LEI N 1.154, DE 23/09/98.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "LEI N 1.154, DE 23/09/98."

Transcrição

1 ESTADO DE SANTA CATARINA PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO LOURENÇO D'OESTE Alterações: Lei nº 1.411, de 10 de junho de 2003; Lei nº 1.542, de 09 de novembro de 2005; Lei nº 1.584, de 16 de maio de 2006; Lei nº 1.971, de 25 de outubro de LEI N 1.154, DE 23/09/98. DISPÕE SOBRE O ZONEAMENTO URBANO DA SEDE MUNICIPAL DE SÃO LOURENÇO D OESTE E DA OUTRAS PROVIDENCIAS. CAIRU HACK, Prefeito Municipal de São Lourenço d' Oeste, Estado de Santa Catarina. FAÇO SABER, que a Câmara de Vereadores aprovou e eu sanciono e promulgo a seguinte Lei. Art.1o:-A presente Lei define o Zoneamento Urbano da Sede Municipal de São Lourenço d Oeste, objetivando disciplinar o crescimento urbano. Art.2 o :-Considera-se Zoneamento Urbano, para fins da presente Lei, a divisão da área física da sede urbana em zonas de diferentes usos, segundo sua precípua destinação. Art.3o:-A sede Urbana, conforme Planta de Zoneamento, Anexo I, Mapa-que fazem parte integrante desta Lei, divide-se em: a)- ZCI - ZONA COMERCIAL I, compreendendo: I-os lotes 1 a 3 da Quadra 4N e os lotes 1 e 2, 10 a 14 da Quadra 11N; II-os lotes 1 a 6 da Quadra 4M e os lotes 1 a 3 e 10 a 12 da Quadra 11M, Quadra 7M e 8M;; III-os lotes 4 a e 18 a 20 da Quadra 4L e os lotes 1 a e 15 a 17 da Quadra 11L; IV-os lote 11 a 20 das Quadras 10A-9A-7A-8A-6A e 5A; os lotes 4 a 6-8 e 10 a 20 da Quadra 2A; os lotes das Quadras 1A-3A e 4A; os lotes 1 a e 11 a 20 da Quadra 11A; V-os lotes 1 a 16 da Quadra 10B; os lotes 1 a 14 da Quadra 9B; os lotes 1 a 10 das Quadras 8B e 7B; os lotes 1 a e 18 a 20 da Quadra 6B; 1

2 os lotes das Quadras 5B-2B e 1B; os lotes 1 a 12 da Quadra 3B; os lotes 1 a 10 da Quadra 4B; os lotes 1 a 16 da Quadra 11B; VI-os lotes 4 a e 18 a 20 da quadra 6C; os lotes da Quadra 5C, a Quadra 2C e 1C; VII-os lotes 4 a e 18 a 20 da Quadra 6D; os lotes 1 a e 15 a 17 da Quadra 5D; VIII--os lotes 4 a e 16 a 18 da Quadra 6E; os lotes 1 a e 13 a 15 da Quadra 5E; IX-os lotes 4 a e 16 a 18 da Quadra 6F; os lotes 1 a a 15 e 20 a 21 da Quadra 5F; X-os lotes 5 a 8 e 13 a 16 da Quadra 6G; os lotes 1 a 4 e 9 a 12 da Quadra 5G; XI-os lotes 5 a 8 e 13 a 16 da Quadra 6H; os lotes 1 a 4 e 9 a 12 da Quadra 5H; b)- ZC II - ZONA COMERCIAL II, compreendendo: I-Parte da Quadra 4N com exclusão dos lotes 1 a 3, pertencentes a ZC1 e lotes 4 a 11 da área abrangida pela zona mista; os lotes 1 a 20 da quadra 3N; os lotes 3 a 9 da Quadra 11N e Quadras 7N e 8N, do Loteamento Allievi; II-a Quadra 3M; os lotes 7 a 17 da Quadra 4M; os lotes 4 a 9 da Quadra 11M; III-as Quadras 1, 2, 3L e 5L; os lotes 1 a e 15 a 17 da Quadra 4L; os lotes 4 a e 18 a 20 da Quadra 11L; IV-os lotes 4 a 6-8 e 10 da Quadra 10A; os lotes 1 a 10 das Quadras 9A-8A-7A-6A e 5A; os lotes 1 a 3-7 e 9 da Quadra 2A; os lotes 4 a 6-8 e 10 da Quadra 11A; as Quadras 15A-16A- 14A-12A e 13A; V-os lotes 17 a 32 da Quadra 10B; os lotes 15 a 26 da Quadra 9B; os lotes 11 a 20 das Quadras 8B e 7B; os lotes e 15 a 17 da Quadra 6B; as Quadras 12B, 13B e 14B; os lotes 13 a 24 da Quadra 3B; os lotes 11 a 20 da Quadra 4B; os lotes 17 a 32 da Quadra 11B; VI-os lotes 1 a 16 da Quadra 10C; os lotes 1 a 11 das Quadras 9C; os lotes 1 a 10 e e 18 a 20 da Quadra 8C; os lotes 1 a 20 da Quadra 7C; os lotes 1 a e 15 a 17 da Quadra 6C; VII-os lotes 1 a 13 da Quadra 3C; os lotes 1 a 6 da Quadra 4C; os lotes 1 a 10 da Quadra 11C; os lotes 1 a 16 da Quadra 12C; os lotes 1 a 32 da Quadra 13C; VIII-os lotes 4 a e 18 a 20 da Quadra 8D; os lotes 1 a 20 da Quadra 7D; os lotes 1 a e 15 a 17 da Quadra 6D; os lotes 4 a e 18 a 20 da Quadra 5D; as Quadras 2D e 1D; os lotes 1 a 32 da quadra 13D; IX-a Quadra 7E; os lotes 1 a 8 e da Quadra 8EE; os lotes 1 a 8 e da Quadra 8EM; os lotes 1 a e 13 a 15 da Quadra 6E; os lotes 4 a 6-8 e 10 da Quadra 5E; os lotes 1 a 45 da Quadra 13E, do Loteamento Bett III; X-as Quadras 8F, 7F, os lotes 1 a e 13 a 15 da Quadra 6F; os lotes 4 a ; os lotes populares dauadra 5F e os lotes 9 a 16 da Quadra 9F; XI-as Quadras 8G, 7G, os lotes 5 a 8 e 13 a 16 da Quadra 5G; os lotes 1 a 4 a 9 a 12 da Quadra 6G; a Quadra 7H; a Quadra 2G; os lotes 5 a 8 e 13 a 16 da Quadra 8H; os lotes 1 a 4 e 9 a 12 da Quadra 6H; os lotes 5 a 8 a 13 a 16 da Quadra 5H; os lotes 17 a 36 da Quadra 2H; Quadra 2

3 15H, do Loteamento Sebastião, lotes 1 a 22 da Quadra 2I, do Loteamento Baldin, lotes 23 a 34 da Quadra 2J, do Loteamento Baldin e os lotes 1 a 8 da Quadra 9G; XII-Quadra 7I e 8I; Quadra 9bJ e 8J; Quadra 8K; Quadra 8 a O; Quadra 9Q; lotes 19 a 34, da Quadra 15 I, do loteamento Sebastião; XIII-Quadra n.1 do Loteamento Paludo; lotes 1 a 3 da Quadra n. 2 do Loteamento Paludo; XIV-Quadra 16 Q e 16 R, do loteamento Cardoso, chácaras confrontantes ao Sudeste, pelos lotes 1 e 11 da Quadra 1L, ao Sudoeste, com a projeção da Rua Duque de Caxias, ao Noroeste, com a linha divisória da Zona mista e ao Noroeste, com a projeção da Rua Nereu Ramos. c)- ZR I - ZONA RESIDENCIAL I - compreendendo: I-as Quadras 22P e 21P; II-a Quadra 20P; III-as Quadras 7L e 6L; IV-a Quadra 17P, 18P e 19P; V-os lotes a 17 da Quadra 8C; VI-os lotes 1 a e 15 a 17 da Quadra 8D; VII-lotes 9 a 18 da Quadra 8EE e lotes 9 a 18 da Quadra 8ME; VIII-os lotes 1 a 4 e 9 a 12 da Quadra 8H; IX-as Quadras 7J, 7K, 7O e 7Q; X-as Quadras 8bO, 8cQ e 8dQ; XI-os lotes 1 a 12, da Quadra 8R; XII-as Quadras 14A e 15A, do loteamento Bessegatto; XIII-as Quadras do loteamento Santin; XIV-A Quadra 14I, do loteamento Sebastião; XV-os lotes 1 a 18, da Quadra 15I, do loteamento Sebastião; XVI-os lotes 35 a 46, da Quadra 2J, do loteamento Baldin; XII-os lotes 1 a 9 da Quadra 2K, do loteamento Baldin; XIII-os lotes 11 a 23, da Quadra 2J, do loteamento Baldin; XIX-a área limitada pelo perímetro compreendido pela Rua Agostinho Stefanello, ao Sudeste; pela Rua João Beux Sobrinho, ao Sudoeste; pela linha pararela a 110,00 mts da Rua Agostinho Stefanello ao Noroeste; pelo divisor da chácara n 13 e Rua Duque de Caxias ao Nordeste. d)- ZR II - ZONA RESIDENCIAL II - compreendendo: I-as Quadras 10L, 9L e 8L; II-os lotes 1 a 3 e 7 e 9 da Quadra 10A; III-os lotes 17 a 32 da Quadra 10C; os lotes 12 a 25 da Quadra 9C; os lotes 14 a 20 da Quadra 3C; a Quadra 4C com exclusão dos lotes 1 a 6; os lotes 17 a 32 da Quadra 12C; os lotes 11 a 20 da Quadra 11C; IV-as Quadras 10D, 9D, 3D, 11D, 12D, 30D e 31D; V-as Quadras 10E,9EE, 9ME, 2E, 1E, 30E, 31E e 32E; VI-as Quadras 13F, 10F, 2F; e os lotes 1 a 8 da Quadra 9F; VII-as Quadras 13G, 10G e os lotes 9 a 16 da Quadra 9G; VIII-as Quadras 10H e 9H; IX-os lotes populares da Quadra Série "I" e Quadras 10I e 9I; 3

