig

Leia mais

MANUAL DO PRODUTO SEGURO DE VIDA INVEST GLOBAL

MANUAL DO PRODUTO SEGURO DE VIDA INVEST GLOBAL MANUAL DO PRODUTO SEGURO DE VIDA INVEST GLOBAL MANUAL DO PRODUTO SEGURO DE VIDA EM GRUPO INVEST GLOBAL O presente Manual d Prdut cntém: SEGURO DE VIDA EM GRUPO - INVEST GLOBAL 1. VANTAGENS DO PRODUTO...

Leia mais

UHE SANTO ANTONIO. MARGEM ESQUERDA Análise crítica: Guilherme Todt S D- RT- 0063-13 00

UHE SANTO ANTONIO. MARGEM ESQUERDA Análise crítica: Guilherme Todt S D- RT- 0063-13 00 UHE SANTO ANTONIO Titul: Dcument N. Rev. RELATÓRIO DE DESMOBILIZAÇÃO DO 3 MODULO DA ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE EFLUENTE (ETE)- S D- RT- 0063-13 00 Elabraçã: Tarcis Camil MARGEM ESQUERDA Análise crítica:

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNINOVAFAPI

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNINOVAFAPI CENTRO UNIVERSITÁRIO UNINOVAFAPI EDITAL Nº 005/2014 DE 07 DE ABRIL DE 2014 PROCESSO SELETIVO O Centr Universitári UNINOVAFAPI, situad à rua Vitrin Orthiges Fernandes, nº 6123, Bairr d Uruguai, CEP.: 64.073-505,

Leia mais

REQUISITOS PRINCIPAIS: Regulamentação final sobre controles preventivos de alimentos para consumo humano Visão rápida

REQUISITOS PRINCIPAIS: Regulamentação final sobre controles preventivos de alimentos para consumo humano Visão rápida O FDA ferece esta traduçã cm um serviç para um grande públic internacinal. Esperams que vcê a ache útil. Embra a agência tenha tentad bter uma traduçã mais fiel pssível à versã em inglês, recnhecems que

Leia mais

Os valores solicitados para transporte e seguro saúde deverão ser comprovados por um orçamento integral fornecido por uma agência de viagem.

Os valores solicitados para transporte e seguro saúde deverão ser comprovados por um orçamento integral fornecido por uma agência de viagem. Aluns de Pós-Graduaçã de Instituições Estrangeiras Visa apiar visitas de n máxim 30 dias, de dutrands de instituições estrangeiras, qualificads, e prcedentes de Centrs de Excelência para estudarem, pesquisarem

Leia mais

PRÊMIO AUTOMAÇÃO - CATEGORIA DE JORNALISMO

PRÊMIO AUTOMAÇÃO - CATEGORIA DE JORNALISMO PRÊMIO AUTOMAÇÃO - CATEGORIA DE JORNALISMO REGULAMENTO 1. DOS OBJETIVOS DO PRÊMIO O PRÊMIO NA CATEGORIA DE JORNALISMO tem cm bjetiv premiar matérias veiculadas na imprensa nacinal relativas a temas ligads

Leia mais

ANEXO CONDIÇÕES OU RESTRIÇÕES RESPEITANTES À UTILIZAÇÃO SEGURA E EFICAZ DO MEDICAMENTO A SEREM IMPLEMENTADAS PELOS ESTADOS-MEMBROS

ANEXO CONDIÇÕES OU RESTRIÇÕES RESPEITANTES À UTILIZAÇÃO SEGURA E EFICAZ DO MEDICAMENTO A SEREM IMPLEMENTADAS PELOS ESTADOS-MEMBROS ANEXO CONDIÇÕES OU RESTRIÇÕES RESPEITANTES À UTILIZAÇÃO SEGURA E EFICAZ DO MEDICAMENTO A SEREM IMPLEMENTADAS PELOS ESTADOS-MEMBROS 1 Os Estads-Membrs devem garantir que tdas as cndições u restrições relativas