4 X-as Quadras 10J e 9J; XI-as Quadras dos Loteamento Bett e Fortunato; XII-as Quadras dos loteamentos Guarnieri e Pandini; XIII-as Quadras 17 Q e 17R, do loteamento Cardoso; XIV-os lotes 2 a 36 da quadra 16Q, do loteamento Cardoso e lotes 19 a 36, da Quadra 16R, do loteamento Cardoso. XV-Parte das chácaras compreendidas pelo prolongamento projetado das ruas Aderbal Ramos da Silva e Travessa Irineu Bornhausen, Rua Felipe Schmidt e limite sul incluindo o loteamento Nespolo; XVI-Quadra 3 do Loteamento Paludo; XVII-os lotes 4 a 9 da Quadra n 2, do Loteamento Paludo; XVIII-as Quadras 9R e 10R, do loteamento Meneghetti. e)- ZONA MISTA: Limitada pelo perímetro compreendido pela divisa com o Estado do Paraná no sentido noroeste; pela Rua Guilherme Hack no sentido nordeste até o limite divisor sul do lote n 4, da Quadra 4N, seguindo por este prolongamento até a Rua Duque de Caxias e em sentido sudeste até o limite divisor da chácara nº 13 a 110,00 mts de distância da Rua Agostinho Stefanello, seguindo em sentido sudoeste pela Rua João Beux Sobrinho, até a PR-T-158, e após seguindo com a linha de divisa da Quadra 7N, do loteamento Alievi. f)- ZIE - ZONA INDUSTRIAL ESPECIAL: Fica definida pelas seguintes confrontações: Ao norte limitado pela faixa de domínio da BR-158,PR/SC; ao sul pela divisa das chácaras 38 e 27 até o ponto onde encontra a linha divisória leste, paralela à Rua Lauro Muller, distante aproximadamente 400m (quatrocentos metros) da mesma e a Oeste, delimitada pelo perímetro urbano em seu prolongamento até o encontro do limite Norte que é faixa de domínio da PR-T-158, bem como abrangendo ainda a área global das chácaras n. 13, 13A, 14 e 15. g)-zi- ZONA INDUSTRIAL: Limitada pelo perímetro compreendido ao Norte pelo alinhamento da Travessa Maria mendes, ao Sul pela chácara nº 43 e o Loteamento São Sebastião, ao Leste pelas Chácaras números 33, até 43 e a Oeste pelo prolongamento da Rua Tiradentes, até o Loteamento São Sebastião e SC-480, ficando suprimida desta Zona os loteamentos Santin e Paludo, conforme Planta de Zoneamento. Parágrafo único: Caberá ao órgão competente do Poder Público Municipal definir ou dirimir qualquer dúvida relacionada com os limites definidos pela Lei de zoneamento Urbano e pelo Mapa integrante desta. Art.4º:-Em cada zona haverá usos permitidos, permissíveis e proibidos de acordo com o plano do uso do solo, tabelas números 1,2,3,4,5,6,7,8 e 9, integrantes desta Lei. 4

5 Parágrafo 1º:-os usos permissíveis poderão ser autorizados mediante análise particular de cada caso pelo Poder Público Municipal, desde que não contrariem as características da vizinhança e as exigências desta Lei. Parágrafo 2º:-A autorização, ou não, de um uso permissível não poderá servir como precedente para outras solicitações ou autorizações. Art.5º:-Os usos constantes do Plano de Uso do Solo, tabelas 1,2,3,4,5,6,7,8 e 9, integrantes desta Lei, serão analisados particularmente pelo Poder Público Municipal, mediante solicitação. Art.6º:-Os usos em Edificações existentes ou licenciadas até a data de vigência desta lei, mas em desacordo com a mesma, serão mantidos observando-se o seguinte: I-Não poderão ser substituídos por outros usos, não conformes com a presente Lei. II-Não poderão ter a Edificação reconstruída ou reformada, exceto em suas instalações sanitárias. Art.7º:-Para efeitos desta Lei considera-se a seguinte classificação: Residencial Comércio 1.01.Habitação unifamiliar 1.02.Babitação para Zeladoria 1.03.Habitação Coletiva 2.1.Comércio Varejista 2.2.Comércio Atacadista e Depósitos 3.1.Serviços Profissionais Vinculados à Habitação 3.2.Serviços de Reparação - Oficinas 3.3.Serviços Pessoais 3.4.Serviços Domiciliares 3.5.Serviços de Diversão Utilização Diária Utilização Periódica Utilização Ocasional Grupo A Grupo A Reparação e Serviços domicialiares vinculados à habitação Serviços de Estética Pessoal Confecção sob medida e reparação de artigos do vestuário Serviços Profissionais Grupo A Grupo B Grupo C 3.6.Serviços de Lazer e cultura, Serviços de Lazer Seriços Culturais 5

6 comunitários e sociais Serviços comunitários e sociais 3.7.Seriços de Transporte 3.8.Serviços Profissionais e Técnicos 3.9.Serviços de Comunicação 3.10.Serviços Bancários 3.11.Serviços Auxiliares 3.12.Serviços Públicos 3.13.Serviços Construção Civil 4.1.Prioridade A 4.2.Prioridade B 4.3.Prioridade C 4.4.Prioridade D Ind. de Produtos Alimentares Indústrias diversas Indústria do Vestuário Indústria Têxtil Indústria de Material elétrico e de Comunicações Indústria de produtos de matéria plástica Indústria de papel e papelão Indústria editorial e gráfica Indústria química Indústria de perfumaria Ind. de produtos farmacêuticos e veterinários Indústria de Bebidas Indústria de produtos minerais não-metálicos Indústria de borracha Indústria de couros, peles e produtos similares Indústria de fumo Indústria de Madeira Indústria do Mobiliário Ind. de Material de Transporte Indústria Mecânica Indústria Metalúrgica 6

7 5. ATIVIDADES ESPECIAIS Subdivisão das atividades 1. Residencial 1.01 Habitação unifamiliar 1.02 Habitação para zeladoria 1.03 Habitação coletiva 2. Comércio 2.1 Comércio Varejista Utilização Diária: Carnes fruteira padaria mercearia hortimercado Utilização periódica: Bar /café/ lancheria restaurante papelaria farmácia/drogaria/perfumaria calçados/artefatos de couro artigos do vestuário ferragem material elétrico tabacaria/revistas artigos lotéricos confeitaria/bomboniéri supermercado armarinhos/bijuterias posto de abastecimento depósitos ou posto de revenda de gás bazar Utilização Ocasional: peças e acessórios para veículos livraria artigos sanitários/material para construção móveis e artigos para decoração óticas joalherias artigos fotográficos máquinas, aparelhos, equipamentos diversos eletrodomésticos veículos floricultura floristas presentes/artesanatos/souvenir discos e fitas produtos agrícolas e veterinários 7

8 funerária artigos religiosos vidraçarias artigos desportivos artigos de plástico e borracha equipamento de som equipamento de segurança instrumentos médico hospitalares/ material odontológico/aparelhos ortopédicos e auditivos equipamentos científicos e de laboratório Antigüidades brinquedos centro comercial loja de departamentos 2.2 Comércio Atacadista e Depósitos: Grupo A: alimentos bebidas e fumo vestuário e têxteis peles e couros papel, artigos para papelaria e gráficas produtos para fotografia e cinematografia material ótico e cirúrgico instrumentos musicais mobiliário objetos em geral máquinas, veículos e equipamentos produtos farmacêuticos material de construção Grupo B: minérios, metais, resinas, plásticos, borrachas depósito ou posto de revenda de gás 3. Serviços 3.1. Serviços Profissionais Vinculados à Habitação: Reparação e Serviços Domiciliares: Consertos de calçados e artigos de couro Conserto de máquinas e aparelhos elétricos, ou não, de uso pessoal ou doméstico Reparação de instalação elétrica, hidráulica e de gás. Reparação de artigos diversos Serviços de Estética Pessoal: Barbearias Salão de beleza 8

9 Manicures e pedicures Massagistas Confecção sob medida e Reparação de Artigos do Vestuário: Alfaiatarias Atelier de costura, bordados e tricô Serviços profissionais: Profissional liberal-técnico e universitário (exclusive veterinário). Profissional autônomo Serviços de Reparação e Conservação - oficinas: Grupo A: Reparação de artigos de couro Reparação de instalações elétricas, hidráulicas e de gás. Reparação de máquinas e aparelhos elétricos ou não. Reparação de artigos diversos, jóias e relógios, instrumentos musicais, científicos, aparelhos de precisão, brinquedos e demais artigos não especificados. Douração e encadernação. Pinturas de placas e letreiros Grupo B: Lavagem e lubrificação Reparação de artigos de madeiras, do mobiliário (móveis, estofados, persianas, colchões, etc.). Reparação de artigos de borracha (pneus, câmaras de ar e outros artigos). Reparação e manutenção de veículos automotores, exclusive caminhões, tratores e máquinas de terraplanagem. Funilaria Grupo C: Serralheria Tornearia Niquelagem e Cromagem Esmaltação Galvanização Retificação de motores Reparação e manutenção de veículos: caminhões tratores e máquinas de terraplanagem Serviços Pessoais: Confecções sob medida de artigos do vestuário Confecção sob medida de calçados e demais artigos de couro Barbearias, salões de beleza e massagistas Sauna, duchas, termas Laboratório de análises clínicas, radiologia, ótica e prótese. 9

10 Estúdios fotográficos 3.4. Serviços Domiciliares: Tinturarias e lavanderias Empresas de detetização, desinfecção, aplicação de sinteco e pintura de imóveis Empresa de limpeza e vigilância Agência de locação de móveis, louças e semelhantes e serviços de buffet Agência de guarda móveis Serviços de ajardinamento Casas de Cômodos e pensões Hotéis 3.5. Serviços de Diversão: Jogos eletrônicos Casas Noturnas Boliches e biliares 3.6. Serviços de Lazer e Cultura, Comunitários e sociais: Serviços de Lazer: Uso Permanente: Áreas verdes de uso público para recreação ativa (praças). Clubes e locais privados de uso recreativo ou esportivo de caráter local. Clubes e locais privados de uso recreativo ou esportivo de caráter urbano. Equipamentos comunitários de lazer: Centros sociais, urbanos; Centros de comunidade; Centros esportivos Equipamentos de lazer de uso periódico: Ruas de lazer Equipamentos especiais de lazer: Autódromos Estádios Hipódromos Locais para camping Serviços Culturais: Estabelecimentos de ensino formal: Estabelecimento de ensino formal de 1º.Grau Estabelecimento de ensino formal de 2º.Grau Estabelecimento de ensino formal de 3º.Grau Estabelecimento de ensino informal: Creches, escolas maternais e centros de cuidados Jardim de infância ou pré 1º. Grau Escolas especiais Equipamentos de caráter cultural: 10

11 Arquivos Auditórios Bibliotecas Centro Cultural Cinemas Discoteca Instituto do livro Ligas de Associações Assistenciais e Beneficentes Museus Pinacotecas Planetário Teatros Templos e locais de culto em geral Instituições científicas e tecnológicas Serviços Comunitários e Sociais: Agências de serviço social Asilos Conselhos comunitários e associações de moradores Entidades de classe e sindicais Instituições para menores. 3.7.Serviços de transporte: Garagens e Estacionamentos para veículos, exceto os de carga ou coletivos Agências de viagens Agências de locação de veículos, automóveis, motocicletas e bicicletas Empresa de taxi, lotação de ônibus Agência de lotação de trailers e camionetas Agência de locação de caminhões, máquinas e equipamentos Empresas de mudança Transportadoras Garagens em geral Serviços Profissionais e Técnicos: Equipamentos de Saúde Pública: Ambulatórios: Pequenos ambulatórios Consultórios: Postos de atendimento médico Médicos Odontológicos Clínicas e Policlínicas: Médicas Odontológicas De repouso e geriatria Banco de sangue Hospitais: Hospital geral Hospital de Pronto Socorro 11

12 Hospital Psiquiátrico Serviços Jurídicos de despachante e produtor, escritórios de cobrança, ajuste de contas, finanças, investigações particulares, investimentos bancários, de contabilidade e auditoria Serviços de assessoria, consultoria, pesquisa, análise e promoções Processamento de dados Serviços de engenharia, arquitetura, urbanismo, paisagismo, agronomia, geologia, geodésia, cartografia, aerofotografia e topografia Serviços de publicidade e propaganda, de tradução, reprodução e documentação Estúdio de pintura, desenho e escultura Clínicas, alojamentos e hospitais veterinários Serviços de Comunicação: Agência de correio e de telégrafo Agência telefônica Agência de sonorização Agência de radiodifusão Estação de televisão Serviços Bancários: Bancos Financeiras Serviços auxiliares: Escritórios de corretagem de títulos, de seguros de imóveis, de veículos, locação, etc Agência de emprego, serviço de seleção, treinamento e administração de pessoal, etc Locação de mão de obra Escritórios de intermediários de vendas de mercadorias à base de comissão (representação comercial) Serviços Públicos: Equipamentos administrativos: Federal Estadual Regional Municipal Entidade de turismo Equipamentos de Segurança Pública: Prédios e Instalações vinculadas às polícias civil e militar. Prédios e instalações vinculadas ao corpo de bombeiros. Presídios e demais prédios vinculados ao sistema penitenciário Serviço de Construção Civil: 12

13 Construção civil, terraplenagem e escavações, pavimentação, estaqueamento, urbanização, demolições, fundações, estruturas e concreto, impermeabilização, etc. 4. INDÚSTRIA: 4.1. Prioridade A: Indústria de Produtos Alimentares Fabricação de produtos de padaria, confeitaria e pastelaria. Fabricação de balas, caramelos, pastilhas, drops, bombons, chocolates, etc., inclusive goma de mascar. Fabricação de massas alimentícias e biscoitos. Refeições conservadas, conservas de frutas, legumes e outros vegetais, preparação de especiarias e condimentos e fabricação de doces. Beneficiamento, moagem e torrefação de produtos alimentares. Preparação e fabricação de produtos alimentares diversos, inclusive rações balanceadas e alimentos preparados para animais. Abate e frigorificação de aves. Preparação do leite e fabricação de produtos de lacticínios. Desossa, transformação e beneficiamento de gado Indústrias diversas: Fabricação de instrumentos, utensílios e aparelhos de medida, não elétricos para uso técnico e profissional, exclusive médico, cirúrgico, odontológico e de laboratório. Fabricação de aparelhos, instrumentos e material ortopédico (inclusive cadeiras de roda) odontologia e laboratório. Fabricação de aparelhos, instrumentos e materiais fotográficos e de ótica. Lapidação de pedras preciosas e semipreciosas e fabricação de artigos de ourivesaria, joalheria e bijouterias. Fabricação de instrumentos musicais, gravação de matrizes, reprodução de discos para fonógrafos e fitas magnéticas. Fabricação de escovas, brochas, pincéis, vassouras, espanadores, etc. Revelação, copiagem, corte, montagem, gravação, dublagem, sonorização e outros trabalhos concernentes à produção de películas cinematográficas. Fabricação de brinquedos. Fabricação de artigos de caça, pesca, desporto e jogos recreativos, exclusive armas e munições. Fabricação de artigos diversos, não compreendidos em outros grupos Indústria do Vestuário: Confecção de roupas, agasalhos e peças interiores do vestuário. Fabricação de acessórios do vestuário. Confecção de artefatos diversos de tecido, exclusive os produzidos nas fiações e tecelagens. Fabricação de calçados para homens, mulheres e crianças Indústria Têxtil: Malharias Artigos de passamanarias, fitas, filós, rendas e bordados. 13

14 4.2. Prioridade B: Indústria de material elétrico e de comunicações: Fabricação de lâmpadas. Fabricação de material elétrico. Fabricação de material eletrônico. Fabricação de material de comunicações, inclusive peças e acessórios. Fabricação de aparelhos elétricos, peças e acessórios, exclusive máquinas industriais e comerciais. Reparação e manutenção de máquinas e aparelhos eletrônicos, e de comunicações Indústria de produtos de matéria plástica: Fabricação de laminados plásticos. Fabricação de artigos de material plástico para uso doméstico e pessoal, exclusive calçados, artigos de vestuário e de viagem. Fabricação de artigos de material plástico para embalagem e condicionamento, impressos ou não. Fabricação de artigos diversos de material plástico (fitas, flâmulas, brindes, objetos de adorno, artigos de escritório). Fabricação de móveis moldados de matéria plástica. Fabricação de manilhas, canos, tubos, e confecções de material plástico para todos os fins. Fabricação de artigos de material plástico, não especificados ou não classificados, inclusive artefatos de acrílico e de fiber-glass Indústria de papel e papelão: Fabricação de artefatos de papel, inclusive embalagens não associadas a produção de papel. Fabricação de artefatos de papelão, cartolina e cartão, inclusive embalagens impressas ou não, simples ou plastificadas, não associadas à produção de papelão, cartolina e cartão. Fabricação de artigos de papelão, cartolina e cartão para revestimentos, não associados à produção de papel, papelão, cartolina e cartão Indústria Editorial e Gráfica: Impressão de material escolar, material para uso industrial e comercial, para propaganda e outros fins, inclusive litográficos. Execução de serviços gráficos diversos, impressão litográfica e off-set em folhas metálicas, papel, papelão, cartolina, madeira, couro, plástico, tecidos, etc, produção de matrizes para impressão, pautação, encadernação, douração, plastificação e execução de trabalhos similares. Execução de serviços gráficos para embalagem em papel, papelão, cartolina e material plástico. Edição e impressão e serviços gráficos de jornais e outros periódicos, livros e manuais. Execução de serviços gráficos não especificados ou não classificados Prioridade C: Indústria Química: 14

15 Fabricação de preparos para limpeza e polimento, desinfetantes, inseticidas, germicidas e fungicidas. Fabricação de tintas esmaltes, lacas, vernizes, impermeabilizantes, solventes e secantes Indústria de Perfumaria: Fabricação de produtos de perfumaria em geral. Fabricação de sabões, detergentes e glicerina. Fabricação de velas Indústria de produtos famacêuticos e veterinários: Fabricação de produtos farmacêuticos e veterinários Indústria de bebidas: Fabricação de bebidas não alcoólicas, inclusive engarrafamento e gaseificação de águas minerais. Fabricação de cervejas, chopes e maltes. Fabricação de aguardente, licores e outras bebidas alcoólicas. Destilação do álcool etílico Indústria de produtos de minerais não metálicos: Britamento e aparelhamento de pedras para construção e execução de trabalhos em mármore, ardósia, granito e outras pedras. Fabricação de material cerâmico. Fabricação de peças e ornatos de gesso. Fabricação e elaboração de vidro e cristal. Beneficiamento e preparação de minerais não metálicos, não associados à extração. Fabricação e elaboração de produtos diversos de minerais não metálicos. Fabricação de peças, ornatos e estruturas de cimento amianto. Fabricação de argamassa Indústria de borracha: Fabricação de artefatos de borracha (peças e acessórios para veículos, máquinas e aparelhos, correias, canos, tubos, artigos para uso doméstico, galochas, exclusive artigos de vestuário). Fabricação de artefatos diversos de borracha não especificados ou não classificados Indústria de couros, peles e produtos similares: Fabricação de malas, valises e outros artigos para viagens. Fabricação de artefatos diversos de couros e peles, exclusive calçados Indústria de Fumo: Fabricação de cigarros e fumos desfiados. Fabricação de cigarrilhas Prioridade D: Indústria de madeira: Artefatos de bambu, vime, palha trançada ou junco. Artigos de cortiça. Fabricação de estrutura de madeira e artigos de carpintaria. Fabricação de chapas e placas de madeira, madeira aglomerada ou prensada, de madeira compensada, revestida ou não de material plástico, inclusive artefatos. Fabricação de artigos diversos de madeira Industria do mobiliário: Fabricação de artigos de colchoaria. Montagem de móveis de madeira, vime e junco. 15

16 Montagem de móveis de metal ou com predominância de metal, revestidos ou não com lâminas plásticas, inclusive artefatos. Fabricação de armário de madeira. Fabricação e acabamento de artigos diversos do mobiliário. Fabricação de móveis e artigos do mobiliário não especificados ou não classificados Indústria de Material de transporte: Fabricação de estofados e capas de veículos. Fabricação de veículos automotores, peças e acessórios. Fabricação de carrocerias para veículos automotores exclusive chassis. Construção e reparação de embarcações, inclusive peças e acessórios Indústria Mecânica: Fabricação de cronômetros e relógios, elétricos ou não, inclusive fabricação de peças. Fabricação de máquinas, aparelhos e equipamentos industriais para instalação hidráulica, térmica, de ventilação e refrigeração, inclusive peças e acessórios. Reparação e manutenção de máquinas, aparelhos e equipamentos industriais, agrícolas e máquinas de terraplenagem Indústria metalúrgica: Fabricação de artigos de cutelaria, armas, ferramentas manuais e artigos de metal para escritório, inclusive ferramentas para máquinas. Serralharia. Fabricação de estruturas metálicas. 5. ATIVIDADES ESPECIAIS: 5.1. Extração de minerais metálicos ou não e similares Artesanatos vinculados a extração de matéria prima local Beneficiamento de matéria prima local Indústrias vinculadas à extração de matéria prima local Depósito, silos, armazéns e demais construções incluídas à atividade rural Cemitérios Motéis: Parágrafo único-as atividades especiais serão analisadas, caso a caso pelo órgão competente do Poder Público Municipal. Art.8º:-Cada uso obedecerá aos índices de ocupação de acordo com a tabela de ocupação de solo, tabela n.º 7, que faz parte integrante desta Lei. Art.9º:-Para efeitos desta Lei, considera-se: I-Afastamento-faixa não edificável que deve ser observada a contar dos limites do lote. Pode ser de frente, de fundos ou lateral. II-Lote Mínimo-Área mínima permitida para um lote urbano. III-Gabarito Máximo-Número máximo de pavimentos que podem ser construídos acima do nível da rua. 16

17 IV-Taxa de Ocupação-É a relação em percentagem entre a área de projeção da edificação e a área do terreno, calculada pela fórmula TO = AC.100 AT TO = Taxa de Ocupação AT = Área do Terreno (m2) AC = Área de projeção da edificação. Art.10:-O Afastamento lateral e nos fundos só exigido quando a construção tiver aberturas nas laterais e fundos, obedecidos os prismas de ventilação e iluminação do código de edificações. Parágrafo único:-o afastamento lateral e fundos, será mantido para o caso de Indústrias, mesmo que a construção não possua aberturas voltadas para a lateral e fundos. Art.11:-Em lotes de esquina, ou com saídas para mais de uma rua, será exigido afastamento de frente em relação a todas as ruas que confrontarem com o lote. Em lotes de esquina, ou com saídas para mais de uma rua, será exigido afastamento de frente para uma das ruas conforme a tabela 8 e, para a outra, metade do afastamento exigido. (alteração feita pela Lei Municipal nº1.411, de 10/06/2003). Parágrafo único Lotes de esquina com vias de circulação de acesso principal serão classificadas como Zona Comercial II. (redação dada pela Lei Municipal nº 1.411, de 10/06/2003) Art.12:-Ao longo de cada lado, das águas correntes e dormentes e das faixas de domínio público das rodovias, ferrovias e dutos, em loteamentos aprovados a partir de 9 de dezembro de 1979, os lotes respeitarão um afastamento de 15 (quinze) metros. Art.13:-Em lotes atingidos por alargamento da via pública, a partir desta data, a área da faixa atingida por este alargamento será computada para fins do índice de aproveitamento. Art.14:-Nenhuma edificação será permitida, na área urbana, se não forem atendidas as seguintes condições, sem prejuízo de outras exigências legais I-O lote terá frente para uma via pública integrante de parcelamento aprovado pelo Poder Público Municipal. II-A edificação prevista deverá respeitar os alinhamentos determinados pelo Poder Público Municipal, ou no caso de não existir projeto definitivo da via, obedecer um afastamento mínimo de 16 (dezesseis) metros do eixo da via. Art.15:-Num mesmo lote, poderão ser construídas mais de uma edificação independente entre si, quando atendidas as seguintes condições: I-A cada edificação corresponderá uma área igual a, no mínimo, 125m² (cento e vinte e cinco metros quadrados). I A cada edificação corresponderá uma área igual a, no mínimo,180,00 m² (cento e oitenta metros quadrados).(redação dada pela Lei Municipal nº 1.411, de 10/06/