Leia mais

Apresentamos abaixo, os procedimentos que deverão ser seguidos por todos os (as) Professores (as) durante este semestre:

Apresentamos abaixo, os procedimentos que deverão ser seguidos por todos os (as) Professores (as) durante este semestre: Circular / (CA) nº 18 / 2015 Unaí-(MG), 03 de agst de 2015. ASSUNTO: Faculdade CNEC Unaí Prcediments necessáris para iníci d 2º Semestre de 2015. Prezads (as) Prfessres (as), Apresentams abaix, s prcediments

Leia mais

SELEÇÃO PARA ESPECIALIZANDO EM ORL DA CLINICA SOS OTORRINO. (Credenciada pela Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial)

SELEÇÃO PARA ESPECIALIZANDO EM ORL DA CLINICA SOS OTORRINO. (Credenciada pela Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial) SELEÇÃO PARA ESPECIALIZANDO EM ORL DA CLINICA SOS OTORRINO (Credenciada pela Assciaçã Brasileira de Otrrinlaringlgia e Cirurgia Cérvic-Facial) MANUAL DO CANDIDATO 2013 2 SOS OTORRINO Crdenadr da Residencia

Leia mais

O fornecedor deverá maximizar o uso de tintas, vernizes e adesivos a base de água ou óleo vegetal;

O fornecedor deverá maximizar o uso de tintas, vernizes e adesivos a base de água ou óleo vegetal; Requeriments de Obstáculs Hipism Crss Cuntry: Requeriments Mandatóris: Tda madeira e demais prduts flrestais utilizads devem ser cmpsts de fibra reciclada (us n pós-cnsum) u vir de fntes legais e respnsáveis,

Leia mais

ANEXO VII LEI Nº 890-GP/2012 DE 16 DE AGOSTO 2.012

ANEXO VII LEI Nº 890-GP/2012 DE 16 DE AGOSTO 2.012 ANEXO VII LEI Nº 890-GP/2012 DE 16 DE AGOSTO 2.012 TERMO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DO RELATÓRIO DE CONTROLE AMBIENTAL (RCA) INTRODUÇÃO: Secretaria Municipal de Mei Ambiente (SEMAT), estabelece prcediments

Leia mais

Salvador, Bahia Sexta-feira 19 de Julho de 2013 Ano XCVII N o 21.187 EDITAL Nº 073/2013

Salvador, Bahia Sexta-feira 19 de Julho de 2013 Ano XCVII N o 21.187 EDITAL Nº 073/2013 Salvadr, Bahia Sexta-feira 19 de Julh de 2013 An XCVII N 21.187 EDITAL Nº 073/2013 FORMAÇÃO DE CADASTRO PARA SELEÇÃO DE DIVULGADORES DO PROCESSO SELETIVO VESTIBULAR 2014 DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA

Leia mais

NORMAS PARA ELABORAÇÃO DO RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO (ESO)

NORMAS PARA ELABORAÇÃO DO RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO (ESO) NORMAS PARA ELABORAÇÃO DO RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO (ESO) O relatóri de Estági Supervisinad (ESO) deverá ser elabrad pel alun matriculad n 10º semestre, em cmum acrd cm seu rientadr,

Leia mais

INSTITUTO DE ARQUITETOS DO BRASIL DEPARTAMENTO DO RIO DE JANEIRO

INSTITUTO DE ARQUITETOS DO BRASIL DEPARTAMENTO DO RIO DE JANEIRO 52ª PREMIAÇÃO ANUAL IAB RJ EDITAL 2014 INTRODUÇÃO O Institut de Arquitets d Brasil - IAB-RJ cnvca arquitets e urbanistas a participarem da 52ª Premiaçã Anual ds Arquitets que, em 2014, agrega às categrias

Leia mais

PROJETO 22ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 22 e 23 DE OUTUBRO DE 2014 CURSO: GESTÃO EMPRESARIAL

PROJETO 22ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 22 e 23 DE OUTUBRO DE 2014 CURSO: GESTÃO EMPRESARIAL PROJETO 22ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 22 e 23 DE OUTUBRO DE 2014 CURSO: GESTÃO EMPRESARIAL Objetivs: Gestã Empresarial Desenvlver cmpetências para atuar n gerenciament de prjets, prestand cnsultria

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 410, DE 2 DE AGOSTO DE 2012

RESOLUÇÃO Nº 410, DE 2 DE AGOSTO DE 2012 RESOLUÇÃO Nº 410, DE 2 DE AGOSTO DE 2012 Regulamenta s curss especializads brigatóris destinads a prfissinais em transprte de passageirs (mttaxista) e em entrega de mercadrias (mtfretista) que exerçam

Leia mais

EDITAL Nº 025 / 2015 SELEÇÃO DE SUPERVISOR DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID

EDITAL Nº 025 / 2015 SELEÇÃO DE SUPERVISOR DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Alfenas - UNIFAL-MG Pró-Reitria de Graduaçã Rua Gabriel Mnteir da Silva, 700 - Alfenas/MG - CEP 37130-000 Fne: (35) 3299-1329 Fax: (35) 3299-1078 grad@unifal-mg.edu.br

Leia mais

O Centro Universitário UNINOVAFAPI, situado à rua Vitorino Orthiges Fernandes, nº 6123, Bairro

O Centro Universitário UNINOVAFAPI, situado à rua Vitorino Orthiges Fernandes, nº 6123, Bairro CENTRO UNIVERSITÁRIO UNINOVAFAPI EDITAL Nº 7/2015 DE 27 DE ABRIL DE 2015 VESTIBULAR 2015/02 O Centr Universitári UNINOVAFAPI, situad à rua Vitrin Orthiges Fernandes, nº 6123, Bairr d Uruguai, CEP 64.073-505,

Leia mais

Manual de Procedimentos

Manual de Procedimentos Manual de Prcediments Prcediments para Submissã de Prjets de MDL à Cmissã Interministerial de Mudança Glbal d Clima Secretaria Executiva Cmissã Interministerial de Mudança Glbal d Clima Prcediments para

Leia mais

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 Alterad Layut d dcument. Alterad term de Prcediment de Mercad para Prcediment de Cmercializaçã. Inserid

Leia mais

O fornecedor deverá maximizar o uso de tintas, vernizes e adesivos a base de água ou óleo vegetal;

O fornecedor deverá maximizar o uso de tintas, vernizes e adesivos a base de água ou óleo vegetal; Requeriments de Obstáculs Hipism Salts: Requeriments Mandatóris: Tda madeira e demais prduts flrestais utilizads devem ser cmpsts de fibra reciclada (us n pós-cnsum) u vir de fntes legais e respnsáveis,

Leia mais

BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL - BNDES CIRCULAR AC Nº 07/2015

BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL - BNDES CIRCULAR AC Nº 07/2015 BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL - BNDES CIRCULAR AC Nº 07/2015 Atualiza a Lista de Prduts, Linhas e Prgramas Passíveis de Outrga de Garantia pel Fund Garantidr para Investiments FGI.

Leia mais

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações SAZONALIZAÇAO DE CONTRATO DE LEILÃO DE VENDA EDITAL DE LEILÃO Nº 001 / 2002 - MAE PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 Alterad Layut d dcument. Alterad term de Prcediment

Leia mais

RESTAURANTES, BARES, LANCHONETES E ESTABELECIMENTOS SIMILARES. (atualizado até 16.02.2009)

RESTAURANTES, BARES, LANCHONETES E ESTABELECIMENTOS SIMILARES. (atualizado até 16.02.2009) RESTAURANTES, BARES, LANCHONETES E ESTABELECIMENTOS SIMILARES (atualizad até 16.02.2009) INTRODUÇÃO... 3 1. CLASSIFICAÇÃO ECONÔMICA E TRIBUTAÇÃO PELO ICMS... 4 2. REGIME NORMAL... 6 2.1. CRÉDITO PRESUMIDO...