18 II-As edificações devem manter, entre si, um afastamento de, no mínimo, 3m (três metros). II As edificações devem manter, entre si, um afastamento de, no mínimo, 05m (cinco metros). (redação dada pela Lei Municipal nº 1.411, de 10/06/2003. III-Quando houver edificações de frente e fundos, a edificação da frente deve observar um afastamento lateral de, no mínimo, 2,50m (dois metros e cinqüenta centímetros). III Quando houver edificações de frente e fundos, a edificação da frente deve observar um afastamento lateral de, no mínimo, 03m (três metros). (redação dada pela Lei Municipal nº 1.411, de 10/06/2003. Parágrafo único: As condições acima serão dispensadas para o caso de implantação de condomínio horizontal, o qual deverá atender às exigências previstas para os condomínios verticais. (redação dada pela Lei Municipal nº 1.411, de 10/06/2003). Art. 15. Num mesmo lote, poderão ser construídas mais de uma edificação, independentes entre si, quando atendidas as seguintes condições: I-A cada edificação corresponderá uma área igual a, no mínimo, 125m² (cento e vinte e cinco metros quadrados). I A cada edificação corresponderá uma área igual a, no mínimo,180,00 m² (cento e oitenta metros quadrados).(redação dada pela Lei Municipal nº 1.411, de 10/06/2003. I - a cada edificação corresponderá uma área territorial igual a, no mínimo, 180,00m² (cento e oitenta metros quadrados); (alterado pela Lei nº 1.584/2006) II-As edificações devem manter, entre si, um afastamento de, no mínimo, 3m (três metros). II As edificações devem manter, entre si, um afastamento de, no mínimo, 05m (cinco metros). (redação dada pela Lei Municipal nº 1.411, de 10/06/2003). III-Quando houver edificações de frente e fundos, a edificação da frente deve observar um afastamento lateral de, no mínimo, 2,50m (dois metros e cinqüenta centímetros). III Quando houver edificações de frente e fundos, a edificação da frente deve observar um afastamento lateral de, no mínimo, 03m (três metros). (redação dada pela Lei Municipal nº 1.411, de 10/06/2003. Parágrafo único: As condições acima serão dispensadas para o caso de implantação de condomínio horizontal, o qual deverá atender às exigências previstas para os condomínios verticais. (redação dada pela Lei Municipal nº 1.411, de 10/06/2003). 18

19 Parágrafo único. As condições mencionadas no inciso II do caput deste artigo serão dispensadas nos seguintes casos: (alterado pela Lei nº 1.584/2006) I - de implantação de condomínio horizontal, o qual deverá atender às exigências previstas para os condomínios verticais; (incluído pela Lei nº 1.542/2005). II - em terrenos localizados na zona comercial I, para edificações de uso misto, comercial e residencial, exceto: (incluído pela Lei nº 1.542/2005). a) os terrenos com testada para a Avenida Brasil localizados nas QUADRAS 6A, 7A, 8A, 9A, 1OA, 6B, 7B, 8B, 9B, 1OB; (incluído pela Lei nº 1.542/2005). b) os terrenos com testada para a Rua Guilherme Hack localizados nas QUADRAS 4M, 4N, 4L, 11M,11N, 11L; (incluído pela Lei nº 1.542/2005). c) os terrenos com testada para a Travessa São Pedro localizados nas QUADRAS 3B, 4B, 11B; (incluído pela Lei nº 1.542/2005). d) os terrenos com testada para a Travessa Ivo Pagani localizados na QUADRA 10B; (incluído pela Lei nº 1.542/2005). e) os terrenos com testada para a Rua Dom Pedro II localizados nas QUADRAS 1B, 2B; (incluído pela Lei nº 1.542/2005). f) os terrenos com testada para a Rua Rio de Janeiro localizados na QUADRA 8M; (incluído pela Lei nº 1.542/2005). g) os terrenos localizados na QUADRA 7M. (incluído pela Lei nº 1.542/2005). Art.16:-Caberá ao Executivo Municipal, após precedido de parecer da Comissão de Parcelamento de Solo Urbano, regulamentar o zoneamento urbano da sede do Município de São Lourenço d Oeste. Art.16. Caberá ao Executivo Municipal, após precedido de parecer da Comissão de Parcelamento de Solo Urbano, regulamentar o zoneamento urbano da sede municipal e dos distritos do Município de São Lourenço do Oeste. (artigo alterado pela Lei nº 1.411/2003) Art.17:-As infrações à presente Lei darão ensejo à cassação do Alvará de Licença, ao embargo administrativo, demolição de obras e aplicação de multas pelo Poder Público Municipal, observados os Códigos de Edificações e de Postura. Art.18:-Esta Lei é parte integrante do Plano de Desenvolvimento Físico-Territorial do Município. Art.19:-Esta lei entra em vigor na data de sua publicação. Art.20:-Revogam-se as disposições em contrário, em especial a Lei n 778, de 11/12/92. Centro Administrativo Municipal de São Lourenço d'oeste, em 23 de setembro de CAIRU HACK Prefeito Municipal 19

20 TABELA 1 Z O N A C O M E R C I A L I PERMITIDO Comércio Comércio Varejista -Utilização Diária -Utilização Periódica -Utilização ocasional Serviços Serviços profissionais vinculados à habitação -Reparação de serviços domiciliares -Serviços de estética pessoal -Confecção sob medida de artigos do vestuário -Serviços profissionais Serviços Pessoais Serviços Domiciliares Serviços de diversão Serviços Serviços de lazer e cultura, comunitários e Sociais -Equipamentos de lazer de uso permanente -Equipamentos de lazer de uso periódico Serviços bancários Serviços auxiliares Serviços públicos PERMISSÍVEL Residencial Habitação coletiva Habitação Unifamiliar Serviços Serviços de reparação e conservação-oficinais -Grupo A -Grupo B Serviço de Transporte Serviços Profissionais e Técnicos Serviços de Comunicação Serviços de Construção civil Serviços de lazer e cultura, comunitários e serviços culturais PROIBIDO Todos os demais 20

PDDUA CLASSIFICAÇÃO DAS ATIVIDADES PARA A ÁREA INTENSIVA ANEXO 5.2(NR) 1. RESIDENCIAL: 1.1.Habitação 1.2.Habitação para zeladoria

PDDUA CLASSIFICAÇÃO DAS ATIVIDADES PARA A ÁREA INTENSIVA ANEXO 5.2(NR) 1. RESIDENCIAL: 1.1.Habitação 1.2.Habitação para zeladoria PDDUA CLASSIFICAÇÃO DAS ATIVIDADES PARA A ÁREA INTENSIVA ANEXO 5.2(NR) 1. RESIDENCIAL: 1.1.Habitação 1.2.Habitação para zeladoria 2. COMÉRCIO 2.1.Comércio varejista 2.1.1. Comércio varejista INÓCUO: 2.1.1.1.

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO DAS ATIVIDADES PARA A ÁREA INTENSIVA

CLASSIFICAÇÃO DAS ATIVIDADES PARA A ÁREA INTENSIVA PDDUA CLASSIFICAÇÃO DAS ATIVIDADES PARA A ÁREA INTENSIVA ANEXO 5.2(NR ) 1. RESIDENCIAL:.1. Habitação.2. Habitação para zeladoria 2. COMÉRCIO.1.Comércio varejista.1.comércio varejista INÓCUO:.1. antigüidades.2.

Leia mais

ANEXO II PLANO DIRETOR DE DESENVOLVIMENTO URBANO AMBIENTAL DE CAPÃO DA CANOA GRUPOS DE ATIVIDADES.

ANEXO II PLANO DIRETOR DE DESENVOLVIMENTO URBANO AMBIENTAL DE CAPÃO DA CANOA GRUPOS DE ATIVIDADES. 1 ANEXO II PLANO DIRETOR DE DESENVOLVIMENTO URBANO AMBIENTAL DE CAPÃO DA CANOA GRUPOS DE ATIVIDADES. 1.HABITAÇÃO 2.MEIOS DE HOSPEDAGEM 3.COMÉRCIO VAREJISTA I 4.COMÉRCIO VAREJISTA II 5.COMÉRCIO VAREJISTA

Leia mais

Dados gerais referentes às empresas do setor industrial, por grupo de atividades - 2005

Dados gerais referentes às empresas do setor industrial, por grupo de atividades - 2005 Total... 147 358 6 443 364 1 255 903 923 1 233 256 750 157 359 927 105 804 733 1 192 717 909 681 401 937 511 315 972 C Indústrias extrativas... 3 019 126 018 38 315 470 32 463 760 4 145 236 2 657 977 35

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO DAS ATIVIDADES ANEXO 02.1

CLASSIFICAÇÃO DAS ATIVIDADES ANEXO 02.1 ANEXO 02.1 2.1 RESIDENCIAL Unifamiliar, para zeladoria e coletiva. 2.2 COMÉRCIO COMÉRCIO VAREJISTA UTILIZAÇÃO DIÁRIA Carnes, fruteira, padaria, armazém e hortomercado UTILIZAÇÃO PERIÓDICA Bar, café elancheria;

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 417, DE 27 DE MARÇO DE 1998

RESOLUÇÃO Nº 417, DE 27 DE MARÇO DE 1998 RESOLUÇÃO Nº 417, DE 27 DE MARÇO DE 1998 Dispõe sobre as empresas industriais enquadráveis nos Artigos 59 e 60 da Lei n.º 5.194/66. O CONSELHO FEDERAL DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E AGRONOMIA, no uso das

Leia mais

JOÃO DOMINGOS RODRIGUES DA SILVA, Prefeito Municipal de Almirante Tamandaré do Sul, Estado do Rio Grande do Sul.