Leia mais

Software Utilizado pela Contabilidade: Datasul EMS 505. itens a serem inventariados com o seu correspondente registro contábil;

Software Utilizado pela Contabilidade: Datasul EMS 505. itens a serem inventariados com o seu correspondente registro contábil; TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS ESPECIALIZADOS DE ANÁLISE DA REDUÇÃO AO VALOR RECUPERÁVEL DE ATIVO PARA CÁLCULOS DO VALOR DO IMPAIRMENT E VIDA ÚTIL RESIDUAL, EM CONFORMIDADE COM O DISPOSTO

Leia mais

CÓDIGO AMBIENTAL DO ESTADO DO AMAPÁ

CÓDIGO AMBIENTAL DO ESTADO DO AMAPÁ CÓDIGO AMBIENTAL DO ESTADO DO AMAPÁ PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Fernand Henrique Cards MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE E DA AMAZÔNIA LEGAL Jsé Sarney Filh GOVERNO DO ESTADO DO AMAPÁ Jã Albert Rdrigues Capiberibe

Leia mais

H. Problemas/outras situações na ligação com a Segurança Social;

H. Problemas/outras situações na ligação com a Segurança Social; Mdel de Cmunicaçã Certificads de Incapacidade Temprária Âmbit d Dcument O presente dcument traduz mdel de cmunicaçã entre Centr de Suprte da SPMS e clientes n âmbit ds CIT Certificads de Incapacidade Temprária.

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS FACULDADE DE CIÊNCIAS APLICADAS Cidade Universitária de Limeira

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS FACULDADE DE CIÊNCIAS APLICADAS Cidade Universitária de Limeira DIRETRIZES PARA ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO DOS CURSOS DE GESTÃO 1 Sumári I. O Estági em Gestã...3 II. O Estági curricular...4 III. Acmpanhament e avaliaçã...5 IV. Mdels de Plan de Atividades e de Relatóri...5

Leia mais

REGULAMENTO CONCURSOS ESPECIAIS DE ACESSO E INGRESSO MINISTRADOS NO IPP NO ENSINO SUPERIOR NOS CURSOS

REGULAMENTO CONCURSOS ESPECIAIS DE ACESSO E INGRESSO MINISTRADOS NO IPP NO ENSINO SUPERIOR NOS CURSOS REGULAMENTO CONCURSOS ESPECIAIS DE ACESSO E INGRESSO NO ENSINO SUPERIOR NOS CURSOS MINISTRADOS NO IPP JULHO 2010 ÍNDICE CAPÍTULO I - DISPOSIÇÕES GERAIS Object... 3 Âmbit bjectiv... 3 Âmbit subjectiv...

Leia mais

Requerimentos de Energia Temporária: Requerimentos Mandatórios:

Requerimentos de Energia Temporária: Requerimentos Mandatórios: Requeriments de Energia Temprária: Requeriments Mandatóris: Adtar s requeriments mínims definids n Códig Básic da Iniciativa Ética Cmercial (IEC) / Ethical Trading Initative (ETI): O empreg deverá ser

Leia mais

CURSO NOVA NBR 5419 Proteção contra Descargas Atmosféricas

CURSO NOVA NBR 5419 Proteção contra Descargas Atmosféricas CURSO NOVA NBR 5419 Prteçã cntra Descargas Atmsféricas Públic alv: Engenheirs eletricistas e eletrônics, técnics em eletricidade, prje6stas de sistemas elétrics, eletrônics, de telecmunicações e de cntrle

Leia mais

ESCOLA DE DIREITO DO RIO DE JANEIRO DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS FGV DIREITO RIO EDITAL DO PROCESSO SELETIVO DOS CURSOS DE EDUCAÇÃO CONTINUADA