JOÃO DOMINGOS RODRIGUES DA SILVA, Prefeito Municipal de Almirante Tamandaré do Sul, Estado do Rio Grande do Sul. JOÃO DOMINGOS RODRIGUES DA SILVA, Prefeito Municipal de Almirante Tamandaré do Sul, Estado do Rio Grande do Sul. Faço saber que o Legislativo aprovou e eu sanciono e promulgo a seguinte lei: LEI MUNICIPAL

Leia mais

DECRETO Nº 8.183, DE 7 DE MARÇO DE 1983

DECRETO Nº 8.183, DE 7 DE MARÇO DE 1983 LEGISLAÇÃO ATUALIZADA (com alteração: Decreto nº 9.903/1991) ADVERTÊNCIA Informamos aos usuários que os textos dos atos legais referentes à Legislação Municipal são digitalizados ou digitados, portanto,

Leia mais

5 Regime de Atividades 5.1 Grupamento de Atividades 5.2 Classificação de Atividades para Área de Ocupação Intensiva 5.3 Restrição Quanto à

5 Regime de Atividades 5.1 Grupamento de Atividades 5.2 Classificação de Atividades para Área de Ocupação Intensiva 5.3 Restrição Quanto à ANEXO 5 Regime de Atividades 5.1 Grupamento de Atividades 5.2 Classificação de Atividades para Área de Ocupação Intensiva 5.3 Restrição Quanto à Implantação de Atividades na Área de Ocupação Intensiva

Leia mais

Perfil Econômico Municipal

Perfil Econômico Municipal indústria Extração de carvão mineral Extração de petróleo e gás natural Extração de minerais metálicos Extração de minerais não-metálicos Fabricação de alimentos e bebidas Fabricação de produtos do fumo

Leia mais

Tabela de Códigos de Atividades Econômicas - CAE (Título I, Capítulo X, 2.2.2.7, "d", da IN/DRP nº 045/98)

Tabela de Códigos de Atividades Econômicas - CAE (Título I, Capítulo X, 2.2.2.7, d, da IN/DRP nº 045/98) Tabela de Códigos de Atividades Econômicas - CAE (Título I, Capítulo X, 2.2.2.7, "d", da IN/DRP nº 045/98) A) COMÉRCIO VAREJISTA: C A E DESCRIÇÃO DO C A E 801000000 AÇOUGUES E PEIXARIAS 801010000 Açougues

Leia mais

Anexo 5. regime de atividades

Anexo 5. regime de atividades Anexo 5 regime de atividades L.C. 434/99, atualizada e compilada até a L.C. 667/11, incluindo a L.C. 646/10. Prefeitura Municipal de Porto Alegre Secretaria do Planejamento Municipal Grupamento de Atividades

Leia mais

Setor produtivo G07 - Gráfica e Edição Visual/ Papel, Papelão e Cortiça. Contém 953505 estabelecimentos. DESCRIÇÃO DO CNAE 0121-1/01 Horticultura,

Setor produtivo G07 - Gráfica e Edição Visual/ Papel, Papelão e Cortiça. Contém 953505 estabelecimentos. DESCRIÇÃO DO CNAE 0121-1/01 Horticultura, Setor produtivo G07 - Gráfica e Edição Visual/ Papel, Papelão e Cortiça. Contém 953505 estabelecimentos. CNAE DESCRIÇÃO DO CNAE 0121-1/01 Horticultura, exceto morango 0122-9/00 Cultivo de flores e plantas

Leia mais

Setor produtivo G05 - Construção Civil/ Cerâmica. Contém 1286246 estabelecimentos. DESCRIÇÃO DO CNAE 0810-0/02 Extração de granito e beneficiamento

Setor produtivo G05 - Construção Civil/ Cerâmica. Contém 1286246 estabelecimentos. DESCRIÇÃO DO CNAE 0810-0/02 Extração de granito e beneficiamento Setor produtivo G05 - Construção Civil/ Cerâmica. Contém 1286246 estabelecimentos. CNAE DESCRIÇÃO DO CNAE 0810-0/02 Extração de granito e beneficiamento associado 0810-0/03 Extração de mármore e beneficiamento

Leia mais

superfície e com pintura ( exceto a pincel ) superfície e com pintura a pincel

superfície e com pintura ( exceto a pincel ) superfície e com pintura a pincel ATIVIDADES POTENCIAL POLUIDOR MÉDIO Atividades Agropecuárias* Irrigação por Aspersão/Localizada Drenagem Agrícola Criação de Aves de Corte Criação de Aves de Postura Criação de Matrizes e Ovos Incubatório

Leia mais

ANEXO 6 ENQUADRAMENTO DAS ATIVIDADES NOS USOS NÍVEL 1 USOS DE BAIXÍSSIMO IMPACTO E INCOMODIDADE

ANEXO 6 ENQUADRAMENTO DAS ATIVIDADES NOS USOS NÍVEL 1 USOS DE BAIXÍSSIMO IMPACTO E INCOMODIDADE ANEXO 6 ENQUADRAMENTO DAS ATIVIDADES NOS USOS NÍVEL 1 USOS DE BAIXÍSSIMO IMPACTO E INCOMODIDADE Serviços profissionais domiciliares: serviços profissionais liberais, técnicos ou universitários e outras

Leia mais

ESTABELECIMENTOS NO MUNICÍPIO DE PIRACICABA POR SUBSETOR DO COMÉRCIO VAREJISTA - 2000

ESTABELECIMENTOS NO MUNICÍPIO DE PIRACICABA POR SUBSETOR DO COMÉRCIO VAREJISTA - 2000 ESTABELECIMENTOS NO MUNICÍPIO DE PIRACICABA POR SUBSETOR DO COMÉRCIO VAREJISTA - 2000 Comércio Varejista 2000 Comércio a Varejo e por Atacado de VeículosAutomotores 50 Manutenção e Reparação de VeículosAutomotores

Leia mais

ANEXO II Autorização para geração da NFS-e a partir de 05/01/2015. Descrição do Código CNAE 2.0

ANEXO II Autorização para geração da NFS-e a partir de 05/01/2015. Descrição do Código CNAE 2.0 6201-5/00 Desenvolvimento de programas de computador sob encomenda 01.01 6201-5/00 Desenvolvimento de programas de computador sob encomenda 01.02 6190-6/01 Provedores de acesso às redes de comunicações

Leia mais

CAPÍTULO III Dos Usos e Atividades

CAPÍTULO III Dos Usos e Atividades LEI COMPLEMENTAR Nº 550 DE 11 DE NOVEMBRO DE 2011 Dispõe sobre a revisão e alterações no Plano Diretor, conforme arts. 131 e 132, da Lei nº 403, de 27 de dezembro de 2007. O PREFEITO MUNICIPAL DE ITAPERUNA,

Leia mais

GUIA DE PREENCHIMENTO

GUIA DE PREENCHIMENTO GUIA DE PREENCHIMENTO RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES POTENCIALMENTE POLUIDORAS E UTILIZADORAS DE RECURSOS AMBIENTAIS (RAPP) EMISSÕES ATMOSFÉRICAS PLANTAÇÃO/VEGETAÇÃO NATIVA IBAMA, 2014 Guia de Preenchimento

Leia mais

Lei Municipal 3.263/99: ANEXO 3 - CLASSIFICAÇÃO DAS ATIVIDADES QUADRO 1. COMÉRCIO VAREJISTA - CONDIÇÕES PARA INSTALAÇÃO

Lei Municipal 3.263/99: ANEXO 3 - CLASSIFICAÇÃO DAS ATIVIDADES QUADRO 1. COMÉRCIO VAREJISTA - CONDIÇÕES PARA INSTALAÇÃO NA BACIA DE CONTRIBUIÇÃO INDIRETA CÓD. ATIVIDADES EM ÁREA COM IMPLANTADO EM ÁREA SEM COMÉRCIO VAREJISTA DE PRODUTOS ALIMENTÍCIOS 10101 AÇOUGUE E PEIXARIA 10102 BOMBONIÈRE E CONFEITARIA 10103 CONDIMENTOS

Leia mais

ANEXO 1 Regras aplicáveis aos modelos de documentos fiscais

ANEXO 1 Regras aplicáveis aos modelos de documentos fiscais Padrão Mínimo Tipo de Impresso Emissão Operação Série Subsérie Nota Fiscal, modelo 1 Bloco Manual *, 1 a N 4 3 Nota Fiscal, modelo 1 Jogo Solto Mecanizado *, 1 a N 4 3 Nota Fiscal, modelo 1 Jogo Solto

Leia mais

ANEXO V - QUADRO 1 - USOS DO SOLO E MEDIDAS MITIGADORAS MÍNIMAS

ANEXO V - QUADRO 1 - USOS DO SOLO E MEDIDAS MITIGADORAS MÍNIMAS ANEXO V - QUADRO 1 - USOS DO SOLO E MÍNIMAS Parte integrante da Lei Complementar de Uso e Ocupação do Solo Açougue, padaria, farmácia, peixaria, bares e lanchonetes com no máximo 100 m² de área construída.

Leia mais

CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS

CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS 1 LEI Nº 142/ 82. DE 20 DE 12 DE 1982. DISPÕE SOBRE O ZONEAMENTO DE USOS DO SOLO URBANO. A CÂMARA MUNICIPAL DE PIRENÓPOLIS aprovou e eu PREFEITO MUNICIPAL, sanciono a seguinte Lei: CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES

Leia mais

ANEXO 1 COMPOSIÇÃO DAS SEÇÕES DE ATIVIDADE DA CLASSIFICAÇÃO NACIONAL DE ATIVIDADES ECONÔMICAS DOMICILIAR 2.0 - CNAE- DOMICILIAR 2.

ANEXO 1 COMPOSIÇÃO DAS SEÇÕES DE ATIVIDADE DA CLASSIFICAÇÃO NACIONAL DE ATIVIDADES ECONÔMICAS DOMICILIAR 2.0 - CNAE- DOMICILIAR 2. ANEXO 1 COMPOSIÇÃO DAS SEÇÕES DE ATIVIDADE DA CLASSIFICAÇÃO NACIONAL DE ATIVIDADES ECONÔMICAS DOMICILIAR 2.0 - CNAE- DOMICILIAR 2.0 AGRICULTURA, PECUÁRIA, PRODUÇÃO FLORESTAL, PESCA E AQUICULTURA AGRICULTURA,

Leia mais

ANEXO VII Relação das atividades dispensadas de licenciamento ambiental. Dispensada de Licenciamento

ANEXO VII Relação das atividades dispensadas de licenciamento ambiental. Dispensada de Licenciamento ANEXO VII Relação das atividades dispensadas de licenciamento ambiental Atividades Dispensada de Licenciamento Indústrias Diversas, estocagem, alimentos, serviços e obras Academias da Ginástica e Fisioterapia.

Leia mais

LEI Nº 751, DE 04 DE JANEIRO DE 2007.

LEI Nº 751, DE 04 DE JANEIRO DE 2007. LEI Nº 751, DE 04 DE JANEIRO DE 2007. Consolida a Lei de Diretrizes Urbanas (LDU) do município de Marques de Souza, e dá outras providências. DORIVAL KÜNZEL, Prefeito Municipal de Marques de Souza, Estado

Leia mais

Anexo 1. Listagem das actividades do sector terciário que responderam ao inquérito municipal. nº

Anexo 1. Listagem das actividades do sector terciário que responderam ao inquérito municipal. nº Anexo 1 Listagem das actividades do sector terciário que responderam ao inquérito municipal. nº empresas C.A.E. Sector terciário 46 41200 Construção de edifícios (residenciais e não residenciais). 37 56301

Leia mais

ANEXO II CLASSIFICAÇÃO DAS ATIVIDADES POR CATEGORIA DE USO DA EDIFICAÇÃO

ANEXO II CLASSIFICAÇÃO DAS ATIVIDADES POR CATEGORIA DE USO DA EDIFICAÇÃO 45 LEI COMPLEMENTAR Nº..., DE...de...de 2006 ANEXO II CLASSIFICAÇÃO DAS ATIVIDADES POR CATEGORIA DE USO DA EDIFICAÇÃO 1 RESIDENCIAL UNIFAMILIAR Correspondente a uma habitação por lote ou conjunto de lotes.

Leia mais

Região Zona da Mata. Regional Agosto 2013

Região Zona da Mata. Regional Agosto 2013 O mapa mostra a divisão do estado de Minas Gerais para fins de planejamento. A região de planejamento Zona da Mata engloba a Fiemg Regional Zona da Mata. Região Zona da Mata GLOSSÁRIO Setores que fazem

Leia mais

CATEGORIAS E GRUPOS PARA ENQUADRAMENTO IMPORTANTE. 1.- Para cada x assinalado, enviar no mínimo 02 (dois) atestados de cada categoria;

CATEGORIAS E GRUPOS PARA ENQUADRAMENTO IMPORTANTE. 1.- Para cada x assinalado, enviar no mínimo 02 (dois) atestados de cada categoria; CATEGORIAS E PARA ENQUADRAMENTO IMPORTANTE 1.- Para cada x assinalado, enviar no mínimo 02 (dois) atestados de cada categoria; 2.- Os atestados deverão: 2.1.- Ser apresentados rigorosamente de acordo com

Leia mais

Fabricação de artigos do vestuário, produzidos em malharias e tricotagens, exceto meias

Fabricação de artigos do vestuário, produzidos em malharias e tricotagens, exceto meias CNAE Grupo CNAE Descrição CNAE Grau de risco 4.-8 4 Confecção de roupas íntimas 4.-6 4 Confecção de peças do vestuário, exceto roupas íntimas 4.3-4 4 Confecção de roupas profissionais 4.4-4 Fabricação

Leia mais

Inovações organizacionais e de marketing

Inovações organizacionais e de marketing e de marketing Pesquisa de Inovação 2011 Tabela 1.1.22 -, total e as que não implementaram produto ou processo e sem projetos, com indicação das inovações e gás - Brasil - período 2009-2011 (continua)

Leia mais

Art. 1º A alínea c do Inciso II do Artigo 29 da Lei Complementar nº 108/2009 passa a ter a seguinte redação:

Art. 1º A alínea c do Inciso II do Artigo 29 da Lei Complementar nº 108/2009 passa a ter a seguinte redação: LEI COMPLEMENTAR Nº 194, DE 02 DE ABRIL DE 2014. Altera alíneas dos artigos 29 e 30 e o Anexo V da Lei Complementar 108, de 05 de novembro de 2009, que dispõe sobre o zoneamento, o uso e a ocupação do

Leia mais

Prefeitura Municipal de Nova Ubiratã Gestão: 2001/2004 LEI N 200/2001 DATA: 20 DE DEZEMBRO DE 2001

Prefeitura Municipal de Nova Ubiratã Gestão: 2001/2004 LEI N 200/2001 DATA: 20 DE DEZEMBRO DE 2001 LEI N 200/2001 DATA: 20 DE DEZEMBRO DE 2001 SÚMULA: SÚMULA REGULAMENTA OS SERVIÇOS DE FISCALIZAÇÃO REALIZADOS EM ESTABELECIMENTOS COMERCIAIS, INDUSTRIAIS, PRESTADORES DE SERVIÇOS, E DA OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE MAQUINÉ LEI NO. 327/97 DE 22 DE DEZEMBRO DE 1997.

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE MAQUINÉ LEI NO. 327/97 DE 22 DE DEZEMBRO DE 1997. ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE MAQUINÉ LEI NO. 327/97 DE 22 DE DEZEMBRO DE 1997. Institui o PLANO DIRETOR de MAQUINÉ, suas Diretrizes Gerais e dá outras providências. EDENIR JOSÉ RECH,

Leia mais

PGT - 1* para AUTOMÓVEIS. 1 vaga / unid com área 150 m² 1 vaga / unid c/ área 150 m² 2 vagas / unidade 1 vaga / 5 unidades

PGT - 1* para AUTOMÓVEIS. 1 vaga / unid com área 150 m² 1 vaga / unid c/ área 150 m² 2 vagas / unidade 1 vaga / 5 unidades USO para AUTOMÓVEIS PGT - 1* para AUTOMÓVEIS para BICICLETAS para MOTOCICLETAS Residências Unifamiliares 1 vaga/ unidade - - - 1 vaga / unidade Condomínios Unifamiliares - 2 vagas / unidade 1 vaga de visitante

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 0015, DE 13 DE AGOSTO DE 2012

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 0015, DE 13 DE AGOSTO DE 2012 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 0015, DE 13 DE AGOSTO DE 2012 Publicada no DOE(Pa) de 14.08.12. Vide IN 16/12, que trata do registro eletrônico de documentos fiscais. Alterada pelas IN 17/12, 03/14, 23/14. Vide

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE VENDA NOVA DO IMIGRANTE ESTADO DO ESPÍRITO SANTO

PREFEITURA MUNICIPAL DE VENDA NOVA DO IMIGRANTE ESTADO DO ESPÍRITO SANTO PREFEITURA MUNICIPAL DE VENDA NOVA DO IMIGRANTE ESTADO DO ESPÍRITO SANTO LEI Nº668/2005 DISPÕE SOBRE ALTERAÇÃO NO CÓDIGO TRIBUTÁRIO MUNICIPAL - LEI Nº513/2001. O Prefeito Municipal de Venda Nova do Imigrante,

Leia mais

PREFEITURA MU ICIPAL DE PALMAS SECRETARIA MU ICIPAL DE GOVER O

PREFEITURA MU ICIPAL DE PALMAS SECRETARIA MU ICIPAL DE GOVER O LEI COMPLEMENTAR Nº 273, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2012. Altera o art. 59 da Lei nº 386, de 17 de fevereiro de 1993, e dá outras providências. O PREFEITO DE PALMAS Faço saber que a Câmara Municipal de Palmas

Leia mais

ANEXO 8B - TIPO DE ATIVIDADES INDUSTRIAIS CLASSIFICADAS POR POTENCIAL POLUIDOR Para atividades não listadas ver classificiação da FEPAM.

ANEXO 8B - TIPO DE ATIVIDADES INDUSTRIAIS CLASSIFICADAS POR POTENCIAL POLUIDOR Para atividades não listadas ver classificiação da FEPAM. INDUSTRIA DE MINERAIS NAO-METÁLICOS Beneficiamento de Minerais Não-Metálicos Beneficiamento de Minerais Não-Metálicos, com Tingimento Beneficiamento de Minerais Não-Metálicos, sem Tingimento Beneficiamento

Leia mais

Laboratórios - Aparelhos, artigos e equipamentos

Laboratórios - Aparelhos, artigos e equipamentos RELAÇÃO DE EMPRESAS QUE GASTAM BASTANTE EM TELEFONIA Abraçadeiras Fábricas e indústrias em geral Abrasivos Esquadrias de alumínio, madeira e metálicas Aço (de todos os tipos de empresas) Estamparia Acrilico

Leia mais

Coeficiente de Especializaçao dos Empregos na Industria Região Administrativa de Franca

Coeficiente de Especializaçao dos Empregos na Industria Região Administrativa de Franca Coeficiente de Especializaçao dos Empregos na Industria Região Administrativa de Franca Franca Total da Indústria NA NA Indústria Extrativa 0,157899 0,018606 Indústria de Transformação 99,842101 99,981394

Leia mais

Formulário de Resíduos Sólidos

Formulário de Resíduos Sólidos Quem deve preencher este formulário? Geradores de resíduos sólidos, perigosos ou não, que realizem atividades relacionadas no Anexo I da Instrução Normativa Ibama nº 13/12, disponível no link abaixo (também

Leia mais

Comércio Varejista e Serviços Tipo II

Comércio Varejista e Serviços Tipo II USO ANEXO 02 ATIVIDADE RESIDENCIAL R.1 Residencial Tipo I Residência unifamiliar R.2 Residencial Tipo II Residência multifamiliar horizontal R.3 Residencial Tipo III Residência multifamiliar vertical R.4

Leia mais

COMÉRCIO; REPARAÇÃO DE VEÍCULOS AUTOMOTORES E MOTOCICLETAS 45 COMÉRCIO E REPARAÇÃO DE VEÍCULOS AUTOMOTORES E MOTOCICLETAS

COMÉRCIO; REPARAÇÃO DE VEÍCULOS AUTOMOTORES E MOTOCICLETAS 45 COMÉRCIO E REPARAÇÃO DE VEÍCULOS AUTOMOTORES E MOTOCICLETAS Código CNAE 2.0 Seção Divisão Grupo Classe Subclasse G Denominação COMÉRCIO; REPARAÇÃO DE VEÍCULOS AUTOMOTORES E MOTOCICLETAS 45 COMÉRCIO E REPARAÇÃO DE VEÍCULOS AUTOMOTORES E MOTOCICLETAS 45.1 Comércio

Leia mais

Art. 1º - Esta Lei altera dispositivos da Lei Municipal N.º 104/98 - Código Tributário Municipal -, e da outras providências.

Art. 1º - Esta Lei altera dispositivos da Lei Municipal N.º 104/98 - Código Tributário Municipal -, e da outras providências. LEI MUNICIPAL N.º 119 / 99 De 15 de dezembro de 1999. Dispõe sobre alteração da Lei Municipal 104/98 - Código Tributário Municipal - e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE SEABRA, Estado da

Leia mais

ANEXO 11 Usos e Atividades

ANEXO 11 Usos e Atividades Usos e s omércio varejista de mercado- 52.13-2 omércio varejista de mercadorias em geral, com rias em geral com predominância predominância de produtos alimentícios, com área de de produtos alimentícios.

Leia mais

LEI MUNICIPAL N.º 3.464, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2008

LEI MUNICIPAL N.º 3.464, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2008 ANEXO 2 CATEGORIAS DE ATIVIDADES E CLASSIFICAÇÃO Residências Unifamiliares RU Compreendendo: a) residências unifamiliares isoladas; b) residências unifamiliares agrupadas, geminadas ou em série; c) condomínios

Leia mais

LC nº 16/2005 TABELA I USOS COMERCIAIS

LC nº 16/2005 TABELA I USOS COMERCIAIS LC nº 16/2005 TABELA I USOS COMERCIAIS COM. VICINAL 1 OBS. 1 COM. DE BAIRRO OBS. 2 GRUPO A OBS. 3 GRUPO B GRUPO C COM. SETORIAL OBS. 4 e 5 COM. GERAL OBS. 5 GERAL 1 GERAL 2 GRUPO A COM. ESPECÍFICO OBS.