ESCOLA DE DIREITO DO RIO DE JANEIRO DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS FGV DIREITO RIO EDITAL DO PROCESSO SELETIVO DOS CURSOS DE EDUCAÇÃO CONTINUADA ESCOLA DE DIREITO DO RIO DE JANEIRO DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS EDITAL DO PROCESSO SELETIVO DOS CURSOS DE EDUCAÇÃO CONTINUADA 2º semestre / 2012 O Prgrama de Educaçã Cntinuada da trna públic, para cnheciment

Leia mais

BENEFÍCIO AUXÍLIO CUIDADOR DO IDOSO

BENEFÍCIO AUXÍLIO CUIDADOR DO IDOSO BENEFÍCIO AUXÍLIO CUIDADOR DO IDOSO O QUE É O BENEFÍCIO AUXÍLIO CUIDADOR DO IDOSO? É um auxíli financeir que tem cm bjetiv cntribuir para, u pssibilitar, a cntrataçã de um cuidadr para auxiliar beneficiáris

Leia mais

Ministério da Justiça. Orientações para a preparação dos Policiais que atuam na Região

Ministério da Justiça. Orientações para a preparação dos Policiais que atuam na Região Ministéri da Justiça Departament da Plícia Federal Academia Nacinal de Plícia Secretaria Nacinal de Segurança Pública Departament de Pesquisa, Análise da Infrmaçã e Desenvlviment Humanan Orientações para

Leia mais

Ficha Cadastro Pessoa Física

Ficha Cadastro Pessoa Física Ficha Cadastr Pessa Física Grau de sigil #00 Em se tratand de mais de um titular, preencher uma ficha para cada um. Cas necessári, utilize utra ficha para cmpletar s dads. ads da Cnta na CAIXA Cód. agência

Leia mais

Seminário de Acompanhamento SNPG. Área 21. APCNs. André F Rodacki Marcia Soares Keske Rinaldo R J Guirro

Seminário de Acompanhamento SNPG. Área 21. APCNs. André F Rodacki Marcia Soares Keske Rinaldo R J Guirro Seminári de Acmpanhament SNPG Área 21 APCNs André F Rdacki Marcia Sares Keske Rinald R J Guirr Áreas de Avaliaçã - CAPES Clégi de Humanidades Ciências Humanas Ciências Sciais Aplicadas Linguística, Letras

Leia mais

Perguntas frequentes sobre o Programa Banda Larga nas Escolas

Perguntas frequentes sobre o Programa Banda Larga nas Escolas Perguntas frequentes sbre Prgrama Banda Larga nas Esclas 1. Qual bjetiv d Prgrama Banda Larga nas Esclas? O Prgrama Banda Larga nas Esclas tem cm bjetiv cnectar tdas as esclas públicas à internet, rede

Leia mais

Inscrição do Candidato ao Processo de Credenciamento

Inscrição do Candidato ao Processo de Credenciamento Inscriçã d Candidat a Prcess de Credenciament O link de inscriçã permitirá que candidat registre suas infrmações para participar d Prcess de Credenciament, cnfrme Edital. Após tmar ciência de td cnteúd

Leia mais

2. A programação completa e mais informações estarão disponíveis no site www.gar.esp.br.

2. A programação completa e mais informações estarão disponíveis no site www.gar.esp.br. REGULAMENTO 1. Sbre Event 1. A Gramad Adventure Running é uma prva de revezament junt à natureza que será realizada n dia 09/05/2015 (Sábad) em Gramad, n Estad d Ri Grande d Sul, cm participaçã de ambs

Leia mais

O presente documento suporta a apreciação do ponto 3 da Agenda da Comissão de Acompanhamento, sendo composto por duas partes:

O presente documento suporta a apreciação do ponto 3 da Agenda da Comissão de Acompanhamento, sendo composto por duas partes: DOC. CA/N/15/08 PROGRAMA OPERACIONAL ALENTEJO EIXO 2 DESENVOLVIMENTO URBANO E EIXO 3 CONECTIVIDADE E ARTICULAÇÃO TERRITORIAL INSTRUMENTO: MOBILIDADE TERRITORIAL O presente dcument suprta a apreciaçã d

Leia mais