Leia mais

ANEXO 03 Atividades Industriais

ANEXO 03 Atividades Industriais ANEXO 03 Atividades Industriais ATIVIDADE INDUSTRIAL INDUSTRIA DE MINERAIS NAO-METALICOS Beneficiamento de Minerais Não-Metálicos Beneficiamento de Minerais Não-Metálicos, sem Tingimento e com Britagem

Leia mais

Setor produtivo G01 - Alimentação/ Bebidas/ Massas. Contém 1120204 estabelecimentos. DESCRIÇÃO DO CNAE 0111-3/99 Cultivo de outros cereais não

Setor produtivo G01 - Alimentação/ Bebidas/ Massas. Contém 1120204 estabelecimentos. DESCRIÇÃO DO CNAE 0111-3/99 Cultivo de outros cereais não Setor produtivo G01 - Alimentação/ Bebidas/ Massas. Contém 1120204 estabelecimentos. CNAE DESCRIÇÃO DO CNAE 0111-3/99 Cultivo de outros cereais não especificados anteriormente 0116-4/99 Cultivo de outras

Leia mais

ESTADO DO TOCANTINS MUNICÍPIO DE COLINAS DO TOCANTINS LEI COMPLEMENTAR, N.º 1.379/2014, DE 30 DE DEZEMBRO DE 2014.

ESTADO DO TOCANTINS MUNICÍPIO DE COLINAS DO TOCANTINS LEI COMPLEMENTAR, N.º 1.379/2014, DE 30 DE DEZEMBRO DE 2014. LEI COMPLEMENTAR, N.º 1.379/2014, DE 30 DE DEZEMBRO DE 2014. Altera a Lei Municipal n. 1.133 de 31 de dezembro de 2010 que institui o Código Tributário do Município de Colinas do Tocantins e da outras

Leia mais

RESOLUÇÃO SMAC nº 577 de 02 de dezembro de 2014*

RESOLUÇÃO SMAC nº 577 de 02 de dezembro de 2014* RESOLUÇÃO SMAC nº 577 de 02 de dezembro de 2014* Estabelece parâmetros para o Licenciamento Ambiental das atividades de comércio atacadista e de confecção e fabricação de produtos têxteis. O SECRETÁRIO

Leia mais

Portaria nº. 188 de outubro de 2006.

Portaria nº. 188 de outubro de 2006. Portaria nº. 188 de outubro de 2006. O Secretário de Estado do Desenvolvimento Ambiental, no uso das atribuições que lhe confere o Decreto Lei n 8.982, artigo 38 de 31 de Janeiro de 2000. Considerando

Leia mais

A MULHER NO MERCADO DE TRABALHO PARANAENSE

A MULHER NO MERCADO DE TRABALHO PARANAENSE 1 Março 2008 A MULHER NO MERCADO DE TRABALHO PARANAENSE Ângela da Matta Silveira Martins * Esta nota técnica apresenta algumas considerações sobre a inserção da mão-de-obra feminina no mercado de trabalho

Leia mais

ANEXO II USOS DO SOLO

ANEXO II USOS DO SOLO CAT. CSI - comércio, serviços e instituições RES - residencial ANEXO II USOS DO SOLO USOS Residencial R1 R2 R3 R4 R5 CSI - comércio, serviços e instituições açougues e peixarias (carnes e derivados) antigüidades

Leia mais

Código de Descrição da Atividade UFIR/ANO atividade

Código de Descrição da Atividade UFIR/ANO atividade 1. Setor Primário 1.1 Agricultura e sevicultura 325 1.2 Criação de animais, crustáceos e batráquios 325 1.3 Extração vegetal 1575 1.4 Pesca 325 2. Indústria de Transformação 2.1 Minerais não-metálicos

Leia mais

REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL

REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL Comprovante de Inscrição e de Situação Cadastral Contribuinte, Confira os dados de Identificação da Pessoa Jurídica e, se houver qualquer divergência, providencie junto à RFB a sua atualização cadastral.

Leia mais

ANEXO I - Obrigatoriedade da NFS-e a partir de 01/09/2009 CÓDIGO DE ATIVIDADE CNAE 2.0

ANEXO I - Obrigatoriedade da NFS-e a partir de 01/09/2009 CÓDIGO DE ATIVIDADE CNAE 2.0 ANEXO I - Obrigatoriedade da NFS-e a partir de 01/09/2009 CÓDIGO DE ATIVIDADE CNAE 2.0 Código Descrição 1830-0/03-00 REPRODUCAO DE SOFTWARE EM QUALQUER SUPORTE 6190-6/01-00 PROVEDORES DE ACESSO AS REDES

Leia mais

Quinta-feira, 17 de Outubro de 2013 Edição n 1165

Quinta-feira, 17 de Outubro de 2013 Edição n 1165 ANEXO ÚNICO DA LEI MUNICIPAL Nº 1.501 DE 16 DE OUTUBRO DE 2013 3011-3/01 Construção de embarcações de grande porte 3311- Manutenção e reparação de tanques, reservatórios metálicos e caldeiras, 2/00 exceto

Leia mais

ATIVIDADES PERMITIDAS EM ESCRITÓRIO VIRTUAL

ATIVIDADES PERMITIDAS EM ESCRITÓRIO VIRTUAL 3011-3/01 Construção de embarcações de grande porte 3250-7/06 Serviços de prótese dentária 3311-2/00 Manutenção e reparação de tanques, reservatórios metálicos e caldeiras, exceto para veículos 3312-1/01

Leia mais

Relação de (Classificação Nacional de Atividades Econômicas) cujos contribuintes estão obrigados à Escrituração A partir desta competência, os contribuintes que iniciarem atividades ou que mudarem a atividade

Leia mais

PORTARIA Nº 490/DGAC, de 06 de setembro de 1996.

PORTARIA Nº 490/DGAC, de 06 de setembro de 1996. SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA AERONÁ UTICA DEPARTAMENTO DE AVIAÇÃO CIVIL PORTARIA Nº 490/DGAC, de 06 de setembro de 1996. Aprova e Efetiva o Plano Específico de Zoneamento de Ruído do Aeroporto

Leia mais

ANEXO 3.4 folha 1/10 ATIVIDADES PERMITIDAS CONFORME SUA ZONA AMBIENTAL

ANEXO 3.4 folha 1/10 ATIVIDADES PERMITIDAS CONFORME SUA ZONA AMBIENTAL ANEXO 3.4 folha 1/10 ZA R1 de duas economias) comunitários e clubes e ZA R2 comunitários e clubes e ANEXO 3.4 folha 2/10 ZA M1 CATEGORIA 2 - Comercial e de Serviços (com até 300,00 m² de área construída)

Leia mais

TABELA II SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE PÚBLICA TAXAS

TABELA II SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE PÚBLICA TAXAS Lei nº 5.655/91 TABELA II SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE PÚBLICA TAXAS DISCRIMINAÇÃO DE INCIDÊNCIA Divisão de Controle da Qualidade dos Alimentos - D.C.Q.A. 1 Estabelecimentos que lidam com gêneros alimentícios

Leia mais

LEI Nº 2.778, DE 22 DE NOVEMBRO DE 2013. Publicada no Diário Oficial nº 4.010

LEI Nº 2.778, DE 22 DE NOVEMBRO DE 2013. Publicada no Diário Oficial nº 4.010 LEI Nº 2.778, DE 22 DE NOVEMBRO DE 2013. Publicada no Diário Oficial nº 4.010 Institui o Cadastro Técnico Estadual de Atividades Potencialmente Poluidoras ou Utilizadoras de Recursos Ambientais - CTE e

Leia mais

ESTADO DO PARÁ PREFEITURA MUNICIPAL DE TUCURUÍ GABINETE DO PREFEITO C.N.P.J : 05.251.632/0001-41

ESTADO DO PARÁ PREFEITURA MUNICIPAL DE TUCURUÍ GABINETE DO PREFEITO C.N.P.J : 05.251.632/0001-41 LEI Nº 8.549, de 15 de dezembro de 2009. Dispõe sobre alteração da base de cálculo e alíquotas constantes das Tabelas I e VI de que tratam os artigos 198 e 223 do Código Tributário Municipal e dá outras

Leia mais

CONSELHO DO MEIO AMBIENTE DO DISTRITO FEDERAL RESOLUÇÃO Nº03/2014, DE 22 DE JULHO DE 2014

CONSELHO DO MEIO AMBIENTE DO DISTRITO FEDERAL RESOLUÇÃO Nº03/2014, DE 22 DE JULHO DE 2014 CONSELHO DO MEIO AMBIENTE DO DISTRITO FEDERAL RESOLUÇÃO Nº03/2014, DE 22 DE JULHO DE 2014 Dispõe sobre a dispensa de licenciamento ambiental para empreendimentos/atividades de baixo potencial poluidor/degradador

Leia mais

ESTADO DA PARAÍBA PREFEITURA MUNICIPAL DE JOÃO PESSOA Gabinete do Prefeito

ESTADO DA PARAÍBA PREFEITURA MUNICIPAL DE JOÃO PESSOA Gabinete do Prefeito 1 DECRETO N o 5.343/2005 De 28 de Junho de 2005 ESTABELECE A DELIMITAÇÃO DO PARQUE DO CABO BRANCO, INSTRUÇÕES NORMATIVAS DE ZONEAMENTO URBANO E AMBIENTAL, A CONTRAPARTIDA FINANCEIRA DOS EMPREENDIMENTOS

Leia mais

CNAE-Domiciliar e correspondência com a CNAE e PNAD. CNAE-Domiciliar - correspondências CNAE e PNAD/CD91

CNAE-Domiciliar e correspondência com a CNAE e PNAD. CNAE-Domiciliar - correspondências CNAE e PNAD/CD91 CNAE-Domiciliar - correspondências CNAE e PNAD/CD91 CÓDIGOS DENOMINAÇÕES CNAE CLASSIFICAÇÕES PNAD/CD91 01101 Cultivo de arroz *0111 013 01102 Cultivo de milho *0111 020 01103 Cultivo de outros cereais

Leia mais

Setor produtivo G02 - Automotivo/ Máquinas e Equipamentos/ Elétrico-Eletrônico. Contém 1269629 estabelecimentos. DESCRIÇÃO DO CNAE 0113-0/00 Cultivo

Setor produtivo G02 - Automotivo/ Máquinas e Equipamentos/ Elétrico-Eletrônico. Contém 1269629 estabelecimentos. DESCRIÇÃO DO CNAE 0113-0/00 Cultivo Setor produtivo G02 - Automotivo/ Máquinas e Equipamentos/ Elétrico-Eletrônico. Contém 1269629 estabelecimentos. CNAE DESCRIÇÃO DO CNAE 0113-0/00 Cultivo de cana-de-açúcar 0115-6/00 Cultivo de soja 0724-3/01

Leia mais

GUIA DE PREENCHIMENTO

GUIA DE PREENCHIMENTO GUIA DE PREENCHIMENTO RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES POTENCIALMENTE POLUIDORAS E UTILIZADORAS DE RECURSOS AMBIENTAIS (RAPP) CERTIFICADOS AMBIENTAIS VERSÃO 2 IBAMA JANEIRO, 2015 Certificados ambientais 2

Leia mais

Apêndice A: Algumas Tabelas Usadas no Texto

Apêndice A: Algumas Tabelas Usadas no Texto Apêndice A: Algumas Tabelas Usadas no Texto Tabela 1 alança Tecnológica Sectorial de Portugal Período 1996-98 Fonte: anco de Portugal CAE Total Direitos de utilização e Propriedade Industrial Serv. assistência

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS ANEXO 21

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS ANEXO 21 (ACC) (ACC) Academia de ginástica, Escola de natação, Escola de dança AC 250m² >1000 101 / 50m² 01/35 Agência bancária, Financeira em geral 01 / 50m² 1 valores / 600m² (*) Alojamento de animal doméstico,

Leia mais

DECRETO Nº 71 DE 26 DE JANEIRO DE 2015

DECRETO Nº 71 DE 26 DE JANEIRO DE 2015 DECRETO Nº 71 DE 26 DE JANEIRO DE 2015 Estabelece a tabela com a indicação e classificação dos diversos tipos de empreendimentos ou atividades que se enquadram em cada classificação de uso do solo estabelecidos

Leia mais

EXCLUSÃO DO VALOR DO ACRÉSCIMO FINANCEIRO DA BASE DE CÁLCULO DO ICMS - Procedimentos e Requisitos

EXCLUSÃO DO VALOR DO ACRÉSCIMO FINANCEIRO DA BASE DE CÁLCULO DO ICMS - Procedimentos e Requisitos EXCLUSÃO DO VALOR DO ACRÉSCIMO FINANCEIRO DA BASE DE CÁLCULO DO ICMS - Procedimentos e Requisitos Matéria elaborada com base na Legislação vigente em 25.09.2012. Sumário: 1 - INTRODUÇÃO 2 - TIPOS DE ACRÉSCIMO

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

O GOVERNADOR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro decreta e eu sanciono a seguinte Lei: O GOVERNADOR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 5438, DE 17 DE ABRIL DE 2009 Institui o cadastro

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL MUNICÍPIO DE CHARQUEADAS COMUMA - CONSELHO MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL MUNICÍPIO DE CHARQUEADAS COMUMA - CONSELHO MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL MUNICÍPIO DE CHARQUEADAS COMUMA CONSELHO MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE RESOLUÇÃO 041 de 13 de Julho de 2010. Dispõe sobre o enquadramento das atividades licenciáveis e codificadas

Leia mais

6.20 - Itapeva ITAPEVA. Onde estão as Micro e Pequenas Empresas em São Paulo

6.20 - Itapeva ITAPEVA. Onde estão as Micro e Pequenas Empresas em São Paulo 6.20 - Itapeva ITAPEVA Na Região de Governo de Itapeva 43, em 2004, no grupo das micro e pequenas empresas (MPEs), existiam 6.546 estabelecimentos no comércio, 2.335 no setor de serviços e 874 na indústria.

Leia mais

PREFEITURA DE PALMAS 1

PREFEITURA DE PALMAS 1 PREFEITURA DE PALMAS 1 ANEXO UNICO 31/12/2005 Secretaria Municipal de Finanças Relação de Atividades CNAE para Informação das faixas para lançamento da TLF e controle DMS INDUSTRIA 1.01 011 PRODUCAO DE

Leia mais

TIPOS CATEGORIA INCÔMODO* USO ATIVIDADE ANI AI 1 AI 2 1 2 3 4 5 6 7 8 R

TIPOS CATEGORIA INCÔMODO* USO ATIVIDADE ANI AI 1 AI 2 1 2 3 4 5 6 7 8 R R RESIDENCIAL R.1 R.2 Residência unifamiliar Residência multifamiliar horizontal R.3 R.4 CS CS.1 COMÉRCIO E SERVIÇOS 1.1 Açougue / Comércio de Embutidos 1.2 Armazém 1.3 Bomboniére 1.4 Mercado / Mercearia

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE GOIÁS Gabinete Civil da Governadoria Superintendência de Legislação.

GOVERNO DO ESTADO DE GOIÁS Gabinete Civil da Governadoria Superintendência de Legislação. GOVERNO DO ESTADO DE GOIÁS Gabinete Civil da Governadoria Superintendência de Legislação. LEI N º 14.384, DE 31 DE DEZEMBRO DE 2002. Institui o Cadastro Técnico Estadual de Atividades Potencialmente Poluidoras

Leia mais

CÓDIGO DE ATIVIDADE - PESQUISA PADRÕES DE VIDA -1996-1997. A relação dos Códigos de Atividade refere-se as seguintes seções:

CÓDIGO DE ATIVIDADE - PESQUISA PADRÕES DE VIDA -1996-1997. A relação dos Códigos de Atividade refere-se as seguintes seções: DE ATIVIDADE - PESQUISA PADRÕES DE VIDA -1996-1997 A relação dos Códigos de Atividade refere-se as seguintes seções: Seção 06 - Atividade Econômica Parte B: Trabalho Principal nos últimos 7 dias - Quesito

Leia mais

Descrição CNAE FABRICACAO DE OLEOS VEGETAIS REFINADOS, EXCETO OLEO DE MILHO 1/4/2010

Descrição CNAE FABRICACAO DE OLEOS VEGETAIS REFINADOS, EXCETO OLEO DE MILHO 1/4/2010 Descrição CNAE Início da obrigatoriedade 0722701 EXTRACAO DE MINERIO DE ESTANHO 1/4/2010 0722702 BENEFICIAMENTO DE MINÉRIO DE ESTANHO 1/4/2010 1011201 FRIGORIFICO - ABATE DE BOVINOS 1/4/2010 1011202 FRIGORÍFICO

Leia mais

PRODUTOS SUJEITOS A SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA. CONVÊNIO OU PROTOCOLO Conv. ICMS 045/99 Prot. ICMS 019/92 Conv. ICMS 037/94 DISPOSITIVO DO RICMS

PRODUTOS SUJEITOS A SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA. CONVÊNIO OU PROTOCOLO Conv. ICMS 045/99 Prot. ICMS 019/92 Conv. ICMS 037/94 DISPOSITIVO DO RICMS PRODUTOS SUJEITOS A SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA MERCADORIA Venda porta-a-porta de quaisquer mercadorias destinadas a revendedores não inscritos Cigarros e outros produtos derivados do fumo Cimento Refrigerante,

Leia mais

Setores obrigados a emitir Nota Fiscal Eletrônica

Setores obrigados a emitir Nota Fiscal Eletrônica Setores obrigados a emitir Nota Fiscal Eletrônica Setores obrigados a emitir NF-e em Abril/2010 (Inclui todos os setores já obrigados a emitir NF-e nas relações divulgadas anteriormente: Abril/2008, Dezembro/2008,

Leia mais

Diretoria de Pesquisas COIND. Índice de Preços ao Produtor

Diretoria de Pesquisas COIND. Índice de Preços ao Produtor Diretoria de Pesquisas COIND Índice de Preços ao Produtor Índice de Preços ao Produtor Indústrias de Transformação Resultados Outubro 2012 Principais Indicadores Indústrias de Transformação AGO SET OUT

Leia mais

CONSELHO ESTADUAL DO MEIO AMBIENTE. Resolução CONSEMA n.º 102, de 24 maio de 2005.

CONSELHO ESTADUAL DO MEIO AMBIENTE. Resolução CONSEMA n.º 102, de 24 maio de 2005. CONSELHO ESTADUAL DO MEIO AMBIENTE Resolução CONSEMA n.º 102, de 24 maio de 2005. Dispõe sobre os critérios para o exercício da competência do Licenciamento Ambiental Municipal, no âmbito do Estado do

Leia mais

GUIA DE PREENCHIMENTO

GUIA DE PREENCHIMENTO GUIA DE PREENCHIMENTO RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES POTENCIALMENTE POLUIDORAS E UTILIZADORAS DE RECURSOS AMBIENTAIS (RAPP) EMISSÕES ATMOSFÉRICAS EMISSÕES DE POLUENTES ATMOSFÉRICOS VERSÃO 2 IBAMA JANEIRO,

Leia mais

LEI DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL Nº 14.460 DE 16.01.2014

LEI DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL Nº 14.460 DE 16.01.2014 LEI DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL Nº 14.460 DE 16.01.2014 D.O.E/RS - 17.01.2014 Dispõe sobre o reajuste dos pisos salariais, no âmbito do Estado do Rio Grande do Sul, para as categorias profissionais

Leia mais

GUIA DE PREENCHIMENTO

GUIA DE PREENCHIMENTO GUIA DE PREENCHIMENTO RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES POTENCIALMENTE POLUIDORAS E UTILIZADORAS DE RECURSOS AMBIENTAIS (RAPP) EFLUENTES LÍQUIDOS VERSÃO 2 IBAMA JANEIRO, 2015 Efluentes Líquidos 2 Índice Quem

Leia mais

Processos Especiais de Revitalização Homologados: por Classificação de Actividades Económicas (CAE) desagregada

Processos Especiais de Revitalização Homologados: por Classificação de Actividades Económicas (CAE) desagregada Processos Especiais de Revitalização Homologados: por Classificação de Actividades Económicas (CAE) desagregada Divisão Grupo Classe Designação Nº de Processos 0 Agricultura, produção animal, caça, floresta

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PALMAS SECRETARIA MUNICIPAL DE GOVERNO

PREFEITURA MUNICIPAL DE PALMAS SECRETARIA MUNICIPAL DE GOVERNO LEI COMPLEME TAR º 203, DE 17 DE MARÇO DE 2010 Regulamenta os usos admitidos e índices urbanísticos da Área de Urbanização de Interesse Turístico - AUIT do município de Palmas seguinte Lei: O PREFEITO

Leia mais

Anexos. 1 - Lista de produtos específicos do turismo. 2 - Lista de atividades e produtos característicos do turismo

Anexos. 1 - Lista de produtos específicos do turismo. 2 - Lista de atividades e produtos característicos do turismo Anexos 1 - Lista de produtos específicos do turismo 2 - Lista de atividades e produtos característicos do turismo Anexos (continua) 63110.0 Serviços de alojamento em hotéis e motéis 63191.0 Serviços de

Leia mais

1 - Lista de produtos específi cos de turismo

1 - Lista de produtos específi cos de turismo Anexos 1 - Lista de produtos específi cos de turismo Economia do Turismo Análise das atividades características do turismo 2003 (continua) 63110.0 Serviços de alojamento em hotéis e motéis 63191.0 Serviços

Leia mais

MINISTÉRIO DA AERONÁUTICA

MINISTÉRIO DA AERONÁUTICA MINISTÉRIO DA AERONÁUTICA PORTARIA Nº 669 / DGAC, 27 de dezembro de 1994. Aprova o Plano Específico de Zoneamento de Ruído do Aeroporto Hercílio Luz/Florianópolis SC. O Diretor-Geral do Departamento de

Leia mais

ANEXO III QUADROS DE PARÂMETROS DE USO E OCUPAÇÃO DO SOLO

ANEXO III QUADROS DE PARÂMETROS DE USO E OCUPAÇÃO DO SOLO ANEXO III QUADROS DE PARÂMETROS DE USO E SOLO USOS PERMITI PERMISSÍVEL PROIBI Habitação unifamiliar uma por lote Comércio e serviço vicinal de pequeno porte 1 e 2 Comércio e serviço de bairro Comunitário

Leia mais